(navigation image)
Home American Libraries | Canadian Libraries | Universal Library | Community Texts | Project Gutenberg | Children's Library | Biodiversity Heritage Library | Additional Collections
Search: Advanced Search
Anonymous User (login or join us)
Upload
See other formats

Full text of "Glossário sucinto para melhor compreensão de Aquilino Ribeiro [por] Elviro da Rocha Gomes"

Gomes , El viro Rocha 

Glossário sucinto para 
melhor compreensão de Aquilino 
Ribeiro 



Ta 







^ 



I 



ELVIRO DA ROCHA GOMES 



Glossário Sucinto 

para melhor compreensão 

de 
AQUILINO RIBEIRO 




i,,..-*) <4C5fs(re. 42 . P0BT03 C,«ua da ConceiÇ*2i--' ^^Ê 



Gl 



ossário 



Sucinto 



para melhor compreensão 

de 
AQUILINO RIBEIRO 



COMPOSTO fc IMPRESSO NA 
EMPRESA INDUSTRIAL GRÁFICA DO PORTO, LIMITAllA 

EDIÇÕES MARÃNUS 
174, R. MÁRTIRES DA LIBERPAOE, 178 » TEI.EP. 205C4 



ELVIRO DA ROCHA GOMES 



^ Glossário Sucinto 



4 



para melhor compreensão 

de 

AQUILINO RIBEIRO 






^ 




% proça D. r .uT^ ^Zy~^ 




>£5rre. 4^ ■ PORTO 




t «ua da ConceiÇí^iiJ.-— 







■■<¥ 



>i 



Nota prévia 



Aquilino Ribeiro é com toda a justiça considerado um 
dos maiores escritores vivos de Portugal. Contudo^ embora seja 
largamente lido, nem todos o compreendem inteiramente: o 
homem da cidade desconhece certos termos regionais relativos 
a actividades e coisas dos meios rurais, o que vive na aldeia nem 
sempre percebe a gíria política e fraseado alusivo da capital, 
e uns e outros também não desprezarão uma que outra ajuda 
em expressões estrangeiras ou mesmo portuguesas caídas em 
desuso. 

Este glossário é um pequeno livro destinado ao homem 
médio, e espero que a ajudará a compreender e apreciar melhor 
a obra aquiliana, servindo até, se possível, para aumentar mais 
ainda o número de leitores deste autor, tão valioso de tantos 
aspectos além do linguístico. 

Como pretendi fazer um glossário curto e prático e não 
■um elucidário erudito destinado a especialistas de linguagem, 
omiti transcrições, chamadas e divagações que evidentemente 
prejudicariam o fim em vista. No entanto, não me furtei a 
apresentar vários significados para cada palavra, desde o 
próprio, quando necessário, ao mais afastado dele, porque é 
mesmo Aquilino Ribeiro que diz em «Lápides Partidas», no 
prefácio, que «as palavras são dotadas de tantas qualidades 
quantas as intrínsecas ao desfrute dos cinco sentidos». 

Pressupondo ainda que se partirá dos livros de Aquilino 
para o glossário e não deste para aqueles, transcrevi os vocá- 
bulos tal como os encontrei para mais facilmente serem encon- 
trados. 

E. R. G. 



Abacelar a terra — plantar nela bacelos; 
cobrir as raízes das plantas. 

Abafadoiro — esconderijo. 

Abafarete — segredo sobre um escân- 
dalo. 

Abássico — relativo à Abissínia. 

Abegão — homem de lavoura; carpinteiro 
de carros; caseiro; quinteiro. 

Abegoaria — barracão de lavoura; trem 
de lavoura; trabalho rústico. 

Abendiçoado — abençoado. 

Abibe — ave pernalta. 

Abiscoitar-se — governar-se. 

Abispar — conseguir, obter. 

Abitolado — gordo; nédio. 

Ablação — extirpação, abandono, arre- 
batamento. 

Abocada (pistola) — apontada, assestada. 

Aboiz — armadilha para caçar pássaros 
e coelhos. 

Abolição — apatia. 

Abolido — quieto, parado (ar). 

Abolorecer — esperar muito (a ponto de 
ganhar bolor). 

Abortadeiras — mulheres que fazem 
abortos. 

Abosteirado — quieto, paralisado. 

Abrasido — ardente (alma). 

Abroeirado — apategado. 

Ab-rogar — anular, revogar, abolir. 

Abrótano — erva fibrosa e odorífera. 

Absconsamente — a ocultas, de lado, de 
esguelha. 

Absolutória — perdão, absolvição. 

Abundoso — abundante. 

Abusão — uma coisa por demais. 

Açafata — camareira. 

Acalcanhado — humilhado, pisado, opri- 
mido. 

Acalcanhado dos maus tratos de nas- 
cença — com mau aspecto, torto de 
corpo. 

Acalchinado — humilhado. 

Acalchinar a cerviz — abaixar a cerviz. 



Acanaviado — atormentado (com farpas de 
canas entre as unhas e os dedos). 

.\ capucha — sem dar nas vistas. 

A catrapós — em tropel. 

Acelgas — planta de folhas grandes, cul- 
tivadas em horta. 

Aceniscar (de olhos) — piscar, catra- 
piscar. 

Acepilhar — polir, aplainar com cepilho. 

Acervo — montão, grande quantidade. 

Ach, ach, verboten (Al.) — ai, ai I proi- 
bido! 

Achalandado — provido, guarnecido, mo- 
bilado. 

Achamboado — tosco, grosseiro. 

Achamboaria — alfaias agrícolas de ma- 
deira; coisas toscas, grosseiras; car- 
pintaria. 

Achavascada (pessoa) — rude. 

Acincho — rodela para fazer queijo. 

Aclive — ladeira, declive. 

Acoimar — acusar. 

Acolheita — local de refúgio, asilo. 

Acolhida — acolhimento, recepção. 

Acomodo — alojamento, leito. 

Acontiado — vassalo às ordens do rei, 
com armas e cavalos para o defender. 

Açougada — algazarra, carnificina. 

Acrata — anarquista. 

Acréscimos — febres, mal-estar (femi- 
nino). 

Acrotério — base de estátuas ; enfeite 
em topo de edifício; pedestal que o 
remata. 

Açudada (de público) — ondas de gente. 

Adaião — deão, dignitário da igreja que 
preside ao cabido. 

Adail — oficial de guerra que conhecia 
muito bem matas e caminhos ocultos. 

Adamítico — primitivo, ancestral, do 
tempo do pai Adão. 

Adarve — caminho empedrado ao largo 
de fortaleza; muralha. 

A-decima — à superfície, à tona. 

Adeito — reunião de 25 estrigas de linho. 



ADE 



3 



ALE 



Adem — uma ave palmípede, como o 

pato. 
Adipes — gordura. 
Adito — entrada: sala secreta. 
Adjunto — adventício, chegado de fora, 
ajuntamento; taberna; barraca de vi- 
nho. 
Adjiitório — presente para captar a sim- 
patia da pessoa a quem se pede mercê. 
Adminículo — auxílio, hipótese, enfeites 
à volta das medalhas. 

Admonenda — admoestação, recomenda- 
ção, reprimenda. 

Adobe — seixo dos rios; tijolo cru; la- 
drilho; material de construção feito 
de barro. 

Adónio — Verso de dois pés. 

Adrega — metediço, andarilho, topa-a- 
-tudo; homem que muito porfia; in- 
trujão. 

Aduares — • aldeias de pastores, acampa- 
mentos moiriscos. 

Adueiros — pastores de vários rebanhos; 
distribuidores de água. 

Adufes — pandeiros com guizos. 

Advenientes — que chegam, que se apro- 
ximam. 

Aeração — levitação, subida ao ar. 

Afirmar-se — olhar bem, fixar a vista. 

Afitar a orelha — pô-la em riste. 

Afogo — ânsia, sufocação, auge, ponto 
máximo. 

Aforar — dar ou receber como foro, 
arrendar. 

Africas — proezas, façanhas. 

A furta passo — furtivamente, em bicos 
de pés. 

Aga — dignidade militar entre os tur- 
cos. 

Aganado — murcho, ofegante (com a lín- 
gua de fora). 

Aganão — um rato. 

Ágape — banquete. 

Agarradiço — que facilmente se prende 
e a custo se desprende. 

Agarranchados — arranchados e agarra- 
dos uns aos outros. 

Agiógrafos — os que escrevem sobre a 
vida dos santos. 

Agros — terrenos cultivados: campos. 

Aguazil — antigo funcionário da justiça; 
esbirro. 

Aguços — dinheiro. 

Aiveca — peça de arado que aparta a 
terra. 

Ajudengado — fazendo lembrar um ju- 
deu, judaizado. 

Al — algo; outra coisa. 

Alabanca — ein alabança deles: em honra 
deles, para gozo deles. 

Alabarar — morrer; ofuscar; queimar. 

Alagoeiro — poça; muita água entorna- 
da; charco. 

Alambrado — inundado, revestido de 
alambras (álamos bravos). 

Alambre — âmbar; álamo-negro; esper- 
to, vivo. 



Alamões — alemães. 

Alampanhado — lambusado; manchado. 

Alampanhado de sol — inundado de sol, 
banhado de sol. 

Alanção — repelão, esticão. 

Alanzia — Bola oca cheia de flores que 
se atirava nas antigas cavalhadas. 

Alanzoado — arrazoado, falar desconexo. 

Alanzoar — falar pelos cotovelos, fanfar, 
tagarelar, arrazoar. 

Alanzoeiro — algazarra, conversa sem 
fim. 

A la page — em dia com a moda e o 
progresso; actualizado. 

Alapar-se — agachar-se; esconder-se. 

Alar — içar, puxar. 

Alaúde — espécie de guitarra. 

Alavelas — mentiras. 

Albarrã — torre de vigia. 

Alburno — parte mole do lenho; entre- 
casco. 

Alcáçova — fortaleza, fosso, presídio, ci- 
dadela. 

Alcaçuz — planta medicinal, raiz da re- 
goliz. 

Alcaiota — alcoviteira. 

Alcaiote — • alvissareiro, alcoviteiro. 

Alcandor — sítio íngreme, a pique. 

Alcanzia — espécie de antiga granada 
de mão. 

Alçaprema — tenaz, alavanca, barrote a 
pino; pedra onde se firma a ala- 
vanca para levantar pesos. 

Alçapremado — oprimido, apertado, le- 
vantado com alçaprema. 

Alcaravão — ave pernalta (de arribação). 

Alçaria — casa campestre para guardar 
alfaias agrícolas, planta que nasce nas 
areias. 

Alearraza (Esp.) — -espécie de bilha. 

Alcatifas — tapetes. 

Alcatruzes — botifarras, sapatorras. 

Alceiro — lesto, leve, lépido, desemba- 
raçado. 

Alcobaça — lenço grande, de cores gar- 
ridas. 

Alcofetas — alcoviteiras. 

Alcouce — lupanar, casa onde há rela- 
ções ilícitas, bordel. 

Alcricotes — enredos de nada, passadas, 
coices. 

Alcriquetes — pequenos serviços, reca- 
dos. 

Aldemenos — pelo menos, ao menos. 

Aldrabar — bater com aldraba de porta. 

Aldrúbia — mulher intrujona, sem ver- 
gonha. 

Aleatório — eventual, casual, contingen- 
te, dependente do acaso. 

Alegrório — alegria (produzida por vi- 
nho). 

Alembrete — aviso, pequeno presente, 
lembrança. 

.Alencão — puxão. 

Aléo — vara, alívio. 
Aleta — asa de nariz. 



ALe 



AMI 



Aléa — descanso, alívio ; vara de jogar 
a choca. 

Alevante — balbúrdia, tumulto, alvoroço. 

Alexifármaco — remédio contra venenos 
infíerido.s. 

Alfândeg:a — hospício, estalagem, muita 
ííenlc junta, muita criadagem. 

Alfavaca — planta aromática. 

Alfeninít — peraltas, dengues, amaneira- 
dos. 

Alfaqueques — emissários. 

Alfobre — viveiro, leira. 

Alfombra — tapete, campo relvoso. 

Alforjar — guardar em saco grande. 

Alforge — ventre. 

Alforreca — estrangeirado, afectado. 

Algarada» — incursões, vozearia. 

Algarões — grandes cavernas. 

Algares — barrocas, covas, sumidouros, 
grutas, atoleiros. 

Álgebra — arte de tratar ossos partidos, 
ortopedia. 

Algebrista — endireita; cirurgião que 
consefta ossos fracturados. 

Algeroz — cano de escoamento de águas 
do telhado. 

Algibebe — vendedor de fatos feitos. 

Alheta — encalço, peugada. 

Alibi — justificação de ausência dum lu- 
gar pela presença noutro. 

Alicantína — trapaça, vigarice, falca- 
trua. 

Allcantineiro — velhaco, manhoso, tra- 
paceiro. 

Alifafe — tumor nas pernas das bestas. 

Alígero — alado, lépido, veloz. 

Alimpar — podar. 

Aliquota — partf contida um número 
exacto de vezes num todo. 

Alizares — guarnições de madeira em 
portas ou janelas. 

AIjorques — chocalhos ou campainhas 
dos pescoços das bestas. 

Alie aussteigen (Al.) — Saiam todos! 

Allure (Fr.) — andamento, comporta- 
mento, ar. 

Almácega — tanque pequeno das noras. 

Almadraque — enxergão, manta, coxim, 
almofada, alcatifa. 

Almagre — argila vermelha. 

Almargeal — campo de pastagem, la- 
meiro. 

Almarge — prado. 

Almenaras — fogos artificiais nas torres 
para dar sinal de perigo. 

Almiscarado — cheiroso, perfumado (de 
almíscar, óleo extraído de certas mal- 
vas ) . 

Almocadem — chefe, capitão, guia de 
exército. 

Almoeda — venda em público, leilão. 

Almofia — prato de barro vidrado ou 
não, grande e relativamente fundo. 

Almograve — antigo soldado que entrava 
em expedições contra os Mouros. 

Almojávenas — um doce de ovos, fari- 
nha, queijo, etc. 



Almorreimas — hemorróidas. 

Almofaeé — distribuidor de água, fiscal 
de pe.sos e medidas. 

Almoxarife — administrador da fazenda 
real. 

Almuinha — quintal, cerrado, horta. 

Almuade — mouro que do cimo da torre 
da riie.s(iuila chama os fiéis à oração. 

Alor — impulso, bafo, estímulo. 

.'\Io8na — uma planta lenhosa. 

Alpendurada — alpendre a todo o com- 
primento da casa e sobre colunas. 

.Alpendurar os olhos — protegê-los con- 
tra a luz. 

Alpoldras — pedras para passar sobre 
uma corrente de água; passagem. 

.41quicé — capa mourisca. 

Alquile — aluguer de bestas ; negócio 
de alquiladores; alcovitice; recadinho; 
frete. 

Altívolo — que voa alto; sublime. 

Alvaroque — uma pinga; mata-bicho; be- 
bida. 

Alvarrã — torre de vigia. 

Alvas — vestes talares para o padre di- 
zer missa 

Alvacim — tecido de seda muito fresco 
e branco. 

Alveo — fundo de ribeiras e rios; abri- 
go; escavação; leito de rio. 

Alvoriçado — assustado, com os cabelos 
em pé. 

Amadornado — dormente, mole, amodor- 
rado. 

Amadriades — divindades dos bosques. 

Amalhoadas — reunidas em magote. 

Anialhoar — recolher o gado. 

Amarelinhas — libras. 

Amaridadas — acasaladas, amantizadas. 

Amarras — protectores, bons padrinhos, 
'■cunhas». 

Amarujado — com gosto amargo, molha- 
do, regado. 

Amarujento (terreno) — estéril, como se 
estivesse salgado. 

Amassagados — aglomerados, misturados 
uns por cima dos outros, em confu- 
são. 

Amaurose — enfraquecimento da vista. 

.4mavios — filtros de amor, arrulhos, en- 
cantos. 

Amba — penedo inabordável da Etiópia. 

Âmbula — vaso dos santos óleos. 

Ameijoada — noite de vigília à espera 
de caça, a trabalhar, a jogar; redil. 

Amenidades — deferências, cortesias. 

Amentilhos — espécie de espigas de plan- 
tas (inflorescência de flores unisse- 
xuais). 

Americano — carro de transporte de pas- 
sageiros que havia em Lisboa. 

Amesendar-se — sentar-se à mesa, refas- 
telar-se. 

.4metade — metade. 

.Amigalheiro — com muitas deferências e 
gestos de camaradagem. 



A Ml 



10 



ARI 



Ámigros de cama e pncarinho — que vi- 
vem a expensas de; que comem à 
custa de. 

Amical — de amigo, como os amigos. 

Amicto — véu branco que o sacerdote 
coloca sobre os ombros por baixo da 
alva. 

Amoçadela — apalpão em moça. 

Amorhilar — esconder, guardar, comer. 

Amoral — ■ independente da moral co- 
mum. 

Amorio — inclinação amorosa, efervescên- 
cia amorosa efémera, benevolência, 
afecto, inclinação. 

Amorticar — tornar-se mortiço, apagado, 
pouco visível. 

Amossadeira — mulher que estriga o 
linho, que o torce e bate antes de ser 
espadelado. 

Amouco — homens que desprezam a vida, 
que a arriscam pelos chefes, servis. 

Amoujo — teta. 

Anacado — revolvido, misturado, con- 
fuso. 

Anaçar — misturar, juntar, mexer (ovos). 

Anadel — antigo capitão de besteiros. 

Anágua — saia rodada, saiote de baixo. 

Anainho — pequenino, que não cresceu. 

Anariano — que não é ariano. 

Ana.stomose — junção de canais ou de 
sangue. 

Anchura — largura. 

Ancila — serva, escrava. 

Aneoreta — barril de forma achatada. 

Andaços — epidemia pouco grave que 
grassa em certas épocas do ano. 

Andaina — fato de bater. 

Andanhos — cantos, lugares por onde 
se costuma andar. 

Ãndito — lugar, trajecto. 

Andonilles (Fr.) — palermas. 

Andrógino — que tanto é macho como 
é fêmea. 

Andróide — semelhante a homem; fan- 
toche. 

Andurriais — lugares afastados, trilhos 
distantes, andanças por montes e va- 
les. 

Anegralhado — a fugir para preto, com 
aspecto de negro. 

Anélito — alento, desejo, bafo. 

Anequim — peixe corpulento parecido 
com o tubarão. 

Aneurisma — dilatação arterial, tumor. 

Angelus — ave-marias. Trindades. 

Angor — angina (de peito), ânsia, ago- 
nia, angústia. 

Angreta — pequena agra; ancoradouro. 

Aníilação — aniquilamento, anulação. 

Anima vagula, blanduda (Lat.) — alma 
errante, vadia. 

Anódino — inofensivo, sem importância, 
sem interesse. 

Anojadiço — enjoativo; que causa tédio; 
assomadiço, agastadiço. 

Ansa — asa. 



Anspecada — antiga graduação militar, 
inferior à de 1." cabo. 

Anta — pele de antílope, de tapir. 

.Antifaz — máscara. 

Antiopa — insecto lepidóptero; uma bor- 
boleta; mulher de cinta estreita; seri- 
gaita; prostituta. 

Antístite — bispo. 

Antojo — aparência, capricho. 

Antonomásia — epíteto, alcunha. 

Anulo — pequeno anel. 

-Apagadiço — que está dando muito pou- 
co brilho, que custa a manter-se aceso. 

Apagear — ajudar, seguir, lisonjear. 

Apancado — tolo, idiota, com pancada. 

.4 pas d'oie (Fr) — a passo de ganso. 

Apeanha — pedal do tear. 

Apeguilhar — pôr defeitos, provocar. 

Apeiro — jugo, trem de lavoura; equipa- 
gem de caça; ferramenta de ofício. 

Apeiria — apetrechos de lavoura. 

Apendoar — deitar bandeira (o milho). 

Aperiente — aperitivo. 

Aperrunhar — oprimir, derrancar. 

Apesunhar — prender, paralisar, pear, 
calcar com o pesunho (pé de cão, pé 
disforme). 

Apieçado — probilado. 

Apisoar — calçar, pisar, bater o pano 
com o pisão. 

Apodrentar — ir apodrecendo. 

Apostila — aditamento, observação à 
margem, anotação. 

Apremiante — ■ apressador, que força, que 
comprime, premente. 

Aprisco — recinto vedado onde o pas- 
tor deixa o gado enquanto vai traba- 
lhar. 

Aqneibar — cortar o caminho à rês es- 
parvada. saindo-lhe pela frente («Uma 
luz ao longe»). 

Arábico — da Arábia 

Arada — terra lavrada, jeira. 

Arame — dinheiro. 

Aramista — equilibrista, funâmbulo. 

Aranheira — teia de aranha. 

Arava — uma fruta brasileira. 

Arávia — algaraviada, lenda. 

Arcabujar — arfar. 

Arção — parte da sela do cavalo. 

Arcaz — arca grande. 

Arce — supra-sumo, o melhor, perfeito, 
topo; cidadela, lugar elevado, altura. 

Ardego — assomadiço, irritável, fogoso. 

Aréola — círculo envolvente (da Lua, 
por ex. ). 

Arfadoiro — ruído da caixa torácica. 

Argalha — graveto, palhas, penugem, coi- 
sas miúdas. 

Argalho — uma palheira; argueiro; ares- 
ta do cereal. 

Argos — indivíduos sempre vigilantes, 
«com cem olhos». 

Arieta — cantiga. 

Aríete — carneiro. 

Aringa — campo fortificado na África. 



ARI 



11 



AVA 



Ariosca — manigância, tramóia, armadi- 
lha, marosca. 

Armarinho — pequena casa de negócio. 

Armar (v. t.) — tentar convencer. 

Armoriai — livro de registo dos bra- 
sões. 

Arme» Tier (Al.) — pobre animal. 

Arneiro — courela, terra pequena, terra 
a monte, propriedade pouco fértil. 

Arnelas — restos de dentes; partes do 
madeiro. 

Arnica — planta medicinal, remédio dessa 
planta. 

Arola — tramóia, mentira. 

Arolo — torrão, madeira podre. 

Arolo (cabeça de) — cabeça de vento. 

ArómataN — perfumes fabricados de ve- 
getais. 

Arpentagem — agrimensura, nifdida de 
terreno. 

Arquibancos — bancos compridos e com 
costas, cuja assento serve de tampa 
a uma longa caixa. 

Arquimundrita — abade de mosteiro. 

Arrabil — antiga rabeca mourisca. 

Arraia — povo. 

Arraigada — língua, cabo, local de in- 
serção. 

Arrangamalho (cabeção de) — às três 
pancadas. 

Arrebunhar — arranhar, rapar. 

Arrefetar — lançar em rosto, regatear, 
animar, corroborar, refazer forças. 

Arregoar — gretar. 

Arreltar — excitar sexualmente. 

Arrelampar — brilhar, pasmar. 

Arrelampado — assarapantado, assombra- 
do, muito admirado. 

Arreligioso — que se mantém à margem 
das religiões. 

Arremangado — arregaçado. 

Arremengar — arregaçar as mangas. 

Arresto — apreensão, penhora, embargo. 

Arret«m I — parem I Vão para trás ! 

Arretes — pequenos muros para prender 
as terras. 

Arribana — cabana, choupana, palheiro, 
curral. 

Arrifador — podador. 

Arrifar — mostrar-se brioso. 

Arriosca — logro, cilada; falcatrua. 

Arrojadiço — destemido, temerário. 

Arrotear — desbravar, arar, roçar. 

Arruado — traçado de ruas. 

Arrufar — aparecer, sair de, encres- 
par-se. 

Arsenical — produto derivado do arsé- 
nico. 

Arte — jogo de apetrechos profissionais; 
aparelho de pescar. 

Artemísias — plantas herbáceas de sa- 
bor amargo. 

Artesões — lavores emoldurados, orna- 
tos do tecto. 

Artola — estróina, valdevinos, janota, 
sem juízo, marau. 



Artus — parte da perna. 
Arúspice — adivinho, vaticinador. 
Ascetério — ■ sítio onde vivem os ascetas. 
Ascua — tição incandescente, brasa, al- 
tercação. 
Asperges — aspersão de água benta, his- 
sope. 
Áspide — víbora, pessoa má. 
Assa-fétida — planta de aplicação me- 
dicinal. 
Assarampado — vitimado pelo sarampo. 
Assecla — sectário, parcial, imitador. 
Assessor — adjunto, auxiliar. 
Assoalhado — cheio de sol. 
Assonância — semelhança de sons. 
Assuceder — suceder. 
Astícot (Fr.)— isca de larva, varejai. 
Astilha — estilhaço. 
Astracam — pele de carneiro com pêlo 

frisado. 
Astróligo — «espécie de Borda-d'Água, 
conselheiro de actividades da lavoura» 
— Terras do Demo. 
Astroso — funesto, sob a influência duma 

má estrela; abjecto; maltrapilho. 
Atafaia — retranca franjada. 
Atafais — correias de burros, bugigan- 
gas, roupas de crianças. 
Ataíoneiro — moleiro (de atafona, moi- 
nho accionado por homem ou besta). 
Atamancar — engrolar, intrujar, remen- 
dar consertar mal. 
Atanado — cabedal, mulher feia; curtido 

com casca de carvalho; trigueiro. 
Atascadeiro — chafurdeiro, monturo. 
Ataxia — falta de coordenação dos movi- 
mentos. 
Ateimar — teimar. 
Atença — confiança. 
Atrabilis — mau humor, melancolia. 
Atrido — compungido, magoado. 
Atritivo — desgastante, esgotante. 
Atro — negro, tenebroso, medonho. 
Atropelado — em tropel, desordenado. 
Atrolhamento — cava superficial da 

terra. 
Atupir — tapar. 
Auferendas — lucros a receber, ganhos, 

paga, féria. 
Auges — despropósitos, acerbas recrimi- 
nações. 
Ãulico — cortesão, palaciano. 
Aulido — uivo, gemido, latido; grito. 
Auricaleo — metal antigo, hoje desconhe- 
cido. 
Auricus — pirilampo. 
Auriga — cocheiro. 

Auroque — boi selvagem antigo, hoje ex- 
tinto. 
Augures — augures, adivinhos, vaticina- 

dores. 
Autolatria — adoração de si mesmo. 
Automedonte — cocheiro hábil, condutor 

de carruagem. 
Avantar — ir-se embora imprevistamen- 
te; empurrar. 



AVA 



12 



BAG 



Avante — à frente. 

Avariose — sífilis. 

Avatares — caprichos, transformações, 
vicissitude», 

Avelar — secar. 

Avelório — missanga, ninharia. 

Aventar — dar com alguma coisa, entre- 
ver, farejar, pressentir a existência de, 
suspeitar. 

Avezado — atreito, acostumado. 

Avezar — ter. 

Avo — partícula, insignificância. 

Avocar — invocar, atrair. 

Avondado — farto, rico. 

Axe -^ feridinha. 



Azabachero (Esp. ) — que trabalha com 
azeviche (faz berloques e outras pe- 
ças de adorno). 

Azabiimbante — obsidiante, obcecante, 
atordoador. 

Azangar — g-alfíar, irritar. 

Azargunchada — cacetada. 

Azebre — finura, malícia, gaiatice. 

Azemel — moço de mula, almocreve. 

Azereira — uma árvore parecida com o 
louro. 

Azevieiro — esperto, finório. 

Aziúme — azedume. 

Azoratado — apatetado, assarapantado. 

Azoufífue — pessoa endiabrada, ladina. 

Azuago — um povo africano. 



Babaréu — alarido, aJarme, surriada, 
vozearia. 

Babuchas — pantufas, chinelos 

Bacinete — uma parte da armadura que 
cobria a cabeça. 

Baeorejou-se — constou, disse-se. 

Badalhocas — bolas pendentes, borlas, 
alsro semelhante semelhante a badalos 
(ou badalhos). 

Badana — ovelha negra e magra. 

Badanai — lufa-lufa, barafunda. 

Badanas — anexos pendentes do vestuá- 
rio ; as abas ; tanger as badanas — 
vaguear. 

Badistão — entreposto, mercado. 

Badulaque — guisado de carne, comida 
gordurosa ou rançosa. 

Baedecker — guia turístico. 

Bafoeira — prolongado e largo bafo. 

Bagalhota. bago — dinheiro. 

Baguette (Fr.) — vara, tubo. 

Bailéu — obra ressaltada em embarca- 
ção. 

Baixel — pequeno navio ou embarcação. 

Bajoujo — baboso, bajulador, palonso. 

Balancear — hesitar. 

Balandrau — capa de capuz e mangas 
largas, capa de irmã de misericórdia; 
opa. 

Balastro — areia e pedrisco que envol- 
vem as traves da linha férrea. 

Balda — mania, defeito, pecha, fraco. 

Baldoar — vociferar, falar muito e em 
voz alta, gritar com despropósito, in- 
sultar. 

Baldorneira — mulher ordinária. 

Balegões — botas de cano alto. 

Baiona — amplo trajo do séc. XVI. 

Baiordo — bronco, grosseiro, sujo, pesa- 
dão. 

Balsa — salgadeira, mato, silvedo. 

Balsão — estandarte, pendão, insígnia. 



Balso — cabo a que se dá um nó para 
apoio de homens que trabalham em 
navios. 

Bambalear — bambolear, gingar, menear, 
titubear. 

Bambinelas — cortinas. 

Bamburral — lugar pantanoso com muita 
erva. 

Banazola — lorpa, mole, timorato. 

Bandagem — faixa, cinta. 

Bandeira — inflorescência masculina ter- 
minal. 

Bandoga — barriga. 

Bandouga — barriga, bandulho. 

Banza — viola dos Negros. 

Banzo a banzo — cautelosamente. 

Banzo — peças paralelas para fixar os 
degraus das escadas de mão. 

Baobab — árvore tropical. 

Baqueta — pau de tocar tambor. 

Báratro — abismo, sorvedouro, inferno. 

Barbacã — muro baixo em frente das 
muralhas. 

Barbeito — primeira lavra de terreno: 
muro divisório. 

Barbela — corrente de relógio; papada; 
pele do pescoço do boi. 

Barbilho — acame de corda, cordão de 
anafaia. 

Barbilhões — saliência carnosa por bai- 
xo do bico dos galos. 

Barbiponente — que principia a ter 
barba. 

Barbouiller (Franc.) — borrar, pintar 
mal. 

Bardacho — tipo, gajo. 

Bardino — estróina, velhaco, vingativo. 

Bardo — redil; poeta. 

Barganha — trapaça, transacção cavilosa, 
pequeno negócio. 

Baganha — invólucro capsular das se- 
mentes do linho. 



BAR 



13 



BOE 



Bargantão — rapinante, de maus costu- 
mei!, malandro, biltre, libertino. 

BanKanteria — libertinagem, voluptuosi- 
dade. 

Bargante — meliante, biltre. 

Barjuleta — mochila de couro, saco. 

liuronêM — barão. 

Barregão — amancebado, amigado. 

Barriga — de b. à boca: grávida; deitar 
a b. — parir. 

Barrigão — pança. 

Barrosela — local barrento, lameiro. 

Basculhagem — limpeza com basculho; 
pesagem de grandes fardos; esquadri- 
nhamento. 

Basculho — vassoura de limpar o forno, 
a eira, etc. ; mulher ordinária. 

Basilisco — canhão, serpente venenosa. 

Bastardinho — espécie de caligrafia de 
tipo miúdo; casta de uva. 

Bastio — moita espessa. 

Batatear — Dar muitas batatas a comer. 

Bate-folhas — latoeiro. funileiro. 

Bateia — gamela de lavar minério. 

Batoteado — viciado (cartas de jogar). 

Baturro — pesado, bronco. 

Baxá — paxá. 

Bazariigo — homem muito gordo. 

Bazulaque — guisado de fígados e bo- 
fes; honu-m gordo e baixo. 

Bebedona — bêbeda, embriagada. 

Beca — veste talar, túnica, toga, capa 
dos magistrados. 

Beduíno — árabe do deserto, selvagem, 
brutal. 

Beetria — povo que pode escolher livre- 
mente os senhores, desordem, confu- 
são. 

Béguin (Fr. ) — pai-xoneca, namorico. 

Beija-me-o-cu — gato-sapato, trinta por 
uma linha, descaramento. 

Beijinho — búzio, medronho. 

Beleguim — oficial de diligências, agen- 
te policial, meirinho. 

Belfas — bochechas. 

Belfurinha — tenda, venda ambulante. 

Belfurinhar — fazer vendas por miúdo 
e em sítios vários. 

Belfurinheiros — tendeiros, vendedores 
ambulantes, bufarinheiros. 

Belga — courela, leira, secção de semea- 
dura. 

Belros — lã depois de cardada e car- 
meada. 

Beluário — tratador ou domador de fe- 
ras. 

Belveder — terraço, mirante. 

Benditosa — feliz. 

Benjoim — resina aromática usada em 
produtos farmacêuticos. 

Beócio — estúpido, ignorante. 

Berbequim — instrumento perfurador. 

Berberesca, à — .■ à maneira dos Berbe- 
res. 

Berças — caldo verde, couves cruas ou 
cozidas. 

Berceuse (Fr.) — canção de embalar. 



Berço — antiga peça de artilharia. 
Bergantim — pequena embarcação de 

vela e remo. 
Berimbau — instrumento sonoro; ou be- 
rimbau é gaita: ou a lógica é uma ba- 
tata. 
Berregar — balar, chamar em voz alta. 

gritar. 
Berrelho — leitão. 
Bertoldo — palerma, brutamontes. 
Besantes — peças circulares de alguns 

brasões, moedas antigas. 
Bestiários — gladiadores que lutavam 
contra as feras entre os Romanos; 
jaulas onde estavam essas feras. 
Beta — lista, veia, mancha. 
Bezoártico — contraveneno. 
Bicanca — nariz grande, penca. 
Bichancros — gestos ridículos dos namo- 

lado.s. ademanes, trejeitos. 
Bierhaus (Alem.) — cervejaria. 
Bigorrilha — homem desprezível, pulha, 

sujo, sem importância. 
Bilhestres — dinheiro. 
Bilontra — velhaco, pelintra, intrujão. 
Binar — dizer missa em duas igrejas. 
Birbantão — grande patife. 
Bisalhos — enfeites femininos de pouco 
valor; saquinho de jóias; biscatos; pe- 
quena porção de; vidrilhos. 
Bisbórria — pateta, homem de borra, 
trapalhão; pequena quantia, ridicula- 
ria. 
Bisca samarreira — jogo de cartas ron- 
ceiro, para as longas noites de in- 
verno das recuadas aldeias; passa- 
tempo; bisca samarreira revolucioná- 
ria: cominações e combinações sem 
elevação. 
Bispar — observar, divisar, enxergar, 
toscar, apanhar em flagrante, lobri- 
gar. 
Bispote — bacio. 
Bistrado (olhos) — escuros. 
Bistre — cor escura à volta dos olhos. 
Bistro — tinta de fuligem para aguare- 
las, que se emprega em vez de tinta 
da China. 
Bitácula — nariz. 
Bitale — estigma, rótulo. 
Bitte (Alem.) — Faça favor. 
Bizarria — galhardia, brilho. 
Blasé (Fr.) — que «armazenou filoso- 
fia para as conjecturas menos conjec- 
turáveis» — «Maria Benigna»; que não 
se impiessiona com nada. 
Blockhaus (Alem.) — casa forte. 
Bô — bom. 

Boa peseta — má rês, mau homem. 
Bocada — dentada, comida, pedaço. 
Bochada — bofe, fressura. 
Boche — alemão. 
Bodegana — bebedeira, boda. 
Bodum — mau cheiro, chulé, cheiro a 

bode. 
Boeíro — cano de água. 



BOF 



14 



BÚZ 



Bofelás — antiga lençaria de algodão 
muito fino, de origem asiática. 

Bófia — fereza, bravura. 

Boiadas — manadas de bois. 

Boisanu — homem gordo; manso; bom- 
-será.';; atraiçoado pela mulher; vento. 

Bois d'ébène (Fr.) — negro, escravo. 

Boiz — armadilha para pássaros e coe- 
lhos. 

Bolandeiro — que nunca pára em parte 
alguma. 

Boldrié— cinta de cabedal para suspen- 
der a arma. 

Boleto — alojamento. 

Bolina — escota, navegação à vela com 
ventos de lado. 

Bolónio — boçal, simplório, pobrete, pa- 
cóvio. 

Bombasina — tecido oriundo da Espanha 
a imitar veludo. 

Bombear — tirar à bomba. 

Bonachão — paciente, bonacheirão. 

Bon bouagre (Fr.) — pobre diabo. 

Bonde — carro eléctrico. 

Bondieuseries (Fr.) — beatice, casa de 
venda de paramentos. 

Bondoseiro — passa-culpas, bom-serás. 

Bonecras — <'castanhas chochas que lem- 
bram pela concavidade barcos molicei- 
ros» — «Cinco reis de gente». 

Bonne à tout faire (Fr.) — criada para 
todo o serviço. 

Bonzo — hipócrita, jesuíta, cara de pou- 
cos amigos. 

Boquejar — murmurar, fazer má língua. 

Bordagem — madeira que forma o bordo 
do costado do navio. 

Borjaea — saco de caldeireiro ambulan- 
te V. Burjaca. 

Bornido — lustroso, coçado. 

Borra (homens de b.) — cagarolas, de- 
generados. 

Borraçal — lameirão. 

Borraceiro — chuva miúda. 

Borracento — cor de cinza. 

Borraçudo — cauteloso, acanhado. 

Borrasqueiro — borrasca, tempestade. 

Borrifador — cone oco para aumentar a 
voz. 

Borzeguim — calçado até meia perna e 
com botões ou cordões. 

Boscagem — mata. 

Bosquedo — bosque. 

Bostiqueira — lugar onde há bostas, mu- 
Ihe suja e indecente. 

Botijada — coito. 

Botucudo — bronco, de pouco entedi- 
jnento. 

Bouquiniste (Fr.) — alfarrabista. 

Boustifaille (Fr.) — comezaina, papa- 
roca. 

Bouça — mata de pinheiros. 

Boucelado — esmurrado nos bordos, es- 
beiçado. 

Bout doré (Fr.) — de ponta dourada. 

Brasserie (Fr.) — cervejaria. 



Bragas — meias calcas de pele; a h7-a- 
.oas enxutas — sem dificuldade. 

Braldegar — mexericar, sujar. 

Brear — enegrecer, cobrir de breu. 

Brejo — matagal, paul, charneca, local 
alagadiço, desabrigado. 

Brejoeiro — fueiro, pau de carvalhiço. 

Brequefesta — zaragata, barulho, pânde- 
ga, comezaina. 

Breve — marca, atestado, bula. 

Brial — espécie de camisola que cobria 
os cavaleiros armados; vestido rico 
de mulher. 

Briche — espécie de saragoça, mas mais 
fino. 

Briol — vinho. 

Briolan,ja — briol, vinho. 

Brise-bise (Fr.) — cortina de vidraça. 

Bristol — pano grosso de lã fabricada 
em Bristol. 

Britain's rule (Ing. ) — lei da Grã-Bre- 
tanha. 

Brocardo — anexim, axioma. 

Brocatel — tecido de seda e prata a imi- 
tar o brocado. 

Broma — néscio, alvar, brutamontes. 

Bronzo — cor brônzea. 

Broquel — escudo, defesa, égide. 

Brotos — espigos, gomos, rebentos. 

Browning — espingarda; mancha casta- 
nha. 

Bruaca — mala de couro para pôr sobre 
cavalgaduras. 

Bruega — desordem, chuvisco, bebedeira, 
trabalho difícil. 

Brunir — polir. 

Brutesco — tosco^ grotesco. 

Bua — água. 

Biibchen (Alem.) — menino. 

Bucéfalo — rocim, cavalo, sendeiro. 

Búcio — baço, pouco transparente. 

Bueiro — cano de água. 

Buena-chira — boa comida. 

Bufaria — actividade policial. 

Buíarinhar — dar à língua. 

Bufo — polícia secreto, denunciante, es- 
pião. 

Bugiaria — ninharia, bagatela. 

Bulcões — rolos de nuvens negras. 

Bunda — nádegas, o traseiro. 

Burgesso — palerma. 

Burjaca — gabão, jaquetão, saco. 

Burranca — burro, estúpido, paspalhão. 

Burrinhar — gatinhar; de burrinhas: de 
gatas. 

Burro — feijão b. — feijão amarelo, fei- 
jão-manteiga. 

Bursátil — pertencente à bolsa, embol- 
sável. 

Bursunda — barafunda, pândega reles, 
orgia. 

Btirundanga — mistela, bodega, coisa 
mal cozinhada. 

Busilhão — muito dinheiro, roupa suja, 
tesouro. 

Butes — botas, botins. 

Búzera — pança. 



CAB 



15 



CAM 



('abato — virgindade, liimeií. 

Cabaia — vestido comprido, do seda, 
sem mangas, com gola alta, aberto de 
cada lado ao longo das pernas, e 
usado no Extremo Oriente. 

Cabaneiro — jornaleiro, trabalhador de 
maneio, braçal, aldeão, homem pobrei. 

Cabano — boi de hastes caídas. 

Cabeçalho — jugo de carro. 

Cabeçote — frente da locomotiva. 

Cabicanca — ave das lendas tradicionais. 

Cabila — tribus selvagens do Norte de 
Africa. 

Cabochão — pedra preciosa, ornato ou 
quinfiuilharia de forma arredondada. 

Caboclo — mestigo, sertanejo, cor de 
cobre. 

Cabonde — bastante. 

Cabra (s. m.) — maroto, rês, denun- 
ciante; cabra-mocha: sem chifres. 

Cabrazar — cabriolar, pinchar. 

Cabrejar — brincar, saltar. 

Cabredo — muitas cabras. 

Cábrea — guindaste. 

Cabroila — rapariga levada da breca; en- 
diabrada: mulher leviana. 

Cacaborrada — asneira, cagada. 

Caca d'oie (Fr.) — caca de ganso. 

Caçamba — balde preso a uma corda 
para tirar água do poço. 

Caçapo — coelho de leite, láparo, rapa- 
zote. 

Caçarreta — caçador fraco, caçador ama- 
dor. 

Catatua — catatua, cabeça de vento. 

Cai-hamorra — moca, cacete, clava. 

Cacheira — cajado, pau, moca. 

Cache-nez (Fr.) — cachené, lenço. 

Cachoceira — sova, pancada. 

Cachondice — tolice. 

Cachondo — dominado pelo apetite se- 
xual, patola, lorpa, lúbrico, com cia 

Cachucho — anel grosso ou com grande 
pedra. 

Caciz — sacerdote mourisco. 

Cadabulhos — bocados de terra onde o 
arado não chegou. 

Cadáver ainda morto — defundo ainda 
em celário. 

Cadeiras — quadris. 

Cadeirame — cadeiras várias. 

Cadeirinha — armação de madeira em 
forma de cadeira com recosto para 
transporte cómodo, sobretudo de se- 
nhoras, sobre o cavalo. 

Cadelo — cachorro, velhaco. 

Cadenílha — corrente, barbela, espigui- 
Iha, renda estreita que adorna guar- 
nições. 
Cadernílha — o mesmo que cadenilha. 



Cadeta — filha segunda. 
Cadilho — • cadarço, fio de prender, fím- 
bria, fi-anja; dar o cadilho: morrer. 
Cádis — magistrados mouros. 
Cafajeste — indivíduo sem préstimo; 

agressivo. 
Caftan — espécie de túnica dos Turcos. 

Cafurna — cafua, caverna, toca. 

Cagote — poedura de ovo, ânus de gali- 
nha. 
Caguinchas — cagarola, medroso. 

Caibradura — armação do telhado, ti-a- 
vejamento. 

Caibro — trave, peça sobre que assen- 
tam as vigas; peça da grade do carro. 

Caide — alcaide. 

Caimão — crocodilo. 

Cainçalha — cães, matilha. 

Cainhar — latir, ganir. 

('ainhez — sovinice, mesquinhez, ava- 
reza. 

Cainho ^ mesquinho, bruto, mau, so- 
vina. 

Caio — caiação. 

Caipora — um infeliz, pouca sorte, um 
desastrado (ente imaginário que no 
Brasil supõem dar má sorte). 

Cairel — fita, orla, vasilha grande; no 
cairel: à beira de. 

Calador — tripulante que deita a rede 
ao mar. 

Calaíte — agafite (mineral). 

Calamocada — pancada, derrocada, ter- 
remoto. 

Calão — • indolente, boémio, cabo de rede. 

Calatra — rameira, descarada, reles. 

Calcedónia — variedade de quartzo crip- 
tocristalino finamente fibroso. 

Calceta — grilheta, forçado, condenado. 

Calçonicos — pequenos calções. 

Caldeirinha — vasilha de água benta. 

Cale — calha, rego, calheira. 

Calema (ou melhor: salema) — um pei- 
xe ; saudação. 

Calhastroz — mulherão, estafermo. 

Calhoada — pedrada. 

Calimba — primeiro enredo do saco na 
xávega. 

Calistagem — os calistos. 

Caloio — manhoso, saloio, crava, calo- 
teiro. 

Calondro — cabaça, melão outoniço. 

('alvo — evidente, visível. 

Camândulas — contas de rosário. 

Câmara (de sangue) — fluxo, hemorra- 
gia. 

Camarinheira — árvore frutífera de ter- 
renos art nosos. 

Camba ^ peça curva para formar roda 
de carro. 



CAM 



Ifi 



CAR 



Cambai — anteparo; resg^uardo om torno 
da mó do moinho: longe dos cambais 
do inundo: onde não se seja visto. 

Cambaio — de pernas tortas, cambado. 

Cambalheira — corrente de pendurar. 

Cambão — haste para accionar a mó so- 
bre a moenda; peça de pau junta ao 
cabeçaliio do carro tirado por mais 
de uma junta; pau que lifía o animal 
à nora; cambado. 

Cambapé — rasteira, cilada. 

Cambulhada — uma certa porção, con- 
fusão, agrlomerado. 

Camelete — grande peça de artilharia 
usada antig^amente. 

Camomilha — planta boa para infusões, 
macela. 

Camomlongos — ratos pequenos. 

Camorra — associação de malfeitores, 
conluio. 

Campana — campainha; capitel em for- 
ma de sino; guarnição sobre o dos- 
sel donde pendem campainhas. 

Canada — atalho, carreiro; resguardo à 
beira de rios; azinhaga; caminho 
estreito. 

Canarim — lavrador das proximidades 
de Goa. 

Cancha — medida de superfície (da lar- 
gura das pernas escanchadas). 

Candeio — fogaréu. 

Candíl — candeia para atrair peixe à 
noite, cristal, açúcar cândi, farinha 
para pão alvo. 

Candonga — contrabando, cortesia falsa. 

Caneleiro — instrumento para fazer ca- 
nelas (maçarocas de estopa, linho 
ou lã). 

Cangaceiro — salteador, candongueiro. 

Canganho — engaço. 

Canhão — tubo, cano. 

Caniço — palhas, espigueiro, armação 
para fumar enchidos. 

Canif recha — espingarda velha. 

Canónica — regrada, de bons costumes. 

Canos — abafos de mulher, adereços. 

Canutilhos — tubos de vidro em vesti- 
dos de mulher. 

Cantaril — vento dos lados de Cântaros 
(da Serra da Estrela). 

Cantarino — cantador, amigo de cantar, 
cantor de teatro. 

Canfés — oxalá. 

Cantineira — taberneira, vivandeira, ven- 
dedeira de vinhos em arraiais. 

Capadócio — palerma. 

Capanga — valentão, guarda-costas. 

Capela — pálpebra. 

Capenga — coxo, torto. 

Capilota — tareia, estafa. 

Capinador — mondador. 

Capindó — capa curta. cobertura de 
casa redonda ou de meda. 

Capitular do teto — fecho da abóbada. 

Capoeira (s. m.) — salteador negro, ca- 
ceteiro, ladrão de galinhas. 

Capões (de vimes) — feixes. 



Capiiana, delícia — vida alegre e luxu- 
riosa como em Cápua, entre os solda- 
dos de Aníbal. 

Capucha — espécie de manto que os 
serranos da Beira usam e que lhes 
cobre a cabeça e parte do corpo. 

Caqueiras (criadas) — que partem muita 
louça. 

Caracoiões — revolteio. 

Caramanchéis — caramanchões. 

Caramboleiro — trapaceiro, embusteiro; 
intriguista. 

Caramelo — gelo, neve congelada. 

Caraniinhola — guedelhas, cabelo en- 
trançado no alto da cabeça, arenga, 
sobressalto de expectativa. 

Carapeta — maçaneta, tampa de caneta- 
-tinteiro. 

Carapetão — grande peta. 

Cara-unhaea — tipo pronto para tudo, 
cara direita, tipo retorcido. 

Caravela — catavtnto para espantar pás- 
.'iaros que faz barulho com a aragem. 

Caravanserai — albergue de caravanas no 
deserto. 

Carcamano — marmanjo, individuo exó- 
tico. 

Carcaz — aljava. 

Cardanha — casa térrea onde dormem 
jornaleiros. 

Cardanho — furto. 

Cardar — passar a lã ou linho pela 
carda ou pente. 

Cardeais — pássaros. 

Cardenha — casa rústica, tugúrio, case- 
bre. 

Cardina — bebedeira. 

Carena — quilha, rumo, direcção. 

Cariátide — estátua de suporte. 

Carivelha — podre de velha. 

Carmear — desfazer os nós da lã e lim- 
pá-la para se cardar. 

Carminativo — remédio antiflatulento. 

Carmona — ferrolho a toda a altura da 
porta ou janela. 

Carnagão — corpo (depreciativo). 

Carneira — espécie de abóbora. 

Carneiro — subterrâneo onde se põem 
caixões de defuntos, jazigos, ossários. 

Carniça — carne, carnuça, deperdícios 
de carne. 

Carolim — receptáculo de espiga. 

Carpanta — bebedeira: planta arbustiva. 

<'arrapitano — do topo da montanha.. 

Carrasco — abrunheiro bravo. 

Carrasqueiro — pau de carrasco. 

Carrefour (Fr.) — encruzilhada. 

Carrego — carga, fardo. 

Carreira (porta) — porta de passagem 
para carros. 

Carretera (Esp.) — estrada. 

Carriscar — riscar. 

Cartaxo — um pássaro. 

Cartel — desafio. 

Cartulário — registo dos títulos duma 
corporação ou igreja. 

Carujeira — orvalho. 



CAR 



17 



CHA 



Carujo — iicí^oeiro espesso, bruma. 

Carvalha — variedade de carvalho. 

CaNamata — depósito subterrâneo de 
pólvora. 

Cascarola — cabeça. 

Cascaroleta (rapariga) — muito viva e 
alegre. 

Cascavelheira — bisbilhoteira. 

Casciulos — carolos, piparotes. 

Casibeque — casabeQue, casaco curto. 

Casqueiro — pão, côdea de pão (de «cas- 
ca», termo mais usado entre solda- 
dos). 

Casquilha — vaidosa, amiga de adere- 
ços. 

Casquilharia — garridice, bisbilhotice. 

Casquilhice — vaidade, garridice. 

Casquivana — tonto, amalucado, alegre, 
leviana. 

Cassa — tecido fino de algodão ou li- 
nho; musselina. 

Cassaniente — tudo-nada, um pouco. 

Cassoleta — cadinho, frigideira, fuzil, 
medalha para o pescoço das senhoras 
ou berloque de relógio. 

Ca.steleiro — homem responsável pelo 
castelo do barco que é a parte mais 
alta do convés. 

Castelejo — pequeno castelo, ameia de 
castelo, homem de Castelejo (Fundão), 
com um tom de voz característico. 

Castelo — a parte mais alta do convés 
do barco. 

Casticeira — castanheiro bravo. 

Castorina — fazenda de lã macia. 

Castrametação — arte de assentar os 
acampamento.?. 

Casula — vestimenta sacerdotal para a 
missa. 

Casus belli (Lat.) — caso de guerra. 

Catálise — persistência das mesmas qua- 
lidades através da mutação das dos 
outros. 

Catana — alfange, punhal asiático, ter- 
çado. 

Catatau — grande rombo em comida ou 
bebida, pancada, castigo. 

Catecúmeno — aprendiz de uma religião. 

Categorema — atributo dialéctico. 

Caterva — multidão, grande aglomerado. 

Catholikon (G.) — altar de santos, al- 
tar geral. 

Catinga — mato pouco espesso no Bra- 
sil ; suor de preto. 

Catramugir-se — pisgar-se. fugir. 

Catréfia — cambada, grande número. 

Catur — pequena embarcação de remo e 
vela. 

Caurim — calote. 

Caurineiro — caloteiro. 

Cautério — prevenção, aviso, castigo. 

Cavalariço — homem que trata de cava- 
los. 

Cavaleiro (a) — a cavalo. 

Cavalinho — um pássaro. 

Cavidoso — fundo (de ca\idade): pru- 
dente. 



(.'avilíssimo — inaudito, incrível, ma- 
nhoso. 

Cecém — flor, açucena. 

Ceceoso — que ceceia, que pronuncia 
mal as sibilantes. 

Cegonha — nora árabe constituída por 
uma trave em balance, tendo dum lado 
uma pedra e do outro um balde. 

Ceiotar — cear. 

Celário — câmara ardente, aposento mor- 
tuário, casa onde se depositam de- 
funtos. 

Celenisca — rapariga travessa. 

Celeradeza — malvadez, acto de celera- 
dos. 

Celestialidade — beleza paradisíaca. 

Celestina — aventureira, alcoviteira. 

Cendal — véu. 

Cendrado — cor de cinza. 

Ceniscar — mover os olhos, catrapis- 
car. 

Cenóbio — claustro, comunidade reli- 
giosa. 

Cenotáíio — monumento a um morto se- 
pulto noutro local. 

Centenário — cebola, relógio muito an- 
tigo. 

Ceotar — cear. 

Ceráunia — pedra meteórica, fulgurite. 

Cerdeira — cerejeira. 

Cerdo — porco. 

Cernelha — parte onde se juntam as 
espáduas, fio do lombo; fila de me- 
das. 

Ceroferários — portadores de velas de 
cera- 

Cerquinho — espécie de carvalho. 

Cerval — feroz. 

Cervilheira — capacete, cabaço, doença 
na gengiva dos porcos. 

Cestaria — cestos. 

Cesta-breza — cesta larga e baixa de 
verga miúda. 

Cetras — nádegas, traseiro; ao cetras: 
«primeiro os pés» — Homem da Nave. 

Ceveiras — cereais, rações de cavalga- 
duras ou para «cevar» porcos. 

Chã — planície, campina, planura, ter- 
reno plano que precede um monte. 

Chácara — quinta, habitação campestre 
perto da cidade. 

Chaco — homem de chaço: rico, in- 
fluente. 

Chafariea — loja, tenda onde se ven- 
dem pirolitos, laranjadas, etc, baiúca. 

Chafariqueira — mulher que vende be- 
bidas e gulodices em feiras e roma- 
rias. 

Chalante — elegante, bem posto, alqui- 
lador, vigarista. 

Chaloca — chinelos com solas de pau. 

Chalrar — tagarelar, falar sem tino. 

Chamalote — tecido de lã de carneiro. 

Chambaril — pau que atravessa o porco 
para o pendurar. 

Chamberlains (Ing.) — guarda-chuvas. 

Chaniica — carqueja, caruma, acendalha. 



CHA 



18 



CIM 



Chamo — chamamento, nome. 

Chamorro — partidário da carta de 
1826; malhado; pedreiro livre; tos- 
quiado; nome depreciativo que os Es- 
panhóis davam aos Portugueses e es- 
tes àqueles no tempo de D. João I; 
Portugueses que combateram ao lado 
de Castela. 

Chancear — presumir, mofar. 

Chancas — tamancos. 

Chanfana — guisado de fressura. 

Chanquelhar — andar de tamancos. 

Chapa! ó Salha! — gritos para empur- 
rar barco. 

Chapada — chã na encosta do monte. 

Chaparro — azinheira nova. 

Chaperonnage (Fr.) — ofício de «pau- 
-de-cabeleira». 

Chapim — sapato de sola grossa, sapato 
elegante de senhora. 

Chapotar — podar, aparar, privar de ra- 
mos inúteis. 

Chapotear — cortar, aparar. 

Charabiá — algaraviada. 

Charachina — costume chinês, moda exó- 
tica; à chai'amna: sem despegar. 

Characina — costume chinês, moda exó- 
tica; à characina: sem despegar. 

Charameleira — depreciativo para mú- 
sica. 

Charão — verniz da China. 

Charogne (Fr.) — carcaça, cadáver. 

Charqueiros — charcos. 

Charriscar — petiscar lume, riscar, lu- 
zir. 

Chasco — graça contundente. 

Chatim — velhaco, comerciante deso- 
nesto. 

Chátria (ou melhor Xátria) — membro 
da segunda casta, dos guerreiros, em 
que se dividem os sectários do Bra- 
manismo. 

Chauze — porta- bandeira entre os tur- 
cos. 

Chavascal — moitedo, mato (de silva- 
dos, espinheiros e plantas silvestres). 

Chaveco (ou melhor: Xaveco) — barco 
frágil, casca de noz. 

Chavelhão — barra de ferro para pren- 
der o cambão. 

Chavo — nada. 

Chedas — peças laterais do carro de 
bois onde se metem os fueiros. 

Chedeira — parte do carro de bois onde 
se inserem as chedas. 

Chegadiço — muito interessado, introme- 
tido, adventício. 

Chegante — que se segue a, que se apro- 
xima, imediato, próximo. 

Chelevares — pequeno saco de rede, ci- 
líndrico ou cónico para tirar o peixe 
do mar ou o levar para a lota. 

Chelpa — dinheiro. 

Cherrubião — um pássaro. 

Chez noas (Fr.) — em nossa casa, en- 
tre nós, à vontade. 

Chiadoiro, arrancar — : matar, 



Chibança — altivez, arrogância, orgulho. 

Chichisbéu — presumido ao pé de mu- 
lher, femeeiro, galanteador sem gra- 
ça, importuno, pateta. 

Chieira — impertinência, vaidade, bazó- 
fia. 

Chifarote — sabre, espada, dança popu- 
lar 

Chilandrão — homem acabado e pobre, 
alar\'e. 

Chilido — grito agudo. 

Chilro — insípido, choco, sem gosto, 
sem tempero, chocho, que não ali- 
menta ou sustenta. 

Chincar — praticar coito. 

Chíncaravelho — animal ou coisa sem 
valor algum rapaz azougado. 

Chiscar — sujar, fazer questão. 

Chisgaravis (ou melhor: Xisgaraviz) — 
remeximento, balbúrdia, criança buli- 
çosa, com bichos carpinteiros. 

Chofrado — abespinhado, escandalizado. 

Choldra — ralé, gente ordinária, farra- 
pos, maltrapilhos. 

Choldraboldra — chinfrim, sãlgalhada, 
bulha, tumulto, canalha. 

Chopes — indígena do sul de Inham- 
bane; copo de cerveja. 

Choquiço — estado de choco (das gali- 
nhas)'. 

Chorincar — chorar (de criança). 

Chorume — dinheiro, riqueza, pingo, 
gordura. 

Chostra — mulher suja, badalhoca, coisa 
porca; uma ferida. 

Choz — armadilha para apanhar bichos 
no mato. 

Chucha-ealada, à — : dissimuladamente, 
às escondidas. 

Chuchurrear — beber saboreando, gor- 
golejar, ruído de água em lume. 

Chulana — ferros de perfuração de 
mina. 

Chumbeira — rede de pesca com chum- 
bo no fundo. 

Chumeco — sapateiro remendão. 

Churro — sujo, escuro, lã de fraca qua- 
lidade. 

Chus (nem — nem bus) — nem pioi 

Chuvaceiros — cargas de água, chuva- 
das. 

Cibinho — pedacinho. 

Cibório — vaso, telheiro onde se au- 
topsiam cadáveres, âmbula do sacrá- 
rio. 

Ciceronizar — arengar, discorrer. 

Ciclame — planta fanerogâmica. 

Cieláton — tela de seda. 

Cigalho — um pouco. 

Cilhadas (mãos) — cingidas, apertando, 
enclavilhadas. 

Cimalha — o topo das cornijas, saliên- 
cia no alto da parede para os beirais 
dos telhados, arquitrave. 

Cimélio — alfaia preciosa da igreja, pre- 
ciosidade, tesouro. 



CIN 



19 



CON 



^inábrio — mineral vermelho preparado 
do sulfureto de mercúrio e que serve 
para pintar os lábios das senhoras; 
vermelhão; vig:a de telhado. 

Cinamomo — perfume de canela; varie- 
dade de grossuláriíis, que é uma jun- 
ção de alumínio e cálcio. 

Cincar — errar, falhar. 

Cinco mandamentos — dedos da mão. 

Cinegético — relativo à caça. 

Cingel — junta de bois. 

Cíngulo — cinta estreita, calgão sem per- 
nas, cordão de apertar a alva. 

Cintila — centelha. 

Cinto — fazer botn cinto: boa caçada 
de coelhos e perdizes. 

Cipó — cajado, varapau, uma cobra do 
Brasil. 

Circuitar — circundar. 

Ciscar — vasculhar, revolver a terra, 
procurar, esconder. 

Cispar — fechar, cerrar, tapar. 

Cisquoiro — lixeiía, ciscalhagem. 

Cita — na.tural de Citia. 

Cítola — cítara. 

Citote — oficial de diligências. 

Citrolata — automóvel velho. 

Clâmide — manto, roupa. 

Claudicar — coxear, hesitar. 

Clavicórdio — antigo instrumento de cor- 
da com teclado; cravo. 

Claviculário — porta-chaves, guarda noc- 
turno. 

Clavina — carabina, escopeta. 

Clematite — uma planta trepadeira. 

Coanhar — separar o palhiço na eira. 

Coa: — à coa: grito para açular cães 
contra lobos. 

Coalhadoiro (de gente) — multidão. 

Coalho — coágulo. 

Cobertoira — tampa. 

Cobro — cobrança. 

Coca — capuz, cocaína, abóbora, papão; 
planta com que se atordoam os pei- 
xes nos rios. 

Cochinllha — insecto hemíptero de que 
se extrai o carmim. 

Cochicho — cubículo, pássaro, casa pe- 
quena. 

Cochino — porco. 

Cocinela — marta. 

Cocu (Fr.) — marido enganado. 

Cocuage (Fr ) — infidelidade conjugal. 

Codeços — plantas leguminosas. 

Codegueiro — labrego, sujo. 

Codesso — planta (do género «habur- 
num»). 

Codinha — dim. de côdea. 

Codo — geada sobre os campos e à su- 
perfície da água nos tanques; códão 
sincelo. 

Cofinhar — tossir, falar com voz fa- 
nhosa e difícil. 

Cogote — cachaço, nuca. 

Cógueda — um fruto_ planta trepadeira. 

Cogulo — demasia, revestimento de neve 
sobre monte. 



f óia — meretriz, mulher maliciosa e de 
maus costumes. 

Coiceira — parte em que se inserem as 
dobradiças das portas ou das janelas. 

Coifa — rede, gorra. 

Coimar — multar. 

Coimas — multas, impostos. 

Coió — antro, valhacouto, caverna. 

Coira — rameira, mulher fácil. 

Coirama — pelame, pele rija, crosta da 
terra. 

Coitadinho — traído pela mulher. 

Coitanaxa — coitada, infeliz. 

Coitanaxo — infeliz. 

Cola — peugada, rasto. 

Colaço — amigo inseparável. 

Colada — índole, caminho. 

Colandrina — mulher mexeriqueira, ami- 
ga de dar ã língua. 

Colareja — regateira. vendedeira de fru- 
ta nas praças de Lisboa* 

Colírio — cosmético, remédio para os 
olhos. 

Colmilhos — dentes caninos, presas, den- 
tes agudos, puas. 

Cólofon (Gr.) — inscrição na última pá- 
gina dum livro, sobre a data da pu- 
blicação do mesmo, editor, ele. 

Cologlis — mestiços de turco e mouro. 

í'olóide — semelhante à cola; mole e sem 
reacção. 

Colondrina — mulher fácil. 

Color (sub color) (Lat.) — a pretexto de. 

Colubrina — antiga peça de artilharia. 

Columbário — pombal; sepulcro subter- 
râneo; câmara sepulcral entre os an- 
tigos Romanos. 

Coma — copa de árvore, elevação de 
terra sobre sepultura. 

Combarro — loja de guardar mato. 

Comecilho — começo, início. 

Comestio — pão. ceifa. 

Comesto — o mesmo que comido. 

Cometário — de cometa caudado. 

Cometer — fazer a corte, desejar. 

Cominar — ameaçar, impor. 

Cominativo — ameaçador. 

Comitre — oficial que superintendia nos 
forçados das galés. 

Comparte — quinhoeiro, cúmplice. 

Compendioso — resumido, sumário, lacó- 
nico. 

Conca — malga, tigela. 

Conchavo — mancomunação , conluio , 
ajuste. 

Concho — ufano, confiante, pachorrento, 
senhor de si. 

Concierge (Fr.) — porteiro. 

Conculcar — calcar, amesquinhar, des- 
prezar. 

Concussionários — extorquidores de di- 
nheiro cobradores, fiscais. 

Condessilha — depósito de garantia, 
guarda, recato, cuidado; cesta de ver- 
ga com tampa. 



CON 



20 



CUB 



Condolente — compassivo, em simpatia 
com. 

Confita (à dita confita) — pela certa; 
inesperadamente. 

Congesto — a abarrotar. 

Conglutinado — aglomerado, aglutinado. 

Congosta — caminho estreito e inclinado. 

Conirrostro — de bico cónico. 

Conjúgio — casamento, matrimónio. 

Conróbia — súcia, quadrilha. 

Consigne (Fr.) — senha. 

Conspecto — aspecto, vista. 

Construtura — arcaboiço, estrutura, tra- 
çado. 

Contador — antigo armário. 

Conto — base de haste, de bastão: 
fuste. 

Contractura — contracção. 

Contubérnio — convivência, concubinato. 

Contumelioso — afrontoso, quezilento. 

Coonestar — encobrir um crime, sofis- 
má-lo. negá-lo. 

Copains (Fr.) — camaradas'. 

Coparceiras — sócias. 

Copilo — planta parietária. 

Coram populi (Lat.) — perante o povo. 

Corchada (sardinha) — aberta, sem tri- 
pas, sem cabeça e salgada. 

Corcódia — casca de pinheiro. 

Corcolher — um pássaro. 

Corculher — o mesmo que corcolher. 

Cordo — cordato, sossegado. 

Cordoveias — veias e tendões do pes- 
coço. 

Corga — caminho de passagem, terra 
grossa. 

Corgo — caminho, córrego, regueiro», 

Coribante — antigo sacerdote que dan- 
çava e fazia horrorosas contorções em 
honra de Cibele. 

Corna — buzina. chifre para chama- 
mento ou aviso: trompa. 

Cornacha — penachos para enfeitar a 
testeira das bestas. 

Cornambana — homem atraiçoado pela 
mulher. 

Cornelho — fungão, cravagem ; animais 
de chifre.s. 

Cornemusa — gaita de foles. 

Cornudador — homem que tem relações 
ilícitas com a mulher de outro. 

Cornudar — • atraiçoar o marido. 

Coroplasta — modelador de figuras de 
barro. 

Corpo-aberto — médio, vidente. 

Corporatura — corpanzil, estatura, corpo. 

Correntão — afável, bem relacionado, 
que aparece muito. 

Corricar — andar ligeiro, com passi- 
nhos apertados. 

Corrilório — correria. 

í'orrimaça — corrida, perseguição, vaia. 
assuada. 

Corrume — rumo. caminho, passagem, 
sequência. 



Cortar-se — comprometer-se um cativo 
ao pagamento da quantia estipulada 
para seu resgate, beneficiando entre- 
tanto de relativa liberdade — «Aven- 
tura maravilhosa>\ 

Cortelho — pocilga. 

Cortinha — curral, terreno vedado, um 
coberto. 

Coruchéu — pináculo, topo de torre. 

Corujeira — povoação rudimentar em ro- 
chedos. 

Corvacha — ave. 

Cóseoro — duro, teso, rugoso. 

Coscos — trocos, dinheiro miúdo, cascas 
de cereais; caracóis no alto da ca- 
beça. 

Costal — cordão metido em meada de 
linha, fardo de dois em carga, feixe 
de lenha. 

Costelado — costado, corpo. 

Costelame — as costas, as costelas. 

Costela — armadilha para pássaros. 

Cote, de — : de todos os dias. 

Couceira — parte onde se prendem as 
dobradiças das portas e sobre que 
rodam. 

Coíiçoeira — prancha grossa para ligar 
à porta; champrão. 

Coudel — capitão de cavalaria; o que 
superintende na criação de cavalos. 

Coudelaria — casa para aperfeiçoamento 
da.s raças cavalares. 

Courania — couros; revestimento duro. 

Coureiro — negociante de couro. 

Covilhete — • malga, tigela, prato de barro 
vidrado. 

Crau — aportuguesamento de Crawl^ um 
processo de natação. 

Credencia — mesa junto do altar. 

Crêmerie (Fr.) — leitaria. 

Crenel — topo dentado do castelo, ameia. 

Creosote — líquido anti-séptico. 

Crescença — crescimento. 

Crescer — sobrar. 

Créscimos — sobras. 

Crianço — rapazinho. 

Crisoberilo — aluminato de berilo cujas 
variedades, alexandrite e olho-de-ga- 
to. são pedras preciosas. 

Crisóparo — pedra preciosa de cor cin- 
zento-esverdeada. 

Crótalo — instrumento musical, 
-cascavel, castanholas. 

Cruo — o mesmo que cru. 

Crural — da perna. 

Cruzar-se — entrar nas cruzadas. 

Crúzio — um cruzado (400 réis) ; 
de Santa Cruz de Coimbra; 
de queijo. 

Cuada — parte inferior do saco no apa- 
relho de arresto da pesca da sardinha. 

Cuanhar — limpar o palhiço da eira. 

Cuanhas — vassoiras para limpar os res- 
tos de palha seca da eira. 

Cuanhos — restos de palha. 

Cubelos — torreões que acompanhavam 
os lanços dos muros. 



cobra- 



frade 
crusta 



Cutí 



21 



DES 



fubicamentf» — iiiteirami^nte, ^upina- 
mfntf. 

Cuchilo — navalha de mola, faca. 

Cuco — filho ilegítimo, homem adúl- 
tero. 

Cucuritar — cantar de perdigão. 

Cul-de-Iampes (Franc. ) — mísula, vi- 
nheta. 

Culminar — o mais alto. 

Cuniculur — apertado. 

Cunquibus (Lat.) — dinheiro. 

Cupidinosu — amoroso, libidinoso. 

Cuquear — ter relações com a mulher 
de outrem. 



Curandel — estreitamento tipográfico. 
í'urare — veneno das setas. 
Curdo — habitante do Curdistãoi 
Curial — conveniente, próprio, urbano, 

comedido, sensato, decente». 
Curialidade — sensatez, conveniência. 
Curtan — pro.stituta.s. 
Curvetear — andar às curvas. 
Cuscuz — bolo ou massa de farinha. 
Cuspinhar — escarrar, cuspir. 
Cutiliquês — pessoas ou coisas de pouco 

valor, bagatelas; (ant. nobreza, coisa 

distinta). 
Cuvilheira — alcoviteira. 



13 



Damasquinar — embutir ouro cm prata, 
tauxiar. 

Danço — balho, dança. 

l>andinar-se — bambolear-se. 

Darsenas <It.) — portos de abrigo. 

De arrangamalho — de chofre. 

Deblaterar — gritar, barafustar, decla- 
mar, proclamar. 

Debonário — bonacheirão. 

Debrum — orla. 

Decima — por cima. 

Decoar — meter em barreia, em lixí- 
via. 

De contemptu (Lat.) — sobre o des- 
prezo. 

Decruar — dar uma primeira lavra à 
terra. 

Decruas — primeiro amanho da terra. 

Decúbito — posição de deitado. 

Defecção — deserção, debandada. 

Defunção — falecimento, óbito. 

Degustar — provar. 

Delectíssimo — de escol. 

Deleitação — gozo, deleite. 

Delenda! (Lat.) — Destrua-sel 

Deletrear — soletrar, ler a custo. 

Deliquescente — que absor\'e a humida- 
de do ar. 

Déménagement à la cloche de bois (Fr.) 
— saída sem dar cavaco, despedida à 
francesa. 

Demiurgo — criador do homem. 

Demonho — diabo. 

De nação — autêntico. 

Denário — moeda romana; peso de far- 
mácia. 

Denegação — recusa, indeferimento. 

Dentirrostro — com o bico denteado na 
margem. 

Deperder — perder gradualmente, dissi- 
par. 

Deperecer — morrer aos poucos, enfra- 
quecer. 



Deperecimento — depauperamento. 

De rostilhão — de cambulhada. 

Derrama — imposto municipal. 

Derramado — prolixo. 

Derrancar — estragar, desancar, espan- 
tar, irritar, ir abaixo das pernas. 

Derriba de — por cima de. 

Derriçar — dilacerar, atassalhar, namo- 
rar, destramar, desenriçar. 

Derrotina — rumo, viagem. 

Derviche — espécie de frade muçulmano. 

Desaborreeer-se — acabar com o tédio, 
procurar ou arranjar distracção. 

Desabrir — abandonar, não querer mais 
saber de. 

Desabusado ^ petulante, sem preconcei- 
tos. 

Desabusamento — à-vontade. 

Desafrontado — desimpedido. 

Desalterar — acalmar, abrandar, desse- 
dentar. 

Desamurar — desinteressar-se dos ra- 
tos (gatos). 

Desandador — chave de parafusos. 

Desanojado — desenfadado, desagostado. 

Desanojar — dar pêsames a. 

Desapoderado — incontrolável, desen- 
freado. 

Desarrimo — falta de apoio, desamparo. 

Desavezar — desabituar. 

Desbanda, à — a um lado. 

Descondensar-se — ganhar forma, con- 
tornos, começar a lobrigar-se. 

Desconvinha — não se quadrava. 

Descoser — sair, afastar-se. 

Descuidadoso — descuidado. 

De seguidilha — de forma i ápida e se- 
guida. 

Desemoçar — desvirginar. 

Desestrelar (v. i) — ficar sem estre- 
las. 

Desfaçado — descarado. 

Deslembrado — que não se lembra bem. 



DES 



22 



ÈDí 



Desmoçar — desvirginar raparigas, for- 
çar rapazes púberes a ter relações 
sexuais. 
Desmoda — cessação da moda, fora de 
moda. 

Desmonte — encosta, ladeira. 

Desnalgamento — pouca vergonha (de 
quem. é capaz de arregaçar as saias) ; 
licenciosidade. 

Desnocado — desbocado, desarticulado. 

Desorbitado — saído da copa da árvore. 

Desorelhar-se (couves) — deixar prender 
as folhas. 

Desotaque — de surpresa, fora da eti- 
queta. 

Desougar — urinar (animais) ; desougar 
uma besta: dar-lhe erva ou qualquer 
coisa que comer. 

Despautério — desconchavo, disparate, 
despropósito. 

Despertativas — carolos na cabeça, pan- 
cadas com os nós dos dedos. 

Despiciente — desdenhoso, olhando de 
de alto. 

Dessar — tirar o sal, dessalgar. 

Desservir — deixar de ser usado. 

Destampatório — despropósito, loucura. 

Destempo — fora da época própria. , 

Desvaliar-se — desvalorizar-se. 

Détente (Fr.) — gatilho, descanso. 

Detestando — detestável, miserável. 

Detraente — infamante. 

Deutsche Landschaf t (Al. ) — paisagem 
alemã. 

Devoção (tirar da) — desinquietar. 

Devocional — série de rezas. 

Diabalma — pobre diabo. 

Diabelha — uma erva. 

Diaço — dia. 

Dialho — diabo. 

Diana (do Fr.) — toque de alvorada. 

Diane à la biche (Fr.) — célebre está- 
tua de Diana que se encontra no Lou- 
vre. 

Diatonia — tons e semitons. 

Dica, dar à — denunciar. 

Dicacidade — mordacidade, escárnio, ma- 
ledicência. 

Didascálico — versado em teatro, muito 
didáctico. 



Dieser, diese, dieses (AI.) — este, esta, 

isto. 
Dieser Hebe Hauptmann — este querido 

capitão. 
Dietético — relativo à dieta. 
Diferido — prolongado, posposto, descon- 

cordado. 
Diferir — adiar, discordar. 
Dilatar — prorrogar, adiar. 
Dilúeulo — crepúsculo da manhã, au- 
rora. 
Dinheirama — dinheiro a rodos. 
Diorama — ilusão óptica sobre quadros 

pintados vistos dum. ponto escuro. 
Diplocodus — um grande dinossáurio; 
homem sem interesse de maior; ba- 
nabóia. 
Diserto — facundo, eloquente. 
Dispepsia — dificuldade digestiva. 
Displicente — desagradável, aborrecido. 
Dita confita, à — palavras não eram di- 
tas, dum momento para o outro, em 
face disto 
Ditérios — ditinhos, contos, motejos, re- 
moques. 
Dixe-me-dixes — mexericos. 
Doble — hipócrita. 

Doçaina — antigo instrumento de sopro. 
Dolicodoce — muito doce. 
Dom golon dron — a caminho. 
Dominga — domingo. 
Dominioso — imperativo, dominante, qu<» 

infunde respeito. 
Donguinha — cabecinha. 
Donjon (Fr.) — mirante, pavilhão. 
Donzelia — virgindade. 
Dorido com — penalizado, com pena. 
Dorking — uma raça de galináceos. 
Dormilões — homens adormecidos. 
Douanier (Fr.) — fiscal aduaneiro. 
Dramatis personnae (Lat.) — persona- 
gens do drama. 
Dreino — drenagem, escoamento. 
Dríades — divindades dos bosques. 
Drops fondant (Fr.) — caramelos que 

se derretem facilmente. 
Dulzaina (Esp.) — doce de má quali- 
dade. 
Dungiiinha — dedo mínimo. 
Durindana — espada de fanfarrão. 



El 



Ebuliente — fervente. 

Echacuervos (Esp.) — impostor, espião; 
que pregava sem ser padre, espalha- 
va boatos, etc. 

Échevin (Fr.) — almotacé. 

Kclama — droga para os intestinos. 

Eclegma — xarope espesso para crian- 
ças; electuário. 



Ectoplasma — matéria de origem psíqui- 
ca, que emana de certos médios. 

Ecúmeno — que vive em terra com con- 
dições para ser habitada; participante 
no concílio ecuménico. 

Edelweiss (Al.) — gnafálio, cotonária 
(planta). 

Edícula — nicho, oratório, casita. 



EFU 



23 



ENG 



Efundir — derramar. 

Kgresso — ex-frade. 

Eido — terreiro, terrado, torrão natal, 
pátio, lugar que compete a alguém, 
sítio, lugar. 

Eixar — pôr nos eixos. 

Élan (Fr.) — impulso, entusiasmo. 

Elastério — elasticidade, desentesamen- 
to, fuga, variante. 

Elche — renegado, apóstata. 

Electuário — um medicamento. 

Elefantinu — desmesurado. 

Elha por ellia — ela por ela. 

Eliptioídade — suavidade de curvas. 

Elzevir — livro editado pelos célebres 
impressores holandeses dos séc. XVI 
e XVII. 

Emasmarrado — jesuítico, sem origina- 
lidade, pesado, bronco. 

Enibaçadeira — que esconde bem. 

Embair — lograr, iludir, seduzir, usar 
de impostura. 

Embelecar — quezilar, provocar. 

Embeleco — engodo, engano com pala- 
vras doces, ardil, entretém, brinquedo, 
boneco, namoro, empecilho, quezília. 

Embigada — coito. 

Embociíeciíado — gordo, volumoso, in- 
chado. 

Embófia — prosápia. 

Embrechados — enredos, meandros, in- 
crustações para enfeite. 

Embude — aloquete; ferrolho, criança 
doente; funil para trovisco pisado. 

Em carrapatinlio — nu. 

Ementário — livro de registos. 

Emeticidade — vómito. 

Emético — um vomitório. 

Emir — governador ou chefe árabe. 

Emmandigueiro — bruxo, feiticeiro. 

Emmedado — • posto em meda. 

Emmorouçado — amontoado, cheio. 

Emormado — com mormo, ranhoso. 

Emornecer — amornar. 

Empacho — turbação, voz empastada, 
peso no estômago, embaraço; mau 
humor. 

Empalador — supliciador, cruel, ordiná- 
rio. 

Empalear — fazer render um serviço, en- 
treter. 

Empalme — escamoteamento, furto, ba- 
tota, desonestidade. 

Empanzinar — enfartar, emparrutar, ilu- 
dir. 

Empecer — enfeitiçar, estorvar, embara- 
çar, impedir. 

Empeço — estorvo. 

Empenas — triângulos de madeira para 
assentar o telhado; paredes laterais 
do edifício. 

Empiema — derramamento de pusí. 

Empiremático (cheiro) — desagradável. 

Empírico — que tem muita experiência, 
prático, muito sabido. 

Empoeirado — presumido, com poeira. 

Em pó» — após, depois, a seguir. 



Empalhar — enganar, empunhar, arreba- 
nhar, açambarcar. 

Encabado — espetado. 

Encalir — assar ou cozer ligeiramente 
um fruto, criar pedra por dentro, amo- 
lecer com o calor. 

Encanar (milho ou trigo) — enrijar, ga- 
nhar cana. 

Encandilado — cristalizado, ramelento, 
ab.sorto, hirto, atordoado. 

Encanhotado — inteiriçado. 

Encaniçar — entrançar canas. 

Encanzinado — zangado. 

Encanzinar-He — encrespar-se, enfure- 
cer-se. 

Entaramelado — enregelado com o frio 
(feito em caramelo). 

Encaramonado — sombrio, triste. 

Encarrar, corda de — corda de segurar 
o carro. 

Encarregos — encargos, coisas que pe- 
sam na consciência. 

Encastalhadas (pranchas) — unidas no 
soalho, agrupadas. 

Encatarroado — com catarro. 

Encavalados — acavalados, uns sobre os 
outros. 

Enchamboado — desajeitado. 

Enchelevar — rede de pescadores (v. 
chelevarj. 

Enchoiiriçar-se — encrespar-se. 

Encoimar — acoimar, acusar. 

Encoiradas (arcas) — arcas com segre- 
dos, misteriosas, com tesouros. 

Encoirado de erva — revestido. 

Encoirar — secar, entesar (terreno sem 
vegetação), cerrar (encoirar é criar 
pele nova nas feridas, por ex.). 

Enconcar — corcovar-se, fazer-se côn- 
cavo. 

Encontros — ombros (dos homens). 

Encordoar — corar, afinar, embatucar, 
encavacar. 

Encoruchado — coberto, encapuchado. 

Encouras — forros de pele. 

Encovilar — meter em coviK 

Encume — cume, topo. 

Endoença — padecimento, dor, luto. 

Endolorido — enlutado. 

Eneolítico — período entre o neolítico e 
o do bronze. 

Enfadegado — esfarrapado. 

Enfariado — com o apetite estragado. 

Enfechelado — cerrado, apertado, aper- 
rado. 

Enfesta — cume. 

Enfisemático — relativo a tumores cau- 
sados por ar nos tecidos. 

Enforcado — parreira enroscada em ár- 
vores. 

Engabelar — comer, seduzir. 

Engajador — o que alicia indivíduos para 
emigração. 

Engajar — aliciar homens para emigrar. 

Engalhar ia fome, o tempo) — enganar, 
entreter. 

Engalho — engano, falinhas doces. 



ENG 



24 



Esd 



Engairiçar — namorar, vicejar. 

Engaznpar — enganar, embarrilar, sedu- 
zir. 

Engazupado — ludibriado. 

Engprido (das pernas) — fraco, entan- 
Kuido com o frio ou a doença. 

Engoiado — escanzelado, encafuado, en- 
rolado em. 

Engoiar-se atrás da porta — encolher-se. 

Engorgido — tolhido com o frio. 

Engranzado — com as contas enfiadas. 

Engravitado — entesado, tolhido com o 
frio. 

Engravitar-se — subir. 

Engrifado — preparado para a luta (de 
grifa: unha, garra). 

Engrifar-se — encrespar-se, assanhar-se. 

Engrimancos — carícias, falas incom- 
preensíveis. 

Enguichar — aflorar à superfície, en- 
t*'í3ar-se. 

Enjalgado — entrevado, peado, curto de 
entendimento. 

Enjalgamento — paralisia. 

Enjangado — com os movimentos pre- 
sos. 

Enjôleuse (Fr.) — sedutora. 

Enliçada — preso, enleado ÍV. liço). 

Enliçamento — engano. 

Enliços — laços. 

Enoitecer — anoitecer. 

Enoselhado — com nós, protuberâncias, 
calos. 

Enodacão — aperto, laço. 

Enriçado — apaixonado, fortemente in- 
teressado no sexo oposto, obstinado. 

Ensaburrado — emporcalhado. 

Ensalmo — reza contra bruxas, charla- 
tanismo. 

Ensampar — enfeitiçar. 

Entablamento — conjunto arquitrave — 
— friso — cornija. 

Entabuado — teso, seco, duro, hirta. 

Entalido — mole com o calor, choco. 

Entiritado — cheio de frio, enregelado. 

Entomologista — versado em insectos, 
coca-bichinhos. 

Entono — altivez, soberba, insolência. 

Entrecambado — figura de heráldica com 
parte dentro doutras, enredado. 

Entremeter-se — intervir, intrometer-se.. 

Entremetido — abelhudo, atrevido, intri- 
gante, intruso. 

Entroviscado — nublado, turvo, envene- 
nado com trovisco (veneno contra os 
peixes). 

Enverdecer — tornar-se verde. 

Envide — resto do cordão umbilical. 

Envidar — fazer tudo o que é possível. 

Envisco — engodo. 

Envite — convite. 

Envoltas — cueiro. 

Envolto — turvo. 

Enxabido — insulso. 

Enxalmo — manta da albarda, cobertor; 
eiixalmo das pulgas: viveiro delas. 

Enxamblador — carpinteiro, marceneiro. 



Enxamblamento — entablamento, obra 
de marceneiro. 

Enxara — matagal, charneca. 

Enxouriçar-se — encrespar-se, ouriçar-se 
(animal) . 

Enxovedo — vagabundo, miserável, acto 
vergonhoso, criminoso. 

Enxúndia — gordura, unto, banha. 

Enxurdeiro — lamaçal, lodaçal (de por- 
cos), estrumeira. 

En.xurreiro — lamaçal. 

Enzanipaniento — ludíbrio, assombro. 

Epaeta — nvmiero de dias que se acres- 
centa ao ano lunar para o igualar 
ao solar; tábua dos eclipses. 

Epha — medida de peso judaica. 

Epitonema — epílogo, fim glorioso, ex- 
clamação. 

Epigastro — região média e superior do 
ventre. 

Epigráfico — relativo ao estudo de pe- 
dras antigas. 

Epitáfio — labéu, senão; pôr epitáfio em 
alguém: marcar, dizer mal de, tomar 
zanga, «matá-lo». 

Epítrofo (Gr.) — guarda; vigia. 

Ergástulo — cárcere, masmorra. 

Ergo — por conseguinte, portanto. 

Ermitoa — fem. de ermitão. 

Erotómano — insaciável com mulheres, 
com a mania das mulheres. 

Errabundo — errante, que anda de terra 
em terra. 

Errata — emenda. 

Ersatz (Al.) — sucedâneo. 

Eruca — (Lat.) — ^ planta com proprieda- 
des afrodisíacas. 

Eructar — arrotar, sair de. 

Ervoado — desassisado, tonto. 

Esampar — lançar mau olhado, embru- 
xar. 

Esbadalhocar — desalinhar, desarrumar, 
desarranjar. 

Esbagachar — esmagar; despejar. 

Esbagachar-se — abrir-se exageradamen- 
te com alguém. 

Esbagulhar — tirar os bagos'. 

Esbandulhar — esvaziar, esbarrigar. 

Esbarregar — berrar, chorar muito alto. 

Esbarrondeiro — depenhadeiro, barranco, 
banoca. 

Esboiriçado — esborrachado, espapaçado. 

Esborifar — sair de. 

Esborrifar — borrifar. 

Esboucelar — esmurrar, tirar pedaços, 
esboçar, esborcinar, esbotenar, esbei- 
çar, pôr falhas. 

Esbrasidos (olhos) — raiados de san- 
gue. 

Escabichar — Examinar minuciosamente. 

Escabiosa — assanhada, irritada, com 
a sarna. 

Escabrear — escoucínar, empinar-se. 

Escalar — estripar (para salgar). 

Escaleira — escada, degrau. 

Escalinata — escadaria. 



Esc 



ás 



ESQ 



Escambador — comprador do prata o 
oiro. 

Fvscamugrir-se — fuffir. 

Escândula — razão de quoixa, ofensa. 

Encanifrado — escanzelado, maíírfssimo. 

Escapatória — desculpa, fuga, justifica- 
ção. 

Escara — crosta de ferida. 

Pscarapuçar — beber por cima, descas- 
car. 

(Csrarapeteiro — pereira brava. 

Escarcela — bolsa de coiro, moleira. 

Escarchado — anis (de escarchas de 
geloi. 

Escardiiçar — cardar lã. 

Escarlatas — tecido de lã carmesim. 

Escarolado — sem preconceitos, sem pa- 
pas na língua, descarado. 

Escarpini — espécie de chinela, meia 
sem cano. 

Escarrapaiichado — encarranchado, esta- 
telado. 

Escarumba — preto. 

Esclavina — capa de peregrino. 

Escoda — martelo dentado de canteiro 
para lavrar cantaria. 

Escodiar — cavar por cima, descascar, 
tirar a côdea ou a casca. 

Escogitadeira — alcoviteira, que gosta de 
«tilar nabos da púcara». 

Escogitar — observar minuciosamente. 

Escondedouro — esconderijo, abrigo, re- 
fúgio. 

Esconderetes — subterfúgios, evasivas. 

Escopeteira — espingardeira, escoteira. 
A yraiide escopeteira: A morte. 

Escorchada (petinga) — aberta para sal- 
gar (V. «corchada»). 

Escorcioneira — uma planta hortense. 

Escorilar — limpar a escória. 

Escorralha — rebotalho, fezes, restos de 
líquidos. 

Escote — vaca velha, quota parte, parte 
de despesa que cabe a cada um. 

Escoteiro — veloz, ligeiro, lépido. 

Escoucinhados — perseguidos pela má 
sorte. 

Escravas — pulseiras grossas. 

Escrevedeira — um pássaro. 

Escrínio — cofre, guarda-jóias. 

Escrupulidão — prurido, escrúpulos. 

Escrutar — vasculhar, procurar, reme- 
xer. 

Esculcas — vigias, sentinelas, atalaias. 

Esculhambado — rebentado, espatifado, 
estragado. 

Escumar — tirar a escuma. 

Escumilha — chumbo miúdo, renda. 

Esfalcado — desbastado. 

Enfandegar — retalhar, fazer em peda- 
ços, tirar as entranhas. 

Esflorar-se — deixar cair as pétalas. 

Esfogueirar — fazer fogueiras. 

Esfoirar — rebentar, fazer saltar dum 
invólucro. 

Esfossar — revolver a terra, fossar. 

Esfuziote, de — rabiando, de repelão. 



Esgaivado — escavado. 

Esgaivar — esgaravatar, abrir fossos, es- 
cavar. 

Esgarrado — desgarrado. 

Esgorjado — comilão, insaciável, enfeza- 
do, esfomeado, muito esticado. 

Esgrelhar — espreitar, perscrutar. 

Esgrilhar — espreitar. 

Esgualdripar — furtar, fazer em farri- 
pas, sujar. 

Esladroar — Cortar os ladrões das plan- 
tas. 

Eslavoirar — gradar, trabalhar afanosa- 
mente na lavoura.' 

Esmado — de.sgarrado, desafinado. a 
esmo. computado. 

Esmilhar — esmigalhar, esfarelar. 

Esmolambado — esfarrapado, enxovalha- 
do, estragado. 

Esmorzo — som grave e prolongado. 

Espacidão — amplidão. 

Espagíria — alquimia, química. 

Espagírico — alquimista. 

Espalda — ombro, lado. 

Espaldeira — latada junto ao muro, ren- 
que de árvores. 

Esparramado — achatado, espalhado. 

Esparrame — alarde, desaforo, escânda- 
lo, discussão, circunlóquio. 

Esparvado — assustado, espantado. 

Esparvadiço — espantadiço, precipitadoi. 

Esparvar — espantar, assustar, amedron- 
tar. 

Esparvão — tumor. 

Especione — um bolo de farinha. 

Especiosa — sedutora, elegante, gentil, 
donairosa. 

Especulo — utensílio dos médicos para 
observar cavidades, dioptro. 

Esperlu.xar-se — comer gozosamente. 

Esperluxar — sondar, espreitar, explo- 
rar minuciosamente, bisbilhotar. 

Espertina — insónia, algo que não deixa 
conciliar o sono, vigília. 

Espertenido — espevitado. 

t>spinafrado — esgalgado, esguio, ma- 
gro. 

Espinel — aparelho de pesca com muitos 
anzóis. 

Espinocado — saído para fora do cume. 

Espirado — soprado. 

Esponjar-se — tirar o suor, absorven- 
do-o, espremendo o lenço. 

Espontâneas —manifestações disfarçada- 
mente compulsivas. 

Esporteirar — disparatar à porta, pro- 
clamar. 

Espostejar — cortas às postas. 

Espulgar — procurar, vasculhar, dizer 
mal de, catar pulgas. 

Esquartelado — dividido (o escudo) em 
quartéis. 

Esqupntadico — assomadiço, irascível, fá- 
cil de perder o controle. 

Esquilha — sardinha. 

Esquineta — um jogo. 



Èã<3 



FAÍ 



Èsquipação — traje de desporto, equi- 
pagem, equipamento, animais e uten- 
sílios de lavoura. 
Esquipático — esquisito, estrambólico. 
Esquírolas — lasCas. 

Estabanado — estouvado, atabalhoado, 
trouxa, intempestivo, insolente, desa- 
jeitado. 

Estádio — uma medida grega, aprox. 1 
quilómetro. 

Estadulho — fueiro, pau que se crava 
no tabuleiro do carro. 

Estafadores — caloteiros, charlatães, tra- 
tantes, bandidos. 

Estafilinídio — insecto coleóptero. 

Estanqueiro — dono ou empregado duma 
loja de madeiras. 

Estanforte — um tecido persistente. 

Estaqueiro — rolo de pinho, fueiro, ca- 
cete. 

Estardalho — mulher mal vestida, bisbi- 
Ihoteira. 

Estardiota, montar à — de forma boé- 
mia. 

Estarim — prisão, calaboiço. 

Estarola — estróina, leviano, casquilho. 

Está-se-marimbandista — o mesmo que 
não-te-rales. 

Estavanado — exaustinado, atabalhoado. 

Estela — vestimenta antiga, coluna para 
inscricõesi. 

Estercorário — sujo, relativo a esterco, 
estrume. 

Esticar a canela — morrer. 

Esti'ar — excitar, exacerbar, ferir, es- 
l .caçar, torturar. 

Estilar-se — esmerar-se, consumir-se, fi- 
nar-se. 

Estilicídio — cair de pingas_ gotejar da 
chuva. 

Estiomeno — gangrena, corrosivo. 

Estolidez — parvoíce, estupidez. 

Estomagado — agastado. 

Estonado — tostado, queimado. 

Estoraque — arbusto resinoso. 

Estorcegar-se — contorcer-se. 

Estorgada — corte da urze, apanha do 
torgo. 

Estorno — «feno salgado das dunas» — 
A batalha sem fim. 

Estos — impulsos, calor. 

Estouvanada — azougada, inquieta. 

Estrabo — excremento das bestas. 

Estramónio — planta daninha. 



Estramontado — desorientado. 

Estreloiçar — produzir ruído como o de 
louça partindo-se. 

Estreme — puro, sem mistura, genuíno. 

Estremenho — raiano, do limite. 

Estrenoitado — estremunhado, ensonado, 
que passou a noite em branco ou em 
sobressalto. 

Estrepe — espinho, pua, vidro espetado 
sobre muro_ cana de milho afiada a 
qual corta como uma faca. 

Estropecer — fazer ruído, estrépido, es- 
tropeada. 

Estrupador — violentador de donzelas, 
violador. 

Estucha — logro, entaladela, muito em- 
penho. 

Estufim — redoma. 

Esturrinho — rapé, pó. 

Esvanecentes — a desaparecer, a su- 
mir-se. 

Esvurmadoiro — espremimento, sumidoi- 
ro, sorvedoiro, compressão. 

Esvurmar (v. i.) — sair por compres- 
são. 

Etiologia — estudo da origem de alguma 
coisa, da causa das doenças (Medi- 
cina). 

Etos — carácter. 

Eucológico — relativo à oração. 

Euh! — ora! 

Euménide — uma fúria do Inferno. 

Éuscaro — vasconço, dos iberos primi- 
tivos. 

Eutíquiana — relativo à religião dos Eu- 
tiques. 

Exacção — rigorismo exagerado, meticu- 
losidade, exigência, cobrança rigorosa, 
pontualidade. 

Exaustinado — destrambelhado, que per- 
deu a cabeça, desarvoradoi. 

Excídios — extermínio, mortandade, des- 
truição, subversão. 

Exegética — Interpretação do modo como 
se formou ou surgiu qualquer coisa. 

Exergo — espaço da moeda ou da meda- 
lha onde se põe uma inscrição. 

Exorar — suplicar, invocar. 

Expressionista — pertencente à escola 
artística ou literária que dá a máxima 
«expressão» aos estados de alma. 

Expungir — apagar, extinguir, delir. 

Èxules — degredados, exilados, expul- 
sos. 



T^ 



Fabordão — som soturno, canto religio- 
so, sensaboria, música de partes sim- 
ples. 

Faceira — bonita e alegre, de face gor- 
da, bochechuda. 



Facha — molho, facho; facha de ossos: 

magrizelas. 
Fachoquinho — feixe pequeno. 
Fagote — costado. 
Faias — fadistas. 



Í^AÍ 



27 



FOM 



Faiantes — tunantes, fadistas. 
Faim — ferro terminal de armas de cabo. 
Fairar — farejar. 

Faire les cent pas (Fr.) — envidar to- 
dos os esforços. 
F'afre les petites brasseries (Fr.) — per- 
correr as «capelinhas». 
Faire la rue (Ff.) — fazer avenida. 
Fait tlivers (Fr.) — notícia, crónica. 
Fajardo — biltre, vigarista. 
Falanstério — habitação para comuna 

societária. 
Falazar — falar muito e confusamente. 
Falcão — antiga peça de artilharia. 
Falda — aba, orla. 

Falena — borboleta nocturna, coisa efé- 
mera. 
Falgaro — especialidade comestível. 
Falperra — ladroíce, terras remotas, si- 
tio onde há muitos roubos, confins do 
mundo, parvónia. 
Falquejado — desbastado, aparado. 
FamilaRe — fome. 
Familagem — a família. 
Famílio — de família, económico. 
Fanal — farol, luzeiro. 
Fanchonas — mulheraças. 
F'anchono — homossexual, impotente. 
Fanega — fanga, medida de quatro al- 
queires de pão. 
Fanfar — responder insolentemente, fan- 

farrear. 
Fanga — andar na fanga dela: segui-la. 
Farândola — pândega, farraparia, mal- 
trapilhos, dança, azáfama. 
Farandolar — andar ao desfastio. 
Fard i Fr. ) — arrebique, pintura do ros- 
to, disfarce, ornatos de estilo. 
Farelório — bagatela, bravata. 
Farmalhas — acendalhas, palavriado oco, 

presunção. 
Farófía (subs.) — bazófia, fanfarronada: 

bolo de farinha e clara de ovo. 
Faróíias (adj.) — presunçosos. 
Farranchos — rancho, ranchada. 
Farricoco — hábito de penitente. 
Farroma — careta, má catadura fanfar- 
ronada. 
Farsada — palhaçada. 

Fas e por nefas, por — por qualquer 
pretexto, por dá cá aquela palha, por 
tudo e por nada. 
Fasquia.s — ripas delgadas. 
Fataça — espécie de tainha. 
Fatacaz — grande pedaço, naco, afecto 

a alguém. 
Fatiaça — grande fatia. 
Faubourg (Fr.) — arrabalde, subúrbio. 
Faanesa — fem. de fauno. 
Fausse-maigre (Fr.) — magra de flan- 
cos e dengosa. 
Faustas — felizes, aparatosas, prósperas, 

de festa. 
Faux (Fr.) — falso; faux ménage: des- 
governo, concubinagem ; fmijc pas : 
passo falso. 
Favelca — amásia, fêmea. 



Fecha — final de, remate». 

Fecheleira — parte da porta onde entra 

o ferrolho. 
Fédlto — mau cheiro, cheiro enjoativo, 

fedor. 
Fedorentina — cheiro nauseabundo. 
Feitoriar — inspeccionar, observar, ge- 
rir, administrar. 
Felá — raça inferior (entre os Egípcios), 
Felícia — sorte. 

Fementida — pérfida, ardilosa. 
F>rra — sacho ; pá de ferro ; marca no 

gado ou no solo. 
Ferra — erva, espécie de feno. 
Ferregial — campo de erva, pastagem, 

lameiro. 
Ferros — ratoeira para caçar coelhos ou 
raposas; irritação, raiva; despeito; 
arrelia. 
Ferropeia — algemas, grilhões. 
Férula — palmatória. 
Festo — dobra, vinco. 
Fêvera — fibra, filamento vegetal. 
Fia-resga, à — de enfiada. 
Fibrilhas — pequenas fibras, radiculas, 
Fíbula — fivela, alfinete redondo dos 

Lusitanos. 
Fidúcia — destemor, confiança, atrevi- 
mento, valor. 
Fieito — feto (planta). 
Fieital — onde abundam fetos. 
Figurilha — bigorrilha, títere. 
Figuro — ratão, pedante, janota, indi- 
víduo importante. 
Filaça — pêlos. 

Filáucia — basófia, imodéstia. 
Filaucioso — arrogante, em ar de de- 
safio, provocante. 
Filé — palpite, preferência. 
Filístrias — flostrias. 

Fils du dimanche (Fr.) — filho conce- 
bido numa noite de sábado para do- 
mingo. 
Fintão — pagamento para pastorear. 
Fintar — levedar. 
Fissura — fenda. 

Fistor — pretenso sábio, farsola- finó- 
rio» 
Flabelo — leque. 

Flagício — ignomínia, crime, maus tra- 
tos, tortura, amargura, maldade. 
Flame — lanceta. 

Flebotomia — sangria, arte de sangrar. 
Flibusta — aventura. 
Flibustada — tropa. 
Flibusteiro — pirata, aventureiro. 
Flostriar — foliar, brincar. 
Flux — fluxo, jorro. 
Foeira — fogueira. 
Folechas — castanhas abortadas. 
Foleiro — joão-ninguém_ papa-açorda, 
come-e-dorme, miserável, burro de 
moleiro. 
Foliculário — jornalista fraco. 
Folha — almargem, lameiro. 
Folie (Fr) — a loucura, 
Fomaca — fome. 



í^ó>/ 



28 



6Á^í 



Fona — avaronf o. agarrado, unhas' de 
fome. 

Fonda (Esp.) — estalagem, hospedaria. 

Forçamento — estupro. 

For^udo — robusto, hercúleo. 

P'orjicar — • fazer, inventar, maquinar. 

Formal — salvo-conduto. 

Forniidoloso — medonho, terrível. 

Forniooques — ardências, apetites de 
amor físico_ tentação. 

Fornilho — dinamite que se introduz 
numa fenda para fazer explodir. 

Forra-gaitas — avarento, unhas de fome. 

Fortuidade — acaso. 

Fosforear — apresentar um brilho fais- 
cante. 

Fouveiro — castanho com malhas bran- 
cas (cavalo); ruivo. 

Fracachichas — muito débil. 

Frade — espécie de fungo; marco de 
pedra; pilar; cogumelo. 

Fragalhoteiros — galhofeiros, reinadios. 

Frágua — forja. 

Fraguar — fazer afinar, levar à parede, 
amargurar, tunar, ramboiar. 

Fragueirice — extravagância, volúpia. 

Fragueiro — fogoso, infatigável, ardente, 
impaciente, rude explorador de ma- 
tas. 

Frajoca — um fruto. 

Francela — queijeira. 

Francisca — espada dos godos. 

Francisante — de tendência francesa, à 
maneira francesa). 

Franduna — estrangeirado, efectado. 

Frangão — frango. 

Frangues — estrangeiros brancos resi- 
dentes no domínio do Negus. 

Franquisque — machada dos Francos. 

Fraqueira — fraqueza. 

Frascário — dissoluto, femeeiro. 



Frasqueíro — o mesmo que frascário. 

Frecheira — namoradeira. 

Fregona — criada humilde. 

Freima — inquietação, pressa, a2áfama. 

Frescal — muito fresca, viva, que não 
está corrupta. 

Freudiano — relativo a Freud, o filósofo 
do inconsciente e do subconsciente. 

Friúra — algidez. 

Frondes — copas, folhagens. 

Frontal — testeira de janela ou porta, 
tabique. 

Frouxel — penugem de aves com que se 
enchem os colchões, fronhas, etc. 

Fruitegante — que rebenta, que desa- 
brocha. 

Frustre ^ falhado, ilusório, insuficiente. 

Fuão — Fulano. 

Futricai-vos — ide à fava. 

Fúcias — face. 

Fúfias — mulheres ridículas e sem mé- 
rito». 

Fufiar na garrana — passar vaidosa- 
mente a cavalo. 

Fugato — música com fífias. 

Fugidiço — esquivo, difícil de captar, 
incon.stante. 

Fulalupas — pessoas muito activas ou 
atabalhoadas. 

Fuliculário — jornalista. 

Fumbas — «sacos de esteira do tamanho 
de um homem» — • Const. de Bragança. 

Fundagens — o homem primitivo, as ori- 
gens remotas. 

Fiir die Jugend (Al.) — para a juven- 
tude. 

Fusain (Fr.) — lápis de carvão, dese- 
nho a carvão. 

Fusgar — farejar, furar. 

Fusquidão — escuridão. 

Futre — sovina, bandalho, maltrapilho. 



Gr 



Gabela — gavela, tributo, feixe. 

Gabinardo — gabão, capote com cabeção 
e mangas; gabiru. 

Gabionita — natural de Gabaão, na Pa- 
lestina. 

Gafo — leproso, corrupto, defeituoso^. 

Gaforinha — grenha, topete, cabelo em 
desalinho. 

Gaiteiro — folião, brincalhão, fala-ba- 
rato. 

Galafura — labrego, pacóvio, buliçoso. 

Galantuono — galanteador. 

Galardim — galarim, ponto mais alto, 
culminância. 

Galdripeira — mulher suja e desmaze- 
lada. 

Galeote — remador de galé. 

Galera — centopeia brasileira, carro de 
transporte. 



Galharda — dança antiga. 

Galheiro — loiceiro. 

Galhudo — desprezível , desajeitado , 
atraiçoado pela mulher. 

Galilé — alpendre ã porta das igrejas. 

Galipanso — galo pequeno. 

Galopinagem — correrias duma terra 
para outra (a cavalo). 

Galrito — rede para a pesca de peixe 
miúdo 

Gambérria — logro, descaro, abuso, re- 
frega, motim, guerreia. 

Ganibiar — caminhar a largas passadas, 
dar à perna. 

(iambiarras — fieira de luzes. 

Gananciar — porfiar, ganhar. 

Gândara — charneca; esteva que ficou 
nas bouças depois de arder o mato. 

Gansebraten (Al.) —pato assado. 



GAR 



29 



GUZ 



(iarabulha — embrulhada, homem iiitri- 
guista, vozes confusas, alffazarra. 

(iardingo — nobre visifíótico. 

(iargaltieira — coleira. 

<iarg:antilha — afofcador. colar, ornato 
cingido ao pescogo. 

Oarimpo — «lavra do oiro e sobretudo 
das pedras preciosas soltas no casca- 
lho dos rios ou mesmo em minas» — 
Quando os lobos ui-am. 

(iarlopa — plaina grande. 

(iarnacha — vi-.^^tinienta de padre. 

(iarrancho — gan_-ho, pua, garaveto, ga- 
danho, pernada de árvore. 

(iastador — soldado sapador. 

(iatázios — dedos aduncos. 

(iateira — fresta ou abertura (para pas- 
sagem de gatos). 

(iatimanhos — momices, sinais com as 
mãos, trejeitos. 

(iaudeamos — festas, comemorações fes- 
tivas. 

(iaudienteniente — alegremente. 

(iázeo — azul claro, garço. 

(ilazofiludo — iiilhado, catrafilado. 

(ieena — inferno, lugar de sofrimento 
eterno. 

Gemagem — rebentos, casca na madeira. 

(ieminado — duplicado. 

(ienitriz — mãi'. 

Gentiaga — gentalha, muita gente. 

(iépida — povo germânico da famílfa dos 
Godos. 

Gerais — charnecas, reuniões de clero, 
assembleias., 

Geresceu-se daí — daí proveio, daí sur- 
giu, resultou; formou-se. 

(iergelim — planta herbácea. 

Gerigoto — vivo, marau. 

(ieringonça — calão. 

(iestapo (Al.) — Polícia secreta de Hi- 
tler. 

Geto — cretino. 

Gigo — cesto, cabaz. 

Gigolô — amante de prostituta. 

Gigot — perna de carneiro assada. 

(iilvaz — golpe ou cicatriz no rosto. 

Gimnasiarca — atleta. 

(iineta — gato bravo. 

Girimus — espécie de abóbora. 

Gironado — barrete em bico (por ana- 
logia com «girão» da Heráldica). 

íinose — o saber por excelência. 

Godemes — socos, murros. Ingleses. 

Gogo — seixo. 

Goliardo — tunante, frequentador de ta- 
bernas. 

Golilhas — golas, argolas, garras na gar- 
ganta. 

Golondrina — andorinha, rapariga. 

Gomil — jarro. 

(■onfaloneiro — porta-bandeira, alferes" 
Gorchinho — um pequeno golo. 

(iorgolão — golfada, borbotão. 

(iorgulhão — corrente, golfada. 

(iorgorina — tecido encorpado de lã ou 
algodão. 



(íorjeira — gorjal, colar de pérolas, an- 
tigo adorno para o pescoço. 

(ioro — choco, falhado. 

(iorgolhar — falar com voz entarame- 
lada. 

(•orgorão — tecido encorpado de seda, 
lã ou algodão. 

(ioroviíihaN — pregas, rugas. 

(Jorra, comer de — comer em sociedade. 

(Jorra, andar envolvido numa — andar 
t-ni maus lençóis. 

(ióticas, caras — expressão fisionómica, 
d(-notando primitivismo, rostos alon- 
gados. 

«(iott mit uns» (Al.) — Deus connosco. 

Gourgandine (Fr.) — marafona, prosti- 
tuta). 

(irabato — leito pequeno e miserável. 

Graeiro — grão. 

(iralhada — vozearia, algazarra. 

Graminho — utensílio de carpinteiro 
para traçar riscos paralelos. 

(Jranada — tecido de seda de cor roxa. 

(irandura — tamanho. 

(iras — lãs tingidas de escarlate. 

(irasnido — voz de pato, da rã ou do 
corvo. 

(irasse matinée (Fr.) — ^ manhã de pre- 
.guiça passada na cama. 

(iratulatório — que exprime gratidão ou 
felicitações. 

(iravanço — grão-de-bico. 

Gravier (Fr.) — cascalho. 

(irazina — rabugento, resmungão. 

(irelha, ficar na — ficar em casa, quieto, 
sem dar nas vistasi. 

(irelha — fenda. 

Gretchen (Al.) ^ Margaridinha, figura 
do «Fausto-i> de Goethe. 

Grocho — golinho. 

Gromático — agrimensor. 

(irulha — porco, tagarela, barulhento, 
que não deixa falar mais ninguém. 

(irulhadoiro — faladoiro, vozearia con- 
fusa. 

íi rumos — bagos. 

Giiadamecim — antiga peça de tapeça- 
ria, 

(iualdrapa — cobertura bordada para o 
dorso das cavalgaduras. 

íiuano — excremento de aves, adubo. 

(iuantes — luvas, dedos. 

Gueles cassées (Fr.) — caras partidas. 

(iuicho — esperto, espevitado, vivo. 

(«uieiro — comprimento, rego para água 
de regai. 

Guilho — cunha de ferro, dente de aço. 

(iuinhol — • teatro de fantoches. 

(iuizalhada — palavreado engrolado. 

(iuitas — soldados da polícia. 

Gulundrina — rapariga, mulher ma- 
nhosa. 

Gusano — animal vermiforme parasita 
ou perfurador. 

Guzarates — indígenas da região índia 
deste nome. 



HAB 



30 



IMP 



I^ 



Habitáculo — pequena casa de habita- 
ção, casebre. 

TIacaneas — cavalos de origem inglesa. 

Hagian — Oros (Gr.) — montanha sa- 
grada. 

Ilallali — toque de trompa dos caçado- 
i-es quando caçam voados. 

Ilandschiihe (Af.) — luvas. 

Harpia — figura fabulosa com cabeça de 
mulher e corpo de abutre. 

Ilastil — haste, pedúnculo. 

Hebdómada — sete dias. semanas ou 
anos. 

Hebético — sombrio, lôbrego. 

llelépole — instrumento de ataque com 
vários andares. 

Hembra (Esp.) — fêmea. 

Herpes — afecção cutânea. 

Herr Hauptmann ist ein Gottloser! (Al.) 
— O sr. Capitão é um ateu_ um ím- 
pio I 

Hi — aí. 

Hiantes — de boca aberta. 

Hiatos — falhas, orifícios, manchas. 

Hieratizados — tornados sagrados. 

Hierofante — sacerdote grego, presumi- 
do em ciência religiosa. 

Hieronimíta — relativo a Jerónimo. 

Higomene — superior de religiosos tur- 
cos ortodoxos. 

Hílare — risonho, alegre, rindo. 

Hilros — pássaros (andorinhas). 

Hin — medida de líquidos judaica. 

Hipercatalético — verso muito falho em 
sílabas. 



Hiperdulia — culto mariano. 

Hípostátíco — sedimentar, residual; re- 
lativo à hipóstase (união do Verbo à 
natureza divina). 

Hipertrofia — desenvolvimento anormal. 

Historiado — muito enfeitado, compli- 
cado. 

Hoberaux (Fr.) — esmerilhões, fidal- 
gotes. 

Homado — masculinizado, a fugir para 
homem. 

Hombratnra — ombros largos'. 

Homem-lige — servo da gleba, factotum, 
pau-mandado. 

Homeopatas — clínicos. 

Homeridade — heroicidade. 

Homo-faber (Lat.) — homem industrio- 
so, que faz^ operário. 

Hoplita — antigo combatente grego. 

Horrísono — de som horrível. 

Horsas — éguas grandes. 

Hotel borgne (Fr.) — hotel suspeito. 

Houpettes (Fr.) — borlas de pó de arroz, 
lã preparada. 

Housse (Fr.) — cobertura. 

Hujo — uma ave. 

Hulanos — lanceiros a cavalos germâ- 
nicos. 

Humanai — humanoi 

Humilhoso — humilde. 

Humiiliadeiro — transe ou local de hu- 
milhação, de desonra. 

Huri — virgem do Paraíso maometano; 
mulher bela, deusa. 



latagã — punhal usado pelos turcos. 

Idiossincrasia — maneira de ser, de rea- 
gir. 

Idumeu — natural da Idumeia. 

Igarapé — caminho estreito, córrego, rio 
apertado, canal. 

Ignávia — desleixo, preguiça, fraqueza, 
cobardia. 

Igualitar — nivelar. 

Ilaquear — enlaçar, pear, fazer cair em 
logro. 

Iluso — iludido, enganado, embaído, es- 
carnecido. 

Imã — sacerdote maometano ou príncipe 
maometano com grande poder espiri- 
tual além do temporal. 



Imalsinável — impecável, sem nada que 
se lhe diga. 

Imanente — constante, perdurável. 

Imantizado — que adquiriu as proprie- 
dades do ímanL 

Imarcescível — que não murcha, incor- 
ruptível, imortal, imperecível. 

Imareada — pura, sem manchas. 

Imbricado — acamado como as escamas 
dum peixe, como as telhas dum te- 
lhado. 

Imo, a (Lat.) — do íntimo. 

Impaludado — sofrendo do paludismo. 

Impertèrritamente — impavidamente, in- 
trepidamente, impavidamente. 

Implexo — confuso, emaranhado, entrete- 
eido. 



IMP 



31 



JOG 



Impontar — pôr de parte, afastar, des- 
pedir. 

Impróvida — dissipadora, imprudente. 

Impúbere — que ainda não chegou à 
puberdade. 

Inipucrpera (rapariga) — que ainda não 
concebeu. 

Iniundificação, pecado de — o de comer 
carne toriiando-se impuro. 

Inacto — inactivo, inertf. 

Inaparúvel — intolerável, insuportável. 

Inapoderúvel — inacessível. 

Inçadoiro — algo cheio de qualquer coisa 
que se desenvolve constantemente; 
correia do mangual. 

Incípit — começo, introdução duma cró- 
nica antiga. 

Incontemplativaniente — cegamente, sem 
investigar de razões. 

In eontinenti (Lat.) — imediatamente. 

Incontrastável — incontestável, irrespon- 
dível, invencível, irresistível. 

Incorrespondente — impassível, insensí- 
vel. 

Incouras — revestimento de couro. 

Incaicas — informações, pesquisas. 

f ndiceN — dedos indicadores. 

Indurrial — opaco, espesso. 

Indefensão — posição indefesa, situação 
desprevenida. 

Inenodável — inteiriço, rijo, indesligá- 
vel. 

Infanções — fidalgos. 

Infantado — território ou bens do in- 
fante. 

Infere — inferior. 

Infestos — molestos, perniciosos. 

Infirmar ^ confirmar, corroborar. 

Inflada — inchada, túmida, cheia. 

Inflexo — curvado, inclinado. 

Influxo — influência. 

Infosforescente — sem fazer luz, sem 
atinar com uma ideia luminosa. 

Infusível — inamalgamável, resistente ao 
fogo. 



Ingr»''» — inglês. 

Injunções — obrigações, imposições. 

In limine (Lai,) — em princípio, total- 
mente. 

In nidulo tuo moriar (Lat.) — no teu 
ninho morrerei. 

Inópia — incapacidade, escassez, míngua, 
penúria, falta. 

Insàpidamente — sem lascívia, sem sa- 
bor castamente, secamente. 

Insciência — desconhecimento, ignorân- 
cia. 

Insonte — inocente, sem culpas. 

Kntanguida — tolhida, transida. 

Inteigar-se — enganar a fom<^ reme- 
diar-se. 

Intelligence Service (Ing.) — Polícia se- 
creta inglesa. 

Interamnense — da região de Entre-Dou- 
ro-e-Minho; que vive entre dois rios. 

Intercadente — irregular, gaguejado, 

de.scontinuado, intermitente. 

Intermissão — pausa, interrupção. 

Intermúndio — espaço intersideral, ermo, 
solidão. 

Inter pocula (Lat.) — entre copos. 

Intonso — hirsuto. 

Ionizado — com radioactividade. 

Ipé — árvore brasileira. 

Irial — respeitante ou comparável ao 
arco-íris, puro, diáfano, puro, cintilan- 
te, brilhante. 

Iriado — matizado. 

Iroquês — relativo à tribo dos iroqueses 
(da América do Norte); linguagem de- 
feituosa. 

Irreferente — indiferente. 

Irrefragáveis — indiscutível, infalível, 
irrefutável. 

Irribus! — Irra! 

Irrorar — borrifar, humedecer. 

Isodinâmico — da mesma força ou da 
mesma intensidade. 

Iteração — repetição. 



Jaca — matéria estranha em pedra pre- 
ciosa. 

Jaguapitanga — mamífero brasileiro da 
família dos canídeos (raposa do 
campo) . 

Jagunço — homem valente, guarda-cos- 
tas de fazendeiro. 

Jamba — elefante do Sul de Angola. 

Jamboto — cacete. 

Janízaro — soldados turcos, tropa re- 
pressiva e cruel, tunante, guarda-cos- 
tas, maganão, satélite. 

Janua coeli (Lat.) — porta do céu. 



Jansenista — intransigente, categórico, 

austero, rígido. 
Janta — jantar. 
Jarra, moeda de — moeda ornamental 

para usar sobre o colete. 
Jenipapo — fruto duma árvore brasileira 

(jenipapeiro). 
Jeremiada — pranto pegado. 
Jermela — vaca de Jarmelo (Guarda). 
Jogas — juntas dos ossos. 
Jogatinar — jogar a dinheiro. 
Jogral — o que tocava e cantava os 

versos dos trovadores. 



JOL 



32 



LAZ 



Jolda — iiiatulafíem, súcia. 
Vne jolie poule (Fr.) — bela mulher! 
Jongla — malabarismo, charlatanismo. 
Jouiíiseur (Fr.) — pândego, gozador. 
Jubileu — aniversário solene, festa co- 
memorativa. 



Judios — judeus. 
Julepo — bebida calmante. 
Jungle (Ing.) — selva. 
JuncUer (AF. ) — fidalgo. 
Juvenco — i^apaz. 



HL 



Kan — tenda, casa ou estalagem orien- 
tal. 

Kediva — vioe-rei do Egipto. 

Kindermãdchen (Al.) — aia de meni- 
nos. 

Kjoekken-moedding — restos de comida 
nas cavernas dos homens primitivos. 



Kleines Moninchen (Al.) — Mònicazinha. 

Kral (Afr. ) — Aldeia, cabana, acampa- 
mento. 

Kriegsanleihe (Al.) — empréstimo de 
guerra. 

Kunsthalle (Al.) — galeria de arte. 



T>abaça — planta herbácea, lábia, ronha. 

Lábaro — bandeira, pendão. 

Labilidade — instabilidade, tendência 

para escorregar. 
Lacão — pernil de porco, presunto. 
Lactescência — irradiação láctea ou cor 

de leite. 
Ladairo — prece pública, clamor. 
Ladravaz — ladrão, ratoneiro. 
Ladro — ladrão; peso ladro: deficiente; 

meses ladros: meses de escassez. 
Ladroíce — roubo, latrocínio. 
Lady-farnier (Ing.) — lavradeira. 
Lagaré — balbúrdia. 

Lagareiro — sujo, com, má apresentação. 
Lagarteiro — manhoso, boçal 
Lagoaçal — água estagnada com lodo. 
Lagoia — serpente, ladino. 
Laja — pedra. 
Lájea — Laje, pedra de superfície 

plana. 
Lambísqueiros — petisqueiros, lamba- 

reiro, guloso. 
Lambodas — pessoa suja, imunda. 
Lameira — terreno alagadiço. 
Laminações — efeitos de luzes abatidas. 
Lampanas — petas, intrujices, lerias, 

mentirosos. 
Lampas — vantagens; levar as lampas a: 

sobrepujar, ser superior a. 
Lampassados — quadrúpedes heráldicos 

com a língua de fora. 
Lampeiro — ligeiro, abelhudo, espevita- 
do, metediço. 
Lançarote — apontador, homem que guia 

o macho na padreação. 



Lancha — laje. 

Landainas — lerias, paleio, lábia, histó- 
rias da carochinha. 

Lande — bolota, glande. 

Langará — barulho. 

Lansquenete — soldado alemão de in- 
fantaria; jogo de cartas introduzido 
por estes soldados. 

Láparo — coelho pequeno, caçapo. 

Laparoto — garoto, labrego, coelhito. 

Laparotomia — operação cirúrgica na 
parte anterior do abdómen. 

Lapuz — homem rude, sujo, comilão, 
lambão. 

Larapiar — furtar. 

Larário — oratório, capela dos deuses 
lares, lar. 

Larota — fome. 

Lascares — marinheiros negros. 

Lascarinho — doidivanas, vadio, trocis- 
ta, desinquieto, grulha, travesso. 

Lasseira — indolência, pasmaceira. 

Latíbulo — esconderijo, reclusão, céu, 
morada dos deuses. 

Latina — vela de forma triangular. 

Lavacro — lavagem, baptismo, banho. 

Lavanda — alfazema. 

Lavaria — preparação do minério em 
água 

Laverca — pessoa magra, calhandra. 

Lavita — labita. 

Lavorar — lavrar. 

Lazarar — choramingar, passar fome. 

Lazarilho — cão de cego. 

Lazarina — arma de pretos. 

Lazarone — mendigo, vadio. 



LAZ 



33 



LÚZ 



Lazaronismo — miséria, apatia. 

Lazerar — passar mal, ter fome, gemer, 
penar, expiar. 

Legenda — lenda. 

Leghornes — raça de galináceos. 

Leicenço — furúnculo, fleimão, tumor. 

Leirãu — rato grande. 

Leite de pombas — nada. 

Leivas — terra lavrada, torrão, sulco, 
elevação da terra. 

Lemiste — tecido preto de lã. 

Lémures — fantasmas, larvas, almas pe- 
nadas, do outro mundo, sombras. 

Leniente — lenitivo, alívio. 

Lenimento — remédio para abrandar do- 
res, alívio. 

Lenocínio — favorecimento de crime ou 
devassidão. 

Lenteiro — lameiro, ervaçal, tremedal. 

Lentiscos — plantas ceretintáceas fre- 
quentes no Centro e Sul de Portu- 
gal. 

Lentura — humidade, relento. 

Le petit déjeuner (Fr.) — pequeno al- 
moço. 

Lerdo — estúpido, bronco, parado, tardo, 
grosseiro, lento, pesado. 

Leriante — fanfarrão, fala-barato. 

Lésbio — dissoluto, lúbrico. 

Lesim — veio da madeira ou do mármore 
ou sulco em pedra. 

Les jeunes fiancées (Fr.) — os noivi- 
nhos, pombinhos. 

Letif icar-se — alegrar-se. 

Levadio — telhado de telha solta; mu- 
lher dos levadios — levantada, levada 
da breca. 

Lezim — veio da madeira ou do már- 
more, sulco em pedras. 

Lia — bagaço, fezes, borras, sedimento, 
liame, laços de estirpe. 

Liços — cada um dos fios entre duas 
travessas, através dos quais passa a 
urdidura do tear. 

Lidairada — lufa-lufa, azáfama, evacua- 
ção. 

Lideira — trabalhadeira, mexida. 

Liègeoise (Fr.) — de Liège; marca de 
espingarda. 

Lima, água de — água permanente e 
macia em lameiros. 

Limar — correr sem Interrupção, meru- 
jar. 

Limiar — força mínima para actuar no 
músculo. 

Limpaça — clareira, inter\'alo sem vege- 
tação, sem árvores, terreno rapado 

Lindas — limites, balizas. 

Linde — limite. 

Linhar — linhal, terreno cultivado com 
linho, coirela, belga. 

Lintel — padieira, verga de portas ou ja- 
nelas. 



Lioz — um calcário duro e branco que 
se usa para as estátuas. 

Liqnes — jogo de cartas (o do truque). 

LIru — doidivanas. amalucado. 

Lisbonidas — moeda de oiro antiga. 

Listei — moldura arquitectónica, filete. 

Livor — Lividez. 

Lobreguejar — aparecer indistintamente 
no escuro. 

Lódam — lódão, pau. 

Lódão — pau, cacete, homem que sabe 
jogar o pau ou que usa dele como 
arma. 

Lodeira — charco, lodo. 

Logradoiros — eirados, lugares franquea- 
dos ao público, terrenos para pasta- 
gens de qualquer gado. 

Lohengrin, o seu — o seu príncipe en- 
cantado (Lohengrin é um herói len- 
dário da Alemanha medieval). 

Loireira — mulher provocante, sedutora, 
que deseja agradar. 

Lombardo — sorriso meio irónico e in- 
decifrável. 

Longa — espécie de tubo. 

Longal — espécie de azeitona ou casta- 
nha. 

Longe (adj.) — muito distante. 

Loquenda — conversa. 

Lordeiro — corrente de água. 

Lordose — encurvamento excessivo da 
espinha. 

Lorgas — buracos, tocas. 

Lorgado — com uma toca, esburacado, 
com fendas. 

Lorgnette (Fr.) — luneta portátil que fe- 
cha sobre um cabo, binóculo de tea- 
tro. 

Loro — rédea, correia. 

Lnaceiro — clarão, luz larga e vaga, 
vislumbre, leve recordação, luar. 

Lucarna — abertura no telhado, fresta, 
trapeira. 

Lucerna — candeia. 

Lucalento — brilhante, esplêndido, rico, 
espaventoso. 

Luculizar (a mesa) — pôr nela acepipes e 
manjares caros. 

Lnmalha — clarão, mancha luminosa. 

Lnmarén — fogueira, fogacho, labare- 
das. 

Lumieiras — frestas por onde entra 
luz; luzes de archotes e brandões, 
archotes. 

Lundum — dança de pretos, zanga, 
amuo. 

Lustral (água) — água benta, purifica- 
dora. 

Lustrina — tecido fino. 

Lutulento — lodoso. 

Luva — suborno. 

Luze-luze — pirilampo, meneios brilhan- 
tes. 

Lúzios — olhos. 



MAC 



34 



MAN 



]vr 



Macabeiis — príncipes judaicos que sal- 
varam a Judeia do tirano Antiochus 
Epiplianeg. 
Macaca — má sorte. 
Macacoa — doença. 
Macanjo — velhaco, traste, tipo, fulano; 

de mau cariz; marmanjo. 
Maoarena — lamúria, maldade. 
Macarenos — velhacos, patifes, de cor- 
tar o coração, ordinário, desagradá- 
vel íi vista. 
Macaréus — vaga impetuosa, ímpeto, 
onda resultante do encontro das 
águas do rio com as da maré. 
Macarica — lebre esbranquiçada de pêlo 

crespo. 
Macavenco — maluco, excêntrico, avan- 

tesma. 
Machacaz — grandalhào, macho desen- 
volvido, homenzarrão. 
Machim — espécie de catana, de faca. 
Machucho — ricaço, marau, manhoso. 
Macumba — dança ritual brasileira. 
Madaleão — medicamento enrolado em 

cilindro. 
Madorneira — erva de terrenos secos- 
Madragoa — mulher ordinária; toca, 
lura; esconderijo ou casa de má nota. 
Madrigueiras — luras, covas, esconderi- 
jos, toca. casa suspeita, valhacouto. 
Mãe — chave, gazua. 
Mafarrão — mariolão. 
Mafarrico — diabo. 
Magdaliano — último andar do terreno 

quaternário. 
Magreira — magreza. 

3Iainel — corrimão; pilarete que divide 
de uma fresta a parede lateral duma 
levada. 
Maison meublée (Fr.) — casa mobilada. 
Maitre Renard (Fr.) — Dona Raposa. 
Majoeiras — redes de tresmalho flu- 
tuante. 
Malaca — bengala, cacete. 
Malandança — transviamento, má sorte. 
Malandante — malandro, infeliz. 
Malaxar — amassar, mexer, revolver. 
Mal fichue (Fr.) — mal vestida. 
Malga.xe — habitante de Madagáscar. 
Malhada — tramóia, conluio, redil. 
Malhoada — revolvimento de terra e ca- 
lhaus, conluio, tramóia. 
Maligno — demónio. 
Malina — tifo. 
Maloia — aldeã, campónia. 
Malva — guarda-chuva. 
3Iatnelão — monte, duna. 
Mameluco — mestiço. 

Mamoa — camada de terra que cobre os 
dólmens; restos de construções sepul- 
crais. 



Mamona — semente de rícino 

Mamoto — leitão, rapazito inocente, to- 

linho, animal de mama. 
Mamposteiro — procurador, embusteiro. 
Manager (Ing.) — gerente. 
Manatas — homens importantes, jano- 
tas, gabirus, gajos, velhacos. 
Manaixos — fatos baratos mas vistosos, 

trouxas, ropas. coisas de trapiche. 
Manchocas — maçarocas de milho. 
Manchua — certo barco pequeno do 

Oriente. 
Mancomunado — combinado, conluiado. 
Mancomunar-se — conluiar-se. 
Manda-chuva — homem importante, de 

influência, magnate. 
Mandalete — recado, moço de recados. 
Mandinga — bruxaria, sortilégio. 
Mandingueiro — feiticeiro, homem que 
obra prodígios, que faz pasmar com 
o que faz. 
Mandis — panos grosseiros para vestuá- 
rio; aventais, rodilhas para esfregar 
bestas; capas de disfarce. 
Mandrágora — planta venenosa da famí- 
lia das solanáceas. 
Mandria — preguiça, mandriice. 
Manear-se — menear-se. 
Maneio — roçada de lã ou estopa, resto 

de novelo, pouca coisa. 
Manga — grupo de gente, de soldados. 
Manga-la-mangas — paz de alma, bona- 
cheirão. 
Mangoeira — mango, cabo de mangual, 
curral, tubo de couro ou lona para 
a água da bomba. 
Mangola — indolência, vadiagem, ociosi- 
dade, 
Mangolão — calaceiro, preguiçoso. 
Mangorranos — bracelete, pulseira. 
Manineiro — como um menino; peque- 
no, diminuto. 
Maninelo — fraldiqueiro, desejador de 
raparigas, efeminado, parvo, mulhe- 
rengo. 
Maninho — silvestre. 
Manipanso — indivíduo muito nutrido, 

feitiço africano. 
Manitu (Ind.)— um espírito maligno 

dos índios. 
Manja — comida. 
Mantelete — capa leve com rendas, para 

senhoras. 
Mantenedor — cantor, actor, defensor. 
Mantéu — capa, cueiro, saia de briche 

grosso, capindó de velha. 
Manteúda — amante sustentada pelo 

amante. 
Manu militari (Lat.)— pela mão das 

tropas. 
Manuelzinho — homem mole, afeminado. 



MAQ 



35 



MES 



Maquereau (Fr.) — alcovitriro. 

Maquiar — surripiar, desfalcar 

Maquetrefe — vadio, biltre. 

Marabu — ave pernalta. 

Marabnto — asceta que serve mesquita. 

Marafona — meretriz. 

Mar;irilia — enredo: inli-itía; tecido de 

lã antfs de tinto; confusão. 
Maranliãu — mentira, pela. 
Marantéu — pássaro ípapa-figos). 
MaravalhaH — acf-ndalhas, caruma, baga- 

lela.s, razões vãs. 
Marcavala — erva gorda para porcos. 
Marcelino — de Março. 
>Iarc(>tão — pêssego maracotão. 
Maneta — onda pequena. 
Marga — argila. 
Margraves — antigos chefes militares e 

civis alemães, governadores de provin- 
cial 
Marial — relativo à Virgem Maria. 
Marídança — vida conjugal, matrimónio. 
Mariposos — amantes, janotas. 
Maritorneíi — criada suja e ordinária, 

mulher reles, mulher desembaraçada 

e trabalhadeira. 
Marmotinho — maneirinho. pequeno, cas- 
tanheiro subespontâneo. 
Alaromba — corda de arame dos funâm- 

bulos; estrados amplos sobre cheias 

para gado; uma moléstia de videiras, 

manada de bois. 
3Iaronitas — católicos orientais. 
Maronco — grandes montes de ondeis, 

mar impetuoso. 
Marra — bácora, nome da carne de 

porco à entrada do Outono, touci- 
nho. 
3Iarralhar — regatear, discutir. 
Marralheiro — arteiro, intrujão, pregui- 

ço.so, que faz cera, petulante. 
Marrânico — corounda. 
Marraninho — leitão. 
Marrão — porco, sempre a pensar 

mulheres, marra grande, maço 

ferro, malho, martelo. 
Marrons chaudsl (Fr.) — Quentes 

boas ' 
Marruaz — novilho por domesticar. 
Martinete — penacho. 
Martingale de la réussite (Fr.) 

móia do êxito. 
Marufo — vinho. 
Mascambilha — batota, vigarice, 

trua. malta, tramóia. 
Mascarão — carranca. 
Mascate — vendedor ambulante 

zendas. 
Masmarro — velhaco, cabeçudo, 

Ihão, interesseiro. 
Masseira, teto de — abaulado, como uma 

concha. 
Mastim — molosso. rafeiro, policia. 
Matacão — pedref^ulho. seixo. 
^latação — consumi<;ão, apoquentação. 
Matalotageni — matulagem. 
Mateiro — lenhador, homem do mato. 



em 
de 



tra- 



falca- 

de fa- 
frada-- 



Matejador — que vive do mato. que anda 
pelo mato. 

Maticar — ladrar do cão quando desco- 
bre coelho no mato. 
Matóide — doido, amalucado. 
Matriculadas — prostitutas registadas. 

Mazantim — chapéu de aba larga e di- 
reita do toureiro do mesmo nome. 
Mazombo — sorumbático, mal humorado, 
bronco. 

Mazorreirão — tosco, sorumbático, mal- 
criado. 

Mazorreiro — tardo, rude, bronco. 

Meação — divisão ao meio. 

Mealhas — antiga moeda de prata. 

Meco — finório. 

Mediocracia — burguesia, predominio da 
classe média. 

Medrola — medroso. 

Medusar — encantar. 

ílefítico — pe.^Jtilento. fétido, podre. 

Megatório — conjunto de pequenos in- 
sectos. 

Meiguiceiramente — carinhosamente, un- 
tuosamente, com meiguice. 

Mei.jengra — majengro, um pássaro. 

Mei.jengro — peco. chocho, fraco, sem 
viço, indolente, velhaco. 

Meiminho — dedo minimo. 

Mein Gott: (Al.» — Meu Deus! 

Mejengra — pássaro. 

Mejengrar — fazer-se parvo, fazer per- 
der tempd. 

Melageiro — melífluo. sonso, hipócrita. 

Melápio — variedade de pêro, larapio, 
malandro cora falas doces. 

Melcatrefe — pessoa sem importância, 
insignificante, vadio, biltre, gajo. 

Melestreado — lambu.sado de mel, alam- 
bicado; mal encarado. 

Melgueira — pechincha, saco com dinhei- 
ro, patifaria, conluio, cortiço com mel, 
sorte, pé-de-meia. 

Melificamente — docemente (como mel). 

Melómano — com paixão pela música. 

Melquetrefe — biltre, vadio. 

Melúrias — palavrinhas doces, dengui- 
ces. doçura, suavidade. lamúrias. 

Memória — estátua, monumento, grupo 
escultórico. 

Menestrel — músico, trovador medieval. 

Menigrepo — sacerdote chinês, peco. 
atado. 

Menoscabado — depreciado. 

Mentrastos — erva aromática, espécie de 
hortelã. 

Mequetrefe — gajo. homem sem rebuço, 
atrevido, metediço. 

Mercas — compras. 

Merinaque — saia de balão. 

Meronga — pessoa imunda ou envergo- 
nhada. 

Merugem — er\a dos regatos que serve 
para salada; chuvisco. 

Meses de santos ao pescoço — meses de 
Verão, das romarias. 



MES 



Sfi 



MOT 



Mpsnada — tropa mercenária do exército 
real, força militar dos ricos-homens. 

Mesológico — relativo ao meio onde se 
vive 

Mesoneiro — dono de casa, bruxo. 

Messer lo frate sole (It.) — o sr. irmão 
Sol. 

Messes — searas. 

Mestraço — homem hábil, mestre. 

Mestre-régio — professor primário ofi- 
cial (nom. pelo rei). 

Metagoge — fig-ura de retórica que dá 
sentimentos às coisas. 

Metola — cabeça. 

Metralha — coisas e loisas, grande quan- 
tidade, riqueza. 

Mexeruíada — trapalhada, mixórdia, mis- 
tura de comidas, de ingredientes. 

Miché (Fr.) — freguês (de prostituta). 

Midinettes (Fr.) — costureirinhas. 

Migalho — pedaço. 

Milheira — pássaro. 

Mínio — cinábrio, zarcão, vermelhão. 

Minnesinger (Al.) — trovador. 

Minorcas — uma raça de galináceos. 

Minus habens (Lat.) — indivíduo pouco 
dotado pouco inteligente. 

Mirmecóiogo — homem que estuda as 
formigas. 

Mirmidão — homúnculo, tolo_ atrevido. 

Mirmiton — -ajudante de cozinheiro. 

Mióporos — árvores de terrenos areno- 
sos. 

Mlroir à alouettes (Fr.) — espelho de 
cotovias. 

Misógino — que tem horror às mulhe- 
res. 

Mispíquel — arsenopirite. 

«Misses e froilaines» — raparigas ingle- 
sas e alemãs. 

Mistagógico — relativo aos mistérios das 
religiões. 

Mistão — mistura, mistela. 

Mitenes — luvas que deixam os dedos 
de fora. 

Mitrado — esperto, sagaz, sabido. 

Miúlo ^ pau da roda do carro. 

Mocambo (frade) — refugiado em pa- 
lhota. 

Mocotó — mão de vaca, pulso. 

Modilho — cantiga. 

Moega — vaso de pau por onde cai o 
grão na calha do moinho. 

Moenda — peça do engenho de moer, 
trabalho de moer, moinho, moedura, 
mó, retribuição. 

Mofareiro — zombeteiro, escarninho. 

Mofeta — mofo. 

Moganguices — momices, gaifonas, pa- 
lhaçada. 

Moinar — dormir, vadiar. 

Moinas — tunantes, vadios. 

Moira — salnioira_ chouriço de sangue. 

Mojiquw — camponês russo. 

Molambado — esfarrapado, amolecido, 
amodorrado. 

Molambagem — coisa velha, estragada. 



Molancão — molengão. 

Molar — uma erva. 

Molarinha — uma erva. 

Moleija — miudezas de porco, sarrabu- 
lho. 

Moleque — preto (rapaz), macaco. 

Molhelha — almofada da canga dos 
bois. 

Moliana — repreensão; cantar a moliana: 
gemer. 

Molície — moleza, preguiça. 

Molinete — ventilador. 

Molinheíro — molinha, chuva miudinha. 

Molinismo — doutrina herética de José 
de Molina, quietismo. 

Monaeato — estado ou vida de monge. 

3Iondongos — vísceras de animais, farra- 
pos, andrajos, gente imunda. 

Mónera — os seres vivos mais simples; 
nau de uma só fila de remos. 

Montanhaque — tecido grosso de lã. 

Monticulações — elevações de terreno. 

Moquenca — desavergonhada, indolente, 
mimalha, caprichosa; haveres, cabe- 
dal. 

Morabitino — maravedi, moeda. 

Morabito — asceta maometano. 

Moratória — dilação, espera. 

Morbo — doença, estado patológico. 

Morca — barriga, bandulho, focinho, pe- 
queno peixe. 

Moreias — ■ montes de estrume, medas. 

Morfanho — fanhoso, bisonhoi. 

Morganho — musaranho, rato, grupo, 
indivíduo sem valor. 

Morgue (Fr.) — desprezo, arrogância. 

Moringue — bilha. 

Mormo — doença de bestas, azêmola, 
ranho. 

Mórmon — membro da seita americana 
do Mormonismo. 

Morouço — montão de pedras. 

Morraça — vinho ordinário, zurrapa. 

Morraceiro — mixordeiro, alquimista, fi- 
nório, falas mansas. 

Morrião — topo, capacete. 

Morrones (Esp.) — pimentos; grandes 
focinhos de cães. 

Mortualha — cadáveres, funeral. 

Mortulho — restos de mortos, detritos, 
despojos, restos esfacelados ou'' quei- 
mados. 

Moscas-brancas — neve, flocos de neve. 

Moscar — fugir, sumir-se. 

Mosco — roubo hábil. 

Mosquetaço — tiro de mosquete. 

Mosquete — tabefe, soco; espécie de es- 
pingarda. 

Móssega — mossa, torcedura (do linho). 

Mostajeiro — árvore de fruto. 

Mota — curral de bois, terra que en- 
volve árvores, aterro, cais, arribana. 

Motete — gracejo, apodo, trejeito, can- 
tiga, momice. 

Moteteiro — garrido, galhofeiro. 

Moteto — cantiga. 

Motilidade — mobilidade. 



MOT 



37 



NÚT 



Motoriieiro — guarda-freios. 

Mot recos — pedaços, nacos. 

Mouco — rabo, traseiro, vísceras abdo- 
minais dos animais. 

Mouchão — pequena elevação arborizada 
ou ilhota em rio. 

Mouro — chouriço de sangue. 

Moxínifada — salsada, miscelânea. 

Muchedumbre (Esp.) — multidão, povi- 
léu, grande quantidade. 

Muco — ranho, monco. 

Mudéjar — mourisco. 

Muflerie (Fr.) — malandrice. 

Mufti — sacerdote muçulmano. 

Mugnet (Fr.) — peralvilho. 

Muitieras (Esp.) — dança espanhola. 

Muladar — monturo, esterqueira. 

Mujiques — servos, camponeses russos. 

Mula! — nada, moita. 

Muleta — espeque que aguenta a roda 
da popa dos saveiros. 



Mulherada — mulherio, muitas mulhe- 
res. 

Mundificado — limpo, enxuto. 

3Iunheca — pulso, mão. 

Munificente — generoso, magnânimo. 

MúnuN — cargo, funções. 

Muranho — bom caçador de ratos. 

Murex (Lat.) — marisco que dá a tinta 
cor de i)úrpura. 

Murganho — rato (ainda pequeno). 

Murmurinhar — falar quase impecepti- 
velmente. 

MurmurinhoN — ditos, boatos. 

Murtinho — baga da murta. 

Murzango — embezerrado, sorumbático, 
pensativo, taciturno. 

Musaranhos — ratos. 

Mussitar — cochichar, murmurar. 

Mustelideo — animal do tipo da doni- 
nha. 



isr 



Nagalho — atilho, lenço do pescoço, gra- 
vata. 

Naifa — faca. 

Nanja — não, nunca. 

Nardo — planta silvestre da qual se ex- 
trai um perfume. 

Nateiro — vasa, rochas detríticas. 

Naveta — lançadeira, movimento para cá 
e para lá, rumo. 

Nazir — Supremo Tribunal da Pérsia. 

Nebri — ave de altanaria, falcão. 

Nébrias — insectos carnívoros. 

Necedade — ignorância crassa, sandice, 
estupidez, dislate, parvoíce. 

Negrilhos — ulmeiros, tecidos negros 
de lã. 

Negrolas — aves palmípedes. 

Nem lá vou nem faço mingua — de pre- 
sença desnecessária. 

Nena — boneca. 

Nenho — bebé, acanhado, tontO'. 

Nénia — canto fúnebre, deusa dos fu- 
nerais. 

Nequícia — maldade, perversidade. 

Nervado — com nervuras. 

Nettoyeur (Fr.) — limpador. 

Neumas — sinais de notação do canto- 
chão. 

Nica — ferroada de pião. 

Nictalope — pessoa que vê mal de dia. 



Nimiamente — demasiadamente. 

Ninar — fazer ó-ó; não fazer caso. 

Ninfea — nenúfar, flor aquática. 

Nisga — pedacinho; lá isso^ nisga!: lá 
isso, vírgula! 

Niza — casaco antigo de saragoça. 

*N 3Iorgen (Al.) — bom dia. 

Noitibó — um pássaroi. 

Nóminas — bolsas com amuletos, pre- 
gos doirados, emblemas, medalhas re- 
ligiosas. 

Nonada — ninharia, razão fútil, coisa de 
pouca monta. 

Nossa Senhora de Nunca Mais — cemi- 
tério. 

Not in the least (Ing.) — nem por som- 
bras. 

Nougat (Fr.) — nógado. 

Nove horas — prosápia. 

Noveleiros — invencioneiros, maledicen- 
tes, alvissareiros. 

Nozelha — nó, excrescência lenhosa da 
árvore, calo, tumor. 

Nuga — nógado, pinhoada. 

Nugate — um doce de amêndoa. 

Nunca senunca — nunca por nunca. 

Nuos — nus. 

Nursery (Ingl.). — viveiro de plantas, 
casa de crianças. 

Nútrice — nutritivo. 



OBE 



38 



PAL 



Oberado — onerado, sobrecarregado. 

óbice — impedimento, obstáculo. 

Objurgatória — censura áspera. 

Obnóxio — submetido, humilde. 

Obnubilação — defeito de visão que con- 
siste em ver sombras. 

Obrigação — mulher e filhos. 

Obsidiana — pedra negra e brilhante, de 
origem vulcânica, que risca o vidro. 

ó cetras — empurrando para trás. 

Oclusiva — dissimulada. 

Odeão — casa negra destinada a espec- 
táculos musicais. 

Odebasi — chefe militar janizaro. 

Odre — estômago. 

Odreiro — barrigudo. 

Oficleide — instrumento de sopro como 
as cornetas. 

Ogre — papão. 

Oiti — nome de diversas plantas brasi- 
leiras. 

Olha — gordura de caldo. 

Olharapa — espantadiça, bisbilhoteira. 

Olharapo — ente exótico e antropófago 
que tem apenas um olho na testa; 
pessoa pasmada; espião. 

Olheiro — clarabóia, telha de vidro, ori- 
fício para a luz. 

Olim (Lat.) — outorra. 

OUa podrida (Esp.) — cozido podre. 

Ominoso — agourento, funesto. 

Ondinas — ninfas. 

Ondulas — ondas. 



Onerantes — pesados. 

Ongulado — com unhas grossas. 

ônix — variedade de quartzo listrado. 

unha. 
Opalanda — opa grande, capa. 
Opalescente — opalino, cor de opala, com 

reflexos nacarados. 
Opilado — enfatuado, inchado. 
Opimo — fecundo, excelente. 
Orates — dementes, fracos de espirito, 

avariados do juízo. 
Orbes — esferas, redondezas, voltas. 
Orbicular — redondo, esférico. 
Orca — dólmen, casa da moira, forno dos 

moiros, centro da povoação neolítica. 
Orçar — atar, depositar. 
Orchata — refresco, xarope. 
Orelhudos — coelhos, lebres, burros. 
Orgibão — verbena (erva). 
Orgue (Fr.) — realejo. 
Orgueirais — sitio onde crescem urguei- 

ras (chamiças). 
Orgulhecer-se — orgulhar-se. 
Ornitólogo — que estuda as aves. 
Orto — nascimento dum astro, origem. 
Ostentatório — que dá muito nas vistas. 
Otomana — espécie de sofá. 
Otária — foca. 
Ougadas (bestas) — • muito cansadas, 

aguadas, estafadas. 
Ou Ton cause (Fr.) — Onde se conversa. 
Ourelo — tira, nastro. 
Ousio — atrevimento. 



Pabular — relativo a comida, a pábulo. 

Pábulo — pasto, alimento. 

Pacabote — lacaio, traz-e-leva, sabujo. 

Pação — cortesão, cortês, paJaciano. 

Pacholice — dito sem graça nenhuma. 

Pachouchada — descaro desfaçatez, alar- 
vidade. 

Pachuchada — grande parvoíce. 

Pacta — pacto, relações. 

Padieira — verga superior de porta ou 
janela, topo de livro. 

Padraria — padres em geral. 

Paguei — embarcação indiana. 

Paisanaria — acanhamento, inexperiên- 
cia. 

Paisão — camponês, do mesmo país. 

Paivante — cigarro. 

PaJadim — paladino, cavaleiro, defen- 
sor. 



Paládio — salvaguarda, desculpa, pani- 
nhos quentes. 

Palangana — tigelada, grande quanti- 
dade. 

Paleógrafo — perito em paleografia (arte 
de ler letras antigas). 

Paleotnólogo — etnólogo do homem pri- 
mitivo. 

Palha-malhada — papa-açorda, mole. 

Palha-molhada — insensível. 

Palhagal — detritos leves todos espa- 
lhados (caniço, penugem, penas, etc). 

Palhal — palheiro, palhoça, cabana. 

Palheira — abuso, boato. 

Palinódia — retratação do que se disse. 

I»alniar — bosque de palmeiras. 

Palmeiro — do tamanho dum palmo. 

Paio (Gr.) — sorte que coube a alguém, 
paulada. 



PAL 



'M 



Í'E1 



Palúrdio — palonço, palerma. 

Tamplina — cmbusto. ludíbrio. 

1'anaKhiu (Gr.) — A Virfíem Maria (Sa- 
crossanta). 

Fanais — panos para apanha de azeito- 
na, basbaques, cueiros, mostrengosl 

Panasro — terreno alagadiço; erva de 
pasto. 

Panateiieia — festa religiosa em honra 
da deusa Atena. 

Panoa — pau grosso para levantar gran- 
des pesos. 

Pandorgas — «assim chamam na Beira 
às mulheres já coirões que acabam 
por perder a vergonha» — O Arcanjo 
Negro. 

Pangalhada — patusgada, pândega. 

Panneau (Fr.) — painel. 

Panem nostrum da nobis (Lat.) — o pâo 
nosso de cada dia nos dai hoje. 

Pano — superfície larga, parede, tabi- 
que. 

Panóplia — casa de armas, lanceiro, tro- 
féu. 

Pantafaçudo — bochechudo, volumoso, 
mirabulante. 

Pantocraton (Gr.) — Todo Poderoso. 

Papalino — papal, soldado do Papa. 

Paparreta — ridiculamente pretensioso, 
impostor. 

Papear — papaguear, mexer os lábios 
como quem reza. 

Papillon (Fr.) — rapariga atraente e 
leviana. 

Paqueta — criada de recados. 

Paquete — moço de recados, alcoviteiro. 

Paquitélia — insectos. 

Paracrónioo — com data errada. 

Paraganas — bens feudais, palhas, ares- 
tas da espiga de trigo, cevada, etc. 

Paralaxe — diferença entre direcções 
dum mesmo astro. 

Páramo — firmamento, deserto. 

Paranheiro — parede ou verga da pa- 
rede do forno. 

Paranho — campina erma; parte da pa- 
rede do forno lambida pelo fogo. 

Paranóia — loucura mansa. 

Parasanga — medida persa (5520 m). 

Parcel — escolho, baixio. 

Parietárias — plantas herbáceas. 

Pardelho — rede para pescar duma mar- 
gem à outra do rio. 

Paredal — muro extenso. 

Parenétiea — colecção de sermões. 

Parigot (Fr.) — parisiense. 

Parkinsonia aculeata — paralisia agi- 
tante (aguda). 

Parlamentação — discussão, tagarelice. 

Paro — barco indiano. 

Parrana — pessoa caricata, coisa ordiná- 
ria, pacóvio, mal arranjado, desmaze- 
lado. 

Partazana — espécie de alabarda. 

Partícipe — comparsa. 

Partners (Ing.) — sócios. 



Parva — merenda, ração de comida, de- 
jejuadouro. 

Parvalheira — aldeia atrasada. 

Parvidade — parvoíce. 

I*arvis (Fr.) — adro. 

Pascácia — pessoa que não sabe dis- 
cernir. 

Passado ao São-Oulão — ao estreito, en- 
golido. 

Passanianaria — obra de fitas de fio de 
ouro, de prata ou seda. 

Pássara — fêmea de ave, rapariga, seri- 
gaita. 

Passarinha — baço de porco, partes 
pudendas de mulher. 

Passaritar — andar ligeiramente, andar à 
espreita. 

Passavante — figura de heráldica, espé- 
cie de arauto. 

Passecalhe — miisica espanhola, espécie 
de one-step. 

Pata — pacto. 

Patacho — embarcação de dois mastros. 

l*ata-rega — terreola. 

Patchouli — planta indiana de que se 
faz um perfume. 

Pategónia — aldeia. 

Patena — lâmina convexa onde se coloca 
a hóstia. 

Patim — pátio alteado na parte exte- 
rior da casa rústica, patamar. 

Pato — pacto. 

Patolo — néscio, bruto, rústico, labrego. 

Patriotismo — seio de mulher. 

Patrona — saco, bolso solto. 

Patuleia — aglomeração, povo. plebe, 
tropa. 

Patuns — grosseiros, rústicos. 

Pavé (Fr.) — pavimento. 

Pavês — escudo grande; resguardo de 
embarcação^. 

Pavesaria — resguardos. 

Pechinchar — ganhar, alcançar. 

Pechincheiro — chupista, interesseiro. 

Pechisbeque — ouro falso, pessoa sem 
importância. 

Pécora — ovelha, concubina, rapariga que 
dá trela. 

Pé-de-boi — cauto, reaccionário, matuto. 

Pedâneo — juiz que sentenciava de pé, 
nas aldeias, «um dos tais do mais 
baixo da escala, que pensavam com 
os pés» — «Geografia Sentimental». 

Pedibus calcantibus (Lat.) — a pé. 

Pedreiro — antigo morteiro que arre- 
messava calhaus. 

Pedrisco — pedra miúda, saraiva miúda. 

Pega — namorada, rapariga. 

Pegamasso — maçador, importuno, car- 
raça, lorpa, molengão, bolas. 

Peguilho — embaraço, estorvo, incómo- 
do, questão, pega, algo a acompa- 
nhar pão. 

Peguilhar — provocar, armar contenda 
miúda. 

Peias — cordas que prendem os pés das 
bestas. 



PEI 



40 



PIS 



Peita — subornos, presentes. 

Peitaço — peito de homem rude ou forte. 
Peitar — angariar, corromper, subornar. 
Pelanca — peles penduradíis e moles, 
peles magras. 

Peldasnos — pedaços d'asnos, palermas. 

Pelem — só pele e osso, pessoa débil e 

magra, entanguido, enfezado. 
Pelicão — casacão. 

Pelitrapo — maltrapilho. 

Pelotage (Fr.) — lã em novelos, lisonja. 

Peloticas — habilidades, caprichos. 

Pelouro — bala de pedra. 

Peltastas — soldados munidos de peita 

(escudo pequeno ou lança). 
Pelúcia — felpa. 

Pendengada — trapalhada, sarilhos, tra- 
balhos, pesadelos, coisas que se usam 
frequentemente para vários fins; em- 
pregos acessórios. 

Pendente — homem insig^nificante, pin- 
gente. 

Pendule (Fr.) — relógio de sala. 

Penetrai — a parte mais recôndita e in- 
terior dum edifício. 

Peniculário — depreciativo de cronista, 
jornalista. 

Penisco — semente de pinheiro. 

Penso — tratamento em comida, limpe- 
za, etc, que se faz de crianças e ani- 
mais; trabalho, tarefa. 

Peplo — túnica. 

Pepsinas — fermentos do estômago. 

Percale — tecido de algodão. 

Percluso — impossibilitado de andar, 
metido em casa, paralisado. 

Percuciente — perfurante, que fere. 

Perfunctório — pela rama, superficial, 
pouco útil. 

Pergamóide — revestimento de cabedal, 
pele dura. 

Pericrânio — membrana exterior do crâ- 
nio. 

Perimidos — sem valor por ter passado 
o prazo. 

Perimir — pôr termo. 

Peripatetizar — vaguear. 

Periscélidas (Gr.) — argolas das per- 
nas. 

Perisférico — globular, esférico. 

Perlongas — delongas. 

Perluxidão — requinte. 

Permissivo — admissível, consentido. 

Pernóstico — repontão, espevitado, pre- 
sunçoso. 

Perponte — gibão. 

Perra chica (por uma) — por coisa de 
nada. 

Perras (Esp.) — cadelas, birras. 

Persifleur (Fr.) — trocista;. 

Perspicuidade — nitidez, transparência. 

Perplexidão — perplexidade. 

Pervagantes — que atravessam, d i vagan- 
tes. 

Pesadumes — peso, pesar, pesadelos. 

Pescoceira — pescoço esticado, cachaço. 

Peseta, má — mau homem, de má fama. 



Pespé — chispe; pé de porco salgado. 
Pesporr«'>ncia — bazófia, arrogância. 
Pestinência — peste. 
Pestinheíro — biqueiro, esquisito de 

boca. 
Peta, sacho de — sacho de orelhas, sa- 
cho pequeno para mondar, machadi- 
nha do podão. 
Petar — ^ serrazinar, maçar, insistir. 
Petinga — sardinha pequena. 
Petiscas — pontas de cigarro. 
I'eto-real — um pássaro. 
Petribilidade — estado de pedra, insen- 
sibilidade, sono profundo. 
Pexote — inexperiente, sem jeito. 
Pianotar — tentar tocar piano, quase to- 
car piano, bater ruidosamene as te- 
clas. 
Piasca — piorra. 
Picada — caminho estreito sobre o 

monte. 
Picanços, cegonhas e burros — antigos 

engenhos de tirar água. 
Picadão — passagem larga na mataJ. 
Picar em fanicos — em pedacinhos. 
Picardo — maroto, moinante, velhaco. 
Picaria — tropa armada de piques; arte 

de equitação. 
Piçarra — rocha xistosa e muito dura. 
Pichorra — jarro de barro para vinho, 

canjirão. 
Picotilho — burel fino, lã leve. 
Pierreuse (Fr.) — fem. de Pierrot. 
Pilaf — pilau, comida oriental. 
Pilangra — pelanga, pele magra. 
Pilar por mais — desejar mais. 
Pilhancra — pilhanqueiro, maltrapilho. 
Pilhanqueiro — matrapilho, miserável. 
Pilheira — caixa, cavidade ou prate- 
leira dentro da parede da cozinha; 
depósito da cozinha onde se guarda a 
cinza. 
Pilho — malandro, gatuno, biltre. 
Pilone — pórtico de templo egípcio. 
Pilorda — palonço, homem atado e de 
pouco entendimento, bolas, zé-nin- 
guém, pobretana. 
Pincha no crivo — salta-pocinhas. 
Pingueiro — a cair de bêbado. 
Pinhoca — cacho, agrupamento, magote. 
Pintada — um galináceo, galinhola. 
Pintalegrete — peralta, vivo, leviano. 
Pintarolado — pintalgado. 
Pique — lança antiga terminada em 

ferro agudo; acicate. 
Pirâmula — pirâmbula, pirâmide. 
Pirangão — pobre e mal vestido. 
Piranha — peixe brasileiro. 
Pireza — fuga. 
Piroxilado — com o produto explosivo à 

base de piróxilo. 
Pirralho — fedelho. 

Pírtigo — a parte batente (mais peque- 
na) do mangual. 
Pisa-flores — presumido, amaneirado. 
Pisa-mansinho — astuto, sonso, caute- 
loso. 



PIS 



41 



PRO 



1'isi-olabis ^ uma refeição ligeira tomada 
fora dt' horas. 

Pitas — fíalinhas. 

Fiteiro — que apanha piteiras, bêbedo. 

Píxíde — vaso de guardar hóstias ou par- 
tículas consagradas. 

Place aux jennes! (Fr.) — lugar aos no- 
vos. 

Plafonnier (Fr.) — lâmpada ou lustre 
junto do teto. 

Plancher des va«hes (Fr.) — chão, terra 
firme. 

Planturoso — abundante, fértil, prolixo. 

Platibanda — contorno ou bordadura 
chata e larga, muro ou grade à volta 
da plataforma dum edifício. 

Plausibilidades — aspectos aceitáveis, 
razoáveis, lados bons de qualquer 
coisa. 

Playera (Esp.) — canção andaluza po- 
pular. 

Plesiossauro — réptil da era mesozóica. 

Plumard (Fr.) — espanador de penas, 
cama. 

Poalha — pó, poeira muito leve. 

Pochade (Fr.) — esboço. 

Poceiro — poço, charco, lodaçal, cabano. 

Podagra — gota nos pés. 

Podarrozado — polvilhado de pó de 
arroz. 

Podridero — casa onde apodreciam ca- 
dáveres. 

Podrido — apodrecido. 

Podriqueira — preguiçosa, relaxada. 

Poial — banco fixo de pedra junto a 
porta ou janela. 

Pointers (Ing.) — perdigueiros. 

Pola — pernada, rebento, ramo. 

Polacra — navio de proa aguda e três 
mastros. 

Polha — franga, rapariga. 

Polho — rapazito. 

Poliorcética (Gr.) — cerco de cidade, 
arte de sitiar. 

Polme — massa pouco consistente, carne. 

Polvorento — cheio de pó, poeirento. 

Polvorinlio — copo de coiro, para pól- 
vora, rede, moinho de vento. 

Poma — seio. 

Pompear — ostentar, presumir. 

Pontaletes — espeques, paus, varais. 

Pontigo — ponte pequena de pau. 

Popnlaceiro — amigo da popularidade, 
que enfrenta bem a populaça, popular. 

Porciúncula — porçãozinha. 

Porejar — ressumar. transpirar. 

Porquear-se — espojar-se como os por- 
cos, ter relações ilícitas. 

Porrião — utensílio de mineiro. 

Porteira — cancela, portão. 

Portela — cotovelo de estrada, depres- 
são entre montes, corga, portal, en- 
trada dum caminho. 

Por trancos e barrancos — por vários sí- 
tios, por montes e vales. 

Possidónio — provinciano, ingénuo, que 
se deixa levar pelos políticos. 



Poterna — um caminho no subsolo, 
porta falsa de fortaleza, porta falsa, 
nodosa do caule ou 



saliência 



Potra 

raiz. 

Potreia — bebida estragada e de mau 
gosto, porcaria. 

Poupon (Fr.) — pequerrucho, gorducho. 

Pouquidade — pouca coisa, reduzida im- 
portância, pouco valor. 

Ponsadeiro — nádegas, traseiro. 

Poverelli (It.)— os pobrezinhos. 

Praganal — monte de palha e trigo, 
muitas barbas de milho ou trigo. 

Praguedo — muita gente a importunar. 

Pralinado — recoberto. 

Prandial — respeitante a refeições. 

Prantar — pôr. 

Prateleira, salto à — salto raso com re- 
bordo saliente. 

Pravidade — maldade, perversidade. 

Prazo-dado — entrevista. 

Preboste — antigo magistrado militar. 

Precaucioso — cauteloso. 

Precário (subs. ) — deficiência. 

Precatório — rogativo. 

Precinta — cinta, tira de lona ou me- 
tal 

Precito — condenado, réprobo. 

Pregões — proclamas, banhos. 

Pregresso — decorrido anteriormente. 

Preia — presa. 

Prelevar — sobrelevar, desculpar. 

Prenúncio — prognóstico, aviso, sinal. 

Premunir — precaver, procurar evitar. 

Pré-rafaelista — pintor de antes de Ra- 
fael. 

Presépio — estábulo, curral. 

Prestadio — serviçal, prestável. 

Préstamo — antigo imposto em terras 
ou dinheiro. 

Pretos — porcos. 

Pretoriano — partidário da ordem. 

Pretório — lugar onde o pretor dava 
audiência; tribunal. 

Pritaneu — edifício público para receber 
embaixadores e manter figuras notá- 
veis. 

Preu.x chevaJier ( Fr. ) — bravo cava- 
leiro. 

Priapismo — excessivo orgasmo venéreo. 

Privatdocent (Al.) — professor do en- 
sino particular. 

Proclamas — cartazes, editais, banhos de 
casamento. 

Pro doma sua (Lat.) — em defesa dos 
seus interesses. 

Proémios — preliminares. 

Profalça — censura, impedimento, invec- 
tiva. 

Progne — andorinha. 

Pro gravioribus (Lat.) — dando preferên- 
cia às coisas mais sérias. 

Prolegómenos — noções preliminares. 
Prolixidade — duração, difusão, verbosi- 
dade. 

Prolóquio — provérbio, sentença. 
Promanar — dimanar, proceíier. 



PRO 

Pronóstico — sentencioso, santarrão. 

Propinar — dar a beber, ministrar. 

Prospecto — projecto. 

Protesto — propósito firme; desígnio. 

Protomédicos — antigos curandeiros an- 
tes da existência da Medicina. 

Protonotário — funcionário graduado da 
Igreja (dignitário da Cúria). 

Protrair-se — prolongar-se. 

Provoque — provocação. 

Proxeneta — medianeiro em assuntos 
amorosos. 

Prudómen — o mesmo que conselheiro 
Acácio. 



4á RAC 

Pncareiro — espécie de cabide para pen- 
durar púcaros e panelas. 

Pucarete — espécie de púcaros que se 
põem nas velas dos moinhos. 

Pucelagem — adolescência, donzelia. 

Pudendo — pudico, vergonhoso. 

Piidibonderia — pudicícia, recato. 

1'uerppral — relativo ao parto. 

iMilins — pequenos pulos.. 

Puridade — segredo, pureza. 

l*úrria — bando de garotos. 

Pútegas — plantas da família dos sar- 
.gaços, prostitutas. 

Putreia — mixórdia, restos de decompo- 
si(;ão de substância orgânica. 



Quadernas — faces de dados. 

Quadrela — courela, lanço de muro. 

Quadrupedante — quadrúpede (estúpido) 
e pedante. 

Quantés — oxalás, derriços, momices. 

Quarta — uma febre que se repete de 
quatro em quatro dias; forma de pa- 
ludismo. 

Quartão — a quaita parte dum alquei- 
re, cavalo corpulento mas curto. 

Quatrini — dinheiro. 

Quebreira — fadiga, desfalecimento, que- 
branto. 

Queira — matilha. 

Queiró — planta de mato. 

Queiroga — planta do mato. 

Queiroz — urzeira do mato. 

Quelhos — ruas estreitas, becos. 

Quermesse — festa, feira com arraial, 
bazar. 

Querosene — petróleo. 



Quilombo — esconderijo de negro. 

Quevedos — óculos. 

Quinchoso — quintalejo, cortelho. 

Quincôncio — quatro objectos formando 
(}uadrado e um ao centro. 

Quindins — dificuldades, requisitos, en- 
feites, requebros. 

Quinta — pátio para animais e estru- 
meiía ao pé de casa, curral de porcos, 
quinteiro, cabanal. 

Quintos — o inferno, grande distância. 

Quiproquó — coisa confusa, engano, fa- 
cécia, um bate-língua, uma coisa pela 
outra. 

Quitar — prescindir, escusar de, não pre- 
cisar. 

Quod-libet (Lat.) para qualquer lugar, 
para onde quiserem, o que quiserem. 

Quodore — bebida (pequena porção), de- 
jejuadouro, pequena porção de ali- 
mento, viático para viagem. 



r=^ 



Rabaça — processo de pesca, planta 

aquática, pessoa insípida, fruta verde. 
Kabaceiro — que come e bebe muito: 

insaciável: que rouba fruta ainda 

verde. 
Rabadão — um grande traseiro. 
Rabadilha — parte do corpo onde se 

insere a cauda; rabo; traseiro. 
Rabeiro — cauda de vestido, abas de ca- 

sacão. 
Rabigo — activo, mexido. 
Rabito — vivo, ladino. 
Rabona — jaqueta com abas. 



Rabos-levas — tiras de papel para pôr 

nos casacos, dichotes, ditos escarni- 
nhos, surriada, chacota. 

Rabugem — escassa vegetação, mancha. 

Rabusana — peixe nianeirinho, mulher, 
patega, rapariga; barreira rabusana: 
d aa cauda, a extrema. 

Rabusanada — aglomeração de rabusa- 
nos (ratinhos, homens que emigram 
de província em província). 

Racha — cavaco de lenha, cacete, re- 
bento, quinhão. 

Raçoar — comer ração. 



RAU 



Áti 



RES 



Radiário — animais inverlebrados. 

Kafa — mar»' forte. 

Ralão — farinha grosseira. 

Ralé — fíana, fíenica. 

Ralear — ser pouco, escasso. 

Raleira» — intervalo entre telhas. 

Ralice — ócio. 

Rampanar — namorar, fazer a corte. 

Ranzal — tecido antigo muito apreciado. 

Rapazete — rapazote. 

Rapiíi (Fr.) — aprendiz de pintor, pin- 

ta-monos. 
Rapola — peixe miúdo com pouco valor 

para venda. 
Raposa — cesto vindimeiro. 
Raposeira — toca de raposa. 
Rari iiaiites (Lat.) — os raros navegan- 
tes. 
Rasca — quinhão, parte do lucro. 
Rascada — enrascadela, aperto, embru- 
lhada. 
Rascoa — criada, rameira. 
Raxcopiro — muito dado a mulheres, 

D. Juan, tunante, enfatuado. 
Rassemblement (Fr.) — reunião, tu- 
multo. 
Rasta — rasca, ordinário. 
Ratinha — vaca de raça pequena. 
Ratinhos — trabalhadores minhotos que 

fazem as ceifas do Alentejo. 
Rattenfãnger (Al.) — caçador de ratos. 
Rathaus (Al.) — câmara municipal. 
Rebanhada — amontoado. 
Rebatinhas, às — atirar ao ar para os 

outros apanharem, às mãos-cheias. 
Rebentina, de — síibitamente. 
Rebiteso — sem medo, atrevido. 
Rebo — calhau tosco. 
Rebolcado — revolvido, voltado. 
Reboleira — • movimento de rebolar. 
Rebolo — pedra de amolar; calhau. 
Rebuçado — embuçado, i equlntado. 
Récega — soalheira, estímulo, sarilho. 
Recental — cordeiro de três a quatro 

meses. 
Rechã — planalto. 
Récipe — receita. 
Reco — porco. 

Recoleto — frade da Ordem de S. Fran- 
cisco. 
Recolhença — colheita. 
Recrava — encaixe. 

Rectlbiliilade — rectidão, imutabilidade. 
Reculão — repelão, movimento brusco 

para trás. 
Recursivo — recurso, decurso. 
Redenho — tela de gordura que cobre 

os intestinos. 
Redoiça — baloiço com ramo de árvore, 

corda de balancear. 
Redolente — aromático, rescendente. 
Redouçar-se — balançar-se, divertir-se. 
Redra — cava das vinhas para extir- 
par as ervas. 
Refega — luta, refrega, refego, ofego. 
Referendar (Ál.) — bacharel. 
Referta — contenda, escaramuça. 



Refetar-se — animar-se, corroborar, re- 
gatear. 

Refito — fixo, imutável. 

Refugado — rejeitado. 

Regaçar — arregaçar. 

Regada — leira, terreno irrigado. 

Regadinha — leiía, lameira. 

Kadita — leira, terreno de cultivo. 

Kegalão — folgazão, glutão. felizardo, 
nababo, fidalgo, ocioso. 

Regola — rego, sulco, corte num ter- 
reno para marcar um limite. 

Reinol — do leino. 

Reiset© — depreciativo de rei. 

Reiteração — insistência, casmurrice, 
repetição. 

Reitre — cavaleiro alemão da Idade 
Média)., 

Reiúnas — espingardas antigas. 

Reixa — barrinha de ferro para prender 
cadeado, gelosia, grade. 

Reixelo — borrego, cabrito, leitão. 

Rela — impertinente, cega-rega, tagare- 
la, rabugento. 

Relambóia — peta, mentira, graçola. 

Itelego — descanso, lagar, tulha, alto re- 
levo. 

Relho — duro como coiro cru, inflexível, 
fivela, muito velho. 

Relice — coisa reles, tagarelice, confu- 
são, súcia, superficialidade, insignifi- 
cância. 

Reloucar — dizer ou pensar coisas sem 
nexo, malucar. 

Remansado — pachorrento, sorna. 

Reminiscer — lembrar. 

Remissa — reserva, adiamento. 

Remocho — sem ramos. 

Remordimento — raiva, ressabiamento, 
remorso. 

Renhir — lutar, altercar. 

Rentar — provocar, fazer namoro, apa- 
recer com insistência para ser notado. 

Rentes — provocações, perseguições , 
cometimentos. 

Repes — um tecido encorpado. 

Repululamento — inçamento, renasci- 
mento constante de muitos seres, um 
brotar abundante. 

Repulsar — repelir 

Requesta — briga, 
pretensão. 

Requife — espécie de guarnição para 
vestidos, fita de passamanaria com bor- 
las, cordão de bicos ou fita para 
debruar. 
Requinta — instrumento de sopro, de 
som estridente, espécie de clarinete 
pequeno, pequena guitarra ou viola, 
violeta. 
Requisitória — acusação cerrada, carta 
dum magistrado a outro para cumprir 
mandado. 
Rescritos — preceitos, recomenções es- 
critas, do rei ou da Igreja. 
Reseda — planta aromática. 
Resmonear — resmungar. 



pedido de namoro. 



RES 



44 



TtVV 



Itespig^aeira — mulher que anda ao res- 
pig^o, a apanhar as espigas que fica- 
ram por ceifar. 

Ressair — sobressair, avultar, emergir, 
transparecer nas palavras ou na ex- 
pressão. 

Bessarcido — indemnizado, compensado. 

Réssega — soalheira. 

Ressicado — amadurecido, ressequido, 
mirrado. 

Ressudante — que ressuda, que ressu- 
ma, que transparece e se vê. 

Ressurreeto — renascido. 

Resteva — restolho. 

Restinga — baixo de areia, escolho. 

Resulho — parte sólida do caldo, detri- 
tos, terra. 

Retambana — sarabanda, descompostura. 

Retraçar — comer com sofreguidão. 

Retraço, a — a talho de foice. 

Reveche — rabugento, intratável. 

Revel — rebelde. 

Revelim — construção saliente de duas 
faces para defesa de ponte. 

Revessar — revolver, vomitar. 

Revesso — torcido, arrevesado. 

Revolcar-se — voltar-se, contdrcer-se, 
debater-se. 

Ribaldeira — música e dança popular. 

Ribeiredo — ribeiro. 

Riçado — encrespado. 

Rico — crespo, enriçado; tecido de lã 
com o pêlo encrespado e curto. 

Ricos-honiens — nobres, grandes do 
reino. 

Ricouço — ricaço. 

Rifenho — mau, vingativo, alma dana- 
da, cruel. 

Rifes — espingardas (do Fr. rif e-íogo). 

Rifles — espingardas (do Ing. rifle-es- 
pingarda). 

Rigodão — dança e música antigas. 

Rigola — rego, sulco, caleira. 

Rimado — bem proporcionado, elegante. 

Rinchão — erv^a com propriedades afro 
disíacas. 

Rinchar — relinchar, guinchar. 

Rincolheiras — refúgios de peixes. 

Ripa, em — por cima. 

Ripanço — ■ livro de ritual, cantos e ce- 
rimónias da Semana Santa; utensí- 
lio de ripar linho; descanso; paz. 

Ripar — cortar; desbastar com alvião o 
saibro. 

Risa — galhofa, riso. 

Risoteiro — amigo de rir, de riso fácil, 
risonho. 

Risum teneatis (Lat.) — reprimireis o 
riso. 

Róbur — robustez, vigor. 

Roça, senhor de — lavrador rico. 



Roçadas — porções de linho na roca, 
pancadas com a roca, lufadas de fumo. 

Rocpgada — pesquisas no fundo dos 
rios ou do mar. 

Rocking-c-hair (Ing.) — cadeira de ba- 
louço. 

Roçoeiro — cabo inferior da talha da 
rede de arrasto. 

Ródio — habitante da ilha de Rodea 

Kodoiro — vara para pôr lenha, espe- 
vitar lume e varrer o forno. 

Roga — conjunto de homens pagos por 
pouco tempo para trabalhos de la- 
voura. 

Rogativas — preces, rezas, súplicas. 

Roída — ronda, sentinela, vigia. 

Roleiros — medas de palha de forma có- 
nica. 

Rolhado — vedado, obturado, meda, pa- 
veia. 

Rolheiro — meda, molho de feno. 

itolho — rolo, novelo, embrulho^ chucha 
com açúcar. 

Romana — balança. 

Romeirinha — cabeção, manteleta. 

Rond-de-cuir (Fr.) — almofada circu- 
lar de couro. 

Ronde-bosse (Fr.) — alto-relevo. 

Rópia — pimponice; de rópia: de rom- 
pante, de repente. 

Roquefort — queijo de Roqueforf. 

Roquete — sobrepeliz, triângulo do es- 
cudo. 

Rorejar — orvalhar, borrifar, aparecer 
levemente. 

Rosalgar — veneno de ratos, óxido de 
arsénio. 

Rosicler — colar de pérolas ; purpurino, 
róseo. 

Rosnento — resmungão, rabugento. 

Rossio — terreiro. 

Rosso — sulco, roço. 

Rotkohl (Al.) — couve vermelha. 

Rouqulne (Fr.) — ruiva, loira. 

Roussada — rapto, coito pela violência. 

Ruão — pano de linho próprio para 
forros. 

Raborar — ruborescer, dar vigor, fazer 
afluir o sangue ao rosto. 

Rubrica — prescrição, praxe, costume, 
tradição. 

Rucksack (Al.) — mochila. 

Rucilho — cavalo de pêlo vermelho, 
branco e preto; burro. 

Rufianaz — grande rufião. 

Rufo — momento, instante. 

Rufão — assomadiço. 

Ruma — montão, rima. 

Rume — soldado doutrinado no Maome- 
tismo. 

Rupestre — sobre rochas. 



SAC 



45 



SER 



Sacatrapo — instrumento i)ara tirar a 

bucha das armas df fogo. 
Sabujo — cão, bajulador. 
Sacabuxa — antigo instrumento de so- 
pro. 
Sacolejões — repelões, agitação, trepi- 
dação. 
Sacripanta — hipócrita, bandalho, mali- 
cioso, Vf-lliaco, quezilento, marau. 
Sáfaro — agreste, bravio. 
Saibrar — surribar a terra para plan- 
tar bacelos. 
Saignant (Fr.) — sangrento. 
Sainete — remoque, piropo. 
Salachlade — libertinagem, devassidão 
Salão — saibro grosso, solão. 
Salle gonzesse (Fr.) — amante suja. 
Salpor — erva aromática. 
SaUifré — bailarico, divertimento. 
Saltareco — gafanhoto. 
Saltarinas — acrobatas, trapezistas. 
Salutária — saudação. 
Salutífero — que dá saúde. 
Salvatério — salvação, recurso, expe- 
diente. 
Samarra — pele de animal, casaco dessa 

pele. 
Samarro — pele de animal, casaco. 
Sambarco — sapato velho, chinelo. 
Sambenito — hábitos dos penitenciados 
nos Autos de Fé. o qual tinha a forma 
de saco e se enfiava pela cabeça. 
Samouco — espécie das miricáceas, o 
mesmo que faia-das-ilhas, espontânea 
no litoral português. 
Sancadilha — bambúrrio, acaso, cam- 

bapé. 
Sanchas — cogumelos ou míscaros. 
Sanfeno — planta forraginosa. 
Sangrino — arbusto. 
Sanguinho — árvore silvestre, pano de 

limpar o cálix. 
Sânie — podridão, pus. 
Sanja — rego, abertura, sarjeta. 
Santanário — beato, santarrão. 
Santor — aspa dos brasões (figura com- 
posta de dois objectos imitando um x 
ou a cruz de Santo André). 
Santoral — livro com os hinos dos San- 
tos. 
Santos farandoleiros — os populares. 
Sapal — paul, charco, terra dos salga- 
dos da beira-rio ou mar. 
Sapateira — mulher que faz ou vende 
sapatos, certas plantas e alguns crus- 
táceos, azeitona curtida de polpa 
mole. 
Sapejar — arrastar-se, andar cautelosa- 
mente e sem ruído (como os sapos). 
Sápido — saboroso. 

Sapinhos — inflamação dentro da boca 
das crianças. 



Saqnitel — pequeno saco. 
Saracote — saracoteio. 
Saramago — er\'a. 

Sarambaque — dança moirisca, de pre- 
tos. 
Sarandalhas — restos, alimpaduras. 
Sarapata — espécie de frecha farpada. 
Sarapatel — balbúrdia, confusão, em- 

pastelamento. 
Sardágata — pedra preciosa. 
Sárgias — tecidos de lã ou seda 
Sarjar — escarificar, fazer incisões. 
Sármata — antigo povo nómada. 
Sarrafaçal — operário sem arte, carpin- 
teiro reles. 
Sarrasqueta — uma marca de espin- 
garda. 
Sátrapa — antigo governador persa, in- 
dividuo rico e despótico. 
Saturnino — cor de chumbo. 
Sáurio — réptil. 
Saveiros — barco de pescar à linha e 

atravessar o rio, 
Savelha — espécie de anchova. 
Schlecht (Al.) — mau. 
Schwarzbrot (Al.) — pão preto. 
Schweinbraten (Al.) — porco assado. 
Scilicet (Lat.) — isto é. 
Secações — consumições. 
Secar — consumir alguém. 
Sedela — fio muito fino e sujo, corda de 

sedas em que se ata o anzol. 
Sefardino — relativo aos judeus da Pe- 
nínsula ou dela emigrados. 
Sega — ceifa, ferro à frente da relha 

do arado. 
Segotar — aparar. 
Segurelha — erva aromática, peça da 

atafona presa à mó inferior. 
Sehr gut (Al.) — muito bom, muito 

bem. 
Sehr hiibsch (Al.) — muito bonito. 
Seita — leira, caminho de bicho no 

mato. 
Seitoira — foice. 
Seixas — cogumelos. 

Selamim — décima sexta parte do al- 
queire. 
Selvagino — rústico, sem civilização. 
Semel — descendência. 
Semáforas — postes de sinalização na via 

férrea. 
Semental — sementes guardadas para se- 
mear. 
Semiscarúnfio — esquisito, maldisposto, 

doente. 
Sempremesmo — monótono. 
Senescais — espécie de magistrados. 
Sénica — arsénico, veneno. 
Sentir — pressentir. 

Seqaim — moeda de ouro do Oriente. 
Seráfico — S. Boaventura; belo como um 
serafim. 



SER 



46 



SUS 



Serenim — seronata, cantigas, descantes. 

Sereno — o ar da noite. 

Sereno (Esp.) — guarda nocturno. 

Serguilha — lã grosseira e rara. 

Sernionenda — descompustura, ralhete. 

Serões — trabalho rústico em conjunto, 
à noite, em estábulos. 

Serpe — ornatos em forma de serpentes. 

Serpol — erva cheirosa), 

Serralharia -- prostituição. 

Serventia — lugar de passag(>ni, ânus de 
animal. 

Servilheta — criada de servir. 

Sevo — que faz sevícias, cruel. 

Ses moutons, voltar a (Fr.) — voltar à 
vaca fria. 

Setial — assento, escabelo. 

Setters (Ing. ) — perdigueiros. 

Sevandija — avarento, sujo. 

Sevícia — crueldade, mau trato. 

Sibarita — indolente. 

Sibilo — assobio, zunido. 

Siclo — moeda judaica. 

Siderado — fulminado, pasmado. 

Sigiloso — secreto, rodeado de sigilo. 

Silhares — pedras lavradas das parede». 

Silas — plantas rasteiras. 

Simonte — rapé. 

Simples — o mesmo que símplices; in- 
gredientes. 

Simples — simplicidade, ingenuidade. 

Sina — sentido, juízo (recobrou a sina). 

Sinceiral — salgueiral. 

Sineelo — gotas gongeladas nas árvores 
e nos telhados. 

Sinergèticamente — variado na unidade. 

Singel — junta de bois. 

Sinopla — cor negra dos escudos, va- 
riedade de quartzo, esmalte heráldico. 

Sirandeiros — que sirandam, que an- 
dam para cá e para lá. 

Sirga — corda para puxar barcos ; ir à 
sirga: ir «àquela parte». 

Sirgo — bicho-da-seda. 

Sizar — vasculhar, espiar, roubar. 

Sizeiro — mexido, mexeriqueiro, impor- 
tune*. 

Sistro — pandeiros, trombeta aguda, es- 
pécie de marinha, antigo instrumento 
dos judeus. 

Sitiai — banco. 

Smith (Ing.) —marca de revólver. 

Sizânia — joio, discódia (melhor: ci- 
zânia). 

Smorzo (It.) — meia voz, som lento e 
grosso; enfraquecimento gradual de 
som (mús.). 

Soalheiro — descarado. 

Sôbelo — sobre o, a puxar para. 

Sobreandar — andar acrescentado a uma 
casa depois desta pronta. 

Sobree.xceder — ir muito além. 

Sobrerrolda — precaução, aviso, pessoa 
que vigia quem vigia. 

Sobrigo — sobreiro. 

Socresta — sequest ração, apropriação de, 
pilhagem. 



Soga — correia para segurar o jugo. 

Solau — canção melancólica de trovado- 
res. 

Sol das víboras — prenunciador de tro- 
voada. 

Solidéu — gorra de bispo. 

Sol-e-dó — música popular, pândega, 
fungagá. 

Solfa — solfejo, ruído, lábia. 

Somiticaria — avareza. 

Songa-monga — sonsa. 

Sopetarra — sopa grande, algo que a 
engrosse. 

Sopetear — saborear. 

Sopitado — adormecido. 

Sopitamento — modorra. 

Sopor — modorra, quietude, sonolência. 

Soquear — socar. 

Sorrelfa — dissimulado, sonso. 

Sota — cavalo ou parelha da frente 
quando há outras a puxar o carro. 

Sotranqueiro — dissimulado, velhaco, 
açambarcador. 

Soiibriquet (Fn) — falso nome. 

Soutachée (Fr.) — bordada. 

Sovacado — amedrontado, encolhido, 
mole. 

Soventre — baixo ventre. 

Square (Ing.) — praça. 

Stark (Al.) — forte. 

Suã — costas, dorso, espinha dorsal, ba- 
tina, camisola. 

Subitâneo — súbito. 

Sub tegmine (Lat.) — debaixo de telha. 

Suciar — acamaradar sobretudo em pân- 
degas. 

Sucio — sócio de pândega. 

Sucubato — demónio de certa espécie; 
que fica por baixo. 

Sufetas — um povo antigo. 

Sufragâneo — dependente duma autori- 
dade eclesiástica. 

Sufragant© — instante, momento. 

Suffraguette (Fr.) — sufragista. 

Sugilado — manchado, ofendido. 

Sumptuária — despesa. 

Supedâneo — suporte de estátua, pea- 
nha. 

Superarreitado — sobreexcitado. 

Superfatação — concepção dum feto so- 
bre outro. 

Superno — superior. 

Supino — elevado. 

Suprema gratia regum (Lat.) — a su- 
prema graça dos reis. 

Suputar — calcular, computar. 

Sura — suco extraído da bainha do ca- 
cho de palmeira. 

Surdir — surgir, nascer, resultar. 

Surraipa — camada dura de saibro no 
subsolo. 

Surrão — bolsa de coiro dos pastores, 
fato velho, desmazelado. 

Suspicácia — desconfiança. 

Sussurrear — murmurar muito cautelo- 
samente. 

Sustância — energia, vigor. 



TAB 



47 



TIN 



Tabardo — capote curto. 

Tabatjueiro — lenço grande. 

Tábido — podre. 

Tabões — insectos que picam o fiado. 

Tabuame — porção de tábuas. 

Tacanica — la!iço do telhado que cobre 
as cabeceiras. 

Tacha — mancha, mácula, boca. 

Tairocas — tamancos. 

Talada — fenda, fresta. 

Talagarça — pano raro sobre que se faz 
a tapeçaria. 

Talefe — marco geodésico no alto dos 
montes, pinoco, telefo. 

Taleig^a — saco pequeno, estreito e com- 
prido, antiga medida de líquidos. 

Talhada, pela — aos poucos. 

Talhadoiro — lugar onde se talha ou 
corta a água de rega. 

Talisfi:a — fenda, greta, racha. 

Taludes — rampas no vale, linha sinuosa 
de convergência de águas. 

Tamargueiras — arbustos. 

Tamarindo — uma árvore de fruto. 

Tamborete — cadeira rasa. 

Tamoeiro — peça de couro que segura o 
timão à canga. 

Tampar — tapar com tampa. 

Tanadaria — certo cargo desempenhado 
por portugueses na Índia. 

Tanado — trigueiro. 

Tanateiro — impostor, mentiroso. 

Tanchão — estaca. 

Tanganhão — homenzarrão, marmanjão. 

Tangaranhão — bisarma, avantesma. 

Tangaril — pingente, sem préstimo. 

Tangos — gravetos. 

Tanguinhos — gravetos. 

Tanheiro — antiga vasilha de madeira 
para o sal. 

Tapera — terreno ermo. 

Taquicardia — excessiva frequência de 
pulsações. 

Tarambecos — trastes caseiros. 

Tarantela — dança acompanhada de cas- 
tanholas. 

Tarascas — mulheres velhas e tontas. 

Tarlatana — tecido encorpado e transpa- 
rente para forros. 

Taro — frio, vento cortante e frio. 

Tarraco — baixo. 

Tarro — vaso de cortiça (dos pastores). 

Tartana — embarcação turca. 

Tartaranha — medo, medroso; rede de 
arrastar pelo fundo. 

Tassalhão — grande pedaço. 

Tate! — cautela! Silêncio I Altol 

Tatibitate — tartamudo. 

Tauxiado — embutido de ouro e prata. 

Tavolado — terreiro, tapume de tábuas. 

Tavolagem — casa de jogo. 



Teca — madeira asiática. 

Teco — dinheiro, caixote de madeira. 

Tedéus — plural de Te Deum. 

Tefe-tele — medo. 

Teiga — espécie de cesto de junco, al- 
cofa, «sabem que uma cesta entran- 
çada à maneira dos gentios, com 
precintas de silva, se chama assim?» — 
«Geografia Sentimental». 

Teigueiro — cesteiro. 

Teixo — árvore conífera. 

Temporejar — nascer ou aparecer ao 
mesmo tempo ou em boa altura. 

Temulência — embriaguês, intoxicação. 

Tenazado — atormentado, mordido. 

Tendal — lugar em que se tosquiam ove- 
lhas, tenda, toldo da primeira cober- 
ta dos navios. 

Tenesmo — puxão, repelão. 

Tente — hesitante. 

Teoria — conjunto, cortejo, procissão. 

Terabinto — travesso, traquinas. 

Teratológico — monstruoso, defeituoso. 

Terçã — febre, maleita. 

Terçar — cruzar, atravessar, empunhar. 

Tercena — doca. 

Tércia — terça (hora canónica). 

Terciopelo — veludo de três pêlos. 

Terebinto — lentisco. 

Terrabinto — traquinas. 

Terreanho — o homem de terra (em opo- 
sição ao do mar). 

Terso — puro, vernáculo. 

Tesão — rede de arrasto. 

Tesaurizador — entesourizador, amealha- 
dor. 

Teso — outeiro, ondulação de terreno, 
lomba. 

Tessálico — da Tessália. 

Testada — passeio à frente de prédio, 
limite, raia. 

Testarudo — carrancudo, testudo. 

Testeira — tira de coiro que cinge a 
testa do cavalo; frente (do tamanco, 
por ex.). 

Testificar — certificar, demonstrar. 

Testilhas — lutas, brigas, altercações. 

Testo — rijo, tenaz. 

Testudo — teimoso. 

Tète de nègre (Fr.) — castanho escuro. 

Tetos — tetas. 

Teúdo — que se tem conservado. 

Teiído e manteúdo — mantido obrigato- 
riamente. 

Teúrgico — relativo à magia propiciado- 
ra de divindades. 

Tig© — tronco, haste, estirpe. 

Timbre — • insígnia que marca grau de 
nobreza, brio, característica. 

Tineta — ijropensão. 

Tintamarreco — barulhento. 



TIN 



48 



TRI 



Tintinábulos — campainhas, som seme- 
lhante ao das campainhas. 

Tiorbas — espécie de alaúde com muitas 
cordas. 

Tiple — Soprano. 

Tire d'aile (Fr.) — puxão de asa, rapi- 
dez. 

Tirée à quatre épingles (Fr.) — tirada 
das canelas. 

Tisieado — tuberculizado, importunado. 

Tisicar — porfiar, importunar. 

Tisneira — torreira do sol. 

Titilações — pruridos, palpitações. 

Tiufados — chefes godos de exército. 

Toadilha — cantiga, toada. 

Tobogan (Ing. ) — trenó. 

Tocaiar-se — emboscar-se para matar ou 
caçar. 

Toeira — som forte, trovoada, bordão de 
viola. 

Toeza — antiga medida de comprimento 
de seis pés. 

Toiço — timão. 

Toirigo — casta de uva. 

Toledo — doidice. 

Tomento — fibra de linho, lanugem. 

Tonadilhera (Esp.) — cantiga. 

Tónica — nota musical. 

Tonilho — cantiga, dito, boato. 

Topadiço — ao dispor de. 

Tope — topo. 

Topete — cabeça, trunfa, gaforina, des- 
caro. 

Toral — lugar onde os bichos do mato 
costumam estercar. 

Torça — pedra que fecha o rectânguo 
no alto da porta ou janela. 

Torçal — cordão de fios de ouro. 

Torêutica — arte de esculpir em metal, 
madeira ou marfim. 

Tormentina — tempestade. 

Torna — compensação, volta, nesga de 
terreno. 

Torpidade — torpeza, baixeza. 

Tórpido — entorpecido. 

Torrão — terra, leiva, húmus. 

Tortolão — montão, onda de terreno. 

Tortulho — certo cogumelo, pessoa atar- 
racada. 

Tó ruça — não faltava mais nada! 

Tosar — tosquiar, aparar. 

Toscar — ver. 

Tosquenejar — cabecear com o sono, pes- 
tanejar e turrar com sono esforçan- 
do-se muito por manter os olhos 
abertos. 

Touceira — cepo, rebento de árvoi'e; 
trave. 

Touco — pêlo duro e espetado. 

Toural — sítio onde os animais defecam 
e indicativo de caça. 

Tout court (Fr.) — em resumo. 

Trabucada — ruido, estrondo. 

Trabuco — bacamarte. 

Trabuzana — bebedeira, tempestade, sar- 
rafusca, barulho, trabalhos, incómodo. 

Traça, dar — dar explicação. 



Traça — traçado, planta, ideia fixa, ar- 
dil. 

Traço da porta — limiar. 

Tr.-icto — espaço de terreno. 

Tráiega — lufa-lufa. 

Traicionar — atraiçoar. 

Tralhetada de risos — gargalhada inin- 
terrupta. 

Tramanhos — processos. 

Tranibicar — maçar. 

Tramontana — rumo, direcção, lado nor- 
te, estrela polar. 

Trancafio — astúcia, corda de dois fios. 

Trancanaz — naco, pedaço. 

Trancarruas — desordeiro, arruaceiro. 

Trancelim — trancado de fios de ouro, 
corrente de ouro de relógio. 

Tranchão — faca, objecto de trinchar. 

Trangalhadanças — desengonçado. 

Trangolas — armações de arame. 

Trango-lo-mango — doença causada por 
bruxa. 

Trangolhão — homem desajeitado. 

Tranqueira — ombreira da porta, pedra 
alta, estacada. 

Tranquibérnias — burlas, vigarices, tra- 
paças. 

Tranquete — vela maior do mastro da 
proa. 

Transitivo — passageiro. 

Trapa — cova para apanhar feras. 

Trapejar — bater contra o mastro (a 
vela). 

Trapiche armazém de guardar géne- 
ros para embarque. 

Trapio — trapos, farrapos, andrajos. 

Trapper (Fr.) — cão de caça. 

Trappeur (Fr.) — caçador que usa como 
armadilha a trapola. 

Traquejado — perseguido. 

Traquejo — muita experiência. 

Trasfegar — transvasar. 

Trasgo — fantasma, lobisomem. 

Trastejado — mobilado. 

Travesti (It.) — traje de disfarce. 

Tredo — traiçoeiro. 

Treitoira — paus entre os quais se move 
o eixo do carro. 

Tremelear — tartamudear. 

Tremenho — jeito, esforço, processa. 

Tremo — aparador ou espelho colocado 
na parede. 

Trempe — triângulo de ferro com três 
pés para apoiar as panelas sobre o 
fogo. 

Tremulação — tremor. 

Trémulo — repetição rápida e contínua 
do mesmo som. 

Treno — canto plangente. 

Triaga — mezinha, mistela, renaédio con- 
tra mordeduras de serpentes, coisa 
amarga. 

Trifório — galeria estreita sobre os ar- 
cos das igrejas ogivais. 

Trigonocéfalo — monstro fetal de cabe- 
ça triangular. 

Trilo — gorjeio, amabilidade. 



TRI 



49 



VAZ 



Trinc.aiio — manha, jeito, linha do sa- 
pateiro. 

Trintanáriu — lacaio que se senta ao 
lado do cocheiro. 

Tripo — tripa, paleio, leria, muito que 
dizer. 

Triques — aperaltado, liró. 

Trochado — de cano teforgado. 

Trogalho — mulher ordinária, peca de 
atar. 

Trofiriudita — homem das carvemas. 

Trolho — torrão; sulco ou pedaço de 
terra lavrada, bofetada, espifía. 

Trombana — macambúzio, cara de pou- 
cos amigos. 

Trompaço — encontrão, cachação, murro. 

Tropeço — naco duro. 

Tropicar — tropeçar a miúdo. 

Tropo — uso duma expressão em sen- 
tido figurado. 

Tropos-galhopos — confusão. 



Troqiiilha — cigano. 

Trovisco — planta arbustiva quo so lan- 
ça na água para apanhar peixe. 

TruÍNmoN — verdades banais. 

Tudesco — alemão. 

Tufa (pedra) — pedra mole. 

Tumba — pessoa desastrada. 

Túmido — inchado, proeminente. 

Tuna — vadiagem. 

Tupi — pais dos índios. 

Túrbido — turvo. 

Túrdulo8 — antigos povos da Penín- 
sula;. 

Turgescer — intumescer. 

Turnus — almofada para avultar a roda 
da saia. 

Turpitude — torpeza. 

Tutano — medula dos ossos. 

Tutilimundi — toda a gente. 

Tu trembles, carca-sse? (Fr.) — tu tre- 
mes, carcaça? 



CJ 



rbero — teta. 

lIchaN — arcas; cair tia ucha: cair na es- 
parrela. 

IJcharia — caixa ou coisas guardadas, 
arrecadação. 

1'istitis — símios portugueses. 

l!,jos — espécie de águias. 

Imbráculos — sítios sombrios. 

l^mbriano — da Úmbria, de S. Francisco 
de Assis. 

l'nhaca — amigo íntimo'. 

Dnion-Jack (Ing.) — bandeira da Grã- 
-Bretanha. 

L'nregelmãssig:e Zeitwõrter (Al.) — ver- 
bos irregulares. 



llnser Kaiser (Al.) — o nosso «Kaiser> 
(imperador). 

Urbanita — habitante da urbe, da ci- 
dade. 

Trcas — barcos de piratas; éguas; mu- 
lheres de grandes ancas. 

Urco — cavalo corpulento. 

Urgueiral — mato com muita urze. 

lirraca — pega; mulher tagarela. 

1'rticante — picante, que fere, que irrita. 

Urtificação — comichão. 

l rubu — ave de rapina. 

llstir — suportar. 



"V 



Vagado — vertigens, desmaio. 

Vaganau — vagabundagem, vida atribu- 
lada. 

Vágulo — vago. 

Valdeiro — tunante, vadio. 

Vale — palavra de honra, adeus! 

Valeiro — lameiro, terreno relvoso. 

Valise (Fr.) — mala de viagem. 

Valetudinário — enfermiço. 

Vá-que-escape — sofrível. 

Varadoiro — : lugar onde se consertam 
barcos, onde se recolhem. 

Varei ro — homem, que recolhe o barco 
ao varadouro. 



Vargem — várzea. 

Varrão — porco. 

Varrasco — porco reprodutor, varrão. 

Vasa — lodaçal. 

Vassouruda — magra e alta, muito me- 
xida. 

Vascolejar — agitar líquido. 

Vasia — v. vazia. 

Vasquinha — saia antiga de preguinhas. 

Vaterland (Al.) — pátria. 

Vaza-barris — pantanas, ruína, estoira- 
-vergas, gastador (enseada du encosta 
onde se dão muitos naufrágios). 

Vazada — oca. 



VAZ 



50 



WIE 



Vazia — espaço enrte as costelas e o 
osso ilíaco. 

Velador — pau de pendurar a candeia. 

Vela-luz — planta aromática. 

Veleiro — de moinho de velas. 

Velário — toldo. 

Veleidosa — com veleidades. 

Velite — soldado romano armado ã li- 
geira. 

Veloso — cabeludo, felpudo. 

Velut iimbra (Lat.) — como a sombra. 

Veneilho — atilho vegetal. 

Veneras — medalhas de romeiros, pe- 
quenas relíquias. 

Venéreo — sífilis. 

Veniaga — mercadoria barata vendida em 
machos e burrosi. 

Ventana — janela nas torres por onde 
se vêem os sinos. 

Ventanal — ventania. 

Vcnula — veia pequena. 

V'enusta(le — formosura. 

Verças — t)erças, couves. 

Verdeal — trigo, pêro, vinho verde. 

Verdejar — verdejar. 

Verga — pénis. 

Verecúndia — vergonha. 

Vergissmeinnicht (Al.) — miosótis. 

Verguio — flexível. 

Vermes lacrimários — ideias tristes que 
fazem chorar. 

Vermicular — semelhante a verme, pró- 
prio de verme. 

Verónicas — rostos, caras. 

Versicolor — de diversas cores. 

Vertalhas — o que se entorna. 

Vesânias — loucura, alienaçã». 

Vesicatório — substância para produzir 
bolhas. 

Vessada — terra lavrada profundamente; 
sementeira de milho. 

Vessar — lavrar profundamente. 

Vezo — propensão, hábito mau. 



Viático — alguma comida que se leva 
para viagem; acompanhamento de 
comida. 

Vicieira — vicio inveterado. 

Vidatna — governador provisório das 
terras dum bispado; indivíduo que 
representava o bispo como senhor tem- 
poral. 

Viíleira (mascul.) — vinho. 

Vidonho — videira nova. casta nova. 

Vidrilhos — ornatos brilhantes em vesti- 
dos de senhoras. 

Viés — direcção oblíqua. 

Vigairada — corrida dum lado para o 
outro, boémia. 

Vílico — antigo regedor. 

Ville Lumière (Fr.) — Paris (Cidade 
das Luzes). 

Vínculos — bens inalienáveis, morgadio. 

Vinheta — gravura ou cercadura em li- 
vros. 

Viria — argola, arco. 

Viridente — verdejante, viçoso. 

Virote — dardo, seta, remoque, resposta 
pronta. 

Vis — força, vigor. 

Viso — cume, outeiro. 

Vitória — carro de cavalos. 

Vivedoiro — capaz de viver ainda vá- 
rios anos. 

Vivo — animais domésticos. 

Vogavante — vogador da proa das ga- 
lés. 

Volantim — andarilho, funâmbulo, trape- 
zista. 

Volata — série de tons executados rapi- 
damente, repenicar de sinos, gorjeios. 

Volfro — volfrâmio. 

Volteiro — vadio, sem morada certa, 
instável. 

Voluptuário — sensual. 

Volutas — espiral de fumo, voltas duma 
dança. 

Vor Taschendieben wird gewarnt (Al.) 
— cuidado com os carteiristas. 



:XL e "^JV 



Xaimel — barrote a pino nos tabiques. 

Xarão — verniz da China. 

Xaroco — vento quente do deserto; si- 

roco. 
Xávega — rede de pesca de peixe 

miúdo. 
Xelindró — cadeia, prisão. 



Xira, bona — boa paparoca. 

Xisgaravis (um x. de salsa) — umas fo- 
lhinhas de salsa. 

Xofrango — espécie de águia pequena. 

Wie sagte das Lãmmlein? (Al.) —como 
dizia o cordeirinho? 



ZAB 



ZUZ 



z: 



Zabaneira — mulher muito lideira. 
/abiilonita — da tribo de Zabulon, uma 
das 12 de Israel. 
Kaburros — milho grande e grosso que 

as reses comem em verde'. 
Zambro — cambado, de pernas tortas. 

peco. 

Zamorano — tecido grosso de Zamora. 
Zamparina (chapéu à) — inclinado à 

frente e sobre a orelha direita. 
Zan§:arelhar — andar para trás e para 

diante, não se ter bem nas pernas, 

divagar. 
Zango — zangão, rapaz vivo, remexido. 

bruxo. 
Zanguizarra — ruído, toque desafinado 

de viola, lamentação impertinente, al- 
tercação. 
Zaragatoa — planta medicinal. 
Zarandalhas — insignificâncias. 
Zaranza — atabalhoado, cabeça de vento. 

bêbedo. 
Zarco — zargo, gázeo, zarolho, azul 

claro. 
Zarelhar — doidejar, estrebuchar, intro- 

meter-se, intrigar, debater-se, dar 

voltas. 
Zarelho — impertinente, travesso. 
Zarga — zarolha, desavergonhada. 



Zarguncho — azagaia de cafres, cacete. 

Zarpar — sarpar, enganar, abusar da boa 
fé, tirar, fugir. 

Zarrafancho — confusão, barafunda, sur- 
riada. 

Zarro — desabrido, estramontado, esqui- 
sito, ébrio. 

Zefir — tecido transparente e leve. 

Zelos — ciúmes. 

Zeilota — puritana, exigente, com fingi- 
do zelo. 

Zimbro — arbusto. 

Zoeira — zoada, chiadeira. 

Zoilo — detractor, verrinoso. invejoso, 
maledicente, mal intencionado. 

Zoina — mulher mal comportada, bê- 
beda. 

Zorame — cerome, capa branca dos Mou- 
ros. 

Zorato — demente, maluco. 

Zorrar pedra — bater, partir. 

Zorreiras (ovelhas) — ronceiras, moles. 

Zote — idiota, pateta. 

Zoupeiro — trôpego, gordo, desajeitado. 

Zouvineira — bisbilhoteira. 

Zumbaia — salamaleque. 

Zupar — marrar, bater_ tosar. 

Zurbaranesco — de Zurbaran (pintor). 

Zuzim — moeda judaica'. 



MARANUS — PORTO 



PQ 

9261 

R5Z68 



Gomes , Elviro Rocha 

Glossário sucinto para 
melhor compreensão de Aquilino 
Ribeiro 



PLEASE DO NOT REMOVE 
CARDS OR SLIPS FROM THIS POCKET 



UNIVERSITY OF TORONTO LIBRARY