(navigation image)
Home American Libraries | Canadian Libraries | Universal Library | Community Texts | Project Gutenberg | Children's Library | Biodiversity Heritage Library | Additional Collections
Search: Advanced Search
Anonymous User (login or join us)
Upload
See other formats

Full text of "Dicionário kimbundu-português, linguístico, botânico, histórico e corográfico. Seguido de um índice alfabético dos nomes próprios"


5crr 






i^í\^^ 




A.aeASSIS JUNIOB 

DMONMO 

Miiiiniís 

T A'EDiFICAP.AM >3g 

o BÁH.nymm IO 

^\ 





tti«<«l. 




For u»e in 

the Library 

ONLY 




TAHTO-SUÊLIMARAM 



Linquísfico, Botânico, histórico 

e Copoqpdtico 

$<guIòo de um ínòlce alfabético òos nomes próprios 
— I — 

E 33 T Q A o 

- DE - 
.A.rgente, Santos «Sc C«, H-.da 



'^S^S^ÍIÊ 



iin^ JiimaC 



LSri 



P 




A. de ASSIS JUMOR 






TA«EDIFICARAM«2 

O 



%W 




É 




TANTO-SUÔLIMARAM 



LinquísficCj Botânico, rlistórico 
e Coroqpático 



$epiío ôe um ínòicé alíabético òo$ rome$ próprios 






if'" 




J>^ 



Í.W 



i*o 




PL 




RAZÃO DE SER 



r» O darmos á esíampa o presente "Dicionário Kim- 



bundu-Português,,, nenhum outro intuito nos 

guiou além de preencher uma lacuna, de ha 

muito existente, que bastante se tem feito sentir 

dentro e fora do nosso paiz; como também procurar 

habilitar, com os nossos minguados recursos, os que 

se teem dedicado ao estudo da língua. 

Àpoz o trabalho inicial — o primeiro no género — 
levado a efeito, aíravez de dificuldades de ordem 
vária e escassez de elementos de então, pelo angolano 
J. D, Cordeiro da Maíta, nada mais, ha decorrido meio 
século, se realizou. Este silêncio deu lugar, como não 
podia deixar de acontecer, á fantasia de muitos que, 
pouco sabendo, apenas conseguiram confundir, com 
o? seus erros e inexactidões, o que simplesmente care- 
cia um pouco de prudência e bom senso. • ■ 

Não queremos encarecer a prosápia, que nunca 
possuímos, de lançar ao público um trabalho com- 
pleto—não obstante termos, no longo espaço de doze 
anos que tanto duraram as investigações e fontes que 
tivemos de consultar, procurado satisfazer os mais 
exigentes; mas apenas um passo mais no extenso 
caminho das investigações até aqui levadas a efeito, 
no sentido de se arquivar o que durante muitos anos 
se julgou não existir: a equivalência de termos da 
língua kimbundu em português. 

Língua imensamente vasta e variada nas suas 
expressões e em que se fundem os diversos dialectos 
conhecidos, oferece várias escalas como as épocas 
que, na sua mudez, tem atravessado, reflectindo nas 
suas modalidades as influências que porventura tenham 
modificado a sua estrutura atravez dos tempos. 

E', pois, nosso pensar ser vantajoso o seu estudo 
e compreensão por nacionais e estrangeiros, não 
só para lhe evifar a introdução do "creoulo„ reve- 
lador do desconhecimento das duas línguas que aqui 
se revelam (estou com fome, vai vir, etc), mas também 
porque a língua deve ser interpretada consoante a sua 
índole e peso das suas palavras. 

Posto isto, que aqui fica á guisa de preâmbulo, 
passemos ao valor 

Das letras : 

O alfabeto kimbundu compõe-se de vinte e duas letras, sendo 

cinco vogais 

a, e, i, o, II, 



- 4 - 

e dezassete consoantes 

b, d, f, g, h, j, k, 1, m, n, p, r, s, t, v, x, z, 

tendo, como em português, o mesmo e um só valor. 

Ha excepções : 

O g é sempre gutural e nasal, mesmo seguido de e ou i. Ex.: 
ngônge (em portuguez gongue); ngínga (em portuguez guinga) etc. 

O h é sempre aspirado, nunca mudo: hima (macaco); hete, (ha- 
bilidoso); home (soco); hâmua (mosquito) etc. 

O k substitue o c e o q portugueses, vista a dualidade de um 
quando enfrentado de a, o, u ou de e, i, e o «medo» do outro, 
quási sempre acompanhado de u; e assim escrevemos kibuku, mu- 
kezu, kakinda em vez de quihuco, etc. 

O m e o n não nasalisam a vogal antecedente, mas a consoante 
imediata. Ex. pembele (pe-mbe-le); mukanda (mu-ka-nda); kimbombo 
(ki-mbo-mbo). E anteposto á inicial, serve de sinal nazalante: ngun- 
ga (ngu-nga); ndende (nde-nde), etc. Apesar, porém, de opiniões em 
contrário (i), continuamos a adoptar, como nasalantes, o m antes 
das labiais b, p, v, e o n da dental d, para evitar confusões na gra- 
fia das palavras que entram na oração, ou empregadas isoladamen- 
te, como secos ou nasalados. Escreveremos, pois, o sub. mbua (cão) 
de forma diferente do adv. de lugar bua (em); mbómbo (3.° gémeo) e 
bobo (ahi); mbulu (cão silvestre) e btUu (em cima, no ceu); njinji, 
(raposa) e jiji (estes); 7izála (fome) e zala (do v. kiizala) etc. Essas 
opiniões vingarão possivelmente, um dia, quando o tipógrafo tiver 
na caixa consoantes tilados. Mas por ora. . . não. 

O r, ou ri (sempre acompanhado de i), tendo um só valor no 
principio como no meio das palavras, é sempre brando soando apro- 
ximadamente como di, conforme parece ser frequente nas terras do 
interior. 

Todavia, não falta quem julgue oportuna a substituição por di 
e sua consequente eliminação do alfabeto. Pensamos que boas razões 
não abonam a controvérsia. Se o valor atribuido ás letras do alfa- 
beto «kimbundu» é invariável, a adopção deste princípio, que regei- 
tamos, acarretaria a evitável duplicidade do d que, como tal, entra 
em muitas palavras com o seu valor intrinseco, real. Sucede assim 
com o vocábulo kurifundila, (do v. kufunda) em que o ri, brando com 
a aproximação a di, se não atribue outra função, nem pode ser con- 
fundida ou sofrer dano a integridade do di, como tal ali represen- 
tado. 

Continuamos pensando que as regras linguisticas nasceram sem- 
pre de uma convenção. Se não ha grafia que satisfaça eficazmente 
o que se convencionou representar pelo ih inglez, pelo / hespanhol, 
pelo c italiano e u francez, a ninguém deve admirar a adopção do 
ri brando, como o pronunciam os naturaes, com os quaes, na fala, 
se completará o que a grafia não pode suprir. 



(1) — Augusto Bastos iTraçoa gerais de ethnographia do Districto do 
Benguela», pg. 



— 5 — 

O s, mesmo entre vogaes, é sempre forte e soa como ç; e assim 
escrevemos sôsa como sossa ou roça em português 

O X e o z também não mudam nunca de valor em xéxe, máxi- 
ma, kuzuza como em xarope, xisto, zangão, etc. 

Tudo o mais, como em português. 

Da Acentuação 

Julgamos também conveniente o emprego do acento nas pala- 
vras que dele necessitarem, para melhor diferenciação das que tive- 
rem grafia semelhante e pronúncia diferente. Assim, além das axyto- 
nas ou agudas {ngulá, mbasá, kuná, murimá, etc), outras existem 
que, sem isso, nos dificultariam a sua identificação. São as parony- 
micas [kufundila e kufundika — do v. kufúnda — ; kuharika e kúkari- 
ka, etc), e as homógrafas, como ngómbo (divindade), ngômho (um- 
bigo) e ngomho (foragido); mbánji (costela) e mhanfi (espada) ; ngá- 
nji ^atrevimento), ngânji (fulano) e nganji (juiz) etc. 

Pelo que fica exposto, empregamos os dois acentos mais em 
uso: o agudo (/") para sons breves (ngdndu, ngôngó), e o circun- 
flexo (A) para os fechados ou longos [ngônga, ngându), e ainda o 
trema (••) para os casos em que, em egualdade de circunstâncias 
de grafia, uma vogal, sem ser aguda, é predominante : kuiba, (levar 
consigo) e kuiba (ser feio) etc 

Das classes 

Incluimos também, neste breve esboço, o quadro das classes 
dos nomes substantivos e adjectivos em kimbundu, em número de 
dez, como abaixo se segue: 

Quadro das classes dos nomes substantivos e adjectivos, 
segundo gramática kimbundu, de Héli Chatelain. 



Ciasses 


Singular 


Plural 


e: X s; ivi f=> L. ^ s 


I 


Mu 


A 


Aí/itu — i4tu 


Mubari — i4bari 


II 


Mu 


Mi 


Mux\ — M/xi 


Mulemba — Mlemba 


III 


Ki 


I 


AT/bandu — /bandu 


K/ma — /ma 


IV 


Ri 


Ma 


/?/kanu — Aíakanu 


/?/longa — Aíflionga 


V 


U 


Mau 


í/ta — Aíauta 


í/lungu — Mflí/lungu 


VI 


Lu 


Malu 


Lumuenu— Aía/í/muenu 


£,ubambu — Aíalubambu 


VII 


Tu 


Matu 


r/ibia — Motâhxz 


Tu\\ — Matu\\ 


VIII 


Ku 


Maku 


ATdria — MaArtíria 


Kâvua. — AíflArávua 


IX 


— 


Ji 


Hasa — //hasa 


Ndandu — y/ndandu 


X 


Ka 


Tu 


Kaxn\x\w — Tuatu 


Kahíin — Ti/hatu 



Abreviaturas empregues neste dicionário 



ac. 


acepçSo 


adj. 


adjectivo 


adv. 


advérbio 


agr. 


agricultura 


alg. 


álgebra 


alt. 


altanaria 


alt. 


/altitude, 


\ altura 


anat. 


anatomia 


ant. 


antigo 


art. 


artigo 


astrol. 


astrologia 


astr. 


astronomia 


aum. 


aumentativo 


bot. 


botânica 


cat. 


católico 


caus. 


causal 


card. 


cardinal 


cl. 


classe 


com. 


comércio 


compar. 


comparativo 


conj. 


conjunção 


contr. 


contracção 


corog. 


corografia 


D. 


Dom 


Deleg. 


Delegação 


deprec. 


depreciativo 


demonstr. 


demonstrativ 


des. 


desusado 


determ. 


determinativ 


dim. 


diminutivo 


distr. 


districto 


Dr. 


Doutor 


E. 


Este 


ecl. 


eclesiástico 


escult. 


escultura 


esgr. 


esgrima 


ex. 


exemplo 


expl. 


expletivo 


est. 


estação 


ext. 


extensão 


fam. 


familiar 


Faz. 


Fazenda 


fem. 


feminino 


fig. 


figurado 


gen. 


género 


hab. 


habitantes 


hist. 


história 


hort. 


horticultura 


ictiol. 


ictiologia 


instr. 


instructor 


intr. 


intransitivo 


inter j. 


interjeição 


iron. 


irónico 


irr. 


irregular 


joc. 


jocoso 



jud. judicial 

lat. latitude 

long. longitude 

mar. marinha 

masc. masculino 

med. medicina 

mil. militar 

mus. musica 

m. u9. mais usado 

mit. mitologia 

mt. metros 

nav. naval 

n.* nossa 

num. numeral 

n.° número 

onom. onomatopaico 

crd. ordinal 

pess. pessoa 

pg. páginas 

pi. plural 

poss. possessivo 

post. postal 

pop. popular 

pov. povoação 

port. português 

pref. prefixo 

prep. preposição 

pron. pronome 

prov. provincia 

r. reciproco 

rei. religião 

relat. relativo 

Repart. Repartição 

Sanid. Sanidade 

sing. singular 

Sr.* Senhora 

sub. substantivo 

suf. sufixo 

superl. superlativo 

sin. sinónimo 

tb. também 

telegr. telégrafo 

trib. tribunal 

us. usado 

us. m. usa-se mais 

V. verbo 

V. Veja-se 

rool. zoologia 

graus 

' minutos 

" segundos 

1 Sinal adoptado para designar no- 
vo significado. 

— Sinal que substitue o vocábulo 

que se está definindo. 
I I Sinal para indicar outro sentido. 



BIBLIÔGÍJÂFIA 



Na confecção dêsíe írabalho foram consulíados, como 
fontes, eníre outros, os seguintes autores: 

J. D. Cordeiro da Mata — "Ensaios de dicionário kim- 
bundu— português»— Lisboa, 1893. 

Heli Chatelaln — Gramática Elementar do Kimbundu. ou 
Língua de Angola» — Genebra, 1888-89. 

Heli Chatelain — "Folk-tales of Angola, — Baston New 
Vork— 1894. 

P.e António Magalhães —'Manual das línguas indígenas, 
—Luanda. 192j. 

Agostinho Sezinando Marques — "Os climas e as produções 
das terras de Malange a Lunda,— Lisboa, 1889. 

Fr. Bernardo Maria de Cannecattim— Dicionário da língua 
Bunda ou Angolense» — Lisboa, 1804- 

Fr. Bernardo Maria de Cannecattim- "Colecção de Obser- 
vações gramaticaes sobre a língua bunda ou Ango- 
lense,,— 2.* ed. Lisboa, 1854. 

J. D. Cordeiro da Mata — "Oisabu, jinongonongo, eíc, — 
Lisboa, 1891. 

John Gossweiler— "Relatório de inspecção á cultura algo- 
doeira da região de Icolo e Bengo»— Luanda. 1929-30. 

John Gossweiler— "Informação sobre cafeicultura na fazen- 
da Monte-Belo, Cazengo-(no Boletim da Direcção 
dos Serviços de Agricultura e Comercio) — Luan- 
da, 1931. 

John Gossweiler — «Estação experimental do Algodão» (re- 
latório de serviço — 1929) no Boletim acima— Luan- 
da, 1933. 

José F. de Souza Monteiro — "Boletim de Agricultura da 
Província de Angola (ap.° n.°1)» Luanda, 1916. 

João Ferreira de Almeida- "Kikuíu Kiobe» (O novo testa- 
mento)— London, 1922. 

José Maria de Sousa Monteiro — "Dicionário Geográfico 
das possessões ultramarinas»— Lisboa, 1858. 

Conde de Ficalho— "Plantas úteis da Africa Portuguesa» 
—Lisboa, 1884. 

P.e José Lourenço Tavares — "Gramática da língua do 
Congo (kikongo)»— 2.* ed.— Luanda, 1934. 

António de Figueiredo Gomes de Sousa— "Reconhecimento 
agronómico do Distrito do Moxico» (no Boletim dos 
Serviços de Agricultura e Comercio)— 1931- 

Afonso Mendes (sargento-mór) — "Caderno que trata de paus, 
ervas, raízes, canas e óleos vegetais e animais que 
serviam em Angola para curar certas e determi- 
nadas doenças»— Lx.* 1935. 

António de oliveira Cadornega — "História General das 
Guerras angolanas»— tomo 11—1630. 



A, sub. (IX) Primeira letrft e 
vogal do alfabeto kimbundu, tendo 
como em português, o mesmo valor 
I I adj. e pron. poss. pi., Seu3, 
suas (deles, delas). Das suas pes- 
soas; pertencentes às suas pessoas 
(deles) : atu — ; o ia abik' — \ \ pron. 
relat. pi Que 1 Quaes ] Cujos | 
Quem I Os quaes, as quaes : — blngã, 
abingila akiia \ Aquelas; aqueles | | 
prep. que une ao nome o seu com- 
plemento. De: mubange — ikoto; 
muri — xitw, munui — maluvu || adj 
determ. e pron. demonstr. pi. 
designativo das pessoas que estão 
presentes ou próximas de quem 
fala. Estes; estas : fl/u — akuma\\ 
Abr. das prep. ua, ia : mubik' — man- 
dele; mukanze — iangu \ V. ua, ia. 

Abai conj. espl. Então I Pois : — 
kiebll I i adv. de aíirmação, con- 
sentimento : Sim; certamente; de- 
-certo; então não ? | | sub. Acção 
de dizer sim | | conj. cau?. Por- 
tanto: — kiene' oklo \ Parisse. || — pe, 
prep. que indica afirmação: Sem 
duvida I com certesa ] Certamente. 
(E' tb. adv.) Pois então. 

A'ba. adv., abrev, de baba, boba 
Aqui I Neste lugar: imana bu' axaxi 
— I neste ponto. 

Abá. sub. Palavra quê anuncia o 
acto do dar I Toma: — ' riu! rizei \ 
Acção de dar | | interj. Toma I Re- 
cebe I Apanhai | V. ma. 

Ababafi, adj. e sub. pi. (I) Apal- 
paJeiras | Apalpadores | Pessoas 
que apalpam | Verificadores. 

Abandi. adj. e sub. pi. (I) Trepa- 
dores | Que sobem (trepando). | 
Pessoas que se elevam a lugares 
auperiores 1 1 sub. Subideirai. 



Abange, adj. e sub. (I) Factores | 

Fabricantes. 

Abángi. adj. e sub. (I) Luctado- 
res I Pelejadores | Combatentes. 

Abani, adj. e sub. (I) Dadores | 
Pessoas que outorgam, que dão. 

Abári, sub. pi- (I) Grupo de 
agentes que compram ou vendem 
por conta de outrem. | Aviados | | 
Mulheres que vendem a retalho em 
mercado ou feira, ou de terra em 
terra | | Vendedeiras. | Quitandeiras 
I Retalhistas j | Grupo de pessoas 
que têm posto de venda a retalho 
de fructas, cereaes, fazendas, quin- 
quilharias, etc. I Negociadores am- 
bulantes. 

Abási, adj. e sub. pi. (I) Racha- 
dores I Pessoas que racham paus, 
taboas ou outra madeira:— a jihuinhi 
I Que reduzem a pedaços | Ésmiga- 
Ihadores : — a i/aba | Que esfacelam. 

Abébi, adj. e sub. (I) Embarra- 
dores | Conjunto ou grupo de pes- 
soas que cobrem, tapam ou reboucam 
paredes com barro I Alisadores. 

Abebi, adj. e sub. pi. (I) Adula- 
dores 1 Lisonjeadores | | Conjunctode 
praguejadores | Pessoas que dizem 
imprecações, que rogam pragas. 

Abézi, adj. e sub. (I) Aduladores : 
— a iteke \ Grupo de homens que 
adoram imagens | Apaixonados. 

Âbi, adj. e sub. pi. (I) Dadores | 
Outorgantes | Que dão ou deixam 
definitivamente | Que outorgam. 

Abika, sub. pi. (I) Multidão ou 
leva de escravos ! Pessoas sujeitas á 
condição servil | Serviçaes, | Conjun- 
to de todos os criados de uma casa. 



ÂÔI 



Í2 



AKÈ 



Abikí, adj. e sub. pi. (I) Vaticina 
dores | Pessoas que predizem por 
agouros | Agoureiros. 

Abindi, adj. e sub. (I) Grupo de 
pessoas convocadas para determi- 
nada cerimónia [ Convidados | Os 
que assistem a um banquete. 

Abingi, adj. e sub. pi. (I) Pedi- 
dores : — a makezu \ Os que exercem 
profissão de pedir ] Pedintes, fig. 
Mendigos. 

Abiri, sub. pi. (I) Pastores | Cria- 
dores de gado |1 adj. Naturaes de 
Cabiri (cone. de Icolo e Bengo) ou 
ali residentes: akà' — . | i Indivíduos 
pertencentes á raça ou família dos 
luangos e que só se dedicavam ao 
oficio de ferreiro, trabalhando em 
tendas volantes 1 1 hist. Os — são ori- 
undos do Luango {maluangu) e foram 
mandados para Enconge em 1759 
quando se fundou este presidio. São 
de outros usos e costumes, activos, 
trabalhadores e inteligentes, e aboni- 
nam entre si a escravatura. 

Abcki, sub. pi. (I) Grupo de orado- 
res I Conjuncto de pregadores | Pes- 
soas que falam em público | Censores. 

Abóngí, adj. e sub. pi. (I) Apa- 
nhadores : — a jihuinhl | Que apa- 
nham, levantam do chão. 

Abongolori, adj. e sub. pi. (I) Co- 
Ihedores | Arrecadadores; recolhedores: 
— a iriaia \ Pessoas que recolhem ou 
arrecadam. 

Abofí, sub. pi. (I) Operários que 
trabalham em fiação. | Homens que 
teera por ofício fiar (em roca ou má- 
<iuina): — a mikolo \ Fiadeiras. 

Abundí, adj. e sub. pi. (I) Batedo- 
res I Os que malham na eira feijão e 
outros cereaes | Indivíduos que le- 
vantam a caça para que vá ter onde 
a esperam | Indivíduos que, no rio 
ou lagoa, fazem convergir o peixe 
para o logar das redes : — a menfia \ 
Exploradores. 

Abúndi, adj. e sub. pi. (I) Saquea- 
dores | Sequestradores. | Salteadores. 

Abúíua, sub. (IX) bot. Planta têxtil 
da família das menispermaceas, de 
utilidade medicinal, {chasmanthera 
strigosa) Anamirto. V xile. 

Âfí, adj. e sub. pi. (I) Sujeitos á 
morte ] Mortaes; defunctos | Mortos; 
cadáveres | O» homens | O género 
humano. 



Afundi, adj. e sub. pi. (!) Enter* 
radores | Que enterram: âfua klã 
iba a famanesa — | Coveiros. 

Afundixi, sub. pi. (I) Juizes; jul- 
gadores I Jurados | Ouvidores | Os 
que tem a função de dicidir pleitos. 

Ahuhi, adj. e sub. (I) Raptores | 
Surripiadores | Que cometem rap- 
tos I Que vivem de rapina | Rapi- 
nantes. 

Aí] interj. de compaixão, de sau- 
dade. OhlAil:—,mukuatele henda. . ., 
De surpresa, de espanto: — A: /cí»/ ? 
[Olá J Como ? 

Aiaki. sub. pi. (IV) V. maiakl. 

Aiari, adj. num. pi. (IV) Dois: ma- 
iakl — I O mesmo kiiari. 

Aiê I loc. Deixa-lo I Que vá. 

Aiuê I interj. de dôr. | Grito de 
aflição : — , manh'etu'ê 1 

Aiifu, sub. (I) Pessoas que dão 
provas de consideração e respeito. | 
adj. Respeitosos ; cortezes ; aten- 
ciosos : atu a-, 

Aka, adj. detorm. e pron. de- 
monstr. Esta; este: kanjW—kauaba; 
kangombe-kanete \ Abrev. de kaka. 
koka. 

Akaji. sub. pi. (I) Esposas \ Mu- 
lheres, amantes (com relação aos 
homens com que vivem). 

Akaj'a-mona, sub. pi. (1) Nora' 
V. jimbalakaji. 

Akajina, sub. pi (I) Mulheres de 
homem comum | Comborças. 

Akalakari, adj. e sub. pi. (I) Tra- 
balhadores I Obreiros; operários | 
Amigos do trabalho | | adj. Produc- 
tores I Que vivem do trabalho. 

Akamukuá, adj. e pron. indeí. 
pi. (I) Outras; outras | Não estes; 
diferentes | Restantes j Seguintes. 
I I sub.pl. Os alheios | Os outroá. 

Akándi, sub. pi. il) Cavadores | 
Coveiros: — a jimblla \ Homens que 
abrem covas. 

Ake, adv. Agora mesmo. | Neste 
momento: eme ng'ez' — | Sem perda 
detempo. V. aki 

Akembi, adj. e sub. pi. (I) Jano- 
tas I Que vestem á moda | Dan- 
dyes I Casquilhos. 



ÀKI 



- 15 ~ 



AMA 



Akí, adv. Neste mesmo instante | 
Agora mesmo : — nga tunda \ Sem 
demora | Imediatamente. 

Ahiki. adv. Agora | Entretanto: — 
u banga kiebi ? \ Neste tempo 1 Abrev. 
de aba kiki. 

Akini, adj. e sub. pi. (I) Dança- 
dores I Dançarinos 1 Pessoas que dan- 
çam. 

Ahcki. adj. e sub. pi. (I) Con- 
juncto de pessoas empregadas no 
arrasto de uma cousa | Arrastadores: 
— a mauanda \ Rojadores | Os que 
levam de rasto (algo) pelo chão. 

Akua, adj. e sub. pi. (I) Outros | 
Eguaes | Do mesmo género | Pessoas 
da mesma categoria ou condição 
social : u ai ni — | Companheiros ; 
camaradas. I | — matai, ouvidores | 
Ouvintes | Que têm orelhas. [ j corog. 
Área que compreende o posto civ. des- 
te nome, circ. do Baixo Cunene (Cua- 
mato), distr. e prov. da Huíla, com 
4.653 hab., 3.* C. I. I. e est. post. de 
3.* cl. I I — mbele, criados graves | 
Familiares ! Feitores | Domésticos.] j 
--nhama, indivíduos que se dedicam 
á caça [ Que matam e vendem carne 
de caça | Carniceiros | | corog. Vasta 
área que compreende a circ. civ. do 
Baixo Cunene Terra habitada pelos 
anhama (os da carne) : nga tunda ku 
— nhama. 

Akuânhi, pron. interr. pi. (I) 
Quaes? Quem são? Que pessoas ? — 
abange kiki? 

Akuenu, adj. e pron. indef. pi. (I) 
Outros (como tu, como vós. | Vós 
outros Camaradas:, — ai kiá \ Com- 
panheiros: — alenge 

Akuefu, adj. e pron. indef. pi. (I) 
Outros (como eu, como nós). | Nós 
outros I Meus companheiros: — 
êza kiá. 

Akuenze, sub. pi. (I) Os esforça- 
dos. I Os valentes. V. makuenze. 

Akulu, adj. e sub. pi. (I) Finados: 
jimisa jitatu j'— | Defunctos 1 1 Os 
antepassados | Os avoengos. | Adv. 
us. na loc. Mu— .A seguir. | Imedia- 
tamente I A eito : u ejila nu — \ In 
continenti. | Sem detença. V. mákulu. 

Akuni. adj. e sub. pi. (I) Semeado- 
res : — a jimbutu | Plantadores I Os 
que semeam ou plantam árvores. 



Akunji. adj. e sub. pi. (I) Após- 
tolos I Mandados | Mensageiros | Pes- 
soas encarregadas de uma missão | 
Núncios I Parlâmentários | Embai- 
xadores. 

AkuJci, adj. e pron. interr. pi. (I) 
Que número ou que quantidade. | 
Quantos : atu — ? 

Aia I interj . de despreso. Ora ! . . . 
Qual história !. . . 

Alándi, adj. e sub. pi. (I) Perse- 
guidores 1 Que vão no encalço de [ 
Que perseguem j Set^uidores : — a 
manlianhu \ Os que seguem alguém 
ou alguma cousa. 

Alangiri.lu, sub. pi. (I) Sentinelas | 
Guardas | Vigias. 

Alaúla. adj. e sub. pi. (I) Netos • 
Descendentes | Vindouros, j | Filhas 
do filho ou filha, em relação ao avô. 

Alêle, adv. Muito alto | Lá em 
cima : muenhu bu— \ No espaço ; no 
abismo. V. léle. 

Alembéki. adj. e sub. pi. (I) Tar- 

dinheiros ' Que viajam ao entarde- 
cer I Tardios. 

Alengi, adj. e sub. pi. (I) Corredo- 
res ; Que correm | Velozes. 

Alóji, sub. pi. (I) Pessoas que fa- 
zem malefícios \ Feiticeiros | Que cau- 
sam doenças por meio de benzedu- 
ras. I Envenenadores. 

Alóngí, adj. e sub. pi. (I) Ensina- 
dores. I Educadores. ] Mestres. 

Alongi, adj. (I) Que carregam bar- 
cos ou vagões | Carregadores 1 Que 
embarcam gado, géneros e outros ar- 
tigos: — a jingombe [ Encarregados de 
embarque. 

Aluka ! interj. que exprime vários 
afectos I Atenção! | Alerta ! I Cuida- 
do! I Cautela ! | | sub. Acto de aten- 
der I Silencio e consideração com 
que se ouve \ Cuidado. | | adv. Veja 
lá. . . I I — ku, toma cuidado. | Acau- 
tela-te Tem paciência. 

AIúlu, sub. pi. (i) Filhos do neto 
ou neta Bisnetos M adj. Descen- 
dentes. ] Sucessores. 

Amá J interj. Toma ! sub. Pala- 
vra que anuncia o acto de dar | V. 
ma. 



AMA 



14 - 



ANG 



Ama, pron. demonstr. pi. (IV) de- 
signativo das cousas que estão pre- 
sentes ou próximas de tjuein fala. 
Estes; estas: mahonjo — m'abôlo; o ma- 
kezu' ■' ma nzetn. | adv. demonstr. 
pi. Ei-las; aqui estão | Vê de aqui | | 
Abrev. de morna. 

Amama, sub. pi. As mães | As 
fêmeas | Grande niimero de mu- 
lheres. 

Ambá ! adv. Pois não. | Ora diga 
lá i Então não ! i Calcula tu. 

Amb'anii. loc. adv. Ora dize; 

considere ; calcula. | — , ng-ina \ Ora 

dize lá, senhor | | interj. Ora essa ! | 
Que tal está ! 

Ambi, adj. e sub. pi. (I) Dizedo- 
res: — a makufu \ Pessoas que disem 
com graça e facilidade j Motejadores. 

Ambúndu, adj . e sub pi. (I) Pretos | 
Homens pretos; de côr ou raça preta. 

Aménu, sub. Palavra que anuncia 
o acto de dar: — , ío o mukutu uami 1 | 
interj. Tomai! Apanhai! Recebei! 

Atni, adj. poss. pi. (contr. da prep. 
a e pron. pess. eme). Meus; minhas | | 
sub. pi. Os meus : o — | A minha 
íamilia. | De mim | Pertencentes á 
minha pessoa : ata — abixila kia; ahêtu 
— auâba V. mâmi. 

Amónha, adj. e sub. pi. (Man- 
driões I Madraços | Preguiçosos. 

Amoxi, adj. indef. pi. (I) Designa 
quantidades indeterminadas mas não 
grandes | Alguns, algumas; uns, 
umas: — azuela, k' axingenek' d I Peque- 
nos elementos ou grupos entre mui- 
tos: I Quaesquer | Uns ou ou- 
tros. 

Amukuá, adj. indef. pi. (I) Quaes 
quer; uns; certos, certas pessoas: — 
— azuela ki aiba \ \ pron. indef. pi. 
Certas pessoas; certos homens | | 
adj. e pron. indef. pi. Outros | Dife- 
rentes I Não estes: — alenge \ \ adj. e 
pron. pi. Aquel' outros | Outros sem 
ser aqueles | | sub pi. Os outros [ 
Os alheios. V. akamukuá. 

Amvuale, adj. e sub. pi. (I) Titu- 
lares I Nobres | Dignatários | Fidal- 
gos I Pessoas que teem título de 
noDresa, ou que gosam de uma digni- 
dade em virtude de um título. 

Ana, sub. pi. (I) Indivíduos ani- 
maes com relação aos pães. | Filhos ; 
filhas. I Rebentos de plantas | Proma- 



nação | Prole | Descendência | Famí- 
lia. i| — a ahelu. filhas; raparigas; 
pequenas ; moças \ | — 'aml. adj. poss. 
pi., meus filhos; mous descendentes | 
Os meus | | A minha família I | 

— a jingana, sub. pi. Filhos famí- 
lias I Filhos de algo | Senhores | | 

— a mala, filhos ; rapazes; mancebos; 
moços I Serventes || adj. pi. 
Machos. II — a niêsu, sub. pi. Pupi- 
las I Meninas dos olhos : — a mesu 
atalela k u moxi. \\ — a mu/anu. 
Aprendizes | Pessoas que aprendem 
ofício (em relação ao mestre). 
I I — mu'xi adj. Estrangeiros a que 
foram conferidos direitos iguais 
aos na c i o n a e s | Naturalizados ! j 

— a ndengií, adj. e sub. pi. Menores no 
período da adolescência i Crianças ] 
Infantes \\ —a ngamba. sub. pi. Carre- 
gadorcb! Moços de fretes | | — a ngene, 
filhos de outra ou outras pessoas ou 
famílias I Pupilas \ Órfãos sob a di- 
recção de um ou mais tutores I No- 
viços. I — a n^^o/a, AngolensesjNatu- 
raes de Angola | | — a n^ula, sub. pi. 
Bácoros | Porcos de menos de um 
ano : — a ngiilu arila xinde rimoxi 1 1 

— a ngàndu, fig usurpadores ; aven- 
tureiros. V. ngàndu \\ —a sonlii, As 
duas vísceras secretoras da urina | 
Rins. V. miongo | | — a uisu, crianci- 
nhas I Recemnascidos j i adj. De ten- 
ra idade | Na verdura dos anos | | 

— xi, sub. pi. Cidadãos | Filhos da 
terra em que habitam | Nativos. | | 

— a xikola, adj. e sub. p! . Discípulos! 
Meninos que frequentam a escola | 
Estudantes | Aprendizes. 

Aná, adj. e pron. demonstr. pi. (I) 
Designa os que estão afastados de 
quem fala e com quem se fala. Aque- 
las; aqueles (homens): atu — | | pron. 
demonst. Os mesmos | AqueToutros | 
Serve para indicar as pessoas que 
não sabemos ou não queremos de- 
signar pelo nome:v. g. — , ákola. 

Anake ! interj. para exprimir ad- 
miração, surpresa : enu — 

Ananhi, adj. e pron. interrog. pi. (I) 
Quaes | Que pessoas (entre outras) : 
— a ki bange j Quem | Cujos 1 1 pron. 
indef. pi. Alguns | Quaesquer. V. 
nanfii. 

Anda, sub. pi. (IX) Palavra com 
que .se forma o futuro dos verbos | 
Hão-de : atu ia — kufua. 

Anda, adj. port. Então. V. aba. 

Anga. conj. que indica alternati- 



ANH 



— j5- 



AUA 



va. Ou : eme—eie | | adv. Apezar-de; 
não obstante; ainda que : o menha, — 
m' aluiu, ngi ma nud \ Todavia. 

Angene, sub. pi. (!) Os alheios; 
os outros : atu—\ adj. Alheios | Não 
nossos V. ngene, 

Anhá, adj. demonstr. pi. (I) us. 
no interior. Aqueles. V. and. 

Anháma, adj. e sub. pi. (I) Voa- 
dores I Caçadores | Comedores de 
carne (de caça) | Que vivem da caça. 

Anhámi. adj. pi. (I) Comedores de 
carne | Carnívoros | Antropófagos. 

Anhani, adj. e sub. pi. (l) Rou- 
badores ( Que roubam | Usurpadores 
I Ladrões: — a jimbijí 

Anhi, adj. e pron. interrog. pi. (I) 
Que; quaes; quem: ena nu atu ~ 
ki nu ívilenu akuenu? \ Que gente | 
Cujos: ima i — ? 

Anji, adv. Ainda; desde; por ora : 
— k'ez'ê I Mais; continuamente : — 
ki atundu \ Sempre: ndê — , u tale. \ 
Contrariamente; pelo contrário: 
ki ngi ia mi. - ngi vuíuka 1 1 — kilúua | 
prep. que indica relação de tempo | 
Antes de; precedentemente | Ainda 
não. 

Anzangaia. V. minzangala. 

Anzenza. V. minzenza. 

Ari, adj. e sub. pi. (I) Adultos | 
Superiores : — akime \ Os mais ve- 
lhos I Os parentes de maior idade -ia 
família | Os superiores, avançados 
em anos | — etu, os nossos maiores. 

Ariakími, sub. pi. (I) Grupo de 
velhos ] Velhada | Conjuncto de ve- 
lhos ou velhas | | Adultos | | Senado- 
res I Anciãos. 

Ariaíu. adj. e sub. pi. (I) Comedo 
res de carne humana | Que praticam 
antropofagia. 

Asa. sub. (IX) bot. Planta umbe- 
lifera mui venenosa | Cicuta | | 
Substancia com que se prepara o 
mbulungu. PI. jiasa. 

Asakíri, adj. esub.pl. (I) Adivi- 
nhadores I Que adivinham | Homens 
a quem se atribue o dom de adivi- 
nhar I Adivinhos | Bruxos. 

Asemi. adj. e sub. pi. I) Sarja- 
dores | Conjuncto de pessoas que 
golpeam, sarjam, etc. 

Asoneki. sub. pi. (I) Escriturários 



I Amanuenses:— a mikanda \ Escri- 
bas I Escreventes. 

Asonhi. adj. e sub. pi. (I) Visitan- 
tes | Alheios ( Hospedes | Que não 
são do lugar | Estrangeiros. 

Asumbi, adj. e sub. pi. (I) Com- 
pradores ( Licitantes | Pessoas que 
podem comprar | Comprantes; ad- 
quirentes. I Os que compram. 

Asuri. adj. e sub. pi. (I) Forjado- 
res ! Malhadores | Opeiários que 
trabalham o ferro. | fig. Batedores. 

Afabi, sub. pi. (I) Aguadeiros | 
Pessoas que tiram água da fonte, 
rio ou mar. 

A(a(unu, sub. pi. (I) Serviçaea ou 
escravos pertencentes ao mesmo 
senhor. | Tratamento que os escravos 
se dão entre si quando ao serviço 
ou pertencentes ao mesmo dono. 

Afangi, adj. e sub. pi. (I) Contado- 
res j Reveladores | Delatores. | | Pes- 
soas encarregadas de uma contadoria. 

A(a(a, adj. e sub. pi. (I) Rústicos] 
Homens do campo. | Selvagens | Ho- 
mens sem consideração | | Mocetões 

A(a(u, adj. num. pi. Três :a/u— |V- 
kitatu. 

A(ek', Sub. (I) Pessoas que trans- 
portam água do rio ou fonte para 
outro lugar. | Aguadeiros. 

Atéki, adj. e sub. pi. (I) Tinturei- 
ros: — a milele \ Que exercem a arte 
de tingir | Pessoas que tingem vários 
artigos. 

Afona, adj. e sub. pi. (I) P-^scado- 
res I Indivíduos que fazem da pesca 
profissão I Grupo de pescadores. 

Atongí, adj. e sub. pi. (I) Esgri- 
mistas I Luctadores | Pessoas dadas 
a brigas. 

Atu, sub. pi. (I) Conjuncto d© 
pessoas | Pessoal ] Multidão | Gente: 
— aml I j Bando ; troço de homens 
armados | Pessoas : — ku bata | Famí- 
lia. I Nação I Povo. 

Atungi, adj. e sub. pi. (I) Fabri- 
cantes : — a maxisa \ Constructores : 
— ajinzo 1 Pessoas que fazem costu- 
ras. 

Aturi, adj. e sub pi. (I) Viuvas | 
Viúvos. 

Aua, adj. determ. e pron. demonst. 
pi. Estas; estas [ | art. indef. pi. Uns; 
umas. I V, id. 



ADA 



íé 



MBA 



Auá I interj. para exprimir extra- 
nhesa, aborrecimento, enfado, re- 
signação. 

Auâna. adj. num. pi. Quatro: 
maiaki — | O mesmo que mauâna. 

Auáni, adj. e sub. pi. (I) Distri- 
buidores I Repartidores. 

Aumbi. sub. pi. Oleiros j Pessoas 
que trabalham em olaria : — a jim- 
bia I Fabricantes de louça de barro. 

Avula, adv. Pode ser que | Possi- 
velmente — u lenga \ Talvez. 

Axeri, adj. Sem par | Sem iguais | 
Sós; únicos. || sub. pi. Os que fica- 
ram. 



Axihi, adj. e sub. pi. Tocadores de 
música I Músicos : — a marimba | 
Tangedores. 

Axihongo, sub. pi. (I) Indivíduos 
que, sendo naturais do Congo, resi- 
dem em outra localidade. 

Axiluanda, sub. (T) Nome dado 
aos naturais ou residentes das ilhas 
adjacentes á cidade de Luanda que, 
em tempo, abindonaram | Os que 
deixaram as terras de Luanda. 

Azuéri, adj. (I) Faladores 1 Verbo* 
SOS I Que falam muito , Tagarelas | 
Grandes faladores. 

Azúni, adj. e sub pi. (I) Descarna- 
dores | Pessoas que descarnam. 



B. sub. (IX) Segunda letra do 
alfabeto K'mbundu, com valor igual 
era português. 

Bá, icterj. Ahi ! Ora toma ! 

Ba, conj. (indica alternativa) Ou: 
Kiki — kind. V. dn^^fl II No caso de | 
Se I Dada a circunstância de ] Se 
porventura 1| Consoante J Confor- 
me II Abrev. da ribia, horta lavra : 
kala mutu u sonzuela bu — rie. 

Mba I interj. Ora essa ! Pois não! 
V. ambá. | Adv. Mas | Porém. | 
Todavia | Também | Por emquan- 
to 11 conj. que indica alternativa. 
Ou : — Kiêbi, anga kiêbi, manhi \\ 
Se I No caso de i Se acaso; dan- 
do-se a circunstância de. 

Baba, adv. Aqui ! Cá ' Neste lu- 
gar : zá — I Neste ponto. V. boba \\ 
corog. Pov. na circ. civ. deCazengo, 
perto (lo «Vale do Zondo», da linha 
férrea de Malange i! Pov. marítima 
no cone. e distr. de Mosíâmedes, 
prov. da Huila. com est. postal de 
3.* classe. 

Babá, adv. Para s mpre : uáia — j 
De uma vez: xa/a — 1 Eternamentej 
Para não mais voltar '; interj. Ba- 
bau ! Foi-se. 

Babangombe, sub. (IX) bot. Plan- 
ta forraginosa da família das gra- 
míneas (panicum maximum). 



Bâi, adv. V. bê. 

Baia, sub. (IV) Ta boa : — rimoxi] 
Degrau; poleiro, poio: kala sanji 
ni — rie || Abrev. de ribáia. PI. 
mabáia \\ corog. Quinta ou moceque 
n((S arredores dn cidade de Luanda: 
ng'atundu ku museke na — . 

Mbáka, sub. (IX) Multidão; co- 
mitiva, povo: — íêza | Lugar onde 
habita ou reside muita gente : 
Ku — II Cidade ; capital; sede de 

distr. ou de província. || Mukua 

adj. Natural ou habitante da cida- 
de I Cidadão ' corog. Território si, 
tuado entre os cone. de Cambam- 
be, Golungo e Malange, distr. e 
prov. de Luanda. V. Pamba. 

Bakamukuá, adv. Em outro lu- 
gar. { V. buakamukuá. 

Mbakanhá, sub. (IX) port. Baca- 
lhau || adj. Salobre: menlia ma —\ 
Que sabe a sal. 

Mbâku, adj. e sub. (IX) Homem 
impotente; que não faz filhos: 
riiala ria — \ Que não pode gerar 
ou procrear 1| — ia kavuíu, diz-se 
do homem que teve, mas já não 
pode ter filhos ' Agenesia posterior 
aos primeiros filhos. 

Bakule, adj. Dado em tributo, j 
Tributado : irima i a u — \ Oferecido 
como tributo. 



MBA 



-17- 



MBA 



Mbakúsa, sub. (IX) Diz-se dos 
alimentos secos ou não cozinhados 
(farinha, milho torrado, coco, gin- 
guba, etc), que se comem crus : 
kúria kua — [ Comida que não ca- 
rece de ser cozinhada. 

Mbalá, sub. (IX) bot. Planta 
ciperácea | Junca aromática | Al- 
bafôr !| A raiz desta planta, de pro- 
priedades medicinais. ' Albafar. 

Mbâia, sub. (IX) Graminea miliá- 
cea j Dora | Milho miúdo | Sorgo |j 
Plantação de miiho miúdo. V. rnasa. 
II Pequena povoação | Vila ; aldeia 
I Residência. Zool. j Mamífero roe- 
doi' I Mara. 

Mbála, sub. (IX) Tira de couro 
para cingir ou atar | Correia. 

Mbalalundu, sub. (IX) Funda, 
V. rif linda. 

Mbalakaji, sub. (IX) Nora | Es" 
posa do filho (em relação aos pais 
deste). 

Mbalakaxongo, sub (IX) zool. 
Pássaro canoro conirostro conheci- 
do pelo nome de «maracachãop. 

Mbalâle, sub. (IX) Terreno des- 
tinado à sepultura de cadáveres 
humanos | Cemitério j Necrópole. i| 
Derrota | Caminho; rumo | Rota 
I Grande estrada. 

Mbalamafória, sub. (IX) port. 
Palmatória (instrumento de suplí- 
cio). V. mbáu. 

Mbalambala, sub. Acólito I Aju- 
dante I Discípulo I Ordenança | 
Executor das ordens de um chefe. 

Mbalarabanda, sub (IX) bot. No- 
me por que na região do Seles e 
Amboim se dá a conhecer a árvore 
kitende. 

Mbalamu sub. (IX) Vaso de ma- 
deira em forma de canoa ou algui- 
dar | Gamela | Escudela grande. 

Balánga, sub. (IV) Aventura | Pe- 
lourinho : katari ka — !| adj. Que 
se aventura ou vive de aventuras | 
Aventureiro : — ri avula ininangu \ 
V. ribalanga. \ Pi. mabalanga. 

Mbalanganza, sub. (IX) z ol. In- 
secto cujo abdómen termina em 
forma de tenaz | Tesoura ; bicha- 
-cadcla. 

Mbalaxia, sub. (IX) port. Melan- 
cia. V. rixibua. 



Mbâlu, adj. (IX) Insubordinado : 
revoltado | Bravo; selvagem | Indó- 
mito I Que anda a monte. 

Mbalu, sub (IX) Pedaço de ma- 
deiía comprido e estreito que se 
amarra ou se prega transversal- 
mente a uma série de paus I Ripa | 
Haste de palmeira ou bordão utili- 
zada como ripa. p\. jimbclu. 

Mbalundu, adj. e íub. (IX) Natu- 
ral do Bailundc | Homem nascido 
nas terras do Bailundo ou a elas 
referente. || corog. Território a E. da 
prov. de Benguela, a 1650 m. de 
alt. : u ai ku — j Pov. e sede da 
circ. civ. do mesmo nome, *villa 
Tei.,.eira da Silva», a 12° 10' e 5" 
de lat. S. e 15° 50' de long. E., 
com 23.185 habit., junta local, est. 
telégr. -postal, deleg. de Faz., de 
Saúde, escola oficial n.° 36» Ferreira 
Ribeiro, Missão Católica e cutra 
Evangélica. 

Bâma, adv. V. buâina. 

Mbámba. adj. (IX) Mestre consu- 
mado ! Exímio: una — mu kukina \ 
Excelente; excelso; insigne | Sem 
rival, i Sabido; como ninguém mais. 
Sabedor || sub. Pessoa que sobresai 
entre us cia sua classe pelo seu saber 
1 Sumidade , — mu kuzuela. 

MbaiT.b:i, sub. (IX) Junco I Vara 
comprida e delgada para fustigar : 
u úlungu u ta—, k'at'ê poko \ Vergôn- 
J tea I Ramo delgado de árvcre 1 Chi- 
bata. I I Pequeno pau que serve para 
apoio de quem caminha | Badine | | 
Corda grossa de certos instrumen- 
tos ' Bordão. 1 ! corog. Rio que, nas- 
cendo na parte setentrional da serra 
de Kanganza, corta o cone. de En- 
coge passando a E. da pov. deste 
nome e entra no cone. do Ambriz 
indo desaguar no Oceano. O seu 
curso é de 350 kilom. | i Pov. e serra 
junto ao rio deste nome, no cone. do 
Ambriz, distr. e^ prov. de Luanda 
! I — hurihuri, bot. Planta arbustiva 
medicinal, de fruto comestível, cuja 
raiz se emprega em casos de icterícia. 
E' tb. ctnihecida por — kari. Cf. Kári. 

Mbâmba, íub. (IX) Concha globi- 
forme de moluscos gasterópodos. | 
Porcelana | Nácar (feito desta con- 
cha). I I Pedaço redondo de nácar, 
porcelana ou louça para jogar. V. pi. 
jimbamba \ \ A parte consistente ou 



MBA 



— i8 — 



MBÂ 



sólida que cobre ou rodeia um corpo 
menos duro | Crusta ; côdea; bos- 
tela ' I Camada expressa e dura que 
se desenvolve sobre uma ferida em 
via de cicatrização. | | Parte do lí- 
quen que adere ao corpo que o sus- 
tenta I Viscosidade que endurece na 
superfície das conchas. 

Mbambála, sub. (IX) Acólito ! 
Ajudante. V. mbalambàla. 

Mbamba-ndúlu, sub. (IX) zoo). 
Morcego-vampiro | Pacó. 

Mbambè. adv. Pouco menos de | 
Quási: — mivu itatu \ Muito próximo 
a I Perto | Com pouca diferença : — 
kumbi riái \ Por pouco ; por um triz 
I Também | Somente : boba uiza — 
usuku I Apenas || Entretanto; no 
entanto: — ngoloxi \ Todavia || 
prep. indic. de termo, fim. | Até : 
ndê — mungu. 

Mbâmbe, adj. (IX) Que confina ] 
Extremenho : — ia njila \ Que está na 
extremadura \\ Que está contíguo | 
Adjacente | Situado junto a outro I 
Que tem adjacência | Confinante | 
Que está limítrofe | | sub. Limite; 
raia; fronteira. V. imbambe \ Termo; 
extremo; confim | | bot. Planta gutí- 
fera medicinal, tb. conhecida por 
mungundu \ \ Kuta — , v. tr. Limitar 
! Pôr limites a; demarcar ; balisar ! 
Não passar além de. 

Mbambélu, sub. (IX) Parte late- 
ral exterior da embarcação | Cos- 
tado : — ia uliingu \ Borda | Lado | 
Amurada | Cada uma das peças la- 
terais da cama. 

Mbâmbi, sub. (IX) Friagem | Ar 
ou tempo frio : Icuma Imola — | In- 
vernia I Tempo frio e chuvoso 1 In- 
verno I Temperatura baixa | Frio ; 
humidade. 

Mbámbi, sub. (IX) zool. Antílope 
maior que a corça | Cervo | Veado | | 
Mesii ma — (ou mesu a — ) bot. jin- 
guba ; amendoim ' | corog. Vila, cone. 
e circ. civil de Cambambe: mu'a Hom- 
bo, ni inii'a—. V. hambambi. 

Mbâmbu, sub, (IX) Envenena- 
mento acompanhado de sortilégio | 
Vcnefício | Veneno do juramento. 
V. mbulangu \ Acto de preparar ôste 
veneno i I bot. Planta venenosa da 
fam. das gramíneas, assim conhecida 
em Ambaca, e que tb. se chama 
ndúua {bambusa vulgaris.). \\ Cos- 
tado. V. mbambélu. 



Mbâmvu, Sub. (IX) zool. Pássaro 
castanho de bico vermelho, que 
acompanha o gado bovino e se ali- 
menta de carraças, j Búfaga 

Bana, adv. Naquele lugar | Ali: — 
sâi-bu mênha I Naquele sitio. | Aco- 
lá II Além. 

Mbanda, sub, (IX) Preceito; man- 
damento : ng'a ku bana o — ni kijila 

I Prescrição; indicações, licença | 
Actos prescritos pela religião contra, 
os supostos espíritos maus. | Regra! 

Banda I interj. Suba! Avante! 
Continua ! 

. Mbánda, corog. Lagoa na área do 
posto civil da Funda, circ. de Icolo e 
Bengo, distr. e prov. de Luanda. 

Mbandamena, sub. (IX) Estacio- 
namento I Suspensão | Paiada 

Mbanda-njila, sub. (IX) zool. Ofí- 
dio venenoso, de côr amarelo-torrada. 

Bande, adj. Subido | Alto | Ele- 
vado. 

Mbande, adj. (IX) Que tem capa- 
cidade I Suficiente | Capaz. fig. Sé- 
rio; honrado | Destemido | Que pode 
I Possível. 

Bandeke, adj. Acrescentado | Em- 
parelhado I Ajuntado | Unido. 

Bându, adj. e sub. (IX) Incisor | 
Apartador | Que separa. | Que faz 
incisões. 

Mbándu, sub. (IX) bot. Planta 
ninfeácea, de fruto comestível ] Ne- 
núfar. E' m. us. no p\. jimbándu. 

Mbandu, sub. (IX) Lado 1 Parte ; 
secção I Metade : — ia polo ' Dimi- 
dio ! Cada uma das partes em que se 
divide um todo | Quinhão: kala mii- 
tu ni — ie I Cada um dos quatro 
pontos cardiais : ku — ia luiji \ Par- 
te direita ou esquerda do corpo dos 
animais : ku — ia kiasu. \ Flanco ; 
direcção; banda | \ adv. Perto, próxi- 
mo, junto de : bu — ia ngtji \ k pou- 
ca distância | Ao lado de | Arredor. 

Bane, adj. Dado | Facultado | En- 
tregue I Permitido | Oferecido : kima 
kl a u — ki kisoku'ê ni ki a u sumbe. 

Mbânga, sub. (IX) Cada um dos 
dois órgãos que dentro do escroto 
acompanham o pénis. | Testículo | | 
bot. Planta de matéria corante da 
família das leguminosas. V. mulôlo, 



MBA 



— i9 - 



MBA 



Mbangala, sub. (IX) port. Ben- 
gala. V. musoso; mbololo. 

Bánge, sub. (II) bot. Planta de 
porte elevado, tb. conhecida por mil' 
bala. II adj. Formado; arranjado; 
trabalhado. | Feito: ima ioso a i-- 
— kia I Executado | Pronto. 

Bangela, corog. Cidade, sede do 
cone, distr., com. e gov. da prov. de 
Benguela, a 12° e 33' de lat. S. e 13° 
25' de long. E.. com 16.769 hab.. 
cam. mun., Repart. de Faz. alfand., 
est. telégr. -postal e do C. de F., 
Cabo Subm. e 2 escolas primárias n.° 
30 de Cerveira Pereira e n.° 31 de 
Hermenegildo Capelo. 

Mbángi, sub. (IX) Pessoa que pre- 
senciou ou ouviu algum facto ou 
dito e que dele pode dar porme- 
nores I Testemunha j Pessoa que dá 
testemunho em justiça, ou que assis- 
te a certos actos para os tornar 
autênticos ou válidos. | Espectador | 
Testigo I Presenciador. ] Pessoa que 
viu ou ouviu alguma cousa j Prova | 
fig. Tapete ou esteira aos pés da 
cama | | Kukala — , v. tr. Testemu- 
nhar I Confirmar | Dar testemunho 
de I Atestar, afirmar | Declarar ter 
visto, ouvido ou conhecido. 

Mbángu, sub. (IX) port. Banco; 
mocho I j corog. Pov. e sobado na 
circ. civ. do Golungo Alto, prov. e 
distr. de Luanda : makolongo m'ata 
kitari, makezu ma — ma kária ngo. 

Mbangúla, sub. (IX) zool. Ave 
trepadora da fam. das picidas | Peto: 
sualala u ária — u a banda \\ — 
kabanda. Ave da fam. paridas | 
Picanço : — kabanda a ma kaata ku 
mbulungu I Pica-pau. 

Bangulule, adj. Renovado muitas 
vezes I Refeito | Rejuvenescido | 
Tornado novo : kima ki a li — . 

Mbánji, sub. (IX) Osso chato, cur- 
vo e alongado que partindo da espi- 
nha dorsal, forma com outra a caixa 
torácica | Costela | | Parte extrema 
que fica à direita ou à esquerda da 
frente ] Lado : — ia marilu \ Lugar 
ou espaço a partir de uma extremi- 
dade I Flanco | | Cada uma das par- 
tes laterais do baixo-ventre | Ilhar- 
ga I Parte lateral. 

Mbanji, sub. (IX) Arma branca, 
cortante e perfurante, formada de 
uma lâmina comprida de i ou 2 gu- 



mes, com punho sem guardas | Es- 
pada. 

Mbanjirilu, sub. (IX) Arma ofen- 
siva formada por uma haste termi- 
nada por um ferro ponteagudo que 
vai alargando até a base | Lança | 
Chuço . ; i Parte inferior | Sopé | 
Falda: mu — ia mulundu Orla; base. 
V. mbánji. mbetekete. 

Bâníu, sub. pi. (I) Pessoas; ho- 
mens; gente. V. átu. 

Mbanza, sub. (IX) Cidadela j Po- 
voação onde reside o governo de 
nação, província, distrito ou conce- 
lho ' Sede, capital | Residência do 
governador ou chefe : mu — ia soba. \ 
ext. O próprio chefe de Estado, de 
tribu. 

Mbánza, sub. (IX) Espécie de vio- 
la ! Instrumento músico de três cor- 
das que se toca com palheta de pau | 
Rebeque. 

Mbânze, sub. (IX) Amuleto ou 
filtro amoroso | Prática ou bebera- 
gem que se supco obrigar o amor ! 
Amavío. 

Banze, adj. Imaginado | Reflec- 
tido I Pensado : kituxi ki a u — | 
Premeditado. 

Mbánze, sub. (TX) Tempo de ve- 
rão I Estio : laânha lua — | A época 
do ano em que reina maior calor | 
I fig. Calor. 

Mbánzu, sub. (TX) Planta herbá- 
cea da fam. das convolvuláceas iipo- 
moea batata) de tubérculos e folhas 
aiim.entares [ O fruto desta planta. 

Mbanzu, sub. (IX) Disposição que 
se toma para evitar um mal | Provi- 
dência I Arranjo; maneira de obter \ \ 
Kuta — V. tr. Dar providências | 
Tratar de arranjar, de obter. | Pro- 
videnciar I Ordenar ; abastecer ; dis- 
por I I V. intr. Prover ; tomar provi- 
dências I Ter cuidado em | Cuidar | | 
Mukua — , adj. Que toma ou dá pro- 
vidências Previdente ; precavido ; 
cuidadoso. 

Mbarikila, sub. (IX) Diz-se do pe- 
(jueno negócio que se vende à parte 
do principal : — ia uênji. 

Mbasá, sub. (IX) port. Bastão ; 
báculo; cetro. V, kilúnga. 

Mbasu, sub. (IX) Inflamação da 
parenquima do pulmão | Pneumonia 



BAT 



— ZO- 



MBE 



I Dôr aguda no pulmão | Pneumo- 
nalgia | Doença dos pulmões. 

Bafa, sub. (IV) Casa 1 Domicílio | 
Residência : ng'atundu ku — | Lar. 
V. riba ta. 

Mbáía, conj. Por causa de | Por 
motivo de que I Por que: o — ' nhi ni 
pala'nhi k'i uab'ê I Visto que | ! Logo; 
em vista disso | Portanto. | Por con- 
sequência I Devido a isso. 

Mbâfe, adj. (IX) Que tem em si a 
força de produzir muito | Fecundo | 
Que não é estéril | Que produz mui- 
to ; muhatu ua — ] Que tem muitos 
filhos (com pequenos intervalos.) 

Bafu, sub. (IX) bot. Planta de pro- 
priedades medicinais em casos de 
parto (na Catumbela). 

Mbáu, sub, (IX) pop. Palmatória | 
Instrumento com que se castiga ba- 
tendo nas palmas das mãos. j V. pi. 
jimbáu. 

Mbaúlu, sub. (IX) port. Baú. V. 
kitutu. 

Mbaxi, sub. (IX) zool. Cágado | 
Espécie de tartaruga (de água doce). 

Mbe, coni. integr. Que | O seguin 
te: ngila — u álungii \\ conj. advers.. 
Mas ; porém : — eie rialuke | I conj. 
que designa posição. Mas. Ora. | | 
No caso de | Logo | Se | Dando-se 
a circunstância de | Por isso I Se 
acaso; em vista disso; se por-ventura; 
— ngiia, ngakaxalela \ Por conse- 
qiiência | Pois. ] Nê — , ainda que; 
mesmo que. 

Bê, sub. (IX) A letra B. | j adv. 
interrog. Em que lugar ? Onde ? 
u angi muena — .M Em que parte ? 
V. buê. 

Bebénhi, sub. (IX) Terreno de 
pouco pendor onde se cultiva milho, 
hortaliças, etc. Várzea : mu honga 
ia — . 

Bebi, adv. interr. Aonde ? poko u 
a i te — I Em que determinado lu- 
gar ? i Em que parte ? | Onde ? | | 
adj. interr. Qual? | ] adv. neg. Nada 
disso, não senhor, está enganado. 
V. buêbí. 

Mbébu, conj. Portanto; por conse- 
guinte I Logo ! Desta maneira ; as- 
sim, i Por isso ; em vista disso | | 
pron. demonstr. Isto é; quere dv.er ; 
a saber 1 1 adv. Para que: — ejiie o 
kiri. 



Mbeji, sub. (IX) O satélite da ter- 
ra ! Lua: — / arite mu kanga \ I Mez 
I Espaço durante o qual faz a lua 
a sua revolução em torno da terra ! 
Tempo compreendido entre dois no- 
vilúnios. II —ia ube, lua nova ; a 
lua em conjunção com o sol | | — ia 
izala, lua cheia ' | — i ai ku mafunda. 
quarto minguante I | — í ai bu hóngo, 
quarto crescente; o crescente maho- 
metano. 

Mbéju, sub. (IX) port. Beijo. V. 
mukinu. 

Belami, sub. (IX) port. Beirame 

Mbéle, sub. (IX) Conjunto de 
todos os parentes de alguma pessoa | 
Família | Casa; pessoas que vivem 
na mesma casa | Pessoa da família; 
familiar ] | Servidores que trabalham 
por conta do mesmo patrão ] Criado 
fig. Faca; navalha. | | Mukua — , adj. 
e sub. Familiar | Pessoa íntima | Ca- 
seiro, doméstico | Da família j Mor- 
domo; feitor I Factotum. 

Bele, adj. (IX) Falto de carnes; 
descarnado | Magro : xitu ia — | 
Fraco | Deficiente. V. Kubela. 

Belengenze, sub. (IX) Navalha (de 
barba) | Faca de ponta e mola j Na- 
valhão. 

Mbémba, sub. (IX) zool. Ave de 
rapina acipitrida ' Açor | Ave que 
se alimenta de deudém : fuma i afu- 
manena — , — k'azub'ê kilende. 

Mbêmbe, sub. (IX) bot. Planta 
portulácea, comestível, tb. conhecida 
por «beldroega». E' m. us. no pi. 
jimbênbe. 

Mbémbu, sub. (IX) Repetição de 
um som reenviado por um corpo 
duro I Eco I Qualidade sonora de 
instrumento ou voz. 

Mbénda, sub. (IX) Acção e efeito 
de bater. | Pancada | Golpe dado 
com a mão | Choque 1 Bordoada. 

Mbende, sub. (IX) Antiga moeda 
de cobre no valor de $015 ou 0,015. 
Meia macuta. fig. Dinheiro. | Bens; 
haveres. V. pi. jimbtnde. 

Bendele J intorj. imitativa de um 
corpo que tomba: u eri ngo — . 

Mbendu, sub. (IX) Pequeno ins- 
trumento de madeira ou metal com 
que o dedo médio empurra a agulha 
de coser | Dedal j | Utensílio de ma- 



MBÉ 



-2j -. 



MBI 



deira ou metal com que, na palma 
da mão, se empurra a agulha de 
coser sacos, lonas, cabedais, etc. 1 1 
Utensílio de madeira com uma cova 
ao centro em que, posto na parte 
inferior do volume, cesto ou saco e 
junto à rodilha, o carregador finca o 
pau para mudar de posição (da 
cabeça para o ombro, ou vice-ver- 
sa): o muhamba se u aneme u tatela o 
— . I V. hata. 

Mbéndu, sub. (IX) Instrumento 
músico feito de folha, cana ou madei- 
ra furada a modo de flauta ou de cla- 
rinete I Pífaro I Instrumento popu- 
lar de feitio de flauta sem chaves | 
A própria flauta |( muxiki a — , toca- 
dor de flauta | Flautista ; gaiteiro. 
Pi. jimbéndu. 

Bêne, adj. Não outro j Mesmo | 
Próprio I Idêntico ; igual | Que não 
sofreu alteração i jadv. Exprime anu- 
ência, afirmação | Sim | Efectiva- 
mente I Mesmo | Precisamente | Até 
! Aí; aqui | Nsste ou nesse lugar | 
Nesse ponto | Onde | Agora | | —aba. 
Aqui mesmo | Neste mesmo lugar | 
Precisamente aqui | | —haná Ali mes- 
mo I Naquele mesmo lugar ; Mesmo 
acolá I I — obo, Até aí [ Nesse mes- 
mo lugar ! Precisamente aí | | — 
miiene, Exactamente; precisamente | 
Nem mais nem menos | Sim | Aí 
mesmo. (Mais us., mas menos cor- 
recto). V. buêne. 

Bengebénge, adv. Especialmente | 
Principalmente : — io \ A começar 
por ! Essencialmente Em primeiro 
lugar j i sub. O principal . 

Mbengela, sub. (IX) Pequeno saco 
de carvão contendo quantidade certa 
para vender : — ia makala ' | Parte 
que se destaca ou sobressai de outra 
principal | Apêndice [ Parte externa 
do órgão do ouvido 1 Orelha. V. p!. 
jimbengela I ! Auxiliar | Prosélito. I 
Aderente, fig. Homenzinho ; rapaz. 
V. kambengela |! adj. Mais pequeno; 
inferior | Menor (em tamanho ou 
Tolume). 

Bêngi, adj. Em outro lugar | Di- 
ferente: o xitu a i bike — | Em outra 
parte [ Em sítio diferente. V. buêngi. 

Béngu, sub. (IV) Rato: — u arímu- 
klrta bu utna ue. \ V. ribéngu. 

Mbéngu, sub. (IX) Utensílio para 
tirar terra ou lixo. ! A parte larga e 
chata do remo 1 Pá 1 Remo curto | 



Esguncbo I A parte mais carnuda da 
perna da rez. 

Mbengu, sub. (IX) Campina; vale: 
ixi ia — Grande vale: ku — . l i corog. 
Nome por que é conhecida a região 
compreendida entre Quifangondo e 
Cabíri, banhada pelo rio Zenza, a 40 
kil. de Luanda | O vale do Bengo. 

Mbenza, sub. (IX) Cadeira sem 
espaldar nem braços | Tamborete | 
Cadeira feita de bambu ou bordão. \ | 
— ni malanga, mit. Deuses que os 
indígenas consideram unidcs I Cas- 
tor e Pollux. 

Besá, sub. (IV) Cumprimento; saii- 
dação: — ngana \ V. ribesá. 

Bafa, sub. iIX) bot. PUnta hor- 
tense xenopodeácea Acelga | O 
fruto desta planta ' ; Beterraba | Sua 
raiz I j Planta medicinal, cujo cozi- 
mento das folhas em banho a vapor 
se emprega como sudorífico i Limó- 
nio I Acelga brava. 

Mbéía, sub. (IX) Cabelo liso: 
ndemba ia — | Cabelo corrido. 

B.fe, adj. Espancado Castigado! 
Batido. 

Betebeíe, adj.. Inconsistente; amo- 
lecido. V. Kubéla. 

Mbefekeíe, sub. (IX) Passagem 
estreita entre montes Desfiladeiro 
! Sopé; base: bu — ia mulundu. | O 
que serve de apoio, princípio, funda- 
mento I Parte inferior. 

Mbéu. corog. Pov. e posto do cone. 
do Zombo, distr. do Congo, prov. de 
Luanda, com 9.964 hab. 

Bèxi. sub. (IX) autiq. Cachimbo. 
V. pêxi. 

Bile, corog. Território e província 
com sede na cidade de «Silva Porto», 
cone, distr. e prov. do Bié, a 12^ 23' 
Lit. S. e 16^ 54Long. E. Gr. 1720 m. 
de alt. e 18.309 hab., direc. de Far.», 
dos Correios c Telégr., Trib. Jud.. 
Missão Evangélica e est. do Caminho 
de Ferro de Benguela. 

Mbiji, sub. (IX) Animal verte- 
brado de circulação dupla e sangue 
frio, respirando por meio de guelras 
e destinado à vida na água. j Peixe 
( ! Tudo que se pesca: ioso i afu mu 
muzuua, — | Qualquer peixe . | Ma- 
kua . vendedeira de peixe i Pei- 
xeira 'I adi. Que tem ou é dono do 
peixe. 



BIK 



-22 — 



MBÔ 



Bihibikí, sub. (IX) Termo compa- 
rativo de um corpo cadente: — tunho 
I Acto ou efeito do objecto que cai 
e consequente estrondo no solo. 

Mbila, sub. (IX) Sepultura ; tú- 
mulo; sepulcro; jazigo: u akola má- 
xima u akola — | | Cova; lugar onde 
se sepulta um cadáver : kakauda — ■ 
fig. O fim da vida: o kunhoka sue 
kizuua u aka kusanga mu — \ A 
morte. 

Biluleradj. Virado I Voltado ] In- 
vertido I Com o avesso para fora : 
kima ki a íi —. 

Mbima, sub. (IX) Varapau | Pau 
comprido e forte | Cajado; cacete | 
Pancada dada com varapau. 

Mbimba, sub. (IX) zool. Passa- 
rinho similhante ao pardal. 

Mbimbi, sub. (IX) Timbre, metal 
de voz I Fala [ Modo de se exprimir. | 
Linguagem || Tom; modo de falar: 
nga mu ivila ku — ia kuzuela \ Sonido 
I Som I ! corog. Pov. na margem es- 
querda do rio Cubango, a 20 kilm. a 
O. da Vila da Ponte, distr. e prov. 
do Bié ] I Pov. e sede do posto civil 
na circ. de Bailundo, distr. e prov. 
de Benguela, com 18.365 habitan- 
tes e Missão Católica de N. S. de 
Anunciação. | | Pov. e sede do pos- 
to deste nome, na circ. civil do 
Bembe, distr. do Congo, prov. de 
Luanda, com 16.054 hab. e Missão 
Protestante (Inglesa) | | Pov. de pes- 
cadores na ilha de Luanda ao N. da 
barra da Corimba, distr. e prov. de 
Luanda. 

Mbimbinu, sub. (IX) Grito, rugido 
de leão | Bramido Berro | Voz for- 
te de animal. 

Mbinda. sub. (IX) bot. Fruto de 
cabaceira | Cabaça (lagenaria vulga- 
ris). \ Vasilha feita deste fruto para 
conter líquidos: — ia ukulu i kita o 
ualua I Vaso, utensílio ou enfeite em 
forma de cabaça | Cabaceiro. V. pi. 
jimbínda | | Antigo nome da terra de 
Cabinda : a mu vualela mu' a — ; u ai 
ku'a~ I i Pov. na margem direita do 
rio Zaire, a N.E. das cataratas de 
lelala, distr. do Congo, prov. de 
Luanda. V. Kambinda. 

Mbínga. sub. (IX) Cada um dos 
apêndices duros na cabeça, de certos 
ruminantes | Comicho : — ia sexi \ 
Chifre para usos domésticos ou para 
artefactos | Cornícula | Trombeta 1 1 



A ponta aguçada da cornucópia | 
Cada uma das pontas do crescente da 
lua. I PI. jimbinga. 

Mbinji, sub. (IX) zool. Lobo pe- 
queno ( Lobato ] I Animal cerval, 
carnívoro | i adj. Rapace | Voraz. | 
fig. Destruidor. | PI. jimbinji. 

Mbínza, sub. (IX) port. Camisa. | 
Peça interior do vestuário. 

Mbirikifa, sub. (IX) Sarilho | Azá- 
fama I Trabalho; lida | Luta ' Na- 
tureza do que se apresenta difícil de 
obter, de vencer, de conseguir. | O 
que dá muito trabalho: bu abitt — \ 
p. ext. Dobadoura. 

Bixa, sub. (IX) Brinco \ Enfeite 
pendente das orelhas. V. p\. jibixa. 

Bixilal loc. adv. Despedida. Boa 
viagem! Adeus! Vá com Deus j 
V. Kubixila. 

Bo, conj. que denota oposição, res- 
trição, diferença | Porém: ngi bane, — 
I Mas; não obstante ; a-pesar-disso. 

Mbôa ou Mboua, sub. (IX) bot. 
Planta amarantácea anual, comes- 
tível I Brêdo I Amaranto: ki kata 
kasanga, — u butngita maic. E' m. 
us. no pi. jimbóa. 

Boba, adv. Aqui. | Neste lugar. | 
Cá: zá — I Neste ponto. | Tb. se 
diz baba. 

Bobo, adv. Nesse lugar. | Aí: tuia 
— I Junto de si. | Desse lado \ \ — 
muene, Aí mesmo; nesse mesmo lu- 
gar. 

Bojefa, sub. (IX) Manto preto 
com que âs mulheres se ccbiem da 
cabeça aos pés. | Capa senhoril de 
luto, I Sinal de distinção. | PI. ji- 
bofeta. 

Mbolo, adj. (IX) A que falta ura 
ou os dois ch;fres. | Mocho || Que 
não tem grãos ou sementes 1 Que 
não tem galhos ou ramos | Que não 
tem mastros | Mutilado || | sub. 
Planta ou animal mocho. 

Bokoio, sub. (IX) but. Planta de 
propriedades rx.edicinais em casos 
de diarreia 1| corog. Antiga pov. e 
posto da circ. civ. do Lobito, a 
97 Klm. a E. da vila da Catumbela, 
distr. e prov. de Benguela, com 
22.256 hab.. est. telegr. postal de 
3.* classe e amb. sanit. 

Mbole, sub. (IX) Floresta com 



MBÔ 

mato à mistura | Selva | Mato 

abundante de caça | Mato onde se 

vai caçar: u ai mu — |A própria 
caça. V. muxitu. 

Mbólo, sub. (IX) po.t. Bolo. | Pão 
V. muxa. 

Mbololo, sub. (IX) Bastão em 
que apoiamos a mão quan io anda- 
mos. I Bengala. | Cacete. || zool. 
Animal saunus espécie de crocodilo. 

Mbómbo, sub. (IX) O terceiro fi- 
lho do mesmo parto. | Gémeo nue 
nasce em terceiro lugar. | O tercei- 
ro gémeo. II bot. Pequena árvore 
de folhas caducas. 

Mbômbo, sub. (IX) Diz-se da 
mandioca enquanto está na água a 
amolecer.— Puba : — ia Kuanza. \ 
Mandioca amolecida e assada cora 
ou sem casca. | fig. Pessoa mole, 
sem acção. | Bonachão, j Pacóvio. | 
PI. jimbombo. 

Mborrbo, adj. (IX) Brando; Mole: 
ku / ria — , ka i lokola liáki. \ Não 
duro. I Que cede á pressão. |j sub. 
bet. Espéc e de hnste subterrânea, j 
Rizoma. | Raiz. | | — ku mbori, adj. 
e sub. Trapalhão. | Troca-tiritas. 
hipócrita | Pessoa que sustenta 
duas opiniões opostas, que diz e 
desdiz. I Trapaceiro; mentiroso. 

Mbombolo, sub. (í) bot Árvore 
da família das meliáceas {Melia du- 
biãi. I S.cómoro bastardo, v. Mu- 
mbombolo. 

Mbombofa, sub. (IX) Borralho. [ 
Pó. I Cinza. 

Mbombofela, adj. (IX) Que gosta 
de estar no borralho | Borralheiro. 
II sub. Pó de carvão j Cisco | Lim- 
paduras. | Lixo. 

Mbóndo, sub. (IX) bot. Robusta 
árvore t sterculiácea, mais conheci- 
da por «embondeiro, {adansonia di- 
gitata). Boababe | Planta têxtil de 
fruta alimentícia. | Calabaceira : 
ki u tekela mulemba—mu bixike tu- 
menha. \\ — ia inulende. Género de 
plantas dicotiledóneas fam. das 
esterculiáceas {stercuUa pubescens), 
de madeira própria para constiu- 
ções. I Estercúlia. | PI. jimbondo II 
corog. Pov. de Carabondo, circ. 
civ. de Cazengo, a 15 Klm. de Ca- 
nhoca, distr. e prov. de Luanda, 
com est. de C. de F. e postal sob a 
autoridade do respectivo chefe do 
posto. 



25 — 



BON 



Mbónga, sub. (IV) Rapnz | Mo- 
ço V. kambonga, 

Mbónge, sub. (IX) Construção 
fortificada para defesa de c dades, 
vilas, etc.\Fozta\ezn: -ia fundanga] 
Obra de fortificação defendida por 
artilharia | Forte. || Aterro (à mar- 
gem dos rio?) para impedir a inun- 
dação das águas. | Mota j Mura- 
lha 1 Marachão: dique | Cômoro. || 
Baluarte | Castelo | Recinto forti- 
ficado. I I Depósito de pólvora e ou- 
tros explosivos. I Paiol. | PI. jini- 
bónge. 

Songe, adj. Apanhado: hima ki a u 
— ! colhido Levantado do chão. | 
V. kubónga. 

Bongo. sub. (IX) Assembleia ou 
lugar onde os feiticeiros se reiinem 
para assar e comer os cadáveres que 
desenterram. ! Pandemónio Reunião 
de indivíduos que se associam para 
praticar o mal. | Capital dos infernos. 

Mbongo, sub. (IX) Cada uma das 
partes que formam as hastes das 
plantas gramíneas : — ia riteteU j Ca- 
da uma das partes da cana de açúcar: 
— ia rnuênge \ Espaço entre os nós 
de um caule : — ia rianga Parte 
de um órgão distinta de outra se 
bem que seja a continuação desta | 
Segmento: — ia kinama Peça de di- 
nheiro cunhada Moeda Dinheiro j 
Valor representativo de qualquer 
quantia, adj. Soante Que sôa | 
Que tem som. V. pi. jimbongo. 

Bongolole, adj. (IX) Recolhido | 
Aboletado Arrecadado Diz-se da 
pessoa recolhida por favor; que está 
a expensas de outrem. 

Mbonja, sub. (IX) Jorro de água 
que sai com força de um repuxo 
Esguicho: — ia mênlia Yo\\ime de 
água atirado pela cauda do jacaré. ; 
Espadana 1 S a í d a impetuosa de 
qualquer líquido | Jacto Espadana- 
da , Líquido que jorra como espada- 
na O que sai ou se lança de uma 
vez 1 j Cauda (de cometa). V. mukila. 

Mbonzo, sub. (IX) bot. Planta 
convolvulácea, mais conhecida por 
«batata doce» , Cará. ; PL jiinbonzo. 

Bonzo, adj. (IX ■ Frio; sensibili- 
sado; triste : u axala — j Falto de 
ternura, de alegria , Que aborrece; 
que enfada ou aflige: maka m'angi 
— I Severo; duro Agitado; pertur- 
bado I Trabalhoso; difícil : izuua ia — 



MBÒ 



-24- 



BUÂ 



I [ sub. Saudade; paixão; tristeza : o 
— ia /^r/síu Arrefecimento de ânimo] 
Dificuldade; tristeza; agitação; pena. 

Mbôri, sub, (IX) Pancada com a 
cabeça do dedo médio (curvado e 
estendendo o de-repente). \ Piparote. 
I PI. jiinbori. 

Mbôrio, sub. (IX) zool. Pássa- 
ro conirostro frinjilida. | Pardal. | 
PI. jimborio. 

Mboriongo, sub. (IX) zool. Ma- 
mífero carnívoro género «canis», | 
Chacal !Cão selvagem. V. ribekll. 

Mbôsa. sub. (IX) put. Bosta: — 
ia ngombe. I V. ritóbe. 

Boso. adv. No lugar em que \ 
Onde:— 6í/ u mu muena. mu kuate | 

No qual lugar j ! Hm qualquer 

parte ou lugar \ Onde quer que | 
Algures | Indistintamente, sem de- 
signação de lugar. Tb. se diz buoso. 

Bos'oso, abrev. de boSG-boso. 

Mbofá, sub. (IX port. Botão. | 
V. mboto PI. jimbotá. 

Mbofe, sub. (IX) Ausência de 
doença ou de mal-estar j Saúde: 
ngala — ' Estado sanitário: o — ia 
mulcutu i auaba \ Salvação; sanida- 
de. 1| Bemestar. I O que é bim. lí- 
cito, recomendável. Bem: kubatl' 
ga O -ki knvíz'ê. \ Bem que genero- 
samente se faz a alguém. | Benefí- 
cio: — ia'nhi i ngi katula-ku? \ Con- 
veniência; utilidade; vantagem; in- 
teresse; proveitn; ku a ku kala-iê \ 
Ganho; lucro, i '. Homem bom; ho- 
mem de bem: mutu ua - . \ fig. Mer- 
cê; favor; bon lade: — ia muxima. \ i 
adj. B )m (para a saú 1«)- milongo'eÍ 
i banga — | Saiuiável | Que goza de 
boa saúde ' Sdlutar: kiina kia — \ \ 
Bondoso I Qiie é como deve ser, 
ou que convém que seja | Agradá- 
vel à vista ou ao ouvido. | Bonito; 
digno de menção. | adv. Como é 
devido, como é conveniente ( Bem: 
kuzuela kia — ; kukala kia — | De m' - 
do agradável | JVIuito bem; admira- 
velmente; plenamente; belamente. 

Mbofeka, adj, e sub, (IX) Que 
tem muitos f lhos. ' Que tem prole 
numerosa | Prolífico; fecundo.] j Ku- 
vuaía — , V. intr. Ter muitos filhos | 
Proliferar ; Ter prole (em abun- 
dância) , 

Mboío, sub. (IX) bot. Árvore ti- 
po /am. das ebináceas (enclea lan- 
ceolata) de fruto comestível ] Éba- 



no I Sua madeira j [ Pequenino tu- 
mor na pele [ Botão: mukua~ku ri- 
tama \ Mamilo | Flor antes de desa- 
brochar. 

Bofobofo, adj. (IX) Diz-se da 
cousa que se desfaz por estar mole 
ou podre, como papas | Que cai ou 
se desmorona por falta de consis- 
tência. I Empapado | Ensopado 
Reduzido a papas. V. kubotomoka. 

Bófófó, adj. (IX) Copioso; ;.bun- 
dante | Que existe em demasia, 
a granel [ Trasbordante ; fervente. 
1 I adv. Em quantidade: sukirí — . 

Bóxi, âdv. (contr. da prep. bu e 
do sub. ixi) No lugar baixo j Na 
parte inferior ! No chão: xikama — \ 
A pé kuendeía — | Em bnxc; abai- 
xo; por baixo:— ria ribitu Em si- 
tuação inferior, de desernpregalo : 
U ala — . i I sub. Cbâo; terra: — ni 
buiu . 

Bu, prep. que indica relação de 
lugar, em; no lugar de; no; na:~ 
itànda; —tabu; —funda. \ \ ;kív. Na- 
quele lugar j Lá: ngiia — ; ndê-kan- 
ga. I I JNo qual lugar; no lugar em 
que 1 Aí I Onde : — u ate, eme uami 
ngi ta — I Em qualquer parte qu". 
(prep. bu e ebsão do art. uniforme p) 
A": t» kimbi a ki ambatela — maku ; 

imbâmba i ejila — mutue ua jin- 
gamba. 

Bua, adj. e pron. pi. (contr, da 
prep. bu e o pron. poss. ia) Delas; 
deles j Com eles 1 Da pessoa deles! 
Pertencente à sua pessoa (dele?) | [ 
adv. Nelas; neles I No seu lugar, j 
Na terra deles: ndê-ngânji ; ng'a- 
tundu — kuaku; o jingangula faturila 
— Nexi.\ I -ene Deles mesmo No seu 
verdadeiro lugar. ] Com certeza. 

Mbua, sub. (IX) zool. Cão ; Cade- 
la I fig. Homem sem importância; 
miserável. V. imbua \ Mon'a—, ca- 
chorrinho ; cão pequeno. | Mbulu'a 
— . cão selvagem 1 Chacal. | V. ri- 
beku. 

Buakamukua, adj. Diferente | 
Outro, mais um (lugar) \ Seguinte. 

1 ] adv. Em outro lugar I Não aqui| 
Em sítio diferente ] Precedente- 
mente. 

Buâma, adv. Em alguma parte | 
Algures: uái — \ Em qualquer parte 
desconhecida; em algum lugar j] 
sub. Parte ] Lugar ] Recinto 1 Sítio 
I Chão; terreno; local. 



bUa 



-è5 



6136 



Buâmi, adj. e pron. (contr. da 
prep bua e do pron. pess. eme) De 
inim ; Meu ! Pertencente à minha 
pessoa '! Do meu: eie u âri o — ' 
Em mim ; comigo : ki nu éza o — nu 
sanguluka De mim ; de minha par- 
te : — bu afu kitatu. \ Do meu lugar. 

Buamoxi, âdv. A pouca distância 1 
Perto ' Juntamente Próximo | Ao 
pé de II adj. Pegado \ Junto | Vizi- 
nho ; situado ao lado Que não 
está distante : 6é/7e — . 

Buamukua, a-lj, e pron. (contr 
da prep. bua e du adj. mukua). No 
lugar de ; no mesmo sítio que : 
U âi — adv. Aonde ( No lugar 
onde. V. Mu^uá. 

Mbuanana, sub. (IX) zoo). In- 
secto dípterò que vive no corpo do 
homem e de alguns animais ' Pulgo; 
pulga. ! PI. jimbuanana. 

Mbuanga, sub. (IX) ictiol. Peixe 
miúdo teleósteo silurida | Bígre 
pequeno, abundante no rio Cu inzi 
I \ Engano ' Equívoco ; erro | Arti- 
fício para iludir. adj.Filso; simu- 
lado; fingido. 

Mbuangungu, sub (IX) b )t. Plin- 
ta herbácea da fam, das cucurb- 
táceas, que mejra e se estende 
sobre as águas das lagoas: — . mu- 
konda ria kulenga o ituxi, onzo uai 
funga ku tandu a menha \ corog. 
Lagoa próxima da pov. de Calumbo. 

Mbuánza, adj. (IX) Hib tual 
Comum Ordinário: makanha ma — 
j Vulgar i Frequente \ Grosseiro \ 
Reles ; mal-educado \ sub. Con- 
fiança , familiaridade : o — / en'ei 
i ang'ibiVami \ Atrevimento; inso- 
lência i O de toJos os dias ; o ordi- 
nário. 

Mbuáía, sub. (IX) Garrafa cheia 
de Vinho ou outro líquido: — ia 
maluvu ! Botelha. PI. jimbuáfa. 

Bu'a}íaxi, adv. Pelo meio de { 
Entre duas metades prep. que 
indica s tuação ou espaço por meio 
ou dentro de ; Entre. V. Kákâxi. 

Mbuaze, sub, (IX) bot. Planta 
arbustiva, da família das poligáleas 
(securidaca longipedunculata), cuja 
raiz é espectorante Leitanga j Po- 
ligala I Erva leiteira j Planta eu- 
forb.ácea de efeitos corrosivos, j 
Maleiteira. 



Bubulu. sub. (TV) Mosca grande. 
V. Ri bubulu. 

Buê, adj. e pron (contr. da prep. 
bua e do pron. pes='. eie) De ti Teu 

Contigo Para a tua cu perten- 
cente à tua pessoa Do teu: ng'áka- 
tula bu — adv. A' parte Em sepa- 
rado: kala muiu ni — No seu lugar 
interrog. Onde ? ' Em que lugar: 
u angi miiene — ? Quando ? 

Buêbi, adv. interr. Em que sítio? 
Aonde ? Em que lugar : bu bata 
riê — ? O mesmo ou melhor do que 
bêbí. 

Buela, corog. Pov. e posto da 
circ. civ. de S. Salvador, distr. do 
Congo, prov. de Luanda, com 6.557 
hab. 

Mbuelekese, sub (IX) Pedra ge- 
ralmente redonda e lisa, de pequeno 
tamanho, que abunda nas praias, 
leito dos nos e nas faldas dos mon- 
tes. ' Seixo. Burgau. V. pi. ji- 
mbuelekese. 

iMbuélu, adj. V. honga. 

Mbuémbue, adj. (IX) Que borbu- 
lha Que está ei murmuração ou 
dado a ela B:)rbulharite Murmu- 
rador: — ia maka Que produz mur- 
múrio I Maldizente sub. Som mal 
distinto Murmúrio Ruído das 
águ is correntes Sussurro B jr- 
borinho Kuzuela — , v. intr. Mui- 
murar. 

Mbuende, adj. (IX) Recente 
Novo ; tenro. Cortado ou colhido 
há pouco Pouro desenvolvido 
sub. Diz-3e da batata ou mandioca 
miúda, pouco desenvolvida. Tam- 
boeira. 

Buêne, adj que indica af:imação. 
Sim. Precisamente ai Com exac- 
tidão. (.Melhor do que bêne). 

Mbuénga, sub. (IX) Saco em que 
os trabalhadores e os soldados le- 
vam as suas provisões liornal 
Algibeira , Bolso PI. jimbuénga 
corog, Pov. e posto da circ. civ. do 
Pombo, distr. do Congo, prov. de 
Luanda, com 10.927 hab. 

Buêngi, adj. Em outro lugar; em 
outra parte : o poko baka-iu — Ena 
sítio diferente. 

Buenu, adj. e pron. (contr. da 
prep. ií/a e do pron. pess. pi. enu\ 
Vosso I Pertencente às vossas pes- 



kBt) 



% - 



MbU 



Soas j De vós : axamiina o — \\ sub. 
O vosso ' O que é vosso | | adv. Em 
vosso lugaj : eme ng'ala bu — \ A' 
parte. | ] — enu. \ No vosso próprio 
lugar. ! De vós mesmos. 

Mbuefefe, sub. (IX) Instrumento 
músico, forma de kisanji com palhe- 
tas de aparas de bordão | A dança 
ou música tocada neste instru- 
mento: kiikina ~. 

Buefu, adj. e pron. (contr. da 
prep. bua e do pron. pess. pi. etu) 
Nosso ) De nós jConnosco | Perten- 
cente às nossas pessoas: èza bu — | | 
adv. Em nosso lugar || — etu, No 
nosso próprio lugar [ Propriamente 
nosso. 

Buí! inteij. para significar uma 
coisa excessivamente preta, ou o 
tempo demasiadamente escuro : bu 
kanga bu êri — \ \ a>ij. Preto; escuro; 
negro sub. Ausência de tôJas as 
cores. 

Mbui. sub. (IX) Bola (de íunji). 
V. imbui \ I corog. Região que cons- 
titui a área da circ. civ, do Àm- 
boim, distr. do Cuanza-Sul, prov. 
de Benguela : ng'atundu ku — . 

Mbuíji, sub. (IX) zool. Mamífero 
roedoí Paca ! | — ia kisaka, porco 
espinho. V. kisaka. \ PI. jimbuiji. 

Buinhi, sub. (IV) Falta de um 
dente da boca. V. ribuinhi. 

Mbuiva, corog Pov. e sede do 
posto de Amboiva, circ. civ. do 
Seles, distr. do Cuanza-Sul. prov. 
de Benguela, a 1.360 m. alt. e 
IO. 816 híib. 

Buixixi, adv. Muito escuro; muito 
preto: ueri — \ | adj. N gro | Que é 
muito preto : polo i a mu êri — | 
Escuríssimo. 

Bu-kaxaxi, adv. No meio I I prep. 
Entre. V. kaxâxi. 

Buhe, adv. Abanado : bu jiku bu 
a u — kià. 

Mbúke, sub. (IX) Humidade fria 
da noite Sereno | Orvalho; cacim- 
bo: kuma ku ala —.Nevoeiro denso 1 
Caligem ; Neblina; geada; relento| | 
adj. Impregnado de humidade 
Húmido i Oivalhoso. 

Bukusu, sub. (IX) bot. Certa qua- 
lidade de feijão de casca grossa, 
abundante na região de Carabambe 



fig. 



Feijão ordinário. V. kimbulu 
Homem rude. 

Mbulámbia, sub. (IX) bot. Planta 
medicinal fam. das hipericíneas 
(psorospermum febrifugum) empre- 
gada em cozimento para lavagens 
nas erupções da pele. V. Mutone. 

MbuTa-Tumba, corog. Pov. e pos- 
to da circ. civ. dos Dembos, distr. 
e prov. de Luanda, com 8.666 hab , 
est. telegr. postal de 3.* cl. e posto 
sanitário. 

Bule, adj. Quebrado | Partido. 
V. kubula. 

BúIu, adv. Em cima \ No alto | 
Na parte superior — ria'nzo.\ Abrev. 
àe bú riúlu \ V. Tandu. 

Mbíilu, sub. (IX) Bôlhçi. I Pequena 
empola ou botãozinhj nà'pele j Bor- 
bulha I P\. jimbulu. 

Mbulu, sub. (IX) zool. Carní- 
voro da género «janis", de pêlo 
cinzento e bate com o assento no 
chão I Chacal. \\ - 'a mbua, cão sel- 
vagem I I adv. ISIo último momento 
I No final I Á última hora, à pres- 
sa : ima toso u i bangela ku — í Do 
pé para a mão | De-repente ; subi- 
tamente II adj. Improvisado; re- 
pentino; súbito I Feito à-pressa : 
ku — I fig. Fome. 

Bulubulu, adv. Quási; por um 
trís: ng'xile-ria kufua. \ Muito pró- 
ximo de I Quási que; não longe de| 
Até I Abundantemente; a jorro: 
masôxi — I I sub. Jorramento | O que 
verte em abundância. 

Mbulungu, sub. (IX) Bebida feita 
de vegetais eméticos e venenosos 
que os selvagens bebem como prova 
de supersticiosa inocência sobre a 
açus; ção de feiticeiros que lhes é 
feit?. I Juramento: kunua ~ | V. pi. 
jimbulungu. 

Mbulusuba, sub. (IX) Membrana 
serosa que envolve o feto e é en- 
volvida no córion | Amnios. | O li- 
quido que esta menbrana contém. 

Bulufu. adj. (IX) port. Bruto. 
V. kiximba. \ \ corog. Pov. e actual 
sede do posto de «Bom Jesus», mar- 
gem direita do Cuanza, circ. civ. 
de Icolo e Bengo (Catete), distr. e 
prov. de Luanda, com i8i6 hab { | 
hist. E' este lugar assim conhecido, 
mulundu ua — em razão do cap. 
António Bruto se haver, no morro 



AIBU 



27 - 



MBIJ 



sobranceiro ao rio, defendido dos 
ataques das hostes do soba Ngolo- 
me : bu — , 

Mbuluíuíu, sub. (IX) bat. Planta 
taninosa, fam. das violarias {coclos- 
permum angolense) cuja raiz, posta 
em infusão, se emprega no combate 
da bilis, icterícia, etc. j j Árvore de 
grande porte, fara. das bixíneas 
[maximilianea angolensis) poderoso 
reméJio contra a bílis | [ Planta 
tiliácea. 

Mbúmba, sub. (IX) Desenho inde- 
lével feito na pele humana Tatua- 
gem. V, pi jimbiimba. \ \ Coloquin- 
tida, ou abóbora bastarda \ Abobo- 
reira I ! — ia iala, planta herbácea, 
fam. das convolvuláceas {ipomaea 
deracea), de fruto comestível. ! | 
— ia xole, planta herbácea, fam. das 
cucurbitáceas (frocliomeria vitifolia) 
de raiz alimentí jia e medicinal con- 
tra as anginas membranosas. 

Mbúmbi, sub. (IX) Tumor for- 
mado pela deslocação de uma vís- 
cera, ou acumulação de serosidade 
no escroto | Hidrócele ! Hérnia | 
Escrotócele ! Quebradura corog. 
Afluente da margem direita do no 
Longa, a E. do lago Ngandu, na 
Quissama, distr, e prov. de Luanda. 

Mbumbi, sub. (IX) Bola : — ia 
mutotO. I Estado ou forma de redon- 
do I Porção de qualquer substância 
feita em bola : — ia nianhinga San- 
gue coalhado | Posta. ; Kotundi- 
dade I j Massa de farinha cosida 
ou frita I Bolo: —ia funji. j Bola 
de farinha amassada. ; PI. jimbumbi. 

Mbúmbu, sub. (IX) anat. O con- 
junto das partes genitais da mulher 
e de alguns animais | Vulva. \ co- 
rog. Território no cone. da B.bala, 
distr. de Mossâmedes, prov. da Huí- 
la, limitado ao N. com as faldas da 
Serra da Cheia, próximo de Capan- 
gombe. 

Mbumbulu, sub. (IX) bot. Planta 
de propriedades medicinais (na Ca- 
tumbela). 

Mbumbulukufu, adj. (IIT) Esfe- 
ral I Esférico | Circular ; redondo | 
Arredondado, cheio, gordo | Re- 
chonchudo. 

Búmoxi, adj. Junto; perto; pró- 
ximo. V. buámoxi. 



Mbúna, sub. (IX) bot. Fruto co- 
mestível de mulengii, fam, das eu- 
forbiáceas. 

Mbunda, sub. (IX) Orifício do 
recto i Anus Nádegas Traseiro; 
cú : ku — I I Rectaguarda Rabo 
Pódice ; assento; ínnáo .— ia' mbia 
' Extremidade inferior ou posterior 
de vários objectos ' Popa : ku — ia 
ulungn Couce ; últimas fileiras , 
Extremo, fig. Subúrbios; fim: ku — 
ia Luanda. 

Bunde, adj. Saquado : ima ioso i 
a u — \ Batido ; Penhorado. 

Mbundu, sub. (IX) Choro; lágri- 
mas. : Pranto : — ia kurila Fenó- 
meno nervoso caracterizado por 
contracções faciais, traquiais e la- 
ríngeas e pelo derramento de lágri- 
mas. ! Lamento ; lamúria. Acto 
de chorar : kuta — ' Lamentação 
ruidosa ■ Choradeira \ Canto tris- 
te. ; ictiol. Peixe acantropterígio, 
mais pequeno que a tainha Li- 
mento j Espécie de mugem. 

Mbúndu, sub. (IX) Cada uma das 
sementes de várias gramíneas, ou 
dos frutos que formam o cacho 
Grão: — ia risa Bago : — ia nguba 
i Pevide Semente Palito ; piu 
cie fósforo : — ia folójolo. Pauzinho 
I [Objecto único Unida le: — imoxi 

número um Chuva miu 1a : 
mvnla i a ngi nokena — ia ngi suxina 
\ Gotas de humidade que se depo- 
sitam durante a noite na supsifície 
da terra Chovisco: kumakukala — 

1 Orvalho ' Saraiva. 

Bungama, sub. (IX) bot. Arbus- 
to de caules subterrâneos, fls sim- 
ples, flores hermafroditas e frutos 
esferoides, de propriedades medi- 
cinais (antélmico). 

Mbungu, sub. (IX) Tubo; canudo ! 
Cilindro ôco : — ia ritetele Poita- 
• voz. ' Buzina | Som de trombeta : 
kuxika — ' Apito de vapor Tuba 
bot. Planta gramínea exótica fam. 
das bambusáceas, cuja haste é uma 
cana alta e grossa. , Bambu. An- 
tigo bairro da cidade de Luanda 

Mbúngu, corog. Pov. e posto da 
circ. civ. da Dambi, distr. do Con- 
go, prov. de Luanda, com 11.604 
hab. e est. telégr. -postal de 3.* 
classe. 

Mbungula, sub. (IX) mit. Divin- 
dade; anjo mau que procura a per* 



MBÍi 



- tô- 



nDâ 



dição da Hutnanidade| Espírito das 
trevas \ \ — hita. um dos génios que 
preside a tt rra ou os seus tesouros 
I Génio que habita o ar | Silfo | 
Gnomo ' j — Kalunga. o génio da 
Morte [ Mifairico | Demónio | Sata- 
naz I I Cada um dos anjos maus que 
estão às ordens de Sntanaz | Prín- 
cipe dos Infernos 1 fig. Pessoa tra- 
v^essa, feia e antipática [ Homem de 
maus instintos. 

Mbunhá, s.ib. (IX) port. Bjião. 

Mbúnha, sub. (IX) Carmona | 
Gonzo V. p\. Ji mbúnha. 

Bunhanga, adj. (IX) Que tem 
falta de alguns dentes | Desdenta- 
do I Privado de dentes (parcial- 
mente). V. kamabuinlii. 

Bunjiks, adj. Dobrado | Embru- 
lhado: kima Jci a u — lei auâba. 

Mbunza, sub. ilX) bot. Planta 
eufoibiácea (alchomea cordata), utili- 
zada como tintorial. V. mutala-me- 
nha. 

Mbúnze. sub. (IX) bot. Planta 
p ipilionáceu j Amima | A côr de 
anil j I Plant.t med cmal cujas fo- 
lhas e raízes se empregam na cura 
de febres intermitentes | j Planta 
anual fam. das malváceas, utili- 
zada em lavagens em casos de con- 
juntivites ] | adj De . ml | Anilido 
I Que teiu a côr de anil. V. pi. 
jitnbunzt 

Buoso-buoso, adv. A esmo | Em 
qualquer parte ou lugar. V. hoao. 

Mbúri, suh. (JX) zool. Mamífero 
ruminante j Carneuo | Ovelha | | 



Quadrúpede antílope | Ahú | | Mon^a 
— , cordeiro; carneiro novo ) Anho; 
o velhinha. V. pi. jimbúri. 

Bufa, adj. Que tem menos altura 
que a ordinária | Baixo. V, /<-«6úía| | 

— luhongo, desenf estado. V. luhongo 

Mbuf'a'xi, sub. (IX) Neto ou neta 
de escravos | Filho de crioulos. 

Bufe, adj. Rapado | Cortado ren- 
te a raiz. V. ribnte. 

Mbufesa, sub. (IX) Pequena cai- 
xa para rapé | Boceta. 

Mbufu, sub. (IX) Semente de 
alguns frutos | Pevide. E' m. us. 
no p!. jimbutu. \ Parte da planta ou 
flor própria para a reprodução | 
Semente: — ia manhangua \ Grão que 
se semeia | Germe; o que com o 
tempo há de produzir resultados | | 
Funções pelas quais um ser orga- 
nizado produz outto da. sua espécie 
j Geração : — ia Ngola j Procriação 
i Descendência | Tempo médio da 
duração da vida humana | j Raça : 

— ia dbika \ Gente | Nação [ ] Pro- 
dução : — ia kateta \ Filiação || Va- 
riedade de uma espécie (animal ou 
vegetal) distinta por caracteres se- 
cundários ] Casta : o ii — iêmii j Gé- 
nero, natureza, qu^lidade | Kuban- 
ga — , procriar. | | Semente lançada 
à terra: knta — boxi \ Sementeira. 1 1 
V. pi. jimbutu. 

Mbuxila, sub. (IX) Filho ou filha 
de escravos. | Crioulo. 

Búfua, sub. (IX) bot. Planta a 
cuja raiz se atribuem propriedades 
tónicas e diuréticas. 

Buze, adj. Depenado. 



13 



D. — Terceira letra do alfabeto 
Kirabundu, com o mesmo valor que 
tem em português e com antepo- 
sição, porém, do /z como nasalante. 

Nda, prep. que exprime várias 
relações. | Para : ngi htkelt menha — 
ngi nut \ A-fira-de; para que: ivua — 
71 kijiie \[ conj. copul. Mais; e: 
kuata o mbamba — uende I Também 



I I adj. (IX) Mulher nobre ] Dona : 
— Maria ; — Ngalaxi, 

Ndâi, sub. (IX) Fruto do mundai. 

Ndaiêl interj. Adeus! Boa via- 
gem ! Vá com Deus. i ] adv. Vá-se 
embora. | Fuja. V. ndê. 

Ndaka, sub. (IX) Torpeza |Impu- 
dicícia I Injúria ' Palavra obscena] 



NDA 



— 29 — 



NDÂ 



Descompostura | Acto ou dito im- 
pudico !' Kuba7ia — , v. tr. Dizer 
obscenidades | Descompor | V, pi. 
jindaka, 

Ndakale, sub. (IX) bot. Gramí- 
nea alimentar para gado cerdoso : 
— k'afu'ê ku luaiiha mon'a mutu k'afu ê 
ku ibúbii 

Ndâla, sub. (ÍX) ictiol. Cetáceo 
carnívoro delfinida (o maior inimigo 
da baleia). í Espadarte ! | Peixe es» 
quatinorajida \ Peixe serra ' ' zool. 
Cobra de mordedura mui venenosa 
llcorog. Pov. e sede do posto do 
mesmo nome, a 1.300 m. de alt., 
circ. civ. de Saurimo, distr. da 
Lunda, prov. de Malanje, com 
15.661 hab. ': \ — Tandu, antiga pov. 
e actual sede da «Vila Salazar», a 
730 m. de alt., 90 18' 07" lat. S. e 
14° 55' 24" long. E., cone. de 
Cazengo, Intendência do Cuanza- 
•Norte, prov. de Luanda, com julg. 
instr., Repart. de Faz., est. telegr.- 
■postal e do C. de F., 12.» C. I. I. 
Deleg. de Saúde e hospital, escola 
n.^» 20 de «Trindade Coelhc». freg. 
de S. João Baptista. \ — Kaxibu, 
pov. e sede do posto do mesmo 
nome, ciic. civ. do Libolo, distr. 
do Cuanza-Sul, prcv. de Benguela, 
com 7.026 hab. — Kismca, pov. no 
território e a N. da serra de Tala- 
-Mungongô, distr. da Lunda prov. 
de Malanje I; — Luiji. V. Baba j 
— Xgola, pov. do conr. e cirr. civ. 
de Icolo e Bengo (Catete), distr, e 
prov. de Luanda í \ — Nrjole, bot. 
(LX) Fruto de tamareira , Tâmara. 
i V. Mundalanyole, 

Ndâlu, (IX) sub. Vestimenta inte- 
rior tecida de fibra de embondeiro | 
Cota ] Saia curta feita desta fibra. 

Ndamba, sub. (IX) Substância 
oleosa feita de azeite de palma 
ou de ginguba queimado com man- 
gerico, casca de tangerina e tacula 
em pó. j Pomada perfumada para 
usos domésticos. 

Ndámba, sub. (IX) lustrumento 
músico feito de haste de palmeira, 
òco e frisado transversalmente, em 
que se esfrega cadenciadamente o 
nzelele. (Tb. se chama vikanza). \ ; 
Execução de operações manuais ' 
Manipulação corog. Pov. e sede 
da circ. civ. do mesmo nome, a 
1160 m. de alt., 6" e 43' de lat. e 
15.0 e 22' de long. E., distr. do 



Congo, prov. de Luanda, est. telegr.- 
-postal, Deleg. de Saúde e 38.884 
hab. 

Ndainbalala, corog. Antiga re- 
gião e posto da circ. civ. da Damba, 
cõm 21.604 hab. 

Ndambeleke, sub. (IX) Subter- 
fúgio I Disfarce O que serve para 
disfarçar, fig. Máscara. 

Ndâmbu, sub. (IX) Necrópole. | 
Lugar onde se enterravam os sobas 
e os maiores da terra Subterrâ- 
neo sepulcral. 1 Carneiro Cripta 
1 ! coiog. Pequeno afluente do rio 
Cubango, a 15 k'm. ao S. da Vila 
do Ponte (Ganguela."-), distr. e prov. 
do Bié. 

Ndambula, sub. (IX) Pano, em 
geral de algodão, que serve para 
vestir e cobrir-se durante a noite | 
Coberta | Lençol. 

Ndanda, sub. (IX) bot. Planta 
gramínea que nasce entre o trigo 
{cyporus rotundus). Cizânea Capim 
nocivo às plantas úteis Joio. V. 
risenii \ A raiz desta planta. 

Ndându, adj. e sub. (IX) Indiví- 
duo que, em relação a outro ou 
outros, pertence à mesma família | 
Parente Pessoa que tem pareu- 
tasco com outra ' Abraço : ngi bt — . 
V. kandandu. 

Ndangálu, sub. ^IX) O rosto de 
um barco [ Proa : — ia ulanju \ A 
parte dianteira da embarcação no 
terço do seu comprimento Dian- 
teira I Frente i Parte anterior. 

Ndângu, sub. (IX) ictiol. Peixe 
teleosteo silurida (do mar). Ba- 
gre. PI. jindangu. 

Ndanhá, adj. Indiferente; inacti- 
vo I Neutro ; Neutral ; simples ; 
alheio | De modo indiferente ; que 
não se decide para nenhuma das 
partes | Que é estranho a tudo : 
u aXa mua — sub. Zona neutra 
Terra de ninguém ; nenhuma pes- 
soa. 

Ndánji, sub. (IX) Parte inferior 
das plantas que entra na terra e 
pela qual os vegetais se fixam no 
solo ! Raiz : i kuata o viulemba — , 
Rizoma \ Base \\ Penedo | Rocha : 
litari ria — . i Filão; mina ' | Varinha 
com que se bate o tambor j Baque- 
ta. 1 1 Peça oscilante que faz soar o 



NDA 



— 30 — 



NDÍ 



Mno, a campainha, étc. | Badalo | 
Pêndulo I Pequeno pau embolado 
de borracha com que se toca a ma- 
rimba — ia marimba. \ PI. jinãánji. 

Ndânji, sub. (IX) Espaço ocupado 
por uma corrente de água ] Cór- 
rego. Leito de rio. | Rio seco: — 
ia íoza Rua larga e arenosa I j corog. 
Rio que banha a região do Dande, 
distr. e prov. de Luanda ; nasce na 
serra de Kdnganza, nos Dembos e 
vem lançar-se no mar na barra do 
Dandc (baía). Pov. e sede do 
posto da circ. civ, dos Dembos, 
distr. de Luanda, com 8. 070 hab. e 
est. postal de 3.» classe \ i —a Menha. 
Pov. e sede do posto deste nome, 
ciic. civ. de Cambambe, Intendên- 
cia do Cuanza-Norte, distr. e prov. 
de Luanda, com 4 577 hab. 

Ndajii, adj. (IX) Sujeito a litígio, 
a dúvidas ContencioFO | Dado a 
demandas. Hereje sub. e adj. 
Rival Contendor j Adveriário \ 
Contendente. | PI. jindaxi. 

Ndê] interj. Vá! Caminha! Mar- 
cha ! — maie, adv. Vá sem receio | 
Afoitamente. 

Ndéba, adj. e sub. (IX) Que come 
ou vive à custa alheia I Homem 
inútil i Parasita bot. Diz-se das 
plantas que nascem e se desenvol- 
vem sobre outras j Trepadeira | 
zool. Diz-se do animal que interior 
(riuindu) ou exteriormente {ina) 
vive à custa da substância de outro. 

Ndéle, sub. (IX) Pássaro branco, 
da fam. das pernaltas, que acom- 
panha o gado bovino Ave palmí- 
pede de arribação i Garça j Ave 
branca, aquática. V. nhânge. 

Ndele, sub. (IX) Larva I Espírito 
I Alma do outro mundo [ Cousa 
diáfana que passa rapidamente | | 
Espírito vingador : uêza— Espírito 
de sacrificado Fantasma | Espíri- 
to perturbado por delitos dantes 
cometidos , — ia rinhanga ria kituoti, 
Espírito de sacrificador de vítimas, 
ou de criminoso que se supõe va- 
guear pela terra para atormentar, 
perseguir ou imolar os seus próprios 
descendentes. ' Alma penada No- 
me de uma divindade Nume tute- 
lar. PI. jindde. 

Ndêmba. s b. (IX) Cada um dos 
fios do cabalo do corpo humano | 



Cabelo í Pêlo I Fio de cabelo. V. 
pi. jindemba 

Ndémba, corog. Região nas terras 
da Quissama, produtora do sal 
mineral, ou sal gema I ' — 'a xiiu, 
Pov. e sede do posto civil do mesmo 
nome, da circ. da Quissama, mar- 
gem esquerda do rio Cuanza, distr. 
e prov. de Luanda com 2.531 hab. 

Ndêmbu, sub. (IX) Medicamento 
externo que tem por base uma subs- 
tância gorda I Ungiiento j Drogas 
aromáticas e essências com que se 
untam ou embalsamam os corpos | 
Remédio caseiro Remédio mani- 
pulado com óleo e íô!has na ocasião 
de ser aplicado I Fricção | Remé- 
dio com que se fiicciona 11 pop. 
Mezinha \ Clister. 

Ndémbu, sub. (IX) Potentado ] 
Autoridade superior a do soba, ou 
que tem sobas sob a sua junsdiçãci 
Régulo. V. pi jindémbu. 

Ndênde, sub. (IX) bot. Fruto da 
palmeira, de que se extrai o óleo de 
palma Kibala — , diz-se d > caroço 
do dendém partido com o coconote 
agarrado ão caco, próprio para 
queimar. 

Ndendu, sub. (IX) bot. Arbusto 
dicotiledóneo da fam. dos ebená- 
ceos {dio.ypjrus dendo), a cujas raízes 
se atribuem propriedades anti-ictc- 
ricas j Ébano. 

Ndênge, adj. (IX) Menor ' Infe- 
rior I Adolescente i Fraco ; peque- 
no : — toba une ni makota Que tem 
pouca idade ; jovem ; Que tem 
pouca extensão, altura ou volume] | 
— ia ndengtlele, ínfimo Muito pe- 
queno; minúsculo j sub. Criança | 
Menino : mon'a — , Pequerrucho j 
Moço» PI. jindenge 

NdénuI iuterj. Ide. | Marchai. V. 
kl/ia 

Ndim, adj. e sub. (IX) Expressão 
para designar uma coisa cheia, re- 
pleta, prenhe: rivumu — . 

Ndimba, sub. (IX) zool. Mamí- 
fero roedor, tipo de fam. leporida | 
Lebre I i f.g. Pessoa astuciosa, es- 
perta. V. Kandimba. 

Ndindi, corog. Pov. e sede do poe- 
to da circ. civ. de Quilengues, distr. 
e prov. da Huíla, com 6.060 hab. 

Ndíngu, sub (IX) bot. Capim 
Planta herbácea de colmos lenho- 



NDI 



— 31 - 



NDO 



SOS, compridos, tenazes e cortantes 
{sectária Welicitschii) . 

Ndiriku, sub. (IX) zool. Ave ri- 
beirinha, i V. njila. 1 \ corog. Pov. 
e posto da circ. civ. do Baixo 
Cubango, distr. e prov. do Bié com 
3.407 hab. 

Ndlém, Onomat. do som do di- 
nheiro ou do toque da sineta \ Tlim 
E' m. us. repetido: . 

Ndo, sub. (IX) port. dó. ! Luto ! 
Vestuário preto Demonstração de 
tr steza Kutã - , vestir luto ] ] Ku- 
kala mu — , estar de luto 

Ndóbi, sub. (IX) Ladrilho | Tijo- 
lo i Barro amassado e modelado 
que se seca ao sol. Adufo ; Tijolo 
crú I Adobe. , PI. jindobi. 

Ndôko, adv. fam. Valeu. | Vá 1 
Vamos; aceito Consinto. 

Ndôlo, sub. (IX) Espécie de bú- 
zio M ga Pequena concha uni- 
velve bot. Planta medicinal, da 
fam. das compostas Planta orna- 
mental {vern07iia auricuUfera) V. mu- 
lulu 

Ndólo. sub. (IX) port. dôr. ] V. 
mushsu Kinhenge \ PI. jindolo. 

Ndololo, adj. (IX) Saliente Lin- 
guareiro Falador sub. Aurícula 
j Pavilhão do ouvido | fig. O que 
não guarda segredos i Badaleiro. 

Ndómba, sub. (IX) Tira de crepe 
que se usa em sinal de luto. Cor- 
del tingido de preto que as mulhe- 
res trazem tôbre os panos | Crepe' 
Cordão que os frades e freiras tra- 
zem atado à cintura , Escuridão 
Obscuridade ' Sombra | Tristeza; 
pena; mágoa. 

Ndómbe, adj. (IX) Sombrio Em 
que não há claridade ou luz sufi- 
ciente Obscuro : mwnzo ia — , Que 
não é claro j Baço; moreno: muaddt 
ua — Trigueiro Empanado; sem 
o brilho que lhe é próprio Preto ; 
mate : risanga ria — ! fig. Falto de 
alegria Triste 1 corog. Pov. e sede 
do posto civ. do mesmo nome, 
cone, distr. e prov. de Benguela, 
com 7.763 hab. j | — 'a polo, sub. 
zool. Certa qualidade de cobra. 

Ndombo, sub. (IX) Gema que se 
desenvolve na semente Grelo : k'u 
i fuiU kubekela, i afua o — ; Paite da 



semente de que se forma a planta | 
Germe | Plâutula | Galadura. 

Ndombo-ndombo, sub. (IX) bot. 
Haste das plantas crucíferas em 
que se há-de abrir a flor Grelo | | 
Flor antes de se desabrochar 1 Bo- 
tão 1 Olho que há-Je formar o go- 
mo j Ramo. 

Ndônda, sub. (IX) Facto de que 
provém outro Causa Princípio : 
bu — ia maka Fonte; origem: u a 
mu tebu—\ Ponto de partida | Pro- 
manação \ Procedência Tronco de 
descendência. , V. pi. jindônãa. 

Ndondo, sub. (IX) Princípio! Ru- 
dimento Primeira ncção de uma 
ciência ou arte Náusea Von- 
tade de vomitar V. pi. j indo ndo 1 
corog. A vila do Dondo, sede da 
circ. civ. do Cambambe, margem 
direita do rio Cuanza. a 14° 20' 58" 
de Long. E. e 9° 41' 15" de Lat. S., 
Intend. de distr. do Cu.mza-Norte, 
prov. de Luanda, com 1879 hab., 
Deleg. de Saúde e de Fazenda, 
julg. Instr., est. telegr.-pusfal e es- 
cola prim. n.° 18 de Fiaucisco So- 
to-Maior. * 

Ndóndo, sub. (IX) bot. Planta 
leguminosa de raiz adocicada Al- 
caçuz. V. Kandôndo. 

Ndondóji, sub. (IX) zool. Mosca 
da serra; tb. conhecida por ngumba- 

-tete. 

Ndondóio, sub. (IX) bot. Folha 
ou haste de mundondolo. 

Ndônga, sub. (IX) bot. A'ivore 
da fam. das leguminosa.^, cuja raiz, 
ralada, é utilizada em casos de 
inchação. ' Rio (nas Ganguelas)-! | 
Grupo; muita gente (no Mutemo). 

Ndongalufa, sub. (IX).bot. A'rvo- 
re da fam. das leguminosas {dolichus 
dongaluta), cujos rizOmas carnosos 
são remédio contra as anginas gan- 
grenosas. 

Ndongixi, sub. (IX) Mestre Dou- 
tor da lei I Ensinador ou explica- 
dor de textos | Carregador | Rabi. 

Ndóngo, sub. (IX) Forma regular 
de um culto externo Cerimónia : 
kubanga o panguni— Solenidade For- 
malidades convencionais para cer- 
tos actos I Cerimonial. ; Preceito , | 
Corpo deliberativo superior: mu— \ 
Reunião onde se emitem pareceres, 



NDO 



— 32 — 



NDU 



opiniões, juízos Conselho de famí- 
lia, de ministros, de guerra; I Canoa 
grande para transporte de carga j 
Embarcação fluvial | corog. Pov. 
e sede do posto deste nome, circ. 
civ. das Ganguelas, distr. e prov. 
do B é. com 12.125 habit. | ! Pov. 
no antigo cone. de Maísangano, 
circ. civ. de Cambambe, prov. de 
Luanda, margens do rio Mucoso. 

Ndongo, sub. (ÍX) Igreja | Cate- 
dral Templo Casa de oração em 
que se adora uma divindade' Lugar 
onde os fiéis se reúnem para culto 
divino : ngaaengde menha vui — | Si- 
nagoga i Antiga rtsidência do rei 
Ngola (D. João Hari) vencido em 
1671 por Luís Lopes de Sequeira. 

Ndongoena, corog. Pov. e sede do 
posto deste nome, circ. civ. dos 
Gambos, distr. e prov. da Huíla, 
com 399 hab. 

Ndongolondo, sub. (IX) bot. 
Planta medicinal em casos de dores 
de cabeça e defluxo. 

Ndongóxi. sub. (IX) Amigo de 
saber, cia ciência Filósofo; livre 
pensador. Crítico. 

Ndonji, adj. e sub (IX) Lógico [ 
(,Jue sugjre ideias: —ia malca | Que 
aconselha ; que entusiasma j In- 
dutor, inspirador, j PI. jindonji 

Ndôri, sub. (IX) zooi. Gafanhoto 
verde. 

Ndu, prop. indicativa de limite, 
termo, fim } Até: tunde boba -~ baná\ | 
sub. Extremidade j Finalidade. 

Ndúa, adj (IX) Diz-se das doen- 
ças causadas por derramamento ou 
excesso de sangue: ahaxi ua — [ Em 
que predomina o sangue : muamuá' — 
' Sanguinolento Que derrama mui- 
to sangue : ' sub. Género de aves 
tipo das muzofagidas \ Muzófago, 
tb. conhecido por <papa-bananas» 
, Ave cuja cauda é da còr do san- 
gue i bot. Planta venenosa com 
cuja raiz ou casca se prepara o 
juramento do mbidungu : kn/iua — | 
Sanguinheiro (ipotoxicaria) , V. njila- 
-aondc [ ! Arbusto rubáceo '. Raiz ou 
casca emética desse arbusto ; Ipe- 
ca O sangue pútrido que os cadá- 
veres deitara pelo nariz: huhana — \ 
Vermelhidão O que tem a côr do 
sangue. \ Também se escreve ndúua 



Nduálu, sub. (IX) Beberagem 
tendente a fazer abandonar a feiti- 
çaria Influência que faz esquecer 
os maus hábitos e resguardar as 
pessoas dos maus pensamentos | | 
O que opera a conversão i O que 
pur;f;ca ou faz mudar (para me- 
lhor); ILugar onde se praticava ou 
se tomava esta beberagem l\'Mu- 
kua — , aoj. Convertido Que está 
proibido de praticar malefícios [ 
Penitenciado j Purificado. 

Nduandua, adj . e sub (IX) Patife 
! Maroto Birbnnte ' Pessoa que 
comete actos de Ibertino Brf jeiro 

Ordinário. 

Nduézu, sub. (IX) Grande can- 
saço Esfalfamtiito Fraqueza \ 
Enfraquecimento moral iiióibido: 
nala ni — Debilidade; perda de 
energia Tu lo o que opiinsc, mo- 
lesta ou cansa Peso ; Falta de 
forças. 

Nduka, sub. (IX) Diz-se das nes- 
soas que têm o mesmo nome | Hc- 
mónima: jiua ria - ' adj. Horr.ó- 
nimo \ Chará. 

Nduku, adj. (IX) Que tem o mes- 
mo nume que outro (falando de 
pessoa?^. Tocaio Que tem o no- 
ine igual ao dos pais, ou a ele rela- 
tivo ' Patronímico : — ia tala fig. 
Nome .\pe!ido. 

Ndúlu, sub. (IX) bor. Grande 
árvoíe de boa madeira {antiaria Wel- 
u-itschii), de utilidade ornamental | 
zool. Insecto hemenó:itero, espécie 
de «mosca da serra*. corog. Ter- 
ritório situado entre os nos Cuanza 
a E. e Cuíto a O., na prov. do B é; ^ 
Pov. e sede do posto civ. do mesiuo 
nome (antigo posto de Dondeiro) 
distr. e prov. do Bié, a iò° 42' de 
Long. E. e ii» 28' de Lat. S. com 
15.407 hab., est. telegr. -postal. Mis- 
são Evang., escola rural e oficial 
n.° 51 de Henrique de Carvalho | | 
Sede do cone. cie Andulo, distr. e 
prov. do Bié, a 11" 40' L; t. e 13» 
10' Long. E., 1.70S m. alt. e 38.712 
hab., Deleg. de Saiide e de Faz., 
Junta local, Juizo Instr., est. 
telegr. -postal, escola-oíiciíia n." 26 
de íNuno Alvares* e missões Catol. 
de N. S. da Graça e Evang. congra- 
cionista. 

Ndulúlu, .sub. (IX) Humor esver- 
deado e muito amargo contido numa 



NDÚ 



— 33 — 



NDU 



vesícula aderente ao fígado Fel : u 
alulakala — Bilis í Vesícula do fel.j 
Amargor ! fig. Rancor; ódio. 

Ndúm ] Expressão comparativa de 
pancada, choque ou queda Estrondo. 

Ndíimba, adj. Abundante Nume- 
roso : — rVatu Muito ; tanto: —ria 
ima , Grande quantidade Mó 1 j pi. 
Sendos; muitos: — ria jikandandu\ (adv. 
Em excesso Abundantemente • ' sub. 
Leão. V. hoji. 

Ndíimbe, sub. (IX) Pessoa que re- 
cebe instrução religiosa para ser ad- 
mitida ao baptismo Catecúmeno | 
Neófito Mulher em noviciado ' 
Noviça adj. Que se prepara para 
professar em seita religiosa Novato; 
princip ante; noviço fig. Aprendiz. 

adj. Macho \ Do sexo masculino : 
ikjhIu ia — , porco; hoinbo ia — , cabri- 
to, etc. 

Nd umbu, sub, (IX) Prostituta; ra- 
meira; meretriz, ; Mulher da vida: — 
ia mala. j adj. Sensual; vicioso j 
Voluptuoso; dado a deleites | Lidi- 
binoso ; Lúbrico || corog. Pov. 
na circ. civ. de Cambambe, na mar- 
gem d o rio Cuanz^, caminho do 
Dondo a Pungo-Andongo. 

Ndumbuxi, adj. e sub. (IX) Que 
vive da prostituição. 

Ndumu, sub. (IX) Ameaça com 
que se intimida i Intimidação Me- 
do II Kuta— i v. tr. Intimidar ' 
Ameaçar ' Meter medo. | Palavra ou 
gesto que anuncia a alguém o maloue 
lhe queremos fazer ; Sinal que indi- 
ca ura mnl, uma doença ' Ameaço. 
PI. jindumu. 

Ndunda, sub. (IX) Causa (de mal 
ou dano). Omissão; culpa: ngua- 
mi ni II ng'ambatc — \ Responsabi- 
lidade 1 Motivo para ressentimento ', 
Queixa. 

Ndúndu, sub. (IX) Dores nos 
músculos ou nas articulações | Reu- 
matismo: uhaxi ua — \ Reumático | | 
Cadáver ; Cheiro cadavérico: kunúa 
— I I Borracha ( na Lunda ) . j | Lá- 
tex borrachifero. V. Kanana. | [adj. 
Reumatismal; Que provém do reu- 
matismo ; Reumático | | Cadaveroso 



I Putrefacto : ku — ] Próprio de ca- 
dáver ! P. dre: u abiliíka — \ | corog. 
Rio na região e distr. do Moxico, 
prov. do Bié, afluente da margem 
esquerda doLuandu. 

Ndíindu, sub ( IX ) Pessoa que 
herda j Sucessor Herdeiro: — ia 
pang' te Pessoa que tem direito a 
herdar i fig Descendente; filho | | 
Beira-mar Praia : ulungii u akuakã 
ku — I Terra seca junto ao mar, rio, 
etc. I Parte de terra firme que emer- 
ge do mar, ou por ela é banhada [ 
Costa. 

Ndundu, sub. (IX) Soco ; Panca- 
da dada com a mão fechada Murro. 
PI jindundu. 

Ndundú^u, sub (IX) Pedra geral- 
mente lisa, de regular tamanho, que 
abunda nas praias e fundo dos rios 

Pedra roliça em forma de bola pa- 
ra moer diversos 'ngredientes Bo- 
la (de bilhar ou similhante) 

Ndúnge, sub. (IX) Aptidão; jeito: 
i banga o ktma— Habilidade; 
esperteza: k u longa — ; Engenho ,; 
Ensinamento | Conselho Destreza; 
perícia; arte: o muarie ii mu betela 
ku marima, k'u mu betei é ku - , — 
ia kota j'úvula \ Mem; manha, astú- 
cia ^i Mukua — , adi. Jeitoso : Pe- 
rito ! Manhoso Apto Habilidoso 
Esperto. PI. jindunge- 

Ndungu, sub. (IX) bot. Nome ge- 
nérico de vários frutos das plantas 
piperáceas de diversas espécies , Pi- 
menta : — íaA:</ftc.wÍJ(í. fruto da plan- 
ta citaminácea de forma redondada, 
para condimentar , Amomo i Mala- 
gueta i 1 Fruto piperáceo um pouco 
comprido | Pimenta de água | Capi- 
coba 1 I ia kaleketa, pimenta miúda, 
muito picante, tb. conhecida por p/- 
ripiri \ Planta -olanicea condimentí- 
cia i ! — ia Kongo fruto de cardamo 
( utilizada como condimento. ) \ 
Amomo Planta amomácea. V.^/ie/ii. 
'P\. jíndungu. 

Ndúta, sub. (IX) Ci>usa ou presen- 
te que uma mulher casada recebe de 
seu amante. V. pi. jinduta i Dádiva 
para subornar [ Peita | Suborno. 



34- 



ENI 



£: 



E, quarta letra do alfabeto ki- 
mbundu, com valor idêntico em 
português. 

Ê, adj. e pron. poss. pi. (coutr. da 
prep. a e do pron. pess. eie). Teus; 
tuas. ' De vós; das vossas pessoas: 
o ia atu — . Pertencente às vossas 
pessoas: ahik' — alenge; an' — abiti.Y. 
uê I I sub. (IX) Xome da letra E. 

E, adj. e pron. poss. (contr. da 
prep. a e do pron. pess. inuêne). De- 
le; dela (seu, sua). I Da pessoa dele: 
o 10 mukaf — ' Pertencente a sua 
pessoa: mon' — a abiíi. 

Êbi, pron. interrog. pi. (I) Quais? 
Que pessoas (entre outras): útu — ?| | 
adj. interrog. servindo para determi- 
nar pessoas entre várias: mu karia- 
nda k'enu — ala-mu ni mabuinhi ? ' \ 
pron. rei. Os quais; as quais | Cujos. 
V. akuánhi. 

Ebu, sub. pi. (I) Sobrinhas; sobri- 
nhos: — âmi I Filhas de irmão ou ir- 
mã. II — cr A/OT/, sobrinhos de maior 
idade. 

Êi, adj. e sub. pi. (I) Que roubam 
ou furtam. ] Ladrões: — a jihombo. \ 
Faltos de consciência. 

Ei, pron. dem. pi. Estes, estas: 
im'-ia ukulu. V. //. 

Éie, pron. pess. da 2.* pessoa do 
sing. ) Tu: — ni muene | Tua pes- 
soa I '. Sub. Tratamento de tu. | Vo- 
cê I ; interj. de aobrrecimento, de 
enfado: — ! ngambule ! (oh ! deixa- 
-me ! Não me masses !) j | Para cha- 
mar: ó tú. I olá ! I . Para desafiar: 
V. Xèie. ! I — muene. adv, e pron. 
pess. Tu mesmo A tua pessoa, 
não outra ^ Pjòpriamente tu. 

Eje, palavra equivalente ao sufixo 
ia dos V. portugueses: morrer/a; 
acabar/a:— kufua;—kuzuba. E' fre- 
quente substituir-se por ozo, v. g: ozo- 
fua; ozo zuba, ctc. V. Ozo. 

Eji, pron. demonstr. pi. (IX) Es- 
tas; estes: jihombo — Janete V. jiji. 

Ejo, o mesmo, talvez mais correc- 
to, que eje. V. ozo. 



Eki, pron. demonstr. da cousa que 
está presente (III) Este; esta: o ki- 
nd'—ki akuka; o kiial'—ki afa. V. ki- 
ki. Suf. pron. dos sub. e adv.: ta- 
leia o kimbamb' — ! Agora mesmo; 
neste instante: kindal— ng'azuba. \ ' 
conj. No momento em que ' 
Quando: — uia, u zuela | Neste mo- 
mento ' Eis que ' ! Em vista disto: 
— bo Enquanto ' [ adv. Neste ins- 
tante [ Agora > Ora então. \ \ sub. O 
tempo actual. 

Elerenu, inter]. Corresponde a 
aclamação de alegria, rle rigozijo, e 
equivale a «Bravo! Hu:rah!> A'- 
letra: r riera-se; alegrem-se *. 

Éli, sub. (IX) Nome da L. PI. 
jieli: 

Élu, adj. e sub. ( I ) Diz-se das 
pessoas não caridosas; que não dão 
(esmolas). Somíticos Unhas de 
fome : o ia — ki k'ab'á kima. 

Éme, pron. pess. A minha pes- 
soa. ; Eu: eie n' — /// jipange. A 
I.* pessoa de sing. jj — 'o, interj. 
Presente! Aqui estou! Eis-rae 
aqui ! 

Émi, sub. (IX) A letra Aí , PI. 
jiemi. 

Êne, pron. pess. pi. Eles; elas | 
As pessoas: — alenge. A 3.» pessoa 
do pi. I í — á, adj. e pron. demonst. 
pi. ( cont. do pron. pess. ene e do 
adj. id ) designativo das pessoas 
próximas, i.", da que fala: alu ê — d; 
2.° da pessoa com quem se fala: 
akongo enu — 'o; 3 °, da pessoa de 
quem se fala ou distantes das que 
falam: abik'enu — 'and. , — muene, 
adj. e pron. pess. Eles próprios | 
Certamente, mesmo eles: — muene 
abange kiki — 'jcí.sub. pi. Os senho- 
res da terra em que se está r,u tra- 
balha. Donos; propnetános | Os 
mandatários. V. muênc. 

Êngi. adj. pi. ( I ) Outras; outros 
I Diferentes: a/u — Não os mes- 
mos I ; Alheios. 

Êni, sub. (IX) Nome da letra N. 
1 PI. jiene^ 



ENU 



— 55 



FEN 



Énu, pron. pess. da 2.* pess. do 
pi , suj, e compl. intiir. Vós: — nu 
azaba \ Vossas pessoas A vós 1 1 
adj. pess. pi. da 2 * pess. empregi- 
f'o para falar de vár as pessoas \ 
Vó»: — ainoxi | | adj e pron. pess. pa- 
ra designar pessoas do mesmo gru- 
po, profissão ou qualidade daquela 
com quem se fala:— inuêne ; |adj. e 
pron. poss. usado quando precedido 
da conj. ni: uêza ni ~ | Vosco; de 
vós: ata — | Pertencentes às pes 
soas com quem se ídla; abik' — 

Éri, pron. denionstr. da cousa que 
está presente. Esta, este: o rilong' — 
ri abunka. V. riii. | adv. Forma an- 
tiq. de hoje: lelii — | Actualmen- 
te ' Hoje cm dia [ Presentemente | 
Na presente época. 

Ési, sub. (IX) A letra S. \ PI. 
jiesi. 

Ésu, adj. e pron. pess. pi. Nós. | 
Forma antiq. de etu. 



Efu, pron. pess. pi. t^ós:— tu ba- 
nga As nossas pessoas | A nós; per- 
tencente às nossas pessoas: nion' — i 
Das pessoas cjue falam: alaui — | j 
adj. e pron. poss. pi. absoluto. Nos- 
so, nossa ! Das nossas pessoas: akaj' 

— I ' adj. e pron. pess. designativos 
de pessoas da mesma qualidade, gru- 
po ou profissão daquela que fala : 

— muéne \ Nós mesmos; Nós de cer- 
to. E' tb. adv. 

Eua, interj. de admiração: Oh ! 
Ah ! ! Perdão ! ; Desculpa ! 

Eue, adv. de afirm. Sim 1 De-cer- 
to I Efectivamente E x a c t o. | | 
Assim seja. , | — ke, pois sim Ora 
seja. Está bem. 

Euê ! interj. de surpresa, de mofa* 
— , tal'enu'ê ! Ora ! Vejam lá ! 

Êxi, adv. de neg. De modo ne- 
nhum ; Não é capaz Jamais \ Não 
pode ser. 



I=" 



F, sub. (IX) Quinta letra do alfa- 
beto kimbundu, com valor igual em 

português. 

Falakeza, sub (IX) port. freguês; 
fraqueza. 

Falanji, suu. (IX) Corte j Incisão^ 
Golpe 1 Ferida com instrumento cor- 
tante. 

Fá!o{a, sub. (IX) Farinha de man- 
dioca molhada em água ; Farófia. 

Fálusu, sub. (IX) port. falso. V. 
mbuanga. 

Familha, sub. (IX) port. família. 
V. mbéle. 

Fanhika, sub. (IX) ictiol. Peixe do 
mar, espécie de barbo pequeno | Es- 
calo. 

Faiinha. sub. (IXj Serradura pro- 
veniente da raiz da mandioca ralada 
e torrada \ Farinha, 

Favolo, sub. (IX) port. favor. V. 
kiàri 1 ngó. 



Febele, sub. (IX) port. Febre | 
Estado mórbido. 

Fejá, sub. (IX) port. feijão. V. 
fuéjá. 

Féle, adj. (IX) Nobre Distinto | 
Descendente de família nobre. I' Que 
tem Douca extensão ou volume Pe- 
queno; deminuto; infantil. 1 Limita- 
do Pouco I Pequena quantidade. 
V. ufele I ' sub. Homem bem educado 
e de bons sentimentos. Cavalheiro 
; adv. Por um triz: ku a mu kambele 
— u ozo fuã- Quási Milagrosa- 
mente. I Com pequena diferença 1 — 
— . Muito lentamente [ A pouCo e 
pouco. V. kamuanhu Cousa de nada, 
de deminuto valor. V. ka ufele. 

Félu. sub. (IX) port. ferro. V. kike- 
te. ! PI. ///e/u- 

Fenda. sub. (IX) Senhora de dis- 
tinção Dama | Mulher bonita, des- 
cendente de família nobre: — Maria | 
Mulher de alta gerarquia ( Princesa | 
Fada. 



FÊS 



— 36 — 



FUK 



Fêsa, sub. (IX) port. festa, V. 
Mákinu. I Kizomba. 

Fefu, sub. (IX) Título honorífico 
correspondente a dom: — Nzuá. I | 
bot. Planta criptogâmica de tige le- 
nhosa e vermelha (pteris aquilina] 
família das leguminosas, utilizada 
como ornamento. 

Fién. sub. (IX) Expressão para 
imitar o assoar, o rápido volteio das 
aves ou o mergulhar dos peixes. 

Fifi, sub. (IX) bot. Planta dicoti- 
ledónea da família das malváceas 
{gossypium sp.), utilizada como orna- 
mento. I j zool. Pequena mosca fabri- 
cante de mel. V. kafifi. 

Fiiaiu, sub. (IX) Promessa mútua 
de que depende dar ou receber algu- 
ma cousa (dadas determinadas cir- 
circunstâncias . | Aposta | A quan- 
tia ou cousa que se aposta | ] Kuta — , 
apostar. V. kufiiiila. 

Fimba, sub. (IX) Acto de mergu- 
lhar ou de meter-se debaixo de água] 
Mergulho: — ia nzóue \ fig. Desapare- 
cimento momentâneo para se conse- 
guir o que é necessário. | \ Kutã—, 
V. intr. Ir ao fundo de água | Mergu- 
lhar j. Meter-se ou nadar debaixo de 
água. V. knfiinbika. 

Fíngu, sub. (IX) bot. Fruta de 
conta. 

Fiokoso, sub. (IX) Chasco | Ar- 
relia I Zanga, contrariedade: kubangã 
— . fig. Trapalhice | Importunação ' 
Massada. 

Eickoío, adv. Muito sujo [ Suja- 
mente : u eza — Sem nenhuma lim- 
peza I Porcamente. 

Fiíiiu, sub. (IX) port. Feitio, ma- 
neira de ser. V. kífua. 

Firila, sub. (IX) port. ferida. V. 
Ribute, Kilónda. 

Fixi, sub. (IX) Ponto onde começa 
uma corrente de água | Nascente: 
bu - bu tunda o ngíji \ Fonte | Ba- 
cia ou nascente de rio | Cisterna. | 
Aurícula fig. Origem. V. p\. ji/ixi. 

Fobia, adj. (IX) Brando, lasso | 
Mole I Sem forças : u ala — { En- 
fraquecido i Derreado. 

Fólo, adj. (IX) port. Que teve al- 
forria ! Forro : — mbemba, mubik'a 
mundele riabu ] Liberto | Que tem 
liberdade. | sub. O que serve para 
forrar 1 Revestimento. 



Folôlo sub. (IX) port. Flor. V. 
Ribemba \ Kitiilu. PI. jifolôlo 

Fotofoto, sub. (IX) Som imitati- 
vo de quem rasteja dentro de ca- 
pim I Restolho I Ruido cavo e 
sêcô. 

Fubá, sub. (IX) Pó proveniente 
da trituração ou moagem de um ce- 
real, raiz farinácea ou legume seco. 
I Farinha: — ia masa \ A fécula 
da mandioca com que se manipula 

funji I Amido. fig. Pó branco | 
Poeira | | — ia kabari, farinha feita 
de makoka \ Farinha de mandioca 
escura mal preparada | [ — ia kan- 
dumba, farinha escura feita de ba- 
tata doce seca ao sol, j Farinha de 
grande crescimento ao ser manipu- 
lada I Farinha de inferior qualida- 
de | | — ia kindele, farinha de mi- 
Ih ;. I Milho moído, peneirado e re- 
duzido a pó. II — ia mbombo, fari- 
nha feita da fécula da mandioca 
reduzida a pó. | Bombo seco e re- 
duzido a pó branco, fino | Goma. | 
PI. jifuba. 

Ejiejá, sub. (IX) port. feijão. V. 
maoála. 

Fúíu, sub. (IX) Grande agitação 
( produzida por pânico ou alegria). 

1 Alvoroço I Tumulto, | Confusão 
I Motim I Atrapalhação; sarilho; 
c o r r er i a ] Desordem | Poeirada. 

F^ujúta, sub. (IX) Restos que fi- 
cam no solo depois de tirar o lixo 
ou estrume ali amontoado | Ras- 
palhas: — ia iangu. | fig- Bagatela, 
cousas de nenhum valor | Pó. | | 
Carvão e cinza que ficam no forno 
depois de apagado | Pó quente; 
brasas. 

Fulufila, sub. (IX) Cisco [ Poeira 
I Pó. I O que se não aproveita: — 
ia makanha | Estado particular de 
uma substância reduzida a peque- 
níssimas partículas. | Borralho | 
Restos. 

Fúka, sub. (IX) Torcida | Ob- 
jecto de fio ou pano comprido e 
torcido I Pavio || bot. Planta am- 
pelidácea, cujos caules servem de 
cordas | Género de plantas sar- 
mentáceas. | | — mbololo, cambalho- 
ta. V. kafuka mbololo. 

Fuku, adj. num. Dez vezes mil 
j Dez mil: — ia'tu ] | sub. O núme- 
ro lo.ooo: — jiari \ fig. O mês das 
mulheres 1 Menstruo: u ala mil — 1 1 



FUK 



— 37 — 



FUX 



, Diz-30 dos primeiros alvores 

da manhã. 

Fukúmba. sub. (IX) zool. Ave do 
género pombo | Roia. 

Fula, sub. (IX) V. nos nomes pró- 
prios. ! ! — mbombo, zool. Animal 
caracterizado por dois escudos ósseos 
que lhe cobrem todo o corpo Cága- 
do ' Tartaruga pequena V. mbaxi. \ 
— ria kibetu, ÍDiz-se da pessoa (geral- 
mente serviçal) escolhida pelo patrão 
para aplicar castigos corporais aos 
outros seus companheiros ; fig. Mar- 
tirizador. 

Fúlu, sub. (IX) Leito e seus per- 
tences i Cama: bu— Nome genérico 
de tudo sobre que o homem ou ani- 
mal se deita para dormir. V. kiriri.: \ 
Miope. V. kifulu. 

Fúluía, sub. 
Kibundu. 



(IX) port. Fruta. V. 



Fúm, sub. (IX) Diz-se da queima 
da pólvora (sem estrondo) ou simi- 
Ihante. 

Fuma, sub. (IX) Lustre prove- 
niente de acções insignes ou de quali- 
dades excepcionais. | Aura Glória | 
Fama: mutu ufua, — ixala Reputa- 
ção ou apreciação favorável a uma 
pessoa: — kota, mbongo ndenge. 
Renome. 

Fuma, sub. (IX) Prego de cabeça, 
dourado ou prateado Tacha ' Pre- 
go amarelo para adornar caixões, 
cestos, etc. PI. jifuma. 

Fúmbe, sub. (IX) bot. Diz-se de 
certa espécie de ídendém» com pe- 
queno caroço: ndênde ia — adj. 
Imerso | Embebido. 

Fumu, sub. (IX) Amo; senhor; do- 
no da casa ou da terra (com relação 
aos criados ou súbditos). Fidalgo; 
soba (no Congo) V. ngana. Muêne. 

Funda, corog. Pov. na margem es- 
querda do rio Zenza, circ. civ. de 
leolo e Bengo (Catete), distr. e prov. 
de Luanda, est. do C. de F. da linha 
do Bengo. 

Fundanga, sub. (IX) Substância 
explosiva para as armas de fogo. ] 
Pólvora: o iãbla tu arizemba ni — | j 
Mbónge ia — , fortaleza; paiol V. 
mbónge. 



Fôndu, sub. (IX) Acampamento 
! Pousada ' Lugar onde <.'S vinjan- 
tes pernoitam: b U — Cabana ' 
Barraca de campo Ca'>eta | Sinal 
ou lugar onde pára a carreira j Al- 
vo; limite. 

Fundungulu, sab. (IX Vegeta- 
ção criptogâmica parasita originada 
pela humidale j Bolor: o xitll í a- 
kuata — ! Mofo ; Bafio. 

Fúne, sub. (IX) bot. Diz-se de 
certa e.-pécie de « dendem * sem 
caroço ndende ia — j | adj. Negocia- 
do , Ganho. V. kufana. 

Fúnete, sub. (IX) port. Alfin te. 
V. manha. 

Fungululu, sub (IX) Acto e 
efeito de vascolejar, misturar, agi- 
tar I Vaòcolejo ; O movimento de 
vascolejar | O que se mistura: ku- 
banga — Mist^jra. 

Fúnji, sub (IX) Massa feita de 
fubá de mandioca, de arroz, de bata- 
ta, ou de milho, dissolvida em água 
fervente | Beijú. PI. jifímnji. 

Funza, sub (IX) Fumo espesso. 
\ Fumaça: — ia mâfu Fumada 
Fumaça em casos de doença. 
Qualquer substância reduzida a 
gr-inde tenuilade Pó;: — ia ma- 
kanha \ Rapé. 

Fúse, sub. (IX) bot. Planta da 
família das lianas sentada scandens) 
de grande comprimento Liana 
Cipó. 

Fiífa, sub (IX) Mimo, dádiva ou 
presente de quem chegi de uma 
viagem, aos parentes e amigos. 

Fútu, sub. (IX) Acto e efeito de 
p3gar. I Satisfação de dívida. ; 
Pagamento: kutambula. — E ti- 
pêndio i Siilário j Ouitcção; paga 
Custo; preço por nuo se p ga 
j corog. Pequeno lago na margem 
direita do rio Z^enz-i, em Cabiri, 
circ. civ. de Icolo e Bengo, (Catétt) 
distr. de Luanda. 

Fíixi, sub. (IX) A terceira filh i 
do mesmo parto. | A gémea que 
nasce em terceiro lugar. A terceira 
gémea | bot. Arb sto trepador. 

FÚxi sub. (IX) Poço; fonte; cis- 
terna. V. Kixima. 



- 58 - 



NOA 



Gt 



G, sexta letra do alfabeto Id- 
mbundu, sempre gutural e nasal, 
para o que se lhe antepõ? a partícu- 
la nasalante N que não altera, con- 
tudo, o seu valor. 

Nga, sub. (IX) Abrev. de ngana ' 
Senhor; senhora: — Mbaxi; - Nêxí. | ! 
Grito imitante ao vagido de nm re- 
cém-nascido. • fig. Lamentação | 
Gemido. 

Ngabela, corog. Vila e sede do 
cone. do Amboim, distr. do Cuan- 
za-SuI, prov. de B='nguela, a 140 
19' 16" de Long. E. Gr. e 10° 51' 
04" de Lat. S., 10Q3 m. de altit. 
com 10.108 h. b , Deleg. de Saú le e 
de Faz., 7.» C. I. I., Hospital e Es- 
cola n.o 66 de Augusto Gil. 

Ngábi, sub. (IX) Compressão 
da garganta Aperto que com os 
dedos se faz á garganta do adver- 
sário pjira o sufocar, i P\. jingábi. 

Ngafi, adj. e sub (IXi Glutão. [ 
Que gosta de gulodices. Guloso : 
— ia kutia. ' Sôfrego. | Diz-se da 
criança que mama muito, com so 
freguídão: — ia kuarnua. 

Ngaiâla, sub. (IX) antiq. Trata- 
mento que se dava ao homem casa- 
do. Abrev. de ngana ia riiala. V. 
nganhàla. 

Ngaiava. sub. (IX) bot. Fruto 
de g o i a b e i r a Goiaba. Pi. ji- 
ngaiva. 

Ngaiefa, sub. (IX) port. Gaita { le 
foles). I Harmonium. j PI. jingaieta 

Ngaiola. sub. (IX) port. Gaiola. V. 
kikolokoko. I V\. jíngaiola. 

Ngáku, sub. (IX) port. Gago. 
V. kikúsa. 

Ngála, adj. (IX) Aliviado ! Que 
tem pouco pêáo. | Livre | | sub. 
Vestimenta que não é de luto: mi- 
lele ia — Trajo claro para actos 
solenes | Júbilo; alegria 1| Calo j 
Parte calejada. 

Ngalaja, sub. (IX) poit. Garrafa 
ide vidre). V. mbuáta. 



Ngaláma, sub. (IX) Penedo | Mo- 
le ou massa de pedra | Rochedo 
(Nos Demboí-). 

Ngalange, sub, (IX) zool. Antí- 
lope cervídeo ' corog. Pov. e sede 
do posto deste nome, circ. civ. das 
Ginguelas, distr. e prov. da Huíla, 
com 27.118 hqb., est. post. de 3.» 
cl. e Missão Católica (sucurs;il) de 
N. S. de Lourdes e Evangélica 

Ngalasa, sub. (IX) port. Graça 
V. pembele. kisangu-sangu; 

Ngalasâsa, sub. (IX) bot. Planta 
herbácea composta {melanthera 
Brawnei) de tronco áspero. 

Ngálu, sub. (IX) Pequeno cesto 
de palha em forma de alguidar | 
Balaio: kiisumbila masa bu — \ Ces- 
tinha de palha em forma de bande- 
ja, tb. enfeit.ida a m ssanga de vá- 
rias cores Açafate: — ia Plingua 
Ndongo\ Espé:ie de condessa ; PJ. 
jingalu. 

Ngalufu, sub. (IX) port. Garfo. 
V. musandii. 

Nqámba, sub. (IX) bot. Planta 
hor ícoia produtora de um tubér- 
culo semelhante à batata Espécie de 
inhame. corog. Pov e j ôsto da 
circ. civ. (Jo Andulo (Ndulu) distr. 
e prov. do Bié, com 22.416 hab., 
est. telegr. postal, escola rural e 
Missão Evangélica (em Capango). 

Ngâmba, sub. (IX) Aquele que 
transporta cargas ou faz fretes | 
Carregador. Servente empregado 
em transporte de cargas Moço de 
fretes ] \ Emissário : a ngl tumisa — 
I Mensageiro ; Mandado. \ PI. ji- 
ngamba. 

Ngâmbe, adv. Nem; pelo menos| 
S quer; ao manos: — ngo mukumbii 
anga mulo^oso | Não | [ conj. E não; 
e sem. 

Ngâmbi, adj. e sub. (IX) Lingua- 
reiro ; Que diz tudo que vê ou ou- 
ve , Delator: o — ki ku mu tele ma- 
ka I Linguarudo. V. mukuarimi | 
PI. jingambi. 



NGA 



Ngambu, 3ub. (IX) bot. Árvore 
fam. das leguminosas {afrormo- 
sia angolensis ), resistente e incor- 
ruptível, utilisada para constru- 
ções. 

Nga-muhafu, sub. (IX) Trata- 
mento dado à senhora casada j 
Dona I Senhora \ Mulher de dis- 
tinção ou em boa situação de fortu- 
na. I Abrev. de ngãna-ia miihatu. 

Ngana, sub (IX^ O que possui 
honras ou dinheiro; fiaa go ] Se- 
nhor; dono; possuidor; dominador: 
— ia ribata Cavalheiro; homem 
de bons sentimentos , | Título que 
se dá às pessoas que se não tute- 
lam ( O dono ou dona de casa 
(com relação aos criados), j Se- 
nhora I Aquele que tem domínio 
sobre outro — ia riiala. V. nganhala 
li ~ ia muhaiu. V. ngamiihata \ ^ 
adj. Que tem senhoria ou posse. \ 
PI. jirígana. 

Ngan'ami, adv. (contr. de ngana 
e iami) Meu amo | Meu senhor, i 
PI, ngana jami. 

Ngan'a-ndenge, sub. (IX) Jovem 
amo I O filho do dono da casa. 
Abrev. de ngana-ia-ndenge. | PI. 
nganaja-ndenge 

Ngan'a-riiala, sub. (IX) Senhor \ 
Dono da casa. V. nganhala. \ PI. 
ngana-ja-mala 

Ngânda, sub. (IX) Lugar onde se 
reúnem cavalheiíos i Ponto de reu- 
nião de indivíduos da mesma po- 
voação I Lugar público | Acampa- 
mento ! Esp radouro; pousada. 1, 
Pureza de corpo e de alma 
I Acção, g^sto uu palavra que de- 
nota pudor , Pudici ia: ma luanda 
mu ajnmana o — , jimbua fenda taxi 
I Carácter do que é pudico | , De- 
cência; decoro ; bons costumes | 
fig. Sociedade; civilidade. \\ corog. 
Cone. e sede da Vila Mariano Ma- 
chado, distr. e p.ov. de Benguela, 
a 13 o 02' de lat. S. e 14 "40' de 
long. E., 1280'". denlt.com 15742 
hnb., julg. instr.. deleg. de Saúde 
e de Faz., est. telégr-postal e de 
Com, de Ferro, Missão de N. S. de 
Fátima, Fil. Africana ( Inglesa ) e 
escola n.o 37 de « Pereira do Nas- 
cimento » . 

Ngandáia, sub. (IX) Pequeno pa- 
no geralmente branco, com que, á 
comida, se limpa a boca, , Pequena 



— 39 - NGÂ 

toalha sobre a qual se pousa o pr^- 
to no lugar d e cada um. , Toalha 
de mesa | Guardanapo | Pano que 
serve para, no fim das refeções. lim- 
par os dedos, depois de lavados. | 
Sanguinho. P!. jingandala. 

Ngandélu, sub. (IX) Cada uma 
das duas peças que ladeiam a boca 
de certos animais. | Mandíbula | 
Queixada ; Maxila inferior | Gana- 
cha. I fig. Queixo. 

Ngandixí, adj. ^IX) antiq. Comi- 
lão- V. kiriakaji 

Ngándu, sub. (IN) Esteira grossa 
feita de mâbu., vulgarmente conhe- 
cida por luando: nga mu zalela rixi- 
sa ni — ; ] corog. Rio, afluente da 
m irgern esquerda do Luhandu. no 
distr. do Mcxico, pr<;V. do Bié | | 
Pov. e posto deste nome, cone. de 
Camacupa, distr. e prov. do Bié, 
com 13.805 hab. PI. jingándu. 

Ngându, sub. (IX) zool. Anfíbio 
carnívoro e pengoso, que habita os 
mais importantes rios do continente 
africano \ Crocodilo; cainião; jaca- 
ré. I Aligator. I V. PI. jingándu. 

Ngan'eíu, adj. (IX) Nosso amo 
Nosso senhor Abrev. de 
na ieta. 



nga- 



Nganga, sub. (IX) Salina; laga- 
mar;— /a múngua | Lugar à beira do 
mar onde se fabrica o sal. { , bot. 
Nome por que no Seles e Amboim é 
conhecida a planta mutuxi. 

Ngánga, adj. e sub. (IX) Sacer- 
dote; profeta; Que tem ou revela 
grande saber | [ Douto; mestre: — ia 
misambu \ Padre; doutor de igreja: 
— ' a Nzambi. | Clérigo; abade \ Sá- 
bio consumado; jurisconsulto: — 'a 
mufiongo j Mago; mágico j Adivinho 

— mbulungu, indivíduo que nas 
cerimónias do juramento ministra o 
mbulungu ao paciente , Espécie de 
mestre de cerimónias ■ Aquele que 
dá o ndúua ao suposto culpado. I 
— sêse, aleivoso [ Caluniador | Difa- 
mador | Que comete aleivosia | 
Charlatão. V. sêse ' I — 'a iangu, 
Perdulário ' Pródigo I Que dissipa a 
sua fortuna com gastos excessivos { 
Pessoa pródiga, j j — 'a-muriángu, 
sub. zool. Peixe fisostomo murenida 
I Enguia. ! V. muriángu. \\ — a 
ndala, Escatula | Caixinha em que 
se recolhem as relíquias dos ante- 



NGÂ 



-40 



KGE 



passados de uma família, de uma 
tribu, de um Estado ' Boceta I Sa- 
crário j Lugar reservado às coisns 
que íipreciamos e respeitamos. | PI. 
jingánga. 

Ngangánji, sub. Abrev. de ringan- 
gánji. 

NyánflU, adj. (IX) Encarniçado ! 
Ruivo I D i còr de ferro em brdsa | 
Rubro I ! sub. fig. Bofetad : n mu 
bana — ' Tendu ia ~ V, tenda. [ 
PI. jingángu. 

Ngangúla, sub. (IX) Operário que 
trabilha em ferro | Ferreiro : u otu- 
lama kii kunda ria — k'atul' è ^^^o \ 
Forjador ' Fabricante de obras de 
ferro. I PÍ. jingangula. 

Nganha, sub. (IX) Bocejo | V, 
nhanha. 

Nganhâla, sub. (IX) Tratamento 
dado ao homem casado : muâri — j 
Senhor i Amo (corrup. de ngana ia 
riialn.) PI. jiaganhâla. 

Ngánhu, sub. (IX) port. Ganho | 
V. Kibúndu. 

Ngánja, sub. (IX) bot. Planta de 
madeira castanhoescura e resistente 
ao salalé. 

Ngánji, sub. (IX) Ousadia ' So- 
berbia Atrevimento; insolência | | 
Miikiia, — adi . Atrevido; soberbo : — 
— k'eni' é rijinu. \ Malcriado; inso- 
lente. 

Ngânji, sub. (I) Designação vaga 
de uma pessoa incerta, ou daquela 
Cujo nome se ignora. [ Fulano. | Ci- 
crano | Vário | Etc. | | adj. e pron. 
Certo 1 Tal homem | Não bem de- 
finido I Beltrano. 

Nganji, sub. (IX) Julgador | Pes- 
soa que julga. ; Juiz | Desembarga- 
dor 1 Àrbitr(j : — ia mala. | ! adj e sub. 
Que com ? muito | Comilão : — ia 
kuria. V. kiriôma. | | bot. Nome por 
que na região do Zaire se conhece a 
planta màhinji. 

Nganza, sub. (IX< Copo, caneca 
sem a^a [ Pequena cabaça, vaso para 
beber água, vinho, etc. : — ia ma- 
lúvu ■ fig. Bebedeira \ PI. jinganza. 

Ngánza, arlj. (IX) Escuro | Fer- 
rete: mulombe'a — ' Côr de ferro | 
Tirante a ffrro. 

Nganzuânzua (IX) Cada uma das 
peças ósseas em que estão implan- 



tados 09 dentes no homem e ani' 
mais vertebrados. Maxila Quei- 
xada. I PI. jinganzuânzua. 

Ngariama, adj. e sub. (IX) Que 
tem pouco do que é necessário 
Indigente Pobre | Obscuro i Ba - 
xo j Que tem humildade; que care- 
ce do que necessita i Mal-dotadn; 
pouco favorecido Modesto í Infe- 
liz I I Pessoa pobre, humil le 
Mendigo ! Pobrete. | PI. jingariama 

Ngariária, sub. (IX) bot. Árvore 
miristicácia e .-eu fruto, de proprit- 
dades medicinais e sabor amargo. 

Ngasêse, sub. (IX) ictiol. Peixe 
escoinbrida, parecido com a sarda 
Escombro ■ Cavala \ PI. jingasêse. 

Ngásu, sub. dX) port. Gasto 
Despesa. V. Túbu. 

Ngátu. sub. (IX) port. Gato. V. 
Aí/xí Kiuáia. 

Ngaxâxa, sub. (IX) Movimento 
convulsivo dos músculos das vias 
respiratórias seguido de explosão 
ruiJosa do ar, | Esternutação | Es- 
pirro Kuta — , V. int. Esternu- 
dar i Espirrar ' Dar um espirio. | 
Nome por que erradamen'e se co- 
conhece o peixe ngasêse. \ PI. _//- 
ngaxâxa. 

Ngaza, sub. (IX) bot. Planta ti- 
po da família das ambrosiáceas | 
Erva medicinal | Ambrósia. V. 
lângu ia Nzambi \ \ 'P\. jingaza. 

Ngéki, conj. Do mesmo modo 
que Assim como: til loloke o ma- 
kongo — tu loloka m'aketu \ Confor- 
me Como Quando ' Logo que: 
eie uiza — emeki ngi tunda] Se Uma 
vez que. 

Ngéla, adj. (IX) Que se põe ou 
oculta j Poente |j sub. O ocidentej 
O l?do onde o sol se põ..-: mu — | 
Ocaso. 

Ngêla. sub. (IX) Cada uma das 
pontas sólidas de alguns animais. | 
Chavelho; corno: — ia ngómbe Chi- 
fre para usos domésticos | PI. ji- 
ngela. 

Ngeleja. sub. (IX) port. Igreja j 
V. nãongo PI. jingeleja. 

Ngelelu, sub. (IX) O que se co- 
me liabitualmente com pão, funji, 
farinha, etc. Condimento; condu- 
to: u bana o mbiji, u bana ni — | 



NOÉ 



-4i- 



KGI 



Substância que realça o sabor da 
comida. ] P\. jlngelelu. 

Ngelenge, sub. (IX) zool. Antílo- 
pe da corpulência de um boi (cato- 
blepas taurina), de carne saborosa | 

mesmo que ngalange. 

Ngêlu, sub. (IX) zool. Mamífero 
roedor j Rato silvestre de rabo fel- 
pudo I Esquilo. 

Ngem, adj. (IX) Rije; duro; for- 
te I Que não quebra à pressão | In- 
flexível. I I adv. Duramente | Ri- 
jamente I Sem fraquejamento. 

Ngéma, sub. flX) Porção de co- 
mida que se pode meter de uma 
vez na boca | Bocado: — ia klringu 

1 Pedaço | Pequena porção (de co- 
mida) I Naquinho. V. kâma. \ \ Vi- 
nhateiro I Pessoa que prepara ou 
recolhe da palmeira o vinho; — u 
aribembula, uia ni maluvu me \ PI. 
ji ngéma. 

Ngémba, sub. (IX) Certa quali- 
dade de peixe, mais pequeno que o 
o pungu. I PI. jingemba. 

Ngémi, adj. e sub. (IX) Que vin- 
dima I Vindimador: — a maluvu \ 
Homem que vindima. 

Ngéna, sub. (IX) Ódio | Aver- 
são inveterada, figadal | Rancor | 
Asco; repugnância. 

Ngénda, sub, (IX) Cova de feras 1 
Covil: — ia jihoji | Caverna; furna} 
Lugar escuro I I Passagem abobadada 
por baixo do monte [ Túnel | Sub- 
terrâneo I i Antro I Buraco sem 
fundo j Cafua 1 Esconderijo | Abis- 
mo I fig. Prisão; calabouço. 

Ngene, adj. Que é de outro; que 
não é nosso | Alheio: kinia kia — j 
Estranho; desviado : mutu ua — j 
Contrário ] | Celebrado; respeitado; 
bom. j I sub. O que é de outrem | 

que se não deve tocar ou usar | 
Pessoa boa: muhatu ua — \\ pi. o% 
que não são da nossa casa ou famí- 
lia: ata a — | Os que não tem que 
vêr connosco | Os alheios. 

Ngênga, adj, (IX) Que se separa 
ou serve de separação: u ala mu — 

1 Que está à parte | Separado; de- 
sunido. [Isolado; distinto | { sub. A 
cousa que separa ou serve para se- 
parar: kuta — I Separação | A par- 
te separada do todo: kala kima ni 
—U\l\g. Valado; sebe; íôsso, 1 1 adv. 



Separadamente: mu — | Isolada- 
mente. I A sós; à-parte. 

Ngénda, sub. (IX) bot. Fruto de 
mungénga, de propriedades medici- 
nais contra a sífilis. 

Ngenge, sub, (IX) Esparto tira- 
do da haste da palmeira, que ser- 
ve de corda: — u akutile pang'ie pela 
1 PI. ji ngenge. 

Ngénge, sub (IXi bot. Fruto de 
cajaseiro; [ Cajá j Fruta de planta 
anacardiácea j jadj. Cujos abor é are- 
do I Ácido; acre | fig. Ladino: u 
âbia kala — Esperto | PI. jingénge. 

Ngengéji, sub. (IX) Terreno ou 
lugar pióprio para enterramentos 
I Sepulcrário j Cemitério de uma 
família ou tribu. | PI. jingengeji. 

Ngengêmbua, sub. (IX) zool. 
Pássaro notívago. 

Ngênha, sub. (IX) bot Árvore 
da família das anacardiáceas, de 
que se faz o carvão vegetal. V. Ki- 
tunda 

Ngenhe, sub. (IX) Acúleo ; Es- 
pinho de certas plantas ramnáceas. 
Aguilhão. V, pi. jingenhe. 

Ngênji, adj. e sub. (IX) Viajan- 
te I Forasteiro; estrangeiro , Ca- 
minhante: passageiro: — ni muha- 
mba ue\ Negociador \ Peregrino; 
romeiro | | adj. Que é de país dife- 
rente daquele em que vive. [ Exó- 
tico. 1 Importado. P). jingenji. 

Ngéu, sub. (IX) A parte inferior 
do rosto 1 Queixo; mento | A ma- 
xila móbil. I fig. Barba. PI. jingéu. 

Ngi, pron. pess. Me. 1 Mim j A. 
mim: — bane; —tale \ Minha 
pessoa 

Ngíángia, adj. e sub. (IX) Es- 
pertalhão. I Ladino. 1 Passarão. | 
Finório 1 [ adj. Vivo. 

Ngiia, A i.a pess. sing. do indic. 
do V. ir. V. kiila. 

Ngijí, sub. (^IX) Curso de água 
I Rio I Líquido que coire abundan- 
temente I I Riacho I Ribeiro j Pe- 
queno rio: bu — ia menha \ PI. 
jingíji. 

Ngíjí, adj. e sub. (IX) Conheci- 
do: mutu ua — i Que conhece | 
Pessoa que nos é conhecida j Do 
nosso conhecimento: atu ã — . 



UG\ 



- 4â- 



NG0 



Ngilari, sub. (IX) Vaso de barro 
mais largo que alto e cuja boca tem 
muito maior diâmetro que o fundo 

I Alguidar. 

Ngima, sub. (IX) Utensílio de 
madeira em foima de espátula com 
que se fabrica o funjí | O mesmo 
que nguiku. 

Ngimba. sub (IX) Artista | 
Exímio I Pessoa que cultiva uma 
das belis-artes i| Oficial arteza- 
no; opeiátio hab lidoso . | fig. Pes- 
soa emérita em art minhas. 

Ngímbí, aij. e sub, (IX) Que 
canta | Pessoa que «abe cantar | 
Cantor: — k'arimb'ê, nganga ia 
imbanda Ic'an'sak'ê , Cantador. 

Ngimbi, corog. Pequena pov. 
junto à lagoa deste nome, posto de 
«Bom Jesus», circ. civ. Icolo e Ben- 
go (Catete), distr. e prov. de Luan- 
da: mua: — . 

Ngimbiri, sub. (IX) Indivíduo 
que canta mu to [Cantadeira ] 
Mulher que faz do canto profissão. 

Ngimbii, sub. (IX) Pequeno ma- 
chado de cabo curto para podar ou 
escalar peixe i Machada. | Macha- 
dinha. 

Ngina, sub. (IX) Escavação sub- 
terrânea natural ou artificial com 
entrada franca [ Giuta. \'. ngénda. 

Ngínda. adv. Antfs; melh u: — 
knziida kiaubote lumoxi,kana luziiela 
kutondala De preferência Pelo 
contrâTÍo , ; Para que: — miixima 
u betuke. 

Ngínde, adj, (IX) Notável; ilus- 
tre; dom: iig'akexíle — . — ia ngene, 
ku ngene u akolo o muenliu | Insigne. 

Ngíndu, sub. (IX) Madeixa de 
cabelos I Trança | Cousa entrança- 
da Poição de cabelo torcido. PI. 
jíngindu . 

Ngínga, sub, (IX) zool. Género 
de araciií leos venenosos | Lacrau 
I Escojp ão J — ia risa. V. mbala- 
nganza , PI ji ngínga. 

Ngínza, sub. (TX) Instrumento 
sonoro composto de uui arco de 
metal atravessado de uma haste 
sôltá ! Espécie de siít''0 ! . Cain- 
paính i de latão ou fôihaque se agi- 
ta como sineta: — j'a xH<i pombo 
fabandula \ Chocalho (para bois, 
cabras, etc). j PI. jingínza. 



Ngíongíolo, adj. (IX) Desleal; 
farsante; traidor | Hipócrita j 
Mentiroso \ \ sub. Falsar o | O que 
não é verdadeiro | j adj. e sub- Que 
temmá fé e finura para enganar | 
Velhaco | patife; m.aroto. 

Ngiri, sub, (IX) Parente; familiar; 
amigo, I Pessoa de nossa intimida- 
de, de nossa família: — il bJilda — 
ie ' Similhante || adj. Afeiçoado, 
partidário. 

Ngirinhá, sub. (IX) Prisão Re- 
de para envolver e prender ani- 
mais ferozes. | É m. us. no pi. jingi- 
rinhá. 

Ngiriri, sub. (IX) Pedaço de ma- 
deira em forma cóiiica com um bi- 
co que serve de jô^^o de rapazes ] 
Pião, 

Ngíriuánal inteij Credo! Eu te 
esconjuro V. kuriuána. 

Ngítu, sub (IX) Infusão medica- 
mentosa para clister RemóJio ca- 
seiro que se toma em clister ; Pur- 
gante I Mesinha. 

Ngixí, conj. Que | O seguinte: — 
a alungu'ê \ V. kuila. 

Ngó, adj. Vago ] Não ocupado | 
Disponível \ \ Só; sozinho | N ã o 
acompanhado: iiala — ■ | | Único : 
unioxí — I Sem mais nada ! Sem or- 
natos ou pompas. V. liangala \ Va- 
sio; seco: miiifuri ua — Singelo; 
simples; puro; não corrompido: mutu 
na — ' Árido, enfadonho. | Dado, 
concedido de graça j Gratuito; ku- 
banga — |i sub. Serviço prestado 
gratuitamente ] Favor: /(ukalalcala 
kua — ' Serviço recebido sem retri- 
buição I Protecção; amparo | i adv. 
Apenas; somente: ng'ambe — \ Gra- 
tuitamente ' Unicamente: ula — mil- 
ngn \ Sem suavidade; sem importân- 
cia: kima kia — | Grátis. 

'Ngo, sub. (IX) zool. Onça; tigre: 
sasa o' — i ku tolole o xingu Mamí- 
fero carnívoro do género gato | Fe- 
lino V. ingá. 

Ngpê, sub. (IX) Choro lamentoso] 
Lástima | Lamentação | Choro 
plangente por perda de pessoa queri- 
da: —,ãia ku' alunga a n^i tolola o 
Xingu II adv. de dôr: Ai de mim! 
Ai, minha mãe! 

Ngõéla, sub. (IX) Utensílio para 
arrancar do pau frutos pendentes | 



mó 



-43- 



NGO 



Pau Comprido e recurvo na ponta 
para o mesmo fim. 

Ngofe, sub. (IX) bot. Leguminosa 
de sementes e raízes medicinais | 
Planta febrifuga (cassia occidentalis). 

mesmo que murianhoka. 

Ngóho, adj. (antiq.) Só i Dado, 
concedido de graça | Gratuito: a ki 
bana — [ | adv. Sem interesse | Gra- 
tuitamente. 

Ngôji, sub. (IX) Filamento de ma- 
téria têxtil ] Cordel I Fio ■ Cordão; 
barbante; guita || Corda; prisão; ca- 
deia: a mil te bu — | | Membrana que 
prende a língua pela parte inferior. [ 
Freio: — ia rimi \ Ligamento do pre- 
púcio. I I — ia rfvumu, genealogia ; 
sequência I — ia hoa, placent^irio ou 
cordão umbilical. V. /íoa | PI. jingoji. 

Ngókio, adv. Inutilmente | Debal- 
de: a kl bange — | Em vão | Balda- 
damente | De graça; gratuitamente. 

1 V. ngó. 

Ngôla, sub. (IX) Nome do rei do 
Dongo, dado ao território que com- 
preende a mais vasta e rica provín- 
cia de Angola: ixi ia— \\ — 'a mata 
Diz-se daquele que, em campo de 
batalha, dirige as operações da guer- 
ra. Kquivale ao Chefe dos Exércitos. 
V. mata I i — mata, Instrumento mú- 
sico semlhante a bandolim j Espé- 
cie de pandeiro com braço como o da 
viola 1 Banjo. | | — mbole, Título 
equivalente a superintendente das 
despesas da casa real Mordomo- 
-mór. j Titulo e funções de adminis- 
trador dos bens do rei I Veãdor | j 
— muxi, bot. Planta herbácea, cuja 
raiz, em bebida, emprega se como 
coatra-peç onha . || corog. Pov. 
e posto na circ. civ. de Quilengues, 
prov. e distr. da Huíla, com 3.774 
hab. 1 1 hist.— Kanini, Neto de - Ki- 
luanji, 4." rei de Angola, com corte 
no cone. de Ambaca (Ha ri), conver- 
tido ao cristianismo em 1614, em 
que se transferiu para Pungo-Adon- 
go. I I Mutua — , adj. Angolense \ De 
Angola 1 Natural ou pertencente ás 
terras de 'Ngola (Angola). 

Ngóle, sub. (IX) Bigredo rio ] 
Peixe silurida. | V. miisólo. \ P). ji- 
ngóle 

Ngolela, sub. (IX) Manifestação 
de contentamento e júbilo j Ale- 
gria i O que causa essa manifesta- 
ção I Graça; riso. 1 1 O primeiro in- 



teresse; o primeiro lucro: — ia uênji. 
j Vantagem lucrativa ! O resultado 
de um trabalho ou negócio V. pi. 
jingolela. 

Ngoretu, sub. (IXj Tratamento 
que se dá às pessoas em virtude da 
sua posisição social j Senhoria | 
Título honorífico dado ao que tem 
poder íôbre a terra de que é se- 
nhor I Abrev. de Ngola ietu 

Ngólo, sub, (IX) antiq. Resistên- 
cia I Força. I Vigor. | V. ngúzu, 

Ngolokela, sub. (IX) Prevenção; 
aviso; noiícia ; Pregão ( B»ndo: mà 
ngongo mu abiti — | Grupo de in- 
divíduos que percorrem a localidade 
anunciando um acontecimento 
ÉJito I Anúncio. 

Ngolôlo, sub. (IX; Ariuaça | 
Gritaria | Assuada: a mu te — | 
Alarido; berreiro || Quantidade 
de vozís que se ouvem ao mfsmo 
tempo I Ruido; vezeiro; barulho | | 
Lamentação | Pranto | Queixa. | 
V. pi. jingolõlo. 

Ngolome, corog. Pov. no antigo 
cone. do Golungo Alto, circ. civ. de 
Casengc, distr. do Cuanza-Nor te; 
prov. de Luanda || Lagoa próxima 
da pov. de Bom-Jesus, margem di- 
reita do rio Cuanza, circ. csv, de 
Icolo e Bengo (Catete*. 

Ngóloxi, sub. (IX) Espaço do 
dia compreendido entie a meia tar- 
de e o escurecer j Tarde O fim 
do dia: mu - \ Tardinha | A taide 
1 Véspera | O ocaso | O anoitecer 
I I adv. De tarde | Antes do escure- 
cer j 'A tardinha j | — 'ei, expres- 
são equivalente à fboa tarde; esta 
tarde» 

Ngóma, sub. (IX) Instrumei.to 
músico feito de comprido pau ôco, 
tendo na extremidade de maior lar- 
gura uma pele tensa, sobre que se 
toca com a mão. ' Tambor [ Bom- 
bo I Som produzido pelo tanger dO 
tambor \ Rufo , Sinal de alarme 
— 'aputu. madrugada; ao lomper da 
aurora | Música matutina \ Alvo- 
rada I Pi, jingoma. 

Ngómbe, sub. (IX) zool. Rumi- 
nante da iam. dos bovídeos destina- 
do a carga e almentacão do homem 
1 Boi: xitu ia — Quadrúpede que 
serve de Ci valo ( no interior ). PI. 
jingombe. 



KÔÓ 



-44- 



NGO 



Ngômbo, sub, (IX) Pequena ci- 
catriz do cordão umbilical no meio 
do ventre | Umbigo | Depressão 
que apresenta a forma de uai umbi- 
go j I bot. Cavidade na parte do 
fruto oposta ao pé. 

Ngómbo, sub. (IX) mit. Deus da 
Verdade Deus dos Deuses: kuxi- 
ngila — li Doença cerebral caracte- 
risada por síncopes convulsas | 
Epilepsia: uhaxi ua — \ Gota coral. 

Ngombo, adj. e sub. (IX) Aque- 
le que ás ocultas abandona o seu 
lugar ou posto | Foragido ] Deser- 
tor ! O escravo que foge da casa de 
seu patrão ou senhor | Fugitivo | 
A criança que não permanece em 
poder ou casa de pessoa estranha | 
Homiziado; fugido. PI. jingotnbo. 

Ngomboía, sub. (IX) Lugar on- 
de se acoitavam escravos foragidos 
\ Morada ou refúgio de gente má | 
Coió I Velhacouto | Lugar onde 
se oculta e desenvolve o que é mau 
ou pernicioso | \ top. Bairro da cid. 
de Luanda, na encosta fronteiriça à 
igreja do Carmo. 

Ngónde. sub. (IX) Mês \ V. 
mbeji. 

Ngôndo, sub. (IX' Pequena es- 
pera de ouro ou prata para ensartar, 
ornar, etc. j Conta. V. pi. 
jíngondo \ O próprio metal ( ouro) : 
kitari kia — | O ouro; aa jó as e os 
artigos em ouro 

Ngondo, pref. com que se forma 
o futuro dos verbos, correspon- 
dente á I.» pessoa do sing: hei-de: 
— Tia; — zeka; — tala, etc. 

Ngóne, sub. (IX) zool. Mamífero 
roedor da fam. dos ciuridas. | Ra- 
to silvestre | Arda. 

Ngônga, sub, (IX) Doença cutâ- 
nea que se manifesta sob diversos 
aspectos: a erisipela; a escrófula; 
a titinga; o cancro, e os defeitos 
naturais de pessoas ou cousas; sa 
nji ia — . II Pequeno cesto 
de palha ou vime com tampa 
para guardar miudezas ou artigos 
de costura , Açafate | Alcofa | 
Caixinha | | Cofre | Caixa para 
guardar dinheiro ou outros valores: 
kubaka kitari mu — \\ Cestinha em 
que o curandeiro arrecada os in- 
gredientes da sua profissão. )| — ' 

'a ndala, corog. Antiga pov. do 



cone. de Massangano, freg. de N. 
S. da Victória. circ. civ. de Cam- 
bambe, prov. de Luanda. 

Ngónga, sub. tIXi Instrumento 
músico de uma só corda. V. hângu, 

Ngônge, sub. (IX) Cada um dos 
segmentos que formam o corpo 
dos animais articulados ' Artículo 
I Falange: — ia mulembn ! Junta | 
Juntura doa ossos | Articulação | | 
Osso comprido dos membros | Ca- 
na: — ia kinama \ Lugar ( do cor- 
po) correspondente a uma articu- 
lação I Extremi lade \ Pulso: — ia 
lukuaJcU [ I Banda; beira; margem 
( de rio ): -ni\ ; - ki bu kaVê márinda 
\ I Instrumento metálico para tan- 
ger I «Gong». I Instrumento for- 
mado por dois chocalhos de ferro 
unidos por um arco do mesmo me- 
tal ! Tam-tam | j Qualquer instru- 
mento ou utensílio sonoro que cha- 
me atenção ou por meio do qual se 
anuncie um acontecimento | Pregão; 
aviso; bando \ Cada uma das divi- 
sões da cana de açúcar : — ia muênge; 
do caniço : — ia ritetele, etc. 

Ngóngena, Ngóngenha, Ngóngue- 
nha, adv. Da banda d'além ! Do 
outro lado. Corrup. de ngonge ina. 

Ngongembu, sub (IX) Pássaro 
noctívago, j Espécie de morcego. | | 
corog. Pov. e posto do cone. de Ca- 
sengo, distr. do Cuanza-Norte, prov. 
de Luanda, com 9.412 hab. 

Ngóngo, sub. (IX) Sofrimento | 
Tribulação | Padecimento | Martirio: 
kumona — j Pezar j | Trabalho for- 
çado; desgraça | Aperto; dificuldade 
I O mundo, a labuta, o meio, a vida 
I Modo de viver kuia mu — | Peio 
mundo, pela vida fora : kuvuala ku 
'ariU o kanjila mu — | Alimentação 
e necessidades da vida : tumba nduiigu 
ku sakuke, ki úia mu — k,u sakele \ 
Sociedade | Convivência. 

Ngongo, adj. e sub. (IX) Irmão 
gémeo I Um dos primeiros filhos 
nascidos do mesmo parto. ' ' O par; 
o similhante Gémeo. | V pi. ji- 
tigongo. 

Ngongoénha, sub. (IX) Sopas de 
farinha de mandioca com açúcar ou 
mel, a frio. 

Ngongolo, sub. (IX) Grupo de 
pessoas ! Magote | Rancho: mu — 
Vatu. 1 Multidão j fig. Súcia; baru- 
lho; confusão. 



NGO 



-45- 



NGU 



Ngongólo, adj. (IX) Que tem a 
côr da casca de castanha j Casta- 
nho : rilcoua ria — | j sub. A côr da 
casca de castanha | bot. Madeira 
do castanheiro. V. mimgongolo I | zool. 
Verme anelido que se enrosca quan- 
do se lhe tocam Mourão ] Género 
de miriápodo parecido com o bicho 
de conta | PI. jinfjongólo. 

Ngongono, sub. (IX) bot. Fruto 
de planta apocinácea, comestiv^el, | 
Uva silvestre, de bom paladar. V. 
rmtngongono . 

Ngóri, adj. e sub (IX) Gémeo | 
Irmão nascido do mesmo parto. 

Nguá, loc. adv. pi. Não querem: — 
kuria '• Não admitem; não aceitam; 
não consentem, i sub. Nega | Re- 
cusa. 

Ngualeía, sub. (IX) port. Anco- 
reta. 

Nguámi, adv. Não quero i Não 
consinto Não concordo Não | — 
ami, loc. adv. De maneira nenhuma ' 
Não pode ser [ Não passo consentir. 
I I sub. Rocusa | Nega. 

Nguángua, adj. (IX) Usurário ; 
Usurpador | V. kinguángua. 

Nguâri, sub. (IX) Ave galinácea do 
género perdiz A própria perdiz. \ 
Bartavela; francolim. 

Ngúba, sub. (IX)^ bot. Fruto de 
amendoeira, de difícil extinção no 
solo: — k'abuê bôxi, mulonga k'abuê 
ku muxirna. Bago de ginguba | 
Amêndoa V. pi. jinguba. 

Ngúbu, sub. (IX) Escudo oval de 
couro I Adarga | Arma defensiva 
com que se cobria o corpo dos gol- 
pes das armas brancas j Pavês | Es- 
cudo I Protecção Amparamento. 
Abrigo I Pe>soa que acompanha 
outra para evitar que a ataquem. 
I Defesa | Guirda-costas. | j adj. e 
sub. Protector Defensor | Amparo. 
] fig. Capa; cobertor. 

Ngué, loc. adv. e pron. interrog. 
Não queres ou não quere : — kãnua. 
i I sub. Recusa | Nega 

Nguêia, sub. (IX) zool. Pequeno 
pássaro conirostro, de bico e peito 
vermelhos, conhecido por « S. Ja- 
nuário». 

Nguéndu, sub. (IX^ port. Un- 
guento. 1 V. ndêmbu. 



Nguengue, sub. (IX) zool. Ave 
conirostra de plumagem vistosa e 
rabo comprido Cardial. \ fig. Pes- 
soa de boas maneiras, grande de al- 
ma , Pessoa magnânima, de grande 
influência [ Magnate. 

Nguénu, loc. adv. e pron. inter- 
rog. pi. Não quereis; não consentis: 
— kulamba j [ — 'enw De forma ne- 
nhuma i Não podeis 'consentir | | 
sub. Recusa. 

Nguéfu, loc. adv. pi. Não quere- 
mos [ Não aceitamos: — kitari. \ 
Não consetimos — 'eíw, Não aceita- 
mos de maneira nenhuma, i Não po- 
demos consentir. | [ sub. Negação. 

Ngúfu, sub. (IX) Tambor. V. kin- 
guvu.. 

Ngúhi, sub. (IX) zool. Saurius, de 
côr preta, carnívoro e feroz, que ha- 
bita nos mangais e fundo das lagoas. 
; Jacaré marítimo. 

Ngúia, sub. (IX) port. Agulha; 
utensílio de costura. , V. tumbu. 

Nguíku, sub. (IX) Pequeno pau 
roliço ou achatado com que se ma- 
nipula o funji. \ Espátula (para 
mixturar papas). 

Nguim! interj. para significar o 

encarn çamento dos olhos: mesu — ' 
Expressão significativa do encarna- 
do vivo: menha m'êri — . sub. e 
adj. Encarnado | A côr encarnada 
j Relativo ao sangue | Da côr do 
sangue. 

Nguingi, sub. (IXj Peixe teleósteo 
silurída (do rio). ' Bagre preto. 

Nguinhi, sub. flX) Corda grossa 
(geralmente de caule das árvores 
trepadeiras ) Soga | Corda com 
que se atam animais ferozes ou vo- 
lumes de graude peso ou resistência 
Cipó. 

Ngulá, adj. (IXj Falto de grati- 
dão; não agradecido aos favores ou 
benefícios Ingrato Que paga o 
bem com o mal \ Desagradecido \ 
Que não corresponde a o carinho 
ou à bondade com que é tratado | 
Que não recompensa o trabalho que 
se lhe consagra. 

Ngulaía(a, adj. (IX; De côr de 

carne Encarniçado Vermelho co- 
mo carne viva: mêsu — \ Tinto de 
sangue. 



NGU 



- 46-^ 



NGU 



Ngúiu, sub. (IX) zool. Género ti- 
po da farn. suida Porco; cevado | 
A carne deste animal: xiíu ia — j ; 
Género do peixes, assim chamados 
em razão da sua gordura. \ fig. Co- 
milão; alarve || — ia niasa adj. 
Triquinado Triquinoso | Diz-se do 
porco padecente de triquinas. 

Nguluiigu, ^ub. (IXl zool. Antí- 
lope malhado de tamanho maior 
que a corça Gazela: kuzeka bu kiba 
kia~ka kingild-bu kizuui kúkia \ Vea- 
do: — 10 u bita ndemba ku mutue j'a 
mu kiisuka \\ corog. Vasto territó- 
rio que constituía o antigo cone. 
deste nome (Golungo Alto), distr. 
de Luanda. É limitado ao N. pe- 
los Dembos, S. com Cazengo, E, 
pelo antigo cone. de Ambaca e O. 
com Zenza do Golungo, banhado 
por muitos rios que fertihzam seu 
solo. entre os quais o Cuango, o 
Kâue, o Luinha, Luçue, Míiria, Ki- 
tungo, etc. Pov. e sede do actual 
posto civil deste nome. cone. de Ca- 
zengo, freg. de S. João Evangelista 
distr. do Quanza-Norte, prov. e 
arceb. de Luanda, a 90 08' de Lat. 
S. e 140 46' de Long. E. Gr., Ssa"». 
de alt., 10.105 hab., est. postal e 
terminas do ramal do C. de F. de 
Luanda, «ub-deleg. de Saúde e es- 
cola prim. n ° 19 de * Rodrigues 
Graça » 

Nguiúria, 
dos peixes. 

Nguma, adj. (IX) Traidor ] Pe- 
rigoso sem o parecer Que faz 
mal inesperadamente ] Inimigo: 
ndatida — Traiçoeiro; pérfido | | 
atlj. e 3ub. Contrário; hostil ; Que 
aborrece ou quere o mal j Com 
quem se anda em guerra 1 sub. 
Indivíduo que tem ó lio a cutro. 

Ngúmba, sub. (IXj Arma bran- 
ca, cutta e pesfurante Puuhalj 
Faca de dois grumes ; Estilete | 
Choupa. 

Ngumba, adj. e sub. (IX) Que 
trabalha | Que faz obras , Mestre 
Trabalhador | Que vive do tra- 
balho I Obreiro j ; Amigo do tra- 
balho Operário; oficial (do ofí- 
cio). Jornaleiro ] fig. Antiga moe- 
da de cobre no valor de 3 ctv. 
(30 reis): 7<í/'a mu bana — . — iete, 
.sub. zool. Insecto género dos 
himenópteros, cuja larva é parasita 
em outros insectos 1 Icneumon 1 



sub. (IX) Estômago 
Bucho 



Mosca da «erra [ fig. Oleiro | Pe- 
dreiro, operário que trabalha em 
barro ou argamassa. 

Ngumbe, sub. f^IX) zool. Ave ga- 
linácea de arribação | CodOrniz. 
E' tb. conhecida por kangumbe. 

Ngúmbu, corog. Pequeno afluen- 
te da margem esquerda do rio 
Luanda, no distr. de Moxico, prov. 
do Bié. 

Ngúna, sub. (IX) zool. Género 
de insectos himenópteros tipo fam. 
das formicidas, conhecido por «for- 
miga branca». Térmite | Formi- 
ga de asas , Agúdea. | PI. jin- 
r/uma. 

Ngúnda, sub. (IX) Rede de pes- 
ca que se arremessa de lanço | Tar- 
rafa [ Tecido de malha para apa- 
nhar aves. 

Ngúnda, sub. (IX) bot. PUnta 
dioscoreácea e seu fruto similhan- 
te a batata redonda Inhame. V. 
pi jinyunda. 

Ngundu, sub. (IX) Restos de 
edifícios; destroços; ruínas: bii san- 
zala buaxala — | Diz-se dos lugares 
dantes habitados, ou de povoações 
desaparecidas | Restos de civiliza- 
ções passadas. 1 Despovoado | Lu- 
gar deshabitado, 

Ngúndu, sub. (IX) Lugar onde 
um grupo, família ou tribu se esta- 
belece, semeia e colhe, abandonan- 
do-o em seguida [ Colónia ' Lugar 
pouco frequentado Reíinião de 
iridivíluos acampados. |! adj. 
Aventureiro; de vida incerta | 
Nómada; vagabundo; errante j zaol. 
Ave escolopacida fam. das peinal- 
tas, abundante nas margens do 
Cuanza e Bengo. Espécie de ga- 
hnhola i fig. Ave de arribação 1 |fig. 
Inimigo; usuipador; hostil. ' \ — 
'a-ndala, Ave dentirostra que canta 
de madrugada \ Rouxinol ; fig. Pes- 
soa que canta bem. 

Ngúnga, sub. (IX) Qualquer ins- 
trumento sonoro | Sino ' Som pro- 
duzido pela pancada dada no sino ' 
Badalada : kuxilca — '. fig. Tagarela 

Pessoa que fala muito ou não 
guarda segredos. \ \ Corrente (de 
canal, de no) ] Marcha de um li- 
quido em determinada direcção ; — 
ia muiji. I Movimento de ar ou flui- 
do em certa direcção: mu— ia mulengt 



NQU 



- 47 



NGU 



I O que é corrente ' | Correnteza | 
Fileira; série ininterrupta : mu — ia 
mulundu I ímpeto no avançar j Im- 
petuosidade : uendela mu — ' Uso, | | 
I ! adj. Que vai correndo ou passan- 
do : mto — ia kizuaa, | Que se agita 
com ímpeto | Que se arrcja com 
violência | Impetuoso; veemente 
!| prep. Durante i adv. Corrente- 
mente; com desembaraço: kutangda 
mukandamib — \ Familiarmente; sem 
obstáculo. ! ictiol. Grande peixe 
do mar, produtor de sons prolon^ 
gados zool. Grande ruminante 
das selvas, do tamanho superior 
ao do boi I Gnú, 

Ngungu. adj. e sub. (IX) Supe- 
rior; maioral; de alta posição ou ca- 
tegoria ' Comandante; chefe: uná 
muene o — | O maior de todos | fig. 
Governador | 1 bot. A vore de gran- 
de res'stência, fam. das legumi- 
nosas {erylroplioleum africanum), uti- 
lizada para conátiuções | i corog. 
Pov. e posto da circ. civ. de Novo 
Redondo, distr. do Cuanza Sul, 
prov. de Benguela, com 7.063 hab. 

Ngúngu, sub. (IX) zool. Ave co- 
nirostro do tamanho do «bico de 
lacre» Bando destes pássaros. 
Passarada | Grande número de 
pessoas ou seres da mesma espécie 

fig. Comilão I Devastador j j — 
'a-ujiía Per VI do mato. V. kingungu 
á-njila \ — 'a-a-iÍM, Abutre ' Devo- 
rador de carnes. V. kingungu 'a xitu 
I 1 — nmfiiina, bot. Fruto ou ca=ca da 
mafumeiry. V. múfuma 

Ngunhá, sub. (IX) ictiol. Peixe 
do mar. 

Ngunhu, sub, (IX) bot. Nome 
genérico das plantas sarmentosas 
das matas virgens Cipó: {hippocratea 
apicula). , Caule lenhoso ou herbá- 
ceo que lança r.-ízes nas articula- 
ções I Sarmento j Haste comprida 
das trepadeiras. 

Ngúnji, sub. (IX) Pilar que sus- 
tenta abóbada ou entablamento [ 
Coluna: — ia'nzo \ Pau que, devido 
à sua grossura e resistência, se co- 
loca nas esquinas da casa para a 
fortificar Sustentáculo ^ Escora; 
apoio; eacòito; base ; Coluna sim- 
ples que serve de suporte j Pilar 
Esteio I i Hipoteca; penhor: kuta — 
I O que nos garante contra o peri- 
go i Segurança ^ Firmesa: u baiiga 
o kima u kala ni — | O que serve de 



sustentáculo, de garantia. PI, jingúnji 

Ngúnza, sub. (IX) Mensangeiro ; 
mandado | Apóstolo; en- 
viado I I Pagem | Ordenança; exe- 
cutor de ordens. | | Ajudante; su- 
balterno Acólito I O que ajuda 
ou substitui na missão, no empre- 
go, etc. I ' Personagem nascida de 
um ser divino e cutra mortal | 
Herói I Varão ilustre e gran 'e por 
feitos de coragem | Semi-deus; 
Senhor dos exército^: — ia ita \ ; 
Objecto que exerce grande influên- 
cia ou poder ' Divindade Deus: 
kiene ki a ngi xinda — . corog: 

Nome por que tb. é conhecido o 
no Kambongo. que atravessa a vila 
de Novo-Redondo. 

Ngunzu, adj. (IX) De pouca du- 
ração Efémero : muenim tia — i 
Que dura pouco: kima kia — In- 
consistente j sub. Cousa vã, inú- 
til. , zool. insecto neoióptero que 
nasce e morre no mesmo dia | 
Efémera. 

Nguri, adj. e sub. (III) Pai; pro- 
criador; progenitor: — 'àiia \ Que 
produz a geração | Tronco; raiz 
V. kinguri; 

Ngúri, sub. (IX) zool. Mamífero 
carnívoro, muito voraz de carne 
putr. facta. j Lobaz Lobo gran- 
de I Lobarro. || adj. Devorador. 

Ngusúsu. sub. (IX) bot. Media- 
na á r v o r e fam. das combreta- 
ceas (conbretum dipterumi de utilida- 
de tinctorial \ Combielo, 

Ngíifu, sub. (IX) Utensílio para 
levar aboca substâncias 
brandas , C o 1 h e r: — ia kulam- 
bela \ Ferramenta d-^ pôr argamas- 
sa nas paredes ■ Instrumento em 
forma cie colher. 

Ngíivu, sub. (IX) zool. Mamífero 
anfíbio paquiderme Hipopótamo. 
i Cavalo marinho. [ V. kinguvu. 

Nguvulu, sub. (IX) Aquele a 
quem se confia o governo de um 
distrito ou província , Governa- 
dor: - iaxi i Chefe do governo. 

Ngúzu, sub. (IX) Faculdadade 
de operar, de executar, de mover 
Fôiça , Valentia Vigor , Kijezf; 
poder da musculatura: kubela kua'- 
mbua, — mii i/aba Firnit-sa; ener- 
gia; kuxinjika ni — | E->íôiÇo; re- 
sistência Violência 1 ! O grosso 



NQU 



-48 — 



HAM 



ou a parte principal de alguma 
cousa: — ia poko ku mubinhi. \ Solidez 
I I Direito legalmente estabelecido 



de se fazer obedecer: 

ukala ni — ia kutumina \ 
Poder, i PI. jingútu. 



o murVa kimi 
Faculdade 1 



JErJL 



H, sétima letra do alfabeto 
kimbundu, tendo o mesmo valor 
que em português. 

Hâ, conj. No caso de; se; dada 
a circunstância de j Se por-ventura: 
— k'ezê, eieu kinga \ Se acaso | | adv. 
Talvez; Ainda que ] Acaso | Mes- 
mo que. 

Haba, sub. (IX) Fábula; conto; 
ficção; mentira | Sucesso inventadol 
Fabulação | | Patranha; embuste. 
V.pl. jihaba. \ \ 

Hâbia, sub. (IX) Concavidade 
na parte inferior da articulação do 
braço | Sovaco \ Axila. PI, jihâbia. 

Habu, adj. e sub. (IX"» Licen- 
cioso; devasso; libertino | Que tem 
eio 1 Meretriz: — ia mala \ Que vive 
na crápula, na libertinagem. | PI. 
jihabit. 

Hafi, sub. (IX) Peça comprida 
de madeira com uma das extremi- 
dades chatas para fazer vogar uma 
embarcação 1 ] Remo. | Mbengu ia, — 
a parte chata do remo | Pá | | Pe- 
queno remo que serve de leme às 
canoas e embarcações similhantes. 

Hâi, sub. (IX) Calçado que se 

prende ao pé por meio de tiras de 

couro ou p.mo | Alpargata | San- 
dália I PI. jihâi 

Haha, sub. (IX) Soberano de um 
Estado com relação a outros seus 
subordinados ou tributários | Jaga 
1 Suzerano j Imperador. V. ndémbu 
I zool. Mamífero desdentado ver- 
milingue de corpo coberto de es- 
camas I Pangoiino | Cada uma das 
suas escamas ; bot. Planta espi- 
nhosa da família das compostas j 
Cardo {dicoma iomentosa). | Planta 
cactácea.jl adj. Aspero| Espinhoso 

Que tem picos | j adv. Jamais 1 
Nunca I Em tempo nenhum: — , 
k'ibiti'è 1 Vez nenhuma 1 1 interj. 



Arre! Credo! Que horror: — kijilal \ 
Abrenuntiol PI. jihaka. 

Háki. sub (IX) Sabor acre ou 
adstringente | Travor: kiringu ki ala 
— I Amargor; || adj. Tiavento; de 
sabor acre, seco | Desagradável ao 
paladar, de mau gosto; ku kVria 
mbômbo; ku ki lokola — \ Que tem sa- 
bor adstringente. 

Haku, sub. (IX) O primeiro ali- 
mento que se dá à criança | O que 
uma criança come pela primeira vez 
I I Frieira | fig. Baptismo. V. pi. 
jihaku I I corog. Pov. e sede do pos- 
to civil deste nome, circ. da Qui- 
bala, distr. de Cuanza-Sul, prov. 
de Benguela, com 4008 hab. 

Haia, sub. (IX) Astaro j Caran- 
guejo I I — ia munon^ono , Cetáceo ma- 
cruro I Lagosta j Lagostim V. ri- 
koaa I PI. jihala. 

Hála.sub. (IX) port. cal. V.pcmfta, 

Halala, sub. (IX) bot. Espina 
cervina. PI. jihalala, 

Hama. adj. card, (IX) Número 
imediato a noventa e nove | Cem; 
centésimo; cento: — ri'atu || adj. 
indfcf. Muitos: kima kimoxi ki btnga— 
riamakuf \\ sub. Unidade numérica 
entre dezena e milhar | Centenar; 
centena; cem I | - jtiari, adj num. 
card. Duas vezes cem l Duzentos | 
Dois centos 1 — nake, oito vezes 
I Oitocentos | Cem :— ria aanji \ \ 
Kuinhiria-Dez vezes cem | Mdhei- 
ro I Mil I I Grupo de mil unidades | 
Milhar | O número mil. PI. jihama. 

Háma, sub. (IX) port. cama V,/úíu. 

Hámba, sub. (IX) Corda grossa 
ou cipó com que os trepadores de 
coqueiros ou palmeiras se seguram 
pela cintura. 

Hamba. sub. (IX; Repartimento 
1 Nicho ( Cavidade na parede ou 
rocha para colocação de imagens 



HAM 



-49 



HAT 



cestos, etc. V. rihamba \ \ Distân- 
cia que, fno tempo ou no espaço) 
medeia entre duas cousas, [ Inter- 
valo: boba bu ala— \ Interregno | 
Estiagem. 

Hambu, sub. ÍIX) Resina liquida 
que sai da incisão de várias plan- 
tas. Bálsamo: — ia mubafu Me^ 
dicamento que se põe era incisõas 
do corpo humano | Adesivo, fig. 
Alívio. 

Hamene, sub. (IXi forma antiq. 
de kimene. manhã: mu — . V. kimene. 

Hâmua, sub. (IX) Insecto dipte- 
ro de que há várias espécies | Mos- 
quito I Mosca psquena 1 Anofelis. 
PI. jihamua . 

Hâmue, sub. (IX) Mosca peque- 
na I Mosquinha \ Mosquito. 

Hâna, sub. (IX) Doença conta- 
giosa da pele produzida pela pre- 
sença de uns animáculos em forma 
de pequenas aranhas | Sarna Bor- 
bulha sarnosa. Us. m. no p\, j lhana. 

Hánda. prep. A começar de | 
Desde 1 Depois que : — ku âki | 
Uma vez que | A datar de. 

Handa, sub. (II) bot. V. múhanda. 

Handu, adj. (IX) Preservativo | 
Diz-se do amuleto ou equivalente 
tendente a surpreender ou moles- 
tar os que roubam mantimentos em 
seara alheia | sub. Beird; orla; 
margem \ Beiral. V. rikélu \ \ Bol- 
sa de couro para tab.ico | Pe- 
queno saco de mateba com tampa, 
para compras. | Cesto. 

Hându, adj. e sub. fIX) Trepa- 
dor (de coqueiros, palmeiras e ou- 
tras árvores).] Que sobe trepando \ 
Cortador de cocos e dendens. \ PI. 
jihàndu. 

Hanga, sub. (IX) zool. Género de 
galináceos fasianidas, conhecido 
por «galinha da Guiné» ou <da ín- 
dia» j Pintada: u suniba o — u sam- 
ba ni sanji, ki i tuka, sanji i xala \ 
Fraca. 

Hangala, adj. (IX) Insulso, insí- 
pido; destemperado: kâria kua — | 
Qae não tem tempero. Ensosso | | 
Sem graça, sem sil | Leve S raples: 
u azuata — | ! adv. Simplesmente; 
singelamente | Sem ornamentos ou 
adubos. I Levemente. 



Hanha, corog. Pov. e posto deste 
nome na circ. civ. da Ganda, distr. e 
prov. de Benguela, cora 18.245 hjb. 
e Junta Local do Cubai. 

Hanji, sub. (IX) Desejo \ Querer ! 
Vontade: — ia muenge i a ngi risa o 
rianga \ Apetite; gana: fome Desejo 
de satisfazer um gozo Sofreguidão ! 
Anciã j fig. Má vontnde (a alguém): 
ng'a mu kuatela — zool. Pequeno 
quadrúpede sem rabo, que vive em 
buracos dos morros. ' PI. jinhanji. 

Hanu. adv. Acaso; porventura; há 
ng'akuxokele musongo, — e/e ki^ ku 
afile? Ttílvez ] \ adj. Então j Nesse 
caso. 

Hanza, sub. (IX) Ufania ' Motivo 
de honra, de glória Preito; homena- 
gem j Glorificação | j Dito lisonjeiro | 
Lisonja 1 Louvor afectado, i 1 bot. 
Certa qualidade de feijão. V. pi. 
ji hanza. 

Hari, sub. (IX) Tribulação Tor- 
mento I Aflição j Dôr i Padeci- 
mento: nga mono — . I Sofrimento; 
infelicidade; desgraça Tudo que é 
oposto ao bem. I Trabalhos penosos 
i Esterco; sujidade: — ia'mbua \ 
Imundíc e. 

Hâria, sub. (IX) O tempo que ha 
-de vir; o porvir | Futuro I O resto 
da V\ád,:ku — u a^ala nvuama \ \ adj. 
Vindouro ; A posteridade: âkua — J 
As gerações futuras ; fig. Destino. 

Hasa, sub. (IX) A primeira folha 
do feijoeiro 1 V. pi. jiliasa. 

Hása, sub. (IX) Esconjuro; exor- 
cismo: kuta — ■ Promessa solene [ 
Jura \ Voto j O objecto que represen- 
ta a promessa: o — iami íi Obriga- 
ção contraída moralmente por pro- 
mes.sa feita á divindade ou a seres 
sobrenaturais ;' adj. Albino; abaça- 
nado .• ngongo ni — i Assa. 

Hafa, sub. (IX) Rodilha; chinguiço. 
I Pequena almofada redonda que se 
põe ao hombro ou á cabeça para 
amortecer o peso de uma carga, j 
Rodeta. | Molhelha. ' | Cada uma 
das voltas da cobra enroscada Ros-y. 
ca ] ! Regaço; colo. V. pi. jihata. 

Haíu, adj. Simples; sem acompa- 
nhamento ou conduto: mbiji ia — . 
[ Sem adornos nem enfeites ] Des- 
acompanhado, soco. 



HAX 



- 50 - 



HIT 



Hâxi. adj. (IX) Doente ' Padecen- 
te I Enfermo | Que é portador de uma 
moléstia anormal j \ Maníaco. 

Hê. conj. No caso de j Se: — kl ku 
ariinu^'ê, u ku jiba \ Se porventura. 

Hebu, sub. (IX) Filho de parto 
tardio. ' ! corog. Pov. e posto civ. 
de.ste nome, nooonc.de Amboini, dlstr. 
do Quanza-Sul, prov. de Benguela, 
com 13.153 hab. 

Hefu, sub. (IX) bot. Fruto piperá- 
ceo de sabor e cheiro semelhantes á 
pimenta preta conhecida por ndungu 
ia Kongo \ Cubeba. I E' medicinal 
contra as indigestões e males do 
ventre. V. pi. Jihefu. 

Héiu ! inter j. Diz-se da sensação 
da navalha ao penetrar nas carnes, 
cortando-as. 

Héju, sub. (IX) port. queijo. 

Héla, adj. (IX) Amado; preferido; 
adorado j | sub. Mulher amada, pre- 
ferida. 

Hela, sub. (IX) Cerveja fermenta- 
da de milho miúdo. 

Hêle, sub. (IX) Inquietação de es- 
pír to que hesita em obrar receando 
que o acto não seja lícito i Escrúpu- 
lo I Suscept bil dade I Hesitação ] 
Receio: ng'ala ni — ia kuzuela ngô \ 
Falta de decisão, de convencimento | 
T i m i d e z; cobardia i Acção pró- 
pria de medroso, de cobarde ] | 
Apreensão; preconceito; cisma ! Opi- 
nião falsa I Presentimento | Temor. 
i I Miíkua — ; adj. Receoso | Timorato | 
Cobarde. 

Hemà-hemakafa, adv. Ofegante- 
mente, adj. Ancioso. 

Henda, sub. (IX) Compaixão solí- 
cta pela desgraça ou males alheios, 
que sentimos como nossos. | Miscri- 
córd a; devoção; p edade: a mu kua- 
tela — . ' I Com seração; clemência; 
lást ma; pena: u. bana — | Compai- 
xão; dó. I Sentimento que nos in- 
duz a obter ou a conservar a pessoa 
ou a cousa que nos agrada sobrema- 
neira I Paixão; amor: o — ia mama 
ki ieiWê ribuilu [ Afeição ilimitada 1 
Desejo veemente de conviver com 
outrem | Cousa dada por caridade 
Esmola Lembrança: saudade. V. pi. 
jihenda] 1 Graça; perdão; favor: fuaze- 
:.ele mu — ia Nzambi ' Dom de pessoa 
graciosa; afabilidade; afectuosidade; 
agrado: a ngi tambulula ni — ioso | '. 



Enternec'mento; comoção ] Pezar I 
Amor paternal | I Mukua — , adj. Cle- 
mente I M sericord'oso I Compass'vo 
Que tem piedade, carinhoso. | Devo- 
to I Saudoso I Que sente, ou dá 
mostras ou inspira saudade. 

Hengele, sub. (IX) Narração ale- 
górica que envolve algum preceito 
moral ou alguma verdade importan- 
te I Parábola: — , — ; ndunge, ndunge; 
—ia mukaj'a mona, ndunge ia ukou'a- 
-kime; — u i tela njimu kioua n'abu- 
kujuke ngo I Alegoria. 

Hefe, adj. (IX) Que e>fecuta uma 
cousa com perfe ção | Háb 1; inteli- 
gente; habilidoso: o — ia makn ngá- 
nga ia ifofo \ Destro | Engenhoso 
asseado | | sub. Pessoa que trabalha 
bem, com gosto \ O que faz co sas 
bonitas : — k'ovual'ê — , masa mu 
inganja m'avuala uUimbu. 

Hima, sub. (TX) zool. Nome gené- 
rico dos mamíferos quadrúnianos | 
Macaco | Mamífero-quadrúmano da 
ordem dos primatas | Símio: o — 
k'atabeiê ku mukila ue. 

Himba, sub. (IX) zool. Pássaro 
dentirrostro. 

Hinji, sub. (IX) Acção e efeito de 
rodear, de volver I Movimento em 
torno; rode'o; g ro ' Volta em roda 
de: kalanga k'atê - kangu rie ri a mu 
zukama \ Volteio; volteadura ' ' Cada 
uma das curvas de um aspirai ' \ Ku- 
ta — , V. tr. e intr. Voltear; girar; 
volver I Dar volta a ' Ag'tar-se á ro- 
da de I Ir de volta | Circular. PI. 
jihlnji. 

Hinu, adv. Contudo; não obstante] 
Todavia \ Entretanto; porém | Anda 
assim; talvez ' I conj. Por que \ Vis- 
to que I Por motivo de que ! '• Mais 
tarde; depois: ndè — uiza ' Em segui- 
da ; em tempo posterior ' ' adv. 
Quando: eie,—kiu vutuka.. Nomo- 
mento em que: o menlin ma Ngana — 
ki m'eza, ma tu hunda Nesse ou em 
tal caso. 

Hifa. sub. (IX) Farinha de milho 
cozida em água fervente. V. funji. 

Hifu, adj. (IX) Armado de arco 
e seta | Sagitário ' Devastador j V. 
hojl Ía — \\ mit. Monstro fabuloso 
meio homem meio cavalo | Centau- 
ro I Signo do zodíaco | | Deus dos 
desertos, da esterilidade j O que re- 
duz á solidão 1 Devastação; ruína \ 



HlS 



~ ôi — 



HON 



Destruição proveniente de grande 
desgraça ' Infecundidade. 

Hisu, sub. (IXj zool. Insecto he- 
mintero | Chinche ] Persevejo. | PI. 
jihísu. 

Hoa, sub. (IX) Cordão umbilical 
(nos recém-nascidos) : kubatula o — 
ia mona. [ V, houa. 

Hoho, adj. (IX) Que não se que- 
bra facilmente | Rijo | Duro: ka — | 
Custoso. ' Perro; penoso | sub. 
Dureza | Rijeza i Qualidade de du- 
ro : tenda ia— \ Diz-se do fruto da 
palmeira de pouca polpa e caroço 
grande e duro : ndende ia — . fig. O 
que não se comove. 

Hoji, sub. (IX) Mamífero carni- 
ceiro da família felida, [ Leão [leo 
barbarusK f g. Homem valente, de 
coragem | Homem de muita força. I 
Fera. M mâfu ma-, hot. V. mulio- 
ndongolo \ \ — 'ia hitu, mit. Monstro 
fabuloso de busto de homem e corpo 
de leão, armado de arco e setas. ! 
Sagitário. V. hitu. 

Hoka. sub. (IX) Cerca: roda; cír- 
culo; a mu tela — i Redondeza Es- 
paço redondo: vufukila o — Grupo 
de pessoas dispostas em círculo ! | 
Armação de redes dispostas em cir- 
culo que vai" apertando | Rede 
de arrasto para pescar; uân- 
da ua — I O espaço que essa rede 
ocupa [ Redondel | Circunferência 
i i kuta—, V. tr. Circundar; cercar. 
PI. jihoka. 

Hoke, corog. Púv. e posto deste 
nome, cone. d o Lubango, distr. 
e prov. da Huila, com 4.583 hab.. 
est. teleg-postal sob a autoridade 
do respectivo chefe. 

Hole, sub. (IX) Invólucro calca 
reo do corpo de certos moluscos | 
Concha da pia da agua benta ou do 
baptismo | A concha do caracol | 
Parte côncava (a descoberto) de um 
corpo , Concavidade : — ia r i t U i \ 
Interior de um tanque, chafariz ou 
pequeno lago: — ia fixi \ Fonte 1 1 
zcol. Molusco gasterópodo | Cara- 
col II Medida: — ia jimata \\ Parte 
inferior , Fundo: bu — iambia. fig. 
Caminho tortuoso ou em zig-zag. V. 
kahole. PI. jifiole. 

Holckoko, sub. (tX) zool. Uma 
das maiores e mais possantes aves 
de rapina | Águia. fig. Arrebatador; 



salteador || Insecto coleóptero 
pentâmero j Escaravelho | Bicho 
carpinteiro. PI. jiholokoko. 

Holome, sub. (IX) Genro i Mari' 
do da filha (com relação aos pai^ 
desta). 

Hoiongo, sub. (IX) Ruminante 
da família dos antílopes. V. longo. 

Hclongonho, sub V. kiholongonho. 

Holongonzo. sub. V, kiholongonzo 

Holua, adj. e sub. (IX) Bêbedo | 
Pessoa que bebe em demasia, que 
se entrega à bebedice | Ébrio. fig. 
Bobo. Pl.jiholua. 

Hômba, sub. (IX) Regaço; seio: 
kukuzula kitari bu—. Espaço dei- 
xado na roupa entre os peitos e a 
cintura, Pi. y//zo/;/6íZ 

Hombo, sub. (IX) zol. Cabrito | 
Caibra Mamífero ruminante cavi- 
córneo, Bcde. V. kisutu fig. Mu- 
lato; narro. V. PI. jihombo. 

Home, sub. (IX) Mão fechada | 
Punho , Pancada dada com a mão 
fechada Soco; murro. PI. jihome. 

Honda, sub. (IX) Rodeio | Volta 
! Contorno ! Linha curva que de- 
termina os relevos Curva; linha 
arqueada. PI. jihonda. 

Hondo, sub. (IX) Fibra de bao- 
babe com que se fabricam sacos, te- 
cidos, cordas, etc. Intercasca do 
imbondeiro. \ Volteio j Acção e 
efeito de voltear: kuta — , Rodeio. 

Argumento capcioso; subterfú- 
gio; desculpa; evasiva Modo in- 
directo e calculado para se obter o 
que se deseja. V. Pi. jihonda. 

Honga, sub. (IX) Terreno incli- 
nado , Várzea | Vale; baixa; juzan- 
te: ku — I A parte mais biixa do 
terreno: ku âia — ku kamb'ê ngijl [ 
Descida | Pendente. 

Hóngo, sub. (IXj O ponto mais 
elevado; cimo Cume: — ia mulundu 
I Tope; alto | fig. Apogeu; auge , 
Tecto da casa; cumieira, pau de fi- 
leira: — ia'nzo ; A parte mais alta 
da casa. ; O ceu; o ponto mais 
alto do espiço: o mbeji i ala bu— \ 
Zénite. PI. jihóngo. 

Hongo, sub. (IX) Estado de 
quem tem ao mesmo tempo duas 
ou mais consortes Bigamia ' Si- 
tuação da mulher com relação ao 



HON 



— 52 — 



HUM 



marido que tem outra ou outras 
niulheres i Poligamia | Riiala ria 
— , sub. e adj. Bígamo | Kusokana—, 
V. intr. Viver ao mesmo tempo 
com duas ou mais mulheres. 

Hongolo, sub. (IXj Meteoro lumi- 
noso conhecido por «arco-iris» ou 
«arco da velha*. 

Hónjo. sub. íIX) bot. Banana: ku- 
kola ku ária - ; V. rihõnjo. 

Honzo, corog. Rio que, nascendo 
na região de Nambua-ngongo, atra- 
vessa o Tabi e desagua no mar, ao S. 
do cone. do Ambriz, distr. e prov. 
de Luanda. 

Hôta. sub. (IX) Canto Angulo; 
sítio escuso ' Lugar desviado de to- 
das as vistas Escaninho ! I Escon- 
derijo I Lugar oculto: , rija ria — , 
dente do siso. V. rija. 

Hoíóia, sub. (IX) Cova subter- 
rânea de modos que não .seja vista i 
Solapa: mbila ia — . ' fig. Disfarce \ ' 
Instrumento com que se fazem con- 
cavidades: poko ia — . ! i adj, Côn- 
cavo; curvo. I Recôndito; oculto ^En- 
panoso. I Que envolve d'sfarce, mal- 
dade. 

Houa, sub. (IX) Umbigo de re- 
cém-nascido: ngoji ia — Hilo | Pon- 
to de interseção de um vaso num te- 
cido parenquimatoso. 

Hóxa, sub. (IX) Doença do sono ! 
Sonolência: uhaxi ua — . V. riboi. 

Huua, sub. (IX) Pómulo: — ia po- 
lo ' Maçã do rosto, j ' Osso saliente 
da face | Maxila Mandíbula Osso 
molar. I PI. jlliuua. 

Huba, sub. (IX) Carraça. Carra- 
pato, fig. Praga. V. kiliuba. 

Hubu, sub. (IX) bot. Nome porque 
no Seles é conhecida a árvore mu- 
ngundu {symphonia globulifera). 

Huelendende, sub. (IX) zool. Mo- 
lusco gasterépodo desprovido de 
concha ; Lesma. adj. Indolente. 

Hueri. sub. (IX) Cunhado; cunha- 
da ! Maíido ou mulher do irmão ou 
irmã (fíii. relação ao outro irmão ou 
irmã). —'a kiini, concunhado. 

Húh ■ Ij. (fX) Tolhido I Leso ; 
Paralítico; u ala — ia lukuaku \ Que 
tem lesão | Dfendido: lesado | Feri- 
do; contuso I fig. i-Jefeituoso; coxo. 
I ) sub. mit. Ser espiritual. 



Huína, sub. (IV) Necessidade de 
beber ! Sequidão | Secura. | fig. De- 
sejo ardente ] Sede. 

Huinhi. sub. (IX) Cada uma das 
partes em que se racha um tronco de 
árvore para fazer lenha Pau ou 
madeira seca para queimar ' Acha | 
Lenha | Madeiro | pi. jihuinhi. 

Húiu! interj. Onomatopeia com 
que se exprime o som de um esbar- 
rondamex^to | Zás : u alundumuka 
mu rikungu — | Catrapuz. 

Hukunhi, adj (IX) Desamparado: 
privado; abandonado Desprotegi- 
do I Órfão. 

Hula, sub. (IX) bot. Árvore de 
cuja madeira, ralada, se faz o pó 
deste nome: mãxi ua — \ Tacula. | 
V. lúkula. 

Hule, adj. (IX) Remido | Resgata- 
do do cativeiro Libertado. \ ! Diz- 
•se do escravo que se libertou ou foi 
libertado. 

Huiukájí, adj. num. (IX) Dez ve- 
zes cem I Mil: — i'atu \ \ sub. Grupo 
de mil unidades j Milhar | O número 
mil I fig. Um grande número. 

Hulukubua, sub. (IX) zool. Espé- 
cie de lagarto que prefere os lugares 
húmidos. Salamandra | Lagarto 
das pedras. V. riiénde. 

Hulukúku.sul . (IX) Comida (man- 
timentos, cereais e frutas) que, no 
dia do óbito do lavrador, se come e 
se distribue aos presentes ao funeral. 

Hulungu. sub, f^IX) med. Doença 
que consiste na distruição ou apodre- 
cimento de determinada parte do 
corpo. I Doença que ataca e destrói 
os dedos das mãos ou dos pés i Úl- 
cera ; Gangrena j fig. Quisília. 

Humba, sub. (IX) Vasilha feita de 
coiro de certos animais para condu- 
ção de líquidos, j Odre: — ia uâlua.\ 
Saco de coiro para sólidos. bot. 
Árvore dicotilcdónea da família das 
leguminosas, conhecida no Seles por 
este nome. V. muzúmba. 

Híiínbi, sub. (IX) Dilatação {er- 
maneiite e mórbida de unia veia 
causdda por àcumuhição do sangue 
no seu interior, j Vuriz. ;| Chaga 
velha 1 Ferida incurável 1 É ro. 
us. no pi. jihãmbi. 

Humbi, sub. (IX) zool. Ave de rapí- 



HUM 



— Ô3 — 



HUX 



na, espécie de águia preta que, em 
certa época do ano ou de anos, apa- 
rece em bando, no espaço, muito 
alto fasendo volteios ou círculos ca- 
prichosos, j Xofrango; águia pesquei- 
ra I Rabilva: ki azuata — kilombe- 
lombe ki a mu tukula tumba. \ Que- 
brantosso. j | bot. Planta da famí- 
lia das anacardiáceas {calesiam Wel- 
witschii), de propriedades medici- 
nais e para, construção, V. muJcúmbí 
I I corog. Área do posto civ; deste 
nome, circ. dos Gambos, distr. e 
prov. da Huíla, com 2,419 hab., 
est. teleg. -postal, ambul. sanit. e 
Missão catól. do Espírito Santo, | \ 

, Pulga ou piolho de galinha.] | 

Kaktilu ka — , Ave aquática do ta- 
manho do peru | Corvo marinho. [ 
fig. O rumoto; o mais antigo: /flAfl- 
kulu ka — , kizuua kilombelombe u 
fibàla. j I — ia ngánga, género de aves 
corvidas | Gralho. 

Híimbu, sub, (IX) Cachimbo 
ruim e mal feito ; | adj. e sub. A 
que falta uma perna ou braço j De» 
cepado | Que tem falta de ( algum 
membro). V. Kahumbu. 

Humbu, sub. (IX) Ocasião; tur- 
no j Vez: ngendele - jítatu \ Tempo, 
época indeterminada [ Ensejo] j No- 
me que junto a um adjectivo nu- 
meial, indica a reiteração, quan- 
tidade: u êza— tatu \ PI. jihumbii. 

Húnde, sub. (IX) Irmão ou irmã 
menor que casa cora a cunhada ou 
cunhado viuvo: kilbckola — ] adj. 
Sucessor j Substituto, 

Hundu, sub. (IX) Parecer; ten- 
ção; opinião; ideia; voto. ) Juíso 
que se forma de alguém ou de al- 
guma cousa: kuta — | Modo de vêr 
pessoal ] Conselho | Votação j De- 
claração (de voto) ; deC.são ( ver- 
bal), 

Húngu, sub (IX) Instrumento 
músico composto de um pau ar- 
queado e retesado por uma só cor- 
da de arame de cobre em que se 
toca com uma vareta, 

Hungulule, adj. Enchente; que 



está enchendo | Abundante Cheia: 
— ia kalunga \ sub. Grande abun- 
dância; fartura ] Superabundância. 
] I A máxima altura das águas do 
mar ] Aumento periódico do volu- 
me das águas do oceano | Preamar 
j Maré. i \ Desregramento | Ex:es- 
so I Desaforo j Inpudência; desca- 
ramento. 

Húnha, sub. (IX) Moca Pau 
grosso e curto ] Porrete : Cacete 
com uma maça em uma das extre- 
midades 1 Casse-tete. | PI. jihúnha. 

Híinjí, sub. (IX) [mpedímento; 
privação; abstinência: riiala u loka, 
k'ariê — jj zool. Mamífero digitigra- 
do, de côr escura e peie muito rija, 
tamanho de um gato que, diz-se, se 
suicida contra um obstáculo ao ser 
visto por alguém,] A pele deste 
animal: kurÍa—\ Juramento. 

Húnu, sub, (IX) Género de pei- 
xes do mar com focinho e dentes de 
rato, ] Tetrodonte | ! Peixe galcida 
1 Dentudo. | PI. jihànu. 

Hurí... Expressão para significar 

estado de silêncio: ma'nzo mu eri 
— ; adj. Calado | Silencioso , Calmo. 

Hufa, sub, (IX) Provisão de man- 
timentos, ! Rancho: ngí meíiekene 
ngo, — iami sâi \ O que o viajante 
leva para comer em viagem. [ Me- 
renda I i Farnel, 

Huíile, adj. (IX) Detido : Reclu- 
so em cadeia | Preso ; Legado, 
amarrado, fig. Que não tem liber- 
dade de acção. , sub. Prisioneiro : 
ngí —ia soba , Cativo, encarcerado. 

1 Pcíssoa que está presa. 

Hutu, sub. (IX) Saco; bolsa; fo- 
le; sacola. I Saquinho para guardar 
dinheiro ] Tufo, papo (na roupa 
que não assenta bem), fig. Dinhei- 
ro, 1 ] D:z-se do feitiço atribuído 
aos adolescentes como herdado dos 
pais: uanga ua — . 

Huxi, sub. (IXi Pancada dada 
na face com a mão aberta \ Bofe- 
tada, fig. Injúria Ofensa disfar- 
çada. 



54 - 



IBÁ 



I, oitava letra do alfabeto kimbun- 
du, tendo oomo em português o 
mesmo valor. 

I, interj. para significar admira- 
ção . 1 I sub. Nome da letra /. 

lá, adj. e pron. demonstr. pi. (I) 
para designar pessoas que estão pre- 
sentes ou próximas de quem fala, ou 
das que se falaram em último lugar. 
Estas; estes : — afu ; aná alenge. 

Ia, adj. e pron. poss. pi. Delas; 
deles I Pertencente ás pessoas de- 
les : ixi — I pron. relat. Que Quem \ 
Cujos I I prep. que une ao nome o 
seu complemento | De: mitue — 
iáma ; imb i a — nmtoto | — éne, 
adv. e pron. poss. pi. Propria- 
mente seus ( deles, delas ) ima — 
ene. 

láie, pron. e adj. poss.pl. (III) 
Teus, tuas: imuna — j V. iê. 

laiúlu. sub. Ruido de muitas vo- 
zes I Ingrêsia | Sussurro. 

lakamukua, adj. e pron. indef. 
pi. (III) Outros; outras | N cã o 
estes ; diferentes : mikolo — ' Não 
iguais ! Seguintes j Restantes j Pre- 
cedentes. 

lala, sub. (IV) Homem f Varaol 
marido : — riami. \ V. tiiala. 

lâla, sub. pi. (III) Garras: — 
ia'ngo I Unhas j Marcas ou sinais de 
unhas. 

lámbu, sub. pi. (III) Alegações 
1 Dizeres i Razões Afirmações | 
Textos I Expressões | Ditos || Pre- 
paração; prevenção; obra prévia 1 
Preparativos : aprestos | Conjunto 
de acções para dar começo a alguma 
cousa ou trabalho 1 j kiita - , v. tr. 
Preparar Praticar actos preparató- 
rios I Coordenar ; fazer ; compor \ 
Aparelhar; habilitar; prevenir | | 
Prognosticar ; vaticinar i Anunciar 
I Predizer j Predispor. 

lâmi. adj. poss. (contr. da prep- 
ia e do pron. pess. eme k Aleu » 
minha | De mim | Pertencente á 



minha pes=;oa : o Pgoítibe — / afu \ \ 
pi. Meus; minhas : imuna — / anete- 

lamukua, adj, De outro. \ V. 
iakamukua. 

landa, sub. pi. ( III ) Seres so- 
brenaturais j Seres deformados | 
Divindades mitológicas Deuses dos 
desertos , dos montes ou das lagoas: 
kutelekela — \ Ninfas j | Palavra 
com que, nesta classe, se forma o 
fut. pi. dos verbos. Hão-de : o nii- 
lemba — kutoloka. \ V. iondo- 

lánde, sub. ( III ) bot. Exemplar 
tb. conhecido por mutala-menha. 

lângu, sub. pi. (III) Nome vulgar 
e genérico de várias plantas, anuais 
ou vivazes, gran-'íaeas, ciperáceas 
ou forraginôsas, que secam depois 
da frutificação (andropogon amula- 
tus). \ Herva: — /a kandãmbia. \ Plan- 
ta expontânea de terreno inculto | 
Capim I Relva : Terreno coberto 
de relva: ngendele ma— \\ Cascas; 
invólucros de fiutas, cáp-ulas, etc: 
— ia makunde. V. ixaxi. \ | Quantida- 
de de folhas de árvore secas: — ia 
mungenge] Cascabulhol Feno: kuéne 
o ngómbe kiienVê — | ' Fonagem | 
Pasto [ I Varreduras | O que se 
recolhe varrendo | Ci?co | Palha ] 
Lixo: kukukula — | — ia kauéue. \ V. 
kauéue. I — ia nzambi, planta medi- 
cinal da família das ainbrosiáceas 
mais conhecida por *h^rva Santa 
Maria», j Ambrósia ] | Plantas am- 
brosióides. | | Capinzal | Terra de 
capim: ixi ia — 1 Terreno onde cres- 
ce capim. 

lânhi, adv. interrog. pi. (Ill) De 
que; de quaib: tma — 

lárj, adj. num. Dois | Um mais 
um I Segundo | | sub. O algarismo 
dois (2). V, kaiari. 

íba, pi. (III) Nome genérico das 
peles empregadas no calçado, ar- 
reios e correias ] Cabedal | Quan- 
tidade de peles: kangamba ki aiba, 
ni — ie 1 Pelaria j ; Couros em cabe- 
lo, crus ou curtidos: — ícr sengi \ Cou- 
rama j | fig. Correias; a mu zuikú—. 



IBA 



— 55 — 



lÊN 



Ibâba, sub. pi. (III) Farinha de 
cascas de mandioca para alimentar 
suínos. I ] bot. Família de plantas 
dicotiledóneas cujo tipo é a mélia 
I I Plantação de amargoseiras. | 
Conjunto de plantas meliáceas. 

Ibalala, sub. pi. (III) Fibras ou 
cordas feitas da intercasca do em- 
bondeiro: — ia mbondo. 

Ibánga, sub. pi. flll) Manadas; 
varas | Currais | Rebanhos 1 Po- 
cilgas: — ia jingúlu 1 Lugares onde 
recolhem os gados. 

íbasu, sub. pi. (III) Pedaços; 
cacos; lascas | Cousas partidas e 
separadas do todo: — ia mabaia \ 
Fragmentos. 

íbaíu, sub. pi. (III) Lugar onde 
se encontram dois caminhos ou 
duas pessoas: /72U talu mu tungu. mu 
njíla mu — \ Emboscadas | Traições 
I ParaJas. 

Ibafubáfu, sub, pi. (III) Pedaços 
de lenha que servem para acender 

lume 1 Cavacas | Acendalhas | 
Aparas. 

Ibebe, sub. pi. (III) Órgãos lo- 

comotores dcs peixes | Barbatanas 

1 Rabos ds peixes | Caudas. 

Ibelefeíe, sub. pi (III) Escamas 
I Peles secas que se formam cu des- 
prendem da epiderme. | Laminas 
que cobrem o corpo de certos pei- 
xes e alguns reptis: — ia nzâji. 

Ibêndua, corog. Importante la- 
goa na margem direita do rio Dan- 
de, dtsta circ. perto da fazsnda 
agrícola «Gratidão». 

Ibéfa, sub. pi. (III) Grupo de 
filamentos que formam o corpo ve- 
getal I Fibras:— ia maxisa. | Fios 
das plantas têxteis (abertos e antes 
de torcidos). 

íbi, sub. pi. (III) Acção ou efeito 
da pessoa que, durante o sono, se 
revolve na cama em diversas posi- 
ções por vezes incómodas | j Mukua 
— , adj. Que se revolve na cama 
durante o sono. 

Ibiaíe, sub, pi. (III) Casca j Fa- 
relo I Palha I O que resta depois 
do descasque (das sementes), j 
Pdrticulas de algumas hervas ou 
cousa simiihante | Moinha j O que 
fica depois da debulha j Restos, j 
fig. Cizânia i Discórdia, 



íbua, sub. pi. (III) Cambalhotas 
I Tombos ! Quedas : katibana — 

Ibúbu, sub. pi. (III) Sons produ- 
zidos pelo bater das palmas das 
mãos em cruz, para significar senti- 
mento ou tristeza, [ Imprecações 
de males contra alguém [ Pragas : 
ndakale k'afuê ku luanha, moría 
mutu k'afuê ku-\ Maldições | Após- 
trofes. 

Ibukirilu, sub. pi. (III) Ventila- 
dores I Porção de abanos ] Venta- 
rolas. 

Ibunji, sub. (III) Raquitismo ' 
Estiolamento. | Dizse da planta 
não desenvolvida por falta de chu- 
vas : masa ma — | Diz-se das espi- 
gas de milho com poucos grãos, ou 
de outra fruta de pouco desenvol- 
vimento. 

Ibundu, sub. pi. (III) Frutas que 
a terra dá | Produtos | Interesses! 
ganhos: lucros | fig. Consequências; 
efeitos, i Despojos; restos mortais : 
— ia Kalúnga. 

Ibufilu, sub. pi. (III) Instrumen- 
tos que servem para ra?oirar, tos- 
quiar ou rapar (cabelos). ] Tesou- 
ras ; navalhas. 

Ibutu, sub. pi. (IIIj Tosquias i 
Cortes de cabelo i Tosquiaduras | 
Razias. 

lê, adj. e pron. poss. (contr. da 
prep. /aedo pron. pesa. eie), Teu; 
tua 1 Da tua pessoa : ima — j Per- 
tencentes á tua pessoa: mixi — || 
pron. interrog. pi. Quais ? Que ? 

le, adj. e pron. poss. (contr. da 
prep. ia e do pron. pess. muenc. 
Seu ; sua (dele;. | Pertencente à 
pessoa dele : o hombo — iná. 

lêbi, pron. interrog. pi. Quaib ? 
Que cousas ? ima — i Onde estão ? 

Iene, adv. pi. (III) Exprime 
afirmação, consentimento, anuên- 
cia, i Sim I Efectivamente | Na ver- 
dade i j Como adv. interrog. indica 
surpresa e equivale àcserá isto? » \ \ 
sub. Acção de dizer sim, é isso mes- 
mo. I I — muenc, loc, adv. É exacta- 
mente. 

lêngi, adj. e pron. indef. (IX) 
Que não pode confundir-se com 
outro |, Distinto; diferente ; Outro: 
êza ni hombo — | Que não fa« parte 
de outro [ Diverso: u azekele bu 



lEK 



— 56 — 



IKA 



hama — . | Não o mesmo ; que for- 
ma corpo á parte 1 Não este: uatun- 
gu inzo — I Mais um; seguinte: 
sánji— i ahuata. i PI. jêngi . adj. e 
pron. indef. pi. (III) Diferentes 1 
Outras; outros: u abeka ima — | 
Diversos ; distintos : axikama ku 
íqIh — Que não fazem parte de 
outros : A-u êza imbánda — Seguin- 
tes 1 1 ( 11 ) Que não podem confun- 
dir-se com outros: o mu kasela mi- 
kolo—; u abatula mixi—. | Não os 
mesmos. 

leniê, adv. ( III ) Exprime nega- 
ção, contrariedade. | Não é | i sub. 
Recusa. 

lenu, adj. e pron. poss. pi. 
(contr. da prep. ia e do pron. pess. 
pi. énu). Vossos; vossas | Perten- 
cente ás pessoas com quem se fala : 
( II ) mikolú — i abatuka ; miênge — 
/ akukuta ^ j Das vossas pessoas : 
(III) inama — iaxiri; inda-i akiika 
] I Da terra em que nascestes : 
ku' xi — ku auâha \ i Vosso ; vossa ( 
De vós : o nfioka - i afu ; o poko — 
/ axibi ! I — ' enu ] De vós mesmos | 
Não de outros | Propriamente 
vossos. 

lênze, sub. pi. ( III ) Aberturas 
de dentes entre si 1 Intervalos dei- 
xados pela separação dos dentes. 

letu, adj. e pron* poss. pi. (contr. 
da prep. iã e do pron. pess. pi. etu). 
Nossb ; nosso ! Das nossas pessoas | 
Pertencentes ás pes"=oas que falara: 

( II ) mixi—i abolo ( III ) o imánga 

/ aburika \\ Nossa; das nossas 

pessoas : ( IX ) ku'xi — rikanga ; o 
ngómbe— i anéte i' — ' eiu, adv. e 
pron. pi. Propriamente nossos: (II) 

mixi inà —etu \ De mais ninguém : 

( III ) o im'ei—eiu ; o imun'oio — etu 

1 Verdadeiíamente, piòpriamente 
nossos. 

IJa. sub. pi. (IIT) Defeitos. V. 
Ifua. 

IJakasa, sub. pi. (III) Folhame | 
Folhas secas de árvore | Pétalas 1 
Folhelho?. 

Ifata, sub. (III) Folhas tenras 
de feijoeiro para guisar com carne 
ou peixe 'i O guisado destas folhas : 
funji ia — i Salada |i íig. Peidos 
(entre os mutemos). 

Ifi, sub. (IX) bot. Planta têxtil 
cilíndrica ( sansiviera angolensisj, 
lamt das hemadaráceas, cujo suco 



se emprega contra inflamação de 
olhos ' Ramie. i PI. jlfr 

Ifika. sub. pi. ( ITI ) Compara- 
ções ; exemplos Factos aduzi. los 
como demonstrações, confronto ( 
Ditos populares, alegóricos ou figu- 
rados \ Narração alegórica que 
envolve algum preceito moral Pa- 
rábolas. 

IJikila, sub. pi. ( III ) Conjectu- 
ras desfavoráveis acerca da probi- 
dade de alguém | Suspeitas. 

í(u, sub. pi. (III) Assassínios; 
homicidios \ Mortos | Corpos ou 
cousas mortas. 

í|ua, sub, pi. (III) Defeitos; 
qualidades ; costumes : — ia iba I | 
Representação de pessoas ou cousas 
i Imagens j Semelhanças | Ideiaa 

líuata, sub. (III) bot. Folhas 
de feijoeiro. ( Mais próprio, mas 
menos us. que ifata ) . 

Ilufunha, sub. pi. ( III) Gengivas 
A parte onde estão implantados es 
cientes. 

Iluke, sub. pi. ( III Exalações | 
Miasmas j Vapores | Calores | Fu- 
mos. 

I|u!u, sub. ( III ) Espuma que se 
aglomera na boca de alguns ani- 
mais Baba. V. nzébu | ' Espécie 
de mucilágem que se forma na 
superfície dos líquidos em ebulição. 
I Escuma. 

íhi, pron. interrg. V. inlii. 

Ihuba, sub. pi. ( III ) zool. Car- 
raças grandes 1 Carrapatas. 

li, pron. demonstr. que designa 
cousa que está presente, ou mais 
próxima de quem fala. Esta; este: 
^ IX ) poko — I pí. ! Estes ; estas 
( III ) ima — I Isto , j adj. designa- 
tivo das cousas mais próximas que 
outras, ou das que se falaram em 
último lugar : — ni iná. 

Ijiba, sub. ('III) Grande núme- 
ro de mortes | Carnificina ; matan- 
ça; morticínio. 

Ijingu, sub. pi. ( III ) Dignida- 
des I Honras | Distinções honorífi- 
cas I Cargos elevados , Glórias. 

Ikalakalu, sub. pi. ( III ) Tra- 
balhos , Produções literárias, ma- 
nuais e outras | Lidas | Os exames, 



ÍKÂ 



— 67 - 



ÍLÊ 



as discussões e deliberações de uma 
repartição, etc. j Actos solenes em 
festividades, i | Serviços : — ia Mlle- 
ne-Putii. 

Ikami, sub. pi. { III ) O que fi- 
ca do «dendem» depois de extraí- 
do o óleo I Bagaço j Os restos da 
cana depois de exprimido o sumo \ 
Resíduos de frutos expremidos. 

Ikau, adj. pi. (III) Rústicos i Cam- 
pestres j Campinos | Do campo : 
akua — I Próprios do campo | | sub. 
Campinas | Campos : mu — j Jogos 
campestres | | corg. Pov, e posto 
civ. deste nome, na circ. civ. do 
Dande, prov. e drit de Luanda. 

Ike, adv. Agora ; neste momen- 
to : muene io u abing' — j Neste 
instante. 

Ikelekeíe, sub: pi. ( III ) Espigas 
de milho definhadas | Pequenas 
maçarocas com escassos bagos de 
milho : — ia masa \ Refugo. 

Ikengele, sub. pi. ( III ) Soslaio ; 
esguelha | Óbliquidade ; klitalela 
mu — I I adv. De soslaio | Obli- 
quamente 1 E m diagonal | A o i n - 
vês II adj. pi. Não perpendicular | 
Obliquo I Que se apresenta ou vai 
de soslaio | Dirigido de lado : njila 
ia — I Diagonal. 

Ikese, sub. pi. ( III ) Peças que 
constituem as conchas dos mariscos 
I Valvas. 

Ikobiakobia, sub. pi. (III) Can- 
tos dos olhos I Situação atravessa- 
da ; esguelha ; óbliquidade : kuta- 
lela mu — \ Través 1 Lado; revês.! | 
adv. D e través | Obliquamente ; 
de lado. 

Ikoka, sub, (III) Caminho de 
rodado que vai de uma a outra po- 
voação. I Estrada ; — ia ndanji \ 
Caminho trilhado | Via pública: 
mulele u a u xisa mu — \ Derrota | 
O espaço compreendido entre os car- 
ris de uma linha férrea : — ia kum- 
boio- I I corog. Pov. e posto da circ. 
civ. do Quango, distr. do Congo, 
prov. de Luanda, com 6.107 hab. 

Ikólo, sub. pi. (III) Casa de 
circuncisão | Lugar próprio para 
esta operação . 1 i Vale muito 
extenso e largo | Valada : mu — ia 
mbengu. \ V. rikólo. 

Ikolôlo, sub. pi. (III) Raspas | 
O que se tira rapando (do fundo 



de uma panela). | Rapaduras: 
— ia'mbia. \ Restos que ficam de 
uma rapadura | Rapalhas. 

Jkongo, sub, pi. (III) bot. Ár- 
vores olorosas e medicamentosas | 
Terreno plantado de sândalo. || 
Coronhas | Pancadas dadas com 
coronhas. | Coronhadas. 

Ikofo, sub. pi. [Ill) Sapatos j 
Tamancos | BTtas. p. ext. Calça- 
do i | O casco (los paquidermes e 
dos ruminantes, fg. Péa. 

Ikóza, sub. pi. (III) Conjunto 
de roupa velha | Trapos \ Peda- 
ços de tecido velho. | Rcupa velha. 

Ikúba-kuba, sub. pi. (III) Ini 
precações ; maldições ; pragas : — 
/ a ma kuata. 

Ikulakaji, sub. pi. (Ill) Velhas 
I Mulheres muito avançadas em 
anos. li Conjunto de velhas ] Vs- 
Ihada. 

Ikuma, sub= pi. (III) Crimes ; 
pecados; in'qui(lades: mubange a 
— , ki afiia u asanga ku'alunga nga- 
nga j'azeka \ Culpas; faltas; erros 
graves. 

Ikúnzu, sub. pi. (III) Sarna le- 
proza de certos animais | Gaf^i- 
ra : mon'a mbua kakaVê—, ia taVà 
ni m(im'à | Ronha | Lep a j | Con- 
junto dfi porcas com muitos fi- 
lhos I I ,'Mu'fUa — adj. Que tem guiei- 
ra I Gafento | Leproso. | Pessoa 
que padece de gafeira. 

Ikusu, sub. pi. (III) Família 
de peixes acantopterigianos, tipo 
dos percidas, que vivem em rioi e 
lagoas j Percas | Cacussos. 

Ikuxi, adv. interrog. pi. Quantos 
I i sub. Porção; quandidade : ku 
akambe izuua — ? j Extensãc; ta- 
manho I Ernprega-se para expres- 
sar que desejamos nos determinem 
a qudutidíide de : mivu — u anciala 
kukinga ? izuua— u abange mu njila ? 

íia, sub. flll) Construção|Obra : 
kubanga — | Produto de um agente 
] Facto. I Acontecimento ; acto. 
j Cousa real ; o que existe real- 
mente I Realidade , O que está. 

Ilekelu, sub. pi. (Ill) Últimas 
instruções, disposições ou ordens 
dadas á pessoa que fica no cum- 
primento de um dever, ou vai no 
desempenho de ua^a missão \ Re- 



ÍLÉ 



— 58 — 



IMB 



Cómendações | JMandamentos; pre- 
ceitos ou deveres a cumprir de 
futuro I Despedidas, | Disposições 
de últiina vontade j Cumprimentos 
de despedida | l^ecados. 

ílembu, sub. pi. (II]) Bens ou 
dinheiros que se dão era proprie- 
dade exclusiva á mulher que se 



I Bens ou 
se beneficia 
que se ca=!a | 
I Mimo I Es- 



casa I Dote : kubana 
dinheiros com que 
dsterminad.i mulher 
Presente de noivado 
ponsais. 

Ilónda, sub. pi. (Ill) .Feridas | 
Incisões cutâneas | Golpes I Feri- 
mentos. 

liónga, sub. pL (III) Vestimen- 
ta em forma de cot. feita de folhas 
de b maneira, com que se orna- 
mentam os dançadores de ngitnba\ 
Saia curta de fibra de imbcnJtiro. 

ílu. sub, (IV, C ma : bii~\ O 
ponto mais alto | O ceu, o ar, o 
espaço I Firmamento | O não ser; 
o infinito; o nada | | adv. De cima; 
de Deus : nviila i atundu ku — \ Do 
ceu ii adj. Alto : — /íc2 miilundu \ 
Profundo (considerado de baixo 
paia cima). | Infinito. 

Iluézu, sub. pi. (Ill) Imprevi- 
dência: kubanga — | Perigo | Falta 
de previdência, de cuidado j Mu- 
kiia — , adj. Imprevidente [Peri- 
goso j Que pode causar dano. 

Iluminu, sub. pi. (Ill) Estron- 
dos I Trovões : — ia nvula | Re sen an- 
ciãs I Ruídos; rumores. 

Ima, sub, pi. (III) Teres | Bens; 
haveres: u ala n' — ie \ Meios 
de fortuna • | Adubos | O que 
se deita na comida para lhe 
dar substância. | Aviamentos; pre- 
paro!?; tem[êros |i Coisas neces- 
sárias para o acatiamento de qual- 
quer obra I O que se faz ou diz 1 
Casos i iMiátéiics. 

Imanai inteij. Alto! Pára! Tá! 
Nã te movas ! Espera. 

Imavumu sub, pi. ('Hf ) Grandes 
barrigas | Barrigadas. 

Imbalambi, sub. pi. ( III) Diz-se 
das pessoas que, no dia do casa- 
mento, acompanham a noiva á 
casa do marido | CoaviJados. 

Imbámba, sub. pi. (III) zool, 
Vermesj Lombrigas | Bichos. 



Imbâmba, sub. pi, ( III ) Cargas 
I Grande quantidade de cousas 
pesadas \ Camada ; aglomeração de 
volumes j Tarecos i Carregamento, 

Imbambe, sub. (711) Marco; 
balisa ; demarcação; confrontação | 
Limite: — ía'xi \ Divisão; extre- 
ma I Linha que limita superfícies 
ou terrenos contíguos, i Estaca ou 
objecto que marca um limite ] 
Linda | | Pedras com que se marcam 
os extremos dos terrenos : matari 
ma — I Sinal I Qualquer objecto de 
situação natural que se aproveita 
para sinal de limites territoriais; 
fronteira I Extremos | Confins. | 1 
adv. Nos extremos: mu — j Nos lime- 
tes I j prep. Entre | ] Kuta — , v. tr. 
Extreirar | Divisar | Demarcar 
(terras) com extremas. | Limitar, | 
Separar ; distinguir. 

ímbia, sub. ( IX ) Vaso de barro 
ou metal em que se coze a comida 
! Prinela ] Tacho 1 Caçarola. | PI. 
jimbia. 

Imbokoía, sub, pi, (III) Os la- 
drões; os salteadores | Usurpado- 
res, ! Malfeitores. 

Imbondo, sub. pi, ( III) Bainhas 
ou cápsula^ que encerram as se- 
mente? das plantas leguminosas | 
Vagens | Feijão verde. | | Olhos 
que hão-do formar os gomos ] Flo- 
res antes de desabrochar | Botões 
( de vegetal ) : — ia kajú. 

Imbonga, sub. pi. (III) Masca- 
rada I Rancho de pessoas masca- 
radas I Bando de mascaras. ! En- 
tradada \ \ Entrudo \ O tempo do 
carnaval. 

imbua, sub. (IX) zool. Quadrú- 
peJe carnívoro digitigrado e domés- 
tico. I Cão : cadela; cachorro. || 
Ancora ; poita: — ia ulungu ! Pedra 
grande amarrada a um cabo que 
serve de áncoia a p quenos barcos 
i Pedral | íig. Ingrato | Infame | 
Homem sem sentimentos j j Calote. 
I PI. jímbua. I 

Imbuámbua, sub. pi, (III) Bo- 
lhas de agua que brotam | Borbo- 
tões I Golfadas ;| Andrajos: kuri- 
zakela — . 

imbui, sub, ( IX) Bola de funji 
que o comedir tira do prato : — ia 
funji j A mesma porção que se mete 
de uma só vez na bjca ; Pl.jlmbui 



iMB 



59 



im 



ímbumbulukufu, sub. pi. (III) 
Corpos esféricos e pesad.s. i Bolas 
grosseiras, i fig. Homens ru Jes, 
grosseiros, estúpidos. 

Imbúngu, sub pi. (III) zool. Al- 
cateia, multidão de lobos | Feras, j 
fig. Ingratos | [ topon. Antigo bair- 
ro da cidade de Luanda, hoje conhe- 
cido por «bairro do Bungo», junto 
á ermida da Nazaré | Lugar em 
tempo frequentado por lobos e, 
também, sítio de malfeitores: mil — . 

Imenga, sub. pi. (III) Caçaria 1 
Carareus j Trastes velh JS | Quanti- 
dade de cacos. 

Imiokofo, sub. pi. (Ill) Congoxas 
I Cócegas j Titilações. 

Imónha, sub. pi. (III) zool. Gru- 
po de mamíferos que compreende 
os que se tornam notáve.s pela 
lentidão dos movimentos | Taidí- 
grados I Pregu-ças. | V. amónha. 

Imoxi, adj. Que não admite divi- 
são I Um : ngóinbe — | Igual; da 
mesma natureza I Que representi 
uniiade : mbamba — | Só; único || 
pron. indef. Um ; uma ; sanji, — I 
Uma cousa. 

Imu3, sub. (IX) antiq. Mosquito. 
V. hâinua. 

Imúna, sub. pi. (III) Animais ir- 
racionais I Nome genérico de gado 
doméstico. | | adj. Irracionais. 

Imúpu, sub. (III) bot.- Grande 
árvore da fam. das malváceas 
{cochlospenniim angolensis) de ma- 
deira têxtil e raiz medicinal. V. 
mbulututu. 

ína, sub. (IX> zoo). Insecto ápte- 
ro pediculadaj Pioiho : iirisiie'<a kala 
— mu musuiku | Parasita ji Insec- 
to hemiptero que se agarra ás partes 
pudentes | Piolho ladro : — ia kã- 
senda \ Chato | PI, /ína. 

Iná, adj. e pron. demonstr. (IX) 
Aquele; aquela: o hoji~ng'a i muena 
rilcanga \ Aquilo. 

ína, adj. e pron. demonstr. Esse; 
essa: sanji— i afu | | Isso. V, ióio | \ 
pi. (III) Esses; essas: o ima — ià 
ngene \ Designa as cousas que estão 
a pequena distância da pessoa com 
quem se fala. 

Inãi, pron. interrog. Que pe.ssôa ? 
Quem: — u abange kiki ? V. ínanlii 



Ináma, sub. pi (III) Pernas |Pés. 
1 1 — lahna mnseke. Certo tecido de 
algodão que se usou bastante em 
Luanda. 

ínánhi, adj. e pron. interrog. 
(III) Qual I Que pessoa (eutre vá- 
rias). 

índa, adv. Em t-empo ar.terior | 
Ante:^; mba — ng'ambe kuma \ Melhor 
1 Prlo contrário | | sub. pi. (III) 
Cestos ! Cabazes 1 Balaios: — ia 
mb ong e \\ Conj. Mas : — ueva o 
fama \ Ora. 

indo, sub. (IX) Trstez ; luto : 
a ala ma -. 

Indombo, sub. pi. (III) bot, R i- 
ma de batata doce. 

índungu. sub. pi. (III) Danças j 
Meretrizes. 

Ioga, conj. copul. E; fambém. i 
Mriis II adv. Em seguida | Depois j 
Mais tarde | Logo a segu.r. 

Ingange. sub. pi. (III) ictiol. Fa- 
míl>a de cetáceos carnívoros cujo 
tipo ê o delfim | Peixes delfiaidis| 
Golfinhos 1 Toninhas. 

Ingáaja, sub. pi. (III) Armazéns 
de ctreais 1 Ceieros: hete k'aval'ê 
hete, masa mu — nVavuala utumbu. 

Ingelengele, sub. pi. 'III) Cousas 
pendentes para enfeita ou adorno, 
como brincos, berloques, guiso?, 
etc. i Peaduricalhos | Pingentes | 
Condecorações i Arrecadas. 

Engelengende, sub. pi. (Ill) Ca- 
cos ou pedaços de cas-a á-t cocono- 
te I Limpoduras do cocouote j Cis- 
calho. V. lenda. 

íngo, sub. (IX) zool. Animal di- 
gitigrado da fam. dos felinos ! Ti- 
gre: u ala ni'mbua ie— ki i mu kuaCê 
! I Mamífero feltda ; Onça: - / asue- 
ka oiãla \ fig. Homem sanguinário, 
cruel, de n;aus instintos \\- ia riâla 
O maior e mnis ftrcz das avi s ràpa- 
ceá I Grifardo. i Abutre. | E' ro. 
conh. por itigre do céu». 

Ingole, sub. pi. (IH) icliol. Famí- 
lia de moluscos acéfalos do tipo do 
mexilhão. | íMoluscos niitilidas. | 
Quantidade de mexilhão. 

Ingololo, sub. pi. (III) zool. Ani- 
mais vértebra los (transição entra 
os reptis e os p ixeb). | B .tráquios. 



iMd 



60 - 



lÒ 



O— i longa o mazôte kiirila \ Ordem 
de batráquios anuros. 1 Rãs sem 
cauda. 

Ingolongolo, sub, pi (III) zoo). 
F.iinília de animais articulados mi- 
riápodes, cujo tipo é o escolopen- 
dra j Animais escolopendridas. 

lngolon2;ondo, sub. pi (ITI) Ta- 
recada Ciqueirada } Tralhoaia | 
Grande número de cousas miúdas | 
Irastes velhos meio quebrados ou 
de pouco valor | Porção de cacos | 
Tarecos I Instrumentos ; alfaias, 

Ingondengonde, sub. pi. (Ill) 
Emaranham» nto | Eniodilhamen- 
to 1 Entiel (çamento '| Ramagem | 
R^imificaçõís i Esteios. 

ingonga, sub. pi. (III) Jogo de 
dois paus munidos de um estribo 
ou pedal em que assenta o pé para 
andar a certa altura do solo. | 
Andas I Varais de tumb.i, andor ou 
maca para ser transportada a 
hombros. | fig. Pessoa de hombros 
subidos. 

ínguanji, sub. e adj. pi. (III^ 
Tiibu de salteadores famintos que 
enfestavam as povoações | Grupo 
de indivíduos que assolados pela 
fome assaltavam e tragavam o que 
alcançassem : ki ejile o nzala ia — | 
Homens sórdidos, esgroviados e 
iiihI alimentados j fig. Espectros ] 
Fantasmas. 

Inguénha, sub. pi. (Ill) Família 
de mamífeios digitigrados, que tem 
por tipo a hiena j Hienidas. 

Ingúndu, adj. pi. (III) Aventu- 
reiros; incertos ; sem modo de vida 
I Que vivem de aventuras j fig. 
Uáurpadores. 

Ingungu, sub. (III) Recinto fe- 
chado em que se eòtabelece calor 
artificial | Estufa | Buraco, á laia 
de forno para, com o calor, secar 
c das e outros géneios frescos: kuta 
makezu mu — 1 EstufaJura | Habi- 
tação oíde faz muito calor || pi. 
Colecção de estufas | Conjunto de 
galenas para estufar. 

Inhami, sub, (III) bot. Dioscórea. 
V, Kasalale || pi. Apégo| Afeição \ 
Amor, 

ínhi, pron, interrcg. Que; como ] 
Que cousa I j adj. inteirog. servin- 
do para determinar um objecto 



entre vários :— u andala? \ Também 
serve para exprimir dúvida, inere- 
dulidade ou negação : Qual histó- 
ria ! Não senhor ! Está eng.Tuado { | 
— 'ei, adv. int'?rrcg. Que isto ? Que 
cousa ou cousas são estas ? | | — 
iene, Que novidade há ? O que fci ? 
O que aconteceu ? 

Inhungu, sub. pi. (III) zool. Fa- 
mília de aves volturidas, que tem 
por tipo o abutre j Bando de 
abutres. 

Inja. sub, (IX) Baiano | Verg» | 
Pénis I PI. jinja. 

Injandanda, sub. (III) Classe de 
articulados de oito pés cuja cabeça 
e tórax formam uma só peça j Ara- 
cnideos. I Giupo de aranhas. 

ínji, sub. (IX) Insecto diptero, 
da fam. dos moscidas | Mosca | A 
mosca doméstica | | — ia songo, 
mosca que ferra | PI. jinji. 

Injóngo. sub, pi. (III) zool. Fa- 
mília de insectos ortópteros lacus- 
tidas I Acrididas | G ifanhotos 
grandes. 

ínu, yub. pi (III) Grais de ma- 
deira onde se pilam, trituram cu 
descascam milho, mandioca, café, 
etc . 

invi, sub. (IX) Cabelo branco | 
Cã. É m, us, no p\. jínvi. 

invo, sub. (IX) Podadeira | Fouce 
I Instrumento agrícola curvo e com 
gume para ceifar j Fouce para 
podar. 

Inzánza, sub, pi, CHI) TiCido 
ordinário e transparente, de fácil 
rompimento | Fazenda pouco re- 
sistente. 

inzo, sub. (IX) Domicílio ; casa ; 
habitação; morada: — ia kilkala | 
P2d!Íício; residência j ] Casa de ne- 
gócio, estabelecimento, casa comer- 
cial: — ia uênji \ Alcova; camari- 
nha, quarto de dormir : — ia xilu | 
Açougue : — ia xitu. 

Inzonji, sub. pi. (III) bot. Famí- 
lia de plantas legumino?^as, de que 
há diversas espécies | A vagem que 
encerra a semente. | Faval: mu — j 
Favaria. 

ló, adj. determ.e pron. demonstr. 
Essa; esse. Designa a pessoa ou 
cousa que está próxima daquela 



lÓI 



- 6j - 



ISA 



com quem se fala: o — li alébe, uná 
u abutu, 

lóio, adj. determ. e pron. de- 
monstr. (IX) Essoutro ; essoutra: o 
fubá — bu ngalu. Desig-^a um dos 
objectos que estão próximos da pes- 
soa com quem falamos, ou da cousa 
que se falou em penúltimo lugar. ] j 
adv. Por essa via : o fljila — k'u í 
ende. | | pi. (III) Desigoa as cousas 
que estão próximas da pessoa a 
quem se fala, ou daquelas que se 
falaram em penúltimo lug.ir. 1 Esses 
essas : o ima — ia ngene \ Isso. 

londo, sub. pi. (II) Palavra com 
que se fornia o futuro dos verbos. 
Hão-de : o mixi- kujikata. 

lonene, adj. e sub. (IX) (contr. 
da prep. ia e do sub. unene) Gran- 
de ; Volumoso j De tamanho supe- 
rior I De grande altura : ínzo — . 

loso, adj. indef. (IX) Todo; toda | 
Integro; completo ; Tudo: fubá — 
/ atexika | Sem excepção pi. (III) 
Todas; todos : imana— i afu ' Inte.- 
ros; completos ; Sem exclusão : ima 
— U iza-naiu \ \ adv. Em peso To- 
talmente. I Ao todo ; por junto: — 
iene \ Completamente ; absoluta- 
mente ' sub. O todo; o conjunto; 
a soma A. totalidade i O aspecto 
geral | Ò universo : - / abaiga Nza- 
mbi ni kuuaba \\ pron.iadef. Tu lo; 
tòJas as cousas: beka — iene pron. 
demonstr. Tudo isto: ima — ' ei \ 
Isto. ' I — pi. (II) Uns, umas (entie 
muitas cousas s'ím escolher). Quais- 
quer ; ] (III) Uns que não sejam 
aqueles de que se fala; ima — \ ; pron. 
indef. Sejam quais forem. 

losololo, adv. (III) Geralmente ; 
sem excepção | Sem restar um só. 
i I pron, iadef. Tudo. 

lóua, adj. e sub. pi. (Ill: Reunião 
dt parvos, tolos, patetas | Pascá 
cioi \ Falhos de inteiigêiícia. ; Lor 
pas. 

Ipaka, sub. pi. illl» Nome das 
antigas moedas de dez reis i I Trin- 
cheiras; escavações; barreiras; adj. 
Em xadrez. | top. Nome do lugar 
fronteiro á estação do C. de F., ao 
Bungo, em Luanda. 

Ipepeíela, sub. pi. (III) Cabelos 
das pálpebras | Cílios : — in meSU | 
Pelos das celhas '. Pestanas. 

Ipeíeka. sub. pi. (Ill) Magicarias; 



imposturas | Artifícios para enga- 
nar I Modos, linguagem e processos 
de charlatão ; kubanga — Charla- 
tanarias. 

ípi, sub (JX) Corda delgada que 
serve para atar ' Baraço, cordel : a 
mu te — mu xingu \ Baraca Atilho 1 
PI. fipi. 

Ipófa, sub. p!. (III) Humores vis- 
cosos que saem dos olhos Ramela: 
mu mesu mu a mu izala — \ Pús. 

Ipumuna, sub. pi. (III) Articula- 
ções j Dobradiças Joelhos. 

Iriandu, sub. pi. (III) As partes 
dos corpos organizados órgãos : — 
ia rivumu Os membros do corpo ' 
A.S articulações (dos ossos), i Juntas: 
a mu batujula mu — | Pontos em 
que dois órgãos ou membros se jun- 
tam : — ia inama Os braços; as per- 
nas, os dedos. As partes de um 
todo (separados do corpo). 

Iribukanu, sub. pi. (III) Trope- 
ções i Cousas em que se tropeça ; 
kuta-munjila [Tropeços: obstáculos 

I Impecilhos. 

írie, adj. pi. (III) Géneros alimen- 
tícios I Comestíveis l Víveres ' | sub. 
pi. Comes e bebes | V. makuria. 

Iríma, sub. pi. (Ill) Xome gené- 
rico de todas as plantas (cereais, 
hortaliças e legumes), i Vegetais. 

Produção das lavras i Mantimen- 
tos e frutos colhidos das lavras, hor- 
tas e pomares | Quantidade de cul- 
turas Produtos (agrícolas) ' O que 
o solo produz. 

Iriuanu, sub. pi. (Ill) Maravi- 
lhas V. mariuánu. 

Isába. sub. pi. (III) Encantamen- 
to. ; V. uáma. 

Isafu, sub. pi. (III) bot. Família 
de plantas dicotiledóneas, visinhas 
das tiliáceas Plantas bixáctas ; 
Urucús 1 ', adj. Indecentes. 

Isaíusafu. sub.pl. (Ill) Barbas : 
— ia kiezu \ Pelos ou fios de vas- 
soura. 

ísala, sub. pi. (III) As penas das 
aves. 

Isálale, sub. pi. (Ill) Ramos de 
palmeira ou coqueiro que simbolisam 
o martírio, o tempo, a glória; kuzam- 
l)a — Palmas, que servem do orna- 
mento a bazares, kermesses e outros 



ISA 



-62 - 



ISU 



lugares festivos I Ramagem; rama: — 
ia mingenge \ | Guias; remiges. 

Isalánpu, sub. pi. ÍIII) Ditos ou 
palavras referentes a actos ou proce- 
dimentos proibidos, imorais, repul- 
sivos ou escaudalosos. Monstruosi- 
darles I Abominações ' Torpe7as ' 
Perversidades : maka ma — l 1 Miikiia 
— , adj. Torpe; monstruoso | Per- 
verso. 

Isama sub. pi. 'III) Lanternas | 
A'ch()tes; pequenos atados de Cíipim 
resinados \ Mu — , na terra de archo- 
tes. 

Isamanu, adj. num. pi. fll) Seis: 
mil^onibe - \ Cinco mais um ' (ÍII 
Grupo de seis : inama - . 

ísanana, sub. pi. (III) bot. Família 
de plantas dicotiledóneas, cujo tipo 
é a tília Plantas tiliáceas j Campo 
plantado de tílias. 

Tsanzu, sub. pi. (III) Ramos .«-epa- 
rados das árvores Vergónteas ] Va- 
ras. 

Isasa. sub. pi. (III) bot. Partes 
que saem do tronco de uma árvore 
ou arbusto: — /flt miilemba | Arbus- 
tos ! Ramos. | Partes secundTrias 
que saem do ramo propriamente di- 
to. I ; Lugar onde há m.uita Farça I 
Sarçal ! Silvedo 1 Terreno plantado 
de sarça : Nzavibi u atnkulukila rnu 
] Espinheiral j A sarça de Moysés | 
Conjunto de plantas losíceas que 
dão amoras | j Mata de silvas | Sil- 
vado : mu — I Valado construído de 
silvas e outras plantas espinho=as ] 
Nome comum a vários arbustos rosá- 
ceos \ ! Plantas poma eas de que se 
f izem sebes e produzem umas bagas 
vermelhas | Espinheiro. 

Isaselu, sub. pi. (III) Cueiros j 
Panos de enfaixar crianças 1 | Cria- 
ção : kufuta — . 

Isekele, sub. pi. (III) Areias ] 
Terra movediça ; areia fofa em que 
se enterr.im os pés andando : inama 
u a i vunbika mu — || Areal ] De 
SI to I Terra de areia. 

Iseheseke, sub, pi. (tll) Fragmen- 
tos I Pedaços de coisas quebradas, 
gastas vu queimadas Migalhas ] 
Pcijuenas porções Dinhe ro 

niuulo: kitari kia — \ Trocos 1 íig. 
moeda ' | adj. Próprio para troco». 

Iséla, sub. pi (III) Fdvoa j Col- 



meias I Quantidade de cera das 
abelhas. 

Iseniu. sub. pi. (III) Ditos pican- 
tes e injuriosos ! Alcunhas ofensi- 
vas, apoios. I Comparações ultra- 
jantes que envolvem ou exprimem 
ofensa, 

Isênga, sub. pi (III) Farelo ; 
parte grossa que fica na peneira 
depois de peneirada a farinha, 
milho, etc. :-ia fubá. [ Resíduos de 
cereais. ! f g. Defeitu."^, hábitos, 
costumes: mukuenu tunga-ne u mu 
ijíe o ifua ni— ie [ | Lia ; fezes ; pó. 
j O que resta das substâncias 
submetidas á peneira ou coadouro 
! j ictiol. Famíiia de peixes acan- 
topterigi s, conhecidos por « pargo 
de mitral ou capatão j Peixes pris- 
tiponiatidas. 

Isengêria, sub. pi. (III) Acepipes: 
makuria ma - \ Variedade de igu:i- 
nas secas para merendar 1 Merendas. 
I Mimos. 

Isesehenha. sub pi. (III) Peque- 
nos fragmentos que se desprendem 
do pão ou de qualquer comida seca 
I Migalhas : — ia masa \ Sob; as 
que se despresam. | | Lenha miúda 
I Lascas I lig. Insiguificâncias ; 
bagatelas. 

Iscso, sub. pi. (III) Pontos | 
Porção de fios que ficam entre 
pontadas de agulhas \ Marcas ; 
pintas. \ Part'S de ura diicurso | 
Referências | Bocados ( de uma 
conversa). Partes; furos I Actos 
ou factos culiniviis ou criminosos 
na vida de alguém : — ia Kalunga | 
Causas. 

Isu, sub. (III) zool. Insecto 
hemiptero Chinche j Persevejo ] 
VI. jíisu. 

Isúba. sub. (III' O que fica depoia 
de uma escolha j Refugo : — ia ji- 
njimbu \ O que foi refugado ' Rebo- 
talho (na ilha de Luandn), | Restos 
de conchinhas de onde se etcolheu 
o njimbu \ fig. Escória. 

Isubu, bub. pi. (in^ Sobras I 
Demasia ; sobejos. | Cresces : uangi 
bana — ' Restos I O fato, pano ou 
outro vestido quo o patrão dá ao 
seu criado | | Aumento ; abundân- 
cia ; crescidcs 1 | O que fica : — ia 
Kalunga \ Os restos mortais. 



ISU 



- 63 - 



ITO 



Isuelele, sub. pi. (III) Fragmen- 
tos de madeira que se enterram 
nas Carnes I Espinhos. | Lascas. 

Isukusuku. sub. pi. (III) Chuvis- 
cos ; thuvn miuia I Gotas espaça- 
das de chuva : — ia Jikajã. ! Or- 
valho ! Chuvinha. 

Isulukufu, í=ub pi. (III) Cousa 
qu° dispsrta abominação : maka ma 
— I S^jntimento mixto de desprezo 
e horror I ! mukiia — , adj. Abomi- 
nando I Que causa abominação. 

Isuma, sub. pi. (III) Aconteci- 
mento nunca visto ou praticado | 
Sucesso surpreendente e de não 
fácil explicação ' INIilagre | Facto 
realisado de um modo que se crê 
sobrenatural ] Cous? que excede 
toda a ponderação | Prodígio ; ma- 
ravilha I Assombro 1 Pasmo | | 
Mllkua — . adj. Sobrenatural 1 Ma- 
ravilhoso I Extraordinário ; admirá- 
vel I Que faz milagres, | Que causa 
admiração. 

Isumbuia, sub. pi. (III) Turno de 
caçadores que esperam a passagem 
da caça que os monteadores vão de- 
salojando I Esperas, 

ísunjí, sub. pi. (III) Visões | 
Imagens que, por superstição, se 
julga vêr em sonhos | Aparições fan- 
tásticas I Exaltação de espírito I 
Delírio ' Dito ímpio e insultante | 
Malignidade I Malvadez \ Dito in- 
sultante contra o que se considera 
sagrado [ Blasfémia | Dito indecoro- 
so contra pessoa muito respeitá- 
vel ! I Klltanga — , v. tr. e intr. Dizer 
ou ultrajar com blasfémias i Blas- 
femar ]! tnukua-, adj. Blasfemante 
i I Míítange a-, adj 'e sub. Que diz 
blasfémias Blasfemo | Visionário | 
Sonhador. 

ísuJíí, sub. pi. (lll) Hombros : 
huiutula -- i Espáduas : — ia unem. 

íta, sub. pi. (III) Atados, feixes 
(de lenha). ' Molhos (de capim). ' 
Braçados '■ ] Combate; batalha; guer- 
ra : mu gon^o mua iza - ' Luta a 
mão armada entre Estados ou 
Nações^ | i Milícias; tropas; exérci- 
tos I Guerra : — ia Kazuangongo 
Vida ou carreira militar \ mukua — , 
Guerrilheiro | | adj. Guerreiro | Beli- 
gerante. 

líába, sub. pi. (lITi Papas de 
ginguba | fig. Sujidade acumulada 
nos dentes ! Bostela. 



ffabu. sub. pi. (Ill) Conjunto de 
vasilhas de uma adega ! Vasilhame • 
~-ia uâlua \ Cântaros | Bilhas í 
Sangas. 

ífals, sub. pi. (iri) Remoque ; 
piadas, I Ditos pcantes. | | lipocas • 
idades I Cál-nlos \\ Kuta. - , v. tr. é 
intr. Determinar p -r cálculos Calcu- 
lar I Fazer cálculos. V. matula. 

ífanu, a !j. num. card. pi. (Ill) 
Cinco: mikanda ~ Quatro mais um 
V. fânu. 

ííari, sub. pi, (IH) Finanças; di- 
nheiros:— w mauenji. | Dinhe'rama.I 
Riqucsa II Mukua — , adj. Endinhei- 
rado; rico. I Que possue grandes 
quantia? ou cabedais. [ ' Akua — , adj. 
e sub. Os argentários; os financeiros; 
os grandes banqueiros j A alta fi- 
nança, 

Ifafu, adi. num. card. pi. (III) 
Três : milele — ' Dois m is um. 

, líeke, sub. pi. (IIIi Estátuas | 
ídolos I Imagens. \ Conjunto de 
títeres. 

Ifelêle, sub. pi. (III) bot. Nome 
por que tb, é conhecida a ríanga \ 
Conjunto de cana brava: uâlua ua — 
I Caules de milho. 

Ifelekeíe, sub. pi. (III) Caçaria ! 
Muitos cacos ( Tarecos | Trastes 
velhusj i h\akua—,-^à']. Mexeriqueiro j 
lutriguista. 

Ifenda, sub. pi. (III) Retalhos ' 
Tiras I Restos de uma peça de fazen- 
da j Pequenos bocados de tecido 
com que se fazem uma peça de ves- 
tuário ou ornato: mufele ua — 1 1 Mu- 
kua — , adj. e sub. Retalhista Reta- 
Iheiro I Vendedor de retalhos. 

ífeíu, sub. pi. (III) Cacos Frag- 
mentos de louça ou vidro : — ia ma- 
longa. 

ítonda, sub. pi. (III^ Aplausos; 
louvoi'es| Demonstrações de aprova- 
çã.o, reconhecimento, alegria, entu- 
siasmo. I Diversão ou brincadeira 
de crianças em que se batem palmas 
cantando: kuionoka-. | Palmadds 
de aplauso | Palmas. 

ifofe, sub. pi. Nódoas ; pintas ; 
manch-iS | Cicatriscs de feridas 
curadas: — ia kingongo \ Sinais; 
marcas. | • Pecados; culpas: faltas : 
u oxalá ni -ku muxima \ Remorsos || 
Mukua — I adj. Manchado | Que tem 



ITU 



-64 - 



IXI 



malhas ou manchas | Sarapintado. 

Ifúba, sub. mit, Deus da loucura: 
kilundu kia.— 

í(ui, Sub. (IX) bot. A parte dura 
de certos frutos que encerra a semen- 
te I Caroço | Pevide. ( PI. jitui. 

líúla. sub. pi. (III) Secadouros | 
Lugares onde se secam cereais. 

Kúlu. sub. pi. (III) Género de 
plantas iridáceas | Lírios e suas 
flores I I Campo plantado de lírios j 
Conjunto de flores (lírios). 

Kulukufu, sub. pi. (III) Dissen- 
ções, Turbulências; trdqu'n'ces| De- 
savenças: nguami ku ngi bekela — I 
Desordens. 

Itúmba, adj. iIII) Ignorantes; 
cegos I Que não sabem discernir o 
bem do mal. | Autómatos | Faltes 
de discernimento || sub. Conjun- 
to de cegos | Pessoas sem energia. 

Ifumba, sub. pi ^III) Conjunto 
de plantas de uma reg ão j Pequena 
mat^; floresta: sumbala ku mbanduia 

— Iiutii ja izala mahalanga; maxi 'a - 
jizala jinhoka \ Selva. | Bosque. 
Armações de madeira. 

ííumbi. sub. pi. (III) Bartidou- 
ros I Pequenas pás para alijar 
aguas das pecjuenas embai cações. | 
fig. Bofetões; sopapos: kubana-\\ — 
ia kuteka, audição | Outiva || a iv. 
De ouvi ia | Por ouvir diser : nia- 
ka ng'a ma ivila mu - ii kuteka \ De 
boca em boca. 

ííunda, sub pi. (III) Quantida- 
de de carvão vegetal. | Recorda- 
ção vaga de uma pessoa ou cousa 
I Kemini cências : íig'ala u m u ta 

— I Impressão que fica de uma 
cousa que se leu ou passou | Lem- 
brança; memória, 

Itundulu, sub. pi. (III) Maus 
tratos Empurrões : a inn bana — 

ítuxi, sub. pi. (líl) Delictos ; 
crimes: k'u ngi tese—n'u niii bc\<.c- 
le mihriga. \ Culpas; faltas: — / 
ala ndcnge, milonga ia makota. 

lú, ailj. e pron. demonstr. de- 
signativo da pessoa < u cousa que 
está pic-ente, ou mais próxima de 
(|Ufm fala ou de que se fa ou em 
ultimo lugar I Êstt-; t-sta: — u alé 
be.\ 1 adv. Ora; umas vezes : — bo- 
Xi-bulu I Eli o; eil-a pron. A êle; 
a ela |Lhe: a mu bana' — . V, naiu. 



íuâna, adj. card. pi. fTII^ Quatro: 
izuua — I Três mús um. 

lúba, adj. e sub. (IIIi D:z-se 
dos irmãos filhos da mes- 
ma mãi mas não do mesmo pai. | 
Uterinos: — ie. \ De mãi, 

íuikiiu, sub. pi. (III) Aparas | 
O que serve para acender o lume j 
Acendalhas: — ia tubia\ Acende- 
dores, 



pron. (lemonstr. 



ÍIlU R'Hipas de 
ke serviu | Os 
que cobriram 
Fazendas uti- 

card. Nove | 



luná, adj. e 
Aquele. 

Iva, V. ivua. 

Ivalelu, sub, 
que a parturiente 
primeiros lençóis 
um recém-nascido 
lizadas no parto. 

Ivua, adj nu'n. 
Oito mais um | Aquele que numa 
série ocupt o nono lugir. | i interj. 
Ouça! Atende || sub. Silêncio 
com que se ouve, 

Ivuenu ! interj. Ouçam! Silêncio! 
] Atenção. 

ívunzu, sub. pi. (III Fez"s | 
Lia de 1 quidos | Borra ) O que faz 
toldar ou turvar o vinho | Tolda. 

Ixafixafl, sub pi. (III) Aihas ] 
Palhas I Restea a que já se tira- 
ram os alhos I Rama seca do alho. 

Ixafixi, sub. pi. (til) Pelos ou 
fios (de um pincel^ Ourelha | Rai- 
zes filamentosos que saem da raiz 
principal, 

íxanju, sub. \>\. Augustiis | Afli " 
ções acompanhadas de tristezas ' 
Apertos. | | Rivalidades. | ()ueixu" 
mes; ralhos; bulhas | Escândalos' 
maus exemplos, | Contenção; dis* 
puta i Questão; conteii Ja : o maka 
kala kiki m'abeka — . 

íxaxi, sub. pi. (Ill) O conjunto 
das hastes secas das plantas gra- 
iiiineas. | O (jue fica d»pr;is da de- 
bulha. I Palh i:--m masa \ Palmha. 

íxefe, sub. pi, (III) O que, coa- 
do, resta de (}ual(jucr líquido Bor- 
ras (de liquilos) que ficam no fun- 
do da vasilha que se despejou | 
Escorralhas Sedimento; fezes | 
Pé: — ia iiialuvu , Citco; pó conti- 
do cm liquido , fig. Restos. 

Ixi, sub, (IX) Camada superfi- 
cial do globo na qual os vegetais 



IXI 



-65 — 



IZÚ 



se reproduzem | Terra : — ia mari- 
mu. I Solo ; terreno ; ch3o : ng'a- 
ndala — ia kusumba \ Aiimo | Fa- 
zenda j Herdade | Campo; planície 

I Povoação; localidade onde se é 
natural : mu — ia Luanda | Terra 
onde a pessoa nasce ou nação a 
que pertence | Pátria : — ia Putu 

II O céu; a Pátria celestial: — ia 
riàlu I O reino da glória. PI. jíxi. 
i I — ia senge, cOrog. Pov. e sede 
do posto da circ. civil de Minungo, 
distr. da Lunda, prov. de Malange, 
com 6.032 hab. e est. teleg. postal 
de 1.* classe. 

íxi, sub. pi. (III; Penhoras | Si- 
nais ou objectos que se dão para 
garantia de alguma dívida. | IflZO 
ia — , casa de penhores onde se 
emprestam dinheiros sobre objectos 
de valor. 

Ixíla, sub pi. CIII) Conjunto de 
vários cortiços: kukama — ia uíki. 
I Colmeal. 

Iximbi, sub. pi. (III) Magnates j 
Próceres : — ia'xi ni mavu | Os 
grandes de uma Nação, os princi- 
pais cidadãos de um Estado. | I 
Seres sobrenaturais, dotados de 
grandes virtudes | Heróis. 

Ixinhi, sub pi. (ITI) Partes | Pe- 
daços I Postas: — ia mbiji. \ Meta- 
des. \\ adv. Aos poucos: mu — | 
De onde em onde ; daqui e dacolá. 
I Por paites, 

Ixíxi, sub. pi. Resíduos, j Pol- 
vilhos. I Restos reduzidos a pó. | 
Diz-se das cascas ou matérias que 
restam dos cereais por meio de 
expi-emedura, ou descasque de fei- 
jão, grão, ervilha, etc. : - ia ma- 
kunde I Folhelho. 

Izakélu, sub. pi. (III) Uniforme 
completo (considerado como traje 



obrigatório de uma corporação). 
Fardamento. | Trajo. 

Izala, sub. pi. (III Presunção | 
Vaidade ( Opinião muito vanta- 
josa que alguém forma de si pró- 
prio I Vanglória | Fatuidade : u ala 
ni — I Jactância | Bazóíia | So- 
berbia. II Mukua — , adj. Presun- 
çoso I Que tem bazófia | Jactan- 
cioso. 

Izaiéiu, sub. pi. (III) Roupas qu« 
se estendem na cama | Lençóis j 
Fraldas; cueiros. || Fragmentos com 
que a ave agasalha o ninho. 

Izénzu, sub. pi. flll) Conjunto de 
baldes para tirar água de um poço | 
Alcatruzes | Nora | fig. Os testí- 
culos. 

Izongo, sub. pi. (III) Casas ou 
povoações construidas à beira dos 
lagos I O lugar ocnpado por estas 
construções: mu — || adj. Lacus- 
tre I Dos lagos. 

ízuatu, sub. pi. (Illy Vestes : — la 
ngdnga \ Hábito j Tiajo | Vestuá- 
rio; fardamento j Roupas | Conjurr- 
to de todos os tecidos que são de uso 
de alguém j Fato completo ■ Vesti- 
mentd; roupagem. 

Tzuélu. Sub. pi. rlll) Falas | Ditos 
; Conversação | Frases; palavras. 

ízuua, sub. pi. 'IIIJ Série ininter- 
rupta de instantes i Tempo : - kiá \ 
Época determinada : mu — iná \ 
Praso; demora: ngi bane— ia kufuta 
o rlkongo. \ Dias : — irikaiela, ki iri- 
fangan'ê. 

Izúzu, adj. e sub. pi. flll) Cousas 
velhas, de pouca dura. | Diz se dos 
tecidos deteriorados pelo tempo | 
De pouca duração. 



- 66 - 



JlP 



J, Nona letra do alfabeto kim- 
bundu, que tem, como em portu- 
guês, o mesmo valor. 

lá, adj. e pron. poss. pi. (IX) 
Delas: deles: Jingombe-- \ Perten- 
centes ás pessoas deles j Suas; seus: 

jipange — fazeka l| prep. De: o 
jipexl— pang'iami faburika. |' pron. 
relat. Que j Cujo. | | — ene, adv. e 
pron. poss. pi Piòpriameute deles. 

aáiu, sub. fIX) port. Alho. 

Oakamukua, adj. e pron. indef. 
pi. (IX^ Outros; não estes: jipoko ~ 

1 Diferentes; restantes; seguintes: 
jisanji - i'eza \ Precedentes | Mais 
outros. 

3âtiii, adj. poss. pi. (contr. dâ 
prep. ja e do pron. pess. ente) Meus; 
rainhas | Da minha pessoa: jihotnbo 
— . II — eme, adv. e pron. poss. Pro- 
priamente meus. I De mim mesmo. 

3anda, sub. pi. (jy) Palavra com 
que se forma o futuro dos verbos ' 
Hão-de: o jimbua — kiiUnga \ O mes- 
mo que jondo. 

Njanena, sub. (IX) port. Janela. 
V. ríbululu. 

Njángu, sub. (IX) Espada curta 
de folha larga | Catana | Cutelo I 
Machete | Terçado | Catanada. j 
fig. Oposição; dificuldade; corte. 

dânhi, adv. interrog. De que ? De 
quais ? 

Njánja, sub. (IX) Peixe miúdo 
do rio. 

3ê, adj.e pron. poss. (contr. da 
prep. ya e do pron. pess. èle ■ Teus; 
tuas: jisanji — i Da tua pessoa j | 
pron. interrog. Quais ? V. jibt, 

3e, adj. e pron. poss. (contr. da 
prep. ja e do pron. pess. muene). 
Dela; dele: jinguma— ^ Da pessoa 
ou pertencente â pessoa dêle:y7/i« 
guari — II — muene, adv, e pron. 
poss. Dele mesmo | Pròpridmente 
dele. 

3êji, adj. e pron. demonstr. Estes; 
eitas. V.yí/7. 



Njênde, sub. (IX) zool. Verme 
similhanteà sangue- suga e se encon- 
tra nas palmeiras, utilizada na pesca 
como isca. | Lombriga terrestre. 1 
Minhoca. I Biscalongo. 

Njénge, adj. (IX) Opulento | 
Fausto Rico ' Que tem opulência) 
Magnificente 1 Faustoso. 

Jêngi, adj. e pron. indef. pi. (IX) 
Outros; outras: u endele Jixi-^ jNâo 
êàtes |Os alheios] DiversosjDiferen- 
tes. 

Njénje, adj. e sub. (IX) Av^aren- 
to 1 Ricanho i Somítico j Pessoa 
miserável. 

3enu, adj. e pron. poss. pi. 
(contr. da prep. ja e do pron. pess. 
énu). Vossas; vossos Das vossas 
pessoas: jisanji— j'alenge. ! — 'ena, 
adv. e pron. pi. Verdadeiramente 
vossos, vossas { De mais ninguém. 

Jesu, adj. e pron,, antiq. Nossos; 
nossas. V. jeiu. 

Jeíu, adj. e pron. poss. pi. (contr. 
da prep. ja e do pron. pess. etu). 
Nossas; nossos | Das nossas pessoas: 
jinguma — fabiti [ Pertencentes às 
nossas pessoas ] — etu, adv, e pron. 
poss. pi. De nós mesmos! Verdadei- 
ramente nossos. 

3í.. ., pref. concord. pi. da IX c'. 
dos subst, — ngombe;-hâna; — mbe- 
mbe. 

Njibiri, sub, (IX) bot. Planta 
herbácea, tipo das gengiberáceas 
[costus afer) utilizada como condi- 
mento I Gengibre | Sua raiz. 

Gibixa, sub. pi. (IX) Enfeites 
pendentes das orelhas j Arrecadas , 
Biincos ! V. Ingelengele. 

Oibuia, sub. pi. (IX) port. Bulha 
I Barulho. | Ruído de vozes. V. mâ' 
zui. 

Jiji, sub. pi. (IX) bot. Conjunto 
de plantas têxteis {sansiviera ango- 
lensis). I Campo plantado de ////. 

ailíngu, sub. pi. (IX) bot. Planta 
fam. das leguminosas {abTUS preco- 



JIP 



- 67 - 



JtH 



iorius) de utilização ornamental e 
sementes medicinai?. I Fruta de 
conta. 

Jifíxi, sub. pi. (IX) Cabeceiras ! 
Nascentes (de rios). Origens. | Ter- 
renos visinhos das nascentes de 
rios. I Fontes. 

Jitúhu, sub. pi. (IX) Grupos de 
dez mil unidades. 

Jifuxi, adj. e sub. pi. (IX) Gé- 
meos I Os que nascem em quarto 
lugar do mesmo parto. 

J.híia, sub. (IX) bot. Robusta 
planta rosácea de Angola (na região 
de Malange). 

3ihaba. sub. pi. (IX) Patranhas i 
Petas I Embustes para induzir em 
erro | Ilusão; ment ra : - jefatange 

I Fábulas; novelas; contos. || Mu- 
kua — , adj. Trapaceiro í Embustei- 
ro I Que conta ou compõe novelas 
Fabulista \ Mentiroso. 

Jihãbia, sub. pi. (IX) Cavidades 
inferiores á junção dcs braços com 
os ombros | Axilas | Sovacos. 

Sihaha, sub. pi. (IX) bot. Família 
de plantas sinantéreas. { | Cardos 

I I As escamas do pangolino. 

«Jihaku. sub. pi (IX) O primeiro 
alimento que se dá a uma criança : 
O — ja mona ji tunda ku muiji. \\ 
Inflamação das extremidades do 
ccrpo causada pelo frio. j Frieiras. 

Jihala, sub. pi. (IX) íctiol. Tribu 
de crustáceos decápcdos de que faz 
parte o caranguejo, i Ciclométopes 
I! — ja munongono, ordem de crus- 
táceos decápodos, de cauda longa, a 
que pertence a lagosta, o lagostim, 
etc. I Macruros. 

Oihama, sub. pi. (IX) Centenas ' 
Duas ou mais vezes cem. | Grupos 
de cem. 

3iháma. sub. pi. (IX) port. Ca- 
mas. V. malónde. 

Oíhana, sub. pi. (IX) Doença con- 
tagiosa da pele. Sarna. | Ronha i 
Mukua — , sarncs3 | Padecente de 
sarna. 

3ihanji, sub pi. (IX) Desejos | 
Apetites 1 Ambições Vontades. 

3ihanza, sub. pi. (iX) bot. Plan- 
ta leguminosa | Feijão miúdo. 



3ihasa, sub. pi. (IX) As primei- 
ras folhas do feijoeiro. ) Espar- 
regado. 

3ihása, adj. e sub. (IX) Conjunto 
de pessoas padecentes de âlbinis- 
mo. I Albinos. Esconjuros. 

Qihafa, sub. pi. (IX) Dobras for- 
madas por vestuário comprido en- 
tre a cintura e os joelhos da pes- 
soa sentada \ Regaço Dobras que 
as vestes fazem levantando-se 
adeante j Colo : kuta mona bu — I ! 
Rodilhas; molhelhas; chinguiços j 
As voltas da corda ou cobra enros- 
cada \ Roscas: nhoka i arinhingi-. 

aihaxi, adj. pi. CíX) Doentes ] 
Enfermos. ^ Maníacos. | Inzo ia — , 
sub. Enfermaria ' Casa para reco- 
lher doentes. 

aihe(u, sub. pi. (IX) bot. Fruto 
da cubebeira, (que substituo o gen- 
gibre quando comido com cola). | 
Cub ba. (E' remédio contra dores 
de estômago). | i Plantas trepadei- 
ras da fam. das piperáceas (urera 
Henriquesít). tb. conhecida por «pi- 
menta da índia». 

Jihenda, sub. pi. (IX) Lembrança 
triste e suave de pessoas ou cousas 
distantes ou extintas, acompanhada 
do desejo de as tornar a vêr ou 
possuir: ng' ala ni — )' atu aitU. Pe- 
sar pela ausência de alguém que 
nos é querido: ng'a ma kuatela — 1 
Recordação grata de pessoa ausen- 
te ou de alguma cousa de que nos 
vemos privados Pesar; mágoa que 
essa privação nos causa | Sauda- 
des; cumprimentos Recordações | 
Lembranças afectuosas dirigidas à 
pessoas ausentes. 

Qihengele, sub. pi. (IX) Aaexins | 
Sentenças populares. 

aihia, sub. (IX) bot. Planta fam. 
das rosáceas [parinarl latifolia), de 
fruto comestível, tb, conhecida por 
kalàbia. 

Jihima, sub. pi. (IX) M ícacos | 
Siraios Macacada. 

3ihisu, sub. pi. (IX) Peícevejadaj 
Muitos percevejos. 

3ihombo. sub. pi <IX) Cabrada | 
Rebanho ou quantidade de cabras. 

3ihondo. sub. pi. (IX) Vestes em 
forma de saiote, feitas de fibras do 
embondeiro 1 1 Rodeios i Subter- 
fúgios. 



JIH 



-68 - 



JIM 



Jihonji, sub. pi. (IX) Malefícios. 

Jihua, sub. pi. (IX) Partes salien- 
tes das faces: — ja pólo\ Mandíbulas; 
raaçãs do rosto. 

Jihuínhi, sub. pi. (IX) Porção de 
lenha | Montes de madeira própria 
para queimar ! Atados de lenha. ] 
íig. Paveia. 

Jihulukaji, sub. pi. (IX) Grupos 
de mil unidades | Milhares: kutanga 
mu- . 

Jihúmbi sub. pi. (IX) Dilatação 
permanente e mórbida das veias, 
I Varizes | Úlceras; feridas incurá- 
veis. 

Jihunji, sub. pi. (IX) Protestos | 
Privações | Juramentos. 

Jihuíu. sub. pi. (IX) Bolsas; sa- 
colas ! Sacos de dinheiro | Have- 
res:— ya /ir/Var/. !i Sacaria. 

Jihuxi, sub. pi. (JX) Bofetadas: 
a mu bana — j Palmadas. 

Jiiá, bdv. Demoradamente: u 
âla—.. I Infiritamente | Com 
muita demora. 

Jiiari. adj. num. Duas; dois 
huxi — 1 Ura mais um : ng'akáU 
mbeji — . 

Njíiu, sub (IX) zool. Réptil ofí- 
dio oviparo 1 Cobt^a de mordedu- 
ra mui venenosa Víbora. 

Jíji, adj. e pron. indef. pi. (IX) 
Estas; estes : jinjila jàmi — | Desig- 
na cousas que estão presentes, ou 
perto da pessoa que fala . || Isto. 

Jiji, sub. (IX) Ilha fronteiriça 
ao continente | Restinga | Contra- 
-costa : ku — 11 Paredão ou banco 
de areia que amortece o mau efeito 
que a um porto pode causar o em- 
bate das ondas | Quebra-mar. 

3ikabálu, sub. pi. (IX) port. Ca- 
valos. V. mikéte. 

3ikabénda, sub. p!. (IX) bot. 
Fan-.llia de plantas ulmáceas, di- 
cotiledóneas e apétalas, cujo tipo 
é o olmo. I 1 Olmedal | Plantio de 
olmeiros. 

Oikabirinjindu, sub. pi, (IX) zool. 
Grupo de pássaros tenuírostros, de 
bico delgado e comprido, a que 
pertence o abelharuco, o colibri, 
etc 



Jikalongena, sub. pi. (IX) bot. 

Família de plantas dicotiledóneat 
que compreende a arruda e outras 
plantas medicinais. | Plantas ru- 
táceas. 

Jikahiriri, sub. pi. (]Xj Panos 
atados á cintura sobre os que se 
trazem vestidos. 

Jikijiki, adv. Demoradamente | 
Demasiadamente ! De modo pro- 
longado I Excessivamente. 

Njinkifa, sub. (IX) Nó pequeno 
I Nódulo II Obra ligeira imitando 
renda, feita com linha era pano 
branco | A própria renda. K' m. 
us. no pi. jinj lícita. 

Njikifu, sub. (IX) Laço ) Atadu- 
ra j Nó I Laçada | Adorno de fita 
em forma de laço | Sinal ; lembran- 
ça I I Cordel atado no tornozelo, 
braço ou pulso para significar que 
se está imune . | | Preservamento ; 
resguardo] I adj. Preservativo. 

Jiku, sub, (IX) Fogarfiro ; la- 
reira : kuta'mbia bu — j Lar ; seio 
da família : bu — ria tatá ni mama. 
V. ri jiku. 

Jikuku, sub. pi. (IX) Avós | 
Antepassados Parentes remotos. 

Jikukululu, sub. pi. (IX^ Os mais 
antigos: jikuku ni — \ Os avoen- 
gos ; os remotos. 

Jiku.xi, adj, interrog. pi. (IX) 
Quantos, quantas : jingulu— ? 

Njila, sub. (IX) zool. Animal bí- 
pede, oviparo, de asas | Pássaro | 
Ave pequena | Nome genérico dos 
animais alados: u /uAfli Afa/fl — .l I Su- 
posta doença que ataca as c.ianças 
de poucos meses, que choram mui- 
to às noites j — ndiriku, Ave ri- 
beirinha ; Martim-pescador. ; V. 
ndiriku. \\ — ndúndu, bot. Planta me- 
dicinal cuja raiz se recomenda em 
tumores e inflamações endémicas f i 
— sonde, árvore de grandes dimen- 
sõis da família das leguminosas 
{pterocarpus erinaceus), conhecida 
por «sandalo-vermelho>, por exsu- 
dar no entre-casca um liquido 
vermelho-sanguineo V. ndúua; mu- 
tite i 1 Kiria — , diz-se de qualquer 
fruta madura, picada pelos pássa- 
ros. 

Njíla, sub. (IV) Nome genérico 
da todas as faixas de terreno que 
conduzem de um para outro lugar 



Mji 



- 69 - 



JIM 



I Caminho. | Espaço que se per- 
corre I Estraaa ; rota ; rua: Aue» 
nda mu-kunhongojoka ! ! Via públi- 
ca I Percurso; giro ' Viagem; na- 
vegação; travessia \ Derrota. 

Njilu, sub. (IX) Desjejua: kuria—, 
[Testemunho; prova |I bot. Plan- 
ta solanáceâ. conhecida por íherva 
moura» {solanum caule). \ Giló. 

Jimama, sub. pi. (IX) Mais | 
Mulheres que têm ou tiveram fi- 
lhes: akuetu ária fiinji ku — j Mu- 
lheres caridosas. 

Jimamá, sub. pi. (IX) bot. port. 
Mamõis. V. malolo 

Jimanhi, sub. pi. (IXi port. Mais. 
I Mamãs. V. jimama. 

Jimafa, sub, pi. (IXj bjt. Quan- 
tidade ou calda de tomate \ Toma- 
teiro 1 Planta solanáceâ. j V. ma- 
mata. 

Njímba, sub. iIX) Certo instru- 
mento músico. I Bombo | j Dança 
indígena: kukirM-. 

Njimba. sub. flX) Morsó Ter* 
ceiro estômago das aves | Moela. 

Jimbalá, sub. pi. (IX) bot. Fa- 
mília de plantas monocotiledóneas 
que têm por tipo a ijunça». j 
Plantas ciperáceas. 

Jimbalu, sub. pi. (IX) Ripas | 
Travessas ! | adj. Revoltados; re- 
voltosos I Embravecidos. ; Que se 
não sujeitam à boa ordem, j | De- 
sertores; que andam a monte. 

Jimbamba, sub. pi. (IX) Atados 
de juncos \ Quantidade de varas 
para fustigar , Vergónteas; chiba- 
tas. 

Jimbamba, sub. pi. (IX) Crostas 
I Camadas expessas e duras que se 
desenvolvem sobre feridas. | 1 Suji- 
dades secas da pele | | Conchas glo- 
biformes de moluscos gasterópodos 
I Porcelana | ' Jogo de azar cons- 
tituído por quatro rodelas de lou- 
ça: kuta — I As rodelas de que este 
jogo se compõe. 

Jimbamba, sub. pi. (IX) Reu- 
nião de homens doutos, sabedores, 
excelsos: — fatenena . Conjunto de 
pessoas especializadas em alguma 
arte ou ciência i Sumidades. 



Jimbambelu, sub. pi. (IX) Bor- 
das de canoas, de navios | Amura- 
das I Margens. 

Jimbande, adj. e sub. (IX) Ho- 
mens capazes e destemidos Hon- 
rados; sérios I Que têm capacidade. 

Jimbándu, sub. pi. (IX) bot. Fa- 
mília de plantas aquáticas {nym- 
phoea Lotus) cujo tipoé o nenúfar- 
Plantas ninfeáceas. Os seus frutos 
(tubérculos) de utilidade alimen- 
tícia. 

Jimbándu, sub. pi. (IX) Venefi- 
cios í Envenenamentos acompa- 
nhados de sortilégios. 

Jimbânga, sub. pi. (IX) Diz-se 
dos dois órgãos contidos no escroto 
; Testículos. 

Jimbángi, sub. pi. (IX) Pessoas 
chamadas a assistir a certos actos, 
ou a depor sobre certos factos | 
Testemunhas. | Pedras que se colo- 
cam ao lado de um marco | Duas 
árvores que se plantam ao lado de 
uma que serve de balisa 1 Provas. | 
fig. Os testículos. 

Jimbánji, sub. pi. (IX) Costelas 
' Ussos que formam a caixa torá- 
cica. 

Jimbánza, sub. pi. (IX) Instru- 
mentos de corda | Violas | Guitar- 
radas; tocatas M Certo tecido de 
linho ou algodão às riscas: milele ia — 

Jimbeji, sub. pi. (IX) Muitas luas 
[ Série de mezes | Tempo decorrido 
contado pelo número de luas. 

Jimbêmbe, sub. pi. (IX) bot. 
Planta portulácea de folhas miúdas 
[portulaca oleracta). \ Baldroega. 

Jimbende, sub. pi. (XI) Dinheiro 
miúdo. 

Jimbéndu, sub. pi. (IX) Pífaros; 
flautas \ Música composta de ins- 
trumentos de sopro. 1 fig. Bebedei- 
ra ; embriaguês; u eza nl — jc. 

Jimbengéla, sub. pi. (IX) Ore- 
lhas; ouvidos: y/Aru/a o — || Peque- 
nos sacos de carvão. | '\ Apêndices. 

Jimbenza, sub. pi, (IX) Tambo- 
retes. I Cadeiras de bambu sem 
braços. 

Jimbiji, sub. pi. (IX) Peixes. | 
Animais vertebrados que nascem e 
vivem na água e respiram pelas 
guerlas. 



JlM 



-70 



Jimbimbi, sub. pi. (IX) Sons di- 
ferentes de diversos instrumentos, 
ou que saem da boca humana | Vo- 
zes I Diferenças que se notam nas 
vozes ou nos tons:— ya màzui. 

Jimbinda, sub. pi. (IX) bot. 
Planta cucurbitácea ! Cabaceir- : 
kirimakia— \ Conjunto ou planta- 
ção de cab iças. 

Jimbinga. sub. pi. (IX) Chifres ] 
Cornes | Apêndices duros que os 
ruminantes têm na cabeça: — ja 
sexi I Bicos ou saliências de alguns 
ossos i Buzinas 1 CoJnucópias. 

Jimbóa, sub. pi. (IX) bot. Famí- 
lia de plantas dicotiledóneas do ti- 
po do amaranto i Plantas amaran- 
táceas (amaranthus) | Amaranto; 
bredo. || Campo plantado de ama- 
ranto. 

Jimbômbo, sub. pi. (IX) Porção 
de mandioca amolecida para fazer 
fubá ou faiinha. 

Timbóndo. sub. pi. (IX) bot. Fa- 
mília de plantas a que partence o 
boababe. | Plantas bombáceas | 
AdansóaiasjTerreno ocupado pores- 
tas plantas 1 | topon. Lugarejo a lO 
líil. ao S. da cidade de Luanda: 
mu — . 

Jimbongo. sub. pi. (IX) Quanti- 
dade de dinheiro, de jóias, de cou* 
sas preciosas | Tesouro [ Haveres | 
Cabedais; metais | | Mukiia — , adj. 
Rico; milionário. 1 Opulento; endi- 
nheirado I Pessoa muito rica; ho- 
mom de muitos haveres. 

Jimbonja. sub. pi. (IX) Jorros 
de água | Jactos \ Espacianas | 
Líquidos que jorram como espa- 
danas. I Espadanadas. 

Jimbonzo. sub pi. (IX) bot. 
Planta convolvulácea 1 Os tubér- 
culos desta planta conhecidos por 
«batata doce», i Cará | | Batatal. 

Jimhorio, sub* pi. (IX) Graude 
número de pardais. | Pardalada. 

Jímbote, sub. pi. (IX) Bens: — 
ja muxima. \ Belesas; tesouros i O 
que generosamente se faz a alguém. 
j Bens morais j Bondades. 

Jimboío, sub. pi. (IX) bot. Fa- 
mília de vegetais que têm por 
tipo o ébano. | Plantas ebenáceas. 

Njímbu, sub. (IX) Pequeno búsio 
pescado na contra-coãta da ilha de 



- JlM 

Luanda e que corria com o moeda 
no antigo reino do Congo. | Moeda; 
dinheiro: mu luanda mu afumana o 
ngânda. muia — . ki mu vutuk'ê— \ 
Caurim jl Galeria; túnel: rlkungu 
fia — -. I Compartimento sobre o 
comprido para guardar ou escon- 
der objectos de valor zool. Qua- 
drúpede género dos braquipodos, 
que vive em túueis que faz de- 
baixo da terra e se alimenta de 
hervas e de térmites. | Tamanduá 
I i kilangala — , ave sindáctila. | V. 
pi. jinjimbu. 

Njimbu, sub. (IX) Explicação 
clara e breve (de uma cousa difícil, 
obscura ou duvidosa). | Definição 
I Decisão em matéria duvidosa | 
Exposição dos diversos lados pelos 
quais se pode encarar um assunto | 
Preleção (feita pelo professor) so- 
bre um texto, j Exegese. 

Jimbua, sub. (IX) zool. Conjunto 

de cãis. Matilha; canzoada | fig. 
Miseráveis | Ingratos. 

Jimbuanana, sub. pi. (IX) zool. 
Família de insectos dipteros, tb. 
chamados «tunga» ou bicho dos 
pés. 1 Pulguedo ] Lugar onde há 
muitas pulgas. 

Jimbuelekese, sub. pi. (IX) Sei- 
xos, Grande quantidade de saibro. 
IBurgal. 

Jimbíilu, sub. pi. (IXj Pequenas 
saliências das superfícies escabro- 
sas I Grânulos. | | Conjunto de bor- 
bulhas na superfície de un órgão: 
u ala ni — mu pólo- \ Granulação; 
boibulhagem. 

Jímbulu, sub. pi. (IX) zool. Ma- 
tilha de cãis silvestres. | Chacais. 

Jimbulungu, sub. pi. (IX) Ceri- 
mónia do juramento a prestar pelos 
supostos feiticeiros: kuia ku — ] Be- 
beragem do ndúua. 

Jimbumba. sub. pi. (IX) Tatua- 
gem. ; Desenhos indeléveis na pele 
humana. | \Kuta — , v. tr. Tartuar [ | 
Mukua — , adj. Que tem tatuagem j 
Tatuado. 

Jimbúndu, sub. pi. (IX) Bagos; 
grãos (de milho, de arroz, de feijão 
etc.) í i Sementes | Pevides [ fig. 
Moedas; dinheiros. 

Jimbúndu, sub. pi. (IX) Choros; 
lamentações; alaridos:— ya kurila j | 
Peixes do género tainha, 



JíM 



-71 - 



m 



Jímbungu, sub. pi. (IX) Canudos 
I Cilindros ocos | Tubos | Sons de 
trombetas | Buzinas. 

Jimbunha, sub. pi. (IX) Ferrolho 
de madeira que, posto em toda a 
altura da porta ou janela, se em- 
bebe ao mesmo tempo pelas duas 
extremidades na parte superior e 
inferior do aro. | Carmona | Gonzos. 

Jímbúnze, sub. pi. (IX) bot. Ar- 
busto enforbiácco {alchornea cordi- 
folia), de utiliFação tinturial | Plan- 
tas de que se extrai o anil | Anilci- 
ra I I Kuta — , V. tr. Tingir de preto 
ou de azul | Anilar j Esmaltar de 
azul. 

Jimbúri, sub. pi. (IX) zool. Con- 
junto de carneiros. | Rebanho de 
ovelhas: kihánga kia — | Cameira- 
da I Oviário. 

Jimbuíu, sub. pi. (IX) Grãos para 
reprodução | Sementes | Gérmens | i 
Sementeira \ O que se semeia: — ja 
manhangua \ Terra semeada. 

Jimenha, sub. pi. (IX) port. Meias. 

Jimola, sub. pi. (IX) port. Esmo- 
las. V. kllãmbu 1 1 Molas. 

Jimono, sub. pi. (IX) bot. Se- 
mentes ou frutos de rícino | Quan- 
tidade de rícino | Carrapateiro 

Jimosana, sub. pi. (IX) MoJelos 
I Objectos ou desenhos que servem 
para ser imitados ] Reproduções | 
Cópias. 

Njitnu, adj. (IX) Inteligente j 
I Esperto | Prudente; culto | Dili- 
gente; que tem habilidade: ribunda 
ri Qkuta — kioua k'arikutunun'ê. \ 
Engenhoso j fig. Astuto; velhaco: 
kurimiika kua kioua ku afunda ku— 
I I bot. Fruto crisocarpo, comes- 
tível, do tamanho de um limão, 
côr escura e sabor adstringente. | 
Fruto de munjimu. 

Jimuke, adj. Apagado; extinto | 
Desaparecido; esquecido; morto. 

Jinvuama, adj. e sub. (IX) Opu- 
lentos; abastados; ricos. 

Jinvuale, adj. pi. fIX) Titulados 
I Que têm dignidades de nobresa 
I 1 sub. Pergaminhos \ Documentos 
em que se conferem dignidades. 

Jinvula, sub. pi. (IX) Chuvas | 
Abundância de água das chuvas i j 



Enchentes j Cheias , Aguas vivas 
ou mortas | Marés. 

Jinvúnga, sub. pi. (IX) Actos 
que anunciam perturbação | Dis- 
túrbios; ameaças: ueza ni — j Al- 
gazarra; bulha. 

Jinvunji, sub. pi. (IX) Acumula- 
ção de serosidades no tecido celu- 
lar I Hidropisia | Barriga de água 
(doença). 

Jina, sub. (IV) Abrev. de rijina 
I Nome: — Tia nduka. 

Jína, sub, pi. (IX) zcol. Género 
de insectos áptercs que têm por 
tipo o piolho. II Piolhada | fig. 
Miséria: ngariama ia — | Extrema 
pobresa. 

Jiná, adj e pron. demonstr. pi. 
(IX) Aquelas : aqueles: jisefu — 
y abuluka ku ji jiba U Designa cou- 
sas afastadas das pessoas que fa- 
lam. 

Njinda, sub. (IX) Ira; indigna- 
ção; raiva | Cólera; fúria: ng'a mu 
kuatela — | Inimizade. | E'tb. us. 
no pi. jinjinda. | j ictiol. Género de 
peixes voadores lExoceto.| Peixe 
de barbatanas compridas. 

Jindaka, sub. pi. (IX) Obsceni- 
dades. ! Indecências. j Injúrias, j 
Torpezas; actos indecorosos: ku- 
xinga — . 

Jíndalu, sub. pi. (IX) Cotas | 
Saias curtas feitas de fibras de 
embondeiro. 

Jindambu sub. pi. (IX) Carnei- 
ros i Depósito de ossadas [Criptas, 

Jindanda, sub. pi. (IX) Plantas 
da fam. das ciperâceas que têm 
por tipo a junca | Bunho. 

Jindandu, sub. pi. (IX) Parentes 
I Pessoas de família. 

Jindánji, sub. pi. ^X) Raízes | 

Rizomas [ Bazes | | Varinhas, com 
que se tocam marimbas, tambores 
e outros instrumentos sonoros | 
Baguetas | Badalos. 

Jindele, sub. pi. (IX) Almas d© 
outro mundo | Espíritos dos que 
tiveram morte violenta e que vêm, 
por sua vez, perseguir e imolar os 
descendentes dos seus sacrificado- 
res 1 1 Manes: — ja maiambi \ Espí- 
ritos dos sacrificados pelos caça- 
dores de victimas j Sombras dos 



JIN 



-n- 



m 



mortos I Almas de salteadores ou 
criminosos que se encarnam em 
corpos de pessoas arrebatadas, 
infecundas ou obcecadas determi- 
nando-lhes a prática de actos cri- 
minosos ou prejudiciais. | fig. Deu- 
ses infernais. V. maiambi. 

Jindemba, sub. pi. (IXi Conjunto 
de pêlos da cabeça e, p. ext., do 
corpo humano | Cabelo: — ja mu- 
tue I Pêlo comprido de certos ani- 
mais. 

Jindémbu, sub. pi (IX) Jagas | 
Régulos I Terra habitada por 
«dembos» | A região e actual circ. 
dos Dembos, distr. e prov. de 
Luanda: mu — , 

Jindende, sub. pi. (IX) Quanti- 
dade de «dendém». [ Fruto da pal- 
meira. 

Jindómba, sub. pi. (IX) Tapeça- 
ria fúnebre | Tiras pretas torcidas 
com que as viuvas se cingem | 
Crepes: muturi ua — | Luto | | adj. 
Lutuoso I Que nasce depois da 
morte do pai: mona ua — . 1 Pós- 
tumo. 

Jindonda, suo. pi. (IX) Piiraeiras 
noçõis de uma arte ou ciência | Ru- 
dimentos ( Primeiros lineamentos i I 
Origens; princípios; bases | fig. As- 
cendências; antecedentes. 

Jindondo, sub. pi. (IX) Náuseas; 
âncias de vomitar | Movimento 
convulsivo de quem vomita || KU' 
ta — , V. intr. Sentir náuseas ! Ter 
vontade de vomitar. | Nausear | 
Agoniar, 

Jindondolo, sub. pi. (IX) bot. 
Folhas de mundondolo, utilizadas 
como sabão. 

Jindóngo, sub. pi. (IX) Canoas 
de grandes dimensões. | | Ensina- 
mentos I Pareceres | Conselhos. 

Njindu, sub. (IX) Diz se da feri- 
da que se cria entre a unha e a car- 
ne. PI. jinjindu. 

Jindumbe, sub. pi. (IX) Noviço?. 
I Us que se preparam para profes- 
sar em xinguilamentos | Novatos. 

Jindunda. sub. pi. (IX) Respon- 
sabilidades. I Culpas, i' Queixas | 
Informações; boatos. 

Jindundu, sub. pl. (IX) Socos | 
Murros | Pancadas, j — ndulu, bot. 
Família de plantas solanàceas (50- 



lanum albifollum), utilizada como 
condimento. 

Jindungu, sub. pl. (IX) bot. Fru- 
to de plantas piperáceas \ Pimenta, 
de que há várias espécies. | fig. 
Ardor. 

Jindúía, sub pl. (IX) Presentes 
que a mulher casada re':ebe de seu 
amante: hãria kua — | Dádivas para 
subornar; peita: kubana — j Objec- 
tos adquiridos com o produto da 
prostituição. 

jinga, suf. que indica acção 
contínua: kubanga — ; kuenda—, . . 
agem | | adv. Sem cessar | Sempre 
1 I Palavra que ^ junta ao verbo 
para significar acção contínua, inin- 
terrupta: u zuelajinga kia mbote \ 
V. jinge. 

Jingalasa, sub. pl. (IX) port. 
Graças | Risos. V. makuelela. 

Jingamba, sub. pl. (IX) Grupo 
de carregadores i Caravana | Leva 
I Pessoas que transportam cargas. 

Jíngambi, adj. e sub. pl. (IX^ 
Linguarudos | Bisbilhoteiros | Mal- 
dizentes 1 Delatores. 

Jingana, sub. pl. (IX) SenhoresI 
Patrões; amos 1 Os donos da casa j 
Possuidores de alguma c isa. 

Jingandelu, sub. pl. (IX; Mandí- 
bulas { Maxilas { Queixais. 

Jingandu. sub. pl. (IX) zool. Gé- 
nero de reptis í^áurios que têm por 
tipo o jacaré. 

Jingánga, adj. e sub. pl. (IX) 
Corporação de eclesiásticos | C^ou- 
junto de sacerdotes [ Clero | | Ma- 
gos; sábios; profetas | Reunião de 
doutores, de adivinhos. | fig. Char- 
latães j ; bot. Planta crossulácea 
(kalancfioe wel) de efeitos cor- 
rosivos. V. kibánga, tuta ria-nvula. 

Jingariama, sub. pl. (IX) Classj 
de mendigos, de pobres | Grupo 
de necessitados ' Os que não têm 
os bens temporais. 

Jingasêse, sub. pl. (IX) Família 
de peixes acantopterígiôs, cujo 
tipo é o escombro | Cavalas | Gé- 
nero de peixes escombridas. 

Jinge, adv. A todos os momen- 
tos; sem cessar \ Sempre: tu bane — 
izuua los o, nda tu ku longe -. 



JÍM 



-?5- 



m 



Jingêla, sub. pi. (IX) Arumação 
dos animais corniferos | Chifres: 
hombo a mu muena ku -.ICornadura 
I Chavelhos. 

Jíngéma, sub. pi. (IX) Fabrican- 
tes de vinhos | Vinhateiros: — ja 
maluvu. 

Jingenhe, sub. pi. (IX) Família 
de plantas ramnáceas. | Sarça j 
Espinheiro | Pequeno arbusto 
cheio de espinhos: muxitu ua — . | 
Silvedo. 

Jingenji, sub. pi. (IX) Viajantes 
I Romeiros. í Que vão de viagem | 
Forasteiros. íig. Conjunto de for- 
migõis em marcha. 

Jingiji, sub. pi. (IX) Cursos de 
agua I Ribairos; lagos; rios. 

Jingiji, sub. e adj. (IX) Conhe- 
cidos i Que se conhecem: ata a — | 
Pessoas do nosso conhecimento. 

Jinginga, sub. pi. (IX) zool. 
Conjunto de lacraus | Quantidade 
de escorpiões. | fig. Má catadura. 

Jingiongiolo, sub. pi. (IX) Súcia 
de velhacos ] Pessoas que não me- 
recem crédito, I Hipócritas, fal- 
sa rios. 

Jingirínhá, sub. (IX) Aparelho 
feito de cordas entrelaçadas que, 
lançado a qualquer indivíduo, im- 
possibilta-o de todos os movimen- 
tos 1 Espécie de colete de forças: 
a mu ie mu — . | Rede para envol- 
ver e prender animais ferozes. 

Jingoji, sub. pi. (IXJ Fibras j 
Cordéis; fios ; atilhos | Reunião 
de fios de cânhamo ou de qualquer 
matéria filamentosa ou flexivel tor- 
cidos juntos I I anat. O que fica na 
madre depois do parto: kíbu ni — | 
Páreas | Secundinas j | Genealogia: 
— ia rivumu \ Sucessão | Sequência 
I Continuação; ordem; série (numa 
família). 

Jingoléla, sub. pi. (IX) Os pri- 
meiros produtos ou frutos da terra 
I Primícias: — j a ir ima \ Primeiras 
produções; primeiros lucros. ; Os 
primeiros sentimentos; primeiros 
gozos: kuvuala ni u aiba — ji ku Jila 
ku muxima \ \ Proveito | Utilidade 
I Conveniências ] Interesses: — ja 
uênji 1 Vantagens | Lucros, i Parte 
de ganhos que cabe a cada sócio. 
) j Risos I Alegrias | Regozijes ; 



gargalhadas, fig. Brindes; ofertas; 
presentes. 

Jingolôlo, sub. (IX) Gritos tumul- 
tuosos I Clamores | Vozes que se 
ouvem ao mesmo tempo | Alarido; 
berraria j Choros : - Ja kurila | 
Choradeira. 

Jingoma, sub. pi. (IX) Conjunto 
de bombos, de tambores ! por ext. 
Danças; bailados; folguedos: — 
j'akuata. 

J ngómbe, sub. pi. (IX) Boiada | 
Conjunto de bois. vacas, bezerros, 
etc. 

Jingombo, sub, pi. (IX) Fug.tivos 
i Desertores. 

Jingôndo, sub. pi. (IX) Ouros \ 
Contas (em ouro) que as mulheres 
usam como adorno nos pulsos e pes- 
coço : nzenzela ia — | Colares ; rosá- 
rios. 

Jingônge, sub. pi. (IX) Arfcula- 
ções I Falanges | Juntas: — ja inu- 
ma. [ I Pregões; avisos. 

Jingóngo. sub. pi. (IX) Padeci- 
mentos I Sofrimentos ( Martírios ! 
P e z a r e s | Desgostos Desgraças ; 
aflições; trabalhos penosos : ng'amo- 
no — I Endoenças i Privações; ne- 
cessidades. 

Jingóngo. adj. e sub.pl. (IX) Gé- 
meos ( Diz se dos frutos irmmados: 
rihonjo ria — \ Diz-se do parto de 
dois filhos : u avuala — 1 Diz se dos 
dois músculos que formam a barriga 
da perna, e da constelação do zod aco 
«Castor e Polux». ' Parelha. Os da 
mesma origem. 

Jinguba, sub. pi. (IX) bot. Planta 
leguminosa produtora do amendoim 
{arachis hypogadea) \ O próprio amen- 
doim. Sua porção ou quantidade 
I 1 Amendoal | j — ja kambambi. plan- 
ta alimentícia iam. das leguminosas 
{voandzeia subterrânea), tb. conhecida 
por vielu. V. kaiala. 

Jingúhi, sub. pi. (IX) zool. Famí- 
lia de sáurius que tem por tipo o ali- 
gátor I Jacarés marinhos. 

Jingulá, adj. pi. (IX) Ingratos | 
Dosagradecidos. 

Jingúlu, sub. pi. (IX) zool. For- 
cada ! Vara de porcos. 

Jinguma, adj. e sub. pi. (IX; Ini 
migos 1 Tra- dores, | Adversários. 



m 



- 74 - 



JIM 



Jinguna, sub. pi. (IX) Formigas 
de asas que aos passarinhos servem 
de isca | Agudas | Térmitas. 

Jingunda, sub. pi. (IX) bot. Fa- 
mília de plantas dioscoreâceas {dios- 
corea Prensii) e seus frutos, próprios 
para comer. 

Jingúndu, adj. e sub (IX) Vaga- 
bundes; errantes; hostis; inimigos: 
— j'eza ku ngi tambula o'xi iâmi, sê 
kituxl, sê mulonga \ Usurpadores \ \ 
zool. Família de aves escolopacidas 
que têm por tipo a galinhola | Aves 
de arribação. 

Jíngundu, sub. pi. (IX) Lugares 
desabitados, abandonados | Povoa- 
ções provisórias ; acampamentos | 
Restos de civilizações passadas | 
Ruínas. 

Jingúnga, sub. pi. (IX) S nos ; 
campainhas ] Instrumentos sonoros : 
kuxika — [1 zool. Grandes ruminan- 
tes I Grandes peixes do mar. 

Jingunhu. sub. pi. (IX) bot. Famí- 
lia de plantas trepadeiras, visinhas 
das ramnáceas ] Plantas celastrinas | 
Cipó I Plantas sarmentosas | Ter- 
reno ém que abundam destas plan- 
tas : u arisueka mu - . 

Jingúnji, sub. pi. (IX) Pilares | 
Escoras | Colunas \ Apoios; encos- 
tos. I fíg. Penhores. 

Jingusúsu, sub. pi. dX) bot. Fa- 
mília de plantas combretáceas | Con- 
junto de combretos | Sua plantação. 

Jingúnza, sub. pi. (IX) Heróis | 
Pagens | Arautos | Mensageiros. 

Jingúzu, sub. pi. (IX) Forças | 
Rijeza i Vigor | Energias: — j'a mu 
bu. 

Njinhi, sub. (IX) Vulva. 

Jinhimu, sub. pi. (IX) bot. Amen- 
doim. V. jinguba. 

Jinhoka, sub. pi. (IX) Reptis ofí- 
dios I Conjunto de cobras | Serpen- 
tes. 

Jinhoki, sub. pi. (IX) Abelhas. 
V. jinfiuiki. 

Jinjanjinhu, sub. pi. (IX) port. 
Anjinhos | | Algemas. 

Jinjende, sub. pi. (IX) zool. Ver- 
mes utilisados na pesca como isca | 
Minhocas. 



Jínji, sub. pi. (IX) Moscaria | 
Mosquedo. | { Tipo de cabelo pe- 
culiar de certas raças, como os 
nigrílos. ! I Doença caracterisa- 
da pela turbação visual em que 
se vêem voar umas cousas como 
moscas: mu mesu mu ala ku ng'enda 
— I Milodopsia. 

Njinji, sub. (IX) zool. Quadrúpe- 
de do gén. cão | Raposa: — u leíiga o 
mula. \\ — 'a ngo, mamífero carnicei- 
ro felida, maior que a raposa Lobo 
cerval | Lince | | — 'a songo, formiga 
brava | Formiga que ferra. V. sàmi. 

Njinji, sub. (IX) Pertubação do 
estômago proveniente da má diges- 
tão dos alimentos | Estado molesto 
e anormal do aparelho digestivo. 

Jinjibiri, sub. pi. (IX) bot. Famí- 
lia de plantas monocotiledóneas a 
que pertence o gengibre, o carda- 
momo, etc. | Amómo | i Plantas gen- 
giberáceas d e regiões tropicais | 
Amómeas j | Terreno plantado de 
gengibre. 

Jinjiquíía, sub. pi. (IX) Lavra- 
do de relevo feito com linha em 
tecido branco. 1 Renda ; lavor; ador- 
no : kutunga—\ Rendilha. 

Jinjila, sub. pi. (IX) zool. Bando 
de pássaros, de aves | Passarada 
I Os pássaros em geral | Ordem de 
aves que compreende os coníros- 
tros, dentirostros, fissirostros, sin- 
dáctilos e tenuirostroa. 

Jinjilu, sub. pi. (IX) bot. Famí- 
lia de plantas solanáceas, de fru- 
tos comestíveis | Herva moura | 
Campo plantado de solanos. 

Jinjímbu, sub. pi. ^IX) Monte, 
quantidade de caurim \ \ zool. Gru- 
po de mamíferos marsupiaís que 
compreende o tamanduá, o cangu- 
rú,etc. I I Animais síndáctilos. 

Jinjimu, adj. pi. (IX) Eruditos; 
sábios; ilustrados | sub. bot. Fa- 
mília de plantas crisobelanas, de 
fruto comestível. 

Jinjinda, sub. (IX) Manifestação 
de furor | Cólera | Fúria,— jamu 
kuata I O máximo grau de agitação 
de ânimo irado | ímpeto de raiva 
I Ira; zanga. 

Jinongo-nongo, sub. (IX) Enig- 
mas; adivinhas; charadas: kutã . 



jíM 



— 75 



iip 



Jinvi, sub. (IX) Cabelos brancos 
j Cã». I fig. Aspecto respeitável de 
pessoa idosa. 

J'nvo, sub pi. (IX) Podõis; po- 
dadeiras, 

Jinvula. sub. pi. (IX) A época 
das chuvas: mu— jakusamanu\ | Ma- 
rés; movimento das águas do mar : 
-j'abu; — já izala, baixa -mar e 
preamar. 

Jínvunda, sub. (IX) Brigas; pe- 
lejas; desordens | Lutas. 

Jinvunji, sub. (IX) Hidropisia | 
Barriga de água. 

Jinzaji, sub. (IX) Raios I Coris- 
cos I Faiscas eléctricas. 

Jinzambi, sub. flX) Divindades 
de qualquer religião |IDeuzes: kubi- 
ngila — . I Imagens religiosas. 

Jinzébu, sub. pi. (IX) Espuma 
nojenta | Baba | | Grupo de plantas 
aquáticasl Algas :—ya mênha \ Limo; 
lichen, musgo, etc, 

Jínzéke, sub, pi. | Sacaria ] Car- 
gas. 

Jinzeu, sub. pi. (IX) zool. Con- 
junto de formigões de côr preta. 

Jinzévu, sub. pi. (IX) Os pêlos 
da barba | Filamentos (da pena) j 
Raizes filamentosas que saem da 
raiz principal. 

Jinzo, sub. pi. (IX) Casas | Ha- 
bitações I Moradas. 

Jinzu. sub. pi. (IX) Gtnguba | 
Quantidade de amendoim. 

Jinzumbi, sub. pi. (IX) Almas 
dos moitos 1 Espintos | Manes 
[DuendeT. 

Jinzúngu. sub. pi. (IX) Ventosas 
I Órgãos aspirantes de certos ani- 
mais aquáticos. 

Jipai. sub pi. (IX) port. Pais. 
Y.jitata. 

Jipakasa, sub. pi (IX) Bois bra- 
vos i Touros: atu abiluka — | Bú- 
falos I f g. Grupo de soldados de 
gueira pretaj Força de auxiliares dos 
exércitos coloniais. 

Jipambu, sub. pi. (IX) Junção 
de caminhos | Ponto em que vá- 
rios caminhos se cruzam , Lugar 
oode le eocoatram duas ou mais 



linhas férreas | Entroncamento | 
Encruzilhada. 

Jipana, sub. pi. (IX) Barbulha- 
gem com raiz (na cara ou nas 
mãOá), I Pequenas manchas na cara 
de certas pessoas. 

Jipánda, sub. pi. (IX) Situação 
de adultério | Vasilhas de barro, 
sem asàs, para líquidos. | | Cego- 
nhas- 

Jipangu, sub. pi. (IX) Rito=; 
preceitos; deveres ; \ Estrib lhos; 
versos ou expressões que incons- 
cientemente se repetem a cada 
passo. I Excentricidades. 

Jipapa, sub. pi. (IX) Estacaria. 
1 1 Arraias. 

Jipasu, sub.pl. (IX) port. N. S. 
dos Passos. 

Jipaía, sub. pi. flX) Dúvidas j 
Discórdias ] Controvérsias | Dissi- 
dências I Diversidade de opin ões, 
de interesses | Debate. | Discussão 
em que os discutidores procuram 
trazer o3 assistentes á sua opinião. 
I Polémica: arikuata — | Desaven- 
ças; contrastes \ \ Kãlua — , v. tr. e 
intr. Descrer | Opor ao que ou- 
trem diz 1 Contradizer | Objectar; 
duvidar. | Desconfiar j | Mukua — , 
adj. Suspeitoso | Descrente | Con- 
traditor j Polemista. | Descon- 
fiado. 

Jipaíakanha. sub. pi. (IX) Cor- 
del entrelaçado, tingido de preto, 
que as viuvas trazem a tiracolo a 
acompanhar o luto | Um dos ador- 
nos de quem traja de luto carre- 
gado. 1 ! Bandas; faixas | Cintos a 
tira-colo. 1 Insígnias ; Distintivos. 

Jipaiilu, sub. pi. (IX) Influência 
que, em casos de doença, a rivali- 
dade exerce sobre homens que te- 
nham conúbio com a mesma mu- 
lher. II Influência móibida que um 
órgão lesado exerce sobre outios 
não directamente atacados, i S m- 
patia. ' 

Jipaíci, sub. pi. (IX) Endoenças] 
I Dores | Angústias [ j Certa qua- 
lidade de tecido de algodão bas- 
tante vulgarisado em Luanda : 
milele ia — . 

Jipeléku, sub. pi. (IX) port. 
Quantidade de pregos ; Pregaria. 

Jipínji, sub. pi. (IX) Herpes j 
Doeoça da pele | Daitro. 



jl^ 



- í^é - 



Jiâ 



Jiplsa, sub. pi. (IX) Esporões 
(nos galináceos), fig. Esporas. 

Jipoho, sub. [;1. (IX) Facadas | 
Navalhadas, i Sarjamento. 

Jipólo, sub. pi. (IX) Caras; sem- 
blantes ; rostos; fisionomias: tu 
riji — ki ta riji mixima. \ Faces | 
Frontispícios. | Fachadas. 

Jipómbo, sub. pi. flX) Macacos 
grandes. 

Jiponzo, sub. pi. fIX) Culpas | 
Acumulação de faltas | Infracções 
á lei, á moral, ao dever: kuritata — . 
I Faltas; imputação; desleixo. 

Jiposa, sub.pl. (IX) bot. Planta 
liliácea medicinal. | Salsaparrilha 
{smilax kraussiana). \ Aspárago. V. 
luposa. 

Jipúnga, sub. pi. (IX) Oficiais 
executores das ordens dos reis | 
Arautos I Mensageiros. 

Jipulukua, sub. pi. (IX) port. 
Pulgas i Nome de certo tecido de 
algcdão que bastante se usou era 
Luanda e arredores. 

Jipufu, sub. pi, (IX) Palavras 
ou locuçõis em português : kuta—.\ 
Expiessõis portuguesas 

Jisabafu, sub. pi. (IX) port. Sa- 
patoíí. V. ikoto 

Jisábu, sub. pi. (IX) Máximas; 
adágios; provérbios; anexins. 

Jísala, sub. pi. (IX) Penas (de 
gilinha). V. Isala 

Jisalála, sub. (IX) Sacos de fo* 
lhas de binaneira para conduzir 
fubá I O seu conteúdo. 

Jisalamu, sub. pi. (IX) port. Sal- 
mos. V. máinbu. 

Jisamanu, adj. num. pi. (IX) 
Seis: jisánji — | Cinco unidades 
mais uma, 

Jisámba, sub. pi. (IX) Corte- 
zãos. 1 Conjunto de pessoas que 
por dever, obséquio ou simpatia 
acompanham alguém, j Séquito. | 
Comitiva | Pessoas de intimidade. 

Jisambu, sub. pi. (IX) Pontas j 
Referências: — ja maka \\ Bandas; 
fímbrias; franjas: — ja milele \ Can- 
tos I I Porção de fios que ficam 
entre duas pontadas de agulha. 



Jisânda, sub. pi. (IX) Apartes 1 
Frases isoladas com que se inter- 
rompe a quem fala. 

Jisanza, sub. pi. (IX) Grandes 
dimensões j Vastidão \ Grandes 
áreas. | | Quantidade de nassas | 
Conjunto de artefactos com que se 
apanham o cauri. 

Jisarinha, sub. pi (IX) Conjun- 
to de peixes elupeídas ] Sardinhas. 

Jisá(a, sub. pi. (IX) Sacrifícios 
em que as vítimas eram consumi- 
das pele fogo I Vítimas oferecidas 
em holocausto, | Ofertas feitas á 
divindade. | Oblação. 

Jiselengenha. sub. pi. (IX) Ditos 
populares, alusivos ou sentencio- 
sos. 

Jisembele, sub. pi. (IX) Melho- 
ras: — lei j'anwnek'ê. \ Melhoria (em 
casos de doença). 

Jisolohofo. sub. pi. (IX) bot. Fa- 
mília de plantas rasteiras armadas 
de pequenos espinhos em tufos: — 
ji xita o mabata, nganga ja imbanda 
jisakao maláji \ Espinhos. 

Jisóngo, sub. pi. (IX) Acúleos | 
Aguilhões I Raios; jactos de luz: 
— ja kumbi \ \ Espargimento de fo- 
go:— ya/uó/fl II Pontadas 1 i>ores. 

Jisonhi, sub. pi. (IX) Rubor cau- 
sado pelo pejo: — ja mu kuata \ 
Escândalo público; vergonha. | 
Falta de pudor, de decência | | 
Acanhamento; timidez : u ala ni — . 
I Cerimónia; etiqueta. | ] Confusão 
que se apodera do nosso espírito 
em determinadas circunstâncias 
desagradáveis 1 Opróbrio; deshon- 
ra I Cousa mal feita, mal acabada. 
I I Mukua — , adj. Envergonhado; 
tímido; acanhado | Cerimonioso j | 
Kukuatesa—, v. tr. Envergonhar j 
Humlhar; confundir: u angíkuatesa — 

Jisoso, sub, pi. (IX) Faíscas | 
Centelhas: — ja tubia \ Causas de 
algum mal que se manifesta: — ja 
uhaxi. i Pontoadas | Bicadas. 

Jisumbu, sub. pi. (IX) Família 
de aves que tem por tipo o pica- 
-peixe. 1 1 Pássaros meropidas do 
tipo de abelharuco || Conjunto de 
alciões. 

Jisuna, sub. pi. (IX) anat. Fio 
ténue que sai da planceta e 
serve de inserção á semente | Po- 



NJI 



— 77 ~ 



joâ 



dospermo. ! | bot. Alcaparras. | 
Plantas caparidáceas medicinais 
1 Alcaparreiras. 

Niifa. sub. (IX) Nó corredio. V. 
Tljita. 

Jiíambi. sub. pi. (IXi Registo de 
óbitos. I Mortes | Falecimentos. 

Jifângu, sub. pi. (IX) Família de 
peixinhos do rio de que se ali- 
mentam certas aves aquáticas, j 
Peixinhos ordinários, próprios para 
isca. 

Jifangu, sub. pi. (IX) Ramos | 
Pernadas: — ja mulemba. | Braços 
(de arvores). 

Jitanu, adj. deterra. card. pi. 
(IX) Composto de quatro unidades 
mais uma. | Cinco: jingulu—. V. 
tánu. 

Jitafa, sub. (IX) O pai e a mãe 
(em qualquer espécie). Avós e 
demais progenitores de uma fa- 
mília: kixila kia — jOs pais; os 
avós I Autores; fundadores. 

Jitaíu, adj. num. card. (IX). 
Três: jipuku — 1 Dois mais um. 1 
Conjunto de três. V. tátu. 

Jiíongo, sub. pi. (IX) bot. Pevi- 
des de imbondeiro. | Os caroços 
contidos na múkaa. 

Jifofokanha, sub. pi. (IX) Diz-se 
do milho que, torrado, estala ao 
calor do fogo e fica como se fora 
ílôr de jasmineiro. 

JitU, sub. (IX) Ribeira | Peque- 
no curso de água | Fonte | | adj. 
Que vive ou anda pelos rios ou 
ribeiras \ Ribeirinho. 

Jííui, sub. pi. (IX) Estalinhos. | 
Cafunés 1 | Pevides. 

Jitulu, adj. indef. pi. (IX) Em 
tal quantidade | Tantos: u akuata 
makuinh' at i a mivu ni - . \\ sub. 
Quantidade inferior a unidade: 
hamanake ni— . \ Tal. 

Njíu, sub. (IX) Galo castrado | 
Capão. 

Jiuâiia, adj. num. card. pi. (IX) 
Quatro | Grupo de quatro: jingufu 
— I Três mais um. V. uána. 

Njiva, cor. Pov. e posto na 
circ. civ. do Baixo-Cunene (Cua- 
nhama), distr. e prov. da Huila. 



Jixí, sub. pi. (IX) Conjunto de 
t'irras, de povoações, de cidades: 
ng'ab'iti — favula j Terrenos; terras 
de lavradio | Propriedades rústi- 
cas. I Terras povoadas, habitadas: 
tu ende — ja makanga. \ Povoados. 

Jixikofe. sub. pi. (IX) Chicotadas 
1 V. mixinga. 

Jfximbu, sub. pi. Pedaços de 
chumbo que, presos a um dos la- 
dos da rede de arrasto, a obriga 
submergir. 

Jixinji, sub. pi. (bot). Família de 
plantas mcnocotiledóneas cujo 
tipo é a junca | Plantas ciperáceas 
empregadas no fabrico de esteiras. 
I Terra plantada de bunho. 

Jixiía, sub. pi. (IX) port. Chitas. 

Jiíiiíu, sub. pi. (IX) Animais pró- 
prios para serem caçados: tu ele mu 
kutomba — . | Carnes; caça. 

Jizalaía, sub. pi. (IX> bot. Plan- 
tio de alfaces | Alfaçal. 

Jójo, adj. determ. e demonstr. 
pi. (IX) Essas; esses: jingamba — , 
// ng'afutu. I Designa pessoas ou 
cousas que estão próximas daquela 
com quem se fala || Eis ahi; ahi 
estão. 1 1 Eil-os; eil-as. [ V. ójo. 

Jókóíó, adv. Completamente 
queimado. 

Jondo, sub. pi. (IX) Palavra 
com que se forma o futuro dos ver- 
bos. I Hão-de : jingombe- kunanga 
mu kibánga. 

Njongo-njongo, sub. (IX) Peque- 
na quantidade | Nadinha { Quási 
nada | Cousa mínima, insignifican- 
te: kama ka—. 

Njónjo, sub. (IX) Pequeno tu- 
mor que nasce na capela do olho { 
Torsol. i P\. jinjónjo. 

Joso, adj. indef. pi. (IX) Todos; 
todas: jingombe -j' amuangana. \ To- 
das as cousas ; Completos; intei- 
ros I sub. A totalidade O conjun- 
to; a soma: ndê, katange o jihima^ 
j'ari o masa O aspecto geial: o jin- 
guba — j'âbi kiá \' adv. Completa- 
mente; por junto: jinguna — jaíuka 

Absolutamente; na totalidade 
i i , adj. indef. pi. Quaisquer. 

Josololo, pron. indef. Tudo || 
adv. Sem excepção; geralmente: 
hombo — jiria masa. 



JOT 



78 - 



KàB 



Joía, sub. (IX) A letra J. ] PI. 
jijota. 

Ju, pron. pi. A elas ou a eles | 
Lhe: o jisanji a mu tambuta — j 
Lh'as; lh'os: ng'a mu bé — | V. naiu. 

Judê, aij. e sub. (IX) port. Judeu. 
PJ . jijudé. 

Júia, sub. (IX) Cl ster.j Injecção 
pelu unus para os intestinos. 

Njú'u, sub. (IX) melhor njilu. 

Njumbu, sub. (IX) Mortificação | 
Castigo I Punição que se aplica a 
um culpado. 



Njunga, sub. (IX) V. nzunga. 

Njungu, adj. e sub. (IX) Branco 
e alourado | Louro | Que tem a côr 
e o cabelo louro: mundele ua — i p. 
ext. Fino; educado; correcto | De 
maneiras delicadas, j { sub. zool. 
Ave trepadora de côr alourada. | 
PI. ji njungu. 

Njunjumbala, sub. (IX) zool. Pe- 
queno pássaro dos desertos, que fur- 
ta e cria os filhos dos outros | E' 
tb. conhecido por kanjunj' a-mbala. 

Júva, sub. (IX) port. Uvas. V. 
muzondo. 



IC 



K, sub. (IX) Décima letra do al- 
fabeto kimbundu, tendo como em 
português o mesmo valor. 

Ká, sub. (IX) Nome da letra K. \ \ 
Prep. que une ao nome o seu com- 
plemento I De: kabunga — mabila; 
kakiba ribéngu. 

Ka, adj. e pron. poss. Delas; deles | 
Pertencente às suas pfíssoas (deles): 
o kambua - k'nnete; o kamuxi — k'a' 
toloka I ! — ene, propriamente deles, 
de mais ninguém: o kangombe'iika — 
ene- 

Kába, sub. (IX i Pequena pele: — 
ka Mma. \ Pele delgada e fina. | V. 
kakiba. 

Kábaba, adj . (IX) Que não dá. ! So- 
vina: — u bena bu ngoji. \ \ sub. bot. 
Planta arbustiva fam. das legumino- 
sas craibia baptistarum) , de utilidade 
ornamental. 

Kabáia, sub. (IX) bot. Arbusto 
espinhoso fan. das caparidáceas (bas- 
eia microphyla.) de propriedades ali- 
mentícias e medicinais. | Alcapar- 
reira | Seu fruto. | V. mnkokolo. 

Kabakafa, adj. (IX) In íensivo; 
inocente; puro. | Que não tem mal- 
dade ou eulpa { Ingénuo, j Comun- 
gado I I Da comunhão. 

Kabalafa, sub. (IX) Pau delgado 
e curto atado nas extremidades e 
que se mete na boca dos animais fe- 
rozes para não morder, j fig. Impe- 



dimento; obstáculo; freio. 

Kabaiu, sub. (IX) port. Cavalo. ] 
V, mukéie. 

Kabanda, adj. e sub. (IX) Que 
depende só de um superior ou chefe 
(do qual faz as vezes). Imediato; su- 
balterno. I I Pessoa que acompanha 
ou faz as vezes do kimbanda nas cu- 
ras e adivinhas. Adjunto. | ; Plane- 
ta secundário que acompanha outro, 
em torno do qual gira. | Satélite. | | 
corog. Antiga pov. no território dos 
Dembos, circ. civ. do Encoge, distr. 
e prov. de Luanda, margem direita 
do rio Lifune. 

Kabande, adj. (IX) Sublime; belo; 
magnífico. | Subido. | Excelente. | 
Nobre. | | corog. Lago na região de 
Kirima, prov. de Malange, distr. da 
Lunda. 

Kabándu, sub. (TX) Peneira peque- 
na: — ka kusesela pone | Baiaio. | 
Dimin. de kibándu. 

Kabánga, sub. (IX) bot. Plauta 
fam. das leguminosas (voandzeia 
subterrânea), de fruto comestível, 
tb. conhecida por kaseka. \ corog. 
Pov. no antigo cone de Ambaca, 
margem direita do rio Lucala, 
distr. do Quanza-Norte, prov. de 
Luanda. 

Kabangáji. sub. (IX) bot. Planta 
arbustiva ibalanites angolensis), de 
propriedade otuamental. 



KAB 



— 79- 



KAB 



Kabángu, adj. (IX) Incrível ] 
Intolerável. | | sub. O que é ou se 
considera irrealisável, impossível. 
II adv. Não pode ser; nada. || — 
pungu, bot. Planta arbustiva da 
fam. das verbenáceas {Uppia nodi- 
flora), de fruto comestivel. | Limo- 
nete. 

Kábari, sub, (IX) Diz-se da fubá 
escura, feita de makoka : fubá ia — . 
I V. jfuba I ( adj. De côr escura | 
Turvo. 

Kábasa. sub. (IX) Gémeo que 
nasce em segundo lugar [ | Língua 
vernácula ; língua materna : kuzuela 
— . 1 fig. Kimbundu. | | Segunda ca- 
pital ou cidade de um reino, pro- 
víncia ou distrito. I Lugar em que 
estiver estabelecida asegunda corte 
ou residência do rei 1 1 mit. Irmão 
gémeo de kákula. I Polux. 

Kabása, loc, conj. Dado que ] 
Com tanto que : — ng'azuela o kiri j 
Sob a condição de ; Basta que : — 
ng'ajituka. 

Kabasu, sub. (IX) Membrana 
que fecha em parte o orifício da 
vagina j Himen, | Virgindade. 

Kábasu, sub. (X) Pequeno caco | 
Lasquinha. 

Kabaze-baze, sub. (IX) bot. No- 
me porque é tb. conhecitia na Lun- 
da a árvore muânze. 

Kabéia, sub. (IX) bot. Planta 
enforbiácea, muito lactescente. | V. 
katulula. 

Kabéia, sub. (IX) bot. Fruto de 
plantas fam. das piperáceas, utili- 
sado como remédio contra doenças 
de fígado. V. misánhi. \ \ Planta ar- 
bórea fam. das anonáceas [xilopia 
oetfiiopica), cuja madeira, notavel- 
mente elástica, se emprega na cons- 
trução de remos e mastros de 
embarcações. 

Kabelabela, sub. (IX) Bilhete. | 
Cédula de rifa ou lotaria. \ Peque- 
no escrito, ! I Tecido ténue que en- 
voive certos órgãos, j Membrana. | 
Película interior de certos órgãos 
vegetais. | Camisa, [ Pergaminho. 
PI. tubelabela. 

Kabelandu, sub. (IX) Quebranto 
I Mau olhado \ Debilidade atribuí- 
da ao mau olhado : a ítlU te — • 

Kabelengenze. sub. (IX) Canive- 
^a. [ Faça pequena. | Navalhinha 



de uma foha. | | Homem de peque- 
na estatura. | Pigmeu. 

Kabelefefe, sub. (IX) Pequena es- 
cama (de peixe). | Diz-se da pessoa 
que tiver catarata no olho. 

Kabénda, adj. e sub. (IX) Eleito. 
' O principal; o escolhido. | | bot. Ár- 
vore tipo da família das ulmáceas, 
de madeira própria para construção 
{ceitis Henriguesii). Ulmeiro. || Plan- 
ta rosácea {ceitis soyauxli). i Ul- 
mária. 

Kabéngu. sub. (IX) Diz-se da pes- 
soa ou cousa com focinho de rato: 
ngana Ngalaxi ria~. \ ' adj. De rato, 
ou a êle relativo. 

Kabéíe, adj. e sub. (IX) O melhor; 

mais são, fino ou digno. | Superior. 

1 Decente. | 1 adv. Decentemente: 
u azuafa — . ! Com decência. 

Kabiakanga, sub. (IX) bot. Plan- 
ta fam. das malváceas {abutilon 
inter médium), de propriedades medi- 
cinais. 

Kabila. sub. (IX) Pessoa que 
guarda, guia e apascenta gado. | Pas- 
tor: - ngombe. adj. Que faz ou le- 
va vida de pastor, | | mit. Deus dos 
rebanhos, | Pan, \ PI. fikabila. 

Kabiiangu, adj. (IX) Pastoril. 1 
Relativo a pastores de gado ou pró- 
prio deles, i I sub. bot. Planta arbó- 
rea de pequenavS dimensões, fam, das 
leguminosas [butkea africana), d e 
madeira aproveitável. 

Kabilubilu, adj. (IX) Volúvel. | 
Versátil. | Inconstante. | Propenso a 
mudar. | \ sub. Catavento. 

Kabinganu, adj. (IX) Sucessor- 
substituto. ; Que pode suceder a ou' 
trem: —kasoba. | Presuntivo. | Que 
está para ser ou suceder. | ' sub. 
Aquele que passa a ter os mesmos 
direitos, privilégios ou obrigações que 
outrem teve. | O que sucede ou su- 
bstitue. 

Kábinji, adj. e sub. (IX) Diz-se 
da pessoa sujeita à condição servil; 
que não tem liberdade própria ou 
a livre disposição da sua 
vontade, dos ^eus actos. | Servo. ! 
Pessoa a'lstrita à gleba e dependente 
de um senhor. \ Sujeito. 

Kábinu, adj. (IX) Da queda. | 
Respeitante a trambuihão. I j top^ 
Antigo bairro da cidade de Luanda, 
na parte leste da linha férrea junto à 
estação da C. Alta, 



KAB 



80 — 



KAB 



Kábiri, sub. dx) Cão de guarda. | 
Cão que acompanha o pastor. ; co- 
rog. Pov. e posto deste nome, circ. 
civ. d ' Icolo e Bengo, na margem es- 
querda do rio Zeiiza, com 3.056 hab , 
servida pelo C. de F. de Luanda e es- 
cola primária n.° 1 7 de Sales Fer- 
reira». 

Kabiribiri, sub. (X) Animal do- 
méstico de poucos meses: — ka mona 
hombo, cabritinho. | Leitão, bácoro: 
— ka mon'a ngulu. j Borrego; cria: — 
ka mon'a ngombe. Cachorro, etc. 

Kabirínjindu, sub. (IX) zonl. Pe- 
queno pássaro tenuirostrode formosa 
plumagem. ] Colibri. 

Kabitangu, sub. (IX) port. Capi- 
tão. I Comandante de navio. | Mes- 
tre de embarcação. 

Kabixilel interj. Vá com Deus! 
Adeus! Feliz jornada | sub Ex- 
pressão de despedida. Tb. se to- 
ma em sentido )rónico. 

Kábobo, adj. e sub. (IX) Desden- 
tado. Pessoa a quem faltam os 
dentes da frente. 

Káboko, sub. (IX) Orador ] Dis- 
cursador. | Pregador. , Pessoa que 
é eloquente nos seus discursos, 
corog. Lugar do cone. de Caze.igo, 
distr. do Quanza-Norte, prov. de 
Luanda, entre os rios Quanza e 
Lucala, então residência do soba 
deste nome. 

Kabóla, adj. (IX) Cingidor , Que 
aperta ou cinge (alguma cousa) em 
roda. I Aperta dor. '. — matende, 
sub. bot. Arbusto com disposição 
de moita, muito ramoso. | — mu- 
xiba. contracção involuntária de 
qualquer músculo. ; Cãibra. 

Kabole. adj. (IX) Vinculado | 
Enraizado | Ligado por vínculos j 
Apertado j Cingido Apodrecido 
Que faz apodrecer | | sub. bot. Ar 
vore da fam. das loganiáceas, mu 
similhante a muboke \ O seu fruto 
mais pequeno que o riboke, comes- 
tível e de sabor agradável. 

Kabolébole, sub. (IX) bot. Plan- 
ta arbustiva anual, labíada, de 
t-jlhas lanceoladas e fruto mono- 
^-sperma (mussaenda arcuata), utdi- 
zada como medicinal em casos de 
disenteria j Rosmaninho | Sua 
ílôr. 



Kabólo, sub. (IX) bot. Planta 
têxtil fam. das palmáceas {ca- 
lamus). , I Palmeira trepadora uti- 
lizada no fabrico de esteiras e 
cestos de gò^to artístico, [j corog. 
Afluente da margem esquerda do 
rio Quanza, cone, distr, e prov. de 
Malange. 

Kabolokoso, sub. (IX) Expres- 
são equivalente á loc.lat. etcoBiera. \ 
E o mais; e ou trás cousas pelo estilo. 

Kabolongonho, sub. (IX) Ca- 
veirinha. \ O mesmo que kaho- 
longonho. 

Kabomba-iala, sub. (IX Plan- 
ta hortícola, da fam. das solaná- 
ceas. I Alquequenje (physalis mí- 
nima). I Herva moura. 

Kabonji, adj. e sub. (IX) Hereje. 
Heiético. I Pióprio de hereje. |i 
sub. bot. Planta arbustiva da fa- 
mília das cameliáceas (palisata 
schweinjUTthii) , de utilidade orna- 
mental. 

Kabori, adj. (IX) Murmurador. | 
Detrator. | Maldizente. | Perverso; 
mal-intencionado. { ' sub. bot. 
Planta têxtil da fam, cias malvá- 
ceas, utilizada uo fabrico de cor- 
doalha. 

Kabuánga, sub. (IX) Estratage- 
ma; ardil; astúcia j Velhacana; 
manha. Artificio psra iludir. | 
Kuria—, V. tr. e intr. Empregar 
artifitios, I Enganar. 

Kabuabuá(a, sub. (fX) bot. Plan- 
ta herbácea labiada, de fls. ovais- 
-oblongas (physalis angulata) d: pro- 
pr.edades medicinais em casos es- 
tomacais. I Mangencão. 

Kabuêbue, sub. (X) bot. Planta 
ferraginosa da fam. das gramíneas. 
V. kauéue. 

Kabuenha sub. {X» ictiol. Peque- 
no peixe de rio, de sabor amargo. 
É m. us, no pi. tubuenha. 

Kabufilu, sub. (IX) Porta falsa. 
I Carcova | Saida secreta. 

Kabúi, sub. (IX) bot. Planta me- 
dicinal fam, das híperináceas (piofos- 
permum febrifugum), tb. conhecida 
por bulámbia. 

Kabuibui, sub. (IX) bot. Planta 
mimósoa cujas folhai s« relvaem 



KAB 



-81 - 



KAF 



quando se lhe toca. \ Mimosa. | Sen- 
sitiva. I Género de plantas mimo- 
seáceas. 

Kabuja-nganga, sub. IX) zool. 
Mamifero roedor da família dos ciu- 
iidas. 

Kabulámbia, sub. (IX) bot. Ar- 
busto amarantáceo (centema angoleri: 
s/s), de propriedades medicinais. 

Kábulu, sub. (IX) zool. Coelinho. 
I j bot. Planta bignoniácea, seme- 
lhante a feijão-bielo. | | corog. Pov. 
a E. do antigo cone. de Pungo-Andon- 
go. a í I kil. ao S. da cidade, distr. e 
prov. de Malange. * 

Kabunga, sub, (X) Gorra. [ Coifa. 

Kábunau, adj. (X) Derrabado | 
Sem cauda: san/i ia — . j Que tem o 
rabo curto ou cortado. | Rabão, j ' 
sub. Nome por que, na poesia ou na 
fábula, é designada a águia: hololco- 
ho, njila ia — u âsua imbambe ní 
riúlu. I! Pequena latrina . I Privada. 

KabtJfa, adj. e sub. (X) Baixo; 
curto. I Cousa de pequena altura. V. 
I.ambuta. \ corog. Pov. e posto 
deste nome, na circ. civ. do Libolo, 
distr. do Quanza Sul, prov. de Ben- 
guela, com 10.993 hab. 

Kabu(ukúngu, adj. (IX) Baixinho 
j Diz se da pessoa bai.xa e gorda. '. 
Atarracado. 

Ka-éne, adj. e pron. poss. pi. (X) 
Delas; deles: kasanji — . l Da pessoa 
deles. V, Ka. 

Kafaku, sub, (IX) Lugar arenoso 
' I top. Antigo bairro da cidade de 
Luanda (na Engombota). 

Ka(efetela, adv. (IX) Em surdina; 
em voz baixa; em segredo: kuzuela — • 
I Para cjue ninguém ouça. | 1 adj. 
Sem brilho. ' Mortiço. | sub, O que 
serve para abafar ou enfraquecer 
ura som. \ Surdina. | Sem barulho. 

Kafekezu, sub. (IX) bot. Planta 
fanerogàmica, fam. das sapotáceas 
(mimosops frondosa). 1 Sapota. I Seu 
fruto. 

Kalifi. adj, (IX) Que pisca os olhos 
(por hábitoi : mesu ma — . 1 Pisco. 1 1 
zool. Pequena mosca preta fabrican- 
te de mel nos troncos das . árvores. 



Kafíma, corog, Pov, e sede do 
posto da circ, civ. do Baixo-Cune- 
ne. distr, e prov. da Huila, com 
8.270 hab. e est. teleg-postal de 3.» 
classe. 

Kalófo. adj. (X) Ceguinho. | Mío- 
pe, j Que padece da vista. 

Kafongonha, adj. (IX) Sem for- 
mosura; sem graça, j Que não tem 
brilho. I Acanhado; falho de entu- 
siasmo: kizómba kia — . j \ Reles. [ 
Despresível; ordinário: úta ua — . 

Kafófo. sub. (IX) Narcotina. | 
Narcótico. | O que faz adormecer. 
I I bot. Arbusto da fam. das le 
guminosas itephrosid vogelii), cujos 
ramos e folhas, triturados e deitados 
ao rio, provocam a embriaguês dos 
peixes, tornando fácil o seu apanho. 
! Tmgui (de peixe). 1 Planta orna- 
mental. 

Kâfua, sub. (IX) Defeito; pecha; 
balda; vício: mukiia — u fua, — ni 
f('abue. Prática frequente de acto 
pecaminoso. [ Nota; mácula. ' Hábi- 
to inveterado [ Vezo: mau costu- 
me [ \ Mukua—, adj. Vezeiro; vicio- 
so. I Que tem defeito. 

Kafujúla, sub, (IX) bot. Arvore 
ebenácea de Angola, a cujas raizes 
se atribuem propriedades antielmín- 
ticas. I Vermífugo. 

Kafulúfa, sub. (IX) bot. Planta 
fam. das leguminosas {albiziã ango- 
lensis) p'ópiia para curtimenta, boa 
madeira e casca venenosa V. Ka- 
zanze. 

Kafukambololo, sub. (IX) Movi" 
mento do rorpo quando volteia lon- 
gitudinalmente. 1 Cabriola Volta 
que o corpo dá no ar ou firmando 
as mãos no chão. | Reviravolta. | 
kllta — , V. intr. Cabriolar. 

Kafukufuku, sub. (IX) A madru- 
gada. ! O romper da aurora : u êza 
— . 1 O amanhecer. \ | É tb. adj 

Kaiúla, sub. (IX) mit. Deus dos 
parvos, i Deus da preguiça. I ' adj' 
Tdo ; paivo; pateta. | Pjfgui- 
çoso. I — kombe, bot. Planta trepa- 
deira medicinal, de flores verme- 
lhas. I — mbombo, zool. Tartaruga 
de pequena tamanho. Cágado. 

Kajuma, corcg. Bairro no extre* 
mo N. da vila do Doado, cone. de 



KAF 



— 82 — 



KÁI 



Cambambe, distr. do Quanza-Norte, 
prov. de Luanda. 

Kajundanga. adj. (IX) Da pólvora 
eu a ela relativo, j | sub. Pequena 
quantidade de pólvora. 

Kafúnga, sub. (IX) Guardador 
de gado. | Ganadeiro, | Pessoa que 
transporta animais. | Almocreve. 

Kafuxi, sub. (IX) Dimiouit. de 
/í/x/. I I bot. Planta da fam. das ru- 
biáceas {oldenlandia papilosa), de 
propriedades medicinais. 

Kafuzu, adj, e sub. (IX) Serta- 
nejo. I Natural do sertão, i De ori- 
gem sertaneja. | | Aldeão. | Estra- 
nho. 

Káhala, sub. (IX) Pequeno caran- 
guejo I I corog. Pov. e sede 'lo cone. 
deste nome, Vila Robert Williams, 
distr. do Huambo, prov. de Ben- 
guela, a 12» 50' de Lat, S., e 5° 32' 
de Long. E. Gr. 

Káhama, sub. (X) Uma das cem 
partes iguais em que um todo está 
dividido. I Cêntimo. |Diz-se da frac- 
ção cujo denominador é 100. 

Kaháma. sub. (IX) Cama de 
criança. | Berço. V. kakiriri. \\ 
corog. Pov. e posto da circ. civ, dos 
Gambos, distr. e prov. da Huila, 
Com 1927 hab, e posto telefónico. 

Kahâtu, sub. (X) Rapariguinha. | 
Mulherzinha. | Sujeitinha. | Dim. 
de muhâtu. 

Kahaúla, sub. (IX) zool. Ave de 
rapini do género falcão. ' Gavião. ] 
íig. Pessoa ambiciosa que arrebata 

que é dos outros. | | adj. Rapi- 
nador. 

Kahémbia-hembia, sub. (X) bot. 
Planta fam. das malváceas [Wissã- 
duta rostraía) utilizada como medi- 
cinal. V. muhémbia-hembia. 

Kahêtu, sub. (X) O mesmo que 
liãllâtu. Rapariga ordinária. (To- 
ma-se em sentido pejorativo). V. pi. 
iuhêíu. 

Kahima, sub. (X) Macaquinho. | 
Saguim, j I adj. Amacacado. | Si- 
miesco, 

Kahínji, sub. (X) Mosca pequena, 
incómoda. | Mesquinha. | Cinife. 

1 I corog. Pequena prov. na mar- 
gem direita do rio Quanza. 



Kahiriri, sub. (IX) Pano enrolado 
à cintura sobre os que se trazem 
vestidos. I Cinta de pano dobrado. 

Kahoji, sub. (X) Leãozinho. | | 
adj. Leonino, j Do leão. 

Kahole. sub. (X) zool. Múrice. | 

Sua concha. | Hélice. [ | adj. Do ca- 
racol, ou a éle relativo. 

Kaholokóko, sub. (X) zool. Águia 
pequena, j | adj. Aquilino. | Da 
águia. 

Kaholongonho, sub. (X) Caveiri- 
nha. V. kaJdbolongonho. 

Kahombo, sub. (X) zool. Cabriti- 
nho. I Caòra de poucos meses. | | bot. 
Planta e fruto amomáceos. V. ndungu. 

Kahoía, sub. (X) Canto de segre- 
do. I Lugar recôndito e desviado das 
vistas. I Recanto; escaninho ; escon- 
derijo. I ! adj. Do canto, ou a êle re- 
lativo, 

Kahuembe, sub. (IX) zool. Ave 
do género pombo, j Qualidade de 
rola. 

Kahuke, adj. (IX) Agreste; bravio; 
rude. I Que não é polidf) ou culti- 
vado. I Desobediente; ingrato. 

Kahululu, sub. (IX) zool. Certa 
espécie de rola pequena. 

Kahúmba, sub. (IX) zool. Ave 
apupida da família das galináceas. 

Kahumbu, adj. e sub. Decepado. I 
Diz-se da pessoa a quem falta parte 
de um membro. I Maneta. 

Kahungula, corog. Pov. e sede da 
circ. civ. de Cainaxiío, distr. da Lun- 
da. prov. de Malange, a 8" 24' 54" 
de lat. S. e i8<' 39' 40" de long. 
E. Gr. 

Kahufu sub. (X) Saquitel. | Bol- 
sinho. I E' tb. adj. I I bot. Planta 
trepadeira fam. das leguminosas {sti- 
golobiuui pruriens), de utilidade orna- 
mental. 

Kaiáia, sub. (IX) ictiol. Peixe 
miudinho do rio Cuanza. 

Káiala, sub. (X) Homenzinho. | 
Rapazote. | | Imagem representando 
criança com asas: — k'u musulu. j | 
adj. Do homem, ou a ôle relativo. | 
Humano. | ! bot. Planta da fam. das 
leguminosas {uraria picta), tb. conhe- 
cida por viela. 



KAI 



— 83 — 



KAK 



Kaiánda, corog. Pov. e sede do 
posto deste nome, circ. civ do Alto 
Zambeze, distr. do Moxico, prov. do 
Bié, com 9, 604 hab. E' tb. posto de 
despacho aduaneiro. 

Káiangu, sub. (IX) fig. Sopapo. , 
Tabefe. 

Kaínde. corog. Pov. e sede do 
posto da circ. civ. da Bibala, distr. 
de Mossâmedes, prov. da Huila, com 
505 hab. 

Kaióngo, sub. (IX) bot. Planta 
fam. das leguminosas {pterocarpus 
angolensis), de madeira resistente 
própria para marcenaria. | ' corog. 
Pov. do cone, distr. e pr*v. de Ma- 
lange, a 24 kil. de Tala-Mungongo. 

Kaisongo, adj. e sub. (IX) Chefe 
de cortejo, de guarnição, de exérci- 
to. I Comandante. \ \ Indivíduo que 
ensina, i Dirigente. ; Arrais, j Mes- 
tre. I I Principal. 

Kaiari, adj. num. Que vem a se- 
guir ao primeiro. | Que ocupa o 
segundo lugar, ou o numero dois 
numa série de nomes iguais : O — 
ki kaiêbu \ | adj. Outro que tal ; 
simiUiante. j Que se faz segund-i 
vez : lua — I I adv. Em segundo 
lugar. I I sub. O segundo dia da se- 
mana: Icizuua kia -. [ Segunda- feira, j j 
Pessoi ou cousa que ocupa o se- 
gundo lugar. I O que está depois 
do primeiro. ] O segundo andar ; o 
segundo mandamento. 

Kaiele, adj. Seguido, j Que se 

segueseuiinterrupcao.il adv. 

Siiguidamene. j Em perseguição. 

Kaisuxi, adj. e sub. Espaduado.| 
Homem de hombros largos, j O 
que tem os hombros subidos, ou 
fora do vulgar. 

Kaíundu, adj. (IX) Arrabaldeiro. 
I I sub. O que mora em arrabalde, 
I I Localidade que fica no aro de 
uma povoação. V. maiundii. j j co- 
rog. Pov. e sede do po-to .leste 
nome, circ. civ. doBiixo Cunene. 
distr. e prov. do B é, na inarg(»m 
direita do rio Cubango, com 5.612 
hab. e est. postal de 3.» classe. 

Kajalala, sub. (IX) bot. Arbus- 
to talamiflôr. 

Káji. sub. (IX) port. Cais : u ai 
bu — . V. taba I 1 Palavra que se jun- 
ta ao sub. para o qualificar ou de- 



terminar: kiria — ; kikula — ; mba- 
la — ; mu — , etc. | [ adj. Próprio 
de mulher. I Fémeo. 

Kajihoji, adj, e sub. (IX) Leoni- 
no. Parecido com o leão. | Fessoa 
que lida com leões. 

Kajikijiki, adj. (IX) Demorado, j 
Prolongado : risemba ria — . j | sub. 
Prolonga ; demora. | Tempo que 
se junta á duração de algo.]| adv. 
Demoradamente. | Em demasia. 

Kajimbéndu, sub. (I) Tocador ou 
fabricante de flautas, j | fig. Bê- 
bedo. 

Kajindungu, adj (I) Picante. | 
Ardente. | Que sabe a pimenta. |j 
sub. O da pimenta ; seu vendedor. 

Kajínga, sub. (X) Pequeno bar- 
lete teeido de palha fina. 1 Cober- 
tura de cabeça dos clérigos. | In- 
sígnia de autoridade : — ka soba. | 
Solidéu.] Barretinho de tecido ou 
malha. 

Kajinvunda, adj. e sub. (I) De- 
sordeiro. I Amotinador. í Que pro- 
voca conflitos, desordens./ 

Kajisabi. adj. e sub. (I) Que tem 
a seu cargo a guarda das chaves, j 
Carcereiro; chaveiro. | Q u e lida 
com chaves, 

Kajifendu. adj. (1) Que tem ou 
vende castanhas, j Castanheira. ! | 
corog. Pov. e sede do posto deste 
nome, circ. civ. dos Dembos, distr. 
e prov. de Luanda, cora 1.686 hab. 

Kajiíeíembua, adj. Dos astros, j 
Sideral. \ Relativo ás estrelas, 

Kajú, sub. (IX) bot. Fruto de 
cajueiro. 

Káka, adj. e pron. demonstr. (X) 
E-ta; este. V. kóka 

Kahamukud, adj. e pron. indef . 
(X) Nã'i igu.il; não este. Outro: 
kapoko —k'atexika. jSe^íumte. | Res- 
tante. I Precedente. |Mais um.' PI. 
tuakamukua. 

Kakenge, adj. (IX) Àfuroador. | 
Que pesquiza. Investigador; cu- 
rioso. I ] sub. zool. Periquito de 
plumagem verde. 

Kakiala, sub. (X) Pequena unha 
ou garra: u a mu te. — . | Dim. de 
kiàla . 



KAK 



-84 — 



KAK 



Kakiáma, sub. (XI zool. Animal- 
zinho, j Bichinho, V. pi. tuiàma. 

Kakiangu, sub. (X) Palhinha. | 
Palha fina. | Folhinha. | PI. tu- 
iangu. 

Kakíba sub, (X) Pequena pele. 

Kakíbaku, sub. (X) Banquinho. 
I Pequeno mocho. | PI. tuibaku. 

Kakibándu, sub. (X) Pequeno ba- 
laio ou peneira. | Joeira. Tb. se diz 
kabándu. 

Kakibasu, sub (X) Pedacito. | 
Pequeno caco. | Lasquinha. 

Kakibolongonho; sub. (X) Pe- 
quena cabeça de morto, limpa de 
tecidos. II adj. Caveiroso. 

Kakibosa, sub. (IX) bot. Planta 
têxtil fam. das malváceas [arena 
lobata), de madeira aproveitável. 

Kakiézu, sub. (X) Vassourinha. 
fig. Delator, | Intriguista. É tb. 
adj. 

Kákifua, sub. (X) Pequeno vício 
ou defeito. | Pecha | Parecença, 
ares. V. kâfua. 

K akijengetela, sub. (X) Pequena 
escoriação ou mancha escura. V. 
kijengetela. 

Kakikusu, sub. (X) Peixinho (do 
rio). I Cacusso pequeno. 

Kakijinga, sub. (X) Barrete de 
criança; gorro. V. kajinga. 

Kakikofo. sub. (X) Botina. | Sa- 
patinho. I Pequena pata (de ani- 
mal). PI. tuikoto. 

Kakilumba. sub. (X) Senhorinha. 
I Mulherzinha; rapariga. | Mulher de 
pouca idade. V. kálumba E' tb. adj. 

Kakima, sub. (X) Coisinha. | 
Nadinha. V. káma. 

Kakimbámba, sub. (X) Bichinho. 
I Pequeno insecto. | , \'ibrião; ba- 
cilo; micróbio. \ \ adj. Microbiano. 

De insecto, ou a êle relativo. PI. 
iuimbamba. 

Kakimenga, sub. (Xi Tacho pe- 
queno, frigideira: — ka hukangela 
mbiji. I Caco (de panela). [ Torrador. 
PI. tuimenga. 

Kakiríri, sub. (X) Pequeno espa- 
ço ou lugar (para estar ou dormir). 
I Caminha; berço. V.karíri. 



Kakinama, sub. (X) Pésinho. | 
Perna de menor tamanho. V. ka- 
náma. 

Kakínda, sub. ^X) Pequeno cesto 
de palha ou mateba em forma de 
alguidar, j Balaiozinho. PI. tutnda. 

Kakinda, adj. e sub. Que nascou 
no dia de 5.* feira. 

Kakinhonga, sub. (X) Cinturi- 
nha. 

Kakinu. sub. (X) Almofariz. | Pe- 
queno vaso para triturar ou pulve- 
rizar. 1 1 PI. tuinu. 

o 
Kakisuía, sub. (X) Pequeno far- 

s rapo. I Trapinho. V. kasuta. 

Kakisufu. sub. (X) Cabrito de 
menos de um ano. 

Kakitala, sub. (X) Pequena es- 
tatura. I I adj. De pouca altura ou 
idade. 

Kakiíefele, sub. (IX) Trapinho 
delgado e comprido. | Pequeno re- 
talho. 

Kakixima, sub. (X) Covato. | 
Cacimba pequena. [ Fonte. 

Kakixinhi, sub. (X) Pedacinho. | 
Menos de metade. , Bocadinho. V. 
káxinhi. 

Kakixinji, sub. (X) Pequena par- 
te do tronco vegetal que fica na 
terra depois de cortada a 
árvore. | Toco ; pequena acha de 
lenha. \ Resto de madeira ou pau. 

Kakóba, corog. Monte sobrancei- 
ro e antiga pov. na margem esquer- 
da do rio Quanza, circ. civ. de Mu- 
xima, distr. e prov. de Luanda : 
mulundu ua — . 

Kakohokoho, adj. e sub. (IX) 
Torregoso. | Pessoa atacada de 
tosse. I V. kukohona. 

Kakôko, sub. (IX) zol. Ave no- 
turna de rapina. | Mocho. | fig. 
Homem feio, tristonho e misantro- 
po : u akuala polo ia — . 

Kakólo, adj. Durável. | Duro. | | 
corog. Pov. e sede da circ. civ. de 
Minungo, distr. da Lunda, prov. 
de Malange, a lo" 7' de lat. S. e 
19" 17' de long. E. Gr., 1.500 
mts. de alt. e 8369 hab., est. tele 



KAK 



HÁK 



gr.- postal, ambul. sanit. e Missão 
sue. de S. Francisco Xavier j | — 
kalombe, pov. do cone, distr. e 
prov. de Malange, apead. do C. de 
F. de Luanda. 

Kakolombolo, adj. (X) Do galo, 
ou a êle relativo, j ; cOrog. Pequena 
pov. na sede do cone. distr, e prov. 
de Malange. ] | Bairro á entrada da 
vila do Golungo, posto do cone. 
de Cazengo, distr. do Cuanra-Nor- 
te, prov, de Luanda. 

Kakónda, sub. (X) corog. Pov. e 
sede da circ. ci\-. dôste nome, distr. 
e prov. da Huila, a 13° 14' de lat. S. 
6 15° 5' de long. E., 1.648 met. de 
altit. e 27.604 habit., Junta local, 
deleg. de Saúde e de Fazenda, est. 
teleg. -postal de 3.* classe, escola 
oficial n.° 38 de «Alfredo de Andra- 
dei e Missão Catól. do Sag,° Coração 
de Maria. 

Kákondo, sub. (IX) Carapinha: 
jindeniba ja — . [ adj. Eriócomo. [ \ 
sub. Cação : mbiji ia — . 1 1 bot. Plan- 
ta gramínea nociva às terras, de que 
há várias espécies {cynodon dacty- 
lon). I Escalracho. | — , Outra varie- 
dade de gramínea {digitaria san- 
guinalis), utilisada para forragens. , | 
Planta da fam. das gramíneas {pa- 
nicum andongece), própria para for- 
ragens. 

Kakongo, sub. (IX) bot. Planta 
monocotiledónea, tb. conhecida por 
kambãngu. \ \ corog. Pov. da circ. 
civ. deste nome, com sedeemLânda- 
na, distr. de Cabinda, prov. de Lu- 
anda, a 5° 13' de lat. S. e 12° 08' de 
long. E. Gr., porto e deleg. marít., de 
Saúde e de Faz., escolas das missões 
catól. Principal de S. Tiago (com 
resid. das Irmãs de S. José de Clu- 
ny), 2.827 l^ab , est. telegr. -postal e 
Hospital. 

Kakori, adj. e sub. (IX) Pessoa ou 
localidade que fica em poder do ini- 
migo como garantia do cumprimento 
do tratado de paz ] Refém: ixi ia — | 
Cativo. 

Kakôria, adj. (IX) Avarento. | 
Mesquinho. | Sórdido. ; Miserável. 

Kakorio-korio. adj. (IX) Sôfrego: 
insaciável. Ávido (em beber). | Am- 
bicioso: impaciente na bebida. 



Kakóxa, sub. (IX) Rabeca. 1 1 Aíí/- 
f<ua — , adj. Dono, o da rabeca. || 
Muxiki a — , Rabequista; tocador de 
rabeca. 

Kakúa, corog. Pov. do cone. do 
Libolo, entre os rios Cango e Tamba, 
afluentes da margem esquerda do 
Quanza, distr. do Quanza-Sul, prov. 
de Benguela. 

Kakuaku, sub. V. kalukuaka. j | 
corog. Pov. e sede do posto civ. des- 
te nome, cone. distr. e prov. de Lu- 
anda, a 15 klm. ao N. da cidade, 
411 hab. II Enseada limitada a E. 
pelo morro deste nome e a O. pelo 
das Lagostas, no distr. e prov. de 
Luanda. ; i Morro situado a 4 kil. a 
E. do morro das Lagostas, na baía 
do Bengo, escuro e orlando de ro- 
chas. 

Kakuála, sub. (IX) bot. Planta 
euforbiâcea, tb. conhecida por sa- 
kala. \ 1 Nome de várias plantas 
aióideas. 

Kakuána, sub. (IX) bot. Nome 
por que no Seles é conhecida a ár- 
vore tnungenga. 

Kakuanza, sub. (IX) bot. Plan- 
ta fam. das rutáceas (clauzena ani- 
satã), de propriedades medicinais. 
I Arruda.' |fig. Homem do Quanra. 

Kakúbe, sub. flX) bot. Planta 
rasteira da fam. das leguminosas 
{brachystegia spicceformis), de uti- 
lisaçào medicinal. V. mukàbi. 

Kakúue, sub. (IX) bot. Família 
de plantas gamopétalas [cryptose- 
palum curtissiorum). [ Planta ascle- 
p âdea. 

Kakuiji, adj. e sub. (IX) Ignora- 
do. ^ Desconhecido: eie — , uoso U 
akuijia muene u ku tanga.) \ Que 
nada sabe^ | O que não conhece. 

Kakuinhi. adj. e sub. (IX) Decú- 
mano. | Décimo, j A décima parte 
de um todo. | O que vem ou está 
em décimo lugar, j | Dízimo. 

Kakulakaji, adj. e sub. (X) Ve- 
lhinha. I Abrev. de kakikulakaji. 

Kákulu, adj. (IX) Longevo. | 
Muito velho; remoto. | Que existe 
ha muito tempo. Ij sub. Pri- 
mogénito. ! I mit. Irmão gémeo de 
kabasa. \ Uma das estrelas do fir- 
mamento. I Castor. W — ni kabasa, 
signo do zodíaco, i [ corog. Antiga 



KAK 



-8^1. 



KAt 



pov. e sede do cone. de Cazengo, 
distr. do Quanza-Norte, prov, de 
Luanda, na margem direita do rio 
Lucala. j | Antiga pov. do cone. de 
iJuque de Bragança, distr. e cone. 
de Malange, entre os rios Mucuso e 
Lombe, corte e primeira cidade do 
rei Ngola. 1 1 — kabasa, pov. e pos- 
to civ. do cone. de Ámbaca, distr. 
de Quanza-Norte, prov. de Luanda, 
com 9.520 hab. \\~ka lienda, pov. 
e freg. de N, S. da Conceição, cone. 
de Ambaca, prov. de Luanda. | | — 
ka humbi. V. humbi. \\ —bale, um 
dos maiores afluentes da margem 
direita do rio Cunene, na prov. e 
distr. da Huila. 

Kakulúmba, sub. (IX) zool. Ave 
do género pombo, as>im chamada 
em rpzão do seu cantar. | Rol '. 

Kakunda, adj. e sub. (IX) Cor- 
covado. I Giboso, 1 Pessoa de cos- 
tas arqueadas. II Corcova; gibi. 

Kakuria, sub. X) Pequen » quan- 
tidade de comida: tu andala kama - 
ni tu kaíakale. \ Pequena refe ção; 
lambisco. || adj. De comer. PI. tu- 
makuria. 

Kakurixíxi, sub. (IX) zool. Pe- 
quena ave pernalta da fam. das ma- 
erodátilas. 

Kakusu, sub. (X) Perca ; cacusso 
pequeno. V. kakikusu. \ PI. tul- 
kusu. 

Kakufa. sub. (IX) bot Qual dade 
de feijão miúdo, mui parecido com 
«macunde* 

Kakuíukufu, sub. ilX) zool. Ave 
notívaga de rapina. | Coruja. lE' tb. 
conhecida por — baku, em azão do 
seii canto), fig. O que se não apre- 
senta ás vistas. I Pessoa qu? anda ás 
ocultas, à horas mortas. 

Kakuxi, adv. interrog. Quantas 
veses. I Qual (das veses) . [Ha quan- 
to tempo : lelu — ? 

Kakuzu, adj. e sub. (IX Pesca- 
dor de tarrafa. | O que lança a tar- 
rafa. i | corog. Pov. e sed • do posto 
deste nome no cone, distr. e prov. 
de Malange, freg. de S. João servida 
pelo C. de F. de Luanda, 8. i6o hab 
e Missão Católica (N. S. de Fátim ) 

Kala, adj. Qualquer (entre doiy 
ou mais). I Cada : — mutu ni kie.) 
Cada um, cada qual : — sanji ni 
baia r/e. li cooj. Do mesmo modo 



que. I Como : — kiambatele tafetu. ] \ 
adv. Quando; conforme; desta ma- 
neira ; assim : — kiki. | Uma vez 
que ; neste momento : — lelu. \ 
Actualmente ; na presente ocasião. 
V. kiki. I I sub. Abrev. de rikala. \ 
Carvão : — ria iúbia, braza ; — ria 
njilu, carvão em pedra. 

Kâla, interj. Esteja ! | Fique ! | | — 
mniê, não te importes ; não te enco- 
modes. | Deixa-te ficar. V. kaVè. 

Kalabasa, sub, (IX) Arco iris. || 
coiog. Pov. na margem direita do 
rio Lombige, região dos tnahungos, 
circ. civ. de Samba-Cajú, d str. e 
prov. de Luanda. 

Kalafafe, pub. flX^ port. Calafa- 
te. I j Peixe do mar. 

Kaláji, sub. (IX) Madrugada. | 
Dilúculo. i Manhã cedo : rnãngu u 
iza — . I I adv. De madrugada ; de 
manhã cedo. | Ao romper d i aurora. 

Kaíakale, alj. Feito, executado, 
trabalhado : kima ki a u — . | La- 
boiado. 

Kalála, sub. (IX) Espia em tem- 
po de guerra. | Èsculea. 

Kaialánza, sub. (IX) bot Aivore 
da fam. das leguminosas (cynometra 
laxiflora), de made ra simiiliante á 
tacula. 

Kalamafe, sub. (IXi bot. Arbus- 
to sarmentoso, cujo fruto é remé- 
dio contra o escrobuto. 

Kalamba, corog. Pov. na mar- 
gem direita do rio Longa, na circ. 
civ. da Quissama, cone. de Mux - 
ma, distr. e prov. de Luanda. 

Kalame, sub. (IX) bot. Planta 
euforbiâcea. | Diz-se de umaqua* 
lidade de mandioca muito leitosa. 

Kalandula, corog. Serra ao S. do 
rio Quanza, na região do Libolo, a 
60 Kil. da vila do Dondo. | Pov. e 
antigo jagado deste nome, no an- 
tigo cone. de Ambaca. j | Actual 
sede da circ. civ. de Duque de Bra- 
gança, distr. e prov. de Malange, 
a g"^ 06' lat. S. e 16° 07' long. E. 
Gr., 1060 m. de alt. e 1Ó.916 hab., 
Deleg. de Saúde e de Faz. e est* 
teleg. postal de 3.* classe. 

Kalanga, sub. (IV) zool. Lagar- 
to. I Abrev. de rikalanga: mbeji le- 
nga — io u iza. 



KAt 



á7 



KÁt 



Kaiánjí, corog. Confluente da 
margem direita do rio Lucala, no 
antigo cone. de Ambaca, circ. civ. 
de Cazengo, distr. de Quanza-Nor- 
te, prov. de Luanda. 

Kalasá, sub. (IX) port. Calças 
(de homem). V. pándu. \\ Pequena 
ração. 

Kalasála, sub. (IX) port. Calça- 
da, i V. kikoka. 

Kale, adj. Permanecido; demora- 
do. I Estado, i Passado. | Vivido. 

Kâl'ê, loc. adv. Deixa-te estar. | 
Assenta-te. | ISão te mexas; sosse- 
gue- 3 

Kaleía, sub. iIX) port. Cadeia. 
V. lubambu. Kingenge. Kiboiongo. 

Kalekela, sub. (IX) Elevação; 
tope. I O ponto mais elevado de 
um objecto, i Cimo: bu —. [ | Eleva- 
ção feita de paus onde se põe a 
mandioca serrada e ensacada para 
escorrer a água que contém. | | Cu- 
me ; alto 1 Cima. 

Kaiekeleke. sub. (IX) Píncaro. | 
A. parte mais alta, \ Tôpo: o njila i 
abela bu — ka mulemba. \ Zimbório. 

Kalekelu, sub (IX) Despedimen- 
to. 1 Despedid*: a mu bangela — . | 
Bota-fora. | j Lugar de separação, 
de despedida. 

Kalekeía, adj. (iXj Picante. | A.r. 
dente. J Que excita ou irrita o pa- 
ladar: ndungu ia — . 1 De sabor pi- 
cante ou ardente. | ; sub. bot. Plan- 
ta eufoibiâcea {phylantus discoidens) , 
de madeira aproveitável, fruto di 
cór amarela e tamanho de um pe- 
queno limão. I I Certa qualidade de 
mandioca, tb. conheci Ja por kale- 
keie. ! V. kalame. 

Kalêle. adj. (IX) Distante do 
solo. I Elevado. | Alto; profundo 
(considerado debaixo para cimo). | 
Diz se do ponto mais alto que se 
pode atingir. | i sub. Apogeu. | O 
ponto mais alto. \ \ aJv. No espaço; 
no abismo, j | bot. Planta de fis. 
serreadas e frutos em cachos, cujas 
raízes, contundidas e em efusão, se 
tomam em casos de dores d-i ven- 
tre. 

Kalemba, sub. (IXiViolenta agi- 
tação do mar. | Marulho. | Tem- 
pestade. I 1 Alterosas vagas que, 
com estrondo, se vão quebrar á 



praia. I Marulhada, | fig. Revolu- 
ção. I Grande agitação moral, 

Kálembe, adj. (IX) Nupcial. [ 
Relativo à noiva. | | sub. Núpcias. 
1 I Certa dança regional, | j bot. 
Planta fam. das leguminosas {crac- 
ca vogelia), muito lodorenta, com 
que se pmbebeda o peixe para ser 
apanhado. | Tingui. V. kajoto. \ \ — 
lembe, planta aquática (nymphece 
stellata), utilizada como sal pelos 
indígenas (depois de incinerada). 

Kaloba, sub. (IX) port. Arroba. 

Káloko, adj. e sub. (IX^ Inteiriço. 
I Diz-se do coco ou similhante, que 
sai inteiro da casca: rikoko ria — . 

Kalokola-rime, sub. (IX) bot. 
Planta euforbiâcea de efeitos corro- 
sivos, I Seu fruto. 

Kaiolo, sub. (IX) port. Calor. V. 
kilakuluku. 

Kalólo, sub. (IX) bot. V. ndala- 
ngole. I I corog. Confluente da mar- 
gem esquerda do rio Quanza, nâ 
área do posto de Pungo-Andongo, 
circ. civ. de Cazengo, distr. do 
Quanza-Norte, prov. de Luanda. 

Kalômbo, adj. e sub. ^IX) Infe- 
cundo. I Estéril. I Que não produz. 
I mit. Deus da esterilidade, 

Kalomboloka, adj. (IX) Explicá- 
vel; de fácil esclarecimento, j | corog. 
Pov. na área do posto de Casso- 
neca, circ. civ, de Catete, distr. e 
prov. de Luanda. 

Kaiónde, sub, (IX) bot. Planta 
herbácea fam. das leguminosas, de 
frutos e folhas comestíveis. 

Kálongo, sub. (IX) bot. Planta 
de troncos cilíndricos [aloé pacdogo- 
na), de utilidade ornamental, 

Kálongolo, adj, e sub. (IX) Lo- 
quaz; verboso, | Que fala muito; que 
explica tudo. | | Comentador; crítico. 
I Palrador. j j sub. O que serve para 
ensinar ou instruir. | O que recorda 
como mestre ou ensinador. | | mit. 
Deus da eloquência, i Mercúrio. | 
— ngiindu, zool. Ave palradora dos 
desertos, 

Kolongóso, sub. (IX) bot. Planta 
fam, das anonáceas {xylopía africa- 
na), de fruto comestível. 

Kálofo, adj. (IX) Saliente; notá- 
vel. I Que sobresai, que dá nas vis- 



KAt 



KA£ 



tas: rivãmu ria — . | [ sub. Saliência; 
eminência. | Diz-se da barriga salien- 
te em forma de bico. j Barriguinha. 

Kaluíinda. corog. Confluente da 
margem direita do rio Lucala, no 
antigo cone. de Amhaca, circ. civ 
de Casençro, distr. do Quanza-Norte, 
prov. de Luanda. 

Kaluángu, corog. Pov. e sede do 
posto deste nome, circ. de Camaxilo, 
distr. da Lunda, prov. de Malange, 
com 15 007 hab. | | Afluente do rio 
Quango, na região dos Quiocos. 

Kalubénhi, sub. (IX) Relâmpago. 

Kaiíibia sub. (IX) bot. Planta 
fam. das rosáceas {parinari capensis) 
de fruto saboroso e madeira apro- 
veitável. 

Kaiubungu. sub. (IX) Dom; viitu- 
de; poder sobrenatural. | Condão, j | 
Amuleto ou pequeno chifre que, nas 
fábulas e contos de fadas, tem o po- 
der de fazer brotar do nada palá 
cios, príncipes e riquezas encantadas. 
I Encantamento: bruxedo: maj;ia. | 
Varinha de condão: kãbiinda boxi.\ 
A varinha dos feiticeiros e das fa- 
das. 1 fig. Cornucópia. 

Kaluemba, corog. Rio do distr. 
e prov. de Benguela, c mi cigem 
na serra de Muzamba e desagua no 
rio Kuiba, afluente do Quanzi. 

Kaluiji, adj CX) Do lado do oci- 
dente.) Do lado de baixo. | Sulano. 
I I sub. O que fica ou vem do lado 
de baixo, 1| corog. .\ntiga pjv, na 
margem esquerda do no Quanzi, a 
10 kil. a O. de Muxima, circ. civ. 
da Quissama, distr. e prov. de Lu- 
anda. 

Kaluimba, sub. (IXJ zool. Aba- 
da. | Licorne.j Rinoceronte. 

Kaiuíngi, sub. (X) Nerv^o. j Ca- 
da um dos filamentos que servem 
de órgãos á sensação e ao movi- 
mento animal, | Veio. j Canal que 
serve de conduto ao sangue. | [ 
Nervosismo. |i adj. Nervoso. 1 Ve- 
noso, i 1 Traqueal, 

Kalukala, corog. Afluente do rio 
Bengo, na circ. civ. de lolo e Ben- 
go (Catete), distr. e prov. de Lu- 
anda. 

Kalukembu. corog. Pov. e sede 
do posto deste nome, cone. de Ca- 
çoada, distr. e prov, da Huila, 



18.177 hab. e Missão Paroquial 
Fil-Africana (Suiça). 

Kalukuaku, adj, (X) Da mão ou 
a ela relativo. | | sub. Mãozinha. | 
Mão pequena, j | PI, tumaku. 

Kalúle. adj. (IX) Que tem sabor 
amargo | | sub. Peixe do mar de 
sabor amargo. | Cachucho. 

Kalúlu. sub. (IX) bot. Planta 
iam. das compostas [vernonia 
thonsonia). \ | corog. Pov. e sede da 
circ. civ. do Libolo, freg. de St.» 
António, distr. de Quanza-Sul, 
prov. de Benguela, a 10° 02' 14" 
Lat. S. e 140 58' 25" Long. E. Gr. 
95o m. alfr. e 13. 121 hab., esc. ofic. 
«Marquez de Pombal* e Missão Ca- 
tólica. 

Kálumba, sub. (X) Raparigui- 
nha. I Mocinha. I \Julherzinh 1 (de 
baixa condição social). | PI túlumba 
I I (IX) bot. Planta trepadeira fam. 
das menispermáceas {jateorhízn pal- 
niãta), de propriedades medicinais. 

Kaiumbánza, sub. (ÍX' boi. Plan 
ta gramínea (penisetum angolensis) 
de propriedade medicinal. | Grama. 

Kaiúmba (ubia, sub. (IX) zool. 
Género de insectos coleópteros que 
emitem luz fosforescente. | Vagalu- 
me. I Pirilampo. 

Kálumbi. sub. (IX) bot. Planta 
rosácea medicinal {rubus pinnatus) 
de madeira incombustível: liuinhi 
ia — / aribanga mukaiina, u eleln 
k'azub'ê. 1 Silveira | O seu fruto. V, 
rnusuna. 

Kalumbinga. sub. (IX) Diz-se do 
esporão do galo quando serve de 
apito. I Pequeno ch'fre para 
assobiar. 

Ivalúmbu, adj. (X) Do muro ou a 
êle relativo. |! sub Pequeno muro. | 
Muro de pouca a'tura. \ Vedaçãozi- 
nha i I corog. Pov. e sede do pt)sto 
da circ. civ. de icolo e Bengo. freg. 
de S. José, distr., cone. e prov. de 
Luanda, na margem direita do rio 
Quanza, 3.539 hab. e est. do C. de 
F. (ramal). | | Enseada na margem 
esquerda do rio Quanza. a 50 kil. 
da sua foz. | | ka Njimbu, Pov 110 
antigo cone. de Duque de Bragança, 
circ, distr. e prov. de Malange, 
margem esq. do rio Mbaía, confluen- 
te do Mbomba. 



«At 



89- 



Km 



Kaiumbuâmbua, sub. (IX) zool. 
Insecto lepidóptero na sua última 
metamorfose. [ Mariposa : henda k'aiê 
ndende, — nhoka i a mu seiala. | Bor- 
boleta, i fig. Pessoa volúvel. 

Kalume, sub. (TX) bot. Arbusto 
medicinal, empregado 'as raízes) em 
casos de dores de ventre. 

Kalúmune, adj. Rasgado, j Feito 
em farrapos, roto. ; j Arranhado. 

Kaiúnda, corog. Elevado monte 
no distr. do Moxico, prov. do Bié, 
com 1.650 mts. de altit. \[ Pov. e 
sede do posto deste nome. na circ. 
civ. do Alto Zambeze, distr. do 
Moxico, com 16.286 ha b., posto de 
despacho alfand. e Missão Ingleza. 

Kalundúa, corog. Importante aflu- 
ente do rio Luanda, na região do 
Moxico, distr. do Bié. 

Kaiúnga, adj. (IX) Eminente, | 
Insigne. ; Grande. | Incomensurá- 
vel. I Infinito, I j sub. Massa líquida 
que circunda os continentes. | Ocea- 
no. I O mar: mêniic ma — ! | A imen- 
sidade; o vácuo; o abismo. i| Infor- 
túnio; desgraça; peste, j Calamida- 
de, i Morticínio. ] A Morte: henda i 
akua — , ndele ni nzumbi. \ j Trata- 
mento equivalente a Excelência, a 
Eminência. Senhor. Fidalgo que 
tem honras de grandeza. , Pessoa de 
alta gerarquia. | , mit. Deus: muenhu 
uâmi — u a u bangele. '< — 'a-ngombe, 
Deus da Morte A própria Morte. | 
O Além, a Eternidade, i Uma das 
três deusas que fiavam e cortavam o 
fio da vida. | | --'a Samba, Deus da 
família, da vida. | O maior dos Deu- 
ses. I I corog. Rio. afluente da mar- 
gem esquerda' do rio Capororo, no 
distr, e prov. de Benguela — Aa 
Menha, pov. e posto de Cameia, circ, 
civ. do Dilolo, distr. do Moxico, 
prov. do Bié, com 8.512 hab. 

Kalungánga, sub. (IX) zool. Qua- 
drúpede, espécie de urso que se ali- 
menla de mel. 

Kaiumgémbu, «ub (IX) Pequena 
cabaça com haste natural para lí- 
quidos, j Pucarinho, J [ cOrog. Pov. 
no k 1, 180 da linha do C, de F. de 
Luanda, circ. civ. de Icolo e Ben- 
go, distr. de Luanda. 

Kalungena, sub. (IX) bot. Plan- 
ta lutácea {zanthaxilum citrioda- 
rum), de utilidade medicinal. \ As- 
pléQío. 1 Arruda dos muros. 



Kalusánji, sub. (IX) bot. Grartde 
árvore burserácea [balsomea ango- 
lensis) de propriedanes meri-cinais 
contra doenças do peito. [ Pequt- 
na planta herbácea fam. das um- 
b e 1 í f e r a s {peucedanum frascinifo- 
lium), utilisada em cozimentos como 
peitoral. 

Kalusuámu, sub. (IX) Instru- 
mento ou meio pelo qual se pratica 
o ocultismo, j Método ou livro que 
trata de ciências ocultas, jj adj. 
Invisível; oculto; escondido. 

Kaluxisa, adj. Correntio. , Da 
série. I Seguido. 

Kaluxixikinha, adj. (X) Da for- 
miga. I i sub. Nome empregado 
nos contos, apólogos ou fábulas em 
que falam os animais, designada- 
mente a íurmiga. 

Kâma, sub. (X) Coisinhn; insi- 
gnificância. I Boccido : — Ica kuria, 
\ I Pequena porção; pedaço; naqui- 
nho : — ka ufele. pron. Algo; mu 
bane — . | ! adj. Minúsculo; de pouca 
impoitância (em extensão ou volu- 
me). 1 Pouco. I I Designa quanti- 
dade indeterminada em pequena 
escala: u ala ni — ke. ^1 adv. Um 
pouco, i Algum tanto: — sâi. Pi. 
iúma. 

Káma, corog. Lago, na circ. civ. 
do Lbolo, distr. do Ouanza-Sul, 
prov. de Benguela, ao S. do rio 
Longa e a E do Ngangu, 1 | Pov. 
na margem O. deste lago. 

Kamabala, adj. pi. (I) Que tem 
calvas ou faltas de cabelo. | sub. O 
da careca. | Tinhão ' Tinhoso. 

Katnabafela, corog. Pov. e sede 
do cone. de Ambaca, distr. e prov. 
de Luanda, a 8° 18' de lat. S. e 15» 
23' de long. E., 1220 m. de alt. e 
11.876 hab.. Junta Iccal, Deleg. de 
Saúde e de Faz., est. telegr, postal 
e escola primária n,' 23 de «Júlio 
Dinis». 

Kamabuinhi, adj. pi. (I) Desden- 
tado. I Que tem falhas de deutes. 

Kamakobo, adj. (I) Que tem as 
faces encovadas. Que tem os 
olhos metidos para dentro. 

Kamakofeka, adj. (I) Que tem 
misantropia, ] Triste, | Melancóli- 
co. Misantropo. 

Kamakóza. adj. (I) Coberto de 



KAM 



-90- 



ÍCAM 



andrajos. | Esfarrapado: — k'amt- 
neken'ê u azuata. \ Farrapilha; mal- 
trapilho. I I Roto; mal vestido. | 
Andrajoso. 

Kamakupa, corog. Pov. e sede 
do cone. deste nome, «Vila General 
Machado», a 12° lat. S, e 17° 27' 
long. E. Gr., distr. e prov. do Bié, 
1.474 ro. de alt., 26,881 hab., Deleg. 
de Saúde e de Faz., Junta Local, 
est. rádio-telegr.-postal e do Ç. F. 
B., ambul. sanit., escola prim. n.o 
52 de íBernardino Machado». 

Kamalebu, adj. Ofensor; injuria- 
dor. I ] sub. Pessoa que vexa, que 
ultraja. 

Kamalundu, adj. (T) Olhudo. | 
Que tem olhos salientes. 

Kamama, adj. (IX) Da mãe. | 
Materno: kijila ku — ketu. | Do lado 
da mãe. | Maternal: pange ia -. | | 
top. Pov. e muceque nos arredores 
da cidade de Luanda, na antiga es- 
trada de Calumbo. | | Pov. na circ. 
civ. e distr, do Huambo, prov. de 
Benguela. 

Kamanqonha. adj. (I) Mango- 
nheiro. | Malicioso; hipócrita. 

Kamanonge, corog. Pov. e sede 
do posto deste nome, cone. e distr. 
do .vioxico, prov. do Bié, com 16.799 
hab. 

Kamása. adj. (I) Do milho, ou a 
êle relativo. | | sub. bot. Planta es- 
terculiácea, (assonia quanzensís), de 
propriedades medicinais. | Coleira ] 
Sem fruto. 

Kamafama, a Ij, (I) Bochechudo. 

Kamaíambu, corog. Pov, e posto 
da circ. civ. da Damba, distr. do 
Congo, prov, de Luanda, com 
10.391 hab. 

Kamatenda, adj. (I) Canhoneiro.] 
Que tem, dispara ou se serve de ca- 
nhões. 1 Artilheiro. | | sub. Canho- 
neira. 

Kamaúfa, adj. e sub. (I) Espin- 
gardeiro. I Que fabrica ou vende es- 
pingardas. 

Kamavuua, adj. (I) Dotado de des- 
graças. I Infortunado; desventurado. 
I Infeliz. 

Kamáxa, confluente da margem 
esq. do rio Lucala, circ« civ. de Ca- 



zengo, distr. do Quanza-Norte, prov. 
de Luanda. 

Kamaxilu, pov. e sede do posto 
deste nome, distr. da Lunda, prov. 
de Malange, a 8° e 20' de lat. S e 
18° 15' de long. E, ii8om. de alt., 
7.765 hab., distacam. militar, est. 
telegr. -postal e deleg. de Saúde. 

Kámba, sub. (IV) abrev. de riká- 
mba. I Amigo; confidente; aliado: — 
ria mute ibatu. \ \ corog. Pov. na 
margem direita do rio Calolo. antigo 
cone. de Pungo Andongo, circ. civ. 
de Cazenzo, distr. do Quanza-Norte, 
prov. de Luanda. 

Kambiila, sub. (X) Pequena canoa, 
ordinariamente conduzida à vara. 
I Gambarra; piroga; varino. 

Kambalale, adj. (X) Cemiterial. 
I sub. Cripta. | | Subterrâneo sepul- 
cral. I Cova; jazigo: túmulo. 

Kambalela, sub. (IX) bot. Géne- 
ro de plantas euforbeâceas (bridelia 
angolensis), utillsadas como orna- 
mento. 

Kámbamba, sub. (X) Varinha. | 
Chibata, j Vareta. 

Kambámba, adj. (IX) Continuo. | 
Completo; inteiro. | f Do prin- 
cípio ao fim; ininterrupto. | To- 
do o dia: mu kumbi ria — . | | De- 
curso. I Durante; decorrente: mu — 
ka kizuua. \ \ sub. Abrev. de kaki- 
mbamba; Bichinho. 1 1 bot. Planta 
tipo das verbenáceas (tb. conhecida 
por muxilu-xilu), de fruto comestí- 
vel. 1 Agnocasto. 

Kambámbi, sub. (X) zool. C'rça.| 
Veado pequeno, fig. Pessoa esperta, 
ladina, | | corog. Pov. e circ. civ. 
deste nome com sede na vila do Dou- 
do, margem direita do rio Quanza. 

Kámbandu,sub. (X) Pequ n i par- 
te ou porção de alguma cou«a se- 
parada do todo.| Pedaço; lasca : — 
ka rilonga. \ Fragmento; boca- 
dinho. 

Kambánza, sub (X) Rebeque. | 

Espécie de rabeca de três cordas 

que se ferem com palheta. | Ban- 
dolim. 

Kámbanza, sub. (X) Aldeola ; 
povoado. 

Kambasêse, sub. (IX) bot. Ar- 
busto ramoso, de fls, coriáceas e 
flores hermafroditas apétalas. 



KAM 



-9< - 



KAM 



Kámbende, adj. e sub. (X) Di- 
nheirinho. I Pecúnia. j Pouco ou 
algum dinheiro : u ala ni — ke. V. 
PI. túmbende. 

Kambéndu, sub. (X) Flautim. 1 
Pífaro. ! 

Kambengéla, sub. (X) Siquinho 
de negócio sobreposto ao principal. 
V. mbengéla. \ fig. Homem de pouca 
idade I Rapazola |Garoto. || E'tb. 
adj. 

Kámbia, sub. (X) Panelinha. | | 
adj- Da panela. 

Kámbiji, sub. (X) Peixinho. | | 
adj. Relativo ao peixe. ^ 

Kámbila, sub. (X) Pequena se- 
pultura I Campa de criança | { adj. 
Sepulcral. 

Kambimbia, sub. Nome por que 
86 conhece um elevado monte no 
distr. de Moxico, prov. do Bié, 
com 1.500 mts. de alt. e onde nas- 
cem os rios Lungue-bungo, Cuime 
e Cuito. 

Kambinda, sub. (X) Cabacinha : 
o — kdmi ? sualala u ária, mbangu- 
ta u abatida. \ Coloquintida. ||adj. 
De Cabinda ou a êle relativo. | j 
corog. Vila, sede de intendência 
administrativa de Cabinda, a 50 33' 
22" de lat. S. e 12° 11' e 51" de 
long. E., com 8.651 hab. £' sede 
da com. do Congo, da 9.* C. I. C, 
Repart. de Faz., de Saúde, Posto 
de desp. aduan., conserv. do Reg. 
Predial, dos Serv. de Marinha, etc. 

Kambínga, sub. (X^ Comicho, j 
Pequena haste dos animais arma- 
dos : — ka sexi. | Caminho a que 
os curandeiros se servem nas suas 
adivinhas. | PI. tumbinga. 

Kambingu, corog. Alto monte 
entre os rios Quanza e Longa, no 
Alto Libolo, distr. do Quanza-Sul, 
prov. de Benguela. 

Kambóndo, sub (X) Pequeno 
embondeiro. 1 1 adj Relativo à 
adansónia. | 1 corog. Pov. e sede 
do pdisto «Jêste nome, circ. civ. de 
Cazengo, atravessada pelo ramal 
do C. de F. que de Canhoca se- 
gue para o Golungo. | , — ka Sexl, 
pov. e pequenas ilhas na margem 
direita do rio Quanza, cone. de 
Muxima, distr. e prov. de Luanda. 

Kambonga, sub. (X) Garoto. | 



Rapazinho. | Catraio. \ Pi. tumbo- 
nga. 

Kambónge, sub, (X; Colina. | 
Outeiro. I Elevação de terreno me- 
nor que o monte. | Fortim. | Pe- 
queno aterro, muralha, dique, j 
Pequena construção fortificada. 

Katnbongo, corog. Nome do rio 
que banha a vila de Novo-Redon- 
doj V. ngúnza. 

Kambôfua, sub. 'X) zool. Saltão. 
Género de insectos hemípteros. | 
Pulgão. 

Kambu, corog Confluente da 
margem esquerda do rio Qaango, 
em Tala-Mungongo, distr. aa Lun- 
da, prov. de Malange. \ | Pov. e 
posto da cir. civ. deste nome, sede 
do fForte República», distr. e prov. 
de Malange, com 12.994 hab. 

Kâmbua, sub. (X) zool. Ca leio; 
cachorro:— A-a/ia /ira/ie/«. Cãozinho. 
I I aij. Canzoal. 

Kambuémbue, adj. (Xi Borbu- 
lhante. I Murmurador: maka ma — . 
\ Que produz sussurro, j sub. Sus- 
surro leve e agradável. Murmu- 
rinho | Pessoa que mur^nura. 

Kambuende, sub. (X) Batatinha. 
i Mandioca tenra, de pequeno ta- 
manho, ou de pouco desenvolvi- 
mento. 

Kámbui, sub. (X) Pequena bola 
de comida que se aete na boca de 
uma só vçz: — ka fun/i. 

Kambuiji, sub. (X) bot. Uma das 
muitas variedades de banana, fain. 
das plantas citaminâceas musa 
cavendishii) , mais conhecida por 
cbanana anã». ! Bananeira de tron- 
co baixo. 1 ; zool. Paca pequena, 
de poucos meses. 

Kambulámbia, sub, (X) bot. Ta- 
lamiflora fam. das hipericíneas, de 
propriedades medicinais. V. mubóta. 

Kambulu, sub. (X) Pequena bor- 
bulha. I V. mbãlu I I zool. Rapoz:- 
nha. i 1 corog. Lugar no antigo 
cone. do Golungo Alto, circ civ. 
de Cazengo, distr. *? prov. de Lu- 
anda, onde se supôs a existência 
de minas de ouro e ferro. | | Pov, 
e sede do posto civ. dêite n -me, 
circ. de Chitato, distr. da Luoda, 
prov. de Malange. 



KAU 



-9á-- 



kAM 



Kambululu, sub. (X) zool. Mos- 
quito do tamanho de uma pulga, 
de arderosa mordedura. | Murui. 

Kambumbi, sub. (X) dim. de 
mbúmbi. \ \ bot. Arbusto fam. das 
b-gnoniáceas [kigelkeia prinnata), 
utilisada como ornamento. 

Kambúndu, sub. (X) dim. de 
mbiindu | Grãozinho | j Grão de côr 
acinzentada, do tamanho de grão-de- 
-bico, usado como adorno na Kis- 
sama. 

Kambungu, sub. (IX) Carneiro: 
mbila ia — I Cripta ] | bot. Planta 
de caules cilíndricos e tortuosos, 
empregue no fabrico de cesto?. | | 
Arbusto trepador, fam. das apo- 
cináceas (carpodinus gracilis), de que 
se extraia borracha | Tacuari. | Sem 
fruto (de sabor agridoce). 

Kámburi, sub. (X) bot. Qualida- 
de de banana, fam. das plantas ci- 
tamináceâs (musa sapienfum), conhe- 
cida por «banana macaca». 

Kambúrí, sub. (X) Corderinho. j 
Anho. I I adj. Anfnio. 

Kámbuta, adj. (IX) Baixinho. | 
De pequena altura ou menor esta- 
tura da regular. | | sub. Homem 
baixo, i Zangalho, ,anão. 

Kámbufu, sub. (X) Pequena 
quantidade de sementes. | |adj. Que 
diz respeito á semente. 

Kámene, adj. Matutino. | Do 
princípio da manhã. 1 | sub. O rom- 
per do sol. I Manhã. | O amanhe- 
cer : mu — I I adv. i>e manhã. 

Kamenemene, sub. (IX) Manhã- 
zinha. I O piincípio do dia. | adj. 
Respeitante á manhã | | adv. Ao 
romper do dia. 

Kamenga, sub. (X) Sertã. | Ta- 
cho pequeno de barro : — k'aka- 
ngele ximba, ximba i âbu rizumba ri 
axala. \ Pequeno torrador (de ce- 
reais). 1 1 Cadeia : calabouço : a mu 
te mu — •! fig. Pessoa faladora e 
exigente, j Homem pequeno e bir- 
rento. 

Kamengena-menhã, sub. V. mê- 
nha. 

Kamenha, sub. (IX) Bretanha.! 
Cambraia: malesu ma—, || Tecido 
fino de linho. || adj. Da água ou a 
ela relativo. 



Kâtni, adj. poss. (contr. da prep, 
ka e do pron. pess. eme). Meu ; mi- 
nha : o kahombo—k' abele. \ Perten- 
cente á minha pessoa. 

Kamibazu, adj. e sub. (I) Ra- 
Ihão, I Que fala em voz alta. \ Ra- 
Ihador. 

Kamikanda, adj. e sub. (I) Pa- 
peleiro. II Carteiro | Pessoa que 
distribue cartas, que fabrica ou ven- 
de papel. 

Kamikolo, sub. (I) Cordoeiro.| 
O que faz ou vende cordas. 

Kamilemba, adj. e sub. (I) A- 
borizado,'. | Árboricultor. | Pessoa 
que trata de árvores. 

Kamikoxi, corog. Rio do antigo 
cone. e actual posto civ. do Go- 
lungo, cone. de Cazengo. Nasce 
nos Dembos e lança-se na mar- 
gem dir. do Léfua, confluente do 
Dande. 

Kamilembu, adj. (I) Diz-se do 

defeituoso dos dedos. | ext. Digi- 
tigrado. || sub. O que se serve dos 
dedos, 

Kaminangu, adj. e sub. (IX) Ca- 
paz de praticar façanha?. | Faça- 
nhudo I Que pratica grandes feitos. 
i I Que faz jornadas, j fig. Viajan- 
te ; caminheiro. 

Kaminga, sub. (IX) bot. Planta 
medicinai contra o escrobuto 
[gymnosponia senegalensis) . 

Kamíngua, corog. Monte na 
margem esq. do rio Quanza, a E. 
da pov. de Cambembe, distr. do 
Quanza-Norte, prov. de Luanda. 

Kaminha, adj. e sub. (IX) Aque- 
le dos aprendises do caçador en- 
carregado de cortar o rabo da rez 
logo após abatida. | Ajudante. 1 1 
Faca que se traz pendente para 
matar a rez derrubada e ferida. | 
Misericórdia. | | O que dá o último 
tiro ou golpe mortal. 

Kamisongo, adj. e sub. (I) Se- 
teiro ; frecheiro. | | Pessoa encar- 
regada da guarda de dardos, lan- 
ças, espectos, etc. | ] Lanceiro. j | 
corog. Pov. e sede do posto civ. 
deste nome, (Veríssimo Sarmento), 
circ. de Chitato, distr. da Lunda, 
prov. de Malange. 

Kamisula, adj. e sub, (I) Que 
tem fendas ou rachas. I Rachado, 



KAM 



— 93 — 



KAM 



Kamixi, sub. (X) Gatinho. 1 1 adj. 
Do gato. 

Kamizumbu, adj. (I) Beiçudo. | ] 
sub. Pessoa que tem beiços grossos. 

Kainóma, sub. (X) Giboia peque- 
na. I E' tb. adj. II corog. Antiga 
pov. e apeadeiro na margem es- 
querda do rio Móma, cone. de Ca- 
zengo, distr, do Quanza-Norte, 
prov. de Luanda. 

Kamona, adj. (X) Do filho. [| 
sub. Ciiança de tenra idade: — ka 
ndenge. \ Pequerrucho, filhinho. | 
Nené. 

Kamósa, sub. (X) Mulatinha. | 
Rapariguinha mestiça. 

Kamóso, sub. (X) Rapaz; mole- 
que. I Criado; servente. 

Kamoxi, adj. (X) Que precede a 
todos (na série da ordem). \ Pri- 
meiro. I Principal. | Um; único; ka- 
muleU—' II adv. Antes de tudo. | 
Na diattiteira de todos. | Primeira- 
mente ; de princípio. A pri- 
meira vez. 

Kamuânhu, adv. De vagar. | Len- 
tamente. I Vagarosamente. | De 
mansinho. | A pouco e poico. 

Kamuánze, sub. (IX) bot. Árvore 
iam. das leguminosas (albizia fasti- 
giata) utilizada para sombra. 

Kamubika, sub. (X) dim. de mu- 
bika. I Molequinho. | PI. tuabíka. 

Kâmue, adj. antiq. Um, único. | 
V. kamoxi. 

Kamuéji, corog. Afluente do rio 
Lucala, no antigo cone. de Ambaca, 
distr. do Quanza-Norte, prov. de 
Luanda. 

Kamuêlu. sub. (X) Portinhola. | 
Postigo. I Fresta parcial em porta 
ou janela. 

Kamuélu, adj. (IX) Sovina. | 
Pouco liberal. [ Que dá pouco. (Em- 
prega-se em sentido chistoso). 

Kamuénhu, adj. (X) Espiritual. | 
Da vida ou a ela relativo. | | sub. 
Alminha. | Vidinha. PI. tumiénhu. 

Kamueléle, sub. (X) bot. Planta 
da iam. das labiadas (beciurn) . V. 
mueléle. 

Kamuézu, adj. (IX) Barbado; 
barbífero. | | sub. Barbiças. | Pes- 
soa de queixo alongado ou saliente. 



Katnuhála, sub. (IX) zool. Man- 
gusto; furão: ki urimina mutenge, — 
mu be kizuua. \ I corog. Pequeno 
afluente do rio Camuéji, no antigo 
cone. de Ambaca, distr. de Quanza- 
-Norte, prov. de Luanda. 

Kamuhâíu, kamuhêtu, sub. (Xt 
Mulherzinha. 1 | adj. Da Mulher. 
V. kahâtu. 

Katnuiji, adj. (I) Desconhecido; 
ignorado. | Que nunca foi visto. | 
Estranho. \\ sub. (IX) Pequeno ca- 
nal; regato; esteiro. 

Kamujiri. sub. (IX) zool. Mamí- 
fero carnívoro musteiida. j Marta; 
gato bravo. 

Kamukanda, sub. (X) Cartinha; 
bilhete; pedaço de papel. \ \ adj. 
Do papel, ou a êle relativo. 

Kamukange, sub. (X) Masca ri- 
nha. I Máscara pequena. \ PI. tumi- 
kange. 

Kamukembi, adj. (X) Que serve 
de alcoviteiro. | Inculcador. | | sub. 
O que faz aleovitice. | Proxeneta. | 
Mercúrio. 

Kamukolo. sub. fX) Barbante; 
guita. I Corda delgada e curta. 

Kamukua, adj. e pron. indef. (X) 
Não igual. 1 Outra; outro, j Dife- 
rente: kama—.\\ adv. De outro. 

Kamukuiu, corog. Pov. e sede do 
posto deste nome, na circ. civ. da 
Bibala, distr. de Mossâmedes, prov. 
da Huila, com 2.632 hab. 

Kamukusu, adj. (X) Que tema 
côr entre amarelo e vermelho. \ 
Ruivo. I Pardo claro. ) Russo. 

Kamulalanza, sub. (X) bot. 
Planta fam. das leguminosas, de 
madeira resistente. 1 | Cidreira. | 
Família de plantas do tipo da la- 
ranjeira. 

Kámulele, sub. (X) Paninho, j 
Fazenda de pequenas dimensões.] 
PI. iumilele. 

Kamulenge, sub. (X) Vento bran- 
do e fresco. | Brisa; aura. I Viração; 
aragem. 1 1 E' tb. adj. 

Kamulongiri, adj. e sub. (X) 
Ajudante; subalterno. | Monitor; 
decurião. 

Kamulumba. adj. (X) Giboso. | 
Corcuvado. ( Que padece de giba. 



KÀM 



-94 - 



KAM 



Kamulundu, sub. (X) Pequena 
elevação de terreno. | Pequeno 
morro. ; Monte. | j adj. Do monte. 

Kamumbundu, adj. e sub (X) 
Pretinho; negrinho. | Rapaz ou 
rapariga de côr preta. (Toraa-se em 
sentido amistoso). 1 1 adj. Do preto 
ou a êle relativo. 

Kamundai. sub. (X) V. mandai. \ \ 
cor( g. Pov. na circ. civ. deCzen- 
go, antiga rquinta Cândido Baptis- 
ta», a 2 kil. da «Vila Salazar», distr. 
do Quanza-Norte, prov. de Luanda. 

Kamundânda, sub. (IX) Expres- 
são equivalente á lac lat. et ccctera. 
i O que se não repete por desneces- 
sário: kapuete. kabolokoso, — . | Etc; 
etc; etc. 

Kamuinha, sub. (X) Espinho. | | 
bot. Espinha cervina ou de veado. | 
Pequeno arbusto espinhoso, de pro- 
priedades medicinais. | Planta ram- 
nácea. 

Kamukuluvunda, adv. Pouco 
mais. j Por mais algum tempo: 
ndoko ta kalakale Tingi — | Al<ím do 
necessário. 

Kamunzangala, sub. (X) Homen- 
zinho. I Jovem, i Rapazote. 

Kaniusa{u. adj. (IX) Epiléptico, 
raivoso. | Que padece de doença 
cerebral, de síncopes convulsas. 

Kamusekele, sub. (IX) Nome pre- 
jorativo dos ahankala. \ \ fig. Pessoa 
de olhos pequeninos. | | adj. Da côr 
de areia. 

Kamúlu, adj. (X) Vivente. ] Re- 
l':itivo à pessoa. | | sub. Pigmeu, 
fig. Namorado; conversado, j | 
ictiol. Peixe do mar, de cujo uso 
rssulta o escrobuto. 

Kamuíue, »ub. (X) Cabeça pe- 
quena, de criança. 

Kamuxi, adj. Arbóreo; de forma 
d« árvore. | ,' sub. (X) Arbusto. | 
Pausinho. 1 Varinha. | | bot. Planta 
iam. das leguminosas {brachiaria 
bizanthã', de propriedades medi- 
cinais. 

Kana, adv. de neg. Não. |1 sub. 
Recusa. I I Prep. que indica carên- 
cia, privação ou ausência: kítari—. 
I Sem: kúria — . | | Adj. e pron. de- 
monstr. que designa (a coisinha) 
que está afastada daquele com 



quem se fala: kahombo—Jcanete. \ 
Aquela; aquele. 

Kaná, adv. Não; nunca. | Não 
pode ser. | | Prep. que denota abs- 
tenção. II — kiene, absolutamente. 
(Mais correcto, porém menos us.) j | 
— ku, não ha; não tem. 

Kanâke, adj. num. ord. (IX) Oi- 
tavo:— ka kizuua. Que está em oitavo 
lugar. I I sub. O último numa sé- 
rie de oito 

Kanáma, sub. (X) Pésinho. j Per- 
ninha. PI. tunáma. 

Kanambinga, corog. Rio da circ. 
civ. do "Encoge, afluente da margem 
esquerda do Loge. 

Kanameka, loc. equivanlente à 
latmâ et religaa. | E o restante; e o 
mais. I I adj. e pron. Certo; tal; não 
bem definido. ; | sub. O fulano; o 
tal, etc. 

Kanána, sub. (IX) Cautchouc. j 
Borrachi. 

Kánanhi, adj. e pron. (IX) Tal ; 
não bem definido : ngana nanlii 
ria — . (sr. fulano de tal), | | pron. 
interrog. Qual? Que pessoa? || sub. 
Designação de psssoa incerta, ou 
de cujo nome se oculta- 

Kandâmbia sub. (IX) bot. Her- 
va miúda. | Relva: iânguia—. \\ 
Gramínea alimentar de gado suino. 

Kandanda, sub. (IX) bot. Planta 
leguminosa; vagem de feijoeiro, j 
Fjijào. V. mabdle. 

Kándandu, sub. Abraço, j | Ku- 
bana — ,v, tr. Abraçaa. j Cingir cjm 
os braços. 

Kandánji. sub. (X) Pequena raiz; 
rizoma. | V. ndànji. 

Kande, adj. Cavado. | Fundo. 

Kandeia, sub. (IX) port. Candeia 

1 V. muãnga. 

Kándemba, sub. (X) Cabelinho ] \ 
adj. Do cabelo. 

Kandenge, sub. (X) O mais novo 
dos irmãos kamona — . | adj. Do 
menor. 

Kandimba. sub. (X) Coelhinho. | 
Lebracho. | Láparo- 

Kandindi, sub. (X) zool. Cão or- 
dinário, magro e enfezado. 



KAN 



-95 - 



KAK 



K a n d i n ga-pu n a , sub. fIX) 
bot. Planta plumbaginea (plumba- 
go zeilanicá) utilizada como orna- 
mento. I Plumbago. j "Dentelária, 

Kandómbe, adj. (IX) Tirante a 
moreno | Amorenado. 

Kandóndo, sub. (IX) bot. Alca- 
çuz. I Raiz empregada como remé- 
dio em doenças de peito e constipa- 
ções. 

Kandúa, sub. (IXj bot. Planta 
iam. das liliáceas {methonica abys- 
sinica) de raiz (tubérculo) comes- 
tivel. Salepo. 

Kándumba, adj. (IX) Ordinário; 
soez: fubá ia — -. j [ sub. Abundân- 
cia; i fartura. | | Nome mitológico 
por que, nos contos ou fábnlas, é 
designado o leão: — ka kiria-ma- 
kongo. \ V. ndâmba. \ \ adv. A' far- 
ta ; em quantidade. | j corog. 
Pov. do antigo cone. e hoje posto 
de Pungo Andongo, circ. civ. de 
Cazengo, distr. do Quanza-Norte, 
prov. de Luanda. 

Kandungala, sub. (IXj Dança re- 
gional das margens do Quanza: 
kukina — . I Sapateado. 

Kane, adj. Designado. | Destina- 
do: kima ki angi — . | Reservado. \ 
Dirigido. 

Kan'ê, adv. de neg. Oh! não. 1 1 
sub. Recusa. 

Kanga, adj. (IV) Que forma a su- 
perfície. I Exterior: ku — . | Que está 
por fora ; superficial ; aparente. \ \ 
sub. O exterior; o que está á vista. 
I O que está afastado, separado, 
longe : kâla — . undandu ni utue.\ 
Campo; arena: — ri atexi. \ Lugar 
de audiência, de luta : u arite mu 
— . I Liça. II a d V . A' distância ; 
exteriormente ; fora: bu — . V. ri- 
kanga. 

Kangala, sub. (IX) bot. Planta 
têxtil fam. das apocináceas (stro- 
phnntus prenssii), utilisada como 
ornamenío. 

Kangalaja, sub. (X) port. Gar- 
rafinha; frasco. 

Kangalala, adj. Atravessado. | 
Oblíquo. 

Kangálu. sub. (X) Açafate. , 
Pequeno balaio de bordo baixo. 
PI. tungálu. 



Kangamba, adj. (X) Relativo 
a servos. [ | sub. Servente ; moço 
de recados. | j zool. Animal mamí- 
fero mosquida. | Almiscareiro : — 
ki aiba, ni iba ie. \ \ corog. Pov. e 
sede da circ. civ. dos Lnchazes, 
prov. do Bié, a 13° 41' 25" de lat. 
S. e i9° 52' de long. È., 1.215 
mts. de alt., 6.965 hab., est. pos- 
tal e radiotelegr., deleg. de Saúde 
e destacamento militar. 

Kangambi, adj. e sub. (X) Con- 
fidente, j Pessoa aquém se contiam 
segredos. \ Confidencial. 

Kangana, sub. (IX) Senhorinha' 
I Senhorita | adj. Senhorial. 

Kangandala, sub. (X) Pequena 
toalha de meza ou guardanapo. | 
Sanguinho. Pov. e sede do pôjto 
deste nome, circ, civ. di^tr. e prov. 
de Malange, com 21.240 hab. 

Kangánga, sub. (IX) zool. Pe- 
queno mamífero, de pele aprecia- 
da : — u abata o mutala, kiba kie 
ki lala o ngóma. \ Animal cujos 
ossos se atribuem propriedades 
de resistência, coragem e valentia, 
u anuine ifuba ia—. \ corog. Pov: 
na margem esquerda do rio Quango, 
a 45 kil. de Cassange, distr. e prov. 
de Malange. 

Kánganza, sub. (X) Cálice ; taça 
(de pau ou cabaça) para líquidos : 
— ka uâlua. 

Kangafu. sub. (X) Gatinho., jadj. 
De gato. V. kamixi. 

Kange, adj. Atado ; amarrado : 
soba nga i kutu' nga i— \ Preso. , 1 
Torrado; frifo. 

Kangela, sub. (X) Cominho, I 
Pequeno chavelho. , adj. Corní- 
fero. 

Kangeleke, adj. Obliquo ; atra. 
vessado. 

Kangéma, dim. de ngéma. 

Kangiji, sub. (X) Ribeirinho. | 
Pequeno curso áe água : — bu u 
tenda, buêne bu úfua. | Regato. 

Kangoji, sub. (X) Cordel; bar- 
bante ; fio. 

Kangola, adj. (X) De Angola, j 

Angolense. 

Kangóma. sub. (X) Tamborim. ] 
Pequeno tambor. 



KAN 



-96- 



KAN 



Kangómbe, adj. (X) Bovino; bo- 
video. I ! sub. Vitelo ; novilho ; 
bízerro. | | corog. Pov. e posto civ. 
deste nome, circ. dos Lucbazes, 
distr. do Moxico, prov. do Bié, 
com 8. 414 hab. 

Kangonga, sub. (IX) Cócoras (us. 
na loc, kuta—). \ Acocoraniento; aga- 
chanientr. 

Kángcngo, sub. (X) Pausmlio com 
desenho em relevo. | Camafeu fig. Ca- 
ra feia:— A/ inúxi. | adj. Relativo ao 
gémeo. 

Kangónha, sub. (IX) bot. Cânhamo. 
V. liamba. 

Kangu^ri, sub. (X) Perdigoto. | Pe- 
quena perdiz. I I adj. Da perdiz. 

Kangúia, sub, (X) V. katumbu. 

Kangúiu, sub. (X) Bácoro; leitão.] | 
adj Porcino. 

Kángululu, sub. (X) bot. Planta 
fam. das solanáceas, de propriedades 
medicinais em casos de inflamações en- 
démicas. 

Kangúmbe, sub. X) zool. Ave 
galinácea de arribação. V. ngiimbe. 

Kangúndu. sub. ^Xi Pequeno pás- 
saro ribeirinho, j ! adj. Colonial. | Aven- 
tureiro. 

Kangúnga, sub. 'X) Apêndice cóni- 
co do véu palatino, j Vvuh:-kaxingu. 
I I Campainha; sineta. 

Kangúnji, sub. (X) Pequena escora. 

Kangufu. sub. (X) Colherinha: — ka 
inúxí. ' Colher de chá ou café. 

Kanguvu, sub. (X) Hipopótamo de 
poucos meses. 

Kanhafukutu. adj. (X) Desconexo. 
' Incoerente. ; Confuso 

Kanhanjila, sub. (X) bot. Planta de 
frutos comestíveis e boa madeira. | 
Ébano. 

Kanhari, sub, (X) zcol. Gavião. , 
Milhafre, j | adj. Rapinante. 

Kanhemu. sub. iIX) Ressentimento; 
reserxa.-u angi kuatcla—.\ Frieza (de 
ânimo). 

Kanhenge, adj. (IX) Delgado; fino. 
i tsguio De pouca grossura. I Deli- 
cado. 

Kanhengena-maku, adj. di Que 
traz os braços pendentes. | Bímano. 



1 1 sub. Classe de mamíferos que com- 
preende a espécie humana : — ukola. 
I í sub. O homem. 

Kanhengefe, sub. (IX) Sofrimento 
ou dôr interior. | Mágua; pezar; des- 
gosto. O que experimenta facilmente 
impressões morais : muxima ua — . 1 1 
Melindre. 

Kanhe-njils, sub. (X) Planta ebe- 
nâcea. V, kafufula. 

Kânhi, pron. interrog. (X) Que 
ccusa (entre várias): kâma — ? Qual 
(entre muitos)? i | adj. interrog. ser- 
vindo para determinar a qualidade de 
um objecto entre outros: kamiixi — 
u atolol'.} ? 

Kanhcka, snb. (X) Cobrão; cobreio. 
: Pequeno reptil ofídio. Pi. túnhoka.\ \ 
corog Pov. na circ. civ. de Cazengo, 
kil. 280 da linha de Malange, entronca- 
mento do ramal do C. de F. do Go- 
lungo, distr. do Quanza-Norte, prov. 
de Luanda. 

Kanhofo, adj. e sub. (IX) Que se 
serve da mão esqueida. V. kiásii. 

Kániní, adj (IXj Formoso; delicado; 
distinto, i Apurado; fmo 1 1 sub. Pes- 
soa delicada, fina. 

Kanjénje, sub. (IX) Pessoa mes- 
quinha. Unhas de fome. | Miséria; 
uênfi ua — . j Fonice I adj. Mesqui- 
nho; agarrado; miserável. V. njénje. 

Kanjika, sub. (IX) Guisado de fei 
jâo e milho temperado com banha ou 
óleo de palma. 

Kánjila, sub. (X) Passarinho. | Pe- 
queiri ave. 

Kanjíla, sub. fX) Atalho; vereda; 
carreiro. 

Kanjolonjolo, adj (IX) Miúdo; pe- 
queno; diminuto. De pequeno tama- 
nho: sanji ia — . [ ínfimo. 

Kanjondo, adj. e sub. (X) Manco. ] 
Que tem parte de um membro a menos. 
Aleijado. | Coto; resto (de, vela, braço, 
dedo, etc). 

Kanjombota, sub. (IX) zool. Mamí- 
fero insectívoro, de rabo hirto e curto: 
— , u aximba o mutila, k'u zole kuke- 
la, mukaj'a mukucnu. ; fig. Pretencio- 
so. I Momem pequeno e impertinen- 
te. , Pessoa minúscula e corteicão. 

Kanjongo-jongo. sub. iX) Parte 
muito diminuta. 1 Partícnla: káma ka 
— . i Cousa ínfima. 



KAM 



-97 — 



KAP 



Kanjungu, sub. (X) dm. dç njungu. 
I Lourinho. 

Kanonoxi. sub. (X) Pequena man- 
cha ou nõdoa. j Estrelinha. { Salpico; 
pinta. 

Kánu, sub. (IV) abrev. de rikanu. 
Boca: — k' abolo, usúri aa ngana ie. 

Kanuma, sub. 'IX) Zanga; grima. 
Inimizade desfarçada; ódio: u angi 
kuatela — . | Má disposição de espírito 
contra alguém. 

Kanuminumi. sub. (IX) bot. 
Pianta euforb ácea {eupharbia Tirw 
calli), de suco acre e corrosivo. ; 
Cassoneira. | Almeidina. 

Kanvile, alj. (IX) D z-se do fi- 
lho de pai desconhecido. Ou que 
não pode ser perfilhado. | Espúrio: 
mon'a — . | De proveniência lacerta 
I I Adulterado; tolerado; bastardo. 

Kanvula, sub. ^X) Chuva miúda 
e de pouca duração, i 1 adj. Con- 
cernente á chuva. 1 1 Que nasce ou 
tem lugar em dia de chuv.i. : bot. 
Árvore de pequeno porte de pro- 
priedades meaicinais. 

Kanzaji, adj (X) Do raio. | ' sub 
Faisca. | j corog. Pov. e se ie do 
posto de «Cazage», crc. civ. de 
Cassai Sul, distr. da Luuda, pr jv. 
de Malange. 

Kanzála, adj. (IX) Esfomeado, i 
Faminto, ] Que nasceu no tempo 
da fome. 

Kanzanza, sub. (IX) Frequência; 
assiduidade. , Trato habitual; re- 
petição amiudada: kubakda — ku 
bata ria ngene. \ Aparecer a miude; 
frequentação. 

Kanzanzânza, sub. (IXj bot. 
Planta tuforbácea (malotUS oppo- 
silifolius). V. katalatala. 

Kanze, adj. Apanhado; colhido 
(falando de folhas ou hervas). 

Kanzenga, top. Lug->rejo nos at- 
redces da cidtde de Luand', co- 
nhecida por imoceque canzenga.» 

Kanzengu, comg. Rica e fértil re- 
gião que constitue o cone. de Ca- 
zengo, em Caculo, oiargens do tio 
Lucala, prov. de Luaud^, 28.240 
hâb. V. nzéngu. 

Kanzenze. adj. Do grilo. V. ri- 
ttXtttXt' 1 1 bot. Arbusto pouco ramo- 



so, que habita á ílôr das águas,. V« 
mbuangungu. 

Kanzenzênze, sub, (IX) bot. 
Planta enforbiâcea {maprounea afri- 
cana), utihsada para sebes e orna- 
mento. 

Kânzo. sub. (X) Casinha, i Case- 
bre i Nicho. I PI. tânzo. 

Kánzonzo, sub. (X) zool. Peque- 
no pássaro azul ferrete e peito ver- 
melho I Pica-flôr. I fig. Agente de 
polícia; guarda. 1 Civico. j | adj. 
Vagaroso; lento; pausado. [ Vigi- 
lante. 

Kanzonzônzo. sub. (IX) bot. 
Planta eufoibiácea j ihymenocardfa 
acida) conhecida por «arvore feiticei- 
ra*, utilizada em processos terapêu- 
ticos como adstrigente e anti-escro- 
bútico. i Icica. 

Kanzóue, sub. (X) zool. Pequeno 
pássaro ribeirinho que se alimenta 
de peixinhos {jitangu) que apanha 
mergulhando. , i Pi. tunzóue. 

Kanzuá, sub. (X> dimin. de 
Nzuá Joãozinho zoo'. Cegonha 
j \Maluvu'a — , bot. Planta medicinal. 

Kanzúndu, sub.(X) Maceta. 

Kanzúngu. sub. (X) Pequeno 
chifre que seive de ventosa. 

Kapaia, corog. Pov. e sede do 
posto do mesmo nome, circ. civ 
de Cassai, distr. da Lunda, prov. 
de Malange, 9.936 hab. 

Kapakala, sub. (X) Rasa (medi- 
da lie c.i pa;idade). j Alqueire : — ka 
Juba. i Antigo bairro lia vila do 
Donde. crc. civ. de Cambamhe, 
distr do Quanza-Norte, prov. de 
Luanda. \ , Pov. no antigo cone. 
de TaU-Mungongo, distr. da Lun- 
da, prov. de Malange. V. pakála. 

Kapakúpaku. sub. (IX) Alçapão 
que se abre e fecha por si. | Porta 
currediç'. Esparrela. 

Kapalala, sub. (IXj zool. Rola 
de olhos vermelhos e traço e curo 
na nuca Rola cantadeira, tb.conhe- 
ciia per .verm lhe». 

Kapambu, sub. (X) Pequeno 
atalho que se separa do caminho 
principal : — ka njlla. \ Desvio. 

Kapanga, sub. (IX) Laço; pre- 
silha. , Diz se do facto de meter a 
cabeça do adversário no sovaco. 



KAP 



- 98 - 



KAR 



apreíando-o por forma a subjuga- 
• lo. I Espécie de laço formado pela 
ilharg» e o braço do lutador : kuta 
mâtue mu — ] Prisão de cabeça, 

Kapangombe, corog. Extenso ter- 
ritório, pov. e posto deite nome, 
circ. civ, da Bibala, na falda da 
serra da Cheia, distr. de Mossame- 
des, prov. da Huila, 1.377 
hab. e est. de C. de Ferro. 

Kapapafa, sub. (IX) bot. Arvore 
de pequeno porte, fam. das papi- 
lionáceas, de madeira aproveitável. 

Kapapéla, sub. (X) port. Pape- 
linho. I Bilhetinho. | Cartão ; se- 
nha. 

Kaparípari, sub. (IX) Tarame- 
la. I Tranqueta. | Fecho de porta 
ou janela. 

Kapása, sub. (IX) bot. Arvore 
iam. das leguminosas (lonchocarpus 
laxiflorus), de utilidade medicinal. 
I Espécie de sangueirô {raphia ail- 
golensis) e seu fruto. 

Kapáia-hufu, sub. (IX) zool. Pas- 
sarinho de côr carmezim, bico e ra- 
bo vermelhos. 

Kapaxi, adj. (X) Sujeito ao so- 
frimento. 1 Angustiado ; oprimido. 

Kapeleminhunga, adj. (X) De 
pernas muito magras e tortas. | De 
pouca cotação social. \ \ sub. Pe- 
lintra. 

Kapelongo, corog. Pov. e sede 
do posto deste nome, circ. civ. de 
Qulpungo, (Alto Cunene). distr. e 
prov. da Huila, 3.134 hab. e 
est. teleg. postal de 3.* classe. 

Kapembaka-mulemba, corog. V. 
miiUmba. 

Kapiána, sub. (IX) bot. Peque- 
na planta < dorifera, íani, das la- 
biadas [ccolanthus), \ M.iigerona. 

Kapínji. adj. e sub flXi Tinhoso. 
i Que padece de irop gem, 

Kapiólo, sub. (IX) Bínanina ; 
bananad.i. I M itete ou papas de fa- 
rinha de banana. 

Kapita, sub. (IX) Director. ] 
Intendente | Administrador. \ Pes- 
soa que superintende em assuntos 
ou actos de adininist raçãc\ 

. Kapoho, sub. (X) Faca de pe- 



quenas dimensões | Navalhioha ; 
canivete. V. pi. iupoiko. 

Kapólo, sub. (X) Carinha: — ka 
mon'a ndenge. \ Faceta. || Anime. 
i ! corog. Pov. e sede do pos- 
to deste nome, cone. de Porto Am- 
boini, distr. do Quanza-Sul, prov. 
de Benguela. 

Kapónda, sub. (X) Cinta estreita 
e curta. ■ top. Antigo bairro da ci- 
dade de Luanda, ontie ó hoje o 
mercado municipal. 

Kapopola-mahondo, sub. (IX) 
zool. Louva-a-Deus. 

Kapoíe, sub. (IX) port. Capote. 
V. rivunga. 

Kâpue, sub. (IX) zool. Insecto 
himenóptero fam. das formicidas, 
mais pequeno que o sêke. \ Formiga. 

Kapueíe, sub. (IX) Palavra com 
que se designa indiví luo incerto ou 
desc nhecido. | Fulano: ngana — ka 
Mulónga. O tal. , Equivale á loc. 
lat. et ccetera. E o mais; e o res- 
tante. 

Kapúia, sub. (IX) bat. Gramínea 
ornamental {aristída adcensionls). | 
Capim forraginoso. 

Kapuípi, sub. (IX) bot. Planta 
papihoi^ãd i. V . rnutéte. \ Papila. 

Kapulungu adj. e sub. (X) Po- 
bresinho. i Infeliz. || adj. Pobrete. 

Kapúnga, sub. (X) Meirinho; mo- 
ço. I I corog. Pov. na margem es- 
querda e circ. civ. do Daude, distr. 
e prov. de Laanda. 

Kapúngu-pungu, sub. (IX) bot. 
Planta herbácea com pubescência 
áspera, hirta e caduca. 

Kápu(u, sub. (IX) Governo ou 
autoridade portuguesa. | adj . Portu- 
guês. ] De Portugal. V. putu. 

Kári, a.lj. num. ord. Segundo. | 
Que vem a seguir ao piimeiro: V. 
káiari. . sub. bot. Planta mediei- 
n il; inbamba —. , V. mbambahnri- 
-liuri. 

Kâria, sub. (IX) Fingimento de 
bondadf, de ideias ou de opiniões 
apreciáv^'is. , Falta de sinceridade, j 
Impostura. | Devoção fingida. | j 
corog. Pequeno rio que nasce na 
base da serra deste nome, afluente 
do Luâxij na Jinga, dastr. da Lua- 



KAR 



-99 



da, prov. de Malange. | ! Mukua — , 
adj. Fingido; falso. | Hipócrita. i| 
Das margens do rio Caria, ou a èle 
relativo. ! í — pemba, adj. e sub. 
Deoiónio; diabo, j Pessoa de maus 
instintos, j Mafarríco. | Satanaz ij 
— uôiia, sub. Tolice. | V.uóua. 

Kariánda, .«ub. (IX) Reunião, 
meio, roda de homens d i mesma 
idade ou escala social. | Convívio; 
camarad-igem. j Espécie; laia, 
classe; egualha; jaez: /n» — ka. |j 
Grei. Ij adj. Da mesma laia, ou 
companhia. | Da mesma condição, 
sociedade ou ofício. 

Kariángu, sub. (IX) Depravação; 
malvadês | Desvario. \ , adj. De- 
pravado ; perverso. | Alucinado ; 
louco. I I bot. Planta iam. das le- 
gumintsas {cajanos indiciis), de utili- 
dade ornamental, | | corog. Pov. e 
sede do posto deste nome, circ. civ. 
da Quibal'^, distr. do Quanza-Sul, 
prov. de Benguela, 12. 311 hab. 

Kariaúla. sub. (IX) Pequeno al- 
mcço, I Parva. | Mâta-bicho. 

Karibáia, sub. (X) Tábua delga- 
da e curta. ! Tabuinlia. 

Karibala, sub. (X) Carequinha. 
II adj. Calvo. | Careca. | Que tem 
calva. 

Karibéngu, sub. (X) Ratinho, j 
fig. Cr ancinha. | Feto. 

Káribia, sub. (X) Pequena horta 
ou lavra. \ Hoitc; jaidim. 

Karibitu, sub (X) Seteira. [ Por- 
ta de pequenas dimen.-ões. Por- 
tinha, i Vigia. 

Karibu, corog. Antiga pov. nas 
margens do rio Quanza, no cami- 
nho que vai do l3ondo paia Pun- 
go-Andongo. 

Karibuinhi, sub. (X) Pequena 
abertura de dentes. V. kiênze. 

Karibuka, sub. (X) Minhoca; ver- 
me. Lombriga d«; pequeno tama- 
nho. 

Karibulaku, sub. (X) Pequeno 
buraco. V. karizungu. 

Karibulungundu, sub. (X) Giá- 
Dulo. Grãozinho. \ | adj. De g ão. 
I Granuloso. 

Karibunda. snb. (X, TrouxinhH. 
I Pequeno embrulho. 



KAR 

Karibumbu, sub. (X) Boiinha. 1 
Pequeno corpo arredondadx». 1 Pe- 
quena elevação ou saliência, f íig. 
Cabecinha. 

Karibulu, sub. (X) Láparo. [Coe- 
lhinho . 

Kar:ekele, sub. (IX) Planta fam. 
das anacardiáce 13 (lieeria insignls) , 
utilisada como carvão vegetal. V. 
kitunda. 

Kariekerieke, adj. (IX) Minúscu- 
lo. ( Pequenino. | Insignificante : 
kâma ka — . 

Karielelu, sub. (IX) Promessa 
feita sem tenções de realidade. ( 
Troç ; caçoada. 

Kariembe, adj. (IX) Da roli, ou 
a ela relativo \ \ sub. Rolinha. | 
Diz-se da prisão dos braços pelos 
cotovelos atraz das cOstas : a fllU 
kutu — . 

Karienge, adj. (IX) Eventual; 
casual; extraordinário: kubanga — - 
I I sub. Trabalho incerto, passagei- 
ro. I O que sj faz fora do expe- 
diente. 

Kariêrie, sub. (IX) zool. Passari- 
nho conirostro, conhecido por «ce- 
leste». Tb. se chama xéxe ou kaxéxe. 

Karifele, sub. (IX) port. Alferes, 
j fig. Graduado. 

Kárifu, sub, (X) Folhinha (de ár- 
vore). PI. tumafa. 

Kariiaki, sub. (X) Óvulo. [ O pri- 
meiro produto do ovário. | [ adj- 
Oval. 

Kariiala, sub. (X) Homenzinho. | 
Rapazinhj. ; Moço. V. káialã. \\ 
adj. Humano. | Do homem. 

Káriie, sub. (X) bot. Palmito. | 
Palmeira pequena. 

Karíju, sub. (X) Dentinho. , Den- 
ticulo. 

Karikámba, sub. (X) Amiguinho; 
amigalhote. |i adj. Partidário; pró- 
prio de amigo. 

Karikánu, sub. (X) Boquinha. | | 
adj. fig. B quirroto. | Falador. 

Karikanza, sub. (X) Pequeno bar 

dão frisado, i Instrumento músico. 

Karikezu, sub. (X) Talhada ou 
patttí de uma cola: ngi tumise—. \ 
Desjejua. | íig. Presente; mimo. 



KAR 



— 100 — 



KAS 



Karihobo, 9ub. (X) Pequena co- 
va que algumas pessoas têm no 
mento. | Covinha em uma ou ambas 
as faces, j > adj Que tem covinha. 

Kariholombolo, sub. (X) Frango; 
galo pequeno. E' tb. adj. 

Karikoho s-ib. (X) bot. Coqui- 
Iho. E' tb. adj. 

Karihunda, sub. (X) Corcova. 1 
Giba. I Cootas um tanto arqueadas. 
V. Kamulumba. 

Kariláji, sub. e adj. (X) Doidi- 
nho. I Malucado. 

Kariletá. sub. (X) port. Leitãozi- 
nho. V. kangúlu. 

Karilonibe. sub. (X) dim. de ri- 
lombe. i I bot. Planta de proprieda- 
des medicinais em casos de hidfo- 
pisia. 

Karilonga, sub. (X) Piatinho; pi* 
res. i I adj. Relativo ao piato. 

Karima, sub. (IX) Residuos de 
mandioca ralada que, depois de aze- 
dos e pilados, se juntam à fannhaque 
se vai torrar. | Crueira. | fig. 
Amargor; acidez. | j bot. Planta tpx- 
til fam. das palmáceas (hyphaena 
btngellensis). V. mateba.\ \ — ndondo, 
zool. Morcego. V. rima. 

Karimbólo. sub. (IX) bct Planta 
volúvel lenhosa (s/r op/ian/us Prensii), 
fam. das apocináceas, de utilidade 
ornamental. 

Karimboko(o, adj. (IX) Confuso. 
I Desconexo. 

Karimbula, sub (IX) Aparelho 
locomovei de uma ou duis rodas. | 
Bicicletn; velocípide. O que anda 
rodanio. 

Karindolo, sub. (IX) Clitóris. 

Karinga. corog. Antiga pov. do 
cone. de Caz^ngo. ; Afludite da 
margem direita do rioLucala, a 9 
kil. da Vila Salazar, distnt. do 
Quanza-Norte, prov. de Luanda. 

Karingu, sub. (X) Mandioca ou 
batata de pequeno tarranho. | i bot. 
Planta de propriedades melicinais 
em casos d© males do estômago. 

Karinzenze, sub. (X) Grilo pe- 
queno. 

Karióko rióko, sub. (IX) Porção 
nsignicante. Cousa ridícula. 



Kariofa, adj. e sub. (IX) Que tem 
índole perversa, | Malvado. ] De 
maus instintos. 1 Pessoa má. 

Karirí, sub. (X) Pequeno lugar. 
I Berço; cama de criança: — ka kuze- 
ka. I Nicho. I I Pequeno espaço; ha- 
bitação; domicílio. Pi. tuiriri. 

Karixisa. sub. (IX) Esteirinha. | | 
bot. Planta fam. das euforbiáceas 
{tragia okanima). V. rizanza. 

Karisu, sub, (X) Olhete. 1 Ocêlo- 
I Pcí^ueno furo. | Olheiro. | \ Quali- 
dade de feijão branco com pintas 
amarelas, tb. conhecido por tambi 
la ngaíu. ; i adj. Ve-go. | Zanaga 

Karisuxina, adj. e sub. (IX) Pa- 
decente da enuresia, d« incontinên- 
cia de ur nas. | Eneurítico. | fig. 
Mijão. 

Karifari, sub. (X) Pedrisco. | Pe- 
drinha. 

Kariíenda, sub. (X) Peça (de fo- 
go; de ptqueno calibre. | Obuz. 

Kari(ori, sub. (X) Pequeno resí* 
duo ou detrito de peixe, j fig. Feto' 

Karívuiu. .«»ub. (X) port. Livri- 
nho; livrete. PI. tumarivulu. 

Karizanga, sub. (X) Pequeno la- 
go, 1 Poço de água. | Charco. 

Karizundu, sub. (X) Sapo peque- 
no. I Rela. 

Karizungu, sub. (X) Pequeno bu- 
raco ou furo. j Orifício: ostiolo. || 
Fresta estreita aberta na parede 
paia dar claridade a uma habita- 
ção. 

Kása. sub (IX) port. Cassa: mi\ 
lele la — . I | adv. Palavra que ex' 
piiinií quantidade, enormidade de 
cousiis ou seres: bu kitanda bu ake- 
xile o — i'atu!? \ Grande munero. 

Kasabi, sub. (X) Chavinba; cha- 
veta. 

Kásafu, adj. (X) Eriçado: sanji 
id—. i Que tem o cabalo ou as pe- 
nas em desalinho. | Desgtenhado; 
despenteado, 

Kasai, corog. Grande afluente da 
margem esqueida do Zaire ou Congo. 
; Pov. e sede da circ. civ. deste 
nome (Vila Veríssimo Sarmento), 
distr. da Lunria, prov. de Malange, 
com 4.848 hab., e>t. teleg-postai e 
posto sanitário, j | Pov. e posto da 



KAS 



- m - 



KAâ 



circ. civ. de Cassai-Sul, à margem 
do rio deste nome, distr. da Lunda, 
prov. de Malange, com 7.474 hab. 
e Missão Principal (Ingleza» dos 
Irmãos em Cristo. | j Sede da circ. 
civ. de Nova Chaves, distr. da Lun- 
da, prov. de Malange, a 10" 35' de 
lat. S. e 210 19' de long. E. Gr., 
4.133 hab., est. postal de 3.» cl. e 
ambul. sanitária. 

Kasahafa, sub. (IX) Avançada; 
dianteira. | Avanço. || adj. S ilien- 
te; avançado. | Que sobressai. | 
Que se torna, notável; que dá nas 
viatas. I Dianteiro. |j corog. Morro 
ao S. da foz do Dande: mulundu 
ua—, (visível da cidade de Luanda). 
I I Cabo ao N. da praia de S. Tia- 
go, posto civ. da Birra, circ. do 
Dande, distr. e prov. de Luanda. 

Kásala, sub. (X) dim. de kisala | 
Pequena pluma (de ave): — ka mu- 
kuku. 

Kasalale, sub. (IX) bot. Planta 
discoreácea, (colocaria antiquorum!. 
de folhas e fruto comestíveis, mais 
conhecido por inhame. \ Discórea. | 
V. kiringu. 

Kasamanu, adj. num. ord. (X) 
Sexto; que está em sexto lugar: 
mbejÍÍa—.\ \ sub. A sexta parte. ] O 
sexto (da série), òu que ocupa o sex- 
to lUgar. I I Sexta-feira: mu kizuua 
kia — . I I Diz-se da pessoa que tem 
seis dedos em cada mão. | Sexdigi- 
tárto. 

Kasámba, sub. (X) Samba peque- 
na. I 1 adj. Da savana. | | corog, 
Pov. e sede do posto deste nome, 
circ. civ. dos Luchazes, distr. do 
Moxico, prov. do Bié, 9.657 hab. 
e est. postal de 3.' classe. 

Kasámbi, sub. (IX) Qualidade 
de mandioca muito amarga. 

Kasambuari, adj. num. oíd. (X) 
Que vem ou está acpois do sexto, j 
Que ocupa o sétimo lugnr. | j sub. 
O sétimo (da série). | A sétima par- 
te ou o sétimo dia (da semana): ki- 
zuna kia — •! Sábado. 

Kasandama, corog. Morro que 
fica a N. E. da cidade de Luanda, 
vulgarmente chamado «das lagos- 
tas»/ onde se encontra edificada a 
fottaleza de S. Pedro (da Barra). 

Kásanga, sub. (IX) bot. Planta 
amarantácea, conhecida por <gim- 



bôa brava*, (amaranfhus splnosus)'. 
ki kata — , mboua u buingita maie. | 
Amaranto. 

Kasangambu, sub. (IX) Inflama- 
ção do tecido celular. | Fleumão. | 
Furúnculo. 

Kasanga-rimbu. sub. (IX) Tumor 
pequeno e duro, acompanhado de 
inflamação e dôr. j Maldita. 

Kasanha, corog. Pcv. na região 
da Quissama, circ. civ. de Muxima, 
na ve tente E. do monte Kabólo- 
■ka-mbóndo. 

Kasánji, sub. (X) Franga. | Ga- 
linha pequena. | | corog. Território 
que constitue a circ. civ. de Bondo 
e Bangalas, distr. da Lunda, prov. 
de Malange. | | Pov. na área do pos- 
to de Galangue, circ. civ. do Huam- 
bo, distr. e prov. de Bengueli. | | — 
ka-kombolo, pov. na região do 
Quembo, ua margem esquerda do 
no Quango, distr. da Lunda, prov. 
de Malange. 

Kasanza, corog. confluente da 
margem esquerda do Quanza. 

Kasanzu, sub. (X) Chibata. | Ra- 
minho. I I corog. Aldeia na área da 
circ. civ. de Icolo e Bengo, (Catete) 
distr. e prov. de Luanda. 

Kasasa, sub. (X) abrev. de kaki- 
sasa. I Sarça: mukua mákuiu a mu 
zuika — . i Raminho; silva. 

Kasasala, sub. (IX) zool. Reptil 
lacerdita, insectívoro, j Saraman- 
tiga. 1 Lagaitixa. 

Kasasamba, sub. (X) Tendinha. | 
Pequena barraca para venda de 
água. I Abrev. de kakisasamba. 

Kasau-sau, sub. (IX) bct. Platti 
euforbiácea {ti agia cor úi folia). ( 
Urtiga. V. rizanza. \ | Erupção cu- 
tânea produzida pelo contacto da 
urtiga. II Planta enfoibácea {delO' 
champia scandens), assas prejudicial 
ao gado. i j Planta têxtil, fam. das 
urticáceas (bochemeria nlves), conhe» 
cida por «urtiga branca>. | Ramie. 

Kase, adj Atado; laçado; preso: 
a mu— o maku niinama. \ Amarrado. 

Kaséka, sub. (IX) bot. Planta 
iam. das leguminosas de fruto ali- 
mentício. V. vidu. 



ÍCÁS 



— 102 — 



KÂâ 



Káseke. sub. (IX) bot. Planta 
iam. das leguminosas, {lonchocarpus 
macrophyllus), de utilidade medici- 
nal e madeira piópria para cons- 
truções. V. mutala. \ \ Áivore fam. 
das leguminosas, [millettla aromáti- 
ca) de utilidade medicinal. 

Kasekele. adj. Arenoso | | co- 
TOg. Antiga pov. e porto de passa- 
gem do rio Bengo, em Quifangondo, 
caminho do Dande. 

Kasekelu, sub. (IX) Chacota.] 
Dito zombeteiro; escârneo. | | Ku- 
banga — , v. tr. e intr. | Chacotear; 
escarnir. 

Kasekeseke, sub. (X) Migalhi- 
nha. I Pequeno fragmento que se 
despiende do pão ou semeihan'e. 

Kasembe, sub. (IX) bot. Planta 
herbácea de flores alternas, de uti- 
lidade medicinal. | | adj. Enlevado.! 
Encantado.! Maravilha lo. 

Kas^nda, sub. (IX) Chato. ! I\Iu- 
cuim. V. ína. 

Kásenu, sub. (IX) bot. Jóio.| fig. 
Causa máque prejudica cutra boa:—, 
mu tukule; u a ku zemba. mu sanduke. 
V. risenu. 

Kasexi. sub. (X) zooi. Corça de 
poucos meses. I Gazela, fig. Pessoa 
esperta, ladina, sagaz. | | init. Doreas. 

Kasínga, corog. P^v. e sede do 
posto deste nome, na circ. civ. das 
Ganguelas, distr. e prov. da Huíla, 
8420 hab, e est postal de 3.* classe. 

Kaèoba, sub. (X^ Chefe de peque 
na tribu.l Sobete. j | adj. Do soba ou 
a êle relativo.! j bot. Planta diosco- 
rcácea. V. kiringu. 

Kasôke. sub (IX) bot. Planta her- 
bácea da fam. das gramíneas (/ig/ero 
pbgon hirtus), própria para forra- 
gens, 

Kasokeléla. adj. (IX) ; Acelera- 
do; apressado: Icuenda — .! Célere.) | 
sub. Velocidade progressiva. 1 Modo 
de operar com velocidade ou rapidt z. 
Crescendo; pressa.] Celeridade. | | 
adv. Seguidanientt ; constantemente, 
sem parar: kuzuela—. , A par; por 
igual. 

Kasóko. sub. (IX) bot. Planta mu- 
aácea. Uma das muitas varieda- 
des de banana. 

Kasóla. sub. (IX) Medida de lí- 



quidos, equivalente a o, 3 dcl. (um 
quartilho):— Ara mâji. 

Kasólo sub. (IXV bot. Abóbora 
menina ou doce. 

Kasoma. V. kasoba.\ corog. Con- 
fluente da margem esquerda do rio 
Kuíji, no antigo cone. e hoje posto de 
Pungo Andongo, circ. civ. de Cazen- 
go, distr. do Quanza-Norte, prov. de 
Luanda. 

Kasonekw, sub, (IXi Escriturário. 
I I co'og Pov. e sede do posto do 
nifsmo nome, circ. civ. de Icolo e 
Bengo, (Catete), distr. e prov. de 
Luanda, 6.468 hab. 

Kasonge, sub. (IX) zool. Género 
de aves de rapina.! Francelho; mi- 
lhafre: rivunda ia—ni piúpia, kilombe- 
lombe u bilajinga ngn mu jimbnndu. j | 
corog. Pov. e sede do posto do mes- 
mo nome, circ. civ. do Seles, distr. 
do Ouanza-Sul, prov. de Benguela, 
1650 ra. de alt., 22 375 hab., escola 
rural n° 11 sob a autoridade do 
respectivo chefe. 

Kasôria. adj. (IX) Isolado; er- 
mo; f.stídios ; solitário. | | sub. Es- 
tado de cousa isolada ,' Solidão. 

Kásosa, adv. De vagar; lentamen- 
te. I Aos poucos. I Em prestações: 
kufuta rikongo mu ! Vagarosa- 
mente. 

Kasóso. corog. Confluente da 
margem esquerda do rio Kuijl, na 
circ. civ., distr. e prov. de Malange. 

Káscso, sub. (X) ^rgueiro. 1 Cen- 
telha. I Fagulha: — ka tubia. 

Kasosofa, sub. (IX) zool. Osga.| 
Reptil lacerJita. 

Kásc(e, sub. (IX) port. Sótão. 

Kasófe, sub. (III) Encarnação. \ 
Pequena cicatriz por efeito da cir- 
cuncisão. 

Kasua-iânçiu, sub. (IX) bot. Plan- 
ta têxtil fam. das gramíneas, utili- 
sada no f.ibríco de esteiras. 

Kasualala. sub . (X) V. suolala. \ | 
corog. Pov. e sede do posto deste no- 
me, circ. civ. de Cambambe, distr. 
do Quanza-Norte, prov. de Luanda, 
3.855 hab. e est. do C de F.| | Nome 
por que é hoje conhecido o lugar de 
Kisekele. 

Kasuamena, sub (IX) Jogo de 
crianças que consiste de um lado 



KÁS 



— <05 



KAt 



èsconder-se evitando sar por outro 
encontrado. I Jogo das escondidas. 

Kasuásua, sub. (IX) Estugamen- 
to; pressa. | Acto de aligeirar o pas- 
so: kuenda — . | | adv. De passo estu- 
hado. ! Apressadamente. 

Kasuésue, sub. (IX) bot. Planta 
fain. das gramíneas, tb. conhecida 
por poko la nzambi. V. ka^ondo. 

Kásule, adj e sub. (IX) Filho úl- 
timo, derradeiro: moríami ua — . | 
Terço. |Diz-se do pequeno e último 
pão para se veiificar se a forna- 
da está pronta ou se os outros pSe? 
estão assados. | O último (da série). 

Kasumbala, adv. Apesar de. | Pos- 
to que; não obstante, | Se. V. sum- 
bala. 

Kasumbi, sub. (IX) Galinha (nas 
Ganguelas). V. sánJL 

Kasumbu, sub. (IX) Acção e efei- 
to de arrebatar, tirar algo com ligei- 
reza. 

Kasumbula, sub. (IX; Jogo que 
eonsiste em tirar com a máxima 
ligeireza o que o parceiro tiver na 
mão. I Espécie do jogo de rapa. 

Kasumúna, sub. (IX) zool. Insec- 
to fam. das formicidas, de mordedu- 
ra dolorosa, j Formiga brava. V. 
siimi, 

Kásuía, sub. (Xj Trapinho; pada- 
ÇG de tecido velho. | Rodilha. 

Kásuíu, sub. (X) Porção de barba 
na parte inferior do queixo: muézu 
ua—. I Perinha. | | Chibato V. kakl- 
sitlu. 

Kasuuáda, sub. (IX) poit. Caçoa- 
da. V. kasekelu. 

Kasuuénde, adj, (IX) Sécio; cas- 
quilho; janota. 

Kafábela, sub. (IX) med. Coreia; 
doença convulsiva. | Loucura. 

Kafaboia. corog. Pov. e sede do 
posto civ. de "Nova Sintra", cone, 
distr. e prov. do Bié, 33,080 hab , 
Junta loc.il, est. rádio-telégr. -postal 
de I.» cl. e do C. F. B., ambul. sa- 
nit , escola ofic. n.° 25 de Tióf.lo 
Braga e Missão Evangélica. 

Kafahanha, sub. (IX) Anjo do 
raal.j Satanaz. | fig. Pessoa de más 
qualidades, de maus instinctos. 



Kafala, corog. Antiga pov. no 
cone. de Muxima, distr. e prov, de 
Luanda, margem direita do rio 
Longa. I ! — Ica jinga, pov. na mar- 
gem esquerda do rioQuango, distr. 
da Lunda, prov. de Malange. 

Kaíalangu, sub. (IX) bot. Planta 
medicinal contra dores de cabeça, 
escrobuto e feridas na garganta. 

Kafalafala. sub. (IX) bot. Planta 
ornamental fam. das euforbiâceas 
{inallotos oppozitlfoUus), de madeira 
aproveitável, (É tb. conhetida por 
kanzanzânza) . ; Planta euforbiâcea 
(mapromea africana), utilisada para 
sebes e ornamento. 

Kafalúla, sub, (IX) bot. Planta 
euforb â ea de seiva venenosa [sy- 
nadenium angolensis), tb. conhecida 
por kabeia. 

Kafamba, sub (IX) Planta co- 
mestível, fam. das dioscoreâceas 
(dtoscórea quarttniana), tb. conheci- 
da por katamba-xita.\ Inhame. 

Katanda, sub. (X) Pequeno estra- 
do novel, de bordão. (Tb. se diz 
kakitanda). \ bot. Planta rubiâcea 
{tricalysia buxifoUa), de proprieda- 
des tuictóias e medicinais. 

Kátandu, sub, (X) Pequena apa- 
ra de bordão. V, kitandu. 

Kafanga sub. (X) Capinha; pa- 
ninho. | Pequeno cobertor. 

Kalangana, sub. (X Pequena de- 
mora; curto espaço de tempo. | In- 
tervalo; entreacto. V. kliangana. 

Kafangu, sub. iX^ Pequena haste 

de árvore, j Varinha. | | adj. Da 
haste, 

Kafanu, adj, num. ord. (IX) 
Quinto: mona ua— .jA pessoa ou 
coisa que numa série de cinco ocupa 

últim ■ lugar: mãxi lia— .\ A. quinta 
parte; o quinto mês da estação 
chuvosa, 

Ka(ape, sub (IX) bot. Planta 
cleoginosa e alimentar. V. jinguba. 

1 [corog. Pov. e sede da circ. civ, do 
Bdilundo, hoje *vi\.\ Teixeira da 
Silva», distr, e prov. do Bié. 1 | Rio 
do couce circ. civ. de Caconda, 
distr, e prov, de Benguela, ura dos 
muitos afluentes do Cunene, 

Kafari. sub. (IX) Cão ordinário 
(nas Ganguelas), V. kabiri, \\ bot. 
Planta iam. das ebánaceas. V. mua 



KÀT 



- iò4- 



kAí 



tala, II —mbutu, Planta apocinácea 
iam. das hipogíneas (diplorhytichos 
psilopus), que distila um suco lei- 
toso. II Planta tr<pade'ra com lá- 
tex borrachifero. V. mári. \\ — ka 
balanga, hist. Coluna ue pedra jun- 
to a qual se expunham e castiga* 
vam os criminosop. | Pelourniho, 
lugar do suplicio, j | top. Antigo 
b^irio, hoje Largo do Pelourinho; 
kia cidade de Luandi, || —ka ji' 
nguia. Palmatória; instrumento com 
que se bate nas mãos. 

Kataía. adj. (IX) Paterno: ka 
mulji ua — . ! Paternal. 

s 

Kátafu, sub (IX) zool. Verme 
aoelido. | Lagarta das árvores. 

Ka(â(u adj. num. ord. (X) Ter- 
ceiro: kalari u afu.—n alengue. \\ 
Terc-ário. I i sub. O terceiro. | A 
terça parte, ou o terceiro dia da 
semana: mukizuua kia — 1 1 adv. Ter- 
ceira vez: u éza ~ . | Em terceiro 
lugar. 

Káíe. adj. (IX) Mulher querida. 
amaJa: io—kãnU. \\ sub. Favoíitd; 
predilecta. 

Ka(é, prep., port. Até. V. ndú. 

Kafekelu, adj.e sub. (IX) Rega- 
dio. I Dir-se da terra que tem água 
Com que pode ser regada: ixi ia—, 

Ka(eke(eke, adj. (tX) Mendinho: 
mulembu ua — . \ Meiminho. | | sub. 
O maia pequeno; o dedo minimo. 

Kateku-ka-ngola, corog. Pov. e 
sede do posto deste nome, circ. civ. de 
Duque de Bragança, distr. e prov. de 
Malange, 8.097 hab. 

Katelú(elu, sub. IX) zool. Pirilam- 
po. 1 1 O Q^^ brilha a espaços. 

Katemena. V. kateta. 

Katembu, sub. (IX Passarinho den- 
tirostro de rabo comprido, conhecido 
por «viuva». 

Kaiénde, adv. À maneira de lagarti- 
xa: kubuima — . | Ê tb. adj. 

Katêndu. sub. (jx) Ousadia. | Des- 
respeito. I Falta de atenção, decortezia; 
abuso. 1 1 MiiArua— . adj Ousado; atre- 
vido. I Desrespeitoso. | Desobediente. 

Kàíendu. sub. (x) Carocinho; pe- 
quena castanha; pevide. 

Kátengu. sub. (IX; bot. Planta gra- 
mínea, {andropogon muricatus) utiliza- 



da para forragens e obra de verga. 

Kaféía, sub. (IX) zool. Noctiluz. 1 
(I adj. e sub. Tenro; novo: sanji ia 
— . 1 Nan CO. | D: r^ça pequem: 
mbutu ia — . j Pequeno; miú o. \ \ 
sub. bjt. Arbusto trepador, cujo 
cosimento das folhas se toma como 
anti-emético. 

Ka(é(e, sub. ^Xi; rool. Paasa- 
rinho conirostro: kunonga, u anongo 

Nzamba; -fandango i u azangt. | b t. 
Fani. de plantas mrtáceas a que 
p rtence o jambeiro, a pitanKueira, 
etc. [eugenia sp.) \ Oi frutos destas 
plantai. V, musombo. \\ core g. Pov. 
e sede do cone. de Icolo e Bengo, 
freg. de St.* António, distr. com. e 
prov. de Luanda, a 6 ; kil. da cidade. 
É situada a 9» e 8' de lat. S.e 13*' 42' 
de long. E. de Gr., servi la p lo C. 
de F. de Luanda a Malange, 9.054 
hab. I I Lago na região de Quirima, 
prov. de Malange. 

Ka(e(ebula. sub. (IX) bot. Planta 
euforbiácea labiada, medicinal {tln- 
nea antiscorbutica), de fruto coracs- 
tivel e medicinal. | V. mbúna. 

Kafefembiia, sub. (X) Estrelinha. 

1 Asterístico. | Sinal em forma de 
estrela. 

Kafiki. sub. (IX) bot. Planta me- 
dicinal em casos de tenesmo ou 
puxos, mixturada com musonjl e 
rilolo. 

Katinga, sub, (IX) Hircisrao. | 
Transpiração mal ch.^irosa. 

Katôle, sub. (IX) bot. Palmeira 
de água [Hyphaena guineensis). \ Co- 
qu lho. I P.ilmito. V mund.ilangoU. 
II Pia ;ta herbácea, fam. das legu- 
minosas, de folhas comestivais. 

Kafolongo, sub. (IX) bit. Planta 
da ftm. dtts enforbiaceas (erototl 
angolense), utilisada como medici- 
nal. V. mubangu. 

Kaíoloíolo, sub. (IX) Entorpeci- 
mcito. I Lassidão; torpor, j \ bot. 
Família de plantas erítroxihct^Ai 
de propriedades medicinais. 1 Coca 
I Planta naicótica. 

Kafjmba. sub. (IX) Charneca. || 
Antigo bairro da cidade de Luaa- 
da, hojr- Lirg) de Cadornega, 

Kafombe, sub. (IX) bot. Arbusto 
de caules subterrâneas e frutoi es- 
íóricos d* utilidade medicinal, i 1 co* 



iCÀt 



m - 



KAli 



rog. Confluente da margem esquer- 
da do rio Kuljt, circ. civ , distr. e 
prov. de Malange. 

Kafombo, sub. (IX> Dsvio dd 
regra gerul. j Restrição. ; Cousa ou 
pesaoa exceptuada. | Pieiogativa | 
Privilégio. 

Kotondo, sub. (IX) Parcalidade* 
I Tiato desigual da duas pessoaí* 
I Diferença de tratamento. | | Afu- 
kua — , adj. Parcial. 

Ka(ongona, adj. e 5ub. (IX) Pes- 
quisador; depila Jor:—y/7jv/. \ fig. 

último filho ou mulher de pai ou 
marido velho. 

Kafori, sub. (IX) bot. Planta bi- 
anual {grassocephalum multico- 
rimbosum), de fls. utillsadas, cozi- 
das, sobre impolas e queimaduras. 

Ká(Ofa, adj. e sub. (IX) D z-se 
da pessoa que tem um olhij cego. 
Zmaga: — risu. \ Zarolho. | | corcg. 
Pov. e sede do posto do mesmo 
nome, circ. civ. do Alto Quanza, 
distr. e prov. do Bié, lo.ill 
hab. e Missão Americana (succ. da 
Africa do Sul). 

Ka(o(ola, adj. (IX) D:z-se do que 
reduz (algo) a caco,-. \ Que parte em 
bocados. | Partidor. 

Kafuamenenu, adj. e sub (IX) Que 
vai na vanguarda. í Guia j O pri- 
meiro (na marcha). | Dianteiro. 

Kaíubia, sub. (X) Fogo de pouca 
intensiJade j Braza : ngi bebete—. 

Kátuka! interj. Deixa-mel Sai! 
Âfasta-te! | | adv ,— ze, Ora, deixa- 
• mp. I 1 ~-pe, Largame, então. | | — 
bo, Mas afasta-te. ji — bu, Sái d' 
ahi, desse lugar. 

Ka(ule, adj. Tirado, i Separado; 
excrptuaJo | Excluído. || prep. 
Excepto. I Salvo. | Afora: enu nuia^ 
— io. I Não incluindo: ene alenge, — 
ndeg'iami. \ \ adv. Apdite. ; Além 
dr: — io. oso ene êl. 

Kaíúlu, sub. (IX) bot. Flcrinha 

1 Género de plantas composta.*!, da 
família das sinteráceas (vernonia 
glaberrlnd), de propriedades medi- 
cinais. I I adj. Diz-se do curandeiro 
que adivinha por assobios. 

Katumbela, corog. Vila e sede do 
posto civil deste nome, cone. do 
Lob to, distr. e prov. de Bengue- 
)<i, 1 m. alt., 9.209 bab., est. telegr. 



-postal de 3* cl., do C. F. B. e 
escola primária lAlfredo de Melo». 

Káfumbu, adj. AguJheado. i| 
sub. V. tumbu \ I Agulha de pequeno 
tamanho. | Umbigo um pouco sa- 
liente. ] I Diz-se do cabelo de crian- 
ça entrançado e untado de tacula e 
óleo. A própria criança com cabelo 
nestas condições. | fig. Dinheiro. 

Kafúmbua, adj. e sub. (X) Arai^o 
de saltar | Saltarelo. 

Kafumua, sub. (IX) Cieado de 
servir. ] Moço. | | adj. Que seive 
para minda . | Próprio para servir. 

Kaíungu, sub. (IX) Excepção; ex- 
cluáão: ki bu al'ê—k'atu ] Restringi- 
mento (Je cousas ou pessoa-). \ \ 
Falta de similhança. | Diferença, 
adj. Excepcional, j Extraordinário. 

Katufu. sub. (x) Caixinha. 1 Boce- 
ta, i Cofresinho 

Katutútu, sub. (ix) bot. Planta fani. 
das esterculiáceas ( xeropetalum cican- 
zensis), de utilidade medicinal. 

Káua káua, loc. adv. A correr. I 
Pelos campos fora. j V. kukaúka. 

Kauâna, adj. num. ord. Quatro. | 
I I sub. O que tem o número 4. I 
I A quarta parte de uni todo. | A 
quarta ve/r:-—. nganga u a uane. \ | 
O quarto dia de seraana: mu kizuua 
kia — . 

Kauenda, sub íjx Pau de fileira: 
muxi ua—. I Cumieira. V. hóngo. 

Kaueri, adj. (IX) Do cunhado, j sub 
Cunhado (em sentido amistoso) 

Kauéue, sub. (jx) bot Planta forra- 
ginosa fam, das gramíneas panicum 
madagascariensis) com que. depois de 
seca, se enchem os colchões: tanga ia 
— . I Capim. 

Ka-ukulu, adj, sub. (X) Do tempo 
remoto: kan'zo-.\ Dos tempos idos. \ 
De outras épocas. V. ú/ru/u. 

Kaulungu, sub. (x) Piroga. | V. 
kambala. 

Ka-unene. adj (x) De tamanho 
maior que o ordinário: kakiba - . ( 
Pouco grande; pouco considerável. 

Ka unene-néne, adj. (x Que é do 
tamanho muito maior que o ordiná- 
rio. I Grandíssimo. | Pouco mais volu- 
moso. 



km 



- ^06 — 



KAX 



Ka uriokorioko, adj. (y) Pequeni- 
no. I Insignificante: kama -. | De pou- 
ca importância | i sub. Cousa nada. 

Kaufa, sub. (x) Pistola. 

Kâva, adj. num. ord. (IX) Nono. V. 
kâvua. 

Kávalu, sub, (jx) Partidário; com- 
panheiro. I Camarada. | Pessoa com que 
se tem reiações de amizade' 1 1 Amigo 
de inverno:- ha mutunge tanga ; tan- 
ga i habu, uamba uabatuka.\ • adj. In- 
timo. I Privado. 

Kávanza, sub. (IX) Falta de méto- 
do, de ordem. I Confusão: /i/í6a«^a — . ! 
Trapalhada, j O que não se entende. 

Kavava, adj. e sub. (IX) Cambaio. ' 
De pernas curtas: sanji ia — . i Pessoa 
baixa, gorda ede pernas arqueadas, fig. 
Batoque. 

Kaveia, sub. (X) Velhinha. ] V. ka- 
kikulakaji. 

Kavelu, sub. (X) Velhote. ] Velhi- 
nho. 

Kavifa, sub. (IXj bot. Planta fam. 
das anacardiáceas [schinus mole) de 
ut lisação medicinal. 

Kâvua, adj. num. ord (IX) Nono. | 
I ! sub. I O número 9. [ A nona parte. 

Kávuaiu, sub (jx) Amigo íntimo 
(Mais próprio, mas menos usado) V. 
kúvalu. 

Kávuku, sub. (X) bot. Planta her- 
bácea, fam. das bornigináceas, de fibra 
muito resistente. 

Kavula-ndunge, adj. (IXi Dex- 
tro. I Astucioso. I Que tem muito? 
recursos intelectuais: — úkola. fig. 
Manhoso. | | sub. O homem. | A 
espécie humana. 

Kavúnda-ngu\7u, sub. (IXi bot. 
Arbusto de caules cilíndricos cujo 
liber, flexível e resistente, é utili- 
sado como corda. 

Kávutu. adj. (IX) Retrocedente. 
I Que perdeu o que já tinha: mba- 
kuia — . I V. mbâlcu. 

Kavúvu, adj. (IX) Abusivo. |i 
sub. bot. Nome por que tb. é co- 
nhecida no Sul a urena lobaia. V. 
kakibosa. 

Kúxa, sub. (IX) port. Caixa. V. 
kiíutu. 

Kaxá, sub, (IX) port. Caixão. 



KaxakambI, sub. (IX) zool. Mi. 
lhano. I Pequena ave de rapina | 
fig. Salvador. 

Kaxakaíu. sub. (IX) sub. E-,fre- 
gação. I Roce. ' Diz-se da fricção 
de um pequeno pau sobre uma ta- 
buinha como meio de adivinhar o 
futuro: muzambu ua -. 

Kaxakenge, sub. (IX) zool. Pe- 
queno pássaro dentirostro. 

Kaxalapolo sub. (IX) Porteiro. | 
Guarda que exerce vigilância. 

Kaxámba, sub. (IX) bot. Fei- 
joeiro e seu fruto | Feijoca; vagem* 

KaJcari, corog. Pov. próxima de 
Cassoneca, circ. civ. de Icolo e 
Bengo, distr. e prov. de Luanda, 
estação de C. F. L. 

Kaxâxi, sub. (IX) Metade: ngí 
bane—ka mulele. 1 Ponto equidis- 
tante das extremidades. | Ponto 
central: bu — , \ Parte de um todo. 
Porção.; quinhão. \ \ adj. Meio: — 
ka kizuua. \ Mead' ; médio 1 ; prep. 
que indica situação ou espaço e-n 
meio ou dentro de. j Entre: bu'axáxi 
ka njila jiiari. \ No meio de: o riini 
II atiinga bii—ka majii. 

Káxeri, adj. (IX) Impar ] Nones. 

Kaxexeíeia. adj. (IX) Pouco au- 
dível. ] Que se faz sem ruido: u bO' 
nga-. 1 becreto; oculto: uêza — . || 
adv. Surrateiramente; mansamente. 
, Insensivelmente: kuenda ~ . | A' 
calada; em silêncio. 

Kaxi, adv. Então: ndê - . [ Acaso; 
poiventura: eie u afika — kiebi? Tal- 
Vi z. il "nterj, de impaciência ou 
ironia: eie — u a ki bangela ngánji. \ | 
conj.E; tatubém; ainda assim. || 
adj. Mtio; mttade | Que está no 
Uíeio ou entre dois: mu — . | Médio. 
I Que exprime o meio termo. | \ 
prep. Entre; no meio ou dentro de: 
mu—ka'nzo. V. kaxâxi 

Kâxi. sub. (X) Terriola. | Luga- 
rejo:— Ara ilfele. I Terrinha. 

Kaxiaxia. sub. (IX) Rouquidão. 
I Embaraço que impede a clara 
emissão da voz. | j adj. Rouquenho. 

De voz tomada. ! Afásico. 

Kaxibe, corog. Rio pantar.ojo 
afluente do Quanza, no dístr. do 
Moxicc, prov. do Bié. 



KAie 



— iOl - 



kÀZ 



í^aJcíbu, sub. (IX) O quinto filho 
do mesmo parto. 

Kaxíki. sub. (IX) bot. Planta 
fdin. das sapindácea«; {pleialodiscus 
plurijuialiis), de madeira própria 
para marcenaria. | Siboeira. 1 | Ar- 
vore fam. das meliáceas [trichilia 
Welwitscllii), de madeiraa preciável | 
Amargoseira. | Mélia. 

Kaxima, sub. (X) Pequena cova 
para se.mear feijão, miliio, etc. 
|Covacho. I Coveta. 

Káximba, sub, (IX) Engodo. | 
Pregunta ilusória para sabermos o 
que desejamos. \Kuria — , v. tr. Ilu- 
dir; lograr. | Tirar nabos da pú- 
cara. 

Kaxinde, sub. (iXJ bot. Planta 
medicinal {cymbopogon nardus), uti- 
lisada como febrífuga e pe-íuma- 
ria. I Belgata. || — ka rnenha, planta 
medicinal da família das verbená- 
ceas {valer ianoides jamaicandis), tb. 
ccnhecida por «:há de Mossame- 
des» I I Planta de folhas grosseiras 
{stachyíarpheta indica) utilizada na 
cura das desinteria-, | | —ka ndanji. 
Arbusto labiado de folhas olorosas, 
{myrathamnus flabelisfolia) , de pro- 
piitdades tónicas em casos de leu- 
matismo. | Alecrim. 

Kaxingi, corog. Pov. e sede do 
posto de Cachingues, circ. do Alto 
Quanza, distr. e prov. do Bié, 
44-733 bab., est. postal de 3.» cl. e 
Missão Catól.ca. 

KaJíinhi, sub. (X) Pedac uho; pe- 
quena parte, j Coto: — ka nvelã. \ 
Troço. 

Káicinji, sub. (IX) Regateio, i Rega- 
laria, fig Hesitação; economia | j Mu- 
kaa—, adj. Regateador | Que discute o 
preço do que compra ou adquire. | Re- 
gà\lo. \\ -'a ngele, zool Rato de pal- 
meira; esquilo: ia~'a-ngele ia kuria 
ngo; ia kabuja-nganga i tn o itari. 

Xaxisa,sub.(ÍX' Gratificação, 'Expór- 
tula fig. Mata-bicho. I ! sub. Deixação. 
; Ultima palavra para indicar que toca 
vez ;i outro. 1 Deixa, | Legado, j Aban- 
done. I Renúncia. É tb. adj. 

Káxitu, sub. (X) Caminha. | Ani- 
malzinho: — ka buía o nuitala kiba kie 
/./ Idla o ngóuia. ; , adj. Cárneo. 1 Car- 
nerino • corog. Sede da Vila do mes- 
mo nume, cone. do Dande, a ÔO kil. de 
Luanda. 8» 28' de lat. S, e 13" 35' 
ong. E., 25 m. de altit., 13.087 hab,, 



freg. de N. S. de Sanf Ana, junia local, 
est. teleg.-postal, amb. sanitária, escolas 
primárias n° 6 de «Oliveira Cadornega», 
particular de Luiz Sambo e Evangé- 
lica (Americana). 

Kaxix'", sub. (IX) zool. Mosquinlia 
de mordedura incómoda. ! Muruí. [| 
bot. Planta ornamental fam das gramí- 
neas {pogonasthria falcata). | Arvore 
urticácia, Umbaúba. \ Pregu ça. 

Kaxixikinha, sub. (x zool. Formi- 
guinha. Pequena formiga preta muito 
ligeira. ] I adj. Semelhante ou relativo 
à formiga. 

Kaxixila. sub. (IX) bot. Planta 
fam. das compostas (vernonia pos- 
keana), de utilidade ornamental. 

Káxongo, adj. (IX) Harmonioso 
(quando sôa ou canta), | Canoro; de 
canto mavioso. | [ Murmurante. | 
Cicioso; terno; suave. | ] sub. Ter- 
nura, i Harmonia. | Enternecimento; 
maviosídade. | , corog. Antiga pov. 
na margem do rio Qjanza. caminho 
do Dondo para Pungo-Adongo. 

Kaxóxo, sub. (IX I bot. Planta 
comestível fam. das solanáceas (so- 
lanum torviim). \ Alquequenje. I Her- 
va muura. V. kabomba-íala. 

Káxu, Sub. (IX) Desprêso; escâr- 
neo; zombaria: ala leu mu liiisa — . \ 
Ubjecto de desprezo. | Mofa. 

Kazáka, sub. (X) Abrev. de kai 
zaka \ Esparregado de rama de 
maniioca, | fig Mimo; accpipe: — 
ka ria holome. 

Kazalu, sub. (IX) port. agazalho. 
I V. íúíonda. 

Kázanga, sub IX) Porção de ter- 
ra no meio de uma baía. , j Ilha ao 
S. da cidade de Luanda, conhecida 
por «S. João de Cazangai, freg. de 
S. João Batista, entre as terras de 
íMussulo» e«Cabolombo», antiga pro- 
priedade de José Maria de Andrade 
Câmara e onde hoje se encontra uira 
Missão Católica. 

Kazanze, sub. (IX) bot, A'rvore 
fam. das leguminosas {albizzia an- 
golensis), de madeira resistente e 
casca venenosa, utilizada para curti- 
menta e construcções. 

Kazáza, sub. (IX) bot. Planta 
leguminosa (^albizzia Welwilscliii) . 

Kazeia, sub. (X) bot. Uma das 
muitas variedades de mandioca de 



kÂZ 



— 108 - 



kâW 



pequenas proporções: kiringu kiã^» 
I Farinha feita desta mandioca.] |aclj. 
Alvo; límpido, ij corog. Confluente 
da margem esquerda do fo Kuiji, 
em Pungo-Andongo, circ. civ. de 
Cazengo, distr. do Quanza-Norte, 
prov. de Luanda. 

Kazémba, sub. (IX) bot. Planta 
soldnácea.l Espécie de batata. 

Kazembe, sub. (IX) bot. Planta 
ornamental, fam. das leguminosas. 
I Acácia penata. | | corog. Amiga 
capital do reino e actual distr. da 
Lunda, prov. de Milange, limite N. 
da Colónia de Moçambique, de con- 
siderável superfície e população. 

Kazemuna, sub. (IX) bot. Plan- 
ta solanácea e seu bulbo. I Espécie 
de bitata.j V. kazemba. 

Kázola, adj. (IX) Estimado; pre- 
ferido; amado : — kâmi.\ \ sub. Felici- 
dade, j Ventura. | Sorte. | Estado de 
pessoa feliz. I |Sa/zdí/ /a—. V. Sándu. 

Kázombo, sub. flX) Elevado 
monte de 1.300 m. de altit., no 
distr. do Moxico. 1 1 Pov. e sede da 
circ. civ. do Alto Zambeze, distr. 
de Moxico, prov. do Bié, a 11® 50' 
Lat. S. e 22" 54' Long. E. G., 1,200 
m. de altit., 13.741 hab., posto de 
desp. adaan., julg. instructor. sede 
da 8.» C. I. C, est. postal, ambul. 
íanit., escola rural n.o 14, Missão 
Católica, inglesa (Irmãos em Cristo) 
e Evangélica, de Cavungo. | | bot. 
A'arvore ornamental de madera re- 
sistente para construções. V. inú- 
zombo. 

Kazóngo, sub. (IX) bot. Planta 
diptero-carpácea (monotes africa- 
na), de madeira resistente e pro- 
priedades medicinais. I É tb. conhe- 
cida por mabalangonga.\\^ orne por 
que é conhecido, no Moxico, a 
planta kalãbia. 

Kazongolo, sub. (IX) Teté || corog. 
Pov. na circ. civ. de Cazengo, junto 
da linha férrea e rio Caringa, a 5 
kil. da «Vila Salazar» distr. do Quan- 
za-Norte, prov. de Luanda. 

Kazuanze, sub. (IX) bot. Planta 
f im, das solanáceas (schwenkla ame- 
ricana), de propriedades medicinais. 

Kazukuta, sub. (IX) Inflamação 
da parótida.! Papeira. 

Kazukuzuhu, tub. (IX) Pequena 



poupa. [ Plumagem na cabeça daà 
aves: san/i ia—. 

Kazundu, sub. (X) Rã. Ê tb adj. 

Kázunu, sub. (IX) Provocação; 
desafio; repto: Icusunga — .|Acto de 
provocar. I [topon. Antigo bairro da 
cidade de Luanda, perto do Asilo 
D. Pedro V. 

Ke, adj. e pron. poss. (contr. da 
prep. ka e do pron, muene). Dela; 
dêle. j Da sua pessoa: ngi bane o 
kakúxa — . \ Pertencente á pessoa 
dêle: o kanjila — k'alenge. \ \ sub. O 
dela; o dêle: o — k'afu lélu. \ j co- 
rog. V, kuva. 

Kéadj. e pron. poss. (contr. da 
prep. ka e do pron. éie). Teu; tua. | 
Da tua ou pertencente á tua pes- 
soa: o kangulu - k'avuala. \ | sub O 
teu; o da tua pessoa: o — 'kaburika. 
II pron. interrog. Oual: o k'abandu 
— ,— ? i V. kãnhi? kêbi? kuxi? 

Kebe, sub (IV) .Abrev. de rikebe. 
I Barriga: -r/a ngulu. \ Ventre. 

Kêbi, adj. e pron. interrog. (X) 
Qual (entre vários): o kapoko ké—? 

Kéka! interj. Diz-se da pessoa ou 
couaa que aparece ou assoma de 
repente: u êri- ! 

Kela, corog. Sede da circ. do Bon- 
do e Bangala, distr. e prov. de 
Malange, a 9' 16" de lat. S. e 17" 
02' de long. E., 1.210 rn. de alt , 
i5.'73i hab., Deleg. de Saúde, est. 
telegr.-postal e Missão catol. na 
margem do rio Liíi. 

Kelejá, adj. (1X1 Que exerce 
influência nefasta. | Maldito. 

Kelema, sub. (IX) port, Ouermes: 
mâjí ma — . 

Kélu, V. rikélu. i i corog. Pov. e 
sede do posto civ. deste nome, circ. 
de S. Ant. do Zaire, distr. do Zaire, 
prov. de Luanda, 9.21 1 hab. 

Kende, sub. (IV) Abrev. de ri' 
kende. j Bola: — ria makanha. ] 

Kêne, adv. de afirmação | Sim; 

mesmo: o kambiiri kaná — k'alenge. 

1 { Este ou esse mesmo. 

Kene, prep. que indica falta, 
exclusão, condiçã ). | Sem: —fienda, 
sera penaL;—rijina, sem nome, etc. | 
V.kaná. 

Kenene, adv. demonstr. do que 
está exposto, á mostra: maju— \ A, 



KEN — j09 — 

vista. II Abertamente; escancara- 
dameate. 

Kene'oko, adj. e proa. demonstr. 
Esse, essa. | Que está nesse lugar. { 
Esse mesmo. 

Kenge, sub. (IX) bot, A'rvore 
leitosa da fani. das moráceas (6os« 
gueia wetwitschii} , tb. conhec.da por 
mungenge ua muxiiu. 

Kêngi, adj. e pron. indef. (X) 
Não similhante. | Distinto: outro: 
kahombo — . j Diverso; kamuxi—. \ 
Não igual; não este. j Diferente. | | 
PI. tuêngi. 

Kenu, adj. e pron. poss. pi. 
(coatr, da prep. ka e do pron. pess. 
enu). Vosso; vcssa: kambia — k'a- 
burika. jDas vossas pessoas. | \—enu, 
adv. e prcn. poss. pi. Propriamente 
vosso. 



KIA 



Kesóngo, sub. (ÍX) Chefe. | Su- 
perior. V. kaisóngo. 

Ke(u, adj. e pron. poss. pi. (contr. 
da prep. ka e do pron. pess, etu). 
No-s^; nosso. | Das nossas pessoas; 
kambua — k'auaba. \\ — etu, adv. e 
prOn. poss. pi. Verdadeiramente 
nosso : kanzo — 'etu. Pertencente ás 
nossas pessoas. 

Kêza, adj. Diz'Se da criança que 
nasce com dentes: ngana — , uéza ni 
maju me. \ Benvindo. | ] bot. Plan- 
ta arbustiva de caules volubiladas 
e fls. inteiras, cujas raizes, em infu- 
são, se tomam em casos de dores 
de ventre. 

Kj, conj. No momento em que, j 
Quando: u ngi sánga — u vutuka. | 
Logo que; como; assim que. ] | Du- 
rante o tempo: eie tunde — u axikama. 
I E 1 quanto. I Entietanto. | | adv. 
de neg. Não: muene-luua eza; o io - 
mon'ê ua mbote. | i pron.. Cousa ne- 
nhuma, i Nada: — kima; — buene. \ 
O que não existe, | | adv. de tempo, 
Quando: — úia, u ng'ambela. ; | pron. 
relat. (servindo de sujeito) Que: 
zuela kioso—u amono. \\ pref. con- 
cord. dos sub , adj,, pron. e adv. 
da III cl. : kimuna— etu; kima— éngi 
— ng'a sumbu, etc. , pron. de- 
monstr., Aquele; aquela; aquilo: 
ng' amono— ng' andalele, ng'abange — 
u a ng'ambela. | j pron. pos.s. Esse; 
essa; o; a: ngi—muena kukUu; ng'a — 
ámbc. 



Kia adj. e pron. poss. pi. empreg. 
na 3.* pessoa. Seus suas: kUende — . 1 
Do si; próprio: êza ni kitari-. \\ 
prep. que une ao nome o seu compl. 
De: kinu - múxi; kibuka— jingenji. \ | 
pron. relat. Que | Quem 1 Cujo. 

Kíá, adj. Neste momento; agora; 
já:u ai— .\ De ante-mão. || inter- 
rog. âri—} 

Kiábu, adv. Em seguida. | De- 
pois, i Logo a seguir: uêza—. \ Em 
tempo posterior, j Mais tarde. 

Kiáie. adj. e pron. poss. Teu; 
tua: kima — 1 Da tua pessoa. V. 
kié. 

Kiakaie, interj. que denota con- 
cordância, consentimento. Seja. | 
Oxalá.! Amen. || conj. disjunt.: — 
ki eme ng'a ku sa$ele. | Ou . . . quer . . [ 
V. Kukala. 

Kiakamukuá, adj. e pron. indef. 
(III) Não êste.iOutro. D ferente: 
kiôwna— , [ Não igual, i Mai^ um; se- 
guinte: ngi 6ckeie — . | Precedente; 
restante. 

Kiáku, sub. (III) Lenço: -kia »»«- 
tit,e.\ Tecido próprio para a gente se 
assoar. I | Pi. iáku. 

Kiâla. sub. (III) Unha:-k»awM- 
lembu. I O casro dos paquidermes e 
ruminantes. V. kikoto, \ \ Cada uma 
das unhas das aves de rapina ou das 
feras carniceiras.] Garra: — kia hoji.\ 
Unhada; marca ou sinal que re- 
sulta. |fig Mão; dedo.; ! Extremida- 
de de algumas ferramentas e uten- 
sílios. | A parte do martelo oposta a 
cabeça; — km nzundu. A parte recur- 
vada do pé dos insectos \ Tenaz ou 
pé dos caranguejos: — kia hala. j O 
que tiver a forma de unha ou garra. 
i \—kia'ngo, bnt. Planta fam. das ci- 
taminâceas (muta paradisiaca).] Bana- 
neira e seu fruto.) [PI. iâla. 

Kiálu. sub. (III) Assento de cos- 
tas. I Cadeira. 

Kiáma, sub. (III) Ser vivo. [Ani- 
mal; bicho: -kta muxíÍJt | Quadrúpe- 
de. | Fera: amulengakala — . MAsno; 
cavalgadura: u atulama ku— . | Mon- 
tada; cavalo; touro.] | Bruto, grossei- 
ro.! Pessoa intratável. \ fig. Mulfcer 
feia.|Mizantropo. 

Kiambamba, sub. (III) antiq. 
Peso; carga. fig. Compromisso; res- 
ponsabilidade. 1 Encargo. \ V. k/m- 

bamba. 



kiA 



- 110- 



KIÀ 



Kíámbe, adj. 'II[) Já menciona- 
do. IFormal; declarado por raeio de 
palavra?. I Expresso. 1 | sub. O que 
se disse ou diz: kiêne—, \ Dito; pro- 
messa: kumbirila o — . | | Manifesta- 
ção do pensamento ou das idé.as 
Ditame; voz íntima. lExpressão; fra- 
se; palavra. | O que está dito ou es- 
crito. [ Animação, energia fno faiar, 
no olhar, no executar, etc). I Acto; 
fórmula religiosa. 

Kiámbi, sub. (III) Órgão glan- 
dular (lo lado esquerdo. I Bdço.|0 
lado exterior esquerdo do abdómen. 
|P1. iámbi. 

Kiámbu. sub. (III) Predicção; 
vaticínio; prognóstico. | Cousa pre- 
dita. I Profecia. 1 1 Pi eparação. [Obra 
prévia. V, pi. iálllbu. 

K âmbu, sub. (Ill) Desmaio; 
síncope: u ai ku—. i Desfalecimento. 
I Fanico.! Ataque. I \Kubana—, v. tr. 
Desmaiar, desfalecer. V. Kuambuka. 

K-âmi, adj. o pron. poss. (contr. 
dd prep. k/a e pion. eme). Minha; 
meu: kima -.| De mim: o \^ibunga — 
k/ akuka. ; Pertencente á minha pes- 
soa. I I sub. O meu: ngi bane o — .\ 
O que meperttnce. 

Kiamue, adj. (III) Sugador. |Que 
chupa ou suga. | ] sub. Mamadeira, 

Kiamuene, adj. e pron poss De- 
la; dele. 1 V k/e. 

Kiamui, sub. (III) Artefacto que 
contém o leite que as crianças chu- 
pam á falta de mama. 

Kiatnuise, adj. (III) Que cria os 
filhos com leite. | Mamifero: miikua 
- . i Mamai. | \ Lactiscente, 

Kiamuisilu ou Kiamu xilu, sub. 
(III) Tempo que dura a mamenta- 
çâo. Mamadura. 

Kiamukuá, adj. (III) De outro. ] 
Pertencente a outra pessoa. | V. kta- 
hamukuá. 

Kianda, sub. (Ill) mit Monstro 
fabuloso. I Sereia. | [Deus das águas. 
I Neptuno: - kia menlia. \ Ser sobre- 
natural que preside o impéiio dos 
mares e dos rios, montanha-? e bos- 
ques: nmlundu ua — . 1 Sr lendá- 
rio. I fig. Ser anómalo, deformado, 
I Pessoa muito feia i V" pi ianda 
I I Palavra com que se forma o futii- 
ro dos verbos. | Há de: o kiama — 
ku/ua; o kialu—kuburika. [V.kiondo 



Kiandu, sub. 
comida. 



(Ill) Refeição; 



Kiándu, sub. (III) Poltrona. | 
Assento de cerimónia dos monarcas, 
dos magistral df/S, etc : — kia soba \ Cá- 
tedra. ; Trono: u axikama ku - . \ fig. 
Cargo. I Função. | Emprego. 

Kianekenu, sub. (III) Lugar onde 
se estendem roupas, frutas, etc. pa- 
ra secar, j Esteiidedouro. 

Kiánga, sub. (III) Ilusão produzi- 
da por artes sobrenaturais. ] Fasci- 
nação. 1^ Magia I Encanto. Produ- 
ção de actos extraordinários: hatam- 
bula — Prestigiação; feitiçaria. | | 
Mukua — , adj. e suD. Mágico, j Feiti- 
ceiro, j Encantador. \ Pessoa que 
op ra maravilhas. 

Kianqála. sub (III) Aberta, i O 
mês de Janeiro (divisório das peque- 
nas e grandes chuvas). | Espaço de 
tempo que medeia entre a chuva 
que cessa e a que se aproxima. || Es- 
tiagem. 

Kiângu, sub (III^ Palha; casca. 
Pele (do alguns frutos). ] Capsula. 
V. pi. iângii. 

Kianji, sub. (líl) Fábrica; enge- 
nho: -/.ia miênge. \ Máquina. j| Fa 
culdade inventiva. I Perspicácia; 
talento, i i Mukua — adj. Engenho- 
so; talentoso. | Dotado de inteligên- 
cia. \ Coerente; lógico. 

Kiànji, sub (III) Alarme ; re- 
boliço; ribdte.! Ruido confuso, j 
Bjato assustador. 

Kiánzu, .sub. (III) Guirida de pas- 
sarinho.' Ninho: - Aífl /7y77a.| Abrigo; 
refúgio. 

Kiári, sub. (III) Demonstração 
cativante de benevolência, afeição 
ou araor.l Carinho: mon' u mutua 
mu sasa ni lienda ni .| Prova de 
simpati.i, de b ndade: ngi bane o - 
kia muximu.\ F^inezr; giaça; piaz:r. 

Kiâsu, adj . (III) Esquerdo. [ ' Mu- 
kua—, adj. Canhoto.' Pouco tegur< ; 
fora de mão: u a ngi kala — . ' ; sub. 
A mã ), o 1 ido esquerdc^: Au . ; Ca- 
nha I O que está do lado oposto ao 
d.reito. 

Kiáu, sub (III) Cabiçaondeas 
ab.'lhas fabricam a cera e o m^l. 
Cortiço: — kia uiki.\ \ Vaso ou sacode 
peles para guardar òal; — kia mú- 
ngua. I Depósito; bolsa. 



KIA 



- Ui — 



Icíâ 



Kiâxi. sub (III) Sensação de medo 
que faz arripiar a pele e o cabelo. I 
Horror] Repulsão por aquilo que re- 
putamos horrendo ou medonho. 
Hesitação; falta de cordgem. 

Kíba. sub, (III) Pele: — kia ngându. 
1 Cabedal, coiro. A pele de um ^-ni- 
nial separada do corpo : — kía hi- 
ma. ; Vasilha feita de pele de 
certos animais. I Odre. | Correia. 

Kibâba. sub. (III) bot. Planta 
meliíicea fara. das leguminosas, utili- 
sida em obras de c-trpintaria. | 
Amargoseira. V. pi ibàba. 

Kibàbu,. sub. (III) Afago; carinh^^. 
íig Bofetão; sopapo: a mu bana — . 

Kibáia, sub. (Ill) Quantidade de 
de tábuas unidas entre si. \ Tabua- 
do., fig; Estenderete. 

Kibáka, sub. (III) Ombreira. | 
Cada uma das duas patês laterais 
que determinam a Utgura de uma 
puta.^ Entrada; portal. 

Kibakátu; sub. (III) Coura.; Vesti- 
iniíuta de couro com que os antigos 
guerreiros se defendiam dos golpes 
do inimigo. ! Armadura. 

Kibakáxi, sub. (III) bot. Arbusto 
espinhoso fam. das simaruba- 
ceas ibalaniles angolensis), de pro- 
priedade medicinal. V. miingenhe- 

Kibakelu, sub. (III) Casa ou lu- 
gar destinado a arrecadação ou 
guarda de uten?ílios. Reservatório. 
I íCaixa. |Baú. 

Kibaku, sub. (III) Banco que se 
coloca debaixo dos pés. ] Estrado; 
escabelo; supedáneo. I Assento de 
pau; mocho: mutue kí u zueVê a u 
Í7i7u/a—. j Palanque; supojte. Tam- 
borete. \ Àn nidl domésti-o. [ Es- 
cravo. 

Kibáia, sub. (til) Mandioca des" 
cascada e seca ao sol. ' — ndênde, V. 
ndênde\ \ — tendu, V. tendu \ — nga- 
nga. Imposta. Diz-se dos encon- 
tio3 dos tetos quando descançam 
sobre os paus da cumieiía. Rins. I 
corog. Pov. e sede da circ. civ. do 
mesmo nome, distr. do Quanza- 
-Sul. prov. de Benguela, a lo' 42. 
II" lat. S. e 14" 49' 06" de long. E, 
Gr., i3oo m. de altit , 24.403 hab., 
juiz instr . Deleg. de Saúde, de Faz. 
e de Agric , est. teleg. -postal e 
esc. oficial n." 58 d^ «João Franc.o 
Gjrciai. II Praia da costa e distr. 



de Mossâmedes, prov. da Huíla.i| 
Pov. do cone, e circ- civ. do Am- 
briz, distr. e prov. de I,uanda, a 
O. da serra do 'Fuku e N. do rio 
Loge. 

Kíbalala, sub (III) Filamento, j 
Fibra: — kia mbondo. O (|ue pode 
ser dividiiu em fies próprios para 
serem tecidos. 

Kibánda. adj (III) Que não pode 
realizar o acto. Que está reduzido 
à impotência., Fiaco, sub. Aque- 
le que tem impotência. 

Kibandekelu, sub. (Ill) Acres- 
cento Aumento.! Junção. 

Kibandeku, sub (III) Acrescen- 
tamento. | O que se junta. 

Kibalaxita. sub. (Ill) Doença cu- 
tâne*.' Herpes,! adi. e sub. Her- 
pético. 

Kibaiu, snb. (III) Queda. I Tram- 
bulhão. I Tombo, 

Kibáiu, sub. (III) Temeridade \ 
Animo.; Coragem. I Esforçaraento; 
energia. 

Kibama, sub. (III) Diz se dos pri- 
meiros sinais de gravidez dos ani- 
mais: — km ngulu. ' A primeira ges- 
tação 

Kiba-muenhu, adj e sub (III) 
Protector j Salvador Redentor 
dos homens: —kietu. \ Amparadjr,| 
Libertador, p. ext, O que dá vida. 

Kibandelu, sub (III) Ascensor; 
escada., Cousa por onde se sobe 

Kibándu, sub (III) Artefacto de 
mateba pira limpar ou secar cereais. 
Joeira: -k/a Vusesela pone., Cesto 
de palha em forma de disco. jBalaio. 

Kíbandu, sub. (III) Sinal (defe- 
rida ou chaga curada). | Cicatriz; 
marca. Vestígio que deixa na haste 
as folhas ou ramos quando caem \ \ 
topon. Antigo biirro da cidade de 
Luanda, onde se encontra ed ficado 
o »Nacional-C:ne-Teatro. 

Kibane, adj. (III) Próprio para 
dar. Facultado; permitiao, gratui- 
to. I I sub O que se dá j fig Pre- 
sente . 

Kibánga, sub (III) Manada; va- 
ra: reb.^nho. I Curral; re iil; pocilga; 
aprisco. Malhada: — kiajingombe !' 
bot. Planta crcssulár a de efeitos 
corrosivos. V. iuta-fia-nvula . 



KIÔ 



-Í12- 



KIB 



Kibangdbanga, sub. (III) Prisão; 
golilha. V. fibangabanga. 

Kibangelu, sub. (III > Peça que 
serve p ra armar outra, comunican- 
do-lhe o seu feitio. | Molde; forma: — 
k/a ikoto. 

Kíbangu, sub. (III) Construção.! 
Facto; trabalho | Lavor; obra. 

Kibánha, sub. (III) Aparato.] 
Suntuosidade, [ Ostent-tção- Pompa; 
explendor.l Magnificência. \\Mu- 
kua—, adj. Magnificente. |Quc faz 
aparato, pompa. | Ostentador. 

Kibanji, sub. (IID Remendo; tom- 
ba; coisa sobreposta. ' I Mancha ou 
pinta. { Malha; sinal; vergão (no 
corpo) . 

Kibanu, sub (III) Dádiva; pre 
sente. I Direito de dai: — k/<í/ní| Dada 

Kibari, sub (III» Tabaqueira. 

Kibása, sub. (III) Esteira ou sa- 
co de mateba velho:— k/a rixisa] \ 
Espécie d^ padiola feita de palha 
ou vime para transportar cadáve- 
res I Esquife. 

Kib^su, sub. (III) Fragmento; 
peJaço; lasca: — kiaritari. \ Lascado. 
I Caco. 

Kibafeku, sub (IIL Tampa de 
barro com que se cobre panela ou 
cântaro | Testo; cobertura: — kia 
niuringe | i Batoque 

Kibafu.sub. (Iji) Paragem; espe- 
ra. I Cada uma das temporadas em 
que se divide o ano.| Époc^; pe- 
ríodo; quadra: — k/a //luvu;— k/a k/x/ 
bu I Lugar onde esperam es saltea- 
dores. ] Sítio encoberto para esperar 
caça ou a quem se quere atacar do 
sur preza j . V. pi Ibatu. 

Kibáíu, sub (]II) Cápsula; cas- 
ca: — k/a rikezu. \ Invólucro de cer- 
t»s sementes. | Película | fig Men- 
tira, peta. 

Kibafubátu, sub. (III) Involtório 
dos troncos | Corch > j Revesti- 
mento de plantas: — k/a mulemba. 
\ Cavaca.] — k/a nianji, mica. 

Kibaiuilu, sub (III) Instrumento 
com que se corta,] Folha larga de 
espada | Fio; gum« j Talhadeira; 
escopro 1 1 adj . Incisório 

Kibaíulu, sub (III) O que separa 
ou serve para st parar (valada, íoaso. 



muro, etc.|. Separação. | Divisão 
(de um trabalho, de um assunto) . [ 
Capítulo; artigo.] Corte. 

Kibatulua, sub (III) Divisória.] 
Qualquer objecto que serve para se- 
parar esp çofl confinantes: ritari 
TÍa—.\ adj Que delimita | Divi- 
sório 

Kibáxi, corog. Pov. o sede da 
circ civ. dos Deinbos, distr. e prov. 
de Luanda, a 8° e 32' lat S e 14° 
e 47' long E., 8. 115 hab., De- 
leg de Saúde, de Faz e est teleg- 
. postal 

Kibe, adj. (IIIi Dado; ofertado; 

legddo 1 I sub. O que se dá. 

Kibéba, sub (III) Guisado de 
peixe ou feijão com mandioca. !| 
bot. Grande árvore urticâcea (ficus 
guibeba). similbante á magnólia 

Kibebe, sub III) Matetp deabó 
hora doce ]| Barbatana (Ém. w* 
no pi' ibebe) . \ \ Sofreguidão; ância : 
— k/a nzala.\ Desejo ardente; an- 
seio; vontade (de comer).] fig Ne- 
cessid de | | Impetuosidade : — k/a 
mulenge 1 1 ^^dj Maleável; brando; 
mole. Fraco; leve V. kibeUkete 

Kibébu, sub. (III) Rebouco; ca- 
felo ! Revestimento de b^siro ou ar- 
gam-^ssa numa parede. I Acafela- 
mento, 

Kibekele, adj (IH) Volúvel; que 
se oferece;— k/a mala.\ Maleável; in- 
constante. 

Kibela, sub (III) Terreno p-óprio 
para edificar ou construir] Chão | 
Solo ; PI ibela. 

Kibelabela. sub (IIIj Caine ma- 
gra e engelhada Pelr.nga, PI ibela- 
bela 

Kibelelua, adj (III) Que não tem 
força ou resistência. Fraco. ' debi- 
litado; ]| sub. Hom-m fraco, srin 
condições de resistência. 

Kibelekeíe, adj (III) Que não é 
duro.] Que cede á pressão ' Fraco; 
leve. 

Kibelefe(e, sub. iIII) Liscania, (de 
peixe). Pele srca que se forma ou se 
desprende da epiderme.] Adorno 
em forma de escama. 



KIB 



- iii- 



KIB 



Kibembe, adj. (III) Assoante | 
Que fdz assoar. — i sub. i'iz-se 
da lavra de que se colheu manti- 
mentos no ano anterior. ' ' corog. 
l'ov. na margem direita do rio Gango 
(âfluer.te do Quanza) na circ. civ. 
do Liboio, distr. do Quanza-Sul, 
prov. de Benguela. 

Kibemuxi, sub. (III) bot. Arvore 
fam. das leguminosas {entandro- 
phrogma angolensis), de madeira 
aproveitável. Espécie de acajú. 

Kibende, sub (III) Extensão de 
terreno que um trabalhador pode 
lavrar num dia. ) Rasoura. Rd- 
sadura. 

Kibendu, sub. (III) lortuosida- 
de. I Estado do que não é vertical: 
inuxi u ala — . Inclnaçãj; desvio. 

Kibêndua, sub (III) Tombamen- 
to. I Acto ds bordejar, da cair. | \ 
— — . ir aos zig-z.gs. Ir aos SS. 

Kibengaiale. adj. (IXI) Qu não 
está em linha recta, i Torcido, tor- 
to. I Inclinado, oblíquo. ; | sub. 
Defeito do que não eitá recto ou a 
prumo ; O que seapresenta totto. ' 
V. Kubengalala. 

Kibése, sub. (III) Ajudante de 
pescadcr. | Tripulante. 

Kibéta. sub. (III) Cada um dos 
filamentos que saem da raiz de uma 
planta. 

Kíbefu, sub. (III) Pancadaria; bor- 
doada; lambaJa. Q^^i^^a corporal 
com pauladas, i Sova; zurzidela. 

Kibéíu, sub. (III) Armadilha: — 
kia njila i Alçapão; Ratoeira: — kia 
jipuku I Laçada. | Esparrela. | fig. 
Emboscada; espera. 

Kibexi, sub. (IIJ) corog. Antiga 
pov. e sobado deste nome pióx^mo 
do cone, de Calumbo, margem di- 
reita do rio Quanza: sanzala ía 
soba. —. 

Kibéze, adi. (III) Digno de ser 
adorado: — kihini kia muxíma. Que 
deleita ou encanta. ' Adorável, j 
Que se tem amor, que se presta 
culto. I I Deprecado. | Rcfgado. 

Kibézu, sub. (III) O que se ado- 
ra. Pessoa aquém se roga. ' ídolo, 
imagem i | corog. Pov. na área do 
posto c vil de Cabiri, circ. de Icolo 
e Bengo, distr. e prov. de Luanda. 



Kibi, ?ub. (líl) Contr.uiedad". | 
Obstáculo. I Impedimento, d íicul- 
dade. ' índole ru m. ] Maldade. V. 
pi. ibi. 

Kibiáka. sub. (III) Flatulência. I 
Arroto. I I zool. Lagarta felpuda das 
árvores. V. kibiokoto. 

Kibiaxi, sub. (III) Esc.nmas ténuej 
que se criam no coiro cabeludo, ' 
Pó que se cria na superfície da fruta 
sê:a. Grança; felpo; caspa miúda. |l 
Mukua ~, adj. Que tem caspa, j 
Felpudo. 

Kibiia, sub. (Ill) Maneio. Acto 
de menear. D inça que consiste em 
menear o corpo: kiikina — . .' ' corog. 
Pov. e sede do cone. de S. Pedro da 
Chibia, distr. e prov. da Huila, 1.315 
mts. de altit. a 15.0 12' Lat. S. e 
13.° 39" Long. E. Gr ., 1 2.59S hab. 
Cam. Mun., .\dm. do Cone, Deleg. 
de Saúde e de Faz,, posto de Sânid. 
Pecuár a est. telegr. postal de 3.» 
cIs., esc las prim. n.°s 67 de íPinhei- 
ro Ch igas» e 47 de «Padre Barroso» 
e Missão Catei, de Ouih^ta, 

Kib:ka, sub. (III) Escravidão. | 
Sistema de escravatura. , Tráfico de 
escravos. 

Kibikibiki ou K-bikiri, sub. (III) 
Arrojeito. Pau curto com que se 
atira para fazer cair os frutos da ár- 
vore. , Rejeito. 

Kibiku, sub. (III) Feijão guisado 
com azeite e farinha de mandioca. I 
Ungui. 

Kib:la, sub. (III) Sombra ou vulto 
que por nós, cu ao alcance da nossa 
vista, passa despercebida ou rapida- 
mente. 

Kibilu, sub. (III) Mudança de for- 
ma ou de qualidade. ' Conversão: — 
kia kitari. Transformação. 

Kibinde. sub. (III) Convocado. 

Kibindu, sub. (III) Pedido de 
assiátênc â. Convite; solicitação; 
obe?é(iiJÍo. I ! Prática habitual. | 
Tradição. Costume. Modo de pro- 
ceder: — kia ' xi. I Memória; recor- 
dação; símbolo; uso. 

Kibinduminu, sub, (III) Bentfí- 
cio; au cílio, j Ramificação; reparti- 
ção; divisão. 

Kibinganu, adj. (III) Qu4 sucedeu 



KIB 



- ii4- 



KIB 



ou substituiu outra cousa. I ' sub. 
O que substitue. | Substituição. 

r'ibinini, sub. (IH) pop. Golpe for- 
te que contunde. | Pancada. 

Kibinji, sub. (III) Privação, aper- 
to; embaraço; grande dificuldade. ' 
Situação difícil ou perigosa: ngala 
bll kibiri ni — \ «Entre a espada ea 
paiede». 

Kibiokofo, sub. (Til) Lagarta das 
arvoíes | Insecto anelido felpudo. 

Kibiona, sub. (III) Apalpo. | Pir- 
raça; partida. 

Kibiri, sub. (III) Martírio: nfíala 
bu — ni kibinji. | Perigo; trabalhos; 
aflições i Situação difícil de su- 
portar. 

Kibise, adj. (Ill) Madurador: 
luãnha — I Que faz amadurecer. 

Kibisu, sub. (III) Madureiro. \ O 
que faz amadurecer. { Fruta madu- 
ra que, junta de outra verde, a faz, 
segundo se crê, sazonar | Sazão: 
mu — kia jindende. \ Estação; matu- 
ração. 

Kibiíe, adj. (III) Viajeiro, | ' Que 
passa. I Transitório, j | sub. Causa 
que passa. 

Kibi(i, adj. (III) Que passou ou 
decorreu. \ \ sub. O passado. | O 
pretérito. | O que lá vai. 

Kibitise, adj. (III) Que deixa ou 
faz passar. | Passador: —kia màji \ 
sub. Utensílio culinário por onde se 
exjjreme massas. \ I Utensílio com 
fundo ralo para limpar calou areia 
das impurezas que traz: — kia 
mavii. I V. kisesélu. 

Kibiíilu, sub. (III) Cousa por onde 
se passa ou atravessa | Passadiço. 
I Passagem estreita; corredor de co- 
municação. 

Kibobese, adj. (III) Naufragoso. \ 
Que faz afundar. | fig. Perigoso. 

Kíbobo, sub. (Ill) Mento; queixo. 

Kibòbo, sub. (III) Fantoche; 
truão; idiota, 

Kiboiongo, sub. (III) Cadeia; ca* 
labouço; prisão. | u ala mu — . Es- 
tarim. 

Kibohoboko, sub. (III) Doença 
cutânea que ataca as orelhas (prin- 
cipalmente dos cães). | | bot. Capim 
ornamental íorraginoso {aristida 



rhimochloa). Planta fam, das gramí- 
neas. 

Kiboholo, corog. Pov. e posto do 
cone. do Zombo, distr. do Congo, 
prov. de Luanda, 12.867 hab. e Mis- 
são protestante (baptista). 

Kibolêle, adj. (Ill) Tocado, meio 
estragado: — kia rifionjo Pódri- 
do, I ] Diz-se da ftuta meio podre. 

Kibolongonho, sub. (III) Cabeça 
de morto limpa de tecidos. | Ca- 
veira. 

Kíbombe, adj. (III) Pedido (com 
empenhos). | Rogado; suplicado. | | 
sub. A pessoa que pede. ] | Funji 
(entre os mutemos). 

Kibongololo, adj. (111) Ajuntá- 
vel. I Que pode ser recolhido. 

Kibongolóle, sub. (III) Ajunta- 
mento; grupo: — ki' atu. \ Reunião. 

Kibósa, sub. (III) bot. Árvore da 
fam. das borragináceas (triumpheta 
cordifolia) mui prestável pelos fila- 
mentos que fornece a inter-casca. | | 
— hia lala, planta têxtil. ] | — kia 
muxitu. planta malvácea. 

Kibóía, sub (IIIj Charco; atolei- 
ro. I Podridão : — kia kalunga. \ 
Puttefacção. || adj. Fétido; que exa- 
la mau cheiro. 

Kiboíe, sub. (Ill) Fiação, | Obra 
ou oficina de fiação, | Meada, 

Kibófo, sub. (III) Amalgamento.l 
Mistura. | fig. Rancho (de solda- 
dos). I adj. Fermentado (ao calor). 

Kibóua, sub. (III) bot. Planta 
fam. das gramíneas, de utilidade or- 
namental e medicinal. 

Kibozo, sub. (III) Voz habitual 
do cão: — kia ' mbua. " Ladndo. 

•libu. sub. (III) Massa carnuda ua 
extremidade do cordão umbilical, | 
Planceta: — ni jingojí. 

Kíbua, sub. (III) Acto de cair. | 
Queda. 1 Trambulhão; tombo, 

Kibuâbua. adj. (III) Manante. | 
Fluente. I Que brota incessante | j 
sub Pessoa que fala com fluência. 
j Loquaz. 

Kibuabuelu, sub. (III) Manan- 
cial. !1 âdj. Que brota; que derrama: 
que flue. 

Kibube, adj. (III) Que derrama; 



KIB 



- IfS- 



KIB 



ou corre como líquido, i Copioso; 
abundante. ' í Que roga pragas. | 
Calamitoso. || sub. Derramamento; 
fluxo; abundância. , [ antiq. Tor- 
mento; aflição. 

Kibubílu, sub (lííj P.ngadouro.i 
l-ftpnsíi;c ond.' vazam sucos. Vaso 
onde se recolhem pinyoà. 

Kibubirilii, adj. (Ill) Maldito: 
perverso | Mal íizente. ' | sub. "M A- 
ii<,ão; imprecação de males contra 
alguém. ' Praga. 

Kibubise. adj. (Ill) Que faz vasar 
ou correr como líquido: — kid tua- 
nhinga. \ O ae provoca h.-morrag:a 

K búbu. sub. (Ill) Som produzido 
pelo bater das mãos cruzadas. (Tra- 
duz admireição, sentimento, triatL-- 
za). V. pi. ibàbu. 

Kibubuia, sub. (III) Abrigo. 
Choupana: palhota. 

Kibubulu, adj. (Ill) Desatina- 
do. ! Desrituido d- inteligência 
Vão; frívolo. II Vazio; ôco: — kia 
mbiUda. I Leve. ! Deipejado; sem 
consistência, 

Kibuika, sub. (III) Destruição. 1 
Perecimento. | Aniquilamento: mor- 
tandade. 

Kibuiminu, adj. (IIÍ) Que faz res- 
pirar ou tomar ar. sub. Qualquer 
utenbílio ou órgão respiratório. 

Kibuise, adj. (Ill) Terminal. 
Que faz . cabar, extinguir, pôr fim; 
— kia maka. Que faz chegar ao 
íim. 

Kibuka,- sub. (III) Caravana; cá- 
f la; grupo : — Aí' atu\ — kia jinge- 
nji. , Magote; lancho. | Turma. 

Kíbukala, sub. (III) Cada uma das 
p irtes ou camadas que constituem 
o tronco da bananeiia: — kia mu- 
hónjo. iTb. se chama kídóa. PI. ibu- 
kala. 

Kibukane, adj. (II [) Eicãndalo- 
so; indecoroso: vergonhoso. 

Kibukánu, sub. (III) Escàadalo. 
Indignação produz. da pur mau 
exemplo. Oíensa á moral, âos bons 
costumes.; Topada; choque. As- 
neira. 

Kibukirilu, sub. (111) Artefacto 
para avivar o lume.i Ventarola; 
abano. | Pancar. \ .^j)arelho que 
estabalece a corrente de ar.l Ven> 



toinha; leque. 

Kibúku, sub. (III) Ventura; sor* 
te; felicidade Felícia. ! m;t. Ueus 
da sorte. 

Kibukumunu, sub (III) .Movimen- 
to interior que nos instivía f i /cr o 
ml. j Agitação; tentação. | impres- 
são malévola. 

K.buia. <ab. (líl Chat \; jaug ida 
b.itvl, \ Ei.ibaicção para carg-i e 
descaiga de iue caJo-Ms.' Vagão 
pira transpoite dj géiiiios. | Peixe 
descarna lo de ambos oa lados. íicau- 
ficando apen.s a cab.ça e a espi- 
nha. 

Kibule, adj. (III; DeUinado a ser 
queb; ad ), parti lo. Partivel. 

Kibuluku(u, sub. (IH) Infelicida- 
de. ; Azar. 1 Enguiço. ; Estorvo, 
obstáculo. 

Kbululu, sub. lIII) C-Usa vã.j 
Ilusão; qu mera. Cousa que não 
tem no inteiior o que lá devera ter. 
Espaço que íica vasio ou deso- 
cupado eiure do!S ou mais objectos; 
mu — kia ríbitu. Intervalo; espaço da 
pirede ocupado por porta ou jane- 
la, j Abertura por onde entra o ar 
nas habitações. 

Kibumu. sub, (III) Sinal de pan- 
cada. Mos.-a.l Qatbiada. Falha. || 
Pequena vala. Rêgo. 

Kjbulungunzu, sub. (IIIi Bahú 
ou caixa velha sem gonzos ou fecha- 
dura. Trasfe velho. 

Kibuna, sub. (III) Mesa; banca. | 
Movei em que se expõe artigos ou 
géneros à venda. Tribuna: — kia 
milonga. Sobrado de madeira er- 
guido do chão; eotrado com de- 
graus. ! Palanque; andor. 

Kibundu, sub. III) Golpe; panca- 
da. Mortualha: — kia kalunga. \ 
Mortandade. 

Kibúndu, sub. (III) Saqueio. | 
Sequestro; penhora; arresto. ) i O 
que se ganha. Proveito; interesse; 
lucro: — kia uênji. Dinheiro obti- 
do por trabalho, cálculo ou comér- 
cio. Rendimento; juro. Fruto. | 
(Qualquer produção da terra. [ Des- 
pojo. I Presa feita ao inimigo. V. pi. 
ibándu. 

Kibúnga, sub. (III) Chapéu; ca 
raput«; barrete. , | — kia ngaji, or 
nato tecido de palha íiaa e nietai 



KIB 



- ÍÍ6 - 



KIB 



preciosos que cobria a cabeça dos 
soberanos. 

Kibungánu, adj. e sub. ílll) Cou- 
sa errante. [ Qud divnga. | ' Próprio 
de vagabundo. 

Kíbungu. sub. (III) Cloaca. | Va* 
so grande onde se deitam dejectos.; 
Sentina; piivada; retiete. i f g. Sá- 
bio, I lateligenie. | Portento. 

Kibunji, sub. (IH) Doença cí<u- 
sada pelo amolecimento e deforma- 
ção dos ossos. I Estado de planta 
eofezadi. | fig. Enfraquecimento; 
perda de viger e robustês. ; V. pi. 
ibunji. I I Pessoa raquítica, magra e 
enfezada. 

Kibuse, afij, (III) Assoprador: 
a — a risa pala kuiva ki nua kanu. \ 
Soprador: — a íubia. fig. Fing> 
do. I O que aparenta ignorar o que 
pregunta. 

Kibuselelu, adj. (III) Pióprio 
para assoprar, j | sub. Instrumento 
por onde se assopra. 

Kíbufa. sub. (III) Topada com 
os pés.| Tropeção: ng' aribe — . Acto 
ou efe. to de ir com a pontf\ do pé 
de encontro a alguma coisa. 

Kibufe, adj. (Ill) Próprio para 
lapar ou ser rapado, barbeado ou 
tosquiado. I Que pode ser rasoirado. 

Kibutilu, sub. (III) O que serve 
para tosquiar; baibear, cortar (o 
cabelo), etc. j Tesoura; rasoura; 
navalha. 

Kibufu, sub (III) Tosquia: — kia 
jimburi. I Épcca em que se costuma 
tosquiar: mu— kia mâvu uná. \ Tos- 
quiadura, ou seu produto. | Corte 
de cabelo. 

Kibútu. sub. (III) Saco de gran- 
des dimensões próprio para ceieais: 
— kia fubá; — kia masa. j Fardo; 
volume. I Saca. 

Kibuuamu, adj. (III) Que causa 
grande admiraçãol sub. Pasmaceira: 
espanto. 

K\buxilu, sub. (III) Assoprader. [ 
Aparelho para assoprar. 

Kibúzu, sub, (III) Fedor.; Mau 
cheiro (da boca): mu kanu mu ala 
kunàa —.\ \ Canoa velha, sem utili- 
dade: ulungu ua-,\ Madeira apodre- 
cida. 



Kié, adj, e pron. poss. (contr. da 
prep. kia e do pron. eie) Teu, tua: 
kihàmba- kiki.\ Da tua pessoa: o kí- 
bukirilu—ki aianduka.] De ti | | adv. 
interrog. Ouê? O que é ? Como? V. 
kiebi 

Kie. adj, e pron. poss. (contr. da 
prep. kia e do pron. muêne.) Seu, 
sua. I Peitencente à sua pessoa: o ki- 
kunzu - kiafu. \ \ — muene, Dele mes- 
mo. ! Que não é de outro: o kim'ekl— 
\ Pfópiiamente dê!e. 

Kiêbi, adv. interrog. De que mo- 
do. Xomo: ubanga — . i' prcn. inter- 
rog. Que quer?| , O quf? Que diz.' 

Kiéji, sub. (III) Abertura por on- 
de entra o peixe na nassa. 

Kiéki, adv. Agora.] Já; neste mo- 
mento: —muene.] V. klà ' D'oravan- 
te, I A começar de agora; a partir 
de hoje. 

Kiela, sub (íll' Jogo sim. Ihante 
ao das damas, j Musete ua — , o tabo- 
leiro em que êle se pratica. 

K éle, sub. (III) ^berc-.-kia fiom- 
bo.l Diz-se das tetas dos animais. ( 
P!. iéle. 

Kiémba, sub. (III) Tarde; a segun- 
da metade do da.|t Kuta — , tra- 
bilhar, cam'nhar ou fazer algo de 
tarde.ll adj. Véspera', vespeitino. 

Kiêne, adj. (111) Exacto; certo. 
I I adv, de afirmação, de anuência, 
de ccnsenstirafcnto,| Sim.| Efecti- 
vamente,! Desta maneira, II Tam- 
bém indica surpresa, admiração: 
Ai simi? manhi — ? Será verdade? É 
ihso possível? Ura essa. .I| — mue- 
ne, loc. adv, É assim mesmo; exac- 
tamente assim, j Ao certo.) — 'eki, 
Assim; desta maneira, j Do mesmo 
modo. I I conj. A' vista de tâl; pois. 

Portanto. || — ' okio, adj. Essa 
cu esse mesmo: o ki mbamba kié — 
, Então; desde esse momento: tunde 
— j I adv. Assim; des^a maneira: 
ukalakala — .| Isso mesmo. 

Kiénga, sub. (III) Utensílio para 
torrar farinha.] Tacho; torrador. 

Kiengéie, sub. (III) Impressão. | 
Influência que uma cousa exterior 
exerce no organismo: u ala nl — kia 
mbámbi. , Sensação; cotroção. 

Kengênge, sub. (III) F16r da pal- 
meira. 



KÍE 



-1J7- 



KIP 



Kiêngi.adj. (III) Diferente: kima 
— | Diverso; distincto; liíkumba-.\ 
Outro.) ! adv. De outra forma ou 
maneira. 

Kienu, adj. e pron. pos^. pi. (contr. 
da prep, kia e do pron. psss. pi. 
enu). Vossa; vosso. ; De vós: klki 
J^lriri—. I Pertencente às vossis 
pessoas: o kljing'eki — ue. \\ —enu 
Propriamente vosso, j Pertencente 
a vós mesmo. 

Kiênze, sub. (Ill) Separação dos 
dois dentes incisivos superiores. \ 
O intervalo deixado por estes den- 
tes. V. pi. lênze. 

Kietu, adj e pron. pos3. pi. (contr. 
da prep. kia e do pron. pess. pi. 
etu). Das pessoas que falím. ! Nosso; 
nossa: — /;/ kuvu'ê, kisangela ki 
uenj'ê. 1 De nós. | j — etu, Propria- 
mente nosso; das nessas pessoas. 

Kiése, sub. (III) Cicio. | | Mukua 
— , adj. Cicioso. 

Kiézu, sub. (IIT) Vassoura; varre- 
douro. 

Ki^a, adv. Porventura. | Possivel- 
mente; talvô-s. 

Kifakasa, sub. (Ill) Película que 
envolve a maçaroca. | Folhelho. 

Kijánda, sub. (Ill) Sol Jado; acen- 
so: — kia soba. | Indivíduo que faz 
parte de uma guarnição. | Infante; 
guerr. iro. 

Kijangondo, corog. Pov. do an- 
tigo cone. da Barra do Bengo, dis- 
trito e prov. de Luanda, est. do 
C. de F. e eimida scb a invocação 
de S. António. 

Kilasa, sub. (III) Mandioca des- 
cascada e pd&sada ao sol. 

K Jafa, sub. (III) Folha tenra do 
íeijosiro. I E' m. us. no p'. i/aia. 

Kijebe, sub. (Ill) Larica, ! Fome. 

Kifele, adj (III) Pouco quantio- 
so. I Pequeno; diminuto. | Pouca 
coisa. II —/e/e, pequenino. 

Kifelu, sub. (III) port. Ferro (de 
grandes dimensões.; | V. IJikete. 

Kijika, sub (III) Compiração. | 
Qualquer fdcto adusido como de- 
monstração, ! Modo indirecto de re- 
preaçntitr uma ideia ou cousa sob a 
aparênc:a de outra. | Narração ale 
górica que envolve a gum princípio 



kuta — . I Alegoria. | Pa- 



de moral, 
rábola. 

Kifikila, sub, (III) De-^confiança 
mais ou meno3 fundada; apreensão 
desfavorável a respeito de alguém 
ou de alguma cousa. [ Suspe.ta. 

Kifikirilu, sub (Til) Anteparo. | 
Biombo; resguirdr; abigo: — kia 
túbia. I fig. Defesa. 

Kifinmiku, sub. (Ill) Diz-se do 
que se deve usar ou servir de borco. 

Ktfikula, sub. (III) port. Figura..] 
V. mutála. 

Kífóío, adj. (III) Cego: - kia me- 
SU. ; fig. Ignoiante. ; | sub. Pessoa 
cega. 

Kifolori, adi. (IIÍ) Va-io; ôco. | 
Balofo; que cede à pressão.! Mole 

Kifokofo, sub. (III) bot. Planta 
herbácea fam. das bgnoneáceas 
{sesamum indicum), de sementes 
oleag nosas. | Gergelim. 

Kifu, adj. (III, Extinto; acabado; 
morto. 

Kifua, sub, (Ifl) Forma ou dis^ 
posição exterior dos corpos. | Con- 
figuração: - kia mukúia. \ Figu-a 
que apresenta um grupo de cousas 
dispostas de certa maneira. |' Si- 
milhanç i : — kirifangana Imagem, 
aparência, asptcto. \ \ Hábito, qua- 
lidade; costume: — kie kiú. \ Caiác- 
ter que reveste alguém. ) Estilo; 
porte; forma; medo. V. pi, ifaa. \ 
Particularidade que faz com que as 
pessoas ou as cousas ss distingam 
das outras da sui espécie: o mala- 
vu'oma ma — Kiêngi. 

Ki{uakasa, sub. (III) O mesmo 
ou melhor que kijakasa. 

Ki(uamu, sub (III) Merecimento, [ 
Cousa condigna; merecida. ' adj. 
Merecido; condigno. 

Kífuba. sub. (III) Oiso: - k'a 
ki tex'á ni xitu. \ f g. Peso. 

Kiíue, adj. (III) Susceptível de 
morrer; o mutu — . | Mortal. | Sirni- 
Ihante a cadáver, fig Inerte. 

Kifulunha, sub (III) Gengiva! É 
m. us. no pi ifufanha. 

Kilufutila, sub (III) Docedegin- 
guba torrada, farinha de mandioca 
e açuCii, pulverisados. 



Klf 



- ÍÍ8- 



KIH 



Kiíukainenu, sub. (Til) Genufle- 
xório. 

KifuKC, íiib (IIT) FuíTío que pela 
acção rio calor se c^espreiule dos cor- 
pos húmidos: kia kixibli. Vapor; 
ínmc:—kia utalale. Força exp nsi- 
va da água vaporizada:— Arza mênha. 
Exalação; mirsraa. | V. pi. ifiike. 

Kiíukinu, sub. (Ill) Escavação; 
desaterro; cova.j Terras rpiuovida.s 
do pon^o desaterrado. ' Bariar.co; 
buraco fundo. 

Kíjúku, sub. (III) Varinha ou ca- 
na em cj'ie se enrold a rama que se 
quere fiar.' Roch. 

Kijukunukinu,, sub (III) Reapari- 
ção, | Resfiu riii mento. ; Ressuriei- 
ção: mu — kia Krisíii. 

Kifulu. sub. (Ill) Espécie de mu- 
cilagem que se forma na superfície 
dos líquidos em ferment^içào. ' As- 
querosidade. Efpuma. V. pi. //u/u 
II Miope. ! catacego: — ni kifofo 
fig. Raiva; cóler;.; irritação; 1 — 
Julu, escuma; bolha. \ O que se for- 
nia à supeifíce das sub-tâncias fer- 
mentadas. 1 Reacção produzida por 
um fermento, 

KilutTibe, adj. e sub. (III) O que 
na divi'ão, tiic a parte maior. | 
Usurpador ] Q que se apossa do 
que lhe não pertence. Salteador. 

Kifunafe, sub. (III) TorceduTi; 
luxação; entorce. | Deslocíição de 
um osso para fora da sua ca Vidade. 

Kifundamenu, sub, (IIIl Quaren- 
tena; quarcsm;i, |L'tb adj. 

Kilunde, sub. (III) Pleitc; de- 
manda. I Testemunho. ' Rei» rêii- 
cia; sinal. ] O que se Hpontí^como 
prova do alegado. | Objecto de 
monstrativo da razão de quem plei- 
teia. 

Ki|une, sub. (III) Est.. lido das 
unhas na cabaça de outrem (como 
que catando-lha) . É m. us, no pi. 
ifiine. 

Kí(i'inga, sub, (III) Almi crevaria. | 
Conjunto de alnoocreves, 

Kiíúsa, adj. e sub. (III) Depra- 
vado; corrupto; indecente, i Torpt; 
porcas; ingrato: — kia inuxima. j 
Despresível; indigno, 

Kifuse-íuse, sub. (III) Sarampo.) 
Varicela. 



Kiluía, sub. (IT[) Hobra feita em 
estofo. I Prega; ruga defeituosa.] 
V, mufnta. 

Kifufe, adj, (ITI) Suador: kubana 

I Susceptível de ser coberto 

ou tapado, \ Qne se pode abafar, j 

sub. Cousa que tapa ou cobre para 

provocar calor, 

Ki{u(ilu, sub. (Ilt) O que serve 
para tapar, O que encobre co- 
mo veu. 

KífufU, sub. (III) Dobradura. | 
Parte por onde se dobrou umí< coi- 
sa e o vinco ou prega que result. : — 
kia mulele. | Peça sobreposta para 
n forço. ' I Bebida ou remédio que 
se toma para suar: 'aitanibula — . | 
Calor. 

K'ííifua, sub. (III) bot. Pequeno 
ai busto tipo das cesalpiniodeas, 
fim. das leguminosas (bóuhinia tO' 
mentosa], de utilidade ornamental- 

Kijufungulu, sub. (III) bot. Plan- 
ta fam. das leguminosas, de ma- 
(i( ira aproveitável. V. niuxakanga. 

Kifuxi, sub. (III) Conjunto de 
(òdas as forças militares de uma 
n^ção. I Corpo cu divição de um 
exército. | Legião, Conjunto das 
lòrças de cada beligerante.!] Multi- 
dão: — hia' tu. ; Maj^ote; ajunt^men- 
tf-; povo. I I bot. P'anta trepadora 
fniii. das Ifguminosas (entaaa scan 
í/e«s) produtora de v igens lenhosas 
de grandes dimensões. 

Kihabika, sub. (Ill) Impulso de 
mão aberta dirig do à garganta do 
adversário, i ' Pn ssão exercida so- 
bre o ga^ganete. || Ciup. | Gario- 
tilho. I Espécie de angina s focan. 
te. I i Novela. ! Composição fabu- 
losa. I Intriga; fi>'?çãc; mentia.V. 
Iioba. |l adj. FiCtício. ] Inventado.] 
Mitológico. 

Kihabu, sub. dll) superl, de habu. 

Ivihabuhabu. sub. (IIIi Desejo 
ardente e insaciável. I Avidês; vo- 
racidade, sofreguidão. ' Muliua — , 
adj. Sôfrego; Sequioso; muito dese- 
joso, ] Insaciável. 

Kihátl^ba, sub. (III) Cipó fu es- 
parto entrelaçado (jueampara, pela 
cintura, o trepador na ascerçãoà 
palmeira ou coqueiro. | fig. Encos- 
• to; apoio. 

Kihanda, sub. (III) Limo. ] Sar- 
ro; borra; pé. 



KiH 



- ii9 — 



KIH 



Kihándu, sub. (III) Peça móvel 
que imprime a direcção do uavio: — 
kia kibula. \ Leme. fig. Regulador. j 
Governo. 

Kihanza, siib. (Til) Lagarta. ! 
Primeira fase da vida dos insectos 
lepidópteros. 

Kihanze, adj, (III) Adulatório ; 
Aduloso. 

Kihauzu, sub. (III) Adulação; 
lisonja- vil. j Dito lisonjeiro. 

Kihafa, sub. (III) bot. Tortuosa 
árvore de pequeno porte, de fls. li- 
sas e flores apétala?, utilisadacomo 
ornamento. 

.'rihâfu. sub. (III) superl. de 
muhâtu. 1 Mulheraça. I Matrona. 

Kihaxi, sub. (III) Epidemia; pes- 
te, j Mal que ataca a muitas pes- 
soas. I fig. Guerra. 

Kihénde, sub. (III) Presidente; 
dirigente. ' Principal | i Chefe de 
uma assembleia, reuaiã\ junta, tri- 
bunal ou congresso. Pessoa mais 
importante pela sua gerarquia ou 
mérito. | É tb. adj. 

Kihenene, sub. ' (III) Rancor; ii 
angi kuatela — . | Ódio disfarçado. 

Hihêíu, sub. (IIi; Mulherona. ! 
Mulher corpulenta. 

Kihima, sub. (III) Macacão, 

Kihíngu, sub. (III) Chamamen- 
to, j Invocação, j Orago 

Kihifa, corog. Região na margem 
esquerda do rio Cacoluvar, circ. 
civ. da Chibia, distr. e prov. da 
Huila. 

Kihiíu, adj, e sub (III) Devasta- 
dor. I Que conduz à solidão. \ Que 
deixa deserto (onde passa). | Des- 
truidcr. 

Kíhoho, sub (III^ Praga acridia 
na. I Grande quantidade de gafa- 
nhotos. 

Kiholólo, sub. (III) Roldana. : 
Polé. i t Aparelho clíndrico girató- 
rio em que, seguro a un pau em 
sentido vertical, se mete a ponta do 
fio que se quere torcer. Instru- 
mento cora que os pescadores te- 
cem a linha com que pescam. | Es- 
pécie dedobidoura. 

Kiholongonho, sub. (Ill) Cavei- 



ra: — kia mutue ua mutu. | Cabeça 
descarnada. 

Kiholua, adj. e sub. (III) Que be- 
be muito — !xia ngó. \ Beberrão. 

Kihombo, sub. (III) Grande bode. 
1 1 — muxi, bot. Sinantéria; suas 
raízes utilisadas para fins tintu- 
riais. I Plantas sinantêreas. 

Kihombonji, sub (IIIi bot. Plan- 
ta frim. das sinantêreas, utilizada 
(as raízes) para f'ns tinturiais. 

Kihonha, sub (III) Epilepsia. | 
Gota coral. Tb. se diz kikonha. 

Kihonjc, sub. (III) Bananal. 

Kihuba, sub. (III) Carraça. [ Car- 
rapato grande (dos animais). 

Kihúhu, sub. (III) zool. Ave de 
rapina. | Grifo \ \ Animal fabuloso 
(misto de águia e leão). \ \ Lepra; 
Cousa nociva e contagiosa: uhaxi 
ua — . 1 1 Atafona; mó. 

Kihuke, adj (III) Bronco; gros- 
seiro. \ Tal como saiu da natureza. 
I ; Muito teimoso. | Obstinado. 

Kihuku, sub. ÍIII) Ignorância; 
falta de saber, j Incompetência. | | 
Ignorantão. -i Bruto. Homem ru- 
de. I É tb. adj. 

Kihumbu, adj. e sub. (III) Pri- 
vado (por corte) de qualquer mem- 
bro do corpo. .Mutilado: — k/a \d- 
nanra. | Mutilo. adj. exortado 

rente. Cérceo. Sem ficar nada 
pegado (do que se cortou). 

Kihúndu, sub. (III) Cerimónia 
baptismal. | Baptis^do.j Festim so« 
lenisador do baptismo, j Banquete. 

Kihungulule, adj". (Ill) Imode- 
rado, j Furioso, desregrado; desco- 
medido, I Que vai correndo. |j 
sub. Torrente. | Grande abuudân- 
cia (de água). 

Kihungululu, sub. (Ill) Desen- 
freamento: — kia uhabu. Furor. | 
Arrebatamento; destempero. 

Kihúnji, sub. (III) Paite da es- 
pingarda onde fica a vareta e res- 
guarda o cano: — kia uta. 

Kihúfua, sub. (III) zool Género 
de aves tribu das columbinas, conhe- 
cido por «pombo-verde». \ \ bot. 
Planta trepadeira (mucuiiia pru- 
Tiens) fam. das urticáceas. 



KIH 



— m - 



K13 



Kihuze, adj. (III) Paradisíaco. |t 
sub. U paraizo. | zool. Pavão. 

Kiiala, ?ub (III) Homenzarrão. I 
H( meni bruto, rude, selvagem: — 
kia iniikuó Tunda. fig. Individuo; 
sujeito. 

Kiiiimba, sub. (III) Cativeiro 
Estado de pessoa cativa, j Tempo 
que dura o cativeiro. 

Kiiari, adj. num. card. (Ill) Do ?: 
ata -•! I sub. pi. Os doi.s: ái — kia. 

Kiiéie, adj. (III) Matinal; orien- 
tal. I Eôo: ixi ia — . sub. Clarão 
Ou o astro da manhã. 

Kiieke, sub. (III) AlacriJade. 
!| Ru\do de muitas vozes (con- 
versando). I Chilreada; tag.^relice; 
chilro. 

Kiiengu, sub. (III) Dança de 
cabindas: kukina -. 

Kiickoioko, sub. (Ill) Esfalfa- 
mento; fiidiga: uhoxi ua — . [ Gran- 
de cansaço; fiaqueza, 

Kiiukilu. sub. (III) Instrui! ento 
para alinhar, aprumar ou indirei- 
tar trabalhos, ou corrigir defeitos. 

Kiiukise, adj. (IH) Que faz endi- 
reitar. I Álinhador. \ Que dá di- 
rectiízes. 

Kiiúku.sub. (Ill) Prática ou exer- 
cício do que é direito: kubanga — • | 
O que podemos ex gir em conformi- 
dade das leis ou da justiça, ] | Di- 
recção seguiJa por aquilo que se 
prole nga em fileira. ] Diíeitura; 
rectidão. 

Kijela, sub. (III) Cabote; olha. 
Panela de duas azas | Caçarola. 

Kijengeiela, sub (III) Escoríi- 
cão; obscuridade. | Sinal; manchn 
— kia manliinga. \ Cíiculo; scmbra: 
I I O cíiculo que rodeia o mamilo. 

Kijiba, sub. (III) Occídio; assas- 
sínio; moite violenta: mií xi mu 
abiti — . i I Matança: — kia jingnlu] 
Carnificina; mortandade. V. pi. 
ijibtt. II — nganga, homcida; assa- 
ssino; facínora. Grande criminoso. 

Kijikame, adj. (Ill) Proibido. , 
Proibitivo, i sub. Causa proibida: 
malu\u am' ate — . j Pro bicão do 
direito de uzar ou fazer algo. 

Kijikijiki, adv. Piolongidamen- 
te« I Com muita demora, 



Kijikilu, sub. (TH) Taramela: fe- 
cho; ferrolho. 

Kijiku, adj. (Ttl) Sujeite; cati- 
vo. Que não tem regalias. sub. 
Cousa; objecto. \ Pessoa que depen- 
de deoutrem. 

Kijíla, sub. ÍIII) Proib-ção im- 
posta pela relig ão, pela tradição ou 
pela lei. | Prescrição; jura: renún- 
cia. I Abstenção; privação de prá- 
tica de ceitos actos: a ngi bana — 
kia kuenda usuku. Abstinência. 

Kijima, sub. (III) Sala de re 
cppção de visití<s. Cenáculo. | \ 
Pátio; espaço vedado. 

Kijimbe, sub. Esquecimento; 
olvido. I Mukua — ,adj. Que se 
esquece facilmente. || sub. Cabaça 
de vento. 

Kijimbise, adj. Que faz esquec r, 
perder a memória. | Que provoca 
esquecimento. 

Kijimbirise, adj. Que desapare- 
ce cu faz desaparecer. | Perecível. j 
Que é pouco durável. 

Kíjimbu, sub, (III) Tumor. ; Ele- 
vítçãô mórbida e circunscrita em 
qualquer paite do corpo do homem 
ou dos animais. ; Abcesso. Apos- 
tema. 

Kijimbuefe, sub. (III) Cousa 
abstrata que chama Outra a me- 
mória, que a faz lembiar. | S nal 
ou marca distintiva. | S nal exte- 
rior de um sacramento. [ \ Cicatriz 
de tumor curado. ] Vulto natu<al 
Uri pele. I Ponto de referencia, j | 
\^estíg:o; indício. ] Palavra pela 
qual os antigos princip avam a 
oração dominical. 

Kijimbuetela, sub. (III) Escoiia- 
ção; mancha (na pele), i Cunhr; 
selo; carimbo. ; Letra em rcupa 
branca. ' Sinal giavado. \ Emble- 
ma. 

Kijimbuluilu, sub (III) O que 
uma toisa querr dizer. [ Significa- 
ção; o Kizuetu ki kamb' ê — . | Ex- 
plicação. 1 S gnificado. 

Kijimise, adj. (III) Que faz ex- 
tinguir, apagar, desaparecer. '. Ex- 
tintor: — kia tubia. [ Apagadcr. | | 
Instrumento com que se apagam 
as luzes que estão fora de mão. h.' 
tb. sub. 1 1 Que se pode apagar ou 
extinguir. 



ntí 



- f2< - 



klK 



Kijimu, sub. (IIT) Apagamento: 
de-aparecimento; extinção. | Abo- 
lição completa. 

Kijinde, adj. Cousa ou pessoa 
desagradável com quem se embir- 
ra. ; Antipático; embiirento. 

Kijinga, sub. (III) Pequeno bir- 
rete de palha com mais ou menrs 
ciiííites com que os sobas simboli- 
zam a sua autoridade. Barrete 
orlado. | Boné sem viseira. 

Kij nganu, Culto secreto. | Misté- 
rio: — kia nzambi. Uogma religio- 
so. ! Tudo que tem uma causa 
oculta Cu nos parece inexplicáv -1.1 
Sígrêdo. [ Crença na possível co- 
muniCciÇão entre o Inmem e a di- 
vindade. \ Veneraçã( ; devoção. | | 
Mukua — , adj. e sub. Devoto. | 
Místico. 

Kíjingu. sub. (III; Mur..lha; cer- 
ca. I Aderno; enfeite. { Cercadura. 

Kjíngu, sub. (III) D.gnidade. 
Grav.dado; brio. i Cargo ou título 
de alta graduação. ; Sentimento 
do dever. | Honra. Distinção. [ 
Deccro V. ungana. | Probidade. ' 
Ornamento; ogulho. 1; Lustre pro- 
veniente de acções iníignes ou qua- 
lidades excepcionais. Preito; ho- 
menagem: hiibana — . Ij arij. Ilus- 
tre; digno: miitu na — . ; Honrado. 

Kijirila, sub. (III) Afeição; incli- 
nação; amizade: e/e u akàinba o — .i 
TenJênc:a natural para uma pessoa 
ou cousa. Simpatia. 

Kijirilu, sub. (III) Faculdade 
adquirida mais pelo hábito que 
pelo estudo. ; Rjt.na. | Costumei- 
fíi; prática; uso. 

Kijirisa, sub. (III) Conhecimen- 
to: — kia mula ki atunda mu kuxa 
nga. \ Conjunto de noções relativas 
a um assunto. ■ Relações pessoais. | 
O que faz saber ou conhecer. 

Kijituinu, sub. (III) O que faz 
soltar, desembaraçar, desatar. | 
Ordem de soltura. 

Kíka, sub. (III) Semelhança com 
os antepassídos. I Atavismo. 1 Pro- 
priedade dos seres repto /utores co- 
municarem aos descendent-^s quali- 
dades ou defeitos que llie eram par- 
ticulares: — kia muifi ua. ] | Pecado 
capital; crime ds origem: — ki atu- 
Xila kuku' eiu. \ Dogma ou preceito 
religioso que se transmite aos vin- 



douros. I fig. ProscripçSo. 1 1 Mukua 
—, adj. Pecador. I Atávico. 

Kikakela, sub. (III) Cercado que 
se faz á beira do rio para se res- 
guardar dos ataques do jacaré. 

Kikála. loc. adv. Salvo se; só se: 
— ngi fuá. A não ser (jus. j V. 
kukala. I corog. Pov. de pescado- 
res na ilha de Luanda. \ '• Apeadeiro 
do C. F. de Benguela. 

Kíkaia, sub. (jll) Crise. ; Escas- 
?és; falta. ;| Tempo sereno e sêco.i 
j Estiagem. ;| Máximo abaxamento 
das águas de um rio ou lago. 

Kikaiabafa, adj (III) Escabroso; 
áspero (ao tacto).' Rude. 

Kikalakalu. sub (III) Trabalho; 
faina. [ Qualquer ocupação mauual 
ou intelectual. | Acto de trabilhar.l 
Labutação; lida. V pi. iKqiaKalu. 

Kikalakari, sub. (lll) Obra: - kia 
ngana Acto; feito. Produto de 
um agente. | Labor. 

Kakalanga, sub. (III) Capoeira; 
gaiola. I Rede para franspoatar 
aves. 

Kikaiangu. sub. (III) bot Plan- 
ta liliácsa [alce littoralis). Alois; 
o seu suco (purgativo). I Aloetina. 
r Planta do género afodelo, de uti- 
liJade medicinal, 1 Babosa; agave; 
ramie. 

Kikále, prep. Salvo; afora. | Ex- 
cepto, j W.katule.W interj. Seja; 
embora; é-me indiferente. Dei- 
xa lo. I ! conj Ainda que; não obs- 
tante. I Ou, ' (Entra na composi- 
ção de várias locuções: — iú, — 
uuá^ éne ainoxi). 

Kikalu. sub. (III) Arranhão; ras- 
gão ligeiro na pele. | Escoriação; 
unhada. 

Kkamate, sub. (III) Forte aper- 
to por meio de laço ou pressão dos 
dedos. , Acto de comprimir. Es- 
trangulação. 

K>kamba, sub. (III) Suissa; bar- 
ba em cada uma das partes late- 
rais da face. 

Kikambamanu, sub. (III) Jus- 
taposição., Aposição. ; adv. Sobro- 
posse; de sobejo; excessivamente. 

Kíkambe, adj. (III) Faltoso; au- 
sente, ! Que não responde à cha- 
mada. 



Ktíi 



— Í22 — 



KlK 



Kihami, adj. (III) Prensado; es- 
premido. I I sub. Resíduo de fruto 
eí-premido. V. pi. ikami. 

Kikánda. sub. (III) Conjunto de 
plantas cujas raíses formam entre 
si um bloco sólido e volante no 
meio de uma lagoa. | Pedaço de 
terra ervada deslocado de um con- 
tinente. I Ilhota flutuante. 

Kikane, adj. (III) Proposto; des- 
tinado; dirigido. I Que tem destino. 
I I sub. O que se destina. 

Kikanenu, sub. (III) Premed'ta- 
ção, reseiva. | Ameaça; propósito, j 
Intenção tomada em mau sentido. | 
Voto. 

Kikanfla, sub. (IIIj Terreiro; 
praça. | Lugar espaçoso era que se 
combate < u diverte, j I top. Lugar 
na ilha de Luanda entre o «Coquei- 
ro» e â «Leio». I I Pov. no cone. do 
Ambiiz, caminho do Bembe, distr. 
de Luanda. | ! — 'a-njila, bot. Ar- 
vore fam. das rub áceas (cantilim 
medusiila) , de utilidade medic nal. 

Kikangalakata, sub. (III) Terre- 
no plano e descoberto. | Esplana- 
da: campo liso.j Largo. 

Kikangálu, sub. (ITI) Transver- 
sário. I i adj. Atravessado; trans- 
verso. 

Kikange, sub. (III) Manchas no 
rosto ou palidês demonstrativa da 
puberdade ou gravides. | Manchas 
brancas na pele. | | Mukua —, adj. 
Mascarino. 

Kikangelu, sub. (IIIi Torresmo. 
E' m. u-<. no pi. ikangetu. 1 1 Uten- 
sílio de cosinlM pata tonar ou íii- 
tar. ] Caço. 

Kikangu, sub. (Ill) Secura; art- 
dês. I Falta de leite (às amas). ! 
Sede continua. | | adj. Torrado; 
sero. 

Kikanzu, sub. (III) Bairro; po- 
voação; f.imília. I Conjunto de fo- 
gos. | Freguezia, território que a 
abrange. 

Kikaselu, sub. (III) Atilho. I 
cordão para atar. | | aaj. Que ata. 

Kikaía, adj. (III) Truncado; mu- 
tilado; aleijado. | sub. Estorvo; 
obstiuçâo; entrave. | Cousa que 
não sai do lugar ou não deixa pas- 
sar ou avançar. 



Kikau, sub, (III) Exercício de 
corrida para disputa de algo. ( 
Campeonato: kuta — . |I adj. Cam- 
pal. V. pi íkau. 

Kikaukau. sub, (III) Anciã de 
beber. I Misto de sede e de cansa- 
ço: ng' eza nt ■- . \ Diz-se do estado 
sequioso de quem percorreu gran- 
des distâncias. 

Kikaxi, sub. (IIT) O que fica da 
cana de açúcar ou do dend^-m de- 
pois de extr.TÍdo o suco: — k/a 
muênge. j Bagaço. 1 i Palpitações, j 
Estremecimentos. | Arrepios. 

Kikéia, sub. (III) Procurador. | 
Medianeiro, encarregado de negó- 
cios de outrem.] Gestor; mandatá- 
rio . 

Kikele, adj. (III) Pióprio para 
ofececer. ! Digno de oferta. || sub. 

que SC ofeiece. | | O que acode 
ao anzol ou à nassa, j O que se 
pode pescar: ioso i afti mu muzu- 
lia — . I Frango do mar; faneca 

1 Peixe (cacuço). 

Kikelekele, sub. illl) A parte 
grossa e espinhosa da hasta da 
palmeira, depois de cortada a im- 
pe la. \ PI. ikelekele. 

Kikelekefe, sub. (III) Espiga de 
milho que não chegou a Completo 
de'^env()lvimento. E' m. us. no pi. 
ikelekete . 

Kikelengu, sub. (III) Esófago: — 
kia ngoinbe. \ Canal estomacal. (Diz- 
•se dos animais). 

Kjkelefu, sub. (III) Corneto, j 
Substância de que se cofiipÕ3 u 
e.-òfago.ll Oáso mole. 

Kikengele, adj. (III) Euviezado' 
esguelhauo. | sub. Soslaio. | Esgue" 
lha: u ala — . i Diagonal. 

Kikengelelu, sub. (III) Imitação 
arremedo. | adj. Pióprib para imi- 
tar. 

Kikemefe, sub. (IIT) Tenesmo' 
puxo. I Dejecção dolorosa de pús 
e outros humores. E' m. us. no pi. 
ikemete. 

Kikenzelu, sub. (III) Coadouro. | 
Espumadeira. | Filtro. 

Kikenzu, sub. (III) Fez; borra 
que fica do líquido coado. E' m, 
ua. na pi. ikenzu. 



KlK 



— Í25 — 



KtlC 



Kikese, sub. (TIT) Invólucro cal- 
câreo de certos moluscos. | Con- 
cha; valva. 

Kikeíe. sub. (III) Ferro. | Ferra- 
menta, instrumento, artefacto de 
ferro. 

Kíki, pron. demonstr. (ITI) Isto. j 
EstH (coisa); este (objecto): k//7/fl 

— ki auaba. \\ adj. determ., desi- 
gna cousa que está presente ou 
próxima de quem fala. ' Oii" está 
à vista; actual. | | adv. Actualmen- 
te; neste tempo. | Agora. | | Aí;sim: 
eie 11 banga — . | Desta maneira. [ 
Do mesmo modo | | interrog. E en- 
tão ? E agora: o — | ! sub. O tem- 
po presente; hoje em dia. 

Kikiá, adv. Nunca; vez nenhu- 
ma. I Jamais. 

Ki-kiene, loc. adv. Não é assim, i 
Não é isso. I Tb. se diz A:/ kieni' ê. 

Ki kiri, loc. adv. Não é verdade, j 
Tb. se diz k/ kiri' é. 

Kíkoakoa, sub. (III) Crista. 
Escrfcêm. ia carnosa na cabeça de 
certos reptis. | Adorno superior do 
elmo ou capacete. 

Kikcka, sub. (lII) Vil pública; 
estrada. \ V. pi. ikoka. 

Kikola. adj. (III) Funes'o; g-^ave; 
perigoso: k' U ki bange, — . | Defe- 
so; não p' de ser. | i sub. O que se 
conpi lera impossível. | O qne é 
contra o dpver, o (iire to, os bons 
costumes, j O que s ■ não deve tojar 
ou praticar. 

Kikolame, sub. (III) Agravo; ofen- 
s?; aumento do mal. | Rdnco-; av. r- 
sãr>; ód o. 

Kikole, adj. (Ill' Agiavòs^s ve- 
xatório. I Que causa tristeza, luto. 
II bot. Aibusto de caules volub- 
ladas, fh inteiras e frutos perpen- 
diculares. 

Kikólo, sub. (III I Desfiladeiro; 
vale: mu — laa Kalunga.\ O cavado 
das áouas. |i Lugnr ou casa onde 
se pratica a circuncisão (no Bengo). 
E' m. us, no pi. ikólo. Sabugo de 
milho (nos Dembos). 

Kikolokôko, sub. (III) Gradeou 
cesto para transportar aves de ca- 
poeira. I Gaiola. 

Kikolokolo, sub. (IIH Cachaço: 

— kia Xingu. \ \ Caluga. 



Kikololo, sub. (Ill) Instrumento 
que raspa, j Raspllha.| Raspadeira. 

Kikolofo, sub. ÍIII) Dor de umbi- 
go. ' Dor ou doença de barriga. 

Kikomba, corog. Pov. e sede do 
posto de Chicomba, circ cv. de Ca- 
conda, distrit. e pov. da HuMa, 
i6.6ia hab, 

Kikombelu. sub. (III) Vasculho.; 
O que serve para limpar, varren- 
do. Varredouro. j | Vassoura. 

K'kómbo. sub. (III) Nome por que 
é tb. conhecido o rio Cub il, ao sul 
de Novo Redondo, distr. do Ouan- 
za-SuI, prov. de B-nguela. 

Kikonda, sub. (III) Guarnição; 
cercadura; orla. ' Cerco: o 'x/ fl //e — 
! Sítio. 

Kikónda. sub. dll) Tegumento; 
pele: — kia mul-ulu. \ Epiderme. 

K'kondekeIu, sub. (III) Abrigo; 
refúgio. ! l adj. Próprio para escon- 
der. 

Kikongo, sub. (Ilh Língia do 
Congo: kiizuela—. j Co-onha: — 
ki ata. \\ bot. Planta f,4m. das 
sinteráceas (tarchonant/ius campho- 
ratiis], de madeira olorosa e proprie- 
dades medicinais. Sândalo. 

Kikónha, sub. (Ill) Hércules. | 
Gota Coral. 

Kikonzo. sub, (III) Valado; sebe: 
kuta —. I Terreno cercado ou defen- 
dido com sebes. 

K kofa, sub. (III) A parte mais 
grossa de qualquer instrumento, 
planta, etc. | Pé; tronco: — kia 
mucnge; o muxi a u kuatela ku —. j 
Pedúnculo; sopé; base. | O pole- 
gdr: mulembu ua — .\ Cabo. 

Kikofe, sub. ('ÍII) Desespero. | 
Zanga ; fúria. 

K kófo, sub. (III) Angústia: — kia 
máxima. \ Sentimento motivado por 
uma desgraça ou perda de pessoa 
querida e pela qual se torna taci- 
turno e pouco falador. , Desgosto; 
pesar; mágua. 

Kíkofo, sub. <III) Sapato. ; Soco; 
tamanco. | | Invólucro que orna a 
pata dos equidas, bovídeos e simi- 
Ihantes; — kia ngombe. O casco 
dos ruminaotes. V. pi. ikoto. 



ÍCIK 



-Í24- 



KIK 



• Kikoíongo, sub. (Ill) Base; raiz: 
— k/a muxi. 1 A parte inferior do 
vegetal ou a mais grossa de uma 
coionha, A parte da h ist-; que 
adere ao tronco, ou de um apêndice 
ao corpo, 

Kíkoua, Fub (III) Pele espessa dos 
grandes qu idtúpedes. | Couro: — 
k/fl pakasa. ' Pele grossa surrada. | 
Cabedal (para calçadoj, 

Kíkoue, sub. (III) Aclamação. \ 
Clamor de aplausos: kukôla — . [ 
Acto solene com se eleva ao trono 
o sobera-io ou seu heideiro. | Pro- 
cbimação: muimbu ua — . ! í Glória; 
victória. I Ovação estrondosa. | 
Acto de tr unfar do inimigo em com- 
bate ou bitalha. 1 Exclamação de 
aplauso. , Victor. V. kouê. ■ ' adj. 
Victoriidc; vencedor. |GloriliCádo. j 
Triunfado ; . 

Kíkovo, sub. (III) zoo!. Tartaru- 
ga. I Carapaça. | Couraça. 

Kjkóza, sub. flll) Pedaço de te 
eido velho. | Trapo; farrapo. ■ Rou- 
pa velha. ; V. pi. ikóza. 

Kikozo, sub. (Ill) Pecíolo. | Pen- 
dúnculo. 

Kikuákua, adj. (IH) Pretencioso. | 
Guturoso; que fala guturalmente. i ] 
sub. zool. Ave trepadora sirailhati- 
te ao papagaio. \ fig. Miserável com 
ares de importante. 

Kikuálu, sub. (HO bot. Planta de 
raiz medicinal. Legação. Salsa- 
parrilha. 

K'kuámbi. sub. (Ill) zool. Fal- 
cão, i Milhmo. I adj. Rapace, , 
Apresador, 

Kikuáme, adj. (Hl) Que t m feri- 
mentos. I Ofendido j | sub. O que 
fere. 

Kiliuamese, adj. (III) Susceptí- 
vel de produzir ferimento. | Ferino; 
próprio de fera. 

Kikuanga. sub. (III) Ma^sa geral- 
mente de mandioca cosida em 
forma de pão. i O angu brasileiro. 

Kikuanhi. pron. interrog. (I) Que; 
qual; quem: lu arnba — , tu xa — ?, 
í tb, adj, 

Kikuanzumba. sub. (III) mit. No 
me fabuloso por que é conhecida a 
águia: — , nfila i akuatele ndenge, 
rikamba ri akuatakutonoUa. \ | A ave 



em que Júpiter se transformou para 
arrebatar Ganimedes, 

Kikuafelu. sub. (Ill' Pega; cabo; 
aza:— kia risúue. ' A parte por onde 
se pega. 

K'kuaxi, sub. (Ill) Pedaço; fatia; 
lasca (de pão, de bacalhau, de broa, 
etc). I O próprio pão. 

K kuba, sub. (III) bot. Género de 
plantas têxteis fani. das borrragi- 
náceas {cárdia abyssinica), notáveis 
pelas suas grandes folhas brancas. 

Kikubakuba, sub. (III) Impre- 
cação; praga, V. pi. ikubakuba. 

Ktkubala, sub. (III) Engaço. | O 
cacho esbagoado. [ A haste em vol- 
ta da qual se eram os frutos. 

Kikube, adj. (III) Protestatório. | 
Que envolve juramento, protesto, 

K'kuela, fub. (III) Milho torrado e 
reJuzido a pó fino com sal ou 
açúcar. [ Espécie de kifufutila. 

Kikuinda, sub. (Ill) Homem do 
consideração e respeito. | Pe.5Soa de 
influen.ia, de prestígio. | Magnate. 
!| adj. Que tem importância e 
valor. 

Kikuinhi, adj. (III) Decenal. !| 
sub. Decénio. ( Décadó; o que con- 
tém dez unidad s. 

Kikukisa. sub. (III) Modo de 
tornar velho o que se usa. ' Ave- 
Ihatamento. 

KiUukise, sub. (III) O que faz 
avelhintar, deteriorar, íicav velho 
(antes dj tempo). | | Mukua — , adj. 
Avelhant idor. j Que torna velho (o 
que usa) antes do tempo, 

Kikúku, adj, (III) Gasto com o 
u^o. [ Safado; reles. | AvelhantHdo; 
caicomido. fig. Traste. [ \ ^ub. b^t. 
Planta euforbiâcea de propr.edadf s 
medicinais em casos de hemorroidal. 

Kikukumuni, sub. (IH) Sicudi- 
dor. I Esp inador. 

Kikulakaji, sub. 
avançada idade. 
— pngofl, I An cã. 

Kikulu, sub. (III) O pretérito; o 
passado;o que já lâ vai: lembalalao 
— . I Antiguidade; o que e,tá mui- 
to afastado d< actualidade: ngiria 
—, ki ngi jimb' ami—. I Antigualha; 
cousa velha. 1 1 adj. Que é antigo; 



Clll) Mulher de 
Velhi: mele ma 



KIK 



- 125 - 



KIK 



vetusto; velho. | De outras eras. | 
Que vem de longe. 

Kikulubaía, sub. (Ill) Marafona.] 
Mulher despre.-ível. (Diz se de mu- 
lher grosseir.i, de aparêr.cia rústica). 
I Cousa velha ou que tem feições de 
antigo. I Mulher feia. 

Kihulangu. sub. lllll Pelicano. 
V. rikulungu. | | corcg. Pov. e sede 
do posto civil do cone. de Ambaca, 
distr. do Quanza-Norte, prov. de 
Luanda. 

Kkuma, sub, (III) Delicto; p ca- 
do: u angi bange - . Agravo; culpa; 
f ílta. I Transgressão de preceito re- 
ligioso. I Maldade. ] ] Ascr; nojo: 
U angi kuatela — . I Aborrecimento; 
inimizade. \\ Mukua — , adj. Que 
tem pecado. | Transgressor.) Culpa- 
do; vicioso. Mubange a — . Que 
comete pecado. ! corog. Pov. e 
sede do posto civil deste nome, mais 
conhecido por «Chiruuif», cone. da 
Ganda, distr. e prov. de Benguela 
29.129 hab. 

Kikumba, sub. (III) Continente; 
vaso; ceira, ; Conjunto de apare- 
lhos ou utensílios dest nados a cer- 
to fim. I Trem; bagagem. 

K'l<unib', sub. (Ill) Anequim; pri- 
meiros sintomas da puberdade: kuta 
— . ! í A festa da puberdade. | | adj. 
e sub. Púbere; que está ua puber- 
dade. 

Kikúmbu, sub. (III) Dignidade. 
] Grdv da de: — k/a inutu na mujitii. 
I Srriedade. 

Kikume, adj. (uj) Que aborrece 
ou causa aboirecimento. | Aborre- 
cido. 

Kikúnda, sub. (III) Quebra alei- 
vosa da fé empenhada. | Traiinen- 
ti; perfídia; f.ilsa íé. || Desforra: 
vingança; inimizade. 

Kikune, adj. (III) Susceptível de 
ser plantado ou semeado. ] Próprio 
para semear. \ | sub. Semente. 

Kikungulu, sub. (Ill) Tronco; 
canle. | Parte da árvore que perma- 
nece na terra depois de cortada. | 
Pau grosso e comprido. 

Kikunji, corog. Cachoeira do rio 
Cuango, a 5° 5' de lat. S., no distr, 
da Lunda, prov, de Malange. 

Kikúnzu, sub. (III) Porca velha 
de muitos filhos, ngUíu ia — . |íig. 



Carcaça. |! Gafeira. V. p\. ikúuziL 

Kikúsa, sub, (íll) Defeito da pes- 
soi que. no falar, se embaraça, pa* 
rando em certas sílabas e repetin- 
do outras. Gaguès. [\ adj. Tarta- 
mudo. ' Gago. 

Kíkusu, sub. (III) Género de pei- 
xes de água doce. | Perca, vulgar- 
mente conhecida por «cacuço». V. 
pi. íkusu. 

Kikufa, sub. (III) Pacote; embru- 
lho, atado: — Kia niaKezu. \\ bot. 
Leguminosa de propriedades medi- 
cinais (mucuna pruriens) de cujos 
pêlos provocam na pele um pru- 
rido assas desagradável. 

Kikufekute, sub. (III) Contracção 
dolorosa do tecido muscular. | 
Cáimbra. 

Kíkufu, sub. (Ill) Maquinação; 
conspiração; trama, i Conselho ou 
reunião secreta em que se tomam 
resoluções tenebrosas ou de fazer 
mal a uma pessoa: a mu tela — kia 
kíí mu jiba. | Tratado secreto, ! ' 
Emboscada desleal; su'presa vil: — 
ki asueua nguma, nzambi u a ki tu- 
kulula. 1 I Casacão; redingote. 

Kikuue, sub, (UI) Retribuição; 
indemnização. ' Resarcimento do 
dano sofrido. ' Pagamento. 

Kikuxi, adv. interrog. Quanto; que 
preço ? 1 adj. Que número ou 
que quantidade ? V. KUXi. 

Kila, sub. III) Paralis a: uhaxi ua 
— . ! Privação cotnpleti ou diminui- 
ção considerável da sens,b lidade ou 
do movimento voluntário. ' fig. En- 
torpecimento; marasmo. Mukua 
— , adj. Paralítico; que tem ou pa- 
dece de paralisia, 

Kilabanga, adj. e sub. (III) aum. 
de labanga. 

Kilakasa, sub. (111) Tapona; pan* 
cada; sova. 

Kilakuma, sub, (III) bot. Uma 
das muitas variedades de bananei- 
ras e seus frutos {musa ventricosa), 
fam. das plantas citaminâceas. 

Kiláia, sub, (III) Cazebre que os 
caçadores constroem na mata para 
repousar j Sombra. | ' — ngoma. 
bot. Planta musâcea. ' Binanei- 
ra do mato. 

Kilalekelu, sub. (Illi Divertiraeo- 
to. I Passatempo. 



Kit 



Kilálu. adi. (III) Boiante; flu- 
tuante. I Que se move sobre as 
águas. í g. Vaclante; iiresoluto; in- 
deciso. ' I sub. Ponte levadiça ou 
debarcds; ponte móvel. Pontão; 
bo 1 a . 

Kíialu, adj, (lli) B ^r.^an te ; erra- 
dio; dcsofder.ado, j Pró Jior, ; l-Jfika 
l:ia mana ua — . PerduJano; le- 
viano 

Kiláma, sub. (Jíl) boi. Plania -ni- 
forbiâcea de madeiía aprovtilâvel. 

Kilámba, adj. Kxjic;sta. j ] sub. 
Pfssoa encarregada de um mciter 
()ue redunda em proveito de muitos. 
j Palnaita; monitor ; chefe: — kia ' 
xi ni inuvu. \ Autjridade subalterna 
de um Estado. 

Kilambe, sub. (III] Cozinhado. '; 
Cocção; cozimento. adj. Oue s>i 

pode cozinhar. 

Kilambelu. sub. (III) Utensílio pa- 
ra cozinhar. | Panela, caçarola 
etc. 1 1 adj. Próprio para cozinhar' 

Kilandu, sub. (l\l) Falta de cui- 
dado; esquecimento; descuido. | 
Desleixo; negligência. 

Kilánga, sub. (III) Papada: - 
lUa ngulu. A maçã do peito das 
rezes, i Barbela; papeira ! Broncó- 
cele; bócio. | | Papo: — kia sánji. \ 
Inflamação ou tumor na papada. 

Kilangeku, sub. (Illj Previsão; 
previdência. 

Kilangirilu, sub. (Ill) Guarita; 
lugar onde se vigia. | Sentinela; 
guarda. 

Kilangulangu, sdb. (Ill) Poitur- 
bação; arrebntamenlo; falta de se- 
renidade: nzumbi ia — . Inquietação; 
falta de sossego. | Pena. | i adj. Agi- 
tado; perturbado; penado. 

Kilapanga, sub. fllJ) Festa alegre 
e ruidosa. Bródio. 

Kiláu, sub. (III) Incesto. I Mu- 
kíia— ,adj. Incestuoso; impudico; 
torpe.] M. us. no pl. ilúu. 

Kiiau, adj. e sub. (111) Adoidado; 
maluco. I Cismático; maníaco. 

Kiléba, adj. (IH) Oue tem maior 
altura que a ordinária. Alto; ele- 
vado. I Comprido (considerado de 
baixo para cima), i Que se desta- 
ca que chama atenção. , J sub. Pes- 
hoa alta, de elevada estatura. 



— ii(, — KIL 

Kilekelu. sub. (Ill) A última par- 
te de nm discurso. ' .\ última re- 
ronitnJaçào. j Despedimento; fiin.| 
O último acto; a última palavra, j 
.Adeus. 

Kiléle, adj. (ill^ Qup fa? ama- 
rel.-cei, perder n cor, o vi^-or. || 
i^ub. ínstrumrnío com que sc-hmpa 

farelo dos cercais, j Aventador. 

Kilêle, sub. (Ill) P.;ndão; — - kia 
risa. I Bandeira de mi.ho. 

Kilelemu, í-ub. (Ill) Luzniicnto. | 
Brilho. 

Kiletnba, sub. (Ill) jMalelício ten- 
dente a fazer tardar cu esquecer: 
a mu te — . 1 M gia; eucautameatu, 
enlevo. 

Ivilembalelu, sub. (III) O que faz 
lembrar ou recordar. | Acto pelo 
qual a memória reproduz um facto 

1 assado, i Rtc.rdação; lembrança. 

Kilembe, adj. (III) Nupc ai. | 
Pró^^rfo de noivado. ' sub O que 
pode .«er oferecido ai s pais da noi- 
va. I I Mit. Arvore da saúde; do bem 
e do mal. ! i Pl nta que dá a co- 
nhecer o estado de saúde, doença 
«•'umoitede seu dono. ! Pau da vi- 
d'j; planta de virtudes. 

Kilembeketa, fub. {Ill Sombra. | 
Espaço que o sul não alcança: — 
kia pambu ia njila. . 

Kilembu, sub. (Ill) Presente de 
no vado. [ Dádiva; mimo, I O que 
o noivo oferece à lamilia da noiva 
pelo seu ca.-ainento. \'. pl. ilembu. 

Kilemenu, sub. (lII Utensílio pa- 
ra acender lume, | Acendedor. 

Kilétriu. adj, (111) Que lança cha- 
mas: — kia túbia. \ sub. Afoguea- 
mento; ardência. 

Kilénda, sub. (III) Prosperidade.] 
Felicidade; ventura, ]|corog. Pov.e 
posto administr. do cone. de Am- 
boim, distr. do (}uanza-Sul, prov. 
de Benguela, 7.624 hab. 

Kilende, sub. (III) Cacho: — kia 
jindendc \ Rácimo. 

Kilendif, sub, (III) Incertesa; dú- 
vida, i Crença vacilante. 1 | Falta 
de severidade. | O que taz abran» 
dar; amolecer. || adj. Duvidoso; in- 
certo. I Mole. 

Kiléndu. sub. (II!) Careta que 
consiste em deitar a liogua de fora 



KíL 



— m- 



KIL 



Kilénge, adj. (Ill) Hortícola; hor- 
tense. ] Das hortas: mukua — . | 
corog. Pov. da circ. civ. deste no- 
me, freg. de Sant' Ana, distr, e prov. 
da Huila. 14" 5' lat. S. e 14° 6' de 
lat. E., 809 rnts. de alt., 10.543 
hab., deleg. de Saúde e de Fazenda, 
est. telegr. -postal, sanid. pecuária e 
e?iCola primária n." 45 de «Abade 
Arcozelo*. | \ Região compreendida 
na circ. civ do-i Dembos, distrito e 
prov. de Luanda. 

Kilengu, sub. fllí) Urgência 
Apressamento; velocidaJe: kuenda — . 
Celeridade; presteza. ' | adj. Veloz; 
ligeiío; apressado. ' Que se move 
com presteza. 

Kiléri, sub. (HIl Aia; ama: mona u 
kuma -, k' akum ' ê tat ' á ni mam ' d. 
I I adj. Que amima ou acalenta 
crianças. 

Kilêua, adj. (III) Sáfaro; agreste; 
rude: ixi ia — . | Que não deixa me- 
drar. I Bravio; inculto; seco. j ! sub. 
Terra improductiva. 

Kilólo, sub. (IIIl Brigadeiro; co- 
mandante; cabo de guerra: — k/a 
ita. : Guerreador. 

Kjlombe, sub (III) Negror; negru- 
me. ! O que constitue a côr negra. 
I I adj. Que enegrece. 

Kilombelombe, sub (III) zool. 
Corvo; I Gralha; pega. | Género de 
aves corvicidas { j adj Negregoso; 
muito preto. 

Kilómbo sub. Conjunto de forças 
militares. ' Arraial \ \ Lugar de reu- 
nião ou sanzala de trabalhadores.; ; 
Pessoa de vista turva, ou cujos 
olhos não miram na mesma direcção, 
j Assa. 

Kilomboluelu, adj. (Ill; Susceptí- 
vel de interpretação. 

Kilónda, sub. (IIÍ) Ferida; golpe; 
haga. I fig. Injúria; ofensa. 

Kilónga, sub. (III) Cota; saia cur- 
ta. V. pi ilónga. \ i corog. Lago no 
território da Quissama. margem es- 
querda do rio Quanzà, circ. civ. de 
Muxima, distr. e prov. de Luanda 

Kilongoji. sub. (III) Magote; chus- 
ma; rancho. || Multidão; ajunta- 
mento; enxame, j Populacho; turba; 
bando : — ki ' aiu. 

Kiiongololo, sub (III. Crítica; cen- 
sura: -~ ki akinga ngana U, \ Male* 



dicência contra alguém. | fig. Se- 
gredo, 

Kilófe, adj. (III) Sonhado. | Fictí- 
cio ' Imaginado. ' I sub. O que se 
apresenta em sonhos, 

Kiloua, sub, (líl) Lamaçal , Len- 
teiro. , Volutabro: — kiajingulu. |{ 
Sèiimento terroso no fundo das 
agu-is. I Lodo. V. riloua. 

Kiloue, aij. (Ill) Susceptível de 
ser pescado 1 1 Pesqueiro. 

Kilu, sub (III) Sono | Sentimen- 
to da necessidade de dormir. | So- 
nolência. 

Kilua, sub (III) Trato de terra 
que um lavrador pode tral>.alhar 
num dia | Talhão; geira. | Peque- 
no pedaço de terra de lavoura. 

iviluanha, sub (III) Excessivo ca- 
lor do sol comunicado directamente 
Insolação: u âfu ni — | Sol in- 
tenso. 

Kiluanji, adj. esub. 'Ill) Lutador; 

conquistador. | Dom'n3dor por 
direito de conquista. Chefe de 
tribu guerreira: Ngola, — kia Sam- 
ba. ■ [ corog. Pov. e sede de posio 
da circ. civ. dô Cassai-Sul, distr. 
da Lunda, prov. de Malange, 6.741 
hab. 

Kiluanza. sub. dlli bot. Legu- 
minosa de boa madeira, segregan- 
do a casca uma resina branca pare- 
cida com goma arábica. 

Kiluézu, sub. (IIIl Perigo; ris- 
co. ! Probabilidade de perigo: u ala 
mu — kia kufua \ Situação perigosa, 
1 E' tb, adj. V. pi, ituezu. 

Kilúka, sub. (III) Indicação deter- 
minada. ! Nome: ixi, ixi; — , — . I 
Denominação. , Designação. , ; adj. 
Nominal. 

Kiluke, adj. (IH) Adoptado; de- 
signado; qualificado. ■ Que não é 
natural. ; Adoptivo. 

Kilukuluku. sub. (Ill) Calor: — 
kia íúbia | Estado sensível do ar 
quente, \ Grau de calor num corpo 
ou lugar. , , Caloria, 

I<iluku(u, Sub. (III) Aparelho pa- 
ra produzir calor, l ■ Refogado. | o 
que é feito ao calor do fogo: — kia 
marxJki. \\ adj. Calorífico. | Que faz 
calor. 



KI£ 



- Í28 - 



KIL 



Kilule, adj. íIII) Amargoso; ás- 
pero. I (}ue não é doce. 

Kílulu, sub. (lII) Espectro: ng' 
afíka ihutu, manhi —. \ Visão. | 
Ilusão de espirito, j Alma do outro 
mundo, i Espírito errante, <^ue 
vagueia pelo mundo sem destino. | 
íig. Remoinho. | | adj. DesvaTado; 
desnorteado. | Erradio. 

Kilumba, sub. (III) Donzela; Ra- 
pariga nova. j iMoça; jovem. 

Klúmbe, adj. (Ill) Sant-ficado. ' 
Santo: kizuua k/a — . | Celebrado; 
bendito. I | Perfeito em tudo. | 
Dedicadoa Deus. !| Notável; muito 
distinto. I I sub. O que f.n glorifi- 
cado, celebrado, canonizado. 

Kilumbi-Iumbi, sub. (III) bot Ar- 
vore ornamental de fls. permanen- 
tes {paivaensa dadylaphylum). 

Kdúmbu, sub ^111) Sacrifício do 
ferroem brasa. | Operação que con-* 
siste na aposição do ferro canden- 
te no corpo do paciente ou suspei- 
to de delicio: — u azemba u angala. 
I Juramento pelo fogo. 1 Ordálo. 
I ■ Testemunho; dádiva, i O qu° se 
oferece em sacrííicio. |] adj. Fulgu- 
rante; que brilha. 

Kilúmbua, sub. (III) Insígnia: — 
k/a ungana. \ Distintivo de gradua- 
ção em ordens, gerarquias, etc. ! 
Adorno emblemático. ; Galão; di- 
visa; medalha, etc. 

Kilúme, adj. (III) Procriador; cas- 
tiço. I (}ue faz cobrição. 

Kiluminu, sub. (III) Rimbimbo; 
ruido subterrâneo comparável ao 
truvão. ' Fragor; eco forte e estron 
doso. I 1 Repetição do som uma ou 
mais vezes, diminuindo progressi- 
vamente de intensidade. | Ruido 
que re->ulta da gradual duração do 
som. ; Rezo ; rep rcussâo; reso- 
nància. 

Kilúmu, sub (III) Repercussão de 
vozes cu sons ao longe l Lugar 
onde se produz esse fenómeno. | lig. 
Pessoa que, falando, só repete o 
que outrem diz. 

Kilunda, corog Pov. e lagoa na 
área do posto da Funda, a 8" 53' de 
lat. S. e 13" 36' long. E. Gr., cir. 
civ, de Icolo e Bengo; distrit. e 
prov. de Luanda, na margem esq. 
do rio Zonza. 



Kilundu, sub. 'Ill) Espírito. I Ser 
do mundo invisível. | Magnetismo: 
kuxingila — . 

Kilúnga. ?ub. 'lllj D.recção; lado; 
b^rda: u endela kii — k/a niulundu. \ \ 
Bastão: — k/a Muezé. \ Báculo; v - 
ra lusignii do cargo ou função 
de rertas autorid.ídes. \ ' Vara, con- 
junta de porcos caminhando era 
dada direcção: — k/a jingulll. \ | 
Prática ou exercício do que é di- 
reito. \ Rectidão; justeiía. | Exacti- 
dão; lei. I Caminho; guia, 

Kiiúnge, adj. (lllj Dirijível. !| 
sub. O que se guia por si. 

Kilúngu, sub. (Ill) Espera para 
atacar de improviso quem passa, j 
Emboscada: ama tela — .| Cilada; 
traição, j Lugar onde se faz a em- 
boscada. 

Kilungulu, adj. (\\{) Oue não tem 
consciênc a. | Irresponsável. ; Vo- 
lúvel; inconstante. Infiel. 

Kiiiingulule, adj. ^Illj Transferi- 
dor É tb. Sub. 

Kilungulúlu, sub, (III) Mudança 
de forma ou de quali lade. | Con- 
versão; t'ansferèac;a. 

Kilungulungu, adj. e sub. Vão; 
falto de inteligência. | Frívolo! ri- 
dículo; oco: mutue ua — . | Sem 
juizo. 

Kilúnji, sub. (lin Ju zo: tal' enu 
a ku xile — , k' a ku xile mbongo. \ 
Discernimento; tino; bom senso. ' 
Entendimento raciocínio; memó- 
ria. I I Pensamento: mu — mu a ngi 
biti ima i avulu. Reflexão; ideia. 

Kilurikilu, sub. flU) Cavalete. ! 
Armação ou outro utensílio para 
sobre êle se fazer qualquer traba- 
lho. O que serve para fazer, arran- 
jar ou adornar algo. ' Lugar pró- 
prio para o efeito. 

Kiluse, adj. (Ill) Vomitório, j Vo- 
mitivo. [ Vomitado; lançado (da 
bjca'. I ' sub. O que faz vomitar. | 
fig. Asneira. 

Kilufe, adj. (III) Abortado, estra- 
gado; pójrido: riiaki ria — . \ sub. 
Móvito; abort ■. \ Diz se do ovo po- 
dre que a galinha não checou. 

Kiluíu, adj. (,111) Que faz bojo. 
Saliente; bojudo. 



K!L 



-Í29 - 



KIM 



Kíluxa, ?ub. (Ill) Pdixe clúpeo 
uietriuho. I S.xVclhd. 

Kíluza, sub, (III) pop. Pistola. I 
Revólver, 

Kima, sub. (III) Coiàa. | O que se 
diz ou serve de tema ao discur- 
so. II Mistéri ; cousa ou fim desco- 
nhecido, i Arção (feita ou por fazer) 
I Facto. I I Cous-i exagerara, gran- 
de, fora do comum (aiatir. de Kâma). 
I Tu io que ocupa um espaço ou 
lugar. II Sêr; sujeito; individuo. | 
Exemplar: — kimoxi. V. pi. ima. 

Kimaj', sub. (III) Icterícia: uhaxi 
«a— |Derramamento da bilís, 

Kimalanga, sub. (III) zool. Ma- 
mífero carnívoro digitigrado, | 
Hiena. V. Kin^uenha. 

Kimalauézu, adj. e sub. (III) 
Aura; espírito sideral. | jPersona- 
gem mitológica que figura como so- 
brano insigne ou grão-protentado 
no-i contos, fábulas ou histórias: — 
Kia Tnmba-Ndala, u atunda o'xi ni 
riulu.\ Astral. 

Kimáma, sub. (III) Iguaria feit^ 
de gergelim, f irinha e sal,| Matete. 

Kirnamáma, sub. (III) Mulher 
forttí t; d;;sajeitada.|Mulheranga. 

Kitnamánhi, sub. (III) Mulhe- 
rona. | Mulheraça. 

Kimánga. sub. (III) Ceira; saco- 
la. | ICabaça apropriada para guar- 
dar provisões. 

Kimangata. sub. (III) Alimária| 
Cavalgadura! j Pessoa que leva ou- 
tra às cavaleiras, j Cairegador. 

KimbaKa, sub. (IIIJ Construção, 
recinto ou povoação fortificada j 
Paliçada. I Cercado. I Muro. 

Kimbala, sub, (IIIj Canoa larga 
de pouca altura. 

Kimbalambi. adj. e sub (III) As- 
gistente; ouvinte. | O que está pre- 
gOnte. I Mora lor. 

Kimbamba, sub, (III) Carga. 
jAcruzde Cristo: — kia Ngana.\ A 
ç,arga sagrada, j |N, S. dos Passos. 

Kimbámba, sub, (III) Insecto | 
Bicho. I j Piolho: -A:/a mukutu. | Ani- 
maculo. 

Kímbambe, sub. (III) Demarca- 
ção; extrema; limite, 1 Sinal que 



marca meta. I| adj. Confinante; li. 
mitrofe; confim. | E' m. us. no pi. 
iinbambe. 

Kímbambule, adj, e sub, (III) 
Fruta meia verde: rihonjo ria~.\ 
Que não está sazonado: ki ãbi kl 
akabituia-, \ fig. Não preparado; 

fraco. 

Kimbánda. sub. (Ill) Pessoa quf 
trata de doentes. [Mágico; exorcista; 
necromante; bruxo, 

Kimbande. sub. (IIÍ) Firmeza | 
Finca-pé: u d/e— | [Defensiva. 

Kimbangaia, sub. dll) Esqueleto 
(de uma casa): inzo ia — .| Armação 

de madeira. I j adj. Natural da re- 
gião dos bângalas, 

Kimbangalala, sub, (III) zool. Ci- 
garra. |fig. Cantador. 

Kimbangu, corog. Pov. e sede do 
posto civil deste nome, circ. do 
Songo, distr. e prov, de Malange, 
10.463 hab. 

Kimbánji. adj. De lado; de banda; 
de flanco, kue.ida — ||sub. Costela 
grande, j V. /nôá/zy/. | Ladeamento.| j 
adj. Inclinado; náfego. 

Kimbánzu, sub, (III) | Estia- 
gem; falta de chuvas. ! Tempo seco. 
V. Kikala. 

Kimbari, sub. (III) Feitor; mor- 
domo; caseiro.] Empregado rural. | 

Kimbele, adj. (III) Doméático; 

familiar. V. /7z6é/e. i icorog. Pov. e 
sede do pjbto da circ. civ. do Cu- 
ango, diãtr. do Congo. prov. de Lu- 
anda, 13.771 hab. 

K mbémba, sub, (III) Cavaquei* 
ra; conversa; palestra. 

Kimbembe, sub. (III) Albergue; 
cabana; tugúrio, 

Kimbete, sub (III) Certa dança 
executada ao som do tambor. 

Kimbi, sub. (III) Cadáver; morto. 
I \ — KÍa rima, Costado, | O meio das 
costas. 

Kimbiâmbia. sub. (III) Borbo- 
leta j ] —mbiji. mariposa. 

Kimbiámbila. sub. (III) zelo. 

Borboleta grande, diurna, jDanáide, 

Kimbiámbiri, sub CHI) zool. Bor- 
boleta de lingua muito desenvol- 
vida,|Manoglos80. 



KIM 



— 130 — 



KIM 



Kimbiji, sub. (III) Nome genérico 
dos grandes peixes. |Peixão. 

Kimbôa, sub. (III) bot, V. mboua. 

Kimbokota, adj. e sub. flll) Usur- 
pador.] Pessoa que pela astúcia ou 
pela violência se apodera do que 
pertence a outrem. [Salteador. 

Kimbombe, adj. (III) Pingador. ! [ 
sub. Cousa que pingaj | corcg. Puv 
e sede do posto civil do cone. do 
Arabriz, distr. e prov. de Luinda. 

Kimbombo, sub. (III) Garganta, 
(na região doQuanza). V. rikelengii.] | 
Bebii^la feita de milho e fubá de 
bombo. I Espécie de garapa, V. kitoto. 

Kimbondo, sub. (III) Vagem (de 
feijão verde). V. pi. ///zôorjdo] iDiz-se 
do cajii verde, em principio de ma- 
turação: — kia kajá. \ | — kia mulende, 
Estercúlia.l IPlanta têxtil fara. das 
malváceas [hibíseus colyphylusj. V, 
úsa. 

Kimbonga, sub. (III) Mascarado. 

Kimbo(e, adj, (III) Bom. \ Que 
tem bomdade-l A que a lei ou a 
moral se não opõe. | J sub. Delicia; 
cousa boa: ki a mona o — , kublndarna 
k' u mu jimbe; kizuua k' i bua o - , 
mu kubindama miiêne mu uala. \ fig. 
Felicia.l |adv. Boamente: mu — |A's 
boas. I A bem. 

Kimbofo, sub. (III) zool. Nome 
por que na região do Seles é conhe- 
cida a rã.|Batráquio.| V. zându. 

Kimbua, sub. (III^ aument. de 
tmbua. 1 Canzarrão. j Molosso. 

Kimbuambua, sub, (III) Pedaço 
desgarrado de um tecido ou rou- 
pa. | Andrajo, i Peça de vestuário 
já rota e muito usada. E' m. us. no 
pi. imbuámbua. 

Kimbuambuala, sub. (III) Mari- 
posa.] Borboleta |íig. Mulher de má 
nota, que vagueia pelas russ.| Pes- 
soa volúvel, 

Kimbuila, sub. (III) Enxerto.] 
Quisto; borbulha.]! Excrescência, j 
Tumor] Hérnia. 

KimbUKutu, sub (III) Litão. [Peixe 
seco mal cheiroso, ] | lig. j Cheiro 
próprio dos armazéns de peixe seco. 

Kitnbulu. sub. (III) Doença da 
pele*] Varicela I ] Borbulha grande.] ] 
Qualidade de feijão avermelhado c 
casca grossa. 



Kimbuma, sub. 'III) bot. Planta 
medicinal da fâmíjfa ias meliácoax 
(ekebergia senegalensls). M«ntastro.| 
Hortelã silvestre. 

Kimbúmbu, sub. (III) ictiol. M»r- 
lào; e-pécie de atúin. 

Kímbumbulukufu, sub (III) Esta- 
dulho. I Pau ou cnusa tosca, groi- 
seira, desconforme: mãxl ua — . \ 
Corpo esférico mal feito. ] ] adj. 
Grosseiro, rude, 

Kímbunda, sub, (III) Grande tra- 
seirojNádega desenvolvida ] Cuada. 

Kimbúndu, sub. (III) Língua dos 
naturais d-- Aigola: O putu i longa, 
— ki longolola. 

Kimbundungulu, sub, (III) Tor- 
so. [Prtrte perpen licular e móvol 
dos seres vi vos, ] Qualquer m-mbro 
.«eparado da parte principal; —kia 
mutue uamutu;— kia lukuaku.] Cepo; 
toro] Pedaço de tronco ]]adj. Trun- 
cado; descabeçado; mutil-.do. 

Kimbúngu, sub. (lII) Bigorna; 
cavalete. ] Armação de madeira em 
que assenta o pau que suporta a 
travessa em que giram as roldanas 
de tecer cordas ou linhas de pes- 
car. I Sustentáculo; suporte. | ] zool . 
Lobo. I fig. Humem pobre e denar- 
ranjado: ngarlama — .] Miserável. ] | 
bot. Arbu^íto espinhoso, fam. dAs 
salvadoráceas {ázima tetracantha\ 
utilizado como escova na Umpera 
da boca. 

Kímbungu. sub. (III) aum. de 
mbunguiTiombeta grande] Dente de 
elefante que serve de buzina. 

Kímburi, sub. (III) Qualidade de 
banana conhecida por «banana ma- 
caca.» ]V. Kámburl. 

Kimbuua. sub. (III) Espanto. | 
Assombro. ] Susto. | ] Mukua—, adj. 
Que se impressiona ou espanta fa- 
cilmente. [Assustadiço. 

Kimene, sub. (III) Principio d^ 
manhã. jAntes do romper do sol.| 
Manhã, matinada. 

Kimenemene, adj. (III) Matinal; 
matuiino; muito cedo.! | sub. Espa- 
ço de tempo entre o amanhecer e o 
romper do sol. P.incipio do dia.j 
O aminhecer. ] adv. De manhã 
cedo; mu — , 

Kinienga, sub. (III) Parte de pa 



KIM 



neli que serve de fi igideíra:- A-/fl 
kukangela /;/ô///. Panei i ou pinto 
rachado ou partido: — kia ' mbla.\ 
Caco. 

Kimi, adj. Palavra que se pospõe 
ao subst., significativa de respeito, 
consideração ou estima: muari'a — ; 
ukou'a-; riiala ria-; mon'a~, etc. 
Caro; est.madc; quirijo; amado, 
etc. 

K'miku, sub. (Ill) Dança das 
espádua;-: kukina -. \ Inclin ção do 
busto em movimentos rápidos. 

Kiminha, adj. e sub. (ÍII) Ab^or 
vedor; voraz; devjradoí |Que traga 
ou cogo\&: —nguliiria. \\ Insaciável; 
destrui lor. I I sub. O que devoía ou 
arruina ben-ou fortunas. |Sorvedou 
TO. \\— minha, bot. Planta utilizada 
como contra-pt çonha. 

Kimiiiu, sub. (III) Economista: 
— mu Aruzí/flíal Proveito que resulta 
de gastar pouco. 

KimioKoto, sub. (III) Quadril] 
V. pi. imiokoto. 

Kimiongofo, sub. (III) Ilharga; 
lukuaku /7ZU— . jLado; cintura. 

Kimisa, sub. (IIIj Exuberâacia| 
Viço. 11 Mukua — , adj. Que faz vi- 
cejar, medrar, frutificar. 

Kim'cKÍo, loc. pron. Essa coisa; 
isso:— ki anhungu. 

Kimóma, sub. (IIi; aument. de 
móma. \ Piton. 

Kimome, sub. (III) Pungimento' 
picada, j A sua cicatiiz. | Sinal 
fundo de ferida ou ch^ga curada.] 
Í!g. Lembrança dolorosa. 

Kimomesa, sub. (III) Intumes- 
cimento de sinais produzidos por 
tatuagem.] Intumescência. 

Kimone, adj. (III) Espectável. j | 
sub. Cousa digna de ver-se. 

Kimónha, adj. (III) In iolente; 
preguiçoso. 'Tardigrado.j [sub. zool. 
Quadrúpede desdentado de pés cur- 
tos.] Preguiça. 

Kimono-mono, sub. (III) bot. 
Planta iam. das mel áLe'dS(melia dú- 
bia), de boa madeira. V. mumbo- 
mbolo. 

Kunoxi, aoj. flll) Urn.|Quere- 
preseuia uma só coi a: A/otíj — . ] Siu- 
e;ular; individual, i Certo; qual- 



- <3Í - KIM 

quer: boba bu alenge kimbungu — , 
\ ! Indiferente; igual: kiene—. | Simi- 

Ihiute; roesma coisa. | ] , ] Um 

de cada vez.| •'ub. A primeira coisa 
entre muitas. ]Unidade. 

Kimuana muana, sub. (III) bo^. 
Planta herbácea Ue propriedades 
m diciíia s. 

Kimuanga, adj. e sub. (IlIiSe- 
para tis ta; separador: — mabata\Q\ie 
é motivo de sepirnção, causador 
de d scórdasi , Espalhador. 

Kimuanhu, adv. Vagaroíamente; 
apouco e pouc^. j Lentamente. | 
De vaga r. 

Kimuenge, sub. (III) aument. d® 
muêíige: — , ng'a kí fila o kuíúkO' 
soxi ia Ki zanga. 

Kmuézu, ódj. (Illj Birbado; bir- 
budo. ' De birbas compridas, ]| 
sub Baiba crescida e mal cuidada. | 
Barbaçana, 

Kimuih'nu, sub. (III) Utensílio 
para alumiar. ] Lâmpada; lanterna; 
farol j I Alumiador. 

Kimúna sub. (III) Alimária. [ 
Besfa; animal d -mestiço. I] adj. 
irracional; quadrúpede; bruto. 

Kimúua sub. iIII) Sossegame to. 
' Tranqu.liddde. 

Kina, sub. (III) Cova; sepulturi. 
Furna. 

Kiná, pron. Aqu lo. j ] adj. e 
pron. de onst. Aquele; aquela: 
Kinama — kia ngombe.' AqueV outro. 
I ] adj. Então; nesse ou naquele 
tempo ou ocasião: tunde — . | j adv. 
De longe; além: ngi mu talela — . 

Kinaka, sub. (III) Húmus: mavu 
ma — . i Terra lodosa em que se de- 
senvolve a vegetação no tempo daa 
chuvas: ixi ia — . • 

Kináma, sub. (III) Perna; pé. ' 
Mão (dos quadrúpedes): — kia hombo' 
I Pata. V. mukoto. 

Ivinâna, adj. (IIIj Que faz grande 
vulto. I Volumoso. |1 adv. De graça: 
Ixúria kua—. | A' granel: ia — . | 
Sem conta. 

Kinanenu, sub. (III) Esticador. | 
Utensílio para retesar. 

Kínanese, adj. (III) Que faz le^ 
Vidar, aumentar de volume (devido 
ao fermento^. 1 1 Exagerado; hiper- 



KIN 



— 132 — 



KIN 



bólico. I Que torna as coisas maio- 
res do que são. | ] sub. Levedura. | 
Fermento. 

Kinanga, sub. (IIIi Lugnr de 
estar. | Largo; praçi. fig. Mercado; 
feira. | top. Lugarejo à bera da 
praia, ao sul da ciJade de Lumda. 

Kinangenenu, adj. (III) Que faz 
demorar. | | sub. Demora; tardança. 

I Delonga. 

Kinangenu, sub, (III) Cousa que 
faz ou ajuda a passar o tempo. 1 
Acompanhamento; companhia. 

Kinanhi, adj. e pion. interrog. 
(III) Que; qual coisa (entre várias). 
V. nanhi 

KinaxiXi, sub. (III) Tremedal; 
pântano; charco. | Poça formada 
de água das chuvas. 

Kínda, sub (III) Artefacto de 
mateba em forma de bacia. \ Teiga; 
cesta: — kia mbonge. \ Cesto para 
condução de materiais de constru- 
ção. I I Cestinha de palhi euíeitada 
a cores (na ilha de Luandaj: — kia 
kazaiiga. \ Balaio. 

Kinda. adj. num. ord. (IX) port. 
Quinta. [ O dia de quinta-feira. V. 
katanu. 

Kindala, adv. (III) Já; sem de- 
mora; ndê — . [Neste instante: — 
ki atundu boba. | Imediatamente. | | 
— ' eki, Agora mesmo. 

Kíndanda, adj. (Ill) Teme-ário: 
arrojado: ^ mon' a ngola, ngoma j' 
aburika ni luânha. | | Audacioso. 

Kindandalakafa, sub. (III) Corpo- 
lència: — kia mukutu. \ Robustez. ! 
Musculatura. 1 | Mukua — , adj. Ro- 
busto; forte. I Alentado. | Corpo- 
lento 

Kindangala, sub. (Ill) Investida; 
intimativa: kuta — . | | Ultimatum. 

Kindaula, adv. Agora. | V. kin- 
dala. 

Kindele, adj. (III) De côr branca. 

II sub. A côr branca; alvura: /aôa 
la —. I fig. Límpido. 

Kindemba, sub. (III) Cabeleira; 
crina. [ Pêlo comprido de certos 
animais. | Felpa; penugem. V. 
útongo. II lAukua —, adj. Peludo; 
cabeludo. | Que tem penugem. 

Kindembendembei aub. (III) Pe- 



nacho; poupa das aves [ Pluma. 

Kindombo, sub. flll) bit. Rima 
de batata doce. É m. us. no pi. 
indombo. 

Kindondoela, sub. (III) Delícia; 
prazer. 

Kindongo, adj 'III) Dá rápido 
desenvolvimento: mbutu ia — . | Que 
cresce muito e facilmente. || Agi- 
gantado; granJe. | Isub. Pessoa alta 
e robusta. 

Kindukuíu, adj. (IIIi GorJalhuJo; 
anafado. 

Kindúlufu. adj. e sub, (III) Bru- 
to. I Que iiã ) tom instrução | O 
quenàosab; n nn compreende. 

Kindumba, sub. (III) Toucado | 
Penteado em firma de leque usado 
pelas mulheres de Luan a. { Cabelo 
farto e bim cu dado. | Tppete. 

Kimdúmbu, sub. (III) Cobertor. | 
Capa que desce até ais pé-: u azuãta 
— . ■ Manta. | Cjbr jãc; abafo. 

Kindungu. adj. (III) Que tem fu- 
riosidade. | Lúbrico, j Voluptuoso.] j 
sub. Pessoi sensual ou lasciva | 
fig. Mulher pública; h-rvoeira. \\ 
pop. Dança desordenada de indíge- 
nas em quft há animação e lubri- 
cidade. 

Kinema, adj. e sub. (IH) Aleija- 
do. I Anómalo: u áxala — kia lu- 
kuaku. I Minco: — kia kinama. | 
Pessoa defeituosa. 

Kinemenu, sub. (III) Peso. | Tu" 
do que carrega, oprime, cança ou 
molesta. | | O peso das cargas, j 
Gravidade. 

Kinene, adj. (IIIj Demasiado gran- 
de: o' nzo i akulu — . | Nurotroso; 
excessivo; avultnd ). | Abundante; 
considerável: avàlu — . | Muito: 
íl arimuka — | | adv. Primorosamen- 
te: u auàba — , ! Demai'^: u asakata 
— • I I Cora tanto; basta quo: — tu 
ábixilã. I Tanto; de tal modo: u 
azuela — . | Tal; tão grande. | Em 
quantidade. 

Kinenenene, adv. Excessivamenta 
grandí. | Profundamente vasto. | 
Grandemente extenso. ] Demisia- 
daniente avultadj. j! adj. Muito 
grande. | Enorme. | Imenso, j Nu- 
merosíssimo. I Que não se pode 
contar ou medir. 



Km 



- 155 — 



KIK 



Kinefa, sub. (IIIj Osso da bacia. | 
Púbis. 

Kinga, corog. Afluente da mar- 
gem esquerda do r.o Cuanza, na 
circ. civ. de Címbambe, dlstr, e 
prov. de Luanda. 

Kinga, interj. Alto! Espera! V. 
kukinga. 

Kingálu, sub flll) Balaio de luxo. 
Açafate enfeitalo a mistanga de 
várias cores: — kia Pungii' a Ndongo 
ki samba nvuarna, ngariama u ki te- 
kujiilango. I Cou:a bonita, de valor 
estimativo. 

Kingána, sub. (III) Mamífero 
quadrúmano. | Macaco grande. | 
Baduino; macaco-cão. 

Kingandu, sub. (III) zool. Ara- 
rão. I Arrebatador; destruidor; san- 
guinário. I Cobarde. 1| bot. Planta 
fam, das leguminosas (tephrosia VO- 
gelii), de propriedades narcóticas. | 
Titim. V. kajóto. 

Kinganga, sub (III) Mau sacer- 
dote. Falso profeta. | Fingido; hi- 
pócrita. 

Kingangaménu. adj. (Ilt) Que 
faz azedar. 1 Que tem acidez. | 1 sub, 
O que torna azedo '-u acerbo ao 
paladar. 

Kingange, adj. (111, Da côr da 
carne, | | ictiol. Roaz, | Mamífero 
cetáceo do gen. golfinho, tb. conhe- 
ci lo por «portomarinho». | Toni' 
□ ha. 

Kingánja, sub. (Ill) Casa de reco- 
lher cereais. | Armazém; celeiro. V. 
pi. ingànja. 

Kinganji, adj. e pron. Certc; tal: 
múxi ua — . i T-^nto: o mbiji nga i 
sumbu — . I Não bera definido. 1 1 
pron. demonstr. Isto; aquilo. 

Kingeleji. adj. e sub. (III) port. 
Inglez. I Britânico. 

Kingelengele, sub. (III) Biinco. | 
Arrecada; pingente. | Campainha; 
uiso. 

Kingelengende, sub. (III) Caco 
de castanha de dendem. V, kibala- 
■tendu. 

Kingenge, sub. (Ill) Corrente; 
prinão; algema. | Cadeia. | Estado 
de quem se acha preso: a mu te bu — . 

Kingéngu, sub. (Ill) Côr averme- 



lhada e brilhante. | Púrpura. || 
Pufpurino. 

Kingô. sub. (III) Gratuitidade. | 
Favor. || pron. Nada; cousa nenhu- 
ma. I I a iv. De favor. Gratuita- 
mente. I V. ngô. 

Kingoho, adv. Em vão. | Debal- 
de. I Inutilmente. 

Kingoie, sub. (III; Mexilhão. V* 
pi. ingole. 

Kingololo, sub. (III) zool. Batrá. 
quio anfíbio. | Rã. | V. pi. ingololo, 

Kingolongolo, sub. (III) Anima^ 
articulado miriápode. | Eacolopen- 
dra. 

Kingolongondo, sub, (III) Traste 
velho de pouco valor. | Objecto que 
chocalha quando levado de um 
lugar para o outro. V. pi. ingolo- 
ngondo. 

Kingómbe, sub. (III) aument. de 
ngómbi. I Búfalo. | | corog. Pov. 
do cone, do Ambriz, distr. e prov. 
de Luanda, na margem direita do 
rio Loge. | | Pov. do cone. e circ. 
civ, do Dande, na margem direita 
deste rio, distr. e prov. de Luanda. 

Kingombo, sub. (III) bot. Planta 
malvâcea (hibiscus esculentus), de 
folnas e fruto e mestíveis. | Quia- 
bo. 1 Nafé. 

Kingóngo, sub. (III) Bexigas. [ 
Varíola. | Os sinais que deixam na 
cútis. 1 1 — kia riláji, Bexigas doi- 
das. ) Varicela. | | Mukua — , adj. 
B.-xigoso. 

Kingori, sub. (III) Coque. ( V 
rikôndo. 

K'nguálasa, sub. (III) Garça. V 
nhânge- 

Kinguángua, adj. e sub. (III) 
Usurpador, I Pessoa que se apossa 
do alheio por meio de barulhos ou 
desordeds propositados. | Homem 
sem escrúpulos. 

Kinguanjí, adj. e sub. Canibal; 
antropófago. | Asqueroso, cruel, 
infame, i Homem esgrouviado, feroz 
e escanzelado. V. pi. inguanfí. 

Kinguári, sub. (III) zool. Perdi- 
gão. 1 1 corog. Pov. e sede do posto 
de Chinguar, cone, distr. e prov. do 
Bié, 14.919 hab., Deleg. de Saúde e 
de Faz., Juota local, est. telegr-poa- 



Klil 



-<54- 



KÍN 



tal de I.» cl. e de C. F. B. e escola 
prim. n.'' 50 de iSezinando Marques». 

Kinguarinha, sub, (III) zool. Ma- 
rabá. I f)g. Pessoa magra e de alta 
estatura. | Homem feio e de pernas 
compridas. 

Kinguénha, sub. (III) zool. Hiena. 
I Quimalánca. 

Kmgululu, sub. (IIIi bot. Sorgo | 
Trigo de côr verm lha. | Milhete. 

Kingulungumba, adj. e sub. (III) 
Bandido: — maíi. \ Malfeitor [ Que 
assalta ou acomete de improviso. | | 
sub. Ladravaz. 

Kingúmba, adj e sub. (III) Bm- 
doleiro. | Malvado. | Violador; in- 
truso. I I sub. Punhal de grandes 
dimensões. | Espadim. 

Kingúmbe, sub. (III) zool. Ave 
pernaíta. | V. ngambe. 

Kingúndu. adj. e sub. (III) Aven- 
tureiro. I Despovoador. | Hostil; 
inimigo capital. 1 Provocador; agres- 
sivo. I Colono. 

Kingungu. adj.e sub. (III) Ron- 
cador. I Que ttm resonânca. i Que 
produz rumor. | Eco; som repetido. 

I Lugar onde se produz o eco. V. pi. 
ingungu. I 1 corog. Bairro na pov. 
de Caxito, circ. civ. do Dande, distr. 
e prov. de Luanda. | \ — ' a-njila, 
zool. Grande ave fam. das penelo- 
pidas, assim chamado em razão da 
sua voz similhante a um gemido 
rouco, lúgubre e prolongado. | Peiú 
do mato. | Tucano. V. mungómba. 

II _ >a'XÍtu, Ave de rapina vultu- 
rida I Condor. | Brita-ossos. | Abu- 
tre. I íig. Homem rapace. V. 
kinhungu. \\ bot. Arvore fam. das 
Itguminosas {brachystegiz rizomato 
sa), de madeira resibtente. V. mu- 
sumba. 

Kingungunu, sub. (Ill) Abeíhão. 
I Zangão. 

Kinguri, sub. (III) Tronco de 
descendência. | Pessoa de que prin- 
cipiou a origem de uma família. ] 
Genitor; procedência. | Ponto de 
que principiam as raízes de uma 
planta: o — vuâla o kiringu. \\ adj. 
Que procria; que faz germinar. | 
Gerador: ascendente. V. nguri. 

Kingurila, sub. (III) Acidez do 
estômago. { Azia. 

Kingufu, sub. (III) Colherão; co 



Iher de cozinha: — , k' aleng ' ê imbiã 
i atema. \ Concha (para Bopa). j ] 
Colherada. 

Kinguvu, sub. (IIIj Instrument» 
musico que faz efeito de bombo, j | 
Hipo{)otam(\ V. ngúvu. 

Kinhami, sub. CIII) Sentim-n o 
de atracção moral. | Afeição; ape- 
go, s'mpatia de um f lho por s^us 
pii3. I Amizade; amor: — kia mona 
ni main'à. || Querença. || A tecto 
que o animal tem ao domi íli j ou 
ao àcu dou ■. 

Kinhenge, sub. (Ill) Mágua; lió; 
— kia '^.uxima. \ Impu so pelo qual 
desistimos c!e ser severo~. , ! Alukua 
— , adj. Sensível; compas.-ivo. 

K nhengete, sub. (Hl) Paixão: 

mak' nma in' abtkela — l:u máxi- 
ma. I Impressão viva. | Giande pe- 
sar, deFgosto, pena. 

Kinhi, pron. int^rrog. O qne é 
(isto)? I Qut ? !| — ' eki que cousa 
é e.ta? I I — kiene, u que foi ? O que 
aconteceu ? 

Kínhinga. sub. (III) Acto de en- 
rolar. 1 Enroscadura. 

Kinhínga, sub. (Ill) Quantidade, 
poça, abundância de sangue detra- 
rnadr: o soba ia íba a i kaia. k' a 
i tambaVá — . | Cruor. 

Kinhoka. sub. (III) Cobra grande. 

1 Casa de do's Compartimento- de 
frente e um de fund : inzo ia — |- 
EsquHdria: kubanga — . j íig Lan- 
ça: fome. 

Kinhonga. sub. (ili) Cintura. | 
Patte dos vtstidos que cobre a i iu- 
tura. 

Kinhongoío, sub. (m) Cóhca: — 
bu ngômbo. \ Uôr de b.rriga, 

Kinhúnga. s.ub. (Ill) L «anviito 
do prepúci(>. | Freio. | Muhua — , 
adj. Que tem freio (no prepúco). 

Kinhungu, adj. Vortiginoso. I Que 
se move em rodopio ou remo nho.l 
Voiticoso. l| sub. Tuibilhàt ; vó,- 
tice. I Tromba. | | zool. Ave .le rap - 
na tipo das vulturidas. | Abutre. | 
Águia pesqueira. 

Kinjánda, sub. (III) Rancho. | 
Porção de comida pertencente a 
cada trabalhador. 1 Comida para 
soldadoã. 



MlM 



- ÍÍ6 - 



KlN 



Kinjandanda, sub. (III) zool. 
Aranha. 

Kinjangu, sub. (IIL Cimitarra. | 
Espada de lâaima larga e curva, j | 
H st. Alcunha de guerra do general 
Geraldo Victor. 

Kinjangufu, sub. CHI) Mastigató- 
rio. Ij Utensílio para triturar ali- 
mentos. 

Kinjanjima, sub. (III) bot. PI nta 
têxtil med cinal i m casos de icterí- 
cia. I fig. Agua dente. 

Kinjenge, adj. (III) Faustoso: 
opolento; rico. | i sub. Homem abas- 
tado. 

Kinjénje, adj. (III) Dano; avaria; 
prejuízo. I I corcg. Pov. e posto 
deste nori.e na circ. civ. da Ganda, 
distr. e prov. de Benguela, 22.026 
hab , junta local, est. postal e de 
C. F. B, e escola rural n." 46 de 
Fernão de Oliveira. 

Kínji, corog. Antiga pov. na mar- 
gem dirtita do iio Honzo, na região 
de Nanibuang Dngo, circ. civ, do 
Ambriz. distr. e prov. de Luanda. 

Kínjila, sub. (III) Passarão. \ 
Pdssarolo. I I A maior das aves per- 
naltas. | Avestruz: - kia uneneki 
tandula o uànda... 

Kínjima, sub, (III) Acção malé. 
vola. I Pecado. | Deshum iuidade. | 
Acto pecaminoso; crueldade. 

Kinjondo, sub. (III) Coto. | Resto 
de um membro amputado: mulembu 
u a mu xala — . 1 1 adj. Decepado. 

Kinjóngo, sub. (III) zool. Gafa- 
nhão; -icrídio. | Peste acridiana. | | 
adj. Famélico. V. pi. injóngo. 

Kinjônjo, sub. (líl) Beliscão; 
unhada. 

Kinjofo. sub. (III) Estorcegadu 
ra. I Belibcão (d ido retorcendo a 
pele com as unha^). | | Kuta — . v 
tr. fcistoicpgar. | Feiir lev.:mente 
(corLi as unhas). 

Kinjúmbu, sub. (Hl) Mortií ca- 
ção; castigo. 

Kinôno, sub. (III) Carepa. | Lu- 
ziineuto que se m nifesta pela re- 
sumação no rosto de algumas p 3 
soas. i p. ext. Suor. | | Mukua —, 
adj. Carepoáo, | Qu : tem Cdsp^j. 

Kinoíoto, sub. (III) Friagem. | Fri- 



aldade. I O que é frio. | fig. Gelo. 

Kinu, sub. (III) Gral; almofariz.] 
Vaso para triturar com pilão. | — 
k/fl mulóko, almofariz onde se tritu- 
rara ervas e prepara o jutamento 
do mbulungu. 

Kinue, adj. (Ill) Potável; bebí- 
vel. I BoTi para beber. | | íub. O 
que se pode beber. 

Kiníihise, adj. (III) Perfumante. | 
Que exala ou deita cheiro. || sub. 
Planta aromática. 

Kinuínu, sub. (III) Bebedouro, | 
Vaso ou copo por onde se bebe. 

Kinúme. adj. Da mesma opinião: 
do mesmo som, | Concordante; har- 
monioso. I Acorde. 

Kinuminu, sub. (III) Concordân- 
cia; conformidade. 1 Acordo. 

Kinúmu, sub. (III) Ajuste. | Com- 
binação feita entre duas ou maia 
pessoas, j Harmonia, 

Kinufe, sub. (III) bot. Planta 
fam. das gramíneas idactylos tenium 
argypt[acum) utilizada para forra- 
gens. I Planta ferra. | Herva; ca- 
pim 1 I Planta gramínea ornamen- 
tal (permisetum setosum). 

Kinvengefe, sub. (III) Ajunta- 
mento; — kí ' atu. I Aglomerado; 
multidão compacta que segue uma 
direcção. | Vaga: onda; nuvem. | 
Aglomeração de pesssoas em movi- 
mento, I fig. Ataque de fúria; agi- 
tação de ânimo. | | adj. Nublado. 

Kinzalanzala, sub. (III) Glâudala 
abdominal. | Pâncreas. 

Kinzangala, sub. (III) Rapazia- 
da. I Casa onde dormem ou brincam 
rapaz-is: inzo ia — . | Acto ou dito 
próprio d"t rapaz, 

Kinzánza, sub. (III) Fazenda de 
tecido ordinário, V pi. inzánza. 

Kinzari, sub. (III) zool. Pantera. 
I fig. Pessoa furiosa e má, 1 Fera. 

Kizenza, sub, (III) Lezíria; insua,i 
Diz-se da terra própra part. planta- 
ção de cereais depois da retirada 
das enchentes dos rios. ) Alagaçâo; 
espraiamento (das águas). 

Kinzenze, sub, (III) bot. Planta 
iam. das araliáceas {cussofiia ango- 
lensts) . medicinal e aproveitada pa- 
ra Sombra. V. musása. 



KlN 



— Í36 - 



kl£^ 



Kínzo, sub. (III) Casarão; grande 
armazém. | | Casa onde se reúnem 
as vendedeiras de géneros alimen- 
tícior. I Mercado. 

Kinzongolo, sub, (III) Género de 
aves de tarsos comprido?: sanji ia-. 
I Ave fam. das pernalta-: njlla ia — . 
PI. inzongolo. 

Kinzona, sub. (III) Sentimento. 
mágua: — k/o muxima. | D sgostc; 

Kinzonji, s,ub. (III) Planta ali- 
mentícia, fam. das leguminosas 
{cajanus indicus) . \ A vagem desta 
planta. 

Kinzuá, sub. (III) zool. Cegonha. 

Kinzúngila, sub. (III bot. Planta 
fam. das leguminosas, de utilidade 
ornamental. 

Kinzunzumbia, sub. (IIIJ Silhu •- 
ta de um corpo, | Sombra. | | Ima- 
gem confusa. 

Kióhe, adj. (III) Que queima ou 
abraza. | Escaldante; abrasador. 

Kióhela, sub, (III) Resíduos ou 
fezes que o tabaco deixa do cachim- 
bo, ! Sabuira, 

Kiôho, sub. (III) Sabor; palada-: 

— K/fl makunde. \ Diz-se do grau de 
consistènc a que se dá a certa? 
iguarias, | Ponto. | ] Essência; su- 
blimidade. I O mais alto gr^u de 
perfeição! ndê u tale o —. \ O máxi- 
mo Ja beleza, do bom gosto. 

Kiohóia, sub. (III) Fulig-^m que o 
fumo do tabaco deixi na boquilha: 

— k/o muKanha. | Nicotina. || adj 
Constituição da essência. | Especial; 
característico. | | Nicótico; nicotmo. 

Kióhio, adj. e pron. demonstr. da 
cousa próxima da pessoa com quem 
se fala. Esse; essa' | Ess' outro: — 
k/ma K/fl ngene. \ Isso. PI. ióio. \ i 
interj, de surpreza. Ora tomai Ora 
aí está! Assôa-te nesse guarda 
napol 

Kiôlo, adj (III) Melhor; inttres- 
sante; superior. | Bom. || sub Nata; 
creme. | A melhor parte de qual 
quer cousa. | O mais importantt-; o 
bonito. I A fina ílôr; o escol. | | adv. 
Mais bem, 

Kiômbo, sub. (III) zool. Javali; 
porco moQtez. 

KiondOf palavra com que >• for- 



ma o futuro f'os verbo?. Há-de: Ó 
Kiania — ' fua (ou Ku/ua). \\ conj. 
No momento em que. ( Quando: 
muene ~ tunda, eie u boKola7 j As- 
sim que. 

Kíônene. sub. e adj. (III) Grande: 
Kima — . I O que é grandioso, de ta- 
manho maior. | Em ponto granie. 
(Melhor escrever K/a unene). PI. 
iônene. (ou ia unene). V. unene- 
nené. 

Kiónga, sub. (III) Reunião de 
pessoas (para fim útilj. Ajuntamen- 
to; conferência; conselho: ãte — . | 
Assemblèa dos maiores da terra: — 
K/fl niaKota. \ Conjunto de pessoas 
que regem um Estado, ua^a N ção. 
I Instituto; ordem. I Seoado. | | 
Edifício destinado a alojar soldados. 

Kióngua.sub. (Ill) Nitro; salitre, 
adj, Salitroso: íxi ia — . | | corog. 
Pequena pov. na margem direita do 
no Cuanza. 

Kioso, adj. e pron. indef. (III) 
Todo; toda. | Tudo: — u iza ■ naKiu 
I Inteiro; completo: Kinama — k/ 
âbí. I I ádv. Absolutamente. | De 
todo; por junto. | | Consoante; con 
forme: abange — k/' amono. | PI. 
ioso II — ' ^K/. adj e pion. demons- 
tr. Tudo isto. 1 Todo o olijecto. 11 
Neste meio tempo; adv. Enquanto; 
entretanto: — ' éKi muene k' êz' ê 
luua, ie bixila. \ \ — kíoso- A ma- 
troca; a esmo. | De qualquer ma- 
neira; sem ordem. | | adj. indef. Um 
(entre muitos sem escolha): ngi be- 
Kele Kima | Qualquer. 

Kióua, adj, e sub. (III) Néscio; 
parvo; tolo: KurimuKa Kua — ku 
atunda ku njimu. \ Idiota. 

Kipa, sub. (Ill) Sortilégir; asca- 
moteaçãi^; magia. | Prestidigitação. 
I I bot. Planta f-im. das legumin sas 
(tetrapleura andongensis). d • proprie- 
dades narcóticas. V. muKÚsu. \ \ Mu- 
KUa — , adj. Escamoteadoí; piciti- 
digitador. | Pristimanr. 

Kipáka, sub (III) Redil; ' urrai | 
Trincheira, j Barrtrira. | Tapume.] | 
Corda tensa (jue seive de guia num 
trabalho de terreno ou estrada. | 
V. pi. ipaKa 

Kipaka, sub, (III) mum. Antiga 
moeda de cobre q'.e valia loreis 
ou 0,01 ctv. II XaJiés; reduto. 

Kípahála. sub, (III) Taleigada: — 



k\P 



- m - 



KtP 



k/fl masa. \ Saco com 30 quilos de 
peso. j V. pQKála. 

Kipalama, sub. (III) Adultério. | 
Diz-se de do s homens asprarem a 
mesma mulher, | Rivalidade. 

Kipaiame, adj. (IIT) Em que há 
adultério.- | Que incita ao adulté- 
rio I Adulteroso: riiala ria — . 1 1 
sub. Ciúme. 

Kipalánga, Fub. (III) Cercado: 
lumbu lua — . | Cerca de paus com 
npas atravessadas, (sem capim). | 

terreno compreendido dentro da 
cêica. 

Kipalélu, sub. (III) Muro espesso 
e alto para defesa. 1 O que fecha 
lateialmente um recinto. ( Molhe 

Kipamenu, sub, (III) Bornfador. 

Kípanana, sub. (III) Trombeta 
de chifre de boi. ] Buzina. V. mbun- 
gu. 

Kipanga, sub. (III) Aringa. | 
Stbe, i Enchamel de madeiras feito 
de paus, varas e folhas de árvores 
fazendo parede. | Taipa, 

Kipangala, sub. (III) Armação; 
esqueleto; — K/a mutu; — K/a hoji. 

1 Ossatura completa do corpo 
animal. 

Kipangapanga, sub. (III) Omo- 
plata fjg. Costado; saliência nas 
cOàtas de certos aciimais. 

Kipanzu, corog. Pov. no cone. e 
circ. civ, do Ambriz, no caminhe 
pnra o Encoge. || Seira ao poente 
da pov. do Sassa, circ civil do 
Dande, distr. e prov. de Luanda. 

Kípapa. sub. (IID Muro que 
íoimii o exterior de uma casa. | Pa- 
rede: — K/a' nzo. I Vedação; mura- 
lha. 

Kipáía, sub, (III) Es-amotea 
ção. ! Sotte de prestidigití dor. ] 
Habilidade. 

Kipea, sub, (III) Drfça regional 
(no Dande). 

Kipéiu, corog, Pov. e posto da 
circ. c v. do Hudrubo, distr. e prov 
de Benguea, a 1621 ra, ce alt. e 
28.670 hcb., Missão Catei, de N. S. 
do Loietc. 

Kipena. sub. (Ill) Pináculo: cú- 
pula; zimbório,! Cume: — Kía mulu- 
ndu. |0 ponto uiaif elevado de uma 



casa, monte, etc 

Kjpénza, sub. (III) Prado: — K/d 
iângu. I Campo lelvoso. 

Kipenze, sub. (III) zool. Chimpan- 
ré. 1 fig. Homem muito feio. 

Kipepefela, sub, (III) Pestana: 
I Cabelo da pálpebra. | Cílio. V. 
pi. ipepetela. 

Kipeici. sub. (III) Grande cachim- 
bo. ! Narguilé. | | Instrumento mú- 
sico em lorma de cachimbo. | Sâxó- 
íónio. ' O seu tocador. 

Kipepumunu, sub. (III) O que é 
movido ou vai com o vento.] Ban- 
deira; vela (de embarcação), j Peda- 
ço de fazenda que faz girar o moi- 
nho. 

Kipefeka, sub. (Ill) Charlatanice; 
impostura. V. pi. ipeteKa, 

Kipiku, sub. (III) Ungui. V. 

KibiKU. 

Kipinji, sub. (III) Darta; doença 
da pele. | j adj. o sub. Que padece 
de dartro. 

Kipiri, corog Monte na margem 
esquerda do no Daiide, próximo do 
<porto Mandele». 

Kipoia, sub. (III) Palanquim; 
rede suspensa nas duas extremida- 
des a um varal e transportada por 
dois homens. | Tipóia. | V. uãnda- 

Kipcko, sub, (III) Facalhão. | 
Facão velho. 

Kipófa, sub. (III) Laganha; re- 
mela. I Serocidade dos olhos; pús. 
íig. Pfssoa ignóbil, reles. V. pi. 
ipota. 

Kipuéfe, sub. (III) Palavra por 
que se designa cousa não delinida, | 
Et cétera. V. KOpuete. 

Kipuifa, sub. (III) Instrumento 
músci: KUKína — . | V puíta. 

Kípúkulu, sub. (III) bot. Planta 
sinterâcea, composta {vernonia con- 
feria), de utilização ornamental. | | 
Grande árvore fam. das leg^iuiáceas 
(anthodeista vogelii). Nogueiía. 

Kipukupuku, adj. (IIIi Incons- 
tante; volúvel. II sub. Diz se do 
pjino quando ygitado pelo vento. 

K'pula, sub. (lll) Encontrão: 
u a ma bana — . 1 Embate. 

Kipúlu, sub. (III) bot. Planta 



kíf 



— i^ - 



kíÊ 



fam. das compostas. V. iénde. 

Kipumba, sub. (III) Bola fe ta 
de tabaco de fls. verdes. ■ O pró- 
prio tabico colhido verde: maKanha 
ma — . 

Kipume, sub. (III) Aparelho para 
espargir. | Pancada dada com his- 
sope. I I bot. Planta labiada, aro- 
mát ca. I Asp rgilo; hssopo. 

Kipumuna, sub. (III) Joelho: — 
Kía KÍnana. |) Articulríção; dobr^i- 
diça. I O que tem a forma de joelh ). 

Kipuna, sub. íIII) Cotovelo: — 
Kía lukuaku- | Parte da manga que 
cobre o cotovelo. 

Kipungu, corog. Pov. e sede da 
circ. civ. do Alto Cuiene, distr. e 
prov. da Huila, a 14° 49' 34" de 
lat. S. e 14' 3 )' 55" de long. E. Gr., 
9.475 hib., est. tálegr.-post. „mbal. 
sanit. e posto de pol. de sanidade 
pecuária. 

Kipúngulu, sub. (IIÍ) zool. Ave 
de rapina nocturna, tb. conhecida 
por KÍsunzu. \ E-spéjie de coruja 
do matu. 

Kipupa. sub. (111) Grande núm - 
ro (de coisas). | Molho; ataao. \ 
Caterva: - Kia mÍKanda. ) Grupo 
de coisas reunidas. | jC^rog. Pov. no 
cone, distr. e prov. de Banguela. 

Kipúpu, sub. (Ill) O que fica da 
espiga do milho depois de drsg'a- 
nado. I Sabugo: ng' ota — bn UKQin- 
bii ua huinhi. \ fig. Rolha. 

Kipúpulu, adj. e sub. Baboca. | 
Destituído ue Senso piático. || Pes- 
soa sem préstimo. Paspalhào: esta- 
fermo. 

Kiri. sub. (III) Verdade. 1 1 Co- 
rnija; ai mento: Kia KÚria. \ Co- 
mido: — u a Kí lusu. 11 aJv. Keal* 
mente. | Dd veras: — kiene. | Verda- 
deiramente, certamente. | Sim. 

KiriaKáji, adj. e sub. (III) Mulher j 
que come muito. | Glutona. ] Devo 
radora. 

Kiria-Klria, adv. Certamente. | 
Verdadeiíamente. | Ice. Ssiá ver- 
dade! ? Poderá ser? — , Maria 
ngana iaini Nzambi\ \ É tb. iuteij. 

Kiria-ndende, sub. (Ill) zool. Ave 
trepadora, vulgarmente conheciJa 
por «polícia dos tnatos';. | Tucano 

V. mumngu-uandóngo. 



Kiriandu, sub. (III) Orgâo: — Kia 
muKúta. I Membro; articulação; jun- 
ta. V. pi. iriandu. 

Kiriangelti, sub. (Ill) Adianta- 
mento. I Avanço. ] O que vai 
adiante. 

Kiriangombe, sub. (líl) bot. Plan- 
ta m-ídicinal utiliza la em casos de 
vaiíola. 

Kiriangu, adj. (III) Malva lo; de- 
pravado; perverso, j [ sub. Prova- 
ção; ilesvaiiamento; dcsatiuo. j Si- 
tuação difícil. 

Kiriángu. sub. (Ill) O que serve 
para e«tabelecer a verd ide de uma 
asserção ou facto. | Prov..; expe- 
riência; ensaio. 

Kiria-njila, sub. (Ill) V. njila. 

Kiria-nzunga, aij. e sub. V. 
nzunga. 

Kiriatelu sub. (III) Pisadriro; cal- 
cador. | Estribo: — kía ingonga. 

Kiriáfu, sub. (III) Borrifo. 1 
Diz-se dos borrifos qae se deitam a 
uma cr ançi que chora muito às 
noites. I Pisa lura. || — k/q njila, 
exorcismo feito por meio de borrifos 
à cr ança que chora. | fig. Susto. 

Kiribai?, sub. (Ill) Taboa grossa 
e larga, j Taboão; prancha. 

Kiribukanu, sub. (Ill) Tropeção; 

top ida. 

Kiribunda, sub. (III) Trouxad^; 
fardo. 

Kirie, adj. (Ill) Comestível; coraí- 
vel. I sub. O que se pods comer s^.m 
prejuízo uu lepugnància. | Cousa 
piópria para cumer. 

Kinéle, sub. (III) Mamola. | 
Mama gr-mde. '; Pi. iméle. 

Kirielelu, sub. (III) Hsperança: 
ng' a xala mu — Kia Kubuluka. \ 
Expectativa; confiança; c>usaque 
se espi-ra. | Orna das trê . virtudes 
teoiog lis. 

Kirifanganu, sub. (III) Similhan- 
ça; pa:ecenç.; analogia. , V.Kiri/ua 
íinagcin. | R pre-.entaçào de pe.-- 
soa ou cour^a. | Figura; efigie. 

Kirilua. sub. (III) Aparênci;i; Es- 
pécie, i Quilidade; cl ssc; in.iole. | 
Aápt-cto: — k/a muKongu. | Feit.o; 
configuração; íórm<i. j Mudu; uispo- 



ítià 



— ú^ — 



Ktn 



SÍÇâo; gelto. I Catadura; exteriori- 
dade. 

Kiriiala, sub, (III) Homenzarrã». 
I Gigante. V. kiiala. 

Kiriie, Sub, (III) Incúria; esqueci- 
mento; negligência. | i bot. Acrocó- 
mia. I I MuKua — , adj. De?cuidadu; 
negligente; esquecido: mukua — k' 
atung' ê. 

Kiriju, adj. e sub. (III) Dentola.| 
Dentuça | Pessoa que tem um den- 
te gsãnde: ngna nanhi ria. - \\ adj. 
Dentudo. 

Kir Kamba, sub. (III) Amigalha- 
ço. I fig. Amigo por interesse. 

Kirikánu, sub. (III) Bocaçâ; bo- 
caira: — Kia ngàndu. \ Boqueirão. | 

Kirikóma. sub (III) bot. Acró- 
como: Katendu k'u ka bungujule, ki- 
zuiia k' abiluKã — . | Palmeira gran- 
de. 

Kirikungu, sub, (III) Buracão. J 
Precipício; covão: ab smo, 

Kiríla, sub. (III) Saco; bolsa (para 
comida). Alforge; o seu conteúdo: 
Kuta huta mu — \\ Medida de peso 
equival nte a duas arroba^. 

Kirilonga, sub. Ill) Pratalhão; 
pratalhada. 

Kirilu, sub. (III) Mangedoura. | 
Lugar onde comem os animais de 
carga: bu — kia jingombe. \ Come- 
douro. 

Kirima, sub. (III) Acto de andar 
para traz. | Recua. | | — rima- 
recuameuto. 

Kirima, sub. (III) Plantação: — 
Kia jinguba. \ Lavra e seu.s produ- 
tos. ! Herdade; granja; horta. V. 
pi. irima. \\ Pov. e sede d) posto 
deste nome, circ. c.v. do Songo, 
distr. e p:ov. de Malange, 12.694 
hab., eit. postal e etcoU rural. 

K rima, sub. (III) Irmão da Or- 
dem 3.» Je S. Francisco da Peni- 
tência, 

Kirimakáji, adj. sub. (III) Mulher 
que vive do cultivo das terras que 
amanha. | Feudatária. | Arrenda- 
tár.a (de uma teira de lavoura). 

Kirímbu, sub. (III) L.rgo; praça. | 
Lugar p^ra exeri.ícios, | Extensão 
de chão limpo e impro lutivo. | | 
Ferreic;sui marca | Carimbo; selo 



(em branco). | Impressão digital. | 
Firma. | Sinete. | | corog. Pov, e 
sede do posto deste nome, circ. civ. 
do Ainboim, distr. do Quanza-Sul, 
prov. de Benguela, 5.359 hab. 

Kírimbu. sub. (Ill) Dor de birri- 
gi; revolução intestinal. | Re- 
volta, I fig. Sensação de medo, de 
temor. || i>ança tumultuosa. || 
Fusão; mistura. | | adj Tumultuoso; 
revoltado. 

Kirimi, sub. (III) Blesidade. ( 
Fala imperfeita como a das crian- 
ças ! I MuKua — , adj. e sub. Bleso, 

Kirímu, sub. (IIIi bot. Vt-getal; 
semente | O que se pode plantar ou 
semear, j | a 1j. Digno de ser se- 
meado. 

Kirinda, adj. (III) Aleijado. | De- 
formado, j Diz se da pessoa que não 
pode andar, ou que o f-iZ de rastos. 
i Imperfeito: inerte. | \ sub. Pessoa 
de membros estropiado?, 

Kiríngu. sub. flll) Nome genérico 
das plantís euforbiâceas que teem 
por tipo a mandioca: (manihot utiliS' 
simaj II Gáfi : — Kia farinha, de 
tubérculos feculentos, de que extrai 
o amido e se faz a crueira, a ta- 
pioca e a farinha torrada (mimosi) . | 
— Kia mbonzo, planta convolvulâ- 
cea conhecida por «bitata doce/. 
V mbonzo. \ \ — Kia xasalale, dioscó- 
rea, mais conhecida por «inhame». 
V. kasalale. \ \ — kia kasoba, plan- 
ta dlq,^coreâ ea {dioscorea sativa), 
comestível, e seu fruto. | | — Kia 
Kazeia, V. Kazeia. 

Kirioma, adj. e sub. (III) Comilãoí 

aldive, I Voraz; guloso. 

Kiriondo, sub (III) Pedido humil- 
de; húphca: rôgo.l Oração; prece. | 
Carta de perdão. D^-precada; roga- 
tória. 

Kiriri, sub. (Hl) Lugar: — kia 
kukala. ' Localidade; domicílio; re- 
sidêi cia. I Ponto onde habitual- 
mente se está, | Emprego; situação; 
pi usada. | Posto: u ala bu — k/c. j 
Espaço ocupado ou que pode ser 
ocupado. I Recinto, j | Colxão: — 
Kia Kuzeka. V, mariri. \\ Vez; turno: 
uai bu — Kia muKuá. ([Posto de 
venda (^m feira, praça, mercado, 
etc). 1 1 KubúKã — , V. tr. e intr. Si- 
tuar; abrigar. | Dar aposento. 

Kirise, sub. (III) Viveza; nitidez. 



kift 



- Uò 



Kt§ 



I Coloração de traços ou imagens 
tatuados: mbumba — . 1 1 adj. Eficaz; 
nítido. I Que serve para avivar, 
conservar. | | MuKUa —, Que tem 
coloração. | Que faz colorir. 

Kirisu, adj. (III) Olhudo, I| sub. 
Olho grande I fig. Vigilância, V, rísu. 
I I Inconstância. | Sentimento que 
nos Impele a estimar uma pessoa ou 
cousa que conhecemos ou possuímos 
de novo. | I Mukua — , diz-se daque- 
le que louva o que é novo, ou o que 
se lhe apresenta de novo. 

Kiritamina, sub. (III) Tigelada. | 
O seu conteúdo. 

Kiritari, sub. (IIIi Pedregulho. | 
Matacão; penedo; rocha. 

Ktíubhu, sub. (III) Admiração; 
espanto. | Maravilha. | C que causa 
estranhesa, gronde pavor. V. niari- 
uanu. 

Kiriunune, adj. (III) Extensor. | 
Que faz esticar ou estender. 

Kirivumu, sub, (III) Barrrigada. j 
Grande bojo. 

Kirizunu, sub. (III^ Nar gão. | 
Penca. 

Kisa, sub. (III) Instrumento para 
apanhar jacarés. 1 Gancho quadri- 
partido que se mete na isca. | An 
zol d" quatro histes. || D sp sição 
em cruz. | Acto de dar essa disposi 
ção: kabanga — . 

Kisába, sub. (III) Conjun^ de 
ramos e folhas de uma árvore: — 
kia mungénge. | Ramagem. 

Kisalixi, sub. (III) Ourelo. E' m. 
us. no pi. isafixi. 

Kisafu, adj. e sub. (IIÍ) In lecen- 
te; deshonesto; sujo. j Que prati a 
imoralidades. | Pessoa inde.orosd. ] | 
bot. Planta fam. d is bixaias (6/xa 
orellana), de propriedades tinturiais. 
I Urucueiro. 

Kisaka sub, (III) Pâmpano; ga- 
lho; corimbo: — kia jingénge. \ Ra- 
mo em que hâ vários frutos. | | Pe- 
quena cabaça oca com pedrinha;; 
que soara quando se agita. | Cho 
calho. V, sâxi | | zool. Mamifero 
de corpo coberto de setas, tb. co- 
nhecido per «porco espinho». Equ - 
dna: — Kia mbuiji. | A seta ou cá 
nula do mesmo animai: musongo 



K'sakanhe, adj. (III) Trucidado 
1 1 Diz-se dos restos do individuo que 
a fera matou . 

Kisakatu, sub, (III) Avançamen- 
to. I Dianteira. | Cometimento; in- 
vestida. 

KísaKaxi, sub. (III) Cacho de ba- 
gas, de flores, de frutos: — Kia matá- 
mba. I Rá-imo. 

Kisakirilu, sub. (III) Expressão 
ou acto que revela gratidão. | Re- 
conhecimento: o ngulá k' eni' ê — . | 
Agradecimento. | Prémio de servi- 
ços prestados. 

KisáKuba, sub. (III) Tropeção. V. 
'kibuta. 

KisakúsaKU, sub. (III) Acção ou 
efeito de voltar a cabeça muitas ve- 
zes, movido por qualpuer sentimen- 
to estranho. | Diz-s-" tio virar a 
miude, amedrontado ou suspeitoso 
de alguma perseguição. | f g. Receio; 
mede. 

Kisala, sub. (III) Pluma; pena. | 
Tubo barbado que cobre o corpo das 
aves: — k/a hanga. \ fig Caligrafi'. 
I Caneta. | | corog. Pov. na vila 
e con:. de Novo Redondo, distr. 
do Q laiiza-Sul, prov. de benguel?. 

Kisalale, «ub. (Ill) Gjlho ou rama 
d3 palme ra, de bananeira e plantas 
análogas \ Penca. \\ adj. Remige. |' 
V. pi. isalale. 

Kisalangu, sub. (III) Ab)n,ina- 
çâo; miinstruosidiíde. | Dito d sme- 
iiido; perversidade | Torpesa. V. pi. 
is ala ng a. 

Kisalu. ?ub. (III) Maluqueira: 
ualani — ki a mu salula. \ Malu- 
quice. II adj. Que faz maluquecer. 

Kisama, sub. (Hl) Facho; archo- 
te. I Brandão aceso; tocha. || 
Miikua — . aij. Natural ou da re- 
gião da Quissama. \ V, p'. isama. 
I I corog. Vasto territór o limitado 
ao N. pelo rio Quanza, S. pelo 
Longa e E. pelo Alto Libolo, com 
prendendo h''je a ciic. civ. ao mes- 
mo nome, distr. e prov. de Luanda 

K samanu, adj. num. card. Seis: 
atu — . I Grupo de sei«. 

Kisamba-lembe. sub. (III) bot. O 
mesmo que mutêpa (ficus psilopoga). 
V. muleinba. 

Kisambu. sub, (III) Contágio. 1 



KIS 



- Ui - 



*KIS 



Mal que contagia. | Acto de con- 
tagiar. |{ a.dj. C jntdgioso. 

Kísambu, sub. (III) O que sé 
resDonde. 1 Oposição: — kío maka.\ 
Refutação; contrariedade. || antíg. 
Perdão. [ Y. samba. 

Kisamuinu, sub.(III) Pente ( Pjn' 
teador. 

Kisánana, sub. iIII) bot. Planta 
arbustiva fam. das tiliáceas icarcho- 
rus tridens\ de utildaie medicinal. 
I Tilia. I Sua flor. 

Kisanda, sub. (Ill) Esteira muito 
usada, velha: — kia ngándu. \ Mu- 
lher de saias mal trajaià. | Saloia; 
camponeza. 

Kisandelu, sub. (III) Instrumenfo 
para espalhir, afastar, ou remex^er 
teira. capim, lixo, etc. | Espalhi- 
deira; esgraminhad r. 

Kisanga, sub. (III) Achadoun.' 
Enseada; pequena baía. | Península. 
I Ilha junto de terra. | | adj. Achá- 
diço. ( Que está à vista, fácil de en- 
contrar. ] Achado; ene mtrado. | | 
corog. Pov. na ilha dêsti nom=!, na 
região e rio Zenza, círc. civ. de Icolo 
e Bengo, distr. e prov. de Luanda. | | 
Bairro na vila ao Dondo, cone. e 
circ. civ. de Cambambe, distr. e 
prov. de Luanda. ' | Pov. na ilha 
e posto civil deste nome, circ. civ. 
de Santo António do Zaire, distr. e 
prov. de Luanda. ) ! Ilhota ao S. da 
cidade de Luanda, conhecida por 
«ilha dos pássaros». 

K sangeia, sub. (III) Contribui- 
ção; cotisação; colecta: kubanga —. \ 
Reunião de todas as cotas. | Ciem- 
pção: uènji ua — . i Parçaria: 
hombo ia — / afila bu mukolo. ' Co- 
munhão; posse era comum: kietu, kl 
kuvu' ê; — K/ uenj' ê. \ j adj. Que é 
de todos, de u na colectividade. | 
Geral; comum. | | MuKua — , contri- 
buinte; parceiro. 

Kisangelu, sub. (III) Quinhão 
com que se contribue para despesa 
ou fundo comum. | Parte contri- 
buinte, j Cota. 

Kisângu, sub. ^III) Cabaça que 
serve para chocalhar, | O próprio 
chocalh). V. K/sflKQ 

Kisangua, sub. CHI) Cerveja de 
milho grelado e fervido. 

Kisangusangu, sub. (UI) Ca- 



rácter alesjre e prasenteiro. I Agra- 
do; graçi; prazer. I Bom humor. 
\\ MuKua — , adj. Alegre; prasen- 
teiro. I De maneiras agradáveis, 

Kisanji, sub. (III) Instrumento 
músico de hastes metálicas, hoje 
bastante conhecido 

Kisánji, sub. (Ill) GJiuhaça; ga- 
linha gran le e gorda. 

K sanzatne, adj. (III) E.^ítensivo; 
que pode ou deve ser aplicado a ca- 
sos análogos. 

Kisanzeku, sub. (IIIJ O que con- 
sola ou alivia. I Ref igério (físico ou 
moral). 

Kisanzu, sub. (III) Vergasta; chi- 
bata. I Açjite. I Parte que sai do 
tr jnco de um arbusto. 

Kisarimba, sub. (III' Dança re- 
gional (no Bengo): KUKina — . 

Kisasa, sub (III) Planta ie mato 
virgem I Silveira. : Arbu to, | Ra- 
mo (de árvore): — Kia inuxixi. \ Es- 
pinheiro: muKua maKutu a ' mu zuíko 
— . I Ramagem V, pi. isasa. 

Ksasamba, sub. (III) Barr.-^cão j 
Estalagem; baiuc i; «^asca. Presé- 
p o; estrebar a; estábulo. | Barraca 
para habitação provisória. 

Kisása-uisu, sub. (III) Diz-se dos 
alimentos meio ou mal cozi los que 
se dão a doentes ou debilitaJos: 
matele ma —. | Comida mal passada. 
I Cordeal; estimulante. 

Kisaselu, sub. (III) Cueiro. | Cria- 
ção. E' m. U3 no pi. isaselu. 

Kisasu, sub. (III) Maneira alegre 
de receber ou conviver com as pes- 
soas. I Alegria comunicativa. | i O 
que se pode esmigalhar. 1 Franga- 
lho j j Gangrena; esfacelo; podri- 
dão. I Carne morta; cadáver: buoso 
bu ala o —, buene bu rtbongoloKela 
o jiholoKOKO. II adj. Esfacelado; 
grangrenoso. j Sujeito a decomposi- 
ção, ao e»facelamento. . 1 MuKua — . 
jovial; alegre. [ \ Que tem gangren t. 

Kisáfa, sub. (III) Beirado: — KÍa' 
nzo. I Parte do telhado que sobres- 
rai à pared e. 

Kise. sub. (III) b it. Almiscareira; 
ado.xa. I j — Kia Komhe. V. kísue. 

Kisébele, sub. (Kl) zool Onagro. 

KiséKe, sub. (IIIj Serradura. | Pó 



KIS 



f42 — 



KIS 



da raad ira. 

Kisekele sub. illí) Areia; areal 1 1 
adj Arenoso. | | — Kia nda Ngalaxi, 
corog. Antigo lugar entre a lagoa 
Panj^u la e o encontro dos caminhos 
da Barra e Alto Danie. j | hist. Lo- 
calidade, em Cassoalala, < nde acam- 
param as hostes de Lu z Lopes :ie 
Sequeira quando, de Mdssangino, 
se d ngiam a Amiúda (1665). 

KiseKelu, sub. (III) Ralador. 

KiseKeseke, sub. (III) Massam r- 
da. I F agmsnto; migalha. | j D - 
nheiro rr.iuJo V. pi. iseKescKe 

Kisêkua, sub (III) bj--. Grande 
árvore de madura aroraáti a e re- 
sistente, fam. das leguminosas 
(milletia rodhanta), de propriedades 
medicinais em casos de dores de 
cabeça e afecçõei pulmonares. 

Kiséla, sub (III) Favo: — Kia 
u/k/. I Alvéolo; cera. V^. pi iséla. | 
zool. Antílope, maior queoveaJu. 

Kiselému, sub (III) Objecto d ; 
despreso. | Cousa abje.ta, vii || 
adj. Desprezível. 

Kiselu, sub. (III) Amblose | Ma- 
logro. 

Kisèlu, sub. (III) Criado de ser- 
vir. I Mo'eque. | V. mbêle. 

Kiséma, sub (III^ zool Antílope 
do tamanho do veado {angolan 
deffassa', tb conhecido por «burro 
do mato». V. KÍsebele. 

Kisembe, adj. (Ill) Desleixado; 
negligente, i Desatinado; tonto |! 
sub. bot. Pliíita ornamental fam 
das leguminosas, {aineromnon hostile), 
utilizada para obia de verga 

Kisembetete, sub. (Ill) Espaço; 
pequena distancia: uái — Kia KUtu- 
nda boba ndubaná. \ Intervalo entre 
dois lugires. 

Kisembu, sub. (III) Encanto. | 
Atrativo. ]! adj. Belo; magnífico.] | 
cjrog. Rio e pov. d' cone. e circ. 
civ. do Amhriz, distr. e prov de 
Luanda. | i Baía na costa de Ben- 
guela, distr. e prov do me-.mo no- 
me, ao S. da vila de N . vo Redondo. 

Kiseine, ;idj (III) Sujeito à va- 
cin^. li Ansiado; desejado; ap te- 
cido. II Sirjado; golpeado; escari- 
ícado . 



I V pi isênga. 
(lU) Ac.-pipe 



Kisemese, adj. (III) Qae fiz an- 
siar, ter desejes. 

Kisemu. sub (III) Apó lo; dito 
afront)so. | Comparaçãj desdi nhc- 
sa. V. pi iseniu. 

Kisende stib. (III) Cabanhar. j 
fig Pat .da; cojce. |, Kubana—,v 
intr Coucear | Lar pata. a. 

Kisénga, sub (III) iotiol. P- xe 
do mar, conhecido por «pare;o do 
morr )> I Capatã ) 

ivisengrria, sub 

V pi isengêriíi . 

Kisengese, sub (III) med. Ulor 
ra^ia. I Cof«imento s.inguíneo da 
gengiva 

K senze. cor g. Pov. do cone e 
circ. civ. do Ene g", distr e prov 
ds Luand 1, junto à margem esq. 
fio lio Caiiambínga, afluente do 
Loge. 

Kisenzele. co'og. Pov e sede do 
poãto civ deste no ne, no cone. do 
Ambiiz, dstr e prov, de Luanda, 
4.887 hab. [1 Lugar onde, em 
. ala-Tanlo, está situado o ce;ni- 
tério. 

K'sese, sub. Ill Facto, caso ex- 
traordii:ár;o: — kí abíti mu ngóngo \ 
Acdntecimento invulgar; suce-so íno 
sentido do inesperado). || adj. Pre- 
sa g oso. 

Kisesekenha. sub. (III) Migalha. 

V pi iseseKenha. 

Kisesélu, sub. (III) Peneira. 1 
Bandeja circular de palh i para 
joeirar 

Kisesu, sub (III) tnxó. 

Kisetelu, sub. (III) Oficina ou 
lugar de marchetar 

Kisétu, sub, (III) Mirchete. 

Kisobese, adj. (Ill) yu« se pode 
emprestar. I| sub. |Emp estimo. | 
Coutiacto pelo qual se empresta. 

Kisóka, sub. (IIL Terreno ro- 
deado de sebes, | Campo cercado, 
muiado 

Kisokela sub ('II) Iguallade. | 
Currespondêncid entre as partes de 
um to jo . 

Kisokelelu, sub (III' Craveira: 
bitola; mj')ida de iqu .Idade. | Ins- 
trumento para igualar objectos, vo- 



KIS 



- Í43 - 



■KIS 



lunes ou distâncias. \\ adj Que 
forma par. | S milhante; parelho 
Kisokese, adj. (Hl) Que se pode 
apreciar ou igualar. |I sub. Classi- 
ficação. 

Kisóko, sub (IIÍ) Capacidade; 
aptidão; competência. | Pessoa ou 
cousa da mesma espécie, de igual 
categoria. | Identidade de con lição 
moral ou io-ial. | | Organização em 
que não há previlégios | Seita; 
igualamento; familiaridade | | Pá- 
reo; regata; desafio; compita | | Tra- 
tado; aliança entre pessoas ou enti- 
dades: — Kia ukámba \ Disputa 
pe^tinz de palavras. || MuKua — , 
adj Aliado j Da meama liia, grei 
ou família, condição ou categoria. | 
Competidor; antagonista; adversá- 
rio. I I Kuta — , V intr Disputar; 
competir. , I Kubanga —, v. ir. 
Aliar; fizer regata. | Disputar. 

Kisokola, sub. (111/ Alabarda; 
archa . 

Kisokolo, sub. (III^ Silex; pedra 
deferir lume. V. risoKolo. 

KisokosoKO, fub (III) Sincipú- 
cio; co:uruto. | Fontanela: — Kia 
mutue, i Cimo; cume: — Kíã tnulu- 
ndu 

Kisóla, sub (lil) Nume tutela"" 

Kisole, adj. (III) Escolhido; dis 
tinguido. I I sub. O que pode ou 
deve ser escolhido. || bot. Arvore 
autocârpia do géuci o //cus || corog. 
Pov. a E. do coic. de Malangf", 
distr eprov. do mesmo nome. 

Kisolélu, sub (III) Podão; corta 
mato • 

Kisolongo, sub. CIIIj LingUigem 
dos inussorongos: Kuzuela — [i adj. 
Próprio da terra ou dos musso:on- 
gos. 

Kisoma, sub. (IH) bot. Planta 
euforbiâcea de suco corrossivo 
{euphorbia candelabrum) , utilizada 
p:ira sebes e ornamento. 

Kisomekenu, sub. (III) Recom- 
pensa; prémio. I Distinção conferi- 
da por trabalho oi exercício b 'in 
executado. | Eí-timulu; gilardão^ 

Kisoménu, sub. (lil) Furador; 
soveia j V-ireta: — k/a uta . ] Cal- 
cador; carregador (de arma^) 

Kisónde, sub. ^IH) zool. Forrai" 



gão. de qu3 há várias espécies, de 
mordedura dolorosa. | Formiga 
b'ava: ngí tanga ni nzeu, — u mud' 
nga o ribata. |ifig Dt-struidor |1 
Diz-se da bor.a de dendém, depois 
de extraído o óleo 



(III) Secretá- 
adj . Próprio 



liscritu- 



Kisonekenu, sub 

ria I Escrevania 
pira escrever. 

Kisonéku, sub. (III) Escrita. 
Cousa que se escreveu 
ração. 

Kisóngo, sub (ill) Cancro [ 
Ulcera venérea - | Doença cancero- 
sa. I I corog. Pov e posto civ da 
circ do Libolo, distr. do Quanra- 
-Su), prov. de Benguela, a lo» 02' 
de lat. S e 15° 09' de long. E , 
1.200 mts de alt. e 6.503 hab. 

K soso, sub. (III) Picada ou furo 
frito com punção. | M-hcí; poiíto.j 
Instrumento que serve para marcar, 
gravar, cunhar, pungir, 

Kisóíola, sub. (III) Couce. | Pa. 
ta )a dada com o calcanhar. 

Ksôxi, sub. (IV) Derramamento 
de lágrimas. | Pranto; choro. | íig 
Lamúria . 

Kisua-njila. sub (III) Maltrapi- 
lho; í.arroupilha. I Pelintra. I 1 adj. 
Que nãõ tem onde cair morto. 

K.suámu, sub. (III) O jultismo. j 
Arte de se esconder. V. lusudrnu. 

Kisuásua, sub (III) Xilófago. 
I Carcoma; farelo. | íig. Podridão 
(da madeira;. | O que arruina. 

Kisúba, sub. (III) Refugo; rebo- 
talho I O que fica depois de uma 
escolha. | O resto, h' m. u.s. no 
pi. isúba- 

Kisúbia, sub. (III) Resaca . ] 
Orla na praia que fica na baixa 
mar. 

Kisubu, sub. (III) Sobejo; resto. | 

que sobra do preciso | A parte 
menjrque o divisor. || adj. Que 
sobra ou excede | Remanescente. 

Kisue, sub. (Ill) Sentimento que 
nos fíz aborrecer uma pissoa ou 
cousa depois d; possuirmos outra, 

1 Desigualdade (no trate) [ | MuKua 
--, adj. Que trata com des gualda- 
de. I Áspero; inconstante 

Kísue, sub. (III) Mamífero digiti- 



KIS 



- m - 



KIS 



grado, carnívoro, tipo dos felinos | 
Gato de algalia ] ] — k/c Kombe. 
Almiscaie ro. | Gato de pivete 

Kisueia, sub (III) N jme g'=ii^- 
rco dos mamíferos c.irnívortjs | 
Fera. | fig Pe-^soi cruel |{ adj 
Sanguinário, | Djspota 

Kisuelele, sub íIII) F ag nento 
de madeira que se enterra na ca^ne 
I Espinho: ngi 'ria udende i arisoKo- 
Kela, ia Kunhongonona i beKa — | 
Lasca de madeira. 

Kisuka, sub (III) Impulso: a mu 
bana — | Empurrão | j Perda ou 
falta de esperança. | Inpa iênciu; 
frenesi; pres-a: Kubanga Kiinani — .| 
Aborrecimento; desep-ro l|Aííikiia 
— , adj Posí-uido de frenesi. | Im- 
paciente; intolerante. 

KisUKe, adj (III) Bastante; su- 
ficiente. 

Kisúkila, sub (III; Imagem que 
se julga ver em sonhos | Ilu-ão 
do espírito. || Cous s que Deus faz 
vêr aos seus e = colhidos: Nzambi u a 
mu ixanena mu —. \ Visão; sonho. 

KisuKininu, sub (III) Teimo: fi- 
nalidade; remate: — Kífl mãKO. 
Conclusão I I O que está ou ficou 
atraz | fig Couce |; alj, P.ece- 
dente; anteri r | Atrazado: o — 
k/ QKuata' nhi ? 

Kisuku, adj. (III; Extremo I 
Derradeiro | | Que se faz ou se re- 
laciona com a noite ! | sub. Con- 
suàda: sanji ia — . | Ce. a || Kâria 
— , V. tr e intr. Consuar 

Kisúku, sub (III) Monte de terra 
no meio de um rio. j Ilhota. 

Kisukuilu. sub (III) Lavandaria; 
mu — . I Lavadouro. 

Kisukula, sub. e adj (III) Lava- 
deiro ] Maquina pira lavar roupa- 
I I — pambu; passageiro. | Que veio 
para pouco t-mpo. 

KisuKusuku. sub. (III) Chuvisco. 
V. pi. isukusuKU. 

Kisúla, adj e sub (IIIl Mulher 
estéril, infecunda | Que não con- 
cebe. 

Kisulukuíu. sub (III) Abomina- 
ção £' m. us no pi IsuluKUtu. 

Kisuma. sub- (IIIi Maravilha ] 
MiUgie. £' m. us. no pi isuma {\ 



Determinação (que náo depende de 
regra ou lei) | Arbítrio; juizo; opi- 
nião; parecer. 

Kisumbe, adj (III) Que pode ser 
comprado. | Alienavel | | sub 
Artigo de negóio; mercadoria || 
Tira de pano preto que se lança ao 
pescí çc em sinal de luto [ Fumo 

Kisumbu, sub (IIÍ) Cousa com- 
prada I Aquisiçã ; compra. 

Kisumbúla, sub (III) Armadilha; 
cilada | Esconderijo em que se es- 
pera a caça; emboscada | V pi. 
isumbula.\\'í>iegiça. | Engodo; logro. 

Kisume, adj. (IH) Milagreiro; 
maravilhoso | Que causa ad niração . 

Kisungilu, sub (III) Puxador; 
utensílio para puxar. 

Kisungirilu, sub (III) O objecto 
que dá lugar ao serão j Coufa 
com que se passa o começo da noite. 
I Brinquedo para entrctero sono. 

Kisungu, sub (III) A parte su- 
perior da cana de açúcir 1 f'g. 
Aguardente | Cachaça 

Kisunhaíe, sub. (III) P.irte da ca- 
beça do dedo onde a unha s*? encra- 
va e adere | Sabugo | | Película 
que se levanta junto da unha. 

Kisunji, sub (III) Fenómeno | 
Tudo o que na natureza é momen- 
tâneo e sucede poucas vezes. | Tu- 
do que é extraordinário, raro ou 
novo.l Cousa surpreendente. ! fig. 
Pessoa de doies extraordinários. | | 
V. pi isunji. 

Kisunzu, sub. (IIIi zool Ave de 
rapina nocturna, fam. das e-triji- 
das. I Co'ujão. | Bufo | fig Aban- 
tesma | Pessoa taciturna e feia. 

Ivisuri, sub (III) Odre | fig 
Pessoa barriguda. ] | a ij Próprio 
para ser forjado, batido na fo ja. 

K suse, sub. (III) Mijado 1 1 Que 
ourina . 

Kisusise, sub (III) Micturição ] 
Fluxo í-anguíneo pelas vias uriná- 
rias 1 |adj. Que faz urinar. |Mictório. 

Kisuta, sub (llli Trapo; rodela; 
bucha. ' Panete; farrapo. | Pe laço 
de pano que se aplica às feridas \ 
Rolho, chumpço. | M ''ião; cheiro 
a pano queimado. | fi^ Homem 
sem dignidade. 



KIS 



- i45 - 



KIT 



Kisuíu, sub. (III) 200I. Chibo; 
bode.'Boiuni. 

Kisuxi, sub. (III) Ombro. | Espá- 
dua. 

Kisuxinu, sub. (IIIj Bexiga. | 
Bplsl que contém a urina. | íig. Se- 
ringa. 

Kisuxise, sub. (III) med. T nes- 
mo vesíca'. | Incontiaência de uri- 
nas. II adj. Urinário. | Tb. se diz 
Ar IS í/s /se. 

Kifa, sub, (III) Atado; feixe:— A/a 
huinhi. I Lie; molho: — kia iangu. \ 
Paveia. 

Kilaba, sub. (III) Ginguba torra- 
da e p;!adci com pimenta e sal. 

Kifabelu, sub. (III) Vaso para irri- 
gar. V. kizenzu. 

Kiíabu, sub. (III) Cântriro; vasi- 
lha para água: — kia menfia. 

Ki(áka, «ub. íIII) Pomar; quintal; 
horta, i Terreno vedado junto à 
casa de habitação. 

Kifakala, sub. (III) Bjrnal. [ Ar- 
tefacto com tnmpa que se traz à 
tiracolo. I Cê-to achatado em que 
03 caçadores levam provisões. 

Kifaia, sub. (III) Altitude; altura: 
a mu zóngo mu — . | Estatura. | | 
Remoquf-; piada. [| Mukua — , adj. 
Que tem altura. | Elevado; alto. | ■ 
Kuía — , V. tr, e intr. Desenvolver- 
■se jem altura); crescer. | [ Remo- 
qutar; apodar, notar defeito. 

Kifalalese, adj. (III) Que refres- 
ca. I Resfriador: — kia menha. | | 
sub. Lugar ou utensílio que faz res- 
friar. 

Kifalamu, sub. (ill) Estátua. ; O 
que se mantém em altura. | Pessoa 
sem arção. 

Kífalangulu, sub. (III) Corvo. 

^ Ki(alelu, sub. (III) Lupa; lente. | 
Óculo. II Vigia; orifício por onde se 
espreita. 

Kiíálu, sub. (III) Invólucro duro 
de certos fiutos: — kia rikôko. \ 
Diz-se da casca do fruto do imbon- 
deiro, da noz, da castanha, etc. || 
Utensílio de madeira para torrar 
farinha. 

Kífalu, sub. (III) Rasgão. | Arra- 
nhadura. ( Unhada. 

Kifámba. sub. (III) Fogueira de 



lenha para fazer carvão. | Pira. | 
fig. Braseiro. 

Kiíàmbi, sub. (III) Catana de 
cabo comprido. | Instrumento para 
r<içar mato. 

Kiíánda, sub (III) Mercado; feira; 
praça: — kia mbijí. \ Posto de ven- 
da de géneros frescos. I Loja de ne- 
gócios: — k/a uênji. \ O que é sus- 
ceptível de vendd ambulante. 

Kí(anda, sub. (III) Talas. | Entra- 
do móvel de taboinhas ou bordão 
que se põe por baixo do colxão ou 
esteira. | Astela. | | — hole, zool. 
Paludina. j Aurícula; búzio. 

Kiíande, sub. (Ill) Feijão de-cas- 
cado. í O seu puré. 

KUandu, sub. (III) A parte exte- 
rior do bordão: — , a mu kuatela 
ukambu ua polco. \ \ Rasgão. 

Kifanga, sub. (Ill) Lepra. | Fram- 
boezia. | Boubagem. 

Kifangana, adj. (III) Tempo que 
medeia entre duas operações. | Mo- 
menti ; instante ' Comeno-; inter- 
valo. 

Kifange, sub (III) Contador. 

Kifangelu, sub. (III) Ofício de 
leitor. ! Contsdoii.x. 

KKánu, adj. num. (III) Cinco: 
atu ~. I V. tánu. 

Kifapa, corog. Pov. e seie do 
posto da circ. civ. do Songo, riistr. 
e prov. de Malange, 5.995 hab. c 
est. telegr. -postal. 

Kifapepe, sub. (III) Vento tem- 
pestuoso. I Tufão. I ; Redomoinho. 

Kifari, sub. (III) Moeda corrente, 
quantia. \ Dinheiro: — muxitu ua 
kusuáma. '• Numerário,;] | Mukua — , 
adj. e sub. Argentàrio; rico. |; 
Akua — , os financeiros. V. pi. itari. 

Kifáfa, sub. (III) Rameira; me- 
rectiiz. 

Kitatu, adj. num. (III) Três: atu—. 
V. iátu. \ 1 sub. Cascabulho; exterio- 
ridade. 

Kífa-íulu, sub. (III) Parte do pei- 
to onde existem as mamas: mu — . | 
A pane infeiior dos sovacos. | j 
Tronco; busto. 

Ki(eke. sub. (III) ídolo; imagem; 
feitiche: — kia Muene-Kongo. \ Títe- 
re; espantalho. 



KIT 



- i46 — 



KIT 



Kiíekelu. sub. (III) Regador. | 

Kifelekeíe. sub. (Ill) Peça de mo- 
biliário. I Traste. | ! adj. Imperti- 
nente; ordinário; reles. | V, pi. itele- 
kete. 

Kiíelêle, sub. (III) bot. Haste; 
caule: — kia risa. \ Diz-se do tron- 
co onde espiga o milho. I Caniço. I É 
m. us. no pi. itelêle. 

Kifelembe, sub. (Ill) Telheiro; 
velário; sombra. | Cobertura fixa ou 
volante de madeira ou palha. 

Kífelu, sub. (III) Brilho rápido. | 
Corisco; lampejo. | j Relâmpago. 

Kitèlu, sub. (III) Comparação; for- 
ma de dizer; exemplo: — kia mdka.\ 
Facto aduzido como demonstração 
ou explicação. | V. telu. 

Kifembe. adj. (IIIj Traiçoeiro; 
velhaco. | fig. Espião. | Birbante. 

Kífembu, sub. (III) Ventania. | 
Temporal. I fig. Bufa; pei- 
do. II corog. Sede da pov. e 
posto de circ. civ. do Alto Cuanza, 
Chiteuibo, distr. e prov. do Bié. a 
I S° 30' 59" de Lat. S. e 16" 45' 25" 
de Long, E. Gr., 1.451 m. de alt. e 
14.990 hab , est. postal de 3.* cl., 
Deleg. de Saúde, julg. instr., Curad. 
dos N' g. Indig. e Conserv, do Reg. 
Civil. 

Kiíenda, sub. (III) Resto de uma 
peça de tecido. | Retalho: — kia 
mulelt. I Pedaço de pano separado 
da peça. | V. pi. itenda. 

Kifénde, sub. (III) bot. Arvore 
fam. das leguminosas, {milletia 
drástica), de madeira para constru- 
ções. 

Ki-íen'ê, adj. (Illj Impossível: 
impraticável. 

Kifenge, sub* (III) bot. Planta 
medicinal, conhecida pelo nome de 
«pau de cobra», e sua raiz. 

Kiíese, sub. (III) bot. Planta da 
fam. das violácias (alsodeia ardi- 
socflora), de utilidade ornamental, 

Kifeseku, sub. (III) Excesso (em 
altura), j j Sobre-carga; demasia; so- 
brepeso. 

Kitèfa, sub. (III) Nome de certo 
marisco comestível. 

Ki(e(e, aoj. (III) Límpido. | As- 
seado. II sub. Limpeza; Asseio. || 



bot. Atado de caniço. | Molho de 
cana brava. | Taipal de caniços cru- 
sados. I Planta da família das gra- 
mineas. 

Kiteíele, sub. (III) Girão, j Farra- 
po pendente de vestido rasgado. | 
Trapo. 

Kitefengu, adj. (Ill) Amortecido; 
fraco; semi-morto. | Prestes a cair. 

Kifetu, sub. (III) Fragmento de 
vidro ou louça partida: — kia rilo- 
nga. I Caco. 

Kifeua, sub. (III) Prefusão; abun- 
dância; baratesa | Preço b.íixo, 
accessível a to los. | 'A vontade. 

Ki(êxi, adj. (III) Profuso; copio- 
so. II corog. Pov. e posto civil do 
concelho de Ambaca, distr. de 
Cuanza-Norte, prov. de Luanda, 
6.954 bab. e est. telegr.-pcstal. 

Kitóka, adj. (III) Indiscreto; cn- 
rioso: — milonga. \\ sub. Paroleiro; 
intriguista. 

Kiíohamena, sub. ('11) Imbui- 
ção; persuasão; insinuação. 

Kitóko, sub. (III) Dandismo; ga- 
lantaria, i I bot. Plnnta f^m. das 
compostas (pluchea dioscorides), de 
propriedade medicinal, j | Planta 
herbácea fam. das sinteràceas (blu- 
ma sp.), muito aromática e anti-es- 
crobútica. 

Kifolese, adj. (Ill) Apoucado. || 
sub. Apoucamento; mesquinhrce. 

Kifolo, sub. (IIIi Alusão; sátira.|| 
Proposição; plano; intento; mira. j i 
Kãta — , V. tr. Projectar; intentar; 
aludir. I Deitar planos sobre, | fig. 
Maquinar. 

Kítololo, sub. (Ill) Remorso; ar- 
rependimento. ! Aflição; pungimen- 
to. I Pesar (de ter dito ou feito.) 

Kifómba, sub (III) Tira de baeta 
encarnada que se traz a tiracolo. | 
Faixa; banda. 

Kifombe, sub. (Ill) Escuridão: 
trevas: kuma ku ala — | Ausência 
completa de ciaridade ou de luz. | | 
adj. Escuro, j | Ignorante; falto de 
luzes. 

Kifome, adj. (Ill) Sarjado. | Que 
se sujeita à sarjação. 

KKomenu, sub, (III) Instrumento 
cirúrgico para fazer incisões na pele. 
I Pequena navalha para sarjar. 



Kir 



- 147- 



KII 



(III) Aplauso. I 

E' m. us. no pi. 



Ki(onda, sub. 

Agradecimento. 
ítonda. 

Kilondalu, sub. (III) Omissão; 
erro: — ki abangele kuku' eiu. \ Inob- 
.«^ervância dos preceitos morais ou 
legais. 1 Falsidade. 

Kifone, sub, (IIIi zool. Género de 
pássaros que se alimentam de escre* 
mento. | Estercorário" esterqueiro 
V. kituta-tujt. 

Kifonga, sub. (III) Fogueira. | 
Brazeiro. | Pira (no suplício do 
fogo): a mu takula mu — kia tubia. 
fig. Inferno. 

Kifongo, sub. (III) Advertência. | 
Reflexão explicativa. |) Mukua ~, 
adj. Analista; observador. 

Kifongola, sub (III) Fidelidade. | 
Fé.| Exactidão; verdade. || corog. 
Pov. na circ. civ. do Dande, distr. 
e prov. de Luanda, sede de uma 
sucursal da Mi-icão Evangélica e 
escola missionária. 

Kifonhi, sub. (III) Lembrança; re- 
cordação; memória, | Acto de reco- 
nhecer uma psssoa ou cousa à pri- 
meira vista. I Perspicácia. 

Kifonokenu, sub. (III) Passatem- 
po. ! Divertimento, | adj. Próp:io 
pata brincar. 

Kifori, sub. (III) Ulonci ; escro- 
bito: uhaxi ua — . | Doença dantes 
CLahecida por «mal de Luanda*. 

Kifofe, sub. (Ill) Queimadura. \ 
Gilvás. I Carimbo; marca; nó- 
doa: u axala ni —. \ Pecado; labéu; 
falta, i I Impressão; gravura. | Pun- 
gimento; letra. ] O que está inscri- 
to, gravado ou impresso. 

Kiíofo. sub. (III) Bebida fermen- 
tada feita de milho grelado e fubá 

Kifoua, sub. (Ill) Lama; loda- 
çal, I Tremedal formado por águas 
estagnadas. | Pciatano; chirco. 

Kifoue, sub. e adj (III) Doçur^i. | | 
Nome genérico do que é feito com 
açúcar ou mel: — kia uiki. \ Sabor 
doce. li Tempero; sal: — K/a mun- 
gua. I I — toue. Cousa que deleita os 
sentidos.] Voluptuosidade; gozo. 

Kiíouese, adj. (Hl) Dulcificante. 
I Que adoça ou deixa a boca doce* 

Kííu, sub. (III) Vaso bojudo de 
bano com gargalo curto e estreito 



para líquidos: — Itía mênha. \ Bilha; 
cântaro; talha: e/e ta mu mbinda, 
eme ngi ta mu — .| Ânfora. 1 1 Medi- 
da para líquidos. 

Kifuamenenu. adj. e sub. (III)Que 
vai adiante. | Guia: ngombe i binga 
— . i Cavalo ou parelha que vai à 
frente das outras. 

Kifuamenu. sub. (Ill) Ad anta- 
mento. | Avanço. | Acto de adian- 
tar. 

Kituámu, adj. (III) Antecedente: 
dianteiro. 1 Isub. O que está na fren- 
te, parte anterior. | Caminho avanta- 
jado por pessoa ou cousa (com rela- 
ção a outra que a segue). | Princí- 
pio; antecedência, 

Kifubia, sub. (III) Fogacho; ca- 
lor mu;to vivo. [ Ardor; fogagem. 
I [ Fogo intenso, j fig. Lugar de tor- 
mentos; inferno. | \ Mukua — , adj. 
Fogoso. I fig Impaciente; arrebata- 
do. 

Kí(ue, adj. (III) Que pode ser 
afiado ou aguçado. | Que está ou 
pode estar nas condições de cortar: 
— kia poko, I I sub. Aguçadura. | 
Fio; gume. 

Kifuélu, sub. (III) Parte do pas- 
tor pela condução e gu irda de g^dos 
alheios, I Adúa. | Serviço feito pe- 
las bestas de diversos donos em 
proveito de um só. 

Kiíuénga, sub. (III) bot. Arvore 
fam, das euforbiáceas {trema affi- 
nis) , utilizada paia construções, 

Kifuenze sub. (III) Bufão; fanfar- 
rão. II adj. Espião; bufo, i Que 
pertence à polícia. | | bot. PUnta 
fam, das leguminosas {albzzia caria- 
ria), utilizada para sombra. 

Kifuinu, adj. e sub. (III) Instru- 
mento vingador. | Que serve para 
exercer vingança, para tirar des- 
forra, 

Kifuji, adj. e sub, (III) Cousa ex- 
crementícia, que cheira mal \ fig. 
Ignaro; imbecil; estúpido, 

Kifúku, sub. (III) Choupa. | Ins- 
trumento para abater rezes. 

Kiíúkulu, sub. (III) Ocasião; opor- 
tunidade (que podemos aproveitar). 
I Lance; vez. 

Kifukuluk'', adj (III) Casual: 
coavergente. { Que aparece (aem 



KIT 



- Í48 - 



KIT 



ser e^perado). [ | sub. Emergência: 
aparecimento, I O que pode apare- 
cer, ; Sucesso. 

Kifukumuise, adj. (III) Assusta- 
dor. I Espantoso, | Que causa susto; 
que é motivo de pasmo, 

Kiíukumuhe, adj. (III) Surpreen- 
dente. I I sub. Surpresa; sobiesalto; 
pasmo. ! Acção calculada pela qual 
se pretende agradar ou ser útil al- 
guém sem este o prever, | Prazer ou 
defgô-to inesperado. 

Kiíukuíuku, sub. (Ill) Coccix. 1 
A região cóccica. 

Kiíúla, sub. (III) Casa de recolher 
cereais. I Secadouro: depósito de 
provisões. | Arrecadação. 

Kiíúlu. sub. (III) Flor. | A parte 
do vegetal de que sai a frutificação. 
I I Lino; ílôr de jardim. V. pi. itúlu. 

Kiíulukuíu, ad). e sub. (III) Tur- 
bulento; belicoso. V. pi. iíulukuta. 

Kifulúlu, sub. illl) Ronqueira; 
asma; pieira. | Som produzido pelo 
ar respirado nas pessoas asmáticas 
ou atacadas de bronquite. || Ester- 
toi; agonia. 

Kiíumba, adj. (IIIj Mata expêssa 
de plantas de pouca altura. | íig. 
Armação de madeira.] E' m. us. no 
pi. itumba. 

Kiíúmba, adj. e sub. (III) En- 
trevado; autómato; cêgo. | \ sub. 
¥a\hote: kuximÍka—.\CapA de palha 
(usada pelos cabindas nas suas di- 
versões). I Boneco de trapos para 
queimar. | Monte de palha. 

Kiíumbi, sub. (III) Achicador; 
bartidoúro. | f'g. Sopapo. 

KKumbuluke. adj. (III) Que vem 
à superfície. ] Que assoma ou 
emeige. 

Kfume, adj. (III) Próprio para 
mandar. | Que recebe ou executa 
ordens. ] Lacaio. 

Kiíumínu, sub. (III) Atribuição; 
mantlato. j Provisão; alvará. | Au- 
toridade de mandar. | Comando. 

i\i(umu, sub. (III) Recado; man- 
dado; ordem. | j Norma; obrigação; 
lei: — kia Nzambt. | Encargo; in- 
cumbência. ] O que se faz a alguém 
por mandado de terceiro. 

Kilunda, sub. (III) Panorama; 



paizagem; vista. J Posição; talhe. 1 1 
bot. Planta anacardiâcea {heeria 
insignis) , de que se faz o carvão 
vegetal. 

Kifiindu, sub. (III) Grinalda; co- 
roa. I Sinal de distinção, de glória. | 
O que dá honra ou lustre: — kia 
ungana. \ T u r b a n t e. | | bot. Ar 
vore terebintàcea ( anaphreniuill 
abyssinium). Anacardo. 

Kiíundúlu, sub, (IIII) Movimento 
impulsivo para afastar. | Empur- 
rão; encontrão. 

Kifungu, sub. ^III) Casa arruina- 
da. I Espelunca. | | corog. Pequeno 
rio e vale do mesmo nome, a E, da 
pov. de Cambondo, circ. civ. de Ca- 
sengo, distr. doQuanza-Norte, prov. 
de Luanda. 

Kitúri, sub. (III) zool. Francolim 

Kiííifa, sub. (III) mit. Ninfa. | 
Sêr sobrenatural. ( Semi-deus. | j 
Ente anormal, misterioso ou defor- 
mado. I Lubis homem. V. kianda. \ \ 
— tuji, zool. Pássaro estercorário.j 
Esterqueiro: — tuji ki kiou'è, kitanda 
ki ateie kulcii'à.\ V. kitone. \\ Género 
de insectos que vivem nos escrenien- 
tos, de que transportam pequenas 
bolas. I Espécie de escaravelho. 

Kiíufú, sub. (III) Papão, j Pes 
soa rídicula e extiemtmente feia 

Kifufu, sub. (Ill) Indigestão. || 
Som cavo de instrumentos ou uten- 
sílios rachados: ngoma i ala — . | 
Parte do objecto em que os sons 
resoam: — k/fl mbínda. |Arca; caixa; 
baú velho. jPanela, rabaça ou outro 
vaso rachado:— kia'mbia.\\ adj. 
Que tem rachas. 

Kifufulu, sub. (III) Lugar em que 
dormem certas aves: — ktfl nguari.\ 
Ninho; guarida; abrigo. 1 Diz-se dos 
ninhos que não são de pássaros. 

Kitúua, adj. (IIIl Que não tem 
culpa. I Inocente. || sub. Pessoa 
não implicada em crime. | | fig. 
Criança | | , adv. Confiadamen- 
te; ao acaso. 

Kituuamu, adj. {Ill) Surpreen- 
dente. I Inesperado. ] | sub. O que 
acontece fortuitamente. | Ocasião 
não esperada. 

Kituxi. sub. (Ill) Delicto: cri- 
me. I Infracção; pecado. | j AÍU- 
Kua — , adj. Acusado; culpado; 



ítlU 



- i49 — 



KIV 



réu. I Criminoso; pecador. | V. pi. 
ítuxi. 

K'u, pron. Lhe: u a k/ bingi a mu ba 
— I A êle: a vós. 

Kiua, inteij. ^III) Eureka! | Hos- 
sana! Hurra! \ \ sub. Manifestação 
de regozijo, de contentamento, de 
dlegiia. I Aleluia! viva! || Bem: 
lia bange — .\ \ Consolação; paz; cjuie- 
tação de ânimo; sossego. ( | adv. 
Assim mesmo. | Perfeitamente; 
de modo agradável. \ Ain- 
da. I I , ioc. adv. H-íja paz, 

saúde, alegria: /V/uR-A-fuí kiakuria ni 
kãnua, k/a mi longa nguétu. | A paz 
seja convosco. 

Kiuáia, sub. (III) zjol. Gato bra- 
vo. I Mulher da rua. | Vagabunda;, 
merectriz. 

Kiuâna, adj. num. Quatro: ata-, 
V. uána. 

Kiuáne, adj. (III^ Divisível. |Que 
se pode quartear ou dividir. 

Kiuanuinu, adj. (Ill) Divisor. | ] 
sub. Dissenção; falta de harmonia, 
de concordância. | Divisão de opi- 
niõev;. 

Kiúba, adj. e sub. (III) Irmão 
uterino, materno. | | Maternal. 

Kiúbe, adj. (III) Liberal; amigo 
de dar. | Filantropo. 

Kiuénde, sub. (III) V. kihénde. 

Kiuéue, ad^j. (III) Jucundo; ale- 
gre. I Festejado, | 1 bub. Aurora; 
crepúsculo matutino. | Alvor. | | 
Alegria. | | Pessoa encarregada de 
promover f;;stas. 

K uikilu, sub. (III) Acendalho: 
acendedor. | Utensílio para acender 
lume. 

Kiuisu, adj. e sub. (III) Ázimo; 
cousa insulsa: mbolo ia — . | O que 
não levedou, j Estado de verde, de 
crú. 

Kiúmba, sub. (III) Prodigalidade. 
I Superfluidade. | Gasto demasia- 
do ou desnecessário. 

Kíúmbe, adj. (III) Perdulário; pró 
digo. I Que gasta muito. || curog. 
Pov. e sede do posto de Chiumbe, 
circ. civ. de Cassai-Sul, distr. da 
Lunda, prov. de Maltnge, 3.132 
hab. I I Pov. e sede do pôsfo deste 
nome, circ. civ. do Bailundo, distr. 
do Haambo, prov. de Benguela^ 



24.005 hab. e Missão Evangélica. 

Kiúngu, sub. (III) ictiol. Cherne; 
peixe percida. 

Kiunu, sub. (III) Proeminência 
lateral por baÍKo da cintura. | Ga- 
rupa; anca. 

Kiuolouolo, sub. (III) Guiso. | Pe- 
!|uena esfera oca, de metal, que sôa 
ao agitar-se. 

Kivaji. sub. (III) Madre. 

Kívalelu, sub. (Ill) Lugaroniea 
parturiente teve o íiiho. 

Kivari, adj. (III) | Que tem muitos 
filhos. I Progenitor. | Parturiente . 
I I sub. Mulher que está de parto. 

Kivémba, adj. (Ill) Que oscila ou 
verga. ] | corog. Pov. e sede da 
«Vila Pereira de Eça», circ. civ. do 
Baixo Cunene {Ku-anhama), distr. e 
prov. daHuila, a 1.062 mts. de alt., 
posto zoot., est. telegr.-postal de i.* 
classe, deleg. de Saúde e de Faz., 
intend. militar, escola ofic. u.° 37 de 
cPadre Antunes* e Missão Catol. de 
N. S. da Visitação. 1 1 Pov. da circ. 
civ, dos Gambos, distr. e prov. da 
Huila, a 15° 43' delat. S. e 14" 9' 31" 
long. E. Gr., 4.639 hab., deleg. de 
Saúde e Sanid. Pecuária, est. telegr.- 
-postal e sucursal da Missão catol. 
de S. António, 

Kivi, sub. (III) Pau carunchoso. ] 
Pau carcomido (pela acção do tem- 
po). 

Kíviku, sub. (Ill) Sonegado. \ O 
que se subtraiu ao dízimo, mani- 
festo ou imposto. 1 Contrabando. 

Kivimba, alj. (III) Que está in- 
tacto: kitari kia — . | De uma só 
peça; inteiriço. | | sub. O que não 
falta nenhuma das suas partes. 

Kivisa, sub. (líl) Obediência; do- 
cilidade. I Cumprimento de ordens, 
da vontade alheia. | Submissão, 
ouvido; compreensão. ISilên io com 
que se ouve. | 1 Mukua — , adj.. Obe- 
diente. I Que tem o sentido da au- 
dição, 

Kivise, adj. (III) Que faz ouvir.I^I 
sub. Instrumento acústico para 
surdos. 

KIvuí, sub. (III) O que se posíue 
1 Objecto possuído e de que se é 
dono. I { Estado de quem possue. 



m 



- Í50 



Kivule, 3ub. (III) Maioria. [ Grupo 
preponderante; a maior parte, | 
Plural. 11 adj. Quantioso; abun- 
dante; numeroso. | Tanto; tão: 
ki~kíki{ole. (nem tanto nem tão 
pouco). 

Kivunda, sub. (III) Estatura; fei- 
ção; talhe: — Kia mukutu. \ Corpu- 
lência; tamanho; posiçã : vulto. 

Kivunga, sub. (IH) Membrana 
que envolve exteriormente o feto. | 
Córion: mona u ejila mu — . | O que 
envolve ou encobre alguma coisa. | | 
— tiihl. Armadura que cobre o peito 
e parte das costas. | Couraça, blin- 
dagem. 

Kivungininu, sub. (Ill) Cousa que 
envolve, reveste ou cobre outra. | 
Envólucro; cobertura. \ Embuço. 

Kívungu.sub. (III)Embuçado; en- 
capotado. 

Kivunzu, sub, (III) Toldação; tur- 
va mento: ku polo Ku angi te — . | 
Obscuridade; turbilhão; agitação 
de espírito que nos não deixa ver 
claro. II Borra; pé.| V. pi. ívu/jzu. 

Kivurise, adj. (IIÍ) Variado; com- 
posto de cousas diferentes. | Alter- 
nado: — k/í7 moKQ. I Em que há si- 
multaneamente várias cousas. 

Jvivufu, sub (III) Movimento de 
retrocesso.] Regresso ao estado an- 
terior. 

Kivufuile. adj. (III) Restituivel. ( 
Que se pode ou deve devolver. 

Kivuluilu, sub. (III) Despique: 
desíoira.l O que se devolve. 

Kivúvu. sub. (III) Desregramen- 
to; desmando; abuso. | Falta de 
ordem, de respeito. 

Kívuzu, adj. (III) Perturbação; 
abalo. 

Kixakafu, sub. (III) Esfregação,| 
Fricção; roce. 

Kixala, sub. (III) Peixe do mar 
maior que a enxada. 

Kíxalu, sub. (III) Rasgão (nas 
carnes). | Lanhe. 

Kixamenenu, sub. (III) Apoio; 
encosto; amparo: o mutu li'aknmb'ê 
— . I Cousa a que se encosta. | Es 
telo. 

Kixanenu, sub, (III) Chamariz' 
engodo. II Convocatória. | O que 



m 

dor meio do qual se chama ou atraí. 

Kixánga. sub. CHI) Tropo | Me 
táfora: kuzuelela mu~.l\ Modo indi- 
recto de representar uma cou-a ou 
i 'eia sob a aparência de outta | fig. 
Dissimulação; disfarce. 

Kixanji. sub. JII) zool. Tavão; 
mosca grande. 

Kixanju, sub. (III) Contenda | 
Querela. | | Escândalo; vergonha. 
1 Acto que ofende o pudor. | De- 
sordem; alvoroço tumulto. 

Kixanu, sub. (III) Chamamento: 
chairada. | | Convocaçã< ; convite. | | 
ext. Sinal de referência. 

Kixaxafu, sub (III) Apalpadela, j 
Tacteamento. | Apalpo. 

Kixaxi, pub. (III) Haste de granii- 
nea seca. i Cascabulho; palha: — 
kia risa. | j fig. Papel m )e(la; cé- 
dula. I I adj. Dobrado; duplicado: 
u ngivutuila — . 

Kixenenu, adj. (Ill) Que e>tá 
sujo ou pode sujar-se, eniporcalhar- 
-se. I Próprio da porcaria. 

Kixenge, sub (III) Vergã')| Vestí- 
gio que deixa na oele o golpe ilo 
azorrague, do grilhão, da coida, 
etc. I Sulco; ruga. 

Kixeri, adj, (III) Impar. | Dcsem- 
paielha(Jo; desirmanado. | Sein se« 
guniio. II sub. f!g. Lírica; fome. 

Kixeíe, sub (III) O que fica no 
fundo (la vasilha que se despejou. 
Escorralho. | E' m. us. no pi. ixete. 

Kixi, sub. (III) Deixação; deixa. 

Kíxi, sub (III) Penhor; hipote- 
ca: ng' a mu bana — kia Tihongo. \ 
Sinal certo; prova. | Segurança; ga- 
rantia de uma dívida ou Contracto. 

Kixiba, adj. (III) B^to. | ! sub. O 
que perdeu o gume ou a ponta. | | 
Restos de milho ou farelo cozidos 
em água e sal. || Resíduos ile la- 
ranja ou limão depois de exprimido 
o sumo. I fig. Pes.soa sem energia. 

Kixibe, adj. (III) Absorvente; 
chupador. 

Kixibilu, sub. (Ill) Chupeta. | 
Órgão sugador dosinsectoí e outros 
animais. ' Tromba. 

Kixíbu, sub. (III) Zimbro; orva- 
lho. I Cacimbo, j A estação iria do 



ícik 



— <3Í - 



KIX 



ano; inverno: — ua iblla utalale.] 
Relento. ] Mangra; cieiro. 

Kixibua, sub (III) Planta lenho- 
sa fam. das ampelideas {vitís conci- 
nna), similhante à videira e utilizada 
como ornamento. 

Kixiiu, sub. (III) Ermetação; ar- 
roto. I fig. Erro gramatical. 1 Falta 
de «aber falar. I Palavra errada ou 
mal soante. 

Kixika, sub (III) Substância que 
se põe no anzol para atrair e pescar. 
1 Isca. 

Kixikamenu, sub, (III) Assento. | 
Parte do corpo (humano^ que se 
adapta ao assento, 

KiXikane. adj. (III) Que mcrêce 
crédito. I Aceitável. | | sub. Abu- 
são; crendice. 

Kixikanu, sub. (III) Crença. | 
Confiança | Convicção | Fé: eme 
ngenému — kia Nzambi. \ Adesão 
absoluta do espírito àquilo que se 
considera verdadeiro. | Esperança 
firme. | Fidelidade. 

Kixikela, sub. (III) Escuridão; 
trevas. 

Kixikila, sub. (Til) Dinheiro, ra- 
ção ou salário que um operário dá 
a outro para, no fim da semana ou 
mez, iestituir-lh'o em dobro. 

Kixikinu, sub. (III) Sossego; 
quietação; comodidade. 1 | Aprova- 
ção. I Assentimento. 

Kixila, sub. (III) Tradição: — k/a 
Xi ietu. I Símbolo; memória; recor- 
dação; hábito. ; O que se deixa ou 
transmite a outros^ | Via pela qual 
os factos ou dogmas, usos ou cos- 
tumes são transmitidos de geração 
em geração. | Transferência pereue 
de bens ou direitos, i Deixação; 
legado. 1 Testamento:— kia muiji. \ \ 
Mukua — . adj. e sub. Que segue as 
tradições. | Pessoa que tem a seu 
cargo prescripções a observar ou 
a cumprir. 

Kixíia, sub. (III) Colmeia: — k/u 
u/kí. I Cortiço. I V. pi. ixila. 

Kixiluanda, sub. (III) Papas Je 
tarinha com peixe guisado. | Min- 
gau. 

Kixima, sub. (III) Tanque. [ Cis- 
terna. 



Kixímba, adj. (III) Imbecil; de 
sageitado; sem habilidade. \ Néscio 
inesperiente. || Sarraíaçal. 

Kíximbi, sub. (III) Deus 

rios e das lagoas 
grandes virtudes, 
adj. Privilegiado. 



dos 

ber dotado de 

Varão ilustre. | | 

Poderoso. lEnii- 



(III) Ranho; ca- 
Catarreira: uhaxl 



nente. | Prócer: — Kia' xi ni mâvu. 
Maior entre os maiores. | | Erector; 
jundador, 

Kixína, sub. (III) Lugar planta- 
do. ( Sementeira; al/obre. | I ulu, 
Si^meador; homem que trabalha na 
terra: — ulu kombo ria kurima, nvula 
i mu sanga mu ribia. \ Feudatário; 
tributário, i Lavrador; rendeiro. 

Kíxina, sub. (III) Apertão (ho gas- 
ganete): u a mu te — bu xinga. \ 
Pressão; combate. | | Militança; 
tropa. 

Kixinda, sub. 

tarro; escarro. | 
ua — ; bronquite. 

KÍKinde, sub. (líl) Traçado: — 
k/o ikoka. I Projecto; plano. | | adj. 
Determinante; estabelecido. 

Kixindu, sub. (III) Vocação; ten- 
dência: — k/ a mu xinda Nzambt. \ 
índole. 

Kixingeneku, adj. (III) Que se 
pode imaginar. | Que se concbe 
pela razão. | Razoável; fundado no 
raciocínio. ' | sub. Pensamento; re- 
flexão; discurso. I Im iginação; con- 
cepção; critério. 

Kixinginhi, sub. (III) Calcâieo. j 
O osso que forma o calcanhar. 

Kixingu, sub. (III) Pescoceira. | 
Cachaço. 

Kixinhi, sub. (III) Posta; parte; 
metade: — kia mbiji. \ Quinhão; 
lote. I Cada um dos troços de uma 
divisão: — kia muênge. ( Pedaço, 

Kixínji, sub. (III) Parte de árvo- 
re separada do tronco. ' Toro: — 
kia muxi. \ Cepo; toco. | Madeiro; 
barrote: lenho. | Tição: — kia tãbia. 
fig. Disparate, j | corog, Pov. e sede 
do posto deste nome, circ. civ. da 
Quissama, distr. e prov. de Luanda, 
3.013 hab. 

Kixiriku, sub, (III) Tolerância; 
condescendência: indulgência; Ciri- 
dade. I Boa disposição dos que ou- 
vem com paciência opiniões opostas 
às snas. 



KIX — 152 — 

Kixifa-mêsu, sub, (III) Tapa- 
-olhos; ven.la. | fig. Bofetão dado 
de frente. 

Kixifirilu. sub. (Ill) Vedação; 
biombo; resguardo; abnfío. | O riue 
s^rve para vedar ou rt sguardar. | 
Tapume. 

Kixdu, sub. (III) Bicliarocn; fera. 
I rned. Tumor gangienávr 1 e infla- 
matório. I Antraz. 

Kixíxi, Fub (III) O universo. | O 
mundo. | Tudo que no espaço é 
grande. 

Kixiximinu, sub. (III) Q que po- 
de originar desgostos ou desgraça^. 
I I adj. Que faz arder. 

Kixóka, adj. (III) Picíinte. 1 Que 
excita ou irrita o p3'adar. | | sub. 
Aguarcientc; zurtapa. 

Kvxone, sub. (III) zool. Tír,(lhão.| 
Papa-moscas. 

Kiicukuxuku, adj. (III) Soluço; 
choro bieve e irreprimível. | Acção 
de soluçar. 

Kizabuia, sub. (III) Pancada da- 
da com a mão na boca de alguém. | 
Tapa-boca; íj mu bana —k/a muzíi- 
mbu. a mu katula o kuxiJca o mupiópio. 

Kizáka, sub. (Ill) Esparregado 
de íls. da mandioqueira, 

Kizakazaka, adj. (IIIj Poça ex- 
tensa de agua estagnada e suja- | 
Charco; atoleirc; palude. 

Kizala, sub. (III) Vaidade. V. 
pi. izala. 

Kizalélu, sub. (III) O que se cx- 

tende na cama, | Roupa de abrigo, 

de agazalho. | Fralda; cueiro. 1 | 
Ninho. I V. pi. izalelu. 

Kizálu, sub. (III) Alagamento; 
invasão das água?; grande cheia: — 
K/fl mênha. i fig. Estendercte. 

Kizanga, sub. (III) Estreito; baía; 
j I L^go que comunica directamente 
com ornar. \\ corog. Pequena ilha 
do rio Quanza, fronte. ra ao po>to 
de Calumbo, circ. civ. de Irolo e B -n- 
go, distr. e prov. de Luanda. 

Kizangaíelu, sub (III) Cousa que 
diverte o espírito. | Aquilo co'n que 
se pode brincar ou estrag;<r. | Pas- 
satempo. 

Kizangeleku, sub. (III) O que 



iuii 



eleva ou engrandece, j | adj. Que 
exalta. 

Kizangu. sub, (III) Tentação: a 
mu te — . I Encantamento diaból'co 
tendente a prejudicar alguém, | 
Força oculta que nos leva a praticar 
um acto mau contra a no'-.sa vonta- 
de. [ Bruxedo. | | Desastre: — A-/ a 
mu ambata. \ Revez, ]| Kuta—v. 
tr. lOinar vit ma de desastre a \ 
Jistroptar ( limbrux^r; t-nfeitiçar. 

Kizanji, sub. (III) Robalo (peixe) 

Kizári, adj. e- sub. (111) Que se 
estt-nfienu espalha, i (J que ocupa 
Rrande extensão, | | bot. Planta de 
f I utos comestíveis {liioscorea 
angusilflura).\D\oscóTtdL | W inhame. 

Kizáu, adj. (III) Vadeável; va- 
doso. I I sub. Lugar onde se passa 
a vau, 

Kizávu, sub, (III) Pulmão; bofe. | 
f 1. izávu. 

Kizeki. adj. e sub. (III) Dormi- 
tivo, V, muzeKí. 

Kizela, adj. (III) De côr branca: 
— mesu. 1 I sub. CcSríigem (da roupa 
feita HO sol.) I Coiaduu:o. | V, 
kuzelesa. 

Kizémba, sub. (III) bot. Robusta 
trepadeira fam. das leguminosas 
{dolbcrgia hostiUs), de tronco lenho- 
so armado de fortes espinho.s. 

Kizembe, suD. (III) Toldo; alpen- 
dre. I ] Nome que se dá à criança 
que nasça em casa e no dia de fale- 
cimento de alguma pessoa. ] Qual- 
quer facto ocorrido nesse dia e casa. 

Kizembese, adj, (III) Nojento: 
nojoso. |Desagradável; repugnante. 
Que causa nàuzeas. 

Kizembu, adj (III) Repugnài- 
cia, I Aversã ; antipatia. | Repulsa 
que nos causa a presenç i de uma 
pessoa ou cousa. 

Kizemenenu, sub. (III) Arrimo; 
apoio; encosto. 

Kizendênde, adj. (III) Inclinado; 
debilitado; prestes a cair. \ j Tem- 
-te, não caias, 

Kizendu, sub. (III) Desi quilibrio; 
desaprumo. 

Kizéngu. sub. (Ill) Hjste; exér- 
cito. | iig. Multidão; bando. 



kíí, 



— Í5á — 



kit 



Kizenji, sub, (III) Reminiscência: 
monn u angi biti mu —.\ Pens men- 
to; ideia imprecisa. I Impressão que 
íica de uma c lisa que se viu ou 
l*u. ! Memória; lembrança. | | Apa- 
rêi)Cia; sombra. 

Kizénzu, sub, (III i Bilde; -kia 
KUtekela menha. \ Alcatruz. V. pi. 
izénzn. 

K'zézu. sub, (Kl) Máxima altura 
d;is águas do inar. | i adj. Enchente. 

Kizókela, sub. (III) Banquete: — 
k/a mivu. | Festa de cerimóa a. de 
família, etc. | fig. Regabofe. 

K zola, sub. (III) Estimação; sim- 
pitia; agrado. | Amizade; amor. ! 
Ventura; felicidade. 

Kizole, adj. (III) Muito quTi lo, 
prez ido; estimulo, |{ sub. O meu 
muito amíido: — Kiânti. 

K zómb.9. sub. (III). Folguedo; 
dança: — kí' an' a ndenge.: Funçâ ) 
(em que há regosijo), | D versão ; 
buUriCo, 

Kizona, sub. (111) zool. Formiga 
brava de côr Caslanha que inunda 
as árvores de fruta, 

Kizonda, ;dj. ("111, Desâiimo; de- 
salento. 

Kizonga, sub. (ill) Reunião; as- 
semblêi. | Junta que tem por fim 
íielibera;: âte — . 

Kizongelu, sub, (III) Antiga me- 
dida de lapacidade para sólidos: — 
K/fl rna'kunile. | ] O que ,-erve para 
av.diar quaut:d des mensuráveis. I 
Medida; páculo; bitola. 

Kizongo, adj. (III) La:ustre: Inzo 
la — . 1 I sub. Pequena casa coiis 
truida sôb:e estacaria à maigem dos 
lagos para guardar mantimentos. 

Kizonzc, sub. (III) Engano em 
que se empregam boas palavras, fal 
«as aparências ou prome->«as tenta- 
doia<?. I imbeleco; imbaiameiíio. | 
Artiííc o para se o&tei o que se de- 
seja. I I usão; logro. 

Kizófo, )sub. (Ill) Patitice; par- 
voíce, 

Kizozeiu, ub. (III Instrumento 
p if a tornar lasso, fiouxo, laigo al- 
guma cousa apertndíi. | Parafuso 
ou manivela para desapertar. 

Kizu, sub. (III) Biinhi. 1 1 Cavi- 
dade aberta numa peça para rece- 



ber a parte saliente de outra. | Ma- 
Ihête, I Encaixe. 

Kizuafelu, sub, (III) Vestiário. ] 
Compartimento ou lugar ondtí se 
veste 

K'zu3fu, sub. (III) Peça de roupa 
! Trajo: farda. [ V. pl tZliatU. 

Kizúbe, adj. (III) Acabante. 

Kizúbi, .sub. (Ill) Acabimonto; 
leniate. | | Guizado de restas de car- 
nes do dia anteiior feito com fari- 
nha de mandioca. \ 

Kizubilu, sub (III) Conclusão; 
<-rrm ; ím. \ Resi.ltad . 

Kizuelu sub. (Ill) Palavra; ex- 
pressão; dito. I Fala; areiga; dis- 
curso I Som qúe tem um seut d >. | 
Teimo; di ção. 

Kizuikilu. sub, (III) Utensílio 
para afiar lâminas. \ Assentador, j 
Pedra de amolar, 

K zúka adj. Furado; esburacado; 
masa ma — I Diz-se dos alimentos 
cosidos pela acção do calor; dos 
irutos maduros com aparência ile 
verdis: Kilbia — - | ; Árido; resequi- 
do. 

K.zuKU, sub. (III, Tampão; rolha 
grande (geralmente de capim); t. co, 
! Porção drí estopa para tjpar b-i- 
tijas, calafetar fendas, etc. | Tapu- 
Iho. 

Kizukuilu, sub. (III) Lugar em 
que habitualmente se acoita u hipo- 
pótamo. 

Kizúlu, 5ub. (III) Desnudament( ; 
nudez. ; Falta de folhas, df vege- 
tação, de vestuário. 1 Mudação; pe- 
núria. I V, útuxi. 

Kizulúlu, sub. (III) Atracção; 
simpatia: u ai mu — ki' akiiú. | 
Companhia. 

Kizuminu, sub. (III) Sem caver- 
noso. I Rosna ^ta . j | Resonância 

Kizunda, sub. (IIIi bot. Pi.uita 
iam das leguminosas, de fls. largas 
e flores em espiga papilionaceas. 

Kizunu sub. (III) Fanh^; fala 
pelo nariz. | Mukua — adj. Fanhoso. 

Kizuua, sub. (III) Dia , Espaço 
de tempo compreendido do n^ícer 
ao pôr do sol. 1 Tempo. i V, pL izuaa 

Kizuze, adj. (III) Próprio para 



ít\^ 



- <ô4- 



Kòí 



aSsar. \ | sub. O que se assa. 

Kizuzilu, sub. (III) Grelha; grade 
de ferro, para assar sobre brasas. 

Kízuzu, sub. (III) Aspado. | O 
que se assou. 

Kizúzu. sub. (III) Tecido velho. 
I V. pi. izíizil. 

Kóbiri, adj, (iX) port. Cobre. 
V. lôndo. 

Kóbo, sub. (IX) Beberrico. 

Kó|iri, sub. (IX) port. Cofre. | V. 
rlzoKU. 

Kóha, adj. determ. e pron.de- 
raonstr., designativo de cousa que 
está presente ou mais próxima de 
quem fala, | Esta; este: kanglllu — 
Kanete. 

Kóko, adj. e pron. demonstr. De- 
signa a cousa de que se falou em 
penúltimo lugar, ou próx ma^ da 
pess. CO II quem se fala. | Esse; 
essa.' II adv. Aí; nesse lugar. | Lá: 
para lá; ndê — . Desse lado: ku mba- 
fidu _ I iPor esse caminho; por esse 
mundo. | Por aí. 

Kôko, sub. (IX) Planta trepadeira 
da fam. das leguminosas {derris 
nobilis), utilisada para usos diversos. 

KoKolo. sub. (IV) Abrev. de ri- 
kokolo: — riamv. \ \ bot. Alcaparra. 
V. mukokolo. 

Kókólókó, onomat. do canto do 
galo. 

Koko-ni-koko, loc. adv. Entretan 
to. I Depois do que | Passado tem 
po. ! Neste espaço; por fim. 

Kokulu. adj.e sub. | V. ka iikulii 

Kole, sub. (IV) Abrev. de rikole 
I I corog. afluente do rio Lucala, na 
região de Kalandula, prov.de Ma 
lange. 

Kolodá, snb. (IX) port. Cordão 
(de ouro). | V. musangú, nzenzêla. 

Kolôlo, sub. íIX) port. Corredor | 
Passagem interior. 

Kolombolo. sub. (IV) GjIo: — 
ria sanji. \ V. rikolombolo. 

Kolofelu, adj. e sub. (IX) Sovina; 
fona: unhas de fume. 

Kórabe. sub. (IV) Abrev. de 
rikómbt. j bot. Planta medicinal, 1 
V. kafula -. 



Kombe, sub. Rio tributário do 
Quanza, no planalto de Malange, 
prov. do mesmo nome. \ | adj. Var- 
rido, I Limpo. 

Kómbo, sub. (IV) Trabalhador 
rural; lavrador. Abrev. de rikómbo, 

Kónda, sub. (IX) Conta. I | corog. 
Sede do posto civ. di circ. do Sele?, 
distr, do Quanz-i-Sul, prov, de Ben- 
guela, 13.251 hab. 

Kondé adv. Apenas; somente; 
não ma's: suke. — . j j adj. Tanto 
quanto possível, | D,z-se tia giaça 
que baste para coaverter o pecadur. 
I I interj. Basta! | | corog. Pov, e 
sede do po^-to deste nome, cone. e 
c rc. civ, d;) Amboim, distrito do 
Quanza-Sul, prov, de Benguela, 
9.956 hab. 

Kônene, adj. (X) V. ka unene. 

Kongo, sub. (IV) Abrev. de ri- 
kongo, divid<<: mukua — riâini. j| 
corog. Vasto território do antigo 
reino deste nome. || Pov.e sede da 
circ. civ. de S. Salvador, distr. do 
Congo, prov. de Luanda, a 6° 20, e 
10" de lat. Sul e 14° 17' e 18" de 
long. E., 562 m. de alt. e 7824 hab , 
Deleg. de S .úde e de Faz , est. 
telegr.-postal, e.^cola prim. a cargo 
da Missão Católica. 

Konji, sub. (IXi Ajoujo. ] Prisão 
com que se jungem animais. Jugo; 
embaraço; sujeiçfio penosa. 

Konjuua, adj. (IX) port. Cooju- 
ra<lo. I Conjuro. 

Kópo, sub. (IX) port. Copo, ( V, 
n^anza. 

Kórka. sub, (IX) port. Cólica. 
V. Kinlwngoto. 

Koso, adj. indef. (X) Toda; todo 
' Tudo I Intriro; completo: Kama 
— ka U konge.\ ] sub. A soma; a to- 
talidade; o conjunto. | O aspecto 
g-ral: kamburi — k'abenba. , adv. 
Ao tudo. I Completamente; em 
peso; sem excepção j | pron. indef. 
Tud ' i Seja qual fôr, {| — — , adj. 
indef. Um (de entre rru tos sem es- 
colher). Qualquer: ngl tanibeke . 

Koía, (IVj abrev de rÍKota 'adj 
Maior; superior: — ria ngana Mai?; 
' I — o 10 mu kuritiniKa , | sub. 
O mais conveniente; o melbor:— 



kóf 



íá3- 



ng^ahingi, kunhana malebu. \\ adv. 
Antes; de preferência 

Kot'ê, Preferível | Melhor. | Antes 
isso. 

Kofelele, adj. muito mais; mui- 
to acima' Muito superior: muene ko- 
ia eme, — . | Sem igual. 

Kouê ] interj com que aplau- 
dimos os vencedores Victor sub. 
Exclamação de aplauso, de victófia. 

KóJci. sub, (IV) Abrev. de rikóxí 
i I adv. Isa parte, situac^ão inferi- 
or. I Debaixo: — 'atmnha. \ Sob, 
por baixo de: — ' a inavu. \ Em bai- 
xo. 

Ku, pref. para infinitisar a radi- 
cal dos verbos: zutla (ídla), — zuela 
tíãldt); tala, (olha), — tala, (olriar), 
etc, I I prep, de, a, em, para: ng'- 
alundu — bata.ng' endelt —rihia; muene 
uala — tanda;—enie ngiia—Putu, etc. 
II part adv. ind Cativa de acção, 
de lugir: tunda-; jika—, etc. 

Kua, adj. e pron. poss. pi. Deles; 
delas: kuria — \\ prep de, para, a, 
por: ng' atundu—ndandu ie; ng'abitl 
— mon' é. II Pron. "relat. Que, cujo 
! I loc. adj. Com eles; da parte de- 
les: eme ng'atundu o—. 

Kuâbu, interj. Não mais! Ba.sta 
I I adj. Suficiente, j | loc. adj. Quan- 
to basta. I Tanto; quanto possí- 
vel. 

Kuahúla, v. tr, e intr. Render; 
substituir. Diz-se do facto de, em 
viagem, levar a cargd do com- 
pinheiro, para que descance. | ! 
Kuriahula, v. r. Subitituir-se. ren- 
der-se mutuimente. 

Kuàja, V. tr. Coçar. | fig. To- 
sar; sovar; bater || Kuríája, v. r. 
Coçar-se. 

Kuakamukuá, adj. e pron. inr 
def. Outro; outra, kúria — kuata 
lata. I Diferente j Seguinte. | Mais 
ura II adv. Em lugar diferente | 
Em outro sítio. 

Kuakata, v. tr. Cariciar : — mo 
na. I Demonstrar afecto. ] Afagar 

Kuâku, sub, (VI) Abrev. de lu- 

kuaku. I Mão:— ni—lusukula mukuá 
I PI. mãliu. 

Kualála, v. intr. Seatir calor 



muito vivo, ou comichão arden' 
te. I Arder: o fiuxi i nga mu be 
i a mu álala. \ Queimar; doer 
I I sub. Ardência; sensação de ca- 
lor I Veemência; dôr. 

Kuaialesa, v. tr. Fazer sentii 
calor, ] Fazer queimar, arder, doer. 

Kualata, sub (IX) port. Qujr- 
ta. I Medida equivalente a nove 
kilos. 

Kualúka, v tr e intr Tomar 
conta; ter cautela, cuidado; aluka 
o imbamba ia ngene. ! Vigiar; 
guardar: aluka mukuenu. \ Re- 
parar; estar cora atenção. || 
Kurialuka , v. r. Guardar -S", 
cuidar-se; acautelar-se: riáluhe. \ 
Reoguardar-se; premunir-se 

Kuàmba, v. tr. Diser. | Expri- 
mir por meio de escrito, de si- 
nais: o ribubu u ambe kiebi ? \ Ale- 
gar; afirmar; referir; expor: eie 
u a ki ambe. u biluluka ringi ? ! j 
Censurar; falar mal de: u amba 
muKuenu rí eie ue. \ Indicar; pro- 
por. I I Kuríamba, v. r. Afirmar sc-i; 
chamar-se, referir-se | Censurar- 
-se, falar de si: K'ariambe, muene 
u riambela. | Declarai -se; expri- 
mir-se. 

Kuamatui, adj. e sub. V. okuíz- 
■matui 

' Kuambata, v . tr. e intr. Le- 
var, — kimbamba bu mutue . \ I Car- 
regar; levar consigo; ter em ou 
dentro de si: kinda ki ambata 
makanha. \ Comportar; conter | | 
Tomar; encaminhar-se; dirigir-se: 
u ambata o njila ii \\ Adoptar: 
ng' ambata rijina ria nduka Estar 
fornido, prenche, cheio. || fg. 
Apanhar pancada. | Furtar. | En- 
gravidar. I I Kuriambafa, v. intr. 
e r. Deixar-se guiar, conduzir, j 
Ir por si. 

Kuambatela, tr . e intr Levar, 
transportar, condusir (algo) per- 
tencente á outrem: ng'a mu amba- 
tela kitari. || — ku. Levar, condu- 
zir de uma só vez. | | Kuríam- 
batela, v. r. Corporificar-se || v 
intr. Ser fornido, bem constituído; 
kilumba ki ariambatela. || Ter 
corpo. I I sub. Fornimento; corpo- 
lência. 

Kuambaíesai v. tr. Ajudar a 



kUA 



ièé — 



KIJÂ 



levar; fazer transportar. )| Cor- 
porisar; fornir. | ( Kuríambatesa, 
V. intr. e r. Ir ou fazer-se com- 
panhar de | Levar consigo ( sem 
propósito): — poko- |) Constituir- 
-se em corpo. 

Kuámbe! interj. Hein?! Que diz 
a isto? Que tal? | | adv. Portanto; 
em tal caso. | | Deveras? | É isso? 
1 Sim? 1 Será verdade? | | Ê boa. . . 

Kuambela, v. tr. Avisar; fazer 
saber. | Transmitir | Dizer: ng'a 
mu ambela kuma ki k'aiê-ku, \ Fa- 
zer chegar ao couhecimento de | 
Kuviambela, v. intr. Dizer de si 
para si I Escutar-se; refeiir-se. 

Kuambesa, v. tr. Fazer diser: 

ió u ambesa ima. i kôla. | Fazer 
censurar, dizer mal. || Kuriambesa, 
V. intr. e r. Dar lugar a censura. 

1 Fazer que se diga mal- 

Kuambuísa, v. tr. Fazer des- 
mair, perder os sentidos, | | Fazer 
deixar, soltar das mãos, largar | 
Abandonar. 

Kuambuka, v. intr. Desmaiar; 
desfalecer: o kufuã k'a ku flkis'á 
ni — .| Estar sem sentidos 

Kuambula, v. tr. Largar; desis- 
tir; pôr de parte. | ] Kuriambula, 
V. r. Separar - se; desagregar • se; 
desunir-se. | Cessar de viver em 
comum 

Kuamburila, v. tr. Adiar; to- 
lerar; consentir, , Confiar; não obs- 
tar. | [ Permitir. II Karíamburila, v. 
intr. e r. Não evitar, j Deixar-se; 
permitir-se. 

Kuamburisa, v. tr. Deixar passar; 
deixar ir. | Não interromper.] Dar 
permissão. 

Kuâmi, adj. poss (contr. da 
prep. huá e pron. eme). Meu; 
minha. | Pertencenteá minha 
pessoa: o kuri 'oko — IIoc. adj. A 
mim; comigo: iieza o — . | Para mim. 

Kuamua, v intr. Chupar o lei- 
te das tetas. | Mamar. | Absorver. 

Kuamuisa v, tr. Dar de mamar 
a. I Aleitai; amamentar: — mona. 

Kuamuhuá, loc prep. Era ou- 
tro lugar. I N'outra parte. Tb. se 
diz huakamukuá. 

Kuanavale, corog Rio, afluente 
da margem esqueida do Cubau* 



go, na circ. civ. de Menonguè, 
distr. e prov. do Bié. 

Kuanda , v. tr. Triturar cora 
os dentes. | Mastigar. || v. intr. 
Comer; tomar alimento. || sub. 
Mastigação. 

Kuánda, v, intr. Sonhar: — nzó' 
y/. [Imaginar; fantasiar: u ala — mà- 
lanza. 

Kuandála, v. tr. Pretender; querer 
II Cobiçar; aspirar a; apetecer . 
ij V. intr Sentir desejos; ter am- 
bições {sub, Querença; vontade. 
Kuriandala, v. r Amarse; que- 
rer-se mutuamente. 

Kuandeka, v intr Anelar; al- 
mejar; desejar: ngaimi andeka nkuhí,\ 
Aparecer ao longe de modo inde- 
ciso (cousa que nos é agradável). 
II sub . Anelo; almejo; desejo 
ardente. 

Kuandesa, v. tr Faser ter so- 
nhos: a ng'andesa jinzoji. | j Fazer 
mastigai, comer. 

Kuandu, corog Afluente do 
rio Cunene, com origem na ser- 
ia de Ulondo, a 14° e 5' lat. S. 
13° e 20' de long. E 

Kuanduluka, v. intr. Rubori- 
sar-se; estar corado; u andubcKa ni 
luanha. \ Corar (expondo-se ao sol). 

Kuandulula, v tr. e intr. Ru- 
minar ; remoer . | | Corar; tor- 
nar vivo. II Kuriandulula, v. 
intr. Tornar a mastigar, a remoer. 
Mastigar os restos contidos na bo- 
ca. 

, Kuaneka, v. tr. Assoalhar. | 
Estender (roupa, viandas, etc.) 
para enxugar ou secar ao sol. | | 
Patentear; mostrar; expor ás vis- 
tas, I I KuriancKa, v. r. Expor- 
-se ao sol. | Mostrar-se, exibir-se. 

Kuangála, v. intr. Ficar des- 
maiado, ofuscado, desbotado . | 
Perder a c ò r ( p;la acção do 
tempo). [ Desvanecer; tornar-se 
baço íl sub. Embaciamento | Des- 
botadura. 

Kuangalala, V. intr Estar trans- 
tornado, irado. | Estar irritado, 
difícil de suportar: muxima ua mu an- 
galala. 

Kuangalesa, v. tr. Fazer desbo- 
tar, ofuscar, perder o bnJho, | 



KUA 



■- 157 



KUB 



Tornar pálido, baço 1 1 Irar; en- 
rai ve ce r I — muxima . 

Kuangelela, v. tr. Lançar em 
rosto os favores concediiios.| Objur- 
gar; ampsquinhar; humilhar; depri- 
mir ! I Kuriangelela, v. r. Lançar-se 
em rosto os favores recíprocos. 

Kuangu, corog. Grande rio aflu- 
ente dd margem esquerda do rio 
Zaire, com origem nas terras do 
Quílco 1 I Pov. e sede da circ. 
civ. do mesmo nome, dístr do 
Congo, prov de Luanda, a 6' 
f6 de lat S. e 16° 41 de long. 
E. Gr , 6 822 hab, deleg. de 
Saúde e est telegr postaL | ] 
Fov e po^to da circ. civ de Ca- 
maxilo, distr da Lunda, prov de 
Malange. 5738 hab, e est telegr, 
postal de 3 ^ cl. 

Kuanguluka, v intr. Corar. | 
Cambiai;' mudar de côr: mahonjo 
m'anguluKa.\ Ter côr diferente da 
noimal (nas pessoas e nas coisas). 

Kuangulukísa, v. tr. Faser mu- 
dar de côr. 

Kuanhama, (cu Ku-anhama) co- 
rog. Vasto território da circ civil 
do Baixo Cuní^ae, distr e prov. da 
Huíla e sede da Vila Pereira 
d'Eça», a 170 e 5' de lat S. e 15° 
e 44' de long E , loóõ m de alt , 
9 704 habit V. kivembj. 

Kuânhi, pion^interrog. (contr, da 
prep. kuj e do pron rei. ínhi). 
De quê: kukata - | De qual. 

Kuanjiua, v intr. Visionar: — 
nzóji I Ter sonho | ] v, tr. Vêr em 
áonhos. 

Kuânza, corog. Rio magestoso, 

maior que tem o seu curso no 
território de Angola. Nasce nas 
Gangueias e desagua no Ocea- 
no ao S da cidadde de Luanda. 

Kuasa, v. tr. Arpoar; copejar: - 
ingaatje. \ Cravar; espetar; disparar 
flexas. j Fisgar: — jinguingi mu nzenza. 

1 I sub. Arpoação; copejadura . j 
Kuríasa, v r. Fisgar-se; cravar- 
-se no espeto. || v. intr Fazer mal 
a si próprio. | i Vestir-se bem; estar 
bem posto. ] I sub. Mau êxito; 
prejuiso (nos negócios), | Espetan- 
ço. 

Kuasesa, v. tr Mandar arpoar, 
íisgai:— /imòijí. i Fazer arpar, dis- 



parar flexas. II Kuriasesa, v. r. Fa- 

zer-se espetar. I Fazer ter mau re- 
sultado (nos negócios). 

Kuâfa !, interj. Agarra! || sub 
Voz para pegar. 

Kuafiri, corog- Afluente do lio 
Cubango, na circ. civ. de -Menonge, 
distr. e prqv. do Bié, 

Kuaúka. v intr. Ficar chamus- 
cado; estar queimado ou assado á 
superfície: o xitu i aÚKa ngó,' kí abiê, 
I I sub. ChamuEcaduia 

Kuaukísa, v . tr Fazer cha- 
muscar, assar levemente | M- ndar 
passar ptla chama. 

Kuaúla, v tr. Chimuscar. pas- 
sar pela chama •.-^jindemba. \ Quei- 
mar levemente. | É tb, sub, | \ v, r. 
V. Kuriaúla, 

Kuáza, V. tr. Coçar V. Kuája. 

Kíiba, V. tr Legar; dar para 
sempre | Deixar, dar de vez: ng'a 
mu òe huxi. 

Kubába, v. tr e intr. Afagar; 
ninai; acalentar. | Bater lenta- 
mente para fazer adormecer ( a cri- 
ança). II Acariciar; embair. 1| 
Sub Afagameuto; nana 

Kubabajala, v. intr. Titubear.] 
Exprimir se com htsitação. com 
dificuldade: uzuéla— \ [ Tatara- 
nhar; tartamudear | j v. r. Atra- 
palhar-se, confundir-se no falar, 
ou proceder). | Diz-se das crianças 
quando começam a falar. 

Kubabala. v. intr Esvoaçar. 
Dançar de braços abertos (for- 
mando asas): KUKina — | Bater as 
asas: o njila i ala — . '. Brincar; 
bailar. 

Kubabafa, v. tr, e intr. Apal- 
par com as mãos o que se não vê.j 
Tatear | Procurar ás escuras tate- 
ando. [ Topar | \ sub. Apalpamen- 
to; tateio | Apaldela . ; | Kuriba- 
bata, V. r. Apalpar-se; passar se 
revista; examinar*se comas mãos 

Kubabesa, v, tr. Fazer acalen' 
tar, bater levemente ( para que 
adormeça). | Mandar afagar (acal- 
mando); fazer cariciaj. 

Kubabula, r. tr As!^ar, queimar 
em casca:— masc Passar pelo fogo 
;| Chamuscar. 



KUB 



Í58 — 



KUB 



Kúbabulula, v. tr. Requeimar | 
Tornar a crestar. 

Kubabulúla. v. tr. Tornar a ba- 
ter lentamente | Tornar a acalmar, 
a acalentar, a ninar. | | Dizse do 
bciter das asas e canto do g^lo pe- 
la madrugada velha: maKolombol > 
m' ala— | Tornar a biter (as asas.: 
Kubába ni — . 

Kubaluka, v intr. S^ltar, dis- 
parar, sair (do buraco ). | Ser arre- 
messado, atirado, impelido. 

Kubafula, v. tr. Arremessar cora 
violência e inoiíinadamente (atra- 
vés de um cano ou orifício) | Dispa- 
parar; íazer saltar, sair o tiro. | | 
Descarregar. | Desfechar. 

Kubaiala, \*. intr. Menear afec- 
tadamente fao andar). | Gingar: 
hucnda — jBambolear; janotar. I| 
sub Meneio afectado do corpj | 
Ginga, 

Kubáka, V. tr. Arregaçar ( as cal- 
ças, as mangas, etc.) i Arreraangar. 
||Kuribáka, v. r. Djspôr-se para 
a brigd.| Pôr mãos á obra. 

Kubaka, v. tr. Guardar; arreca- 
do r; conservar: — Kitari mu ngonga. 
Reservar. || Kuribaka, v. r. Acau- 
telar - sf ; resguardar - se. | T e r 
cuidado em si, recatar-se, defender- 
-se. 

Kubakata, v. intr. Comungar ] 
Ser declarado inocente I Estar puro, 
limpo de consciência, isento de cul- 
pa (moralmente), j Estar preparado 
contra todos os malefícios, maus 
pensamentos ou palavras, | | v tr 
Prestar juramento de fidelidade: 
ngi muKua nduálu, ng'abaKata. 

Kubakela, v. intr. Receber em 
depósito I Guardar o que pertence 
a outrem | Destinar; pôr em al- 
gum lugar. I I Kuribakela, v. intr. 
e r. Vir de mangas arregaçadas. ] 
Vir disposto á luta. || — 6u, Ter- 
■s« na devida conta ] Portar se 
á altura das circunstâncias. 

Kubakesa, v. tr. Dar a guardar. 
I Confiar, pôr em depósito. | \ Ku- 
nbakesa, v r. Prevenir-se; acaute- 
lar-se; dispôr-se, \ Guardar (algo) 
para qualquer eventualidade. | Pre- 
caver-se para o que dêr e vier. 

Kubakuila, v . tr. Tributar . 
I Dar conta ou rendimento; — 



mukua 'xt. I Dar pensão a. 1 1 
Kuribakuila, v. intr e r Tributar 
para si próprio j Impôr-se tributo 
I I Guardar para si os rendimentos 
de qualquer negócio. 

Kubakuísa, v. tr. Fazer pagar 
tributo ou imposto | Impor tri- 
buto a. 

Kúbahula, v. tr Pagar tributo, 
contribuição, dizimo, imposto. Pro 
duzir, dar fruto: irima iboKula mu kí- 
xibu. \\ V. r Fazer-se tribitário. 

Kubakú'a, v tr. Levantar as 
vestes até meio da perna. : Ar- 
regaçar, [ Descobrir , mostrar as 
pernas. 

Kubáld , V tr. Cavar com a mão. 
I Fazer covas no chão. 

Kúbala, v tr e intr. Ficar; que- 
dar; permanecer; cair; w abale bu 
nganda. \ Tomar assento; estar por 
terra | ] Kuribala, v. intr. e r. 
Deixar-se cair ] Dar ou apanhar 
trambulhão; queda; ir á terra | | 
sub. O momento de cair. 

Kubalakala, v. tr. poit. Em- 
barcar | \ Deportar; degredar. | [ 
Kuribaiahala, v. intr. e r Conde- 
uar-se á deportação, i Desterrar-se. 

Kubalakaiesa, v tr. Fazer de- 
portar; degredar i Kuribalakaie- 
sa, V. intr e r. Fazer se em- 
barcadiço, deportado. 

Kubalakanha, v tr. e intr. Abal- 
roar, I Esbarrar [ Chocar. 

Kubalakafa. v. tr. e int Supor- 
tar; sofrer. | Experimentar as 
consequências de. | Padecer cora 
paciência e resignação. | | sub. Pa- 
decimento; resignação. 

Kubalafa. v. tr. e intr. Ar 
ranhar (sem ferir ). | Agatanbâr: 
— id iála. I Arrepelar; unhar || 
Kuribalata, v r. Agatanhar-se; 
arrepelar-se (com oS dedos ) 

Kubalakafesa, v. tr. Fazer su- 
portar, sofrer, padecer com resig- 
nação. 

Kubabéla, v. tr. Alisar; tornar 
raso. I Pôr ao nível de. 

Kúbalesa, v. tr Fazer desabar, 
abater, dar queda. I Fazer deitar 
por terra, cair. | i Kuribalesa. v. 
e intr. r. Tropeçar; íazer-se cair. 



KUB 



- Í59 - 



KUB 



Kubalésa, v. tr. Mandar cavar, 
fazer covas (csm as mãos). 

Kubaluka, v intr. Estar revol- 
tado, embravecido | ! Tornar-se fu- 
gidiço, bravio. Amontar. | | sub 
Braveza 

Kubalúla, v, tr. Chamar atenção. 
(I Catucar: nga mu halula ni mule- 
mba I Acenar, beliscar levemente 
I ! Revoltar; indignar, j Tornar 
bravo; fazer andar a monte. 1 | Ku- 
ribalula, v r. Prevenir-se ftocan- 
do o parceiro com o dedo) 1 Dar 
sinal de entendido. 

Kubalumuka, v. intr. Levan- 
tar-se; erguer-se; pôr-se de pé: — 
kií kialu I Sair da cama: acordar 

Kubalumuna, v. tr. Fazer le- 
vantar, erguer: u azeka a mu hahimu- 
na I Fazer pôr de pé fa pessoa) j 
Fazer que ( alguém ) se levante 
do lugar onde está deitado ou 
assentado. 

Kúbambuka, v tr e intr. Des- 
viar] Atravessar ] Tirar do carai 
nho I Encrusar; atalhar ] Encur- 
tar; tomar por caminho secundá- 
rio que evita rodear pelo prin- 
cipal. Derivar; mudar de direcção 

Kubambúka, v- intr. Enflamar, 
incendiar-se, expludir: fundanga i 
abambuKa. 

Kubambula, v. tr Fazer chegar 
fogo a.; Incendiar; pôr em chamas. 
I Fazer explodir. 

Kubamuka, V. intr. Derruir; cair; 
mT.xi u abamuKa. \ Desprender-se; 
tombar; quebrar; partir. | Ficar 
derrubado. 

Kubamuna, v. tr. Hastilhaçar; 
derrubar; rachar:— íni/«ma ni mingela. 
I Fazer cair, deitar abaixo ( o que 
estava de pé ou pegado). } Tom- 
bar, fazer ruir.| fig. Destruir; matar. 

Kubana, v tr. Dar; entregar; 
presentear; oferecer:— Ar«2'ía<a i^er- 
mitir; consentir: — kánsanza \ To- 
car; espancar; bater: — jihaxi. \ 
Agazalhar; acomodar: — kirirí. | En- 
sinar; aconselhar: — milongi . \ Dar 
atenção: ouvir: — matui- \ Entoar ; 
cantar: — muimbu. i ] — bana; Dar 
sempre, constantemente:— òana wa- 
kumbi'a izuua. \ Dar continuamen- 
te, todos os dias, I I — jinga Dar 
sempre; sem cessar ) \. Kuribàna, v, 



r. Dar-se, oferecer-se; vender-se| l" 
Camaradar; conviver : — ni akuenu.] 
Ter boas maneiras 

Kubána, v. intr. Ficar pasma- 
do, de boca aberta: — mu kcnu. \ 
Ficar suspenso, admirado. 

Kubanda, v intr Ascender; su- 
bir: — mulundu Galgar ; elevar-se | 
Subir de preço. 

Kubánda, v tr e intr Dar ca- 
pacidade I I Encomiar; exaltar; ga- 
bar: ngiri u banda ngiri ie,\ Optar; 
escolher; preferir. ] Estimar mais; 
dar preferência a l| Assinalar; 
marcar j | Cortar, lanhar a golpes 
de machado, faca, catana, etc. iigi 
banda muxi, mji banda lukula- \ Am- 
putar.! I Buscar; tratar de achar, de 
descobrir: — jinjimbu mu isúba, \ Con- 
certar; aperfeiçoar. 1| Cevar. || sub' 
Estimação; elogio | Primacial Pes- 
quiza; busca. 1| Kuribánda. v. r. 
Elogiar-se; ufanar-se, gabar-se: 
u akunu Waribánd'^. kilembekeia kí 
muriá o mhutu. \ Dizer bem de si 
próprio. 

Kubandama, v. intr. Aciuietar- 
-se; ficar estacionário | Parar. 

Kubandeka, v tr. Formar par 
ou parelha (com outro) | Agrupar; 
ajuntar ; unir (sem ligação) | Flan- 
quear ; ladear) 1 Remediar; suprir. 
I I sub Emparelhamento: acrescen- 
tamento. i| Kuribandeka, V. intr. 
e r. Acrescer, i Ajuntar-se: ii, ari- 
bandeka ku akua. \ Unir-se. 

Kubandekeza, v. tr. Acrescentar 
(pondo ao ladol.l Tornar maior (em 
extensão, peso ou número) , Em- 
parelhar; frmanar.j Pôr junto; unir. 
1 I Kuribandekeza, v. r. Pôr-se ao 
lado; juntar-se. 

Kubandesa, v. tr. Altear. || Fa- 
zer trepar, subir. | j Kuribandesa, 
V. intr. Engrandccer-se j Dar-se 
maior altura. Fazer-se subir; pôr- 
-se alto. 

Kubandúka , v. intr. Desagra- 
var. Fazer perder o justo res- 
sentimento de: ng^abanduka mumilon- 
ga ia soba. Receber satisfação do 
agravo; ter provimento. | Ficar 
ileso, livre. 

Kubandúla, v. tr. Aguçar; sepa- 
rar; desagregar: — maju . , , De- 
sagravar; atenuar; reparar: — mt- 
Kanu . I Desafrontar; dar satisfa- 



KUB 



- 160 - 



KUB 



ção do agravo- 1 \ sub. Aguçamento; 
reparação; desagravo ' ' Kuriban- 
dula, V, r Desagravar-se; desafron- 
tar-se; vingar-se. 

Kubandulúka, v. intr. Estar re- 
mediatlo, socorrido, salvo: nyaban- 
duKu bu KÍbiri bu ngexih. Estar be- 
neficiado, melhorado, livre | Rece 
ber benefício.! Obter com que aten- 
der ás áuas necessidades, 

Kubandulúla, v. tr. Apazigiinr; 
separar contendores; demover: — 
nvunda. ■ Remediar; beneficiar; so- 
correr. I I Acomo !ar; pacificar; acu- 
dir. ; I sub, Apaziííuamento; benefí- 
cio. | | Kuribandulúla, v intr e r. 
Dai-se remédio, auxílio mútuo. | 
Acomcdar-se. 

Kubánga, v. intr. Pelejar; bri- 
gar; combater; lutar:— ni mulenf/e . ] 
Batalliar; esforçar-se J sub Pele- 
ja; briga: km atumlii o 7)iaKa Kucza—, 
] Contenda; combate. \ — batiga, v 
iter. Pelejar, combater a cada 
passo. 

Kúbanqa, v tr. Fazer; construir; 
- iKOKa Praticar, formar, obrar, fa- 
bricnr: iKOto Escamar, preparar, 
postejar, Compor: — Kííúnríw. Criar, 
representar, imaginar: — ndúiiye. \ 
Trabilhir, movimentar, operar: — 
ufunu. Lucrar, ganhar: — KÍtari. 
]òd.ihe Al : — muèzu. Gerar; procriar; 
conceber: nzambi u dl-a ~ . Produzir. 
II V. tr. eintr. Executar; realizar; 
cumprir, !| V. intr. Esforçar- 
-se, fazer todo o possível. | De- 
fecar; proceder.! Servir (de) — 
ngi vtuJuKa \ sub. Acto de fazer, 
de construir | Acção; trabalho. \ 
Kuribanga, v. r. Declarar-se; to- 
mar forma I Educar-se; habituar- 
•se, fazer-se: — paxi. \ \ Desenvol- 
ver-se; engrandecer-se: -7i^'wama| Fa- 
zer bons interesses. 

Kubangama, v. tr Fazer oposi- 
ção a. Impugnar; combater (com 
razões). I ^ sub. Impugnação; con- 
testação; oposição. Acto de impe- 
dir. 

Kubangamana , v. tr. e intr. 
Continuaj; porfiar; prosseguir. 

Kubangela, v. tr. Fabricar, obrar 
devido a: ng' a Kt bangela ngànji. \ Ar- 
ranjar, fazer para: a ki bangela mue- 
hn è. I Socorrer; .ser defensor de: 
ngi bangela mukua ita; o mukua nzala, 



ki azuba o kuria, uleng^ ê. I Lutar, 
combater a favor de Kuribangela, 
V. tr. e r. Construir, fazer obrar 
sem auxílio de estranho. | Lutar por 
si, deíender-se. . fig. Berrar se. 

Kubangesa, v. intr Forcejar; 
debater-se ' Causar impedimento 
I Obstar; procurar opôr-se , | v. tr 
Exercer pressão contra. Empecer- 
resisfir, opor. Proporcionar; dar 

ocasião a; concorrer: eie ti abangesao 
mâxi KubatnuKa. Mandar executar, 
fazer, construir: - jingiitu. \ Kuriban- 
gesa. v. r. Ser causa dei Proporcio- 
nar ensejo a 

Kubángu, corog. V. OKovangu 

Kubanguluia, v tr Renovar; re- 
fazer; reconstruir: kubanga ni — 
I Reformar; repetir. , | Kuriban- 
gulula,, V. r Restaurar-se; refa- 
zer-se; resarcir-se. 

Kubangumuna, v. tr Desarran- 
jar; desmanchar: escangalhar. | Des 
truir (o que está feito). 

Kubanjika, v. tr. Outorgar; con- 
ceder I Passar (sigo) a outrem 
Transferir 1 j Marcar; assinalar 

Kubanjikisa, v. tr. Mandar dar; 
fazer outorgar; conceder Oferecer; 
ceder; transferir ] Kuribanjikisa, 
V, intr. e r Entregar-se; ofere- 
cer-se. I Tomar responsabilidade- 

Kubanúna, v. tr. Escachar; des- 
cerrar; abrir: — mu kanu. \ Alargar; 
dilatar. . Kuribanuna, v. r. Alai- 
gar-se \ Abrir-se 

Kubánza, v, tr Imaginar | Con- 
siderar Pensar sobre, meditar, su- 
por. Ter intenção de , Cuidar ; pla- 
near; projectar Representar no es- 
pírito Cismar. v. intr Reliec- 
tir : Terno pensamento \ Racionar; 
formar ideias | Calcular; ponderar: 
julgar possível sub. Meditação; 
pensamento i Suposição . 

Kubanzela. v tr. Meditar, pen- 
ssr, cogitar por Formar ideias por 
Outrem Kuribanzela. v, intr. Me- 
ditar, pensar por si.| Considerar, 
tomar para si uma resolução: eie 
u ribanzela mu Kiíunji Kiê [ Imaginar 
sem concurso estranho. 

Kubanzesa, v. tr. Fazer imagi- 
nar, pensar, reflectir. \ Fazer ter 
ideias. 



KUB 



-16< - 



KUB 



Kubarika, v. tr. Retalhar (negó- 
cio). I Aviar I! V intr. Ter posto 
de vend-i a retalho de artigos de 
negócio I : sub. Retalhamento; avia. 
mento Kuribanka, v. r. Aviar-se; 
apressar-se (na venda); despachar- 
'se ! Vesti r-se ligeiramente, com 
brevidade. 

(íubarikíla, v. tr. Vender a reta- 
lho em: tme ngálcabarikila mu Ndondo- 
I Retalhar por. 

Kubarikinha, v. tr. Atafulhar, fe- 
char, tapar á pressa: — mesu. \ 
Atabafar; impedir. | Kuribarikinha, 
V. intr. e r. Fechar-se; calxr-se ; 
Não se movei ; ter os olhos fechados, 

Kubankisa, v. tr. Mandar aviar, 
aligeirar, de?pachar i Fazer vender 
a retalho. iKuribarikisa, v. r. Fa- 
zer-se av ar, vestir ligeiramente 

Kubása, v tr. Rachar; fender; 
abrir de meio a meio: — jihunhi \ ' 
v. intr Lenhar. 

Kubasakasa, v. intr. Estar acha- 
tado, largo para os lados: mutue u a 
mu bafakasa Estar ou ficar em for- 
ma de ta boa 

Kubasujuka, v, intr. Despedaçar» 
-so aos poucos: imbia i ala — Que- 
brar-se pouco a pouco Par- 
tirse em muitos bocaJos Ficar 
em pedaços. 

Kubasujula, v. tr. Ir. quebran- 
do aos pouco? Despedaçar ou re- 
duzir em bocados Escaqueirar! Fa- 
zer era lascas Repartir. • Kuri- 
basujula, v intr. e r. Lascar-se 
aos poucos Reduzir-se aos boca- 
dos . 

Kubasuka, v intr. Quebrar • se 
(por si): rilonga ri abasuka . Ficar ou 
estar lascado, quebrado (uma peque 
na parte): muringe u abatufca j Sair 
um pedaço (de uma peça de louça 
ou barro). 

Kubasula. v. tr. Tirar uma lasca 
de ! Quebrar. 

Kubá(a, V. tr. Calcar (com a 
mão): —fubá j Apertar, tornar com- 
pacto] Fazer camadas ,| Calafetar. 

Kubatajala, v tr e intr. Dissi- 
mular I Fingir; ocultar-se: kueiida 
— . I Caminhar por lugares escusos. | 
Alapar-se; disfarçar-se. 

Kubafalaia, v. intr. Encolher «sd 



(para se (í8conder).|Abaixâr'Se (pon- 
dc-se de cócoras). 

Kubatama, v. intr. Ejp-ar; ocul- 
tar-sè; escondfr-se (para -iirprern- 
der).] Estar emboscado; D.aíaiçar- 
•se p ira não ser visto. 

Kubafamena, v tr. Fazer cspe* 
trt] ai mar embo!^cada a{ Kuripa- 
(amena, v. intr. e r. Espieitar-se, 
ob_ervar-se mutuamente 

Kubafeka, v tr. Entestar; ta* 
p r; — mbinda Vendar: - f7i«j«. [ 
Enrolhar: — mukuri \ Chimpar | j 
Kuribafeka, v. r Tapa r-se; - muíeie, 
Abrigar-s ; abafar-se. 

Kubafekela, v. intr. Meditar; 
amóduiecer; reflectir Pensar an- 
tes de decilir. Sosseg-ir: descan- 
sar ( j espí; itc) . 

Kubatekesa, v. tr. Mandar en- 
testa', enrolhar, tapar. I Fazer apla- 
car, apaziguar, sereníA. Fazer reflec- 
tir (para resolver) . 

Kubatela, v tr (port ) Abater; 
reduz r (o pr^ço), V. kuttbununa. 

Kubafesa, v tr. e intr. Secun- 
dar; s. guir (alguém ou alguma cou- 
sa): — manhanhu . | F-zer calcar; 
acamar j Fazer tapar; calafetar. || 
Kuribafesa, v. r. Ir um atraz de 
outro . j Formar a um de fundo. 

Ir á rcctaguarda de 

Kubatizala, v. tr. pott. Bat zar. 

\ V Vuúnda 

Kubaíuíla, v. tr. Atalhar; impe- 
dii: — jingenji. '< Ir adiante de al- 
guém para o atacar ou roubir j As- 
saltar; fazer espera. Cortar por. 

Kubaíuisa, v. tr. Mandar cortar, 
amputar ou separar por meio de ins- 
triim; nto cortante: - mulembu. Fa- 
zer atalhar, conigir, easinor o modo 
de falar bem \ Fdzer perder defei- 
tos a. 

Kubatujula, v. tr. Esquartejar.] 
DiloCerar Cortar mais vezts o 

quo já eitá cortado: .- mu ixinhi ía»- 
nhi Migar. \ Kuribatujula, v r. 
Retalhar-se; ferir-se em muitos lu- 
gares. 

Kubafuka, v. intr. Quebrar, rom- 
per, partir: mukoío u abatuka Pôr 
termo; consumar j Expirar : — 7/iue/7&M. 
Ficar talhado, .separado, cortado.] | 
Estancar; deixar de maoar, de cor- 



KUB 



- f62 — 



KUB 



rer: manhinga m' «òaíuka | l sub 
Rompimento 

Kubafukila v tr e intr. Entre- 
gar se ao ab indono ' Estar ou resi- 
dir em lugar estranho: — mu miixitu. 
Partir oii quebrar em determinada 
altura ou lugar: o muxinja u abataki 
la boba. 

Kubafula, v tr.Postejar; cortar: 
—xitu I I Amputar: — kinama ' Se- 
parar de todo (com o instiument:o 
cortante): ^màxi Desligai; desunir 
(cortando). ' Talhar: — rivunga. \ 
Aparar; encurtar. | | Falar cora 
correcção; exprimir se sem estran- 
geirismos . [ Modificar, emendar (a 
linguagem); corrigir: u zuela — . : 
Julgar; resolver: dtcidir: — mulónga. 

I Atalhar; estancar; deter:- manhi- 
nga [Vedar; exaurir. |; sub Corte. 

II kuribafula. v r Cortar-se:- 
iCda I Ferir-se. 

Kubatuluká^ v. intr. Cruzar; trun- 
car; licar atravessado, recortado: 
njila i abatu^uka mu ixinhi , sub 
Cruzamento; recorte. 

Kubaíulula, v. tr. Recortar:— ;i 
ndemba J Esquartar; dividir | Cor 
tar uma figura pelos contornos para 
a separar do fundo| Passar atr<iv<-z 
de: — íkoka. '| Abreviar; encurtar; 
resumir | Kuribafulula, v r Re- 
pattir-se | Passar (um pelo outrc) 
em direcções opostas.! Corrigir-se- 

Kubaíumuka, v. intr. Estar des- 
pegado I Ficar deslocado | Não ter 
aderência sub Despego; desco- 
lamento . 

Kubaíumuna, v. tr. Despegar (o 
que estava colado) | Arrancar. 
II Kuribaíumuna, v. r. Descola r- 
-se; desapegar-s-; desprender-se. 

Kubaúka. v. intr. Estar sem 
brilho. I Perder o Inzimento Es- 
tar fusco, empoado ; sub. Falta 
de lustro. \ Empanamento. 

Kubaukisa, v, tr. Empanar; em- 
baciar; tirar clustre. , Kunbaukisa, 
v. r. Ofuscar-se; entroviscar -st; 
mascarrai-se 

Kúbaula, v. tr. Não deixar apro- 
mar ou entrar [ Recusar; repelir 
com força. 

Kúbaza, V. int- Estoirar; reben- 
tar; explodir | Estalar; rachar; fen- 
der: kííM k» abaze. \\ v. tr. Capar; 



castrar.) jsub. Boa disposição; mani* 
festação de saúde. | Explosão; es- 
toiro. I Rebentinâ. 

Kubazela, v. tr. e intr. Ralhar; 
repreender gritando. \ Exprobar ; 
censurar com aspereza. 

Kubazelesa, v. tr. Fazer ralhar, 
censurar, repreender | Dar causa 
a ralhos, a repreensões. 

Kubazesa, v. tr Fazer estalar, 
estoirar, explodir | Mandar capar, 
castrar. 

Kúbe, sub. (II) bot. Arbusto de 
folhagem composta, miúda e côr ver- 
de, comum no planalto de Benguela. 

Kubéba, v. tr. Emboçar: -kíjja- 
pa kia'nz(?.|| sub. EmbLiço. 

Kúbeba, v intr. Grazinar ! Pra- 
guejar 1 Balar (o carneiro). I j v. 
tr. Sorrabar; rogar com ternura | | 
Lisonjear | Elogiar sem fundamen- 
to (para captar o favor). 

Kubebeka, v. tr. Barrar; rebo- 
car: — inzo. Acafelar; | ^ sub. Re- 
bocâdura | ISarreamento. 

Kubebekesa, v tr. Mmdar bar- 
rar, acafelar (paredes). 

Kúbebela, v. tr Colar (com go- 
ma, visco, etc^: — uãsu. \ Lacrar 
I ; Kuribebela., v. r. Colar-se; 
prender se com goma. 

Kúbebesa, v. tr. Mandar tecer 
elogios; adular; lisongear. \ , Fazer 
grazinar, rí.lhar; praguejar. 

Kubebuka, v. intr. e r. Desgar- 
rar; apartar«se do caminho; fugir: o 
mhuri i ahebúka mâza, \ , Desanimar; 
perder-se; decair. 

Kubebukisa, v. tr. Fazer garrar, 
desviar, mudar de rumo. 

Kubebula, v tr. Desgarrar; des- 
viar (o barco) do rumo: — ulungu. \ \ 
Mudar a direcção de. 

Kubebuluka, v. intr. Estar fra- 
co, leve, debilitado. I Ter pouco pe- 
so cu resistência Sofrer tribula- 
ções; ter dificuldades. sub. Leve- 
za; debilidade; fraqueza. 

Kubebula, v. tr. Debilitar; enfra- 
quecer. 

Kubeja, v. tr. Venerar V.Ku- 
béza. 

Kúbeka, v. tr. intr. Levar; ser 
poitador de; — mukanda. | Trans- 



KUB 



— 165 



KUB 



portar; trazer; conduzir; — imham- 

ha bit tabu. I í Atrair: — mala bu muè 
lu. I Usar habitualmente: — rrmlele wa 
mahelo. \ Ser causa de: — maka | 
Proporcionar; dar ocasião a. ; fig, 
Encaminhiir. v. intr Levar; tra- 
zer. \ 1 Kuribeka, v r. Apresentar- 
sc; oftrecer-se. ; Vir sem ser cha- 
mado. I Entregar-se; exibir-se. 

Kubekéla, v. intr. Oscilar; bulir: 
muxi u ala — ni muUnge \ \ Me- 
near, mover-se brandamente. I j sub. 
Oscilação; meneio. 

Kúbekela, v. tr. eintr. Trazer 
(para outrem): ng'a Viu békela mu- 
iíanda. \ Ser portador de. | Apresen- 
tar; conduzir (por alguém ou por via 
de) I Levar para. 

Kubekésa, v. tr Ofertar; ofere- 
cer,! Píopôr a venda, o preço de: — 
uènji II Fazer oscilar, menear; tre- 
mer: — mutue , Kuribekesa, v. r, 
Apresentar-se; prestar-se; oferecer- 
-se; expòr-se. 

Kubekeía, v. intr Ser oleozo; ter 
luzimento | V, Kumeketa. 

Kubekuka, v intr Desviar-se 
(por uma travessa) | Dobiar (uma 
esquina). Sair de uma rua para 

outra transvertal. 

Kubekukila, v. tr. e ntr. Esqui- 
n.r I Tomar por caminho outro que 
enquadra no principal: u abéku^ila 
bana 1 Seguir por uma travessa. 

Kubekukisa, v. tr Fazer tomar 
caminho que parte do principal j 
Mandar seguir por uma travessa. 

Kubekumuna , v impes. Asso- 
prar; faztr vento (o tempo) . , , sub. 
Vento fresco e brando \ Aragem. 

Kúbela, v. intr. Estar magro. | 
Definhar, enfraquecer. JSão ter 

razão; decair (em juizo.) | Pecar, 
ser culpado | sub. Emagrecimen- 
to: — líua' mbua nguzu mu ifuha ^ Debi- 
lidade; fraqueza. 

Kubéla. v. intr. Pousar (de ou 
por cima): mbemba i abtla kzí mulemba 
Empoleirar-se; equilibrar-se. 

Kubelekefa, v intr. Estar mole; 
u abeleketa kala mukila ua ngómbe. 
Ser flexível. sub Amolecimento: 
— kwa vibamba \ Falta de resistência 

Kubeleketesa, v. tr. Amolecerj 
tomar menos duro. h £' tb. r. 



Kubelela, v. tr. e intr. Pousar. 
(de frente ou de lalo): — risêmba. | 
Estabelecer contacto; umbigadar. I |- 
sub. Escovinha, umb gada i Ku- 
ribeiela, v r Umbigadar-se:— ma- 
semba 

Kubeiesa. v. tr Definhar; tor- 
nar magro. Inculpar; fazer per- 
der a razão i | Kuribelesa, v. r. 
Confessar-se culpado Ir-se exte- 
nuando; consumir-se. 

Kubelesela, v. intr, port. Obede- 
cer V Kuiumaka. 

Kubeluka. v. intr. Guinar; des- 
viar-se ( da carreira^ | Quitai-seJ 
esquivar-se; furtar se. || Diz se do 
acto de evitar que o adversátio 
nos alcance na carre.ra, desviando- 
• nos para o lado| I sub Bordo; gui- 
nada . 

Kubelula, v. tr Fazer guinar; 
afastar (da carreira) Furtar ( da 
corrida) j| Kuiibelula, v. r. Des- 
viar-se; esquivar-se; eximir-se. 

Kubemba, v. tr. e intr Assoar 
I fig Atrapalhar-se; cansar-se. 

Kubembesa, v. tr. Esmoncar; 
fazer assoar. 

Kubembuka, v. intr Ficar des- 
viado, arredado (da questão); isen- 
tai -se fda desordem). 

Kubembula, v. tr Espaduar; des- 
locar I Apaziguar; desculpar; apar- 
tar. ! Separar ^contendores ). Ku- 
ribembula, v. r. Descuipar-se; evi- 
tar questões: ngema u aríbembula u âia 
ni maluvu me \ Justificar-se. 

Kubénda, v. tr Escarnar:- x/íuj 
EiCodear; fatiar; tirar muito á 
superfície. | sub Escodeamento; 
escarnação. 

Kúbenda, v. intr Estar torto 
(em altura) | Estar desaprúmadoí 
muxi u ábenãe Estar desviado, in- 
clinado, tombado 

Kubendesa, v tr. Entortar; de- 
saprumar; mclinarl ] Mandar fatiar. 
I Fazer cortar levemente. 

Kubendujuka. v. intr Ir aos 
zigue-zague- . j Dar [ assos incertos, | 
Cambalear, âtortemelar. 

Kubenduka, v. intr Estar des- 
caído, cambado .| Ficar inclinado. 
I I sub Cambaleio. 

Kubénga, v. intr. Lambujar; ser 



KUB 



iU - 



Kdâ 



guloso, II sub. Lambugem; glu- 
toqaria. | Carácter de pessoa ou 
animal sôfrego. 

Kúbenga, v tr e intr N livar: 

— ribanga. \ Cortejar a mulher com 
que se vai casar. { sub. Casamento 

Kubengala'a v intr Estar tor 
to: muauiku u abengalala \ E^tar des- 
viado (da recta) . 

Kubengalesa. v. tr Entortar; 
empenar. I Torcer. ] Não dar bca 
direcção a: — nj la. 

Kubengama , v intr Ter le - 
guardo. I Estar abrigado, protegi- 
do: kukata bu kiriri fci' abengama \ \ 
v. r. Procurar abrig •; tirar-se do 
mau lugar; re<;guardar se. 

Kubengamesa. v . tr. Resguar- 
dar. I D^tr ab igo a. j Amparar; 
proteger. 

^ubengeka, v. tr, En:ostar; cer- 
rar: — ribitu I NãufeLhir de todo 
(a porta ou janela) 

Kubengeleka, v tr Acompanhar, 
á despedida, quem conobCo não vol- 
ta, I Despedir-se de uma visita á 
certa distância da casa: — mujitu. 

Kubengula, v. tr Abrir um pou- 
co; aclarar. | V. Kubengitmuna, 

Kubengulula, v tr. Descerrar; 
reabrir. 

Kubengumúka, v. intr.Estarou 
ficar entreaberto | Principiar a acla- 
rar (o tempo), il sub Eutreaberta^ 

Kubengumuna, v. tr. Entreabrir: 

— ribitu. 1 Descerrar; fazer acla- 
rar. 

Kubénha, v intr Bnlhar; res- 
plandecer, luzir:— k«o riêji \ Re- 
flectir. II sub Luzimento- 

Kúbenha, v intr. Doer; sentir 
dôr em: — kua mutue | Tef dôr de. 

Kubenhesa. v. tr Calandrar; fa- 
zer brilhar, luzir, dar lustro i | ^u- 
ribenhesa, v. r. Sair-se airoso. 

Kubenzela, v. tr (port.) Benzer. 
V. ]x.ub6ma.\\ Kuribenzela, v. r. Fa- 
zer o :jinal da cruz. 

Kubesa, v tr. Mandar ou fazer 
dar:— moíeôu | Proporcionara dação, 
sk cedência, a entrega de. I Kuri- 
besa, V. r Tornar^se credor de bc- 
nesies , Fazer que Ibe dêem (pelo 



porte ou serviços prestados): udengt 
uríbesa k' ahiiig'ê. 

Kubéfa, V. intr Estar mole: /un- 
ji i abéte I Ser menos consistente. | | 
Estar molhadc ; empapado: miileU u 
abéte II sub Falta de consi>tência . 

Kúbe(a. v int'. Espancar; bater. 
I I Ser melhor, superior. I Exceder 
em qualidade, extensão ou altura: o 
to u abeta o kuuaba \] v tr Dar 
pancada; agredir j fig. Derrotar; 
vencer || sub. acto de bater. || 
Kuribeta, v. r Bater-se.| Impor- 
-se castigo. | Ter desafio. 

Kubetama, v tr. e intr Abai- 
xar; curvar-se; pender ípara o chão): 
fabetama, kanza-ju; ki jibetuka j'akue- 
nu I Inclinar a cabeça. 

Kubetamesa, v tr. Fazer abai- 
xar, curvar, inclinar (& cabeça). 

Kubeteha, v tr. Inclinar; faz-r 
pender, descair.'- »n7/kMrt ua mâji. 
Desviar da virti^aiidade:— mfcínáa ta 
tntnha \ Tornar obliquo. || v. intr. 
Tetubear; exprimir-se com dificul- 
dade: kucií^e/a -. 1 1 sub Inclinação!! 
Kuríbeteka, v. r. Inclmar-se; tor- 
nar-se obliquo. 

Kubetekefa, v. intr Estar flexí- 
vel, frouxo, murcho.! Estar flácido: 
muxi ti abeteketa, \ Estar lângU'do. 

Kubetela, v. tr. Castigar, bater, 
(por outrem): ng^abetela bu ktriri kia 
pang'iami \ Sovar, punir em deter- 
minado lugar: a mu betela bu tabu. 

Kubetesa, v. tr. Empap.ii; amo- 
lentar; fazer diminuir a consistên- 
cia de um corpo ou substância || 
Mandar bater, zur?ir Kuribetesa, 
V. r. Fazer se b.iter | Dar causa 
a castigos. 

Kubetuila, v. tr. Recostar, dei- 
tar, apoiar (a cabeça) sobre : | Re- 
clinar; repousar. 

Kubefuka, v. intr. Soerguer; le- 
vantar-se um tanto: o haxi lelu u abt' 
ttika 

Kubefula, v. tr. Levantar (um 
pouco o que está deitado, abaixado, 
inclinado): — nirí-riV — mttu. \ Erguer. 

Kubefumuka, v intr. Ruir pela 
base, tomt)ar: lumbu lu abetumuka. | 
Descair: mizumhti ia mu betumuka j 
Estar decadente 1 1 sub Descai* 
meoto. 



KUB 



— <63 — 



Kijâ 



Kubefumuna, v. tr. Derribar, der- 
ruir (muro, parede, etc ) 1 Des- 
moronar; fazer cair. aluir. 

Kubéza, v. tr. Idolatrar, i Ado- 
rar; prestar culto a: — jinzambi \ 
Venerar: ter em grande considera- 
ção: — máktdit i V intr. Temer: — 
l^'gana ietn \ j sub Veneração; ido- 
latria. | Temor !]Kuribéza, v. intr. 
e r Venerar-. e; ter se em grande 
estima 

Kubia, V. intr. Sazonar | Ama- 
durecer: ngenge i ãbí. \ \ Cuzer; perder 
o viço: o iangii i âbi ni Inanha. Cozer 
pela acção do fogo. | i Ser prudente» 
esperto. j Diz-se da idade emque já 
se não deve estar sujeito ao pátrio 
poder: muhatu u âbi u aêoko, \ | sub 
Mídureza: — kua ndende \ Decocto || 
Prudência; espertesa. 

Kubiabiána, v. intr Criar car- 
ne ] Desenvclver-se ( o embrião 
dos ovos). I Tomar ( a divindade ) 
íórma humana. || v. tr. Encarnar 

I I sub. Encarne. 

Kubíabianesa, v. tr. Fazer en- 
carnar I Fazer tomar forma huma- 
na. 

Kubiáha, v intr. Ter flatulên- 
cias. I fig Arrotar; ter basófia. 

Kubiáía, v. tr C randar. | Lim- 
p<ii (de impurezaí): — maaa. 

Kubiia, v. tr e intr. Menear: 
saracotear. Manejar (o corpo dan- 
çando). I sub. Meneio. 1 D.inça de 
manejos (do corpo) j j Kúribiia. 
v r. Menear-se; sacotear-se. 

Kúbika, V. tr. e intr. Agourar; 
predizer dcontecimentos funestos ou 
desagradáveis. | Piar; cantar .(fa- 
lando das aves nocturn s) Ulular; 
Uivar I íig Lamentar (eh rando) 

II sub. Ago ro; vatcínio. j Grito 
plangente das aves nocturna?. 1 A 
voz lastimosa do cão, j Preságio; 
uivo; ulj. 

Kubika, V intr. Servir; prestai 
serv ços de qualquer natureza. Ser 
militar, escravo. Ij v. tr. Preparar 
amassar: —yun/íj Fabricar; cozinhar. 
II Kuribika, v- r. Escravisar-se 

Kubihila, v. tr. Servir a:— mau- 
bi , SersCiviçal, consagrar-se ao ser- 
viço de: ko/zo mulu u tena —ngana ji- 
iari. 

Kubikisa, v, tr. Maad»r servir 



ou fazer prestar quaisquer serviços. 
I Escravizar; sujeitar; cativar ' Do- 
minar. I Kuribikisa, v r. Esjra- 
vizdr-se; sujeitar-se; privar-se da 
própria liberdade. 

Kubíla, V. r. Pastorear; apas- 
centar; guiar (falando de gados ) | | 
Entrelaçar; emaranhar; bifurcar: — 
jinjila i Enredar: — maka fig. Pe 
íijar; lutar. ! | sub Enredo; pasto 
reio.jl Kuribila, v. r. Emaranhar 
-se; enredar-se; confaudi:-se. Di 
vi lir-se em doi? ramais ou cursos 
j.njila yaribiri. v intr. Estai 

eniaranhado, bifurcado |; — bila 
Pass ir e repassar (entre pesscas) . | 
Enroscar-se; entrelaçar-se. 

Kubilama. v . tr. Embaraçar; 
obitru r. | Estorvar o pisso. j v. 
intr. Ficar ou estar atrrtVancado.| | 
sub Embaraço; obstrucção . |1 
Kuribilama, v r Embaraçar-se | 
Obstruir-se. 

Kubiiongo, sub (IV) Nome por 
que noMaiombeé conhecida a plan- 
ta miristicácea mtdongolongo. 

Kubjlujuka, V. intr. Virar-se 
muitas vezes; girar (no mesmo lu- 
gar) . 

Kubilujula, V. tr. Virar muitas 
vezes; dar voltas a | Revolver; re- 
mexer. É tb. r. 

Kubiluka, v. intr. Virar-se com- 
pletamente para um dos lados. ! 
Mostrar-se peio lado oposto.! Vultar; 
apresentar a cara a quem vem de 
lado ou atraz ; Mudar de intento, 
de op nião, de rumo: mutu u biluka 
bu fiUu, k'a6i7iík"è bu rimi \ Rebe- 
lar-se.! Toldar-se (o tempo): kuma 
kw aftiZuka I Estar muJado, trans- 
formado, convertido. 

Kubilukila, V tr e intr. Virar- 
-se para: — k« rima Revoltar-se 
CO- tra: u angi bilukila miikonda ia 
ioBO i ng' azada \ Inculpar É tb. r. 

Kubilukisa. v. tr. Fazer virar, 
volver í Fazer dar voltas, mudar 
de posição, j ; Converter. 

Kubiiuia, V tr I Voltar em sen- 
tido codtrário ; virar; — mòí;» bu ki- 
meuga. \ Volver de um lado para o 
outro j Mudar de posição: — mona 
bu jihata I Pôr do avesso | Fazer 
mudar da direcção, d; rumo: — 
ulungu Mudar, transformar, con- 
verter :-mux»ma, li i^i;nbilula/ v. 



kUB 



- 166 — 



KUÔ 



intr. e r. Virar-se ( de um para o 
outro ladoj | Revolver-se | Dar vol- 
tas. 

Kub luluka, v intr. Mudar de 
côr; desmaiar; empalidecer. | | Ter- 
giversar; desdizer-se: eie-muene u 
azada u biíuluka riiu/i? \ Voltar para 
traz. 

Kúbima, v tr Carregir. levar 
para outro lugar (cousa pesada ou 
difícil). I ! Furtar; roubar; levar con- 
sigo, il V. intr Gatunai; laiapiar 

Kubimisa, v. tr Fazer levantar 
e levar para outro sítio j Mandar 
surripiar. 

Kábinda, v. tr. eintr Solicit r; 
chamar por meio de convite; pedir 
que apareça | | Kunbinda, v r 
Dar-se ou íazer-se convidado | Re- 
tribuir convite. 

Kubínda, v tr. Enredear; prender 
na rede | j Kuribinda, v r Enre 
dar-se. | Meter-se em cousa diíícil 

Kubindama, v intr. Preci.sar; 
necessitar; passar privaçães: n(/ala 
mu — \ Ser pobre || sub Necessida- 
de; pobreza | Carência de meios 
para subs st r. 

Kubindamena, v. tr. eintr. Pre- 
cisar absolutamente de j Necessi- 
tar, carecer de; ng' abindamena \útari.\ 
1-iuscar; (^ufrc; exigir. 

Kubindamesa, v, tr. Privar do 
necessário, j Sujeitai; constranger: 
u a ngi bindamesok ngi vut sumbi- 
la mídeíe. Importunar, encomodar, 
enfadar: eie'^ k u ngi bindainese! , . | | 
Kuribindamesa, v r. Ubngar se; 
privar se do necessário | Molestar se 

Kubindumuka, v. intr. Estar ra- 
mificado ou subdividido em partes 
secundaras | Ir por diferentts par- 
tes ao mesmo tempo. Estar be- 
neficiado, aliviado, j Ter melhoria 
(de 8 tuação) ' sub. Ramificação; 
b.nefício. 

Kubindumuk na, v. tr. Prover 
do preciso de modo que nada falte. 
I Municiar; abastecer. 

Kubindumuna, v. tr Beneficiai: 
— jingariama [ Socorrer. || Auxi- 
liar; consentir por {lartes. ( Abas- 
tecer; distribuir. I I Cobrar: — r<- 
kon^o Recuperar; receber | Ku- 
ribindumuna, v. intr e r. Libertar' 
-se i^úa^ ob:igàiÃo) . \ Pagar-se. 



Kúbinga, v. tr eintr. Pedii J— 
muloloke 1 Implorar, reque- 
rer. II Precisar: o' onzo i abingi 
ku iririka. I Não poder passar sem, 
ou prescindir de: u abingi hu mn aa- 
kula II sub. Petição; pedido. | Su- 
plica; lôgO. 

Kubínga, v. tr. Impedir o encon- 
tro de. [ Trocar; mudar; inverter 

I sub. Desencontro; troca. || Ku- 
ribinya, v r Desencuntrar-se; se- 
guir por caminho oposto: — jiujila 

Kubingajana, v. intr Alternai; 
revezar, |J v. tr. Substituir mui- 
tas vezes. I Trocar a cada passo. 

II sub. Alternativa; revezamento. 
! Kuríbingajana, v, r. Revezar-se| 
Fdzer-se substituir muitas vezes. 

Kubingana, v tr. e intr. Suce- 
der; substituir. 1 Vir fazer as vezi-s 
ou ocupar o lugar de ! | Kuribinga- 
na, v. r. Desencontrar-se; revezar- 

-se. 

Kubinganesa, v. tr Fazer ren- 
der, substitu r.| Pôr pessoa cu cju 
sa era lugar de outra | Suprir. 

Kubingila, v. tr Patrocinar; re- 
comendar; proteger. || Pedir por 
outrem . 

Kubinguluka, v. intr. Mudar de 
po5Íção Estar em sentido cont.á- 
rio I adv. Depois: mais tarde: mu 
— u atambulu o kitari kie Seguida- 
mente; lego. 

Kubingulukisa, v. tr. Fazer mu- 
dar de tenção, de posição, de parti- 
do. 

Kubingulula, v tr. Vdtar; vol- 
ver i Mudar de diiecção. de senti- 
do I Pôr de avesso. I É tb. r 

Kubinjika, v. intr. e tr. Forçar; 
constranger. | Obiigat; t Iher. | 
Causar embaraço. ] Kuribinjika, 
V r. Obrigar-se; meter-se em difr 
culdades. 

Kubinjikisa, v. tr. Embaraçar.' 
limitar; impedir (os movimentos). | 
Constnngir 

Kubinuka, v intr. Baqu'^ar, cair 
de costas: 2i ahinuka rrrn kulaha. \ 
Tombar (de cabiÇa para baixo.) j 
Ca r de chofre. 

Kubinukísa, v. tr Fazer tombar, 
baquear, cair de costas. 

Kubiokololai V. tr Retoicer (^s 



KUB 



-f67 - 



KUB 



olhos) I Olhar de modo que quasi 
só a côraea se deixa vêr — mêstt. 

Kubirika, v. tr. e intr. Ser ou 
tornar-se incorapr_een?ível ' Falar 
língua estrangeira". I Enredar; tor 
nar confuso 

Kubisa, V. tr. Fazer sazonar, 
amadurecer: kilukuluku kihisa oirima, 
\ I Deixar ou fazer cozer, chegar a 
ponto conveniente (pela acção do 
fogo). 

Kúbiía, V. tr. Passar, transpor; 
deixar para tr^z I | v. intr. Atra- 
vessar: transitai; ir mais longe. 1 
Deeorrer Suce ler, acontecer ines- 
peradamente: Idaeseki abiti mu ngongo 
I Ocorrer. | — bita. Passar e repas- 
sar; transitar muitas vozes. 

Kubiíakana, v. intr. Ultrapassar, 
exceder j Ir além de. 

Kubiíakanesa, v tr Fazer ul- 
trapassar, exceder, ir mais longe 

Kubitila, V. intr Passar, transi- 
tar, correr por: ng^abitila njila iènyi. 

Kubidsa, v. tr. Fazer ou deix-ir 
pasFar, atravessar, coar, f Itrar: — 
mêiiha mu ritari \ Desviar; ludibri- 
ar; fazer pas-sar aos direitos: — us- 
iiji\ Omitir. I Adiar; alternar; trans- 
ferir para ou tra ocasião; — ki2M?ía 
Espaçar; dispor com intervalos. !] 
Kuribifisa, v intr e r. Passar sem 
motivo determinado. | Fazer-se lem- 
brado (passando por). 

Kubitula. V. tr. Acompanhir-se 
de pessoa ou cousa á passagem por 
I T.rar ou receber cousa de parto 
vindo o indivíduo de mais longe: — 
kilari I Levar consigo n\ passagem 
per um lugar , | Kuribitula, v. r 
Dar encontro com | Passar um pe- 
lo outro. 

Kubiíuiuka, v. intr. Repassar; re- 
gressar. \ sub Repasse 

Kubituiuia, v. tr. Repassar ' 
Fdzer atravessar, levar de novo | 
Apeifeiçoar; retocar, corrigir.] | Ku- 
ribiíulula» v. r. Reparar-se; corri- 
gir-se 

Kubixika, v tr. e intr. Dar; ofe- 
recer; fazer chegar: k/ u tekela ma 
lemba mbondo mu bixike tumenfia 

KubiJcila, V intr Chegar; alcan- 
çar; atingir o ponto de destino. 

Kubixirisa, v. tr. Mandar levar 



para perto; fazer chegar a. 

Kubóba, V intr. Alagar; inun- 
dar; ficar coberto de água: irima io- 
so i aboba. \ Sossobrar; ir ao funio: 
Ulungu II aboba. ! Naufraga ; sub- 
mergir. II bub. Submersão |Acto 
de naufragar | Alagamento 

Kubobésa, v tr. Meter debaixo 
de água. Fazer alagar, naufragír, 
submergir. | Fazer sossobrar, ir ao 
fundo 

Kuboboka, v intr. Não ter 
dentes (os da frente): — rikanu \ D z- 
-se da pessoa qu\ por lhe faltarem 
os dentes da frente tem os lábios 
metidos paia dentro. 

Kubobola, V. tr Deslabiar; des- 
dentar I Atirar para a boca grãos 
ou caroços: — jitendu. 

Kubobot9, V. intr. Triturar; trin- 
car (caroços). | j v. tr. Morder; 
apertar com os dentes. | Roer. 

Kubojoka, v. intr. Ficar amol- 
gaio, amachucado: o foia i nbofoka 
I Eitâr achatada. 

Kubofokesa. v. tr. Fazer amol- 
gar, amachucar, achatar. 

Kubofola, v. tr. Amarfanhar; 
amachucar; — tizunil. Fazer mos- 
sa em. I \ sub Amolgadura, acha- 
tamento. || Kiiribofola, v. r.Ama 
chucar-se; amolgar-se. 

Kúboka, v. intr Pregar; discur- 
sar; orar Falai; discorrer || v. 
tr. Exprobar; censurar em público 
I! sub. Prática; fala oratóiia. | 
V kuriboka . 

Kubokela, v. tr. Apregoar; anun- 
ciar; transmitir (uma comunicação, 
mandado, ordem) . | Avisar; dar 
parte; fazer saber a. 

Kubokojona, v. tr. e intr. En- 
trar, penetrar, ingressar por vezes 

Kubokola, v. intr Ingressar; pe- 
netrar; ir dentro. 

Kubokona, v tr Entrar; trans- 
por; passar para dentro de 

Kubokuena, v. intr. Dar entra- 
da por: o muii u dbokuena boba. \ Ir 
ou vir ter com. 

Kubokuesa, v tr. Permitir a 
entraJa a. ! Encaixar; meter; in- 
troduzi'-. II Kuribokuesa, v intr. 
Q r. Entrar^ meter-se. 



KUB 



- Íé8- 



KUB 



Kábola, V. ir. Engar! njila k' 
arlmi u ária ia — . | Viver á custa 
alheia; menJigar; { Andar á enga 

I I sub Parasitismo. 

Kubóia V tr. Vincar: -mukolo 
mu xingui Amarrar, ligar apertada- 
mentell v. intr. Estar coiromp. do, 
podre: xitu i abólo\ \ tub. Podridão. 

- Kubolama, v. intr. Curvar-se. 
dobrar-se; ajoelhar inclinando o 
corpo submissamente: ng' afuka 
ma, ng'abolama . | Prosternar-se. 

II sub. Prosternação. 

Kuboiamesa, v. tr Prosternar ] 
Fazer ajoelhar e inclinar o corpo 
com humildade. 

Kubolcka, v. tr Emborcar: — 
murlngí \ Despejar (emborcando) j 
inverter l| sub. Inveisão; embor- 
que. |( Kuribdeka, v. intr e r. 
Inverter-se; virar-se de cima para 
b ixo. 

Kubolesa. v. tr Mandar ligar; 
vincdLi ; — ngôjí, | Faeer apertar 
(amarrando), jj Fazer deteriora:; 
apodrecer: — mô//7 i | Kuribolesa, v 
r. Putrefazer-sí-; apodrecer 

Kubolcka, v. intr. Desal.igar; 
estar recuado, diminuído: mentia m' 
aboloka. Vazar; reíluir | Uiz-se 
das águas dos rios quando deixur. 
as margens que alagavam. | ; sub 
A vazante da aaré . j Recolhimen- 
to (das águas) | Escoamento 

Kubolcko(a, v intr. Estar ma- 
duro cm excesso. | Diz-se dos fru- 
tos meio apodrecidcs por excesso de 
maturação. 

Kubolola. v tr. Captar; atrair; 
chamar a si | Desviar; seduz r . | | 
Fazer baixar, recuar, esvasar (as 
águas) . 

Kubolomoka, v intr. Ficar de- 
senfiado: mulele u abolomoka. \ Fi- 
cir desprendido, caido 

Kubolomona, v tr Desenfiar; 
desca;çar, des-pir. | Tirar; puxar; 
fazer sair (do pé. do pulso, e-.c ) 

Kubomba, v. tr. Acariciar; aca- 
lentar. [Rogar; adular |j Kuribo- 
mba, v. r. Justificar-se; apresentar 
desculpas. 

Kubombcla, v. tr Acariciar por I 
Acalentar; acalmar por meio de: 
mon' a ndenge a mu bombeia mu ji- 
ndunge. 



Kubomóka, v intr. Ficar quei- 
mado, pelado ou esfolado pelo fo- 
go ou agua quente: kikonda kl a 
mu bomoka.\ Ficar sem a derme por 
queimadura |I sub Esfolamento. 

Kubomóna, v tr Escoriar; esfolar 
(por efeito de água quente): — kan- 
Qulu — 11 fig Despojar; despir . ] 
Ê tb r. 

Kubomuesa, v. tr Fazer quei- 
mar esfolar, (por meio de água 
quente) [ Fazer excoriar 

Kúbonda, v. tr. Trucidar; estran- 
gular; m-tar. ! Empapar; amassar; 
fazer purée: kitandt .sub Degola- 
ção; matança. ; ! Kuribonda, v. 
intr er Enforcar-se; suicidar-se. 

Kubónda, v. tr. e intr. Ensopar; 
molhar. | Infiltrar; absorver. | | Diz- 
-se do facto ou negócio de que se 
não logra bom resultidc: uhigi u 
abando. I sub. Embebção molha- 
dela \ 1 Kuribonda, v. r. Estragar- 
■se; corromper-se. 

Kubondalala. v. intr. Sucumbir: 
abondalala ni nduczu ia kimbamba^tki \ 
Estar aniquilado, prostrado, venci- 
do: ug^abondaíala ni milongi ia Karia- 
Peinba. | v tr . Afundar; abitcr. 

Kubondalalesa. v. tr. Fazer su- 
cumbir, cair (ao peso de). 

Kubondama. v intr. Terpirte 
do corpo metido em água: — mu mê- 
nha m' atalaia Tomar seraicúpio. 

Kubondamesa, v tr Fazer as- 
sentar ns água I Dar seraicúpio. I 
Fazer molhar, imergir. 

Kubondeka. v. tr. Meter na água: 
— mtdele tnu mênha Molhar por pou- 
co tempo . I Kuribondeka, v. intr. 
e r. Meter-se na água; molhar-se.j 
Tomar b.inho. 

Kubondela, v tr. Matar, abater 
em: vgombe a i bondela mu njila Ful- 
minar por meio de, 

Kubondeleka, v tr. Obstar; es- 
torvar; impedr: —njila. v. intr. 
Disconfiaj; duvidar. 

Kubondesa, v. tr. Fazer molhar, 
ensopar ou imergir por momentos. | | 
Dar mau conselho; lograr | ] Man- 
dar fazer pureia. 

Kubónga, v. tr. Apanhar; levan- 
tar do chão. II sub. Acto ou efeito 
de apanhar, colher. 



KUB 



-Í69- 



KUB 



Kubongola, v. intr. D z-se da po- 
sição de ter as mãos no chão e o as- 
sento no ar ' Estar empinado. 

Kubongcloka, v. intr Fazer jun- 
ta; reunir: mizangala ioso i ahongolo- 
ka t Formar grupo- 

Kubopgolckela, v. tr. e intr. Es- 
tar reunido em torno úf.—mutuuin')- 
xi I Juntar | Kuribongolokela, v 
r. Constituir-se em grupo. 

Kubongolola, v. tr. Ajuntar; ar- 
isca dar; recolher. Reunir cousas d is 
jiersas: — irima Acumular; economi- 
ST, juntar: — V^itari, riênji. Congre- 
gar; ddr guariJa a Kuribongolo- 
la, V. intr. e r. Ajuntjr-se: agru- 
p.if-se; r.unir-se. 

Kúbonha, v, intr. Estilar; gote- 
jar.' Cabecear, coxiUr. Blazo- 
nar; jactar-se| fig. Sonhar 

Kubônja. v intr D.zer heresias, 
disparates Despropositar. 

Kubonoiía, v. tr. Passar a mão 
pela superfície para a limpar da 
água que escorre. Tirar o que es- 
t.ver amarrado sem desatar o nó. 
I E' tb. intr. e r. 

Kubononoka, v intr. Ir resva- 
lando, escorrendo brindainente 
Deslizai; escor.egar. sub Escor- 
rência. 

Kubónza, v. tr. Hissopar, espar- 
g-r: — malailu. Purif.car; benzerj 
sub. Aspersão. Kuribónza v 

intr. e r. Abençoar 3"=; binzer-se. 

Kúbonza, v tr. e intr. Transtor- 
nar; irritar; aborrecer: o niaka ma 
ngi bonzo. '' Ficar abalado, penalísa .o, 
triste. II sub Aborrecimento; irrita- 
ção; tristesa. 

Kubonzela, v tr. Penalisar . 
Causar tristesa, aborrecimento a. 

Kubonzesa, v. tr Mandar aben- 
çoar. I Fazer entristecer, aborrecer. 

Kubósa, V. tr. Esmagar; calcar; 
achatar eom o pé ' Achoar; concul- 
car; esborrachar. | fig. Postergar; 
despresar (pisando). Aviltar. 

Kúbosa, V. tr. e intr. Manocar! 
Entrançar (tabaco) 

Kubosomoka, v. intr. Ficar esfa- 
relado, esboroado, esmigalhado. 

Kubosomona, v. tr. Esfarelar; 
reduzir a pequenos fragmento»: — 



ríkcníic | Esmigalhar . j ! sub. Esbo- 
roaraento. |i Kuribosomona, v. j. 
Esfarelar-se. . -., 

Kúbota. V. intr. Fervilh .r;; fer- 
mentar; borbotar. v. tr. Fiar; tran- 
çar; tecer: — múkolo. Fazer fiq, li- 
nha, sub Torcedura. Feimenta- 
çãc; borbulho. 

Kuhóta, V. tr. e intr. Cair ení de- 
suso.' Sofrer dano, prejuízo: wèn/í w 
abóto. 1 Diminuir de valer, de mere- 
cimento, de conceito. I Perder, ser 
vencido (em jogo. aposta; etc.) Ku- 
ribófa, V. intr. e r. Desvalorizar-se; 
estragar-se; ficar sem cotação: o 
mbonzo i aribóto. \ Perder-se. 

Kubofeha, v, tr. Mergulhar; afun- 
dar; precipitar no abismo. 

Kubotesa, v. tr. Ajudar afiar.] 
Mandar tecer , Fazer borbotar: — 
kitandc. Danificar; fazer deatue- 
recer. 

Kubofoka, V, intr. Ter vinco. 
Ficar decotado, sulcado era toda 
a volta I sub Vinco; decote. 

Kubotoktsa, V tr. Fazer apertar, 
vincar: — ngoji mu mbunda. Fazer li- 
gar, apertar por forma a deixar ves- 
tígios. 

Kubofola, V. tr. Cintar; ap?rtar; 
fazer decote em. [ \ Kuribotola, .v. 
intr. e r. Ligar-se; vincuiar-se 

Knbofomoka, v. intr. Ficar mole, 
impotente. | ! sub. Inércia; desfale- 
cimento; molesa. 

Kubotomona, v. tr. Amolentar | 
Tornar impotente. 

Kuboza, v. intr. Ladrar; latir* 

Kubua, V. tr. Depredar; roubar a 
mão armada- i Saltear; saquear; vi- 
ver de roubos, II v. intr. Acabar; 
chegar ao fim: kiziiaa ki ábu j^ De- 
sabir; cair: o lumbn lu âbu boxi. \\ 
sub. Depredação; assalto; roubo- 1| 
V. r. Cessar de haver. 

Kubuàbua, tr. Jorrar; manar; 
verter copiosamente. 

Kubuabuála, v. tr. e intr. Pala- 
vrear; falar muito e sem nexo 1 1 
adj Loquaz; verboso. 

Kubuabualesa, v. tr. Fazer pa- 
lavrear. II Mandar dizer pala^vrat 
vazias de sentido. 

Kubuabuata, v. intr. Exprimir* 



KUB 



- Í70 - 



KUB 



-|e dificilmente (coroo que tendo 
iigua na boca): kutuda — | Tarta- 
mudear; não ídlar claro 

Kubuabuesa, v. tr. Fazer jorrar, 
borb^otar, verter com abundância, 

Kubuakula, v. intr. Fumar; ba- 
forar: — makanha \ | sub Baforada. 

Kubuasumuna. v tr. Esmigalhar, 
esboroar. | V. kuboiomona 

Kúbuba, V. tr. e intr. Vazar; 
Verter | Correr por fora.] | sub Der- 
rame; vazadura. 

Kubúba, V. tr Apupar; apedie- 
Jsf; molestar: — ni matari \ Dar ou 
fazer maçagens. | | Imprecar, vocife- 
rar contra. II sub Prâguejamento; 
ftpupo. 

Kububata, v tr Abarcar; dar 
amplexo I Segurar; sujeitar; abra- 
çar. 1 1 Kuribubata, v. r. Abra- 
çar-se I I v. intr Estar consterna- 
do I Ter o« braços cruzados sobre 
o peito. 

Kububafcsa, v tr. Fazer abar- 
car, apertar contra o coraçio 

Kububika, v. tr. Fazer calar. 1 1 
Kuribubika, v. intr. Emudecer; ca- 
lar-se. 

Kububila. v. tr e intr. Derramar, 
vazar por: o maji m'ala — boba. \ \ Ser 
molestado, batido, emprecado em: 
a mu bubila mu ritutu. \ \ Jorrar; ver- 
ter atravez de: mukuri u ala — bu iO' 
xi II É tb. r. 

Kububirila, v. tr. Anatematizar; 

amaldiçoar; maldizer de j | v. intr. 
Ser detractor, maldizente || sub. 
Amaldiçoamento. 

Kububisa, v. tr. Fazer pingar; 
escorrer: — utki mu mhinda.\ Fazer 
correr por fora (o líquido). | Fazer 
•ofrer maçagens. 

Kububuluka, v. intr. Descarar; 
perder a vergonha. 1| sub. Desfa- 
çatês; desaforo; impudência. 

Kububulula, v. tr Tirar da la- 
vra o resto dos mantimentos: — mata 
mu tíbia. I Proceder á segunda reco- 
lha dos cereais | | Tornar descara- 
do. | Fazer perder a vergonha. 

Kubuébua, v. tr. e intr. Afrou- 
xar ; '.esvaziar . | Ficar murcho 
E' tb. r. 

Kubuebuela, v. intr. Estar frou- 



xo. I Ficar amolecido, lasso, vazio 
II sub. Amolecimento. 

Kubuebuesa, v. tr. Tornar mur- 
cho, frouxo, vazio. 

Kubufuka. v. intr Estar amol- 
gado, sofrer rombo.] Tb se diz Aru- 
bofoka. 

Kubufula, V. tr. Fazer rombo 
em;— riôííu | Romper; íàzer brecha 
em. 

Kubuíka, v. intr. Acamar; pen- 
der para o chão: jimboua joto j'abui' 
ka ni luanha.\\ Amaciar; suavisar; 
abrandar: kittta ki aòuíka 1 1 Aca- 
bar; perecer; extinguir-se: mu-ji 
uoao u ahiika.\ Deixar de existir. || 
sub Destruição; arrazamento. 

Kubuíkila. v. tr. e intr. Ir pa- 
rar a: u ahiikila bu mikolo.\ Acabar; 
descansar. 

Kubuikísa, v. tr. Fazer acamar: 

luânha lu. buikisa o irima \ Fazer 
acabar, fenecer, extinguir: -muí;i. | 
Aniquilar, destruir. 

Kubuila. V. intr. Caber: o mbingi i 
abuila mu' mbia \ Ficar moido, ex- 
tenuado, cançado | Perder a ener- 
gia, o ânimo 1 I sub. Cansaço; fadi- 
ga; desalento. ; Esmorecimento 

Kubuíma. v. tr. e intr. Respi- 
rar; arfar; ofegar.! Viverjj — kate- 
nde, arquejar. II sub Respiração. 

Kubuimina, v. tr. Respirar por 
meio de. 

Kubuitnisa, v. tr. Fazer respi- 
rar, arquejar, ofegar 

Kubuingina, v intr. Evaporar- 
-se; sumir-se (o líquido): rwan^ra ri 
abuingina \ Deixar de correr; secar. 

1 í sub. Infiltração. 

Kubuinginina, v. intr. Estar es- 
gotado, sumido, (o líquido): menAa 
ma buinginina \ Desaparecer. 

Kubuinginisa. v. tr. Evaporar, 
fazer secar, desaparecer (o líquido); 
sumir. 1 1 E' tb. r* 

Kubuingita, v. intr. Luxuriar; 
vicejar; medrar: irima i abuingita.\ 
Ter frescura, verdor. 

Kubuirisa, v. tr. Cansar; fati- 
gar.] Fazer perder as forças a. || 
Kuribuírisa, v. intr. 6 r. Fazer- 
-ae cansar; íatigar-ae. 



KUô 



- ili - 



KIJB 



Kubuisa. V. tr. Faier cesitr, 
acabar, pôr termo: — wiaíra 

Kubuiza. V. intr Castar; ser di 
fícil: kutunga ,kuZun^uZa kt kM&utz'é. { 
Ser complicado, espinhoso | | sub. 
Embaraço; custo; dificuldade.! | Ku- 
ribuiza. v iotr. e r. Aborrecer-se. ! 
C^u^a^ enfado, desprazer: kutmíno 
ngènji -ngênji u ária bu mutete ue \ 
Desgostar-se 

Kubuiz^sa, v. tr. Tornar custoso, 
difi:tl I Levantar dificuldade a.| 
Embaraçar; complicar. 

Kubúka, V, tr. e in r Agitar o 
j r; sacudir: — jinji \ Fazer vento || 
Kuribtka, v r Abanicar-se. | Dar- 
•se frtsco. 

Kubukama, v intr. Sair de casa 
para tomar ares | Recrear se; es- 
pairecer; distrair-se. | Difuodir-se 
alegre e suavemente 

Kubukamena, v. tr e intr. To. 
mar (cousa ou lugar) para se re 
crear, distrair 

Kubuhamesa. v. tr. Fazer recrear, 
espairecer | Fazer ter alivio. 

Kubukana, v. tr. Dar encontro 
com o pé. I Deparar; encontrar 
acidentalmente { | Fazer escândalo 
1 1 Kuribukana, v. intr. e r. Trope- 
çar; dar topada | | sub Tropeço 

Kubukanesa, v. tr. Escandalizar; 
ofender. | | Fazer topar ou dar topa- 
da.] | Kuribukanesa, v intr, e r. 
Simular tropeço| Fazerse encontra- 
do 

Kubukirila, v. tr. Abanar; f»zer 
vento j Atear o lume (abanando) 

Kubukirisa, v. tr. F.-zer arejar 
ventiUr, sacudir | E' tb. r. 

Kubukuisa, v. tr. Mandar que- 
brar, partir (pau, vara; cana; etc ) 

Kubukujuka. v intr. Mostrar-se 
incompreensível. I Ficar sem sab.r 
que fazer ou dizer: . .hengele u i te- 
la njimu, Houa n'aòuku;uke ngo | Ir 
ao acaso | Proceder sem inteligên- 
cia.] | Ficar quebrado ou partido 
em muitos lugares. 

Kubukujula, v. tr. Quebrar, frac- 
turar em muitos lug ires: -muén^c. I 
Separar por partes | fig Tosar; 
contundir: a mu bukujula ni jimbch 
ngala. 



Kubukuka, v- intr. Quebrar; mA* 
xi u abukuka. \ Ficar partido. 

Kubukula, v tr. Fracturar; par- 
tir: — ktnama. | Quebrar (pau ou ra* 
mo veide):- tangu \\ Abreviar; en- 
curtar; rezumir: mutu mu kuzuela u 
bukula I I Limitar, tornar breve. | | 
Vomitar (a criança^: mona u a&ukuZa. 
II Falar mal, com incorrecção; — 
putu. I I Errar. 

Kubukulula, v. tr e intr Ir i 
busca, ao encontro de. | Procurar; ir 
«aber. I I V tr Tornar a quebrar.] 
Reduzir a pedaços mais pequenos. 

Kubukumuka. v intr Ser atre- 
vido, petulante, malcriado | Ter 
ou dizer insolências | Ser ousado, 
incorrecto. 1 1 sub Atrevimento; ou- 
sadia. 

Kubukumukina, v. tr. e intr. 
F<izer<se ousado para, | Atrever* 
•se a. 

Kubukumuna v. tr. Fazer ven- 
to: kuma kuala—.\ Sacudir] { Exor- 
cisar; curar: — jindcle | Fazer gorar 
(o mal, a doença).! I Kuribukutnu- 
na, V. r. Imunizarse, curar-se. 

Kubukufa. v. tr. Intrujar; bur- 
lar; ludibriar. 

Kúbula, V. tr, Quebrar; partir: - 
malonga \ | Desmanchar; arrombar: 
— ribitu 1 Destruir; demolir. 

Kubulakana. v tr eintr. Aten- 
der: bulakana tida ngi ku ambele | 
Considerar; cuvir|) sub Acto de 
escutar, de atender. 

Kubulala, v. intr. Estar muito 
aberto, muito largo | Ter grande 
largura. 

Kubuláfa, v tr. Pegar com vio* 
lènoia qualquer membro dorido ( fé' 
rida. inchação, entorse, etc ).| Ma- 
goar; fazer doer ] | Kuribulala, v. 
r. Magoar-S0. 

Kubulujuka. v. intr. Sentir pul- 
sações I I Salvar-se muitas vezea. 

Kúbuluka. v. intr. Escapar. | Li- 
vrar-se; sobreviver . | ] sub . Sal- 
vação; livramento. 

Kubulúka. v intr. Palpitar; pul- 
sar; tnuxima moxi u a ngi bulúka. 
\ Pressentir.]! sub Agitação; pre- 
sentimento. 

Kubulukísa, v. tr. Fazer palpi- 



kUB 



- m - 



icíji 



iàr, presentir. 

Kubulukuía, v intr. Ficar entor* 
pecido; estar inerte, impossibili- 
tado de andar, de se pôr de pé. ! \ 
sub. Entorpecimento; imobilidade. 

Kubulukutisa, v tr. Entorpecer; 
tornar paralit co. 

Kubulúla. V. tr. Encher o vaso 
dft agua que se tira de uma vez: — 
mênha mu riiánga . 

Kúbulula, V tr. Livrar; fazer es- 
capar:— Marij Salvar; socorrer: A'^a- 
ni, ngi bulnle \ Curai; absolver .] ! 
Kuribulula. v. intr e r. Conser- 
var-se são e salvo | Tirar-se de em- 
baraços. 

Kubululuka, v intr Perder a fé 
o fervor, o entusiasmo. | Diminuir, 
baixar de nível.] Ficar abatido; es- 
tar menos cheio, menos gordo. 

Kubulumuna, v. tr. Tornar a 
desmanchar: kuiuia ní — .\ Escanga- 
lhar de novo. 

Kubulungunza. v. tr Fazer ba- 
rulho, estrondo | Mexer em ferra- 
menta ou trastes velhos | ' Kuri- 
bulungunza, v. r. Fazer estarda- 
lhaço, contender com. 

Kubúma, v. inti Ser corajoso, 
destemido. ; Ter ânimo, f rmeza de 
espírito ante o perigo. | Não medir 
consequências sub. Temeridade; 
afouteza; arrojo. 

Kuburaina, v. tr. e intr. Ousar, 
atrever-se a:— ima i kola.\ Determi- 
nar-se ao que é arriscado. | | Kuribu- 
mina, v. r. Arriscar-se; sentir-se 
com coragem. 

Kubumisa; v. tr. Afoitar; ani- 
mar I Fazer ser arrojado, corajoso. 
I í Kuribumisa, v. r. Alentar-se; 
dar-se coragem. 

Kubumujuka, v. intr. Ter muitas 
niossas. Estar cheio de concavida- 
dei. . 

Kubumujuna. v. tr Fazer mos« 
sas, brechas em ', Esburacar I E' 
tb. r. 

Kubumuka. v. intr. Ter mossa, 
brecha: kípapa ki abumuka. | Ficar 
loçadO, quebrado, falhado. 

Kubumuna, v, tr. Fazer quebra- 
da, mossa; — kipapa. Alanhar, ferir 
lèvementel o poko, ingá k' ialu' i, ibu- 



muna.\ Abrir brecha. | Desguarnecef 
(o exterior de uma parede, a super- 
fície de uma táboa, etc ). 

Kubóna, v. tr Embotar; cortar 
pouco , Tornar inofensivo ou me- 
nos activo. 

Kúbunda. v.' tr Dar pancadas 
em.j Batffi: — ribltu \ Fustigar; sa- 
cudir: - wtVeZe. i Tii h?r; descascai: 
— makunde \ De.- folhai; tirar da va- 
gem ; Kuribunda, v intr e r. A ti- 
rar se, Prremessar-se: - toxt | Bater- 
-se: - ku muxi 

Kubúnda. v tr. Saquear: despo- 
jar; sequestrar, confiscar. |{ sub. 
Confisco; sequestro. 

Kúbundisa, v. tr Fazer trilhar. 
Mandar bater. 

Kubundísa, v. tr. Fazer saquear, 
sequestrar ; M ndar assaltar, con- 
fiscar, apretnder. 

Kubundúla, v. tr Ganhar; t rar 
vantagens, obter lucros | Recupe- 
rar. 

Kúbundumuka; v intr Ter pre~ 

juizo: uênji u abnndumuka | Ficar 
menos quantidade; deitar a perder. 

Kubundumuna. v. tr. Desperdi- 
çar; malbaratar [ Gastar sem pro- 
veito. Ultrapassar; exceder. 

Kubúnga, v. tr. e intr. Enxam- 
brai; estar pouco húmido, soco |i 
V. intr. Ttr magia; tornar-st feiti- 
ceiro. 

Kubungajana. v intr. Levar vi- 
da incerta | Anaar sem destino | 
Errar; vaguear. 

Kubungana, v. tr. e intr Diva- 
gar. | Ir sem rumo certo nem ob- 
jecto determinado. ] Andar raguo- 
ando I ' sub Vagueação 

Kubungila, v intr Assentar; fir- 
mai se: afazer-se: ku bata k'abuitgil 'é- 
~ku 1 Demorar; permanecer. 

Kubungisa. v. tr. Fazer enxam- 
brar, secar levemente. 

Kubungujuka. v. intr Andar 
desamparado, abjndonado, sem pro- 
tecção. 

Kubungujula, v. tr Desamparar; 
dar ao desprêso: katendu kt u ka bu- 
ngnjule , kizuua k' abiluka kirikoma. ]] 
kuribungujula, v r. Dar-se ao des- 
prezo; relaxer-9e. 



ktíâ 



- m- 



kuô 



i^ubunguka. v intr. Ficar apar- 
tado, separado, extremado. 

Kubungúla, v. tr Seleccionar, 
separar, escolher | Apurar, afastar 
dos outros. |l Kuribungula, v r. 
Extrftmar-se; afastar se.! Deixar de 
viver em comum 

Kúbungula. v, tr e intr Enfei- 
tiçar, i Diz-sft do feiticeiro qnando 
vài dançar ás port is dos visinhos: 
muloji ub mgula 7»' u^uku 

Kubungulukj, v intr. Sar pou- 
co maior Inchtr; entumecer: rt- 
tama ri a mu bunguluka | Engrossar 
ou aumentar de volume (por inchi- 
ção ).i Crescer. || sub Intumtci- 
mento. I Crescimento. 

Kubunguluia, v. tr. Ríbear; re- 
quebrar se; saracotear-se; — mòun^a. 
I I Faier inchar, aumentar de volu- 
me, 

Kubunj ka, v. tr Dobrar (rou- 
pa); Vincai:— TOiVeic. I Ajustar; emí- 
lar; unir j | Kuribunjika, v. intr. 
e r. Ficar apinhado. | Reunir se 
por aglomeração, 

Kubunjikila, v. tr. Dobrar, ajus- 
tar por outrem 

Kubunjik sa, v tr. Aju lar a vin- 
car { Mandar ou fazer dobrar, unir 

Kubunúna, v. intr. Passar pelo 
sono. I Dormir pouco. 

Kuburijika. v. intr Desfazer-se 
em muitos bocados | Esfrangalhar- 
-se.| Quebr r-se em muitas partes. 
1 Espedaçar-se; partir-se muito. 

Kuburika, v. intr Quebrar; par- 
tir.] Falii; ficar pobre || v. r. 
Quebrar se. | Perder a força; ser inú- 
til. 

Kuburikinha, v. tr. Agadanhar; 
apanhar com as mÃos: u texi o uta 
ni u burikinhe ni maku | Atabafar; 
abater. 

Kuburir:ka, v tr e intr Enfes- 
tar; dobrar ao meio | Enrolar; en- 
volver: — tanji mox' a mulele. í Ku- 
ribuiirika. v. r. Tapar-se; envol- 
ver-Be; cobrir-se . 

Kaburisa, v. tr. Fazer quebrar' 
escangalhar, partir. 

Kúbusa, V tr. e intr. Assoprar. 
I Bufar; fizer vento | lig. Engor- 
dar II bub. Sopro. 



Kubusela, v. intr. Soprar. | Bit- 
-se do vento em deslocação. 

Ku')Uselela, v. tr. Dirigir sopro 
para:— tubia.\ Bafejar, soprar bran- 
da e continuadamente: o ribengu u 
lumata ni abiifeUle. ; Inipir&r; sugerir 
II sub. Bafejo! Leve agitação do ar. 

Kúbufa, V. tr. Birbear; tosquiar; 
cortar cabelo a. | j Kuribuía v. r. 
Barbear-se:- muezu. 

Kubúta, V. intr. Ser baixo, curto- 
I Ter pouco comprimento ou altu- 
ra I ! sub- Curteza. 

Kubutala. v. tr. Abaixar| Redu- 
zir (< m cumprimento ou altura.) 

Kubufalala, v. intr. Estar baixo, 
agachado, encolhidol Ter menor al- 
tura: miitlu u abutalala ' Estar dí* 
minuido | | sub Agacho. 

Kubuíama, v intr. Incubar, j 
Ovar; estar no choco. | ] sub locií- 
bamento. 

Kubufamena. v. tr. Cobrir (a ga- 
1 nhi) bem os ovos. | Chocar; era- 
polhar. 

Kubufamesa. v. tr. Fazer incu- 
b r: — tanji i Fazer chocar (a ave). 

Kubufikala, v intr Aplacar; íi- 
car tranquilo | Serenar; estar em 
descinço. 

Kubufikaiesa. v tr. Tornar me- 
nos intenso | Fazer acalmar, tian- 
quilisar. 

Kubufisa, V tr. Encurta:; tor- 
nar baixo:- kííaZo. I Abreviar; resu- 
mir: -maka i Mandar cortar o ca- 
belo, a barba \\ sub. Acto e efeito 
de encurtar, de resumir ' Kuribu- 
(isa, V. intr. e r. Tornar-se baixo; 
encoiher-se. 1 Fazer-se barbear. 

Kubutuka, v. intr. Ficar subju- 
gado, tiranizado. I Estar sobrecarre* 
gado I I sub. sujeição; tirania. 

Kubutula. V. tr Tiranizai; fazer 
trabalhar em excesso j Causar pre* 
juizo a 

Kubutuluka, v. intr. Fickr cerce- 
ado, cortado em toda volta: 
kinama kt a mu butuliika mu ritaka- 
taka. Estar de novo sobrecarregado. 

Kubuíulula. V. tr. Diminuir o 
tamanho (de algo) cortando em vol- 
ta. { Sobrecarregar em^demasia; tx- 
ceder do peio. 



^tíB 



-iU- 



KUfi 



Kubutumuka, v. intr. Ficar des- 
moronado; aluir: lumbu lu abutumiika. 
1 1 sub Desmoronamento. 

Kubutumuna, v. tr. Derrocar: 
deitar abaixo; provocar desabamen- 
to. 

Kubuualala, v. intr. Repouzar; 
passar pelo sono. 

Kubuuama. v. intr. Ficar absor- 
to, pasmado. I Estar alheio a quan- 
to nos rodeia j |sub. Absorvimento. 

Kubuuika, v. tr. Tornar indeciso, 
perplexo: — muxima.\ Abater o es- 
pírito de. 

Kubúza, V. tr. Depenar; espeni- 
car: — aánji. | Desfolhar; arrancar 
erva (com as mãos): — iàngu \ fig. 
Tirar; estorquir.jl Kuribuza, v. r. 
Depenar-se; despir-se. 

Kubuzumuka, v. intr. Esbarro- 
car; di-sabar; cair: kipapa kt abuzumtt- 
ka. I Ruir com estrondo 1 | sub. Es- 
barrondamento; queda desastrosa. 

Kubuzumuna, v. tr. Derrocar; de- 
molir; deitar abaixo, I fig. Escanga- 
Ihar] Desvendar um segredo. | | sub. 
Derrocada. 

Kudasuka. v. intr. Ficar revolto, 
indignado, irritado 

Kuê, adj. poss. (contr. da prep. 
kua e do prun. pess. eie) . Teu; tua: 
o kuri 'oko. — I De tua parte; contigo 
ng'ètao—.\ adv. e pron. interrog. 
Onde? Em que lugar: u tnddt — f\ A 
ou para onde: u ala kuia — ? 

Kue, adj e pron poss (contr. 
da prep. kua e do pron pess. mui- 
n«). Seu; sua (dele. dela): amftuia o 
kuria-.\ 1 loc. adj. Consigo; da par 
te dôle: ng'ejiU o -. 

Kuêbe, corog. Rio tributário do 
Cubango, na circ. civ. de Munongue. 
distr. e prov. do Bié. 

Kuêbi. adv. e pron. interrog 
Aonde?! Em que parte ou lugar: u 
at — ?| A, para ou até onde: o imbawi- 
be i ala - ? 

Kuéha, v. tr. Deixar: tha-Viu.l 
Soltar das mãos: mu the\ ] sub. Dei- 
xação; renúncia {I Kuriéha, v. r 
Deixar-se, consentir | Ir cada um 
por seu lado. 

Kuehéla, v. tr. Autorizar; per- 
mitir: ng' thtlc ngi zuele \ \ Kurie- 



hela, v. intr. e r. Permitir-aí; 
pôr-se á vontade. 

Kuehelela, v. tr. e intr. Tolerar; 
consentir: ki k« mu'eheUU kulanduha.] 
Dar larguesa (por vezes); deixar 
passar i| sub Tolerância. 1 1 Ku- 
riehelela, v. r. Desleixar-se; deixar- 
se ir {Confiar em demasia. 

Kuehelesa, v. tr. Fazer tolerar, 
permitir. 

Kuéíu. corog. Pequeno afluente 
do rio Cubango na região das Gan- 
guelas, distr. e prov do Bié. 

Kuékia. v. tr. antiq. Deixar! V. 

kuéha. . 

Kuela, V. intr. Errar; pecar; não 
ter razão. ( Ser reu; sofrer condena- 
ção, i I sub. Erro: o ~k' u nâng'ê.\ En- 
gano; culpa. 

Kueléla, v. tr. Condimentar; 
temperar | Fazer acompanhar de 
conducto qualquer alimento: o kiza- 
ka a ki elela ni funjl. j Rir; dar gar- 
galhadas; manifestar alegria | | 
Kunelela, v r. Rir-se; escarnecer: 
mukuenu u aribale k' u mu dele. 

Kuelelesa, , v tr Fazer condi» 
mentar, dar sábôr {á comida).] | Fa- 
zer g.irgalhar, rir. 

Kuelesa, v tr. Induzir ou fazer 
estjr em erro; « a ng'ele8a ma kuzue- 
là \ Enganar, fazer perder, ser reu. 
II Kurielesa, v. intr. e r. Tornar- 
-se cu, pado | Fazer-se pecar, con- 
denar, estar em erro. 

Kuelúla. V. tr. Curar V Kui- 
lula 

Kuema. v tr Fabricar vinho: — 
maluvu\ Vinhatar | [ sub Vinhata* 
ria. 

Kuémba, corog. Afluente da mar- 
g( m direita do rio Kuíba, no distr. 
do Moxico, prov do Bió 

Kuemesa. v tr. Mandar fabricar 
vinho, cerveja, etc . 

Kuéna, v. sub Ser| Exi8t'r de 
modo permanentej Ter tal ou qual 
condicção { v kúkala 

Kuénda, v. intr Andar; percor- 
rer: kuijia Ngola — , ki ukot' ê.\ Via- 
jar; caminhar; marchar. ! , sub. An- 
dadura; marcha. 

Kuendela, v. tr. e intr. Andar 
de; -mu uânda.\ Percorrer; ir por;- 



KUE 



- m- 



KUP 



boxi \\ Ruriendela, v intr. e r. Ir 
por 8i,| Guiar*se. 

Kuendelela, v. tr e intr. Ir pe- 
lo que está feito, ou outrem iniciou. 
I Prosseguir; ir andando, fazendo, 
dizendo I I sub Continuação; pros- 
seguimento. 

Kuendesa, v. tr- Encaminhar; 
acompanhar; guiar.) Ensinar a an- 
dar. I fig. Cortejnr. II Kuriendesa, 
V. intr e r. Fazer-.se guiar | Ensi- 
nuar-se; captar simpatias 

Kuêne, loc. adv. E' ali; naquele 
lugar. I Tb. exprime afirmação: Sim; 
exacto. 

Kuénaa, v. intr. Apanhar (caça 
ferida^ | Praticar; ensaiar: apren- 
der. I I V. tr. Unificar; juntar; reu- 
nir IIKurienga, v r Exprcitar-se; 
submeter-se, unir-se 

Kuênqi, adj; Outra; outro; distin- 
to: kúria-,\ I adv Em outra par- 
te ou lugar. 

Kuenu, adj. e pron. poss pi. 
fcontr. da prep. kua e do pron. pess. 
enu). Vossa; vosso | De vós: o Aru- 
lença— ki ku aaoko^ê ni kua ' ' loc. 
adj. Convosco ; de vossa parte: 
Nzambi akale o — , i j Para vós | | — 
enu Dj vós próprios; de mais nin- 
guém. 

Kuenzela, v. tr. Largar; não im- 
pedir I Deixar: ng^tnzde | Permitir. 

Kuesu, adj. (antiq.), V. kucíw. 

Kuetu, adj. e pron- poss. (con- 
tr. da prep. kua e do pron. pess. 
etu). Nossa; nosso: o kuria — ku atolo. 
I De nossa parte; do paiz em qu* 
nascemos: ku — De ou para nós: 
Isa o — 1 1 — ttu, adv. e pron. poss. 
pi. Própriamenle nossa, nosso. 

Kúla, V. intr. V. kufua. 

Kufafa, V intr Espumar; ca- 
choar; ferver: menAo m "aia — I Expelir 
em borbotÕJS.j Fervilhar.) Tb. .«e 
diz kufuàfua). 

Ku{a(ela, v. tr. e intr. Deitar es 
puma por; o'mbia i ala - mu jimbandu . 
I Ferver em determinado lugar. 

Kufafesa. v. tr Fazer espumar, 
borbotar, ferver.] \ Incitar; estimu- 
lar, induzir a.{ j Kuri[a{esa, v. intr. 
• r. Gabar-se; vangloriar-se. 

Kufakuka, v. intr Inflamar; in- 
cendiar- so (pólvora, fósforo, etc^j 



Irromper. II sub. Inflam içâo; In» 
cendiamento; irupção. 

Kufakula, v. tr. Fazer cachoar, 
ferver. I Fazer arder momentanea- 
mente. 

Kufatna, v. intr. Estar em har- 
monia; condizer. I Ficar, assentar 
bem.| Combinar; quadrar, i I Kuri- 
fama, v. r. Ter concordância; har- 
monizâr>3e . 

Kufamena, v. tr. e intr. Ser di- 
gno de. II Merecer; ter jus a. || 
V. intr. Ser ou tornar-se merece- 
doj II Kurifamena, v. r. Ter con- 
cordância; h irmonizar-se. 

Kufamesa, v. tr. Fazer ataviar, 
adornar, enfeitar ' | Fazer dignifi- 
car; tornar merecedor. [ | Kiirifa- 
mesa, v. r. Ataviar-se; enfei- 
tar-se. 

Kufandujuka, v. intr. Estar de- 
sarranjado, amarrotado, em desor- 
dem: ima ioso i afu7idujuka.\ Ficar 
amarfanhado: polo i a mu fandujuka. 
I Estar em desalinho. 

Kufandujula, v. tr Desalinhar, 
amarrotar, amarfanhar, (roupa). |( 
Ultrajar, ofender publxamente: j>a 
la 'nhí muari ê ku mu fandujula ktncí? 

I Desrespeitar; menoscabar; depri- 
mir II Kurifandujula, v. r Ama- 
chucar-se; enxovalhar-se; desorde- 
nar-se. 

Kujandumuna, v tr Alterar; 
atrapalhar (o que está arrumado), j 
Desconcertar; desfazer. 

Kufangana, v, intr. Ser similhan- 
te, análogo, idêntico, | Ter ares de. 

II sub. Aparências; sirailhança j | 
Kurifangana, v. r. Parecer-se; as- 
•imilar-se. | Fazer-se ou supôr-se 
igual. 

Kulanganesa, v. tr. Comparar; 
tornar similhante, parecido. | Pro- 
duzir assimilação em.j | Kurifanga- 
nesa, v. r Fazir-se similhante, 
igual. 

Kuíefenha, v. tr. Chuchar: -»/uòa. 
I Sugar; absorver. 

Ku(sfenhesa, v. tr. Fazer chu- 
par ( ossos, «spiohas). | Mandar 
chuchar. 

Kufeleta, v. tr. e intr. Bichanar; 
cochichar. ] Ciciar; dizer segredi- 
nho!. 1 1 aub. Cicio. 



KUP 



- i76^ 



KUF 



Kutefefela. v. intr. Bruxolear; 
brilhar c^m pouca intensidade 
Ter os olhos cfirados. 

Kiif.'I"»fesa, V tr Fazer treme- 
luzir Fazer baixar a luz (do 
candieiroj. Diminuir o brilho ou 

a intensidade de. Fazer cerrar 

os olhO). 

Kulelesela. v tr. (port ) Ofere- 
cer. ) V. kubekeia. 

ívulengenha. v. intr. Soluçar 
Dizer ou exprimir entre soluços. 

Kufenha. v i itr Fungar; chei- 
rar : — makanha Absorver peio na- 
riz 

Kujenhesa, v. tr. Fazer aspirar, 
sorver: — funza. | Dar a cheirar 

Kuféta, V. intr. Segredar; dizer 
baixinho |i sub. Som indistinto 
de palavras de quem murmuia. | 
Cochiche u. 

Kufetala. v tr (port ) Enfeitar 
V. kufameaa, ku\embeêa, 

Kufeteia, v. tr Falar ao ouvido. 
I Transmitir p lavras em voz baixa 
I Cochichar. || Kurijeíela, v. r 
Permutar segredos. | Combinar; fa- 
lar em voz baixa. 

Kufiíimika, V. tr. e intr Fazer 
entrar, meter com violência- | | Es- 
foiças-?e para que um objecto pe- 
netre dentro de j Kurilifimika. v. 
intr _ e r. Meter-se de permeio on- 
de não é cham dui-bii kaxaxi k^atu 
Entrar; introduzlr-se. 

Kufiiála, V. tr Apostar. 

Kulika, V. intr Ser barato, de 
baixo prtço.l Ter maior qu:»ntida- 
de do que a devida: jín^uóa ja inuku 
<<», jafika I Julgar pos.ível; ser le- 
vado a pensar, h ciêr: n^' afika ki* 
ma ng^azuda ki(i mbott | 1 sub O que 
é b rato, de pouco preço. | Kuri- 
|ika, v. r. Pensar, supôr-se| Ter- 
-86 n i conta de: u arifika ue kwma 
mntu. \ V. intr. Estar convencido 

Kufikala, v. tr Acordar; fazer 
combinação dej Pactuat; ajustar, 
sub. Pacto; acordo. Kurifikaia, 
v. intr. e r. Estar de acordo, com 
binado 

Ku(ikila, V iDtr, Suspeitar; jul- 
g&r mal de alguém, de alguma cou- 



sa { Fazer suposições; formar mau 
juizo acerca de. 

Ku(ikinina, v tr Colocar com fir- 
meza; segurar 1 Kuníikinina, v 
r Segurar-se; prevenir-se. | Fazer 
por não ca r 

Kujikirila, v tr. Amparar; esco- 
rar; suàtor: — riôiíw I Ajudara fxar 
de pé (o que está para cair). | Se- 
gurar; proteger. | Kurijikirila, v 
"■. Amparar-«e | v. intr Estar 
seguro, fir i e. 

Ku(ikisa v. tr. Experimentar; 
comptrar j Exen plif.car; arreme- 
dar; imitar | j sub Tentativa; ar- 
remeJo; ensaio. | | Kur fikisa, v, 
intr. e r. Verificar; provar. 

Kujik xila. V. tr Comtdir; não 
ir além d«. | Gastar com moder-ção; 
dar p r medida Poupar: a mu bana 
a mu fikixtla. |] .Kurij kixila. v. r. 
Rcíre^r-se; poupir-sj Não dar 

largas 

Kúfila, V. tr. Dar pr feiência a* 
— mu kua kitari Estimar mais.|| 
V, intr ler pieíerência; ser esti- 
n ado I sub. Acto de preftrir uma 
pessoa ou cousa mais do que outra. 
I Manifestação de distinção [ Pri- 
mazia. 

Kulíma, V. intr. Afanar; esforçar- 
-se. Tomar calor por; empenhar- 
-sr. I I sub' Azáfnma. 

Kujimbika, v. tr. e intr, Mergu- 
lhar; emeigir 1 1 Meter: — milele mu 
iiloua.\ Soterrar. 

Ku|imb kisa, v. tr- Fazer mergu- 
lhar, soterrar, meter debaixo de. 

Kulimisa, v. tr Azaíamar; ter 
nar testo, activo. 

Kulinha, v tr Acanhar; franzir. 
1 Fazer ocupir menor espaço.] i Ku- 
rifinha, v intr. Enrugar-se,| 1 — /»• 
nha, Comprirair-se. 

Kulinhama,, v. intr. Estar aca- 
nhado, compresso, ' Ter proporçõei 
maiores que o espaço ocupado. | | 
Kurijinhama. v intr. e r. Diz se 
da situação ou estado de muita gen- 
te em pequeno espaço. 

Kulinhamesa, v tr. Fazer aca- 
nhar, encolher.] Dar menores pro- 
porções que as devidas j Fazer en- 
curtar, restringir. 



KUF 



- m- 



KUF 



Kuíirimika, v. tr. Pôr de borco: 
— kinda. | Colocar de boca para 
baixo jl Kurijirimika, v intr. e r. 
Estar de borco, de b jca ou barriga 
para baixo. 

Kufringala, v. tr. Fincar: — kina- 
ma boxi. \\ v. intr Fixar-se ( no 
chão); resistir 1| Kuri[iringala. v. 
intr. e r. Firrnar-se; enraizar se; 
apoidr-;e com força. 

Kufisa . V tr. Fazar morrer | 
Causar a morte de: —mêsu \ \ Kuri- 
fsa. V. r. Sacrificar-se; fazerse 
mo;to 

Kujisala, v. tr, (port ) Confessar 

Kujifujuka, V. tr. e intr Enge- 
lhar: polo i a mu fitujuka | Ter ru- 
gas 

Kujituka V, intr. Ter rebordo; 
revirar ] Ficar arremelgado. 

Kuíi(ula, V . t r . Arremelgar , 
revirar: — mêsu.\ Fazer rebordo . 

Kufifumuka, V. intr. Estar revi- 
rado: kiina ki afiiumuka . \ Ficar des- 
moronado, derruído, desfeito. 



Kulojoka, V, 
cegar 

Ku(okala, v. 
V. kíilakutisa. 



intr. Perder a vista; 
tr, (port.) Refogar, I 
tr. (port.j Enfor- 



Kufolokala, v. 
car,| V kanhénga. 

Kulomcka, v. tr. Embainhar: — 
poko mu kiza.\ Enfiar. JI Kuriío- 
meK3 v. r. Espetar-se; enfiar-se. 

Kuíomekesa, v. tr. Fazer en lar, 
embainhir, meter dentro de. 

Kuíomoka, v. intr. Despontar; 
brotar; surgir.I Fica^ desfiado. 

Kutomona, v. tr. Desfiar; fazer 
bai nhâ ab ^rta: —musuikn. \ Desembai- 
nhar:— wukaa/a I Desossar: -Sfl/zy» 
I Desenfiar. [ E' tb. r.. 

Kujomuesa, v. tr. Fazer desen* 
fiar, desembainhar.! IVIandar desfiar. 

Kújonga, v. int. Falhar: uta u 
a/ongo I Negar fogo; dar em falso. 

Kulua, v. intr Cessar de viver | 
Finar-se ] 1 sub Morte: — kua nga- 
na. ku/imbirila kua mubika \ Fim . 

Kululujuka, v. intr. Ficar cober 
to de poeira. | Estar sujo de pó. 

Kululujula, V. tr. Envolver em 



V. tr. Empoar |[ Kuri- 
r. Empoeirar-se; enfar- 



poeira; encher de muito pó (| Ku- 
ri(ufujula. v. Encher-se de poeira. 

Kufujuka, V intr. Estar mas- 
carrado, enfarruscado, coberto de 
pó: polo i a mu fufaka . \ fig Estar 
azafamado, atormentado (em fazer 
algo). 

Kufulula. 
lufula, v. 
ruscar-se. 

Kulufumuka, v. intr. Ser ou es- 
tar feculento: kiringu ki afufumuka . 
I I sub. Feculência, 

Kufuíumuna, v. tr. Tornar fecu- 
lento. 

Kufúka, V. tr. e intr. Afocinhar; 
foçar: kurifunga ni ntumbu jingulu ji 
kufàka. I Dar f jcinhadas. [ | v. tr. 
Revolver; remexer, (com focinho) . 

Kúfuka. V. tr Cobrir de palha 
ou capim ( a casa). | Imbricar. 

Kufukama, v. intr. Ajoelhar; ge- 
nuflectir| Prostrar-se (de joelhos)] 
sub. Genuflexão 

Kujukamena, v. tr. e intr. Prós- 
ternar-se; ajoelhar: — jinzambi. \ 
Curvar-se; humilhar-se deante de. 

Kufukamesa, v. tr. Pôr de joe- 
lhos I Fazer prosternar. — ;í«rf2í/nòe | 
Mandar genuflectlr. 

Kulukenana, v. tr. Ocultar, ta- 
par, cobrir com areia | Fazer aca- 
bar, desaparecer (debaixo de areia). 
I I Kuriíukenena. v. r. Meter-se de- 
baixo de areia. I Enterrar«se. 

Kujukenesa, v. tr. Fazer tapar 
ou cobrir com areia. 

Profundar; es- 
V. tr. Minar; fazer 



Kulukina, v. tr 
cavar; abrir fossos, 

Kulukinina, 

escavações. 

Kujukinisa, v. tr. Fazer profun- 
dar, minar | Mandar escavar. 

Kufukuka, v. intr. Estar túrbido. 
I Ter as vestes levantadas por 
efeito de turbilhão: milele i a mu fu- 
kuka. 

Ku(ukula, v. tr. Ir em turbilhão. 
1 Levantar as vestes até deixar vêr 
as nádegas. ] Correr como o vento; 
fugir: « afukula kalamulenge. 

Kulukumuna, v. intr. Diz-se do 



KUF 



J78- 



KUF 



movimento das ancas (ao andar); — 
mbunda . 

Kujukuna. v. tr. Descobrir o 
que está na cova.j Escavar; abrir 
buraco 

Kujukunuísa. v tr. Mandar de- 
senterrar, descob ir 

Kufukunuka, v. iatr. Resuscitar; 
resurgir; voltar á vid^i : vion ' a 
I^zambi u afukunuka \ Brotar; revi- 
ver; vir de nove \ j sub. Ressurrei- 
ção. 

Kujukunukisa; v. tr Fazer voltar 
á vida (depois de estar morto). 

Kufukununa. v. tr. Exhumar: — 
kimbi I Trazer á luz o que estava 
esquecido: — maka j Resuscitar: fa- 
zer resurgir. 

Kúfula, V. intr Ter gosto (a co- 
mida); saber bem ao paladar: kuria 
ku afuln. I fig Ter chiste. ; ( Inso- 
na»; perder noite: — kíla Actuar; 
estar disperto ] Kurilula; v intr. 
e r. Acordar: kurieída,— [ Vigi ir 

Kuíúla, V, tr e intr. Deixar de 
fazer; ser omisso.) Abster se. 1| sub. 
Omissão. 

Kujulama, v. intr. Fadejar; ter 
destino. 

Ku{ulamana, v. intr. Estar fus- 
co, basso, sem brilho: kuma Ku afu- 
lamana \ Estar empanado, sombrio; 
Iriãnha Lu afidamana \\ sub. Lusco- 
-fusco. 

Kujulamanesa. v. tr. Derramar 
trevas sobre | Empanar; obscure- 
cer. [ Fazer perder a claridade, o 
brilho. 

Kululamesa, v. tr. Predestinar; 
fadar; dar destino a. 

Kufulujuka, V. intr. Fervilhar; 
espumar, borbulhar por muito tem- 
po. 

Kufuluka. V. intr. Espumai; es- 
tar em ebulição: mcuha m' afuluka j 
Formar cachão (ao ferver). || sub 
Estado de líquido que ferve. | f'g 
Fervor. 

Kujulukisa. v. tr. Fazer levan- 
tar fervura. 

Kululula. v. tr. Pôr a ferver.] 
Agitar ( o líquido) a ponto de fazer 
espuma || Dar cordial; fazer vir a 
si: — hâxi. 



Kululumuna, v. tr. Destapar; 
descobrir. ! Kurifulumuna, v. intr. 
e r. Destapar-se. 

Kufumala, v tr. (port.) Fumar; 

defumar. \ V kubua'(ulà. 

Kuíumana, v intr. Correr boato, 
notícia I Ter fama (boa ou ma): — , 
kufua Ser tido e havido: u ajwna' 
na o kususa k'azek'ê bu atalaia \ Cor- 
rer de boca em boca. 

Kulumanena, v. tr. e intr. Afa- 
mar: o fuma i afumanena mbétnba, 
mbemba k' azub' ê kilendc. [ Dar cré- 
dito a. 

Kulumanesa, v. tr Divu'gar; 
propalar; tornar do domínio ^ úbli- 
co: — maki \ Infamar, jl Kuriíuma- 
nesa. v. r, Tornar«se célebre 

líúlumba, v intr. Farejar.] v. 
tr. Cheirar-! I sub. Farejo 

Kufúmba, v tr. e intr Tirar 
para si a maior parte ' Defraudar; 

prejudicar; danificar ] E' tb. r. 

Kulumbisa, v. tr Faz?r tirar a 
metade maior. | ] Fazer (ornar o faro. 

Kufumbuha. v intr. Estar enfu- 
nado, bojudo. I Despontar; come- 
çar a aparecer. 

Kujumbula, v. tr* Enfunar; tor- 
nar bojudo: — ugòmbo \ ' Abreviar 
a morte de:— aá/t;i 

Kúluna, V. tr. Comerciar; trafi- 
car: -aôíAa I Comprar e vender: — 
mauenji. \ Ganhar; tirar proveito | j 
v. intr. Ser funante; obter lucros 

t sub Tráfico; comércio. Kuri- 
{una, v. r. Ir aumentando; multi- 
plicar-se. 

Kulunata, v»tr. e intr. Deslocar; 
vergar; torcer: kmoma ki afitnata \ 
Luxar Ivurijunala, v. intr e r. 
Ter luxação ou entorse. 

Kulunafesa, v. tr. Fazer ter lu- 
xação ou entorse 

Kújunda, v. tr. e intr. Alegar 
(em juízo) ; Fundamentar (razões). 
II V. tr. Rtlatar; nanar; dizer.] 
Expor. 

Kujúnda. v. tr Inhumai; sepul- 
tar; enterrar; - kt/«6t. 1) sub. Inhu- 
mação; enterramento. | Kuri- 
Júnda. V, r. fig Separar-se do 
mundo. 

Kulundalala, v. intr. e r. Virar" 



klílF 



-m- 



KtJP 



Sè ( a embarcação): ulungu u afu- 
ndalala \ Naufragar ; ] sub. Naufrá- 
gio. 

Kuíundalalesa, v. tr. Fazer vol- 
-tar uma embarcação Fazer nau- 
fragar. 

Kuíundama, v. intr. Criar bolor. 
I Estar deteriorado, extragado : o 
xitu i afundama.\\ Chocar; aquecer. 

Kufundamena, v, intr. Quaren- 
tenai; estarem observação: — ngênjii 
Estar isolado (em cumprimento de 
um preceito).! Estar de penitência, 
de choco I Fazer abstinêncir.; cum- 
prir os preceitos da quaresma. Es- 
tar de magro. 

Kuíundamesa, v. tr. Isolar: — 
tmituri.l Fazer estar de quarentena, 
de magro. E' tb r. 

Kujundika, v. tr. Emostar; fazer 
amadurecer pela acção do calor: 
— mahonjo \ Guardar ( para amadu- 
recer) , 

Kufundikisa, v tr Fazer emos- 
tar. sazonar, amadurecer. 

Kuíundila, v, tr Informar a; 
formular queixa de; relatar: ng'a 
mu fundíla ioso i abange abik' t . ' 
Contar; d zer j | Dar sepultura a: 
o mitiu a mu fundila mu ikoka. [ En- 
terrar por causa de. 

Kufundísa, v. tr. Mandar sepul- | 
tar; ajudar a meter na cova | ( v^. 
intr. Julgar: — mukanu . \ Fazer 
justiça; decidir. 

Kufundumuka, v. intr. Levantar- 
se (da cami); erguer se; pôr-se em 
altuta: ng\i mu sange u afnndumuka 
kiá II sub. Acto da se levantar. 

Kujundumuna, v. tr Fazer le- 
vantar; erguer (do leito) . i Fazer des- 
pertar. 

Kujúnga, v. tr. intr. Fusionar: 
misturar: — fundanga ni musambe. \ 
Juntar cousas diferentes num todo.| | 
Almocrevar; cuidar de gados. | | Ku- 
rijunga, v. r. Misturar-se; encorpo- 
rar-se; incluir se 

Kutungisa, v.tr. Fazer mistura; 
combinar cousas diferentes: — máji 
ni hula. | Baralhar; confundir. || 
Kurilungisa, v. r. Meter se na con- 
fusão Não se identificar. 

Kulungula, v tr. Mexer (para 
que ae misture), j Revolver. || v. 



intr. Exercer almocrevaria. 

Kufungulula , v. tr. Anaçar; 
misturar. I Mexer muitas vezes ou 
por muito tempo;— «u7o7í_7o. |. Fazer 
unir intimamente.il sub. Mistura. 

Kuíunguta, v intr. Fumegar: k» 
íetn. ki toloka; H fumjuta ki uáma. 
1 Fermentar; tomar corpo. 

Kufungufisa, v. tr. Fazer fume- 
gar, exalar vapores 

Kuiúnha, v. tr. e intr. Conjec- 
turar; imaginar. ' \ sub. Suposição 
(fundada em meras possibilidades) 

Kujunhisa, V. Kufinhisa 

Kufunzuka, v intr. Ficar des- 
maiado, empanado | Eítar baço, 
perder o brilho. | sub. Embacia 
mento; empanamento. 

Kujunzuk sa, v. tr.lomar baço, 
obscuro. II Kurifunzukisa, V. r. 
Descorar-se; embaciar-se. 

Kulurisa, v tr. Malograr; emba- 
raçar; empecer; — hanji \ Fazer inso- 
nar; não deixar dormir: — kilu \ 
Frustrar; impedir ] | Condimentar; 
tornar agradável (ao paladar). | 
Dar chiste; tornar picaresco: — mjka. 

I i Kurijurisa, v. r. Malograr-se; 
gorar-se; não ir avante. 

Kufusana. v. intr Faltar ao de- 
coro, á decência. Ser desleixado no 
asseio do corpo, i ■ Ter o cabelo des- 
grenhado, em desalinho: jíndemba j'a 
mu fuaaria, 

Kujusanesa, v tr. Desalinhar; 
desgrenhar. | Kuri|usanesa, v. r. 
Desleixar-se; não ter decência (no 
vestir) . 

Kú|uta, V. tr. Vendar; cobrir; — 
kiáku mu pólo. Abrigar; defender. 

II Kúrijuta, V. r Tapjr-se; escon- 
der-se. 

Ivulúta, V. tr Indemnizar; em- 
bolsar; pagar: — rikongo I Reparar; 
resarcir: — kituxi. Remunerar; re- 
compensar I Kuri(úta, V. r. Pa-. 
garse (pi^r suas mãosi.j Descontar. 
I fig Desforrar-se; vingar-se. 

Kufutama, v. intr. Estar incó- 
gnito, incoberto, oculto 

Kujufamesa, v tr. Fazer dissi- 
mular, conservar incógnito. | Cobrir 
para que se não conheça. 

Kulutika, V. tr. Fazer rugas 



prega3 em.| Embainhar; dobrar: — 
musuíku] Enrolar, embrulhar em (pa- 
pel, pano, et:.), I ] Kurifutika, v. 
intr. e r. Erab-^ulhar-se; enrolar-se; 
envolver-se 

Kufutila, V. tr. Pagar uma dívi- 
da de conta de outrem. 

Kufufisa. V tr. Mandar abafar; 
proteger, cobrir | Fazer embolsar, 
resarcir. 

Kufuíuluka, V intr, Escabrear.I 
Estai zangado, ofendido.] | sub. Es- 
cabreação; zanga; melindre. 

Kujufulukisa. v. tr. Zangar; fa- 
zer escabrear, I | KurifutuJukisa. v. 
r. Zangar-se; cnfadar-se. 

Kufufumuka, v. intr. Estar de- 
sembrulhado, desdobrado.! Ficar 
descoberto. I Desabrochar; abrir-se. 

Kufutumuna, v. tr. Desembru- 
lhar; desdobrar; pôr a descoberto. | 
Desnudar; desvendar. | | Kurifufu- 
muna, v. r. Destapar-se; desco- 
brir-se, 

Kufutunuka. v. intr. Estar fofo, 
amolecido. 

Kufufunukisa, v. tr. Afofar; tor- 
nar macio ] Amolecer. I | É tb. r. 

Kuíuuela, v. intr. Estar mortiço, 
quaíi apagado. I Ter menos brilhan- 
tismo ou entusiasmo: líizomba ki a/u- 
uda.\ Esíar qu^si extinto (o lume): 
hu jiku bu afuuela.\ Perder o luzimen- 
to,| Estar fusco, sem calor. 

Kuluuelesa, v. tr. Ofuscar; amor- 
tecer.! Fazer perder o entusiasmo, 
o brilho, o calor. |[ Kurifuuelesa, v. 
r. Ofuscar-se; perder o brilho. 

Kuínuefela, v. intr. Estar som- 
brio, opaco, basso: lumuenu lu afune' 
tela.\ Estar fosco. 

Kuíuueteksa, v. tr. Tornar bas- 
so.) Foscar. 

Kufuxika, V. tr. Exercitar; ades- 
trar; fazer adquirir prática. Ani- 
mar; movimentar. I I Kurifuxika, v. 
r. Exercitar-se; desenvolver se. 

Kugozala, v. tr. e intr. (port) Go- 
zar.! V" kuuéua, 

Kugu, corog, V. kúhu. 

Kuhába, v, tr. Narrar (algum 
facto) sob o disfarce da fábula | ! 
Inventar; mentir. 

Kuhabika, v. intr. Fabular.! 1 v. 



ÍÔÔ- 



KUÍ 



tr. Inventar (sucessos fabulosos). 
I Adulterar (03 factos, narrrando- 
os).| Falsear; fabulisar; mentir. 

Kuhabula, v. intr. Devorar; tra- 
gar, engulir ávid .mente| 1 Abocar; 
zampar.l! sub. Tragamento. 

Kuháha, v. intr. Ofegar; respi- 
rar fundo e ruidosamente ! | sub. 
Ofego, 

Kuhahela, v. tr e intr. Gesticu- 
lar; provocar . | Dirigir-se (a al- 
guém) de voz em grita e atitude 
agressiva. | Vexar ]| Kurihahela, 
V. r. Desafiar-se; provocar-se mutua- 
mente. 

Kuhahesa, v. tr, Esbofar; fazer 
ofegar; causar cansaço. 

Kuhahumuna, v. tr. Arrebatar; 

arrancar; levar á força, j | sub Acto 
de arrebatar. 

Kuhalumuna, v. intr Atacar com 
Ímpeto (ao falar). | .\rremeter: kuzue- 
la— I Ser arrebitado. , ! v r. Enco- 
lerisar-se; encher-se de ira. || sub. 
Arremetida; impeto. 

Kuhalumukina, v. tr. e intr. Ar- 
remeter, romper contra. 

Kuhama, v, i^tr. Esganar; danar- 
-se; ter raiva. | Enfurecer-se. 

Kuhamena, v tr e intr. Esfor- 
çar-se; debatar-se | ! v r Agitjr-se 
com violência procurando despren 
der-se | Diz-se do animal que, ma- 
nietado, tenta arremeter. 

Kuhána, v, tr e intr Arrega- 
nhar; intimidar. !| sub. Arreganhj. 
1! v, r. Mostrar arreganho. 

Kuhandeka, v. tr e intr Esbo- 
çar; principiar; dar a conhecer: 
— malia. \ \ sub. Esboço; início. 

Kuhandekela, v. tr Mostrar ( o 
prir.cípio): o hete a mu handekela, hu 
rizuhilu mutnt u ejia-bu. \ Revelar; 
dar a perc;ber. 

Kuhanduluka, v, intr. Estar exas- 
perado, indignado, ameaçador: u êza 
ni — I I sub Exacerbação. 

Kuhandulukisa, v. tr. Fazer in- 
dignar, irritar, ; E' tb r. 

Kuhandulula, v. tr. Causar indi- 
gnação a. I Tornar colérico 

Kuhanesa, v, tr. Intimid\i; fazer 
ter medo. 



mt 



-íâí- 



mt 



Kuhatigalesa. v. tr. Tornar ensos- 
9o; fazer comida sem tempero, de 
água e sal. 

Kuhangana, v. tr. e intr. Gra- 
cejar, troçar; br.ncar. ] | sub Acto 
de gracejar. 

Kuhanguluka. v. intr. Mudar de 
maneiras, de còr. | Estar destempe- 
rado, sem gosto - 

Kuhanjika, v. intr. Ansiar; pa- 
decrr; ter desejos, amb'ções. 

Kuhánza, v. tr. Adular; elogiar sem 
fundamento (para captar o favor) . | 
Lisonjear. 

Ku hâria, adv. No porvir; nos 
tempos Vindouros | V hãria 

Kuhaúla, v. tr. e intr Apinhar; 
surpreender: — mon' a sanji \ Diz-se 
do gavião ao apanhar o pinto 

Kuheiula, v. tr, Golpear; rasgar 
com navalha.] Ferir. 

Kuhéma, v. intr. Fremir; ter 
frenesi.:: sub. Respiração ofegante [ 
V. kuhàha. 

Kuhemesa, v. tr. Frenesiar. 

Kuhénda, v. tr. Presidir | [ v. 
intr. Exercer a função de presidente. 

Kuhínda, v. intr. Estimar; gostar; 
querer: eme ng'a kw hindi. \ \ sub Que- 
rença; amisade. 

Kuhindila, v. tr. Dssejar; sentir 
prazer por: ng^a ku hindila mbofe \ 
Aspirar a; querer. 

Kuhindingila, v. tr. Afanar, j Pra- 
ticar (algo) com ânsia ] sub. .\fan; 
ância | ; Kurihindingila, v. intr. e r. 
Afadigar-se; esforçar-se 

Kuhinduka, v. intr. Acorda-; apa- 
recer. | Ser ou estar vísivel. 

Kuhindula, v. tr. Acordar; tro- 
nar vísivel I Pôr á luz do dia. 

Kuhínga, v. tr. e intr Invocar; 
jurar; ^'inge nef hinge Nzamhi.^ \ Guar- 
dar; acompanhar (outrem) para pro- 
teger, || sub. luvocíção; juramento. 

Kuhingila, v. tr. Representar na 
imaginação; tra/Jer á lembrança. | 
Evocar; jurar. 

Kuhingisa, v. tr. Instalar; empos- 
sar; investir (na funcção ou cargo).] 
Testemunhar; aprovar. 1 E'tb. r. 

Kuhiogutnuka, v, intr. Ter desen- 



voltura; crescer. II sub. Crescimen* 
to; desembaraço. 

Kuhingumuna, v. tr. Fazer cres- 
cer, desenvolver.! Dar incremeuto 
a. II Kurihingumuna, v. intr. e r. 
Aumentar; progTegir. 

Kuhirika, v. tr e intr. Demons- 
trar; persuadir.; Ter a convicção de. 
|] V. r. Acreditar; convencer-se. 

Kuhirikiza. v. tr. Fazer acreditar, 
persuadir i Provar; pôr á iv^dência. 

Kuhífa, v. tr. Exterminar; devas- 
tar; destruir 

Kuhobojcka, v intr. Estar esque- 
lético, encovado: polo i a mu hohojo- 
ka. I Dar mostras de muita fraqueza 

Kuhoboka, v. intr. Estar magro. | 
Ter os olhos sumidos por cansaço 
ou doença, j] sub Magreza. 

Kuhobola, v. tr. Escaveirar; en 
covai; fazer emagrecer | E' tb i 

Kuhoha, v. tr e intr. Concha 
gar; agazalhar; compor. j Proporcio 
nar bem-estar e conforto a j fig 
Consolar. || Kurihoha; v. r. Pro 
Curar conchego; confortar se; resta- 
belecerse. 

Kuhoheka, v tr. RegaLr; tratar 
com resguardo! Ch gar muito a si: — 
mona\ Confortar. 

Kuhoholola, v. tr. Restaurar; 
reparar (forças); pôr no estado pri- 
mitivo. || sub. Acto de restaurar. 
I 1 KariholK)lola, v. intr. e r. Re- 
frescar-se; restabelecer-se. 

Kúhoka, V. intr- Circular. 1 1 v. 
tr. Cercar; rodear | Fazer circuito, 
sub Circuição. 

Kuholomoka, v. intr. Estar en- » 
fezado, raquítico | Ter aspecto de 
dojnte e velho jjsub Depaupera- 
ção. 

Kúholomona, v. tr. Avelhantar; 
enfezar Depauperar; fazer perder 
as forças. Kuriholomona, v. intr. 
e r. Depauperar-se; eafezar-se; tor- 
nar-se fraco. 

Kuhóna, v. intr Resonar; dor- 
mir roncando | | sub Resonància; 
ronco. 

Kuhcnda, v. tr. Contornar; ro- 
dear. | Crcundar; circunscrever. 

Kuhondeka, v. intr. Girar; dar 
voltas; agitar-se a rodci.| Passar; 



um 



-182- 



KUf 



adejar em volta. 

Kuhondojoka, v. intr. Zigueza- 
guear: kuenda mu njUa-.] Não ir di- 
reito 1 I Mourejar; diligenciar; fazer 
pela vida. 

Kuhondola, v. tr'. Fazer circun- 
dar; cetcar; envolver. I Ornar em 
circulo; rodear de. 

Kuhofola, V. tr. e intr. Socavar: 
— mbila. Solapar; cavar por baixo 
de.j v. tr. Escovilhar 

Kuhofoloka, V. intr. Discorrer; 
ser discreto: o mtitu mu kuzuela u holo 
ioka-\ Ter sensatez. 

Kilhu, corog Rio na região dos 
Mahungos, ao N. da Jinga, distr. da 
Lunda, prov. de Malange. 

Kuhubuka, v. intr. e r. Lmçar- 
■36 de ema para baixo Precipitar- 
•se por um despenhadeiro; cair de 
posição elevada. 

Kuhubula, v tr. Deitar abaixo 
ide gr.nde altura). IJespenhar; lan- 
çar em precipício. , É tb. r. 

Kuhúha. V. tr. e intr. Roçagar: 
— lÔBO \ Triturar cora pedra redon- 
da grãos ou sementes ] sub Moa- 
gem. ;! «vurihúha, v. r Roçar-se 
no chão ou contra as paredes. 

Kúhuka. V. intr. Ser rude, Obs 
tinaJo, desobediente. Não reconhe- 
cer o bem que se lhe faz | v. tr. 
Dadivar; corromper. | sub Obs- 
tinação; ignorância. 

Kuhukisa, v. tr Fazer peitar, 
corromper.] Tornar ingrato; fazer 
desobedecer . 

Kuhulakana. v. tr. Prestar aten- 
ção I Ouvir. I V. Kuhulakana, 

Kuhuluka, v. intr Escorregar; 
escapulir; fugir. 

Kuhumbuka, v. intr. Ficar mu- 
tilado cu privado de um membro: 
lukuaku lu a um humbuka. [ FiCar de- 
cepado, 

Kuhumbula, v- tr. Mutilar; cor- 
tar cerce.;: Kurihumbula, v. r. Am- 
putar-se. 

Kuhumbuluka, v. intr. Ficar 
muito cerceado: kinama ki a mu hum- 
huluka mu ritdkataka.\ Estar decepa- 
do- 

Kuhumbulula, v. tr. Cercear a 



maior parte, | Cortar; decepar 
em absoluto] E' tb. r. 

Kuhúna. v. intr Soltar sons gu- 
turais I Grunhir: — koZa ngulu. \ | 
Contestar ou lipostar com grunhi- 
dos 1 Rosnar. sub. Grunhidura 

Kuhúnda, v. tr. Opimr; votar; 
dar parecer Alvitrar.! Emitir ou 
formar juizo. 

Kuhúnga, v. tr. Refrear: sujeitar; 
ter mão em.| Sustar; conter; repri- 
mir, fig ; prender ,' Kurihúnga, 
V. intr. e r. D jmiiiar-íe; ter mão 
em si.' V. intr. Ter termos; modos. 

Kuhungisa, v. tr. Fazer sujeitar, 
conter. 

Kuhunguluka, v. intr. Ficar des- 
regrado: desaforado.] Andar a sol- 
ta, sem tino. 

Kuhungulukisa, v. tr. Fazer des- 
regrar, depravar, desatinar. E' 
tb. r. 

Kuhungulula, v tr. Tornar im- 
pudente, desvergonhado Desafo- 
rar. Bater com ímpeto, com fúri i: 
kalunç/a k' ahungiUula o ritari. \ Deslo- 
car. 

Kuhunúka, v. intr. Ficar preju- 
dicado (na divisão) ] Sofrer dano; 
ficar lesado. 

Kuhunúna, v. tr. Prejudicar; le- 
sar. Diz se do senhorio que, na di- 
visão dos mantimentos, tira para si 
os miiores e de melhor qualidade e 
espécie. I Kuiihununa, v. intr e 
r. Ter prejuizo; ficar lezado. 

Kúia, v. intr Ir; seguir; partir. 

Kuiáia, V. intr Fervilhar; rechi- 
nar: o mãji m' ala — . Diz se do aze.» 
te a ferver ou do toucinho a dtrre- 
ter-se. |; sub. Acto de rechmar. 

Kuiaiesa, v. 

fervilhar. 



tr . Faz.r rechinar, 



Kuiáia, V. intr. Mirar; vêr || v 
tr. Reparar; atentar ] Rever Ku- 
liiála, V. r. Vêr-se ao espelho: mi- 
rar-se. 

Kúiba, V. intr. Ser desagradável, 

feio, deshonesto.l Estar mal '. \ sub. 
Fealdade; desformidade, irregulari- 
dade desagradável nas feições ou no 
aspecto I T o r p e 3 a, dano.i Cala- 
midads; ofensa; desgraça j j adv. 
Malmente.! Com rudeza. 



KUP 



-f83- 



KUF. 



Ku(ba, V tr. Levantar; levar con- 
sigo (cousa alheia)! Furtar. | | corog. 
Rio de grande caudal, afluente do 
Quanza, com nascente na serra da 
Mossamba, distr. do Moxico, prov. 
do Bié. 

Kúibila, V. tr. e intr. Desagradar; 
aborrecer: nmtu k'a ibiV é mu\5.uá\ Ser 
mau, descontentar, desgostar a. 

Kuibisa, V tr. Tornar desagra- 
dável, feio ] Desfigurar; desformar, 
I ' Agoniar; confranger; afligir: ki a 
ivua o mâtui kt a ihiaa o muxima , | 
Kuriibisa, v. r. Afear-se; tornar-se 
desagradável.! Deformar-se. 

Kuibúla, V tf. e intr, Preguntar: 
»m fiuenda, u ibãla \ Procurar orien- 
tar-se, saber 1 1 sub Interrogação; 
pregunta que se faz a uma pessoa 
para que ela responda. 

Kuiburisa, v. tr. Averiguar; in- 
dagar; inquirir | | v. intr. Proceder 
a averiguações, ! j sub. Indagação; 
interrogatório. 1 ' Kuriburisa, v. r. 
Sondar a própria conciência. 

Kuiéia, V. intr. Entoar; cantai 
em cÒTo:—mázui. sub. Entoamen- 
to; côro.l Canto de muitas vozes 
reunidas. 

Kuieiesa, v, tr. Fazer entoar, can- 
tar em coro. Dirigir o canto de 
muitas vozes reunidas. 

Kuiji, corog. U m dos maiores 
afluentes da ifiargem direita do rio 
Quanza, que banha as terras do 
Songo, Malange e Pungo-Andongo. 

Kuijia,. v. tr. e intr. Saber; co- 
nhecer, | Ser experimentado; ter prá- 
tica, ciência : — Ngola kuenda, ki 
ukot' ê.\ Ter certeza. | sub. Conhe- 
cimentos adquiridos; ciência; sabe- 
doria. I Experiência da vida, do 
mundo; ki àia mu ngóngo, idjia. Ku- 
rijia, V. r. Conhecer-se; ter perfeito 
conhecimento de si, do carácter e 
dos méritos próprios. 

Kuijila, V. tr. Chegar, vir por via 
de: — mu idungii.\ Caminhar por: — 
buiu. I I — 6w, Chegar de repente. 

Kuijirila, V, tr, eintr. Estar acos- 
tumado, habituado: o — kuióba. 

Kuijirisa, v. tr. Acostumar; ha- 
bituar, afazer. | Domesticar; fazer 
conhecer, tomar conhecimento, dis- 
tinguir, II Kurijirísa, v. r. Habi- 
tuar-se; afazer-se. 



Kuikufa, V, intr. Comer ou beber 
o necessário. 1 Estar repleto; ter o 
estômago cheio: u nri. u a íl{MÍa.| 
Empachar; saciar a fome. 

Kuikutisa, v. tr. Fazer fartar, sa' 
tisfazer. Dar de comer até á sacie- 
dade. 

Kuíia, v tr. e intr. Imaginar; 
supor: eme ngi mu Ha kwna muta na 
mhote.\ Ser de parecer; fazer supo- 
sições acerca de. 

Kuílu, corrg Afluente do rio Lt- 
fune, na circ. do Dande, distr. e 
prov. de Luanda ' ' Pov. e posto 
na margem do rio deste nome, circ. 
civ. de Camaxilo, distr. da Lunda, 
prov. de Malange, 1032 hab. 

Kuilúka, V. intr. Sarar; estar cu- 
rado (da doença ) [ Recuperar a 
saúde, i \ sub. Cura. 

Kuílukisa, V tr. Fazer curar; sa- 
rar, livrar do mal | ! v. intr. Tra- 
tar; exercer medicina. | E' tb r. 

Kuílúla, V tr. Remediar; sa- 
near. | Kurilula, V. r. Curarse; 
purificar»se; livrar-se do mal. 

Kuima, V. intr. Frutificar. | Vi- 
cejar; medrar (a planta). || sub. 
Vicejo; exuberância |{ corog. Pov. 
e sede do posto deste nome, cone. 
de Caala, dist do Huambo, prov. 
de Benguela, 35 725 hab. e escola 
rural. 

Kuimajana, v. intr. Parar a ca- 
da^passo.l Levantar-se à miude (do 
lugar). 

Kuimana, v. intr. Parar; pôr-se 

em pé. i i V. tr. e intr. Cessar de 
andar, estar quieto. 

Kuimanena, v intr. Estar em 
pé junto de j Presenciar; assistir; 
dar fé. j I Kurimanena, v. r. Desta- 
car-se; isolar-se. 



tr . Fazer parar, 



Kuimanesa, v. 

levantar, deter. 

Kuimba, v, intr. Arrulhar; trau- 
tear, II corog. Pov. e sede do 
posto civ. deste nome, circ. de 
S. Salvador, distr. do Congo, prov 
de Luanda, 8.571 hab, e est. postal 
de 3.* classe. 

Kuítnbila. v. intr. Cantar, | Tro- 
var. 1 I Cantarolar. 

Kuimbisa, v tr. Fazer arrulhar, 
caatar. 



ÍCUF 



-184- 



KUP 



Kuime, corog. Importante afluen- 
te do rio Quanza. com origem no3 
montes de Cambmbia, distr. do 
Moxico, prov. doBié, 

Kuimika, v tr. e intr. Espetar; 
fazer parar; pôr em pé: — viutã \ Co' 
lorar em posição vertical j Kuri- 
mika. V. intr. e r. Parar; aprumar- 
se; pòr-se em pé. 

Kuimikisa, v. tr. Fazer espetar, 
pôr de pé. 

Kuimina, v. intr Negar; u ang' 
imina o initlde ua kuzuali.l \ v. tr. Re- 
cusar (alguma cousa) a; ki u imina 
kamba, vibua ?< a ki na. 

Kuíminisa, v. tr. Fazer negar, re- 
cusar. Kuriminisa, v r. Fazer 
que outrem nos negue o que carece- 
mos. 

Kuimisa, v. tr. Fazer produzir: 
— irima mu ríbia \ ! Tornar viçoso; 
fazer dar frutos 

Kuimlía, V. intr. Conceber; ficir 
prenhe: — hebu \ Estar grávida i| 
sub. Prenhez; gravidez 

Kuimitisa, v. tr. Emprenhar; fa- 
zer 'conceber. | | Kurimitisa, v. r. Fa- 
zer-se emprenhar (a fêmea). 

Ku'muna, v. tr. Avaliar; alvitrar. 

I Dar parecer, conselho. 

Kuínda, v tr Entrançar: « ri- 
mukína u a kit songo o máju. o u a ku 
indi o jingindu mungii ji aangunuk' ê. | 
Encaracolar; anelar (cabelo) .^j j 
sub Entrançamento. | | Kunnaa. 
v, r. Trançar os próprios cabelos. 

Kuínga, v. intr. Velar; vigiar. || 
V. tr. Exercer vigilância sobre: — 
jinjila. I I Estar desperto. | Diz-se do 
facto de espantar, na horta, os pás- 
saros que estragam as sementeiras 

II Levar (o gado) ao pasto e vi- 
giá-lo. Ji sub Vigilância.! E' tb. r. 

Kuingina, v. intr Aflorar; reben- 
tar, aparecer (á superfície): uiu mcBu 
mu a mu ingina viasoxi \ Principiar a 
maniíestar-se. 

Kuinginina. v. tr Voltear; girar; 
agitar se á roda de: jinji j' ala — bu 
ribute. \ Tumultuar (rodopiando). | 
Zumbir [ j v intr. Esvoaçar. 

Kuinginisa, v. tr. Enxamear; fa- 
zer pous.ir moscds sobre: — jinji. 

Kuínhi. adj. num. (V) Dez || 
sub. O número lo.', O que numa 



série ocupar o décimo lugar | | — nr 
k?ari, adj. Duodécimol Doze.jj sub. 

número 12 1 1 — * nake, adj. card. 
e orlin. Décimo oitavo l| sub O 
número 18. || — ni samanu, adj . 
num. Décimo sexto || sub O que 
ocupa o décimo sexto lugar. I O 
numere 16 | 1 — ni sambuari, adj. 
num. Dezassete I sub O número 
Tj \\—ni tatu adj Décimo terceiro 
'\ sub. O número 1 3 . | | — jtí «(í/ia, 
adj. card Catorze. | Décimo quir- 
to. I sub O número 14 | | — ni vuá, 
adj. num D4cimo nono || sub. O 
número 19. | O que ocupa o décimo 
nono lugar. 

Kuióia, v. intr. E-:tar estifado, 
cinsado, mo do: ng'aioia,\ Estar der- 
rea lo, exausto, [ sub. Estafa I Jor- 
nida comprida e fadigosa.) E' tb. r. 

Kuioiesa, v. tr. Fazer cansar, 
moer (andado i: o njila ia Ndanji i io- 
ieaa \ Fazer ter fadiga. 

Kuióka v. intr. Faz ir troç , zom- 
baria I Gracejar. 

Kuiokojoha, v. intr. Ficar extre- 
mamente cansado, muito extenua- 
do.] Estar sem forças ] Ficar afadi- 
gado. 

Kuiokoka, V. intr. Estar m iç nlo, 
est.ífado (por excesso de trabalha) 

1 Ficar batido, vencido.] Decair; 
estar convencido. 

Kuiokola, V. tr Causar fadiga â* 
estafar.] Domar; a:T)ansar; bater . I 
Convencer '[ Obter vantagem so* 
bre; triunfar: vencer: ng' a mu ioko- 
la mu kulenga \ E' tb r. 

KuiriUa, v. tr. e intr. Mostrar; 
ensinar; fazer vêr. | AmolJar; ins- 
truir. 

Kuirihiza. v. tr. Apresentar; exi- 
bir: a mu irikiza o mukanda.l Mjstrar; 
pôr á vista. 

Kuitáia, v. tr. Aceitar; atenderá 
chamada. Aprovar; corresponder.] 
Acudir a uma interpelação. | | v. 
intr. Retribuir condignamente 

Ku((u, co-o,'. Importante afluen- 
te da margem esquerda do rio Cu- 
bango, com origem nós montes de 
Camb amb.a, distr. do Moxico, 
prov. do B.é. 

Kúiu, corog. Pequeno aflu2nte do 
rio Luuanda, na região de Kimban- 
gu, prov. de Malange- 11 Pov. marí- 



KUI 



- Í85- 



KUd 



tima ao S. do cone. e distr. do 
B nguela ]| bot. Grande árvore do 
género fiku3 |V. mukíiiu 

Kuiúba, V tr. Condensar; con- 
centrar; fazer convergir. | | sub. 
Concentração. 1 1 Kuriiúba, v. r. Iso- 
lar-se; meditar profundamente. 

Kuiubísa V, tr. Fazer concentrar, 
reunir: — jingenji. 

Kuiúia, V intr Arder; estar em 
fogo.l Ser picante; sentir ardor |] 
sub. Ardimento. 

Kuiúka, V intr Estar ou ficar 
direito. \ Estar aprumado, alinhado, 
firme [l S^ír conforme á razão, á jus- 
tiça. | Ser imparcial, recto. ] | sub 
Fiimezn; d reito; rtct dão. 

Kuiukisa, V. tr. Endireitar; cor- 
ligir ; dar melhor direcção a: — nji- 
la.\ Melhorar; tirar defeitns.| Apru- 
mar, acertar; alinhar: — múxi.\ Com- 
binar; ajustar; aparelhar. j| Kuriiu- 
kisa. V. intr e r. Endireitar-se; 
aprumar-se; pôr-se em hnha. 

Kuivua, V. intr. Atender; ouvir. 
II Seat.r: vg'ala — mâzui \ Ter em 
consideração; perceber o que se pas- 
sa. j Entender; comp-eender. | i sub. 
Audição; senso. | ' Kúrivua, v. r. 
Sentir-se. 

Kuivila. V. tr. Prestar atenção a,[ 
Escutar; atender: ng' iviíe. | Dar ou- 
vidos a I V. intr. Estar com aten- 
ção. 

Kuivirila, v. tr. e intr. Andar ou 
estar a escutar Priístar o ouvitlo 
a. i I Auscultar. 

Kuivisa, V. tr. Fazer perceber, 
ouvir, prestar atenção. | Fazer com- 
preender, jl Kurivisa, v. r. Fazer» 
-se ouvir, sentir | Dar smal de si. 

Kuixanaí v. tr. e intr. Nomear; 
chamar: — muiu mu rijina.\ Invocar; 
atiair Denominar. i| sub. Chama- 
mento| Invjcação.|| Kurixana. v. r. 
Disignar-se; chamar-se. 

Kuixika, v. tr. e intr. Alijar; 
desfazer-se de. \ \ v. intr. Sair | | 
sub Alijamento || Kurixika, v. 
r. Atirar-se; lançar-se. 

Kuiza, V. intr. Vir; chegar (até 
nóá).; Andar, caminhar para cá. | 
Sobrevir.!! sub. Vinda; chegada. 

Kuizaia, v. intr. Estar ou ficar 
cheio, saturado, aborrecido: makam'a 



ng' izata- 1 Ficar rico.| | sub. Cheia, 

Kuizalesa, v tr. Atestar; saturar; 
encher.! Enriquecer.!! Kunzalesa, 
v. r. Encher-se; adquirir fortuna. 

Kujája, v tr. e intr. Mitigar; su- 
avizar ( a sede); — tumenha hu xinqu | 
Abrandar: atenuar fa vontade de 
beber).)! sub. Mitigação; alivio. 

Kujajana, v. intr. Estar aflito; 
vêr-se em dificuldades, oprimido. | 
Padecer; ter sofrimento. 

Kujajanesa. v tr. Oprimir; fa- 
zer padecer, suportar o peso de. 

Kujajesa, v. tr. Dessedentar; fa- 
zer atenuar, dar de beber pequena 
quantidade de água. 

Kujefa, v. intr Adejar; pairar: o 
nvula i ala — kunoka. \ Sombrear; 
estar iminente.! I sub. Acêjo. 

Kujejefa , intr. Aproximar-se a 
pouco e pouco ! Acercarse aem se 
fazer notar, j [ Aparecer próximo, 
nas imediações ! fig. Rondar. 

Kujía, v. tr. Alagar; empoçar; 
formar charco. ; v. intr. Beber || 
Kurijia, V. r. Encharcar se; embe- 
bedar-se. 

Kujiba, V. tr. Assassinar: —mutu. 

I Matar, abater: — Armmrt. Pôr ter- 
mo a vida de.!! sub Matança. || 
Kurijiba. v. intr. e r. Suicidar-se; 
matar-8e fig. Sacrificar-se. 

Kujibisa, V. tr. Mandar matar, 
pôr termo a vida de. | Fazer finar, 
extinguir (uma vida).!; Kurijibisa, 
T. r. Fazer-se matar; morrer. 

Kujijika, V tr. Obrigar; compe- 
lii.| Exigir o cumprimento de. || 
importunar; afligir.!! v. intr. Exi- 
gir Cumprimento; impor obrigações. 

I I Kurijijiha, v v. Obrigar-se; su- 
jeitar-80 | Prometer cumprir. 

Kujijila, V. tr. Forçar; tornar 
obrigatório Persistir numa opinião; 
continuar num costume. | E' tb. r. 

Kujijisa, V tr. Fazer teimar; 
contrariar, obstinar. I ! Kurijijisa, 
V. r. Teimar e persistir; não ceder; 
fazer-se teimoso. 

Kujika, V. tr, e intr. Fechar: — 
ribitu I Cerrar; rematar: — hoka. \ 
Unir as bordas de. | i — jika. Fechar 
muitas vezes.!! Kurijika, v. r, Fe- 
char-se por si; cerrar-se. | \ —jika, fe- 
cbar-se, comprimir-ae em muitos lu- 



KU3 



-Í8é- 



KU3 



gares. 

Kujikama, v. íntr. Ficar interdi- 
to; ser defe?o proibido. I I sub. Proi- 
bição. 

Kujikamesa, v. tr Obstar; proi- 
bir.] Prescrever a abstenção de; 
tornar defeso. 

Ku) kafa, v. intr. Ficar calcinado, 
tostado, reduzido a cinzas. || v. 
intr. e r. Estorricar-se; tomar es- 
turro. 

Kujikafesa, v. tr- Incinerar; cre- 
mar; calcinar. I Esturrar; torrificar. 

Kuiikinina, v. tr. e intr, Sumir- 
-se; desaparecer lentamente: menha 
m' ajikinina n' ixi. \ Evaporar; esvair. 
II v. r. Escoar-se; dissipar-se. | | 
sub. Escoamento ; evaporação . j 
Consupção lenta mas progressiva* 

Kujikinisa, v. tr. Fazer desapa- 
recer lentamente ío liquido).] Fa- 
zer dissipar, sumir. ] j Kurijikinisa, 
v. r. Evolar-se. Esvaecerse; dissi- 
par-se. 

Kujikisa, V tr. Mandar fechar, 
encerrar, obstruir. ] Fazer cessar o 
estado de aberto. 

Kujikita, V. tr. Dar nó em.j La- 
çar; ataf.—ngôji. \ \ Ligar, começar 
(qualquer coisa) por um nó:— riandu. 
\\ Sinalar; vinculpr; estabelecer 
com carácter difinitivo ] | Rendi- 
lhar. 

Kujikuisa, v. tr. Fazer abrir; 
mandar descerrar, desunir.] E' tb. r. 

Kujikujuka, V. intr. Estar aber- 
to muitas vezes; abrir-se constan- 
temente. 

Kujikujula, V. tr. Abrir a cada 
passo: — mabitu \ E' tb. r. 

Kujikuka, o intr. Estar descerra- 
do; ficar abeito I Estar rachado, 
fendido, desunido ] \ sub abertura. 

Kujikula, V. tr. Não fechar ] 
Desobstruir: — nyíVo. I Romper.]] Ku- 
rijikuia, v. intr. e r C^^ssar de es- 
tar fechado. 

Kujila, V. tr Roçar. ] Ir min- 
guando, diminuindo (pelo roce.) ] ] Je- 
juar; guardar abstinência ] ] jurar; 
abster. 3e:ku ngonge Inú a kubeta-ku, 
ni U jile-^U I Emendar-se; corrigir- 
• se I] sub. Mingua; desgasto.] Abs- 
tinência. 



Kuliluka, V. intr Abjurar; re- 
nunciar.] Desobrigar-se; deixar de 
jejuar I ] sub Abjuramento 

Kujílula, V. tr. Permitir a prática 
de actos de que se estava privado.] 
Farer abjurar.' Levantar o jejum 
] 1 Kurijilula, v. intr. e r. Desjejuar. 
j Quebrar abstinência. 

Kujima, V. tr Apagar fo fogo 
ou luz): — tâbia \ Fazer desa- 
parecer, suprimir (vestígios): — 
mokanda mu njila.\ Tornar extinto. 
II Kurijima, v. intr. e r. Apagar- 
-se; extinguir-se fig. Morrer. || 
Atascar-se; tomar beberetes] Saciar- 
•se. 

Kújimba, v intr. Inchar; engros- 
sar; tornar-se volumoso (por incha- 
chão).| Enfumâr; entumecer. ] fig. 
Ficar envaidecido; ensoberbecer-se. 
] I sub Inchação. 

Kujímba, v intr. Esquecer . 
1 Deixar algo por e-quecimento ou 
descuido ] I — ku, Não lembrar | | 
Kurijimba, v intr. e r. Esquecer- 
se; perder a lembrança.] Proceder 
de modo pouco harmónico (com a 
sua pessoa oa dignidade). 

Kujimbiriia, v. tr. e intr. Perder- 
-se; desaparecer. j| Tresmalhar: 
hombo i ajimbirila, \ Perder a direc, 
ção, o rumo.]] sub. Desapareci- 
mento; extravio. 

Kujimbirisa, v. tr. Fazer extra- 
viar, desencaminhar; dar sumiço. | 
Fazer seguir caminho errado. | ] Ku- 
rljimbirisa, v. intr. e r. Dar-se su- 
miço; perder-se. 

Kujitnbisa, v. tr. Fazer inchar, 
aumentar de volume.]] Fazer es- 
quecer.]! Kurijimbisa, v, intr. e r, 
Tornar-se inchado, volumoso.] Es- 
quecer-se. 

Kujimbuila, v. tr Relatar, dizer 
a: ndê, a mu jimbuíle ioao ing' ábange, 
(Fazer menção de. 

ujimbuiuka, v. intr. Desinchar. 
] ] Estar explicado, evidente. 

Kujimbulula, v, tr. Fazer desin- 
char. 1 j Explicar; definir; tornar 
inteligível. ]] in urijimbulula, v. in- 
tr. e r. Estar esclarecido, definido. 

Kujimina, v. tr. e intr. Apagar- 
-se, extinguir-se lentamente. 

Kujiminina, v. intr. Estar a obli- 
terar-se.l Infiltrar-se; ir se sumindo 



KlJd 



- Í87- 



KUa 



à pouco e pouco. I Decrescer; ir di- 
minuindo. 

Kujiminisa, v. tr. Obliterar; fazer 
desaparecer, extinguir. || Kurijimi- 
n'Sa, V. intr. e r, Obliterar-ss; fa- 
zer-se extinguir, | Morrer. 

Kujimisa. v. tr. Mandar apagar: 
— /íí6ta| Fazer acabar, aniquilar: — 
mbutu.\ Ê tb. r. 

Kujimuka. v. intr. Ficar riscado, 
apagado, extinto.| Ficar esquecido, 
morto. ! 1 sub. Apagamento; extin- 
ção. 

Kujimuna, v. tr. Riscar; apagar; 
suprimir (alguém ou alguma cousa) 
dentre vários: — rí;tna. Eliminar. | j 
Kurijimuna, v, intr. e r. Tirar o 
seu nome de. 

Kujimunuka v. intr. Ficar traça- 
do, apagado totalmente.! Estar su- 
primido sem deixar vestígios. 

Kujimununa, v. tr. Tornar a ris- 
car, a apagar. Fazer desaparecer 
de todo. I Anular (o que estava es- 
crito).] Invalidar.] É tb. r. 

Kujina, V. tr. e intr. Achar pou- 
co (o que se dá). I Não ter em seu 
justo valor (o que se compra).] Não 
ser bastante (para o que se preten- 
de}, | Achar mingua.] j Kurijina. v. 
r. Achar se diminuido! Apoucar-se. 

Kujinda, v. intr. Embirrar; ca- 
turrar.] sub Caturrice. 

Kujindamana, v. intr. Estar exas- 
perado, irritado; muxima u angi ji- 
ndamana.\ Ter desespero.; ; sub. De- 
sesperação; raiva concentrada, 

Kujindameka, v. tr. Exasperar; 
irritar sobremaneira.; É tb. r. 

Kujinga, v. tr. Empossar; inves- 
tir (na posse):— Arííiffiòa. I ] Engrinal- 
dar; coroar; cercar de ornatos.]] 
Honrar; oistinguir.] Glor ficar; dig- 
nificar.' ! V \nKT. Ser coroado; ter 
mando.]] sub. Coroação; empossa- 
mento.j \ Kurijinga, v.r. Honrar-se; 
distinguir-^e. 

Kujingaia. v. intr. (port j Gingar,] 
V. Kuhaiala. 

Hujingika, v. tr. Apertar em cer- 
co; rodear; envolver: a mu jingika 
mu jimbánji] ' v intr. Estar cercado 
envolvido pelos lados.] Kurijingika 
V. r. Cercar-sc; envolver-se; tomar 
parte. 



Kujingisa, v. tr. Fazer coroar, 
dignificar.] Mandar ornar, guarne- 
cer, dar posse. 

Kujinguluka, v. intr. Andar ou 
ir de Toda: ng'ajingnluka ku rima riau 
zo.\ Dar volta. 

Kujingumuka, v. intr. Ficar des- 
vendado, descoberto, conhecido.] Es- 
tar demonstrado, conhecido (o en- 
gano). 

Kujingumuna. v. tr. Revelar:— o 
kiri. \ Desvendar; tornar conhecido 
! Desenganar. ; Kurijingumuna, v. 
intr. e r. De^enganarse; conhecer a 
verdade,] Render-se à evidência. 

Kujirika, V. tr. e intr. Prescrever 
regras; estabelecer mandamentos.] 
Preceituar.] Vedar, deixar de usar. 

Kujirikisa. v. tr. Fazer precei- 
tuar, vedar o uso de.; Proib r. 

Kujirisa, v. tr. Fazer jejuar, 
guardar abstinência.] Fazer jurar, 
renegar, renunciar ou.ode. ' Fa- 
zer desgastar, diminuir: — njángu. 

Kujitika. V. tr. e intr. Poupar; 
respe.tar: mujitu a mu jitika ; Reve- 
renciar; tratar com iiidulgência. ] I 
Kurijiíika, v. intr. e r. l3ar-se ao 
respeto; poupar-se. 

Kujitikisa, V. tr. Fazer respeitar, 
acatar, venerar. É t^. r. 

Kujifujuka, V. intr. Soltar-se a 
caia passo; ficar desatado a cada 
momento. 

Kujitujuna, v. tr. Desamarrar ou 
soltar muitas vezes. | Deslaçar; dea- 
cingir a cada instante. 

Kujituka, V. intr. Estar solto, 
desligado, libertado: ng'ajituka òu ki- 
n^en^e. ] Vêr-se livre. 

Kujífuna. v tr. Soltar; despren- 
der: — honibo bu mukolo. \ Desemba- 
raçar, pôr em liberdade.] Kuriji(u- 
na, V. r. Soltar se; desprender se. 

Nuji(ununa. v. tr. Tornar a de- 
samarrar, a desatar; desligar o que 
já estava. ] Alargar, desoprimir 
mais uma ou mais vezes. 

Kujiulula, V. tr. Deslindar:— fTwAra.] 
Aclarar, esciarejer dúvidas. Fazer 
luz sobre. ' Dissipar maus juízos; 
desfazer razões. [ sub. Deslinda- 
mento.]] Kurij ulula, v r Harmo- 
nizar • se; concertar-se; chegar a 



Kua 



-Í88- 



KtíK 



explicações. 

Kújiza, V. intr. Instar; porfiar; 
t( jmar.l I Obstinar-Fc; opor resistên- 
cia; ÍQSistir.|| sub Obstinação; tei- 
mosia. 

Kujokofa, V. íntr. Ficar tostado, 
reduzido a c nzas. V. kujikata. 

Kujóia, V. tr. Malaxar; friccio- 
nar: kifunate. sub. Leve fricção 
para estender uma pomada sobre 
a parte doente.' Kurijola, v. intr. 
e r. Fr ccionar-se. 

Kujolesa, v tr. Mandar friccio 
nar.! É tb. r. 

Kujoíona. v. tr. Beliscar; unhar. 

Kujofojona, v, tr. Beliscar a ca- 
da momento. 

Kujukuka, v. tr. Tirar-se de cima 
de.| Não carregar ou fazer peso.] 
I É tb. intr. 

Kujunga, v. intr. Cirandar; girar 
de um lado para o outro. 

Kujuuala, v intr. Perder o siso | 
Fazer doidices; estar tonto: kilunji 
kt a mu juuala Não estar em ii | j 
sub Tont.ce, 

Kujuualesa, v. tr Desassizar; 
fazer perder o juizo a. 

Kukabula, v. tr. e intr. Abocar.] 
Atirar (alimentos) para a b.ca: — 
mênha. 

Kuhafununa, v. intr. Mastigar. 
I Deglutir. 

Kúkaia, v, tr Enxotar: - /lAi/na. ' 
Fazer sair; pôr fora dt: —jisanji | 
I sub. Enxotamento; expulsão- 

Kukáia. V. tr Repartir; dividir. 

Kukaiela, v. tr e intr. Imitar; 
seguir: luBolo lua mu\íuenu !í'tí lu kai- 
ele.\ Ir atraz de; aco;npanhar: prós 
seguir! Ir no encalço: — manÃaííAu. | ] 
sub. Prosseguimento.] Kurikaicla, 
V, intr, e r. Vir, chegar deptis de; 
seguir-se; resultdr. 

Kukaiesa , v tr. Afugentar, fa- 
zer espantai;— íama. | Expulsar. 

Kúkaka, v. intr Ser temerário, 
corajoso.. Ter audácia ]] v. tr. 
Empreender cora ousadia, cora co- 
ragem.,] sub Temeridade. I I Kuri- 
kaka. V. r- Arrojar-se; atrever-se. 

Kukáka, v . t r . Impulsionar; 
impelir:— mcMuka.l Dar empurrões«{| 



Kurikáka, v. r. Dar-se enco itrões. 

Kukakajala, v. intr e r. Atare- 
far-se; esforça r-se: - ní kijnbamba. \ 
Empregar esforces para aguentar ou 
deter cousa pesada 

Kuhakamana, v tr. e intr. Em- 
buch^r; ficar enga«g;idn, sufocado: 
kifubaki amtikakamana bti xinqu | Diz- 
-sede ter a garganta obstraida p r 
alguma coisa que se cueria enguHr. 

Kukakamanesa, v. fr F.^zer en- 
gasgar, embuchar, sufocar.] É tb. r 

Kukakéla, v. tr. Cacarej r \ fig. 
Tagarelar; falar muito e alto.j j sub. 
Cacarejo. 

Kúkakela, v, tr. e intr. Vaticunr; 
predizer (o mal): — íaj<ma. ) imprecar, 
]] sub. Praguejamento.] ] Kurikake- 
la, V. intr. e r. D terminar-se ao 
que é arriscado ou perigoso; — mau 
Aaxt. 

Kukakuka, v. intr Estar apto.] 
Diz-se da criança que tomou o pri- 
meiro alimento; mona u akakuka. 

Kukakula, v. tr. Dar (à criança) 
o primeiro alimento: — mona \ Ini- 
ciar o filhí nos segredos e destinos 
(ia família.) fig. Bati-ar. j ] Kurika- 
kula, v. r. Restaura:-se 

Kúkalâ v. inti. Estar; perma- 
necer; rezidir ] Viver; existir. | Mo- 
rar; conv ver:— ni u aiba, ngolela ji 
li H fila kti muxima \\ v. tr. Ter; ha- 
ver; pojsuir: u ala ní' mbua ie ngo kt 
i mu kuaf ê . I Dizer respeito a: ki a kw 
kala k' u ki amb' ê.' Ser relativo a; 
pertencer.l] sub Estado 

Kukáia, V tr. Escalar: — J?ií7awòa 
ia puni/ii. \ Dilacerar carne ; cortar 
de alio a bnixo.l ] sub. Escalaiiien- 
to ] Kurikála, v. int. e r. E tar- 
-se; licar-se; submeter-se. 

Kukalakala, v. tr. Trabdhar; la- 
vrai; obrar. I Labutai; lidar Ven- 
cer (uma dificuldade). I Produzir. 

Kukalakalesa, v tr. Mandar tra- 
balhar, dar que fazer. ] Fazer pro- 
duzi^. 

Kukalakasa, v. intr. Estar enru- 
gado, crespo: mukutu u a mu kalakasa. 
Produzir (no tacto) uma impressão 
desogradável.] Ser escabroío, áspe- 
ro. I ] V. tr. Enrugar; crespir.j | sub. 
Aspereza; escaDios.d de. 

Kukalala, v. intr, (port ) Esc -rrar- 
V. kukalumuna. 



KtJK 



-185- 



KÓk 



Kukaianga, v. tr. Acautelar; an- 
tecipar; prevenir | Avisar ^outrem) 
o que ha-fie acontecer. | Habilitar; 
precatar; compôr.| I sub. Prevenção; 
cautela 1 i Kurikilanga, v. intr. e r. 
Preparar-se para resistir a algum 
mal j Acautelar-se; precaver-se; 
prevenir se 

Kukaleka, v. intr. Sofrer vaia, 
chacoti.ll sub. Apupada. 

Kúkalela, v, tr. Cantar ruido- 
samente | Barulhar (cantando): — 
mona. I Fazer coro. | | v intr. Cla- 
mar; protestar; exorar:— wiw solongo 
ria muxttu, 

Kukaiésa, v. tr. Notar falta, an- 
dar a procura de:— kt<an[ Indagar; 
procurar descjbrir. | | Kurikalesa; 
V. intr. e r. Achir-se diminuído, 
magro, 

Kúkaiuka, v. intr. Soltar brados, 
berros. Rugir; bramir. [ v, tr. Dizer 
ou reclamar em altos beiros. 

Kukalúka, V. intr. Ficar roto, 
ter rasgão, ranhura (na pele). 

Kukalukíla, v. tr. e intr. Brade- 
jar| Berrar, 

Kukaiúla, v. tr. Declarar; mani- 
festar de modo claro e terminante- 1 
Expressar, dizer o que sabj ou sen- 
te, | | Rasgar, romper. Arranhar, fa- 
zer escoriações (na pele): ua mu kce- 
lula ni iala.\ \ Mantar; sulcir Kuri 
Kalula, V. r. Arranhar-se; ferir-se 
(coma unh3).j]. Falar com íran- 
qnesa e sem rodeios | Abrir-se. 

KukalumuKa, v. intr. Estron- 
dear| Bramir de raiva, de íur r. 

|Rugir. 

Kukalumuna, v. tr Escalar; ar- 
ranhar fundamente.] Agatanhar; fa- 
zer rasgões.; Kur Kalumuna, v. mtr. 
e r. Declarai-ae; abrir-aa. 

KúKama, v. tr. Prensar; expre- 
merj Am rrot .r; retorcer; compri- 
mir. | É tb. intr. e r. 

KuKamata, v. tr. Eitrangular; 
sufocar (com as mãos); ob = tringir: a 
mu Kamata bu xingU- sub. Esgana, 
mento. \ Kunkamaía, v, intr, e r. 
Erganar se; ficar obstiicto. 

Kukamatesa, v. tr, Fazer obatrui- 
ção.| Mandar esgan r, estrangular. 

Kúkamba, v. intr. Faltar; escas- 
sear; não chegar. I íig. Desaparecer; 
mo"«r,|l sub. Falta; -okitari K« 



atolesa o mutu mu ngôngo.] Escas* 

bês. 

Kukambama, v. intr. Ficar al- 
teado, aumentado, sobreposto.] 
Estar encimado. 

Kukambamana, v. intr. e r. Co- 
l0car-se sôbie; pôr-se por cima de 

KuKambamanesa, v. tr. Fazer 
sobrepoiíção. : Encimar, I É tb. r, 

Kukambeka, v. int. Invocar; cha- 
mar a ai; atrair. 

Kukatnbela, v, tr, Exorcisar. | 
Esconjurar com exorcismoso, 

KuKambelela, v. tr. Empregar 
exorcismos Ap^siguar (os espíri- 
tos); faz-rr com que o mal se afíiste 
do doente. ■ ! Kurikambelela, v, r. 
Exorcisar-se, i Fazer afastar de si 
o mal que o atormenta, 

Kukambesa, v. tr. Fazer faltar: 
— sonhi. I Concorrer para não ha- 
ver (o que é preciso). | Privar; fa- 
zer escasear.JI Kurikambesa, v. 
intr. e r. Fazer se faltar: — sonhi \ 
Não ter consigo:— K//ar/. 

Kukambula, v. tr. Agarrar, no 
ar, um objecto em movimento.j 
Cclhrr; não deixar cair. 

Kukamburila, v. tr. Receber no 
ar o que outrem atira, ou apanhar 
o que vai caindo. Aparar: — ngé- 
nge. 

KuKamesa, v. tr. Mandar pren- 
.sar; fazer expremer, comprimir. 

KuKaminína, v. tr. e intr. Ficar 
entupido: o xitu ia mu Kaminina bu 
Xingu. Engasgar. 

KuKaminisa, v. tr. Fazer engas- 
gar, entupir a garganta de Engor- 
g tar; sufocar, j j KuriKaminisa, v. 
r. Embuchar. 

KuKamuka, v. intr. Ficar com- 
presso, expremido: mukonji u aka- 
/nuka. I Dix se dos objectos a que 
se expreme todo o líquido; da pes- 
soa depo;s do banho ficando com o 
corpo enxuto; da carne de porco 
limpa de gordura, etc.| sub. En- 
xugo. 

Kúkana, v. tr. e intr. Levar des- 
txa^y. ng'akane ku bata. j snb. Desí- 
gnio; destinação. 

Kukánda, V. tr. Cavar; faz^r co- 
vas: -mfl/íU/7^U 1 Extrair da terra 



kí3K - m - 



ma 



(cavando):— môo;izo.| I sub. Cava. 

KuKandála, v. intr. (port.) Can- 
tar. | V. Kuimbila. 

KuKandalala, v. intr. Recostar- 
• se comodamente. lEsteiriçar-ae. 

KuKandama, v. tr. e intr. Ater- 
rar; tapar (com terra): rikangu ri 
aKandama . 

KuKandamana, v. int. Estar ta- 
pado, li80.| Cicatrizar; ter crusta: 
ribute ri akandamana.l 

KuKandamanesE, v. tr. Fazer 
criar crusta,] Mandar alizar, tapar. 

KuRandela, v. tr. Entocar; ca- 
var para: -p//kí/.| | KuriKandela. v. 
intr. e r. Meter-se na cova. 

Kukandesa, v. tr. Mandar cavar: 
— mbila.\ Fazer tirar aa terra (ca- 
vando): — iringu. 

KuKanduKa,v. intr Estar a ca- 
valo, ou em posição de montado: — 
KU nf[oma.\ Estar sobranceiro; ca- 
valgar; subir (ao trono): — ku Kiá- 
ndu.\ |v. tr. Ocupar o trono. 

KuKanduKisa, v. tr. Entronizar; 
fazer cavalgar, estar sobranceiro. 

KuKandula, v. tr. Deslocar; tirar: 
— fanji mu'mbia.\ Mover (do lugar). 

KuKandumuKa, v. intr. Estar 
deslocado, desapegado, solto: ritari 
ri akandumuka. Ficar removido, fo- 
ra do lugar. 

Kukandumuna, v. tr. Remover, 
tirar (pela base) | Desapegar, ar- 
rancar (do lugar). I Refundar. 

Kukanena, v. tr. Premeditar; pro- 
meter (fazer alguma coisa, no geral, 
má).| Ter intenção reservada, pro- 
pósito. || Kurikanena, v. r. Pro- 
meter cada pessoa fazer mal a ou- 
tra. I Nutrfr cada um igual reserva. 

Kukanesa. v tr Destinar; dedi- 
car a: a mu irnina a mu riótã; a mu ha- 
nesa a mu sóta.\ Reservar; oferecer. 
II Kurikanesa, v. r. Destinar-se; 
devotar-se 

Kúkanga, v. tr. Tostar, frigir; — 
mbiji.\ Torrar: — masa.\ Fazer toi- 
resmo3.|| sub Torrefacção 

Kukánga, v. tr. Liar: — kita k/a 
iangu. I Manietar, prender fortemen- 
te: soba a i kuíu. a i kánge \ | sub. 
Atadura. 1 1 Kutíkánga, v. iotr. e r. 



Atar-se; cingir-se com segurança. 

Kukangala, v. tr. e intr. Trave- 
jar:— y/z/iòa/u I Pôr de travez. 

Kukangalalg, v. intr. Atravessar: 
iã u b ita, uná u kangalala.] CTuzar 
estar de travez 1 sub Cruzamen 
to. 

Kukangalesa. v. tr. Fazer atra- 
vessar, colocar de modo transversal. 
I É tb. r. 

Kukangela, v. tr. Fritar, torrar 
para, ou no lugar de. | Atar, amar- 
rar por. 

Kukangeleka, v. tr. eintr. En- 
cruz.ir: — múxi bu muelu. Pôr atra- 
vessado:— md/ía bujíliata.\ IKurikan- 
gelcka, v. r. Atravessar-se. 

Kukangesa, v. t . Mandar fritar: 
— xitu I Fa?er toirav:— jinguba, 

Kukanguka, v. intr. Ficar frito, 
torrcdo, seco. 

Kukangula, v. tr. T. rrar, quei- 
mar em azeite. | Secar (na frigideira) 

Kukanguluka, v. intr. Ficar re- 
sequido, torrado. 

Kukangulula, v. tr. Tornar a 
fritai, a queimar em azeite. | Rese- 
car ao calor do fogo. 

Kúkanza, v. tr. Desfolhar:— md- 
fu I Colher, t rar da haste:— jinãu- 
ngu,\ ArrepanhàTi—imbondo. 

Kukanzana, v. intr. Levar vfda 
de parasita; — mu mikanzu iajixija 
ngene \ \ Andar esfarrapado. 

Kukanzabala, v. intr. Estar es- 
canzelado, magro (pjr desregramen- 
to de vida )| Estar es^rouviado, en- 
fezajojl sub. Escanzelamento. 

Kukapála, v, tr. (oort. ) Capar. 
V. Kúbaza 

Kukária, v. tr. e intr. Dissimu- 
lar; disfarçar; fingir. )| sub Dissi- 
mulação; fingimento. 

Kukarika, v. tr, eintr. Acossar: a 
mu karika ni marima.] Perseguir, 
corrido, ii Kurikarika, v. r. 
um atraz do outro 

Kúkasa, v tr. A.pe rnar:— jingu. 
lu. I Amarrar junto; prender: — tu- 
nguari | | Contractar; engajar: -yY- 
ngamba.\ \ Fazer tom 
promisso; tornar 
lig Engaaar; msatir. 



i^er 
Correr 



com. 
responsável. 

j Kurikasa, 



KUK 



-f9í- 



KUK 



V. íntr. e r. Obrigar-sc; Compro- 
meter-se; prender-se. 

Kukasana, v. intr. Estar encar- 
dido, nojento, sujo || sub Asque- 
rosidade. 

Knkasanesa, v. tr Tornar as- 
quproso ' Enporcâlhar; sujar; en- 
cardir I Ê tb r. 

Kukasesa, v. tr. Mandar amar- 
rar, fazer prender I É tb. r. 

Kukasumuka, v. intr. Estar de- 
satado; desperto I Ficar desprendi 
do. II sub Desatadura. 

Kukasumuna, v tr. De'^pertar; 
desembaraçar: — mu mesu \ Desatar; 
tirar o laço ou nó.l | Kurikasumuna, 
V. r. Livrar-se; desempedir-se 

KuKáta, V. intr. Adoecer; estar 
pnfêrmo.l Doer; sentir; ter pena: 
ki Káta Kikaia uê, u ala mu ngongo n 
fênha kanha rie.\ Compadecer-se 
de. 'I sub. Dôr; padecimento; enfer- 
midade. 

KuKatesa, v. tr. Adoentar; fa- 
zer sofrT. | Prestar atsistência a: — 
hâxi I É tb. r. 

KuKafuisa, V. tr. Mandar tirar, 
extrair: ng' atumu - maluva ku riU-\ 
Fazer sair. 

KuKafuKa, V. intr. Partir; pôr-se 
á caminho; seguir viagem. I Retirar- 
se; sair por si. I [ sub. Partida; 
saída 

KuKafula, 'v. tr. Tirar; excep- 
tuar; excluir. | ! V. intr. Participar: 
u akatula ku muijl ua.\ Parecer. I| 
Kur'KatuIa, v. r. Elirainar-se; ex- 
cluir-se: mu kizomba kiá ng'arikatu- 
laml-mu. 

KuKauila, v. tr. e intr. Ir por 
atalho.! V. KUKaúla. 

KuKauirila, v. tr. Sair ao encon- 
tro de.( Antecipar; interromper:— 
mutu mu kuzuela.\ Atalhar; intercep- 
tar; deter no seu curso. 

KuKaÚKa, v.intr. Justar; tornear' 
campear.] Guerrear; competir. | 
Correr o campo a cavalo; marchar 
com galhardia; ostentar; ser cam- 
peâo.jl Ser agitado, colhido, «acu- 
dido: mutemba u akauka ni mule- 
nge.l\s\ih. Agitação; alvoroço; len- 
vantamento em maisa: ixi ioso i 
akauka.] Competição; justi; garbo- 
aidade. 



KuKaukiaa, v, tr. Fa/er campear, 
tornear; justar.l Mandar camnar !| 
KurÍKauKisa, v. intr e r Tom- r 
par e em torneio.! Fazer-«e cam- 
peão. 

KuKSÚla, V. tr Atalhar; abreviar; 
encnitar.—njila. ' Resumir. | Com- 
prar ^um artigo) antea que encare- 
ça, t I V. intr. Antecipar-se; tomar 
poratalho.il sub Antecipação. 

KuKauluKa, v. intr. Rarear; ir 

diminuindo, ♦^ornar-se menos fre- 
quente: uênji u akauluka.\[ Eitar 
fora da moda; entrar em desuso. 

KuKaulukisa v. tr. Fazer escas- 
sear, aiminuto, pôr fora do uso.lj 
KuríKauluKisa, v. r. Tornar-se mais 
raro. 

Kukaulula, v. tr- Escassear; tor- 
nar mais raro.] Abrogar. 

Kukaxima, v. intr Ter arrepios; 
sentir calafrios: ki ngi mona o nho- 
ka, mukuiu u ngi kaxima, \ Ficar hor- 
rorizado. 

Kukaximisa, v. tr. Horrípilar, 
causar horror a: o nhoka i kaxímisa o 
mukutu I Fazer ter calafrios | ] Ku- 
rikaximisa, v. r. HorrorÍ2ar-se. 

Kukéka, V. intr Chiar; trilar; pro- 
duzir som agudo e prolongado: — 
Kua rinzenze. | j v. tr. Gorgear; soltar 
trinados; cantar ] j sub. Trilo; tri- 
nado 

Kúkeka, v. intr. Estalar; fender- 

-se ] V. kúteta. 

Kukekema, v, tr. e intr. Dar 
mostras de medo, de terror. J Estar 
possuido de pavor. 

Kukekenha, v. intr. Diz-se do fe- 
char os olhos por 36 não poder su- 
portar o brilho forte da luz, ou a 
sensação produzida pelo seu re- 
flexo. 

KuKBKefa, V. intr. Ranger:— ma- 
ju\ Produzir som como o da ca- 
deira desconjuntada. I I sub. O ran- 
ger dos dentes. [! Kurikekefa, 
V. r. Demonstração de cólera (ran- 
gendo os dentes) . 

KuKCKumuna, v. intr. Tossir por 
forma a tirar o pigarro da garganta. 
I I sub. Tossidela | fig . Preven- 
ção, atenção; sinal demonstrativo 
da entrada, saida ou passagem de 
alguém I É tb. r. 



KUK 



-Í92- 



KUK 



Kúkela;.v. tr. Vindimar: — malúvtt. 
IPurificar, limpar (o vinho) das fa- 
zes que contiver. I Coar. 1 1 sub Vin- 
dima. 

KuKéla. V tr. Mimosear; presen- 
tear, fazer oferta a.| Dedicar. 

KuKelama, v intr Boiar; so- 
brenadar; vir a superfície. 

KÚKelcKa, V tr Condensar: — 
uâlua.l En.^rossar | É tb intr. e r. 

Kukelekesa. v. intr Diz-se do 
efeito causado pela areia nos olhos, 
ou na comida ao mastigar. 

Kukeluka, v. iutr Costear; bor- 
dejar I Navegar próximo à terra j | 
V. tr. Margear; ir pela beira. 

Kukelula, v. tr. Fazer ladear, 
costear, vir à margem: —jinguingi mu 
nzema | Fazer vir à sup-irfície. j ] Es- 
pumar; limpar as impurezas que 
marg nam os líquidos: — ifitlu 

KúKema, v, intr. Exp-^emer-se; 
deitar fora de si; expelir (dejectos). I j 
KuriKema, Baz :ifi ir; falar com afec- 
tação. 

KuKemba, v. intr. Janotar; ata- 
viar se; cobrir-se de adornos. 

KuKembesa, v. tr. Enfeitar; co- 
br r de lentejoulas. | | KuriKe- 
mbesa, v. intr. e r. Enfeittr-se; fa- 
zer-se janota. 

KuKemesa, v, tr. Ajudar a ex- 
premer.l Fazer gemer, evacuar (ás 
crianças)- 

KuKenana, v. intr. Estar sobre- 
8*ltado, inquieto: muxinia u a ngi 
Kenana.\ Amoíinir.l Estar descar- 
nado, enfezido: maju m' ãKenana 

KuKenanesa, v. tr Inqnietar; 
desassocegar: OKÍngumba k\ Ke nane- 
sa o muxirna. ]Fazer lecear Etb. r. 

Kukendalala, v. intr Estar in- 
clinado, pendido, descaido 

KuKendeleKa, V tr. Arrimar; in- 
clinai; a mu KendeleKã bu ngándu \ \ 
KurÍKendeleKa, v. lutr. e r. Dei- 
tar-se de lado; recostar-se. 

KúKenga, v. tr. Afuroar; buscar; 
procurar descobrir. 

» KuKénga, v. tr Arredar; afas- 
tar II V. intr. Estar de atalaia; 
vigiar. II sub Arredamento. | | Ku- 
ríKéDQa, V. r. Deaviar-ae} sfastar- 



-se; pôr-se de largo. 

KuKenqela, v. tr. Esguelhar, 
porem diagonal! En''ortir. 

KuKengeleKa, v. intr Obliquar. | 
Ir ou estar em diagonal. | Andar ou 
tomar de vi z ' | v. tr. Enviezar; 
entortar | I É tb r. 

KuKengelela, v tr, Imitar; assi- 
milar; tomar por modelo. || sub. 
Imitação; arremedo. 

KuKengesa, V tr,' Atalaiar; man- 
dar vigiar, afuroar, inquirir. 

Kukénlia, v. tr e intr. Depre- 
ciar; desdenhar; escarnecer. I I sub, 
Menospreso; desdém, 

Kúkenza, v, tr. Escoar; verter; 
livrar de impurezas (o líquido) — 
maluvu.\ I sub Decantação || Kuri» 
kenza, v. intr. e r. Escorrer; es- 
vair-se. 

Kukénza, v tr Escovinhar, cor- 
tar rente: — jinde»iba \ Fazer altos e 
baixos (oortando)l É tb. r. 

Kukenzama, v intr Flutuar, 
boiír, ficar por cima: ifulu t akt' 
nzavia ku landu a mentia. \ listar à su 
perfície | Diz-se das impurezas 
quando f cam por cima dos líquidos. 

Kukenzamesa, v tr Fazer flu- 
tuar (as impurezis de um líquido).] 
Fazer assentar ( a água) 

Kukenzesa, v. tr Fazer passar 
ptlo coador, j Mandar l.mpar de 
impurezas: — »?íâ;i. | ! Fazer coitar ás 
escovinhas- 

Kukenzuka. v. intr. Ficar coa- 
do, filtrado, límpido; menha m' ake- 
7izuka I Estar livre de impurezas | 
fig . Estar embriagado. 

Kukenzula, v tr. Roçar; rasar; 
tirar por cima. | Passar a rasoira 
pela medida. I fig. Embriagar j E 
tb r. 

i<^ukenzuluka, v intr Clarear. | 
Ficar desanuviado, limpo: Icuma ku 
akenzuluka \\ sub Clareza. 

Kukenzulula, v. tr. Aclarar; cla- 
rificar, i I Tornir a coar, filtrar, es- 
correr. 

Kúkesa, V. tr. Roer, moder len- 
tamente, j fig Bifar; furtar. 



Kukesesa, v. 
car; corroer. 



tr. Fazer mordis- 



KUK 



-Í93- 



KUK 



Ku^cesujuka, v. intr. Ficar redu. 
zido a muitos pedaços, roído em di- 
ferentes partes. 

Kukesuka, v. intr. Estar corta- 
do, roido em muitos lugares. 

Kukesujula, v. tr Roer em di- 
ferentes partes.] Reduzir, com te- 
soura ou faci, a pequenos fragmen- 
tos. 

Kukesula, v. tr. Cortar, roer aos 
pcucos.| Corroer, morder levemente. 

Kukéía, V. tr Voltar para um 
lado; virar (para cima). | | Kurikeía, 
V. iíitr. e r. Virar-se (debaixo para 
cima); mudar de posição. | Inquie- 
tar-se; atormentar-se: — muxima . | 
Afl gir-S3 

Kuketejeka, v tr Revirar; dar 
revir^A- voltas M Kuriketejeka, v. 
intr. e r. Voltar se a cada momen- 
to I Revirar-se; dar voltas (aa ca- 
ma) 

Kukia, V intr Amanhecer: ngi 
tunda ki -. | Ser manhã j j sub O 
amanhecer. 

Kukiela, V intr. Levantif-BC 
tarde (ia cama): Itla KÍzuua i-c/a ngi 
KÍela.\ Tardar (por ciicunstân^.ias 
alheias á nossa vontade): ng'a' 
Kiela; kumboio ku a ngi xisa.\ Per- 
der a manhã. Vir ou sair de casa 
depois da hora própria Preceder. 

Kukiesa, v intr Acordar depois 
do nascer do sol. Demorar; tardar 
(por circunstâncias próprias da nos- 
sa vontads : lelu ng'aKiesa o Kt- 
zuua I Proceder ( o dia) | Estar 
na cama (depois da hora habitual). 

KuKiesesa, v. tr. Fazer acordar 
tarde. Fazer que (alguém) se le- 
vante ou saia da cama depoii da 
hora habitual.] Fazer demorar, 
preceder. 

Kukína, V intr. Bailar, dançar.] j 
— Kina, v. iter 0'5cilar; mover-se.l [ 
sub. Dança. 

KukindujuKa, v. intr. Ir balan- 
ceando, tombando ora por ura, ora 
por outro lado j Ter muitas oscila- 
ções. [ Ir aos solavancos; andara 
chouto 

KuKindujula, v. tr. Balancear a 
cada momento. ' Fazer choutar, sa- 
cudir.]] KuriKindujula, v. r Ba* 
lançar-se por largu tempo.] Mo- 
vei se a cada paiso. 



KuKinduKa, v. intr. Cambal-^ar* 
tombar ] Mexer-se para um lado.jj 
sub. Oscilação; tombo. 

KuKinduKisa, v. tr Faz^r bal in- 
cear, extremecer. i É tb r 

KuKindula, v. tr. Dar balanço a; 
agitar [ ] sub. Balanceamento. ] | 
Kurikindula. intr. e r. Andar no 
bilanço; balouçar-se. 

Kuk''nga, v. intr. Esperar.' l v' 
tr. Ter esperança; aguardar.' sub. 
Espera || KuriKinga, v. intr. e r. 
Ser derradeiro. Revezar-se; espe- 
rar um pelo outro. 

Kukingisa, v. tr. Fazer esperar, 
mandar aguardar. | Esperançar; de- 
ter. ] ] KurÍKÍngisa, v. r. Fazer-se 
esperar,] Deter-se 

KuVinina, v tr. Dançar (para 
que outrem veja i:—/7g-fl/2a /e/u , Bai- 
lar em: u aKÍnlna bu nganda \ Fes- 
tejar,; Kurikinina. v. tr Dançar 
(de contente). Folgar (de alr» 
gria) . 

KuKinÍ53, V tr. Fazer folgai, 
dançar, divertir: — jingenji. fig. 
Fazer atrapalhar, arreliar É tb. r. 

Kukirika, v. tr. Apaziguar; evi- 
tar; proibir. ] ] Kurikirika, v. intr. 
e r. Aquietar-se; conteres©.] 

Kukiringinza , v. tr. e intr. Dili- 
genciar; esforçar-se por. ] ] Em- 
penhar os meios para. Movimentar. 

Kúkifa, V. tr. e intr. Dar forma 
a.j Fazer; produzir: mbinda ia uku- 
lu i kita o ualua. ; Ser tido ou ha- 
vido: miizueri ua kiri a mu kitapoxi. 
j I Parir. | ] bub. Formação; produção. ] 
Parturição ] ] Kurikita v. r Ter-se 
na conta de; haver-se por; dar se 
forma. 

Kukíta. V. tr. Var.a'^; prover; 
sortir. ] Diz-3e do abastecimento, na 
horta, de um boc ido de tudo ] 
Aprovisionar \ É tb r. 

Kukiíisa. V. tr Fazer parir, dar 
forma a ■ Reputar; fazer passar 
por . 

Kukituka, V. intr. Transformar- 
-se; mudar de figura: kituka (u hoji), 
maxuktdulu me m' a ngi hanga mi lama. 
I í V. r. Revoltar-se; levantar-se 
contra.]] sub. Transformação; re- 
volta. 

Kukiíukila, V. tr. e intr. Rebelar- 



KUK 



-J94- 



KUK 



.§<», revoltar se contra: kii, kiê, ki ku' 
kitukila II Kurikitukila, v. r. Ha- 
ver rebelião, revolta entre. 

Kukitukisa, v tr. Excitar; fazer 
transfoTnar, operar a metamorfose 
He.ll Amofnar. alvorotar: — nnzcw. 1 
Perturbar.] É tb. r- 

Kukitula, V tr. Fazer ser (o que 
não era) | Metamorfosear; fazer 
mudar, (de forma). 

Kukituluka. v intr. Ficar trans- 
figurado. | Metamorfosearse, não 
ser o mesmo | Rub^risar-se; mudar 
de asDftf^to I| snb^ Tran<ífiguraçãn; 
o—kua Kriatu.\ Metômofòse. 

Kukifula. V. tr. Transfigurar; 
mudar o aspecto de. | Alterar, tor- 
nar diferente. 

Kukobalala, v. tr. (port.) Cobrar. 
V kubindumuna. 

Kukobojola, v intr. Beberricar 

Kukoboka, V. intr. Estar encova- 
do, metido D^ra dentro: mesu m'a 
mu kob'ka.\ Ter covas 

Kukobola, v. intr. Tragar; virar 
(o copol de uma só vez | Escorro- 
pichar | | Encjvar. 

Kukohona, v intr. Tossir | Ex- 
pectorar. 1 1 sub. Tosse. 

Kukohonesa, v. tr. Provocar tos- 
se: o jindungu jikohoiieêa \ Fazer es- 
pectorar, tossir. 

Kukóka, v. tr. Podar: — tangu.] 
Machadar: — AumAt. | Decepar: — mi- 
tue. I Mutilar; dâr golpes em | 1 sub. 
Acto e efeito de podar, j Des- 
baste. 

Kúkoka, V. tr Arrastar; rojar; 
levar após si. || Arruar; abrir 
eRtradas] | sub Acto de arrastar 
pelo chão. [I Kurikoka, v. r. Andar 
de rastos. I Rojar-se 

KuKOKésa, v. tr. Mandar podar, 
decepar. I Fazer dar cutiladas em. 

KúkOKesa. v. tr. Mandar nrrastar; 
fazer conduzir á força.' I KurÍKOKe- 
sa, V. r. Fazer-se arraitar. 

KuKOKÓla. V. iutr. Cucuricar.} 
lig. Tornar-se insuportável, agudo: 
o nzala mu Tunda i OKOKola \\ sob. 
O canto, o cantar do galo. 

KukoKOloKa, V. intr. Atrazar; de- 
morar: eie u OKOKoloKa mu Kuenda.] 
Hav«r*se atrazado.M sub. Atraza- 



mento. 



V. tr. Fazer de- 
levar muito tera- 



KuKokoloKesa, 
morar, retardar, 
po 

KukOKolóla, V. tr, Tornar a cor- 
tar, a decepar (com podão). 

KuKOKoía, V. tr. e intr. Trincar, 
quebrar (com o^ deníe? um objec- 
to á\iTo):—tendu | KuriKOKota, v 
r Trincar-se; morder-se: T)ga'aríko 
KOta o r/mi. fig. Arre!iar-se; arre- 
pender-se 

Kukóia, V. intr. Durar, | Con- 
servar-ae;: Kuria.—muenhu | | 
Clamar, invocar o au.xílio de: — 
mábamba \ | Hstar sólido, seguro, 
firme: mãxi U aKÓlo ' ' Estar madu- 
ro, sazonado:— Kíi dr/a honjo.\\ Ser 
avarento, «ovina: — bu maKU \ Ser^ 
inabalável, inflexível, duro (de co- 
ração): u akóla o muxima a akóla o 
mbila \ I V. tr. Bradar; chamar em 
voz alta I Dizer (gritando); vozear; 
exorar.] |sub. Qualidade do que é in- 
flexível, duro.] Firmesa; solidez,]] 
— KÓla, V. iter. Gritar, implorar 
muitas vezes. IJ KuriKÓla, v r. Re- 
clamar; denunciar; dar gritos.] 
Queixar-se; mostrar-se , ofendido j 
Agravar-se; recorrer.]] sub. Cla- 
mor; brado; gritaria.] ' — Kola, v. 
iter. Gritar, falar sem motivo.] Vo- 
ciferar repetidas vezes 

KúKola, v. tr. e intr. Piorar: 
agravar-se: uhaxi u a mu koIo \ Tor- 
nar-se funesto.]] V. intr. Ser peri. 
goto, impraticável, defeso sub. 
Piora; gravame.] Funestação: luto. 

KuKoléla, V. tr. Gritar, falar 
para longe.] Fazer ouvir (gritan- 
do).] Citar; intimar; aprazar ] No- 
tificar (alguém) o seu dever. | fig. 
Suportar; sofrer:- ku muxima- 

Kúkolela v. tr Funestar; agraj 
vai: uhaxi u a mu kclela.\ Aperta- 
(o mal); tornar pior. 

KuKOlésa, V. tr. Fazer vozear, 
gritar ) Fazer endurecer, fortale- 
cer: — jimbanfi. \ Tornar estável, 
apertado] Segurar; fixar de modo 
que Be não desprr nda ou abate: — 
Kípapa ] Reforçar; tornar mais re- 
sistente: —WíiKa/o; mais intenso: — 
muànga; mais numeroso: — Klfuxi \ 
Fortificar; robustecer: — muKUtu; — 
musuÍKU.\ Fazer durar ]] Kuriko- 
Icsa, V r. Aniraar-se; fortifi^^ar se 



KOK 



--Í95- 



KUK 



robastecer-se.| Rodear-se de meios 
do defeca. 

KÚKoIesa, v. tr. Fazer piorar, 
agravar; ofender.| Tornar defeso. 

Kukolojoka, V. intf. Agachar- 
-'e a cada passo.] fig. Andar de 
cócoras. 

Kukoloka, v. intr. e r. Acoco- 
rar-ge; torn^r-se m^^ia baixo; enco- 
Iher-se. 

Kukolokofa, V. intr, Continuar, 
perseverar, persistir. | | Estar rijo, 
duro.Jl sub. Obduração; pertinácia; 
rijesa. 

Kukolokofesa, v. tr. Animar; fa- 
?er perseverar.] Obdurar; amparar; 
jottalecer ] ] Kurikolokofesa, v. r. 
Cobrar ânimo; tornar-se forte. 

Kukolola. V. tr. Rapar:- »«««««. | 
Raspar; alizar: — bu rimi. \ \ aub. 
Rapadura.] Acto de raspar.] É 
tb. intr. e r. 

Kukolomona, v. tr. Solicitar; tra« 
zer consigo: — kimbanda.\ Preparar; 
dar sinal.] Fazer chegar. 

Kúkoma, v. intr. Arrulhar; ge- 
mer; soltar lamentos ] 1 Ter como- 
ção. 

Kukomba, v. tr. Varrer. | Vascu- 
lhar; limpar.]] sub Acto de varrer. 
|] Kurikomba, v. intr. e r. Limpar- 
-se. 

Kukombela. v. tr. Varrer no lu- 
gar de: o iangu ng^a i kombela bu rixita. 

Kukombesa, v. tr. Mandar lim- 
par, varrer. |] Kurikombesa, v. r. 
Fazer se limpar (de sujidades) . 

Kukombola, v. tr, Comprar negó- 
cio por atacado.] Escambar; fazer 
cambolação; permutar: — uènji , | 
Angariar:— ;7n^e7i;?". ] Grangear; se- 
duzir.]] V. intr. Copular. Jl Kuri- 
kombola, v. r. Prejudicar-se; ficar 
mal visto. 

Rukombuésa. v. tr. Vender por 
atacado.] i.»ar a permutar.] Agen- 
ciar. | | kurikombuesa, v. r. Ven- 
der-ic: prostituir-se. 

Kukomona, v. tr. Limpar com o 
dedo (os reátos da comida) ( Lam- 
ber- 

Kukomonona, v. tr. Varrer com 
Q dedo muitas vezes. | Passar a lín- 
pua pelos dentes. | ] KuriKomonona, 
y. r, Limpar com a língua os 



restos de comida na boca. | Passar 
o dedo entre os dentes. | Lamber-sè. 

KuKonana, v. intr Estar ar- 
queado, curvado ] ] sub. Con- 
tracçSo; curvatura. 

Kukonanesa, v. tr. Arquear; do- 
br<^r. ] Fazer ter a forma de liaha 
curva I É tb r. 

Kúkonda, v. tr Suavisar; con- 
solar, atenuar; — uxiri. \ Agasalhar, 
tapar, cercar de cuidados ]| v. in- 
tr. Estar atribulado, cheio ds amar- 
gura: ngongo i a mu Kondo | É tb. r. 

KuKondala, v. tr e intr. Cur- 
var.) Ficar em forma de arco. 



re- 

queado. [ 



cur 



Kukondalala, v. intr. Estar 
i^urvado, torto. | Ficar arquea 
Estar desviado da direcção. 

KuKondalalesa, v, tr. Fazer re- 
cutvav, entortar J Arquear. 

KuKOndalesa, v. tr Fazer cur- 
var, dar a forma de arco. (segu- 
rando pelas duas extremidades): 
— mbamba.\ Fazer desviar da linha 
recta. 

KuKondama, v. intr Estar res- 
guardado, abrigado, recatado: u ala 
bu Kiriri kí aKondama. \ Estar segu- 
ro, oculto I ] sub. Rtsguardoj de- 
cência. 

Kukondamesa, v tr. Recatar; 
fazer resguardar, acautelar ] Abri- 
gar; ocultar 

KuKondeKa, v. tr. e intr. Res 
peitar; louvar; ]Ab3nçoar; bendizer 
-- o rijina ria N z a m b i. || 
Abafar; conchegar: -mona bu jihata- 
jjsub. Acto de louvar. |j KuriKO. 
ndeKa, v. r Tornar-se digno de lou- 
vores.] Abafar-se. 

KuKondeKftsa, v. tr. Abrigar; am- 
parar; proteger ] Dar conchego a. 
I ) Fazer acatar, honrar. 

KuKondela, v. tr Dar volta, pôr 
cerco a.] Rodear; envolver pelos 
lados. I É tb. r. 

KuKondesa, v tr. Consolar.] 
Fazer esquecera aílicção, a dôr.| 
Mandar cercar. 

KuKondojcKa, v, int. Serpear: 
Kaenda mu njila — . | Dar voltas. 

KuKondOKa, v. intr Estar con- 
solado, conformado i Esquecer ai 
dores, as máguas. 



ÍCt3K 



-196- 



KUK 



kuKoriua, V. intr. Estar bêbedo. 
Ficar perturbado, tachado. 

KuKOriuisa, v. tr. Embriagar; em- 
bebedar. I É tb. r. 

KúKOsa, V. tr. Dedilhar; mexer; 
lulir. 

KuKOSomona. v. tr. Mexor alguém 
a dormir para que se mova. | Ti- 
tilar; faser palpitar. 1 1 KuriKOso- 
mona, v intr. e r. Espreguiçar-se; 
mover-ae (estando a dormir),] Dar 
sinal de vida; estremecer | | sub 
Titilaçàc; estremecimento 

KuKOÍama, v. iptr. Estar alque- 
brado, corcovado | Tornar-se cur- 
vo. I fig. Ser maleável, dócil: mu- 
lembu Kotama u Konge o matete.\ | sub. 
Curvatura. 

KuKofarnesa, v. tr. Arquear; en- 
curvar. I É tb. r. 

KuKotamena, v tr. e intr. Estar 
ptnalsado, triste por j Curvar-se 
(pensativo) | | Kurikofamena, v. r. 
Toinar-se meditabundo, triste. 

KuKofeKa, v. tr. e intr. Arrebitar; 
virar o bico: — muaongo \ Dobrai; 
— mulembti \ Vergar: — tangu. \ fig. 
Sujeitar; demover; geduzir. | Ku- 
riKofcKa, V, intr. e r. Alapar-se; en- 
roscar-se, encolher-se. 

KuKofeKCsa, v. tr. Fazer a-rebi- 
tar, dobrar, virar a ponta de. 

KuKofola, V. tr. Dssapegar; tirar 
com esforço. I Puxar com impeto. 

KuKOfomoKa, v. intr. Ficar dis- 
tendido, aberto, desembrulhado (pa- 
ra deixar vêr o que contém). 

Kuicofomona, v. tr. Tirar à força 

que outrem tiver na mão; a mu ko- 
íoinona o Kttari bii maKu. | Arranc r 
(das mãos) | Fazer distender. 

KuKóua, V. intr. Ter victória. \ 
Obtei triunfo em campanha. | Ser 
aclamado, aplaudido, victoriado 

KuKouéla, V. tr. Aclamar, victo- 
riar: — muKmi. | Aplaudir com entu- 
siasmo I Nomear por aclamação 

KuKouesa. v. tr. Fazer aclamar, 

aplauJir , ] KuriKouesa. v. r. Fazer- 
-se aclamar com aplausos, 

KuKovala. v. tr. (port.) Escovar, 

1 v. KUKUKumuna. 

KuKovama, ou Kukovoka, v. intr. 
Tei depiessão, baixamento de nível. 



I Estar baixo, deprimido. 

Kukóxa, V. intr. Cabecear (por 
ofeito de sono). 

Kukoxila. V. tr. e intr. Toscane- 
jar; coxilar; dormitar. 

KuKOzama, v. intr. Ter a super- 
fície esíèrijamente cavada. | Ficar 
côncavo. 

Kúku, adv. Cá; dêate lado: ku 
tnbandu—.\ Maia perto. |, adj. dc- 
term. Este; esta: o kukata-ku ejiU 
malamba. 

Kfiku, sub. (]X) Avô; avó.| An- 
tepaaiado. | f i g. Baleia 

Kukuáka, v. intr. Aportar; aMÍ- 
bar; encalhar: ndongo i akuaka.\ An- 
corar], fig. Ficjr empatado, estar 
parado 11 sub. Chegada ao porto. | 
Encalhe. 

Kukuakasa, v. tr. Lixar. 

Kukuakela, v. Intr. Varar; enca- 
lhar; dar em sdco: ulungu u a'<uakela 
mu êenga,\ Apjrtar ao acaao. 

Kukuakesa, v, tr. Mandar «por* 
tar; fazer encalhar.] Empatar. 

Kukuama, v. tr Ferir.] fig. Ofen- 
der. |( v. intr- Dar golpei.|| Kuri- 
kuama, v. r. Magoar-se; ferlr-se. 

Kukuameka, v. tr. Despeitar; dar 
com resentimento: ma, rii kià, kuma 
kienc kl w andalal | R-jpu iiar de 
uiáus modos; regeilar.jl sub. Resen- 
timento; despeito.]] Kurikuameka, 
v. r. Entregai-ae pjr de-peito | 
Abandonar-se com reseatuueuto. 

Kukuamekesa, v. tr. F^zer dee- 
peitar, abandonar com recenti- 
mento. 

Kukuamesa, v. tr. Fazer ma- 
goar, lerir. 

Kukuasúka, v, intr. Ficar meio 
8ÔCO, pouco enxuto. I Ter pouca 
umidade. 

Kukuaía, v. intr. Ter; possuir: 
— kitari . !]v.tr. Agarrar; 
pegar; segurar. ' Tocai; comuni- 
car por contagio: kitanga u kuata soko 
rie.\\ Tomar; alcançar; deitnr mão 
&:—miixi bu maku | Obter; conseguir. 
I I Apanhar; encontiar; sui preeiíder: 
ng'a mu kuata mu' nzo. ia uíi. \ Apode- 
rar-se de.]| sub. Agarração; pega. | | 
Kurikuaía, v. r. Altercar, questio- 
nar; ter desavenças com | Brigar; 



Kl3k 



- Í97- 



KUK 



vir ás mAos. \\-rkuata. v iter. Pe- 
gar-se muitas vezes; atrapalhar. se | | 
V. intr. Hesitar (no falan; mostrar 
receio. 

Kukuafekesa, v. tr. Prestar au- 
xílio; cooperar:— }n« ikalakalu ia ao 
ba I Operar simultânea ou colec- 
tiva usate.! Ajudar; ccncorrer; con- 
tribuir.] Juntar-se a outros para 
um fim comum; aderir. | Kurikua- 
fekesa, v. r. Valer-se; sérvir-se. 

Kukuateia, v. tr. e intr. P^gar- 
-se por suas mãos; reter: —rikongo. 
Impedir. I I V. tr. Agarrar, pegar, se- 
gurar por:— ^oAo ku mubinhi. I| sub. 
Reserva; demora. | | Kurlkuafela, 
V. r. Vêr com os próprios olhos. ' 
Assegurar-se; certificar-se. | Apa- 
nhar com a boca na botija. 

Kukuafenena, v. intr. Estar se- 
guro; ficar agarrado. \\ v. t r. 
Segurar, amparar, proteger 1 [ Ku- 
rikuafenena, v. r. Agarrar-se; am- 
parar-se; valer-se. 

Kukuafenesa. v. tr. Fazer colar, 
proteger: Nzambi a'ku kr>,atene8t.\ Ani- 
mar; fazer aderir. ! 1 Kurikuafenesa, 
v. r. Ligar se; ajuotar-se; apoiar-se. 

Kukuatesa, v. tr. Faz?r pegar. 
agarrar, deter \ AjuJar; amparar; 
socorrer | Colar; fazer aderir ; Coa- 
solidar, tornar estável. 1 1 Kurikua- 
tesa, V. r, Deixar-se apanhn; ficar 
mal visto: — makuiu. 

Kukuatesela, v. tr. Aproveitar, 
utiiísar.l V. intr. Dar bom provei- 
to; fazer bsm. | | É tb. r. 

Kúkuba, V, 1 itr. Praguejar; voci- 
ferar contra. | | V. r. Protestar; itu- 
precar; malJizer. | Bater com as 
mãos no chão vociferando. | sub. 
Praguejam nto; imprecação. | | Ku- 
rikuba, v. intr. e r. Jurar; declarar 
solenemente não praticar (algum 
acto) . 

Kukubalala, v. intr. Estar dei- 
tado de barrtga para baixo. 

Kukubela, v. tr. Dissolver ali- 
mentos com a língua e o ceu da bo- 
ca (farinha, açúcar, etc )i Merendar. 

Kukubisa. v. tr. Fazer rogar 
pragas | Mandar protestar, amal- 
diçoar I É tb. r, , 

Kukjibuka, v. intr Cair; ficar so- 
terrado I V. "kukuvuka 

Kukubulúla, v. tr. Recoaciliar. | 



Congraçar; desfazer um juramento 
ou protesto. ! Absolver um peniten- 
te arrependido. I j sub. Reconcilia- 
çio. ' Restabelecimento de relações 
entre pessoas dtsavin las. | ' Kuri- 
kubulula, v. r. Pe.Titenciar se; arre- 
pinder-se; desdizer-se. j Fazer as pa- 
zí3 com i Co igraçar-se; renegar o 
juramento feito. 

Kukuela, v. tr. e intr. Consor- 
ciar: unir-se (a uma mulher). Tra- 
tar, sub Trato; consóicio. 

Kukuena, v, tr. e intr. Indsnisar; 
pagar. S.tisfaz r (uma dívida, uma 
obigação) ' Expiar. Kurikuena, 
v, r. Receber indenisação. 

Kukuika, V. tr. Laçar; capturar 
ter preso. \\ sub. Captuia. ( ; Kuri 
ku ka, V. intr, e r. Entalar-se; 
pren.ler-se . 

Kuku'kisa, v. tr. Man i ir agrilho- 
ar, capturar. 

Kukuila, V. tr. Dar sobras ou 
quebras ao comprador, V. 'kiíkuuila. 

i^ukuka, V. iatr. Estar caduco, 
fora de uso.| Chegar a velho. ;sub. 
Velhice. , 

Kukukisa, v. tr. Usar; (ornar ve- 
lho | | Kurikuk sa. v. r. Avelhen- 
tar^se; pôr se fora e uso. 

Kukukula, V. tr. Reuni '; levar 
junto: — iángu. ; Apanhar; limpbr (| 
Kur kukuia, v. r. Engalfinhar-se: 
arikukula bu, kiiari kia , Pegar se. 

Kubukulula, v. tr. Apanhar, reu- 
nir, juntar mais uma vez (lixo ca- 
pim, etc.J. I Arrepinhar; tornar a 
limpar. 

Kukukuma, v. inr. Gaguejar; ser 
gago. li V. tr. D zer hesitando.|| 
sub. Gjguce.j Deslalia; d ficuldade 
no folar. 

Kukukumba, v. intr. And^r ajou- 
jído, sobrecarregado sem saber on- 
de pousar: u ala—ni kimbamba, 

Kukukumbisa, v. tr. Fazer sofrer 
ajoujo; fazer andar sobrecarregado. 

Kukukumuisa, v. tr. Fazer esco- 
var, espanar, vasculhar, Sicudir: — 
mu jihota já'n3o \\ Kuriknkumuisa, 
V. r. Fazer-se escovar, espanar. 

Kukukumuka, v. intr. Ficar esco- 
vado, sacudido. 1 Estar limpo (de 
poeira). 



ít\3K 



- Í98- 



t<\jK 



Kukukumuna, v. tr. Espanejar; 

escovar; sacudir | Limpar (o pó de). 
I Agitar com força e repetidas ve- 
zes: — mnlele.W sub. Espanação; sa- 
cudidura. i| Kurikukumuna, v r 
Imprimir ao corpo movimentos rá- 
pidos e convulsivos.] Escovar-se. 

Kukukufa, v. intr. Mirrar.] Es- 
tar árido, seco: ixi i aiíukuta . \ Es- 
gotar-se, ficar sem água: Icixima ki 
akukiíta. \ Murchar, resequir-se: mu- 
lemba u akukuta.\ Definhar, perder as 
forças. I fig. Estar exhausto. \ | 
sub. Aridez; secura; falta de umida- 
de.| Estiagem. 

Kukukufisa. v tr. Mumificar; tor- 
nar enxuto. Esgotar, estancar (um 
poço); — kixírna. | Fazer murcnar, 
resequir. | | Kurikukufisa, v. r, M r- 
rar-se; tornar-se seco. 

Kúkuia v. intr. Crescer; ser ou 
tornar-se maior, extenso 1 1 sub. 
Crescimento: aumento; desenvolvi- 
mento. 

Kukúla, V. tr. Resgatar; libertar; 
remir: — niubika.\ Desipotecar; deso- 
brigar; tornar livre. | Pagar; qui- 
tar:— n^on^o. II V intr. Olvidar 
uma acção má por outra boa: — mu- 
longa. \ Fazer penitência. | | sub. 
Redenção; resgate; remissão | | Ku- 
rikula, V. r. Pagar o resgaste para se 
livrar do Citiveiro. I Reh bilitar-se; 
penitenciar-se: — mu ituxi, \ Quitar- 
-se; remir-se. 

Kukulála, V tr. (port,) Curar | 
V. ku lula. kuilukiaal \ Kurikulala, 
V. r. Curar-se j V. kurisaka. 

Kukulama, v. intr. Calar; estar 
em silêncio. I Impôr-se ao silêncio. 

Kukulamana, v. intr. Estar se- 
reno, calmo, silencioso: mu ngoiiyo 
mu akulamana.\\ v. r. Guardar si* 
lêncio. 

Kuhulamanesa, v. tr. Silenciar; 
acalmar; reduzir a silêncio j | Ku- 
rikulamanesa, v. r. Acaimar-se; 
aquietar-se. 

Kukulúla, v. tr. Raspar; tirar o 
pêlo a: — ngiUu.\ Expurgar; limpar: 
— murta | | sub. Raspadura; limpe- 
za. | É tb. r. 

Kíàkululu. adj, e sub. (IX) Bisa- 
vô- 1 Avoengo; antepassado remoto. 

Kukulumuisa, v, tr. Baixar; aju- 



dar a apíar, a descer. | Trazer ou 
livar para b li.xo. 

Kukulumuk», v intr. Vir deci- 
ma para baixo: ngl banda mulundu, 
ngl kulamuka honga \ Sagulr ou ir 
com a corrente; descer 

Kukulumuna, v. tr. Fazer descer, 
ir pari baixo. 

Kukulufa, V. tr. Esgadanhar; 
coçar com frenesi | | Kurikulufa, v. 
intr. e r Coçar-se; arranhar-ae. 

Kúkuma, v. tr. e intr. Enfadar 
aborrecer: maka ma moxl m'akama. 
I Pecarj causar desprazer. || sub. 
Aborrecimento.il v. r. Aborrecer- 
• se. 

Kukumbaraa, v, intr. Estar mo- 
ribundo, nos últimos momentos | 
Agoniiar, estará finar-ae . | | sub. 
Agonia. 

Kukumbamesa, v. tr Assistir 
na agonia 

Kukumbika, v. tr. e int. Defron- 
tar. | D:;parar, encarar; confinar. || 
Kurikumbika, v r. Dvifrontar-se; 
deter-sc: arlkumblka ku m a k a \ 
Demorar-se. 

Kukurubikinha, v. intr Embu- 
char; embatucar: mu kuzela U 
QKUinbiviinha \ Ficar prepltxo, en- 
gasgada (ao fcilar).| Hesitar (por 
nâo saber que dizer) 

Kukumbirila, v. tr. e intr (port.) 
Cumprir.] V. kutumaka, 

KuKumbula, v. tr. Chuchurrear: — 
muzonge \ Beber aoa poucos sorven- 
do o líquido. 

Kukumbuiula, v; intr. Replicar; 
objectar: —KUZUela \ Retrucar; con- 
testar; diicutir. I I V. tr. Coutra- 
riar; pôr em dúvida. | D ir resposta 
a I 1 sub Acto Q efeito de rcrspon- 
der,|j Kurikumbulula. V, r. Cor- 
responder-se. I Permutar correspoa 
dência. 

Kukumisa, v. tr. Fazer aborre» 
cer, 

Kukumujuna, v. tr. e tntr. Rea- 
raonear; resmungar; dar grunhidos 
em sinal de admiração ou reprova- 
ção 1 I líurikutnujuna, v intr. e r. 
Soltar sons inarticulados | Dar si- 
nais de admiração ou deâConteata- 
meuto. 



KUK 



- m- 



KUK 



KuKumuna, v. fntr. Emitir som 
gutural que traduz reprovação ou 
admiração ! Objectar, replicar com 
grunhido.!! sub. Retruque; gru- 
nhido. 

Kúkuna. v. tr Semear: — jlmbu- 
tu I Plantar:— r?/e. 1 Fazer planta- 
ção ou sementeira de ' I Kurikuna, 
V. r Conservar-se a pé firme em 
um lugar | Colocar-se; pôr-se. | 
Esperar por muito tempo. 

Kukunana, v intr. Ter ( os d^n- 
tp» ou 05806) á mostra: maju m'a 
mu kunana. | Estar descarnado- 

Kukunanesa, tr. Fazer mostrar, 
pôr á vista: —ífuba- 

Kúkundô, v. intr- Conferenciar; 
ter ou estar em comunicação.! | v. 
tr Cumprimentar; entrevistar: ng'a 
mu kundu \ Pôr em comunicação. ' 
Recordar; fazer sabor. | Kutikunda, 
V r Lembiar-ie; corresponder-se 
! Trocar imp-^esaCes:— maft^zu 

Kukumdama, v, intr Ficar em- 
buchado. enfupiio: kuna ku a mu 
kundama.\ Ficar coma garganta obs- 
truída por alguma coisa que se que- 
ria engulir 1 j sub. Engasgo. 

Kukundamesa, v tr. Engasgar; 
sufocar ! Fazer obstar a reacção 
de. 

Kukundujuka, v intr. Divagar. 
I Apresentar-s3 em estado de máu 
tratamento. ', Andar errante, menos- 
presado- 

KuKundujula, v. tr. Maltratar; 
despresar: — mon'a kanvile. \ Dei- 
drurar ! | Kurikundujula, v r. 
Deitar-se a perder. 

Kukundula, tr. Acusar; imputar 
culpas a: a mu kundula KÍtuxi.\ Ar- 
guir |! sub. Acusação, denuncia.! 
Kurikundula, int. e r. Acusar-se; 
revelar-Be.l Declarar-se presente. 

KuKunduluia, v. tr. Increptr; 
recriminar. 

Kukundumuisa, v. tr. Fazer an- 
dar, rolando ! Ajudar a virar, a 
mover.; Fazer dar voltas. | E' tb. r. 

Kukundutnuka, v. intr. Ir rolan- 
do. I Girar ou mover-se sobre si 
mesmo, avançando, j Andar a roda 
iòbre uma superfície. 

Kukundumuna, v. tr. Rolar (bar- 
rili pipa, troQco de árvore, etc.).} 



Ir virando. [1 Kurikundumuna. v. 
r. Rolar-sc! virar-se de baixo para 
cima (como o barril).' Ir-ae vi- 
rando, 

Kúkunga, v. intr. Tocar leve- 
mente; ser tangente: o njila i 
akungu ku mulaudu.\ Roçar; i-on- 

tactar . 

! Kukúnga, v tr. Esfregar: — ma 
I baia.\ Friccionar, limpar (esfregau- 
I do). ! É. tb. intr, e r. 

Kukungisa, v. tr Mandar esfre- 
gar, freccionar, limpar. 

Kukunguka, v intr- Ficar des- 
botado (com o u^o, com o tempo) 
i Apagar-se; perder a côr. | | sub. 
Deibotamento. 

KuKunguk sa, v tr. Fazer des- 
botar, perder o brilho, a côr , Fa- 
zer desvanecer. 

Kukungula. v. tr. Excluir: pôr 
de parte: m?< kizomha a mu kungtda mu. 
1 Não constar ; Exceptuar; omitir. 
I [ sub . Exclusão. 

Kukunguluka, v. intr. Garrar; 
ir com a corrente (do rio, das águas' 
da chuva, etc). Percorrer vagan- 
do.] Ser levado ou ir a mercê :as 
ondas.! fig. Passar; correr; ir-se 
em bora. 

Kukungulula, v . tr. Arrastar; 
levar consigo ! Diz-se das águas 
das chuvas e dos rios).' I Esfregar; 
passar por Kurikungulula, v. 

iotr. e r. Roçar-se; tocar levemente: 
— k« mukutu. 

Kukunguna, v. tr. Desbotar; fa- 
zer apagar, desaparecer (a côr) É 
tb. r. 

Kukungununa, v. tr. Apagar, 
fazer desmaiar de novo.| Tornar 
extincto. 

Kukúnha, v. intr. Rilhar; esbur- 
gar; roer: — í/wôa. i Descarnar; limpar 
(03 ossos) com os dentes !! sub 
Descarnamento. 

Kukunhisa, Fazer roer ou esbur- 
gar ossos. 

Kukuninika, v. intr. Sorrir alar- 
vemente mostranJo os dentes (co- 
mo 03 cães) . 

Kukunisa, v. tr. Mandar fazer 
sementeiras: — ir Ima \ Fazer semear, 
plantar. 



KUK 



-200 - 



KUK 



Kukunjika, v. tr. é intr. Evan- 
s:olÍ8ar; doutrinar: apostolisar. || 
Encarregar; incumbir; conferir uma 
missnn h|! Rejompeiisar . | | Kuri- 
kunjika, V. ititr e r, Doutrinar-se. 

Kukunujuka, V. intr. Estar cheio 
d« mossas ou feridas | Ter muitas 
mazelas pelo corpo 

Kukunuka, v. intr Ficar peiado, 
esfolado, tinhoso: màtue u a mu ku- 
nuka. 

Kukununa, v. tr. Tirar o pelo a. 
[ Escoriar Arranh\r ' Kurikunu- 
na. V r. Esfolar-se; ferir-se de ras- 
pão. 

Kukunzama, v. intr. Emigre-er 
I Esta»- abatido, humilhado, dimi- 
nuído! Fioar pensativo. 

Kukunzamesa, v tr. Abater; de- 
minuir | Fazer emagrecer. 

Kukurika, v, tr. Adicionar; au- 
ment ir; somar. || sub. Adição; 
.sO .n a . 

Kukurikila, v. tr. Acrescentar; 
ajuntar; tornar maior .] I sub. Adi- 
cionamento || Kurikurikila, v r. 
Aumentar-s ; crescer. 

Kukurikisa, v. tr. Fazer acres- 
centar, somar, aumentar | Fazer 
crescer. 

Kukurila, V. tr. fport.) Acudir. 

Kukurisa, v. tr Fazer aumen- 
tar; tornar maior | | Mandar resga- 
tar, rehaver o que se deu em ^q- 
Tahov.—mutu mii,uhika \ Fazer exp ar, 
remir. I Kurikurisa, v. r. Elevar- 
-se; engrandecer»3e ] Fazer-se res- 
gatar, rem.r. 

Kúkusa, V. tr. Atemorisar; inti- 
midar, j Causar medo ou terror a.j | 
Kurikusa, v. r. Sentir temor. 

Kukustala, v. intr (poit.) Cus" 
tar I V, kúbonza, kuviza. 

Kukusuka, V. intr. Ser ou ficar 
encarnado.] Ter a côr vermelha. | j 
sub. Encarnado. 

Kukusukisa, v. tr. Dar a côr 
veimelha em.| Tomar encarnado | ] 
Kurikuaukisa, v. r. Tornar-se ou 
pintar-se de vermelho. 

Kukusuluka, v. intr Tornar-se 
vermelho ] Ficar muito encarnado. 

Kúkuta, V. tr. Amarrar;— biuWto* 



ha ! Atar f jrtemente; trava»-, pren- 
der. I I Tramar; maquinar; tr^ir: Jn- 
da u a'kulile Kristii \ \ - kuta, v iter 
Amarrar, prender muitas vezes | 
Ligar sucessivamente | | Kuriku(a, 
V. intr. e r. Ealaçar-se; ajustar-se; 
prender-sa 

Kukuíalala, v intr Estar enco- 
lhido, agachado (de frio) j Humi- 
Ihar-se . 

KukuMla, V. tr. Amarrar, atar 
por: a mu kidila ma inama \ \ Assa- 
car, acusar falsíimente: o ngi kutila 
vMónga \\ Kur KUdla. v. infr e r. 
Comprometer- se; arr(gar-se. 

Kukutisa, V. tr Mandar amar- 
rar, apertar com ligaduras.! Fa- 
zer acorrentar, prender. | | Kuri- 
kufisa, V. r. Fdzer-se prender. 

Kukuíuka, V intr Internar-se; 

raetei-3e dentro: — ma njila . 

Kukutukisa, tr. Embrenhar; in- 
ternar. 

KuKutula, V. tr Meter dentro | 
E' tb. r. 

KuKutiilula. V. tr Destravar; 
desandar; desenrolar. 

KukutunuKa, v. intr. Estar ou 
ficar desamarrado, solto.] Ficar 
desobrigado. 

KuKUtununa. v. tr. Dasligar; de- 
satar: -mu/e/c, Soltar I É tb. r. 

KúKUUi, v intr. Defecar (em ca- 
sos d' diarreia, interito, etc.) ; [ v. 
tr. Semear: — masan^u.l Polvilhar.] | 
KuriKuua. v. intr. e r. Recear-se; te- 
mer. I| V. tr. Ter medo de. 

KuKÚua, V tr. Djrrotar; desba- 
ratar (um exército).! Destroçar; fa- 
zer perder. 

KuKUuala,, v. tr. a intr. (port.^. 
Coar. 1 V. Kukenza. 

KuKUuela, v. tr. Emp ar; era" 
pottirar; encher de pó.| É tb. r. 

Kukuueza, v. tr, Polv.lhar: — 
jlndunga.\ Salpicar. 

KuKUUila, V. tr. Pôr polvilhos 
em.M Demaziar.] Dar ao compra- 
dor além da medida Ou pôao certo. | 
Dâc falhas. | i Kurikuuila, v. r. Em- 
porcalhar-ie; sujar-se de fezes. 

Kukuvitala, v. tr. (port) .Convi- 
dar.! V. Kubínda. 



KUK 



-«H- 



KUt 



KuKuvuKa. V. intr. Cair (num 
buraco): -mu rikungu. . Encovar-se; 
ficai soterrado. 

Kukuvukisa, v. tr. Despenhar; 
e3b irroca r; fazer cair em um preci- 
pício.' É tb r. 

KuKÚxa, V. tr e intr. Faltar á 
verdade.' Tatruji'; mentir ' En- 
ganar cora f ilsidades ' Kurikuxa, 
V. r. Enganar-se; mentir a si pró- 
prio. 

Kiikuza, V, tr. Xarrafar. 

Kukuzál=i, V. tr. íport) Acusar. 
V. kii^undala . 

KuKUZuka, V intr Cair cerfo; 

estar justo. | Descer; ir ao fundo: 

u akuzuka mu kina E^tar meti- 
do. 

KuKUzula, Y tr. Encaixar; pôr 
dentro de Fazer entrar, meter: — 
poKO mu KÍZU II sub. Introm ssão; 
encaixa. KuriKuzula, v. r Meter- 
•se de perm io; encaixar-se. 

Kula, sub (IX)b")t. Nome por 
que é conh-^cida, em Cabinda, a le- 
guminosa lukula 

Kúlaba, v. intr. Trepar; subir: — 
ku múxi \ Subir enrroscando-se co- 
mo as plantas trepideras 

Kulába, V tr. Aplicar; besuntar; 
— utokua ku risánga. Enlamear | | 
sub. Lambuz dela; bezuntadtla. 

Kulabeka, v tr Pespegar; chim- 
par: II a m<i labeka huxi . ' Chapar; es- 
tampar. Assinalir; imprimir || 
Kurilabeka, v. r E^-tatelar - se; 
cair I Chapar-se: u ariíabeka huxi. 

Kulabekesa, v. tr. Mandar dar ou 
aplicar com força. | Fazer pespegar, 
aar chapada. 

Kulabesa, v tr Ajudar a tre- 
par; mandar subir || Fazer lambu- 
zar, bezuntar 

Kulabnka, v. intr. Amornar; es- 
tar pouco quente; adquirir calor. I I 
Ter princípio de febre: mukutu u a mu 
labnka \ Diz-se da pessoa sem ou 
em roupas menores; u alabuka \ Es- 
guio. 

Kulabukisa, v. tr. Mandar aquen- 
tar: — menha. \ Amornecer. || Tornar 
esguio. 

Kulabula, v. tr. Tornar quente. 
II Pôr em trajos moaoros.l E tb. r. 



Kulabulula. v. tr, Requentar; tor- 
nar a amornar.! ; Provocar; reptar, | 
Passar o dedo p"lo mento do adver- 
sário em sinal d'=' desafio Beliscar; 
desrespeitar. ' fig. Surripiar; levar 
ás ocultas. ' É tb. r. 

Kúlaia, V. intr. Viver; existir: 
Kuria —; o ungafi Inmbi lua líixinjl k» 
tandula, ki kí tung' è ' Conservar-se; 
ter vida [ sub. Vida 

KuiáKa, V. intr. Ser intrépido, 
obstinado, animoso. | sub Denodo; 
valor. 

Kulakaiala, v intr Estar mui- 
to quente: menha m' alaKa^ala \ 
Ser ardente, tempestuoso j Estar 
quasi a ferver. 

Kulakama, v. intr. Ser férvido, 
denodado, temeroso: u alakama kala 
tubia ' Tempestear; estar revolto, 
agitado sub ímpeto; fervor. 

Kula.':amana, v intr. Ser intré* 
mulo, destemido Ser de qualida- 
de de não hesitar (ante o perigo).' | 
sub. Temeridade. 

Kulakameka, v intr Impacien- 
tar: k' u ngl lakameke muxinia ' Ator- 
mentar; irritar; tomar frenético. 

Kulakamesa, v. tr. Tornar fé»-- 
vido. ardente, impetuo-o | Fazer 
atormentar, impacientar, ter agas- 
tamento, iriitação Kurilakame- 
sa, V. r. Agastar-se; atormentar-se. 

Kulakasa, v intr. Romurejar; 
sussurrar {.ias folhas, do capim), j 
Restolhar: kuzuda — . 

Kulála, V. tr Retesar, estender 
a pele em bombo, tambor, etc; — 
ngoma Espichar, tornar tenso Ij 
Forrar, tapar (com peles). I I Curtir: 
— iba I Tornar (a pele) imputrescí- 
vel. I I V intr. Alastrar; estender- 
se: kijimbu ki alàle Esbrasear; ar- 
der; consumir-se: makala m' alàle. \ \ 
sub. Curtimenta. 

Kúlaia, V. tr e intr. Dissimu- 
lar; torcer (a conversa): — maKa.\ 
Disfarçar. 

Kulaláma, v. intr. Flutuar; con- 
servar-se emerso | i sub. Emersão. 

Kúlalama, v. intr Estar azafa- 
mado, intranquilo, disperso: jinjl 
i'alalama,\ Ficar agitado, inquieto: 
muxima ua ngl lalama \\ sub. Assa- 
nhamouto; inquietude. 1 1 — kaa //• 



KUt 



— 202- 



KUl 



tr. F^zer diva- 
proDOsitada mente 
1 I Fazer vaguear: 
Fazer vogar, des- 



mosa. Nome de certo tecido de al- 
godão que, muiío se usou em 
Luanda . 

KuIalameK^i, v. tr. Apressar:- 
dsuri \ Adiantar; fazer com rapi- 
dez II Kurilalameka. v. r. Dar se 
pressa; tornar-se ráp do. 

Kulalamesa, v. tr. Fazer boiar, 
sobrenadar. I Tornar emerso || 
Alarmar; assanhar:— jinhuiki. \ 
Agravar, fazer espalhar. 

KulalcKa, V intr. Singrar. | Des- 
Jisar (a embarcação) com velas 
desfraldadas j Vogar ' \ Divagar; 
vadiar; distrair-se (pelo caminho). | | 
Escorregar brandamente; ir resva- 
lando 

KulaleKela. v intr- Ocupar-se 
(por distracção) em. | Entreter ípara 
paosar tempo); divertir-se . | | Kuri- 
lalehela, v. r, Recrearse; passar 
tempo. 

Kulalekesa, v, 
g a r. demorar 
com esperanças, 
andar errante. | | 
lisar. 

Kulalésa. v. tr Fazer alastmr, 
agravar: o milongo ei i lalesa o ri- 
bute.W Mandar forrar, retezar, cur- 
tir:- k/6fl. 

KulaluKa, v. intr Ir á mercê 
da corrente, das ondas: ulungu li 
alalíiKa- |Boiar.|| Bargantear; le- 
var vida de vagabundo. 

KulaluKisa, V. tr- Alijar, | Ali- 
viar (a rmbarcação). I Fazer ir á 
mer ê das águas | ! Desinquietar; 
arrastar outrem para a vadiagem. I | 
sub. Alijamento | i KurilalUKisa, v. 
r. Tornar-se erradio, vagabundo. 

Kúlalula, V. tr. Tornar boiante, 
leve I Tirar (a carga para aliviar 
a embarcação). Aligeirar li Kurila- 
lula, V r. Desembaraçarse; alijar- 
-se de responsabilidades |1 sub. 
Aligeiramento. 

!• ulalúla, V. tr. Amparar; prote- 
ger: — mona. Acarinhar; favorecer. |1 
Kurilaluia, v. r. Ajudar-se; socor- 
rer-er. 

Kulalutnuka, v. intr. Diz-se da 
lenha ou carvão que se consome 
depressa e sem utilidade- 

Kulalumuna, V. tr. Deípordiçar; 



malbaratar (lenha ou carvão) | Gas- 
tar sem proveito. I' Narrar; relatar 
inutilmente: - maka \ Dizer o que 
não é preciso saber-se. 

Kúlamba, v. tr. Cozinhar. 

Kulámba. v tr Dementar; es- 
quecer: k/ ku ria. Id kw lamba o 
máxima.] Perdera noção, a memó- 
ria. 

Kularabala. v. intr. Fstar oú 
conservar-se deitado( sem dormir) | 
Sossegar; descançar. 

Kulambalala. v. tr. e intr Fa- 
zer a sesta.] Repousar; passar pelo 
sono. 

KulambcKa, v tr Passar o pano 
entre as pernas, preso á frente e 
atraz por forma a ocultar as partes 
genitais | Diz-se do trajar dos pu- 
gilistas de circo | | KurilambeKa, 
V. intr. e r. ResgUdrdar-se, prepa- 
rar-se para a luta. 

Kulambéla, v tr. Sepultar; en- 
cher de terra: — \íina \ Soterrar; ra- 
sar, tapar (com ferra). 1 1 Kurilambe- 
la, V. r. Cobrir-se com terra; soter- 
rar-se, 

Kúlambesa, v. tr. Mandar cozi- 
nhar. I IFazer perder a memória: — 
muxima.l Fazer esquecer- 

KulambuKa, v. intr. Descançar 
na p a z do túmulo. | Repousar 
para sempre. 1 Dormir; ficar esque- 
cido. 

Kulambulula, V. tr. e intr. Ti- 
rar o pano que se trai entre as 
pernas. | Tornar a cozinhar | | Ku- 
rilambulula, v. r. Desnudar-se. 

Kulánda, v. tr Encalçar: — ji' 
ngenji \ Seguir a pista úc — munha- 
nhu.\ sub Seguinento, encalço || 
Kurilanda, v. r Ir um no encal- 
ço, de outro \\ Seguir-se; ter rela- 
ção . 

Kulandamana. v. intr e r. Tei- 
mar e persistir | Ser obstinado; não 
ceder-!! sub Obstinação; teima. 

Kulandameka, v. tr. Obstinar; 
constranger; impelir.| Forçar; im- 
portunar; p3'seguir M V. intr. Exi- 
gir cumprimento | É tb r. 

Kulanduka. v. intr. Estar dis- 
traído; entretido. II sub. Distração. 

Kulandukila, v. tr. Ficar diitrai- 



K13£ 



-2Ô3- 



Ki3t 



do, retardado por; ng'alandukila o 
maka mu a ngi tela \ Ficar esquecido. 

Kulanduksa, v tr. Fazer de- 
morar, distrair. 

Kulandula. v. tr. Entieter; dis- 
trair: kilembeketa kia pambu' a njila, 
kl iatuiula, ki bê kima Tornar demo- 
lado: mbòmbo ia kuama i a mu landula. 
\ Fazer esquecer alguma obriga- 
ção. 

Kulandula. v. intr Ser secundá- 
rio, posterior. I Vir depois.] ! v tr. 
Secundar. 

Kulandumuka, v. intr. Cair de 
grande altura. , Despenhar-se; dei- 
tar-se ab ixo. 

Kulandumuna, v. tr. Despenhar, 
j Fazer cair de posição elevada. [ 
Expulsar, j É tb r. 

Kúlanga, v. tr. Esp ar; observar; 
vêi : — muii I Buscar; não perder de 
vista . I Rondar. 

Kulangála, v. intr Estar na ca- 
ma; repjusâr ; Dtjitar-se; extender- 
-se ao comprido. 

Kulangacna, v tr e intr. Mon- 
tar, coloc^r-se sobre, j Deitasse por 
cima de 

Kulangamesa, v. tr Acavalar; 
amontoar. | Pôr por cima de. 

Kuiangeka, v. tr. Preparar (al- 
guém de um acontecimento). I Aoau- 
tirlar; prevenir [ | Dispor dt; ante- 
mão; precaver; —Aiían. i Predispor 
favorável ou desfavoíavelmente o 
ânimo de j | sub Prevenção; avi- 
so prévio I, Kurilangeka, v r. 
Acdutelar-st; prevenir-se. [ Pôr - se 
de sobreaviso. 

Kulangela, v e tr. intr Chocar: 
— moía/l/. I Estar no choco (a gali- 
nha) . 

Kulangirila, v. tr. Estar de vi- 
gia, de guarda a: — jiaanji. \ Exer- 
cer vigi aucia sobre. I Observar i, 
V. intr. Estar alerta, de sentinela. 
I Ter cuidado; estar atento. | | Ku- 
rilangiriia, v. r. Guardar-se; exer- 
cer vigilâncir sobre si próprio. 

Kulanguka. v. intr. Penar; ter 
sofrimento . 

Kulangúla, v. tr. Fazer pertur- 
bar, sofrer. 

KulanguoiUKa, v. intr. Cair (com 



estrondo).! Desabar; abater ruido- 
samente. II Precipitar: iizuela. — 

Kulangumuna, v tr. Precipitar; 
fazer cair estrondosamente.] Es- 
barrondar; deitar abaixo j j Kuri- 
langumuna, v r. Atirar-se; pre- 
cipitar-se. 

KulaÚKa, v intr. Despencar; 
Cdir de muito alto. Lançar-se em 
desgraça; malucar; endoidecer. | fig. 
.\ndar pensativo, cÍ3mático. 

KulauKÍsa, v. tr. F^zer cair ( de 
grande altura) . ! Fazer endoidecer. 
[Tornar maluco. É tb r. 

Kulaúla, v intr. Ser ou estar 
na idade de avô: o io u alaula Kla. \ 
Ter netos. ' sub Qualidade de 
avô. 

Kúleba, v tr e intr. Procurar, 
por meios indirectos, saber o que 
se ignora:— mu tulu j Enganar; 
atrair pelo engodo, j I Pedir amos- 
tra: -kíkc/c 

Kuléba, v. intr. Ser elevado, al- 
to. I Ser cumprido, extenso: njil- 
ma ende a mu mone o — .sub. Dia 
mensão de alto a ba'Xo.| Compri- 
mento; extensão. 

Kulebelela, v. intr. Ser longo, 
comprido. b Comprimento; lon- 
gura: mu—u abutu, mu ku sanzumu- 
Kã u akulu I Extensão entre duas 
extremidades (no sentido longitu- 
dinal) . 

Kulebelésa, v. tr. Alongar; exten- 
der; tornar comprido. É tb r, 

Kúlebesa, v. tr. Dar amostra a. 

Kulebésa, v tr. Esticar, rema- 
tar; tornar extenso Prolongar; 
extender a mão ou a vista até onde 
ela poder alcançar: - luKuaKu; — mesu. 
li sub. Alongamento . I I Kurilebe- 
sa, V. r Elevar-se; pòr-se no bico 
dos pés (para atingir um ponto al- 
to) \ Esticar-se; extender-se. 

KulebuKa, v intr. .Ficar descon- 
siderado, escandalisado | Sofrer ul- 
traje, vexame, il Estar murcho, 
pálido, sem forças: mona u alcbuKa. 

Kulebuísa, KulebuKisa, v. tr. 
Causar injúrias a; provocar escân- 
dalo. 

Kulebula, v. tr Fazer passar (al- 
guém) por uma vergonha. I Afron- 
tar; vexar. [Lançar em rosto (actos 



íítíL 

Ignominiosos). Fatigar; fazer emur- 
checer, perder as forças ||Kurile- 
bu'a, V, intr. e r Sentir afronta- 
mento; desprestgiar-se; ficar enver- 
gonhado 

Kulebulula, v. tr Ultrajar pú- 
bhcamente . | Escandalizar em de- 
masia. 

Kulejima. v. intr Emitir luz.| 
Brilhar; resplandecer. 

KuléKa, V. tr. e intr. Abarcar; 
alcançar ! Abranger; atingir 1 Ace- 
nar; fazer menção: — huxi \ Atirar 
de longe: -r/7flr/ | Armar: preparar; 
engatilhar: — KÍbétu. | Entretecer; 
uidir: — uânda.\ sub Entrelaça- 
mento; urdidura; movimento de vai 
e vem (Uiz-se do fabrico de teci- 
dos cujos fios horizontais compreen- 
dem outros tantjs verticais: Kirivi 
K/fl— ) ! Kuril Ka, v r. Entrelaçar- 
-se, aventurar-se ; atirar-se 

Kulekela, v. tr. Avizar; mandar 
dizer, i Destinar; recomendar | Dar 
cumprimentos a; despedir-se de. ] 
Mostrar de longe; acenar (com a 
mão) I I iub Aceno; despedida | 
Cumprimento a, ou de quem parte 
I I Kurilekela, v. r. Despedir-se; 
dizer adeus. 

Kulekelela, v tr. Vozear; gras- 
nar. I Requerer. 

. Kulekesa, v. tr. Indigitar; indi- 
car; apontar. I Despedir (o golpe). 

Kulekefa, v. intr. Provar (com 
a língua).] Tomar gosto. 

Kulekujuka, v. intr. Chanjejar; 
deitar línguas de fogo. | Arder cora 
violência e por muito tempo. 

Kulekuka. v. intr. Inflamar; dei- 
tar chama | Incendiar-se: explodir. 
1 I sub Chama súbita e pouca du- 
radoira ] Inflamação; fogacho. 

Kulekukisa, v tr Fazer chame- 
jar. | Causar inflamação; Fazer ex- 
plodir 

Kulekula, v. intr. Farfalhar | 
Fazer espalhafato, confusão !| sub. 
Farfalhada. 

Kuléla, v. tr. Acalentar; ami- 
mar: — mona \ Mitigir (no regaço) a 
criança. II v. intr. Amarelecer; em- 
palidecer I Definhar; perder a côr.| [ 
sub .\calentamento. I Definhamen- 
tu.j Palidds.ll Kurilela, v. r. Ira» 



âÔ4- 



KiJL 



tar-se com mimo. | Consumirse | 
Ir-se extenuando, morrendo. 

Kúlela, V. tr Aventar: — maia. I 
Giançar; limpar o farelo dos cere- 
ais { Ventilar. II sub Gr inça. 

Kuleláma, v. intr Brilhar; luzir" 
o mbinda mu akexile o mãji t kamVè — . | 
Lustrar. !| sub Brilho; luzimento. 

Kúlelama, v intr. Boiar; sobre- 
nadar 1 Não ir ao fundo. 

Ku'elamesa, v tr O par; fazer 
lustrar; polir. É tb r ] | Fazer so- 
brenadar, vr acima da água . 

Kuleluka, v. intr. Vir á tona da 
água I Flutuar; tornar-se leve. 

Kúlelula, V tr. Tirdr por cima: 
'-mâji \ Rasar: — //íi/tí I Passar (a 
rasoura) ao de leve. 

Kulelumuka, v. intr. Ficar es- 
parralhado. j Diz-se do sebo, que 
se derrete com o caloi .j | Estar ssra 
forças, em estado de fraqueza, de- 
biitado: mukutu u cia kii ngi lelumu- 
ka.\\ Ficar desfolh.ido. 

KulelumuKÍsa. v. tr. Esparri- 
nhar. ] Tornar incoasiat nte. 

Kulelumuna, v. tr Esparralhir; 
derreter (sob a acção do calor ) 

Kuléma, v. ir Atear; incender: — 
tubia.\ Tom r mais intenso ( o fo- 
go). |I V. intr. Deitar chamas; ar- 
der; kizuua u aka lema muíubia.\ fig. 
Ficar desesperado, aflito. | listar so- 
bre brazas. 

Kulemala, v. tr. (port) Remar. 
V. Viuvaria. 

Kúlemba, v tr. D.r presente de 
no vado. jContrair esponsais. | , Do- 
tdr,—ribanga | Prendar; conceder (o 
que é bom). II Knrilemba, v. r. 
Entregar-se como presente de casa- 
mento! Ofirecer-Sf. 

Kuléniba, V. intr. Ent rJecer; vir 
chegando a noite: kiimbi ri al'mbe. 
I Anoitecei; kuina kua leinbe. Escu- 
tectr. 

Kulembilala, v. intr. (port.) 
Lembrar. 

Kulembalesa, v tr. Fazer lem- 
brar. 

Kulembeka, v, tr. Espaçar; tar- 
dar. II v. intr. Dotnorar-te; ídzsr- 
•86 tarde 



í^Ul 



- 2Ô5 — 



íttíL 



t^u'embesa, v. tr. Fazer entar- 
decer, chegar a noite:— kizuua. [Dei- 
xar passar o tempo. || Fazer dar 
presente de núpcias. 

Kulembua, v. tr. e intr Não con- 
tinuar; nãn acabar. I Abandonai; 
desistir. | É tb. r. 

Kulembuela, v. tr. e Intr, Con- 
fi ir; des.ançar em.| Dar atenção, 
crélito.l Itnportar-se. I I v, r. L- 
gnr impjrtância; fazt-r caso. 

Kulembuesa, v tr. Fazer aban- 
donar, desist.r. 

Kulembuka, v. intr. Ser modera- 
do, modesto: ii ai bua ngene, u lem- 
buka \\ sub. Moderação; mjdéstia. 

Kulembukisa, v tr. Fazej mo- 
derar, afrouxar, restringir. 

Kulembula, v tr. M derar.] Tor- 
n.ir brando, menos duro. I | Kuri- 
lembu'a, v., intr. e r. Ter mão em 
si; conter-se.j T^rnar-se comedido. 

Kulemesa, v. tr Fazer atear (o 
fogo).| FdZerarder.il Atormentar; 
desesperar; afligir; njuami ku ngi le- 
ni esa muxima. 



Kulénda, v 
mão; precaver 
tr..; predispor 
Premuiiir-se; ter 



tr Dspôr de ante- 
Acautelar-se con- 
! Kurilenda. v r 
com que enfrentar 



uma dificuldade; julgar-se capaz 

Kulendela. v. tr (port ) R-en- 
der. V, kubinyana. 

Kulendesa, v. tr. Fazer acau- 
telar, precaver. 

Kulenduka, v. intr Ser maleá- 
vel, benigno: dócil. | Ser de génij 
brando, sossegado. ] | sub Mansi- 
dão; brandura; dt;cl'dide. 

Kulendukisa, v. tr Fazer mala- 
xação I Fazer amolecer com mas- 
sagens ou fricçõ 3 

Kulendula, v tr. lalaxar; amo- 
lecer: — mixiba. | Milear; embrande- 
cer 

Kúlenga, v. intr Correr: fugir 1 
íig. Escapar-se, escapulir-se. 

Kulengalala, v. intr Ter pouco 
peso; ser leve. | . sub. Qualidade do 
que é leve 

Kulengela, v. intr. Recorrer; bus- 
car amparo, i Lançar mão, v^ler-se, 
60correr>8e de|| v, r. Acollier-se; 



refugiar-se. 

Kulengesa, v. tr. Fazer recorrer. 
' Deixar fugir: — ngombo.\\ Evitar: — 
jitaua.l Esquivir-se a.\ fig. Tirar das 
vistas; esconder. 

Kulenguluka, v. intr. Andar de- 
pressa; urgir I Ser ligeiro, ágil, 
presto il sub. Rapidez; celeri- 
dade . 

Kulengulukisa, v tr. Apre-sar; 
fazer urgir. 

Ku'engulula, v tr. Apressurar; 
tornar 1'geiro, breve, menos demo- 
rado II fig -Apoucar; amesquinhar 
I I Kurilengulula, v r. Amesqui- 
nhar- e; apoucar-se | Apressar-se. 

Kulengurisa, v. tr. Dar urgência 
a ! Apres ar. | | É tb, intr e r. 

Kúlesa, v tr. Lamber (com a 
língua). I fig AduUr; lisongear vil- 
mente I Bisbilhotar \ \ sub Lam- 
bugem. [1 Kurilesa, v. r Passara 
língua pelos beiças, fig Enganar- 
-se; iludir»se 

Kulesula, v tr. e intr. Debicar; 

lambiscar. | Lamber ligeira e rapi- 
damente . 

Kúleta, V. 

Kulefuka, 
as-!anha :o | 
criança que 
dizer ou fazer, 
diço, curioso. 

Kulevala, v tr. e intr Pedir 
dinheiro ou cousa emprestada. | 
Comprar a crédito | Fie r a dever. 
I V . rikongo . 

Kulevalesa, v. tr. Fiar | Dar ou 
vender a cré ito 

Kuleviala, v. tr. e intr. (port ) 
Aliviar. 

Kulóka, v intr. Jurar; ku Kon- 
go a ku heta-ku . ni u loke-ku \ Pio- 
testar | j v. tr Afirmar; asseverar 
categoricamente. I Prometer.] sub. 
Asseveração que se faz tomando a 
divindade por testemunha. | V. 
\íilóko . 

Kulokalala, v. tr. Difamar; pre- 
judicar- 1| Amofinar; contender || 
Kurilokalala, v r. Ded gnar^se. 

Kulokela, v tr. Invocar, juran* 
do o nome de: n^'a — Szàmbi.\ Afjr- 
mar, asseverar em nome de. 



tr, (cal). Furtar. 

v. intr Ser travesso. 
Traquinar Diz-se da 
de tudo quere saber, 
Ser abelhudo, meti- 



mt 



- 206 - 



mt 



Kulokesa, v, tr. Fazer lurar, 
afirmar solenemente. 

Kulokoka, V, intr. Saltar de den- 
tro para fora de qualquer orifício 
ou passagem estreita | vSair de ai. 
gum buraco: risu ri aloko\{a\ Sol- 
tar-se; despreader-se. 

Kulokola, V. tr Deitar fora; dei- 
X r sair (o que se tem na boca): mu 
kw ki ria, kia mbombo; mu kit ki loko- 
la, kia háki.\ Lançar. ] fig Pagar. 

Kulokolola, V. tr. e intr. Desem- 
buchar; desabafar.] Acabar de dei- 
tar fora (o que se tinha na boca). 

KuloKonioka, v. intr. Ficar des- 
conjuntado, | Ter (os membros) des- 
locados: mukutu u a ngi loKornoKa.\ 
Sentir-se alquebrado, || sub. Des- 
conjuntaraento; desengonço. 

Kulokomona, v. tr Desengonçar; 
desconjuntar. I Desmanchar; des- 
unir I É tb. r, 

KuIoKosa, V, tr. Restolhir; fa- 
zer ruiáo: Kusasala piiku;— tende; ku 
muxlma nguma; ku polo namba \ \ 
sub. Restolhada, 

KuloKuela, v. tr. Deitar da boca 
para a de outre n (como as .ves ali- 
mentam os passarinhos). I I Confes- 
sar-se a. | É tb. r. 

Kulóla, V. tr. PiovdT:—múngua.\ 
Tomar o gosto de | | Submeter á 
prova; padecer; ng'alolo hari.\ j sub. 
Provação; provadura. 

Kulolesa, v. tr. Dar a provar; 
fazer experimentar: ng'a mu lolesa 
jingongo. I É tb. r. 

KuloloKa. V. tr. Desculpar; per- 
doar:— /7uxí. | Remitir dívidas; re- 
nunciar; abáolver.| | KuriloloKa, v. 
r. Justificar-se. I Apresentar mú- 
tuas desculpas. 

Kulómba, v. tr. e intr. Toldar, 
enevoar: Kivari u lomba polo, k'a 
lomb'ê muxima.\ Escurecer. || Ku- 
rilómba, v, r. Mascarrar-se; tol- 
dar-se. 

Kulombesa, v. tr. Fazer toldar, 
escurecer; mandar mascarrar. 

Kulomboka, v intr. Cair (de 
borco). I Diz-se da pessoa que as- 
sentada, se deixa cair para frente. 

i^ulombola, v. tr. e intr. Bolsar; 
lançar; deitar pela boca.| Fazer 



tombar, cair de borco. 

KuIomboloKa, v. intr. Estar de- 
sanuviado, claro (o tempo). I Estar 
traduzido, explicado (o texto), | 
Não sofrer dúvidas: Kima kl alom- 
íxj/oKfl. I Estar evidente, manifesto. 

Kulombolola, V. tr Simbolizar; 
significar por imagens | Expor por 
meio de exemplo?.] Corrob)rar; con- 
firmar; traduzir ] j Kurilombolola, 
V, r. i>esanuviar-se; convencer-se. 

Kulombuela, v. tr. e intr. Fiar-se. 
V, Kulembuela 

Kúlonda, v. tr. Instigar, reduzir. 
] Tentar: kinhoka ki alondele mama 
Eva \ Induzir em erro |] sub 
Tentativa; sedução. 

Kulónda, v. tr. e r. Averiguar; 
certificar-se de: — o kiri \ Ter co- 
mo certo. 

Kulondala, v. tr. e intr. (port.) 
Rondar.] V. kúlanga. 

Kulondekeza; kulondokeza, v. tr. 
Indicar; revelar; dar a conhecer 

Kulondoka, melhor kulanduka. 

Kulondola, melhor kulandula. 

Kulónga, v. tr. Ensinar; leccio- 
nar; dom sticar; educar.] Adestrar 
evangelisar; instruir: o putu i longa, 
kimbundu ki longolola.\ Tornar apto. 
II sub Instrução; ensino, (| Kuri- 
lónga, v. r. Aprender; adquirir 
instrucção; procurar saber 

Kúlonga, v. tr. Carregar; embar. 
cai; pôr á bordo, j Deportar. | | Ku- 
rilonga, v intr. e r. Embarcar.) 
Meter-se em carro ou caminho de 
ferro; seguir viagem. 

Kulongama, v, intr. Estar em 
monte, agrupado, reunido como um 
só corpo 

Kulongamesa, v tr. Fazer agru- 
par, amontoar. 

Kulongeka, v. tr. Abandoar: -jin- 
genji \ Juntar; agrupar; reunir. | | 
Kurilongeka, v, r. Reunir-se me 
bando. | Amontoar-se. 

Kulongela, v. tr. Atulhar: — jin- 
dende mu kinu. \ Ensacar; encurralar. 
] Meter sem ordem nem método | | 
Carregar:— í'(<a.| É tb r. 

Kulongésa, v, tr. Insinuar; acon- 
selhar. |j Mandar ensinar.jj Kuri- 
longesa» v, r. Aconselhar-se; iaa» 



KUL 



-207- 



KUL 



truir.se 

Kúlongesa, v, tr. Fazer carregar, 
embarcar, deportar 

Kulongola, v. tr. Embargar; im- 
pedir. 

Kúlongoloka v. intr. Ser laquaz, 
verboso, falador. 

Kulongolóla, v. tr. Ilucidar; expli- 
car; esclarecer:] | Censurar: criticar; 
maldizer 

Kulongolóla, v. tr. Descarregar; 
tirar da embarcação: — kibiila] \ sub. 
Descarga; trabalho de tirar carga a 
bestas, carros, navios, etc. 

KulongomoKa, v. intr. Ficar des- 
manchado. I Estar desconjuntado. 

Kulongomona, v. tr. desconjun- 
tar; desfazer. 

Kúlofa, v. tr. e intr. Empolgar; 
alcançar.] Vêr em sonhos: nzoji i 
angi loto i Ser envolvido por. 

Kulóua, V. tr. Enveneaar por 
meio de sortilégios,! Mandingar; 
enfeitiçar | fig Encantar. | Apode- 
rar-se do ânimo, do espírito de. | j 
Kurilóua, v. r. Envenenar-se por 
meio de feitiço. 

Kúloua, v. tr. Pescar alinha.] 
Colher; atrair.] i sub. Pescaria. 

Kúlouela, V. tr. Pescar para ou- 
trem. 

Kulouéla, V tr. Enfeitiçar paia: 
a mu loiíela n' afunde. 

Kulouésa, V. tr. Mandar enfeiti- 
çar, ou envenenar.'] 'Curilouesa, 
V. r. Mandar le enfeitiçar. 

Kúlouesa, v, tr. Mandar pescar. 

Kúloza, V. intr. Dar tiro; dispa- 
rar:— ri/e/ida. 1 Arrebentar com es- 
trondo.]] V. tr. Desfechar. Eapin- 
gardear; passar pelas armas: a mu 
lozo. |Dar tiros em.]] Vibrar: a mu 
lozo huxi.,\ sub Disparo.,] Kuri- 
loza, V. r. Suicidar-se com arma de 
fogo.| Descarregar-se involuntaria- 
mente (a arma): uta u arilozo.\ Dar 
estampido. 

Kulozesa, v. tr. Mandar dar ti- 
ros. 

Kúlu. lub. (IV) UnÍTerso,| A ter- 
ra e os S0U8 habitantes. 1 —'o/co, nesta 
(erra, nêst» mundo.] A universali- 
dade dos homoQs. 1 1 adv. No mun- 



do. [ Abrev. de rlKÚla \ O espa- 
ço; o ar; a imensidade do cêu: u 
ejila mu— ria mundu. \0 mnwáo ex- 
terior. 

Kúlua, v. tr. e intr. Guerrear; — 
ita I Conquistar- 1 Duvidar; apos- 
tar:— /7p a/a, ' Kurilua, V. r. Estar 
em guerra com. 

Kuluéza, V. tr. e intr. Errar 
(o tiro).| Kuriluéza, v, r. Escapar; 
não ser colhido. 

Kululuka, V. intr. Ficar furado 
(por arrombamento): rihitu ri alufu- 
ka.\ Ter rombo.]] sub, RomLo; to- 
pada, 

Kulufula, V. tr. Fazer rombo em. 
] Tornar bojudo.] É tbi r. 

Kuluíka, V. intr. Dar cabeçada.] 
Marrar ] Diz-se do ataque do touro 
e outros animais armados | Inves- 
tir com a cabeça.]! Kuriluika, v. 
r. Brigar; lutar (como os carneiros). 
I Dar-se marradas, cabeçadas ■ i 
Encornar-se . 

Kuluikisa, V. tr. Fazer atacar 
com marradas. 

Kulúka, V. tr. Denominar; desig- 
nar; alcunhar: — rijina. \ Dar no- 
me a. ] I sub. Denominação; desig- 
nação j ] Kurilúka, v. r. Dar o seu 
nome a outrem para que porêle se- 
ja chamado. 

Kulukisa, v. tr. Fazer dar nome 
a.j Mandar alcunhar. 

Kulukuisa, v. tr. Fazer despejar 
esvasiar, sair por meio de força 
Evacuar. 

Kúlukuka, V intr. Sair com Ím- 
peto. | Lançar-se fora: — kimene .j 
Pôr-se fora. 

Kulukula, V. tr. Expulsar; dei- 
tar fóra.| Evacuar.' sub. Despejo. 
I í Kurilukula, v. intr. e r. Sair de 
repente. ] Sair cedo (de casa): ng'a- 
rilukula kimentmene, \ Pôr-se fora. 

Kuluhuila, v. tr Despejar ( o 
conteúdo) para outrem: tig' a mu lu- 
kuila kinda kiafuba,] Dar; esvasiar. 

Kulukumuka, v. intr. Jorrar em 
abundância ] Derramar, verter co- 
piosamente.] Correr por fora. 1 1 sub. 
Salda impetuosa; jorro. 

Kulukumukisa, v. tr. Fazer sair 
em jorro. I Fazer verter em abun- 
dância. 



KUL 



-208- 



KUL 



Kulukumuna, v. tr. D e r r a m a r 
{espalhindo se pelo chão). Fazer 
sair etn abundância, correr por fora. 

Kulukufa, V, intr. Estar abafado; 
sofrer caiôr. [ Estar em estufa, em 
refogado.! fig. Suar. 

Kulukufisa. v. tr. Estufar; refo- 
gar I Cíjzer ou concentrar calor so- 
bre: - xitu. 

Kulúla, V, intr. Amargar; estar 
salgado: ki touala, \d lula. \ \ sub 
Amargor. 

Kuluiama, v. intr. Defrontar; dar 
de cara. I ' sub. Defrontação. | ; adv. 
Defronte.: Kurilulama, v. r. Pôr- 
-se defronte; encarar-se. 

Kululamesa, v. tr- Fazer defron- 
tar, encarar. ! Kurilulamesa, v. r. 
Fazer- se defrontar com. j Pôr-se 
cara a cara 

KuluIÚKa, V intr. Ficar rec nc'- 
liadoJ Ter as relações restabeleci- 
das com pessoHS ini igas. | Ficar 
limpo (de consciência).!, sub. Re- 
conciliação 1 Confissão para se 
chegar á boa paz. 

KuIuluKisa, V. tr. Fazer reconci- 
liar I Restituir a graça > e Dei's. | 
Absolver ( o penitente arrependi- 
do). I Mandar faz;r pazes. 

Kululúla, V tr. Congraçar.| Pôr 
de acordo pessoas desavindas ou 
cousas que parecem contradictó- 
rias.| Restabelecer o a.ò do entre 
pessoas que se tinham malquistado, 

I 1 Kuriliilula, v. intr. e r. Fazer 
as pazes. I Congraçar-se; reatar as 
relaçõis interrompidas 

Kululuta, V. intr. Deambular; va- 
guear; caminhar sem destino.! , sub. 
Deambul ção 

Kululutisa V. tr Fazer deambu- 
lar, vaguear, andar sem rumo. 

Kuiúma. V tr Castiçar.|! v. 
intr. Resonar; repetir (o som) uma 
e mais vezes (diminuindo p ogres- 
sivamente de intensidade).] Tro 
vejai ; reflectir j| sub Resôo; rui- 
do: — kufl mulenge- Fragor; rumor. 

II Knriluma, V. intr. e r. Ter có- 
pula; cohabitar. 

Kulumafa, v. 
der 1 I V. intr 
Ferrar; trincar, i 



tr. Dentar; mor- 

Dar dentadas, i 
É tb, r. 



Kulumaíesa, v. tr. i^^azer morder. 



dar dentadas I Mandar ferrar (os 
dente.';) em' Kurilumatesa, v. r, 
Fazer-se mordfr . 

Kuiúmba, v tr. Snntifcar: — iha- 
loKalu la Nzambi Glorificar; ben- 
dizer ! T' rnar brilhante; realçar || 
.«ub Santificação; briího. | | Kuri- 
lumba, v. r. Tornar-se santo. | 
Glorificar-se:— mu kizuelu k/a Ngana. 

KulumbiKa. v tr eintr. Dign fi- 
car; celebrar; santificar: —un^ana,\ 
Realçar; s^nciou .r; levar a efeito, || 
KurilumbiKa, v. r. Digniíicar-se; 
elevai-;e 

KuluitibiKsa, V. tr. Fazer sai,ii- 
ficar; glorificar, d gniíicar. ! \ É tt, r. 

Kulumbila, v tr. e intr Cona- 
grar; tornar digno. \ \ Trajar cem 
luzimento, com esmero; u azuata, 
u alumbila sub Blilh^ntismo I | 
Kunlumbiia, v r Consagrar-se: — 
Kua Nzambi. \ Oíerecer-se á Divin- 
dade I Didicar se; votar-sf. ] | Ata 
viat-se; abilhar-se \ Oraar-se com 
esrr.êro. 

Kulumbirisa, v. tr. Fazer bri- 
lhar (no traje),! Adornar com veís- 
tes de g la , F^zer consagrar, san- 
tificar. I É tb r. 

Kulumbúla, v. tr e intr Aca- 
salar I Conjugar: — mâsui.l Estabe- 
1 cer conjugação entre: — jingúzu. \ 
Copular I ! Ganh.ir; lucrar j ! sub. 
Conjugação; junção 1 I Kunlurabu- 
la, v r Unir intimamente , Li- 
gHr-se( macho e fêmea). 

Kulumina, v. intr. Resoar; re- 
tumbar: mu tnnd'a mbulu mu alumi- 
na.' Trovejar. limbombar; reper- 
cutir.! fig. Esbravejar; vociferar, 
rugir jsub. Retumoància. 

Kulúnda, v. tr Conservar; guar- 
dar por muito tempo. I Arquivar: — 
mÍKanda \ Manter em bom estado 

Kurilunda, v. r. Guar Jar-se; coq- 
servar-se.| Reservat-se. 

Kuiundama, v. tr. e intr. Caval- 
gar; montar. Deitar-se sobre; estar 
por cima de | | Kurilundama, v. r. 
Estar um em cima de outro.| So- 

brepòr-se. 

Ku'undamana, v. tr. Exagerar; 
avolumar; encarecer. [ | sub. Exa- 
geração; hipérbjle 

Kulundamanesa, v. tr. Tornar 
exagerado; hiperbólico. 



KUE 



-209- 



KUn 



Kulundamesa, v. tr. Fazer ca- 
Víi^ar ' ManJar deitar rta cima de. 

Kulundila, v tr. Conservar algo 
pe'teiirente a ouTem I Ter como 
depo-ito 

Ku'uni SI. V tr Dar a guardar, 
a arquivar ' Pôr em depósito. | [ 
Kurilundisa, v intr. e r. Guardar 
sem propósito. ( Ter 9m depósito, 
em arqui\'0 

Kulunduisa, v. tr. Investir; dar 
posse a: -utoba.\ ' sub. A: to de dar 
posse do Cargo ou benefício. 

Ku undujuka, v. intr. Andí<r a 
CHmbalear (co no os bêbados). | C^ir 
a cada pasao. 

Ku undujula, v. tr Empuirar a 
cada intante. Faztr andar acs 
empuriõjs. Kurilundujula, v. intr. 
e r. Ir aos e._iContrõeí>; etnpurrar-so 

Kulunduk :, v. intr. Tombar; ruir: 
muvi u alunduka [ Cai''. 

Kúlundula, v. tr. Empurrar; fa- 
zer tombar, cair. ' Afa^ítar, repelir.] 
É tb r- 

Kuluniúia v . t r . Hoid .r: — 
iindunda. SuceJer p.T heranç.; rece 
ber por transmisião ou hereditarie- 
dade.!! iub. Herdamei.to. 

Kulunduluka, v. intr. F car des- 
pejado. I Passar de um vazo para o 
outro.l Ficai trasladado. 

Kulundulula. v tr. Trasfegar; des- 
pejar de todo: — kinda. Transferir. | 
Meter em outro saco ou vasilha: — 
masa. Esvasir; espargir.; É tb r. 

Kulundumuisa, v tr. Derrubar; 
fazsr cair, vir abaixo | (Uiz-se das 
cousas que cai.m pela má prepa- 
ração ou negligência dt). Tb. se 
d z kiduiidiimukisa . 

Kulundumuka, v. intr Desabar; 
abater; derruir: mbonge i alundumuka 
(Diz-se das cousas que caiem sem 
intervenção estranha). |1 sub. De- 
sabimenti ; queda. 

Kulundumuna, v. tr. Derribar: — 
matari , Provocar desabamento | 
Precipitar; despenhar. | Kurilu- 
ndumuna, v r. Deitar-se abaixo; 
fazer-se cair. 

Kúlunga, v. intr. Ter razão | 
Triunfar {ú^. um processo ou deman- 
da): u áfundu u ^ungu. | Voacer. 



Kulúnga, v. tr. e fotr Estar 

conf rme, nas condições precisas. || 
Ir d reito a: o njila i alúngu ku 
bnta.\\ Adubar; afinar; temoer^ir: — 
múngua \ ■, Adjectivar: mâzni. Zon- 
cordar M Kurilúnga, v. r. Adap- 
tar-se; harmcnizar-se; conformar-se. 

Kulungama, v. tr. Estreitar; 
aproximar; tornar mais íntimo | 
Pôr em paralelo , Kurilungama, 
V. r. Combinar; concertar-se. 

Kulungamena, v. tr. Agrupar-se, 
juntar-se. 

Kulungika, v. intr. Regular; ser- 
vir de modelo, de regra | v. tr. 
Estabelecer regras.' Harmonisar; 
pôr certo.'; Kurilungika, v. r. 
R grar--e; dirigir-se. 

Kulungila, v tr. Pôr de acordo, 
harmónico, conforme: k/ axamuKa 
k7 lungiVê. \ Acertar; combinar; 
compor. Regularizar. 

Kú ungisa, v tr. Dar razão a. 

Kulungísa, v. tr Guiar; destinar; 
dirigir: — kiftiXi. Dedicar; devotar: 
Kituue kí alungisa o mâji, o ma/i m'a' 
lungisa o múngua. Apurar; afinar; 
fdZ r concordar. É tb. r. 

KulungujuKa, v- intr. Resolvei»' 
desfazer-se aos poncos | Viver na 
incerteza.;; sub Falta de cons- 
tância. 

KuiunguKa, v. intr Deliberar; 
resolver; tomar uma decisão. 

Kuiungúla, v. tr. Tomar a res^. 
luçãode.' Deliberar; decdir. ' Ku- 
riiungula, v. r. R-solver-se; decidir. 
89 . j ; V. intr. Tomar uma resolução 

Kulunguluka, v. intr. Ficar mu- 
dado, traniposto. Passar de um 
para outro lugar. Transfenr-se.j ,' 
sub. Transposição; tran-ferência; 
troca . 

KulunguluKila. v. tr e intr. Con- 
tradizer (alguém tio que diz). | Ne- 
gar, dicordar. não convir ( mos- 
trando razões) Ir contra: atu oso a 
ngi lungulukila , Contestar. 

KulunguIuKisa. v. tr. Fazer ultra- 
passar, transferir, ir de um para 
outro lugar, j Fazer negar, ir con- 
tra 

Kulungulula, v. tr Trocar; in- 
verter, transpor, j sub. Mudança 
I 1 Kurilungulula, v. r. Passar; 



KUL 



-210- 



KUM 



mudar-se; transferir-se. [ fig. Emen- 
dar-se; corrigir-se. 

Kulunj'k?i, V. tr. Acumular; 
aglomerar | Apinhar; reunir ísem 
ligação) I Ajuizar j j Fazer pé de 
meia | i Kurilunjika, v. r Amon- 
toar-se; fazer com outros ajunta- 
mento 1 Constituir-se em grupos.) 
Apinhar-se; rtunir-se. 

Kulunjikisa, v. tr Fazer aglo- 
merar, apinhar, reunir. 

Kulurika, v tr Fabricar:— itía. 
II Airanjar; consertar; corrigir. | 
Armar; formar:- ri7a | f g. | Tramar. 

I I sub. Arranjo; conserto | | Ku- 
rilurika, v. r. Arranjar-se; corapôr- 
•se . I I V. intr. Estar preparado, 
composto: ng'arilarika kii. \ Estar 
pronto. 

Kulurikisa, V. tr Fazer arranjar, 
consertLr, compor | | Kuriluriki- 
sa, V r Fazer se consertar, com- 
por I Adornar-se; ataviar-se. 

Kulurisa, v. tr Faz ,r amarg tr, 
salgar | Amargurar; desgostar] fig 
Fazer passar ura mau bocado. | | 
Kurilurisa, v. r Amargurar-se; 
afligir-se. 

Kúlusa, V. tr. e intr Lançar; vo- 
mitar. I fig De embuchar, di- 
zer o que souber. | | sub Vómito. 

II Kurilusa v intr. e r Sair do 
incógnito, do caos: mona u arilusu 
mu rivumu ria niam'á. \ Soltar - se; 
vir do além 

Kulusisa. kuluxisa, v. tr. Fazer 
vomitar. 

Kulúta, V. intr Estar choco, po- 
dre, (o ovo). II V tr. Errai; es 
tar enganado | | sub. Podridão. 

Kuludsa, V tr. Fazer chocar, 
apodrecer (ovos) . 

Kulutuka, V intr. Ter bojo: rivu- 
mu ri a VIU lutuka. \ Ter grande bar- 
riga 

Kuluíukisa, V. tr. Fazer salien 
tar, ser bojudo 

Kulutula, V. tr. Enfunar; tornar 
bojudo, pando. 

Kulúua, V tr. Mend'gar; dar-3ô 
por convidado; comer por favor | j 
sub Acto de mendigar. 

Kuluuala, v. intr. Demonstrar 
amuo; estar contrariado, zangado. 
II sub. Mau humor; amuo: zanga. 



Kuluualesa, v tr. Fazer amuir, 
aborrecer 1 1 Kuriluualesa, v. r . 
Fazer-se amuado 

Kuluuisa, v. tr. Fazer mendigar; 
esmolar, favorecer. | Dar de co- 
mer ás ocultas do que é alheio 

Kuluuluka, V. intr Ficar con- 
graçado, rehabilitado.| Estar purifi- 
cado 

Kuluulula, V tr Congraçar: — 
jinguina \ Ftlícitar. I' Remir culpas 
ou delictos; expiar: — ituxi.l Purificar 
I I Kuriluuiula, v. r. Fazer as pazes. 
I Pôr se bem no conceito de alguém. 

KuTia, sub (VIII) Atmosfera: — 
ku azele \\ Tempo; espaço; dia: — 
k« aoúndu \\ P^rte; lugar: -sáí ku 
âi. \ I Ar; temperatura; grau de frio 
ou calor:— kw atalaia.] O fluido que 
envolve a terra j Clima. 

Kuma, pron. relat. Que: u ambe -. 
I O qual; do qu^l | | conj integr. 
O seguinte. corog. Importante 
alfluente da margem esquerda do 
rio Kuime, distr. do Moxico, prov 
do B)é I I Pov. e pc sto da circ. civ. 
da Caala, distr. do Huambo, prov. 
de Benguela, 17.48o hab., est. 
telegr.- postal e do C. de F. de 
Benguela, Junta local e escola prim. 
n." 43 de «Ramada Curto. « 

Kumakuna, v. tr. Esmechar; dar 
cutiladas; golpear. 1 Esborcinar; es- 
moncar 

Kuraáma, v. tr. Contactar; co- 
municar. I DÍ4-se do molhar o pão 
no molho, ou a bola áo fiinji no 
caldo. 

Kumamejeka, v. tr. Acrescen- 
tar aos poucos: — ían^a ' Coser pe- 
quenos bocados da pano. | Caracte- 
risar; con iderar em particular. 

Kumameka. v. tr. Colar; grudar. 
Estabelecer aderência ] Kurimame- 
ka, V. intr. e r. Ficar grudado, 
uui do. 

Kumamekesa, v. tr. Fazer acres- 
centar, aderir | Emendar. 

Kumamekeza, v. er. e tr. Aderir. 
I Consentir por convicção ou inte- 
resse: undanda ua — wkeòa ]inzumhi.\ \ 
v. tr. Atribuir; admitir. Kurima- 
mekeza, v r Ligar-se; unir-se. | 
Ir-se juntando. 

Kumamena, v. tr. Humectar; mo- 
lhar aos poucos.! Diz-se do polidor 



KUM 



-âji- 



KliM 



ao molhnr a brintca no poli nento. 

Kumamesa, v, tr. Fazer huraec- 
tar. 

Kumanamana, v, tr. Amealhar: 
jiinbende ja - Angariar, juntar aos 
poucas I Faz^r economias. | sub 
Maneira de obter a pouco e pouco 
I Amealhameoto. 

Kumbafeka, v intr. Proliferar 
I Gerar; reprodusir-se . 

Kumbi, sub (IV) O sol; o dia. | V. 
rikumhi . 

Kúmbomba, v. tr. e i tr. Pingar; 
veiter às gotas | Chover bianda- 
mente. 

Kumbotnbena, v. tr, e intr. Desti- 
lar orvalho sobre. | Rorejai; resu- 
mar.ll Kuriínbombena, v. intr. e r. 
Orvalhar; uniedecer; u ala — kala 
íízeke ia múngua. \ Deitar pingos 

Kumbombesa, v. tr. Fazer pin- 
gar, derramar gota a gota. 

Kumbombota, v. intr Estar né- 
dio, anafado, gordo. | Ter nutrição. 

Kumbombofesa, v. tr. Anafar; 
anediai; nutrir. 

Kíimbua, sub (IX) zool. Ave 
pernalta, tb. chamada trombetei- 
ro, frequente na região das GiCigue- 
Jas I Agami. 

Kumbuambuala, v intr Bor- 
boletear; devanear; mariposear. 

Kumbuambualesa, v. tr. Fazer 
divagar, devanear como as borbo 
letas. 

Kumbuémbua v intr. Murmu= 
rejar; sus5uiiar.| Soar como bor- 
bor:nho | [ v. tr. Segredar; dizer 
ba xinbo t | Kurimbuembua, v. mtr. 
er Murmurar alegremente. I Trau- 
tear; cantarolar. 

TCumbuembuesa, v. tr. Fazer 
botborinhar, produzir sussurro, 

Kumbuenzula, v, tr. Magnif car; 
sumptuai; engran lecer | Tornar es- 
plendoroso 1 Falar em estilo pom- 
poso:— ma'ia I Exaltar; enaltecer. I 
É tb r. 

Ku tnbulu, adv. .\' última hora 1 
A's pressas; do pé para a mão. 

Kumbumbama, v . int--. Estar 
carnudo, grosso ] Ressaltar; sobre- 
sair.j Ter relevos, sahêacias, ai* 



altos e baixos. 

Kumbambamana, v. intr. Esta- 
relevad ; ter protuberâncias: por 
lo i a mu mbumhamana. 

Kumbumbamanesa, v. tr. Fazer 
ressaltar, sobresair | Fazer ter pro- 
tuberâncias. I Pintar a relevo. 

Kumbumbika, v. tr. Abolar: — 
funji,\ Arredondar; t mar esférico. 

I É tb r. 

Kumekata, v. intr Luzir por 
efeito de óleo ou gordura. | Ter un- 
tura. 

Kumemeta, V. kumuemueta. 

Kumendala, v. tr. (port) Aumen- 
tar; emendar V. kuteseka 

Kumeneka. v. tr. Matinar j | Ku- 
rimeneka, v. intr. e r. Madrugar: 
u arinúna o rikanga, TÍmeneke.\ Ante- 
cipar-se; adiautar-se. 

Kumenekena, v. tr. e intr. Can- 
tar matinas; cumprimentar; sau- 
dar.) Enviar recordiíçõ sa.j Salvir. 

II sub Saudação; vénia; cortezia.| j 
Kurimenekena, v. r. Trocar sauda- 
ções 

Kumenekesa, v. tr. Fazer madru- 
gar, matinar, sair de manhã 

Kuménga, v intr. Rabear; rebj- 
lar; saracotear 

Kumenuka, intr. Ter filta; estar 
diminuido: ku kitari ku amenuka. \ 
Ter ou ir a menos | | sub. Decres- 
cimento. 

Kumenukisa, v. tr. Fazer faltar, 
diminuir 

Kumenuna, v. tr. Tornar menor. 
I Reduzir | Abater, j I Kurimenu- 
na, V intr. e r Apoucar-se; dimi- 
nuir-se . 

Kumesena, v. tr. e intr. Preten- 
der; querer: ng' amesena ngi tunda bu 
kanga.\ Intentar; empregar diligên- 
cia. 

Kuméta, v. intr. Dar s nal cu 
demonstrar vontade de chcrar: polo 
% ameta kurila.\ Diz-se dos primeiros 
snais de choro. 

Kumiámia, v . intr. Chuviscar 
brandamente || sub. Chuvisco. 

Kumikuka, v intr. Espaduar-se; 
inchnar-se (em movimento rápido); 
tombar de cabeça para traz. 



Kt3M 



-â<2- 



KUM 



. tr. F.izer en- 
Fazer inclinar 

Deglutir; en- 



Kutnikuna, v. tr. Espaduir; in- 
incJ^nar (o busto) para traz: — mona. 
I É tb. r. 

Kumingana, v. intr. Ser t. rto 
(com o peito saliente). | Estar em- 
pertigado. 

Kuminganana. v, intr. Andar tor- 
tf\ inclinado { com o peito saliente): 
íuenda — . | Empertigar-se; incli- 
nur-se para traz. 

Kumingananesa, v 
tortar pela cintura ] 
para traz. | É tbr. 

Kuminha, v. intr. 
golir.l I Acreditar (o qu-e não é ver- 
dade). |Embuchar; calar.] ] sub. De- 
glutição. || Kuriminha, v. intr. e 
r. Calar-se; uão produzir ruido ou 
som.| Conter-se; reprimir-se. 

Kuminhisa, v. tr. Fazer engoLr. 
I |Enganar, ilu 'ir. 

i^umioKOta, V. tr. Fazer cócegas. 
ITitilar. I IKuiimit Kota, v intr. e 
r. Sentir ou sofrer tltilações.] Go- 
lear; serpear. 

ivíiraoka, V. tr. Criticar; censu- 
rar; dizer mal de.| | KurimoKa, v. 
intr. e r. F. lar de tu io sem piopó- 
sito I Abocar; de,p opjsitar. 

Kumokóna, v. tr. e intr. Bicar: 
— mufiima.] Lavrar (pedra com p- 
cão) I I KurinioKóna, v. r. Fer r- 
-se com bico (como as galinhas). 

KumoKuesa, v. tr. Faz^r picar, 
ferir com bico.| | KurimoKuesa, v. 
intr. e r. Permutar palavras; di - 
putar, 

Kunióina, v. tr e intr. Nicar; 
debicai. I fig Pedir dinheiro em- 
prestad". \\ sub O comer das 
aves I NiCbda.ll Kurimóma, v. r. 
Feii -se com picadura. 

KumomeKa, v tr. Mar ar cora 
bico; pôr ponto era | Assinalar 1 1 
sub Apontamento; b cada | É tb. 
intr e r. 

KumomeKesa, v tr. Fazer mar. 
car, apontar, tomar nota.| É tb r. 

Kumomesa, v. tr Dar a debi- 
car I Fazer picar (a ave .\ fig 
Dar dinheiro por einpréátimo. 

Kumomojoka, v. intr. Estar pi- 
cado em toda a extensão ou super- 
fície: 'polo i o mu momojoka.] Ter 
muitoi einais de bexiga». 



Kumomojona'. v. tr. Bicar muitas 
vezes i Picar em muitos lugares, 
encher de sinais | | Kurimomojona, 
V. r, Dar-se bicadas (como as gali- 
nhas) 

Kumomoka. v. intr. Ficarcriva- 
do, assinalado, picado (oe bexigas). 
I E^tar dt-penicado. 

Kumcmona, v. tr. Debicar; cri- 
var (com o bico) II sub. B cada | | 
Kurimomona. v intr. e r. Picir-se-; 
bater-se (as galinhas). 

Kuinomonona, v. tr Tomar a 
bicar, a crivar, a ferir (cnm o bic )| 
É tb. r. 

Kúmona, v, tr Vêr; presrntiar; 
assistir: 7ig^ amono nt mesu ma ,\ Avis- 
tar; reconhecer: kima u ki mona ni 
u ki tange. \ Notai; observar.! , sub 
Vista I Biau ria — , alviçaras.| | Ku- 
rimona, v intr, e r. Julg-r-se; vêr- 
•se j Ter entrevista. 

Kumondala. v tr. (port) Montar. 
I V. kutulama 

Kumonejeka, v. intr. .^parecer 
p .r vezes 

Kumoneka; v. int. Aprí sentar-se; 
mostrai-3e.| Aparecer.]; sub. Apa- 
recimento. 

Kumonekesa, v. tr. Fazer apa- 
recer I Fazer que se man feste (o 
que estiver o.ulto). 

Kumoscjoka, v intr F car pisa- 
do, empipado devido á dt-mi^iida 
tiituração | Ficar de^f-ito. 

Kumosojona. v tr Amassar; ir 
triturando. | É tb. r. 

Kumosoka, v intr Ficar amas- 
sido, ftito em papas: jinguba y amo- 
eoka. 

Kumosona, v. tr. Esmiudar; es- 
migalhar; esfarelar. 

Kumuánga, v tr. Dispersar: ItUa 
ria 7ivala ri anmanga o kizôniha polo 
ia muloji i amnanga o ukàmba | Es- 
palhar II sub i.»)spersão. I I Ku i- 
muánga; v intr. e r. Dispí rsai-se; 
debandar.] Ir tada qual pira seu 
lado. 

Kumuangajana, v. tr. e intr. Ir-se 
diapersand' ; pôr se em debaudada.l 
Tomar cada um seu rumo. 



mu 



-âíá- 



Km 



Kumuangana, v. intr. Estar dis- 
perso: kizomba k/ amuangana,. Des- 
troçar; sair da forma; | | sub Es- 
tado de tropa íóra dâ formatura | 
Confusão; fuga. 

Kumuanganesa, v. tr. Fazer 
f)estr< çar, dispersar; pôr em de 
bandada. 

Kumuangujuka, v. intr Fi ar 
escangalha lo, pô-.to em debandada: 
KÍfuxi ki amuangujuka. \ Fi.ar d espar- 
so, desfeito em muitos bojados. 

Kumuanpujuna, v tr. Despeda- 
çar; ir dtsf izendo, separando em 
bocad( s. ] Kunmuangujuna, v. intr. 
e r. Esfíangrtlhar-se, desarranjar- 
-se 

KumuangUKa, v Ficar separado, 
dividido por partes.] Tomar (cada 
um) direcção ou partido difetent-: 
Kilombo Ki amuanguKã | D.vidir-se 
em fracções. 

Kurauangunuka, v intr F car 
desligado, desunido, afastado nm do 
outio. 

Kumuangununa, v tr. Desunir 
(o que estava ligado), j Apar- 
tar; dividi r:~mu'axaxi. | ] Sub. 
Apartamento.] É tb. r 

Kumuémua, V intr.' Sorrir . 

Kumuemuefa, v. intr. Estir mo- 
le, nihduro: rihonjo ri amuemiieta. \ 
Dar de si. 

Kumuemueíesa, v. tr Fazer 
amolecei (o fruto); tornar madu o 

Kumuena, v tr. Avistar; entre- 
ver: ng'a nu muena mu Kanga.\En- 
trevistar.l, Kurimuena, v intr. e 
r. Conh^^cer, distingur., Vêr cora 
os próprios olhos: KÍrna kienc — .\ 
Estar á vista. 

Kumuesa, v. tr. F zer vêr, pas- 
sar por: u a ngi muesa harl.\ Pôr 
aprova, á vista. |! Kurimuesa, v. 
iutr. e r. Mostrar-se; dar-se a co- 
nhecer: kazokela o hata bu fundu,— 
ungamba.\ i ô:-3e ás vist.s 

KumuÍKa, v. tr. Alumiar; ilumi- 
nar.', ] v. mtr Ter luz própria | 
Brilhar; luzir. | 1 KurimuiKa, v r. 
Vêi-se ao espelho., Mitar-se. 

Kumuikína, v. tr. Derramar 1 .z 
sobre. I Iluminar por meio de. 

Kumuikisa, v. tr Fazer ólumiar, 
aclarar, dar lus.i £ tb. r. 



Kumumafa, 
na boca. 



intr. Ter água 



Kumumunha, v. tr Mastigar ali- 
mentos de boca fechada. 

Kumúna, v. tr. Corapartilh .r; 
p-irticipar: — Aru ííé/z;/. ] Ter dirt-ito 
a; ser comparte | | sub. Comp.-irti- 
cipação. 

Kumúnga, v. tr. Granar; gra- 
nular. 

Kumungujuna. v tr. Ir tirando 
os grão da espiga 

Kutnungula v tr. Exceptuar: 
mu undundu a mu mungula-mu . |Ex- 
clu r. 

Kumunguna. v. tr. Escarolar: — 
masa.\ Esburgar. 

Kumungununa, v. tr. Tornar a 
esburgar. ] ir tirando da etpga 
os restantes bagos | G anular, des- 
bagoar de novo. 

Cuná, adv. Ali; lá ] Acolá; além. 

Kunafunuka, v. inir. Adolescer; 
crescer em atitudes, em forças. 
I Encopar 

Kunalunukisa, v. tr. Enfunar, 
engrossar, ensoberbecer. 

Kunakina, v intr. Permanecer; 
jazer; ficar exposto ou demorado 
por muito tempo, j Estar no mesmo 
estado ou situação. | | sub. Jazida; 
permanência. 

Kunameka, v. tr. e intr. Espe- 
car; traser pendente: — rmi^ele \ É 
tb. r. 

Kunaminina, v. tr. e intr. Es- 
tar agarrado, colado: o njila i anavii- 
nina ku uâsu \ Agarrai: songo kuata, 
aongo naminina. ; Segurar. , j Kuri* 
naminina. v . r, Agarrar-se; ligar- 
-se iniiiUc m nte. 

Kunaminisa, v. tr. Fazer colar. 

Kunamolala, v. tr (port.) Namo- 
rar. . V ku(angesa 

Kunamujuka, v intr. Ser muito 
peganhento.! Ter dilatação; ir au- 
mentando de volume. 

Kunamuka. v. intr. Ser viscoso, 
pegadiço, glutinosc. Ter aderência. 
j I Ter pouco mais da quantida- 
de devida fubá i anamuka \ Abun- 
dar; crescer um pouco. 



Km 



-214- 



KUN 



Kunamukisa, v. tr. Fazer dila- 
tar, aumentar, crescer pouco mais. 

Kunamuna, v. tj. Deixar visco; 
largar umores viscosos. 

Kunána, v. tr. Esticar; retesar. | 
Extender com força j ( v intr In- 
char fermentar; crescer. | | sub. 
Esticão; puxada. | | Kurinana, v. 
intr. e r. Esticar-se. fig Safar-se; 
ir-se embora. 

Kunanesa, v. tr. Levedar; fazer 
crescer. | Exagerar; aumentar; en- 
caracer || sub. Exageração; hipér- 
bole II Kurinanesa, v. intr. e r. 
Tornar-se volumoso; inchado. 

Kúnanga, v. tr. e intr. Tardar; 
demorar; durar | Conservar se; vi- 
ver; subsistir ] Estar; passar o dia, 
o tempo: u anange kuxifll sub. Du- 
ração; demo 'a: maka ma musoso ki 
m' anangè, \ Dura. 

Kunangenena, v. tr. e intr. Re- 
tardar; permanecer: lakuaku lu na- 
ngenena mu' mbta lu tômbola ifuba | 
Vir ou chegar tarde. 1| É tb r. 

Kunangenesa, v. tr. Fazer de- 
morar, retardar, perder tempo ] 
Não dir expediente tão rápido co- 
mo é devido. 

Kunangesa, v tr. Ajudar a pas- 
sai o tempo I Fazer permanecer: a 
mu nangeea bu luànha.\ Fazer compa- 
nhia a. 

Kunanujuka, v. intr. Crescer aos 
poucos. I Animar-se, ir tomando vul- 
to. I Gesticular com arrogância. 

Kunanuka, v, intr. Crescer pouco 
(em tamanho). | Tornar-se pouco 
maior. |Ter pequeno aumento; ser 
pouco mais volumoso 

KunanuKÍsa, v. tr, Prazer avolu- 
mar, crescer, sobresair: o kuijia — , 
o kuenda Kuijirisa- 

Kunánza, v. tr Gabar; tecer elo- 
gios a.j Tornar ufano. || Kuriná- 
nza, V. in»r. e r. Tecer elogiosa si 
próprio; ufanar-se 

Kunanzesa, v. tr F^zer elogiar, 
gabar. 

Kunda, sub ( IV ) Costado; cos 
tas: o~k'akal'ékota, maongongo n'a- 
kaU ndenge | Abrev. úe rikunda. 

Kundámba. v. tr Manipu'ar: tu- 
rie uiKi uetu, ki tu lembuele i nda- 
mba nfiuiki. | Preparar; coordenar; 



compor. II sub Manipulação; ar- 
ranjo I I Kurindámba, v. r. Prep - 
rar se; untai -se. 

Kunde, sub { IV ) bot. Feijão 
frade, miúdo, verde: -k/ k'ariteKe- 
l'á kl ri zana'è. Kiringu kíq inúkua 
nzala kí k'izub'ê \ \ Abrev. de ri- 
Kunde. 

Kundómba, v tr, e intr. Tornar 
trigueiro, moreno | Enlourecer. | É 
tb. r. 

Kúndonda, v. intr. Gotejar; es- 
correr pingando | j sub. Goteja- 
mento. 

Kundónda, v. tr Apontar; indi- 
car com o dedo ou ponteiro. | Pre- 
cisar. 

KundondejeKa, v. tr. Segurar com 
pontos. 

KundondeKa, v. tr e i n t r. 
Apontuar; assinalar.] Declarar a 
procedência, a origem de. |Marcar 
com ponto 

Kundondesa, v tr. Fazer escor- 
rer, gotejar, pingar. | | Fazer mar- 
car, assinalar. 

Kuudondomona, v. tr. Desopilar. 
jTirar o resto dos cereais pilados: 
— masa \ \ sub. Desobstruição. 

Kundu, sub ( IV ) Narração; co- 
municação; entrevista i bot. Plan- 
ta medicinal iam. das ebenâceas 
{dyosplrus hylophila), de raiz espec- 
torante, emética e purg itiva. | V.- 
nhático; sua madeira. | V, 
UKundu 

Kundúmba, v. intr. Novitiar | 
Praticai; iniciar-se. 

KundumbuKa, v. intr. Prostituir- 
se. I Perder todo o recato. 

Kundumbula, v. tr. Aviltar, des- 
morali^aI; p ostituir. | Tornar de- 
vasso. I ] Kurindumbula, v. r. Fa- 
zer-se prostituta; tornar-se meretriz. 

Kundúnda, v. tr. Embater: dar 
ou ir de encontro a. | Encontrar pé, 
ou tocar a sonda íunilo.| Topar. |j 
sub. hmbatej Kurindunda, v. intr. 
e f , Encontrar-se e produzir embate 
reciproco. I Chocar-se- 

Kundunduma, v. intr. Retumbar; 
rumorejar. | Produzir s un confuso 
não muito forte. I Ecoar; repercutir. 

Kundunjila, v. tr. Coacitar; in- 



KUN 



-2Í5- 



KUN 



duzir: — maka \ Aconselhar íp^ra o 
mal); sugerir | | sub. lasinuação; 
incitamento | | Kurindunjila, v. r. 
Inspirar-se; aceitar sugestões. 

Kunéma, v. intr. Pesar: mhinda mu 
teke ií i mone o — ; njila mu ende u i mo- 
ne o kuleba.\ Ter pêío. | v. tr. Sope- 
sar. || sub. Peso; força. 

Kunemana, v. intr. Ficar d for- 
mado, aleijado: -k'?í ?mn^'é. I Estar 
ou f car coxo, ter defeito. 

Kunemelía, v. tr. Defeituar; alei' 
jar. ; Viciar; corromper.] É tb r. 

Kuneména, v. tr. Exercer pres- 
são: — hoxi.\ Pesar scbre. 

Kunemesa, v. tr. Fazer pesar; 
tornar grave, mais pesado | Dif- 
c\i\ta.T-—maka' ' Kurinemesa, v. r. 
Tornar-se pesado. 

Kunéna, v intr. Estrabar ; Ex- 
cretar; defecar; de<;comer. 

Kunene, corog. Grande rio que 
limita a província de Angola pelo 
S. Ndsce nas terras do Ambo, atra- 
vessa o trntório do Humbj e vai 
desaguar no Atlântico, ao S, da 
Baía dos Tigres, a ly'" 15' lit ■ S. 

Kunenena, v. tr. Evacuar, desco- 
mer sobre | Kurinenena, v. r . 
Bjrrar-se (com excremento) | Sujar- 
-se.|fig. Sair-se mal; comprometerse 

Kanenesa, v. tr. Fazer excretar 

Kunengana. v. intr. Ser maleável, 
de fdcil manejo. I Sar ílex.vel; ficar 
áraolentado. | sub. Molificação. 

Kunenganana, v. tr e intr. 
Molficar 1 F car menos duro. 

Kunenganesa, v tr. Emolir; des- 
fazer a dureza de. II Kurinengane- 
sa, V. intr. e r. Aplacar-se; tornar- 
•36 brando. 

Kunéfa, v intr Eng^jrdar, me- 
drar, nutrir | Estar gordo 
I 1 sub. Gordura; obesidade | Parte 
gorda das carnes mortas.' Banha; 
unto. 

Kuneíesa, v. tr. Fazer engordar, 
nutrir. II Kuriíieíesa, v. intr, e r. 
Anafar-^e; ii criando gordura. 

Kunluzá, sub (IX) port. Confu- 
são I V. Kãvanza. 

Kunga, corog Lago a O. de Mu- 
xima, distr. e prov de Luanda, 
margem esquerda do rio Quanza. 



I! Pov. no antigo cone de Zeazâ 
do Golungo, circ. civ. de Icolo e 
Bengi, distr. e prov. de Luanda- 

Kunganala, v. tr e intr. (port). 
Enganar. I V. kukãxa. 

Kungánga, v tr Mors gar; fer- 
rar:— /Tití/u I Dar dentada em. 

Kungangama, v. intr. Estar ás- 
pero, azedo. I Amargar; travar. 
||sub. Pique; azidia; travo 

Kungangamesa, v. tr. Fazer aze- 
dar, tornar amargo. | | Kuri- 
ngangamesa, v r. Azedar-se, iiri- 
tar-se. 

Kunganhala, v, tr. (port) Ga- 
nhar. I V. kalunibúla. 

Kungénga, v. intr. Fulgurar; in- 
candescer; refulgir. || sub Fulgu- 
ração; incandescência | Kuri- 
ngénga, v. r. Tornar-se candente, 
fogoso. 

Kungengesa, v tr. Fazer in- 
candescsr; refulgir 

Kúngonga, v tr , intr. e r. Mur- 
murar.] Dar sinais de descontenta- 
mento (falan lo baixinho)' Lamen- 
tar-se; queixar-se; mostrar-se pre- 
judicado ou ofendido 

Kungongama. v. intr Pôr-se de 
cócoras j Assentar-se sobre os cal- 
canhares I Agachar-se. ] fig De- 
fecar; evacuar. 

Kungongamana, v. intr Estar 
ou ficar acocorado. | Conservar-se 
assentado sobre 03 calcanhares. 

Kungongamesa, v tr. Fazer 
acocorar.] Fazer evacuar (ás crian- 
ças) 

Kungongena. v. tr. Murmurar 
sobre; manifestar sentimento: u ala 
— o njila I Lâmentar-se por. i Ku- 
ringongena, v. r. Falar a sós; la« 
mentar-se; queixar-se, 

Kungongesa, v. tr. Fazer res- 
mungar; dar lugar a murmúrios, a 
lamentos. 

Kungongofa, v. intr. Estar doen- 
te da barriga: mu mala mu ala ku 
ngl ngongOta.\\ Sentir picadas (nos 
intestinos).! I sub Dôr de barriga; 
revolu ção intestinal. 

Kúngú, sub. (IV) abrev. de ri- 
knngu | Barroca, cova || — ria ngá- 
mba, antigo bairro da cidade de Lu- 



KUN 



- 2íé- 



KUN 



andA, próximo da est. da Cidade 
Alta. 1 1— ria hoji, Pov junto à mar- 
gem esquerda do rio Quanza, dis^r. 
e prov. de Luanda 

Kungulu. adj. (11) Paralelo. | V. 
mukungalu j | corog. Pov. na ctc. 
civ. do Amboira, distr. de Novo Re- 
dondo, prov, de Benguela. 

Kungulule, adj. Correntio, tor- 
rencial; Caudaloso: — miísokt. \ Que 
leva muita água; q-ie vai passando 
ou correndo |) sub A'gua corrente 
(geralmente das chuvas). 

Kungulungunda, v. tr. e intr. 
Diz-se lio corpc que se movimenta 
dentro de um bojo; da boli dentro 
de um saco; do feto de ntro do ven- 
tre que o gera, etc. | | sub. Mo- 
vimento interno p r o v o c a d o por 
um corpo estranho. | Conjunto de 
grânulos por baixo de utna superfí- 
cie. 

Kungungujuna, v intr. Soltar 
muitos sons graves e prolong 'da. | | 
sub. ResOcimento. 

Kungunguma, v. intr. SoKai 
.sons uniformes (como os instrumen- 
tos de foles que servem de aconip i- 
nhamento dos sons agudo>). | lie- 
soar; retumbar. | Produz.r som ca- 
vo e profundo. I | sub. Returabân::ia; 
vibraçãc; eco.| Ronco. 

Kungungumisa, v. tr. Fazer re- 
tumbar, vibrar, soltar sons graves e 
prolo igados. 

Kungungu(a, v intr. Resmonear; 
boquejar. | Falar entre dentes; dizer 
era voz baixa. 

Kungungutila, v tr. Fazer quei- 
xas a: — njila. \ Dizer murmúrios 
para. II Kunngungutiia, v intr e 
r Andar a resmungar, a queixar- 
-se. Dar sinais de descontenta- 
mento falando biixo. 

Kúnhaka, kunhakuna, v, tr. Es- 
tatelai, atirar para o chão (sem que 
haja amparo a amoi teccr-lhe a que- 
da): mona u a mu nhakt boxi j | sub 
Estatelamento | É tb. r. 

Kunhakuka, v intr. Ficar peja- 
do, abarrotado, bojudo: rivumu ri a 
mu nhahuka \ \ Arremessar-se, ati- 
rar-se ( ao chão ). | | sub. Abarro- 
tamento; enfarte. 

Kunhakukisa, v. tr. Enfartar; 
fazer pejar, encher quanto possível 



Kunháma, v tr. e intr. Caçar | 
Andar á caça (no ma^o) | | sub. 
C?ça . 

Kunhamuna, v tr e intr. Fa- 
lar sem ser a propósito. | Delatar; 
revelar: — maka. | Dizer cousas in- 
verosímeis 

Kunhana. v tr e intr. Furtar; 
roubar | Raptar.!' sub F'aude: 
furto: roubo ' | Kurinhana. v. r. 
Roubar-sea si próprio; prejudicar-sci 

Kunhanesa, v tr Deixar furtar, 
surripiar, roub-»r. j Mandar tirar o 
que é alh io | | Remediar, socorrer 
(f-m caso de doença e ás ocultas do 
médico). I I É (b r. 

Kúnhanga, v. tr. Arrojar ao 
chão. I V kunhaka. 

Kunhánga. v tr. Trucidar; aba- 
ter (cousas ou pessoa^): — xUu ( Su- 
focar; degolar; mitar (derramando 
o sangue da vítima sobre o objecto 
divinisado) || .Apartar; entalar: --;t- 
pakv, liu jipandu || Kunnhánga, v 
intr e r. Sacnficarse; ofer<.cer-se 
como vítima. jMatar-se 

Kunhangujuka, v intr Ficar fei- 
to em tiras, rasgado aos bocados: 
multlc U080 u anhangujuka \ Ficar es- 
farrapado. 

Kunhangujuna, v. tr. Esfarra- 
par; fazer em tiras 

KunhangumuKa, v. iutr. Levan- 
tar-ie de repente. ] Tirar-se, erguer- 
-sa de repelã\ 

Kunhangumuna, v. tr. Arrancar; 
tiraij faz r erguer de súbit).] Ar- 
rebitar; furtar. 

Kunhanguna, v. tr. Levantar; 
a.íairar; prender . |L:var (sob cus- 
tódia.) 

KunhanhuKa, v intr. Rarear; 
tornar-se m^nos assíduo: o k/K/ KU 
bata u an/ianIiUKa ku. \ Apaiecer 
poucas vezes. 

KunhanhuKísa. v. tr. Fazer ra- 
rear. 

Kunháfa, V. tr. Transportar, le- 
var cATga.: - mutete;—udnda.\ \ v. intr. 
Conduzir. 

KunhafuKa, v. intr. Estar peja- 
do, cheio. IV. KunhaKUKã. 

KunhéKa, v. tr. e intr Vacilar; 
vergar; balançar.] Ê tb. r. 



Kt3N 



-2J7- 



Kt3N 



KunhekuKa, v. íntr. Abalar; dar 
de si I Tocir-se; ofen ier-^se. 

KunheKUTiuna, v. tr. e intr. 
B-»rn bolear; fazer estremecer. 

KunheKuna, v. tr. Fazer oscihr, 
mo/er: — ritari Daslocar; fazer 
sair do lugar. 

Kunhema, v. tr. Entranhar; la- 
mentar; tornàr-se queixiso. (Em 
prega-se no sentido araiitoso). 

Kunhemena, v, tr. e intr. Quei- 
xir-sf, lamfntar-se por. Estranhar: 
ng'a—0 KU kamba ku nfii sota. 1 
Manifestar sentimento por , Kuri- 
nhemena. v r. Lamentar-se, quei- 
xar-se mutuamente. 

KunherauKa, v intr Resentir- 
• se. I Manifestar frieza, resenlimeu- 
to, que xa. 

Kunhénga, v. tr. e intr. Enfor- 
car; estrangular | Ter p-^ndcnte: 
u anhenga o xitu nguma la jimbua ' 
Suspender ! I sub Enforcamento. 
I iKurinhenga, intr. e r. Dependu- 
rar-se; enforcar-se. 

Kúnhenga, v. inti Ser delgado, 
esguij, fmo. 

Kunhengana, v. tr. Pendurar; 
su^ipender de modo a nâo tocar no 
chão. ! sub E-trapada. 

Knnhenganana, v. intr. Estar 
suspenso, pjadentcí . ' v. ir. \com- 
p^nh-ir (por insistência); seguir. 1 | 
Kunnhenganana, v. r. Ligar-se, 
fdxer-se acomptnbar de. 

KunhengencKa. v tr. Dependu- 
rar;8Usponder; pôr no prêg.; Fa- 
zer pjnd«r.| sub. Pependura. 1 Ku- 
rinhenaencKa, v. intr. e r. Sustei- 
se no ar; depondurar-se 

Kunhengesa, v tr. Adelgaçar, i 
Tornar estraito; fino. É tb. r. 

Kunhepuka. v intr. Abnegar; 
fratarnisar; simpatisar. j Comunicar 
nas mesmas ideias { { Ser afável, 
benigno: — mí/x/Vna-l i sub. Fraterni* 
sação; benignidade. 

Kunhepukisa, v. tr. Harmonisarl 
írsternisar j Fazer sirapat sar, ser 
afável, benigno 

Kunhéfa, v tr. Amimalbar; fazer 
catícias. 

KunhÍKa, v tr. Redbuçar; balou- 
çar.) | V. intr. Choatar; ir aos sol» 



vancos. II ttib. Balaaceamvnto. H 
KurinhÍKa.v r, Bilouçar-se; bam- 
balear-se. 

Kunhikisa, v. tr. Fazp- biioiíçar, 
oscilar, dar balanço a É tb. r. 

KunhiKÍ(a, V, tr Mover com fre- 
quênca.l Agitar !] Kurinhiki(a, v. 
intr. e r. Choutar; andar aos sola- 
vancos. 

Kúnhinga. v. tr. Enrodilhar: — 
hata I Knroscar; torcer:— muko/o 11 
sub Enroscamento; enlace. 1] Ku- 
rin.hinga, v. r. Euroscar-se; enrolar- 
-se: — lúhata.\ Entrelaçar-se. 

Kunhingina, v. intr. Volitar; es- 
voaçar:— y7/zy7 ! Voarem volta. Ij 
Envolver, torcfr por.] -sub. Voe- 
jar. !| Kurinhingina, v intr e r. 
Ênrodilhír- e; enrolar-se; (de panos 
á cintura): — ka/JíV/r/.; Envolver-se. 

Kunhinginina v. intr. Andar a 
eSvoaç-ir, a volitar (a mosca).] 
V Kuinginina. 

intr. Des-ançar.l 
Sossegar; doimir [ | 
sub Repouso; sos- 



V tr. Fazer sosse- 
I Dar folga a. 1 [ Ku- 
r. Aliviar-3e; c<il- 

intr. Enganar-se; 



KunhÓKa, v. 
parar; folgar 
fig. Morrer. I 
sego; descanço 

Kunhokesa, 
gar, descançar. 
rinhoKssa, v 
mar se . 

Kunhóla, v, 
errar 

Kunhonga, v tr. Fazer girar 
um ccrpo pelas suas extremidades 
cada uma em sentido contrá- 
rio ; Contorcer: — sxingu ia ánji \ 
Dar torceduras a.|!sub Torção |1 
Kurinhonga, v. intr. e r. .^orce.-se 
violentamente; contrair-se. 

Kunhongesa, v. tr. Fazer torcer' 
dar contorção 

Kunhongojoka, v intr. Andar 
ás torceduras, a quebrar caminhos | 
Bord'íjar; dar voltas tortuosas: 
xiienda mu njila — . Trabalhar, mou- 
rejar, f.ízor pela vida. 

Kunhongona, v. tr. Eatorcegar; 
torcer. 

KunhongonoKa. v intr Ficar 
estortegado, retorcido , Sofrer uma 
torcedura | Ficar deslocado por 
meio dt uma torcidela. 

I KuQhongonona, v. tr. Retoicer. 
I jFastr daslocar alfo do squ lugar 



KUN 



- 2Í8- 



KUN 



por torceduras: rugiria ndenge i atl» 
sJKoke/d, ia— 4 ôeka kisueleU. \ De- 
sarticular, iepar*r, arrrancar por 
maio (ie torcirnento. | Despegar, 
desunir (torc -ndo). 1 1 sub. Torce- 
dara ÍIÉ tb. r. 

Kunhongoía, v iutr Ter cólica, 
dõr de b-irriga: bu ngômòo bu ala ku 
n^t uhongota 

Kunhonhala, v. tr Adular; en- 
godar; enganar.] Subornar; corrom- 
per por meio de sedução 

Kunbúka, v tr. e intr. Costurar; 
pespontar; coser. 

Kúnhunga. v intr. Estar empe- 
nado, torcido: múxi u anhungu \ \ 
Errar; volutear; girar; ngi nhunga kí 
nhunga o humbi, ngi bekela kt bekeía 
o mbémba | Rodear; andar em t irno 
de ! I sub Movimento de rotação. 

Kunhungana. v. intr. Divagar; 
caminhar sem destino | Vadiar || 
V. tr. Rodear: vaguear; percorrer. | j 
sub Vagueação; vadiice 

Kunhunganesa, v tr. Fazer an- 
dar, caminhar ao acaso, percorrer. 

Kunhungina, v, tr. e intr. Rodear 
por; andar á roda de: — bti muelu ua 
ngene \ Ir de volta a. 

Kunhungisa, v. tr. Entortar; tor- 
cer.] Fàz«r sair do caminho direito. 
dos bons hábitos ou costumes.] 
Fazer rodar, virar. | | Kurinhungisa. 
V. r. Desviar-se da direcção devida. 
I ] Entortar-se. 

Kunhungujuka, v. intr Rodear, 
dar muitas voltas. ] ] Buscar; dili- 
genciar. 

Kunhunguna, v. tr. Desenrolar; 
desandar | Desenredar; estender o 
que está enrolado. ] Revogar; desfa- 
zer. 1 E' tb r. 

Kunhungunuka. v in'r Desan- 
dar; voltear em sentido contrário: 
nhunqtmuk.a ku rima ria mbóndo nda 
uive kt nua ndânji. \ Estar ou ficar 
desenrolado, desenroscado. 

Kunbungununa, v. tr. Descochar; 
desenrolar; desfazer: — hata \ Des- 
dobrar; destarrachar; destorcer: — 
tmikolo. I! Kurinhungununa, v r 
Desenrodilhar -se; desenroscar - se; 
extender-se. 



Kuniangu(a, v 
mascar; ruminar. 



t r . Mastigar; 
Triturar com os 



dentes. II sub. Masfigação. 1 1 Kurl- 
njangufa, v. r. Morder-se 

Kunjangutisa, v. tr Fazer mas- 
tigar, triturar com os dentes.. 

Kunji, sub. (IV) Abr. de rikunji . 
I I corog Pequeno rio na região dos 
Derabos, tributário do Lêfua, con- 
fluente d a margem esquerda do 
Dande, perto da pov . de Mabinda, 
no distr e prov de Luanda. | ' Con- 
fluente da margem esquerda do 
Quanza. Nasce a E. do território do 
Bailundo, distr. e prov. do Bié. 

Kunjongoka, v. intr. Ficar am- 
putado, cortad®: mulembu zi a mu JO' 
ngoka \ Estar (urto, 

Kunjongojona, v. tr. Amiudar.] 
Cortar por vezes; partir em bocados. 

Kunjongona, v, tr. Cortar; sepa- 
rar; partir: — múkunga \\ sub. Ampu- 
tação; corte. I E' tb. r. 

Kunjongonona. v, tr. Tornar a 
cortar, a partir | Beliscar; magoar. 
1 K' tb. r. 

Kunjonia v, tt. e intr. Comer 
pouco muitas vezes. | Lambiscar; 
depenicar; merendar. 

Kunjonjesa, v. tr. Dar merenda 
a; dar de comer aos poucos. 

Kunjonjona, v. tr. Mordicar ] Be- 
liscar; unhar. 

Kunjonjofa, v. intr. Estar a co- 
mer muitas vezes. 

Kunjotojona, v. tr. Magoar com 
beliscões 

Kunjofona, v. tr. Apertar a pele 
com as unhas | Dar beliscões a. 

Kunjofonona, v. tr. Estortegar. 
I Torcer com os dedos (a pele de).] 
Ir beliscando. 

Kunjúmba, v. tr Castigar; peni- 
tenciar; fazer penar. ] \ v. intr. Es- 
tar de castigo ' Sufrer. | I sub So- 
frimento, penitência. ]] Kurinjú- 
mba. V. r. Impôr-se castigo; mortifi- 
car-se. 

Kúnoka, v intr. Chover. 

Kúnokena. v. tr. e intr. Apa- 
nhar chuva; estar molhado (por 
efeito da chuva). 

Kunokesa. v. tr. Fazer chover. 

Kunokóka, v. intr, Ficar tritura- 



Kt3N 



-219- 



KUO 



do, moido, trilhado. 

Kunokóna, v. tr Triturar; tri- 
lhar; moer: — jindangu.\ Pulverisar; 
desfazer | | Kurinokona, v r. fig. 
Irritar -se; moer-se; afligir-se. 

Kunomona, v. tr. Tirar, extrair 
com cautela — múnomo. 

Kunona, v. tr. Selecionar: ji- 
nguba {SepATar; tirar um de cada 
vez I Apurar; distinguir. I I aub Se- 
leção; escolha. 

Ivunonesa, v. tr. Mandar selecio- 
nar, apanhar por escolha. 

Kónonga, v. tr. e intr. Alvejar; 
acertai:— u anongo o mamba; Katete 
fandanga i uazan^e.\ Fazer ponta- 
ria; tomar como alvo. j Atingir. 

Kunongena, v. tr. Falar sacarti- 
ca, ironicamente. I Motejar. É 
tb. r. 

Kunongojoka, v, tr. Decifrar 
charadai; adivinhar enigmas.| Expli- 
car ou ler o que se apresenta obscuro 

Kunongóna, v. tr. Colher remé- 
dios (de plantas, folhas ou raízes) 
pari medicar, I Recolher vestígios 
ou sinaii (era caso de crime). | Ti- 
rar moldes. 

Kunu, adv. Aqui, cá: Izd — . | 
Deste lado; para câ; aqué n.| | — nga- 
ndu, bot. V mubiri. 

Kúnua, V. tr. e i n t r. Beber; 
gastar em bebida. || Suportar; so- 
iteT.- ndaka |sub. Bebida. 

Kunúa, V. intr Cheirar; feder | 1 
sub. Aroma; cheiro, j V rizúmba.\\ 
Kurinúa, v. r. Tomar o cheiro um 
ao outro, ou a si me^mo. 

Kunuéka, V. intr. Arfar, j Sentir 
tefe-tefe. 

Kunuhisa, v. tr. Dar a cheirar. 
Fazer «^alar cheiro.] É tb. r. 

Kunuikina, v. tr. Emborrachar; 
embebedar.! Dar de beber dema- 
siado. Ji KurinuiKina, v. intr e r 
Embebedar-se; embriagar-se até 
cair. 

Kunuisa, v. tr. Fazer biber.] Aju- 
dar ou dar de bebera |£tb. r. 

Kunúma, v. intr. Concordar; 
estar de harmonia .| Acordar 1] 
sub Harmonia; combinação; acor- 
do ItKucinuma, v. r. Lembrar*ie; 



recordar-sc. 

Kunumana. v. intr. Amuar; ter 
melindre, resentimentò, queixa, 

Kunutnanesa, v tr. Fazer zan^ 
ear, aborrecer.] Causar amuo a| 
Enfadar 

Kuoutnafa, v. tr. Morder (Mais 
conforme, maa menoá usado). V. 
Kulumata. 

Kunumina, v, tr e intr. Con- 
cordar em| Acordar com| Pôr em 
hirmonia | Resolver de comum 
acordo 

Kunumisa, v. tr. Pôr de acôrdo| 
Fazer concordar. 

Kununu, adv. A' mostra: maju — 

lA'3câncara3 \V, Kenene. 

Kunzánza, v. tr And*r (seguran- 
do-se) de ramo para ramo. | Andar 
comeautela.| Abeirar. 

Kunzanzeka, v. tr. Fazer fre- 
qoência; ir a miúda a| I v. intr. Sar 
assíduo 

Kunzonzona, v. intr Andar d - 
vagarínho: boba bua kulenga, boba 
bua— jCaminhar lentamente. 

Kunzumbila, v. tr. e intr. Arro- 
xear; purpurear. 

Kunzunznmúna, v. tr. Eacorro<- 
pichar.| Levar os restos. |V. kuzu/Z- 
zumúna. 

Kuóha, V. tr Assar; tostar: — 
mbômbo | Abrazar; incinerar; quei- 
mar: — íáfi^u. ' ' sub. Acto e efeito de 
assar ou queimar. | | Kurióha, v. 
r. Queimar-se; escaldar-se. ( fig. 
Comprometer-se. 

Kuohesa, v. tr. Fazer queimar, 
assar. | Mandar tostar, j É tb. r. 

Kuoholola, v. tr. e intr. Refres- 
car; arrefecer \ Reanimar; dar re- 
frescos 1 FaZer recuperar a inergia, 
restaurar as forças. | | Kurioholola, 
V r. Tomar refresco; reanimar-se; 
vivificar-se; fortalecer-se. 

Kuoláma, v. tr. e intr. Estar 
hirto, tenso j Dir-se da dôr ou em- 
perramento resultante de algum es- 
forço, trabalho aturado: mlongo i a 
ng' olama. | Estar retesado, 

Kuolamesa. v. tr. Empertigar] 
retesar. | Fa^er doer 

Kuoleka, V. tr. Prover de armas^ 



mo 



-â20- 



KÍJíi 



ftptrelhar; preparar (para servir em 
determinado momento) [j Kuriole- 
kçi, V. intr. e r. Prep irar.se; preca- 
ver-se; premunir se. 

Kuoléla, V. intr. Sorrir; mostrar- 
-se prasenteiro \ fig Gracejar; cha- 
lacear ! I sub Acto de sorrir. 



Kuolelesa, v. 
agradar: causar 



tr. Fazer «orir; 
alegria, j É tb r. 

Kuolola, V. tr. Recolher; tirar da 
circula-ção. I I Kuriolola, v. intr. e r. 
Tirar-se; reculher-se. ' Sair do lugar. 

Kuomba, v. intr. Andar muito 
devag.ir (para não ser pressentido) | 
Ir pé ante pé. j Kuriomba, v. intr. 
e r. Andar no bico dos pés | Ir 
de mansinho (como os gato<): u 
enda ~ . 

Kuombama, v. intr. Estar de 
molho, dentro de água (para amole- 
cer). 

Kuombatnesa, v, tr. Aaiolentar, ] 
Fazer estar de molho. 

Kuombeka, v. tr. Pôr de m )lho; 
tornar mole: — mbôinbo.\ Ddtar água 
por cima di-; conservar em líquido 
fig. Reservai; pôr de parte. Ij É 
tb. r. 

Kuombela, v, tr. e intr. And^ir ás 
ocultas; ir ás gatas | Kuriombeia, 
V. r. Ocultar-se; esconder-se. 

Kuombelela. v. intr. Andar aga- 
chado, acocorado. 

Kuombesa, v. tr. Dar ou receber 
ás ocultas.) Receptar. I I Kuriom- 
besa, v, r Ocultar-se; introduzir-se 
sem ser pressentido. 

Kuombola, v. tr. Intercalar; in- 
fruiiicter ,; sub. Intromissão || 
Kuriombola, v. r. Meter-se de per- 
meio. 

Kuomboloka, v. intr. Sair em sur- 
dina, ás oculta? : Despsdir-se «á 
franceza». I Desviar-se; desaparecer 
I íig. Dormir. 

Kuombolola, v. tr. Surripiar; 
desviar das vistas; levar ás ocultas. 

Kuomona, v. tr. Ajuntar; apa- 
nhar (o que e.-tá derramado) | Re- 
colher (com as mãos). 

Kuondoloka, v intr. Estar con- 
graçado. | Reconsiderar; mudar de 
opinião, de rumo. 

iiuondolola, v. tr. CoDgraçar.| 



Conciliar ( cousas aparentsment 
opostas) 

Ivuongama, v. intr. Estar aglo- 
merado, agrupado ou reuni lo em 
volta. 

Kuongamena. v. tr. F)rmar aglo- 
meravão uu grupo em v.)ltade.| 
Cercar. 

Kuongamesa, v. tr. Faz r agru- 
par, re'inir em volta de. 

Ku')ngeka, v. tr. Juntar por aglo- 
meração: - aí«. I Acumulai; fazer 
monte: — iãngn.\ R-unir em um só 
lugar cousis esp.ilhadas | É tb. r. 

Kuongola, v. tr. Confortar; con- 
solar; kivari u angola | Arreca lai; 
colher '; sub Consulaçáo; conforto. 
I ! Kuriongola, v r Conformar-se: 
u âi ba ngette u riongolci.\ Consolar se 

Kuoso, adv O n d e.| I — — , Em 
qualquer parte, em lugar indetermi- 
nado: ndê -. 

Kuota. V intr. Aque:er-se (^o 
sol): — iU(2«Aa Aquentar-se; chegdi- 
-se ao lume:— íufem | | sub. Aque- 
cimento. 

Kuotesa, v. tr. Comunicar calor 
a I Fazer ou mandar e:^t,ir ao sol, 
(para se aquecer). 

Kuoua, V. intr, Nadir.j V. kú- 
zoua. 

Kuóza, V. tr. Ralar (pau ou raiz 
para ser reduzido a pó): -mux» wa 
hu^a Roçar.] [ É tb. r. 

Kuozesa, v. tr. Mandar roçar, ia- 
lar, lapidnr pedra, pau ou raiz ; 
Mandar reduzir a pó ral indo 

Kupakaiaia, v, intr. Estar emp* 
nado, especado, virado para cima: 
mâtui ma mu pakalala. \ Diz--.e das 
orelhas como as dos m ircegos. 

Kupakalalesa. v. tr. Faz?r e-pe- 
car, arrebitar; tornar salieut: 

Kupakula, v, tr. Bater (com a 
mão): eie n azola -an'a-ugene [ Dar 
coques a, | É tb. r, 

Kupalaia, v. intr. fport,) Parar,] 
V. kuimana 
Kupalalesa, v. tr, V. kuimika. 

Kupalumuka, v. intr. Estar de- 
sabotoado, desfivelado. 

Kupaluoiuna, v. tr. Deiabotoar, 



kDP 



-Í2Í- 



kUP 



I Desfivelar. desafogar, abrir. |( Hu- 
ripalutnuna, v. r. Deaab jtoar-se; 
pôr-se à vontade. 

Kiipáma, v. intr. Pasmar; f.xar 
prolongadi.mente os olhos | | sub. 
Almiraçãn; pismo; assombro. 

Kupamena, v. tr. Borrifar, i Dei- 
tar áiçud da boca em gotas miudi- 
nhas (apertando os lábios).] | >ub, 
Aap''rginiento. | Acto de bjirifar. 
i i Kuripamena, v. r. Borrifar-se: — 
hula, 

Kupandeka, v . intr. Cometer 
adultério j | v tr. Viciar dolosamen- 
te a quaMd.íJe de.| Vijlar ; Tb 
se diz ktita panda 

Kupangajala, v. tr. Causar vm 
batcs; chocar, contundir por vezes 
1 l Kuripangajala, v. intr. e r 
Chocar-se; b.iter-se muitas vezes 

Kupangala. v tr. e intr. Emba 
ter; dar choque | É tb. r. 

Kupangumuna, v. tr. Ddspregar. 
I Abrir cora p inçadas; arrombar, 

Kúpapajana, v. intr. Crepitar 
por muito tempo.! Dar estalinhos 
continuadamente. fig Saltitar. 

Kúpapana, v. intr. Pr>iduzir cre- 
pitação: masa m' ala— bu kiinenya.\ 
Dar estalidos.] Lirgir f lúlhas.j Vêr- 
-se em dificuldades: íi apa/>ano. \ \ sub. 
Crepitctção: — kaa uinhi. \ Estalido. 

Kupapanesa, v. tr. Fazer crep - 
tar.| fig. Fdzer metjr (^alguém) em 
Srtlsad is. I I Kuripapanesa, v. r. 
M = ter-3e em pantanas. 

Kupapela, v. tr. Preg r;criv jar; 
estacar. I Seguiar com espeto; fe- 
char com pregos | É tb. r, 

Kupaprsa, v. tr. Mandar cravejar, 
b itei (com estacas). 

Kupapumúka, v. intr. Despertar 
acoruar (do sodo): ng'apapu/nufca ku 
j^tíu.| Vir a si.| lig. Kes.-^uscitar. 

Kupapumúna, v. tr. Despregar; 
despertar; abrir. 

Kupária, v. intr. Pestanejar. | 
Bruxoloar; tremeluzir( a estrela) j | 
sub. Pastauejo. 

KuparlKa, v. tr. Entalar: a ma 
parma ma pandanda ia inulemba.\ 
Apresilhar; erigatar.ti sub Entala- 
ção; eagate.li Kuriparika, v, r. 
Fecbar^se; prea(le<-'ge. 



Xupar^KÍla, v. tr. Abotoar; ata- 
car ou prender com alfinetes. | É 
tb r. 

KupariKinha, v intr, Pestanear. 
|V. Kupdria. 

Kupatala, kupaíalesa, v. tr. • 
intr. (port ) Empatar; fazer demo 
rar.l V kuKUOKa. 

Kupaíeie, sub (IX) port.) Com- 
padre. 

KupepumuKa. v. intr. Ser leva- 
do pelo vento | Voar; ir pelos ares 
(com Vento). 

Ku^epumuna, v. tr Faz r voar, 
ir com ven"o | È tb* r. 

KupefejeKa. v. intr Gal par. 1 1 
sub. Galopada. 

Kúpopa. v. tr. Bater: — ktt muxi 
\\ sub Batedura . 

Kupopála, V. tr. e intr. (port.) 
Poupar I V, kakonjeka. 

Kupopama, v intr. Ser estreito, 
ap-rtado, reduzi lo (em largura) ;| 
sub. Estreitesa: ejcassez. 

Kupopeka, v. tr. Estreitar; aper- 
tar; r-stnngir.j Ajuntai; unir:-»/ia- 
míl- 1 Ê tb. intr. e r. 

Kupopojola, V. tr Dar carolos; 
bater muitas vezes ( ás crianças). 

Kupopola. V. tr. Biter pouco 
muitas vezar co vara. cana, nó 
dos dedos, etc.j É tb r. 

Kupoiiala, v. tr. e intr Passar 
tempo coQvercando. 

Kupuakula, v. tr. Bater; dar co- 
ques (Melhor do que kupakula) 

KupUKumuKa. v. intr. Ser movi- 
do ou sacudido pelo vento. I Esvoa- 
çar. 

KupuKumuna, v tr Tremular; 
ag tar; sacudr: o mulenge v ala — o 
milele ku muKolo D z se do movi- 
mento da vela, bandeira ou pano 
sacuddo pelo vento. 

KupuIuluKa, V v intr. Voar 
(batendo as azas) [ Es vo a ç a r, sair 
voando. 

Kupululukisa, v. tr. Facer esvoa* 
çar. 

Kupúma, V. tr. e intr. Deitar 
borrifos «m:- maKa/i/ta. jEspumejar; 
<l«itar perdigotoi; aalivar;— m4(<t 



kDP 



-222- 



kUft 



Kópupa, V. tr. e intr. Marfelar: 
— ku ribitu. I Dar pancadas. | Soar 
(corDO a pancada do maitêlo) . 

Kuri, conj . Porquanto; visto que: 
bu asange o sanjl mu menékene,— 
sanjl k'en'ê polo. polo o musungu 
Uí. |Devido a; por causa de que. 

Kuria, V. tr e intr. Comer.] | 
Ettur colorido, vivo, tinto: jimbu- 
mbafári Intrujar; enganar: iludir: 
-matukuta \\ v. tr. Matar:— mue- 
nhu ua mutu \\ sub. Comida: — ku 
alandula o ngombo \\ — kua usukii. 
Consoada; ceia ] Cerimónia que 
consiste na oferta, alta noite, de 
comidas ás almas dos mirtos. 

KuriaKala, v. intr. Dialogar ] 
Conversar (entre duas ou mais pes' 
soas) I fig. Namorar. 

Kuríanga v. intr. Ir adiante; ser 
dianteiro; ter avanço: /o U ariangã, 
und u arikinga 1 1 Ter vantagem so- 
bre. 

KuriangeKa, v. intr. e r. Pri- 
mar.! Preparar-se; diapôr-se com 
antecedência. 

Kuriangela, v. tr. AJiantar; 
chegar ou vir antes; ser o primeiro 
a: ele u ariangela ku mu bana o hu- 
x/ 1 1 V. intr. Fazer-se seguir; ante- 
pôr-se. 1 Estar colocado imediata- 
mente antes. 

Kuriangesa, v. tr. Fazer ante- 
cipar ou sujeder antes do tempo 
devido. 

KurianguKa. v intr. Estar de- 
pravado, pervertido, desatinado. [ 
Ficar desvairado, fora de si .\\ sub. 
Desvario; tentação. 

KurianguKÍsa, v tr. Fazer des- 
vairar, enlouquecer. | Embriagar 
(com palavras): tornar tonto. 

Kuriangula. v. tr Perturbar; cor- 
romper.] Desmoralisar; alucinar; 
perverter 'Seduzir 

Kuriáfa, v. tr. Calcar com os 
pés,i Trilhar; esmagar | Vencer l|v. 
intr Dar passoi. 

Kuriafesa, v. tr Mandar ospe* 
sinhar, calcar. | Fazer anlar por 
cima da. 

Kuriaúla, v. intr. Desjejuar; al- 
moçar,] | V. r. Receber queimadura; 
cbamuscar-se. 1 1 iub. Refeição da 
mfiahã. 



Kuribanda, v. int . Abarrotar-sej 

eniher-se (de comida). ] Fartar-se, 

Kur bandeia, v. intr.*"Subir por 
si I Elevar-se sem auxílio estranho. 

Kuriboka, v. intr. e r. Pregar; dis- 
cursar; orar em público | I Propa- 
gar uma ideia ou doutrina.] Clamar; 
bradar i Protestar, 

Kuribokela, v. tr. Debater (um 
assunto) por meio de discussão | 
Impugnar; neg^r; discutir ] | v. intr. 
Questionar ' v. r, Falar para si. 

Kuribokuela, v. intr. Entrar por 
si, sem licença. | Penetrar sem ser 
pressentido; ng' aribokuela, ngaritun- 
dila, kaná mutu u angi mono \ Intro- 
duzir-se sem ser visto. 

Kúribofa, v, tr. Pairar; altercar; 
vociferar (É pejorativo). 1 1 v. intr. 
Borbulhar. ' Estar miasmático. 

Kuribukajana, v. intr, Andar aos 
tropeções. Dar muitas topadas. 

Kuribukana, v. intr. e r. Trope- 
çar, dar topada: ng' aribukana ku ki- 
xÍ7iji.\ Enganar-se. | iVlelindrar-se; 
ressentir-se 

Kuriburisa, v intr. e r. Pergun- 
tar a si próprio; interrogar-se: o 
muhi, pala kubanga o kinia, uriburita 
hanji. \ Cônsul tar-se. 

Kurieba. v. r. Precatar-se; ter 
cautela: u ai bui ngnene, u enda —.\ 
Precaver-se. 

Kúriela, v. intr. Arrepender-se. 
|Ter pezar de haver dito ou feito o 
contráiio do que queria ou espera- 
va. |{ sub. Arrependimento. 

Kurielela, v. intr. Ter esperança, 

fé: ~ kurifula, kulumbula kulueza.J \ v. 
r. Esperançarse; acreditar.' Entre- 
gir se cheio de Confiança . 

Kurielelesa. v intr. e r. Fazer se 
esperançar, acriditar em { íig Ilu- 
di r-se. 

Kurilelesela, v. r. vport.) Ofeje- 
cer-se | V. kuribekesa. 

Kuriletala, v. intr. e r. (port.) En- 
feitar-se , V • kurikembesa . 

Kuriliiata, v. intr. e r. Fiar-se; 
ter confiança em si próprio; 
apoiar-se. 

Kuriiala, v. tr. e r. Descuidar- 
-se; di8trair-se, I Esq-xecer momen- 



KUR 



-223 - 



KUR 



t&neamente . { Descurar; mostrar 
desleixo. 

Kurijila, v. intr. Vir expontânea- 
mente, por seu próprio pé: muêne u 
arijila. 

Kurijirila, V. intr. e r. Habilitar- 
•se; afazer-se 

Kurijirísa. v. r. Gastar-se; consu- 
rair-se.|| Dar-se a saber; fazer-se 
conhecido. 

Kurikála, v. intr. e r. Estar-se; 
ficar-se; sujeitar-se ' Demorar-se; 
submeter- se ; V. KÚka/fli 

KurÍKa(uisa, v. intr. e r Fazer* 
-se excluir (de algum lugar). | Eli- 
minar-se, 

KuriKenha, v. intr. e r. Fazer- 
-se mimoso; tomar-se dengue |Ter 
niquices. 

KuriKexiia, V. intr. e r. Afastir- 
-se da convivência; pôr-se de parte. 
I Isolar-se. 

Kúrikila, V. tr. Saginar; cevar; 
nutrir ' Saciar; fartar.] j sub Nu- 
trição.] | 'CurirÍKiia. v. intr. e r. 
Sustentar-se; nutrir-se. 

KuriKexirila, v. intr. e r Dife- 
rençar-se; distinguir-se: kuria ni ku- 
riaza, ima i arikexirila. \ Ser dife- 
rente. 

KurJKinda. v. intr. e r Balan- 
çar-se de um lado para o outro.] 
fig. Dançar. 

Kurikífa, v. tr. Bater com força; 
castigar severamente; dar sem dó. | I 
Executar; liquidar. 

Kurikiza, v tr. Mostrar; fazer 
vêr; pôr á vista. | ] KuririKÍza, v. 
intr. e r. Revelar-se: mostrar-se; 
aparecer . \ Dar nas vistas 

Kurikoma, v. tr. e intr. Comer 
muito; fartar-se. (Emprega-se em 
sentido ofensivo). 

KurÍKombuesa, v. tr. e r. Ven* 
der-g9. 1 Acasa ar-se . 

KuriKuíinâ, v. r.Jactar-se; ufanir- 
•tel{sab. Presunção mal fundada do 
próprio merecimento com desejo de 
que outros nos adm rem. 

KuriKUKula, v. r. fig. Engalfi- 
^nhir-se: arikuKula-bu kliari k/a . | 
Deitar ai m&os a; atirar-ie ao ad ver- 
ário. 



KuriKútnba. v. r, Ajoujar-ie; 
unir-se a outra pessoa] Ficar de- 
pendente. 

Kuríla, v. intr Chorar; verter 
lágrima».]] sub. Pranto; lamento; 
choro. II Kuriríla, v- r Chorar-se; 
afligir-se muito: Kurlta mukaenu,— 

Kurilánga, v. intr. e r. Armar- 
-se, amanhar-se; prevenir-se 

Kuriluualesa, v, r. Eníadar-s»; 
fazer-se zangado. 

Kuríma, v tr. Lavrar (torra); 
capinar: —iângu;- mbonzo \ Ama- 
nhar; agricultar ] jsub, CapinaçSo; 
lavoura. 

Kurímba, v. tr. Atrapalhar; mis- 
turar; confundir ') sub Complica- 
ção; confusão, li top. Abertura for- 
mada pelo mar entre a peninsula e 
a ilha de Luanda, formando a barra 
conhecida por este nome É de 
pouca profundidade, pelo que não 
é servida, como d'ante3, pela nave- 
gação. || Kuririmba, v. intr. e r. 
Estar atrapalhado, baralhado, con- 
fundido. 

Kurimbalala, v. intr. e r. Esguei- 
rar-se; afastar-se das vistas; ocul- 
tar-se por momentos. I Fazer-se ea- 
quecido. 

Kurimbikíza, v. tr. Enredar; tor- 
nar confuso, i E' tb. r. 

Kurimbujuka, v. intr Revolver- 
-se em lama; chafurdar. 

Kurimbujula, v, tr- Enlamear, 
espojar, atolar por vezes I | Kuri- 
rimbujula, v. r. Sujar-se com lama 
a miude. 

Kurimbuka, v, intr. Estar tolda- 
do, revolto turvo: minha m' arimbuka 
I Ficar enlameado, sujo. 

Kurimbukisa, v. tr. Agitar, per- 
turbar.] Pôr em revolução. 

Kurimbula, v. tr. Toldar; mistu- 
rar; tornar escuro, turvo; — malu- 
vn. \ Enlamear; envolver, ] É 
tb. r. 

Kurimbuluka, v. intr. Ficar tem- 
pestuoso: kalunga u arimbuluka \ Fi- 
car muito mexido! agitado, sujo. 

Kurimbulula, v. tr. Tornar a mis- 
turar, a agitar, a toldar.] Tornar 
a sujar; a revolver. |R0mexer. ] Ê 
tb. r. 



KUR 



-aj4- 



KUS 



Kurimefcna. v. r. (port.) Meter- 
•■•; introraeter-se. | V. Kúrita. Ku- 

rtkakela. 

Kurimisa, v. tr. Mandar lavrar, 
amanh')r terras: — multnga ua mata', 
—jiri. I Fazer cultivar. 

Kurimonekena, v intr. e r Ser 
patente, tnanifesto. evidente: kima 
ki aHmonekena.\ Ser notório, claro. | 
V. r Manifesta -st; declarar se. j 
Aparecer, tornar-se visível 

Kurimuena, v intr. Vêr (com ot 
próprios olhos). Estar crente, con- 
vencido. 

Kurimuka, v, intr. Ser esperto, 
[[sub Espertfza: — kun kioua ku 
atunda ku njimu \ Astúcia; sagaci- 
dade. 

Kurimukina, v. t: e intr. Em- 
pregar astúc a sobre | Torn-ir-ie 
esperto para. 

Kurimukisa, v. tr. Fazer ter es- 
perteza j Pôr de sobieaviso. 

Kurimuna, v tr. Avisar; esper- 
tar; prevenir, j É tb. r. 

Kuripapa, v. intr. e r- (pleb ) 
Manducar; comer. 

Kuririka, v. tr Preparar; compor: 
—kiriri . Aprontar. I Arranjar; fa- 
zei; constru r: — kíftoA'?*. i Aconodar: 
— hâxi [ Pôr em asiado de funcio- 
nar, de servir: — kitelembt | sub. Ar- 
rumação; arra- jamento ; I Kunriri* 
ka, v intr. e r. Arranjar-ae; com- 
pór-se Atavi»r-se; ap«relhar-se; 
pòi-se nas condições dt-vidas. 

Kuririklsa, v. tr. Mandar pre- 
parar, arranjar: -Afíáiu. Fazer com- 
por. 

Kuririla, v. tr. Chorar; prantear 
por; — naala \ Queixar-se devido a 

Kuririsa, v. tr, F-zer chorar, 
derramar lagrimas. 

Kurisa, v. tr. Dar alimento a; 
fazer comer: — mon' a uitu \ Avivar; 
colorir: — jimbwnha . 

KunfekefclB, v. intr. Sentir estre- 
mecimentos; ter tremuras. 

Karifemeneka, v. intr. e r. Irri- 
tar-se; impaoientar-se; totnar-se 
acerbo. 

KurUuna. v intr. • r. Recusar 
•se; não se prestar a. : Excusar-sa. 
|| v. tr. Negar: regeitar. | Repu- 
diar; nio quertr íaier, [ I Deotgar; 



indeferir. ([ sub. Negação; fecuift. 

Kuriíiba, V intr Concei.trar-se; 
meditar profundamente j Abismar- 
-86 nos seus pensamentos. 

Kúriubika, v intr Tomar pre- 
cauções; p:ecaver-se; ser prudente 

Kúnuisa, v tr Fazer carun- 
char, corroer, destruir pelo salalé. 

Kuriulula, v intr. e r. Convale- 
cer; ir-se restabelecendo (ladoenç») 

Ki^riunga, v. intr e r. Estar iso- 
lado, só. Afastar-se da convivên- 
cia. 

Kuriungisa, v. tr. Couseivar iso- 
lado. 

Kuriununa, v. intr. *- r Esp'?- 
gu çar se; rt-tezar-se, ] Distenderes 
nui culos. [ I sub. Espreguiçamento, 

Kúrivisa, v intr. Fazer-<e ouvir; 
dar s nal de si (faland >).i Dir-se a 
conhecer (pela voz). 

Kútivua, V. intr. er Ouvir nn 
do outro. I Audir. 

Kurixiba, v. intr Calar-se { Não 
produzir ruido nem som. 

Xurixixi, sub . (IX) loi I. Ave da 
tribu das columbin-is conhecida por 
«pombo verde*. I V, Kthútua 

Kurízalesa, v. intr. Faxer-se en- 
cher; satsfarer-se j Enrtquecer-se. 
[fam. Abarrotar se. 

Kuriíangaia, v, intr e r. (port.) 
Zingar-í"»; irritar-se. V. kufutuluka. 

Kurizuuila, v intr e r. Estar a 
deitar pingos. I Resurabraf; escorrer. 

Kurdsa. sub. (IX' port Cortiça. 
I V. panda 

Kusabuafala. v. intr. Traquinar; 
ser buliçoso, indiscreto 

KusabujuKa, v. intr. Brotar, ger- 
minar muitas vez^^t.l R ■iloreicar; 
rejuvenecer . 

KusabuKB, V, intr. Despontar: 
— mu^zujGerminar; sair do solo; ma- 
sa m'a safruka.; Nascer; deitar d* 
si:— M/a. {Grelar. | sub. Acto de 
brotar, de naacer. 

Kusabula, v, tr. Delirar; desvai- 
rar; dixer coisas desconexas. 

KuaabuKÍsa, v. tr. Faxcr germi- 
nar, doipoatar. dtitar rabeotoc. 



KUS 



223 



KUS 



KusabuIuKa. v intr Estar sa- 
lobre, sem gôíto: menha m' asabuluka. 
II Brotar de novo; reflorir. | Tornar 
a nascer (a pUnt í) . [|sub. Resur- 
giinent ; renascença. 

Kasabu'uKisa, v. tr. Tornar vi- 
çoso. Rev' riecer; fnzer b ot^r de 
novo (i planta). II Tornar salobre 
(a água) . 

Kusafuisa, v. tr. Desgrenhar; 
fazer emaranh .r ( o cabelo). 

Kusa(ujuka, v intr. Ter (o ca- 
b-lo) descomposto, desarranjado: 
jindemba j' asafajaka \ E^tar eriçado; 
ter gaforinas ■ I 1 Endenioniar-se por 
vezes, 

Kusafujula, v. tr Desmanchar o 
penteado | Enriçar | | Endemoniar 
frequentes vezes. , | Kurisa|ujuia; 
V. r Despentear-se. 

Kusafujuna, v. tr. Desgrenhar; 
descabelar. | f g. Atrapalhar | [ Ku- 
risafujuna, v r. Arrepeiar-se; ema- 
ranhar os cabrlos. 

Kusalúka, v. intr. Ficar indemo- 
n ado, pobsesso. | Tornar-se epileti- 
íorme, 

Kusafukisa, v tr Fazer inde- 
moniar, ter o diabo no corpo . | É 
tb r. 

Kusafula, v. tr. Tornar epilépti- 
co, possesso, iademoaiado. 

Kúsaia, v tr Circuncidar; cas- 
tif c^r I I sub. Sacramento das re- 
ligiões africana, judai.a e mahome- 
tana, que consiste no corte do pre- 
púcio. C rcuncisão. 1 1 Kurisaia, v. 
inti e r. CircuaciJar se; tornar-se 
casto 

Kusaiesa, v. tr. M.andar circunci- 
dar; — jindumbe \ Fazer castificar, sa- 
cramentar por meio da circuncisão. | 
E' tb r. 

Kusáha, v tr. e intj. Exorcisar; 
curar: — uhaxi. j San-ar, purificar 
por meio de sortilégios; livrar do 
mala || v. intr. Bochechar; lavar, 
tirar as impureza, em (agitando). 
1 1 sub. Saneamento; bochecho; cu- 
ra. II Kurisáka, v. intr e r. Cu- 
rar se per meio de exorcismos; pu- 
rificar-se: ngimbi k' arimbê, nganga ia 
imbanda k' arisak' ê.\ Tornar-se são. 

Kusakala, v. tr e intr. Apres- 
sar; aligeirar. 



Kusakaiala, v. in^r Ser expedi- 
to, ligeiro II sub. 'Abreviação; li- 
geiresa; desembaraço. 

Kusakaiesa. v tr F.>z-r abre- 
viar, dar pressa a. I Tornar ligeiro. 
I I Kunaakalesa. v intr e r. Apres- 
sar-se. 

Kusakamana, v. intr Traves- 
sear | Ser irrequieto. 

Kusakamanesa, v tr Mandar 
fazer bulício; fazer ser irrequieto. 

Kusakamesa, v tr Fazer acele- 
rar, andar depressa, seriápido.| É 
tb. r. 

Kusakana, v. intr. Casar | V. 
kusokana 

Kusakaía, v. intr. e r. Avançar? 
caminhar para frente I Continuar; 
tomar a avançada, ' sub Avanço' 
dianteira. 

Kusakela, v. tr e intr Prognos- 
ticar! profetizar. 

Kusakelesa, v. tr. Mandar pro- 
gnosticar, predizer uma doença. 

Kusakesa. v. tr. Vascolejar; cho- 
calhar; sacudir. I Agitar; misturar; 
mover com força. |; sub. Acção e 
efeito de ag tar; ?acudidura | E' 
tb r. 

Kusakirila, v tr. e intr. Agra- 
decer. I j sub. Expressão ou facto 
que manifesta gratidão. 

Kusakúka, v intr. Voltar a ca- 
beça para o lado (por virtude de 
uma chamada) | Olhar para traz: 
Bumba o ndungu, k' u aakuke; ki úia 
mu ngongo, k' u aakele \ Virer-se; 
voltar-se. 

Kásakuka, v. intr. F car puri- 
ficado, curado, salvo. I Estar livre 
(da doença, do mal, do pecado): 
ng' aeakuka «?» kituxi. \ Ficar limpo 
do c )nsciência 

Kúsakula v. tr Purificar, j Sal- 
var; livrar (da doença, do vício, do 
pecado) . | È' tb. r. 

Kusakumuna, v. tr. Sacudir com 
violência e repetidas vezes: — tangu 
ia miUámba \ Abalar; fazer estreme- 
cer, j I sub. Movimento de sacudi- 
dura II Kursakumuna, v. r Im- 
primir ao corpo movimentos rápi- 
dos e convulsivos: kala o — kua «à- 
nji. 



KUS 



-226- 



KUS 



Kúsala, V. tr. e intr. Traçar, for- 
mar letras. I Escrevinhar; grafar; ra- 
biscar. 

Kusalala. v . jntr. Haver em 
abundância: maluvu m'asalala \ | v. 
tr Tornar do domínio público. ) 
i>ivulgar 

Kusalatna, v intr. Radiar» cin- 
tilar. I Estar alegre, satisfeito. 

Kusalí.ka, v. intr. Perde, ojui- 
zo. 1 Estar maluco, doido.]] sub 
Desarranjo mental, | Demência | fig. 
Insensatos 

Kúsaluka. v. infr. Tirar-se de 
algum luga-; saltar [ Afastar-áe ; 
desviar-se. \ Sa r. 

Kusaiukisa, v. tr. Fazer endoide- 
cer, perder o juiz ) | Kurisalukisa, 
V. intr. e r. Dementar-se ] Tornar- 
-se maluco. 

Kusalúla, v tr. Endoidecer: tor- 
nftr demente. | E' tb. r. 

Kusalumuka, v. intr. Ficar alvo- 
roçado, excitado | Acordar; tumul- 
tuar; despertar | | sub. Tumulto; 
efervescência. 

Kusalumuna, v tr Alvorotar: 

— jinhuiki I AiiiotinHr; excitar; pôr 
fcm estado de tumulto | | Kurisalu- 
tnuna, v. intr, e r. Agitar-se; amo- 
tinar-se. 

Kusamanfl, sub. (IX) A época 
das grandes chuvas. I O sexto mez 
do ano indígena que abiange as 
chuvas de Abril: jinvula ja — \[ adj . 
Derradeiro; tardio. 

Kúsamba. v. tr e intr. Orar; ro- 
gBr; comover. 

Kusámba, v. tr. e intr. Saltitar; 
passir de galho para galho, de ra- 
mo para ramo (ermo o macaco o 
pássaro, etc.) || Rejubilar; folgar 
I I sub Rejubiiacão; festa [ | Ku- 
risámba, v. r Mostrar grande con- 
tentamento, alegria expansiva | Ro- 
goii]ar-se; estar jubiloso . 

Kusambalakaía, v, intr. Ter de- 
senvoltura, agilidade, préstimo. 

Kusambalakafesa, v tr. Fazer 
agir com deienvoltnra, ' E' tb. r. 

Kusambela, v tr. e intr. Rezar: 

— jinzambi \ Suplicar; pedir. 

Kusambila, v. intr. Penetrar: — 
mu rila.\ Entrar; meter-se- 



KusambujuKa, v intr Ir conta- 
giando I I Estar a passar, a trans- 
por por vezes . 

KusambÚKa, v. intr. Contaminar; 
comunicar por contágio. 

KúsambuKa, v. intr. Atravessar; 
mudar: — njila \ Ir paia o outro 
lado. 

KusambuK'sa. r tr Transmitir 
por contágio: -M^axi | Fazer conta- 
minar ( o mal); corromper. 

KusambuIuKa, v intr. Repostar; 
retorquir 

Kusambuiúla. v. tr. Contestar.] 
Responder cont ariando. 1] Negar, 
refutar I ] sub. Refutação; contes- 
tação. 1 E' tb. r. 

Kusamena, v tr. Salpicar; as- 
peTgir-. — mênha \ Deitar borrifos em. 
]] sub Aspergimento . 

Kusatnina, v. tr. Arrojar de si. 
I Atirar com repulsa ] Sacudir. 

Kusamujuna, v tr. Pentear 

muitas vezes | E' tb r. 

Kusamúna, v. tr. Pentear; fazer 
toucado. ] E' tb. r. 

Kusána, v tr, Di^sfiar:— ixdxt ta 
maea | Desfibrar: — jihondo.] Esfar- 
par.]] sub. Desfiadura ] ] Kurisa- 
na, v r Desfiar-se || fig. Arrepe- 
lar-se; desesperar-se, ' Kurisanasa- 
na, V. iter. Estar a desfiar-se em 
muitos lugares. 

Kusanajana, v. tr. Desfiar 
muitas vezes ou por muito tempo. 

Kusanána, v. tr Ecoar; reper- 
cutir. | Repetir em éco || v intr, 
Reáoar; tornar-?e notável 

Kusánda. v. tr. Esgaravatar (a 
galinha) a terra comos pés: kaaa- 
nji Wazola o — kizmia k'aia m muke- 
nge \ \ Escorvar; rebuscar ) fig. 
Dançar: o mukini i mu bana o^ngoma 
I ] sub. Espalhada. 

Kusandesa, v. tr. Fazer esgara- 
vatar, rebuscar, espalhar i (aterra). 

KusandujuKa, v. intr. Ficar afas- 
tado, espacejado, sepirado ( uns 
dos outros): maju mu kanu m' a mu 
sandujuk-a.\ Ter intervalos. 

Knsandujula, v. tr. Distanciar; se- 
parar uns dos outros:— mixi.\ Afas- 
tar cada um por sua vei . I £ tb. r. 



kus 



-2'2.1 - 



KUS 



Kusanduka, v. intr. Estar afas- 
tado, pòr-se distante: Kasenu, mu 
íukule; u a ku zemba, mu sanduKe.] 
Ficar sepaiado. 

KusanduK^sa, v. tr. Fazer dis- 
tanciar, afastar | Mandar separar 

Kusandula, v. tr. Distanciar 
apartar (de uma pessoa ou lugar). 
I 1^ Kurisandula, v r. Separar-se; 
pÔ3-se de parte. 

í^UáaneneKa, v. intr Ser ardo- 
roso, veemente, impetuoso. |Ter en- 
tusiasmo (noi afazeres, nos negó- 
cios, etc ) 

Kusanesa, v tr. Mandar desfiar; 
fazer desfibrar 

Kusánga, v tr. e intr, Encontrar; 
achar (procurando ou não) ! | sub. 
Achamento; encontro. | | Kurisánga, 
V r. E contrar-se: arisóto, arisánge. 

I Juntar-se; unir se. 

Kusangama, v intr. Ter felici- 
dade. I Ser afortunado, ditoso, 

II sub. Ventura; estado de pes- 
soa feliz. II Bem êxito; sorte. | — 
Kua riúlu, a beojaventurançã; a feli- 
cidade eterna, 

Kusangamana, v. tr. Desemba- 
raçar; desimpedir ( | v. intr. Ser 
desenvolto, activo, ligeiro. ' j sub 
Deseinbai aço; agilidade. 

Kusangamanesa, v. tr. Fazer 
desembaraçar, desimpedir.] Tornar 
livre • 

Kusangamesa. v, tr, Tornar prós- 
pero. | Acontenta'; afoitunar; f«lici- 
tar. • 

Kusangana, v. t r. Confluir | 
Unir (duas correntes) j j v. intr 
Concorrer em determinada direcção: 
manhinga m'asangana.\ Afluir. 

Kusangáta, v. intr Estar cheio; 
ter gravi lê- (nos irracionais): ngulu 
i asangata\ P^j^r; estar prenhe. | | 
Eub Eitado de têmea no período da 
gestação. 

Kusangatesa, v. tr. Fazer pejar, 
tnchir; — jingombe. 

Kusangela, v. tr. Cotisar; contri. 
hmr: ~ uênji . \ Compartilhar; ser só- 
cio em || Encontrar; achdr (procu- 
rando): ng'a mu sangela bu tabu. 

Kusangelesa, v. tr. Fazer cotisar, 
dar sociedade em. 



Kusange«5a, v. tr. Fazer encon* 
trar, deparar, achar o ; Pôr diante 
de; apresentar (sem ser esperado^. 

Kusanguluka, v, intr. Ser folga- 
são, jovial I Sentir prazer, conten- 
tamento, alegria ] | sub. Regosijo, | 
Manifestação de contentamento. 

Kusanguiukisa, v tr. Fazer re- 
gosijar, alegrar, j Tornar contente. 

Kusanguiula, v tr. Enxaguar: 
lavar; corar. 1| Kurisangu ula, v. 
intr. e r. Passar-se por água limpa. 
I Apurar-se. 

Kusangumuka, v intr. Ter a 
sensação da descongelação: manhi- 
nga mu mukutu m' a ngi sangumuka. \ \ 
Sentir grande prazer. | Sentir -se 
derretido, satisfeito. 

Kusangumuna, v. tr Desconge- 
lar; derreter | Dar prazer a.j Exul- 
tar (Diz SP do tomar qualquer be- 
bida alcoólica, de manhã, para 
CO II. bater o frio: manhinga. \ \ Kuri- 
sangumuna, v. intr. e r Descon- 
gelar-se, dar-se calor. | Tomar cou- 
sa quente úu alcoólica (em manhã 
fria). I fig. Derreter-se. 

Kusanguna, v. tr. Desmalhar; 
desatar, || v. intr. Escapar (das 
malhas). | Desatar-se || Kurisan- 
guna, v. r. Escapar | Tresmalhar, 
desfazer se ; perder o rumo | Coar- 
-se, sai' (falando-se de líquidos) . 

Kusangunuka, v intr. Ficar des- 
manchado, desccs'do, desfeito ( a 
costura),) Estar de;fiado, destorci- 
do I Florir. 

Kusangununa, v tr. Desmanchar; 
descoser, | Desfiar; destecer. || v. 
intr. Florear: florescer: masa m' asa^ 
ngitnuna.\ \ Brilhar; fazer boa figura. 
Kurisangununa, v, intr. e r. Des- 
manchar-se; descoser-se. || Desen- 
vencilhar-se; soltar-se; desprender- 
-se. 

Kusanhaia, v intr. Estar assa- 
nhado; ter fúr a 

Kusanhalesa, v. tr. Assanhar. 
Tornar público. 

Kusanujuka, v intr. Estar des- 
fiado em muitos lugares, dilacera- 
do ou rebentado muitas vezes. 

Kusanujuna, v tr. Dilacerar, es- 
farrapar, d spedaçar por vezes.] Ir 
desfiando:— mulde. \ Desfibrar mui- 



KOâ 



-iêg- 



K13S 



tâ9 vezes 1 1 Kuri sanujuna, v. intr. 
e r. Esf icelar-se; estar a desfiar-se. 

Kusanuka, v. intr. Estranhar.' 
Não estar habituado ou farailari- 
z-:ido com: hanga i asanuka o sênu, mo 
n' o mubika u asanuka o háma ia mala- 
sola II Ficar desarticulado, quebra- 
do; u kaiela o ngéngc u satiuka ni ri- 
banda. \ Ficar fora do lugar 

Kusanukisa, v. tr. Familiarizar 
(alguém) com o que nunca usou | 
Fazer quebrar. 

Kusanuna, v. t r. Destroncar: — 
tangu \ Desarticular; — muJcmòa ua ri- 
hónjo.l Desfolhar, desun r.| É tb. r. 

Kúsanza, v tr. Sanear; tornar 
habitável; —jm | Ceifar; limpar; 
tornar (íis terras) aptas para a cul- 
tura ! Aliviar; "curar. || sub Sanea- 
mento; limpeza. || Kunsanza, v, 
intr. e r. Aliviar-se.| curai-se.[ 
Desabafar | Sentir-se menos moles- 
tado I Desemb^raçar-se (de algum 
mal)-! fig Traquejar. 

Kusanzama, v. intr. Alastrar; 
exttnder-se: manhinga m'asanzama.\ 
Ficar espalhado, derramado. 

Kusanzamesa, v. ta. Farer alas- 
trar, espalhar, estender. |É tb. r 

KusanzeKa, v tr. D latar; am- 
p.iar; tomar menos compacto. | sub. 
Espacejamento; | É tb intr. 

Kusanzuka, v. intr. Tomar-se 
amplo, dilatado.] Expandir-se. 

Kusanzumuka, v. intr. Ficar es- 
paçado, mais largo: ng'ala bii Kiriri 
k/ asanzuniUKã | Ser v;.sto. exten- 
so. || sub. Amplitude; d latação; 
largura. 

Kusanzumuna, v tr Alargar; 
espacejar; dilatar.] É tb. intr. e r. 

KusarÍKila, v. tr- Salgar: -mW/í. 
] Fazer salgidura. 

Kusása. v. tr. Criar; educar; en- 
sinar: -o mona kuuaba muxiina.\\ 
Humectar; borrifar, j] Machadar; 
tirar cora catana o f uto do cacho: 
— jindende.\\ Esniigalhar:-'i/u6a ]| 
v. intr. Estar deteriorado, azedo, 
estragado: Kuria ku asási.\ Ter 
máu gôito, hálito ou sabor: — mu. 
kanu.\\ Derrancar; ter grangrena; 
estar rançoso.] | sub. Sabor do qae 
é azedo. I Mau gosto. |] Kurieása, 
V. intr. e r. Ciíar-se; educar se; 



nutrir-s^í. 

Kusasáka, v. tr. Autopsiar; dís- 
secíir, II sub Dissecação; antópsia . 

Kusasala, v. tr. Fazer restolho, 
ruído: -, pukw; kulokosa, tende \\ 
sub Restolhida. 

Kusasafa, v. intr Dar pequenos 
saltos. ]Diz-se do andar do passari- 
nho. 

Kusasela, v. tr. e intr. Crescer 
em: eme a agi sasela mu Liibolo.] 
Podar, esfacelar rolug r de. 

Kusasesa. v tr- Fazer cri r, 
dar existência Hl—mona ] Mandar 
borrifar (a roupa): ~ izuaiii. I Fi- 
zer das granar: — jindende | F.ztr 
azedar, criar bolor. 

KusasujuKa, v intr. Ficar e fa- 
ce la d o em muitos lugares-: mulembu 
u asasujuka.l Ficar feito em mi- 
gnlhas. 

Kusasujula, v. tr. Dilacerar; frag- 
mentar; esmigalhar por vez: s. | 
Despedaçar. 

KusasuKa, v. intr FiCar gangre- 
nado, esm galha ;o: kinama ki a mu 
sasuKa.\ Ficar reduzido a pedaços.] | 
sub. Esfacelamento 

Kusasukisa, v tr Caus r esfa- 
celo a.| Fazer gangretiir. ca r em 
pedaços 

Kusasula, v. tr Quassar: — ndá- 
nji I Despedaçar; triturar. ] | Ku- 
risasula, v jntr. e r. Eíuiigalhar- 
-se; fragmentarse. 

KusasumnKa. v. intr Desptrtar; 
acordar: ku kilu.\\ Lembrai; ocor- 
rer. 

Kusa.-jumuna, v. tr Fazer des- 
pertar, ocorrer.] É tb. inlr e r. 

Ku'-áta, V intr Oferecer sacri- 
fício: -yíwbur/. | ] V tr. Imolar, sa- 
crificar; vitimar ]| Kurisata. v 
intr e r Oferecei-se em sacrifí.io. 
I Imolar-8(. . 

Kusafela, v. tr Ofer^-cer um sa- 
crifício; — Pasu.\ Celebrar o sacri- 
fício da m\:sei:-Nzambi.\ É tb.r 

Kusaíes.:., v. tr. Mandar sacrifi. 
car; fazer matar.] Sujeit r; fazer 
correr o nsco de.) | Kurisatesa. v. r. 
Sacrif car-se; expôv-se à morte. 

Kusatuka. v. intr. Ficar imolado, 



KDâ 



-2i9 - 



RUS 



àâcíificado. 

Kusaxina. v. tr. e intr. Apressu- 
rar-se | Estar azougado. 

Kuséba, V. tr. e intr. G ilantear; 
requebrar-se | | sub. Denguice | j 
Kur seba, v. r. Enfeltar-se- (para 
agradar.) 

Kusebelela, v. tr. Festejar: — mu- 
kini- \ Acompanhar os últimos pas- 
sos ou movimento? de um dançari- 
no I Laurear; aplaudir. }] sub Acto 
e efeito de galantear, j Homenagem. 

Kusebuisa. v. tr. Indignif car; 
aviltar, rebaixar. | Ultrajar; ofen- 
der comindecencias.il Kurisebui- 
sa, V. intr. e r. Dedignar s ; escan- 
dalizar se . 

Kusebuka, v intr Fiar vitu- 
perado. | Sofrer infâmias. 

Kusebula, v. tr. Injuriar; escar- 
nir. || sub Vitupério; vileza. 

Kusebuluka. v. intr. Ficar ultraja- 
do, maltratado, desonrado.] Sofrer 
ignominia. 

Kusebulula. v. tr. Afrontar; es- 
candalizar I Considerar como digno 
de pública censura. 

Kuséia, v. tr. Entibiar; desani- 
mar; enfraquecer. |] s-xb. Entibia- 
mento.ll Kurisé a, v. r. Tornir-se 
tibio. 

Kuseiala, v. tr. e intr. (port ) 
Ceiar | V . kiíria kua usuku 

Kúseka, v. intr. Farinar; ralar; — 
iringu. \ Serrar; corroer; — múxi \ 
Cotiar pouco a pouco (roenao) j 
Minar; enredar; fomentar discór- 
dias II V. intr. Intr gar || sub 
Serração j Intriga 

Kusekala, v. intr. Estar avaria- 
do, estragado | | sub Avaria. 

Kusekalesa, v. tr. Fazer a variar; 
causar d^no a. | Desmoralizar; des- 
virtuar, i É tb r. 

Kusekuísa, v. tr. Fazer decruar. 
I Mandar dar fervura a. 

Kusekujuka, v intr. Ferver por 
muito tempo | Referver. | f g. Fre- 
mir. || Borbulhar; Cachoar. 

KusekujuJa, v. tr. Fazer levantar 
fervura por vezes 

Kuaekuka, v. intr. Borbulhar; 
fecver: m^nha m' asekuka.l Maaar 



(em cachão). | Expelir em borbo- 
tões; estar fervente. | | sub. Eferves- 
cência; fervor 

Kusekukisa, v. tr Afervorar | 
Fazer ferver | fig. Estimular | | É 
tb. r 

Kusekula, v tr. Aferventar: — 
xitu. \ Deciuar; dar fsrvura. 

Kusekumuka, v intr. Estar a es- 
vasiar se ou em estado de vazio: 
meke i asekumuka \ Verter || sub. 
Vazadura . 

Kusekumuna, v. tr. Esvaziara 
fízer verter. | j Fazer dançar as ná- 
degas (no andar); — mbunda. \ Mene- 
ar. | [ Kurisekumuna, v. intr. e r. 
Bamb-lear-se; saracotear-se (andan- 
do) . 

Kuséia, V. tr. Recalcar, repizar. 
I I Enchamelar; — ínzo. 

Kuselela, v. tr. e intr. descer 
para baixo; descair: mulele ?« asdela. 
I Descer 

Kuselelesa, v. tr Fazer descer, 
descair.. 

Kuselema, v tr. Enjeitar, des- 
peitar;' — kutia.\ Abandonar (pordes 
preso) 

Kuseluka, intr. Aborta : o /2^a?ía 
u avuala mubika u aaeluka.l Mover. | ] 
sub. Abortamento 

Kuselukisa, v. tr. Fazer abortar, 
mover. 

Kuselula, v. tr. Atrofiar; estio- 
lar; mirrar (a planta) i Frustrar; 
gorar. 

Kuselumuka v intj Descair: ri- 
bitu ri aselumuka.'] Desviar-se do lu- 
gar; descer j | sub. Estado do que 
descai. I Descida. 

Kuselutnuna, v tr. Abaixar; fa- 
zer descair. | É tb. r. 

Kúsema, v intr. Ans'ar; terape- 
tites.jj v tr. e r. Antojar; desejar; . 
apetec r. | j Esiatificar; s::irjar: — 
jimbumba \ Golpear; fazer incisõos 
n. pele |i sub. Desejo.] Sarjaçào; 
incisão. 

Kusémba. v tr. e intr. Agradar. 
I Gilantearj desvanecer. || sub. 
Desvanecimento. | | Kurisémba, v. 
r. Vangloriar-se; fazer-se dengue. 

Kusembesa, v, tr. Fazer agradar, 



KtJê 



-âSô- 



KÍ3â 



inspirar desvanecimento a. | E tb. r. 

Kusemesa, v. tr. Fazer ter ân- 
sias, desejos | Dar (à mulher grá- 
vida) comidas delicadas, ou o que 
lhe apetecer. | É tb. r. | Fazer sai- 
jar. incisar. 

Kusemuisa, v tr. Fazer apostro- 
far, desdenhar, zombar. | Fazer dar 
alcunhas de coisas ou defeitos 
afrontosos. 

KusetnuKa, v. intr. Ficar afron- 
tado por zombaria. | | sub. Menos 
cabo. 

l\useniuna'. v. tr. Apodar; alcu- 
nhar; apostrofar (zombando). 

Kusénda, v. tr. Laurear; galar- 
doar; premiar: — mukini.\ Gratificar. 

Kusendela, v. tr. (port.) Acender. 
1 V. Kuuika. 

Kusenduka, v. intr. Desmaiar; 
perder os sentidos | | Ficar maravi- 
lhado, encantado. 

Kusendukisa, v, tr. Maravdhar; 
causai pasmo a: kitari ki a mu aendu- 
kiaa. I Fazer desmaiar, perder os 
sentidos 

Kusendula, v, tr. Arrebatar; ex- 
tasiar ; Deleitar; cauiar grande ad- 
miração. 

Kusendumuka; v intr. Ficar des- 
lumbrado; ter lustre. || sub. Des- 
lumbramento. 

Kusendumuna, v. tr. Tornar bri- 
lhante, esplendoroso: kima u a ki ae- 
ndumuna.\ Fazer ter pompa, lustre.] j 
Patentear; pôr ás vistas. 

Kusénga, v. tr. Sortir: —maKU- 
Tia; — mílele.\ Comprar miudesas.]! 
Kurisénga, v. intr. e r, Desagre- 
gar-se; despegar-se; extremar-ác: o 
mâji in'arisénga ni menha \ Deferen- 
ciar-se; distinguir-se. 

Kúsenga, v. tr. e intr. Abando- 
nar o lar; sair de casa de: u asenge 
K'asakulx'ê, uala ni ndunge ia Kuvutu- 
ha I Estar separado (do marido. || 
sub- Desquite; s paraçâo; divórcio 
I Xúrisenga, v r. Separar-se; des- 
quitar-ae.| Cessar de viver em 
comum. 

Kusengéla, v. tr. Fazer sorti en- 
topara.| Mercar p.r outrem. 

Kusengesa, v. tr. Deacaiar; divor- 
ciar. j Faxer expulsar ( a mulher) 



do lar. 

Xusengúla, V. tr Povoar:— y/x/ | 
Dispor (em algum terreno) de grande 
quantidade de vegetais. | | Kurise 
ngula. V. r. Encher-se de habitan- 
tes. 

KnsenguluKB, v intr Ficar des- 
graçado, empobrecido. | | ?ub Re- 
vés; desgraça:— k'u nang'ê.\ Misé- 
ria; infortúnio, 

KusenguluKisa. v. tr. Causar 
a desgraça de; deitar a perder. 

Kusengulula, v. tr. Desgraçar; 
reduzir á miséria . | | Acabar de 
vez. (Diz-se do r e t i r a r da la- 
vra os mantimentos depois da 
primeira colh".ita.)| Desp voar. | 
f. tb r. 

KusengumuKa, v intr. Ficar 
arrasado, aniqu lado, desfeito |Ei' 
tar desabitado. 

Kusengumuna. v. tr. Aniquil.ir, 
deitar abaixo | Arrasar; tornar 
ermo, 

Kusepuna, v. tr. Tornar-se g i- 
lante. gracioso, i | Kurisepuna, v. 
intr. e r. Afectar-se para agradar. 
|Tb se diz Kurisepuinha. 

K úsesa, v. tr. òravar; modelar; 
esculpir: - nYar/ j Fazer ré ortes em; 
lascar: —/nzíx/.l Fa ear.j| v. intr. 
Projectar; intentar: '^k'u lei sese ku- 
banga paxi mon'a ngerie.\ |sub. Gra- 
vação. 

'Cusésa, V. tr. Peneirar:— /uôfl | 
Outar; ripurar; refinar.;] Kuriaésa. 
V. intr. er Aperfeiçoar se. | | Des- 
denhar; desinteressar-se. 

Kusesála, v. tr Condenar; fazer 
parar. I Uiz-se da penitência a im- 
por ao que, nos jogos de prendas, 
eirar a marcação ou passo de dan- 
ça: a mu sesala. 

Kúsesela, v tr Presagit; agou- 
rar: - u/zax/.j Predizer (ornai). jÉ 
tb. r. 

Kuseséla, v. tr. Joeirar por; 
outar dentro de:— mu Kinda 

Kusesemba, v tr e intr. Dan- 
çar (arrastando os pés). 

Kusesesa, v. tr. Mandar penei- 
rar.] Faier joeirar, outar. 

KusesumuKa, v. intr Ficar ei- 
boroa do, esfarelado: ríKende ri ase- 



KUS 



-23Í- 



KUS 



sumuka. \ Ficar carunchado, carco- 
mido. 1| 3ub. Esboroo, esmigalha- 
mento. 

Kusesumuna. v tr Esfarelar; 
esmigalhar, i Reduzir a pequenos 
fragmentos.] Despedaçar; carco- 
mer I I Kurisesumuna, v. r. Esfá- 
relar-se I Fragmentar-se 

Kuséta, V tr. Marchetar; tau- 
xiar; embutir. | Fazer relevos era; 
matizar; esculpir. | | Manejar com 
dextresa; jogar: — kielã \ Brincar. 
I |sub. Marchetaria; embutidura. 

KuseteKa, v. Fazer combinação; 
consertar: acordar | | Kuriseíeka, v. 
intr. e r. Entrar em combinação; 
lembrar-se; ajustar se. 

KusiKe, corog. Pequeno afluente 
da margem direita do rio Luandu, 
na região do Moxico. 

KusíndÍKala, v. inír. e r. Sosse- 
gar; conter-se; ter modos; — u mo- 
ne o ribata.W sub Moderação. 

KusindiKalesa, v. tr. Fazer mo- 
derar, ajuizar. 

Kusirivila. v. intr. (port.) Ser- 
vir.! V. Kubika 

Kusóba, V. tr. Pedir por emprés- 
timo:- \íitari I É tb. r. 

• 

Kusobela. v fr. Pedir empresta- 
do para: ng'a ku sobela malele 

Kusobesa, v, tr. Emprestar; 
confi r, ceder por empréstimo. 1 
É tb. r. 

Kusobola, V. tr Despolpar:—//- 
ndende \ Esmoer. 

Kusofelela, v. tr. e intr. (port.) 
Sofrer. I V. Kutamama. 

Kusóka, V. intr. Ser igual: o fu- 
bá i asoKo ni menha \\ v. tr. Cal- 
car; tornar compacto (pisando com 
maço. calcador. etc ): — k i b íl- 
ia Kia Juba | | sub. Capacidade; po- 
der.] Qualidade de igud. i| Acto 
de calcar. I | KurisÓKa, v intr. e r. 
Estar em condições de igualdade.] 
Chegar ás mesmas contingências, a 
mesma altura que outrem. 

KúsoKa V. intr. Oscilar; abaliar: 
riJu'eririala—.\ Abanar ||8ub. Mo- 
vimento oscilatório 

Kusókana, v tr. Casar .|| Co- 
habitar; ter vida comum. || sub 
Cafamooto; cohabitação. || Kuri- 



sokana, v. intr. e r. Casar-se.| 
Amancebar-se 1 fig Bater-se. 

KusoKanesa. v. tr. Fazer coha- 
bitar, casar. I Fazer viver em co- 
mum. I É tb r 

KusoKejeka, v tr. Ajustar, pôr 
certo, (peças de um maquinismo): 
— irlándu.\ Unir peça por peça; 
compor II Kurisokejeka, V. intr. e 
r. A j u s t ar-se, encaixar-se em 
muitos lugares. 

KusoKeKa, v tr. Encaixar; ajus- 
tar:— ritemu.\ Unir.l Adaptar; cal- 
car. I I sub. Encaixe.] [ KurisoKCKa, 
v r Encasquetar-se; adaptar-se en- 
caixar-se. 

KusoKela, v. tr e intr. Ser 
í^ual a: eie leia tu asoKela. \ Ser do 
mesmo tamanho ou altura. |! sub. 
Egualha.] Identidade de condição 
moral ou social. 

KnsoKelela, v. tr e intr. Estar 
em igualdade de circunstâncias.] 
Ser paralelo | | sub. Qualidade de 
igual I Paralelismo 

Kusokelesa, v. tr. Parear; igua- 
lar; acertar:— míxi. ] Afinar: — má' 
zui I Aplainar; nivelar | Confron- 
tar. |] KurisoKelesa. v. intr e r. 
Pôr-se no mesmo nível ou condi- 
ção. ] Fazer-se igualar, compaiar. 

KusoKesa, v. tr. Classificar; tor- 
nar igual; pôr em ordem. | | Mandar 
calcar, apertar com calcador, 

KusoKOKa, V. intr. Ficar arran- 
cado, e::traido (do lugar próprio): 
riju ri asoKo'ka,. | S a i r ou cair 
por si. 

KusOKola, V. tr. Extrair: — riju.\ 
Desenraisar; desprendei: jindende. 
JDesencravar: — kiâla.\ Deslocar; 
desencaixar: — ritemu \ Desdentar. 

KusoKOloka, V. intr. Ter bom 
êxito ou feliz resultado, j Vingar; 
medrar; crescer (em negócios). | Al- 
cançar; galgar; chegar.] Atingir o 
fim. 

Kusokolola, v. tr. Fazer prospe- 
rar, desenvolver: —irima \ Produ- 
zir a aparição de: mbutu | Fazer 
aumentar o númeio de. | | 
KurisOKolola, V. r. Desobrigar-se; 
eximir-se . 

KusoKomoka. v, intr. Estar ou 
ficar despregado, deaconjuntado, 



KUS 



-232- 



KUS 



desfeito: o ribitu ri asOKomoKa \ Fi- 
car desmembrado. 

Kusokomona, v. tr. Desconjun- 
tar: - kiala I Pesmanchar; desar- 
mar:-«/a. j Desfazer. I! KurisoKomo- 
na. V. ÍQtr. e r, Desmanciíar-se; des- 
conjuntar se; desfazer-se. 

KuscKomuesa, v. tr. Mandar des- 
pregar, desraanchir, desarniir. 

KusoKuesa. v. tr. Mandar deslo- 
car, t:rar frutos do cacho: - jinde- 
nde \\ Mandar extrair, tiiar do !u 
gar:-/-/;//. I Mandar desunir. 

Kúsola, V. tr e intr Escolher; 
preferir | | v intr Optar; ser pre- 
ferido! | sub. Escolh-i; preferência- 
IIKurisola, v. r Escolher-se (en- 
tro si). 

Kusóla. V. tr Derribar; r<çar: — 
muxitu I Arrotear; arrifar || Expu- 
gnar.|| sub Roçadura; arrife. 

Kusolésa, V. tr. Mandar roçar- 
arrotear, arrifar. | Fazer derribar, 
coitar com a roçadeira. 

Kúsolesa, v. tr. Mandar esco- 
lhei; faz r op(ar, preferir. 

KusoloKota, V tr. e intr. Procu- 
rar com diligência II Pesquisar, in- 
vestigar com cuidado: - mu jihota.\ 
Vasculhar. 

KusolcKofesa. v. tr Mandar pes- 
quisar; fazer investigar com cau- 
tela. 

KusolomoKa, v. intr Surgir 
(de repente).] Destacar-se (da mul- 
tidão, da sombra) | Avançar, apa- 
recer inesperadamente | Crtscer; 
progredir. 

Kusolomona, v. tr. Destacar; 
fazer aparecer, cingrar, avançar. — 
ulungu I Adiantar. 

Kusóma, v tr. e intr. Carregar: — 
ãta \ Espetai; ataca;; cale ir: — /7//x/. 
|Preparar; ved*;; construi) : kutunga 
ni—.\ Sol d ficar. 

KusombcKa, v. inlr Ultrapas- 
sar: — linbambe \ Pasmar por cima, 
transpor:— r/KU^á'í^.| ! sub. O acto 
de ultrapassar ou exceder. 

KusomboKcsa, v. tr. Fazer pas- 
iar além ou por cima de.| Fazer 
exceder, ultrapassar, transpor. 

Kusombola. v tr. Provocai, 
iniuitar, 1 1 Reptai; chamara desa- 



fio I Afrontar ( | sub. Provocação: 
repro. 

KusombolcK^, v. tr. e intr Ir 
muito alén.] Tia passar; exceder o 
limite em muitos lugares | Violar; 
transgredir. 

KusomeKa, v. tr. Conchavar. | 
Enf ar, espetar paus (entre outro?); 
intercalar | M-.ter; introduzirem. 

KusomeKena, v. tr. Piemiar: — 
mukóngo \ Reccmpensar; assinalar; 
distinguir. 

Kusomesa. v. tr Fazer carregar 
(uma espingarda). I | Fazer encadear, 
atacai: vedar. [ Fazer colocar pius 
(ntre outros) 

Kusomona, v. tr. e intr Estrear; 
inaugurar. II v. intr er Fazer uma 
cois i pela primeiía vrz | Vender 
(a prim.ira coisa do dia ou ser o 
primeiro a comprar | Principiar o 
dia (fazendo ou sofrendo aiguma 
coisa) . 

Kusóna, v. tr Mosquear; sarapin- 
tar. | Eoudoai; manchar. |f/g. Sal- 
picar. 

Kusónda, V. intr Preguiçar; man- 
drií-r . 

Kusondaraa, v. intr. e r. Estar na 
posse de: ng'a k/ xikama anga ng'a 
ki sondania ? \ Prover-se abaste- 
cer-se. 

KusondoloKa, v. intr. Ficar 
afastado, separado 

Kusondolola, v. tr. Apaitar; se- 
parar; abstiair.| É tb. r. 

Kusoneka, v tr e intr. Escritu- 
rar; escrever . | ] sub. Escrita. 

KusoneKena, v. tr. Escrever a: 
ag'a mu sonekena muKanda.\ Escre- 
ver por viH de.| É tb. r. 

KusoneKesa, v. tr. Mandar ea- 
crituiar, fazei esv;rever. 

Kusonesa, v. tr. Fazer mosquear, 

sarapintar, matisar de pintas. | | 
É tb. r. 

Kusónga, v. tr. Aguçar: — /nâxí. | 
Desbastar; aparelhai: - mabaid. ' En- 
direitar; aparar. 

Kusongesa, v. tr. Mandar adel- 
gaçar a ponta de | Fazer desbas- 
tar; tornar agudo, penetrante.] | 
Estimular: atiçar, fomentar; incitar. 



KUS 



-233- 



KUS 



Kusongola, v. tr. Afastar; reti- 
rar de. 

KusonffoloKa, v. intr. Estar afãs- 

tad'"> I Ficar desviado; sair do 
grupo. 

Ku30Dgolola, V. tr. Desviar: afas- 
tar: — rltari mu njila ] Acantoar; pôr 
de parte II Kurisongolola, v. r. 
Isolar-se; afastar-se. 

Kusonha, v. intr. Chuviscar; go- 
tej ir (chuva). 

Kusonoka. v. intr. Perder; cair: 
kitari kí asonoka ||sub. Perdimento, 

Kusonona, v. t r. Deixar p rdei, 
cair. 1 É tb. r. 

Kusonzuela, v. tr. Mondar; — 
ribla I L'n.par (de capim) a terra 
semeada, il sub. Monda. 

Kúsosa, V tr Podar. I Cortar, 
desbastar árvores: —míxi \ Tirar, 
por meio de pilão, o farelo do mi- 
lho em grão: — mása. j Limpar. || 
sub. Pod.i; descasque; limpesa. 

Kusósa. V. intr Sír estreito, es- 
guio I Ter pouca grossura. || sub. 
Estreitesa; finura. 

Kúsosesa, v. tr. Mandar podar. 
I ! Fazer pilar milho (para limpar.) 

Kusosésa, v. tr. Adegalçar; es- 
treitar: — ribáia.\ Diminuir em largu- 
ra; reduzir a grossura de | Restrin- 
gir. || Kurisosesa, v. intr. e r Tor- 
nar-se delgado; diminuir de espes- 
sura. 

Kusosóla. v. tr Tirar o grosso 
de.| Tornar menos basto. 

Kusosoloka, v. intr. Diminuir de 
intensidade. | Abrandar: kuKata ku 
aBOtof-OKa. I Ser menos intenso, ter 
menjs veemência. 

Kusosolola, v tr. Fazer dimi- 
nuir a intensidade de: —tâbia.\ Tor- 
nar menos vigoroso; reduzir. 

Kusosomoka. v intr. Fagulhar: 
jihuinhi jala — \ Faiscar. 

Kusosomona, v. tr. Fa/.er avi- 
var (o fogo): — jihuinhi \ Tirar da le- 
nha a braza aceza | Fazer soltar 
fagulhas:— ;7«oío ja túbia. 

Kusosuéla, v tr. Deitar a miú- 
de lenha ao lume; — Aamòia. | Nào 
deixar extinguir o fogo.| Alimentar; 
manter (o fogo). 



Kusôía, V. intr. Encarnar | Ci- 
catrizar; criar carne (a ferida) | | 
Prtcurar; buscar; tratar de saber: — 
Kalunga. \ Escrutar; fazr que sê 
lhe depare:- fnÔ7ía. I I •-ub P.ocuta* 
indagação; busca. | É tb r. 

Kusofalala, v intr. Estar en- 
chatcado, embebido em líquido: boxi 
bu asotalala \ Estar úmido. 

Kusotalalesa, v. tr Encharcar, 
molhar muit® | Fazer criar umi» 
dade. 

Kusofesa, v tr. Mandar procu- 
rar, buscar | É tb r. 

Kusofoia. v. tr. Coucear; dar pon- 
tape. 

Kôsua, v tr. Fouçar: — iángu 1 
Segar, arrancar capim;- imbambe \ 
Arregoar. 

Kusuála, v. tr. Passar a fubá 
pelo rmiauálu | Cirandar | fig. Sepa- 
rar o mau do bom . 

Kusuáma, v intr. e r. Ocultar-se; 
esconder-9e: kitari, viuxUtt ua~.| 
Não se mostrar. | Encoquinar-se . 

Kusuámba, v. tr. Arrufar; zan- 
gar:— /ciía muhatu ni riiala \ Diz-se da 
mulher que. amuada, espera ser ro- 
gada peio marido para regressar á 
casa . I I sub. Arrufo. 

Kusuánga, v. tr. Pilar feijão 
para dele extrair o bicho que o es- 
traga 

Kusuangala, v. intr Estar seco, 
sem uraidade.j Diz-se do prão fei- 
to só com azeite, sem água, ou do 
arroz solto. 

Kusuangalesa, v. tr. Tornar se- 
co, solto (qualquer iguaria). 

Kusuasuana, v intr. Estar ator- 
mentado I Estar desfarelado, 
carcomido: jnúxi u aêuaeuana. 
I I Atrapalhar-se; encontrar-se «m 
dificuldades; não saber que íaier 

Kusuasuanesa, v tr. Arruinar, 
transtornar (o espirito). | Meter em 
apertos 

Kusuasula, v. tr. Estugar, Ali- 
geirar (o passo). 

Kusuáfa, v intr. Cair certo; es- 
tar juito, na medida. { | sub Exati- 
dão; certeza . 

Kusuatesa, v. tr. Ajustar | Pôr 
na medida. 



KUS 



-234- 



KUS 



Kusúba, V. intr. Restar; ficar, j ] 
V. tr. Deixar resto. ] | Diz se 
da apanha do peixe, na seca do3 
rios ou lagôís, por meio de paus 
espetados e entrelaçados àjuzan» 
te dos mesmos: — jinguingi ni 
ikuêu.\ I Kurisuba, v. r. Demasiar-se; 
excôder-se . 

Kusubujuka. v. intr. Restar; de- 
niasiar a miude, exceder sempre: 
ujitu u atuhujiíka . 

Kusubuiula, v. tr. Deixar muitos 
restos. 1 Fazer sobejar por vezes | 
Fazer ficar sobejos muitas vezes. 

Kusubuka, V. intr. Sobrar, ex- 
ceder o necessário. || Sobreviver. 

Kusubukisa, v. tr. Fazer sobrar, 
deixar resto. 

JKusubula, v. tr. Interromper; 
suspender: mona a mu suhula o riclt. \ 
Não deixar acabar | Fazer parar, 
restar. 1 Dar por acab. do antes do 
fim. 

Kusueka, v tr. Ocultar; escon- 
der ! Calar; disfarçar: ingo i asneaka 
o iâla I Tapar; sonegar: cobrir.] ( 
sub Ocultação; sonegação 1| Kuri- 
sueka, v. r. Alapar-so; esconder-se. 

Kusuekela, v. tr, Dizer que não 
(tendo) 1 V. kuringila. I DissimuUr; 
negar (a verdade).] Ocultar; iludir. 

Kusuekesa, v. tr. Dar a escon- 
der ] Fazer alapar, ocultar (para 
que se não veja). 

Kusuenha, v. tr. Engasgar; ficar 
com a gargantaembaracjda.il sub. 
Engasgamento. | | Kurisuenha, v. 
intr. e r. Engasgar-se; sufocar-se. 

Knsuenhesa, v. tr. Fazer engas- 
gar: — menha. \ Fazer sufocar. 

Kusuéía, V. tr e intr Pôr se ao 
alcance ] Chegar-se; aproximar-se | 
Acercarse, abeirar-se de ] É tb r. 

Kusuetesa, v. tr. Trazer parn 
perto: — kiálu \ Fazer pôr ao al- 
cance de ] I Kurisuefesa, v. intr. 
e r. Fazer-«e chgar, pôr perto. 

Kusueíula, v. tr. (cal.) Cobrar. 

Kusuila, V. tr Almotaçar; apre- 
çar: — uênji. \ Avaliar; ajustar. 

Kusuina. v. intr. e r. Esforçar-seí 
tornar-se forte. | Animar-se; ter co- 
ragem.]! sub. Esforço; emprego de 
energia, de vigor. 



KusuiniDa, v. tr, e intr. Fazer-se 
forte, valente.] Esforçar-se por. 

Kusuinisa, v. tr. Esforçar; dar 
alento a.| Reforçar: estimular; exor- 
tar 

Kúsuka, V intr Desesperar: u 
aKinga Kua Nzambi k' aauVè muxima.\ \ 
Bastar; fatlsfazer . ] ] Expirar; aca- 
bar; morrer: viuenhu uaanKu.\\ Pa- 
rar; estacar; ter fim. |] Kurisuka. 
V. r. Desesperar se; impicientar se; 
dar-se pre-ssa. | Cansar-se; aborre- 
cer- se. 

Kusúka, V. tr. Enxotar: — ;í«á- 
nji. - jihombo.] Conduzir gado do cu 
ao pa.sto :- jingombe 

Kusukama, v, intr. Estar neces- 
sitado, oprimido, obrigado. ] Care- 
cer do necessário. 

Kusukamena, v. tr. Sentir neces- 
sidade, precisar absolutamente, ca- 
recer de: ng'a8ukamena Kitari. ] ] v. 
intr. Hesitar mostrar receio. 

Kusukika, v. tr. Fazer bastar, 
satisfazer. 

Kusukila, V tr. e intr. Não pas- 
sar além de . j Chegar a determina- 
do lugar; parar: ng'asuKÍla bu muelu.\ 
Estacionar. 

KusuKÍna, v intr. Ficar atraz, 
no fim, viratrazado. 

Kusukinina, v. intr. Ser derradei- 
ro, o último da série 

Kusukinisa, v. tr. Colocar em úl- 
timo lugar ] Fazer atrazar, pôr no 
fim.]| Kurisukinisa, v. intr. e r. 
Tornar-se derradeiro; pôr-se no ex- 
tremo. 

Kúsukisa. V. tr. Fazer sobres- 
tar, esperar.] Obstar a continuação 
de; deter. ]] Fazer Cansar, causar fa- 
diga: kt abita buiu ki aeiãíiaa aànji o 
xingu \ I Desesperar; fazer perder a 
paciência, 

Kúsukisa, v. tr, A;ular; excitar: 
— jimbua. \ \ Mandar enxotar, dar ca- 
ça, persegnir: — jiuguari \ Fazer pôr 
íóra do lugar (aves ou bestas) 

Kusukuisa, v. tr. Mandar lavar, 
passar pela água. |] Kurisukuisa, 
V. r. Fazer-se lavar; purificar-se. 

Kusukula, V tr. Lavar: a mu <u- 
ma — , a mu tuma kuíeía ] Abluir | ] 
KurisuKula. v intr e r. Lavar-se; 
tomar banho. 



KÍ3S 



-135- 



KUS 



Kusukumuka, v. intr. Estar a 
chuviscar. I I Derramar, correr por 
fora I Estar â descer, a cair; — mbú- 
mbi II sub Derramamento. 

Kusukumukina, v tr. e intr. Va- 
sar para: o fubá i ala - boxi \ Verter, 
escorrer por; maaa m'ala — bu rizu- 
ngu I Despejar em. 

KusuKuirukisa, v. tr. Mandar es« 
vasiar, despejar. | Fazer derramar. 

Kusukumuna, v. intr. Chuviscar. 
II V. tr, Esvasiar; despejar. | Fa- 
zer sair (por uma abertura) o con- 
teúdo de. 

Kúsula, V. tr. S u r r a r: — iba. 
I Forjar: — maiemu \ Malhar. || Açoi- 
tar; fustigar; bater] fig. Trabalhar. 
( I sub, Surramento. 

Kusuluka, V. intr. Estar despa 
chado, ficar livre. | Estar absolto.] 
Sair (da opressão).] Ter baixa (de 
serviço) . I I sub Absolvição | Despa- 
cho. 

Kusulukisa, v. tr. Fazer despa- 
char, resolver. É tb. r. 

Kusulula, V tr. Despachar; liber- 
tar; absolver | Licenciar; dar bai- 
xa. 1 1 Kurisulula, v r. Despachar- 
-se; livrar-se de impe^Uho3. 

Kusúma, v. tr. Sortear; tornar 
variado. | \ Ferrai; picar; morder: a mu 
eumu ku nhoKa.\\ sub. Picadela; mor- 
dedura. Diz-seda mordedura de cais, 
cobras e lagartos. 

Kusumba, v. tr. Comprar arrema- 
tar; obter por dinheiro | Tomar car- 
tas do baralho (em jogo de vasa).| | 
Kurisumba, v. intr. e r. Re^gatar- 
-se (do cativeiro),] Remir-se. 

Kusuoibila, v. tr. Comprar para: 
mbamba ng'a i sumbila ukembu, xibata 
ng'a i aumbila usalajendu.l Adquirir 
por Via de, 

Kusumbisa, v. tr. Alienar; vender] 
Atraiço.dr, entregar ao inimigo: a 
u iu mbi sa ku jinguma je \ \ Kurisu- 
mbisa, v: intr. e r. Alienar a pró- 
pria liberúíde: dar o voto por di- 
nheiro, | Veader-se; prostituir se, 

Kasumbujuka, v. intr. Sair por 
pouco tempo muitas vezes | Ausen- 
tar-se a miude , 

Kusumbukí», V. intr Partir subi- 
tamente para um lug^r perto | Es- 
capar; tair de repente por pouco 



tempo 

Kusumbula, v. tr. Tirar algo com 
rapidez (da mão de outrem) •[ Arra 
íanhar; rapar. 

Kusumbuiula, v tr. Tornar a 
comprar; readquirir.] Tornar a ar- 
rafanhar . 

Kusumijina, v tr. e r. Evolar- 
-se; desaparecer; sumT-se. 

Kusumika, v. tr. Atiçoar | Vaci- 
nar. ] Ervar; temperar:— poKo | fig. 
Prejudicar (interesses de outrem); 
queimar. II Kurisumika, v r. Com- 
pro neter-se, 

Kusumísa, v tr, Arbitrar; jul* 
gar; estipular. | Propor meios.] | 
sub Arbitramento, 

Kusumuka, v. intr. Ficar des* 
mamado. II sub. Ablactação. 

Kusumuna, v. tr. Ablactar, 

Kusúna, v, intr. Ter carranca; 
ser cenhoso, pouco falador,! Ter ca- 
ra de poucos amigos. 

Kusunajana v. intr. E3tret)u- 
char; debater-se.j | sub. Estrebucha- 
mento. 

Kusunana, v. intr. Cair em es- 
pasmo,] Ter contracções espasmó- 
dicas, 

Kusunanesa, v. tr. Espasmar, 

Kusunaía, v. intr. Ter proporções 
menores que as necessárias,] Estar 
acanhado, escasso. 

Kusunafesa, v. tr. Acanha»; tor. 
Dar escasso, curto, 

Kusúnga, v. tr. Tirar; puxar;— 
múxí. ] Esticar; extendor,] [sub. Em- 
puxão. 

Kusungama. v. tr. e intr. Ter 
cautela; cuiJar. ]] Kurisungama, v. 
r. Acautelar-se; cuidar-se,] Preve- 
nir-se. 

Kusungila, v. tr. e infr. Velar.| 
Seroar,] ] Puxar por. 

Kusungirisa, v. tr. Ajudar a ve. 
lar, a passar a noite. | Acompanhar 
ao serão. 

KusunguluKa, v. intr Discretear; 
discorrer.] Ser reservado, modesto. 
|]sub. Modéstia, sensatez. 

Kusuagusa, v. tr. e intr. EotQ. 
mecer; estar exuberante, viçoao; 



KUS 



-236- 



KUê 



mele m'asungusa.\\ sub. Entumíci- 
mento. 

Kusunhaía, v. intr. Escabujar; 
estrebuchar.] Ter convulsões. 

KusuniniKa, v, tr. Fulminar; 
matar ioàtantáneamente. | Ferir co- 
mo o f^io.]! V intr. Ficar ferido 
pelo raio ru cousa que se lhe com- 
pa.e. II 3' b. Fulminação.] I Kurisu- 
ninJKa, v.. in*r. e r. Estar em con' 
vUsões ( reais ou fingi laa.) Contor- 
ccr-se. 

Kusununa, v. tr. Retesar (extfn- 
dendo quanto possível); esticar: — 
inama.\ Desdobrar; pôr dire.to.]] 
Kurisununa, v. r. Entesar-se; exten- 
der^se.l Espreguiçar-se (retesando os 
membros) , 

KusununuKa, v. intr. Ficar des- 
tendido, esticado, pôr-se direito: 
anga mulumba kí uhax'é, svnunuKa.\ 

Kusunununa, V. tr. Esticar; endi- 
reitar; tornar mais extenso. | É 
tb. r. 

KusurÍKa, v. tr. Prensar; entalar; 
comprimir. 

Kusurila, v. tr. Malhar, forjar pa- 
ra: ngi surila an'a soba.\ Trabalhar 
per. 

Kusuririka, v. tr Caçar (a laço). 
I Acossar; perseguir. [ \ sub. Acos- 
saraento. 

Kusúsa, V. intr Urinar; mijar: 
u afumana o-K'azek'é bu atalaia \\ 
Estar ensosso, insulso, sem sabor: 
KÚriOKuasusu i sub. Micção.] Falta 
du sal; insipidez. 

Kusus'sa. V. tr. Fazer mij^r.]] 
Eosossar. 

Kususuila, V. tr. Varrer. 

Ku^usuka, V. intr. Ficar deso* 
brigado, absolvido por inculpabili- 
dade. Ser julgado inocente: ng'a' 
susuKa ma Kituxi.\ Ficar li vre.ji v- 
tr. e intr. Obter remissão da dívi- 
da, culpa ou pena.] jsub. Desobriga- 
ção; lirramento. 

Kususula, v. tr. Desobrigar; ab- 
solver; remir. I Desligar de compro- 
missos; tornai livre.] É tb. r* 

Kusúta, V. tr.e intr. Ratar: -x//u. 
jCortar (de um todo) pequenos pe- 
daços ás ocultas.] Tirar aos pou- 
eoi iem ler visto. 1 iig. Surripiar. 



KusuíUKa, V. Intr. Estar obeso, 
cheio, pesado. I Diz se do afogado 
que, devido a água ingerida, não 
pode emergir. | I sub. obesidade. 

■CusufuKisa, V. r. Fazer empa- 
char, encher em demasia. | Tornar 
pesado, sem acção. 

Kusuíula, v. tr Empanzinar; tor- 
nar obtuso | Empachar. É tb- r. 

Kúsuua, v tr. Arpoar; fisgar: — 
jinguingí mu zanga. \ Apanhar peixe 
com chuço,]] Atender." mutf/7e K'asu- 
u'ê mutu\ Cuidar de; ler consider;i- 
çãopor.iiv intr. F<izer caso; impor- 
tar-se: úsuua ndando ie.\ Considerar; 
ligar importância. 

Kusuu/íla, V. intr. (port.) Suar. 

Kusuuaía, v tr. Estar pensativo, 
tr ste I \ Kurisuuaía, v. intr. e r. 
Mostrar-se desgostco.i Ter o quei- 
xo apoiado nas palmas das mãos 
(cm sinal de sentimentc). 

Kusuuaíesa, v. tr Fazer atender, 
ouvir (a voz da consciência) É tb. r. 

Kutá, sub. (IX) Jaqueta; casaco 
que só chega á cintura. 

Kufa, V tr Colocar; sítuer; pôr; 
— Kinda ba mutue 1 Prepaiar; dis- 
por:— /níza ] Aplicar; sobrepor || 
Esperar; aguardar; contar com: — 
xin I Fixar, esti.belpcer: - papa ma 
imbambe \ Cuspir:— meie j Histo- 
ria-, contar; — músoso Apostrofar; 
notar defeito: — to Dar; vibrar; 
ferir: — /zd/ne j Intercal r; meter l| 
sub Acto de pôr ( a ave) ; interj. 
Amarra ! Prenda. MKunta, v 
intr. er. Colorar-st; meter-se; pôr- 
-se:-kíi muxinda \ Aveututar-se: - 
ni muxitu I Intromfter-se:— /nu ma- 
Ka ma ngene. 

Kúfaba, V tr Transp' rar água 
do rio, do poço ou lagoa. 

Kufabela, v tr. Irrigar; banhar. 

Kafabesa, v. tr Mandar tirar 
água do rio 

Kufabuisa, v. tr. Fazer passar 
para a outra margem do rio. | É 
ib. r. 

KufabujuKa' v intr. Repassar 
( para a outra banda) | Trans- 
por o rio a miúde:— ku4/7za. 

Kutabujula, v. tr. Levar a pasíaj 



Kl3t 



-ââ^- 



KUf 



por vezes um rio ou lagoa:— jinge- 
njl I É tb. r. 

Kutabúka, v. intr. Atravessar ou 
transpor uma corrente de água: — 
ngiji.] Ir para a outra banda. | j 
Aport ir; desembarcar. | j sub Apor- 
tamento; desembarque. 

KuíabuKisa. v. tr. Faz r passar 
uma corrente de água | Tb. se 
diz kutabuisa. 

Kutabula, v. tr Levar ou trans- 
portar alguém) p-ra outra banda [ 
Trazer a porto; desembarcar, i | Ku- 
riíabula, v intr. e r. Transportar- 
• se para outra margem. 

Kutajima, v. intr. Rutilar; res- 
plandecer II sub. Brilho; fulgor. 

Kufakajana, v. tr e r. Reen- 
contrar: lelu ng'ataKajana-ne lutatu 
|Dar de cara com. 

Kufakajanesa, v tr Fazer enca- 
rar, encontrar com. 

KutaKalala, v. intr. Estar em- 
pertigado: u atakalata Kãla u ala 
ku jipandu \ Ficar como que enta- 
lado, eppetado. 

KuíaKalalesa, v. tr Entalar 
I É tb. r. 

K (akana, v. tr. Encontrar; estabe- 
lecer contacto: tu ataxana mu njila. | 
Topar com.jiv. intr. e r Ir bus- 
car e trazer consiga: ndê, K'fl/a- 
kanc mênha.\ Tratar de achar. 

KufaKanesa, v. tr. Fazer depa- 
rar, buscar, trazer consigo | Kuri- 
(aKanesa, v. r. Ajuntar-se um com 
cutto. 

KutaKujuKa, v intr. Estar ao 
abandono, desprezidó. | Ficar ao 
desamparo. 

KufaKUJula, v. tr. Andar a atirar, 
a arremessar a tô i | Eipaihar || 
KurifaKnjula, v. intr. e r. Atirar-se; 
balouçar-se. 

KutaKUKa, v. intr. Ficar estira- 
çado, atirado por aí 

KuíaKula, v. tr. Atirar com for- 
ça de braço: — matari | Jogar; ar- 
remessar. i| sub. Tiro. ]| Kuri- 
taKula, v. intr e r. Despenhar- 
-ee; arrojar-se: u aritaKula boxi | Ati- 
rar-se; lançar-se. 

Kutàla, v. tr. Despelar:— n^om6e. 
iEâloJar.n sub- Esíoladura. 



Kúfala, V tr e intr Olhar: ng* 
atale ni mesu, Ki ng'afno7io' ami Ktma | 
Verificar; examinar. | | v. tr Con- 
templar; fitar os o 1 h o s em: zá, 
nda u tale.l Procurar; diligenciar.] 
Visitar; — hâxi Provar; assistir. |( 
sub. Acto de olhar ' | Kuritala, v. 
intr- e r. Mirar-se; observar - se. 

KufalaKanha, v. tr e intr. En- 
furecer; emb avecer; tornar bravio. 

Kutalala, V. intr. Estar frio; ku- 
ma KU atalaia. \ Ter umidade || 
Abrandar; ser suave:— 6w rimi. 'sub. 
Bonança; brandura; suavidade| Sos- 
sego de espírito: ku muxima ku ata- 
laia. \\ adj. Invernoso; úmido. 

Kufalalesa. v tr. Esfriar: fazer 
arrefecer; tornar úmidó, | E' tb. r. 

Kufalama, v. intr Estar estático, 
imóvel: mbeji i atalama ' Estar sus- 
penso, pendente. | | sub Estático; 
espera. 

Kufalamana, v. tr. Suster no ar; 
suspender i | v. intr. e r. F i c a r; 
quedar-se; permanecer. | Parar | | 
Estar muito elevado e como que 
suspenso. 

Kufalamanesa, v. tr. Fazer espe- 
rar; sossegar. ] Equilibrar; manter 
estático; conservar imóvel. 

Kufalela, v. intr. Encarar; obser- 
var; vêr com atenção ] Considerar; 
notar; meditar | Deitar os olhos 
p ira: o hima K^atalelê ku muKtla ue. 
I Cuidar; vigiar. || sub. Atenção que 
se presta a alguma coisa,' E' tb. r. 

Kutalesa, v. tr. Deixar vêr; dar 
a provar: — uênji | Mostrar. 

Kutalúla, v tr. e intr Unhar; 
rasgar; romper (de alto a baixo) ( 
Escoriar; arranhar | | Kuriíalula, 
V. r Beliscar-se; agatanhar-se 

Kúfamba, v tr Pescar com re- 
de: — jimbiji.[ Tarrafar. 

KufambeKa, v. tr. Entregar; dar; 
ceder. 

Kutambesa v. tr. Mandar tarra- 
fear. 

Kutambujila, v. tr. e intr Ob- 
temperar; aceitar; dar resposta afir- 
mativa. I Entoar; u âi bua ugene u 
tambujila, ku imbil'ê.\ \ sub. Permis» 
são; aceitação. 

Kutambuisa, y. tr. Ajudar a rt- 



eeber; fazer eatrega de. 

Kutambuiza, v. tr. Correspon- 
der. 

Kufambujula, v. tr Andar a 
tomar; estar a receber: -//ar i ia 
ngene. \ Receber daqui e dacolá 

Kufumbula, v. tr. Ocupar; apode- 
rar-se de: — /x/| Tomar (comer ou be- 
ber):— muzonge I Receber: -u/z^a/»a. I 
Aceitai; admitir : — milongi \ \ sub. 
Recebimento; tomada 

Kutambulula, v. tr. Acolher com 
aprazimento:— mi/yz/u I Receber de 
bom grado; submeter-se | | Recu- 
perar; rehaver.] É tb. r. 

Kuíána, v. tr Tirar talos ou ner- 
vuras das folhas: — mingiiigí ia ma' 
kanha \ Desfolhar. 

Kúfana, V intr. e r. Regosijar- 
- se; dar-se por feliz: ng'a- 
tana, kI n êza.\ Estar contente, 
agradecido.! Ser benvido: — /a/ifl-KU 

I I sub. Felicidade; congratulação 

Kúfanda, v tr. Distanc ar; man- 
dar para longe: a mu tande rikanga. 

II V. intr. Inchir; entumecer; — 
mixiba \ Estalar; íenáer.—musula. 
[Rachar. II Kuntanda, v. intr. e 
r. Afastar-se. para longe do lugar. 
|Desterrar-se. 

Kufánda, v. tr. Pôr a curar, a 
secar: — jinguingi.\ Extender (para 
tirar a umidade) . 

KufandaKanha, v intr. Estar 
desnorteado, atrapalhado, confuso 
I Perder a noção das coisas ou o 
fio do discurso. I Estar embaraçado, 
não saber que fazer ou dizer. | | sub. 
Atrapalhação. 

KufandaKanhesa, v. tr. Sara- 
pantar; fizer confundir; — kilunji.] 
Causar embaraço; fazer perder o 
fio da conversa. 

Kufandelela, V. tr Lançar (o an- 
zol) a maior distância. 

Kufandesa, v. fr. Fazer inchar' 
entumecer (duetos): —/TJíx/fta | Fa- 
zer rachar, fender 1 1 Mandar lan- 
çar á distância, degredar. 

KutandujuKa, v. intr. Ficar las- 
gado em muitos pedaço». 

Kutandujula, v. tr. Rasgar muitas 
vezes:— mÍKarxia. | Reduzir a farra- 
pos.] £' tb. r. 



KUf 



KufanduKa, v. intr Estar rasga- 
do, roto: mulele u atanduKa \\ sub. 
Rasgamento. 

Kufaudula v. tr Rasgar; rom- 
per; fazer em pedaços. | E' tb. r. 

Kufanesa, v. tr Felicitar; apre- 
sentar Cumprimentos de boas vin- 
das a I Dar parabéns JE' tb. r. 

Kúfanga, v. tr, e intr. Lêr: — 
muKanda \ Contar: —Kííarí | Narrar; 
revelai: referir: — maKa.\ Eviden- 
ciar por palavras; anunciar; 
decifrar | | sub Leitura; numera- 
ção.] Acto de contar || Kurifanga, 
V r. Denunc;ar-:e; incluir-se. | Con- 
tar o que cad t um souber do outro: 
— itoKolo I Permutar injúrias: — 
malondo 

Kufangalala, v. intr. Estar in- 
deciso. 

Kufangama, v. intr. Entroncar; 
sair de travei. | Estar cruzado, atra- 
vessado I I sub. Entroncamento. 

Kuíangamana, v tr. e intr Pôr- 
•se de travez; — njila.\ Extender os 
braços ou ter ura pé em cada lado 
da porta, do caminho, etc.j Estor- 
var; não deixar passar; pôr obstá- 
culo a. 

Kufangamanesa, v. tr Fazer 
atravessar, vedar, encruzar. 

Kutangaía, v. intr Andar de per- 
nas aberias. 

Kutangeia, v Participar; aviz^r; 
prevenir ] Lêr (para outrem ouvir); 
contar (para que outrem saiba) . | 
Dar conhecimento. 

Kutangesa. v. tr. Mandar lêr, ^ 
contar: — iiênji. |fig. Namorar; pro- 
por casamento. 

KutanguluKa, Estar ou ficar con- 
ferido, certo. 

Kutangulula. v tr Recontar; re- 
ler. 1 Conferir. 

KutangumuKa, v. idtr. Transpor' 
Kubiia pambti —njila. \ Passar p ^r ci- 
rna de (atravessando). 

Kutanjala, v. intr. Passear (den- 
tro de um recinto) | Andar de um 
lado para o outro. 

Kúfanu, sub (IX) O quinto mez 
da época pluviosa. 

Káfapa, v. intr. Ser sofrívc;!, su- 
portável] Não ser mau de todo. 



KUT 



-539- 



KUT 



KutapeKa. v. tr. Encobrir; tapar 
(para que se não note falta ou defei- 
to) | Disfarçar || KurifapeKa, v. r. 
Pespesfai-se: u aritapeKa maloua. \ 
Mqscarrar-se. 

Kutaoesa, v. tr. Tornar melhor, 
menos feio \ Fazer ser sofrível (em 
qu;'lidade). 

KutariKa, v. *intr. Mercadejar; 
nejoclàTi—uênJi ua jinsvba | v. tr 
Pôr a preço de v&nda; feirar || 
sub. Almoeda; venda.] É tb r. 

Kufarínga, v. intr Brilhar; fulgir. 
I Diz-se de olhos azuis ou verdes 
brilhantes, luminosos: mesa me m'a- 
taringa- 1 | sub Fulgor; brilho. 

Kuíáfa, V. tr. Lamentar.'— ///zg^d- 
ngo.\ Manifestar privações: — mala- 
mba, I I Referir com pesar agravos e 
injúrias. I |Kurifáfa, v. r. Queixar-se; 
lastimar se; apresentar desculpas. 

Kúíata, v. 1r. Amarrar bordões 
ouripisaos paus em altura:~/u/7/6a. 
[Formar com enchameis o tabique 
de umâ casa . I I Fazer uma costura 
mal acabada: — m«/e/e. | Remendar. 

Kufafama, v intr. Aturar; du- 
rar; resistir | Demorar (no lugar); 
kn bata k'atatam'ê-Ku\. Ser estável. 

Kufafamâna, v. intr. Ser ata- 
do, obstinado, teimoso: u ataíamana 
mu kuzaela | Ser cabeçudo. 

Kufatamanesa. v. tr. Obstinar; 
tornar teimoso- | É tb r. 

KutafameKa, v. tr. Obrigar; exi- 
gir o cumprimento de | Coagir.] 
É tb. intr. e r. 

Kufatamesa, v. tr. Fazer durar 
(em um lugar) | Tornar estável, de- 
morado" |].| Sugeitar; fazer tomar 
compromissos || Kurifaíamesa, v. 
intr. e r. Demorar-se; ofarigar-se; 
comprometer-se . 

Kufaíela, v. tr. Inculpar; arguir.] 
Tornar responsável ( quem não o 
é)ll Kurifaíela. v. r. Deitar-se cul- 
pas; incriminar-se. 

Kúfatesa, v. tr. Ajudar a Hgâr, 
a amarrar com cordas. 

Kufatésa, v. tr. Objectar; duvi- 
dar; opôr.j Molestar; enfadar ]] Ku- 
ritaíesa, v. r. Disputar; discutir; 
opor dúvidas. 

Ku(a(u, corog. Afluente da mar- 



gem esquerda do rio Cubango, nas 
Ganguelas. 

Kuíafulula. v. tr. Tornar a amar- 
rar, a atar:a mu tate, a mu latulula. \ \ 
Determinar por esp''cies; mencionar 
por partes ] ] aub. Especificação* 

Kutafumuka, v. intr. Rebentar; 
partir: mukolo u atatumuka.\ Rom- 
per. 

Kutafumuna.v tr. Quebrar, re- 
bentar; rotrper: — jingunhu] Kuri- 
fatumuna, v. intr. e r. Desprender 
•se; dar-se arranco (no falar). 

Kufaua. v tr. e intr. Corroborar; 
comprovar ] Aceitar; responder 
afirmativamente. 

Kufauesa, v. tr- Sujeitar (sob pa- 
lavra).] Fazer aceitar, confirmar (o 
que outrem diz) . 

Kuíaiíla. V. tr. e intr Arrogar-se; 
jactar-se.] Ter bazófia. 

Xufaulula. V. intr. Arrotar. ]] 
sub Arroto. 

Kute. adj. Amarrado; manietado; 
ligado: soba — lu. hange-iu\ Preso. 

Kufebujula, v. tr Ir desbastan- 
do, tornando menos espesso.] Lim- 
par por vezes ( a rama das árvores) 

KutebuKa, v intr. Ficar desbas- 
tado, menos ramudo, aliviado. 1 1 
sub. Desbaste; alívio. 

Kutebula, v. tr. Desbastar ] Dar 
( a madeira ou pedra) o primeiro la- 
vor. I ]Desenramar; limpar (árvores). 
II sub Desbastação; desafogo. 

KufebuluKa, v intr Ir a menos ] 
Ter mingua; diminuição. 

Kufebulula, v. tr. Tornar a des- 
bravar, a desbastar, a limpar (árvo- 
res) j] Kuritebulula, v r. Limpar- 
-se; polir-se; civilizar-se. 

KutebunuKa, v. intr Minguar; fi- 
car re luzido.] Abater; tornar-se me- 
nor, menos intenso- 

Kutebununa, v. tr. Diminuir; re- 
duzir; tornar manor j Moderar; ali- 
viar ( o peso).] Abater.] E' tb r. 

Kufeialala, v. infr. Ser estridulo: 
rizui ri a mu teialala ] | v tr. Cantar 
ou dizer em tom agudo ] ] sub Es- 
triiulação; oxifonia. 

Kuteialalesa, v. tr. Estridular: 
tornar agudo (o lom). ] ] Rosiquir. 



KUT 



-540 - 



KUT 



KuíéKa, V. tr. Tingir; colorir: — 

jindómba, | | v. intr. Dar côr. | | sub. 
Coloração, tingidura.| E' tb. r. 

KúfcKa, V. tr. Haurir; esgotar. | | 
V. intr. Fazer água; filtrar, |i Kuri- 
tcKa. V. intr e r. Ter água própria: 
mhinda K'ari<CKá, vmhiKa K^aritumuè \ 
Abastecer-se. 

KuteKama, V. intr. Tomar côr; 
ficar tingido (de preto; | | adj. e 
sub. Tinto. 

KuteKamesa. v. tr. Fazer pintar, 
tingir (de preto). I Tornar tinto. 

KuteKeja, v. tr. Imitar; fazer ima- 
gens. 

KuteKela, v. tr. Regar:— HíaRuntie. 
I Deitar água por cima de. | | v. 
intr. Prestar atenção; tornar-se 
atento (para ouvir): — moKO,| | sub. 
Rega. II KuntcKeia, v. intr. e r. 
Molhar-^e; banhar-se. 

KufeKésa, v. tr. Fazer tingir, dar 
côr: - ;í6o/eía| Fazer avivar, colorir | 
E' tb. r. r. 

KúfeKesa, v. tr. Mandar tirar, es- 
gotar água. 

KuteKeta, v. intr. Tiritai: — m 
mhâmhi. \ Tremer; dar desi.|l sub. 
Estremecimento; tremura. 

KuteKetesa, v. tr. Estremecer. | 
Fazer abalar, sacudir. 

Ku(eKuiula, v. tr. Vêr com admi- 
ração. I Remirar.: I KuriteKujula, v. 
intr. e r. Mirar-se muito ao espelho 

KufcKÚka. V intr. Desatinar | Fi- 
car encantado: u fl/ekuka ni rilala \ 
Ficar enlevado. 

Ku(eKula, v. tr Deslumbrar; en- 
cantar; sedusir Deliciar; fascinar; 
prender a atenção de.|i3ub Sedu- 
ção; fascinação. ' | Diz-se tb do facto 
demostrar as palmas das mãos, sig- 
nificando isenção:— maku 

l^ufela, V. tr. Colocar, meter, pôr 
junto de: a mu tela poko bu muêlu 
llKuriteia, v. intr e r Encami- 
nhar-se, seguir por: u aritela njila ia 
/koka I Meter-se em. 

Kuteleka. v tr. Deitar comida 
no prato; servir; pôr na meia. | En 
tiegar; tributar; oferecer ] Coxinhar, 
II Kuriíelcka, v. intr, e r. Entre- 
gar-se; render-»©! submeter-se. 

Kutelekalt, v. tr. (port.) Entre- 



gar I V. Kubeka. 

KuíeleKe'a, v tr e intr. Servir 
(comida); dispor: ng atelekela muâri 
Ofertar; dedicar: KÚría a mu teleke- 
la Juma. mala mu mala ânji l abulle. 
Consagrar; pôr sob a invocdcão 
de: - mákulu. 

Kuteiujuki, v.fcintr Tremelicar; 
sintilar: — kua tetembua ] Lampejar; 
coriscir: Kuma Ku ala.— \ \ sub. Coris- 
cada. 

Kutelujula. v tr. Tornar sinti- 
lante; faeer tremeluzir. 

Kufeluka, v intr Relampejarr 
brilhar rapidamente 

Ku(«luKÍsa. v tr Fazer brilhar, 
relampejar, coriscar | É tb r. 

Kuféma, v. intr Estar ou ficar 
quente; ter calor: ménha m' atema 
I Estar aceso: bu jíku bu atema. \ 
I sub. Aquecimento Calor; quen- 
tura 

Kútema, v. intr. Ser máu, bra' 
vo, severo. I Estar possuído de in- 
dign ção, de cólera. | Ter disposi 
ção de maltratar, de ofender. ||' 
sub. Severidade. 

Kutemana. v tr. Arranhar; en" 
furecer . 

Kuíemanana, v. intr Estar 
dorido: rtmbu ri atemanana \ \ Ficar 
txacerbado, irritado. | Estar de 
mau humor. 

Kutcmananesa, v. tr. Agravar; ir- 
ritar, faz^r indignar, doer. 

Kutembalala. v. intr Divergir. | 
Alargar, abrir para os ladoB. 

Kutembeleka, v tr. e intr. Ser di- 
vergente. 1 Aíaitar; abrir (deixando 
vêr o interior) I KuriiembelcKa, v. 
intr e r Escancarar-se; mostrar-ie. 

Kutembuha. v. intr. Ficar aber- 
to, escancarado: r/&it{{ ri atembuKa 
I j sub. Escâncara, us na loc. adv. 
ni — kue: abertamente. 

Kuíembula, v. tr Abrir passa- 
gem; escancarar . IFraoquear, faci- 
litar entrada em 

Kufemena, v. tr. Admoestar, 
repreender a: a mu temtna ku íoso l 
abangc. \ Intimidar por. 



KUT 



-24<- 



KUI 



Kufemeneka, v. tr. Irritar; embra- 
vecer; tormr irascivf I. 1 1 Kuriteme- 
neka. V. intr. e r. Eocher-se de ira; 
tornar-se aborrecido. 

Kutemésa, v. tr. Requentar;— kú- 
ria.\ Aquecer; —mén^a. I I Kunteme- 
sa, V. intr. e r. Dar-se quentura; 
aquecer-se. 

Kutemuka, v. intr. Ficar pouco 
claro, limpo II Entr abrir (o céu»; 
aclarar (o tempo) | Estar desanu- 
viado. 

Kútena, v. intr. Poder; str sufi- 
ciente. ! Bistar; chegar; estar habili 
tado. Ser capaz; ter força, possibi- 
lidade.! Ter domínio, influênc a, au- 
toridad-: eme ngi tena. \ i v. tr. Ter 
a faculdade de; ter forç i ou capaci- 
dade p ra. 1 I sub. Poder; domínio; 
ra ndo, I Kurifena^ v. intr. e r. Bas- 
tar-9e.| P.-itar-se (à altura das cir- 
cunstâncias). 

Kúíenda, v. tr. Recordar; ter sau- 
d ides de:— ix/ í«. I fig. Fdl ir; expres- 
sar-se; — jiputu.\ Estadear. M Kuriten- 
d-*, V. iitr. e r, Lastimar-se; quei 
xar-se: njila K'aritend'ê, mueongo u a 
mu ase. \ Protestar, reclamar. || Ti- 
lintar: kiíaii ki aritende.. Dar som; 
produzir tinido. 

Kufénda, v, tr. Apou ar; desde- 
nhar: ba Kangiji bu u tenda, buene bu 
u fila. '■ Não acatdr; mostrar pouco 
interesse. 

Kutendala, v. tr. (port ) Tentar.' 
V. KoloK.alala. 

Kutendula, v. intr. Não ligar im- 
portância. || v. tr. Não ter (alguém) 
no devido apreço. | Desprimorar; 
deslustrar; dar ao desprêso.| | Kuri- 
íendula, V. r Dediguar-se. 

Kutendutnuna, v. tr. e intr. Fa- 
zer estendal; dar brado| Estrepitar; 
soar alto-I E' tb. r. 

Kufenena. v. intr. Estar completo, 
exacto, certo: Kitari Kt atenena. \ \ 
adj. A que não falta nada. 

Kutendela, v intr (port.) En- 
tender. V. Kuivua. Kuritendela, v. 
r. Combinar | Entender-se- 

Ku(endelela, v. tr. Recomendar; 
encarecer; pedir com instância. I 
Chamar a atenção subre; instruir | | 
sub. Recomendação. 

Kutendelesa, v. tr. Fazer reco- 
comeadações; dar ioatruções. || Dar 



a compreender I V. Kuiviaa, 

Kúfendesa, v. tr. Fazer soar, tan- 
ger, tinir.' — ngúnga) — Kitari. \ Mandai 
tocar, dar badaladas 

Kufenesa, v. tr I teirar; com- 
pletar (o que falta):— kitaTl\ 
Totalisar; pr^-faser: ng'atenesa 



izuua iiatu 
vel. 



Dar a; tornar possí- 

Kufenesena, v. tr. Contribuir 
para que outrem supra à falta. | 
Ajudar a completar: ng'a mu te- 
•■*-"■■■ ' Favorecer. 

Mostrar 



A]- 

nesena uênji. 

KufengeneKa, v. tr. 
com alarde; pôr ás vistas. | | Ku- 
lifengeneKa, v. intr. e r Expor- 
' e: — bu ludnha.l Exibir-ss com 
ostentação. 

K u t e n g u 1 a, v. tr. Pôr de 
parte; abandona""; destituir | É 
tb. r. 

Kufengunha, 
mamar | I rub. 



O 



intr. Coxear; 
manquejar. 

intr. Dc^abro- 
Principiar a 



Kufengunuka, v. 
Ihar ( o gomo) . 
aparecer. 

Kufengununa, v, tr Desabro- 
char.! Afastar; desunir ( as bor- 
das de uma abertura) | | Kuri(e- 
ngununa, v. intr. e r. Abrií-se. 

KutenuKa, v. intr. Começar a 
desabrochar, a abrir | Principiar a 
aclarar (o tempo).] | sub. Entrea- 
berca. 

Kutenuna, v. tr. Entreabrir [ 
Abrir de mansinho ( as bordas de). 

Kufesa, v. tr. Mandar situar, 
meter; pòi:—mukolo mu mbunda \ \ 
Atiçar; açular: -yi/7i6ua | Estimular; 
fazer acirrar, irritar | Ê tb. r. 

KufeseKa, v. tr Acrescentar; 
juntar uma coisa a oura; tornar 
maior. I jKurifeseKa, v. intr. e r. 
Fazer-se juntar a. 

Kuféfa. V tr Desfolhar; descas- 
car.] jsub. Descasque. ( É tb. r. 

Kúíeta. V. intr Estalejar: kl teta, 
ki tolOKa.\ Estalar; produzir som 
como o do pau que fende. || sub. 
Estalido. 

Kufefama, v- intr. Despontar (a 
lua): mbeji i atetama \ Cjmeçar a 
aparecer. 

Ku(e(ejeka. v. tr. a iatr. Simu- 



KUT 



-242- 



KUT 



lar; disfarçar; fingir 1 1 KurifefejeKa, 
Y. intr. e r. Vestirse de modo a 
parecer outro. { Mascarar-se. 

Ku(efeK3, v^ tr. Engalanar, 
«dorna %• enfeitar || Kurifefeka, v. 
intr. e r. Arrebicar-se; encher-se 
de atavios. 

Kufefuila, v. tr. Revelar; indicar; 
deacobrir (a origem): eme ng'a mu 
tetuila o ndonda ia maka \ Dar a co- 
nhecer. 

KufefujuKa, v. intr Ficar des- 
cafcado em muitos lufares | Ter 
morsas. I Diz-3e da fruta qua tem 
a casca levantada em muitos luga- 
res- 

Kuteíujula, v. tr. Descascar aos 
poucos I Tirar a pele a pouco o 
pouco; fazer mossas j É tb, r. 

KufetuKa, v. intr. Ficar pelado, 
descascado . || Ficar revelado, con- 
firmado, descoberto. 

Kuíeíula, v. tr. Tirar a casca- 
(com as unhas). | | Mostrar; mani- 
festar; descobrir (a verdade*. i| 
Kurifetula, v, intr. e r. Mostrar- 
-se tal qual é | Dar-se a conhecer. 

Kufetuluka, v. intr. F car ratifi- 
cado, confirmado (como verdadei- 
ro).] Ser tomado em consideração. 

Kutetulula, v. tr. Considerar; re- 
validar, coníirmar: — o KíTí. I Tornar 
a descascar, pôr a nú. | | Kuníetu- 
lula, v. intr. e r. Revelar-se. 

Kufeiika, v. intr. Sair do lume 
(a panela de comida). 

Kuteúla, V. tr. Tirar do lume 
uma panela: — tmòia bu ;tkw. | Dar por 
findo um cozinhado 

KufêXi, V. tr e intr. Deitar fora; 
— wiênha, I Desperdiçar: kusiimba kua 
ntala—.\\ v. intr. Trasbordar; dei- 
tar por fora: nzenza u atêxi.\\ sub. 
Perda. |1 Kuritêxi, v. intr. e r. 
Deitar a coirer; fugir. 

Ku(eliika, V. intr. e r. Sofrer 
perda, extravio: multlt u atexika | 
Desaparecimento • 

KuteJcikisa, v. tr. Fazer perder; 
deixar desaparecer. 

Kuíexila, v. tr. Deitar fora al- 
go pertencente a outrem: kijinga kiâ- 
mi u angi tcxila nakiu . 

Kutexisa, V. tr. Faxer descami- 



nhar, perder I V. kuttxikita, 

Kúfinda, v. intr. e r. Empertigar- 
•se; entezar-se; resistir. 1 Tomar ca- 
lor. 

Kutingifa, v. intr. Oscilar; balou' 
çar, abanar| fig. Dançar |1 sub 
II Abalo. 

Kufingitisa, v, tr. Mover com fre- 
quência; imprimir agitação a: o mu- 
lenge u ala —mulemba. \ Fazer oscilar, 
bambdlear || Kuritingitisa, v. intr. 
e r. Ter movimento oscilatório | 
Balouçar-se. 

Kutita, V. tr. Amassar; calcar | 
Desancar; sovar: a mu tila ni klbetu. | 
É tb. r. 

Kutitila, V. tr, e intr. Bater com 
os pés no chão. I Estar azafamado.| | 
Puhar; latejar; palpitar. || sub 
Pulsação; Idtêjo 

Kutiíirisa, v. tr. Fazer azafamar, 
palpitar.! Importunar; não deixar 
parar ou descançar | | Kurititírisa, 
V. intr. e r. Ato:meut?r-3e. 

Kutíua, V tr. Esticar; retezar.| 
Extender ^uraa cousa) até cheg ir a 
alcançar outra. | Alongar. 

Kutóba, V. intr. Tolejar; ser pa- 
teta.] Fazer ou dizer parvoíces. ] | 
sub. Tolice. 

Kutobésa, v. tr. Aparvoar; apate- 
tar] Iludir !; Kuritobesa, v. intr. 
Atoleimar-se: dizer tolices || v. r. 
Aparvalhar-se; mostrar-se ignorante. 

Kutóka, v. tr. e in*-r. Bicar; ex- 
cavar; esgaravatai: n tóka kala sànji, 
\ Pesquizar; procurar saber. 

Kufokála. V. tr. e intr. Ter coa- 
corrència, saida; o Juba lelu bu kita- 
nda i atokala \ Haver em abundân- 
cia. I í Pertencer 

Kutokojola. v. tr. Serrilhar: — 
rikanaa. \ Farer concavidades. ] Es- 
canhoar por vexes. 

KáíoKOKa, V intr. F car que- 
brado, partido: muenge u atokoka \ 
Estalar.]! Acreditar; compreender; 
ficar convencido: ng'atokoka.\ \ sub. 
Quebradela. | Compreensão; con- 
vencimnctj . 

Kú(okola, V. tr Quebrar, partir 
(um pedaço):— /i^<)/7^'e ia muêng€.\\ 
Convencer; fazer compreender. 

KutoKÓla, V. tr. Concavar: — 



KÍ3t 

Uinu I Escanhoar:— ;;2U rikífxi.I Es- 
quadrinhar.! É tb. r-l Embair. 

KuíOKoIola, V. tr. Tornar a que- 
brar, a dividir | Procurar conven- 
cer mais uma vez. ] É tb r.||Re- 
concavar. 

Ku(( Komoka, v. intr. Brotar; 
surgir de um buraco; sair de um 
escoaderijo. 

XufoKomona, v. tr. Tirar o que 
estava escondido); fazer brotar, 
aparecer. 

KufoKona, v. tr. Esgravatar, pa- 
litar ( os dentes) . 

KufOKOnona. v. tr. Escarafun- 
char I Meter o dedo em (o na- 
riz, ouvido, etc.) I Limpar com 
esgravatador . j ] KurifoKonona, v 
r. Palitar-se-OTU niuju. 

KufoKuesa. v. tr. Mandar que- 
brar, partir: — ngonge la muenge. \ 
Fdzer examinar { interrogando). 

Kufóla, v. intr. Ser pouco, limi- 
tado I Ser em pequeno número 
ou quantidade. | | sub. Pequenez: 
— kua nguia. 

Kúíola, V. tr. e intr. Farejar caça; 
bater mato ; ir no incaico de.|| 
sub Acossamento. 

Kufolesa, V. tr. Fazer diminuir; 
reduzir \ \ Apoucar; amesquinhar; 
humilhar: uafiama u atolesa o mutu. 

I I Kurifolesa, v. intr. e r. Rebai- 
xat-se; deprimir-ae. 

KufolojOKa, V intr. Fazer-se em 
pedaços; partir-se muitas vezes. ] 
fig. Ficar muito cansado: tnuKutu 
n a ngi tolojoKa. 

Kufolojola. V tr. Despedaçar; 
partir em muitos boCAúos:—jihuinhi 

II Kuritolojola. V. intr. e r. Re 
quebrar-se; gingar. 

KufoloKa, V intr Ter fractura, 
ficar quebrado, partido: múxi u ato 
loka II Ficar dominado, exausto de 
forças, vencido | [ sub. Fractura; 
quebradura. 

Kufolohanha, v. tr. Molestar; 
magoar ( a paite dorida ); com- 
pungir I íig. Referir o que quizéra- 
mos que permanecesse ignorado j | 
KurifoloKanha, v. r Mogoar-se, 
(roçando na ferida uu parte do- 
rida.) 



-243- 



KUT 



Kufolola. v. tr. Fractura--; qua- 
brar; partir: — lukuQKU | Domar; 
amansar; ter su']eito: ^jinguzu ■ j 
Obter victória sobre; dominar; ven- 
cer I Lavar (tecido) pela primeira 
vez:—míleU.\\ v. intr. fig Mens- 
truar, || Kurifolola, v intr. e r. 
Ter fractura. I Convencer-se. 

KufololoKa. V. intr. Aplacar, tor- 
nar-se menos forte: iaanha lu atolo- 
loka.\\ aub. Aplacação. 

Kufolomba, V intr. Gingar (le- 
vantando 03 pés) I Afectar-se, 

Kúfoma, V. tr. Sarjar; golpearj 
pungir I Ferir evemente.| fig. 
Marcar || aub. Sangria; golpe. | 
Punção. II Kurifoma, v. i. Gol- 
pear-se; ferir-se. 

Kufomba, v. intr Andar á 
caça. I I V. tr. Caçar rastejando; 
seguir a pista de.| Investigar (se- 
guindo indícios incertos ou duvido- 
sos).! | sub. Caçada. I Pesquisa. 

KutombeK2ja, kutombcKesa, ku- 
tombekeza, v, tr. Desdar. | Rece- 
ber o que se havia dado | Declarar 
que já se não dá ( o que se havia 
prometido). 

Kutomboka, v. intr. Desembar- 
car; saltar em terra. | Tirar-sa da 
água. 

Kutombola, v. tr. Tirar do barco, 
da água, da panela. | Servir: lúkua- 
ku lu nangenena mu 'mbia lu tômbola i- 
fuba I Descarregar. 

Kutomona, v tr. e intr. Colher 
frutas da terra pela primeira vez | 
Recolher premissas. | | sub Diz-se 
do direito senhorial de tirar uma 
parte das primeiras novidades da 
terra:— maaa; ou da receber os pri- 
meiros mantimentos que o tributá- 
rio colher da lavra | Premissa. 

Kutóna, V. intr. Acordar; estar 
desperto, vigilante. | Vir a si. 

Kútona, V. intr. Repetir; reinci- 
dir. | Tornar h í \ zer : kizuua ki aka- 
mukua ng'i kí tonami ringi. \ \ sub. 
Repetição; reincidência. 

Kúfonda, v. intr, Concordar; acei- 
tar; ficar reconhecido | | v. tr. 
Apoiar; aplaudir. \ B.iter palmaa 
(em sinal de leconhecimsnto): ng' 
atondo, ng' aêalàrila.l .abençoar; agra- 
decer. 



KOf 



-U4- 



Kljf 



Kutondala, v. tr. e intr. Errar; 
equivocar-se; confundir. ||sub' 
Inexactidão; erro. 

Kutondalesa, v. tr. Fazer <?rrar, 
ter um engano. 

Kutondela. v tr. e intr. Acla- 
mar, aprovar solenemente, j Bater 
palmas por* 

Kutondesa. v. tr. Mandar louvar; 
fazer aplaudir. 

Kutonena. v. iutr. Estar de ata- 
laia; ter sob as vistas. 

Kutonesa, v tr, Acordar; fazer 
despertar do sono. 

Kútonga, v. tr. e intr, Manejar, 
iogar armas. | Pelejar; combater; 
esgrimir. 

Kutongela. v. tr. Atacar ou de- 
fender (esgrimindo). I Pelejar, lutar 
por outrem. | | v. intr. Continuar; 
persistir: uhaxi u a mu tongtla j | v. 
r. Manifestar-se; descobrir-se. 

Kutongesa, v. tr. Mandar brigar, 
fazar esgrimir. 

Kutongina, v. tr. Observar. [ [ 
V. intr. Considerar. 

Kutonginina, v. tr. e intr. Fitar.| 
Contemplar; vêr 1 | Dar no alvo j \ 
Kuritonginina, v. r. Fixar-se. 

Kutongoloka, v. intr. Ter cons- 
ciência, compreensão, fé. | Ter a 
noção ou a faculdade de julgar os 
próprios actos. [ Ser sincero, verda- 
deiro. 

Kafongolola, v. tr. Explanar; 
tornar compreensível | Certificar; 
reconhecer, dar a razão de ser. | In- 
terpretar, exprimir: — muputu. \ sub. 
Justificação. I] Kuritongolola, v. 
r Justificar-se.| Provar que obrou 
como devia 

Kutongona, v tr. Depilar;— jí- 
nvi. I Depurar: — ;iVia?ia : Limpar. 
É tb. r. 

Kuíongonesa, v. tr. Fazer ar- 
rancar, catar, limpar. 

Kutongonoka, v. intr. Ser sagaz, 
vivo. I Ter clareza do espírito . 

Kutongonona, v, tr. Aclarar; tor- 
nar evidente.il Kuritongonona, v. 
r. Mostrar-se sem rebuço; revelar-se 

Kulongonuesa, v. tr. Submeter 
(alguém) a um luterrogAtório j 



Fazer preguntas (por forma a sa* 
ber a verdade) j Inquirir mlnuciL- 
sãmente . 

Kutonha. v. tr D^r cutihdas. 
vibrar golpes em.[ Matar. 

Ku'onoka, v. intr Esttinchar; 
folgar; dançar , \ sub. Brincadeira.' 

Kutonokena, v tr Brincalhar; 
(1ivertir-se com; o ngènji u tonokena 
hutnuhambaut \ Mofar de. 

vutonokesa, v tr. Fazer biiucar, 
dançar. | É tb. r. 

Kutopiala, v. tr. Troçar; zombar. 

Kuforikinha, V tr. Magoar. | V. 

k«í : lokanha . 

Kúfoía, V. tr. Apostar; asseverar. 
I i V. intr. Fazer aposta j | v. r. 
Empenlur-se. 

Kutóta, V intr. Vesguear: — rhu- 
|Vêr mal; pecar: -mbôrio. j Errar. 
I I Cominhar devagar; an-dar áa 
apalpadelas: — njila. 

XutotCKa, V. tr. e intr. Estara- 
par; carimbar; imprimir: — kirimbu.\ 
Queimar; chegar fo;o a:— tâbia.\ 
Pontuar; marcar com o dedo; pun 
gir, I IKuritoteKa, v, r- M-icular-se; 
queimar-ae | | v. intr. fig. Deitar & 
correr; fugir. 

Kutotejeka, v. tr. Mosqu ai; 
manar com pintinhas | | v. intr. 
Estar sarapintado. 

KutotojoKa. V. intr. Ficar es:a- 
queirado, quebrado em muitos bo- 
cados. | j sub. Trituração; brita- 
mento. 

Ku(otojcla. v. tr. Ir britando, es- 
caqueirando.) Triturar por vezes | | 
sub. Acto e efeito de escaqueirar. | 
É tb, r. 

KutotoKa. V. i itr Ficar partido, 
reduzido a fragmentos. | Ficar feito 
em cacos. 

Katotola, v tr. Tirar pintos da 
Cisca (a galinha): —inalavii. \ Picar, 
quebrar (ovos)." Furar. || Bnt.ir.jj 
Kuntotola' V. r. Bater-se nos de- 
dos): — milembu 

Kutotomba. v intr. Manquejar; 
andar com dificuldade ( como 03 
velhos ou doentes) |Ser ronceiro. | j 
sub. Manqueira; roncice 

Kuíotonha. v. intr. Crepitar; es- 
ta lidar.] V. Kupapana. 



Km 



U6 



Kutotuela. v. tr e intr. Tirar 
os pintos era: sanji k'atotuel'ê bua 
Í2ala.\ Furar, picar os ovos no lu- 
gar onde. 

Kutotuesa, v. tr. Fazer qu« (a 
galintia) pique os ovos.j Fazsr cria- 
ção de pintos. I Mandar britar, fu- 
rar (ovos). 

'Vu(oua, V. tr e intr. Adoçar; 
temperar; — /nu/7á'Ua. I ! sub. Doçura; 
[Acção de temperar. | Kuritoua, v. 
r. MoJerar-se; tornar se menos ás- 
pero . 

Kutouala, v. intr. Estar tempe- 
rado, doce.| Ter sabir agradável. [ 
Diz-se dos frutos comestíveis ( em 
Oposição a outros da sua espécie 
que são agros); ngenge i atouala. 

Kutoualesa, v. tr. Adocicar; açu- 
carar: ~mu Kanu \ Suavisar; dar gos- 
to um tanto delicaJo, doce;— moKfl. 

Kufouesa, v. tr F zer temperar; 
tornar agradável, doce: — matete \ 
fig. Deliciar; estimular. | | Kuritoue- 
sa, V r. Fortalecer-se; adquirir 
têmpera. 

Kufoxala, v. intr. Abarrotar. | 
Estar na enchente: jinvula j'atixa- 
la \\ V. tr. Atulhar; encher quan- 
to possível. II sub Preamar. I Tb 
se diz kuizala. 

Kufu, sub. (IX) bot. Nome por 
que no Zaire se conhece a planta 
rixinde.\l corog. Pov. e fede da 
cir. civ.de Maiombe, distr de C i- 
blnda. prov de Luanda, a 4° 55' 
de Lat. S. e ia» 36' de Long E. 
G., 7.122 hab-, est. postal de 3 » 
classe e sue. de Missão catol. de S. 
António de Pádua 

Kutua, v intr. Actuar. | Ir direi- 
to a alguém em tom agressivo: tiiá 
ne.\ Afinar; ter fio:— Arufl poko ku 
atunda bu turl.\ Tomar-se agudo, 
penetrante | Brilhar; resplandecer: 
luanha lu atu.\\ v. tr. Refletir o 
brilho de;— Kua rieji ku atunda 
]^u Kumbi IJEsburgar; piUr: — /wasfl. 
li Triturar; pisar com pilão: — rnbutu. 
11 sub. Actuação. | Reíplindecôn- 
cia; claridade. 

Kutuába. v. tr. Exprobar; censu- 
rar 1 Criticar asperamente.]! sub 
Exprobação. 

Kutuama. v. intr. Ir adiante; 
ser ou chegar primeiro | Suceder 
antei; aotepôr-se. {{ lub. Antece- 



dência. 

Kutuameka, v, tr. Mandar adian- 
tar, ir à frente. II Kurituameka, v. 
intr. e r. Fdzer-se preceder. 

Kutuamena, v. intr, Tomar a di 
anti ira: eme ng' atuamena kuta kinama 
mu njila \ Seguir ou estar em pri- 
meiro lugar; ter primazia. 

Kutuamenena, v. tr. e intr. Ca- 
minhar adiante de.j Ter já exerci- 
do ou feito o que outrem faz ou 
exerce agora. | Ser o primeiro: muine 
u atuamtnena ku mu baria o huxi. \ Ter 
prioridade. 

Kutuamesa, v. tr. F^zer seguir 
antes j ManJar ir em primeiro lu- 
gar. 

Kutuánga, v tr. Vituperar; ad- 
jectivar; acusar. 1 1 sub Lançamen 
to em roíto de actos ignominiosos. 
É ti9 r. 

Kutubujuka, V intr. Estar es- 
buracado em muitos lugares. 

Kutubujula, V. tr. Fazer mu tos 
buracos. | Furar muitas vezes. 

Ivutubuka, V intr. Estar furado; 
ter buraco. || Sair; pôr-se fora. || 
sub Furagem | Acto de sair. 

Kufubula, V. tr. Fazer sair (para 
não mais voltar): — kimbi \ Furar: 
abrir caminho por meio úe: — nj%la.\ 
Perfurar: — mulundu \ \ Pôr fóra.| j 
v intr. Penetrar; irromper.] É tb. r. 

Kutubuluka, v intr Tornar a 
sair do mesmo buraco | Ficar fu- 
rado de novo. 

Kutuela, v. tr. e intr. Aduar | 
Diz-se da reunião de gados ou de 
aves de diferentes donos que, me- 
diante ce.to quinhão nas crias ou 
posturas, um pastor tem sob sua 
guarda. | Fazer aduada. \\ sub. 
Aduagem. 

Kutuelesa, v. tr. D ir gido a 
criar a um pastor. Fazer aduar. 

Kutujina, v intr. Cuspir | v. tr. 
Expelir pela boca (cuspo cora vio- 
lência) 

Kutufuka, V. intr. Supurar; re- 
bentai: rimhu ri atufuka. \ Verter; 
deitar pús. 

Kutujula, V. tr. Perfurar; reben- 
tar; premer. | Fazer sair o conteúdo 
de um tumor, de uma bolha, etc. f 



KOl 



-246- 



KtJf 



Esborrachar. 

Kutuika. V. tr. Ajudar a car* 
regar, a colocar; — muhamba bu mutue. 
\ Plantar; expectar; tornar firme: 

— mâxi boxi I Premar;- agravar 
com sarcasmos: mukua ^tzuelelu ua — . 
li sub. Molestamfento. 

Kutuina. v. tr. Vingar; tirar des- 
forra de. I j Catar; matar: — jina \ \ 
sub. Vingança; desafronta | Kuri- 
tuina, V. r. Saciar-se 1 DesforrAr-ie . 

Kutuisa. V. tr. Dar fio a; aguçar: 

— njangu \ \ Fazer brilhar, resplan- 
decer, reiflectir: t tuiaa, o riêji, riku> 
mbi,\\ Mandar triturar, esbugar, pi- 
lar grãos:— moaa 

Kutuka, V. intr. Levantar vôo: o 
njUa i atuka. \ Ressurtir. ] | Pular; 
galgar: — mauunda. | Transpor (su- 
bindo); Vencer distâncias: » oníesena 
o knkuka k' a íuk'ê mokiingu.] fig. An- 
dar, percorrer a passes largos. j^Kít* 
tuka - tuka. v, iter. Dar pulos. 

Kutukana, v. tr. Ofender; dirigir 
palavras insultuosas.] | Kuritukana, 
V. intr. 6 r. Sentir afrontamento. 

Kutukina, v. tr. Adir | Juntar. 

Kutukuka, v. intr. Ficar arranca- 
do pela base; mungenge u atutiíka ni 
jindanji je.\ Ficar depilado. 

Kutukula, V. tr. Desplantar. | 
Deslocar; arrancar. 

Kutukuluka, V. intr. Apresentar- 
-se; aparecer: u asuamene ?< atukuliika. 
I Revelar-se. 

Kutukulukila, v. tr. e intr. Mani- 
festar- se i\zambi u atukulukila mu isa- 
ea.\ Surgir. 

Kutukulukisa, v tr Dar denún- 
cia de. i Mostrar; fazer descobrir . 

Kutukulula, V. tr. Descobrir; dar 
a conhecer; kt asueka nguma, Nzambi 
u a kt tukulula \ Revelar; pôr à vis- 
ta. !| Kuritukulula, v. r. Revelar- 
-se; dar-se a conhecer. | Descobrir- 
-se. 

Kutukumuisa, v. tr Aterrorizar; 
surpreender. | | v. intr Ser surpreen- 
dido I ; KeniJa: surp.'eza. 

Kutukumuka, v intr Ficar as- 
sustado; surpreso. 

Kutukumukisa, v. tr. Fazer as- 
sustar, amedrontar.! Fazer apanhar 
um susto 



Kutukuta. v. tr. Esfregjr (lavan- 
do). Friccionar ; limpir (e-jfregan- 
do) 1 1 sub. Esfregação || Kuritu- 
kuta, V. intr. er Friccionar-se. | 
fig, Amofinar-se; afligir-se. 

Kutiy<utisa. V tr Mandar esfre- 
gar, friccionar | É tb. r. 

Kutula V. tr. Localisar; pousar. 
Ilv intr. Chegar; aportar; atracar: 
maulungu m' atuía bu tabu. \ Pausar. 
I Sossegar: muAí/na u atuía. \ Estar 
de nojo; env uvar. j j sub. Acção 
de pousar. I Chegada | Nojo. 

Kufulama, v intr. Colocar se so- 
bre; montar: tulama ku Nzamba nda 
makamba m'Q ku nioncKe. | Estat 
por cima de j| Kuritulama. v. r. 
Sobrepôr-se; estar um por cima de 
outro. 

Kutulamana, v. tr. e intr Sobie- 
pôr-sea.| Ficar separado, excedido 
(em altura) | Sobresair. 

Kutulamesa, v. tr, AcavaUr; fa- 
zer coloc .r sobre. 

Kutuluka, V. intr. .\pear-3e, descer 
IBaixar (de classe, de nível). | | sub. 
Abaixamento; descida. 

Kutulukisa, v. tr- Fazer apear, 
descer | Mandar pôr em lugar in- 
ferior. 

Kutulula, V. tr Tirar (de cima 
de); deitar abaixo: — matamba. \ 
Abaixar, pousar; descer:— Ki/7da.| Ti- 
rar de lugar superior para inferior.] ] 
Karitulula, v. intr. e r. Fazer-se 
descer, tirar-se de lugar alto- 

KutululuKa,, V. intr. Sossegar; se- 
renai; estar calmOo | Amainar. I| 
Deixer-se de distúrbios, de ft::tra- 
vagancias, de desordens. |j sub. 
Abrandamento; paz; serenidade. 

KutulnlUKisa, v tr. Fâzer sos- 
segar, apaziguar, tranquilisar.| Pa- 
cificar; tornar calmo.| É tb r, 

Kutulumba, v.tr. e intr Fazer 
arruido, ostentação (dançando) i v. 
intr. Foliar; arrulhar: u ala — kala 
riêmbe I Saltar; brincar. 

KutulumuKa, u. intr. Ficar fric- 
cionado, lavado (empregando força). 

Kutulumuna, v. tr Esfregar, 
lavar com força. || Puchar cOm 
força (de cima para baixo).] Fazer 
escorregar, resvalar.] É tb. r. 



KUT 



-247- 



KUT 



Kútuma, V. tr. Mandar; ordenar; 
encomendar,, n Kurituma, v. intr. 
e r. Comportar se! conviver: — klã 
mbote ni OKuena i i Dar-se; haver-se; 
governar-se- || sub. Comporta- 
mento. 

KutumaKa, v. intr^ Acatar; res- 
peitar; obedecer: o mona u tumaka 
tai'à ni màm'a \ Ser dócil | Obser- 
var; executar; cumprir. II sub. Obe- 
diência. 

Kutumama, v. tr. e in(r. Aturar; 
tolerar; 3uportir.| Padecer com re- 
signação e paciência. |l v. intr. Ser 
assíduo; continuo. 

Kutumana, v. intr. Aquietar- 
■se; ficar sossegado. 

Kutumanesa, v. tr. Fa^erarquie- 
tar; pôr em sossego. 

Kutumba, v tr. Pensar; fazer cu- 
rativo: - maôufe. (Diz-se principal- 
mente da cura de feridas, úlceras e 
doenças cutâneas) |Ê tb. r- 

Kutúraba, v. intr. Turgecer: — 
ttiéle bu tutu I Estar enfunado, 
cheio.il sub, Turgidez; intumecên- 
cia.j I K.uritúmba, v. intr. e r. Tor- 
nar-se túrgido, entumecido. 

KutumbiKa, v intr. Entrevar, fi- 
car toliiido.I | v tr. Orgaaisar: esta- 
belecer; instituir: —/rtzo ia nzámba.\ \ 
Kuritumbika, v, intr. e r. Perder o 
movimento das articulaçõas. 

Kutumbihisa, v. tr. Fazer en- 
trevar, tolher. 

Kutumbila, v tr. Deitar terra em 
roda áe-.—mataKQ ma masa. j Fazer 
montinhos. 

Kutumbirila, v. tr. Festejar, re- 
ceber com agrado, abraçar (alguém) 
à chegada. I Acomodar; agazalhar. 

Kntumbísa, v. tr. Intumecer; 
tornar túrgido, inchado. | Fazer in- 
tumecência. 

Kútutnbisa, v. tr. Fazer pensar 
ou curar (feri Jas) a. 

Kutumbujuka, v. intr. Repin- 
char; 3altitar | Galgar (aos saltos). 

Kutumbujúla, v, tr. Personalisar; 
indívidualiaar; nomeara miude.JI 
V intr. Aludir em discurso ou es- 
critos a determinadas pesseas: — 
majlna m'atu. 

Kutumbuka, v. intr Saltar; — 



makungu I Passar por cima de) 

omitir ! I v tr. Dar salto; passar 

em claro | | «ub. Acto de saltar; 
pulo. 

KutumbuKila, v. tr. Saltear; to- 
mar de improviso: Kahumbu u a 
ngitumbukila \ Assustar M v. intr 
Viver de roubos:— fingenji ] Andar 
a saltos. 

Kututnbula, v. tr. Nomear; citar: 
ngana nanhi ria kananhi.—KUzoKesa. 
I Referir i [ ííuritumbula, v intr. r- 
Nomear se; referir-se. 

KutumbulÚKa, v. intr. r. Des- 
pontar; vir do fundo á superfície: 
u atumbuluka buritumbu | Elevar-se; 
subir. 

Kúfumbuluka, v intr. Ficar des- 
virtuado.' iMz-se da substância que 
tenha perdido, pelo uso ou tempo, 
as propriedades naturais: milongo i 
atumhululía; d o objecto que tenha 
perdido o cheiro, o odor: rizumba ri 
attimbulicka ou ficado sem efeito, con- 
firmação ou validade: makutu m'atu- 
mbululía . 

Kufumbulukisa, v, tr. Fazer 
emergir; perder as propriedades na- 
turais, i Malsinar. 

Kutumbulula, v. tr. Tornar irrito, 
nulo- 'Declarar sem efeito. | i sub. 
Anulação \ É tb- r. 

Kntumihisa, v. tr. Mandar (para 
longe); remeter: — niukanda \ Expe- 
dir. 

Kufumína, v. intr. Latejar; ba- 
ter I I sub Latejo do pulso ou do 
coração. [ Pulsação; movimento das 
artérias. 

Kúíumina, v. tr- e intr. Coman- 
dar; governar: — jixi \ Dominar; re- 
ger. I ! sub Comando; governo; su- 
perintendência- 1 1 Kurifumina, v. r. 
Governar-s»; dirigir-se; ser senhor 
de SI. 

Kufumisa, v tr. Enviar; mandar; 
—ngamba.l Endereçar; remeter. 

Kuíumuka, v. intr. Sofrer esfola-- 
dela, ter escoriação: kikonda k» atU' 
muka. I Ficararranhado.il sub- Es- 
folamento. 

Kufumuna, v. tr. Excoriar; esfo- 
lar: — hOna. I fig. Assinalar: fiondo, 
mu iule: mbonda, vm twnune, \\ sub. 
Eacor.ação; arranhadura | j Kuritu. 



KUT 



-248- 



KUT 



muna. v. intr. e r Ferir-se (na pe- 
le); esfolar se. 

Kufúnda, v. intr. Sair; tirâr-se do 
lugar.; ! Proceder; provir.! Ser simi- 
Ihante [| sub. Saimento; procedên- 
cia. 

Káfunda, v tr. e intr. Ultrapas- 
sar; exceder; sobresair: o hoji.nmku- 
tema, u atunda akná mu ngóngo \ \ 
Ser do tamanho ou qualidade su- 
peiiot . I E' tb r. 

Kutundila, v. tr e intr. Ir ao 
encontro de: u a ngi tundila mu njila 
I Acerca^-se de; sair por. 

Kufundisa. v tr. Fazer s*ir; 
mandar por íóa (do lugar) . | | Fa- 
zer ultrapas ar, sobresair] E' tb 
intr. e r 

Kutundula, v tr Repovar; con- 
trariar: a mu tundula ku Í089 i ahangt. 
I Polear; dar empurrõas- | | sub 
Reprovação; contrariedade.] E' tb. 
intr. e r 

Kutunga, v. tr. Coser V kunliá- 
ka. II Edificar; constru;r: — 'vízo |j 
sub. Construcção; costura, j Kí.ri- 
tunga, v. intr r. íig; Casjir-se; 
unir-se a. 

Kutungamana, v. intr. Kstar ou 
ficar ab fado, sufocado, asfix ado: 
mucnhu U angi tungamana .] Perder a 
respiração. | fig. Ficar ladecisc | | 
sub Sufocação. 

Kutungila, v, tr. Cozer por; u lu- 
ngila mu jimbanji \ Edificar, cons- 
truir em: ngi tungila mu Luanda. \ 
Costurar em lugar de outrem: ngata 
— mukuetu. 

Kutungisa, v. tr Dar a coser | 
Mandar fabricar, construir. 

KutunguKa, v. intr- Ser ele to, 
preferido, distinguido.| | Variar; di- 
vergir.] Ser de opinião diferente. | | 
sub. Eleição; eacolh-i. 

Kutungúla, v tr Apartar: — m/- 
xi ia paku \ | Marcar; assinalar: 
Nzambi ki a mu tungiila. Ki/ua sai. 
|Distinguir | | Kuritungula. v, intr 
e r. Diferençar-se; pôr-se de parte. 

Kutungululo, V. intr. Diíeren- 
çar-se: u aiunguluKa buKariandak'a- 
Kua'. [Estar íóra do comum. 

Kutungulula, v. tr Recoser; re- 
construir; recompor 

Kutunguna, v. tr Tirar; extrair; 



—uanga. \\ sub. Extracção de utnà 
subi^tâncií» do corpo de que íasia 
parte i f tb r 

Kutungunuka, v intr Ficar des' 
coberto, desmentido: mãKutu m'a 
mu tungunuKú \ Não condizer; 
mostrar-se diverso da verdade | 
|Ficar exposto, raso \[ sub. Coa- 
tradicta; desmentido. 

Kutungununa, v. tr Palear; des- 
cobrir a veriiale; — maKnfu \ Des- 
mentir ] I Kuritungununa, v r. 
Desdizer-se 

Kutunguta. v tr e intr Abilar; 
agitar; mover. V Kutingiía 

KntunÚKa; v. intr. Suportar; pa- 
decer; sofrer. | Ser victima | [ Es- 
tar diminuído; ir a menos; estar era 
falta]! Descer. V kuíuluka. \\ 
sub. Sofrimento; dôr. 

Kutunúna, v tr. Victimar; fa- 
zer sofrer.] Hum Ihar. | ] Kuritunu- 
na, v. r. Sacrific ir-se; rebaixar se. 

Kúiununa, v. tr Desfolhar; fa- 
zer cáir. — mâfu 1 \ Tirar; colher; 
(frutos) da haste: ~ji manga. 

Kutupila, V. tr Enfartar; em" 
panturrar; encher em demasia j] 
sub. Ingurgitamento; empacho | | 
Kuritupila,- v. inír e r Intupir-se. 

KuturijiKa, v. tr. Estratificar | 
Sobrepor repetidas vezes ' ' sub. 
Colocação em camadas sobr pos- 
tas. 1 É tb. r. 

KuturíKa, v intr. Encimar; al- 
çar; sjbrepôr | ] KurituriKa, v. intr. 
e r. Colocir-se sobre; montar | 
Sobrepôr-se. 

Kuturila, v tr e intr Colocar* 
poisar no lugar onde.' Fazer vêr, 
dar a conhecer: tu turila kota, ndungt 
ja kota j'avula | Pôr ao corrente 
de; contar: zá, u ngiturile o mahezu- 

Kuturisa, V tr. Ajudar a pousar; 
fazer pauzar, aquietar, serenar; — 
muxima j Acompanhar outrem na 
viuvf z, 

Kufuta. V tr. e intr Tocar, al- 
cançar, atingii: ng' atuía buiu ni mule- 
mhu.\ Pôr-se em contacto; chegar a: 
— koxi a menha ] Firmar se no fun- 
do de, ganhar pé. I' v. tr. Esmiuçar; 
triturar raizes para lhes extrair o 
snco-. — jindánji ja mulemba.\ Epistar: 
— jihe/u, 1 1 Apertar; calcar; tornar 



KUT 



-249- 



KUU 



comp.cto: — nzeke ia faba \ Abarro- 
tar. || Kurifuía, V. intr e r Sofrer 
embíte. Firtar-se; encher-se. 

Kúfuta, V. intr. Muiar de cisa 
ou de lugar | Inchar (por putrefa- 
cção) I Estar túmido. | | sub Mu- 
dança.] Putrescência. 

Ku^atamana. v intr. Estar in- 
chado, intumescido Ser baixo e 
gordo. 

Kúíufisa, V. tr. Mandar mudar 
(de casa, de lugar) | Fazer trans- 
portar (artigos, móveí^í) para Outra 
p rte: — imbamba ku jingamba 

Kututísa, V. tr. Mandar bater 
no chão (para que um saco ou me- 
dida fique bera cheu).! Mandar cal- 
car, pzar raízes } Fazer epstar. 

Kutufujuka, V. intr. Elevar-se 
a pou:or pouco. I Subir por vezes. 
Ir aos solavancos 

Kufufujula. V. tr. Levantar aos 
poucos. ' Fazer subir de cada vez ! 
E' tb. r. 

Kututuka, v. intr. Ficar soergui- 
do,, levantrido, pouco elevado (do 
chão, do leito). Ser um pouco 
ma or (em altura). 

Kutufula, v. tr. Levantar, erguer 
um pouco I Encolhsr os hombros: 
— isuxi I fig. Aliviar | | Kurifutula, 
v. r. Elevar-se; soeiguer-se. 

Kututuluka, V. intr. Ir-se erguen- 
do, levantando \ Ir crescendo a pou- 
co e pouco: u atutuluka mu kitala \ 
Mud-r novamente de lugar, de poi- 
sio, de residência. 

Kuíuíulúla, V tr. Remexer; tor- 
nar a mudar; kututa ni — ku a ng'ibil' 
arai \ Remover; desarrumar.] | sub 
Desairumação 

Kututuma, v, intr. Espumar (o 
sabão). 

Kututnmba, v tr. e intr Atra- 
pilhar-se, afadigar-se 

Kutufumbisa, V, tr Fazer andar 
de um lado para o outro Fazer 
atrapalhar, perder o tino. 

Kututuraisa, v. tr. Fazer ter ou 
deitar espuma 

KututumuKa, v. intr Rebentar, 
partir: mukolo ii atutumuKa \ t>ar 
de si. 



Kututumuna, v. tr Arrancar; 
puxar com força:-//?/ ] Arrebentar; 
partir. ' ' Kuritutumuna.v. r. Sol- 
tar se; safer-se 

Kutúua. V. tr. Errar.] [ sub. Er- 
ro; equivoco 11 Kuritúua v. intr e 
r Dar de cara com; encontrar ino- 
pinadamente 

Kutuuáma, v. intr Ser apanha- 
do em flagrante, tomado de surpre- 
sa.'! Kurituuama, v r Dar-se en- 
contro mútuo Achar-se em pre- 
sença um do outro 

XufuuÍKa, V. tr. Tapar: — /OT&/a. I 
Cobrir com tampa 

Kufuuikisa, V. tr. Fazer tapar, 
cobrir. 

Kutuuisa, V tr. Fazer errar, en- 
ganar. 

Kufuúla, V. tr. Destampar; des^ 
cabrir ("uma panela). |' Kurifuúla 
V. r Tornar-se descaado ] Des- 
cobrir-se . 

KCltuza, V. tr. e intr. Mexericar; 
traquinar: u tuza Kala rimbu.l Fa- 
zer travessuras. I 1 v. intr. Latejar; 
doer. ] I sub. Pulsação; dôr. 

Kúuaba, V. inlr Convir; ser lí- 
cito, bom.] Concordar; estar bem: 
k/ auaba ! ' Ser bonito, Íjrmo',o; 
ter beleza. II sub. Boniteza; quali- 
dade de bom. 

Kuuabela. v. tr. e intr Agradar; 
gostar; aprazer: mutu u uabeía mu- 
KUa\ Eitimar; sentir prazer; pare- 
cer bem: kí a ngi uabela ' Simpati- 
zar j sub. Aprazimento; estima; 
gosto. |] Kuriuabela, v. inir e r. 
Comprazer-se; ter sfeiçáo mútua: — 
kua Kiiari Kletu. 

Kuuabesa, v. tr. Tornar bonito, 
lindo. I Aformosear; embelecer.] 
Tt tb. r 

Kuuâia. V. tr. Vn'a.T:—ndêmbu.\ 
Uugir I fig. Enganar; iludir.' I sub. 
Untura; unção. ]]Kuriuáia, v. r. 
Dar-se untura: — /lu/o. | Bezuntar-se, 

Kuuaiala. v. tr. e intr. Avariar,] 
Falhar; gorar; falir j ] sub. Avaria; 
falha. 

Kuuaialesa, V. tr Fazer avarif r* 
entontecer:— k//u;i//. Fdzer falir. 

Kuuaiesa, v. rr Fazer untar: — 
mâjl.[ Mandar UQgU.| É, tb. r. 



KUU 



•250- 



KUV 



Kuuáka, v. tr. Amaldiçoar; es- 
comunga.r. | | v. intr. Blasfemar, 
maldizer. I |sub Desprêso sarcástico; 
maldição.'! KuriuáKa, v. r Re- 
baixar se; v.lipenJiar-se I Votar-se 
ao desprê o. 

Kuualumuna. v. tr. Desenra- 
xnaT—jlfanguja mungenge.\ Destron- 
car; desmembrar. 

í^úuama, v. intr. Estar chame- 
jante, aceso: tubia tu áuama- \ In- 
flamar; arder, i í g. Estar entus'as- 
raado. 

Kuuamesa, v tr. Fazer inflamar, 
pôr em chamas 

Kuuána, v. tr. Quartear; dividir. 
II sub. Distribuição; divisão || — 
uána, V. iter. Subdividir | Tornar a 
repartir o que já está: inaKuria ma 
— uana. \ Redistribuição. 1| Ku- 
riuána, v. r. Ramificar-se; dividir- 
-se. I I V. intr. Estar maravilhado, 
encantado. | Ficar impressionado 
por Cousa repentina e inesperada 

Kuuanena, v. tr. e inír. Repartir 
entre vários o que toca a cada um 
jClassificar; dispor. || Kuriuanena, 
V. intr. e r D.vidir (algo) entre si. 

Kuuanesa, v. tr. Mandar quar- 
tear; fdzer dividir em partes iguais. 

KuuanuKa, v. intr. Ficar racha- 
do, fendido em todo o comprimen- 
to ou altura: kipapa ki auanuka mu'- 
axaxi.\ Estar dividido em duas 
metades. 

KuuanuKisa, v, tr. Fazer sepa- 
rar, fender em duas metades. 

Kuuanuna, v. tr. Rachar em duas 
partes; partir ao meio | | Kunuanu- 
na, v. intr. e r. Tomai ^cada qual) 
direcção ou partido diferente. | Des- 
agcegar-se; abiir-se 

KuuanunuKa, v. intr. Desagre- 
gar-se; abrir-se em muitos lugares: 
lumbu lu auanunuka.\ Ficar fendi- 
do completamente 

Kuuanununa, v, tr Separar, ra- 
char muitas vezes: — jlhuinhi \ Re- 
partir em muitas metades. 

Kuuáua, V. tr. Vaiar; apupar" 
fazer assuada.jj sub. Apupo. 

Kuuauesa, v. tr. Fazer apupar, 
escarnecer. 

Kuúba, V. tr. Liberalisar; prodi- 
galisarj dadivnr. 



Kuuéna, v. tr. e intr. A-bundaa- 
cipit: — izuatu. \\ sub. Quantidade 
maior do que a precisa.] | Kuriuena, 
V. intr. e r. Ab.istecer-se; enrique- 
cer-se. 

Kuuéua, V. tr. Alegrar; tér pra- 
zer era. I I Kuriuéua. v. inti. e r. 
Estar em festa; encher-se de júbilo. 
I Gozar; regozijar-se; estar satis- 
feito. 

Kuueuésa. V tr. Jubilar. | Fazer 
ter alegria; dur prazer a.| | Kuriue- 
uesa,, V r. Tornar-se jucundo, ju- • 
biloso. 

Kúuika, V. tr. Acender; abra- 
zar; fazrT fogo: huinhi mu, uiKe u 
mu mone o Kulema. 

Kuuikisa, V, tr. Mandar acender 
(lume) 

Kuuilu, sub. (IX) Demnzia | O 
que se dá além do pezo ou medida 
certa. I Quebra; tara 

Kuúnda, v tr. Ungir j Purificar; 
batizar; tornar ditoso.] | sub. A to 
de ungir. \ É tb. r. 

Kuundúla, v. tr. Crismar; confir- 
mar. 

Kuvala, v intr. Delivrar; ter fi- 
lho; parir. ] | sub. O acto de parir | 
O feto dado à luz ( Descendência; 
prole. II KurJvala, v intr. e r. Mul- 
tiplicar-se; reproduzir-se | Renas- 
cer. 

Kuvalesa, v. tr. Assist rao parto 

de.| Ajudar a parir || Kurivalesa, 

v. intr. Ter filho sem intervenção 
de parteira. 

Kuvalulula, v. tr. Fazer nascer 
muitas vezes.] | Kurivalulula, v. intr. 
e r, Reproduzir-se a cada passo: 
ktirivala ni — . | Ir de geração em 
geração, j ] Rebentar; desabrochar 
sucessivamente. 

Kuvandumuka, v. intr. Brotar, 
surg'r rapidamente. ] Frutificar, 
crescer a olhos vistos. 

Kuvandumuna, v. tr. Levantar, 
erguer com rapidez. 

Kuvema, v, intr. Vergar; dar de 
si; ceder à pressão, ao pezo ] fig. 
Ocultar-se; esconderse |! sub. Ac 
ção e efeito de vergar. 

Kuvembuka, v. intr. Estar ar. 
queado, curvo; ficar vergadot] 1 sub. 
Arqueação. 



RDV 



-23Í- 



KU\^ 



Kuvembukisa, v. tr. Arquear; en- 
curvar: — ribaia \ Fazer vergar. 

Kuvembula, v. tr. Darafôrrna 
de arco a. 

Kuvemesa, v tr. Fazer vergar, 
ceder à pressão: — ritolongo, 

Kuvensela, v. tr. (port.) Vencer. 
V. hiitolo^^a 

Kuveíulula, v. tr. Revender: — 
uêiiji II sub. Revenda. 

Kuvíka, V. tr. e intr. Son»?gar; 
subtrair frau lulentamente . | Dizer 
qugnãotein (tendo). || sub. Sonega- 
mento. 

KuviKisa, V. tr. Defraudar ( Lo- 
grar; iludir astuciosamente! Fin- 
gir não conh^^cer o direito de ou- 
trem, ou fazer que compre co sa 
luim por boa. 

Kuvinana, v. intr. Estai vergado, 
(estando seguro pelas duas extre- 
midades) . I Estar recurvado: — kwa 
mbamba, kutololia kua xibaía . \ Vergar 
{un n;io as du^s pontas): kitanãu ki 
vinana, k't tolok^è . , 

Kuvínanesa, v. tr. Recurvar (se- 
guraado p.^los dois extremos).]] 
É tb r, 

Kuvingala, port. Vingar.] V. 
Kutuína. 

Kuvjngina, v. tr. e intr Aba- 
far, agasalhar contja o frio.l] Ku- 
nvingina, v. r. Encapotar-se; co- 
brir-se. 

Kuvinginina, v, tr Ir absíando; 
resguardar do 'frio | Confortar.]] 
Kurivjnginina, v r. Tapar-se c^m 
roupa de abrigo; agasftlhar-se. 

KúvioKa, v intr. Passar; transi- 
tar (no Congo), 

Kuviokuesa, v tr. D zer di?pa- 
tesa,] Motejar, escarnecer. 

Kuvisa, v. tr. Farer possuir: — 
iinuna \ Fazer ter direito ou acção 
de.]] sub. Apossamento.Ji Kuriví- 
sa, V. r. Tomar posse», apoJerar- 
-»e do. 

Kuvifala, V. tr. (port ) Evitar. ]V. 
kubembula 

Kuviza, V. intr. Custar; aborrecer. 
I Ser difícil, espinhoso: KUlunga —, 
KUlundula k'li vir,'ê. | ] sub. O que so 
apresenta como trabalhoso, j | Kmi- 
Viza, V. intr. e r. Enfidar-se; abor- 



recer-se: Kuimlna ngênjl — , ngénji a 
aríehlabu muhamba ue. \ Arreliir-ae? 
ter compleições: Kusoviana, — . j 
Desgostar-se. 

Kuvizis', V. tr. Complicar, en- 
fadar, tornar aborrecido. 

Kuvóta, V tr. Tirar ás mãos 
cheias: — lsekele.\ Tomar, colher, ti- 
lar em quantidade. 

Kúvua, V. tr. Possuir; íer o do- 
míuio de:— jingombe || v. Intr. Per- 
tencer. ||8ub Poset; domínio.] ]Ku- 
rivuá, V. intr, e r. Sor senhor do 
■ i I Estar em pleno goso de seus 
direitos . 

Kúvuaia, V. intr. Paiir (Ê m» 
vernáculo, porém, menos us.) V. 
kúvala 

Kuvubula, V. tr. Meter impe- 
tuosim nte em: á mu vubula mu 
kltonga K/a túbia | Arremessar; lan- 
çar no fundo de ■ 

Kuvuéma, v. intr. Vergar. (Mais 
vernáculo, mas menos us.) V. kuvé- 
ma. 

KúVUKa. v. tr. e intr. Fabricar 
azeite: — mâjl \ Premer; extrair lí- 
quidos oleosos: — u/k/ j ] Encovar; 
profundar. 

Kuvúla, v intr. Abundar; ter 
muito; haver em excesso, em quan- 
tilade. |] Ser numeroso. | j s u b. 
Abundância.]] adv. Em grande nú- 
mero. 

.Kuvúmba, v tr Encapai; tapar; 
encobrir com terra.]] Kurivámba, 
v. r. Solapar-se: — mu íseKcle \ 
Esconder-se. 

Kuvumb^Ka, v tr. Encinzar; — 
mbomzo bu UtOKUa \ Soterrar; co- 
brir de: — mu màvu.\ Afundar: — mu 
mênha.\ Infundir']] KurivumbJKa. 
V. intr. e r. Enterrar-se; cobrir-se 
do cinza ) Mergulhar. 

KuvumbiKisB, V tr Fazer co- 
brir de terra ou cinza. 

Kuvumbuka, . v. intr. Sair por 
momentos. \\ Apressar; ser veloz; 
correr. 

Kuvumbula, v. tr. Aligeirar; fa- 
zer ter pressa: viimhungii i a mu be- 
ka mu ngoiigo —. \ Arrebitar, levar 

Kuvumifala, v. intr. (port ) Vo- 
mitar. [ V, kulusa. 



iruv 



-í5â- 



KuV 



Kuvumujuka, v. intr. Esvoaçar | 
Percorrer pequenas distâncias vo- 
ando, | Fluctiiar. ir com o vento. 

KuVumuKa, v. intr. Voar [1 sub. 
Vôo: — Kua jinjila 

KuV7umukisa, v, tr. Fazer voar, 
ir pelos ares | Deitar a voar, 

Kuvúnda, v intr. Escurecer; 
anoutecer; tornar-se escuro || sub. 
Escuridão; negrume | fig Ignorân- 
cia, falta de visão ou clareza. 

Kúvunda, v tr. Atirar, arremes- 
sar ao chão: boxi. \ \ sub Arremes- 
samento. 1 1 Kurivunda, v. r Lan- 
çar-se, arremessar-se. 

Kuvundísa. v, tr. Ofuscar, fazer 
escurecer | Empanar; fazer perder 
a claridade \ É tb, r. 

KuVundumuKa, v. intr. Levan- 
tar-se com arrebatamento: ng'avu- 
nduinuKa lúsolo | Erguer- se imedia- 
tamente.] Acordar de repente; pôr- 
-se em pé. 

KuvundutiiuKisa, v tr. Fazer le- 
vantar alguém de repelão. 

Kuvundumuna, v. tr. Acordar, 
fazer despertar, levantar imediata- 
mente. 

Kuvunga, v, tr. Embuçar; enca- 
potar. 1 Abafar com cobertor. | fig. 
Favorecer. I I Kurivunga, v. intr. e 
r. I Eacudar-se; amparar-se; deíen- 
der-se: mutona urivunga m uânda, ki- 
bese urivunga ni munga.\ Acobertar-se. 

Kuvungina v. tr. Nubldr; enca- 
par; cobrir | É tb. r. 

Kuvunginina, v. tr. e intr En- 
volver, ficar abrangido: Ktfuxi kí a 
mu vunginina \ Estar metido (entre 
outros). Incluir || Kurivuiiginina, 
v. r. Meter-se no número, envolver- 
-sô. 

Kuvunginisa, v. tr. Fazer envol- 
ver, incluir I Tornar extensivo a. 

Kuvungisa, v. tr. Mandar em- 
buçar, fazer encapotar, abafar, co- 
brir. 

Kuvunguna, v. tr. Atenuar; ali- 
viar; clarear. | Tornar menos car- 
regado, escuro. 

KuVungunUKa, v. intr. Alvore- 
cer: Kuma Ku ala— \ Começar a cla- 
rear, a despontar ( a manhã), a ia- 
zer*ie dia II sub. Alvorada. 



Kuvungununa, v tr. Clarear; 
atenuar a e«curidão, fazer alvore- 
cer ( a manhã); rÍKumbi ri vungununa 
o kizuua [Desanuviar || Kur. vun- 
gununa, V. r. Limpar-se de nuvens. 

Kuvungufa. v intr. Ondear; fluc- 
tuar; ir terpenteanio | | sub. Mo- 
vimento ondeante | Acto de ondu- 
lar. 

Kuvungutisa, v. tr. Fazer ondu- 
ar, flutuar. I Tornar onduloso. 

Kúvunza, v. tr Tuivar; tornar 
eBcuro: — mênha \ Enredar; atrapa- 
lhar; estabelec<r confusão: moKa u 
ala KU m'avunza.\ Des'rJenar. 

KuvunxuKa, v intr. Turvejar, ea- 
tir tolda o: mêuha m'avunzuKa \\ 
sub. Torvação. 

Kuvunzula, V. tr. Toldar; turbai: 
u bomba o nguingi K'avurizul'ê me 
nha.\ Perturbar; ofusc8r.|| Kuri- 
Vunzula, v r Tornar-se turvo; 
toMarse.] fig. Embriagar-fe. 

Kuviiria, V tr Remar | Fazer 
cingrar (por meio de remos) a em- 
b rcação. 

Kuvurisa, v tr. Avolumar; exa- 
gerar:— /naKfl.j Fazer amontoar, ir 
pondo: — ma/ar/, j | Mandar ou fa- 
zer lemàT: — matilungu. 

Kuvurixila, V. tr. e intr Tornur 
abundante, multiplicar por meio 
de: o jimbongo u ji vurixila mu tpa 
|Fazer aumentar o número yor 
virtude de . 

Kuvutuila, V. ir. Responder; 
retribuir:— ujítu.\\ Devolver; res- 
tituir : u*asobo u vutuila \ \Da.i vol- 
ta ou torn . II Despicar; dar des- 
forra | | Kurivutuila, v. r Desfor- 
rar-se; pagar-se na mesma mo^da. 

KuvuíUKa, V. intr. Voltar para 
traz ou para o ponto de partida j 
Tornar; u asenge K'asuliUK'ê, náunge 
ia — [Regiesear; retioceder. 

KuvutuK la. V. tr. e intr. Tornar; 
repetir:— o /íoka. || sub. Repeti- 
ção I I KurivutuKia, v. intr e r. 
Reconciliar 3o (marido e mulher). | 
Tornar ao estado anterior. 

KuvufUKisa, V. iatr Recuar; re- 
(roceder | Não prosseguir. 

Kuvutula, V. tr. Não aceitar; e- 
volvei: Kitari ng'a kí vutula jRe- 
toruar; resiitir, J Jsub. D.voluçio, 



K13V 



-2â3- 



Ktjíf 



KuvuíuluKa, V. intr. Recuar (pa- 
ra tornar a avançar). 

Kuvufulula, V. tr. Empurrar pa- 
ra traz;— a mu vutulula,\ F z-jr re- 
cuar, retroceder. 

Kúvuua, V, tr. e intr. E-fguisar, 
vadear. I I sub. Vadeação. 

Kuvuuáma, v, tr e intr. Abusar 
(da liberdade. I Pratear actos de- i 
moDstrativOi do falba de respeito j 
Ser desmandado, desmedidD. | jsub. 
Licença. 

Kúvuuisa, V, tr, Fazar passar a 
vau. 

Kuvúza, V, tr. Descabilar.j V 
kuòúza. 

KuvuzaKanha, v tr. Desarmar: — 
Kt7of7i6o kia ita Desapirelh ir, de- 
sordenar, desguarnecír. ! Depor ar- 
mas, li 8ub. Desarmamento. !| 
KurivuzBKanha, v. r. Despir a ar- 
madura, as armas. 

KuvuzuKa, V intr. Partir com 
ímpeto: ir com veleidade: correr | \ 
Ficar abalado, impressionaio, per- 
turbado: muxima moxi u angi vuzuKa. 
Ij sub Abalo. 

Kuvuzula, V. tr. Fazer arrancar 
(coirendoi.l Meter susto: u a ngi vuzu- 
la mu mala j Perturbar ; É tb r. 

Kúxa V. tr. e iatr. Legar; doar.l 
Dar de uma vez I Assinalar; perpe- 
tuar; deixar para sempre: muleniba 
u âxa Ngola. ' \ sab. Doação; legado; 
perpetuidade. 

Kuxabalaia, v. intr. S r ou es- 
tar acbitad : rizanu ria mu xabalaia \ 
Ficar depremiJo [ '. sub. Achata- 
mento. 

Kuxabalalesa, v. tr. Achatar: — 
rizuuu Fazer deprimir. 

KuxáKa. V. intr* (pleb.) Fugir, 

KuXBKaía, v, intr. .\rrastar os 
pés. anaando: uenda - i Roçagar I | 
v. tr. Friccionar; roçar: muzambu 
ua— I Ir arrastando por. | | V. Ka- 
xaKata. 

KuxaKafesa, v. tr. Mandar roçar, 
arrastar os pés. 

KuxaKumba, v. tr. Tornar gra- 
du Imente mais rápido Aumentar 
a velocidade. I Ir acelerand.i. apres 
saado, activando. \\ sub Acelera* 
9Í0. 



KuXala, V. intr. Ficar; achar-se; 
estar. |j urixaia, Ficar-se; livrar- 
-se; vêr-§3 desoprimido: hoji i áfu 
mu ngongo mu arixala 

Kuxalela, v intr. e r Demorar; 
deixar-se fica; uai, u axalda.\ Fi- 
car demoradamente. 

Kuxalesa, v. tr. Fazer estar, fi- 
car. | Apresentar cumprimf ntos de 
despedida j ' Kurixalesa, v. r. Fa- 
zer despedidas; renunciar a a gu- 
ma coisa, (que acaba). 

Kuxamena, v. tr. E s t r i b a r ; 
apoiar. ! Descançar (o pé). sub. 
Esir.b:;mento. | | Kurixamena, v, 
intr. e r. Estribar-se; apoiar-se. 

Kuxamenena, v. intr. Encostar- 
-se. , Descançar o corpo (arrimando 
as costas ao que estiver atraz delas). 
I I sub Encostamento Kurixa- 
menena. v. r. Dar encosto mútuo; 
animar-se. 

Kuxamenesa, v. tr. Encostv; 
pôr (alguma coisá) contra um ob- 
jecto para que não caia . ; Apoiar.) | 
Kurixamenesa, v. r. Fazer- se 

apoiar, encostar; valer se de. 

KuxamujUKa, v. inir. Andar a 
derramar, a verter Ir-se entornan- 
do. 

Kuxamu na, v. tr Despejar, en- 
tornar em: — menha mu njila. É tb. r. 

Kuxamujuna, v. tr. Andar a der- 
ramar, verter muitas vezei. 

KuxamÚKa, v. intr. Ficar entor- 
nado: ki axamuKa k' i lungiVi. 

KuxumuKisa, v. tr. Fazer entor- 
na, trasbordar. 

Kuxamuna. v. tr. Entornar; der- 
ramar (um líquido) espalhandoo no 
chão !, sub. D.rramamento i i Ku- 
rixamuna, v. r. Entornar-se. |fig. 
Extender-se . 

Kuxanana, v. intr. Ser escorre- 
gidiço: hoxi hu axanana. \ Estar lizo, 
macio: muviutu u axanana. ■ | sub. Es- 
corregamento I Lizura. 

Kuxananesa, v. tr. Amaciar; ali- 
zar. Tcrnar escorregadio.; E' tb. r, 

Kuxánga, v. intr. Escrevinhar; 
rabiscar: — niUKOfída. Tracejar || 
sub. Acão ou efeito de rab.scar* 

Kúxanga, v. intr. Lenhar: tiKO- 
nHxx ua ndcnge u atunda mu— .| Esca* 



KÍ3Í2 



—254- 



KU^ 



atiotar. 

KuxangumuKa, v. intr, Escorre- 
gar; escapar das mãos. 

KuxangumuKisa, v. tr. Fazer es- 
corregar. 

Kuxangumuna, v. tr. Tirar canho- 
tos (das árvores). 

Kuxapuinha, v. intr. Chapinhar.] | 
V. tr. B.inhir, (deitando a água 
com a m^o) | Abluir. | | sub. Ablu- 
ção j I Kurixapulnha. v. r. Asper- 
gir se: — menha k« muKutu. 

KuxafUKa, v. intr. Trampolinar. 
Soltar. I Diz-se do salto de um grão 
pelo aperto doá dedos que o segu- 
ram. I Diz-se dos olhos grandes e 
esbugalhados: mesu m'a mu xaíuKa | 
fig. Abalar; fugir. 

KuxattiKisa. v. tr. Fazer tran- 
polinír, siitar o que ee traz aperta- 
do entre os dedos. || Fazer esbuga- 
lhar os olhos 

intr. Ficar desfi- 
Ter rasgões (nas 
diz 'kuxuuluKa. 

tr. Fazer lanhos 



KnxauluKa. v. 
brado, lanhido | 
carnes). ( Tb. se 

Kuxaulúla, 



(nas carnes) | Tirar fib;as de. | Ar- 
rancar às tiias 

Kuxaxaía, v. tr. e intr. Tatear: 
tnujitu a mu xaxata, K a mu mHÍK'á \ 
Apalpai; p vssar a mão por | I sub 
Tateamento | É tb r. 

Kuxekeleia, v. intr. e r. Emper- 
tigar-se; tornar-se altivo: x'eie\ k'u 
ngi xekelele kala ngi aoiko riê! \ Encher- 
-se de prosapias, de vaidades. 



V tr. Mexer; fazer 
íig. Causar irr, tacão; 



Kuxekesa, 
ranger; bulir 
aborrecer 

Kuxéna, v. tr, e intr' Andar cora 
os assentos no chão; ir de rojo | | 
Kurixena, v r. Arrastar-se (pelo 
chão); andar rastejando. 

Kuxenena, v. tr. Emporcalhar; 
sujar. 11 Kurixenena, v. intr. e r. 
Borrar-se. 

Kuxeta, V. intr. Mudar de lugar | 
Aproximar, estar prestes, 

Kuxetesa, v. tr. Trazer para mais 
perto. I Alijeirar; fazer aproximar. 

Kuxetuka. v. intr. Estar deslo- 
cado. | Mover se; mudar de posição 
I I bub. Deslocação. 

Kuxetuhisa, v. tr. Fazer deslocar, 



mudar de posição. 

KuXetuIa, v. tr. Deslocar: — riia- 
ri\ Mover )| sub. D jsiocadura . | 
É tb. intr, e r. 

KuXexeta, v. tr* Precatar; tente- 
ar, sondar | Observai com cuidado. 

Kuxi, adv. iaterrog. Quando: u 
êza kunibi — ? \ Até quando ou onde: 
ngi samba — ngi muKua nbeka, ngi rima 
— ngi ] mukua nzalaf \ Em que iugar? 
II adv. e pron. interrog. Quanto; 
que quantidade, que preço: ki —í 
jOue pessoa cu cousa entre vários: 
mutu -1\ Qual: kizuua — ?| Que; cujo. 

I I coiij. Como, de que moao: u aze- 
kele -?\ I — ( precedido de sub.) Qual 
históiia, nem qual carapuça; /rima — ? 
nanhi—f{loc, com que se nega a rea- 
lidade do sub.).| I corog. Pov e se- 
de do posto na margem do riO des- 
te nome, 14.126 hab. e M.issâo Catol. 
de N. S. do Rosário. 

Kúxíba, V intr. Estar boto; ter 
o fio ou guine perdiJo: poko i axibi. 

II V. tr. Chupir; sugr; absorver: 
— matámba \\ sub. Embotamento: — 
kua poko j Sucção; absorpção.jl 
Kunxiba. v. intr. e r. Mirrar; esgo- 
tar-se 

Kuxibaka, v. intr. Desobedecer; 
desatender; não cumprir. | | sub. 
Des beJiêacia. 

Kuxibakesa, v. t/. Induzir á de- 
sobediência, j I Fazer desobedecer. 

Kuxibirila, v. tr. e intr. Cruzar 
os biaçjs cm s.nai de respeito aos 
piis ou superiores. I Servir; assistir 

Kuxibisa, V. tr. Fazer chupar, 
calar;- mona \ Impor bilêncioa || 
Einbot.-r; tornar inofensivo. | | Ku- 
rixibisa, v. r. Embotarse. | Fazer- 
—se calar. 

Kuxiia, V. tr. Riboucar; alizar, 
estucar paiedes. 

Kuxiialala, v. intr Estar afázico: 
ter a voz rou.a: riziii ri axiialala \ \ 
Estar cebozo: maku m' axilaiala. 

Kuxiialesa, v, tr. En-cbar | Fa- 
zer enlouquecer (a vlz): — <• rizui,\ 
Tornar fanhoso. 

Kúxika, v. tr. e intr. Sjar: tocar; 
tanger: — ngúnga: -marimba. \ Ti'ar 
sons li V. intr. Assobiar: -níU^^iò^ío. 

Kuxíka, V. tr. Deliciar; Càusar 
deleite a.l v. intr. Sentir prazer. 



KUX 



-255- 



KUX 



II Kurixíka. v. r. Deleitar-se. 

Kuxikama. v. intr. Sentar; aban- 
car I I Estar quieto, 

Kuxikamena. v. tr. Esperar (as- 
sentado) por 1 1 V. intr. Presenciar; 
assentar-se para vêr. 

Kuxikamesa, v. tr. Fazer assen- 
tar; pôr síguro (?obre bise). 

Kuxikana, v. tr. e infr Acredi- 
tar; aceitar; aquiescer j I v. intr. 
Concor lar; assentir j | v. tr. Ànur; 
eonsertir. \\ sub. Aquiescência; 
aceitação, consenso. 

Kuxikanesa, v. tr. Fazer cf^ncor- 
dar, acatar, anuir. | Pôr de acordo. 

Kux kela, v. intr. Ter negrume | 
Ser de côr preta. 

Xuxik'í!ela. v. intr. Estar enegre- 
cido, preto. I listar queimado ( do 
sol) I Ter a côr preta, I I sub Ene- 
grecimento. 

Kuxikelesa, v. tr. D e n e g r i r. | 
Tornar ou manchar de preto, j [ Ku- 
rixikslesa, v. intr. e r, Manchar-se 
de preto. 

Kuxiketela, . v. intr. Negrejar. | 
Estar coberto de luto. 

Kuxikika, V. tr. Fazer sentar: — 
Í77i6ía bu jiku j Situar; assentar . 

Kuxikina. v. intr. Assentar; ter 
juizo I Ter modos; acomodar-se.] | 
Cessar ou deixar de ser estróina ou 
desaplicado. | Aplacar; sossegar 1 1 
sub Moderação;, sossego. || — hú' 
ambmidu, nome de certo tecido de 
algodão que muito se usou em Lu- 
anda. 

Kuxikinika v. intr. Crer; ter fé: — 
o mulonja ua Xza>ribi.\ Acredit;:r. 

Kuxikinina, v. intr. Ter firmeza, 
ânimo firme 

Kuxikinisa, v. tr. Fazer crer; per- 
suadir I Fazer assentar, depositar 
as impureias no fundo do vazo: — 
menha mu ritari. \ Fazer sossegar, ter 
juizo . 

Káxikisa, V. tr. Fazer soar, to- 
car oa taniíer instrumentos músi- 
cos; — íitanji.\ Fazer dobrar ou ra- 
picar (iinoa): — jingunga . 

Kúxikujuka, v, intr. Soluçar. | 
Chorar soluçando. | ! v. tr. Dizer ou 
exprimir eatre soluços. 



Kúxikujula, V. tr. Causar muitas 
desgraças a.| Danificar. 

KuxikuKa, V intr. Ter ííncope 
mortal. I Finar-se 8«m dar tempo 
para nada. ! | Parar; pausar: u zada, 
u xikUKa II sub. Par.igem; piuía. 

KuxiKula, V tr. Mandar pausar, 
parar, j Ter soluços. 

KuxíKuIula, V. intr. V. Kuxuku- 
lála. 

Kuxikuna, v tr e intr. Desen- 
gasgar; desimpedir 

Kuxíla, V. intr. Estar ou ficar 
sujo. I Ter falta de limpeza. || sub. 
Sujidade; imundície. 

Káxila, V. tr Respsitar; evitar: 
muari'a-kimí, mu ftuzuela. a mu xila. 
I NSo molestar; tratar com indul- 
gônc'a.|i V intr Ser sóbrio, co- 
msdido.ll Margulhar (para apa- 
nhar o c^mim):—jinjiinbu 

Kuxilúka, V. intr. Diz ae dos 
surdos que recuperam o sentido da 
and.ção; muzilu u axHuKU. 

Kuxilula, V. tr Fazer ouvir 
(quem por doenç a não ouvia) . | Fa- 
zer sentir (o surdo) pelo ouvido.] 
Étb r. * 

Kuximana. v. tr. Gabar; louvar; 
haadiz^T-.— Nzâmbi.] Enobrecer . j | 
Kuriximana, v. intr. e r. Elogitr- 
-se a 31 próprio. 

Kuximanesa, v. tr. Mandar lou- 
var, tecer elogios a. | É tb. r. 

Kuximata, v. tr. Abrir buracos 
com musengu para semeadura de 
feijão, milho, etc. 

Kúximba, v. intr. e r. Eníeiar- 
- e I Ficar erecto.|| v. tr. Derri- 
bar, cortar paus:— niíXí mu mbole 
\\ V. r. Empertigar-se; irritar-se. 

KuximbaKafa, v. intr Ter fir- 
mesa, apoiar-se, fazer finca-p^: u 
ambata o Kimbamba u ximbaKata.\ 
Tornar-se force.il v. r Segu- 
rar- se. 

Kuximbika, v. ti. Varar; fazer 
cingrar uma embarcação á vara:— 
ulungu,\ Pôr direito, aprumado. 

KuximbiKiaa, V. tr. Mandar na- 
vegar á vara. ; Aprumar. 

Kuximbisa, v. tr. Faier derribar 
troaeos de árvores (para cooatruc- 



K\3^ 



-256- 



KUX 



çíies) II Entesar; endireitar. 

Kuximbuisa, v. tr. Mandar en- 
grossar (o caldo de \im \ panela) 

KuximbujuKa, v. intr Ir engros- 
sando (o líquido) I Estar a mixtu- 
lar-se com lodo 

Kuximbúka. v. intr Ficar en- 
grossado, condensado: mênha m'a- 
ximbuka \ Estar turbado, lodoso 
(o líquido). 

Kuximbúla, v, tr . Condensar: — 
muzonge.] Engrossar; dar corpo a 
I Adubar] fam. Rechear; enfei- 
tar. 

Kuxímika, v. tr Aimar (uma ca- 
sa) I Gizar j Espetar os pau ^ que 
formam o esqueleto da casa.l D.?- 
-se da aposição de ramos no teto 
de uma casa em coiistrucção. 

Kuxína, V. tr. Esvurmar. aper- 
tar: -rímôu. I Fazer Far, (espremen- 
do) : — utulua \\ Esmagar; abater 
(o inimigo). I Asfixiar; comprimir 
até rebentar | fig Sovar; bater. | | 
sub. Estrangulíição; esmagamento; 
aperto || Kurixma, v. intr. e r. 
Travar luta; oprimir-se |I — xina, 
V. iter. Meter-se em apertos. 

Kuxinana, v. intr. Reagir; resistir. 
I Ser obstinado, teiíuoso. |1 sub 
Reacção; teimosia. 

Kuxinanesa. v. tr. Obstinar, fa- 
xer resistir.] Tornar teimoso 

Kuxinda, v intr. Ser dotado: kit- 
nt ki a ngi. xinda Ngunza. \ Estar 
destinado, | | v. tr. Tracejar; riscar: 
— mixiriri, | Demarcar; determinar; 
fixar. 

Kuxíndika, v intr. Ficar escar- 
mentado. I 1 V. tr. Adestrar; instruir 
(com os reíultados do mal de ou- 
trem). II sub Escarmento; lição 

Kuxindikaia, v intr. e r. Com- 
portar-se; sossegar | Ter juizt. 

Xuxindila, v. tr. Escarmenta»; 
tornar cauteloso. | Fazer perder (a 
outrem) a vontade de tornar a dizer 
ou a ídztr alg ', 

Kuxindisa, v. tr. Mandar trace- 
jar, fazer riscos | Mandar marcar, 
fixar por meio de traços 

Kuxinduila, v. tr. Encaminhar: — 
njila.\ Servir ds guia a-;| v intr. 
Ser caminho (para alguma parte) | | 
sub. Eacamlnhamento. jj Kurixi' 



r. Ir direito a; guiar se; 



nduila, v. 
dirig'r-se 

Kúxinga, v. tr. Drigir injúrias, 
insolências a. j Ultrajai; infama-; 
des'omnôr jj v. intr. Disparatar; 
dizer indecências jl sub. Acto nu 
expressão altamente ofensiva. ! In- 
júria; insulto; descompostura.] | Ku- 
rixinga, v. intr. e r. Desordenar-se. 
I Permutar indecências, ob;enidades, 
injúrias. 

Kuxingeneka, v intr. Racioci- 
nar; prensar; considerar.]] v. tr. 
Imaeiinar; calcula:; vêr. |]sub. Ra- 
ciocínio; juizo. 

Kuxingila, v. intr. Chamar, invo- 
car espíritos:— muk?íZu Ficar ou 
estar magnetisado. 

Kuxingirisa, v. tr. Magnetizar; 
fazer evocar os espíritos dos mor- 
tos: ilundu. 1 Pôr sob a influência 
do magnetismo 

Kuxingisa, v. tr. Fazer injuriar, 
insultar ] Fízer perder a considera- 
ção, o decoro ] j Kurixingisa, v.r. 
Dedignar-se. 

Kuxingu la, v. tr. In precar males 
sobre; rogar pragas contra: ngi mu 
xinguila kati^ ki asaluka \ Deitar mal- 
dição a; maldizer de. 

Kuxingujuka, v. intr. Hesitar; 
Citar a esquivar-se.] Mostrar receio. 
má vontade. 

Kuxinina, v. tr. 
mi : u a mu xinina 
forte pressão sobre. 

Kuxinj ka, v. (r . Empurrar; im- 
pelir I Meter, introduzir com força. 

KuxinjiKila. v. tr Ensinar o ca- 
minho I Despedii quem não tor- 
namos a vêi: Vimbi \\ Impingir. 

KuxinuKa, v. intr. Ter ganância, 
|Mostrar-s8 afanoso, excitado ] Tb. 
se diz Kuháma 

KuxinuKÍna. v. tr. e intr. Ter 
afan por] Afidigar-se, excitar-te 
com 

KuxinUKisa v. tr. Fazer abrir, 
esbugalhar (oj olhoa). 

Kuxinuna, v. tr e intr Arrega- 
lar: a/ícsu u a ma xinuna Espantar. 

KuxiriKa, v. intr. Ter em viata» 
pressentir.] | sub. latulçAo. 



Apertar; opri- 
boxi I Exercer 



KUX 



-257- 



KUX 



Kuxiririka, v. intr. Suportar; ser 
magnâairao, caridoso || sub. Lon- 
ganiMiidadp.j Pena que se sente 
pelo sofritiieoto alheio. 

Kuxírisa. V. tr. Enlamear; sujar. 
iManch^r.]| v intr. Defecar i| 
Kurixirisa, v. intr. e r. Sujar-=e; 
desacfcditdf se. 

Kúxisa, V. tr. e intr Friccionar 
levemente; untar: — naêmbu.\ Ence- 
rar, | 1 sub. Fricção; untura | É 
tb. r. 

Kuxísa. V. tr. Deixar ficar; aban- 
donar. 

Kúxita, V. tr- Tapar; vedar: — 
njiia \ Rolhar: — mnKúri[ Oburuir 
a entrada ou saída de: - rizungu.\ 
Cercar; pôr tapume: — /íímôil. | Cor- 
tar; fechar, j j sub. Tapamento. 

Kuxifala, V. tr (port ) Citar V. 
KuKoléía. 

Kuxífama, v intr. Estar abriga" 
do, resguardado; vedado 

Kuxitirila, v. tr Ampar.u; ve- 
da ; resguardar: — mulenge.\ Não 
deixar passar, vêr. \ Defender. 

KuxitunuKa, v. intr. Ficar deso- 
bstruído, livre (para deixar passar 
ou circular): matai m'axfíunuka \\ 
■ u b. Desobstrução; desimpedi- 
mento. 

Kuxitununa, v tr. Desintupir: — 
mvbebu. Desobstruir. 

Kuxiulula, V. tr. Alizar: — mutoto. 
Descascar; despelar; tirar as fi- 
bras de. 

Kuxixila. V. intr. Encruecer.! C »" 
lejar; endurecer. | Perder as quali" 
dades aensitivas. 

Kuxixima, V. intr Arder.|] sub. 
Ardência; queimor. || Desventura; 
infelicidade: o u axixima.—kue uenda- 
-naKU. \ Infortúnio. 

KuxiximiKa, V. tr. Fazer entrar; 
empurrar; introduzir com esforço.; | 
Kurixiximika, v. r. Intiometer-se; 
entrar á força onde não é chamado 

Kuxiximisa, v tr. Fazer arder. 
l|Tornar infeliz, infortunado. | É 
tb. r. 

Kuxobota, V. tr. Chuchar (sem 
nada absorver): — ku muUwbii. 

Knxóka, V. tr. Picar; espetar;. 
nung«''l %• Hítimular; exoUar.|| 



KurixoKS, V. jatr. e r. Ferir-se com 
picadura. | Melindrar-se; compro- 
meter-se. 

Kuxokesa, v. tr. Fazer picar, ei- 
petar I Mandar aguilhoar, aflgir.j I 
Kurixokesa, v. r. Espinhar-se. 

Kuxokóia, V. tr. Palitar: — mo/U.' 
Extrair parasitas: — riulndu.\ É tb. r. 

Kuxokolóla, V. tr. Picar; agui- 
lhoar até fundo.] Palitar: -mu ma- 
ju I Ir espetando. I j Kurixokolola 
V. intr. e r Picai-se fundamente 

KuxoKomona, v. tr. V, Kuxo' 
ngomona. 

KuxoKota, V. tr. Esfregar (o^ 
olhos) I Apertar (friccionando) o 
qutí couber entre os dedos.] Titilat^ 
provocar sensações. I Ê tb. r. 

Kuxokuesa, v. tr. Acirrar; faze 
irr.tar.l Provocar, fazer picardias a' 

Kuxolóla, V. tr. Deitar pingos 
em.—tumaji mu'mbia | Deixar cair 
ura fio de líquido. 

Ku::óinba, v. tr. Tramar; en- 
ganar: —/níZKU/u. i Desfavorecer. 

KuxomoKa, v. intr. Ficar escal- 
dado, excoiiado, queimado, j , sub. 
Escaldão. 

KuxomoKesa, v. tr. Mandar escal- 
dar; fazer queimar (com água fer- 
vente). 

Kuxomona, v. tr Esfolar; es- 
caldar; tirar a derme: — Kangulu | 
Chamuscar. 

Kuxóna, V tr . Estrabar; — miriã 
ia hombo.\\ Escapulir; fugir (bur- 
lando a vigilância) . De-íisar, dea- 
aparecer das vistas. |j Alizar rou- 
pa a ferro; amaciar 

Kuxonga. v intr. Ciciar; murmu- 
rejar; enternecer.;! v. tr. Tornar 
mavioso, suave. (| sub Cicio; ma 
vio9idade,|| Kurixonga, v, r. Con- 
tristar-se; comover se. 

Kuxonguena, v. tr. Dizer inso- 
lências em voz baixa | Dirigir iro- 
nias a. 

KuxongomoKa, v. intr. Escor- 
regar; es:apar-3e.| Soltar-ae. 

Kuxongomona. v, tr. Deslocar; 
tirar; arrancar (da cov,i).| Fazer 
escorregar (das luãos) 

Kaxongota. v. intr. Fnaieflar; 



KUí 



-258- 



KUZ 



começar a atear. | M .nifestar-se 
por indícioa.|| Fumear; ter comi- 
chão (na garganta) 

KuxongCesa, v. tr Afumear; 
fazer luinci^ r. 

Kuxonona. v tr. Fazer resva- 
lar brandamente, 

KuxononoKa, v. intr Vangue- 
jar ( Ir deslisando suavemente . | | 
sub. Escoiregamento; deslise. 

Kuxouela, v. tr. e intr. Murchar; 
estar froxo, esmorecido | Perder a 
energia, o entusirismo | Estar triste, 
apagado 

Kuxoueta, v intr. Engunhar. | 
Estar definliado, sêco 

Kuxouetesa. v. tr. Fazer defi- 
nhar; tornar murcho 

Kuxukujuka, v intr. Impar; res- 
pirar a custo. I Soluçar chorando. 

Kuxukulula, V tr Deitar mau 
olhado i Olhar com rancor ou óJio 

Kuxuxuluka, V intr. Sair ás es- 
condidas. I Esgueirar-si-; sumir-se. 

Kuxuxulukuta, v. intr. Ser de 
caracter adstringitivo. | | D z-se das 
substânciíis que, como a caout- 
-chouc, se não deixam escorregar. | | 
sub Adstringência. 

Kuxuxulukutisa, v tr. Adstrin- 

Kuxuxulula, v . tr. Acalentar; 
abrandar com fricções Cariciar. 

Kuzabalála, v intr. Estar largo, 
lasso, bambo: tnukolo n azabalala \ 
Não retesado ou esticado | | sub. 
Lassidão; bamboleio 

Kuzabujula, v. tr. Lançar ao chão 
muitas vezes: o kiama u a ki zabujula 
boxi i Atitar, deixar cair com vio- 
lência.] É tb. r. 

Kuzabuka. v. intr Ter as bo- 
chechas inchadas: matama m'amu za- 
buka.\ Fazer papo |i sub. Empa- 
puçaraento. 

Kuzabula. v. tr. Empapuçar:— 

matama. \ Fazer inchar . | | Estatelar: 
Ti a mu aabula bexi \ Arremessar ao 
chão II Kurizabula, v. intr. e r. 
Hstatelar-se; fazer se cair. 

Kuzaia, v intr. Dar o cavaco.] 
Rs-lhar; afinar; zangar-se. 

' Kuzéba, V. intr. e intr. Arrega- 



çar (o vestido) :-masanAa,| V.kubd- 
ka.\\ V. tr. Uniformizar; fardar. 

Kuzakama, v. tr. Recear; tre- 
mer de medo. I Assustar se. | j sub 
Medo escessivo. 

Kuzakela, v tr. Fardar:— kifá- 
nda I .'adornar (alguém) de vestes 
especiais || Kurizakela. v, intr. e 
r. Vestir o fardamento, 

Kuzakujula, v. tr. Levantar por 
vezes os panos que se trazem ves- 
tidos I Arregaçar as vestes a cada 
momento | É tb. r, 

Kuzakula, v, tr. Arrepanhar: - 
mileU, i DesnuJar as pernas (arrega- 
çando as vestes). 

Kuzála, v. tr Desdobrar; exten- 
der;— rixÍ8a.\\ Kurizála, v. intr. e 
r. Espraiar-se; trasbordar; iuundar 
as margens (faiando de rios): nzenza 
u arizale | Espalhar-se; extender-se. 

Kuzalela. v. tr. Estender (roupa, 
esteira, etc.) para:— í??ukof?i6c. 

Kuzaléleka, v. tr. e intr. Alas' 
trar; estender muito | Ocupar niaio'^ 
superfície. | É tb. r, 

Kuzalujula, v. tr. Estender e re- 
colher por vezes pano, toalha, es- 
teira etc. 

Kuzalula, v. tr. Recolher o que 
está estendido: — ngandala \ Le- 
vantar , 

Kuzalumuna, v. tr Desfraldar 
desenrolar.] Tender.] É tb. r. 

Kuzáma, v. tr. e intr Abordar; 
atracar. | Aproximar-se, chegarse à 
beira de. 

Kuzámba, v. tr. Presentear: — 
rllemba. \\ Exaltar; distinguir] T 
tb r. 

Kuzambeka. v tr. Dedicar; con- 
sagrar. ] jKurizambeKa, V intr. e r, 
Entregar-se, 

Kuzambéla, v. tr. Exortar: — 
mdKu/u.| Cobrir de palha: -/rrzo || 
Kurizambela, v. intr. e r Empa- 
Ihar-ae 

Kuzambesa, v. tr Mandar co- 
brir de palha (uma casa) ]| Fazet 
glorificar. 

Kuzambula. v. tr- e intr. Adivi- 
nhar ]] v intr Prognosticar, |) 
sub ProgQOSticaçSo. 



Klj2 



-259- 



KU2 



Kuzamesa, v. tr. Man.iar aproxi- 
mar, abordar, atracar: — utunugu.\ 
Fdzer abeirar- 

Kuzána; v. tr. Escarapelar; des- 
pedaçar com unhas e dentes] Ei- 
írangalhar. I I sub Escarapela. || 
Kurizana, v. intr. Arrepelar-se. 

Kuzánda, v. intr. Medrar; cres- 
cer; desenvolver-se ] Florir j Tor- 
nar-se grande; próspero, poderoso. 
II sub. Floração; vicejo; verdor, j 
fig. Grandesa. 

Kuzandeleka,, v. intr. e r- Flo- 
rescer. I Alastrar; extender-se (as 
cucurbitas) . 

Kuzandesa. v. fr. Viçar; fazer 
crescer, florir (a planta' j Fazer 
ter grande copa 

Kuzánga, v tr. Eztt .ga.v.—mê- 
nha.l Danar.! I Esbanjar; desperdi- 
çar: — Kítari.\ Deitar a perder || 
sub Esbanjamento; rsfrago.jj Ku- 
rizanga, v. intr. e r. Estragar-se; 
perverter-se, 

Kuzangalala; v. intr e r. Chi- 
bantear; vangloriar-se; mostrar pro- 
sápias.j fig Elsvar-se. | sub. Acto 
de presumir. 

Kuzangalesa, v. tr. Fazer exal- 
tar, irritar, embravecer. | È- tb r. 

Kuzangama, v. intr. Estar es- 
tragado, perdido: mona u azangarna. 
jEstar desnorteado, corrompido 

Kuzangamana, v. intr. Estar 
sobranceiro, colocado mais altu. 1 
Pôr-se no bico dos pés para alcan- 
çar um ponto alto. 

Kuzangafa, v. intr. E.trava- 
ganciar; andar na estroinice | B in- 
çar i Fazer travessuras; distrair-se 

Kuzangafeia, v. tr e intr Estar 
a brincar com: — ima ia ngene \ 
Estar a fazer traquioices 

Kuzangdíesa, v. tr. Dei.Kar biia- 
car, estragar. 

Kuzangeleka, v. tr. Exceder em 
altura; elevar à alta dignidade | 
Pôr em evidência, sobranceiro j j 
Kurizangeieka, v intr. e r. Ele- 
vat-se; evidenciar-se; eagradecer- 
•se. 

Kuzangina. v. tr. Atormentar; 
jindele j'a mu zanr/ina. \ Mortificar. 

Kuzanguísa, v, tr. Mandar le» 



rantar;. fazer erguer do chão. 

Kuzanguká, v. in*r. Estar ou fi- 
car «levantado, elevado, alçado. | 
Decamp^r: ki/«.ri ki azangiika buki' 
lombo ! Ser superior. || sub. Eleva- 
ção; decampamenio. 

Kuzangula. v. tr. Levantar; er* 
guer do chão: —mí/Aamòa. | | sub- O 
levantar. I | Kurizangula. v. intr, e 
r. Elevar-se; tornar se notável. 

Kuzangutruka. v. intr. Levan- 
tar-se depressa.! Erguer-se de re- 
pelfio. 

Kuzangumuna, v. tr, Alvoroçar.) 
Fazer levantar sem demora; erguer 
de momento. 

Kuzanujuka, v. intr. Estar esfar- 
rapado, roto: milele i a mu zanujuka . 
1 Ter (a roupa) esfrangalhada. 

Kuzanujuna, v. tr. Esfarrapar; 
dilacerar; reduzir a muitos pedaços.j 
É tb. r. 

Kuzanuka, v. intr. Ter (a roapa) 
um pequeno rasgãc; esttr pouco 
roto. 

Kuzanuna. v, tr. Rasgar, esfran- 
galhar, romper um pouco | Tirar 
um bocado de. 

Kúzanza, v. tr. Atirar ao chão | | 
Kurizanza, v. intr. e r. Fazer se cair 

Kuzánza. v intr Tirar (às ocul- 
tas) comida da panela: — ímbia bu 
jiktt. j Furtar da comida q-ie está a 
cozer. I Tirar (da panela) aos pou- 
cos 

Kuzanzala, v. tr. e intr. Andar 
levemente sobre (como o caran- 
guejo): zanzala, zanzala, uendelu ua 
hala I I Sentir arrepios: mukitiu uala 
k« ngi zanzala. \ Sentir a passa- 
gem de um insecto sobre o corpo. 

Kuzanzalesa, v. tr. Causar arre- 
pios; fazer cócegas | Passar leve- 
mente os dtdos sobre. 

Kuzanzumuka, v, intr. Liquescer; 
ficar derretido: mâji m' azanzumuka. 
\ I sub. Liquefacção; d rretimento.j j 
V. r Dí-rreter-se;' ficar contente, j, 
fig. Requebrar-se, consurair-se em 
agradecimentos. 

Kuzanzutnuna, v. tr. L-quefazer; 
derreter 

Kuzaúka, v. intr. Vadear.] Pai- 
•lar a vau para outra margem (do 



Kt2 



--2éÔ- 



KtjZ 



fio): — muiji II sub Vadeação. 

Kuzaúla v. tr. Fazer passar « 
van; trasp issar. 

KuzavuKa, v intr. Saltar por si 
(a mola de urai armadilha) | Siir 
do lugar (saltando).] | sub. Dis- 
paro. 

Kuzavula. v tr. Soltar (a mola 
do alçapão).] Disparar. | fig. Sur- 
ripiar. 

Knzazula, v. tr. Cozer ligeira- 
mente I Fazer (alguma coisa) ás 
pressas. 

KuzebuKB. V. intr Ficar babi- 
do.jPat' tar.l 1 sub. Estupefacção 

Kuzebula, v. tr Estuptfic<r; 
tornar pateta. | j Kurizebula, v. r. 
Atoleimar se | Apalermar-se. 

Kuzéia. V intr Jardinar | fií[ 
Paiaear. 

KúzcKa V intr Dormir.] Des- 
cançar na paz do tú. nulo: u azema 
kllukia Kãlunga 



Kurizeka, v r 
com.j Copular 

KuzeKesa, v 
dormir: — mona 

KuzeKeta, 



sub. O dormir 
Deitar-se, dormir 



tr. Fazer deitar, 
É tb. r. 

intr. Ter muito 
azeite; estar muito cleos >, gorlo.JI 
V. tr. Ole^r; azeitar ] | pub. Esta- 
do de pessoa gorda ] A parte gor- 
da das carnes mortas. 

Kúzela, V. intr Estar claro, de- 
sanuviado: kuma KU azeU.\ Estar 
p riíicado, Lmpo (de consciência): 
KU muxima ku azele \ ]3ub Brancu- 
ra; clareza. 

Kuzelesa, v tr. Deal )ar; tor- 
nar claro, limpo ] 1 Kufizelesa, v. 
intr. e r. Cl trear; limpar-se. 

KuzeluKB, V intr. De-imaiar; 
empalidecer. I F.car descorado. 

Kuzelula, v. tr. Dcacorar; fiz r 
desmaiar; tornar pálido. 

KuzelulUKa, V. intr. Amarelecár; 
estar pálilo.]] sub Desvanecimen- 
to; palidez. 

KuzelumuKa v. intr. Decair; es- 
tar enfezado. I |sub. Decaimento 

Kuzelumuna, v. tr. Enfezar; 
tornar decadente. 

Kúzemba, v. intr. Embirrar;. 
desgo8t«r; aborrecer.|| v. tr. £x«- 



crar; ter aaco a. 1 jKurizemba, v. 
intr. e r. Inimizar-ie; odiur-se: — 
kua ngongo ni hása.\ Aborrecer-se. 

Kuzémba, v. tr. e intr Enojar; 
repugnar; ter náuzeas. 

Kuzembesa, v. tr. Fazer desa- 
gradar, embirrar, aborrecer. Ji Fa- 
zer enojar, provocar náuzeas. É 
tb r. 

KuzemeKa, v. tr. Arrima-: — muha- 
mba. 1 1 Apoiar, encostar ] É tb. r. 

Kuzem-na, v. tr. Oescançar (o 
corpo).] É tb. intr. 

KuzemencKa, v. tr. Acomodar; 
inclinar; deitar ] j Kurizemeneka, 
v. intr. e r, Acomodar-se; deitar-se. 

Kuzemenena, v. intr. Recos 
tar-se. 

Kuzemenesa, e. tr Fazer recos- 
tar; dar encosto a. 

Kuzendala. v. intr Estar encos- 
tado; cair em sono. 

Kuzendalala, v. intr. Pender.] 
Estar inclinado, deitado.] fig Pas- 
sar pelo sono. 

KuzendelcKa. v. tr Desaprumar: 
fazer descair | É tb intr. e r. 

Kuzenduka, v intr. Ficar dese- 
quilibrado, desni ve ado. tomb ido 

Kuzendukisa, v. tr. Fazer dese- 
quilibrar. 

Kuzénga, v. tr. Manejar; brandir: 
—njangu \ Fazer menção de descar 
regar (o golpe).] Agitar pa ra arre- 
messar (ao longe): — ritari. \ \ sub. 
Brandimento.j 1 Kurizénga, v. intr. 
e r. Fazer menção de se atirar.] Va- 
cilar. 

Kuzengela, v. tr. Brandir para: 
ng'a mu zenqela fiunha.\ Menear; ame- 
açar. 

Kuzengesa, v tr. Fazer brandir. 
I Mandar agitar (pira arremessar). 

Kuzénza, v. tr. Trazer nos bra- 
ços (com cuidado).] Conduzir em ar 
de procissão; — jinzainbi \ fig. Acari- 
ciar; amimar. 

Kuzenzama, v. intr. Estar sus- 
penso (sobre o abismo^] hstar pen- 
dente 

Kuzenzamana, v. intr. Estar de- 
bruçado (sobre o abismo) | Estar 
muito elevado e suspenso. || v. r. 



K13Z 



-fé<- 



KX32 



Pôr se debruçado. 

Kuzenzamena, v. tr. Pender pira; 
estar dependurado; io talela kumbi, 
uná zenzamena kaliinga.l Hstar incli- 
nado, suspenso sobre. 

Kuzenzamesa, v. tr. Debruçar | 
Fazer pender, estar sn«penso. 

Kuzenze'va, V tr Trazer suspen- 
so, pendente: — muzuiri ua jimbiji. \ 
Pendurar (na mão). 

Kuzenzekesa, v. tr. Fazer sus- 
pender, estar pendente. 

Kuzeriua, v. intr. Sr ditoso, 
abençoado, f^liz | Ser fidtdopara 
o bem. i I sub Felicidade; ventura; 
sorte. i E-.tado de pessta ^-liz [ Bjm 
êxito. 



tr. Tornar feliz; 
Faz r abançoar, 



Kuzeriuisa, v. 
dar ventura a. 
ter sorte. 

Kuzetama. v intr. Ficar pasma- 
do. | V- kuzutama. 

Kuzeuluka, v, intr. Estar disjun- 
to. I Separar-se. j Diz-se das subs- 
tâncias que, misturadas, se distin- 
guem ou separam entre si. 

Ku/eulula, v. tr. Fazer a di-jun- 
ção de.| Separar.] É tb. r. 

Kuzéza, V. intr. Ter visco, baba. 
I Ficar babozo. | Diz-se do milho 
em começo de floração: maaa m'a' 
zeza-li v. tr. fig. Furtar. 

Kuzezela, v. tr. Bibujir.]] Ku- 
aizezela, v r. Detar baba. 

Kuzezesa, v. tr. Fazer cair baba 
[ Tornar baboso. 

Kuzezuka. v. intr. Ficar tontr» 
atoleimado: u azezukani mabtvum'ãnu' 

Kuzezula, v, tr. Embriagar, en- 
tontecer. | Tornar pouco ébrio. 

Kuzoboka. v intr Ficar logrado, 
ludibriado: « axsla u azoboka.\ Parvo- 
ejar; í.car pateta 

KuzDbuesa. v tr. Logíar; fazer 
negaças; zombar. 

Kúzoka, V. tr. e intr. Barulhar; 
altercar; contender. | Questionar; 
travar de razões \ \ sub. Queàtáo; 
contenda. 

Kuzokela. v. tr Questionar por: 
— o hata bu fundu. kurimueta unga» 
mha.\ Tomar iaterèsi* por. 



KuzOKelela, v. tr. Defender; acu- 
dir.] Patrocinar; favorecer. || Kuri. 
zokelela, v. r. Prestar auxílio mú« 

tu ). 

Kuzokesa, v. tr. Acirrar; fomen- 
tar desordens.] Inimjsar, malquis- 
tar pessoas. 

Kuzokonona, v tr. Picar (com o 
bico). 1 Aferroar; dar bicadas.] É 
tb. r. 

Kúzola, V. tr e intr Prezar; ter 
afeição; gostar de.] Estimar; ter 
em conta. I ] Kurizola, v. r. Afei- 
çoar-se; tratar-se com estima. 

Kuzolesa, v. tr. Fazer estimar, 
afeiçoar; tornar simpático j] Kuri- 
zolesa. V. r. Fazer-se gostar, tratar 
com distinção. 

Kúzoma, v. intr Pegoifar; pro- 
var. 

Kúzomba, v. intr Andar deva- 
gar, pé ante pé (por doença). 

Kuzombala, v. intr. (port ) 
Zombar. ]V KaiÔKã. 

Kuzombela, v tr. Importar; tra- 
zer; introduzir. ] Fazer algo pela pri- 
meira vez.| Vulgansar o que não 
era conhecido. 

Kúzonda. v intr Estar desani- 
mado. | Esmorecer; perder o entu- 
siasmo. 

Kuzondama, v int*-. Estar ab 
sorto; ' sub. Hebetação; pasmo. 

Kuzondeaa, V. tr. Fazer desalen- 
tar, esmorecer' 

KuzondoKa, v intr. Ficar alhea- 
do, esquecido. 

Kuzondola. v. tr. Enlevar; 
alhear; distrair. 

Kuzónga, V. tr. Pesar:— /í/ôa; me- 
dn: — mulele \ Calcular; avaliar ] | 
sub Medição; avaliaeáo; peso.]] 
Kurizonga, v. intr, e r. Rivalisar; 
competir.] Conhecer. o seu valor, 

Kúzonga, V. intr Ter muita fun- 
dura: klxlma kl azongo. I Estar mui- 
to cavado, i Urrar; bramir: —kua 
hofi.\ Gritar; berrar (no sent. prop. 
efig.).;] V. tr. Proferir (imitcmdo 
gritos comparáveis a urros).]) aub. 
Bramido forte e «atrídulo; barro; 
urro. 



mt 



-26â- 



KU2 



Kuzongesa, v. tr. Mandar pesar 
ou medir. I Fazer gritar, urrar. 

Kuzongola, v. tr. Espreitar; es- 
piar, jl sub. Espreita.] Teté. 

Kuzongolola, v. tr. Repesar; tor- 
nar a medir. { { Espreitar mais uma 
v«z. 

Kúzonza, v. tr. Embelecar; lison- 
gear. I Subornar; engodar; seduzir, 

Kuzonzola, kuzonzona, v. intr. 
Andar devagar; caminhar lentamen- 
te: boba bua kulenga, boba bua — | | 
Haver-se com lentidão. 

Kuzóta, V. intr, Estar parvo, so- 
rumbático. I Direr ou fazer parvoí- 
ces. 

Kuzotalala, v intr. Estar molha- 
do, úmido. I E-tar insípido, tribte, 

Kuzotáma, v. intr. Parvoeirar; 
estar patético. 

Kúzoua, V. iintr. Nadar. 1 1 sub 
Natação. 

Kuzóza, V. tr. Aliviar (o laço); 
folgar; alargar; — mwAroío.| Tornar las- 
so, bambo-! | v. intr Ficar frouxo, 
alquebrado, gasto | \ Finar-se; es- 
pirar; morret: — muénhu. 

Kuzozeka, v. intr. Diminuir de 
tensão, de força. | Afrouxar; abran- 
dar. 

Kuzo/ela, v. tr. Deslaçai; desa- 
pertar. I fig. Pagar. 

Kuzozesa, v. tr Mandar desa- 
pertar; fizer alargar, dilatar, tor- 
nftr bambo. 

Kuzozola, v. tr Dar folga a.| 
Tornar menoá apertado 

Kuzozolola, V. tr. Desapertar a 
pouco e pouco.] Ir deslaçando, ali- 
viando (acorda) | Alargar aos pou- 
cos. ]| Kurizozolola, v. intr. e r. 
AiÍYÍar-se; desembaraçar-se. 

Kuzu, sub- (II) V. mú]íuzu. 

Kuzuafa. v. intr. Trajar: abilhar; 
veitlr. — tnUde. \\ v. ir. Calçar: — 
ikoto.l Fardar-se: — ikfunn. 

Kuzuatesa, v. tr. Ajudar a vestir. 
I Contribuir para a adquisição de 
roupas de outrem. 

Kurúba. v. tr. Acabar: ng'akala' 
kala, ng'a»uba.\ Pôr fim a; dar ca- 
bo de. 



Kúzubila, V. tr. Chibatar; bater; 
zurzir. 

Kuzubirisa, v, tr, Consumar; ul- 
timar. ] Rematar.] Encerrar: íina- 
lizar; concluir- 

Kuzubisa, V. tr. Mandar acabar; 
fazer terminar, concluir. 

Kuzuéia, V. tr. Falar; conversar; 
dizer palavras. 

Kuzuelela, v. tr. Falar por: — mu 
/cizunu.\ Expressar se em; —mu putu. 
\ Oitarj] Kurizuelela, v intr Fa- 
lar a sós. 

Kuzuelesa, v. tr. Falar a. ] In- 
terrogar. É tb. r. 

Kuzuika, V. tr. Enroupar; dar de 
vestir.]] Amolar; desembotar; — mu- 
kuálu. \ Afiar. ]] Kurizuika, v r. 
Afinar-se; vestir-se. 

KuzuiKÍla. V. tr Amolar, fiar 
por meio de:—pokoburibáia I Agu- 
çar para. 

Kuzuila, V tr. Encambar; espi- 
char:— m6i;í ] Enfiar; ensartar: — 
miaanga \ Engarrafar: — maluvu mu 
mbinda. \ \ Kurizuíla v intr. e r. 
fig. Embebedar-se. 

Kuzúka, v intr. Estar furado, 
estragado pela broca: masa m'azúku 
\ Estar farelado, cozido ou amadu- 
recido pelo calor. 

Kúzuka, V. tr Pilar, esboroar 
(substâncias úmidas ou meio suecas): 
-—fubá I Descascar por meio de tri- 
turação:— máaa. 

Kuzukama, v intr, Vizinhar; es- 
tar à pouca distância, perto: mutu u 
banda mulundu u a— . \ Ser vizinho, 
estar próximo de. ] H :bitar nas pro- 
ximidades. II sub Aproximação; 
proximidade. I I Kurizukama, v. r. 
Avizinhar-se. 

Kuzukamesa, v. tr. Fazer apro- 
ximar; vizinhar; trazer para perto | 
Fazer chegar, pôr ao alcance de. | 
É tb r 

Kuzukika, V. tr. Rolhar; bato- 
car ] Tapar com estopa (fendas ou 
buracos). ] Tafulhar. 

Kuzukumuka, v. intr. Ficar fu- 
rado, desrolhado: kituíu ki azukumuka, 
\ Irromper; verter com vioiência. 

Kuzukumukisa. v. tr. Fazer ir- 
rouiper, sair ioipetuosameote. 



Í<UZ 



-263- 



KU2 



' l^uzukumuna, v. tr. Furar; sa- 
car; romper: — aalala ia fubá. \ Des- 
rolhar; tirar. 

Kuzukuta, V tr. Tocar o fole | 
Trabalhar; vencer | | Devastar; exe 
cutar; tirarjpenhornr: ima ioio a mu 
zukuta-naiu \ fig Tragar; devorar: 
destruir 

Kuzukutisa, v. tr. Importunar; 
mort'f.car; fazer raiar | | Mandar 
executar, devastar. 

Kúzula, v tr Desnudar; despir; 
deixar nú 1 Despelar; descoitiçâr. | | 
sub. Despimento. | | Kurizúla, v. 
ntr er Despir-se | Despelar»se (a 
cobra), 

Kuzúla, v. intr Estar encharca- 
do, molhado. | | sub. Molhadela. 

Kuzule, adj Metido; encaixado, 
introduzido. 

Kuruluka, v. intr. Deslizar; res- 
valctr: luhambu lu a mu ziduka mu to- 
ngi )ainama.\ Escorregar; sair. 

Kuzulumuka, v. intr Estarem 
decadência; dar ares de cansaço: 
ipolo i a mu zulumuka \ Resvalar, 
decair, ir-se abaixo. 

Kuzulutnukisa, v tr. Fazer per- 
der o vigor; fazer decair. 

Kuzulumuna, v. tr. Desenfiar: — 
jingondo. \ Despojar; despir. 

Kuzúma, V. intr Rosnar; rouque- 
jar.| Diz-se do ruido do cão quando 
mostra os debites e ameaça mor- 
der. 

Kuzumafa, v, tr. e intr. Beberri- 
car; provar líquidos. | fig. Estar 
pouco alegre. | | gub. Degostação. 

Kurumaíesa, v. tr. Dar a pro- 
var. I Fazer degõstar. 

KuzumbiKa, v, tr. e intr. Odiar; 
fer animosidade ou má vontade con- 
tra alguém. I Importunar; perse- 
guir. 

KuzumbuKa, v intr. Terminar, 
acabar (o trabalho) no fim do dia.j 
Cessar; parar (a faina). Deacançar. 

Kuzumbúla, v. tr. Mandar inter* 
romper o trabalho (na hora do de«' 
canço ou no fim do dia): — abixa, 

Kuzumina, v. tr. e intr. Roncar, 
rosnar por: u ala — mu tulu.\ Resfo- 
legar; respirar em. { E' tb. r, 



Kuzána, v. tr. Derriç^ir; descar- 
nar; arrancar aos bocados: mutu a 
mu 2una ku imbungu \i—7Úna. v. 
itor. Descarnar aos poucos.! Airan- 
car com os dentes muitas vezes. 

Kuzundala, v. intr. Estar penali- 
sado, falto de ál*gria.{ Estar habi- 
tualmente triste. 

Kuzundalala, v- tr. e intr. Ser 
de aspecto triste: sanji i azundalala. 
i Estar adoentado. I Diz-se das 
aves quando se mostram encapota- 
das. 

KuznnduluKa, v. intr. Ser de ta- 
manho pouco maior. 1 Ter um pou- 
co mais de volume ' Estar um pou- 
co mais desenvolvido. 

Kúzunga, v. intr. Rodopiar; gi- 
rar. |Dar voltas. 1 1 Ambular; circu- 
lar, || sub Voltas ou giro* dados 
sem parar. 

Kuzungila, v. tr. Visitar; assis- 
tir: ng'endeUmu—hàxi.\ Prestar au- 
xílio a. 1 1 sub. Visi^açio, assis- 
tância. 

Kuzungina, v. tr. Estar de visita 
a.| Viajar (por distracção); dar 
voltas por.l fig. Passear. 

Kuzunujuka. v. intr. Estar cheio 
de feridas | Ter falhas, 

Kuzutiujuna, v. tr, O mesmo que 
kuzuna-zuna. 

KuzunuKB, V. intr. Estar cha- 
gado; ter as carnes cortadas. 

Kuzununa, v. tr. Tornar a dilace- 
rar, a arrancar carnes de. | Descar- 
nar mais vezes, 

Kazúaza, v tr. Escoar: farer 
escorrer:— menha ma funji.\\ sub. 
Escorrência. j IKurizunza, v, intr. • 
r. Pingar; escorrer aos poucos: u 
ala —ka/fl nzeKe ia mungua. 

Kuzunzumuna, v. tr. Escorro- 
pich»r; esvasiar; ultimtr: u azunzu- 
muna, u ária | Comprar o último 
bocado; levar os restos de. 

Kuzurisa, v. tr. Fazer molhar, 
encharcar.il Mandar desnudar; fa- 
zer despir-| | Kurizurisa. v. mtr. e 
r. Molhar-«e; faier-se despir, 

Eúzutama, v. intr F>car admi- 
rado, pasmado. 

Kuzutamana, v, tr. e intr. Em* 
basbaoar.l Ficar estupefacto. 



KUZ 



-364- 



LEK 



Kuzufamesa, v. tr. Faz^r assom- 
brar, desfalecer, ficar suspenso 

Kuzufuiuna, v. tr. Ir arrancando 
com os dentes bocajos de carne. | 
Derrçar aos poacos. 

KúzuíUKa, V. intr. Soitar-se; sair 
(io lugar). 

Kuzutumuka, v. intr. Ficar der- 
riçado. | Rebentar mukolo uazutumuka. 
IQuebrar; partir (no sentido de cima 
p-c ta baixo) . 

Kuzu(umuna. v tr. Derriçar: — 
ni máju ni iála. \ Puxar; arrancar. 

Kuzufuna, v. tr- Despendurar | 
Tirar, arrancar (aos puxões). 

KnEUtumuna, v. tr. Despedaçar, 
dilacerar por vezes. 

Kuzúua, V tr. Humectar; di- 
luir I Molhar levemente | Escoar; 
escorier. fig. Ganhar. 

Kuzuuátna, v. intr. Depender- { 
Resultar; porvir. 



Kuzuuamesa, v tr. F^zerresaU 
tar, sujeitar, depender 
Kuzuuika, V. tr. Vedar; tapar. 

Kúzuza. V. tr e intr Assar: — 
mhiji I I V. tr. D.ifumar; curar: — 
xitu I Grelhar; torrar: — mbólo.\ Co- 
municar calor a; — rimbu \ Tostar 
(sobre braza") |I sub. Fumagem: 
assadura. { £ tb. r. 

Kuziizama, v. tr. e intr. Ficar 
requentado, assado | Estar junto ao 
fogo (a aquecer) . 

Kuzuzamesa, v. tr. Encostarão 
fogo (para tomar calor).] Fazer 
aque::er. 

Kuzuzisa, v tr Fazer assar (nas 
b-azas); defumar, curar 

Kuzuzuma v. intr Estar fraco 
(pela acção do tempo) -1 Ter pouca 
c )nsistência ou solidez ] Estar 
quebradiço. 

Kuzuzufa, V intr. e r. Caminhar 
sjm tino I Atoleimar-se.l Estar íob 
a acção da emb laguês. 



L, décima primeira letra do alfa- 
beto kimbundu, tendo o mesmo valor 
que em português. 

La, conj. Quando, como: u efi — 
éit I Enquanto a:— ío. | Visto qu«. 
l]idv. Quanto; porquanto. jV Kala. 

Lábanga, adj (XI) Ordinário; 
grosseiro: incivil. || sub. Pessoa 
rebelde, de maneiras ordinárias. 

Labuákafa, adv. Dlz-ae da en- 
trada de alguém em um recinto sem 
prévio aviso en licença: u éfi 
ngo—' 

LtKa, sub, (IX) pop. Cara; face 
(de oma pessoa): a a mu'i mu-\. 
Lata; bitácula. 

Lalama. corog. Lagoa próxima 
da pov. de Cabiri, «ire civ. de Ico- 
lo e Bengo, distr. e prov. de Lu' 
anda. 

Láluvi» sub. (IX) port. Alarve. 1 



V Klrióma. 

Lamba, sub. iIV) Dnsventura; 
provação; infortúnio.! V. pi. ma- 
lámba . 

Lambula, sub. (IV) Uma das 
muitas variedades de sardinha 
(gorda). 

Landeju. adj. (IX) pott. H )lan- 
dês, 1 V. rifàlu, mafúlu. 

Langála-njimbu, sub. (IV) ictiol. 
Pica-peixe, 

Lasása sub (JX) Araçá (fruta). 

Láu. sub. (IV) Retribuição; salá- 
rio; recompensa. V. rilau 

Léba. adj. (III) Que tem maior 
comprimento ou altura.] V. kaliba. 

Lekefe, adj. (IX) Impertinente: — 
ia moKa. I Buliçoso. 

LéKU. interj. Expressão designa- 
ttra do repentino clarão do fogo.)) 



LBL 



-265- 



LUA 



sub (IX) Dií-s*} (ío J sparo do a;- 
nhã-j viáto de longe: ritenda ri iri 
— ; Kiluininu kl êri *ncium*.\ Foga- 
cho 

Leia, corog. Pov. e sele do 
posto d\ cir. oiv. de Cacongo, 
distr. e prov. de Luanja, i 241 
habit. 

Lele, Paldvra sufixa para m aus- 
culiaar ou superlativar certus subst 
ou adj.» ndênge ia dengelele; kota 
ria Kotelele. 

Lelému, corog, Pov. e sode do 
posto riv de Lurerao, circ, de Ca- 
maxílo, distr. da Lunda, prov. de 
Malangi, 7 923 hab. e sucursal da 
Missão Catol. do Sagraio Coração. 

Lêlu, adv. Hoje. | Actualmente: 
mu Kizuaa km— i|— 'er/, hoje em 
dia; no tempj presente.!! — fid—, 
sem demna ; Logo a seguir 

Lêmba, sub (IV) m^t. Djusi pro- 
tectora das mulheres grávidas | E' 
tb. iiomí. próprio j V. rilcmba. 

Lépi, corog V. Elépi. 

Lé(e, sub. (IX) port. Líit-j V. 
masana 

Léxa. adj. • sub. (IX) Idiota; 
pat-ta; sem sagacidade: mona u ala 
— ,,Diz-8e do falar arr<)Stado de 
um paralítico. 

Lóko, adv. (IX) port. L-go. 

Lokoso, adj. (IX) Salgadj; mbiji 
i aliilu — . 

Lóia, corop. Pov e sede do pòãto 
da circ. civ. da Bibala, distr. de 
Mossâmedes, 5.776 hab. 

Lólo, pron. demonstr- Êss ; es- 
sí: o lubambu^lu abútu. 

Lombe. adj. Azalado. enevo- 
ado. 1| corog. Pl)v. e se ie do posto 
civil do mesmo noíne, circ, cone 
diatr. s píov. de Malange, 13 789 
habit., est. telagr. -postal e de Cam. 
d» Ferro. I! Afluente da margem 
direita do rio Quanza. 

Londáu, sub. (VI) bofe. Planta 
med cinal enpiegada contra as mor- 
deduras do lacrau (Benguela) 

Lôndo, sub. (VI) Brúnze; cj- 
bre: kitarl k/a—. 

Longa, corog. Baía e cabo da ros 
ta dl Qui'sama, oiro civ da - iuxi- 
u.a. dislr • prov. de Luaada.[i 



Rio que atravessa as terra.q do Li- 
bolo, Quibala e .-Vmboim e desagua 
no ra ir ao N. de Banguela-n Velha. 
I jPov. 8 sede do p isto civil deste 
nome, circ civ de Menongue, 
distr. e prov. do Bi\ 15 611 ha- 
bit. j| Rio, afluente do Cuoene, na 
mesma ciic. e distr. 

Longo, sub (IX) zool Rumi- 
nante da iam dos antílopes, tb 
conhecido por hulongo |! corog Rio 
da cir. civ. da Muxiiin, região da 
Quissama, d str. e prov. de Luan- 
da, que separi o cone. de Muxi- 
m» do de Pòrto Amboím e desagua 
na biía do Longa a 10 " 19' lat 
S. e 22' e 39' long. E. 

Lópa, sub. (IX)p)rt RoupijV 
iiuatu. 

Lôso. sub. (IVy po.'t. Atroz. I 
V. luõio 

Lôvua, corog. Pov. e sede do pos- 
to civ. deste nome, circ. de Chita- 
to, distr. da Lunda, prov. de Ma- 
lange, 15 832 habit. 

Lu, sub. (IX) Prefixo concord. 
dos nomes da cl. \1; lukaaku-ato 
loka 

Lua, prep. De: lúmhu — iawjii. \ \ 
Contr. da prep. e art. o, a;lumuenu 
— /íwku. II adj. e pron poss. Delas; 
deles. I Pertencentes ás suas pes- 
soas: o ~ lu aburika. | pron relat. 
Que, Cujo 

Luâbu, corog. Antiga pov. e fr g. 
de N . S. de Sant'Ana, actual posto 
de Massangano, cone. de Cambam- 
be, distr. do OU:inza -Ncrte, prov. 
de Luanda. 

Luanda, sub. (VI) Aduana | O 
que uma pessoa paga ao Suzerano 
pelo exercício do seu comerei , in- 
dústria, arte ou ofício: kzí/uía — . 1 1 
Juro.jl Mukua — , adj. e sub. Adu- 
aneiro; publicano. | De Luanda || 
Muxi — , Ex mido; livre; desobriga- 
do I Que não paga impostos | 1 co- 
rog. Cidade fundada por Paulo Dias 
de Novais, capital e s de da prov 
de Angola, gov., arcebi^^p Serv 
de Mar., 59 m. de alt , 8" 48' 47" 
Lat. S e 130 i3' Long E., 60.198 
hab. Era, em épocas recuadas con- 
forme tradição, conhecido por Luan- 
da o lugar onae é hoje o campo dos 
desportos, aos Ciíqueiros eiuque 
se cobravam oa impostos de expor- 



tUA 



-26é- 



IHÉ 



tacão do c^urim:mu— | Alfândega. 
Luanda, sub (VI) Embaixada; 
men-agem a uai soberam j fig. 
ComUsão ' É tb adj. kubeka — ku 
Luuania. 

Luándu, cuog Rio bastante ex- 
tenso com nascente na serra de 
Mnssamba, no Moxico, a reunir-se, 
próximo de Malange, jo Quanza, 
onde desagua. 

Luandu, sub (IX) zoo! Ave per- 
nalta 

Luángu, adj e sub. fl) V. mu- 
ludngu 

Luânha, sub. (Vj) O sol, seu bri- 
lho ou caljí.' — lu âtu ! 0< Ígneos 
raios que o sol nos env a; tunda bu — . 
] Jacto de luz que ilumina o espaço. 

Luásu, corog. Caudaloso rio na re- 
gião do Moxico, afluente do Quan- 
za, com origem na serra de MosBim- 
hi. distr. do Bié, 

Luãki, corog Rio. afluente do 
Kamhu, na Jinga, distr. da Lunda, 
prov de Malange. 

Luâxu, corog. Antiga pov. do 
posto de Dombe Grande, cone , 
distr. e prov. de Benguela, em cuja 
baía desagua o no Capororo, ao N. 
de Equimina. 

Luâza. corog Pequeno afluente 
do rio Lifune, na circ civ do Dan- 
de, distr. e prov de Luanda 

Lubaku, sub. (IV) Foro; tributo; 
renda; kufuta — . | Contribuição, im- 
posto territorial. | O que uma pessoa 
paga a outrem em sinal de depen- 
dência il Mukua—, adj. Tributário; 
foreiro; contribuinte. 

Lubálu, sub. (VI) Cavado: bura- 
co, j ( corog Pov. e sede do posto 
da circ. civ. de Camaxilo, distr. da 
Lunda, prov. de Malange. 

Lúbambu, sub (V) Grilhão; cor- 
rente: a mu tebu— .\\ Múkna — , adj 
e sub. Prisioneiro: presidiário 

Lubângu, corog. Rio afluente do 
Cunene. | | Nome por que era co- 
nhecida a cidade de Sá da Bandei- 
ra, a I4«» 55' lat S e 180 35' long. 
E., 1774 m. de alt , sede da c dade, 
cone. distr. e prov da Huila, ter- 
minus do C. de F. de Mossámedes. 

Lubánzu, sub. (VI) Reflexão; 
ideia íixa; peniaineato; mania. 



Lúbafa. sub (VI) Cortamento 
In-ião. 

^ Lúbe, sub. fVI) Destino: -iua Ka- 
lúnga | Sentença | Dejisão final de 
um juiz ou tribunal. 

Lubilaxi. corog. Pequeno afluente 
do rio Quanza, na região do iMoxi- 
co, distr- e prov. do Bié. 

Lubilu, sub. (IV) Viramento; va- 
riação; muda, I Acção de volver.] 
loveraão; troca. ] Mudança ( le 
opinião, de pos çlo, de partido). || 
— a saku, Lobis-homem | | — bila, 
Cacavento | Inc ^nstâ teia; versati- 
lidade. 

Lubifu, sub. (VJ) Local de trân- 
sito; passagem:— /ua Kinzenza.\ Por- 
tagem: Ku/uto— . i Icorog. Cidade, 
sô le do cone deste nome, distr. e 
^rov. de Benguela, a 12° iq' de 
long E , i6°i. de alt., 11 488 hab. 
Repart. de Fa« , Juizo lostr., Cam. 
Munic.Alf, testa do C d« F de 
B , est. teleg. -postal e 2 escolas 
primárias n ° 48 de Pedro Alexm- 
drino e particular de Ruy de Sjuía. 

Lúbolo, sub (VI) Amarradura, 
vinco I O sulco qu5 fax nas carne? 
uma atadura.) fig. Chamamento; 
engodo. 

Lubólo, corog Território que 
constitue a cir. civ. do Libolo, dis- 
tr do Quanza-Sul, prov de Ben- 
guela . 

Lúbongo, sub. (VI) Credencial; 
licença. II Festo; dobra; larguri.!] 
Loba — , adj. Enfeitado; largo || 
Buta — .Qa9 não tem festo; de pouc » 
largura. 

Lubundu, sub. (VI) Detrimento; 
prejuizo; dano: uênjl ua. — \\ P/ir- 
dição; perca. II adj. Prejudicial; 
danodo. 

Lúbungu, sub. (VI) Egoíimo | 
Sentimento de exclusão das cousas 
ou pessoas extranbas.ll Mukua—, 
adj Egoista; que exolue ou aban- 
dona. 

Luê, adj. poss. (contr. da prep. 
lua e do pron pe^s. e/c). Teu; tua: 
o luKUãKU — lu a f anata \ Da tua 
peasua i| prou. interiog Qual? 
Que? 

Lue, adj. e pron, poss (cintr. 
da prep. lua e do pron. pesa. 

muén9\. Seu, sua (dele): o lumuenu 



tué 



-267- 



LOK 



— lu afuuela. \ Pertencente á sua 
pessoa j I — muene, propriamente 
dele. 

Luêbi, pron. interrog. Ou:í1? Que 
dle. 

Luéi, corog, Pequeio aflnfnte da 
margem esquerda do Quanta, no 
d str. do Moxico, prov. .10 Bié. 

Luêji, corog. Rio do S. Salvador 
do Congo, ao S. da antiga cidade, 
aflnente do Loge. 

Lueka, sub. bot. No ne por qu9 
na r?g ão áo Seles é contiícida a 
árvore mukaákasa 

Luélu, sub (IX) Voluntariedade; 
expontaoeid .da; piopó ito |1 adv. 
Voluntariamente; de motu-próprio 
|Sem coação nem con3*ringimento. 

Luêna, corog. Grande rio que deu 
o nome à região que atravessa, aflu 
ente direito do Zxmbize, coji o 
curso no tarritó io do distr. do Mo- 
xico, prov. do Bié 

Luêngi, adj (VI) D fere n te: lu- 
mÍngU—'.\ Diverso; distintu; não o 
metmo.j PI. mêngl. 

Luenu, adj. e pron pess. pi. 
(contr. da prep, lua o do prnn. p ss. 
enu\ V ss ; voísa: o himbi ~ la 
bjngesa atu kasaluKa ; Da vós; 
pertemente ás vossas pessoas || — 
eriu, propriamente vojso. 

Luetu, ftdj e pron. poas. pi- 
Njsso; noasa: o lusuamu—lu atu- 
ngunuKa.l Das nossas pessoas i| — 
etu De nós próprios 

Luâze, corog. .diluente da mar- 
gem diíeita do r o Luándu, na re- 
gião do Moxico, distr do Bié. 

LúfeKu, snb (Vi) pjrt. Refego. 
V múfuta 

Lúfiku, sub. (VI) Birateio |! 
corog Pov. e se le do posto da cir. 
civ. de Nóqu , distr. do Zaire e 
prov. de Luanda, 1.203 hab 

Lu{ÚKu, sub. (VI) Perversidade; 
malvadez . 

Lufuni. corog. Rio que banha as 
terras d CatumLo, ao norto da Íjz 
do Dand ■, ciri.. civ. deste nome. 
distr. e prov. de Luanda. 

Luhalakaka, sub. (Vi) Caricter 
de pessoa sôfrega. || G-inância-ll 
Avidez- II Mukua — , adj. Ganancio- 



so; que não se farta 

Lúhama, adj (VI) Centésimo; 
cera vezes: li aíart^e —. ! Centésima!. 

Luhamua, adj (VI) Que tem a 
forma ou anda como mosquito. 

Lúhanda, ^ub (VI) bot. Bignónia 
{markhamia atenocarjja) , de utilisação 
ornamental 

Luhengu. sub (VI) bot. Pequeno 
arbusto de frutos comestíveis, 
muito frequente na zona pUnaltica 
do Bié. 

Luhia, sub. (VI) bot. Planta ro- 
sácea {parmari mobola) e seu fruto | 
Noxeira. !; Pov. e sede do posto 
deste nome, circ. civ de Cassii, 
distr. da Lunda, prov de Malange, 
6 731 hab. 

Luhúngu, sub (VI) b)t. Fruto 
comestível, tb. conhecido pjr ilaran 
ja do mato». 

Lui, corog. Afluente do rio Quan- 
go, ao S. das terras de Cassange | | 
Pov e sede do posto civ. dêstd no- 
me, circ. de Bondo e Bângalas (Que- 
la), distr. e prov. d e Malange, 
10.215 hab. e sue. da Missão Cat. 
do Espírito Santo. 

Luia. c^rog, Pov e po-sto civ da 
c.rc do Chitttj). distr. da Land i, 
prov. de Malange. 

Luiari, adj. ord Duas vezes: u 
êza — j Bis; repeti io. 

Luiji; sub. (VI) Jusante. I O p.n- 
to caidial opstoao norte: ku — .|| 
prep. Abaixo; aquém 

Luímbi sub. (VI) Avareza; mes- 
quinharia I i Mukua — , adj: e sub 
Ambicioso; miserável. V lúmbi 

Luínga, corog. Pequeno rio na 
região da Jinga, afluente do Uamba, 
distr. di Lun ia, prov de Malange. 

Luingi. sub (VI) Traqueia; veia; 
cano I Tubo das penas das aves. 

Luinha, corog. Afluente do rio 
Lucala, na região Cazongo, distr. 
do Quanza-Norte, atraves-ado pela 
ponte do C . de F. 

Lújiji, sub (VI) Instànc.a; persis- 
tência; afuico. I Obrigação: — lua 
mona ni tnam' á . \ Dever. 

Lúkala, corog. Grande afluente 
do rio Quaaza, com origem aos con- 



LiJK 



-268- 



Lm 



ifafortes orientais da serra de Can- 
ganza. atravessando as férteis ter- 
ras da Duque de Bragança, Amba- 
ca, Cazengo e Dondo até ^Iassa^ga- 
no onde se lapça no Quanza . j |Pov 
e sede do posto deste nome, cone 
de Cazengo, dstr do Quanza-Nor* 
te, prov. de Luandj, 6.932 hab , 
est. telegr.-postal, de C. de F. e es- 
cola primária n.° 24 de «Ahnei ia 
Garrett». 

Lukamba, corog. Antiga pov. e 
íreg. de S. Joaqnim, 7.» divisão do 
cone. de Ambaca, hioje integrada na 
circ civ. de Camab.itela, dist. e 
prov. de Malange 

Lukambu, sub (VI) Quebra; di- 
minuição; falta.] Peida no peso ou 
na quantijjrte. 

Lukanda, sub. (VI) Mediana ár- 
vore autocârpea. fam das urticá' 
ceas (ficu8 lucanda) \ Planta do gen. 
muleviba . 

Lukánji. sub (VI) Planta medi- 
cinal {theaium cinereum) . 

Lukeji, sub (VI) Aluguer: inzo ia 
— I Locação i Alukua—, aá} e sub. 
Locatário. 

Lukélu. sub. (IV) bot. PUnta- 
ainpelidârea de frutos comestíveis. 
(E' fiimilhante ao mulembuiji). 

Lukombo, sub. (VI) Agência. | Com- 
pra de negócio por atacado: uènji 
ua — .\ Tráfego; carabolação j Mu- 
kua—, adj e sub. Que exerce co- 
raéicio por atacado | Cambolador. 

Líiku. sub (VI) bot. Eleuzine: 
kaííikcHze ka mona --: aeaelc kuiuhi, bu 
nyiiile kiiiàhi, ixixi ie ki i mu bue \ 
Planta fam. das graiiiineas {eleuzine 
coeaeana), de utilidade alimentar 
1 A semente do muxiri, empregue na 
íabric ção da cerv-ja. 

Lukuaku, sub. (VI) Mão; braço 
Lukudá, sub. (IX) port. Algo- 
dão I V. mujinha, 

Lukuinhi, adj. num (VI) Dez ve- 
zes I Décimo 1 1 sub. Dezena. 

Lukuka, sub. (VI) Capa feita de 
palha ou capim. | | interj Põa-se fo- 
ra ! Saia ! 

Lukula, sub (VJ; bot Tacula; 
ngi banda mnxi. nqi banda — . | Planta 
fam das leguminosas ( pterocarpns 
.tinctorina), de madeira apreciável 

Lukuse, corog. Pov. e posto civ. 



do cone. de Moxico, prov do IVê, 
10 go6 hab. e Missão Americana 
( ucursal adventícia do 7." Dia). 

Lukúxi, adj. e prou intetrog 
Quantas, que número de vezes. 

Lulu, adj d e t e r m e pron. 
demonstr. Este; esta: o lubambu— lu 
atatuíAuka 

LÚma, sub (VI) Ódio secreto. | 
Rancor; má vontade. |( Mukua — , 
adj e sub , Rancoroso; invejoso. 
! Dotado de maus sent. mentos. 

Lumai, corog. Pov. e sede do 
posto dêate nome, circ civ. dos 
Bundas, distr do Mox co, prov. do 
Bié, 12 58i hab e Missão paroquial 
dos Irmãos em Cristo. 

Lúmangu, sub. (VI) Manjar. | 
Janta. | Comida | corog Lagoa 
na área do posto civ, de Cabiri, c rc. 
de Icolo e Bengo, distr. e prov de 
Luanda . 

Lúmbi, sub (VI) Inveja: kt aòa- 
nge mukuenu banga-kuí, — lua muxima 
lu alba. I Desgosto pelo bem alh-íio: 
ki amona mesu ki akuata— \ Ambi- 
ção. II Mukua — . aJj e sub Inve- 
joso I Que tem ou revela amb ção 

Lunibinga, sub (VI) Chifre. 

Lumbombo. íi u b (VI) Planta 
têxtil fdin. das leguminosH»'. ; V. ri- 
zomboíe. 

Lumboua, sub (VI) bot Planta 
fam d is giamineas. V hiboua. 

Lúmbu. sub. (VI) Muro; veiação; 
pirede: — lua irnba-nbe. \ Aluralhi; 
resguardo; defesa. || Casa principal 
ou de residência do p itrão e su i í .- 
mília: ng'endele ku — i| Convento. | | 
Copulação I Lucro; ganho. 

Lumbúndu, sub' (IX) Granulo; 
grão. I V mbíindu. 

Lumbúzu. sub. (VI) bot. Planta 
sarmentosa cujo fruto é utilisada 
em casos de cefalalgia. 

Lumingu, sub (VI) port. Do nin- 
go- 

Lumono, sub) (VI) Ricinina ; \ 
corog. Rio afluente do Cambo ni 
região norte da JiQga, distr. da 
Lundi, prov de Malange. 

Lumoxi, adj. num, (VI) Uma vez: 
u arimuka u ri j — .| Único: nyo;'* t bi» 
ta—.\ I De uma vez. 



tiJf^ 



tm 



Lilmuenu, sub, (VT) Espelho.) 
Reflector. 

Luná, adj. e pron demonstr. 
(VI^ Aquela; aquele. 

Lunake, adj. num (VI) Oitavo; 
oito vezes: u tanga— \ \ sub. A oita- 
va vez. 

Lúnda, sub. (VI) O oriente.] As 
regiões que de.Tioram p r esse lado: 
ku — .] I Orto; começo; princípio: mu 
— i ã zanga \ | corog A parte orien- 
tal da ilha de Luanda. | | Vasta re- 
gião a S O do lago Tanganica. em 
cuja capit il, Cdzemba, morreu o ex- 
plorador português Dr. Francisco 
José de Lacerda e Almeida (1798). 

Lundánji, sub. (Vj) b )t Riiz; gér- 
men; vínculo. I A parte inferior do 
vegetal. I Rizoma. ] \ adj. Da raiz, 
ou a êle relativo. 

Lundemba, adj. (VI) sub. Capi- 
lar. || sub. Cabelo (fio). 

Lunga, sub. (IX) bot. Planta 
medicinal contra vermes ! É tb co- 
nhecida por — ria mudxi' a muinji 

Lunge-bungu, corog. G r a n d e e 
cau Jaloso rio do distr- do Moxico, 
cora crivara na serra de Cassamba 
e dá o nome à região que atravessa. 

Lungémbu, sub. (VI) Utensílio 
para tirar água. j Cabaça com haste 
natural.] I Púcaro. || bot Planta 
bignoniácea {crescentia cujete) ICala- 
baceiro. V. mungémbu, 

Lungunga, sub (V.) bot Planta 
euforbiácea | Certa qualidade de 
mandioca. 

Lunji, corog. Pov. e posto do 
cone do Bailuodo, distr e prov. 
de Benguela, 29.166 hab. 

Luó, adv. Muito amargo: mu 'kanu 
mu a ng'eri—. \\ adj. Amaríssimo. 
Salgadíssimo. 

Luo-nene, (ou melhor lua unene), 
adj. e sub (VI) Grande 1 Exten- 
so I Considerável. ' De tamanho 
maior. 

Luoso, adj indef. (VI) Todo; 
completo; inteiro: lubongo — lu ata- 
nduka \\ adv. Em peso; todo êle: — 
mnene. I Completamente. |i pron. 
indef. Tudo. 

Lupiri, corog. Pov e sede do 
posto civ. deste nome, circ de Me- 
Qongue, prov. do Bié, 3247 hab. 



Lupisa, sub (VI) Exporão.(! adj. 
Esporifero 

Luposa, sub (Vi) bot- Lagaçâo.j 
Planta asparaginea dióica género 
inilax I V. jipoêa. 

Lúsalu, sub. (VI) Maluqueira; doi- 
dice. 

Lusamanu, adj num Seis, sexta 
vez: u ài -, \ Que é 6 vezes maior. 

Lusàmba. sub. (VI) bot. Arvore 
melífera, de que se extrae, (em 
Caconda) o taniao e fibias para o 
fabrico de panos e cordas. 

Lusambuari, adj. num. (VI) Sé- 
tima ou sete vez;'S | Sétuplo | sub 
Quantidade sete vezes maior que ou- 
tra. 

Luseku, sub. (VI) Primeira fervu- 
ra a carnes ou peixís para se não 
estragarem. 

Luselu, sub. (VI) Distinctivo que 
08 régulos e outros d<gaatârios tra- 
ziam como símbolo de soberania. 

Lúsolo, 8ub. (VI) Apressamento; 
rapidez |Urgència [( a ij. Urgente: 
uai — .1! adv. De-pressa; com ur- 
gência. |V. pi. malusoto. 

Lusuámu, sub. (VI) Arte de se 
ocultar. I Método pelo qual se pra- 
tica o oGultiemo. j Facul iade de se 
tornar invisível.]; Mukua — , adj o 
sub. Ocultista. 

Lutanu adj. num. (VI) Cinco VC' 
zes: u abiluíía-.{ Quinto. 

Luíatu. adj. num. (VI) Três va- 
zes, ! Terceiro. 

Luíembu. sub. (VI) Escancara- 
mento. || corog. Pov, e posto deste 
nome, circ. civ. de Bundas, distr. 
do Moxico, prov. do Bié, 7.864 
hab. 

Lufulungungu. sub (VI) Avidez; 
ância: — lua kúrln.\ Caracter de pes- 
soa sôfrega. I iMukufl-, adj. e sub. 
Ávido; sôfrego:— /«a K//ar/.|Que têm 
àocia. 

Luua, adv. Ainda; não: k/ ket'i—. 
I Antes; por enquanto: KÍ—.\ Até 
agora. 

Lúua, sub- (VI) port. Ru«.i V. 
nzunga. 

Luuâna. adj. num (VI) Qaatro 
ou quarta vez: io u fl/n&a/a — .jQuá- 
druplo II ãub. Quantidade ou aú. 



tm 



-270- 



MÂâ 



tnero quadraplicado: kutangã — . 

Luuanda, s u b. (VI) Aduana 
Imposto. (Forma poi que se devia 
grafar a palavra luanda.) 

Luvalu, sub. (VI) Descendênca; 
prole; linhagem; posteridade. | Fi- 
lhos; as gerações futurjs. 

Lúvctu, sub- (VI) Revenda: ué- 
nji ua — . 

Luvioko, sub, sub. (VI) In lecên- 
cia.] Acto torpe. 

Lfivu, corog. Pov. e posto da circ. 
civ. de S. Salvador, distr. do Congo, 
prov. de Lu.iuda. 5.427 h tb. 



Lflvua. adj. num. (VI) Nona 00 
nove yezes.ll sub. Quantidade g 
veies maior qne outra. 

Luyualu. sub. (VI; Su:es3flo; des. 
cendência. (Grafia melhor do qa© 
luvalu. mas menos usada). 

Luxía, corog Afluente di mir- 
gemetquerdi lo rio Ci^sai, distr. 
da Lunila, prov. de Malange. 

Luxiaa, sub. (Vj) Segui neutj; 
prática corrente. 

Luiuélu, sub. (VI) Loqu-la; ver- 
bosidade. 



]vr 



M.. décima segunda letra do alfa- 
beto Kimbuiidit, de valor igual que 
em prrtuguôs. 

Ma, prep. De: maju -ngãndn; mêsu 
— hima, e e3tab'^lece relâçào d- m^- 
tétia: a — hangt ni ífuba. \ \ atij. e 
pron poss pi. Deles; delas: o ma- 
Kanha — niauba. \ Da^ suas pessoas: 
o mntubVama — ene | ] p on. rei. Que: 
o niatenda, — bangesa Kulueza o xitu . 
Cujos- 

Má, interj. Toma ! Recebe ! | 1 
sub. Dação; acto d^i dar: Kota u a- 
ngamle—, Kaná Kuila ngi km bana. 

Maba, sub pi. (IV) Particularida- 
des; maneiras especiais. | | adv Em 
particular; especialmente. | Por 
partes. 

Mabáia, sub. pi. (IV) Rima ou 
quantidade de táboas. | Sobrado; 
solho. 

MabaKala, sub. (IV) Uma das 
ciências de espiritismo: Kilttndii Kia 
— I I pi- Homens (no Congo) . 

Mábala, sub pi (VI^ Calvas; en- 
tradas I I ÂKua^, adj. Que têm en- 
tradas. 

Mabáia, sub. pi. (IV) bot. Feijo- 
ca {inacaranga angoteniia) . \ Uma das 
vaneda les de feijão grande. 

Mabalanganga, alj. (jV) Pe ires: 
»anji »a— .| Feito de pedras ou pintas 
pretaa e braacas. 



Mábamba. sub pi. (IV) Espíritos 
protetores da sorte | Dr-uses da for 
tuna . 

Mábnnga. sub pi. (IV) zjol De- 
3'gn-ição genérica dos m duscos co- 
mestiíve s Mariscos; o->tras. 

Mabáfa, sub pi. (ÍV) Ixodi las i 
Carraçaria. 

Mábala, sub. pi. (IV) Habitaçõ s; 
fogos; moradias. Casas 

Màbebu, sub pi (IV) Pragas; 
aflicções; desgraç «s | Kuta — , v. 
intr. Iiupreca'; mal li/.ír 

MabeKu, sub pi (IV) zool. Ma- 
tilha, conjunto de cães lio mato. 

Mabéla, sub. pi. (IV) Conjunto 
de pinos fabricados da runa da 
palmeira | Certo tecirio de algodão 
itiuito era V ga: miltU ia — , 

Mâbia, sub pi (IV) Hjrta^ ter- 
ras lavradas. 

xMábilu, sub. pi (IV) Inconstân- 
cias I Mudanças de op niã >, de ca« 
racter. V íubilu \\ AltiKua-, adj. 
Volúvel; vdrsátil; incerto |Que não 
tem opinião firme . 

Mabínga, adj e sub. Póstumt ; 
mona ua ~ Sucídido | O que se 
conhece em tempo postei iur. j Diz- 
-se do filho nascido depois da mor- 
te do pai. 

Mabixi, sub. pi. (iV) Família de 



MAB -2tí- 



MAl 



plantas dicotiledoneas, (ancobadeu- 
taia), que tem por tipo a tilia. | 
Conjunto de plantas bixâ:eas 

MaboKp, sub pi. (IV; Porção de 
frutos de mnboKe 

MaboKela, sub. pi. (IV) Pregoa»; 
aviaos i Proclamas | Anúncios de 
propaganda. 

MaboKÓlo, sub. sub. pi, (IV) Car- 
rapitos. 

MaboKolo, 8ub pi. (TV) Caro- 
coi«.| Madeixas de cabelo em as- 
pirai. 

Mabole, sub. pi. (IV) Conjunto 
de frutos de mubóle. 

Mâbu, sub, pi (IV) Grupo de pa- 
pi 05; suas hastes. I Planta c peiá- 
cea com que se fabricam 03 luaa- 
dos. 

Mabúba sub. pi. í^IV) Cataratas; 
quedas de água. Lugar em que a 
água cachoa. 

Mabuingiii, sub. pi. (VJ) bot. Fa- 
mília de plantas esterculiáceas (edw- 
ardia heteropfiylla\ de fruto comes- 
tível. ! I Coca {erithroxylum coca), 
db propriedades medicinais. 

Mabuinhi, sub. pi. (IV) Falta 
parcial de dentes" j Mossas no gu- 
me de instrumentos cortantes: poKO 
i ala ni—.\ IMuKua — , adj. V, Kama- 
bulnhi.\ \Akua — , adj. pi. Os desden- 
tados.] Ordem de mamíferos qae 
se distingue pela falta de dentes 
incisivos. 

MabtiKubuKU, sub. pi, (IV) Zan- 
gai; danações, raivas. 

Mabukúfa, sub, (IV) Intrujices; 
kurla~.[ Acto de intrujão. 

Mabulungundu, sub. pi. (IV; No- 
me genérico de pequenos corpos ar- 
redondados de qualquer substâac a: 
— ma farinha. \ Torrões; grãos. 

Mábunda, sub. pi, (IV) Trouxas: 
—ma uánga.l limbrulhos; faidoB. 

Mábute, sub. pi, (IV) Úlceras; 
chagas: feridas supurosas,| ;MaKUa 
— , adj Chaguento; coberto de fe- 
ridas. 

Máfiaka, sub. pi. (IV) Matérias 
fecais.] Excrementos; sujidades 

Mâlu, sub. pi. (IV) Folhada: - 
ma mungen£e.\ Erva seca redazida a 



pó.[ I — ma hóji. Nome porque é tb. 
conhecido o muhondongolo. 

Máfuba. sub. (IV) Z-los; ciume'.| 
Cuidados exagerados; Jnveja«. 

Ma|úka. sub. (IX) Título honorí- 
fico de certos potentados indígenas, 
baixo de mangovo (ooq Cabinga». 

Mafúlu, adj e sub (IX) Holan- 
dês Relativo à Holanda I Da ter- 
ra holandezj. 

Máfunda, sub pi (IV) Saquinhos 
de fls de mutòe, para condução e 
conservação de cilas ' Profunde- 
zas. ] Distância da frente ao lado 
op ato. I Profundidade que se su- 
põe insondável e tenebrosa • Abis- 
mo: mbenji i ai Ku — . Despenhadei- 
ro; voragem; pélago: — ma Kalúngá.l 
Tudo quanto excede o que de si ó 
excessivo j fig Mistério. 

Mahâha. sub. pi. (IV) Gargalha- 
da»; cachinadai ]] Kuta ■—, v intr. 
Gargalhar 

Máhamba, sub. pi. (IV) Espíritos 
malfazejos: Kuxingíla — | Génios; 
deuses do paganismo 

Máhaía, adv. De pernas cruzadas , 
]] sub. Diz<se da maneira de se as- 
sentar cruzando as pernas: kux»-' 
Kama — , 

Máhaxi, sub. (IV) Jactos, golfa- 
das (de sangue) | Fluxo sanguíneo. 
! ' Enfermidades; doenças perigo«as. 

Mahézu. sub. pi. (IV) Cumpri- 
mentos; saudações. ] Palavra com 
que se finaliza um discurso, pals- 
tra, conto, notícia: Kuriktmda — ] 
loc. adv. «Tenho dito». 

Mahína, sub (IX) Leite. 

Mahinza, sub. (IV) Estação cal- 
mosa i Verão (nos Dímbos). 

Máhoho. sub pi. (jV) Conjunto 
de gafanhotos ] Género de insectos 
lacustidas. 

Mahúbi. sub. (IV) bot. Arbusto 
fim. das apocináceas (carpodimn 
gracilis), de látex borrachifero. 1 V. 
Kambúngu. 

Mahúpu. sub. pi (lU) bot. Ma- 
racujá; seus frutos. 

Maia adv, (que traduz continua* 
ção do acto expresso pelo verbo) . | 
Continuamente; a todo o momento: 
ária- \ Sempre elei; aem interra- 



MAI 



—272- 



MAK 



pçSo: êne-~. 

MaiRKi. sub. pi. (IV) Ovos: — ma 
uguari.\\ Ovas — ma punyu. | Ovada 

M^iánda. sub (IV| Terra baixa 
(qo Congo)! corog Noixii indígena 
da circ. civil de Noqui a 5° e 55' 
de )at. S. e 13° 12' e 52" de long. 
E., diátr do Zaire, prov. da Luan- 
da, 4380 hab., deleg marit-.de 
Saúde e de Faz., est telegr. -pos- 
tal de I.» classe e escola rural. 

Ma'ápa. sub. (IV) bot. Nome por 
que no Seles é conh ;cid i a árvore 
Kituenga 

Máiala. sub pi (IV) Forma ver- 
dadeira mas m°nos cor ente do pi. 
de riia^a \ V rnâía 

Máiatr.bi, adj. p sub p! (IV) 
Malvados; facínoras. |V jindde 

Máiari. adj num (IV) »eg de 
prep. concord. Dois: waKOKo — , 

Maie, adv. (de afirmação, ;inuên- 
cia. consflutimento): ndi - | | Pala- 
vra que indica continuação do a:to 
expresso pelo verbo. | Francamente; 
livremente; u zuclajviga ^ \ Coiitiuu- 
adamente; sem opo^ ção.| \ Muène — , 
sempre êle. | l Embora; muêue u ejlle 
— . I Apesar de. 

Mâie, sub. pi (IV) Palmar. 

Maioko, sub, pi (IV) E^.cârneo; 
zombaria. | Troça. 

Maiómbe, adj. e sub pi. (IV) 
Do ocidente | Os que hab tam as 
regiões ocidentais. I i Diz-se dos p> 
vos ou regiões do Congo. 

Maiomboia, sub. pi. (IV) Feiti- 
çarii por meio da qual ura vivo fi- 
ca inanimado, antomato | Estado 
de sôr encantado ] BruxeJc; ma 
gia. \Nota: Diz-se das pessoas a que, 
conforme a crendice popular, os 
íeiticfiroa tiram a viaa pelo poJer 
diabólico dos seus feitiços e que, p«. 
los mfsmos processos, ressuscitam 
para Jazeicm deles o que, lhes apete- 
cer; e, res-ucitado8, andam e falam 
como os vivos, conservando, porém, 
o frio cadavérico. 

Maiundu, sub. pi. (IV) Cercanias; 
arrabildtB.| A parte ou lugares 
que ficam no aro de uma povocção, 
vila ou cidade: u ai KU — , | Arredo- 
res. || Aíolcua -. O que mora fora 
da cidade. II adj. De arrabalde. 



Mâji. sub (IV) Óleo; azefte. | 
Goriura; banha. | Seb-^; unto.| Un- 
guento. I \~ma mutonji, Almêcoga. 1 1 
Kuta—, V. tr. Azeitar; olear; untar. 

Maji. conj (port ) Mas.j V. 
mb?; pe. 

Májiku. sub pi (IV) Lugares 
onde se cosinha ! Fogos; lares. 

Májina, sub d1. (iV) Nomes; ad- 
jectivações j f.g Ultrajes; injú- 
rias: Kuixana — . 

Majifa, sub. pi (IV) Laçaria, j 
Muitos nós em ura cordel. ( As bo- 
las que se criam na panela do fu- 
nil. 

Máju. sub. pi. (IV) Deatea:— 
ma'rnbua- \\ Fio; gume: —ma poKO.I 
Aguçadurn | | adj Dental: kirlmbu 
K/a— 1 Dentário \\Kuta—, v. tr. 
Dentar; morder 

Máka, sub. pi (IV) Cin^ersaçío. 
jFalas; ditos: nguámi — \ QaestOes; 
pendênciasí kutanga kubcKa — 1 1 
Assunto; os d zef^s de -laia caita: 
mu inukanda mu ejila— | Colóquio; 
conversa. |A^í//a—, v intr Cava- 
quear; conversar . I I — m?, loc in- 
terj- Culpa tua. I É lá contigo. 

MaKahombo, sub bot Planta 
verbenácea {clerodendron), de pro. 
priedadti ornamental 

MáKala, sub. pi. (IV) Quantida- 
de dt carvão:— /na múbe \ o que es- 
tá muito queimado psla acção do 
fogo II Muiiua—, adj. e sub. Car- 
voeiro. ] Mulher que vende carvão. 

Makaianga, sub. pi. (IV) Famí- 
lia de aaurius lacertidas. | Lagartos: 
a mu kaia ni ita ia matende, a mu 
Kauiriia ni ita ia—. 

Makambu, sub. (IV) ic(iol Peixe 
dl) mar, de tamanho maior que o 
muxiri . 

MaKamukua, adj . ** pron. indef. 
pi (IV) Outros; diferentes: ngi bc 
ke/e o maíari— \ R^sfantes: ma- 
kanji—m' abolo. 

Mákanda, sub pi. (IV) P,ant.i 
dos pés; palma das mãos | Pegadas: 
— makídma.l Vestígios do pé; tri- 
lha; rasto.; Í!g. Indícios. 

Makandánda. sub. fIVj Posiçio 
de quem se deita de costa: kúzeiía-. 
||adv. De bjrrigipaia cima.. Em 
decúbito dorsal. 



MAK 



-273- 



MAK 



Mákanga, sub. (IV) Longe?; 
distâncias. I Regiões superiores da 
atmosfera. |[ adj Longínquo; dií- 
tante; remoto: atu a — ; Ima ia—, 

Mákanha, adj (IV; Tabical ]i 
sub. Tabaco (micotma tabactim).] 
Et vh santa.: - ma kubuakula [ Rapé: 
— ma kufenlia jctiol Peixe do 
mar. 

Makánji, «sub pi. (IV) Guelras 
(de peixe) Região das amigdalas. 

MáKanza, sub. pi (IV) fig Fes' 
tas; danças: kuk/Vza — 

Máhata, sub. (IV; Entrevação. ', 
Reumatismo . 

Mákau, sub. pi (IV) Bebida fer- 
mentada. 

Mákela, sub (I\') Vindima | A. 
época da vindima: ngi KU fala mu 
— ' O primeiro vinho (da época) 
fabricado. \ A. festa da vindima: 
kUKiaa—. Diz-se da bebida que 
tem depositadas no fundo as fezes 
que conte na: —ma uâlua;—ma 
nzombo. 

Makelengende, sub. pi- (I'^) 
Bolas ou rodelas de carvão i Tor- 
rões, 

^lakélu, sub. pi. (IV) Extiemida- 
de de qualquer superfície. | Bor- 
das; u endela ku -. Be. rada. 

MaKénze, sub. si. (IV) zool, Con- 
juntode traças.] fig. Altos e bai- 
xos (do cab?lo cortadoi. 

Màkese, sub (IV) Diz-se do mi- 
lho pilado e granulado, próprio 
p ra papas. 

Makezu, sub. pi (IV) bot. Con- 
junto de colas.; Fruto comestível 
do múker.u. 

Mákinu. sub. pi. (IV) Danças; 
folguedos; festas ruidosas. , Grandes 
divertimentos; dançares. 

MakiriKiri, sub. (IV) Correria: ku- 
lenga — . Rapidez (no andar ou no 
correr): ku/fl— ' adv. Apressadd. 
mente; a correr. 

MáKifa, sub pi. (IV) Chefes d» 
família com direito à sucessão do 
Estado t mit. Munes tutelares. ;| 
Ndala—, mit Eolo; Deus da fúria, 
dos ventos. 

Mákisci, sub. pi. (IV) Conjunto 
de anões. I Reunião de pigmeus. | 



Monstros fabulosos de muitas cabe- 
ças: mnsoso ua—.\ Hidras.! fig. 
Canibjis. 

Mákobo, sub. pi (IV) Oibita': 
— ma mesa. 'Covinhas. 

MaKÓKO, sub pi (IV) Porção de 
cocos I top. Antigo bairro na par- 
te baxada cidade de Luanda. 

MaKolambunda. sub. pi. (IV) Gé- 
nero de plantas tipo das m rtáceas 
{petercia africana), de utilidade orna- 
mentil , | Campo plantado ou con- 
junto de murtas 

MáKole, sub. pi. (IV) zool Gé- 
nero de pássaras motacilinos de còr 
amarelada e bico preto 

MaKÓlo, sub. pi (IV) Colinas; 
vales. I Encostas: — ma mulundu \\ 
corog. Pov. e sede do posto deste 
nome, cifj, civ do Quango, distr. 
do Congo, prov. de Luanda. 

MaKolôlo, sub. pi. (IV) Escória; 
ralé I Os resíduos do fundo da pa- 
nela: -ma' mòia 

MaKoIombolo, sub pi (IV) Con- 
junto de galos I O últmo quartel 
da noite: mu— | A hora de cantar 
os galos, jl ictiol. Família de pei- 
xes quiméridai, 

MaKOlondo, sub pi. ^IV) Resí- 
duos de feiro Restos de metal 
trabalhido ' Folhas de tabaco ver- 
de secas e esmigalhadas. 

MaKoIongondo, sub pi. (IV) Re- 
síduos de carvão de pedra queima- 
do 1 Montículos, tufos 

MaKÓndo, sub. pi (IV) Cascu- 
dos. !| ictiol. Cardume de meigas ;| 
corog. Pov e posto da circ. civ. 
de Alto Zambeze, distr de Moxico, 
prov do Blé 

MaKongolo, sub pi. (IV) Carvões 
acezos (sem chama): — ma tuhia. \ 
Brazas : Estado de incandescência, 
de fogo vivo ;Brazeiro. 

MáKonge. sub, pi. (IV) bot. Con- 
junto de árvores fam das apociná- 
ceas [landolphia awarienais) produto- 
ras da borracha. I Campo plantado 
de borracheiras. 

MaKOloxá, sub. pi. (IV) port. 
Colxões ! V. martri 

MáKori. sub pi. (IV) Tinha. | j 
Mivs.ua—, adj Tinhoso, 



MAK 



-274- 



MAK 



MaKorÍKa, sub. pi (IV) Alopecia, 

MéKOÍa, adj. e sub. pi (IV) Pró- 
ceres; magnates, | Conselheiros ! | 
Os maiore-i, ^.s mais velhos (na ida- 
de, no s-iber, na riqut za, etc.) . | | 
^f^j pJ Q^^ excedem a outros era 
quantidade, qualidade ou volume. ; 
fig Valhos. 

MaKOfeKa, sub. pi (IV) Doen- 
ça das aves: sanji i ala ni — | Pe- 
quenas penas no corpo das galinhas 
que lhes absorve o sangue I | Hi- 
pocondria . 

MaKofola, sub. pi. (IV) Embuste: 
Kuria — I Engano piopositado 

MáKoue. sub. pi. (IV) O canto 
da g-i linha quando põe o ovo: ku- 
tá — . I O canto da victória (nos gali- 
náceos) . 

MaKÓza. sub. pi (IV) An^lrajos; 
trapos velhos: KurizaKela - j Ves- 
tuário roto e muito u-ado. 

Mâku, sub. pi. (VI) Braços; 
raãos.|íig. Menstruo: u ai bu~. 

Makúba, sub pi fIVj Grossaiia. 
Tecido pata enfardar ou fabricar 
aaco: . 

MakubánKa, sub pi (IV) Rri- 
gae; lutas, j Dificuldades; cancei- 
ras. 

Mákubeia, sub. pi. (IX) Diz-se 
da comida (especialmente feiíão) de 
que se escorreu a ágna, para ser 
temperada no acto de servir. 

MaKúbi, sub. pi. (IV) Goles. 

Makuinhi, sub. pi. (IV) Dezenas. 
IGiupos de dez [j adj. Vigéssi- 
mos . 

MaKuinh'a samanu, adj. num. 
(IX) Sessenta , Sexagéssimo. 

Makninh'a-(atu, adj. num. Trin- 
ta.] Tiigéssimo 

MaKuinh'a-uâna. adj. num (IX) 
Quarenta.'! Quadragéssimo. 

Mákulu, sub pi. (IV) Avoengos; 
antepassados: ibula O - ni rnaKómbo 
A sombra dos mortos: KUtele- 
Kela — . 

MaKúlu, sub. (IV) Proctite: uha- 
xi ua—.\ Disenteria, 

Makulumbi, corog. Antiga pov. 
Da margem tsquerda do no Lucala, 



freg. de N. S. da Vitória, em Mas- 
sangano. 

Makuiúsu sub. pi, (IV) prrt. 
Ciuzes.ji Cfrto teci io de algodão 
estampado em cruz: milele ia~.\\ 
top. Antigo local em que, em Luan- 
da, se enterravam os mo tos 

MaKumb-le, fub. pi, (IV) Lírio. 
I Planta liliacea {gloriosa suoerbá). 
de utilidade Ornamental \ Terreno 
plantado de lírii s 

Mgkúmbu, sub pi (IV) Diz-se 
das mandi(.ca5, r zomas ou tubér- 
culos conservados na terra por tem- 
po alétn do neces ário; iringu ia — ,\ 
Caducidade \~Kumbu, zuol. Coií- 
junto de gansos. 

MaKunde, sub (IV) bot. Planta 
alimentícia [vigna cartfang), tb co- 
nhecida por «feijão frade ou car- 
rapatc».|| coiog. Pov. e sede do 
pô^to dê&te (tb conhecido por N i- 
maKunde), c r. Civ. do Baixo Cune- 
ne, distr, e prov. da Huija, 5 855 
hab. e est. telegr. postal de 3* 
classe. 

MaKungu. sub, pi (IV) Covoada; 
séiie de buracos 

MáKunji, sub. pi (IV) Conjunto 

de foeas. j | Pancadas dadas com 

chicote de cavalo-n)arinho.|Chico- 
tadas. 

MáKunua, sub pi (VIII) Bebidas. 
I Bebedeir; s. 

Mákuria, sub. pi. (VIII) Comidas; 
coniLdorias. I Corneznas; gul )dices. 
I IMantimentos; géneros alimentí- 
cios 

Makúria, sub. (VIII) Proventos; 
eDsoluiiientos. [ Achegas. | ' Falca- 
truas. 

MaKurilu, sub. pi. (VIII) Cresci- 
mento. V. maukurilu. 

MaKusoKana, sul. pi. (VIII) Há- 
bios de marido e mulher |Lares. 

MáKutu, sub pi. (IV) Buchos; 

estômagos. [ | Falsidades; menti- 
ras. ||Ku/a — . v. tr Enganar; fal- 
sear; mentir ij Kuzuela—, v. mtr. 
Dizer mentiras. I I Makua-, adj. e 
sub Mentiroso; faleário. 

MáKuua, sub, pi. (IV) Macha- 
dos. |] corog. Nome de certa tribu 
do interior de A'frica, caracterisa- 
da por iacisões na cara. 



Mâk 



-275- 



MAL 



MaKUxi, adj. e pron. interrog. pi. 
(VIU) Quanto.? Que iiútr.ero ou 
qudntiriacle: malenge— ? i laiv. inter- 
rog. Que tempo: mãKUnhi- ? 

Makuzcka, sub. pi. (VIIIi Dispu- 
tas; contendas; — ma makumbi a 
izuua, pala'nhiT\ Desintel gêncins. 

Mâ!a. sub pi. (IV) Homens; va- 
rões: mindele ia — \ Cavalheiros. 

Mala, sub. (IV) abrev. de rimála. 
|Barr'ga; ventre: u Kata mu~muêne 
u fula o kUu \\ Nome p r que no 
Seles «e conhece a planta medi- 
cinal kikalangu 

Maladolo, 9ub. íIX) port. Mo- 
rador. |V marinda. 

Maiámba, sub pi. (IV) Tribu- 
lações; aoQniag.l Humilhações; des- 
graçi.= : Kubita jipaxi; l<utanga—.\\ 
Dores; sofr.rasntus. j Endoenças. 

Malambula, snb. pi, (IV) ictiol. 
Celta qualidade de sardinha. j O 
seu conjunto. 

Malánga, sub, (IV) Escroto | 
Belfas, 

Malangonzo, iuterj. que traduz 
surpiesa, desespero: eh! homens de 
Deu-! enu ~a kitanda || Credo! Ca- 
râmb.! | sub Chamamento de so- 
corro: ngi zoKelel'enu—- 

Malanha, sub. pi. (IV) bot Con- 
junto de CJC03 verde?. 

Malanji, corog. Afluente da mar- 
gem dir-ita do no Qaanzi, ao N- 
da cidade de Malange j | Pov. se- 
de dd cidade, disir. e prov do 
mesmo nome, a 9 " 32' 43" lat S 
e j6o 21' 40" de lop.g. E., 1.151 mts. 
de altit., 26 547 hab. E' seJe de 
gov de prov , dircc ões de Fa- 
renda, teleg. - postal, D leg. de 
Saú Je, dos Serv. agiícolis; juízo da 
com., est termínus ao C. de F., 
esc<jU primárii n.''25 d» iVascO da 
Gamj» e missões cat 1. de N, S. 
da Assunção e Metodista Episcopal. 

Málanza, sub, pi (IV) Enganos; 
erros, meniras.j É us. nos adivi- 
nhos, quando o kimbanda não diz 
ou não a eita com o objecto da 
adivinhação. 

Mále, sub. (IX) port. Mal.' V. 
uákti; paxi. 

MaTè ! interj para chamar aten- 
ção: »o' rapazes!» 



:Málebu, sub pi. (IV) Ultrajes; 
enxovilhos; injurias. !| Mukua — , 
adj. e sub Injuriador.| V. /camo- 
lehu. 

Maiekese,- sub. pi (IV) Porção 
de pedra pomes. ! j adj . Cuja supe.r- 
íí:ie é desigual, cheia de altos e bai- 
xos I Eriçado; encrespado. 

Malembesele, sub. pi. (IV) bot. 
Planta decorativa iam. das com- 
i postas e fruto comes'ível. 



Málenda, corog. Rio .' fluente do 
Quanra, na prov. d e Mt laogp, mui- 
to abundante em peixe, j | —a ngân- 
du. sub mit. Kio fabuloso, abun- 
dante em sprpfntes e crocodilos. | O 
rio dos infernos: kimtiji kia — a 
ngandu, peixe letal deste rio. 

Málenge. sub pi. (IV* Manilhas 
I Argolas; cadeias; grilhões | Figu- 
ras circulares. | Córregos; ravinas: 
mu — 7/ia wifangondo \ fig. Encadea^ 
mento; série de cousas que vêm 
umas das outras. 

Malésu. sub (IV)Lenço^.| Certo 
tecido de algodão; milele ia — . j | 
ictiol Peixe do mar. 

Malómbo, sub (IV) Mascarra; 
farrusca; lodo | Carvões com que se 
unta a cara em sinal de luto | Fu- 
ligem. II bot Fruto da «palmeira 
do Jordão.! Sagú.j| Conjunto de 
frutos de matebeira. 

Malôndc, sub. (IV) Narrações 
antigas de acontecimentos ou faça- 
nhas históricas | Gestas: kutanga—. 
I Heroicidddes. 

Máloua, sub. pi. (IV) Lodaçal; 
lama. 

Maluáagu, adj. e sub. pi. (iV) 
Indígenas da tribu dos luangos 
que ex-rcif.m a profissão de ferrei- 
ros ambulanteá I V. cbiri. 

Malubambu sub pi (Vlli) Gri- 
lheta-; Cideias; cor, ente-. 

Malubánzu. sub pi. (VI) Pensa- 
mentos; reflexões; ideias. | Opera- 
ções do espírito | Juízos 

Malukuaku, sub. pi. (VI) V. mdku. 

Malúnda, sub. pi. (IV) Tradi- 
ções históricas ou mitológicas. | 
Recordações | | ;.dj. Que recorda al- 
gum ía.tvj histórico ou mitológico.] 
Que não é da ficção. 



MAt 



-2?é- 



MAM 



Málundu, sub. pi. (IV) ictiol No- 
me comum a vários peixes de pele 
lizo e pouco próprios para alimen- 
tação. I I adj. De olhos s = bugallia- 
dcs. 

Malúnga, sub. pi. (IV; Aigolas, 
pulseiras; feirinhos.í Instru bentos 
^onorcs por meio dos quais se in- 
vocam certos espíritos: muzambu ua 
— .|fig. Polux. 

Malusaiu, sub, pi, (VI) Ma'uqui- 
ces; loucurcs:— ma mu kuata \ D.i 
dices; manias. 

Maiusolo, sub. pi. (VI) Pressas. 
Ijadv Com brevidade 

Malú(a, sub. pi. (IV) Intrujices 
||Kuta. — , V tr. Atrapalh r. 

Máluva, sub. pi. (IV) bot. port. 
Malva: mâfu ma— |V. mupêmbla. 

Malúvu, sub pi. (IV)Líquido ex- 
traído das plantas palmáceas, conhe 
eido por «vinho de palma». | Su'a. 
\\—a kanzuá, bot, Pianta medici- 
nal . 

Mama, sub. (IX) Mãi: Kala - ni 
monê. I Mulher geradora, carinhosa, 
protectora. 1 1 'ndênge. Tia: madras- 
ta. 1 1 —'ng^ano. Senhora de respeito. 
I Madona (p. ext ) A Virgem Ma- 
ria . | |—'/J;^d/7^a, Madre; freira.] |- 
múngua. Mairlnha \\ngana na—, 
Matrona; mulher ido^a declarada 
livre. |Diz se da mUKOma que te- 
nha filhos casado! ras. |adj. Maternal: 
henda ia—. | Que faz de n ãi. 

Mama, sub. (IX) port Mamão.] 
V. rilolo. 

Mama, adj. e pron. demonptr. 
pi. (IV) Estea; estas. (M. próprio, 
mas menos usado). V. móma- 

Mámama. sub- (IX) Ama de lei- 
te- jV muamuiíe. 

Má! má! má! interj. para cha- 
mar porcos. 

MamaíeKenu, sub. pi. (IV) Ele- 
mentos; rudimentos. I Regras gerais 
e fundamentais. |Princípio8. 

Mámbu, sub. pi. (IV) Doutrina^ 
orações; rezas: ku/a/l|^a— . j Panegi" 
rico; preces. Salmos; hinos sacros^ 
— ma Nzambi. 

Mambuêsa, sub. pi. (IV) bot. 
Leguminosa de iruio alimeniicio 
{dolichos Lablab). 



Mam'êl interj. para chamar: <ohl 
mãi!«; de espanto, de admiração, de 
dôr: «oh! minha mãil» Ai!i( sub. 
Grito de aflição. I Clan.ôr | Cha- 
mada. 

Mam'enu, (contr. do âdj. mama 
e do pron. pes?. pi. ena) Tuh ou 
vossa mãi: — rnukiia Kongo. \ PI ji- 
mama-jenu. 

am'etu, adj e pron. pess, pi 
(IV) contr. de m:ima e de etu.\ 
Nossa mãe. 

Mâmi, adj. poss. pi. (contr da 
prep. ma e do pron. peás. eme'^. 
Meus; minha ; matari—m'avulu.\Dd 
mim; pertencente á m.nha pessoa. 
\ \ - eme, piòpnamente meus 

Mamófe, sub. (IV) Conjunto de 
plantas solanáceas {solaniun sapo- 
naceum), de proprieiades alimenta- 
res. || Campo plantado de beri' - 
gelas 

Mamoxi, art. indef pi. (IV) 
Uns; umas 

Mamukua, aoj. (IV De outros.] 
V moKomukua. 

Maná, adj e pron. dem ntr- 
pi. (IV) Aqueles; aqu-^l^s: maula — 
m'akiika.\ Derigna objectos que es- 
tão afastados das pessoas que fa- 
lam. 

Manánzu, sub pi (IV) hlogios; 
encómios; gabos.] Jactância; ufa- 
nia. 

Manda, sub. bot Grande árvore 
de que je extraem f bras e cascos 
taninoscs. 

Mandimba, cnrog. Pov .e sede 
do posto civ dêáte nome, circ. de 
S. Salvador, dstr. do Congo, prov. 
de Luanda. 

Mandinga, sub pi. (IX) InJigna- 
ção; cólera. I IMau humoi j fg B- 
Ii8 ] I Suoerst ção; perconce.tos! 
líimbanda k/q — .] Perságio que se 
tira de acidentes e ciicuns'ância9 
meramente fortuitas | | Mukua — 
Que é dominado pela superstição. 

Mándu, sub. (IX) port. Man(o.]V. 
bofeta. 

Manga, sub. (IX) bot. Fruto da 
mangueira. 

" Mangala, sub. (II) bot. Arbusto 
ramoso de fls. simples e ílorei po> 



MâN 



-^f- 



MÀP 



lipétalâs branea3, de propriedades 
medicinais. 

Mânge, sub, bot. Arvore, tipo das 
rubiáceas fam. das r zoforáceas 
irhizofora mangle), empregada na 
indústria de tinturaria e medicina.; 
A'rvore dos mangais. 

Mangênge, adj pi. (V) Boto: 
ng'ala nl—ua maja \ V. uengênge, 

Mángi, sub. (IX) Pato; marreco. 

Mangole, sub (IX) pop. Deus- 

Mangongena, sub (IV) Lsmenta- 
ções.| Ditos superstic osos que al- 
guém profere contra s\: - m'aria o 
mutu \ MurrLÚrios (de pessoa des- 
contente m^s incapaz de formulor 
suas queixas) . 

Mangonha, ?ub. (iV) Malícia; fm' 
gimento; hipocr sia , Kuria— , v* 
tr. e intr. Fingir; ter manha ;' Ku- 
banga— ,v. tr. Maodriar j Mukua — , 
adj, e sub. M nhoso; astuto; cheio 
de malícia. 

Mangu, íub. (IX) Principal refei- 
ção do dia I Comida jO jantar. 

Mánguala, sub. pi. (IV) ictiol 
Cardume do linguados. j Conjunto 
de peixes pleuromectidas. 

Mangumbala, adj. e sub. (IV) 

Rapinante.il Ave accipitrida ! j Pes- 
S a que vive de extorsões, de 
presas. I Rapace. 

Mangusu, sub. (IX) zool. Furão; 
funha. I fig. Pessoa curiosa, de 
beiços aguçados. 

Mánhanga, sub. (IX) Comba. | O 
cavado ias águas I top. Bairro ao 
§ d* cidede de Luanda. 

Manhánga, adj. e sub (IV) Sa- 
cerdotes d;, morte I Salteadores-; 
caçadores de victimas. 

Manhangua, sub. pi. IV) bot. 
Terreno plantado de aboboreiras. , 
Conjunto de abóboras. 

Manhánhu, sub p . (IV) Passos: 
Vutanga — . Encalço; rasto; pista; 
kulànãa— \ Vestíg'os; pègadíe: ku- 
batesa — jV. makanda. 

Manh'a-3amanu, adj. num. Ses- 
senta. | Seis vezes dez. sub. O nú- 
mero 6o. I Abtev. as makiíinhi-sama- 
nu. 

Manh'a-sambuári, adj. Dum. Se- 



tenta.!! sub. O número 70.1 Abrev. 
de makuinhi sawibnãri 

Manh'a-(anu. adj. num. Cincoen- 
ta. Abrev. de makuinhi tanu. 

Manh'a-(aíu adj num. card. Trin- 
ta. | I sub. O número 30. 

Manh'a-uâna, adj. carJ. (IX ) 
Quarenta. 

Manhenge, sub. (IVi Sentimento 
manifestado pelo choro. Desgos- 
tos; tristezas, máguas: kurita — . 

Mánhi, adj. e sub, (IX) port. 
Mãi. I V. mama. 

Mânhi pron. interrog. pi. Quais: 
makrt — i Que?; V. inhi. 

Manhi, adv. Então; poi-; acaso; 
porventura; — o Jà u abange ki auaba? 
I Nê se caso. 

Manhí, adv. Não .sei; não se sa- 
be. | Ignoro; não quero saber. | Fa- 
ze o que entenderes; não me inte- 
ressa. 

Manhinga, fub. pi. (IV) Sangue; 
líquido sanguíneo. 

Manhungu, suj. pi. (IV) bot. 
Conjunto de abóboras. I Ãboboral. 

Manjiriká. fub. (IX) port. Man- 
gerição ' V, kimbuma. 

Manongo, sub. pi- (IV) Inspira- 
ções; conselhos: kubana — . ; Expli- 
cações de factos ou de ideias, j Su- 
geítões. 

Mancngononqo, sub pi. (IV) Ex- 
pressões que dão a perceber o con- 
trário do que significam. I W . jinon- 
gonongo. 

Mánzenze, sub. pi. (IV) zool. Fa- 
mília de insectos tipo grilida. 
Quantidade de grilos 1 fíg. Apitos. 

Manzu, sub. (IX) Quarto inte- 
rior para dormir: mu — ia ribanga \ 
Alcova. 

Manzuela, sub. pi. (IVj Sons de 
campainhas: uânda ni — ! Guizeira 
que os antigos carregadores de ti- 
póia traziam à cintura. 

Mápaki, sub, pi (IV) Listras; 
manchas (no corpo dos animais). 

Mápala. sub pi. flV) Titinga. 

Mápapi, sub. pi. 'IVj Malhasj 
pintas; salpicos j -Vu^uo — , adj. 
Sarapintado; manchado. 



MAP 



-278- 



MÁS 



Mapuripuri, sub. (IV) bot. Plan- 
ta trepadeira de fruto comestível. 

Márianga, «ub, pi. (IV) Plantação 
de cana brava. 

Mariafelu, sub, pi. (IV) Utensí. 
lios onde se metem os pês (para an- 
dar, pisar, calcar, etc.) | p. ext. 
Sapatos. 

Mariembe, sub. pi, (IV) Bando 
de pombos ou rolas. | V. mêmbe. 

Marifúndu, sub. e adj. pi. (IV) 
port. Deluatos. 

Marikifa, sub (IXi ictiol Peixe 
do mar. 

Marihuátu, sub pi. (IV) Pegas; 
questões; discórdias. 

MarilUi sub (ÍV) A mão ou lado 
direito: ku— | Destra. 

Márima, sub (IX) Carreiras; cor- 
ridas: muari'ê ti mii hetela mu-, k'u 
mu betei' e mu ndúnge, ndunge ja kota 
j'avula. II É tb aav 

Marimba, sub pi. (IV) Instru- 
mento músico bastante conhecido.! 
Música: Auxtíra— j Piano; orqu'?s'ra; 
banda i| corog Pov eícdedacirc. 
civ. do Cambo, distr. e prov de 
Malange, a 8° 21' e 40" Lat S e 
170 9' e 10" Long E , 15. 191 hab , 
Delegação de Saúde e de F.z , julg. 
instr.. ambul. sant e est. poatal 
de 3 ' classe . 

Marimbinza, sub. pi. (IV; Regiões 
supeiiores da atmosfera] Alturas: 
— ma riúlu ', Vacuidade 

Marimbondo, sub pi (IV) zool 
Enxame de zangões. | Vespeiro. 

Màrimbu, sub. pi (IV) Nascidas; 
tumoies. 

Marimbuénde, sub pi (IV) Ves- 
pas.] O mesmo que ?/iarí/7í6o?i(i). 

Márimi, sub. pi. (IV) Línguas; 
idiomas; falas. 

Márimu. sub. pi (jV) Habilida- 
des; espertezas. I V . kurimuka, 

Marímu, sub. pi. (IV) Terras de 
Uvoura longe das povoações, j O 
«iuterland* agrícola. 

Márinda, adj. e sub (IV) Coar- 
taao I Aquele que não podia ser 
venJiJo por ter já entregue pirte 
da qudntia para o seu resgate | 
Diz-se do escravo dado como garan* 



tia de uma dívida. || Habitante; 
inquilino; morador. 

Marinzenzu. adj (IV) Prestes a 
cair: « ala— \\ adv. Por um fio. 

Marionga, sub. pi. (IV) Flexas.] 
Conjunto de zigaia3.|| ictiol. Pe- 
quenos pe;xes do mar, de barriga 
grande. 



pi. (Ill) Cama e 
Colxões 



Maríri, sub 

seus pertences 

Marisa, sub pi. (IV) port. Li- 
ções I fig. Pragas. 

Mariíáfu, sub. pi. (IV) Descul- 
pas; embages; rodeios | EvaS'va3; 
justificação infundada. 

Mariuánu, sub (IV) Admiração; 
assombro; pasmo: mbua k'iixik'ê mu- 
piôpio mu nqóngo, — \ Maravilha. | 
Impressão f ^rte causada por cousa 
inesperada.! Cousa que excede toda 
a pondera çãi: ! V. kiriuânu | Mani- 
festação de horror; objecto de es- 
panto | Co-i a fantástica. 

Márixi sub pi (IV) Fumaceira, 
furaaraJa. ! .Mu.tos fumos de di- 
versos lugnres ao mesmo tempo. | 
fig. Vapor de licores que sobe à ca- 
beça. I Turbição (do juizo); em- 
briaguês. 

Mása, sub. pi. (IV) bot. Género 
de plantas fam das giamíneas que 
dão o trigo, o painço, o sorgo, etc. 
jM^íçarocag; ni.iho (zea mãís). li- 
ma KÍndelc, milho branco, grosso, 
vulgar I — ma mbala ou — 'a mbala, 
inilhíte, sòrg ), iiigo; milho miúdo. 
II — ma iàngu, ou —'iangu, alpiste, 
massango, { peíinisetum typhoi 
deam).\\ M Iheiral; seara: mulénga 
ua — j I med. Triquina; tnquinose.j 
V. ngúlu. 

Mesála, ?ub. pi (IV) bot. Fa- 
niíUa de plantas herbáceas e trepa 
deiras lipo das convolvuláceas {ipo- 
noea prismatosyphon), de utilisição 
ornamental . 

Masamanu, adj. card. íp'-ecedido 
de sub) Seis: mãle—\N. samanu. 

Masambala. sub (IV) bot. (IV) 
Djra; sorgo. | V. masa. 

Masambisámbi, fub. (IX) Mos- 
tras de alienaço meutal: u endele 
mu uíaji k'akamb'ê—, | indícios de 
doidice. I MuKua — , adj. e sub. 
Que tem indícios de alienação men- 



MAS 



—279— 



MAT 



tal.] Que não está era seu perfeito 
juizo. 

Másana, sub. Leite. 

Masangalala, sub. pi. (IV) bot . 
Conjunto de plantas têxteis fam. 
das grsmín as {eragrostis fascícula- 
ris), utilisada em obras de verga 
(gaiolas). I Campo plantado destas 
plantas. 

Masanganu, sub. iIX) Conflu- 
ência; foz. I Lug^r onde dois rios 
SP juntam num sò:—ma Lúkala ni 
Kuanza. \ \ corog Antigo cone , 
freg, de N. S. da Victóna, ccnati- 
tuindo hoje a área e sede do posto 
deste nome, cone. de Cambimbe 
(Dondo), distr. do Quauza-Norte, 
prov. de Luanda, compreendida na 
língua de t-erra forma ia pelos nos 
Lucala e Quanza, na margem di- 
leita deste riolj Pov. e sede do 
posto de Luinabale (londo ibari), 
cone. de Bailundo, prov. de Ben- 
guela, a ia*» de lat. S. e 150 de 
long. E-, 162.-"* de alt , 46.435 , 
bab.est. tel -postal eambul. sanitá- 
ria. 

Másangu, sub. (IV) bot Cercal 
miúdo fam. das gramí.ieas [penni- 
setum typhoideum). de propredade 
alimentícia. Alpiste; painço , V. 
mása. 

Maseka, suu. (IXi port. Ama-se- 
ca. [ V. Kiléri 

Masémba, sub. pi. (IW) Umbiga- 
das (ua dançi); kukina— .\ Escovi- 
nhas I V. KUbèlela. 

Masenza, sub, pi. (IV) Lagamar. | 
Lugar accessível ás águas das chu- 
vas, j Lagoa. 

MascKanu, sub. V. makusokana. 

-Másoko, sub pi. (IV) Quanti- 
dade de paus de prumo, de vigas ] 
Conjunto de madeira para constru- 
ção. 

MasÓKO, adj e sub. pi. (IV) Coe- 
vos; contemporâneos 1 Pessoas da 
mesma época ou idade 

Masckuelu, sub pi. (IV) Decre- 
pitude, j Estado de pessoa caduca: 
KU —ma /Tz/vu. [Velhice. 

IMasomboKela, adj. (IX) Saltea- 
do; espacejado; entremeado: huba- 
nga—.\\ sub. pi. Lavor bordado: ri- 
lesu ria — A Renda ou outro ador- 



no lavrado. I Entremeio- || Kuíu- 
nga — , v. tr. Bordar; guarnecer: 
nmsuiku ua~.\ Entremear. 

MasôJci, sub. pi (IV) Lágrima.s: 
tuia ria nvula ri avula mênha. pilo 
ia mulo ji i avnia — | Pranto; chôio. 

Mâsu, sub Urina; mijo.'! — 'O' 
ngongo, corog. Pov. na área do an- 
tigo cone. de Duque .:e Bragança, 
circ. ci V. de Ambaca, distr. o prov, 
de Malange. 

Másui, sub. pi. (IV) Lendeaço 

MasuiKa, sub. pi. (IV; O conjun- 
to das três pedras formando triân- 
gulo e sobre o qual se coloca a 
panela ao lume., Tuempe. Cais 

Másunga, sub. pi. (IX) Cautela; 
cuidado (para evitsr maus resulta- 
dos. | Prudênci?:— Koífl, uanga nde- 
nge Precaução; aviso piévio.|! 
Mtiliua - j adj. e sub. Cauteloso; 
prudente. 

Masungilu, sub pi. pi, (IVi Co- 
meço da noite Horas em que as 
pessoas ainda estão acordadas 
mn—. 

Masungirilu, sub pi (IV) Moti- 
vos com que se pas.«;a o princípio 
da noite. I Seiões. Lugar onde se 
dão serões. 

Másunu, sub. (IX) port. Mastro. | 
Pau de bandeira. 

Mâfa, sub. pi. (V) Espingardas.! 
V mauta. 

Máfa, 8ub. (IX) bot. Tomate.] 
V. pi jimata. 

Matakanu, adv. Por aí; algures: 
ng'arimuena-ne mu - ma jinjlla. \ \ sub. 
pi D,z- se dos lugares onde as cou- 
sas ou pessoas Cr6ualmente se en- 
contram. | fig Partes pudendas: 
u angi Kuata ku — . 

MafaKu, sub pi. (IV) Parte car- 
nuda que lade a o anus | Nádegas; 
tra^erico |l Fundo: — ma' mbia. \ As- 
sento; poiso: — ma mubári ^ [ Imposto 
camarário cobrado nos mercadoí 
pelo lugar ocupado pelas quitandei- 
ras; kufuta— I I ictiol Certo peixe 
do mar, iam. dos percóides. 

Mátala, sub pi. (IV) Mirantes; 
alturas. I | Imaginações, cálculos { { 
Kuta — V. tr. Fazer cálculos; imagi- 
nar ( lair-se de um embaraço). 



MAT 



-280- 



MAT 



Mafalangu, sub. pi. (IV) Conjun- 
to de rãs. I Género de peixes pedi- 
culados. 

Matalélu.. sub. pi. (IV) Óculos | 
Instrumentos por onde se vê 

Máfamba, corog. Vasto territó- 
rio e antigo reino deste nome. com- 
preendendo as terras do Golungo, 
Duque de Bragança e Malange, sob 

domínio da rainha Ginga. 

íilafamina, sub pi (IV) Escude- 
las 

Mafánga, sub pi (IV) Família 
de plantas cucurbitáceas (citrulas 
vulgari»), de que há vá 'ias espé- 
cies. 

Mafangata, sub pi (IV) Grilhe- 
ta. I Peia com que se ata o pé e a 
mão do mesmo lado do animal 

Ma(angafanga, sub. pi (IV) Ma- 
neia; algemas | Corrente que, pre- 
sa aos pés, faz encurtar os passos 
do piciente I Prisão. | Maneira de 
andar de pernas abertas. 

Matangelu, sub pi (IV) Informa- 
ções; ditos; boato-: maka wia — .[Ou- 
tiva I ( Por ouvir dizer. 

Mafari, sub. pi. (IV) Pedreg.l; 
pedreira: mnlundu ua —. \\ Al zaxts. 

1 Fas<]uias de madeira colocadas na 
parede à altura do enccsto das ca- 
deiras ( Rima de pedras | GraDÍzo: 
nvuia ia-. \ Ro:ha. penedo 

Matáfa, eub (IV) Lodo ; V. ma- 
loua. 

Mafafamena, sub. pi (I\') bot 
Planta produtora de pequenos gló- 
bulos espinhosos que se pegam aos 
objectos que se lhe roçam. | Terre- 
no plantado desta erva. 

Mafaíu. adj num. card (prece- 
dido de sub ) Três: materrnt,~.\ V. 
tatu. 

Mate, sub. pi (IV) Cuspo; sali- 
va: es puto. I j— ma ngómhe, bot Er- 
va espinhosa fam. das amarantá- 
ceas {aUemanthera anioena) de pro- 
priedades tintoriais: | | — ma unua 
V. uóua 11 Kuta—,v. tr. e intr 
Espuir; salivar; cuspir. |( sub Cus- 
pidura || Mute'a — , adj. e sub. (I) 
Cuspidor . 

Mdfeba, sub pi. (IV) Família 
de plantas cicadáceas {hyphaeua gui- 
tiMntiê), vulgarmente conhecidas por 



«mat-b^iras» e de cujas folhas (pal- 
mas) se fazem cordas, abanos, 
vassouras, etc: mikolo ià - .\ Ráíia; 
sui plantação. 

Mafeka, sub. (IX) port. Mantei- 
ga I V mâji. 

Matélu. sub. pi. (IV) Pr.ijactos: 
mbende ia ngariama iavula—.\ Con- 
dições que se propõem para chegar 
a um resultado | Tenções; propó- 
sitos. 

Mátenda, snb. pi. (IV) Artlha- 
ria; canhoneio. | Fábricas; laborató- 
rios; oficinas. 

Mafénde, sub. pi. (IVi Género de 
reptis saurios cujo tip^ é a lagarti- 
xa I! corog. Antiga pov do cone 
de C'^conda, di-;tr. e prov. de Ren- 
guela. 

Máíe(e, sub. (IV) Pap si O que 
é inconsistente, mole cu figuado.] — 
ma mbombo, pip^s de farinha de 
mandi ca.| ma kindele, p<pis de 
farinha de milh i. — ma masa, pipas 
de milho grosso cozido. ma\<isasa 
Uisu. farinha mal cozida em água 
quente, que se dá aos doentes de- 
bilitados. 

Maíeíele. sub. pi (IV) Caniçal 
caniçada. Tb se ú\LKÍtete. 

Mafianvu, corog. Vasto território 
a E di prov. de Malange, na 
Lunda 

Mátiri sub (IX) port. Madre. V. 
\íivaji 

Mafirimbimbi. sub. (IV) Estarda- 
lhaço; arruido; ostentação de forças: 
Kubanga — . 

Matirindindi, sub, (IV) zool. In- 
sectos locustidas. Gafanhotos de 
còr avermelhada, abundantes em 
Novo-Redondo e Benguela, 

Mafobe, sub. pi. (IV) Estrume 
de gados- [Esterco; bosta. 

Mafómbe, sub. pi, (IV) Bordõea; 
bambas [ráfia), 

Matona. sub. pi. (VI) Porção de 
peixe miúdo. 

Máfori, sub. pi. (IV) Detritos, 
tripas, resíduos de peixe. 

Matòria, sub. ol. (IV) Isca das la- 
goas. | Sumaúma. 



MAT 



-J8j- 



MAV 



Máfote, sub. (IV) Escória; bor- 
ras; ftzes |íig Os restos mortais; as 
cinzas; -ma kalúnga.W ^'^í- Resi 
d u á I i o . 

Matoua. sub. pi. (IV) Sedimento 
terroso no fundo das ágUoS. | Lodo; 
I ama. 

Máfuba, sub, pi. iIV^ Alegrias: - 
ma mbúri. [ Escroto. 

Maíubia, sub, pi. (Vil) Brazas- 
lume?; eh mas.;| Derofações; tiros. 

Mà'ui, sub pi- (VI) Orelhas; ou 
vi los —ma ximba. bot Y . ximba 
Muklia -, adj. e » b. Orelhudo. V 
kamatui Pertecente as terras do 
Cuâmato V. pi. akua-mâtui. 

Ma(uÍKÍ, sub. pi. (IV) Porção de 
cachuchos ^peixes) 

Ma(u:ngi, sub. p! (IV^) Febra | 
A barrití;H das perna«; o desenvol- 
vimento dos braços 1 MuKua -adj. 
e 9ub. Nervudo; febroso; muscu- 
loso 

Má(uji, Hub p!. IV) Matérias fe- 
zais. 

Matóku, sub. pi. (IV) Curvas; 
cotovelos; desvios fde caminhos, de 
rios. etc.)] Mudanças de direcção, || 
Isuta — , V. tr Cotovelar. 

Mafúmba. açj. e sub. (IV) Oca- 
Bionftl; fortuito: Kíma Kia— .[Aquele 
que vai às cegas. 

Mafúmbu, sub. pi. (IV) Monticu 
los: kúbanga-.l Motas. 

Mátumbu, ?ub, (IV) Sertão; terras 
do interior. ji Mukiia ~ adj. e sub. 
Selvagem; gentio, j Bravio. 

Mátunda, sub, (IV,) Compostura; 
correcção. | Distinção; delicadesa: 
bondade.;! adj. Fino; decente: mo- 
nami na mbote, ua — Ilustre; per- 
feito. 

Mátufu, sub. pi. (IV) Selvds. ' Lu- 
gares desertos, solitários. [ | adj. 
Campónio, lorpa. 

Máua, sub. pi. (IV) Sinais deixa- 
dos pela queda do cabelo.' Clarei- 
ras|i corog. Afluente da margem 
direita do rio Kaimiéji, circ. clv. de 
Ambaca, distr. de Cuinza-Norte, 
pro'". de Luanda . 

Mauambelu. sub. pi. (V) Rçfeiên- 
cia; ditos. I Formas de dizer. 
Mauánqa, «ub. pi. (V) MaIeílcios.| 



[ Drogas ou filttos de feiticeiro: êza ni 

! — ma. [ Feitiços 

I Mauanza, sub. pi. (V) Líquido se- 
minal dos animais. 

Mâuia-uia, sub sub. pK (V) Sons 
(]ue te ouvem de longe, indistincta- 
luente.; adj Longíncjuo, indistincto; 
confuso; vago. 

Mauíndu. suH pi. flVi Larva»'» 

bichos] Parasitas que se desenvoT 

vem no corpo vivo.j No. ue comum 

dos animais anelados inarticulado?, 

; vermiformes e insectos. 

i Maukuhilu, sub. pi. (V) A éporà 

' em que se envelhece: kn •nauharilrt, 

j kn — . Tempos pretéMtos| | Pormas ou 

I qualidades de cousas velhas. 

i Maukurilu, sub. pi. (V) Oi tem- 
pos em que se cresce: ku -kiku enii: 
hu maukukiln.\ Desenvolvimento pro- 

\ gressivo (em altura, intensidade ou 
volume). I Créscimo. 

] Mauuisu, sub. pi. (V) Aspectos 
verdes dos vegetais. Desejos:— ma 
viutolongo. \ Incorrecções de princi- 

, piante 

Maúlu. sub. pi. (IV) Céus: Tafetu 
: H ala ku—.\ interj. ÓCeus! — ' amVè.] 
! 1 I sub. Paraizo: Nzambi o aba- 

ude ktt — .' Olimpo. I fig A altura 

e a grandeza dos céus. 

Maufa. sub pi. (V) Espingarda- 
ria. | Armamento I fig. Pieparatl- 
i vos de guerra . 

! Mauzuelelu, sub. pi (V) Ditos j 
.Maneiras de falar, de exprimir: - 
)íi'a ku iha. 

Mavándu sub. pi. (IV) Levanta- 
mentop; revoltas; tumultos. 

i Máveve, sub pi. (IV) Bolhas, | 
i Empolas que se criam nâ pele . 

! Mâvu, sub. (V) Terra; pó 

! Mavúji, sub. pi (IV) Conjunto de 
j cabelo que cobre a região púbica. 

I Mavúnda, sub pi. (IV) bot. Moi' 
teira. \ Mata expessa de plantas de 
j pouca altura. 

Mavunzu, sub pi. (IV) Turva- 
ção.| Lia de líquidos, j Pouca cla- 
resa. ' fig. Reminiscências: r* onde 
k'aKa7nb'è — . 

I Mávuua, sub. pi. (IV) Infelicidà- 
I dei; reveses; contratempos. 



MAX 



-282- 



MB 



MàJtaKa, snb. ( IV J Sujidades; 
DÓioas excremeiítícias: km mbimda 
Ku a mu izala — . Esterco; imundícies. 
i O mesmo que ma/iaKa 

Maxibua, sub pi (IV) bot Fa- 
mília de plantas tipo das legumi- 
nosas {citruUua rtdgarit), de proprie- 
da les purgitivas-l Codeç^I; con- 
junto de anagros. 

MaxÍKuIulu, sub. pi (IV) Maus 
olhares: Kituka, — me inangiVami k»- 
via- I Diz-se dos moJos rancorosos 
com que se olba para alguém. 

Maxila, sub (IX) Palanquim.] 
Cadeirinha su-pensa de ura bordão 
ou bambu com tampo e cortinas. 

Maxímbu, sub pi (IV) bot Gé- 
nero de plantas citinâceas (h;/iinora 
lougicolUf), CUJO tipo é o laburno 

Maxinde. sub pi (ÍV) bot. 
Ab-olhal.l Conjunto de plantas espi- 
nhosas lh>fdnora africana) de utilida- 
de tinturaria 

Maxixi, sub. pi. (IV) Pequenas 
bolas de fubá que se formam em 
água fervente. | Grãos de massa de 
íaiinha que a água não dissolveu. 

Maxixiria, sub pi. (IX) Família 
de plantas cucurbitácas do tipo 
aboboreira I Conjunto de frutos se- 
milhantes às beringelas . 



MaxoKolólo, sub. pi 
fins: KU— ma Lnaiida 1 



(IV) Con- 
Hxtçemos. 

Máxolo, tub pi (IV) Pequenas 
gotas em fio. | Pingos 

MaxuKuIuIu. sub. pi. (II Olha 

res 1. V. inaxiKulnlu 

Mãza, adv Ontem; recentemen 
te, II sub O dia anterior. 

Mazai, sub. V. Zai. 

<« 
Mazaia, sub pi. (IV) zool Ver- 
mes anelidos das águas estagnadas. 
Quantidade de sanguessugas. 

MázaKa, sub. pi (IV) Fistulas; 
úlceras que marejam matéria. 

Mázaku, sub pi. (IV) bot Fam 
de plantas late centes {sideroxylon) , 
que tem por tipo a sapota. | Con- 
junto de árvores sapctáceas, de fru- 
to saboroso. 

Mazalála, sus pi. (|V) Classe de 
artópodos t rreí-tres a que perten- 
ce a centopeia. I Quantidade de mi- 
riápodes quilópodos. 



Mazámba. sub. pi. (IV) Chapens 
de aba larga. ictiol. Fam de pei- 
xes que tem por tipo o torpedo | 
Género de peixes castilaginosos. de 
que existem várias espécies ' A 
copa das árvores: o hima u tonoke 
na KU -. 

Mazambue, íub. pi. (IV) Alca- 
parras, j Plantas fam das caparidá- 
ceas (ginandropsis pentap/illta\ de 
propriedades alimentícias, 

Mázanga, sub. pi. (IV) Terrenos 
alagadiços para plantio no tempo 
seco I Lagoas pântanos. 

Mazariná, aiv. Ante-ontem. ] , — 
KU, Trasante-cntem. 

Mázelele. 5ub. pi (IV) Congratu- 
l^ições; felicitações parabéns. I I No- 
vas; boas notícias: zd u ngi lurile o — 

Mázelu, sub. pi. (IV) bot. Limei- 
ra-. | Conjunto de limas. 

Mázembu. sub. pi, (IV) Ranco- 
res — ma Kalunoa, nwíu karifile. 
(ó lios do túmulo, quando se uào 
morre). 

Mazófe, sub pi. (IV) zool. Con- 
junto de pequenod sapos. | O seu 
grasnar: o mazundu m'alónga o — 
Kurila. 

Mazubílu, sub. pi. (I\') Acaba- 
mentos; fins. 

Mâzui, sub. pi (IV) Vozes. II Re 
paros; kuta — .\ bxprobação; censu- 
ras. 

Mazuikd, top. Antigo bairro tra- 
zeiro á igreja do Carmo, oa cida- 
de, coQC. e distr. de Luanda. 

Mazúlu. sub pi. (iV Canos; tu" 
hos; canu;lop.'i As fossas nazais | 
Narícolas; v^ ntas. 

Mazúmbila, sub. pi. (IV) Aps. 
reciraento de espíritos sob a forma 
humana. I Visões; espectros; som- 
bras: nguami—bn muêlu,\ Figuras; 
vultos; fantasmas. 

Mázundu, sub. pi. (IV) Família 
de batráquios ranideos. 

Mázungu, sub pi. (IV) Buracos; 
furos: — ma ngulu \ Saídas. 

Mázunu, sub» pi. (IV) Narizes' 
feições. 

Me. adj. e pron pois. pi. (contr. 
da prep. ma e do pron, peis. mutne). 



ME 



-283- 



MíB 



Dele; dela: o malumbn~m'alunduKa.\ 
Da sua pessoa. 

Mê, adj poss. pi (contr da 
prep. ma e do pron pess éie) 
Teus; tuas: o matnbia - tnajimi. \ Pcr- 
tenct-nte à t a pessoa 

Mé, sub (IX) a br de mánhi | 
Tiatameuto dado àn antig ts Cácra- 
vaa ou á mulhíT de condição servil: 
— Manda; — Ngalaxi; —Néxi. \\ Ono- 
mat do vagido da cabra. 

Mêbi, pfon. interrof[ pi Quais? 
Onde estão? Que deles? 

Mela, sub. (IX) port. Melão 

Mele, sub pi (IV) Mamas; aeioa. 

I Os d' Í3 pomos da mulher, |! — 
ma'mbua, b t Nome genérico de 
írutos de certas plantas (como os 
de mhamba uri-uri, os de muxixi, etc). 
j Capsulas 

Mélu, sub (IX) Pargo (peixe) 

Mêmbe. sub pi (IV) Bando ou 
conjunto de rolas. (È' m. correcto 
mas menos us. que mariembe). 

Même, sub iIX) Cibra: hombo 

ia -. 

Mêngi, adj pi. (IV) Outros; ou- 
tras.! Diferentes: Kuêza maulungn — . 

MénhB, sub (lY) port Meia 

Mênha. sub. Água | Lugar por 
onde a água corre nu alaga | O 
mar: —ma Kalunga \ j Água potável; 
água doce: ma torne] líquido. | fig. 
Lngrimas: maaoxi, — ] Seiva: muxi u 
alakutunda — || adj Que corre; que 
alui. II Kamengena — , z:>ol Maçarico 

II Kimbomb'a —. bot Planta ester- 
culiácea, {sterculta tragacanta) . pro- 
dutoia de uma goma em grossas e 
cultas lâminas ondeadas, biancas e 
tenazes 

Menonge, V mtmonge. 

Menu, ídj. e pron. poss. pi. (contr. 
da prep ma e do pron. pess enu). 
Vossas; vossos; mauta — m'aleinbiia o 
kuloza i De vós. 

Menu, sub prop fIX) Manuel. 

Mésene, adj. e sub. (IX) port- 
Macena^. | Mfstre; douto:— to ufu- 
nu.'| sub Operár:o; oficial (de ofí- 
cio), jornaleiro. 

M»su, 8ub. pi. (IV) Olhos. I Vista; 
olhares: — ma mbangl\\ adv. A 
olhos vistos; distiotameate. || - 



Kenzénga. Diante de pessoas; ante 
Tnuita gente; sob muitos olhares. || 
Kíl— , Adiante; avant*^; em frente.] 
— m'atu, sub. Arrogância; ousadia, | 
O que se faz confiado nos presen- 
tes. ; ma mbambi, bot. Amendoei- 
r'; araendoHií.j Plants leguminosa 
mais conht-ci Ja por jlnguba.\-ma 
ngúnda. d z-se do cão com pintas 
amarelas nas sobrancf-lhas 

Melu, adj e pron. po.«s. pi. (con- 
tr. da prep- ma e d) pron. pese. 
eííi). Nossas; nossos: maluvu - m'ate' 
xtka.\ Das nossas pessoa-*.; \ — etu, 
de nôi, v r iadeiraraente nossos. 

Mêza, fub. (IX) port. Mesa. V. 
Kibuna. 

Miâ, Interj. para significar uma 
ínga.j sub. Escapada. 

• Mialala. sub, p'. (11- bot. Fam. 
1 do vegetais que têm por tipo o 
1 ébano. I Plantas tbenâceas. 

1 M'ámia, sub. pi. (II) Remiges.] 

i Guias (das aves),l As penas da 

j cauda dos pássaros:— /a holoKoko.i 

I Aguadeiras. 
i 

1 Míându sub. pi. (II) ictio!. Nome ' 

í comum H tudo-, os peixes esquálidas 
I lubaiões.' Família d-í cetáceos 

' carnívoros uelfinidas, 

Miânga, sub pi. (II) Candeias; 
luzes. 

M banga, «^ub, pi. (II) Asperesas; 
fragosidades. ! Cousas escabrosas; al- 
tibaixos de uma superfície. bot. 
Conjunto de plantas solàneas a que 
pertence a cara"5roeiia. Espinhei- 
ros. 

Míbazu, eub, pi. (U) Ralhos. Re- 
preensão em tom de cólera. Rííben- 
tina; ctnsura áspera. | Rabecada. 

Míbe, sub.pl. (II) bot. Plantas 
cupuliíeras fdm. d.s ameutáceas.j 
Carvalhal. 

Mibéba, snb pi. (II) bot, Amen* 
doai. 

Míbiri, sub. pi. (lIi bot. Família 
de p antas passifloráceas cujo tipo 
é o martírio. 

Míboke, sub. pi. (II) bot. Con- 
junto de plantas Ijgáneas a que 
pertence o mubo^ke ' Seu plantio, 

Miboía. sub. pi. fll) bot. F»mí. 
lia de plantas bipericíaeas, de pro* 



MIE 



-284- 



t^\K 



priedadeg medicin«is.| V. mbu^a 
mbia. 

Miêlu, sub. p!. (II) Abeituras (de 
portas) I Locais por onde se entra 
oa sái i Vãos; intervalos. | Espaços 
de paredes ocupados por portas ou 
janelas. 

Miénga. sub, pi. (II) Aprendir s 
(de caçadores),! Nov ços; iniciados 
(na arte de caçar). 

Miênge. sub. pi. (11) bot. Quan- 
tidade de Cdoa d« açúcar. \ Cana- 
vial 

Miengela. sub. pi (II) bot. Famí- 
lia de plantas rízoforáreas [siclno' 
dendron africanus), que têm por ti- 
po o rizóforo- 

Miengelesa, sub. pi. (II) bot. 
Gielot. I Esparregado de folhas de 
abóbora. 

Miénhu, sub. pi. (II) Vidas; fôr- 
çafl espirituais jAhnas. 

Miézu, sob. pi (II) Btrbas: — 
ia tiombo | Pêlos que guarnecem o 
focinho de certos animais, — ia 
n^uingi 

Milángu, sub. pi. (11) bot. Fam' 
de plantas nzoforáceas (anisophyllea' 
próprias de regiões quentes. 

Milewuzu, sub. pi- (II) bot. Or- 
dem de plantas gutííefas, que têm 
p ir tipo a guteira. 

Miluku, sub. pi (II) Plantas ía- 
nerogamicas (ocfifia membranacea) 
cujo tipo é o género acno. Plan- 
tas ccaáceas. 

Miluma, sub. pi. (II) bot. Giupo 
de plantas coluníferas que abr-inge 
as malváceas e as liliáceas: kuba- 
inuna-ni mlngéla,\ Arvores ile ma- 
deira pouco rija de que se fazem 
as canoas e tambores, Terreno em 
que nascem mafumeiras. 

Milumba, sub pi. (II Linhas cur- 
vas, arqueadas \ fig Sobrancelhas 

Milúnvu, sub, pi. (II) Pequenos 
atados de tabaco em folha V. p(l- 
nga 

MÍJufa, sub. pi. (II) Conjunto de 
rugas, de pregas. Partes dobradas. 
vinccB. 

M hámba, sub. pi. (II) Cestos 
compridos para sooducção de car* 
gaf em viagem. 



Mihanzu, sub. pi. (II) Bazófia; 
fanffar ice.|i MuKiia -. adj. e sub; 
Fanfarrão 

Mihefu. sub pi. (II) bot. Conjun- 
to de plantas piperâ. e s (plperni- 
gra), de fruto medicinal : Cubebei- 
ras; seu plantio. 

Mihinji, sub pi. íli; bit. Fa. 
milia de plantas oleogíneas (x/menla 
americana . do tipo da oliveira. 

•Mihondongolo sub. pi (II) Fam 
de piai. tas de propriedades medi- 
cinais. | Campo plantad > destas es- 
pécies 

Mihónjo. sub. pi (II) bot. Fan í 
lia de plan'a3 herbáceas tijxj das 
rnusáceas (musa paradisíaca^ de 
que há diversas espciíitb- | Bana- 
nal. 

Mihúngu, sub. pi (II) bot. Plan- 
tas legoniáceas a que ptiteuce o 

Mijéji, sub pi (II) Filamentos 
que baiem da espiga da míçaroa i 
Barbas (de milhe): -ia masa.]\Pè- 
los cu fios do piucel | Filamentos 
de insandeira 

Míji, sub pi. (II) Gerações. 
Graus de íiliuçáo | Kaças; descen- 
dência j Famílias, parentela.' Ori- 
gens: kutanga — . 

Miji, sub pi (IT) Conjunto de 
baías. I Rias 

Mijiia ou mijía, sub. j-l (II) bcrt 
Fam: ia da plantas rofâceas. V. 
Kalúbla . 

Mijinha, sub. pi (II bot. A'gc- 
dfiíS.I Conjunto de plantas léxic s 
fam. das malváceas (gosíypium) de 
que há várias espicies.| Aigodào. 

MiKa, sub. (II) Dores do parto. | 
V mlsusu. 

Mikajú. sub. pi. (II) Tribu de 
plantas ttrebiniâceas (anacardiíim 
occídentalis). t\po do anacardeiro.i 
Conjunto de cajueiros; seu plantio. 

Mikàla, sub. p| (II) Leivas sul- 
cos. 

MiKaIanga, sub. pi. ÍII) iotiol* 
Sa rdas. 

Mikaiaíata, sub. pi. (11) Alaa; fi- 
las. 

Mikalu, sub. pi. (11) Berroi. 1 1 Ku- 



Mik 



-285- 



MIL 



bana—, v. intr. Ralhai; repreen- 
der gritando. 

Mikanda, sub. pi. ilI) Cartas; 
papeis; escritos de qualquer nhtu- 
reza; hlítartga --.i Conhecimentos ad- 
quiridcs ptlâ leirura: kul/ia O— KU 
auâba. 

Mikangalu, sub. pi. (II) Traves- 
sas. Pfças atravessadas entre ou- 
tras-.] | adv. De trnvôa.l De ledo a 
Udo. 

Mikange, sub. (II) Máscaras | 
Mascarada. 

Mikanu, sub pi. 'I'; Delict s; 

contravençò.-s; culpss 1 Faltas de- 
lictuosas. 

Mkapakapa. sub. pi. (II) bot. 
Conjunto de plantas fam. das pal- 
mâcess {borassus ílubellisformis), de 
utilidade ornamental. | Terreno plan- 
tado de pilmeiras de leque. 

Mikasu, sub. pi. (II) Sobrancelhas'- 
— /a mísu.l Supercilios.il Fitas, 

Mihau, sub. pi. (II) Cnaipinas* 
Terrenos próprios para pastagens 
ou criação de gados. | Trabalhos de 
campo; vida lú&tica, | Caminhe- 
das. 

Mikéíe. sub. pi. (U) Cavalaria.] 
Cavalhada.] I Cavalgada; equidas. 

Míkezu, sub pi. fll) bot. Famí- 
lia de plantas estercuháceas (cola 
acuminata) que tem por tipo a co- 
leirn. I Terreno plantado destas 
plantas. 

Mikila, sub pi. 
feccíosa que ataca 

Mikiiikiri. pub. pi. (II) Carreiras; 
corridas] Carreiras a^ desalio,]! 
Kurila — , V. intr. Correr. 

Mikixi, sub. PI (II) 
pia (entre os cabiudas). 

Mikóko 8ub.pl. (II) bot. Coquei- 
ral. Grupo de plantas fam. dos pal- 
mares {COCOS nucljera), de fruto all- 
mentÍQio, 

MiKOKOlo. sub. pi (II) Tiras da 
carne, de toucinho, etc | Réstias ] | 
bot Família de plantas caparidá- 
ctas {oapparis erithrocarpus) , de pro- 
priedades medicinais 1 Terreno 
plantaoG de alcaparreiras j Alca- 
parras . 

MiKOIo. 8ab. pi. (II).AuQarr»i; 



pl. (pl.^ Bolos 



(II) Doença in- 
o anus. 



í lolos de 
Feitiches 



cordas:- ia waíeòa j Cabos. || Amar- 
rações; prisões. 

MiKonde, sub. pl cllj bot. Con- 
junto de plantas musaceas j Ctm- 
po plantado de bananeiras biavas. 

MiKondo, sub 
secoi; cavacas. 

MlKonji, sub pl. (II) Panos com- 
pridos usados peles cabindas jj 
corog Pov. esede do posto deste 
nome, circ. civ. de Maiombe, di^tr 
de Cabinda, prov de Luanaa. 

MIkúku, sub pl.(II)zool Aves 
trepadoras Iam. das cu^uhdas que 
têm por tipj o cuco.| Bando de 
cucos 

Mikúlu, sub. pl. (11) Cercanias; 
arrab:ildes; conlin». 

M Kuíu, sub pl (III Alnns doa 
avoejigos ! Espíritos dos antepas- 
sados;- ta jiKuKu I Manes- 

M Kumbi, sub pl. ill| Cânticos 
hinos:- ta n(jdeja.\ Cantt rias. 

MiKuiiza, sub, pl (II) Peixes es- 
quamodei mes 

MiKúri. sub pl. (Ii; zool Bando 
de rolas de pequeno tamanho. 

MÍKuía. sub. pl (II) D nheiroE- 
haveres. \ Cobres. 

MiKúíu, sub pl (II) Corpos; vo- 
lumes 1 — i iari, estado de gravi- 
dez 

MÍKutu. sub. pl (II) bet Faa.í- 
lia de plantas amarilidáce:-.s {/our- 
eroya giganUa) , cujo tipo é o aman- 
1 3 (piteira), de utilidade ornamen- 
tal e medicinal | Plantas pareci- 
das cora o narciso j [ Tnbu de plan- 
tas cacláccas (fotirer^ya lindem) que 
tem por tipo o nopal.] Conjunto de 
plantas nopaláceas | Campo plan- 
tado de piteiras 

Mílabi, sub pl. (II) Subideira; 
tropadores-l | bot. Plantas tiepadei- 
ras. 

Miláji, sub pl (II) bot Género 
de planías iam das ebanáceas {di' 
ospgruB plalyjylla), de boa madeira j 
Conjunto de ébanos; seu plantio. 

Milâla, sub pl. (II) Alares; pa' 
pn;) po&tos simulando bragas. 

Milalánza, sub. pl (II) Plantas 
aur^Dcaceas.j Laranjal, 



Mil 



-286- 



MÍM 



Míiandu, lub. pi. (II) Crónica; 
bÍ3tória ' Narração de acontecirnen* 
tos dignos de memória. Dfscrrio 
uas ongeQs de pessoas ou coisas cé- 
lebre". 

Milári, sub. pi. (II) Listrai; tra- 
ços horizontais ou íaixas de côr d^- 
f rente nas psnas ou p(*I< g do: an - 
mais: ku poio mixinda, ku rima—. 

Milasása, sub. pi. (II) bot, Cor.- 
jiinto de araçazeiros. 

Milebi lébi, sub. pi. (IIi Peixi- 
nhos I CousdS de pequeno tamanho. 

MiléKs, sul>. (il) Gritos tumultuo- 
SOI. ! Clamores; piotestos. 

Milelame. sub pi. (II) Plantas 
f-nm. das l)ue>^ei áceas (comnupfiora 
cujo tjpo é o teribinto. 

Milele, í=ub. pi. (II) Farendas; te 
rides; paiios \ —itanu, Antiga moe- 
da de 15 rt is, inicirtlmente re()re- 
sentada por 5 panmhis de mabela. 
j I hi t, Antrs da iatrodução em 
Angola ('a moeda de cobre, era cos- 
tume atr buir se a cada pano de 
mabela dotamenho de um LÓvado 
quadrado, ts como moedi» divisória, 
o valor de 3 .reis (ou 3 reis focos, 
moeda bras Ic-irai f.z nio^ie desta 
maneira todas no transacções co- 
merciais. | \'- mbende. 

Milemba, sub. pi. dl) bot. Con- 
junto de plautas autocárpeâs. fam. 
da- rnoiâceas, conhecida» por iin- 
aandeiras» Sicóinorot. 

Milému, sub, pi. (II) Labiredas; 
chamas. Incêndios. 

Mílende, sub. pi. fll) bot Tribu 
de pirtut.s ro^âceHs {diospyrus mes- 
pilijormis), que comjireti.ue a lor- 
Vfira, a nespereira, a nidcieua, etc. I 
(](.)DJunt(> de plantdS pon âcea .{ 
Silveira!. 

Mílenge, íub- pi. (li) Ares; ven- 
tos: -/a Kalunt^a. Correntai (de ari. 

MiTe-fanu, sub. pi. (Iji Abrev. de 
niileleilanu. 

Ml éngu. sub. pi. (Ill bot. Con- 
junto de plantas (u/orbiâceas de 
propriedades m d ciuais. 

Milenvu, sub. pi. dl) \'alhicoutos. 
Terras onde se eicondiam fugi- 
tivos. 



de plantas malvâceasl (hiblscus mi- 
cranthus), de utilidade ornamental. 

Milolo. sub. })'. (11) bot. i;:upo de 
plantas f.im. das anonéceas {anona 
reticiilata). a que pertence omamoci- 
ro I Mauioal, Conjunto de plantas 
puli()étila8, iam. oa p;iS.si flóreas 
Icarica papaia), tipo d* papjieira.| 
Síu plantio. 

MiloloKe. sub. pi. (II) Indulgên- 
Ciis; desi-ulpas. 

Milónga sub. pi dl) Conten- 
ções: ngi bcKele Kúria. ku ngi 'be- 
Kele—. O iestõ's; demandas: K/r/K'e 
nu o tudna iuenu. tnana tu ngi be- 
liela — .\ Desavenças. 

M.longi, sub. pi. ( II) ln»inu?çõe.e; 
conselhos: Kiibana — Ensinam 1.- 
tos 

Milóngo, mb pi. (11) Reme lio.».; n e« 
dicamentos O que cura . | — lon^O, 
bot. Famíli . de p|.inias miii->ticá- 
ccas ipynanius Kornbo , a que pei- 
tence a moscadeira. 

Miiuiu, sub. pi. (II) Fam d*( 
plaut.^s gencianàceas (adenopogon 
sfelarioides), de proprid des medi- 
cinais Gén ro de {)lanfas curiti- 
vas, muito amargas (faroa saliita- 
ris), tipo do >'{ I da leira» [ Con- 
junto de amargoseiras. 

Milúmba. sub. pi (It. btt. Grupo 
de plantas fam das leguminosas a 
que pertence o rnulete | O seu plan- 
ti;: íxi ia—- 

Milundu. snb^ pi. (U) Coidilh ira; 
serr^nid Montnnhas; moiros | 
Dob as que a rcnpa faz quanto não 
asâent>t bem. 

Milungu. sub. pi. (Il)bot Fam. de 
plantas solariáceas (capsium cordí- 
forme), de propriedades medicinais 
e a que pertence o alquequenje, o 
sol no, etc.| Terra plantada de 
solanos . 

Mimamá, Fub. pi (11) b t Con- 
junto de iiiamoeiros [papaya vulga- 
r/s), de fruto comestível V mi- 
lolo 

Mimanga. sub pi (II) bot. 
Plantas ana ard;ãcea8 de fruto co- 
meítívíl, anangifera indica), cujo 
tipo é a manguiira-l Seu plantio ou 
conjunto. 



Mil61a, sub. pi. (II) bot. Família | Mimaía, sub, pi. (II) bot. Con- 



MIM 



-è87- 



MIN 



junto da plantas fam das solaná- 
ceas (licopersicon esculentum). a que 
pertence o tomateiro Terra plan. 
tada de tomateiros. 

Mimba, sub pi. (11) bot. Plan- 
tas fam. das Irgumino^as, cie ma- 
deira esporjosa, vulgarmente co- 
nhecidas por «bimbaF», piópriis de 
lugares úmido3 ou pantanosos. 

Mimbinji, sub pi. (II) B iga?; lu- 
tas. 'Camba-pés, 

Mimbombolo. lub pi. (TI) Fara. 
de plautâs mfliâceas {melia dúbia). 
I Teira plantada de aui rgoseira.s. 

Mimbungu, sub pi. (II) Bara- 
bual I Género de gramín-as bam- 
buzáceas. cuja o tipo é o bambu 

MimeneKenu, sub pi (II) Mati- 
nadas; cumprimento»; saudações.! 
Protesto» de respeito, de amizade ', 
.Rendimentos Tb. se á\z maume- 
nckenu. 

Mímono. .<:ub. pi (II) Plantação 
de rícino {ricinus communis). Car- 
rapateiro. 

.Mínangu, sub. p'. (II) Estadias; 
paragens; jornadas: balanga Tf avu- 
la— Etapas; f itos | U que se 

passa em cada dia. 

i 

Míndalangole, sub. pi (II) bot. ! 

Fam de plantas cicadáceas do tipo ! 

das palmáceas. i Conjunto lie ta- 1 

mareir»s. t 

Mindangála, sub pi (IIi Pedras 1 

preciosas de côr verde: matari j 

ma ~ \ Malaquite.| O colar destas , 

ptidris, us- como adorno. | 

Mtndangaianga, sub. pi {\h bot. 
Conjunto dft plantas borrachííeras j 
de que há váridS espécie». | 

Míndele, adj. pi (II) Brancos.! 
Ilomen» que se trajam e adoptam 
'hábitos europeus: — ia mala. , Civili- 
eadoa; ilustrados; cultos 

Mindóndo. sub. pi. (II) bot. 
Amoreiral • 

Mindúndu. sub. pi- (II) Espalha- 
fato. ' Ruido; falácia ' Barulho: 
kabanga-- i Rumores; fragores || 
Aíufcufl-.adj. e sub. Espalhajatoso 
i Que rumoreja. 

Mindungu, sub. pi. (U) bot. Fâm. 



de plantas pip«ráoea«, solanácc «e 
ela'ínea8 a que pertence a pimenta 
vulgar, a capiçoba, a el-.tina, etc 
Phntção de pimenteiras. 

Minga, sub pi (II) Porçã' de 
varas para chimbicar. 

Mingaiava, sub pi- (11) Planta- 
ção de goiabeiras Fam. de p'anta8 
mirtkcetLS (spidiam guajava] , a que 
pertence a murta . 

Mingeia. sub pi. illt bot. Fam de 
plantis laranàcea-: uizyphus jujubc), 
cujo tipo é a jujubeira Campo 
planíado de macieiras bnaíegas ou 
brava». 

Mingéla, sub. pi. ill)bc.t. Grupo de 
plantais columíferas, {ceiba cascaria), 
que ab ange as m. Ivâceas e as li- 
háreas: Kubainúna mi/uma ni -W. 
mifuma ■ 

Mingénge.sub pi (II) bot. Tri- 
bu de planta tf rebintáceas. (spon- 
dia mambin), a que penerice o ana- 
cardo, o cajazeiro, etc | Terra plan- 
tada de cajazíiros. 

Mingenhe. sub. pi TíD^ol. Fam. de 
plantas ramnàctas ( diclirostachys 
nulens). que té n por tipo o-sangut- 
uheiro ' Conjunto de e- pinhe.ro». 

Mingíngi, sub. pi. 01, bot Gru- 
po de plantas fanerogãmicas {síde- 
roxylon\, cujo tipo é a sapota.ll 
Plantas queoopodâceas do Hpo da 
anserina.l Suas gemente». Fibras 
que correm pelo meio das lolhas 
das plantas. Talos: ia tikovi;-ia 
maKanha- 

Míngolo. sub pi. (II) bot. Fam. 
de plantas burserâcaas (conniphora). 
visinbas das terebiut âceas, cujo 
tipo é a bur«tra. 

Mingónde, adj. pi. (11) Emaranha- 
do; espinhoso. | fíala /rt-.sub. 
Lagosta 1 | — ngónde, Tentáculos. 
Braços móveis de certos molusco, 
iníusórios e plantas. 

Mingonflono, sub pi. (II) bit. 
Fam de planta» hipogé leas, | Sua 
plantação. 

Míngua, sub pi (II) Sai» 

Míugunda, sub. pi. (Ill Conjunto 
de plantas convolvuláceas, de íru- 



MIN 



-288- 



MIS 



tos comestíveis I Terreno plantado ! 
destas ei^pécirs | 

Mingúndu, sub pi (II) bof dé- 
nero df" pi- ntas fim das gutiferas 
isymphonia slobulifera), do utilida- 
de medicinal. 

Minha, sub pi. (II) Espinhas; — 
ia nkolongo. Puas que revestem 
certas plantâj. | Esp gões; abrolho»; 
espinhos íig Peta: — le \ Men- 
tira . 

Minhámc. adj jil (li) Carnívo- 
ro!. || sub. pi. Os que se alimen- 
tarn exclusivamente de carne. 

Minhangc - minhange. adj pi. 
(II) lísmtgaihado; csfaceUdc ; reta- 
lhado. Reduz do a p'da<,os. 

Minhanji, sub. (I!) pop Dinheiro 

MinhoKa, sub. pi. (II) zool. Or- 
dem de vprmes a que pettence o 
njéndc. a muhoha. etc | Ooaniidade 
de vermes desta espécie 

Minhómbo, sub. pi. 11) bot. 
Fam de plantai rubiaceas [gardé- 
nia floridaK » que jertence o jas- 
mim e outfan plantas tintónas e 
medicinai". PI; ntas jasniii àceâf : 
seu plantiu. 

Mínjimu, sub. pi. (II) bot Con- 
junto de plantas iam (ias crisocár- 
peas (chrysoba/amus Icaco) a que 
pertence a silveira, a sarv», etc 
Silvado ; Grupo de plantas cucur- 
bitàceas, de fruto cemestível. 

Minjinji, sub. pi. (II) bot. Jun- 
val II Ccnjunto de plantas csperá- 
ceas (avicennia nitidd), cujo tipo é 
a junca . 

Mmungu. corog V. kaKolo- 

Mió, expressão significativa r^e 
molhado: mllele ha miikuiu .|'adj 
egub. (IX) Encharcado. 

Miondona, sub. pi. (II) Sortes. | 
Entes esp ntuaia que a cada um 
• Dcauiinham para o bem. 

Mióngo, sub. (IX) Cintura; cru- 
xes; rins | | Lombago. 

Miongói>ao, sub pi. (Ih Vérte- 
bras i V bras: fa ribchc. 

Mipáne. sub pi. (II) bot Gru- 
po de plantai leguminoiai iam. 



das cesalpí ie«s (copal/era mupane)- 
( e madeira rija e apreciável, cu- 
nliecida por «pau feirou). | Conjunto 
de copaibeiras , 

Mipêmbia, sub. pi (II) bot. 
Fam. de planta<» dicotilfdón''as 
(abuliton fraliccsum), que tem por 
tipo « malva | Cinjunto de planfas 
malváceas de utilidade medicinal. | 
Campo plantado de malvas. 

Mipépe, sul) pi (III btt Fam 
de plantas ancnâceas \inonodora 
mystico), de propriedades medicinais 
cuntra róbcas e de fruto compstí- 
vel.jV. /;^/7e; . Conjunto de plantas 
cupulífcra.'-. iam. das quercíneas.| 
Carvalhal.!' (rénero de plantas 
muito aromát c«s íatn das umbe- 
liferas ilcjcburia angolcnsis), de fru- 
to i-liraentic o , Campo plantado 
destas espécits. 

Mipiôpio, sub pi (II) Aííobos. 

MipuluUua. sub. 1^1 (1!) bot 
Fa n. de plantas eiiíorbiáceasi a (|ue 
pertence a purgu ira i Suas semen- 
tes e teireno que ocupa. 

Míri, adj num card (IX) port. 
Mil V huinhi ria hama 

Míria, sub. pi (II) Intestinos* 
tripas: — ia ngutu Imtranlias: tri' 
palhada ' culin Dobríd»: leves | 
f g. Barriga; ventre. 

M riámba, pub. pi (IH bot. Gé- 
nero de plantas tipo das orquidá- 
ceas I O seu conjunto. 

Miríiu, sub. pi. (II) bot Zambu- 
jal. 

Mirila, sul). ( IXi port. McdiJa ] 
V kizongclu 

Mírimá «nb. pi dh Limoal 

Mirisá, =ub (IX) Hago de chum- 
bo (para caça). É m. uí. no pi 
jimirísà . 

Misáia, sub. pi dl) bot Fam. 
de plantas jarmíneas. de que há va- 
rias espécies Plantarão de jas- 
mineiros. 

Misambu, sub. i^l . dl) Rezas; 
salmos: — ia Ngana. Práticas: 
scrraòes | Fala"^: pa avras; honibo a l 
inuena ku jirigela, mon'a mutu ku — 
tâkutue/ú.jl Converiação; diálogo. 



MIS 



-ta?- 



Míf 



Misanga, sub pi. (II) Fioi de 
Contas miudinhas. jRoiário. 

Misánhi, sub pi (II) Sanifas; ba- 
rambás. : bot. Género de plantas 

piparáceas, de propriedades medi- 

cinajt. O seu fruto tmpregue na 

cura de dores de dentes. I Tb se 

chama Kabela j ■ misanhi — misanhi; 
Desfiaduras. 

Misanu, sub- pi (II) Filamentos 
de matéria têxtil. | Fiapos; linhas. | 
Estranhesas; raridades. 

Miselu. sub. pi. (II) Verduras; 
verdes: ^íir/<7—. 1 1 A côr verJe dos 
vegetais. I Hortaliças. 

Mísengu, sub. pi. (II) Peqntnat 
covas em que se laoçam as semen- 
tes de feijão ou milho para germinar 
e frutificar. 

MisoKo, sub pi (H) bot. Ra" 
mos; palmas Grelos de palmeira. | 
Palmitos. 

Misombo, sub pi (II) zool. Gru- 
po de batráquios de espécie ranida. 

Misóngo, sub pi. (II) Raios; fre- 
chas; espetos, I Parte de um exér- 
cito armado de lanças | As pontas 
aguçadas de quo se reveste o cacho 
do dendém. 

Misóso, sub pi (Hj bot. Fam. 
de plantas mitnoseâceas. j O seu 
conjunto | j Paus; cajados; cacetes. 
I Mastros, f Vigas; traves. 

Misúnda, sub pi (II) Monstruo- 
sidades.} Coisas extraordinárias ou 
contrárias à ordem natural da na- 
tureza: kuzuela— • \ [adj Quo merece 
repulsa. 

Misúri, sub. pi. (II) Vasilhas de 
peles pdra líquidos. | OJraria. 

Misúsu, sub. pi. (II) As dores do 
parto. I Pezares. | Estertor; vas- 
cas: — ia Kalunga. \ Convulsões; 
ânsias; náuseas. 

MifaKanga, sub pi. (II) Olival. ] 
Género de plantas tipo das oleagi- 
neas. 

Mifámba, sub. pi. (II; bot. Plan- 
tas têxteis gan. dau leguminosas 
próprias dos paises quentes {tama- 
rindus indica), de fruto comestível, I 
Tamanndal. 

Mítamba, sub. pi. (II; Conjunto 
de peixes espinacidas. 

Mitánhi. lub. pi. (II) Uaat«B; 



varas ou ramos de plantas. 

Mife, sub. pi. abrev. de mlKuta: — 
uâna; — tatu; — samanu, etc. 

Miteke, adj, pi. íll) Que 69rve 
para tingir. || sub. Diz-se das cou- 
sas ou plantas tinctórias- 

MifeKuria, sub. pi. (II) zool. Gé- 
nero de pássaros dentiro^tros (ficus 
capelli) de que há varias espécies. [ 
Bando de tordos. 

Mitéle. sub. pi- (II) Tregeitos. | 
Movimentos de, dançando, levantar 
a perna e voltear o corpo conjunta- 
mente, jl kuta —, V, tr Tregeitar. 

Mifelendende, sub. pi. (II) Sons 
estrondosos, simultâneos ou suces- 
sivos: — ia nzâji. 

Mifendelelu, sub. pi. (II) Reco- 
mendações; instâneias. 

Mífendu, sub. pi. (II) Conjunto 
de vozes soltas com inergia. | Urros. 

Mi(ólo, sub. pi. (II) Lugares ocul- 
tos onde se escondiam criminosos.! 
Matas. 

MUolo, sub. pi. (II) bot. Grelos:— 
ia masa, \ Gemas que se desenvol- 
vem nas plantas. | | kuta — , v. Int. 
Grelar; espigar. 

Mifómbe, sub. pi. (Ii) Os pontos 
mais altos das montanhas, das ser- 
ras, etc I Topos; cumiadas. 

Mifomo, sub. pi. (II) As primei- 
ras produções de um rebanho; os 
primeiros produtos da terra. | Pre- 
lúdios; começos. | Os primeiros re- 
sultados; os primeiros efeitos; os 
primeiras lucros. | Primícias. 

Mitóndo, sub. pi. (II) bot. Plan- 
tas fam. das leguminosas cuja fruti- 
{ícaç&o é a vagem. | Campo planta- 
do destas plantas. | Seus frutos. 

Mi(one, sub. pi. (II) bot. Fam* 
de plantas herbáceas, cujo tipo é o 
hipericúo. 

Mitongaíonga, sub. pi, (II) Gé- 
nero de plantas tintóreas, fam. das 
íitoláceas. \ Seu conjunto. 

Mitonji, sub. pi. (II) bot. Con- 
junto de almecegueiras. | Seu plan- 
tio: 

Mitungu, sub. pi. (II) bot. Fam- 
de plantas fanerogámicas qus coa' 
têem espécies como a azôda, o rui* 
barbo* etc. | Plantai poUgoosáeeai. 



MIT 



-J90- 



MOM 



Mítutu, tub pi. (11) O que pla- 
neamos fizer. I Projectos; deii- 
gnioí. I Fito. I ' kuta — , V. tr. Pla- 
near; tencionar, 

Miváta, sub. pi. iII) bot. Família 
de plantai hip<*ricáceas. | O seu 
toDJunto. 

Mívu, "ub. pi. (Il.y Anos. Época; 
idade. | Ttmpo maia ou menos lon- 
go. I Duração de uma vida. 

Mixangu. sub. pi. (II) Traços; ei- 
critâ ilegível. 

MIxi, aub. pi. (II) Nome genérico 
das árvores; paus; troncos, etc. 

Mísci, sub. /II) Nome (ara. do ga- 
to. I Bichano. 

MiXÍbd. sub. pi. (ÍI) Nervos; 
veias; artérias: — ia mu tande. \ 
Conjunto e aspecto dos músculos 
do corpo humano. I Representação 
da musculatura. 

Mixilu-xilu, sub pi. (n) bot. Gru* 
po de plantas arcmaticas fam. das 
veibenâceas {vitex ãndon^ensis), 
a que pertence o agnocasto, a vei- 
bena, etc. • Terreno plantado des- 
tes arbustos. 

MixiKOÍe. lub. pi. (11) Quantidade 
de pães em fôrraa de rosca j V. 
mlkondo- 

Míxima, sub. ;)1. ill) Entranhas* 
— ni tnirla. ! Vícerap; fígados i i bof 
Família de plantas escn fuláriaceas 
{nisscUia juncea). de utili lade medi- 
cÍDal e ornamental. 

Mixinda. sub. pi. (11) Traços ver- 
ticais. I Marcai»; listras (em sentido 
longitudinaii: hu polo -- ku rima 
mllárl. 

Mixlnga, sub, pi. dl) Cabos! 
amarras; calabres. ' Surra; açoi- 
tes. 1 Acção de flagelar ou bater. || 
Kubana—. v. tr. Avoítar; surrar. 

Mixínjf, sub. pi. I II) Planos pro' 
jectos; ideias: \íuta — . 

Mixiriri, fub. pi. (11) Sulco»; tra- 
ços; regos. 

Mizambu, sub, pi. (IIi Bruxirias: 
adivinhas, j Soltilegios em que se 
íai supor a intervenção do sobrena- 
tural. 

MizéKU, sub. pi. (II) Feridas que 
le ctiam nai plantas dos pés r difi- 
cultam o andar- 



Mizémba, sub pi. (II) Género de 
árvores fam. das leguoiinosas (albiz- 
lia cariaria) cujo tipo é o ingá | A 
sua caica, utilizada no curtume de 
couros. I Plintação de ingazeirar. 

Mizévu, sub. pi. (II) Pedúnculos | 
Os doiS prolongamentos cia parte 
superior Ja medula espinal que co- 
municam com o cérebro. 

Mizéze, sub. pi. (il) bot. Género 
de árvores mimosoideas, iam. das 
leguminosas (albizaia antunesiana), 
cujo tipo é a acácia. | Plantas pró- 
priís das regiões quentes, de utili- 
zação medicinal. Terreuo planta, 
do de acácias. 

Mizondo, sub pi. (IIj bot. F^m. 
de plantas anacaridi iceas, tribu das 
terebiatâceas {pseudospondias micro- 
carpa). cujo tipo é o anacardo. j O 
seu plantio. 

MizuKutu, sub, pi (II) Ralíições; 
atrito»; desassocegos. \ Apoquenta- 
çõea; encómodos. 

Mizumba, sub. i)l. (III) bot. Co.i- 
junto de plantas faiu. das legumino- 
sas (millelia verricolor), cujo tipo 6 • 
tabúa, ! Tabual. 

Mizúmbu, sub. pi. (II) Lábios. 
1 Rebordos:— ía'/7i^/a. | Beiços. 

Mizunga, sub. pi. (II) bot. Fimí- 
lia de plantas [ voteaceai de proprie- 
dades melicinais, cujo tipo é a pro- 
tela. ! O seu plantio. 

Môbe, adj pi. (V) Novos; novas. | 
V. úbc. 

Móío, adv. Expressão para diser 
«adeus». | | lub. Cumprimento de 
despepida' ,{ port. Massa de tomate 

MoKÓKO, sub, (V) Nome porque 
no lul da prov. se conhece o antílo- 
pe Kisema. 

Móma, adj. e pron. demonstr. pi. 
Estes; estas: makczíi— . 1 V. mama.\\ 
sub. pi. Os presentes | zool. G bóia, 
I Icorog. Extensa região a O. do Bié, 
entre os rios Cubango e (]utato (das 
ganguelas). \ \ Afluente da margem 
direita do rio Lucala, no antigo 
cone. de Ambaca, circ. civ. de Cazen- 
go, distr. e prov. de Luanda. 

Momo, adv. Nesse lugar; ahi den- 
tro. 

Mona. sub. (D Pilho; filha. !| 
Rebento; ramo de arvore; ptrnadt. 



MON 



-291- 



MUA 



j ] Afluente, braço, rio que deragua 
noutro, i O que deriva ou provém 
de outro. ' | — ' a-Kanvile, filho espú- 
rio,V. kanvile. \ ' — 'aml, mf>u filho; 
ftlho de m nha fvlma. ; — 'a ufunu, 
diBcipulo; pjssoa que ^iprende um (<fi- 
cio (em relação a quem lh'o minií.tra) 
II — 'd muhatu rapariga; jovem. Ij 
— amukuenu, í lho ou fiiha de ou- 
trem; enteado. 1 1 -'a mungua, pessoa 
de quem se é padrinho ou madr nba. 
I Neófito, afi hado. | fig. Protegido ! ) 
— 'a muta, filho de algo, de pe8='0a 
conhecuií,: Kifuba k'a k/ iex'á ni xitn, 
—a mutu k'a mu tex'á nl muénhu ' 
Criatura. I — 'a muxQxinlm, bonequi- 
nha de trapoí. ; — 'a uísu, crian- 
cinha; recem-nascido; de tenra ida- 
de. | j — mu'xí, naturalisado. 1 | — 
'a ndênge, criança, infantp, adoles- 
cente I Donzela, virgem: muhatu ua 
—ndênge. \ , 'a ngâmba, moço de fre- 
tes, carregador. ;| — 'fl r/^flna, senho- 
rinha, filhc-fan^ílias. | bot. Certa 
qualidadade de banana {muía para- 
disíaca), tb. conhecida po- «banana 
giboia». \ i — 'a ngene, filho alheio, 
estranho, de outra fan íl;«. Pupilo: 
órfão. II — 'a ngola, an^olense. 

I V. kangola. | i — 'o ngombe, 
vitelo, bezerr.".^ | — 'a ngulu, leitão, 
bácoro. I V. kàngula \\ —'angundu. 
euro-; fricano. j \—'Qnjila, passarinho, 
pequena ave: — 'a njlla a rila mué- 
nhu, k' aril 'ê tuku. \ i ~ 'a tu .la, 
mi ço servente | | — 'a tUu, pupila. 

I I — 'asonhi, rim. \\ — 'a 'xi, filho 
da feria; naturnl da teira em que 
hab ta. || — 'a xiKola. estudante, 
escolar. | | — Kimbundu corog. Pov. 
e sede do posto deste nome, cone. 
de Siurimo, dist. da Lunda, prov. 
de Malanje. 



(IX) port. :onte. | 
(IX; 



Monde, ?ub. 
Quantidade. 

Mondo, sub. (IX) Palavra com 
que se forma o futuro dos verbos. j 
Hão-de: o v,akixi~mona paxi; o me- 
nha-kutexika, etc. 

Mondo, sub. (IX) Desonra, vergo- 
nha: u a ngi katula—buaxaxi k'akue- 
tu.\ Opióbrio. /í«ía— , V. I r, Expio- 
bar; dizer abjecções. 

Mone, sub. (IX) bot. Nome por 
que em Benguela se conhece a plan- 
ta mutobe- 

Móngua, stb. (II) antiq. Sal. V. 
múngua. \ \ corog. P>jv. e sede do pos- 
«-n da circ. civ. de Baixo-Cunene, 



distr. e prov. da líuila, 6.441 hab. 
e est. postal de 5.* -lasse. 

Monhi. adj. e sub. (IX) Ricaço.] 
Abastado; po jeroso ! | sub. Potes- 
tade. 

Mono, sub. CIX) bot. Semente e 
fruto de rícino: mâji ma - \ Mímona. 

Mosana. sub. (IX) Modelo; ima- 
gem ou desenho que serve para re» 
produção.' Cópia: kukatula —. 

Móso, sub. (IX) Companheiro; 
amigo. 

Moso, adj. ia ief. pi. Completos.) 
Todas; todos: manhangua —m'âbi. \ \ 
pron. indef. Tudo.j | sub. O conjun- 
to, a soma.;, adv. Por junto; ao 
todo. 

Mofa, sub. pi (V) Arma«; espin- 
gardas, i O mesmo que mauta. 

Móxi. adj, num.card. (i) Um. i| 
sub. Unidade. jl adv. Na parte ia- 
terio ; dentr.i-a mulele \ Sub- || 
pr p. No me o de | Entre. — a^^rie, 
com os seus botões; lácons;go.jj 
Zu—, sdj. Unido; 1 gad ; junto. [ Pa - 
raleú ; igual j | adv A p»', ao mei"e 
mo tempo. 

Mu, P'ep- que indica rlsção de 
tempo: — usuku; de lug' r: -rivumu; d- 
modo: — ínzuela, — kuenda; de preço; — 
hama jiiari; cie espaço. ~kanga;—im- 
bambe. { | pron. poss. (o. &): eme ngi 
— mona u aiuata. 

Mua, adv. de lugar. Em. no, den- 
tro de: -ndanhà, 

Muâji, sub. (II) bot. Planta vene 
nosa, tb. conhecida por adv.ua. 

Mualala sub. (II) bot. Ébano [ma- 
ba mualala). 

Muamba, sub. Guis do de molho 
de dendém. 

Muámbe a j e sub. Dizedor; — a 
màka.\ Conversad 1; que conta ane* 
doctas. 

Muâmi adj. e pron, demonstr. 
(contr. da prep. mua e do pron. pess. 
eme) A mim; para mim; comigo. | 
Meu; micha. 

Muâmua, sub ill) Remigio: — 
^andúua.\ Cada uma das penas maio- 
res das aves.', V. pi. miámia. 

Muatnui, adj. e sub, (I) Mamador, 
|PeiiO:i que se cria do leite que cbu. 



MUA 



-292- 



MUB 



pa das tetas. ! | Sugador. V. Kiamui. 1 1 
Ghupiíta \ V. múxibi. 

Muamuise, sub. (I) Mulher que 
dá de manidi., Ama de leite. 

Muâna, sub. (1) Filho; filha | 
V. mona 

Muanda, sub. (II) bot. Plaota 
iam. das legumino8ai.| W.muháía. 

Muánde, adj. e aub. (I; Sonhador' 
— ajinzoji. I Visionário. 

Muande, adj. e sub. d) Comilão» 
comedor:— a jipuku. | Devorador.] 
bot. Nome por qua no Sul da prorln- 
cia ae conhece a planta mulende. 

MuAndu, sub, (II) Peixe eiqualo; 
tubarSo.j Cão do mar. 7 adj Voraz 

Muânga, aud- (II) Luz; facho.| 
Lume.j Candeio; clarão; chama . 

Muangai, corog. Pov. e sede do 
poato dèate nome, circ, civ. e diatr. 
do Moxico, prov. do Bié, 10.713 hab. 

Muangafaíá, adv Aberto de par 
em par: ribitu w aríxÍ8a — .\ A'scànca- 
raa. 

MuAngu, aub. (II) Trave; viga: — 
ua'ri«o. I Pau de fileira | { ilOoI. Ave 
pernalta. 

Muânha, sub. (II) A luz dodiaem 
que o sol nfio brilha: o kingumba Id 
ahnge mu — .| Claridade; tranaparên- 
eia; limpidez (dodia).i| — ' ó, sau- 
dação; Cumprimento,! Muânho (a 
que ae responde) muãnha iú, (equiva- 
lência a saudação portugueza— «bom 
dia te dê Deusi — , e a reaposta — 
«seja êate o bom dia».) 

Muânhu. sub. (II) Vagar; lentidão' 
pachorra: A't banca o kima — . | Tempo; 
paciência, calma. { | Diligência: 
ku - u rid ku; Ku uturi ki kuri'ê - ku\ 
Cuidado. II Mukua — adj. e sub. 
Paciente; pachorrento; zeloso. 

Muánji, adj. (II) Que assusta; que 
provoca alarme | Que causa sobre- 
laltos. I I Bub. Pesaoa que se compraz 
em propalai boatoa assustadores. 

Muanji. adj e sub. (I) Inteligente; 
perapicaz; lógico | Que diacorre 

Muânu 1 adv. Não; nenhuma vez { 
Nunca | | — 'amt, loc. adv. Longe de 
mim tal penaar. | Deus me defenda. 
II aub. Negação; recusa. 

MuAnxa. aub. (II) Catr9.| Cami- 



Muanze, sub iiI) bot. Acácia; 
planta fam. das leguminosaa {albitia 
i'a»tigiata\ . de madeira branda elevp. 

Muánzu. :ub. (II) Fole. 

Muâri, sub. (I) Amo; patrão; do- 
no.] Mando: -!«l;/ii. ) O mais velho, 
o de mais idade: — '^ | V. rikota. ' \—'a 
klmi. adj. e sub. Adulto; ancião; 
velho- ' Maior; superior 

Muase, adj. e sub. (Ii A.t rador 
de flexas. , Fisgadoí; arpoador: - 
a mxându. \ Copejador, 

Muata, art. ITI. V . nmènt. 

Muâu, aub. (11) Chamusco 

Muáve. sub. (II» bot. Arvore fam. 
daa legumiULsas {erilhrophloeum yuine 
ensi), de madeira rija e casca vene- 
nosa. 

MuaxAxa, sub (II) Peixe eacam- 
bnda. 

Mubabafe, adj. e sub. I) Apalpa- 
dor. 

Mubàbe, adj. e aub (D Fagueiro; 
que acalenta crianças. ] <ju9 faz 
adormecer batendo levemente; acari- 
ciador. 

Múbaiu, sub. (11) bot Grande ár- 
vore fam. das bureirárraa (cartartm 
mubafo), de frutos ole;.ginoBOB e co- 
meativeis. i Safú.| Sua resina adori- 
fera empirgada na cura de úlceras.] 
Elemi; almêcega. 

Mubakafe. adj. e sub (I) Comun- 
gante. I Que pede ser declnrado livre 
do pecadu. 

Mubekese. adj. e sub (,1) Dfposi* 
tante | Peísoa que dá a guardar. 

Mubake. adj e fub. (1} Guardador» 
arrecadador 

Mubáia, sub. (]Ii bot. Planta fam. 
daa leguminoaaa (afzelia africana), de 
fruto alimentar e madeira apreciá- 
vel. 

Mubalangonga, sub (II) bot Pe- 
quena arvore fam daa diptero-car- 
páceas {inouotet a/rirana) utilisada (a 
raiz) contra aa frbrea palestres. ] V. 
kaxóngo . 

Múmbamba, «ub. (II) bot Plan 
ta n edicinal em casos de diarrêa| 
Mietu ia — , as escrecênciaa da planta 
utiliaadas como peitoraL | V, mu- 
lcfnb<f. 



MUB 



-893- 



MUB 



Múbande, adj. e sub. (I) Que lobe: 

— a milundu \ Qu« ascendei Trtp». 
dor. 

Mubandeki, adj. e sub (I) Ajunta- 
dor. Acrtscantador. 

Mubanduluri, adj. e sub (i^ Apa- 
figuador: — a jinvunda | Apartador; 
mediador., [ B-neficiador. 

Múbanga, sub. (ii) bot. Aivore 
de grande porte da família das Ie< 
guminosas ( acácia wtlwitchii ) de 
grandes vagens lenhosas • escuras, 
boa madeira p ra curtimento: hui- 
nhi ia — .|j Planta soUnácea de cu- 
ja i; adtira se faz carvão: makala 
ma — j Caoibroeirà . I I Espinheiro. 

Mubangamani, adj. e sub. (i) 
Continuador | Percursor. 

Múbange, adj. e sub. (i) Que faz, 
prfetica LU compõe: - a tnafemu. | 
Fabricante; construtor; obreiro. ] j 

— a ikumo, Pecador; criminoso; m^ 1- 
feitor.j [ — a mbiji, peixeira; escama- 
da r.l | — a mbote Bjmfasejo. 

Mubánge, adj. e sub. (i) Peleja- 
dor; lutador. ! Gladiador, brigão. 

Mubangiri, adj. e sub. (i) Socor- 
rcdor. I Protector; defensor. 

Mubangu, sub. (ii) Planta fam. 
das enfoibiáceas {eroton miibango) de 
íruto oleoso e propriedades medici- 
nal e ornamental. 

Mubanguluri, adj. e sub. (i) Kc- 
construtor; reorjjanizador. | O que 
torna a faztr o que já estava feito. 
Renovador. 

Mubane, adj. e lub- (i) Dador. | 
Cedente. 

Mubánze. adj e sub. (i) Medita- 
dor; Cismador. | Que pensa ou pro. 
jecta. i I Meditativo; meditabundo_ 

Mubári, sub. (i) Aviado | Mulher 
qu« vende a retalho em mercado ou 
feira, ou de ttrra em terra. | Qui- 
tandeira. 

Mubáse, adj. e sub. (i) Rachador: 
_o jihiiinhi. I Que esfrangalha; que 
faz lascas, i Lenhador. 

Mubáte, sub. (i) Calafate; tapa- 
dor Ue fendas, rachas, etc.j CaLa- 
dor.|| ietiol. Peixe do mar. 

Mubaturi, adj. e sub. (i) Corta- 
dor . 

Múbaze, adj. ^ij Capador | Que 
castra aDimais auméstico*- 



Múbaru. sub. (i r) Ruído furtt i 
breve.j Ralho: urro. 

Múbe, sub. (rj) aot. Arvora fam. 
das C( mbretáceas (comhrelu.m holoce- 
ricium), de madeira próp a para car- 
vão: makala ma — . , Carvalho 
{combretum imbtrbe); árvore d: ma- 
deira resistente. I V.' pi. míbe. 

Múbe, adj. esub. (ii) Dador.; 
Que cede. 

Mubéba, sub. (ii) Arvore fam. 
das combretaceas (terminalia catap- 
pa), de fruto comestível. Amen- 
doeira da índia. 

Mubébe, sub. d) Embcçadcr:— a 
jinzo I Rebocador; escapelador I É 
tb adj. 



Mubebtki, adj 
der. 



e sub (II B rrea- 



Múbebe, adj. e sub. (i) Que roga 
ou pede com veemência ! Adulador; 
lisonjeador | Grazin^dor; prague- 
jador. 

Múbebu, sub. (n) CánuU; pipo; 
canudo: — uaplxi.\ Boquilha.' Tubo 
para conduzir fluidos ou líquidos. 

Mubéji adj e sub (i) Adorador; 
veneradoí: a ittkt.\ Apaixonado.] 
V . muh^,tt 

Mubekexi, adj. e sub. (i) Oerta- 
do!:— o ainji.t Que oferece ou de- 
dica. 

Mubeluke, adj. esub. (i) Guina- 
dor. I Que dá bordos. ! Quitador. 

Múbefe. adj (i) Castigador; bate- 
dor. , Que apliea castigos (corporaii) 

Mubéíu, fub. (ii) Trapola | Ci- 
lada; laço. 

Mubéze adj e aub. (i) Venerador.l 
Idólatra:— o iteke [ Cultor. O que 
adora. 

Mflbi, adj e lub. (i) Susceptív 1 
d« se queimar ou ser queimado 
Calcinável; arderoso. 

Mubiabiani, adj. è sub. (i) En- 
carnador., Que íai encarnações. 

Mubiáte adj. esub- (i) Que joei- 
ra I Peneirador. 

Mubíka, sub. (i) Servo; escravo; 
At u evmba o —u vuJla m mona, ki alt- 
nga, mona u xàla. Servente; criado. 
Poiíoa dependenta de um aeohor. 



MUB 



-294- 



MUB 



Múb'Ke. adj. e sub. (I) Agoureiro; 
infelicitador, | Vatlcinador. 

Mubílu, Fub. (II) bot. Planta tre- 
p3Jei'a, f.im. d s passiflóreas idío 
deca lobata), de pr prieda les n.edi- 
cionais e frutos comt6tiveÍ8. 

Mubilúri. adj. e sub. (I) Que faz 
mudar de posição:- na niixi IHomem 
qu"muda facilmente le opinião, de 
liabitoii: — iia maka. \ Virador, 

Múbime, sub (I) Larapio. | q ^.^^ 
ás ocultas leva o que não é st^u. | 
fig. Carregsdor. 

Mubind^, sub. (11) Espécie de res- 
(ea de inateba com que, pârtuido do 
DÓ cential. ss forma o bilaio ou 
• kinda» |V. múhuhu. 

Mubiadame, adj e 8ub,-(I) Neces- 
sitado; indigente; pobre. 

Múbinde, adj. e sub. j) Amigo de 
convidar ■ Obesequador. ,, PvSsoa 
convidada. I Assistente. 

Mubindumuni, adj. e sub. (I) Cc- 
brador:- ua rnakongo. \ Receb dor.! ; 
Ramificarior; repartidor. 

MubingajBne, adj. e sub. (I Que 
«ubstitue tuiro per vez ou turno. ! 
Revezador. 

Mubinganu, adj. e sub. (I) Su- j 
plente j Que entra no lugar de ou- | 
tro qu falta. 1 sub. Sucessor; sub;- \ 
tituto. I V. kabinganu. 

Múbinge, adj e 8ub.(I) Suplican- 
tei; pedinte: — a maKezu \ Mend go 
I I Pednchão 

Múbinhi, sub. (11) Cabo:— ua poko 
\ Manivela , Extremidade por on 
de se pega. 

Múbinji, adj. e sub. il) Que cau- 
sa dificuldade | Embaraçadcr. 

Múbiri, adi. e sub. (I) Mártir: — 
ua kalandula. \ Pessoa quesof^e afli- 
ções, tormentos ou a morte por 
uma ideia t. u c^usa.jj Ferreiro da 
r.ȍa ou farn dos luangos. | V. pi. 
abiTÍ, 

Mubiri, sub. e adj: (I) Pastor; 
Criador de gado. | Guia. (II) bot. 
Planta de propriedades medicinais 
[adenia lobata) e fruto comestível