(navigation image)
Home American Libraries | Canadian Libraries | Universal Library | Community Texts | Project Gutenberg | Children's Library | Biodiversity Heritage Library | Additional Collections
Search: Advanced Search
Anonymous User (login or join us)
Upload
See other formats

Full text of "Come: the inspiring word of grace"

This is a digital copy of a book that was preserved for generations on library shelves before it was carefully scanned by Google as part of a project 
to make the world's books discoverable online. 

It has survived long enough for the copyright to expire and the book to enter the public domain. A public domain book is one that was never subject 
to copyright or whose legal copyright term has expired. Whether a book is in the public domain may vary country to country. Public domain books 
are our gateways to the past, representing a wealth of history, culture and knowledge that's often difficult to discover. 

Marks, notations and other marginalia present in the original volume will appear in this file - a reminder of this book's long journey from the 
publisher to a library and finally to you. 

Usage guidelines 

Google is proud to partner with libraries to digitize public domain materials and make them widely accessible. Public domain books belong to the 
public and we are merely their custodians. Nevertheless, this work is expensive, so in order to keep providing this resource, we have taken steps to 
prevent abuse by commercial parties, including placing technical restrictions on automated querying. 

We also ask that you: 

+ Make non-commercial use of the files We designed Google Book Search for use by individuals, and we request that you use these files for 
personal, non-commercial purposes. 

+ Refrain from automated querying Do not send automated queries of any sort to Google's system: If you are conducting research on machine 
translation, optical character recognition or other areas where access to a large amount of text is helpful, please contact us. We encourage the 
use of public domain materials for these purposes and may be able to help. 

+ Maintain attribution The Google "watermark" you see on each file is essential for informing people about this project and helping them find 
additional materials through Google Book Search. Please do not remove it. 

+ Keep it legal Whatever your use, remember that you are responsible for ensuring that what you are doing is legal. Do not assume that just 
because we believe a book is in the public domain for users in the United States, that the work is also in the public domain for users in other 
countries. Whether a book is still in copyright varies from country to country, and we can't offer guidance on whether any specific use of 
any specific book is allowed. Please do not assume that a book's appearance in Google Book Search means it can be used in any manner 
anywhere in the world. Copyright infringement liability can be quite severe. 

About Google Book Search 

Google's mission is to organize the world's information and to make it universally accessible and useful. Google Book Search helps readers 
discover the world's books while helping authors and publishers reach new audiences. You can search through the full text of this book on the web 



at |http : //books . google . com/ 




IfiK- 



r^'^/> i»^' 



.*■?%?" 



■I 



li^ A f 



^.-^r I 



FA 



> > > > 



^»'i"i'&^/'>< •■^^- 






J > > 



> ^>:b > 









> 
> 

> 


> 1» 1 




> 
> 


> > > 






> > ^'^fc * 'I'S 


► > 1 


' > > :^ j^ .^ 


► > ^ 


Th-^ ^^ ^ *3» 


Ji J 




* >> >, 


>* »:* > ?^ 


^ >> J- 


> * > ^ > J > ^ 


>* J*3 






^* ^^ j*j > ^^ 


>* ^> 


'> >* >• > ^^T 


>j o 


^ » ^> * S 


»* ?:> 


> » ^> >^ 


►'>•?> 


* ** *> * ^fc 


> >> » i^m 


» .> 






'.* *■ »" -^^r 


J ' J!> > 


> » > ^i 




. > j& . m 





r'_^ > »» 







||itH4. 



EST. 'i^, ^ 




> > > > 

> > 1 ^ 

> •> > > .. 



j> ^ > > 

■ » > 5> I 
» ^ J > 




> >^ > > 



> >> i> > 



> > 

> > 






> > ' 

> > 

> i > 



/>^>^ 



^ j> >■ 

J* > > 

* > IP 1 

> > > > > 

► >>>>> 



> > > >> 



>> >> >> > 

>> J> Jf> I ^ 






^ >> > 
> > > 



3>> 7 



AUGUSTO FERIN 

Livpeiro 
En caderna dop 

RuaNwaaoAhnaaa 
n.rOaTi-.Liiiboa 



CATALOGO ILLUSTRADO 



DA 



EKPOSICilO RETIIOSPECTiyA DE ARTE OBNIIMEIITAL 



PORTDGDEZA E HESPANHOLA 



GATALOGO ILLUSTRADO 



DA 



mBD RraSPECTIVIi DE ARTE OlilTAL 

PORTUGUEZA E HESPANHOLA 

CELERRADA EM LISBOA EM 1882 

SUB A PROTECCXO DE 

SUA MAGESTADE EL-REI SENHOR D. LUIZ I 

E A PRESIDENCIA DE 

SOU MAGESmOE EL-REI SENHOR 0. EERNANOO II 



TEXTO 




LISBOA 

IHPRENSA NACIONAL 

1882 



FA i^'i' ^ 



HARVARD COLLEGE LIBRARY 

FROM THE Library of 

FERNANDO PALHA 
DECEMBER 3, 1928 



n 



Muito alto e muito poderoso Principe e Senhor D. Fernando II, Rei 
de Portugal, Duque de Saxonia Coburgo Gotha, marechal general, meu 
muito prezado e queridopae. Eu, D. Luiz I, por graQa de Deus, Bei de 
Portugal e dos Algarves, etc. Envio muito saudar a Vossa Magestade, 
como aquelle que sobre todos amo e prezo. 

Havendo de realisar-se em Lisboa, no museu nacional de bellas ar- 
tes, uma exposic3o de exemplares da arte ornamental e decoratiya de 
origem hespanhola e portugueza, fabricados desde os mais remotos tem- 
pos ate ao fim do seculo xyiii, e desejando eu, n3o s6 proporcionar a 
Vossa Magestade mais uma occasi3o de patentear o interesse que a Vossa 
Magestade hao constantemente merecido as industrias e artes d'este 
reino, mas tambem dar a maior iniportancia e lustre k realisaQ^o de um 
acto de que tantas vantagens podem resultar para este paiz : hei por bem 
e me apraz convidar a Vossa Magestade para presidir k commiss3o cen- 
tral dlrectora dos trabalhos para a mencionada exposic3o creada por de- 
creto d'esta data. 

Muito alto e muito poderoso Principe e Senhor D. Fernando II, Bei 
de Portugal, Duque de Saxonia Coburgo Gotha, marechal general, meu 
muito amado, prezado e querido pae. Nosso Senhor haja a augusta pes- 
soa de Vossa Magestade em sua continua guarda. 

Pago, em 22 de junho de 1881.— De Vossa Magestade bom filho, 
innao e amigo, 

EL-BEI. 

Antonio Rodrigues Sampaio, 
Ernesto Rodolpho Hintze Ribeiro. 



TendiMe Pbrlagal faito represeiUar na 6qM)di$3o> qae em Loiulres 
se abrla, de objectos da arte opnamental de origemhespaDhola e portu- 
goeza, fabricados at6 ao fioL do seculo xvni» enyiando a essa exposiQao 
alguns exemplares reunidos pela commissio nomeada por portavia de 
5 de abril do anno corrente ; 

Gooaideraado que, por yirtode das indicafoes d'esta commissao, 
moilos objeetos preciosos e de subido valor artisUco, perteocentes a cor- 
poragoes e a particulares, deixaram de figurar n'aqaella exposigSo pelo 
receio de poderem ser extraviados, ou de algum modo deteriorados ; 

Considerando que e^ d3o s6 altamente honroso, mas amda de subida 
vantagem para o paiz, apresentar ao publico, e aos que se dedicam a 
estados especiaes sobre o assumpto, a historia retrospectiva do trabalho 
nacional desde os mais remotes tempos at6 aoflm do seculo passado, na 
parte relattya k arte oroamental e decorativa; 

Considerando que o meio mais adequado para a realisac^o d'este in- 
tento serii a celebra^ao de uma exposic^o especial de exemplares per- 
tencentes & referida arte ; 

Considerando que o fundo principal d'essa exposigao j&. se achacon- 
stitoido, n2o s6 comos objectos enviados i exposigSo deLondres^seniio 
tambem com muitos outros j& reunidos pela respectiva commissao, e 
actaalmente depositados na academia real de bellas artes ; e 

Attendendo a que o governo hespanhoU accedendo generosamente 
aapedido, que pelo men govemo Ihe foi feito, permittiu que as precio- 
sas coUec(^es enviadas pela Hespanha & exposiQoes de Londres yenbam 
abrilbantar a exposigao portugueza: 

Hei por bem decretar o seguinte : 

Artigo 1.^ ReaUsar-se*ha emLisboa, no musea nacional de bellas ar- 
tes, uma exposicao de exemplares da arte ornamental e decoratiya^ de 
origemhespanbola e portugueza, fabricados desde os tempos mais re- 
motes ate ao iim do seculo xyui. 

§ unice. Poderao, todavia, ser igualmente admiltidos- & exposlQuo 
quaesquer objectos, pertencentes & arte ornamental e decorativa^ que, 



vm 

embora nao sejam de origem hespanhola ou portugueza, existam em 
qualquer dos dois paizes anteriormeDte ao priocipio do seculo actual. 

Art. 2.*^ A exposicao conservar-se-ha aberta desde o mez de novem- 
bro do anno corrente ate ao fim do mez de Janeiro de i882. 

Art. 3.^ £ creada uma commissao central directora dos trabalhos 
para a exposi^ao, a qual teri a sen cargo: organisar os necessarios pro- 
grammas, regular a f6rma de admissao e entrega dos objectos, fazer a 
selecgao dos que devam ser expostos, superintender na sua conyeniente 
installagao, coordenar o catalogo respectivo, e propor ao governo tudo 
<]uanto julgar necessario para que a exposi^ao se realise nos termos de- 
vidos e com a maxima vantagem para o paiz. 

presidente do conselho de ministros, mioistro e secretario d'es- 
tado dos negocios do reino, e o ministro e secretario d'estado das obras 
publicas, commercio e industria, assim o tenham entendido e fagam exe- 
cutar. 



Paco, 22dejulhodel881. 



REI. 

Antonio Rodrigucs Sampaio. 
Ernesto Rodolpho Hintze Ribeiro. 



Em observancia do artigo 3.^ do decreto d'esta data, pelo qual foi 
creada uma commissao central directora dos trabalhos para a exposigao 
de objectos da arte ornamental e decorativa, de origem hespanhola e 
portugueza, que deve realisar-se em Lisboa, no museu nacional de bel- 
las artes, no mez de novembro do anno corrente : hei por bem determi- 
nar que a referida commissSo fique composta do seguinte modo: vice- 
presidetite, ministro e secretario d'estado das obras publicas, commercio 
e industria; secretario, conselheiro Francisco Augusto Florido da Mouta 
e Vasconcellos, chefe da repartigao do commercio e industria ; vogaes : 
conselheiros, Jo3o de Andrade Corvo, Antonio de Serpa Pimentel, Jos6 
de Mello Gouveia, visconde de S. Januario, ministros e secretaries d'es- 
tado honorarios ; Antonio Augusto de Aguiar, Thomis de Carvalho, di- 
gnos pares do reino; conselheiros, Antonio Maria de Amorim, director 
geral de instrucQSo publica, Joaquim Sim5es Margiochi, director geral 
das obras publicas, Sihestre Bernardo Lima, director geral do conuner- 
cio e industria, Ignacio de Yilhena Barbosa, socio da academia real das 



IX 

scicncias; conde de Ficalho, lente da escola polylechnica ; Jose Gregorio 
da Rosa Araujo, presidente da camara municipal de Lisboa ; bacharel 
Manuel d'AssumpcSo, sub-director geral no ministerio da jusliga ; Car- 
los Ribeiro, Pedro Correia, Augusto Cesar Ferreira de Mesquita, Ma- 
nuel Pinheiro Cbagas, dr. Luiz Leite Pereira Jardim, antigos deputados 
da nacao ; Luiz Augusto Palmeirim, director do conservatorio real de Lis- 
boa ; Venancio Augusto Deslandes, administrador geral da imprensa na- 
cional de Lisboa; Delfim Deodato Guedes^ inspector da academia real de 
bellas artes; Antonio Thomis da Fonseca, director damesma academia; 
Augusto Carlos Teixeira de Aragao, socio da academia real das scien- 
cias ; dr. Augusto Filippe Simoes, lente da universidade de Coirabra ; 
Eduardo Coelho; visconde de Juromenha ; visconde de Daupias ; Carlos 
Relvas ; bacharel Fernando Pereira Palha Osorio Cabral ; bacharel An- 
tonio Ajigusto de Carvalho Monteiro ; Francisco Marques de Sousa Yi- 
terbo ; Antonio de Sousa e Vasconcellos ; Francisco Rangel de Lima ; 
Joao Pedro da Costa Basto; Jose Luiz Monteiro, architecto ; Jose Simoes 
de Almeida Junior, esculptor ; Jos6 Ferreira Chaves, pintor. 

presidente do conselho de ministros, ministro e secretario d'es- 
tado dos negocios do reino, e o ministro e secretario d'estado das obras 
publicas, commercio e Industria, assim o tenham entendido e fa^am exe- 
cutar. 

Paco, em 22 de junho de 1881. 

REI 

Antonio Rodrigues Sampaio. 
Ernesto Bodolpho Ilintze Ihbeiro. 



COMMISSAO EXECUTIVA 

PresiiMie Delfim Deodato Guedes. 

AntODio Thomas da Fonseca. 

Ignacio de Yilhena Barbosa. 

Augasto Carlos Teixeira de Aragao. 

Francisco Marqiies de Soasa Viterbo. 

Jose Luiz Monteiro. 
Secrttfttio Dr. Augusto Filippe Sim5es. 

COMMISSAO HESPANHOLA 



Presideote 


D. Juan Valera. 


Vogaes 


D. Vicente Esquivel. 




D. Luiz Gargollo. 




D. Dario UUoa. 




D. Enrique Casanova. 




D. Jose Perdiguez. 




D. Jose Ramon Melida. 



Classes e e»yiq»liis das obras de arie admissiv^ig a ciposi^o de arte ornamntal 
e decoralJTa qoe se ba de abrir em Lisboa oo proiimo mez de noTCOibro 

1.^— OariTesaria, metaes preciosos e joias 

a) Alfaias do culto — Custodias, calices, cruzes de altares e procis- 
sionaes, pyxides, galhetas, thuribulos, navetas, sacras, porlas de sacra- 
rios, porta-pazes, castiQaes, campainhas, cor6as, resplandores, lampa- 
das, relicarios, baculos, etc. 

6) Obras decorativas para uso domeslico — Jarros, salvas, gomis, 
bacias, fructeiros e outras pe^as de baixella, urnas, copos, molduras de 
espelhos, bandejas, utensiUos de toucador, etc. 



XII 

c) Adornos pessoaes — Brazoes, collares, broches, pulseiras, botocs, 
livellas, cadeias, condecoracoes, anneis, etc. 

2.^ — Obras dc metaes nao preciosos 

a) Obras de serralharia — Porlas e grades de janellas, fechaduras, 
cofres, aldravas, ferroihos, chaves, medalhoes, estantes, candelabros, 
fogoes, etc. 

b) Bronzeria e obras de outras ligas metallicas — Bacias, candieiros, 
pratos, marcos, campainhas, cofres, obras tauxiadas, escrevaninhas e 
outros objectos de uso domestico, alfaias do culto, etc. 

3.^ — Escalptara decoratira — Estaluetas, baixos relevos, imagensde santos, 
flgaras de presepios, tie. 

a) Em marmore. 

b) Em marfim. 

c) Em barro. 

d) Em madeira. 

e) Em cera. 

4.^— Armas 

a) Armas defensivas — Armaduras, escudos, guantes, cotas de ma- 
Iha, adargas, grevas, etc. 

b) Armas offensivas — Espadas, adagas, massas de armas, hallabar- 
das, langas, punhaes, arcabuzes, espingardas, pistolas, etc. 

c) Utensilios decaga— Polvarinhos.cartucheiras, facasdemato, etc. 

5.— Vehicalos, arreios, estribos, acicates, sellis, coldres, tellies, xaireis, etc. 

6. — Ceramiea, vidros e esmalles 

n) LouQas hispano-arabes,porcelanasestrangeiras, terra cotta, ta^as, 
bacias, pratos, apparelhos de ch5, medalhSes, cestos, etc. 

b) Porcelanas asialicas. 

c) Lougas portuguezas. 

d) Azulejos. 

e) Vidros estrangeiros — Garrafas, pratos, vasos, copos pintados, 



XIII 

frascos, tagas, lustres, castigaes, espelhos pintados ougravados, objectos 
de ornalo, etc. 

f) Vidros orientaes e hispano-arabes. 

g) Vidros pintados. 

h) Vidros portuguezes. 

%) Esmaltes incrustados — Relicarios e outros objectos do culto feitos 
de cobre esmaltado, etc. 

j) Esmaltes pintados — Diptycos, triptycos, placas, cofres, meda- 
Ihoes, tagas, bacias e outros objectos tanto do culto como do uso do- 
mestico. 

7. — Mosaicos 

8. — Obras de tartaraga — Cofres, caixas de npi, pentes, etc. 

9.— Mobilia 

a) Moveis de uso domestico — Mesas, contadores, secretarias, lei- 
tos, cadeiras, braseiras, obras marchetadasouembutidas, cofres, couros 
estampados, bahus, portas, espelhos, molduras, estantes, bandejas, ar- 
marios, etc. 

h) Moveis proprios do culto — Sacrarios, credencias, andores, estan- 
tes do c6ro, retabulos, etc. 

c) Moveis de charao da India e do JapSo. 

iO. — Relogios e iostnimentos de preeisio, DOtayeis pela saa ornamenta(io 

artlstica 

11. — Instmmentos de masica, notayeis pela ornamentacio artistica 

12. — Tecidos bordados 

a) Paramentos e alfaias do culto — Paramentos de brocado, Ihama 
ou seda notaveis pela antiguidade ou pela bordadura, casulas, dalmati- 
cas, pluviaes, veus de hombros, veus de calix, frontaes, pavilhSes de sa- 
crarios, etc. 

h) Tapetes, etc. 

c) Colxas. 

d) Trajos antigos de homem e de mulher. 



XIV 



13.— EocadernatSes 



e) Le<]pa6S. 

f) Bordados. 

g) Rendas. 
h) Passamanes. 

a) Em coaro. 

b) Em metal. 

c) Em pergaifiidio. 

d) Em madeira. 

14. — Miniatnras 

IS. — RevestimeDtos de salas 

a) Pannos de Arris. 

b) Pannos pintados. 

c) Papeis pintados. 

16. GoiHiw astaiDj^a, piattdM, daarados an prateados 

17. Mamiscriptos illaminados 

18. Desenhos, modelos e photographias de obras deeoraliTas 

Secretaria da commiss3o executiva, 10 de jalbo de 1881. 



ADVERTENGIA 



Aos muitos defeitos e incorrecQoes d'este catalogo servirSo de des- 
CQ^a causas ponderosas que nao estara an n6s evitar, e que obstaram 
a que saisse com a exactidaoque em trabalhos de tal ordem 6porto<k)s 
desejada. 

As obras que se fizeram no palack) da exposigSo demoraram-se al6 
aos principios de dezembro de 1881. S6 entao foi possivel oomecar a 
collocar os objectos expostos, embara^ando-nos ainda por algum tenpo 
OS (^erarios occupados com os ultimos preparativos, e que trabalharam 
nas salas juntamente comnosco. 

Para bonrar a visita de Saas Magestades Gatholicas a Lisboa^ abrin-se, 
coBK) e sabido, a exposigao, muito antes do tempo em que se poderia dar 
por oompletamente organisada. Havia ainda objectos para cdlocar e 
todo catalogo para fazer, estando j& patentes ao publico as salas do 
patacio da exposi^ao. E facil imagiuar que embaragos e difficuldades e 
estorvos de toda a ordem se offereceriam ^quelles que tinham de traba- 
Ihar em taes coudicoes. laeyitayel, portanto, se tornou o apparecer tar- 
de e nao apparecer bem este livro. 

A estas rasoes acresce outra n^o menos attendlvel. Foram expostos 
mais de quatro mil objectos, dos quaes apenas trezentos e tantos, compre- 
heudendo os da sec^So ingleza, alguus da secc3o bespanhola e poucos das 
cdlec55es de Portugal, haviam sido catalogados para a exposicSo de Lon- 
dres. Adiimo-nos, p(ris, com mibares de objectos para classificar, para 
descreTer e determinar-lhes as idades, pela primeira vez, por assim di- 
zer de improvise, sem o tempo e descanso a tal empreza indispensayeis. 

Por outra parte a necessidade de publicar quanto antes este liyro 
para satisfazer &s justas exigeucias dos yisitantes da exposi^ao, obstou a 



XVI 

que fosse redigido ou pelo menos coordenado por uma so pessoa, Qcando 
assim sem a unidade e regularidade que s6mente poderia dar-lhe uma 
direccao central e unica. 

CoDtra YOto de alguns dos membros da commissSo executiva, paN 
ticularmente d'aquelles que haveriam de incumbir-se da redaceao do 
catalogo, saiu este livro illustrado com lithographias. As estampas re- 
dobraram ainda as dililculdades com que luctavamos. Comegando a im- 
primir-se antes do texto, tornou-se-nos absolutamente impossivel esta- 
belecer a identidade dos numeros d'esle com os d'aquellas. Para de 
alguma sorte supprimirmos esta falta damos essa concordancia n'uma 
tabella final. A fim de attenuar algumas das outras faltas, acrescentamos 
tambem ao catalogo os additamentos e correcgoes que podemos fazer ate 
& impressao das ultimas folhas. 

Este livTO poderia e deveria ser mais que um simples inventario dos 
objectos expostos em cada sala, se as causas ji indicadas nao nos impe- 
dissem de fazer um catalogo methodico, em conformidade com o pro- 
gramma da exposicao, e de juntar k descripcao de cada objeclo as noti- 
cias historicas respectivas. Sc, porem, Ihe faltam as vantagens de uma 
classificacao racional o de um repositorio de noticias, em compensagao 
poderi dirigir melhor o visilante que quizer examinar seguidamente os 
objectos expostos em cada sala. 

catalogo da sala E foi ordenado pelos vogaes da grande commis- 
sao OS srs. Fernando Pallia e Joao Pedro da Costa Basto, pelo primeiro 
na parte respectiva i ceramica, pelo segundo na dos codices. Os mem- 
bros da commissao hespanhola, os srs. D. Vicente Esquivel, D. Henrique 
Casanova e D. Jose Ramon Melida, tizeram o catalogo da sala B. Tra- 
duziu-o vogal da commissao executiva Francisco Marques de Sousa 
Viterbo, e catalogou tambem as colleccoes das salas Aj C, H, P, Q e R. 
Os vogaes da commissao executiva, Ignacio de Vilhena Barbosa e Au- 
gusto Carlos Teixeira de Arag3o, encarregaram-se, o primeiro de cata- 
logar a sala D,eo segundo as salas G, H, I,JeK. dr. Augusto Fi- 
lippe Simoes catalogou as salas F, Mj N e 0. Em muilos d'estes tra- 
balhos prestou grande auxilio k commissao o sr. Augusto Mendes Si- 
moes de Castro, na collocagao e catalogo das armas o sr. Jayme Cou- 
vreur e na classificacao dos tecidos e bordados o sr. Gabriel Jose Rami- 
res. 



SALA 31 



i-2 Dois fra^mentos de baixo-relevo em gesso, que parece lerem feito parte do 
revestimento de aigama casa, estylo arabe, encontrados com capiteis e ba- 
ses de colamnas de marmore do mesmo estylo em excava^oes feitas no cas- 
tello de Monlemor Yelho. Fig. iOd. 

SecQdo de Archeologia do Instituto de Coimbra, 

3 Capitel de marmore branco, estylo arabe, encontrado no castello de Monte- 

moroVelho. Altura 0"»,3i!. Fig. 109. 

Secgdo de Archeologia do Instituto de Coimbra, 

4 Bacia de marmore branco com inscripgao arabiga. 

Collecgm archeologica do Algarve. 

5 Cruz processional de cobre. Altura O^fi^, As daas faces t^m gravadas 

ramagcns e ornatos geometricos do estylo hispano-arabe. Seculo xui on 

XIV. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

6 Grande calix de prata dourada. Altura O",?!. Tem um no espherico, co- 

berto de filigrana e de pedras; sobre uma larga base uma cruz, e sobre a 
face interior a inscripgio seguinte : — h in • n^e : dNi : kri : ihv : x : 

HYNG : GALICE : DEDIT '. RE6INA '. DVLGIA '. ALCVBAGIE : IN '. HONORE I DBI : 
ET : CLOSE : MRGINIS : MARIE : AD SVIENDV : IN MAIORE : ALTARE. SeCUlo XU. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

1-a Cracifixo de cobre dourado com a figura do Salvador em relevo, e na extre- 
midade dos bragos da cruz emblemas dos Evangelistas. Por cima da ca- 
bega este letreiro : ms \ nazarexvs i rex hdeor. Altura 0°,38. Secu- 
lo xu. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

7-6 Pintura em madeira representando a Annunciajao, S. Pedro, S. Paulo e ou- 
tros santos. Seculo xui. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

i 



2 SALA ME 

8 Cruz processional dc bronze. AItQraO™,4Po. Ahasle eos bra^os terminam a 

maneira de flores de liz. A imagem de Cliristo, de cobre, e coroada, e torn 
uma especie de saia. Seculo xiu. 
Academia Real de Bellas Artes de Lhhoa. 

9 Imagem de S. Nicolau de prala dourada. Altura O'^jSS. Seculo xn. Fig. 43. 

&e de Coimbra, 

iO Taga de latao com ornamenlaQao de eslylo arabe. Diametro 0",14o. 
Sr, Viscande de Monserrate. 

il Taja de laiao com ornamentacao de estylo arabe. Diametro O^jliO. 
Sr, Visconde de Monserrate. 

12 Prato de cobre com ornatos no centro, de e^-tylo arabe. Diametro 0°,190. Se- 

culo XII ou xiir. 
Academia Real de Bellas Artes de Ltsboa, 

13 Caldeirinha de latao omada de arabescos. DiametFO O^'ySS. 

Sr. Visconde de Monserrate. 

14 Relicario de cobre esmaltado, em tudo similhante ao n.*' 27. Falta-Ihe a porta 

na parte posterior. Altura O'",!^. Fig. 81. 
Se de Vizeu. 

15 Relicario de prata dourada. Altura 0'",33. Foi feito de pegas differentes. A 

base, a haste e a parte inferior do corpo 6 do estylo da rena^cen^a. A parte 
superior com o calvario 6 ogival; as duas chapas lateraes, qoe-representam 
S. Pedro e S. Paulo, sao do estylo bysantino. Fig. 88. 
Se de Coimbra. 

16 Baculo de cobre dourado em toda a parte superior. Altura 0",32. A parte in- 

ferior, cylindrica, 6 adornada com tres lagartixas com as caudas enroladas. 
A parte superior representa uma serpente, que se enrolacircularmente em 
volta do medalhao, que de um lado tem em baixo-relevo um santo coroa- 
do, sentado e langando a bencao, c do outro lado Nossa Senhora com uma 
coroa similhante, e com o Menino nos bragos. Seculo xn ou xm. Fig. 44. 
Ljrcja da Ermida, conceUw de Castm Daire, dislricio de Viaeu, 

17 Almofariz de bronze. Altura O^jOS. Seculo xm. 

Sr. Visconde de Monserrate. 

18 Calix de prata dourada, copa e base lisas, no dividido em oito segmenlos com 

ornamentos cinzelados. Altura 0™,18. Seculo xii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

19 Relicario de prata dourada, Altura 0'",30. A base, de forma rectangular, sus- 

tenta (juatro columnas, adornadas na parte interior com outros tantos an- 
jos seniados. Sobre as columnas um tecto com forma de pyramide re- 
ctangular, embricado, e com um fortim ameiado em cada angulo. Na partfr 



SALA M 3 

wperior ania torre. No- esipa^o comprehendido entre a3 quatro columnas 
esta uma arqaeta rectaDguiar com a iascript^ai) se^uintc : aqvy esta ho 

VEHO DE si MAR E LEiNHO DA SA VERA CRVZ. Na l)ase 1^-56 : HIC CTINET 
VNV VfiLLV BTE VIRGIS MIB ET VNV FRVSTCV LIG STE CRVCIS VERB DEGAIfV'S 
COlTbRV IOHANS MBBICVS ULLVSTRim DM IFATIS PET MB OBTVLIT L1TIS8IMB VGt 

MRiB. reiicario e do seeolo jly. A arqaeta interior do seculo xvi. Altu- 
ra 0'",30. Fig. 80. 
Se de Coimbra, 

W Cniz de prata doarada sobre oma peanha de latao, tendo en^stados sobce toda. 
a superOcie rubis, pedras incolores e esmeraldas bastardas. Altara 0'",43. 
Seculo xnr. 

Mtra patriarchal de Ldsboa. 

21 Qaadro byzantino. Altara O'^^dSO. Constantino e Helena manifestam a croz. 

Pintado e dourado em ge^do. 
Bibliotheca publica de Evora. 

22 Cruz processional de cobre dourado. Altara 0°',51. Sobre ama peanba de for- 

ma e<pkerica, adomada com medaihoes esmaltadiM representando imagens de 
santos, ergue-se a cruz com a imagem doCracificado n*uma faceena oulra 
a imagem de S. Joao. As extremidade:^ da haste e dos bracx)s, n'uma 
e n outra face, sao adornadas com figuras de santos e outras em baixo-rele- 
YO. Toda» as figuras sao de caracter byzantino. Seculo xiv. Fig. S5. 
Sr. Viscande de Monserrate. 

23 Baixo-relevo em jaspe, representando a Annuncia^ao, com douradaras. Ahura 

0»,43. Secalo xiv ou xv. Fig. 102. 

Sr. Domingo^/osede (Miveira Salvador j Lamego. 

21 Bacalo de cobre dourado. Altura 0'',24. A crossa representa uma serpe com^ 
a cabe^a atravessada pela eroz. Seculo xn. Dizem ter sido acbado na sepul- 
turade Santo Ovidio. 
Se de Braga. 

25 CsJix de prata doarada. Altura 0'",171. A copa lisa tendo na base a seguinte 

inscrip^ao: + galix istr ad honorem dbi et sge maris db algobacia fa- 
CTus est -f. Por baixo da inscripi^ao uma cruz. Seculo 3Ui. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

26 Gaixa de madeira com restos de douradura. Comprimenlo 0'°,313. Na face 

interior da tampa um cavallo, um cavalleiro e uma dama pintados em fan- 
do prateado. Seculo xu ou xui. 
Se de Vizeu. 

27 Reiicario de cobre esmaltado, de forma rectangular e a parte superior prisr 

malica, todo coberto de orpatos dourados e de cores varias. Tem na face 
anterior as figuras do Padre Eterno, Christo crucificado, Nossa Senhora, 
S. Joao e OS Apostolos. Por cima da cruz os seguintes caracleres : ms xps 
FiLvs. Cabegas de seraphins em relevo, etc. Nos lados S. Pedro e S. Paulo. 



4 SALA >I 

Na fare posterior quatro Piguras de anjos douradas. Obra de Limoges. Al- 
tura 0",2i. Seculu xii. Fig. 82. 
Se de Vizeu, 

28 Cofre de prata rebatida, em parte dourada, com as armas da cidade de Lisboa 

(um galeao) e os corvos de S. Vicente. Allara 0",25. Seculo xiv ou xv. 
Molduras e base mbderoas. 
Se de Lisboa. 

29 Calix de prata dourada. Altara 0'",i6. Base circular, ornada de seir^ meda- 

Iboes circuiares representando em baixo relevo koes e folhagens. Em roda 
tem a seguinte in^crip5ao : -f e m cc xx v rex sanci et regina dvlcia of- 

FERYNT CALICEM ISTVM SCE MARINE DE COSTA. nO foHDa Um discO muitO 

grosso dividido em gomos. A copa larga, hemispherica e inteiramente li- 
sa. Seculo xii. 

Confraria das Almas de Santa Marinha da Costa, Guimarues, 

30 Palena do calix n.** 29, de prata dourada. Diametro0",20. No cenlro tem uma 

cruz c sobre ella a mao no acto de aben^oar. Seculo xii. 
Confraria das Almas de Santa Marinha da Costa, Guimaraes. 

31 Cruz processional de prata dourada com a imagem de prata branca, e tendo 

as extremidades com a forma de flor de liz. Apoia-se n*uma base hcxagona 
representando um castello, defendido por seis giganles com corucheus de 
estyio gotliico. Altura 0°,70. Seculo x v. 
Freguezia da GaulUy ilha da Madeira. 

32 Custodia de prata dourada. Altura 0'",46. relicario 6 conlido entre quatro 

columnas com uma cupula rectangular, em que falta o remate. A haste ^. 
ornada de arcarias gothicas e de esmaltes, a base de folhagens cm relevo. 
Faltara-Ihe, alcm do remaie, outras partes. Seculo xv. 
Junta de parochia de Santa Maria de Setubal. 

33 Cruz processional de prata, estyio gothico, muito coberta de ramos de carva- 

iho e cujas extremidades terminam em flor de liz, Servem-Ihe de base 
dois castellos sobrep^stos, dos quaes o primeiro e guarnecido de pilastras 
lerminadas em corucheus. Altura O'^fii. Seculo xv. 
Collegiada de Nossa Senhora da Oliveira de Guimaraes. 

34 Relicario de prata dourada. Altura 0"',36. Tem dentro um humero attribuido 

a um dos Santos Martyres de Marrocos, cujo martyrio se v^ pintado de am 
e de outro lado, com guarnecimento de perulas fmgidas e pedras de cores. 
Fins do seculo xv ou principios do seculo xvi. 
Mosteiro de Lorvdo. 

38 Estatueta de pedra, pintada e dourada, repre?cntando S. Thiago. Altura 0'",3S. 
Fins do seculo xv ou principios do seculo xvi. Fig. ilO. 
Mosteiro de Lorvdo. 

36 Cruz processional de prata doarada, estyio gothico, terminada em flores de liz, 



SALA m: s 

e lendo por base urn corpo architeclonico de tres andares. Tem duis tinti- 
nabulos. Scculo xv. Aliura 0",9(5. Fig. 114. 
Junta de parochia da freguezia de Montelavar. 

37 Cu5todia e calix do prata doiirada. Altura O^jGB. relicario assenta Fobre um 

calix em cuja base, dividida em gomos, ?e v^em seis figuras de santos em 
baixo relevo. no 6 de arcarias golhieas com baldaquinos. A copa orna- 
da com seis baixorelcvop, que representam prophetas biblicos, cada um 
dos quaes susteuta uma fita com o seu respeclivo nome. Das pilastras divi- 
sorias pendem seis tintinabulos. No bordo superior da copa I6se em cara- 
clercs golhicos: acipiae 4- calicem : satabem. relicario 6 formado de 
dois corpos de arcarias golhicas, sendo o superior rematado por uma cruz 
moderna. Fins do seculo xv ou principios do seculo xvi. 
If^reja de S. Martinho de Cintra, 

38 Calix de prata dourada. Altura 0'",31. Copa hemispherica, adornada com seis 

figaras de anjos que sustentam os emblemas da Paixao, e na parte inferior 
com outras seis sustentando outros tantos tintinabulos. n6 adornado com 
arcarias gotliiitas, contendo as estatuetas de seis santos cobertas por balda- 
quinos. Base dividida cm doze gomos, dos quaes os roaiores tdm em baixo« 
relevo figuras de santos. Nos seis gomos menores haoruatosesmaltados. En- 
tre a copa e o no, e entre este e a base dois anneis com o mesmo genero 
de esmalte. No bordo exterior da copa I^-se em caracteres gothicos: hic 
EST CALIX sAMGviNis MEi Novi TE. Similhanle ao n.** 105. Seculo xvi. 
Cdlegiada de Guimaraes. 

39 Cruz de vidro. Altura 0",36. Seculo xv. 

Mosteiro de Odivellas. 

40 Cufre forrado de folha de prata com ornatos rebatidos e dourados, representan- 

do folhagens e flores. Altura 0'",25. Seculo xv. 
Collegiada de Guimaraes. 

41 Relicario de prata dourada. Base hexagona, rebatida, com ornatos de fo- 

lhagens e com os emblemas da Paixao. A cupula, encimada por um cru- 
cifixo, 6 imbricada. Altura 0™,38. Seculo xv. 
Extincto convento de Chellas. 

42 Corua de prata dourada. Diametro 0™,i2. £ ornada de pedras. Seculo xvi. 

Se de Coimbra, 

43 Calix de prata dourada com sua patena. Altura 0°',28. A base, distribuida 

em gomos, e adornada com seis figuras de santos em baixo relevo ; o no 
formado de arcarias e conich^us de estylo ogival ; a copa tem em baixo-re- 
levo anjos com instrumentos da Paixao, cabegas de seraphins e carrancas, 
das quaes pendem tintinabulos. A patena tem no centro um sudario, e a 
roda em caracteres gothicos : anivs dey qy toly pecaty mvdv mysere m. ,• 
e na copa : qvalys ym salvtare . . . Seculo xv. 

Canfraria de S. Thiago dos Velhos, per to de Lisboa. 



«6 SAL A 3£ 

44 Crnz processional de cobre, sem lavores, e com a figiira do Salvador. A has- 

te e brat^os lerminam em (lor de liz. Altura 0"',5G. Seculo xiii. 
Sr. Henrique Nunes Teixeira, Pario. 

45 Baixo-relevo de jaspe representando a Resurrei^ao de Jesus Cbristo. Tern sa 

parte inferior, formando peca separada, uma base com ornalos vasados de 
estylo ogival. Seculo xv. AUnra 0°',57. 
Museu archeologico do Carmo, 

46 Coroade prata dourada. Diametro O^.iO. £ adomada de pedras e tern gra- 

vada nos ramos de ornato uma longa ora^ao lalina. Seculo xm. 
Se de Coimbra. 

47 Calix de prata dourada, estylo gothico, com tres tintinabalos : base omamen- 

tada de folbagens, (lores, avcs e quadnipedes. Tern n'elladuaslaminascom 
esmaltes, representando n'uma Cbristo crucificado, e aos lados a Vir- 
gem e S. Joao; nouira um anjo sustentando um rotulo de caracteres flo- 
reteados. Na copa tern esta inscripcao : calys . . . salvtary acipivm ym no- 
men DOMi. Altura 0'",26. Seculo xv. 

Academia Ileal de Bellas Antes de Lisboa, 

48 Baixo-relevo de jaspe representando a Prisao de Jesus Cbristo. Teiffuma base 

feiniilbante a do baixorelevo n.° 45. Altura 0°,52. Seculo xv. 
Museu archeologico do Carmo, 

49 Crnz de cobre com a imap;cm de Cbristo, com afrontecingidadecordaderei. 

Seculo XII ou XIII. Altura 0'",44. 
Museu Portiiense. 

-SO Pedra do ara de serpentina verde. Comprimcnto 0",33. Guamei'idadefolbade 
prata dourada. Na parte inferior lem um brazao dc armas compostodecinco 
escudos em cruz, com as quinas e de qnatro caslellos (talvez brazao do appel- 
lido E(;a). Em roda a seguinte iuscripcao em caracteres gotbicos quadrados: 

KSTA AR\ CON TODAS AS PECAS DE INFHA CONTEl'DAS MANDO FAZER NESTE DEUOTO 
BIOFSTEYHO DE LORUAAO A &IUT UXUSTRE SENHORA HA SENHORA DONA CATHKRINA 
DECA ABBADESSA DO DICTO WOESTEYRO. S. HA CKUZ QUE TEN HO LENHO DA VRA 
CRVZ E no BAGO E IIl'A PORTAPAZ COM PEDUERIA E DOIS CASTISAES E HU THURI- 
BULO COM SUA NAUETA E CULHER E DUAS GALHETAS E HU BACtO E DUAS CALDET- 
RAS COM SEUS YSOPOS TODO ESTO DE PRATA E HA MOOR PARTE DAS PECAS DOURADAS 
E MAYS OVTO PONTH^CAES. S. HOS TRES DE BROQCADO E HOS OCTROS DE 9EDA E BOS 
DELLES COM BETAS DE BROQUADO E MAYS HU A UESTIMENTA BE BROQUASO E OUTRAS 
TRES DE RROOUADO E UELLUDO ANO. D. DMIL DXIIU. 

Mosteiro de Lorvao. 

•81 Cmz de prata donrada, firmada n*nm bemispbeno onxado de fotbas relevadas, 
e circumdado por uma nmralba arastellada. A ' eictrcmMa^ superior e as 
dos bra^os terminam en linhas obiiquas. Adomamiia rarias pedras, e tern 

^ no ponto de iiitersec^ao da baste com os braces am arc com seu vidro, des- 

tinado a reliqiiias. Aitura 0*,38. 

Mosteiro de Nossa Senkora da Canceirao de Beja. 



SALA ]l£ 7 

^ Perta-paz ie prata doorada de estylo golhico, ao qiial falta o remate superior. 
Tern aos lado9 daas pilastras acoruchada^ e encostadas a elias, na base, as 
estataetas de S. Pedro e S. Paalo. Tern a^iSL insccipcao : pax : doabni : sit 
SEMPER : voBiscvM. Seculo XV. Aitara 0",24. 
Academia Reed de Bellas Aries de Lishoa, 

53 Craz relicario de prata doarada, ornada de pedras e sobreposta a uma pyramide 

acoraehada, de seis faces, em cada uaia das (}uaes ba uma portiAha ogivaL 
Secolo XV. Aliura 0'",39. 
Se do Porto. 

54 Cofre de madeira forrado de conro com ferrageas. Comprimento 0^,Si. Se- 

colo xv. Fig. 141. 
Extincto convento das Carmelitas de Moura. 

So Taga de prata. Diametro O^jlS. Secalo xv. 
Srs. Condes de Primej Vizeu. 

S6 Salva correspoudente a ta^a, n." 5S. Diametro 0",22. 
Srs. Condes de Prime, Vizeu, 

67 Par de casti^aes de crystal e latao. Altura 0",41. Seculo xvi. 
Mosteiro de Lorvdo. 

58 Craz grande de prata dourada, com ornatos abertos do estylo gothico, tendo 

as qaaero extremidades terminadas em flores de liz. De'um lado na parte 
central a imagem da Yirgem com o Menino ao collo, coberta de baida- 
qnino. Qnaftro esmaltes engastados junto das extremidades repres^entam os 
quatro Evangel i<tas. Do lado opposto pende a imagem de Christo, tam- 
bem coberta de baldaquino. Fins do secalo xiv on principios do seculo xv. 
Fig. 96. 

Se de Coimbra. 

59 Corda com rtsplandor de prata dourada. Altura 0°',31. £ ornada de pedras. 

Secalo XVI. 

Con/raria de Nossa Senhora do Rosario da Se de Lamego, 

60 Estataeta de Pompeu em bronze. Altura 0",54. Secalo xvi. 

St. Visconde de Manserrctte. 

^ Cniz processional de prata doorada, estvlo gotbioo^ tendo as extremidades da 
haste e as dos bra^'os terminadas em ^or de liz. Serve«-lhe de base om corpo 
architectonico de ti'es andares sebrepestos. Altnra de O'^jOB. Secalo xv. 
Academia Red de BeUas Artes de Lisboa. 

4S Na^eta de j^ata cenofi forma de galeao. Compriiiiento O"*,!?. Secale xvt. 
Egrejade Pemheifro, concslho de ArgamL, districU) de Coimbra, 

63 Custodia do prata dourada. Altara 0*", 61. Abase, de forma obl(«gaecom for- 
tes chanfros, 6 ornada de ramagens. Em roda tem a s^inte ifisoripfao em 



8 SALA M 

caracteres romanos: uichael sylvivs episcopvs visens d. d. ax. M.D.xxxni. 
no ^ formado de arcarias f^othicas. relicario esta entre duas columnas 
ornadas com as imagens de S. Sebastiao e de S. Braz (?). Sobre as colum- 
nas ergue-se uma cupula de rendilhados, contendo a imagem do Salvador, 
e encimada por uma uma, cujo remate falta. Fig. 69. 
Se de Vizeu. 

64 Calix de prata dourada. Altura 0™,27. n6 com seis baldaquinos gothicos, 

divididos por columnas, cujos coruch^us foram cortados. A copa ^ ornada de 
cabe^as de serapbins e de festoes. Faltam, os tintinabulos, que jateve. Em 
cima l6-se em caracteres gothicos: + calicem salvtare acipiam nom. Se- 

CUIO XVI. 

Confraria do Sacramento da parochia de Santa Justa e Rvfina de Lisboa 

65 Cofre de gelatina com guarni^oes e fecbadura de prata. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

66 Naveta de prata com a forma de {.'aleao. Seculo xvi. Comprimento O'",?^. 

Mosteiro da Esperanga de Beja. 

67 Porta-paz de prata dourada, com a Senbora da Concei(g*ao em alto-relevo. Al* 

tura 0"',24. Seculo xvi. 
St? de Coimbra. 

68 Custodia de prata dourada tendo o relicario entre columnas e corucbeus, que 

sustentam um baldaquino. Na ba^e as imagens da Yirgem, S. Joao, S. Je- 
ronymo e S. Francisco. Estylo gotbico. Altura O^jSS. Seculo xvi. Fig. 68. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

69 Prato de prata. Diametro 0™,30. Tem no centro as armas reaes douradas e 

outras douraduras. Correspunde ao gomil n."* 70. Seculo xvi. 
CapeUa da Universidade de Coimbra, 

• 

70 Gomil de prata com as armas reaes e outros ornatos dourados. Altura 0'',29. 

Seculo XVI. 

CapeUa da Universidade de Coimbra, 

71-a Craz processional de crystal e prata dourada. Altura O'jSS. No anver^o tem a 
imagem de Cbristo crucificado, que parece ter sido acrescentada. No re- 
verso, em baixo relevo, o Agnus Dei. Fitas de prata articuladas seguram as 
varias pegas. Seculo xv. Fig. 54. 

(A esta cruz pertence a caixa de couro n.*^ 72.) 
Misericordia de Setubal. 

71-6 Cruz de prata dourada, estylo gotbico, adomada de pedras. No ponto da 
junci^ao da baste com os brakes 6 vasada por um oval resguardado por dis- 
cos de crystal. No ponto inferior da haste tem quatro estatnetas, cobcrtas por 
baldaquinos rendilhados. Altura Q'^fil- Seculo xvi. 
Igreja de Belem. 



SALA ]MC 9 

72 Caixa de couro da cruz n.° 71-a. Altora 0°*,56. Tern a segointe inscripc^ao gra- 

vada a buril em caracteres golhicos: senhora vibgbm santa maria lebrate 

DO TEV DEVOTO NUNO GOKgALVES. Scculo XVI. 

Misericordia de Setubal. 

73 Re]icario de prata dourada, caja parte superior 6 formada por seis arcos go- 

lhicos e rematada por urn cracitixo. Tern na base seis figuras relevadas e 
seis cherubins. Altura 0",49. Fig. 73. 
Misericordia de Setubal. 

74 Base de prata de uma cruz processional, representando um corpo architecto- 

nico dividido em tres partes guarnecido de seis pilastras. Encostadas a cada 
uma, na parte inferior, seis estatuas cobertas de baldaquinos pyramidaes. Tern 
dois tintinabalos. Estylo gothico. Altura 0™,53. Secuio xvi. 
Junta de parochia da freguezia de Terrugem. 

75 Calix de prata dourada, ornado de ramos e folhagens. Altura 0'",24. Pendem 

da copa quatro tintinabalos. A patena tem a cruz da ordem de Christo. Se- 
cuio XVI. 
Jgreja da Vera Cruz de Aveiro. 

76 Tliuribulo de prata. Altura 0'",3i. Sobre uma base hexagona ornada de fo- 

lhagens e carrancas, guamecida em cima de rendilhados, eleva-se um corpo 
tambem hexagono, formado de arcadas gothicas separadas por gigantes, en- 
cimados de coruch^us e guarnecido de rendilhado. Sobre este corpo ergue- 
se outro em tudo similhante, por^m de menores dimensoes, rematado por 
uma pyramide hexagona. No rebordo da base 1^-se o seguinte : este tbQ 

MADOV F. JAXALVARES DA CVNHA PARA A IGRBJA DA SA SALVADOR. SeCUlo XVI. 

Fig. 78. 

Igreja do Pombeiro, concelho de Arganil, districto de Coimbra, 

77 Calix de prata dourada. Altura 0°',26. A base, fortemente chanfrada, 6 coberta 

de ornatos do estylo da renascenga; o no formado de columnas e rendilha- 
dos gothicos; a copa tem seis cabe^as de cherubins e outros ornatos no es- 
tylo dos da base. Na parte superior da copa Id-se em caracteres gothicos : 

IMEEY MOMORIAM FACIETIS +. ScCulo XVI. 

Junta de parochia da freguezia de Tondella, districto de Vizeu. 

78 Calix de prata dourada. Na base seis figuras de santos em relevo. n6 cont^m 

nichos com as figuras dos doutores da igreja. Tem tres tintinabalos. 
Fins do secuio xv. Altura 0"',33. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

70 Calix de prata dourada. Altura 0°',26. A base 6 dividida em seis gomos, cada 
um dos quaes cont^m a figura de um santo em baixo relevo. n6 6 de ar- 
carias gothicas com coruch^us. Seis figuras de patriarchas em baixo-relevo 
adomam a copa. Secuio xvi. 
Se de Coimbra, 

80 Cruz processional de crj'stal e prata dourada. Altura 0",48. No anverso tem 



10 SALA ]l£ 

no meio de oma moldara um cnieifixo. No reverse e n'ostra moldora si- 
milhante a unagem de Nossa Senbora, a roda da qual se 1^ em oanacteres 
gothicos: ave maria gratia plena domi. . . Na peanha v^emse seis esmal- 
tes circolares, representando as armas dos Socisas e oatros embfemas. Se- 

Culo XV. 

Junt-a de parocbia da igreja de Santo Andre de Mafra. 

Si Custodia de prata dourada, estylo gothico. Base hexagona, sut^tentada por 
seis leSes. No cenlro de cada um dos lados da base l)a um bra^ao do bispo 
de Coimbra D. Jorge de Almeida, composto de escudo esquartelado tendo 
no primeiro e quarto campo, seis besaiites divididos por uma cru£ doble, e 
no segundo e teroerro cafnpo leio rompante. Ca4a brazao e encimado por 
uma roitra e nas Otas de uma d'elias M-se a divi<a neqvid mmis. Na base, 
por tras de cada brazao, ha um rotulo, ao todo seis, nos quaes esta gra- 
vada a seguinte inscrip^rio : hang cvstodiam dedit sve sedi : illvstris et 

MAGNIFICVS DN GEORGiVS D ALMEIDA EPS COLIMBRIENSIS COMKS GANILIS ANO. 

DNf. M. D. XX. Bii. Levantam-se da base seis eolumnas acoruchadas, 
ligadas por arcos de rendilbados, nas quaes se apoia o lecto do tabernacu- 
lo. Estc 6 resguarJado por quatro grades que o fediam. Por cima levan- 
ta-se um corpo archilectonico de quatro faces, aeompanli.'iilf) lambcm de 
columnas acoruchadas. A uma das faces d'este corpo esla encostada uma 
estatueta, faltando as que dcviam encostar-se as tres reslantes. Das qua- 
tro faces de uma cimalha rendilhada, que divide quasi ao meio o corpo 
apchitectonico, pendem quatro brazoes, como os ja descriptos, por^m desti- 
ttiidos de mitra. A cima dos brazoes ha quatro figuras de santas representa- 
das em meio corpo. Duas albamadas sobrepostas serrem de remate a toda 
esta pe^a. Altura 0'^,76. Fig. 66, 
Se de Ceimbra, 

S2 Cruz processional de prata dourada. Altura 0", 74. A peanha, boxagona, 6 for- 
mada na parte media e principal por dois corpos composlos dequadros ren- 
dilbados, separados por columnas rematadas por coruci)>^us. As faces da 
cruz sio muito ornamentadas. N'uma a imagem de Jesus ChrisCo. Se- 

CUlo XVI. 

Igreja de.S. ThicufO dos Velhos, perto de Lisboa. 

83 Bacuio de prata doorada. Akura (^,54. A parte inferior da haste e a crossa 
s3o adornadas com pedras de varias cores. A crossa assenta sobre um cor- 
po hexagono formado de arcarias ogivaes. A parte inferior d'esle corpo tern 
sris baixoHrelevos separados por ornatos e representando figuras de phan- 
tasia. Dentro da arcada inferior v^era-se seis estatuetas de santos do Velho 
e Novo Testamento, sentados. Dentro da arcada su|)erior e encosladasas fa- 
ces da haste estao outran seis estatu*»tas de pe. No meio da crossa ergue-se 
a iHiageia da Virgem. Seculo xvl Fig. 45. 
SSde Eoera. 

Si Caldeirinha de prata. Diametro O^jSO. £ omada de medalhoes e arabescos, 
estylo de renascen^a, e tern dois brazoes do bispo de Coimbra D. Jorge de 
Almeida. Seculo xvi. 
■Se de Coimbra, 



SALA >£ 11 

8d €niz fvrocessional de prata dourada. AUura O'^^SS. A base, hexagona, 6 for- 
mada por arcarias do cst\lo ogival do uUimo periodo, distribuidas em dois 
eorpos goarnccidos de rendilhados. corpo inferior tern os an^ralos adoma- 
dos com pilares quadraogulares temnnados por baldaqoinos com e^ taluetas de 
santos. A baste e os brakes, terminados com flores de liz, sao guamecidos 
de rendilhados e adornados de rainagens. A figura de Cbristo 6 de prata 
braoca. No rever?o tern a Virgem. Secalo xvi. 
Con/cento do Paraizo de Eeora, 

•86 Sftlva de prata dourada circolar. No centro um escudo com tres trompas de 
«a^a, acrescentado modernamente. Diametro O*"^?. Sectilo xvi. 
&r. Manuel Barata de Lima TatHir^ Coimbra. 

87 Naveta de prata com forma de galeao. Comprimento 0^,2S, Seculo xyi. 

Irmandade do Sacramento de Bellas, 

88 Cofre de madeira coberto de massa imitando cooro, com ornatos de prata. 

Coroprimento O'",^^. Seculo xvi ou xvu. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

Sd CaJix de prata dourada. Base hexagooa com fortes chaafros relcvados. Orna- 
tos^ figmras de saiilas e raedallioes em relevo. No com ornatos gothicore- 
nasoenga. Na oopa nma rinta de cbenrbms, seiido dois barbados. Na parte 
superior nma inscrip^ao em caracteres gdtlHcos: akhus dei qui tolys pe- 
CATs. Seis timinabtttos. Na pateoa: TfiRBrM caro favivm es alelvya 
ALB. Esmalies azul, verde e branco na luiste. Akura CjSG. Fins de seculo xv. 
Camara municipal de Evdra, Ermida de S, Braz. 

90 Salva de prata com lavores. Diametro 0'",24, Sccoiio xti. 
Srs. Cendes de Prime, Vizeu. 

M Taga de prata com figoras de f^taotasia sas azas. CorrespoDde a saka n."* 90. 
Diainetro 0",22. Seculo xvi. 
iSrs. Condes de Prime, Vizeu. 

92 Cuslodia ^ calix de prau dourada. Attura 0™,78. Largura na base 0",25. 
Sobre iima cupula suslentada em arcarias gothieas eleva-'se nm crucifixo. 
A parte media coutem o ediculo entre quairo grandes pilares rematados por 
^erucheos e tendo aa face exterior baldaquinos <oom e:^t»etas de saDtos, e 
lias bteraes oriu^s gravados a biuil. A base d «sta parte ^ cercada de ren- 
dilliado e assenia sobre um friso com seis ornatos a maneira de misnlas. Os 
intervallos sao preencbidos com varies ornatos em relwo. A parte restante 
inferior 6 um caiix que pode servir seni a parte superior. A copa tem seis 
ftguras em reiero, das quaes mna representa Moy^6s. Nos intervaUos seis 
bafaustres d onde pettdem outros tantos pingentes. A copa assenta sobre 
um annel guamecido de fothagens. pe, clausteado, pertcnce a uma epo- 
cha inuito posterior e a$HeEita sobre um aimel siratlbaute aos outros, e 
que liga com a base. Esla e dividida em seis goBDOS, em oojas super- 
ficies se v^em em relevo figuras de santos e santas. Seculo xvi. Fig. 71. 
Se de EvenL 



12 SAL A 3X 

93 CaliK (]e prata dourada. n6 formado por nm corpo architectonico de duas 
partes sobreposta«%, de estylo gothico. Faltam na inferior as estatuetas que a 
ella se encoslavam. Base hexagona com s<intos em relevo. Em lorDO da 
copa tem seis anjos. FIqs do seculo xv. AUura O^jSI. 
Mitra patriarchal de Lishoa. 

94-a Prato em relevo reproduzido pela galvanoplastia de outro de prata dourada, 
de estylo da epocha de transicao do gothico para a renascen^a. Os omatos 
representam assumptos biblicos. No centro tem o brazao de armas perten- 
cente a rasa dos Lobos da Silveira, condes de Oriola. prato original faz 
parte da collec^o do thesouro da casa imperial c real de Austria, e a sua 
execu^ao ^ attribuida a artistas portuguezes dos fms do seculo xv oa priD- 
cipios do XVI. Diametro O^.SC. 

Academia Real de Bellas Aries de Lishoa. 

94-6 Cruz processional de latao, cylindrica. Altura 0"',49. Naface anterior Chris- 
to crucificado; na face posterior a Virgcm sob um baldaquino gothico. Se- 
culo XVI. 

Sr. Henriques Nunes Teixeira, Porto. 

95 Calix de prata dourada. Altura 0'",28. A copa, em grande parte coberta de 

folhagens em relevo, tem na parte superior a seguinte inscrip^ao em cara- 
cteres golhicos: calis sanginis novi kterni qve testamenti. Da copa pen- 
dem seis tintinabulos. n6 6 formado por corpos architectonicos hexagonos 
com janellas e pilares gotliieos. Na base, hexagona, v^em-se em baixo relevo 
as imagens de Nossa Senhora, S. Pedro e S. Paulo. Seculo xyi. 
Misericordia de SetvbaL 

96 Calix de prata dourada, de base hexagona rebatida. no com ornamenta^ao 

gothica, em cuja parte central esta uma figura de S. Vicente. Na base 
a inscrip^ao : este c.\liz deixov vasco fernamdez quartanario da si. Na 
copa este letreiro em gothico: calicem. salvt.\ris. acipiam. et. nomine. 
Altura 0",28. Seculo xvi. 
Si de Lishoa. 

97 Navetade prata com f6rmade galeae. Comprimento0"",21. Seculoxvi. 

Freguezia de S. Pedro de Almargem do Bispo, concelho de Cintra. 

98 Thuribulo de prata dourada. Altura 0°*,23. A base 6 feita de tres p^s de ca- 

bra; o corpo de dois hemispherios. Parece obra de industria indiana. 
Fig. 77. 

&^ de Coimbra. 

99 Prato relevado, cuja ornamenta^ao consiste principalmente em grupos de 

suerreiros a p6 e a cavallo. Os grupos sao separaaos por cariatides. Repro- 
ducQao em prata do original, obra do seculo xvi, que pertenceu a casa de 
Yaliadares e lioje a de Kot.«child. Diametro 0'°,48. 
Sr. Visconde de Daupias. 

100 Calix de prata dourada. Altura 0°',31. A base hexagona, adornada com 



SALA ]MC 13 

seis figuras de santos em alto relevo, separadas umas das outras por ou- 
tras tantas pilastras. d6 e de arcarias gotiiicas com baldaquinos. Sob os 
inferiores liouve estatuetas, das quaes restam s6 duas. Ornam a copa ra- 
magens e seis figuras de seraphios. Seculo xvi. Fig. 51. 
Se de Coimbra. 

iOl Custodia de prata dourada e esmaltada. Altura 0^,65. A parte superior, en* 
cimada pela cruz, 6 formada por quatro pilares terminados em corucli^us. 
loteruamente quatro columoas, tambem terminadas por corucli^us, for- 
mam arcarias, no interior das quaes uma columna mais grossa, corrcs- 
pondendo ao eixo da custodia, serve de apoio a toda esta paite. Falta um 
eoruch6u e provavelmente quatro estatuetas que deveriam occupar os vaos 
dos arcos. A parte ni6dia tern o relicario, formado no meio pelo ediculo 
circular, rendilhado a roda interior e exteriormente e com rosaceas esmal- 
tadas entre os rendilbados. Aos lados dois grandes feixes de pilares, sendo 
um mais alto, e todos rematados por corucheus. Das extremidades infe- 
riores pendem dois tintinabulos. Os Teixes de pilares iigam-se a parte su- 
perior por meio de ornatos. A base d'esta parte media ^ concava, dividida 
em seis taboleiros ornamentados e ornados em roda por um aeroterio ren- 
dilhado. A parte inferior da base tem uma similhante dlstribui^ao e 6 sus- 
tentada por ornatos a maneira de misulas. A haste ^ hexagona com as seis 
faces ornadas de iavores esmaitados. n6 compoe-se de fulliagens e ii^eis 
espberas cobertas de escamas esmaltadas. A base dividida em doze go- 
mos, seis curviiineos e seis angulares. A supedicie distribuida em quatro 
partes maiores: n*uma v^m-se as armas do bispo D. Diogo de Sousa e 
nas outras figuras de anjos em baixo-relevo. Nos intervallos ha quatro 
cravos esmaitados. Fim do seculo xv. Fig. 67. 
Se do Porto. 

102 Cruz processional de prata. Altura C^jlO. Base hexagona formada por tres 

corpos sobrepostos, adornados com arcadas, columnas, corucheus, balda- 
quinos e rendilbados. Cada extremidade da baste e dos brat^os termina em 
flor de liz. Seculo xvi. Fig. 57. 

Confraria do Sacramento de Bellas. 

103 Cruz processional de prata. Altura i'°,ll. A base e formada por dois corpos 

bexagonos, com seis nichos cada um, separados por pilastras, das quaes 
no corpo inferior pendem seis tintinabulos. A haste e os bra^os sao orna- 
dos de arabescos e de cabe^as de seraphins nas extremidades. Seculo xvi. 
Igreja do Pomheiro, concelho de Arganil, districto de Coimbra, 

i04 Naveta de prata com forma de galeao. Comprimento 0'°,23. Seculo xvi. 
Junta de parochia de Condeixa a VeUia, districto de Coimbra. 

105 Galix de prata dourada com sua patena. Altura 0°',33. Copa hemispherica 
adornada com seis figuras de anjos sustentando os emblemas da Paixao, e 
na parte inferior outras seis sustentando outros tantos tintinabulos. n6 
decorado com arcarias gothicas, tem debaixo de baldaquinos as estatue- 
tas de seis Apostolos. Base dividida em doze gomos, dos quaes os maiores 
t^mem baixo-relevo as figuras de Apostolos, exceptoum, que tem um es- 



14 SALA B£ 

cudo coiQ as armas do aroefcispo D. Diogo de Sousa, e a data de 1309. Nos 
seis gomoft memr&iy ornatos esmaitadus. Entre a eopa e o no. e entre 
este e a base ba dois aoneis eom o mesmo gen4?ro de esmaJte. No bordo 
exterior da eopa )^-se : nic est galix sAivGuims mbi novi et eter. A pa- 
tena tem no meio da face inferior a figura do cordeiro esmaltada; na fat^e 
superior S. Joao Baptista: a roda em caracteres gotbieos : do yobis pacem 
REUNco Yo PiLCEM MEAM. FiQS do seeoio XY oa principios do secido- xyi. 
Fig. 49. 
Se de Braga. 

106 Calix de prata dourada com sua patena. Altura O'^jSS. A eopa e ornada de 

figuras de anjos com instrumentos masicos e de folbagens e rosaeeas na 
parte superior. Na parte m^dia re^tam doze anneis que serviriam para sus- 
tentar os tiodnabulos que faitam. Na parte inferior iiguras de anjus, aves, 
ornas e folbagens, cinco aaneis similbantes aos da parte media e falta urn 
sexto. No formado de arearias gotbica^ com cocuebeus, e duas ordt^ns de 
nicbos com baJdaqninos, na inferior das quaes se v(^em seis e^^tatuetas de San- 
tos. No p^ seis nicbos siniilbantes aos da parte superior. A base e dividida em 
doze gomos, seis dos quaes cont^m em rek^YO (iguras de santos, e os ou- 
tros folbagens e rosa^eas de pram nao dourada. A patena tem no meio um 
brazao esmaltado, e a roda a seguinte iegenda: ab istis mikk alli GRA^'E- 
TUR. Decorada com ornatos gravados. A roda M-se em caracteres gotbi- 
eos : AD LAUDEM DEI MiLiciA ABATisA MEFKcrp. OrevcFso esta omado 3 J30m- 
tUle e a buril com brazoes intercalados. No meio lepete-seomcr mo brazao 
em ponto maior, a roda do qual se. 1^ em caracteres gotbieos : este cales 

TROUXE ILENA DA MAIA FILHA DA MAIA. DE If. MAIA. Scculo XVI. Fig. 50. 

Pertenceu ao mosteiro de Arouca, e e hoje da tnuericordia do Porto. 

107 Cofre de tartaruga com ornatos de prata. Comprimento 0"",22. Seculoxvi. 

Se de Coimbra. 

108 Custodia de prata dourada. Altura 0",80. A parte superior 6 formada por 

uma arcaria gothica dividida por quatro feixes de pilares, formando bal- 
daquinos, sob os quaes estao as estatuetas dos quatro Erangelistas. Re- 
ma ta esta parte uma cimeira do mesmo estylo, sob re a qual se vd o fra- 
gmento de uma cruz. A parte media conlem o ediculo, rendilbado por f6ra, 
e por dentro, na face anterior, omado cum cabegas de serapbins. A face 
posterior erendilhada exterior e interiormente. Aos lados dois grandes feixes 
de pilares com quatro baldaquinos e tres estatuetas debaixo de cada um, re- 
matados por cimeiras do mesmo estylo, e ligadosa parte superior e a parte in- 
ferior por ornatos. A base da parte media e dividida em quatro taboleiros, 
e cercada por um acroterio rendilbado. A face inferior e dividida por seis 
gomos eom ornatos siniilbantes. Na peripheria da base elevam-se ([ualro 
anjos tocando instrumentos, os quaes se firmam sobre pendoroes com tin- 
tinabulos, bem como os feixes de pilares. Falta um d'estes tiatinabulos^ 
A parte inferior tormina por uma aba bexagona, sustentada em quatro or- 
natos, a maneira de misulas, e com a seguinte inscripcao na face supe- 
rior : ESTA cosTODiA FOi ACABADA NA ERA DE 1534. DO consta dc arcarias 
formando baldaquinos, dois dos quaes abrigam estatuetas de santos. Na 
parte superior ba um annel bexagono com vestigios de esmaltes. Da parte 



SALA M: 15 

inferior pendem tres pingenfees e lalta urn (fuarto. n^ defcansa sobre seis 
dracoes, similhaQtes aos do calix n.° 1^4. A ba>e e dk^tribuida em oito 
jEomos, cujas superficies sao f^roadas coin figuras de saiilos. Nos intervallos, 
lozaniros esmattados. A peripheria readilhada. A base descansa subre utn 
emniuiduramento, contorneado por um festao de luuro, e sustentado per trc^ 
aniinaes de phautasia, faltando um quarto, e sobre garras apoiadas em 
esplieras. Seculo xvi. Fig. 70. 
Collegiada de Gut mamas. 

iWa Porta-paz de prata repre^entando um portico, tendo de cada lado dois gni- 
pos de eokimuas acoruehadas, separadas peias estatuotas de S. Jeronymo 
e Santo Agostinho, eobartas de baldaij|aliio6 reodilhados. No grupo maior 
das columnas v^em-se, n*um as estatoai) de S. Pedro e Moy<es, n outro as 
de S. Paulo e David. A parte principal do porta-poz 6 ooeupada pela 
imafrern da Virgem com o Menino, collocada sobre um croi^cento sus- 
tentado n'um espinkeiro. Por baixo, dofe^aojos sustentam um brazao com- 
posto das cinco chagas, tendo por timbre a corda de espinbos. C tudo 
coberto por um baldaquino rendilliado a que serve de remate a imagem 
do Padre Elerno. Altura 0'",:')G. Seculo xvi. Fig. 87. 
Academia Ileal de Bellas Artes de Lisboa. 

100-6 Cofre de madreperola com fecbadura.e ornatos de prata. Comprimento 
0'",27. Seculo xn. 
Sr,* L, Simy Cohen Servyaj Lisboa, 

110 Salva de prata dourada e relevada em cuja omamenta^ao se vt^em represen- 
tados OS trabalhos de llorculos, o mar, navios, monstros marinlios, etc. 
Tern na parte central um brazao moderno em que se figuram aves e estrei- 
las. Diaraetro 0",5.*). Seculo xvi. 
Sr, Christiano Vanzeller, Porto. 

114 Cofire de gelatma com guarnigoese fecfaadurade prata. Comprimento O'^ySS. 
Seculo XVI. 
Acadefttia Real de Bellas Artes de LMoa, 

112 Relicario de prata dourada. Aitura 0°,33. Sobre a base circular, convexa, 

ornada de arabescos e medalboes, esta entre tres columnas a imagem de 
S. Sebastiao, de prata bi anca, ligada a outra columua, laiiibom de prata 
branca. £stas ultimas pe(;as foram aerescentadas. Subre o entablamento cir- 
cular, guarnocido de pingentes em baixo e de rendilhados em cima, cr- 
gue-se uma cupula, encimada por um crucifixo, e formada por dois cor- 
pos circulares de arcadas, dentro dos quaes esta uma estaluela represen- 
tando S. Pedro. Seculo xvi. Fig. 89. 
Se de Coimbra. 

113 Prate de prata dourada. Diametro 0'°,47. £l profusamente ornado na parte 

exterior por arvores, folhagens, luctas de horaens e animaes, etc. meio, 
levantado, representa o mar com figuras de homens, de auimaes e navios. 
No c(ntro, entre um grupo circular de arvores, um brazao. Seculo xvi. 
Se de Coimbra. 



16 SALA M 

114 Gomil de prata dourada. Altara O^jiS. £ profasamente ad>>rnado de meda- 

ihoes, festoes, ramagens e outros lavores. Muitas figuras em baixo relevo 
cobrem a zona m6dia do bojo. Tern por bico uma fi^^ura de phantasia com 
azas de dragao, que termina soperiormente a maneira de gargula. Estylo 
de traasic^ao. Seculo xyl 
Si de Coitnbra. 

115 Cruz de oiro esmaltado, com a forma usada pela ordem de Christo. No 

ponto de intersecQ-ao da haste com os braQos tern um relicario, defendido 
por discos de crystal, orlado pela cor6a de espinlios. Na base as annas 
de Filippe II de Hespanha abrangendo ja as de Portugal. No corpo supe- 
rior da base ha este Jetreiro : philippvs rex. m. d. lxxxiii. Na outra face 
iguaes armas e letreiro. Altura 0'°,47. • 
Se de Lisboa. 

116 Cruz processional de prata. Similhante no estylo aos n."* 103 a 119. Altura 

0»,99. Tern a data de 1588. 
Junta de parochia de S. Miguel de Poiares, 

117-aImagem de Nossa Senhora, de prata dourada. Altura 0'",52. Seculo xvi. 
Fig. 103. 

Se de Coimbra. 

iil'b Baixo-relevo em marfim representando S. Jeronymo, em moldura de ma- 
deira. Altura 0",32. Seculo xvi. 
Sr. Visconde de Monserrate, 

118 Imagem de S. Miguel, de marfim. Seculo xvi, Altura 0'',39. 

Sr. Visconde de Monserrate. 

119 Cruz processional de prata rebatida. Altura l'",12. A imagem 6 de latao. 

A base cont^m seis nichos com baixorelevos representando os tormentos 
da Paixao. Estes nichos sao separados por seis columnas, de cadaumada^; 
quaes pende um tintinabulo. A base sjmilhante ao n.® 121. Seculo xvi. 
Parochia da Figueira de Lorvao, conceUio de Penacova, dtstricto de 
Coimbra. 

120 Naveta feita de concha de madreperola sustida em uma base com figura e 

ornamentagao em prata iavradae dourada, rebatida. Na tampa um brazao 
de armas. Comprimento 0'",20. Seculo xvi. 
Se de Faro. 

121 Thuribulo de prata. Altura 0°',25. £ formado de dois corpos hexa^onos, que 

assentam sobre uma base arredondada. Cada corpo tem seis nichos, con- 
tendo cada um dos superiores uma esphera ou uma uma, e cada um dos 
inferiores o busto de um santo em taixo-relevo. Seculo xvi. Fig. 79. 
Se de Coimbra. 

122 Cofre de prata dourada, sustentado por quatro anjos com as azas abertas> e 



SALA ISX 17 

encimadoporumacruzadornada deglobos de coral. Comprimento C",18. 
Seculo XVI. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

1S3 Calix de prata dourada. Altura 0^,M. A base e o no sao adornados com me- 
dalhoes, cabegas de seraphins e pedras A copa lern seis anjos em baixo- 
relevo, dos quaes pendem seis lintinabulos. Seculo xvi. 
Capella da Universidade de Coimbra. 

124 Calix de prata dourada. Altura O'^jSS. A parte inferior da copa ^ ornada de 

cabe^as de seraphins, medalbdes com pedras nos centres e pequeuas ca- 
riatides, das quaes pendem seis tiniinabulos. no tem seis dragoes que 
servem de quartellas; a parte inferior e dividida em seis gomos, tres dos 
quaes t^m cabe^as e os outros pedras. A base compreliende tres partes : 
a primeira decorada com medalhoes; a immediata com medalhoes, cabe^as 
de seraphins e folhagens; a ultima e inferior com as figuras do Salvador, 
da \eroaica, de S. Miguel, tres cabegas de seraphins e outros omatos. Se- 
culo XVI. Eslylo darenascen^acomreminiscenciasgothicas. 
Mitra episcopal de Lamego. 

125 Cofre de ebano com guarni^oes de prata. Comprimento O^jSS. Seculo xvii. 

Se de Lamego. 

126 Cuslodia de prata dourada. Altura 0",68. A base adornada com baixo-re- 

levos e esmaltes. relicario entre oitocolumnas, com pingentes e tintina- 
bulos pendentes, dos quaes resta urn. Encimam as columnas sobre o en- 
tablamento pyramides de base quadrangular, entre as quaes se ergue um 
corpo arcliitectonico feito de uma arcada coberta de uma abobada, encima- 
da por um crucifixo. Fins do seculo xvi. 
Igreja de Trevoes. 

127 Calix de oiro com sua patena. Altura 0'°,2i. A base, ornada de arabescos e 

cabegas de seraphins em baixo reJevo, tem na parte inferior o brazao do 
bi^po de Coimbra, D. Joao Soares, com esta divisa : sou deo honor et 
GLORIA. no, de forma cylindrica, tem seis nichos com bustos de santos, 
separados uns dos outros por columnellos. A copa representa em baixo-re- 
levo OS seguintes assumptos : Annunciagao, Presepe, Adoragao dos Reis e 
Assumpgao. A patena tem gravados em roda tres peguenos quadros, aue 
represenlam o Calvario, a Resurreijao e a Ascensao. Seculo xvi. Fig. 48. 
Side Coimbra. 

128 Naveta de prata com forma de galeae. Comprimento 0",21. Fins do seculo 

XVI ou principios do seculo xvii. 
Misericordia do FunchaL 

129 Prato de prata cinzelada e dourada. Diametro 0'',45. rebordo ^ ornado de 

carrancas, dragSes e outros animaes. A parte mc^dia, levantada e com a 
forma convexa tem a mesma ornamenta^ao. No centre foi modernamente 
gravado um brazao. Seculo xvi. 

Sr. Martinho Pinto de Miranda Montenegro_, Porto, 



18 SALA M 

130 Pyx'ule do prata douradft com elegante forma de ta^a, em enJ^z Vsm^y coberta 

de lavores reicvado!?, e encimada por urna cruz, sobresat*m qaaftro cabe- 
^as de chenibins. Na base tern eabeya:^ do satyros e ds leoes. Secalo 
XVI. Fig. 53. 

Academia Reed de Bellas Artes de Usboa. 

131 Calix de oiro esmaltado. Altura 0",33. A parte inferior da copa e ornada 

com seis medalhoes de forma oval, qne representara passos da Paixao, em 
relevo. Entre os medallioes vdrtm-se anjos com os brai^'os estendidos a se- 
gnraJ-os. Os medalhoes sao encimados por cabe^as de serapf»ins. no, 
bexagono, tern seis baixo-relevos representando assompto^^ da Paixao, e 
separados por quartellas. A base e dividida em seis goroos, dos quaes qua- 
tro tein as ligiiras dos quatro Evangel istas em relevo, e dois as tiguras de 
S. Pe(b'o e de S. Paalo. A ornamenia(*ao e primorosamenie esmaltada. No 
reverso da bat^e vd se no meio uin brazao esmaltado com a legenda se- 
guinte: Doct. paulus Alphonsus Rkg. CoNsiuARiusiNEccLiAEBoaEi^siAR- 
cnrDiACONus kt DxUoxicus donacit — Arcxo D5l i387. Fig-, oi. 
Se de Evora. 

132 Baciado prata dourada com ornamentacao de concbas, golpbinbos, seca- 

phius, flores e arabescos. Diametro 0",o7. Principios do secuio xvn. 

Se de Lisboa, 

133-a Gomil de prata domrada com a mesma omamentagao da bacia n.** 132 e a 
ella perteneente. Altara 0",47. Principios dt) secuio xvu. 
Se de Lisboa. 

133-&Salva de prata dourada, tendo por ornamentacao pequenas pyramides 
qnadrangulares. No cenlro tem urn brazao de armas. Diametro 0"*,34. 
Secuio XVI. 

Sr. D, Luiz de Carvalho Baun e Lorena, Lisboa. 

134 Calix de prata dourada. Altura O",!?. Na base, ornada com figwas emble- 
maticas dos qiialro Ex'angelistas em baixo- relevo, Je-se o seguinfe: geda, 

ME>E.NDIZ MB FECIT IN 0N08EM SGI MIGITAELIS E MCLXXXX. nO 6 do flHgra- 

na como o do n.** 6. Na copa esla representado em baixrvrelevo o Aposto- 
kdo, tendo a figura de cada Apostolo por cima o nome. Secuio xn. Fig. 46. 
Se de Coimbra. 

105 Placa circular de cobre esmaltada. Bepresenta am cao oom a cabe^a engn* 

naldada. Diametro O^jOS. 
Bibliotheca ptiblica de Evora. 

136 CaKx de prata dourada. Altura 0^,11. Copa omftda eond animaes de phai- 
ta»ia, fitas c fokbas. lavor do pi^, singelo e rude. Base lim eom a seguin- 
te insertpcao de earactetes gottieoe pi'itirdiae»: m 11:11. kii menendus 

GUNDISALUrs ET TUDA DOMXA SUM. S«frak> XII. 

Se de Brag»r otide & aHrnktem a» areekitf^ S. GcnrfdsL 



SALA BX 19 

137 Fragmento de um collar de oiro, adoroado de pedran e perolas. Comprimen- 
to 0'",44 . Cr6 se ter perteneido a raioha Santa Izabel. Secalo xiv. Fig .Hi. 
Convento de Santa Clara de Coimbra. 

18* Annel abbaehi) de latao dourado com restiis de esroalte verde. No centro tern 
uma pedra venn8<ha, era que e?ta gravada uma mitra e um baculo e em re- 
dor a sepuinte inscriprao : petovs abas. Seculo xii (?). Diametro 0'",065. — 
Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

139 Pequeno cofre de prata dourada. ComprimentoO",!!. Seculo xv. Nofundo, 

nas faces lateraes e posterior, W-se o segninte em caracteres gothicos : esto 

MANBARO FAZER T0IL\M DA VEYGA E GOMZ. ANS FREIRE JCIZES PERO NUNEZ AFON- 
SO DIZ ANDRE GLZ VEREADORES P" ANES DAMIEO PRECURDOR ANO DB MIL E 111 J 
CENTOS LIIIJ. 

Misericordia de Montemor o Novo. 

140 iledalha de oiro que do um ladotera, em pequeninas figuras, S. Jos^, Nos?a 

Senhora, o Espirilo Santo e o Padre Eterno, e do outro Nossa Sunhora com 
Menioo ae collo. Secuio xvr. 

Sr.' D. Marianna G. Fischer Berqu6, Ponta DeJgada. 

141 Pingente de oiro representando um golphinho, com esmaltcs e pedras verdes, 

sobre o qua! ^e\6 montado um guerreiro com e^cudo e mas{>a. Seculo xvi. 
Sr." D. Marianna G. Fischer Berqttd, Ponta Delgada, 

lis. CesUnhodeprala dourada com esmsilcesazues. Seculo xvi. 
^adenda Real das Sciencias. 

143- Rielioario de oiro, crystal e pedra» preciosas. Altura 0", J9. Na fa*'e anterior 
do crystal dentro ^e um nimbo a^ imagem de Nossa Senliura. Falta o re- 
mate supiH'ior Seculo w. 

Gonfraria do SacrasMfUo da paroahda de Santa JaisUl e Bafina, Lis- 
boa.. 

UA- Par de brinoos de oiro esmaltado e com perolae. Allizra 0"',07. Seculo xm. 
Srs. Conies de Pnme. 

145 Relicario de crystal com vidrilhos de cores. 

Caiwa gerak de depomtos. 

146 Relicario de crystal com vidrilhos de cores. 

Caixa geral de depositos, 

147 Belioarie- de^ orys4ial com vidrilhos de cores. 

€adxa geral d$: depositos. 

148 Campainha de prata lavrado:, cnjo cak> termini em cabeca de chinez. Tern era 

letras romanas : d mariana macima. Seculo xvi. 
Sr. QeifKmador do bispado de*Beja. 



20 SALA M: 

149 Pequeno crucifixo de oiro esmaltado. Altura 0",075. 

Sr. Manuel Maria de Sousa Caldeira, 

150 Annel de prata dourada, com cornalina, na qual esta gravado o busto, de face, 

de el-rei D. Joao II, coroado, tendo n*unia das maos uma palma e na oatra 
a cruz radiada. No engaste da pedra, entre varia orDamenta^o, tern as 
letras y, o, a, o. No aro tem dois yy coroados como aquellerei usava nas 
moedas. Era do uso do mesmo monarcha. 
Sr," D, Helena de Aragao, Lisboa. 

if}l Esphera de ferro dourado com lavores relevados represenlando dragoes e luctas 
de guerreiros. Suppoe-se ter perlencido ao punho de uma espada. Seculo 

XVI. 

Bibliotheca nacional. 

152 Annel de prata tendo no aro duas figuras muito toscas. Na parte principal 

(em urn y. Seculo xiv ou xv. 

Sr," D. Helena de Aragao, Lisboa, 

153 Relicario de oiro esmaltado. Allura 0'",28. Largura O^.li. Representaum 

oratorio com a base rectangular, sobre a qual se erguem quatro columnas 
que sustentam a parte superior com forma de concha. Nas paredes lateraes 
vton-se dois arcos de volta redonda sobre pilastras, e por cima d'elles 
oculos circulares. No enlablamento I^-se em caracteres romanos a inscri- 
pcao seguinte: misericobdie. tve. T^T,. mortis, gravisime. dvlcisime. 

DOMIXE. lESV. X E. RESPLENDOR. PATRIS. CONCEDE. NOBIS. FAMVLIS. TVIS. 

Na parte anterior, superior e central do arco tem as armas reaes com a 
coroa, encimadas por uma urna. A volta do arco 6 revestida exleriormente 
de escamas esmaltadas. Na parte superior eleva-se uma urna coberta por 
uma perola. A parte inferior de cada uma das columnas da frente 6 ador- 
nada com o camaroeiro, divisa da rainha D. Leonor. No fundo, dentro de 
um nicho, n'um tubo de crystal esta a reliquia, que e um espinho. A face 
• anterior da base tem engastada uma esnieralda. Atras, na face posterior do 
arco, esta representado o Calvario cm baixo-relevo. Na parte inferior v^se 
um medalhao circular com uma cabe^a de mulher,talvez a rainha D. Leo- 
nor, e em roda uma fita com a inscripgao seguinte: gasa m. d. (Casa da 
Madre de Deus?) Principios do seculo xvi. Fig. 86. 
Pertenceu ao extincto convento da Madre de Deus, 

154 Pingente de prata esmaltada, tendo na parte superior um anjo e na media um 

cysne montado por Cupido. E adornado de perolas, rubis e diamantes. Al- 
tura 0",07. Seculo XVI. 

Sr," Almeida Santos^ Lisboa. 

15oa Coroa fechada de oiro com pedrns Cnas e esmaltes, trabalbo arrendado com 
perolas, dada por D. Maria, filha de D. Manuel, ao convento de Nossa 
Senhora da Luz. Seculo xvi. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

loo-6 Relicario dc crystal com aro de filigrana de prata dourada. Na parte in- 



SAL A M 21 

terna tem a imagem de S. Jos^ rodeada de aljofares e saindo de uma (lor 
filigranada. Altura O^jOO. Seculo xvi. 
or«. Viscondes de Daupias, Lisboa, 

156 Annel de oiro com pedras collocadas a maneira de flor de liz. Seculo xvi. 

Sr." D. Helena de AragdOj Lisboa. 

157 Annel de oiro. Seculo xvi. 

Sr,' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

158 Annel de oiro com pedra verraelha. Seculo xvi. 

Sr' D. Helena de Aragao , Lisboa. 

• 

159 Campninha de prata lavrada terminando por uma mao fechada. Tem o se* 

guinte letreiro: dona delfina vitoria. Seculo xvi. 
Sr. Govemador do bispado de Beja. 

160 Baixo-relevo em porcelana, representando uma cabe^a com longas barbas, 

coroada de coroa de louro. 
Academia Real das Sciencias. 

161 Medalha de oiro esmaltado tendo de ambos os lados as armas da luquisi^ao 

(uma cruz entre um ramo de oiiveira e uma espada). Seculo xvi. 
Caixa geral de depositos. 

162 Medalha de oiro esmaltado, tendo de ambos os lados a cruz da ordem de 

Aviz com as armas da Inquisi^ao. Seculo xvi. 
Caixa geral de depositos. 

163 Pingente de oiro esmaltado, adomado de diamantes e jperolas, com uma es- 

tatueta representando S. Joao. Coraprimento 0"",047. Seculo xvi. 
Convento de Santa Maria de Almoster. 

164 Par de brincos com esmaltes. Seculo xvi. 

Caixa geral de depositos. 

165 Pingente de oiro esmaltado representando um seraphim. Comprimento O'^yO^ 

Seculo XVI. 

Convento de Santa Maria de Almoster. 

166 Relicario de crystal formado de duas chapas octogonas que fecham uma so- 

bre a outra, ambas com moldura de oiro. Altura 0'",12. 
iSr.' D. Maria Manuela de Brito e Castro, Lisboa. 

167 Par de brincos de oiro esmaltado com diamantes e rubis. Representam 

dois caesiuhos deitados. Seculo xvi. 

Sr." D. Maria Manuela de Brito e Castro, Lisboa. 

168 Par de brincos de oiro esmaltado, com diamantes e perolas. Seculo xvi. 

Sr." D. Maria Manuela de Brito e Castro, Lisboa. 



22 SALA M 

169 Alfinete rematado por uma flor de oiro esmaltado, oomaljofaTeseiiiDaesme- 

ralda. Seculo xvi. 

Sr.'' D. Maria Manuela de Brito e Castro, Li^a. 

170 Annel de oiro. 

Sr, Joao J. T, ,Fafe, Lamego. 

171 Prego de cabello, terminado por uma flor de folhas de.prala, umas brancas, 

oulras douradas, oulras esmaltadas de verde ou de verraelho, e algumas 
com diamantes engastados Seculo xvi. 

Academia' Real das Bellas Antes de Lisboa. 

• 

172 Prego do cabello, terminado por uma flor de folhas de prata brancas, algQ- 

mas esmaltadas de amarello. Tern diamantes e rubis. Seculo x\i. 
Academia Real das Bellas Artes de Lisboa. 

173 Cofre de filigrana de oiro, com fecbadura eamidtada. Comprimeaato O'",!^. 

Seculo XVI. 
Igreja da Graqa^ Lisboa, 

174 >Cruz de crystal com engastes de oiro esmaltado oas extremidades^da haste e 

bragos, e tendo de urn lado Jesus crucifieado e do outro a Virgem, a quem 
dois anjos esiao coroando. Altura 0°,079. Seculo xvi ou-xyii. 
Sr. Marquez de Alvito. 

175 Pingente de oiro esmaltado. Comprimento O'",^). Reyresenta nioa agaia co- 

roada, adornada com diamantes. Seculo xvi, 
Convento de Santa Maria de Almoster. 

176 Prego de cabello, de oiro esmahado. Corapriwento 0",0S8. IWpreeenta uma 

lagartixa adornada com urn rubi e tres esmeriildas. Secalo xvi. 
Convento de Santa Maria de Almoster. 

177 Baixo-relevo em marfim representando a AomiDcia^ao. Tem^este letreiro em 

caracteros gotliicos : ave gratia plena, ecge ansila domine deus. Altura 
0",11. Seculo XVI. 

Sr." D, Francisca A. Fen^eira de Carvalho. 

178-a Prego de cabello. Comprimento 0",OiO. fi de oiro esmaltado, adomado 
oom uma esmeralda e diamautes rosas. T-em a fenna de iiorboleta. Se- 
culo x\i. 
Convento de Santa Maria de Almos$er, 

178-i tEstatneta de urn guerreiro, de prata « oiro eemabado. 3fein uma griBiela 
nos pes. Altura 0'°,OSS. 
Bibliotheca nacionaL 

179 Daas miniaturas de O^jOSS por 0°,046, com mna caixa de ferro <fue Ihes 
serve de moldara. Uma das mntiaturas em inaa estado. A eaixa tern la- 



SALA M: 2a 

vores Tusados, e a €orrcdiea que a Jecha am brazao de armas. SccuJa 

XVI. 

BibHoikeca de Ecora. 

180 Relogio de latao e crystal. Seculo xvi, 

Mu9eu Periuense. 

181 Grfre hi^pano-arabe de marftm. AUara 0*°, 19. £ de forma cylindrica; a tampa 

convexa com ferrapens de r(d)re dourado. Em voha da tampa uraa iii^cii- 
p^ arabe. Ornameiita^ao cm baixo-relevo rcprcsenlando litas entrela^a- 
das, arros de voita de ferradora, figuras humanas, aves e oiUros ani- 
maos. Seculo xin. 
Se de Braga. 

182 Salra de prata dourada. No <!pntro t^c tm\ f^erreiro sepirando pelos ca- 

bellos outro que jaz prostrado. Na restante ornamentayao representa se 
uma C3(jada. Seculo xvi. 

Sr. Jeronymo Pimentel, Braga. 

183 CuAiTi de prata donrada e e««ma1tada, com sua patena. AUara 0'°,22. Copa 

lisa e pyramidal. No hexagono, oroado de rama«jens eesmaltes. Oasetam- 
bem liexafjona, dividida em j^omos e com seis esmaltes iios an^'ulos re- 
imrantes. Uns e ontros esmailes representam hustos de t^antos. A patena tcm 
no centre um esmalte (|iie represeula o Padre Etemo. Seculo xui. Fig. 113. 
CoUegiada de Guimaraes, 

18i Placa de cobre esmaltado, com a figura de Jesu Christo. Fazia parte de uma 
oatra fie^a, da qua! foi destacada. AlturaO"',105. Seculo xu. 
Bibiiotbeca publica de Evora, 

185 YkUe e Reis esmaltes de Limoges, de O*",! de altara e pouco mcnores, res- 

goardados por uma rooldura dourada, com sea vidro. Ucpreseutam passa- 
gens da vida e morte de Jesu Christo. Pertenceram ao santuario do mos- 
teiro de Santa Cruz de Coimbra. 
Academia de BeUas Artes do Porto. 

186 Porta-paz de prata dourada. AUuraO°,18. Tem a imagem de Nossa Senhora 

da Piedade sob urn baidacjuino gothico. x\a ba^e, snbre esmalte azul, a 
segainte legenda em caracteres gotbicos arredondadbS : »ax domim srr 

SEMPER VmiSCV, Seculo XV. 

Se de Leiria. 

187 Resguardo ou anteparo de uma ampulheta, de prata dourada. N'um dos to- 

pos tem as armas de Portugal, no outro a espliera arimllar. Altura0",18. 
Seealo xvi. 
Academia Red de BeUas Aries de Ldsboa, 

188 Medalhao de prata dourada. Diametro 0",1S. Representa um banquete na 

idade m^dia. Secolo xvi. 
Miserkordia do Porto, 



2i SAL A M: 

489 Salva de prata dourada, orlada por uma especie de renda composta de fo- 
Ihagens e carrancas. Tem no cenlro um guerreiro com escado e langa, e 
um selvagem com arco e freclia. H.jmens e varios animaes era fundo de 
folhageas e de Qores constituem a ornamentagao da inaior parte da saperfi- 
cie. Diamelro 0",;H. Seculo xvi. 

Sr. Jose da Silveira Pereira Bravo Osorio de Vasconcellos . 

190 Resplandor de prata dourada com esmaltes azues e verdes, e com algamas 
pedras. Os raios sao uns direitos, outros ondeados, alternadamente. Ter- 
minam cada um (excepto quatorze) em sua flor esmaltada. Tem na parte 
principal uma cruz cercada de nimbo com serapliins e aos lados dois anjos 
em adora^ao. Seculo xv ou xvi. 
Convento do Paraizo de Evora. 

•191 Baixo-relevo em jaspe, representando Christo dando vista ao cego. Secu- 
lo XVI. 
Academia Real das Sciencias. 

192 Esmalte representando Christo crucificado, tendo aos lados a Virgem e S. Joao, 

e S. Francisco de joelhos abragado a cruz. Seculo xvi. 
Academia Real das Sciencias. 

193 Calix de prata dourada, com sua patena. Altura 0"',255. A ornamenta^ao da 

copa 6 de folhagens de estylo gothico com rendilhado na parte superior. 
Na parte mddia seis anneis que parece terem servido para a suspenj^ao de 
outros tantos tintinabulos que hoje faltam. No e pe hexagonos, com mol- 
duramentos e ornatos gnthicos. Base dividida em doze gomos, tres dos 
quaes t6m em relevo as figuras do Salvador, S. Joao Baptista e S. Ber- 
nardo. Outros Ires t^ra ornamentaQTio golhica em relevo, e os ultimos seis 
esmaltados. Na copa l^se em caracteres gothicos : agnuns dei qui tollis 
PECATA MUDi MisERE. A patona e de prata doirada. No meio tem um escu- 
do esraaltado e a roda a divisa ab istis nime allii graventvu; cercada pela 
seguinte legenda de caracteres goiliicos quadrados : da pacem dxe ih die- 
bus NOSTRis. Mais fora est'outra legenda em caracteres similhantes, porem 
maiores : este calex madov fazer a devota dona melicia de mello. Secu- 
lo XVI. 
Pertenceu ao mosteiro de Arouca, e hoje e da Misericm^dia do Porto. 

19i Salva de prata dourada. A parte central 6 muito levantada e tem no cimo um 
brazao com seis arruellas. A ornamenta^ao representa folhagens, monstros, 
cavalleiros, reis, pagens, etc. Diametro O^jSO. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

195 Campainha de prata. Altura 0'°,14. Tem gravadas as armas de Coimbra, 

cercadura de ornato, e a seguinte legenda em caracteres gothicos : qvi habet 

AVRES AVDIAT. QVIA JVSTICIA de. . . JVDIAT JVDICAT. Seculo XV ou XVI. 

Camara municipal de Coimbra, 

196 Cor6a fechada de filigrana de prata dourada. Seculo xvi. 

Extincto convento de Chellas. 



SALA m: :fr> 

197 Caldeirinha de prala e crystal com seu hyssope. Altiira 0'",23. A basp 6 de 

prata dourada com ornatos de filigrana; o vaso de crystal com guamigoes 
de praia dourada. A guarnigao superior 6 ornada de' pedras e camafeus. 
liyssope e de crj^stal com ornatos de prata. Seculo xvr. 
Mosteiro de Lorvao, 

198 Patena de oiro com lavores abertos a buril, e dois esmaltes um de cada lado. 

Seculo XVI. 

Bibliotheca nacional, 

199 Respiandor de prata dourada com esmaltes, pedras e perolas. Os raios sao al- 

teroadamente rectos e ondeadus. Quasi todos t^m na extremidade uma 
perola assente em tres folhas deesmalte azul. Seculo xvi. 
Convento de Santa Joanna, Lisboa, 

200 Porla-paz de prata formado de duas coluranas estriadas com sua architrave e 

frontao triangular. Tem em relevo o enterro do Senhor, e na base um bra- 
zao com as cinco chagas. Na parte posterior tem o seguinte letreiro: teo- 

TONIVS. DE. BRAGA^-CA. ARCO. PISCOPVS. FXBORENSIS. AltUra 0™,20. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

201 Triptyco de esmalte em cobre. Altura 0'°,41. quadro principal nn ceniro re- 

presenta o Calvario. Aos lados : Pilatos lavanclo as maos; \ia dolorosa; des- 
cida ao limbo; Jesus e a Yirgem. Em roda a seguinte legenda: ATENDrns 
ET viDETE SI EST DOLOR siMiLis sicHVT DOLOR MKvs. Na orla das vestos dc Lon- 
guinhos, que no quadro central fere com a hnqa o corpo de Jesus, 16- se : 
LOiNGis AWGLE (avcuglc) sA. . . No ultimo quadro a direita na base de ge- 
nufluxorio da Virgem l6-se: o mater dei memento mei. Seculo xvi. Fig. 85. 
Bibliotheca piiblica de Evora, 

202 Calix de prata dourada. Altura 0'",26. A base e distribuida em gomos, e 

ornada de troncos, ramos e folhagens em relevo. A um lado tem um es- 
cndo com as armas dos Albuquenjues e dos Cunhas. Em baixo 1^-se: este 

CALEB MADOV FAZER lANALVARES DA CVNHA PEKA A IGREIA DE SA SALVADOR. 

no comp6e-se de dois corpos de arcarias gothicas com coruch^us. A copa 
6 coberta de rendilhado em allo-relevo, folhagens ecarrancas, de cada uma 
das quaes pende um tintinabulo. Seculo xvi. 

Igreja ae Pombeiro, cmicelho de Arganil, districio de Coimbra. 

203 Esmalte representando Santa Maria Magdalena. 

Museu Portuense.* 

204 Campainha de bronze. Altura 0", 10. Seculo xvi. 

Sr. Joao Coelho Duarte, Lamego. 

205 Esmalte de Limoges, com moldura de madeira, representando o enterro do 

Senhor. Seculo xvi. 

Srs. Viscondes de Daupias. 

206 Calix de prata dourada com sua patena. no ^ ornado com os bustos dos 



26 SALA >£ 

Apof^tolos, em esmrklte. No pe tern am esmalte eom a imagem de Christo 
a'ucificado, e aos iados Nosmi Senhora e S. loao. A patina tem no cen- 
tro, em esmalte, a fi^ura de J^us Ghristo acoinpaBliada de varios instra^ 
mentos da Paixao. 

Srs. Duques de Palmella. 

207 Coroa de prata. Allura 0"',06. DiamelroO",09. Seculo xvi. 

Igtpja do Pombeiro^ concelho de Arganil, districio de Coimbra. 

208 Tinteiro de prata. Tem no bojo. era relevo, a imagem da Yirgem com o Me- 

niao ao collo, ambos com ramos de oliveira ; as annas reaes encimadas per 
capacete e coroa ducal, e safndo d*esta o dragao, eniblema dos duques de 
Bra^'anga, e a espbera armillar. Seculo xvi. 
Camara municipal de Guimaraes. 

209 Taga de prata ornamenuda de flores, folhagens e aves. Nas azas duas figu- 

ras do pbantasia. Seculo xvi. 

Sr." D. Maria Adelaide Dias de Ca^ro HotUeiro^ Porto. 

210 Cofre de prala, em cnja tampa se v^em os emblemas da Paixaa 

Sr, Domingos Jose de Oliveira Salvador, Lamego. 

211 Salva de prata rebatida, ornamenlada de grandes flores e folhagens, e tendo 

no centre uma ave. Dia metro 0"',26. Seculo xvi. 

Sr. Adriano de Paica de Faria Leite Brandao, Villa Nova de Gaia. 

212 Campainhade bronze. Altura 0™,13. Ornada de baixo-relevos. Emcima lt5-se: 

LOF GODT VAN AL : e em baixo: me FECFT J0HA>'N£S a FIEN a® 1348. 

Sr, Eduardo Vanzeller, Lisboa. 

213 Calix de prata dourada. Tem na base quatro brazoes de arroas do bispo de 

Coiml)ra D. Jorge de Almeida, e entre eiles medeiam quatro rotulos pelos 
quaes esta distribuida a legenda : keqvid nimis. Tem ainda na bai^e este uutro 
letreiro : este gales deixov o bispo don iorie dalmeida ao santo sacra- 

MENTO DA SEE ERA DE 1551. SeCulo XVI. Allura0",26. 

Acadeniia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

214 Salva de prata dourada de lavores bastante relevados. Representam os da 

parte central homens e animaes. Os outros ua maior parte da supeiGcie 
sao divididos por sete piias-lras em outros tantosquadros, emcada um dos 
quaes se v6 uma mulber, tendo juntos varios attributes das sciencias e ar- 
tes. Diametro 0'",29. Fins do seculo xv ou principios do xvi. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

215 Cofre de gelatina com fechadura e ornatos de prata. Comprimento 0",20. Se- 

culo XVI. 
Academia Real de Bellas Artes dt Usboa. 

216 Baixo-relevo em marlim, ropresentando um anjo e aniacreanQa,em moldura 

de madeira. Altura O"*,!!). Seculo xvi. 
Sr. Visc^nde de Monserrate, 



SALA JkL 27 

217 Campainlta ie bronze com bustos e cnttos ornatos. Seeulo xvi. 

Sr. Henrique Nunes Teixeira. 

218 Calix de prata dourada. Altura 0",30. A base 6 ornada com seis imageosde 

saolos em baixo-relevo; o no de arcarias goUiicas. A copa ornada com ou- 
tros seis baixo-reievos representando saaios, «ef>arados por pibi'tras, das 
quaes pendem seis tintinabnlos. Na copa lem gravado o segumte : mc est 
«AK€viMs MEi. Senik) xti. 

Fre^utzia de S. Ptdro de Almargem do Bispo, concelho de Cintra, 

219 Par de ra<hQae5; de lalao com o brazao da infanta D. Maria, filha de el-rei 

D. Manuel. AUura O^JS. Seeulo xvi. Foram da Luz. 
Academa Real de Bellas Aries de Usboa, 

220 Calix de praia doarada. Altnra O^^^SI. Na copa tem os seguintes caractcrcs 

gotbicos : + FB. cv. ma.nhos. maria FKiiEiRA. Fins do seeulo xv. 
Mitra archiepiscopal de Evora, 

221 Calix de prata dourada. Tem na base esta inscripgao : este deixov fern ado 

TOL\L. Aiuira O^jiC. Secuk) xvi. 
Acudemia Real de Bellas Artes de Lishoa, 

222 Resplandor de latao adornado com trcs pedras. Seeulo xvi. 

Mosleiro de Aoisa Seidiora da Concei\do, de Beja, 

223 Campainha de bronze. Altura 0'°,12. Tem represenlada em baixo-relevo a 

Annuneiacaoe na parte inferior !(^-se : o matea dei meme^nto mei. Seeulo xvi. 
Capella da Uuiversidade de Combra. 

224 Resplandor de prata dourada com as letras i ii s. 

Convento da Casianheira de VHUi Franca. 

225 Caixa de hostias circular de prata dourada. Tem na tampa o brazao de ar- 

mas do bispo de Coimbra, D. Jorge de Almeida. Diameiro 0",83. Seeulo- 

XVI. 

Se de Coimbra. 

226 Baixo-relevo em jaspe representando a Virgera, o Menino e outra Ggura. Al- 

tura 0", 12. Seeulo XVI. 

Bibliotheca publica de Evora. 

227 Chapa de prata branca e dourada com 0"',34 de altura e 0'°,27 de largura, 

eom gravuras a buril repre.<entaQdo Cliristo crucificado, tendo junto da 
cniz a Vii^em e S. Jtao, e em piano secuodario a ddade de Jerusalem. Por 
baixo da eraz v^se o brazao do arcebispo de Braga, D. Diogo de Sousa» 
tendo jnnto am roCalo com esta legenda : didacvs de $o\sx arcuiepvs pri- 
MAS 1j27. Etfta chapa serve de guami^ a uma lamina de aiarmore. 
Se de Braga. 



^8 S^LA Ml 

228 Baixo-relevo em jaspe representando a Adoragao dos Reis. Allura 0",12. 

Seculo XVI. 
Bibliotheca publica de Evora. 

229 Cruz processional de prata dourada, tendo por oria um elegante rendilhado 

e a superGcie coberta por folhagens de carvalho. N^uina face a ima- 
gem de €hristo crucificado, e nas extremidades da haste e dos bra- 
qos qualro quadros de figuras em baixorelevo representando Jesus 
no Horto, o beijo de Judas, a flagellagao e o Ecce Homo. Por baixo do 
quadro do Horto estao as armas reaes de Portugal sustentadas por dois 
anjos. Na outra face esta a imageni de Christo, em pe, tendo na mao as- 
querda um globo encimado por uma cruz. Esta face tern tambem nas 
extremidades quatro quadros relevados representando os quatro Evangelis- 
tas. Jgualmente tem as armas reaes de Portugal sustentadas por dois an- 
jos. A cruz assenta sobre um corpo architectonico de profusa ornamen- 
ta^ao de rendilhados e baldaquinos, e iadeado de porticos e grupos de 
columnas que terminam por corueheus e sustentam varies nichos povoados 
de estatuetas de santos (os ApostoloseosProplietas). Na parte superior do 
corpo architectonico, de um e outro lado, as armas reaes de Portu- 
gal sustentadas por dois anjos. De uma das faces ladeiam as armas duas es- 
pheras armilares, por6m faltam na outra face. Alem d'estas tem outras mui- 
tas faltasemutilagoes. Altural",19. Seculo XVI. Fig. il6. 
S^ de Funchal, 

230 Salva de prata dourada. Diamelro 0",18. n6 da haste 6 ornado de 

carrancas, folhas e festoes. No centro do disco^um escudo com um 
castello de tres torres encimadas por flares de liz. A roda o mar encapel- 
lado, monstros marinhos e galeoes, alguns dos quaes t6m cruzes nas ban- 
deiras e um a cruz de Christo n'uma vela. Seculo xvi. 
Sr. Macario de Castro, Lamego, 

231 Esmalte de Limoges, com moldura de madeira, representando Jesus em casa 

de Annaz. 

Sr. Yisconde de Daupias, Lisboa. 

232 Salva de prata dourada. Diametro 0°,18. A face superior do disco repre- 

senla em baixo-relevo arvores, figuras humanas e outras. Seculo xvi. 
Sr. Macario de Castro, Lamego. 

233 Esmalte de Limoges, com moldura de madeira, representando Jesus no 

Horto. 

Sr. Yisconde de Daupias, Lisboa. 

234 Salva de prata dourada. Diametro O^jlQS. A base ornada de baixo- 

relevos representando cagadas. p6 formado por tres satyros. disco na 
face inferior muito ornamentado de arvores, ramagens, aves, flores e fru- 
ctos, por entre os quaes se v^em tres brazoes de familias portuguezas. Na 
face superior cinco quadros com figuras em baixo-relevo. Seculo xvi. 
Sr. Macario de Castro, Lamego. 



SALA M ift 

235 Esmaltc de Limoges, com moldurade madeira, representando Piiatos lavando 
as macs. 

Sr. Visconde de Daujpias, Lisboa, 

23G Salva de prata dourada. Diametro 0'",20. Na face superior do disco figu- 
ras de nomens, de animaes, arvores, etc. No cenlro Cupido dorinindo. 1q- 
dustria indo-portugueza (?). Seculo xvi. 
Sr. Macario de Castro, Lamego. 

237 Esmalte de Limoges, com moldura de madeira, representando a flagella^ao 

dc Christo. 

Sr. Visconde de DavpiaSj Lisboa. 

238 Cruz processional de prata. Altura 1",55. Largura na base 0",46. A base, 

cuja f6rma 6 a de uma pyramide bexagona, assenta sobre uma columna 
adornada no pedestal com carrancas, no fuste com festoes, e cabe^as de 
anjos no capitel. A parte inferior da base 6 distribuida em seis secedes 
adomadas com troph^us, arabescos e chimeras. corpo da base tern tres 
ordens de nichos, sendo os da primeira e terceira ordem encimados por 
baldaquinos e separados por feixes de pilares com estatuetas e baidaquinos 
na parte inferior e terminados por coruch^us. Os nichos, com a f6rma de 
concha na sua parte superior, cont^m baixo-relevos, que representam pas- 
sos da vida de Christo, a Yirgem e os Evangelistas. De cada lado, na 
parte inferior, destaca-se um nicho maior com as estatuas de Mois(^>s e de 
David. Exteriormente muitas outras estatuetas e arcarias adornam o corpo 
da base. A columna e as difTerentes faces do corpo da base sao do estylo 
do renascimento. As arcarias, pilares e baldaquinos, que sao um como 
revestimento, idem o estylo gothico. 

A haste e os bra(;os, rematados em rosaceas, terminam a maneirade flo- 
res de liz, e sao cobertos de cabe^as, bustos e outros ornatos de estylo da 
renascenga. A figura de Christo 6 de prata dourada. reverse e simi- 
ihantemente ornamentado. Seculo xvi. Fig. 58. 

Cdlegiada de Guimaraes. 

239 Grande custodia de prata dourada com base, no e cupula de estylo gothico, 

tendo pordm um corpo medio de estylo do renascimento. Tem na base esta 
inscripgao: esta copa mai^dou fazer don frei joam dornelas abadede al- 
coBAgA ERA DE MIL QUATROCENTO E QUATRo. Na mcsma basc ha tres escu- 
dos cada um com tres flores de liz. Altura 0",92. Seculo xv. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

240 Triptyco de prata dourada de estylo gothico. Altura 1°,35. Largura 1",23. 

Na parte principal a Yirgem n*um leito, tendo junto, sobre a roupa que a 
cobre, o Menino Jesus. Proximo do leito S. Jose. Em piano superior, as 
cabegas dos animaes do presepe e dois anjos com thuribulos. Cobrem o 
leito quatro arcos ogivaes ; junto d^elles estao cinco anjos empunhando 
brandoes, debaixo de baldaquinos. Elevam-se sobre os arcos quatro cor- 
pos architectonicos fenestrados. Do alto de cada um dos lateraes debru^a-se 
um anjo snstentando um escudo com o brasao das armas reaes portugue- 
zas. As outras partes do triptyco tem cada uma quatro nichos occupados 



30 SALA M 



Eor estatuetas, que represeutara a Annimeia^ao, e Visitarrio de S 
el, Apresentagao, Adora^ao dos Pastures e Adoracao d'us Reis. 



„.., .., ^__, , . Fins do 

seculo XTV OQ principios do seculo xv. Fig. 117. 
Collegiada de Guimardes. 



'24 1 -a Craz processional deprata doorada com as quatro extremidaries tennioadas 
cm flur de liz, e coberta de rendilhados deesulogotliico. Tt*m de um lado 
uma pequena imagern de CJiristo sentado cercada de nioMura quadranga- 
lar e acompanhada do anjo e mais emblemas dos Eva^I:•li'^tas. Serve-lbe 
de ba<e um corpo arcbitectoniro com portadas rendilbad^i^. gigafttes aoo- 
rucbados, e seis baldaquinos, que deviam abrigar outras tantas estatuetas 
de Santos; faltam porcm duas. Seculo xv. Altara l°',^'i. Pertenceu ao 
mosleiro de Alcoba^a. 
Academia Real de BeUoi Aries de jUshoa, 

341-A Lampada tie prata. Ahara {"SSGo. Base circular ornada < >;a duas ordens 
de medalboes rppresentando carrancas e busios; liuarn'^c .i na parte su- 
perior de rendilhado, com as armas reaes e a espJiera em jf o\o em diver- 
sos loj?are». Da lx»se erguem-?e seis columnas muito orir nif^niadas e re- 
matadas em pyramided, que sustentam uma grande rii|. a l)*>iRi$pberica 
ornada de moitos medallii)es e em Iwixo guarnecida de it'.i«lilhado. Serve 
de rernate a cupala um corpo cylindrlco com seis nicb.^s (!•• volu redonda 
separados por ({oarte^ias e eneiinada por uma luma forinaiia de folbagens. 
Smik> xvK Fig. 47. 

Capella da Universidade de Caimbva. 

i'ii Estante ie cora de bronze. AUura 0™,62. Tem a forma de iM-licano e € pro- 
vavelmente obra flameoga do fioi do seenlo' xv. 
Se de Vizem, 

243 Fomalba de ferro quadrangular, com rodas nos pes. Allura 0",47. 
Academia Real de Beiia$ Aries de Lisboa, 

2^4 Candioiro mural de ferro. A lampada tem a forma de ave. E aJornado com 
flores e foiha* de ferro. 
Aeademim Reid de Delists Aiies de Lisbea, 

245 Papogaio d« ferro. 

Academa Rioi de Bellas Artes de Lisboa. 

2 16 Cbavp de ferro. 

BiUiotkeca fMiea de Etwra. 

^7 Feciiadara de ferro'. 

Sr* D. Manet CemMei Guedes de Almeidet, Tretdes, 



ferro (life sei 
R> de Lemm . 



Sr. Amlonh de hemm Axetedo. 



SALA r^ 



249» Bacalo de prata. Ataura 0"^. Na parte svaperior da baste Use: o deait o 

DEV *6W. 

Camara munieijMl de Ecora, ermida de S, Braz, 

2S0 Crneifixo de prata dourada sobre oma peanha a maneira de cofre. A cruz tem 
lavores de fulhagens, fructos, flores, etc., etc.; a peanba uma serie de 
lavores em baixo relevo, repre<entando pas?ap:ens da vida de Cliristo, e 
assomptos mythoiogieos na base. Quatro cabers de toaros sadlentam 
loda a pe^a. Altura 0™,!)!, Se<^ula xvi. 
Academia Real de Bdla» Artes de L'sboa. 

231 Bandeja de prata rebatida de forma elliptica. Na parte media tem as figuras 
de uiB boraem e ama mulber jiuito de uma fooie a una jardim, por cioia 
do qoal se v^ Cupido no mcio de nuveus. A borda da bandeja e muilo or- 
namentada de aves, fblbagens e fructos. Diametro malor 0'°,(>4. Seculo 

XVII. 

Sr. Vucottds de JUonurrate, 

252 Cniz processkonal de prata com a ima^em de Cbrifilo pendente, de bronze. 

As extrofflidades dos hnqm e a superior da haste terminam eadaama d'el- 
las em gomos semicircalares. Ornamentat^ao de cercadillw. A cruz apoia-se 
D*uma grande base, que tem a forma de unia. N'esta 1^-se o seguinte : 

ESTA CRVZ E DO SEBAL MAODO\ FAZER AOTOMIO DIAS A QVAL FOI FEITA. . . 1604. 

Altura l'»,08. Fig. 59. 

Junta de parochia do Sebal Grande, distrido de Coimbra, 

253 Custodla de prata dourada. Altura 0",.60. relicario 6 um corpo com a base 

e a parte superior ellipticas, separadas por seis columnar, das quaes pendem 
seis pinj^entes de crystil. No entablamento, sobre as duas coinmna? ante- 
r'lores, duas estatuetas de anjos sustentando fitas com as palavras santo sa* 
CR.VMENT0. A cupula consta de dois corpos, o inferior formando uma arcada, 
o s^ndo fenestrado. £ encimada por uma estatueta representando Jesus 
Oiristo. A base eont^m em baixo-relevo as figuras de Santa Clara, Santa 
kabel, StiDto Antonio e S. Francisco. Seculo xvi. Fig. 72. 
Canrenio de Santa Clara de Coimbra. 



l\2 SALA N 

254 Porta-paz de prata dourada, com um poriico de desenlio classico, represen- 

tando enlerro de Christo, tendo ao fundo uma longiqua vista de Jerusa- 
lem. Na base um escado com as cinco cliagas. Seculo xvi. Altura O",!^- 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

255 Calix de prata dourada, com quatro tintinabulos pendentes. Em o no tern as 

datas de 1546, 1547; na base quatro scraphins e quatro carrancas. Altura 

JMitra patriarchal de Lisboa. 

256 Cor6a de prata dourada cujos principaes lavores consistem em seraphias, fru- 

ctos e folhagens. Tem pedras brancas, vermeihas, verdes e azaes. £ uro 
tanto elliptica. Diametros na parte inferior de 0"",195 e 0",206. Seculo xvn. 
Mosteiro de Santa Clara de Coimbra. 

267 Relicario de prata dourada, cuja parte superior 6 um aro elliptieo guarnecido 
de rendilhado, e fechado por dois discos de vidro. Em o no ha cinco pin- 
gentos de prata dourada e indicios de que ja teve seis. Na base um feslao 
vasado de flores e ramagens. Altura 0'",248. Seculo xvi ou xvii. 

Confraria do Sacramento da freguezia de Santa Justa e Rufina, Ids- 
boa. 

258 Jarro de prata dourada. Altura 0",27. Por baixo do bico tem uma carranca 

em relevo. Na parte inferior do bojo seis fachas verticaes em relevo, ou- 
tros ornatos de gravura a buril e um brazao de armas. Seculo xvii. 
Srs. Marquezes de Monfalim e de Terena, Porto. 

259 Catix de prata dourada. Na copa tem quatro medalboes com figuras de San- 

tos, separados por outras quatro fjguras, que representam a Constan- 
cia, a Abundancia, a Justi^a e a Verdade. Pendem da copa oito pingentes. 
no 6 formado por dois corpos architectonicos, um sobreposto ao outro, e 
cada um com seis nichos de concha, separados por seis columnas. Em caxla 
um dos nichos inferiores ha um busto de homem barbado. Na base do ca- 
lix oito cariatides separando oulros tantos quadros, ondese v^em os quatro 
Evangelistas, a ¥6, a Esperanga, a Caridade e S. Miguel. Altura 0°,39. 
Seculo XVI. 

Igreja de Santa Maria de Belem. 

260 Cofre de tartaruga com fechadura e ornatos de prata representando flores, ra- 

mos, aves e quadrupedes. Gomprimento 0'",22. Seculo xvi. 
Freguezia de S. Pedro de Almargem do Bispo. 

261 Custodia de prata dourada. Altura 0",63. Seculo xvi. 

Conrento de S. Domingos de Odivellas. 

262 Fructciro de prata rebatida tendo no centro uma coroa de folhagens com 

um brazao de armas em que se v^em cinco brandoes e seis besantes ou 
arruellas divididas por uma cruz doble, encimado de capacete e tendo por 
timbre tres brandoes. A ornamentagao da restante superficie consiste em 



SALA N 33 

grandes folhagens, aves e flores. Diametro O'^Sl. Fins do secnlo xvi oq 
principios do seculo xvii. 

Srs. Marquezes de Monfdim e de Terena, Porto. 

263 Pia de agua benta, de latao dourado com ornatos de coral. No meio as ima- 
gens de Nossa Senhora e S. Joao. Aliura 0",48. 
Sr. Carlos Jose dos Santos SUva, Lisboa, 

2iH Fracteiro de prata, gnarnecido de dezescis segmentos de circalo e ornado de 
oulras tantas grandes flores com soas liastes e folhas. Tem no centre uma 
coroa e brazao iguaes aos do n.** 1262. Diametro 0'",52. Fins do seculo xvi 
ou principios do seculo xvii. 

5r«. Marquezes de Monfdim e de Terena^ Porto, 

265 Relicario de cobre dourado. Tem na base quatro seraphins em alto-relovo; 

em no qoatro esmaltes azues em medalhoes ovacs; e mais acima, 
no corpo superior aono, outros quatro esmaltes similhantes, dois de cada 
lado. Segue-se a parte principal do relicario» que representa um portico do 
eolumnas clausteadas, sustentando am frontao. Entre elles levanta-se uma 
peanha encimada nor uma cruz. Altura C^ySS. 

Confraria do Sacramento da freguezia de Santo Andre e Santa Marx- 
viuiy Lisboa. 

266 Porta- paz de bronze dourado. Altura 0"',21. Representa em baixo-relevo a 

Virgem com o Menino ao collo. Em cima o bu:ito do Padre Eterno. Se- 
culo XVI. 
Mitra Patriarchal de Lisboa. 

267 Gastodia de prata dourada. Altura 0'",40. relicario e a haste tem ornatos 

de renascenga, mas de cada lado do primeirO um botar^u com coruch^us 
gothicos e um tintinabulo pendente. Seculo xvi. 
Igreja do Pombeiro, districto de Coimbra. 

268 Cofre de prata dourada, rematado por uma cruz. Apoia-se em quatro sera- 

phins. £ muito ornamentado de arabescos, de troncos, e de aves e flores. 
espelho da fechadura tem a f6rma de am brazao de armas e na frente, por 
ferrolho, uma cruz que parece de Aviz. Na face posterior tem gravada 
n'um medalhao uma cruz do mesmo feitio e a dfata de 1631. Altura 
0",28. 
Mitra Patriarchd de Lisboa. 

269 Campainha de bronze com p6 o capa de prata de lavores relevados, flores e 

folhagens. Seculo xvi. 

Confraria do Sacramento da SS do Funchd, 

270 Porta-paz de prata dourada, formado por duas eolumnas quadrangulares, 

com sua architrave e cimalha que servem de moidura a um portico de volta 
redonda, sobre a qual ha dois bustos com medalhoes. Sob este portico estik 
representado o Calvario com as tres cruzes o a deposi^ao de Ghristo no se- 

3 



34 SALA N 

pulchro. Sobre a cimaiha ama concha encimada por oma craz. Na parte 
posterior a data de 1534. Altara 0"*,29. 
Academia Red de Bellas Aries de Lisboa. 

271 Fmeteiro de prata rebatida. No centre a figora de Cupido cereada por 
uma grinalda. No restante do fiindo uma cercadara de grandes folhagens 
e ilores. No bordo, qae 6 horisontal, ha tambem flores e foUiagens, dois 
braz5es e duas carrancas cercadas de raios. Diametro O^ySO. Fins do se- 
calo XVI on principios do seculo xvn. 

Srs. Marquezes de UonfdUm e de Terena, Porto. 

272 Salva de prata dourada, orlada de rendilhado com carrancas. Tern no centre 

um brazao de armas. Carrancas, folhagens miudas e monstros constituem 
a principal ornamenta^ao. Diametro 0"',34. Seculo xvii. 
Academia Real de Delias Artes de Lisboa. 

273 Relicario de bronze doorado, adomado de esmaltes azaes em medalhoes 

ellipticos. A base sustenta uma pyramide quadrangular com quatro discos 
de vidro. Tern em cima uma peanha a que falta o remate, talvez uma 
cniz. Na base de cada um dos lados da pyramide este letreiro : de s. Ber- 
nardo. Altura 0",53. Seculo xvii. 

Confraria do Sacramento da freguezia de Santo Andri e de Santa Ma* 
rinha, Lisboa. 

274 Jarro de prata com uma carranca por baixo do bico e outros lavores. Aza 

lisa. Altura O^jZO. Seculo xvii. 

Sr. Adriano de Paiva de FariaLeite Branddo, Porto. 

275 Mitra (parte anterior) de prata dourada, lavrada e aberta e com algtms vi- 

dros vermelhos e verdes. Na parte superior tem uma orla de rendilhado. 
Altura 0'",40. Seculo xvii. 

Confraria do Sacramento da freguezia de Santo Andri e Santa Ma- 
rinha, Lisboa. 

276 Cruz de madeira com omatos de latao dourado; na base, haste ebra^os cincu 

relicarios com discos de crystal. Tem a imagem de Christo pendente e 
na base as da Yirgem e de S. Joao, todas de latao. Altura l^^ll. Se- 
culo XVII. 

Convento de Santa Joanna, Lisboa. 

277 Placa octogona de latao dourado com ornamental de coral e com uma es- 

tatueta, tambem de coral, no meio. £ orlada por um rendilhado de latao 
dourado com esmaltes aznes e brancos. Altara 0',44. Seculo xvn. 
Academia Real das Sciencias. 

278 Fructeiro de prata rebatida, ornamentado de folhagens, ilores, avese carran- 

cas. Tem no centre urn navio. Diametro 0^,50. Seculo xvn. 
Si de Lisboa. 



SALA N 35 

879 HeUcario de ebano com adornos de filigrana de prata. Tern a f6rma de urn 
portico. Secalo xtii. 
Igreja de Santa Cruz de Coimbra, 

S80 Pia de agoa benta com ornatos de coral, tendo ama oria de roDdilhados com 
esmalles azaes e brancos, adornado ainda de rosetas e seraphins de coral. 
No meio tres nichos com tres estatuetas de coral. Altiira 0°',49. 
Sr. Carlos Jose dos Santos Silva. 

281 GraciGxo de paa santo, cobre doarado e marfim. Altara 1'*,1G. Trabalho 

indiano. Fms do secalo xvi ou priDcipios do seculo xvii. 
Mosteiro de Santa Clara de Coinwra. 

282 Ultra de prata lavrada (face anterior) com crystaes e vidros de yariaa cGres. 

Altara 0",41. Secalo xvii. 

Confraria do Sacramento da freguezia de Santo Andri e Santa Ma- 
nnha, Lishoa. 

283 Castodia de prata doorada. Altara Q^JSH. relicario assenta sobre am calix 

ornado de baixo-relevos. Os da base sao separados por pilastras e cada 
urn cont^m daas figoras. n6 6 adornado com seis nichos, separados por 
colamnas. Em cada um d'estes nichos ha ama figara em baixo-relevo. A 
copa tem oatras seis flguras em baixo-relevo, separadas por pilastras. No 
bordo 1^-se em caracteres romanos: galycem salvtaris accipiam et no- 
hen DOMINI. relicario esta entre quatro columnas com pyramides e pin- 
gentes e i coberto por uma capala encimada pela cruz. tt ornado de pe- 
dras. Faltam algamas n*outros pontes. Pertencea ao convento das Malte- 
zas de Extremoz. Seculo xvi. 

Casa da Correc^ao do convento de Santa Monica^ Lishoa. 

284 Porta-pazde prata dourada. Altara 0'",21. Tema Dgara do Salvador, e n*am 

tympano semi- circular , encimado pela cruz, a do Padre Etemo. Estylo da 
renascen^a. Secalo xvi. 
Si de Elvas. 

28t( Calix de prata doarada com omamentacao de flores e anjos na copa e base. 
Os anjos t^m os emblemas da paixao de Christo. Altara 0^,27. 
Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

286 Henino Jesus de marfim. Altara 0°^,178. Tem omatos dourados; na mSo es- 

({aerda a cruz, a escada e a columna ; na mao direita um cesto com oatros 
instrumentos do martyrio. Talvez obra indiana do secalo xvii. 
Mosteiro de Santa Clara de Coimbra. 

287 Peaueno cofre de prata com ornamenta^ao a buril, representando quadrupe- 

aes e flores. 

St. Pedro Caiado Ferrao, Trevoes. 



36 SALA N 

288 Bale oa gomil de prata dourada com carrancas e outros ornafios em relevo. 

Na face inferior da base mn brazao episcopal. Altura O'^SS. Seculo xvii 
oa XVIII. 
Mitra episcopal de Vizeu. 

289 Calix de prata doarada. Altara 0'",28. A parte inferior da copa ^ decorada 

com cabegas de seraphins e outros ornatos. no e a base com a mesma 
ornamentacao. Seculo xvii. 
Si de Elvas. 

290 Resplandor de prata dourada, ornado de pedras com um jarro de crystal no 

centre. Altura 0'",20. Seculo xvii. 
ConvetUo de Santa Joanna de Ldsboa. 

291 Custodia e calix de prata dourada. n6 ^ de estylo gothico. Base rebatida 

com figuras cinzeladas. A parte superior comp5e-se de quatro columnas, 
sustentando uma pequena cupula encimada por uma crui com diamin- 
tes. Abaixo do relicario uma roseta cravejada de diamantes e com esmal- 
tes. Altura 0",63. Seculo xvi. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

292 Bandeja de prata rebatida de f6rma oval. Comprimento 0",71. £ omada de 

aves, folhas, flores e fructos. No centre tem as armas da casa dos viscon- 
des de Beire, cobertas com um centre niovel com um baixo-relevo repre- 
sentando uma cagada de abestruzes. Seculo xvii ou xviii. 
Sr. Condessa de Rezende, Porto. 

293 Custodia de prata lavrada cuja base e no sao adomados de seraphins. reli- 

cario 6 cercado por um resplandor e ladeado de quatro columnas salomo- 
nicas que sustentam uma cupula encimada por uma cruz. Altura 0",65. 
Seculo xvn. 
Uisericordia do Funchal. 

294 Bandeja de prata em tudo igual ao n.'^ 292, excepto no baixo-relevo movel 

do centre, aue representa o rapto de Europa. 
Sr, Condessa de Rezende, Porto. 

295 Calix de prata dourada, com |)edras branc^s, amarellas, verdes e vermelhas 

Tem na copa quatro seraphins e outros quatro na base. Altura 0"'926. 
Irmandade de Nossa Senhora da Esperanga de Lamego. 

296 Salva de prata dourada. A sua principal ornamentacao consiste em segmen- 

tos esphericos-concavos, entremeados de pyramides de quatro faces. Se- 
culo XVI ou xvii. 
Mitra episcopal de Lamego. 

297 Salva de prata dourada. Tem no centro uma flor^ e na restante superficie 

tres quadros com baixo-relevos de assumptos mythologicos. Diametro 
0'»,30. Seculo XVII. 
Mitra episcopal de Lamego. 



SALA N 37 

298 Resplandor de prata dourada e esmaltada^ ornado de pedras e perolas. Al- 

tura 0",27. Seculo xvi. 

ConvetUo de Santa Joanna de Lisboa. 

299 Gofre de tartarngacom cuarnigSes e feehadura de prata. Secalo xvi oa xvii. 

Freguezia de S. Jmrtinko de Cintra. 

300 Baixo-relevo em madeira representando o Senhor morto e junto d*elle mn 

aojo chorando. Comprimento O^^IS. Seculo xvii ou xviii. 
Sr, Yisconde de Monserrate. 

30i Galix de prata dourada. Altura 0"',2d. Base adomada de cabecas de sera- 
phins. No com f6rma de uma. Ua copa peadem cinco tintinabulos. Fins do 
seculo XYi on principios do seculo xvii. 
Junta daparochia de Santo Andre de Poiares, distrido de Coimbra. 

302 Fracteiro de prata rebatida, ornamentado de grandes flores, aves e folhagens, 

tendo no centre uma carranca. Diametro 0°*,62. Secnlo xvii. 
Sr, BazUio Cabral Teixeirade Queiroz, Lisboa. 

303 Fracteiro de prata rebatida, ornamentado de grandesflores^avesefolhagens, 

tendo no centre duas aves, sobre cuja cabe^a caem dois brakes armados, 
um com uma frecha, outro com uma penna. Diametro 0"',63. Seculo xvii. 
Sr. Bazilio Cabral Teixeira de Queiroz, Lisboa. 

304 Bandeja elliptica de latao, que provavelmente serviu de prato de jB[alhetas. 

Tem no bordo os emblemas da Paixao, e, por ornamentaQao principal, Gtas 
entrela^das. No fundo dois medalhdes circulares, um com as letras ihs e 
outro as letras mra. Seculo xvii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

305 Fructeiro de prata dourada. Comprimento 0°*,43. Representa em baixo-relevo 

a Beprehensao do Propheta Nathan. Seculo xvn. 
Sr. Abilio Augusto Martins, Coimbra. 

306 Fracteiro de prata dourada. Comprimento 0'",42. Bepresenta em baixo-re- 

levo a Asia com animaes e plantas d'esta parte do mundo. Seculo xvn. 
Sr. AbUio Augusto Martins, Coimbra. 

307 Fracteiro de prata dourada de f6rma elliptica. Na parte principal tem duas 

figuras e junto d'ellas a armadura de um guerreiro. No bordo, carrancas, 
vasos e folhagens. Seculo xvii. 
Sr. Fernando Pdha, Lisboa. 

308 Custodia de prata dourada. Altura 0"',87. ediculo, guaraecido de raios, esta 

em meio die um grande resplandor de estrellas e pedras. Em cima a esta- 
tueta do Salvador. n6, hexagono, cont^m seis nichos com estatuetas de 
santos e sobre os angulos columnas com pingentes, dos quaes somente 
re:»ta um. A base descan^a sobre seis cabecas de seraphins e 6 ornada na 



38 SALA 1^ 

parte superior com outras seis cabe^^s. Aos lados duas estataetas de anjos 
em adoragao. Na orla da base 1^-se em caracteres romanos : esta gostodia 

MANDOV FAZER SOR M* DE S. PAVLO B SVA IRMA A QVAL FES DE CVSTO DVZEM 

Tos MIL REis. Seculo XVII. Fig. 75. 
Convento do Paraizo de Evora. 

309 Triptyco de madeira forrado de veludo vcrde, com peanha e remate de prata, 

gaaraecido exteriormente com quatro medalbdes pintados, com molduras 
de prata. Tem exteriormente fechos e outros ornatos de prata. Interior- 
mente 6 forrado de rede de prata dourada. No fundo am CruciGxo com 
a imagem de oiro e peanha ae prata. Aos lados as imagens da Virgem e 
de S. Joao, de prata. Nas paredes lateraes as imacrens de dois santos da or- 
dem de S. Francisco. Nos reverses das portas S. I'edro e S. Paulo. Altura 
0'",66. Seculo xvi. Obra Indiana, que pertenceu ao cunvento do Garmo da 
Vidigueira. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

310 Cruz de madeira e marfim feita de fragmentos de varies estylos. Altura 1"',S2. 

Srs. Dnques de Palmellaj Lisboa, 

311 Estanto de madeira revestida de folha de prata, com fignras e ornatos rele- 

vados. Tem na parte principal uma cruz no meio das imagens deS. Pedro 
e S. Paulo. Altura 0'",S1. Obra Indiana, quo pertenceu ao convento do 
Carmo da Vidigueira. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

312 Porla-paz de prata. Altura 0°,20. Entre ornatos de filigrana, contendo reli- 

quias, tem a fjgura do Padre Eterno. Na narte posterior, ornada a cercadi- 
. llio, tem por p^ga uma serpente. Obra inaiana. Pertenceu ao convento do 
Carmo da Vidigueira. Seculo xvi. 
Academia Red de Bellas Artes de Lisboa, 

31 3 Campainba de prata. Altura O'^jl 1. cabo representa Minerva com a mao es- 

querda apoiada sobre urn escudo com brazao. Seculo xvii. 
Sr, Miguel Osorio Cabral de Castro, Coimbra. 

314 Calix de prata dourada com pedras e esmaltes. Na base um brazao de armas 

esmaltado. Na parte inferior e interna da mesma base este letreiro : gvas- 

PAR DE CAMPOS AVREV CHANTRE E CONEGO NA SE DB VISEV MANDOV FAZER 

ANO DE i629. Altura 0",29. 
Cabido de Vizeu. 

315 Campainba de prata. Altura 0"°,1 1. cabo representa uma flgura de homem. 

A capa 6 de folbagens. Seculo xvii. 

Convento da Castanheira de Villa Franca, 

316 Campainba com capa de prata. Altura O'^jlS. Seculo xvii. 

Governo Civil do Funchd. 

317 Campainba com capa de prata lavrada. Altura O"",!! . cabo consiste na esta- 



SALA N 39 

taeta de am gaerreiro com am escado, no qnal se \6: d. izabel mag. 

MADRB DE DEOS. SeCUlo XYII. 

Convento da Senhora da Gra^a da Villa do Torrdo. 

318 Campainha com capa de prata. Tern gravado no alto do cabo urn brazao de 

armas. Altura O",!. Seculo xvii. 
Mitra archiepiscopal de Evora, 

319 Calix de prata dourada. Tern na copa seis serapliins, e tres tintinabulos pen- 

dentes. n6 6 formado por am corpo arcnitectonico hexagono acompa- 
nhado de seis colamnas, e em cada face tern sea nicho de concha. Altura 
O'-jJOS. Secalo xvi. 
Igreja de Santa Cruz do Funchal. 

320 Relicario de bronze doarado. Altara 0'^,44. Dois anjos sustentam ama ca- 

psala ovoide de crystal. Secalo xvii. 
Se de Coimbra, 

32 i Cofre de filigrana de prata. fecho 6 ama roseta qae tern no centre am car- 
bancaJo. Gomprimento 0",!^- 
Academia neal de Bellas Aries de Lisboa. 

322 Gostodia de prata dourada. A sua principal omamenta^ao, tanto nabase como 

em n6, consiste em seraphins. relicario, 6 cercado por um resplandor, 
coberto por ama cupula, sustentada por columnas corinthias. Ao lado 
e sobre a cupula ha tres estatuetas da F^, Esperan^a e Garidade. Altura 
0»,80. Seculo XVII. 
irmandade do Sacramento da freguezia das Merces, Lisboa, 

323 Lantema de prata. Altura 0"',49. Seculo xvii. 

Freguezia de S. Pedro de Almargem do Bispo, concellio de Cintra. 

324 Graz de azeviche com a imagem de prata. Altura O*",??. Obra indiana. Se- 

calo XVII oa XVIII. Fig. 68. 
S^ de Combra, 

323 Imagem de Nossa Senhora com o Menino ao collo, fabricada de dente de ca- 
yallo marinho. Serve-lbe de base o crescente sobre am globo de navens 
com seraphins. Altura 0",48. Seculo xvii. 
Srs. Marqxiezes de Monfalim e Terena, Porto. 

32G Bacia de prata dourada; no centre am busto de mulher. A principal oma- 
mentagao sao medalhoes e figuras geometricas. Diametro O'",o0. Seculo xvii. 
Si de Elvas. 

327 Porta de sacrario de prata. Altura' 0'° ,47. Renresenta em baixo-relevo o Bom 
Pastor, e tem ama moldura de ramagens. reverse 6 forrado de uma lami- 
na de prata coberta de grandes ramagens em relevo. Fins do seculo xvi 
ou principios do xvii* 
Si do Porto. 



40 SALA N 

328 Gomil de prata dourada. Altara 0"',41. A superBcie 6 ornada de iavores de 

cercadiiho. Na parte anterior e posterior medalhdes com carraacas. Na 
parte anterior urn brazao gravado modemamente. Secalo xvii. 
Sr, MaHinho Pinto de Miranda Montenegro, Porto, 

329 Cruz processional de prata. Altara total comprehendendo a vara 2'',80. A 

haste e os braQOs termiaam em capiteis corinthios, com remates sobre os 
abacos. Tern fior5es, cabe^ de seraphins e ornatos de cercadiiho. d6 
cont^m seis cariatides das quaes pendem outros tantos pingcntcs. A haste 
6 ornada de anneis dourados e esmaltados. Secalo xvii. Fig. 6i. 
Igreja da Ameixoeira, perto de Lisboa. 

330 Resplandor de prata doarada, adomado de pedras e perolas. Os raios sao al- 

temadamente ondalados e rectos. Altara 0'",27. Secalo xvii. 
Convento de Santa Joanna de Lisboa. 

331 Relicario de ebano, com a forma de moldura, com medalhdes e oatros or- 

natos de latao e prata. Altara 0°',33. Secalo xvii. 
Igreja de Santa Cruz de Coimbra, 

332 Castodia de prata doarada, tendo em cima a figara do Senhor. Ornatos de 

folhagens em forte reievo e seraphins. corpo principal 6 formado por 
quatro colamnas estriadas do estylo renascen^. Sub as bases das coiumnas 
rcstam amas peqaenas pe^s qae sastentavam provavelmente tintinabulos. 
n6 6 am corpo architectonico com seis nichos de concha separados por 
colamnas. Altara 0'°,82. Fins do secalo xvi. 
Convento de Santa Catharina de Evora. 

333 Bandeja rectansalar de prata rebatida. Tem no fundo figaras maito releva- 

das. Na borda ama grinalda de parras, uvas e folhagem. Secalo xvii. 
Sr, Fernando Palha, Lisboa. 

334 Jarro de prata lavrada. Tem ama carranca por baixo do bico. Altara at^ ao 

alto da aza 0",285. Secalo xvii. 
Sr. Fernando Palha^ Lisboa, 

335 C6fre de tartaraga com fechadara e gaarnicoes de prata. Comprimento 

0",22. Secalo xvii. 
SS de Coimbra. 

336 CorOa aberta de prata. Diametro O'^ylS. Fins do secalo xvi oa principios do 

secalo XVII. 
Mosteiro de Semide, districto de Coimbra. 

337 Tharibulo de prata. Altara 0",22. Secalo xvii. 

Igreja de S. Christovdo de Coimbra. 

338 Naveta de prata. Comprimento 0",19. Secalo xvii. 

Igreja de S. Christovdo de Coimbra. 



SALA N 41 

339 Capa de prata de uma campainha. Altura O'^jlS. Secnio xyii. 

Igreja de S. Christovao de Ccimbra. 

340 Porta-paz de prata rebatida, tendo na parte principal am crucifixo. Altora 

0",125. 
JUitra episcopal de Aveiro, 

3il Castodia de prata dourada. Altura 0"",7i. Consta derelicario e callx. Aquelle 
6 formado por qaatro colamnas com pingentes de crystal. Sastentam um 
entablamento sobre o qua), entre quatro pyramides,se eleva a cupula, en- 
ciroada pela cruz. Todas as partes, cxcepto o calix, sac adomadas de nu- 
merosas pedras, na face anterior. Seculo xyii. 
Convento de Santa Maria de Almoster, 

3&2 Bandeja de prata dourada, de f6rma elliptica, com omatos de applica^ao de prata 
branca, entre os quaes se notam quatro bustos. Na parte central um baixo 
relevo movel de prata branca representando uma batalha. Diametro maior 
0'°,66. 

Sr.' Condessa de Rezende, Porto. 

343 Bandeja de prata dourada, similhante ao n.^ 342 e com iguaes dimens5es. 

baixo-relevo da parte central representa a chegada de um guerreiro 
victorioso a presen^a de um imperador romano e tem a seguinte inscrip^ao : 

J. A. THBLOT. 4687. 

Sr.* Condessa de Rezende, Porto, 

344 Pia de agua benta com a imagem de Nossa Senhora, de coral. 

Sr, Carlos Jose dos Santos e Silva, Lisboa, 

345 a Gustodia de prata dourada a que serve de base um calix com quatro tintin- 

nabulos pendentes. Altura 0",54. Seculo xtii. 
Mitra Patriarchal de Lisboa, 

345-6 Pyxide de prata dourada. Tem na copa seraphins, espi^as, caches, a phe- 
nix e peiicano. A tampa e remataaa por uma cruz. Seculo xyii. 
Extincto mosteiro de Chellas, 

» 

346 Cofre de filigrana de prata assente sobre quatro globes tambem de filigrana 

de prata. Gomprimento 0", 144. 
Mitra Patriarchal de Ldsboa. 

347 Gofre de prata sustentado sobre quatro folhas e rematado por uma cruz. Gom* 

primento 0'",155. Seculo xyii. 
Si de Coimbra, 

348 Jarro de prata dourada, cuja aza ^ formada por uma figura de phantasia com 

corpo de mulher. Altura O^jSO. Seculo xvii. 
Mitra de Lamego, 



U SALA N 

349 Fnicteiro de prata rebatida com ornaroenta^ao de flores e folhagem o no 

centro miatro conchas. Diametro 0'°,44. 

Sr, Basilio Cabral Teixeira de Queiroz, Lisboa. 

350 Esculptura em marfim representando Nossa Senhora sentada n'uma cadeira. 

Altura 0",3I. Seculo xvii. 

Convento do Sacramento de Alcantara, 

351 Prato de filigrana de prata. Diametro 0'",19. 

Convento da Efperanga de Beja, 

362 Relicario de prata doorada. Altura 0°',41. Seculo xvii. 
Se de Coimbra. 

353 Fructeiro de prata; omamenta^ao de couchas e ramos de flores. Tem um 

fundo move! com um baixo-relevo representaudo Moists encontrado em 
Nilo. Diametro 0",60. Seculo xvii. 

Sr. Francisco Manuel Fragoso, Alcacovas. 

354 Resplandor de prata com lavores e tres pedras na base. Seculo xvii. 

Mosteiro de Lorvao, 

353 Resplandor de prata circular, cujos raios sao alternadamente rectos e ondea- 
dos. Seculo XVII. 
Convento de Santa Maria de Almoster. 

356 Fructeiro circular de prata rebatida. Diametro 0'°,54. £ ornado defolhagens, 

conchas, vasos e flores. No centro tem um baixo-relevo moveli que repre* 
senta a Fugida para o Egypto. Seculo xvii. 
Sr. Joao de Castro Sampaio, Guimardes. . 

357 Pia de as[ua benta, de prata rebatida. Altura 0",51. Na placa, n'uma portada 

de coTumnas salomonicas, a imagem de Nossa Senhora emrelevo. Em 
baixo uma figura de mulher e dois seraphins com forma de sereia. Em cima 
S. Jos6 n'uma concha, e como remate a cruz. Seculo xvii. 
Sr. Flamiano Lopes Ferreira dos Anjos, Lisboa. 

358 Custodia de prata dourada. Tem o n6 cylindrico e n'elle em baixo relevo as 

(iguras dos Evangel istas. Na base folhagens e seraphins. relicario esta 
entre quatro columnas salomonicas que sustentam a cupula, encimadapor 
uma estatueta de Christo. Altura 0*^,77. Seculo xvii. 
Ordem Terceira de S. Francisco j de Guimardes. 

359-a Relicario de prata com forma de bahu. £ sustentado por quatro seraphins. 
Altura 0",35. Seculo xvii. 
Se de Coimbra. 

3ti9'b Pyxide de prata dourada. Ornamental de arabescos e algumas aves. A 
tampa 6 encimada por uma cruz. Altura 0"',39. Seculo xvii. 
Con fr aria do Sacramento da Se do Funchal. 



BALA 1^ 43 

360 Relicario de prata dourada. Altara O^^^KS. Sobre nma base oniada de ara- 
bescos e esmaltes e encimada por quatro estatuetas de anjos ergne-se o re- 
licario com a f6rma de pyramide quadrangular truncada. A estatua de 
Saota Comba encima o todo. Na base le-se : reliqvia de s. cohba. Se- 
calo xYii. Fig. 92. 
Si de Coimbra. 

361-a Jarro de prata lavrada. Altara 0"*,18S. bico^ formado por uma cabera 
com axas e comos. Na parte inferior da aza esta gravaao leos, a. m. 
Sr. Antonio Teixeira ae Sousa, Lamego, 

361-6 Corua de prata dourada. Tern as armas reaes de Portugal. Seculo xvii. 
Academia Reed de Bellas Aries de, Lisboa. 

362 Corda com resplandor de prata dourada omada de pedras. Altura 0"*,3i. Se- 

culo xvn. 

Confraria de Nossa Senhora dos Mcninos de Lamego. 

363 Pyxide de prata dourada. No meio da sua omamenta;So de arabescos sobro- 

saem seraphins. Na base tern este letreiro : esmola de dom lyis dalencas- 

TRO CONDE de VILA NOVA COM™* MOR DA ORDEM DE AVIS. AltUra 0"*,44. Sc- 
CUIO XYII. 

Freguezia de Santos a Velho, Lisboa. 

36i Cruz relicario de prata dourada com receptaculos ovaes e de outras formas 
para reliquias, coberlos de resguardos de crystal. A parte superior da has- 
te e OS bra^os sao terminados por capitcis corinthios, dos quaes saem uns 
ornatos a maneira de urnas com a cruz de S. Tliiago. A peanha 6 qua- 
drangular. Na face anterior tern urn portico de architectura dorica. Na 
face posterior este letreiro: ihs dona ana de lencastre comendadei- 

RA DESTE MOSTEIRO DE SANTOS DEV ESTA CRVZ c5 SYAS RELIQVIAS PERA A ICREIA 
DO MESMO MOSTEIRO EM HONRA DOS SANTOS MARTIRES. ANNO DE 1624. Altura 

l-.OO. 
Mosteiro de Santos o Novo, Lisboa, 

365 Sacra de prata com alguns ornatos de latSo. Altura 0'",84. Seculo xvii. 
Jgreja de Santa Maria de Belem. 

3C6 Imagem de Nossa Senhora da Piedade, em marflm. Altura Q",13. Seculo 

XVII. 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

367 Cttstodia de prata dourada. Altura O^^^SQ. A parte inferior tern a f6rma de 
calix. Base muito ornamentada de folhagens, cabe^as de seraphins e ara- 
bescos. n6, com a forma de uma, tern quatro cariatides em baixo-relevo. 
A copa omada com cabe^as de seraphins e tres tintinabulos pendentes, fal- 
tando quarto. relicario esti entre quatro columnas que sustentam uma 
cupula entre quatro estatuetas com os instrumentos da Paixao. Em baixo 



44 SALA N 

pendem quatro tintinabulos. Na parte superior uma cruz que parece acres- 
ceotamento moderno. Fins do seculo xvioaprincipios do seculo xvu. 
Misericordia de Cascaes. 

3GS Fructeiro de prata doarada. Tern no fando quatro medalh5es com figoras e 
no centre urn brazao de armas movel. Diametro maior 0",475. 
Sr. Ernesto do Canto, Ponta Delgada. 

369 Bacia de barba, de prata fundida. Comprimento 0'",56. Os bordos sao oraa- 

dos de aves, flores c fructos, e guarnecidos de rendilhado. Seculo xvn. 
Sr.' Condessa de Bretiandos. 

370 Fructeiro dc prata dourada. Na borda carrancas e seraphins, espieas e fra- 

ctos. No fundo duas figuras da Fama c outras duas de Cupido. No ccntro 
um brazao de armas. Comprimento 0",57. Seculo xvn. 
Sr, Marquez de Pendva, 

371 Custodia de prata dourada. Altura 0'",46. Do relicario pendem dois tintina- 

bulos. Fins do seculo xvi ou principios do seculo xvu. 
Junta de parochia de Santo Andre de Poiares, districto de Coimbra. 

372 Terrina de prata rebatida com sua tampa e com brazao no fundo. Altura 

0»,27. Seculo xvu. 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

373 Prato circular de prata rebatida com brazao no ccutro. Corresponde a terri- 

na n.** 272. Diametro 0'",445. Seculo xvn. 
Sr. Bento de Queiroz, Yizeu. 

374 Livro de prata. Era destinado para apontar as faltas dos conegos. N'elle se 

escrevia em pastas de cera. Tem na capa de um e outro lado a imagem 
de Nossa Sennora gravada a buril. Altura 0"^,i73. 
Si de Coimbra. 

375 Cofrc de prata assente sobre quatro seraphins e encimado por uma crui. 

Comprimento 0°,216. Seculo xvn. 
Convento de Nossa Senhora da Graga da viUa do Torrao. 

376 Gomil de prata dourada. Tem no bojo dois anjos, um com uma lyra, outro 

montado n'uma ave. Altura 0'",3z. Seculo xvn. 
Sr. Ernesto do Canto, Ponta Delgada. 

377 Livro de prata similhante ao n.® 374. Tem pastas de cera, onde se escrevia. 

Nas capas de um e outro lado a imagem de Nossa Senhora, gravada a bn- 
ril. Altura 0»,14. 
Se de Coimbra. 

378 Naveta de prata dourada. Comprimento 0"',30. Seculo xvn. 

Si de Coimbra. 



SALA N 48 

379 Jarro do prata. Altara 0",26. A soperficie, em parte dourada, 6 decorada 

por orDatos de relevo e lavores de cercadilho; o bico formado por ama car- 
ranca. Seculo xvii. 

Sr.' Condessa de Bertiandos. 

380 Cofre de prata braoca e dourada. Assenta sobre quatro cherabins. Compri- 

mento 0M85. 

Misericordia de Aveiro, 

381 Prato de prata rebatida ornamentada de aves, flores e folhagens. Diametro 

0",36. Secalo xvii. 

Sr. D. Luiz de Carvalho Daun e Lorena, Lisboa, 

382 Terrina de prata com saa tampa. Corresponde ao prato n.^ 381. Altara 

0'-,29. 

Sr. D. Luiz de Carvalho Daun e Lorena, Lisboa, 

383 Relicario de prata com quatro oolumnas c<irinthias de fustes estriados, e coias 

bases assentam sobre globes. Na empena o symbolo I H S. Altara 0",d3. 
Fig. 90. Seculo xvii. 
Si de Coimbra. 

384 Gofre de bronze dourado, com omatos de prata branca. Distriboidos pelas 

quatro faces tern dez quadros de prata em relcvo, representando diversos 
passes da vida de Cliristo e separadoi por pilastras em que se apoiam 
arcos de volta redonda. Eucostadas as pilastras, e sobre ellas, varias esta- 
tuetas. Na tampa, divididas pelos quatro lados, estao seis estatuetas dos 
guardas do sepulchre. Serve de remate uma cruz com dois aojos cm 
adora^ao, mas parece que a cribs se poz em substitui^ao da imagem de 
Christo resuscitado. cofre assenta sobre quatro leoes. Faltam algomas 
estatuetas e omatos. Comprimento 0'",34. Fig. 91. Seculo xvi. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

385 Pia de agua benta de agatha com o retabulo de crystal^ prata dourada, oiro 

com esmalte e lapis-lazuli. Altura 0'°,39. Seculo xvii. 
Srs. Condes de Sampato, Lisboa. 

386 Relicario de vidro com a forma de coragao, cercado de raios de prata dou- 

rada. Sao tambem de prata dourada a base e o remate. Altura 0'",34. Se- 
culo XVI. 
Becdhimento do Real Conservatorio das Capuchas de SatUarem. 

387 Imagem de Nossa Senbora, esculptura em dente de cavallo marinho. Serve- 

Hie de peanha um globe cercado pela serpente, sobre uma base de folha- 
gens. Altura 0°*,36. Obra indiana. Secalo xvii. 
Igreja de Trevoes, 

388 Cruz relicario de prata dourada, com esmaltes. Tem no p6 dois brazoes es • 

maltados do bispo de Coimbra D. Joao Manuel. Altara 0'",37. Seculo xvii. 
Si de Coimbra. 



46 SALA N 

389 Baiio-releTo em prau rebalidai representando o Padre Eterno e a Virgem. 

Altura 0»,34. 

Sr.* D. Eugenia Vizeu, Vizeu. 

390 Craz-relicario de prata e crystal. A parte superior da hasto e as extremi- 

dades dos bra^s terminam em capiteis. Apoia-se n'ama peanha de prata. 
Altura O^jSl . Seculoxvii. 

Convento de Nossa Senhora da Piedade, a Esperanga (Litboa.) 

391 Ck)fre de prata dourada com varies omatos e Gguras em baixo-relevo. Apoia- 

se sobre quatro saraphins e ^ encimado pela estatueta daF^. Altura 0'*,34. 
Fids do seculo xvi ou principios do seculo xvii. 
hmandade do Sacramento de OdiveUas, 

392 Relicario de prata dourada. Altura 0'°,29. Tern uma medaiha de crystal com 

reliquia. Seculo xvn. 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

393 Custodia de prata dourada com pedras brancas, roxas e rerdes. A base do 

relicario pode servir de calix. Tern quatro tintinabulos. relicario, cer- 
cado por urn resplandor, esta outre seis columnas que sustentam uma 
architrave sobre a aual quatro estatuetas de anjos empuuham instru- 
mentos da Paixao. Na mesma architrave apoiase uma cupula hemis- 
pheric^, encimadapor urn lantemim que serve de peanha a imagem de 
Jesu Christo. Altura 0°',98. Seculo xvii. 

394 Bacia ou fructeiro de nrata. Diametro 0'°,75. £ ornada de cercadilho e tem 

no centre em prata aourada a efligie de Philippe HI com a seguinte inscri- 

pgao: PHILIPPUS. III. HiSPANIAB. REX. SeCUlo XVII. Fig. 105. 

Sir,^ D. Umbellina Julia da Costa, de Alvares, concelho de Goes, dis- 
tricto de Coimbf-a, 

395 Estante de prata para livro. Comprimento 0°',33. Omatos de cercadilho. 

Covvento das Chagas, de Lamego. 

396 Prato de prata com o bordo dividido em gomos, a cada um dos quaes corres- 

ponde no fundo uma concha. Diametro 0"*,265. Seculo xvii. 
Sr. Manuel Barata de Lima Tovar, Ccimbra, 

397 Baixo-relovo de prata represontando uma passagem da lenda de Santo Anto- 

nio. Altura 0"',25. Seculo xvn. 
Sr. Joao Alegro Pereira, Almada. 

398 Gofre de fragmentos de madreperola com fechadura, gonzos e azclha de prata 

Comprimento 0'",i4. Seculo xvn. 

Sr.' D. Maria Manuela de Brito e Castro, Lisboa. 

399 Relicario de prata com ornatos de cercadilho. Tem quatro eolumnas e dois 

frontdes o termina por uma pyramide. Altura O'^^SS. Seculo xvii. 
Se de Coimbra. 



SALA N 47 

400 Bada m {jractmro de prata. Diametro 0'",33K. Ornamentacao de oercadilbo. 

Secalo XYii. 

Sr, Macario de Castro, Lanugo, 

401 Prato de prata com oraatos de cereadilho. Diametro 0*,iO. Secalo xvii. 

St, BeiUo de Qiteiroz, Vizeu. 

402 Fracteiro ou bacia circular, de prata lavrada com am florao no centro e or* 

natos de cercadilho. Diametro 0'",45. Secalo xvii. 
Sr. Adriano Baptista Ferreira, Medhada. 

403 Galdeirinha de prata rebatida com ornatos de cercadilho. Altura O^'ySS. Se- 

calo XVII. 
ConveiUo da Castanheira de ViUa Franca, 

404 Sacrario de bronze doarado. Altura 1"*,18. Compoe-se de dois eorpos archi- 

tectonicos, formados de cQv<isamento3, columnas c entablamentos. Balaus- 
tradas, pyramides e estatuetas constitaem a ornamentaQao. Nos niches dos 
corpo3 superior e inferior faltam as estatuetas, e os aojos que se v^em so- 
bre a balaustrada parecem deslocados. Falta tambem o remate. Se- 
calo XYII. 

CapeUa da Universidade de Coimbra, 

405 Lantema processional de prata. Altura 0'",56. Tern a inscrip^ao seguinte : 

ESTAS AUNTBBNAS DERAO OS mMAOS QUE PRINCIPIARAO A IRMANDADE NO ANNO 
DEi669. 

Jgreja de S. Barthobmeu de Coimbra. 

406 Lantema processional de prata rebatida. Altura {"^^SQ. corpo i formado 

deoito paineis, separados por columnas. A haste termina em cj^itel corin- 
ihio. Figura63. Seculoxvii. 
Confraria do Sacramento de S. Christovao de Coimbra. 

407 Groz processional de prata rebatida. Altura 2",80. A haste e os brakes, cylin- 

dricos, terminam em capiteis corinthios, tudo ornado de florOes e cabogas 
de seraphins. A imagem 6 de prata doarada. A base omada de anjos e 
folhagens. A haste, terminada em capitel corinthio, omada na mesma 
forma. Secolo xvii. Figura tK). 
Confraria do Sacramento de S, Christovao de Coimbra. 

408 Par de cereaes correspondentes i craz n.* 407. Altura 1",20. Seculo xvii. 

Figuras 61 e 62. 
Confraria do Sacramento de S, Christovao de Coimbra. 

409 Frontal de folha de prata rebatida e aberta, assente sobre fando dourado. Al- 

tera 0'",70; Comprimento 1°*,02. Tern nove medalbdes com esoelhos pin- 
tados na parte superior e nas lateraes, oraado de flordes esmaltados com 
pedras de cores no centro. Moldura doarada. Secalo xvu. 
CoMvento de Sanla Joanna de Usboa. 



48 SALA N 

410 Fructeiro de prata com grandes fiores. Tern do centro am navio. Diametro 

0»,48. Seculo xvii. 
iSr. Ernesto do Canto, Ponta Delgada. 

411 Bacia de prata rebatida ornamentada de flores e grandes folhagens. Tem no 

fando uma ave. Diametro 0°*,44. 
Sr. Macario de Castro, Lamego. 

412 Fructeiro de prata com a borda dividida em gomos. Tem no centro am a(a* 

fate de flores e seis aves. Folhagens, flores e aves constitaem a sua oma- 
mentafao. Diametro 0",52. Seculo xvii. 

413 Fructeiro de prata tendo no centre um cavalleiro. Aves, quadrupedes, folha- 

gens e flores Ihe servem de ornamentacao. Diametro 0",516. Seculo xvii. 
Sr. Visconde de Pereira Machado, Porto. 

414 Fructeiro de prata com o bordo dividido em gomos, ornado a cercadilho. 

Diametro 0",35. Seculo xvri. 
Sr. Visconde de Foz de Arouce, 

415 Fructeiro de prata com lavores relevados. Tem no fundo um disco movcl 

com um baixo relevo representando um cavalleiro e outras figuras. Dia- 
metro 0",46. Seculo xvii. 

Sr. Francisco Manuel Fragoso, Alcagovas. 

416 Fructeiro de prata. Tem no fundo a figura de Cupido trabalhando a uma bi- 

goma. Diametro 0'",355. Seculo xvii. 

Sr. Francisco Manuel Fragoso, Alcagovas. 

417 Fructeiro de prata. Tem no centro um disco move! com baixo-relevo repre* 

sentando um assumpto mythologico. Diametro 0",40. Seculo xvii. 
Sr, Francisco Manuel Fragoso, Alca^vas. 

418 Fructeiro de prata. Tem no centro um disco movel com baixo-reievo repre- 

sentando um cavalleiro atropelando com o cavallo um usurario. Diametro 
0",46. Seculo xvii. 

Sr. Francisco Manuel Fragoso, Alcagovas. 

419 Fructeiro de prata. Tem no centro um disco movel com baixo-relevo repre- 

sentando tres cavalleiros junto de um castello, etc. Diametro O'ySOS. Se- 
culo XVII. 
Sr. Francisco Manuel Fragoso, Alcagovas. 

420 Fructeiro de prata com o bordo dividido em gomos, a cada um dos quaes 

corresponde uma grande fior. Tem no fundo quatro quadrupedes e no cen- 
tro um brazao de armas. Diametro O'^yKl. Seculo xvii. 
Sr. Visconde de Foz de Arouce. 

421 Porta de sacrario, de prata rebatida. Tem na parte inferior entre grandes fo- 

lhagens as armas reaes de Portugal, e por naixo d'estas o seguinte letrei- 



SALA N 43 

rO : PRINXIPE. D. PEDRO QVE DEOS. GOARDE DEV. ESTE SACRARIO. A ESTE REAL 

MosTEiRo. DE BELLEM. NO ANNO DE i.6.73. A maioF parte da superflcie 6 
preenchida por urn baixo-relevo quadran^'ular representando a Epiphania. 
Altura 1",25 ; largura O'^fiS. Obra do ourives Joao de Sousa. 
Egreja de Belem, 

422 Grande frontal depratarcbatida. Altura i metro. Comprimento S'^JS. 

Confraria de S. Jose do FanchaL 

423 Lampada de prata. Altura I metro. Seis quartcllas ornamentadas com cabe- 

rs de serapliins, uvas e flores ligam a cupula abase, terminada por aran- 
della e pingente. Fins do secalo xvi ou principios do seculo xvii. 
ConvefUo das Chagas, Lamego. 

424 Lampada de prat<i. Altura l^^filS. A base, com arandella e pingente, liga- 

se com a cupula por meio de cinco quartelias, das quaes tres sao lavradas 
e as outras duas lisas, parecendo substituirem as primitivas. As cinco quar- 
telias sao ilxadas em cima e em baixo por pyramided. Fins do seculo xvi ou 
principios do seculo xvii. 

Junta de parochia de Almaigem doBispo, concelho de Cintra, districto 
de Lisboa. 

425 Lampada do prata. Altura O*",??. Cmco quartelias lisas ligam a cupula com 

a base ornada de arandella e pingente. Seculo xvii. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

426 Lampada de prata. Altura 0'",93. Cinco quartelias lisas, fixadas em cima e 

em baixo com pyramided, ligam a cupula com a base ornada de arandella 
e pingente. Seculo xvii. 
Junta de parochia de S. Silvestre, districto de Coimbra. 

427 Lampada do prata com cinco quartelias, a cada uma das quaes corresponde 

um pingente e uma pyramide. Seculo xvii. 
mosteiro de Odivellas, 

428 Fechadura de ferro com seu ferrolho. Seculo xvri. 

Academia Beat de Bellas Artes de Lisboa. 

429 Fechadura de ferro com seu ferrolho. Seculo xvii. 

Academia Beal de Bellas Artes de Lisboa, 



SAIA O* 



433 Ampulheta eom sea resp;aardo de bronze dourado. 
Unwenidode de Coimbra, 

431 Urna de prata com uma estatueta sobro a tampa e Cf)m tres tornerrns com ca- 

begas de golphinbos. Assenta n'um:^ trempe com lampada para alcool. Se- 
colo xvni. Alum 0",70. 

5r/ (Umdttm de Geraz do Uwut. 

432 Casti^al de prata doarada. Altura O^^^Go. Na base tem a mitra patriarclial. 

Seculo xvin. 
Se de Lisboa. 

433 Lampada de prata. Ahora O^^ST. Tres cadeias lavradas ligam a cupula ao 

reservatorioy ambos lavradoe. Seculo xviii. 
Sr. Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra, 

43^ Calix de prata doarada e de oiro, com saa patena lisa de oiro. A copa 6 de 
oiro cravejado de pedraria. Na parte inferior da base ha este letreiro : de 

N. SRA DO PATROCINIO. POR FR. FBANCISCO DE JESTS MARU SABMEIITO AXNO 
DE 1768. 

Mitra Patriarchal^ LiAoa. 

433 Relicario de ebano e prata. Altura 0",S(. A base reftiD^hr ^ msflentada 

por qaatro leoes rompantes. Sets anjos de prata sn^tentam os instrumen- 

tos da Paixao. interior do relicario cootem cioco estataetas de prata re- 

preFentuido a seem da Aiffelbf ao. Uma cmi eocima o todo. Seculo xTnr. 

Extincto cm9en$9 de Mafra. 

43ti Pyxide de prata doarada. Altara 0°*,373. A ornamenta^ao i similhante no 
estylo a do ealix n.'' 434. Na cripa vton-se rres medalhdes, cada om dos quaes 
cont^m tres cabe^^as de seraplims. Na parte superior do no, e na base, ou- 
tras cabe^as similbantes. £ ornada de pedras linas de Tarias cores. Na base 
ten a segointe loscrtp^: rn. frakcisco de jesus maria sabmehto insti- 

* Os cbjeclos d'esta sala scm epocha dciignada sSo do srcnlo irm on m. 



82 SALA O 

TUIDOn DA CAPELLA E REAL CONFRARIA DE NOSSA SRA DO PATROCIMO, MA.NDOU 
FAZER ESTA PIXIDE EM ANNO DE 1766. 

Mitra Patriarchal de Lisboa. 

437 Galheteiro de prata com tres frascos do mesmo metal. Largara 0",18. Se- 

CUlo XVIII. 

Sr. Conde de Santa Eulalia, Vizeu. 

438 Tharibulo de prata. Altara 0'°,245. Na parte superior as Yirtades Tbeolo- 

gaes em baixo-relevo. Seeulo xviii. 

Sr. Marquez da Graciosa. Graciosa, districto de Aveiro. 

439 Naveta de prata com sua colh6r. Altara 0",23. Seeulo xviii. 

Sr, Marquez da Graciosa, Graciosa, districto de Aveiro. 

440 Corda de oiro cravejada de pedraria. £; rematada por uma ave com as azas 

abertas poisada sobre um ^'lobo. Seeulo xviii. 
Sr. Conde de Villa Real, 

441 Baixo-relevo em dento de cavallo marinho, representando Christo crucificado, 

S. Jos6, S. Francisco, Santo Antonio e outros santos. Altara O^jlS. Se- 
eulo XVIII. 
Srs, Viscondes de Daupias, 

442 Cofre de prata lavrada de arabescos. Secnlo xviii. 

Sr. Augusto Pinto Moreira da Costa, Porto, 

443 Jarro de prata. Altura 0'",31. £ ornado de arabescos e tem a aza com a forma 

de espliinge. Seeulo xviii. 

Sr, Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra, 

444 Bacia de prata. Comprimento O'^ySS. £ ornada de arabescos similbantes aos 

do jarro. Seeulo xviii. 

Sr, Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra. 

445 Par de castigaes de prata lavrada. Altara 0'",27. Seeulo xvii. 

Sr. Conde de Mesquitella, Lisboa. 

446 Pia de agua benta de prata branca e dourada, com seu hyssope. Noretabulo 

ha um baixo-relevo representando a Familia Sagrada. 
Sr. Arnaldo Ribeiro Barbosa. 

447 Jarro de prata ornado de arabescos. Altura O^jSS. Seeulo xviii. 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu, 

448 Bacia do prata ornada de arabescos, correspondente ao jarro n."* 448. Com- 

primento O^jS?. Seeulo XVIII. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu, 



SALA O 53 

419 Cafeteira de prata. Altara 0'°,26. Oroada de baixo-relevos, mcdalh5es e ara- 
besco:*. Seculo xviii. 

Sr. Carlos Manroo, Lisboa. 

450 Pintara sobre lamina de marfim representando a Yirgem com o Menino. 

Auribuida a Tibalde, 1738. Moldur^ preta e doarada. 
Sr. Francisco Xavier de Carcalho, Mafra, 

451 Pyxide dc prata doarada. Na base tcm qiiatro eslatuetas sentadas, sendotres 

d*ellas a Fe, Esperan^a e Caridadi;. A copa c ornada de anjos, uns em 
adoracao, oatros segurando espigas de irlgo, uvas e os inslrumentos da Pai- 
xao. Na tampa, encimada por uma (Tuz, sobresaem grupos de seraphins 
em relevo. Secalo xviii. Allura 0'°,3G. 
Se de Lisboa, 

4o2 Cafeteira de prati lavrada. Tern uma carranca por baixo do bico. Altura 

^V. D. Luiz de CarvaVio Daun e Lorena, Lisboa, 

453 Calix dc prata dourada. Tern na base tres cstatuetas sentadas, representando 

a Fe, Ksperan^a e Caridade. Seculo xviii. 
Igrtja de S. Bartholomeu de Coimbra. 

454 Pintura sobre marfim rppre?cnlando No?sa Senhora com o Menino ao coUo. 

£ atlribuida a Jo<6 Alvrcs (sic), l\oina 1781). 
Convento do Coratfio de Jesus, Est r el la, Lisboa, 

455 Pyxidft de prata dourada. Altura 0"*,36o. Largura na copa 0™,123, na base 

O^.IS?. Na copa tem quatro medallioes que repre^entam o pelicano, a 
phenix, a area da allianra e o cord»)iro. Seculo xviii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

456 Baixo-relevo em prata allusivo a ^ida dos rampos, assignado por I. A. Tbe- 

Jot. 1717. fi auctor dos n.'^- 342 c 343. 
Sr. Marquez d£ Pombal, Lisboa, 

457 Custodia de prata dourada. Altura 0°',81. Seculo xviii. 

Extindo convento da Madre de Deus, Lisboa, 

458 Calix de prata dourada. Na copa tern lavorcs representando vides com parras 

e uvas. Seculo xviii. Allura 0"\3U. 

Irmandadf. do Sacramento da freguezia de Santo Andre c Santa Ma- 
rinha, Lisboa. 

459 Jarre de prata. Altura 0",42. Secnio xviii. 

Sr. Barao do Cruzeiro, Mogn fores. 

460 Bacia de prata corre?pondcnte ao jarro n.° 4*J9. Comprimento 0",65. Se- 

culo xvni. 

Sr. Barao do Cruzeiro, Mogofores. 



8t SALA O 

461 Gastodia de prata doarada. Altara 0*,74. inliealo, onumeotado torn m 
emblemas da Euciiaristia, caht^a^ de seraphinseoatrosoniatos,ecercado 
de grandes raios. A haste 6 dccorada fom yhagens, flores e tres cabe^as 
de seraphins. A base tern uma decoracao similhante e nas tres faces o cor- 
deiro, o pelicano e a area. Seculo xviii. 

Sr. Augusto Pinto Moreira da Costa, Porto. 

4G2 Baixo-relevo cm prata, allusivo a viJa das cidades, assignado por I. A. The- 
k)t. 1717. 

Sr. Marquez de Pombal, LiAoa. 

463 €haleira, trcmpe e lampada do prata. Altara 0*',355. Omamentada de flo- 

res, folhagcns e arabescos. Seculo xviii. 
Sr.'' Viscondessa de Fonte Avcada. 

464 Pintura em pergaminho represeniando a Adora^ao do Sacramento. Secaloxviii. 

Sr. Abel Martins Ferreira, Evora. 

465 Galheteiro de prata com am frasco do mesoK) metaL Secalo xviii. 

Sr. Macario de Castro, Lamego. 

466 Goroa de prata dourada. Fins do seculo xvii oa priacipios do secalo xvin. 

Extinclo mosteiro de Chellas. 

467 Par de galhetas de prata branca, tendo sobrepo5tos os btcos, azas, base e 

ornamentaQiio de prata dourada. Seculo xviii. 
Academia Real das Sciencias de Lishoa. 

468 Goroa de prata doarada. Seculo xvii. 

Extinclo mosteiro de Ckellas. 

469 Bale de prata lavrado de flores. Altara O^jSi, Secalo xviii. 

Sr. D. Luiz de Carvaiho Daun e Lorena, Lisboa. 

470 Gopo de prata. Altura 0",09. Seculo xvn. 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

471 Gasti^al de prata. Altura 0",*i7. Rcpresenta uraa columna composita com o 

pedei<ital ornado de festoes. 
Ultra episcopal de Coimhra. 

472-a Gandieiro de prata com tres bicos. Altura 0",54. Seculo xviii. 
Sr. Melchior Pereira Continho de Villiena^ Lamego. 

472-6 Gaixa circular forrada de renda dc prata. 
Srs. Duques de Palmella. 

473 Jarro de prata lavrada. Altura 0",275. Secalo xviii. 
Convento das Chagas, Lamego. 



SALA O M 

474 Bacia de prata oblon$;a. Comprimento O^^^SZ. Gorresponde ao jarro n/ 473. 

Convento das Chagas, Lamego. 

475 Cofre de tartaruga com guarni^^les de prata. Comprimento 0",2I3. Se- 

calo xvir ou xviii. 

Sr. Manuel de Albuquerque de MeUo Pereira e Caceres, Porto. 

476-a Calix do prata doarada corn ornamentagiio de arabescos. Altera O^jSOS. 
Seculo xvin. 

Aimoxarifada de Mafra, 

476-J Caixa circular de prata rebatida adornada de folbagens e quadmpedes. Na 
tampa a ave phenix. 

Sr, Fernando Palha^ LiAoa. 

kll Sacra de prala. Altura 0",58. Seculo xviii. 
Convento das Chagas^ Lamego. 

478-a Castical de prnta larrada. Alinra 0",?2. Seculo xviii. 
Sr. Visconde de Alentem, PenafUl. 

478-5 Caixa quadrangular forrada de rcnda de prata. 
Srs. Duques de Palmella. 

479 Jarro de prata. Altura 0'",34. Seculo xvni. 

Srs. J. A. Rosa e J. M. Rosa, Coimbra. 

480 Bacia de prata correspondente ao jarro n.' 479. Comprimento O^.S?. Se- 

culo XVIII. 

Srs. J. A. Rosa e J. M. Rosa, Coindfra. 

481 Cofre de tartaruga com ornatos de prata. Comprimento 0^,236. 

Sr. Antonio Moreira Cabral, Porto. 

482-a Cafeteira de prata. AUura 0°',3o. Ornada de arabescos ; axa de ebano. 
Sr. Abilio Augusto MartinSj Coimbra. 

482-6 Prato forrado de renda de prata. 
Srs. Duques de Palmella. 

483 Moldura de espelho e latao dourado com nma pintara em pergaminho. Se- 

culo XVII. 

Sr." D. Rita Adelaide Antunes de Macedo, Coimbra. 

484 Jarro de prata ao qual serve dc aza uma esphinge. 

Sr.' Condessa de Bertiandos. 

485 Calix de prata dourada. Na base e na copa tern anjos com os instromentoe 

da Paixao. Altura 0'»,263. 
Se de Lisboa. 



h6 SALA O 

486 Jarro de prata, ornado de earrancas e arabescos. Altara 0'°,34. Seculo 

XVIII. 

Sr, Flamiano Lopes Feireira dos Anjos, Lisboa. 

487 Bacia de prata correspondente ao jarro n.*' 480. Gomprimftnto O^jO?. Se- 

culo XVIII. 

Sr. Flamiano Lopes Ferreira dos Anjos, Lisboa, 

488 Custodia dc prata. Altura l'",!^. Tem o relicario ladeadode columDassalomo- 

nicas e de quartellas (|ue sustentam a cupula. Sobrc esta ba as estatuasda 
Fe, Esperanga e Caridade. Nas quartellas as de S. Pedro eS. Paulo. Tem 
na base esta iuscripg^ao : esta costodia he da irmandade do ss. sacramen- 

TO DA FREG. DE N. S. DAM'SSIADA DA VILLA d' SETUVAL FESSE NO ANNO DE 
171 ; SENDO lUIS DA D. lUMANDADE SR. lOAM NINES BARRETO E ESCRIV.UI 
FRANCISCO FR.* BRANCO E TIZ/'' PEDRO DA ROSA UNTO. 

Irmandade do Sacramento da freguezia da Annunciadu de SetubaL 

489 Calix de prata dourada. Altura O^jSOG. Tem na base qualro serapbins muito 

relevados, dois brazoes sendo urn o da ordemdo Carmoeoutroumemble- 
ma da Paixao. Seculo xviir. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

490 Bacia oval de prata dourada, com uma tiara no meio. Comprimento0°',48. 

Mitra Patriarchal de Lisboa, 

491 Bacia de prata com f6rma de conclia. 

Sr. Bento de Queiroz, Viseu, 

492 Cafeteira de prata com lavores a buri). 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

493 Pyxide de prata dourada. A copa tem o cordeiro, espigas e um cacho de uvas. 

A tarn pa encimada por uma cruz. 
Extincto mosteiro de Ckellas. 

494 Jarro de prata. Altura 0'",325. Seculo xviii. 

Sr, Melchior Pereira Chutinho de \ilhena, Lamego. 

495 Bacia corrcspondente ao jarro. Comprimenlo 0",55. Seculo xmil 

Sr. Melchior Pereira Coutinho de Vilhena, Lamego. 

496 Custodia de prata dourada. Altura i*",!?. Base ornada de estatuetas. Reli- 

cario n'um resplendor ornado de cberubins, espigas, uvas, etc. Se- 
culo xvin. 

Confraria do Sacramento da parochia do Soccorro^ Lisboa. 

497 Moldura de espelho e latao dourado com uma pintura em pergaminho. Se- 

culo XVII. 

Sr.' D. Rita Adelaide Antunes de MacedOj Coimbra. 



SALA O 57 

498 Caixa octogona de prata rebatida, ornada dc imagens e flores. 

Srs. Dugues ae Palmella. 

499 Caixa de prata octogona similliaute ao n/ 498, mas de roenores dimensues. 

Srs. Duques dePolmella. 

500 Peanha de prata pertencentc a uma cruz. 

MUra episcopal de Aveiro. 

501 Corua de prata doarada. Entre a saa ornamentaQao sobresaem seraphins. 

Extincto convento de Chellas. 

502 Jarro de prata ooni ondulaQoes c lavores. Altura 0'°,298. 

Sr."" D. Camilla de Faria, Porto, 

503 Salva de prata com lavores. Diametro 0™,37. 

Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

504 Cafeteira de prata nndulada. 

Srs. Duques de Palmella. 

503 Fructeiro de prata. Diametro 0"',46. Seculo xviii. 
Sr, Macario de Castro, Lamego. 

506 Resplandor de prata doarada com pedras e esmaltes. Os raios sao alternada- 
mente rectos e ondulado.^. 

Irmandade de Nossa Senhora da Piedade de Santarem. 

807 Salva circular de prata com brazao nocentro. Diametro O", -563. Seculo xviii, 
Sr, Manuel Cabral de Maura Vilhena, S. Silvestre, districto de Coim- 
bra, 

508 Jarro de prata com lavores. A aza tem a figura de esphinge. Altura O^jG^. 

509 Coroa de prata. Altura 0",25. Seculo xvm. 

Igreja de Santa Cruz de Coimbra, 

510 Salva circular de prata com brazao no centre. Diametro O^jSS. Seculo xvm. 

Srs, Condes de Prime, Vizeu. 

SH Perfamador de prata. Gomprimento O^jSo. Tem a forma de coragao. Se- 
culo xvin. 

Sr," Condessa de Bertiandos, Braga, 

512 a Campainha com cabo e capa de prata. 

Srs, Condes da Praia e de Mon forte, IMboa. 

Sii'b Salva do prata. 

Srs. Condes da Praia e de Mon forte. 



S8 SALA O 

«^13 Caixa He prata rebatida com flores e folliagens. Coinprimento O^jSIS. 
Srs. DvqufS de Palmella, 

1)14 Urna dc prata lavrada. Tem nos angulos quatro seraphius e tres na parte 
superior da tampa. 
Se do Porto. 

tUti Salva de prnta rebalida com larore?. Tem no centre um brazao de armas 
gravado a buril. Diametro O^jS?. 

316 Cofre abaulado de prata reb.itida, ornamentado de folhagens e flores. 
Srs. Dvques de Palmella. 

817 Gafeteira de prata. Altura 0",26. Seculo xvni. 

Sr. Macario de Castro, Lamego. 

818 Baixo-relevo cm marfim. Altura 0",3l. Largara 0'°,I85. Repre-enla sete 

passos da vida e morte de Chrislo. Obra Indiana. Seculo xviii. 
Mitra archiepucopal de Braga, 

819 Caslodia de prata dourada. Altura 0",68. A base tem Ires estatuetas de se- 

rapUins com-os instrumentos da Paixao, e entre ellas cabegas de seraphios 
eni baixo-relevo. relioario 6 adornado com pedras devarias cores esns- 
tentado por duas estatuetas de anjos. Seculo xviii. 
Convento de Arroyos, Lisboa. 

820 Caldeirinha de prata com sea hyssope. 

Caixa geral de depositos. 

521 Bule de prata. 

iSr.- D. Camilla Faria, Porto. 

822 Coroa de prata dourada. 

Extinclo convento de CheUas. 

823 Estante de prata. Secjlo xvii ou xviii. 

Sr. Antonio Teixeira de Sousa, Lamego, 

824 Jarro de prata ornado de arab^scos, com brazao. Altura 0",4I. Seculo xvm. 

Sr. Macario de Castro, Lamego. 

828 Bacia correspondente ao jarro n.* 824. Comprimento 0",66. Seculo xviii. 
Sr. Macario de Castro, Lamego. 

826 Jarro de prata dourada. Tem o bojo dividido em gomos, cada urn com seu 

arabesco. Altura O'^jSS. 
Mitra do Funchal. 

827 Coroa de prata com pedras na cruz que a remata. 

Extincto convento de Ckellas. 



SALA O S9 

328 Cliave de bronze dourado. Comprimento 0",I7. 
Mitra de Aveiro, 

•329 Castodia de prata dourada. Altura0'",69. Orelicario, ornado de pedras, ^en- 
cimado por ama craz tambem adornada do pedras. £ sut^teotado por ama 
estatueta de anio. Seculo xvin. 
Confraria do Sacramento da fregvezia da Encamagao de Lisboa. 

330 Relicario de prata. Altura 0"",25. Seculo xviii. 

Mitra Episcopal^ de Aieiro, 

331 Chaleira de prata com trempe e lampada. Altura 0'",41. 

Sr. Jodo de Castro Sampaio, Guimardes, 

332 Pia de agua benta, de prata. Pendo de um retabnlo com um baixo-relevo 

representando o baptisnio de Chrislo. Aliura0",36. 
Srs. Duques de Pdmella. 

333 Campainha de bronze com cabo de prata e capa de filigrana de prata. Altara 

(V",9. Seculo XVIII. 
Mitra Episcopal de Avelro. 

334 Pente de cobre com female de latiio dourado, adomado de pedras. 

Sv. Ihnj Lopes de Sousa de Ahim e Lemos, Santar, 

335 CorGa dc prata, ornada de pedras c encimada por uma pomba. Altura 0'",208. 

Seculo XVIII. 

Junta de parocHa de Cascaes, 

336 Chaleira de prata com trempe c lampada. Seculo xviii. 

Sr. Macario de Castro, Lamego. 

337 Jarro de prata lavrada. Altura 0",34. 

Sr.' D, Camilla de Faria, Porto. 

338 Bacia de prata correspondente ao jarro n.** 537. Comprimento 0'",57. 

Sr.' D. Camilla de Faria, Porto. 

339 Assucareiro de prata, ornado de aratescos. Altura 0",17. 

Sr. Abilio Avgusto Martins, Coimbra. 

540 Leileira dc prata, ornada de arabescos. Altura 0",17. 
Sr. Abilio Augusto Martins, Coimbra. 

341 Calix de prata dourada e lavrada de arabescos. Altura 0",2''. 
Jgreja de Santa Cruz de Coimbra. 

542 Par de ^allietas de crystal e prata dourada. Altura 0'",21 . Seculo xviii. 
Mitra Episcopal de Coimbra. 



60 SALA O 

r)i3 MolJura dc tartaruga com oroatos de prata, conteado uma pintura que re- 
presenta a Familia Sagrada. Altura 0'",385. 

Sr. Antonio Maria Kopke de Carvalho, Porto. 

544 Cofre dc tartaraga com adornos de prata. Comprimento 0'",232. 

545 Jarra dc prata lavrada. Altura O",!!. 

Sr,'' Condessa de Bertiandos, D. Anna de Braganga. 

5i6 Cro.>?a de urn baculo de madeira dourada. 
Se de Faro. 

547 Jarro de prata lavrada. Altura 0"',31. 

Sr." D. Camilla de Faria, Porto. 

548 Baoia dc prata lavrada correspondenle ao jarro n." 547. Comprimento 0",52. 

Sr." D. Camilla de Faria, Porto. 

549 "Leiteira de prata. Altura O'",^!. Seculo xviii. 

Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

530 Pyxide de prata dourada. Altura 0'"/35. Seculo xviii. 
Se de Coimbra . 

551 Jarra de prata, perlencente a uma banqueta da se de Coimbra. Altura 0",38i). 

Seculo XVIII. 
Se de Coimbra. 

552 Pyxide de prata dourada. Altura 0°',40. A base, haste, copa e tampa sao 

profusainente cohertas de ornatos em relevo. Seculo xviii. 

Confraria do Sacramento da freguezia da Encamarao de Liishoa. 

553 Sacra de prata e lapis-lazuli. Altura 0'°,51. £ ornada de flguras de anjos e 

ramagens, e tem no meio da parte superior um baixo-relevo rcpresenlando 
a Ceia. Seculo xviii. 

Confraria da Senhora da Boa Morte da Se de Coimbra. 

554 Calix de prata dourada ornamentado de arabescos. Altura 0'',27. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

555 Caldeiriaha de prata dourada e lavrada de arabescos, folbagens c carrancas. 

Diametro O'^jiS. 

Confraria dos Clerigos Pobres da freguezia da Encamarao de Lisboa. 

55() Calix de prata lavrada e dourada. Nabnse, emmedalhoes, aarcadaaIliaD?a, 
a pbenix, o cordeiro e o pelicano. Na copa instrumenlos da Paixao. Al- 
tura 0",3i. 

C4onfraria do Sacramento e Senhor Jestis da freguezia de Santo llde* 
fonso do Porto. 



SALA O 61 

557 Pyxide de prata dourada e lavrada. Tern na base cspigas dc trigo, uvas e 
flores. No bojo, em medall)5es, a area da allian^a, seraphins, o peticano, 
etc. Altara 0'°,47. 

Confraria do Sacramento e Senhor Jems da freguezia de Santo llde* 
fonso do Porto, 

008 Jarro de prata, ornado de folhagens e arabescos, com brazao, parte anterior. 
Altara O^jSe. Seculo xvm. 

Sr.' D, Maria Candida Guedes de Almeida, Trevoes. 

5o9 Bacia de prata, correspondente ao jarro n.^ 558, com brazao no centro. 
Comprimento 0"",57. 

Sr." D. Maria Candida Guedes de Almeida j Trevdes. 

06O Serpentina de prata. Altura 0°',345. Seculo xvin. 

Sr.' D. Maria Augusta do Carmo Simxies, Coimbra. 

561 Bale de prata. Altura 0'",i6. Toda a superGcie dourada 6 coberta de folhas 

de parra e uvas de prata branca. Seculo xviii. 

Sr. Jose Maria ae Alpoim Cerqueira Borges CabraL 

562 Assucareiro correspondente ao bule n.^ 561. Altura 0'°,12. 

Sr. Jose Maria de Alpoim Cerqueira Borges CabraL 

563 Tigcla corre>pondente. Altara 0",!. 

Sr, Jos6 Maria de Alpoim Cerqueira Borges CabraL 

564 Moldura oval de prata branca e dourada a que serve de remate a tiara pon- 

tificia. Encerra urn retrato de am pontitice. Altura O^^i^, Seculo xviii. 
Srs. Marquezes de PofnbaL 

565 Yaso de unicornio com azas e ornatos movdis de filigrana de oiro, cravejada 

de pedras. Altura 0°,09. 
Mitra Patriarcluil de Lisboa. 

566 Porta-paz de prata dourada. Altura 0°',20. Representa em baixo-relevo 

Nossa Scnbora da Piedade. Seculo xviii. 
Se de Evora, 

567 Imagem de Santo Antonio, a que serve de pcanha uma esphera armillar col- 

loeada sobre troncos de vide com suas fulhas e uvas, os quaes se apoiam 
sobre quatro ras pousadas n*uma base quadrangular com uma concavidade 
figurando mar com peixes. Tudo de prata branca e dourada. Altara 
0",305. Seculo xvii. 

568 Galix de prata branca e dourada, lavrada de arabescos e flores. Tem na base 

ties seraphius em relevo. 
Se do Porto, 

569 Saleiro de prata lavrada com qaatro azas na tampa. Altura 0"',125. 

Sr. Macario de Castro, Lamego, 



62 SALA O 

570 Casligal dft prata. AUnra 0",22. Serdo xviii. 

Sr. BeiUo de Qiteiroz, Vizeu. 

571 Jarro de prata com forma de eapaccte ; com urn medalhio, nma carranca e unb 

brazao. Altura O^jSO. Seculo xviii. 
Sr. Macario de Castro, Lamego. 

57i Jarro do prata lavrada de arabescos. Tern am brazao gravado a buril. Altara' 
Sr. Visconde de ALentem, Penafiel. 

573 Bacia ohlon^^a de prata, com lavores nas bordas, correspondente ao jarro> 

n." 57i. Comprimenlo 0'",54. 
Sr. Visconae de Alentem, PenafieL 

574 Escrivaninlia de prata lavrnda. 

Sr. Adriano Baptista Ferreira, Mealhada. 

575 Jarro de prata a que serve de aza nma fi<nira de malher. AUora 0™,226. 

Sr. Flamiano Jose Lopes Feireira dos Anjos, Lisboa. 

570 Terrina de prata. Altara 0",'H. Secalo xviii. 
Sr." Condessa de Geraz do Lima. 

577 Prato correspondente a terrina. Diamelro 0",45. No reverse l^-se: fait PAit 

T GERMAIN ORF." SCULP." DU ROY AUX GALLERIES DU LOUVRE PARIS 1744 N.** 1 
4i 4 4. 

Sr." Condessa de Geraz do Lima. 

578 Cofre octo;(ono de prata doijrada com ornatos de applica^ao de prata brancjn 

formando arabescos e me<iaIhoes com os emblemas da Eacharistia, etc. & 
rematado por uma cruz. Altara 0™,()li5. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

579 Terrina de prata. Altera 0"*,30. Seculo xviii. 

Sr." Condessa de Geraz do Lima. 

580 Prato correspondente a terrina. Diamotro 0",45. No reverso l^se: fait par f. 

T. GERMAIN ORF." SCULP." DU ROY AUX GALLERIES DU LOUVRE A PARIS 1764^ 

Sr.' Condessa de Geraz do Lima. 

581 Jarro de prata lavrada cuja aza c uma figura phantastica com duas caadas* 

de peixe, apoiada n*uma concha. Altura O^^hQ. 
Sr. Visconde de Pereira Machado, Porto. 

582 Ta?a de prata lisa com tampa lavrada, e n'esta tres azas levantadas com^ 

forma de serpeote. 

Sr.'' D. Maria Manuela de Brito e Caetro, Lithoa. 



SALA O 6S 

^ 883 Calii de pnnta doorada. Entre os lavores da base qaatro medall)5es com em- 
Memas da Paixao. Entre os da copa outros quatro com os emblemas da 
Eucliaristia. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

384 JaiTo de prata lavrada tetido por aza am basto de mulber. Altara O^^^SO. 
Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

585 Eserivaninlia de prata. 

St.* D. Maria Manuela de Brito e Castro, Lisboa. 

8S86 Cofre ellipiico do prata lavrada, assente sobre quatro garras. Compri- 
memo 0'",22, 

Sr.* Z>. Maria Manuela de Brito e Castro, Lisboa. 

587 Par de galbetas de cry.-lal e prata com o prato correspondcnte de prata don- 

rada. Seculo xviii. 
Extincto convento de Jesus de Aveiro, 

588 Jarro de prata lavrada de folha^'ens e florcs. Altara O^jSOS. 

Academia Heal de Bellas Artes de Lisboa. 

589 Jarro do praU lavrada com arabescos e (lores. Altura 0",30. 

Srs. Duques de Palmelia. 

690 Bole de prata lavrada. Altara 0",20. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

591 Calix de cobre dourado com copa de prata doarada. 

Sr. Macario de Castro, Lamego. 

592 Jafro de prata lavrada Altara O'^.BG. 

Sr. Henrique Fernandes Sousa, Porto. 

593 Baixo-relevo em marfim reprc^entando Nossa Senhora sobre am globo ladea- 

do de anios. Moldora e peanha de madeira dourada. 
Sr,* D. Qara Maria de Mesquita, Ponta Delgada. 

594 Uroa de prata com brazao, qaatro torneiras e as azas com forma de esphinges. 

Altura 0",4I. Secalo xviii. 

Sr. Melckior Pereira Coutinho de Vilhena, Lamego. 

SISS Cafeteira de prata lavrada de flores e folbagens miudas. Altora 0*,33. 
Sr.' Condessa de Bertiandos, D. Anna de Braganra, Lisboa, 

596 Calix de prata lavrada. Altara 0",33. 

Mitra do Funchai. 

597 Gropo de prata com sea pedesUl. Altara 0",71. Representa Hercoles sobja- 

gando a hydra. Secalo xviii. 
Sr.' Condessa de Bertiandos. 



64 SALA O 

ri98 Pyxido de prata dourada com lavores saliente.^. Em o no tres anjos com 
roiulos ; sobre a tainpa oatros trcs com emblemas da Paixao. Altura 0'°y2U. 
Seculo XVIII. 
Se de Lisboa. 

599 Navcta de prata doarada muito relevada. Tern ama estatueta, as armas 
reaes de Portup:aI, etc. Comprimenlo 0'",2I. Seculo xvm. 
Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque de Lisboa. 

000 Custodia de prata doarada. Ba^ triangular, com tres e<tataetas, Fe, Es- 
peran^a o Cnridade, urn seraphim em cada angulo, e um baixo-relevoem 
cada race. Sobre a base tres estatuetas de anjus. Em o no tres seraphios 
e outros tres no alto da haste. ediculo circumdado de raios. Toda a 
custodia c ornamentada de diamantes, topasios e outras pedras precio* 
sas. Altura 0",97. Sei'.ulo xvm. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

601 Caixa de hostias de prata doarada, lavrada de arabescos. Seculo xvm. 
Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque de Lisboa. 

€)02 Campainha de prata dourada, lavrada de medalh5ei, serapbias, etc. Altora 
O^jiOS. Seculo xvm. 

Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque de Lisboa. 

603 Apagador de prata doarada c lavrada. Altura O'^jlSS. Seculo xvm. 
Capella de S. Joao Baptista da tgrejade S. Roque de Lisboa. 

<)04 Thuribulo de prata dourada e lavrada. Na tampa tem scis columnas lisas, e 
entre duas e duas am medalhao. Seculo xvm. 

Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque de Lisboa. 

605 Gomil de prata dourada e lavrada. No bojo as armas reaes de Portugal, etc.; 
a aza formada por ama figara de mulher. Altura 0'°,29. Seculo xvm. 
Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque de Lisboa. 

606-aBandeja de prata dourada. No fundo tem quatro baixorelevos representando 
passagens da vida de Christo. No bordo os quatro Evangelistas. Compri- 
mento 0",54. Seculo xvm. 

Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque de Lisboa. 

606-t Grupo em marOm com omatos de madre-perola, representando a Annuncia- 
^ao. Seculo xvm. 

St.* D. Maria Amalia Cabral^ Coimbra. 

607 Baixo-relevo em marfim representando Sansao matando os philisteus com 

uma queixada. Tem moldura de madeira dourada. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

608 Baixo-relevo em marfim representando am assnmpto da historia sagrada. Tem 

moldura de madeira dourada. 
Sr. Visconde de Daupias. 



SALA O 65 

609 Castodia de prata doarada. Altura O'^Jd. A face principal esta qaasi toda 

cravejada de brilhantes, granadas, amcthistas e clirysolithas. Seculo xviii. 
Qmvento do Coragao de Jesus, Lisboa, 

610 Calix, com tampa, de prata dourada. Altura 0°*,35. Sccalo xvin. 

Capella de S, Jodo Baptist a da igreja de S, Roque, Lisboa, 

611 Galhetas de prata doarada e lavrada de arabescos. Seculo xvni. 

Capella de S. Joao Baptista da igreja de S, Roque, Usboa, 

612 Bandeja de prata dourada correspondente as g?«]hetas n.^ 611. Seculo xviii. 

Capella de S. Jodo Baptista da igreja de S, Roque, Lisboa, 

613 Pariflcador de prata dourada e lavrada, com tampa e com o prato respective. 

Seculo XVIII. 

Capella de S. Jodo Baptista da igreja de S. Roque, Lisboa. 

614 Sacra de prata branca e dourada, adornada de estatuetas, e tendo um meda- 

Mo com um baixo-relevo que representa o Senhor da canna verde. Al* 
tura O^jiS. Seculo xviii. 

Capella de S. Jodo Baptista da igreja de S. Roque, Lisboa. 

615 Sacra de prata branca e dourada, adornada de estatuetas, e tendo nm meda- 

Mo com um alto-relevo que representa S. JoaoEvangelista. Altura 0°*,45. 
Seculo XVIII. 

Capella de S, Jodo Baptista da igreja de S, Roque, Lisboa. 

616 Par de castiQaes de prata dourada e lavrada, adornados descrapbins, festdes, 

etc. Na base, em cada uma das tres faces, as armas reaes de Portugal 
sustentadas por dois anjos. Altura 0",91. Seculo xvm. 

Capella de S. Jodo Baptista da igreja de S, Roque, Lisboa. 

617 Sacra de prata branca e dourada, com varias estatuetas, e tendo um medalhao 

com um baixo-relevo que representa a instiluigao da Eucharistia. 
Altura 0'",6i. Seculo xviii. 

Capella de S. Jodo Baptista da igreja de S. Roque, Lisboa. 

618 Grupo de prata dourada e pintada, representando S. Joaquim, Sant'Anna e 

Nossa Senbora, adornados de pedras preciosas. Seculo xvni. 
Sr. Henriq^ie de Araujo Tavares, Lisboa. 

619 Annel de prata dourada com pedras dispostas em cruz (das quaes faltauma) 

e grandes folhagens. Seculo xvii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

620 Escttdo de armas de prata dourada com esmaltes e diamantes, collocado so- 

bre um caslello. Seculo xviu. 

Confraria do Sacramento de Santa Justa e Rufina, Lisboa. 

5 



<i6 SALA O 

021 Chatelaine de cobrc dourado com unta mmiatnra por medatbao. Seeolo 
xnii. 

Sr." D. Maria Isabel de Casiro Manteiro, Porto. 

622 Collar de fili;7rana de prata com uma medalha» te&do no centro o sjmboio 

I H s. Seculo XVII. 
Mitra do Funchal. 

623 Papagak) de oiro esmaUado. Altora O'^.Ol. 

Srs, Condes de Prime, Vizeu. 

624 Medaiha de prata rendilhada, tendo no centro n'ama bceaintap:em deNossa 

Senhora, e na outra uma custodia, com inscript^des correlativas. 
Sr. Yisconde da Foz de Arouce. 

625 Prego de cabello de prata cravejada de diamantes, iigurando uma ave com 

as azas abertas. 

Caixa Geral de Depositos, 

626 Rosario com contas de coral e al<;uma« maiores de filigrana de prata dom'a* 

da com a cruz da mesma filigrana. Sccalo xvii. 
Freguezia do Salvador da villa das Alca^ovas. 

627 Chatelaine de oir« com lavores abertos represcntando Hercules c a hydra; 

emblemas e arabescos. Tem mousqnetons para pingentes,dos quaes s6Vesta 
um, que ^ um peqaeno jarro. Comprimeato O*",!!). Seeulo xvin. 
Srs, Condes de Prime, Vizeu. 

628 Rosario de prata e azevicbe, com cruz de filigrana de prata. Comprimento 

0"»,81. 

Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

629 Pingente representando am leao de perola com ornatos de oiro e diamantes 

rosa:». 

St.* D. Sw»y Cohen Sernya, Lisboa. 

630 Prego de cabello de prata crarejado de diamantes; fignra uma ave ferida por 

uma frecha. Seculo xvm. 
Caixa Geral de Depas^es. 

631 Rosario de filigrana de oiro com croz e pingente da mesma filigrana e fio 

de perolas, pendentes d'esle ultimo. Seculo xvn. 
Extincto convewto de Je$us de Aveiro. 

632 Cruz episcopal de crystal e oiro. 

Mitra de Aveiro. 

633 Frasco de prata rebatida. Altura 0",09. Seculo Xfw. 

Srs. Condes de Prime, Yizm, 



SALA O 67 

i)ol Altar de prata doarada c alcvantina adornado de pedras e com duas minia- 
taras representando a Adora^ao dos Pastores e a Ceia. Secuio xviu. 
Sr, Francisco Riheiro da Curiha, Lisboa. 

()3o Cruz cylindrica de prata dourada, com revestimento de filigrana de prata 
branca. A imagem de Christo com uma especie de saia. Seculo xvii ou 

XYIII. 

Sr, Fernando Palha, Lisboa, 

636 Triptyco de marfim representando o baixo-relevo domcio a Familia Sagrada, 
e OS dos lados S. Miguel e um Anjo com uma creauga. 
Sr. Jose do Canto, Ponta Delgada, 

€37 Collar de prata com dianiantes, com um pingente. 

Sr." D. Maria Rita Lima de Sousa Meilo M, Bias, Porto. 

433S Chatelaine de liga metallica dourada. 
Caixa Geral de Depositos. 

<)39 Frasco pequenode prata para aromas, com a forma de uma. Altura 0",042. 
Srs, Condes ae Prime, Vizeu, 

CiO Frasco de prata. 

Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

64 1 Par de brincos de cor verde, adomados de brilhantes. Seculo xvni. 
Sr. D. Duarte Manuel Noronha, Lisboa. 

6i2 Par de fivelas de prata com pedras. 
Caixa Geral de Depositos. 

64.3 Adereqo de prata com amethistas e diamantes, formado de broche e brincos. 
Extincto convento de Jesus de Aveiro. 

6Vl Dois fecbos de pulscira de prata com aguias formadas de pedras de <sores« 
Comprimento O^jOS. Seculo xvui. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

6io Par de brincos de oiro com esmaltes verdes e perolas. Seculo xviii, 
Caixa Geral de Depositos, 

646 Broche de oiro. 

Caixa Geral de Depositos. 

6^1 Par de brincos de prata com diamantes. 

Extincto convento de Jesus de Aveiro. 

648 Broclift de oiro. Seculo xviii. 

Caixa Geral de Depositos. 



68 SALA O 

649 Broche de prata com peilras. Coinprimento 0'",04S. Seculo xvin. 

Convento de Semide, Coimbra. 

650 Brincos e broche de prata com pedras. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

651 Broche de oiro com diamantt»s. Compriment] O^jOoS. 

Mosteiro de Lotrdo. 

652 Par de fivelas de prata com pedras. 

653 Broche e brincos do prata com diamantes. 

Academia Ileal de Bellas Artes de Lisboa. 

654 Broche de oiro com pedras finas. Coinprimento 0'",06. Seculo xvji. 

Convento das Chagas de Lamego, 

655 Par de brincos de oiro com perolas. 

Caixa Geral de Depositos. 

656 Par de brincos de prata com diamantes. 

Caixa Geral de Depositos. 

657 Adereco de praia com pedras, composto de broche e brincos. Seculo xviii. 

Sr, Bento de Queiroz, Vizeu. 

658 Brincos de oiro com diamantes. 

Academia Beat de Bellas Artes de Lisboa. 

659 Aderego de prata com pedras, composto de collar e brincos. 

Extincto mosteiro de Chellas. 

660 Broche e par de brincos de prata, ornados de esmeraldas e diamantes. 

Extincto mosteiro de Chellas, 

661) 

/Quatro pares de brincos de oiro esmaltado e ornado do perolas. 

664) C««^a Geral de Depositos. 

665 Enfeite de cabe^a, de brilhantes. 

Sr." D. Alice Munroo dos Anjos. 

666 Aderego de prata e diamantes, composto de collar e brincos. 

Caixa Geral de Depositos. 

667 Par de fivelas com pedras cur de laranja. 

Caixa Geral de Depositos. 

668 Par de brincos de prata com pedra-. 

Ca^'xa Geral de De^positos. 



SALA O 69 

669 PeitorJl de prala com diamantes. Seculo xvm. 

Sr. Duarte Huet de Bacellar, Porto. 

670 Par de brincos de oiro, com esmaltes e perolas. 

Caixa Gerd de Depositos. 

671 Broche de oiro com diamantes. 

Convento de Santa Maria de Almoster. 

672 Miniatora do cardeal Mazarin, esmaltc em cobre. Tern escripto no rever- 

so: Le Card J Mazarain *6.''*' Peinture De Dalila Labarcbede Eleie de 
Mr. Soiron Pere. Paris 18H. Altura 0'°,045. 
Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

673 Par de brincos de oiro com pedras amarellas. 

Caixa Geral de Depositos. 

674 Broche de oiro com daas pedras. 

Caixa Geral de Depositos. 

675 Fragmento de collar de prala com pedras. 

Extincto mosteiro de Jesus de Aveiro. 

676 Par de brincos de prala com pedras. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

677 Broche de oiro com diamante. 

Caixa Geral de Depositos. 

678 MedaUia de fiii.^rana de oiro, com a cruz de Christo esmaltada nas duas fa- 

ces. Altura 0",055. Seculo xvi. 

Extincto mosteiro de Jesus de Aveiro. 

679 Medaiha de oiro anarnecida de perolas, com firma de brilhantes e miniatura. 

Comprimento U^^IO. Seculo xvm. 
Sr. Bento de Qaeirnz, Vizeu. 

680 Broche e brincos de oiro com diamantes. 

Academia Beat de Bellas Artes de Lisboa. 

681 Collar de prata ornado de diamantes. Seculo xvm. 

Extincto mosteiro de Jesus de Aveiro. 

682 Medaiha de prata com uma miniatura cercada de podrns. 

Sr. Pedro Caia'lo FeirOo, Trecoes. 

683 Par de fivelas de prata com pedras verdes. 

Caixa Geral de Depositos. 



7d SALA O 

684 Palseira de prata com o feclio guarnecida de pedras falsas e uoia mimatoca 

colorida. Scculo xvui. 

Sr, J. J. Teixeira Fafe, Lame go. 

685 Medaiha de oiro com miniatara. 

Caixa Geral de Depositos. 

686 Frasco de prata c(jm a forma de um fructo. 

Srs. Condes de Primes Vizeu, 

687 Pingente ovoide de oiro esmaltado contendo um relogio. 

Sr. J, J. Teixeira Fafe, Lamego. 

688 Frasco de prala com radeia. Allura O",©?. Seculo xvm. 

Srs. Condes de Prime, Vizeu, 

689 Qaatro bacalos de prata, pequenos, de imageos de saatos. 

Mosteiro de Lorvao, Coimbra. 

690 Relogio de oiro esmaltado com a forma de escudo^ crnado de perolas. 

Sr. D. Simij Cohen Ser\nji, Lisboa. 

691 Cofresinho de Gliizrana de prata. 

Sr. J. J. Teixeira, Fafe, Lamego. 

692 Pente de oiro. Seculo xvn. 

Sr." D. Marianna GuilherminaFisJisr Berqud. 

693 Caixa de oiro com forma de batel. Comprimento 0'",04. 

Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

69& Caixa de prata lavrnda para si^naes do rosto. 
Srs. Condes de Prime, Vizeu. 

695 Par de fivolas de prata com pedras. 

Caixa Geral de Uepositos. 

696 Peitoril de prata com diamantes, dos quaes falta am. 

Academia Reid de Bellas Artes de Lisboa. 



697 Medaiha do vidro (*om aro de oiro, contendo a imagem de Santa Rosa Maria, 
com varios ornatos em papel recortado. 
Sr. Christiano Vanzeller, Porto. 

rDezesete anneis. 
714! Caixa Geral de Depositos. 



715i 

a [Seis anneis. 
720) 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 



SALA O 71 

721| 
a /Tres anneis, sendo um com topazio e do secalo xmi. 

Sr, Benio de Queiroz, Yizeu. 

724 Annel com miniatura. cercada de aljofarcs. 

Sr. Manuel Cabral deMoura Couiinhode Yilhena, S. Sihestre^ Coim- 
bra. 

725 Annel de oiro com um camafeu represeotando am papa. Pertcoeeu ao pri- 

meiro Marquez de Pumhat. 

Sr. Marquez de Pombal, Luboa. 

726 Anael de oiro com ti>nazio c cryslaes. 

Sr,* D. Anna Sobralj Treroes, 

727 Annel com grande numero de crystawi. 

Sr. Antonio Moreira Cabral, Porto. 
728| 

e /Oois anneis. 
729) 

Sr.' D. Maria Augusta do Carmo Simoes, Coimbra. 

730 Adere^o, composto de hroche c briacoi», de prata com diamantes. 

Caixa Oeral de Depositos. 

731 AIDnele de peilo, de prata com pedras. 

Sr.' D. Mmria Augufta do Carmo Simoes, Coimbra. 

732 AdereQo composto de collar com uma medallia e brincos, de prata com pe- 

dras. 

Srs. Joaquim Augusto e Jose Maria Rosa, Coimbra. 

733 Par de brincos de prata cum pedras. 

Academia Ileal de Bellas Artes de Li^boa. 

734 Cruz da ordcm de Cliristo do prata com pcdraria. 

Albano Pinto de Mesquita Carvalho e Gama, Villa Nova de Gaia. 

735 Par de brincos de oirn c:^maltado. 

Academia Heal de Bellas Artes de Lisboa. 

736 Collar de oiro e antennas de insecto. 

Mosteiro de Lorvdo, Coimbra. 

m Cruz de oiro.com uma ametbir^ta no ccntro. 
Sr. Bento de Queiroz, Yizeu. 

738 Aderego composto de collar, medalba, brincos e fechos de palseiras de prata 
com pedras. 

Sr." D. Amelia de Campos Pereira. 



72 SALA O 

739 Adereco composto de broelie e brincos de oiro, com diamante^. 

Caixa Geral de Depositos. 

740 Paf de brincos de prata com diamantes. 

Sr.' D. Maria Ritta Lima de Sousa Mello M, Dias, Porto. 

741 Par de brincos de prata com pedras. 

Sr." D. Maria Augusta do Carmo Simoes, Coimbra. 

742 Cruz de oiro com pedras. 

Sr,' D. Thereza de Bertiandos, Braga, 

743 Sinete de prata. 

Sr, Bento de Qtieiroz, Vizeu. 

744 Cruz peitoral de prata dourada. 

Sr, Bento de Queiroz, Vizeu. 

745 Palileiro de oiro. 

&r, Antonio Teixeira de Sousa, Lamego. 

746 Seis botoes de prata para collete. Seculo xvih. 

^V. Bento de Queiroz, Vizeu, 

747 Frasco de prata para aromas, com a forma de ovo. Comprirocnto O^jO?. 

Srs, Condes de Prime, Vizeu, 

748 Medallia-relic^irio de prata dourada com forma de laranja. Seculo xviii. 

Sr. Pedro Caiado Ferrao, Trevoes. 

749 Estojo de prata, contend© colher, garfo, faca e paliteiro do mesmo metal. 

Comprimento 0°*,12. Seculo xvui. 
Sr, Macario de Castro, Lamego. 

750 Frasco de prata de f6rma ovoide, com cadeia tambem de prata. 

Sr. J, J. Teixeira Fafe, iMmego. 

751iDois baixo-relevos em dente de cavallo marinho com moldura dc prata, um 
e represcnUindo Moys6s fazendo brutar agua da rocha, outro o prodigio 

752 das serpentes. * 

Sr," Viscondessa dos Olivaes, Lihboa. 

753 Borrifador de prata com a forma de coragao. Seculo xvn. 

Sr, Miguel Osorio Cabral de Castro, Coimbra. 

754 Borrifador similhante ao n.* 753. Seculo xvii. 

Sr, Francisco de Abreu Castello Branco, Lisboa. 

755 Chatelaine de prata com ciuco estojos para varies utensilios. 

Sr.* D, Maria da Piedade Molina, Lisboa. 



SALA O 73 

736 Hedalha dc prata com dois quadros lavrados cxtcriormcnte, representando 
um Pilatos iavando as maos, e oulro o Ecce homo. Interiormente de urn 
lado reliquias, do outro Santo Antonio pintado em cobro. Seculo xvii. 
Sr, Antonio Augusfo de Sequeira Tedim, Lisboa. 

757 Chatelaine de prata com tres pstojos. 

Sr, Joaquim Candido Abranches, Ponta Dclgada. 

738 Cruz de prata dourada. Allara S^jOS. Seculo xviir. 

Capella de S. Joao Baptista da igreja de S. Roque, Lisboa, 

759 
^ Tres casli^aes de prata dourada. Seculo xviii. 

yg I Capella de S, Joao Baptista da igreja de S, Roque, Lisboa. 

762 Frontal de prata e lapis-lazuli. Altura i'",04. Comprimento i^.ai. No cen- 
Iro um baixo-relevo rcpresenta o Cordeiro, sustentado por seraphins sobro 
nnveos. Aos lados e em baixo onlros grupos de patriarchas taiiibem sobre 
nuvens cm adora^o. Moidura dc grandes rama^^ens de prata branca sobre 
prata dourada. De um e de outro lado dois grandes anjos de prata branca 
sustentam o friso de prata. Seculo xvni. 

Capella de S. Joao Baptista da igreja de S, Roque , Lisboa, 

'^ (Tres casti^acs de prata dourada de banqnetas de altar. Seculo xvni. 
765i Capella de S. Joao Baptista da igreja de S, Roque, Lisboa, 

766 Lampada de prata branca e dourada. Altura l^jOO. Tres cadeias formadas 

de folhagens entrelacadas suspendcm o ref^ervatorio. Tern cstc tres faces 
omadas de folhagens', arabescos e serapliins. Em cada face o cscudo das 
armas reaes de Portugal. Por pingentc uma boria do praia dourada. Se- 
culo XVIIl. 

CapeUa de S. Joao Baptista da igreja de S, Roque, Lisboa, 

767 Cruz processional de prata dourada e lavrada ; ba«e triangular com cabe^as 

de seraphins e pingentes de florcs. Altura 2*", 39. Seculo xvni. 
Confraria dos Clerigos Pobres da freguezia da Encarnarao, Lisboa. 



TECIDOS, BORDADOS, EENDAS, ETC. 



SALA -A, 



i Frontal eom sua sanefa, bordado ricamente a oiro em alto relcvo. £ dividido 
em quatro retabulos, por tres faxas, nas quaes estHo representados os doze 
Apostolos bordados a matiz c oiro. A orua[nenta(,*ao ^erat ^ do fitas eatrela- 
gadas, flores, anjos, passaros, etc. Fallam-Ihe as pedras preciosas e coraes 
(jue linha anti[;amente. Seeulo xvi. 
Se cathedral de Braga. 

i Tapete de veludo dc seda lavrado de cures. Persa. ProvavelmeDte do seeulo 

XVI. 

Ctmfraria da Boa Morte da Se Cathedral de Coimbra. 

3 Tapete de pelucia, represcntando, dentro deum portico, uma paiza^em e tres 

flguras; duas sao de guerreiros e outra c^Va, dentro de uni barco. Seeulo 
xvn. 

Convento Novo de S. Jose e Santa Thereza, Evora. 

4 Frontal de tela branisi com faxas de veludo carmezim, todo bordado a Go de 

oiro era forma de fitas e folhagens enlrelai^adas. Fins do 5?eculo xvi. 
&e cathedral de Coimbra. 

5 Colclia oriental de setim azul bordada profusainente a retroz de cures, repre- 

sentaodo aves, animaes, nj::uras diversas, etc. Tern ao centre urn raedalhao 
eom o peiicano alimentando os filbos. 

Sr, Adriano de Moraes Pinto de Almeida, Porto. 

6 Faxa do frontal de Santo Andre, bordada a oiro c requife em relevo de ap- 

plicaQao. Seeulo xvi. 

Convento da Conceicao, Beja. 

7 Casula de veludo carmezim com ramos tecidos a oiro. Tern sebastos n*uma e 

n'outra face com quadros de sautos e brazoes de armas bordados a matiz e 
oiro. Seeulo xvi. 

Matriz de Ponta Delgada, Azores, 



76 SALA A. 

8 lira de velado carmezim com bordados de applicagao a oiro, cm alto relevo. 

Seculo xv[. 

Se de Coimbra. 

9 Golclia completamente bordada a matiz e oiro, de cores vivas e brilliantes, em 

flores e ramagens. Iiidustria indiana. 

Freguezia de Santa Maria de Belem, Luboa. 

10 Casula de veludo carmezim com faxa ao centro, de linlio bordado a tor^al ama- 

relto. N*esta faxa figuras de ccntauros e animacs, contornados por Go de 
reiroz azul. Fins do seculo xvi. 
Freguezia de Mertola. 

11 Frontal de damasco vcrmelho de seda e oiro, com faxas de veludo verde com 

bordados de applica^ao a lio do oiro e cordao de seda. Fins do seeulo xvi. 
JUosteiro de Loi^vdo, 

a Coldia oriental do setim azul, bordado a torgal de diversas cores, represen- 
lando animaes e flores. A cada canto c ao centro figuras de mulher. Franja 
esireita de rotroz o quatro borlas. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

13 Casnla de veludo carmezim lavrado, com ramos lecidos a fio de oiro. Faxa 

central larga, e faxas lateraes eslrcitas bordadas amatizetio de oiro, sendo 
esle conlornado a recjuife. Fins do seculo xvi. 
Santa Maria de Belem, Lisboa, 

14 Tira de paramento bordada a oiro e matiz, representando tres santos. Fins do 

seculo XVI. 

Igreja de Santo Antao, Evora. 

15 Colcha indiana bordada a matiz sabre fundo bordado a fio de oiro cncanas- 

trado. 

Sr. Conde de Redondo, Lisboa. 

16 Frontal de seda azul, bordado a matiz, representando passaros, flores, anjos, 

rodeando Nossa Senhora com o Menino ao collo, em ponto grande. Se- 
culo XVI. Fig. 138. 

Convento de Nossa Senhora da Concei^Ho de Beja. 

17 Panno de pulpitode setim carmezim, profiisa e elegantemento bordado a tor- 

cal de cores e oiro, tendo ao centro um medalliao com o rapto de Ganyme- 
des, rodeado pur um circulo de animaes pliantasticos. Fig. lil . Fins do se- 

CUlo XVI. 

Mosteiro de Lorvao. 

18 Colcha oriental de seda azul, coberta completamente de bordado a matiz e oiro, 

representando, com bello colorido, flores, animaes, passaros, etc. 
Sr. Martinho Pinto de Miranda Montenegro, Porto. 

19 Frontal de damasco de seda branca, tecida a ramos de oiro com Taxas de ve- 



SALA A 77 

ludo vcrmellio com hordaduras de applicagao. A faxa superior tern ao cen- 
tro urn medalhao com uroa nguia coroada, bordada a oiro, tcndo pendente 
do bico uma holsa c oma cruz. Seculo xvi. 
Mosteiro de Lorvao, • 

20 Colcha do linho complotamente bordada; o fundo da colcha a ponto niiudo de 

seda amarella. As figuras sao bordadas a ponto de cadeia de sedaamareila, 
contornailas a seda azul e/cura. A colcha tem ao centro as armas de am 
bispo. Em rcdor ionumeraveis quadros do guerras biblicas, gregas, roma- 
nas e cartbaginczas. A orla e de quadros de cagadas. Por debaixo dos qua- 
dros ba inscrjpgoes bordadas de igual forma, com nomes portuguezes oa 
bespanhoes : iJavid, MalecbiLis, Annibal, Antigono, Cliomcnes, Scipion, 
Siphaso, Adadczer. Sempronio, Pompeio, Julio Seza, Filistcos, Artasitas, 
Artabanes, Sipha, Masanissa, Cleomencs, Arato, Abimalecb, Gaad, Anibal, 
Dvilio, Filisteos, Tito, Vincio, Pbilipo. Seculo xvii. Fella provavelmcnte na 
India portugueza. 

Sr. Vasco Ferrefra Pinto Basto, Porto. 

21 Casula de sctim escarlate com bordaduras a fio dourado e matiz. Principios do 

seculo XVII. 
RecoUiimento de Santo Estevao de Leiria, 

22 Colcba de linho branco bordada a matiz, representando flores e folhagens, 

com elegantes borlas na ponta. Industria nacional ou indo- portugueza. 
Sr. Louren^o Justiniano da Fonseca e Costa, Oliveira do HospilaL 

23 Dalmatica de veludo carmezim com ramos tccidos a oiro. Tem sebastos n*uma 

e n*outra face, em quadros bordados a matiz e oiro, reprcj^entando passa- 
gens da vida do Senhor. Fins do seculo xv. Figura 137. 
Junta de parochia da Matriz de Ponta Delgada. 

24 Frontal de, setim carmezim, bordado profusamente a oiro e prata, dividido 

em paineis por faxas estreitas. Seculo xvii. 
Matriz de Ponta Delgada. 

25 Colcha Indiana de seda amarella bordada a matiz contornado por fio de 

prata, representando flores e ramagens. Pequeno medalhao ao centro. 
Sr. D. Marcos da Silva de Noronha, Lhboa. 

26 PaoQo do veludo carmezim ricamente bordado a matiz e fio de oiro, repre- 

sentando folhagem e flores. Fins do seculo xvi. 
Se de Evora. 

27 Colcha de linho profusamente bordada a retroz de cores, em pesponlo de va- 

riado desenho, representando flores, animaes c figuras humanas. Ao centro 
urn medalhao representando o pelicano ferindo o seio e alimentando os lilhos. 
Industria indo- portugueza. 
Sr. Manuel Barata, Coimbra. 

28 Panno de veludo amarello, com bordado a oiro e matiz em relevo, ref resen- 

tando passaros e flores. Seculo xvi. 
Igreja de S. Salvador, de Beja. 



\ 



78 SAL A A. 

SK) Oalmatira de veliido encarnado rom bnrdados dc oiro, icndo em cada face um 
medalliaf) bordado a torjal dc varias cores e Ho de oiro, representando 
S. Pedro. Seculo xvi. 
Jgrrja de S. Pedro, Faro. 

30 Pcqueno tapetc oriental lodo bordado a torijal dc varias cures, representando 

flores e animaes. Renda dourada. 

Sr. Jodo Egydio de Lima Braga, Villa Nova de Gat/a. 

31 Colclia da India, de sctim aziil, bordada a matiz, com larga barra dc flores e 

ave.<, e um flonlo circular ao centro. 

Sr." D. Guilhermina Pereira Machado Lima, Porto. 

32 Frontal de seda branca com largas tiras de velndo carmexim bordadas a fio de 

oiro em alto relevo. Ao cenlro da lira suf>erior e nas oxtremidades inferio- 
res das tiras lateraes o brazao dc armas da infanta D. Maria, filha do el-rei 
D. Manuel. Secul.) xvi. 

Igreja de Nossa Senhora da Luz, de Camide, proximo a Lisboa. 

33 Colclia da India bordada a maliz cm ramagem e flores sobre fundo de oiro. 

Sr. Marquez de Fronteira, Bemfica. 

34 Dalmatica de jv»da roxa tecida com fio de prata, com ramagens tccidas de seda 

amarella. Faxas de vellado roxo com bordados de applicagao. Seculo xvii. 
Santa Maria de Belem, Lisboa. 

35 Frontal de velado carmezim lavrado sobre fundo de brocado dc oiro em rama- 

gcns, gnaropcido de galoes de oiro modernos. Fins do seculo xvi. 
Se de Leiria. 

36 Colcha da India dc setim azul bordada a oiro, tendo ao centro um medalbao 

com a agaia coroada, de duas cabe^as. 

Sr. D. Luiz de Carvalho Daun e Lorena, Lisboa. 

37 Casula de selim branco guarnecida na orla e no centro com faxas de selim 

carmezim, sendo tinto um como outro bordados a retroz de cores e a fie 
dourado. Seculo xvir. 

Convento das Donas, Santarem. 

/Dois pendoes da Inquisigfio de Lisboa bordados a oiro c tor^al em ^tOTBler^. 

Z6\ Ambos ostentam ao centro a cruz, tendo de um lado um ramo de oliveira e do 

e < outro uma espada. Tdem a seguinte divisa: exurge noMrxEET judica caus.ui 

39/ TUAM. n.° 39 tem a palavra misericordia sobre o ramo de olireira e jus- 

\ TisiA (sic) sobre a espada. Fig. 139. Seculo xvii. 

fif Quadro de lor^jal applicado sobre madeira, representando um assumpto de bis^- 
ria antiga. As carnes sao pintadas sobre seda. Seculo xvrr. 

Sr.' D. Maria Henriqueta de Mello Lemos e Alvellos, Foz do Douro. 



3ALA Jl 79 

iO-a Qaadro de tor^al applicado sobre madeira, reprosentando nm assuropto de 
historia antiija. As carnes sao pinlartas sobre seda. Secolo xvii. 

Sr.' D. Maria Henriqueta de Mello Lemos e Alvellos^ Foz do Dauro. 

M Pendao da Inqnisi^ao de Evora, de damasro escarlate, tendo n'oma fare am 
p:rande medalhao com as armas da Inquisicao, e na face opposta ootro me- 
dalhai^ corn a imagem de S. Pedro Martyr (Pedro de Arbaes) com o punhat 
cravado no peito e o livro na mao. Em roda a seguinte legenda : pro sancto 
MUNBBE MARTini oBTiKEBB MERUIT PALMAM. Estes medal hoes »io bordadoseni 
alto relevo a oiro, prata e lor(^'j|. Secolo xviii. 
Bibliotlieca publica de Evora. 

42 Frontal de soda branca tccida a prata com AoU paioeis divididoi^ por ama es- 

trcita faxa de veludo carmezim bordado, tendo em cada urn d'elles um vaso 
com flores. De nm e oulro lado dt^ cada vaso nm leao coroado. Passaros 
variegados'em voUa das flores. Estu frontal e cercad«) por facbas de veludo 
carmezim bordadas a fio de oiro e prata em alto relevo, tendo a faxa su- 
perior c ao centro um medalhao de latao prateado com raios symbolisando 
sol, n*um circnio de pedras falsas. Taxas de cabe^a' prateada e perola>s 
fai^as rompletam a omanienta^ao d'este frontal. Seealo xvi. Fig. iStf. 
Real irmandade de Santa Joanna, Aveiro, 

43 Qnadro de tape^aria de Arras representando o Baptismo de Christo. Altura 

2'",60; largura l^jTO. Indastria flamenga Seculo xv. Fig. 127. 
Extincto convento da Madre de DeuSj Lisboa, 

%i Frontal do veludo carmezim com faxas bordadas a oiro e matiz, tendo na parte 
superior e lateraes cinco medalhoes circulares, representando passagens da 
vida de Christo. Seculo xvi. Fig. 123. 
Extincto canvento da Madre de Deus, Lisboa. 

Vya Pendao de damasco roxo bordado a oiro em alto relevo, tendo ao centro um 
brazao bordado a oiro e matiz, em alto relevo, representando as armas de 
S. Francisco. Seculo xviii. 

Ordem terceira da Penitencia de S. Francisco^ Lisboa, 

45 Colcha da India bordada a matiz, sobre fundo de oiro e prata, representando 

Mhagem e florw*. Frauia de oiro por trcs lados. 
Sr.* Viscondesm de Fonte Arcada, Lisboa. 

46 Panno de pulpito de setim branco com bordado de applicagoes dc vellndo car- 

mezim, verde, preto e castanho. Ao centro um brazao. Nas exiremidades, 
de um lado a cruz de Aviz, do oulro a mitra e o baculo. Na faxa superior^ 
por cima do brazao, a cmt de Christo. Seculo xvn. 
Convento de S. Bento de Castris, Evora. 

47 Colcha de linho bordada a pesponto de retroz encarnado e amarello, repre- 

sentando seenas de ca^^, animaes, flores, e ao centro o pdicano fermdo a 
peno e alimenUBdo os filhos. Industria if»do4)orU]^eza. Forro de seda car- 
mezim e borlas. 

Sr. Pedro Caiado Ferrdo, TretaoeSi 



80 SALA A. 

48 Capa do aspcrgcs de veludo vorde iiso com sebastos de brocado verdc. Alama- 

res c franJA dourada. Seculo xvii. 
Se de Coimbra. 

49 Sanefa do veludo vermelho bordada a retalho. Galao e franja de oiro. Se- 

culo XVI. 

Si' cathedral de Coimbra, 

50 Colcha da India, de setim azul, bordada a matiz, em flores e ramagens. 

Sr. Victor Carlos Sassetti, Li^boa. 

51 Duas tiras de setim branco de um vestido de santa, bordadas a fio de oiro, 

prata e matiz. Seculo xvii 

Extincto convento de Chellas, Lisboa. 

52 Casula de Ihama branca bordada a fio de oiro e palbeta. Priocipios do se- 

culo xvin. Fig. 134. 

Seminario episcopal de Coimbra, 

53 Colcba orieatal de seda branca acolchoada a pesponto branco e bordada a ma- 

tiz e oiro, tendo cinco medalhues com figuras de mulber. 
Sr' Condessa de Rezende, Porto. 

54 Panno de estante de veludo encarnado com bordados em alto relevo a 6o de 

oiro e prata, representaado coruas c sceptres, alem de outros oroatos. Se- 
culo XVII. 

Convento de Santa Clara de Coimbra. 

55 Casula de seda branca bordada a matiz e oiro, representando flores e passa- 

ros. Na parte superior e ao centre a imagem da Senhora. Seculo xyl 
Igreja de Miragaia, Porto. 

56 Colcha da India de setim alaranjado bordada a fio de oiro. Borlas e franja de 

retroz azul e oiro. 
Cabido de Vizeu. 

57 Frontal de seda lavrada, de fundo acinzentado, tendo ao centro um quadrado 

de veludo carmezim bordado a matiz, representando Jos6 e sens irmaos 
quando estes o querem lanc^ar ao pogo. Tem por baixo o seguinte distico: 

QCIER ENPOQAR A JOSE. ScCulO XVI. 

Convento da Conceicao, de Beja. 

58 Frontal de gorgorao branco borJado a oiro, tendo ao centro, entre raios e ou- 

tros ornalos, as iniciaes IHS. Seculo xvii. 
Se cathedral de Coimbra. 

59 Colcha de setim branco bordada a matiz, tendo ao centro um quadro pastoril 

com duas figuras. Larga oria de folhagem, fructos e flores. industria fran- 
ceza. Seculo xviii. 

Sr. Marquez de Monfalim^ Porto. 



SALA A. 81 

60 Casala de tissu encarnado, bordada a oiro, tendo ao fundo da faxa central as 

armas episcopaes bordadas a fio de oiro e prata e tor^. Seculo xvui. 
Mitra de Aveiro, 

61 Frontal de damasco branco com ramos tecidos a oiro. Tem faxas de veludo 

encarnado bordadas a retalho. As faxas lateraes apresentam cada uma seu 
medalbao oval com o cordeiro sastentando a bandeira, na qual se vd a 
cruz. A do centro tem outro medalhao com o Baptista. Ot medalhoes bor- 
dados a oiro e tor^al de cdres. Franja de oiro. Seculo xvi. 
Mosteiro de Lorvao. 

62 Colcha da India de setim azul claro bordada a oiro e matiz, representando flo- 

res e animaes, tendo ao centro a aguia com as duas cabegas coroadas. 
Sr. Osborne de Sampaio, Lisboa, 

63 Frontal de tissa encarnado profusamente bordado a fio e palheta de oiro. Tem 

uma barra superior larga em folhagens e flores. A ornamenta^ao geral e 
de estrellas enquadradas em quadrifolios. Seculo xvii. 
Se pair iar dud de Lisboa. 

64 V^u de hombros de Ihama branca bordada a oiro e matiz, tendo ao centro en- 

tre raios o pelicano. Seculo xvn. 

Irmanaade do Santissimo da freguezia de Santa Justa e Rufina, Lis- 
boa. 

65 Colcha bordada a matiz sobre fundo de oiro, representando folhagens e flores. 

Sr. Marqaez de Monfalim, Porto, 

66 Casula de tissu de prata bordada a matiz e oiro, tendo na faxa central uma 

cabeca de anjo e diversos emblemas da paixao de Christo. Seculo xvn. 
Sr.' D. Henriqueta Gomes Mdra de Araujo, Lisboa. 

67 Colcha de pellucia, tendo ao centro um brazao de armas, encimado por coroa 

de marqnez, e ladeado por bandeiras e tropheus militares. A barra ^ formada 
por ornatos dc folhagens, flores, aves e animaes, e dois medalhoes com bus- 
tos de guerreiros. Industna hespanhola. Seculo xviii. 
Sr. Visconde de Monserrate, Cintra. 

67-aTapete de veludo de la, da Persia. 
Sr. Jtdio Cordeiro, Lisboa. 

68 Tapete nersa de veludo lavrado, de seda de cores. Larga franja de retroz. 

donvento de Odivellas. 

69 Quadro de tor^al collado sobre madeira. Tem ns carnes pintadas sobre seda. 

Representa um assumpto da historia sa.ffrada. Seculo xvn. • 

Sr.' D. Maria Henriqueta de Mello Lemos e AlvelloSj Foz do Douro. 

70 Quadro de tor^al collado sobre madeiia. As carnes pintadas em seda. Hepre- 

senta a Familia sa$;rada. Seculo xvn. 
Sr.' D. Maria Henriqueta de MeUo Lemos e Alvellos, Foz do Douro. 

6 



82 &aU a 

7i Qaadro de t6f(al collado sobre madeira. As caroes pintadas em seda. Repre- 
senta um assumpto da historia sagrada. Seculo xvii. 

Sr.'D. Maria Henriqueta de Mello Lemos e Alvellos, Foz do Douro. 

78 Quadro de tor^al collado sobre madeira. As carnes pintadas em seda. Repre- 
senta a degolagao de S. Joao Baptista. Seculo xvii. 

Sr.' D. Maria Henriqueta de Melio Lemos e Alvellos, Foz do Douro. 

73 Capa de asperges de tdla branca, ricamente bordada a Go de oiro e palbeta. 

Tem nas extremidade?, a fio de oiro e torgal do cores, um brazao de armas 
do mosleiro de Santa Cruz, a cujo geral pertencera. Seculo xvii. Fig. 131. 
Si cathedral de Coimbra, 

74 Escapulariu das freiras maltezas de Extremoz. Comp5e-se de quatorze pe- 

queninos quadros assentes sobre uma tira de veludo preto, bordados a maliz 
sobre setim branco, reprcsentando diversos emblemas sagrados e da paixao 
de Christo. Tormina inferiormente por tres grandes borlas de reqnife prelo 
e azul, e superiormente por a cruz de Malta, em preto, debruadade branco. 
Seculo xvni. 

Sr, Dr, Abel Martins Ferreira, Evora. 

75 Capa de asperges de veludo carmezim lavrado com ramos tecidos a fio de oiro. 

Tem sebastos bordados a matiz e oiro, reprcsentando em quadros diversos 
santos. dorsal, de maiores dimensoes, representa a Yirgem da Cadeira. 
Seculo xvx. 

Santa Maria de Belem, Lisboa. 

76 Almofada de missal de Ihama branca bordada a fio de oiro. Seculo xviii. 

Cathedral de Lisboa. 

77 Almofada de veludo carmezim lavrado, com quatro borlas de seda e oiro e ga- 

loes dourados. Seculo xviii. 

Extincto mosteiro de CheUaSj Lisboa. 

78 Casula de gorgorao branco bordada a torgal amarello. Industria italiana. Se- 

culo XVIil. 

Extincto convento de Mafra. 

79 Mitra de seda branca bordada a oiro, reprcsentando flores dentro de circulos. 

Seculo xiv. Fig. 135. 

Ermida da Igreja de Castro Doire. 

80 Manto de santa, de tissu encarnado, com bordados a fio de oiro, palbeta e 

lanteioulas, tendo aos cantos castellos de oiro e as quinas em azui e prata. 
Se#ulo XVIII. 

Real casa da Nazareth. 

81 Casula de veludo carmezim* com bordaduras a fio de oiro, em alto relevoede 

retroz e applicagao. Tem faxas ceniraes reprcsentando imagens de santos. 
N'ama das faxas, na parte superior, esta o Cbristo crucificado, tendo por 



cima a imagcm do Padre Eterno, Ao lado das faxas variada ornamentatao, 
como flores do liz, figuras de anjos, agaias coroadas, etc. Seculo xv. Fig. 132. 
Se de PortaUffre. 

82 Gapa de asperges de brocado amarollo com sebastos bordados a oiro e tergal, 

em alto relevo. Seculo xvi. 
Se patriarchal de Lisboa. 

83 Gasula de setim carmezim, bordada em gracioso desenho a torgal amarello. 

Industria italiana. Seculo xvui. 
£xiincio convento de Mafra, 

8 4 Mitra de scda branca bordada a oiro, tendo ao centro, dentro de um circulo, 
uma cruz bordada a oiro, retroz azul e vermelho. Seculo xvi. 
Mitra episcopal de Lamego. 

85 Colcha pequena de vcludo lavrado cor de azeitona. Seculo xvii. 

Sr, Pedro Caiado FerraOj Trevdes. 

86 Gasula de Ihama verde bordada, profasa e elegantemonte, a fio o palheta de 

oiro. Principios do seculo xviii. 
Se patriarchal de Lisboa. 

87 Gapa de asperges de Ihama encaraada bordada profusamente a fio de oiro. 

ladustria italiana. Seculo xviii. 

Capella de S. Joao Baptista na igreja de S. Roque, Lisboa. 

88 Gasula ricamente bordada a oiro sobre fundo bordado a prata. 

Capella de S, Joao Baptista na igreja de S. Roque, Lisboa, 

89 Alva de panno de Irlanda ornada de largas rendas ieponto delnglaterra. Se- 

culo XVUI. 

Capella de S. Joao Baptista na igreja de S. Roque^ Lisboa, 

90 Y6n de hombros de seda branca com ramagens tecidas a seda, fio de oiro e 

prata. Seculo xviii. 

Convento de Santa Joanna, Lisboa, 

91 Y^a de calix de Ihama encarnada bordada a oiro; ao centre, entre raios e ou- 

tros ornatos, as iniciaes I H S. Seculo xviii. 
Mitra episcopal de Aveiro, 

92 Bandeira de damasco de seda carmezim com 0,78 de largo por 0,62 de altura. 

£ guarnecida de ambos os lados com uma cercadura larga bordada a oiro, 
tendo no centre, de um lado o brazao de armas dos marquezes de Fron- 
teira, bordado a oiro, entre diversos lavores, e do outro uoaa granada ex- 
plosindo com a seguinte letra por cima: vita mea fragor et fulgor. Se* 
cqIo xviii. 

Sr, Marquez de Fronteira^ Lisboa, 



84 SALA A. 

93 Pluvial de brocado de oiro com sebastos bordados a oiro e matiz em alto rele- 

vo, divididos em quadros representando, entre anjos, os emblemas da paixao 
de Chrjsto. quadro das costas represeata o Salvador rodeado de anjos. 
Seculo XVI. 

Cabido de Vizeu. 

94 Almofada em tissu de oiro adamascado. Ramagens de seda e veludo cor de 

castanha. Quatro borlas. Seculo xvii. 

Extincto converUo da Madre de Deus, Lisboa, 

95 Casola de Ihama branca bordada a oiro. Seculo xvii. 

SS do Porto, 

96 Panno de seda (fragmeuto) bordado a matiz, representando montanhas, aves e 

mar, com tres navios a v61a, tendo a popa as armas reaes portuguezas. 
Seculo xYiii. 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

97 Dalmatica de veiudo carmezim com ramos tecidos a fio de oiro. Tem n'uma e 

n'outra face sebastos com quadros bordados a matiz e oiro, representando 
passagens da vida do Senhor. Fins do seculo xv. 
Junta de parochia da matnz de Ponta Delgada. 

98 Colcha de linho branco bordada a pesponto de retroz amarello c encamado. 

No centro tem a vista da fortaleza e cidade de Diu. Na orla scenas de caga- 
das. A cada canto um pelicano alimentaado os filhos. Tem as seguintes le- 
gendas: fortaleza de diu — baluabte do mar. Industria indo-portugueza. 
Seculo XVII. 

Sr. Antonio Teixeira de Sousa, Lamego, 

99 Casula de Ihama branca profusamente bordada a oiro em alto retevo. Seculo 

XVII. 

SS de Angra, 

100 Y6u de calix de Ihama de prata encanastrada com ramos bordados a fio de 

oiro, palheta e lentejoulas, tendo uma orla de folhagens e flores, e um vaso 
a cada canto. Seculo xviii. 
Real irmandade de Santa Joanna^ de Aveiro. 

101 Casula de veludo encarnado com sebastos bordados a matiz e oiro, represen- 

tando imagens de santos. Seculo xvi. 

Sr. Dr. Don Jose Yallet, Barcelona (Hespanha). 

102 Capa de asperges de seda branca tecida em ramagens de oiro. Sebastos em 

seis quadros bordados a alto relevo a oiro e seda, representando ima- 
gens de santos. Cada santo em seu altar ou portada e na parte superior do 
arco um brazao com as quinas. Fins do seculo xv. Fig. 124. 
Convento de Lorvdo. 

103 Casula de Ihama encarnada bordada a oiro. Industria italiana. Seculo xvin. 

Capella de S. Jodo Baptista na igreja de S. Roque, Lisboa. 



SALA A. 85 

lOi Mitra da imagem de Santo Agostinho, de Ihama branca bordada a oiro com 
pedras falsas. Seculo xviii. Fig. 130. 
Extincto convento de ChellaSj Ldsboa. 

105 Tira de sftda verde bordada a froco. Seculo xviii. 

Sr, Osborne Sampaio. 

100 Bolsa dos corporaes de um paramento de tissu de prata, bordada a oiro, seda 
fronxa e contas de coral. Seculo xviii. 
Pago episcopal do Porto. 

107 Bolsa de corporaes de setim vennelho bordado a fio de oiro c torjal azul e 
escarlate. Seculo xvin. 

Sr." Bizarros, de Castro Daire, 

106 Casula de um paramento de pontifical bordado a oiro e matiz em alto relevo. 

Este paramento era ornado com pedras preciosas que Ihe foram subtrabi- 
das. Ainda restam bastantes coraes. A ornamentagao geral 6 de passaros, 
concbas, flores, estrellas, folhagem e fitas entrela^adas, etc. frontal, desi- 
gnado sob n.** 1, faz parte d'esle paramento. Seculo xvi. 
Se de Braga. 

109 Yeu da Adorac^ao da Cruz de setim branco, bordado a matiz, fio de oiro e len* 
tejonlas. Gaiao e franja dourada. Seculo xvni. 
Se cathedral de Coimbra, 



SALA o 



110 Casnia de Ibama branca bordada a oiro e matiz, representando grandes (lores 

6 fitas entrela^adas. Seculo xvii. 
Se de Angra, 

111 Colcha de seda amarella lavrada a matiz. Seculo xvni. 

Sr. Conde de Santa Eulalta, Vizeu, 

112 Dalmatica de veludo carmezim com sebastos de luslrina de oiro. Seculo xvni. 

Extincto convento da Madre de Deus^ Lisboa. 

1 13 Colcha de linbo bordada a matiz e fio de oiro, representando flores e folha- 

gens. Seculo xvni. 

Sr. A. M. D, P. Chaves Maziotti, Collares. 

114 Capa de asperges de setim roxo com ramos tecidos a fio de oiro. Franja e 

alamares de oiro. Seculo xvn. 
Se cathedral de Coimbra. 



86 SALA O 

115 Colcha de seda carmezim lavrada a fio de oiro e matiz em ramagens. Se- 

CUlo XVIII. 

Sr. Manuel Cabral de Moura Coutinho de Vilhenaj S. Silvestrej con- 
celko de Coimbra. 

116 Manto de seda lavrada a matiz e fio de prata, representando ramos:. Renda 

de oiro, prata c matiz. Seculo xviii. 
Sr, Governador do bispado de Beja. 

117 Colcha de linho bordada a retroz de cores, com diversas figuras e anirnnes. 

Uma d*ellas representa uma mulher tocando e por baixo a palavra ovvm. 
Outra representa uma mulher parecendo ter na mao um oculo epor baixo 
a palavra ver. Duas figuras sao mulheres a cavallo, tocando trombeta, lendo 
por cima a palavra fama. E<ta coberta represeniaria de certo os cinco 
sentidos, mas esta iucomplcta, pois falta-Ihe uma barra e tem d'esse lado 
as figuras cortadas. Trabalho portuguez ou indo-portuguez. Seculo xvii. 
Sr. Bento de Queiroz, Lame go, 

118 Capa de asperges de gorgorao carmezim, ricamente bordada a oiro em pc- 

queninos ramos. Tem uma larga faxa e sebastos com bordadura mais am- 
pla. Franja dourada. Foi do mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Seculo 
xviii. 

SS cathedral do Porto. 

119 Casula de seda branca lavrada bordada a matiz, com folhagcns e florcs de 

c6res vivas. Seculo xvn. 
Extincto convertto de Chellas. 

120 Colcha de linho bordada a matiz. Industria de Salamanca. Seculo xviii. 

Sr. Mathias Ferreira^ Lisboa. 

Hi Y6u de hombros, de lustrina de seda verde com ramagem dourada, galao dou- 
rado. Seculo xvm. 
Igreja de Santa Cruz de Coimbra. 

122 Panno de almofada de veludo carmezim, com bordados do applicai^ao de se- 

lim verde, azul e amarello, contornado do requife. Seculo xvii. 
Sr. Simeao TiernOj Elvas. 

123 Capa de asperges de tissu branco com sebastos bordados a fio de oiro, tendo 

na extremiaade as armas do bispo D. Lourcngo do Lencaslre. Armas roaes 
portuguezas com coroa encimada por uma cruz e o chapeu episcopal. Se- 
culo XVIII. 

Se de Elvas. 

124 Bandeira de damasco encarnado, tendo de um lado um brazao e do outro as 

armas portuguezas bordadas a oiro em grande relcvo. brazao representa 
uma aguia coroada, tendo aos lados, na parte superior, a lua e uma es« 
trella, e na parte inferior uma esphera armillar e as quinas. SecuJo xvu. 
Camara Munidpal de Aveiro, 



SALA C 87 

12S Colcha de velndo carmezim bordada a oiro, tendo no centro, bordada a )}rata, 
um medalliiio quadrangular, ropresenlando Venus reclinada n*um leito, e 
Cupido levantando a corlina. Seculo xviii. 
St.* CoJidessa de SatnpaiOj Lisboa, 

i26 Dalmatica de selim branco, com bordados a fio de oiro e prata e matiz. In- 
dustria chineza. 
Extincto convento da Madre de Deus, Lisboa. 

127 Casula de Ihama branca ricamente bordada a fiu de oiro em alto relevo. Se* 

CUlo XVII. 

Se de Angra. 

128 Casula de brocado roxo, tendo as armas patriarchaes bordadas a oiro, prata 

e torgal. Seculo xviii. 
SS Patnarchal de Lisboa, 

129 Colcha da India de setim vermelho com ramagens e flores bordadas a matiz. 

Sr.' D. Mana Emilia Guedes Infante, Foz do Dovro, 

1 30 Casula de seda branca bordada a oiro e matiz, tendo ao centre uma faxa 

bordada a matiz sobre fundo de oiro. Seculo xvii. 
Irmandade do Santissimo da freguezia de Santa Justa e Rufina, Lis- 
boa. 

131 Casula de veludo branco com bordados de applicagao e a matiz e oiro, repre- 

seiitando ramos e imapns. Os rostos e maos das imagens ^o pintados. Na 
faxa central imagens de santos, nas lateraes imagens deanjos. Seculo xvii. 
Sr. Antonio de Albuquerque, Vizeu. 

132 Casula de seda branca bordada a oiro e matiz, com flores e ramagens. Se- 

CUlo XVII. 

Irmandade do Santissimo Sacramento de Santa Justa e Rufina, Lis- 
boa. 

133 Yen de hombros, de seda branca, em ramagens tecidas de seda e fio de oiro. 

Tem ao centre as armas de S. Francisco a oiro, prata a tor(al, com algu- 
mas pedras falsas. 

Convento de Santa Clara de Coimbra. 

134 Capa de asperges de Ihama branca, ricamente bordada a oiro e matiz, em ra- 

magens. Seculo xvu. 
&' de Angra. 

135 Casula de tissu de oiro bordada a oiro. Consta que o paramento de que faz 

parte esta casula fora mandado fazer a Franga pelo arcebispo D. Caspar 
de Braganga. Tem na parte inferior da fai^a central um braz^o com Q cna* 
peu episcopal. Seculo xvm. 
5i de Braga. - 



88 SALA C 

136 Colcha de setim azul claro, bordada a oiro, em raminhos. Seculo xvin. 

Sr. Marqtiez de Alvito. 

137 Frontal de carneira cstampada com ramagens de cores e prateadas sobre faodo 

dourado. Galao e franja de oiro fino. Seculo xvii. 
Convento de Arrows^ Lisboa, 

138 Frontal de seda com grandes ramos lecidos de c6ros brilhantes. Secalo xvin. 

Extincto convento da Madre d£ Deus, Lisboa. 

139 Frontal de seda branca bordado profusamente a fio de oiro, tendo ao centre 

Cordeiro Paschal. Seculo xvii. Fig. 125. 
Santa Cruz de Coimbra. 

140 Frontal de seda branca bordado a oiro e matiz, tendo ao centro as iniciaes 

IHS cercadas de raios. A parte superior c lateraes representam faxas 
bordadas a oiro e matiz. Seculo xvm. Fig. 129. 
Ckmvento de OdiveUas, 



SALA 



141 Quadro bordado a matiz e oiro, representando a morte de Nossa Senhora, 

sendo o esquife ladeado por uma multidao de santos. Seculo xvii. 
Sr, Julio Cordeiro J Lisboa, 

142 Colcha chineza de setim cdr de rosa, bordada a matiz em pequeninos ramos, 

tendo ao centro um florao. A barra 6 de foihagens e flores. Franja e bor- 
las de retroz. 
Sr. Mazziottij CoUares. 

143 Gremial de Ihama roxa ricamente bordado a oiro. Principles do seculo xvin. 

S4 cathedral de Lisboa. 

144 Frontal de brocado branco com guarnecimento de Ihama verde lavrada. Ga- 

lao e franja de oiro. Seculo xvk. 
Extincto convento de ChellaSj Lisboa, 

148 Colcha de linho bordada a linha amarella, representando pequenos animaes 
entre diversos ornatos. Industria nacional. Seculo xviir. 
Sr. Macario de Castro, Lamego, 

146 Casula de setim roxo bordado a tor^al amarello. Industria italiana. Se- 

culo XVIII. 
Extincto convento de Mafra. 

147 Sanefa de luslrina de seda encamada e prata. Galoes e franja de oiro. Se- 

culo XVIII. 
Extincto convento da Madre de Deus, Lisboa. 



SALA TEL 89 

148 Colcha oriental bordada a matw, representando flordes. 

Sr, JosS Froes Nery, Lisboa. 

149 Y^a de hombros de seda lavrada a maliz e fio de oiro, representando casas 

6 flores; cores brilbantes. Seculo xvni. 
Extincto convento de Chellax. 

150 Colcha de setim branco bordada a maliz e oiro, representando folhagens. 

Franja de retroz e oiro. Qualro borlas. Seculo xvii. 
D. GuUhermina Pereira Machado Lima, Porto. 

151 Y^Q de hombros de seda branca bordado a matiz, fio de oiro e prata c cano- 

tilho de veludo. Seculo xvii. 
Convento de S. Bento de Castris, Evora. 

IM Sanefa de docel de seda branca bordada, em alto relevo, e nas duas faces, a 
torgal amarello. A face exposta tem ao centro uma mitra sobre livros. In- 
dastria italiana. Fig. 142. Seculo xyiii. 
Extincto convento de Mafra, 

153 Goberta do lasinha escarlate bordada a matiz, representando figuras hiima- 

nas, animaes e flores. Tem ao centro um medalhao circular com duas fi- 
guras. 
Sr. Pedro Caiado Ferrdo, Trevoes. 

154 Colcha de setim branco bordada, em raminhos, a tor^al amarello e cdr de 

rosa. 
Sr.' Condessa de Prime, Vizeu. 

155 Casula de setim preto bordada a tor^al amarello. Indnstria italiana. Seculo 

xvm. 
Extincto convento de Mafra. 

{% Frontal de seda cdr de rosa tecida a prata e matiz com grandcs e bellos ra- 
mos de flores, fructos. C6res brilhantes. Seculo xviri. 
Convento do Salvador, Lisboa. 

157 Colcha tecida a oiro, prata e seda cdr de tijolo, em ramagens. Seculo xviii. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

158 V6u de hombros, de seda branca lavrada, bordado a oiro em alto relevo, 

lendo ao centro, entre raios, o Cordeiro Pascal. Seculo xvii. 
SS de Faro. 

159 Hanto de seda cdr de castanha com ramagens tecidas a oiro. Seculo xvm. 

Mosteiro de Lorvdo. 

160 Colcha chineza, de setim escarlate bordada a matiz em raminhos. A barra 



90 SALA H 

compoc-se de figuras de aniniaes e homens. Ao centro tern urn medalbao 
circular com cinco figurjis liamanas . 

Si\ Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra, 

161 Casula de setini vcrde bordada a tor^al amarello. Industria ilaliana. Seculo 

XVill. 

Extincto convento de Mafra. 

1G2 Ycu de liombros de seda branca com lavores de matiz c prata. Renda de prata. 
Seculo xvni. 

Seminario de Portalegre. 

163 Colcha de sctim a^.u! bordada a oiro e matiz, tendo ao centro, dentro de nm 

circulo, a aguia com duas cabe(jas coroadas. 
Sr, Joaquim da Silva Tenreiro, Coimbra. 

164 Casula de Ihama verde bordada a euro. Industria ilaliana. Seculo xtiii. 

Capella de S. Jodo Baptisia, em S. Roque, Lisboa, 

168 Reposleiro do Ihama verde. Largas faxas bordadas a oiro em alto felevo. 
Ao centro um grande florao losangico, de igual bordado. Industria ilalia- 
na. Seculo XVIII. 

Capella de S. Jodo Baptitta^ em S, Roquej Lisboa, 

166 Frontal de Ihama encarnada rieamente bordado a ciro. Larga franja dourada. 

Industria ilaliana. Seculo xvin. 

Capella de S. Jodo Baptista, em S. Roque, Lisboa, 

167 Colcha de linho bordada a matiz, represcntando jarras com flores. Ao centro 

um pavao com a cauda armada, rodeado de um circulo de animaes phan- 
tasticos. Industria indo-portugueza ou nacional. Seculo xvii. 
Sr. Oaborne Sampaio, Lisboa, 

168 Colcha chincza, de setim verde, bordada a matiz, representando navios, figu- 

ras hiunanas e animaes. 

Sr, Dr. Ernesto do Canto, Ponta Delgada, 

169 Casula de setim branco com bordados a matiz e oiro, representando brilhan- 

tes flores. Seculo xvii. 
Freguezia de S, Nicolau, Santarem, 

170 Frontal de Ihama branca, rieamente bordado a oiro. Larga franja de oiro. 

Industria ilaliana. Seculo xviii. 

Capella de S. Jodo Baptisia, em S. Rojue, Lisboa, 

171 Colcha de setim azul ferrete, bordada a oiro e em raminhos e guarnecida cm 

volta de renda. Seculo' xviii. 
Sr. Bardo da Ton^e de Pero Palha^ Lisboa. 



SALA a 01 

172 V6u de hombros bordado profasamente a oiro sobro lorgal branco. Roprescnta 

quadri- folios deniro de uma especie de circulos. Seciilo xvii. 
Eatincto convento de Clieilas, Lisboa. 

173 Colclia chincza de setim azul claro, bordada a oiro e matiz cum figuras e cos- 

tumes chinezes. Ao cenlro um medalhlo com quairo (igui-as u'um pavi- 
Ihao. 

Sr. Conde de Mesquiteila, Lisboa, 

174 Gasula de tissu de prata, bordada a oiro, seda frouxa e conlas de coral ; sen- 

do do oiro 03 troncos, seda frouxa as folkas e coral as grandos florcs. Sc- 

CqIo XVIII. 

Mitra do Porto, 

175 Reposteiro de Ihama roixa, com larga cercadura bordada a oiro em alio rc- 

Jevo, tendo um grande florae losangico ao centro, de burdado igual. 
ladustria italiana. Seculo xviii. 

Capella de S. Joao Baplista, em S. Roque, Lisboa. 

17G Manto de seda amarella lavrado a matiz. Seculo xviu. 
Convento de Santa Clara, Portalegre. 

177 Colcha da India, de seda azul bordada a oiro e matiz, em ramagens o florcs. 

Sk Conde de Alte, Lisboa, 

178 Vea de hombros de seda escarlale bordado a oiro, tendo ao cenlro, entre 

raios, as iniciaes ihs. Industria iuliana. Seculo xviii. 
Capella de S. Joao Baptista, em S. Roque, Lisboa. 

179 Quadro bordado a maliz e oiro, represenlando a adorarao dos RpIj^, Icndo 1 

metro por cada lado. Moldura de talha. Seculo xvii. 
Sr, Julio Cordeiro, Lisboa. 

180 Frontal de Feda branca bordado em elegante dcsenho a oiro e matiz, roprc- 

tando na parte superior e lateraes uma larga barra e ao cenlro floroes. Se- 
culo xnn. Fig. 136. 

Convento do Cora^ao de Jesus , a Estrella, Lisboa. 

181 Quadro de tapegaria de Gobelins, represenlando jarros, vasos, florcs e fru- 

ctos. Allura 1 metro; largura l^jSO. Seculo xvii. 
Igreja de Santa Justa e Santa Rufinaj Lisboa. 

182 Frontal de setim encarnadi) bordado a tor^l amarello. Feito por um frade 

do convento de Mafra sobre modelos italianos. Soculo xviii. Fig. 128. 
Extincto convento de Mafra, 



92 



SALA CJ 



183 Dois peda<jos de renda de Devonshire. Seculo xvii. 

Sr. Fernando Palha, Lishoa. 

184 Renda de Alen^on, Liiiz XV. 

Sr, Fernando Paiha, Lishoa. 

185 Renda de pellica recortada a ksoura, representando avor^, flores e fipuri- 

nhas de Cupido. Largura O'^/iS. Seculo xvn. 
Sr." D. Helena de Aragao, Lishoa. 

186 Fragmento de renda. Gros point de Venise. Seculo xvir. 

Bibliotheca pnblica de Evora. 

187 Peda^o de renda. Ponto de Genova. Largura 0",18. Seculo xvii. 

Bibliotheca puhlica de Evora. 

188 Cabegao de renda. Ponto de Veneza. Seculo xvii. 

Bibliotheca pvhlica de Evora. 

189 Colcha de pellica sobre seda azul, desenho de flores, iiguras e fitas entrela- 

gadas. Um medalhao ao centro e outro a cada ponta. Seculo'xvii. 
Bibliotheca publica de Evora. 

190 Romeira de pellica recortada. Seculo xvii. 

Sr. Come da Praia de Monforte, Lishoa. 

191 Manto de baptisado de seda amarella, tecida a matiz, prata e oiro, guarne- 

cido de renda, de 11 centimetres de largura, de ponto de Inglaterra (vieux 
point de Bruxelles). Seculo xvni. 
Sr, Marquez de Penalva, Lishoa. 

192 Manto de seda tecida a oiro e prata, com larga renda de oiro. Seculo xviii. 

Sr, Conde de Bio Maior, Lishoa, 

193jTres alvas de paramentos com largas rendas de ponto de Inglaterra. Seculo 

a > XVIII. 
Iil5i Capella de S. Jodo Baptista na igreja de S. Boque, Lishoa. 

195 Colcha id linho bordada em quadros a ponto He crivo (lacis), representando 
diversos animaes e figuras de mulher. Seculo xvn. 
Convento das Chagas, Lamego, 

197 Vestido de cambraia bordado a branco, da imagem do menino Jesus. Seculo 

XVIII. 

Mosteiro de Ijnrdo. 



SALA C 93 

198 Yestido de fil6 branco com a barra bordada a Irancinha. Seculo xvni. 

Sr. Domingos Jose de Oliveira Salvador, Lamego, 

199 Yestido de Glo bordado a fio de prata. Secalo xviii. 

Sr, Bento de Queiroz, Lamego, 

200 Renda ralenciana, Luiz XYI. Largura 0'^,07. 

Sr. Fernando Palha, Ldsboa. 

201 Len^ de cambraia bordado a cabello de maLs de uiua cur, teado urn quadro 

em cada ponta. Fins do seculo xviii. 
Sr. Bento de Queiroz, Lamego. 

202 Panno de tor^al a c6re3 a Go de oiro feito a agulha. Fius do seculo xviii. 

Extincto convento da Madre de Deus, Lisboa. 

203 Pedago de renda. Ponto de Inglalerra. Lar^ra ©"".SS. Seculo xviii. 

Sr. D. Duarte Manuel de Noronha, nemfica. 

204 Peda^o de renda. Ponto de Inj;laterra. Largura 0°',52. Seculo xviii. 

Sr. D. Duarte Manuel de Noronha, Bemfica. 

20o Capa de seda tecida a oiro, prata e matiz, e orlada de renda de ponto de 
Inglaterra. Largura 0"*,19. Seculo xviii. 

Sr. D. Duarte Manuel de Noronha, Bemfica. 

206 Hanto de baptisado, de seda amarella, bordado a matiz e oiro, e orlado de 

larga renda, ponto de Yeneza. Seculo xvii. 
Srs. Marquezes de Pombal, Lisboa. 

207 Renda. Ponto de Yeneza a la Rose. Largura 0'",30. Seculo xvii. 

Srs. Marquezes de Pombalj Lisboa. 

208 Renda. Lar$;ura 0'",61. Ponto de inglaterra. Seculo xviii. 

Sr". D. Maria Jose de Portugal, Lisboa. 

209 Renda. Lar<2[ura 0'",3^. Yieux point de Bruxelles. Finis^ima. Seculu xvui. 

Sr.' Condessa de Bertiamos, Lisboa, 

210 Renda. Ponto de Veneza. Largura 0™,46. Seculo xviii. 

Sr.' D. Maria Jose de Portugal, Lisboa. 

211 Camisa bordada a branco. 

Sr." D. Maria Batalhoz Vilhena Barbosa, Lisboa. 

212 Cabe^ao de renda. Ponto de Yeneza. Seculo xviii. 

Sr.' D. Maria Jose de Portugal, Lisboa. 

213 Tira de renda de Malines. Largura ©""jlG. Seculo xviii. 

Sr,' Condessa de Bertiandos, Lisboa. 



04 ^AtA ti 

214 Tira dc ronda de Alen^on. Largara 0"',06. Scculo xviii. 

Sr," Condessa dc BertiandoSj Lisboa, 

215 Renda de oiro. Lar^ura 0'°,16. Seculo xviii. 

Sr. Julio Cordeiro, Lisboa. 

216 Renda de oiro errata. Largura 0",21. Seculo xviii. 

Sr, Julio Cordeiro, Lisboa, 

217 Barbe Devonshire. Seculo xviii. 

Sr. D. Duarte Manuel de Noronka, Bemfica. 

2i7-a Cota episcopal, cnfeitada com larga oria de renda, Point de Yenii^e a la 
Rose, do 0"',40. 
Mitra episcopal de Aveiro. 

218 Fato de liomcm composto de casaca de vcludo cur do pinliao, com manga 

voltada, dc Iharoa. Bordadura a oiro em ilores c ramagcns. Collete dc 
Ihama ciicarnada. Fins de Luiz XIV. 
Sr. Osborne SampaiOj Lisboa, 

219 Fato dc homem, composto de casaca de Ihama dc prata cinzcnta, collete de 

seda verde e ramagcns a prata e maliz. Primoira mctade do seculo xviii. 
Sr. Bento de QueiroZj Vizeu. 

220 Fato de homcm; casaca de seda verdc com estreita bordadura a scdabranca; 

collete igual. Luiz XV. 

Sr. Fernando Pallia, Lisboa. 

221 Fato idenlico de gorgorao verde bordado a tor^al amarello. Luiz XV. 

Sr. Conde da Praia e de Monforte, Lisboa. 

222 Fato de homem ; casaca de seda cur de vinho em ramos de e6r. Collete 

igual. Luiz XV. 

Sr. Francisco Eduardo de Barahona Fragoso, Cuba (Alemtejo). 

223 Fato de homem ; casaca de veludo lavrado, preto e castanho, bordado a len* 

tejoulas, madreperola, perolas, aljofres e missanga verde. Collete dc setim 
branco bordado no mcsmo genero. Luiz XVL 
Sr.* Condessa da Anadia, Lisboa. 

224 Fato de homem, de veludo lavrado, preto e roxo, bordado a matiz. Enreites 

de espelhinhos. Luiz XVL 

Sr.' Condessa da Anadia, Lisboa. 

225 Vestido dc senhora, de setim branco, bordado a matiz e oiro. Luiz XV. 

Sr. Antonio de Oliveira Pinto, Porto. 

226 Vestido de senhora, de bobinele branco, bordado apalhetadeoiro,comlurga 

orla bordada a oiro e branco. Fins da Republica franceza. 
Sr. Bento de QueiroZj Vizeu. 



Sala o 6* 

227 Yestido de senhora, de gorgorao encarnado, com ramagens tecidas a matiz, 

enfeitado com lltas de carneira cobertas de seda e dispostas em la^os o 
floras e com uma especie de encanaslrado de seda branca. Liiiz XV. 
Sr. Henrique Fernandes de Sousa, Porto. 

228 Yestido de senhora, de seda vorde, com ramagens tecidas a matiz e prata. 

Luiz XY. 

Sr. Jose Ribeiro da Cunha^ Lisboa. 

229 Fato de homem; casaca do veludo lavrado, verde^ prclo e roxo, com larga 

bordadara a matiz. Gollete igual. Luiz XV. 
Sr.' Condessa da Anadia, Lisboa. 

230 Fato de bomem; casaca de veludo preto lavrado com pintas verdes e roxas. 

Gollete idem. Boloes de metal amarello. Luiz XVL 
Sr' Condessa da Anadia, Lisboa. 

231 Yestido de senhora, de la de camello, com barra bordada a matiz e vidros. 

Tunica de selim branco. Luiz XVL 

Sr. Buy Lopes de Sousa de Lemos e Alvim, Santdr (Vizeu). 

232 Yestido de senhora, de tulle branco, bordado a prata, com larga barra bor- 

dada a prata. Renubiica franceza. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

233 Yestido de senhora, de seda carmezim, com ramos tecidos a matiz c veludo. 

Luiz XY. 

Sr. Antonio de Oliveira Pinto, Porto. 

234 Fato de homem. Casaco de seda azul com botoes de metal branco. Gollete de 

setim amarello. Fins do scculo xviii. 
Sr. Visconde de Altas MoraSy Moura. 

235 Yestido de senhora, de seda branca tecida a matiz com ramagens e fitas. 

Fins do seculo xviii. 

Sr. Conde de Atesquitella, Lisboa. 



OBJEGTOS DO SOUTH KENSINGTON MUSEUM 



VITRINES DA SALA 



173-79 Prato de prata doarada e rebatida; o centro levantado, tondo um meda- 
Ibao com am leao e ama arvore. resto da superflcie com ornatos 
circulares, ponteados e levantados. Artehespanhola; cerea de 1540. 

1377-73 Relicario circular de prata dourada. De cada lado uma eleva^ao ou bossa 
com ornamentos de Qligrana. N*am dos lados, a iroagem de Christo 
cniciGcado. Hespanha. Astorga. Reproducgao do antigo, feita em 

135-79 Pyxide de prata dourada rebatida. A parte superior consiste n'uma caixa 
hexagonal, teado cada face o seu painel lavrado e rebatido com figu- 
ras phantasticas de animaes e homeus. n6 apresenta seis saliencias 
circulares com esmaltes. p6 ^ rebatido, com figuras hamanas entre 
folbagens e dois braz5es. Adquirida em Cordova. Arte hespanhola. 
Cerca de 1490. 

3i6-6i Prato circular de filigrana de prata. Hespanha. Seculo xvii. 

133-79 Calix de prata dourada. A copa tern na parte superior a seguinte in- 
crip^ao: hic est emm calix s.vngvinis mei; e na parte inferior figuras 
dos Evangelistas. n6 tern oito gomos e assenta sobre um cylindro 
esmaltado e ornamentado com folhagens. p6 tem oito gomos, gra- 
vados e esmaltados. Hespanha. Cerca de 1540. 

251-6i Estatueta de bronze, S. Jeronymo com o joelho em terra. Parece-se 
com a estatua do Torregiano em Sevilba. Hespanha. Seculo xvii. 

144-79 Salva de prata doarada. A borda rebatida com figuras de homens sel* 
vagens, monstros, animaes e (lores. No centro ha um medalhao cir- 
cular esmaltado representando o encontro de dois cavalleiros, e uma 
mulher ao lado observando. Obra hispano-gothica. Cerca de 1330- 
1350. 



98 SALA H 

1129-64 Naveta de crystal de rocha, montada em prata dourada. Na cercadnra 
da tampa ha a sef^uinte inscripgao: oratjo wea dirigatlr sicit in- 
cExsuM. Em cada extreraidade uma figura de Hermes. He?panhola (?) 
Cerca de 1540-1530. 

72-2^ Reproduc^ao pela eleclrolypia de urn prato de prata dourada, tendo o 
centre levantado. Tanto o centre como a borda cheios de (iguras & 
animaes. Portnguez. Secalo xv. 

293-66 Cruz de bronze dourado, tendo de um lado gravada a figura do Salva- 
dor e do outro a da Virgprn. lado da Virgem tem a seguinte inscri- 
pc^ao: PECADO original. Hespanha. Seculo xvi. 

132-73 Calix de prata dourada. A ropatem a seguintc ioscrip^ao: sangvismevs 
EST poTus, e assenta sobre um supporte circular vasado, formado de 
cabe^as de anjos que ?e ligani pelas ponlas dasazas. No p^aornameuta- 
^ao consisto em mascaras ligadas umas as outras por meio de roupagens, 
tendo nos intervallos harpias e passaros. Oilo somicirculares projecij5es 
formam a parte mais inferior da base, 9eh das quaes omamentadaK^ 
com arabescos e pequenas figura?, e as daas resumtes com brazoes. 
N*um d'elles as cinco cbagas cercadas pela letra F. No opposto uma 
cruz com esmeraldas e lapis-lazuli. Tem a inscripgao: s. j. de salfnas. 
HespaBba, 1549. 

133*73 Patena do mesmo ralix, tendo no centro umaimagem desaoto, rodeada 
de inscripcoes dispostas em dois circulos. Em volta dos circulos raios 
torcidos e direitos. Hespanha, 15i9. 

BO-67 Fructeiro de prata dourada e rebatida. centro ^ levanlado, tendo no 
medalbao superior um leao rompente cercado por doii^ circulos, um de 
leoes e outro de cherubins. A borda ostenta fignras de Cupido, ca- 
vallos e carros em alto-relevo. Portoguez. Seculo xv. 

192-81 Estojo de tartaruga com enfcites de prata, contendo seis navalhas, te- 
soura, pedra de afiar e espelbo. Portuguez. Fim do seculo xvii. 

1289-53 Placa de ago cinzelado. No centre nm escndo de armas, tendo na parte 
superior a coroa de conde, e rod^'ado por tres collares de ordens mi- 
lilares. Em volta o seguinte disiico: ferdina^idus d. g. hispan. inf. 
PARMAB. plac. et GUARD DUX. Hcspauba. Segunda metade da seculo 

XVIII. 

2238-55 Adaga de aco; ornatos da bainha e cabo em prata einzelada sobre fonda 
dourado. Hespanha. Seculo xviii. 

299-66 Cruz^relirariOy peitoral, de oiro com diaroantes sobre esmalte hr^may 
champlene, na face anterior. Arte hespanhola. Fins do seculo xvi. 

330-64 Cruz peitoral de crystal de rocb», montacta em oiro e9Bi*itado, com seis 
peqUenos medaihoes contendo reliquias. Hespanba. Cerca de 1600. 



SALA H 99 

119Si-64 Plata de metal doorado represeotando am portteo, ostrnitando ao fan- 
do. Da parte inferior, o presepe, e na parte superior dois anjos. 
Arte hespanbola. Secalo xvi. 

35&40 Peqaena placa on medalbao de prata rebatida com grotescos em alto re- 
levo. Hespanba. Segunda metade do seculo xvi. 

19-81 Estatneta de prata dourada, reprosentando am anjo que snstenta na mao 
direita am cacbo formado de perolas. Arte hespanliola. Seculo xvi. 

174-66 Rosario formado de contas de vidro veneziano. As divisoes separadas 
por emblemas da paixao de Cbristo em prata dourada. Termina nor 
um grande medalbao em filigrana dourada com as iniciaes esmalta- 
das : S. V. Hespanba. Segunda metade do seculo xvi. 

31&-64 Porta-paz de prata dourada representando um portico. No centroum 
grupo em alto-relevo representando a Virgem dando a casula a Santo 
Ildefonso. A parte superior do portico coroada por uma estatuetasinba 
de santo. Hespanba. Salamanca (?) Cerca de 1540-1550. 

213-64 Crucifixooucruz-pingente. A parte anterior esmalta da sobre metal, mos- 
* trando Cbristo crucificado com os emblemas dos Evangelistas; a parte 
posterior adomada com doze topasios. Secalo xvi. 

542-68 Cruz pingente de crystal de rocba, montada em prata donrada com uma 
pequena imagem de Cbristo crucificado. Seculo xvii. 

409-73 Relicario de oiro esmaltado, oral, com esmaltes e pedras preciosas e tres 
cadeias para suspensao. De um e de outro lado, sob crystaes, peqne- 
nas miniaturas representando a fngida para o Eg}'pto e o Menino en- 
tre 08 doutores. Do tbesouro da Virgem do Pilar; Saragoga. Seculo 

XVI. 

179-64 Estatneta de prata em parte dourada, representando S. Jorge esmagando 
dragao. Fazia parte provavelmente de outra pega de ourivesaria. 
Hespanba. Cerca de 1530. 

178-64 Estatneta de prata, parcialmente dourada^ representando S. Cbristovao. 
Hespanba. Cerca de 1530. 

333-70 Relicario de crystal de rocba, oval, montado em oiro esmaltado e con- 
tendo miniaturas em oiro, representando Nosso Senbor e a Yirgem. 
Do tbesouro da Virgem do Pilar; Saragoja. Seculo xvi ou xvii. 

335-70 Pingente de oiro esmaltado em f5nna de pelicano alimentando os filbos, 
enriquecido com um carbuneulo e perolas e suspense por tres cadeiasi- 
nbas douradas. Do thesonro da Virgem do Pilar; Sarago^a. Seculo 

XVI ou XVII. 



100 SALA H 

295-5i Pingente de crystal de rocha montado em prata dourada, em forma de 
galeae. Seculo xvi. 

325-70 Broche de oiro, adornado de esmeraldas com ciaco pingentes, sendo o 
do centro maior. Dothesouro da Yirgem do Pilar; Saragoga. Hespa* 
nha. Seculo xvii. 

33&-70 Pingente de oiro, representando um cao encadeado sobre um semicir- 
culo oroado de pedras finas e do qual pendem algumas perolas. Tres 
pequenas cadeias o suspendem, havendo na sua aniao um passarinho. 
Do thesoaro da Virgem do Pilar. Saragoga, Hespanba. Seculo xvi oa 

XVII. 

336-70 Pingente de forma similhante ao antecedente. Mesma procedencia e epo* 
cba. 

330-80 Pequeno cofre de crj'stal de rocba montado em prata dourada. Hispano- 
mourisco. Seculo'xii. 

322-70 Broclie do oiro esmaltado, azul e branco, em forma de hqo, com dia- 
mantes. Do ihesouro da Yirgem do Pilar; Saragoga. Foi dado pelo 
marquez de Narvains em 1679. Seculo xvii. 

396-72 Pingente de oiro, tendo ao centro a imagemzinha da Yirgem, esmaltada, 
rodcada por um ornato vasado, cravejado de esmeraldas. Hespanba. 
Seculo XVI. 

340-70 Pingente de oiro esmaltado, representando a Yirgem. Crystaes e perolas 
adornam. Do thesouro da Yirgem do Pilar; Sarago^^a. Hespanba. 
Seculo XVII. 

320-70 Broche de oiro com brilhantes engastados. Hespanba. Seculo xvii. 

1285-71 Medalhao de oiro esmaltado, tendo de um lado entre flores de vivo colo- 
rido, a Sagrada Familia e do outro a Cruz de Malta. Hsspanba. Se- 
culo XVII. 

339-70 Pingente representando um frasquinho de forma conica com remates de 
oiro esmaltado, e suspense por tres cadeiasinbas. Do thesouro da 
Virgem do Pilar; Saragoga, Hespanba. Seculo xviii. 

337-70 Pingente de oiro esmaltado em forma de papagaio. Do thesouro da Vir- 
gem do Pilar; Saragoga, Hespanba? Seculo xvii. 

332-70 Relicario ou pingente de crystal de rocha, oval, com engaste e omatos 
de oiro esmaltado, contendo encaixilhadas duas representag5es esmal- 
tadas, sendo uma d'ellas a Grucificagao e a outra a Virgem e o Me- 
nino. Do thesouro da Virgem do Pilar, Saragoga, aqual foi offerecida 
por Luiz XIII de Franga. Seculo xvii. 



SALA XI 101 

338-70 Relicario on pingente de crystal de rocha, oral, com ornatos de oiro es« 
maltado e perolas, conteado dois medalhdescom miniaturas ropresen- 
tandQ de urn lado a Virgem e do oatro S. Thiago. Do thesouro da 
Virgem do Pilar; Sarago^a. Seculo xvii. 

317-70 Relicario ou pingento de crystal de rocha, oval, com ornatos de oiro es- 
maltado, contendo pequenos niedalbOes pintados. Do thesoaro da 
Virgem do Pilar; Sarago^a. Seculu xvii. 

10-66 Cofre de marPim oblongo. Os paineis esculpidos, representando folbagem 
e animaes. Frisos e moldaras de prata lavrada do seculo xvii. co- 
fre 6 do secalo x oa xi. 

173-64 Estatueta de madeira representando a Yirgem com o Menino ao collo. 
Hespanl)a. Seculo xvii. 

169*64 Estatueta de buxo representando um guerreiro, provavelmente Alexandre 
Magno. pedestal ricamente esculpido. Hespanha. Cerca de 1690. 

170-64 Outra estatueta, representando Julio Cesar. Hespanha. Cerca de 1690. 

138-79 Outra estatueta, representando S. Miguel, com o Diabo aos pi^s. Na mao 
direita uma langa de prata dourada encimada pela cruz. Pequeno pe- 
destal de prata douraJa. Attribuida a Joao de Borgonlia, que esculpiu 
as cadeiras do c6ro da cathedral de Tulcdo. Hespanha. 1490-1500. 

1067-S5 Contadorzinho de marfim esculpido, representando nas duas portas: 
Adao e Eva no Paraizo. Seculo xvii. 

183-64 Estatueta de roarfim representando Nossa Senhora da Conceicao. Hes- 
panha (Valencia). Seculo xvii ou principios do xviii. 

368-80 Cofre cylindrico de marfim esculpido. No corpo principal desenham-setres 
paineis, um dos (juaes representa um liomem a cavallo, o seguudoum 
homem montado n'um elephanle e o terceiro um homem sentadon'uma 
cadeira. Os*espa^os entre os pnineis cheios por animaes de ca^a, passa- 
ros,griphoseflores. Estes paineis parecem representar uma pessoa de 
alta jerarchia, administrando justiga durante as suas viagens. A tampa 
tern esculpidos animaes, passaros o flores, e uma inscrip^ao em cara- 
cteres cuncos. A parte da inscripgao que fulta era provavelmente a 
formula usual : em nome de deus clemente e misericordioso, aben- 
goADO sEJAs. A porgao qne resta diz : prosperidade e felicidade para 

RIYADH BEN AFLAH CAPrTAO DA GUARDA. FcitO nO aUUO dc 359 (A. C. 

971). £ possivel que este cofre fosse feito em Cordova, mas ao mesmo 
tempo reveia mais uma origcm persa que hispano-arabe. Hispano- 
mourisca ou persa. Fins do seculo x. 

28-81 Estatueta de buxo, representando a Virgem com os p6s sobre a meia lua 
e com Menino ao collo, que sustenta com a mao o globo ou o mun- 
do. Cerca de 1670. 



102 SALA £C 

301-6C Caixinha oblonga de marfim, eseulpida cam folhagens, e uma iDscrip^io 
arabica, com fecljos de prata. Hispano-mourisca. Seeaio xi on xn. 

217-65 Gaixa de marfim esculpido, cyliiidrica, com tampa conica, ornamentada 
com a;,'uias e oulros enfeites. Tudo irabalho vazado. A inscrip^ao do 
rebordo diz : pelo favor de dels ao servo de deus al hakrn al mos- 
TANSER BiLLAH CHEFE DOS FiEis. Foi um Ommayda, Califa de Hespa- 
nha, que reinoii em Cordova em 961-976. Hispano-mourisco. Pro- 
vavelmente conlemporaneo. 

735-85 Caixa de madeira oriental, gravada com ornamentos de folhagem em 
baixo relevo. No eentro da lampa um medalhao com uma aguia. Ro- 
setas e fechaduras de ferro. Portugueza; provaveimenle feita em Goa, 
India. Principios do seculo xvi. 

381-72 Cofre de madeira, oblongo. A tampa delicadamente eseulpida em allo-re- 
levo e com diversos compartiraentos, representando scenas da vida do 
Senlior. Nas faces lateraes diversas figuras e ornatos. Portugaez. 
Seculo XVII. 

320 64 Eslatuela de barro pintado, representando a Immaculada Concei^ao so- 
bre uma huvem de anjos. Auctor Risueno, de Granada. Hespanhola. 
Scgunda metade do seculo xvi. 

972-75 Caixa de madeira oblonga, coberta de couro estampado. A tampa re- 
presenta, no medalhao do eentro, dois guerreiros combatendo, cer- 
cado por faxas de ornamcnto com grote.<cos. Nas outras faces seeaas 
de caga. Hespanha. Principios do seculo xvii. 

21-81 Pequeno contador forrado de rnnrroquim vermellio com ornatos doara- 
dos. Portuguez. Cerca de 15d0. 

153-79 Baixo-relevo, oval, de alaba^lro, representando a Virgem e o Menino. 
Tem uma cercadura de metal e argola. Por Diogo da Silva, de Gra- 
nada. Hespanbol. Cerca 1530-1550. 

303 -CG Baixo-relevo em marfim, representando S. Francisco sendo arrebatado 
para o Ccu. Atiribuido a Alonzo Cano. Hespanbol. Primeira melade 
do seculo XVII. 

203-79 Cofre de marfim esculpido, representando scenas de caga, passaros, ani- 
maes e llores com detalbes minuciosos. Provaveimenle do seculo xvi. 

274-79 Contador de pau santo*. 

265-80 Pendao da inquisigao bespanbola, de veludo roxo com bordados a oiro^. 

292-70 Caixa contendo um quadro em cera, representando oma scena de ca^a, 
em que figura 1). Pedro de Aragao '. 

* Estd DO pavimenlo ioferior. 

* Esui na sala B. 
' idem. 



SALA Q 103 

Alem dos tecidos contidos nos armarios lateraes e dos objectos enviados pelo 
Sauth Kensington Museum, a sola H conletn mats os seguintes : 

1 Pintura sobre cobre, representando Christo morto, amparado pela Yirgem e 

por um anjo, e junto outro anjo. Tern moldura de madeira lavrada e dou- 
rada. Seculo xvi. 
Casa Pia, Lisboa. 

2 Baixo relevo em madeira, representando Christo depois de descido da cruz. Al- 

tura 0'",58. Largiira 0",5. Seculo xvi. 
Sr. Affonso Barradas, Lisboa. 

3 Conlador hispano-arabe, com as ferragens no exterior douradas, e assentes em 

veludo carmezim. Gomprimento l'",0o. Altura 0",61. Largura 0'°,J1. Se- 
culo XVI. 

Sr, Alexandre Justino de Balcul, Franga. 

4 Daas mes;^ de pausanto, com as frenles arqueadas e com duas gavetas, tendo 

varios ornatos em talha. Unidas constituem uma so para centro de sala. 
Comorimento 1 metro. Allura O^jTO. Lar^iura 0",50. Seculo xviir. 
^r.« D. Julia Costa Couvreur e D, Virginia Couvreur^ Lisboa, 

5 I>uas estatuetas de faian^ branca, representando um menino sentado em pea- 

nha. Fabrica do Rato em Lisboa. Altura 0"',43. Seculo xviii. 
Academia Real^de Bellas Artes de Lisboa, 

a Urna de fino marmore branco coberta de ornatos e ramos de carvalho. Duas 
azas e tampa. Altura 0™,45. Seculo xvni. 
Bibliotheca publica de Evora. 

7 Terrina em faian^a, com a forma de uma pata^ pintada a cures. Producto da 
fabrica do Rato. Seculo xviii. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

S Pedra de fino marmore branco com delieadissimo lavor, representando uma 
cercadura com anjos, carrancas entre variados ornatos, e no meio uma 
cruz cantonada por qualro menores do mesmo feitio. Gomprimento 0",43. 
Largura O^.S?. Seculo xvi. 

Misericordia de Vianna do Alemtejo. 

D Medalhao de marmore branco com um alto-relevo representando Nossa Se- 
nhora com o Menino ao collo, e ao lado S. Joao Baptista, todos de cabellos 
dourados. Esta mettido n uma moldura circular de faian^a, com pinturas, em 
forma de escamas embricadas, e tendo na oria uma grinalda relevada de 
flores, folhas e fructos. Diametro O^jTG. Seculo xvi. 
Extincto convento da Madre de Dens, Lisboa. 

10 Caixa de pau santo coberta de ornatos em talha, e nos cantos iiiferiores quatro 
leoes da mesma madeira. Gomprimento O^jOD. Altura 0",65. Largura O^jSO. 
Seculo XVII. Fig. 170. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 



SECQAO HESPAMOLA 



SALA 



ODRIVESAEIA 

ARTE CHRISTA 

1 Brazos de cniz processional, de oiro e pedras Onas, pertencente ao thesouro 
visigoihico de GaaiTazar (Toledo). Comprimento 0",66. Seculo vii. Fig. 163. 
Mttseu Archedogico de Madrid. 

i Cofre de agatha e prata csmaltada de preto, estylo bysantino. interior 6 re- 
Yestido de prata rebatida. Altara0"j4. Largura0",13. Profaiididade0",16. 
Museu Archedogico de Madrid. 

3 Bacalo do anti-papa D. Pedro Luna. Seculo xv. Fig. 143. 

Museu Archedogico de Madrid. 

4 Calix de prata dourada, com pedras e adornos de coral e marUm. Seculo xvii. 

Museu Archedogico de Madrid. 

Galhetas com iguaes adornos. Seculo xvn. 
Museu Archeologico de Madrid. 

7 Campainha de bronze do mesmo genero, sem badalo. Seculo xvii. 

Museu Archeologico de Madrid. 

ARTE HAROMETANA 

8 Cofire arabico de prata, de forma oval, tendo no bordo da tampa uma inscri- 

Eao em caracteres cuficos. Procedente da coliegiada de Santo liidoro de 
iao. Seculo xi. 
Museu Archeologico de Madrid. 

9 Cofre de prata com lavores gravados o inscrip(5es cuficas, esmaltadas em preto, 



^lO^' SALA B 

na tampa e no corpo da caixa. Procedente da igreja de Santo Izidoro de 
Leao. Comprimento 0™,17. Seculo xn. 
Museu Archeologico de Madrid, 

10 Collar de oiro composto de tres pingentes e rombos facelados de filigrana e pe- 
qaenas cadeias do mesrao metal nas extremidades. Precede de Mondujar, 
na provincia de Granada. Seculo xiv a xv. Fig. 153. 
Museu Archeologico de Madrid, 

"11 Bracelete de oiro rebatido. Precede de Almeria. Alturaediametrotetaes0"*,06 
por 0°,11. Seculos xiv a xv. Fig. 153. 
Museu ArcJieologico de Madrid. 

OBJECTOS DE METAES NAO PRECIOSOS 

ARTE ClIRISTA 

12 Gampa de bronze. Procedente de Gastrourdiales. Seculo xv. 

Museu Archeologico de Madrid, 

13 Gofre coberto de chapas de ferro com recortes de ornamenta^ae egival. Ador- 

nam a sua fecbadura, em toda a altura da caixa, dois pioacuios de relevo, 
tambem de ferro e outros dois immediatos mais pequenos. Dos aogulos pen- 
dem quatro argolas, sem duvida para o lixar a alguma pane. Gompri- 
mento 0'",2G. Largura O^JO. Altura 0'",U. Seculo xv. 
Museu ArcJieologico de Madrid, 

14 Gofre coberto de cliapas de ferro. Ornamenta^ao egival. Seculo xv. 

Sr, D, Ignacio liauer, Madrid, 

15 Tliuribulosinbo, procedente de Alcala de Henares e attribuido ao Gardeal Cis- 

neros. Seculo xv. Fig. 161. 
Museu Archeologico de Madrid, 

16 Grande candelabro de ferro com relevos rebatidos. Estylo reoascen^. Precede 

de Leao. Altura 1™,45. Seculo xvi. Fig. 156. 
Museu Archeologico de Madrid, 

17 Outre candelabro da mesma epocba e precedencia, com alguns appendices de 

estylo ogival. Altura 1"',45. Seculo xvi. 
Museu Archeologico de Madrid, 

18 Cmz processional funeraria, de ferro; trabalbo rebatido. No centre campeia 

a face de Jesus Ghristo e nos extremos dos bragos da croz os symboles da 
merle. Altura 1 metro por 0^.65. Seculo xvi. Fig. 162. 
Museu Archeologico de Madrid, 

.18 Gofre de ferro com iavores rebatidos e cinzelados, de estylo renascei^a. 



6ALA B 107 

Obra de artifice hespanbol. Altura O^^gJ. Largura 0",19. Comprimento 
0-,40. Seculo XVI. Fi^. 163. 

Sr. D, MaHano Diaz del Moral, Madrid, 

ISO Estpjo contendo doie lesoorai bespaoholas e americanas. Seculos xvi, xru 
e XVIII. Fig. 157. 

Sr. D. Manuel Rico y Sinobas, Madrid. 

51 Elstojo idencieo, ccmtendo o met^mo numero <h tesouras. 

Sr. D. Manuel Rico y Sinobas^ Madrid. 

52 Balan^a romana com lavores arcliitectonicos e esrulpluraes, firmada pelomes- 

tre Salinas. Precede da casa da moeda de Madrid. Coini)rimento i",30. 
Altura 1",10. Seculo xvu. 
Museu Archeologico de Madrid. 

'23 Caixa qne contem cinco fecbaduras, procedentes do Escurial. 
Arfneria Real. 

24 Gadeado com soa cbave, obra de am prcsidiario bespan1iol> feito em Oran bo 
anno de 1779. 
Armeria Real. 

ARTE MAIIOMETAKA 

^o Navalba de barba de folba larga e cabo de latao com inscrlpcao cufica. Foi 
eneontrada em Cordova e procede da Bibliotbeca nacional. Couiprimeoto to- 
tal 0'",174. Largura 0"^,0r). Seculo xi. 
Museu Archeologico de Madrid. 

"26 Cofre de marfim com adornos coloridos e inscrip^ao cufica na tampa. Pro- 
cede de Carrion de los Condes (Valencia). Comprimento 0"',41. Largura 
0-,24. Altura 0'-,^0. Seculo xi. 
Museu Archeologico de Madrid. 

27 Lampada de bronze enriquecida de lavores e inscrip^ues em caractercs neiji, a 

qual pertenceu a me5iquila da Albambra de Granada. Consla de tret^ corpos, 
cuja altura total e de ^"",15. Procede directamcnte da Uuiversidade central 
para onde foi irasladada da Complutense. Seculo xvi. Fig. 144 
Museu Archeologico de Madrid. 

28 Caixa arabica de latao para perfumer. Estylo granadino. Procede de Nava del 

Rev (Palencia). Seculo xiv. 
Museu Archeologico de Madrid. 

29 Caldeirinha arabica de eobre, loda cbeia de adornos gravjidos e dourados. Os- 

tenla na borda uma inscrip^ao em earaeteres africaoos e ouira em dok me- 
dalhdes do corpo. Estylo granadino. Seculo xiv. Fig. 104. 
Museu Archeologico de Madrid. 



108 SALA B 

ESCULPTURA DECORATIVA 

ARTE CHRISTA 

30 Gofre de marGm para reliqaias. Precede de Santo Izidoro de Leio. Altara 

0™,18. Largura O-jlO. Seculo ix. 
Museu Archeologico de Madrid, Fig. ISO. 

31 CruciGxo de marGm. Interessante e delicado trabalho de esculpttira A baste e 

OS braQos t^em de cada lado uma faxa rendilhada. Na face anterior a ima- 
gem de Christo em vulto. reverso ^ todo lavrado, tendo os symbolos dos 
qaatro Evangelistas. No p^ em caractercs relevados, I^-se: ferdinandus 
REX, e por debaixo : sancia regina. Esta preciosa esculptura foi dada de 
presente pelos citados reis a igreja de Santo Izidoro de Leao, d*onde pro- 
cede. Altura O^jSa. Largura 0'»,35. Seculo xi. Fig. 152. 
Museu Archeologico de Madrid. 

32 Diptyco de marGm, dividido em seis compartimentos. Seculo xv. 

Museu Archeologico de Madrid, 

33 Pente lithurgico, de buxo, empre^ado na consagra^ao dos bispos. Seculo xv. 

Museu Archeologico de Madrid, 

34 Outro identico, idem, idem. Fig. 165. 

Museu Archeologico de Madrid. 

35 Baixo-relevo em madeira com moldura forrada de veludo encarnado. Seculo 

XVI. Fig. 146. 

Sr, Conde de Valencia deD, Juan, Valencia. 

ARTE HAHOMETANA 

36 Fragmento de madeira esculpida do tecto da MesquitaAljamade Cordova. Es- 

tylo do Califado. Seculo x. 

Museu Archeologico de Madrid. 
37| 

a >Fragmentos de madeira esculpida do mesmo tecto. Seculo x. 
o J) 

Museu Archeologico de Madrid. 

40 Cofre de madeira com incrustagoes de marGm e ebano, tradi^ao persa. Tera 

na borda da tampa uma inscrip^ao cuGca incompleta. Precede aa igreja de 
Santo Izidoro, de Leao. Comprimento O*",!?. Fig. 151. 
Museu Archeologico de Madrid, 

41 (Por crro de numerate Gcou este numero sem objecto.) 

42 S6co de madeira esculpida, estylo mudejar. Comprimento l^ySS. Largura 

O^jSO. Procede de Toledo. Seculo xviii. 
Musm Archeologico de Madrid, 



SALA B 109 

43 Fragraenlo de friso com inscrip^ao cufica mudejar. Comprimealo 0",78. Lar- 
gura 0"*i8. Precede de Toledo. Seculo xiv. 

44 Modilhao (canecUlo) de madeira esculpida. Comprimento0°',80. Largura0"*,17. 
Procede de Toleao. Seculo xiv. 
Museu Archeologico de Madrid. 

4S Idem de madeira esculpida. Idem, idem. 
Museu Archeologico de Madrid. 

46 Fragmento de friso, estylo granadino. Precede da casa dos Ouvidores, em Al- 
iDaicin de Granada, e tem uma inscrip^ao em caracteres cuGcos. Seculo xv. 
Museu Archeologico de Madnd. 

47 Fragmento de friso, eslylo granadino. Da mesma procedencia. Tem uma in- 
scripcao em caracteres africaoos. Seculo xv. 
Museu Archeologico de Madrid. 

ARMAS 

ARTE OffllSTA 

48 A^darga de couro bordada a prata e seda, com quatro escudos iguaes, e nVlles 

c lemma: Ave Maria gratia plena, que hoje tem os Mendozas e baroesdas 
Casa<4 de Cordoba, Toledo e outra dcsconhecida. 
Museu Archeologico de Madrid. 

49 Idem, idem. Cora uma inscripgao religiosa e repetida. Fig. 49. 

Museu Archeologico de Madrid, 

50 Elspada com empunhadura de la^o e quartoes rectos, fabricada cm Saragoga. 

Seculo XVI. Comprimento i'",30. Fig. lo4. 
Museu Archeologico de Madrid. 

51 E^pada de taga e empenhadura aberta e quartoes rectos. Na folha tem a le- 

genda: mi signal. Tem as armas de £I-Kei. Seculo xvii. 
Museu Archeologico de Madrid. 

52 IMcia armadura com sua rodela. Perlenceu a El-Rei D. Filippe III, e consta de 

murriao, pelto, gola, espaldar, bombreiras, bra^aes e manoplas. 
Museu Archeologico de Madrid. 

** Meia armadura, feita em Pamplona, por mandado de EIRei D. Filippe IIF, 
sendo principe, para seu uso. Consta de capaccle, gola, peito, espaldar, bom- 
breiras e bra^aes. 
Armeria Real. 



8* Outi 



ra idem para uso do principe D. Carlos. Consta das mesmas pecas que a 
^Ulterior. 

Armeria Real. 



110 SAL A B 

55 Rodela eorre^pondente a armaidara de Filippe U(. 

Armerta Real, 

56 Escopeta fabricada em Eibar, e Armada por Jaan EsEeban R4istiiMliQ. Presente- 

da provincia dc Guipuzcoa. 
Armeiia Real. 

57 Escopeta madrilcna de Carlos III, cujo cano esta firmado por Gabriel de Algo- 

ra. Fig. 148. 
Armeria Real. 

58 Escopeta de Carlos III, fabricada em Madrid em 1739, e assigaada por Gabriel 

de Algora. Carrega-se pela culatra. 
Armeria Real. 

59 Outra fabricada em Madrid e firmada por Salvador Cenano. 

Armeria Real. 

60 Arcabuz de senhora, fabricado em Madrid, e assignado no cano c no guarda- 

mato por Luiz Santos. Secolo xvm. 
Armeria Real, 

61 Outro assignado por Nicolas Bis. Seculo xviii. 

Armeria Real. 

62 Outro madrileno, de igoal epoeba, assignado do cana por Juaik Femadidez e 

por Pedro Fernandez, no guarda-matb. 
Armeria Real, 

63 Oatro madrileno de igual epocha, assignado no cano por Joaquim de Zelaya e 

por Juan Soto, no guarda-mato. 
Armeria Real. 

64 Outro madrileno, de igual epocha, assignado no cano por Gabriel de Algora^ 

Armeria Real. 

65 Outro madrileno, de igual epocha, assignado no guarda-mato por J. Soler e 

por Sebastian Santos no cano. 
Ai^meria Real. 

66 Outro madrileno, de igual epodia, firmado no cano e no gaarda-ma(a por Sal- 

vador Serrano. 
Armeria Real. 

67 Outro madrileno, de igaal epocha. No cano a segoinle mscripfio: sn tumjd^ 

JUAN DE SOTO, ANO 1777. 

Armeria Real. 



9ALA B 111: 

AHTE MAHOMWANA 

68 Espada granadma com punho de cobre e^tnaltado. Procede de Leao. Coropri- 

mento total {"".Oo. Largura da folha O'^jOi. Seculo xiv. Fig. 143. 
Mmeu Arckeoiogic^ de Madrid, 

69 Estribo cinzelado e dourado, qne pertencea ao Imperador Carlos V, e foi feito 

pelo sea arcabuzeiro Alonso Micergaillo, por quern esta assignado no aniKv 
de 1536. Fij?. 160. 

Museu Archecimko de Madrid. 

70 Idem, idem, companheiro do anterior. 

Museu Archeeiegko de Madrid, 

71 Estribo arabe de ferro, damasquinado de prata. Fig. 159. 

Sr. Conde de Valencia de D, Juan, 

72 Estribo arabe de ferro, damasquinado de prata; tem ami face com adomos 

rebatidos em cobre dourado e al^uns esmaltes. 
Sr. Conde de Valencia de D, Juan, 



CERAMICA 

73 Jarrao de estylo granadino, coherto de omamentac^ esmaltada, azai e connr. 

ligeiros reflexes metallicos. Tem no coHo uma faxa com inserip^o em ca- 
racteres nesji esmaltados. Aliura i'",3o. Tem mmilada uma das azas. Se- 
culo XIV. 

Museu Archedogico de Madrid. 

74 Prato vidrado ou esmaltado, coberto de omamentac^ao axul e com reflexes me- 

tallicos. Ei^tylo granadino. Tem qaatro divisoes triangulares com caracte* 
res arabicos. Diametro 0",42. 8bcuIo xiv. 
Museu Archeoiogico de Madrid. 

75 Prato coberto de profusa ornamenla^ao de c6r e reflexes dourados. No centra 

tern urn escodo com uma agnia inscripta n*um circulo marcado por rnna li^ 
nha de relevo, da qual partem varias rectas, raios do ctrcnlo total, danda 
logar a um debuxo de ondas. Parle da borda reslaurada. Diametro 0'",46. 
Museu Arch$eloffico die Madrid^ 

76 Prato de igual classe, forma e omamenta^ao, ostentando no escudo central a» 

armas da Siciita. Diametro 0*',46. 
Museu Archeoiogico de Madrid. 

77 Prato de reflexo metallico esverdeado, omado de florsinhas enirela^adas com 

sens troQoos e o9teirta»tlo no ceotro um leao beratAieo pitA^do de azul. Dia- 
metro 0",3e. Fig. 158. 

Museu Archeoiogico de Madrid. 



112 SALA B 

78 Prato em cuja borda se acha inscripta, em caracteres allemaes, a sauda^odo 

anjo a Maria: aye maria gra plena, e no centro am t. Diametro 0",37. 
Museu Archeologico de Madrid. 

79 Prato, em cajo centro figuram as armas de Castella, na borda ama oria defo- 

Ihas lanceoladas, separadas por zonas de linhas crozadas; no fondofolbas e 
flores peqaenas. Diametro 0'°,47. Fig. 147. 
Museu Archeologico de Madrid. 

80 Prato, em cujo centro ha uma a|i;uia com daas cabe^as. 

Museu Archeologico de Madrid. 

81 Prato, em cujo centro campeia um passaro e nas bordas qaatro pinbas azaes. 

Esta restaurado. 

Museu Archeologico de Madrid. 

82 Prato com escudo no centro e n'elle uma flor de liz; em redor tem ama le- 

genda sem sentido al^'um. 

Museu Archeologico de Madrid. 

83 Prato de centre levantado, com uma flor e reflexo acobreado amarellento. Tem 

flores na borda. 

Museu Archeologico de Madrid. 

84 Prato com perfis azues, centro proeminente e n'elle um peqaeno escado com 

um coelho e reflexo esverdeado. 
Museu Archeologico de Madrid. 

85 Prato com ornamentacao de raios, que partem do centro, em clrculo proemi- 

nente, debuxo de follias brancas e fundo de pontes de reflexo dourado. 
Museu Archeologico de Madrid. 

86 Prato. Occupa quasi toda a sua superficie um adomo em forma de leque. 

Fundo acobreado verde. Centro proeminente. 
Museu Archeologico de Madrid. 

87 Prato. Ostenta perfis azues; tem o fundo proeminente e o reflexo esverdeado. 

Museu Archeologico de Madrid. 

88 Prato. De reflexo acobreado, dourado e lavores levantados. 

Museu Archeologico de Madrid. 

89 Prato de menores dimensoes, reflexo acobreado amarellento em varias faxas 

que parecem v v. 

Museu Archeologico de Madrid. 

90 Prato de iguaes dimensoes; occupa todo o prato uma cruz cujos brakes par- 

tem do centro, do mesmo reflexo acobreado muito amarellento. 
Museu Archeologico de Madrid. 



SALA B 113 

91 Prato de menores dimensoes, reflexo acobrcado forte e faxas azues. Esta res- 
taurado. 

JUuseu Archedogico de Madrid, 

91 Prato de iguaes dimensoes e orDamenta^ao parecida. Reflexo verde-amarel- 
lento. 

Museu Archedogico de Madrid. 

93 Prato de iguaes dimensoes. Uma flor occupa o centre e o fundo ^ de pontas 

donradas. 

Museu Archedogico de Madrid. 

94 Prato mais peqaeno, com dois ramos azues e ornamental acobreada. 

Museu Archedogico de Madrid, 

jCanecas (tarros) de forma oblonga e prolongada. Reflexo acobreado forte. 
j?.| Museu Archedogico de Madrid, 

99 Taja de reflexo acobreado forte. 

Museu Archedogico de Madrid, 

100 Tacbo com azas. Reflexo acobreado forte. 

Museu Archeologico de Madrid. 

101 Tacbo com azas. Reflexo dourado pallido. 

Museu Archeologico de Madrid, 

102 Tacbo com azas. Reflexo igual. Borda azul. 

Museu Archeologico de Madrid, 

103 Tacbo com azas. Raios azues e reflexo dourado pallido. 

Museu Archedogico de Madrid, 

104 Tacbo com azas e reflexo acobreado forte. 

Museu Archedogico de Madrid, 

105 Prato bispano-mourisco em cujo centre campeia nm leao azul; tern a le- 

genda : ave maria — gratia plbna. Seculo xv. 
Museu Archeologico de Madrid. 

106 Prato bispano-mourisco; reflexes metallicos. No centre uma concha em roda 

da qua! ha uma inscrip^ao inintelligivel e repetida. Seculo xv. 
Imseu Archeologico de Madrid. 

107 Prato. No centre uma flor de liz azul. Este e o anterior estao restaurados. 

Museu Archeologico de Madrid, 

106) 
^ (Quadros, contendo cada um quatro azulejos. Seculo xvi. 

iil\ Museu Archeologico de Madrid, 

8 



4tt fiUji B 

JtfttStftt Archeologico de Madrid, 

113 Qaadro contendo nove frapnentos de azulejos deestylo Hadjar. Secalo xtl 
jUiMdtf Ardhedogico de Madrid. 

i 14 Quadro contendo sete azulejos agropai»«efli iflCBi(iB«flta;dhL Secalo xyl 
Jlfuj^u Archeologico de Madrid, 

115 Um caixillio negro em forma de escudo, contendo um azulejo en^Ms logmen- 

tos, representando as armas do appcAiiio^etlaClBviiL 
Sr. Conde de Valencia de Don Juan. 

116 Majolica prato, no qual se acha repref>miBda msm ' pasm ym <as gnerras eir 

tre Cesar e Pon^eu. Fabrica de Urbino. Tern aiiata de 1543. 
Mmm Ardhemogice deMsirid. 

117 Majolica prato, no qnal se acha representado o baptismo de Oiristo no Jop- 

dao. Fabrica de Urbino. 
Museu Archeologico de Madrii. 

118 Terrina ou ta^a grande decoraSa haeniirneme «oai Arvt^res, ism c^ 

duas feras. No fundo dois ginetes con/batenfe. 0*,41 de fiametro por 
O'^JG de alto. Fabrica de Talavera. Secalo xvui. 
Museu Archeologico de MaAnL 

119 Terrina decorada exteriormente cam :urv(ire&. No limdo jom cagador aeaiodlo 

perseguindo um javali. Tals^era. Sooriexvn. 
Museu Archeologico de MadrOu 

' 120 Terrina. ExteriormerAe tms lerra^ e wmatmi ae Sda&b om jpntfle e irvb- 
res. Talavera. Seculo xvnr. 
Museu Archeologico de Madrid. 

-121 Bacia de forma elliptica com lavoros amireflos^ sroes, Terfles « negros. No 
lundo, de cur amarnlla, ha uma cegoaUa. Talavera. Secalo xviu. 
Mmm ArchedogicB Jk Ji Ub y L 

122 Bacia decorada exteriormente com floras e aAof^os. IVo imenor cinco me- 
dalhoes com toscas paizagens juLues. T^lsvera. Sec&lo xvm. 
MuMeu Arckedliiiiico de MairiL 

423 Jarro ornado com arvores e folhas. T^afreifte u fliscTip^ tcak Cristobal, 
jpor baixo um menino de c6ro com o hyssqpe >e caldeiriikha. TalaveoL Se- 
'CcAo "XTin. 

Museu Archeologico de Madrid. 

Hi Pia de agua benta. A tat^ aflomada com cabegas infailfis «m relero; fenie 
de um quadro em que esta representada de igual modo a Tirgem do Ror 



£ALA » 115 

saiio mai o neona Jesus im br^gos eoiooo Seraphios^m volta. T^Uvenu 
Seculo xvni. 
Museu Archedagico de Madrid. 

UB Pu de j^^ua beoftt. A ta^ peede de um <|«adrito em que esxi. represenUMfc 
em relev-o o encontro de Jesas e Maria na rua da Amargura. Talavera. 
Seculo xviii. 
Museu Archeologtco de Madrid. 

126 Castic-al em f6rma de leao. Takvera. Secai^ xfw. 
Museu Archeologico de Madrid, 

W Cao senUMlo, piatado de verde. araarella a azul. Tafovwa. Seculo xviu. 
Mu$m Arckeol0$i€$ de Madrid, 

128 Tiateiro de fdrma hexagonal, com flores e ornatos em relevo, de cores verde, 

anarella % aial. Talavera. Seculo X¥iii. 
Museu Archeologico de Madrid. 

129 Areeiro hexagooal. Oraatos verdes, azues e amarellos. Talavera. Seculo 

xviw, 
Museu Archeologico d$ Madrid. 

130 Cesto; traballio capriclioso, vasad) e pintado. A aza, em f6rma de cordao, 

remau em Oor. Akora (Valeacia). Seculo xvul 
Museu Archeologico de Madrid. 

131 Cesto adornado com bicos e dois passaritos na aza. Alcora (Valencia). Se- 

culo xvik. 
Museu Archeologico de Madrid. 

132 Saleiro em forma de pato ; as azas formam a tampa, na qual ha um passa- 

ro. Alcora (Valencia). Seculo xviii. 
Mumu Archeologico de Madrid. 

133 Saleiro adornado com flores amarellas e azues. Alcora (Yaleneia). Seculo 

xviw. 
Musen ArcheohgicB 4# Madrid. 

134 Grande prato, em cujo centro ha um eseudo omado com capacste, e dentro 

a inscrip^o: d jacinto iuste 1697. Alcora (Valencia). Seculo xviii. 
Museu Archoologico de Madrid. 

iS5 Prato dooorado eom flores ainos, a na borda a inscripQSo : ra. juan Tobcada. 
Aloora (Valencia). Setulo xviii« 
Museu Archeologico de Madrid. 

136 Prato decorado com um girasol no centro, e na borda a legenda : dr. juan 
CAMBSoo T MAGBABO. Fabtica Talenciaaa. Seoulo xviii. 
Museu Archoologico de Madrid. 



U6 SALA B 

137 Prato com grinalda de flores e com um jarrito de ilores no centro. Fabriea 

de Valencia. Seculo xviii. 
Museu Ardieologko de Madrid. 

138 Prato decorado com flores na borda e centro. Fabriea de Valencia. Secnlo 

XVJII. 

Mitseu Archeohgico de Madrid. 

139 Prato decorado de aznl e amarello. No fundo am busto varonil com capace- 

te. Fabriea Triana ^Sevilha). Seculo xvni. 
Museu Archeohgico de Madrid, 

140 Prato com um edificio e um passaro ao lado. Em roda a legenda: y\ me pbbsto 

m ME doy; solo de mi dueno soy. Fabriea Triana (Se\ilha). Seculo xviu. 
Miiseu Archeologico de Madrid. 

141 Prato decorado, com am busto no centro, cdr azul e vermelha. Fabriea Tria- 

na (Sevilha). Seculo xviii. 
Museu Archeologico de Madrid. 

14^ Jarro com aza, decorado com ramos e flores; tem uma mascara em relsYO 
no bico. Fabriea de Valencia. Seculo xviir. 
Museu Archeologico de Madrid. 

143 Jarro-floreiro com duas azas, decorado com pequenos grupos de flores. Fa- 
briea valenciana. Seculo xviu. 
Museu Archeologico de Madrid. 

144(Pe^s de pasta moUe de Alcora, imitagao da fabriea do Buen Retire. Seca- 
a I lo XVIII. 
146 ( Museu Archeologico de Madrid. 

147l Casti^aes ornados com filetes dourados e grinaldas de Tolbas. No p^ vdem-se tres 
e I medalhdes com figuras pintadas. Fabriea de Baen Retiro. Seculo xviii. 

148 ( Museu Archeologico de Madrid. 

149 Grupo representando Psyche e Cupido prisioneiro. Altura 0'",30. Precede 

de la Moncloa. Fabriea de Buen Retiro. Seculo xviir. 
Museu Archeologico de Madrid. 

150 Grupo allegorico representado a Paz, matrona com manto, que tem na mao 

esquerda a cornucopia da abundancia e na es^uerda um facho que applica 
a um troph^n de guerra que esta a sens p6s junto de um prisioneiro, de* 
baixo do qual ba outro facbo. Altura 0",24. Igual procedencia, iguai fa- 
briea e igual seculo. 
Museu Archeologico de Madrid. 

151 Grupo mythologico, representando Prometheu animando a estatua; vests 

singela tunica e tem na dextra um facho que applica ao rosto da estatua 



SALA B 117 

Taroail que tern diaDte^ sobre urn pedestal. A urn lado estao o manto e o 
escado com Gorgona. Altura 0^°'41. fgaal epoeha e fabrica que o anterior. 
Museu Archeohgico de Madrid. Fig. 15o. 

152 Yaso de crystal com adomos Feitos a roda. No escudo as iaiciaes: h. m. s. g. a. m. 

Esta encerrado n'um estojo de veludo carmesim, com galao de oiro. Se- 

CUlo XVIII. 

Sr. D. Ignacio Bauer, Madrid. 

ESMALTES 

153 Ck)fre esmallado e com relevos. Procede de S. Marcos de Leao. Seculo xii, 

Museu Archeohgico de Madrid. 

164 Cofire esmaltado e com relevos. Procede de S. Marcos de Leao. Secalo xri. 
Museu Archeologico de Madrid. 

155 Prato de cobre esmaltado. Seculo xiii. 

Museu Archeologico de Madrid. 

156 Prato de cobre esmaltado. Seculo xiii. 

Museu Archeologico de Madrid. 

157iQaatro quadros contendo outros tantos esmaltes em cobre dos charaados de 
a Aragao. Seculo xv. 
160' Auseu Archeologico de Madrid. 

IGliDois quadros com suas peanhas de ebano e bronze dourado, contendo dois 
e I esmaltes em negro, de Limoges. Seculo xi. Peanhas do seculo xvii. 
162 1 Museu Archeologico de Madrid. 

163 Esmalte representando a Magdalena. Seculo xvii. 

Sr. Rodrigues Seoane. 

MOYEIS 

164 Qoadro que cont^m um fragmento de alicatado, obra mudejar, procedente de 

Cordova. Seculo xiv. 
Museu Archeologico de Madrid. 

165 Palpito formado com esculpturas do seculo xv. Procede de S. Marcos de Leao. 

Altura 0»,07, langura 0-,95. 
Museu Archeologico de Madrid. 

1661 Dois arcazes ogivaes, procedentes de Leao. Seculo xv. 
167 1 Museu Archeologico de Madrid. 

168 Arcaz de nogueira, em cuja frente se acha representado o sonho de S. Josd. 
Comprimento 1",56, largura 0°,50, altura O^jSO. Seculo xvi. Fig. 149. 
Museu Archeologico de Madrid. 



118 SAL A B 

169 Arcaz de nogueira, de ignal epocha e estylo. No centro destaea-se a figora 

allegorica da Esperanc^a. Comprimento 1",36, altiira 0",74. 
Miiseu Archeologico de Madrid. 

170 Pequeno retabalo de ebano, bronze dourado e pedras finas. que cont^m nm 

quadro em vitcila, representando a adora^ao do Menino Jesus. SecQloxvn. 
Museu Archeologico de Madrid. 

BORDADOS E TECIDOS 

171 Quadro contendo um bordado, hespaDhol, do seculo xiii, em que se repre- 

sentam varias passasens da rida da Virgem. 
Sr. Conde de Valencia de D, Juan. 

172 Manto do infante de Castella D. Filippe, irmao de EURei D. AITonso X, o 

sabio; rico tecido de oiro e sodas, que forma diversoslavoreseumafranja 
com uma palavra em caracteres culicos floridos. Foi exlrahido do sepul- 
chro que em Yillalcazar de Silva (Palencia) eneerrayaosrestosdotBfuM. 
Larpura 3" ,27. 

Museu Archeologico de Madrid. 

173 Barrete do mesmo infante bordado a seda e oiro, Ggurando varios medalbilies 

com aguias e caste! los. Igual procedencia. 
Museu Archeologico de Madrid. 

174 Capa tecida a prata e bordada a seda, representando dtfferentes assumptos 

do Antigo e Novo Testamento. Procede da Gollegiada de Daroce (Aragao). 
Comprimento 3" ,02. Altura 1°,43. 
Museu Archeologico de Madrid. 

175 Capa liturgica bordada a oiro e seda. Procede do real mosteiro do Escnrial. 

Palacio Ileal. 

176 Estojo forrado de veludo, contendo 24 exemplares de franjas de oiro, prata 

e seda de passamanaria hespanbola dos seculos xvi e .ivii. Fig. 167. 
Sr. Conde de Valencia de D. Juan. 

177 Outro estojo contendo 39 exemplares de borlas de oiro e seda, de passama- 

naria hespanhola dos seculo xvi e xvii. 
Sr. Conde de Valencia de D. Juan. 

178 Outro contendo 69 exemplares de franjas e espiguilhas de otro, prata e seda 

e 9 alamarcs tambem de oiro, prata e seda. Passamanaria hespanhola dos 
seculo XVI e xvii. 

Sr. Conde de Valencia de D. Juan. 

179 Sobrec(5u de cama, ricamente bordado a sedas. Mede 2", 24 por 1",88. 

Palacio Real. 

180 Tapete que representa intercolumnios, ricamente bordado a oiro, prata ese- 



das. Flroeedb db extinrto conrento dfe Santo Thcreza e fonna parte- A col- 
lec^ao que foi do Conde Duque de OlWarea. Aliura4'",77. Largara 4°*,0&- 
Seculo XVII I. 
Museu Archedot/ico de Madriiu 

iSI Tapete do mesmo genero, da mesma proeedencia e epochal. 
Miueu Archeologico de Madrid. 

m Tapece igHatae*3nierifir. 

Museu Archeologico de Madrid. 

188 Tapete que representa a D. Quixote. Mede 3", 65 per 3»,11 de largo (igno- 

f»-m Or aHctor do- deseolio). Fabrics de Maidrid. 
PalaeK^MemL 

184 Tapete que representa um jantar no campo. Desenho de D. Luiz Wanloo. 

Da mesma fabrica que o anterior. Altura 2", 71. Largura 6'"^. 
Palacio Real. 

I8& TiipetB qro- represente nma raniUheteira, obra da mesma fabriRa e desenho 
de D. Ramon Bayen. Akura S"',!^. Largura l'",49. Fig. 168. 
Palacio Real. 

185 T^ete, representando nma m«r/a. Desenho de D. Francisco Goya. Dames- 

ma fabrica. Altura i",90 por 1"*,60 de hrgo. 
Palacio Real. 

PINTUEA 

[Dnb calcos ilTaminado» das pinturas muraes que decoram o e6ro na catlie* 

187! dral de Mondonedo (Lugo). Representa o primeiro a degola^ao dos Santos 

e I Innocentes, o segundo Jesus Christo no acto de erigir a S. Pedro por ca- 

188l be^a da igreja e mais um dos milagres de S. Pedro. Coraprimento do pri- 

[ meiro ^""^9^ largura I'^ySB. Altura do segundo 2"',i6, largusa l'°,07. 

D. hU Vmamil Cattro, Madrid. 

189 S. Vicente Martyr, pintura em tabua, representando S. Diacono rodeado dos 

instrumentos do martyrk). Precede de la Seo de Saragoza. Altura 1"',87,.. 
hrpira 0"J7. Eseota aragoneza. Seeulo xv. 
Mu9eu Arehedogieo de Madnd, 

iM Santa Engracia Martyr, pintura em tabaa, orii;inal de aoctor aragonez d& 
fins do seculo xv. Altura l^JS, largura 0'",77. 

EPIGRAPHIA 

ttl Lapida sepulchral arabiea, descobertai ea Badajos. Tern a data de 950 d^^ 
Egira. Caracteres cuficos. Seculo xii. 
Museu Archeologico de Madrid. 

* EsU na sab A. 

* Estd Da sala L, bem como 03 dois nameros seguinlcs. 



120 SALA B 

192 Lapide sepulchral, Caracteres caficos. Tem a data de 939 da Egira. 

Museu Archeologico de Madrid. 

CODICES* 

193 Breviarium Mosarahum. Manuscripto de 174 folhas de pergaminlio in-folio, 

escripto a duas columnas em caracteres visigodo-mosarabes, com letras capi- 
tae<^ adornadas de figuras e com nenmos musicaes no principio de cada 
Psalmo ou Hymno. Anterior ao seculo x. A encadernayao 6 do seculo xt. 
Bibliotheca Naciond. 

194 Gregorius Magnus (S.). Moralia in Job. Manuscripto de 802 folhas de per- 

gaminho, in- folio, a duas columnas e sem numera^ao. Letra visigoda, de 
925 ou de 945. llluminuras nas tres primeiras e nas duas ultimas folhas, 
com as iniciaes e epigraphes dos livros em cores. Encadernagao do se- 
culo XVI em couro sobre tabua com broches. 
Bibliotheca Nacional, 

195 Liver Evangeliorum. Manuscripto de 94 folhas de perjraminho, em folio me- 

nor, com illustragoes a cdres e oiro. Seculo xi. As illustra^oes parecem 
alguma cousa posteriores. Encaderna^ao do seculo xiii ou xiv. 
Bibliotheca Nacional. 

196 Biblia Sacra. Manuscripto de 415 folhas de pergaminho, in-folio, adoas co- 

lumnas. llluminuras nos principios de todos os livros. Seculo xi. Encader- 
na(^ do seculo xviii. 
Bibliotheca Nacional. 

197 Nottde de vrimatu nobUitate et dominie ecclesie Toletane, etc. Manuscripto 

de 40 folhas de pergaminho, in-4.*^, com llluminuras. Seculo xui. Encader- 
nacao do seculo xiv. 
Bibliotheca Nacional. 

198 Missale fiomanum. Manuscripto de 299 folhas de vitella, in-folio, a duas co- 

lumnas. Algumas illuminuras e numerosas capitaes adornadas a cdres e 
oiro. Seculo xiii a xiv. Encaderna^ao do seculo xvui. 
Bibliotlieca Nacional. 

199 Ordenamiento de Alcald. Manuscripto de 32 folhas de vitella, in-folio, adnas 

columnas. Escripto e illuminado em tempo de El-Rei D. Pedro (1350 a 
1369), por Nicolas Gonzalez, escrivao de El-Rei. Iniciaes e capitaes ador- 
nadas a c6res e oiro; a numera^ao em preto. Seculo xiv. Encadema^ 
da epocha. 
Bibliotheca Nacional. 

200 Historia Jerosimilitane abreviate. Manuscripto em 103 folhas uteis de papel, 

in^."^, com os titulos capitaes em vermelho. Encaderna^ao do seculo xv. 
Bibliotheca Nacional. 

201 Bolea e Galoz (Fernando). Cartas de los Reyes de Aragonj Castilla y de 

' Parte d'elles estSo nas vHrines da sala D. 



SALA B 121 

Portugal, etc. Manascripto em 15 Tolbas ateis em vitella, in^.*" Escripto 
em 1480 por Antonio Arnar. No principio o retrato illmniaado do Prm- 
cipe de Vianna. Encadernagao moderna. 
Bibliotheca NacionaL 

202 Nebriscensis (Aelius Antonius). Grammatica Latina. Manascripto em 98 fo- 

Ihas de vitella, in-folio. Portada, orlada primeira pagina e capitaes em co- 
res e oiro. Seculo xv a xvi. Encaderna^ao da epocha em couro lavrado so- 
bre tabua. 

Bibliotheca Nacionoi. 

203 Breviarium secundum consuetudinem romane curie. Manascripto de 358 

folbas de vitella, in-folio, a duas colamnas, com illaminuras nas letras ini- 
ciaes, e com orlas e letras capitaes a cores e oiro. Seculo xv a xvi. Enca- 
derna^ao em vitella sobre t:'ibaa. 
Bibliotheca NacionaL 

204 Missale antiguum Toletanum. Manascripto cm 172 folbas ateis de pergami- 

nho, in-folio. Iniciaes, capitaes e orlas a cores e oiro, e duas illurainuras 
q ue representam a Adoragao de Jesus no presepe de Belem e a Ceia. Le- 
tra do seculo xvi com titulos em vermelbo. Encaderna^ilo mosarabe tole- 
dana, da epoclia, bem conservada, faltando-Ihe apenas dois fecbos. 
Bibliotheca Nadonal. 

203 Jfissale Totelanum (cbamado Missal rico). Manascripto em sete volumes de 
pergaminho, in-folio maior. Escripto e illaminado nos annos de 1503 a 
1^18. Iniciaes adornadas de figuras e orlas em todas as paginas a cores e 
oiro. Principiou a escrevel-o Gonzalo de Cordoba em 1503. Illuminararo-no 
o clerlp^o Alonso Ximenez, Bernardino Carderroa e Fr. Filippe. volume 
sexto iiluminou-se nos annos 1516 e 1517. 
Bibliotheca Nacional. 

^ I^i-VTo de horas (cm latim). Manascripto em 202 follias de vitella, in-8.° 
xnaior, com 2o iliuminuras de pagina inteira. Iniciaes adornadas com fi- 
guras, capitaes, versacs e orlas a cores e oiro. Seculo xvi. 
Bibliotheca Nacional, 

^' ^uilley (Joannes a). Monarchia Persarum. Manascripto aatograpbo em 32 
Toliias, in-folio, com a assignatura do auctor. Encaderna^ao da epocba em 
"Veludo vermelbo com as armas de D. Pedro de Aragao. Seculo xvi. 
Bibliotheca Nacional. 

*^ ^^^r^tamenes. Motes y Enblemas con que el colegio mayor de San Ildefonso e 
«^. Reitor Maestro Zapata obsequiaron a Filippe III y su muger Dona Mar- 
Sfcrita, cuando visitaron el cuerpo de San Diego. Manascripto de 53 fo- 
llias, in-4.^ e am labyrintho ao Dm n'uma foiha duplice, com illaminuras. 
Seculo XVII. Encaderna^ao da epocba com as armas reaes e as da Univer- 
^idade Complutense bordadas a oiro e matiz sobre veludo carmesim. 
Bibliotheca Nacional. 



209 Feralta BamneTO (D. F^dro Joseph de). Le trwmpke d^AstHi, Mannscripta 
em 39 fblhas, m^Folio, com a portada e as annas reaes Da blha que a pre- 
cede, debuxadas a pcnna. Encaderna^ da epocku Seeolo xvm. 
Bibliotheca Nactond. 

210' Poesim sagi^adas. Maiinseripto de 72 folhas, in-8.°, esmeradamente escripl^ 
por Ifeinuel de Aries de Mendez no aniio de 1770. Eaeadeniac^io da epo* 
eba a marroqoim ^nneiho com sobrepostos ^erdfes e &rros doorados. 
Bibliotheca Nacumal. 

2H Santo Georgio (Rever. pair, de Joban Ant. de). Camentaria sup, Decretu, 
ete. Lirgduni por Julian Cleyn, mcccccxi. In-folio gothieo. Encaderna^ 
dos principios do seenio x^i. 
BibUotkeca Nacional, 

212 Las obras de Mossen O^ias Marco, traducidas por D. Baltasar de Romani. 

Valencia, por Juan Navarro, mdxxxix. Encadernagao do meiado do se- 
cqIo xyt. 
Bibliotheca Nacianai. 

213 Zacutus Lusitanas. Tabnle tabulare celestium motum, Leiree 1496. Enca- 

dernacao em bezerro do meiado do seculo xvi. 
Bibliotheca Nacional. 

214 Cliiocio (Andrea). De CoUegii terocuaa illustribut Medicis et Philo9opU$, 

Verona, mdcxxiii, in-4.'^ Marroqiiim encamado, eircudo do conde-duque 
de Olivares. Encaderna^ao dos principios do seculo xvii. 
Bibliotheca Nacumal. 

215 Fueros y Ados de corte del Reino de Aragon, etc. Zaragosa 1686. Encader- 

na^ao dos fins do seculo xvii. 
Bibliotheca Nacional. 

216 Santos (P. Fr. Francisco de los). Descripcion del Real Monasterio dt 

San Loi^enzo del Escorial. Madrid mdlxxxxyui. Encatlerna^ao do princi- 
pio do seculo xviii. 
Bibliotheca Nacional. 

217 Telles da Sylva (Manuel). Historia da Academia Real da Historia Portugueza. 

Lisboa 1727. Encadema^ao em vitella verde dos principios do seculo xviii. 
Bibliotheca Nacional. 

218 Teresa de Jesns (Santa). Cartas. Madrid mdcclii. T. i. EacaderaaQao em 

marrotfatm encamado do meiado do seculo xvm* 
BiMiotheca Naci&naL 

219 Amorius. Disputationes adversns gentes. Roma MBXLn. Fol. Encademagao 

em viteHa com adornos dourados, feita por Vicente Beneito. Seculo xvin. 
Bibliotheca Nacional. 



SALA B ftt 

220 Stephanos byranta. De orbibus (graece). Florentia mdxxi. EncadernaQao en* 
vitella com enfeites dourados. Fins do seculo xviii. 
Bibliotheca Kacional, 

i2l Verdugo (Francisco). Commentario de la guerra de^Frisa. 1610. EncadSei^ 
nagao em marroquim encarnado com enfeites dom'ados. Fins do secula 
xvm. 
BMiotheca Naeional. 

222 (Hfras de Boscan, etc. Leon de Francia mdxlix. EncadeniafSo em vitella dos 
fins do seculo xvm. 
Biblwiheca Naeional, 

223 Devocionario em vitella, aue consta die 282 fothas m-fotio e 37 miniaturas. 

£ncadeniagao em velaao carmesim. Pertencea ao imperador Carlos I d& 
Hespanha em seu rctiro de loste. Secolo xri. 

D. Marcicd Larves de Aragan, Sadat a j Sarago^a. 

224 Codice mannscripto que consta de 39 foRos em pergaminho; tem duas mi- 

niaturas e letras de adorno illuminadas. Cont^m o texto do ceremonial da. 
Con<iagra(^ao e Coroagao dos Reis de Aragao, decretado por D. Pedro* iM 
de Aragao. 

D. Marcial Lorves de Aragonj Sadava, Saragoca. 

^ /Dois albnns contendo desenhos a penna, da collee^ao de navalheria, arcabn- 
^i zeria e ferragens, do sr. D. Manuel Rico Sinobas. 

D. Manuel Rico Sinobas. 

OBJECTOS AMERICANOS 

227 Unaa collecgao de machados e armas de pedra, composta de 11 objectos. 

Mtiseu Archeologieo de Madrid, 

228 Uma collegTio de machados e utensilios de cobre e bronze, composta de 10 

objectos. 

Museu Archeologieo de Madrid, 

*29 Gliap^a usado no Chili; 6 de palma coberto de pennas de papagaio. Diame- 
tro 0",90. Precede da viagem dos srs. Ruiz y Pavon. 
Museu Archeologieo de Madrid. 

^ GHapeu usado no Chili. Diamelro 0«',34. 
Museu Archeologieo de Madrid. 

"3* Ghapi^u usado no Chili. Diametro 0",31. 
Museu Archeologieo de Madrid. 

^^^ **oucado de luxo coberto de pennas de bellissimas cores e adornos de den- 
tes, vidros e azas de inseclos. Diametro 0",20. Procede do Peril. 



Jt24r §ALA B 

VASOS PERUANOS 

233 Yaso qae Ggura am rosto humano. Cdr arroiada. Altara O'^^IS. 

234 Yaso que representa uma Ggura nmito avultada de mulher, cuja cabe^a se 

apoiava a aza que teve e agora Ibe falta. Tem debuxos e pinturas extre- 
mameate originaes. Akura 0^,16. 
Museu Archeologico de Madrid. 

235 Yaso de lavores granulares circulares e em f6rina de meias luas. Cdr preta. 

Allura 0'",i9. 
Museu Archeologico de Madrid. 

236 Yaso de forma espherica. A aza apoia-se em dois tubos e sobre eUa ba de 

cada lado um macaco e um batractieo, e no centro da aza uma cabe^a ba- 
mana com toucado a moda de barrete. Cdr preta. Altura O^^IQ. 
Museu Archeologico de Madrid. 

237 Yaso em Forma de pd cal^ado a maneira dos indigenas do Peru. G6r arro- 

xada. Altura 0",13. 
Museu Archeologico de Madrid. 

238 Yaso em forma do p^ com cal^ado de forma differente da anterior. Gdr pardo 

escuro. Altura 0". 18. 
Museu Archeologico de Madrid. 

239 Yaso em forma de pS com outro calgado, cuja f6rma se assimilba a de uma 

alpercata. C6r uegra. Altura O™,!!. 
Museu Archeologico de Madrid. 

240 Yaso com aza e tubo conico. Cdres amarella, arroxado e pardo. Altura 0"',24. 

Museu Archeologico de Madrid. 

241 Yaso formado de tres fructas agmpadas, de entre as quaes sac o tubo cylin* 

drico, b6ca do vaso. Lavores em relevo. Cor preta. Altura 0'",24. 
Museu Archeologico de Madrid. 

242 Yaso. Fructo estriado, cujo pd eucurvado f6rma a aza. Cor roxa e cor de 

amora. Altura 0", 17. 
Museu Archeologico de Madrid. 

143 Yaso. Fructo de Cucurbitacea em cuja casca ba lavores em relevo, granula- 
res e a maneira de cintas. Cdr preta. Altura 0°,21. 
Museu Archeologico de Madrid, 

244. Yaso duplo: sao ambos espbericos com lavores em relevo, representando 
peixes. Na boca de um ba um macaco. Cor negra. Altura 0°*,15. 
Museu Archeologico de Madrid. 



SALA B 126 



VASOS DE BRONZE CHINEZES 

245 Utensilio sagrado; brazeiro perfumador; descansa sobre onatro pes: tern 

daas azas e tampa com abertos, que sustenta am dragao. Altara 0'",52. 
Museu Archedogico de Madrid. 

246 Utensilio sagrado; brazeiro perrumador; descansa em tres p6s; tem daas 

azas na tampa, a qaal sastenta um dragao. 
Museu Archedogico de Madrid. 

247 Utensilio sagrado; brazeiro perfumador; tem tres p^s^ na tampa roedores. 

Aliura O-jSO. 
Museu Archeologico de Madrid. 

248 Jarrao adornado com signaes caracteristicos e regulares. 

Museu Archeologico de Madrid. 

240 Jarrao com lavores em relevo, que representam animaes phantasticos. Al* 
tura 0-,38. 
Museu Archedogico de Madrid. 

250 Jarrao coberto de lavores irregulares e folhas. Altura 0",39. Fig. 169. 
Museu Archeologico de Madrid. 

*1 Jarrao coberto de lavores. Altura O^jSQ. 
Museu Archeologico de Madrid. 

'^i Grande vaso chinez de b6ca campanulada, com tres azas na parte inferior 
e na superior outras duas formadas por aves. Sustentam-n'o tres pequenos 
<lrag6es. Altura O'^fii. 

Museu Archedogico de Madrid. 

2M Contador de ebano com columnas e embutidos de marmore. Florentino. Se- 

Oulo XVII. 

Sr. Antonio DomingueZj Madrid. 



SALA <^ 



1 Costodia de oiro esmaltado. A base, de forma oval, ^ dividida cm pequenos 
quadros cheio< de flores e aves em altorelevo esmaltado; tern nofriso infe- 
rior, em leiras de esmalte branco, a segainte inscrip^ao : + o mvito • alto • pri- 

CIPE • E • PODEROSO • SEHOR • REI • d5 • MAN\'£L • I • A • MDOV • FAZER • DO • OVRO • I • 

DAS • PARiAS • DE • QiLVA • AQVABOv . E • cccccvi. DO 6 formado poF seis es- 
pheras. oorpo central, entre dois pilares on grupos de columnas com 
varios nichos, nos quaes estao anjos tocando in^trumentoft, sustenta o os- 
liario ccrcado pelos doze Aposlolos cru adora^ao, e cnroado per um grupo 
de sera[)hins. A parte superior oa cupula, tuda rendilhada, tern n*um es- 
pa^o a imagem do Padre Eterno com o globo na mao esquerda c aben- 
goando com a direita; no espago inferior esta suspens^a a pomba branca, e 
todo ^ cncimado pela cruz. Esta singular obra oe ourivesaria portugueza 
foi lavrada em Lisboa por Gil Vicente por ordem de elrei D. Manuel 
e segundo nm desenbo de Garcia de Rezende. peso do oiro regula 
por 30 maroos. Empregou-se n'esia pega o primeiro oiro que veiu como 
tribnto do rei de Quiloa. Foi legada em testamento por el-rei D. Manuel 
ao mosteiro de Belem. Allura O^jSJ. Seculo xvi. Fig. US, 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz, 

i Cniz relicario de oiro tendo no meio um crystal com um fragmento do santo 
lenlio. Na base, em esmalte, as armas reaes portuguezas, correspondendo- 
Ihes no reverso outras iguaes assentes n*uma grande esmeralda liemispherica. 
£ toda coberta de arrendados de oiro, com rubis, diamantes, esmeraldas, 
brilhantes, saphiras e perolas, send() algumas d*estas pedras de tamanbo 
pouco commum. Altura 0",64: largura nos bragos 0",33, na base 0°*,23. 
Pertence ao vinculo da casa de Braganga. Seculo xvii. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Luiz, 

3 Cruz processional de oiro. Na face principal tem engastadas cincoenta e seis 
perolas finas e dezesete rubis e sapbiras, onde se acham siglas arabes, 
chamadas talismans, cercadas de Gna ornamentaguo; na face posterior os 
symbolos dos quatro Evangelistas nos extremos da baste e bragos da cruz, 
e no centro o Agnus Dei % a Jegenda em nove linhas: dns sancivs rex 
ivssiT rnERi HAC4- ANO fcARNATioTs M • cc'- xiiii. Na cxtrcmidadc inferior tcm 



tiS SALA Gr 

uma e?pliera cobcrtn de filijrrana. Faltam n'esla cruz duas reliquias do 
santo lenlio que outr'ora teve. Pe«a 7 marcos e 5 uncas, abatidos ans 
siipportJ^s de [)rala dourada (juc Ihe pozerarn na parte inferior. Esta pe^a 
foi mandada fazer por el rei l). Sanclio I no sen te^lamento de meam ca- 
pellam et copam meiim auri. Allura 0™,(). Seculo xiii^ 
Sua Magestade El- Rei o Senhor D, Luiz. 

4 Bandeja oblonga de prata dourada tondo no fundo a figura da Asia coroada 

com a cal)0(;a de elepliante, na niao direila a cornucopia clieia de espigas, 
na esquerda o c^corpiao, ao iado uni leao, c no campo, junto a uma^ arvores, 
duas cobras e uma serpenle. Comprimento 0'",34. Seculo xvii. 
Sua Magestade El-Iiei o Senhor D. Luiz. 

5 Calix de prata dourada. A roda da copa tern a inscrip^Iio : salvtaris acipiam 

EN CALYC.M. Por baixo da legenda seis nichos, contendo cadaum dois Apos- 
tolus, e nos intervalios tinlinabulos. pe e a base sao cheios de orna- 
ruenta^ao e {6m baixo- relcvos represcntando o presepe, a adoragao dos 
Reis, al^uina< sceoas da Paixao de Christo, eic. Altura 0°*,3d5. Bello 
irabalk) artistico do seculo xvi. Pertenoeu ao ooBventu da ordem de Ghristo 
4e Thomar. 

Sua Magestade El Rei e Senhor D, Luiz. 

6 Salva circular de prata dourada, representaiido em dois eircalos palmeiras, 

(^lepbantos e a:>sumptos de caca, que parecem_referir-se ao Oriente; do centro 
as armas portu<(uezas com a rorua abcrta. A roda do pe, que 6 moito curto, 
desenhos iguaes. Diametro 0'",32. Seculo xvi. Fig. 6. 
Sua Magestade El-Rei o Senkor D. Luiz. 

7 Ghavena com pires e eolher de prata, em parte dourada, tendo entre varios 

oroatos avcs e paizageos. A collier tern as figuias de uma mulber e uma 
serpe. Serulo xvii. 

oua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

8 Cofrc de prata lavrada tendo em dma da tampa o cordeiro sobre o livro e nm 

circulo de rosctas formadas por crystaes de c6res; em baixo, entre quatro 
pila^'tras, medalboes com o pciicano, e outros emblemas da Eucbaristia. Al- 
tura 0'",26; comprimento 0'",2I. Seculo xvm. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

9 Saka dc prata levantada e dourada. Os brores da borda represealam folha- 

^ens, fruclos, animaes fabulosos, etc. centro € levanlado e torn oito me- 
dalboes com ^uerreiros em attitude de combate ; no ciroo urn escodo, com o 
brazao apagado, e tendo uma aguia por timbre. Diametro 0"',435. Se- 
culo XVI. 

Sua Mageitade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

' En um inan)i!>n*ip!o r<*>'lrne(>nl(> a iaroyx dc Snnta Crnz do Gnimhra, mlilohdo Iniice Dmmnal das 
Santas Retiqidas do imiijn^ Sanctuavio do heal Mo%ifiro de Santa Cruz de CotrnMn, feito ii«> anao de 17^3y 
\an menrionaila ccia ciu jtc'Mi •p^nrnii's <<Tmiis: «l>oi!i ^ranttn (•nJa^H do liunum cnuis, mm laaior que 
duas |iolirfradas, o .inii»os dn ^.TONSura dn 5.* {uirlo d«> uma: hj(td e<ta inM?«ic icliquia dm ni de uin chris- 
tal ovado no meio do uma cnt/. dc nnro inacisso. qnasi de dois (mLhus u HMrio, cwii \anos lavores, aJjofres 
(al^ms timi gr^nit^^j c ocUias (tcditas luvrjdas dc \artns mres .. .*. 



SALA G 129 

10 Peqoeoa salva de cobre e&malta(k>, obra M Limoges, eora uma phMcira no 
fuiido que repre^seuta Sataoaz tentando Chri^to no deicrto. DiaflEketroO"",!^. 
Secfflo I VI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhoi'' D, Luiz. 

tl Salva de prata doorada. Os larores da borda representam homcns c varies ani « 
mam^ etn parte fabulosos. No ceiitro uma flor cereada por k>lbageBS. Dia- 
metro 0",z&. SmuIo xvi. 

Sua Magestade a Bainha a Senhora D. Maria Pia, 

12 Bacia do barba e jarro com forma de buzio, servindo-Ibe de aza dois golpbi- 
e nlios earoscados. A bacia tern na borda, entre duas aias de ave, am eseado 

13 ( oval com o brazao da^ armas portagnczas. Seecdo xyni. 

Sua Magestade Elllei o Senkor D. Luiz. 

14 Culker de prata, taado jssta da omeha ufna corredt^a para se poder dobrar. 

cabo e oroamentado e serve-Ihe de remate o busto de um guerreiffo. Se- 

CUlo XVI. 

Sua Magestade El-Rei o SenJior Z). Luiz. 

15 Croz de oiro esmaltado, tendj na face anterior sete esBieraldas e, como pin- 

geotes, tres perolas. AUnra O^jOlK Seculo xvi. 
Sua Magestade a Rainka a Sevkora D, Maria Pia, 

t6 Relicario oval Ad oiro esmaltado, com di^eos de vidra, Usido em nma das fa« 
res pef|ueDos fragineiitos de ossoh de santos, com os Domes escriplos em 
lamiiias de oiro, e da outra uma pintora repmentando Nossa Seahora com 
Menino, ao (jual S. Joao Baptista oCercoe rartos frnctos. Altara O^'yOSo. 
Secul.» XVI. 
Sua MageMade a RaimfM « Senhora D. Maria Pia. 

17 PiDgonte de oiro esmaltado represealaiido oma sereia, tend^ eogastada uma 

agaiha, vinte e tres granadas c tres perolas. Altura 0",!. Seculo xvi. 
Sua Magegtade a Hainha a Senhora D. Maria Pia. 

18 Ohapa de boldrie, de prata, com as armas luillandeza*, jinspensa em uma ca- 

deia de oiro em fusis. A eiiapa tem na oria fitas de prata com este lelreiro: 

PRO HATRIA ET SOCIET IND ORIKNTl. 

Sua Magestade Elliei o Se-nkor D. Luiz. 

19 Caiix de prata dourada. Na cjpa, maito ornamealada, seis aojos que segnram 

tiDiioabulos; o no formado pur varios niciios em que estao os Apostolus: a 
ba»e, de varia oroamentaciio, cimtem as imagens dos quatro Evaogelis- 
taj», Nossa Seobora e Santo .\ritoniu. .4llara 0"*,3o. Fini do seculo xvi. 
Sua Magestade El-liei o SenJior D, Luiz. 

' 3io tempt) pfn one PArtnt^tl aiidava em ymertA ntm a Hdllanvta, foi daifa nlA chnpa pelo ffovpmailor de 
"Qmapo^scssao holi.-i(hl>za na India a nn« naitrijjns portii^'nczt^s para llies scrvir d* salvo conduclo no en- 
^oniifl (I.) anna la iniini^i ; o vire-rvi da India ifevol\Pu-a com uma carta do a}.'r:"leciiiJOf»lo, i* l»'ndo sido con- 
»T.»l:i pn|„j) rii>s:endcitios do govcmador iioibnJez, foi ba poucott auooi oOtireeiti.i a bua Jld;igcsUde El Rei o 
^catjor U. Lau. 



130 SALA Or 

20 Bandeja oblon^a de prnta dnuradn, tendo no fund) a Ggura da Europa, a qua) 

sustenta com a mao direita uma igreja ; embleinas da santa se, oas scien- 
cias, arles, etc. Similhante a bandeja n.° 4. Comprimculo 0'",34. Seculo 

XVII. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor Z>. Ltn'z ^ 

21 Jnrro de prata lavrada em espiral, tcndo na frontc as nrmas portu^aiezas aber- 

tas a buril e na parte opposta a aza formada peia figura de um ^tyro Al- 
tura 0",44. Sceulo xviii. 

Sua Magestade Elliei o Senhor D, Lulz. 

22 Livro em pergaminbo com illaminuras, tralando do varios assumptos de me- 

dicina, etc. Seculo xiv. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

23 Gomil de prata dourada, lavrada de arabescos e carrancas. A aza tern a rorma 

de serpente. Allura O^jSo. 

Sua Magestade El-Iiei o Senhor D. Luiz. 

24 Bacia de prata, tendo no centro um medaUiao circular com biisto de mulher 

de cabellos levantados e cravando uma espada no (leito. Diamcm) 0'",425. 
Seculo XVII. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

2o Gomil de prata dourada com carrancas e outras omanienta^des. A aza, muito 
levantada, representa uma serpente com duas cabe^as, quatro pares de azas 
e duas caudas. Altura 0",47. Seculo xvii. 

Sua Magestade a Rainha a Senhora D. Maria Pia. 

2G Clariin de prata com ornatos dourados e na parte inferior a legenda d. ioseph. 
I. D. G. PORT- ET. ALG. BEX. 1761. Comprlmento 0"',72. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

27 Patena de prata dourada, tendo no centro a imagem de um santo e na oria o 

letrciro ave marya prena gracva domi. No reverso obrazao dearmasdaor- 
dem de S. Domingos. Diamctro 0",2. Seculo xvi. 
Sua Magestade EURei o Senhor D. Luiz, 

28 Jarro de prata lavrada igual ao n.^ 21. Seculo xviii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

29 Cofre de prata dourada e rebatida. Nas faces anterior e posterior um niche a 

cada canto, formado por columnas com capiteis c por cima dois anjos sus- 
tentando o escudo das armas o por traz do escudo gravadas duas setas, liga- 
das por fitas e encimadas pela corda real. Cada nicbo contem a cstatueta de 
um Evangelista. Nas faces do cofre quatro baixorelevos representando a 
Ceia do Senbor, o osculo de Judas, a orai^ao no llorto e o encontro da ve- 
ronica. No friso superior esle lelreiro: sanctvs sanctvs sanctvs dominvs 

' ^im MapcsUidc possDC mais daas bandojas similbanlos, rrjas fi^uras rrprcspDtnm uma a Africa c a oa- 
tra a Amonca. 



SALA G 131 

DEVS SABAOTH PLENI S\'NT COELI ET TERRA MAIKSTATIS GLORIAE TV^. No de baixO.* 
DAT PANIS COELICVS FIT GVRIS TERMLNVM PANI8 ANGELICVS FIT PANIS HOMINVM. 

A tampa, composta de qiiatro faces, representa em quadros o Calvario, o 
descimento da cruz, Chrisio nos bragos da Senliora, e a deposiyao no tunuilo. 
Como remate, o Senhor resuscitado sobre uma peanha, onde se v^ a legenda: 
RESVREXIT sicvT DIXIT, e Da parte posterior allelvia allelvia. Internamente 
alguns oraatos a buril e uma iascripgao. Comprimento 0'°,36; largura 
0'",25; altora 0"»,42. Seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senlwr D, Luiz, 

30 Relicario de cobre dourado, formando uma cupula rodeada de nichosrendilha- 

do?, com estatuetas de santos, sendo algumas de prala. Estylo golbico piiro. 
Na base em medalhoes o busto do Salvador, esmalles, coralinas, etc. No 
cirao Christo crucificado. Allura 0°',48. Seculo xvi. 
Sua Magestade El-Rei o Senlior D. Luiz. 

31 Cruz processional de cobre com gravuras que representam n*uma face Cbristo 

crucificado, os emblemas dos Evangelistas, e por cima do Cbristo a le^^en- 
da : ihesys nazaren' rex ivdeorvos ; na outra o Agnus Dei e arabescos. Es- 
tylo bysanlino. Altura 0°*»55. Fig. 4. 
Sua iiagestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

32 Pyxide de prata lavrada. Na base os emblemas da Paixao. n6 com tres se- 

raphins, e a parte inferior da cr pa e a tampa ornamentadas de seraphins, 
ilores c arabescos. Como remate um crucifixo sobre um pelicano. Altura 
0-,45. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

33 Pyxide de prata dourada, tendo na parte superior do pe tres anjos com os 

bragos levantados como sustendo a base do bostiario. Tampa eneimadape la 
cruz. OrnamentaQao de medalhoes e cherubins. Tem engastadas muitas pe- 
dras brancas e vermelhas. Altura 0'",49. Seculo xviii. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

34 E^crivaninba de oiro com ornatos de applicagao ediamantes cravados. Fins Jo 

seculo xviii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

3o Calix de cobre dourado. Na base flores de liz gravadas e no friso inferior ao 

n6 letreiro em gothico + ave maria gratia plena dns tecvm. Em o no seis 

medalhoes com bustos de Fantos, em prata. A parte ioferior da copa cer- 

cada de serapbins. Vestijiins de esmalte. Altura 0"",23. Fins do seculo xv. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

36 Prato de prata rebatirla. Na oria guarnigoes d3 conchas. Na facha circular es- 
tao representados di versos animaes, alguns fabulosos, e homens comhaten- 
do-os. No centro um florao. Diamelro 0'",26. Seculo xviii. 
Sua Magestade El Rei o Senhor D. Luiz. 



132 bALA G- 

37 Sellos em praU das tm crdens mtlitarei portuguozas ie Giiri^to, Aviz e S. 

TliLa^o. Sff tik> XYUE. 

Sua Magatade ElRei o Senhcr D. Lviz. 

38 Ger^s^ira da armaiiara de Fraiu^isco I, cm dhias pe^as. Tanto a do pcho ccnia 

a dias C(>^tas tem roprcyeutadi) em bnixo-relevo o a»<talto a nmn praca de^ 
gaerra, fazpndo-pe o ataqae tambenj em barcospelo laA) de urn lio. fundo. 
das pecas e praleado; as armas, arreios e banueiras dourados, e os aoimaes 
e guerreiros em esruro. Por deniro e forrada de velado canmsim li n*oma. 
das pegas ej^ta bordado o drapao com uma eoroa por cima e o di<iieo: 
K\TRi8co ET EXTiNGvo, na outra a coroa real. Seculo xvi. Fig. 8 e 9. 
Sua Magestade ElRei o Senhor D. Luiz. 

39 J 

/ Deis torques celtibericos de oiro com ornatos toscos. For am enccntrados pro* 

^qJ ximo de Vizeu. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Luiz. 

41 S^flo em laUio, da univer?idade de Evora, tcndo gravadas as armas reaes coni. 

a corua aberta, eneimadas pelo cbapea cardinalicio e pcia pomba, symbola. 
do Espirilo Santo. Na orla a lejreDda selo da v^iversidade de evora. Per- 
tenceu ao cardeal rci D. HeDriijiie. Secalo xvi. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

42 Livro de boras cmn as marp:ens illuminadas e trinta e nove estamfvas d«^ niinia- 

turas cxiloridas. Encadema^ao em vehido azul bordade a Ou de oiro ; no^ 
meio das capas as armas portnguczas em oiro esmaltado e craTejado dt? bri- 
Ibantes ro>as e rubis; aos oiio cantos ramo» de oiro com iguaes pcdras^ 
e bem assim no feeho que aperta as folhas. As illuminuras do pergamioho- 
do seculo XV e a encaderna^ao do sccnio xviii. 
Sua Magestade El- Rci o Senhor D. Luiz. 

43 Jarro de prata dourada, coherto de ornatos e foIha;?ens. Aza formada por uma. 

figura fabulosa recoi'tada; tanipa com forma de concha, e na parte ante- 
rior as jirmas reaes porlnguezas. Altura O^j^G. Seculo xviii. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

44 Relicario de cobre dourado cncimado por uma cupula pyramidal rematada 

por uma cruz. Seculo xv. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Lviz. 

43 Caixa de prata col)crla de filiirrana do mesmo metal. Gompriment) 0",I8. 
Sua Magestade El- ltd u Senhor D. Luiz. 

45 Caixa de murta com fecliadara e guarni^ocs de praia. Compriii:ento O",!?. 

Seculo xvH. 

Sua Magestade El Rei o Senhor D. Lviz. 

47 Cruz de madeira com os reraates da lia>te c dos brn^os encastoado* em prata 
dourada. K taaibem Ae prata <io4irada a itna;:em de Cbristo erucificado. 
Stia Magestade El Rei o Senior D. Luiz. 



SALA G laa 

4S Tt ipiyco bysantino de latao com bastos de santos, era haixo-relevo, e restos de 
esmalte.^ axoes c braiM*cK>. Comprinionto, i|naiitlo abeitu, C^^iSS. 
Sua Magestade El Bet o Senkor D . Luiz . 

49 Custodia de cobre doarado, estylo p^olhiro. p6 tern seis i^omos com graviTras^ 
de arabescos. lio<tiario e ladondo por pilarcs acorucbeados^, aos quaes ^c 
eneostam dnas estatuetas. Snpenoniienfe ootros pilares similhantes que se- 
ligavani aos lateraes, por meio de rendilbados, de que apeaas restam fra- 
ginentos. Aitara 0",44. Secolo xv cii xvi. 
Sua Ma^ade El-llei o Srnhor D, Luiz. 

50 Cofre by<aulino de madeira forrado de cobre csnialtado, lendo do cadalado ?ois^ 
quadros represcnlando anjos b passos da Escriptura. N'uma das faces la- 
teraes, que serve de porta, a G,ii:ura de S. Pedro, e na opposta varies per- 
sonaji:ens com lorbas. Comprimenlo 0",5oo e altura 0",i. Fig. 3. 
Sua Mage$tade El Ret o Senhor D, Lniz, 

51 Fructeiro de prati dourada c levanlada. A bc)rda,dividida por oito pilastras, ten* 

outros tiDtos baixo-rclevos represenlando naus, em cujas velas desfralda- 
das so \6 a ernz da ordcin de Cliristo; uma pra^a sitiada; combate de ca- 
ralleiros a espada e a hnca; embaraue para armada, etc. No fundo nior- 
ticinios; scenas em (]ue (iguram diabos, etc. ceiUro, levantado, tern oia 
roda ^'uerreiros a cavallo com as lan^as em risto, e no cimo urn meda- 
Ihao com dois caralleiros combatendo a espada n'uma floresla. Diametro 
0",5i. Seculo xvi. Fi^. 5. 

Sua Magestade El-Mei o Senkor D. Luiz. 

52 Par dc casiijaes de prala; haste vasada, base lavrada com medalhoes conlendo 

diversA-^ iiguras e pnizajjeiis. Altura 0"',31. Seculo xviii. 
Sua Magestade EL-liei o Senhor D, Luiz. 

53 Jarro formado por um bu<io de madreperola com pe e omamenta^oes de prata 

bronzeada. Na base um satyro sustenlaudo o busio sobre a cabe^a. Al- 
tura 0'",36. Seculo xvi. 

Sua Magestade ElRei o Senhor D. Luiz. 

54 Salva de prata levantada e <1onrada com a oria rendilhada. A borda tem qua- 

iro pila>tras, separanilo oulros tantos baixo-relevos, que represciitam varius 
assuniptus: um rei coroado e empunbai.do o sceplro, Jadeado de homons 
de annas, e tendo adianto um pagemajoelhado qtie liioolTereceumgomii; 
varios guerreiros com duas pei^as de artillieria em frcnte de um castello, 
lefidi> em uma das torres uma donzolla; varios personagens junto de dois 
eruciticados; jruerrriros a cavall*) eond»aleiiilo a lanca. Ocentro e levanta- 
do, e abi se v6em reprps»*ntados um rei c uma rainha, tendo junto dois pa- 
gens tocando instrum'.'nt)s; um rfi tendo juntos tre-^ Trades, um dos quaes 
esli prostrado perante ello, etc. No cimo um modalhao com as armas dos 
dufjues de Cadaval, ()0<to cm ffiocba pcslorior. Diametro 0",34. Seculo xvi. 
Sua Magestade LI Rei o Senhor D. Luiz. 



134 SALA G 

S5 Tres meHalhoes de porcelana, lendo um o busto de D. Maria I, oatro o de 
D. Joao VI, e o terreiro o de I), Carlola Joaquina. Seculus win e xix. 
Sua Magestade Elliei o Senhor D, Luiz, 

06 Medalba em porcelana, representando n'uma das faces um cavalleiro com a 
legenda: real estatua equestre de s. magestade pmELissiMAD. ios£ i. Na 
outra face, em dez linbas, com moldura de arabescos : pRiuEmA porcelana 

ACHADA EM PORTUGAL EM 1773 DESCUDERTA PELO DRIGADEmO BARTIIOLOMEU DA 
COSTA NO MBSMO TEMPO EM QL^ CONTINUAVA TRABALHO DK FUNOm A REAL 
ESTATUA. No eXf»rgO : GRAVADA no arsenal real DO EXERCITO. lOAO DE FIG°^ 

Diamelro 0",077. Seculo xviii. 

Sua Magestade El-Rei o SerUior D. Luiz, 

37 Placa de porcelana, tendo de um lado as armas reaes de Portupl e o lelreiro 
LiSBOA 1773, e do oulro, enlre varia ornamenbcao, a legenda: descuberto 

PELO TinSN* CORONEL BARTHOLOMEU DA COSTA. SeCUlo XVIII. 

Sua Magestade ElRei o SenJior D. Luiz, 

08 Quadro em porcelana reprosenlando n'uma face a estatua equestre de el-rei 
D. Jose e o apparelbo que a collocou sobre o pedestal. Tem a seguinte le- 
genda : FUNDIDA EM 15 DE OUTUBRO HE 1774. SUSPENDIDA EM 20 DE MAIO DE 
1775. COLLOCADA EM 26 DE MAIO DE 1775. ABEUTA COM ASMSTENCIA E DESE- 

NHO DO INVENTOR 1775. No fevcrso, CHI vinlc linbas : maquina com que se 

SUSPENDEU E ELEVOU POR UM ANGULO RECTO FORA DA CASA DA FUNDIQAO PARA 
SE POR NO CARRO DE TRANSPORTS A REAL ESTATUA EQUESTRE DE S. MAGESTADE 
FIOELISSIMA SENIIOR D. JOZE PRIMEIRO, FUNDIDA DE UMA SO V£Z SEM A UENOR 
FENDA EM A REAL FUNDIQAO DE ART."* NA INTENDKNCIA DO TENE" GENERAL DA 
ARTR.* DO REINO MANOEL GOMES DB CARV." E MLVA, INVENTADA PELO BRIGA- 
DEIRO BARTIIOLOMEU DA COSTA PRIMEIRO QUE EM PORTUGAL ACHOU A PORCE- 
LANA E DESCOBRIO ESTA NO MESMO TEMPO EM QUE IDEAVA E CONTINUAVA TRA- 
BALHO DE FUNDIR A REAL ESTATUA. No CXOrgO I LISBOA GRAVADA NO ARCENAL 
R. DO EXERCITO POR JOAO DE FIGURIREDO. SeCulo XVIII. 

Sua Magestade ElRei o Senhor D, Luiz. 

59 Cruz c galbetas deagatba verde, adornadas de filclcs, folbas e rosetas de oiro, 

contcndo quasi todas as ro<eia>i e folbas, na cruz, um rubi pop facear, e 
nas galbetas um rubi ou uma sapbira. A cruz tem de um e outro lado, so- 
brc uma cbapa de prata dourada, na junccao da baste com os brago<, uma 
pequena reliquia. Trabalbo indo-portuguez. Seculo xvn. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz, 

60 Salva de prata donrada, com lavores em baixo-relevo. Os do fundo represen- 

tam a frota de Vasco da Gama entrando o porto de Melinde e vindolbe ao 
enconlro a Fama n um carro puxado por dois elefantes. No bordo lem as 
letras A P (talvez iniciaes do nnme do arlisla (jue a fez) e um navio, contra- 
marca do contraste da cidade de Lisboa. f»6 e formado por tres sereias 
entrein^adas pelos bragos e caudas ecollocadas sobreumacuucba. Diametro 
O^jSia. Seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei a Senhor D. Luiz. 



SALA G 135 

61 Fracteiro de prata Icvantada e doarada, com rcndilhado na orla. Os baixo- 

relevos da borda represenlam Julin Cesar ao approximar-se triumphante 
das portas de Roma, acompanhado de grande auniero de cavalleiros, peoes, 
guerreiros e escravos com armas, despojos, bandeiras, tropheus e coroas. 
ceDtro e levanlado tendo varias annas, palmas e bandeiras formando tro* 

Sheus, etc. No cimo o brazao de armas da familia Alcoforado. Diametro 
'»,3o5. Seculo xvi. Fig. 7. 

Sua Magestade Ei-Rei o Senhor D. Luiz, 

62 Calix de prata dourada. Na copa. em quadros separados por anjos com tinli- 

nabulos, a Ceia do Senhor, Ghristo no Horto, o osculo de Judas, o a ida 
para o Calvario. Por cinia a l»*genda + calix domini : inebrians : qvam : 
PBECLAUVs : EST. n6 formado por duas ordens de nicbos com os doze 
Apostolos. Na base, entre varia ornanienta^ao, quatro santos, sendo tres 
mitrados, e a legenda + avgysti : sangvine + domini + pvrgamvr +ab omni 

DELICCTO + HIERO iji SANGVINEM J DOMINI + SACERDOTES + DIVIDVT + P0P\XIS + EIVS 
+ GREOu J SANGVIS lESV + MELIVS + LOQVITVR J QVAM ij; ABEL t AMBUO + SIC J 
VIVE i VT i QVOTIDIE "^ MEREARIS + ACCIPEHE. AllUra O^jSo. ScCUlo XVI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

63 Salva de prnta lavrada e donraJa, com rcndilliado na orla. Na borda, em 

baixo-relevo, grupos de guerreiros arniados, cavallos, barracas de campa- 
nba, TortiQcai^oes, mu.^^icos, bandeiras, tendo uma d Vilas as quinas porta- 
guezas. centro levantado, tendo em volla um castello, crean^as brincaudo 
entre folhagem e no cimo o escudo da familia Alcoforado. pe ^ tanibem 
lavrado com varies ornatos assim como a face inferior. Diametro 0"',34. 
Seculo XVI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz, 

64 MaQa de bronze com haste c argola de fcrro. A parte principal 6 formada por 

seis quartellas, ires das (juaes {6m duas ponlas ou biros cada uma. As res- 
f antes t^m cada uma sua cabega de ave. Comprimento 0'",6. Seculo xvi. 
Fig. 2. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Lutz. 

6o Espora de bronze, cuja roscta tcm seis grandes puas alternadas com seis ala- 
bardas. Seculo xvii. Fig. 2. 

Sua Magestade El-Rei a Senhor D, Luiz. 

66 Acicate de bronze, cuja pua assenta sobre a cabega de uma figura de phanta- 

sia. Seculo xvi. Fig. z. 

Sua Magestade ElRei o Senhor D. Luiz. 

67 Alabarda de ferro com a machadinha arrendada. Comprimento 0",695. Se- 

culo XVI. Fig. 2. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

68 Salva de prata dourada com a borda recortada. A sua principal ornamentagao 

consiste em anjos e figuras niythologicas, dois escucletes com a cruz da or- 
dem de Christo e duas urna's. No mcio em piano levantado as armas do 



136 SALA O 

reiiio encimadas pelo cbap^u e cordoes de cardcal. Diamelro0",3l. Se- 

CUJo XVI. 

Sua Magestade El-Bet o Senhor D. Luiz. 

60 Pyxide dc prata dourada com ornatos de flores, folhas c fructos. Na tampa^ 
rematada por uma corOn, tres serapliins. St'culo xvii on xviu. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

70 Caixa de madeira amarella com embutidos pretos. Na tampauma cavidade, co- 

beria com vidro, oiide sc represciila, em relcvo, uma cidade cereaiia por 
uin rio, e um corpo de tropa formado irum canipo conliguo. Secalo xviii. 
Academia Real das Sciencias de Lkhoa. 

71 Caixa de oiro com e<maUes vermelhos, e por dentro foirada de tartaroga. 

Sr. Ajfonao Bairadas. 

72 Figa em azevirhc com o pulso eneastoado em prata. Secolo xvm. 

St\ J. Fafe, Lamego. 

73 Caixa de rape, de oiro, com uma sanguinea na tampa e outra no fundo. Scculo 

XYIJI. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

74 Caixa de rap6, de prntn, com fi^niras chinrzas cm haixo-relevo, represeclando 

a paz, e a j^.uerra. Fui fella na China. Secnio xviu. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

73 Caixa de rap^, de tarlaru.i^a, loinio na tampa umapaizagem com esmalte, cer- 
cado de utn aro de oiro. Seculo xvin. 
Sr. Duarte Huet Bacellar, Porto, 

76 Caixa de rap6, de oiro, cujos lavores itnitam o encanaslrado de um cesto. Se- 

culo XVIII. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

77 Caixa de rape, de tartarnga, ci>m arabescos de oiro encrustados. Na tampa, no 

meio d'el'es, dins caes perseguiiido urn ve:»do. Seculo xvui. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

78 Caixa de rapcJ, ^rande, de prata, com lavnres em relcvo. Nalampaum brnzao 

de armas corn coroa de dmiu-*, enlre dois leOes rompantes. No ladodcbaixo 
um vaso de flores entre duas sereins. Seculo xviu. 
Sr. Antonio Bernardo Ferreira, Porto. 

79 Caixa de rape, de madreperula, com lavores cm mcio relcvo, emnniMnrada era 

oiro. Seculo xviii. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Poito. 

80 Caixa de rape, de oiro. Tem na tampa, entre oulros lavores c em baixo-relevo, 

busto de um monarcba. 

Sr. Manuel Timotheo de Andrade Yalladares, Porto. 



SALA G 1%T 

81 Caixa de rap6, de oiro, i.blonga, com clinrnoira. Entre varios omatos a huril^ 

instrumcntos de umsi<'a. Na f»arte posterior, uma inula faz abrir uina pe« 
queDa tampa que paleiiteia uin relopio. Sccuio xviii. 
Srs. Comies da Praia e de Monfotte. 

82 Caixa de oiro, olilonp, cobcrta de ornatos do mosmo metal, cm fosco. A lam- 

iia, presa a ch.uucMra, tein urn busto de mulher Fcjrurando uma pyia. Na 
Dorda um lago de diainantes cravadus om prala. Secula xvm. 
Sr.' D, Amelia Pereira Campos, Lisboa, 

83 Caixa de rape, dc oiro e esmaltcs, de furma oval. No meio da tampa uma pai- 

zagem corn fi^uras. Fins do seculo xviii. 

Sr. Henrique Fernandes de Sousa, Porto» 

84 Caixa de oiro esmaltada de azul, tendo na tampa uma miniatura que ropre- 

senta um vollio acolbendo nma crean^a, e ao lododuas figuras. SecLJoxvai. 
Sr. Fernando Paiha, Libboa, 

85 Caixa de rnp4, de cobre esmaltado. Na tampa varias figuras atrave^^sando um 

rio. Seculo xvm. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

86 Caixa de rape, de prata e e^malte. Exteriormcnte 6 de esmalte azul fcrrete, 

com lavores relovados braneos. Seculo xviii. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto, 

87 Cofre de pnrcelana com guarni^oes de prata dourada. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto, 

88 Oculo de tbcatro, guarnecido de uma corcadura de cobre dourado, com lavo- 

res vasados e oilada de granadas. Seculo xvm. 
Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

89 Caixa de rape, de cobre lavrado e donrado, com duas tampas. Na primeira um 

baixorelevo represeiUando o bapiismo de Jesus no Jordan. Abeila, palen- 
teia-se a segunda tampa, tendo no meio um relogio. Seculo xvii. 
Sr, Jeronymo Pirnentel, Braga, 

90 Caixa de rape, de serpentina, comcaixilbos de oiro. 

Sr. Francisco Xavier de Carvallio, Mofra. 

91 Caixa octogona de rape, de ag.iiba escura, com guarnicoes de oiro fusco, crave- 

jadas de pedras. Inlenianieitle fi.rrada de oiro. Na tampa lun mcdalliao 
com um esmalte, repre?entando uma itnptralriz. 
Sr.* Condessa da Anadia, Libboa. 

92 Caixa de rape, rednnda, em tartaruga, tendo na tampa um raixilbo de metal e> 

sob vidro, os retratos em miniatura, a cures, dc Luiz XVI, Maria Autunieta^ 
o Delphi m e a irma. 

Mitra Patriarchal de Lisloa, 



138 SALA Or 

93 Caixa de oiro esmaltado de azul, oblonga, com charneira. Seculo xviii. 

Sr. Miguel Osorio Cahral de Castro, Coimbra, 

94 Caixa de marfim com guarni^ocs e charneira de prata. Na tampa um baixo- 

relevo representando Judith tcndo cortado a cabc^a de Holofenies. Secalo 

XVIII. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

95 Caixa oblonga de oiro coberta de esmalte azul. Na tampa tem plntada uma 

rrean^a Icvantando um cesto com dois pombos para os livrar de um gate. 
Seculo xviii. 
Sr. Manuel Cahral de Maura Coutinho de Vilhena, S. Silvestre, distri- 
do de Coimbra, 

96 Paliteiro de agatha e oiro. Dizem ter pertencido a princeza D. Maria Fran- 

cisca Benedicta, irma da rainlia I). Maria 1. 
Sr. Marquez de Penalva, Lifboa. 

97 Caixa do rap^, de oiro, tendo o fundo e tampa de esmalte preto. Na tampa 

varios omatos de applica^iio de prata com brilhantes e rubii*. Na parte in- 
terna da tampa Cupido montado n'uma aguia voando, tendo porcima a le- 
gends : L amour triomphe sur tout. 

Srs. Condes da Praia e de Monforte, Lisboa. 

98 Caixa oblonga de rap6, em prata dourada, coberta cxteriormente de ramagens 

e fl >res de liligrana do niesmo metal. Tern charneira. Seculo xviil 
Sr. Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra. 

99 Pequena caixa de prata com a Torma de um caracol, com (ina ornamenta^ao. 

Seculo xviii. 

Sr. Fernando Palka, Lisboa. 

100 Caixa de rap(^, de oiro, com esmaltes, e na tampa uma miniatura represen- 

tando um cavalleiro junto de um rio ca(;audo com um falcao. 
Sr. Wenceslau Cifka, Liiboa. 

101 Caixa de rap6, de oiro, com esmaltes azues e perolas. Na tampa uma minia- 

tura representando Jupiter e L^da. 

Srs. Condes da Praia e de Monforte, Lisboa. 

102 Frasco de crystal com omatos de applica^ao de prata dourada. 

Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

103 Caixa de rap6, de oiro, com alguns flletcs de esmalte azul. Sobre a tampa 

um esmalte representando Icaro e outra figura atandoihe as azas. 
Sr.' Condessa da Anadia, Lisboa. 

104 Estatucta de coral, representando um bispo. Tem por baixo uma fita com 

esta legenda : in medio positvs quo mb verta. Pedestal de marfim. 
Bibliotheca publica de Evom, 



SALA Or 139 

105 Relogio de algibeira, do feitto de urn cora^ao. As costas sao de esmalte azul, 

com urn ramo de prata cravada de pedras brancas. Seculo xviii. 
Sr. Antonio Joaquim da Silva Belleza, Porto, 

106 Caixa de iparfim Torrada interiormcnte de tartaruga. Na tampa urn ramo de 

flares feitas do pcquenas conchas e busios, as>eute em ?eaa bordada com 
passaros c resguardado por um vidro. Seculo xviii. 
Sr. J. Fafe, Lamego, 

107 Caixa de vidro, para rape, com tampa de oiro, na qual se representa um 
pastor gaardando gado. 
Mitra Patriarciud de Lisboa. 

108 Caixa de rap^, de cobre dourado. Na tampa um baixo-relevo representando 

am cavalleiro combatendo um touro. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

109 Caixa de rap^, de oiro. Na tampa um baixo-relevo representando Neptuno 

e Amphitrite. monstros marinfios e oatras figuras. 
Asylo du JHendicidadej Lisboa. 

110 Caixa dc rap6, de prata dourada, com arabcscos e figuras. 

Sr. Macario de Castro, Lamego. 

111 Caixa de cobre esmaltado de branco com ramos de flores de cores diversas. 

Bibliotheca Nacional, Lisboa. 

112 Caixa de rape, de prata, tendo na tampa em baixo-relevo o carro da Indus* 

tria com os emhiemas da navega^o, do commercio, etc. 

&r. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

113 Caixa de rape, de oiro, com lavores representando faxas encruzadas. 

Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

114 Caixa para rap6, de oiro lavrado de arabescos. Tem um relogio. 

Sr. C. A. Munro, Lisboa. 

115 Caixa para rap^, de prata branca e dourada, cuja tampa tem lavores em bai- 

xo-relevo. 

Sr.' Condessa da Anadia, Lisboa. 

*1^ Caixa para rap«^, de oiro ondeado com varios lavores nas orlas e tendo nas 
faces quadros pastoris e varios emblemas. 
Sr.' Condessa da Anadia, Lisboa. 

" Lecjue com varetas de madreperola, pela maior parte representando grupos 
de figuras e arrcndados coberlos de douraduras. Panno de pellica com ires 
medalhoes pintados : no do meio um grupo de chinas, no da direita o re- 
trato de uma europeia ladeada por dois chins, no da esquerda o deum eu- 
ropeu ladeado por duas chinas. Trabalho da China. 
Sr.' D. Virginia Carlota dos Santos Abreu, Lisboa. 



140 SALA O 

118 Leqaft de varolas de marfim com fivruras la-radas e pinturas a cdrcs. 

[Kinti^ e de papel ccitii pintiira (iiia do paizngein e figuras. Seculo xviu. 
Sr' D. Camilla lUbeiru de Faria, Porto, 

119 Lcqiio dc varetas de mnrfim arrendadas e doaradas, com Cupido^e cora- 

^*nes ligados. Panno do ppel [lintado com vistas de jardim e grupos pas- 

Si\' D. Maria E. Guedes, Porto, 

120 Lpque de varetas de tnadreporola arrendadas e dourada?, representnndti 

varias (igaras e urn mcdalliao; e igual nas varetas ao n.* V3i. panno 6 
de papcl com paiza^^eiis e fi;;uras. 
Sr. Visconde de Negrellos, Braga, 

121 Loque de varetas de lartaruga com figuras c lavorcs dourados e vasados. 

Panno dc papel com dilTerenies pinturas representando as quatro esta^ucs. 
Seculo XVIII. 

Sr.' D, Camilla Ribeiro de Faria, Porto, 

122 Le.iae do inverno em marfim, com as varetas de dentro recortadas e arren- 

dadas em flares coioridas e ornalos dourados. As do fora sao de oiro com 
perolas, nil)is, esmeraldas e brilliantes. Na parte que ropresenta o panno, 
I'm duurado, um inandarim conduzido em palan^juim, uni elephaote, etc. 
Secuio XVIII. 

Sr Fernando Palha. 

123 Lcjue de varetas de marfim arrendadas com tres medalliHes com figaras. 

Panno dc papel, cuja pintura representa um sultao a cavaiio acompanhado 
de varios pcrsonagen<. 

Sr.' D. Helena Maria Pereira Coutinlio, Lisboa. 

124 Lcque de varetas de tartaruaa rendilliada e com figuras douradas. Panno de 

seda com tres medalhoes tendo o do meio uma pintura que represeoU da- 
mas colhendo flores. 

Sr.' Condessa de Rio Maior, D. Izabel. 

125 Lcfiue de varetas de marfim rendilliado com tres medalhoes cujas figuras slo 

douradas. Panno de setim com uma pintura representando duas damas e 
um cavallieiro, etc. 

Sr.' Condessa de Prime, Vizeu, 

126 Leque de varetas de marfim arrendadas tendo na frente tres medalhoes com 

figuras douradas e no rcverso miniatnras. panno e de seda dividido em 
sete quadros, em que estao de^cnbados um grupo de damas e cavalheiros, 
aves, instrumentos musicos, flores, etc. Seculo xvai. 
Sr. Fernando Pallia. 

127 Lcque dc varetas de marfim rendilbado com algumas flores de madrepcrola. 



SALA Or 141 

Paono de seda com pinturas, uma das quaes represeata am maaeebo dor- 
minda junto de uma arvore. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa, 

128 Lcque de varetas de marfim com lentejoulas c tres figuras douradas. Panno 

dc papel com pinturas mytholoj^icas e pasitoris. 
Sr. Conde de Mesqmtella, Lisboa. 

129 Lcque de varetas dc madreperola. No meio uma dama tocaodo liarpa. Paiino 

de pellica com uma vista dc Roma. E<te loque ()ertenceu a infanta D. Iza- 
bel Maria e fui oU'erecido por sua altoza a actual possuidora. Seculo xviu. 
Sr.' Marqueza de Fronteiraj Lisbod, 

130 Leqne de inverno era marfim, todo arrendado formando varios dcsenhos de 

ornatos e no centro a firma m. f. Traballio china. 
Sr.' D. Evgenia Viz<^Uj Vizeu, 

131 Lcque com varetas dc marfim arrendadas e donrada<5; no meio um medalhao 

assente em medrcperola com duas n^ruras : Minerva e a deusa da musica. 
Fanoo de papel com pinturas de jardim e figuras. 
Museu Municipal do Porto. 

132 Lcque com varetas dc larlaruga arrendadas, com varias fignras e eniblemas 

e em grande parte eoberlo de douraduras. Panno de papel com pinturas 
de jardins e grupo de campone^es. 
Sr. Visconde de Ncgrellos, Braga. 

i33 Leque com quatorze varetas de marfim, sendo quatro mais estreita? que as 

restantes, todas arrendadas. Ha n'eilas tres pequenos quadros represen- 

taodo damas, um cavalliciro, Cupido, etc. Panno de seda branca pintado 

com miniaturas de grupos, retratos, instrumentos do musica, etc. 

Sr. Albano Pinto de Mesquita Carvalho e Gama, Villa Nova de 

Gaia. 

^^^ Leqne de varetas de madreperola com douraduras. Panno de seda com aves 
pintadas. 

Sr. Visconde de Davpias, Lisboa. 

^ Lequc dc varetas dc marCm com delicadas esculptorasabertas, epclamuior 
Piu to praleadas. panno 6 dc seda com tres quadros de boa piniura c or- 
namontarao de lentojoulas o bordadura aoiro. Seculo xviii. 
Camara Municipal do Porto (Mvseu Allen). 

136 T 

*-*^que formado de oito varetas de marfim. Panno de papel com varias pinta- 

i"as, al^'umas representando chin.-?. 

Sr." D. Maria Francisca de Saldanha Oliveira e Daun. 



«7 Le 



que com varetas dc marfitn arrendadas e figuras douradas. panno ^ de 



112 SALA G 

linho e icm no meio uma pintura reprc?enlando uma senliora tangendo 
harpa junto de dois cavalhoiros. 

iSr/ D, Alice Munro dos Avjos, Lisboa, 

138 Lequo com varelas de inarfim aberta'«, o algumas assentes em laminas de 

niadreperola, nas quaes se \6em represent ido3, cnlre varios ornatos, da- 
mas e cavalhciros passean<lt>, um preto segurando a cauda de urn veslido, 
urn creado offerecendo refrescos em uma salva, etc. Panno de papel com 
pittturas a cores representando uma scena mylliologica. 
Sr,' D, Mana da Gloria Bosado Couiinlw, Lisboa. 

139 Leaue com varetas de marfim arrendado, c em parte pintaJasdeazul. Panno 

de papel com dourados e Ggaras coloridas. 

or/ D. Maria Francisca de Saldanha Oliveira e Daun, Lisboa. 

140 Leque com varetas de marfim, as mais largas arrendadas. Panno de papel 

pintado de fi^ura'^ e instrumentos de musica. Seculo xvhi. 
Sr.' D. Eugenia VizeUj Vizeti. 

141 Leque com varetas de marfim arrendadas e douradas, e n*e1las ires meda- 

]hoes; no do meio dois jovens junto de um altar em que est«ao dois cora^ocs. 
Panno de seda branca bordado de lentejoulas, feito modernamente. 
Sr, Visconde de Negrellos, Braga. 

142 Leque com varetas de marfim, arrcndadas e pintadas. Panno de papel com 

pinturas chinezas. 

Sr.' D. Maria E. Guedes, Porto. 

143 Leque com varetas de marfim, todas arrendadas, e formando com ornatos 

dourados e prateados tres quadros contendo grupos de damas e cavalhci- 
ros. Panno de seda com lentpjoulas, dividido tambem em tres medalhoes 
com damas e cavalliciros. 

Sr." D. Virginia Carlota dos Santos Abreu, Lisboa. 

144 Leque de varetas de marfim, algumas abertas, formando tres medalhoes com 

figuras. Panno de papel tendo pintadas figuras e paizagem. 
Sr. Visconde de DaupiaSj Lisboa. 

145 Leque de varetas de madreperola, onde ha cinco medalhoes. Panno de seda 

com pinturas, entre as quaes se representa uma creanga n'um ber^o. 
Sr. Conde de Mesquitella, Lisboa. 

146 Leque com varetas do marfim pintadas do vermelho e com alguns lavores 

dourados. Panno de papel cuja pintnra representa homens e animaes. 
Sr.* Viscondessa de Negrellos, Braga. 

147 Relogio de algibeira com caixa de prata, com uma figura e outros ornatos em 

meio relevo. Seculo xvni. 

Sr. Manuel Bibeiro de Faria, Porto. 



SALA O- 143 

148 RelQgio de oiro, de scahora, guarnecido de csmalte e perolas, o com chate- 
laine de oiro, esmaltc e perolas. Seculo xvin. 
Sr. Adriano de Paiva de Faiia Lette Branddo, Villa Nova de Gaia, 

149 Relogio com guarni^ de pedras e urn quadro de esmalte, representando 
uma paizagem com duas figuras em fundo branco, e este sobre csmalte 
verde. Seculo xviii. 
Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

150 Relogio de cobre dourado, com figuras e outros lavores em meio relevo. Se- 
culo XVII. 
Sr, Francisco Gomes de Almeida, Porto, 

151-aRelo;(io de cobre dourado comesmalte, orlado de pedras. Seculo xviii. 
Caixa Geral de Depositos, 

lol-A Relogio com duas caixas de oiro arrendtlhadas; na exterior tem um meda- 
Ihao representando am guerreiro com a espada desembainhada guiado por 
um anjo, o na outra uma Ogura de mulher (a Victoria) sobre uma nuvem. 
No mostrador fish-london. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

132 Relogio de pendurar, com o feitio dos de algibeira, tendo despertador, caixa 
de cobre dourado e arrendado. Na fabrica tem escripto : Antonio Durand, 

FABRICA REAL. LISBOA iV." 12. ScCulo XVHI. 

Convento de Santo Alberto, Lisboa. 

lo3 Reloeio com esmalte em cobre dourado e pintado, orlado de pedras. Se- 
culo xviir. 
Caixa Geral de Depositos, 

'^i Aelogio com aros de oiro, a fabrica entre dois vidros, vendo-se atraves de 
um mostrador, e atrav6s do outro a fabrica debaixo de uma grinalda 
de prata com coroa tambem de prata e pedras encastoadas. 
or, Jose Baptista da Fonseca Queiroz. 

^^•^ Helogio com caixas de oiro e vidro, guarnecido de brilhanteserubis. No cen- 
tre, sobre esmalte, uma Orma formada de brilhantes. 
Sr.* Condessa da Anadia, Lisboa. 

'^0 Pequeno relogio com caixas de oiro, guarnecidas de perolas c esmalladas no 
centro, tendo na de cima uma paizngem com um cagador. 

Sr. Manuel Cabral de Maura Coutinho de Vilhena, S. Silvestre, dis* 
tricto de Coimbra. 

'^' Relogio de oiro com lavores em baixo-relevo, entre elles a figura de Apollo. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres] Porto. 

i06 Helogio com chatelaine. mostrador 6 cercado de pedrinhas de crystal. As 
oostaSy orladas de ignaes pedrinhas, sao de esmalte, representando um vaso 

10 



CU SAL A O 

de flores. A dicUdaine compoe-se d« quatro pe(as» oroMieolladas con fkh 
res dc pedras brancas en^rasudas cm praia. Seculo xniu 
St.* D. GuilkermiM Ptrtira Madiado ib lAma^ Pmia. 

159 Cbare dc relogio, de oiro, tendo de nm lado'^um bosto de midher, pintado 

em roarfim, e do ontro, vit^te e oito chrysolUhas. 
Sr. Manuel Ribeiro de Faria, Porto, 

160 Relogio com caixas de cobre dourado. mostrador guaraecido com dois cir- 

culos de pedras brancas. Nas costas igaa! ornamenta^ao e om esmaltc no 
centro em que se v^ uina paizagem com duas figuras. Secalo xvin. 
Sr, Antonio de Oliveira Pinto, Porto. 

161 Relogio com caixas de cobre doarado, o vidro gaarnecido de pedras, e na 

face inferior um esmalte em cobre, onde se rcpresenta uma dama e mna 
ovellia. 
AcadenUa Beal de Bellas Artes de Lisboa. 

162 Relogio de oiro com paizagem e (igaras esmaludas no mostrador. Nao pre- 

cisa dc chave para se Ihe dar corda. Fu-se esta opera^ao agitando o relo- 
gio em senlido vertical. Um pendalo achatado que esta subre a fabrira, 
sendo agitado per meiod'aquelle iiiovimento, da corda ao relogio paradoz* 
boras. Seculo xviu. 

Sr. Christiano WanzeUer, P$ri^ 

163 Relogio com guamigao de pedras em volta do mostrador e nas costas. Estas 

sao de esmaltc, com o busto de nma dama. Seculo xvui. 
Sr. Affonso Henriques da Silva Moreira, Porto. 

16i Annel de cobre com um crystal de rocha. Seculo xviii. 
Camara Municipal do Porto (Museu Allen), 

165 Medalha de prata, oval, com nma paiwgem cercada de diamantes. terrene, 

arvores e c6u da paizagom sao formados por barbas de pennas de aves, 
applicadas sobre marfim. Seculo xviii. 
Sr. Christiano Wanzeller, Pmto. 

166 Relogio com o mostrador guarnecido de pedras. Do outro lado um esmalte 

em que estao representadas duas Hguras. Seculo xvm. 
Sr, Francisco Gomes de AUneidu, Porto^ 

167 Relogio de bronze dourado. As costas sao de esmadle c gaorneotilas de pedras. 

esmalte representa Cupido, uma dama e um mancebo. Seculo xxin. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Melle Pereira e Caceres, Porta. 

168 Esphera coberta de brilhantes com duas cruzesda ordemde Chri.^to formadas 

de rubis. Esta presa a nm brilhanle encastoado em piala, qae p^nde de 
uma cslreUa radiada tambem de brilhanCes, lendo ae centro «ai cora^Ho 



SALA G li5 

de rnbis atravessado pela coroa de espiabos, feita de oiro esmallado de 
Tcnle. 
Sr' Condessa da Anadia, Lisboa. 

168 Relogio coin diias eaixas de cobre dourado: a de fora, forrada, de urn lado, com 
tartaruga pintada; a de dentro tern esmalte em cobre onde esta pintado am 
jardim com ama dama e urn cavalbeiro. 
iiitra Patriarchal de Lisboa, 

170 Relogio com tres caixas: a exterior forrada de tartaruga pintada, e as outran 

duas de oiro, seudo a segunda arreniiilbada e tendo urn baixo-relevo com 
figuras. No mostrador, a marca martinkau London, Esta preao a uma ca- 
deia de ar$;olas com cbave e sinete^ tudo de oiro. 
ihtra Patriarchal de Lisboa. 

171 Relogio com caixas de oiro lavrado e vidro. Seculoxvui. 

Caixa Geral de Depositos. 

172 Relogio com caixa de cobre dourado e lavrado. Mostradcnr de esmalte com 

duas (jgoras. 

Caixa Geral de Depositos, 

173 Relogio com duas caixas em cobre dourado, tendo uma o fundo cobcrto d& 

cobre esmaltado, orlado de nedras brancas, e no centro um retrato de se- 
nhora, orfado tambem de peoras brancas. Seculo xviu. 
Caixa Geral de Depaitos, 

174 Relogio com guarnigao de pcdras, e urn quadro de esmalle, representando 

uma paizagem com mar c um castello. Seculo xviii. 
Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto, 

175 Relogio de oiro com o mostrador orlado de pedras brancas. As costas sao guar- 

necidas com um circulo de pedras iguaes, sendo de esmalte toda a partd 
central, e n'ella uma paizagem c duas figuras eercadas de pedras miudas. 
A chatelaine 6 composta de correntes de oiro com esmalte e de duas pla- 
cas com paizagens e peroias. Seculo xvui. 
Sr, Henrique Anthero de Sousa Maia, Porto. 

176 Relogio de prata, com o mostrador do mesmo metal. Em volta da caixa tern 

uma larga cercadura de desenhos vasados. Seculo xvn. 

Sr, AManuel de Albuquerque de Mtllo Pereira e CacereSj Porto. 

177 Relogio de oiro ornado com am esmalte representando a Aurora noseucarro 

sobre fundo azul celeste. Seculo xviii. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto, 

178 Relogio oblongo com caixa do oiro e vidro. No mostrador a legenda : F, L, Go- 

don 7?." de Camara de S, M. C. Junto um sinete com pedra amarella. Se- 
culo XVIII. 

Sr. J. P. G. Paiva, Lisboa. 



146 SAI-A O 

179 Relo^io de cobrc dourailo. As costas sao de esrnalle, representando Euterpe, 

a inusa da mu-ica. Tem guarniQao de pedras. SecuJo xviii. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

180 Relogio de bronze dourado. Em uma medalha, do fcitio deum cora^ao, guar- 

nccida de pcdras, tem dois busies em esmalte. Seculu xviii. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

181 Relogio com duas caixai^ de cobre dourado. A de dentro tem no fuodo urn 

inedaliiao de cobre csmaltado representando uma paixagem. Seculo xviii, 
Caixa Geial de Depositor. 

182 MedaJhao oval com aro de prata segurando duas laminas csmaltadas. Na 

principal Nossa Senhora com o Menino ao collo. No reverso grinaldas de 
flores e no meio as lelras ma. Seculo xvi. 
Sr. Abel Martins Ferreira, Evora. 

183 Relogio com caixas do prata e oulra exterior de materia cornea com Gguras 

pintadas. Seculo xviii. 
Caixa Geral de Depositos. 

184 Relo^io de pendurar com o feilio dos de algibeira. Tem duas caixas, umade 

latao, outra de prata. No mostrador a marca: Meuzon if Comp. 

185 Relogio de f»rata. Tem uma caixa de materia cornea com pinlura represen- 

tando uma dama locando rcalejo. Seculo xvni. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

186 Caixa rcdonda em sanguinea com aros de ouro. Tampa de mosaico repre- 

sentando UfM vaso cbeio de agua e quatro pombas a beber. Seculo xvm. 
Sr. Wenceslau Cifka, Lisboa. 

187 Relrato de Diogo Barbosa Macbado, pintura em chapa elliptica de prata. 

Bibliotheca Publica de Evora. 

188 Pe(]ueno crucifixo do madeira, em am cstojo de pau santo. 

Sr. Marquez de Penalva^ Lisboa. 

189 Estojo de prata com vario- utensilios. 

Sr. Miguel Osorio Cabral de Castro, Coimbra. 

190 Retrato de dama em lamina de cobre. Tem uma medalba com as Ictras hs. 

Altura 0'",18, largura 0"',li£8. Seculo xvii. 
Bibliotheca Publica de Evora. 

191 Miniatura em cobre representando um auto de K. Comprimcnto 0"", 108, lar- 

gura 0'",089. 
Bibliotheca Publica de Evora. 

192 3liniatura em cobre representando um busto de liomem de cabelleira e grande 



SALA Or 147 

caberao com renda. Superiormenle o letreiro: Senhor francisco de Coi- 
mans. — Anno lt)61. No reverso da cliapa uma e^a com uma caveira, co- 
roada de louro c sobre dois femurs, pousados n uma almofada. Em baixo uma 
ancora que se vae prender por uma cadeia a uma columna, que na base 
tem e!4criplo dianna. Em uma faxa j^nperior a caveira a legenda: la Cm- 
delta deUa movie non e Bastante a Stingure la memoria Constante, 
BibliotJieca Publica de Evora. 

193 Relrato em cobre do principe D. Theodosio ; cruz da ordem de Christo ao 
peito; espada suspensa de talabarte poslo a tiracolo. 
Bibliotheca Publica de Evora. 

. Prancha com qualorze anneis, sendo treze com aro de oiro baixo e um de pra- 
jQ.i ta; ^iete l6m ametistas cercadas de pedras; dnis pedras verdes; dois com 

J miniaiuras, sendo uma o relrato de D. Maria I e outra representando Nossa 
f^J\ Senhora com o Menino ao collo; outro com camaplieu de porcelana reprc- 

' seniando o busto de D. Maria I; e dois com pedras brancas. 
Mitra Patriarchal de Li$boa. 

208 Anncl de oiro com a tiara papal e as chavcs de S. Pedro sobre esmalte azul, 

e este ccrcado de perolas. Seculo xviir. 
Sr. Antonio de Oliveira Pinto, Porto, 

209 Annel de oiro j^uarnecido de pedras. No centre tern um grande crystal cer- 

cado de pedras, e estas orladas de uma cercadura de pedras miudas entre 
OS doi:^ aros de oiro. Seculo xviii. 

Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

210 Anne) de oiro, tendo uma agua-marinhagrande, com duas ordens de chrysoli- 

ibas em volta. Seculo xviii. 

Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

211 Annel de oiro. Tem uma pedra verde cercada de duas ordens de pedras bran- 

cas e de uma de pedras amarellas. Seculo xvni. 
Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

212 Annel de oiro com duas orJens de chrysolithas, tendo no centre uma pomba 

de pedras brancas sobre fundo azul escuro. Seculo xviii. 
br. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

213 Annel com a forma dos chamados marqueza, com uma pedra grande, bran- 

ca, no meio, e os quatro lados com oria de pedrinhas brancas. Seculo 
xviir. 

Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

214 Annel de oiro do feitio marqueza, com pedras brancas cercadas de perolas. 

Seculo XVIII. 

Sr. Francisco Gomes de Almeida, Porto. 

215 Annel de oiro com forma de escudo, orlado de pedrinhas brancas, e no meio, 



148 SAL A G 

sobre vidro aznl ferrete, am balSo aeroslatico com soa barqaiiiha guar- 
necida de perolas. 

Sr. Francisco Gomes de Almeida, Forte. 

'SIG Annel com aro de oiro ; gnarni^ao de chrysolithas e no meio nm crystal com 
umn pelrifira^ao. 
Maseu Municipal do Porto. 

217 Annel de prata com podras branras. 

Acaaemia Ileal das Delias Artes de lisboa, 

218 Annel de prata dourada, tendo tres diamaotes e am topazio com forma de 

C(»rarii0. 

2rj Annel com aro do oiro. No centro urn topazio dentro de dois circol«6, am de 
pedras verdes, oulro de pedras brancas. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

220 Annel de oiro com nma cornalina qne na face tern gravados dois animae^, 

parecendo um cool ho persepuido por um cao. Trabalho maito grosseiro 
quo deve ?er attribuido, polo menos, ao comedo da monarcbia porlu- 
^upza. 

Mitra Patriarchal de Lisboa, 

221 Lamina dc prata ffnarnccida com uma barra de topazios e pedras brancas re- 

presentando follias e fli)ros; no meio um escudo formado por t(tpazios e 
granadas, lendo a cruz dc Christo rontornada por estrellas de diamantes. 
Sao lamhem diamantes as pedras iravad;is na cor6a qae encima o escudo, 
Pertcncou a encadernac^ao de um livro. Compriinentu 0",31; Jargara 
O^.IO. Serulo xvHi. 

Sr. Antonio Maria Tacares, Lisboa, 

222 Doze Lotoos de casaca do seculo passado, em metal doarado, esmalce, ma- 

drop:'nila e no cenlro um crysUl. 
Sr/ D. Virginia Carlota dos Santos Abreu, Lisboa. 

223 Novo botoos de metal com vidro cobrindo varias paizageos bordadas a c6res 

em srda l>ranca. Seculo xvm. 

Sr. Antonio Maria Seabra de Albttquerqtte, CoimbrcL 

224 Cineo boioos de cobre donrado, sendo quatro com gravuras coloridas im- 

pressas em papel c um com miniatura agaada. 
Bibliotheca publica de Evora. 

225 Rclicario de prata dcurada e crystal, A base sustentada em qnatm leoes de 

prata. p^ de madeira e vidro. A parte superior 6 am aro radsado com 
dois discos do crystal, rematado por um cru^'ifixo. 

Qmceiiio da Jmmaculada Concei(;tlo de Arroios, Lisbn. 



SALA Ct 149 

^tX Par de casti^aes de prata, com o p^ arreodado e a parte superior canellada. 
Seculoxvni. 

Srs. Daques de Palmella, Lisboa. 

^il Cofre coberto exteriormente de marfim. Na tampa, abaulada, uni baixo«re* 
levo em cada topo, representando a bataiha naval de Lepanto ; em cima o 
bu<(to de Filippe H de Hespanha entre qaatro troph^us, e em f)equenos me- 
dallides os busies dos capilaes que entraram n'aquellabatallia. Naborda da 
timpa varies ornatos e as armas lie<panlmlas nos qaatros cantos. Nasqua- 
tro laces da caixa vinte e seis nichos com coiamnas, e em cada nm uma es- 
tatueta de guerreiro. Pur cima os escudos de Castclla, Leao, Aragao, etc. 
Assenta o cofre sobre quatro cabeQas dft m')uros. 
Sr. D. Antonio Dominguez, Madrid, 

"SSS Miniatura repre>entando Nossa Seohora com as maos ei^uidas, junto do Me- 
nino Jesus deitado. Seculo xvi. 

Sr. Adriano d^ Paiva de Faria Leite Brandao, ViUa Nova de Gaia. 

229 Cofre de prata coberto de GKgrana e ornatos esmaltados; azas, p^s e p:uarni* 

gao inferior de prata lavrada. Comprimenlo 0'°,16; largura O",!!. Se- 
culo xvm. 

Sr. Christiano VanzeUer, Porto. 

230 Estojo com duas traressas e nm pente de tartaruga, com as costas oraamen* 

tadas de topasios cravados em prata. 

Sr. Henrique Fernandes de Sousa, Porto, 

"231 Caixa de rap6redonda com aros e ornatos de oiro baixojuatampa, sob disco 
de vidro, uma miniatura em marfim representando um manct'bo, uma da- 
ma, Cupido, etc. 

Sr, Antonio Carlos de Velasco Celestino Soares,Lisboa. 

232 Caixa de rap6 em tartaruga com aros de cobre dourado, e oa laropa, debaixo 

do vidro, uma miniatura em marfim representando um caniponez e uma 
camponeza com uma creanQa, senlados junto de um arvoredo. 
Sr. Antonio Carlos de Velasco Celestino Soares, Lisboa. 

233 Estatueta de prata levantada e cinselada, representando Nossa &;nbora com 

Menino. Na parte posterior da peanha o seguinte letrelro : Dom Ignacio 
Dea Primas e M.^ Pr,* de Mello mandaruofazer etta Snarienio Jaizes 
No Anno de 1653. 
Se de Braga. 

234 Aesplandor circular de prata d«<urada com qaatro aberturas que o approxi* 

mam do desenbo da cruz usada pelos temfilarios. 
Academia Real de Bellas Aries de Lu^boa. 

^SM Vaso formado por um grande coco, sendo do prata lavrada o dourada a basc^ 
guarni^5«»s e tampa. Allora O^.SB. Secnlo xvn. 
Srs, Duques de Palmelia, Lisboa. 



ISO S^LA G 

230 ColhiT dc prata com a concha mais larga no extremo que junta aocabo. Este 
aiqnoado. 
Bibliotheca Publica de Ecora. 

237 Grande resplandor de prata dournda com lavores e cinco pedras. Os raios sao 
rematados por plobos de prata branca. Seculo xvn. 
Mosteiro de Nossa Senhora da Conceu;ao de Beja. 

ooy/Jarro e bacia de prata. bojo do jarro tern um baixo-relevo representando 
"g I sennas da escravatura da America. A bacia tern gravuras a buril de as- 



QO(ji sumpto analogo. 

{ Srs, Duques de Palmella, Lisboa. 



2i0 Caixa derap^ em tartaruga com guarnigao e ornatos de oiro baixo; na tam- 
pa, coberta com vidro,. uma paizagem bordada com rania de pennas de 
aves. 
Sr. Antonio Carlos de Yelasco Celestino SoareSj Lisboa. 

2U Caixa de rap6 em madeira de buxo e ciiarneira de latao; na frentre, entre 
dois leoes, um brazao de armas c o anno 1771 ; na tampa, eutre varies 
ornatos, umas armas de arcebispo e na face posterior as da Prussia. 
Srs, Condes de Prime, Vizeu. 

242 Fivella de prata, guarnecida com duas ordens de chr}'solithas. Seculo xviii. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porta- 

243 Fivella de prata dourada, guarnecida de minas novas. Seculo xvin. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Poito. 

244 Fivella de prata dourada, com guaroicao de minas novas. Seculo xviu. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres^ Porto. 

243 Caixa de rap6 em tartaruga, redonda ; na tampa, em mosauco, as ruinas de 
um castelio. Aros e ornatos de oiro baixo. 

Sr. Antonio Carlos de Velasco Celestino Soares, Lisboa. 

246 Caixa de rap6 redonda, de marfim, com uma miniatura na tampa, tambem 

em marfim, representando um buzio. Seculo xviu. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Peieira e Caceres, Porto. 

247 Caixa de tartaru$!:a, tendo na tampa, em caixilho de metal envidra^ado, daas 

figuras bordadas a relroz. 
Sr. Marquez da Graciosa. 

248 Caixa de rap§, de prata, ornamentada com variados lavores. Na tampa oma 

paizagem com Cupido, e outro genio jogando aos dados. Seculo xvm. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

249 Cofre de prata rebatida, ornamenlado de folhagens; cm medalhoes varios em- 

blemas da Eucharistia. Esta baseado sobre rjuatru serapbins. 
Srs. Condes da Praia e de Mon forte, Lisboa. 



SALA G 151 

SdO Caixa de rape de tartaruga e oiro, com uma miaiatura em marfim, represen- 
tando a partida de uns cagadores para a cai^a. Seculo xviii. 

Sr, ISanuel de Albuquerque de Mello Pereira e CacereSj Porto. 

Sol Caixa de rape em agatlia com charneira c guarnigoes de oiro lavrado. Na 
tampa uma miniatura em marOm, repre^entando o duque de Welling- 
ton. 

Sr.' Condessa da AnadiUj Lisboa, 

«^3 Caixa de prata com a tampa de concha, onde lia um baixo-relevo ropreseu- 
tando diluvio. Seculo xvm. 

Srs, Condes da Praia e de Mon forte, Lisboa. 

«rv^(Praiicha com dois relogios com esmalte e pedras ; um esmalte folto; duas cai- 
;^ r xas de relogto pintadas ; duas Ovelas de i^apatos guarnecidas com crystaes 
l\jll brancos; dois anneis, sendo um tambcm guarnecido de pedras brancas, e 
( ambos com pinturas em roarOm coberias de vidro. Seculo xviii. 
Sr.' D, Maria Julia Botelho Lobo dos Santos e Silva, Licboa. 

" " ^andeja oblonga de prata lavrada e cinzelada, tendo no meio, cavado em 
i:^omos, um escudo entre dois ledes, com as armas dos Castros e corua 
de conde. Comprimento 0'",44. Seculo xviii. 
Sr. Antonio Augfustode Sequeira Tadim. 

^]i\ K^^heiro em marGm lavrado de ares, reptis e ornatos. Seculo xvii. 
Sr. D. Luiz de Carvalko Daun e LorenOj Lisboa, 

o\j'i Calculo vesical, cx)m Torma de ovo, enca^toado cm filigrana de oiro. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

26o Estojo em cobre donrado com lavores. 
Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 

266 Pequena caixa de prata com charneira. Na tampa, entre varies ornatos, um 
escudo com cinco branddes, encimado por um capacete com o timbre de 
Ires brandoes. Seculo xvii. 
Sr. Miguel Osorio Cabral de Castro, Coimbra. 

tSJ7 Moldura em tartaruga com a imagcm de S. Joao Baptista ptotada em cobre : 
noreverso, tapado com uma lamina de tartaruga, que abre em corredi^a, 
retrato de D. Joao, duque de Bragan^*a, que depois foi rei de Portugal. 
Era assim que os sens partidarios traziam o seu retrato paraescaparem aos 
espides de Castella. 
BIbliotheca Publica de Evora. 

268 Agnlheiro de oiro com vario'^ ornatos de florcs. Seculo xviii. 

Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

269 Retrato de dama com o penteado em largos bandos com ornatos; o corpo do vcs- 



1S2 SALA G 

iUo terminandf) adiante em bieo; cabe^ e panbos de renda. Seeulo xvb. 
Bibiioikeca PMica de Eiora. 

"270 Medalha com dois vidros em aro de prata doiirada; de um lado a cabe^a de 
Clirislu radJada, do outro o siidario da Veronica. 
Academia Heal das Sctesiciai de LUboa. 

271 Commenda da ordem de Christo. A cniz, dis pedras vermelbas, assenta em 
fundo de chrysulitlias, e as guarni^oes e os raios sao de iiiinas novas. Seeulo 

XVIII. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira Caceres, Porto. 

"27^ Caixa de rap*', de oiro, do forma oval, com lavorcs gravados. Seeulo xvu. 
St. Christiano Vanzeller, Porto. 

273 Paliteiro dc prata com arabosros e um brazao no fundo serrindo dc anele. 
Sr. Marquez da Graciosa. 

"274 Caixa de rape de oiro. £ toda ornamentada dc lavores gravados. Seeulo xvn. 
Sr. Christiano Vanzdlcr, Porto, 

275 jDuas medalhas em prata dourada fom os retratos, em miniatura, do segundo 
^e > marqucz de Abrantes D. Joaquim e de sua multier a marquea D. Maria 

270 a 1 Mar^^arida de iMdlo e Lorena. 

Academia Beat das Sciencias de Li&boa. 

276-i Miniatura sobre marfim repre<e«lando o relrato, ein ineio corpo, deumca* 
valleiro, vcstldo com farda agaloada c babito de ChristJ prCdO a uma das 
casa*. Seculi) xviii. 

Sr. Francisco llibnro da CuniM, Lisboa. 

277 Caixa de rap(^, redonda, de tartaraga com incrasCa^oes de oiro • teado tto 

roeio da Uunpa um relu<:io. 

Sr. Jeronijmo Pimcnlei^ Braga. 

278 Caixa de rape, dc tarlaruga com incrustaroes de o'iro; do meio dalimpaum 

esmalie axul c bran^-o, e em torno minas nova*^ Seeulo xvui. 
Sr. Manuel de Albuquerque de MtUo Pereira e Caceres, Porto. 

279 Caixa de rape, de tartaruga, tendo oa tampa uma esculpturaem melo-relevo 

em mnrfim. 
Mitra Patriarchal de Lisboa. 

280 Caixa de rayn*, do prato dourada, com lavores a mrio-relero na tampa, ro- 

presentanclo uma dama a afa'^ar um unicornio. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

281 Caixa do rap^, redonda, de tarlarujra, o»m incruj^ta^les e frisos de oiro. Ka 

tampa uma miniatura, repre:fentando uma scena amorosa dc Jupiter. Se- 
eulo XVMI. 

Sr. Manuel de Albu pierqne de Mello Pereira e Caceres^ Porto, 



SALA G 153 

232 Caixa de rap^, de tartarup^a. Na tampa um quadro com daas figuras, cer- 
cado de miDas novas. Seculo xviii. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto, 

"283 Caixa de rap6, redonda, de tarlaruga, com nmita variedade de lavores, pai- 
za^ens, tiguras e outros ornatos, eui lueiuroievo e vasados. £ trabalho da 
China, do se(*ulo xvui. 

Sr. Joao Claudia de Sotisa, Porta. 

284 Caixa de rape, em tartarujra; na tampa um aro de oiro com vidro cobrindo 

uma pintura sobrc mariim. 
Sr, Bento de Queiroz, Yizeu, 

285 Habito da ordem de S. Joao de Jerusalem ou de Malta. A coroa, a argola e 

mais ornamentarao sao de oiro. Seculo xviii. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto, 

286iCinco anneis com aros de oiro; dui.^^ t^m camapheas e os restantes t^m pe- 

a I' dras. 
2^0 1 Academia Real das Sciencias de Lidoa, 

201 i Daas caixa;^ de tartaruga com vidro na tampa cobrindo rctratos de mulher, 

« ; em minialnra, a cores. Seculo xviii. 
2921 Sr, J, Fafe, Lamego, 

29*) Caixa de rap6, cm tartdruga> tendo na tampa o retrato de Napolcao com 
farda consular. 
Mitra Patriarclud de Lisboa. 

29i Caixa de rape, em tartarnjra, com puarni^oes de oiro baixo; na tampa o re- 
trato, cm miniatura, de D. Caridta Joaq ulna, ainda princeza, coma banda 
da ordem do Maria Luiza, de Hespanba, e tendo junto uma creaa^a. Se- 
culo XVIII . 

Mitra Patriarchal de Liaboa. 

295 Caixa de marfim, forrada interiormente de tartaruga. Na tampa o retrato da 

rainba D. Maria I, miniatura em marfim. 
Mitra Patriarchal de Lisboa, 

296 Caixa de rap6, do oiro. Na tampa um faaixo-reievo representando ama ave 

e varias armas i. 

Asyh da Mendicidade, Lisboa. 

297 Caixa de tartaruira, com uma ftrma em chapa de oiro na tampa. 

Sr, Bento de Queiroz, Vizeu, 

298 Relogio de sol, cm marfim. Junto do pcndulo tern o nome do auctor — Dlo- 

nizio Ferr.* Portugal. 
Sr. Marquez da Graciosa, 

* E^ta jnia e a n.® 109, roraiu Is^'^as ao asylo para 83rem vcn lidas c o sea prodoclo applicado dqneUa 
casa lie cariJadj. 



154 SAL A G- 

299 Caixa do rape, em tarlarnp^a, rcdonda, leiido na lainpa os rctraro? emminia- 
lura do prinoipe hereditario da Rus^ia e da princeza do Wurtenibcrg, sua 
esposa. Seculo xvni. 

Academia Red das Sciencias de Lisboa. 



300 
e 



^Dois rclagios com duas caixas cada um, sendo a exterior com vidro e a in- 
I terior de oiro lavrado com rctratos do esmalles ornados do pcdras. Tto 
301 1 chatelaines, sendo uma de crystal e oulra com esmaltes. Seculo xviii. 
( Caixa GeraX de Depositor, 

302 Bolsa de prata doiirada, maiha, com fechos lavrados, sobresafndo d'esles dois 

coraroes. Gomprimenlo 0^,22. Seculo xviii. 
Sr, Bento de QtieiroZj Vizeu, 

303 Reloqio com diia^ caixas de cobre dourado e ainda outra exterior forrada de 

lartaru,ua. Na do meio, entrc varies ornatos, um grupo de cagadores. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

304 Relogio com tres caixas de oiro. A exterior tem o fundo coberto de lixa em 

corverde; a outra tem em baixo-relevo varias li«;aras rercadas de or- 
namenlagao, e a intprna e arrendada. Esta pre^o a chatelaine de oiro. 
Caixa Geral de Depositos. 

iPrancha com quatro caixas do relogios e quatro relo;;ios. Sris d'esles obje- 
ctos Siio de cobre lavrado e dourado; urn d'elles com fnndo de cobre es- 
mallado o doi.^ de prata arrendada. Tem junto tres chatelaines, sendo 
duas de (x>bre dourado c uma de ago ; e um sinete de oiro baixo. 
Sr,' D. Maria Julia Botelho Lobo dos Santos e Sdva, Lisboa, 

310 Pequena maquineta acharoada contendo varias figuras de barro, almiraveis 
pela pequenez e perfei^o, representandj Nossa Senhora com o Menino e 
S. Jos6 fut^nndo para o Egyplo, guiados por quatro anjos, e nor ciina uma 
nuvem lambem com quatro anjos. Altribuidas a Francisco de Hullanda, o 
celebre minialurista e illuminador do seculo xvi, tambem insigne n'este 
generode traballio. Gomprimenlo 0'",14; ailura 0"',2l; Jargura O'^jO?. 
Sr.' D. Helena dc Aroguo. 

317 Papel finamente recorlado reproscntando dentro de uma cercadura o presepe 

junto de umas ruina^^. Na base este ieireiro n*uma arvore : lodovicvs fe- 
cit. Comprimcnto O'",!^; altura 0"*,09. 
Sr.' Viscondessa de Fonte Arcada, Lisboa, 

318 Estatueta de buxo representando Nossa Senhora. Altura 0",11. Seculo xvm. 

Sr. Rodn'go de Almeidaj Belem, 

319 Custodia com o hostiario de prata dourada, guarnocido de niinas novas, 

ametbistas e chrysolitbas. anjo que sustenta o hosiiario e de madeira, 
e cr^se obra de Joaijuim Machado de Castro. 
Sr, Fernando Luiz de Sousa Coutinho, Belem. 



SALA Cr 155 

320 Grupo em madeira represenlando Jesus corvado para vesiir a tunica em se- 

^Hiida a fustigagao, cujos instruiiientos se acham ao Jado, eNossaSenlxira 
em contemplayao. Obra attribuida a Joaquim Machado de Castro. Fias 
do seculo xvni. 

Sr.' D. Helena de Aragdo, Lisboa. 

321 Estalua pede>trc de el-rei D. Jose em cera e gesso, feila por Joaquim Ma- 

chado de Castro. Foi o primeiro modelo para o raonumento da pra^a do 
Commercio, reieilado por ?e querer estalua equestre. 
Sr. Fernando Luiz de Sousa Coutinlio, Belem. 

322 Polvarinho coberto de veludo carmezim e sobre este ornatos em ccbre, tcndo 

dois escudos com um lean. Seculo xvii. 
Sr, Conde da Praia e de Mon forte, Lisboa, 

323 Caixa de prata coberta de filigrana com ranios de esmaltes. Sao douradas as 

arcolas, fri^os e a parte interior. Comprimento 0"",18; largura 0"*,14. Se- 
culo XVIII. 

Sr, Caetano de Andrade AlbuqiierquSj Ilha de S. Miguel. 

321 Duas pequcnas salvas conlcndo varies fructos, tudo de Gligrana de prata. 
Diametro 0",1. Seculo xviii. 

Sr. Caetano de Andrade Albuquerque, Ilha de S, Miguel. 

32o Daas urnas de prata cobertas de Glifrrana, com alguns esmaltes; azas e frisos 
dourados. Altura 0",24. Seculo xvin. 

Sr. Caetano de Andrade Albuquerque, Ilha de S. Miguel. 

32S Cofre de ambar, oroado com esculpturas em marfim vasadas. Interiormente 
6 tambem oroamentado com diflerentesmedaibasdeescnlpturas, similban- 
tes as que se v6em no exterior. Tem de comprimento O^jSS, de largura 
0"^18, e de altura 0'",29. Fins do seculo xvii. 
Sr. Manuel Ribeiro de Faria, Porto. 

327 Leque com varetas de marfim arrendilhadas, com (iguras em relevo. Panno 

de pellica, tendo pintada a vista de um porto maritimo, e no reverse um 
grupo de dois cavalbeiros e tres damas. 
Sr. Marquez de Aivito, Alvito. 

328 Leque com varetas de madreperola, com esculpturas douradas. Panno de pa- 

pel com figuras a cores e ornatos dourados. Seculo xviii. 
Camara Municipal do Porto. 

329 Leque de marfim, todo pintado de ambos os lados por quadros de miniatura. 

Seculo XVIII. 

&\* Marqueza de Fronteira. 

330 Leque com varetas do tartaruga arrendilhadas e douradas; no centro, entre 

duas aves e varies ornatos, um grupo de duas damas e um cavalheiro. 



156 SALA G 

panno 6 de pellica com varias figuras. Nas varelas extariores qoatro pe- 
qaeoos esmaltes. 

Sr, D, Duarie Manmel Noronha, Bimfiea. 

331 Leque com varetas de marfim arrendilhodas e doaradas; tem no meio uma 
pyra com dois cora^oes. panno de soda branca pintado e bordado a len- 
tejoulas, representando Telemaco e Ulis^es junto a urn temploemqae arde 
uina pyra. 
Sr.* D, Maria da Piedade Madeira, Cannas de Serihorim. 

3C2 Leque com varetas de marfim, sendo sets mais delgadas, com ornatos arren- 
dilhados e dourados e com vidriilios. Panno de seda branca pintada com 
fjguras, emblemas e bordadiiras a lentejoulas. 
Sr. Avgtisto Moreira, Porto. 

333 Leque com varetas de madreperola, arrendadas e pintadas, com Ggoras do 

damas, Cupidos e varios anlmaes. panno e de pellica tendo pintado urn 
grupo de personagens, representando assampto allegorico ; no reverso uma 
paizagem. 

Sr. D. Duarte Manuel de Noronha^ Bern flea. 

334 Leque de varetas de marfim com miniaturas. Panno de papel com pintura 

representando uma sc^a n uma prUao. Secoio xvm. 
^V. C(mde de Aljezur, 

335 Leque de marfim com as varetas arrendilhadas, e n'dlas dois medalboes com 

miniaturas. Seculo xvm. 
Sr.' D. Camilla Biheiro de Faria, Porto, 

336 Leque de inverno, de Gligrana de prata, com esmaltes; trabalho ebina. 

St.* Condessa de Prime, Vizeu. 

337 Le^iue com varetas dc inadreperola, arrendilhadas edonradas, tendo um grupo 

furmado por uma dama e um cavalheiro junto de uma pyra, Cupidos, gri- 
naldas e outros ornatos. 

Srs. Marquezes de Fronteira, 

333 Leque de varetas de madreperola e panno muito estreito com pinturas. 
Sr," D, Maria das Dores Ferreira Navarro, Foz do Douro, 

33J Leque com varetas em filigrana de prata com esmalles. Panno de pape)> 
tendo pintada uma scena das cren^as chinezas, e no reverso um grupo 
campestre. 

Sr, D. Duarte Manuel de Noronha, Bemfica. 

340 Leque com varetas de marfim arrendilhado, com douraduras e pedras bran- 
cas; no meio uma dama e dois cavaliieiros, e dos lados pyras eon» coca- 
^oes. panno, de pellica, tem pintada a cidade de Roma; aos lados dois 



SAI,A G I5T 

medailiues com pobageiu^^ e no rever^o o rastelio de Santo Angelo, tcndo 
tambcin de raila bdt> mia medftlhio mm vbtak^de torres cvm seleiras. 
Sr,' Condessa de Rio Maior, D. Jzahd, Udoa. 

oil Leqoe de vareUs de madreperola reDdilbadas e doaradas ; do meio a fignra de^ 
Apoilo cerratb dt* ^enios. Panno de papel com piotiiias mylholo^eas. 
Sr.' D. Maria Francisca de Saldanka Daun e Lotena, lJ$hoa. 

o'i2 Leque com varelas de njarfim arrendilhadas. Fechado represonta na jonc^ao 

dsLs varelas dois bustos de cada lado enlie ornatus, e <|uando aberto gra- 

pos de figuras europoas e chiuezas. panno c de pellica nnde esta pintado 

Mussio Scevola qoeiniandoas nia(»s no f*»};o; no reverso fij^uras ehinezas. 

Sr, Franciiico Xavier de Carvalho^ Mafia, 

343 Leqne com varelas de madrcpcrola arrenJilhada e dourada, tendo enlre or- 
natos varias fij^uras. panno de pellica, lendo pintado de um Jado ocarro 
da Auroi-a e do ontro a vjsla de urn caslello. 
Sr. Francisco Xavier de CarvalhOj Mafra. 

34 't Leque com varetas de marfim onde estao pinladas columna:?, flores, fij-uras 
e ornatos, qne em parte sfio representados com o li»t|ue fechado iia jine- 
^ao das varetas. panno o de papel e piutailo tie paha^ens e figuras. 
Sr," Almeida Santos, Lisboa. 

3i5 Leqne de niarfim, imitando cas$:a bordada. Secolo xtbi. 
Sr. D. Maria da Conceirdo de Carvalho Peres. 

34G Leque com varetas de marfim arrendilhadas e com figuras. panno e de 
pelHca e tem desenhos de griaaldas e (lores iieitos a peuia. 
Sr. Yisconde de Daupias, Luboa, 

347 Leque de varetas de madreperola com panno de seda com pinturas. Se- 

cuk> xvifi. 

Sr.' D. Mana Eugenia Gomes de Castro. 

348 Leque com varetas de madreperola arrcndada, formando tres qaadros com 

triampbos de guerreiros ein dourado. panno, de papel, onde e»ia pin- 
tado Japiler e a sua eurte e no revei^o oma rainha eentada no soiio, tcndO' 
ao lado am anjo alamiando cora o facbo oma pintara. 
Museu Municipal do Porto. 

WJ Leone de varetas de tartarnga rendilbadas e rom figuras e outros ornatos 
Gourados e prateados. panno 6 de seda com grande medalbao e dois 
mais pequenos, ropresentando paizagem e fignras. resto^guarnecido de- 
flores pintadas e douradas, e com bordados a fio de oiro e lentejoulas e la- 
tas de difTerentes cores. Seculo xviii. 

Sr. Fernando Lmz de Soma Continho, Belem. 

3o0 Leque com varetas de madreperola^ tendo duas figoras entre varies ramos 



138 SALA G 

dourados. panno 6 de pellica, em qa3 esta pintado de um lado o rapto da 
Europa e do oalro um casteiio na margem de um rio. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

331 Leque com varetas de madreperola, arrendilhadas, sendo seis mais eslrei- 

tas e as sete mais largas t^em varias figuras e ornatos dourados. pamio 
6 de papel e teni pintado Baccho com os sens attributos. 
Sr, Conde de Alte, Lisboa, 

332 Salva de prata dourada e levantada representando na borda, entre ramos e 

fructoSy homens e animaes fabulosos. No centro um galeao tendo desfral- 
dada a v^la latina c n'ella a imagcm de S. Sebastiao. Diametro O^^SBS. 
Seculo XVI. 

Sr, Julio Cordeiro, Usboa. 

333 Bandeja de prata levantada e lavrada com folhagens a partir do centro. Dia- 

metro 0",263. Seculo xvii. 
Sr, Julio Cordeiro, Usboa, 

334 Ta^a de prata similhante na ornamcnta^ao a bandeja n.*" 333. Seculo xvii. 

Sr, Julio Cordeiro J Lisboa, 

333 Panno de linho quadrado com bordados a tor^l azul e castnnho, formando 
pequenos quadros com ornatos e nos maiores o Agntis Dei. 0°',6i. Se- 
culo XVII. 

Sr,' D, Helena de Aragao, Lisboa, 

356 Algibeira de setim amarello com bordados a froco e tor^al de cores, represen- 
tando ramos e um passaro com uma flor no bico. Seculo xviii. 
Sr," D. Helena de Aragao, Lisboa, 

337 Sete colhdres sopeiras de prata de diversos tamanhos e feitios. Seculos xvi 
e XVII. 

Sr,' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

338iQuatro prancha^ contendo noventa e seis anneis de oiro e prata de diver^^os 
a [ tamanbos e feitios com difrerent(*s pedras, diamantes, rubis, esmeraldas, 
443) topasios, clirysolitbas, crystaes e camapbeus, usados no seculo passado. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa, 

444 Oculo de prata servindo de estojo a tesoura, canivete, caneta, pin^a, etc. 
Comprimento 0",1. Seculo xviii. 
Sr," D, Helena de Aragao, Lisboa. 

443 Medal! lao em cobre, representando Nossa Senbora com o Menino ao colio. 
Trabalbo original foito a buril por Freire. Diametro 0°',063. Fins do se- 
culo XVIII. 

Sr,' D, Helena de Aragao, Lisboa, 



SALA O 139 

* *g/Dois relogios com duas caixas cada um, pertencentes ao seculo passado, sendo 
1 um, em prata, de phillips, london, e oatro, em latao dourado, de gonstan- 

kkl] ^'^^ ROBERTS. 

**' ( Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

4i8 Relogio de prata com daas caixas arrcndadas, urn ponleiro e despertador. 

AuCtOr ABEL DVRADE. SeCUlo XVII. 

Sr,' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

449 Caixa de rap6 redonda, em tartaruga. Na tampa, em marOm recortado, daas 
figuras de mulher, uma offerecendo o cora^ao a Cupido e outra coroando-o. 
Ao lado o templo. Secalo xviii. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

!Tres s^Ilos em prata, sendo urn do convento das Chagas, outro de Xabregas 
(N. S.' de Ara Coeli) e o terceiro da Ordem Terceira de S. Francisco da 
villa de Abrantes. Us dois primeiros sao do seculo xvi e o ultimo do seculo 
XVII. 
Sr.' Z>. Helena de Aragao, Lisboa. 

453 Caixa para rap^ de tartaruga com guarnlQoes de oiro e uma miniatura circu- 

lar na tampa. F6rma oblon^a e charneira. 
D. Helena de Aragao, Lisboa. 

454 Relogio com caixas de oiro esmaltado e cercado de ornatos guarnecidos de pe- 

dras. vidro da outra face ^ tambem guamecido depedras. Marca Terrot 
Fazy a Geneve. Esta preso a uma chatelaine de oiro baixo com esmaltes 
azues. Seculo xviii. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

455 Cruz da ordem de S. Thiago da Espda, em prata cravejada de granadas. 

Seculo XVIII. 

Sr.* D. Helena de Aragao, Lisboa. 

456 Habito da ordem do Christo, de prata e oiro com esmalte branco e vermelho 

e com diamantes. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

457 Habito da ordem de Cbristo, de prata dourada, com coroa por cima e crave- 

jado de rubis e diamantes. 

Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

458 Habito da ordem de Christo, em prata dourada, com esmalte vermelho e 

branco e com chr)'solithas. 

Sr.* D. Helena de Aragao, lisboa. 

459 Caixa de cobre esmaltado, com charneira, pintada de paizagens e figuras. 

Seculo XVIII. 

Sr' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

11 



160 SAI,A O 

4()0 Relogio com doas caixas 4e oiro, tendo a exterior um baixo-relovo com va< 
rias Gguras, am brilhante e um rubi. Na pega um jactntho. &ta preso a 
chatelaine de oiro baixo. 

Sr.' D. Helena de AragSo, Lisboa, 

461 Caixa C.e prata doarada, arrendada e lavrada assente sobre lamioas de ma* 

drcperola, e com forma quadrilonpa. Seculo xtiii. 
Sr' D, Helena de Aragao, JJsboa. 

462 Caixa para rap^, de marfim, redonda, teudo oa tampa urn eemalte eefrado 

de pedras bra«cas. Seculo xviii. 
Sr.' D. Helena de AragaOj Lishoa. 

403 Caixa de rap6, redonda, em tartaruga com incrusta^oes e filetes de oiro. Na 
tampa uma miniatura em marGm, representando uma mulher reeostada no 
bra^o esquerdo que esta apoiado sobre o joeibo. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa, 

4G4iQuatro relogios com caixas em cobre dourado com esmaltes e guameeidos de 

;i I pedras. Seculo xvin. 
4^57 ( St.' D, Helena de Aragao, Lishoa. 

408 Chatelaine de aro com ornatos de cobre dourado. Seciiilo xviii. 

Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

409 Relogio de prata com a caixa lavrada de omatos e figuras; mostrador de 

prata, onde tem inscripto : morin a hakis. Seculo xvii. 
Sr," D. Helena de Aragdo, Lisboa. 

470 Caixa de rap^, cm prata com alguns relevos dourados reprcsentando enible- 

mas vonalorios. 

Sr." D. Helena de Aragao, Lisboa. 

471 Relogio com duas caixas de prata arrendadas, e a externa com um baixo re- 

levo ropresentando tres figuras, etc.; repetifao. Auctor Johan Ge^rg. Se- 
culo XVIII. 

Sr.' D. Helena de Aragdo, Lisboa. 

•472 Relogio com duas caixas dc latao lavrado, tcodo a exterior tres Ggtras em 
baixo-rclevo. 

Sr." D. Helena de Aragao, Lisboa, 

473 Ta^a e bandeja de prata levanlada em gomos e coberlas de lavorcs feitos a 

cinzel. Diametro da taga 0™,i6; da bandeja 0",15. Seculo xvii. 
Sr.' D, Helena de Aragao, Lisboa. 

474 Estojo de prata robatida e cinzelada, contcndo tesoura, canivcte, caHeta,pin- 

^a, pall to, etc. Seculo xvm. 

Sr,' D. Helena dt Aragao., Lisboa. 



SALA G- 161 

473 Gaixinha circular de prata lavrada e dourac^a. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa, 

476 Ornato de pente para cabega, forniado por granadas e minas novas. Seculo 

XVIII. 

Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa, 

477 Caixa de rap^, em madreperola lavrada; aros de cobre dourado, e na taropa 

urn medalhao representando o anverso de uma pega de quatro escudos com 
OS bQstos de D. Maria I e D. Pedro ill e a legenda: mariai. etpetrusiii. 

D. G PORT. ET. ALG. RRAES. 

Sr." D. Helena de ArogaOj Lisboa, 

478 Caixa de rap6 em cobre dourado com omatos e tendo na tampa uma agatha. 

Fim do seculo xvii. 

Sr.' D. Helena de AragaOj Lisboa. 

479 Peqoeno relogio com f6rma de bolota, e caixas de oiro esmaltado. Tem 

presa a chave, da mesma epocha. Seculo xvu. 
Sr.' D. Helena de Araguo, Lisboa. 

480 Cofre de ^elatina com guamigoes de prata e pedras de cores. Seculo xvi. 

Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa, 

481 Grupo pastoril de barro, representando um cainponez e uma camponeza dan- 

sando e dois tocadores, um de rebeca, outro de gaita de folles, sentados, 
e de roda um cao, uma oveiha, duas cabras, arbustos, etc. Seculo xvul 
Comprimenlo O^jS^; largura 0",17. Fig. 171. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

482iPrancha com ciacoenta e oito alQnetes de diversos feitios e qualidades, todos 
a I do seculo xviii. 
539 1 Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

540 Sttspensao de relogio de algibeira em latao dourado. Por baixo do circulo a 

figura do Tempo e ao lado um anjo apontando para as boras. Altura^0'°,33. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

541 Busto de el-roi D. Joao YI, em porcelana, esculptura attribaida a Joaquim 

Machado de Castro. Altura 0°',27. Fim do seculo xviii. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

542 Cruz e(]uilatera de agatha, com cinco rubis engastados, por lapidar. Traba- 

Iho indo portuguez. Seculo xviii. 
Sr.' D. Helena de Araguo, LUboa. 

'543 Eslojo de prata rebatida e cinzelada, tcndo frisos dourados, e uma argola na 
tampa. Servia para guardar lancetas. Seculo xviii. 
br.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 



162 SALA G- 

5&1 Fructeiro de cobre, composto de duas lamioas, sendo a superior arrendada; 
nias orlas e no ceutro vestigios de t'ymalte e de ornatos de coral ; no fondo 
exteriormcnte, traballio de cinzel. Diameiro 0",22. Seculo xvi. 
Sr.' D. Helena de AragaOj Lisboa, 

545 Cofre cylindrico de robrc, com uma fenda para receber csmoias. Tern am 

baixo-relevo represcntando S. Tbiago, com um anjo e urn cao. Altara 
O",!!. Seculo xvii. 

Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

546 Medalhuo em cobre representando Santo Antcnio ajoelhado janto de um altar 

onde est;i o Crucificado. Diametro O'^ylSS. Seculo xviu. 
Sr,' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

547 Travesseiro de linbo com uma lira em todo o seu comprimento, de bordado 

a pontinbo, formando elegantes desenhos de oroatos, guarnecidos de renda 
estreita em volta. Seculo xvii 

Sr' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

548 Bandeja de prata lavrada e levantada, com aves, folbas e flores. Seculo XYm. 

Diameiro 0",31. 

Sr, Julio CordeirOj Lisboa. 

540 Fivela de prata para cinto com daas Qeiras de minas novas. 
Sr,' D. Helena de Aragao, 

560 Relicario de prata dourada. Tem em esmalle preto, nas duas faces convexas, 
as armas da ordem dominicana. Seculo xvi. 
Sr.' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

551 iDois lagos de oiro arrendilhado e com diamantes, e tres pares de brincos tam- 



a 



bem de oiro arrendilhado e com diamantes. Seculo xvii. 



655 1 Sr,' D. Helena de Aragao, Li»boa. 

556 Fivela dc prata para cinto com pedras brancas. 

Sr." D, Helena de Aragao, Lisboa, 

557 Brincos de prata com topasios e diamanies. 

Sr,' D. Helena de Aragao, Lisboa. 

558 Medaiha de prata com disco de vidro e uma miniatura em marfim, represen- 

tando Santo Antonio e outra figura. 
St.' D. Helena de Aragao. 

550 Jarro de prata levanLida e cinzelada, tenc'o, entre outros ornatos, oito car- 
rancas douradas e uma outra servindo de base ao bico, que se eleva, como 
a aza, acima do bordo do vaso. Allura 0",3. Seculo xvni. 
Sr, Julio Cordeiro, Lisboa. 



SALA G 163 

860 Ta^a de oiro levantado e cinzelado. Tern no fnndo exteriormente as Ictras 

F JD entrelagadas como firma. Uiamctro 0'",165. 
Sr, JuUo Cordeiro, Usboa. 

861 Caixa de rape fonnada de um busio com am e tampa de oiro foFco ornamen- 

tado e tendo no roeio um medal iiao do oiro poiiJo. 
Sr,' D, Helena de Aragao, Lisboa, 

ICollecpao de dazentas euma joias, usadas no seeulo xviii, em oiro e prata,com 
varios esmaltes e pedras, rubis, ^^ranadas, diamantes, perolas, topasins e pe- 
dras brancas. Sao brincos, relo^ios, collares, anncis, fivclas, medalhas, 
algnmas com retratos em miniafura, Inc^os, omatos de cabega, alfinetes, 
fechos de pnlseira, habitos de ordens militares, chatelaines, etc. 
Sr, Julio Cordeiro, Lisboa. 

763 Banca com doas gavetas, os p4s e travessas marchetado<< de preto e qaadra- 

dos de marfim, e gaarnecida de faxa!( de pan santo. Comprimcnto l'",31; 
largnra 0^^,96: altera O'^fiQ. Traljalho indtvportiiguez do seeulo xvii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

764 Ccfre de madeira acharoada com laminas e columnar do crystal lapidado e 

caniteis de prala. Comprimento 0"»,99: largura 0"»,72; aliura O^.SS. Se- 
eulo XVI ^ 
Igreja da Graga de Lisboa. 

765 Armadara completa, coberta de ornatos^ tendo no peito nm cavalleiro derra- 

bando am dragao e por baixo duas ei^phinges. Parece de origem iiollandeza. 
Seeulo XVI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

766 Cruz processional de madeira forrada de folha de latTio lavrado t3ndn o Cm- 

ctficado e nos ouatro extremos bustos de saotos. Altura 0"y48, largura, 
nos braQos, 0"*,44. Seeulo xiv. 
Sr. Luiz da Costa. 

767 Peqneno oratorio de madeira, cujas portas se abrem daasparaos]ados,uma 

para ciroa e outra para baixo. Na^ portas lateraes acham-fe pintados os 
oustos de Santa Gatbarina, Santa Apolonia, Santa Ursula, Sanui Luzia e 
mais dois santos; na superior o Padre Eterno e na iDferior um seraphim. 
No painel do Tundo representa-.se a Familia Safzrada com S. Joao Baptista 
e varies anjos com coroas de (lores e Tructos. N'um canto ttaa assignatura 
lOANA BA.PTISTA FACiEBAT. Aberto tcm do altura 0",65, c de largura 
0",48. Seeulo xvi. 
Bibliotheca Publica de Evora. 

768 Papeleira de ciss6 ornamentada com embn tides de marfim cm toda a super- 

ficie, e nas faces lateraes (iguras de elephantes, leoes, vcados e arvores. 

* Um ODtro enfre mais pomiono, mas do mesmo typo, foi olTerccido 4 ijrrrji de Mnntnign polos archidu- 

r»f Alberto e Izabel, em satisfiKfto da tomada do Ostrndo i Flaodrci) cm IGOi i Ucnry Uavard, L'Art d travers 
maun, 18Si, pag. 311, tig. 191). 



Mil SALA G- 

Trabalbo indo-portnguez do seculo xvii. Comprimento l",43; largora 
0'",55:aliura l'»,27. 

Sr. D. Miguel Pereira CoutinJw, LMaa, 

769 Duas jarras da China, fando branco pontuado e cheia de ornatos; nas face?, 

acbatadas, pinluras de varias cures representando ca^adtas: azas douradas 
assim como os leoes que enrimam as tampas. AUura 0",W). Seculo xvni. 
&r. Fernando Palha, Lisboa. 

770 Toucador de filigrana dc prala, com tres gavelas. No espelho tem pintado nm 

radjab com uma ave iia mao dircita, e uma bailadeira dansando adiaote* 
Comprimento 0",39; altura 0'",62. Seculo xviii. 

Sr, Caetano de Andrade Albuquerque^ Ponta Delgada. 

Ill Duas taibas de lou^a do Japao, com ramos doorados sobre fundo azol. Al-^ 
tura 0",91 ; diameiro na base 0'",27. Seculo xviii. 
Sr, Visconde de S. Januario, Lisboa. 

772 Doze cadeiras torneadas, com cspaldar; costas e assentos forrados de gual- 

damacim com fundo verde e ornatos e ramagens douradas e de cores. Sch 

CUlo XVIII. 

Sr. F. G. Almeida, Porto. 

773 Quadro de pau santo confendo doze medalhoes de cobre com esmaltes de Li- 

moges, reprrsentando os doze imperadores romanos desde Jubo Cesar ate 
Domiciano. Seculo xvi. 

Sr, Manuel de Albuquerque, Porto. 

774 Contador de pau santo com embiuido^ de marfim ; na parte superior uma 

caixa; na media um armario tendo dentro doze pvetas e um armario c<hd^ 
iguaes embutidos. Assenta em uma mesa que tem sets p^s torcidos. Com- 
primento l'",02; largnra O^jSS; altura 1"',38. Seculo xvii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

77o Pequeno armario dc eliarao da China de fundo praieado e pintado de Spuria 
e paizagens. Dentro tem seis gavetas. Comprimento 0", 48; largura 0'",27; 
altura 0",(i3. Seculo xviii. 

Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa, 

77C Duas talbas de lou^a azul do Japao com medalhoes brancos e ramos de flores 
de vario colorido. Aliura 0",«i. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

777 Banca de ebano com embutidos de madeira de varias cores e marfim no 

tampo, p6 e travessas. Comprimento 1",34; largura O^jS; altura 0",74. 
Fins do seculo xviir. 

Sr. Miguel Osorio Caltral, Lisboa. 

778 Credoncia de carvalho do norte com os pes e faxas cdbertos de talha, Eepm- 



SALA Gr 165 

sentanio seraphios, ramagens e flores. Comprimcnto 1°*,19. Largura 
0",5. Allura 0"',84. Seculo xviii. 

Sr, Basilio Cabral Teixeira de Queiroz, Lisboa. 

779 CoQtador de pau santo com quatorze gavelas forradas de tarlarnga, e com 

embulidos de marfiin, represeotaado ca^adas, combates, vlagens, etc. No 
meio am armario, onde, entre dans columnar, lia uma pintura a oleo re- 
presentando a Magdaleoa. Soperiormente uma balaur^trada dc motal ama- 
reUo. Origem hespanhola. Comprimento i",i2. Largura 0™,*i7. Allura 
0"',7G. Seculo xvi. 

Sr. Joaquim Garcia de Toledo, 

780 Bajidoja de prata oblooga com flores lavradas na borda. 

Sr.' D. Camilla de Faria, Porto. 

781 Cofre de prata com laroref^ d^^ fl.)res. 

Sr." D. Camilla de Faria, Porto. 

782 Es|pellio com moldura de prata com caneluras, flores e folhagcns. 

Sr.' D. Camilla de Faria, I^to. 

783 Bandeja de prata similbanle ao n.'* 780. 

Sr.' D. Camilla de Faria, Porto. 

781 Cofre de prata stmilhnnte no n.'' 781. 
Sr.' D. Camilla de Faria. 

783 Armario dc pau santo com portas e gavetas almofadadas, e cobcrtas com fa- 
xas onduladas. Tern ferragens amarelias. Apoia-se em dois Ie5es. Compri- 
mento l'",47. Largura O'^fi^. Allura 1",11. Seculo xvii. Fig. 17i. 
Sr.' D. Helena de Aragao. 

786 Golfinho de faian^a branca tendo sentada sobre a cabcga uma crcanga, que 

Com brago direito Hie abrat^a a cauda. Allura 0'",47. Comprimento 0"*, 33. 
Fabrica do Rato. 

Sr. Manuel Pedro Guedes, 

787 Cofre de prata doarada com tampa levantada, e servindo Ihe de remate o 

agnus. Parte da superflcie formada por laminas de espelho embricadas; as 
paredes com arcadas de espellios, separadas por pilastras, a que estao en- 
eostadas as estatuetas dos doze Apostolus. Na base scrapliias e medalhdes. 
Comprimento 0'",S9. Largura 0'",31. Allura 0'",36, fora o agnm. Seculo 

XVIII. 

Irmandade do Sacramento da freguezia de Belem. 

786 Estatueta em faiaoga branca, reprosentaado uma molher nua, segurando a 
roupafreixL com a mao direita e tendo a esquerda encostada a uma urDa« 
eni cuya peanha assenta o p6 esquerdo. AUura 0^,49. Tern a marca F. R. 
(fabrica do Rato). B. Seculo xviii. 
Academia Real de Bellas Artes de Liaboa. 



166 SALA G- 

ICinco pannos dc leqae em pergaminbo, pintados com miniataras do secolo 
passado. Quatro representam assumptos mythologicos, e o qointo rendas, 
rotratos e varios adornos. Cada panno esta contido em ama moldara. Em 
dois dos caixilhos ha medallidcs de cobra esmaltado, com retratos de prin* 
cipes hespanhoes. 

Sr." D. Helena de Aragao, Lishoa. 

79i Duas jarras do loaga do Japao, com forma de cabac^, dc vario colorido sobre 
fando cur de rosa adasmacado, e com aves e flores. Altura 0'",98. Fins do 
seciilo XVIII. 

Sr, Visconde de S. Januario, Lishoa. 

793 Duas caixas assentes cm mesas, cobertas de varios omatos detalhadonrada, 
tendo cada uma oito medal hdes cobertos de vidro e com pinturas de anjos 
e flores. Comprimento0",94. LarguraO'",P9. Altura, com a mesa, 0",76. 
Estao bastante deterioradas. Principios do seculo xviii. 
Sr. D. Martinho da Franca Pereira Coutinho, Lisboa. 

796 Baixo-relevo em cobre, representando a Magdaiena de joelhos, defronte da 

caveira, e por cima uma nuvem com ^eraphins. A moldura tern ornatos de 
metal se<;urando varias pe^as de agatba. Altura 0'"y()l. Largura 0'"y57. 
Sr. Conde da Foz, Lisboa, 

797 Contador de ebano com entalhes de madreperola e marfim. Os da porta do 

armario quo esta no centro representam aVirgem com oMenino ao colio; 
OS das faces das dezeseis gavetas dos sous quatro lados representam va- 
ries assumptos da Escriplura. Tem suporiormente uma galeria metallica. 
Assenta sobre uma mesa de madeira deFlandres torneadaecom talha, en- 
vernizada de preto. Comprimento 1°,16. Largura 0",45. Altura 0",9. 
Trabalho hespanhol do seculo xvii. 

Sr. Jacinto Avgusto Paiva de Andrada, Lishoa. 

798 Duas jarrasde vidro com ramos gravados. Altura 0",39. Diametro na base 

0",09. Seculo xviii. 

Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

799 Busto de D. Joao YI em cera. 

Sva Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz. 

800 Quadro com cento e trinta e novo botoes de diversos tamanhos, feitios eqna- 

lidades, os quaes serviram nos trajos do seculo pas:>ado. 
Sr." D. Helena de Aragao, Lisboa. 

801 Pequena cadeira de espaldar, estofada de veludo carmczim lavrado, noas- 

scnto e coptas. c guarnecida de obra de lalha. Seculo xyiii. 
Sr. Julio Cordeiro. 

Dois baixo-relevos de antiga origem grega em marmore representando um 
802\ a quadriga correndo a direita, guiada por uma mulber e adiante a fi- 
e { gura do Hercules com a massa; o outro representa lambema quadriga 
mas correndo a esquerda, e a figura nao tem a massa. Altura do primeiro 
0™,7; comprimento 1",36. Altura do segundo 0",7; comprimento l^jiS. 
Sr Duque de Louie. 



803 



SALA G 167 

801 Par de talbas da India; em fando branco flores e ramos de cores. 
St. Antonio Joaquim da Silva Ribeiro, Lisboa. 

805 Dnas mesas de carvalho formadas por bases omamentadas onde ponsam dois 

selvagens com carcaz e flechas sastendo nas maos a tabna. Coroprimento 1 
metro; largQraO",45; altura 1",1. Secuio xviii. 
Sr, Manuel Pedro Guedes, Lisboa. 

806 Figara em barro representaDdo nm pastor com os alForges as costas, maos 

crazadas no peito em attitude de adora^ao. Trabalho attribaido a Joaquim 
Machado da Castro. Comprimento 0"»i7; largura O^^IS. Seculo xviii. 
Sr." D, Helena de AragaOj Lisboa. 

807 Escrivaninha de pau santo com embntidos de marfim, tinteiro e arieiro d 

mesma madeira e ferragens amarelias. Comprimento 0"*>30; largur ' 
0",21 ; altura 0"»,12. Seculo xvi. 
Sr.* D. Helena de Aragao, Ueboa. 

808 Grapo em barro representando nm frade ajoelhado com as maos cruzadasno 

Kito em attitude abeatada e am rapaz fustigando-o. Trabalho attribuido a 
aquim Machado da Castro. Seculo xviii. Comprimento 0"*,27; largura 
0»,i6. 

Sr.' D. Helena de AragaOj LiAoa. 

809 Pequena vitrinc de ebano contendo 129 pe^as differentes de onriresaria desde 

a epocha romana at6 os (ins do seculo passado: brincos, cruzes, la^os, me- 
dalhas, omatos de cabej^, relicarios^ fechos, etc. A maior parte d*estas 
pe^as sao adomadas de diamantes, rubis, topasios, perolas ou minas novas. 
Sr.* D. Helena de Aragao, Lisboa. 

810 Bandeja oblonga de prata com a borda aberta em feitio de tran^, com qua- 

tro medalli5es de cobre esmaltado onde estao pintados assumptos mytho- 
logicos. No centro outro medalhao maior em prata levantaoa represen- 
tando uma mulher e um homem. Sao douradas as azas e as molduras dos 
medalhSes. Comprimento 0'",67. Seculo xvii. 
Sr. Manuel Pedro Guedes, Lisboa. 

811 Pato de faian^ branca. Comprimento 0'",5. Fabrica do Rato. 

Academia Red de Bellas Artes de Lisboa. 

812 Contador forrado de tartamga e ebano, com guami^des de metal dourado. 

£ formado de dois corpos. superior tern doze gavetas peqnenas, uma 
grande e duas portas de armario com medalhoes de metal representando 
nymphas sustentando vasos. £encimado por uma grade que no centro tem 
um qnadro em baixo-relero'com a Adora^ao dos Reis Magos. corpo in- 
ferior 6 uma mesa com scte p^s torcidos em espirat. Coroprimento l'",46;- 
largura 0'",48; altura no centro 2'",32. Seculo xviir. 
Sr. Jacintho Augusto Paita de Andrada, Lisboa. 

813 Grupo em barro pintado, representando uma vciha cega apoiada a um rapaz 



168 SALA G^ 

que leranta om pan para bater em dois caev?, (jue bripam. Trabalho al^ 
tribaido a Joaanim Ma<^hado de Castro. Fins do secub xvih. 
Sr. Juse Palha, Lisboa. 

814 Cufre com qiiairo pavetas, chnpeado dp, tarlaruga e g»arnccido de oroatos de 
prata lavrada. Comprimouiu 0™,27i aUura O",^^, largura 0",21. Se- 

CUlo XVII. 

Sr/ D, Camilla de Faria, Porto, 

81u Grnpo em bovro pblad>, roprcsentando um ce^ro senlado tocando safifona e 
Oi raiax adiaate fa2«ndi» por em p4 um coo. Trabalhoattribusdo a Jtfaqoim 
Macliado de Castro. Fins do seculo xviii. 
Sr. Jose Palha, Lisboa. 

816 Alto relevo em denl» de eavallo marinlio, reprcsenlaAda o presepe, com 

moidura de pnu «anto Javrado. Seculo xyiik 
Sr.' D. Helena de Aragao, Utboa, 

817 Qiiadro if^ cbano oontendo quareota e novo miiiiaturas em cobre e murBm, 

perten^pBtcfi aos sccuIoh xvi, xvu e xvm. 
Sr.' D. Helena d$ Aragoo, Liskoa. 

818 Alto-rclcvo em dente de eavallo marioho refNreeenfando a adora^ao dos Reis 

Ma^os; tern moidura de pau santo lavrado. Seculo xvui. 
tyr.' D. Helena de Arofjaa, Idsboa. 

&19*Goiilador de paii santo; a frcnto das dez gavetas e ariBario do ceoiro t^m 
embutidos do madetra represMUattdo ediiicios e paiiagens. Guarisii^oes de 
metal pratoado. 

Sr. Vteira de Castro, Porto. 

820 BaixoHrelevo em cera representando a Virgem com o Mcnino Jesu», S. Jos6 

ea offeFia di>s pastorrs. AUura O'^,3o; Jargura 0^,29. 
Sr. Conde de Bertimndee, Braga. 

821 Contador de pau santo com as faces das gavetas fturadas do tartaniga embu- 

tida de marfim, onde sao represcntadas varias fi^'uras fabulosas em ca^a- 
das. Na porta do armario do meio esti represt^ntado o juizo de Sakomao o 
tern por baixo a assi$,^Qaliira Prabo Frbvitg. Supfrtorniefttc e guarnecido 
por mna grade de lalao dourado fi)rmada por carrancas. Assentaporumas 
garras sobre quatro e«plM»ras n'uma mesa do p^ torneados. Lajrgura do 
ciuitador IrO't; altura(r,78. A mesa, largura 1»,22; alia»a0",82. Se- 
culo xvii. Fig. 173. 
Ateademia Real de Bellas Artet de Lieioa, 

82S Busto de 1>. Maria 1, em cera. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Luiz I. 

823 Baixo -relovo em marfim reproscnlando a Adora^ao das Reis Magos. 
Sr. Carles. Mayer, Lisbo^a. 



SALA G lad 

<8dfc Baix<M*elevo cm marfim. representando Nossa Seahora com o Menino Jesus, 
S. Joao Baptista e S. Jii^e. AUara 0",21. 
Sr, Carlos Mayer, Lisboa, 

•82S' Bttfi^te de paa sanio coon os p^s e travcs^as torcidas em espiral, e tres gave^ 
tas. Cornamcntado nasquatro faces. Comprimeutol'°y77; largura 0'",87. 
Seeulo xYiii. 
Acaiemia Beul ie Bellas Arte$ de Lisboa, 

6S6 Pe^a de bronze com varia onmrnentai^ao o com os alfrarismos que indicam o 
anno em quo foi fandida, 164'^. Comprimento 0'",45. 
A. C Teixeira dn AragaOy Lisboa. 

£27 Yaso de prata lainrada, com asa^ e tampa. £ todo ornamentado de folbagens 
e lem qualro rarrancas. Altura li",57. Sectib xvii. 
Sr. Manuel Pedro Guedes, Lisboa. 

£23 Urna de prata cinzetada e larrada com os emblemas da Paixao; na parte an- 
terior, DOS angnlos, estao dots anjos sustendo uma grinalda e em cima o 
cordeiro sobre o livro com a crux e a bandeira, onde se \6 ecce agnus del 
Atraz do cordeiro um semicirculo radiado. Sccnlo xviii. Fig. 98. 
Irmandade do Sacramento da freguezia de Santa Izabel de Setubal. 

£29 Tintciro de bronze dourado, formando uma base suslida por quatro leoes. 
Tem na tampa um monstro marinlio subjugado pelo genio da na^o por- 
tugueza, symbolisado n'uma figura com as armas do reino ao liracollo. 
Comprimenlo na base O^/Jl; allura 0'",42. Perlenceu ao primeiro Mar- 
quez de Pombal. 

Sr. Marquez de Pombal. 

£30 Cruz porcessional de prata larrada com rendilhados; na base duas ordens de 
nicbos; superiormenle o Cliristo. Na face posterior, no centro, o Padre 
Eiemo aben^ando. Na termina^ao superior da baste e nas dos braj^os, 
tanto de uma como de outra fac«, nicbos com figuras de santos cm baixo- 
relevo. 

Sr. Antonio Domingues, Madrid. 

£31 Pequeno contador de paa santo com p6.s de metal embulidos de marfim, re- 
prcsentanda nas tres gavelas varias figuras, mulheres dansando, uma ou- 
tra oflerecendo um coragaoeum cavalleiroarremetlendo um leao com a 
lan^a. Em todos os quadros um coelho. Comprimento C^ySl; largura 
0'",37; allura 0'",42. Seeulo xvii. 
Sr. E. C. Rego, Porto, 

£32 Caixa com embutidos de ebano e marfim, genero de trabalho lioje denomi- 
iiado olho de pei'diz. Tem uma gaveta. Comprimento 0'",34; largura 0'°,25. 
Seeulo XVII. 

Sr. Antonio Moreira Cabral, Porto, 

£33 Contador de ebano com embutidos de marfim e metaes. Aberta a face ante* 



170 SALA G- 

rior aprcsenta a divisilo dc nove gavetas. Comprimento 0'',44; largara 
0»,30; altiira O-^SQ. Seculo xvii. Fig. 174. 
Sr. A. M. Cabral, Porto. 

83i Bandeja dc carvalbo, com caneluras e ornatos nas bordas ; no ceDtro mn painel, 
cantonado por dnas aguias c tres coelhos, no qual se v^ am navio av^lae 
am homem sobre ama rocha com as maos crazadas sobre o peito. Parte 
deotro, parte fora do painel ama fita com o letreiro porto omnia biea MBcm. 
Diametro U",45. Seculo xvii 

Sr, Visconde de Taveiro, Jo$i, Santar, 

835 Caixa com gaveta ; embutidos de marfim a cdres e com pregainhos de me* 

tal amarello. No meio da tampa am quadro com ornatos. Ferragens de 
cobre doarado. Comprimento 0", 37; largara 0",27. Secalo xvii. 
Sr, Eduardo da Cunha Rego, Porto. 

836 Commoda pequena com embntidos a c5res representando flores. Compri- 

mento O^jB; altara 0'",34; largura 0'",33. Secalo xviii. 
Sr,' D. Maria Candida Guedes de Almeida, Tretdes, 



SAL A I 



i Teliz de velado verde com ornatos de appiicagao, de setim amarello. Tern am 
brazao de armas, e por baixo d'eile ama lita com a legenda: Veritas omkium 

YICTRIX. 

Sr. Conde de Rio Maior, LiJfoa. 

2 Farda e cal^ de velado carmezim adornado de galao de prata dourada for- 

roando varios desenhos; canhde8 e dragonas verdes com bordadara e ga- 
loes de prata em xadrez. Colete de veludo verde ornado com galao de prata. 
Seculo XVIII. 
Casa Real. 

3 Xairel e capellada de coldres em veludo verde com ornatos bordados a fio de 

oiro e prata. Secalo xviii. 
Casa Real, 

4 Xairel e teliz em velado verde com bordaduras a fio de prata. teliz tem no 

meio a)> armas reaes portaguezas entre dois aojos. Seculo xviii. 
Casa Real. 

5 Teliz de vtludo azul com um brazao de armas de conde, em setim de variasc6re8. 

Condes de Villa Real, Lisboa. 

6 Teliz de veludo carmesim bordado a tor;al amarello, tendo um brazao de ar- 

mas doH Costas (condes de Soure). 

St. Fernando Luiz de Sousa CoutinhOj Relem. 

7 Xairel de panno azul com bordados a fio de oiro, representando nos cantos 

tropheus miliiares com a corua real por cima. 
Casa Real. 

8 Cabe^ada de azemola em couro, gnarnecida a galao de seda carmesim franjada 

e chapas de metal dourado, duas das qaaes t^m gravadas as armas reaes 
portugaezas. Seculo xviii. 
Casa Real. 



172 SALA I 



Q /Dois pares de estribos em nogneira com guarni^es de metal doarado c la- 
\ vrado, represenlando-i>e n'uns o escudo das armas portupaezas, vasos de fla- 
J /%) res entre duas serpentes, e nos outros variada ornamentaeao. Seculo xviiu 
*"( CasaReal 

J . [Tres estribos em nogneira, cobertos na saperficie exterior de omatos de me- 
I tal dourado, onde sao representadas aguias, vasos de flores, etc. Serviam 
M,^] para sella desiioada para ser montada pur senliora. Seculo xviii. 
^*^{ CasaReal, 

14 Estribo em nogueira, coberto de fma talha na mesma madeira, representandO' 
Qores e varios ornatos. Servia para modela de urn dos precedentes. 
Casa Real, 

13 Par do coldres de marroquim vermelho com ornatos de latao. 
iSr. Francisco de Hello, Trevoes. 

t6 Par de estribos de ferro forrados de bronze. Tern o apoio circolar. Altara 
0",^!. Secuk) yvn. 

Bibliotheca Publica de Evora. 



a 
1« 



Tres pares de estribos de sella em latao doarado e lavrado. Um dos pares iem 
nos lados o escado das armas reaes portugnezas. Seculo xtiii. 
Casa Real. 



20 Estribo de ferro adamascado, com ornatos abertos. Termina em ogi^ e tcm o 
apoio elliptico. Faltalhe a argola. 



21 

e 
22 



Dois pares de estribos de sella em latao dourado, arrendados e lavrados. Se- 
culo XVIII. 
Casa Real 



23 Salva de prata, redonda, toda lavrada com variedade de lavores, sobresaindo- 

quatro medalhSes com cabe^as. Seculo xvii. 
Sr. Manuel Pedro Guedes, Penafiel. 

24 Salva de prata, redonda, com lavores, imitando uma rede de cordel. Seculo 



XVI. 



Sr. Manuel Pedro Guedes, Penafiel. 

iToucador de prata dourada com ornamenta^o de prata branca, composto de 
vinte pe^as, tendo as principaes, em escudo bi-partido, as armas de Portu- 
gal e de Gastella, em meio relevo; e as outras, sob a corda real is ini- 
ciaes p. c. j. (Frinceza Cariota Joaqaina). Pertencea a rainha D. Car- 
lota Joaquina de Bourbon. 
Sr.' D. Livia Schindler. 

45 Cruz de prata com base quadrangular, que serve de relicario. A haste e os 
braros sao cylindrieos e terminain em capiteis corintbios. Seculo xvii. 
Asylo de t). Maria Pia. 



SALA I 17$ 

46 Cruz processk)Dal de ebMio. Aiiasteeosbra^os t^m muitos n6s rematados por 

pregos de prata. E<ta sobre nina espliera do mesmo metal com abertos. Nas 
extremidades ornatos de prata lavrada. Imagem de Christo de marfim. 
Altara 0",()6. Serulo xvii. 

Convento das Chagas de VUla Virosa. 

47 Bacia rcdonda de prata. Tern no centro nm brazao de annas, com corda de 

conde. Secu'o xvii. 

Sr. Fructuoso JUaiia da Nohregaj .Porto. 

48 Salva de prata eom lavores em meio-rclero em torno da borda e no centro, 

tern f^ravado urn brazao de armas. Secak) xviii. 

Sr. Adrtano de Paiva de Faria Leite Brandao, Villa Nova de Gaia. 

49 Taboleiro rectangular de prata rebatida, tendo no centro urn medalhao, re- 

presentando um galeae. Scculo xvii. 
Sr, Carlos A. JUunrd, Lisboa. 

50 Sacra de bronze dourado, ornnmentada com oito fignras de anjos, dois chera- 

bins, um medalhao com (iguras em meio-relevo, e o brazao de armas de 
Portugal na parte inferior. 

Capelh de S. Joao Bapiisia da igreja de S. Rogue de Lisboa. 

61 Taboleiro rectangular de prata. Tem no centro um medalhSo representando 
uma forja, e um ferreiro descansando junto da bigorna. 
Sr. Arnaldo Ribeiro Barbosa, Porto. 

52 Jarro grande ou quarta de prata com o bojo canelado. 

Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

53 Imagem de Nossa Senhora da Conceii^ao, de marfim, com douraduras. 

Sr. Jose de Mello, Trevoes. 

54 Bttsto om marmore. Parece ser o de Gultemberg. 

Museu Municipal do Porto. 

5o Ampulheta grande com resj^uardos de prata lavrada em flores e folhagens. Nos 
tiipos as armas reacs do Portugal gravadas e a seguinte incrip^ao : da hesa 

DA CONSCIENCIA E ORDENS. ScCulo XVIII. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

6i5 Meio busto de am imperador romano (parece ser Nero), esculpido em mar- 
more cdr de carne. 

Mttseu Municipal do Porto. 

87 Tinteiro com a forma do monumento cm frente do palacio Quirinal em Roma. 
obelisco 6 de agaiba e o pedestal de lapis-lasuli; o socco do obelisco e 
dos dois grupos lateraes sao de ajralha. Os dois grupos de figuras sao 
em bronze dourado, imitando as admiraveis obras de Pbydias e Praxi- 
teles. fundo dos tanques lateraes 6 de verde antigo. Tudo o mais de 



174 SALA I 

bronze doarado. Este tinteiro foi presente de Pio YU a princeza, depois 
rainha, D. Cariota Joanoina de Bourbon. 
Sr, Gaspar Schinaler, Lisboa. 

58 SaWa de prata com diversidade de iavores em meio-reievo. Do meio da salva 

ergoese uma taQa, rematando em fdrma de tulipa com as quatro petalas 
voltadas para baixo. Secnlo xvii. 
Srs, Duques de Palmella. 

59 Medaiha de porcelaoa Wedgwood, tendo mn bosto branco em meio-relevo so- 

bre fundo azul. Secalo xviii. 
iluseu Municipal do Porto. 

60 Quadro de porcelaoa de Wedgwood, tendo quatro genios em meio-relevo de 

cdr branca sobre fundo verde ciaro. Seculo xviii. 
Museu Municipal do Porto- 

61 Corda de prata dourada com diversidade de Iavores vasados e ornada com 

pedras branca^. Seculo xvii. 
Cabido da Si de Lamego. 

62 Medaiha oval de porcelana de Wedgwood. Sobre fundo azul claro v(^-sc uma 

aliegoria, em que figuram quatro genios, um altar e um bode, tudo branco 
e em meiorelevo. Seculo xvni. 
Museu Municipal do Porto. 

63 Medallia oval de porcelana Wedgwood, com uma allegoria mythologica em 

meio-reievo branco sobre fundo azul. Seculo xviii. 
Museu Municipal do Porto. 

64 Jarro grande ou quarta de prata com o bojo em gomos torcidos. Seculo xvm. 

Sr.' Condessa de Rezende. 

65 Fructeiro de prata redondo e todo rendilhado com variados desenfaos. Seculo 

xvin. 

Srs. Duques de Palmella. 

66iDois selins com forquilba, cochim de camursa e abas de veludo, um azul e 
e \ outro verde bordado a fio de oiro. Fins do seculo xvni. 
67) Casa Real 

68 Pequena sella de veludo carmesim bordada a Go de oiro, xairel do mesmo ve- 

ludo com galao e franja, pcitoral. rabixo ecabe^ada decourocobertodepe- 
quenas pe^as de bronze dourado, e estribos abertos do mesmo melal. Se- 
culo xvni. 
Casa Real. 

69 Sella com xairel de veludo carmesim agaloada e com franja de oiro, estribos, 

guarni^des no peitoral e cabegada de bronze lavrado e dourado. 
Casa Real. 



SALA I 178 

70 Cadeira medindo a altara do espaldar l'°,39; brakes, pes e travessas dc no- 

gueira canelada, as costas e assento coberta de setim amarello com flores 
e grinaldas a froco e a tori^al de varias cores. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

71 Cadeira gestatoria forrada de veludo carmesim coberto de bordados a fio de 

Giro. De cada lado do espaldar dois anjos dc bronze doarado segarando 
um escudo com armas tendo por cima a tiara. A parte posterior do espal- 
dar tem no meio o escado tripartido dos Saldanhas e Gamas, encimado 
pela tiara, saperiormente o emblema do Espirito Santo radiado, e por bnixo 
uma basilica. resto 6 todo coberto de ornatos tambem bordados a oiro. 
As niaganetas dos bra(^os, p^s e argolas para os varaes sao tambem de 
bronze lavrado e dourado. Altura l'",63; largura O"*,?. Scculo xvm. 
Se de Lisboa. 

72 Biombo, dividido em dois corpos, cada um d^estes em seis dobr;is, em cartao 

com relevos dourados e pinturas a cdres, tendo vinte e quatro medal hoes 
com OS retratos do conde 1). Henrique, dos reis porluguezes ale D.Pedro 11, 
e do principe D. Joao, filho d'este. Tem seis quadros representando as 
batalbas da independencia : Muntijo, tomada de Alcuncbel, tomada de Villa 
Nova de E1-Rei, batalhas das linhas de Elvas, Ameixial e Monies Cla- 
ros. Diz-se que pertenceram a Pedro Jacques de Ma^alhans, primeiro vis- 
conde de Fonte Arcada e um dos cabos de gucrra da independencia. 
Sr' Viscondessa de Fonte Arcada^ Lisboa. 

^o/Duas columnas, de madeira de carralho, em espiral, com capiteis corinthios e 
I sobre uma o busto de uma mulhcr coroada de flores, symbolisando a Pri- 

mA mavera, e na oulra o de um bomem coroado de espigas, symbolisando o Ve- 
( rao. 

Sr. Jacinto Augusto Paiva de Andrada, Lisboa. 

75 Mesa de madeira de carvalho com tampo de marmore prcto. A talha da frente e 

lados, quedesce a dois tergos da aliura, representa lolhagens, aves e flores. 
Comprimento 1",38; altura O^jO?; largura 0'",74. 
iSr. Francisco de Abaim, Lisboa. 

76 Espelho com moldura de talha de carvalho representando folhasdeparraeca- 

chos de uvas. Seculo xvni. 

Sr. Francisco de Aboim, Lisboa, 

77 Cama de pan santo ; cabeceira com tiiha aberla, tendo o centro almofadado ; qua- 

tro p^s de cada lado; armagao. Serve de base ao enxergao uma grade co- 
berta d^ couro lavrado. Comprimento l^jSO; largura 0'",86. Seculo xvii. 
Fig. 175. 

Sr. Custodio Correia da Rochoj Lamego. 

78 Duas misulas em carvalbo de obra de talha representando folhas, flores e 

aves. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

«3 



170 SALA I 

'79 Imagera de S. Josr, em barro, trabalho docekhre esculptor n'cfile geiiflro An* 
tonio Ferr«ira. Aluira U'",^?. 

Convento do Cora^uo de Jents, Lisboa, 

80 Imagem de Nossa Senliora com o Menino ao collo, cm barro, esculptura de 

Antonio Ferreira. Altura 0'°,68. 

Convento do Cora^do de Jesus, LiAoa. 

81 Medalhao em faian^a representando o basto de um gacrreiro lendo no cimo do 

capacete alado um peixe, bo liombro uma serpente e no peito aroa car- 
ranca. Ebta dentro de uma moldora composta de dois circulos tendo o de 
dentro escamas knbricadas e e de fora uma grinaJda formada de folUaSy Co- 
res c fructos. Trabalbo de delia Robbia. Diamelro 0*,76. Seculo xvi. 
Extincto convento da Madre de Deus, Lisboa, 

82 Medalliao cm faian^a, tendo dentro de uma moldura com fulbas, fractos e flo- 

rcs a» armas reaes portujruez«i« sustidas por dois anjos e encimadas pela co- 
roa real aberta. Trabaiho de delia Robbia. Diametro 0^,19. Seculo xv. 
Extincto convento da Madre de Deus, Lisboa. 

83 Medalhao em faianoa branca, com Yestigio$dedouradura,repre$^ntand0Nossa 

Sen bora com o Menino ao coUo e adiantc S. Joao Baptista. todo esta den- 
tro de uma grinalda formnda de flores brancas e Toiha^ verde^. Trabalho de 
delia Robbia. Diametro 0*",*^), e com a grinalda O™,?!. A parte de dentro 
pertence ao convent:) de Nossa Senbora da Concei^ao de Beja, ao qual 
foi iogada pela infanta D. Beatriz, mulber de D. Fernando, e mae d*el- 
rei D. Manuel. Seculo xv. 

A grinalda c da Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

Sic Duas cadeiras de nogucira torneada; costas e assento de couro seguros com 
pregos amarellos de grandes cabe^as, e a superflcie com desenbos, impre^- 
sos a cbapa, represenlando vasos de flores e outros cmatos. Seculo xvii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 



SALA J 



1 Talha em faianya com {NotunM de ornato aines e roxas sobre fundo branco. 

Altura 0",aO. 

Academia Bid is BAUu Arte* de Lisboa, 

2 Talha em faianga com pinturas azucs e roxas em fundo branco, representando 

plantas, animaes, gu\ Tern tamhem a paiavra misericordu. Altura O''*,^?. 
Aeademia Rial de Bellae Arieide Lisboa, 

3 1 Doze pequenos vasos de barro escaro, pintado da preto represeDtando di versos 
a I aaimaes e lavores, considerados idolos azleque^ peruvianos. 
ikf Aeademia Real doe Scieuiae de Lieboa, 

loiTres peqaenos vasos de barro verwelho, leodo um a fArroa de um crocodilo, 
a / outro a de tres vages sobrepostas n'um corpo bemispherico e o terceiro tres 
17 r eabe^as imulaB, sendo a do centro maior e com ornatos. 
Aeademia Real das Sdencias de Lieboa, 

ISiSeis eautoetas de maaaa de papel, coloridas, em variaa attilades. Eram de 
a um presepe. 
23 ( Aeademia Real das BMas Artee de Ldiboa. 

S4 Ber(o de prala lavrada, eoai aberlos, oroada de pedras azues e assiente sobre 
veJado earine^im. ComprimeDU) 0'",^2; iargura 0'^,3Q. Secalo xvii. 
Sn, Marquesies de ibmfalim, Porto. 

2S Baixo-releTo em pan santo representaado S. Marcos ErangelUta. Moldora he- 
ptagona. 

Aeademia Real das Sdencias de Lisboa, 

96 E^iho ie Veoeia com Tariot oraalos e eotre ellea doas avcs. 
Mosieire de Cellos, Ceimira. 

* Estas fatancas jantas com as qne se se^ruem o oalras que vSo descriptas com os n.^ 54 a 6( slo de ori. 
gem amerciaoa, e (brmam qma iroportanlo coliecgSo no sou ):eiioro. A procedv..iCia das faiancas dos dois olti. 
BM grBpw (a.** &I a 39e n.<>* (M> a6i) atlrUbiM-M foraloi.'nle u oleiros porlsgnoMt, b?apaiiboes oa iulianos 



178 SALA J 

27 Fechadura de feiro com rendilhado. Seculo xvi. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

28a Pintura antiga em cobre, represeDtando Nossa Senhora em meio corpo oom 
Meaino Jesus. A moldura 6 de prata com variados lavores. Secalo xtiii. 
Sr. Joaquim F. da Cunha Beis, Braga. 

28-6 Baixorelevo em marOm representando Rebeca na fonte. Tern moldara antiga 
dc taiha relevada. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

29 Pistola de alcance, com guarni^oes de prata lavrada e no couce da coronba 

uma carraDca tambem de prata. 

Sr. Antonio Moreira Cabral, Porto. 

30 Duas pistolas de alcance. Todas as guanii(^5es sao de prata em relero repre- 

seDtando emblemas nauticos, etc. cano com embatidos de oiro, tem 
tambem emblemas nauticos, armas, bandeiras, etc. Foram feitas em Ingla- 
terra no seculo xviii. Pertenceram a um almirante inglez. 
Sr. Antonio Bernardo Ferreira, Porto. 

31 Espada com o punho e guardas de bronze dourado, e ornados com cabe^as de 

iedes. figuras do Hercules, etc. Fins do seculo xviii. 
Sr. Antonio de Ollveira Pinto, Porto. 

32 Alfange com os copos e guarnigoes da bainlia de prata lavrada com diversi- 

dade de arabescos. Seculo xviii . 

Sr. Antonio Guedes Infante, Porto. 

33 Espada curva. Copos de cobre dourado com guarda-mao lavrado em aberto. 

Punbo de roarfim com capacete representando uma cabega de tigre. Fiador 
de tran^a de oiro com borla. Folna curva sem game, damasquinada e or- 
nada de troph^us. Bainha de cobre dOurado com trophdus gravados. Per- 
lencen a D. Pedro IV. 

Academia Beal de Bellas Artes de Lisboa. 

34 Espada curva. Copos com guarda dc cruz em cobre dourado lavrado represen- 

tando folhas. Punho de marGm. Fiador de cordao de seda verde e oiro com 
borla de bolota. Bainlia de veludo verde com guamigdes de cobre dourado 
com gravados representando tropli6us, tendo no bocal a inscrip^ao: Odell 
manufacturer old bond str* London. Telim de cordao de seda verde e oiro. 
Perlenceu a D. Pedro IV. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

38 Punhal; cabo sem guardas nero quartoes; punho de lixa; casquilho de latao 
com ornato representando scenas de ca^a; foiha de tres quinas. 
Sr. Joao J. T. Fafe, Lamego. 

36 Punhal ou faca Indiana, com o ferro recurvado. U cabo ^ de ebano marche- 



SAL A J 179 

tado de madreperola. A bainha e coberta de veladocarmcsim, com a parte 
superior e a ponteira de prata lavrada, com desenhos em meiorelevo, re- 
preseotando flores e aves. 
Sr.' D. Maria Ferreira Borges, Lisboa. 

37 Quadro em mosaico representando Cupido, copia de um quadro a oleo de Bar- 

bieri, intitulado Gare a vous, mosaico ^ de Roma e do fim do secuio 
xvni. 

Sr. Conde de Castro, Lisboa. 

38 Taboleiro rectani^ular de prata, com lavores de flores e folhagens. 

Sr.' Condessa de Rezende, Porto. 

39 Bacia de prata oral com a borda recortada e oroada de diRerentes lavores em 

meio-relevo. Secuio xviii. 
Sr. Carlos Augusto Pereira Bastos, Lisboa. 

40 Jarro de prata correspondente a bacia n.^ 39. 

Sr. Carlos Augusto Pereira Bastos, Lisboa. 

41 Gruz-relicario de prata com a imagem do Cbristo em vulto, e uma reliquia cer- 

cada de resplaador dourado. Secuio xviii. 
Sr. Nufw Jose Pereira BastOj Lisboa. 

42 Fructeiro de prata circular, com a borda recortada e guarnecida de lavores em 

meio-relevo. No centre escudo liso ornado de arabescos e flores em meio- 
relevo, d*onde partem para a borda gomos cm espiral, uns concaves, ou- 
tros convexos. 

Sr.' D. Camilla Ribeiro de Faria, Porto, 

43 Oratorio de madeira com obra de talha pintada e dourada. Nas portas, exte* 

riormente, tem o brazao de armas com o banco de pinchar, distinctive de 
infante, e com a cor5a ducal e o dragao alado, timbre dos dnques de Bra- 
gan^a. Parece que pertenceu a infanta D. Izabel, flihade D. Jayme, quarto 
duque de Br^an^a, e mulher do infante D. Duarte, duque de'Guimaraes, 
fillio de elrei D. Manuel. 
Sr. Francisco de Castro Gomes HonteirOj Porto. 

44 Bacia de prata com gomos escavados, a partirem do fundo para a borda, e no 

centre um brazao gravado encimado por um chap^u episcopal. Diametro 
0-,4S. 

Sr. Visconde de Alentem, Penafid. 

45 Cofre redondo, de prata branca e dourada. Descansa sobre tres globes. £ or- 

namentado com quadros de flguras cm meio-relevo, e com tres globes so- 
bre a tampa. 

Srs. Duqties de Palmella. 



180 SALA J 

46 Cofre do fcrro, ornido de dcfonhos gravados, c com a fediadcM na tampa. 

Srs, Duqves de Palmella. 

47 Perfamador de prata, coia tampa, hemiFph^rica, tern ornatos vasados. 

Sr,' D. Camilla Uibeiro de Faria, Porto. 

48 Leiteira de prata com tr«« pds. 

Sr,' Condessa de Bertt'andoSj D. Anna de Bragan^a^ Lisboa, 

49 Cofre dc mndreperola com guarnirnos e ornatos de bronze dourado. 

Sr. F. S. Yidal Jmnior^ Lisboa. 

50 Copo de vidro com uma pintura de varias c6res representaado as armas reae^ 

porloguezts. Tern em pintiira branca o seguinto letreiro: tiva ioXo ▼. 
Srs. Marquezes de Mon/alim e Terena, Porto. 

51 Salra oval de prata dourada, e com p<^. Comprimento 0",29. No meio um 

brazao de armas de princeza oa rainha, composto de dois escudoft, ambos^ 
encimados por uma corua real. Na borda quatro Qabegas de mulher com. 
emhlemas das quatro estacScs. 

Sr. Fmctuoso Maria da Kobrega, Porto. 

52 Cofre todo forrado de fragmentos oeometricos de madrepcrola. 

Igreja de Santa Cruz de Coimbra. 

83 Castodia de prata dourada. Na ba«^e as Gguras dos Eraogelistas em baixo-n- 
levo. Edirulo entro quatro rolumnas com tres tinmiabulos pendentes, faU 
umdo quarto. Allura 0'",53. Fms do seculo xvi ou principios do se- 

CUlo XVII. 

Junta de Parochiade Sande, Lamego. 

54jSeis ta^as, de varios feitios e dimensoes, em barro pintado de preto com ria- 
a > C08 formando ornatos a branro e vermellio. As duas maiores tdm na borda. 
59) exlerior uma serie do botocs de osso enfiados e pegados. 
Academia Rml das Sciencias de U^boa. 



60 
a 
64 



'Cinco vasos Com vanas dimensoes e feitios, cobertos com uma especie dever- 
niz branco e pinturas em encarnado e escaro, representaado ramos e or- 
natos toscos. bojo Fobro«ae a boca, cujo diameiro regula entre 0",14 e- 
O^jiS. Lou(;a amcricana. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



65 Quadro de ebano tendo em fignras de dentc de cavallo marinho o Calrario, em. 
baixo a Magdalena e varios personarens a p6 e a cavallo ; aos cantos os em- 
blemas dos quatro Evangclistas. Altura O^ji; largura 0",13. Seculo xnii. 
Sr. Visconde de Mtmsen^ate. 

60 Quadro cm baixorelevo, dc madeira, pintado a c6res, representando a adora- 
gao dos pasiores ; na parte superior do edificio arruinado v^se um pastor com 



SALA J 181 

rebaoho, o anjos omn disticns em kilim altusciros ao facto e tirados da es-- 
criptura. 0",i{0 do allura por 0'",3i dc lar^'ura. Secuio xviu 
Academia Real das Seiendas de LtTsboa^ 

(7 Yidro fios^eo tendo nma pintara qiic repre^nta uma paizap^cm com mamoinho- 
e doas fl$::iira9. Tern caiiilbo de madeira com base. Ahura do vidro 0"',52; 
lai^iira O-^iS. 

Srs. Condes de Prime, Yizen. 

68 Allo-rflcvo em roarGm, rcpresentaodo Nossa Senhnra da Piedado junto acruz,. 

com o Christo nos bra^os. Em haixo os instrHmentos d<i martyrio. No se- 
gundo piano a cidade de Jerusalem em baixo-rel^)vo. Altara'0'°,21; lar* 
gura O^JS. Esla denlro de uma moldura de. cbano lavrado. 
Sf / Mmeiifk SatOiM, Uiboa. 

69 Baixo-relevo em prata, com moldura de latao dourado, represenfando o trium- 

pho de Baccho com detrimento das scicncias e dns artes. Tem a forma* 
oblonga c mede na maior lar^rura O^^'il. N'nm rotuio junto da flgurado- 
Tempo esta fnravado: i. a. thelot ikv H [m 1717. Seeulo xvni. 
Academia Real das Sciencias de Linboa. 

70 Quadro de escolptura em meiorelevo, em marfim, representando a arvore de- 

David. Moldura do pan santo. Serulo xvin. 
Sr, Guides Jnfanie Junior, Porto. 

71 Estatneti em madeira pintada o dourada reprceentando Nos^a Senliora com o- 

Menino ao collo. 

72 Galbeteiro de lou(a azul c branca contondo duns galhetas e dois saleiros. 

Fig. 176. 

Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

73 Peqoena salva de prala lavrada; borda octogona. No ccntro uma cavidade e- 

quatro espeques com forma de flor de liz, 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

74 Pequena maquineta de pau santo onvidrn^ada nns quatro faces, tendo dentro 

am calvario com Jesus crucificado. Aimra da maquinetaO",^^; largura 
0",08. Secuio xviii. 

Academim Real das Sciencias de Uskoa. 

73 Caixa de madeira forrada de foiha de marfim arrcndado, representando folhos 
e ornatO'5. Traballio cliino-portn^uez. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

16 Moldura em ebano com varios ornate^ de prata lavradn, temlo em bnixo uma 
pia de prata para agua bcnla, cm cinia nm vaso He flores lamhopi de prata 
em baixo-relevo, e dentro a im«igem de Nossa Senliora, de coral, c dois an- 
jos^ timbem de coral, sc^urando um corua de prata. Secuio xvin. 
Sr. Carlos Joie dos Santos e Sdta, Lisboa. 



182 SALA J 

77 Estataeta em barro pintado, representando Santa Ignez com um cordeiro so- 

bra<;ado. 

ConverUo de Santa Clara de Coimbra, 

78 Pyxide cuja base, no e copa sao tres agaihas, ligadafs por engastes de prata. 

Tampa de prata dourada, tendo sobre eila nove medalbdes de agaihaenma 
pyramide tambem de agatha como remate. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

79 Espingarda de fuzil com o guarda-matto, couce, bragadeira, mira e varios or* 

uatos tudo de prata lavrada. 

Sr. Caetano de Andrade e Albvquerque, Ponta Ddgada. 

80 Prato de faian^a com pinturas azues sobre fondo branco. A do centre repre- 

senta um anjo com uma fita em que se vd uma legenda. 
Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

81 Prato de faian^a com o bordo ondulado. Pinturas azues, verdes e amarellas 

representando sobre fundo branco flores e folbas miudas e no centro nma 
ave. Fig. 177. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

82 Prato de faianga com pinturas azues sobre fundo branco. As da borda repre- 

sentam arvores, as do fundo plantas e no meio uma crean^a nua com ama 
ave na mao. 

Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

83 Prato de faianc^a de borda alta. Pinturas azues sobre fundo branco. A da borda 

representa flores e folhagens ; as do fundo um pastor e uma pastora. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

84 Prato de estylo hispano-arabe. Tem o letreiro Sor fr.^ Anna + Aragones 

1720 t. Fig. 178. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

85 Prato de faian^a com pinturas azues e roxas. A do centro representa um bra- 

zao de armas. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

86 Prato de faianga, branco, com a borda em gomos. No centro, em azul, as ar- 

mas de Portugal com as barras de Aragao encimadas por cor6a fechada. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

87 Perfumador em louga verde das Caldas. Na base e bojo carrancas reievadas e 

outros ornalos. 

Convento de Santa Clara de Evora, 

88 Floreira de fainnga representando um a^afate de verga, e sobre die um tampo 

branco com furos para as flores. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 



SALA «J 183 

89 Yaso feito de urn coco, tendo iavores em baixo-relevo que representam paiza- 

gens aniericaDas. 

St. Ernesto do Canto, Ponta Delgada. 

90 Garrafa de faiaDQa com pintaras azaes e roxas sobre fundo branco. Tern de urn 

lado as armas da ordem de S. Domingos e do oatro am touro arremetendo 
para um cao. Obra portugueza. 
A, C. Teixeira de Aragao, Lisboa. 

91 Gaarda-mao de espada, de ferro com ornatos vasados e dourados e com dois 

braz5es. 

Sr, Antonio Teixeira de Sousa, Lamego, 

92 Yaso de faian^ com azas, e pintaras azaes e amarellas em fundo branco. 

No bojo letreiro: sebastiana de santiagyo. Obra portagueza do seculo 

XVII. 

A. C. Teixeira de Aragao, Lisboa. 

93 Tinteiro hexagono em faianga. 

Academia Real de Bellas Artes de Lishoa, 

94 Machadinha de ferro lavrada de ornatos e bastos. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

95 Hassa de ferro caja haste 6 toda lavrada de flores de liz. Cada qaartella tem 

uma ponta formada por uma flor de liz. 
Sr. Francisco Aibeiro da Cunka. 

96 Oratorio de madeira, tendo em vulto varias estatuetas, e a do Padre Etemo 

em meio corpo. topo ^ fenestrado no estylo gothico. Seculo xv. 
Sr. Julio CordeirOj Lisboa. 

97 Pintara em madeira representando Nossa Senhora com o Menino em p6 sobre 

OS joelhos e ao lado dois anjos ofTertando am d'eiles ao Menino figos n*um 
vaso. Altura 0",41 ; largura 0",3I . 
Casa Pia de Lisboa. 

98 Talha de faian^a com fundo amarello, tendo em cada face am medalhao em 

branco com um ramo de flores pintado. A tampa termina n*ama pinha. In- 
feriormente uma carranca onde se adapta uma tomeira. Altura O'^ySG; 
largura 0'»,34. Fig. 179. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

99 Imagem tosca de Christo cruciGcado em pedra, pintada. Fig. 180. 

Convento do Salvador de Lisboa. 

100 Painel de azulejo. Tem pintado am grande medalhao oblongo incluindo vistas 

de cidade, paizaj^ens e dois grupos representando o episodio de Tobias. 
Pertence ao palacio dos dnques de Braganca em Villa Yi^osa. Comprimento 
1»,33; altura 0",53. Seculo xvii. Fig. 181. 



184 SALA J 

iOl EspiAfcarda com Tedios rle pedemeira maito p«sad%. Pertaicea ao eelebr^ 
capitao mor de F«iro Mnniicl dc Mascnrcnhas. Comprimefitu 2°" ,39. 
Academia Real das Sciindat de Lisbea, 

102 Qoadro conumdo dezeseis azulejos esmaltados a cures, genero mosarabe, tendo- 
cada am 0",f3. Senrfo xw. 
A. C. Teixeira de Aragao. 

i03 Bufete de paa santo com pps e travessas torneadas em espiral e adornado de^ 
frisos acordoados. Espollios c puxadores dc lalao. Aliura 0*,8i; compri- 
mento i",K3; largura 0'",74. 
Academia Real de BeUas Artes de Lisboa. 

lai Grupo em barro vermeUio pintado, represeotando am ee^o tocaodo sanfona 
e uma rreanga bebendo per uma iK)rraciia. Altara 0"',G8. Perlenceu a<> 
presepe do extiacio convonlo da lUadre de Deos. 
Academia Real de BeUas Artes de Lisboa. 

105 Deis azulejos csmaltados, cada am dos quaes tern O**,!? em qoadro. 

A. C. Teixeira de Aragdo. 

106 Gropo em barro vermelho pintado, representando um rapaz tocando paita dd 

foles e outro tocando tambor. Perlenceu ao presepe do extincto convento- 
da Madre de Deo-?. Alinra 0*,60. 
Academia Real de Bellas Artes d$ Lisboa, 

107 Medalhlio em marmora branco representando Nossa Senhora com o Henino, 

e dois anjos sustendo uma !rrina)da. MoMara de faianga com fundo aza) 
ornada de cherubins e na oria uma grinalda a cures representando flores, 
fructos e folhas com uma fita. A moldura ^ de della Robbia. Diametro- 
do medalliao O^'JS; da moldura l^.OS. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

108 Musqnete com focharia para niurrao com a coronha de nogaeira. Cano exte* 

riormonte oilavado. Seculo xv[. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

109 Espada com gnarda de manopla. Bainha de reludo com ponteira de prata. 

Sr' Condessa de Anadta. 

110 Espadim com cabo de madeira, pequenos qnartoes e guarda com o feilio do- 

concha voitada sobre a rullKu Elstas gnarni^oes sao de prata larrad& Mi 
facetas. Bainha de lixa rom guarniroes de prata. Pendc de um boldrid de 
veludo carme<im com fivellas e passadeira de prata. 
Sr, Rvff Lope$ 4e Sousa de Alcim e LemoSj Santar. 

111 Pftinel de azolejo eujos desenhos representam crean^as nuas com cabazes de 

flores; grinaldas de fitas, froctos e fl«>res; gomis, carrancas, etc. No meio 



SALA J 166- 

nm mnde medaihSo em qnc $e \^m as annas do doqiie de Bragan^a 
D. Jajme, susdidaft per 4I0H anjos, um de coslaa ootn> de frente e encima* 
das por capacete coro*do o com dragio. Pertence ao {Mdaeio das duques 
de Braganga em Villa Yi^osa. Cumprimento i'jdS; altura 0'",53. Secolo^- 
xTi. Fig. 181 

112 Mesa de ebano com p^s torneados em espiral; travessas cruzadas. Altura. 

O'^.SS; lari^ra 0",a; oomprimento 0*,90. 
Cmtmlo d4 OUvfUoi, 

113 Piscina em faianca a cdrei tendo em eada bee nm vidro; aos cantos quatro 

golfiahos, e nas duas faces priaeipaes duas carrancas destinadas para tor- 
nehrat. Fabriea do Rate. Compriaienio0*,86; largura0'",5; altura O^ii?. 
ftf. 183. 

Sr. Osborne de Sumpaio, IMoa. 

114 Cadeira de pan santo, com asscnto de palbinha, as costas arrendadas e al- 

gnma obra de taiha como ornato na parte superior e nos p^s. 
Academia Reed doi BMat Aries de Ueboa. 

115 Portico do bJanga branoa e aial. Aos lado8 dnas pihstras. Debaixo do arco 

dois anjoa ievantaodo ooia oortina e deixaado patente uma porta. A cima- 
Iba ornametitada com cineo ebembiiis oatre grinaldas. Como remate um 
froMao com dois aojoB e tendu am etpago vasio no meio, qoe parece ter- 
sido destiaado para encaixe de oma craz. Pertencett ao oxitncto coavento 
da Madre de Deus. Altura 1°*,SB; largnra 0*,8i. Secolo xvi. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

116 Quatro azulejos cada um dos quaes tcm pintado um coelho e omaave. Cada. 

azuiejo mede 0'",()8 em qoadro. 
Sr. YiscoTide de Monserrate. 

117 Moldura contendo gnatro axnlejos com foiliagens esmaltadas em f6rma de ro* 

seta. Cada azulejo mede 0°',12 em quadro. 
Sr. Yisconde de Monserrate, 

118 Relogio de parede, com am s6 ponteiro, pendulo na frente, mostrador largo- 

em latao lavrado e com quatro medallioes em esmalte representando a Eu- 
ropa, a Asia, a Africa a America; na parte posterior da fabrica, que- 
tern diametro dc 0'",10, esta a inscrip^ao: johge wegelin auguste. Pela 
freate mostrador tern O^^Si de altara. Seculo xm. 
Sr. Joao Alegro Peretra, Almada. 

119 Gontador hispano-arabe de nngueira com ferragens de desenhos vasados e- 

assenles sobre veludo carmesim. Aberto tampo da frente, v^n-se ga- 
Tetas e annarios exteriormente adornados de columnas, medalnOes e m- 
cnista^oes de osso, pinturas e douradoras. Fig. 184 e 185. 
Academia Betd de Deltas Artes de Lisboa. 

120 Fignra de um pastor, em barro, de joelhos com os bra^os cruzados em ado- 



186 SALA J 

ra^ao e tendo adiante uma ovelha. Obra attribuida a Joaqoim Machado 
de Castro. Pertcncea ao presepe do convento da Madre de Deus. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

121 Contador de ebano tendo nove gavetas com embutidos de marfim e metal. 

Seculo XVII. 

122 Gnipo em barro pintado, representando am rapaz e am velho, pastores, 

de joelhos em adoragao. Obra attrtbaida a Joaquim Machado de Castro. 
Pertenceu ao presepe do convento da Madre de D^us. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

i23 Baixo-relevo em pedra lithographica, representando odescendimento da Croz, 
e cm piano sccandario o Calvario e o tempio de Jerasalem. Esta encaixi- 
lliado em larga moldura de paa santo. Altara da pedra 0",50; largara 
0'»,49. Seculo xvi. 

Sr, Conde de Villa Real 

124 Contador e banca de ebano com inscrasta^s de marfim. contador tem no 

tampo da frente am quadro em marfim representando am assampto histo- 
rico com a assignatara J. Dofontana mUanzo. Por baixo ama gaveta, 
cujos puxadores sao dois bustos de marfim. Na parte interna am portico 
com balaustrada nor cima. A base do portico ^ ama gaveta. Tem mats oito 
gavetas, quatro ae cada lado do portico. Os paxadores sao bastos varia- 
dos de marfim. Altara do contador 0'",78; comprimento 0°',74. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunka, Lisboa. 

125 Relogio de mesa com o mostrador de porcelana e com adornos de latao. Se- 

culo XVIII. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

126 Moldura contendo quatro azulejos esmaltados, cujos desenhos se combinam 

para formar ama estrella circumdada de flores. Cada azalejo tem O'",^ 
em quadro. 
Sr. Visconde de Monserrate. 

127 Crucifixo, sendo de marfim a imagem de Cliristo. Altura da cabeca aos 

p^s 0- J5. 

Seminario de Portalegre, 

128 M()ldura com quatro azulejos de osmalte, cujos desenhos se combinam para 

formar uma estrella e varios entrela^amentos. 
Sr. Visconde de Monserrate. 

129 Lavatorio de faiauQa pintado de branco e azul com pilastras e grinaldas 

relevadas. No fundo uma carranca a que esta adaptada uma torneira de 
bronze. Em baixo uma bacia para receber a agua que sae do reserva* 
torio. Altura do rcservatorio O^jOO: altura da bacia 0'",28: comprimento 
0".57. 
Sr. Osborne de Sampaio, Lisboa. 



SALA J 187 

130 Contador de madeira com cioco gavetas. Tern ornatos gravados representando 

folbagens, arabescos, etc. Do tampo superior pendem por meio de gonzos 
doas abas aue se podem dobrar sobre o mesmo tampo, e em cima tern o 
jogo do xaarez. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa, 

131 Baixo-relevo em pedra lithograpbica, representando o Calvario e em segundo 

piano a cidade de Jerusalem. Altora 0'",78; largura O'^fiQ. 
Sr. Duque de LouU, Lisboa. 

132 Pintura em madeira representando Nossa Senhora em am nicho, tendo na mao 

esquerda o Menino e na direita um navio. Aos lados e inferiormente qua- 
tone medalhdes circulares com pinturas allusivas a milagres. Na base do 
nicho a legenda: devocion a n. s. de consolacion de yereba. el s." gar- 

DENAL BORJA CONCEDE 100 DIAS DE INDULG.^ A QUIEN REZARE YNA SALVE, T 
OTRAS IKFINITAS ESTAN CONCEDIDAS POR MUCHOS SENORES OBISPOS POR LO 

GRANDE DE sus HiLAGRos. Tem moldura de prata encimada por um ornato 
de flores, folbagens e seraphins, rematado tudo por uma corda real fe- 
chada. Seculo xvii. 

C(yntento de Santa Cruz de Villa Yi^osa, 



SALA 



1 iTres boioes de faian^a com piatura;^ azues e roxas. Os dais maiores t^m pin- 

a < tadas as armas reaes de Portupl. 

^ f Academia Real de Bellae Aries de Lishoa. 

4 iQuatro cstataetas em madeira pinfada c dourada, representando Santo Antonio, 
a I S. Joaqaim, Nossa Senliora c S. Jose. 

7 ( Sr, Ccrdeiro FeiOj Liahoa. 

5 |Seis estataetas de ebano e marGm, representando varios santos. Trabalho ita- 
a I liano. Foram «(Tcrectdas por Junut a conde^sa da £ga. 

13 1 Sr. Cordeiro Feio, Lisboa. 



14iSeis estataetas de madeira pintada e dourada, com as cabe^, maos, pte e in- 
a I signias de marfim. Kepresentam varios santos. 
i9! Sr. Cordeiro Feio, Lisboa, 



AQ/Qoatro alto-relevos em marfim, representando a depfola^ao dos Innocentes, « 
J Annuncia^iio da Virgem, o casainciilo inystico de Santa Thereza c adegola- 

ooi ^ dos Santos Martyres de Slarrocos. Cada alto relevo c»la eiu ecu caixllho 
( de pna santo com ornatos de talha de madeira de buxo. 
Semvaario de Portalegre, 

24 Jarra de vidro com dnas azas. Tem ornatos do (lores lapidadas. 

Academia Heal de Bellas Artes de Lisboa, 

25 Estataeta era marfim, representando Nossa Senhora do Garmo, Altora 0'",I2. 

Academia Real das Sciencias de Lid)oa. 

26 Jarra de Taian^a branca, tendo no bojo pinturas roxas representando uma ar- 

vore e Hores. Tem uma aza. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

27 Frasco formado da casca de um Tructo, encastoado em prata lavrada de arabes- 

cos. Tem tampa e um sorvedor de prata. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 



190 SALA K 

28 Yaso cylindrico de agatha com base, aza e oria superior de prata doorada. 

Tampa hemispherica de agatha com orIa e remate de prata dourada e presa 
a aza por charneira. Altura 0°',19. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

29 Duas caixas de prata lavrada, com forma de ovo, forradas de Gligrana do mesroo 

metal, e rematadas por folhas e flores em que esta pousada uma ave de 
filigrana com as azas meio abertas. Gada caixa assenta n'uma saivasinha de 
filigrana de prata. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

30 Estatueta em marGm, representando Nossa Senbora. Altora O"*,!!. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

31 Estatueta em jaspe, representando o Bom Pastor. Altara 0,253. 

Sr. Basilio Cabral Teixeira de Queiroz. 

32 Pequeno crucifixo de madeira, tendo junto da base da croz a Senbora das Do- 

res, tudo de uma s6 pe^a. Altura O^jOSS. 
Academia Real das Sciencias de Lidoa. 

33 Cruz de madeira, tendo cada uma das face^^ di^ididas em cinco quadros, nos 

quaes ha varias figuras em baixn-relevo. De um lado o principal quadrore- 
presenta Christo cruciflcado e do outro o baptismo de Chri^to. A cruz esta 
assente n*uma base com a f6rma de columna. Altura O^^l?. 
Academia Reed das Sciencias de Lisboa. 

34 Tinteiro em faian^a com pinturas de varias c6res. Os p^s t^m a Ogura de gol- 

finhos. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

35 Frasco de vidro iigurando a parte posterior de um peixe com cabe^a e azas de 

ave. 

Mosteiro de Lorvao. 

36 Estatueta de marfim, representando Nossa Senbora com o Menino ao collo. Al- 

tura 0'",16. 

Sr.' D. Frederica Quintella, Lisboa. 

37 Cruz de agatha com a forma das cruzes de S. Tbom6. Tem filetes escavados. 

Assenta n*uma base onde ha o seguinte letreiro: saint franciscus xauerius, 
e mais abaixo dauit petrou. Na base ha ainda outros letreiros em arabe. 
Obra indoportugueza. Altura O^jlO. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

38 Estatueta de Venus em marfim. Altura 0",12. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

39 Yaso cylindrico de prata branca e dourada. Tem medalbSes gravados, con- 

tendo cada um uma moeda romana de prata, cujo reverso se v^ pela parte 



SALA K 191 

interna do vaso. Tampa com o mesmo genero de ornamentaguo accrescendo 
uma oria de applicagaQ representando uma grinalda de parras e uvas. Como 
remate quatro festoes de parras e uvas levantados e ligados no alto por uma 
amora, tudo de prata dourada. Internamente, no fm:ido do vaso, uma legenda 
circular em allemao. Altura 0°',19. 

Academia Reed das Sciencias de Lisboa. 

40 Vaso de faianga com varias pinturas de cur azul e roxa sobre fundo branco, 

representando editlcios, plantas, aves, etc. Tern as armas da ordem de 
S. Domingos. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

41 Tript}'Co de madeira de buxo. Na parte principal uma estatueta da Yirgem 

com Menino ao collo, dois anjos coroando-a e outros dois em adoragao ; pos- 
teriormente um resplandor. Na divisao esquerda do triptyco a imagem de 
Santa Catharina em baixo-relevo; na direita a de outra santa. Assenta so- 
bre uma base rendiltiada tendo n'um pequeno nicho um baixo-relevo re- 
presentando S. Joao Evangelista. Altura do triptyco 0'°,105. 
Academia Portuense de Bellas Artes, 

42 Oratoriosinho em relevo formando um altar com sens castigaes, um sacrario, 

columnas e uma imagem de Nossa Senhora. Esta contido n uma caixa com 
a forma de livro e patenteia-se por meio de corrediga. Altura da caixa O'^fill . 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

43 Peouena pyxide cuja base, no e copa sao formados por Ires agatlias encastoa- 

aas e lig'adas por pegas de prata dourada clavrada. A tampa 6 de prata com 
ornatos de flores e seraphins e encastoando tambem uma agatlia. Altura 
0-,13. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

44 Calix formado por tres pegas de agatha (base, no e copa),ligadas por engastes 

de prata dourada. Altura 0°',11. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

45 Frasco de vidro com tres gargalos partindo do b6jo, alem do principal. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

46 C!opo de pedra, cylindrico, com aza e ornatos de prata lavrada sobrepostos. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

47 i 

f Garfo e faca de ferro com cabos de ambar, terminados um por um busto de 

jgj homem, outro por um busto de mulher. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

49 Jarra de vidro com duas azas; no bOjo tem duas estrcllas re!cvadas. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

50 Jarra de vidro com duas azas. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

13 



m SALA K 

51 A^fate de vidro com forma de coroa aberta. 

Acaiemia Real de Bellas Artes de Lisiaa. 

53|DQas estatuetas em nogoeira, represeDtando Nossa Senhora e S. Jo8o Eran* 
c [ gelista, na attitude em que se costamam representar junto dos erocifiios^ 
53) Altura 0-,34. 

Sr. Abel Barradas, Lisboa. 
841 

e >Dois pratos em faian^a, tendo no centro a fignra de nm cao. 
5ol 

Academia Real de BeUae Ar$es de Liaboa. 

56 Prato em faian^, tendo yarias pintoras azues sobre fondo branco, e eatrc el- 

las dois veados. 

Academia Red de Bellas Artes de Lisboa, 

57 Taboleiro em faiao^a, com a borda cbanfrada. Pintoras aznes sobre fando 

branco, representando ^rinaldas de flores, comacopias, etc. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 
58i 
e > Jarro e bacta em faianca^ com pintara de varias cores sobre Tiindo branco. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

60 Par de casti^aes em faian^a, representando am golfioho com a caada levan^ 

tada; na base representam-se basios, concbas e algas, em alto-relevo. Fa< 
brica do Rato. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

61 Terrina de faian^a branca, tendo pinturas azaes. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

62 Compotcira de vidro com duas azas. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

63 Imagem de Nossa Senhora, em jaspe. Altura 0",37. 

Sr. Francisco de Abreu Castello Branco^ Fomos de Algodres. 

64 Gropo de dois bustos de bronze, repre^^entaodo am satyro e uma bacchante 

beijando-se. Reproducgao de uma obra do escalptor Hudon. Tem um pedes- 
tal cylindrico de marmore. Seculo xviii. 
&r. Guedes Infante Junior, Porto. 

65 1 Terrina e prato em faian^a, com omatos relerados a branco sobre fondo ama- 
e > rcllo. A tampa rematada por um cordeiro. Fabrica do Rato. 
66) Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

67 Espada com punho e copos de oiro, com variados lavores de bustos, troph^as 
e outros desenhos ; 6 cravejada de muitas pedras, chrysoUtas, granadtss, etc. 
Tem na folha a data de 1660, e de um lado a inscrip^o: yiva d. joao 



SALA K ida 

SB AxrsTRiA, e do oetro : viva d. ioao de BBAGANgA. A baioba ^ ^ vc^ 
Indo carmestm bo ter^o cenlral, e de oiro nos outros dok tergos, sendo o 
superior guarnecido com pedras igoaes as do punho e copos. D'esta espada 
apenas se sabe que foi dada de presente a Manuel Timotheo Yalladares^ 
aotigo governador de Qtna provincia da India e do Brazil, e pae da sr.* ba- 
roneza da Ribeira de Pena. 

Sr. Mantiel Timotheo de Anirade YaUadarBSj Porto. 

OB AreaUiz d« ea^ eon a eoronha de paa saatov com embotidos de mutok e 
madreperola, representando aAimaes, eptsodios da ea^^ e varios arabescos. 
Feeharia de roda. No cano, que 6 refor^o e raiado, tern a marea f. p. Se-> 
cab XVI. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha. 

69 Hercules decepando as cab3^s da Hydra de Lerna, grupo em bronze; obra 

andga acfaada em excava^ nos fossos das murathas de Evora, en 1807. 
Sr. Gueies Infante Jwmr, Porto. 

70 Pires em faian^a, com pinturas amarellas, azues e pretas sobre fundo branco. 

No meio representam um templo e Nossa Senbora do Loreto com o Menino 
ao eollo. Na borda, externamente, o seguinte letreiro; coir, pol, de s. c. 
Seculo XVI. 
A. C. Teixeira de Aragao. 

71 Terrina em faian^a branca, tendo pinturas verdes, azues, roxas e amarellas, 

repffeseotando grinaldas de folhas e flores. 
Aoademia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

TZlUhs |iral06 hkfano<tnbe»^ mast com pinturas doondas sobre fiindo branco, 
e I outro dourado em vermelho e ainda com pinturas azues sobre foodo branco. 
Ti{ Academia Real de BeUm Artes de Lisboa^ 

71 Esenib de prata com orbs lavradas. No meio nma emx vermelha rele^da. 
Irmandade do Sacremenio da fregwezia de S. Mien de Setniai. 

75 Par it va^<^)s de kiariQa^ figjiaodo a cara de um preto com len^o atado a ca- 

hs^ Fabriea do RaXo. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

76 Galheteiro em faian^a. 

Academia Reat it Belflms Artes de LtsboeL. 

71 9m de casii^aes em iaian(a branca, com filetes escuros. T^m a forma de co- 
lamna. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa^ 

78 Tafftifrvkirou 

Shsteiro de Lorvao. 



194 SALA K 

79 Taiha em faian^a com pinturas azues e roxas sobre fando branco^ represen- 

tando urn humem e uma mulher, animaes, fructos, flores, etc. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

80 Cabala em faianc^a, com pinturas azues sobre faodo branco, representando 

flores e arabescos. Fig. 186. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

81 Garrafa de vidro colorido, cujo b6jo tem a forma de uma laranja descascada. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

82 Boiao de faiani^ com pinturas azues sobre fundo branco, representando urn 

homem, um quadrupede, etc. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

83 Miniatura em agatha representando a Annuncla^ao de Nossa Senhora. Esta 

enquadrada em venturina. Sobre esta alguns ornatos de prata lavrada. Tudo 
n*um caixiiho de cobre dcurado. 
Sr, Marquez de Alvito. 

84 Estatueta de um anjo, em madeira piatada e dourada, com cabega, bra^s e 

pernas de mar fun. 

Sr. Cordeiro Feio, Lisboa. 

85 Grupo em madeira pintada e dourada, representando o anjo Raphael e To- 

bias. 
Sr. Francisco de Abreu Castello Branco, Fomos de Algodres. 

86 Mcdalha de prata e bronze com um camapheu em agatba, representando a ca- 

bega de Medusa. Na parte superior 6 ornamentada com um grande topazio. 
Seculo XVIII. 

Sr." D. Camilla Ribeiro de Faria, Porto. 

87-a Alto-relevo em marBm representando a Annancia(^ de Nossa Senhora. Tem 
peanha de ebano e moldura de madeira dourada. 
Mitra de Leiria. 

Sl'b Floreira de faian^a com a f6rma de annel perpendicularmente collocado so- 
bre uma base circular, e tendo na parte superior um vaso. Tem pinturas 
azues sobre fundo branco. Fig. 187. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

88 Duas caixas de cobre esmaltado com a forma de aves. 

Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa. 

89 Duas floreiras em faianga com ninturas verdes, azues e amarellas sobre fnndo 

branco. Obra da fabrica do Rato. Fig. 188. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

90 TaQa de bronze com base e tampa de madeira representando folhagens. 

Sr. Visconde de S. Jantiario, Lisboa. 



SALA K 195 

91 Fracteiro de vidro, com p4. Tern uma faxa com pintaras douradas e de ou- 
iras cores. Seculo xvii. Fij^. 189. 

Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 



93 

e 



92 Espada com pnnho de marPim rcpresentando a cabcga de um leao; guarda- 
mao de prata lavrada; bainha de pellica, tcndo ponCeira de prata. 
Srs. Condes da Praia e de Monforte, Lisboa. 

Duas estataetas de marfim, representando uma d*ellas uma mulher nua, tendo 
am manto pendente do hombro direito, com a cabega orn<ada de parras e 
uvas, bra^o esqaerdo ievantado segurando um cabaz sobre o hombro ; a 
outra representa tambem uma mulher mas coberta com manto, excepto na 
Q- \ cabega e bra^o direito, que tern crguido segurando sobre o hombro esquerdo 
' uma amphora. Estao em podestaes cylindricos. Altura de cada uma, in- 
cluindo pedestal, 0*",^!. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa, 

95 Prato de faianga com pinturas aznes sobre fundo branco, representando qua- 

drupedes, aves, etc. Diamctro 0'",38. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

96 Prato em faianga com pinturas azues e roxas sobre fundo branco, represen- 

tando um coelho, etc. Diametro 0",4. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

97 Pia de agua benta em fainnga. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

98 Prato de faian^ com pinturas azues e roxas sobre fundo branco, imitando o 

estyJo chinez. Diametro 0'",37. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

89 Prato de faian^a com pinturas azues o roxas sobre fundo branco, imilando o 
estylo chinez. No meio um brazao de armas da ordem dos carraelilas. Dia- 
metro 0",36. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

100 Taiha em faian^a com pinturas azues e roxas sobre fundo branco, imitando 
o estylo chinez. 

A. C. Teixeira de Aragao, Lisboa, 

101-a Prato dc faian^a com pinturas azues c roxas sobre fundo branco. A iigura 
principal representa Cupido. Diametro O™,*. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

iOl'b Pia de agua benta, em faianca. Fig. 190. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

102 Prato em faianga com pinturas azues sobre fundo branco, representando um 
quadrupede, flores, etc. Diametro 0'",37. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 



196 SALA K 

103 Terrina em faian^ com pintaras azaes e roxas ^bre ftnMlo braneo, ii 
eslylo chinez. Diametro O^jS. 

Convento de Santa CXnra de Etora. 

lOi Ralo de prata da roda de urn convento, ornamentado oom quatro sen^Kos. 
Convento de Santa Cruz de Villa Vi^osa. 

lOo Frasco de vidro com pintaras de vario colorido representando flores. 
Academia Heal de Delias Artes de Li^ha. 

iOG Arcabnz. Cano com a marca c. v. p. e nma coroa, e per rima de todo a fo> 
tra c. Fechos de roda. Goronba com embatidos era marfim represen- 
tando varios arabesros, veados, aves e scenas de caca. Seculo xti. 
Sr, Visconde de Monserrate. 

107 Prato octogono em faian^ com pintaras acoes e roxas sobre fundo branco, 

imitando o estyio chinez. 
Academia Real de Bellas Artes de LiAoa. 

108 Par de pistolas. Cano com incrasta^oes em doorado tendo pela parte inferior 

do fogao a indica^ao : an.™ igaq" de fig" gray ; na chap dos fechos, aece- 
if AL REAL DO EXERcrTo Lx^ 1817 ; Da contra-chapa, thomas iozk vb, fibtas. 
Fecharia de pederneira ; guarda-mato e casquilho da ooronba omamenta- 
dos com encrusta^oes douradas. Coronha de madeira com varios embati- 
dos de prata e entre ell&«; as armas reaes portagoezas. 
Sr, Julio Cordeiro, Lisboa, 

109 Boi de bronze, deitado, tendo em cima uma figara chineza. 

Sr. Visconde de S. Januario, Utboa. 

110 Frasco cm vidro colorido de verde, am tanio adiaXado e com gomos. Se- 

culo XVH. 
Academia Real de Bellas Artes de LiAoa. 

1 1 1 Terrina em faian^a com pintaras azaes e roxas sobrefandobranoo. Fig. 191. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

112 Peqaena estatueta de bronze representando um chinez de gatinhaa. 

Sr, Visconde de S, Januario, LisboeL 

113 Estatueta em cobre represiHitando um mandarim. 

Sr, Visconde de S, Januario, Lisboa, 



114iSete imagens de santos em marPim em seis pedestaes tambem de marPim la- 

--ado. Daas t(5m a tunica de ehano. Altura da ■ ' - ^'^ **'* 

Sr,' D. Laura Rodri^ues BUnco, Lukoa. 



a / vrado. Daas i^m a tunica de ehano. Altura da iniacem maior 0",tU5. 



120 Grapo de tres estataetas cm marQm, representando a flageliarao de Ghristo. 
Esta n'uma peanha de pau santo com balaustrada de marfim. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 



SALA K 197 

ItliDoas imagens em baxo representando Nossa Senbora e S. Jos^. As roupas 
e I tto piBturas de oiro directameate sobre a madeira. Na parte ioferior das 
122 1 bases ha as iniciaes u r g p. 

Sr. Daniel da Silva, Bdem. 

123iDaas Taecas em barro, uma deiuda e outra de p^ e tendo cada ama um 
e I chiuez recostado sobre o lombo. Obra chineza. 
421 ( Academia Real das Sdendm de LiAoa, 

425 (Joadro de escoiptura em madeira, representando em raeio-relevo a fugida de 

Nossa Senhora para o Egypto. Prestune^se que 6 obradeartistaportuense 
do secalo xvni. 
Museu Municipal do Porto. 

426 P^ena maqnineta de latao ornamentada, tendo dentro suspense nm cesto 

cbeio de flores e coberto por am paiuio arrendado, todo feito em biscuit. 
Trabalho muito delicado leito em Saxe. Comprimento 0°',08 por Q^fio 
de largo. Secalo xvn. 
Academia Real das Sciencias de Lidwa, 

1S7 G>po de crystal faceado, em azal; representa em doarado uma ca^da aos 
javardos a*um bosqae; por cima e em baixo duas faxas de ornato pratca- 
das. 
Academia Real das Sciencias de Lishoa. 

428 Gopo em crystal de rocba, de fdrma ac^atada; nm ramo gravado em cada 
face; um pequeno p6 e argola na borda superior de oiro faceada. Altura, 
comprehendendo o aro, O'^IS e no maior diametro O'^^OS. Secalo xvii. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

429iTreze figuras e dois grupos de duas Gguras em biscuit branco de Saxe. As 

sl I maiores X6m de altura O'^ySS, as menores 0'",14. 
143f Sr. Pessoa de Amorimj LMoa. 

4L44iDois medalhoes, com molduras de cobre dourado, de porcelana em fundo 
e I anil duas figuras mythologicas em relevo brancas. Nas costas estaescripto 
145f WEDGWOOD. No maior diamelro 0"*,08. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

AM Peqoeao baixo-relevo em prata representando uma batalba de eavalleiros, 
avistando-se do segundo piano ama cidade fortiflcada. Tern moldura do 
mesmo metal. No maior diametro 0°',08. Seculo xvii. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

€47 Basto em agadia de um imperador r(»nano assonte n*um pequeno pedestal de 
otro tendo um troph<^a militar com uma aguia e outros ornamentos em es- 
malte e dois circulos de rubis. Seculo xvii. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



198 SAL A K 

148 Estataeta em crystal dc rocha represeDtando o MeDino Jesns sobre peanha 
de crystal com ornatos de filigrana de prata. Cabelleira e resplendor de 
prata* 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

1(9 Estojo de costura forrado de madre-perola com guarni^oes de oiro. Tern so- 
bre a tampa uma gaiola dc oiro octogona. 
Srs. Nascimento e Migueis, Lisboa, 

150 Qaarenta chavenas e pires de porcelana com ornatos, flores, paizageos e ma- 

rinhas, todas difTerentes ; tern a marca de daas hastes crozadas com dois 
ponios, uma corda por cima, e por baixo um d. (Derby.) 
Sr, Fernando Pallia^ Lisboa. 

151 Estojo com dezoito pe^as de 'porcelana de Saxe, para almo^o: tendo cada 

uma, a cures, a sua paizagem dilTerente, e nas cinco pecas maiores, em 
dourado, as armas de um bispo, bi-partidas, tendo de um lado cinco flo- 
res de liz, e do outrn um leao em p6. Seculo xviii. 
Academia Heal das Sciencias de Lisboa, 

152 Par de pistolas de fusil para coldres, com a coronha, guarda-maio, varela 

e a parte superior do cano, cobertos por laminas de prata lavrada. Com- 
primento O'jBO. 

Sr, Caetano de Andrade e Albuquerque, Ponta Delgada. 

153 Punbal com cabo de prata lavrada; bainha de lixa com guarni^ao e ponteira 

de prata lavrada. 

Srs. Condes da Praia e de Mon forte, Lisboa. 

154 Faca de matto com o cabo de prata branca e dourada. Seculo xviii. 

Sr. Manuel Ribciro de Faria, Porto. 

155 Orgao, rcpresentando, fediado, uma caixa estofada e forrada de seda carme- 

sim. Aberto logitudinalmente cm duas partes iguaes, tem um espa^o onde 
se aloja o teelado, que para servir se colloca n*um dos lados. Os dois fandos 
formam tres divisoes em cada metade, e nas paredes lateraes existe uma 
serie de gavetas. Nas tampas das divisoes estao gravados sobre laminas dc 
marfim pequenos quadros de assumptos sacros, e o mesmo se observa na 
caixa do teelado e faces internai^. Apresenta tambem cravadas algumaspe* 
dras de cores no ebano e no marfim, cobertos de variados ornatos. Nas sob- 
divisoes de um dos espagos esta um pequenissimo contador, coberto tam- 
bem de figuras e ornatos, medindo de altura 0"*,05 e de largura 0",04, 
com sete gavetas. As orlas sao forradas de seda vermeiha guamecida com 
galao de fio de oiro, formando quadros com ornatos de prata lavrada. A 

Earte estofada encobre o fotle, c na face interna da travessa que tapaostu- 
os esia escripto: arsacyvs. geyer. hoc. opvs. fecit, isgi. Tem vinte e 
quatro teclas e dezeseis de sustenidos. Aberto 0°,52 por 0",(>0 do lado do 
teelado. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



SALA K 199 

156 Cbavena com pires, tampa e duas azas aos lados, em porcelana de Saxe, toda 

pintada de paizap;ens e grupos com figaras. 
Sr, Manuel Pedro Gueaes, Lishoa. 

157 Par de castii^aes em porcelana de Saxe, com omatos e flores pintados a di- 

Tersas cores e levantados em relevo. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

158 Imagem em marmore de S. Joao Baptista, sentado, acariciando o cordeiro, que 

Hie esta trepado sobre as coxas; em volta flores e rochedos. Seculo xviii. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

159 Cadeira de pau santo com omatos de taiha; o assento de couro lavrado, e nas 

costas urn escudo encimado por um capacete, tendo em qaartel as armas 
dos Cunhas, Sousas e Portugaes. Seculo xviir. Fig. 192. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

160 Gontador de pau santo com Olctes de madeira de buxo embutidos; a frente 

tem entre oito gavetas uma especie de portico com oito columnas e varios 
oruatos de metal dourado, sendo o principal Hercules estrafegando o leao» 
e toda coberta de tartaruga pintada a vermelho c a escuro, assim como as 
almofadas das gavetas. A mesa tem os pes torneados e gavetas fingidas. 
Comprimento l",30; allura l'",48. Seculo xvnr. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

161 Par de sapatos de dama, de damasco lavrado, terminando em bico; tacdes 

altos, forrados de marroquim vermelho. Comprimento 0*°^. Seculo xviii. 
Bibliotheca Publica de Evora. 

162 Terrina em faian^a com pinturas de vario colorido, sobre fundo branco re- 

presentando grinaldas de flores. 
Sr. Anastacio Gomes, Lisboa. 

163 Par de jarras de cobre esmaltado tendo pinturas de vario colorido e doura- 

duras representando flores, folhas e arabescos sobre fundo azul. 
Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa. 

164 Pintura em agatha, representando Santo Antonio com um ramo e o Menino 

em p6 sobre o livro; tem moldura de carvalho lavrada em talba com or- 
natos muito levantados. Seculo xvi. 
Casa Pia de Lisboa. 

165 Relicario Formado por doze quadros com miniaturas em que sao representa- 

dos varios santos. Os quadros sao separados por faxas de vidro com o 
fundo cncarnado e omatos dourados. No centro esta um pequeno arma- 
rio onde se guardava a reliquia. Seculo xvii. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

166 Pintura em pergaminho representando a morte de S. Francisco Xavier, o qual 

tem no rega^^ um crucifixo e um rosario. No segundo piano avista-se o mare 



SALA K 

um galeio. Moldura de can'albo com Ulha maito le\'aiicada e doorada, 
Seculo XVI. 

Qisa Pia de Lisboa. 

167 Bo^to represeatando o inverno. Esta sobre ama eoiamQa loretda em «spiral 

com capitel orDameoiado. Tudo de carvalho. Altiira do bosio 0*,67, e da 
columnal",i8. Seculo xviii. 

Sr. Jacintho Augusto Paiva de Andrada, Lidtoa. 

168 Daas eadeiras de bragos em nogueira pintada de branco, as costas e assento 

de coiro, fundo amarello com ornatos a cores. Nas costas o escudo dos 
Cunhas, rodeiido por cinco escudetes com as quinas e cncimado por ama 
ooroa ducal tendo por timbre o dragao. Seculo xnii. 
Sr." D, Joanna Ludodca ia Cunha^ Lisboa. 

169 Quadro representando, em madeira e em rdevo, o bosto de Pio YII em ado- 

ra^lo para um crucifixo, tendo por baixo n*um medalhao Nossa Senhora 
das Dores. Subre uma cadeira as insignias pontificias. Na parie saperiora 
inso'ip^ao pivs vii font, max e na inferior spes msa in deo bst. — Thomas 
UkmoF. 
Sr. Franmco Ribeiro da Cunka, LiAoa. 

170 Dois espellios com molduras de metal dourado guarneeidas com aqos e or- 

natos de coral; da oria saem varios omalos de cobre esmattado e gaar- 
necidos com flores de coral. Seculo xvi. 
Sr. AnUmio Dominguei^ Madrid, 

171 Duas placas com espelho e taiha dourada. Secuk) xnu. 

Mitra Patriarchal de Lisboa. 

472 Leito de cbano com docel A cabeceira 6 toda ornamentadacoai prata lavrada 
e levantada, deixando entre si dose quadras eovidra^ados de diversos ta- 
maahos e formas, mas guardando symetria; o do centre, que ^ o princi- 
pal, tem pintado o euro das mosas, por cima a danaa, e dos oatrot Leda 
e Jupiter, Vuicano e Venas, o rapto da Europa e outras seenas mytholo- 
gicas, nas pilastras e cimalhas que separam os quadros, cdumnas que 
sustentam o docel estao cobertos com vidro, varios ornatos pintados a co- 
res em fundo dourado. A cabeceira ^ eoeinukda com am eseudoemreduas 
paloMs enla^as em cima, tendo dois leoes em p6, com corda de conde; 
sao as armas da casa de Sabugal. Comprime&to S",S6; iargora 2" ,04; 
altura das pilastras 2"',97. Seculo xvni. 
Sr. Julio Cordeiro, Lisboa. 

173 Goberta com o fundo aral, bordada a Co de oiro; centro com flores a cores; 

lem barra o franja. Seculo xvii. 
Sr. Julio Cordeiro, Lisboa. 

174 Coberta de la e seda; o fundo verde com barra amarella; no todo ramagens 

de c6res, aves e animaes fabulosos. Tecido do Japao. 
Sr. Francisco Ribeiro da CunkOy Lisboa. 



SALA K SH 

19S Amm ^ kfTi& reprcseataMJo tres ^remi^^ brincmde debaix<) de om an^ 
redo. Fabrica de Aubuisson. Seculo xvii. 
Convento do Coragdo de Jesus, JUsboa. 

176 Pintara«m tainiiia de robre representando snperiorraeDle Santo Ago^ahe^ 

tendo aos lados dois anjos, urn com a mttrae ootro com o bacuto; por ctma 
Nossa Senhora aleitando o Menino, e o Crucificado. No piano inferior a di- 
reita a Ramha D. Loiza de Gofsmao acompanbada de ciaco freiras e tendo 
janco a si rnna almofada com a corua real ; do oatro iado esta a Rainha de 
Inglaterra, D. Catharina, D. Alfonso Vl, oom ascor6asreaestambempos- 
tas sobre almofadas, e um grupo de Trades. No caropo disticos sacros allu- 
sivos a eeremonia. Parece representar a instalta^ao 4a ordem refarma^a 
dos Agostinho? Descalcos, cffectnada a 8 de abrH de 1463 na cafella do 
palacio da Rainha D. Luiza de Gusmao, ^ foi a mtciadora, coadjavada 
pelo seu confessor frci Manuel da Concet^ao. Cinco reiigiosos do con- 
vento da Gra^ de Lii»boa entraram n^ssc dia para a nova ordem no edi- 
fici^ de Xabregas e ignal nnmero de religiosas de Santa Monica fonnaram 
o Midee do mositeiro do Grilto no proprio palacio real. quadro esta em 
moldara de taiha com omatos de folftiagens e anjos, lendo qiiatro escodos : 
« de cima e da e^querda da rainha D. Lnica de Gosmio, o da direita com 
as armas do reino e o de baino da rainha de higlatorra D. Catharina. At- 
tura com a moldura O"",?! por 0",60 de largura, « sen moldara O'^yS^ 
por 0",28. 

Convento de Arroios. 

177 Bosto em carvalho, representando o ontono, coroado de parras e arms. As- 

senta n*uma columna da mesma madeira, torcida em e^ral, com capitel 
omamentado. Altura do husto 0'",69, e da columna l",l6. 
Sr. Jacintke AuguBto Paira de Awdrada. 

178 Pintara em madeira, representando Nossa Senhora com o Menino, com o 

nanto lodo aherto e segnro nas extremtdades por nm bi^po, tendo na nm^ 
nm coragae, e per am cardeal. Debaixo do manto esta a direita o papa Ju- 
lio III com a famila real portugaeca: O. ioao lU, a rainha D. Gatliarina, o 
principe D. Sehastiao, as infantas D. habel, D. Joanna e D. Maria; e do 
entro Iado, em era^ao, os frades trinitarios. Largora 0",43. Altura 0*^,90. 
Seculo XVI. 

Casa Pia de Lidfoa, 

179 Piatura de madeira, representando Nossa Senhora aleitando o Menino; esta 

dentro de uma moldura em carvaHw, com alto-relevo, tendo na parte supe- 
rior um escudo com um leao, encimado por o chap^u do cardeal. Seculo 

XVI. 

Cam Pia de Ldsbea, 

180 Commoda de pau santo com varies embotidos de madeira de e<q^nheiro em 

tres faces; tres gavetas com puxadores de iatao circulares, servindo como de 
moMoras a medalhoes de pintnra em esmake, representando btistos de mil- 
llieres. Comprimenio l'",27. Altura 0",86. Largura 0"',G2. Seculo xvm. 
Sr. D, Miguel Pereira Coutinko, Lishoa. 



202 SALA K 

181 Par de serpeatinas de bronze dourado e prateado com oraamenta^ao de ma- 

lachites. 

Sr. Conde de AUe, Lisboa. 

182 Relogio de bronze dourado e prateado com ornamenta^ao de malachites. 

Sr, Conde de xUtej Lhhoa. 

183 Cadeira de nogueira com os pes torneados; assento e eostas de goadamecim 

dourado, com aves, flores e oulros ornatos de vario colorido. 
Sr, Marquez da Gi aciosa, 

184 Cadeira de nogueira com ospes torneados; assento e eostas cobertos de or- 

natos, flores e varias figuras em relevo; pregaria amarella. Seculo xvi. 
Sr, Eduardo VanzeUer^ Lisboa, 

185 Contador em madeira de espinheiro com embutidos de varias madeiras a co- 

res. Tem dois corpos : o superior com tres gavetas, e ao centro um armario 
em cujas portas se representam as figuras da F^ e Justiya; as gavetas co- 
bertas com ornatos e animaes; o corpo inferior ^ formado por nm armario, 
tendo n*uma porta a figura da Cnridade, e na outra a da Csperan^a. Dos 
lados tem tambem duas figuras allegoricas. Comprimento 0'°,85. Altura 
l'",33. Fundo 0",37. Seculo xvm. Fig. 193. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa, 

186 Par de jarras de cobre esmaltado, com flores, folhas e ornatos, com doura- 

duras e vario collorido, sobre fundo azul. 
Sr. Visconde de S, Januario, Lisboa, 

187 Toucador de pau santo com embutidos de espinheiro. Seculo xviii. Fig. 194. 

Sr," U. Helena de Aragdo, Lisboa. 

188 Cadeira de madeira pintada; eostas e assento estofados com gualdamacim, 

tendo fundo azul, ornatos dourados e flores acOres. Seculo xvm. Fig. 195. 
Academia Real das Bellas Artes de Lisboa. 

189 Cadeira de pau santo com algum trabalho de taiha; assento e parte das eostas 

de couro, com varies lavores. Seculo xvm. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

190 Cao de faian^a branca. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

191 Contador de pau santo, figurando ter dezeseis gavetas; espelhos e puxadores 

de latao. Assenta sobre uma mesa da mesma madeira, com p^ e travessas 
torneadas em espiral. Seculo xvn. Fig. 196. 
Sr." D, Helena de Aragdo, Lisboa. 

192 Grupo de barro de quatro figuras, representando um coro de anjos. Secolo 

xvm. 

Sr, Henrique Nunes Teixeira, Porto. 



SALA K 203 

193 Duas terrinas em faian^a, represcntando duas gallinhas sobre ovos. 

Academia Beal de Bellas Artes de Lisboa. 

194 Baixo-relevo em prata, representando Nossa Senhora, o Menino e S. Joao. 

Tem uma moldura de madeira com folhagens e aves em alto-relevo. 
Sr. Manuel Pedro Guedes, Lisboa. 

195 Espelho de Yeneza, tendo piotada uma mulher que na mao esquerda tem pa- 

Iheta e piuceis. Esta emmoldurado em obra de taiha decarvallio muUo rele- 
vada, representando folhagens, anjos e flores. 

Sr, Jacintho Augusto Paiva de Andrada, Lisboa, 

196 Medalhao em faian(^a, com o busto de um imperador romano, cercado de 

uma grinalda de folhas e fructos de variado colorido. Obra de Lucca della 
Robbia. Seculo xvi. 

Sr, Visconde de Daupias, Lisboa, 

197 Armario em carvalho, composto de dois corpos cada um com dois armarios, 

sendo os de cima mais pequenos. Termina aos lados por pilastras com ca- 
piteis; a cimaiha e as almofadas das portas com lavores em taiha; na base 
tres carrancas de lefio c a legenda: anno 1646. Fig. 197. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

198 Vaso de faian^^. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

199 Colcha de linho toda bordada a tor^al de cores, tendo uma barra com figuras 

de animaes e flores, e ao centro, entre largas folhagens, um brazao de ar- 
maa. Seculo xvn. 

Sr. Julio Cordeiro, Lisboa. 

200 Qaadro contendo oito azulejos esmaltados a cores. Seculo xvi. 

Sr. A. C. Teixeira de Aragao, Lisboa. 

201 Yaso cylindrico em faian^a com bico e duas azas. Pinturas azues, amarellas 

e roxas sobre fundo branco, representando aves, folhagens e flores. 
Sr. Osborne de Sampaio, Lisboa. 

202 Quadro contendo oito azulejos esmaltados de vario colorido. 

Academia Beal de Bellas Artes de Lisboa. 

203 Armario de carvalho do norte com quatro portas, correspondendo as duas 

superiores a duas divisoes, e as duas inferiores a uma so divisao. corpo 
inferior tem aos lados duas columnas de bases ornamentadas, fustes es- 
triados e capiteis corlnthios, e ao meio uma cariatide. corpo superior 
tem tres cariatides. Nas almofadas das portas ha seis figuras sentadas, em 
alto-relevo, representando a Esperan^a, Caridade, F6, Justi^a, Tempe- 
ran^ e a Ycraade. Cimaiha muito omamentada em baixo-relevo. Na base 
cabe^as de leao. Altura i"',93; comprimento 1°,56; largura 0",75. 
Sr. Jacintho Augusto Paiva de Andrada, Lisboa. 



SALA K 

204 Par <k vaso& hexa^aos para floves, obra chineza. Pintiirasaziijes 8oliffefi]Mi6> 

branco, representando flores e paizageo«. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

205 TaUia em Eaiaiiea piauda da flores e ornatos azaes sobre fundo braaeo. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

206 Quadro contendo doze azulejos esmaltados a c6res. 

Acmtemia Meat de Bellas Artes de Lisboa. 

207 Quadro contendo dez azntejoe, eadti mm im quaes tem ona ior, am cacho^ 

etc. , em relevc^. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

IBB Gadeira de brafos e» paa s»i«»; 01 asMolo de coore, segor^ eotxk pregos de 
cabe^ amareiia; nas costas urn escudo encimaife por am eafacete e tri- 
partido com as armas dos CueUNis^ Sousas e PUrtngaes. Secalo xviii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

Sift PiolBra em eobre» reprasefttaado Jeeo^ Chcislo em meio eorpo^ Moidara de 
pam sanio ccmb omatos die pcata lavradau Seeolo xtoi. 
Sr. Fermmdo Palha, Lssboa. 

210 Pintura em cobre representando Santo Antonio em meio corpo. Moldura de 
taiha dourada. 

Sr. Abel Martins Fmrv9ira, £trora. 

SHi (hiadvo* eoBlead^ dooe aznlejoe esmakados a cdres. Secob xti. 
A C. Teixiwa de Aragao^, Lisboa. 

212 Yaso de cobre cujas azas sao formadas for dois leSes bo eslyio ebinez. 

Sr. Visconde de S. Januario. 

213 Caixa de pan santo com embotidos de laarfinir representaado floiues. 

Sr. E. C. Rego, Porto. 

214tDaa» «sliataeCaft em broaze, wia represeofaado nma molfaer com am cooi- 
e I passo e uma esphera, outra umak molher eon am es(}aadro. 

215 ( Academia Real das Sciencias de Lisdoa. 

216 Qaadro contendo qaatro aoalefog esoMkados. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

217 QiaAa eonteacb qaa&o aaolejes esmaltados, eojos dsseolioi^ sa combioain 

paira IbfOMr ma cireoJir) eom uoi florao- aa mmow 
Academia Reai de BMas An^tes de Lisboa. 

91ft Gbntadur de pan saofto eom eariiQliidos de espiahairo e de aiatfim em braneo 
e* piatedo* de Terdn. Tem seis ga^etas com ef^pelhos readilhadofr de latao. 
ComprtflMnUn ©^,M ; altura 0^,35; larpra 0'-,32. 
Sr.* D. Helena Maria Pereira Co^Uinho, iMoa. 



Sift Espuigarda. GanocofDornatosdeinerasU^oesdooradas, tendo em letrasdou- 
radlas, Umbem iiicriistadas» a indica^ao: arcgnal real 00 EXERaio, lx/, 
flns, • sobre o fogao, gravados e doorados, o DioQOgramina coroado : thomas- 
joa d' FRciTASy e a marea — um dragao segurando urn eseodo com as qaiDas. 
Mtra de prata. Fecharia de pederneira, teodo gravadoe doorado iia cbapa 
Am fechos o mooogramna coroado : TtioxAS ioie d* rRirrAs, e no fusil 
gravada a indicagao : thomas joze d frettas lisboa isaa. Corooha coai 
guarni^oes de prata, teado na volta do guarda-maio gravadas as anna&. 
reaes portoguezas. 

Sr. Memud Amto de Seusa, Lisboa, 

220 E^Dgarda. Cano eom omatos de inenista^oes dooradas, tendo em lelras doa- 

radas, fambem incrastadas, a indica^: pot feito em lx.^ poa manoel.. 
DO nascimento gomes, ko anno de 1S13, e sobre fogao, gravados e doura- 
dos, oioDogramma coroado: manoel do n. gomes, e a marca — am leao^ 
com Qm escudo, e entre monogramma e a marca — n. 67, Mira de prata. 
Fecharia de pederneira com oroatos, tendo gravado na chapa mono- 
gramma coroado : manoel do n. gomes, e gravada sobre fusil a indica- 
^: MANOEL nascimento GOMES LISBOA 1813. Corottha com gnarni^es d& 
prata, tendo na volta do guarda-mato as lelras 1. 1. s. m. enb^adas em mo* 
nc^^ramma. 

Sr. Mamuel Bento de Soma, Lidoa. 

221 Espingarda de fusil; no couce am estoio onde se aloja nma peqaena lan^ai 

com cabo de pan, que serve para se adaptar na bdca do cano nas ca^adas 
ao6 javardos, e no gnarda-mato as armas portuguezas. Na chapa dos fechos 
a eootra-marcft com o nome do auetor, assim como tambem se encontra 
Bf^ fusil : TBRisiMO DE MEfflA LISBOA i7(i», no caDO, aleiQ de varias mar 
caSylem escripto: arcenal real do exercito lx/ 1789. A mira 6 de prata. 
cano tem merusta^ao em oiro, trabalho de buril, etc. Comprimento 
1°,34. 
A. (J. Tekteirtt de Ara§a^, IMoa. 

iSSt Espingarda de fusil; o couce estofado e so gnarda-mato as armas reaes do^ 
reino unido Portugal e Brazil. Nos fechos uma eontra-marca, e no fusil : 
ant.* josb d frettas -- R. D. J. (Rio de Janeiro) i8». No cano, aiem db 
duas eotttra-marcas, sendo nma com o nome que acabamos de mencionar, 
tem esertpto: real FAMticA da coNCsigAO do r* d* janr.* anno d' ih21. 
resto do cano, bra^adeiraf^, fechos e guarda^nato t^m trabalho de buril 
ct^m incrustaQ5es de oiro. Mandada fazer para a senbora infanta D. Izabel 
Maria, para seu uso. Altura l^^O. 
it. £f. Teixeira de Aragdo, Lisboa. 

223 Espingarda de fosil. A coronha enxnma^ada no conee; no gnarda-mato as^ 
armas reaes de Portugal e a indicacao d. j. vi. r. dos r. unid. p. b. a. 
(1). Joao VI, rei dos reinos unidos de Portugal, Brazil e Algarves); as ar- 
mas e a indicacao sao incrustadas com oiro assim como o sao os ornatos- 
dm feixos e cano. fusil assenta n*om leao, e am outro esta deitado pela 
parte posterior. No cano tem em relevo as figuras al^oricas de Portugal 
da America, tendo no meio um pedestal encimado pela corda real. Sobre a. 



206 SALA K 

calatra estao as contramarcas, um Icao e a legenda em tres linhafi, debaixo 
de uma coroa: joao baptista. Ao longo do cano esta escripto em letras de 
oiro: joao baptista de seq*** mestre — real f.\brica da conceicao — a 
FES ^'o R.° DE JAN."" NO ANNO 1817. Feslo do cano, bra^adeiras, mira 
e parafusos sao todos cobertos de oraatos feitos a baril, e a coronha tem 
fino trabalho de talha. Foi mandada fazer por D. Joao VI para sea aso. 
Comprimento total l^jSl. 
A, C. Teixeira de Aragao, Lisboa. 

224 Espingarda de fusil com varies ornatos a buril no coace, fechos, ^uarda mate 

e cano. Na chapa dos fechos e no fusil tem em carimbo e em mscrip^ o 
nome do auctor ioaquim antonio da s/ lisboa 1785. No cano varias mar- 
cas: — um coelho debaixo de uma arvore, uma cruz, etc. Comprimento 
1»,48. 
A. C. Teixeira de AragaOj Lisboa. 

225 Peito de coura^a com cravaQoes de latao. Este peito e o espaldar n.® 231 for- 

mam a coura^a completa. Seculo xviii. 
Sr, D, Joaquim Garcia Toledo ^ Lisboa, 

226 Espada. Copos de concha com lavrados toscos representando leSes e ao oen- 

tro um coragao. Guarda-mao e quarxoes pequenos e rectos. Punho de ma- 
deira. Folha ondeada, tendo de um lado a legenda : enriqke col espadki- 
RO e do outro, del ret em alemanha. Seculo xvi. 
Sr, D. Joaquim Garcia Idedo, 

227 Florete. Copos de tigela com vasados e gravados formando elegantes conchas. 

Pequenos quartoes rectos. Punho de fio de cobre. Folha de quatro quinas, 
tendo chato o ter^o inferior com cavados e de um lado a legenda : um 

CINAL . . . SANTISSIMO, C do OUlrO ... EN ALAMANIA. SeCUlo XVII. 

Sr. D, Joaquim Garcia Toledo. 

228 Espada. Copos de cruz, com guarda em meio arco. Grande panho de fio de 

cobre. Folha de dois gumes, larga e curta. Seculo xvii. 
Sr, D, Joaquim Garcia Toledo, 

229 Espada {Rapiere). Copos de concha. Contra-guarda lisa e a guarda omada 

com lavrados representando aves e arabescos e tendo ao centre um cora- 
Qao. Quartoes rectos. Puuho de fio de cobre. Folha delgada de dois gumes, 
tendo dos dois lados a legenda : en solingbn. Seculo xvi. 
Sr. D, Joaquim Garcia Toledo, 

230 Espada (Rapiere). Copos de tigela, tendo no interior pequena chapa arren- 

dilhada. Grandes quartoes rectos. Punho de marfim. Folha delgadade dois 
pumes, tendo dos dois lados a legenda: Arnold . . . e (?) . . . rack II (?). 
Seculo XVII. 

Sr, D, Joaquim Garcia Toledo. 

231 Espaldar de coura^acom crava^oes de latao. Este espaldar e o peito n.** 228 

formam a coura(,*a completa. Seculo xviii. 
Sr. D, Joaquim Garcia Toledo. 



SALA K 207 

232 Florete. Copos de pequena tigela com prolongamento formando guarda-mao. 

Punho de fio de coore. Seculo xviti. Foiha de quatro quinas tendo chato o 
ter^*o inferior e dos dois lados a legenda : en tolbdo. No grosso do espi- 
gao a marca a s. Seculo xvi. 

iSr. D. Joaquim Garcia Toledo, Lisboa. 

233 Florete. Copos de tigela tendo no interior pequena chapa arrendada. Quar- 

t5es rectos. Punho de arame de latao. Folna de quatro quinas, tendo em 
dois lados a legenda: . . . siemene erach. Seculo ivii. 
Sr, D. Joaquim Garcia Toledo, 

234 Espada. Copos de concha com omatos gravados. Quartzes curvados em sen- 

tidos oppostos. Punho de fio de cobre. FoIha larsa de dois gumes, tendo 
de um lado a legenda: min sinal hes, e do outro el santissimo 
cRucEFicio. Junto a guarda, marca de letras em monogramma e dos dois 
lados, no grosso do espigao, gravada uma cruz com Christo crucificado. 
Seculo xvn. 

Sr. D, Joaquim Garcia Toledo. 

235 Espada (Rapi^re). Copos de tigela com vasados e gravados formando elegan- 

tes conchas, requenos quartoes rectos. Punho de madeira com uma espi- 
ral de fio de cobre. FoIha muito dclgada de dois gumcs. Seculo xvn. 
&r. D. Joaquim Garcia Toledo. 

236 Espada (Rapi^re). Copos de tigela. Grandes quartSes rectos. Punho defiode 

cobre. Folha delgada de dois gumes, tendo de um lado a legenda : no me 

SAQUES SEN BASON, do OUtrO NO ME ENBAINES SIN HONOR. NOS dois ladoS do 

grosso do espigao, marca tendo as letras t o em monogramma coroado. Se- 
culo xvn. 

Sr. D. Joaquim Garcia Toledo. 

237 Escudo circular de ferro com oraatos a agua forte e crava^Ses de latao. Ao 

centre pequeno espigao. Forro de veludo. Seculo xv. 
Sr. Visconde de Coruche, Lhhoa. 

238 Montante. Grandes quart5es de chapa delgada ligeiramente curvados para a 

a folha, tendo os extremos terminados em forma parecida a flores de liz. 
Pequenas guardas e contra-guarda em arco de circulo tambem de chapa 
delgada. Punho coberto de estofo vermelho. Folha muito larga, de igual 
largura atd a ponta, tendo V",^ de comprimento e esperas para a bainha. 
Seculo XVI. 

Sr. A. de Almeida Santos. 

239 Espada. Copos de concha em latao; pequenos quartSes curvados em sentidos 

oppostos. Guarda-mao. Punho de fio de metal branco. Foiha de dois gu- 
mes delgada tendo dos dois lados a legenda : solingen. Seculo xvn. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

240 Espadas. Copos de concha com gravados toscos. Guarda-mao ligado ao pu- 

nho. Pequenos quartoes curvados em sentidos oppostos. Punho de fio de 

14 



ie08 SALA K 

cobre. Fdba iarga de dois games teodo dos dais lados a legenda: in so- 

LINGKN. Seeolo XVII. 

Sr, Jagme Cauvreur, LUboa, 

-241 Espada. Copos de peqnena tigela prolongada a fomar o gaarda-mao. Pe- 
qaenos quartoes rectos. Piinho ae crina. Folha muito delgada e ondeada 
tendo de urn lado a legenia: soli deo globia soLmcEM, e do outro sou dec 

GLORIA MB FECIT. Secalo XYII. 

Sr. Jayme Couvreur. 

242 Espada. Copos de tigela proIon<;ada a formar o guarda-mao. Nao tern quar- 
toes. Panho de fio de cubre. Foiha de dois games, tendo de am bdo a ie- 
genda : c - 1.« - 1787, e do oatro r (encimado de uma coroa) c s (em mo- 
DOgramma — Carlos) in. Na parte grossa doespi^a marca sn. Seeoio xvin. 
Sr. Jayme Couvreur. 

'243 Espada. Copos de peqaena tigela prolongada a formar gaarda-mio. Nao tern 

3uartoes. Restos de ponho de madeira com capaeete de ferro. Folha de 
ois games, tendo de am lado a legenda : . .. - i.« - 1799, e do oatro r (en- 
cimado de aroa corda) c' (Carlos) iv. Mareas janto ao espigao, deamiado 
D, e do oatro s. Seculo xviii. 

Sr. Yisconde de Sanches de Baena^ Bemfka. 

^44 Espada. Copos de peqaena tigela com prolongameoto a formar goarda-mao. 
Peqaenos aoartoes rectos. Panho de marfim. Folba muito delgada e on- 
deada, tenao de am lado a legenda: 6io knrgt, e do oatro: m solingbn. 
Seculo xvii. 

Sr. Jayme Couvreur. 

'245 Espada. Copos de concha de chapa lisa, sem gaanla*m?io. Qaartoes corya- 
dos em sentidos oppostos. Panho de fio de ferro. Folha de dois gomes, 
tendo dos dois lados a legenda m mbne. Secalo xvin. 
Sr. Jayme Couvreur. 

246 Espada. Copos de tigela em latao. Peqaenos qaartdes rectos. Panho de fio de 
la^. Fotha delgada de dois games tendo dos dois lados a legenda wx so- 

LINGBN. Secnfo XVII. 

Sr. Jayme Couvreur. 

iXl Alabarda. Ferro da Ian(^ eorto. Acha de nm s6 eat^o da fdrma de meia 
lua. Haste 2 metros. Secalo xviii. 
Sr. Jayme Couvreur. 

^18 Alabarda. Ferro da lan^ carto. Acha formada por uma ancora. Haste2iiie- 
tros. Secalo xvni. 
Sr. Jayme Couvreur. 

1^9 Alabarda. Ferro da lan^a carto. Acha de am so cat^lo. Haste de 2 metros. 
Secalo xvm. 

Sr. Jayme Couvreur. 



&1LA K flW 

JJaburda (Hallebarie vewUemne). Ferro delgado de qoatro qoiBas de 0",6 
de cempriineola Aeha de am 60 ciil^lo com grarados toscos. Haste de 2 
metros. Seevlo xri. 

Sr. Jayme Couvrmtr, IaAou. 

9n Alabarda. Ferro da laaga eorto. Acha de nm so cat^lo. Haste (fc 2 metros. 
Secak) xviii. 
Sr. Jayme Couvreur, 

2S2 Alabarda. Ferro da lan^^i eurto e ondeado. Aeha de urn so cut61o omada 
com dois peqaenos cora^des vaeados. Haste de 2 metros. Secuto xvni. 
Sr. Jayme Cauvreur. 

233 Alabarda. Ferro da laiiga carto. Acha de am s6 cot^lo em semicirealo, do 
lado oppo&to peqaeno ferro pooteagado de qoatro qaina.s. Haste de 2 me- 
tros. Secaio XVIII. 
Sr. Jayme Couvreur, 

ISSUk Morriio. Secak) xvi. 

jSr. igwado CkUmca, Lisboa, 

"255 Espada. Copos de tigcla. Gaarda-mao Iigado ao eonbo. Pequenos qnartdes 
rectos. Ponho de madeira. Folha larga tendo de am lado a legenda: min 

SIGNAL HESy 6 do OUtrO EL SANTIS8IM0 CRUCIFICIO. SoCttlo XVII. 

Sr/ D. CmmUa de Faria, Porio. 

236 Espada (Rapiere), Copos de tigela. Gnndes qaartto MCttts, Ponho de ma- 
deira. Folha delgada Cendo de um lads a legenda: tomas aialas, e do oatro 

IN TOLEDO. SeCUlO XVII. 

Sr.' D. CemMa de Fmia, Purto. 

S83 E^ada. Copos de tJ^a. Qaartoes reeles. Ponho e&ydTido em oordel. Fo- 
Ika iarga. 8eeaio xvii. 

Sr. Antonio Duarte da Cruz Pinto, Belem. 

258 Espada. Copos de tigela. Pequenos qaartoes rectos. Panbo de crina com vi- 
rdas i» iatao. Futha Iarga lendo de am iado a legenda: no me saques us 
nAMN, e do ontro no «e embainrs sin honor. Seciuo xvil 
JSr. Viicmtde de Smudges de Baema^ Bemfca. 

SSO Eiynda. Copes de tigela. Guarda-mao ligado ao ponho. Peqaenos qaartoes 
rectaa. Ponbo de madeira oom virolaa de latao. Folha lafga lendo dos dois 
lados a legeada: l\ mekb. Secnb xtu. 
Sr. Visconde de Sanches de Baena. 

Morriio (CeAamei). Ornameatado oom qoatro faxas gravadas ao alto repre- 
•entawlo diftsmrtes pe^s de armadara. Nos imennUos das faxas qaatro 
medalhoes com nm guerreiro em cada am. Seeulo xvl. 
Sr. Ignacio Chianca, Lisboa. 



210 SAL A J£ 

261 Espada. Copos de tigela. Guardn-mao ligado ao pnnho. Pequcnos qiiartoes 

rectos. Punho de madeira. Follia larga, de dois gumes, tendo de am lado 
a legenda : Abraham stamm, e do oulro in solingen. Secalo xvii. 
Sr, Yisconde de Sanches de Baenaj Lisboa. 

262 Espada. Copos de tigela. Guardamao ligado ao punho. Pequenos qaartSes 

rectos. Punho de madeira. Foiha larga tendo dos dois lados a legenda: 

IHN SOLINGEN. Scculo XVII. 

&r. Antonio Duarte da Cruz Pinto, Lisboa. 

263 Espada. Copos de tigela. Grandes quartoes rectos. Punho de madeira. Folba 

larga e ondeada. Seculo xvii. 

Sr. Yisconde de Sanches de Baena, 

264 Espada (Rapiere). Copos de tigela. Grandes quartoes rectos, com annel parao 

pollegar. Guarda-mao quebrado. Punho de fio de metal branco. FoIha 
delgada de dois gumes. Seculo xvn. 
Sr. Arthur Lobo d^Avila, Lisboa. 

265 Espada. Copos de tigela. Guarda-mao ligado ao punho. Pequenos qnartSes 

rectos. Punho de fio de metal branco. Folha larga, tendo de um lado a le> 
genda : abbahan stam, e do outro ix solingen. Bainha de couro com guar- 
ni^oes de latao. Seculo xvii. 

Sr. Antonio Borges da Camara Medeiros, Ponta Delgada. 

266 Espora de cobre dourado. Aro lavrado, curto e delgado, terminando em bo- 

tdes para as correias. Pua delgada e quadrangular de 0*", 1 de comprimen- 
to. Roseta pequena de oito pontas. Seculo xv. 
Bibliotheca Publica de Evora. 

267 Acicate de ferro. Aro curto e delgado, tendo sobrepostos largos ornatos com 

vasados. Passadeiras duplas nos extremes do aro e junto a pua. Rodela 
pequena com vasados no comedo da pua, sendo esta ligada ao aro per uma 
pequena e^phera. Pua quadrangular comprida, delgada e terminando em 
ponta. Seculo xii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

268 Acicate de ferro. Aro curto e delgado tendo sobrepostos ornatos de folhas e 

caches de uvas. Nos extremes do aro e junto a pua, passadeiras duplas 

fiara as correias. Rodela pequena com vasados no comedo da pua, sendo a 
iga^o ao aro feita por uma pequena esphera. Pua comprida e elegante- 
mente levantada, representando uma iigura que segura a ponta da pua que 
tem 0",05 de comprimento e 6 delgada e agugada. Seculo xii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

269 Acicates de ferro (par e desigual). Aros longos e redondos. Para as correias 

passadeiras duplas nos extremes do aro e larga alpa junto a pua. Grande 
rodela no come^ da pua. Pua de O*",! de comprimento, grossa e termi- 
nando em ponta. Seculo xi. 
Sr. Ignacio Chianca, Lisboa. 



SALA K 211 

270 Esporas de ferro (par). Aros longos e largos com ornatos gravados, termi- 

nando em grampos tambem ornados, para as correias. Grande rodela la- 
Trada com vasados na junc^ao da paa ao aro ; a esta rodela ligam as ca- 
deias de suspeader, tambem lavradas. Paa carta e larga, ornamentada. 
Boseta grande de oito pontas. Seculo xvii. 
Si\ Ignacio Chianca, Lisboa. 

271 Esporas de metal branco (par). Aros loDgos e largos, lavrados em meio re- 

levo com festoes de flores. Grampos ornados de rosetas nos extremes dos 
aros, para as correias. Correias de polimentocom fivelas e pontas de me- 
tal. Grande rodela la^Tada com vasados na juncgao da pua ao aro. Pua 
carta e larga ornada de um florae com vasados. Roseta grande de ferro 
com dez pontas. Secalo xvii. 
Sr. Marquez da Graciosa. 

272 Acicates de bronze (par e desiguaes). Aros delgados, curtos e curvados, ter- 

minandd em passadeiras para as correias. Rodela peqaena no principio da 
paa. Pua carta terminando em bolota. Secalo xi. 
Bibliotheca Nacional. 

273 Acieates de cobre doarado (par). Aros delgados, cartes e carvados, terminan- 

do de um lado em olhal e do oatro em passadeiras para os botdes e fivelas 
das correias. Botoes e fivelas (faltam os fasilhoes) para as correias. Pua 
comprida, levantada e ponteaguda, com annel junto a ponta. Secalo xii. 
Bibliotlieca Publtca de Evora, 

274 Esporas de bronze (par). Aros curtos com lavrados termiaando em passadei- 

ras e olhaes para as correias. Pua longa, figurando uma serpente levanta- 
tada em S. Grande roseta de 0'",12 de diametro, composta de uma roda 
de bronze com raios em aberto de 0'°,4 de diametro, tendo em volta oito 
pontas de ferro de 0'",04 de comprimento cada uma. Seculo xvii. 
Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

276 Esporas de prata (par). Aros compridos, lavrados em racio-relevo, com dnas 
carraucas e festoes de flores, termiaando em maos que seguram argolas 
aonde prendem os botoes e fivelas para as correias. Pua carta e larga la- 
vrada com vasados. Roseta peqaena de ferro. Seculo xviu. 
Srs. Duques de Palmella. 

276 Espora de ferro. Aro curto com vasados em filetes longitudinaes, divididc 

em tres partes ligadas entre si com cbarneiras, e tendo nos extremes pas- 
sadeiras para as correias. Pua levantada em curva. Roseta pequena de 
oito pontas. Seculo xvii. 

Sr. Ignacio Rodrigues da Costa Duarte, Coimbra. 

277 Espora de ferro. Aro curto terminando em olliaes para as liga^oes das cor- 

reias. Grande fivela para a correia. Pua levantada em angulo. Roseta pe- 
qaena de cinco nontas. Secalo xvii. 

Sr. Ignacio Aodrigues da Costa Duarte. 



i» SALA K 

?78 Espadim de cdrte. Copos de prata; escudete, guarda^-mio, pnnlio e peqnesa 
quartao^ lavrados, com ornatos era aberto e flores em faeetaa. Folba del- 
gada de dois gmnes. Ibinha de coure com'guarni^oesde prata. Secuioxvin. 
Camwra muntctpoi de Etarm. 

279 Espadim de cdrte. Copo3 de prata; escadete com troph^ns lavrados com va- 

sados, guarda-mao e pequeno quartao, lavrados, punho de fio de prata. 
Folba com varies arabescos grarados. Seculo xyni. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

280 Espadim de c6rte. Copos de ferro com vestigios de donrados; eseudete, ^ar- 

da-mao e qaartao, finamente lavrados em aberto. Nao tem punho. Folba 
de tres qutnas. Seculo xviii. 
Sr, Marquez da Graciosa. 

281 Espadim. Copos de prata. Gaarda de peqaena tigela prolongada formando o* 

guarda-mao ; ornamenta^ao em gomos. Qoartoes curtos e rectos, atraves- 
sando um o guarda-mao. Punbo de fio de prata. Folba detgadade dois gu- 
mes. Bainha de couro com guami^oes de prata. Seculo xvm. 
Irmandade do Santissimo Sacramento da freguezia de S, JuHao, Si- 
tubal. 

282 Espadim de cdrte. Copos de prata. Guarda de pequena tigeta Itgada ao 

guarda-mao. Punho com ornatos em meio-relevo. Folba com arabescos 
gravados. Seculo xvui. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

283 Espadim de c6rte. Copos de prata; escudete, guarda-mlo e quartao arrenda- 

dos com lavores em faeeta». Ponho de fio de prata dourada. Folba de tres 
quinas. Legenda em quatro linbas, de dois lados junto a guarda: del.\. 

MANLFACTURE DB LA MARQUE AU RAfSIN FArT A S0L1NGEN. MarCa por baixO 

das legendas : um cacho de uvas. Seculo xvra. 
Academia Red de Bellas Aries de Lisboa, 

284 Espadim de cdrte. Copos de prata dourada; escudete, guarda-mao, quango e 

punho com ornatos lavrados em aberto. Foiha delgada de dois gumes. Se- 
culo xvm. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

288 Ptanhal. Cabo de ferro com guarda de cbapa crivada de fnros. QuartSes cor- 
tos e curvados em sentidos oppostos. Punho de madeira, ^tniia de ma- 
deira, esculpida pela frente em flor5es abertos, e tendo, n'um medalhSo ao 
centro, um mosqueteiro com arma e forqnilha. Nas arestas da bainha ara- 
mes que ligavam o estofo que cobria a parte de tras da bainha, lado de^ 
que 6 lisa tendo caixa para almofada. Forro interior da bainha de t^la 
grossa. FoIha com alguns ornaitos gravados. Seculo xvt. 
Sr. An$omo Manuel Lopes Vieira de Castro, Porto. 

286 Espadim de curte. Copos de prata; escudete e guarda-mao lavrados em 



SALA K Hi- 

alierto, qnartio curto. Punho de fio de prata dourada. Foiha com varios 
arabescos. Seculo xviii. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

287 Espadim de c5rte. Copos de prata; escndete e ^marda-mao ]avradosem> 

aberto, qnartao cnrto. Punho de tie de prata. FoIha com figuras e oatros- 
oraatos. Legenda de dots lados : je chrrche un goeur fidele. Secalo xviii.. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

288 Espadim de corte. Copos de prata; escudete ]iso, guarda-mao e panho orna- 

dos com filetes de contas. Bainha de couro com guami^oes de prata. Fo- 
iha delgada de dois ^mes. Seculo xvirr. 
Sr, Augusta Filippe Simdes, Coimhra, 

289 Espadim de corte. Copos de prata. Guarda de peqaena trgela ligada ao gaar- 

da-roao, sendo a tigela ornada com unia pequena concha do lado opposto- 
ao gaardamao. Punho com caneluras torcidas. Folha com alguns oroatos 
gravados. Secolo xvm. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

290 Espadim de cdrte. Copos de prata; escadete liso, guarda-mao, quartaoepa«- 

nbo ornados com facetados em loogos espelhos. FolLa de tres qainas. Se- 
colo xvra. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

291 Espadim de corte. Copos de prata; escudete, guarda-mao, qnartao e punho* 

layrados em aberto com facetas. Folha larga no tergo inferior. Bainha de 
yeludo carraei^im com goarni^oes de prata. Secalo xvui. 
Sr. Francisco Gomes de Aimeida, Pcrto, 

292 Espadim de c6rle. Copos de oiro; escadete, guarda-mlio, quartao e punlio- 

com ornatos em filigraoa. Foiha redonda. Bainha de polimento branco 
com guarni^oes de oiro. Seculo xviii. 
Sr. Yisconde de Barros Ldma, Porto. 

293 Punhal. Cabo de prata. Guarda de concha voltada sobre a folha, lavrada em- 

aberto com facetas. Quartoes curios e curvados em sentidos opposlos. Fo- 
lha com aiguns ornatos gravados. Bainha de couro. Botao de prata com. 
ornatos em facetas para iigar a& cinto. Bocal e ponteira de prata. Se- 
calo XVII. 
Academia Real de BeUas Artes de Lisboa. 

iSi Alabarda. Ferro todo ornamentado de arabcscos gravados, exccpto na ponta^ 
da langa. Ao mt*io da lan^a e de cada lado uiii inedalliao com busto de 
guerreiro com roorriao. Na acha, do urn dos lado e ao centre do cuteio 
ama roma ladeada das letras S U e encimada da data ici6. Haste carta. 
Secalo XVII. 
Sr. Jmo Luiz Madiado de E^a, Porto. 

295 Testeira de ferro com gaarda-naca, ornamentada na orla com gravados re- 



214 SALA K 

prescntando difTereotes pcgas dearmadura. Crava^es de latao. Secaloxvi. 
Si\ Miguel Queriol, Lisboa. 

296 Adaga. Copos de ferro pintados de preto. Gaarda-mao triangular dechapae 

terminando em varao que ]iga ao punlio. Grandes quartoes ligeiramente 
curvados. Punlio de fio de cobre. Follia de dois games, com cavados ao 
ccntro, aonde dos dois lados tern a legenda: inter... domini... espadebo. 
Seculo XVI. 
Bibliotheca Puhlica de Evora. 

297 Adaga. Copos de ferro. Guarda-mao trian^nilar de cbapa, ornado na orla 

com bravados toscos. Quartoes rectos. Punho de fio ae arame. Foiha de 
um s6 gume com marca junto ao espigno. Seculo xvi. 
Sr. D. Joaquim Garcia Toledo, Lisboa. 

298 Espada (Schiavona). Copos de roca. Punho de lixa. Folha larga e ondeada, 

tendo dos dois lados a legenda : sahagun. Seculo xvii. 
Sr, Visconde de Sanches de Baena, Bemfica. 

299 Espada. Copos da ferro. QuartOes curvados em sentidos oppostos sobre a 

guarda e contra-guarda, que sao formadas de varao Iiso« bem como as 
guardas inferiores e guardLa-mao. Punho de madeira. Folha larga de dois 
gumes. Seculo xvi. 

Sr, Visconde de Coruche, Lisboa, 

300 Espada. Copos de tigela com gravados toscos. Quart5es rectos. Punho de fio 

de metal branco. Folha larga de dois gumes. Seculo xvii. 
Sr. Arthur Lobo d*Avila, Lisboa, 

301 Espada (Rapiere). Copos de tigela ornamenlada com cinzeladose rebatidos, 

representando em baixo-relevo scenas de cavallaria e combale. Grandes 
quartoes rectos. Punho de fio de arame. Folha delgada com caneluras, 
tendo as legendas, de um lado: iacob. . . brach solingen, e do oatro 

JACOB . . . BRACH ME FECIT. SeCulo XVII. 

Sr. Visconde de Coruche, Lisboa, 

332 Espada (Rapiere), Copos do concha. Guarda e contra-guarda de chapa lisa, 
com duas ordens de vasados. Fabrico moderno. Quartoes curvados nm sen- 
tidos oppostos. Guarda-mao de um so varao, Punho de madeira. Folha 
delgada com canclura, tendo dos dois lados a legenda : ucob . . . rach . . . 
EN. . . Seculo XVII. 

Sr, Francisco Augusto de OUveira FeijUo, Lisboa, 

303 Espada. Copos de pequena tigela, finamento arrendada. Quartoes rectos. Pa- 
nho de marfim. Folha de dois gumes com canelura, tendo de um lado a 
If'genda : no me saques fen rason ; e do outro no me enbaines sin honob. 
No grosso do espigao e dos dois lados, marca com as letras t o, em mo- 
nogramma. Seculo xvii. 

Sr,' D, Camilla de Faria, Porto. 



SALA K 215 

30i Alabarda. Ferro ornado de arabescos gravados, tendo s6 lisa a ponta dalan- 
^, ao centro da qual tern dos dois iados a letra F. (Fernanao II de Aus- 
tria) encimada da coroa imperial allerna. Na acha, de um lado, ao centro 
do cutelo, a aguia dc duas cabe^as encimada pelacorda imperial, tendo do 
peito um escodo de armas com a coroa ducal orlado do colar do Tosao de 
Oiro ; no ferro opposto ao cutelo, no meio, a data 16i0, e na ponta a 
marca do fabricante : meia lua entre dois pontos. No outro lado da acha, 
ao centro do cutcio, um medalbao orlado da legenda : legitime cebtanti- 
Bvs, tendo na parte superior uma cabe^ com a corda imperial, e por baixo, 
circumdando as letras m n, tres coroas imperiaes; o ferro opposto ao 
cut^lo somente ornado de aiabescos. Haste curta. Seculo xvii. 
Sr. Jodo Luiz Machado de Ega, Porto. 

305 Testeira de ago, formada de duas partes ligadas com pemos, ornada com gre- 

gas lavradas em faxas e orladas com gravados ue phantasia, represen* 
tando carrancas, animaes, flores, etc. Porta-penacho e escudete gironne, 
Seculo XVI. 

Sr. Ignacio Chianca, Lhboa, 

306 Adaga. Copos de ferro. Guarda-mao triangular de chapa, ornado com flo- 

roes lavrados em aberto. Quart5es rectos. Punho a fio de arame. Folhade 
um so gume. Bainha de couro com guarnigoos de ferro. Seculo xvi. 
Sr, David, 

307 Adaga. Copos de ferro. Guarda-mao circular com gravados toscos. Grandes 

auartdes rectos. Punho de madeira. Foiha de um s6 gume, tendo na costa 
da foIha tres largos dentes de serra. Seculo xvi. 
Sr. D, Joaqutm Garcia Toledo, Lisboa, 

308 Espada. Copos de ferro. Guarda, contra-guarda e guarda-mao dupio de va- 

roes de ferro, guardas inferiores de concha com jfuros. Quart5es curvados 
em sentidos oppostos. FoIha larga de dois gumes. Seculo xvi. 
Sr, A, de Almeida SantoSj Lisboa, 

309 Espada. Copos de ferro. Guarda, contra-guarda, guarda-mao, guardas infe- 

riores e quartOes rectos, tudo de varoes de ferro com ornamenta^ao de in- 
crusiagoes em cobre. Punho de fio de arame. FoIha larga de dois gumes. 
Seculo XVI. 

Sr, Visconde de Coruche, Lisboa, 

310 Espada. Copos de tigela gravada toscamente em gomos. Quartdes rectos. Pu- 

nho de fio de arame. Folha larga de dois gumes com vasados, tendo de 
um lado a legenda: nao ama a amor, e do outro amor firme amante. Se- 
culo XVII. 

Sr, Visconde de Monserrate, Cintra. 

311 Florete. Copos de tigela com lavrados em moio-relevo, com vasados, tendo 

oito medalhoes, quatro dos quaes representam bustos de guerreiros, um 
uma Ggura alada ornada com festoes de flores, um uma sereia e dois aguias 
de duas cabegas, encimadas de cor6as. No interior da tigela, chapa ornada 



SIB SALA K 

com lavrados em aberto. Qaartdes rectos e larradoa. Panfao de Go <k an^ 
roe. Foiiia de quatro qnioas, tendo em daas faces a legcnda : Sebastian er- 

NANDES. Secuk) XVII. 

Sr. A. de Almeida SatUot, Lisboa, 

312 Espada (Rapiere), Copos de tigela com gomos em retevo, tendo na parte supe- 

rior uma oria lavrada em aberto. Punho de latlo com candaras torcidas. 
Fdha delgada e ondeada, tendo dos dois lados a legenda : l\ mens. Seca- 
lo xvir. 
5r. Joao Luiz Machado de Era, Porto, 

313 Espada. Copos de tigela com pravados toscos. Grandes qnartdes rectos. Panho 

de iio de metal branco. Folba iarj^a e oodeada, tendo de um lado a i^eo- 
da: EM LISBOA na 1633, 6 do outro ANTONIO GABYALHo. Marca dos dois 
lados da folba toscamente gravada: uma cabe^ com corOa radiada; con- 
tra- marca no del^ado do cspigao formada de am peqaeno eseadete com co- 
rda, nao sendo decifravel o centro do escudete. Seculo xvii. 
Sr, Jayme Couvreur, Lisboa. 

314 Morriao (Cabasset) de cobre dourado com ornamental em lavrados e re- 

batidos, formando oito divisoes, erepresentando arvores, passaros evarios 
episodios de ca?a. Seculo xvi. 
Sr, Antonio Borges da Camara Medeiros, Ponta Delgada. 

315 Arbaleta (Arbalete d galet), Arco de mola fraca para armar a mao. Coronha 

muito li^eira de madeira com omatos de latao. Esta arbaleta parece arma 
de ca(^a para senbora. Seculo xvii. 

Sr, Francisco Augusto de OUveira Feijao, Lisboa. 

316 Pistola. Cano de bronze com ornatos gravados, tendo sobre o fogaa nm es- 

cudo de armas com conia, e por cima a letra e, aos lados do escado asle- 
tras I e m. Canudos de prata para a vareta. Coronha de bronie com oma- 
tos gravados. Fechos modernos de percussao, enxertado. No couce da co- 
ronha uma ma^a ligada a uma haste, qne, com rosea, aereseentaaeoronba 
de modo a poder servir como espingarda. Seculo xvi. 
Sr, Benio de Qneiroz, Vizeu. 

317 Machado indiano. Ferro com dourados e lavores, representaado fiore.«, fractos 

e varios animaes. Cabo de madeira coberto nos extremos com foiha de 
prata lavrada, ornamentada de flores, e ao meio uma espiral de fiodepn- 
ta. Seculo xvin. 

Sr, Marquez de Fronteira. 

318 Morriao (Chapeau d'armes). Seculo xvii. 

Sr, Francisco Augusto de OUveira Feijao, Lisboa, 

319 Fleau. Haste de ferro massiga. Comprimento O'*,^. Cadeia da coo^Nriinento 

da Itaste. Bala de 0",0G de diametro. Seculo xiv. 
Sr, Francisco Augusto de OUveira Feijao, Lisboa. 



SALA K iir 

380 IRifa de armas. Ha$t^ de ferro massica com ornat09, terminando em argola. 
Oito gomos gros(9os com ornato^ em aborto. Seculo xvi. 
Sr. Joao Luiz Machado de E{'a, Porto. 

321 Ma^a de armas. Haste d^ ferro oca com dois pernos para a correia. Oito go- 
mos Ji»n» e delgadns. Seculo xvi. 
Sr, Ignacio Chianoa^ Lisboa, 

3BSt IfiDiriao. Seeuio xvk 

Sr. Jgnmio Chianca, Lisboa, 

323 Acha de armas. Cutelo de bronze, tendo ao centro urn peqaeno circalo va- 

sado, sendo de um dos lados do cutelJo este circulo encimado de uma co* 
r6a e ]adeado por dois Jeoes rompantes Nao tern cabo. Seculo xvi. 

324 Acha de armas (Hache d*armes russe — bardiche). Longo cutdo do compri- 

mento de 0°*,8 e largura de 0",!, tendo proximo ao ter^o superior olhaI< 
para o cabo, ao qual a folha tambem 6 Jigada pela parte inferior. Yes- 
tigios de gravados na folha. A haste esta quebrada. Seculo xv. 
Sr. Jgn<icio ClUanca, Lisboa. 

325 Alabarda. Lani^a de ferro comprida. Acha de bronze, de um s6 cut^Io, tendo- 

gume em meia lua e com legenda. Nao tern haste. Seculo xvi. 

326 Broquel ou escndo de madeira, e de forma circular, forrado de couro eofl^ 

vestigios de pintnras; quatro cravag5es em laCSio para as bra^adeiras^ 
Seculo XV. 

Sr. Marquez da Graciosa. 

327 Montante. Grandes qoartoes rectos de varao de ferro ; pequena guarda, coik 

tra-guarda e guardas inferiores, tambem de varao de ferro. Punho co- 
berto de couro. Folha com vestigios de dourados, delgada e agui^da para 
a ponta, com esperas para a bainha e tendo l^^^S de comprimento. Se* 

CUlo XVI. 

Herdeiros do morgado Nuno de Freitas Lomelino. 

328 Espada (Schiavona). Copos de roca. Punho de Ro de latao. Folha corta de 

dois gumes, tendo de um lado a legenda : mb fecit sn alemania, e do ou«- 

trO BENGER MOmR PRO . . . ScCUlo XVII. 

Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

329 Espada (Rapiere). Copos de tigela com quatro recortes. Grandes qnartSes 

rectos. Punho de iio de cobre. Folha delgada, de dois gumes, tendo dos- 
lados a legenda: ihn solingex. Seculo xvii. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

330 Espada. Copos de tigela. Grandes quart5es rectos. Punho de Oo de cobre^ 

Folha larga e ondeada. Seculo xvii. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

331 Espada. Copos de tigela. Pcquenos quartoes rectos. Guarda-mao ligadoao- 

pnnho. Punho de fio de metal branco. Folha larga de dois gumes, tendo* 



218 SALA IC 

de am lado a legenda: min slnal hes, e do oatro el santissimo cruci... 
No grosso do espigao tern de cada lado gravada uma craz coin Cbristo cra- 
cificado. Seculo xvii. 

Sr. Jayme Couvreur, lisboa. 

332 Espada. Copos de tigela. Peqaenos qaart5cs rectos. Guarda-mao ligado ao 

{)anho. Punho de criiia. Folha Idrga de dois gumes, tendo de um lado a 
egenda uis sinal hes, e do oatro el santissimo crucificio. Marcadosdois 
iados da folha junto ao espigao um S, tendo por cima seis riseos formando 
coroa (6 a marca de Alonso Sabagun). No grosso do espigao tern de cada 
lado gravada uma cruz com Christo cruciGcado. Secalo xvii. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa, 

333 Espada (Schiavona), Copos de roca. Punho de lixa com quatro canelarastor- 

cidas, ornadas de Go de arame. Folha ondeada, tendo de um lado a le- 
genda: . . . S. . .NAL HES, e do OUtrO EL SKNTISSIMO . . . ScCUlo XVH. 

Sr. Jodo Luiz Machado de Era, Porto. 

334 Espada (Rapiere). Copos de tigpja com qualro recories. Grandes quartoes re- 

ctos. Punho de fio de cobre. Fulha delgada de dois gumes, com cinco ca- 
vados legendas indeclfravcis. Seculo xvii. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

335 Espada (Schiavona). Copos de roca. Punho de fio de arame. Folha carta de 

dois gumes, tendo de um lado a legenda : gio knegt, e do outro : in soligen. 
Seculo XVII. 

Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

336 Chu^o. Ferro de lan^a, curto. Pequenas guardas, tendo gumes do lado da 

haste. Haste de 2 metres. Seculo xv. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

337 Pique de sargento. Ferro de langa com travessao. Haste de 2 metros. Secalo 

XVIII. 

338 Gineta ou espontlio (SporUon). Ferro de langa largo e curio, terroinado em 

meia lua, pontas acima. Haste i'°,6 coberta de tecido de la. Seculo xmi. 
Sr. A. de Almeida Santos, Lisboa. 

339 Chu^ (?). Ferro de langa largo, de 0'",3 de comprimento. Haste de 2 me- 

tros. Seculo XV. 

Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

340 Chu(;o. Ferro de podoa, tendo de um lado as armas reaes portuguezas e do 

outro as letras D. M. P. (Dona Maria Primeira) em monogramma enci- 
mado de uma coroa real. Haste de 2 metros. Seculo xviii. 
Sr. Ignacio Cliianca, Lisboa. 

341 Chu?o (?) ^Guisarme). Ferro de 0",6 de comprimento, tendo dois gumes e 

0™,1 de Jargura, terminado em duas pontas, uma de fouce carta e oa- 



SALA K 219 

tra de florete de 0^,3 de comprimento; por ultimo, ao meio do gume op- 
posto a ponta curva, tern uma outra ponta cortante de O"",! de compri- 
mento. Haste de 2 meiros. Seculo xv. 
Sr. A. de Almeida Santos, Lisboa. 

342 Cbu^o (?) (Fauchard). Ferro de 0",7 de comprimento e 0",1 de largura 

maxima, tendo so um gume. Haste de 2 metros. Seculo xv. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa, 

343 ChuQo (?) (Fauchard), Ferro de 0",4 de comprimento e 0",1 de largura 

maxima, tendo s6 um gume. De um dos lados tern gravada uma esphera 
armilar. Haste de 2 metros. Seculo xv. 
Sr. Jayme Ck)uvreur, Lisboa. 

344 ChuQO (?) (Fauchard). Folha de um so gume, com forma de cutelo, tendo o 

lado da costa recto e o do fio quasi em semicirculo; lado recto de 0^,d e 
a largura maxima de quasi 0'",2. Haste de 2 metros. Seculo xv. 
Sr. Jayme Couvreur, Usboa. 

345 Partazana. Ferro de langa de quasi 0"*,3 de comprimento, tendo junto a haste 

uma meia lua, pontas acima. Haste de 2 metros. Seculo xvi. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa. 

346 Chu{o. Ferro de podda. Haste de 2 metros. Seculo xv. 

Sr. Jayme Couvreur, Lisboa, 

347 Partazana (?). Ferro de langa curto, tendo ao centre em vasado uma folha de 

trevo e na parte inferior um travessao em forma de S com c6rte dos dois 
lados. Haste de 2 metros. Seculo xvi. 
Sr. Jayme Couvreur, Lisboa, 

348 Borgonhona ou borguinliota com f6rma de elmo, sem viseira e com pala. 

Seculo xvii. 

Sr. A. de Almeida Santos, Lisboa. 

349 Peito de couraga. Seculo xviii. 

Sr. Jayme Couvreur, Lisboa, 

380 Cota de malha. Malha Gna; comprida e aberta no peito. Seculo xii. 
Sr. Marquez da Graciosa. 

351 Espada. Copos de tigela. Gnarda-mao lipdo ao punbo. Pequenos auartdes 

rectos. Punbo de madeira. Folha de dois gumes, tendo dos dois lados a le- 
genda: puna pella patria. Seculo xvii, 
Sr.' D, Camilla de Faria, Porto. 

352 &pada. Copos de tipela. Pequenos quartoes rectos. Punbo de madeira com 

um pequeno escuoete de met^il branco. Guarda-mao ligado ao punbo. Fo- 
lha de dois gumes. Seculo xvii. 

Sr. Yisconde de Sanches de Baena, Bemfica. 



Jtt0 SALA J& 

^S3 Borgonhoua ou hargniahota. com forma de elmo, eem visQirae.com pala. Se- 

CUlo XTH. 

Sr, A. de Almeida Santos, Lisboa,. 

354 Peilo de couraca. Seculo xvin. 

Sr. Myme Couvreurj Usboa. 

355 Cota de malha. Mallia grossa, curta e aberta pela Irente. Seoulo xr. 

Sr, Conde de Bertiandos. 

3X6 Efipada. Copoe de tigela. Guarda-mao ligado ao panho. Peqaeaos qoartSes 
rectos. Punho de Go de cobre. Folha larga e carta de dois games, tendo de 
urn lado a legcnda: . . . aas armas, e do outro viva a bauvha d. . . Se- 
culo XVII. 
Sr.' B, CtmUa ie Faria, Porio. 

•357 Espada. Copos de tigela. Guarda-mao ]igado ao punho. Pequenos quartoes 
rectos. Punho de madeira. Folha ondeada. £6ta folha foi quebrada e sol- 
dada faltando-Ihe um pequeno pedago, que torna incompleta a l^enda, que 
de am kido i^: bl... (falta Bey Do) u joao quinto, e do ouico lo^. (futa 
va...j>peBTUGiAL. Seculo xvm. 
Sr. Arthur Lobo d'Avila, Lisboa. 

■358 Esptngarda. Cano com omameDtagao de iocriifitaQSes douradaa, tendo em k- 
tras douradas, tambem iacru$tadas« a mdicagao mauricio sigar anno 1736. 
Sobre o fogao, cravados e dourados, o monogramma coroado: mau sicar e 
a OMirca: am«ragao. Mira dft prata. Fechariade pederneira comlaveDes 
em relevo, tendo gravado e dourado na ohapa dos fechos o monognunma 
coroado: cons, jose roiz, e no fusil gravadas as indicagdes const*" joze 
Roiz — LrsBOA I8i6. Coroniia de nogueira com gaarfiiQoes de prata. 
Sr. Manuel Bento de Sousa, Lisboa. 

359 Espingarda. Cano com alguns ornatos de incrustagoes douradas tendo emie- 

tras douradas, tambem incrui^as, a indicagao : foi feito lai lisboa por 
BARTHOLOMEU GOMES — ANNO J776. Sobro foguo, gravados e dourados, o 
monogramma corondo: babtholomev GOMEseamarca~um leao eam.im 
escudo de prata. Fecharia de pedemeira com oroatos em relevo sohre 
fundo dourado ; na chapa dos fechos, gravado e dourado, o monogramma 
covoado: bartholohev gomes, e so fuzil gravada a indicagao: babthmi^- 
MEV gomes lisboa 1772. Corouha dc nogueira cam gaarni^^ de {)rata tendo 
gravado na volta do guarda-mato um escudo de armas. 
Sr. Jfantiel BentQ de Sousa, Usboa. 

360 Espingarda. Cano com alguns ornatos de incrustafoes douradas, tendo em le- 

tras douradas, tambem incrustadaa, a iadiea^ : usboa its?; sobre o fogao, 
gravados e dourados, o monogramma coroado : ioaquim ant° s* e a marca: 
wms, ligura eeitada tendo em uma dasmaos uma palma e na outra jBm«»- 
ondo. Mtra de firata. Fecharia de pederneira com ornatos em relevo solre 
fundo dourado. Na chapa dos fechos tem gravado e dourado o mono- 
gramma coroado : lOiHacuf an« .. e ao fuzil gra^da a iadicasao]: ioaqudi 



SALA K 221 

ANT* DA. siLVA — LiSBOA 1787. GoFonha de nogaeira com guarnigSes lavra- 
das e com dourados tendo na Tol(a do guarda-mate as letras i b g enlaga- 
das em monogramma. 

Sr. Manuel Bento de Sousa^ Lisboa. 

361 Cano tendo sobre o fogao gravados e dourados o monogramma xe" dos reis, 

e a marca — uma arvore tendo junto ao tronco urn coelho. Fecharia de pe- 
derneira com ornatos lavrados, tendo gravado ua chapa dos feclios o mo- 
nogramma coroado : manoel do n (Nascimento) gomes, e do fusil a indica- 
(^0 . . . Lx* 1797. Coronha com guarnigSes de ferro. 
Sr, Manuel Bento de Sousa, Lisboa, 

362 Espingarda. Cano com alguns ornatos de incrustagSes douradas, tendo gra- 

vados e dourados sobre o fogao o monogramma coroado : bustindv (San- 
tos Bustindin), e as mareas — um leao rompante, por baixo do mo- 
nogramma, e aos lados e por cim» d*este — tres flores de liz. Fecharia 
com Javrados, tendo gravado na chapa dos fechos no monogramma co- 
roado: y. DB MEmA, e no fusii a indicaQao: jacinto xavier, lisboa isoe. 
Coronha com brayadeiras de prata, tendo gravadas sobre a volta do goarda- 
mato as armas reaes portuguezas. 
Sr. Manuel Bento de Sousa, Lisboa, 

363 Espingarda. Cano com alguns ornatos de incrustagoes douradas, tendo gra- 

vados e dourados sobre o fogao o monogramma coroado : ioao antomo gomes, 
e a marca — uma mulher sentada. Fecharia de pedemeira, tendo gravado 
e dourado na chapa dos fechos o monogramma coroado : ioao antonio gomes, 
e gravada no fusil a indicagao: joao antonio gomes, lisboa isis. Coronha 
com bra^eiras de prata. 
Sr. Manuel Bento de Sousa, Lisboa. 



SALA IL. 



1 Jarro formado por uma concha de madreperola assente em base de prata la- 
vrada. Secalo xvni. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

i Lorcha de marCm com pavilhoes, mastros, v^las e oatros ornamentos, todo 
de prata lavrada, com esmaltes de cdres nos toldos e casco, representando 
n'estes animaes fabulosos. Gomprimento 0"*,36. Ja existia em Lisboa no fim 
do secnlo xvi. 

Sr,' D. Helena de Aragdo, Lisboa. 

3 Terrina circular de cobre csmaltado com pinturas de varias c6res sobre fando 

branco, representando aves e flores. Tern tampa e azas. Seculo xviu. 
jUitra de Leiria, 

4 Bandeja de cobre esmaltado, com umapaizagemchineza. Gomprimento 0°',37. 

Sr. Miguel Osorio Cabral de Castro, Coimbra, 

5 Calix de vidro com ornatos geometricos lapidados e outros gravados, repre- 

sentando flores, folhas e fructos. No centre dos ornatos um medalhao com a 
Trindade. Secalo xvii. 

Convento da Esperanga de Beja. 

6 Bandeja de cobre esmaltado com pinturas de vario colorido, representando flo- 

res e aves, sobre fundo branco. £ circular na base, por<^m octogona nas 
bordas. 

Sr. Jacinto Atyusto Paiva de Andrada, Lisboa. 

7 Bandeja e tres jarrinbas, tudo de cobre esmaltado, com pintura de vario colo- 

rido, representando flores e folhagens. 

Sr.' D. Maria Candida Guedes de Almeida, Trevoes. 

8 Frasco de ambar com arabescos gravados. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

9 Brazao de armas reaes portuguezas, em marfim, cstylo usado no tempo de 

el-rei D. Jos^.. Esta em uma moldnra circular de madeira. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

15 



224 SALA T^ 

10 Cafeteira de cobre csmaltado, com pinturas de paizagens, ilores, aves e ara- 

beseos. 

Sr/" Viscondessa de Fonte Arxada, Lishoa. 

1 1 Pequena caixa circular de marGm com varios lavores em baixo-relevo e eotre 

elles, na tampa, dois rapazes tocando iastrumentos mastcos. 
Academia lied das Sciencias de Ldsboa. 

i2 Dois pires e daas chavenas de cobre csmaltado, com pintaras, paizagens, etc. 
Sr.' Viscondessa de Fonte Arcada, Lisboa. 

13 Frasco em porcelana com a forma de um gato sentado sobre os p^s, colleira 

e cadeia ae prata dourada com a inscrip^ao : fidelite. Secalo xviii. 
Bibliotheca Publica de Evora, 

14 Tryptico de madeira, contendo varias cbapas de cobre com esmalte de Limo- 

ges, represenlando S. Joao Baptista, o baptismo de Jesus Christo, a degola- 
gao de S. Joao Baptista, o Padre Eterno e dois anjos. Tern a marca i r. 
(Jean Raymond). Aliura 0'",215; largura, quando aberto, 0",285. 
Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

15 Prato de cobre esmaltado com a borda ondnlada, similhando uma fdha. Tern 

pinturas de variado colorido sobre fundo branco, representando flores, etc. 
Sr, J, Fafe, Lamego. 

16 Jarra de cobre esmaltado, com pinturas de variado colorido, representando 

flores e folhagens. 

Sr. Miguel Osorio Cabral de Castro, Coimbra. 

17 Pequena caixa de cobre esmaltado. Tern na parte inferior da tampa uma pai- 

zagem chineza. 

Srs, Condes da Praia e de Uonforte, Lisboa, 

18 Gomil de cobre esmaltado todo coberto de pinturas de omato de vario colo- 

rido. 

Sr, Francisco de Abreu Castello Branco, Fornos de Algodres. 

19 Bacia de cobre esmaltado com forma de concha, correspondente ao gomil n.* 18. 

Sr, Francisco de Abreu Castdlo Branca, Fornos de Al^res. 

20 Escrivaninha de tartaruga com incrusta^oes de oiro e madreperola, composta 

de seis pegas: taboleiro, tinteiro, areeiro, caixa de obreias, campainha, e 
copo das pennas. Todas as seis pe^as sao marchetadas profusamente de oiro 
e madreperola, em delicado«^ desenhos. Comprimento (H,29. Esta escriva- 
ninha foi dada pelo papa Benedicto XIV a academia liturgica, creada por 
iniciativa sua no mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Tem-se dito que ser- 
viu no concilio de Trento. 

Academia Portuense de Bellas Artes, 

21 Medalha de filigrana de oiro com uma miniatara em esmalte representando 

S. Jos6 e Nossa Senhora com o Menino ao collo. Seeulo xyu, 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



SALA L 225 

22 Jarra de cobre esmaltado com daas pinturas represeDtando paizagens e grupos 

de chioezes. 

Sr. J. Fafe, Lamego. 

23 Escrivaninha de cobre esmaltado. taboleiro tern a coDfiguragao de uma fo- 

Iha e OS cinco frascos que ]he pertencem semelham fnictos. 
Acad^mia Real das Sciencias de Lisboa. 

24 Jarro de cobre esmaltado com pintara de vario colorido, representando rama- 

gens e flores. 

Convento de Nossa Senhora das Servos de Borba. 

25 Bacia de cobre esmaltado com forma de concha pertenccnte ao jarro n.^ 24. 

Convento de Nossa Senhora das Servas de Borba. 

26 Copo de vidro ornamentado de variados desenhos gravados. £ obra da Bohe- 

mia do seculo xvn. 

Sr. Alvaro de Paiva de Faria Leite Branddo, Porto. 

27 Prato de cobre esmaltado de forma triangular, com pintara de variado colo- 

rido sobre fundo branco e que representa coelhos, aves, peixes e oulras 
especies culinarias, etc. Na borda um homem pescando, outro ca^ando, um 
brazao de armasa companhado do chap^u e cordoes de bispo, e a legenda: 

SALDANHA DE ALBUQUERQUE. 

Sr. Conde de Santa Etdalia, Vizeu. 

28 Fracteiro em cobre esmaltado de Limoges. Tem pintada no fando Venus 

navegando n'uma concha com a v^la larga e de um rochedo Cupido, segu- 
rando-se ao tronco de uma arvore, agarra-a pelos cabellos; por cima a le- 
genda: NON + B PRESA MiGLiOR. Diamctro 0°,i9. Seculo xvi. 
Srs. Duques de Palmellaj Lisboa. 

29 Fracteiro em cobre esmaltado de Limoges. Representa no fundo o julga- 

mento de Paris, e por baixo um escudo dentro de uma corda de louro. Dia- 
metro 0",22. Seculo xvi. 

Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

30 Fracteiro com pequeno pS em cobre esmaltado de Limoges. No fundo esta pin- 

tado um quadro que representa David explicando os psalmos. Diametro 
0",23. Seculo xvi. 

Srs. Duques de Pdlmella, Lisboa. 

jSeis pratos em cobre esmaltado, com o diametro de 0°',24, representando no 
fundo OS seguintes assumptos sacros : o presepe, a adora^ao dos Reis Ma- 
31 1 gos, a fuga para o Egypto, a Circumcisao, a visita^ao de Santa Izabel e a 
a ( morte da Virgem. As orlas sao pintadas em variadissimos ornatos com car- 
36 j rancas, e um escudo dentro do uma coroa de louro. No reverse, tambem 
cheio de ornamentagao, bustos e fachos, e as iniciaes i. c. (Jehan Gourtois 
oa Gourteys).- Seculo xvi. 

&rs. Duques de PcdmeUa^ Lisboa. 



226 SALA JLa 

37 Repaxo com a base triangular, reprcscntando, cm quadros de cobrc esmalta- 

do, um euro das musas e dois referem-se a Moyses fazendo brotar agaa 
do rochedo. Na face superior tres medalhoes com Dustos, teudo iutermedio 
iiguras nua» deitadas, e do centro sobe o p6 que alarga at6 a sua maior 
altura 0'",38, formandoahi a bacia com odiametro de 0™,19. Em volta di- 
ver^as figuras, scenas do cavalleiros combatendo, anjos sustendo griualdas, 
e no fundo da bacia, em volta do tubo, grupos de nimphas lavando-se. As 
pinturas sao todas em cobre esmaltado de Limoges. Seculo xvi. 
Srs. Duqnes de Palmella, Lisboa, 

38 Fructeiro em cobre esmaltado de Limoges, representando a pintura a destrui- 

(ao dc Sodoma e a saida de Rebeca da casa paterna. No p6 e base varias 
fjguras allegoricas. Seculo xvi. 

Srs. Duques de Pdmellaj Lisboa, 

39 Fructeiro em cobre esmaltado de Limoges; o fundo representa uma bata- 

iha, a parte inferior do prato e o p^ e cheio de pinturas de ornato. Na ba.«c 
tem dois quadros: em um Adao e Eva depois de colbercm o porno probi- 
bido, e no outro o Padre Etemo expulsando-os do Paraiso. Diametro 0'',19. 
Seculo XVI. 

Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

40 Tintciro em cobre esmaltado de Limoges. Tem a forma de um prato com um 

receptaculo no centro com quatro furos, em volta estao sete medallioes, sepa- 
rados com ornatos em altc-relevo, onde sao representados os bustos allego- 
ricos das virtudes com os sous nomes escriptos ao lado. Seculo xvi. 
Si^s. Duques de PalmeUaj Lisboa, 

41 Dois saleiros bexagonos em cobre esmaltado de Limoges, tendo nas suas faces 

bustos e creangas representando varies assumptos. Seculo xvi. 
Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

42 Pia de agua benta em cobre esmaltado de Limoges. Na placa superior repre- 

senta-se Christo e a Samaritana. Tem as letras e m com uma corua por 
cima. Na parte superior um escudo com tres vieiras. Seculo xvi, 
Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

43 Travessa em cobre esmaltado de Limoges. A pintura representa no fundo o 

banquete dos Deuses; na orla, entre varia ornamentaQao, tem de um lado 
as letras p. r. (Pierre Reimond) e do outro o anno 1558. reverse 6 todo 
coberto de ornatos, entre os quaes, occupando o centre, o busto de um ca- 
valbeiro barbado com gorra e pi uma. 0°',49 no maior diametro. 
Srs, Duques de PalmeUa, Lisboa. 

44 Caixa de rape, de oiro, com baixo-relevos representando exteriormente nas 

quatro faces e no fundo, columnatas e fontes, e sobre a tampa um jardim 
com um edificio guamecido de brilbantcs; os arbustos por esmeraldas, as 
flores por saphiras e rubis, e um repuxo por brilbantcs. Na face interna 
da tampa ha uma miniatura em marfim com o retrato de uma soberana. 
Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 



SALA L 227 

45 Par de castigaes em cobre esmaltado de Limoges. Na base tern cada urn qua- 

tro medalhoes com bustos de mulheres pintados a cores. Seculo xvi. 
Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

46 Base em madeira forrada de couro vincado, Jevantadaem seis pes de metal Ja- 

vrado e dourado, na parte superior um medalhao de cobre esmaltado de Li- 
moges representando duas figuras nuas, tendo o homem am fructo na mao 
direita e a mulher, qae esta senlada no sen joelho, scgura uma vara. Em volta 
a legenda : hercvles et labele dfan ipa svis apelke. Nas faces, anterior e 
posterior, quatro quadros, ondo eslao pintados combates em tres e no ultimo 
triumpho de Cesar Augusto; estcs quadros sao tambem em cobre esmal- 
tado. Ao iado tern uma pequena gaveta. Seculo xvi. 
Srs. Duques de PalmeUa^ Lisboa, 

47 Prato em cobre esmaltado de Limoges, representando no fundo batalhas da 

historia sagrada, e um escudo com nm leao rompantc, encimado por um 
capacete. No reverse a legenda : laudfn emaillieur — au faubour de magnini 
A LIMOGES I. L. (Joau Laudin). Seculo xvii. 
Srs, Duques de Palmellay Lisboa. 

48 Relogio com caixa de oiro e vidro da parte do mostrador, onde esta escripto o 

nome do relojoeiro Ferdinand derthoud. A caixa 6 de fmo esmalte tendo 
pintados cavalleiros combatcndo, sobresaindo os estandartes da Franca com 
as tres flores de Hz, e o da Prussia com a aguia. Em volla Iroph^us de ar- 
mas combates com grande numero de llguras, que precisain o auxilio do 
Icnte para bem se distinguirem. Pela parte de dcntro tem em esmalte Marto 
sentado n'um troph^u e cercado de bandeiras. Seculo xvni. 
Srs. Duques de Palmella^ Lisboa. 

49 Travessa, em cobre esmaltado de Limoges, representando cm fundo preto o 

rapto de Europa, com grupos de pastores, nymphas, touros, e no segundo 
piano Neptuno, barcos, etc. Na orla animaes fabulosos, bustos e varios or- 
namentos. reverso esta todo cobcrto de ornatos e carrancas, em dourado e 
branco. 0",53 no maior diametro. Seculo xvi. 
Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

50 Vaso, em cobre esmaltado de Limoges. A base e do latao, e superiormente tem 

a forma de gomil. Em volta a pintura 6 cm dois pianos, no do cima um 
carro puxado a bodes, conduzido por anjos, e oulros anjos adiante com 
tubas e animaes, e no do baixo representase um rei acavallo, acompanbado 
de guerreiros, junto as portas de umacidade, saindo ao sou enconlro, mu- 
lheres bomens trazendo-lhe presentes. Seeulo xvi. 
Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

51 Fructeiro em cobre esmaltado de Limoges. No fundo tem pintado um grande 

edificio, e no primeiro piano um anciiio com um corarao na mao di- 
reita, tendo a esquerda um cao deitado, e no outro o dislico: con sapientis 
IN DEXTRA eivs COR sTVLTi IN SINISTRA iLLivs ECCLE Y X. PcIa parte do baixo 
e todo cobcrto do pinturas do ornatos, icndo na base do pe um escudo e o 



228 SALA J^ 

anno 15S8, e na face opposta as iniciaes p. r. (Pierre Reimond). Diame- 
tro 0",23. 

Srs, Duques de Palmella, Lisboa, 

52 Frucieiro em cobre esmaltado de Limoges; tern pinluras no fundo,que reprex 

sentam Uilvez a destrui^ao do exercito de Pharao. A fare inferior 6 formada 
por qualro medalhoes com paizagens, lendo em uraa a marca p. n. (Pierre 
Nouailher ou Noalher), e na borda : novailher emillevr a limoges. pe 
6 todo coberlo dc ornatos em douraduras e em alto-relevos brancos. Diame- 
tro 0'",22. Seculo xvii. 

Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

53 Ta^a de cobre esmahado, omada de quatro medalhoes concavos e separados 

por sceptros. Em dois dos medalhoes ha bustos de Venus e nos outros dois 
OS de Paris. Tem p6 de latao seguro por uma rosea. Seculo xvi. 
Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

54 Dois bandolins marchotados de tartaruga e madreperola. 

Sr.^ D. Maria Julia Botelho Lobo dos Santos e Siiva^ Lisboa. 

55 Cofre de madeira com ornatos de applica^ao de latao dourado em alto-relevo, 

representando nos angulos cariatides e nas quatro faces e tampa troncos de 
videira, foJhas e caches de uvas; dos troncos e folhas sobresaem varias pe- 
dras coloridas figurando fructos. 
Sr.' D. Luiza Guimardes, Lisboa. 

56 Perfumador de bronze com esmaltes. Assenta n*uma base de madeira repre- 

sentando troncos, folhas e fructos. 
Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa. 

57 Tryptico com baixo-relevos em marCm representando na divisao do meio um 

guerreiro junto de uma dama, na da direita mna dama sentada e com um 
livro aberto, e na da esquerda um guerreiro em p6 empunhando uma lan^a. 
Sr.' Almeida Santos ^ Lisboa. 

58 Cofre octagono de prata coberto de filigrana do mesmo metal, com adomos de 

folhas e flores relevadas e esmaltadas. 
Sr. Visconde da Esperan^a, Evora. 

59 Grupo de ebano e marfira, composto de um crucifixo e de quatro estatuetas 

elevando e amparando a cruz. SymboIIsam a Asia, Europa, America e 
Africa. Na peanha uma chapa de prata com o letreiro : Laudate DoMmuM 

OMNES GENTES : LaUDATE EUM OMNES POPULF. 

Sr. Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra. 

ISeis estatuetas de ebano e marGm symbolisando a Fe, Esperan^a, Caridade, 
Prudencia, Fortaleza e a Justi^a. Cada uma tem junto uma cornucopia de 
prata baseada no torso de uni fuste da columoa de ebano. Estas cornucopias 
sao casti^aes e com o grupo n.° 59 formam uma banqueta. 
Sr. Manud Barata de Lima Tovar^ Coimbra. 



SALA r. nH 

66 Par de casti^aes de prata cobertos de filigrana do mesmo metal, cm cada am 

dos quaes ha uma ave com as azas abertas. 
Sr, Visconde da Esperanga, Evora, 

67 Relogio de mesa. A base 6 de ebano, sustentada em aaatro carrancas de co- 

bre doarado. Sobre ella am piano abaulado, tamoem de cobre dourado, 
onde se v^m dois anjos de bronze praleado senlados, um empnnhando um 
asquadro e o oatro um sceplro lorminado por um ponleiro. Do meio do 
piano eleva-se am tronco sobre o qual pousa horisontalmente um disco me- 
tallico dt) cuja circumferencia se levanta perpendicularmente uma facha com 
ornatos que a similham a uma coroa. N'esta facha estao gravados al^arismos 
romanos, que indicam as horas. machinismo do relo^'io imprime movi- 
mento de rota^.ao a facha, que faz as vezes do mostrador, e i\s horas sao 
marcadas pelo pontciro immovel em que termina o sceptro empunhado por 
um dos anjos. 

Sr, Jose Maria de Sousa Mattos, Evora. 

68 Urna de filigrana de prata sobre fando vermelho. £ hexa|i;ona, com uma pi- 

lastra em cada angulo, e tern na tampa seis pyramidcs corrcspondentcs 
as pilastras. 

Igreja de Santos o Novo, Lisboa. 

69 Medalhao circular com uma miniatura esmaltada representando uma figura, 

symbolo da Comedia. 

Sr. Wenceslau Cifka, Lisboa, 

70 Cruz processional em cobre, cheia de ornatos nas duas faces ; na anterior tern 

DOS extremos da haste e brakes os emblemas do martyrio do Scnhor, c no 
reverso correspondem-lhes os quatro Evangelistas. Seculo xvii. 
Freguezia ae Mertola, 

11 a Caixa de bronze representando um gallo. 
Sr, Yiscorule de S. Januario, Lisboa, 

lY-b Frasco de porcelana. Tem a forma de uma coroa real, sobre uma almofada 
com borlas nos cantos; o todo coberto de ornatos e ilores coloridus. No 
fundo esta a marca j. p. (Jacob Petit). Fins do seculo xviii. 
Sr.' D, Helena de Aragdo, Lisboa. 

72 Estatueta em madeira pintada e dourada ropresentando Nossa Scnhora scnta- 

da n uma cadeira e com o Menino ao collo. 

Srs. Joaquim Augusto Rosa e Jose Maria Rosa, Coimbra. 

73 Busto coroado com a coroa aberta; meio-relevo em marmore cor de rosa 

assente n'um medalhao oval de marmore preio com moldora de madeira 
dourada. Dizem representar el-rei D. Sebastiao. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

74 Centro de mesa de prata lavrada, assente em marmore, composto de rama- 



230 SALA I^ 

gens e (lores com oito cestos pequenos e am maior, e oito serpentinas para 
v6las. Seculo xviii. 

Sr. Francisco de Abreu Castello Branco, Famas de Algodres. 

75 Dois copos cylindrioos de bronze com embotidos prateados representando va- 

rios utensilios e caracteres chinezes. 
Sr, Visconde de S. Januario, Lisboa. 

76 Duas caixas de prata doarada com gravnras a buril representando Toliiagens, 

entremeadas por esmalte preto. 

Sr, Visconde de S. Januario, Lisboa. 

77 Peqoena nma de prata* dourada com o mesmo genero de ornamenta^ao das 

caixas n."" 76. 

Sr, Visconde de S, Januario, Lisboa, 

78 Idolo em bronze. Esta sentado com as pernas cruzadas. Parece ser maito an- 

tigo. 
Sr. Visconde de S, Januario, Lisboa, 

70 Caixa de charao. 

Sr, Visconde de S. Januario, Lisboa. 

80 Caixa de charao. 

Sr, Visconde de S. Januario, Lisboa, 

81 Imagem de Nossa Senhora em marGm. Cabellos e orlas do manto dourados. 

Sr. Antonio Jose de Oliveira, Coimbra. 

82 Caixa de madeira piotada de negro com estojo interior forrado de veladocar- 

raesim. Comprimento 0'",87. Contem quarenta e nm objectos de prata fosca 
e brunida: espelho, bacia e jarro; gaarda joias; cafeteira, bale, assacarei- 
ro, talher, duas colJieres de cha, dois casti^es, palmatoria, barqoinha e te- 
soura; dois frascos do crystal Japidado com tampas de prata, tampa de nm 
copo de crystal, salva de p6, campainha, bandeja com tinteiro earceiro, 
quatro bandejas, pincel de barba com cabo de prata, escova, pregadcira dc 
veludo carmesim cintada de prata, frasco para cha, e oito caixas de di- 
mensSes diversas. Seculo xvirr. 

Sr. ViscoTule da Esperanra, Evora. 

83 Estatneta em marGm representando S. Domingos. Tern junto am cao que se- 

gara na boca uma vm accesa. Altura 0'",36. 
Convento do Sacramento de Alcantara. 

8i(Duas estatuetas em barro representando anjos vestidos de ronpagens colo- 
e I ridas. 
8o[ Convento de Santa Clara de Coimbra, 



e 
87 



Assento e espaldar de conro pertencentes a ama cadeira. Tem bordadaras e em 
rclevo Gores e varies ornatos doarados. 
Sr, Maximino de Matos Carvalho, Lixa. 



SALA I^ 231 

88 Mitra de prata arrendada, tendo cravadas na frente doze pedras de cdres, e no 
reverso, nos pequenos espa^os lisos, aiegenda: o s5r inqyizidor hanoel de 

MAGALHAIS DE HENESES DEV ESTA MITRA A SAN BRAS SENDO ALCAIDE DA SVA COM* 
FRARIA ANNO DE 1648. AltUra 0'°,31. 

Camara Municipal de Evora. 

89|Daas jarras de vidro, cojo gargalo se eleva muito acima do bojo. Este 6 parte 
e I liso, parte com gomos saiientes. 
90( Asylo de D. Maria Pia. 

91 Bacia de vidro octogona. 

Mosteiro de Lorvdo. 

92 Jarro de vidro. 

Mosteiro de Lorvao. 

93 Ta^ octogona de faian^ com pintaras azne^ sobro fando branco. Fig. 198. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

94 Gomil de vidro tendo em fosco no bojo, de um lado as armas reaes de Porta- 

gal, e do ontro am vaso com flores. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

95 Apparelho de longa do Japao com pintaras de flores esmaltadas sobre fando 

azal. Compoese de vinte e oito pegas. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

I Oito baixo-relevos em marfim, repre^entando a Annuncia^ao da Yirgem, a 
Adoragao dos Pastores, a Adoragao dos Reis Magos, a Familia Sagrada, 
S. Jeronymo, Nossa Senhora com o Menino e S. Joao, Santa Maria Ma- 
gdalena e S. Joaquim, Sant*Anna e Nossa Senhora. Estao em caixilhos 
\ de ebano com adornos de prata. Trabalho italiano. Seculo xviii. 
Sr,'' D. Laura Rodrigues Blanco, Lisboa. 

104(Scis estataetas de marfim com peanhas de ebano. Representam Santa Anna 
a I tendo Nossa Senhora ao collo, S. Diogo, S. Jeronymo, Santa Margarida, 
109( S. Francisco de Paala e S. Pedro. Seculo xvm. 
&r. Manuel Barata de Lima Tovar, Coimbra, 

llO^Duas pias de agua bcnta de marCm rendilhado. Namoldura a que estao liga- 
e I das ha baixo-relevos representando, n uma, Jesus e a Samaritana e na 
HI ( outra Christo crucificado. Seculo xvm. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

112 Baixo-relevo de varias pegas de marfim, representando a Adoragao dos Pas- 

tores. Altara O'-jSS. Largura 0'»,273. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

1 13 Miniatara sobre marfim que se diz representar o principe Eugenio, vice-rei da 

Italia. 
Sr. Wenceslau Cifka, Lisboa. 



83S SALA X^ 

114 Frasco de vidro de oito faces e com puitara> representando flores e outros 

ornatos de vario colorido. 
Academia Beal das Sdencias de Lisboa. 

115 Jarra de vidro. Alem do gargalo principal tern mais quairo menores nobdjo. 

Asylo de D, Maria Pia. 

116 Grupo em madeira representando Christo crucificado entre os dois ladroes, e 

tendo janto a Magdalena, S. Joao e Nossa Senhora. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

117 Medaiha eliptica com duas miniaturas em cobre; uma representando Nossa 

Senhora com o Menino ao collo, e outra Christo com a craz. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

118 Polvarinho de ponta de veado com um baixo-relevo representando um ho- 

mem com uma ma^ e ealcando uma mulher prostrada per terra. 

Sr, Jose de Moura de Gtumao, S. Martinho de Artare, districto de 
Coimbra. 

119 Cnicifixo de mariim. A cruz ^ cylindrica e em propor^^ maito deHcadas. 

Academia Red das Sciencias de Lisboa. 

120 Caneca de vidro com grande bdca. Tern algans adomos de gravura. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

121 Cruz de prata dom^ada com base lavrada em arabescos. A parte superior da 

haste e os bra^s sao terminados por pyramides. Seculo xvii. 
Se de Faro. 

122 Rosario de contas pretas encastoadas em prata, tendo a cruz e os Padres- 

nossos em filigrana de oiro. Seculo xviu. 
Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

123 Esculptura em buxo a meio-relevo repre^ntando um cavalleiro. A altura 

do cavallo com o cavalleiro nao chega a 0^,14. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

12i Relicario constituido por um anjo de bronze dourado, sobre peanha de crys- 
tal, segurando nas maos, a altura da cabe^a, um tubo de crystal por den- 
tro cylindrico e por fora faceado e fechado lateralmente por mscos de crys- 
tal convexos. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

125 Crncifixo de buxo com duas figuras em meio-relevo junto da base, tudo de 

dimens5es taes que cabe no tubo de uma penna de pato. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

126 Grupo em jaspe representando a rainha D. Maria I coroando uma figura que 

symboiisa a acaaemia real das sciencias de ](<isboai. £sti^ contido nas duas 



SALA x* ass 

ter^ partes de nm ovo de ema e resguardado por um Vidro orlado de 
uma grinalda de jaspe. Tado sobre peanha de talna dourada. 
Academia Real aas Sciencias de Lisboa, 

127 Medaiha octogona com aro de ferro lavrado e duas miniataras em cobre : 
uma representando Nossa Senhora, outra a Adora^ao dos Reis Magos. 
Acaaemia Real das Sciencias de Lisboa. 

liS-a Hedaiha eliptica com aro de pratacravejadodepedras,contendomiiapaiza- 
gem pintada sobre marfim. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

128-6 Colher de prata com haste cylindrica terminando em botao. Seculo xvi. 
Bibliotheca de Evora. 

129 Espingarda cuja coronha 6 de ferro com lavores de arabescos prateados. 

Junto da base, de um e outro lado, as armas da Prussia. No cano oma- 
mentagao de embutidos prateados, e a marca Tenpio M. S. Fecharia de 
pederneira. Seculo xvi. 

Sr. Visconde de Monserrate. 

130 Frasco octogono de vidro oruado com flores gravadas. 

Mosteiro de Semide. 

131 Caneca cylindrica de agatha com base, aza e oria superior de prata dourada. 

Tampa hemispberica tambem de agatha com orIa e remate de prata dou- 
rada, e presa a aza por charneira. 
Acadimia Real das Sciencias de Lisboa. 

132 jTres sacras de prata com molduras de marfim. Estyk) Luiz XV. Trabalho ita- 
a > llano. Seculo xviii. 
134) Sr.^ D. Laura Rodrigues Blanco, Lisboa. 

135 Jarro de louga do Japao com arabescos e caras de vario colorido sobre fundo 

branco e um brazao de armas com chapeu e cordocs de bispo. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

136 Prato corre^pondente ao jarro n.° 135. No centre um brazao igual ao do 

jarro. Diametro 0°,533. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

137 Quatro fructeiros e dois pratos de prata dourada com omalos de gravura re- 

presentando folhagens entremeadas de esmalte preto. Trabalho chinez. 
Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa. 

138 Baixo-relevo em prata representando Nossa Senhora com o Menino e mais 

duas figuras. Tern um caixilho de pau santo com ornamenta^ao vasada e 
relevada, de marfim. 

Sr. Visconde de Monserrate. 

139 Terrina de louga do Japao com a f6rma de cabe^ft de pcwiso. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



234 SALA JL. 

l&O Bacia de lou^ do Japao com pinturas de variado colorido representando 
ramageDs e floros, sobre fundo amarellado na parte interna e sobre fando 
verde na externa. 

Sr. Fernando Palha, Lisboa. 

141 Garrafa de louQa de Japao cajas pinturas fHo iguaes a*^ da parte interna da 

bacia n.° 140. 

Sr. Fernando Palha^ Lisboa, 

142 Quatro pratos de louga do Japao com pintura dourada e de vario colorido so- 

bre fundo branco, representando galos, gallinbas, flores, etc. 
Sr, Visconde de S. Januario, Lisboa, 

143 Boiao de vidro de bdca larga, e tendo no alto do bojo quatro azas. 

Asylo de D, Maria Pia. 

144 Medalha de bronze tendo de um lado o busto de um guerrciro e do outro uma 

figura com um ramo em cada mao. Em volta de cada busto um lelreiro 
indecifravcl. 

145 Medalha quadrangular com duas miniaturas em cobre, uma representando o 

casamento de S. Jos6, outra um barco cm que navcga Nussa Senhora, 
S. Jos6 e Menino. Caixilho de prata. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

14G Perfumador em faian^a com varias pinturas sobre fundo branco a com folha- 
gens e flores em relevo. 

Sr, Manuel Pedro Guedes, Lisboa, 

li7 Medalha cliptica com uma miniatura cm marfim representando S. Joao. Arc 
de prata com pedras. 
Academia neal das Sciencias de Lisboa, 

148 Pia de agua benta de vidro. Fig. 199. 
Convcnto do Salvador^ Lisboa. 

liO Frasco de faian^a com a forma de gato. Pintura azul sobre fundo branco. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

150 Frasco de vidro colorido de verde, com depressoes ao meio das suas quatro 

faces. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

151 Terrina de faianga com pintura similhando marmore. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

152 Prato de vidro, tendo gravado na borda as armas reaes portuguezas e o le- 

treiro : vfvat ioannes v. 
Sr. Alfredo RibeirOy Lisboa. 



SALA IL. 235 

153 Gadeira de nogueira com algama ornamentaQao de taiha; assento c costasde 

couro lavrados. No espaldar urn vaso de flores, uma carranca, etc. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

154 Gadcira de paa santo com algum trabalho de talha; p6s da frente de garra 

sobre globes; assento e costas de couro lavrado. No espaldar^ entre varies 
omatos, urn brazao com ama aguia de duas c^be^as, e per baixo d'elle as 
lelras p m. Seculo xviii. Fig. 200. 

Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

155iDois quadros em cera, cujas figiiras sao uma em vulto, outras em meiore- 
e V levo. Um d'elles representa a Adoragao dos Pastores, outro a Adora^ao 
156) dos Reis. Seculo xviii. 

Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

157 Seis plaoas de cobre esmaltado, com pinturas de vario colorido, represen- 
tando ilores, folhas e borboietas. Cada uma ^ composta de duas pe^as que 
se combioam a dar-Ihe a apparencia de escudo encimado de coroa. 
Tdm na parte inferior uma serpeatioa de bronze. Seculo xviii. 
Miira de Leiria. 



.Mo/Dnas molduras com talha relevada de carvalho, representando folhagens, flo- 
1 res e cachos de uvas. Servem de caixilho a baixo-relcvos em barro, um 

.mq] com a imagem de Christo cruciiicado ladeado de grupos de mulheres e ho-. 
( mens, e outro representando a cravaQao de Christo na cruz. 



ICO Cadeira de nogueira com alguns ornatos de talha, assento e costas de couro 
lavrado. No espaldar, entre varies ornatos, um brazao de armas encimado 
por um capacete e por um castcilo. 

Srs. Marquezes de Monfalim e de Terena, Porio. 

161 Cadeira de nogueira adornada de talha, p6s da frente terminados em garras 

sobre globes; assento e costas de couro lavrado. No espaldar um brazao 
com uma sereia encimado por coroa fechada. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

162 Quatro cadeiras de pau santo adornadas de obra de talha; assento e costas 

estofados e forrados de veludo carmesim adamascado. 

Sr. Francisco de Abreu Casiello Branco, Fornos de Algodres. 

163 Gofre de pau santo com ornatos de latao sobrepostos. Comprimento O'^ySQ. 

Seculo xvii. 
Mosieiro de Lorvao. 

164 Contador e sua base de ebano com embutidos miudos de outras madeiras e 

de marfim ja branco, ja colorido de verde, os quaes represenlam cstrei- 
las, carrancas, vasos com flores, grinaldas, aguias com duas cabe^is, etc. 
Figura ter dezeseis gavetas. A base tem mais duas gavetas e serve-lhe 



236 SALA IL. 

de p6 qnatro cariatides assentes em qnatro leSes. Altdra 1">41; eompfi- 
mento l'"J4; largura O'^ySS. 

Sr, Francisco de Abreu Castello Branco, Fomos de Algodres, 

165 Dois leSes de loa^ da India pintada de eseuro similhando bronze. 

Academia Red das Sciencias de Usboa, 

166 Duas talhas de porcelana da India; a b6ca abre em feitio de coroa. Tern 

pintado entre varies ornatos a cores nm brazao com daas qnartolas de xa- 
drez e duas agnias, e sobreposto nm escado com as arruellas dos Castros. 
Esta encimado por nma corda de marqnez, tendo por timbre uma agaia. 
Convento de Santos o NovOj Lisboa. 

167 Duas placas de pan santo com espelho, varios ornatos de taiha e tres serpen- 

tinas. 

Sr. Manuel Pedro Guedes, Lisboa. 

168 Pia de agna benta com ornatos de fliigrana de prata e coral, pendente de 

nma placa com o mesmo genero de ornamentagao e varias pedras. No meio 
tem uma estalueta de coral represenlando Nossa Senhora. 
Sr,' D, Helena Clemens de Garcia de Toledo, Lisboa, 

|Um qaadrapedo e nma ave de bronze sobre base tambem de bronze. 
i^q) Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

171 Taiha em faianga com pintaras azncs sobre fando branco representando am 

brazao de armas e varios ornatos. Fig. 201. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

172 Moldora contendo seis azulejos, cujas pinturas se combinam para representar 

nma pega architeetonica e a Annancia^o da Virgem. Seculo xvi. 
Convento de S, Bento, Evora, 

173 Gontador e base de ebano com embntidos de marfim e madeira amarella. Fi- 

gura ter seis gavetas e a base uma. Os p6s slo de carvaiho e com a r6rma 
de carialides. Trabalho indo-portuguez. Seculo xvu. Fig. 202. 
Academia Real de Bellas Artcs de Lisboa. 

174 Jarrao de louga da China de pintara cor de bronze. 

Sr. Yisconde de S, Januario, Lisboa. 

175 Caixa de charao octogona com tres compartimentos sobrepostos. 

Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa, 

176 Duas placas de madeira de carvaiho em taiha representando folliagcns. Tem 

cada uma sete medalhoes nos quaes estao adaptados varios esmaltes. 
Sr. Manuel Pedro Guedes, Lisboa. 

177 Moldara oval de bronxe doorado com lavores, e com nma faxa de mosaico 



SALA lu 237 

iignrando nma grinalda de jasmins. £ encimada por dnas estatuetas 
de aDJos dC^urando o escudo das armas reaes portDgaezas rematadas por 
corda fechada. Cont^m uma pintura em cobre representando a Assamp^ao 
de Nossa Senhora. 

Sr, Henrtqw de Araujo Tavares, lAsboa. 

178 Toueador em charao com embutidos de tartaruga, madreperola e marfim, com 

yarios ornatos de fignras chinas e animaes ^balosos; o espelho suspense e 
6 gaarnecido com moldura de cobre esmaltado. 
Sr. Jacinto Augusto Paiva de Andrada, Lisboa, 

179 Moldura de carvalho com a altara de ^^fiS e ornada de variada obra de ta- 

Iha dourada. Dentro esta exposta uma miniatara em pergamioho^ inicial 
do comedo de capitulo em livro de cantochao; tern pintado a cdres nm 
grande R com varies Krupos, representando a adoragao dos pastores, e no 
alto am anjo segorando uma faxa onde esta eseripto : gloria in altissi- 
Mis DEO, £T m TEa. A moldura pertence ao sr. Yisconde de Santa Monica, 
e a miniatura, considerada do seeulo xv, a A. C. Teixeira de Aragao. 

180-a Armario de pau santo, cuja base na frente assenta sobre tres globos e tern 
duas gavetas. Da base levantam-se tres pilastras salomonicas, ornadas de 
folhagens, e encimadas de capiteis com carrancas. armario 6 de dois 
batentes, cujas almofadas sao adornadas de obra de taiha representando 
folhas, Acres e fructos. No friso obra de talha representando tambem fo- 
Iha^ens e flores, mas de difTerente desenho. Na cimaiha carrancas, e ao 
roeio d'ella dois escudos unidos e encimados por um s6 capacete cercado 
de folhagens. SecuIo xvii. Fig. 203. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

180-i Talha de faianga com pinturas azues sobre fondo branco, representando dois 
edificios, aves e arvores. Fig. 204. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

181 Gadeira de brakes, em nogueira, com assento e costas estofadas e forradas de 

seda cannesim com lavores de veludo da mesma cdr. A parte superior do 
espaldar 6 guarnecida com palmas e flores ligadas com fitas, e no meio 
eleva-se em coroa tambem formada de palmas e flores. Seculo xviii. 
Academia Real das Sdencias de Lisboa. 

182 Armario de pau santo. As duas portas, que tomam toda a altura da frente, 

sao formadas, assim como as faces lateracs, de almofadas com varies or- 
natos levantados e outros embutidos com madeira de outra c6r. Altura 
l^jOO, largura 1",08 e de fundo O^jSl. Seculo xviii. 

Sr. Antonio Maria Bias Pereira Chaves Mazziott, Lisboa. 

183 fanagem de Nossa Senliora com o Menino ao collo, em faianga. Altura O'^ySe. 

Seculo XVI. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 



238 SALA L 

184 Cadeira dc paa santo, com o asscnto forrado de couro lavrado, e no cimo do 

espaldar alguma obra de talha. Secalo xviii. Fig. 205. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

185 Cadeira de nogueira, com o assento e costas de coaro lavrado e segaro com 

pregos amarellos; os p^s terminam em forma de garras, e tem algmn 
trabalho em talha. espaldar, mais estreito no meio, tem varios ornatos 
com aves, e no centro urn medalhao represeatando Venus sobre as ondas 
dentro de uma concha e amparada por duas sereias. Seculo xvni. 
Sr, Visconde de Daupias, Lisboa, 

186 Cadeira de nogaeira com assento e costas de couro lavrado e emoldorado 

com obra de talha, etc. Seculo xviii. Fig. 206. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

187 Cadeira de bra^os em nogueira com talha nas travessas e p6s, assento e cos- 

tas de couro seguros com pregos de grandes cabers douradas; no espal- 
dar representa-se um vaso de floresentre dois anjos. Seculo xviii. Fig. 207. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

188 Duas cadeiras em nogueira com pes de garras, assento e costas de couro la- 

vrado, seguro com prego pequeno de cabega amarella; no espaldar um 
escudo com uma aguia de duas cabegas encimada pela corua real, tendo a 
cruz da ordem de Cbristo no remate. Seculo xviu. 
Convento de Lorvdo, 

189 Cadeira de pau santo com os pes torneados, travessa com obra de talba, a^ento 

e costas de couro lavrado, tendo no espaldar um Cupido com o arco e setta 
na mao direita e na esquerda um cora^ao. Pregos de grande cabega don- 
rada seguram o couro. Seculo xviii. Fig. 208. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

1$K) Contador de cbarao com cinco gavetas. A inferior tem na frente uma lamina 
de marfim com uma paizagem. Tambem t^m laminas de marfim com 
paizagens nos dois batentes do armario que resguardam as gavetas superio- 
res. 

Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa. 

191 Prato de cobre esmaltado com pintura de variado colorido e doaradnras, 

sobre fundo azul, representando plantas, flores, um bode, dois cameiros, 
etc. 

Sr. Visconde de S. Januario, Lisboa. 

192 Bacia de faian^^ com pinturas de variado colorido, sobre fundo branco, re- 

presentando um ramo de flores, etc. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

193 Bacia de faian^a, sendo externamente branca e internamente com pinturas 

de variado colorido sobre fundo branco, representando grinaldas de flores 
e outros ornatos. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 



SALA Ta 239 

194 Terrina circular em faiaoQa com pintaras azues sobre fundo braneo repre- 

sentando flores. Tem o bojo dividido em gomos e servem-lhe de azas duas 
cabe^as de animaes marinhos. Seculo xviii. Fig. 209. 
Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

195 Terrina circular de faianga com alguns relevos e pinturas azues e amarellas 

sobro fundo braneo. 
Academia Real de Bellas Artes de Lishoa, 

196 Terrina oblonga de faian^a com pinturas azues sobre fundo braneo, represen- 

tando ramos, etc. Os p6s, azas e pega datampasaorelevadas. Seculo xvik. 
Fig. 210. 
Academia Real de Bellas Artes de Lishoa. 

197 Taboleiro para joso do gamao. £ de pau santo com incrusta^ucs de marfim 

a braneo e vcrde e de madeira amarella, representando leoes, carrancas, 
aves, estrellas, folhas e flores. £ dividido em tres partes, podendo do- 
brar-se as duas lateraes sobre uma gaveta que Ihe serve de base. 
iSr.' D. Maria da Luz de Azevedo CotttinhOj Lisboa. 

198 Tape^aria representando uma rainha ou santa n'um throno, tendo aos pes, 

ajoelhado, um rei, e numerosos personagens em roda. Escola de Roger 
Yander Weyden. Seculo xv. 

Sr. Visconde de Monserrate, Cintra. 

199 Tape^a representando ao centro uma mulher, que parece rainha, rodeada 

de varios personagens. Escola de Roger Vandcr Weyden. Seculo xv. 
Sr, Visconde de Monserrate, Cintra. 

200 Grupo em porcelana, representando um satyro sentado e encostado ao tronco 

de uma parreira, cercado por tres bacchantes, duas crean^as, vasos en- 
tornados e cacbos de uvas. No centro uma pequena medaiha contendouma 
agttia com duas cabe^as, coroada, e na oria uma legenda ouasi de todo 
apagada. Dizem ter sido fabricado no Porto no comeco d cste seculo. 
Kg. 97. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 



SALA Tr 



SALA DE SUA MAGESTADE EL-REI SENHOR D. FERNANDO 



EXCEUENTISSIMA SENHORA GONDESSA DEDLA 



1 Contador de ebano com estataetas e oatros ornatos de bronze donrado. Fins 

do secnlo xvi. 

Sua Magestade Ei-Rei o Senhar D. Fernando. 

2 Jarro de faian^ pintado de azul. Fabrica do Rato. Secnlo xvni. 

Sua Magestade El-Bei o Senhor D. Fernando. 

3 Bacia de faian^a pintada de azul. Fabrica do Rato. Secnlo xvin. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D, Fernando, 

4 Bebedonro. Tres paizagens pintados de azul em fundo amarcllo e castanho. 

Faianga portugueza. Secnlo xvin. 

Sua magestade El-Rei o Senhor D, Fernando, 

5 Jarro de faian^a pintado de azul. Fabrica do Rato. Secnlo xvin. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

6 Bacia de faianga. Fabrica do Rato. Secnlo xvin. 

Sua Magestade El-Rei a Senhor D. Fernando. 

7 Estatneta de mulher. Porcelana de Saxe. Seculo xvm. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

8 Estatneta de homem. Porcelana de Saxe. Seculo xvm. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

9 Gofre de ebano com baixo-relevo de marfim. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

10 Pintura a oleo em t^la; meio corpo de mulher e diiTerentes accessories. Obra 

do pintor hespanhol D. Jos6 Mascar6s. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

11 Hedalbao de faian^ representando em alto-relevo de cdr branca S. Joao Evan- 

gelista em fundo azul. Moldura em grande relevo de folhas e frnctos. Delia 
Robbia. Seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

16 



242 SALA F 

12 Caba^ de porcelana do Japao com ornatos azaes sobre fundo azal. 

Sua Jnagestade EURei o Senhor D. Fernando, 

13 Cruz dourada com imagem de coral, ornatos da mesma materia e de esmalte 

azul. 

Sr." Condessa d'Edla, 

U Piptura em m^deini repr3se9taiido a Adoracio dos pastores. Seoolo %^\. 
Si\'' Cond^sm d*Edla, 

13 Baixo-rclcvo em prata reprcscntando o Pentecostcs. Seculo xvm. 
Sr/ Condessd d'Edla, 

IG Armario de madeira de tcca, ornado de baixo-relevos que representam a Fa- 
milia Sagrada, o Menino entre os doutores, a Jornada para o Egypto e a 
Assumproq. Pfiapipios do seculo xvn. 

Sua Magestade El-Hei o Senhor D. Fernando. 

17 Doze esmaltes de Limoges com moldaras de latao, assentes sobre madeira, for- 

mando nm triptyco. Representam passos da vida de Christo. Seculo xv. 
Sua Magestade El-Rei o Set^r D. Fernando. 

18 Baixo-relevo cm marFim, reprcscntando Nossa Senhora da Piedade. Holdura 

de prata dourada. Principios do seculo xviii. Provavelmente obra hespa- 
nhola. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando, 

19 Mosaico romano, reprcscntando a cabe^ daVirgem. Moldura em bronze doa- 

rado. Seculo xvui. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando, 

20 Mosaico antigo de Floronga, representando a Annuncia^So. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

21 Menino entre os doutores. Q[;adro pintado a oleo em madeira no seculo xvi. 

Sr.' Condessa d'Edla. 

a Grande prato circular de orata dourada com ornatos em relevo, estylo da re* 
uascen^a. Seculo xvi. Fig. 14. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

23 Gomil correspondente ao prato n.' 22. A aza e o bico representam chymerJ^s. 
Bojo omado de medalhoes e figuras. Seculo xv(. Fig. 13. 
Sua Magestade El-Rei o Sevdior D, Fernando. 

2i Cofre de ferro. Ornado de anjos e figuras humanas, bustos, ran^agcQSi etc.} 
em estylo da renascen^a. Obra allema. Seculo xvi. Fig. 25. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

25 Grande prato circular de prata dourada, com ornatos muito relevados, repre* 



SALA V MS 

sentando homens, animaes, anjos, chymeras, castellos, etc. Obra portogaeia. 
Secnlo XYi. Fig. 20. 

Sua Magestade ElrRei o Senhor D. Fernando. 

26 Grande gomil de prata donrada, maito ornamentado com figaras hmnanas e 

de phantasia. Corresponde ao prato n."" 25. Obra portugaeza. Secalo xvi. 
Fig. 2i. 

Sua Magestade ElrRei o Senhor D. Fernando. 

27 Medalhao de £adan(a. Delia Robbia. Representa em alto-releyo S. Lmsas. Mol- 

dara de folhas e fructos. Seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

38 Medalhao de faianca. Representa em alto-relevo o pelicano com a divisa de 
el-rei D. Joao II : jvstvs vt palma flobebit. Holaura de folhas e fractos. 
Delia Robbia. Secalo xvi. 

Sua Magestade El-Rei a Senhor D. Fernando. 

29 Pintura a oleo em madeira, representando o martyrio das onxe mil virgens. 

Tem a forma semicircular. Primeira metade do seculo xvi. 
St.* Condessa dEdla. 

30 Panno e sanefa correspondente de vdudo carmesim bordado a oiro. Fim do 

secalo XVI ou principios do seculo xvii. 

Sua Magestade £(-Jfei o Senker D. Fenumdo. 

31 Baixo-relevo em pedra iithographica. Representa Nossa Senhora, sentada, com 

o Menino sobre os joelhos, cercados ae anjos, no interior de um tempio de 
architectura da renascen^a. Na parte superior tem as annas reaes de Por- 
tugal com a coroa aberta. Ao lado 1^-se : m. d. xx. joann . dahbr augustanus 
FECIT. Fiff. 26. 

Sua magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

32 Pintura a oleo em madeira, representando varies santos com os nomes portu- 

guezes em caracteres golhicos. Seculo xvi. 
Sr.' Condessa d*Edla, 

33 Esmalte de Linloges, representando a flagella^o de Ghristo. Obra de Joao Pe- 

nicaud. Principios do seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

34 Medalhao de faian^, representando em alto-relevo S. Mattheus. Moldura de 

folhas e fructos. Delia Robbia. Seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

35 Hosaico romano, representando a cabe^a de Ghristo. Moldura de bronze dou- 

rado. Seculo xvni. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 



244 SALA F 

36 Sacra de prata. Ubra portagaeza. Seculo xvn. 

Sr/ Candessa dCEdla. 

37 Esmalle de Limoges, retrato que dizem ser da princcza D. Margarida de Sa- 

boya. Fins do seculo xvi. 

38 PiDtora a oleo em madeira, representando a adora^ao dos Magos. Seculo xvi. 

Sr/ Condessa d'Edla. 

39 PJDtura em cobre, representando Nossa Senhora. Josepba de Ayalla, 1654. 

Moldura de madeira ornada de cabe^ de anjos> flores, etc. 
Sr.' Condessa tEdla. 

40 Armario de madeira de teca, ornado de baixo-relevos que re^resentam a An- 

nuncia^ao, o Presepe, a Circumcisao e a Adora^o dos Reis. Principios do 
seculo xvu. 

Sua Siageslade El-Rex o Senhor D. Fernando, 

41 Cabala de porcelana do Japao com omatos azues sobrc fundo da mesma cor. 

Sua Magestade Ei-Aei o Senhor D. Fernando, 

42 Medalhao de faianca, reoresentando em alto-relevo S. Marcos. Moldura de 

folhas e fmctos. Delia Robbia. Seculo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

43 Duas estatuetas, uma de homem, outrade mulher, dansando. Faian^ branca. 

Fabrica do Rate. Seculo xviii. 

Sua Magestade El-Bet o Senhor D. Fernando. 

44 Contador de madeira no estylo bispano-arabe. 

Sr.^ Condessa d'Edla, 

45 Talha pequena com tampa; aves e paizagens coloridas em fundo branco. 

Faianca portugueza. Seculo xviu. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

46 Ceiha com peixes em vulto na tampa. Fabrica portugueza do Rato. Se- 

culo XVIII. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

47 Yaso com duas azas e tampa, fundo branco, pintado de azul. Faianca porta- 

gueza. Seculo xvii. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D. Fernando. 

48 Gmpo de porcelana de Capo di Monte. Seculo xviii. 

Stta Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

49 Grupo de porcelana de Capo dl Monte. Seculo xviii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 



SALA W 245 

50 Bocal de vidro allemao eom pintaras e esmaltes e com a data de 1620. 

Sua Magestade M-Rei o Senkor D. Fernando. 

51 Bocal de vidro allemao com pintaras e esmaltes e com a data de 1591. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

52 Espelbo com moldara do faian^a branca ; uma figura de cada lado imitando 

uma grinalda. Em cima as armas reaes portuguezas. Fabrica do Rato. Se- 
calo xviii. 

Sr^ Condessa d'Edla. 

53 Bailarina. Faian^ branca portugueza. Fabrica do Rato. Secnlo xviii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

5% Bailarina sobre am pedestal arrendilhado. Faian^a branca portugueza. Fa- 
brica do Rato. Seculo xviir. Fig. 30. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

55 Gao de faian^a branca. Fabrica do Rato. Seculo xviii. 

Sr."" Condessa d'Edla. 

56 Imagem de faian^a branca. Delia Robbia. Seculo xvi. 

Sr.'' Cmdessa d^Edla. 

57 Yeado e seu pedestal de prata dourada. Fins do seculo xvii. Fig. 37. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

58 Fructeiro de prata dourada. No centre em baixo-reievo uma allegoria da Asia; 

em roda ornamental de ramagens. Seculo xvii. 
Sr.^ Condessa d'Edla. 

59 Fructeiro de prata dourada. No centre em baixo-relevo uma allegoria da Afri- 

ca; em roda ornamentagao de ramagens. Seculo xvu. 
Sr.' Condessa d'Edla. 

60 Fructeiro de prata dourada. No centro em baixo-relevo uma allegoria da Eu- 

ropa; em roda ornamenta^ao de ramagens. Seculo xvii. 
Sr.' Condessa ^Edla. 

61 Fructeiro de prata dourada. No centro em baixo-relevo uma allegoria da Ame- 

rica; em roda ornamentagao de ramagens. Seculo xvii. 
Sr.' Condessa d'Edla. 

62 Gasti(al de prata. Ornamentagao de arabescos. Na baste uma figura de phan- 

tasia. Seculo xviii. F^. 32. 
Sr.' Condessa ffEdla. 

63 Gasti^al de prata. Ornamenta^^ao de arabescos. Na haste uma figura de pban- 

tasia. Seculo xvni. 

Sr." Condessa d^Edla. 



216 SALA F 

64 Bacia de lallo.^No c^tro am medalhao representando em baixo-relevo a Aa- 

noncia^ao. A roda caracteres gothicos. Seculo xv. Fig. 12. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando, 

65 Gomil de latao com a forma de leao. Obra antiga hespanhola. Fig. 39. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando, 

66 Busto da rainha D. Maria I, em faian^a. Fabrica do Rato. Secalo xviii. 

Sr,' Cond^ssa d'Edla, 

67 Grande prato. No centro mn brazao encimado pela corda real. Flores e outros 

ornatos pintados de amareilo e aznl em fundo branco. Faian^a bespanbola 
de Talavera. 1741. 

Sim Magestade BX-Rei o Senhor D, Fernando, 

63 Prato antigo. Animaes e outros ornatos de cdres em fimdo branco. Faian^ 
hespanhola. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

69 Prato antigo com escudo no centro, gomos salientes e reflexes metallicos. His- 

pano-arabe. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

70 Prato com grandes pintoras de cdr azal e reflexes metallicos. Hispano- 

arabe. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

71 Prato eom gomos salientes, esmalte azul e reflexos metallicos. No centro urn 

escudo comum leio. Hispano-arabe. Fig. 10. 
Sua Magestade H-Ret o Senhor D. Fernando. 

78 Pralo octogono; no fundo a figura de um homem domando am uiimal; pio- 
tura aziu e roxa. Faian^a portugaeza. Seculo xyii. 
Sua Magestade El-Rei o Sermr D. Fer^iando, 



73 Prato octogono ; no fundo a figura de um homem domando um animal; pin- 
tura azm e roxa. Faian^a portu^esa. Seculo xvii. 
Sua Magestade El-Rei o Seimor D, Fernando, 



74 Alto-relevo em barro cozido. Allegoria representando a arte da esculptora. 
Tern a assignatura de Joaquim Jos^ de fiarros. Moldura de madeira. Se- 
culo xvm. 

Sr.' Condessa iEdla, 

7K Armario de carvalho, feito com fragmentos de talha portugueza dos fins do se- 
culo XVII ou principios do seculo xviii. 
Sr.'' Condessa JtEdla. 

76 Pyxide de prata dourada muito ornamentada. Na base tem a inscripfao: a 



SALA F* 247 

VA0&B D. PRAlfCrSGA MARIA DB SOUSA DEU BSTE TASO PARA A GOMMUlfHXo DAS 

RELiGiosAs. ANNO i69i. Obra jDortugueta. Fig. 94. 
Sua Magestade El-Rei o &enhor D. Fernando. 

77 GalheCa de vidro de Yeneza e bfonze dourado. Fins do seculo xvi. 

St.* Condessa d*Edla, 

78 Otlheta de vidro de Yeneza e bronze dourado. Fins do seculo xvr. 

Sr.'' Condesm d'Edla, 

79 Cofre de prata dourada, de forma hexagona, encimado por uma cor6a e guar- 

neeido de seis columhas tambem coroadas ; ornado de cabegas de seraphins 
e arabescos. Obra portugueza. Fins do seculo xvi. Fig. 34. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

80 Prato de prala dourada. Seculo xvi. 

Sr.' Condessa d'Edla. 

81 t'yxide de prata dourada. A base apoia-se sobre os joelbos de quatro anjos. 

Obra poriugueza. Fins do seculo xvi ou principios do seculo xvii. Pig. 33. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

82 Pmcteiro de prata dourada. Parle central muito Icvatitada com o bratao dos 

Sousas, encimado pela coroa de marquez. A roda seis quadros com figuras 
em relevo, separadas por pilastras. Mais f6ra outros seis quadros maiores 
e tambem separados por pilastras. Obra portugueza do seculo xvi. 
Sr.' Conaessa d*Edla. 

83 Grande prato de prata dourada. Centro levaatado. Tres zonas concentricas 

com figuras e outros ornatos em relevo. As figuras de zona interior susten- 
tam largas fitas com caracteres gothicos. Os (]uadros da zona media, sepa- 
hidos por festoes, t^m tambem palavras provavelmenle designativas dos as- 
sumptos. Os da zona exterior, da mesma sorte separados por festdes, 
representam os sete peccados mortaes com as palavras portuguezas que os 
designam na patte superior. Obra portugueza ao seculo xvi. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

84 Caldeirinba de prata dourada, com medalhoes c outros omatjs cinzelados. 

obra portugueza. Seculo xvi. Pig. 36. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Pemando. 

85 Pmcteiro de prata dourada^ similhante na f6rma, dimensoes e brazao ao 

n.** 82, difFerindoj por^m, na ornamentagao, que ^ de gryphos, centauros 
e outras chymeras. Obra portugueza. Seculo xvi. 
Sr.' Condessa d'Edla. 

86 Gerda de prata dourada. Seculo xvi. Fig. 16. 

Sna Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 



248 SALA F 

87 Imagem de prata dourada. Fins do seculo xvi ou principios do seeolo xyii. 

Sua magestade El-Ret o Senhor D. Fernando. 

88 Imagem de prata dourada. Fins do secnio xvr on principios do secalo xvii. 

Sua Magestade ElrRei o Senhor D. Fernando. 

89 Medalhao de prata dourada. Reprcsenta Nossa Senhora com o Menino, tres 

figuras de santos, um dos quaes esta de joelhos. Ornatos architectonicos de 
estylo opfival, pedras finas c perolas. Obra allema dos fins do seculo x?. 
Sua Magestade El-liei a Senhor D. Fernando. 

90 Grande corda de prata. nro ornado com cinco bustos. Por cima do princi- 

pal uma pomba em vulto com as azas abertas. Seculo xvi. Fig. 15. 
Sua Aiagestade El-Rei o Senfior D. Fernando. 

91 Cofre de prata dourada. Seculo xviii. 

iSr.- Condessa d'Edla. 

92 Nossa Senhora e dois anjos dc prata dourada em alto-relevo. Fins do seculo xvi 

ou principios do seculo xvi. 
S.f Condessa d'Edla. 

93 Uma de prata com tampa e com azas cm figuras de mulher. Ornada de me- 

dalhOes c cercadilho. Obra portugueza. Principios do seculo xvii. 
St.- Condessa d'Edla. 

94 Prato de filigrana de prata de (Cordova. 

Sr.' Condessa d'Edla. 

95 Boceta de filigrana de prata de Cordova. 

St.* Condessa d'Edla. 

96 Fructeiro de prata arrendado. Provavelmente obra hespanhola do seculo ivi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

97 Fructeiro de prata rcbatida, com um quadrupede no medalhao central. Se- 

culo XVII. 

Sr.' Condessa d'Edla. 

98 Caixa redonda do prata lavrada. Obra portugueza dos fins do seculo xvii. 

Sua Magestade El-Rei o Senlior D. Fernando, 

99 Calix de prata dourada, com sua patena. Base distribuida em seis gomos, or- 

nados com folhagens separadas por pilastras. No de f6rma quadrangular, 
com as quatro faces fencstradas. Pendem quatro tintinabulos da copa, em 
cujo bordo esta gravada uma inscripcao. Obra portugueza do seculo xvi. 
Sua Magestake El-Rei o Senhor D. Fernando. 

100 Imagem de Christo em marfim. Com o p^ direito impelle para traz um era- 

neo. A esquerda um tronco carcomido, no qual se enrosca uma serpente. 



SALA F 249 

Na base a inscripcao seguinte: fbangisgus terillus fagibbat gioioxlyi. 
Fig. 27. 

St.* Condma d^Edla. 

101 Galix de prata dourada muito ornamentado. A base tern figaras de santos em 

relevo, d6 com a f6rma de urna. Da copa pendem quatro tintinabalos. 
Obra portugueza do seculo xvi. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D. Fernando, 

102 Fracteiro de prata. Ornamentagao de cercadilho e guarni^ao de rendilliado. 

No mcdalliao eentral am busto de mulher doarado com a legenda seguinte 
em roda: anna mayr ellaoldofredi. d. isb. aet. x... resto esta enco- 
berto com o basto. Seculo xvii. 
Sr,"" Omdessa d*Edla, 

103 Fructeiro de prata dourada. No medalhao central o Agnus Dei; em roda fi- 

garas e ramagens em relevo; na zona exterior ornamentado formada de 
segmentos esphericos. Secalo xvi. 
Sua Magestade EURei o Senhor D. Fernando. 

lOi Grande prato circular de prata doarada, centre levantado; em roda duaszo- 
nas de grande omamenta^ao em relevo representando soenasbiblicaseoa- 
tras, separadas por festoes, e cada uma d'ellas, na zona exterior, designa- 
da por palavras portuguezas. Alem das figuras hnmanas, monstros e cby- 
moras. Obra portagueza do secalo xvi. Fig. 18. 
Sua Magestade EURei o Senhor D. Fernando. 

105 Grande gomil de prata doarada com omamentaQao em relevo. Corresponde 

ao prato n." 104. Obra [)ortngaeza. Seculo xvi. Fig. 17. 
iStki Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

106 Pulseira celtica de oiro macisso, encontrada em Portugal. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

107 Pulseira celtica de oiro macisso, encontrada em Portugal. 

Sua Magestade El- Ret o Senhor D. Fernando, 

108 Fracteiro de prata doarada. Omamenta^ao de ramagens, figaras de homens 

e de animaes. Secalo xvi. 
Sua Magestade EURei o Senhor D. Fernando. 

109 Fracteiro de prata com brazao no centre, ornado de cercadilho e gaarnecido 

de rendilhado. Similhante ao n."" 102. Secalo xvii. 
Sr.* Condessa £Edla. 

110 Fracteiro circular de prata dourada com maitas figaras e outros omatos em 

relevo, fundo levantado; no centro o brazao dos Sousas encimado pela corda 
de marquez. Obra portugueza. Seculo xvi. 
Sua magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

1 11 Concha de prata. Provavelmente obra portugueza. Secalo xvii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor JD. Fernando. 



wo SALA W 

lii Fnicteiro de prata doorada. Ornamental de ramagens, figuras hoftanas e 
de animaes. Secolo xvi. 

113 Fnicteiro de prata rebatida. Qmamentagao de ramagens e figoras humanas. 

Brazao preiaticio no centro. Secalo xvn. 
Sr.' Condessa £Edla. 

114 Gomil de prata rebatida, omado de folhagens. Corresponde ao n.^ 113. 

Sr,* Condessa d'Edla. 

lis Naveta de prata lavrada. Secolo xtiii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

116 Fructeiro circular de prata dourada. No centro ambusto de malher; a roda 

baixo-televo representando a destniiQao de Sodoma, ca^adas e outros 
assumptos. Obra portugueza. Secalo xvi. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D, Fernando. 

117 Peqaeno prato de prata doarada, lavrada, com animaes e outros ornatos no 

estylo da renasceni^. Seculo xvi. Fig. 22. 
Sua Magestade El-Ret o Senhor D. Fernando. 

11 B Fructeiro de prata rebatida; ornamentai^ao de folhagens e flores; uma ave 
no m^alhao central. Seculo xvn. 
Sr." Condessa d'Edla. 

119 Ftlicteiro de prata rebatida; ornamentaQao de folhagenst carrancas e Bgnras 

humanas. No medalhSo central urn galeSo com a oandeira {lortugueza. Se- 
culo xvn. 
Sr^ Condessa d'Edla. 

120 Fructeiro de prata rebatida. Ornamentaglo de folhas e flores. Seculo xvn. 

Sr,"" Condessa d'Edla. 

121 Fructeiro de prata rebatida; f6rma elliptica; ornamentac^ao de folhas e flores. 

No centro a figura de urn homem sentado. Seculo xvn. 
Sr,'' Condessa d'Ma, 

122 Fructeiro de prata dourada com muitas figuras o outros ofnatos em relevo. 

No centro um medalhao com o brazao de um prelado. Obra portogueza. 
Seculo XVI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando, 

123 Fructeiro de prata rebatida; forma elliptica; ornamenta^ao de folhas e flores. 

No centro a figura de uma mulher sentada. Seculo xvn. 
Sr.' Condessa d'Edla, 

124 Fructeiro de prata rebatida; forma elliptica; na borda um brazao; no centro 

represenia o eembate de dois cavsdieiros. Seculo xvui. 
Sr.' Condessa d'Edla. 



SALA W iM 

125 Salva de prata doarada^ (Nroada de figaras, niedalhdas e oa^os oroatos em 

reievo. rio centro um eecado com am castello eereado de estrellas. Tern a 
data de 1548. 

Sua Magestade M-Rei o Senhor D. Fernando, 

126 Fracteiro de prata rebatida. F6rma elliptica. Na borda am brazEo ; no cen- 

tro represeata am galeao e a figara de am homem. Seculo xvui. 
Sr/ Coniesia d'Edla. 

127 Talha antiga do Japao, verde esmaitado e com flores coloridas. 

Sua Magestade M-Rei o Senhor D, Fernando, 

128 Cabala do Japao, gargalo alto. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

129 Talha do Japao, antiga. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

130 Cabala do Japao. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando, 

131 Talha antiga do Japao com doarados e reievo. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

132 Caba^ do Japao. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando, 

133 Talha antiga do Japao. 

Sua Magestade M-Rei e Senhor D. Fernando. 

134 Retrato de homem em t^la por Geldorp. Secalo xvii. 

Sua Magestade MrRei o Senhor D. Fernando. 

135 Qaadro a oleo em t61a de Ribera. Secalo xvii. 

Sua Magestade EURei o Senhor D. Fernando. 

136 Retrato de mulher em t^la por Geldorp. Becalo xvii. 

Sua Magestade Si-Re% o Senhor D. Fernando, 

137 Pratb de faianja. Paizagens e flgoras de varias cOres. Talaveri. Fins do se- 

culo XVI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando, 

138 t'rato antigo com uma ave e oatros omatos pintadps. Faian^a hespantiola. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando, 

139 Prato saisso com a data de 1665. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 



SALA F 

140 Grande prato com oraatos pintados. Hispano-arabe. Fig. 11. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D, Fernando. 

141 Prato de faiaoi^a. Duas Hguras no centro, flores azoes e amarellas; na parte 

superior am brazao. Fabrica de Alcora. Principios do seculo xvui. 
Sua Magestade El-Reio Senhor D. Fernando. 

142 Um prato com flores de c6res vivissimas. Parece obra antiga de Delft. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

143 Prato antigo com a figura de um homem e outros ornatos pintados. Faiau^ 

liespanhola. 

Sua Magestade El-Bei o Senhor D. Fernando. 

144 Prato de faian^a. Paizagens e figuras de varias cores. Fins do seculo xvi. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D. Fernando. 

145 Esculptura em madeira pelo artista francez Demontreuil, 1798. 

Sua Magestade El-Rei o Senhoi^ D. Fernando. 

146 Jarro de faianga. Aza retorcida ; estudantina pintada a c6res em fando bran- 

co. Faianga de Alcora. Seculo xvm. Fig. 31. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

147 Azulejo com moldura de carvalho. Representa a Yisita^o. Em baixo \6-se : 

NicoLoso ITALIAN ME FECIT. Principios do seculo XVI. Fig. 23. 
Sua Magestade El-Rei o SenJun^ D. Fernando, 

148 Taiha com tampa e duas azas retorcidas. Aves, arvores e figuras humanas 

pintadas de varias cdres. Faian^ de Talavera. Seculo xvn. Fig. 40. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

Ii9 Esculptura em madeira pelo artista francez Demontreuil. 1798. 
oua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

150 Imagem de faianga. Delia Robbia. Seculo xvi. 

Sr.' Condessa £Edla. 

151 Estatueta do crean^. Faian^a branca. Fabrica do Rato. Seculo xviii. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

152 Grande brazeiro de cobre. A parte superior 6 rendilbada e omada de figu- 

ras, etc. Fins do seculo xvi. Figura 29. 

Sua Magestade ElRei o Senltor D. Fernando. 

153 Bordado a matiz em seda. Representa uma creanga espremendo um cache de 

uvas n*um copo. Principios do seculo xvi. 
iSr." Condessa d'Edla. 
164| 
a [Onze leques antigos. Seculo xviii. Figuras 41 e 42 
164) Sr.' Condessa d'Edla. 



SALA F 253 

166 Gentro qoadrangolar de nogaeira. Nas qaatro faces representa em alto-re- 

levo Lava-p^, a Ceia, Jesus em casa de Anas, Jesas em casa de Cai- 
phas. Secdo xvii. 

Sua Magestade El-liei o Senhor D. Fernando. 

167 Collar de cootas de filigrana de oiro c de crazes de Christo esmaltadas, liga- 

das por cadeia de prata. Tern por pingeote urn relicario com ama imagcm 
em miniatura. Obra portugaeza do secalo xtf. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D, Fernando. 

168 Grande collar de filigrana de oiro e ambar. Obra indo-portugueza. Secalo 

XVI. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

169 Imagem de Nossa Senliora de oiro esmaltado e com ornatos de diamantes 

rosas. Secalo xvi. 
Sr.' Condessa cTEdla. 

170 Pingente anti^o com ornatos de oiro e guamecido de topazios; na parte su- 

perior am idolo; na inferior tres peqaenos pingentes. Obra indo-porta- 
gueza. 
Sr." Condessa d'Edla. 

171 Cofre de prata doarada com ornatos de prata appjicados e diamantes rosas. 

No centre am medalhao representando o Amor. Principles do secalo xviit. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

172 Ta(a peqaena, antiga, de vidro de Yeneza, azal e amarella, com aza. 

bua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

173 Ta^a antiga de vidro de Yeneza. Fios brancos e amarellos, daas azas. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

ilk Tafa antiga de vidro de Yeneza, de maitas cores e com azas. 
Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

175 Ta^ antiga de vidro de Yeneza opalisado. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

176 Estojo de agatha cinzenta com ornatos de oiro. Epocha de Luiz XY. 

Sr."" Condessa tTEdla. 

177 Agalheiro de oiro esmaltado de branco e negro. Epocha de Laiz XY. 

Sr.' Condessa iEdla. 

178 Caixa de porcelana de Saxe com paizagens coloridas. Secalo xviir. 

Sr." Condessa d'Edla. 

179 Frasoo de oiro com a forma de caracol. Seculo xviii. 

Sr.' Condessa d:Edla. 



SM SALA W 

180 Caiia de asm^te com paisagens na tanrpa e nos ladoe. Beeolo xfiH. 

fir/ fiMil^Ma <i'£dfa. 

18i Caixa de oiro esmaltado, com Unipa de loa^a pintada. 

Sr/ Condessa teEdla. 

i8% Bonbcmniire de marfim com flguras e ontros oraatos era rekvo. Seoalo xym. 
Sr/ Condessa (PEdla. 

183 Caixa de oiro esmaltado de ami. 

&*.' Qmdma iEdla. 

184 Caixa de porcelana de Saxe com pintoras representando flores e insectos. 

Sr,'' Condessa d'Edla, 

IBS Caixa de oiro para rap^. Epocha de Laiz XT. 
Sr."" Condessa ^Edla. 

186 Caixa de esmalte com a forma de cabe^a de cio. 

Sr/ Condessa fEdla. 

187 Caixa de esmalte branco com xadrez, e em cada casa do xadrei naa flor oa 

mn insecto. 
Sr/ Condessa d'Edla. 

188 EsUuo de costmra de agatha-musgo com oraatos de oiro. Epooba de Laiz XY. 

Sr." Condessa d'Edla. 



189 Collar hispano-arabe de oiro; no centro am ornato de pedras veripelhas e 
verdes engastadas a jour. 
Sr,' Condessa iEdla. 



190 Caixa esmaltada ornada de figaras de pyramides quadrangalares e rosas na 

tainpa. 

Sr/ Condessa iMa. 

191 Relicario de oiro e crystal. Obra portugaeza. Secalo xvii. Assignado David. 

Sua Magestade El-Ret o Senhor D, Fernando. 

192 Saleiro de cobre esmaltado de Limoges. Obra de Joio Limoasia. Representa 

am basto de mulher na parte inferior e oma figura hamana em cada ama 
das seis faces lateraes. Secalo xvi. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 

193 Caixa de marfim, tartaraga e oiro. Gpocba de Luiz XV. 

Sr,* Condessa d'Edla. 

194 Relogio de oiro com esmaltes. Seculo xviu. 

Sr."" Condessa d'Edla. 

195 Caixa de tartaraga com esmalte e gaamigdes de oiro. Na tampa repreaeotaa 

Adora^ao dos pastores. Secalo xrm. 
Sr.' Condessa iEdla, 



SALA F 255 

196 Peqneno mosaico florentino engastado em oiro, e representando buzios e co- 

ral. Provavelmente secnlo xviii. 

Sua Magestade EURei o Senkor D. Fernando. 

197 Gaixa de esmalte branco e amarello com daas figuras na tampa. Seculo xviii. 

Sr.' C(mde8$a d'Edla. 

198 Caixa pequena de oiro para rap6, com esmaltes, representando animaes e 

flores. 

Sr.' Condessa £Edla. 

199 Estatueta de Venus, em porcelana de Wedgwood, de c6r branca, sobre um 

f)edestal da mesma porcelana, de cor azul. Uma fignra de Cupido em re- 
evo branco em cada uma das quatro faces do pedestal. Seculo xviii. 
St.* Condessa d'Edla, 

200 Caixa de esmalte com pinturas. No interior da tampaafigura do umamulher 

com um cesto de flores. Seculo xvni. 

201 Caba^ omada de figuras. 

Sr.'' Condessa d'Edla. 

202 Caixa de porcelana de Saxe, ornada de figuras, no genero Wattcau. 

Sr.'' Condessa d'Edla. 

203 Estojo de agatha vermeiha com omatos de oiro. Epocha de Luiz xv. 

Sr.' Condessa £Edla, 

204 Caixa de porcelana de Capo di Monte, representando batalhas; nas faces la- 

teraes e na tampa uma scena de familia. Seculo xviii. 
Sr.'' Condessa d'Edla. 

205 Leiteira de porcelana de Wedgwood, de cor azul, com figuras em relevo 

branco, represetnando uma pastoral. Seculo xvui. 
Sr.' Condessa d'Edla. 

206 Caixa de porcelana de Saxe com douraduras a flores coloridas. 

iSr.« Condessa d*Edla. 

207 Cofre jpequeno de agatha cinzenta com omatos de oiro. Epocha de Luiz XY. 

or.* Condessa d*Edla. 

208 Caixa de porcelana de Saxe, com figuras, genero Watteau. 

Sr^ Condessa d*Edla. 

209 Colh^r antiga, allema, de madeira de buxo esculpida. 

Sua Magestade El-Rei o Senkor D, Fernando, 

210 Colb^r de prata lavrada com o retrato do duque Joao Jorge III, da Saxonia. 

1694. 

Sua Magestade El-Rei o Senhor D. Fernando. 



SALA k: 

O B H -A. 3i^ I O-A. 

YASOS GREGOS OU ITALO-GREGOS 

i Cratera preta com pinturas brancas, cncarnadas c pretas; alem de outros or- 
Datos tern na face principal urn qaadro cm que se v^em dois personageos 
com barretes que parecem orieniaes, e um cavallo branco; per cima d*e»- 
tes, dois priapos. Pe^a de priineira ordem pe!o seu tamaubo c forma. Al- 
lura 0»,4:i ; diametm da boca O^jSG. 
Duques de Palmella, Lishoa, 

2 ArybaMos preto com desenlios de personagens e varios ornatos amarellos. Al- 

lura 0", 15. 

Duques de Palmella, Lisboa, 

3 Amphoridion deelegantissima forma, de barrovermalho com desenbos pretos; 

alem de variados ornatos tern sobre uma face uma cabe^a de mulber pen- 
teada a grega e na outra uma mulber correndo com uma cor6a n'uma das 
mans e um cofre na outra. Altura 0'",42. 
Duques de Palmella, Lisboa, 

4 Amphoridion preto com desenbos amarellos, pretos e brancos, representando 

per^^onagens e varios ornatos. Altura 0",3o. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

5 Hydria preta com desenbos amarellos, pretos e brancos, representando, alem 

de varios ornatos, uma mulber tendo nas maos varios objectos e ao lado um 
priapo. Altnra 0",?tt. 

Duques de Palmellaj Lisboa. 

6 Amphoridion. Fundo preto com pinturas brancas e amarellas em que, entre 

varios ornatos, gregas, etc., sc v6em varios personagens; entre elles um be- 
roe coroado pela Victoria. Allura 0'°,3i. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

7 Hydria preta com pinturas brancas e pretas, representando, alem de varios 

ornatos (folhas de era, cabegas de mulber penteadas a grega, etc.), um guer- 
reiro com langa e barrete phrygio, coihondo, em compauhia de tres damas, 
OS fruct«»s de iima arvore a que esta enrolada uma scrpenle (arvore da scien- 
cia?). Allura 0»,44. 
Duques de Palmdla^ Lisboa, 

17 



258 SALA E 



FAIANCA 

o 

riujiNo 

S Prato tendo pintado com as mats vivas cdres, em que predominam o azol, o 
verde e amarcllo, um assumpto allejrorico que parece querer representar a 
Italia dorninada pela Austria; no primeiro piano nm rio encostado a sua 
urna, e tcndo ama cornucopia cheia de frnctos ao bombro, contempla tris- 
temente uma figura gigantesca, deitada e encostada igualmente aumaurnay 
a quern muitos homens nus e armados de raios vibram sens golpes; um se- 
ginra-*H)e as cabelios c fere- a oom um feixe de tres serpeotes cpie tem Ba mao, 
outro agita a baudeira amarella com a a^nia preta da casa de Aiisiria; ao 
4ado OS vencidos, uds mortos, outros ainda vrvos, mas fu^ndo com terror. 
No segando piano um {rropo dos memios individuos qoe fignram no pri- 
meiro, de joelhos diante de um personagem igualmeiite nu, teodo Sambem 
na mao tres serpentes, e entrcgando Ibe um dos outros duas ebaves '; ao longe 
uma vista de cidade. Sobre uma das maos do personagem que entrega as 
«baves v^se a marca n." 1 de Orazio Fontana. Seoulo xvi. Diamelro 0^,46. 
As dimensoes d'este prato, a belleza das cores e a assigoatura lomam-no 
uma pe^a de primeira ordem. Fig. n."* If 44. 
Duques de PcUmellaj Lisboa. 

GEXOVA 

i) Prato oblongo branco com pintura aznl, tendoao'oenlporepreseiiUidoinDgrupo 
de deusas e de genios entre nuvens ; nas l)0Fdas (diverges omstds. Marca 
n.° 2. Scculo XVIII. Comprimento 0'",47. Largura O^jS?. 
Sr. Avgtato €arlos l^xeira de Arag&Oj Lisboa. 

10 Prato com a borda arrendada e pintnra aral, repneseiiUBnio «m fnipo de mu- 

Iheres e crean^as. Marca n.** 3. Diamctro 0'",34. Seculo xviu. 
BufKtes 4€ P (Amelia, Lisboa, 

SAVONA 

11 Prato arrendado pintado de azul; ao centro um navio. Marca n.° 4. Diametro 

0'",28. Secalo ktiii. 
Duques de Pedmdla, Lisboa, 

12 Prato arrendado com pintura azul de paizagefin e flores. Marcaa.'*. Diame- 

tro 0",29. Seculo xvm. 
Dufues de Palmeila, Li^iwa. 

tZ Prato arrendado, de fundo brmco oom pintcira and, representando ao «entro 
uma wiulber e cm tonno varies ornates. Marca n.' 6. Diametro #",S3. Se- 
culo XVIII. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 



AIASQA (iTALU) SALA JQ 2SU 

4i Prato arrendado, com pintara azul de paizagem e flores. Marca n.**5. Diame- 
tro O*"^. 8ecuio xvm. 
Academia Bsal de Belltis Artes de Lisboa, 

io Bandeja com p4, de fdrma capriehosa, mas regular, com os lados formados per 
curvas; fundo branco com pintara azul; ao ceutro um cavalleiro. Marca 
n.* 7. Largura 0'",22. Seculo xvin. 

Sr. Augusto Carlos Teixeira de Aragao, Lisboa, 

16 Jarro de forma caprichosa, com aspecto de carranca, branco com pintnras tos- 

cas de figuras, Dorboletas, ruiaas e flores amarellas, verdes e asues. Marca 
n.* 8. (Savona, segundo Demmin.) Seculo xviu. 
Sr. Eduardo Van-Zeller, Lisboa. 

NAPOLES 

17 fima exteriomiente nodosa, tendo interiormente pintados a azul, no meio de 

uma paizagem, dois cavalleiros combatendo. Marca n.*^ 9. DiametroO°',33. 
Duques de Palmella^ Lisboa, 

KOUEN 

18 J.irro em forma de capacete branco com piatura azul de festdei^ de arabescos e 

umacarranca per baixo do bico. Marca n."* 10. (Desconhecida.) Altura O^jSG. 
Sr. Osborne SampaiOj Lisboa. 

19 Caneca, com forma aehatada e bdca abertaem fuml, branca, com a cornucopia 

de flores a cores alem de varios outros ramos, passaros e insectos. Marca 
n.'» H. (Desconhecida.) Altura 0,27. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

iK) Floreira oblonga branca com ramos de variadas flores polvchromas. Marca 
n.» 12. Gomprimenlo 0,20. Altura 0,10. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Ldsbea. 

SI Assucareiro cylindrico com tampa de atarrachar com abertos e em forma do 
cupula ; pinlurachineza polychroma. Marca n.° 13. Altura 0",20. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

NEVERS 

22 Par de garrafa^ das chamadas tulipeiras de base cylindrica, sustentando uni 
bojo termiiiado por um estreito e comprido gargalo encimado por uma es- 
phera e Itoca em fuail; pintura azul, icuitaQao da China, sobre fundo bran- 
co azulado. A faita de vidro no fun<lo faz com que nar se possa distinguir 
a marca, mas ainda se v^em vestigios do N. Altura 0°',47. 
St\ Osborne Sampaio, Lisboa. 



260 SALA "E FAiAxgA (franca) 

23 Par de vasos de pliarmacia com bicos e azas formadas por duas cobras entre- 
la^adas ; (undo branco azulado, pintura de paizagcns e floras, genero chinez, 
a azul e roxo. Sem marca. Altura 0"',23. 
Si\ Osborne SampaiOj Lisboa. 

2i Yaso de pharmacia branco com paizagem e flores, genero chinez, azoes e roxas; 
duas azas formadas por cobras enirela^adas. Sem marca. Ahura 0'",22. 
Hpft Sr. Osborne SampaiOj Lisboa. 

Sri Par de sapatos de Natal a Luiz XV brancos com ornatos azoes e vermelbos. 
Sobre a sola, a azai, a data 1763. Sem marca. 
Duques de PalmeUa, Lisboa, 

20 Floreira, em forma de cesto, branca com pintura azul ; no fundo uma paizagem 
de jardim estylo chinez; as bordas arrendadas e em reievo representando 
anjos, cordas, cora^oes, etc. Genero Nevers, mas sem marca. Diame- 
>x tro0",26. 

Duques de Palmella, Lisboa. 



'\ 



MARSELHA 

Molhcira branca com flores a cdres e aza em f6rma de cabe^a de pato pintada 
com as .cdres nataraes; prato branco com flores acoreseazas. Marca n.® 14, 
da Veuve Perrin. Seculo xviii. 
Fernando Palha, Lisboa. 
I 
28 f errina branca com flores e insectos polychromos e dois tigres formando pega- 
deiras ; tampa encimada por um gruoo de peixes em reievo. Marca n.** 14, 
da Veuve Perrin. Comprimento 0",52. Seculo xyiii. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa, 

2U Terrina branca com ramos de (lores a c6res e tampa encimada por peixes e 
mariscos. Marca n.° 15. Altura 0'",27. 
Sr, Osboime Sampaio, Lisboa. 

30 Terrina branca com ramos de flores a cdres e tampa encimada por um grupo 

de peixes. Marca n.° 16. (l)esconhecida.) Altura 0",25. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

31 Servi^o de almogo, branco com paizagens e figuras finissimamente pintadas 

a c6res. Marcas diversas n.° 17. 
Sr, Macedo Braga, Lisboa. 

MOTJSTIERS 

32 Terrina encimada por uma cabei^a de carneiro e tendo Fobre fando branco va- 

riadas pinturas a amanllo e verHe de flores, passaros, figuras. animaes, 
scenas grotescas, etc., no genero Calot ; n'urn dos lados um macaco, gover- 
nando um carro puxado por um passaro pliantastico, segura com a outra 



FAiAKQA (franqa) SAL A E 261 

inao nma bandeira em que se \6 a marca n.** 18, de Olery. Compri- 
mento 0",33. 

Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

33 Trayessa branca fiaamente pintada de azul no estylo da Renasccn^a; genero 
B^rain. Sem marca. Comprimento 0'°,36. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa, 

STRASBUR60 

3i Prato (specimen dd serri^o) branco com ramos de flores. Marca n.* 19, de 
Joseph Hanong. Diametro 0,36. 
Sr. Conde de Villa Real, Lisboa, 



BRUXELLAS 

33 Terrina em forma de cabe^ de javardo pintada de cinzento. Sem marca. Com- 
primento 0",42. Seculo xviii. 
Fernando Palha, Lisboa. 



IiOr.LiA.3SriD-^ 

DELFT 

36 Pote octogonal azul e branco, imita^ao da China. Marca n."" 20. Altura O'^^SO. 

Fig. n.» 215. 

Academia Real de Bellas Artes, 

37 Par de grandes garrafas conhecidas com o nome de tulipeiras de base octoiro- 

nal, grande bojo e gargalo estreito terminando por uma espliera; pintura 
chineza azul, sobre fundo branco, de flores, personagens e varios ornatos. 
Marca n.« 21. Altura 0", 30. 
Fernando Palha, Lisboa. 

38 Pote com base octogonal e largo bojo branco com pintura azul, imita^ao da 

China, com personagens, paizagens e varios ornatos. Marca apagada, mas in- 
contestavelmente dos melhores productos de Delft n'este genero. Altu- 
ra 0-,34. 

Fernando Palha, Lisboa. 

39 Pote com base octogonal e grande bojo ; pintura azul, imitaigao da China, com 

personagens, flores e varios ornatos. Marca apagada, masincontestavelmente 
da proveniencia indicada. Altura Q^,^%, 
Fernando Palha^ Lisboa. 



262 SALA E paian^a (houarua) 

40 Prato peqneno aznl e braneo, imilajao da China. Marca n.' 22. Diame 

troO-^^Ol. 

Sr, Avgusto Carlos Teixeira de Aragdo. 

41 Prato sou] e braneo imita^ao de China. Dtametro 0",28. Sem marca. 

Sr, Augusto Carlos Teixeira de Aragao. 

42 Manteigueira em forma de coelho, braneo, verde e roxo. Marca n.* 23. (Des- 

coDhecida.) 

Duques de PaltneUa, Lisboa. 

43 Mantei^eira pequena em forma de pata deitada, pintada de roxo e vMile ; prato 

braneo com follias e flores de canicos, roxas em relero. Harca n." 24 de 

A.Kiell(1764). 

Duques de Pdtnellaj Lisboa. 

44 Par de canudos cancllados brancos com brilhantissimas pintaras orientaes azaes, 

encarnadas, verdes e oiro (em qan se v^em codemizes) que imitam asmais 
brilhantes da China e do Japao. Marca n." 25 de Keyser e Pynaker (1680). 
Altura 0-,i8. 

Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

45 Frncteira oval, com bordas aos gomos, pintada de encamado, aznl e rerde^ 

imitando porcelana oriental ; a marca esta apagada, mas deve ser a de Key- 
ser e dos Pynaker, pois 6 um specimen notavel no genero d'estes artista's. 
Comprimento 0"*,4'^ Largura 0'°,34. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

46 Pote com base estreita octogonal e largo bojo com ptntnra oriental de pnssa- 

ros e flores, enearnada, arul e verde sobre fundo braneo. Harca n.' ^ de 
Keyser e dos Pynaker (1680). Notavel pelo brilho das cdres. Altura 0",48. 
Fernando Palha, Lisboa. 

47 Pote com pintnra, no genero oriental, de flores e passaros, aznl, verde c en* 

carnada. Marca n.' 27 de Keyser e dos Pynaker (1680). Altars 0",51. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

48 Pote octogonal e canelado braneo com pintora oriental aznl e encamada^ 

Marca n." 28. Altura 0'",29. Seculo xviii. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

A-ILiXiEI^ A-ISTH-A. (?) 

49 Manteigueira em f6rma de beringella com as suas cdres natunies,verd»eama- 

rella, em cima de um prato braneo com flore? pintadas, e rodeada por ontras 
flores em relero e cores. Genero Strasburgo. Marca n."29. (Desoonhecida,) 
Fernando Palha, Lisboa. 



BAIAK^A (iNGEATEBR.v) SALA £2 

LEEDS 

50 Terrina de p6 de pedra em forma de abobora sobre nma grande frilha e Cendf^ 

por pe^adeira da tarapa uma abobura pequeaa. Marea n.'' 30. AUara.O<*^^Ou 
ComprimenlD 0^,42. 

^. Jose Falha, Luhoa. 

BDRSLEM-WEDGWOOD 

9S-€i Terrina de p6 de pedra branca com seu prato com cereadnras em relevo ear 
forma de conchas azues e oiro; azas e tampa encimada por umo. roma dou- 
rada; de urn lado e sobre o prato as armas dus marquezes de Anf;^eja, acO- 
res; do ouiro um pequeno medalhao com um Jidourado e encimado por 
uma cor5a de marquez. Comprimenlo do prato 0",41; da terrina 0,27. 
Sr, Antonio Maria Fidie, Usbua. 

xi^oxjJ^rn:E:BiJEij^ (?) 

5i Terrina, em forma de pata no choeo, de p6 de pedra branca, com bico^patas, e 
palba do ninho pintados de amareltoi Marca^n." 31. (Deaeonhecida ) Cou^ 
primento 0"*,32. 

Sr. D, Duarte Maamel, Bemfica. 

M^VBIEBEEG 

51 Par de poles brancos com insectos e passaros finamente pintados a cdres'^ 

troncos com folhas e flures em relevo e cores. Marca n.® 32. Altiira 0"*,29l 
Duques de Pdmellaj Lisboa, 

53 Par de urnas brancas pintadas de roxo e azal imitando pedra; azas c5r dS^- 

castanha com cachos de uvas roxos em relevo ; tampas encimadas por pU 
nhas e folhas verdes. Marca n." 33. Aitura 0",52. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

54 Prato hi^ipaoo-arabe branco com arabescos de reflexo metallico; no centeonnr 

escodo com um leSo batalhanie ; em torno, e sobre a borda, que e aos gomoe,. 
variados ornalos. Diamctro 0",48. 
Sr, Conde de Villa Real, hsboa. 

38 Do» pratos hii^paaoarabes brancos com arabescos dc reflexoB metallicos. T^'oi^ 
metro 0'",34. 

Duques de Palmella, Lisboa. 



2tti SALA ES FAiANQk (hespakha) 

56 Alguidar liispanoarabc amarello com arabescos de rcflexos metallicos. Dia- 
iiielro 0",4I. 

Diiques de Palmella, Lisboa, 

TALAVERA 

37 Fonte em forma de barril; pintura amarella, verde e azuK representando so- 
bre uma das faces dois anjos sacndindo urn cherubim sobre urn leogi)!, e no 
reslo passaros, cor^as, planus. Sem marca. AJtura 0",43. Seculo xvi. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

58 Quarta on cantaro com duas azas, tendo pintado a amarello, azul e verde so- 

bre bojo, de urn e cutro lado, creangas brincando com cegonhas: cirenm- 
dando a<tes, e sobre a bOca e azas, varios ornatos. Sem maica. AliiiraO*,57. 
Seculo XYii. 

Duques de Paltnella, Lisboa. 

59 Quarta ou cantaro com duas azas, tendo sobre o bojo n'uma das faces pintado 

a azul, verde, amarello e roxo um cavalleiro ferindo nm javardo com uma 
laa^a, e na outra face um leao, um touro, um cavallo e tres martins em 
com hate; sobre as azas e bdc-a varios ornatos. Sem marca. Altura C^^SO. 
Seculo XVII. 

Sr. Oaborne Sampaio, lisboa, 

60 Quarta ou cantaro com duas azas, tendo pintado sobre cada um dos lados do 

bojo, a verde, amarello e roxo, um cavalleiro vestido a romana no meio de 
uma paiza<;em. Sem marca. Altura O^'jSS. Seculo xvii. 
or. Osborne Sampaio, Lisboa, 

Gl Grande bacia, tendo no interior pintado a amarello, verde e roxo, no meio de 
uma paizagem, um cavalleiro combatendo com um leao; por cima l^se: 
DJv.^'Gi&Erez, nvizL.; no exterior variados animaes e paizagem. Sem mar- 
ca. Diametro 0'",47. Seculo xvii. 
Duques de Paltnella, Lisboa. 

G2 Grande bacia interior e cxteriormcnte pintada; no interior ca^dores a p6 e a 
cavallo com galgos, espm^ardas e falcoes n uma paizagem em que ao longe 
se v6 um palacio; no exterior igiialmente assumpto de ca^a; no interior 
M-se a inscrip^o : evnieno b q^sada. Sem marca. Diametro 0™,46. Se- 
culo XVII. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

63 Bacia redonda, aos gomos, tendo pintados por fora e no interior a amarello, 

azul, verde e roxo, passaros c arvores toscamente desenhados. Sem marca. 
Seculo XVII. 

Duques de Palmellaj Lisboa. 

64 Jarro em forma de pcixe, sobre uma concha; amarello, azul e branco. Sem 

marca. Seculo xvii. 
Fernando Palha, Lisboa. 



FAiA.NQA (hespanha) SALA E 265 

65 Prato amarello, com lobos, gamos, iebres, caes, passaros e variados ornatos 

pintados a azul e roxo. Scm marca. Diametro 0'°,45. Seculoxvi. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

66 Prato tendo tio fundo, pintada com vigorosos tons amarellos, azues, verdes e 

roxos, uma flor do phantasia; sobre a borda varios ornatos. Sem marca. 
Diametro O"*,;)?. Seculo xvii. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

67 Prato tendo representado do Fundo, a amarello, roxo e verde, uma divindade* 

rio encostada a uma urna e repou«ando sobro nuvens ; notavel pela correc" 
qio do desenho, pouco vulgar em productos d*esta origem. Sem marca. Se* 
culo XVII. Diametro O^jSy 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

68 Frasco em forma de livro, pintado a cdrcs, tendo em cada pasta um medalhao 

com vistas de rio. Sem marca. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

69 Cangirao branco com pintura amarella, verdc, azul e roxa de Acres, borbole- 

tas e personagens; sobre a frente dois ^oldad^s com trages do seculo xvii 
fraternisam. Sem marca. Altura 0",31. Seculo xvii. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

70 Bacia em gomos, branca, com arvorcs e folhas verdes e amarellas. Sem marca. 

Diametro O^jSI. Seculo xvii. 
Duques de Palmeilaj Lisboa. 

71 Candelabro-floreira de forma caprichosa e elegante, de seis lumes; pintado de 

roxo, verde e amarello. Sem marca. Altura 0",33. Seculo xvii. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

72 Caneca com borda arrendada e com carrancas ; branca, com pinturas de ca^a 

e varios ornatos azues, verdes, anarellos e roxos; na boca, sobre um cor- 
dao: VIVA mi dueno. Sem marca. Altura 0",2i. Seculo xvn. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

73 Quarta ou cantaro com duas azas, pintado a azul, verde, amarello e roxo; so- 

bre bojo de um e de outro lado dois tourrjs correndo; na b6ca cegonhas. 
Sem marca. Altura 0'",53. Seculo xvii. Fig. n.* 116. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

74 Prato de barba pintado de azul, verde, amarello e roxo; nocentro um javardo. 

Sem marca. Comprimenlo 0'".40. Seculo xvii. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

75 Tinteiro circular sobre quatro leSes, pintado de amarello, roxo e verde. Sem 

marca. 

Duques de PalmeUa, Lisboa. 



S66 SALA £2 FJiiAi^CA ('icspahha) 

ALCOKA 

76 FoDte de dependarar, branca, com uma vista de castello a borda de um rio, 

pintada a amarello, azul, verde e roxo; sobre os lados carrancas seninda 
de pega e na frente outra para roiha ou torneira, pintada a amareUo e ro- 
xo. Seni marca. Altura 0™,50. Secnlo xvhl 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

77 Gangirno coberto de pinturas allegoricns azues, amarellas, roxas e verdcs, em 

que figuram pastures, senbores vestidos a Luiz XV, aaimaes, armas,. etc. ; 
por baixo de tado id-se : p. fr. joseph mrin de la pbna. Sem marca. Altura 
0",51. Seculo xvin. 

Sr. Osborne Sampaio, Lishoa, 

78 Prato branco com pinturas azues, amarellas e verdes, represenlaDdo tres por- 

souagens turcos e urn abestruz, tudo rodeado de ramos soltus de flores. Sem 
marca. Diametro 0",39. 

Sr, Osborne Sampaio^ Lishoa. 

79 Prato branco com (lores e fifrnras azues, verdes e amarellas; ao centra um^ 

persona|;em em tra<;e de phantasia cumpriraenta uma cagadora^ d& arco & 
settas. Sem marca. Diametro O'^j^S. 
Sr. Osborne Sampaio, Lishoa. 

80 Estatuetabranrarcpresentandoum babitante do reino de Murcia. Sem marca. 

Altura 0'°,22. 

Sr. Osborne Sampaio, Lishoa. 

81 Assucareiro branco em forma de garrafa, com tampa em abertos com flores e- 

pas^aros azues, verdes e enearnados. Sem marca. 
Sr. Osborne Sampaio, Lishoa. 

82 Terrina, forma Luiz XV, branca, com tropb(5us militares azues, amarelli)^,. 

verdes e roxos; tampa encimada por troncos e fruetos em rele^ro e a cures. 
Sem marca. Comprimenio O"',^^. Seculo xvui. 
Fernando Paika, Lisboa. 

83 Fonte branca de dependurar, com ramos de flores a cores, Gnamente pintados. 

Sem marca. Altura 0",54. Seculo xvin. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

84 Bacia branca com pinturas* verdes, azues e amarellas; no fundo am cagador 

com sen cao, precedido por urn homem tocando flauta; pa:^^a^os phaata:^ti- 
cos. Sem marca. Diametro 0",3^3. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

85 Prato de forma caprichosa, mas regular, branco, com ramos de flores verdes,. 

azues, amarellas e cdr da castaniia. Marca n.° 3i. (Desconhecida.) Largora 
0-,33. 

Sr. Osborne Sampaio, Lishoa. 



FAUHQA (hespanha) SALA JB 267 

SETILIIA 

86 Par de cangirSes brancos com pintura azul e verde de personagens e folhas; 

as azas sao formadas por duas cobras de cor natural. Sem marca. Altara 
0-,39. 

Duques de Palmella, Lisbon. 

87 Moringoe oo bilha em forma de sereia, pintado de azul. Sem marca. 

Fernando PcUhaj Lisboa, 

I=>ORTXTGf.AXi 

LISBOA-EATO 
Seculo xvux 

88 Bustos brancos de D. Jono YI e D. Maria I. Sem marca. Altura C^^Sl. 

St. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

89 Busto de um de^conhccido, provaveimente copia do antigo. Sem marca. Al- 

tura 0'",48. 

Fernando PaUixi, Lisboa. 

90 Travessa branca circnmdada por uma barra largamente pintada no estyfo 

Luiz XV a azul, verde e amanjilo, com umas carrancas roxas. Marca n." 35. 
Comprimento 0",49; largura 0,36. 
or, Osborne Sampaio, Lisboa. 

91 Terrina branca, estylo Luiz XV. Sobre quatro p^s de garras a terrina alon- 

gada tendo por pegadeiraf^, nas extremidades, dois meninos coroados de 
louro e com peixes nos bra^os ; nas dnas faces as armas reaes portuguezas 
e festoes em relevo; sobre a tampa, em relevo, nm grande molho de legu- 
mes e peixes. A delicadeza com que e«ta modelada, e que lembra os mais 
preciosos artefactosde Germain, tornam esla pecja completamenle excepcio- 
nal. Sem marca. C()mprimento0",34; altura 0" ,23. Fig.n." 217. 
Academia Ileal das Sciencias de Lisboa, 

92 Floreira branca com relevos e ornalos a c6res; a tampa, toda aberta em di- 

versos ornatos, termina por uma pinha rodeada de foibas. Sem marca. Al- 
tura 0",34. 

Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

93 Terrina cor de greda com ornatosem relevo brancos, estylo Luiz XV; a tampa 

encimada por um menino sentarjo em ciraa de floras e seguraado uma gri- 
nalda. Sem marca. Altura 0'',32. 
Sr, Oisborne Sampaio, Lisboa. 

94 Bacia branca, em f6rma de concha, estylo Luiz XV, e jarro domewmo estylo. 

Sem marca. Comprimento da bacia 0",36; altura do jarro 0",32; 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 



268 SAL A E FAIANg A (PORTUGAL) 

95 Terrina em forma de ^allinha no clioco, cinzenta, sobre um ninho amarello e 

ovo? brancos. Sem marca. Altiira O^jSl; comprimentoO^jSl. 
Fernando Palka, Lisboa. 

96 Basto de um desconhccido, branco, finameate modelado. Marca d."* 33. Al- 

tura O^.SS. 

Duques de Palmella, Lisboa, 

97 Estatueta branca de menina brincando com am carneirinho com rodas. Sem 

marca. AUura O^.i?. 

Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

98 Pote azul com parras e uvas azues e brancas ; sobre a frente um medalhao 

branco com um escudo e a Qrma ML e cor6a de viscoode; por baixo a di- 
visa: di^sir de bibn faire. Marca n.'' 36. Altura O'^ySi, 
Duqiies de Pcdmella, Lisboa. 

99 Terrina redonda, branca, com pintura azul; genero Rouen. Sem marca. Al- 

tura O'»,2o. 

Si\ Osborne Sampaio, Lisboa, 

100 Par de plinthos on supportes, estylo Luiz XV, amarellos e azues. Marca 

n.- 35. Altura 0'».25. 

Sr. Osborne SampaiOj Lisboa. 

101 Terrina em forma de pato pintada de amarello e roxo. Sem marca. Altura 

0",29. Comprimenlo O^.iS. 
Fernando Palha, Lisboa. 

102 Prato com borda arrendada branco com pinturas verdes e amarellas de flores 

e folhas. Sem marca. Diametro 0'",23. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

103 Par de celhas com tampas figurandopeixes; pintura aamarelloc roxo. Marca 

n.» 35. Altura O-Jtt. Diametro 0",28. 
Duques de Palmella^ Lisboa. 

104 Jarro de forma persa em gomos com gargalo apertado; fundo branco, orna- 

tos azues, amarellos, roxos e verdes. Sem marca. Altura 0'",33. Fig. n.* 
218. 

Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

105 Jarro em forma de capacete branco com pintura azul (genero Rouen); na 

frente tem i:m medalhao com a seguinteinscrip^ao: viva svreyal persona 
EL REY DE PORTUGAAL. Pareco por csta inscripQao ser feilo em Portugal, a 
nao ser que seja artefacto de Rouen ou Hollanda destinado a Portugal, o 
que 6 mais provavel. Marca n." 37. (l)esconhecida, mas descripla por 
Jacquemart como hollandeza.) Altura 0™,24. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 



PORCELANA (china) SALA IBl 260 



PORCELANA 

106 Par de talhas, fando azul ferrete coberto de ornatos a oiro; medalhoes forma- 

dos de muitas carvas unidas, fundo branco com paizajzens e figuras de 
chins a cdres; alem d'estes, reservas iTiai> pequenas com flures, predomi- 
narido as peoaias e chrysantemas ; sobre as tampas caes deFo doarados. 
Altura l'",30. 
Duques de PdmeUa, Lisboa. 

107 Par de talhas, fundo azal ferrete, com medalhoes em f6rma de folhas, fuado 

branco, com am cesto de flores suspenso de um tronco de anona ; alem 
d'e^tes pe<]uenas reservas com paiza^^ens a cores, e sobre o fundo ramos 
soltns a oiro e outros a cores de esmalte com relevo; no comogo do bojo 
facha de filigrana de oiro com pequenas reservas com paizagens e ramos 
de flores a oiro, na bdca uma grega igualmente a oiro; sobre as tampas 
caes de F6 a oiro e preto. Altura i'",40. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa, 

108 Par de talhas, fundo brauco quasi completamente coberto com uma paizagem 

de jardim, em «|ue Hguram alem de variadas flores dois fong-hoang (pas- 
saros symbolicos), tudo a c6res, mas predominando a cdr de rosa; onde 
comega o bojo tern uma cinta de filigraua de oiro sobre fundo cor de cas- 
tanha com pequenas reservas em que se observam vistas de rio e flores; 
sobre as tampas caes de F6 dourados. Altura l'°,45. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa, 

109 Quatro talhas, fundo branco, com uma paizagem de jardim a c6res e oiro em 

que se v^ alem de um chorao varias flores, predominando as peonias e 
chrysantemas; no comego do bojo assim como nas tampas um festao a 
cdres e oiro em que se v6em as mesmas flores; sobre as tampas caes de 
F6 verdes e oiro. Altura 0",93. 
Srs, Condes de Porto Covo, Lisboa, 

110 Par de tanques ou piscinas, fundo azul ferrete e oiro no exterior, tendo me- 

dalhoes em f6rma de folhas fundo branco com flores e fong-hoang (passa- 
ros symholicos) a c5res, predominando a cdr de rosa; no interior, sobre 
fundo branco, peixesealgasacores; dos lados, formando pcga, cab^'Qas de 
animaes phantasticos (caes de F6 oa dragdes). Altura 0°',40. Diameti'o 
0-,r)8. 

Duques de Palmella, Lisboa, 

111 Tanque ou piscina, fundo branco, tendo no exterior alem de varies ornatos 

((Imips, borboletas, etc)., rcprespntada a cores uma fabrica de louga em 
plena actividade; sobre a borda varios ornatos a oiro e cores em que se 
T^eni peonias e crysanthemas e prnjuenHS reservas com paizagen^^ cdr de 
rosa; uo fundo peixes e algas a cores e oiro; dos lados, formando pega, ca- 



270 SALA £: PORCELANA. (OfflKA) 

bc^as de animaes phantasticos (raes de ¥6 on dragoes). Altura O^^il* 
Diairietro 0",60. 

Sr, Yisconde de Daupiat, Lishoa. 

112 Prato tendo no fundo um pergaminlio meio enrolado deixando ver uma pai- 

7agem a claro escuro e oiro; o resto incluindo a borda, tena varios omatos 
urcarodando reservas eai que se v^em peoniaseclirysanUiemas. Diamclro 

Da(pie$ de Palmdla, Luhoa, 

113 Prato da familia verde. No fundo paizagem de rio em qne a agua eoceusao 

quasi completamente amarollos; na borda entre om xadrez formado de 
chrysantheinas com emblemas bonorificos pequenas reservas com paiza- 
gen's com as mesroas cores; o reverse da boraa ^ igualmente dacocado. £ 
de cures rarieBimas. Diametro 0'"y52. 
Daques de PaimeUa, Lisboa. 

114 Prato da familia verdiv No centre nm cesto de floros, circamdando^o multi- 

phces e varindos compartimentos furmados por cercaduras em<qaedomina 
o verde, e em qae sobre fundo branco eslao represeqtados flores, passaros, 
dra;;oes, emblemas honorillcos, etc. ; no fmido a marca n." 38. Diametro 
0,63. 
JDuques de Pcdmella, Lisboa. 

UT) Duos chavenas brancas mettidas n'ootras formadas de nma grade encar- 
nada e oiro circuindando tres medalboes tambem em aberto com fdrmade 
chrysantbemas. Os pires furrados igualmente por outros em aberto t^m 
no fnterior a me^ma ^Tade pintada a encarnado e oiro. 
Dttques de PalmeUa, Lisboa. 

116 Ch.ivena e pires de craqude tendo a cores ramos de bamVu e outras plaoiat 

e pequentm raorcegos. No fundo de ambas as pe^as a marca n.** 39. 
Sr, Ckbome Sampaio, Lisboa. 

117 Cbavena azul com medalhaes com figaras em relevo toscamente feitas de 

porcelana branca nao vidrada ; separando os medalboes uma grade em 
abertos formados de Wan-tse (emblemas da creagao); no fundo a marca 
n.° 40, que sogutndo Jacf|nemont se deve ler : fabricado dacaate o periodo 
tcbinv^-boa da grande dynastia dos Ming (1465-1487). Oa&peoto d*esta 
cbavena verdadeiramenie excepciooal prova que a CbiDt pertenee a pri- 
meira fabrica^ao n'este generu, que em loglaterra taiUo se aperfei^a 
no secnio passado. Fig. ^19. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa. 

118 Deis pratos tendo a borda aznl mosqueado com ornatos a oiro, repres^entando 

varios emblemas e utensilios dimiesticos; no centra, circumdada por una 
faxa encarnada com ornatos a brauoo e oiro, uma vista de rio com barcos 
de Pescadores de corvo marinlio, casas, arvores e iiguras. Pur detraz, so- 
bre a borda, ramos de flores, e no centro, «iiire dois ciroolos eaocentricoSy 
a marca n.° 4d. A parte central pareoe indicar partencer a»familia verde. 



IKXiOELAKA (qBINA) SALA 'E 27i 

eorac^uanlo as bordas sejam de om genero corapletaiDente diverso. Diame- 
tro 0«',32. 

Duqiies de Pdtnella, Lisboa. 

119 Assocareiro de prata com tampa de crystal montada em pnata e pires de por- 

celana branca com paizagt^Bs a cures, genero arcbaico, tendo nu fundo, en- 
tre duis circulos coucentricos, a marca n° 42. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

120 Assncareiro e daas chavenas com sens pires brancos com paizageos a cores, 

genero archaico, tudo montado em prata e com tampas de cr}'stal i^oal- 
mente montadas em prata. N*uma das ctuearas e no pires, entre dois circu- 
los concentricos, a marca n.** 43. 
St. Anionio Maria Fidie, Lisboa. 

121 Par de pequenas garrafas da familia verde; sobre o bojo yarios ornatos e 

emblemas honorificos. Allura 0°,i6. 
Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

122 Templo 'de celadon verde mar; no interior <nm id^Jo deitado e ontro em for- 

ma de creanga oihando parafora: as paredes ^ao furmadas dedi versos em- 
blema*^ em rclevo ou em abcrtos em que freduiniiia o eao 4e F6 e o Wan- 
tse, cmblema da creagao. Allura 0°, 13. Gomprimento 0",15. Largura O^jQ. 
Sr. (hbame Sampaio, Lisboa. 

123* Chavena grande e pires com p6 encamados <:om ornatos a oiro. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

124 Garrah de celadon azul rooeqaeado, montada em brosae donrado, estylo 
LuizXVI. AkniraO",2G. 

Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

425 Puir ie garrafas fnndo aznl inosqneado com ornatos donrados, peqnenos me- 
dalhoes de variadas formas, fundo branco com flares e ntensiliosidomestU 
cos, montadas em bronze donrado. Altnra 0"',23. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

126 £aixa redondade brancoda China ifinissnno -com ornato? gravaidespcrbaixo 
«do vidro, tendo a tampa encimada por nm dragao (mordeodo um ramo de 
arvore. Diametpo 0,™!^. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

' 127 Prato com fundo branco tendo no canto, sobre nm xadrez asnl e encarnado, 

I um homem, uma mulher e duas crean^s, vestidos a Luiz XIV, oliiando 

I para dois caes, tudo circnmdado por outro xadrez de cor diversa, dobrado 

como pa pel, e com peonias e obrysantiiemas; sobre a borda varios emble- 
I mas, flores a cdres e paizagens a elaro escaro. Diametro 0^y55. 

Sr. Osborne SampaiOj Lisboa, 

128 Prato de cHadon verde mar com flores lavradas debaixodo vidro. Pegadeiras 



272 SALA E PORCELANA (china) 

de bronze dourado estylo Luiz XV. Diametro O^^^S?. Pe<^a completamente 
excepcional. 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

120 Par de jarras acharoadas de preto com embntidi^s d3 madreperola, repre- 
sentando paizapens e varios omatos. Altura 0'°,48. 
Daques de Palmella, Lisboa. 

130 Par de jarras de familia de mandarins, brancas, com ornatos de filigrana de 

oiro e medalhSes de personagens a c6res. Altura 0°,43. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

131 Par de jarras qoadrangulares, com azas e tampas, aznes, com paizagens eva* 

rios ornatos de flores e passaros a oiro; encimaudo as tampas caes de Fo 
dourados. Altura 0"',55. 
Daques de Palmella, Lisboa. 

132 Par de jarras hexagonaes com suas famoas, da familia de mandarins, com 

ornatos de filigrana de oiro, medalhdes e reservas com personagens e pai- 
zagens a c6res e tinia da Cliina. Altura O^'ySS. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

133 Par de talhas fundo preto e verde com peonias, clirysantbemas, oatras flores e 

varios emblemas a rOres. Allura 0",60. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

13'^ Par de jarras da familia de mandarins, com guarnii^oes encarnada:;, pretas e 
oiro, medalhdes e reservas com paizagens e Hguras, sendo algumas com 
grande relevo ; sohre as tampas caes de Fo. Altura 0'°,(>4. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

135 Par de jarras com suas tampas brancas com varios ornatos e medalhoes de 

paizagens a sepia e oiro; sobre as tampas iiguras de mulher, provavel- 
mente alguma divindade. Altura O^'ySS. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

136 Par de jarras da familia de mandarins, com guamiy5es de flores e folhas em re- 

levo e cdres sobre fundu pintado de encarnado com ornatos dourados e pre* 
tos; medalhoes de personagens e re^'e^vas com paizagens e passaros; dos 
lad<)s, formando pe>!as, duas estatuetas de mulheres ; sobre as tampas caes 
de Fo. Altura 0'\m. 

Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

137 Par de talhas de familia chrysanthemo-peoniana, brancas com flores e varios 

ornatos em azul, verd^, encarnado e oin*; enlre a hoca e o bojo uma cer- 
cadiira com emlJemns de magistrado. Allura 0™,()l. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

138 Par de jarras cdr de laranja com medalhoes em forma de roma, fulhas eper- 



PORCELANA (cHIXA) SALA E 273 

gaminhos enrolados brancos com flores. Notaveis pela raridade da cor. 
Altura 0'»,48. 

Sr. Osborne Sampato, Lisbon, 

139 Par de jarras verde claro com trai^os a preto, imitando pedra; medaliioes 

braacos com paizagens pintadas a cur de rosa. Altura 0'°,40. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

140 Jarra da familia de mandarins com ornatos aznes e Rligrana de oiro ; grandes 

medalhdes com paizagens e figuras a c6res; pequenas reservas com passa- 
ros e flores a cdres, oatras com paizagens a encarnado ; sobre a tampa cao 
de F6. Nolavel no sea genero. Altura O^jCS. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

141 Par de jarras de fundo azul escnro e oiro, e medalhdes em forma de folhas 

brancos em paizagem de jardim a cdres; sobre as tampas caes de F6. Al- 
tura 0»,72. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

142 Jarra cylindrica terminando por uma bdca tambem cylindrica mais estreita, 

branca com pintura de flores e varies ornatos a encarnado e oiro no genero 
persa. Altura 0",63. 

Sr, Visconde de Daupias, Lisboa. 

143 Jarra com tampa branca, com paizagens de jardim em que sc v^em peonias 

e chrysanthemas a oiro e cdres. Altura 0"^,^. 
Duques de PdmeUa, Lisboa. 

144 Jarra cylindrica terminando por uma bdca tambem cylindrica mais estreita, 

branca com scenas familiares pintadas a encarnado, azul, verde e oiro. 
Fora do commum pela grandeza das figuras e correcgao do desenho. Al- 
tura O",?!. 

Sr. Edtuirdo Yan-Zeller, Lisboa. 

145 Par de jarras brancas adamascadas de branco com medalhdes de flores a 

oiro; sobre as tampas caes de F6 a cores. Altura 0'",72. 
Sr. D. Duarte Manuel, Lisboa. 

146 Taiha azul escurissimo com medaUioes de diffiBrentes tamanbos formados por 

muitas curvas reunidas de fundo branco com flores epassaros, a encarnado 
azul, verde e oiro; sobre o fundo variados ornatos dourados. vigor das 
cdres, belleza do esmalte e perfeigao do desenho tornam esta pe^a verda- 
deiramente excepcional. Altura O^jSZ. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

147 Jarra de base estreita, bojo, e terminando por um canudo; branca com pin- 

tura azul, verde, encarnado e oiro representando grandes ramos de peo- 
nias e outras flores e variados passaros. Bello specimen no seu genero. 
Altura 0",67. 

Sr. Eduardo Van-Zeller, Lisboa. 

18 



274 SALA ES porcelana (chika) 

148 Par de jarras de c5res afogneadas; amarellas, roxas, hranras, aznes e ver- 

des. T^em urn a>perto iiiuito extraordinario e parecem ter ^€^vido para 
amostras de cure^. Altura 0'",48. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

149 Par de estataetas de malheres com jarras na mio servhido do rasti^aes; tra- 

ges amarellos, enrarnados e verdes, semeados de ornatos a oiro e cores. 
Bello specimen do ^^enero. Altura 0'",42. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa, 

150 Jarra branca com ramos de flores cor de rosa, amarellos, verdes e brancos^ 

e inscripQoes chinpzas a tiDta da China, Altura 0",46. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

151 Par de jarras quadrangulares brancas de especie chamada da India ^om cer- 

cadura nos angulos de folhas, fruc'tos e rates em relevo, ooi^es e oiro; 
grandes medalliocs e reservas com flores e inaectos pinta^Uis; sobre as tarn- 
pas caes de F6. Altura 0'°,46. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa, 

152 Grupo de duas figuras abragadas tendo cada uma a sua jarra na mao; cabe- 
(as, barriga e luaos brancas, os irajes pintados de r^de, azal, roxo e en- 

carnado com ornalos. Altura O^jiG. 
Duques de Patmella, Lisboa. 

153 Par de potes azul ferrete com peonias, borholetas e fnlhas f6r de rosa e ver- 

des com algufii reinvo espalhados sobre o fundo. Altura 0'',42. 
Sr. Conde de VUta Real, Lisboa. 

184 Par de jarras hexagonaes da familia de mandarins brancas cam irmpos de fi- 
guras em relevo e oiro em cada face; sobre a boca ramos de flHrfs e cerca- 
duras douradas; sobre a tampa caes de F6, dourados. Altura 0",45. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

153 Par de jarras cor de rosa com ramos de f|j»res era relevo a cGreseoiro; tarn- 
pas enciniadas de ras douradas. Altura 0",35. 
Duques de Palmella^ Lisboa. 

156 Par de cabalas brancRs com ramos de peonias e cbrysanttemas ames encai> 
nados e oiro. Altura 0'",46. 

Srs. Osborne Sitmpaio e Macedo Braga^ Lisboa. 

137 Estatueta de Siwnvg-mouy deusa da longcvidade; tem na maonm ramocom 
tres fan-tao (|M-c.'g«»s de longevidade), seu symbolo; esta votida com tra- 
jes chinezes venles, azues, roxos e encarnados; deseansa sobre oma base 
de madeira preia e tem ao lado um veado tambem de madeira, e por de- 
traz uma arvon* (fnntno) carregada de fractos, tudo de madeira. Altura 
da deusa, sem a ba>e, 0'",63. 
Sr. Osborne Sarnpaio, Lisboa. 



P<»CELANA (cHHS'A) SAI.A E 275" 

*t88 Par de groos brancos com as pennas formadaspor phiUira branra e prela em 
relevo; bicos e palas prelos e piuipas mxas; dt^sransain sobre m(.itas ver- 
des; nioDtagem de brinze do e>iyto e epoeha de Luiz XI Y. Sao finamente 
modelados e pintados. grou e na Chiua urn dos syiubolos da longevida- 
de. Aluira 0",47. 

Sr. Osborne Sampaio, Lhboa. 

159 Par de carpas r6ra de agua, pintadas de azu), roxo, verde, enearnadn e oiro, 

imitando perfeitissimameme as cdres naluraes; estao gobre uns socos de 
feitio irregular e pintura tosca, mas em que ne distingue urn dragao de einco 
garras;eram provavelmente destinadas para flureira*^. A exlraurdinaria 
perfei^ao com que estao modeladas e pintadas tornam estas daas pe^as 
complelamenie exeepcionaes. Altura 0",34. 
Sr. Osborne l^mpaiOj Lisboa. 

160 Par de floreiras em forma de grande-* oaes pintados de cor de castanha com* 

Cdlk'iras vermelbas e guisos dourados. Sao duas pegas de primeira ordem. 
Altura 0",57. 
Buques de Pahndlaj 'Lisboa, 

1161 Bacia octogonal da Tamiliji verde, com ornatos variados de peonias, cbrysan- 
themas, fo^igkoaTig (passaro syniholim), borboletas e carpas; a b(.rda 6 
igualmente pintada no exterior, liello specimen do genero. Comprimento 
0^,30; Jargura 0-,2f). 

Sr. Macedo Braga, Lisboa, 

162 Jarro em forma de capacete, da familia verde, com ornatos variados de flo*^ 
res e passaros e uma carrauca por baixo do bico. Altura 0'",2d. 
Sr. Eduardo VanZeller, Lisboa, 

.163 Travessa octogonal branca com^piatura a c6res e oiro, de passaros, flores di* 
versas e variados ornatos. Speciineji de servigo. Cumprimeato 0",4^. 
Srs, Condes de Poito Covo, Lisboa, 

164 Jarra terminando por urn gargalo alongado e estreito, de fundo cor de rosa 

aroxeado cum ramos de peonias e clirysantbemas, passaros e patos (ina- 
mente pintados. Bello specimen de cor muttoTara. Altura 0",41. 
Sr, Osborne Sampaio, Liiboa. 

165 Terrina redonda, com tarn pa e pratn, de craqurU amarello e miudo, com 

troncos e folhas de banibu pintados de azul. Sobre o fundo da terrina a 
marca n." 44 (desconherida). cinqueH do prato p muito mais miudo que 
da terrina. Altura 0"',i29; diamelro do prato 0'",^2. 
'Sr. D. ^Fernando de Sousa, Lisboa, 

W6 Prato azul mosqueado com sete medalbues circulares, tendo tree no meio de 
uma pafzagem verde, azul e encarnada Siwang^mou, deusa da longevi- 
dade; em ires outros, sobre fundo vt*rinelho, v«sos de sacrilicio e utensi- 
lios sagrados azues, e no do centro, sobre o mesmo fundo, arabescos e uma 



276 SaLA E pofiCELANA (china) 

peonia azul. No fundo, rodeada por dois circulos concentricos, a marca 
n.° 38. Specimen notavel. Diamelro 0",36. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

167 Prato azul com flores (peonias e clirysanlhemas), e folhas douradas. Speci- 

men de servigo. Diamelro 0"/4l. 
Fernando Palha^ Lisboa. 

168 Terrina e prato de forma europ(ia, fazendo lembrar os modelos francezes do 

tempo de Luiz XV, branca, aos gomos, com quatro p6s furmados por fo- 
lhas dc couve verde, azas com carrancas e tampa encimada por uma 
grande couve meia desfoliiada verde, varias cercaduras de flores e oniatos 
a cores e oiro, no mesmo estylo; sobre os lados e [)rato brazoes de armas. 
Bello especimen do genero. Allura 0'",36; comprimento do prato 0",4I. 
Sr. Visconde de DaupiaSj Lisboa. 

169 Par de bules Ggurando um disco collocado sobre uma base oval, e encimado 

por um pequeno cylindro e tampa; pintura azul, verde e encaroado ferro. 
represeutando, entre varios ornatos e peonias n'uma das faces, dois dra- 
goes combatendo, na outra dois fong-hoan;; (passares symbolicos). Bicos 
verdes e azas com cabegas de dragao niuciido em bronze igualmente 
chinez. brilho das cores, o genero da decoragao e belleza do esmalte 
indicam que se deve ciassificar como sendo dos melbores e mais antigos 
productos da Ciiina, em que apparecem estas c6res, provavelmente ainda 
no seculo xvi se nao no xv. Allura 0°,34. Figura n.* iiO. 
Sr.' D. Magdalena Palha, Lisboa. 

170 Cabaga com base quadrangular branca com pintura azut; sobre a base, en- 

tre varios ornatos, dragoes com cinco garras; sobre a parte ci^pberica su- 
perior n'uma paizagem varios personagens historicos ou di^indades tendo 
na mao os embiemas que os distinguem. No fundo a marca n." 45, que 
segundo Jacquemont se deve ler : fabricado durante o periodo Kia-tsmg 
(I52i 1566) da grande dynastia Ming. Allura 0",32. 
Sr. Osborne Sampaio/ Lisboa. 

171 Par do vasos cylindricos e canelados da familia verde; tern alem de varios 

ornatos de flores, passaros, etc., em pequenas reservas por baixo daborda 
carpas envolvidas em algas; dos lados, lormando pega, duas pequenas ca- 
be^as de caes de F6; cercadura intern?, de varios ornatos encarnados e 
oiro; no fundo uma peonia. Bellissimo specimen do genero. Allura O",!?; 
diamelro 0'",20. 

Sr. Osborne Sampaio j Lisboa. 

172 Tijela branca com pintura azul de figuras, e formada por uma grade branca 

com pequenos medalhoes pintados de azul. Sobre o fundo, entre dois cir- 
culos concentricos, amarcan." 40, que, segundo Jacquemart, se deve ler: 
fabricado durante o pmodo Tching-hoa (1465- 1487) da grande dynastia 
Ming. Diamelro 0™, 14. 

Sr. Eduardo VanZeller, Lisboa. 



PORCELANA (china) SALA E 277 

173 Par de jarras quadrangulares da especie chamada da India, fundo branco as- 

pero, como pelle de lixa, com pefjuenos ornatos em relevo dourado e a 
cores; grandes medalh6esacores,com mandarins ca^ando; oulros mais pe- 
quenos com floras e paizagem; azas douradas e sobre as tampas caes de 
F6 encarnados e oiro. Altura 0'",46. 
Fernando Palha, Lisboa. 

174 Pole com tampa, branco, com arabescos e varios ornatos cor de lijolo. Pouco 

vulgar pela cdr, comquanto sc nao recommende pela perfei^ao dos desenhos. 
Altura 0"",43. 

Sr. Macedo Braga, Lisboa. 

17o Par de antilopes deitados, brancos, com pellajrem roxa e malhas azues, ama- 
rellas e encarnadas; colleira de cor. Gomprimento O^jSi. 
Sr. Antonio Maria Ftdie, Lisboa. 

176 Terrina em forma de gallo deitado, pintado de variadas cores. Altura 0",40. 
Gomprimento, 0'°,34. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

ill Gaixa em f6rma de caranguejo, sobre uma foiha pintada de verde; sobre a 
tampa um peGjueno buzio dourado. Gomprimento 0°',27. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

178 Potc de fundo verde, com ornatos lavrado^; sobre o bojo e tampa ramos de 

flores e passaros a cores. Altura 0'",41. 
Duques de Palmella^ Lisboa. 

179 Elephante todo pintado com pequenos tragos de tinta da Ghina, querendo imi- 

tar polios; sobre o lombo xairel pintado a cdres e oiro, nogenero da fami- 
lia verde, com varios ornatos, em que predominam chrysanthemas. Altura 
0»,«l. Gomprimento O^.ai^. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

180 Gaixa em f6rma de tapir, pintado de cinzento, sobre um prato em f6rma de 

foliia, branco, com flores a cores^ e pe(|ueno tapir em relevo; tampa iguaU 
mente em f6rma de foIha branca, com flnres a cores, e encimada por um 
pequeno tapir em relevo. Gomprimento 0",ti3. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

181 Prato branco com flores c6r de rosa e folhas. Sobre o fundo, entre dois cir* 

culos concentrit'os, a marca n.'* 46, que seguindo Jacquemont, se W : fabri- 
cado durante o periodo Tchinghoa (1465-1487), da dynai>tia Ming; a 
natureza do esmalte, impet feitissima, e as cores parecem indicar que oa 
esta marca ^ falsa, comquanto a falsiflcai^ao seja de origem chineza, oa 
que as fl.ires foram pintadas n'uma opocha posterior a fabrica^ao do prato. 
Diametro 0"»,38. 

Sr. Macedo Braga, Lisboa. 

182 Prato branco com flOres c6r de rosa e folhas verdes. Tem no fundo a mesma 



278 SALA E poftGBLANA (china) 

marca do antccedente, e cabem-lhe as mesma^ refbxoes. Diametra 0*,42. 
Sr. Macedo Bi'aga, Lhboa. 

483 Grapo de duas figaras represeutando um chines sentado, tando um p^ des- 
cal(;o em rima do joelho de uina rapariga que parece curar-lhe oscalos; a 
cara do homem, iiiuito express! va, ri com gosto; elia parece envergonha- 
da. As caras, p6s e mfios braacos, o resto pintado de cores vivas. Altura 

Fernando Palha,, Liskoa, 

ISi Pole branco com pintura azul, encarnado e oiro, representand*) flores (peo- 
nias) e passaros. No fundo dois circulos concentricos. Altura 0'",34. 
Sr. Macedo Braga-, Usboa^ 

185 Par de grupos de duas flgnras abra^adas cada urn pintados de verde claro, 
azul e encarnado. Altura 0°',29. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunka, Lisboa. 

180 Par de cabe^as de javali pintadas de cores variadas. Ailara 0*',28. Conipri- 
mento 0'",38. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha^ Udoa, 

187 Par de talhas azues e brancas, com (lores cor deroaa eornatosdourados. So- 

bre as tampas caes de Fo. Altura O^jTO. 
Sr, Visconde de Daupids, Usboa, 

188 Grande peixe vermelho com escamas dooradas e olhos pretos; tern tampaen- 

cimada por outro ppqneno peixe. C«>mprimento 0",47. 
&i\ Francisco JUiiJeiro da Cunlta, lAsboa. 

189^ Brato branco oom cercadura a tinta da China, e no centra, no meio de ama 
paizagem e rodeados de nuvens, personagens que parecem de origem en- 
ropda, em posturas um pouco livres, tudo a tinta da* China, encarnado e 
oiro. Diametro 0",37. 

Sr.. Franci9C0 Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

iiM) Figura de barro vidrado pintado de verde, representando unia< molher de 
brugos segurando com ambaft a&^mao8 unia tigela on baoia. AJtttnbO*,19. 
Comprimento 0"',24. 

Sr. Macedo Braga^ Lisboa. 

lOi Prato reeortado, braneo, oom cercadara adamascada e oemt(»eqaiHia8 flores; 
DO oentnov no meio de uoiai paizagem, am iadio sobre um* elepbante. Dia- 
metra 0",35*. 

Sr. Uacedo Bragdj Lisboa. 

192 Prato azul com flores douradas. Diametro 0'",23. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

193 Taiha braoea eom festoes e oercadaras de flores e moEaicoa variadoff; em 



-POBCJiLAXA (ciilna) SALA K 279 

torao do bojo, <i'am recinto fechadb por uma ^rade ^trela^ack de flores^ 
BO^ cavalteuros entre^aio-se a exercicios equestres, emqoaQto da varanda 
de uiua casa vark>s personacrens q& oteervaiu e applaudeo. Altun^ 0°',50. 
Dm^mcs de Paimdlu, Usboa. 

19& Prato arrendado da familia rosa; sohre a borda uma cercadura eoi losangos 
cQcaroados e oiro; no centro uma seohora sentada no meio de um jardim, 
com uma flor oa hoo e oihaaiW para un eoeliitnho branco. DJametro 0^,26. 
5r. FranciscQ RAnm da Cunha, Lisboa, 

195 Caixa em forma de gallo espojando-se, piutado com as e5res naturaes e for- 

lAaBdo a pe^ da taiapa ouiro pequaao gatlo. AUara 0"*,1S- 
DuqueM de PolrnMa, iMboa. 

196 Par de terrinas com com seus pratos, de forma europ^a, fazendo lembrar os 

lAodelos fraoeezas do lempo de Luiz XV, braneas, aos gomos, com quatro 
\)^ foriBados por foJhas i» eoave verde, azas com carraocas e tampas en- 
< imadas por graudes couves verdes meio desfolhadas; varia« cercaduras 
lie flores e ornatos a c6res e oiro, no me^mo estylo; &obre a frente e prato 
hrazoes de armas. Specimen de serviqo e perfeitos no sea genero. Altura 
t>'",35. CowpriiaeBto do prato U°',41. 
Sr.' Qmdessa di FieMo, Lisboa. 

197 Floreira oval com borda em abertos; no fundo uma paizagem de jardim a 

cores e oiro; sobre os bordos pequenos medalhoes com flores e varies or- 
uates. GonnrimeiOo 0'°,35. Largura 0°*,27. 
Duques de Palmelia, Lisboa. 

198 Caixa com forma de roma, encamada, com ornatos dourados, bagos c6r de 

rosa e iroaeo verde. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cumhay Lisboa. 

190 Jarra em forma de caoudo, estreitando na bdca; branca, com oereaduras de 
flores e arabescog azues. No fundo a marca n.** 56. Altura 0"*,23. 
Sr. Eduarda VanrZelUr, Lisboa. 

200 Poquena garrafa com gargalo comprido e muito estreit^ ; branea, com flores 

folhas azues. INo fundo a marca n.° 47. (Desconhecida.) 
Sr. Ed»ardo Yan-Zeller, Lisboa. 

201 Caixa em f6rma de roma, de porcelana chamada de Cantao, branca e azul 

<'om <»rnatos dourados; prato da mesma poreelana, aos gomos. Diametro 
do prato 0",2i. 

or. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

202 Praio branco com a borda adamascada e pequenas reservas com paizagens 

vOr de rosa; no centro flares e passaros a cOresr Diametro 0™,22. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha^ Lisboa, 

SQ3 Prafti bcaneo com pintura aznl; sohre a borda cercadura formada de flores e 



280 SALA E porcelaka (chl\a) 

grous ; no centro paizagem em que se \6, alem de outros ornatos e em- 
bleiuas, uma torre de pagode e dois fong-hoang (passaros symbolicos); no 
reverso da borda ramos de arvore com pecegos de loDgevidade e passaros 
poasados. No fando a marca n.° 48, que, segnudo Jaequemout, signiiSca: 
fortuua, digDidades, primavera perpetua. Diametro 0'",34. 
Sr, Antonio Maria Fidie^ Li$boa. 

204 Pole, com tampa, c6r de castanha com medalhoes em f6rma de folhas braneas, 

com flores a cdres. Altura 0",22. Diametro 0",19. 
Sr. Edtuirdo Van-ZeUer, Lisboa. 

205 Prato branco com festdes de flores evarios oruatos a cdres sobre a borda; no 

fundo, no meio de um jardim, dois gallos cantando. Diametro 0',20. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

206 Yaso hexagonal, branco com flores a cores e cercadura encarnada sobre a 

borda; prato com cercadura damesmacdr. Comprimento 0°*,29. LanBrora 
0»,20. 

Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa, 

207 Grande vaso ou poncheira, recortado em ameias, azul, com flores e folbas vi- 

vamente douradas, predominando as chrysanthemas e peonias. Bello speci- 
men do genero. Altura 0"*,28. Diametro O^jSS. 
Fernando Palha, Lisboa. 

208 Prato oval recortado em abertos com flores e insectos pintados no fundo e cer- 

cadura de flores e fructos em relevo e cores. Comprimento 0",22. 
Sr. Macedo Braga, Lisboa. 

200 Bacia ou poncheira da familia verde; no interior cercadura de mosaico ver- 
de, azul e encarnado, com reservas de fundo branco com animaes phan- 
tasticos; no fundo, no meio de uma paizagem, dois caes de F6; no exte- 
rior a mesma cercadura, mas tendo nas reservas ramos de flores e plantas, 
e medalhdes separados com traces vermelhos com paizagens de jardins oa 
animaes diversos, phantasticos e verdadeiros. No fundo entre dois circolos 
concentricos a marca n.** 49. Diametro 0'",34; altura 0",18. 
Fernando Pdha, Lisboa. 

210 Garrafa hexagonal de craquele largo, verde claro. Altura 0°',28. 

Duques de Palmella, Lisboa. 

211 Tigre pintado de amarello, preto e encamado, sobre um s6cco branco com flo- 

res e folhas verdes, azues e encarnadas. Altura 0",28. 
Fe7'nando Palha, Lisboa. 

21!i Bacia ou poncheira branca com pinturas de variadas cores; no interior cerca- 
duras de flores, romas e pecegos de longevidade, tudo ligado por um bam- 
bu; no fundo um grande cesto de flores; no exterior um grupo de crean^as 
montando cavallos de papelao, com lanternas, chicotes e outros brinque- 
dos rodeiam outra que se introduziu dentro de um cao de F6 fingide (de 



POBCELANA (cHINa) SALA E 281 

papelao oa panno); fiaamente pintado; bello specimen do genero. Altora 
0»,iO; diametro 0",40. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

213 Prato branco com cercadura azul, verde, encarnada e oiro de varios ornatos; 

no centro uma paizagem no genero archaico em que se vd um grou 
voando e um veado. Diametro 0'",^2. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

214 Prato da familia rosa com cercadura de filigrana vermeiha em festoes e flo- 

res ; no centro, sobre fundo branco, ramos de peonias. Diametro 0'",23. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

216 Prato da Tamilia rosa com cercadura de (lores esmaltadas em relevo e no cen- 
tro flores, vasos de sacriGcio e urn pato dourado sobre uma mesa. Dia- 
metro 0'",22. 

Sr. Francisco Ribeiro da CunJia, Lisboa. 

216 Prato da familia verde, branco, com cercadura encarnada, verde, amarella 

e oiro com reservas em que se v^em caes de Fo, vasos de sacrificio e em- 
blemas de magistrado; no centro duas senhoras n*um jardim. Diametro 
0",24. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

217 Prato da familia rosa, com o fundo de filigrana encarnada com flores em es- 

malte com relevo. No centro, sobre um pergaminho desenrolado, um ho- 
mem saltando de um tclliado para o jardim onde o espera uma rapariga; 
assumpto extrabido de um poema. Bello specimen do genero. Diametro 
0»,23. 

Sr. Macedo Braga, Lisboa. 

218 Prato da familia rosa, branco, com cercadura de variadas c6res eoiro em 

que predomina a cdr de rosa e em que se v^em emblemas de magistrado; 
ao centro vasos de sacrificio e flores. No fundo a marca n.** 38. Diame- 
tro 0»,23. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

219 Prato da familia verde, branco, com cercadura de lozangos verdes, encarna- 

dos e roxos com pequenas reservas com flores; ao centro paizagem de jar- 
dim. Marca n.** 41. Diametro 0'",ti2. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

220 Prato branco com cercaduras encarnadas, verdes, azues e oiro ; ao centro 

um pequeno medaihao com paizagem. Parece ter alguns dos caracteristi- 
cos da familia verde. Diametro 0°',22. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

221 Chavena e pires da familia cbrysantbemo e peoniana, brancos^ com os orna- 



SS2 SALA £: poftCELAKA (gbima) 

t08 qse distiDgaem o genero. Diametro do pires 0*,16; altura da chaveaa 

Sr, D. Fernando de Soum, Lisboa. 

322 Duas cbavenas com seas pires de casca de ovo da familia de maadarina, «ini 
cercadura de fiiigraoa de oiro com reservas com pa^<aro6 e paizagens a 
cores, e medalhoes de costumes familiares a cdres. Diametra dos pires 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Luboa. 

223 Daas chaveoas, com seas pires, encaraado escuro, com medalhoes de estylo 
europea rodeados de flores e ornatos dourados com reiratos de persona- 
gens chiaezes (mandarins e damas). Diametro dos pires O'^iS. 
Daques d€ Paitnella, lAdHM, 

22i Cafeteira em forma de c6ne troncado sobre tres p6s ; encarnada com omatos 

c flores brancas e oiro; dos dois lados medalhoes brancos com fong-boang 

(passaros symbolicos), vistos de frente e dourados; sobre a tampa oatros 

similhantes. Muito notavel pela raridade da Torma ecdr. Tern uma tomeira 

de bpoaze. Altura O^^BO. 

Duqaei de PalmeUa, Lisboa. 

225 Dois pratos azulescuro com um dragao doarado e rodeado por diversos 
ornatos a oiro. No fundo a marca n.° 50 (1786-1795), s^aindo Jacqae- 
monl. Diametro O^jSO. 

Sr. Ankmio Maria Fidii, Luboa. 

^C Par do bacias oa poncheirat brancas com pintara azul de flores oriadas de 
uiro em relevo. Specimen raro no sea geaero. Diametro 0^,89. 
Sr. Osborne Siampaio, Lisboa. 

227 Cafeteira de r6rma conica branca com pintara a c6res de passaros e flores. 

Diametro 0'»,2a 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

228 Par de caiias em forma de peixes brancos com pintura eocaraada e tampa 

encimada por pequenos peixes. Gomprimento O'^jSS. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

229 Baria ou poncheira, da Tamilia de mandarins, com cercadnras de filigrana de 

oiro e flores cor de rosa ; medalhoes com personagens e paizagens floa- 
mente pintados ; no fundo um Bouddha. Bello specimen do geaero. Dia- 
metro O^jSy. 
Duques de Palmellaj Lisboa, 

^SiQ Prnto da familia de mandarins branco, com cercadoras de filigrana de oiro e 
flores e ao centre uma senhora cbineta levada n'uma cadeira de rodas e ro- 
deada pelas suas creadas com lanternas, guarda sol^ enxota moscas, etc. 
Diametro 0",2 1. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



MRCBLANA (china) SALA £1 283 

231 Prnto branco adamascado debaixo do vidro com uota paizagem:; fuado co- 

berto oom unia< gra>ie duurada; ao ceotro ainaborboleta. dourada; cer- 
cadura em lozango>i azues e oiro. 

Sr, Francisco Riheiro da Cunha, Lishoa. 

232 Bacia branca com pintura cor de rosa; genero europea; no centro o julga- 

meoto dn Paris. Diametro 0^,38. 

Sr. Francisco Riheiro da Cunha, Lisboa. 

233 Prato branco com pintnra azul, tendo nc fundo dois caesde F6, cercados com 

vurios ornatos e guarni^oes em que se v^nm emblemas de magistrado e 
pet'egos de longevidade. No fundo a marca n/ 51. Oiametro 0"',29. 
Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

234 Caneca do genero chamado de Cantao azul e branca, com uma facha, ao cen- 

tra, de estrellas formadas por pequenas lentilhas transparentes. Al* 
turaO-.lO. 

Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

"SSS Chavena e pires brancos com troncos de arroro e ramo» de flores- ai encama^ 
do, verde a oiro, no genero arehaico. Diametro do' pires Q'^,iA. 
Fernando PaUia, Litboa. 

1fi36 Cliatvna e pires de casca de o^o branca com oepcaduras de flores e meda- 
llioesi de tlgura» a sepia, cdr de rosa eoiro* Diametra do pires O",!*^. 
Sr. Antonio Maria Fidie,.Lidfoa, 

237 Chavena e pires da familia de mandarins, de fundodisfiligrana de oiro com re- 

servas de paizagens e passarus e medaU!de»dtopersonagens. Fino specimen 
do genero. Diametro do pires 0'",i4. 
Sr. Amtonio Maria Fidie, Lieboa. 

238 Ciiavena com pires e tampa de casca de o^; fundo entifolhas vendes com p^s 

bran^os, semeadas de insectos a cores; no fundo da chirara dois pecegos 
de longevidade e nm moroego. No fundo* a marca n.*" 50, que, spgundo 
Chaflers e iaoquemontv se Id: fabrieado no peraodo Kien Long (1706- 
1795). Diametro do pires 0»",i5. 
Sr.* D. Maria da Piedade Palha. 

239 Chavena e pires quadrangulares imitando o chamado cobre de Macau. Lar- 

gurado pires 0",10 

Duques de Palmella, Lisboa. 

240* Tigela e piras bnanoos; sobro o pires ramo de peenias e cbnrsanthemas doura- 
do^ no exterior da tignia tronroft dooradtis «om< paesaroa'e peonias a cdres; 
nil* interior ramos de flnres e folhas e ao centre duas bonboletas eneamadas 
formando um circulo. Diametro do pires 0",18. 
Sr. Francisco Riheiro da Cunha, Lisboa^ 

241 Uma* de forma enropda no estylo Laiz XYL com tampa arrendada e variof 



28i SALA E PORCELANA (china) 

ornatos a encarnado, azul e oiro em relevo e no mesmo e<(tylo ; de cada 
lado pequenos medalliSes de paizagens a sepia. Altura 0"',44. 
Srs, Condes de Pm^to Covo, Lisboa, 

242 Par de jarras da familia de mandarins, de fando de Hiigrana de oiro com flores 

a cores e medalhdes de per^onagens a c6res ; formando pegas, cabei^as 
de caes de F6; sobre as tampas caes de Fd dourados. Altura 0'",37. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

243 Bacia oa poncheira branca, com flores e insectos a c6res e vasos com peonias 

e chrysanthemas em relevo e oiro ; no interior iim pequeno ramo de flores 
e uma cercadura encarnada, oiro e tinta da China. Diametro 0^,^. 
Duquesde Palmella, Lisboa. 

244 Cabaga acharoada de preto com flores e varios ornatos dourados. Altura 

0'",47. 
Fernando Palha, Lisboa. 

245 Bacia branca com pinturas a cdres, que parecem tiradas da mythologia clii- 

neza; sobre o fundo v^se um rio caudeloso eatre margensescarpadas; no 
meio do rio, suroindo-se nas ondas, um dragao ; na niargem direita deuses 
ou santoes entregam-se a varias occupaQoes : um coga-se com uma mio 
de marfim, outro co(^ o ouvido com um palito, outro deita remendosn'um 
traje qualquer, etc. ; na margem esquerda outro grupo de personagens que 
denotam ser de mais alta gerarchia, parecem failar com os fronteiros. So- 
bre a borda uma paizagem tambem com personagens, que pelas suas atti- 
tudes trajes parecem historicos. Diametro 0'",4(). 
Sr. D. Duarte Manuel^ Lisboa. 

246 Tres pratos em forma de leque, brancos, com varetas douradas e pannos em 

mosaico e troncos de peonia a cores. Flecha, 0",20; areo, O^jZT. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

247 Prato branco com cercadura de peonia cdr de rosa e ornatos dourados; ao 

centre duas mulberes em conrersa n'um jardim. Diametro 0",23. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

248 Prato branco com cercadura a c5res e no centre uma vista de rio. Diametro 

0'»,22. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

249 Terrina branca com flores a c5res; pes azues e ornatos em relevo c6rdecas- 

tanba e preto; dos lados duas folhas verdes tambem em relevo; formando 
a tampa uma grande flor cdr de castanha com calix azul e duas folhas ver- 
des. Forma elegaoti<siroa em que se percebe a influencia europda. Altura 
0'»,27. Comprimento 0»,:^0. 
Duques de PalmeUa, Lisboa. 

250 Par de jarras do genero chamado da India; fundo verde claro, aspero como 



PORCELANA (ciiina) SALA E 285 

pelle de lixa, com omatos do flores a oiro e c6res; medalhoes a cores de 
personagens (scenas familiares). Allura 0'",28. 
Duques de PcUmella, Lisboa. 

251 Jarra de forma persa, branca, com pintaras encarnadas e oiro, tambem no 

genero persa, com chrysanthemas e varios ornatos. Altura 0'",39. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

252 Par de caixas de cha qfuadrangulares, fundo branco esverdeado, com pintura 

encarnada, azul e oiro, de personagens e flores. No fundo a marca n.° 54, 
qae parece ser urn s^llo de mandarim. Altura 0'",30. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa, 

253 Duas chavenas de casca de ovo, brancas, pintadas com flores azues. No fundo 

a marca n.° 52. Diametro 0°',60. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

254 Duas chavenas, com pires com pe, cor de cafe com lei te semeadas de peonias 

douradas. Diametro dos pires O^^.IG. 
Sr, Antonio Maria Fidie^ Lisboa. 

255 Duas chavenas com seus pires, de casca de ovo, brancas, com cercadura a 

c6res e oiro de varios ornatos, no genero europeu, do tempo de Luiz XIV; 
no centre dos frisos e reproduzido na charena, em menores dimensoes, um 
Cupido de espada a cinta e chapeu de tres bicos debaixo do bra^o passeia 
n'um jardim. Diametro do pires 0",i2. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa, 

2.j6 Chavena e pires, de casca de ovo, com pintura europ^; no pires, rodeado 
por uma cercadura de ornatos dourados, v^-se uma senhora vestida com tra- 
jes do tempo de Izabel de In^slaterra, dando a mao a uma velha que Ihe M 
a sina; atras d'ella um menino; na chavena medalhoes com flores o per- 
sonagens, circumdados pelos mesmos omatos dourados. Diametro do pires 
0»,12. 

Fernando Palha, Lisboa, 

257 Duas chavenas e pires brancos com dragoes de cinco garras encarnados e 

oiro saindo de ondas verdes; no fundo da chavena e centre do pires sel- 
los dourados; cercadura de varies ornatos encarnados em que se v(*em mor- 
cegos. Diametro do pires 0'",12. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

258 Duas chavenas com seus pires, do genero cliamado de Cantao, com cercadu- 

ras em estrellas transparentes. Diametro do pires 0°',14. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

259 Chavena e pires de casca de ovo branca, com peonias plantadas em rochedos, 

a oiro. Diametro do pires 0'",12. 
Fernando Palha, Lisboa, 



^ALA B poncELAKA (chbta} 

S60 Par de v»sos de forma enropto, estylo Luiz X\l, brancoR, com frwBsos fes- 
toes em relevo, furiHados por um \'6t) roxo e oiro susteDlaodo arcos enlre- 
la^adiM por duas rosiis tainbem em reievo; alem d'estes, vuri^ omatosen- 
carnadtis e oiro. Aitura 0'",3i. 
Buques de PalmeUa, Lkboa, 

261 Par de tigelas e pratos, azul mosqueado, com grandes chryf anthemas e folhas 

dourada.s ; o inlerior da tijiela branco, corn circadura de mosairo verde e 
ericamado, e peijuenas reservas com emhlemas de niagir-irado; sobre o 
reslo flure?^ verdes, amarellas e oiro. BmIIo specimen de um ffenero que 
parece approximar-se da familia verde. Diametro dos pratos 0^,¥7. 
Sf\ D. Feifiando de SousOj Lisboa, 

262 Prato branco com pintura azal ; sobre a borda pecegos de longevidade e em- 

blemas de magistrado ; no centro, entre varios enihlemafi, um dra^ao ; no 
revcrso da borda varios emblemag e pequenos niedalhoes com cavallos; ao^ 
centro a marra n." 53. que segundo Cbaffen^, se 16: Felicidade, riquezae 
ionga vida. Diametro 0"',i)4. 

Sr. Antonio Maria Fidie, lAsboa. 

263 Par de jarras qaadrangulares, azul escuro, com ramos de floras e cercada- 

ras esmaltadas a cores e em relevo ; azas douradas em Torma de drag5es; 
sobre a< tampas caes de F6, dourados. Bello .specimen do genero^ pela ra- 
ridade da forma e mimoso da pintura. Aitura 0°',45. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa. 

964 Par de jarras da familia de mandnrins, de fando-de fliigrana de oiro, semeado 

de flores a cores; medalhoes com cercaduras 'Mue^, paizagens e persona- 
gens a cores ; pecjucnas rcservas com paizagens ; sobre a tampa caes de 
Fo, azues. Fino specimen do genero. Aitura O^.W. 
Sr, Antonio Maria FidH, Li^oa. 

965 Jarra hexagonal encarnada com as faces em abertos como o fundo de um 

crivo, divididas pur muldurasencarnadaset tiro; sobre cada face, em relevo^ 
medalhoes com as dillerentes forioas de jarras da China brancus com pin- 
tura a cores de pequenas liguras; sobre estes outros peciuenos circulares 
com paizagens a c^res; bora branca com as meemas DiuJdura« e tambem 

Seqiienos medailiOes em relevo com forma de garrafas e flores. Aitura 
i'",42. 
Buqm$ de PalmeUa, Lisboa. 

266 Jarra igual a antecerlente. 

Sr. Manuel Pedro Guede$, Lisboa. 

267 Par de caixas de cha quadrangulares da familia archaica, brancas, com pintura 

azul, amarella, verde e encarnada de flores, arvores e pa^saro^. Bello es- 
pecimen d'este antiqnissimo genero. Aitura O^^S. 
Sr. Visconde de DavpiaSj Lisboa. 

268 Pote de fmido azul turqueza com flores e ornatos variados a cdres « meda- 

lhoes brancos com figuras e paizapem a c6res. Aitura 0",38. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 



PMOLAHA (CHINA^ SALA £2 267 

jt60 Par de elephanCes df^itados, pintados de azul, amarelk), verde e enearnado^ 
Altura O^Ji"). Gomprimenio O",!!. 
Duques de Palmella, Luboa. 

S7D Par de (^s de F6 de cor azul turqueza com pedestaes, caudas, etc.^ de azat 
esenro. Altara 0".19. 

Sr. Yisconde de Daupku, Lisboa. 

271 Chavena e pi res braacos com paizagem de jardim a cores e oiro. Diametro- 

do ^iresO°,l4. 

iSr. Francisco Ribeiro da Cunha^ Lisboa. 

272 Doas chavenas com seus pires de casca de ovo finissioiameDte pintados a co- 

res e oiro; o assumpto dos pires e o mesmo do das chavenas; pela jaoeHsb 
aberta de uma casa v^-se urn homem len()(» en^ostadoamao, efn4|u;irito no 
jardim que a cerra uma ^enh^)ra com sua rreada parecem esperar alguem. 
bellos >pecimens do genero. Uiametro dos pires O",!*- 
Sr. Francisco Rtbeiro da Cunka, LUbom, 

273 Dnas chavenas com seus pires de casca de ovo da familia de mandarins, bran- 

cas com cercaduras a oiro e pinturas de costumes familiares a cores, bia- 
metro d(»s pires l>",l!J. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

274 Duas chavenas brancas com dragoes pintados a c6res. Parte d*a«ites estao in- 

completiis, vendo-se-lhe so as caudas ou as patas, etc., o que ihes da uni- 
aspecto f6ra do commum. Altura 0"',04. Diametro 0'",07. 

278 Chavena e pires de casca do ovo, brancAs com pinturas anies. Diametro- 
do pires 0",12. Aliura da chavena 0", 06. 
^. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

276 Prato de fnndo azul ferrete com oraatos dourados e reservas de ftmdo branco- 
com peon las. Diametro 0"'.2i. 

Sr. Francisco Riheii o da CunKa, Lisboa. 

¥17 Prato da familla rosa, branco com cercadura de varios ornatos a c6res e re- 
Jevo; no centro dois pa>saros brancos com peilos pretos e popas azues^ 
pousados sobre rorhedos e rodeados de peonias. Diametro 0^,to. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

278 Prato da farnilia rosa, com cercadura em fesloes com varios ornatos e flores; 
no centro um medalhao em que »e \6eiii sohre fuadodefiligraoa verm !ha 
e flores a cores e relevo duas tiguras de^^enhadas de forma que so com as 
dnas cabe^as estao represeutados quatro individaos, dois seitados e dois de 
bru(;;os. Diametro 0",^^. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



288 SALA E PORCKLANA (china) 

279 Prato branco eom pintura azul, verde, encarnada e oiro de flores e folhas; 

no oentro uma grande peonia. Diametro 0'",22. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lishoa. 

280 Prato com fundo branco pintado de azul debaixo do vidro; reservas em forma 

de fulha do hera branca com paiza^'ens a c6res ; ao centro pequeno meda- 
Ihao com flores e uma borboleta. Diametro 0'",22. 
Si\ Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

28i Prato da familia rosa, branco com cercadura de mosaicos cor de rosa, verdes 
eazues, e flores; no centro um grande ramo de peonias. Diametro 0*»24. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

282 Par de garrafas acharoadas de preto com embutidos de madreperola, repre- 

sentando uma paizagem. Altura 0'*,40. 
Fernando PaXha, Lisboa. 

283 Par de estatuetas de caes de F6 sobre pedestaes quadrangulares, de branco da 

China; i^em uma das patas sobre espheras. Altura 0°'y39. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

284 Par dc jarras brancas com cercaduras asperas imitando pelle de lixa e flores 

azues e oiro; medalhoes com paizagens azues no genero Cantao; azas com 
forma de dragoes e tampas encimadas por caesde Fo azues. Altura 0°',44. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa. 

285 Yaso em forma de calix e tampa em apagador, fundo verde claro com flores 

cdr de rosa, cercadura azul ferrete e oiro, e medalhoes com paizagens eu- 
rop6as a sep'a de desenho correclo. Altura 0",59. 
Duques de PalmeUa^ Lisboa. 

286 Prato branco com pintura azul; no centro sete medalhoes de flores formando 

um rosaceo. No fundo a marca n.° 40, que segundo Jacquemont se M — 
fabricado durante o periodo Tching-hoa, da dynastia-Ming (14(55-1487). 
Diametro 0»,22. 

Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

287 Prato branco com pintura azul de flores e arabescos; no centro uma grande 

peonia; no fundo a marca n.° 40 (1465-1487). Diametro 0'",21. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

288 Dois pratos com pintura azul de flores e arabescos diversos; no reverse da 

borda emblemas de magistrado. Sobre o fundo a marca n." 55 (uma pedra 
honorifica). Diametro 0'",22. 

Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

289 Duas ch.ivenas e pires octogonaes brancos com paizagens a azul e oiro. Dia- 

metro dns pires 0'",i3, altura das chavenas 0°',07. 
Sr. Antonio Mana Fidie, Lisboa. 



PORCELANA (china) SALA E 289 

290 Bole e chavena, com seu pires, do fuado branco pintado de azaljem flores e 

folhas; medalhoes e reservas com paizagens ou passaros e flores a cores. 
Ahara do bule 0'°,i2. Diametro do pires 0'",i2. 
Sr. Francisco JRibeiro da Cunhaj Lisboa. 

291 Bule de fundo preto com folhas verdes e flores roxas e amarflias; medalhoes 

com paizageus a cores toscameuto desenhudas. Altura O'^ylO. 
Sr. Francisco Riheiro da Cunha, Lisboa, 

292 Par de garrafas pretas com varies ornatos e flores douradas. Forma muito 

elegante. AUura 0"',46. 

Sr, Visconde de Davpias, Lisboa, 

293 Taiha da familia rosa, brancna com cercadurasefestoesdemosaicocor de rosa 

e azul turqueza, peonias e folhas verdes; no centre um grande medalhao 
em que se v^ uma senhora sentada, tendo de cada lado uma creada com 
sua ventarola de pennas de pavao, observando o espectaculo de uma 
bailadeira que dansa sobre um tapete encarnado e oiro. Bello specimen do 
genero. Altura O^jS?. 

Duques de Palmella, Lisboa. 

29i Jarra em forma de canudo com a buca em trombeta, fundo branco adamas- 
cado e medalhoes e fesloes de flores de oiro sobre fundo branco. Altura 
0'»,60. 

-Sr. D. Duarte Manuel, Lisboa, 

293 Jarra de base estreita, bojo, e terminando por um canudo de boca larga, 
branca com adamascados em relevo dehaixo do vidro ; no fundo dois circu* 
los concenlricos azues. Specimen nolavel. Altura 0",74. 
Sr.'' D. Maria Benedicta Palha, Lisboa, 

296 Par de floreiras oblongas, com a borda recortada em ameias, brancas com 

flores a cores e oiro. Altura 0",29, comprimento 0°*,o2, largura 0'",40. 
Duques de Palmellaj Lisboa, 

297 Tanque ou piscina, branco, pintura azul e encarnado, fundo representando 

grandes e pequenos peixes rodeados de plantas maritimas. INotavel pela 
pintura e forma pouco vulgares. Altura O^jiS, diametro 0°*,57. 
Sr. Osborne &impaio, Lisboa. 

298 Service de almoQo, da familia do mandarins, com cercaduras roxas e reser- 

vas com paiza^'ens encarnadas; quadros de costumes familiares. 
Duques de Palmella, Lisboa, 

299 Serpigo de almogo, branco, com pinturas europ^as, estylo hollandez, execu- 

tadas com tinta da China e cdr de rosa. Notavel no seu genero. 
Sr. Eduardo Van-Zellerj Lisboa. 

300 Scrvi^ de almogo, branco, com pe^as canelladas e recortadas, cercaduras 

douradas e com flores a cores; ramos e flores de nelumbo em relevo, c6- 

19 



290 SALA E poiiCELANA (china) 

res e oiro, formaDdo p6s nos pires e chavenas. Specimen notavel no sen 
genero. 
Duques de PalmeUa, Lisboa, 

30 i Servigo de almoQO, branco, adamascado debaixo do vidro; floresacores, oer- 
cadura azui, e quadros de pequenas figaras finainente pmUidas de crean- 
cas rodeando nm cao de Fo, fingido em que doas se introduziram para o 
fazer mover. 

Sr, Eduardo Van-Zeller, Lisboa. 

302 Servigo de almogo, branco, com pintura azal e oiro representando bananei- 

ras, flores e fructos. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

303 Par de talhas, fando branco, tendo em relevo e a cores e oiro, saindo de 

ama grade de jardim, ramos dc peoaias e chrysanthemas, passaros e borbo- 
letas. Altura O'^ySO. extraordiaario relevo qaenao tem menos de 0",005 
lornam estas duas pegas verdadeiramente excepcionaes. 
Duques de Palmella, Lifboa. 

304 Par de talhas, fundo azol, cx)m pintura azul e branca, de folhas, arabescos e 

flores em que predomina a peonia; ao centre do bojo de cada nma quatro 
medalhoes circulares com assumptos historicos ou scenas de costumes chi- 
nezes. A forma 6 fora do commum, pois nao tem bdca e as tampas descan- 
sam sobre o bojo; tomam-se notaveis por esta circamstancia e pela soa 
antifijuidade: sobre as tampas caes de Fo dourados. Altura 1°*,10. 
Fernando Palha, Lisboa, 

305 Par de pequenas garrafas da familiachrysanthemopeoniana, tendo, alem de 

varies ornatos, auatro pequenos medalh5es encarnados com letras a oiro; 
socco e tampas de bronze dourado, estyk) Luiz XVI. Altura 0",16. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

306 Par de pequenas garrafas hexagonaes ; fundo branco pastoso com flores e on- 

tros ornatos encamado ferro e oiro ; tampas e s6(X!os de bronze dourado, 
estylo Luiz XVI. Altura O-^jlS. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

307 Tanque on piscina; fundo branco com nma paizagem a cores e oiro, em que 

se v^em, alem de varias arvores e flores, tres ovelhas e tres gallos em corn- 
bate; sobre a borda urn xadrez encamado com pequenas reservas com 
peonias e chrysanthemas ; no interior peixes e algas a cores ; dos lados, 
formando pega, cabegas de animaes phantasticos (caes de Fo ou dra- 
gSes). Altura 0»,42. Diametro 0'»,59. 
Sr. Antonio Maria Fidiij Lisboa. 

308 Par de jarras terminando em canudo, da familia chrysantbemo-peoniana; 



^OHCELANA (JAPAO) SALA ES 291 

alem de varios ornatos tem fong-hoangs (passaros symbolicos) e caes de 
F6; pintara azul, encarnada e oiro. Altura 0'",78. 
Sr. D. Duarie Manuel, Lisboa. 

309 Talha da familia chrysantemo-peoniana; sobre o bojo, a oiro, azal e encar- 
nado, vases com flores e passaros ; na base uma guami^ao com os emble- 
mas chamados de magistrado; sobre a tampa, alem de varios ornatos ea- 
racteristicos, dois fong-lionjifs (passaros symbolicos). Altura 0"*,64. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

:310 Jarra azul com cbrysanthemas douradas e encarnadas e meda1h5es de variadas 
formas, brancos, com paizagens e figoras a cores; sobre a bOca, sobre 
fundo azul, dragSes de tres garras. Aliura 0",50. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa. 

311 Par de jarras da familia chry::anthemo-peoDiana, vigorosamente pintadas de 

preto, azul, verde, eucaroado, roxo e oiro; tem, alem de varios ornatos, 
a car pa saindo das aguas, o cao de Fo e o dragao. Montagem de bronze. 
Completamente excepcionaes e iguaes as que Jacquemont descreve e ro- 
produz pela gravura da colIecQao Rotschild. Altura 0",54. 
Sf\ Osborne SampaiOj Lisboa. 

312 Poteredondo, comtampa, da familia chrysantbemo-peoniana; medalhoescom 

vasos de flores; varios ornatos de flores, paizagens, etc.; tudo aazuJ escuro, 
enearnado e oiro sobre fundo branco. Altura 0",52. Diametro 0",36. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

313 Jarra imitando bronze, coberta de ornatos symbolicos, em retevo; cercadu- 

ras de gregas e arabescos, tudo pintado com dilTerentes tons de bronze e 
oiro. A perfeiQ^o com que esta feita a imita^ao e a raridade d'este genero 
tornam esta jarra completamente excepcional. Altura 0°*,60. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

314 Par de pratos da familia chrysantbemo-peoniana; brancos, com pintara azul, 

enearnado e oiro, em que, alem dos ornatos caracteristicos, se v^em no 
fundo urn veado e uma corga e sobre a borda vasos de sacrificios. Diame- 
tro 0'»,44. 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

315 Par de pequenas jarras da familia chrysantbemo-peoniana, brancas, com tron- 

cos e flores de peonias e cbrysanthemas, pintadas de azul, enearnado 6 
oiro e aldfumas em relevo; sobre a borda duas borboletas em relevo; ir- 
mas do Mikado (uma chrysanthema) em relevo. Altura 0°*,23. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

316 Prato em forma de folha de nelumbo, verde, com insectos pintados com vi- 

vas c6res ; no reverso ramos e flores do mesmo nelmnbo, em relevo. Dia- 
metro 0",31. 

Sr. D. Duarte Manuel, Lisboa. 



292 SALA E poncELANA (japao) 

317 Travessa oval em forma de folha de anona, branca, com grandes folhas de 

anona azues, amareltas, cur de rosa e verdes, rodeando uma grande ilor 
da mesma planta ; no resto ramos pequenas de flores no genero India. Spe- 
cimen de servigo. Comprimento O^jW. 
Fernando PaUia, Lisboa. 

318 Dois pratos da familia chrysantliemo-peoniana, aos gomos alternados aznes e 

brancos ; no centro um ornato formado por quatro romas ou pecegos de 
longevidade rounidos e pintados de encarnado e oiro. Diametro 0°',42. 
Srs, Condes de Porto Covo, Lisboa. 

319 Milhafre pousado sobre um tronco de arvorc, tado pintado com as saascdres 

naturaes (corpo escnro, cabega branca e bico preto) e modclado com per- 
feigao. Altura 0'",56. 

Sr. D, Duarte Manuel, Lisboa. 

320 Pole canelado, com tampa recortada, da familia chrysanthemo-peoniana, bran- 

CO, com cornucopia com flores azues, encarnadas e oiro, alem de varios 
ornatos. Altura 0°,34. 
Sr. Macedo Braga, Lisboa, 

321 Prato cinzento com grandes folhas de bananeira e flores rerdes, c6r de rosa, 

azues e oiro, sendo algumas com relevo. No fundo a marca n." 57, que, 
segundo ChaCers, ^ de Kaga e se 16 Kutani (os sete valles). Diametro 
0'",39. 
Dnques de Palmellaj Lisboa. 

322 Prato da familia obrysanthemo-peoniana; cercadura parcial azul e branca cor- 

tada por um fundo parcial encarnado com peonias brancas e roxo pallido; 
sobre o fundo uma arvore carregada de flores, azul, encarnada e oiro; no 
reverse da borda, ramos de peonias. Diametro 0'",30. 
Sr. Eduardo Van-Zeller, Lisboa. 

323 Terrina branca, com seu prato, com grandes folhas de anona azues, verdes, 

amarellas e oiro ; grande flor e troncos da mesma planta, sobre os quaes 
estao pousados passaros e roedores; flores no genero India espalhadas so- 
bre resio. Altura 0°',12. Comprimento do prato 0'°,33. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

32i Garrafa de barro vermelho, com flores e borbolctas esmaltadas em relevo e 
c6res. Altura 0'",21. 
Fernando Palha, Lisboa. 

325 Tigela recortada, com sua tampa, da familia chrysanihema peoniana, branca 

com as flores caracteristicas. Diametro 0°,15.' 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

326 Caneca com duas azas e pires com grandes folhas e flores de anona a c6res 

e oiro. Diametro do pires 0°',i4. Chavena sem aza e pires iguaes Diame- 
tro do pires 0'",12. 
Fernando Palha, Lisboa. 



PORCELANA (JAPAO) SALA E 293 

327 Prato branco com ornatos azues, encarnados e oiro, em que predominam ro- 

raas. Diameiro 0"',22. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. . 

328 Par de jarras, fundo verde e branco fi^^rando ondas do mar em relevo; so- 

bre eslas v6em-se caes de ¥6 em relevo encarnados, verdes, aznes eroxos 
segarando fitas da mesma c6r, a (fuc estaopresos varies emblemastambem 
em relevo, que parecem ser armas de personagens, pois sao similhantes as 
que assim estao descriptas nos tratados. 3ao excepcionaes pcio grande re- 
levo dos ornatos. Altura 0"",30. 
Sr. Jose PdhUj Lisboa. 

329 Jarra em forma de canudo igual as antecedentes. Altura 0'°,26. 

Sr. Jose Palhaj Lisboa. 

330 Prato da familia chr^'^^antliemo-peoniana, branco com pinturaazul, encamada 

e oiro, com os distinclivos do genero. Diameiro 0'",23. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

331 Prato da familia clirysantbemo-peoniana, branco com pintura azul, encamada 

e oiro, represenlando no fundo uina paizagem de jardim com um gallo e 
um passaro n*um poleiro , na borda cercadura com pequenas reservas com 
flores. Diametro 0'",22. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

332 Tigela grande recortada e canelada, o tampa igual da familia chrysanthcmo- 

peoniana, branca com pintura azul, cncarnada, verde e oiro, de flores, ar- 
vores e folhas mimosamento pintadas. Sobre o fundo da tigela e tampa 
uma flor a cores que parece marca (n.° 58), mas 6 desconhecid?. Bello 
specimen do genero. Diametro 0°,24. Altura 0",14. 
Fernando Palha, Lisboa. 

333 Chavena e pires da familia chrysanthemo-peoniana, brancos com pintura azut 

encamada e oiro. Diametro do pires 0'",12. Altur.i da cbavena 0",07. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

334 Par de talhas da familia clirysanthemo^peoniana, fundo branco com pintura 

encamada, a;.ul e oiro, em que se v6em, alem das flores caracteristicas e 
varies ornatos, caes do Fd e fong-hoangs. Altura O^fi^. 
Sr. D. Duarte Manuel, Lisboa. 

335 Servi^ de almoQo de barro escuro com ornatos em relevo dourados e pra- 

leados. No fundo de cada peca diversos sellos gravados. Specimen notavel 
no seu genero. 

Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

330 Service de almoco de barro escuro com ornatos em relevo de barro amarello 
claro. Sobre o fundo das diversas pc?as sellos gravados. Specimen notavel. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 



294 SALA E POBCKLANA (fbakca> 

Seculo xvni 

VINCENNES 

337 Par de vasos braneos com paizagens finamente pintadas a c6r derosa. Harcd' 

B/ »9. AUura 0-,18. 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

338 Par de roostardeiras brancas com ramos de flores. Marca n.® 60(1753) do 

decorador Noel. 

Sr, Francisco Riheiro da Cunha, Lisboa. 

339 Daas chavenas com seus pires braneos com paizagens finamente pintadas a 

c6r de rosa. Marca n.' 61 (175G) do decorador Gomery. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

340 Dnas chavenas com seus pires braneos com paizagens pintadas ac6r de rosa, 

Marca n.* 61 (1756) do decorador Gomery. 
Duqnes de Palmella, Lisboa. 

VINCENNES E SfiVRES 

341 Gbavena com pires e tampa azu) com medalhoes, braneos, de flores, perso- 

nagens e ornatos a oiro. A ebavena tem a marca n.^ 62 (1753) e o 
pires e tampa a marca n."" 63 (1781), do decorador Taillandier. 
Sr, Conde de Villa Real, Lisboa. 

SEVRES 

342 Par de cheiradores (pols-pourris), aznl de turqueza, com grinaldas a oiro fi- 

namente execQtadas. Sem marca. Altara0°,19. 
Sr. Osborne Sampi\io, Lisboa. 

343 Chavena e pires cor de rosa (rose Dubarry) com medalh5es braneos com flo- 

res e ornatos dourados. Marca n.° 64 (1757), primeiro da fabricagao em- 
Sevres e dos decoradores Grison e Tbevenet. 
Sr. Osborne Sampaio, Udoa. 

Hi Caneca com pires e tampa branca, com grinaldas de flores azncs finamente 
pintadas ; a tampa encimada por uma flor azal em relevo. Marca n/ 65^ 
(1760) do decorador Catrice. Altura 0",14. 
Sr. Osborne SampaiOj Lisboa. 

S45 Servi^o de almo^o azul de Sevres com ornatos de oiro e medalhoes braneos 
com paizagens e passaros a cores finamente pintados. Marca n.* 66 (1764). 
Sem marca de decorador, mas dos melhores productos da epocha. 
Sr. Osborne Sampaio, lisboa. 



PQBCELANA (FRANgAJ SALA E 295 

346 ServiQo de almo^o branco com flores. Marcas n.*** 67 a 71 (1768-1770) dos 

decoradores Commelin, Datanda e descoDhecidos. 
Fernando Polka, lisboa, 

347 ServiQo de almoQO azul de Sevres com ornatos a oiro e medaJhoes brancos 

com ramos de flores a cores. Marca n.'' 72 (1777) dos decoradores Bou- 
langer, Taillandier e Buteux Ain^. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Usboa. 

348 Caneca e pires branco com flores entrelaQadas a c5res. Marca n."* 73 do de- 

corador Taillandier. 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

349 Chavena e pires azul de Sevres e oiro com cereadura de rosas e oiro. Marea 

n."^ 74 ri781) e a dos decoradores Tandart e Chaavanx Ain^. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa, 

350 Servi^o de almoQO sobre sua bandeia, branco com ornatos a cores e oiro no 

estylo Luiz XVI. Marca n.° 75 (1789) do decorador P. Boucot. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

351 Servi^o de almo^o^ branco com cereadura azul e oiro e medalh5es com ramos 

de flores. Marca n." 76 (1791) do decorador Niquet. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa, 

352 Yaso branco com ornatos azues, cor de rosa e oiro e grinaldas de flores. 

Marca n.» 77 (1791) do decorador Cbulot. Ahora 0",13. Diametro 0",13. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

353 Guarnigao composta de uma urna e dois cbeiradores (pots-pourris) montados 

em bronze no estylo Luiz XVI, verdes esmeralda, semeados de pequenos 
medalhoes circalares brancos com rosas e cercadoradourada. Sem marca, 
mas incontestavclir.ente fino prodocto d'esta fabrica. 
Sr/ Condessa de Ficaiho, Lisboa. 

351 Par de estataetas de biscuit branco, representando jardineiras no genero Wat- 
leau. Sem marca. Allura 0",17. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

355 Estatueta de biscuit, representando uma nympba coroada de louro e com o 

cora^ao na mao. Sem marca. Altura 0'",35. 
St. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

356 Par de estatuetas de biscuit branco, representando uma um cupido preso por 

um festao de flores que segura uma rapariga com a legenda : l'amour 
GAPTiF DE LA JEUfjEsss; a seguuda uma rapariga de maos atadas com flo- 
res e condozida por um cupido, com a Jegenda : la jeunesse tour]ient£e 
PAR L*AM0UR. FinameotB modeladas. Sem marca. Ahmra 0",30. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



296 SALV E poHCEi-ANA (franca) 

CEAXTILLY 

3.^7 Duas saladeiras e dois pratos brancos com ramos de flores a cures. Specimen 
de servigo. Marca n." 78. 
Fernando PalhUj Lisboa. 

STRASBOURG 

358 Estatueta dc chinez pintado a cores. Marca n.* 79 de J. Hannon^. Altora 

0'-,i9. 

Sr. Osborne Sampaio, lAsboa, 

MDERVILLER 

359 Dois bustos de btscuit^'abra^ados c beijando-se, conhecido pelo Baiser de 

Houdon; pedestal de porcetana vidrado azul e braoco. Marca n.*" 80 do 
conde de Custine alem da palavra meoeviller em relevo. Aitura 0",22. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

CLIGNANCOURT 

360 Chavena e pires brancos com ornatos a niro; o pires tern no fundo urn Hvro 

aberlo rodeado por estas letras: g-me-a-l, que te deve ler: Je me 
livre a elle. Marca n."* 81. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

361 Servigo de almogo, braneo com pinturas a tinta da China, rcpresentando see- 

nas de animaes; ornatos e cercaduras dourados em qne se Mem divisas 
allasivas as qnalidades moraes dos animaes. Marca n."" 82. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

PARIS - LA COURTILLE - LOCRfi 

3G2 Estataeta de rachador de lenha pintado e dourado. Dita de ccifeira, formando 
par. Marca u.« 83. Aitura 0'",i7. 
Sr. Antonio Mana Fidii, Lisboa. 

363 Par de caixas cylindricas brancas com flores a c6res. Marca n."" 84. Aitura 
O'",«4;diametro0-,08. 

Sr. Antonio Maria Fidi^, Lisboa. 

PARIS-DELAREINE 

o64 Cesto de encanastrado braneo com pequenas flores a c6res. Marca n.* 85. 
Comprimento 0",30; aitura 0'",09. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

PARIS -HONORfi 

365 Tigela com tampa brancas com as annas reaes portupiezas a cures do tempo 
de D. Joao VI e cercaduras donradas. Marca n."* 86. Diametro 0",i3. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



PORCELANA (allemanha) SALA £2 297 

Seculo xA'iii 

SAXE- MEISSEN 

366 Grupo allegorico em nue um cupido colloca um medalliao com retralo de 

guerreiro coroado sobre uma columna, emquanto um guerreiro ajoeiha so- 
bre um montc de escudos que parecem despojos militares, e o cupido com 
a outra mao Itie colloca uma coroa de luuro sobre a cabe^a; pintado e 
dourado. Sem marca. Altura 0'",22. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

367 Par de grupos de tres fi^uras cada urn, representando jardineiros Watteau, 

ornando vasos com flores; piutados e dourados. Marca n."" 87. Altura 
0"',23. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

368 Kermesse, grupo de oito figuras; sobre uma elcva^ao a sombra de uma ar- 

vore um bomem e uma mullier tocam gaita de folles e realejo, em baixo 
um par dansando e por detras ouiro par come e bebe emquanto um cao 
ladra; pintado e dourado. Marca n.° 88. Altura O^j^?. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

369 Inverno, estatueta pintada, de velho embrulhado em pelles, tendo ao p6 

uma To^ueira e um menino racliando lenha. Sem marca. Altura 0'",26. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

370 Baccho, grupo representando o deus encostado a uma parreira e com um ca- 

cbo de uvas na mao; ao lado um pe(|UPno nu com caches na mao; pintado 
e dourado. Marca n.° 89. Altura 0'",23. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

371 A Primavera. Estatueta de mulber com raanto amarello com ramagens e co- 

roitda de flores, encostada a uma jarra de (lores e com um ninho cheio de 
ovos aos p6s. Marca n." 90. Altura 0'",23. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

372 Yacca cogando-se, pinlada de vermelho. Marca n.* 89. Altura 0",07; com- 

primenio O^jlO. 

Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

373 Dogue cinzento deitado e com colleira de guizos encarnada. Marca n.® 90. Al- 

tura 0"',04: comprimento 0,"09. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

37% Dogue amarello com focinho prcto e colleira encarnada. Marca n." 89. Al- 
tura 0", 1 1. 
Sr. D. Fernando de Soiisa, Lisboa. 



298 SALA £2 pobcela>'a (allemakha) 

375 Estatueta de camponez com um gallo sobra^ado e encostado a um paa; pin- 

tada e dourada. Marca n.* 89. Altara 0*,14. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunka, Li$boa. 

376 Estatueta de menina dando de comer as gallinbas; pintada e dourada. Marca 

n.» 90. Altura O'-.ia. 

Sr, D. Fernando de Sousa, Lisboa, 

Zll Tinteiro em f6rma de chinez sentado com am vaso na mao, finamente pintado 
e dourado. Sem marca. Altura 0",09. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

378 A AstroDomia, estatueta de mulher nua, com manto branco de ramagem a 

c5res, um espeiho n'uma das maos e fazendo observagijes com am oculo; 
ao lado uma aguia; (inamente pintada e modelada, o que a torna am do5 
bons specimens do genero. Sem marca ou apagada. Altura 0",2S. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa. 

379 Estatueta de Hercules enco^^tado a massa. Marca n.* 90. Altura 0",11. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

380 E^tatueta de Cupidinho vestido de casaca e cabelleira a LuizXV, e encostado 

a um pau de cabelleira. Pintado e dourado. Sem marca. Altura 0'°,09. 
Sr. Francisco Ribeiro da CunhOj Lisboa. 

381 Par de estatuetas de menino e menina com cestos de flores; o rapaz tem renda 

de oiro no cotlete, e a menina tem peililbo, gravata, avental e saia omada 
de renda; tudo Onamenle modelado e pintado. Marca n."* 90. Altura 0°',14. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

382 Tinteiro branco com ramos de flores a cores, e um grupo representando um 

chinez sentado e lendo, emquanto uma mulher o abana com um leque ; fina- 
mente pintado e dourado. Marca n."" 90. Altura OTji.^. Comprimento 
0-',32. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

383 Estatueta de menino sentado e sobragando uma jarra pintada de c6r de rosa. 

Marca n.» 90. Altura 0",08. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

384 Par de estatuetas representando um Cupido vestido de soubrette Luiz XY, 

cantando uma aria, com musica na mao, emquanto um menino quasi mi o 
acompanha com uma campainha; pintados e dourados. Marca n.* 90. Al- 
tura 0,'"0y. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

385 Par de grupos de quatro meninos cada um, brincando em tomo deumapyra 

fumegante; pintados e dourados. Marca n.° 90. Altura 0,"09. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



POBGELAKA (aLLEMANHA) SALA E 29ft 

386 Par de estatuetas de capidos vestidos de Marquis e Marquise Luiz XY. Esta 

offerece uma pitada ; piDtados e dourados. Marca n."" 89. Altara Oj^'OS. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lishoa. 

387 Estatueta de menino com um cesto sobra^ado, e um moinho de papel na 

mao. Pintado e doarado. Marca n.° 90. Altura 0,11. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

388 Estatueta de menina dansando com uoi copo de Tinho na mao. Pintado e doa- 

rado. Marca n.« 89. Altura 0",11. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

389 Estatueta de menino com um chap6u cheio do uvas e am cacho na mao. Pin- 

tado e dourado. Marca n." 89. Altura O^ja. 
Sr, D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

390 Estatueta de bouquetiere Luiz XV. Marca n.« 89. Altura 0»,i4. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

391 Estatueta de menino vestido a Luiz XY, e tocando trompa de ca(a. Fina- 

mente pintado. Marca n.° 89. Altura 0°*,13. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

392 Mercurio, deus do commercio, estatueta representando-o sobre as nuvens com 

caduceu n'uma das maos, e um sacco de dinheiro na outra. Marca n.^ 90. 
Altura 0",13. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

393 Pantalon e Colombinc, grupo finamente modelado e pintado de Lriihantissi- 

mas c6res. Marca apagada, mas ainda visivel. Altura O,"!?. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

394 Pantalon e Colombine, par de estatuetas pintadas. Sem marca. Altura 0^,12. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



395 Caixa de rap^, em forma de cabei^a de dogue, pintada a cures; tampa de 
Ttaruga com um relrato em ' 
Fernando Palha, Lisboa. 



tartaruga com um relrato em miniatura. Sem marca. 



396 Caixa de rap^ branca com pa^toraes Watteau, a verde, finamente pintadas ; 

no interior da caixa ramos de flores a cores ; no interior da tampa pastoral 
Waiteau a cOres. Sem marca. Altura 0'",04. Comprimento O^jOiJ. Largura 
0-,06. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

397 Caixa de rap6 branca com ca^adas do tempo de Luiz XY a cdres; no in- 

terior da tampa uma ca^ada dc vcado. Montagem de prata Luiz XY. 
Sem marca. Altura 0'",04. Comprimento 0"*,08. Largura 0",06. 
Duques de Palmella, Lisboa. 



300 SALA E poncELANA (allemakha) 

398 Caixa de rap^ branca com grapos de amores brincando entre oraatos do es- 

tylo Luiz XY, tudo a edres; interior da tampa igualmente pintado. Sem 
inarca. Allura 0"*,0i. Comprimcnto O^jOQ. Largura O^jO?. 
Duques de Palfnella, Lisboa, 

399 Surtout composto de vinte e seis pe^s; ao centro gropo de ires figuras (dob 

homens e uma muHier) encbendo garrafas n*uroa pipa de vinho; doze es- 
tatuetas de rapazes c raparigas com flores c fruclas tocando em viola ; nove 
pequenos vasos de flores; dois caramanehoes e duas fontes era que bebem 
passarinhos; tado armado sobre um amphitheatro de madeira preta. Marca 
do p:rupo principal n."* 9i. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa, 

400 Bule pcqueno e prato para manteiga, specimen de servi^o dealmogo, branco 

com scenas da vida dos animaes a c6res; sobre o prato nma raposa ar- 
mada de espingarda de sentinelta a uma gaiola de aves; sobre o bule, n'ama 
das faces partida de bilhar entre um cao, um burro e um coelbo, sobre a 
outra um cao e uma doninha em trajes venatorios e piscatorios trocam 
cumprimentos. Marca n.° 89. 

Si\ D. Fernando de Sousa, Lisboa, 

401 Pequena cafeteira e duas chavcnas brancas com ramos de flores, roxos e or- 

natos a oiro. Marca n.^ 89. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

402 Cheirador (pot-pourri) em forma do urna, estylo Luiz XVI, branca com ra- 

mos de flores a cures, festSes verdes e oiro, cabecas de carneiro e varios 
ornatos dourados. Marca n.* 89. Altura 0",26. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa, 

403 Caixa em forma de limao amarello sobre uma foiha verde, rodeado e enci- 

mado por flores a cures e relevo. Marca n.'* 90. 
Duques de Palmella, Lisboa, 

404 Charena e pires brancos com cercadura cur de rosa c oiro Luiz XV e paiza- 

gens a cdres. Marca n.* 89. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha , Lisboa, 

405 Chavena com seu pires e tampa branca com paizagens pastoris e flores a co- 

res. Marca u.** 90. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

406 Bule com seu prato branco com pintura cor de laranja e oiro representando 

grupos de meninos e varios ornatos. Marca n.* 92. 
br, D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

407 Duas chavenas verde claro com medalh5es brancos com flores. Marca n."* 93. 

Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 



PORCELANA (aLLEMAMIa) SALA III 301 

40S Assucareiro verde claro coin medalhSes brancos com flores. Marca n.° 90. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

409 Bale e daas chavenas brancas com flores roxas. Marca n."" 90. 

Daques de Palmella, Lisboa. 

410 Servigo de almogo, com bandeja, branco com pintaras de scenas campestres, 

genero Teniers, e ramos de flores. Marca n." 89. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

411 Servi^o de almo^o branco com medalhoes finameDte pintados de paizagens 

orientaes circnmdados por fines ornatos a oiro e cdres. Tern armas doura- 
das cobertas com o chap^a cardinalicio. Marca n.** 90. 
Duques de Pdmellaj Lisboa. 

412 Grupo de pastor e pastora descansando a sombra de umaarvore. Pintorapo- 

lychroma. Marca n.** 94. Altura 0°,28. 
Sr. Conde de Villa Real, Lisboa. 

413 Servi^o de almo^o roxo com medalboes de pinturas diversas de paizagens, 

marinhas, etc., iinamente pintadas; o interior dos pires e chicaras branco 
com pinturas iguaes, ornatos a oiro e ramos de flores. Marca n." 90. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

414 Service de almo^o branco com aves pintadas a terra de Sienna. Marca n."" 89. 

Duques de Palmellaj Lisboa. 

415 Caixa para cha branca com cercadura estylo Luiz XY azul e grnposdeamo- 

res sobrc nuvens. Sem marca. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

416 Bale branco com grupos de meninos brincando e cercaduras c5r de laranja e 

oiro. Marca n.° 89. 

Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

417 Estataeta de menino sobra^ndo uma jarra modelada no estylo Luiz XV; tado 

pintado. Marca n.° 90. Altura 0°,13. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

418 Uma chavena e uma caneca com seas pires, brancos com ramos de flores e 

fructos. Marca n," 89. 

&\ Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

419 Daas chavenas e pires, brancos com ramos de flores e fructos. Marcas n."' 95 

e87. 

Duques de Palmella, Lisboa. 

420 Tigela com tampa e prato de borda arrendada, roxa, com medalhdes de per- 

sonagens; genero Teniers, flores e varies ornatos. Marca n.^ 90. 
Sr. Osborne Sarripaio, Lisboa. 



302 SALA m PORCELANA (allemarha) 

421 Caneca azul ferrete com grade dc oiro. Marca n.** 87. 
Duques de Pcdmella, Lisboa. 

432 Bale, leiteira e chavena com sen |)tres brancos, com medalhSes eirciiiiuiado$ 
de flores, com personagens vestidos a Luiz XV. Marca n.° 90. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

423 Tigela de azas com prato e tampa branca, com ointaras, genero Watteau 

de marquezes e paj>tores Luiz XV. Marca n.'* 90. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

424 Cbeirador (pot-pourri) azul- ferrete grande e dois mais pequenos em forma 

de urnas no estylo Luiz XVI, com carrancas de faunos, festoes e varios 
ornatos dourados e loedalhoes com cabegas romanas a sepia. Marca n.~ 
96 e 97. Altura do major, O^jSS. Altara dos pequenos 0",19. 
Srs. Condes de Porto CovOj Lisboa. 

425 ServJQO de almo^o, branco com ramos de flores verdes. Marca n." 89. 

Sr. D, Fernando de Soiisa, Lisboa. 

426 Par de casticaes, forma Luiz XV, brancos com ramos de flores e oiro. Marca 

n.« 89. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

427 Tinteiro composlo de prato, tiflleiro, areieiro, porta-penna e campainha, braneo 

com flores e cercadura encarnada e oiro, estylo Luiz XV. Marca n.» 89. 
Fernando Palha, Lisboa. 

428 Grupo representando o rapto de uma sabina. Marca n.° 90. Altura 0"',18. 

Sr. Conde de Villa Real, Lisboa. 

429 Estatueta representando uma soubrette dansando. Marca n.° 90. Altura 

0'»,20. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

430 Estatueta de menina sentada sobre um cesto de flores e enfeitando um diap^ 

com flores. Marca n.° 89. Altura 0'",i2. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

431 Par de pequenos vasos com plantas, brancos com carrancas e ornatos em re- 

levo e cdres e inseclos pintados. Marca n." 90. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

432 Dois pratos brancos, com a borda encanastrada em relevo e ramos de flores 

a c5res. Marca n.** 90. Diametro 0'",38. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

433 Tigela branca com flores a cdres. Marca n."" 87 do periodo de MarcoIinL Dia« 

metro 0", 18. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



PORCELANA (allemanha) SALA E 303 

434 [>aas terrinas grandes com scu3 pratos, duas pequenas, duas saladeiras, daas 
floreiras, dnas mostardeiras, daas canecas para creme e tres pratos bran- 
cos com ornatos doarados e relevo, ramos de flores e fractos; as tampas 
das terrinas sao encimadas por estatuetas de meninos, despejando cornaco- 
pias de flores em relevo. Marca n.'' 89. Specimen de um service. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

433 Par de vasos brancos com pratos arrendados, ornatos em relevo no estylo 
Luiz XV e ramos de flores. Marca n.* 90. Diametro do prato O^jlQ. Al- 
tura dos vasos 0",i3. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

436 Par de caixas redondas, arrendadas, com ornatos em relevo, oiroec6res, no 

estylo Luiz XVI; medalhoes de flores. Marca' n.° 90. Altura O^jlS. Dia- 
metro 0", 16. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

437 Vaso branco com ornatos em relevo, no estylo Luiz XV, e ramos de flores a 

c5res. Marca n.° 90. Altura 0",21 . 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunka, Lisboa. 

438 Vaso quadrangular, branco com ornatos em relevo no estylo Luiz XV, com 

ramos de flores a cures. Marca n.** 90. Altura 0",13. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

439 Terrina, saladeira e prato quadrado brancos com cercaduras douradas e qua- 

dros de paizagens com passaros, alem de insectos espalhados a capncho, 
tudo finamente pintado ; encimando a terrina uma estatuetade menino des- 
pejando uma cornucopia de flores em relevo. Marca n.° 87, do periodo de 
Marcolini. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

440 CaFeteira branca em medalhoes, formados de arcos verdes entrela^ados de flo- 

res, circumdando personagens vestidos a Luiz XV; borboletas espalhadas 
no resto do fundo. Marca n.° 90. Altura 0™,24. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunkaj Lisboa. 

441 Par de caes de raga conhecida com o nome de King -Charles, brancos com 

malhas vermelhas e flnamente modelados. Marca n."* 90, bastante apagada. 
Altura 0",14. 
Duques de Palmella, Lisboa. 

442 Par de saleiros em forma de chavenas sobre tripes no estylo Luiz XV, 

brancos com ramos de flores a c6res. Marca n.** 90. Altura 0",09. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha^ Lisboa. 

443 Prato com borda encanastrada em abertos e flletes de oiro ; ao centre um ra- 

mo de flores e fructos. Marca n.* 90. Diametro 0",23. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha^ Lisboa. 



304 SALA E poRCELANA (allemanha) 

444 Grupo de ciaco figaras de biscuit sobre um socco ; ao ceotro, sobre urn monte 
de pedras, Venus afastando de si Cupido que Ihe descobrc os seios; em 
torno quatro estatuetas symbolisando as qoatro estac5cs. Sem marca. Al- 
tura 0"',48. 
Fernando Palha, Lisboa. 

4io Caneca em forma de marmello branco, com ramos de flores a cdres e tronco 
verde com flores em relevo forraando a pega. Marca n.* 89. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

446 Par de mostardeiros com sea prato, brancos com cercadaras de encanastra- 

dos em relevo e flores, passaros e inscctos finamente pintados. Marca 
n.° 81). 
Duqnes de Palmellqj Lisboa. 

447 Par de caes dos diamados doguc.<, amarellos com focinhos pretos; a cadella 

tem um cachorro ao p6. Marca n." 90. Altura O™,!?. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

448 Par de terrinns brancas com flores em relevo; debaixo das azas duas cabe- 

^as de bode; forma Luiz XV. Marca n.** 90 apenas visivel. Altura 0'°,31. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa, 

4i0 Par do caes sentados, dos cbamados King-Charles, brancos com malhas cin- 
zentas e focinhos escuros. Sem marca. Altura O^/IS. Comprimento 0'",19. 
Fernando Palha, Lisboa. 

450 Par de grupos de biscuit branco, representando rapzes brincando com ni- 
nhos e caches de uva ; sobre pedestaes cyjlndricos. Sem marca. Altora 
0",21. 
Fernando Palha, Lisboa. 

431 Chaleira com seu trip6, branca com ramos de flores pintados e em relevo so- 
bre pe. Sem marca. Altura 0'",31. 
Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

452 Par de cestos formados por um largo oncanastrado branco entrelagado de flo- 

res em relevo e com medathues brancos com flores ; pes e azas de troncos 
verdes; forma Luiz XV. Marca n."* 90. Altura O^jlZ. Comprimento 
0",3I. 

Srs. Francisco Ribeiro da Cunha e D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

453 Cbavena com tampa e pires ; este tem uma especie de cesto destinado a segu- 

rar a chavena; fundo de oiro liso e brilhante com medalhoes fmameote 
pintados com vistas de mar e portos. Marca n.'' 90. Diametro do pires 
0,'"14. Altura do cesto 0'",02, a da chavena O-jOG. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

454 Par de saleiros em forma de concha brancos com flores. Marca n."* 90. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



PORCELANA (allemanha) SALA E 308 

455 Par de passaros ciDzentos com cabe^a preta e peito vermelho pousados sobre 

troncos brancos. Sem marca. Allura 0'",14. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

456 Passaro verde e encarnado, com bico adunco, sobre um rochedo branco. Marca 

apagada. Altura O'",^! . 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

457 Terrina com seu prato de fdrma Luiz XY, redonda, branca com flores fi- 

namente piatadas; sobre a tampa uma estatueta de menino despejando 
uraa cornucopia de flores e fructos em relevo. Marca n.° 89. Diametro do 
prato 0-,34; da terriaa 0»,27. 
Fernando Palha, Lisboa. 

FURSTENBURG 

458 Servigo de almogo branco com quadros cercados de oiro e pintados a sepia, 

representando cupidos brincando com animaes. Marca n."" 98. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

HOCHST 

459 Estataeta de capidinho com romeira e touca, f acco no brago e loqae na mao, 

pintado e doarado. Marca n.** 99, alem d*esta tern sobre a nadega esquerda 
cinco pontos pretos que parecom ser marca do decorador. Altura 0",10. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha. Lisboa, 

460 Grupo de pastcres Watleau; uma pastora dorme com o Tato em desalinho 

emquanto um pastor sentado ao p^ d'ella se prepara a tocar flauta; um 
pequeno tenta tirar da mao da pastora a fita que prende um cao; ao lado 
um cordeirinho com collar de flores ; tudo bem modelado e pintado. Marca 
n.« 100. Altura 0",22; comprimento 0'»,32. 
Sr, Osborne Sampaio, Lisboa, 

461 Grupo de quatro flguras representando um camponcz distribuindo cacbos de 

uvas a creangas. Marca n.° 100. Allura 0'",18. 
Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

462 Grupo de tres figuras representando um vendedor ambulante de estampas, 

mostrando-as a duas crcan^^s. Marca n."^ 101, do arcebispo de Mayence. 
Altura 0-, 18. 

Sr, Antonio Maria Fidiij Lisboa, 

463 Uma peixeira e um engraxador; par de estatuetas pintadas com cores vivas. 

Sem marca. Altura 0",21. 

Sr, Visconde de Daupias, Lisboa, 

46 i Dois mendigos esmolando; par de estatuetas pintadas de vivas cores. Sem 
marca. Altura 0",2 1. 

Sr, Visconde de Daupias, Lisboa, 

iO 



306 SALA S POBCELAKA (allbmakba) 

LrDWISBURG 

465 Orpbeu; estatueta pintada e dourada representando-o sentado a sombra de 

um caramanchao entrelacada de plantas e flores. Marea n.* 102. Altara 
0-,25. 

Sr. Antonio Maria Fidie, Lishoa. 

466 Estataeta de senhora meio vestida, com saia branca com flores e roopas or- 

nadas de rendas, encostada a uraa mesa e enchendo nmaehavenadecaA^; 
ao lado um Kin^Charles; a nataralidade e verdade com qne esta mode- 
lada tornam esta fi^ra rerdadeiramente excepcional e soperior aos mais 
finos prodactos de Meissen; as cores com qae esta pintada sio pallidas e 
sobrias. Marca n.° 102. Altura 0",21. 
Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

467 Estataeta de rapaz em cal^oes e mangas de camisa tocando rebeca encostado 

a ama estante de musica; a estante ^ formada por am chernbim de azas 
abertas; sobre a base rolos de musica; pintado e doarado. £ fendant da 
antecedeiUe, mas apesar de ser tambem perfeitissima nao a igoal-a. Marca 
n.» 102. AUura 0",22. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

FEAKENTHAL 

468 Estataeta de velba enchendo chouri^os; pintara de c6res sobrias; a perfei^ao 

com que esta modelada igualam esta fjgnra aos mais finos artefactos da 
epocha. Marca n.^ 103, de Joseph Paul Hanonng. Altara 0",19. 
Fernando Palha, Lisboa, 

469 Par de chelradores (pots-pourris), em forma de amas no estylo Lniz XV, 

brancas, com paizagens e personagens pintadas a c5r de rosa arroxeada. 
Marca n.° 104, de Carlos Theodoro (1761). Altura 0-,27. 
Sr, Visconde de DaupiaSj Lisboa, 

NTMPIIENBERG 

470 Manteigueira branca com paizagens a cores e ramos de flores; encimando a 

tampa uma vacca pintada com as cures nataraes. Marca n.® 105. Compn^ 
mento 0°>,30; altara 0»15. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunhaj Lisboa. 

BERLIM 

471 Seis estataetas de biscuit finamente modeladas, representando Aehifles ves- 

tido de mulher em casa de Nicomedes na oecasiao em qae Ulysses disfar- 
Qado em mercador o obriga a atrai^oar-se ; as outras quatro estataetas 
sao de Deidamia e suas companheiras. Marca n."" 106. Ulysses meAe 
0-,22; as outras 0™,20. 

Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 



poiBCELikNA (allemanua) SALA £I 307 

472 Bastos de biscait sobre plinlhos, representando a Enropa e a Africa, fina- 

mente modelados. Marca n.° 106. Altura 0'°,20. 
Sr. D. Fernando de Sonsaj Lisboa, 

473 Gbavena com sea pires e tampa azul ferrete com ornaXos a oiro, estylo 

Luiz XVI. Marca ii.° 106. 
Duques de Pdmella, Lisboa. 

474 Chaveua branca com cercadura azul, no estylo Luiz XV, e pintura de sce- 

nas pastoris. Marca n." 106. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

475 Servigo de almogo sobre uma baudeja, braneo com cercadiiras e medalhoes 

azues com desenhos a tinta da China e ornatos de oiro; sobre a bandeja 
retrato de uiulher que parece ser o de D. Maria I, nos medalhoes das 
OQtras pe^ figuras ailegoricas qae vom nomeada& em fraaeez no fundo 
de cada pe^ e que parecem querer representar as virtudes d*aquella rai- 
nba: La Fid^it^, La Yertu, etc. Marca n."" 106. 
Duques de Palrnella, Lisboa, 

VIENNA D'AUSTRIA 

476 Gbavena e pires cor de rosa com ornatos a tinta da China, ^enero Luiz XVI 

e cercaduras douradas com oiro em relevo (especialidade da fabrica) no 
mesmo estylo. Marca n.° 107. 
Duques de Paimella, Lisboa, 

kTl Gbavena e pires azul escuro com reflexes furla-cores e ornatos verdes e dou- 
rados no estylo Luiz XVI. Marca n.** 108. 
Duques de PdmeUa, Lisboa. 

478 Gbavena e pires azul com ornatos de oiro sobre oiro no estylo Luiz XVI. 

Marca 107. 
Duques de Palmellaj Lisboa. 

479 Gbavena e pires brancos, com ornatos verdes, c6r de rosa e oiro. Marca 

n.o 107. 
Duques de Palmellaj Lisboa. 

480 Gbavena e pires, em listas alternadas azues e pretas, com ornatos de oiro. 

Marca n.'* 107. 
Duques de PalmeUaj Lisboa. 

481 Gbavena e pires, azues, com ornatos a oiro e medalhoes de paizagens a cd- 

res. Marca n.** 107. 
Duques de Palmella, Lisboa, 

482 Ganeca e pires, brancos, com medalhoes cor de rosa com Ggoras mytbologi- 

eas a claro escuro. Marca n."" 107. 
Duques de Palmella, Lisboa. 



308 SALA E porcklana (allemanha) 

483 Caneca e pires, brancos, com cercadara a cdres e medalhoes roxos com 

fjguras mythologicas a claro escuro. Marca n." 109. 
Duques de Podmella, Lisboa. 

484 Pequena fonte de jardim em forma de niclm, dentro do qual urn menino em 

cima de uma concha sep:ura urn pato; pintado de branco, verde e dourado. 
Marca n.*» 107. Altura 0",18. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

iSo Terrina redonda sobre um pe no estylo Luiz XVI, branca com cercadaras 
cor de grao com parras verdes; outras doiirada com relevo; trabalhn 
perfeitissimo, especialidade d*esta fabrica. Marca n.' 107. Specimen de 
am grande servi^o. Altura 0"',48. 
Fernando Palhaj Lisboa, 

486 Prato tendo no centro Gnamente pintado um qaadro representando o vestnario 

de uma matrona romana; a borda e eoberta de ornatos no estylo Luiz XVI, 
deoiro em relevo sobre oiro avermelhado; bello specimen da especialidade 
d'esta fabrica. Marca n.** 107. Diamelro O^jii. 
Sr. Macedo Braga, Lisboa. 

INCERTO 

487 Orchestra; collec^ao de oito estatuetas pintadas, de musicos, tocando varios 

instrumentos e cantando. Sem marca mas no genero de Hochst. Altura 
0'»,14. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



Seculo XVIII 

WEESP 

488 Tigela branca, com ramos de flores a cores. Marca n.® HO. Altura O^jOO. 

Diametro 0",17. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

Seculo xYiii 

BURSLEM -WEDGWOOD 

489 Monoculo de biscuit azul com ornatos Dran«'>os em relevo ; tem quatro meda- 

IhSes, representando um as filhas de Priamo aos p^s de Achilles; o S3- 
gundo, uma bacchante enchendo a taga de Baccho; o terceiro, Agrippina 
encostada a urna que contem as cinzas de Germanico; e o quarto, o jura- 



PORCELANA (inglaterra) SALA E 309 

meoto de Grutly, tado delicadissimamente executado. Montagem de mar- 
fim. Marca invisivel. Diametro 0'",03. Altura 0'",03. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 

490 Medalhao oval de biscuit azul com o retrato da rainha P. Maria I de Portu- 

gal em relevo branco, finamente executado; ua parte superior da orla: 
MARIA I. D. G. PORT. ET. ALG. REGiNA. Marca escoudlda. £ixo maior 0'°ylO, 
menor O^jO?. 

Sr. Visconde de Daupias, Lisboa. 

491 Prato de biscuit azul com ornatos brancos em relevo, finissimamente execu- 

tados; cercadura de flores e fulhas^ e ao centre medalhao circular repre- 
sentando Apollo guiaodo o seu carro sobre as nuvens. Marca n.** 111. Um 
dos specimens mais finos do genero. Diametro 0",20. 
Sr.' D. Maria da Piedade Pallia, Lisboa, 

492 Urna de forma elegante de biscuit azul com ornatos brancos em relevo, finis- 

simamente executados; de um lado v^-se Apollo coroando uma nympha, 
do outro um rapaz abraga uma rapariga emquanto Cupidolhesegurauma 
das maos. Sem marca ou escondida pelo gesso que segura o p^, mas in- 
contestavelmente dos melhores artefacios de Wedgwood. Altura 0'",27. 
Sr,' D. Maria Palha Van-Zeller^ Lisboa. 

493 ServiQO de almo^ de biscuit verde, estylo Luiz XVI, com ornatos brancos 

em relevo, representando scenas antigas, grupos de amor, costumes da 
epocba, etc., tudo fiuamente roodelado. Marca n.° 111. 
Sr.' D. Magdalena Palha, Lisboa. 

494 Chapa de biscuit preto com um baixo-relevo finamente modelado, represen- 

tando Mercurio entregando as nymphas, que o haviam de crear, o (ilho de 
Jupiter e de Sem^le; provavelmente copia do antigo. Marca n.** 11 1. Com- 
priraento 0™,30. Largura O^.tS. 
Sr. Conde de Villa liealj Lisboa. 

ETRURIA -WEDGWOOD AND BENTLEY 

495 Urna de biscuit preto no estylo Luiz XVI com festoes e varies ornatos em re- 

levo. Marca n.° 1 12. 
Fernando Pailia, Lisboa. 

496 Urna de biscuit preto no estylo Luiz XVI, com carrancas, festSes, e varios 

ornatos em relevo; sobre uma das faces um medalhao com as tres gragas. 
Marca n.** 112. Altura 0'",27. 
Sr. Eduardo Van-Zeller, Lisboa. 

HANLEY-NEALE 

497 Servi^o de almoQO de biscuit azul com ornatos em relevo branco, em que se 

v^. entre outros, um cupido dando de beber a uma gazella^ a fabula do lobo 
e da cegonha, etc. Marca n."" 113. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 



310 SALA 'E POBCXLANX (inglatbuia) 

TUNSTALL-ADAMS 

498 Par de pcqaenas nrnas sobre pedestaes quadrangahires de biscuit azal com 

ornatos brancos em relevo; sobre as qoatro faces dos pedestaes figmas 
alleji^oricas antigas. IMarca n." il4. Altura O'ySS. 
Sr,' D. Maria Palha Van-Zdler, Lisboa, 

TURNER 

499 Terrina em forma de peril assado com as soas cores naturaes e folbasrerdes 

na tampa. Sem marca, mas eocontra-se em pe^as perfeitamente iguaes. 
Compriraoito 0'°,04. 

Sr. D. Fenumdo de Soma, Lisboa, 

CROWN DERBY 

500 Estatoeta de menina dando de comer a am gato, pintado e domrado. Harca 

II.M16. AltmaO-,45. 

Sr, AnUmio Maria Fidie, Lifboa. 

501 Par de terrinas e pratos brancos com cercaduras de omatos dourados e qua- 

dros de paizagens (vistas do Derbysbire). Marca n.® 115. Comprimento 
do prato 0-.22. Altura 0-,13. 
Duques de PalmeUaj Lisboa. 

CHELSEA 

502 Efitatueta de homem vestido a Luiz XV, sastentando a tampa de uma caixa 

para alfinetes ou anneis, tudo pintado e dourada. Estatuteta de senbora da 
mesma epocha sustentando i<;ualmentp a tampa de uma caixa. Marca 
n.* H6. Altura 0-,23. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

503 Estatueta de camponeza sentada, com uma flor na mao e um cesto de flores. 

Sem marca. Altura O^^l^. 

Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

504 Mercurio; estatuela do deus sobrc as nuvens com o caduceu e um sac^o de 

dinheiro nas maos ; pintado. Sem marca. Altura 0'",34. 
Sr. Ppancisoo Ribeiro da Cunka, Lisbwz. 

505 Duas estatuetas de meninos com bravados de flores em relevo e cdres. Sem 

marca. Genero Chelsea. Altura O^^S. 
Sr. Francisco Ribeiiv da Cunha, Lisboa. 

806 Terrina eom prato c tampa arrendados, branca, com flores pintadas, oma- 
(OS em relevo e tronoos com folbas e flores em grande relevo a cdres. Ge- 
nero Chelsea, mas sem marca. Comprimento do prato 0",25; altura 0", 13. 
Sr. D. Fernando de Sousa, Lisboa. 



(PORGESLANA (iNGLATERRa) SALA E 3il 

{INCERTO) 

SOT Venus e Adonis, gropo de duas G^uras^ de biscuit; genero inglez. Marca 
n.** 117. (Desconhecida.) Allura O^jiS. 
Sr. Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

508 Daphne transformada em loureiro, estatueta de biscuit; genero ingiez. Sem 

marca. Allara 0",45. 

Sr. Antonio Maria FidtS, Lishoa. 

509 Diana e Eadymion, grupo de daas fjgaras de biscuit^ genero inglez. Marca 

n."" 117. (Desconliecida.) Altura 0'%4&. 
Sr. Antonio Maria Fidie, U$boa, 

510 Syr^ne perseguida por Pan transformada em casinos, grupo de daas figuras 

de biscuit; genero inglez. Marca n.** 117. (Desconhecida.) Altura 0'°,47. 
Sr, Antonio Maria FidU, LMoa. 

SU Paris entregando o porno, estatueta de biscuit; geoero ioglez. Sem marca. 
Akura 0«,55. 

Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

51 2 Hercules fiando ao p^ de Omphala, grupo de duas figuras de biscuit; genero 

inglez. Marca n.' 117. (Desconhecida.) Altura 0",47. 
Sr. Afitonto Maria Fidie, Lisboa, 

51 3 Grupo de passarinheiros mettendo urn passaro Ti*nma gaiola a .sombrade 

uma arvore. Sem marca, mas genero inglez. Altura 0",27. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

514 Estatueta de menina com um ^ato ao collo, ao qaal poz uma touca; pintada. 

Sem marca, mas no genero inj^lez. Altura 0",14. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa. 

515 Assucareiro branco com p4 e azas com ramos de flores pintadas e outrasem 

relevo e cores fiaamente modeladas. Marca n.*» 118. Altura 0",12. 
Sr, Eduardo Van-Zeller, Lisboa, 



Seculo XVIII 

COPENHAGUE 

SI6 Chavena e pires azul ferrete e oiro com um medalliao a c6res representando 
fruetos. Marca n.° 119. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 



312 SAL A IS PORCELANA (iTALU) 

SCCUIO XVJII 

CAPO DI MONTE 

517 Grupo de nove figaras representando ofliciaes do justiga de cabelieira, capa 
e espada apedrejados por homens do povo; pintado e dourado. Marea 
n^ i20. Altura 0",29. 

Sr, Francisco Ribeiro da Cunha, Lisboa, 

M8 Tigela com tampa c prato, branca, com figaras em relevo e cores represen- 
taado Diana e as suas nymphas no banbo c dansando e scenas do diluvio. 
Sem marca. 
Duques de PalmeUa^ Lisboa. 

519 Tigela com azas e lampa, branca, com ornatos em relevo preciosaraente exe- 

cutados; sobre a tampa Apllo guiando o seu carro e Venus puxada pelos 
cysnes e por amores; na tigela de urn lado o carro de Apollo e do outro 
Diana vendo dansar as suas nymphas. Sem marca. Altura O^jlO; diame- 
tro 0»,13. 

Sr. Antojiio Maria Fidie, Lisboa, 

520 Tres grupos brancos de meninos, brincando e colbendo fructos e floras; odo 

centro tem trcs figuras, cada um dos outros duas. Comquanto nao te- 
nham marca a cor do csmalte, parece indicar serem d^estaproveniencia. 
Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa, 

521 Par de casti^aes brancos, em forma de estatuetas sobra^ando cornucopias ; 

uma, de velho, representa o Inverno, e outra, de mulber com uma creanra, 
representa oVerao. Sem marca. Altura 0"',24. 
Duques de Palmella, Lisboa, 

522 Par de castigaes brancos cm forma de tripes enrolados por dragoes. Sem 

marca. Altura 0"',i2. 
Duques de Palmellaj Lisboa, 

523 Chavena e pires brancos com ornatos em relevo c cores, de festoes de flores 

e figuras; sobre a chavena v^-se o julgamento de Paris, Neptuno no seu 
carro e uma scena campestre. Sem marca. Diametro do pires 0'",13. 
Sr. Francisco Ribeiro da Cunfia, Lisboa. 

624 Par de caixas cylindricas com sens pires brancos e troncos e flores era re- 
levo. Genero Capo di Monti, mas sem marca. Diametro dos pires 0'",20 
e das caixas 0°*,13. 

Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

525 Gofre branco com variados ornatos em relevo e cores; medalhoes com figuras 
de mulherallegoricas com legendasquedizem: aqua, aer, geometria, terra, 



PORCELANA (iTALIA) SALA E 313 

RETORicA. Marca n.® 121. Altura O^jlS. Gomprimento 0",23. Largura 
0»,12. 
Duques de Palmellaj Lisboa, 

FLORENgA 

526 Qaatro travessas e dois pratos redondos, tudo com tampas, e dois saieiros em 

forma de cestos com colhdres, tudo branco com flores a encarnado e oiro; 
as tampas encimadas por flores e cabegas de aves (perdizes, patos, etc.) 
em relevo e cores. Sem marca. Specimen de um grande servigo de jaiitar. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

iseculo zviii 

BUENRETIEO 

527 Grupo de duas figuras re[»resentando o facto hem coohecido da fliha amamen- 

tando pae na prisao; finamente modelado e pintado. Marca n.^ 422. Al- 
tura 0'",20. 
Fernando Palhaj Lisboa. 

528 Par de grupos de duas figuras, cada urn representando bruxas lendo sinas 

por meio da chiromancia; finamente pintados e modclados. Marca n." 122. 
Allura 0",20. 
Fernando Pcdha, Lisboa. 

529 Grapo de tres chinezes; um homem abra^ando uma mulher, emquanto outra 

sentada n'uma almofada toca um instrumento de corda; pintado e dourado. 
Sem marca. Altnra O^jSG. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa. 

530 Diana e Endymion, grupo de duas figuras finamente modeladas, pintadas e 

douradas. Sem marca. Aitura 0'",18. 
Srs. Condes de Porto Covo, Lisboa. 

531 Chavena e pires brancos com cercadura a cores, de concbas e ornatos a oiro. 

Marca n.'- 123 e 124. 

Sr. Macedo Braga, Lisboa. 

532 Tigcla com prato e tampa brancos com pinturas a cores, ornatos e oiro. So- 

bre prato um homem vestido a Luiz XV conversa com uma senhora com 
trajes da mesma epocha, tudo mimosamente desenhado; sobre a tigela e 
tampa medalhoes com amores; a tampa lermina por um peqieno fructoem 
relevo. Marca n.' 125. 

Sr. Manuel Pedro GuedeSy Lisboa. 

533 Estatueta representando uma pastora rodeada pelo seu rebanbo egravando so. 



3i4 SALA E POBCELAKA (jBBSrAKHA) 

bre u troDCo de oma arvore o seu nome ao lado do do amaote; ^ pintada 
de verde e roxo claros. Harca n.*' 126 de Salvador Nofri (1775). Altora 
0-,42. 

Sr, Antonio Maria Fidie, Lisboa. 

534 Grupo de duas figuras de ineninos com trajes a Luiz XV; o rapaz tern ao 
hombro nm cantaro de agua e a rapariga despeja omacoriuioopia de di- 
nheiro. Sem marca. Altora 0*,28. 
Sr. Osborne Sampaio, Lisboa. 

53o Grapo de duas figuras brancas, representando luna mnlfaereuro homeni com 
trajes a Luiz XV; fioa e elegantemente modelado. Sem marca. Altora 
0M8. 

Sr.' Condma ie Ficalho, Lisbon. 

ALOORA 

336 Assucareiro e prato brancos com cercadaras a oiro e tinta da Ciiina, e ao 
centro do prato um medalliao de pastoral no genero Watteao a tinta da 
China. Marca il"" 127. Diametro do prato 0'",22. Altara do assocararo 
0-,ll. 

Sr. Macedo Braga, Lisboa. 



OOIDIOBS 

1 Commentario ao Apocalypse, pelo monge Bealo de Lidnna. Seeuio tiil Co- 

pia feita por um certo Egas na era 1227 (anno 1189). Pertenoea ao mos- 
teiro de Lorvao. Manuscripto em pergaminho, in-foito, or&adode raaitasilln- 
minuras interessantes ao estudo dos costumes da epodia. 
Torre do Tombo. 

2 Biblia sacra. Seculo xni. Manuscriplo em'pcrgasunho, in-4.* Tarjas illami- 

nadas. 
Bibliotheca NacionaL 

3 Livro de Horas. Fins do seculo xiv ou principios do xr. Foi do nso do prin- 

cipe, depois rci, D. Duarte. Manuscripto em pei^aminiio, ui4.% com minia- 
turas, tarjas e iniciaes illuminadas. 
Torre do Tombo. 

4 Horas de Nossa Senhora. Fins do seculo xv. Manoscripto «m pergaminho in- 

8.®, com illoniimnras. 

Convento Novo de S. Jose e Santa Thereza, Evora. 

5 Outras. Fins do seculo xv ou principios do xvi. Manuscripto em pergaminho 

com miniataras, tarjas e intciaes illuminadas. Tern oma nota roais moder- 



CODICES SALA £: 315 

na, a^i^ada por Fr. Luiz de Santiago, em que se diz que pertenceram a 
rainha D. Leonor (malher de D. Joao it). Foram do convenlo da Madre de 
Dens. 
Jmprensa Nacional. 

Opera Magistri Sontentiarum (Pedro Lombarbo, bispo de Paris). Copia em 
pergaminbo, mfalio,com as duas primeiras paginas, depois do prologo, rica- 
mente illaminadas ; bem como as tarjas e iniciaes. Acabadaem 13 de dezem- 
bro de i49i, e feita, ao que parece, por ordem de D. Joao li, porque no 
fim Mse: 

((Reliqua sua tota vita 

se tibi portugallo regi 

Jacobus vere carmelita 

scriptor bujas commictit regi 

Et tua tantam stipe peroptat. > 

Torre do Tombo, 

7 Biblia sacra com as postillas de Nicolau de Lyra, legada por cl-rei D. Manuel 
ao convento de Santa Maria de fielem. Manuscripto em pergaminhOjin-folio. 
Compoe-se de sete volumes, ricamente illuminados, seodo o segundo, que 
esta exposU), eseripto em Floren^a por Alexandre Verzano em 1405. 
Torre do Tombo. 

S Blblia hebraica, 1517. Manuscripto em pergaminbo, in4." Grandes tarjas illu- 
minadas de estyJo arabe. 
Bibliotheca Uaciotuil de Lidfoa. 

9 Livro das armas dos rcis, principes e familias nobres. Manuscripto em perga- 
minbo, in-follo. Bellas estam|)as douradas e coloridas. Foi mandado fazer por 
el-rei D. Manuel, e esta assignado pelo rei d'armas Portugal, em 15 de 
agosto de 1509. 
Sr. Conde de MesquUella. 

10 Foral de Alvito, dado por el-rei D. Manuel em SO de novembro de 1516. Ma- 

nuscripto em pergamiuho, in-4.*' A primeira pagina tem uma tarja larguissi- 
ma, dourada e eolorida, formada em cima pelas armas reaes, aos lados 
pelas espberas, e em baixo por flores e borboletas. Encaderna^o do seculo 
xvi, em carneira cor de castanba. Em cada face : no centre as armas reaes, 
nos cantos as espberas de bronze. 
Sr. Marquez de Alvito. 

11 Horas de Nossa Senbora. Manuscripto em pergaminbo, in-32.''Letra franceza 

do seculo XVI. Tarjas e miniataras. Encaderna^ao em marroquim castanho. 
Bibliotheca de Evora. 

12 cLivro das fortalezas que sao situadas nos extremos de Portugal e Castella>, 

feito por Duarte d'Armas, no reinado de eirei D. Manuel. Desenhos a 
penna em pergaminbo^ in- foi. 
Torre do Tombo, 



316 SALA n: CODICES 

13 «Liyro da Dobreza e perfei^o das armas dos reis christaos, e nobres linhagens 

do reinoesenhoriosdePortagaU. Grandes illumiouras em pergaminho, in- 
fol. Per Antonio Godinho, escrivao da camara d'el-rei D. Joao III. 
Torre do Tombo. 

14 Horas de Nossa Senhora. Manuscripto em pergaminho finissimo, m-32.'' Letra 

dos fins do seculo xv ou principios do seculoxvi. Iniciaese tarjas em bellas 
miniataras a oiro e c6res. Aparos e margens todas douradas. Encaderaa- 
^ao em velado azul. 
Bibliotheca de Evora, 

15 Outras. Manuscripto em pergaminho finissimo, in-32.° Letra ailema, seculo 

XVI. Tarjas e miniataras a oiro e aguadas (camaieu), 
Bibliotheca de Evora. 

16 Outras. Manuscripto, in-8.'', em pergaminho iiluminado^ com tarjas, iniciaes e 

miniaturas douradas e coloridas. Seculo xvi. 
Bibliotheca Nacional de Lisboa. 

17 Outras. Manuscripto em pergaminho, in-S."" No principio tem uma estampa 

dourada e colorida, representando, n um nicho de architectura manuelina, o 
brazao do appellido de Costa. Iniciaes, tarjas e estampas illuminadas a oiro 
e cdres. Encadernagao de veludo verde com fechos de prata. Seculo xvi. 
Sr. Conde de Mesquitella. 

18 «Livro dos Evangelhos que serve na mesa do Conselho Geral do Santo OBicio 

dalnquisi^o, 1608i». Manuscripto em pergaminho, in-S.** Iniciaes e estam- 
pas illuminadas. Encaderna^ao de veludo carmezim com fechos e omatos 
de latao dourado. 
Torre do Tombo. 

19 Missal. Manuscripto em pergaminho, in-folio. Bellissimas tarjas e estampasco- 

loridas. Auctor Estevao Gongalves Neto, 1611. 
Academia Red das Sciencias de Lisboa. 

20 cSpeculum historiale Fratris Yincentii>. Manuscripto em pergaminho, in-fol. 

Estampas, iniciaes, e outras letras illuminadas. Seculo xv. Faltam as pri- 
meiras fol has. 
Bibliotheca Nacional de Lisboa. 

21 Missal encadernado em veludo, com as armas do bi^^po D. Fr. Alvaro de 

S. Boaventura, e cantos de prata, que pertenceram a outro missal do tempo 
d'este bispo, in-fol. Seculo xvii. 

22 Euzebio, chronicas, 5.* parte. Manuscripto cm pergaminho, in-ful. em lingua 

hespanbola. Iniciaes e tarjas illuminadas. Seculo xv. 
Bibliotheca Nacional. 

23 Portulano de Lazaro Luiz. 1563. Pergaminho, in-fol. 

Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



CODICES SALA £: 317 

24 Epistolario encadernado em velodo carmezim, com centres e cantos de prata, 

que pertenceram a outro livro do seculo xvii, in-fol. 
Se d€ Coimbra. . 

25 ((Nobiliario d'Espanha. . . concertado e reformado por D. Antonio Alvares da 

Canha, guarda mor da Torre do Tombo». Seculo xvii. Manuscripto em per- 
gaminho, in-fol. Com illumiauras. 
Torre do Tombo. 

36 Biblia castelhana. Manuscripto em pergaminho, in-M. Iniciaes floreadas e 
coloridas. Desenhos a penna, dos quaes poucos chegaram a ser coioridos. 
Seculo XIV. 

Bibliotheca de Evora. 

27 Cbronicas de Duarte Galvao. EneadernaQao do seculo xvi, m-fol. 

Bibliotheca do Porto, 

28 Sermoes do padre Betaneour. 1739. Encadernagao do seculo xviii, in-8.® 

Academia Beat de Bellas Artes de Lisboa. 

29 Horas de Nossa Senhnra. Manuscripto em pergaminhocomilIuminurasJn-8.* 

Bibliotheca de Mafra. 

30 Officio de No?sa Sonbora. Encadernagao em marroquim dourado e prateado, 

in.8.» 1755. 

Academia Beat de Bellas Artes de Lisboa. 

31 Officios varios. Seculo xvi. Encadernagao do mesmo seculo, in-lG.** em cameira 

preta com dourados. Perienceu ao mosteiro de Lorvao. 
Bibliotheca da Universidade, 

32 Officium defunctorum. Manuscripto em pergaminbo com illuminuras, in-8.' 

Bibliotheca de Mafra. 

33 «Prospecto do fundo do c6ro do convento de Cbristo de Tbomar, obra de 

el-rei D. Manueh). De^enho a penna feito em 1809 por Macedo. 
Sr. Jose Izidro de Seabra Mousinho. 

34 cProspecto de um lado do coro do mesmo convento ». Descnho a penna feito 

pela mesma pes;^a e no mesmo anno, provavelmente. 
Sr. Jose Izidro de Seabra Mousinho. 

35 cRegimento que o Senado da Camara da para o regimen do officio de luvei- 

ro)). Manuscripto em pergaminbo, in-4-', encadernado cm veludo Yerde com 
cantos e centro de prata. Seculo xviii. 
Sr. Jose Ladislau de Oliieira, Lisboa, 

36 Horas de Nossa Senbora. Manuscripto em pergaminbo, in-8.^y com iliuminu- 

ras. EncadernaQao contemporanea. Seculo xv. 
Bibliotheca da Universidade. 



318 SALA S 

37 

Qaatro illuminuras que pertenceram a algum li\TO de Horas. Seenlo xv. 

LQ Sr. Abel Martins Fen*eira, Evora, 

41 aOfliciam Beatae Mariae Yir^nisa . Impresso em pergaminbo por Egidio e Ger- 

mano Hardouin, in-S.*" 1530. 
Torre do Tombo. 

42 Brazao dc armas de Manael de Castanheda Cabral. Manascriplo em pergami- 

nbo, in-4.' Seculo 1702. 

Sr. Manuel Cabral de Maura ViUiena, S. Silvestre, Coimbra. 

43 ((Accordaos da irmaadade de Santa Catharinade Lisboa)). Manuscripto em 

pergaminho, ia-Si.*" Seculo xvii. 
Irmandade da mesma santa. 

44 Horas de Nossa Senhora. Seculo xv. Manuscripto em pergaminbo, iii-4/, 

com illuminuras. Encaderna^ao em carneira com fecbos e cantos de prata. 
Sr. Marquez de Ficalho. 

45 Outras com illuminuras muito curiosas. Manuscripto em pergaminbo, in-3S. 

Seculo x\i. 
iSV. D. Duarte Manuel de Noronha, 

46 c(Panegirico genealogico doDuquedeBarce1ios}>. Impresso, i&iS. Encaderna- 

cao do seculo xviu, em carneira com dourados. 
Sr. Pedro Wenceslau de Brito Aranha. 

47 ttCompromisso da confraria e irmandade deNossa Senbora da Penbade Fran- 

ca, sita na sua propria casa que esta no arrabalde d'esta cidade de Lisboa, 
ordenado pelos mareantes da carreira da India no anno de 1599>. Encader- 
nado em veludo carmezim com ornatos de bronze dourado, in-4.^ 

« 48 Novo Testamcnto. Manuscripto em pergaminbo do seenlo xu ou xiii, in-fol. 
Encaderna^ao de prata com douraduras, do seculo xyi. N'nma face, em 
relevo, Christo Crucificado, de um lado Nossa Senbora e do outre lado 
S. Joao. Dois anjos com thuribulos, na parte superior. Em volta a se- 
guinte inscrip^ao em allemao minusculo do seculo xiv : jhvs avtem trasiens 

PER MEDEO YLOROM IBAT AVE MARIA GRATIA PLENA DOMINUS TE0D9. Na OQtra 

face em relevo, n'uma cadeira com a f6rma de dois leOes, Cbristo sen- 
tado abengoando com a mao direita, e tendo na esquerda um livro. Nos 
quatro cantos o anjo e os animaes emblematioos dos evangelistas. Em 
volta uma cercadura de ramagens. 

« 49 Missal encadernado em veludo carmezim com gnami^des e centros de prata. 
in-fol. Nos centros tern as armas reaes. Altura 0'°,34. Seculo xvn. 
Governo Civil de Coimbra. 

« 50 Missal encadernado em veludo carmezim, com fecbos. cantos e centros de 



coNCis SALA X: 319 

prata doarada. Os centres t^em as armas reaes eom a segointe legenda 
em baixo: regal, diyi petri gollegio. Altura 0'"y42. Seculb xviii. in-fol. 
Capella da Universidade de Coimbra. 

* 51 Missal encadernado era velado carmezim, com cantos, centros e fechos de 

prata. Attara 6'",35. Secnlo xvii, in-fol. 
Capella da Universidade de Coimbra, 

«82 cTombo da comarca da Idanha a Nova>. Manuscripto em pei^amiDho, in-fol. 
EncadernaQuo em veludo carmezim com o brazao central a croz de Chris- 
to, e a anterior de latao doarado. Principios do seculo xvii. Fol. 
Bibliotheca Nacional de Lishoa, 

«63 Missal encadernado em veludo carmezim com ornatos de prata, infol. 
Caixa Geral de Depositos. 

« 54 Missal encadernado em velado carmezim, com fechos, centros e cantos de 
prata. Altura 0'°,36. Um dos centros 6 um medalhao de prata dourada 
com a imagem de S. Francisco em baixo-relevo, e o outro um medalhao 
similhante com a imagem de Santa Clara, in-fol. Seculo xvii. 
Convento de Santa Claraj Santarem. 

*55J 

(Lapidario de el-rei D. AfTunso X, dois exemplares da reproduc^ao chromoli- 

« 561 ^b^^S^^P^^^ ^^ codice original. 

* 57 Missal encadernado em veludo carmezim, com fechos, cantos e centros de 

prata, in-fol. Altura 0'",34. Seculo xvin. 
Acadetnia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

«S8 Estante de missal, de ebano, guarnecida de prata e forrada de veludo car- 
mezim na face superior. Gomprimento 0",36. Seculo xviii. 
Con fr aria de Nossa Senhora da Piedade, Santarem, 

«59 Antiguidades judaicas, de Flavio Josepho. Escriptas na lingua franceza, em 
letra do seculo xv, em pergaminho in-fol. Estampas, iniciaes e tarjas co- 
loridas e douradas. 

Sr, Marqaez de Ficalho. 

* 60 Missal com encadema^ao de prata, in-fol. Seculo xvii. 

Se do Porto. 

«61 Estante de prata do missal precedente. Altura O'^yiG; largura 0",35. Se- 
culo XVII. 
Se do Porto. 

«63 Baldaquino com capa de veludo carmezim, e guarnigao, cantos e centros de 
prata. Nos cantos tem os emblemas da Eucharistia, e nos centros as ar- 
mas da ordem de S. Bernardo. Altura 0'°,55. Interiormente ^ forrado de 
Ihama de prata bordada a oiro. Seculo xvni. Pode abrir-se c armar-se a 



320 SALA "E CODICES 

maneira de urn altar com docel. Servia para levar o Yiatico as freiras en- 
fermas. 
Mosteiro de Lorvao. 

^ 64 Livro de matrieda dos irmaos da Confraria dos Santos Martyres de Marro- 

cos, da igreja de Santa Cruz de Coimbra. Altara O'^jSe. £ encademado 

em veludo carmezim com ornatos de prata. N'am dos centros estao repre- 

sentados os cinco Martyres, no outro as armas do mosteiro. Secolo xvni. 

Confraria dos Santos Martyres da Igreja de Santa Cruz, Coimbra, 



i\. B. Os Dumeros que lovam astericos esi9o na sala A. Os numeros 193 a 226 foram descriptos no catalogo 
da sala B. 



SALA r> 



1 Salva de prata, redonda. Diametro O*",^!). Tern no centro uma agiiia ponsada 

em am ramo; em volta larga cercadura de folhagens e flores. Contornam a 
cercadara dezes^is canneluras, ornadas com oatras tanta» tulipas. Todos os 
lavores sao em meio-relevo e de obra rebatida. Seculo xvii. 
Sr. Conde de YiUa Pouca, Guimaraes. 

2 Cesto de prata rendilhado. Secalo xviii. 

Srs. Duques de Palmettaj Lisboa. 

3 Salva de prata. redonda. Diametro 0°',61. No centro tem um medalhaocom a 

figura de Belona e tropWus guerreiros em meio-relevo. fi ornamentada, en- 
Ire variados lavores, com quatro carrancas e quatro cariatides. Seculo xvii. 
Sr. Antonio Jacome da Cunha Veiga, Braga. 

4 Bacia de prata, ovai, com a borda recortada, e ornamentada com flores, con- 

chas e oatros lavores em meio-relevo. Seculo xvin. 
Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

5 Salva de prata. Diamotro 0*^,58. No centro tem gravadas uma estrella e uma 

meia lua, contornand )as uma cercadura do folhagens em meio-relevo. D'esta 
cercadura at6 as bordas 6 ornada a salva com muita diversidade de lavores 
em meio-relevo, ropresentando castellos, templos, carros triumphaes, arvo- 
res, flores, elr. Secnio xvii. 

Sr. Chnstiano Vanzeller, Porto. 

6 Quadro de esculptura em meio-relevo, em marfim, representando a Ascensao 

de Christo, coin moldara de pau santo. Seculo xviii. 
Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

7 Bacia de prata dourada. Comprimento O^jeS. Largura O^^So. Altura O"",?. 

Tem no ceatn» um brazao de armas com o escudo bipartido, encimado por 
um elmo, com um leao por timbre, e ornado de folbagens em torno. resto 
da bacia 6 lavrado em flores, pinhas e folhas, de desenho miudo c em meio- 
relevo. Fins do seculo xvir. 

Sr. Christiano Vanzeller, Porto. 

8 Jarro de prata dourada. Altura at^ ao bocal 0^^,23, e incluindo a aza 0'",34. 

31 



322 SALA I> 

£ todo ornamentado com lavorcs igaaes aos da bacia n.® 7, a que pertence, 
tendo junto ao bjcal o mesmo brazao de armas. Fins do secalo xvii. 
Sr. Christiano YanzelleVj Porto. 

9 Salva de prata rectaDgalar ornamentada com os emblemas da Paixao de Chris- 
to. Serve na ceremonia da lavagem do Seahor dos Passos da Ura^a de Lis- 
boa. Seculo xvm. 

Sr.* Marqueza deFroTUeira, Lisboa. 

10 Quatro castigaes de prata dourada, formados cada um de uma estalueta, re- 

presentando Mercurio, a Verdade, a Medicina e Hercules. Seculo xviu. 
Srs. Duques de Pcdmellaj Lisboa. 

11 Castodia de prata dourada, com o hostiario debaixo de cupula, sustentada por 

quatro columnas de crystal, duas ornadas com esmeraldas, e as outras duas 
com rubis. A cupula 6 guamecida, de um lado com esmcraldas, e do ou- 
tro com rubis, e coroada por uma cruz de ametliistas. resplaudor que 
cerca o lustiario 6 guarnccido de minas novas. A base da custudia 6 qua- 
drangular, tendo nos angulos quatro estatuas de vulto inteiro, representando 
as da frente dois anjos com tburibulos, e as outras a Esperan^a e a Caridade. 
As quatro faces da base sao ornamentadas com quadros de escultura em 
meiorelevo. Esta custodia foi feita no Porto no fim do terceiro quartel do 
&eculo xvHi, para servir na igreja do semiaario episcopal, que nao se aca- 
bou. 

Mitra Episcopal do Porto. 

12 Leone com as varetas de oiro, sendo as duas grandes ornamentadas com ame- 

tliistas. Fins do seculo xvm. 

Sr. Christiano YanzeUer, Porto. 

13 Caixa de rap6, de prata, e com cercadaras de Gligrana com esmalte. Tem na 

tampa um quadro de paizagem com fjguras em meio relevo. Seculo xvui. 
Sr, Padre Josi Augusto de Castro e Hello, Porto. 

14 Taja de prata com azas, com lavor imitando uma rede de cordel. Seculo xvi. 

Sr. Manuel Pedro Guedes, Penafiel. 

15 Leaue com as varetas pequenas de madreperola e as grandes de oiro, adorna- 

aas com torquezas e saphiras. Fins do seculo xvni. 
Sr. Christiano Wanzeller, Porto. 

IG Par de vasos de prata dourada com pratos e tampas do mesmo metal, e todas 
as pegas inteiramente revestidas de filigrana de prata com esmaltes. Temde 
altura cada um dos vasos 0'",30. Foram feitos na India na primeira me- 
tade do seculo passado. 
Sr. Antonio Maria Kopke de Carvalho, Porto. 

17 Caixa de rap6, de tartaruga e oiro, tendo na tampa, debaixo de vidro, uma 
paizagem de eagada de veados, esculpida em marflm. Seculo xvm. 
Sr.' D. Leopoldina Maria Bessone Basto, Lisboa. 



SALA I> 323 

18 Yaso de oiro, todo guarnecido de lavores de meio-relevo rebalidos. Tern de 

aUara O^j^O e de diameiro na parte superior 0'",18. Seculo xviii. 
Sr. Jose Juaquim da Costa Lima, Porto. 

19 Leileira de prata, ornamentada com festoes de fljres em meio-relevo> e com 

um brazao dearmas. Seculo xviii. 
Sr, Alberto Mallieiro Bias, Porto. 

20 Pulscira de oiro feita no Brazil. Seculo xviii. 

Sr^ Marqueza de Fronteira, Lisboa, 

21 Brocbe de oiro e pedras com um camafeo em sardonica, representando o ra- 

pto das sabinas. 
Sr.* D. Camilla Ribeiro de Faria, Porto. 

22 Broche de brilbantes, rubis c esmeraidas. Esta joia pertencea a rainha 

D. Maria I, e foi dada pela falleeida infanta D. Izaoel Maria, como presente 
de nupctas, a actual possuidora. Seculo xvni. 
Sr.' Marqueza da Fronteira, Lisboa. 

23 Palseira de coral cor do rosa, de folhagens e flares, entremeiadas de troncos 

de coral branco. 
Sr.* D. Carolina Maria Bessone Basto, Ldsboa. 

2i Pulseira de Gligranna de oiro com bhihantes e ama esmeralda. 
Sr.* Condessa de Rio Maior (D. Maria), Ldsboa. 

2o Caixa de rap6, de vermelho antiquo e oiro, com am quadro de mosaico roma- 
DO, representando o actual Capitolio de Roma. Fins do seculo xviil 
Sr. Jeronymo PimetUelj Braga. 

2G Leque de flligrana de prala dourada; obra chineza dos fins do seculo xtiu. 
Sr.* B. GuUhermina Pereira Machado de Lima, Porto. 

27 Custodia de prata dourada, composta de duas partes : hostiario e calix. Este 6 

ornado de arabescos, seraphins e cinco tintinabulos. hostiario esta dd)aixo 
de uma cupula, sustentadaporquatrocolomnas, e coroada por quatropyra- 
mides e uma cruz. Altura O^jTi. Seculo xvii. Fig. 74. 
Convento do Crucifixo (Francezinhas), Lisboa. 

28 Salva de prata, oval, toda ornamentada de flores, folbagens e outros lavores 

em meio relevo, e rebatidos. Principio do seculo xviu. 
Sr. Yisconde de Pereira Machado, Porto. 

29 Salva de prata, redonda, com 0'°,58 de diameiro, ornada de folhagens, flores 

e carrancas. SecuL xvii. 

Sr. Yisconde de Barros Lima, Porto. 

30 Medalhao de prata, com a Sagrada Familia em meio-relevo, de obra rebatida. 

Seculo XVII. 

Sr. Yisconde de Sanches de Baena, Lisboa. 



324 SALA I> 

31 Salva de prata, redonda, com a borda Icvantada, e com lavores em meio-re- 

levo, e em torno larga corcadura. No centro tem urn brazao de armas com 
as arraellas dos Castros em doble cruz, entre dois leues. Tem pe alto. Se- 
culo XVIII. 

St\ Antonio Augusto de Sequeira Tedim, Lisboa, 

32 Salva de prata com O'^ySS de diamctro. Tem no centro uma medalba, mais 

alta que o fando da salva, e n'ella uma carranca; em torno largas folha- 
gens. Seculo xvii. 

Sr, Visconde de Bairos Lima, Porto, 

33 Taboleiro de prata, pequeno, todo ornado de flores e folhagens rebatidas. Se- 

culo XVII. 

Sr." Condessa de Rezende, Porto. 

34 Bacia de prata dourada, oval, com 0",40 de comprimeato e 0",27 de largura. 

centro 6 um pouco clevado para servir de assento a um jarro. Tem gra- 
vados al^uns ornato.<; e um brazao de annas de conde. 
Sr. Fructuoso Maria da Nobrefja, Porto. 

35 Jarro de prata dourada. Tem 0'",2I do alturn o O*",!! de diametro na buea. A 

sua ornamenta^ao 6 igual a da bacia u.'' 34. A aza representa um dragao 
Sr. Fructuoso Maria da Nohega, Porto. 

36 Cofre de prata de forma oitavada, com lavores levantados representando flores 

e fructos. Estt^ cnfre serve as sr." marquezas de Frontcira, naqualidade de 
aias do Senhor dos Passos da Gra(%i, p.tra levarem n'elte as toalbas, es- 
ponja e sabonete, para ser lavada a luia^'cm do Senhor, na vespera da sua 
procissao, pelo cardeal patriarcha de Lisboa. Seculo xvii. 
SrJ' Marqueza de Fronteira, Lisboa. 

37 Leque de filigrana de prata com flores de esmalte e outros lavores dourados. 

Em medalboes tem paizagens em esmalte. Seculo xviii. 

Sr.' D. Barbara Tavares de Proen^a e Saldanhaj lisboa. 

38 Cofre de firata rendilhada. Seculo xviii. 

Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 

39 Relogio pequeoo com uma medaiha em esmalte. Seculo xviii. 

Sr." D. Gertrudes Leite Pereira Mello e Alvim, Porto. 

40 Medallia de oiro, da academia real das sciencias de Lisboa, conferida por esta 

corpora^o scientifica a D. Maria Izabel Wanzeller, como premio por ter 
sido a iotroductora da vaccina em Portugal, mandando-a vir de Londres 
para o Porto, e fazendo com que se vaccinassem muitas pessoas n*esta ci- 
dade. 

Sr. Christiana WanzeUer, Porto. 

41 Relogio de oiro e esmalte, guamccido de diamantes e outras pedras. Nacaixa 



SALA I> 325 

inferior am esmalte representando Amphitrite n*ama concha condozida por 
dois golQnhos. Seculo xviii. 

Sr/ Marqueza de Fronteira, Lisboa. 

42 Caneta de agatha e prata doarada. 

Sr, Carlos Augusto Pereira Basto, Lisboa. 

43 Camapheu em concha com orla de filigrana de oiro. 

iSr.* D. Tkereza Pereira de Menezes, Braga. 

44 Quadro de escolptara em meio-relero^ em marflm, represeutando a Assum- 

pi^ao da Virgem, com moldara de paa santo. Seculo xviii. 
Srs. Duques de Pdmellaj Lisboa, 

45 Palseira de oiro formada por trcs grandes camapheus e irinta mais pequenos, 

esculpidosem sardonica» malachites, agatha, coral, amethista, lapiz-lasuli, 
sanguinea e outras pedras. Seculo xviii. 
Sr,' Marqueza de Fronteira, Lisboa. 

(Duas palseiras e broche composlas de camapheus. Seculo xviii. 



A I Sr,' Condessa de Sampaiu, Lisboa. 



49 Relogio e chatelaine de oiro e esmalte guamecido de perolas. Seculo xvm. 

Sr.' Condessa de Bio Maior (D. Maria), Lisboa. 

50 Medalha de bronze donrado, de forma oval, commemoratira do desacato com- 

mettido no seculo xvii na i^Teja par(>chial do Santa Engracia, em Li:>boa. 
&r.' Condessa de Bio Maior (D. Izabel), Lisboa. 



M Perfumador de prata. Comprimenlo 0°*,36; allura 0",48. Tem a forma de urn 
gryjpho e parece obra climeza. 

Sr.' Condessa de Bertiandos, Braga, 



52 Bengala de unicornio com a ponteira e castiio de oiro, e este ornado de grande 

quantidade de brilliantes. Tern argola e corrcnte de oiro com uma borla de 
brilhantes. Secnlo xvm 

Mitra Patriarcfid de Lisboa, 

53 Salva de prata rebatida, redonda, tendo no centro am medalhao com uma 

estrella e em torno aves, quadrupedes, flores e fulhagens. A borda 6 re- 
partida em gomos. Seculo xvii. 

Sr. Visconde de Barros Lima, Porto, 

64 Salva de prata, oval, com 0™,72 de comprimento e O^joO de largara. No ccn- 
tro tem um quadro com figura-* em mcio-relevo, representando uma mu- 
Iher, am homem, o demonio e nm cao. Seculo xvii. 
Sr. Fructuoso Maria da Nobrega, Porto. 

5o A(^ate oval com aza, de prata, todo rendilhado com diversidade de lavores. 
Seculo XVIII. 

Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 



3«6 SALA n 

r)6 Intode pr^ita, lavrado em meia; oannas em espiral, oroadode flores e outros 
desonhos em meiorelevo. Scfulo xvii. 
Srs. Duqties de Palmella, U^boa, 

57 Porta do sacrario. fi de prata dourada, oom eereanlara lie rides com- caches 

de UTas e e>pigas de trigo, tembnoeeiitroaiiiiafeiiido-Salvador com o cor- 
deiro aos honibros, em marmore branoo, e cercada de resplandor de prata 
e pedras de cdr. Seeak) xvin. 

Confraria do Stmiissimo Saeramen$o ia igrtj^ parechid de Santa 
Justa, Luboa, 

58 Dnas ta^as de prata doarada, roberUs de filtgrana de prata branca, gnarne- 

cida de flores de esmalte. bne al e oriado de folhas da fei^ de petalas de 
tnlipa, de Gligrana de prata. Obra da India do seculo xvm. 
brs. Duques de PnlmeUa, Lisboa. 

^9 Bacia de prata, oblonffa, com a borda, que 6 larga, em prata doorada e guar- 
necida em lavores ae meio relevo. Seeok) xviii. 
Srs, Duques de Paltnellaj Li$boa. 

60 Porta de sacrario. £ de prata e representa, em esenlpdira em meio-rdevo, a 

Resurrei^ao de Christo. 

Extincto Qmtento das Rdigksas de Nossa Senkora da Penha, Braga. 

61 Leiteira de prata, omada de flores e outros desenhos em meio-relevo. Tern 

nma corda de marqaez sobre dois m m. 

Srs. Mar^ezes de Monfdim e de Terena, Porto. 

62 Saka de prata, de f6rma circular, e com p6. Tem no centre nm brazao de ar- 

mas, gravado, com coroa de marr[uez. A borda 6 reeortada, com iarores 
em meio relevo, e junto uma cercadura em baixo-relevo. Seculo xvm. 
Sr. Visconde de Alentem, Lmzada. 

63 Custodia de prata dourada, toda omamentada com variedade de larores, so- 

bresaindo vinte e quatro seraphins. £ enrimada por uma cmz. 
Egreja matriz da Villa da Praia da Victoria. 

64 Estatueta de prata, representando uma dama nobre. Principios^o seculo xvm. 

Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

66 Quadro de esculptura em meio-relevo, em marfim, representando a Adora^ao 
dos Magos, com moldura de pan santo. Seculo xvm. 
Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

66 Estatueta de prata dourada, representando um camponez. Seculo xvui. 

Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 

67 Jarro de prata dourada omado decarrancas e outros desenhos em mcio-relevo. 

Seculo XVII. 

Srs. Duques de PalmeUa, Lisboa. 



SALA I> 327 

C8 Bale de prata dourada. Tem por bico o pesco^o e cabe^a de um cavallo. Na 
tampa um veado. 

Sr$, Duques de Palmellaj Lisboa. 

G9 Qnadro de esculptura em meio-rdevo, em marfim, representando o presepe, 
com moldara em pau santo. Seculo xyiii. 
Srs. Dvqvies de Palmella, Luhoa. 

70 Calix de praCa donrada, estyio da renaseen^a. Ahura 0'*,28. A metade infe- 

rior da copa 6 adomada com folhagen?, de entre as quaes resaltam seis ar- 
^olas para campainhaf>, que nao tem. p6 e a base sao omamentodos com 
differeotes lavores, sobresaindo doze seraphins. Seculo xvii. 
Irtnandade de Nossa Senhora do Tergo e Caridade^ Porto. 

71 Custodia de bronze, prata e crystal, com pedras de cdr. A base e o p^ sao de 

bronze dourado. hostiario ^ de prata dourada, com seraphins de prata 
branca. Seculo xviu. 

Sr. Arcdriapo Primaz de Braga. 

72 Qoadro de esculptura em prata, representando, em meio-relevo, uma santa 

Yirgem junto de um altar, e na parte superior esta levada por dois aujos 
para o c6u. Altura do quadro 0",4o; largura 0°*,38. 
Sr, Antonio Manuel Lopes Vieira de Castro, Porto. 

73^ Dois quadros de esculptura em jafipe, em meio-relevo, representando a Fla- 
e > gellacao de Christo e a Deposi^^ao no tumulo. Seculo xv. 
74 1 Heal Associagao dos Architectos e dos Archeologos PortvguezeSj Lisboa, 

75 A^fate de filigrana de prata, omado de pequenos quadros de eohre esmal- 

tado. Secolo xviii. 

Sr, Eduardo WanzeUer, Lisboa. 

76 Tres medalhSes ovaes de prata dourada com figuras Je meio-relevo, repre- 

sentando a Ceia do Senhor, a Prisao de Christo e Christo descido <fat Cruz. 
Seculo xviii. 

Sr. Hanuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

77 Salva de prata, redonda, com O'jSi de diametro. centre ^ liso e cercado de 

oito largas canneluras, que terminam na borda em oito recortes, guameci- 
dos de uma cercadura de lavores em meio-relevo. Seculo xvin. 

Sr. Adriano de Paiva de Faria Leite Brandao, Villa Nova de Gaia. 

78 Jarro de prata com 0°",^^ de altura e 0°*,36 incluindo a aza. £ omado com fes- 

t9es de flores e contas. Seculo xvui. 
Sr. Conde de Villa Pouea, Guimaraes. 

79 Baeia de ^rata dourada, oblonga. Tem no centre um medalbSo com seis genios 

em meio-relevo, representando o outono. Seculo xvu. 
Srs. Duques de Palmella, Lisboa. 



328 SALA Jy 

80 Castical de prata. Allura O^jZS. Seculo xvii. 

Sr, Miguel Osorio Cabral de CastrOj Coitnbra, 

81 Casti^al de prata lavrada a buril com diversidade de lavores e urn brazao de 

armas dos Alhuqueraues. Seculo xviii. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

82 Campainha de bronze com variedade de lavores em meio-relevo e coroada per 

am dragao com as azas abertas, que provavelmente nao Ihe pertencia. Tern 
no alto a seguinte inscripQuo: lof god van ... l Em baixo a seguinte: ue 
FECIT . . . HANNE AFiNE A° is»2. £ similhaute 4 do n."* 212 da sala M. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

83 Par de serpentinas de prata na r6rma de uma arvore com dois pavoes poisados 

nos troncos. Seculo xviu. 

Srs. Yisconde de Negrellos, Braga. 

84 Cofre relicario forrado de chapa de latao lavrado e dourado, tendo na face an- 

terior e posterior tres niciios cada um com sua estatueta de prata e tendu 
n'uma das faces lateraes Jesus Crucificado e na outra a Yirgem com o Mo- 
nino ao collo. E rematado por um globo de vidro e adornado com varias pe- 
dras. AlturaO",40. 

Sr. Duque de Palmella, Lisboa. 

85 Bengala de canna da India, com o castao e argola de oiro, cinzelados, tendo o 

busto de um guerreiro romano na parte superior. Seculo xviii. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

86 Bengala de canna da India, com o castio, argola e ponteira de oiro, ornados 

de differentes lavores cinzelados, tendo na parte superior uma panoplia. Se 

CUlo XVIII. 

Sr. Manuel de Albuquei^que de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

87 Bengala de canna da India, com o castao de esmalte branco, todo guarnecido 

de lavores relevados em bronze duuraJo. Comprimento da bengala V^^iSi. 
Seculo XVIII. 

Sr, Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

88 Bengala de unicornlo, com o caslao de oiro, todo guarnecido de lavores deli* 

cados em meio-relevo. Seculo xviii. 

St. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

89 Bengala de ebano toda marchelada de madreperola. £ obra da China do se- 

culo XVIII. 

Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 

90 Bengala de canna da India, com o castao, ponteira e argola de esmalte branco 

e verde, ornamentados do de.^eiihds de meio-relcvo de bronze. Seculo xviii. 
Sr. Manuel de Albuquerque de Mello Pereira e Caceres, Porto. 



SALA I> 329 

91 Espevitadeira de prata, na f6nDa de uma arvore com urn pavao, que 6 a te- 

soura de espevitar, pousado em nm tronco. Seculo xvrii. 
Srs. Yiscondes de Negrelhs, Braga. 

92 Caixa estojo de madeira com lavores, tendo dentro o retrato do principe 

D. Antonio, um dos filhos bastardos de el-rei D. Joao V, Tulgarmente de- 
nominados Meninos de Palhava. Seculo xviii. 
Sr, Carlos de Vilhena Barbosa, Lisboa, 

93 Casti(al de prata, com ]arga base circular, e todo lavrado em meias cannas 

em espirai. Seculo xviii. 

Sr,* Condessa de Prime, Vtzeu. 

9i Gasti(al de prata com 0",30 de altura. £ ornamentado na base com caches e 
folhas de parra. Seculo xviii. 

Sr. Adriano de Paiva Faria Leite Brandao, Villa Nova de Gaia. 

95 Bacia de barba, oval, de prata, guamecida de duas cercaduras, a exterior, 
em tomo da borda, em meio-relevo, e a interior, junto da primeira, em 
baixo-relevo. Seculo xviii. 

Sr, Flamiano Jose Lopes Ferreira dos Anjos, Lisboa. 



SALA 



1 Modelo, em madeira de pereira, do eJificio oue re destinava para erario regio, 

cnjos alicerces se comegaram no largo da Patriarchal Qneimada, hoje praga 
do Principe Rpal, em Lisboa. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

2 Candieiro de latao. Base circular. Resenratorio rylindrico, do qnal se des- 

taca nm corpo com dois bicos. 
Extincto Convento de Mafra. 

3 Candieiro de latao. Base quadrangular, com os angulos cortados. Re- 

servatorio com quatro bicos, estes com arabescos relevados, aqnella com 
arabescos gravados. Bandeira gravada e com Iczangos abertos. 
Sr. Joao Lopes de Stmsaj Cwmhra. 

3-a Candieiro de latao. Bare circular. Reservatorio em r6rma de pcise com longa 
Cauda erguida e enrof cada. Bandeira lisa. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

4 Candieiro de latao. Base triangular, com os angulcs cortados. Tres golpbi- 

nhos com a cauda levantada e recnrvada para a cabe^a servem de apoio a 
haiite, que 6 encimada por nm disco com a meFma fdrma da base, mas de 
menores dimensSes; sobre elle outros tres golphinhos menores sustentam 
OS tres bicos do reservatorio encimado por uma estatueta de guerreiro, com 
lanca e escudo. Fig. 99. 

Sr, Avgusto Filippe Simdes, Coimbra. 

5 Candieiro de latao. Base circular, cuja snperficie 6 composta de gomos ccnye- 

xos ; no centro levanta-se uma cotumna salamonica encimada por nm disco 
canellado horisontalmente collocado, ao anal se segue, sustentado por uma 
curta haste; o resenratorio do candieiro, ae f6rma quasi espherica, com go- 
mos e quatro bicos, e rematado por uma pyramide com sua azelba. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

6 Grande apagador de latao com lavores relevados, destinado para o cirio pas- 

chal. Seculo xvin. 
Extincto Convento de Mafra. 



332 SALA I? 

7 Perfumador contido n'ama e.'pecie de lanterna de latao bexagona, cujos lados 

sao rendilhados, encimado por uma cupula tambem rendilhada. Seculo xvin. 
Extincto Convento de Mafra, 

8 Relicario de bronze doarado, ornamentado de medalbdes, palmas, festoes e gri- 

naldas de flores, tudo em relevo. Na base ha tres inedalh5es, cada am com 
sua letra: r. b. m. (Real Basilica de Mafra). Altura 1",10. Seculo xyiii. 
Extincto Convento de Mafra, 

9 Escrcvaniiiba de latao com lavores, composta de taboleiro e de tres vasos para 

tinta, obreias e areia, cada am com saa tampa. A do vaso medio ^ ama 
campainba. Secaio xviii. 
BMiotheca da Universidade de Coimbra. 

iO Relicario de bronze dourado, com ornamentagao relevada, representando gri- 
naldas e festSes de folhagens e flores, etc. Em o n6 as armas reaes de Por- 
tugal. Allura 0",78. Seculo xviii. 
Extincto Convento de Mafra. 

1 1 iTres lampadns, tendo uma dois bicos e as outras quatro, todos com sea apaga- 
a I dor prejo por chameira. Seculo xviii. 
13( Extincto Convento de Mafra. 

14 Thuribulo de bronze dourado, com ornamcnta^ao cm aberto, roprcsontando flo- 
res e fulhagens. Na parte inferior tem tres medalhdes com serapliins; na su- 
perior, as armas reaes de Portugal, o brazao da ordem de S. Francisco e 
outro com cinco cbagas, orlado de um cordao com cinco nos. Seculo xviu. 
Extincto Convento de Mafra. 

13 Candit'iro de metal branco, cujo reservatorio similha ao do n.*" 2. 
Sr. Manuel Marques de Lima Figueiredoj Coimbra. 

IGiOois medalh5es de cobre dourado, representando, em mcio curpo, o Senlior 
oj da Canna Verde e Nossa Senhora. 
17( Extincto Convento da Madre de DeuSj Lisboa. 

18 Naveta de bronze dourado, com lavores relevados. Tem de um lado as armas 

de Portugal e do outro am escudo com as cinco chagas. Seculo xviii. 
Extincto Convento de Mafra. 

19 Modelo, em madeira, da capella de S. Joao Baptista na ipreja de S. Roqaede 

Lisboa. N'este modolo reprcsontam-se por pmtura as cures dos marmores e 
outros materiaes d'csla capella: verde antiquo, jaldo antiquo, porpbido, la- 
pi5-lasuli, amethista, aiabasiro, cornelina, etc. Altura desde o pavimcnto ate 
ao feclio da abobada 1°',9. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

20 Grande cstante de euro, de carvalbo com ornamenta^ao de obra de talha, en- 

cimada por uma esphera armilar de latao a que esta sobreposta uma cruz 



SALA I? 33J 

da Santissima Triodade, tambem de latao. Pertenceu ao extineto convento 
das TriDas de Mocambo de Lisboa. Seculo xviii. Fig. 213. 
Academia Real de Bellas Aries de Lisboa, 

21 Sacra dc bronze dourado, com ornatos relevados, representando ^rinaldas, es- 

pigas, parra^ e cachos de uva, etc. Na parte superior o Cordeiro sobre urn 
livro cercado por nuvens e .seraphins. Na parte media uma cliapa de prata 
com (» letreiro. Fins do j^eculo xviii. 

Convento do Santissima Corarao de Jesus, a EstreUa, Lisboa, 

22 Oito cadeiras de bra^os, eslylo Luiz XV. Assento e coslas estofadas com co- 

bertara de tapessaria de Gobelins. Nas tape^arias das costas represen- 
tam-se, em vario colorido, grioaldas de (lores e figaras allusivas as (]uatro 
esta^oes, etc. Nas dos assentos alguns assumptos das fabulas de Lafoataine. 
Mitra episcopal de Leiria. 

23 Liteira de madeira com pinturas e douraduras, e com a parte superior coberta 

de couro pregado com duas orlas de pregos, na primeira uenores que na 
segunda. Internamcnte 6 estofada e forrada de damasco carmesim. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

2i Estatua de faian^a esmaltada, representando S. Leonardo. As roupagens sao 
brancas. Sustenta na mao esquerda um livro azul com folhas douradas. Se- 
culo XVIII. Altura l'",74. 

Igreja de Santa Maria de Belem, Lisboa, 

2o Baixo-relevo em marmore branco. Obra romana. Comprimento 2'°,i3; altura 
0",29. Estava em tres fragmentos nas paredes de um claustro, deonde veiu 
em 1881. 

Extineto convento de Chellas, Lisboa, 

/Seis baixn-reievos em marmore branco representando os seguintes assumptos: 

IAnnuncia(jao de Nossa Senliora (tem esla legenda: fit devs homo vt homo 
FIAT devs); Visita^aode Santa kabel (tem esla legenda: gvavdete vtraqve, 
QviA latet vterqve); Adoragao dos Reis (tem esta legenda: adhvc nocte 
NVNC diem STELLA nvnciat); Adora^ao dos Pastores (tem esta legenda. invi- 
31] DEANT PALEis GEMiE, PR.£SEPiBvs AVL/fi); Circumcisao (tem esta legenda: 
PATRi QviD AMPLivs NATo); 6 a fuglda para o Egypto (tem esta legenda: si 
VENisTi cvR FVGis si FVGis, cvR VENisTi). Comprimento de cada quadro O^jO?; 
altura 0'",48. Fins do seculo xv. 

Sr, Cazimiro Candida da Cunha, Lisboa, 

32 Imagem de Nossa Senliora com Menino ao collo, em faian^a esmaltada. 

manto 6 verde e azul com estrellas de oiro. Foi repintada em parte. Al- 
tura i°,43. Seculo XVI. 

Igreja de Santa Maria de Belem, Lisboa. 

33 Estante de cdro de latao. £ tradi^ao que d'esta estante «e scrvia em Mifra 

el-rei D. Joao VI quando all cantava cantocluo. 
Extineto convento de Mafra. 



334 SALA P 

34 Lantema processional de latao hexagoaa, teado em cada aresta ama coliimiia 

salamonica, cada uma com sea pingeate e pyramide. Secalo xvui. 
Extincto convento de Mafra. 

35 Croz de ebano, com crucifixo de marCm. Altura do crucifixo 1",88. Akura 

da imagem 0",68. 

Sr/ Marqiieza de Monfulim e de Terena, Porto. 

36 Lantema processional de latao , triangular, com ornatos em alto-relero^ entre 

elles sels seraphins. Seculo xviii. Fig. 100. 
Extincto convento de Mafra. 

37 Toclieiro de latao, com ornatos relevad<»3. Seculo xym. 

Extincto convento de Majra, 

38 Estataa de S. Jeronymo, de faianga esmaltada e colorida. Com a mao direita 

bate com uma pedra no peito. Com a mao esquerdo apoia-se sobre um tron- 
CO ourochedo. Aos p^ o leao e por cima o cliap6a de cardeal. A expressao 
da cabe^a 6 admiravel. Altura l",o2. Seculo xvi. 
Igreja de Santa Maria de Belem, Lisboa, 

iTtes estatuetas de pedra, duas das quaes representam anjos sentados tangendo 
39 1 instrumentos masicos e a ouira um homem de p6, de longas barbas e gorra. 
a < Cada uma resalta de am fragmento architectonico com f6rma de meia canna. 

41 i Pertenceram ao mosteiro da Batalha. Fins do seculo xiv oa principios do 
\ seculo XV. 

Academia Real de Bellas Artes de LisLoa, 

Medida cylindrica de capacidade, para liqaidos, em bronze. Tern duas azas. 

42 De um lado uma etiqueta saliente onde esta escripto em letras relevadas : 
a I FELirvs R L y I ; por baixo da etiqueta, em caracteres gravados, a indieagao : 

46 1585. Do outro lado as armas reaes de Portugal, relevadas. Alem d'esta ou- 
tras gualro medidas similhantes, mas de menores capacidades. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa, 

Medida de capacidade, para solidos, em bronze, quadrada. Na face anterior 
am medalhao com as armas portuguezas, e por oaixo a legenda : ssbastia- 
^m\ Nvs. I. R p REGNOR svoR MENSVRAS JBQVAvrr ANO HDL xxv; no bofdo Superior 
' carimbo de um pequeno navio; de cada lado uma aza, e na face posterior, 
dentro de um circulo^ um navio com os pannos largos e dois corvos (armas 
da cidade de Lisboa); por baixo a inscripjao ALQVBmE. Gomo esta medida, 
ontras tres de menores capacidades : meio ALQVEmB, qtarta e orrAVA. Nas duas 
ultimas faltam as azas, e os letreiros s6 dizem o s^ainte: sebastianus i rp. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 

Vfedida cylindrica de capacidade, para liqoidos, em bronze. Tern duas azas. 
De um lado uma frecna gravada atravessando diagonalm^ite uma etiqueta 
saliente onde esta escripto em letras relevadas: sebastianvs. Por cima 
^m\ d*esta palavra um r e por baixo i. Por baixo da etiqueta, em caracteres 
' gravados, a indicate: a. s. 1j75. Do outro lado as armas reaes relevadas. 
Como esta mais seis medidas menores de diversas capaddades. 
Academia Real das Sciencias de Lisboa. 



a 
80 



51 



SALA F 335 

68 Quadro em azalejos representando as armas reaes de Hospanha. £ foranado 
por quarenta e oito azulejos. Tern na parte iaferior: fabbiga real. Seculo 
XVIII. Altura l'",59; largura i",18. 

Academia Real de Delias Aries de Lishoa. 

59 BalJaquiao de pedra de estylo gotbico. A sua oroamentaQao consiste em ren- 
dilbados, arcadas ogivaes onadas de cogulhjs, etc. Fragmento trazido do 
mosteiro da Batalha. Fins do secalo xi7 oa priacipios do seciilo xv. 
Academia Real de BeUas Aries de Lisboa. 

€0 Basto em marmore branco, representando D. Luiz da Conha, embaixador de 
D. Joao Y em varias cdrtes. Tern a assignatura e data : J. B. Xavert. f. 1737. 
Esta sobre uma base de marmore vermelho. Diz-se ser offerta da academia 
franceza ao iudiriduo qne representa. 
Sr.' Condessa da Cunhaj Lisboa, 

61 Quadro em azulejos, de pinlura de vario colorido, representando os sarracenos 

entregando as cliaves de Valencia ao rei D. Jayme, depois de conquistada 

1)elo Cid Buy Dias de Bivar. Em piano secundario vd-se a cidade de Ya- 
encia e n*uma das suas torres varios guerreiros e nm d'elles empanhando 
uma bandeira com as armas de Aragao. Tern este letreiro : gonquista db la 

ClUDAD DE VALENCIA POR EL CID, ENTHEGAN LOS SABBACKIf OS LAS LLAVES AL RET 

DON JAIME. Altura {"".Id; comprimento 1*,79. Secolo xvm. 
Academia Real de BeUas Artes de lisboa. 

62 Frontal de marmore preto com embutidos de marmore amarello representando 

grandes folhagens e flores e uma cruz.Na parte m^dia um brazao de armas 
com coroa de duque, tudo formado por embutidos de marmore amarello, 
vermellio azul e de outras cdres. Comprimenlo 2°*,47; altura 0°*,99. Estava 
na sachristia da igreja de S. Bento, de onde passou para a igreja de S. Jos6, 
cuja irmandade o ceueu a Academia. Seculo xviii. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

63 Base de faian^ de cdres branca, azul, verde e amarella. Na parte inferiur 

duas cornucopias com fructos e entre ellas um pelicano. Faz parte do ora- 
torio de faianga da sala J n.*" 115. 

Extincto convento da Madre de Deus, Lisboa, 

64 Lampeao de parede, de latao. Seculo xviii. 

Convento do Coragao de Jesus ^ a Estrellay Lisboa. 

65 Lampada de latao, de quatro bicos. Seculo xviii. 

Extincto convefOo de Mafra, 

66 Lampada de latao, de qnatro bicos. Seculo xyiii. 

Extincto convento de Mafra. 

67 Lampeao de latao. Seculo xviii. 

Extincto convento de Mafra. 



336 SALA P 

68 Lampeao de latao. Seculo xvni. 

Extindo convento de Mafra, 

69 Lampada de laiao. Seculo xvni. 

Extindo convento de Mafra, 

70 Panno de Arras com cercadura de folhagens, flores, fraclos, quadrupcdcs, aves, 

etc. A fij^'ura priacipal symbolisa a Asia; empunba am sceptro e teai a froQte 
adornada coin uin crescente. Esta junto urn camcio deitado e sobre elle oa- 
tra fj^ura com um tbaribulo. Seculo xvii. 
Ministerio da Marinha. 

71 Panno de ArnU com cercadura i^ual a do n."* 70. A figura principal symbolisa 

a Europa, e tern junto uma igreja, tiara, baculo, coroas, um cavalio, va- 
rios emblemas das sciencias e das artes, etc. Seculo xvri. 
Ministerio da Marinha. 

72 Panno de Arras com cercadura igual ao n."" 70. A figura principal symbolisa 

a America; tem a cabe^a ornada de plumas; se^ura n*uma das niaos uma 
setta, na outra um arco e tem aos p6s um crocodilo. Junto ba varios reptis, 
crustaceos e plantas americanas. Y^-se tambem um navio em cuja popa se 
W letreiro : fortuna d600. Seculo xvir. 
Ministerio da Marinha, 

73 Panno de Arnls em que se v^em duas Gguras de mulher, uma d*ellas em- 

punbando um sceptro. Junto uma torre de estylo chinez. Estylo do antece- 
dente. 

Ministerio da Marinha. 

74 Panno de Arras em r]uc esta u:n:i raiaba com collar o sceptro. Juato uma torre 

de estylo cbiuez, etc. 

Ministerio da Marinha, 

75 Panno de Arras com larga oria de flores, fructos e figuras. Na parte principal um 

grupo de figuras representando um nssumpto da bistoria de Julio Cesar. Na 
parte superior, em um medalbao, o seguinte letreiro: ivlivs hic fvbiam 

GAES\R FVGITAT FVftlETEM COGNOSCENS SVBrTO BESTIA QVOD FDERAT. 

SS de Lisboa, 

76 Panno de Arras com cercadura de folbagens e flores. Tem uma paizagem'em 

Sue sobresaem tres arvores, e debaixo de uma d'ellas um pastor tocando 
auta junto de um rebanho de ovelbas, cabras e bois. Na orla inferior a se- 
guinte legenda: m. ieavcovr. f. picon. davbvsson. 
Palacio real de Mafra. 

77 Panno de Arras. Representa Alexandre recebendo a visita da rainha das Ama- 

sonas. Na orla uma cercadura com escudos, aljavas, sabres, bandeiras, ca- 
pacetes, festoes do flores o fructos, etc. , e na parte superior o letreiro : ale- 



SALA I> 337 

XANDER THALESTRiM AMASONUNM REGiNAM REGTPiT. Na parte inferior a legenda : 

I. LEYNIER. 

Palacio real de Mafra, 

78 Panno de Arras. Representa o filho prodi^o reeolhendo a casa patema. Tern 

na parte inferior a indicagao tayira. Fins do secalo xviii ou principios do 
seculo XIX. Attribuido a Pedro Tavares, que do Algarve vein para Mafra. 
Palacio real de Mafra. 

79 Panno de Arras com cercadora de flores, fructos, folhagens e aves. A parte 

principal occapada com um gmpo de figuras e jantamente vasos e alfaias 
preciosas, moedas, etc., symbolisando a riqueza. Estylo do n."* 70. 
Ministerio da Marinha. 



it 



SALA Q 



^JQaatro qnadros contendo photographias de objectos artisticos. 
?| Associacion artistico-arqueologica BarceUmesa, Barcelona. 

SiQaatro cadeiras com espaldar e assento de ooaro lavrado e pregaria amarella. 
a{ No espaldar um brazao. Seeulo xyii. 

sj 

9 Bahu forrado de coaro, com gaarnecimento de ferragens. Comprimento 1",26. 
Altara 0°',40. Largara 0'",50. Precede do convento de Santa Clara da Guar- 
da. Seeulo xv. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

lOiSete quadros contendo photographias de objectos artisticos e archeologicos. 
a I Associacion artistico-arqueologica Barcelonesa e Associacid Catalanista 
10 1 d'excurcions cientificas, Barcelona, 

17 Quadro de azulejo rcpresentando S. Miguel. Hespanha. Seeulo xviii. 

Sr, Luiz Manuel da Costa, Lisboa, 

18 Baixo-relevo cm g sso, reproduc^ao do que existe no claustro de Santa Cruz 

de Coimbra. RcpreRcnta Christo na varanda de Pilatos. Seeulo xvi. Foi mth 
detado em 1882 por Gdido Baptista Lippi. 
Academia Real de Bellas Artes de Lisboa. 

19lDois quadros contendo photographias de monumentos e de objectos ^rtis- 
e ticos. 
20 ( Associard Catalanista, Barcelona. 

21 Cadeira a Luiz XY, estofada de tape^aria de Gobelins. Ignal as que existem 

na sala P, n.' 22. 
Mitra episcopal de Leirta. 

22 Estante de c5ro, de carvalho, esculpida, tendo o p6 bastante omamentado. 

A estante, propriamentc dita, assenta sobre quatro cabe^as de seraphins e 6 
encimada por um grupo de tres figuras, a do centre rcpresentando um anjo 
de p^ e as outras de ioelhos. Precede de um extincio convento. Fig. 212. 
Academia Real ae Bellas Artes de Lisboa. 



340 SALA Q 

"^JDois troQos de colamnas depedra com lavores. 
qA Academia Red de Bellas Aries de Lisboa. 

25 Fragmento de mosaico romano, com desenhos geometricos. 

Academia Real de Bellas Aries de Lisboa. 

26 Pcdra rectangalar, tendo ao centro um escudete, com o symbolo do Espirito 

Santo na parte superior, d onde partem raios. Em redor uma cercadora de 
folhas. Por cima de tudo, n*uma tarja, a legenda: emitte lugem ttjam et 
vERiTATEM TUAM. Pfocede do coQveDto de Santa Clara, da Gaarda. Seculo 

XVI. 

Academia Real de Bellas Artes de Lisboa, 

27 Panno de Arras, representando uma p^uzagem com meninos brincando. 

Convento do Coragao de Jesus, a Estrella, Lisboa. 

28 Panno de Arras, representando uma parturiente no leito, rodeada por qaatro 

mulheres, uma das quaes segura a crean^A e outra accende um toro junto de 
um brazeiro. Cercadura de flores, animaes, aljavas, etc, Seculo xvii. 
Sr. Marquez da Graciosa, Graciosa, districto de Aveiro. 

29LGinco quadros contendo photographias de objectos artisticos e de monnmen- 
a I tos. 
33 ( Associagd Catalanistay Barcelona. 

34lQuatro estatuetas de santos, de pedra calcaria, com vestigios depintura, a mais 
a I alta das quaes tem 0'°,84. Seculo xv. 

37 ( Academia Real de BeUas Artes de Lisboa. 

38 Cadeira igual a descripta no n."* 21. 

Mitra episcopal ae Leiria. 

gg/Duas estatuas de madeira, grosseiramente esculpidas, douradas « pintadas, 
I representando personagens religiosos. Altura 2 metros. Yieram do convento 

AQJ de Thomar. Seculo xv. 

( Biblioiheca puUica de Lisboa. 

41 Tira de panno de Arras. 

Ministerio da Marinha. 

42 i Quadros com photographias representando objectos artisticos. 

a \ Associacton Artistico-arqueologica BarceJonesa e Associagd Catalanisia 
54) d*excurcions cientificas, Barcelona. 

55 Cadeira igual a do n."* 21. 

Mitra episcopal de Leiria. 

56 Tira de panno de Arras. 

Ministerio da Marinha. 



SALA Q 341 

57 Panno de Arras, representando a Adora^ da Cruz pelo imperador Constanti- 
no. Seculo xvii. 

Se patriarchal de Lisboa. 

68 Quadro de azalejo, representando uma procissao. Industria hespanliola. Se- 
culo xvn. 
Academia Red de Bellas Artes de Lisboa. 

59 Oratorio de pau santo, com alguma obra de talha e duas columnas salomoni- 

cas. Seculo xyii. 

Sr. Teixeira de Aragao, Lisboa, 

60 CruciGxo de madeira^ com as hastes forradas anteriormente de prata lavrada. 

Christo de marfim. Seculo xyii. 
Sr. A^igusto Pinto Moreira da Costa, Porto. 

61 1 Duas cadeiras de talha da India, com espaldar e assento de damasco encarnado, 
e I mais modernos. 

62 f Sr. Jodo Jorge Cecilia Kolh Lisboa. 

63 Panno de Arras, representando a apparigao da cruz a Constantino. Seculo xvii. 

&f patriarchal de Lisboa. 

64 Panno de Arras, representando aves e flores. 

SS patriarchal de Lisboa. 

I Duas cadeiras e um canap^, iguaes as do n.® 21. 
Al Mitra episcopcU de Leiria. 

68 Contador de cbano, tendo as portadas forradas interiormente de setim branco 
com bordado em alto-relevo a fio de oiro e prata e matiz, representando 
paizagens e animaes. A parte anterior das pvetas com iguaes bordados. 
Dordado da portinha central representa um brazao. 
Sr. Jodo Tamagnini da Mota Barbosa, lisboa. 



SALA 



1 Tapete com desenhos geometricos e urn florao ao centre. Tern na oria a se- 

gainte inscrip^ao p. t mr 1816 (Pedro Tavares, Mafra Real). 
Pdacio Real de Mafra. 

2 Panno de Arras, representando a deusa da gaerra e a deasa da paz coroando 

uma figura de mulher; orla de flores e fructos. 
Ministerio da Biarinha. 

3 Panno de Arras, representando as qnatro partes do mundo; orla com animaes, 

ilores e fractos, etc. Este e o anterior sao identicos aos descriptos na sala P 
com OS n.'« 70 a 74. 
Ministerio da Marinha. 

4 Panno de Arris, representando am relho coroado de looros e apoiando-se 

n*nma mnleta. 

Si Patriarchal de Lisboa. 

5 Panno de Arras (Tragmento) representando nma paiza^em com flgnras. 

Convento ao Coragao de Jesus j d EstreUa, Lisboa, 

6 Panno de Arras com diversas flgnras, bastante deteriorado. Secuio xvii. 

SS Patriarchal de Lisboa, 

7 Panno de Arras (fragmento) representando mna paizagem. 

iS^ Patriarchal de Ltsboa. 

8 Panno de Arras, representando nma dansa pastoril. Orla dc flores. Tem a se- 

guinte inscripfao : m. r. davbvsson l. v. 
Convento do Coragao de Jesus, a EstreUa. 

9 Panno de Arras com daas flgnras, nm velho e am gaerreiro. Cercadura de 

emblemas militares. 

S^ Patriarchal de Lisboa. 

10 Panno de Arras, representando nma bataiha, na qnai avnlta, no primeiroplano^ 
a fignra de nm iroperador romano, provavelmente Constantino. 
Si Patriarchal de Lisboa. 



.344 SALA TC 

11 Tapete de la bordado a roao. 

Sr. Raul Cordeiro, Lisboa, 

12 Panno de Arras, representando abataiha de Pharsalia, tendo em cima o scguinie 

distico : praelu phars/ilicis plus qua civilia campis prosternnut tires roma 
CRUENTA TUAs. Laf^a oria de folhagens, fructas, flores, aQimaes o figaras 
diverjia?. Seculo xvi. 

Se Patriarchal de Lisboa, 

13 Panno de Arras, representando uoia paizagcm com dois meninos brincando. 

OrIa de flores. 

Canvento do Coi^arao de Jesus, a Estrella. 

14 Tapete de la, fundo verde, com flores de diversas cores. Atribaido a inlus- 

tria de Arrayollos. Seculo xviii. 

Convento Novo (S, Jose e Santa Thereza), Evora, 

13 Panno de Arras, representando uma batalha de crozados. Cercadura de en- 
blemas militares e folhagens. Seculo xvii. 

Sr. JUarqucz da Graciosa, Graciosaj districio de Aveiro. 

16 Panno dc Arras, representando uma paizagem com meninos brincando. 

Convento do Coracao de JesuSj a Estrella^ Usboa. 

17 Panno de Arras, representando a tenda de am gaerreiro^ o qnal abra^a nma 

dama. Urn homem occulto por uma arvore os prende por uma cadeia. Pa- 
recc rcpresentar Yulcano surprehendendo Marte e Venus. Seculo xvi. 
Sc de Coitnbra. 

18 Panno de Arras, representando nma scena guerreira. 

Se Patriarchal de Lisboa. 

10) 

^ / Tres tapetes da Persia, dc la. 

2jj Sr, Julio Cordeiro, Lisboa. 

22 Panno de Arras, representando uma dansa pastoril. Todos os pannos de Ar- 

ras d'este convento sao do mesmo genero que o do n.^ 8. 
Convento do Coracao de Jesus, a Estrelia. 

23 Teliz de Teludo azul com bordados de retalbo de setim branco com um brazao. 

Sr. Antonio Guedes Infante, Porto. 

24 Teliz de veludo carmezim bordado a prata com um brazao no centre. 

Sr. Manuel Cabral Moura Coutinho de Vilhena, S. Silvestre, concelho 
de Coimbra, 

23 Teliz de casimira azul bordado a retalbo com brazao ao centre. 

26 Teliz de veludo cor de laranja bordado a oiro, com um brazao ao centre. 
Sr. Conde de Mesquitella, Lisboa, 



SALA R 345 

27 Teliz de velado carmezim bordado a oiro, com brazao ao centro. Fig. 133. 

Sr. Mekhwr Pereira Cautinho de Vilhena, Lamego. 

28 Telii de velado carmezim bordado a retalho de setim, com brazao. 

Sr. Dr. Francisco Osorio de Aragao, Lamego. 

29 Teliz de velado azal bordado a retalho de setim amarello^ com brazao. 

Sr. Francisco de MeUoj Trevdes. 

30 Frontal de couro com ramagens e passaros em relevo e a cdres sobre fando cdr 

de prata. Seculo xvi. 

Igreja de Santo AndrS de Mafra. 

31 Frontal de couro com varieda de dedesenhos em relevo e doarados sobre fando 

de diversas cdres. 

Junta de parochia de Santo Antonio dos Olivaes, Coimbra, 

32 Arreios a saber: sella, coldres e xairel de velado alaranjado bordado a oiro; 

estribos, esporas e cabe^ada de bronze dourado. Estes arreios estao sobre 
um cavallo de madeira pertencente a Sua Magestade El-Rei o Senhor 
D. Fernando. 

Sr, Conde de Mesquitella, Lisboa, 

33 Par de estribos de madeira com omatos de metal. 

Sr. Jose de Sd Paes do Amaral, Lisboa. 

3i Par de estribos de madeira com ornatos de metal. 
Sr. Conde de JUesquitella, Lisboa. 

35 Par de estribos de bronze dourado. 

Sr. Conde de SlesquiteUaj Lisboa. 

36 Arreio de cavallo composto de sella de cameira carmezim forrada de veludo 

azul ferrete, cabe^ada de veludo com ornatos de prata e estribos de prata. 
Sr. Ruy Lopes de Sousa de Alvim e Lemos, Santar. 

36-a Teliz de veludo azul ferrete bordado a prata. brazao ao centro bordado 
sobre setim branco e cdr de rosa. 

Sr. Ruy Lopes de Sousa Alvim e Lemos, Santar. 

37 Gami^ao de cavallo de tiro, com ferragens amarellas. 

Casa Red. 

38 Cabe^^ada e cabe^ao de marroquim encarnado, gnamecido de ferragens ama- 

rellas. 

Sr. Conde de MesquiteUa, Lisboa. 

39 Carrinho, tendo a caixa pintada com medalhoes, ornatos o fi^uras e na parte 

posterior as armas reaes. Foi de D. Joao YI, quando principe regente. 
Casa Real. 



340 SALA R 

40 Grande coehe de gala forrado extemamente de relado carmezim com borda- 

dos de prata de applica^o em alto-relevo. Belles grapes de taiha doarada. 
da frente tem duas figaras allegoricas. de traz representa Lysiaentrea 
Abandancia e outra figura qae a esta coroaudo: aoa p6s a figara de om ne- 
gro e dc um asiatico, representando os triumphos de Portugal na Asia e na 
Africa. Entre os dois a tignra do dragao, timbre da casa de Bragan^a. 
Cata Red, 

41 Grande coche de gala forrado extemamente de tissu de oiro com bordados de 

applica^ao de prata em alto-relevo. U pavimento ^ forrado de marfim. 

Srupo da frente compde-se de duas figaras allegoricas e ao meio am tritao 
omando um cavallo marinho. grupo posterior oompde-se de nma figara 
sobre um tritao representando a Geographia e de outra que parece a Guerra. 
Aos p6s de ambas, um tritao segurando a aguiha de marear, am golphioho 
e um leao sobre um homem. 
Casa Real, 

4S Grande coche de gala, forrado extemamente de veludo carmeiim com borda* 
dos de prata de applica^ao. No grapo da frente destacam-se daas estatuas, 
representando o Outono e o Inverao. grapo posterior compoe-se de cinco 
figuras principaes sendo a do centre Apollo soore o Globo. De cada lado o 
Estio e a Primavera. Em baixo dois rios (talvez o Tejo e o Douro), que 
se apertam as maos. As rodas de todos estes coches sao de rica talha doa- 
rada. Todos ellcs serriram na entrada solemne em Lisboa da rainha de 
D. Maria Anna de Austria, esposa de D. Joao V, um mex depois do seu 
casamento em 1708. 
Casa Real 



ADDITAMENTOS 



SALA m: 



248 a i\8'j Dez pratos dc latao. 

Srs, Henrique Nunes Teixeira, Luiz Joaquim LeitdOj Augusto Ft- 
lippe SimOes, Frurtuoso Maria da Nobrega. Igrejas de Santo An- 
dre de PoiareSj Condeixa a Velha, Se de Lamego e Ameixoeira, 



SALA P^ 
302-a Lampada de prata. 

Convento de Semidej per to de Coimbra, 



300 b Lampada de prata. 

Convento do Paraizo, Evora. 



SALA O 

632- a Prego do cabello com a r6rma de borboleta feito de perolas, brilhaotes, es' 
meraldas e rubis, sendo algumas d'estas pedras engastadas a jour. 
Srs, Silva Bastos e Ferreira, Vizeu. 

768 Umbella de seda branca bordada a oiro. Serve-lhe de remate a estatoeta 
da Fe em prata. 

Semtnario episcopal de Coimbra. 



CORRECgOES 



Pag. N.« Lin. 
78 38 c 39 33 



85 iOS 



93 2S8 



16 



SALA A. 



Erro 



Scculo xrii. 
Soculo xvu 



SALA C 



Josi Ribeiro da Cunka, 



Emmda 

SccdIo xvn. 

Academia Reai de Bellas Arteu 
Seculo XVI. Fig. 140. 



Frandico Bibeirc da CumMa, 









SALAE 




m 


6 


8 


D. Joao II 


D. Manuel 


.313 


8 


21 


1517 


1299 


318 


47 


24 


dourado in-4.« 


Dourado ln4.<> 

Sr. Viseonde das Laranjeiras. 


318 


• 48 


34 


di* ramagens. 

SALA Or 


dri ramagens. 
Sill Vizeu, 


765 


163 


22 


SecQlo XTi. 

SALA K 


Seculo XVI. Fig. 1. 


159 


199 


13 


Aeademia Real de Bellas Arin. 


Sr. Basilio Cabral Teixetra de Queiroz, 


178 


Wi 


32 


I). Sobasliio 


D. Joio. 


178 


201 


34 


Seculo XTI. 


Bf eado do seculo xvi. 


293 


213 


34 


Academia Real de BeUas ArUs de Lis- 
boa. 


Sr. Bento de Queiroz, Vizeu. 


361 


221 


6 


Gano 

SALA I^ 


Espbgarda. Gano. 


88 


231 


4 


AllnraO«,31. 


AltnraO»,31.Fig. 104. 


183 


237 


38 


Sr. Antonio Maria Dias Pmira Cka- 
vesMazzioH. 

SALA IML 


Mazoni. 


1 


9 


5 


Seculo xu. 


Seculo XIII 00 XIV. 


3 


20 


11 


Seculo XIII. 


Seculo xm on xiv. 


3 


24 


27e28 


Seculo XII. Dizom ter sido achado na 

sepaltora de Santo Ovidio. 
Seculo XII ou xiii. 


Seculo XII. 


3 


26 


36 


Seculo xni on xiv. 


4 


27 


2 


Seculo xn. 


Secnlo xii ou xm. 


6 


51 


42 


AlturaO",38. 


Allnra 0-,38. Secnlo xv. 


7 


52 


4 


Seculo XV. 


Secnlo XVI. 


7 


58 


24 


Fins do seculo xnr on principios do se- 
culo XY. 


Secnlo XIV. 


9 


72 


3 


Seculo XVI. 


Seculo XV. 


9 


75 


16 


Seculo XYi. 


Seculo XV. 


10 


84 


45 


Seculo XYi. 


Secnlo XVI. Fig. 35. 


11 


86 


9 


Salva 


Fructeiro. 


13 


100 


4 


Seculo XV. 


Secnlo XV on xvi. 


14 


105 


7 


MKAM. Fins do secalo xv on principios 
do seculo xn. 


MKAM. 


15 


110 


23 


Salva 


Pralo 


15 


113 


43 


Seculo XVI. 


Secnlo XVI. Fig. 95. 


16 


116 


14 


n.«« 103 a 119 


n." 103 e 119 


19 


138 


4 


latio 


cobre 



350 






SALA 3L 




Pag, 


iV.» 


Lin. 


Erro 


Emmda 


20 


450 


7 


monarcha 


monarcha. Fig. 190. 


20 


i52 


14 


Seculo inr ou xv. 


Seculo XIV ou XV. Fig. 119. 


2i 


156 


4 


SCCUIO XVI. 


Seculo XVI. Fig. 122. 


91 


460 


13 


porcelana 


concha 


22 


170 


4 


de oiro. 


do oiro. Fig. 121. 

PriDcipios do seculo xi. Fig. 211. 


23 


181 


10 


Seculo xni. 


23 


183 


20 


Sccnlo xiii. 


Fins do seculo xiii on principios do se- 
culo XIV. 


23 


185 


28 


Coirabra. 


Coimbra. Socnlo xvi. 


24 


189 


1 


Saiva 


Fructetro 


2i 


194 


34 


Salva 


Fructeiro 


25 


197 


4 


Seculo XVI. 


Seculo XVI. Fig. 28. 


25 


198 


7 


Seculo XVI. 


Seculo XVI. Pertennia a nm calix dc Al- 


25 


903 


34 


Magdalooa. 


cobaca. 
Magdalena. Seculo xvn. 


25 


905 


38 


Esmalte de Limoges. 


Esmalte 


26 


214 


18 


Salva 


Fmctdro 


26 


214 


19 


ave. 


ave. IraitafHo. 


28 


231 


29 


Esmalte de Limoges 


Esmalte 


28 


233 


35 


Esmalte de Limoges 


Esmalte 


29 


235 


1 


Esmalte de Limoges 


Esmalte 


29 


237 


8 


Esmalte de Limoges 


Esmalte 


29 


239 


S5 


Seculo XV. 


Seculo xnr. 


30 


241-a 


11 


Seculo XV. 

SALA N 


Secnlo XIV. 


34 


272 


12 


Seculo xvH. 


Iiaita^o. 


37 


305 


26 


Seculo xvii. 


Imita^-So. 


42 


353 


13 


Seculo XVII. 


Seculo xvn. Fig. 96. 


46 


39J 


22 


Seculo XVII. 


Seculo XVII. 

Confraria do Sacramento de Santos 
Velko. 



SALA O 



51 


435 


21 


Seeok) xviii. 


54 


467 


90 


Secok) XVIII. 


56 


488 


13 


WMTO. 


59 


542 


34 


doaradn. 


60 


551 


17 


Jiirra de prata perk 


61 


567 


34 


Seculo xvM. 


62 


571 


4 


Seculo xvm. 


65 


609 


2 


Seculo xvHi. 


65 


610 


4 


Cahx. 


67 


634 


1 


alevantina 


67 


635 


5e6 


Seculo xvn on xvui. 


67 


641 


19 


de cor verd« 



Seculo xvm. Fig. 93. 
Fins do secnlo xvi ou principios do se- 
culo xvn. 
PINTO. Fig. 115. 
dourada com sen pralo. 
Duas jarras de prata pericncentes 
Seculo xvu. 

Academia Real de Bellas Aries de 
Lisboa. 
Secnlo xvin. Fig. 106. 
Seculo xviti. Fig. 76. 
Vaso. 
avrnlurina 
Secnlo XVI. 
de esffleraMa.^. 












t C €r C^ f f r r ^ j^* 



4' ?^cV 



. c< ore r 






C < C -1 C. r t 



f//nif'-y^-:H 



%'< ^A 


FA749.9 

3 2044 034 151 555 











1^ ^ 



?j \ '^ *^ r <'<!gv; 



', < c V 






Cr'.yV 



< c c< 









i". 



1 



<\ 



#»* 



♦^ V 




* ^