(navigation image)
Home American Libraries | Canadian Libraries | Universal Library | Community Texts | Project Gutenberg | Children's Library | Biodiversity Heritage Library | Additional Collections
Search: Advanced Search
Anonymous User (login or join us)
Upload
See other formats

Full text of "KUR'AN----PRIJEVOD NA PREKO 40 JEZIKA"



Translation of the Meanings 

of Tlie Noble Quran 
in the Portuguese Language 



Tradu^ao do sentido do 

NOBRE 
ALCORAO 

PARA A LINGUA PORTUGUESA 



Com a colabora(;ao da Liga Islamica Mundial, 
em Makkah Nobre. 



realizada por 

Dr. Helmi NASR 

Professor de Estudos Arabes e Islamicos 
na Universidade de Sao Paulo, Brasil 



Complexo do Rei Fahd para imprimir o Alcorao Nobre 
Al-Madinah Al-Munauarah K.S.A. 







O Servidor das duas Mesquitas Sagradas, 

o Rei Fahd bin Abdel Aziz A) Saud, Rei da 

Arabia Saudita, tem a honra de ordenar a 

impressao deste nobre Alcorao, com a 

tradu9ao de seu sentido. 








t'^:<'A\K^'- 



^-(/:r> 



t^m^mm 



^>^^y^ t' ♦T?^^^ ^/ 



^^SM 







Complexo do Rei Fahd 
para a impressao do Alcorao Nobre. 



^j- »^j 



II' — ■ 


4*js)l OJJt J ifiJ^I *-*Jj^^ *rij*Ji k-Jj^-i -»-.Jj iiijfc 


Sistema de transcri^ao. 


s 


a- 'a 


(■ 


c 


t a 


1 


f 


^ b 


t-j 


d 

• 


-^ J 


C 


q 


3 d 


J 


r 


h 


j> 


s 


cT- u 


J 


t 


^ z 


j 


th 


'^ h 


c 


kh 


c t 


i. 


z 


i i 


ij 


z_ 


Ji k-c 


ii 


gh 


L I 


J 


ch 


cA m 


r 


n 






^9t ^ 



I 



5^j-ijl Jl JU.^t4 -u V >JI-^^ /W TtJU^ ?e.^%tjl ^J*-**-* (JLaj 

: jc^l 4^li^ ^ J5UJI c o^iLiJl ^j ^ -uJ-l 

a5UL ^L^jV'j Sy:.JLJlj «^l3jVlj ^!>L-Vl Ojj-^l ojljj ^ l3U-»b 

oL*JL!l /4-*-^ /r'l '^ (€j^' ol^l (V^-*-* ^^-*-^y ^^^-*-*^ ^^^^jv-JI ^.j-«-!l 
^ " fi 

. (( ajI ^j ^^^ lyJL)) : JL-j aJIp <i]l ^^^JU? ^Jy ^ aj j^^iil 

JLfi dJULiI «^ ^^>k» c ^Uu^l aJJlIL Jya\:>[:^\ ^\y>'^ l^JL>-j 
J-J ^ l^-x->-ljj t ^^-^ ^y^^ jj::5jJI UjlpI ^^i LJUuj-Jl A-«.->-yJl 

♦ -J^l^- '^^J (T^^Ji ?e. j .->. t jlj C lijj^ /t-*^*^ JU..>oa 7c-j^l ^<-«^l 



^IjjJl ^^^^.aJI L4JIP Jjb ^^^1 A-<»^iJl ^_y IaII f^bl J-P o^^U Jj^JL^ 

4^ jjiJ\ J^^ cij^ *-* Ui/^ ^b ' (e^' "^l v^ r^ c^ f^^' 

^j^ ji lla>- j-« Lg-ji oJL>eji JLS Ir ^j-^l A-o Jlilj <Jlij^ «wflJ>e-^l ^^LkJ 



^^i^^^L 



--^ 



Em nome de Allah, O Misericordioso, O Misericordiador 

Prefacio de 

Sua Excelencia Cheikh Salih bin Abdel Aziz bin 

Muhammad Al- El Shaikh, 

Ministro dos Assuntos Isldmicos, e dos Waqfs, 

E do Apelo e Orientagao Religiosa. 

Supervisor Geral do Complexo do Servidor 

das Duas Nobres Mesquitas, 

Rei Fahd bin Abdel Aziz. 



Louvor a Allah, O Senhor dos Mundos, que diz em Seu Livro Nobre: "Com efeito, 
chegou-vos de Allah uma luz e evidente Livro". Que a ben9ao e a sauda9ao de Allah 
sejam sobre o mais nobre dos profetas e dos mensageiros, nosso profeta Muhammad, 
que diz: "O melhor, dentre vos, e aquele que aprende o Alcorao e o ensina". 

Aplicando as orientagoes do Servidor das Duas Nobres Mesquitas, o Rei Fahd 
bin Abdel Aziz Al Saud - que Deus o proteja - relativas aos cuidados particulares 
sobre o Livro e os esfor^os para facilitar sua divulga9ao e distribuigao entre os 
mugulmanos, em todos os confins da terra, bem como sua interpreta9ao e tradu9ao 
nas diferentes linguas do mundo. 

E com a convic9ao do Ministerio dos Assuntos Islamicos, e dos Waqfs e da 
Orienta9ao e Apelo Religiose, da Arabia Saudita, da importancia da tradu9ao do 
sentido do Alcorao Nobre para todas as linguas do mundo, com o intuito de facilitar 
sua compreensao a todos os mu9ulmanos nao conhecedores da lingua arabe, como 
tambem a transmissao da mensagem divina, ordenada pelo Profeta, quando diz: 
'Transmitam, por mim, mesmo que seja um so versiculo". 

E para servir aos nossos irmaos, que falam a lingua portuguesa, o Complexo do 
Rei Fahd, para a impressao do Nobre Alcorao em "Al Madinah Al Munauarah" tem o 
prazer de apresentar ao prezado leitor esta tradu9ao, em portugues, realizada por Dr. 
Hemi Nasr, e revisada, da parte do Complexo, pelo Cheikh Muhammad Kassim Gifa e 
pelo Cheikh Yunus Zacaria Hamid. 

Agradecemos a Deus, Glorificado e Sublimado seja Ele, por ajudar a concluir 
esta grandiosa obra, esperando que esta seja consagrada a Deus e util a todos. 



Estamos conscientes de que a tradu^ao do sentido do Nobre Alcorao - seja qual 
for a precisao - e quase sempre inadequada para real9ar o magnifico sentido do texto 
alcoranico, inimitavel, de modo que os sentidos dados na tradu9ao cx)nstituem o 
reflexo do hivel alcapijado pelo tradutor na compreensao do Livro Nobre de Allah. 
Isto e, a tradu^ao pode conter falhas ou lapsos como todo ato humano. 

Por este motivo, rogamos a todo leitor desta tradu^ao que comunique ao 
Complexo do Rei Fahd para a impressao do Nobre Alcorao, em Al-Madinah, 
qualquer lapso, falha ou acrescimo, a fim de que o mesmo aproveite tais observances 
nas proximas edinoes. Se Deus quiser. 

E Allah quern confere o sucesso. E Ele quern guia a senda reta. 

O Allah, aceita isto de nossa parte. Tu es O Oniouvinte, O Onisciente. 



1. Suratu Ai-Fatihah Parte 1 



\ s,j^\ ) A^UJl Oj^ 



SURATU^*^ AL-FATipAH^^^ 
A SURA DA ABERTURA 




De Makkah^^^ - 7 versiculos. 

1. Em nome de Allah, O Miseri- 
cordioso, O Misericordiador^'^^ 



^If^^.^ 



(0 Suratu : forma alterada do substantivo feminino surah, que significa degrau, 
fase, e, por analogia, cada um dos capitulos do Alcorao, por meio dos quais se 
ascende a Deus. Cada sura e composta de ayat, sinais ou versiculos, de numero 
variado, onde transluz a infinita sabedoria divina. O titulo das suras, segundo uma 
tradipao oriental, prende-se mais a uma de suas palavras que, propriamente, ao 
conteudo geral da sura. Quanto a palavra sura, adotamo-la na tradugao por ser 
forma mais proxima da transcrigao da palavra arabe (singular) e consignada, 
dentre outros, nos dicionarios de Morais e Aulete . 

(2) Al-Fatihah: a abertura. E a sura que da inicio a sagrada leitura. Ela reune e 
sintetiza os elementos da crenga islamica, ou seja, a unicidade de Deus, como 
Soberano Absoluto dos mundos; o caminho da bem-aventuranga, a recompensa 
dos crentes, o castigo dos renegadores da Fe, alem de estabelecer o elo essencial 
entre o homem e Deus. Por esta razao, ela e parte fundamental das cinco ora^oes 
diarias do moslim, quando a repete, em suas reverencias, dezessete vezes. 

(^) Makkah: Meca, a cidade onde se situam a Mesquita Sagrada e a Kabbah, para a 
qual, nas oragoes, se dirigem os moslimes, onde quer que se encontrem. Foi nessa 
cidade que se revelou a presente sura. 

W Por forma reduzida da frase arabe Bismillahi Ar-Rahmani Ar-Rahlmi (Em nome 
de Deus, O Misericordioso, O Misericordiador), denomina-se este versiculo Al 
Basmalah, que a maioria dos exegetas considera, de fato, o primeiro versiculo 
desta sura, embora haja quem a julgue mera epigrafe, nao so anteposta a esta mas 
a todas as suras do Alcorao, com excepao da IX. Al Basmalah constitui, na 
tradigao islamica, formula invocativa fundamental, que todo moslim deve proferir 
antes de cada ato, nao so para assegurar-se das ben^oes de Deus, o Dador Sublime 
da misericordia, senao tambem para invocar-Lhe ajuda em todos seus atos, que 
nunca se completarao sem ela. Quanto a iniciar-se, sempre, cada sura com Al 
Basmalah, demonstra que tudo quanto encerra, sejam preceitos, informes ou 
regras morais, e proveniente de Deus e por Ele ordenado, sem intervengao alguma 
de qualquer outra criatura que seja. Ademais, por meio desta atitude de prece, 
pode o homem esmerar-se espiritualmente e dilatar o conhecimento de si proprio e 
do universo que o rodeia. Quanto aos epitetos, integrantes de Al Basmalah: O 
Misericordioso, O Misericordiador, traduzem, respectivamente, as palavras 
arabes Ar-RahmSn e Ar-Rahlm, cognatos do substantivo rahmah, misericordia, 
com a peculiaridade, porem, de que Ar-Rahman e epiteto intrinseco e exclusivo 
de Deus. Na literatura luso-brasileira, esta sutileza epitetica e, igualmente, 
utilizada por «vieira», como se pode verificar no sermao do Quarto Sabado da 
Quaresma, pregado em 1640 (Vide Sermoes de Vieira, Editora Lello e irmaos. 



l.Suratu Al-Fatihah 



Parte 1 



) ^>i 



\ A^Uil ojj-- 



2. Louvor a Allah, O Senhor dos 

3.0 Misericordioso, O Miseri- 
cordiador^^\ 

4.0 Soberano do Dia do Juizo^^^! 

5. So a Ti adoramos e so de Ti 
imploramos ajuda. 

6. Guia-nos a senda reta, 

7. A senda dos que agraciaste; 
nao a dos incursos em Tua ira nem 
a dos descaminhados. 



^ ^l;2Joilt.^j^^iL^'\ 



^.^Uii^i^ 




1959, vol. Ill, p. 362), quando designa a Deus, por Sua misericordia, fazendo uso 
de duas palavras latinas, Misericors et Miserator, estabelecendo-lhes a diferen^a, 
na tradu^ao, por meio de dois sufixos: -oso, com o sentido de "pleno de, cheio de", 
e de -dor, sufixo agentivo com a ideia de "o que faz", "o que da", acrescidos a 
palavra misericordia, de onde: "Nao so chamam a Deus Misericordioso, senao 
Misericordiador". Quanto a palavra Misericordiador, devemos dizer que, ate 
onde nos foi possivel pesquisar, parece tratar-se de um neologismo vieirense e que 
acabou por resolver-nos o crucial problema de tradu^ao de Ar-Rahim: Aquele que 
da misericordia, ate entao nSo cogitado satisfatoriamente, pelos tradutores do 
Alcorao para o portugues. Ademais, e palavra consignada por Moraes e Aulete, o 
que nos reafirma o acerto em adota-la em nossa tradu^ao. 
(0 O Senhor dos mundos, ou seja, O Soberano de todas as criaturas: homens, anjos, 
animais e tudo o mais que constitui o mundo. Esta forma apositiva estabelece o 
limite entre a disciplina e a anarquia na cren^a e demonstra que todo o Universo 
deve dirigir-se a um unico Senhor, cuja soberania e infalivel, continua, harmonica 
e onipresente. 

(2) A repeti^ao dos epitetos de Deus, mencionados no Al Basmalah, nao so enfatiza 
OS aspectos varios da Gra^a de Deus, mas torna patente que a soberania nao 
provem da for^a, mas da misericordia e da gra^a de Deus para com todos os seres. 

(3) Dia do Juizo: O Dia em que a humanidade prestara conta de seus atos, bons e maus, 
e, segundo estes, recebera a retribui^ao. Quem quer que haja feito o menor bem 
disso tera recompensa; quem quer que haja feito o menor mal, disso tera 
recompensa. A justi^a soberana de Deus flindamenta-se, estritamente, na 
eqiiidade. 



2. SQratu Al-Baqarah Parte 1 



> ^>< 



y oyiJ\ Oj^ 



SURATU AL-BAQARAH^*^ 
A SURA DA VACA 



De Al Madlnah^^^ - 286 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 




^.^J^^A 



-^ 



;J\ 



(0 Al Baqarah: a vaca. A Sura da Vaca, a mais longa do Alcorao e tambem com seu 
mais extenso versiculo (282), denomina-se, assim, pela men9ao, nos versiculos 67- 
73, da imola9ao de uma vaca para expurgo de culpa, dentro da comunidade 
judaica, por epoca de Moises. A sura inicia-se pela afirma9ao categorica de que o 
Alcorao e guia espiritual e moral dos que creem em Deus, e pela confirma9ao de 
que a verdadeira fd deve integrar a cren9a na unicidade absoluta de Deus, a pratica 
constante do bem e a cren9a na Ressurrei^ao. Enumera as tres categorias dos 
homens: crentes, idolatras e hipocritas e como reagem diante da Mensagem divina. 
Relata episodios relacionados aos filhos de Israel, fazendo-os atentar, 
constantemente, para as gra9as de Deus para com eles. Alude, ainda, ao Patriarca 
Abraao, com cujo filho, Ismael, construiu a Kabbah. E reiterativa na afirma9ao de 
que Deus e Unico e torna patente Seus sinais como meio de repelir, 
peremptoriamente, a idolatria vigente, e amplamente disseminada na Peninsula 
Arabica, tempos antes do advento do Islao. Encerra, nos constantes ensinamentos 
e preceitos, a base da boa conduta do moslim: estabelece a distin9ao entre o licito 
e o i licito; discorre sobre a virtude e ensina os criterios para o jejum e a 
peregrina9ao; legisla sobre as obriga^oes testamentais, o taliao, o casamento e o 
divorcio; orienta sobre o aleitamento materno, sobre o registro de dividas; exalta a 
caridade e abomina a usura. Ensina ao crente o lidimo caminho para a felicidade 
eterna e a pedir perdao pelas falhas, implorando a misericordia e o socorro de Deus. 

(2) Al Madlnah: Medina, a Segunda cidade sagrada, no Mundo Islamico, depois de 
Makkah, na qual se encontra a Mesquita do Profeta, onde Muhammad foi 
sepultado. Foi nessa cidade que se revelou esta sura. 

(3) Alif, Lam, MTm: Sao tres letras do alfabeto arabe, equivalentes, em portugues, as 
letras A, L, M. Vinte e nove sao as suras do Alcorao que, como esta, se iniciam 
por letras, mas de modo variado. Ha as iniciadas por uma so letra (L, LXVIII), por 
duas (XLIII), por quatro (VII), e ate por cinco letras (XIX). E, por serem inumeras 
as interpreta96es, apresentadas pela exegese alcoranica, na tentativa de elucidar- 
Ihes o significado, salientamos, a seguir, apenas as mais plausiveis destas 
interpreta96es: as letras isoladas seriam caracteres misticos, cuja significa9ao e 
valor permanecem desconhecidos, e que Deus revelou somente a Muhammad; ou 
seriam as letras iniciais de atributos divinos, ja que, entre os numerosos atributos, 
nao seria dificil selecionar alguns deles, que se iniciassem por estas letras; 
fmalmente, seriam advertencia para que os homens jamais olvidassem a 
onipotencia de Deus em contraste com a impotencia deles, quer dizer, nao 
olvidassem que, assim como Deus de terra criou o homem, tambem de simples 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 



> ^>i 



t djiJi djj--» 



2. Esse e o Livro. Nele, nao ha 
diivida alguma. E orienta9ao para 
OS piedosos, 

3. Que creem no Invisivel^^^ e 
cum-prem a ora9ao e despendem, 
do que Ihes damos por sustento; 

4. E que creem no^^^ que foi des- 
cido do ceu, para {P\ e no^"^^ que 
fora descido antes de ti, e se 
convencem da Derradeira Vida. 

5. Esses estao em orienta9ao de 
seu Senhor. E esses sao os bem- 
aventurados. 

6. Por certo, aos que renegam a 
Fe, e-lhes igual que os admoestes 
ou nao OS admoestes: nao crerao. 

7. Allah selou-lhes os cora96es 
e o ouvido^^^; e, sobre suas vistas, ha 
nevoa. E terao formidavel castigo. 

8. E, dentre os homens, ha quem 
diga: ''Cremos em Allah e no 



Oo>M^^*iAb:N4^^2^ 



\l^ l^^bJ^^<S^\dy^ 






■ l^ 



^\^J:^\l oy^^cy" o^^^ l^ 



letras formou as palavras do Livro inimitavel, que o homem arabe, apesar de sua 
proverbial eloqiiencia, jamais pode reproduzir. 
(n De maneira geral, a cren^a no Invisivel e o que distingue o ser racional do 
irracional. O homem percebe que o Universo esta muito alem do que seus sentidos 
podem perceber. Aceitar a evidencia cosmica, sem entende-la, totalmente, mas, 
tambem, sem nega-la, e privilegio do homem, em cuja vida a preocupagao 
escatologica e a percep^ao do Invisivel ocupam papeis primordiais. 

(2) No: no Alcorao. 

0) Para ti; para o profeta Muhammad. 

(4) No: naquilo, ou seja, nos Livros divinos, revelados antes de Muhammad: a Tora e 
Evangelho. 

(5) Deus selou-lhes os coragoes e os ouvidos, porque optaram pela idolatria quando se 
extraviaram. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 



S ^j^\ 



T byJi djj-- 



Derradeiro Dia", enquanto nao sao 
crentes. 

9. Procuram enganar^^^ a Allah e 
aos que creem, mas nao enganam 
senao a si mesmos e nao percebem. 

10. Em sens cora96es, ha enfer- 
midade; entao, Allah acrescentou- 
Ihes enfemiidade^^l E terao doloroso 
castigo, porque mentiam. 

11. E, quando se Ihes diz: "Nao 
semeeis a corrup9ao na terra", 
dizem: "Somos, apenas, reforma- 
dores". 

12. Ora, por certo, sao eles mes- 
mos OS corruptores, mas nao perce- 
bem. 

13. E, quando se Ihes diz: "Crede 
como creem as dignas pessoas", 
dizem: "Creremos como creem os 
insensatos?" Ora, por certo, sao eles 
mesmos os insensatos, mas nao 
sabem. 

14. E, quando deparam com os 
que creem, dizem: "Cremos"; e, 
quando estao a sos com seus 
dem6nios^^\ dizem: "Por certo, est- 



0^-Jj-5;JaJ A-&Uj^j..>^5 ' >^J^ 












ojt>4i-^oii:;^i 



( 1 ) Referenda ao procedimento ambiguo dos hipocritas que, por um lado, abra9aram 
Islao, garantindo, com isso, seu status na sociedade; e por outro, ainda 
ostentavam a descren9a, mantendo-se, assim, aliados aos inimigos da nova 
religiao, o Islamismo. 

(2) Por enfermidade, entenda-se a inveja, que os hipocritas, de fe dubia e vacilante, 
nutriam em rela(?ao aos crentes; essa inveja redundou em odio atroz, quando a 
revela9ao da Verdade, no AlcorSo, trouxe constantes denuncias dos hipocritas. 

(3) Demonios, aqui, traduz a palavra arabe Chayatln, forma plural de Chaytan, que 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 



^ ^>rl 



T OjaJi 5jj--» 



amos convosco; somos, apenas, 
zombadores." 

15. Allah zombara deles e Ihes 
estendera sua transgressao, contin- 
uando eles as cegas, 

16. Esses sao os que compraram 
o descaminho pelo pre^o da orie- 
ntafao. Entao, seu comercio nao 
lucrou, e eles nao foram guiados. 

17. Seu^*^ exemplo e como o da- 
queles que acenderam um fogo e, 
quando este iluminou o que havia 
ao seu redor, Allah foi-Se-lhes 
com a luz e deixou-os nas trevas, 
onde nao enxergam. 

18. Sao surdos, mudos, cegos: 
entao, nao retomam a Fe. 

19. Ou como o daqueles que, 

sob intensa chuva do ceu, em que 
ha trevas e trovoes e relampagos, 
tapam com os dedos os ouvidos, 
contra os raios ruidosos, para se 
precatarem da morte. - E Allah 
esta sempre, abarcando os 
renegadores da Fe^^ - 

20. relampago quase Ihes arre- 
bata as vistas. Cada vez que Ihes 












sK) hJ^SS ' '^'^'-'^^<^' ^- - 






^ h^\^^2^':^\J 



{[:i\\^"^^ ^^\i^^ 



significa qualquer rebelde malfeitor, ser humano ou nao. No versiculo, refere-se a 
todos OS que sao hostis a missSo de Muhammad. 

(0 Alusao aos hipocritas, que escolheram a descren9a, mesmo apos haver conhecido 
a Verdade, mas que, ainda, buscavam uma luz para orienta-los no caminho reto. 
Ao advir-lhes a esperada luz, por meio do Alcorao voltaram-lhe as costas e, 
conseqiientemente, dela foram desprovidos, permanecendo na escuridao. 

(2) Ou seja, Deus tem poder de assediar os incredulos. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 



\ ^>i 



Y 6yaJ\ 6j^ 



ilumina o caminho, nele andam e, 
quando Ihos entenebrece, detem- 
se. E se Allah quisesse, ir-Se-lhes- 
ia com o ouvido e as vistas^* I Por 
certo, Allah, sobre todas as cousas, 
e Onipotente. 

21.0 humanos! Adorai vosso 
Senhor, Que vos criou e aos que 
foram antes de vos, na esperan^a 
de serdes piedosos. 

22. E Ele Quem vos fez da terra 
leito e do ceu, teto edificado; e fez 
descer do ceu agua, com que fez 
sair, dos frutos, sustento para vos. 
Entao, nao fafais semelhantes a 
Allah, enquanto sabeis. 

23. E, se estais em diivida acerca 
do que fizemos descer sobre Nosso 
servo, fazei vir uma sura^^^ igual a 
dele, e convocai vossas testemunhas, 
em vez de Allah, se sois veridicos. 

24. E, se nao fizerdes - e o nao 
fareis - guardai-vos do Fogo, cujo 



>l^l3^ ^<^hl 'j^j^}6 






(0 Este versiculo refor9a a alegoria do AlcorSo, que e luz e ilumina o caminho para 
OS que renegam a Fe, tal qual urn relampago fulgurante. Os hipocritas parecem 
admitir essa luz, mas recuam, com desdem, e, novamente, as trevas encobrem-nos. 
Privam-se, deliberadamente, da gra9a que Deus Ihes confere, pois tapam os 
ouvidos e evitam a luz. Seus artificios de recusa sao tolos perante Deus. 

(2) Fazei vir uma sura: reproduzir um capitulo do Livro. Os renegadores do Islao 
colocavam em duvida a veracidade da Mensagem de Muhammad, servo de Deus. 
Para dirimir as duvidas, foi-lhes dirigido o seguinte desafio, encontrado em certos 
passes do Alcorao (X 38, 39;X1 13, 14; LII 33, 34 e XVII 88): se nao acreditavam 
na origem divina do Livro, deveriam ou reproduzi-lo integralmente, ou fazer dez 
capitulos semelhantes, ou, pelo menos, um deles, o que nem mesmo os arabes, de 
grande eloquencia, o lograram. Isto veio selar essa questao e provar, em defmitivo, 
a origem do Livro, como revela9ao de Deus ao homem. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 g > ^j^i 



Y S^i djj--» 



combustivel sao os homens e as ped- 
ras^^l O qual e preparado para os 
renegadores da Fe. 

25. E alvissara, Muhammad, 
aos que creem e fazem as boas 
obras que terao Jardins, abaixo dos 
quais correm os rios. Cada vez que 
forem sustentados por algo de seus 
frutos, dirao: "Eis o fruto por que 
fomos sustentados antes". Enquanto 
o que Ihes for concedido sera, ape- 
nas, semelhante. E, neles, terao es- 
posas puras e, neles, serao eternos. 

26. Por certo, Allah nao se peja 
de propor um exemplo qualquer, seja 
de um mosquito ou de algo superior 
a este. Entao, quanto aos que creem, 
eles sabem que ele e a verdade de 
seu Senhor. E, quanto aos que 
renegam a Fe, dizem: ''Que deseja 
Allah com este exemplo?" Com ele, 
Allah descaminha a muitos e, com 
ele, guia a muitos. E nao descaminha, 
com ele, senao os perversos^ \ 

27. Que desfazem o pacto de 
Allah, apos have-lo firmado, e 
cortam o que Allah ordena estar 









^^Ja. 



-trr^^^^ 



^^M 






(0 Ou seja, OS idolos de pedra das falsas divindades, que, com os renegadores do 
Islao, serao lan9ados no Inferno, para pro var- Ihes que nem mesmo as pedras serao 
indenes ao voraz fogo infernal. 

(2) Os antagonistas do Islao, que lan9aram mao de toda a sorte de controversias para 
detrair o Alcorao, criticaram, inclusive, os exemplos nele contidos, referentes a 
insetos, tais como a aranha (XXIX 41) e a mosca (XXII 73), alegando que, caso se 
tratasse de obra divina, jamais encerraria tais exemplos, ja que Deus nao se ocupa 
de seres insignificantes, por ser-lhes infmitamente Superior. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 



^ ^j^\ 



y djA-Ji 5jj-^ 



unido e semeiam a corrup9ao na 
terra. Esses sao os perdedores. 

28. Como podeis renegar a Allah, 
enquanto Ele vos deu a vida quando 
estaveis mortos^'^? Em seguida, 
far-vos-a morrer; em seguida, dar- 
vos-a a vida; e fmalmente, a Ele 
sereis retomados. 

29. Ele e Quem criou para vos 
tudo o que ha na terra; em seguida, 
voltou-Se para o ceu e, dele, formou 
sete ceus. - E Ele, de todas as 
cousas, e Onisciente - 

30. E quando teu Senhor disse 
aos anjos: "Por certo, farei, na terra, 
um califa^^^", disseram: "Faras, nela, 
quem nela semeara a corrup9ao e 
derramara o sangue, enquanto nos 
Te glorificamos, com louvor, e Te 
sagramos^"^^?" Ele disse: 'Tor 
certo, sei o que nao sabeis." 

31. E Ele ensinou a Adao todos 
OS nomes dos seres; em seguida, 
expo-los^"*^ aos anjos e disse: 



J r>J^ \ ^ ^ .\ 



j^ji \ J djiJ^j y^yj^ 










(U Ou seja, nao havieis nascido, ainda. 

(2) Etimologicamente, a palavra calTfa significa sucessor, o que substitui a outrem; 
designou, posteriormente, o soberano moslim. No texto, calTfa refere-se a Adao. 

(3) Os anjos, conhecedores so do bem e entoadores eternos do louvor de Deus, 
acreditavam-se, por isso, superiores ao ser humano, ignorando, entretanto, que 
este, criado com a mescla dos caracteres dos jinns (seres invisiveis benfazejos ou 
malfazejos, que, segundo o Alcorao, foram criados do fogo) e dos anjos e, assim, 
receptaculo do mal e do bem, poderia ser-lhes superior, se, por meio do livre 
arbitrio, propendesse para o bem. 

(4) Somente ao homem foi conferida a faculdade de expressao oral; por isso, Deus 
ensinou-Ihe os nomes de todos os seres, com os quais pode designa-los. Dai, o 
homem passou a ter a chave do conhecimento e tornou-se a criatura superior, por 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 JQ ^ ^^^ 



T oyJl '^^y^ 



"Informai-Me dos nomes desses, 
se sois veridicos". 

32. Disseram: "Glorificado sejas! 
Nao temos ciencia outra senao a 
que nos ensinaste. Por certo, Tu, 
Tu es O Onisciente, O Sabio." 

33. Ele disse: "6 Adao! Informa- 
os de seus nomes." E, quando este 
OS informou de seus nomes, Ele 
disse: "Nao vos disse que, por 
certo, sei do Invisivel dos ceus e da 
terra, e sei o que mostrais, e o^'^ 
que ocultaveis?" 

34. E quando dissemos aos anjos: 
"Prosternai-vos diante de Adao"; 
entao, eles prostemaram-se, exceto 
Iblis^^l Ele recusou faze-lo, e se 
ensoberbeceu e foi dos infieis. 

35. E dissemos: "6 Adao! Habita, 
tu e tua mulher, o Paraiso, e dele 
comei, fartamente, onde quiserdes, e 
nao vos aproximeis desta arvore^'^\ 
pois serieis dos injustos." 

36. E Sata fe-los incorrer em 
erro por causa dela^'*^ e fe-los sair 






r.nir-.'i.L 






iSf li.,ll^\ii:^^k3f K^^ 



excelencia, acima de todas as criaturas de Deus, inclusive dos anjos. 

(0 O: aquilo que os anjos pensaram no momento em que Deus criou Adao, ou seja, 
que Deus jamais criaria um ser mais privilegiado e sabio que eles. 

(2) IblTs ou EblTs: Nome dado ao jinn que desobedeceu a Deus. Tambem, 
denominado Chaytan, SatS. 

(^) A arvore proibida: o meio de experimentar a perseveran9a do homem. O AlcorSo 
alude a ela muito laconicamente, sem especificar-lhe a especie ou a local iza9ao, e 
vao sera que indaguemos mais a respeito dela, ja que todos estes assuntos 
pertencem ao mundo invisivel, inacessivel ao homem. 

("*) Dela: da arvore. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 JJ S (,j^\ 



Y 6jiJ\ Ojj^ 



de onde estavam. E dissemos: 
"Descei, sendo inimigos uns dos 
outros^^^ E tereis, na terra, 
residencia e gozo, ate certo tempo." 



37.- Entao, Adao recebeu pal- 
avras de seu Senhor, e Ele Se 
voltou para ele, remindo-o^^\ Por 
certo, Ele e O Remissorio, O 
Misericordiador. - 

38. Dissemos: "Descei todos, 
dele^"^^! Entao, se vos chega de Mim 
orienta9ao, aqueles que seguirem 
Minha orienta9ao, por eles nada 
havera que temer, e eles nao se 
entristecerao. 

39. "E OS que renegarem a Fe e 
desmentirem Nossos sinais, esses 
serao os companheiros do Fogo. 
Nele, serao eternos." 

40. 6 filhos de Israel^"^^! Lembrai- 






c -r^ 












i^^i^' ^c^^'i^^ Jd v^iip^ 



(1) Descei, sendo inimigos uns dos outros: esta frase pode ser interpretada de duas 
maneiras: ou Sat§ e seus sequazes seriam inimigos dos homens, e estes daqueles, 
ou OS homens seriam inimigos uns dos outros, por causa das injusti9as que fizerem 
mutuamente ao proximo. 

(2) Este versiculo explicita que Adao foi perdoado. Com isso, o Islao demonstra que 
nao reconhece o pecado original, pois ve o pecado como ato individual, exclusivo 
de quem age incorretamente. O pecado e o arrependimento nao podem ser 
impostos: surgem de dentro do individuo. E ninguem deve arcar com os erros dos 
outros nem arrepender-se pelo que o outro fez de mau. 

(3) Dele: do Paraiso. 

(4) 6 filhos de Israel: Israel e o nome dado, por Deus, a Jaco, filho de Isaque e neto 
de AbraSo. Todos os descendentes de Jaco sao assim chamados de filhos de Israel 
e, constantemente, o Alcorao os convida a discutirem, conjuntamente, nao so as 
questoes levantadas sobre a Mensagem de Muhammad, mas, tambem, as duvidas 
dela surgidas. E invoca-os a se lembrarem das gra9as que Deus, sempre, dirigiu 
aos descendentes de Jaco, e do destino que tiveram os antepassados, quando se 
desviaram do caminho reto. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 12 ^ ^j^ 



y djiJi djj-- 



vos de Minha gra9a^^^, com que 
vos agraciei, e sede fieis a Meu 
pacto, Eu serei Fiel a vosso pacto. 
E, a Mim, entao, venerai-Me. 

41. E crede no^^^ que fiz descer, 
confirmando o^^^ que esta convosco; 
e nao sejais os primeiros reneg- 
adores dele. E nao vendais Meus 
sinais por infimo pre90. E a Mim, 
entao, temei-Me. 

42. E nao confundais o verda- 
deiro com o falso e nao oculteis a 
verdade, enquanto sabeis. 

43. E cumpri a ora9ao e conce- 
de! az-zakah^^\e curvai^^^-vos com 
OS que se curvam. 



^UA^^4^^ ^^}Jjb^^ 



C^-b 



^d'< 






riO (j r"^ **^l * ^- 



y 






(0 Minha gra^a: os beneflcios, concedidos por Deus aos filhos de Israel, tais como: 
a liberdade do jugo faraonico, a travessia do mar, a prote^ao assombreada das 
nuvens contra o calor do deserto, o envio do mana e das codornizes. 

(2) No: no Alcorao, o Livro divino, revelado ao Profeta Muhammad, em inicios do 
seculo VII d.C. E a base da religiao islamica, que chegou para amparar a 
humanidade em seu caminho terreno e unificar a veiha alian9a (o Judaismo) com a 
nova alian^a (o Cristianismo), assim como ampliar o ato de caridade e estabelecer 
a fraternidade universal, ligando todos os homens a uma so religiao, sem 
discrimina^ao de ra^a, cor, nacionalidade ou posi^ao social. 

(^) O: a Tora, ou a lei mosaica do Pentateuco, que prega, igualmente, a unicidade de 
Deus e a aplica^ao das leis de Deus aos homens. 

W Az-zakah: parte dos bens concedida em caridade. O Alcorao incita os filhos de 
Israel a pratica da caridade, nao so para consolidar a fraternidade social, mas para 
dirimir o odio que as diferen^as socials provocam no pobre em rela^ao ao rico, 
fazendo com que este se sinta, parcialmente, responsavel pelos desafortunados, 
pois a riqueza e dadiva de Deus e, por consequencia, deve ser compartilhada. 
Dessa forma, cada moslim deve conceder az-zakah correspondente a 2,5% ou 1/40 
avos do que possui, que excedam os limites de suas necessidades e estejam 
disponiveis, durante um ano. O governo recolhera esta quantia para distribui-la as 
oito categorias de necessitados, de acordo com o Alcorao (IX 60). 

(^) Ou seja, "orai". Como a prece e constituida de dois movimentos, do curvar-se e do 
prostemar-se, o versiculo, referindo-se ao primeiro deles, ja alude, metonimicamente, 
a prece global. 



2. Suratu AI-Baqarah Parte 1 



13 



\ ^>i 



T OjaJi Ojj-^ 



44. Ordenais a bondade as outras 
pessoas e vos esqueceis de v6s me- 
smos, enquanto recitais o Livro^^^? 
Entao, nao razoais? 

45. E implorai ajuda, com a 
paciencia e a ora9ao. E, por certo, 
esta ora^ao e bem penosa, exceto 
para os humildes, 

46. Que pensam que depararao 
com seu Senhor e que a Ele retor- 
narao. 

47.6 filhos de Israel! Lembrai- 
vos de Minha gra9a, com que vos 
agraciei, e de que vos preferi aos 
mundos^^l 

48. E guardai-vos de um dia, em 
que uma alma nada podera quitar 
por outra alma, e nao se Ihe 
aceitara intercessao nem se Ihe 
tomara resgate; e eles' 
socorridos. 



^^^ nao serao 



49. E lembrai-vos de quando 
vos salvamos do povo de Farao, 
enquanto eles vos infligiam o pior 
castigo: degolavam vossos filhos e 
deixavam vivas vossas mulheres. E 
nisso, houve de vosso Senhor for- 
midavel prova. 

50. E lembrai-vos de quando, 
por vos, separamos o mar; entao 


















\< -'A\^i 



■i^^y^j 



^15^i^J^'^t|>!5 



(U Ou seja, aTora. 

(2) Pela expressao aos mundos, entenda-se aos povos da epoca mosaica. 

(^) Eles: OS culpados. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 14 ) ^ji-i 



Y 6jiJ\ djj-u 



salvamo-vos, e afogamos o povo de 
Farao, enquanto olhaveis. 

51. E lembrai-vos de quando 
fizemos promessa a Moises durante 
quarenta noites; em seguida, depois 
dele^^\ tomastes o bezerro por 
divindade, e fostes injustos. 

52. Em seguida, depois disso, 
indultamo-vos, para serdes agrade- 
cidos. 

53. E lembrai-vos de quando 
concedemos a Moises o Livro e Al 
Furqan^^\ para vos guiardes. 

54. E lembrai-vos de quando 
Moises disse a seu povo: "O meu 
povo! Por certo, fostes injustos com 
vos mesmos, tomando o bezerro 
por divindade. Entao, voltai-vos^^^ 
arrependidos para vosso Criador, e 
matai-vos. Isso vos e melhor, junto 
de vosso Criador." Entao, Ele 
voltou-Se para vos, remindo-vos. 
Por certo, Ele, Ele e O Remissorio, 
O Misericordiador. 

55. E lembrai-vos de quando 
dissestes: "6 Moises! Nao creremos 






^ 



fe^JL^_^>^'^li 



(0 Ou seja, depois de ele, Moises, partir para o Monte Sinai. 

(2) Al Furqan: infinitivo substantivado de faraqa, que significa separar ou distinguir. 
Essa forma infinitiva assume, no Alcorao, de acordo com o contexto, tres sentidos 
diferentes: o criterio de distinguir o bem do mal, a vitoria e o Livro revelado. 
Aqui, alude-se ao primeiro deles. 

(3) Segundo alguns exegetas, ou se trata do suicidio, como prova de obediencia, para 
purifica9ao pessoal, ou do homicidio contra o adorador do bezerro. Para a segunda 
interpreta9ao, vide Exodo XXXII 27. 



2. Saratu Al-Baqarah Parte 1 15 ^ ^ji- 



Y djAJl djj--» 



em ti, ate que vejamos Allah, 
declaradamente." Entao, o raio 
apanhou-vos, enquanto olhaveis. 

56. Em seguida, ressuscitamo- 
vos, apos vossa morte, para serdes 
agradecidos. 

57. E fizemos sombrear-vos as 
nuvens, e fizemos descer sobre vos o 
mana^*^ e as codomizes, e dissemos: 
"Comei das cousas benignas que 
vos damos por sustento." E eles 
nao foram injustos coNosco, mas 
foram injustos com si mesmos. 

58. E lembrai-vos de quando 
dissemos: "Entrai nesta cidade^ ^ e 
dela comei, fartamente, onde quis- 
erdes; e entrai pela porta, proster- 
nando-vos, e dizei: Terdao!', Nos 
vos perdoaremos os erros. E acres- 
centaremos gramas aos benfeitores." 

59. Mas, OS injustos trocaram, por 
outro dizer, o que Ihes havia sido 
dito; entao, fizemos descer sobre 
OS injustos um tormento do ceu, 
pela perversidade que cometiam. 

60. E lembrai-vos de quando 
Moises pediu agua para seu povo, 






coy:)5JiU^AIlijl 










P^Ji j^kjju. 



ISlii ^^^^^^i^y^ (JlJLZj) 'y^% 



(0 Mana: substancia doce e viscosa como o mel, que exsuda das arvores, no 
alvorecer. Sobre a descri9ao biblica, vide Exodo XVI 14 e 3 1. 

(2) A identifica9ao dessa cidade nao e claramente determinada. Alguns exegetas 
dizem tratar-se da cidade de Jerusalem ou Jerico. A Biblia fala de Canaa, onde 
Moises ordenou que os filhos de Israel entrassem para o reconhecimento dela e de 
seu povo, se era forte ou fraco; e viram eles que, nessa terra que, habitava o 
poderoso povo, de grande estatura, e recearam-na. Vide Numeros XIII 28, 3 1-33. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 (5 > ^jJri 



y ojaJi djj-o 



e dissemos: "Bate na pedra com 
tua vara."- Entao, dela emanaram 
doze olhos d'agua. Com efeito, 
cada tribo soube de onde beber. - 
"Comei e bebei do sustento de 
Allah e nao semeeis a maldade na 
terra, sendo corruptores". 

61. E lembrai-vos de quando 
dissestes: "6 Moises! Nao suport- 
aremos um so alimento; entao, 
suplica, por nos, a teu Senhor nos 
fa9a sair aigo do que a terra brota: 
de seus legumes e de seu pepino e 
de seu alho e de sua lentilha e de 
sua cebola." Ele disse: "Trocareis 
o que e melhor pelo que e pior? 
Descei a uma metropole ^^^ , e, por 
certo, tereis o que pedis!" E a vileza 
e a humilha^ao estenderam-se sobre 
eles, e incorreram em ira de Allah. 
Isso, porque renegavam os sinais 
de Allah e matavam, sem razao, os 
profetas^^\ Isso, porque desobede- 
ceram e cometiam agressao. 

62. Por certo, os que creem^^^ e 
OS que praticam o judaismo e os 
cristaos e os sabeus^^\ qualquer 









^03X:>i 






(0 Metropole, aqui, e tradu^ao da palavra arabe misr, que, como nome indefinido, 
significa grande cidade ou metropole e cuja declina9ao, no versiculo, denota 
tratar-se de um nome comum. Esta interpreta9ao e mais logica que a que liga esta 
palavra ao toponimo misr, nome proprio do Egito. 

(2) Aiusao a Zacarias, Joao Batista e a outros profetas mortos injustamente. Vide II 
Cronicas XXIV 20-21, Jeremias XVIII 20-23. 

(3) Ou seja, OS moslimes. 

(4) Os sabeus: sdbi'Tn, plural de sabi', o que deixa uma religiao por outra. Trata-se 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 17 ) i,j^ 



T 5^1 djj^ 



dentre eles que creu em Allah e no 
Derradeiro Dia e fez o bem tera 
seu premio junto de seu Senhor; e 
nada havera que temer por eles, e 
eles nao se entristecerao. 

63. E lembrai-vos de quando 
firmamos alian9a convosco e 
elevamos acima de vos o Monte^^\ 
dizendo: "Tomai, com firmeza, 
o^^^ que vos concedemos e lembrai- 
vos do que ha nele, na esperan9a 
de serdes piedosos." 

64. Em seguida, depois disso, 
voltastes as costas. E, nao fora o 
favor de Allah para convosco, e 
Sua Misericordia, serieis dos 
perdedores. 

65. E, com efeito, sabeis os que 
de vos cometeram agressao no 
sabado, entao, dissemo-lhes: "Sede 
simios repelidos^^^!" 












)Cf^ 






de um grupo de idolatras arabes, muito anteriores ao Islao, os quais, nao aceitando 
mais o politeismo de seus antepassados, buscaram outra cren9a que Ihes fosse 
mais adequada, ate chegarem a certa concep9ao monoteista da religiSo abraamica. 
E afastaram-se da religiao vigente, na comunidade em que viviam. Dai sua 
denomina9ao: sabeus, os desviados da religiao comum. Esta interpreta9ao 
prevalece sobre a de que eram adoradores das estrelas. 
(0 Ou seja, o Monte Sinai. Quando Moises chegou com as tabuas e os judeus 
tomaram conhecimento das dificeis tarefas que teriam de executar, recusaram-se a 
aceita-las. Foi quando o anjo Gabriel, reprovando o ato deles, arrancou o Monte 
Sinai, erguendo-o acima deles, como um teto. E Moises Ihes disse que aceitassem 
as leis, ou o Monte cairia sobre eles, esmagando-os. Vide Talmude, Shabb 88a e 
ExodoXIX 18. 

(2) O: o livro dos judeus, ou seja, a Tora. 

(3) Simios repelidos: Referenda a transgressao do Sabado (vide Exodo XXXI 14), 
cometida pelos judeus de Elate as margens do Mar Vermelho, quando reinava 
Davi. Nao podendo fugir a tenta9ao que Ihes causava a grande quantidade de 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 1 Jg I ) ^^i 



y QjAJ\ Ojj-- 



66. E fizemos dessa puni^ao 
tormento exemplar para o seu 
presente e para o seu future e 
exorta9ao para os piedosos. 

67. E lembrai-vos de quando 
Moises disse a seu povo: "Por certo, 
Allah ordena-vos que imoleis uma 
vaca^^^". Disseram: "Toma-nos por 
objeto de zombaria?" Ele disse: 
"Allah me guarde de ser dos 
ignorantes!" 

68. Disseram: "Suplica, por nos, 
a teu Senhor torne evidente, para 
nos, como e ela." Disse: "Ele diz 
que, por certo, e uma vaca nem 
velha nem nova, mea, entre estas. 
Entao, fazei o que vos e ordenado." 

69. Disseram: "Suplica, por nos, 
a teu Senhor tome evidente, para 
nos, qual e sua cor." Disse: "Ele 
diz que, por certo, e uma vaca 
amarela; de cor viva; alegra os 
olhadores." 

70. Disseram: "Suplica, por nos, 
a teu Senhor tome evidente, para 









U^^OtCl 






1\^\:a^jc^j\^'^\\j^ 



peixes, que viam aproximar-se do litoral, os judeus de Elate apanharam-nos, sem 
escutar as admoesta^oes de alguns homens piedosos. Segundo o Alcorao, Deus 
puniu-os, entao, transformando seus cora96es e fei^Oes; eles tornaram-se 
semelhantes a simios e foram abandonados pela misericordia divina e repelidos 
pela comunidade. (VII 163-166). 

(0 A imola^ao da vaca nSo constituia pratica estranha a tradi^So judaica, tal como se 
pode verificar em Numeros XXIX 1-10 e, refere-se ao momento que os judeus 
solicitaram a Moises que, por eles, rogasse a Deus, para que Este Ihes revelasse o 
verdadeiro culpado de um homicidio, e a comunidade pudesse, assim, isentar-se de 
culpa. 



2. Saratu Al-Baqarah Parte 1 J9 \ ^j^\ 



t djiJt djj«^ 



nos, como e ela. Por certo, para 
nos, todas as vacas se assemelham 
e, por certo, se Allah quiser, 
seremos guiados." 

71.Disse: "Ele diz que, por 
certo, e uma vaca nao docil para 
lavrar a terra nem para regar o campo 
lavrado; sa, sem mancha alguma. ^" 
Disseram: "Agora, chegaste com a 
verdade." E imolaram-na; e, quase, 
nao o fizeram. 

72. E lembrai-vos de quando 
matastes um homem^^^ e disputastes 
sobre ele^'^l E Allah estava desvend- 
ando o que ocultaveis. 

73. Entao, dissemos: "Batei- 
Ihe^"*^ com parte dela^^^". Assim, 
Allah da a vida aos mortos e vos 
faz ver Seus sinais, para razoardes. 

74. Em seguida, depois disso, 
vossos cora9oes se endureceram e 
se tomaram como as pedras, ou mais 
veementes na dureza. E, por certo, 
ha, dentre as pedras, aquelas das 



5S dl Bjllj;S^i^jxi( 



, ^^ f 












( ^ ) Essa descri9ao da vaca, conforme ordem do Senhor para Moises, nos versiculos 69 
e 71, pode ser cotejada com a da Biblia em Numeros XIX 1-2. 

(2) No texto, a palavra «nafs» quer dizer : um homem. 

(3) Referenda ao episodio do rico anciao, entre os filhos de Israel, o qual tinha um so 
filho. Por ambi9ao, os sobrinhos do anciao resolveram matar-lhe o filho e, assim, 
herdar-lhe todos os bens. Apos o crime, largaram o corpo a porta da cidade e 
fugiram. Imediatamente, toda a cidade passou a exigir puni9ao dos responsaveis e, 
a falta de testemunhas, dirigiu-se a Moises, para que rogasse a Deus Ihes indicasse 
um meio de conhecer a verdade. 

(4) Lhe: na pessoa morta. 

(5) Ou seja, um peda90 da vaca. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 



20 



> t>rl 



T oyJl ojj-j 



quais os rios emanam. E, por certo, 
ha, dentre elas, as que se fendem, 
e, delas, a agua sai. E, por certo, 
ha, dentre elas, as que se baixam, 
por receio de Allah. E Allah nao 
esta desatento ao que fazeis. 

75, Entao, aspirais^^^ a que 
eles^^^ creiam em vos, enquanto, 
com efeito, um grupo deles ouvia 
as palavras de Allah, em seguida, 
apos have-las entendido, distorciam- 
nas, enquanto sabiam? 

76, E, quando eles deparam com 
OS que creem, dizem: "Cremos"; e, 
quando estao a s6s, uns com os 
outros, dizem: "Vos Ihes contais o 
que Allah sentenciou, para vos, a 
fim de argumentarem, com isso, 
contra vos, diante de vosso Senhor? 
Entao, nao razoais^"^^?" 

77, E nao sabem eles que Allah 
sabe o de que guardam segredo e o 
que manifestam? 

78, E, dentre eles, ha iletrados, 
que nao sabem do Livro^"*^ senao vas 
esperan9as, e nada fazem senao 
conjeturar. 


















(0 O versiculo se dirige aos moslimes. 
(2) Eles: os filhos de Israel. 

(^) Alude-se a recrimina^ao feita pelos judeus renegadores do Islao a seus proprios 
companheiros mais moderados, que, sabendo da promessa da vinda de um profeta, 
oriundo de seu meio, revelavam-na aos moslimes, o que, de certa forma, poderia 
fortalecer o islamismo em detrimento ao Judaismo. 

(4) Ou seja, a Tora. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte I 



21 



\ t>l 



T 5^1 djj-»» 



79. Entao, ai dos que escrevem 
o Livro^^\ com as proprias maos; 
em seguida, dizem: "Isso e de 
Allah", para o venderem por 
infimo pre9o! Entao, ai deles pelo 
que escrevem^^^ com as proprias 
maos! E ai deles pelo que logram! 

80. E dizem: "O Fogo nao nos 
tocara senao por dias contados/"^^" 
Dize, Muhammad: "Firmastes 
pacto com Allah, entao, Allah nao 
faltara a Seu pacto? Ou dizeis de 
Allah o que nao sabeis?" 

81. Sim! Aqueles que cometem 
um mal, e sao abarcados por seus 
erros, esses sao os companheiros 
do Fogo. Nele, serao eternos. 

82. E OS que creem e fazem as 
boas obras, esses sao os 
companheiros do Paraiso. Nele, 
serao eternos. 

83. E lembra-Ihes de quando 
firmamos a alian9a com os filhos 
de Israel: "Nao adorareis senao a 
Allah; e tende benevolencia para 
com OS pais e os parentes e os 
orfaos e os necessitados; e dizei aos 
homens belas palavras, e cumpri a 






® j/ 












\yrcy,^^^\\j^v^tjJ> 



(0 Ou seja, a Tora. 

(2) Alusao as altera^oes perpetradas pelos judeus no texto da Tora, com o fim de tirar- 
Ihe as passagens profeticas da missao de Muhammad. 

(^) Dias contados: pensavam os judeus que a permanencia no Inferno duraria, 
apenas, quarenta dias, ou seja, o mesmo tempo que levaram seus antepassados 
adorando o bezerro de ouro. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 1 22 I ^ ^j^^ 



y djAjii 5jj-j 



.(1) 



.oV,(2). 



ora9ao ", e concedei az-zakah^ 
em seguida, exceto poucos de v6s, 
voltastes as costas, dando de 
ombros. 

84. E lembrai-vos de quando 
firmamos a alian9a^"^^ convosco: 
"Nao derramareis vosso sangue e 
nao vos fareis sair, uns aos outros, 
de vossos lares"; em seguida, 
reconheceste-lo, enquanto o 
testemunhaveis. 

85. Em seguida, ei-vos que vos 
matais uns aos outros e fazeis sair, 
de seus lares, um grupo de vos, 
auxiliando-vos contra eles, com o 
pecado e a agressao; e, se eles 
chegam a vos como cativos, resgatai- 
los, enquanto vos e proibido faze- 
los sair^'^^ Credes, entao, numa 












-> } 9 sT* y » /. 






(0 A ora^ao, em arabe, as-salah: na tradigao islamica, deve ser feita cinco vezes por 
dia: na aurora, ao meio-dia, a tarde, ao p6r-do-sol e a noite, a fim de que o homem, 
em contato constante com Deus, purifique sua alma. A oragSo pode ser feita em 
qualquer lugar, nao necessariamente no templo, mesquita, devendo ser cumprida, 
obrigatoriamente, em qualquer circunstancia: Estando-se no local em que se vive, 
ou em viagem, estando-se com saude ou enfermo. O alvo da oragao nao se limita, 
apenas, a glorificagao de Deus, com movimentos de reverencia e prosternagao, 
mas, fundamentalmente, a entrega da alma a Deus, a renovagao da Fe e a obtengao 
de Sua misericordia. 

(2) Cf. II 43 n4. 

(^) Ou seja, a alianga com os filhos de Israel. 

(4) Esta passagem e alusiva a contraditoria atitude dos judeus nSo so em combate com 
seus proprios irmSos de sangue e em obediencia a lei mosaica, mas, ao mesmo 
tempo, em resgate deles, segundo o costume e em respeito a lei. Este episodio 
ocorreu em epoca anterior ao Islao, quando, em Al Madlnah, havia duas grandes 
tribos arabes, rivais entre si: Al Aus e Al Khazraj, e duas comunidades judaicas, 
igualmente rivais entre si: Banu Quraizah e Banu an-Nadlr. Ocorreu que os Banu 
Quraizah se aliaram a tribo arabe Al Aus, assim como os Banu an- Nadir se 
aliaram aos Al Khazraj. Quando se desavieram, as duas tribos arabes contaram 



2. SOratu Al-Baqarah Parte 1 23 ^ ^J^' 



Y 0^1 ojj^ 



parte do Livro e renegais a outra 
parte? E a recompensa de quern de 
v6s faz isso nao e senao a 
ignominia na vida terrena, e, no 
Dia da Ressurrei9ao, serao levados 
ao mais veemente castigo. E Allah 
nao esta desatento ao que fazeis. 

86. Esses sao os que compraram 
a vida terrena pela Derradeira 
Vida. Entao, o castigo nao se Ihes 
aliviara , e nao serao socorridos. 

87. E, com efeito, concedemos a 
Moises o Livro, e fizemos seguir, 
depois dele, os Mensageiros. E 
concedemos a Jesus, Filho de Maria, 
as evidencias^^^ e amparamo-lo com 
o Espirito Sagrado^^\ E, sera que 
cada vez que um Mensageiro vos 
chegava, com aquilo pelo que 
vossas almas nao se apaixonavam, 
vos vos ensoberbecieis? Entao, a 
um grupo desmentieis, e a um grupo 
mataveis. 

88. E dizem: "Nossos cora96es 
estao encobertos^"^V' Nao. Mas 
Allah OS amaldi900u por sua 






^ .A^T-* .^.vaA, 



'^\jJ^sM^ji\Jij 



com seus respectivos aliados judeus. Foi quando ocorreu o combate de judeus 
contra judeus, a que se refere esse versiculo. 

(0 As evidencias: relacionadas a Jesus, sSo, entre outras a ressurrei9ao dos mortos, a 

cura do cego de nascen9a, do leproso, etc. (Ill 49). 
(2) Espirito Sagrado: o anjo Gabriel mensageiro celestial. 

(^) A palavra usada no Alcorao e incircunciso, que traduz a palavra arabe ghulf, 
significa que seus cora96es estao selados e a prega9ao do Profeta nao pode neles 
entrar. Observe-se que este termo tem amplo uso na Biblia, conforme se pode ver 
em Deuteronomio X 16, XXX 6, Jeremias VI 10 e outros. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 1 24 I > ^ j^< 



T ^jAJ\ Ojj-- 



renega9ao da Fe. Entao, quao pouco 
creem! 

89. E, quando Ihes chegou um 
Livro da parte de Allah^^\ confir- 
mando o^^^ que estava com eles - e 
eles, antes buscavam a vitoria^^^ 
sobre os que renegavam a Fe -, 
quando, pois, Ihes chegou o que ja 
conheciam, renegaram-no. Entao, 
que a maldi9ao de Allah seja sobre 
OS renegadores da Fe! 

90. Que execravel o pre^o pelo 
qual venderam suas almas, ao 
renegarem o^"*^ que Allah fez 
descer, movidos pela revolta de 
que Allah fizesse descer algo de 
Seu favor sobre quem Ele quisesse, 
dentre Seus servos. Entao, 
incorreram em ira sobre ira. E 
havera, para os renegadores da Fe, 
aviltante castigo. 

91. E, quando se Ihes diz: "Crede 
no que Allah fez descer", dizem: 
"Cremos no que fora descido sobre 
nos." E renegam o que houve depois 
disso, enquanto isso e a Verdade 



Oily 1^=3? >-^^ W-^:i->-a^ 

J/4ol 111) Z^\i^\ tojjjA^-ssuQl 






( 1 ) Livro vindo de Allah: o Alcorao. 

(2) O: Livro, ou seja a Tora. 

(^) Antes do surgimento do Islao, os judeus, em combate com os idolatras, 
suplicavam a Deus pela vitoria, em nome do profeta descrito na Tora. Vide 
Deuteronomio XVIII 15 e 18. Porque se julgavam superiores aos descrentes e 
gentios, deveriam ser os primeiros a reconhecer a nova Verdade, ou seja, aquela 
trazida por Muhammad, ja que era muito similar ao que haviam recebido na Tora. 
Entretanto, por arrogancia, negaram a nova Verdade e se recusaram a professa-la. 

(4) O: Alcorao. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 25 ^ ^i^ 



T SjaJi Ojj^ 



que confirma o que esta com eles. 
Dize: "Por que, entao, matastes, 
antes, os profetas de Allah, se sois 
crentes^'^?" 

92. E, com efeito, Moises chegou- 
vos com as evidencias^^^; em seguida, 
depois dele^"^\ tomastes o bezerro 
por divindade, enquanto injustos. 

93. E lembrai-vos de quando 
firmamos a alian9a convosco e 
elevamos acima de vos o Monte^'^^ 
dizendo: "Tomai, com firmeza, 
o^^^ que vos concedemos, e ouvi." 
Disseram: "Ouvimos e desobede- 
cemos." E, por sua renega9ao da 
fe, seus cora9oes foram imbuidos 
do amor ao bezerro. Dize: "Que 
execravel o que vossa fe vos 
ordena, se sois crentes!" 

94. Dize: "Se a Derradeira 
Morada, junto de Allah, vos e 
consagrada, com exclusao de outras 
pessoas, anelai, entao, a morte, se 
sois veridicos." 

95. E jamais a anelarao, pelo 
que suas maos anteciparam. E 



> ^ . -? 









T-* - 9^ 












jce 



(0 O mesmo que: "...se credes na Tora, onde vos foi prescrita a proibi^ao de matar os 

profetas". Cf. 1161 n2. 
(2) As evidencias de Moises, entre outras, sao: a transforma9ao da vara em serpente, a 

mao que se torna alva, a passagem pelo meio do mar. 

(^) Ou seja, depois da idadele ao Monte Sinai (II 51 nl). 

(4) Ou seja, o Monte Sinai: proeminente montanha do deserto arabe na Peninsula 
Arabica, entre os dois golfos do Mar Vermelho. Tambem cognominado a 
Montanha de Moises (Jabel Mussa), pois ali Ihe foi entregue a Lei. 

(^) Ou seja, OS mandamentos divinos. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 26 > ^J^^ 



t O^i Ojj^ 



Allah, dos injustos, e Onisciente. 

96. E, em verdade, encontra-los- 
as OS mais avidos de vida, e mais 
ainda que os que idolatram. Cada 
um deles almeja viver mil anos. E 
a longevidade nao o distanciara do 
castigo. E Allah, do que fazem, e 
Onividente. 

97.Dize, Muhammad: "Quem 
e o inimigo de Gabriel^ ^^ o e de 
Allah, pois, por certo, foi ele quem 
o^^^ fez descer sobre teu corafao, 
com a permissao de Allah, para 
confirmar o^^^ que havia antes dele, 
e para ser orientafao e alvissaras 
para os crentes." 

98. Quem e inimigo de Allah e 
de Seus anjos e de Seus Men- 
sageiros e de Gabriel e de Miguel, 
por certo, Allah e inimigo dos ren- 
egadores da Fe. 

99. E, com efeito, fizemos descer, 
para ti, versiculos evidentes; e nao 
OS renegam senao os perversos. 

100. E, sera que cada vez que 
pactuam um pacto, um grupo deles 
havera de rejeita-lo? Mas a maioria 






^Ji^^J 









(H No inicio do Islao, um dos rabinos da comunidade judaica indagou do Profeta 
quem Ihe transmitira as revela96es divinas, que ensinava. O Profeta respondeu-Ihe 
que fora o anjo Gabriel, o que causou indigna9ao ao rabino, que considerou o anjo 
inimigo dos judeus, a quem deveria ter entregue as revela^oes e nao aos arabes. 
Vide Al Zamakhchari, volume I, p. 298, 1966. 

(2) O: Alcorao. 

(3) O: Livro, ou seja, a Tora. 



2. SQratu Al-Baqarah Parte 1 27 ^ ^j^^ 



1 6jiJ\ 5jj^ 



deles nao ere. 

101. E, quando Ihes chegou um 
Mensageiro, da parte de Allah, con- 
firmando o que estava com eles, 
um grupo daqueles^*^ a quem fora 
concedido o Livro, atirou para tras 
das costas o Livro^^^ de Allah, 
como se nao soubessem. 

102. E seguiram o que os dem- 
onios recitavam acerca do reinado 
de Salomao. E Salomao nao ren- 
egou a Fe^'^^ mas foram os 
demonios que a renegaram. Eles 
ensinaram aos homens a magia e o 
que fora descido sobre os dois 
anjos Harut e Marut^'*\ na Babilonia. 
E ambos a ninguem ensinaram, 
sem antes dizer: "Somos, apenas, 
tenta9ao; entao, nao renegues a 
Fe." E OS homens aprenderam de 
ambos o^^^ com que separavam a 
pessoa de sua mulher. E eles nao 
estavam, com ela^^\ prejudicando a 
ninguem senao com a permissao de 
Allah. E eles aprenderam o que os 
prejudicava e nao os beneficiava. E, 
com efeito, sabiam que quem a 




^ y ^ ^ ^ 

l)^==^J ;y'>^^ ^^^ 



(0 Daqueles: de judeus. 

(2) Livro: a Tora. Assim procederam em repudio as profecias da Tora em relagao a 
vinda de Muhammad. 

(3) Ou seja, SalomSo nao renegou sua cren9a, praticando a Magia. 

(4) HdrQt e MarQt sao os dois anjos, igualmente, mencionados nas tradigoes judaicas 
do Midrash, e no Novo Testamento. Vide 11 Sao Pedro II 4 e SSo Judas 6. 

(5) O: aquilo, a magia. 

(6) Com ela: com a magia. 



2. Sflratu Al-Baqarah Parte 1 



28 > *>« 



T OjaJi djj-» 



adquirisse nao teria, na Derradeira 
Vida, quinhao algum. E, em 
verdade, que execravel o pre90 
pelo qual venderam suas almas! Se 
soubessem! 

103. E, se eles cressem e fossem 
piedosos, em verdade, uma boa 
retribui9ao de Allah ihes seria 
melhor. Se soubessem! 

104. vos que credes! Nao 
digais a Muhammad "ra'^ina^^^", e 
dizei "unzurna", e ouvi. E, para os 
renegadores da Fe, havera doloroso 
castigo. 

105. Nem os que renegam a Fe, 
dentre os seguidores do Livro^^\ 
nem os idolatras, almejariam que 
de vosso Senhor descesse algum 
bem sobre vos. E Allah privilegia, 
com Sua misericordia, a quem 
quer. E Allah e Possuidor do 
magnifico favor. 

106. Qual quer versiculo que ab- 
roguemos ou fa9amos esquecer, 
faremos chegar um melhor ou igual 
a ele^'^^ Nao sabes que Allah, sobre 



^^jU 



)i^^^J^ ail Ajj^: 









(0 Os moslimes, ao receberem os ensinamentos do Profeta, tinham o habito de dizer- 
Ihe: "Ra^ina!", imperativo com o sentido de "cuida de Nos!". Os judeus, sempre 
hostis ao Profeta, para simularem o insulto que Ihe dirigiam, usavam este 
imperativo, com ligeira corruptela fonetica, tornando-o, perfidamente, semelhante 
a uma palavra hebraica, nynn ("Ra^inu"), que significa "Nosso malvado". Por essa 
razao, o Alcorao pediu aos moslimes que nao mais usassem esta forma invocativa, 
mas a substituissem pela palavra "Unzurna". "Olha-nos". 

(2) Ou seja, os judeus e os cristaos que seguem, respectivamente, a Tora e o Evangelho. 

(3) Estas altera96es, mormente, visavam a acompanhar a evolu9ao das epocas e 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 29 ^ ^J*"' 



Y 6jaJ\ 5jj-- 



todas as cousas, e Onipotente? 

107. Nao sabes que de Allah e a 
soberania dos ceus e da terra, e vos 
nao tendes, alem de Allah, nem 
protetor nem socorredor? 

108. Ou quereis questionar vosso 
Mensageiro como, antes, foi ques- 
tionado Moises^^^? E quern troca a 
Fe pela renegafao da Fe, com 
efeito, se descaminhara do caminho 
certo. 

109. Muitos dos seguidores do 
Livro^^^ almejaram, por inveja 
vinda de suas almas, - apos haver- 
se tornado evidente, para eles, a 
Verdade - tornar-vos renegadores 
da Fe, depois de haverdes crido. 
Entao, indultai-os e tolerai-os, ate 
que Allah fa9a chegar Sua ordem. 
Por certo, Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente. 

110. E cumpri a orafao e con- 
cede! az-zakah^'^^ E o que quer de 
bom que antecipeis a vossas almas, 
encontra-lo-eis junto de Allah. Por 
certo, Allah, do que fazeis, e 
Onividente. 






vM^Lp'^o?t::;5^tj 







^>-\a>cij^l^ 









costumes. Nao foram feitas ex abrupto, mas gradativamente e de forma sabia, a 
fim de se evitar o impacto e a subsequente reagao das sociedades a que se 
destinavam. 

(0 versiculo dirigido aos moslimes faz alusao a demanda de provas, ou milagres 
espirituais que, outrora, os filhos de Israel exigiram de Moises, quando disseram: 
"Mostra-nos Deus, claramente". (Vide IV 153) 

(2) Ou seja, da Tora. 

(3) Cf. II 43 n4. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 30 \ ^j^t 



y 'oyaJ\ Ojj-- 



lll.E dizem: ''Nao entrara no 
Paraiso senao quern e judeu ou 
cristao." Essas sao suas vas esper- 
an9as. Dize: "Trazei vossas provan- 
9as, se sois veridicos." 

112. Sim! Quern entrega a face 
a Allah^^^, enquanto benfeitor, tera 
seu premio junto de seu Senhor. E 
nada havera que temer por eles, e 
eles nao se entristecerao. 

113.E OS judeus dizem: "Os 
cristaos nao estao fundados sobre 
nada." E os cristaos dizem: "Os 
judeus nao estao fundados sobre 
nada", enquanto eles recitam o 
Livro^^^! Assim, os^"^^ que nada 
sabem dizem algo igual a seu dito. 
E Allah julgara, entre eles, no Dia 
da Ressurrei9ao, naquilo de que 
discrepavam. 

114. E quem mais injusto que 
aquele que impede, nas mesquitas 
de Allah, se mencione Seu Nome, 
e se esfor9a em arruina-las? A esses, 
nao Ihes e admissivel nelas entrarem 
senao temerosos. Ha, para eles, na 
vida terrena, ignominia e havera, 
para eles, na Derradeira Vida, 
formidavel castigo. 












(0 Aqui, ocorre metonimia de grande valor estilistico, em que a palavra face 
simboliza a totalidade do ser, e a frase significa: "Entregar-se, inteiramente, a 
Deus". 

(2) O Livro: a Tora e o Evangelho. 

(3) Ou seja, OS arabes pagaos. 



2. Saratu Al-Baqarah Parte 1 31 > ^ji- 



T ^jaJ\ djj^ 



115. E de Allah e Levante e o 
Poente. E, para onde quer que vos 
volteis, la esta a face de Allah. Por 
certo, Allah e Munificente, Onis- 
ciente. 

116. E dizem eW^^: "Allah 
tomou para Si um filho!" 
Glorificado seja Ele! Nada tomou 
Ele. Mas dEle e o que ha nos ceus 
e na terra. A Ele todos sao 
devotos! 

117. Ele e O Criador Primordial 
dos ceus e da terra, e, quando 
decreta algo, apenas, diz-lhe: "Se", 
entao, e. 

118. E OS que nada sabem dizem: 
''Que Allah nos fale ou que um 
sinal venha a nos!" Assim, os que 
foram antes deles disseram algo 
igual a seu dito. Seus cora9oes se 
assemelham. Com efeito, tornamos 
evidentes os sinais, para um povo 
que deles se convence. 

119. Por certo, Nos te enviamos, 
Muhammad, com a Verdade, 
como alvissareiro e admoestador. 
E nao seras interrogado acerca dos 
companheiros do Inferno. 

120. E nem os judeus nem os 
cristaos se agradarao de ti, ate que 
sigas sua cren9a. Dize: "Por certo, a 
Orienta9ao de Allah e a Verdadeira 



V^^.l-^o 



)j:^\Jy\^}3<l^jX^]j 3^\^ 



^ X^^y^Vol^^ l>^ 


















(0 Eles: OS judeus e os cristaos (Vide IX 30). 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 32 > ^ji- 



Y o^^i 5jj-*» 



Orienta9ao." Mas, se seguisses suas 
paixoes, apos o que te chegou da 
ciencia^'\ nao terias, de Allah, nem 
protetor nem socorredor. 

121. Aqueles^^\ a quern concede- 
mos o Livro, recitam-no, como deve 
ser recitado. Esses creem nele. E os 
que o renegam, esses sao os perde- 
dores. 

122.6 filhos de Israel! Lembrai- 
vos de Minha gra9a, com que vos 
agraciei, e de que vos prefer! aos 
mundos^^l 

123. E guardai-vos de um dia, em 
que uma alma nada podera quitar 
por outra alma, e nao se Ihe aceitara 
resgate nem a beneficiara inter- 
cessao; e eles nao serao socorridos. 

124. E lembrai-vos de quando 
Abraao foi posto a prova por seu 
Senhor, com certas palavras^'*^ e 
ele as cumpriu. O Senhor disse : 
"Por certo, farei de ti dirigente^^^ 
para os homens." Abraao disse: 
"E de minha descendencia?" Allah 
disse: "Meu pacto nao alcan9ara os 
injustos." 












0) A Ciencia: a revela9ao divina. 

(2) Alusao aos judeus e cristaos, que se aprofundaram no estudo de seus livros 
sagrados. 

(3) Cf. 11, 47 n2. 

i^) Palavras de ordem e proibi9ao. 

(^) No texto, a palavra e imame, forma aportuguesada de imam {vide Aurelio. lider, 
guia, oficiante) TItulo outorgado a Abraao. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 33 y i,j^\ 



T djiJi djj-- 



125. E lembrai-vos de quando 
fizemos da Casa^*^ lugar de visita e 
seguran9a para os homens, e 
dissemos: "Tomai o Maqam^^^ de 
Abraao por lugar de ora9ao." E 
recomendamos a Abraao e a Ismael: 
"Purificai Minha Casa para os que 
a circundam^^^ e para os que estao 
em retiro e para os que se curvam e 
se prosternam". 

126. E lembrai-vos de quando 
Abraao disse: "Senhor meu, faze 
desta^"*^ uma cidade de seguran9a e 
da dos frutos, por sustento, a seus 
habitantes, aqueles, dentre eles, que 
creem em Allah e no Derradeiro 
Dia." Allah disse: "E a quem 
renega a Fe, fa-lo-ei gozar, por 
algum tempo; em seguida, for9a- 
lo-ei ao castigo do Fogo. E que 
execravel destino! 

127. E lembrai-vos de quando 
Abraao levantava os alicerces da 












(^) Ou seja, da Ka*^bah, primeiro templo de Deus, construido por Abraao e Ismael, 
em Makkah. 

(2) O MaqSm: local em que Abraao permanecia em pe durante a ora^ao; ou todo 
templo, construido por Abraao, ou seja, a Ka*^bah (vide III 96); ou somente, a 
pedra, ao lado da Ka*^bah, na qual Abraao se apoiava, enquanto construia o templo, 
e que ficou marcada com sua pegada (vide III 97). Alias, e anelo de todo crente, 
orar neste lugar. 

(3) Para os que a circundam: "Al Tawaf, tal como se denomina, no Islamismo, e 
parte fundamental da peregrina^So a Makkah, e consiste na visita a Ka*^bah, 
circundando-a sete vezes, em louvor a Deus. 

(4) Referencia a cidade de Makkah, a Cidade da Paz, que, desde entao, tornou-se a 
Cidade Sagrada, depositaria de paz permanente, onde e proibido derramamento 
de sangue, a ca^a ou qualquer outra vioia^ao a vida. E local de prece e venera^ao. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 34 W^r 



T OjaJ\ Ojj^ 



Casa, e Ismael^*^ tambem, dizendo: 

"Senhor nosso! Aceita-a de nos. Por 
certo, Tu, Tu es O Oniouvinte, O 
Onisciente. 

128."Senhor nosso! E faze de 
ambos de nos moslimes para Ti/ ^ 
e faze de nossa descendencia uma 
comunidade moslima para Ti; e 
ensina-nos nossos cultos e volta-Te 
para nos, remindo-nos. Por certo, 
Tu, Tu es O Remissorio, O Miseri- 
cordiador. 

129. "Senhor nosso! E manda- 
Ihes^"^^ um Mensageiro, vindo 
deles^'^^ o qual recitara, para eles, 
Teus versiculos e Ihes ensinara o 
Livro^^^ e a Sabedoria e os 
dignificara. Por certo, Tu, Tu es O 
Todo-Poderoso, O Sabio!" 






]^, j^^^^yOM^ i^)j\^j 






(1) Abraao, com sua escrava, Hagar, e Ismael, filho primogenito de ambos, rumaram 
para o sul da Peninsula Ar^bica, no vale de Makkah, no mesmo local, onde, 
tempos mais tarde, Abraao recebeu uma revela^ao de Deus. Ordenou Ele que 
AbraSo construisse, ai, um templo para Sua adora^ao e, assim, foi erguida a 
Ka*^bah, o primeiro santuario consagrado a Deus pelo homem, em todo o mundo 
(vide III 96). 

(2) Moslimes para Ti: o termo corresponde, em arabe, ao participio presente do 
verbo aslama, que, originalmente, significa entregar-se; posteriormente 
entregar-se, voluntariamente a obediencia; e restritamente, entregar-se ao 
Isiao, a religiao pregada por todos os profetas monoteistas. Estes termos derivam 
da raiz arabe Salam, paz. Dai, IsISo: a Religiao da Paz, e moslim: aquele que se 
entrega, inteiramente, a esta religiao de Deus. E, no Alcorao, o termo moslim 
qualifica todos os profetas e todo bom crente. 

(^) Lhes: a descendencia de Abraao e Ismael. 

(4) Mensageiro, vindo deles: atendendo a suplica de Abraao, Deus enviou 
Muhammad por Mensageiro, surgido do meio dos Arabes, descendentes de 
Ismael, o filho do Patriarca. 

(5) O Livro: o Alcorao. 



2. Saratu Al-Baqarah Parte 1 35 \ ^ji-i 



T OjAjii 5jj-- 



130. E quern, pois, rejeita a 
cren9a de Abraao senao aquele cuja 
alma se perde na inepcia? E, com 
efeito, escolhemo-lo^^\ na vida 
terrena, e, por certo, na Derradeira 
Vida, sera dos integros. 

131. Quando seu Senhor Ihe disse: 
"Islamiza-te/^^" Disse: "Islamizo- 
me, para O Senhor dos mundos. ^^^ " 

132. E Abraao recomendou-a^"*^ 
a seus filhos - e, assim tambem, 
Jaco - dizendo: "6 filhos meus! 
Por certo, Allah escolheu para v6s 
a religiao; entao, nao morrais 
senao enquanto moslimes." 

133. Ou fostes vos testemunhas, 
quando a morte se apresentou a 
Jac6^^\ quando ele disse a seus 
filhos: "O que adorareis depois de 
mim?" Disseram: "Adoraremos a 
teu deus e ao deus de teus pais - 
Abraao e Ismael e Isaque - como 
um Deus Unico. E, para Ele, 
seremos moslimes." 

134.Essa e uma na9ao que ja 















^,^.<^ .^>9A 



jkss^J clljlS^til^ci^^'^'^^ 



(OLo: Abraao. 

(2) Islamiza-te: e tradu9ao de Aslim, forma imperativa, derivada de Aslama, 
preterito, do infinito Isldm. (Cf. 11 128 n2) Note-se que islamizar-se e neologismo 
calcado no verbo arabe, e criado em fun9ao da necessidade de evitar ocorrencia de 
perifrases, constantes, tais como; "entrego-me, submisso, a Deus". 

(3)Cf. I2nl. 

(^) A: a religiao islamica. 

(5) Este versiculo foi revelado em resposta a assertiva dos judeus de que Muhammad 
ignorava que Jaco (Israel) antes de morrer, recomendara a seus filhos que 
seguissem a religiao judaica. O Alcorao observou que eles nao podiam assegurar 
tal fato, ja que nao se encontravam la na hora de sua morte. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 35 ^ ^ji-i 



Y OjaJ) o^j^ 



passou. A ela, o que logi;ou, e a 
vos, o que lograstes, e nao sereis 
interrogados acerca do que faziam. 

135. E eW^^ dizem: "Sede 
judeus ou cristaos, vos sereis 
guiados." Dize, Muhammad: 
"Nao, mas seguimos a crenfa de 
Abraao, monoteista sincero, e que 
nao era dos idolatras." 

136.Dizei^^^: "Cremos em Allah 
e no que foi revelado para nos, e 
no que fora revelado para Abraao e 
Ismael e Isaque e Jaco e para as 
tribos; e no que fora concedido a 
Moises e a Jesus, e no que fora 
concedido aos profetas, por seu 
Senhor. Nao fazemos distinfao 
entre nenhum deles. E, para Ele, 
somos moslimes." 

137.- Entao, se eles crerem no 
mesmo em que vos credes, com 
efeito, guiar-se-ao; e, se voltarem as 
costas, por certo, estarao em 
discordia. Entao, Allah te bastara 
contra eles. E Ele e O Oniouvinte, O 
Onisciente - 

138. "Nossa religiao e a tintura 
de Allah^"^\ e quem melhor que 


















(0 Eles: OS judeus e os cristaos. 

(2) O versiculo dirige-se aos moslimes. 

(3) Os arabes cristSios misturavam uma tintura, de tonal idade amarelada, a agua 
batismal, para mostrar que a pessoa batizada tomou nova cor, em vida. O 
Islamismo nSio ere seja necess^rio ser batizado para ser salvo, e assegura que o 
mais elevado batismo e o batismo de Deus, pelo qual assumimos, simbolicamente, 
a cor de Deus e nos infundimos em Sua bondade, purificando-nos. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 1 37 I ) ^ji-i 



Y 0^) Oj^ 



Allah, em tingir? E a Ele estamos 
adorando." 

139. Dize: "Argumentais conos- 
co, sobre Allah, enquanto Ele e O 
nosso Senhor e vosso Senhor, e a 
nps, nossas obras, e a v6s, vossas 
obras, e para com Ele somos 
sinceros? 

140. "Ou dizeis que Abraao e 
Ismael e Isaque e Jaco e as tribos 
eram judeus ou cristaos?" Dize: 
"Sois vos mais sabedores, ou 
Allah? E quem mais injusto que 
aquele que oculta um testemunho 
que tem de Allah^^^? E Allah nao 
esta desatento ao que fazeis." 

141.Essa e uma na9ao que ja 
passou. A ela, o que logrou, e a vos, 
o que lograstes, e nao sereis inter- 
rogados acerca do que faziam. 

142.0s insensatos, entre os 
homens, dirao: "O que os fez voltar 
as costas a sua dire9ao Quiblah^^\ 
para a qual estavam virados?" Dize, 
Muhammad: "E de Allah o 
Levante e o Poente. Ele guia a quem 
quer a uma senda reta." 



^^ji^/^c^ 



J -^ ft ,9 









(y) Alusao aos judeus que ocultaram o testemunho de que haveria de chegar um 
profeta, com a mesma mensagem de Abraao, ou seja, a do Islao. Vide 111 86. 

(2) Quiblah: a dire^ao para a qual os moslimes se voltam na prece, ou seja, em 
diregao a Ka*T)ah, em Makkah. Nas primicias do Islao, os moslimes, em prece, se 
voltavam em dire9ao a Jerusalem; depois foram ordenados a voltar-se para a 
Ka*^bah em Makkah. Esta mudan^a desagradou a muitos judeus, que viram nisto, um 
meio de desprestigiar o judaismo, que, ate entao, ditava para todos a dire^ao na prece. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 38 r t^r 



T dyU\ djj^ 



143. E, assim, fizemos de vos^^^ 
uma comunidade mediana^^\ para 
que sejais testemunhas dos homens 
e para que o Mensageiro seja teste- 
munha de vos. E nao fizemos a dire- 
9ao, para a qual tu, Muhammad, 
estavas virado, senao para saber 
distinguir quern segue o Mensa- 
geiro de quern toma atras, virando 
OS calcanhares. E, por certo, essa 
mudan^a e penosa, exceto para 
aqueles a quern Allah guia. E nao e 
admissivel que Allah vos fa9a 
perder as recompensas da Fe^'^l Por 
certo, Allah, para com os homens, 
e Compassivo, Misericordiador. 

144. Com efeito, vemos o revirar 
de tua face para o ceu. Entao, Nos 
voltar-te-emos, em verdade, para 
uma dire9ao, que te agrade. Volta, 
pois, a face rumo a Mesquita 
Sagrada. E onde quer que estejais, 
voltai as faces para o seu rumo. E, 
por certo, aqueles, aos quais fora 
concedido o Livro^'^^ sabem que 
isso e a verdade de seu Senhor. E 
Allah nao esta desatento ao que 
fazem. 









(0 Vos: OS moslimes. 

(2) IVlediana e tradu^ao do vocabulo arabe wasat (o meio), e indica que a na^ao arabe 
deve estar isenta de extremismo, em todos os aspectos, uma vez que, segundo a 
maxima arabe, o que e melhor esta no meio, alias, essa ideia coincide com a 
maxima latina "in medio stat virtus". 

(3) Assim o versiculo redargui aos moslimes, que indagaram se, tambem, perderiam 
suas recompensas aqueles que, 2intes, nas preces, se dirigiam para Jerusalem. 

(4) O Livro: a Tora. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 39 t tji- 



T OjA^\ Sjj^ 



145. E, em verdade, se fizeres 
vir todos sinais aqueles aos quais 
fora concedido o Livro^'\ eles nao 
seguirao tua dire9ao nem tu 
seguiras sua dire9ao; e, entre eles, 
uns nao seguirao a dire9ao dos 
outros^^l E, em verdade, se 
seguisses suas paixoes, apos o que 
te chegou da ciencia, por certo, 
serias, nesse caso, dos injustos. 

146. Aqueles, aos quais conce- 
demos o Livro^^\ conhecem-no^"*^ 
como conhecem a seus filhos, e, por 
certo, um grupo deles oculta a 
verdade, enquanto sabe. 

147. A Verdade vem de teu 
Senhor. Entao, nao sejas, de modo 
algum, dos contestadores. 

148. E, para cada um ha um 
rumo, para onde Ele o faz voltar- 
se. Entao, emulai-vos, pelas boas 
a9oes. De onde quer que estejais, 
Allah vos fara vir, a todos. Por 
certo, Allah, sobre todas as cousas, 
e Onipotente. 

149. E, para onde quer que saias, 
volta a face rumo a Mesquita Sag- 








5_|i!$iii^V.j^i 



) ^^^ji/Ji^^ 0^ 






j^^ ^^^4^ J^ ^^^-^^^^ 



(0 O Livro: a Tora e Evangelho. 

(2) Nem os judeus seguirao a quiblah dos cristaos (0 Levante) nem estes a daqueles 
(Jerusalem). 

(^) O Livro: a Tora. 

(^) O pronome refere-se ao Profeta Muhammad. O versiculo alude ao que certo judeu, 
convertido ao IslSo, de nome Ibn Salam, haveria dito: "Reconheci-o, ao ve-lo, 
como reconhe9o meu filho, ate mais ainda". 



2. Suratu AI-Baqarah Parte 2 49 T tji-i 



T djjaJ\ djj*»» 



rada; e por certo, esta e a Verdade 
de teu Senhor. E Allah nao esta 
desatento ao que fazeis. 

150. E, para onde quer que 
saias, volta a face rumo a Mesquita 
Sagrada; e onde quer que estejais, 
voltai as faces para seu rumo, a fim 
de que nao haja, da parte das 
pessoas, argumenta9ao contra vos, 
exceto dos injustos entre elas. - 
Entao, nao os receeis, e receai-Me. 
- E isso, para que Eu complete 
Minha gra9a para convosco, e para 
vos guiardes, 

151. Assim, en viamo- vos um 
Mensageiro vindo de vos, que 
recita, para vos, Nossos versiculos 
e vos dignifica e vos ensina o 
Livro^'^ e a Sabedoria, e vos ensina 
o que nao sabieis. 

152. Entao, lembrai-vos de Mim, 
Eu Me lembrarei de vos. E agra- 
decei-Me e nao Me renegueis. 

153.6 vos que credes! Implorai 
ajuda, com a paciencia e a ora9ao. 
Por certo, Allah e com os perseve- 
rantes. 

154. E nao digais dos que sao 
mortos no caminho de Allah: "Eles 
estao mortos." Ao contrario, estao 
vivos, mas vos nao percebeis. 

155. E, em verdade, pomo-vos a 

(0 O Livro: o Alcorao. 









2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 



41 



r ^>i 



Y d^i djj-i* 



prova, com algo do medo e da 
fome e da escassez de riquezas e 
de pessoas e de frutos. E alvissara 
o Paraiso aos perseverantes, 

156. Aqueles que, quando uma 
desgra9a os alcan9a, dizem: "Por 
certo, somos de Allah e, por certo, 
a Ele retornaremos." 

157. Sobre esses sao as ben9aos 
e a misericordia de seu Senhor. E 
esses sao os guiados. 

158. Por certo, As-Safa e Al 
Marwah^^^ estao entre os lugares 
sagrados de Allah. Entao, quern 
quer que fa9a a peregrina9ao^^^ a 









' ^^ ."I ^ 



;^^',\ 






(1) As-Safa e Al Marwah: as duas colinas, localizadas nas proximidades do vale de 
Makkah, perto da Ka*^bah e do po^o Zam-Zam, as quais escalou Hagar, 
sucessivamente, sete vezes, em busca de agua para seu filho Ismael. Extenuada 
pela busca, retornou para junto do filho, ao lado do qual encontrou urn anjo, 
escavando a terra, de onde fez brotar um po^o, o pogo Zam-Zam, existente ate os 
dias de hoje. Este percurso de sete escaladas as colinas integrou-se ao ritual da 
peregrina^ao desde os tempos abraamicos. Ocorre que, anteriormente ao Islao, os 
arabes locupletaram a Ka*^bah e seus arredores de idolos, a tal ponto que, na colina 
de As-safa e Al Marwah, adoravam, respectivamente, os idolos: Issaf e Na ila. 
Com o advento do Islao e aniquilados os idolos, a peregrinagao passou a constituir 
um dos pilares do Islamismo, juntamente com as-salah, az-zakah, o jejum e a 
profissao de fe. Com receio de serem confundidos com os pagaos, os primeiros 
moslimes abstiveram-se percorrer as duas colinas e, por essa razao, foi revelado 
esse versiculo para esclarece-los sobre isso, tranquil iza-los e convida-los a 
continuar observando este ritual. 

(2) A peregrina^ao Al Hajj, consiste na viagem a Makkah, para visita a Ka*^bah e ao 
Monte *^Arafat, onde se deve permanecer, algum tempo. Esta pratica e 
recomendada a todos os moslimes, ao menos por uma vez na vida, no 12.° mes do 
ano lunar, desde que o crente esteja em condi^oes fisicas e economicas favoraveis. 
Alem do culto religioso, e congra^amento universal, pois reune moslimes de todas 
as partes do mundo. Os peregrinos devem trajar-se uniformemente, com, apenas, 
dois panos brancos e sem costuras, adaptados ao corpo; as mulheres devem trajar- 
se com roupas longas, e, conjuntamente, todos dao gragas ao Senhor e Lhe entoam 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 42 Y s.j^\ 



t OjAJ* OjJ--» 



Casa, ou fa9a ArUmrah^^^ nao 
havera culpa sobre ele, ao fazer 
vai-vem entre ambos. E quern faz, 
voluntariamente, uma boa afao, 
por certo, Allah e Agradecido, 
Onisciente. 

159. Por certo, os que ocultam o 
que fizemos descer das evidencias 
e da orienta9ao, depois de o haver- 
mos tornado evidente, para os ho- 
mens, no Livro^^\ a esses Allah os 
amaldi9oara, e tambem os amaldi- 
9oarao os amaldi9oadores, 

160-Exceto OS que se voltam 
arrependidos e se emendam e evid- 
enciam a verdade; entao, para 
esses, voltar-Me-ei, remindo-os. E 
Eu sou O Remissorio, O Misericor- 
diador. 

161. Por certo, os que renegam a 
Fe e morrem, enquanto renegadores 
da Fe, sobre esses sera a maldi9ao 
de Allah e dos anjos e de toda a 
humanidade. 

162.Nela, serao eternos. Nao se 
Ihes aliviara o castigo nem se Ihes 
concedera dila9ao. 












louvores, longe das coisas mundanas, das vaidades e paixoes, e, mormente, das 
diferen9as existentes entre os homens: o rei se prostra ao lado do plebeu, o pobre , 
do rico, negro do branco, em pe de igualdade, irmanados em uma unica fe. 

(0 Al^^umrah: forma derivada do verbo'i*^amara, visitar: conjunto de ritos islamicos, 
que consistem na visita de Ka^^bah e no percurso entre as duas colinas de As-Safa e 
Al Marwah, feita em qualquer epoca do ano. 

(2) Ou seja, na Tora. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 43 r ^ji-i 



X djiJ\ djj^ 



163. E vosso Deus e Deus Unico. 
Nao existe deus senao Ele, O Mis- 
ericordioso, O Misericordiador^'\ 

164. Por certo, na cria^ao dos 
ceus e da terra, e na alternancia da 
noite e do dia, e no barco que corre, 
no mar, com o que beneficia a 
humanidade; e na agua que Allah 
faz descer do ceu, com a qual, 
vivifica a terra, depois de morta, e 
nela espalha todo tipo de ser 
animal, e na mudan9a dos ventos e 
das nuvens, submetidos entre o ceu 
e a terra, em verdade, nisso tudo, 
ha sinais para um povo que razoa. 

165. E, dentre os homens, ha 
quem, em vez de Allah, tome 
semelhantes^^^ em adora^ao, 
amando-os como se ama a Allah. E 
OS que creem sao mais veementes 
no amor de Allah. E, se os injustos 
soubessem, quando virem o castigo, 
que toda a for9a e de Allah, e que 
Allah e Veemente no castigo, nao 
haveriam adorado os idolos, 

166. Quando os que foram seg- 
uidos, ao verem o castigo, rompe- 
rem com os que os seguiram e os 
la90s entre eles se cortarem! 

167. E OS seguidores dirao: "Se 
tivessemos retorno a vida, romper- 















(0 Esse versiculo foi revelado por ocasiSo do desafio, feito pelos descrentes a 

Muhammad, para que este Ihes revelasse quem era seu Senhor. 
(2) Semelhantes: (dolos ou proceres (entre os homens). 



2. Saratu Al-Baqarah Parte 2 44 r t^Jr- 



Y djAyJi djj-- 



iamos com eles, como eles rom- 
peram conosco." Assim, Allah os 
fara ver que suas obras sao afli9oes 
para eles. E jamais sairao do Fogo. 

168. humanos! Comei, do que 
ha na terra, sendo Hcito e benigno; 
e nao sigais os passos de Sata. Por 
certo, ele vos e inimigo declarado. 

169. Ele nao vos ordena senao o 
mal e a obscenidade, e que digais 
acerca de Allah o que nao sabeis. 

170. E, quando se Ihes^^^ diz: 
"Segui o que Allah fez descer", 
dizem: "Nao, mas seguimos aquilo^^^ 
em que encontramos nossos pais." 
E ainda que seus pais nada 
razoassem nem se guiassem? 

171. E o exemplo do admoest- 
ador para os que renegam a Fe e 
como daquele que grita para o 
animal, que nao ouve senao con- 
vocar e chamar. Sao surdos, mudos, 
cegos, entao nao razoam. 

172.6 vos que credes! Comei 
das cousas benignas que vos damos 
por sustento, e agradecei a Allah, 
se so a Ele adorais. 

173. Ele vos proibiu, apenas, a 



carne do animal morto' 



3) 



e o 






^^^-Mr^ 






^JJJijS J^'C^^^^ 



WO' 






(0 Lhes: aos idolatras. 

(2) Aquilo: o culto religiose dos antepassados. 

(3) Esta proibi9ao, promulgada ha quatorze seculos, ja antecipava recentes 
descobertas da Medicina, que, agora, proibe a ingestao de carne de animais mortos 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 45 r tji-< 



T iyaJ\ 5jj-- 



sangue, e a came de porco, e o que e 
imolado com a invoca9ao de outro 
nome que Allah. E quem e impelido 
a alimentar-se disso, nao sendo 
transgressor nem agresso/'\ nao 
havera pecado sobre ele. Por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

174. Por certo, os que ocultam 
algo do Livro^^\ que Allah fez 
descer, e o vendem por infimo pre90, 
esses nao devorarao para dentro de 
seus ventres^^\ senao o Fogo, e 
Allah nao Ihes falara, no Dia da 
Ressurrei9ao, nem os dignificara; e 
terao doloroso castigo. 

175. Esses sao os que compraram 
o descaminho pelo pre^o da 
orienta9ao, e o castigo pelo perdao. 
E quanta paciencia terao eles para 
suportar o Fogo! 

176. Isso, porque Allah fez 
descer o Livro^'*^ com a Verdade. 






YoiW^\ 






naturalmente, e nao adrede mortos para servir de alimento. E, pelo fato de a morte 
poder ser causada por doen9a ou envenenamento, deve-se evitar ingerir esta carne, 
para nao haver perigo de contamina9ao ou morte. Quanto a ingestao de carne de 
porco, fica terminantemente proibida, ao que parece, pelas identicas razoes 
apontadas hoje, na Medicina, entre as quais, a transmissao da Tenia Solium e da 
Triquina, grandemente nocivas a saude humana. 

(0 Por transgressor, entenda-se que transgride suas necessidades naturais de 
alimenta9ao, comendo a mais; por agressor que arrebata a por^ao encontrada 
por outro, em situa^oes especificas (quando no deserto, por exempio). 

(2) Do livro: da Tora, 

(^) Metonimia de notavel valor expressivo, para ilustrar terrivel castigo destinado 
aqueles que perpetraram este enorme pecado. 

(4) O Livro, aqui mencionado, tem o sentido generico, isto e, refere-se a todos os 
Livros divinos. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 1 45 I Y t ji-i 



Y dyJl djj-*» 



E, por certo, os que discrepam do 
Livro estao em profunda discordia. 

177. A bondade nao esta em 
voltardes as faces para o Levante e 
para o Poente; mas a bondade e a de 
quem ere em Allah, e no Derradeiro 
Dia, e nos anjos, e no Livro, e nos 
profetas; e a de quem concede a 
riqueza, embora a ela apegado, 
aos parentes, e aos orfaos, e aos 
necessitados, e ao filho do caminho^^\ 
e aos mendigos, e aos escravos^^^; e 
a de quem cumpre a ora9ao e 
concede az-zakah^^; e a dos que 
sao fieis a seu pacto, quando o 
pactuam; e a dos que sao 
perseverantes na adversidade e no 
infortunio e em tempo de guerra. 
Esses sao os que sao veridicos e 
esses sao os piedosos. 

178.6 vos que credes! E-vos 
prescrito o taliao para o homicidio: 
o livre pelo livre e o escravo pelo 
escravo e a mulher pela mulher; e 
aquele, a quem se isenta de algo^"*^ 



^ t^3li^(^ 



^ ^ -^ -^ \« ' 






(0 Filho do Caminho: e tradu^ao direta da expressao metaforica ibn as-sabTl, ou 

seja, aquele que, em viagem, despojado de recursos e sem condi^oes de recorrer a 
seus outros bens, fica a merce desta contingencia, a meio caminho de seu destine. 
Integram esta categoria os estudantes bolsistas, os intrepidos pioneiros, os 
missionaries, os pregadores, etc. 

(2) Trata-se de uma categoria de escravos, mukdtab: os que fazem acordo com seu 
senhor, para obten^ao de aiforria, mediante soma determinada. Alem disso, o 
Alcorao conclama os crentes a n^o apenas ajudarem o escravo na obten^ao da 
aiforria, mas a se empenharem no resgate dos prisioneiros de guerra. 

(3) Cf. II 43 n 4. 

(4) Ou seja, substituir o taliao pelo ressarcimento. 



2. SOratu Al-Baqarah Parte 2 47 r tji-< 



T 6jiJ\ 6jj^ 



do sangue de seu irmao, devera 
seguir, convenientemente, o acordo 
e ressarci-lo, com benevolencia. 
Isso e alivio e misericordia de vosso 
Senhor. E quern comete agressao, 
depois disso, tera doloroso castigo. 

179.E, no taliao, ha vida para 
v6s^^\ 6 dotados de discemimento, 
para serdes piedosos. 

180. E-vos prescrito, quando a 
morte se apresentar a um de vos, - 
se deixar bens, - fazer testa- 
mento^^^ aos pais e aos parentes, 
convenientemente^^\ E dever que 
impende aos piedosos. 

181. E quern o altera, apos ouvi- 
lo, apenas, havera pecado sobre os 
que o alteram. Por certo, Allah e 
Oniouvinte, Onisciente. 

182. E quem teme, por parte do 
testador, parcialidade ou pecado, e 
faz reconcilia9ao entre eles^'^^ 
sobre ele nao havera pecado. Por 



&' 



y^ e5J;-»<J b Pyjs t-i^ ^^^\ j^ 



% 









(U Do impulse para crime, nasce receio da puni9ao, aplicada pela retalia9ao. Do 
receio, surge a salva9ao da vitima e do criminoso. Dai, da inten9ao da morte, surge 
a vida. E toda a sociedade se beneficia com este sabio preceito, sucinta e 
maravilhosamente construida neste versiculo. 

(2) O Testamento, conforme as leis islamicas, jamais, podera ligar a outrem, que nao 
OS herdeiros, mais que um ter9o dos bens da pessoa a fim de nao prejudicar os 
legitimos herdeiros. 

(3) Este versiculo foi ab-rogado pelos versiculos que posteriormente, passaram a tratar 
das questOes da heran9a, e pelo que disse Profeta: "Nao ha testamento para 
herdeiro legitimo". 

(4) Eles: OS herdeiros. O versiculo alude aos que promovem a justa distribui9ao de 
bens entre os legitimos herdeiros. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 1 48 I r ^j^ 



T SjaJi ojj-^ 



certo, Allah e Perdoador, Miseri- 
cordiador. 

183.6 v6s que credes! E-vos 
prescrito o jejum^*\ como foi 
prescrito aos que foram antes de 
v6s, para serdes piedosos, 

184. Durante dias contados. E 
quern de v6s estiver enfermo ou 
em viagem, que jejue o mesmo 
numero de outros dias. E impende 
aos que podem faze-lo, mas com 
muita dificuldade^^\ um resgate: 
alimentar um necessitado. E quem 
mais o faz, voluntariamente, visando 
ao bem, ser-lhe-a melhor. E jejuar- 
des^"^^ vos e melhor. Se soubesseis! 

185. Ramadan e o mes em que 
foi revelado o Alcorao, como 
orienta9ao para a humanidade e 
como evidencias da orienta9ao e 









^^^ O jejum foi pratica religiosa conhecida de todas as civiliza96es antigas e 
considerado mais como forma de contri^ao e expia9ao, alem de culto espiritual 
para a purifica9ao da alma. Do angulo islamico, jejum e a absten9ao total dos 
alimentos e da uniao sexual, durante o periodo que vai da alvorada ao por do sol, 
e, todos OS moslimes devem jejuar trinta dias por ano, em data especifica, ou seja, 
no Ramada, nono mes do calendario lunar, em que foi iniciada a revela9ao do 
Alcorao, e tambem chamado de "mes da misericordia, da benevolencia e do 
jejum". O jejum, para ser perfeito, requer absten9ao, inclusive, de maledicencia, de 
palavras tolas, de mentira e odio. 

(2) Entenda-se, por dificuldade, aquela provocada pela'velhice ou por enfermidade 
incuravel. Neste caso, a desobriga9ao do jejum se faz por meio da alimenta9ao de 
um necessitado por dia. em todo Ramada, ou de um mesmo necessitado, por trinta 
dias. 

(^) Referencia ao beneficio do jejum. A medicina moderna aquiesce, plenamente, 
nisto, pois descobriu, entre outros beneficios, que o jejum cura diabetes, o 
artritismo, age contra males cardiacos e digestivos, alem de promover salutar 
desintoxica9ao organica e preven9ao de varias outras enfermidades. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 49 r ^ji- 



y 6jAJ\ 5jj-»» 



do criterio de julgar^^^ Entao, quern 
de vos presenciar esse mes, que 
nele jejue; e quern estiver enfermo 
ou em viagem, que jejue o mesmo 
niimero de outros dias. Allah vos 
deseja a facilidade, e nao vos 
deseja a dificuldade. E fe-lo para 
que inteireis o niimero prescrito, e 
para que magnifiqueis a Allah, 
porque vos guiou, e para serdes 
agradecidos. 

186. E, quando Meus servos te 
perguntarem, por Mim, por certo, 
estou proximo, atendo a siiplica do 
suplicante, quando Me suplica. 
Que eles Me atendam, entao, e 
creiam em Mim, na esperan9a de 
serem assisados. 

187. E-vos licita, na noite do 
jejum, a uniao carnal com vossas 
mulheres. Elas sao para vos 
vestimentas, e vos sois para elas 
vestimentas. Allah sabia que vos 
traieis^ ^ a vos mesmos a esse 
respeito, e Ele voltou-Se para vos 
e indultou-vos. Entao, agora, 
juntai-vos a elas e buscai o que 
Allah vos prescreveu. E comei e 
bebei, ate que se tome evidente. 












(OCf. II53n2. 

(2) Anteriormente a revela^ao deste versiculo, houve alguns companheiros do Profeta, 
inclusive, Omar, que acreditavam haver cometido trai^ao, por haverem dormido 
com suas mulheres, a noite, durante mes do Ramada. Dai presente versiculo, 
que veio para esclarecer que a copula noturna, durante o periodo do Ramada, nao 
constitui, de forma alguma, pecado. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 59 T ^ji-i 



y OjAJI Ojj-u 



para vos, o fio branco do fio negro 
da aurora. Em seguida, completai o 
jejum ate o anoitecer. E nao vos 
junteis a elas, enquanto estiverdes 
em retiro nas mesquitas. Esses sao 
OS limites de Allah: entao, nao vos 
aproximeis deles. Assim, Allah 
toma evidentes Seus sinais, para os 
homens, a fim de serem piedosos. 

188, E nao devoreis, ilicitamente, 
vossas riquezas, entre vos, e nao as 
entregueis, em subomo, aos juizes, 
para devorardes, pecaminosamente, 
parte das riquezas das pessoas, 
enquanto sabeis. 

189,Perguntam-te pelas luas 
crescentes. Dize: "Sao marcas do 
tempo para a humanidade e tambem 
para a peregrina9ao." E a bondade 
nao esta em chegardes a vossas 
casas pelos fundos^^^; mas, a 
bondade e a de quem e piedoso. E 
chegai a vossas casas por suas 
portas. E temei a Allah, na esperan9a 
de serdes bem-aventurados. 

190. E combatei, no caminho de 






jJ^^oM 






Sr»^^fj^^\^J 



(1) Referenda ao costume pre-islamico, observado pelos arabes, de entrar nas casas, 
no regresso da peregrina9ao, nao pela porta principal, mas por um orificio feito 
nos fundos da casa, ou pela parte superior desta, por meio de utilizagao da escada. 
Acreditavam os arabes tratar-se de ato virtuoso, pois, se regressavam puros da 
peregrina9ao, constituiria pecado ultrapassar a porta usual, que deixaram quando 
em estado impuro ainda. O AlcorSo negou a virtuosidade de tal procedimento e 
ordenou aos peregrinos que, de regresso a seus lares, se utilizassem da porta 
principal. E acrescentou que a virtude real esta em praticar bem e nao em 
instituir tolas proibi9oes como esta. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 51 y ^ji-i 



T ^yiS\ djj-- 



Allah^^\ OS que vos combatem, e 
nao cometais agressao. Por certo, 
Allah nao ama os agressores. 

191. E matai-os, onde quer que 
OS acheis, e fazei-os sair de onde 
quer que vos fa9am sair. E a 
sedi9ao pela idolatria e pior que o 
morticinio. E nao os combatais nas 
imedia96es da Mesquita Sagrada, 
ate que eles vos combatam nela. 
Entao, se eles vos combaterem, 
matai-os. Assim e a recompensa 
dos renegadores da Fe. 

192.E, se eles se abstiverem, por 
certo, Allah e Perdoador, Miseri- 
cordiador. 

193. E combatei-os, ate que nao 
mais haja sedi9ao pela idolatria e 

que a religiao seja de Allah. Entao, 
se se abstiverem, nada de agressao, 
exceto contra os injustos. 

194.0 Mes Sagrado pelo Mes 
Sagrado^^\ e, para as cousas 
sagradas, o taliao. Entao, a quem 












(0 A expressao combater no caminho de Allah quer dizer lutar pela religiao de 
Deus, para salvar descrente do julgo da descren9a. Deste versiculo ate o 195 
trata-se da permissSo do combate, segundo o Islao, nao so para defende-lo, mas 
para extinguir a idolatria. 

(2) Ha, na tradi9ao arabe, quatro meses sagrados. Tres consecutivos: Zul-Qa^dah, 
Zul-Hajjah e Al Muharram, respectivamente os meses 11.°, 12.° e 1.° do ano 
lunar. E um mes a parte, Rajab, 7.° mes. Durante toda a epoca pre-islamica, 
houve o habito de cessar quaiquer combate que fosse nessas datas, e tal habito foi 
respeitado pelo Islao, ate que os idolatras violaram esses meses sagrados, em 
combate aos moslimes, que precisaram revidar. Este versiculo endossa o combate 
em defesa, mesmo que ocorra nesses meses citados. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 52 T t>j^\ 



T OjAjJi djj-*» 



vos agredir, agredi-o de igual 
modo, como ele vos agrediu. E 
temei a Allah e sabei que Allah e 
com OS piedosos. 

195. E despendei no caminho de 
Allah, e nao lanceis vossas maos a 
ruina^^\ E bem-fazei. Por certo, 
Allah ama os benfeitores. 

196. E completai a peregrina9ao^^^ 
e arumrah^^\ por Allah. E, se 
fordes impedidos de faze-lo, 
impender-vos-a o que vos for 
acessivel das oferendas. E nao 
rapeis vossas cabe9as, ate que as 
oferendas atinjam seu local de 
imola^ao^"*' . E quern de vos estiver 
enfermo ou com molestia no couro 
cabeludo, que o obrigue a rapar a 
cabe^a, impender-lhe-a um resgate: 
jejum ou esmola ou sacrificio ritual. 
E, quando estiverdes em seguranfa, 
aquele de vos que cumprir af umrah 
e usufruir^^^ o que Ihe e permitido, 
ate a peregrinafao, impender-lhe- 
a o que Ihe for acessivel das 



v^v^^^^^ill:^^!^^ 






(0 Estender as mSos ^ ruina: proceder, avarafnente na defesa da religiao, subtraindo 

o auxilio aos combatentes, o que favorece a a^ao arruinadora do inimigo. 
(2)Cf. IIP.41 n2. 
(3)Cf. IIP.42nl. 

(4) Trata-se de local especifico, perto de Makkah, para imola^ao das reses (carneiro, 
vaca, camelo), destinadas a oferenda. 

(5) Ao peregrino, cabe o cumprimento s6 de al-hajj, ou de al^umrah e al-hajj 
simultaneamente. Neste caso, ou os cumpre conjuntamente ou os desvincula, com 
intervalo de poucos dias, durante os quais pode retornar a vida normal, usufruindo 
do que Ihe e permitido: vestir-se normalmente, pentear-se, barbear-se. 



2. Saratu Al-Baqarah Parte 2 



53 Y *>' 



T 0^1 6jj^ 



oferendas. E quern o nao encontrar, 
que jejue tres dias, durante a pereg- 
rina9ao, e sete, quando retornardes. 
Serao dez dias inteiros. Isso, para 
aquele cuja familia nao resida nas 
proximidades da Mesquita Sagrada. 
E temei a Allah e sabei que Allah e 
Veemente na puni9ao. 

197. A peregrina^ao se faz em 
meses determinados. E quern neles 
se propoe a peregrina9ao, entao, nao 
havera uniao carnal nem 
perversidade nem contenda, na 
peregrina^ao. E o que quer que 
fa^ais de bom, Allah o sabe. E 
abastecei-vos; e, por certo, o melhor 
abastecimento e a piedade. E temei- 
Me, 6 dotados de discemimento! 

198. Nao ha culpa sobre vos, ao 
buscardes favo/^^ de vosso Senhor 
em vossos negocios. E, quando 
prosseguirdes do monte 'Arafat/^^ 
lembrai-vos de Allah junto do 
Simbolo Sagrado^"^^ E lembrai-vos 









(0 Em tempos pre- islamicos, nas epocas proximas da peregrinagao, os arabes 
mantinham o comercio, normalmente, para, apenas, cessarem de faze-lo, com a 
chegada dos peregrinos, crendo-o pecado. Este versiculo foi revelado para 
esclarecer que a pratica do comercio, nessa epoca, e aprovada pelo Islao e nao 
constitui pecado algum. 

(2) *^Arafat: nome da montanha e da planicie situadas a leste de Makkah, onde os 
peregrinos moslimes devem permanecer por algum tempo, no 9.° dia do 12.° mes 
do ano lunar, ou seja, o Zul-Hajjah. A permanencia ai e parte integrante e basica 
da peregrinagao, sem a qual ela fica incompleta. 

(^) O Simbolo Sagrado: al Muzdalifah, lugar, entre *^Arafat e Mina, onde esteve o 
Profeta Muhammad, em longa oragao. Tornou-se, por isso, simbolo sagrado e 
convite aos peregrinos para que nele orem, quando de regresso do Monte ^Arafat. 



2. SQratu Al-Baqarah Parte 2 54 X ^^\ 



T ljki\ «jj^ 



bem dEle, como Ele bem vos 
guiou; e, por certo, ereis, antes 
disso, dos descaminhados. 

199. Em seguida, prossegui^*\ 
de onde prosseguem os outros 
homens; e implorai perdao de 
Allah. Por certo, Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

200. E, quando houverdes encer- 
rado vossos ritos^^\ entao, lembrai- 
vos de Allah, assim como vos 
lembraveis de vossos pais^'^\ ou 
mais veementemente, em lembran9a. 
E, dentre os homens, ha quem 
diga: "Senhor nosso! Concede-nos 
nosso quinhao na vida terrena." E 
nao terao, na Derradeira Vida, 
quinhao algum. 

201. E, dentre eles, ha quem 
diga: "Senhor nosso! Concede-nos, 






^lji\^ljjoj j^aJ o^>4^-5 



(0 Exorta^ao feita aos Quraich, tribo de escol da Peninsula Arabica, a qual pertencia 
a familia do Profeta Muhammad, e cuja maioria, posteriormente, tornou-se hostil 
ao Profeta, em virtude da ferrenha oposiQao feita por este ao paganismo vigente. 
Apos inumeraveis contendas, conhecidas pela historia islamica, os Quraich se 
tornaram moslimes defmitivamente. Entretanto, consideravam-se, ainda, 
pertencentes ao escol e, por essa razao, em epocas de peregrinaQao, nao se 
misturavam ao conjunto dos crentes, permanecendo distantes deles. Este versiculo 
OS exorta a que sigam os demais crentes, sem discrimina9ao alguma. 

(2) Os ritos da peregrina(?ao, tais como: a Imola9ao da Oferenda, o Circundamento 
da Kabbah e o Lan^amento das Pedras contra o Sata, no local chamado Marma 
al Jamarat. 

(3) Em tempos que antecederam o Islao, houve o habito de os peregrinos arabes, apos 
o cumprimento dos rituals de peregrina^ao, reunirem-se nas proximidades da 
Ka*^bah, onde formavam as famosas feiras literarias (^Ukaz, Majannah e Zul- 
Majaz), palco do estro retorico e da facundia inigualavel desse povo. Delas se 
ocupavam em grande parte para celebrar os feitos de seus fami Hares e 
antepassados, em viva demonstra^ao de ufania. Este versiculo os convida a 
celebrarem a Deus tanto como aos seus, ou mais ainda. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 1 55 I t t.j^\ 



t OjiJt djj««i 



na vida terrena, beneficio, e, na 
Derradeira Vida, beneficio; e 
guarda-nos do castigo do Fogo." 

202. Esses terao por9ao do que 
lograram. E Allah e Destro no 
ajuste de contas. 

203. E invocai a Allah em dias 
contados^'\ E, quern se apressa, e o 
faz em dois dias, nao havera 
pecado sobre ele. E quem se atrasa, 
nao havera pecado sobre ele. Isso, 
para quem e piedoso. E temei a 
Allah e sabei que a Ele sereis 
reunidos. 

204. E, dentre os homens, ha 
aquele cujo dito, acerca da vida 
terrena, te admira, Muhammad, e 
que toma a Allah por testemunha do 
que ha em seu cora9ao, enquanto e 
o mais veemente inimigo. 

205. E, quando volta as costas, 
esfor9a-se, na terra, em semear 
nela corrup9ao e em aniquilar os 
campos lavrados e os rebanhos. E 
Allah nao ama a corrup9ao. 

206. E, quando se Ihe diz: 
"Temei a Allah", a soberba o induz 
ao pecado. Entao, basta-lhe a 
Geena^^\ E que execravel leito! 



<f\t •. - ^. 













S ^^-^^ ^J^j 



(1) Os dias contados: ayyam at-tachrlq: os tres dias depois do 10." do mes Zul-Hajjah, 
quando os peregrines permanecem no Vale de Mina, para ora^oes e louvores, e 
recitam At-Takblr, prece especifica, freqiientemente recitada nesses dias. 

(2) Geena: Jahannam. em 4rabe, nome dado ao Inferno, que Deus destina aos id6latras. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 1 55 I y ^ji-i 



T djiJt ojj^ 



207. E, dentre os homens, ha 
quern se sacrifique em busca do 
agrado de Allah. E Allah e 
compassivo para com os servos. 

208. 6 vos que credes! Entrai na 
Paz^*\ todos vos, e nao sigais os 
passos de Sata. Por certo, ele vos e 
inimigo declarado. 

209. E, se trope9ardes, apos vos 
haverem chegado as evidencias, 
sabei que Allah e Todo-Poderoso, 
Sabio. 

2 10. Nao esperam^^^ eles senao 
que Allah chegue a eles, em dosseis 
de nuvens, e, tambem, os anjos, e 
que a determina9ao seja encerrada? 
E a Allah sao retornadas as 
determina9oes. 

211.Pergunta, Muhammad, aos 

filhos de Israel, quantos sinais 
evidentes Ihes concedemos! E 
quem troca^"^^ a gra9a de Allah, 
apos haver-lhe chegado, por certo, 
Allah e Veemente na puni9ao. 

212. A vida terrena aformoseou- 
se, para os que renegam a Fe, e 
eles escarnecem dos que creem. E 
OS que sao piedosos estarao acima 
deles, no Dia da Ressurrei9ao. E 









(0 Ou seja, "...entrai no IslSo, a religiao da Paz". 

(2) Os idoiatras. O versiculo indaga deles ate quando proteiarao seu ingresso no 
caminho reto. Esperam faze-io, somente, quando virem chegar Deus e os anjos, 
nas sombras das nuvens? Mas nao sabem que tudo, entao, estara consumado? 

(^) Ou seja, que troca a gra9a pela ingratidao. 



2. Soratu Al-Baqarah Parte 2 57 r ^ji-\ 



y djLS\ djj-*» 



Allah da sustento, sem conta, a 
quern quer. 

213. A humanidade era uma so 
comunidade^ ^\ Entao, Allah 
enviou os profetas, por 
alvissareiros e admoestadores. E, 
por eles, fez descer o Livro^^\ com 
a Verdade, para julgar, entre os 
homens, no de que discrepavam. E 
nao discreparam dele senao 
aqueles aos quais fora concedido o 
Livro^^^, apos Ihes haverem 
chegado as evidencias, movidos 
por rivalidade entre eles. Entao, 
Allah guiou, com Sua permissao, 
OS que creram para aquilo de que 
discrepavam da Verdade. E Allah 
guia a quem quer a senda reta. 

214. Ou supondes entrareis no 
Paraiso, enquanto ainda nao 
chegaram a vos prova^oes iguais 
as dos que foram antes de vos? A 
adversidade e o infortunio tocaram- 
nos e foram estremecidos a tal ponto 
que o profeta e os que creram com 
ele disseram: "Quando chegara o 
socorro de Allah?" Ora, por certo, 
o socorro de Allah esta proximo. 

215.Perguntam-te pelo que 
devem despender. Dize: "O que 
quer que despendais de bom e para 
OS pais e os parentes e os orfaos e os 

(0 Mas, depois, divergem. Vide X 19. 
(2) O Livro: todos os Livros revelados. 
0) O Livro: aTora. 



^ll^=5^>lSc>* 



\\9 ,^ > ^ 



%k:^\\J^'S3;j\')l^:,\ 










2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 1 5§ I y ^j^ 



T SjaJi Sjj*»» 



necessitados e o filho do caminho^^^ 
E o que quer que fa^ais de bom, por 
certo, Allah e, disso, Onisciente. 

216. E-vos prescrito o combate, 
e ele vos e odioso. E, qui^a, odieis 
algo que vos seja melhor. E, qui9a, 
ameis algo que vos seja pior. E 
Allah sabe, e vos nao sabeis. 

217. Perguntam-te pelo combate, 
no mes sagrado. Dize: ''Combater 
nele e grande pecado. E pecado 
maior, perante Allah, e afastar os 
homens do caminho de Allah e 
renega-10, e afasta-los da Mesquita 
Sagrada^^\ e fazer sair dela seus 
habitantes." E a sedi9ao pela 
idolatria e pecado maior que o 
morticinio. E eles^^^ nao cessarao 
de combater-vos, ate que vos fa9am 
apostatar de vossa religiao, se eles 
o puderem. E quern de vos apostata 
de sua religiao e morre enquanto 
renegador da Fe, esses terao 
anuladas suas obras, na vida terrena 
e na Derradeira Vida. E esses sao 
OS companheiros do Fogo. Nele, 
serao etemos. 

218. Por certo, os que creram e 
OS que emigraram^"*^ e lutaram no 



^JLA^.^/4itj^^^ 






°\^\1UM^\''^<jM\ 



(')Cf. n 177 nl. 

(2) Mesquita Sagrada: aqui abrange a cidade de Makkah. 

(3) Eles: os idolatras. 

(4) De Makkah para Al Madmah. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 59 T ^j^ 



Y 5jiJ) 5jj-^ 



caminho de Allah, esses esperam 
pela misericordia de Allah. E Allah 
e Perdoador, Misericordiador. 

219.Perguntam-te pelo vinho^^^ 
e pelo jogo de azar. Dize: "Ha em 
ambos grande pecado e beneficio 
para os homens^^\ e seu pecado e 
maior que seu beneficio." E 
perguntam-te o que devem 
despender. Dize: "O sobejo." 
Assim, Allah toma evidentes, para 
vos, OS sinais, para refletirdes 

220. Acerca da vida terrena e da 
Derradeira Vida. E perguntam-te 
pelos orfaos. Dize: "Emendar-lhes 
as condi^oes de vida e o melhor. 
E, se vos misturais a eles, sao vossos 
irmaos." E Allah sabe distinguir o 
corruptor do emendador. E, se Allah 
quisesse, embara9ar-vos-ia. For 
certo, Allah e Todo-Poderoso, Sabio. 

221. E nao esposeis as idolatras, 
ate se tomarem crentes. E, em 
verdade, uma escrava crente e 
melhor que uma idolatra, ainda que 
a admireis. E nao fafais esposar 
vossas filhas com os idolatras, ate 
se tomarem crentes. E, em verdade. 






a, Af . -1 ,' 












( 1 ) Por vinho entenda-se toda bebida inebriante. 

(2) Este versiculo refere-se a primeira fase da proibi^ao do vinho, imposta, 
paulatinamente, a todos os moslimes em geral, e de toda Peninsula Arabe, em 
particular, onde seu uso era arraigado e generalizado. O Islao percebeu que uma 
proibi^ao categorica e inicial nao poderia lograr bons resultados. Por isso, agiu 
gradualmente, na enuncia^ao destas prescri^oes. Na sura IV 43, ocorre a segunda 
delas; na V 90, a terceira e ultima, com a proibi^ao categorica do vinho. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 



60 



T ^jk\ 



T OjiJl Ojj-- 



um escravo crente e melhor que 
um idolatra, ainda que o admireis. 
Estes^^^ convocam ao Fogo; 
enquanto Allah convoca, com Sua 
permissao, ao Paraiso e ao perdao. 
E Ele toma evidentes Seus sinais, 
para os homens, a fim de meditarem. 

222. E perguntam-te pelo mens- 
truo. Dize: "E molestia^^^". Entao, 
apartai-vos das mulheres, durante 
o menstruo, e nao vos unais a elas, 
ate se purificarem^^\ E, quando se 
houverem purificado, achegai-vos 
a elas, por onde Allah vos 
ordenou^'*^ Por certo, Allah ama os 
que se voltam para Ele, 
arrependidos, e ama os purificados. 

223. Vossas mulheres sao, para 
vos, campo lavrado. Entao, achegai- 
vos a vosso campo lavrado, como 
e quando quiserdes. E antecipai 
boas obras, para vos mesmos. E 
temei a Allah, e sabei que 
deparareis com Ele. E alvissara, 
Muhammad, aos crentes o Paraiso! 

224. E nao fa9ais do nome de 












o\^^^;l^;^\\ju^ 



(0 Estes: os idolatras. 

(2) Alem da indisposi9ao e do mal-estar que causa a mulher, ha o problema higienico. 
Cre-se que a a^ao do fluxo sanguineo, na vagina, durante o periodo menstrual, 
enseje ambiente favoravel a prolifera9ao de bacterias, causadoras de inflama^oes, 
que podem nao so danificar o aparelho genital feminino, mas tambem o 
masculino, em havendo copula, dai a prescri9ao que a proibe nesse periodo. 

(^) Ou seja, ate se mundificarem, apos o menstruo, com banho completo. 

(^) As questoes de sexo, no AlcorSo, sSo tratadas de maneira discreta e sucinta. Aqui, 
refere-se ao coito vaginal, a unica maneira que o Islao.permite, nas rela95es sexuais. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 ^j T ^ji-i 



T d^l djj^ 



Allah barreira a vossos juramentos 
de nao serdes bondosos e piedosos e 
reconciliadores, entre as pessoas^'l 
E Allah e Oniouvinte, Onisciente. 

225. Allah nao vos culpa pela 
frivolidade em vossos juramentos, 
mas vos culpa pelo que vossos 
cora^oes logram. E Allah e 
Perdoador, Clemente. 

226. Para os que juram abster-se 
de estar com suas mulheres, ha 
espera de quatro meses^^\ E, se 
retrocederem, por certo, Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

227. E, se decidirem pelo divor- 
cio, por certo, Allah e Oniouvinte, 
Onisciente. 

228. E que as divorciadas aguar- 
dem, elas mesmas, antes de novo 
casamento, tres periodos menst- 
ruais^"^\ e nao Ihes e licito ocultarem 
o que Allah criou em suas 
matrizes, se elas creem em Allah e 
no Derradeiro Dia. E, nesse interim, 
seus maridos tem prioridade em te- 



^^^\ J . '^^t ^---^ \z^^ 



^y^y<h^^^ 









(0 Se homem jurar, em nome de Deus, nao praticar uma boa a^ao, nao deve manter 
este juramento, ao contrario, deve empenhar-se na pratica constante do bem e 
expiar este juramento. 

(2) Anteriormente ao IslSo, era habitual, entre os arabes, a pratica do 'Tla' , ou seja, do 
juramento, feito pelo homem, quando divergia de sua mulher, de nao mais 
aproximar-se dela, por quatro meses ou mais. Sendo assim, a mulher ficava presa a 
uma situa9ao bem dificil e constrangedora: "suspensa", nem casada nem 
divorciada. Obviamente, o Islao, objurgando tal procedimento, recomenda, neste 
versiculo, que, apos quatro meses, nao desejando o marido voltar atras, consuma- 
se divorcio e seja liberada a mulher. 

(^) Isso, para elas se assegurarem da ausencia de gravidez. 



2. SQratu Al-Baqarah Parte 2 1 ^2 I ^ ^J^' 



t 5^1 5jj-^ 



las de volta, se desejam recon- 
cilia9ao. E elas tern direitos iguais 
as suas obriga9oes, conveniente- 
mente. E ha para os homens um 
degrau acima delas^^l E Allah e 
Todo-Poderoso, Sabio. 

229. divorcio e permitido por 

duas vezes^^l Entao, ou reter a 
mulher, convenientemente, ou 
liberta-la, com benevolencia. E nao 
vos^"^^ e licito retomardes nada do 
que Ihes haveis concedido, exceto 
quando ambos temem nao observar 
OS limites^"^^ de Allah. Entao, se vos^^^ 
temeis que ambos nao observem os 
limites de Allah, nao havera culpa 
sobre ambos, por aquilo com que 
ela^^^ se resgatar. Esses sao os limites 
de Allah: entao, nao os transg- 
ridais. E quem transgride os limites 
de Allah, esses sao os injustos. 









( ^ ) Compete ao homem, em caso de divorcio, voltar atras na decisao. Ele e quem deve 
deliberar sobre o assunto. Parece que o escalao, mencionado neste versiculo, 
refere-se a este privilegio, e deve, assim, ser entendido, estritamente, neste caso, 
nao genericamente, em todos os assuntos de vida (Vide Sayyed Qutb, Zilal-al- 
Qur an, volume II, pp. 246-247). 

(^) As leis islamicas estabelecem que o divorcio e revogavel ate duas vezes. O homem 
pode retornar a sua mulher, apos o primeiro divorcio, para continuarem a viver 
normalmente. Se a segunda tentativa de convivio malograr, podera o casal 
divorciar-se novamente, ainda com direito a mais uma tentativa de convivencia; 
mas, se persistirem as incompatibilidades, o Alcorao recomenda que se divorciem 
defmitiva e irrevogavelmente. Entretanto, se a mulher se casar com outro e dele 
divorciar-se, o Alcorao permite que torne a casar-se novamente, com o primeiro 
marido, de quem ja estiver divorciada (vide II 230). 

(3) Vos: a vos, maridos. 

(4) Ou seja, as proibi9oes impostas por Deus. 

(5) Ou seja: "...se vos, autoridades, temerdes...". 

(6) Ela: a mulher. 



2. SOratu Al-Baqarah Parte 2 53 Y tji- 



Y OjiJi djj-»» 



230. E, se ele se divorcia dela, 
pela terceira vez, ela Ihe nao sera 
licita, novamente, ate esposar outro 
marido. E, se este se divorcia dela, 
nao havera culpa, sobre ambos, ao 
retomarem um ao outro, se pensam 
observar os limites de Allah. E 
esses sao os limites de Allah, que 
Ele toma evidentes, para um povo 
que sabe. 

231. E, quando vos divorciardes 
das mulheres e elas atingirem seu 
prazo de espera^^\ retende-as, 
convenientemente, ou libertai-as, 
convenientemente. Mas nao as 
retenhais, prejudicando-as^ \ para 
infligir-lhes agressoes. E quem o 
faz, com efeito, e injusto com si 
mesmo. E nao tomeis os versiculos 
de Allah por objeto de zombaria. E 
lembrai-vos da gra9a de Allah para 
convosco e daquilo que Ele fez 
descer sobre vos: o Livro^^^ e a 
Sabedoria, com que Ele vos exorta. 
E temei a Allah e sabei que Allah, 
de todas as cousas, e Onisciente. 

232. E, quando vos divorciardes 
das mulheres, e elas atingirem seu 



^ ^^^ X- ■ST y^ " 

'k. 






'^t^rji^i^;^\'i[j 



(0 Ou seja: O fim do prazo de espera, imposto a mulher, para poder casar-se 
novamente, e que varia conforme seu estado. Exemplo: para a mulher divorciada, 
o prazo e de tres menstruos ou tres meses, conforme caso; para a mulher viuva, 
e de quatro meses e dez dias; para a mulher gravida, ate o nascimento da crian^a. 

(2) E, expressamente, vedado ao homem utilizar-se da revoga^ao do divorcio, com o 
fito de prejudicar sua mulher, isto e, obrigando-a a resgatar-se, ou prolongar-lhe o 
prazo de espera, a fim de ela permanecer so e, certamente, padecer com isto. 

(3) O Livro: o Alcorao. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 54 T ^ji-i 



t 5yJ< djj--» 



prazo de espera, nao as impe9ais de 
esposarem seus maridos anteriores, 
quando concordarem, entre eles, 
convenientemente. Com isso, e 
exortado aquele de v6s que ere em 
Allah e no Derradeiro Dia. Isso 
vos e mais digno e mais puro. E 
Allah sabe, e vos nao sabeis. 

233. E as maes amamentam seus 
filhos, por dois anos inteiros. Isso, 
para quem deseja completar a 
lacta9ao. E impende ao pai o sustento 
e o vestir delas, convenientemente. 
A nenhuma alma e imposto senao 
o que e de sua capacidade. Que 
nenhuma mae seja prejudicada por 
causa de seu filho nem o pai, por 
causa de seu filho. E impende ao 
herdeiro fazer o mesmo^*\ E se 
ambos desejam desmama, de comum 
acordo e mutua consulta, nao havera 
culpa sobre ambos. E, se desejais 
amamentar vossos filhos com 
amas, nao havera culpa sobre vos, 
quando entregardes, conveniente- 
mente, o que prometestes conceder- 
lhes^^\ E temei a Allah e sabei que 
Allah, do que fazeis, e Onividente. 

234. E OS que, dentre vos, mor- 
rerem e deixarem mulheres, essas 
aguardem quatro meses e dez dias^^l 



\^i(>fe?J^ CP^ L)^ S*A^ 






^^'^«s^ 









(0 Sendo o pai invalido, ou ja havendo falecido, sera Incumbencia do herdeiro 
sustent^-la e vesti-la. 

(2) Lhes: as amas-de-leite. 

(3) Trata-se do prazo de espera da mulher viuva, mencionado na sura II 23 1 n 1 . 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 55 t s^j^\ 



t iyaJ\ 5jj-- 



Entao, quando atingirem seu prazo 
de espera, nao havera culpa sobre 
vos, pelo que fizerem com si 
mesmas^*\ convenientemente. E 
Allah, do que fazeis, e Conhecedor. 

235. E nao ha culpa sobre vos, 
em insinuardes as mulheres propos- 
tas de casamento, ou em ocultardes 
essa inten^ao em vossas almas. 
Allah sabe que vos estareis 
lembrando delas; mas nao vos 
comprometais, secretamente, com 
elas, exceto se Ihes disserdes dito 
conveniente. E nao decidais con- 
sumar os la90S matrimoniais, ate 
que a prescri9ao atinja seu termo. 
E sabei que Allah sabe o que ha 
em vossas almas: entao, precatai- 
vos dEle. E sabei que Allah e 
Perdoador, Clemente. 

236. Nao ha culpa sobre vos, se 
vos divorciais das mulheres, desde 
que nao as hajais tocado, ou nao 
hajais proposto fandah^^\ (mahr). E 
mimoseai-as - o prospero, conforme 
suas posses, e o carecente, conforme 
suas posses - com mimo con- 
veniente. E dever que impende aos 
benfeitores. 

237. E, se vos divorciais delas, 
antes de have-las tocado, e apos 












6^>^^o\J^a5(S^>iii)^ol5 



( 1 ) Os homens, sob cujos cuidados se encontram as viuvas, nao estarao em pecado, se 
elas recorrerem a meios de embelezamento, para atrair novo casamento. 

(2) Al fandah, corresponde a al mahr ou as saduqah: soma de bens que o noivo da 
a esposa, antes de contrair nupcias, as arras. 



2. SOratu Al-Baqarah Parte 2 55 Y s^jk\ 



y dyaJ\ djj^ 



haver-lhes proposto farTdah, caber- 
Ihes-a a metade do que houverdes 
proposto, exceto se abrem mao 
disso, ou o faz aquele em cujas 
maos estao os lafos matrimoniais. 
E abrirdes mao disso e mais 
proximo da piedade. E nao vos 
esque9ais do favor entre vos. Por 
certo, Allah, do que fazeis, e 
Onividente. 

238. Custodial as ora96es, e, em 
particular, a ora9ao mediana, e 
levantai-vos, sendo devotos a Allah. 

239. Mas, se temeis urn inimigo, 

orai, andando ou montados. E, 
quando estiverdes em seguran9a, 
invocai a Allah, e cumpri a ora^ao, 

como Ele vos ensinou o que nao 
sabieis. 

240. E OS que, entre vos, mor- 
rerem e deixarem mulheres, devem 
deixar testamento^^^ a suas mulheres, 
legando-lhes provisao por um ano, 
sem faze-las sair de suas casas. E, 
se elas sairem, nao havera culpa 
sobre vos, pelo que elas fizerem de 
conveniente com si mesmas. E 
Allah e Todo-Poderoso, Sabio. 

241. E as divorciadas tem direito 
de mimo conveniente. E dever que 
impende aos piedosos. 






3 Ij^ iii^y^j i^^\ 









(0 Essa recomenda^So testamentaria de legar bens a viuva, por um ano, foi ab-rogada 
pelos versiculos que Ihe destinam parte determinada da heran^a (IV 12). Como 
ab-rogado, tambem foi seu prazo de espera, que antes era de um ano e passou para 
4 meses e dez dias. Vide II 234. 



2. SQratu Al-Baqarah Parte 2 57 r i.^\ 



T 5^i 5jj-- 



242. Assim, Allah toma eviden- 
tes, para vos, Seus versiculos, para 
razoardes. 

243. Nao viste, Muhammad, 
os^^^ que sairam de seus lares, aos 
milhares, para se precatarem da 
morte? Entao, Allah Ihes disse: 
"Morrei!" Em seguida, Ele deu- 
Ihes a vida. Por certo, Allah e 
Obsequioso para com os homens. 
Mas, a maioria dos homens nao 
agradece. 

244. E combatei no caminho de 
Allah e sabei que Allah e Oniouvinte, 
Onisciente. 

245.Quem empresta um bom 
emprestimo a Allah, Ele Iho multi- 
plicara muitas vezes. E Allah 
restringe e prodigaliza Sua gra9a. 
E a Ele sereis retomados. 

246. Nao viste os dignitarios dos 
Filhos de Israel, depois de Moises? 
Quando disseram a um de seus 
profetas: "Envia-nos um rei, nos 
combateremos no caminho de 
Allah", o profeta disse: "Qui9a, nao 
combatesseis, se vos fosse prescrito 
o combate?" Disseram: "E por que 
razao nao combateriamos no 
caminho de Allah, enquanto, com 









^"^ " \'^\ ^ ■'\ n ^^ '^'^'^ 




)^ ^ ^ I 

^}^3 \^.lot KU>ry>^ XSj 



(0 Os: OS membros de uma comunidade judaica, residentes em uma cidade, nas 
cercanias do Iraque, na qua! grassou uma peste. Atemorizados, evadiram-se da 
cidade, para evitar a morte. Deus, entSo, fe-los morrer, em puni9ao pela descren9a 
de que a morte e predestinada por Deus, da qual ninguem escapa. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 58 r ^ji- 



Y 5^1 5jj-- 



efeito, nos fizeram sair de nossos 
lares e nos separaram de nossos 
filhos?" Entao, quando Ihes foi 
prescrito o combate, eles, exceto 
alguns poucos, voltaram as costas. 
E Allah, dos injustos, e Onisciente. 

247. E seu profeta Ihes disse: 
'Tor certo, Allah, com efeito, enviou- 
vos Talut^'^ por rei." Disseram: 
"Como ele pode ter a soberania 
sobre nos, enquanto temos prioridade 
sobre ele, na soberania, e a ele nao 
foi concedida abundancia de 
riquezas?" O profeta disse: "Por 
certo, Allah escolheu-o sobre vos, 
e acrescentou-lhe grandeza em 
ciencia e em for9a fisica." E Allah 
concede Sua soberania a quem quer. 
E Allah e Munificente, Onisciente. 

248. E seu profeta Ihes disse: 
"Por certo, o sinal de sua soberania 
e que vos chegara a Arca^^\ nela ha 
Serenidade^"^^ de vosso Senhor e 
reliquias, das que deixou a familia de 
Moises e a familia de Aarao, os anjos 
a carregarao. Por certo, ha nisso 
um sinal para vos, se sois crentes. 

249. E, quando Talut partiu com 
o exercito, disse: "Por certo, Allah 
vos estara pondo a prova, com um 






(1) Talut: Saul. 

(2) A area da Alian9a, mencionada na Biblia. Vide Exodo, XXV 10 - 22, 
Deuteronomio, X 1-5. 

(3) Colocada a frente de seus exercitos, esta area infundia-lhes serenidade e 
tranqiiilidade de vitoria sobre o inimigo. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 2 59 T s^j^\ 



T OjiJ\ Ojj-^ 



no. Entao, quern dele beber nao sera 
mais dos meus, e quern nao o provar 
sera dos meus, exceto aquele que 
apanhar, com a mao, um pouco de 
agua". Entao, dele beberam, exceto 
poucos, dentre eles. E, quando TalOt 
o atravessou, com os que criam 
com ele, os demais disseram: "Nao 
temos for9a, hoje, para combater 
Golias e seu exercito." Os que 
pensavam que deparariam com 
Allah, disseram: "Que de vezes, um 
pequeno grupo venceu um grande 
grupo, com a permissao de Allah! 
E Allah e com os perse verantes." 

250. E, quando sairam ao 
encontro de Golias e seu exercito, 
disseram: "Senhor nosso! Verte 
sobre nos paciencia e torna firmes 
nossos passos e socorre-nos, contra 
o povo renegador da Fe." 

251. Entao, derrotaram-nos com 
a permissao de Allah. E Davi 
matou a Golias, e Allah concedeu- 
Ihe a soberania e a sabedoria e 
ensinou-lhe algo do que Ele quis. 
E, se Allah nao detivesse os 
homens, uns por outros, a terra 
corromper-se-ia. Mas Allah e 
Obsequioso para com os mundos. 

252. Esses sao os versiculos de 
Allah: recitamo-los, para ti, 
Muhammad, com a verdade. E, 
por certo, tu es dos Mensageiros. 



















2. SQratu Al-Baqarah Parte 3 1 TQ I r ^ji-t 



T 5^^ 5jj-- 



253.Desses Mensageiros, pref- 
erimos uns a outros. Dentre eles, 
ha aquele a quern Allah falou; e a 
algum deles Ele elevou em 
escaloes^^^; e concedemos a Jesus, 
Filho de Maria, as evidencias, e 
amparamo-lo com o Espirito 
Sagrado. E, se Allah quisesse, nao 
se haveriam entrematado os que 
foram depois deles, apos Ihes 
haverem chegado as evidencias. 
Mas discreparam. Entao, dentre 
eles, houve quem cresse, e, dentre 
eles, houve quem renegasse a Fe. 
E, se Allah quisesse, nao se 
haveriam entrematado. Mas Allah 
faz que deseja. 

254. vos que credes! Despendei 
do que vos damos por sustento, 
antes que chegue um dia, em que 
nao havera venda nem amizade 
nem intercessao; e os renegadores 
da Fe, sao eles os injustos. 

255. Allah, nao existe deus 
senao Ele, O Vivente, Aquele que 
subsiste por Si mesmo. Nao O 
tomam nem sonolencia nem sono. 
DEle e o que ha nos ceus e o que 
ha na terra. Quem intercedera junto 
dEle senao com Sua permissao? 
Ele sabe seu^^^ passado e seu 









>>\.\ny> ^ 






(1) Moises foi aquele a quem Deus falou; e Muhammad foi aquele a quem Deus 
elevou, acima de todos os profetas, com inumeros privilegios, entre os quais, o 
recebimento do Alcorao. 

(2) Ou seja, Deus conhece o passado e o futuro, alem do presente, de todos os seres. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 1 yj I r ^ji-i 



Y d^l djj-» 



future. E nada abarcam de Sua 
ciencia senao aquilo que Ele quer. 
Seu Trono abrange os ceus e a terra. 
E nao O afadiga custodia-los. E 
Ele e O Altissimo, O Magnifico^^\ 

256. Nao ha compulsao na 
religiao! Com efeito, distingue-se a 
retidao da deprava9ao. Entao, quern 
renega At-Taghut^^^ e ere em Allah, 
com efeito, ater-se-a a firme al9a 
irrompivel. E Allah e Oniouvinte, 
Onisciente. 

257. Allah e O Protetor dos que 
creem: fa-los sair das trevas para a 
luz. E, quanto aos que renegam a 
Fe, seus protetores sao At-Taghut: 
fazem-nos sair da luz para as 
trevas. Esses sao os companheiros 
do Fogo. Nele, serao eternos. 

258. Nao viste aquele^"^^ que, 
porque Allah Ihe concedera a 
soberania, argumentou com Abraao, 
sobre seu Senhor? Quando Abraao 
disse: "Meu Senhor e Aquele Que 
da a vida e da a morte", o outro 









>J^ 






(U Este e um dos mais celebres versiculos do Alcorao, infinitamente reproduzido nos 
arabescos que adornam mesquitas, monumentos, etc.. Chamado, outrossim, de "o 
versiculo do Trono", pela alusao, nele contida, ao Trono, simbolo da onipotencia e 
magnificencia de Deus. 

(2) At-Taghut: aqui, designa tanto Satanas quanto ao idolo ou qualquer outra cousa 
malefica. 

(3) Aquele: Nemrod, rei da Mesopotamia. Esse dialogo ocorreu, quando Abraao 
quebrou os idolos e, seguidamente, foi preso por ordem de Nemrod, que o tirou da 
prisao, para queima-lo vivo. Antes, porem, perguntou a Abraao quem era Seu 
Senhor: "Aquele que da a vida e da a morte". Vide XXI 5 1 -69. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 72 r ^jJri 



T OjiJ\ djj^ 



disse: "Eu, tambein, dou a vida e 
dou a morte." Abraao disse: "E, 
por certo, Allah faz vir o sol do 
Levante; faze-o, pois, vir do 
Poente." Entao, ficou atonito quern 
renegou a Fe. E Allah nao guia o 
povo injusto. 

259. Ou aquele que passou por 
uma aldeia, enquanto deitada abaixo 
sobre seus tetos^^^? Disse: "Como 
Allah dara a vida a esta, depois de 
morta?" Entao, Allah fe-lo morrer 
por cem anos; em seguida, 
ressuscitou-o . Disse Ele: "Quanto 
tempo permaneceste morto?" 
Disse: "Permaneci um dia ou parte 
de um dia." Allah disse: "Nao, 
mas permaneceste cem anos; 
entao, olha para teu alimento e 
para tua bebida, nada se alterou. E 
olha para teu asno - e isso, para 
que fa9amos de ti um sinal para a 
humanidade - e olha para os ossos 
de teu asno, como os erguemos 
para recompo-los; em seguida, 
revestimo-los de carne." E, quando 
isso se tornou evidente, para ele, 
disse: "Sei que Allah, sobre todas 
as cousas, e Onipotente. 

260. E quando Abraao disse: 
"Senhor meu! Faze-me ver como 



«^b 



o^f^yi 



^\ 









^yS^=»^J) ^j>^V^^ ilj 



(0 A expressao textual e: "caida sobre seus tetos", o que significa: "nao so cairam 
seus tetos mas as paredes desabaram sobre eles, ficando a aldeia totalmente 
arrasada". Dizem alguns exegetas tratar-se, aqui, da Cidade de Jerusalem, 
destruida por Nabucodonosor. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 73 r ^ j^i 



T 0^1 ojj«- 



das a vida aos mortos." Allah 
disse: "E nao cres ainda?" Abraao 

disse: ''Sim, mas e para que meu 
cora9ao se tranqliilize." Allah 
disse: ''Entao, toma quatro passaros, 
e aproxima-os de ti, e corta-os; em 
seguida, coloca parte deles sobre 
cada montanha; depois, convoca- 
os: eles chegarao depressa a ti. E 
sabe que Allah e Todo-Poderoso, 
Sabio." 

261.0 exemplo dos que despen- 
dem suas riquezas no caminho de 
Allah e como o de um grao que 
germina sete espigas; em cada 
espiga, ha cem graos. E Allah 
multiplica a recompensa a quern 
quer. E Allah e Munificente, 
Onisciente. 

262.0s que despendem suas 
riquezas no caminho de Allah, em 
seguida, nao fazem seguir o que 
despenderam nem de alarde nem 
de molestia, terao seu premio junto 
de seu Senhor. E nada havera que 
temer por eles, e eles nao se 
entristecerao. 

263.Dito conveniente e perdao 
sao melhores que esmola seguida 
de molestia. E Allah e Bastante a 
Si mesmo, Clemente. 

264.6 vos que credes! Nao 
derrogueis vossas esmolas com o 
alarde e a molestia, como quem 
despende sua riqueza, por 



** X /* c -^ ^ * 









[^ 4jibt5ii W*-^ _^-W' 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 74 r ^jk 



T 5^1 djj^ 



ostenta^ao, para ser visto pelos 
homens, e nao ere em Allah e no 
Derradeiro Dia. E seu exemplo e 
eomo o de uma rocha, sobre a qual 
ha p6; entao, uma ehuva intensa a 
alcan9a e a deixa lisa. Tais 
homens nao poderao beneficiar-se, 
em nada, do que lograram. E Allah 
nao guia o povo renegador da Fe. 

265. E o exemplo dos que des- 
pendem suas riquezas, em busca 
do agrado de Allah e com a 
firmeza de suas almas, e como o de 
um jardim em um outeiro: uma 
chuva intensa alcan90u-o; entao, 
deu em dobro, seu fruto. E, se 
chuva intensa nao o alcan9asse, 
haveria orvalho. E Allah, do que 
fazeis, e Onividente. 

266.Acaso, algum de vos 
almejaria ter um jardim de 
tamareiras e videiras, abaixo do 
qual OS rios correm, e no qual ha 
toda a especie de frutos, e que a 
velhice o alcan9asse, enquanto tem 
indefesa descendencia, entao, uma 
tempestade, continente de fogo 
alcan9asse seu jardim e o 
queimasse? Assim, Allah torna 
evidentes, para vos, os sinais, para 
refletirdes^ \ 

267.0 vos que credes! Des- 
pendei das cousas boas que haveis 






OJ 



^^O^i^^^ !S^^ *- oi^^ Q:^ 



(0 Este versiculo alerta que de nada vale a riqueza, sem o respaldo da caridade. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 1 75 I r tji-t 



y ijiJ\ ojj--» 



logrado e do que Nos vos fizemos 
sair da terra. E nao recorrais ao que 
e vil, para dele despenderdes, 
sendo que o nao tomarieis, a nao 
ser que a ele fechasseis os olhos. E 
sabei que Allah e Bastante a Si 
mesmo, Louvavel. 

268. Sata promete-vos a pobreza 
e ordena-vos a obscenidade^^\ e 
Allah promete-vos perdao dEle e 
favor. E Allah e Munificente, 
Onisciente. 

269. Ele concede a sabedoria a 
quern quer. E, aquele, a quern e 
concedida a sabedoria, com efeito, 
e-lhe concedido um bem abundante. 
E nao meditam senao os dotados 
de discemimento. 

270. E o que quer que despen- 
dais ou voteis, em votos, Allah, 
por certo, o sabe. E nao ha para os 
injustos socorredores. 

271. Se mostrais as esmolas, 
quao excelente e! Mas se as 
escondeis e as concedeis aos pobres, 
e-vos melhor. E Ele vos remira 
algo de vossas mas obras. E Allah, 
do que fazeis, e Conhecedor. 

272. Nao te impende, Muham- 
mad, guia-los para bom 
caminho, mas Allah guia a quem 
quer. E o que quer que despendais 










^ u^H\\M%^^%^j 






<yi 



^x^n^^'^ 







4- 






(0 Por obscenidade, entende-se, aqui, a avareza. 



2. SOratu Al-Baqarah Parte 3 1 75 I r tji-i 



T 6jiJ\ 5jj-^ 



de bom e para vos mesmos. E nao 
deveis despender senao para 
buscar a face de Allah^^\ E o que 
quer que despendais de bom vos 
sera compensado e nao sofrereis 
injusti9a. 

273. Dai vossas esmolas aos 

pobres, que, impedidos pelo com- 
bate, no caminho de Allah^^\ nao 
podem percorrer a terra, para 
ganhar seu sustento. O ignorante 
supoe-nos ricos, por suas maneiras 
recatadas. Tu os reconheces por seu 
semblante; nao pedem esmolas aos 
outros, insistentemente. E o que 
quer que despendais de bom, por 
certo, Allah e, disso, Onisciente. 

274. Os que despendem suas 
riquezas, quer de noite quer de dia, 
secreta e manifestamente, terao seu 
premio junto de seu Senhor, e nada 
havera que temer por eles, e eles 
nao se entristecerao. 

275.0s que devoram a usura 
nao se levantam senao como se 
levanta aquele que Sata enfurece 
com a loucura. Isto, porque dizem: 
"A venda e como a usura". Ao 
passo que Allah tomou licita a 



L^ 






9 a ^-' '^ ^ ^ 



(^) Ou seja, a procura da complacencia de Deus. 

(2) Referenda aos 400 moslimes, emigrados de Makkah, para Al Madlnah, onde, 
desamparados, sem lar nem parentes, ficaram na mesquita local, numa parte 
assombreada, chamada as-suffah, e, por isso, foram eles denominados "homens de 
as-suffah". Por orienta9ao do Profeta, dedicaram-se ao combate pela causa de 
Deus, para a defesa do Islao. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 



77 r .>! 



T dyJl djj-^ 



venda e proibiu a usura. Entao, 
aquele, a quem chega exorta9ao de 
seu Senhor e se abstem da usura, a 
ele pertencera o que se consumou^^\ 
e sua questao sera entregue a 
Allah. E quem reincide, esses sao 
OS companheiros do Fogo. Nele, 
serao eternos. 

276. Allah extermina a usura e 
faz crescer as esmolas. E Allah nao 
ama a nenhum ingrato pecador. 

277. Por certo, os que creem, e 
fazem as boas obras, e cumprem a 
orafao, e concedem az-zakah^ , 
terao seu premio junto de seu 
Senhor; e nada havera que temer 
por eles, e eles nao se 
entristecerao. 

278.0 vos que credes! Temei a 
Allah e deixai o que resta da usura, 
se sois crentes. 

279. E, se o nao fazerdes, 
certificai-vos de uma guerra de 
Allah e de Seu Mensageiro; e, se 
vos voltardes para Allah arrepen- 
didos, tereis vosso capital. Nao 
estareis cometendo injusti9a nem 
sofrendo injusti9a. 

280. E, se um devedor estiver 



'^^.^ 









^^)^} 



:^vD ^\ .L^,^44^^\5 






^Jl^^^S 






( ^ ) Isto e, tudo que angariou, ate a revela9ao deste versiculo, pode ser mantido, sem 
necessidade de devolu9ao ou abandono. Quanto a serem perdoados ou nao, isto e 
decisao de Deus. 

(2)CfII43n4. 



2. SOratu Al-Baqarah Parte 3 1 yg I r tji-i 



y 0jjU\ oj^ 



em dificuldade, concedei-lhe espera, 
ate que tenha facilidade^^\ E 
fazerdes caridade vos e melhor. Se 
soubesseis! 

281. E guardai-vos de um dia, 
em que sereis retomados a Allah. 
Em seguida, cada alma sera 
compensada com o que logrou, e 
eles^^^ nao sofrerao injusti9a. 

282.6 vos que credes! Se 
contrairdes, uns com os outros, 
divida por termo designado, 
escrevei-a . E que um escrivao vo- 
lo escreva, entre vos, com a 
justi9a. E que nenhum escrivao se 
recuse a escrever, conforme o que 
Allah Ihe ensinou. Entao, que ele 
escreva, e que o devedor dite a 
divida, e que tema a Allah, seu 
Senhor, e que dela nada subtraia. 
E, se o devedor for inepto ou 
indefeso^^^ ou incapaz, ele mesmo, 
de ditar, entao, que seu tutor dite 
com a justicja. E tomai duas 
testemunhas, dentre vossos homens, 
E, se nao houver dois homens, 
entao um homem e duas mulheres, 
dentre quem vos aceitais por 
testemunhas, pois, se uma delas se 
descaminha da lembran^a de 
algo, a outra a fara lembrar. E que 



j^!^\JX^d\j Is^ 







^.-^--^rit-^^ 



/ni^^t^^ 






( 1 ) Ou seja, isentar o devedor de toda divida ou parte dela. 

(2) Eles: todos os homens. 

(^) Indefeso: em idade infantil ou senil. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 79 r ^^ 



r\ 



Y l^\ l^y^ 



as testemunhas nao se recusem, 
quando convocadas para testemun- 

har. E nao vos enfadeis de 
escreve-la^^^, pequena ou grande, 
ate seu termo. Isso vos e mais 
eqiiitativo diante de Allah, e mais 
reto para o testemunho, e mais 
adequado para que nao duvideis; 
exceto se ha mercadoria presente, 
negociada entre vos: entao, nao ha 
culpa sobre vos em a nao 
escreverdes. E tomai as testemun- 
has, se comerciais, e que se nao 
prejudiquem nem escrivao nem 
testemunha. E, se o fizerdes, havera 
perversidade em vos. E temei a 
Allah, e Allah vos ensinara. E Allah, 
de todas as cousas, e Onisciente. 

283. E, se estais em viagem e 
nao encontrais escrivao, que haja 
um penhor entregue em mao. E, se 
algum de vos confia a outrem um 
deposito, entao, aquele, a quem foi 
confiado este, restitua seu deposito, 
e que tema a Allah, seu Senhor. E 
nao oculteis o testemunho. E quem 
o oculta, por certo, seu corafao 
sera pecador. E Allah, do que 
fazeis, e Onisciente. 

284. De Allah e o que ha nos 
ceus e o que ha na terra. E, se 
mostrardes o que ha em vossas 
almas ou o esconderdes, Allah vos 









'if. "" 



(0 La: a divida. 



2. Suratu Al-Baqarah Parte 3 1 gQ I ^ ^ j^' 



T 'OjAA\ Ojj^ 



pedira conta disso. Entao, Ele 
perdoa a quern quer e castiga a 
quern quer. E Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente. 

285.0 Mensageiro ere no que 
foi descido, para ele, de seu 
Senhor, e, assim tambem, os 
crentes. Todos creem em Allah e 
em Seus anjos e em Seus Livros e 
em Seus Mensageiros. E dizem: 
"Nao fazemos distin9ao entre 
nenhum de Seus Mensageiros." E 
dizem: "Ouvimos e obedecemos. 
Rogamos Teu perdao, Senhor 
nosso! E a Ti sera o destino." 

286.- Allah nao impoe a alma 
alguma senao o que e de sua 
capacidade. A ela, o que logrou de 
bom e, contra ela, o que cometeu 
de mau - E dizem: "Senhor nosso! 
Nao nos culpes, se esquecemos ou 
erramos. Senhor nosso! E nao nos 
carregues de pesados fardos como 
deles carregaste aos que foram 
antes de nos. Senhor nosso! E nao 
nos carregues daquilo para o que 
nao temos for9a. E indulta-nos e 
perdoa-nos e tern misericordia de 
nos. Tu es nosso Protetor: entao, 
socorre-nos contra o povo renegador 
daFe. 






lll>^\3 Lij-iiV^ lip«^jLp)j 



3. Suratu Al'Imrdn 



Parte 3 



81 



T i^j^\ T d\j^ JT djj^ 



SCRATU AL'IMRAN^^^ 
A SURA DA FAMILIA DE'IMRAN 




De Al Madlnah - 200 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
MisericordiosOy O Miser icordiador. 

l.Alif,Lam,MW^\ 

2. Allah, nao existe deus senao 
Ele, O Vivente, Aquele que subsiste 
por Si mesmo. 

3. Ele fez descer sobre ti o Livro, 
com a verdade, para confirmar o 
que havia antes dele. E fizera descer 
a Tora e o Evangelho, 

4. Antes, como orienta9ao para a 
humanidade; e fez descer Al 
Furqan^"^\ Por certo, os que 
renegam os sinais de Allah terao 



...Jv^^^L 



-v^ 



}^\ 



^JM^'i^'^^M'^^ 



S-^i'j'^^^^ 



-'. ^ ^ oT-* < 






(0 Al ^Imran: Nome composto de Al, oriundo de 'Ahl, familia; e *^Imran, nome do 
pai de Maria, mae de Jesus, embora alguns interpretes, erroneamente, afirmem 
tratar-se do pai de Moises. Assim se denomina a sura, pela men9ao desta palavra 
no versiculo 33. Seu escopo precipuo e estabelecer a verdade sobre a ideia de 
Deus e combater a pretensa ilusao do homem de crer-se auto-suficiente por seus 
bens materials e seus filhos, dispensando, assim, a orienta^ao divina. A sura 
apresenta provas evidentes da soberania absoluta de Deus, em todo o Universo, e 
traz referencias minuciosas, alias, da familia de Maria, de seu nascimento e do 
milagroso nascimento de seu filho Jesus. Volta a falar dos filhos de Israel, assim 
como dos cristaos, apontando-lhes as rea96es diante do Islao. Encerra 
ensinamentos dogmaticos e eticos, indicando a conduta correta dos combatentes, 
em tempo de guerra, seja da vitoria, seja na derrota. Enfatiza, vigorosamente, a 
recompensa dos martires, homens ou mulheres. Por fim, atenta, de novo, para o 
poder absoluto de Deus, na cria^ao dos ceus e da terra e de quanto neles existe, e 
prega a paciencia, a perseveran9a e a piedade, como o unico meio de o homem 
obter a bem-aventuran9a. 

(2)Cf.IIn3. 

(3) Cf II 53 n2. Aqui, al Furqan refere-se a todos os livros revelados como criterio 
de distinguir o bem do mal. 



3. Suratu Al'Imrdn 



Parte 3 



82 



r ^>i 



T d\y^ JT 5jj^ 



veemente castigo. E Allah e Todo- 
Poderoso, Possuidor de vindita. 

5. Por certo, de Allah nada se 
esconde, na terra nem no ceu. 

6. Ele e Quern, vos configura, 
nas matrizes, como quer. Nao existe 
deus senao Ele, O Todo-Poderoso, 
O Sabio. 

7. Ele e Quern fez descer sobre 
ti, Muhammad, o Livro, em que ha 
versiculos precisos: sao eles o 
fundamento do Livro; e, outros, 
ambiguos. Entao, quanto aqueles, 
em cujos cora9oes ha deslize, eles 
seguem o que ha de ambiguo nele, 
em busca da sedi9ao e em busca de 
sua interpreta9ao, conforme seus 
intentos. E ninguem sabe sua 
interpreta9ao senao Allah. E os de 
ciencia arraigada dizem^^^: ''Cremos 
nele^^l Tudo vem de nosso Senhor." 
- E nao meditam senao os dotados 
de discemimento -. 

8. "Senhor nosso! Nao nos 
desvies os cora9oes do caminho 
reto, apos nos haveres guiado; e 
dadiva-nos, de Tua parte, com 
misericordia. Por certo, Tu, Tu es 
O Dadivoso. 






^ ^■^ \^ ' ^ ^KK ^ \^ 99 ^ '^ ^ 9 



iiii\oi1 M\)j6^'lo'J^ 



(0 Este periodo permite duas leituras distintas, conforme a pontua9ao adotada. A 
primeira faz ocorrer pausa, com ponto, logo apos a palavra Deus, tal como a 
seguida pelo presente texto, A segunda desioca a pontuacao para alem da paiavra 
ciencia, ficando: "...senao Deus e aqueies de ciencia arraigada", o que indica que, 
assim como Deus, os sabios tambem partilham da interpreta^ao do Livro. 

(2) Nele: no Alcorao. 



3. Saratu Al'Imrfln 



Partes 



83 r ,jir\ 



T d\jAf' JT ijya 



9. "Senhor nosso! Por certo, es 
Tu Quern juntaras a humanidade, 
em um dia indubitavel." Por certo, 
Allah nao falta a promessa. 

10. Por certo, aos que renegam a 
Fe, de nada Ihes valerao as riquezas 
e OS filhos, diante de Allah. E esses 
serao combustivel do Fogo. 

11. Seu proceder e como o do 
povo de Farao e dos que foram 
antes deles. Desmentiram Nossos 
sinais; entao, Allah apanhou-os, por 
seus delitos. E Allah e Veemente na 
puni9ao. 

12. Dize, Muhammad, aos que 

renegam a Fe: "Sereis vencidos e 
reunidos na Geena." E que execravel 
leito! 

13. Com efeito, houve, para vos, 
um sinal em duas hostes^^'^, que se 
depararam: uma hoste combatia no 
caminho de Allah, e, outra, 
renegadora da Fe, via-os, em dobro, 
com OS proprios olhos. E Allah 
ampara, com Seu socorro, a quem 
quer. Por certo, ha nisso li9ao para 
OS dotados de visao. 

14. Aformoseou-se, para os 
homens, o amor dos haveres 
apetitosos: as mulheres e os filhos e 






^\^\i^^j:^4j^\jJ^^Xj^ 






(U Referenda a Batalha de Badr, ocorrida no segundo ano de Hejira (624 d.C). 
Constitui o primeiro combate dos muslimes contra os idolatras, do qual aqueles 
sai'ram vitoriosos. 



3. Suratu Al'lmran 



Parte 3 



84 



r ^>i 



T Jij^p JT ojj^ 



OS quintals acumulados de ouro e 
prata e os cavalos assinalados e os 
rebanhos e os campos lavrados. Isso 
e o gozo da vida terrena. Mas junto 
de Allah esta o aprazivel retomo. 

15. Dize: "Informar-vos-ei de 
algo melhor que isso tudo? Para os 
piedosos, havera, junto ao seu 
Senhor, Jardins, abaixo dos quais 
correm os rios; nesses, serao 
etemos, e terao mulheres puras e 
agrado de Allah." E Allah, dos 
servos, e Onividente, 

16.0s quais dizem: "Senhor 
nosso! Por certo, cremos: perdoa- 
nos OS delitos e guarda-nos do 
castigo do Fogo." 

17. Esses sao os perseverantes, 
e OS veridicos, e os devotos, e os 
caritativos, e os que imploram 
perdao, nas madrugadas. 

18. Allah testemunha - e, assim 
tambem, os anjos e os dotados de 
ciencia - que nao existe deus senao 
Ele, Que tudo mantem, com 
eqtiidade. Nao existe deus senao 
Ele, O Todo-Poderoso, O Sabio. 

19. Por certo, a religiao, perante 
Allah, e o Islao^^\ E aqueles, aos 
quais^^^ fora concedido o Livro, nao 
discreparam senao apos a ciencia 

(OCf. II 128 n2. 

(2) Trata-se dos judeus e dos cristaos. 



c->l^\^2)-^-'^^^^J^^^ 


















'^^c: 1^ 









3. Suratu Arimran 



Parte 3 



85 



r ^>i 



T d\y^ JT djj^ 



haver-lhes chegado, movidos por 
agressividade entre eles. E quern 
renega os sinais de Allah, por certo, 
Allah e Destro no ajuste de contas. 

20. E, se eles^^^ argumentarem 
contigo, Muhammad, dize: 
"Entreguei minha face a Allah^^\ e, 
tambem, quern me segue." E dize 
aqueles, aos quais fora concedido o 
Livro, e aos iletrados^^^: "Quereis 
islamizar-vos?" Entao, se se 
islamizarem, com efeito, guiar-se- 
ao; e, se voltarem as costas, impen- 
der-te-a, apenas, a transmissao da 
Mensagem. E Allah, dos servos, e 
Onividente. 

21. Por certo, aos que renegam 
OS sinais de Allah e matam, sem 
razao, os profetas^ \ e matam os 
que, dentre os homens, ordenam a 
eqtiidade, alvissara^^^-lhes doloroso 
castigo. 

22. Esses sao aqueles, cujas 
obras se anulam, na vida terrena e 
na Derradeira Vida. E nao terao 
socorredores. 



c^iii4-^^4^<5i^^y^ 









(0 Eles: OS idolatras. 

(2) Aqui, ocorre metonimia de grande valor estilistico, em que a palavra face simboliza 
atotalidade do ser que fala, e a frase significa: "entreguei-me inteiramente, a Deus". 

(^) Alusao aos Idolatras, assim chamados, por nao possuirem Livro divino, ao contrario 
dos judeus, que ja possuiam a Tora, e dos cristaos, que possuiam o Evangelho. 

(4)Cf. II61 n2. 

(5) Observe-se o torn ironico do verbo alvissarar (anunciar boas novas), aqui usado 
para anunciar o castigo infernal. O mesmo uso ocorrera diversas outras vezes no 
Alcorao (IV 138; IX 3, 34; XXXI 7; XLV 8; LXXXIV 24). 



3. Suratu AI4mran 



Parte 3 



86 



r ^jk\ 



T d\y>S' JT Ojj^ 



23.Nao viste aqueles aos quais 
fora concedida uma por9ao do 
Livro^^\ enquanto convocados ao 
Livro de Allah^^\ para que julgasse, 
entre eles. Em seguida, um grupo 
deles voltou as costas, dando-lhe de 
ombros^"^^? 

24. Isso, porque eles disseram: 
"O Fogo nao nos tocara senao por 
dias contados^^V'E iludiu-os aquilo 
que forjaram em sua religiao. 

25. Entao, como estarao, quando 
OS juntamios, em um dia indubi- 
tavel, e cada alma for compensada 
com o que logrou? E eles nao 
sofrerao injusti9a. 

26. Dize: "6 Allah, Soberano da 
soberania! Tu concedes a soberania 
a quem queres e tiras a soberania a 
quem queres. E das o poder a quem 
queres e envileces a quem queres. O 
bem esta em Tua mao. Por certo, 
Tu, sobre todas as cousas, es 
Onipotente. 

27. "Inseres a noite no dia e 
inseres o dia na noite, e fazes sair o 






%^J^j^/-^''^'—' 



h^^ 









SX^y^y3S^\^M^^y 



(0 Ou seja, a Tora. A revela^ao divina ^ um todo atraves dos tempos; assim, o livro 
mosaico e o cristao s^o poroses do Livro, e, o Alcorao chega para completar a 
revela^ao, e 6, por excelencia, o Livro de Deus. 

(2) O Livro de Allah: o AlcorSo. 

(^) Este versicuio foi revelado, quando ao Profeta Muhammad foram levados dois 
judeus, acusados de adult^rio, para que os julgasse. Ocorre que Muljammad Ihes 
recomendou o que a Tora e o AlcorSo prescreviam: o apedrejamento dos culpados, 
mas OS judeus repudiaram o julgamento e voltaram as costas ao Profeta. 

(4) Cf. II 80 n3. 



3. Suratu Al^mran 



Parte 3 



87 



r f>i 



T d\y^ JT Ojj--» 



vivo do morto e fazes sair o morto 
do vivo, e das sustento, sem conta, a 
quern queres." 

28. Que OS crentes nao tomem 
por aliados os renegadores da Fe, ao 
inves dos crentes. E quern o fizer 
nao tera rela9ao com Allah, exceto 
se quereis^^^ guardar-vos de algo da 
parte deles. E Allah vos adverte 
dEle. E a Allah sera o destino. 

29. Dize, Muhammad: "Se 

escondeis o que ha em vossos peitos 
ou o mostrais, Allah o sabe. E sabe 
o que ha nos ceus e o que ha na 
terra. E Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente." 

30. Um dia, cada alma encontrara 
presente o que fez de bem e o que 
fez de mal; ela almejara que haja 
longinquo termo entre ela e ele^^\ E 
Allah vos adverte dEle. E Allah, 
para com os servos, e Compassivo. 

31. Dize: "Se amais a Allah, 
segui-me, Allah vos amara e vos 
perdoara os delitos." E Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

32. Dize: "Obedecei a Allah e ao 
Mensageiro." E, se voltarem as 
costas, por certo, Allah nao ama os 
renegadores da Fe. 









0[y "^^yfCft <-:^J-*^^_3 irya^fc^ 






(0 Observar a alternancia de pessoa (3." singular e 2." plural). 
(2) Ele: o mal cometido pela alma. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 3 



88 



r ^>i 



T d\jA^ JT ojj^ 



33. Por certo, Allah escolheu 
Adao e Noe, e a familia de Abraao, 
e a familia de ''Imran, sobre os 
mundos. 

34. Sao descendentes, uns dos 
outros. E Allah e Oniouvinte, 
Onisciente. 

35. Lembra-lhes de quando a 
mulher^^^ de 'Imran disse: "Senhor 
meu! Voto-Te o que ha em meu 
ventre, consagrado a Ti; entao, 
aceita-o de mim. Por certo, Tu, Tu 
es O Oniouvinte, O Onisciente." 

36. E, quando deu a luz a ela, 
disse: "Senhor meu! Por certo, dei 
a luz uma varoa^^V' - E Allah era 
bem Sabedor de quem ela dera a 
luz - "E o varao nao e igual a 
varoa. E, por certo, chamei-lhe 
Maria. E, por certo, entrego-a, e 
sua descendencia, a Tua prote9ao, 
contra o maldito Sata." 

37. Entao, seu Senhor acolheu- 
a, com bela acolhida, e fe-la crescer 
belo crescimento. E deixou-a aos 
cuidados de Zacarias. Cada vez que 



Zacarias entrava no santuario 



(3) 









%%^\^ 






.i\\\-' 



^^v^\^\ 












l^-i^ 






( * ) Trata-se de Ana, mSe de Maria. 

(2) Avan^ada em anos e ja esteril, Ana, a mulher de *^Imran, ao ver um passaro 
alimentar os filhotes, sentiu profundo desejo de criar descendencia. E orou a Deus, 
pedindo-lhe um filho, prometendo, em sinal de gratidSo, consagra-lo a Seu 
service. Mas Ihe nasceu uma menina, que pela Lei, era impedida de exercer 
sacerdocio. Dai a frase: "O varSo nSo e igual a varoa". 

(^) Diz-se da sala em frente ao templo ou do lugar mais nobre do Tempio de Jerusalem. 



3. SOratu Al'lmran 



Parte 3 



89 r .>i 



T d\y^ JT fljj-- 



encontrava junto dela sustento. Ele 
disse: "6 Maria! De onde te provem 
isso?" Ela disse: "De Allah." Por 
certo, Allah da sustento, sem conta, 
a quern quer. 

38. Ali, Zacarias suplicou a seu 
Senhor. Ele disse: "Senhor meu, 
dadiva-me, de Tua parte, com 
descendencia primorosa. Por certo, 
Tu es O Ouvidor da siiplica." 

39. Entao, os anjos chamaram-no 
enquanto orava, de pe no santuario: 
"Allah alvissara-te o nascimento de 
Yahia, Joao, confirmador de um 
Verbo de AUah^^^; e sera senhor, e 
casto, e profeta entre os integros." 

40. Ele disse: "Senhor meu! 
Como hei de ter um filho, enquanto, 
com efeito, a velhice me atingiu, e 
minha mulher e esteril?" Ele disse: 
"Assim e! Allah faz o que quer." 

41. Zacarias disse: "Senhor meu! 
Faze-me um sinal." Allah disse: 
"Teu sinal sera que nao falaras a 
ninguem, durante tres dias, a nao ser 
por gestos^^l E lembra-te amiiide de 
teu Senhor e glorifica-0 ao 
anoitecer e ao alvorecer." 

42. E lembra-lhes, Muhammad, 

de quando os anjos disseram: "0 
Maria! Por certo, Allah te escolheu 






^ ^ y y y 

L.^ <it\ ijj^ 2oj!i ^tij -M ^^ (i 

\^^ y' ^ '^\y ^ ^ ^\^ \^- "^ ^ > 

)-U-^ ^'0^ ^^^Jbo i^x^fl^ 



^ ^'v ^".^ »'\'. \>y^'''.\ ' '"'w''. 









(0 Refere-se a Jesus Cristo, que foi criado do Verbo de Deus: "Se". 
(2) Vide Lucas 1 20. 



3. Saratu Al'Imran 



Parte 3 



90 



T s>j^\ T OIjap JT djj-- 



e te purificou, e te escolheu sobre as 
mulheres dos mundos. 

43. "6 Maria! Se devota a teu 
Senhor e prostema-te e curva-te com 
OS que se curvam^^V' 

44. Esses sao alguns informes do 
Invisivel, que Nos te revelamos. E 
nao estavas junto deles^^\ quando 
lanfavam seus calamos^"^\ para 
saber quern deles cuidaria de Maria. 
E nao estavas junto deles, quando 
disputavam. 

45. Lembra-lhes de quando os 
anjos disseram: "6 Maria! Por certo, 
Allah te alvissara um Verbo, vindo 
dEle; seu nome e O Messias, Jesus, 
Filho de Maria, sendo honoravel na 
vida terrena e na Derradeira Vida, e 
dos achegados a Allah. 

46. "E falara aos homens, no 
berfo, e na maturidade, e sera dos 
integros." 

47. Ela disse: "Senhor meu! 
Como hei de ter um filho, enquanto 
nenhum homem me tocou?" Ele 
disse: "Assim e! Allah cria o que 









(l)Cf. II43n5. 

(2) Deles: dosjudeus. 

(3) Ou seja: suas varas. Refere-se a disputa, ocasionada entre os sacerdotes do Templo 
de Jerusalem, para decidirem quern deveria cuidar de Maria. Zacarias insistiu em 
faze-lo, alegando ser casado uma tia de Maria, Para deslindarem o impasse, 
decidiram pelo sorteio. Escreveram, entao, algumas passagens da Lei em seus 
calamos e os lan9aram ao rio Jordao, onde todos afundaram, exceto o de Zacarias, 
que, por isso, tomou o encargo desejado. 



3. Suratu Al'Imrdn 



Parte 3 



91 



r ^>i 



T d\y^ JT l^^ 



quer. Quando decreta algo, apenas, 
diz-lhe: 'Se', entao, e. 

48. "E ensinar-lhe-a a Escritura^^\ 
e a sabedoria, e a Tora, e o 
Evangelho. 

49. "E fa-lo-a Mensageiro para 
OS filhos de Israel, aos quais dira: 

'Cheguei-vos com um sinal de 
vosso Senhor. Eu vos criarei do 
barro uma figura igual ao passaro e, 
nela, soprarei e sera passaro, com a 
permissao de Allah. E curarei o 
cego de nascenfa, e o leproso, e 
darei a vida aos mortos, com a 
permissao de Allah. E informar- 
vos-ei do que comeis e do que 
entesourareis em vossas casas. Por 
certo, ha nisso um sinal para vos, se 
sois crentes. 

50. " 'E cheguei-vos para confir- 
mar o que havia antes de mim: a 
Tora, e para tomar licito, para vos, 
algo do que vos era proibido. E 
cheguei-vos com um sinal de vosso 
Senhor. Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

51." Tor certo, Allah e meu 
Senhor e vosso Senhor. Entao, 
adorai-0 . Essa e a senda reta.'" 

52. E quando Jesus Ihes sentiu a 






ojxs^ij^^s^ojj L^ ^\ Cyi 



J J", ^ 



;^\^'^ 



(0 De acordo com alguns exegetas, tratar-se-ia de uma Escritura Sagrada, outra que a 
Tora e o Evangelho, embora haja quern a interprete como alusiva a escrita ou ato 
de escrever. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 3 



92 



r ^>i 



T d\y^ JT djj-u 



renega9ao da Fe, disse: "Quem sao 
meus socorredores, no caminho 
para Allah?" Os discipulos disseram: 
"Nos somos OS socorredores de 
Allah; cremos nEle, e testemunha tu 
que somos moslimes. 

53. ''Senhor nosso! Cremos no 
que fizeste descer e seguimos o 
Mensageiro. Entao, inscreve-nos 
entre as testemunhas." 

54. E eles^^^ usaram de estratage- 
mas contra Jesus; e Allah usou de 
estratagemas. E Allah e O Melhor 

(2) 

em estratagemas^ \ 

55. Lembra-lhes, Muhammad, 

de quando Allah disse: "O Jesus! 
Por certo, findarei teus dias na terra 
e ascender-te-ei ate Mim e apartar- 
te-ei dos que renegam a Fe e farei 
estar os que te seguiram acima dos 
que renegam a Fe, ate o Dia da 
Ressurrei9ao. Em seguida, a Mim 
sera vosso retomo. E julgarei, entre 
vos, naquilo de que discrepaveis. 

56. "Entao, quanto aos que 
renegam a Fe, castiga-los-ei, com 
veemente castigo, na vida terrena e 
na Derradeira Vida. E nao terao 
socorredores." 






4^3^\ l2iL3\j cJ 



^y 



^^. 



o 



© UM^^ r^ L:l£^=»\i 



-^ '^^ 









(0 Eles: OS descrentes entre os judeus. 

(2) Este versiculo alude a conspira9ao de morte contra Jesus, intentada pelos judeus, a 
qual, segundo o Islao, Deus malogrou, fazendo que outro homem, semelhante a 
ele, em seu lugar fosse sacrificado, enquanto, para junto de Si, elevava Jesus. Vide 
IV 157 n4. 



3. SQratu Al'Imran 



Parte 3 



93 



r ^>i 



T d\y^ JT djj^ 



57. E, quanto aos que creem e 
fazem as boas obras, Ele os 
compensara com seus premios. E 
Allah nao ama os injustos. 

58. Isto, recitamo-lo, para ti, dos 
versiculos e da sabia Mensagem^^\ 

59. Por certo, o exemplo de Jesus, 
perante Allah, e como o de Adao. 
Ele o criou de po; em seguida, 
disse-Ihe: "Se", entao foi. 

60.Esta e a Verdade vinda de teu 
Senhor. Entao, nao sejas dos 
contestadores. 

61. E a quem argumentar contigo, 
sobre ele^^\ depois do que te chegou 
da ciencia, dize: "Vinde, nos con- 
vocaremos nossos filhos e vossos 
filhos, e nossas mulheres e vossas 
mulheres, e a nos mesmos e a vos 
mesmos; em seguida, imprecaremos 
e faremos ser a maldi9ao de Allah 
sobre os mentirosos." 

62. Por certo, esta e a verdadeira 
narrativa. E nao ha deus senao 
Allah. E, por certo, Allah e O Todo- 
Poderoso, O Sabio. 

63. E, se eles voltarem as costas, 
por certo, Allah e Onisciente dos 
semeadores da corrup9ao. 

64. Dize: "6 seguidores do 









9^^ y 















(0 Sabia Mensagem: o Alcorao. 
(2) Ele: Jesus. 



3. Saratu Al^mran 



Parte 3 



94 



T i^j^\ T d\y^ JT ijj^ 



Livro^*^! Vinde a uma palavra igual 
entre nos e vos: nao adoremos senao 
a Allah, e nada Lhe associemos e 
nao tomemos uns aos outros por 
senhores, alem de Allah." E, se 
voltarem as costas, dizei: "Teste- 
munhai que somos moslimes." 

65.6 seguidores do Livro! Por 
que argumentais, sobre Abraao, 
enquanto a Tora e o Evangelho nao 
foram descidos senao depois 
dele^^^? Entao, nao razoais? 

66. Ei-vos que argumentais, sobre 
aquilo^^^ de que tendes ciencia. 
Entao, nor que argumentais, sobre 
aquilo^"*^ de que nao tendes ciencia? 
E Allah sabe, e vos nao sabeis. 

67. Abraao nao era nem judeu 
nem cristao, mas monoteista sincero, 
moslim^^\ E nao era dos idolatras. 

68. Por certo, os homens mais 
dignos de serem achegados a Abraao 
sao OS que o seguiram, e este 
Profeta^^^ e os que creem. E Allah e 
O Protetor dos crentes. 












^ ^ ^\ 9i::\ '-d.t- 

bajuLrli \juJ>- QI^— g^-Soj 



(0 Seguidores do Livro: os judeus e os cristaos, que seguem respectivamente, a Tora 
e o Evangelho. 

(2) Este versiculo foi revelado para esclarecer, de vez, os judeus e os cristSos sobre a 
verdadeira religiSo de AbraSo, a qual nao era o Judaismo, nem o Cristianismo, 
pois, a Tora e o Evangelho foram revelados, posteriormente, a ele. 

(^) Aquilo: sobre a religiao de Moises e Jesus. 
(4) Aquilo: sobre a religiao de Abraao. Cf. Ill 65 n2. 
(^) Ou seja, entregue, inteiramente, a Deus. Cf. 11 128 n2. 
(6) Isto e, Muljammad. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 3 



95 



r ^>i 



T d\y^ JT Qjj^ 



69. Uma fac9ao dos seguidores 
do Livro almeja descaminhar-vos. E 
tiao descaminham senao a si mesmos 
e nao percebem. 

70.6 seguidores do Livro! Por 
que renegais os versiculos de Allah, 
enquanto testemunhais que sao 
verdadeiros? 

71. O seguidores do Livro! Por 
que confundis o verdadeiro com o 
falso, e ocultais a verdade^'^ 
enquanto sabeis? 

72. E uma fac9ao dos seguidores 
do Livro disse: "Crede no que foi 
descido sobre os que creem, no inicio 
do dia, e renegai-o, no fim dele, na 
esperan9a de eles^^^ retomarem. 

73. "E nao confieis a ninguem, 
exceto a quem segue vossa religiao" 
- dize, Muhammad: Tor certo, a 
Verdadeira Orienta9ao e a Orien- 
ta9ao de Allah' - "que^^^ a outrem 
foi concedido algo semelhante ao 
que vos fora concedido, ou que 



J^S^Vjtx^^ 



o>5 



^i 





















(0 Quer dizer, ocultar a vinda de Muhammad, como profeta, a Peninsula Arabica, 
mencionada naTora, mas eliminada, intencionalmente, pelos sacerdotesjudaicos. 

(2) Referenda aos primeiros moslimes que os judeus queriam ver renegando o 
Islamismo, assim como eles proprios o fizeram. E, por se considerarem letrados e 
dignos de grande autoridade, acreditavam que os moslimes deveriam segui-los, ou 
seja, abandonar o Islao, apos abra9a-lo. 

(3) Ora9ao subordinada objetiva direta de "nao confieis a ninguem". Os judeus 
recomendam que se nSo comente com os n^o judeus que nao apenas outra na9ao 
pode receber a revela^So divina - como eles proprios receberam - mas pode fazer 
prevalecer sua religiao sobre o judaismo. 



3. Suratu APImran 



Parte 3 



96 



r ^>rl 



T d\y^ JT ojj^ 



eles^^^ podem argumentar convosco, 
sobre isso, perante vosso Senhor." 
Dize: "Por certo, o favor esta na 
mao de Allah: concede-o a quern 
quer. E Allah e Munificente, 
Onisciente." 

74. Ele privilegia, com Sua 
misericordia, a quern quer. E Allah 
e Possuidor do magnifico favor. 

75. E, dentre os seguidores^^^ do 
Livro, ha quern, se Ihe confiares um 
quintal de ouro, restituir-to-a, e , 
dentre eles, ha quern, se Ihe confiares 
um dinar^'^^ nao to restituira, a 
menos que permane9as ao pe dele. 
Isso, porque dizem: "Nao ha 
repreensao alguma, contra nos, no 
que conceme aos iletrados^^V' E 
dizem mentiras acerca de Allah, 
enquanto sabem. 

76. Sim! Quem e fiel a seu pacto 
e e piedoso, por certo, Allah ama os 
piedosos. 

77. Por certo, os que vendem o 
pacto de Allah e seus juramentos 
por infimo pre9o, esses nao terao 
quinhao algum na Derradeira Vida, 









(0 Eles: OS moslimes. 

(2) Aqui, referenda aos judeus. 

0) Dinar - do latim dinahum, atraves do grego bizantino denarion e do arabe-persa 
dinar. Antiga unidade de peso arabe; antiga moeda de ouro, cunhada pelos arabes. 

("+) Denomina^So dada aos arabes por nao possuirem livro algum. De acordo com o 
preceito biblico, os judeus estariam isentos de culpa, se praticassem a usura com 
outros, e nSo com seus semelhantes. 



3. Suratu Al'Imrdn 



Parte 3 



97 



r ^ji-i r t)ij^ JT djj-- 



nem Ihes falara Allah, nem os 
olhara no Dia da RessuiTei9ao, nem 
OS dignificara; e terao doloroso 
castigo. 

78. E, por certo, ha, dentre eles, 
um grupo que deturpa, com as 
proprias linguas, o Livro^^\ a fim de 
que vos o suponhais do Livro, 
enquanto nao e do Livro. E dizem 
que isso vem de Allah, enquanto 
nao vem de Allah. E dizem mentiras 
acerca de Allah, enquanto sabem! 

79. Nao e admissivel que um ser 
humano, a quem Allah concedeu o 
Livro e a sabedoria e a profecia, 
diga, em seguida, aos homens: 
"Sede mens adoradores, em vez de 
Allah", mas que diga: "Sede mestres 
devotos, por haverdes ensinado o 
Livro, e o haverdes estudado." 

80. E, tambem, nao e admis- 
sivel que ele vos ordene tomar os 
anjos e os profetas por senhores. 
Ordenar-vos-ia a renega9ao da Fe, 
apos vos haverdes tornado 
moslimes? 

81. E quando Allah firmou a 
alian9a com os profetas: "Seja o 
que for que Eu vos haja concedido, 
de Livro e de Sabedoria, se, em 
seguida, vos chegar um Mensageiro, 
confirmador do que esta convosco. 









% hr^ 









( O Livro: a Tora. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 3 



98 



r ^>i 



T d\y^ JT djj^ 



deveis nele crer e deveis o 
socorrer." Ele disse: "Reconheceis 
e firmais Meu compromisso com 
isso?" Disseram: "Reconhecemos." 
Ele disse: "Entao, testemunhai, e sou 
convosco, entre as testemunhas." 

82. E quern, depois disso, volta 
as costas, esses sao os perversos. 

83. E, acaso, buscam eles 
religiao outra que a de Allah, 
enquanto, para Ele, se islamiza^*^ 
quern esta nos ceus e na terra, de 
bom ou de mau grado, e a Ele 
serao retomados? 

84. Dize: "Cremos em Allah e 
no que foi descido sobre nos, e no 
que fora descido sobre Abraao, e 
Ismael, e Isaque, e Jaco, e sobre as 
Tribos, e no que fora concedido a 
Moises e a Jesus, e aos profetas de 
seu Senhor. Nao fazemos distin9ao 
entre nenhum deles e, para Ele, 
somos moslimes." 

85. E quem busca outra religiao 
que o Islao, ela nao Ihe sera aceita, 
e ele, na Derradeira Vida, sera dos 
perdedores. 

86. Como Allah guiara a um 
povo que renega a Fe, apos haver 
sido crente e haver testemunhado 
que o Mensageiro e verdadeiro, e 









\jya^==:^^^i()^^J^^ iuul 






(0 Ou seja, "... se entrega", "... se submete". Cf. II 128 n2 e II131 n2. 



3. SOratu Al^Imran 



Parte 3 



99 



r ^j^\ 



T d\y^ JT djj-- 



Ihe haverem chegado as evidencias? 
E Allah nao guia o povo injusto. 

87. Esses, sua recompensa sera 
estar, sobre eles, a maldifao de 
Allah e dos anjos e de toda a 
humanidade. 

88.- Nela, serao eternos. Nao 
se Ihes aliviara o castigo nem se 
Ihes concedera dila^ao - 

89. Exceto dos que, depois disso, 
se voltam arrependidos e se emen- 
dam; entao, por certo, Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

90. Por certo, aos que renegam a 
Fe, apos haverem sido crentes, em 
seguida, acrescentam a si mesmos 
a renegafao da Fe^^\ nao se Ihes 
aceitara o arrependimento; e esses 
sao OS descaminhados. 

91. Por certo, os que renegam a 
Fe e morrem, enquanto renegadores 
da Fe, de nenhum deles se aceitara 
o conteiido da terra em ouro, ainda 
que queira com isso resgatar-se. 
Esses terao doloroso castigo e nao 
terao socorredores. 

92. Nao alcanfareis a bondade, 
ate que despendais daquilo que 
amais. E o que quer que despendais, 
por certo, Allah e, disso, Onisciente. 






4^\3d\i^ M>K?h^ 



UJ 






( I ) Versiculo dirigido aos judeus, que descreram de Jesus, depois de haverem crido 
em Moisds, e descreram mais ainda, de Muljammad, quando o renegaram. 



3. Suratu Al'lmran 



Parte 4 



100 



t ^>i 



T d\y^ JT Ojj^ 



93. Todo o alimento era licito 
aos filhos de Israel, exceto o que 
Israel proibira a si mesmo^^\ antes 
que a Tora fosse descida. Dize, 
Muhammad: "Fazei vir, entao, a 
Tora e recitai-a, se sois veridicos." 

94. E, OS que, depois disso, 
forjam mentiras, acerca de Allah, 
esses sao os injustos. 

95. Dize: "Allah disse a verdade. 
Entao, segui a cren9a de Abraao, 
monoteista sincero, e que nao era 
dos idolatras." 

96. Por certo, a primeira Casa de 
Allah, edificada para os homens, e 
a que esta em Bakkah^^\ e 
aben9oada e serve de orienta9ao 
para os mundos. 

97.Nela, ha sinais^^^ evidentes, 
entre os quais o maqam de 
Abraao^'^^ E quern nela^ ^ entra 



:.-^,^^ 












(0 Os judeus censuraram os moslimes, por se alimentarem de carne de camelo, que a 
religiao judaica nao permitia. E desafiavam Muhammad, dizendo-lhe: "Como 
pretendes dizer que segues a religiao de Abraao, se ele nSo se alimentava de 
cameios nem bebia de seu leite?" Respondeu-lhes o Profeta com este versiculo, 
afirmando que Deus nao impusera aos filhos de Israel qualquer distin^ao de 
alimentos antes de revelar a Lei de Moises, embora Jaco se houvesse abstido desses 
alimentos, mas voluntariamente, segundo alguns por causa de uma neuralgia 
isquiatica, cuja cura o levou a tal voto. O que prova ser tudo anterior a revela^ao 
da Tora e ser a carne de uso amplo, na alimenta^ao, na epoca do Patriarca Abraao. 

(2) Bakkah: alternancia prosaica de Makkah (Meca), onde se encontra a Mesquita 
Sagrada ou Casa de Deus, construida em torno da Ka*^bah. 

(3) Sao alguns deles, alem do Maqam de Abraao, a pedra negra, o po^o Zam-Zam, 
as colinas As-SafS e Al Marwah. 

WCf. II 125 n2. ' 

(5) Nela: na Casa de Deus. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 4 



101 



i ^>i 



r d\y^ JT fljj^ 



estara em seguranfa. E, por Allah, 
impende aos homens a peregrina9ao 
a Casa, a quem ate ela possa 
chegar. E quem renega isso, saiba 
que, por certo, Allah e Bastante a 
Si mesmo, prescindindo dos 
mundos^'\ 

98. Dize: "6 seguidores do Livro! 
Por que renegais os versiculos de 
Allah, enquanto Allah e Testemunha 
do que fazeis?" 

99. Dize: "6 seguidores do Livro! 
Por que afastais os que creem do 
caminho de Allah, buscando toma- 
lo tortuoso, enquanto sois testemun- 
has de que esse e o caminho 
certo?" E Allah nao esta desatento 
ao que fazeis. 

100.6 vos que credes! Se 
obedeceis a um grupo daqueles, 
aos quais fora concedido o Livro^^\ 
eles vos tomarao renegadores da 
Fe, apos haverdes crido. 

101. E como podeis renegar a 
Fe, enquanto se recitam, para vos, 
OS versiculos de Allah, e enquanto, 
dentre vos, esta Seu Mensageiro? 
E quem se agarra a Allah, com 
efeito, sera guiado a uma senda reta. 

102.6 vos que credes! Temei a 
Allah como se deve teme-10, e nao 



cy6%f'^\^\p^\J' ^^ 



l-r.^f 



© C)^Ji2\ j^!^'^\d^^ 






AjO 









( Ou seja, Deus prescinde dos mundos, constituidos de todos os seres: homens, jinns 

e anjos. 
(2) O Livro: a Tora. 



3. SQratu Al'Imran 



Parte 4 



102 ^ ^J^' ^ ^'j^ J^ ^jj-- 



morrais senao enquanto moslimes. 

103. E agarrai-vos todos a corda 
de Allah^^\ e nao vos separeis. E 
lembrai-vos da gra9a de Allah para 
convosco, quando ereis inimigos^^^ 
e Ele vos pos harmonia entre os 
cora9oes, e vos tornastes irmaos, 
por Sua gra9a. E estaveis a beira 
do abismo do fogo e Ele, deste, 
vos salvou. Assim, Allah toma 
evidentes, para vos Seus sinais, 
para vos guiardes. 

104. E que seja formada de vos 
uma comunidade, que convoque ao 
bem, e ordene o conveniente, e 
coiba o reprovavel. E esses sao os 
bem-aventurados. 

105. E nao sejais como os que 
se separaram e discreparam, apos 
Ihes haverem chegado as evidencias. 
E esses terao formidavel castigo, 

106. Um dia, em que certas 
faces resplandecerao e outras 
faces enegrecerao^^l Entao, quanto 
aqueles, cujas faces enegrecerem, 
dir-se-lhes-a: "Renegastes a Fe, apos 
haverdes sido crentes? Experimental, 
pois, o castigo, porque a renegaveis." 






'^Ci^x^ 



J^i} \}i^^^ i3»\j^4 J^J 






.^, . ,> 



^"^ -i ,'f ^ '\>, } f 9 9 * Hy^ »t'^ . .If 



(0 A corda de Allah: o Alcorao. Invoca^ao a que todos busquem amparo e prote(?ao 
no Alcorao, o vinculo entre o homem e Deus, pois os ensinamentos, no Livro, n^o 
so unem, em cadeia, uns aos outros, mas, todos a Deus, seu Protetor. 

(2) Referenda k inimizade existente entre os arabes, antes do advento do Isiao. 

0) A face do benfeitor ser^ iluminada, enquaoto a do malfeitor sera marcada pelo 
negrume da descren^a. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 4 



103 



t ^>» 



T d\y)S' JT Ojj--. 



107. E, quanto aqueles, cujas 
faces resplandecerem, estarao na 
misericordia de Allah. Nela, serao 
etemos. 

108. Esses sao os versiculos de 
Allah: recitamo-los, para ti, com a 
verdade. E Allah nao deseja 
injusti9a para os mundos^^\ 

109. E de Allah e o que ha nos 
ceus e que ha na terra, e a Allah 
sao retomadas as determina96es. 

110. Sois a melhor comunidade 
que se fez sair, para a humanidade: 
ordenais o conveniente e coibis o 
reprovavel e credes em Allah. E, se 
OS seguidores^^^ do Livro, cressem, 
ser-lhes-ia melhor. Dentre eles, ha 
OS creates, mas sua maioria e 
perversa. 

lU.Eles nao vos prejudicarao 
senao com molestia. E, se eles vos 
combaterem, voltar-vos-ao as costas; 
em seguida, nao serao socorridos. 

112. A vileza estende-se, sobre 
eles, onde quer que se achem, 
exceto se estao com prote9ao de 
Allah e prote9ao dos homens^"^\ E 
incorrem em ira de Allah. E, sobre 















(OCf. I 2 nl e III 97 PlOl nl. 

(2) Referenda aos judeus e aos cristaos. 

\y) Prote^do dos homens: os judeus so podem conviver em paz com os moslimes que 
Ihes oferecem prote^ao, ao firmarem, conforme as leis islamicas, a alian^a de 
Az-Zimmah (da prote^So), mediante pagamento da taxa chamada al jizyah. 



3. Suratu APlmran 



Parte 4 



104 



i ^>i 



T d\y)S' JT Ojj^ 



eles, estende-se a humilhafao. Isso, 
porque renegavam os sinais de 
Allah e matavam^^^ sem razao, os 
profetas. Isso, porque desobedeciam 
e cometiam agressao. 

113. Eles nao sao todos iguais. 
Dentre os seguidores^^^ do Livro, 
ha uma comunidade reta, que recita 
OS versiculos de Allah, nas horas 
da noite, enquanto se prostema; 

114. Eles creem em Allah e no 
Derradeiro Dia, e ordenam o 
conveniente e coibem o reprovavel 
e se apressam para as boas a9oes. 
E esses sao dos integros. 

115. E o que quer que fafam de 
bom nao Ihes sera negado. E Allah, 
dos piedosos, e Onisciente. 

116. Por certo, aos que renegam 
a Fe, de nada Ihes valerao as 
riquezas e os filhos diante de 
Allah. E esses sao os companheiros 
do fogo. Nele, serao etemos. 

117.0 exemplo do que eles 
despendem, nesta vida terrena, e 
como o de um vento glacial: 
alcanfou um campo lavrado de um 
povo injusto com si mesmo e 
aniquilou-o. E Allah nao foi 
injusto com eles, mas eles foram 
injustos com si mesmos. 

(OCf. 1161 n2. 

(2) Referencia aos judeus e aos cristSos. 



i--^ 









3. Suratu Arimran 



Parte 4 



105 



i ^j^\ 



T d\jAS' JT djj-^ 



118.6 vos que credes! Nao 
tomeis por confidentes outros alem 
dos vossos: eles nao vos pouparao 
desventura alguma; almejarao vosso 
embara9o. De fato, a aversao 
manifesta-se nas suas bocas, e o que 
seus peitos escondem e ainda maior. 
Com efeito, tornamos evidentes, 
para vos, os sinais. Se razoasseis! 

119. Ei-vos que os amais, 
enquanto eles nao vos amam; e vos 
credes em todo o Livro^^\ E, quando 
eles deparam convosco, dizem: 
"Cremos". E, quando a sos, mordem 
as pontas dos dedos de rancor 
contra vos. Dize, Muhammad: 
"Morrei com vosso rancor!" Por 
certo, Allah, do intimo dos peitos, 
e Onisciente. 

120. Se algo de bom vos toca, 
isto OS aflige. E, se algo de mal vos 
alcan9a, com isso jubilam. E, se 
pacientardes e fordes piedosos, sua 
insidia, em nada vos prejudicara. 
Por certo, Allah esta sempre 
abarcando o que fazem. 

121. E lembra-te de quando, ao 
amanhecer, deixaste tua familia, para 
dispor OS crentes em posi9ao de 
combate^^l - E Allah e Oniouvinte, 
Onisciente - 






;i&i54"^'i|3iS.:^/'' 



\ 












( ^ ) Todos OS livros divinos. 

(2) Alusao a Batalha de Uhud, o segundo combate dos moslimes, contra os idolatras 
de Makka, onde aqueles foram derrotados. A denomina9ao desta batalha se deve a 
haver sido realizada perto da Montanha de 'Uhud, em Al Madlnah. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 4 



106 t ^>» 



T d\y^ JT 5jj^ 



122. E de quando duas de vossas 
fac9oes^^^ intentaram acovardar-se, 
enquanto Allah era seu Protetor. - 
E que OS crentes, entao, confiem 
em Allah! - 

123. E com efeito, Allah socor- 
reu-vos em Badr, enquanto ereis 
humilhados^^\ - Entao, temei a 
Allah, na esperan9a de serdes 
agradecidos -. 

124. E de quando disseste aos 
crentes: "Nao vos basta que vosso 
Senhor vos auxilia com tres mil 
anjos descidos do ceu?" 

125. Sim, se pacientais e sois 
piedosos, e os inimigos vos chegam, 
de imediato, vosso Senhor auxiliar- 
vos-a com cinco mil anjos 
assinalados^"^\ 

126. E Allah nao o fez senao 
como alvissaras para vos e para que 
vossos cora96es se tranquilizassem 
com isso. - E o socorro nao vem 
senao de Allah, O Todo-Poderoso, 
O Sabio -. 

127. E socorreu-vos, para cortar 
uma fac9ao dos que renegaram a 






SaUUi\ 












Vr. 



^3>^==^5i^\oi^^. 



(0 O versiculo faz referenda a alguns dos Banu Salamah, da tribo Khazraj, e Banu 
Harithah, da tribo Al Aus, que, na batalha, compunham as duas alas do exercito 
islamico. 

(2) Isso, em virtude do reduzidissimo numero de provisoes e animais de montaria. 

(3) Anjos assinalados: com sinais distintivos, tais como turbantes amarelos, cujas 
pontas desciam por entre as espaduas. 



3. Suratu Arimran 



Parte 4 



107 i ^>' 



T d\jAS' JT 5jj-- 



Fe, ou para desbarata-los: entao, 
tomariam malogrados; 

128.- Nada da determina9ao 
divina te pertence, Muhammad - 
ou para Ele voltar-se para eles, 
remindo-os, ou para castiga-los, 
pois eles, por certo, sao injustos. 

129. E de Allah e o que ha nos 
ceus e o que ha na terra. Ele 
perdoa a quern quer e castiga a 
quern quer. E Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

130.6 vos que credes! Nao 
devoreis a usura^'\ muitas vezes 
duplicada; e temei a Allah, na 
esperan9a de serdes bem-aventura- 
dos. 

131. E guardai-vos do Fogo, que 
e preparado para os renegadores da 
Fe. 

132. E obedecei a Allah e ao 
Mensageiro, na esperan9a de 
obterdes misericordia. 

133. E apressai-vos para um 
perdao de vosso Senhor e para um 
Paraiso, cuja amplidao e a dos ceus e 















(0 Por dois motivos principals, o IslSo proibe a pratica da usura: a) por motivo 6tico: 
IslSo assevera a convivencia fratema, na sociedade, em que o forte deve amparar 
fraco, e jamais explora-lo. Na verdade, o usur^rio se prevalece da situa9ao do 
necessitado, oferecendo-Ihe ilusorio auxilio, em troca da restitui9ao dobrada deste 
auxilio e da posse voraz de tudo quanto Ihe pertence; b) por motivo economico: a 
usura cria uma classe inoperante e ociosa na sociedade, quando o Islao prega, 
exatamente, o contrario, ou seja, que cada individuo deve trabalhar para viver e 
nao viver do trabalho e do sofrimento alheios. 



3. Suratu Arimran 



Parte 4 



108 



i i,j^\ T d\y>S' JT d;j^ 



da terra, preparado para os piedosos, 

134. Que despendem, na pros- 
peridade e na adversidade, e que 
contem o rancor, e indultam as 
outras pessoas - e Allah ama os 
benfeitores - 

135. E que, quando cometem 
obscenidade, ou sao injustos com 
si mesmos, lembram-se de Allah e 
imploram perdao de seus delitos - 
e quern perdoa os delitos senao 
Allah? - e nao se obstinam no que 
fizeram, enquanto sabem. 

136. Esses, sua recompensa sera 
o perdao de seu Senhor e Jardins, 
abaixo dos quais correm os rios; 
nesses, serao eternos. E que 
excelente o premio dos laboriosos! 

137. Com efeito passaram, antes 
de v6s, procedimentos exemplares 
de castigo. Entao, caminhai na 
terra, e olhai como foi o fim dos 
desmentidores! 

138. Este^^^ e um esclarecimento, 
para os homens, e orienta9ao e 
exorta9ao para os piedosos. 

139. E nao vos desanimeis nem 
vos entristefais - enquanto sois os 
superiores - se sois crentes. 

140. Se um sofrimento vos 
tocar, pacientai, pois, com efeito, 









(U Este: AlcorSo. 



3. Suratu Arimran 



Parte 4 



109 



i (,j^\ T d\y^ JT djj^ 



sofrimento igual havia tocado o 
povo inimigo. E esses dias^^\ 
alternamo-los entre os homens. E 
isso, para que Allah conhe9a os 
que creem e escolha de vos martires 
- e Allah nao ama os injustos - 

141. E para que purgue os que 
creem e para que extermine os 
renegadores da Fe. 

142. Ou supondes entrareis no 
Paraiso, enquanto, ainda, nao 
fizestes saber^^^ a Allah quais, 
dentre vos, lutareis, e nao O fizestes 
saber quais os perseverantes? 

143. E, com efeito, anelaveis a 
morte, antes de a deparardes; e, com 
efeito, viste-la, enquanto olhaveis. 

144. E Muhammad nao e senao 
Mensageiro; de fato, outros 
Mensageiros passaram, antes dele. 
Entao, se ele morrer ou for morto, 
tornareis atras, virando os calcan- 
hares? E quem torna atras, virando 
OS calcanhares, em nada prejudicara 
a Allah. E Allah recompensara os 
agradecidos. 

145. E nao e admissivel que 
uma pessoa morra senao com a 









"^ \SJ^ C)\ ot^ ^l^laj 



(0 O termo dias se refere aos momentos de vitoria e derrota, na vida, que e alternada 
de prosperidade e adversidade. 

(2) Literalmente: "... enquanto nao sabe Deus, ainda, os que lutarao, entre vos, e nao 
sabe, ainda, os que serSo pacientes?' Estilisticamente, quando se diz que Deus "nao 
sabe" algo, na verdade, quer-se dizer que este algo nem existe. 



3. SQratu Arimran 



Parte 4 



110 



t ^ji-l r d\y^ JT 5jj^ 



permissao de Allah. E prescri9ao 
fixa. E a quem deseja a retribui9ao 
da vida terrena, conceder-lhe-emos 
algo desta; e a quem deseja a 
retribui9ao da Derradeira Vida, 
conceder-lhe-emos algo desta. E 
recompensaremos os agradecidos. 

146. E quantos profetas houve, 
junto dos quais numerosos devotos 
combateram! E nao se desanimaram, 
pelo que os alcan9ara, no caminho 
de Allah, nem fraquejaram nem se 
humilharam. - E Allah ama os 
perseverantes - 

147. E seu dito nao foi senao 
dizerem: "Senhor nosso! Perdoa- 
nos OS delitos e os excessos em 
nossa conduta. E torna-nos firmes 
OS passos e socorre-nos contra o 
povo renegador da Fe." 

148. Entao, Allah concedeu-lhes 
a retribui9ao da vida terrena e a 
aprazivel retribui9ao da Derradeira 
Vida. E Allah ama os benfeitores. 

149.6 vos que credes! Se 
obedeceis aos que renegam a Fe, 
eles vos farao tomar atras, virando 
OS calcanhares: entao, tomar- vos- 
eis perdedores. 

150. Mas Allah e vosso Protetor. 
E Ele e O Melhor dos socorredores. 

151.Lan9aremos o terror no 
cora9ao dos que renegam a Fe, por 



^ \^* ' > <^\^ ' J*!' \^z ^tf -^ r^fo 






J^i^^ jL^=sCiy> ^il Jj 






3. Suratu Arimran 



Parte 4 



111 i ^>< 



T OijAP JT o^j^ 



haverem associado a Allah o^^^ de 
que Ele nao fez descer comprovafao 
alguma. E sua morada sera o Fogo. 
E que execravel a moradia dos 
injustos! 

152. E, com efeito, Allah confir- 
mou Sua promessa para convosco, 
quando, com Sua permissao, vos 
OS trucidastes. Assim foi, ate que, 
quando vos acovardastes e disputas- 
tes acerca da ordem^^\ e desobede- 
cestes, depois de Ele vos fazer ver 
o^^^ que amaveis, fostes derrotados. 
Houve, dentre vos quem desejasse 
a vida terrena e houve, dentre vos, 
quem desejasse a Derradeira Vida. 
Em seguida, Ele desviou-vos 
deles^'^^ para por-vos a prova. E, 
com efeito, Ele vos indultou. E Allah 
e Obsequioso para com os crentes. 

153. Lembrai-vos de quando vos 
afastaveis, fugindo, sem atentardes 
para ninguem, enquanto o Mensa- 
geiro vos convocava por tras de 
vos; entao, Ele vos retribuiu 
angustia por angustia, pelo que 
causastes ao Profeta, e para que 




















..M^ 












(0 O: aquilo, ou seja, os idolos. 

(2) A ordem dada pelo Profeta Muhammad aos flecheiros, para que permanecessem 
na montanha, a espreita do inimigo, e protegessem o exercito. Na iminencia de 
vitoria dos moslimes, estes flecheiros comegaram a polemizar a ordem dada. 
Muitos deles, em desobediencia, desceram a montanha, a cata dos espolios, 
abrindo, com isso, uma brecha no exercito, por onde, depois, entrou vitorioso o 
inimigo. 

(^) O: aquilo, a vitoria. 

(4) Deles: dos idolatras. 



3. Suratu Arimran 



Parte 4 



112 i ^> 



T OijAP JT djj^ 



vos nao entristecesseis com o que 
havieis perdido nem com o que vos 
havia alcan9ado. E Allah, do que 
fazieis, e Conhecedor. 

154. Em seguida, Ele fez descer 
sobre vos, apos a angiistia, 
seguran9a: um sono que encobriu 
uma fac9ao de vos, enquanto uma 
outra fac9ao, com efeito, se preoc- 
upava com si mesma, conjeturando, 
inveridicamente, acerca de Allah, 
conjeturas do tempo da 
ignorancia^'\ Diziam: "Temos nos 
algo^^^ da determina9ao?" Dize, 
Muhammad: "Por certo, toda 
determina9ao e de Allah." Eles 
escondem, nas almas, o que te nao 
manifestam. Dizem: "Se tivessemos 
algo da determina9ao, nao haveria- 
mos sido mortos, aqui." Dize: "Se 
estivesseis em vossas casas, em 
verdade, aqueles, a quem foi 
prescrita a morte, em combate, 
haveriam saido ao encontro de seu 
local de morte." E isso, para que 
Allah pusesse a prova o que havia 
em vossos peitos e para que vos 
purgasse o que havia nos cora9oes. 
E Allah, do intimo dos peitos, e 
Onisciente. 

155. Por certo, aqueles, dentre 
vos, que voltaram as costas, no dia 



1jJ::^\i^%^'^\j 









f*^X^ 



^-e^ ?> 






J^t;^^^ ^jk===^jf} 'b^\\ 



(1) Tempo da ignorancia: o periodo, anterior ao IslSo, na Peninsula Arabica. 

(2) "Influiremos nos nas decis5es da bataiha?" 



3. Suratu APImrSn 



Parte 4 



113 



i ^>i 



T d\y^ JT Ojj^ 



em que se depararam as duas 
hostes, e Sata, apenas, que fe-los 
incorrer em erro, por algo que 
cometeram. E, com efeito, Allah 
indultou-os. Por certo, Allah e 
Perdoador, Clemente. 

156.0 v6s que credes! Nao 
sejais como os que renegam a Fe e 
dizem de seus irmaos, quando 
percorrem a terra ou sao mortos, 
em combate: "Se houvessem ficado 
conosco, nao haveriam morrido 
nem haveriam sido mortos". Allah 
fez disso um motivo de afli9ao nos 
seus cora9oes. E Allah da a vida e 
da a morte. E Allah, do que fazeis, 
e Onividente. 

157.E, em verdade, se fordes 
mortos, no caminho de Allah, ou se 
morrerdes, perdao e misericordia 
de Allah serao melhores que tudo 
quanto eles juntarem. 

158. E, em verdade, se morrerdes 
ou fordes mortos, em combate, a 

Allah sereis reunidos. 

159. E, por uma misericordia de 
Allah, tu, Muljammad, te tomaste 
docil para eles. E, se houvesses 
sido rispido e duro de cora9ao, eles 
se haveriam debandado de teu 
redor. Entao, indulta-os e implora 
perdao para eles e consulta-os 
sobre a decisao. E, se decidires 
algo, confia em Allah. Por certo. 









^^W^ 



J^^A - 



^i^j\ 4i\ J^ (^^iJcS jj^ 



\<:^9?r,< 2^'^^ '^T^-^i^. T^\ 



W^^OjCJ^^ 



4iUV>i^ili^o^i 






Mdrv^ti^ 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 4 



114 



t ^ji-i 



T OIjaP JT ojj^ 



Allah ama os confiantes nEle. 

160. Se Allah vos socorre, nao 
tereis vencedor algum. E, se Ele 
vos desampara, quern, apos dEle, 
vos socorrera? E que em Allah, 
entao, confiem os crentes! 

161. E nao e admissivel que um 
profeta defraude^^^ algo. E quern 
defrauda vira, no Dia da Ressur- 
rei9ao, com o que defraudou. Em 
seguida, cada alma sera compensada 
com o que logrou: e eles nao 
sofrerao injusti9a. 

162. Entao, sera que quem 
segue o agrado de Allah e como 
quem incorre em ira de Allah? E a 
morada deste sera a Geena; e que 
execravel destino! 

163. Eles estao em escaloes 
junto de Allah. E Allah, do que 
fazem, e Onividente. 

164. Com efeito, Allah fez merce 
aos crentes, quando Ihes enviou um 
Mensageiro, vindo deles, o qual 
recita Seus versiculos, para eles, e 
OS dignifica e Ihes ensina o Livro^^^ 
e a Sabedoria. E, por certo, antes, 
estavam em evidente descaminho. 






O-iO ^iALli\ 












(0 Este versiculp foi revelado logo apos a Batalha de Badr, quando, na distribuigao 
dos espolios, se deu por falta de um pedaco de tecido de veludo vermelho, que um 
dos hipocritas presentes afirmou haver sido tirado pelo Profeta. Dai a frase: "Nao e 
concebivel que o Profeta defraude algo, ocultando-o para si, na partilha dos 
espolios". 

(2) O Livro: o Alcorao. 



3. Suratu Al'lmran 



Parte 4 



115 



t t>i 



T d\y^ JT 5jj-*» 



165. Que cousa! Quando uma 
desgra9a vos alcan90u, e que, com 
efeito, vos infligistes, em dobro, ao 
inimigo, dissestes: "De onde vem 
isso?" Dize: "Isso vem de vos 
mesmos^^^!" Por certo, Allah, sobre 
todas as cousas, e Onipotente." 

166. E o que vos alcan9ou, no dia 
em que se depararam as duas hostes, 
foi com a permissao de Allah, e 
para que Ele soubesse dos crentes, 

167. E para que Ele soubesse 
dos hipocritas. E a estes foi dito: 
"Vinde combater no caminho de 
Allah ou defender-nos do inimigo/' 
Disseram: "Se soubessemos que 
haveria combate, seguir-vos-iamos." 
Eles estavam, nesse dia, mais 
proximos da renega9ao da Fe que 
da cren9a. Eles dizem com as bocas 
o que nao ha nos cora9oes. E Allah 
e bem Sabedor do que ocultam. 

168. Sao aqueles que, ausent- 
ando-se do combate, disseram de 
sens irmaos martires: "Se eles nos 
houvessem obedecido, nao haveriam 
sido mortos." Dize, Muhammad: 
"Afastai, entao, de vos a morte, se 
sois veridicos." 






ji^ 






^3 J^Ji <i J*^ ^>4^1^^j. 







( Na Batalha de Badr, anterior. ^ Batalha de Uhud, pereceram 70 homens do exercito 
inimigo do Isl^o, e 80 foram aprisionados. Quando, na Batalha de 'Uhud, os 
moslimes tambem perderam 70 homens, lastimaram a terrivel desgra^a e nSo se 
conformaram com a derrota. Este versiculo esclarece-os das causas desta derrota, 
antes atribuidas ^ desobediencia deles ao Profeta, do que a vontade de Deus. Cf. 
ini52n2. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 4 



116 



i ^j^\ 



T d\j<^ JT djj^ 



169. E nao suponhas que os que 
foram mortos no caminho de Allah 
estejam mortos; ao contrario, estao 
vivos, junto de seu Senhor, e por 
Ele sustentados, 

170. Jubilosos com o que Allah 
Ihes concedeu de Seu favor. E 
exultam pelos que, deixados atras 
deles, ainda se Ihes nao ajuntaram: 
exultam, ainda, por nada haver 
que temer por eles, e eles nao se 
entristecerao. 

171. Exultam por gra9a de Allah 
e por Seu favor, e porque Allah nao 
faz perder o premio dos crentes, 

172.Daqueles que atenderam a 
Allah e ao Mensageiro, apos o 
sofrimento que os alcan9ara^ ^ - ha 
para os que, dentre eles, bem- 
fizeram e foram piedosos magnifico 
premio - 

173.Daqueles aos quais alguns 
homens^^^ disseram: "Por certo, o 
povo^"^^ inimigo, com efeito, reuniu 
hostes contra vos. Entao, receai- 
os." E isso acrescentou-lhes fe, e 
disseram: "Basta-nos Allah! E que 
Excelente Patrono!" 















(0 Logo apos a derrota dos moslimes, na Batalha de Uhud, Abu Sufian, chefede 
Quraich da hoste inimiga, amea90u o Profeta e seus seguidores de que iria revida- 
los em combate, no ano seguinte, desafio que os seguidores de Muhammad 
aceitaram, mesmo abatidos que estavam, pela presente derrota. 

(2) Trata-se, entre outros, de Nu*^aim Ibn Mass*^ud Al Achja*^, porta-voz de Abu 
Sufian, Chefe do Quraich e grande inimigo do Profeta. 

(^) A hoste liderada por Abu Sufian. 



3. Suratu Al'lmran 



Parte 4 



117 



t ^>) 



T d\y^ JT Ojj^ 



174. Entao, tornaram, com grafa 
de Allah e favor, nao os tocando 
mal algum; e seguiram o agrado de 
Allah. E Allah e Possuidor de 
magnifico favor. 

175. Eis Sata: apenas ele vos faz 
temer seus aliados. Entao, nao os 
temais, e temei-Me, se sois crentes. 

176. E que te nao entriste9am, 
Muhammad, os que se apressam 
para a renegafao da Fe. Por certo, 
eles em nada prejudicarao a Allah. 
Allah deseja nao fazer-lhes quinhao 
algum, na Derradeira Vida. E terao 
formidavel castigo. 

177. Por certo, os que compraram 
a renega^ao da Fe pelo pre?o da 
Fe em nada prejudicarao a Allah. E 
terao doloroso castigo. 

178. E que os que renegam a Fe 
nao suponham que o prazo que Ihes 
concedermos seja um bem para 
eles mesmos. Apenas, concedemo- 
Ihes prazo, para se acrescentarem 
em pecado. E terao aviltante castigo! 

179. Nao e admissivel que Allah 
deixe os crentes no estado em que 
estais^^\ ate que Ele distinga o mau 
do bom. E nao e admissivel que 
Allah vos fa9a avistar o Invisivel. 
Mas Allah elege, dentre Seus 
Mensageiros, a quem quer. Entao, 












(0 Ou seja, no estado em que sinceros e hipocritas se encontram mesclados. 



3. SOratu Al^mrfln 



Parte 4 



118 



i ^>t 



T OtjAp JT 5jj*- 



crede em Allah e em Seus 
Mensageiros: e, se crerdes e fordes 
piedosos, tereis magnifico premio. 

180. E que os que sao avaros 
com o que Allah Ihes concedeu de 
Seu favor nao suponham que isso 
Ihes seja um bem; ao contrario, 
isso Ihes e um mal. No Dia da 
Ressurreifao, estarao cingidos, ao 
pesco90, por aquilo a que se 
apegarem com avareza^^l E de 
Allah e a heranfa dos ceus e da 
terra. E Allah, do que fazeis, e 
Conhecedor. 

181. Com efeito, Allah ouviu o 
dito dos que disseram: "Por certo, 
Allah e pobre, e nos somos ricos^^¥' 
- Inscreveremos o que disseram, e 
tarn bem sua desarrazoada matanfa 
de profetas. E diremos: "Experi- 
mentai o castigo da Queima! 

182. "Isso, pelo que vossas 
maos anteciparam!" E porque Allah 
nao e injusto com os servos- 

183. Sao eles os que disseram: 
"Por certo, Allah recomendou-nos 



B^^X^ 









(0 Conforme a tradi9ao islamica, os bens amealhados pelo avaro serao 
transformados, no Dia do Juizo, em enoime serpente, que Ihe cingira pesco90, a 
guisa de colar e o picara, da cabe9a aos pes, repetindo-lhe, incessantemente: "sou 
tua riqueza, sou teus tesouros". 

(2) Ao ser revelado o versiculo 245 do capitulo II, que diz: "Para quern empresta um 
bom emprestimo a Deus, Ele Iho multiplicara muitas vezes", alguns judeus 
haveriam dito a Muliammad que Deus deveria ser bem pobre, pois, do contrario, 
nao necessitaria pedir emprestimo a ninguem. Em resposta a esta ironica 
observa^ao, foi revelado o presente versiculo. 



3. Suratu Al^Imran 



Parte 4 



119 t ^>» 



T d\y^ JT Ojj^ 



que nao cressemos em Mensageiro 
algum, ate que este nos fizesse vir 
uma oferenda que fosse consumida 
pelo fogo^^V' Dize, Muhammad: 
"Mensageiros, antes de mim, com 
efeito, chegaram-vos com as 
evidencias e com o que havieis 
dito. Entao, por que os matastes, se 
sois veridicos?" 

184. E, se eles te desmentem, 
outros Mensageiros, antes de ti, com 
efeito, foram desmentidos. Eles 
chegaram com as evidencias e com 
OS Salmos e com o Livro 
Luminoso^^\ 

185. Cada alma experimentara a 
morte. E, apenas, no Dia da Ressur- 
rei9ao, sereis compensados com 
vossos premios. Entao, quem for 
distanciado do Fogo e introduzido 
no Paraiso, com efeito, triunfara. E a 
vida terrena nao e senao gozo falaz. 

186. Em verdade, sereis postos a 
prova em vossas riquezas e em vos 
mesmos; e, em verdade, ouvireis 
muitas molestias daqueles^^^ aos 
quais, antes de vos, fora concedido 
o Livro, e dos que idolatram . E, se 
pacientardes e fordes piedosos, por 
certo, isso e da firmeza indispen- 



^>^" 










(U Versiculo dirigido aos judeus que exigiam provas da veracidade de Muhammad, 
como Mensageiro de Deus, segundo as contidas na Tora. Vide Levitico IX 24 e 
Reis XVIII 38. 

(2) O Livro Luminoso: que engloba todos os livros divinos. 

(^) Daqueles: de judeus e cristaos. 



3. SOratu APImran 



Parte 4 



120 i ^>» 



T OIjap JT djj^ 



savel em todas as resolufoes. 

187. E quando Allah firmou 
alian9a com aqueles a quem fora 
concedido o Livro^^^: "Que v6s o 
tomeis evidente, para o povo e nao 
o oculteis"; entao, atiraram-no para 
tras das costas e venderam-no por 
infimo pre90^^\ E que execravel o 
pre^o pelo qual o venderam! 

188. Nao suponhas que os que 
jubilam com o que cometem e amam 
ser louvados com o que nao fizeram, 
nao OS suponhas, pois, salvos do 
castigo. E terao doloroso castigo! 

189. E de Allah e a soberania 
dos ceus e da terra. E Allah, sobre 
todas as cousas, e Onipotente. 

190. Por certo, na criafao dos 
ceus e da terra, e na altemancia da 
noite e do dia, ha sinais para os 
dotados de discernimento, 

191. Que se lembram de Allah, 
estando de pe e assentados e 
deitados^^\ e refletem na cria9ao 
dos ceus e da terra e dizem: "Senhor 









(0 O Livro: aTora. 

(2) Alusao aos sacerdotes judeus que se abstiveram de ensinar a sua comunidade 
todos OS conhecimentos da Lei de Deus, preservando muitos deles, para si 
proprios, a fim de, com isso, estabelecer sua superioridade em rela^ao ao povo e, 
assim, assegurar sua lideran^a. Por este vil pre^o, deixaram de disseminar a 
verdade do Livro. 

(3) E dever dos homens lembrarem-se de Deus a todo instante, e, mais intensamente, 
ao rezarem. Se, por circunstancias varias, forem impedidos de fazer, normalmente, 
a ora^ao de pe, ser-lhes-^ permitido fazerem-na sentados ou deitados, ou 
simulando as reverencias com meneios da cabe^a. 



3. Suratu Al'lmrdn 



Parte 4 



121 



t ^jJrl T OtjAP JT 5jj^ 



nosso! Nao criaste tudo isto em 
vao. Glorificado sejas! Entao, 
guarda-nos do castigo do Fogo; 

192."Senhor nosso! Por certo, 
aquele que Tu fazes entrar no Fogo, 
Tu, com efeito, o ignominias. E nao 
ha para os injustos socorredores; 

193."Senhor nosso! Por certo, 
ouvimos um pregador que pregava 
a Fe, dizendo: 'Crede em vosso 
Senhor!' E cremos. Senhor nosso! 
Perdoa-nos, pois, os delitos e 
remite-nos as mas obras e leva-nos 
a alma para junto dos virtuosos; 

194. "Senhor nosso! E concede- 
nos o que nos prometeste por meio 
de Teus Mensageiros, e nao nos 
ignominies, no Dia da Ressurreifao. 
Por certo, Tu nao faltas a promessa." 

195. Entao, Seu senhor atendeu- 
os, dizendo: "Por certo, nao fafo 
perder o labor de um laborioso, 
entre vos, seja varao^ ^ ou varoa: 
procedeis uns dos outros. Entao, 
aos que emigraram e foram expulsos 
de seus lares e foram molestados 
em Meu caminho e combateram e 
foram mortos em combate remir- 
Ihes-ei as mas obras, e fa-los-ei 
entrar em Jardins, abaixo dos quais 
correm os rios, como retribuifao 






(^) Este versiculo foi revelado quando Umm Salamah, mulher do Profeta Muhammad, 
Ihe confessou nSo entender porque, no Alcorao, nao foram mencionadas as 
mulheres, assim como os homens, quando trata das recompensas da Hegira. 



3. Suratu Al'Imran 



Parte 4 



122 ^ ^i^^ ^ ^"^y^ J^ '^^y-' 



de Allah. E junto de Allah esta a 
aprazivel retribuifao. 

196. Nao te iluda, Muhammad, 
a prosperidade, nas terras, dos que 
renegam a Fe^ : 

197. E gozo efemero. Em 
seguida, sua morada sera a Geena. 
E que execravel leito! 

198. Mas OS que temem a seu 
Senhor terao Jardins, abaixo dos 
quais correm os rios; nesses, serao 
eternos, como hospedagem de 
Allah. E o que ha junto de Allah e 
melhor para os virtuosos. 

199. E, por certo, ha, dentre os 
seguidores^^ do Livro, os que 
creem em Allah, e no que foi 
descido para vos, e no que fora 
descido para eles, sendo humildes 
para com Allah, nao vendendo os 
sinais de Allah por infimo pre90. 
Esses terao seu premio junto de 
seu Senhor. Por certo, Allah e 
Destro no ajuste de contas. 

200.6 vos que credes! Pacientai 
e perseverai na paciencia; e sede 
constantes na vigilancia e temei a 
Allah, na esperan9a de serdes bem- 
aventurados. 






/^ .f^A^-^i 



8^\ ^ \\ 













(0 Este versiculo foi dirigido aos que se deixavam seduzir pelas enganosas 
aparencias, e aos que, nao se conformando com situa9ao prospera dos idolatras, 
em suas andan^as a cata de riquezas, indagaram do Profeta por que eles, crentes, 
nao gozavam dos mesmos privilegios, e se encontravam a mingua. 

(2) Ou seja, os Judeus e os cristaos. 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 4 



123 



t ^>-i 



t (.LmjJI djj^ 



SURATU AN-NISSA'^^^ 
A SURA DAS MULHERES 



De Al MadTnah - 1 76 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1.6 homens! Temei a vosso 
Senhor, Que vos criou de uma so 
pessoa e desta criou sua mulher^^\ 
e de ambos espalhou pela terra 
numerosos homens e mulheres. E 
temei a Allah, em nome de Quem 
vos solicitais mutuamente, e res- 
peitai os la90s consanguineos. Por 
certo, Allah, de vos, e Observante. 

2. E concedei aos orfaos suas 
riquezas e nao troqueis o maligno 
pelo benigno, e nao devoreis suas 
riquezas, junto com vossas 
riquezas^^\ Por certo, isso e grande 
crueldade. 




^^>^^^^ 






»^oJ5^ ^^ ^ ie • 






5J Totflp^OD j4jI 



(0 An-Nissd : e a forma plural de imraah, que significa mulher, e, assim, se 
denomina esta sura pela men?^© reiterativa dessa palavra, desde os primeiros 
versiculos. E o mais extenso do AlcorSo, na analise de assuntos atinentes as 
mulheres, da infancia, no casamento a maternidade, e as eleva a um nivel, ate 
entao desconhecido. Alem disso, a sura trata da estabilidade social dentro da 
comunidade islamica, onde sSo tratadas questdes de familia, cuidados com os 
orfaos, preserva9ao dos bens e da heran^a, boa existencia familiar e social; e da 
estabilidade social fora da na9ao islamica, quando orienta os moslimes sobre a 
Guerra Santa, os cuidados em combate, o cumprimento da ora^ao em tempos de 
guerra, etc.. Esta sura analisa, outrossim, assuntos relativos aos judeus, de maneira 
geral, e a Jesus. 

(2) Desconhecem-se, no AlcorSo, as particularidades de como haja sido esse conjuge. 
Alguns exegetas consideram que essa mulher de Adao foi criada da costela dele, 
tal como se pode encontrar no Genesis II 18-25. 

0) Islao enfatiza a importancia dos cuidados dirigidos a crian9a orfa, cujos bens 
devem ser preservados, ate sua maioridade, ocasiSo em que esta apta a geri-los 
convenientemente. 



4. Suratu An-Niss9' 



Parte 4 



124 



i ^>i 



i (.L^oii ^jj^ 



3. E, se temeis nao ser eqiiit- 
ativos para com os 6rfaos^'\ esposai 
as que vos aprazam das mulheres^^^: 
sejam duas, tres ou quatro. E se 
temeis nao ser justos, esposai uma 
so, ou contentai-vos com as escravas 
que possuis^"^l Isso e mais adequado, 
para que nao cometais injusti9a. 

4. E concedei as mulheres 



no 



(4) 



casamento, suas saduqar , como 
dadiva. E, se elas vos cedem, 






(0 Tanto este versiculo quanto o 127, desta mesma sura, se referem ao receio de os 
tutores se casarem com meninas orfSs, e a recomenda9ao contida aqui e feita para 
sanar urn mal, bastante disseminado na Peninsula Arabica, em epocas pre- islamicas, 
e que consistia no habito de eles se casarem com orfas, ou faziam-nas casar com seus 
filhos, a fim de assumirem seus dotes materiais e gozarem de seus dotes flsicos. E, 
por nao haver ninguem que intercedesse por elas, a injusti9a perpetrada por eles 
continuou impune, ate o advento do Islao. Outra interpreta9ao, ligada a este 
versiculo, e de que haja sido dirigido aqueles homens que, receando cometer 
injusti9a com os orf^os, preferiram evitar a tutoria, mas se esquecendo de outra 
injusti9a cometida: aquela contra suas proprias mulheres que, ate o Islao, 
chegavam a um numero incontavel, e eram tratadas com severidade e desigualdade. 
O Islao nao apenas Ihes lembra isso, mas os aconselha a reduzir o numero de 
mulheres no matrimonio, para que elas possam ter garantidos todos seus direitos. 

(2) Sabe-se que o povo arabe adotou, durante varios seculos, a poligamia. No passado, 
foram inumeros os povos que a adotaram. Desde o Patriarca Abraao ate a vinda de 
Cristo, o Velho Testamento, por exemplo, apresenta inumeras passagens da 
existencia de vida conjugal poligamica. Fundamentalmente, a poligamia resultou 
de dois fatores inexoraveis e incontornaveis do passado: 1.°) a mortalidade maior 
do sexo masculino, pelas guerras; 2.°) o repudio dos orientals a institui9ao 
chamada prostitui9ao. O Islao foi a primeira religiao que limitou o numero de 
esposas, no contexto poligamico, impondo tres condi9oes ao homem: 1.°) nao 
ultrapassar o numero de quatro esposas; 2.°) nao ser injusto com nenhuma delas ; e 
3.°) ser apto a sustenta-las equitativamente. Ao admitir esta modalidade 
poligamica, o Islao apenas corrigiu uma situa9ao anarquica, que reinava no mundo 
todo. Impos a justi9a no matrimonio, a fim de garantir os direitos da mulher, algo 
absolutamente desconhecido na antiga pratica de contrair casamento ate com mais 
de vinte mulheres, ao mesmo tempo. 

(^) Se homem nao se encontrar em condi96es de sustentar a mulher livre, pode 
casar-se com uma escrava, ja que esta exige menos despesas. 

(4) ^aduqat, plural de saduqah, que equivale ao mahr ou al faridah: ou seja, a 
quantia que o homem deve pagar a mulher, no ato do contrato matrimonial, como 
dadiva. Cf. II 236 n2. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 4 



125 



i t>-i 



i cL^t ^)j^ 



voluntariamente, algo destas, 
desfrutai-o, com deleite e proveito. 

5. E nao concedais aos ineptos 
vossas riquezas^^\ que Allah vos 
fez por arrimo, e dai-lhes sustento 
delas^^^ e vesti-os, e dizei-lhes 
palavras bondosas. 

6. E ponde a prova os orfaos, ate 
que atinjam o matrimonio; entao, se 
percebeis neles maturidade, 
entregai-lhes suas riquezas e nao 
as devoreis, com dissipa9ao e 
presteza, antes de eles alcan9arem 
a maioridade. E quern e rico, que 
se abstenha dessas riquezas. E 
quern e pobre, que delas desfrute 
algo convenientemente. E, quando 
Ihes entregardes as riquezas, fazei- 
o perante testemunhas. E basta 
Allah por Ajustador de contas. 

7. Ha para os homens por9ao do 
que deixam os pais e os parentes. E 
ha para as mulheres por9ao^^^ do 






© K:i^^\ii)^j]^^^ 






(U Apesar de o Islao garantir a liberdade individual da gerencia dos proprios bens, 
restringe-a, em determinados casos, quando possa haver perigo de corrupgao 
social, como e o caso dos ineptos, que a promovem, quando esbanjam os proprios 
bens, e dos deficientes mentais, e, por isto, incapacitados de participar, em termos 
de igualdade, do exercicio de atividades normais. 

(2) Sustentar e vestir os ineptos com o fruto da manipula^So inteligente de suas riquezas 
e nao com os pr6prios bens, que devem mostrar-se intatos, enquanto aplicados. 

(3) Antes do Isiao, tan to a mulher quanto a crian^a nao podiam herdar, e este 
versiculo veio, para garantir-lhes o seguinte: a) a mulher, como o homem, tem 
direito a parte da heran^a; b) a distribui^ao dos bens deve ser realizada sempre, 
nao importa o montante (antes do Islao, se se tratasse de pequena monta, era 
concedida, apenas, ao filho); c) a heran^a e um dever desde que o morto deixe 
bens; d) o parente proximo impede o acesso a heran^a ao parente mais afastado; e) 



4. SOratu An-Nissa' 



Parte 4 



126 



t ^>i 



t $.L*u]t ^jy^ 



que deixam os pais e os parentes, 
seja pouco ou muito. E por9ao 
preceituada. 

8. E, se OS parentes nao herdei- 
ros, e OS orfaos e os necessitados 
presenciam a divisao da heran^a, 
dai-lhes algo dela, e dizei-lhes 
palavras bondosas. 

9. E, que receiem pelos orfaos 

OS que, se deixarem, atras de si, 
descendencia indefesa, com ela se 
preocupam. Entao, que temam a 
Allah e que digam dito 
apropriado^^\ 

10. Por certo, os que devoram as 
riquezas dos orfaos, injustamente, 
apenas devoram fogo, para dentro 
de seus ventres. E queimar-se-ao 
em Fogo ardente. 

11. Allah recomenda-vos, acerca 
da heran^a de vossos filhos: ao 
homem, cota igual a de duas mul- 
heres ^^\ Entao, se forem mulheres, 
duas ou acima de duas, terao dois 
ter^os do que deixar o falecido. E, 
se for uma, tera a metade. E aos 












Jl^\ wis il^^iiii^o^ 



a partilha da heran^a deve abranger toda a especie de bens, seja de dinheiro ou nSo 
(antes do Islao, so o filho herdava os outros bens, alem do dinheiro). 

( E advertencia aos tutores que, da mesma forma que receariam por seus proprios 
filhos, se OS deixassem indefesos, devem recear pelos tutelados. E, ao pai 
agonizante, devemos aconselha-lo e sugerir-lhe o melhor Para os filhos, que deixa, 
nao se prevalecendo jamais da situa9ao para insuflar-Ihe ideias que os 
prejudicassem. 

(2) O Islao concede ao homem, na heran^a, o dobro que ^ mulher, assentado no 
pressuposto de que ^quele cabem responsabilidades maiores: as despesas com a 
casa, a familia, os filhos, alem do mahr que concede ^s mulheres, ao casar-se. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 4 



127 



t ^j^\ 



i (.L^l djjNK 



pais, a cada um deles, o sexto do 
que deixar o falecido, se este tiver 
filho. E, se nao tiver filho, e seus 
pais o herdarem, a mae, o ter90. E, 
se tiver irmaos, a mae, o sexto. Isso, 
depois de executado o testamento^'^ 
que houver feito, ou de pagas as 
dividas. Entre vossos pais e vossos 
filhos, nao vos inteirais de quais 
deles vos sao mais proximos em 
beneficio. E preceito de Allah. Por 
certo, Allah e Onisciente, Sabio. 

12. E tereis a metade do que 
vossas mulheres deixarem, se estas 
nao tiverem filho. E, se tiverem 
filho, a vos, o quarto do que deixa- 
rem. Isso, depois de executado o 
testamento que houverem feito, ou 
de pagas as dividas. E terao elas o 
quarto do que deixardes, se nao 
tiverdes filho. E, se tiverdes filho, 
a elas, o oitavo do que deixardes. 
Isso, depois de executado o testa- 
mento que houverdes feito, ou de 
pagas as dividas. E, se houver 
homem ou mulher com heran9a e 
em estado de kalalah^^\ e tiver um 
irmao ou uma irma^"^\ a cada um 
deles o sexto. E, se forem mais que 
isso, serao socios no tergo, depois 






-^3^/ 






ji^U <Jj->IaJ l4-=jj 5^ 



C ---T\/ , 




^3 (jtj^\ \^ii=>0^ 



(0 Ou seja, apos feitas as doa96es e pagas as dividas, havera, ai, a partilha do restante. 

(2) Estado de kalalah: estado em que alguem, .falecendo, nao deixa ascendentes nem 
descendentes. 

(^) Trata-se dos irmaos por parte de mae. Quanto aos outros, seu caso e estudado no 
final desta sura. 



4. SQratu An-Nissd' 



Parte 4 



128 



i ^>» 



t (.L^Jt Ojj^ 



de executado o testamento que 
houver sido feito, ou de pagas as 
dividas, sem prejuizo de ninguem. 
E recomenda9ao de Allah. E Allah 
e Onisciente, Clemente. 

13, Esses sao os limites de Allah. 
E a quern obedece a Allah e a Seu 
Mensageiro, Ele os fara entrar em 
Jardins, abaixo dos quais correm 
OS rios; nesses, serao etemos. E 
esse e o magnifico triunfo. 

14, E a quern desobedece a Allah 
e a Seu Mensageiro e transgride 
Seus limites, Ele o fara entrar em 
Fogo; nele, sera etemo. E tera 
aviltante castigo. 

15, E aquelas de vossas mulheres 
que cometerem obscenidade^^\ 
entao, fazei testemunhar contra elas 
quatro de v6s. E, se o testemun- 
harem, retende-as nas casas, ate 
que a morte Ihes leve a alma, ou 
que Allah Ihes trace um caminho^^\ 

16, E aqueles dois, dentre vos, 
que a^"^^ cometerem, entao, molestai- 
os. E, se ambos se voltarem 
arrependidos e se emendarem, dai- 
Ihes de ombros. Por certo, Allah e 
Remissorio, Misericordiador. 



^ i .X 







oll>- A^-e--^ /^J^JJ 






(0 Ou seja, cometer adulterio. 

(2) A puni9ao, expressa neste versiculo, refere-se a prescrita, somente, na primeira 
fase do IslSo, ja que foi ab-rogada, como se vera no inicio da sura XXIV. 

(^) Trata-se, ao que parece, do adulterio cometido pelo homem e mulher solteiros, 
cuja puni9ao foi, igualmente, ab-rogada, como a do versiculo anterior. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 4 



129 i ^>» 



i $>L«%Jt ^JJ*** 



17. Impende a Allah a remissao, 
apenas, para os que fazem o mal 
por ignorancia, em seguida, logo 
se voltam arrependidos; entao, a 
esses Allah remitira. E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

18. E a remissao nao e para os 
que fazem mas obras ate que, no 
momento em que a morte se 
apresenta a um deles, diz: "Volto- 
me arrependido, agora"; nem para 
OS que morrem, enquanto renega- 
dores da Fe. Para esses, preparamos 
doloroso castigo. 

19. 6 vos que credes! Nao vos e 
licito herdar as mulheres, contra a 
vontade^^^ delas. E nao as impe9ais 
de se casarem de novo, a fim de 
que vos vades com algo que ja 
Ihes havieis concedido, exceto se 
elas cometem evidente obscenidade. 
E convivei com elas, convenientem- 
ente. E, se as odiais, pacientai: 
qui9a, odieis algo, em que Allah 
faz existir um bem abundante. 

20. E, se desejais substituir uma 
esposa em lugar de outra, e haveis 
concedido a uma delas um quintal 
de ouro, nada tomeis deste. Toma- 



<:f <^ t ^ <♦■ 







^^4j^\jj;^j 






(0 Antes do Islao, a viuva podia ser herdada por parentes, de maneira que o herdeiro 
podia casar-se com ela, sem precisar pagar-lhe al mahr. Podia, ainda, faze-la 
casar-se com outrem, recebendo, deste modo, a quantia exigida. Ou podia impedi- 
la de casar-se com quem ela desejasse, ate que ela Ihe pagasse o resgate de sua 
heran9a. 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 4 



130 



t ^>t 



t $.L*%J\ ^JJ^ 



lo-ieis, em sendo infamia e evidente 
pecado? 

21. E como o tomarieis, enquanto, 
com efeito, vos unistes um com o 
outro, intimamente, e elas firmaram 
convosco solida alian9a^^^? 

22. E nao esposeis as mulheres 
que vossos pais esposaram, exceto 
se isso ja se consumou. Por certo, 
isso e obscenidade e abomina9ao. 
E que vil caminho! 

23. E-vos proibido esposardes 
vossas maes, e vossas filhas, e 
vossas irmas, e vossas tias paternas 
e vossas tias maternas, e as filhas 
do irmao e as filhas da irma, e 
vossas amas-de-leite, e vossas 
irmas-de-leite, e as maes de vossas 
mulheres, e vossas enteadas, que 
estao em vossa prote9ao, filhas de 
vossas mulheres, com as quais 
consumais o casamento - e, se nao 
haveis consumado com elas, nao 
ha culpa sobre vos - e as mulheres 
de vossos filhos, procriados por vos; 
e vos e proibido vos juntardes, em 
matrimonio, a duas irmas, exceto 
se isso ja se consumou. Por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 













(0 Ao cognominar o casamento de solida alian^a, o Islao elevou a uniao a um grau 
de dignidade, jamais atingido anteriormente, afastando-o da ideia de contrato de 
venda, aluguel ou escravidao, tSo comum nos tempos pre - islamicos. Note-se que 
a expressao solida alian^a sugere que o casamento exige de ambos os conjuges 
amor, dedica^ao, carinho, que os unirao solidamente. 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



131 « ^>' 



i $.Li%jl djj^ 



24. E vos e proibido esposardes 

as mulheres casadas, exceto as 
escravas que possuis^^l E prescri9ao 
de Allah para vos. E vos e licito, 
alem disso, buscardes mulheres 
com vossas riquezas, para as 
esposardes, e nao para cometerdes 
adulterio. E, aquelas, com as quais 
vos deleitardes, concedei-lhes seu 
mahr^^^ como direito preceituado. 
E nao ha culpa sobre vos, pelo que 
acordais, mutuamente, depois do 
preceituado. Por certo, Allah e 
Onisciente, Sabio. 

25. E quem de vos nao pode, 
pelas posses, esposar as crentes 
livres, que ele tome mulher dentre 
as j ovens crentes que possuis. E 
Allah e bem Sabedor de vossa fe. 
Procedeis uns dos outros^^\ Entao, 
esposai-as com a permissao de 
seus amos, e concedei-lhes seu 
mahr^'^^ convenientemente, sendo 
elas castas, nao adiilteras e nao 
tendo amantes. E, quando casadas, 
se, entao, cometem obscenidade, 
caber-lhes-a a metade do castigo das 
mulheres livres. Isso, para quem de 
vos recear o embara9o do adulterio. 
E pacientardes vos e melhor. E 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 



j\l^3 <-f^J (>*J>^^ o^y^ 






^jy^ ^jVj Cj^\ l)% 



^'J^jy^'Mj 



(OCf. IV3n3. 

(2) Cf IV 4 n4. 

(^) Ou seja, todos sao iguais, na sociedade islamica, sejam escravos ou senhores. 

(4) Cf IV 4 n4. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



132 



o ^J^i 



i (■L*uil ^J>^ 



26. Allah deseja tornar evidente, 
para vos, o que nao sabeis, e guiar- 
vos aos procedimentos dos que 
foram antes de vos, e voltar-se para 
vos. E Allah e Onisciente, Sabio. 

27. E Allah deseja voltar-se para 
vos; e os^^^ que seguem a lascivia 
desejam que vos desvieis, com 
formidavel desviar. 

28. Allah deseja aliviar-vos as 
dificuldades. E foi criado fragil o 
ser humano. 

29. 6 vos que credes! Nao 
devoreis, ilicitamente, vossas 
riquezas, entre vos, mas e licito 
existir comercio de comum acordo 
entre vos. E nao vos mateis^^\ Por 
certo, Allah, para convosco, e 
Misericordiador. 

30. E a quem o faz, com agressao 
e injusti9a, fa-lo-emos entrar no 
Fogo. E isso, para Allah e facil. 

31. Se evitais os grandes pecados, 
de que sois coibidos, remir-vos- 
emos as mas obras e far-vos-emos 
entrar em entrada nobre. 

32. E nao aneleis aquilo por que 






J >^.l 










5 ^Aj^ii\ Jw^u\^11::::'Xj 



(0 Os: idolatras, hipocritas e judeus de AI Madlnah, que nao se agradaram de algumas 
proibi9oes relativas ao casamento nem dos preceitos alcoranicos atinentes a 
heran9a das mulheres, das viuvas, etc.. 

(2) E nao vos mateis: os que devoram os bens alheios, ilicitamente, nao so causam a 
ruina social, mas sua propria ruina. Ha os que interpretam como ordem contra o 
homicidio e o suicidio. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



133 



f,j^\ 



i (.Ltoit 6^y^ 



Allah preferiu alguns de vos a 
outros^^. Ha, para os homens, 
por9ao do que logram, e ha, para 
as mulheres, porfao do que 
logram. E pedi a Allah algo de Seu 
favor. Por certo, Allah, de todas as 
cousas, e Onisciente. 

33. E, para cada um, fizemos 
herdeiros do que os pais e os 
parentes deixam^^\ E aqueles com 
quem firmastes pacto, concedei- 
Ihes sua porfao. Por certo, Allah, 
de todas as cousas, e Testemunha. 

34.0s homens tem autoridade 
sobre as mulheres, pelo que Allah 
preferiu alguns a outros^ \ e pelo 
que despendem de suas riquezas. 
Entao, as integras sao devotas, 
custodias da honra, na ausencia 
dos maridos, pelo que Allah as 
custodiou. E aquelas de quem 
temeis a desobediencia, exortai-as, 
pois, e abandonai-as no leito, e 
batei-lhes^'^^ Entao, se eles vos 



Z^i^ ^':0^\ \J1^j JijX^=:^\ 



^(^^ j.^=u C)\^L^ ^^1J[ 










(0 Este versiculo atenta para a equidade social, pois convida os moslimes a nao terem 
inveja uns dos outros, porque Deus e Quem distribui o sustento, de acordo com 
Sua sabedoria, que e onisciente. So Deus sabe o que beneficia o homem e o que o 
prejudica. Este versiculo relembra, tambem, que as mulheres nao devem ter inveja 
dos homens nem estes, destas e salienta que homens e mulheres sao iguais como 
seres humanos e que as mulheres podem trabalhar para disso auferir ganho. 

(2) Este versiculo vem para anular um costume, muito comum entre os arabes pre- 
islamicos, que consistia em constituir qualquer pessoa, fora da familia, herdeira dos 
bens de alguem, apos sua morte, seja pela amizade ou pelo companheirismo que os 
unis. Com este versiculo, o Alcorao fez preservar os direitos dos herdeiros legitimos. 

(3) Entenda-se a primazia do homem, na sociedade mais propiciada pela for9a fisica e 
pelos encargos de que e investido, do que pelo grau de honra. 

(4) Bater suavemente, cuidando de nao atingir-lhes a face nem as partes sensiveis. 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



134 



d ftjA-i 



t frLtuJ) djj**' 



obedecem, nao busqueis meio de 
importuna-las. Por certo, Allah e 
Altissimo, Grande. 

35. E, se temeis discordia entre 
ambos, enviai-lhes um arbitro da 
familia dele e um arbitro da familia 
dela: se ambos desejam reconcilia- 
9ao, Allah estabelecera a concordia 
entre eles. Por certo, Allah e 
Onisciente, Conhecedor. 

36. E adorai a Allah e nada Lhe 
associeis. E tende benevolencia 
para com os pais e os parentes e os 
orfaos e os necessitados e o vizinho 
aparentado e o vizinho estranho e o 
companheiro achegado e o filho do 
caminho^ \ e os escravos que 
possuis. Por certo, Allah nao ama 
quem e presunfoso, arrogante, 

37. Os que sao avaros e ordenam 
a avareza aos outros, e ocultam o 
que Allah Ihes concedeu de Seu 
favor. E preparamos, para os 
renegadores da Fe, aviltante castigo. 

38. E Allah nao ama os que 

despendem suas riquezas, por 
ostenta9ao, para serem vistos 
pelos outros, e nao creem em Allah 
nem no Derradeiro Dia. E quem 
tem Sata por acompanhante, que 
vil acompanhante tem! 



Hip D\i=»4jS^iU4^^^ 






(OCf. II 177 nl. 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



135 



^j^) 



i (.L^i djjM«» 



39. E que Ihes impenderia, se 
cressem em Allah e no Derradeiro 
Dia e despendessem do que Allah 
Ihes deu por sustento? E Allah 
deles e Onisciente. 

40. Por certo, Allah nao faz 
injusti9a nem mesmo do peso de 
um atomo. E se este e uma boa 
a9ao, multiplica-la-a, e concedera, 
de Sua parte, magnifico premio. 

41. Entao, como estarao, quando 
trouxermos de cada comunidade 
uma testemunha, e te trouxermos, 
Muhammad, por testemunha contra 
esses? 

42. Nesse dia, os que renegam a 
Fe e desobedecem ao Mensageiro 
almejarao ser tragados pela terra. E 
nao poderao ocultar de Allah 
conversa9ao alguma. 

43.6 vos que credes! Nao vos 
aproximeis da ora9ao, enquanto 
ebrios, ate que saibais o que dizeis, 
nem mesmo enquanto junub^^^ - 
exceto quando em viagem - ate 
que vos banheis completamente. E, 
se estais enfermos ou em viagem, 
ou se um de vos chega de onde se 
fazem as necessidades, ou se haveis 









\S;A^3 J/SjNj 



0) A palavra junub e derivada de jandbah. e quer dizer distancia. E empregada no 
lexto para designar o homem que, nao se havendo banhado logo apos emissao 
seminal voluntaria ou involuntaria, deve permanecer distante dos lugares de 
ora9ao. Nao pode rezar nem ler o Alcorao antes de se banhar. 



4. Saratu An-Nissa' 



Parte 5 



136 « ^>* 



t $^L^t ^JJ*** 



tocado as mulheres^^^ e nao 
encontrais agua, dirigi-vos a uma 
superficie pura, tocai-a com as 
maos e rofai^^^ as faces e os bra90s, 
a guisa de ablu^ao. Por certo, 
Allah e Indulgente, Perdoador. 

44. Nao viste, Muhammad, 
aqueles aos quais fora concedida 
por9ao do Livro^"^^? Eles compram 
o descaminho e desejam que vos 
descaminheis do caminho reto. 

45. E Allah e bem Sabedor de 
vossos inimigos. E basta Allah por 
Protetor, e basta Allah por Socor- 
redor. 

46. Dentre os que praticam o 
judaismo, ha os que alteram o 
sentido das palavras dO Livro e 
dizem: "Ouvimos e desobedecemos" 
e "Ouve, oxala nao ou9as." E 
dizem: "Ra''ina^'*\ deturpando a 
verdade, com suas linguas, e 
difamando a religiao. E, se eles 
dissessem: "Ouvimos e obedece- 



4-W61^ jyo JjVJ^^s^-fc^J^ \pcll^\3 



^\jj^\ys>d^ 









(0 Tocar as mulheres: copular. O Alcorao tern, por habito, referir-se a questoes 
sexuais de maneira bem discreta e quase metaforizada. 

(2) Ro^ai... a guisa de ablu^So: e traduQao de tayammum, que significa "tocar com 
as duas maos qualquer superficie limpa, com apenas alguns residuos de p6, para, 
em seguida, com elas, roQar as faces e os braQOS, simulando o movimento de 
abluQao com agua". Este versiculo encerra um lembrete a todos os moslimes para 
que nao sejam nunca desatentos a no^ao de asseio, antes de fazer suas oraQoes, 
tanto que, nao encontrando agua para se lavarem, pelo menos, devem lembrar-se 
da lavagem por meio de gestos simbolicos. 

(3) Do livro: daTora. 
(4)Cf. 11 104 nl. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



137 



i,j^\ 



i (.LmJ) oj^ 



mos" e "Ouve" e "Olha-nos", ser- 
Ihes-ia melhor e mais reto. Mas 
Allah OS amaldifoou por sua 
renegafao da Fe. E nao crerao, 
exceto poucos. 

47. vos a quern foi concedido 
o Livro^ M Crede no que fizemos 
descer, confirmando o que esta 
convosco, antes que apaguemos 
faces e as reduzamos a nucas^^\ ou 
os^^^ amaldifoemos como 

amaldifoa-mos as pessoas 
transgressoras^"^^ do sabado. E a 
ordem de Allah deve ser cumprida. 

48. Por certo, Allah nao perdoa 
que Lhe associem outra divindade, 

e perdoa tudo o que for, afora isso, 
a quern quer. E quern a associa a 
Allah, com efeito, forjara formidavel 
pecado. 

49. Nao viste, Muhammad, os 

que se pretendem dignos? Mas 
Allah e Quern dignifica a quern 
quer; e eles nao sofrerao injustifa, 
nem a minima que seja^^\ 

50. Olha como forjam mentiras 
acerca de Allah. E basta isso por 
evidente pecado! 



&^^[ 












(Oo Livro: aTora. 

(2) Ou seja, apagar as fei95es, tornando-as planas como nunca. 

(^) Os: OS donos das faces tornadas nucas. 

(4) Cf. II 65. 

(5) Nem a minima que seja: traduz a palavra arabe fatll, que signiflca a inflma 
pelicula que recobre o caro^o da tamara. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



138 



^jk\ 



i s^L^Jl ^JJ^ 



Sl.Nao viste aqueles a quem 
fora concedida por9ao do Livro^'\ 
Creem em Al Jibt e At -Taghut^^\ e 
dizem dos que renegam a Fe: 
"Esses sao os mais bem guiados, 
no caminho, que os que creem?" 

52. Esses sao os que Allah 
amaldi90ou. E para quem Allah 
amaldi9oa, nao Ihe encontraras 
socorredor algum. 

53. Tem eles por9ao de sobera- 
nia? Entao, nesse caso, dela nao 
concederiam aos outros homens 
um minimo que fosse^ . 

54. Ou invejam eles os homens 
pelo que Allah Ihes concedeu de 
Seu favor? E, com efeito, concedera- 
mos o Livro e a Sabedoria a 
familia de Abraao; e concederamo- 
Ihes magnifica soberania. 

55. Entao, dentre eles, ha quem 
nele^^^ creia e, dentre eles, ha que 
dele se afaste. E basta a Geena por 
fogo ardente. 

56. Por certo, aos que renegam 
Nossos sinais, fa-los-emos entrar 



^ ? \ ^ t-v - 



5^ t-.^-^l^j\cyJUlj-3;S^ 









^■^^'^}^<Sy^\l^\L^^^ 



(0 Do Livro: da Tora. 

(2) Al jibt: tudo o que foi adorado, em lugar de Deus: idolos, videntes ou feiticeiros; 
quantoaAI-Taghut. (cf. II 256 n2) 

(^) Nem um minimo que fosse: traduz a palavra arabe naqlr, que e um minusculo 
sinal na superflcie do caro^o da tamara. 

(4) Nele: o pronome pode referir-se so ao Livro, citado no versiculo anterior, ou ao 
Profeta Muhammad. Neste caso, o versiculo faz alusao aos judeus, entre os quais 
uns creem no Profeta e outros o renegam. 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



139 « ^jir\ 



i (.LmJ) djjM*» 



em Fogo. Cada vez que suas peles 
se consumirem, troca-las-emos por 
outras peles, para que experi- 
mentem o castigo. Por certo, Allah 
e Todo-Poderoso, Sabio. 

57. E aos que creem e fazem as 
boas obras, fa-los-emos entrar em 
Jardins, abaixo dos quais correm 
OS rios; nesses, serao etemos, para 
todo o sempre. Nesses, terao 
mulheres puras. E fa-los-emos 
entrar em sombra sombrosa. 

58. Por certo, Allah vos ordena 
que restituais os depositos a seus 
donos. E, quando julgardes entre os 
homens, que julgueis com justi9a. 
Por certo, quao excelente e isso, a 
que Allah vos exorta! Por certo, 
Allah e Oniouvinte, Onividente. 

59. 6 vos que credes! Obedecei 
a Allah e obedecei ao Mensageiro 
e as autoridades^^\ dentre vos. E, 
se disputais por algo, levai-o a 
Allah e ao Mensageiro, se sois 
crentes em Allah e no Derradeiro 
Dia. Isso e melhor e mais belo, em 
interpretafao. 

60.Nao viste, Muhammad, 
aqueles^^^ que pretendem crer no 
que foi descido para ti, e no que 









I lA^ Ujv^O 









(0 Este versiculo e fundamento primeiro da constitui^So do estado islamico e 
determina a base da religiao e da disciplina politica. 

(2) Aqueles: referencia aos hipocritas, mas de modo aparente e nSo efetivo. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



140 



(.j^\ 



i (.U^i djj^ 



fora descido antes de ti? Desejam 
recorrer ao julgamento de At- 
Taghut^ % enquanto, com efeito, 
foram ordenados a renega-lo. E Sata 
deseja descaminha-los, com 
profundo descaminho. 

61. E, quando se Ihes diz: "Vinde 
ao que Allah fez descer, e ao 
Mensageiro", tu ves os hipocritas 
se afastarem de ti, decididamente. 

62. Entao, como estarao, quando 
uma desgra9a os alcanfar, pelo que 
suas maos anteciparam? Em 
seguida, chegarao a ti, jurando por 
Allah: "Nao desejamos senao 
benevolencia e concordia." 

63. Esses, Allah sabe o que ha 
em seus cora9oes; entao, da-lhes 
de ombros, mas exorta-os e dize- 
Ihes as almas dito convencente. 

64. E nao enviamos Mensageiro 
algum senao para ser obedecido, 
com a permissao de Allah. E, se 
eles, quando foram injustos com si 
mesmos, chegassem a ti e 
implorassem perdao a Allah, e se o 
Mensageiro implorasse perdao para 
eles, haveriam encontrado a Allah 
Remissorio, Misericordiador. 

65. Entao, por teu Senhor! Nao 
crerao; ate que te tomem por 



oj^\j\;\5£i;^: 









K:-^yj'^ 










&^ hy^!^^^J^^^ 



(OCf II 256 n2. 



4. Suratu An-Niss3' 



Parte 5 



141 



t,j^\ 



i $.L*uil djj^ 



arbitro das dissensoes entre eles, 
em seguida, nao encontrem, em si 
mesmos, constrangimento no que 
julgaste, e ate que se submetam, 
completamente. 

66. E, se N6s Ihes houvessemos 
prescrito: "Matai-vos" ou "Sai de 
vossos lares", nao o haveriam 
feito, exceto poucos deles^^\ E, se 
houvessem feito aquilo a que 
foram exortados, haver-lhes-ia sido 
melhor e tornar-se-lhes-ia mais 
firme a cren9a. 

67. E, nesse caso, haver-lhes- 
iamos concedido, de Nossa parte, 
magnifico premio 

68. E have-los-iamos guiado a 
uma senda reta. 

69. E quern obedece a Allah e 
ao Mensageiro, esses estarao com 
OS que Allah agracia: os Profetas e 
OS veracissimos e os martires e os 
integros. E que belos companheiros 
esses! 

70. Esse e o favor de Allah, e 
basta Allah por Onisciente. 

71.6 vos que credes! Tomai 
vossas precau9oes e sai a campo, 
em pequenos grupos ou sai todos 
juntos. 












(0 Se OS hipocritas nSo aceitarem o sacriflcio de seus pequenos interesses, seguindo o 
que Deus revelou, nao havera esperan^a de que aceitem sacriflcio maior. E apenas 
poucos deles crerSo em Deus. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



142 « ^>« 



i (.L^Jt djj«*) 



72. E, por certo, ha, dentre v6s, 
quern procrastine o combate. Entao, 
se uma desgrafa vos alcanfa, diz: 
"Com efeito, Allah agraciou-me por 
nao haver estado com eles presente." 

73. E, se um favor de Allah vos 
alcanfa, diz, como se nao houvesse 
afeifao entre vos e ele: "Quem 
dera houvesse estado com eles, 
entao, haveria eu triunfado, com 
magnifico triunfo!" 

74. Entao, que combatam no 
caminho de Allah os que vendem a 
vida terrena pela Derradeira Vida. 
E a quem combate no caminho de 
Allah, e e morto ou vence, conceder- 
Ihe-emos magnifico premio. 

75. E por que razao nao 
combateis no caminho de Allah e 
pela salva9ao dos indefesos, 
dentre os homens e as mulheres e 
as crianfas, os quais dizem: 
"Senhor nosso! Faze-nos sair desta 
cidade, cujos habitantes sao 
injustos^'^; e faze-nos, de Tua 
parte, um protetor e faze-nos, de 
Tua parte, um socorredor"? 

76. Os que creem combatem no 
caminho de Allah, e os que renegam 
a Fe combatem no caminho de 






.^d^-- f. 









,.j^ -i 






U-^JiaP 









( ^ ) Trata-se da suplica dos indefesos, que abra^aram o Islao e ficaram em Makkah pois 
nao tinham possibilidade alguma de defender-se, menos ainda de emigrar para Al 
Madlnah, com o Profeta e seus seguidores. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



143 



tji-l 



i s.L*u)t ^jy^ 



At-Taghut^^\ Entao, combatei os 
aliados de Sata. Por certo, a insidia 
de Sata e fragil. 

77. Nao viste, Muhammad, 
aqueles aos quais foi dito: "Detende 

- (2) 

vossas maos^ ^ e cumpn a ora9ao 
concede! az-zakah^^7" Entao, 
quando Ihes foi prescrito o 
combate, eis um grupo deles que 
receou os homens com o mesmo 
receio que de Allah, ou com mais 
veemente receio, e disseram: 
"Senhor nosso! Por que nos 
prescreveste o combate? Que, 
antes, nos houvesses concedido 
prazo, ate um termo proximo.'' 
Dize: "O gozo da vida terrena e 
infimo. E a Derradeira Vida e 
melhor, para quem e piedoso, e 
nao sofrereis injusti^a, nem a 
minima que seja^'^V' 

78. Onde quer que estejais, a 
morte atingir-vos-a, ainda que 
estejais em elevadas torres. E, se 
algo de bom os alcanfa, dizem: 
"Isso e da parte de Allah"; e, se 
algo de mau os alcanfa, dizem: 
"Isso e de ti." Dize: "Tudo e de 









^jjoJ^\^^5; Jo [op^USJ 



(OCf. II 256 n2. 

(2) Detende vossas maos: nao combatais. Antes da Hegira, os moslimes empenharam- 
se em combate contra os idolatras, mas foram impedidos de faze-lo, pelo Profeta. 
So depois de emigrarem para Al Madlnah, apos a Hegira, e que receberam 
permissao de combate. 

(3)Cf. 11 43 n4. 

(4)Cf. IV 49 n5. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



144 



i,j^\ 



i $.L«%Jl ^jj^ 



Allah." Mas por que razao este 
povo quase nao entende conver- 
safao alguma? 

79.0 que quer de bom que te 
alcance e de Allah, e o que quer de 
mau que te alcance e de ti mesmo. 
E te enviamos, Muhammad, como 
Mensageiro para a humanidade. E 
basta Allah por Testemunha. 

80. Quern obedece ao Mensa- 
geiro, com efeito, obedece a Allah. 
E quem volta as costas, nao te 
enviamos, sobre eles, por custodio. 

81. E dizem: "Obediencia!", e, 
quando se retiram de tua presenfa, 
uma facfao deles maquina, a noite, 
outra cousa que o que disseste. Mas 
Allah escreve o que maquinam. 
Entao, da-lhes de ombros e confia 
em Allah. E basta Allah por Patrono. 

82. E nao ponderam eles o 
Alcorao? E, fosse vindo de outro 
que Allah, encontrariam nele muitas 
discrepancias. 

83. E, quando algum assunto de 
seguranfa ou medo Ihes chega, 
divulgam-no. E, se eles o levassem 
ao Mensageiro e as autoridades 
entre eles, os que o desvendam, por 
meio desses^^^ sabe-lo-iam. E, nao 



^ \i^^ ofih 















(0 E em epoca de combate que toda a especie de boatos surge, suscitando ora 
animo ora desanimo, entre os combatentes. Aproveitando-se disso, os hipocritas, 
sem medir conseqiiencias, divulgavam-nos, mesmo sabendo-os falsos. Este 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



145 



ftji-l 



t (.L^Jt '^JJ^ 



fora o favor de Allah para convosco 
e Sua misericordia, haverieis, exceto 
poucos, seguido a Sata. 

84. Entao, combate no caminho 
de Allah; tu nao es responsavel 
senao por ti mesmo. E incita os 
crentes ao combate. Qui9a, Allah 
detenha a furia dos que renegam a 
Fe. E Allah e mais Veemente na 
furia e mais Veemente no tormento. 

85. Quem intercede, com boa 
intercessao, tera por9ao dela. E quem 
intercede, com ma intercessao, tera 
partilha dela. E Allah, sobre todas 
as cousas, e Preponderante. 

86. E, se fordes saudados com 
uma sauda9ao, saudai com outra 
melhor, ou retribui-a^^^ Por certo, 
Allah, de todas as cousas, e 
Ajustador de contas. 

87. Allah, nao existe deus senao 
Ele! Em verdade, Ele vos juntara no 
indubitavel Dia da Ressurrei9ao. E 
quem mais veridico que Allah em 
dize-lo? 

88. E por que razao vos dividis 
em dois grupos, no tocante aos 












versiculo adverte aos propagadores de boatos que os submetam ao Profeta e as 
autoridades, para que Ihes seja esclarecida a veracidade e, com isso, nao sejam os 
combatentes importunados. 
(0 A sauda9ao usual entre os moslimes, e "as-saldmu alaikum", "que a paz seja 
sobre vos". O versiculo convida os moslimes a corresponderem a esta sauda9ao 
com outra mais afavel ainda: "^alaikum as-salamu wa rahmatu alldhi wa 
barakatuh", "que sobre vos seja a paz, e a misericordia de Deus e Sua ben9ao". 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



146 



t>-i 



t cL^i ^J>^ 



hip6critas^^\ enquanto Allah os fez 
decair pelo que cometeram? Desejais 
guiar a quem Allah descaminhou? 
E para quem Allah descaminha, 
jamais, encontraras caminho. 

89. Eles almejam que renegueis 
a Fe como eles a renegam, e, assim, 
sereis iguais. Entao, nao tomeis, 
dentre eles, aliados, ate que 
emigrem, no caminho de Allah. E, 
se voltarem as costas, apanhai-os e 
matai-os, onde quer que os 
encontreis. E nao tomeis, dentre 
eles, aliado nem socorredor. 

90. Exceto OS que se vincularem 
com um povo entre o qual e vos 
exista alian9a, ou os que chegarem 
a vos com os peitos constritos por 
combater-vos ou por combater seu 
povo. E, se Allah quisesse, haver- 
Ihes-ia dado poder sobre vos, e 
eles vos haveriam combatido. 
Entao, se se apartarem de vos e 
nao mais vos combaterem e vos 
lan9arem a paz, Allah nao vos fara 
caminho algum contra eles. 

91.Encontrareis outros que 
desejam estar em seguran9a, em 
rela9ao a vos, e em seguran9a, em 
rela9ao a seu povo^^\ Cada vez que 


















(0 Este versiculo se refere aos hipocritas que, ja havendo abragado o Islao, ainda 
apoiavam os inimigos dos moslimes, deixando confusos a estes ultimos, que nao 
sabiam se deveriam ou nao combate-Ios. 

(2) De um lado, ganhando a confian9a dos mosiimes, peia adesao do Isiao. e de outro, 
a confian9a de seu povo, pela permanencia na descrenga. 



4. Saratu An-Nissa' 



Parte 5 



147 



o tj*-i 



i (.L^Jt djj«*> 



forem levados a sedi9ao^*^ pela 
idolatria, nela, fa-los-ao decair. 
Entao, se nao se apartam de vos, 
nem vos lan9am a paz, nem detem 
as proprias maos, apanhai-os e 
matai-os, onde quer que os acheis. 
E, contra esses, damo-vos evidente 
autoridade. 

92. E nao e admissivel que um 
crente mate a outro crente, exceto 
se por engano. E quern mata um 
crente por engano, entao, que ele 
se alforrie um escravo crente e 
entregue indeniza9ao^^^ a sua 
familia a menos que esta a 
dispense, por caridade. E, se a 
vitima e de um povo inimigo de 
vos, e e crente, que se alforrie um 
escravo crente. E, se e de um povo, 
entre o qual e vos exista alianfa, 
que se entregue a sua familia 
indenizafao e se alforrie um 
escravo crente. E quem nao 
encontra recursos, que jejue, por 
dois meses seguidos, como volta 
arrependida para Allah. E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

93. E quem mata um crente, 
intencionalmente, sua recompensa 
sera a Geena; nela sera etemo, e 



^0 i/. 












( Ou seja, cada vez que forem levados ou a desordem da guerra contra os moslimes, 

ou a apostasia. 
(2) Essa indeniza^ao e valida, conforme a tradiQao arabe, em cem camelos, ou o pre90 

correspondente a eles. Nao os havendo, valerSo outras especies animals, em 

quantidades determinadas. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



148 



tjJrl 



i $.L*u]l djj*** 



Allah irar-Se-a contra ele, e 
amaldi9oa-lo-a e preparar-lhe-a 
formidavel castigo. 

94.6 vos que credes! Quando 
percorrerdes o caminho de Allah^*\ 
certificai-vos da situa^ao, e nao 
digais aquele que vos dirige a 
sauda9ao do Islao: "Nao e crente", 
buscando com isso, os efemeros 
bens da vida terrena^^\ pois, junto 
de Allah, ha muitos ganhos^"^l 
Assim, ereis, antes^'^^ e Allah fez- 
vos merce do Islao. Entao, 
certificai-vos. Por certo, Allah, do 
que fazeis, e Conhecedor. 

95. Nao se igualam os ausentes 
do combate, dentre os crentes nao 
invalidos, e os lutadores no caminho 
de Allah, com suas riquezas e com 
si mesmos. Allah prefere os 
lutadores, com suas riquezas e com 
si mesmos, aos ausentes, dando- 










(0 Ou seja, "se fordes combater pela causa de Deus". 

(2) Nos primordios do Islao, o sinal de reconhecimento de um moslim para outro era o 
cumprimento "as-salamu alaikum", "que a paz seja sobre vos". Houve ocasioes, 
porem, em que alguns combatentes moslimes tiveram duvidas acerca de quern 
assim os saudava, e terminavam por mata-lo, para ficar-lhe com os espolios. Este 
versiculo foi revelado, entao, para impedir a matanga indiscriminada, oriunda da 
falta de clareza desta identificagao moslim. 

(^) A palavra ganhos traduz maghanim, que significa espolios. O versiculo adverte o 
crente de que jamais deve matar so para aproximar-se dos espolios da vitima, os 
quais nada sao diante das recompensas oferecidas por Deus. 

(4) Este versiculo lembra os moslimes de que, no inicio do Islao, quando eram 
perseguidos pelos inimigos, o unico sinal de reconhecimento entre eles, quando 
em combate na senda de Deus, era a saudagao islamica. Agora, agraciados com o 
Islao, fortes e poderosos, devem acatar esta saudagao vinda de quem quer que seja, 
como sinal de sua crenga. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



149 ^ ^> 



i $.L*u3t ^jj^ 



Ihes um escalao acima (testes. E a 

ambos Allah promete a mais bela 
recompensa. E Allah prefere os 
lutadores aos ausentes, dando-lhe^ 
magnifico premio: 

96. Escaloes concedidos por Ele, 
e perdao e misericordia. E Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

97. Por certo, aqueles que foram 
injustos com si mesmo, os anjos 
Ihes levarao as almas, dizendo: 
''Em que situa^ao estaveis?" dirao: 
"Estavamos indefesos na terra." 
Os anjos dirao: "A terra de Allah 
nao era bastante ampla, para, nela, 
emigrardes?" Entao, a morada desses 
sera a Geena. E que vil destino! 

98. Exceto os indefesos, dentre os 
homens e as mulheres e as crian9as, 
que nao tem meios de emigrar e 
nao se guiam a caminho algum, 

99. Entao, a esses, qui9a, Allah 
OS indulte. E Allah e Indulgente, 
Perdoador. 

100. E quem emigra, no caminho 
de Allah, encontrara, na terra, 
bastante abrigo - aviltante para o 
inimigo - e prosperidade. E quem 
sai de sua casa, emigrando para 
Allah e seu Mensageiro^^\ em 
seguida a morte atinge-o, com 
efeito, impendera a Allah seu 



^\l^\^\5u^(^ 


















3 0^;fc«^>J^ j^ ii\^«i\^\s 






(0 Para a cidade de Deus e de Seu Mensageiro: Al Madinah. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



150 



tji-i 



t s^L^Jt '^jy^ 



premio. E Allah e Pedoador, 
Misericordiador. 

101. E, quando percorrerdes a 
terra, nao havera culpa sobre vos, 
em abreviardes as ora9oes, se 
temeis que os que renegam a Fe vos 
provem. Por certo, os renegadores 
da Fe sao-vos inimigos declarados. 

102. E, quando estiveres, 
Muhammad, com eles, e Ihes 
celebrares a ora9ao, que uma fac9ao 
deles ore contigo e tome suas amias; 
entao, ao terminar a prostema9ao, 
que a outra fac^ao esteja atras de 
vos. E que esta outra fac9ao, que 
nao orou, venha e ore, contigo, e 
que tome suas precau96es e suas 
armas. Os que renegam a Fe 
almejariam que desatentasseis de 
vossas armas e de vossos pertences; 
entao, atacar-vos-iam, de uma so 
vez. E nao havera culpa sobre vos, 
em deixardes de lado vossas armas, 
se sois molestados pela chuva ou 
estais enfermos. E tomai vossas 
precau96es. Por certo, Allah 
preparou para os renegadores da 
Fe aviltante castigo. 

103. E, quando houverdes encer- 
rado a ora9ao, lembrai-vos de 
Allah, estando de pe ou assentados 
ou deitados. E, quando estiverdes 
em seguran9a, cumpri a ora9ao. Por 
certo, a ora9ao, para os crentes, e 
prescri9ao com tempos marcados. 









^>' 









4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



151 l^^j^^ 



i s.L«iJi djj^ 



104. E nao vos desanimeis, na 
busca do povo inimigo: se estais 
sofrendo, eles, tambem, sofrem 
como vos sofreis, enquanto vos 
esperais de Allah o que eles nao 
esperam. E Allah e Onisciente, 
Sabio. 

105. Por certo, fizemos descer, 
para ti, Muhammad, o Livro com 
a Verdade, a fim de que julgues, 
entre os homens, conforme o que 
Allah te fez ver. E nao sejas 
defensor dos traidores^^\ 

106. E implora perdao a Allah. 
Por certo, Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

107. E nao discutas acerca dos 
que se traem a si mesmos. Por certo, 
Allah nao ama quern e traidor, 
pecador. 

108. Eles se escondem dos 
homens, e nao se escondem de 
Allah, enquanto Ele esta em sua 
companhia, quando maquinam, a 
noite, o que Lhe nao agrada do dito. 
E Allah esta, sempre, abarcando o 
que fazem. 









^f^*-^-- 



l^u^ ^}:^yk 



(0 Conta-se que, em tempos de Muhammad, certo arabe, de nome Bachlr ou Abu 
Ta'^mah Ibn Ubairiq, havendo roubado uma armadura, ocultou-a na casa de um 
judeu. Quando o dono, dando por falta dela, a descobriu, imediatamente Bachlr, 
jurando inocencia, acusou o judeu de have-la roubado. Entao, a tribo Banu Zafar, a 
que Bachlr pertencia, dirigiu-se ate o Profeta, pedindo-lhe que intercedesse por 
e!e. Por desconhecer a verdade dos fatos, o Profeta o aceitou e, quando estava 
prestes a defende-lo, foi reveiado este versiculo, revelando-!he a verdade. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



152 



tji-i 



i i,L^\ djj^ 



109.Ei-vos que discutis acerca 
deles, na vida terrena, mas quern 
discutira, com Allah, acerca deles, 
no Dia da RessuiTei9ao, ou quem 
sera sobre eles patrono? 

110. E quem faz um mal ou e 
injusto com si mesmo, em seguida, 
implora perdao a Allah, encontrara 
a Allah Perdoador, Misericordiador. 

1 1 1. E quem comete um pecado, 
o cometera, apenas, em prejuizo de 
si mesmo. E Allah e Onisciente, 
Sabio. 

112. E quem comete erro ou 
pecado, em seguida, o atira sobre 
um inocente, com efeito, carregar- 
se-a de infamia e evidente pecado. 

1 13. E, nao fora o favor de Allah 
para contigo, e Sua misericordia, 
haveria uma fac9ao deles^*^ 
intentando descaminhar-te. Mas nao 
descaminhariam senao a si mesmos 
e em nada te prejudicariam. E 
Allah fez descer, sobre ti, o Livro 
e a Sabedoria e ensinou-te o que 
nao sabias. E o favor de Allah para 
contigo e imenso. 

114. Nada de bem ha em muitas 
de suas confidencias, exceto nas de 
quem ordena caridade ou algo 
conveniente ou reconcilia9ao entre 






liujij' 



r 






^==^O^J 






(0 Deles: dos hip6critas. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



153 



^>i 



t (.L^l 6jj^ 



as pessoas. E a quern o faz, em busca 
de agrado de Allah, Nos conceder- 
Ihe-emos magnifico premio. 

115. E a quern discorda do 
Mensageiro, apos haver-se tornado 
evidente, para ele, a direita 
dire9ao, e segue caminho outro que 
o dos crentes, abandona-lo-emos no 
caminho que escolheu^*^ e fa-lo- 
emos entrar na Geena. E que vil 
destino! 

116. Por certo, Allah nao perdoa 
que Lhe associem outra divindade, 

e perdoa tudo o que for, afora isso, 
a quern quer. E quern a associa a 
Allah, com efeito, se descaminhara, 
com profundo descaminhar. 

11 7. Nao invocam, alem dEle, 
senao divindades femininas, e nao 
invocam senao um rebelde Sata! 

118. Allah amaldi9oou-o . E ele 
disse: "Certamente, tomarei uma 
por^ao preceituada de Teus servos. 

119. "E, certamente, descaminha- 
los-ei e fa-los-ei nutrir vas 
esperan9as e ordenar-lhes-ei que 
cortem as orelhas dos animals de 
rebanho^^^ e ordenar-lhes-ei que 















(0 Este versiculo foi revelado, quando Bachlr ou Abu Ta*mah fugiu de AI Madlnah, e 
se juntou aos idolatras, mostrando-se hostil ao Profeta e aos moslimes. 

(2) Alusao aos habitos supersticiosos dos arabes pre-islamicos de cortarem a oreiha da 
femea do camelo, logo apos ela ter tido cinco ou dez crias, e de a oferecerem a seus 
idolos. Alem disso, a partir dai, o animal nao devia mais ser usado para qualquer 
serviQO que fosse. Com respeito as acepQoes da palavra rebanho. Vide VI nl . 



4. SQratu An-Nissa' 



Parte 5 



154 



tji-l 



i (.L^l ^j>*^ 



desfigurem a cria9ao de Allah." E 
quern toma Sata por aliado, em vez 
de Allah, com efeito, se perdera 
com evidente perdi9ao. 

120. Ele Ihes faz promessas e 
fa-los nutrir vas esperan9as. E Sata 
nao Ihes promete senao falacias. 

121. Esses, sua morada sera a 
Geena, e eles nao encontrarao desta 
fugida alguma. 

122. E aos que creem e fazem as 
boas obras, fa-los-emos entrar em 
Jardins, abaixo dos quais correm 
OS rios; nesses, serao eternos, para 
todo o sempre. Essa e, deveras, a 
promessa de Allah. E quem mais 
veridico que Allah, em dito? 

123. A recompensa nao depende 
de vossos desejos nem dos desejos 
dos seguidores^'^ do Livro. Quem 
faz mal, com ele sera recompensado, 
e nao encontrara, para si, alem de 
Allah, protetor nem socorredor. 

124.E quem faz as boas obras, 
varao ou varoa, enquanto crente, 
esses entrarao no Paraiso e nao 
sofrerao injusti9a, a minima que 

seja^^\ 

125. E quem melhor, em religiao, 
que aquele que entrega sua face a 

(0 Referenda aos judeus e cristaos. 
(2) Cf. IV 53 n3. 



^4^-2 0^^4i?S^i2ljJ\A^^ 



®il^ a; 



Ji3 4ji\ 






4. SOratu An-Nissa' 



Parte 5 



155 



^jk\ 



i ^.LmJI OjJm^ 



Allah^*\ enquanto benfeitor, e 
segue a cren9a de Abraao, 
monoteista sincere? E Allah tomou 
Abraao por amigo. 

126. E de Allah e o que ha nos 
ceiis e o que ha na terra. E Allah esta, 
sempre, abarcando todas as cousas. 

127. E consultam-te, Muham- 
mad, sobre as mulheres. Dize: 
"Allah vos instrui a respeito delas - 
e lembrai-vos do que se recita, para 
vos, no Livro^^^ sobre as mulheres 
orfas as quais nao concedeis o que 
Ihes e preceito^ \ enquanto 
tencionais esposa-las - e a respeito 
das crian9as indefesas; e vos ordena 
cuidar dos orfaos com eqiiidade. E 
o que quer que fa9ais de bom, por 
certo, Allah e, disso, Onisciente. 

128. E, se uma mulher teme de 
seu marido rejei9ao ou indiferen9a, 
nao havera culpa sobre ambos, se 
se reconciliam com uma recon- 
cilia9ao. E o reconciliar-se e melhor. 
E a mesquinhez esta, sempre, 
presente nas almas. E, se bem- 
fizerdes e fordes piedosos, por certo, 
Allah, do que fazeis, e Conhecedor. 

129. E nao podereis ser justos 
com vossas mulheres, ainda que 
sejais zelosos disso. E nao vos 

(l)Cf.II ll2nl. 

(2) No Livro: no AlcorSio. 

(3) Vide IV 4 n4. 









^4 



?A ^ to 



J ?-? 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



156 



f,j^\ 



i (.L^l djj^ 



desvieis, com total desviar, de 
nenhuma delas, entao, a deixarieis 
como que suspensa^'^ E, se vos 
emendais e sois piedosos, por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

130. E, se ambos se separam, 
Allah enriquecera a cada um deles 
de Sua munificencia. E Allah e 
Munificente, Sabio. 

131. E de Allah e o que ha nos 
ceus e o que ha na terra. E, com 
efeito, recomendamos aqueles, aos 
quais fora concedido o Livro^ , 
antes de vos, e a vos, que temais a 
Allah. E, se renegais a Fe, por 
certo, de Allah e o que ha nos ceus 
e o que ha na terra. E Allah e 
Bastante a Si Mesmo, Louvavel. 

132. E de Allah e o que ha nos 
ceus e o que ha na terra; e basta 
Allah por Patrono. 

133. Se Ele quisesse, far-vos-ia 
ir, 6 humanos, e faria vir outros, em 
vosso lugar! E Allah, sobre isso, e 
Onipotente. 

134.Quem deseja a retribui9ao 
da vida terrena, saiba que e junto 
de Allah, esta a retribui9ao da vida 
terrena e da Derradeira Vida. E 
Allah e Oniouvinte, Onividente. 







^'j4y^\c>(^===»j 









(0 Ou seja, no estado em que, abandonada pelo marido, nao e considerada casada 
com ele nem dele divorciada. 

(2) O Livro: a Tora e o Evangelho. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 5 



157 



tjJrl 



t ('L.cJt ^JJ^ 



135.6 v6s que credes! Sede 
constantes na equanimidade, teste- 
munhando por Allah, ainda que 
contra vos mesmos, ou contra os 
pais e OS parentes. Quer se trate de 
rico ou pobre, Allah tera prioridade 
sobre ambos. Entao, nao sigais as 
paixoes, para serdes justos. E, se 
deturpais o testemunho ou dais de 
ombros, por certo, Allah, do que 
fazeis, e Conhecedor. 

136.6 vos que credes! Crede 
em Allah e em Seu Mensageiro e 
no Livro que Ele fez descer sobre 
Seu Mensageiro, e no Livro que 
Ele fizera descer antes. E quem 
renega a Allah e a Seus anjos e a 
Seus Livros e a Seus Mensageiros 
e ao Derradeiro Dia, com efeito, 
descaminhar-se-a com profundo 
descaminhar. 

137. Por certo, aos que creram, 
depois renegaram a Fe, em seguida, 
creram, depois renegaram a Fe, em 
seguida, acrescentaram-se em 
renega9ao^^^ da Fe, nao e 
admissivel que Allah os perdoe 
nem os guie a caminho algum. 

138. Alvissara aos hipocritas que 
terao doloroso castigo, 

139. Sao OS que tomam por 
aliados os renegadores da Fe, em 



J^^-:i^^ ^ 2^ -^ 5^ ^-^ -^^-^ Ja-^ Ij 






' \l^\\^\j^^d^,Cj^^A^ 



X}j\ C^tf^^rrjfOjJ^ C^^\ 



( ^ ) Referenda aos oportunistas que nao sao crentes convictos. Creem, apenas, quando 
Ihes interessa. 



4. SQratu An-Niss9' 



Parte 5 



158 



o ^j^\ 



i i.L^\ OjJm^ 



vez dos crentes. Buscarao junto 
deles o poder? Entao, por certo, 
todo o poder e de Allah. 

140. E, com efeito, Ele fez descer, 
sobre vos, no Livro^^^ que, quando 
ouvirdes os versiculos de Allah, 
enquanto os infieis os renegam e 
deles zombam, nao deveis sentar- 
vos com eles, ate confabularem, em 
outra conversa9ao. Senao, serieis 
iguais a eles. Por certo, Allah juntara 
OS hipocritas e os renegadores da 
Fe, na Geena, a todos eles. 

141. Os que espreitam o que 
ocorrera para vos; entao, se 
obtendes uma conquista vinda de 
Allah, dizem: "Nao estavamos 
convosco?" E, se ha para os 
renegadores da Fe porfao da 
conquista, dizem: "Nao vos 
conduzimos e vos defendemos dos 
crentes?" Entao, Allah julgara, 
entre vos, no Dia da Ressurreifao. 
E Allah nao fara aos renegadores 
da Fe caminho, para triunfarem 
sobre os crentes. 

142. Por certo, os hipocritas 
procuram enganar a Allah, mas Ele 
e quem os engana. E, quando se 
levantam para a orafao, levantam- 
se preguifosos - querem ser vistos 
pelos outros, por ostenta^ao, e 
nao se lembram de Allah, exceto 
poucos - 



}^X^ Oyt^J Oii^^ ' ^J^O^ 

I4^\>^liij l^^j^^^i^ <^\cj^Ju^ 



- ^ r ^ 






^ ^/^ 9^ ^ ^-^^ E. '/* 

J>^,p<Z, j5vJS:^\3 L^i^^ 






( No Livro: no Alcorao, com alusSo ao versiculo 68 da VI sura. 



4. Saratu An-Nissa' 



Parte 5 



159 



d t>ri 



t $.LmJi ^jj^ 



143. Hesitantes^^^ nisso. Nao 
estao nem com estes nem com 
aqueles. E para quem Allah 
descaminha, jamais encontraras 
caminho. 

144.0 vos que credes! Nao 
tomeis os renegadores da Fe por 
aliados, em vez dos crentes. 
Desejais dar a Allah comprova9ao 
evidente contra vos? 

145. Por certo, os hipocritas 
estarao nas camadas mais profundas 
do Fogo - e, para eles, nao 
encontraras socorredor algum - 

146. Exceto os que se voltam 
arrependidos e se emendam e se 
agarram a Allah e sao sinceros 
com Allah em sua devo9ao: entao, 
esses estao com os crentes. E Allah 
concedera aos crentes magnifico 
premio. 

147. Que faria Allah com vosso 
castigo, se agradeceis e credes? E 
Allah e Agradecido, Onisciente. 

148. Allah nao ama a declara9ao 
de maledicencia, exceto a de quem 
sofre injusti9a. E Allah e 
Oniouvinte, Onisciente. 

149. Se mostrais um bem ou se 
escondeis, ou se indultais um 
mal, por certo, Allah e Indulgente, 
Onipotente. 









@ ^jj\yj>0^^^ ^^ 0^ i>-^ 



( ^ ) Diz respeito aos que nSo estSo nem com os idolatras nem com os crentes. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 6 



160 ^ ^>' 



t (.LmJi ijj-^ 



150. Por certo, os que renegam 
a Allah e a Seus Mensageiros, e 
desejam fazer distinfao entre Allah 
e Seus Mensageiros, e dizem: 
"Cremos em uns e renegamos a 
outros", e desejam tomar, entre 
isso, um caminho intermediario, 

151. Esses sao os verdadeiros 
renegadores da Fe. E, para os 
renegadores da Fe, preparamos 
aviltante castigo. 

152. E aos que creem em Allah e 
em Seus Mensageiros e nao fazem 
distinfao entre nenhum deles, a 
esses Allah Ihes concedera seus 
premios. E Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

153.0s seguidores do Livro 
pedem-te que fafas descer sobre 
eles um Livro do ceu. E, com efeito, 
eles pediram a Moises prova maior 
que essa, e disseram: "Faze-nos ver 
a Allah, declaradamente." Entao, o 
raio apanhou-os, por sua injustifa. 
Em seguida, tomaram o bezerro 
por divindade, apos Ihes haverem 
chegado as evidencias; E indultamo- 
los, por isso. E concedemos a 
Moises evidente comprova9ao. 

154. E elevamos acima deles o 
Monte^^\ por causa de sua alian9a, 
e dissemo-lhes: "Entrai pela porta 












(0 Ou seja, Monte Sinai. Cf. II 63 nl. 



4. Saratu An-Nissa' 



Parte 6 



161 ^ ^>' 



i $.LmJi djj«*» 



da cidade, prostemando-vos"; e 
dissemo-lhes: "Nao transgridais o 
sabado"; e firmamos com eles 
solida alian9a. 

155. Entao, amaldi^oamo-los, 

por haverem desfeito sua alian9a, e 
renegade os sinais de Allah, e 
matado, sem razao os profetas^'\ e 
por haverem dito: "Nossos cora9oes 
estao encobertos^^V' - Nao, mas 
Allah selou-os , por sua renega9ao 
da Fe; entao, nao creem, exceto 
poucos - 

156. E por sua renega9ao da Fe, 
e por seu dito de formidavel 
infamia^^^ sobre Maria, 

157. E por seu dito: "Por certo, 
matamos o Messias, Jesus, Filho 
de Maria, Mensageiro de Allah." 
Ora, eles nao o mataram nem o 
crucificaram, mas isso Ihes foi 
simulado^'*^ E, por certo, os que 
discrepam a seu respeito estao em 
duvida acerca disso^^\ Eles nao 
tem ciencia alguma disso, senao 












(OCf. II61 n2. 

(2) Cf. II 88 n3. 

(3) Essa infamia constituiria rea^So dos judeus contra a propaga^ao da nova cren^a. 
No momento em que Jesus Cristo passou a pregar e a convocar a todos, 
indistintamente, para a verdade crista, os judeus entenderam isso como amea^a a 
posi95o assumida por eles e pelo Judaismo, na epoca. Em defesa, passaram a 
difamar a mae de Jesus, chamando-a de adultera. 

(4) O Isiao prega que nao foi Jesus crucificado, mas o foi, em seu lugar, um sosia, 

(5) Alusao as divergencias nascidas da duvida dos cristSios quanto as circunstancias da 
morte de Jesus Cristo, o que prova que o proprio Cristianismo n5o tem certeza 
absoluta a respeito. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 6 



162 



n ^>i 



i tl 



Oj^ 



conjeturas, que seguem. E nao o 
mataram, seguramente; 

1 58. Mas, Allah ascendeu-o^ ^ ^ 
ate Ele. E Allah e Todo-Poderoso, 
Sabio. 

159. E nao ha ninguem dos 
seguidores^^^ do Livro que, antes 
de morrer^^\ deixe de nele crer. E, 
no Dia da Ressurrei9ao, ele^'*^ sera 
testemunha contra eles. 

160. Entao, por injusti9a dos que 
praticam o judaismo, proibimo-lhes 
cousas benignas, que Ihes eram 
licitas; e por afastarem a muitos do 
caminho de Allah; 

161. E por tomarem a usura, 
enquanto foram coibidos disso^^^; e 
por devorarem, ilicitamente, as 
riquezas dos outros homens. E, 
para os renegadores da Fe, dentre 
eles, preparamos doloroso castigo. 

162. Mas OS que, dentre eles, 
estao enraizados na ciencia e os 
crentes creem no que foi descido 
para ti e no que fora descido antes 












(0 Embora entenda a ascensao como fato incontestavel, o Alcorao nao oferece 
maiores informapoes sobre isso. 

(2) Ou seja, os judeus e os cristaos. 

0) Isso significa que tanto os judeus quanto os cristaos acabarSo aceitando que Jesus, 
tambem, e profeta de Deus. Mas, quando tiverem consciencia disso, ja sera tarde 
demais. 

(4) Ele: Jesus. 

(5) Vide Exodo XXll 25. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 6 



163 



1 t>^ 



i $.L»m]^ ijj^ 



de ti. E aos que cumprem a oracao 
e aos que concedem az-zakah^^\ e 
aos creates em Allah e no 
Derradeiro Dia, a esses conce- 
deremos magnifico premio. 

163. Por certo, Nos te fizemos 
revela9oes, Muhammad, como 
fizemos a Noe e aos profetas, 
depois dele. E fizemos revela9oes 
a Abraao e a Ismael, e a Isaque e a 
Jaco, e as tribos e a Jesus, e a Jo e 
a Jonas, e a Aarao e a Salomao^^^; e 
concedemos os Salmos a Davi. 

164. E enviamos Mensageiros, 
de que, com efeito, te fizemos 
menQao, antes, e Mensageiros, de 
que nao te fizemos men9ao; - e 
Allah falou a Moises efetivamente- 

165. Mensageiros por alvissarei- 
ros e admoestadores, para que nao 
houvesse, da parte dos humanos, 
argumenta9ao diante de Allah, 
apos a vinda dos Mensageiros. E 
Allah e Todo-Poderoso, Sabio. 

166. Mas Allah testemunha o 
que fez descer para ti. Ele o fez 
descer com Sua ciencia. E os 
anjos, tambem, o testemunham. E 
basta Allah por Testemunha! 






J)dsi>j: '^\.;2^^^S5^jj 












(OCf.I143n4. 

(2) O que toma evidente que o Mensageiro Muhammad nSo chegou com nova 
religiSo, mas, sim, recebeu seus ensinamentos da mesma fonte, de onde receberam 
todos OS mensageiros anteriores a ele, em diferentes 6pocas. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 6 



164 



^ t>i 



t $.L*^l dj^ 



167. Por certo, os que renegam a 
Fe e afastam os homens do caminho 
de Allah, com efeito, descaminham- 
se, com profundo descaminhar. 

168. Por certo, aos que renegam 
a Fe e sao injustos, nao e 
admissivel que Allah os perdoe 
nem os guie a vereda alguma. 

169.Exceto a vereda da Geena; 
nela, serao eternos, para todo o 
sempre. E isso, para Allah, e facil. 

170.6 humanos! Com efeito, o 
Mensageiro chegou-vos com a 
Verdade de vosso Senhor; entao, 
crede: e-vos melhor. E, se renegais 
a Fe, por certo, de Allah e o que ha 
nos ceus e na terra. E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

171.6 seguidores^^^ do Livro! 
Nao vos excedais em vossa religiao, 
e nao digais acerca de Allah senao 
a verdade. O Messias, Jesus, filho 
de Maria nao e senao o Mensageiro 
de Allah e Seu Verbo, que Ele 
lan90u a Maria, e espirito vindo 
dEle. Entao, crede em Allah e em 
Seus Mensageiros, e nao digais: 
"Trindade". Abstende-vos de dize- 
lo: e-vos melhor. Apenas, Allah e 
Deus Unico. Glorificado seja! 
Como teria Ele um filho?! DEle e 
o que ha nos ceus e o que ha na 









\Z^ 



Hie iitol^=?5^jyfj 



(0 Ou seja, OS cristaos. 



4. Suratu An-Nissa' 



Parte 6 



165 



^ ^>i 



t (.Ltuil 6jj^ 



terra. E basta Allah por Patrono! 

172.0 Messias nao desdenhara 
ser servo de Allah nem os anjos a 
Ele achegados. E aos que desdenham 
Sua adora9ao e se ensoberbecem, 
Ele OS reunira, a todos, a Ele. 

173. Entao, quanto aos que 
creem e fazem as boas obras, Ele 
OS compensara, com seus premios, 
e Ihes acrescentara algo de Seu 
favor. E, quanto aos que 
desdenham Sua adora^ao e se 
ensoberbecem, Ele os castigara 
com doloroso castigo, e nao 
encontrarao, para si, alem de 
Allah, protetor nem socorredor. 

174.6 humanos! Com efeito, 
chegou-vos uma provan9a^'^ de 
vosso Senhor, e fizemos descer, 
para vos, evidente luz^^\ 

175. Entao, quanto aos que 
creem em Allah e a Ele se 
agarram, fa-los-a entrar em 
misericordia, vinda dEle, e em 
favor, e guia-los-a ate Ele, por uma 
senda reta. 

176. Consultam-te, Muliammad. 
Dize: "Allah vos instrui sobre al- 
kalalah^'^^ Se um homem morre, nao 

(0 Ou seja, o Mensageiro Muhammad. 
(2) Ou seja, o AlcorSo. 
(3)Cf. IV 12 n2. 












i^tfr-^-v 



0^ S^f^-^=='*-^-^ lA^^ '^.^ 

tLJoH^lJb^^ jd 






4. Suratu An-Nissa' 



Parte 6 



166 



n t>< 



t (.L^Ji djj*** 



tendo filho nem pai, e tendo irma^'\ 
a esta, a metade do que ele deixar. E 
ele a herdara, se ela nao tern filho. E, 
se sao duas irmas, a elas os dois 
ter90S do que ele deixar. E, se sao 
irmaos, homens e mulheres, ao 
varao, uma cota igual a de duas 
varoas. Allah toma evidente, para 
vos, Suas leis, para que vos nao 
descaminheis. E Allah, de todas as 
cousas, e Onisciente. 






( * ) Trata-se de irma, ou meia - irma por parte de pai. Cf. IV 12 n3. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



167 



1 ^>i 



dJJdi Ojj^ 



SURATU AL-IWArDAH^^^ 
A SURA DA MESA PROVIDA 



De Al Madinah - 120 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1.6 vos que credes! Sede fieis 
aos compromissos. E-vos licito o 
animal dos rebanhos^^\ exceto o 
que se recita^^\ para vos, e nao 
torneis licita a ca9a, enquanto 
estais hurum^'*\ Por certo, Allah 
decide o que deseja. 






i^^^L. 



-v^ 






(0 Al Ma Idah: a mesa ou o alimento, nela colocado. Esla palavra pode ligar-se a 
duas origens: a) ao verbo rndda. movimentar-se, ja que a mesa, primitivamente, se 
movimentava sob o peso de alimentos, ou b) ao verbo madahu, dar algo a alguem, 
da mesma forma que a mesa oferece alimento ao comensal. Denomina-se, assim, 
esta sura, pela men9ao dessa palavra, no versiculo 112, onde se alude, pela 
primeira vez, no Alcorao, a mesa provida, solicitada pelos discipulos de Jesus a 
Deus. Nota-se, alias, que o Alcorao e o unico dos livros divinos que relata a 
historia de al mS idah. Sao dois os escopos essenciais desta sura: a) incitar os 
crentes a cumprirem seus pactos, tanto com Deus quanto com o proximo, e b) 
recriminar os seguidores do Livro, por haverem rompido sua alian9a com Deus. 
Alem disso, relembra que os judeus alteraram as palavras da Tora e que os cristaos 
renegaram a verdadeira Fe, ao afirmarem ser Jesus Cristo filho de Deus. Faz 
alusSo a Caim e Abel, para poder demonstrar o tra90 de agressividade existente na 
natureza humana. Esta sura e categorica na execugao do homicidio, do roubo, do 
assalto violento e na proibi9ao do alcool, dos jogos de azar, etc.. Faz, ainda, 
referencia as normas testamentarias, caso ocorra morte de alguem que esteja em 
viagem, e relembra, finalmente, os milagres de Jesus, sem deixar de expressar o 
repudio pelos que o tomaram, tambem, por Deus, adorando-o. 

(2) Trata-se dos eamelos, vacuns e ovinos. 

(3)Cf. II 173 n3. 

(4) Hurum: plural de hardm, que equivale a muhrim, ambos adjetivos relacionados 
ao peregrino em estado de devo9^o e purifica9ao e que, chegando, em 
peregrina9ao, ao territorio sagrado de Makkah, deve obedecer a certas proibi9oes, 
tais como: o uso de trajes com costura, uma vez que so Ihe e permitido cobrir-se 
com dois panos (toalha, len9ol, etc.), um para a parte superior e outro para a parte 
inferior do corpo; o corte do cabelo, o barbear-se, a ca9a. Todas estas praticas, 
somente Ihe serSo permitidas, apos o termino de todos os ritos da Peregrina9ao. 



5. Saratu Al-Mai'dah Parte 6 



168 ^ ^>» 



OOjlii 



Oj^ 



2.-6 vos que credes! Nao 
profaneis os ritos^^ de Allah, nem o 
mes sagrado^^\ nem os animals em 
oferenda, nem as guirlandas^"^^; e 
nao importuneis os que se estao 
dirigindo a Casa Sagrada, buscando 
favor de seu Senhor e agrado. - E, 
quando nao mais estiverdes hurum, 
ca9ai. - E que o odio para com um 
povo^'^^ por haver-vos afastado da 
Mesquita Sagrada, nao vos induza a 
agredir. E ajudai-vos, mutuamente, 
na bondade e na piedade. E nao vos 
ajudeis no pecado e na agressao. E 
temei a Allah. Por certo, Allah e 
Veemente na puni9ao. - 

3. E-vos proibido o animal 
encontrado morto e o sangue e a 
came de porco e o que e imolado 
com a invoca9ao de outro nome que 
o de Allah; e o animal estrangulado 
e o que e morto por espancamento 
e por queda e por chifradas e o que 
a fera devora, parcialmente - 
exceto se o imolais^^ - e o que e 
imolado sobre as pedras levantadas, 






Kaj i>t;jL2j\j Aj4/Uj\^ oi^^ij 



(0 Os ritos de Deus compreendem, entre outros, a chamada a ora^So, a ora^So 
coletiva, a ora^So nas sextas-feiras, a peregrina^ao e a absten^ao do alcool, da 
carne de porco, dos jogos de azar, etc.. 

(2) Cf. 11 194 n2. 

(3) Era costume, entre os drabes, cingirem, com coiares de arvores de Makkah, o 
pesco^o dos animals destinados k oferenda, como meio de distingui-los do furto, 
agressSo ou mutilaQSo, pois 6 proibi^So divina que tais animals sejam profanados. 

(4) AlusSo aos Quraich, que proibiram o Profeta e seus seguidores de fazerem 
peregrinaQ^o no dia de A! ffudaybiyah, no sexto ano de Hegira. 

(5) Se estes animais mencionados sSo apanhados, ainda, com vida, e, em seguida, 
imoiados, serSo considerados licitos para aiimento. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



169 



n ^>i 



dJJlil djj^ 



em nome dos idolos; e e-vos 
proibido que adivinheis o destino 
por meio de varinhas da sorte^^\ 
Isso e perversidade. - Hoje, os que 
renegam a Fe se desesperam de 
aniquilar vossa religiao. Entao, 
nao OS receeis, e receai-Me. 
Hoje^^\ eu inteirei vossa religiao, 
para vos, e completei Minha gra9a 
para convosco e agradei-Me do 
Islao como religiao para vos. - 
Entao, quern e impelido pela fome 
a alimentar-se do que e proibido, 
sem intuito de pecar, por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

4. Perguntam-te, Muh ammad, 
o que Ihes e licito. Dize: "Sao-vos 
licitas as cousas benignas e a presa 
dos animais, ca9adores adestrados^'^\ 
que ensinastes, conforme Allah 
vos ensinou. Entao, comei do que, 
para vos, eles retem, e mencionai 
sobre isso o nome de Allah. E 









(0 Pratica pre-islamica que consistia na leitura de varinhas em forma de pequenas 
flechas, quando se desejava fazer importante empreendimento, como viagem, 
negocios, casamento, etc.. Estas varinhas eram guardadas na Kabbah e traziam 
inscrito, ora "Deus me ordena", o que possibilitava o empreendimento; ora "Deus 
me proibe", o que obstava; outras, ainda, nao traziam inscri^ao alguma, obrigando- 
se, com isso, ao reinicio do sorteio, para defmir-se o ato. 

(2) Este versiculo foi revelado, no dia da Peregrina^ao da Despedida, ou seja, no dia 
da ultima peregrinagao feita pelo Profeta, antes de morrer. Isso ocorreu, logo 
depois de os moslimes conquistarem Makkah e de ser concluida a Mensagem de 
Muhammad. 

0) Os animais adestrados a ca^a, como cSes, falcOes, panteras devem ser treinados a 
obedecer seu dono e a trazer-lhe intata a presa, do contrario esta se tornara 
impropria para a alimenta^So. Assim, tambem, deve-se mencionar o nome de 
Deus, antes de aqueles serem soltos para sairem a ca^a. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



170 



n t>i 



OJjlil Ojj^ 



temei a Allah. Por certo, Allah e 
Destro no ajuste de contas." 

5. Hoje, sao-vos licitas as cousas 
benignas. E o alimento daqueles^'\ 
aos quais fora concedido o Livro, 
e-vos licito. E vosso alimento Ihes 
e licito. E vos e licito esposardes 
as castas entre as crentes, e as 
castas entre aqueles aos quais fora 
concedido o Livro^^\ antes de vos, 
quando Ihes concederdes seus 
premios, mahr, sendo castos, nao 
adulteros, e nao as tomando, 
jamais, por amantes. E quern renega 
a Fe, com efeito, anular-se-ao suas 
obras, e estara, na Derradeira Vida, 
entre os perdedores. 

6. 6 vos que credes! Quando 
vos levantardes para a ora9ao, lavai 
as faces e as maos ate os cotovelos 
- e, com as maos molhadas, ro9ai 
as cabe9as - e lavai os pes ate os 
tornozelos. E, se estais junub^^\ 
purificai-vos. E, se estais enfermos 
ou em viagem, ou se um de vos 
chega de onde se fazem as 
necessidades, ou se haveis tocado 
as mulheres, e nao encontrais agua, 
dirigi-vos a uma superficie pura, 
tocai-a com as maos e ro9ai as 

(0 Daqueles: dosjudeus e dos cristaos. 
(2) O livro: a Tora e o Evangelho. 
(3)Cf. IV43nI. 






y^^J^j [jlLji-l^ ojLt^i 



5. SQratu Al-Mai'dah Parte 6 



171 



n ^>i 



dJJVit djj«a 



faces e os brafos, a guisa de 
ablu9ao^^^ Allah nao deseja fazer- 
vos constrangimento algum, mas 
deseja purificar-vos e completar 
Sua gra9a para convosco, para 
serdes agradecidos. 

7. E lembrai-vos da gra9a de 
Allah para convosco e de Sua 
alian9a que firmou convosco, quando 
dissestes: "Ouvimos e obedecemos." 
E temei a Allah. Por certo, Allah, 
do intimo dos peitos, e Onisciente. 

8.6 vos que credes! Sede 
constantes em servir a Allah, sendo 
testemunhas com equanimidade. E 
que o odio para com um povo^^^ 
nao vos induza a nao serdes justos. 
Sede justos: isso esta mais proximo 
da piedade. E temei a Allah. Por 
certo, Allah do que fazeis, e 
Conhecedor. 

9. Allah promete aos que creem 
e fazem as boas obras que terao 
perdao e magnifico premio. 

10. E OS que renegam a Fe e 
desmentem Nossos sinais, esses 
sao OS companheiros do Inferno. 

11.6 vos que credes! Lembrai- 
vos da gra9a de Allah para convosco, 
quando um grupo^"^^ intentou 

(UCf. IV43P.136n2. 

(2) Ou seja, para com os idolatras. 

(3) Um grupo: os Quraich. 












5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



172 



n ^>i 



dJjlii 



dj^ 



estender as maos contra v6s, e Ele 
Ihe deteve as maos, afastando-as 
de vos. E temei a Allah. E que os 
crentes, entao, confiem em Allah. 

12. E, com efeito, Allah firmou 
a alian9a com os filhos de Israel^^^, 
e enviamos, dentre eles, doze 
pr6ceres^^\ E Allah disse: 'Tor 
certo, estou convosco. Em verdade, 
se cumpris a ora9ao, e concedeis 
az-zakah^^\ e credes em Meus 
Mensageiros e os amparais, e 
emprestais bom emprestimo a 
Allah, remir-vos-ei as mas obras e 
far-vos-ei entrar em Jardins, 
abaixo dos quais correm os rios. E 
quem de vos renega a Fe depois 
disso, com efeito, descamin-har-se- 
a do caminho certo." 

13. Entao, por haverem desfeito 
sua alian9a, Nos amaldi9oamo-los 
e tornamo-lhes duros os cora96es. 
Alteram^"^^ o sentido das palavras 
do Livro e esquecem parte do que 
Ihes fora lembrado. E tu, 
Muhammad, nao cessaras de 
descobrir trai9ao da parte deles, 
exceto de poucos. Entao, indulta- 
os e tolera-os. Por certo, Allah ama 
OS benfeitores. 









(0 Neste versiculo e nos seguintes, Deus mostra aos crentes o nefasto fim dos que 
romperam o pacto com Deus, para que nao caiam no mesmo erro. 

(2) De cada tribo, foi designado urn lider, para observar o cumprimento do pacto feito 
por seu respectivo povo. 

(3) Cf. II 43 n4. 

(4) Cf. II 79 n2. 



5. Suratu AI-Mai'dah Parte 6 



173 



•\ ^>< 



OOJlil 



dj^ 



14. E com OS que disseram: 
"Somos cristaos", firmamos, 
tambem, alian9a. Mas eles 
esqueceram parte do que Ihes fora 
lembrado. Entao, suscitamos, entre 
eles, a inimizade e a aversao, ate o 
Dia da Ressurrei9ao. E Allah 
informa-Ios-a do que engenhavam. 

15.6 seguidores^^^ do Livro! 
Com efeito, Nosso Mensageiro 
chegou-vos, para tornar evidente, 
para vos, muito do que havieis 
escondido do Livro^^\ e para abrir 
mao de muito disso. Com efeito, 
chegou-vos de Allah uma luz e 
evidente Livro^^^; 

16. Allah guia , com ele, os que 
seguem Seu agrado aos caminhos 
da paz; e fa-los sair, com Sua 
permissao, das trevas para a Luz, e 
guia-os a uma senda reta. 

17. Com efeito, sao renegadores 
da Fe os que dizem: "Por certo, 
Allah e o Messias, Filho de Maria." 
Dize, Muhammad: "Entao, quem 
poderia impedir algo de Allah, se 
Ele desejasse aniquilar o Messias, 
filho de Maria, e sua mae e aos que 
estao na terra, a todos juntos?" E 
de Allah e a soberania dos ceus e 
da terra e do que ha entre ambos. 

(U Ou seja, OS judeus e os cristaos. 
(2) Ou seja, da Tora e do Evangelho. 
(^) Evidente Livro: o Alcorao. 



e 



i=-;Li- ii .^£^\ j-ils 





. s^ ^^^ /^^ ^ 



5. Suratu Al-Mdi'dah Parte 6 



174 



n ^>» 



d OJJtil 



Oj^ 



Ele cria o que quer. E Allah, sobre 
todas as cousas, e Onipotente. 

18, E OS judeus e os cristaos 
dizem: "Somos os filhos de Allah e 
Seus bem-amados." Dize: "Entao, 
por que Ele vos castiga por vossos 
delitos? Ao contrario, sois seres 
humanos dentre os demais que Ele 
criou. Ele perdoa a quern quer e 
castiga a quern quer. E de Allah e a 
soberania dos ceus e da terra e do 
que ha entre ambos. E a Ele sera o 
destino." 

19. 6 seguidores do Livro! Com 
efeito, Nosso Mensageiro chegou- 
vos para tornar evidente, para vos, 
a Verdade, apos um interregno de 
Mensageiros, para que nao digais: 
"Nao nos chegou alvissareiro nem 
admoestador." Entao, de fato, 
chegou-vos um alvissareiro e 
admoestador. E Allah , sobre todas 
as cousas, e Onipotente. 

20. E lembra-lhes, Muhammad, 

de quando Moises disse a seu 
povo: "O meu povo! Lembrai-vos^ ^ 
da gra9a de Allah para convosco, 
quando fez, entre vos, profetas e vos 
fez reis, e concedeu-vos o que nao 
concedera a nenhum dos mundos. 

21. "6 meu povo! Entrai na terra 
sagrada, que Allah vos prescreveu. 



^}J=z=»^'S\j iLiiU j^ 












A.^ 






(l)Cf. lUOnl. 



5. Suratu AI-Mai'dah Parte 6 



175 



1 ^>i 



d OiJlil Oj^ 



e nao volteis atras: tornar-vos-ieis, 
pois, perdedores." 

22. Eles disseram: "6 Moises, 
por certo, ha nela um povo gigante, 
e, por certo, nao entraremos nela^^^, 
ate que dela saiam. E, se dela 
sairem, por certo, nela entraremos. 

23. Dois homens^^^- dos que 
temiam a Allah - aos quais Allah 
agraciara disseram: "Entrai, pela 
porta, sobressaltando-os. Entao, 
quando entrardes por ela, por certo, 
sereis vencedores. E, em Allah, 
entao, confiai, se sois crentes." 

24. Eles disseram: "O Moises! 
Jamais entraremos nela, enquanto 
nela permanecerem. Vai, entao, tu 
e teu Senhor,' e combatei. Por certo, 
nos aqui ficaremos assentados." 

25. Ele disse: "Senhor meu! Por 
certo, nao tenho poder, senao sobre 
mim mesmo e sobre meu irmao^^\ 
Entao, separa-nos do povo perverso." 

26. Allah disse: "Entao, por 
certo, ela Ihes sera proibida por 
quarenta anos, errando eles, na 
terra. Entao, nao te aflijas com o 
povo perverso." 

27. E, recita, Muhammad, para 
eles, com a verdade, a historia dos 

(OCf. II 58 n2. 

(2) Ou seja, Joshua e Caleb. 

(^) Ou seja, Aarao. 






jr-tv 




9^ /^ 

g^ ^ ^IS tljojj c3j^\^ (Jr^ 



O^c 



C^^C^L^jB^-^if 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



176 



n ^j^\ 



OJjlil djj^ 



dois filhos de Adao^'\ quando 
fizeram ambos oferenda a Allah, e 
foi aceita a de um deles, e nao foi 
aceita a do outro. Disse este: 
"Certamente, matar-te-ei." Disse 
aquele: "Allah aceita, apenas, a 
oferenda dos piedosos. 

28. "Em verdade, se me estendes 
a mao, para matar-me, nao te 
estarei estendendo a mao, para 
matar-te. Por certo, eu temo a 
Allah, O Senhor dos mundos. 

29. "Por certo, eu desejo que tu 
incorras em meu pecado e em teu 
pecado: entao, seras dos compan- 
heiros do fogo. E essa e a 
recompensa dos injustos." 

30. E sua alma induziu-o a matar 
o irmao; e matou-o, entao, tomou- 
se dos perdedores. 

31. E Allah enviou um corvo, 
que se pos a escavar a terra^^\ para 
faze-lo ver como acobertar o 
cadaver de seu irmao. Disse ele: 
"Ai de mim! Sou incapaz de ser 
como este corvo e acobertar o 
cadaver de meu irmao?" Entao, 
tomou-se dos arrependidos. 

32. Por causa disso, prescrevemos 
aos filhos de Israel que quem mata 






'^\ 









tCj^ 



^^Gc^OiiiiJ^V. 



(0 Dois filhos de Adao: Caim e Abel. Vide Genese IV. 

(2) Ao lado do corvo, estava um outro, morto. Para enterra-lo, come90u a escavar a terra 
com o bico e as patas, cobrindo, totalmente, o corpo inerte. Vide Al Jalalayn, p. 147. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



177 



n ^>t 



d dJJlit Ojj^ 



uma pessoa, sem que esta haja 
matado outra ou semeado corrup9ao 
na terra, sera como se matasse 
todos OS homens. E quern Ihe da a 
vida sera como se desse a vida a 
todos OS homens. E, com efeito, 
Nossos Mensageiros chegaram-lhes 
com as evidencias; em seguida, por 
certo, muitos deles, depois disso, 
continuaram entregues a excessos, 
na terra. 

33. A recompensa dos que fazem 
guerra a Allah e a Seu Mensageiro, e 
se esfor9am em semear a corrup9ao 
na terra, nao e senao serem mortos 
ou serem crucificados ou terem 
cortadas as maos e os pes, de lados 
opostos^^\ ou serem banidos da 
terra. Isso Ihes e ignominia, na 
vida terrena, e, na Derradeira Vida, 
terao formidavel castigo, 

34. Exceto os que se voltam 
arrependidos, antes que deles vos 
aposseis. Entao, sabei que Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

35.6 vos que credes! Temei a 
Allah e buscai os meios de chegar 
a Ele; e lutai em Seu caminho, na 
esperanfa de serdes bem- 
aventurados. 









(0 Ha quatro modal idades de puni^So de crimes e furtos pelas leis islamicas: a morte, 
para o homicidio; a crucifica9ao, para o homicida que, tambem, assalta; a 
decepa^ao da mSo direita e do pe esquerdo para o que assalta e nSo comete 
homicidio; e o banimento, para o que amea^a assaltar e matar, mas nSo o faz. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



178 



n t>i 



OJJlii Ojj^ 



36. Por certo, os que renegam a 
Fe, se tivessem tudo o que ha na 
terra e mais outro tanto, para, com 
isso, se resgatarem do castigo do 
Dia da Ressurrei9ao, nada disso 
Ihes seria aceito. E terao doloroso 
castigo. 

37. Eles desejarao sair do Fogo, e 
dele nao sairao. E terao permanente 
castigo. 



38. E ao ladrao e a ladra, cortai- 
Ihes, a ambos, a mao^*\ como 
castigo do que cometeram, e como 
exemplar tormento de Allah. E 
Allah e Todo-Poderoso, Sabio. 

39. E quem se volta arrependido, 
depois de sua injustifa, e se emenda, 
por certo, Allah Se voltara para 
ele, remindo-o . Por certo, Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

40. Nao sabes que de Allah e a 
Soberania dos ceus e da terra? Ele 
castiga a quem quer e perdoa a 
quem quer. E Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente. 

41.6 Mensageiro! Nao te 
entristefam aqueles que se apressam 
para a renega9ao da Fe, dentre os 
que dizem com as proprias bocas: 



L|\i ^ M \y}^cyM h 






I ^a<-fi^ 



V>V^-X>1 



V^iS\i iijLli VJ (3jl-li\i 




il\y>r\^^X^ 



^9 ^ ^ 9 -,:;f-*^f^. 






(0 Conforme as leis islamicas, quando o ladrao rouba, pela primeira vez, determinado 
valor, correspondente a V^ de dinar (Cf. Ill 75 n3), corta-se-lhe a mao direita; se 
reincide, corta-se-lhe o pe esquerdo; e, sucessivamente, se continuar a reincidir, a 
mao esquerda e o pe direito. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



179 



n 9^j^\ 



dJJlil 



dj^ 



"Cremos", enquanto os proprios 
coraQoes nao creem^^\ E, dentre os 
que praticam o judaismo, ha os que 
sempre dao ouvidos as mentiras e 
sempre dao ouvidos a outra 
coletividade^^^ que nao te chegou. 
Eles alteram o sentido das palavras. 
Dizem: "Se isso vos e concedido, 
aceitai-o e, se nao vos e concedido, 
precatai-vos de aceita-lo." E para 
aqueie, a quern Allah deseja sua 
prova9ao, nada Ihe poderas fazer, 
para protege-Io de Allah. Esses 
sao aqueles cujos cora9oes Allah 
nao deseja purificar. Terao, na vida 
terrena, ignominia e, terao, na 
Derradeira Vida, formidavel castigo. 

42. Eles dao sempre ouvidos as 
mentiras e sempre devoram o ganho 
ilicito. Entao, se chegam a ti, julga 
entre eles, ou Ihes da de ombros. E, 
se Ihes das de ombros, em nada 
eles poderao prejudicar-te. E, se 
julgas, julga, entre eles, com 
equanimidade. Por certo, Allah 
ama os equanimes. 

43. Mas como eles te tomam 
por arbitro, enquanto tem a Tora, 






^ -: 






-^-l 



<*< ^ 






( ^ ) AlusSo aos hipocritas. 

(^) Referenda aos habitantes da comunidade judaica de Khaibar, da qual dois elementos 
cometeram adult^rio, o que, segundo as leis judaicas, deveria ser punido com 
apedrejamento, ate a morte. A comunidade, entretanto, nio quis executar a pena e 
enviou uma delegag^o da tribo de Quraizah ao Profeta, a fim de the inquirirem 
sobre outra forma de punigSo. O Profeta, por sua vez, confirmou que a punigio, 
para aqueie caso, era identica k da Tora, e que nada poderia fazer para atenu^-la. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



180 



n ^>i 



dJjlll Ojj^ 



em que ha o julgamento de Allah? 
Em seguida, depois disso, voltam as 
costas. E esses nao sao os crentes. 

44. Por certo, fizemos descer a 
Tora; nela, ha orienta9ao e luz. Com 
ela, OS profetas, que se islamizaram, 
julgavam aos que praticavam o 
judaismo e, assim tambem, os rabis 
e OS sacerdotes, porque custodiavam 
o Livro de Allah, e eram testemun- 
has dele. Entao, nao receeis os 
homens, e receai-Me. E nao vendais 
Meus sinais por infimo pre90. E 
quern nao julga conforme o que 
Allah fez descer, esses sao os 
renegadores da Fe. 

45. E nela^^^ prescrevemo-lhes 
que se pague a vida pela vida e o 
olho pelo olho e o nariz pelo nariz 
e a orelha pela orelha e o dente 
pelo dente, e, tambem, para as 
feridas, o taliao. Entao, a quem, 
por caridade, o dispensa, isso Ihe 
servira de expia9ao. E quem nao 
julga conforme o que Allah fez 
descer, esses sao os injustos. 

46. E, na pegada daqueles^^\ 
fizemos seguir a Jesus, filho de 
Maria, para confirmar a Tora, que 
havia antes dele. E concederamo- 
Ihe o Evangelho; nele, ha orienta9ao 
e luz e confirma9ao da Tora, que 



^iujkijjj^ 



dj^^^j ^j^Vi Oi-^Sl i>«^^ 






( ^ ) Nela: na Tora. 

(2) Daqueles: dos profetas anteriores a Muhammad. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



181 



n ^>ri 



eoJlii ijy^ 



havia antes dele, e orienta9ao e 
exorta9ao para os piedosos. 

47. E que os seguidores do 
Evangelho julguem conforme o que 
Allah fez descer nele. E quern nao 
julga conforme o que Allah fez 
descer, esses sao os perversos. 

48. E, para ti, Muhammad, 

fizemos descer o Livro, com a 
verdade, para confirmar os Livros 
que havia antes dele e para 
prevalecer sobre eles. Entao, julga, 
entre eles^^^, conforme o que Allah 
fez descer. E nao sigas suas 
paixoes, desviando-te do que te 
chegou da Verdade. Para cada um 
de vos, fizemos uma legisla9ao e 
um piano. E, se Allah quisesse, 
haveria feito de vos uma linica 
comunidade, mas nao o fez, para 
por-vos a prova, com o que vos 
concedeu. Entao, emulai-vos, pelas 
boas a9oes. A Allah sera o retorno 
de todos vos. E Ele vos informara 
daquilo de que discrepaveis. 

49. E que julgues, entre eles, 
conforme o que Allah fez descer, e 
nao sigas suas paixoes, e precata-te 
de que eles te desviem de algo do 
que Allah fez descer, para ti. 
Entao, se voltam as costas, sabe que 
Allah deseja que sejam alcan9ados 
por alguns de seus delitos. E, por 



© Ojixi^^si^i^ji^ljbj 



• Tf '^ ''•*4 ^ 









oi^yot]jS> d^^jj^^'^j:^^^ 



Q^o 



(U Ou seja, entre os judeus e os cristaos. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



182 1 ^ ^>' 



O dJjdl 6 



6jj^ 



certo, muitos dos humanos sao 
perversos. 

50. Buscam, entao, o julgamento 
dos tempos da ignorancia^^^? E 
quern melhor que Allah, em 
julgamento, para um povo que se 
convence da Verdade? 

51, 6 vos que credes! Nao tomeis 
por aliados os judeus e os cristaos. 
Eles sao aliados uns aos outros. E 
quem de vos se alia a eles sera 
deles. Por certo, Allah nao guia o 
povo injusto. 

52, Entao, tu ves aqueles, em 
cujos corafoes ha enfermidade^^\ 
se apressarem para eles, dizendo: 
"Receamos nos alcance um reves." 
Quifa, pois, Allah fafa chegar a 
vitoria ou uma ordem de Sua parte. 
Entao, tomar-se-ao arrependidos 
daquilo de que guardaram segredo, 
em suas almas. 

53. E OS que creem dirao: "Sao 
estes OS que juraram, por Allah, 
com seus mais solenes juramentos, 
estar convosco?" Mas, anular-se- 
ao suas obras, e, eles se tomarao 
perdedores. 

54. 6 vos que credes! Quem de 
vos apostata de sua religiao, Allah 
fara chegar, em seu lugar, um povo 












(0 Referenda ao paganismo dos tempos pr6- islamicos. Cf. Ill 154 nl. 
(^) Enfermidade: a hipocrisia. 



5. SQratu Al-Mai'dah Parte 6 



183 



n ^>i 



oju'dt ojj^ 



que Ele amara e que O amara; e 
que sera humilde com os crentes, 
poderoso com os renegadores da 
Fe. Lutara no caminho de Allah e 
nao temera repreensao de quem 
quer que seja. Esse e o favor de 
Allah, que Ele concede a quem quer. 
E Allah e Munificente, Onisciente. 

55.V0SSOS aliados sao, apenas, 
Allah e Seu Mensageiro e os que 
creem: aqueles que cumprem a 
ora9ao e concedem az-zakah^^\ 
enquanto se curvam diante de 
Allah. 

56. E quem se alia a Allah e a 
Seu Mensageiro e aos que creem 
triunfara, por certo, o partido de 
Allah e o vencedor. 

57. vos que credes! Nao tomeis 
por aliados os que tomam vossa 
religiao por objeto de zombaria e 
diversao, dentre aqueles aos quais 
fora concedido o Livro, antes de 
vos, nem os renegadores da Fe - E 
temei a Allah, se sois crentes - 

58. E, quando chamais a ora9ao, 
tomam-na por objeto de zombaria 
e diversao. Isto, por que sao um 
povo que nao razoa. 

59.Dize, Muhammad: "6 

seguidores do Livro! Vos nos 
censurais apenas por crermos em 






\p 



A ^ 'i •* ^ 1 it! '''K- 



(0 Sobre az-zakah, cf. II 43 n4. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



184 



n f>i 



dJb'lit 6 



fljjM. 



Allah e no que foi descido, para 
nos, e no que fora descido antes? 
Mas a maioria de vos e perversa. 

60. Dize: "Informar-vos-ei do que 
e pior que isso, como retribui9ao, 
junto de Allah? Os ^^^ que Allah 
amaldi900u e contra quern Se irou, 
e de quern fez simios e porcos, e os 
que adoram At-Taghut^^^: esses 
estao em pior situa9ao, e mais 
descaminhados do caminho certo." 

61. E, quando vos chegam, 
dizem: "Cremos", enquanto, com 
efeito, entram com a renega9ao da 
Fe, e, com efeito, com ela saem. E 
Allah e bem Sabedor do que 
ocultam. 

62. E tu ves muitos deles se 
apressarem para o pecado e para a 
agressao e para a devora9ao do 
ganho ilicito. Que execravel, em 
verdade, o que fazem! 

63. Que OS rabis e os sacerdotes 
OS houvessem coibido do dito 
pecaminoso e da devora9ao do 
ganho ilicito! Que execravel, em 
verdade, o que engenham! 

64. E OS judeus dizem: "A mao 
de Allah esta atada^ \" Que suas 









-^ 












(0 Os: OS judeus. 

(2) Cf. II 256 n2. 

(3) A mSo de Deus esta atada: Deus esta sendo avaro para com eles, restringindo- 
Ihes OS ganhos. Foi assim que blasfemaram os judeus, quando, desmentindo o 



5. SQratu Al-Mai'dah Parte 6 



185 



n t>i 



dOJlit d 



Oj^ 



maos fiquem atadas e que sejam 
eles amaldi9oados pelo que dizem! 
Ao contrario, Suas maos estao 
estendidas: Ele despende Seus 
dons como quer. E, em verdade, o 
que de teu Senhor foi descido, para 
ti, acrescenta a muitos deles 
transgressao e renega9ao da Fe. E 
lan9amos, entre eles, a inimizade e a 
aversao, ate o Dia da Ressurrei9ao. 
Cada vez que acendem um Fogo 
para a guerra, Allah apaga-o^^^ E 
eles esfor9am-se em semear a 
corrup9ao na terra. E Allah nao 
ama os corruptores. 

65. E, se OS seguidores^^^ do 
Livro cressem e fossem piedosos, 
certamente, remir-lhes-iamos as 
mas obras e fa-los-iamos entrar em 
Jardins da Delicia. 

66. E, se houvessem observado 
a Tora e o Evangelho e o que, de 
seu Senhor, fora descido, para eles, 
haveriam desfrutado os bens acima 
deles e debaixo de seus pes^^\ 
Entre eles, ha uma comunidade 
moderada. Mas que vil o que 
muitos deles fazem! 

67.6 Mensageiro! Transmite o 
que foi descido de teu Senhor, para 



^ of ^ ^ 















Profeta, cairam em desprestigio e, consequentemente, come^aram a sofrer 
prejuizos nos negocios, e empobreceram-se. 

(0 Fazer guerra contra Muhammad e in6cuo, pois Deus a faz malograr. 

(2) Ou seja, os judeus e os cristSos. 

(^) Os bens acima deles e abaixo de seus pes: os bens celestials e terreais. 



5. SOratu Al-Mai'dah Parte 6 



186 ^ ^> 



dJU'lit 9jj^ 



ti. E, se o nao fazes, nao haveras 
transmitido Sua Mensagem. E 
Allah te protegera dos homens. Por 
certo, Allah nao guia o povo 
renegador da Fe. 

68. Dize: ''6 seguidores do 
Livro! Nao estais fundados sobre 
nada, ate que observeis a Tora e o 
Evangelho e o que de vosso 
Senhor fora descido para v6s." E, 
em verdade, o que de teu Senhor 
foi descido, para ti, acrescenta a 
muitos deles transgressao e 
renega9ao da Fe. Entao, nao te 
aflijas com o povo renegador da Fe. 

69. Por certo, os que creem^*^ e 
OS que praticam o judaismo e os 
sabeus e os cristaos, aqueles 
dentre eles que creem em Allah e 
no Derradeiro Dia, e fazem o bem, 
por eles nada havera que temer, e 
eles nao se entristecerao. 

70. Com efeito, firmamos a 
alian9a com os filhos de Israel e 
Ihes enviamos Mensageiros. Mas 
cada vez que um Mensageiro Ihes 
chegava, com aquilo pelo que suas 
almas nao se apaixonavam, eles, a 
um grupo desmentiam e a um grupo 
matavam. 

71. E eles^^^ supunham que nao 
haveria san9ao; entao, encegueceram 

(OCf. n62n3. 
(2) Eles: OS judeus. 






'f x' .'t -,» 












\yL^]^.aji3 AXlI^OyO jl 1 ly^-^^j 



5. SOratu AI-Mai'dah Parte 6 



187 



% *>) 



oJJlit Ijj^ 



e ensurdeceram. Em seguida, Allah 
voltou-Se para eles, remindo-os; 
depois, muitos deles encegueceram 
e ensurdeceram. E Allah, do que 
fazem, e Onividente. 

72. Com efeito, sao renegadores 
da Fe os que dizem: "Por certo, 
Allah e o Messias, filho de Maria''. 
E o Messias diz: "6 filhos de 
Israel! Adorai a Allah, meu Senhor 
e vosso Senhor." Por certo, a quem 
associa outras divindades a Allah, 
com efeito, Allah proibe-lhe o 
Paraiso, e sua morada e o Fogo. E 
nao ha para os injustos socor- 
redores." 

73. Com efeito, sao renegadores 
da Fe os que dizem: "Por certo, 
Allah e o terceiro de tres." E nao 
ha deus senao um Deus Unico. E, 
se nao se abstiverem do que dizem, 
em verdade, doloroso castigo tocara 
OS que, entre eles, renegam a Fe. 

74. Entao, nao se voltam, 
arrependidos, para Allah e Lhe 
imploram perdao? E Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 

75.0 Messias, filho de Maria, 
nao e senao um Mensageiro; antes 
dele, com efeito, os outros 
Mensageiros passaram. E sua mae 
era veracissima. Ambos comiam 
alimentos como os demais. Olha 
como tomamos evidentes, para 
eles, OS sinais; em seguida, olha 






'4 









5. Suratu Al-Mai'dah Parte 6 



188 ^ ^> 



oajlii djj^ 



como se distanciam destes. 

76. Dize: "Adorais, em vez de 
Allah, a quern nao possui, para vos 
prejuizo nem beneficio?" e Allah e 
O Oniouvinte, O Onisciente. 

77. Dize: ''6 seguidores do Livro! 
Nao vos excedais, inveridicamente, 
em vossa religiao, e nao sigais as 
paixoes de um povo que, com 
efeito, se descaminhou, antes, e 
descaminhou a muitos, e se tem 
descaminhado do caminho certo." 

78. Os^^^ que renegaram a Fe, 
dentre os filhos de Israel, foram 
amaldi9oados pela boca de Davi^^^ 
e de Jesus^"^\ filho de Maria. Isso, 
porque desobedeceram e cometiam 
agressao. 

79. Eles nao coibiam uns aos 
outros de nenhum ato reprovavel 
que cometiam. Que execravel, em 
verdade, o que faziam! 

80. Tu ves a muitos deles se 
aliarem aos que renegam a Fe. Que 
execravel, em verdade, o que suas 
almas antecipam, para eles! A 
colera de Allah e sobre eles e, no 
castigo, serao eternos. 






(0 Os: Alusao aos que transgrediram o Sabado e, por isso, foram transformados em 
macacos. 

(2) Com respeito as maldi96es de Davi, vide SalomSo CIX 17-18; LXXVIII 21-22; 
LXIX 27-28. 

(3) Conforme o Alcorao, foram amaldi9oados por Jesus os que descreram do sinal da 
Mesa Provida, que Deus Ihes fizera descer. Vide V 114-115. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



189 



V t>i 



dOJlil 



Oj^ 



81. E, se houvessem crido em 
Allah e no Profeta e no que foi 
descido, para ele, nao os haveriam 
tornado por aliados. Mas muitos 
deles sao perversos. 

82. Em verdade, encontraras, - 
dentre os homens, - que os judeus 
e OS idolatras sao os mais violentos 
inimigos dos crentes. E, em verdade, 
encontraras que os mais proximos 
aos crentes, em afei9ao, sao os que 
dizem: "Somos cristaos." Isso, 
porque ha dentre eles^^^ clerigos e 
monges, e porque nao se ensober- 
becem. 

83. E, quando ouvem o que foi 
descido, para o Mensageiro, tu ves 
seus olhos se marejarem de 
lagrimas, pelo que reconhecem da 
Verdade. Dizem: "Senhor nosso! 
Cremos. Entao, inscreve-nos entre 
as testemunhas da verdade. 

84. "E por que razao nao 
creriamos em Allah e na Verdade 
que nos chegou, enquanto aspiramos 
a que nosso Senhor nos fa9a entrar 
no Paraiso, com o povo integro?" 

85. Entao, pelo que disseram, 
Allah retribuiu-lhes Jardins, abaixo 
dos quais correm os rios; nesses, 
serao eternos. E essa e a 
recompensa dos benfeitores. 






i ^ <^ 



^j^^'^^U^ 



t<^. 













(^) Ou seja, entre os cristaos. 



5. SQratu Al-Mai'dah Parte 7 



190 



V ^>l 



dJU'lit 6jj^ 



86, E OS que renegam a Fe e 
desmentem Nossos sinais, esses 
sao OS companheiros do Infemo. 

87,6 vos que credes! Nao 
proibais as cousas benignas^^^ que 
Allah vos tomou licitas, e nao 
cometais agressao. Por certo, Allah 
nao ama os agressores. 

88, E comei daquilo que Allah 
vos deu por sustento, enquanto 
licito e benigno. E temei a Allah, 
em Quern sois crentes. 

89. Allah nao vos culpa pela 
frivolidade em vossos juramentos^^\ 
mas vos culpa pelos juramentos 
intencionais nao cumpridos. Entao, 
sua expia9ao e alimentar dez 
necessitados, no meio-termo com 
que alimentais vossas familias; ou 
vesti-los ou alforriar um escravo. E 
quem nao encontra recursos, deve 
jejuar tres dias. Essa e a expia9ao 
de vossos juramentos, quando 
perjurardes. E custodial vossos 
juramentos. Assim, Allah toma 
evidentes, para vos, Seus sinais, 
para serdes agradecidos. 









(0 Este versiculo faz referenda a um grupo de piedosos que, ao tempo do Profeta, 
pretendia, por excessivo sentimento religioso, proibir-se das cousas licitas, crendo, 
com isso, tomarem-se mais piedosos. Obrigavam-se, entao, a jejuar, incessantes, 
todos OS dias; a rezar, insones, toda a noite; a abster-se, sempre, de mulheres, e da 
ingestao de carne, e do bem-estar. Sabedor disso, o Profeta recriminou-os pelo 
excessivo exagero e acrescentou que a cada um impende cuidar de si mesmo, 
seguindo os caminhos normais, apontados por Deus. 

(2) Cf. II 225. 



5. SOratu Al-Mai'dah Parte 7 



191 



V t>l 



dJjlil Ojj^ 



90. vos que credes! O vinho e 
o jogo de azar e as pedras 
levantadas com nome dos idolos e 

as varinhas da sorte^^^ nao sao 
senao aboinina9ao: a96es de Sata. 
Entao, evitai-as na esperan9a de 
serdes bem-aventurados. 

91. Sata deseja, apenas, semear 
a inimizade e a aversao, entre vos, 
por meio do vinho e do jogo de 
azar, e afastar-vos da lembran9a de 
Allah e da ora9ao. Entao, abster- 
vos-eis disso? 

92. E obedecei a Allah e 
obedecei ao Mensageiro e precatai- 
vos. Entao, se voltais as costas, 
sabei que, impende, apenas, a Nosso 
Mensageiro a evidente transmissao 
da Mensagem. 

93. Nao ha culpa sobre aqueles 
que creem e fazem as boas obras, 
por aquilo de que se alimentaram^^\ 
anteriormente, desde que se 
guardem do proibido e creiam nisso 
e fa9am as boas obras; depois, 
continuem a guardar-se e a crer; 
em seguida, se guardem e bem- 
fa9am. E Allah ama os benfeitores. 

94.6 vos que credes! Em 
verdade, Allah por-vos-a a prova 












(OCf. V3nl. 

(2) Trata-se dos que, antes da proibi9ao expressa no Alcorao, se alimentavam da carne 
de porco e bebiam vinho. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



192 



V^>i 



o dJjlil 



Oj^ 



com a proibi9ao de alguma ca9a, 
que vossas maos e vossas lan9as 
puderem alcan9ar^^\ a fim de que 
Allah saiba quem de vos O teme, 
embora seja Ele Invisivel. Entao, 
quem, depois disso, comete agressao 
tera doloroso castigo. 

95.6 vos que credes! Nao 
mateis a ca9a, enquanto estais 
hurum^^\ E, a quem de vos a mata, 
intencionalmente, impender-lhe-a 
compensa9ao, em rebanhos, igual 
ao que matou, julgada por dois 
homens justos dos vossos, em 
oferenda, destinada a Al KaSah; ou 
expia9ao: alimentar necessitados ou 
o equivalente a isso, em jejum^^\ 
para experimentar a nefasta 
conseqiiencia de sua conduta. Allah 
indulta o que ja se consumou. E 
quem reincide, Allah dele se 
vingara. E Allah e Todo-Poderoso, 
Possuidor de vindita. 

96. E-vos licita a pesca do mar e 
seu alimento, como proveito para 
vos e para os viandantes. E vos e 









^ ^ ^<* ^ )S * 



^ ^\1^J:^ 






(0 Este versiculo foi revelado no ano de Al Hudaibiyah, o 6° ano da Hegira, quando 
OS moslimes sairam de Al Madlnah, para fazer a peregrina^So, mas foram disso 
impedidos pelos Quraich. E, encontrando-se os moslimes em estado hurum, foram 
surpreendidos por uma variedade grande de ca^as, ao alcance das maos e das 
lan^as. Essa foi uma prova de Deus, para experimentar a obediencia a Seus 
preceitos, pois, ao peregrino, em estado de devo^ao e purifica^So, e-Ihe vedada a 
ca9a. 

(2) Cf. V 1 n4. 

0) Ou seja, jejuar tantas vezes quanto for o numero de necessitados a serem 
alimentados. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



193 V .>i 



d dju'di djj«ii 



proibida a ca9a da terra, enquanto 
permaneceis hurum^^\ E temei a 
Allah, a Quern sereis reunidos. 

97, Allah fez da Al Kabbah, a 
Casa Sagrada, arrimo para os 
homens e, assim tambem, o Mes 
Sagrado^^\ e os animals em oferenda 
e as guirlandas. Isso, para que 
saibais que Allah sabe o que ha nos 
ceus e o que ha na terra, e que Allah, 
de todas as cousas, e Onisciente. 

98, Sabei que Allah e Veemente 
na puni9ao e que Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

99, Nao impende ao Mensageiro 
senao a transmissao da Mensagem. 
E Allah sabe o que mostrais e o 
que ocultais. 

lOO.Dize, Muhammad: "Nao 

se igualam o maligno e o benigno, 
ainda que te admire a abundancia 
do maligno. Entao, temei a Allah, 
6 dotados de discernimento, na 
esperan9a de serdes bem-aven- 
turados." 

101.6 vos que credes! Nao 
pergunteis por cousas que, se vos 
fossem divulgadas, vos afligiriam: e, 
se perguntardes por elas, enquanto 
o Alcorao estiver sendo descido, 
ser-vos-ao divulgadas. Allah vo-lo 



siiV4Jir\^^t^>;i;SUj 



)OJ 












;^=divi!''^Ujb:3 



> .ri 



5^0>>tiij 






(OCf. V 1 n4. 

(2) O Mes Sagrado: todos os meses sagrados. Vide II 194 n2. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



194 V .>! 



O dJJlit djj^ 



indultara. E Allah e Perdoador, 
Clemente. 

102. Com efeito, um povo, antes 
de vos, perguntou por elas; em 
seguida, tomaram-se renegadores 
delas. 

103. Allah nao fez determina^ao 

alguma de bahlrah^^^ nem de 
sai'bah^^^ nem de wassTlah^"^^ nem 
de haml^'^l Mas, os que renegam a 
Fe forjam mentiras acerca de 
Allah. E a maioria deles nao razoa. 

104. E, quando se Ihes diz: 
"Vinde ao que Allah fez descer e 
ao Mensageiro", dizem: "Basta-nos 
aquilo em que encontramos nossos 
pais." E bastar-lhes-ia, ainda que 
seus pais nada soubessem e nao 
fossem guiados? 

105. 6 vos que credes! Cuidai de 
vos mesmos; nao vos prejudicara 
quem se descaminha, quando sois 












(0 Bahlrah: acerca da femea do camelo, cuja orelha intercisa indicava ja haver 
desemprenhado dez vezes, sendo que, da ultima vez, Ihe nascera um camelo 
macho. Os arabes pre- islamicos marcavam-na, assim, por um habito 
supersticioso, para que nao fosse utilizada no transporte de carga, nem imolada, 
nem cavalgada. E, sempre, a deixavam desfrutar todos os pastos e fontes d'agua. 

(2) Sa ibah : a femea do camelo, apos dar dez crias femeas, era deixada livre, nao 
podendo ser cavalgada, nem seu pelo tosado. nem seu leite sorvido. Sa ibah, 
tambem, era a femea do camelo, dedicada aos idolos, logo apos o retorno de 
viagem de seu dono ou de seu restabelecimento de uma doen^a. 

(^) Wassilah: pode ser, tambdm, a femea do camelo que da uma cria femea, na 
primeira vez, seguida de outra femea, sem que haja nascido um camelo macho 
entre as femeas. Neste caso, esta cria era dedicada aos idolos. 

(4) Hami: o camelo reprodutor, que ja gerou dez crias. Destarte, e protegido do 
trabalho e da imola^ao. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



195 



V^>^ 



d dOJlil djj^ 



guiados. A Allah sera vosso retomo, 
de todos vos. E Ele vos informara 
do que fazieis. 

106.6 vos que credes! Quando 
a morte se apresentar a um de vos, 
que haja, ao testar, o testemunho de 
dois homens justos dos vossos ou o 
de dois outros, que nao dos vossos, 
se estais percorrendo a terra e sois 
alcan9ados pela desgra9a da morte. 
Retende-os a ambos, apos a ora9ao; 
e eles jurarao por Allah, se duvidais 
deles, e dirao: Nao venderemos 
isso^^^ por prefo algum, ainda que 
o beneflciado seja parente, nem 
ocultaremos o testemunho de Allah: 
por certo, nesse caso, seriamos dos 
pecadores." 

107. Se se descobre que ambos 
cometeram pecado de perjuro, 
entao, que os substituam dois outros, 
dentre os que foram prejudicados 
pelos primeiros, e jurarao por Allah: 
"Em verdade, nosso testemunho e 
mais justo que o deles, e nao 
cometemos agressao: por certo, 
nesse caso, seriamos dos injustos." 

lOS.Isso e mais adequado para 
que prestem testemunho autentico, 
ou temam que outros juramentos 
voltem a ser prestados, apos os 
seus. E temei a Allah e ouvi. E 
Allah nao guia o povo perverso. 



\^>^^^^X^ tt^^vij^ 4^1 












(0 Isso: o juramento feito a Deus. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



196 



V^>i 



dJJlil djj^ 



109. Lembra-lhes, Muham- 
mad, de que, um dia, Allah juntara 
OS Mensageiros, entao, dira: "O que 
vos foi respondido^'^?" Dirao: 
"Nao temos ciencia disso. Por 
certo, Tu, Tu es O Profundo 
Sabedor das cousas invisiveis." 

llO.Quando Allah dira: "6 
Jesus, filho de Maria! Lembra-te 
de Minha gra9a para contigo e para 
com tua mae, quando te amparei 
com o Espirito Sagrado: falaste aos 
homens, quando ainda no ber90, e 
na maturidade. E quando te ensinei 
a Escritura^^^ e a Sabedoria e a 
Tora e o Evangelho. E quando 
criaste, do barro, a figura igual ao 
passaro, com Minha permissao, e 
nela sopraste, e ela se tornou um 
passaro, com Minha permissao. E 
curaste o cego de nascen9a e o 
leproso, com Minha permissao. E 
quando fizeste sair os mortos dos 
sepulcros, com Minha permissao. 
E quando detive os filhos de Israel, 
afastando-os de ti, quando Ihes 
chegaste com as evidencias; entao, 
disseram os que, dentre eles, 
renegaram a Fe: 'Isto nao e senao 
evidentemagia.' 



^ > 






%^^\ 






(0 Trata-se da resposta dos idolatras aos mensageiros, quando estes pregavam a 
unicidade de Deus. A inquiri9ao divina existe para exprobrar os que negam esta 
unicidade. 

(2)Cf. III48nl. 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



197 V .>! 



dJJlLi ojj^ 



lll."E quando inspirei aos 
discipulos: 'Crede em Mim e em 
Meu Mensageiro'; disseram: 
'Cremos, e testemunha que somos 
moslimes'." 

112.Lembra-lhes de q^uando os 
discipulos disseram: "O Jesus, 
filho de Maria! Teu Senhor podera 
fazer-nos descer do ceu uma mesa 
provida?" Ele disse: "Temei a 
Allah, se sois crentes." 

113. Disseram: "Desejamos co- 
mer dela e que se nos tranquilizem 
OS cora9oes; e desejamos saber se tu, 
com efeito, nos disseste a verdade, e 
desejamos ser testemunhas dela^^ V' 

114. Jesus, filho de Maria, disse: 
"O Allah, Senhor nosso! Faze-nos 
descer do ceu uma mesa provida, 
que nos seja uma festa, para os 
primeiros e os derradeiros de nos, e 
um sinal de Ti; e sustenta-nos, e Tu 
es O Melhor dos sustentadores." 

115. Allah disse: "Por certo, far- 
vo-la-ei descer. Entao, a quem de 
vos renegar a Fe, depois, por certo, 
castiga-lo-ei com um castigo com 
que jamais castigarei a alguem dos 
mundos." 

116.E lembra-lhes de quando 
Allah dira: "O Jesus, filho de Maria! 
Disseste tu aos homens: 'Tomai-me 






\< ^. 9 ^.oX, 















(0 Ou seja, "querem ser testemunhas, junto aos judeus ausentes, da mesa provida". 



5. Suratu Al-Mai'dah Parte 7 



198 



V ^>» 



Ojjlil 9jy^ 



e a minha mae por dois deuses, alem 
de Allah?'" Ele dim: "Glorificado 
sejas! Nao me e admissivel dizer o 
que me nao e de direito. Se o 
houvesse dito, com efeito, Tu o 
haverias sabido. Tu sabes o que ha 
em mim, e nao sei o que ha em Ti. 
Por certo, Tu, Tu es O Profundo 
Sabedor das cousas invisiveis. 

117. "Nao Ihes disse senao o 
que me ordenaste: 'Adorai a Allah, 
meu Senhor e vosso Senhor'. E fui 
testemunha deles, enquanto per- 
maneci entre eles. Entao, quando 
fmdaste meus dias na terra, Tu 
foste, sobre eles, O Observante. E 
Tu, de todas as cousas, es Teste- 
munha. 

118. "Se OS castigas, por certo, 
sao Teus servos. E, se os perdoas, 
por certo, Tu, Tu es O Todo- 
Poderoso, O Sabio." 

119. Allah dira: "Este e um dia 
em que beneficiara aos veridicos 
sua veracidade. Eles terao Jardins, 
abaixo dos quais correm os rios; 
nesses, serao eternos para todo o 
sempre." Allah se agradara deles, e 
eles se agradarao dEle. Esse e o 
magnifico triunfo. 

120. De Allah e a soberania dos 
ceus e da terra e o que ha neles. E 
Ele, sobre todas as cousas, e 
Onipotente. 






\jjis\ 0W4J ^\ U^' \^ p45cJ5U 






o«al^l ^:i?£\jOA4i\J\S 







Bj^j^W,l^\^j} 






6. Suratu Al-An'am 



Parte 7 



199 V ,jir\ 



A fUiSlI «j>- 



SCRATU AL-AN^AM^*^ 
A SURA DOS REBANHOS 



^^i^-^yrr^^^ ^:ii~^ 



DeMAKKAH- 165 VERSiCULOS. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Louvor a Allah, Que criou os 
ceus e a terra e fez as trevas e a 
luz. Todavia, os que renegam a Fe 
equiparam outros a seu Senhor. 

2. Ele e Quern vos criou de 
barro; em seguida, decretou-vos um 




ksUl 



— ^ 






(0 Al An*^aiii: Plural de na*^aiii que e, originalmente, o coletivo de camelo. 
Posteriormente, esta palavra passou a designar nao so este coletivo, mas o de 
bovino e ovino, conjuntamente, razao por que nao se pode usar este coletivo, 
separadamente, para estas duas ultimas categorias animais. E, por inexistir, em 
lingua portuguesa, um coletivo apropriado que englobe todas as tres categorias 
acima, ficamos, for90samente, obrigados a usar a palavra plural rebanhos, que, 
em portugues, substitui o coletivo apropriado para cada especie animal. Esta sura, 
que, assim, se denomina, por mencionar esta palavra nos versiculos 136, 138, 139, 
1 42, trata de tres pontos fundamentais: a) a Unicidade de Deus, b) a Revela9ao e a 
Mensagem e, c) Ressurrei9ao e a recompensa, no dia do Juizo. Alem disso, em 
alguns versiculos, a partir do 136, recrimina os arabes pagaos por certos habitos, 
tais como: a) destinarem a idolos parte dos rebanhos; b) permitirem, a quem Ihes 
aprouvesse, de se alimentar destes rebanhos, vedando-os aos demais; c) facultarem 
aos varoes, somente, o que houvesse nas entranhas dos rebanhos; e, d) o 
infanticidio, perpetrado contra a filha recem-nascida, que enterravam viva nas 
areias do deserto. Nesta sura, encontram-se, ainda, referencias historicas a alguns 
profetas, tais como Abraao, que, ao afirmar a unicidade divina, deu inicio a 
prega9ao do monoteismo absolute, a tonica permanente do Livro Sagrado. Faz 
atentar, por exemplo, para os fenomenos comprobatorios do poder divino, ubiquo 
e perfeito, e conclama os crentes a seguirem os sagrados preceitos do Livro, 
conferindo-lhes o que poderiamos chamar de "decalogo islamico": 1. Nao associar 
nada a Deus; 2. Ter benevolencia para com os pais; 3. Nao matar os filhos, 
receando nao poder sustenta-los; 4. Evitar qualquer tipo de obscenidade ou 
torpeza; 5. Nao cometer homicidio; 6. Nao surrupiar os bens dos orfaos; 7. Ser 
honesto nas transa96es; 8. Agir, sempre, com justi9a, mesmo em detrimento de 
parentes; 9. Cumprir o pacto de Deus, observando-lhe os preceitos; 10. Seguir a 
senda reta de Deus. Finalmente, reiterando que Deus e Unico, afirma que Ele e O 
Senhor da Puni9ao, do Perdao e da Misericordia. 



6. Suratu Al-An^'am 



Parte 7 



200 



V^>i 



n {lUoSi 5jj-- 



termo^^^ E, junto dEle, ha outro 
termo designado^^^ Todavia, vos 
contestais 

3. E Ele e Allah nos ceus e na 
terra. Sabe vosso segredo e vossas 
declara9oes e sabe o que lograis. 

4. E nao Ihes^^^ chega sinal algum 
dos sinais de seu Senhor, sem que 
Ihes estejam dando de ombros. 

5. E, com efeito, desmentiram a 
Verdade, quando esta Ihes chegou. 
Entao, chegar-lhes-ao os informes 
daquilo^"^^ de que zombavam. 

6. Nao viram eles quantas 
gera96es aniquilamos, antes deles? 
Empossamo-las na terra, com poder 
de que jamais vos empossamos. E 
enviamos, sobre eles, a chuva, em 
abundancia, e fizemos correr os 
rios, a seus pes; entao, aniquilamo- 
las por seus delitos e fizemos surgir, 
depois delas, outras gera9oes. 

7. Mesmo se fizessemos descer, 
sobre ti, Muhammad, um livro, 
escrito em pergaminho, e eles o 
tocassem com as maos, os que 
renegam a Fe diriam: "Este nao e 
senao evidente magia." 






■' ,^< > s^ i-;i 'X \ \ -* '.^'^-c 



:0c/i-;^cySS>^^\j^^\ 



OfJ 



^M. 



X^S'C 



■■^JJ 



'r^otis;i-3^'^\ 



P C!ir^\'^lj;5;?'jJ55i^^^^^Js 






v:^:>^^\ 



(U Termo: Aqui, significa a vida que termina com a morte. 

(2) Termo designado: ou seja, o Dia do Juizo, em que se dara a Ressurrei9ao. 

(3) Lhes: aos idolatras de Makkah. 
(^) Daquilo: do AlcorSo. 



6. Suratu Al-An^am 



Parte 7 



201 V .>! 



n fiju^i dj^ 



8. E dizem: "Que se fafa descer 
sobre ele, Muhammad, um anjo." 
E, se houvessemos feito descer um 
anjo, ja estaria encerrada^*^ a 
ordem; em seguida, nao ihes seria 
concedida dilafao alguma. 

9. E, se houvessemos feito dele 
um anjo, have-lo-iamos feito na 
forma de homem, e have-los-iamos 
feito confundir o que ja confimdem. 

10. E, com efeito, zombaram de 
Mensageiros, antes de ti; entao, 
aquilo^^ de que zombavam envolveu 
OS que escameceram deles. 

ll.Dize: "Caminhai, na terra; 
em seguida, olhai como foi o fim 
dos desmentidores." 

12. Dize: "De quem e o que ha 
nos ceus e na terra?" Dize: "De 
Allah". Ele prescreveu a Si mesmo 
a misericordia. Em verdade, Ele 
vos juntara, no indubitavel Dia da 
Ressurreifao. Os que se perdem a 
si mesmos, entao, nao creem. 

13. E dEle e o que repousa na 
noite e no dia. E Ele e O 
Oniouvinte, O Onisciente. 

14. Dize: "Tomarei eu por 
protetor outro que Allah, O Criador 
dos ceus e da terra, enquanto Ele e 



\^ii3&4^ Jpr^jy^sj 



^j 












(1) Ou seja, sua aniquila9ao ja estaria determinada. 

(2) Aquilo: o castigo, reservado aos idolatras, sobre o qual falavam os mensageiros. 



6. Saratu Al-An'^am 



Parte 7 



202 



V^>i 



1 fbuSf' dj>-- 



Quern alimenta e nao e alimentado? 
Dize: "Por certo, foi-me ordenado 
ser o primeiro dos que se 
islamizam!" E nao sejas, de modo 
algum, dos idolatras. 

15. Dize: "Por certo, temo, se 
desobedecer a meu Senhor, o 
castigo de um formidavel dia." 

16. Nesse dia, de quern quer que 
seja desviado o castigo, com efeito, 
sera porque Allah dele teve 
misericordia. E esse e o evidente 
triunfo. 

17. E, se Allah te toca com um 
infortunio, nao havera quem o 
remova a nao ser Ele. E, se te toca 
com um bem, Ele, sobre todas as 
cousas, e Onipotente. 

18. E Ele e O Dominador sobre 
Sens servos e Ele e O Sabio, O 
Conhecedor. 

19. Dize: "O que ha de maior 
testemunho^^^?" Dize: "Allah. Ele e 
Testemunha entre mim e vos. E foi- 
me revelado este Alcorao, para com 
ele admoestar-vos e aqueles a quem 
ele atingir." Testemunhais vos, em 
verdade, que ha, junto de Allah, 
outros deuses? Dize: "Nao o 
testemunho." Dize: "Apenas Ele e 
Deus Unico. E, por certo, estou em 
rompimento com o que idolatrais." 









9^ "»'::': 












(0 Textualmente: "qual cousa e maior, em testemunho?" 



6. SOratu Al-An^^Sm 



Parte 7 



203 V .>i 



n fijuSfi djj-** 



20. Aqueles, aos quais concedera- 
mos o Livro, conhecem-no como 
conhecem a seus filhos^^^Os que se 
perdem a si mesmos, entao, nao 
creem. 

21. E quern mais injusto que 
aquele que forja mentiras acerca de 
Allah ou desmente Seus sinais? Por 
certo, OS injustos nao serao bem- 
aventurados. 

22. E um dia, os reuniremos, a 
todos; em seguida, diremos aos que 
idolatram: "Onde estao vossos 
idolos, que pretendieis serein 
deuses?" 

23. Em seguida, sua prova9ao nao 
sera senao dizer: "Por Allah, Nosso 
Senhor! Nao eramos idolatras." 

24. Olha como mentirao acerca 
de si mesmos! E sumira, para 
longe deles, o que forjavam. 

25. E ha, dentre eles, quem te 
ou9a, ao recitares o Alcorao. E 

fizemo-lhes veus sobre os cora9oes, 
a fim de o nao entenderem, e 
fizemo-lhes, nos ouvidos, surdez. 
E, se vissem todos os sinais, neles 
nao creriam, a tal ponto que, quando 
te chegassem, discutindo contigo, os 
que renegam a Fe diriam: "Isto^^ nao 
sao senao fabulas dos antepassados." 

(l)Cf. 11 146 n4. 
(2) Isto: o Alcorao. 






©oM 















6. Suratu Al-An'am 



Parte 7 



204 



V ^>i 



*\ ^UiS^ 6jy^ 



26. E eles coibem dele^'^ os 
demais e dele se afastam. E nao se 
aniquilam senao a si mesmos, e 
nao percebem. 

27. E se visses quando postos 
diante do Fogo! Entao, dirao: 
"Quern dera nos levassem a vida 
terrena, e nao desmentiriamos os 
sinais de nosso Senhor, e seriamos 
dos crentes." 

28. Mas mostrar-se-lhes-a o que, 
antes, escondiam; e, se os houves- 
sem levado a vida terrena, haveriam 
reincidido no de que foram coibidos. 
E, por certo, eles sao mentirosos. 

29. E dizem: "Nao ha senao 
nossa vida terrena, e nao seremos 
ressuscitados." 

30. E se visses quando postos 
diante de seu Senhor! Ele dira: 
"Nao e esta^^^ a Verdade?" Dirao: 
"Sim, por nosso Senhor!" Ele dira: 
"Entao, experimentai o castigo, 
porque renegaveis a Fe." 

31. Com efeito, os que desmen- 
tem o deparar de Allah perdem-se, 
ate que, quando a Hora Ihes chegar, 
inopinadamente, dirao: "Que afli9ao 
a nossa, por descurarmos dela^"^^!" E 
carregarao nos dorsos seus fardos. 



/ y,.9 















'OJ 






(U A proibi9ao pode referir-se tanto ao Livro quanto ao Profeta. 
(2) Esta: a Ressurrei9ao, no Dia do Juizo. 
0) Dela: Da Hora do Juizo Final. 



6. Suratu Al-An^'am 



Parte 7 



205 



V ^>i 



1 ^\juH^ djj-- 



Ora, que vil o que carregarao! 

32. E a vida terrena nao e senao 
diversao e entretenimento. E, 
certamente, a Derradeira Morada e 
melhor para os que sao piedosos. 
Entao, nao razoais? 

33. Com efeito, sabemos que o 
que eles dizem te entristece. E, por 
certo, nao e a ti que desmentem, 
mas e aos sinais de Allah que os 
injustos negam. 

34. E, com efeito, outros 
Mensageiros, antes de ti, 
Muhammad, foram desmentidos, 
e eles pacientaram ao serem 
desmentidos, e foram molestados, 
ate que Nosso socorro Ihes 
chegasse. E nao ha quem troque as 
palavras de Allah. E, com efeito, 
chegaram-te alguns informes dos 
outros Mensageiros. 

35. E, se te e grave que eles 
deem de ombros, entao, se puderdes 
buscar um tunel na terra ou uma 
escada no ceu e fazer-lhes chegar 
um sinal, para que creiam, faze-o 

E, se Allah quisesse, junta-los-ia 
na orienta9ao. Nao sejas, pois, de 
modo algum, dos ignorantes. 

36. Apenas, os que ouvem 
atendem a verdade. E quanto aos 
mortos^'\ Allah ressuscita-los-a. Em 






^A > 






<%^L^j4; <iiA^=pj43 



\ ^- 









(U Ou seja, OS que nao ouvem a Palavra de Deus sao como mortos. No dia do Juizo, 
serao ressuscitados para a presta9ao de contas. 



6. SQratu Al-An'am 



Parte 7 



206 



V c>i 



1 ^l*>Sll OjJ--» 



seguida, a Ele eles serao retomados. 

37. E dizem: "Que se fa9a descer 
sobre ele^^^ um sinal de seu 
Senhor!" Dize: "Por certo, Allah e 
Poderoso para fazer descer um sinal, 
mas a maioria deles nao sabe." 

38. E nao ha ser animal algum 
na terra nem passaro que voe com 
suas asas senao em comunidade 
como vos. De nada descuramos, no 
Livro^^\ Em seguida, a seu Senhor 
serao reunidos. 

39. E OS que desmentem Nossos 
sinais sao surdos e mudos: estao 
nas trevas. Allah descaminha a 
quem quer e faz estar na senda reta 
a quem quer. 

40. Dize, Muhammad: "Vistes? 
Se o castigo de Allah vos chega ou 
vos chega a Hora, que outro que nao 
Allah invocareis, se sois veridicos? 

41. "Mas e a Ele que invocareis: 
entao, Ele vos removera, se quiser, 
aquilo^^^ pelo que O invocais, e 
esquecereis o que idolatrais." 

42. E, com efeito, antes de ti, 
enviamos Mensageiros a outras 
comunidades, e foram desmentidos; 

entao, apanhamo-las, com a 






5^0 



'-U 



JJ 









i>^ A . y "^ ^^ 






>^^ ^y^^J <>L^U \j 



(0 Quer dizer, sobre Muhammad. 

(2) No Livro: no Livro do Destino. 

(3) Aquilo: O castigo divino. 



6. Suratu Al-An*^am 



Parte 7 



207 



V^>i 



*\ f\juH\ Ojj^ 



adversidade e o infortunio, para se 
humildarem. 

43. Entao, que, ao chegar-lhes 
Nosso suplicio, se houvessem 
humildado! Mas seus corafoes se 
endureceram, e Sata aformoseou, 
para eles, o que faziam. 

44. E, quando esqueceram o que 
Ihes fora lembrado, abrimos, sobre 
eles, as portas de todas as boas 
cousas, ate que, quando jubilaram 
com o que se Ihes concedera, 
apanhamo-los, inopinadamente, e 
ei-los mudos de desespero. 

45. Entao, foi exterminado o 
povo injusto, ate o ultimo deles. E 
louvor a Allah, O Senhor dos 
Mundos! 

46. Dize: "Vistes? Se Allah vos 
tomar o ouvido e as vistas e vos selar 
OS corafoes, que outro deus que 
Allah vo-los fara vir? Olha como 
patenteamos os sinais; todavia, eles 
apartam-se! 

47. Dize: "Vistes? Se o castigo 
de Allah vos chega, inopinada ou 
declaradamente, quem sera 
anquilado, senao o povo injusto?" 

48. E nao enviamos os Men- 
sageiros senao por alvissareiros e 
admoestadores. Entao, quem ere e 
se emenda, por eles nada havera que 
temer, e eles nao se entristecerao. 









^>jti::l4i\l^\o^^ 






6. Suratu Al-An'am 



Parte 7 



208 



V^>i 



n fbu^i 5 



)y^ 



49. E aos que desmentem Nossos 
sinais, toca-los-a o castigo pela 
perversidade que cometiam. 

50. Dize: "Nao vos digo que 
tenho OS cofres de Allah nem que 
conhe90 o Invisivel, nem vos digo 
que sou anjo. Nao sigo senao o que 
me e revelado." Dize: "Igualam-se 
o cego e o vidente? Entao, nao 
refletis?" 

51. E admoesta, com eW\ os 
que temem ser reunidos a seu 
Senhor - enquanto nao tem, alem 
dEle, nem protetor nem intercessor 
- na esperan9a de serem piedosos. 

52. E nao repulses os que invo- 
cam a seu Senhor, ao amanhecer e 
ao anoitecer, buscando-Lhe a 
face^^\ Nada te impende de sua 
conta e nada Ihes impende de tua 
conta, pois o repulsa-los te fara ser 
dos injustos. 

53. E, assim, nos os provamos 
uns pelos outros^'^^ a fim de que 



^jQ\^^^lZ l^^l%V^3o 01^13 



ur\i. 



oyLu^\y 






^y^^ 















( ^ ) Com ele: Com o Alcorao. 

(2) Ou seja, buscando a benevolencia de Deus. Houve, entre os adeptos do Profeta, 
aqueles humildes, como Bilal e Suhaib, que eram desprezados e odiados pelos ricos 
e pelos idolatras. Estes haviam dito, certa vez, ao Profeta que, se este os expulsasse 
da comunidade, seiit.ar-se-iam com ele e com ele conversariam a respeito do Islao. 
Diante disso, o Profeta respondeu que Ihe era, absolutamente, inconcebivel 
expulsa-los. Insistindo, os ricos e os idolatras pediram que, ao menos, o Profeta 
nao permitisse que aqueles se aproximassem deles, enquanto estivessem palestrando 
sobre o Islao. E, diante da possivel anuencia do Profeta, este versiculo foi revelado 
como exorta^ao a que ele nao desprezasse os humildes e nao os afastasse. 

(3) Ou seja, o integro e provado pelo iniquo, e o rico, pelo pobre. 



6. Suratu Al-An'am 



Parte 7 



209 



Vi^>i 



*\ fUiSfi 5jj-- 



digam^'^ "Sao estes^^^ aqueles a 
quern Allah fez merce, entre nos?" 
Nao e Allah bem Sabedor dos 
agradecidos? 

54. E, quando os que creem em 
Nossos sinais te chegarem, dize: 
"Que a paz seja sobre vos! Vosso 
Senhor prescreveu a Si mesmo a 
misericordia: quern de vos faz um 
mal, por ignorancia; em seguida, 
depois disso, volta-se arrependido e 
emenda-se, por certo, Ele e 
Perdoador, Misericordiador." 

55. E, assim, aclaramos os sinais, 
e isso para que se tome evidente o 
caminho dos criminosos. 

56. Dize: "Por certo, foi-me 
coibido de adorar os que invocais, 
alem de Allah." Dize: "Nao seguirei 
vossas paixoes: com efeito, nesse 
caso, descaminhar-me-ia, e nao seria 
dos guiados." 

57. Dize: "Por certo, estou 
fundado sobre evidencia de meu 
Senhor; e vos O^"^^ desmentis. Nao 
tenho o^"*^ que quereis apressar. O 
julgamento nao e senao de Allah. 
Ele narra a Verdade. E Ele e O 
Melhor dos Arbitros." 












( Ou seja, "a fim de que digam os ricos". 

(2) Estes: os pobres. 

(^) Este pronome se refere a Deus, e o sentido da frase seria: "desmentistes a 
existenciade Deus". 

(4) O: o castigo. 



6. Suratu Al-An''ain 



Parte 7 



210 



V^>l 



n fiiuVi djj-- 



58. Dize; "Se tivesse o que 
quereis apressar, ja estaria encerrada 
a questao entre mim e vos. E Allah 
e bem Sabedor dos injustos." 

59. E Ele tern as chaves do 
Invisivel; ninguem sabe delas senao 
Ele. E Ele sabe o que ha na terra e 
no mar. E nenhuma folha tomba 
sem que Ele saiba disso, e nao ha 
grao algum nas trevas da terra nem 
algo, limido nem seco, que nao 
estejam no evidente^^^ livro. 

60. E Ele e Quem vos leva a 
alma, durante a noite^'^^ e sabe o 
que adquiris, durante o dia; em 
seguida, nele^^^ vos ressuscita, para 
ser encerrado um termo designado. 
Em seguida, a Ele sera vosso 
retomo; depois, Ele vos informara 
do que fazieis. 

61. E Ele e O Dominador sobre 
Seus servos. E envia anjos custodios, 
sobre vos, ate que quando a morte 
chega a um de vos, Nossos 
Mensageiros celestials Ihe levam a 
alma, e de nada descuram. 

62. Em seguida, serao levados a 
Allah, seu Verdadeiro Protetor. Ora, 
dEle e o julgamento, e Ele e O mais 
Destro no ajuste de contas. 



^^.oj^ \ ruyj&A jo J^JJ^J -lis 



U^J ^^l^ j*i===^^lc^ ji^J^J 



<^ 




%^J^\^j:^>^ 






^j Ul4; ^^^_y ^^^^ 



^.-:\ 






(H Quer dizer, no Livro do Destino, em que, segundo a tradigao islamica, esta 
registrado o destino de todas as criaturas. 

(2) Levar a alma durante a noite: fazer mergulhar na inconsciencia do sono. 

(3) Nele: Durante o dia. 



6. Suratu Al-An'^am 



Parte 7 



211 



V ^jk\ 



1 fliuSfi 5j>- 



63. Dize: "Quern vos salva das 
trevas da terra e do mar?" A Ele, vos 
invocais humilde e secretamente: 
'Certamente, se Ele nos salva 
destas, seremos dos agradecidos'" 

64. Dize: "Allah vos salva destas 
e de todas as angiistias; todavia, vos 
idolatrais!" 

65. Dize: "Ele e O Poderoso para 
enviar-vos um castigo, proveniente 

de cima de vos ou debaixo de 
vossos pes^^^, ou para confundir-vos 
em seitas e fazer que alguns de vos 
experimenteis a furia dos outros." 
Olha como patenteamos os sinais, 
para entenderem. 

66. E teu povo desmentiu-o^^\ 
enquanto ele e a Verdade. Dize: 
"Nao sou, sobre vos, patrono. 

67. "Para cada informe, ha um 
tempo de ser, e vos logo sabereis." 

68. E, quando tu vires os que 
confabulam, em Nossos versiculos, 
com escarnio, da-lhes de ombros, 
ate que confabulem, em outro 
assunto. E, se Sata to faz esquecer, 
entao, nao te assentes com o povo 
injusto, depois de teres lembran9a 
disso. 



hf .^ l- -^> ^ T- 



Oj4%^iji^^^<-^^<-^ 






(0 O castigo de cima: Tal como a chuva de pedras igneas, que fez sucumbir o povo 
de Lot em Sodoma e Gomorra; o castigo de baixo: tal como as aguas do Mar 
Vermelho, que afogaram o povo de Farao. 

(2) O: o Alcorao. 



6. Suratu AI-An^'am 



Parte 7 



212 



V ^>i 



1 ^\j6H\ Oj>-*» 



69. E nao impende aos que sao 
piedosos nada de seu^^^ ajuste de 
contas, mas sim uma lembranfa, 
para serem piedosos. 

70. E deixa os que tomam sua 
religiao por diversao e entreteni- 
mento, e aos quais a vida terrena 
ilude. E adverte, com ele^^\ para 
que alma alguma se entregue a 
ruina, pelo que cometeu, enquanto 
nao tera, alem de Allah, nem 
protetor nem intercessor. E, se ela 
quiser resgatar-se, com qualquer 
resgate, este nao Ihe sera aceito. 
Esses, que se entregam a ruina, pelo 
que cometem, terao, por bebida, 
agua ebuliente e doloroso castigo, 
por que renegavam a Fe. 

71. Dize: "Invocaremos, alem de 
Allah, o que nao nos beneficia nem 
nos prejudica, e tomaremos atras, 
virando os calcanhares, apos Allah 
haver-nos guiado, como aquele que 
OS demonios seduzem, na terra, 
ficando perplexo, enquanto tem 
companheiros que o convocam a 
orientafao: 'Vem a nos'"? Dize: 
"Por certo, a orienta9ao de Allah e 
a verdadeira orientafao, e foi-nos 
ordenado que nos islamizassemos, 
para O Senhor dos mundos. 

72. ''E cumpri a orafao e temei- 

















li^iv^jajiSv^sJi^ 5)s 



( ' ) Seu: deles, dos que tratam os versiculos, com escarnio. 
(2) Com ele: com o Alcorao. 



6. Suratu Al-An*^am 



Parte 7 



213 V .>! 



n fUj^i 5jj-- 



O. E Ele e Aquele a Quern sereis 
reunidos." 

73. E Ele e Quern criou os ceus 
e a terra, com a verdade. E, quando 
diz: "Se", entao, e. Seu dito e a 
verdade. E dEle sera a soberania, 
um dia, em que se soprara na 
Trombeta. E O Sabedor do 
invisivel e do visivel. E Ele e O 
Sabio, O Conhecedor. 

74. E lembra-lhes, Muhammad, 

de quando Abraao disse a seu pai 
Azar^^^: "Tomas idolos por deuses? 
Por certo, eu te vejo e a teu povo 
em evidente descaminho." 

75. E, assim, fizemos ver a 
Abraao o reino dos ceus e da terra, 
e isso para que fosse dos convictos. 

76. Entao, quando a noite o 
envoi veu, ele viu um astro. Disse: 
"Eis meu Senhor." E quando ele se 
pos, disse: "Nao amo os que se 
poem." 

77. E, quando viu a lua surgindo, 
disse: "Eis meu Senhor." E, quando 
ela se pos, disse: "Se meu Senhor 
nao me guia, em verdade, estarei 
entre o povo descaminhado." 

78. E, quando viu o sol surgindo, 
disse: "Eis meu Senhor; este e o 



o^? 









^ui^^ 



3j L^A^S;) o^ J\i J^\ \l!S (jj 



(0 Segundo o exegeta Al-Zamakhchari, Azar seria alcunha do pai de Abraao, cujo 
nome era Tera; ou Tera seria a forma correspondente de Azar, em assirio. Vide Al 
Kachchaf, volume 2, pp. 29-30. 



6. Suratu AI-An^'am 



Parte 7 



214 



V ^>i 



1 ffcUiSli 5;j-- 



maior!" E, quando ele se pos, 
disse; "6 meu povo! Por certo, 
estou em rompimento com o que 
idolatrais. 

79. "Por certo, eu dirijo minha 
face, como monoteista sincero, para 
Quem criou os ceus e a terra. E nao 
sou dos idolatras." 

80. E seu povo argumentou com 
ele. Mas ele disse: "Argumentais 
comigo, sobre Allah, enquanto Ele, 
com efeito, me guiou? E nao temo 
o que Lhe associais, exceto se meu 
Senhor quiser algo de mai para 
mim. Meu senhor abrange todas as 
cousas em ciencia. Entao, nao 
meditais? 

81. "E como temerei o que 
idolatrais, enquanto nao temeis 
associar a Allah aquilo do que Ele 
nao fez descer, sobre v6s, 
comprova9ao alguma? Entao, qual 
das duas partes e mais digna de 
seguran9a? Se soubesseis! 

82. "Os que creem e nao con- 
fundem sua fe com injusti9a, esses 
tem a seguran^a e sao guiados." 

83. E esse Nosso argumento, 
concedemo-lo a Abraao contra seu 
povo. Elevamos, em escaloes, a 
quem queremos. Por certo, teu 
Senhor e Sabio, Onisciente. 

84. E dadivamo-lo com Isaque e 













h£-^ *^ 'S^'^ ^^ ---*•-» J"^^ 









6. Suratu Al-An'am 



Parte 7 



215 



V j^>i 



n fUi^i 6jj^ 



Jac6^^\ A ambos guiamos. E a Noe, 
guiamo-lo, antes. E, de sua 
descendencia, guiamos a Davi e a 
Salomao e a Jo e a Jose e a Moises e 
a Aarao - e, assim, recompensamos 
OS benfeitores - 

85. E a Zacarias e a Yahia, Joao- 
Batista, e a Jesus e a Elias - todos 
eram dos integros - 

86. E a Ismael^^^ e a Eliseu^^^ e a 
Jonas e a Lot - e a todos eles 
preferimos aos mundos - 

87. E a alguns de seus pais, e de 
sua descendencia, e de seus irmaos. 
E N6s OS elegemos e os guiamos a 
uma senda reta. 

88. Essa e a orienta9ao de Allah: 
guia com ela a quem quer, entre 
Seus servos. E, se eles houvessem 
idolatrado; haver-se-ia anulado o 
que faziam. 

89. Esses sao aqueles a quem 
concederamos o Livro^'^^ e a 
sabedoria, e a profecia. E, se estes^^^ 
os^^^ renegam, com efeito, confia- 
los-emos a um povo nao renegador 
deles. 






lPQIS if^^ ^Sf^J^^J^^J 



\Jb>j jij^iJ 5i^\3 J^^a^^lj 












Oi^i^i^t^ii^^^iil^jli^ 



(0 Jaco: filho de Isaque e neto de Abraao. 

(2) Ismael: filho de Abraao. 

(^) Eliseu, no texto coranico, e Al Vassal citado em I Reis XIX 16-21. 

(4) O Livro: todos os livros divinos. 

(5) Estes: os Quraich. 

(6) Os: Livro, a sabedoria e a profecia. 



6. Suratu Al-An'^am 



Parte 7 



216 V .> 



A fbuSli Ojj-- 



90. Esses sao os que Allah guiou. 
Entao, segue sua orientafao. Dize: 
"nao vos pefo premio por ele^'\ Ele 
nao e senao lembran9a para os 
mundos." 

91. E eles nao estimam a Allah 
como se deve estima-10, quando 
dizem: "Allah nada fez descer sobre 
ser humano algum." Dize: "Quern 
fez descer o Livro, com que Moises 
chegou, como luz e guia para os 
humanos? Vos o^^^ fazeis, agora, 
em folhas soltas, de que mostrais 
algo e escondeis muito^'^\ E fostes 
ensinados do^"*^ que nao sabieis, 
nem vos nem vossos pais." Dize: 
"Foi Allah." Em seguida, deixa-os 
se divertirem, em suas 
confabula9oes. 

92. E este e um Livro, que 
fizemos descer: bendito, confirmador 
do que havia antes dele; e fizemo- 
lo descer para tu advertires a Mae 
das cidades^^^ e os que estao a seu 
redor. E os que creem na Derradeira 
Vida nele creem. E eles custodiam 
suas ora9oes. 















(H Por ele: pelo Alcorao. 

(2) O: o Livro de Moises, ou seja, a Tora. 

(3) Alusao ao que os judeus ocultaram da Tora, relativo a vinda do Profeta Muhammad. 

(^) Ou seja: "E aprendestes, no AlcorSo, o que nao aprendestes na Tora". 

(5) Mae das cidades: Makkah, a mais importante cidade do mundo islamico, assim 
designada, por ser o local do primeiro templo de Deus, onde esta a Ka*^bah, em 
dire^So da qual se voltam os crentes, nas ora^oes. 



6. Suratu Al-An'am 



Parte 7 



217 



V ^>i 



1 ^UiSfi Ojj-*» 



93. E quern tnais injusto que 
aquele que forja mentiras acerca de 
Allah ou diz: "Foi-me revelado 
algo", enquanto nada Ihe fora 
revelado, e aquele que diz: "Farei 
descer, algo igual ao que Allah fez 
descer"? E se visses os injustos, 
enquanto na agonia da morte, e os 
anjos, estendendo as maos e 
dizendo: "Fazei sair vossas almas. 
Hoje^'\ sereis recompensados com 
o castigo da vileza, porque dizieis 
acerca de Allah o que nao era 
verdade, e porque vos ensober- 
becieis, diante de Seus sinais." 

94. Allah dira: "E, com efeito, 
chegais a Nos sozinhos^^\ como vos 
criamos da vez primeira, e deixastes, 
atras das costas, o de que fizemos 
vos assenhoreardes. E nao vemos, 
junto de vos, vossos intercessores, 
que pretendieis parceiros em vossa 
adora9ao. Com efeito, o que havia 
entre vos cortou-se. E sumiu, para 
longe de vos, o que pretendieis." 

95. Por certo, Allah e Quern faz 
fender os graos e os caro90s. Faz 
sair o vivo do morto e faz sair o 
morto do vivo. Esse e Allah. Entao, 
como dEle vos distanciais? 






\fr/>-\}4 



AU\^ 



i^W 






^i:t ^ 



i!^uf^^^^<^}j^j^^'^==^ 



I K 



OjJp3J3 ^^^:^V^yJJ^ss>_3 



Jj^^^.^=i:Jft)b-US c^i]^ iiyCJis^jjiij 



<y;j> 












(1 ) Hoje: a partir de agora. 

(2) Sozinhos: despojados de todos os bens terrenos, dos familiares e de toda a 
prote9ao. Assim sera, no Dia do Juizo. 



6. Suratu Al-An^am 



Parte 7 



218 V .> 



•^ fUiSH Ojj-- 



96. Ele e Quern rompe a manha. 
E faz da noite repouso, e do sol e da 
lua, computo do tempo. Essa e a 
determina9ao dO Todo-Poderoso, 
dO Onisciente. 

97. E Ele e Quern vos fez as 
estrelas, para que vos guieis, por 
elas, nas trevas da terra e do mar. 
Com efeito, aclaramos os sinais a 
um povo que sabe. 

98. E Ele e Quem vos fez surgir 
de uma so pessoa; entao, e 
receptaculo e deposito. Com efeito, 
aclaramos os sinais a um povo que 
OS entende. 

99. E Ele e Quem faz descer do 
ceu agua e, com ela, fazemos sair 
planta de toda a especie. E, dela, 
fazemos sair o verdor; dele fazemos 
sair aglomerados graos - e, nas 
espatas das tamareiras, ha cachos 
acessiveis - e fazemos sair jardins 
de videiras, e a oiiva e a roma, 
semelhantes e nao semelhantes^^^ 
Olhai sens frutos, quando frutificam, 
e seu sazonar. Por certo, ha nisso 
sinais para um povo que ere. 

100. E eles fizeram a Allah, os 
jinns, como parceiros, enquanto foi 
Ele Quem os criou. E inventaram- 
Lhe, sem ciencia, filhos e filhas. 









' ^^^^^.ft. 






(U Ou seja, semelhantes na aparencia e dessemelhantes no paladar. 



6. Suratu Al-An''dm 



Parte 7 



219 



V ^>l 



*\ fUuSfi 'Ojj^ 



Glorificado e Sublimado seja Ele, 
acima do que alegam! 

101. Ele e O Criador Impar do 
ceu e da terra. Como teria Ele um 
filho, enquanto nao tern compan- 
heira? E Ele criou todas as cousas. 
E Ele, de todas as cousas, e 
Onisciente. 

102. Esse e Allah, vosso Senhor. 
Nao existe deus senao Ele, Criador 
de todas as cousas: entao, adorai-0. 
E Ele, sobre todas as cousas, e 
Patrono. 

103. As vistas nao O atingem 
enquanto Ele atinge todas as vistas. 
E Ele e O Sutil, O Conhecedor. 

104. Com efeito, chegaram-vos 
clarividencias de vosso Senhor. 
Entao, quern as enxerga, sera em 
beneficio de si mesmo. E quem 
enceguece, sera em prejuizo de si 
mesmo. E, sobre vos, nao sou 
custodio. 

105. E, assim, patenteamos os 
versiculos, e isso, para que 
dissessem: "Estudaste^*^ com os 
seguidores do Livro", e para que 
o^^^ tomassemos evidente, para um 
povo que sabe. 









'^<^'%%,'i^ 






A jT^ '-:: 









(0 Os idolatras, sempre, acusaram, falazmente, Muhammad de receber seus 
ensinamentos de judeus e cristaos, e nSo de Deus, diretamente. 

(2) O: o Alcorao. 



6. Suratu Al-An'^am 



Parte 7 



220 



V ^ji-i 



^ fUiSli «jj-*» 



106. Segue o que te foi revelado 
de teu Senhor. Nao existe deus 
senao Ele. E da de ombros aos 
idolatras. 

107. E, se Allah quisesse, nao 
haveriam idolatrado. E, sobre eles, 
Nos nao te fizemos custodio. E tu, 
sobre eles, nao es patrono. 

108. E nao injurieis os que eles 
invocam alem de Allah: pois, eles 
injuriariam a Allah, por agressao, 
sem ciencia. Assim, aformoseamos, 
para cada comunidade, suas obras; 
em seguida, seu retomo sera a seu 
Senhor; entao, informa-los-a do que 
faziam. 

109. E juraram, por Allah, com 
sens mais solenes juramentos, que, 
se Ihes chegasse um sinal, 
certamente, nele creriam. Dize: "Os 
sinais estao, apenas, junto de 
Allah." E o que vos faz pressenti- 
lo^'^? Por certo, quando ele Ihes 
chegar, nao crerao. 

110. E Nos Ihes reviraremos os 
cora9oes e as vistas: entao, nao 
crerao, como nao creram nele, da 
vez primeira, e deixa-los-emos, em 
sua transgressao, caminhando as 
cegas. 












(0 Lo: Isso, ou seja, a cren^a nos sinais divinos, por parte dos idolatras. O versiculo 
adverte os crentes, que ansiavam ardentemente que chegassem os sinais divinos, 
reclamados pelos idolatras, de que, mesmo que Ihes chegassem, por contumacia e 
ignorancia, nao iriam crer neles. 



6. Suratu Al-An^am 



Parte 8 



221 A .>! 



•\ fUiSl* 5jj-- 



lll.E, se fizessemos descer- 
Ihes OS anjos e Ihes falassem os 
mortos e Ihes reunissemos todas as 
cousas a sua frente, nao creriam, 
exceto se Allah quisesse. Mas a 
maioria deles o ignora. 

112. E, assim, fizemos para cada 
profeta inimigos: demonios dentre 
OS humanos e os jinns, que 
inspiraram uns aos outros dito 
floreado, para se iludirem - e, se 
teu Senhor quisesse, nao o fariam. 
Entao, deixa-os e ao que forjam - 

113. E para o escutarem os 
cora96es daqueles que nao creem na 
Derradeira Vida, e para, com isso, 
se agradarem, e para continuarem a 
perpetrar o que estavam perpetrando. 

114. Dize: "Entao, buscarei por 
juiz outro que Allah, enquanto Ele e 
Quern fez descer, para vos, o Livro 
aclarado?" E aqueles, aos quais 
concederamos o Livro^^\ sabem 
que ele foi descido de teu Senhor, 
com a verdade. Entao, nao sejas, de 
modo algum, dos contestadores. 

115. E a palavra de teu Senhor 
cumpriu-se, em verdade e justi9a. 
Nao ha quem troque Suas Palavras. E 
Ele e O Oniouvinte, O Onisciente. 

116. E, se obedeces a maioria dos 
que estao na terra, descaminhar-te- 






^^-''^^^U^jii( 









^AP 






(') O Livro: aTora. 



6. Suratu Al-An'am 



Parte 8 



222 



A t^ri 



n fUiSi' «jj-- 



ao do caminho de Allah. Nao seguem 
senao conjeturas e nada fazem 
senao imposturar. 

117. Por certo, teu Senhor e bem 
Sabedor de quern se descaminha de 
Seu caminho. E Ele e bem Sabedor 
dos guiados. 

118. Entao, comei daquilo, sobre 
o qual foi mencionado o nome de 
Allah, se de Seus sinais sois crentes. 

119. E por que razao nao 
comereis daquilo, sobre o que foi 
mencionado o nome de Allah, 
enquanto, com efeito, Ele vos 
aclarou o que vos e proibido, exceto 
aquilo^^^ ao qual fostes impelidos 
pela fome? E, por certo, muitos, com 
suas paixoes, descaminham a 
outros, sem ciencia. Por certo, teu 
Senhor e bem Sabedor dos 
agressores. 

120. E deixai o pecado, aparente e 
latente. Por certo, os que cometem 
o pecado serao recompensados, 
pelo que perpetravam. 

121. E nao comais daquilo, sobre 
o qual nao foi mencionado o nome 
de Allah. E, por certo, isto e 
perversidade. E, por certo, os 
demonios inspiram seus aliados, 
para que contendam convosco. E, 









ij aAc'Jja^ ^iJ^y^->^^ 



'^: 









(l)Cf. V3. 



6. Suratu AI-An*^am 



Parte 8 



223 A .> 



n ^liuSli djj-^ 



se vos Ihes obedeceis, por certo, 
sereis idolatras. 

122. E, acaso, quern estava 
morto, e N6s demo-lhe vida e 
fizemo-lhe luz, com que anda entre 
OS homens, e igual a quern esta nas 
trevas, das quais jamais saira^^^? 
Assim, aformoseou-se, para os 
renegadores da Fe, o que faziam. 

123. E, assim, fizemos, em cada 
cidade, proceres de seus crimino- 
sos^^\ para nela usarem de estrata- 
gemas. E nao usam de estratagemas 
senao contra si. mesmos, e nao 
percebem. 

124. E, quando um sinal Ihes^^^ 
chega dizem: "Nao creremos, ate 
que nos concedam algo igual ao que 
fora concedido aos Mensageiros de 
Allah." Allah e bem Sabedor de 
onde depositar Sua mensagem. 
Aos que foram criminosos alcan9a- 
los-a vileza, junto de Allah, e 
veemente castigo, pelos estrata- 
gemas de que usavam. 

125.Entao, a quem Allah deseja 
guiar, Ele Ihe dilatara o peito para o 






i-i^ ji=-4 liSr^itijl^j 



y>ijA!^ \J)ju^=C:i \^j 



© Oj^iJli>j 






A^^S. {. 



f>-^-'^-Mi j^ 4i\ A^ J^ 



(U Este versiculo alude, de um lado, ao idolatra, que e igual ao morto, e que, havendo 
abra^ado o Islao, come^a a gozar a vida; de outro lado, ao idolatra que, nao 
abandonando a idolatria, nas trevas permanece, irremediavelmente. 

(2) Referencia aos principals de Makkah, que se tornaram os mais ferrenhos inimigos 
de Muhammad, 

(3) Lhes: aos principals de Makkah, entre os quais se encontrava Abu Jahl, tlo do 
Profeta e inimlgo declarado da mensagem pregada por ele. 



6. SQratu Al-An'^am 



Parte 8 



224 A .> 



n ^\juH\ 5j>w 



Islao. E a quern deseja descaminhar, 
Ele Ihe tomara o peito constrito, 
oprimido, como se se esfor9asse 
para ascender ao ceu^^\ Assim, 
Allah faz cair o tormento sobre os 
que nao creem. 

126. E esta e a senda reta de teu 
Senhor. Com efeito, aclaramos os 
sinais a um povo que medita. 

127. Deles e a Morada da Paz, 
junto de seu Senhor. E Ele sera seu 
Protetor, pelo que faziam. 

128. E um dia, Ele os reunira, a 
todos, e dira: "6 coorte de jinns! 
Com efeito, cativastes muitos dos 
humanos." E seus aliados, entre os 
humanos, dirao: ''Senhor nosso! 
Deleitamo-nos, uns com os outros^^\ 
e atingimos nosso termo, que Tu 
havias fixado, para nos." Ele dira: 
"O Fogo sera vossa moradia: nele, 
sereis etemos, exceto se Allah 
quiser^^^ outra cousa." - Por certo, 
teu Senhor e Sabio, Onisciente. 

129. E, assim, tornamos os 









^vj;^ili\ 



ir^^ 






v^5^Jcia^Jks Ji^.l^^j 



(0 E notavel o moderno entendimento cientifico, encerrado neste versiculo, acerca 
das dificuldades respiratorias ocorridas em grandes altitudes. Pesquisas atuais 
revelam que, quanto mais o homem ascende no espa^o, tanto mais sua respira^ao 
se torna diflcil, em virtude da compressao atmosferica exercida em seu torax. 

(2) Uns como os outros: os homens se deleitaram com os jinns, pois estes 
aformosearam os pecados, que pareceram aqueles puro deleite. E, por sua vez, os 
jinns se deleitaram com a obediencia dos homens. 

(^) Quer dizer, exceto se Deus predispuser que o castigo do fogo seja transferido para 
um outro castigo, tal como o do gelo. 



6. Suratu Al-An^am 



Parte 8 



225 



A tjJrl 



•V ^buSfi ijy^ 



injustos aliados uns aos outros, 
pelo que cometiam - 

130. "6 coorte de jinns e 
humanos! Nao vos chegaram 
Mensageiros vindos de vos, que 
vos narraram Meus sinais e vos 
admoestaram do deparar deste vosso 
dia?" Dirao: "Testemunhamos contra 
nos mesmos." E a vida terrena 
iludiu-os, e testemunharao, contra 
si mesmos, que foram renegadores 
daFe. 

131. Isso porque nao e admissive! 
que teu Senhor aniquile as cidades 
por injusti9a, enquanto seus habi- 
tantes estao desatentos a Verdade. 

132. E, para cada um deles, ha 
escaloes, pelo que fazem. E teu 
Senhor nao esta desatento ao que 
fazem. 

133. E teu Senhor e O Bastante 
a Si mesmo, O Possuidor de 
misericordia. Se quisesse, far-vos- 
ia ir e faria suceder, depois de vos, 
a quem quisesse, assim como vos 
fez surgir da descendencia de outro 
povo. 

134. Por certo, o que vos e 
prometido vira, e nao podereis 
escapar disso. 

135.Dize: "6 meu povo! Fazei 
o que puderdes: por certo, farei o 
que puder. Entao, sabereis quem 



i.\i)l^li. 









^ ^ ^ ^% 



6. Suratu Al-An*^aiii 



Parte 8 



226 



A ^j^\ 



n fUiSl< 5j>-- 



tera o final feliz da Derradeira 
Morada. Por certo, os injustos nao 
serao bem-aventurados." 

136. E eles^^^ destinam a Allah 
por9ao das messes e dos rebanhos, 
que Ele fez existir, e dizem: "Isto e 
para Allah", segundo sua 
pretensao, "e aquilo e para nossos 
idolos." Entao, o que e para seus 
idolos jamais chegara a Allah, e o 
que e para Allah chegara a seus 
idolos. Que vil o que julgam! 

137. E, assim, seus parceiros^^^ 
aformoseiam, para muitos dos 
idolatras, a matan9a de seus filhos, 
para arruina-los e para confundi- 
los em sua religiao. E, se Allah 
quisesse, nao o fariam. Entao, 
deixa-os e ao que forjam. 

138. E dizem: "Estes sao 
rebanhos e messes vedados: nao se 
alimentara deles senao quem^"^^ 
quisermos", segundo sua pretensao. 









99 -"X -rVw^-^ 






(0 Ha referenda, neste versiculo, ao habito, entre os idolatras de Makkah. de 
destinarem parte das messes e rebanhos a Deus, para atos de caridade: e outra 
parte aos idolos, para oferenda e distribui9ao a seus servidores. Ocorre que a 
destinada a Deus, eles se permitiam despende-la, em beneflcio dos idolos, 
enquanto a que era destinada aos idolos, nunca chegava a Deus, ou seja, nunca era 
despendida em caridade. 

(2) Parceiros: aqui relacionam-se com os demonios ou com os guardiaes dos idolos. 
Note-se que, a dpoca pre-islamica, era costume um pai imolar aos idolos o filho 
que nascesse apos um numero determinado dos filhos. Tal pratica era incentivada 
pelos parceiros a que este versiculo se refere. 

(^) Quern: o guardiao dos idolos. Por ser este cargo ocupado, exclusivamente, por 
homens, e jamais por mulheres, so estes, podiam alimentar-se destes rebanhos e 
messes. 



6. SOratu Al-An^'am 



Parte 8 



227 



A ^>\ 



1 fUiSfi dj^ 



E ha rebanhos, cujos dorsos sao 
proibidos^*\ e rebanhos, sobre os 
quais eles nao mencionam o nome 
de Allah, ao serem imolados, 
forjando, assim, mentiras a respeito 
dEle. Ele recompensa-los-a pelo 
que forjavam. 

139. E dizem: "O que ha nos 
ventres destes rebanhos e privilegio 
exclusive de nossos varoes e 
proibido a nossas mulheres." E, se 
a cria nascer morta, todos serao 
parceiros na partilha dela. Ele 
recompensa-los-a, por suas 
alega96es. Por certo, Ele e Sabio, 
Onisciente. 

140. Com efeito, perdem-se os 
que matam a seus filhos, insensata- 
mente, sem ciencia, e proibem o 
que Allah Ihes da por sustento, 
forjando mentiras acerca de Allah. 
Com efeito, descaminham-se e nao 
sao guiados. 

141. E Ele e Quem fez surgir 
jardins emparrados e nao empar- 
rados, e as tamareiras e as searas, 
sendo variados seus frutos; e a 
oliva e a roma, semelhantes e nao 
semelhantes. Comei de seu fruto, 
quando frutificar, e concedei o que e 
de seu direito, no dia de sua ceifa, e 

(2) 

nao vos entregueis a excessos^ \ 


















>i ' 



\y\7,^yiJli (j^\^,^=i ^<^^Lt^JpJ 



(OCf. V 103nl.e4. 

(2) Ou seja, distribuindo toda a safra, sem deixar para si proprio e para os seus. 



6. Suratu Al-An^'am 



Parte 8 



228 



A ^>l 



•^ ^Ui^l Ojj^ 



Por certo, Ele nao ama os entregues 
a excesses. 

142. E Ele criou, dos rebanhos, 
uns para carga e, outros, pequenos, 
para o abate. Comei do que Allah 
vos deu por sustento e nao sigais 
OS passos de Sata. Por certo, ele 
vos e inimigo declarado. 

143. E criou oito reses 
acasaladas: um casal de o vinos e 
um casal de caprinos. - Dize: 
"Qual deles Ele proibiu^^^? Os dois 
machos ou as duas femeas? Ou o 
que contem as matrizes das duas 
femeas? Informai-me, com ciencia, 
se sois veridicos." - 

144. E um casal de camelos e 
um casal de vacuns. - Dize: "Qual 
deles Ele proibiu^^^? Os dois 
machos ou as duas femeas? Ou o 
que contem as matrizes das duas 
femeas? Ou fostes testemunhas, 
quando Allah vo-lo recomendou?"- 
Entao, quem mais injusto que 
aquele que forja mentiras, acerca 
de Allah, para descaminhar, sem 
ciencia, os humanos? Por certo. 



'\\ -i ivT ^'^aC^' ■>- 










9* ft ^ ^ "i- 



cy^^ ^J^j^ CH^^ jiT-; js 



(0 Este versiculo e o seguinte patenteiam a arbitrariedade e o absurdo com que os 
pagaos decretavam suas leis e proibi96es. Aqui, a proibi9ao nao se estendia, por 
exempio, a todos os especimens animals de um mesmo sexo, mas a apenas alguns 
deles e de sexos diferentes, sem um motivo logico que o explicasse. Na verdade, 
por que nao foram vedados, entao, ao alimento e a cavalgada, todos os especimens 
animais do sexo masculino, ou, por outro, todos os especimens animais do sexo 
feminino, mas inexplicavel e indistintamente alguns deles? 

(2) Ver nota anterior. 



6. Suratu Al-An'^am 



Parte 8 



229 



A ^>l 



n fU3^i ojj^ 



Allah nao guia o povo injusto. 

145. Dize: "Nao encontro, no que 
se me revelou, nada de proibido para 
quem queira alimentar-se, a nao 
ser que seja animal encontrado 
morto, ou sangue fluido, ou carne 
de porco - pois e, por certo, 
abomina9ao - ou perversidade: o 
animal imolado com a invoca9ao 
de outro nome que Allah." E aquele 
que e impelido a alimentar-se 
disso, nao sendo transgressor nem 
agressor^^\ por certo, teu Senhor e 
Perdoador, Misericordiador. 

146. E, aos que praticam o 
judaismo, proibimos todo animal 
de unha nao fendida. E dos 

vacuns e ovinos, proibimo-lhes a 
gordura, exceto a que seus dorsos 
possuem ou suas entranhas, ou a 
que esta aderida aos ossos. Com 
isso, recompensamo-los por sua 
transgressao^\ E, por certo, somos 
Veridicos. 

147.Entao, se te desmentem, 
dize: "Vosso Senhor e Possuidor 
da imensa misericordia, e nao sera 
revogado Seu suplicio para o povo 
criminoso." 

148.0s que idolatram dirao: "Se 
Allah quisesse, nao idolatrariamos, 



-t^ 









(Ocf II 173 nl. 
(2)Cf. IV 160. 



6. SQratu Al-An''am 



Parte 8 



230 A ^>' 



1 ^buSfi 5jj-- 



nem nossos pais, e nada proibiria- 
mos." Assim, aqueles que foram 
antes deles, desmentiram a seus 
Mensageiros, ate experimentarem 
Nosso suplicio. Dize: "Tendes 
alguma ciencia disso e podeis no- 
la demonstrar? Vos nao seguis senao 
conjeturas, e nada fazeis senao 
imposturar." 

149. Dize: "E de Allah o 
terminante argumento. Entao, se 
Ele quisesse, haver-vos-ia guiado, 
a todos." 

150. Dize: "Trazei vossas teste- 
munhas que testemunham que Allah 
proibiu isso." Entao, se testemun- 
ham, nao testemunhes com eles. E 
nao sigas as paixoes dos que 
desmentem Nossos sinais e que 
nao creem na Derradeira Vida, 
enquanto equiparam outros a seu 
Senhor. 

151. Dize: "Vinde, eu recitarei o 
que vosso Senhor vos proibiu^ ^^: 
nada Lhe associeis. E tende 
benevolencia para com os pais. E 
nao mateis vossos filhos, com 
receio da indigencia: Nos vos 



iSij^^jiijb^c^^^ 









(U Este versiculo e os dois subseqiientes encerram o que se pode chamar de o 
decalogo islamico: 1. Nao associar nada a Deus; 2. Ter benevolencia para com os 
pais; 3. NSo matar os filhos, receando nSo poder sustenta-los; 4. Evitar qualquer 
tipo de obscenidade ou torpeza; 5. NSo cometer homicidio; 6. Nao surrupiar os 
bens dos orfaos; 7. Ser honesto nas transa96es; 8. Agir, sempre, com justi9a, 
mesmo em detrimento de parentes; 9. Cumprir o pacto de Deus, observando-lhe os 
preceitos; 10. Seguir a senda reta de Deus. 



6. Suratu AI-An^^Sm 



Parte 8 



231 



A ^>l 



*\ fUiSi Ojj-- 



damos sustento, e a eles. E nao vos 
aproximeis das obscenidades, 
aparentes e latentes. E nao mateis a 
alma, que Allah proibiu^^^ matar, 
exceto se com justa razao. Eis o 
que Ele vos recomenda, para 
razoardes. 

152. "E nao vos aproximeis das 
riquezas do orfao, a nao ser da 
melhor maneira^^^, ate que ele atinja 
sua for9a plena^^\ E completai a 
medida e o peso com eqliidade. Nao 
impomos a nenhuma alma senao o 
que e de sua capacidade. E, quando 
falardes, sede justos, ainda que se 
trate de parente. E sede fieis ao 
pacto de Allah. Eis o que Ele vos 
recomenda, para meditardes. 

153. "E, por certo, esta e a Minha 
senda reta: entao, segui-a e nao 
sigais OS outros caminhos^'*^ pois 
vos separariam de Seu caminho. 
Eis o que Ele vos recomenda, para 
serdes piedosos." 

154. Em seguida, concederamos 
a Moises o Livro, como comple- 









"C^^C^^s^ ^y\lx^VJj 



0) E lei comum a todos os livros divinos o respeito pela vida, exceto quando, por 
motivos retaliativos, a religiao permite o homicidio. 

(2) Ou seja, incrementando os bens, e nao espoliando-os. 

(^) Ou seja, ate chegar ao auge da for^a psicofisiologica que, segundo alguns 
exegetas, corresponde a puberdade; e, segundo outros, a idade da razao, atingida 
entre os 25 e 30 anos. Repetir-se-a esta expressSo em XII 22, XVII 34, XVIII 
82, XXII 5, XX VIII 14, XL 67 e XLVI 15, sendo que, neste ultimo versiculo, 
a palavra parece corresponder a idade de 40 anos. 

{^) Os outros caminhos: as outras religioes. 



6. Suratu Al-An'^dm 



Parte 8 



232 



A^>l 



1 fbtiSH «j>-- 



mento de Nossa gra^a para com 
aquele que bem-faz, e como 
aclara9ao de todas as cousas, e como 
orienta9ao e misericordia, para 
eles^^^ crerem no deparar de seu 
Senhor. 

155. E este^^^ e um Livro, que 
fizemos descer: bendito. Segui-o, 
entao, e sede piedosos, na esperan9a 
de obterdes misericordia. 

156. Fizemo-lo descer, para nao 
dizerdes: ''Apenas, fora descido o 
Livro, sobre duas fac9oes^^\ antes 
de nos, e, por certo, estavamos 
desatentos a seu estudo." 

157. Ou para nao dizerdes: ''Se 
houvesse descido o Livro, sobre nos, 
haveriamos sido mais bem guiados 
que eles." Com efeito, chegou-vos, 
entao, de vosso Senhor, evidencia 
e orienta9ao e misericordia. E 
quem mais injusto que aquele que 
desmente os sinais de Allah e deles 
se aparta? Recompensaremos os 
que se apartam de Nossos sinais, 
com o pior castigo, porque deles se 
apartavam. 

158. Nao esperam eles senao os 
anjos Ihes cheguem ou chegue teu 
Senhor ou cheguem alguns sinais 

(0 Eles : OS filhos de Israel. 

(2) Este : o AlcorSo. 

0) Ou seja, sobre os judeus e os cristSos. 



j^j $LAb («4<^ ^^^JJ C5 AJbJ 



^0 5/4i 






i^ ^ o J> p^ 









^^-<r^ ' 



%=^\^l:}\^^^^ 



i- -1 









6. Suratu Al-An^'am 



Parte 8 



233 A .> 



n fUiSfi Ojj^ 



de teu Senhor? Um dia, quando 
alguns sinais de teu Senhor^ *^ 
chegarem, nao beneficiara a alma 
alguma sua fe, se ela nao houver 
crido, antes, ou nao houver logrado 
nenhum bem, em sua fe. Dize: 
"Esperai: por certo, N6s estaremos 
esperando." 

159. Por certo, os que separam 
sua religiao e se dividem em seitas, 
tu nada tens com eles. Apenas, sua 
questao sera entregue a Allah; em 
seguida, Ele os informara do que 
faziam. 

160. Quem chega com a boa a9ao 
tera dez vezes seu equivalente, e 
quem chega com a ma a9ao nao 
sera recompensado senao com seu 
equivalente. E eles^^^ nao sofrerao 
injusti9a. 

161. Dize: "Por certo, meu 
Senhor guiou-me a uma senda reta: 
a uma religiao justa, a cren9a de 
Abraao, monoteista sincero, e que 
nao era dos idolatras." 

162. Dize: "Por certo, minha 
ora9ao e meu culto e minha vida e 
minha morte sao de Allah, O 
Senhor dos mundos. 






95jj^---'*^ 



^})ol 












(^U-^j (^U^j ^^j (4*^ 0^ j^ 



( ^ ) Quer dizer: "acaso esperam que Ihes cheguem os anjos da morte ou o castigo de 
Deus ou alguns sinais divinos do Dia do Juizo (entre outros, o nascimento do sol 
no poente, o retorno de Jesus, o surgimento de Gog e Magog), para que creiam?" 

(2) Eles: os homens. 



6. Suratu Al-An'^am 



Parte 8 



234 



A ^>-i 



1 fUiSft djj-» 



163. "Ele nao tern parceiro. E 
isso me foi ordenado, e eu sou o 
primeiro dos moslimes." 

164. Dize: "Buscarei outro 
senhor que Allah, enquanto Ele e 
O Senhor de todas as cousas? E 
cada alma nao comete pecado 
senao contra si mesma. E nenhuma 
alma pecadora area com o pecado 
de outra. Em seguida, a vosso 
Senhor sera vosso retorno: entao, 
Ele vos informara daquilo de que 
discrepaveis." 

165. E Ele e Quem vos fez 
sucessores, na terra, e elevou, em 
escaloes, alguns de vos acima de 
outros, para por-vos a prova, com 
o que vos concedeu. Por certo, teu 
Senhor e Destro na puni9ao e, por 
certo, Ele e Perdoador, Misericor- 
diador. 










7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



235 



A^>rl 



V JijP^I oj^ 



SURATU 'AL-'A'^RAF^*^ 
A SURA DE AL 'A'^RAF 



De Makkah - 206 versiculos. 

Em nome de Allah O 

Misericordioso, O Misericordiador. 

l.AIif,Lam,MTm, $ad^^^ 

2. Este e um Livro, que e 
descido para \\^^\ Muhammad - 
entao, que nao haja, em teu peito, 
constrangimento a seu respeito -, 
para admoestares, com ele, os 
renegadores da Fe, e para ser 
lembran9a para os crentes. 

3. Segui o que e descido para 
vos, de vosso Senhor, e nao sigais, 
em vez dEle, outros protetores. 
Quao pouco meditais. 




,^0^^^ 



-^ 



<4>^===':?J^^JAXJJ, <:^^^sJ>- 






(0 Al A^^Raf: plural da palavra *^urf, que significa, entre outras cousas, o simo de 
qualquer eleva^ao do solo; tudo o que sobressai de uma cousa. No Alcorao, este 
vocabulo designa o pincaro da muralha divisoria entre o Paraiso e o Inferno. 
Acres^a-se que esta muralha pode ou nao ser material e nao impede que se ougam 
ecos das vozes dos que ficam em cada um dos lados, que ela separa. No pincaro 
desta muralha, encontram-se os que podem ver tanto os habitantes do Paraiso, 
quanto os do Inferno, com os quais se comunicam, ora com escarnio, quando com 
estes ultimos, ora com afabilidade, quando com os primeiros. A sura, assim, se 
denomina, pela dupla men^So desta palavra nos versiculos 46 e 48. E a mais longa 
sura revelada em Makkah, e, como todas ai reveladas, trata dos assuntos basicos 
do Islao, tais como: a Mensagem, a Ressurrei^ao e a recompensa no Dia do Juizo. 
Alem disso, ha relates minuciosos da historia de varios profetas e seus povos. E 
notavel na apresenta^ao da genese do mundo, quando nao deixa de fazer men^ao 
da historia edenica e da tenta^So satanica sobre Ada© e Eva. Outra vez, faz-nos 
atentar para os fenomenos do Universo, como prova da incontestavel soberania de 
Deus. Finalmente, admoesta o incrdu do nefasto fim dos que se voltam para SatS, e 
convida o crente para ser humilde e temeroso nas preces e no amor a Deus. 

(2)Cf. Ill n3. 

(3) Para ti: de Deus atrav^s o Anjo Gabriel. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



236 



A f>i 



V sJiy^Sfi dj^ 



4. E que de cidades aniquilamos! 
Entao, Nosso suplicio chegou- 
lhes^^\ enquanto dormiam a noite, 
ou enquanto sesteavam. 

5. E, quando Nosso suplicio Ihes 
chegou, sua invoca9ao nao foi senao 
dizer: "Por certo, fomos injustos." 

6. Entao, em verdade, interro- 
garemos aqueles, aos quais Nossa 
Mensagem foi enviada, e em 
verdade interrogaremos os Mensa- 
geiros. 

7. Em verdade, narrar-lhes-emos, 
entao, com ciencia, o que fizeram, 
e nunca estivemos Ausentes. 

8. E a pesagem verdadeira sera 
nesse dia. Entao, aqueles cujos pesos 
em boas obras forem pesados, 
esses serao os bem-aventurados; 

9. E aqueles, cujos pesos forem 
leves, esses serao os que se 
perderao a si mesmos, porque 
foram injustos com Nossos sinais; 

10. E, com efeito, empossamo- 
vos na terra, e, nela, fizemos, para 
vos, meios de subsistencia. Mas 
quao pouco agradeceis! 

11. E, com efeito, criamo-vos; 
em seguida, configuramo-vos; 
depois, dissemos aos anjos: 






Hit' J>;l^^l,j4^^ oli=»ti 






^jy 






0^^. 



?-» l>^-^ ^ 



\^^3<y^j^\^y^^-^=^ 



©5y^^^' 






(0 Lhes: aos habitantes dessas cidades, tal como ocorreu ao povo de Lot, aniquilado 
a noite, e ao povo de Chu^^aib, aniquilado durante a sesta. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 8 



237 A .> 



V ^\js^^\ dj>-» 



"Pro Sternal- vos diante de Adao." E 
prosternaram-se, exceto Iblis. Ele 
nao foi dos que se prosternaram. 

12. Allah disse: "O que te 
impediu de te prostemares, quando 
to ordenei?" Sata disse: "Sou 
melhor que ele. Criaste-me de fogo 
e criaste-o de barro." 

13. Allah disse: "Entao, des9a 
dele^^^! E nao te e admissivel te 
mostrares soberbo nele. Sai, pois, 
por certo, es dos humilhados!" 

14. Sata disse: "Concede-me 
dila9ao, ate um dia, em que eles^^^ 
serao ressuscitados." 

15. Allah disse: "Por certo, es 
daqueles aos quais sera concedida 
dila9ao." 

16. Sata disse: "Entao, pelo mal 
a que me condenaste, ficarei, em 
verdade, a espreita deles, em Tua 
senda reta. 

17. "Em seguida, achegar-me-ei 
a eles, por diante e por detras 
deles, e pela direita deles e pela 
esquerda deles, e nao encontraras a 
maioria deles agradecida." 

18. Allah disse: "Sai dele^^\ 
como execrado, banido. Dos que, 

(U Dele : do Paraiso. 
(2) Eles : OS homens. 
(^) Dele : do Paraiso. 






tne 









7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 8 



238 



A t>l 



V ^\/-H^ 5jj^ 



dentre eles, te seguirem, encherei a 
Geena, de todos vos. 

19. "E, 6 Adao! Habita, tu e tua 
mulher, o Paraiso; e comei onde 
ambos quiserdes, e nao vos 
aproximeis desta aravore^*^ pois, 
serieis dos injustos." 

20. E Sata sussurrou-lhes 
perfidias, para mostrar a ambos o 
que Ihes fora acobertado de suas 
partes pudendas, e disse: Vosso 
Senhor nao vos coibiu desta arvore 
senao para nao serdes dois anjos 
ou serdes dos eternos." 

21. E jurou-lhes: "Por certo, sou 
para ambos de vos um dos 
conselheiros." 

22. Entao, seduziu-os, com 
falacia. E, quando ambos experi- 
mentaram da arvore, exibiram-se- 
Ihes as partes pudendas, e 
come9aram a aglutinar, sobre elas, 
folhas do Paraiso. E seu Senhor 
chamou-os: "Nao vos coibi a 
ambos desta arvore e nao vos disse 
que Sata vos era inimigo 
declarado?" 

23. Disseram: "Senhor nosso! 
Fomos injustos com nos mesmos e, 
se nao nos perdoares e nao tiveres 
misericordia de nos, estaremos, em 
verdade, dentre os perdedores. 



0% 11^' tP 0* \I4^^;i 
O Jo Vj>cJj\ ^\iiUid jj)jjX^S& 



© Cy)J^ysi\lL=^^j^\ 






(^)Cf. II 35 n3. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



239 A .>) 



V 3\^H\ 5j>-» 



24. Allah disse: ''Descei, sendo 
inimigos uns dos outros. E tereis, 
na terra, residencia e gozo ate certo 
tempo." 

25. Ele disse: "Nela vivereis e 
nela morrereis e dela far-vos-ao 
sair." 

26. 6 filhos de Adao! Com efeito, 
criamos, para v6s, vestimenta, para 
acobertar vossas partes pudendas, 
e adere90S. Mas a vestimenta da 
piedade, esta e a melhor. Esse e 
um dos sinais de Allah, para 
meditarem. 

27.6 filhos de Adao! Que Sata 
nao vos tente, como quando fez sair 
a vossos pais do Paraiso, enquanto 
a ambos tirou a vestimenta, para 
faze-los ver suas partes pudendas. 
Por certo, ele e seus sequazes vos 
veem de onde vos nao os vedes, 
Por certo, Nos fizemos os demonios 
aliados aos que nao creem. 

28. E, quando eles^'^ cometem 
obscenidade^^\ dizem: "Encont- 
ramos, nela, nossos pais, e Allah 
no-la ordenou." Dize, Muham- 
mad: "Por certo, Allah nao ordena 















(0 Eles: OS que nao creem, ou seja, os Quraich. 

(2) O vocabulo obscenidade traduz fahichah, que significa pecado nefando. Em geral, 
este termo e aplicado para designar o adulterio. Neste versiculo, pode qualificar o 
habito de os pagaos pre-islamicos, homens e mulheres, circundarem desnudos a 
Kabbah. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



240 



A^>l 



V ^ly^^i ojj^ 



a obscenidade. Dizeis acerca de 
Allah o que nao sabeis?" 

29. Dize: "Meu senhor ordena a 
eqiiidade. E erguei vossas faces 
para Allah, em cada mesquita. E 
invocai-0, sendo sinceros com Ele, 
na devo9ao. Assim como Ele vos 
iniciou a cria^ao, a Ele 
regressareis." 

30. A um grupo Ele guiou, e a 
um grupo deveu-se o descaminho; 
por certo, eles tomaram os 
demonios por aliados, em vez de 
Allah, enquanto supunham estar 
sendo guiados. 

31.6 filhos de Adao! Tomai 
vossos omamentos^^^ em cada 
mesquita. E comei e bebei, e nao 
vos entregueis a excessos. Por 
certo, Ele nao ama os entregues a 
excessos. 

32. Dize: ''Quem proibiu os 
ornamentos que Allah criou para 
Seus servos e as cousas benignas 
do sustento?" Dize: "Estas sao, 
nesta vida, para os^^^ que creem, e 
serao a eles consagradas no Dia da 
Ressurrei9ao. Assim, aclaramos os 
sinais a um povo que sabe." 









j^^d' 



yOjjl^ 






^^9 «■ 1?^ •::rf 






Ltu5^^'< 



(0 Ou seja, "Vesti-vos com os adornos materials, e morals como a pledade, ao 
orardes nas mesqultas." Isso, em oposl9ao aos peregrlnos pagaos, que cumprlam 
seus ritos, circulando desnudos estes locals de ora9ao. 

(2) Os que creem e os que nao creem desfrutam das boas cousas desta vIda. No dIa do 
Juizo, entretanto, estas serao consagradas, apenas, aos primelros. 



7. Suratu 'Al-'aVaf Parte 8 



241 



At>i 



V ^\j^H\ 0;j-- 



33. Dize: ''Apenas, meu Senhor 
proibiu as obscenidades, aparentes 
e latentes, e o pecado e a agressao 
desarrazoada, e que associeis a 
Allah aquilo de que Ele nao fez 
descer, sobre v6s, comprova9ao 
alguma, e que digais acerca de 
Allah o que nao sabeis." 

34. E para cada comunidade ha 
um termo. Entao, quando seu termo 
chegar, ela nao podera atrasar-se, 
uma hora sequer, nem adiantar-se. 

35.6 filhos de Adao! Se, em 
verdade, vos chegam Mensageiros, 
vindos de vos, para narrar-vos 
Meus sinais, entao, aqueles que 
sao piedosos e se emendam, por 
eles nada havera que temer, e eles 
nao se entristecerao. 

36. E OS que desmentem Nossos 
sinais e, diante deles, se ensober- 
becem, esses sao os companheiros 
do Fogo. Nele serao eternos. 

37. E quern mais injusto que 
aquele que forja mentiras acerca de 
Allah ou desmente Seus sinais? A 
esses, alcan9a-los-a sua por9ao do 
Livro^^^ ate que, quando Nossos 
Mensageiros celestials Ihes 
chegarem para levar-lhes a alma, 
dirao estes: "Onde estao os que 
invocaveis alem de Allah?" Dirao: 






^ ^ 9 






^6^r' 






CnJ OjAil^ 






(ODo Livro :doLivrodoDestino. Cf. VI 38 n2. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 8 



242 



A ^>-i 



V uiiy^^i dj^ 



"Sumiram, para longe de nos." E 
testemunharao, contra si mesmos, 
que eram renegadores da Fe. 

38. Allah dira: "Entrai no Fogo, 
junto com comunidades de jinns e 
de humanos, que, com efeito, 
passaram antes de v6s." Cada vez 
que uma comunidade ai entrar, 
amaldifoara sua irma^^\ ate que, 
quando se sucederem todas, nele^^\ 
a ultima dira, acerca da primeira: 
"Senhor nosso! Sao estes os que nos 
descaminharam; entao, concede- 
Ihes o duplo castigo do Fogo." Ele 
dira: "Para cada qual havera o 
duplo, mas vos nao sabeis." 

39. E a primeira delas dira a 
ultima: "E nao tendes vantagem 
alguma sobre nos: entao, 
experimentai o castigo pelo que 
cometieis." 

40. For certo, aos que desmen- 
tem Nossos sinais e, diante deles, se 
ensoberbecem, nao se Ihes abrirao 
as portas do ceu nem entrarao no 
Paraiso, ate que o camelo^"^^ penetre 



^.^.. 



)ct;i^^ 









]i;S^\3'^}i^M<j'M[ 



^ ^ ^ «■ 






(0 Irma : a gera95o precedente, amaldi9oada por haver extraviado a na9ao seguinte. 

(2) Nele : no Inferno. 

(^) Camelo, em arabe, e jamal; mas esta palavra arabe pode ser lida, tambem, jami, 
que significa, entao, soga, corda grossa. A segunda maneira de interpretar esta 
palavra foi escolhida pelo companheiro do Profeta, o erudito Ibn Abbas, 
asseverando que as analogias ensinadas por Deus s5o mais propicias que aquelas 
alusivas ao camelo. Ou seja, enquanto a soga e mais condizente com o fio que 
passa pelo fundo da aguiha, o camelo e bem mais estranho a esta. Entretanto, a 
opiniao geral que a palavra, no texto, significa camelo, o simbolo de algo 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



243 



A^>i 



V vJiz-^i dj>- 



no fundo da agulha. E, assim, 
recompensaremos os criminosos. 

41.Terao a Geena, por leito, e 
sobre eles, cobertas de fogo. E, 
assim, recompensaremos os injustos. 

42. E OS que creem e fazem as 
boas obras - nao impomos a 
nenhuma alma senao o que e de 
sua capacidade - esses sao os 
companheiros do Paraiso. Nele, 
serao etemos. 

43. E tiraremos o que houver de 
odio em seus peitos. Correrap rios 
a seus pes. E dirao: "Louvor a 
Allah, Que nos guiou a isto! E nao 
haveriamos guiado, se Allah nao 
nos houvesse guiado! Com efeito, 
OS Mensageiros de nosso Senhor 
chegaram com a Verdade." E 
bradar-se-lhes-a: "Este e o Paraiso 
que vos fizeram herdar, pelo que 
fazieis." 

44. E OS companheiros do Paraiso 
bradarao aos companheiros do 
Fogo: "Com efeito, encontramos 
verdadeiro o que nosso Senhor nos 
prometera: entao, vos encontrastes 
verdadeiro o que vosso Senhor 
prometera?" Eles dirao: "Sim." 
Entao, um anunciador anunciara. 



J^J^Uri-. 






A\< 



'Oj: 












yjc W&u 



^^ ili o^>^?.bo^ >^bld 



'ijSc^Ss^ 



volumoso, e o fundo da agulha, o simbolo da passagem estreita. E, por tratar-se, 
aqui, de algo impossivel, nada obsta que se apele para esta imagem, a fim de 
traduzir-se a impossibilidade dos descrentes no ceu. Vide Mateus XIX 24; 
Marcos X 25 e Lucas XVIII 25. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



244 



A ^>i 



V <J\y^'i\ oj^ 



entre eles, que a maldi9ao de Allah 
sera sobre os injustos, 

45. Que afastaram os homens 
do caminho de Allah, e buscaram 
toma-lo tortuoso, e foram 
renegadores da Derradeira Vida. 

46. E havera, entre ambos, uma 
muralha. E, sobre AlA'raf^^^ 
havera homens, que reconhecerao 
cada um por seu semblante^^\ E 
bradarao aos companheiros do 
Paraiso: "Que a paz esteja sobre 
vos!" Eles nao entraram nele, 
enquanto a isso aspirem. 

47. E, quando suas vistas se 
voltaren! em dire9ao aos compan- 
heiros do Fogo, dirao: "Senhor 
nosso! Nao nos fa9a estar com o 
povo injusto." 

48. E OS companheiros^"^^ de Al 
'A^'raf bradarao a uns homens, que 
reconhecerao por seu semblante. 
Dirao: "De que vos valeu vosso juntar 
de riquezas e vossa soberba? 












15/^-=-'^- 



\:ij 



(0 Ocorre, aqui, a primeira men9ao da palavra Al A*^Raf , o ponto mais alto da 
muralha divisoria entre o Paraiso e o Inferno. 

(2) O reconhecimento se fara pelo esplendor das faces dos bem-aventurados, e pela 
negritude das faces dos mal-aventurados. Cf. Ill 106 n3. 

(^) Sao varias as opinioes acerca destes companheiros de Al A*^Raf. Ha quem os 
relacione a anjos, e, outros, a mensageiros; outros, ainda, a individuos cujas boas e 
mas a96es se equilibram. Entretanto, na verdade, nao podem ser anjos, ja que, no 
versiculo 46 desta mesma sura, sao chamados de homens, termo que nao se aplica 
aos anjos. A opiniao mais credenciada e a de que eles representam o escol da 
humanidade e as testemunhas das na^oes, junto as quais se constituem profetas e 
mensageiros. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



245 



A^>i 



V cily^Vi oj>^ 



49."Estes^'^ sao aqueles a 
respeito dos quais jurastes que 
Allah nao os alcan9aria com Sua 
misericordia? Mas Allah disse- 
Ihes: 'Entrai no Paraiso; nada 
havera que temer por vos, e vos 
nao vos entristecereis!'" 

50. E OS companheiros do Fogo 
bradarao aos companheiros do 
Paraiso: "Entomai, sobre nos, uma 
pouca agua ou do que Allah vos 
deu por sustento." Dirao: "Por 
certo, Allah proibiu ambas as 
cousas aos renegadores da Fe, 

51. "Que tomaram sua religiao 
por entretenimento e diversao, e 
que a vida terrena iludiu." Entao, 
hoje, Nos OS esqueceremos como 
esqueceram eles o deparar deste 
seu dia, e isso, porque negavam 
Nossos sinais. 

52. E, com efeito, chegamo-lhes^^^ 
com um Livro, Que aclaramos com 
ciencia, como orienta9ao e 
misericordia para um povo que ere. 

53. Nao esperam eles senao sua 
interpreta9ao^ ^? Um dia, quando 
sua interpreta9ao chegar, dirao os 
que, antes, o esqueceram: "Com 
efeito, OS Mensageiros de nosso 
Senhor chegaram com a Verdade. 






c^^^ jp\4^>^t!)i!5iaiit 






(0 Estes : os companheiros do Paraiso, que os Idolatras desprezavam, na vida terrena. 

(2) Lhes : aos habitantes de Makkah. 

(3) Sua interpreta^ao : o cumprimento das revela^oes do Livro. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Partes 



246 A .>i 



V J»\j^H\ «jj- 



Entao, sera que teremos interces- 
sores, e, por nos, intercederao? Ou 
podemos ser levados a terra, e 
faremos outra cousa que a que 
fizemos?" Com efeito, perder-se- 
ao a si mesmos, e sumira, para 
longe deles, o que forjavam. 

54. Por certo, vosso Senhor e 
Allah, Que criou os ceus e a terra, 
em seis dias^^^; em seguida, 
estabeleceu-Se no Trono. Ele faz a 
noite encobrir o dia, cada um na 
assidua procura do outro; e criou o 
sol e a lua e as estrelas, submetidos, 
por Sua ordem. Ora, dEle e a 
cria9ao e a ordem. Bendito seja 
Allah, O Senhor dos mundos! 

55. Invocai a vosso Senhor, 
humilde e secretamente. Por certo, 
Ele nao ama os agressores. 

56. E nao semeeis a corrup9ao 
na terra, depois de reformada. E 
invocai-0, com temor e aspira9ao. 
Por certo, a misericordia de Allah 
esta proxima dos benfeitores. 

57. E Ele e Quem envia o vento, 
por alvissareiro, adiante de Sua 
miseric6rdia^^\ ate que, quando 















( ^ ) Aqui, nao se trata, e obvio, dos dias convencionais de 24 horas de dura^So, mas 
sim, de extensas fases de tempo, uma vez que o sistema solar, ao qual se 
relacionam os dias convencionais, nSo existia, ainda, nos primordios da cria^So. 

(^) Adiante de Sua iiiiseric6rdia: antes da chuva, que 6 d^diva divina, para fazer 
brotar o alimento do homem. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 8 



247 



A^>| 



V ^\jS^H\ dj>- 



carrega pesadas nuvens, conduzimo- 
las a uma plaga morta^'^; e fazemos 
descer sobre ela a agua, com que, 
entao, fazemos sair todos os frutos. 
Assim, faremos sair os mortos dos 
sepulcros. Isso, para meditardes. 

58. E, da plaga benigna, sai sua 
planta, com a permissao de seu 
Senhor. E, da que e maligna, nada 
sai senao escassa e infrutuosa- 
mente^^\ Assim, patenteamos os 
sinais, para um povo que agradece. 

59. Com efeito, enviamos Noe a 
seu povo. E disse: "6 meu povo! 
Adorai a Allah: nao tendes outro 
deus que nao seja Ele. Por certo, 
temo, por vos, o castigo de um 
formidavel dia." 

60. Os dignitarios de seu povo 
disseram: "Por certo, nos te vemos 
em evidente descaminho." 

61. Noe disse: "6 meu povo! Nao 
ha descaminho em mini, mas sou 
Mensageiro do Senhor dos mundos. 

62. "Transmito-vos as mensagens 
de meu Senhor e aconselho-vos, e 
sei de Allah o que nao sabeis. 

63. "E vos admirals de que vos 
chegue uma mensagem de vosso 












§jxJ)ji===c:i^^ jLz^j 



(0 Morta: arida. 

(2) O versiculo faz alegoria entre o homem bom e o mau: enquanto o primeiro esta 
aberto a pratica de boas a9oes, o segundo, recusando-se a isso, permanece 
extraviado, sem nada frutificar de bom. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



248 



A^ji-i 



V J^\j^H\ Ijy^ 



Senhor, por meio de um homem 
vindo de vos, para admoestar-vos 
e para serdes piedosos e para 
obterdes misericordia?" 

64. E desmentiram-no; entao, 
salvamo-lo e aos que estavam com 
ele, no barco, e afogamos os que 
desmentiram Nossos sinais. Por 
certo, eles eram um povo cego. 

65. E, ao povo de "^Ad^^^ 

enviamos seu irmao^^^ Hud. Disse: 
"O meu povo! Adorai a Allah: nao 
tendes outro deus que nao seja 
Ele. Entao, nao temeis a Allah?" 

66. Os dignitarios de seu povo, 
OS quais renegavam a Fe, disseram: 
"Por certo, nos te vemos em 
insensatez e, por certo, pensamos 
que es dos mentirosos." 

67. Hud disse: "6 meu povo! 
Nao ha insensatez em mim, mas 
sou Mensageiro do Senhor dos 
mundos. 

68. "Transmito-vos as mensagens 
de meu Senhor e sou, para vos, leal 
conselheiro. 

69. "E vos admirals de que vos 
chegue uma Mensagem de vosso 
Senhor, por meio de um homem 



<^'-J'i 



dy>^^^.^=s=^j\jsCJ^ 









nJjOjU-^l^jj^^^ 



3 ui^^s^o^3>45 



^^;L4%4;^j|3aJ 



M^y 






(0 Povo de ^Ad: povo que habitava a Peninsula Arabica, no local chamado Al Ahqaf, 

entre Hadramaut e Yemen, havendo ai surgido, apos Noe. 
(2) [rmao : traduz a palavra 'Akh, que engloba varias acep96es. Aqui, refere-se a um 

membro da tribo, que e o profeta Hud. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 8 



249 



A^>l 



V J^ly-Sf* ojj^ 



vindo de vos, para admoestar-vos? 
E lembrai-vos de que Ele vos fez 
sucessores, depois do povo de 
Noe, e acrescentou-vos forfa e 
estatura, entre as criaturas. Entao, 
lembrai-vos das merces de Allah, 
na esperan9a de serdes bem- 
aventurados." 

70. Disseram: "Vens a nos para 
que adoremos a Allah, so a Ele, e 
deixemos o que nossos pais 
adoravam? Entao, faze-nos vir o^^^ 
que nos prometes, se es dos 
veridicos." 

71.Disse: ''com efeito, caira, 
sobre vos, tormento e ira de vosso 
Senhor. Discutis comigo acerca de 
nomes de idolos que nomeastes, vos 
e vossos pais, e dos quais Allah nao 
fez descer comprova9ao alguma? 
Entao, esperai; Por certo, estarei 
convosco entre os que esperam." 

72. E salvamo-lo e aos que 
estavam com ele, por misericordia 
de Nossa Parte, e exterminamos, ate 
o ultimo deles, aos que desmentiram 
Nossos sinais, e nao eram crentes. 

73. E ao povo de Thamud^^\ 
enviamos seu irmao Salih. Disse: 
"6 meu povo! Adorai a Allah: nao 













( n O : castigo. 

(2) Povo de Thamud : tribo arabe pre- islamica, cujo habitat se encontrava entre Al 
Hijaz e a Siria. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 8 



250 



A^>i 



V JJi^St oj>^ 



tendes outro deus que nao seja 
Ele. Com efeito, chegou-vos uma 
evidencia de vosso Senhor: este 
camelo femea vindo de Allah e, 
para vos, como sinal^^\ Entao, 
deixai-o comer na terra de Allah e 
nao o toqueis com mal algum: pois, 
apanhar-vos-ia um doloroso castigo. 

74. "E lembrai-vos de que Ele 
vos fez sucessores, depois do povo 
de ''Ad, e vos fez dispor da terra: 
ergueis palacios em suas planicies 
e escavais casas nas montanhas. 
Entao, lembrai-vos das merces de 
Allah. E nao semeeis a maldade na 
terra, sendo corruptores." 

75.0s dignitarios de seu povo 
disseram aos que foram sub- 
jugados, aos que, entre eles creram: 
''Sabeis que Salih e enviado de seu 
Senhor?" Disseram: "Por certo, 
estamos crendo naquilo, com que 
ele foi enviado." 

76. OS que se ensoberbeceram 
Disseram: 'Tor certo, estamos 















^%JL\\ 



^j^y 



4^3^ 



(U O povo de Thamud, ao ouvir Salih exortando-os a crenga de Deus, exigiu-lhe um 
sinal profetico. Inquirindo-os sobre que especie de sinal desejavam, o chefe do 
povo apontou para uma rocha, nas imediagoes de uma montanha, dizendo-lhe que, 
entao, suplicasse a seu Senhor, fosse fendida a rocha, para dela surgir um camelo 
femea. Assim aconteceu. E Salih ordenou-Ihes que nao mais maltratassem o 
animal e que o deixassem pastar a vontade e beber das po9as d'agua, em dias 
alternados, ou seja, num dia a tribo beberia da agua; noutro dia, o animal. Conta-se 
que, quando este bebia, esgotava a agua do P090 e ficava a disposi9ao da tribo, que 
o ordenhava fartamente. Contudo, nao crendo na profecia de Salih, a grande 
maioria da tribo conspirou, fmalmente, contra animal, e, incumbiram Qudar Ibn 
Salif de mata-lo. Por isso, todos foram aniquilados por um raio. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



251 



A ^>i 



V J5i^*^l dj^ 



renegando aquilo em que credes." 

77. Entao, abateram o camelo 
femea e transgrediram, desmesura- 
damente, a ordem de seu Senhor, e 
disseram: "6 Salih! Faze-nos vir 
o^^^ que nos prometes, se es dos 
Mensageiros." 

78. E o terremoto apanhou-os, e 
amanheceram, em seus lares, 
inertes, sem vida. 

79. E Salih voltou-lhes as costas 
e disse: "6 meu povo! Com efeito, 
transmiti-vos a mensagem de meu 
Senhor e aconselhei-vos, mas vos 
nao amais os conselheiros." 

80. E Lot, quando disse a seu 
povo: "Vos vos achegais a 
obscenidade, em que ninguem, nos 
mundos, se vos antecipou? 

81."Por certo, vos vos achegais 
aos homens^^\ por lascivia, ao 
inves de as mulheres. Sois, alias, 
um povo entregue a excessos." 

82. E a resposta de seu povo nao 
foi senao dizer: "Fazei-os^^ sair de 
vossa cidade. Por certo, sao 
pessoas que se pretendem puras." 

83. Entao, salvamo-lo, e a sua 
familia, exceto sua mulher, que foi 









A ,^ 







( O : castigo. 

(2) Alusao as praticas homossexuais, disseminadas entre o povo de Lot. 

(^) Os: Lot e sua familia. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 8 



252 



A^>-i 



V J^\y^H\ 5j^ 



dos^^^ que ficaram para tras. 

84. E fizemos cair sobre eles 
chuva^^^: entao, olha como foi o 
fim dos criminosos! 

85. E, ao povo de Madian^^\ 
enviamos seu irmao Chu^'aib. 
Disse: "6 meu povo! Adorai a 
Allah; nao tendes outro deus que 
nao seja Ele. Com efeito, chegou- 
vos uma evidencia^'^^ de vosso 
Senhor. Entao, completai, com 
eqiiidade, a medida e o peso, e 
nao subtraias das pessoas suas 
cousas, e nao semeeis a corrupfao 
na terra, depois de reformada. Isso 
vos e melhor, se sois crentes. 

86. "E nao fiqueis a espreita, em 
cada senda, ameafando e afastando 
do caminho de Allah os que nEle 
creem, e buscando toma-lo tortuoso. 
E lembrai-vos do tempo em que 
ereis poucos, e Ele vos multi- 
plicou. E olhai como foi o fim dos 
corruptores. 

87. "E, se ha, entre vos, uma 
facfSo que ere naquilo com que fiai 



^^k-^suj ^ ^^c-o ^O c-br J3 J o_/\i> 



> .1 









(0 Os que ficaram para tras traduz a palavra al ghabirln, que, segundo alguns 
exegetas, se refere aos condenados que ficaram na cidade e foram destruidos junto 
com ela. 

(2) Tipo extraordinario de chuva, constituida de pedras de fogo. 

(^) Madian: regiao da Arabia Saudita, ao norte da Peninsula, entre o golfo de 
Aqabah, ao norte, e Yanbu*^ e Al Madlnah, ao sul. E a terra do profeta Chu^^aib. 

(4) Segundo este versiculo, Chu^^aib trazia, tambem, um sinal profetico, embora nao 
especificado, no Alcorao, 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



253 



^ c>l 



V 3\j^H\ dj>^ 



enviado, e uma fac^ao que nao ere, 
paeientai, ate que Allah julgue, 
entre nos. E Ele e O Melhor dos 
juizes." 

88. Os dignitarios de seu povo, 
que se ensoberbeceram, disseram: 
"Em verdade, far-te-emos sair, 6 
Chu'^aib, e aos que creem contigo, 
de nossa cidade, ou regressareis a 
nossa cren9a." Ele disse: "E ainda 
que a odiassemos? 

89. ''Com efeito, forjariamos 
mentiras acerca de Allah, se 
regressassemos a vossa cren9a, 
apos Allah haver-nos livrado dela. E 
nao nos e admissivel regressarmos 
a ela, a menos que Allah, nosso 
Senhor, o queira. Nosso Senhor 
abrange todas as cousas, em ciencia. 
Em Allah confiamos. Senhor 
nosso! Sentencia, com a verdade, 
entre nos e nosso povo, e Tu es O 
Melhor dos sentenciadores." 

90. E OS dignitarios^ ^^ de seu 
povo, que renegavam a Fe disseram: 
"Em verdade, se seguirdes a 
Chu'^aib, por certo, nesse caso, 
sereis perdedores." 

91. E o terremoto apanhou-os, e 
amanheceram, em seus lares, 
inertes, sem vida. 






^ow 






Joo 






jjp-ojiS - "ft 



-J}^\ 






•? . ^'>^ . <r^ 



^^S ^J>c^ ii>5^ j4? j^\3 



(0 Ou seja, disseram a seus subordinados. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



254 



^ ^>i 



V <J\/'H\ 5j>-» 



92.0s que desmentiram a 
Chu'^aib, foram exterminados, 

como se la jamais houvessem 
morado. Os que desmentiram a 
Chu'^aib, foram eles os perdedores. 

93. Entao, Chu'^aib voltou-lhes as 
costas, e disse: "O meu povo! Com 
efeito, transmiti-vos as mensagens 
de meu Senhor e aconselhei-vos. 
Entao, como afligir-me com um 
povo renegador da Fe?" 

94. E nao enviamos a uma 
cidade profeta algum, sem apanhar 
seus habitantes, com a adversidade 
e o infortiinio, para se humildarem. 

95. Em seguida, trocamo-lhes o 
mal pelo bem, ate se multiplicarem 
e dizerem: "Com efeito, o infortiinio 
e a prosperidade tocaram a nossos 
pais." Entao, apanhamo-los, 
inopinadamente, enquanto nao 
percebiam. 

96. E, se OS habitantes das cidades 
houvessem crido e houvessem sido 
piedosos, haver-lhes-iamos facultado 
ben9aos do ceu e da terra; mas 
desmentiram os Mensageiros; entao, 
apanhamo-los pelo que cometiam. 

97. Sera que os habitantes das 
cidades estao seguros de que Ihes 
nao chegara Nosso suplicio, 
durante a noite, enquanto dormem? 

98. Ou OS habitantes das cidades 






^^Cf:r4^\^ 



-^^J^J^J>4^l]>^ 




ci;^^ 









7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



255 



^ ^>i 



V Ol^Vi 5j>-» 



estao seguros de que Ihes nao 
chegara Nosso suplicio, em plena 
luz matinal, enquanto se divertem? 

99. Estao seguros , pois, contra 
o estratagema de Allah? Entao, nao 
esta seguro contra o estratagema 
de Allah senao o povo perdedor. 

100. E nao e notorio, aos que 
herdaram a terra apos o aniquila- 
mento de sens habitantes, que, se 
quisessemos os alcan9ariamos, por 
sens delitos, e selar-lhes-iamos os 
cora9oes, entao nao ouviriam? 

lOl.Essas sao as cidades, de 
cujos informes te narramos algo. 
E, com efeito, sens Mensageiros, 
chegaram-lhes com as evidencias, 
e nao quiseram crer no que haviam 
desmentido, antes. Assim, Allah sela 
OS cora96es dos renegadores da Fe. 

102. E nao encontramos, na 
maioria deles, nenhum cumpri- 
mento do pacto. Mas, por certo, 
encontramos a maioria deles 
perversa. 

103. Em seguida, depois deles, 
enviamos Moises, com Nossos 
sinais, a Farao e a sens dignitarios, 
mas foram injustos com eles. 
Entao, olha como foi o fim dos 
corruptores. 

104. E Moises disse: "6 Farao, 
sou Mensageiro do Senhor dos 
mundos; 



^jl,;)^>iXJ jLA^^jt^U.-u*)lj 





















7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



256 I ^^>' 



V J>iy>Si '^jy^ 



105."Impende-me nao dizer de 
Allah senao a verdade. Com efeito, 
cheguei-vos com uma evidencia de 
vosso Senhor; entao, envia comigo 
OS filhos de Israel." 

106. Farao disse: "Se estas 
chegando com um sinal, faze-o vir, 
se es dos veridicos." 

107. Entao, Moises lan9ou sua 
vara, e ei-la evidente serpente. 

108. E tirou sua mao^^^; e ei-la 
alva^^^ para os olhadores. 

109. Os dignitarios do povo de 
Farao disseram: "Por certo, este e 
um magico sapiente, 

110. "Que deseja fazer-vos sair 
de vossa terra." Disse Farao: 

"Entao, que ordenais^^^?" 

111. Disseram: "Pretere-o e a 
seu irmao, e envia congregantes as 
cidades; 

112. "Far-te-ao vir todo magico 
sapiente." 

113. E OS magicos chegaram a 
Farao. Disseram: "Por certo, 
teremos um premio, se formos nos 
OS vencedores?" 












(0 Ou seja, tirou a mao de dentro da abertura do peitoral. 

(2) Vide Exodo IV 2-8. 

(^) A intercala9ao da fala faraonica e uma das interpreta9oes, apresentada pelo exegeta 
Al Zamakhcharl, em sua obra Al Kachchaf, volume II, p. 102, Cairo, 1935. 



7. SQratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



257 



^ ^>i 



V uii^V» ojj-- 



114.Fara6 disse: "Sim, e, por 
certo, estareis entre os achegados." 

115. Disseram: "6 Moises, ou 
Ian9aras tua vara ou seremos nos 
OS Ian9adores?" 

1 16. Moises disse: "Lan9ai". 
Entao, quando lan9aram^^\ enfeiti- 
9aram os olhos dos homens e 
assombraram-nos. E chegaram 
com magm'fica magia. 

117. E Nos inspiramos a 
Moises: "Lan9a tua vara." Entao, 
ei-Ia que engoliu o que falsificaram. 

118. Entao, a verdade confirmou- 
se e o que faziam derrogou-se. 

119. E foram, ai, vencidos^^^ e 
tomaram-se humilhados. 

120. E OS magicos cairam, 
prosternando-se. 

121. Disseram: ''Cremos no 
Senhor dos mundos, 

122. "O Senhor de Moises e 
Aarao!" 

123.Fara6 disse: ''Credes nele, 
antes de eu vo-lo permitir? Por 
certo, isto e um estratagema de que 
usastes, na cidade, para fazer sair 
dela sens habitantes. Logo, 
sabereis! 






-9"^ it ^> 






(0 Quer dizer, quando lan^aram suas cordas e varas. Vide XXVI 44. 
(2) Quer dizer, Farao e seus dignitarios foram vencidos. 



7. SOratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



258 



S ^>i 



V Jl^Vl oj^ 



124. "Em verdade, cortar-vos-ei 
as maos e as pernas, de lados 
opostos; em seguida, crucificar- 
vos-ei, a todos." 

125. Disseram: "Por certo, sere- 
mos tornados a nosso Senhor. 

126. "E tu nao te vingas de nos 
senao por crermos nos sinais de 
nosso Senhor, quando estes nos 
chegaram. Senhor nosso! Verte 
sobre nos paciencia e leva-nos a 
alma, enquanto moslimes." 

127. E OS dignitarios de Farao 
disseram: "Deixaras Moises e seu 
povo, para que semeiem a corrup9ao 
na terra, e para que ele te deixe, e a 
teus deuses?" Disse: "matar-lhes- 
emos OS filhos e deixar-lhes-emos 
vivas as mulheres e, por certo, 
somos sobre eles dominadores." 

128. Moises disse a seu povo: 
"Implorai ajuda de Allah, e 
pacientai. Por certo, a terra e de 
Allah; Ele a faz herdar a quem 
quer, entre Seus servos. E o final 
feliz e dos piedosos." 

129. Disseram: "Fomos moles- 
tados, antes que viesses a nos, e, 
depois de tua chegada a nos^^V' 
Disse: "Qui9a, vosso Senhor 






(^^_^q3ipi\j\s 



i<:^i ,<r- 






$9^>^^. 



I ^ ^ \o J 



oj^4=»5ic>d)^ 



(0 Este versiculo alude ao sofrimento pelo qual passaram, quando Farao ordenou a 
matan9a de todos os varOes, antes do nascimento de Moises; e ao sofrimento pelo 
qual irao passar com a nova amea9a de matan9a aos varoes. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



259 ^ ^> 



V JJijP^i djy^ 



aniquile vosso inimigo e vos fafa 
suceder a ele, na terra; entao, Ele 
olhara como fareis." 

130. E, com efeito, apanhamos 
o povo de Farao com anos de seca e 
escassez de frutos, para meditarem. 

131. Entao, quando o bem Ihes 
chegava, diziam: "Isso se deve a 
nos^V' E, se um mal os alcanfava, 
pressentiam mau agouro por causa 
de Moises e dos que estavam com 
ele. Ora, seu agouro e junto de 
Allah, mas a maioria deles nao sabe. 

132. E disseram: "Sejam quais 
forem os sinais, com que nos 
chegues, para com eles enfeitifar- 
nos, nao estaremos crendo em ti." 

133. Entao, enviamos, sobre eles, 
diliivio e os gafanhotos e os 
piolhos^^^ e as ras e o sangue, como 
claros sinais, e ensoberbeceram-se, 
e foram um povo criminoso. 

134. E, quando o tormento sobre 
eles caiu, disseram: "6 Moises! 
Suplica, por nos, a teu Senhor, pelo 
que te recomendou. Em verdade, 
se removeres de nos o tormento, 
creremos em ti e enviaremos, 
contigo, OS filhos de Israel." 






(0 Ou seja, "por nossos meritos". 

(2) Em arabe, esta palavra designa, alem de piolho, outros tipos de insetos, como a 
pulga, o caruncho, o mosquito, que atacam os cereals, devorando-lhes as espigas 
incipientes. Em sintese, e praga nociva a saude dos homens, dos animals e dos 
vegetals. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



260 



^ ^>^ 



V J5<^V^ dj^ 



135. E, quando removemos deles 
o tormento, ate um termo, a que 
iriam chegar, ei-los que violaram a 
promessa. 

136. Entao, vingamo-Nos deles 
e afogamo-los na onda, porque 
desmentiram Nossos sinais e a eles 
estiveram desatentos. 



137. E fizemos herdar ao povo, 
que estava subjugado^^\ as regioes 
orientais e ocidentais da terra, que 
aben9oamos. E a mais bela Palavra 
de teu Senhor cumpriu-se, sobre os 
filhos de Israel, porque pacientaram. 
E profligamos tudo quanto 
engenharam Farao e seu povo, e 
tudo quanto erigiram. 

138. E fizemos os filhos de 
Israel atravessarem o mar, e eles 
foram ter a um povo que cultuava 
seus idolos. Disseram; ''6 Moises! 
Faze-nos ter um deus, assim como 
eles tem deuses." Disse: 'Tor 
certo, sois um povo ignorante^ \ 

139. "Por certo, a estes, o^^^ que 
praticam ser-lhes-a esmagado, e 
derrogado o que faziam." 

140. Disse: "Buscar-vos-ei outro 
deus que Allah, enquanto Ele vos 
preferiu aos mundos?" 



'c^\^y' .i4^iiii^=> lis 



OjJ^Ssj^LA\i\ 



L\<\>^.\.- I 












(0 Alusao a escravidao dos filhos de Israel. 

(2) Na verdade, os filhos de Israel ignorarn o quao absurdo e o que pedem a Moises. 

0) O: a idolatria. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



261 ^ ^> 



V u>ly^Sl dj>^ 



141. E lembrai-vos de quando 
Nos vos salvamos do povo de 
Farao, que vos infligia o pior 
castigo: degolavam vossos filhos e 
deixavam vivas vossas mulheres. 
E, nisso houve, de vosso Senhor, 
terrivel prova. 

142. E fizemos promessa a 
Moises durante trinta noites, e as 
completamos com mais dez. Assim, 
completou-se o tempo marcado de 
seu Senhor, em quarenta noites. E 
Moises disse a seu irmao Aarao: 
Sucede-me junto de meu povo e 
age bem, e nao sigas o caminho 
dos corruptores. 

143. E, quando Moises chegou a 
Nosso tempo marcado, e seu Senhor 
Ihe falou, disse: "Senhor meu! 
Faze-me ver-Te, que Te olharei." 
Ele disse: "Nao Me veras, mas olha 
para a Montanha: se permanecer 
em seu lugar, ver-Me-as." E, quando 
seu Senhor se mostrou a Montanha, 
fe-la em p6, e Moises caiu 
fulminado. E, quando voltou a si, 
disse: "Glorificado sejas! Volto- 
me arrependido para Ti e sou o 
primeiro dos crentes." 

144. Allah disse: "6 Moises! 
For certo, escolhi-te, sobre todas as 
pessoas, para Minhas mensagens e 
Minhas palavras; entao, toma o que 
te concedi e se dos agradecidos." 






^^^'"-55* 












7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



262 ^ ^>' 



V JJi/^Vi oj>^ 



145. E escrevemo-lhe, nas 
tabuas, exorta9ao acerca de tudo e 
aclara9ao de todas as cousas, e Ihe 
dissemos: "Entao, toma-as, com 
firmeza, e ordena a teu povo que 
tome o que ha de melhor nelas. 
Far-vos-ei ver a morada dos 
perversos. 

146."Desviarei de Meus sinais 
OS que, na terra, se mostram 
soberbos, sem razao, e, se eles veem 
todos OS sinais, neles nao creem, e, 
se veem o caminho da retidao, nao 
o tomam por caminho, e, se veem 
o caminho da deprava9ao, tomam- 
no por caminho. Isso, porque eles, 
por certo, desmentiam Nossos 
sinais e a eles estavam desatentos. 

147. "E OS que desmentem Nos- 
sos sinais, e o deparar da Derradeira 
Vida terao anuladas suas obras. 
Nao serao recompensados, senao 
pelo que faziam?" 

148. E o povo de Moises, depois 
deste, tomou, por divindade, um 
bezerro feito de suas joias: um 
corpo que dava mugidos. Nao 
viram eles que ele nao Ihes falava 
nem os guiava a caminho algum? 
Tomaram-no, por divindade, e 
foram injustos. 

149. E, quando a consciencia os 
remordeu e viram que, com efeito, 
se descaminharam, disseram: "Em 


















7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



263 ^ ^>^ 



V vJly^Sli Oj^ 



verdade, se nosso Senhor nao tiver 
misericordia de nos e nao nos 
perdoar, seremos dos perdedores." 

150. E, quando Moises voltou a 
seu povo, irado e pesaroso, disse: 
"Execravel e a maneira com que 
me sucedestes, em minha ausencia. 
Quisestes apressar a ordem de 
vosso Senhor?" E lanfou as Tabuas 
e apanhou a seu irmao, pela 
cabe9a, puxando-o para si. Aarao 
disse: "O filho de minha mae! Por 
certo, o povo me julgou fraco e 
quase me matou; entao, nao fa9as 
OS inimigos se regozijarem com 
minha desgra9a, e nao me fa9as 
estar com o povo injusto." 

151. Moises disse: "Senhor meu! 
Perdoa-me e a meu irmao, e faze- 
nos entrar em Tua misericordia, e 
Tu es O mais Misericordiador dos 
misericordiadores." 

152. Por certo, aos que tomaram 
o bezerro, por divindade, alcan9a- 
los-a ira de seu Senhor, e vileza, na 
vida terrena. E, assim, recompen- 
samos OS forjadores de falsidades. 

153. E OS que fazem mas obras; 
em seguida, voltam-se arrependidos, 
depois destas, e creem, por certo, 
teu Senhor, depois disso, e 
Perdoador, Misericordiador. 

154. E, quando a ira de Moises 
se calou, ele retomou as Tabuas. E, 



^ U^\^oti^j^^:;^j 









'A 



} /^"f ^ ♦f ^ . 






T^\f 









7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



264 



^ t>i 



V JJl^Vl 5jj-- 



em sua inscrifao, havia orientafao 
e misericordia para os que 
veneram a seu Senhor. 

155. E Moises escolheu setenta 
homens de seu povo, para Nosso 
tempo marcado. E, quando o 
terremoto os apanhou, Moises 
disse: "Senhor meu! Se quisesses, 
have-los-ias aniquilado, antes, e a 
mim. Tu nos aniquilas pelo que 
fizeram os insensatos entre nos? 
Isto nao e senao Tua provafao, 
com que descaminhas a quem 
queres e guias a quem queres. Tu 
es nosso Protetor: entao, perdoa- 
nos e tem misericordia de nos, e 
Tu es O Melhor dos perdoadores. 

156. "E prescreve-nos, nesta vida 
terrena, algo de bom, e na 
Derradeira Vida tambem. Por certo, 
para Ti, voltamo-nos arrependidos." 
Allah disse: "Com Meu castigo, 
alcanfarei a quem quiser. E Minha 
misericordia abrange todas as 
cousas. Entao, prescreve-la-ei aos 
que sao piedosos, e concedem az- 
zakah^^^, e aos que creem em 
Nossos sinais, 

157. "Os que seguem o Men- 
sageiro, O Profeta iletrado^^^- que 
eles encontram escrito junto deles. 






^J^yj^J. 


















(OCfII43n4. 

(2) [letrado: traduz a palavra ummT, ou seja, aquela que nao sabe ler, tal como o 
Profeta. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



265 



S ^>i 



V ^\jg'H\ djj^ 



na Tora e no Evangelho - o qual 
Ihes ordena o que e conveniente e os 
coibe do reprovavel, e torna licitas, 
para eles, as cousas benignas e 
torna ilicitas, para eles, as cousas 
malignas e os livra de sens fardos e 
dos jugos^'^ a eles impostos. Entao, 
OS que creem nele e o amparam e o 
socorrem e seguem a luz^\ que foi 
descida, e esta com ele, esses sao 
OS bem-aventurados." 

158. Dize, Muh.ammad: "6 

humanos! Por certo, sou, para todos 
vos, o Mensageiro de Allah de 
Quern e a soberania dos ceus e da 
terra. Nao existe deus senao Ele. Ele 
da a vida e da a morte. Entao, crede 
em Allah e em Seu Mensageiro, o 
Profeta iletrado, que ere em Allah e 
em Suas palavras, e segui-o, na 
esperan9a de vos guiardes." 

159. E ha, entre o povo de 
Moises, uma comunidade^^\ que 
guia OS outros, com a verdade^'^^ e, 
com ela, faz justi9a. 

160. E Nos OS dividimos em doze 
tribos, tornando-as comunidades. 
E inspiramos a Moises, quando seu 



_^^=c^\ Cf}k^j <^J^S^ 
(s;-^ Ar^Jj ^^ \y^^ <^3 



N^^JJO-^ 









(0 Alusao as severas leis impostas aos judeus (tais como: a queima dos espolios 
belicos, o suicidio expiatorio, a mutila9ao dos orgaos infratores) das quais foram 
remidos, com a vinda do Profeta. 

(2) A Luz: o Alcorao. 

(^) Referenda ou aos filhos de Israel, que abraQaram o Islao, ao tempo de 
Muhammad; ou aos judeus contritos, que seguiram, plenamente, a Lei mosaica. 

(4) Com a verdade: dentro dos preceitos revelados por Deus. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



266 



^ t>rl 



V J^\j^H\ 5jj-- 



povo Ihe pediu agua: "Bate na 
pedra com tua vara." E dela 
jorraram doze olhos d'agua. Cada 
tribo soube de onde beber. E 
fizemos as nuvens sombrea-los, e 
fizemos descer sobre eles o mana e 
as codomizes^^\ dizendo: "Comei 
das cousas benignas, que vos 
damos por sustento." E nao foram 
injustos coNosco, mas foram 
injustos com si mesmos. 

161. E, lembra-lhes, Mu^iam- 
mad, de quando se Ihes disse: 
"Habitai esta cidade^^^ e dela comei, 
onde quiserdes, e dizei: Terdao'. 
E entrai pela porta, prostemando- 
vos, Nos vos perdoaremos os 
erros. Acrescentaremos as gramas 
aos benfeitores." 

162. Em seguida, os injustos, 
dentre eles, trocaram, por outro 
dizer, o que Ihes havia sido dito; 
entao, enviamos, sobre eles, um 
tormento do ceu, porque eram 
injustos. 

163. E pergunta-lhes^^^ pela 
cidade^'*^ que ficava a beira-mar, 
quando seus habitantes cometeram 
agressao, no sabado, quando os 
peixes Ihes chegaram emergindo 













(l)Cf. U 57. 
(2)Cf. II 58 n2. 
0) Lhes : aosjudeus. 
Wcf. II 65 n3. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



267 



^ ^j^\ 



V JJiy^^i 5jj-^ 



em seu dia de sabado, e, em dia, 
em que nao sabatizavam, nao Ihes 
chegavam estes. Assim, pusemo- 
los a prova, pela perversidade que 
cometiam. 

164. E de quando uma comuni- 
dade^^\ entre eles, disse: "Por que 
exortais um povo, que Allah 
aniquilara ou castigara com 
veemente castigo?" Disseram: "E 
escusa perante vosso Senhor, e 
isso, para serem, talvez, piedosos." 

165. Entao, quando esqueceram o 
de que foram lembrados, salvamos 
OS que coibiam o mal e apanhamos 
OS que foram injustos, com 
impetuoso castigo, pela perversidade 
que cometiam. 

166. E, quando eles trans- 
grediram, desmesuradamente, o de 
que foram coibidos, Nos Ihes 
dissemos: "Sede simios repelidos!" 

167. E de quando teu Senhor 
noticiou que, na verdade, enviaria, 
sobre eles^^\ ate o Dia da Ressur- 
rei9ao, quem Ihes infligiria o pior 
castigo. Por certo, teu Senhor e 
Destro na puni9ao. E, por certo, 
Ele e Perdoador, Misericordiador. 



,>^» 






\^^\ Jo aSO^ ^^j\^!S^ 









(1) Trata-se de um grupo de homens integros, da cidade de Elate, que ja se haviam 
empenhado, anteriormente, mas em vao, ao aconselhamento dos habitantes desta 
localidade. 

(2) Eles : osjudeus. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



268 



^ ^>i 



V ^ly^^i dj>^ 



168. E dividimo-los em comuni- 
dades, na terra. Dentre eles, havia 
OS integros e, dentre eles, havia os 
que eram inferiores a isso. E 
pusemo-los a prova, com as boas 
afoes e as mas afoes, para retor- 
narem ao bom caminho. 

169. Entao, vieram, depois deles, 
sucessores^^\ que herdaram o 
Livro^^^: tomam o que e efemero 
deste mundo inferior, e dizem: 
"Perdoar-nos-ao." E, se Ihes chega 
algo efemero, semelhante, tomam- 
no de novo. Acaso, nao foi 
confirmada com eles a alianfa do 
Livro de nao dizer acerca de Allah 
senao a verdade? E eles estudaram 
o que havia nele^^^ E a Derradeira 
Morada e melhor para os que sao 
piedosos. Entao, nao razoais? 

170. E OS que se atem ao Livro e 
cumprem a orafao, por certo, nao 
faremos perder o premio dos 
emendadores. 

171. E quando arrancamos a 
Montanha, elevando-a acima deles, 
como se fosse um dossel e eles 
pensaram que iria cair sobre eles. 
E dissemo-lhes: 'Tomai, com 
firmeza, o que Nos vos concedemos 






^oy^^zn 






' (j^^ci->^\J>-'A--->^*^ 









(0 Sucessores : os judeus de Al MadTnah, contemporaneos do Profeta. 

(2) O Livro: aTora. 

(3) Nele: na Tora, quando diz que o arrependimento de cada um e a condi^ao sine qua 
non para sua remissao. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



269 



^ ^>i 



V J>iy^*^i djy^ 



e lembrai-vos do que ha nele, na 
esperan9a de serdes piedosos." 

172. E, lembra-te, Muham- 
mad, de quando teu Senhor tomou, 
dos filhos de Adao - do dorso^'^ 
deles - seus descendentes e fe-los 
testemunhas de si mesmos, dizendo- 
Ihes: "Nao sou vosso Senhor?" 
Disseram: "Sim, testemunhamo- 
lo." Isso, para nao dizerdes, no Dia 
da Ressurrei9ao: "Por certo, a isto 
estavamos desatentos", 

173. Ou, para nao dizerdes: 
''Apenas, nossos pais idolatraram, 
antes, e somos sua descendencia, 
apos eles. Tu nos aniquilas pelo 
que fizeram os defensores da 
falsidade?" 

174. E, assim, aclaramos os 
sinais, e isso, para, talvez, retor- 
narem. 

175. E recita, para eles, a historia 
daquele^^^ a quern concederamos 
Nossos sinais, e deles se afastara: 
entao, Sata perseguira-o, e ele fora 
dos desviados. 












(0 Este passo refere-se a origem primordial da descendencia na regiao dorsal. Com 
efeito, modernas pesquisas cientificas confirmam que, no feto, os testiculos se 
formam, primeiro, na regiao dorsal abaixo dos rins, ai permanecendo ate as 
ultimas semanas, quando come9am a deslocar-se para seu lugar defmitivo e 
aparente. Na mulher, os ovarios formam-se, justamente, abaixo dos rins, descendo, 
depois, para as ilhargas, quando cada um deles ira ladear o utero. Vide AI 
Muntakhab, p. 235, Cairo, 1968. 

(2) Alusao a Balaao, filho de Beor, um dos sabios do povo de Israel, que renegou o 
que aprendera nos Livros divinos, e seguiu Sata. Vide Numeros XXII. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



270 ^ ^>» 



V ^\j^H\ djj^ 



176. E, se quisessemos, have-lo- 
iamos elevado com eles^^\ mas ele 
se ativera a terra e seguira suas 
paixoes. E seu exemplo e igual ao 
do cao: se o repeles, arqueja, ou, se 
o deixas, arqueja. Esse e o exemplo 
do povo, que desmente Nossos 
sinais. Entao, narra-lhes a narrativa, 
na esperan9a de refletirem^^\ 

177. Que vil, como exemplo, o 
povo que desmente Nossos sinais e 
e injusto com si mesmo! 

178. Quem Allah guia e o guiado. 
E aqueles a quem Ele descaminha, 
esses sao os perdedores. 

179. E, com efeito, destinamos, 
para a Geena, muitos do jinns e 
humanos. Tem cora9oes com que 
nao compreendem, e tem olhos, 
com que nada enxergam, e tem 
ouvidos, com que nao ouvem. 
Esses sao como os rebanhos, alias, 
sao mais decaminhados^^\ Esses 
sao OS desatentos. 

180. E de Allah sao os mais 
belos nomes: entao, invocai-0 com 
eles, e deixai os que profanam Seus 
nomes. Serao recompensados pelo 
que faziam. 



jAil^==45jl4iii?ji L:i-^j!5 



^^^"1" 






o9^ 



J^\^p\ 



m 5__^^ 






o5>>4^ ^^2^ii^ <^-^L)pi ' 



( ^ ) Com eles : com os sinais de Deus. 

(2) Ou seja, para os judeus refletirem. 

(3) Ou seja, mais extraviados que os animais irracionais que, embora se desgarrem de 
seus rebanhos, sempre evitam o que Ihes e nocivo, enquanto os descrentes se 
desgarram, em busca da propria ruina. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



271 



S ^>i 



V JJiy^^i 5j^ 



181. E ha, dentre os que 
criamos, uma comunidade^^^ que 
guia OS outros, com a verdade, e, 
comela, fazjusti9a. 

182. E aos que desmentem 
Nossos sinais, fa-Ios-emos se 
abeirarem de seu aniquilamento, 
por onde nao saibam. 

183. E conceder-lhes-ei prazo. 
Por certo, Minha insidia e 
fortissima. 

184. E nao refletiram eles? Nao 
ha loucura alguma em seu 
companheiro^^\ Ele nao e senao 
evidente admoestador. 

185. E nao olharam para o reino 
dos ceus e da terra e para todas as 
cousas que Allah criou, e nao pen- 
saram que o termo deles, qui9a, 
possa estar-se aproximando? Entao, 
em que mensagem, depois dele^^\ 
crerao? 

186.Para os que Allah des- 
caminha, nao havera guia algum, e 
Ele OS deixara, em sua transgressao, 
caminhando as cegas. 

187. Perguntam^'^He, Muham- 
mad, pela Hora: quando sera sua 



\<A^r^kx^^<'^. 









i^^< 









J t^o^l^i^^^o^^isii 



(0 Ou seja, uma na9ao formada pelos adeptos de Muhammad. 

(2) Ou seja, Muhammad. Eles afirmavam ser o Profeta um "poeta louco". Vide 
XXXVII 36. 

(^) Depois dele: depois do Alcorao. 

(4) Ou seja, os habitantes de Makkah perguntam. 



7. Suratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



272 



^ ^>i 



V ciiy^^i ojj-- 



ancoragem? Dize: "Sua ciencia 
esta, apenas, junto de meu Senhor. 
Ninguem senao Ele a mostra, em 
seu devido tempo. Ela pesa aos que 
estao nos ceus e na terra. Ela nao 
vos chegara senao inopinadamente." 
Perguntam-te, como se estivesses 
inteirado dela. Dize: "Sua ciencia 
esta, apenas, junto de Allah, mas a 
maioria dos homens nao sabe." 

188. Dize: "Nao possuo, para 
mim mesmo, nem beneficio nem 
prejuizo, exceto o que Allah quer. 
E, se soubesse do Invisivel, 
multiplicar-me-ia os bens, e nao 
me tocaria o mal. Nao sou senao 
admoestador e alvissareiro para um 
povo que ere." 

189. Ele e Quem vos criou de 
uma so pessoa e, desta, fez sua 
mulher, para ele tranqiiilizar-se 
junto dela. E, quando com ela 
coabitou, ela carregou dentro de si 
uma leve carga^^\ E movimentava- 
se com ela, sem dificuldade. 
Entao, quando se tornou pesada, 
ambos suplicaram a Allah, seu 
Senhor: "Em verdade, se nos 
concederes um filho sao, seremos 
dos agradecidos." 

190. E, quando Ele Ihes^^^ 
concedeu um filho sao, associaram- 












•^-^ .^-^■^ y^9^ -><^ "iA ^ ^ 



cbC^ j^i *:Ai^l^A^ 



(n Leve carga: o semen. 

(2) Alusao aos descendentes de Adao e Eva, os quais, depois, se tornaram idolatras. 



7. Suratu 'Al-'a'raf 



Parte 9 



273 



^ i^>i 



V J^Sj^Hs 5jj-- 



Lhe idolos, no que Ele Ihes 
concedera. Entao, Sublimado seja 
Ele, acima do que Lhe associam. 

191. Associam-Lhe os^^^ que 

nada criam, enquanto eles mesmos 
sao criados, 

192. E que nao podem oferecer- 
Ihes socorro nem socorrer-se a si 
mesmos? 

193. E, se os^^^ convocais a 
orientafao, nao vos seguirao. E- 
vos igual que os convoqueis ou 
fiqueis calados. 

194. Por certo, os que invocais, 
alem de Allah, sao servos como 
vos. Entao, invocai-os! Que eles 
vos atendam, se sois veridicos. 

195. Tem eles pemas com que 
andar? Ou tem maos, com que 
bater? Ou tem olhos com que 
enxergar? Ou tem ouvidos, com 
que ouvir? Dize: "Invocai vossos 
idolos; em seguida, insidiai-me, e 
nao me concedais dilafao alguma. 

196. "Por certo, meu Protetor e 
Allah, Quem fez descer o Livro. E 
Ele protege os integros. 

197. "E aqueles a que invocais, 
alem dEle, nao podem socorrer- 
vos nem socorrer-se a si mesmos." 

(1) Os: OS idolos. 

(2) Os: OS idolos. 



^ b}J^}c:^'M^t^vxj>. 



^SM'^j^Sk^^c>^J} 



'^jY^Ji^c>J.^JC^3 



>^ r "^ . 



Ojj/ya^^^ . <^A3 






^ 5:5-^ >:!=:» 4^^=J 



^o-' 






7. SOratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



274 



S *>i 



V 3\j^H\ oj^ 



198. E, se OS convocais a 
orienta9ao, nao ouvirao. E ve-los- 
as olhar para ti, enquanto nada 
enxergam. 

199.Toma-te, Muhammad, de 

indulgencia^'^ e ordena o que e 
conveniente, e da de ombros aos 
ignorantes. 

200. E, se, em verdade, te 
instiga alguma instiga9ao de Sata, 
procura refiigio em Allah. Por 
certo, Ele e Oniouvinte, Onisciente. 

201. Por certo, os que sao 
piedosos, quando uma sugestao de 
Sata OS toca, lembram-se dos 
preceitos divinos, e ei-los 
clarividentes. 

202. E a seus irmaos descrentes, 
OS demonios estendem-lhes a 
deprava9ao; em seguida, nao se 
detem. 

203. E, quando nao Ihes^^^ trazes 
um sinal, dizem: "Que o 
falsifiques!" Dize; "Sigo, apenas, o 
que me e revelado de meu Senhor. 
Isto^^^ sao clarividencias de vosso 
Senhor e orienta9ao e misericordia 
para um povo que ere." 

204. E, quando for lido o 
Alcorao, ouvi-o e escutai-o, na 



(0 Tomar-se de indulgencia para com os homens: 
(2) Lhes: os idolatras de Makkah. 
(^) Isto: o Alcorao. 


















^'i 



ser indulgente para com seus atos. 



7. SQratu 'Al-'aVaf 



Parte 9 



275 



^ ^>i 



V u>ly^^l 5j^ 



esperanfa de obterdes misericordia. 

205. E invoca teu Senhor, em ti 
mesmo, humilde e temerosamente, 
e sem altear a voz, ao amanhecer e 
ao entardecer, e nao sejas dos 
desatentos. 

206. Por certo, os^^^ que estao 
juntos de teu Senhor nao se 
ensoberbecem, diante de Sua 
adora9ao e O glorificam. E 
prostemam-se diante dEle. 









a>M' 



'^\:^^^'^ 






(DOs: 



: OS anjos. 



8. Suratu AI-'Anfal Parte 9 276 I ^ ^J*-^ A JUJ^I Sjj-- 



SURATU AL-'A NFAL^^^ 
A SURA DOS ESPOLIOS DE GUERRA 



De Al Madinah - 75 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Perguntam^^^-te, Muhammad, 



"^rn^mm^^ 






,^0^^^ 



-^ 



Ae)l^^"ij\i^jv 



(1) AI-'Anfal: plural de Nafal, que, etimologicamente, significa o que e a mais, o 
que excede. Posteriormente, passou a denominar os espolios de guerra, obtidos 
do inimigo pelos soldados vitoriosos, ja que estes espolios sao algo recebido alem 
do alvo principal na luta pela causa de Deus, ou seja, a defesa da na^ao e a 
prega^ao do Islao. Esta sura, assim, se denomina, pela men9ao de palavra anfal 
no primeiro versiculo. Nela, trata-se da estrategia militar e das legisla96es que 
devem ser aplicadas em tempo de guerra, alem das orienta^oes que os crentes 
devem seguir, de um lado, entre eles, e, de outro, entre os inimigos. Destarte, esta 
sura e iniciada pela solu^ao do problema da partilha de espolios, surgido na 
batalha de Badr, a primeira entre os moslimes e os idolatras, e ocorrida no segundo 
ano da Hegira. Por duas vezes ao ano, havia de Makkah para a Siria, e desta para 
aquela, caravanas que empreendiam comercio nessas regioes. Uma delas, de 
retomo a Makkah, vinha chefiada por Abu Sufian, um dos lideres da tribo Quraich 
- inicialmente, tenaz adversaria do Profeta - e trazia consigo perto de quarenta 
pessoas e grande carregamento de mercadorias. Ao sabe-lo, pelo anjo Gabriel, o 
Profeta inteirou os mais moslimes do fato, e estes, entusiasmados com a 
perspectiva nao so da posse da caravana, mas de represalia ao que os Quraich Ihes 
fizeram, em Makkah, sairam a seu encontro. Nesse interim, Abu Sufian, a fim de 
por a salvo a caravana, alterou-lhe o rumo, tomando o caminho do litoral. Ao 
mesmo tempo, Abu Jahl, um dos lideres Quraich, em Makkah, ao cientificar-se dos 
pianos moslimes, reuniu numeroso exercito para salvaguarda-la. Quando soube 
que ela se encontrava a salvo, pela tatica de Abu Sufian, nao retomou a Makkah, 
mas continuou adiante, com o fito de chegar, com seu exercito, a Badr, po90 de 
agua perto de Al Madinah, e, assim, intimidar o Profeta e seus companheiros, 
ostentando-lhes superioridade e for^a. E, para comemorar o feito, pretendiam 
festejar com banquetes e vinho. Novamente informado do ocorrido, pelo anjo 
Gabriel, o Profeta, consultou seus companheiros sobre o ataque ao exercito Quraich. 
Os companheiros, porem, em sua maioria, julgaram melhor nao combater, 
alegando a desigualdade de for^as entre as hostes, o que Ihes poderia, fatalmente, 
acarretar a derrota. Finalmente, por inspira9ao divina, Muhammad convenceu-os 
da necessidade de irem a combate, onde, alias, acabaram sendo vitoriosos. 

(2) A terceira pessoa plural e referenda aos moslimes, quando, divergindo entre eles, 
a respeito dos despojos da localidade de Badr, pretendiam saber como dividi-los e 
a quern deviam eles pertencer, ja que os mais jovens sustentavam pertence-lhes 
exclusivamente, pois, afinal, eram eles que, em luta, se postavam a frente dos 
exercitos; os mais velhos, entretanto, pensavam o contrario, asseverando que o 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



277 



S ^>i 



A JU^Sfl ojj^ 



pelos espolios. Dize: "Os espolios 
sao de Allah e do Mensageiro^^\ 
Entao, temei a Allah e reconciliai- 
vos. E obedecei a Allah e a Seu 
Mensageiro, se sois crentes." 

2. Os verdadeiros crentes sao, 
apenas, aqueles cujos cora9oes se 
atemorizam, quando e mencionado 
Allah, e, quando sao recitados, para 
eles, Seus versiculos, acrescentam- 
Ihes fe; e eles confiam em seu 
Senhor; 

3. Aqueles que cumprem a 
orafao e despendem do que Ihes 
damos por sustento. 

4. Esses sao, deveras, os crentes. 
Terao escaloes junto de seu Senhor, 
e perdao e generoso sustento. 

5. A situa9ao de desagrado, 
acerca da distribui9ao de espolios, 
e como^^^ aquela havida, quando 

teu Senhor, em nome da verdade, 
te fez sair de tua casa^'^^ para 
combateres, enquanto um grupo 
de crentes, o estava odiando. 









combate existia, porque dependia da retaguarda, que eles davam aos combatentes. 
Finalmente, para dirimir as duvidas e inquirigoes dos moslimes ao Profeta acerca 
desta questao, foi revelado este versiculo. 

(1) Somente Deus indica quern possuira os espolios, e impende ao Mensageiro dividi- 
los, conforme a vontade divina. 

(2) Este versiculo e o seguinte aludem ao dissabor causado aos crentes pela 
distribui9ao dos espolios, dissabor este analogo aquele causado antes, quando o 
Mensageiro, ordenado a sair a combate, os incitou a luta. 

(3) Casa: aqui, pode ser a propria casa do Profeta ou a cidade de Al Madlnah. Isso 
ocorreu, anteriormente, a Batalha de Badr. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



278 



^ ^j^\ 



A JliiSH Sj>-» 



6. Eles discutiam contigo, acerca 
da verdade, apos evidenciar-se ela, 
indo eles a combate, como se 
estivessem sendo conduzidos a 
morte, olhando-a, frente a frente. 



7. E lembrai-vos de quando 
Allah vos prometeu que uma das 
duas partes^ ^^ seria para vos, e 
almejastes que a desarmada^^^ fosse 
vossa. E Allah desejou estabelecer, 
com Suas palavras, a verdade e 
exterminar os renegadores da Fe, 
ate o ultimo deles, 

8. Para estabelecer a verdade e 
derrogar a falsidade, ainda que os 
criminosos o odiassem 

9. Lembrai-vos de quando 
implorastes socorro a vosso Senhor, 
e Ele vos atendeu: "Por certo, 
auxiliar-vos-ei com mil anjos^"^^ que 
se sucederao uns aos outros." 

10. E Allah nao o fez senao 
como alvissaras e para que se vos 
tranqiiilizassem os cora^oes com 
isso. E o socorro nao e senao da 
parte de Allah. Por certo, Allah e 
Todo-Poderoso, Sabio. 

11. De quando Ele fez o sono 












V^jy^'-^' 



Cjt 






(0 Gabriel informou ao Profeta que Deus prometera aos mo slimes uma destas duas 
op95es: a posse da caravana ou a vitoria sobre os Quraich. 

(2) Ou seja, a caravana, pois as pessoas acompanhantes eram em pequeno numero e 
pouco armadas. 

(3) Este numero inicial passou a ser, depois, tres mil, para, fmalmente, ser cinco mil. 
Cf. Ill 124 e 125. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



279 ^ ^>' 



A JUJ^i 5jj-*» 



encobrir- vos, como seguran9a^ ^ ^ 
vinda dEle, e fez descer, sobre 
vos, agua do ceu, para com ela 
purificar-vos, e fazer ir o tormento 
de Sata^^^ para longe de vos, e 
para revigorar-vos os cora9oes, e, 
com ela, tornar-vos firmes os pes. 

12. De quando teu Senhor 
inspirou aos anjos: 'Tor certo, estou 
convosco: entao, tomai firmes os que 
creem. Lan9arei o terror nos cora9oes 
dos que renegam a Fe. Entao, 
batei-lhes, acima dos pescocos, e 
batei-lhes em todos os dedos^ V' 

13.- Isso, porque discordaram 
de Allah e de Seu Mensageiro. E 
quem discorda de Allah e de Seu 
Mensageiro, por certo, Allah e 
Veemente na puni9ao - 

14. "Esse e vosso castigo: entao, 
experimental -o; e, por certo, havera 
para os renegadores da Fe, o castigo 
do Fogo." 

15.6 vos que credes! Quando 
deparardes com os que renegam a 
Fe, em marcha, nao Ihes volteis as 
costas. 



:,<M\^,c:Zj 



oyi (^ jaJ UL \yX. ^^^ v^43^ 



,1^1 



4^ 



ilJkC 






( O sono atuava como seguran9a de tranquilidade para eles, pois o terror do combate 
OS impedia de dormir e descansar. 

(2) Sata, prevalecendo-se da critica situa9ao em que se encontravam os moslimes, 
tentou convence-los de que, naquelas condi95es, sem agua, sem armas, seriam 
aniquilados pelos idolatras que, alem de mais numerosos e mais bem armados, 
eram donos da fontes de agua, e podiam aniquila-los, tambem, pela sede. 

0) As partes vulneraveis do homem em combate sao: a jun9ao entre o pesco9o e a 
cabe9a, e os dedos da mao que empunha as armas. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



280 ^ ^>' 



A JUiSfi ij^ 



16. E, quern Ihes volta as costas, 
nesse dia - exceto se por estrategia, 
ou para juntar-se a outro grupo - 
com efeito, incorrera em ira de 
Allah, e sua morada sera a Geena. 
E que execravel destine! 

17. Entao, vos nao os matastes^*\ 
mas foi Allah Quem os matou. E tu 
nao atiraste areia, quando a 
atiraste. mas foi Allah Quem a 
atirou^^ . E fe-lo, para por os 
crentes a prova, com uma bela 
prova vinda dEle. Por certo, Allah 
e Oniouvinte, Onisciente. 

18. Essa e a vitoria, e Allah 
debilita a insidia dos renegadores 
daFe. 

19. Se vos^'^^ suplicaveis a 
sentenfa de Allah, com efeito, 
chegou-vos a sentenfa^'^^ E, se vos 
abstendes da descren9a, ser-vos-a 
melhor. E, se reincidis, Nos 












(0 Quando os moslimes venceram os Quraich, matando cerca de setenta de seus 
lideres e capturando outro tanto, alguns deles vangloriaram-se, uma vez que eram, 
ao todo, apenas 300, sem armas e sem montarias. E venceram mais de mil homens, 
bem armados, do exercito inimigo. Este versiculo foi revelado para evidenciar que 
a vitoria era obra divina e nao humana, pois foi Deus que enviou os anjos para 
combaterem com os moslimes. 

(2) Quando os Quraich apareceram acompanhados de uma multidao, o Mensageiro 
suplicou a Deus a vitoria prometida. Gabriel, entao, chegou ate ele, e sugeriu-lhe 
apanhar um punhado de terra e lan9a-la contra os Quraich, que, com os olhos 
cheios de areia e impossibilitados de enxergar, foram derrotados. Outra vez mais, 
tratava-se da intercessao divina em auxilio dos crentes. 

(3) Vos: OS idolatras de Makkah. 

(^) Alusao aos rogos de Abu Jahl a Deus, na Kabbah, as vesperas da Batalha de Badr, 
quando suplica a Deus pelo aniquilamento daquele que mais semeasse hostilidades 
entre as duas hostes. E foi ele, afmal, o aniquilado, por justi9a divina. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



281 



^ ^j^\ 



A JUi^l djj-- 



reincidiremos, e de nada vos valera 
vossa hoste, ainda que numerosa; e 
Allah e com os crentes. 

20.6 vos que credes! Obedecei 
a Allah e a Seu Mensageiro e nao 
Ihe volteis as costas, enquanto 



ouvis 



(I) 



.(2) 



21. E nao sejais como os^"' que 
dizem: ''Ouvimos", enquanto nao 
ouvem. 

22. Por certo, os piores seres 
animals, perante Allah, sao os 
surdos, OS mudos^"^\ que nao razoam. 

23. E, se Allah soubesse de 
algum bem neles, have-los-ia feito 
ouvir. E, se Ele os houvesse feito 
ouvir, voltariam as costas, dando 
de ombros. 

24. 6 vos que credes! Atendei a 
Allah e a Seu Mensageiro, quando 
este vos convocar ao^^ que vos da 
a verdadeira vida. E sabei que 
Allah Se interpoe entre a pessoa e 
seu cora^ao^^^ e que a Ele sereis 
reunidos. 

25. E guardai-vos de uma 
calamidade, que nao alcan^ara. 



^ U^<^i'^^^^^^4j^^lJ]jC^^ 



/^_^jj'^\\j^\'(p(-.<s^}z. 



-r ^^ 'In ''^•l"'^ T"^ \t\''ANj"' 









> . 1^"^ ^ ? -* -irr-f 



:Si ji \ ostj^ ^ <^i?^l3 



(0 Ou seja, enquanto escutais o Alcorao. 

(2) Os: OS idolatras. 

(3) Este versiculo compara os idolatras que nao atendem a prega9ao do Profeta, aos 
animais irracionais, que nao ouvem e nao raciocinam. 

(4) Ao: ao Islao. 

(5) Deus conhece os pensamentos do homem e pode modifica-los, conforme Sua 
vontade. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



282 



^ ^>i 



A JliiSfi Ojj-- 



unicamente, os injustos entre v6s^*\ 
E sabei que Allah e Veemente na 
puni9ao. 

26. E lembrai-vos de quando 
ereis poucos, indefesos na terra^^\ 
temendo que os adversarios^"^^ vos 
arrebatassem. Entao, Ele vos 
abrigou^"^^ e vos amparou com Seu 
socorro e vos deu sustento das cousas 
benignas, para serdes agradecidos. 

27.6 vos que credes! Nao 
atrai9oeis a Allah e ao Mensageiro 
nem atrai9oeis os depositos que 
vos sao confiados, enquanto sabeis. 

28. E sabei que vossas riquezas 
e vossos filhos vos sao prova9ao^^^ 
e que, junto de Allah, ha magnifico 
premio. 

29. 6 vos que credes! Se temeis 
a Allah, Ele vos fara criterio^^^ de 
distinguir o bem do mal e vos 

remitira as mas obras e vos 
perdoara. E Allah e Possuidor do 
magnifico favor. 

30. E lembra-te, Muhammad, 

de quando os que renegam a Fe 






( ^ ) Referenda a que as desgra9as, acarretadas pelas dissen96es, nao so atingem os 

iniquos, mas tambem os inocentes, com os que convivem, em comunidade. 
(2) Na terra: em Makkah. 
(^) Ou seja, OS inimigos: isto e, os opositores a nova religiao. 

(4) Em Al MadTnah. 

(5) O excess! vo amor aos filhos e aos bens materials pode fazer esquecer ao homem 
OS preceitos de Deus. 

(6) Furqan: crit6rio para distinguir o bem do mal. Cf. 11 53 n2. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



283 ^ ^> 



A JUiSli Ojj-- 



usaram de estratagemas^*^ contra ti, 
para aprisionar-te ou matar-te ou 
fazer-te sair de Makkah. E usaram 
de estratagemas, e Allah usou de 
estratagemas. E Allah e O Melhor 
em estratagema. 

31. E, quando se recitavam 
Nossos versiculos, para eles^^\ 
diziam: "Com efeito, ja os ouvimos. 
Se quisessemos, haveriamos dito 
algo igual a isso; isso nao sao 
senao fabulas dos antepassados." 

32. E quando eles disseram: "6 
Allah! Se esta e a verdade de Tua 
parte, faze chover sobre nos pedras 
do ceu, ou faze-nos vir doloroso 
castigo." 

33. E nao e admissivel que Allah 
OS castigasse, enquanto tu estavas 
entre eles. E nao e admissivel que 



djJ^J ^^r^^ 2JcJuj\ 






<> ^a 9 ^ , 



^\>\AL5.6i^4^\\jS\3i\^ 



^:i^c>5 






(0 Trata-se da reuniao dos Quraich em Dar al-Nadwah, ou casa da delibera^ao, em 
Makkah, onde deliberaram sobre o melhor meio de se livrarem de Muhammad. 
Entre aprisiona-lo ou bani-lo, concluiram, ao fim desta reuniao, pela morte do 
Profeta, o que seria realizado por um grupo de homens dos mais fortes, escolhidos 
entre as tribos. O Profeta, entao, informado pelo anjo Gabriel, e por sugestao 
deste, preparou-se para emigrar de Makkah para Al MadTnah, marcando, com isso, 
a Hegira ou o inicio da propaga^ao do Islamismo. No momento em que viu sua 
casa sediada pelos assassinos, Muhammad, a fim de confundi-los, solicitou do 
primo Ali se deitasse no leito, em seu lugar, e, em seguida, saiu pelos fundos da 
casa, rumo a uma caverna existente na montanha Thawr, perto de Makkah. 
Quando, entao, o grupo assassino acercou-se do leito do Profeta e nao o encontrou, 
mas a seu primo Ali, debandou, malogrado e furioso, e iniciou acirrada 
persegui^ao ao Profeta. 

(2) Alude-se, aqui, a um arabe pagSo chamado Al-Nadr Ibn Al Harith, antagonista do 
Profeta que viajava pelas fronteiras da Peninsula Arabica para fazer comercio e 
comprar livros da historia dos antigos persas, cujas leituras, no retorno destas 
viagens, relatava aos correligionarios, pretendendo, com isso, torna-las mais 
interessantes que o AlcorSo. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 9 



284 ^ ^> 



A JUiSf* 5jj--» 



Allah OS castigasse, enquanto 
imploravam perdao. 

34. E por que razao Allah nao 
OS castiga, enquanto afastam os 
moslimes da Mesquita Sagrada e 
nao sao seus protetores? Seus 
protetores nao sao senao os piedosos. 
Mas a maioria deles nao sabe. 

35. E suas ora96es, junto da 
Casa, nao sao senao assobios e 
palmas^^^ Entao, experimentai^^^ o 
castigo, porque renegaveis a Fe. 

36. Por certo, os que renegam a 
Fe despendem suas riquezas para 
afastar os homens do caminho de 
Allah. Entao, despende-las-ao; em 
seguida, ser-lhes-a afli9ao; em 
seguida, serao vencidos. E os que 
renegam a Fe, na Geena, serao 
reunidos, 

37. Para que Allah distinga o 
maligno do benigno e fa9a estar o 
maligno, um sobre o outro, e os 
amontoe a todos e os fa9a estar na 
Geena. Esses sao os perdedores. 

38. Dize aos que renegam a Fe 
que se se abstem da descren^a, ser- 
lhes-a perdoado o que ja se 
consumou. E, se reincidirem, com 
efeito, precederam os procedimentos 



}l^ys oyLo^^ lij-A^=' d-^^ ol 






^^M^^ 



JCUyfl^-OaS 



(0 Faz-se, aqui, referenda aos peregrines pagaos que, antes da epoca islamica, 
tinham o habito de rodear a Kabbah, inteiramente desnudos, tanto os homens 
quanto mulheres, assobiando, por entre as maos entrela^adas, e batendo palmas. 

(2) Assim Ihes falaram, quando foram derrotados pelos moslimes, na Bataiha de Badr. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 10 



285 



> • ^^\ 



A jUiSf^ 5jj^ 



de punir, dos antepassados^^\ 

39. E combatei-os, ate que nao 
mais haja sedi9ao da idolatria, e 

que a religiao toda seja de Allah. 
E, se se abstem, por certo, Allah, 
do que fazem, e Onividente. 

40. E, se voltam as costas, sabei 
que Allah e vosso Protetor. Que 
Excelente Protetor e que Excelente 
Socorredor! 

41. E sabei que, de tudo que 
espoliardes, a quinta parte^^^ sera 
de Allah, e do Mensageiro, e dos 
parentes deste, e dos orfaos, e dos 
necessitados, e do filho do 
caminho^^^ se credes em Allah e no 
que fizemos descer sobre Nosso 
servo, no Dia de al Furqan^'^^ no 
dia em que se depararam as duas 
hostes^^^ - e Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente - 

42. Quando estaveis do lado 
adjacente^^\ e eles, do lado extremo. 









^^i==dl^ 4^^ (1)^ \^ilc>l3 V^j) ^^ 



' Jy^'^j^^^y^'^j^^ 



0^ >L5^0V^-^tl2)\ _yuci^ -ijc- 









"^♦f ^^ .''.'? 



^*-AS^^\)j^\i(*^^ \ 



(0 Ou seja, "se reinciderem, que se acautelem, pois, serao punidos como ja foram os 

antepassados, que transgrediram os preceitos divino". 
(2) Ou seja, parte pertencera aos designados pelo Profeta, alem dos mencionados no 

versiculo. Quanto ao restante, ou seja, os 4/5, pertencerao aos combatentes. 
(3)Cf. II 177 nl. 
i^) No dia de Al Furqan: no dia da vitoria, na Batalha de Badr. Quanto ao vocabulo 

Furqan, cf. II 53 n2. 
(5)Cf. Ill 13 nl. 
(6) O versiculo conota a situa^ao privijegiada dos inimigos em detrimento dos 

moslimes, na Batalha de Badr. Note-se que o lado mais proximo de Al Madlnah, 

onde acamparam os moslimes, era de areia movedi9a, por onde se moviam com 



8. Suratu AI-'Anf9l 



Parte 10 



286 



> • ^j^\ 



A JUjSH i^j^ 



e a caravana abaixo de v6s. E, se 
vos houvesseis comprometido com 
o inimigo, haverieis faltado ao 
encontro, mas os enfrentastes, 

para que Allah cumprisse uma 
ardem ja prescrita^*\ a fim de que 
aquele que fosse perecer perecesse 
com evidencia, e aquele que fosse 
sobreviver sobrevivesse com 
evidencia. - E, por certo, Allah e 
Oniouvinte, Onisciente - 

43. Quando, em teu sono, Allah 
te fez ve-los pouco numerosos. E, 
se Ele te houvesse feito ve-los 
numerosos, haver-vos-ieis acovar- 
dado e haverieis disputado acerca 
da ordem de combate. Mas Allah 
vos salvou. - Por certo, Ele, do 
intimo dos peitos, e Onisciente - 

44. E, quando os deparastes, Ele 
vos fez ve-los, a vossos olhos, pouco 
numerosos, e vos diminuiu a seus 
olhos^^\ para que Allah cumprisse 
uma ordem ja prescrita. - E a Allah 
sao retomadas as determina9oes - 

45.6 vos que credes! Quando 
deparardes com uma hoste, 
mantende-vos firmes e lembrai-vos 
amiiide de Allah, na esperan9a de 
serdes bem-aventurados. 









<i>d 







dificuldade, e, alem disso, era regiao desprovida d'agua; ja o lado mais distante, 
onde se encontravam os inimigos, era de terra firme e bem abastecida d'agua. 

(0 Ordem ja prescrita: a vitoria dos moslimes. 

(2) Isso ocorreu antes do combate, mas, logo que este se iniciou, Deus fez o inimigo 
ver, em dobro, aos moslimes. Cf. Ill 13. 



8. Suratu Al-'Anfal 



Parte 10 



287 



) • ^j^\ 



A JUj^l 



1;^ 



46. E obedecei a Allah e a Seu 
Mensageiro, e nao disputeis, senao, 
vos acovardareis, e vossa for9a se 
ira. E pacientai. Por certo, Allah e 
com OS perse verantes. 

47. E nao sejais como os que 
sairam de seus lares, com arrogancia 
e ostenta9ao, para serem vistos 
pelos outros^^\ e afastaram os 
demais do caminho de Allah. E 
Allah esta, sempre, abarcando o 
que fazem 

48. E quando Sata Ihes afor- 
moseou as obras, e disse: "Hoje, 
nao ha, entre os humanos, 
vencedor de vos, e, por certo, sou 
vosso defensor." Entao, quando se 
depararam as duas hostes, ele recuou, 
voltando os calcanhares, e disse: 
"Por certo, estou em rompimento 
convosco; por certo, vejo o^^^ que 
nao vedes; por certo, temo a Allah. 
E Allah e Veemente na puni9ao." 

49. Lembra-te de quando os 
hipocritas e aqueles em cujos 
cora9oes havia enfermidade, dis- 
seram: "Esses crentes, sua religiao 
OS iludiu^^V' - E quem confia em 









(0 Referenda aos Quraich que, conforme foi visto na nota 1 desta sura, sairam para 
defender a caravana e, quando esta foi salva, encaminharam-se a Badr e disseram 
que nao retornariam antes dos festejos desse evento, com banquetes, vinhos e 
can96es, para que todas as tribos da Peninsula Arabica tomassem conhecimento de 
sua vitoria sobre Muhammad, o que nao ocorre. 

(2) O: alusao aos anjos, que SatS ve, no campo de Batalha, em auxilio dos moslimes. 

(3) Referencia aos moslimes que, sendo pouco numerosos, sairam em combate e. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 10 



288 



^ • ^>i 



A JUiSfi Ojj-- 



Allah, por certo, Allah e Todo- 
Poderoso, Sabio - 

50. E, se visses os anjos, quando 
levam a alma dos que renegam a 
Fe, batendo-lhes nas faces e nas 
nadegas, e dizendo: "Experimentai 
o castigo da Queima. 

51."Isso, pelo que vossas maos 
anteciparam e porque Allah nao e 
injusto com os servos." 

52. proceder desses e como 
o do povo de Farao e daqueles que 
foram antes deles. Renegaram os 
sinais de Allah: entao, Allah 
apanhou-os por seus delitos. - Por 
certo, Allah e Forte, Veemente na 
puni9ao - 

53. Isso, porque nao e admissivel 
que Allah transmute uma gra9a, 
com que haja agraciado um povo, 
antes que este haja transmutado o 
que ha em si mesmo^^\ - E Allah e 
Oniouvinte, Onisciente - 

54. proceder desses e como 
o do povo de Farao e daqueles que 
foram antes deles. Desmentiram os 
sinais de Seu Senhor: entao, 
aniquilamo-los por seus delitos e 









mesmo assim, puseram-se em luta com numeroso exercito inimigo, na certeza de 
que sairiam vitorioso por causa de sua religiao. 

(U Este versiculo encerra o principio basico responsavel pelo aprimoramento social, 
quer seja, nenhuma mudan9a ocorrera na sociedade, sem que antes hajam ocorrido 
mudan9as no intimo de cada individuo que a compoem. 



8. Suratu Al-'Anfal Parte 10 



289 



^^ ^>i 



A jUiSi 



'J>- 



afogamos o povo de Farao. E todos 
eram injustos. 

55. Por certo, os piores seres 
animals, perante Allah, sao os que 
renegam a Fe, pois nao creem. 

56. Sao aqueles, com os quais tu 
pactuas; em seguida, desfazem^'^ 
seu pacto, toda vez, e nada temem. 

57. Entao, se os encontras na 
guerra, trucida-os, para atemorizar 
e dispersar os que estao atras deles, 
na esperan9a de meditarem. 

58. E, se temes traifao de um 
povo, delta fora teu pacto com eles, 
do mesmo modo que eles o fazem. 
Por certo, Allah nao ama os traidores. 

59. E OS que renegam a Fe nao 
suponham que se esquivaram^^l 
Por certo, nao conseguirao escapar 
ao castigo de Allah. 

60. E, preparai, para combater 
com eles, tudo o que puderdes: 
forfa e cavalos vigilantes, para, 
com isso, intimidardes o inimigo 
de Allah e vosso inimigo, e outros 
alem desses, que nao conheceis, 
mas Allah os conhece. E o que 
quer que despendais, no caminho 
de Allah, ser-vos-a compensado, e 












o^'^ik^^^x^k?^ 



(0 Revelou-se este versiculo a respeito dos Banu Quraizah, tribo judaica residente em 
Al Madlnah, antes da Hegira, e que, pactuando com o profeta, rompeu, depois, 
este pacto, quando os Quraich, com seus aliados, vieram combate-lo. 

(2) Aqui, ha referenda aos Quraich que se salvaram, apos a Bataiha de Badr. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 10 



290 



S • t>i 



A JUiSi' 5jj^ 



nao sofrereis injusti9a. 

61. E, se eles se inclinam a paz, 
inclina-te, tambem, a ela, e confia 
em Allah. Por certo, Ele e O 
Oniouvinte, O Onisciente. 

62. E, se desejam enganar-te, 
por certo, Allah bastar-te-a. Ele e 
Quern te amparou com Seu socorro 
e com OS crentes, 

63. E pos-lhes harmonia entre os 
cora9oes. Se houvesses despendido 
tudo o que ha na terra, nao Ihes 
haverias posto harmonia entre os 
cora96es, mas Allah pos-lhes 
harmonia entre eles. Por certo, Ele 
e Todo-Poderoso, Sabio. 

64. 6 Profeta! Basta-te Allah, e 
aos crentes que te seguem. 

65.6 Profeta! Incita os crentes 
ao combate. Se ha, entre vos, vinte 
homens perseverantes, vencerao 
duzentos. E, se ha, entre vos, cem, 
vencerao mil dos que renegam a 
Fe, porque estes sao um povo que 
nao entende. 

66. Agora, Allah alivia-vos a 
tarefa, sabendo que ha fraqueza 
em vos. Entao, se ha, entre vos, cem 
homens perseverantes, vencerao 
duzentos. E, se ha, entre vos, mil, 
vencerao dois mil, com a 
permissao de Allah. E Allah e com 
OS perseverantes. 









8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 10 



291 



> • ^>-» 



A JUiSl* OjJ-- 



67.Nao e admissivel que um 
profeta tenha cativos, sem antes 
dizimar os inimigos na terra. 
Desejais os efemeros bens da vida 
terrena, enquanto Allah vos deseja 
a Derradeira Vida. E Allah e Todo- 
Poderoso, Sabio. 

68.Nao fora uma prescri9ao 
antecipada de Allah, um formidavel 
castigo^*^ haver-vos-ia tocado, pelo 
que havieis tornado em resgate. 

69. Entao, comei do que 
espoliastes, enquanto licito e 
benigno, e temei a Allah. Por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

70. 6 Profeta! Dize aos cativos 
que estao em vossas maos: "Se 
Allah sabe que ha, em vossos 
cora^oes, um bem, conceder-vos-a 
algo melhor que aquilo que vos foi 
tomado, e perdoar-vos-a . E Allah 
e Perdoador, Misericordiador." 

71. E, se desejam atrai9oar-te, 
com efeito, ja atrai9oaram a Allah, 
antes. E Allah apoderou-se^^^ deles. 
E Allah e Onisciente, Sabio. 

72. Por certo, os que creram e 
emigraram e lutaram, com suas 
riquezas e com si mesmos, no 















(0 Este versiculo censura os moslimes, que aceitaram o resgate dos prisioneiros da 
Batalha de Badr, quando deveriam have-los trucidado, para enfraquecer a hoste 
inimiga. Entretanto, como n^io procederam de ma-fe, Deus os indultou. 

(2) Alusao ao que ocorreu aos idolatras de Makkah, na Batalha de Badr, quando 
foram mortos ou capturados. 



8. Suratu AI-'Anfal 



Parte 10 



292 



> • ^jk-\ 



A JUiSf^ ©jj--* 



caminho de Allah; e os que 
abrigaram e socorreram^^^ o Profeta 
e OS moslimes, esses sao aliados 
uns aos outros. E aos que creram e 
nao emigraram, nao tendes de 
aliar-vos a eles, ate que emigrem. 
E, se eles vos pedem socorro em 
defesa da religiao, impender-vos-a 
socorro, exceto se contra um povo, 
com o qual tendes alianfa. E Allah, 
do que fazeis, e Onividente. 

73. E OS que renegam a Fe sao 
aliados uns aos outros. Se nao o^^^ 
fazeis, havera sedi9ao na terra e 
grande corrupfao. 

74. E OS que creram e emigraram 
e lutaram no caminho de Allah, e 
OS que abrigaram e socorreram o 
Profeta e os moslimes, esses sao, 
deveras, os crentes. Terao perdao e 
generoso sustento. 

75. E OS que creram depois, e 
emigraram e lutaram convosco, 
entao, esses sao dos vossos. E os 
parentes consanguineos tem 
prioridade uns com outros^"^^ no 
Livro de Allah. For certo, Allah, 
de todas as cousas, e Onisciente. 















0) Trata-se dos Al Ansar, habitantes de Al MadTnah, que abrigaram e socorreram o 
Profeta e seus companheiros. 

(2) Ou seja, "se nao vos aliardes, tambem, uns aos outros". 

(3) Ou seja, "sao mais ligados a heran9a, que uns herdam aos outros". Revelou-se este 
versiculo, para retificar as normas que regiam a heran9a, uma vez que, nos 
primordios da Hegira, os moslimes herdavam, apenas, pelos vinculos da fe e da 
migra9ao, e nao pelos de parentesco. Apos a revela^So deste versiculo, a heran^a 
passou a ser regida, unica e exclusivamente, pelo parentesco sanguineo. 



9. Saratu At-Taubah Parte 10 



293 > • »>i 



^ ijjsJi ^jy^ 



SURATU AT -TAUBAH^^^ 
A SURA DO ARREPENDIMENTO 



De Al MadTnah - 129 versiculos. 

1. Este e um rompimento de Allah 
e de Seu Mensageiro com os que, 
dentre os idolatras, vos pactuastes: 

2. Entao, percorrei, livremente, 
a terra durante quatro meses^^\ e 
sabei que nao escapareis do 
castigo de Allah, e que Allah 
ignominiara os renegadores da Fe. 

3. E e uma proclama9ao de Allah 
e de Seu Mensageiro aos homens, 
no dia^ ^ da Peregrina9ao maior: 






._j^^.^ 









(0 At-Taubah: arrependimento ou remissao. A palavra e derivada do verbo taba, 
que significa, conforme a regencia, "voltar-se arrependido para", no caso dos 
homens em rela9ao a Deus; ou -"voltar-se para, remindo", no caso de Deus em 
rela9ao aos homens. Essa palavra e mencionada nos versiculos 117 e 118, e 
nomeia a sura, que comporta, outrossim, o titulo de al bard'ah, que quer dizer o 
rompimento, pois diz respeito a quebra de rela9ao entre Deus e os idolatras da 
Peninsula Arabica, mencionada no inicio desta sura. Foi revelada no fim do nono 
ano da Hegira e veio a esclarecer, na historia islamica, dois pontes fundamentais: 
1 .° - A atitude dos moslimes, de um lado, para com os idolatras, e, de outro, para 
com OS seguidores do Livro. No que tange aos primeiros, deviam eles, apos o 
periodo determinado de 4 meses, aceitar o Islao ou ser combatidos; no que respeita 
aos segundos, deviam, igualmente, aceitar o Islao ou pagar uma taxa: al Jizyah, a 
fim de garantir-lhes a coexistencia pacifica na sociedade islamica da Peninsula 
Arabica; 2.° - A denuncia dos estratagemas urdidos pelos hipocritas contra o 
Profeta e seus seguidores. Esta e a unica sura do AlcorSo que nao vem encabe9ada 
pela basmalah (a epigrafe de todos os capitulos: "Em nome de Deus, O 
Misericordioso, O Misericordiador"), o que se explica, segundo Ibn *Abbas, pelo 
tom energico da sura, nao cabendo, portanto, nele, o tom misericordioso e 
apaziguante daquela forma invocativa. 

(2) Nesses quatro meses de calendario, chawwdl, zul-qa'^dah, zul-hajjah, al 
muharram, foi fixado o periodo para que os idolatras aderissem ao Islao ou 
fossem combatidos. 

(3) Trata-se do dia em que todos os peregrinos se reunem, obrigatoriamente, no Monte 



9. Suratu At-Taubah Parte 1 



294 



\ • c>i 



^ 4jjs)I djj^ 



que Allah e Seu Mensageiro estao 
em rompimento com os idolatras - 
entao, se vos voltais arrependidos, 
ser-vos-a melhor. E, se voltais as 
costas, sabei que nao escapareis do 
castigo de Allah. E alvissara, 
Muhammad, aos que renegam a 
Fe doloroso castigo. - 

4. Exceto com os idolatras, com 
OS quais pactuastes, em seguida, 
em nada eles vos faltaram e nao 
auxiliaram a ninguem contra vos; 
entao, completai o pacto com eles 
ate seu termo. Por certo, Allah ama 
OS piedosos. 

5. E, quando os meses sagrados^^^ 
passarem, matai os idolatras, onde 
quer que os encontreis, e apanhai- 
os e sediai-os, e ficai a sua espreita, 
onde quer que estejam. Entao, se 
se voltam arrependidos e cumprem 
a ora5ao e concedem az-zakah^^\ 
deixai-lhes livre o caminho. Por 
certo, Allah e Perdoador, Miseri- 
cordiador. 

6. E, se um dos idolatras te pede 
defesa, defende-o, ate que ou9a as 
palavras de Allah; em seguida, 












^Arafat. Nessa data, o Profeta enviou seu primo Ali para proclamar, alem da 
ruptura com os idolatras, os seguintes topicos: 1 .° - A partir dai, ficava obstado a 
todo idolatra aproximar-se da Ka*^bah; 2.° - Ficava, expressamente, vedada a 
nudez, na circula9ao da Kabbah; 3.° - Ficava expresso que nao entraria no Paraiso 
senao o crente; 4.° - Finalmente, ficava estabelecido que todos os pactos deveriam 
ser respeitados e cumpridos. 

(OCf. II 194 n2. 

(2)Cf. II43n4. 



9. Suratu At-Taubah Parte 1 



295 > * ^>» 



S 4jjs)1 djj^ 



faze-0 chegar a seu lugar seguro^'\ 
Isso, porque sao um povo que nao 
sabe. 

7. Como OS idolatras poderiam 
ter pacto com Allah e Seu 
Mensageiro? A nao ser aqueles com 
quem pactuastes, junto da Sagrada 
Mesquita - Entao, se estes sao retos 
convosco, sede retos com eles. Por 
certo, Allah ama os piedosos. - 

8. Como poderiam te-lo, 

enquanto, se obtivessem eles a 
vitoria sobre vos, nao observariam 
convosco parentesco nem obriga9ao? 
Agradam-vos com suas bocas, 
enquanto seus peitos recusam-se; e 
a maioria deles e perversa. 

9. Venderam os versiculos de 
Allah por infimo pre9o e afastaram 
OS homens de Seu caminho. Por 
certo, que vil o que faziam! 

10. Nao respeitam, em crente 
algum, nem parentesco nem 
obriga9ao. E esses sao os agressores. 

11. Entao, se se voltam arrepen- 
didos e cumprem a ora9ao e 
concedem az-zakah^^\ serao, pois, 
vossos irmaos na religiao. E Nos 
aclaramos os versiculos a um povo 
que sabe. 

12. E, se violam seus juramentos, 
depois de haverem pactuado 

(0 Ou seja, chegar a seu lar, a sua comunidade. 
(2)CfII43n4. 






r.si\:ii^-,\.-''^-''-^ 



<^j 









^,bijjfs4^\j^^d^6 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



296 



> • ^>i 



^ ijjsJl djj-- 



convosco, e difamam vossa religiao, 
combatei os proceres da renega9ao 
da Fe - por certo, para eles, nao ha 
juramentos respeitados - na 
esperan9a de se absterem da 
descren^a. 

13. Sera que vos nao com- 
batereis um povo que violou seus 
juramentos e intentou fazer sair de 
Makkah o Mensageiro, e vos 
empreenderam o ataque, por vez 
primeira? Receai-los? Entao, Allah 
e mais Digno de que O receeis, se 
sois crentes. 

14. Combatei-os, Allah os 
castigara por vossas maos e os 
ignominiara, e vos socorrera contra 
eles e curara a afli^ao dos peitos 
de um povo crente. 

15. E fara ir o rancor de seus 
cora96es. E Allah volta-Se para 
quem quer, remindo-o . E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

16. Ou supondes sereis deixados 
sem prova^ao, enquanto, ainda, nao 
fizestes saber^*^ a Allah quais de 
vos lutareis e nao tomareis outros 
por confidentes, alem de Allah e de 
Seu Mensageiro e dos crentes? E 
Allah, do que fazeis, e Conhecedor. 

17. Nao e admissivel que os 
idolatras povoem as mesquitas de 






(3>-\ a^j^^yi^ 3jPa J)) 






4 \l tr,< ^ ?>^ 



f \^^/n\- 



•^<i^)ji[J^^iy^ 






(OCf. Ill 142 n2. 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



297 



) • t>< 



^ 4jja)i ^JJ-^ 



Allah, testemunhando contra si 
mesmos a renega9ao da Fe. Esses 
sao aqueles cujas obras se anularao. 
E, no Fogo, eles serao etemos. 

18. Apenas, povoa as mesquitas 
de Allah quern ere em Allah e no 
Derradeiro Dia, e cumpre a ora^ao e 
concede az-zakah^^\ e nao receia 
senao a Allah. Qui9a, sejam esses 
dos guiados. 

19. Julgais OS que dao de beber^^^ 
aos peregrinos e os que cuidam da 
Mesquita Sagrada como aqueles que 
creem em Allah e no Derradeiro 
Dia, e lutam no caminho de Allah? 
Nao se igualam perante Allah. E 
Allah nao guia o povo injusto. 

20. Os que creem e emigram e 
lutam no caminho de Allah, com 
suas riquezas e com si mesmos, 
tem escaloes mais elevados junto 
de Allah. E esses sao os 
triunfadores. 

21. Seu Senhor alvissara-lhes 
misericordia vinda dEle, e agrado, 
e jardins; neles, terao delicia 
permanente. 



^ \ <^ ^ 









(OCfII43n4. 

(2) A incumbencia de dar agua aos peregrinos, ou As-Siqayah, era oficio que honrava 
a tribo, assim encarregada. Havia, tambem, outras atribui^oes, tais como: Al- 
Hijabah, que consistia em guardar as chaves do Tempio; Ar-Rif^dah, que 
cuidava de oferecer alimentos aos peregrinos; An-Nadwah, que cuidava de 
chefiar as reunioes, todos os dias do ano; AI-LiwS, que cuidava de ostentar a 
bandeira ao redor da qual se reuniam os combatentes, em tempos de guerra. 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



298 



) • c>l 



^ 4jjs)I djj^ 



22.Neles, serao etemos, para 
todo o sempre. Por certo, junto de 
Allah, havera magnifico premio. 

23. 6 v6s que credes! Nao tomeis 
por aliados a vossos pais e a vossos 
irmaos, se amam a renega9ao da Fe 
mais que a Fe. E quern de vos se 
alia a eles, esses serao os injustos. 

24. Dize: "Se vossos pais e vossos 
filhos e vossos irmaos e vossas 
mulheres e vossos clas, e riquezas, 
que ganhastes, e comercio, de que 
receais a estagna9ao, e vivendas, 
de que vos agradais, sao-vos mais 
amados que Allah e Seu Mensageiro 
e a luta em Seu caminho, entao, 
aguardai ate que Allah fa9a chegar 
Sua ordem. E Allah nao guia o 
povo perverso. 

25. Com efeito, Allah socorreu- 
vos, em muitos campos de 
batalha. E, lembrai-vos, do dia de 

Hunain^^^ quando vos admiraveis 
de vosso grande numero, e este de 
nada vos valeu; e parecia-vos a 
terra estreita, por mais ampla que 
fosse. Em seguida, voltastes as 
costas, fugindo. 



i ^4 o^f ^\^ <^ \ )^^j^< 







( 1 ) Nome de um vale entre Makkah e At Tayif, em que houve batalha, no mes de 
Chawwal, no oitavo ano da Hegira, entre os moslimes e a tribo Haw^zin. Ao todo 
eram 12.000 moslimes contra 4.000 idolatras, de modo que os primeiros, 
orgulhando-se desta superioridade, proclamavam que jamais seriam vencidos 
nesta batalha. Contudo, no inicio do combate, a superioridade numerica dos 
moslimes nao impediu que se sentissem atemorizados e tentassem debandar. E 
quase foram derrotados, no inicio, nao fosse a coragem e o denodo do Profeta, que 
demonstrou firmeza suficiente para conter a desordem e levar, os correligionarios 
a vitoria final. 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



299 



> • ^>» 



^ hjs}\ djj^ 



26. Em seguida, Allah fez 
descer Sua serenidade sobre Seu 
Mensageiro e sobre os crentes, e 
fez descer um exercito de anjos, 
que nao vieis, e castigou os que 
renegaram a Fe. E essa e a 
recompensa dos renegadores da Fe. 

27. Em seguida, Allah voltar-se- 
a, depois disso, para quem quiser, 
remindo-o . E Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

28.0 vos que credes! Os 
idolatras nao sao senao imundicia. 
Entao, que eles se nao mais 
aproximem da Mesquita Sagrada, 
apos este seu ano^^\ E, se temeis 
peniiria^ \ Allah enriquecer-vos-a 
com Seu favor, se quiser. Por 
certo, Allah e Onisciente, Sabio. 

29. Dentre aqueles^^\ aos quais 
fora concedido o Livro, combatei 
OS que nao creem em Allah nem no 
Derradeiro Dia, e nao proibem o que 
Allah e Seu Mensageiro proibiram, e 
nao professam a verdadeira religiao; 
combatei-os ate que paguem al 
jizyah^'^^ com as proprias maos, 
enquanto humilhados. 






© ud;A60\i5^Si^ijb' 






(1) Ou seja, o nono da Hegira, apos a conquista de Makkah pelos moslimes. 

(2) Temer a penuria causada pela interrup9ao do comercio com os idolatras, obstados 
de chegar a Makkah. 

(^) Aqueles: os judeus e os cristSos. 

(4) Al Jizyah: taxa monetaria paga pelos nSo- moslimes, que viviam em territorio 
moslim. Seu valor oscilava entre 12 e 48 dracmas por pessoa, e ela contribuia para 
o or9amento do pais, e os protegia de qualquer agressSo que fosse. Esta taxa se 
equiparava a az-zakah e a outras obriga96es, que os moslimes deviam prestar, 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



300 



> • t>ri 



^ ^^i djj-»> 



ww^T 



.(1) 



30. E OS judeus dizem: " Uzair 
e filho de Allah." E os cristaos 
dizem: "O Messias e filho de Allah." 
Esse e o dito de suas bocas. Imitam 
o dito dos que, antes, renegaram a 
Fe. Que Allah os aniquile! Como 
se distanciam da verdade! 

31.Tomam seus rabinos e seus 
monges por senhores, alem de 
Allah, e, assim tambem, ao 
Messias, filho de Maria. E nao se 
Ihes ordenou senao adorarem um 
Deus Unico. Nao existe deus 
senao Ele. Glorificado seja Ele, 
acima do que idolatram. 

32. Desejam apagar com o 
sopro das bocas a luz de Allah^^\ e 
Allah nao permitira senao que seja 
completa Sua luz, ainda que o 
odeiem os renegadores da Fe. 

33. Ele e Quem enviou Seu 
Mensageiro com a orienta9ao e a 
religiao da verdade, para faze-la 
prevalecer sobre todas as religioes, 
ainda que o odeiem os idolatras. 

34. 6 vos que credes! Por certo, 
muitos dos rabinos e dos monges 






obrigatoriamente. Al Jizyah era da competencia, somente, dos judeus e dos 
cristaos, e nao dos idolatras, e sua cobranpa visava a impor a obediencia as leis do 
territorio, onde residiam. 

(0 Chamado, tambem, de ^Izra, personagem da historia judaica, que, diz-se, sabia de 
cor a Tora. Por essa razao, os judeus, de sua epoca, afirmavam que ele era filho de 
Deus. 

(2) Ou seja, a legisla9ao divina. 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



301 



) " ^j^\ 



^ ^ji)' ^jj*** 



devoram, ilicitamente, as riquezas 
dos homens, e afastam-nos do 
caminho de Allah. E aos que 
entesouram o ouro e a prata e nao os 
despendem no caminho de Allah, 
alvissara-lhes doloroso castigo. 

35. Um dia, quando os incandes- 
cerem no fogo da Geena, e, com 
eles, Ihes cauterizar as frontes e os 
flancos e os dorsos, dir-se-lhes-a: 
"Isto e o que entesourastes, para 
vos mesmos: entao, experimental o 
que entesouraveis. 

36. Por certo, o niimero dos 
meses, junto de Allah, e de doze 
meses, conforme esta no Livro de 
Allah, desde o dia em que Ele criou 
OS ceus e a terra. Quatro deles sao 
sagrados^^^ Essa e a religiao reta. 
Entao, nao sejais, neles, injustos 
com vos mesmos, e combatei os 
idolatras, a todos eles, como eles 
vos combatem, a todos v6s^^\ E 
sabei que Allah e com os piedosos. 

37.0 postergar^"^^ dos meses 
sagrados e, apenas, acrescimo na 









^_^ oSL^J ii;;^\ll3l^ 



(OCf. II 194 n2. 

(2) Embora o combate fosse proibido nos meses sagrados, os moslimes deveriam 
revidar os idolatras, caso fossem por eles atacados. 

(^) Conforme os costumes arabes pre-islamicos, era proibido travar-se combate 
durante os meses sagrados (cf II 194 nl58). No entanto, para escapar a esses 
costumes, quando Ihes era dificil cessar combate, eles tentavam ou trocar os meses 
sagrados por outros, ou aumentar um mes no fim do ano, ou, ainda, aumentar 
alguns dias do ano lunar, de 354 dias, a fim de iguala-lo ao ano solar, de 365 dias. 
O Islao condenou este costume e proibiu, categoricamente, a altera^ao dos meses. 



9. SOratu At-Taubah Parte 10 



302 



> • ^>i 



^ 4jjsJl ijj^ 



renega9ao da Fe: com ele, os que 
renegam a Fe descaminham-se. 
Eles tornam-no licito, num ano, e 
ilicito em outro ano, para fazerem 
coincidir com o niimero do que 
Allah consagrou; entao, tomam licito 
o que Allah proibiu. Aformoseou- 
se, para eles, o mal de suas obras. 
E Allah nao guia o povo renegador 
daFe. 

38.6 vos que credes! Por que 
razao, ao vos dizerem: "Sai a 
campo, para combater no 
caminho de Allah", permanecestes 
apegados a terra^'^? Vos vos 
agradastes da vida terrena, em 
lugar da Derradeira Vida? Ora, o 
gozo da vida terrena nao e senao 
infimo na Derradeira Vida. 

39. Se vos nao sais a campo, 
Allah castigar-vos-a com doloroso 
castigo e vos substituira por outro 
povo, e, em nada, O prejudicareis. 
E Allah, sobre todas as cousas, e 
Onipotente. 

40. Se nao o^^^ socorreis, Allah 
socorrera, como, com efeito, 
Allah o socorreu, quando os que 
renegavam a Fe o fizeram sair, de 






J^J '^. 









(0 Este versiculo foi revelado quando o Profeta instou os moslimes a Batalha de 
Tabuk, no nono ano da Hegira, para combaterem os bizantinos, na antiga Siria, 
uma vez que os moslimes, desalentados pelas dificuldades economicas e o 
excessivo calor, tomaram-se indolentes e abulicos. 

(2) O: o Profeta. 



9. Soratu At-Taubah Parte 10 



303 ^ • '>' 



^ ^4^^ ^JJ^ 



Makkah, sendo ele o segundo de 
dois^^^; quando ambos estavam na 
cavema^^^ e quando disse a seu 
companheiro: "Nao te entriste9as; 
por certo, Allah e conosco." Entao, 
Allah fez descer Sua serenidade 
sobre ele e amparou-o com um 
exercito de anjos, que nao vieis, e 
fez inferior a palavra dos que 
renegavam a Fe. E a palavra de 
Allah e a altissima. E Allah e 
Todo-Poderoso, Sabio. 

41. Sai a campo armados, leve 
ou pesadamente, e lutai, com vossas 
riquezas e vos mesmos, no caminho 
de Allah. Isso vos e melhor. Se 
soubesseis! 

42. Se se tratasse de ganho 
imediato ou de viagem facil, os 
hipocritas haver-te-iam seguido, 
mas Ihes era longa a ardua distancia. 
E jurarao por Allah, ao retornardes 
a eles: "Se pudessemos, haveriamos 
saido convosco." Aniquilam-se a si 
mesmos, por perjuro. E Allah 
sabe que sao mentirosos. 

43. Que Allah indulta-te! Por 
que tu Ihes^"^^ permitiste nao sairem 















(0 O segundo dos dois: Muhammad e seu companheiro, Abu Bakr. 

(2) Trata-se da caverna perto do cimo da montanha de Thawr, local izada nas cercanias 
de Makkah. 

(3) Lhes: um grupo de hipocrita a que o Profeta permitiu ausentar-se de combate. Por 
isso, foi censurado. Entretanto, a censura e atenuada, pelo indulto que o versiculo 
apresenta, no inicio. 



9. Soratu At-Taubah Parte 10 



304 > • »>i 



^ 5jjs)I ijy-^ 



a campo, antes que se tomassem 
evidentes, para ti, os que diziam a 
verdade, e conhecesses os men- 
tirosos? 

44. Os que creem em Allah e no 
Derradeiro Dia jamais te pedirao 
isen9ao de lutar, com sens bens e 
com si mesmos. E Allah, dos 
piedosos, e Onisciente. 

45. Apenas, pedem-te isen9ao 
OS que nao creem em Allah nem no 
Derradeiro Dia; e sens cora9oes 
duvidam; entao, vacilam em sua 
diivida. 

46. E, se eles houvessem desejado 
sair, haveriam preparado, para isso, 
um preparativo, mas Allah odiou 
sua partida e desencorajou-os, e foi 
dito: "Permanecei junto com os 
que permanecem." 

47. Se eles houvessem saido 
convosco, nao vos haveriam 
acrescentado senao desventura e 
haveriam precipitado a cizania 
entre vos, buscando, para vos, a 
sedifao, enquanto, entre vos, ha os 
que Ihes dao ouvidos. E Allah, dos 
injustos, e Onisciente. 

48. Com efeito, buscaram, antes, 
a sedi9ao e fizeram virar contra ti 
as determina96es, ate que a 
verdade chegou e a ordem de Allah 
prevaleceu, enquanto a estavam 
odiando. 



^JoJ \}1^ vSi^\ ^ 3^ 









9. Suratu At-Taubah Parte 10 



305 



^ • ^>i 



^ 4jjJt ^jj^ 



49. E, dentre eles, ha quern 
diga: "Permite-me a isen9ao e nao 
me poe na tenta9ao^^V' Ora, na 
tenta9ao, ja cairam. E, por certo, a 
Geena estara abarcando os 
renegadores da Fe. 

50. Se algo de bom te alcan9a, 
isto OS aflige. E, se uma desgra9a 
te alcan9a, dizem: "Com efeito, 
tomamos nossa decisao, antes." E 
voltam as costas, enquanto jubilosos. 

51.Dize: "Nao nos alcan9ara 
senao o que Allah nos prescreveu. 
Ele e nosso Protetor." E que os 
crentes, entao, confiem em Allah. 

52. Dize: "Vos nao aguardais, 
para nos, senao uma das duas^^^ 
mais belas recompensas? E nos 
aguardamos, para vos, que Allah 
vos alcance com castigo de sua 
parte, ou por nossas maos. Entao, 
aguardai-o . Por certo, nos o 
estaremos aguardando convosco." 

53. Dize: "Despendei vossas 
riquezas, de bom ou de mau 
grado: nada vos sera aceito. Por 
certo, sois um povo perverso." 

54. E o que impediu se Ihes 



,f -^ I 










c)\j^^^ \l;^\yLJ^\^ 







( ^ ) Trata-se da prova^So a que, fatalmente, sucumbiria Al Jadd Ibn Qais, convidado 
pelo Profeta a combater os bizantinos na Siria, uma vez que, sendo contumaz 
apreciador do sexo feminino, muito provavelmente seria atraido pelas belas 
mulheres bizantinas, nSo so interrompendo, assim, o combate, senao 
abandonando-o, para ir ter com elas. 

(2) Ou seja, o martirio ou a vitoria. 



9. SOratu At-Taubah Parte 10 



306 



> • ^>i 



^ 4jjail 5jj-^ 



aceitasse o que despendiam nao foi 
senao eles renegarem a Allah e a 
Seu Mensageiro; e nao realizam a 
ora9ao senao enquanto pregui90sos, 
e nao despendem suas riquezas 
senao enquanto de mau grado. 

55. Entao, nao te admires de 
suas riquezas e de seus filhos. 
Apenas, Allah nao deseja, com 
isso, senao castiga-los na vida 
terrena, e que morram, enquanto 
renegadores da Fe. 

56. E eles juram por Allah que 
sao dos vossos, enquanto nao sao 
dos vossos, mas sao um povo que 
se atemoriza. 

57. Se encontrassem refugio ou 
grutas, ou subterraneo, a eles se 
voltariam, enquanto infrenes. 

58. E, dentre eles, ha quem te 
critica acerca da di$tribui9ao das 
Sadaqats, (as ajudas caridosas); 

entao, se Ihes dao delas, agradam- 
se disso; e, se Ihes nao dao, ei-los 
que se enchem de colera. 

59. E, se eles se agradassem do 
que Allah e Seu Mensageiro Ihes 
concedem, e dissessem: "Allah 
basta-nos; Allah conceder-nos-a 
algo de Seu favor, e tambem Seu 
Mensageiro!... por certo, a Allah 
estamos rogando", ser-lhes-ia 
melhor. 









9. Soratu At-Taubah Parte 10 



307 I > • *>' 



^ ^jsJ' ^JJ*** 



60. As sadaqats, as ajudas 
caridosas, sao, apenas, para os 
pobres e os necessitados e os 
encarregados de arrecada-las e 
aqueles, cujos cora9oes estao prestes 
a harmonizar-se^^^ com o Islao e os 
escravos, para se alforriarem, e 
OS endividados e os combatentes 
no caminho de Allah e o filho do 
caminho, o viajante em dificul- 
dades^^^: e preceito de Allah. E 
Allah e Onisciente, Sabio. 

61. E, dentre eles, ha os que 
molestam o Profeta e dizem: "Ele e 
todo ouvidos." Dize: "Ele e todo 
ouvidos para vosso bem; ele ere 
em Allah e ere nos crentes e e 
misericordia para os que creem, 
dentre vos." E os que molestam o 
Mensageiro de Allah terao doloroso 
castigo. 

62. Juram^"^^- vos, por Allah, 
para agradar-vos, e Allah - como 
tambem Seu Mensageiro - e mais 
Digno de que eles O agradem, se 
sao crentes. 

63. Nao sabem eles que quem se 
opoe a Allah e a Seu Mensageiro 












(0 Aqueles ... prestes a harmonizar-se: trata-se do grupo da comunidade arabe, que, 
embora nSo se houvesse islamizado, estava inclinado a faze-lo. E, nos primordios 
do Islao, era oportuno doar-lhes parte das esmolas; ou para traze-los para a nova 
religiao; ou para com isso, incitar outros, nSo- muslimes ainda, a imita-los. 

(2)Cf. II 177 nl. 

(3) Ou seja, "juram-vos, por Deus, que nao vituperaram o Mensageiro, e fazem-no 
para comprazer-vos". 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



308 



> • ^>i 



H ^j^t ^jj^ 



tera o fogo da Geena, em que sera 
eterno? Essa e a formidavel 
ignominia. 

64.0s hipocritas precatam-se^^^ 
de que seja descida uma sura a seu 
respeito, que os informe do que ha 
em seus cora9oes. Dize: ''Zombai! 
Por certo, Allah fara sair a tona 
aquilo de que vos precatais." 

65. E, em verdade, se Ihes 
perguntas acerca de sua zombaria, 

dirao: ''Apenas, confabulavamos e 
nos divertiamos." Dize: "Estaveis 
zombando de Allah e de Seus 
versiculos e de Seu Mensageiro?" 

66. Nao vos desculpeis: com 
efeito, renegastes a Fe, apos 
haverdes crido. Se indultamos uma 
fac9ao de vos, castigaremos a outra 
fac9ao, porque era criminosa. 

67. Os hipocritas e as hipocritas 
procedem uns dos outros: ordenam 
o reprovavel e coibem o conveniente 
e fecham as proprias maos^^\ 
Esqueceram-se de Allah, entao, 
Ele Se esqueceu deles. Por certo, 
OS hipocritas sao os perversos. 

68. Allah promete aos hipocritas 
e as hipocritas e aos renegadores 



U ?Lp^ 4j^i^j^; btJ^k^ lT 












(0 Os hipocritas tinham, por habito, escarnecer do Profeta e dos moslimes, quando 
distantes destes, mas receavam que tal atitude fosse de conhecimento de todos. 

(2) Ou seja, s5o maos- atadas ou avarentos, quando se trata de despenderem em 
caridade. 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



309 



^ • ^j^\ 



^ Aj^I 5jj-^ 



da Fe o fogo da Geena; nela, serao 
eternos. Basta-lhes ela. E Allah 
amaldi9oa-os, e terao castigo 
permanente. 

69.V6s, hipocritas, sois como 
OS que foram antes de v6s: eram 
mais veementes que vos em for9a, 
e mais privilegiados em riquezas e 
filhos, e deleitavam-se com seu 
quinhao; e vos vos deleitais com 
vosso quinhao, como se deleitaram 
com seu quinhao os que foram antes 
de vos, e confabulais, como eles 
confabularam. Esses terao anuladas 
suas obras, na vida terrena e na 
Derradeira Vida. E esses sao os 
perdedores. 

70.Nao Ihes chegou a historia 
dos que foram antes deles: do povo 
de Noe e de ^Ad e de Thamud e do 
povo de Abraao e dos habitantes de 
Madian^'^ e das cidades tombadas^^^? 
Seus Mensageiros chegaram-lhes 
com as evidencias; entao, nao era 
admissivel que Allah fosse injusto 
com eles, mas foram injustos com 
eles mesmos. 

71. E OS crentes e as crentes sao 
aliados uns aos outros. Ordenam o 
conveniente e coibem o reprovavel 
e cumprem a ora9ao e concedem 



6jli4=Jv 



L9 






n.*A >v^*M 



3>.^=Lii>0 






^^^y 



'^^j^3 






,1 > »- ^ , 






(OCf. VII 85 n3. 

(2) Isto e, das cidades do povo de Lot: Sodoma e Gomorra. 



9. SOratu At-Taubah Parte 10 



310 



>* tj^\ 



^ iijsJl «JJ^ 



az-zakah^'\ e obedecem a Allah e a 
Seu Mensageiro. Desses, Allah 
tera misericordia. Por certo, Allah 
e Todo-Poderoso, Sabio. 

72. Allah promete aos crentes e 
as crentes Jardins, abaixo dos quais 
correm os rios; nesses, serao 
etemos, e esplendidas vivendas 
nos Jardins do Eden e agrado de 
Allah, ainda, maior. Esse e o 
magnifico triunfo. 

73.6 Profeta! Luta contra os 
renegadores da Fe e os hipocritas, 
e se duro para com eles. E sua 
morada sera a Geena. E que 
execravel destino! 

74. Juram, por Allah, nao haver 
dito molestia alguma, e, com efeito, 
disseram a palavra da renega9ao da 
Fe e renegaram a Fe, apos se 
islamizarem. E intentaram o^^^ que 
nao conseguiram alcan9ar. Mas eles 
nao fizeram censuras, senao porque 
Allah e Seu Mensageiro os haviam 
enriquecido com Seu favor. Entao, 
se se voltam arrependidos, ser- 
Ihes-a melhor, e se voltam as 
costas, Allah castiga-los-a com 
doloroso castigo, na vida terrena e 
na Derradeira Vida. E nao terao, na 
terra, nem protetor nem socorredor. 



li^toi^^^ 



■i. a. 






(OCfII43n4. 

(2) No retomo da expedi^ao de Tabuk, alguns hipocritas tencionaram matar o 
Mensageiro, e malograram. 



9. Saratu At-Taubah Parte 10 



311 



^• ^>i 



^ Ajy6\ djj-- 



75. E, dentre eles, houve quem^^^ 
pactuasse com Allah, dizendo: "Se 
Ele nos concedesse algo de Seu 
favor, em verdade, dariamos az- 
zakah^^\ e seriamos dos integros." 

76. E, quando Ele Ihes concedeu 
algo de Seu favor, tomaram-se 
avaros disso e voltaram as costas, 
dando de ombros. 

77.Entao, Ele fez redundar 
hipocrisia em seus cora96es, ate 
um dia, em que O depararao, por 
haverem faltado a seus compro- 
missos com Allah e por haverem 
mentido. 

78.Nao sabiam eles que Allah 
sabe seus segredos e suas 
confidencias, e que Allah, das 
cousas invisiveis, e Profundo 
Sabedor? 

79. Os que caluniam os doadores 
voluntarios, dentre os crentes, no 
tocante as ajudas caridosas, e 
caluniam os que nada encontram 
para oferecer senao seus parcos 
recursos, e desses escamecem; Allah 
deles escamecera, e terao doloroso 
castigo. 

80. Implora perdao para eles; 
ou, nao implores perdao para eles; 






ju^_^''\ '--'"\ '' ■Vr-'' 









l)i.>4i^Ai«l2Ji ij',^-^^ 



(0 Referenda a Tha^labah Ibn Hatib, que solicitara ao Mensageiro rogasse a Deus Ihe 
desse riquezas, de que despenderia em caridade. Uma vez atendido, negligenciou 
OS preceitos islamicos e faltou a sua promessa. 

(2) cf II 43 n4. 



9. Suratu At-Taubah Parte 10 



312 



) * ^j^\ 



^ '^,yj^ ^JJ^ 



se imploras perdao para eles, 
setenta vezes, Allah nao os 
perdoara. Isso, porque renegaram a 
Allah e a Seu Mensageiro. E Allah 
nao guia o povo perverso. 

81.0s que ficaram para tras 
jubilaram, com sua ausencia ao 
combate, discrepando do Mensageiro 
de Allah, e odiaram lutar, com suas 
riquezas e com si mesmos, no 
caminho de Allah, e disseram: 
"Nao saias a campo, no calor." 
Dize: Muhammad: "O fogo da 
Geena e mais veemente em calor." 
Se entendessem! 

82. Entao, que riam pouco e 
chorem muito, em recompensa do 
que cometiam. 

83. E, se Allah te faz retornar a 
uma fac9ao deles, e eles te pedem 
permissao para sair a campo, dize: 
"Jamais saireis comigo nem 
combatereis inimigo algum, junto 
de mim. Por certo, vos vos 
agradastes da ausencia ao combate, 
da vez primeira: entao, ausentai- 
vos do combate com os que 
ficaram para tras. 

84. E nao ores, nunca, por 
nenhum deles, quando morrer, nem 
te detenhas em seu sepulcro: por 
certo, eles renegaram a Allah e a 
Seu Mensageiro, e morreram, 
enquanto perversos. 









0>^^ 



fej^iKdjli^ 














9. Suratu At-Taubah Parte 10 



313 



> • ^>i 



^ Aj^i ^JJ*** 



85. E nao te admires de suas 
riquezas e de seus filhos. Apenas, 
Allah deseja, com isso, castiga-los 
na vida terrena, e que morram, 
enquanto renegadores da Fe. 

86. E, quando se faz descer uma 
sura que diz: "Crede em Allah e 
lutai com Seu Mensageiro", os 
dotados de posses, entre eles, 
pedem-te permissao de nao lutar, 
e dizem: "Deixa-nos estar com os 
ausentes do combate." 

87. Agradaram-se de ficar com 
as mulheres isentas do combate, e 
selaram-se-lhes os cora96es: entao, 
eles nao entendem. 

88. Mas o Mensageiro e os que 
creem, com ele, lutam, com suas 
riquezas e com si mesmos. E esses 
terao as boas cousas, e esses sao os 
bem-aventurados. 

89. Allah preparou-lhes Jardins, 
abaixo dos quais correm os rios; 
nesses, serao etemos. Esse e o 
magmTico triunfo. 

90. E chegaram os que, entre os 
beduinos, alegavarn desculpas para 
que Ihes permitissem isen9ao de 
combate; e ausentaram-se os que 
mentiram a Allah e a Seu 
Mensageiro. Doloroso castigo 
alcan9ara os que, entre eles, 
renegaram a Fe. 






^^^^t^^ -^t.. 






j<jtA 



^jL'os^t^^I 






^^J^J-P}^ ^ C^Ojj Alii \ 1\^ 



9. Suratu At-Taubah Parte 1 1 



314 



W ^>i 



^ 4jjsJ| Ojj^ 



91.Nao ha culpa sobre os 
indefesos nem sobre os enfermos 
nem sobre os que nao encontram 
recursos para o combate, quando 
sao sinceros com Allah e Seu 
Mensageiro. Nao ha repreensao 
aos benfeitores - e Allah e 
Perdoador, Misericordiador - 

92. Nem aqueles que, quando 
chegaram a ti, para os levares a 
combate, e Ihes disseste: "Nao 
encontro aquilo sobre o qual levar- 
vos". Eles voltaram com os olhos 
marejados de lagrimas, de tristeza 
por nao haverem encontrado o de 
que despender. 

93. Ha repreensao, apenas, aos 
que, enquanto ricos, te pedem 
isen9ao. Agradaram-se de ficar 
com as mulheres isentas do 
combate; e Allah selou-lhes os 
corafoes; entao, eles nao sabem. 

94. Eles pedir-vos-ao desculpas, 
quando retornardes a eles. Dize: 
"Nao vos desculpeis. Nao creremos 
em vos. Com efeito, Allah 
informou-nos de vossas noticias. E 
Allah vera, e tambem Seu 
Mensageiro, vossas obras; erh 
seguida, sereis levados ao Sabedor 
do invisivel e do visivel: entao, Ele 
vos informara do que fazieis." 

95. Eles jurar-vos-ao, por Allah, 
quando a eles tomardes, que 












>-^^**>L) 



iil>-^=<)l5jjj^ 



J - ' 



K ^,-Jf > \ 



^JCX\ oe^lGlS: j1,z4=3 



^j:IXjxi\ 1 j|^I^=rJ ^iL Oyii^tlll' 



9. SQratu At-Taubah Parte 1 1 



315 >>^j^^ 



^ hy6\ 5j^ 



estavam com a razao, para que 
Ihes absolvais o erro. Entao, dai- 
Ihes de ombros: por certo, sao uma 
abomina9ao, e sua morada e a 
Geena, em recompensa do que 
cometiam. 

96. Eles juram-vos, para que 
deles vos agradeis; entao, se deles 
vos agradais, por certo, Allah nao 
Se agradara do povo perverso. 

97.0s beduinos sao mais 
veementes na renega9ao da Fe e na 
hipocrisia e mais afeitos a nao 
saber os limites do que Allah faz 
descer sobre Seu Mensageiro. E 
Allah e Onisciente, Sabio. 

98. E, dentre os beduinos, ha 
quem tome por dano o que 
despende pela causa de Allah, e 

aguarde, para vos, os reveses. Que 
sobre eles seja o reves do mal! E 
Allah e Oniouvinte, Onisciente. 

99. E, dentre os beduinos, ha 
quem creia em Allah e no 
Derradeiro Dia e tome o que 
despende pela causa de Allah por 
oferendas a Allah e meio de 
acesso as preces do Mensageiro. 
Ora, por certo, e uma oferenda 
para eles. Allah fa-los-a entrar em 
Sua Misericordia. Por certo, Allah 
e Perdoador, Misericordiador. 

100. E OS precursores primeiros, 
dentre os emigrantes, e os socor- 



^ '1<^ 









^?-* J*-* 









^>--5:5 



^^r10^^^-^^^ 



9. Suratu At-Taubah Parte 11 



316 ^ ^ *>' 



S ^J^t ^Ji^ 



redores e os que os seguiram com 
benevolencia, Allah Se agradara 
deles, e eles se agradarao dEle, e 
Ele Ihes preparou Jardins, abaixo 
dos quais correm os rios; nesses, 
serao eternos, para todo o sempre. 
Esse e o magnifico triunfo. 

101. E, dentre os beduinos, que 
estao a vosso redor, ha hipocritas, 
e, dentre os habitantes de Al- 
Madinah, ha os que se adestraram 
na hipocrisia: tu nao os conheces. 
Nos OS conhecemos. Castiga-los- 
emos duas vezes; em seguida, 
serao levados a formidavel castigo. 

102. E outros^ ' ^ reconheceram 
seus delitos; mesclaram uma boa 
obra com uma outra ma. Qui9a, 
Allah Se volte para eles, remindo- 
os. Por certo, Allah e Perdoador, 
Miseri-cordiador. 

103. Toma de suas riquezas uma 
Sadaqah, com que os purifiques e 
OS dignifiques, e ora por eles: por 
certo, tua ora9ao e lenitivo para 
eles. E Allah e Oniouvinte, 
Onisciente. 

104. Nao sabiam eles que Allah 
aceita o arrependimento de Seus 



^aUaPolii 












(0 Alusao a um grupo de moslimes, nao hipocritas, integrado por Abu Lubabah, os 
quais, eximindo-se de combater e, sabendo, depois, do que fora revelado acerca 
dos omissos, cairam em tao profundo arrependimento que se ataram as colunas da 
Mesquita de Al Madlnah, jurando que somente o Profeta dali poderia desata-los (o 
que, efetivamente, ocorreu, logo que foi revelado este versiculo. 



9. SOratu At-Taubah Parte 1 1 



317 > > »>' 



S 5jj:J| 6jj^ 



servos e recebe as Sadaqats, e que 
Allah e O Remissorio, O Miseri- 
cordiador? 

105. E dize: "Laborai: entao, 
Allah vera vossas obras e tambem 
Seu Mensageiro e os crentes. E 
sereis levados ao Sabedor do 
invisivel e do visivel; e Ele, 
informar-vos-a do que fazieis." 



106. E ha outros, preteridos, ate 
a ordem de Allah: ou Ele os^*^ 
castigara, ou Ele Se voltara para 
eles, remindo-os. E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

107. E ha OS que edificaram 
uma mesquita^^\ para prejuizo da 
outra, e para renegafao da Fe e 
separafao entre os crentes, e para 
ser lugar de espreita para quern, 
antes, fez guerra contra Allah e 
Seu Mensageiro; e, em verdade, eles 
juram por Allah: "Nao desejamos 
senao a mais bela a9ao." E Allah 
testemunha que sao mentirosos. 

lOS.Nunca te detenhas nela^"^\ 
Em verdade, uma mesquita, flindada 



'Jj'V 



3 ZJ^ c^x^\ J^^j^^^^ 



r'^x'f^^ 









>^:r==- 









(U Trata-se dos tres companheiros do Profeta, Mararah Ibn Al Rabl^, Ka^b Ibn Malik 
e Hilal Ibn Umayyah, que nao so se eximiram do combate, mas nao se 
desculparam com o Profeta. Por isso, foram banidos da comunidade islamica, ate a 
revela9ao deste versiculo. 

(2) AlusSo a mesquita edificada pelos doze hipocritas, integrados por Abu ^Amir Al- 
Rahib, com o fito de prejudicar a outra de Quba', erguida pelo Profeta, em inicios 
do seculo VII, na cidade de Al Madlnah, tao logo ai ele chegou. 

(^) Nela: na mesquita dos doze hipocritas. 



9. Suratu At-Taubah Parte 1 1 



318 



n ^jk\ 



^ 4jjJt ^JJ^ 



sobre a piedade, desde o primeiro 
dia, e mais digna de que nela te 
detenhas. Nela, ha homens que 
amam purificar-se. E Allah ama os 
que se purificam. 

109.Entao, quern e melhor? 
Quern fundou sua edifica9ao sobre 
piedade e agrado de Allah, ou 
quern fundou sua edifica9ao a 
beira de encosta solapada, entao, 
vem a desmoronar-se, com ele, no 
fogo da Geena? E Allah nao guia o 
povo injusto. 

110. Sua edifica9ao, que edifi- 
caram, nao cessara de ser fonte de 
duvida em seus cora96es, ate que 
seus cora96es se Ihes despedacem. 
E Allah e Onisciente, Sabio. 

lll.Por certo, Allah comprou 
aos crentes suas pessoas e suas 
riquezas, pelo pre?© por que terao 
o Paraiso. Combatem no caminho 
de Allah: entao, eles matam e sao 
mortos. E promessa, que, deveras, 
Lhe impende, na Tora e no 
Evangelho e no Alcorao. E quem 
mais fiel a seu pacto que Allah? 
Entao, exultai pela venda que 
fizestes. E esse e o magnifico triunfo. 

112. Esses sao os arrependidos, 
OS adoradores, os louvadores, os 
jejuadores, os curvados, em ora^ao, 
OS prostemados, os ordenadores do 
conveniente e os coibidores do 



6^ 












9. Suratu At-Taubah Parte 1 1 



319 



n ^>i 



^ hy6\ 5jj-^ 



reprovavel e os custodies dos 
limites de Allah. E alvissara aos 
crentes O Paraiso. 

113.Nao e admissivel que o 
Profeta e os que creem implorem 
perdao para os idolatras^^^ - ainda 
que estes tenham vinculo de 
parentesco- apos haver-se tornado 
evidente, para eles, que sao os 
companheiros do Inferno. 

114. E a siiplica de perdao, de 
Abraao para seu pai, nao foi senao 
por causa de uma promessa, que 
Ihe fizera. Entao, quando se tornou 
evidente, para ele, que era inimigo 
de Allah, rompeu com ele. Por 
certo, Abraao era suplicante, 
clemente. 

115. E nao e admissivel que 
Allah descaminhe um povo, apos 
have-lo guiado, sem antes tornar 
evidente, para ele, aquilo^^^ de que 
deve guardar-se. Por certo, Allah, 
de todas as cousas, e Onisciente. 

116. Por certo, de Allah e a 
Soberania dos ceus e da terra. Ele da 
a vida e da a morte. E nao tendes, 
alem de Allah, nem protetor nem 
socorredor. 






^ ^ ^^ ^ ^ ^ 



3 >-i^ii^J^===*i351,4^ 






(0 Este versicuio foi reveiado, quando o Mensageiro implorou perdao para seu tio 
Abu Talib, que era idoiatra, e, tambem, quando alguns mosiimes imploraram 
perdao para seus pais idolatras. 

(2) Aquilo: tudo que e proibido e que as revelagoes feitas ao Profeta trazem ao 
conhecimento de todos. 



9. Saratu At-Taubah Parte 1 1 



320 ^ > *>' 



S A^jsJ* ^JJ*** 



117. Com efeito, Allah voltou- 
se para o Profeta, remindo-o e aos 
emigrantes e aos socorredores que 
o seguiram na hora da dificuldade^'^ 
apos que os cora9oes de um grupo 
deles quase se haverem desviado; 
em seguida, Allah voltou-se para 
eles, remindo-os . Por certo, Ele e, 
para com eles, Compassivo, Miseri- 
cordiador. 

118. E remiu os tres que ficaram 
para tras e se sentiram tao 
culpados que a terra se Ihes 
pareceu estreita, por mais ampla que 
fosse; e estreitas, tambem, se Ihes 
pareceram as almas, e pensaram 
que nao haveria refugio contra a 
ira de Allah senao nEle Mesmo. 
Em seguida, Ele voltou-Se para 
eles, remindo-os, para que se 
voltassem para Ele, arrependidos. 
Por certo, Allah e Remissorio, 
Misericordiador. 

119.6 v6s que credes! Temei a 
Allah e permanecei com os veridicos. 

120. Nao e admissivel que os 
habitantes de Al-Madinah e os 
beduinos, a seu redor, fiquem para 
tras do Mensageiro de Allah nem 
prefiram as proprias vidas a sua 
vida. Isso, porque serao recompen- 



»-* ^ d 






i: ^-? }^ . 



>rA 



j^-^^j^j^^^^\ 









( Ou seja, quando, durante a expedi9ao de Tabuk, os moslimes se encontravam em 
tao critica situa9ao material que uma so tamara era partilhada entre dois homens, e 
um camelo era cavalgado, altemadamente, por mais de 10. 



9. SOratu At-Taubah Parte 1 1 



321 



n f.j^\ 



^ 4jj;jt Ojy^ 



sados, em qualquer eventualidade; 

nao OS alcan9ara sede nem fadiga 
nem fome, no caminho de Allah; 
nem pisarao uma terra que suscite 
o rancor dos renegadores da Fe; 
nem obterao do inimigo obten9ao 
alguma, senao para ser-lhes 
registada boa obra. Por certo, 
Allah nao faz perder o premio dos 
benfeitores. 

121. Nem terao dispendio algum, 
pequeno ou grande, nem cortarao 
um vale, senao para ser-lhes 
registada boa obra, a fim de que 
Allah OS recompense com algo 
melhor que aquilo que faziam. 

122. E nao e admissivel que os 
crentes saiam todos a campo. Entao, 
que saia uma facfao de cada 
coletividade, para que possam 
instruir-se na religiao e para que, 
depots, admoestem seu povo, 
quando a ele retornarem, a fim de 
que este se precate. 

123. 6 vos que credes! Combatei 
OS renegadores da Fe, que vos 
circunvizinham, e que estes 
encontrem dureza em vos, e sabei 
que Allah e com os piedosos. 

124. E, quando se faz descer 
uma sura, ha dentre eles^^\ quem 
diga: "A quem de vos esta sura 









iji^ ' '■ 






]3Xj:^J jyd=^\ Svoyj 






(U Eles: OS hipocritas. 



9. SQratu At-Taubah Parte 1 1 



322 



n ^>i 



^ A^jsJl djj-- 



acrescentou Fe?" entao, quanto aos 
que creem, esta Ihes acrescenta Fe, 
enquanto exultam. 

125. E quanto aqueles^^^ em 
cujos corafoes ha enfermidade, ela 
Ihes acrescenta abomina9ao sobre 
sua abomina9ao, e morrem, 
enquanto renegadores da Fe. 

126. E nao veem eles que sao 
provados uma ou duas vezes em 
cada ano? Em seguida, nao se 
voham arrependidos nem meditam. 

127. E, quando se faz descer 
uma sura, olham-se uns aos outros, 
dizendo: ''Alguem vos ve?" Em 
seguida, se desviam. Que Allah 
Ihes desvie os cora96es da 
orienta^ao, porque sao um povo 
que nao entende. 

128. Com efeito, um Mensageiro 
vindo de vos chegou-vos; e-lhe 
penoso o que vos embara9a; e 
zeloso de guiar-vos, e compassivo 
e misericordiador para com os 
crentes. 

129. Entao, se eles voltam as 
costas, dize: "Allah basta-me. Nao 
existe deus senao Ele. Nele confio. 
E Ele e O Senhor do magnifico 
Trono." 












^ 4. - 






9.1 









© ^/>^ 



CJjjK^ <i&=^y 6^y,"^ \^ 



(0 Aqueles: aos hipocritas. 



10. SQratu YQnus 



Parte 11 



323 ^ ^ ^j*-* 



^ • cT^Ji h^ 



scratuyonus^^^ 
a sura d£ jonas 



De Makkah - 109 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Miser icordioso, O Miser icordiador. 

1. Alif, Lam, KdP'\ Esses sao os 
versiculos do Livro pleno de 
sabedoria. 

2. E de admirar aos homens^*^^ 
que revelemos a um homem, dentre 
eles: "Admoesta os humanos^'*^ e 
alvissara aos que creem que terao, 
junto de seu Senhor, real 
primazia?" Os renegadores da Fe 
dizem: "Por certo, este^^^ e um 
evidente magico!" 

3. Por certo, vosso Senhor e 
Allah, Que criou os ceus e a terra, 
em seis dias^^^; em seguida, 
estabeleceu-Se no Trono, admini- 
strando a ordem de tudo; nao ha 
intercessor algum senao apos Sua 








,^0A 












(0 Yunus: um dos vinte e cinco profetas, mencionados no AlcorSo e cujo relate mais 
minucioso ocorrer^ adiante, na sura XXXVII. Esta sura, assim, se denomina pela 
men^ao, no versiculo 98, do profeta Jonas e de seu povo, de quern Deus remove o 
castigo da ignominia perpetrada, no inicio. E trata, como todas as suras reveladas 
em Makkah, dos tres pontos fundamentals do Islao, a saber: a unlcldade de Deus; a 
Revela^ao e a Mensagem; e a Ressurrel9ao e a recompensa, no Dla do Julzo. E 
p2ira ratlficar estes pontos, alnda, menclona hlstorlas de alguns profetas, tals como 
No^, Molses e Aarao, e seu povo. 

(2)Cf. II 1 n3. 

(3) Homens: o povo de Makkah. 

(4) Os humanos: a Humanldade, em todas as 6pocas, at^ o dla do Juizo. 

(5) Este: O Profeta Muhammad. 

(6) Cf. VII 54, n23. 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



324 ^ ^ ^>' 



^ • o^ji '^^y^ 



permissao. Esse e Allah, vosso 
Senhor: adorai-0, pois. Nao 
meditais? 

4. A Ele sera vosso retomo, de 
todos v6s: e, deveras, a promessa 
de Allah. Por certo, Ele inicia a 
cria9ao; em seguida, repete^'^-a, 
para recompensar, com eqiiidade, 
OS que creem e fazem as boas 
obras. E os que renegam a Fe 
terao, por bebida, agua ebuliente, e 
doloroso castigo, porque renegam 
aFe. 

5. Ele e Quem fez do sol 
luminosidade, e da lua, \\x^^\ e 
determinou-lhe fases, para que 
saibais o niimero dos anos e o 
computo do tempo. Allah nao criou 
isso senao com a verdade. Ele aclara 
OS sinais a um povo que sabe. 

6. Por certo, na altemancia da 
noite e do dia, e no que Allah criou 
nos ceus e na terra, ha sinais para 
um povo que teme a Allah. 

7. Por certo, os que nao esperam 
Nosso deparar e se agradam da vida 
terrena e, nela, se tranqiiilizam, e 






)0J 









(0 Ou seja, cria novamente, na Ressurreifao. 

(2) Este versiculo enuncia uma verdade cientifica, conhecida, apenas, recentemente. 
Trata-se do conhecimento de que o sol e corpo incandescente e fonte de energias 
varias, inclusive de luz e calor, enquanto a lua, ao contrdrio, reflete a luz recebida 
do sol, e, por isso, aparece-nos iluminada. Outro fato, apontado neste versiculo, e 
o de a lua girar ao redor da Terra, descrevendo fases determinadas em cada uma de 
suas evolu^Ses, e completando-as em um mes lunar, para formar, assim, o ano 
lunar, que 6 o computo dos dias e meses. 



10. Suratu Yunus 



Parte 1 1 



325 



>> ^>i 



^ * ^Ji '^jy^ 



OS que estao desatentos a Nossos 
sinais, 

8. Desses, a morada sera o Fogo, 
pelo que cometiam. 

9. Por certo, aos que creem e 
fazem as boas obras, seu Senhor 
guia-os, por causa de sua Fe: a 
seus pes, os rios correrao, nos 
Jardins da Delicia. 

10. Ai, sua siiplica sera: 
"Glorificado sejas, 6 Allah!" e, 
neles, sua sauda9ao sera: "Salam!" 
Paz! E o termino de sua suplica 
sera: "Louvor a Allah, O Senhor 
dos mundos!" 

11. E, se Allah apressasse, para 
OS homens, a vinda do mal, como 
eles apressam a vinda do bem, seu 
termo haveria sido encerrado^*^; 
entao, deixamos os que nao esperam 
Nosso deparar, em sua transgressao, 
caminhando as cegas. 

12. E, quando o infortunio toca 
ao ser humano, este Nos invoca, 
estando deitado ou assentado ou de 
pe. Entao, quando Ihe removemos o 
infortunio, segue em frente, como 
se Nos nao houvesse invocado, por 
infortunio que o tocou. Assim, 
aformoseou-se, para os que se 
entregam a excessos, o que faziam. 






^^-y-'^^^y.j" 



'-'-^3 



^^^^\q3k^\'d\ 









(0 Seu termo ja haveria sido encerrado: todos ja haveriam sido aniquilados. 



10. SQratu YOnus 



Parte 11 



326 



U tjir\ 



^ • tHji »;>- 



13. E, com efeito, aniquilamos 
as gera9oes, antes de vos, quando 
foram injustas, enquanto seus 
Mensageiros chegaram-lhes com 
as evidencias. E nao quiseram crer. 
Assim, recompensamos o povo 
criminoso. 

1 4. Em seguida, fizemo-vos^ ' ^ 
sucessores na terra, depois delas, 
para olhar como farieis. 

15. E, quando se recitam, para 
eles, Nossos evidentes versiculos, 
OS que nao esperam Nosso deparar 
dizem: "Faze-nos vir um Alcorao 
outro que este, ou troca-o ." Dize: 
"Nao me e admissivel troca-lo, por 
minha propria vontade: nao sigo 
senao o que me e revelado. Por certo, 
temo, se desobede90 a meu Senhor, 
o castigo de um formidavel dia." 

16. Dize: "Se Allah quisesse, nao 
o^^^ haveria eu recitado, para vos, 
nem Ele vos haveria feito inteirar- 
vos dele; e, com efeito, antes 
dele^^\ permaneci durante uma 
vida^"^^ entre vos. Entao, nao 
razoais?" 

17. E, quem mais injusto que 
aquele que forja mentiras, acerca 









(0 Vos: para a na9ao do Profeta Muhammad. 

(2) O : Alcorao. 

(3) Ou seja, antes do AlcorSo. 

(4) Foi com a idade de quarenta anos que Muhammad recebeu a Mensagem de Deus. 
Antes, jamais havia falado em revela9ao. 



10. SQratu YOnus 



Parte 11 



327 I > > ^jir\ 



^ * cHji Sj>-» 



de Allah, ou desmente Seus sinais? 
- Por certo, os criminosos nao sao 
bem-aventurados - 

18. E eles adoram, alem de 
Allah, o que nao os prejudica nem 
OS beneficia, e dizem: "Estes sao 
nossos intercessores perante Allah". 
Dize: "Vos informarieis a Allah do 
que Ele nao sabe^^\ nos ceus nem 
na terra?" Glorificado e Sublimado 
seja Ele, acima do que idolatram! 

19. E OS homens nao eram 
senao uma so comunidade; entao, 
discreparam. E, nao fora uma 
Palavra antecipada^^^ de teu 
Senhor, arbitrar-se-ia, entre eles, 
por aquilo de que discrepavam. 

20. E dizem: "Que se fa9a 
descer sobre ele um sinal de seu 
Senhor!" Entao, dize: "O Invisivel 
e, apenas, de Allah; esperai, pois; 
por certo, serei convosco, entre os 
que esperam." 

21. E, quando fazemos experi- 
mentar misericordia aos homens, 
apos infortiinio que os tocou, ei-los 
usando de estratagemas contra 
Nossos sinais. Dize: "Allah e mais 
Destro em estratagemas." Por certo, 









^3 






■t '<-'' 






^4t$i 



(0 Se estes idolos intercessores fossem, efetivamente, parceiros de Deus, Ele os 
conheceria, ja que e Onisciente. ComO, porem, os ignora, t porque eles nao existem. 

(2) Trata-se da determina^ao divina de postergar o julgamento ate a outra vida. Caso 
contrario, se o castigo fosse aplicado aos pecadores, ainda na terra, todos seriam 
dizimados, e extinguir-se-ia a humanidade da face do mundo. Vide XVI 61 . 



10. Saratu Yunus 



Parte 11 



328 > > ^>» 



^ • cT^Ji *-»^ 



Nossos Mensageiros celestials 
escrevem os estratagemas de que 
usais. 

22. Ele e Quern vos faz caminhar, 
na terra e no mar, ate que, quando 
estais no barco, e este corre com 
eles^^\ movido por galerno vento, 
e com este eles jubilam, chega-lhe 
tempestuoso vento, e chegam-lhes 
as ondas, de todos os lados, e 
pensam que estao assediados: eles 
suplicam a Allah, sendo sinceros 
com Ele, na devo9ao: "Em verdade, 
se nos salvares desta, seremos dos 
agradecidos!" 

23. Entao, quando os salva, ei-los 
cometendo, sem razao, transgressao, 
na terra. 6 humanos! Vossa 
transgressao e, apenas, contra vos 
mesmos. E gozo da vida terrena. 
Em seguida, a Nos sera vosso 
retomo; e informar-vos-emos do 
que fazieis. 

24. exemplo da vida terrena e, 
apenas, como agua que fazemos 
descer do ceu, e, com ela, se 
mescla a planta da terra, da qual 
comem os humanos e os rebanhos, 
ate que, quando a terra se paramenta 
com sens omamentos e se 
aformoseia, e sens habitantes 
pensam ter poderes sobre ela. 






^ " ^ ^ "^ ^ 



(') Eles: OS passageiros. Outro caso tipico do estilo irabe: a brusca mudan9a de 
pessoa verbal, de v6s para eles. 



10. Suratu Yunus 



Parte 1 1 



329 ^ > ^>' 



^ • cHid OjJ-- 



Nossa ordem chega-lhe, de dia ou 
de noite^^\ e fazemo-la ceifada, 
como se, na vespera, nada houvesse 
existido nela. Assim, aclaramos os 
sinais a um povo que reflete. 

25. E Allah convoca a Morada 
da paz^^^ e guia, a quern quer, a 
senda reta. 

26. Para os que bem-fazem, 
havera a mais bela recompensa e, 
ainda, algo mais^^\ E nao Ihes 
cobrira as faces nem negrume nem 
vileza. Esses sao os companheiros 
do Paraiso; nele, serao etemos. 

27. E OS que cometem as mas 
obras terao recompensa de uma 
a9ao ma seu equivalente, e cobri- 
los-a uma vileza. Nao terao 
defensor algum contra o castigo 
de Allah: suas faces ficarao como 
que encobertas por fragmentos da 
tenebrosa noite. Esses sao os 
companheiros do Fogo; nele, serao 
eternos. 

28. E lembra-lhes, Muhammad, 
de que, um dia, os reuniremos, a 
todos; em seguida, diremos aos que 
idolatraram: "Para vossos lugares. 



^Ji].^fj^aii;5y^j\ 












(0 A ordem de Deus chega, simultaneamente, a qualquer regiao da Terra, seja 
durante o dia do hemisferio sul e durante a noite do hemisferio norte, ou vice- 
versa, conforme a posi^ao da Terra em rela^ao ao sol. 

(2) Morada da Paz: o Paraiso. 

(3) Segundo alguns exegetas, o privilegio, que terao os crentes, de contemplar Deus, 
sera a recompensa adicional. 



10. SQratu Yunus 



Parte 11 



330 > > ^>< 



> ♦ t/^Ji 5jj-- 



vos e vossos idolos!" Entao, separa- 
los-emos, e seus idolos dirao: "Nao 
eramos nos a quern adoraveis^*\ 

29. "Entao, basta Allah por 
testemunha, entre nos e vos: por 
certo, estivemos desatentos a vossa 
adora9ao." 

30. Ai, cada alma estara ciente 
do que adiantou. E todos serao 
levados a Allah, seu Verdadeiro 
Protetor; e o que eles forjavam 
sumira, para longe deles. 

31. Dize: "Quern vos da sustento 
do ceu e da terra? Ou quern tern 
poder sobre o ouvido e as vistas^^^? 
E quern faz sair o vivo do morto e 
faz sair o morto do vivo? E quem 
administra a ordem?" Dirao: 
"Allah." Dize: "Entao, nao temeis 
a Allah?" 

32. E esse e Allah, vosso 
Verdadeiro Senhor. E o que ha 
para alem da verdade, senao o 
descaminho? Entao, como dela 
vos desviais?" 

33. Assim, cumpriu-se a palavra 
de teu Senhor, contra os que 
cometeram perversidade: "eles nao 
crerao". 



©5jJ4^ 









l-i<^^^\< \ -i^^'T ^^,tTf ^--^i ^^ 









( ^ ) Deus fara falar os idolos, para desmentirem os idolatras, em sua pretensSo de que 
seriam eles seus intercessores e para revelar-lhes que nSo adoravam os idolos, mas 
seus caprichos, ou seus demonios, que os incitavam a idolatria. 

(2) Ou seja, quem, alem de Deus, pode criar o mecanismo maravilhoso da audita© e 
da visao? 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



331 



n ^>i 



^ • ^Ji ^JJ-- 



34. Dize: "De vossos idolos, ha 
quern inicie a cria9ao, em seguida, 
a repita?" Dize: "Allah inicia a 
cria9ao; em seguida, repete-a: entao, 
como, dEle vos distanciais?" 

35. Dize: "De vossos idolos, ha 
quem guie a verdade?" Dize: "Allah 
guia a verdade. Entao, quem e mais 
digno de ser seguido: quem guia a 
verdade ou quem nao se guia senao 
enquanto guiado? Entao, o que ha 
convosco? Como julgais? 

36. E a maioria deles nao segue 
senao conjeturas. Mas, por certo, a 
conjetura de nada valera contra a 
verdade. Por certo, Allah, do que 
fazem, e Onisciente. 

37. E nao e admissivel que este 
Alcorao seja forjado por fora de 
Allah, mas e a confirma9ao do que 
havia antes dele e aclara9ao do 
Livro^^^ indubitavel, do Senhor 
dos mundos. 

38. Ou eles dizem: "Ele^^^ o 
forjou?" Dize: "Entao, fazei vir 
uma sura igual a dele e, para isso, 
convocai quem puderdes, afora 
Allah, se sois veridicos." 

39. Ao contrario, nao a farao 
chegar; eles desmentem aquilo 
cuja ciencia nao abarcam, e, ainda. 






^,^ 



^0 






(0 Livro: todos os preceitos divinos, revelados por Deus. 
(2) Ele : Muhammad. 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



332 



>> t>i 



> ♦ ^jj 5jj^ 



Ihes nao chegou sua interpreta9ao^'^. 
Assim, OS que foram antes deles, 
desmentiram a seus Mensageiros. 
Entao, olha como foi o fun dos 
injustos! 

40. E, dentre eles, ha quern 
nele^^^ creia e, dentre eles, ha quern 
nele nao creia. E teu Senhor e bem 
Sabedor dos corruptores. 

41. E, se eles te desmentem, 
dize: "A mim, minha afao, e a vos, 
vossa a9ao: vos estais em 
rompimento com o que fa9o, e eu 
estou em rompimento com o que 
fazeis." 

42. E, dentre eles, ha quem te 
oufa; entao, podes fazer ouvir os 
surdos, ainda que nao razoem? 

43. E, dentre eles, ha quem te 
olhe; entao, podes guiar os cegos, 
ainda que nada enxerguem? 

44. Por certo, Allah nao faz 
injustifa alguma com os homens, 
mas OS homens fazem injustifa 
com si mesmos. 

45. E um dia, Ele os reunira; 
sera como se nao houvessem 
permanecido na vida terrena 
senao por uma hora do dia; 
reconhecer-se-ao uns aos outros. 
Com efeito, perder-se-ao os que 



'^V;U Xj^ ol^H^ ^^ 















(Ocf. VII 53 n3. 
(2) Nele: no Alcorao. 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



333 



^^ ^^ri 



^ • u^M ^JJ-^ 



desmentiram o deparar de Allah e 
nao foram guiados. 

46. E, se te fazemos ver algo^^^ 
do que Ihes prometemos ou te 
levamos a alma, a Nos sera seu 
retorno. Alem disso, Allah e 
Testemunha do que fazem. 

47. E, para cada comunidade, ha 
um Mensageiro. Entao, quando 
chegar seu Mensageiro, arbitrar-se- 
a, entre eles^^\ com eqiiidade, e 
eles nao sofrerao injusti9a. 

48. E dizem: ''Quando sera o 
cumprimento desta promessa, se 
sois veridicos?" 

49. Dize: "Nao possuo, para mim 
mesmo, prejuizo nem beneficio, 
exceto o que Allah quiser. Para cada 
comunidade, ha um termo. Quando 
seu termo chegar, eles nao poderao 
atrasar-se, uma hora sequer, nem 
adiantar-se." 

50. Dize: "Vistes? Se Seu castigo 
vos chega, de noite ou de dia, o que 
dele^^^ OS criminosos apressarao^^? 

51. "Crereis nele^^\ quando sob- 
revier? Dir-se-lhes-a: "Agora, 






J ^ 















(0 Algo : castigo pela idolatria ou a vitoria sobre os idolatras. 

(2) Entre o Mensageiro e seus adversarios, no Dia do Juizo. 

(3) Dele: do castigo. 

(^) Ou seja, se o castigo de Deus deve surpreende-los, e se o castigo todo e execravel, 

por que hao de querer apressa-lo os pecadores? 
(^) INele: no castigo. 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



334 > > ^>» 



^ 



% j^y^ Oj^ 



credes! Enquanto, com efeito, 
tanto o apressaveis?" 

52. Em seguida, dir-se-a aos que 
foram injustos: "Experimental o 
castigo da Eternidade! Nao estais 
sendo recompensados senao pelo 
que cometieis?" 

53. E pedem-te informa9oes: "E 
isso^^^ verdade?" dize: "Sim, por 
meu Senhor; por certo, e verdade. 
E, dele, nao podeis escapar." 

54. E, se cada alma injusta tivesse 
o que ha na terra, ela resgatar-se- 
ia, com isso. E eles guardarao 
segredo^^^ do arrependimento, 
quando virem o castigo, e arbitrar- 
se-a, entre eles, com eqiiidade, e 
eles nao sofrerao injusti9a. 

55. Ora, por certo, de Allah e o 
que ha nos ceus e na terra. Ora, por 
certo, a promessa de Allah e 
verdadeira, mas a maioria deles 
nao sabe. 

56. Ele da a vida e da a morte, e 
a Ele sereis retornados. 

57. 6 humanos! Com efeito, uma 
exorta9ao de vosso Senhor chegou- 
vos e cura para o que ha nos peitos 
e orienta9ao e misericordia para os 
crentes. 



OjU^^C-TJi ^^ J:£ 









rh'-^^^'^ij^ 






( ^ ) Isso : a promessa de castigo e da Ressurrei^ao. 
(2) Ou seja, os idolatras se arrependerSo, em segredo. 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



335 > > ^>' 



cT^Ji ^Ji-- 



58. Dize: "Com o favor de Allah 
e com a Sua misericordia, entao, 
com isso, e que devem jubilar: isso 
e melhor que tudo quanto juntam." 

59. Dize: "Vistes o que Allah 
criou para vos, de sustento, e disso 
fazeis algo ilicito e licW^^?" Dize: 
"Allah vo-lo permitiu, ou forjais 
mentiras acerca de Allah?" 

60. E o que pensarao, no dia da 
Ressurrei9ao, os que forjam 
mentiras acerca de Allah? Por 
certo, Allah e Obsequioso para 
com OS humanos, mas a maioria 
deles nao agradece. 

61. E seja qual for a situa9ao em 
que estejas, Muhammad, e seja o 
que for que, nela, recites do 
Alcorao, e vos nao fazeis a9ao 
alguma sem que sejamos Teste- 
munhas de vos, quando nisso vos 
empenhais. E nao escapa de teu 
Senhor peso algum de atomo, na 
terra nem no ceu; e nada menor 
que isto nem maior, que nao esteja 
no evidente Livro. 

62. Ora, por certo, os aliados a 
Allah, por eles nada havera que 
temer, e eles nao se entristecerao 

63.- Os que creem e sao 
piedosos. - 






\^<^bjj^ 






]^Sj^^v:^j^M^^ 



^^j^yj^^j^j^^"'-^^^^ 



(UCf. VI 138- 139. 



10. Suratu YQnus 



Parte 11 



337 > > ^>' 



u^M ^jy^ 



70. Terao gozo, na vida terrena; 
em seguida, a Nos sera seu retomo. 
E fa-los-emos experimentar o 
veemente castigo, porque rene- 
gavam a Fe. 

71. E recita, para eles, a historia 
de Noe, quando disse a seu povo: 
"6 meu povo! Se vos e grave 
minha permanencia junto de vos e 
minha lembran9a dos sinais de 
Allah, e em Allah que eu confio. 
Determinai, pois, vossa decisao, 
vos e vossos associados; e, que 
vossa decisao nao seja obscura 
para vos; em seguida, executai-a 
contra mim, e nao me concedais 
dila9ao alguma. 

72. "E, se voltais as costas, nao 
vos pedirei premio algum. Meu 
premio nao impende senao a Allah, 
e foi-me ordenado ser dos 
moslimes." 

73. Entao, desmentiram-no, e 
salvamo-lo e aos que estavam com 
ele, no barco, e fizemo-los 
sucessores e afogamos os que 
desmentiram Nossos sinais. Entao, 
olha como foi o fim dos que foram 
admoestados! 

74. Em seguida, enviamos, depois 
dele, Mensageiros a seus povos, e 
chegaram-lhes, com as evidencias. 
Mas nao quiseram crer no que 
haviam desmentido, antes. Assim, 
selamos os cora9oes dos agressores. 















10. SOratu YOnus 



Parte n 



338 



^^ ^>t 



^ • j^}i SjJ-^ 



75. Em seguida, depois deles, 
enviamos Moises e Aarao, com 
Nossos sinais, a Farao e a seus 
dignitarios; entao, ensoberbeceram- 
se e foram um povo criminoso. 

76. E, quando a verdade Ihes 
chegou, de Nossa parte, disseram: 
'Tor certo, isto e evidente magia!" 

77. Moises disse: "Dizeis isto 
da verdade, quando ela vos chega: 
'Magia, isso?', enquanto os magicos 
nao sao bem-aventurados." 

78. Disseram: ''Chegaste a nos, 
para desviar-nos daquilo, em que 
encontramos nossos pais, e para 
terdes, ambos de vos, a grandeza 
na terra^^^? E nao estamos crendo 
em vos!" 

79. E Farao disse: "Fazei-me vir 
todo magico sapiente." 

80. Entao, quando chegaram os 
magicos, Moises disse-lhes: "Lan9ai 
o que tendes para lan9ar." 

81. Entao, quando o lan9aram^^\ 
Moises disse: "O que trouxestes e a 
magia. For certo, Allah a derrogara. 
For certo, Allah nao emenda as 
obras dos corruptores. 

82. "E Allah estabelece, com 
Suas palavras, a verdade, ainda 















(0 Na terra: no Egito. 
(2)Cf. VII 116 nl. 



10. SQratu YOnus 



Parte 11 



339 ^ ^ ^>» 



^ • cT^ji hy^ 



que o odeiem os criminosos." 

83. Entao, ninguem creu em 
Moises senao alguns descendentes 
de seu povo, por medo de que Farao 
e seus dignitarios os provassem. E, 
por certo, Farao era altivo, na terra, 
e, por certo, era dos entregues a 
excessos. 

84. E Moises disse: "6 meu 
povo! Se credes em Allah, nEle 
confiais, se sois moslimes." 

85.Eles disseram: "Em Allah 
confiamos. Senhor nosso! Nao fa9as 
de nos vitimas da prova9ao^^^ do 
povo injusto. 

86. "E salva-nos, com Tua miseri- 
cordia, do povo renegador da Fe." 

87. E inspiramos a Moises e a 
seu irmao: "Disponde, para vosso 
povo, casas no Egito, e fazei de 
vossas casas lugar de adorafao, e 
cumpri a orafao. E alvissara, 6 
Moises, aos crentes a vitoria." 

88. E Moises disse: "Senhor 
nosso! Por certo, concedeste a Farao 
e a seus dignitarios omamentos e 
riquezas, na vida terrena - Senhor 
nosso! - para que se descaminhem 
de Teu caminho. Senhor nosso! 
Apaga-lhes as riquezas e endurece- 
Ihes OS corafoes: entao, nao crerao. 












( Ou seja, "n^o fa9as de nos o alvo do castigo, infligido pelos de Farao e seu povo". 



10. Suratu Yunus 



Parte 1 1 



340 > > ^>' 



^ • cT^Ji 5jj-- 



ate virem o doloroso castigo." 

89. Ele disse: "Com efeito, foi 
atendida vossa siiplica: entao, sede 
ambos retos e nao sigais o caminho 
dos que nao sabem." 

90. E fizemos os filhos de Israel 
atravessar o mar; entao, Farao 
seguiu-os, ele e seu exercito, 
transgressora e agressoramente, ate 
que, quando o afogamento atingiu- 
o, ele disse: ''Creio que nao ha 
deus senao Aquele em Que creem 
OS filhos de Israel, e sou dos 
moslimes." 

91.FoMhe dito: "Agora?! E, 
com efeito, desobedeceste, antes, e 
foste dos corruptores! 

92. "Hoje, salvar-te-emos o 
corpo^^^, para que tu sirvas de sinal 
aos que serao, depois de ti. E, por 
certo, muitos dos homens estao 
desatentos a Nossos sinais." 

93. E, com efeito, dispusemos 
OS filhos de Israel em primoroso 



1 









(0 Para ilustrar aos homens de todas as terras a fatuidade de Farao, que se julgava de 
origem divina, Deus preservou-Ihe, apenas, o corpo, a fim de que fosse ele visto 
dentro de urn prisma real, ou seja, de um ser humano comum, tanto que sucumbiu 
em afogamento, assim como todo seu exercito. Afirmam os estudiosos que o corpo 
deste Farao, relacionado no Alcorao, e a mumia encontrada no inicio do seculo 
XX, em escava^Oes, no Egito e identificada como sendo Mniftah ou Meneptah 
(1235-1224 a.C). Seria, entao, o filho e continuador de Ramses II, o qual reinou 
durante a XIX*^ dinastia, exatamente, por epoca do exodo dos israelitas. Destarte, 
apresenta-se como veridica a promessa divina, no Alcorao, de fazer do corpo desse 
Farao li^ao, para a posteridade crer no poder de Deus e nao no presun^oso poder 
do homem (Al Muntakhab, p. 302, 1969, Cairo; e Grande Enciclopedia Delta 
Larousse, volume 10, 1971). 



10. Suratu YQnus 



Parte 11 



341 



M ^>) 



^ • cT^Ji '^JJ^ 



lugar e demo-lhes, por sustento, das 
cousas'benignas; e nao discreparam, 
ate chegar-lhes a ciencia. Por certo, 
teu Senhor arbitrara, entre eles, no 
Dia da Ressurrei9ao, acerca daquilo 
de que discrepavam. 

94. E, se estas em duvida acerca 
do que fizemos descer para ti, 
Muhammad, pergunta aos^*^ que, 
antes de ti, leram o Livro. Com 
efeito, chegou-te a verdade de teu 
Senhor. Entao, nao sejas, de modo 
algum, dos contestadores. 

95. E nao sejas, de modo algum, 
dos que desmentem os sinais de 
Allah, pois, serias dos perdedores. 

96. Por certo, aqueles, contra os 
quais a palavra de teu Senhor se 
cumpriu, nao crerao, 

97. Ainda que todos os sinais 
Ihes cheguem, ate virem o doloroso 
castigo. 

98. Entao, que houvesse havido 
uma cidade que cresse, e have-la-ia 
beneficiado sua fe! Mas nao 
houve, exceto a do povo de Jonas, 
que, quando creram, Nos Ihes 
removemos o castigo da ignominia, 
na vida terrena, e fizemo-los gozar, 
ate certo tempo. 

99. E, se teu Senhor quisesse, 
todos OS que estao na terra, juntos. 



(0 Aos que, antes de ti, lerem o Livro: os judeus. 















10. Saratu Yunus 



Parte 1 1 



342 > > ^>' 



^ • ^j^y. Sjj--' 



creriam. Entao, compeliras tu os 
homens, ate que sejam crentes? 

100. E nao e admissivel que 
uma alma creia, sem permissao de 
Allah, e Ele inflige o tormento aos 
que nao razoam. 

lOl.Dize: "Olhai o que ha nos 
ceus e na terra." Mas nada valem 
OS sinais e as admoestafoes a um 
povo que nao ere. 

102. Entao, nao esperam eles 
senao dias iguais^*^ aos dos que 
passaram, antes deles? Dize: 
"Esperai! Por certo, estarei 
convosco, entre os que esperam." 

103. Em seguida, salvamos Nos- 
sos Mensageiros e os que creram. 
Assim, impende-Nos salvarmos os 
crentes. 

104. Dize: "6 homens! Se estais 
em diivida acerca de minha 
religiao, eu nao adoro o que 
adorais alem de Allah, mas adoro a 
Allah, Que vos levara a alma, e 
foi-me ordenado ser dos crentes." 

105. E ergue tua face para a 
religiao, como monoteista sincero, 
e nao sejas, de modo algum, dos 
idolatras. 

106. E nao invoques, alem de 
Allah, o que nao te beneficia nem 












'^^•1 






(0 Diss iguais: correspondem ao que ocorreu aos povos que desmentiam os 
mensageiros de Deus, e foram aniquilados. 



10. Suratu Yunus 



Parte 11 



343 



>> t>i 



> • cT^Ji «J>-' 



te prejudica. Entao, se o fizeres, 
por certo, sera, nesse caso, dos 
injustos. 

107. E, se Allah te toca com um 
infortiinio, nao existira quern o 
remova senao Ele; e, se Ele te 
deseja um bem, nao existira 
revogador de Seu favor. Com este, 
Ele alcan9a a quem quer de Seus 
servos. E Ele e O Perdoador, O 
Misericordiador. 

lOS.Dize: "6 humanos! Com 
efeito, a verdade chegou-vos de 
vosso Senhor. Entao, quem se guia 
se guiara, apenas, em beneficio de 
si mesmo, e quem se descaminha 
se descaminhara, apenas, em 
prejuizo de si mesmo. E, sobre 
vos, nao sou patrono." 

109. E segue o que te e 
revelado, e pacienta, ate que Allah 
julgue. E Ele e O Melhor dos 
juizes. 












x^'^Xw^'^''^^*"^^- ■^^'fi^/'^'^-^^^' ■X^'^^^^\'r^ 



11. SaratuHud 



Parte 1 1 



344 



U ^jk\ 



> > iyb Ojj^ 



SURATU HUD^^^ 
A SURA DE HUD 



De Makkah - 123 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

l.Alif, Lam, KdP'\ Este e um 
Livro, cujos versiculos sao precisos, 
em seguida, aclarados, da parte de 
um Sabio, Conhecedor. 

2. Nao adoreis senao a Allah. 
Por certo, sou dEle, para vos, 
admoestador e alvissareiro. 

3. E implorai perdao a vosso 
Senhor; em seguida, voltai-vos 
arrependidos para Ele. Ele vos fara 
gozar belo gozo, ate um termo 
designado^^\ e concedera Seu favor 
a cada merecedor de favor; mas, se 
voltais as costas, por certo, temo, 
por vos, o castigo de um grande 
dia('\ 






^,^0^^^ 



-^ 



j^vli^>?j&i>,£li^\4^j5l 



^^jia^te^^ 



P^j 






(0 Hud: um dos vinte e cinco profetas mencionados no AlcorSo, enviado ao povo de 
^Ad, que habitava a Peninsula Arabica, na regiao de Al Ahqaf, ao norte de 
Hadramaut e a oeste de Oman. Este povo ficou celebre por sua forga fisica e pelas 
prosperas condigOes em que vivia. A historia de Hud, cujo nome vai originar o 
titulo desta sura, inicia-se no versiculo 70. Esta sura, como as outras reveladas em 
Makkah, trata dos assuntos basicos do Islao, tais como: adoragSo de um Deus 
unico e aceitagao de que a vida terrena e a preparagao de uma outra vida de 
recompensas, alem da compreensao de que a mensagem divina e transmitida 
pelos profetas para guiar e orientar a humanidade. Traz, ainda, a historia de varios 
profetas e seu povo, no momento em que enfrentaram o desprezo, a calunia, o 
escamio e a ameaga dos que neles nSo criam. Salienta que a convicgSo na vitoria 
final e a paciencia sempre marcaram a atitude dos profetas. 

(2)Cf II 1 n3. 

(^) Ou seja, at6 a morte. 

(^) Isto 6, o Dia do Juizo Final. 



n.SuratuHud 



Parte 12 



345 >^^>< 



>> 



^jA djjM*> 



4. A Allah sera vosso retomo, e 
Ele, sobre todas as cousas, e 
Onipotente. 

5. Ora, eles dobram seus peitos^^^ 
para esconder-se dEle. Ora, tnesmo 
quando se encobrem em seus trajes, 
Ele sabe o de que guardam segredo 
e o que manifestam. Por certo, Ele, 
do intimo dos peitos, e Onisciente. 

6. E nao ha ser animal algum na 
terra, sem que seu sustento impenda 
a Allah, e Ele conhece sua 
residencia e seu deposito. Tudo 
esta no evidente Livro^^\ 

7. E Ele e Quem criou os ceus e 
a terra, em seis dias^"^^ - enquanto 
Seu Trono estava sobre a agua - 
para por a prova qual de vos e 
melhor em obras. E se dizes, 
Muhammad: "Por certo, sereis 
ressuscitados, depois da morte", os 
que renegam a Fe dizem: "Em 
verdade, isso nao e senao evidente 
magia!" 

8. E, se Ihes adiamos o castigo, 
ate um tempo contado, dizem: "Que 
o detem?" Ora, um dia, quando 
Ihes chegar o castigo, deles nao se 
desviara, e envolve-los-a aquilo de 
que zombavam. 















(0 Quer dizer, os hipocritas guardam os segredos, nos escaninhos de seus cora9oes. 
(2) Isto e, no Livro do Destino. 
(3)Cf. VII54nl. 



U.SaratuHad 



Parte 12 



346 



^Y ^>t 



^ ^ iyfc djj^ 






^oUl^'^--«>i c 



9. E, se fazemos experimentar ao 
ser humano Misericordia de Nossa 
parte; em seguida, tiramo-la dele, 
por certo, fica desesperado, ingrato. 

10. E, se o fazemos experimentar 
prosperidade, apos infortunio, que 
o haja tocado, diz: "Os males se 
foram, para longe de mim." Por 
certo, fica jubiloso, vanglorioso, 

ll.Exceto OS que pacientam e 
fazem as boas obras: esses terao 
perdao e grande premio. 

12. Entao, talvez tu deixes de 
recitar algo do que te foi revelado 
e, com que teu peito se constrange, 
porque eles^^^ dizem: "Que se fa9a 
descer um tesouro sobre ele, ou 
que chegue com ele um anjo!" Tu 
es, apenas, admoestador. E Allah, 
sobre todas as cousas, e Patrono. 

13. Ou dizem: "Ele o^^^ forjou?" 
Dize: "Entao, fazei vir dez suras 
forjadas, iguais as dele, e, para tal, 
convocai^"^^ quem puderdes, em vez 
de Allah, se sois veridicos." 

14. E, se eles vos nao atendem, 
sabei que ele foi descido com a 
ciencia de Allah, e que nao existe 
deus senao Ele. Entao, sois ^Oy^j^\ 
moslimes? 












A ^ 






(}) Eles: OS idolatras. 

(2) O: o Alcorao. 

(3) Quer dizer, convocai quem quer que seja, para ajudar-vos a faze-lo. 



ll.SOratu Hud 



Parte 12 



347 



>r ^j^\ 



> > i^ ^jj-** 



15. Quern deseja a vida terrena 
e seus omamentos, Nos, nela, 
compensar-lhes-emos as obras e, 
nela, em nada eles serao subtraidos. 

16. Esses sao os que nao terao, 
na Derradeira Vida, senao o Fogo, 
e anular-se-a o que engenharam 
nela, na vida terrena, e derrogar- 
se-a o que faziam. 

17. Entao, sera que quern esta 
fundado sobre evidencia^^^ de seu 
Senhor, e segue-o uma testemunha^^^ 
dEle - e, antes dela, houve o Livro 
de Moises, como guia e 
misericordia - e igual ao que nao 
esta fundado sobre nada? 
Aqueles^^^ creem nele^'^^ E para 
quern o renega, dentre os partidos^^\ 
o Fogo Ihe e o lugar prometido. 
Entao, nao estejas em diivida acerca 
dele, Muhammad. For certo, ele e 
a verdade de teu Senhor, mas a 
maioria dos homens nao ere. 

18. E quem mais injusto que 
aquele que forja mentiras acerca de 
Allah? Esses serao expostos a seu 
Senhor, e as testemunhas^^^ dirao: 
"Estes sao os que mentiram acerca 












(OEvidencia: o Islao. 

(2) Ou seja, o Alcorao. 

(3) Aqueles: os que se fundamentam no Alcorao. 

(4) Nele: no AlcorSo. 

(5) Ou seja, OS idolatras de Makkah e seus aliados. 

(6) As testemunhas: os anjos e os profetas. 



ll.SaratuHud 



Parte 12 



348 ^ ^ ^>' 



\ \ ^yt ojj^ 



de seu Senhor." Ora, que a maldi9ao 
de Allah seja sobre os injustos, 

19. Que afastam os homens do 
caminho de Allah, e buscam torna- 
lo tortuoso, e sao renegadores da 
Derradeira Vida. 

20. Esses nao poderao escapar 
de Seu castigo, na teiTa^*\ e nao 
terao protetores, alem de Allah. 
Duplicar-se-lhes-a o castigo: eles 
nao foram capazes de ouvir nem de 
nada enxergar. 

21. Esses sao os que se perderam 
a si mesmos. E o que eles forjavam 
sumira para longe deles. 

22. E inconteste que serao, na 
Derradeira Vida, os mais perdedores. 

23. Por certo, os que creem e 
fazem as boas obras e se humildam 
a seu Senhor, esses sao os compan- 
heiros do Paraiso. Nele, serao 
eternos. 

24. exemplo dos dois grupos^^^ 
e como o do cego e do surdo, e do 
vidente e do ouvidor: igualam-se, 
como exemplo? Entao, nao 
meditais? 

25. E, com efeito, enviamos Noe 
a seu povo. Disse: "Por certo, sou- 
vos evidente admoestador. 






^ 5j;::i:nJT f^ijv^T j;:^\;>^ 



y2 ^[^<S <^^j ^<^j\ xi^j 



mS^5!^ 



(0 Na Terra: na vida terrena. 

(2) Os grupos dos descrentes e crentes. 



ll.Suratu Hud 



Parte 12 



349 ^ ^ ^>^ 



> ) ^yb 5jj^ 



26. "Nao adoreis senao a Allah. 
Por certo, temo, por v6s, o castigo 
de um doloroso dia." 

27. Entao, os dignitarios que, 
dentre seu povo, renegavam a Fe 
disseram: "Nao te vemos senao um 
mortal como nos, e nao vemos 
seguir-te, impensadamente, senao 
OS mais ignobeis dos nossos, e nao 
vemos, em vos, privilegio algum 
sobre nos. Alias, pensamos que 
sois mentirosos." 

28. Disse: "6 meu povo! Vistes? 
Se estou fundado sobre evidencia 
de meu Senhor, e Ele me concede 
misericordia^'^ de Sua parte, e ela 
se vos obscurece^^\ teremos de vo- 
la impor, enquanto a estais 
odiando? 

29. "E 6 meu povo! Nao vos 
pe90 por isso^ ^ riqueza alguma. 
Meu premio nao impende senao a 
Allah. E nao vou repulsar os que 
creem. Por certo, eles depararao^"^^ 
com seu Senhor, mas eu vos vejo 
um povo ignorante. 

30. "E 6 meu povo! Quem me 
socorrera, contra a ira de Allah, se 
eu OS repulsar? Entao, nao meditais? 






j^ 






4^ o^>^ ^^^^^j^ f^ 









(0 Misericordia: o dom da profecia. 

(2) Ela se vos obscurece: a profecia de Noe nao se Ihes apresenta claramente, segundo 

eles que, nao querendo aceita-la, portam-se como cegos diante dela. 
(^) Por isso: pela transmissao da Mensagem. 
W Alusao a Ressurrei9ao, quando os crentes estarao diante de seu Senhor. 



ll.SuratuHQd 



Parte 12 



350 > y ^>' 



> > ^yt 6jj^ 



31. "E nao vos digo que tenho 
OS cofres de Allah nem que conhe^o 
o Invisivel nem digo que sou anjo 
nem digo daqueles, que vossos 
olhos desprezam, que Allah nao 
Ihes concedera bem algum; - Allah 
e bem Sabedor do que ha em suas 
almas ~ por certo, nesse caso, eu 
seria dos injustos." 

32.Disseram: "6 Noe! Com 
efeito, discutiste conosco e 
multiplicaste nossa discussao; entao, 
faze-nos vir o que prometestes^^\ 
se es dos veridicos." 

33. Disse: "Apenas, Allah vo-lo 
fara vir, se quiser, e nao podereis 
escapar de Seu castigo. 

34. "E meu conselho nao vos 
beneficiara, caso deseje aconselhar- 
vos, se Allah deseja faze-los incorrer 
no mal. Ele e vosso Senhor, e a Ele 
sereis retomados." 

35. Esta a verdadeira narrativa; 

mas eles^^^ dizem: "Ele o^^^ 
forjou?" Dize, mult^ammad,: "Se o 
houvesse forjado, que esteja sobre 
mim meu crime! E estou em 
rompimento com vossas praticas 
criminosas." 

36. E inspirou-se a Noe: "Nao 



^ijdJi:^ jiJiWj oj^ii^^ 



:-rol'r.i.As\i\^ 






A I A-'K 



^ ^^ir5^(«^' 






^ X- ^ p 



(1) Referenda ao castigo, prometido pela descren^a. 

(2) Eles: os idolatras de Makkah. 

(3) O: o AlcorSo. 



ll.SuratuHud 



Parte 12 



351 



yy ^>i 



y y ^yb djj^ 



crera de teu povo senao quern ja 
creu. Entao, nao te melancolizes, 
pelo que faziam. 

37. "E fabrica o barco diante de 
Nossos olhos e com Nossa 
inspira9ao, e nao Me fales mais 
acerca dos que sao injustos. Por 
certo, eles serao afogados." 

38. E ele se pos a fabricar o 
barco, e, cada vez que alguns dos 
dignitarios de seu povo passavam 
por ele, dele escameciam^'\ Ele 
disse: ''Se escarneceis de nos, por 
certo, escameceremos de vos como 
escarneceis. 

39. ''Entao, logo sabereis a 
quern chegara urn castigo, que o 
ignominiara; e caira sobre ele 
castigo permanente." 

40. E, assim, foi, ate que, 
quando Nossa ordem chegou e as 
fontes da terra jorraram, dissemos: 
"Carrega, nele, de cada especie, 
um casal, e tua familia - exceto 
aquele contra quern o Dito, a 
senten^a, se antecipou - e os que 
creem." E nao creram, com ele, 
senao poucos. 

41. E ele disse: "Embarcai nele: 
em nome de Allah sera seu singrar 
e sua ancoragem. Por certo, meu 



\i 






mcb}:yS 



0^*^ ^^i^^ ^^*J^^===^ 









(0 Zombavam de Noe, dizendo: "Noe, tornaste-te carpinteiro, apos haveres sido 
profeta?!". 



n.Suratu Hud 



Parte 12 



352 > y ^>' 



) ) ^yb Ojj^ 



Senhor e 
diador." 



Perdoador, Misericor- 



.(0 



42. E ele^ ^ corria com eles, 
entre ondas como as montanhas; e 
Noe chamou a seu filho, que se 
achava a parte: "6 meu filho! 
Embarca conosco e nao te deixes 
estar com os renegadores da Fe." 

43. Ele disse: "Abrigar-me-ei 
em uma montanha, que me 
protegera da agua." Noe disse: 
"Hoje, nao ha protetor contra a 
ordem de Allah senao para aquele 
de quem Ele tem misericordia." E 
as ondas interpuseram-se entre 
ambos: entao, foi ele dos afogados. 

44. E foi dito: "6 terra! Engole 
tua agua" e "6 ceu! Detem-te". E a 
agua diminuiu e a ordem foi 
encerrada, e ele^^^ se instalou em 
Al Judy^^\ E foi dito: "Para tras! 
Para o povo injusto!" 

45. E Noe chamou a seu Senhor, 
e disse: "Senhor meu! Por certo, meu 
filho e de minha familia^"^^ e, por 
certo, Tua promessa e a verdade, e 
Tu es O mais Justo dos juizes!" 



^^^t^ 















(0 Ele: o barco. 

(2) Ele: o barco. 

(^) Montanha, proxima de Mossul, ao norte do Iraque. 

(4) Deus havia prometido a Noe salva-lo e a toda sua familia. Entretanto, um de seus 
filhos desobedeceu as ordens paternais e nao embarcou na Area, sendo, por isso, 
castigado pelas aguas. Dai, haver Noe suplicado a Deus que o salvasse, pois este 
filho pertencia a sua familia, que a Palavra divina prometera salvar. 



ll.SuratuHud 



Parte 12 



353 



n ^>i 



) ) ^^ Ojj^ 



46.Ele disse: "6 Noe! Por 
certo, ele nao e de tua familia. Por 
certo, isso^^^ e a9ao incorreta. Entao, 
nao me perguntes aquilo de que 
nao tens ciencia. Por certo, exorto- 
te, para nao seres dos ignorantes." 

47. Noe disse: "Senhor meu! 
Por certo, refugio-me em Ti contra 
o perguntar-Te aquilo de que nao 
tenho ciencia. E, se me nao 
perdoas e nao tens misericordia de 
mim, eu serei dos perdedores." 

48.Foi-lhe dito: "6 Noe! 
Desembarca, com paz de Nossa 
parte, e com ben9aos sobre ti e 
sobre comunidades^^^ dos que estao 
contigo. E havera comunidades, que 
faremos gozar, na vida terrena; 
em seguida, toca-las-a doloroso 
castigo de Nossa parte." 

49. Esses sao alguns informes 
do Invisivei, que te revelamos, 
Muhammad. Nao os conhecias, 
antes disso, nem tu nem teu povo. 
Entao, pacienta. Por certo, o final 
feiiz e para os piedosos. 

50. E ao povo de "^Ad enviamos 
seu irmao Hud. Disse: "6 meu 
povo! Adorai a Allah: nao tendes 
outro deus que nao seja Ele. Nao 
sois senao forjadores de mentiras. 















(0 Isso: a suplica feita a Deus por Noe, para que seu filho pecador fosse salvo. 
(2) Ou seja, sobre as comunidades formadas por seus filhos e descendentes. 



n.SuratuHud 



Parte 12 



354 



>T ^>l 



> > ^yb ojj^ 



51. "6 meu povo! Nao vos pe90 
por isso premio algum. Meu 
premio nao impende senao a Quern 
me criou. Entao, nao razoais? 

52. "E 6 meu povo! Implorai 
perdao a vosso Senhor; em 
seguida, voltai-vos arrependidos 
para Ele. Ele vos enviara a chuva 
em abundancia e vos acrescentara 
forfa a vossa forfa. E nao volteis 
as costas, em sendo criminosos." 

53. Disseram: "6 Hud! Nao nos 
chegaste com evidencia alguma e 
nao deixaremos nossos deuses, por 
causa de seu dito, e nao estamos 
crendo em ti. 

54. "Nao dizemos senao que 
alguns de nossos deuses te atingiram 
com um mal^^^ ." Ele disse: "Por 
certo, tomo Allah por testemunha, 
e testemunhai que estou em 
rompimento com os que idolatrais, 

55. "Em vez dEle. Entao insidiai- 
me vos todos; em seguida, nao me 
concedais dila9ao alguma. 

56. "Por certo, confio em Allah, 
meu Senhor e vosso Senhor. Nao 
ha ser animal algum, sem que Ele 
Ihe apanhe o topete. Por certo, meu 
Senhor esta na senda reta. 

57. "E, se voltais as costas, com 






U- 



aj^ki-X^^. 









^Oj^^li^ 



rsA 









OlJ t^JuZ^Jp^ 



■^iAs.-X ..*»\\'l X- l\^\ vVft \1j ^ 'via 



a^jcl-^j 1 UysiJilbj Ais V5)j> j^ 



( ^ ) Acusaram HOd de loucura, causada pelo mal que os deuses Ihe infligiram, quando 
Hud OS desprezou. 



11. SuratuHud 



Parte 12 



355 > ^ ^>' 



> > iyb Qjj^ 



efeito, transmiti-vos aquilo com 
que vos fui enviado. E meu Senhor 
vos fara suceder outro povo e, em 
nada, O prejudicareis. Por certo, 
meu Senhor, sobre todas as cousas, 
e Custodio." 

58. E, quando chegou Nossa 
ordem, salvamos, por misericordia 
de Nossa parte, a Hud e aos que 
creram com ele; e salvamo-los de 
duro castigo. 

59. E esse era o povo de "^Ad. 
Negaram os sinais de seu Senhor e 
desobedeceram a Seus Mensageiros 
e seguiram a ordem de todo tirano 
obstinado. 

60. E foram perseguidos, nesta 
vida terrena, por maldi9ao, e se-Io- 
ao, no Dia da Ressurrei9ao. Ora, 
por certo, o povo de ""Ad renegou a 
seu Senhor. Ora, para tras! Para 
''Ad, o povo de Hud! 

61. E ao povo de Thamud, 
enviamos seu irmao Salih. Ele 
disse: "6 meu povo! Adorai a 
Allah. Vos nao tendes outro deus 
que nao seja Ele; Ele vos fez 
surgir da terra e vos fez povoa-la; 
entao, implorai-Lhe perdao; em 
seguida, voltai-vos arrependidos 
para Ele. Por certo, meu Senhor 
esta Proximo, Atento as suplicas.'' 

62.Disseram: "6 Salih! Com 









es- ^ ^^ 






'^^^ 






r> X' -^^ 



y^M^j^'^^'^r^:: 



U.SQratuHQd 



Parte 12 



356 



U t>i 



) \ iyfc ojj--» 



efeito, antes disso^^\ eras esperan9a, 
entre nos. Queres coibir-nos de 
adorar o que nossos pais adoravam? 
E, por certo, estamos em diivida 
tormentosa acerca daquilo a que 
nos convocas." 

63. Ele disse: ''6 meu povo! 
Vistes? Se estou fundado sobre 
evidencia de meu Senhor, e Ele me 
concede misericordia^'^^ vinda 
dEle, entao, quem me socorreria 
contra a ira de Allah, se Lhe 
desobedecesse? Vos nao me 
acrescentarieis senao perdi9ao. 

64. "E 6 meu povo! Este camelo 
femea e, para vos, como sinal. 
Entao, deixa-o comer na terra de 
Allah e nao o toqueis com mal 
algum, pois, apanhar-vos-ia castigo 
proximo." 

65. E eles abateram-no; entao, 
disse ele: "Gozai, em vossos lares, 
tres dias^"^l Essa e promessa que 
nao sera desmentida." 

66. E, quando Nossa ordem 
chegou, salvamos, por misericordia 
de Nossa parte, a Salih e aos que 
creram com ele, e saivamo-los da 
ignominia desse dia. Por certo, teu 









-y^^-^y^c^j-^ff 












(0 Antes disso: antes da prega^ao de Salih, quando era estimado por todos, que nele 
viam a esperan^a de beneficia-los com sua capacidade. Quando, porem, Salih 
chegou com a prega^So do monoteismo, afligiram-se com isso e desesperaram-se. 

(2) Vide XI 28 nl. 

(3) "Apos OS quais sereis aniquilados". 



H. SuratuHud 



Parte 12 



357 > ^ ^>» 



) ) ^yb Sjj^ 



Senhor e O Forte, O Todo-Poderoso. 

67. E o Grito^^^ apanhou aos que 
foram injustos; entao, amanheceram 
inertes, sem vida, em seus lares, 

68. Como se jamais la houvessem 
morado. Ora, por certo, o povo de 
Thamud renegou a seu Senhor. 
Ora, para tras! Para Thamud! 

69. E, com efeito, nossos 
Mensageiros chegaram a Abraao, 
com alvissaras^^\ Disseram: 
"Salam!" Paz^^^!. Disse: "Salam!" 
E nao tardou em trazer-lhes um 
bezerro assado. 

70. E, quando ele viu que suas 
maos nao chegavam a ele^^\ des- 
confiou deles e deles teve medo. 
Disseram: ''Nao te atemorizes; por 
certo, somos enviados ao povos de 
Lot." 

71. E sua mulher^^^ estava de pe, 
entao, riu-se. E alvissaramo-lhe o 
nascimento de Isaque e, depois de 
Isaque, Jaco. 

72. Ela disse: "Ai de mim! Darei 
a luz, enquanto estou velha e este 



i^^-^L^ 









l&j^M \i _J_f*^i bL^J Cjt^ XjUJ 












(0 Segundo os exegetas, o grito e o castigo proven iente do ceu, encerrava todos 

ruidos do Universo. 
(2) Alvissaras que anunciavam a Abraao o nascimento de seu filho Isaque e de seu 

neto Jaco. 
(^) Paz, do arabe salam, t a forma simplificada da sauda^ao: "A paz seja sobre vos", 

que traduz o arabe: "as-salamu *^alaikum". 
(4) A ele: ao bezerro. 
(^) Ou seja, Sara, mulher de Abraao. 



ll.Suratu Hud 



Parte 12 



358 



M ^>» 



y y i^ djy^ 



meu marido e anciao? Por certo, 
isso e cousa admiravel!" 

73. Disseram: "Admiras-te da 
ordem de Allah? Que a misericordia 
de Allah e Suas ben9aos sejam 
sobre vos, 6 familia da casa de 
Abraao! Por certo, Ele e Louvavel, 
Glorioso." 

74. E, quando o susto de Abraao 
se foi, e as alvissaras Ihe chegaram, 
discutiu conosco^'^ acerca do povo 
de Lot. 



75. Por certo, Abraao 
clemente, suplicante, contrito. 



era 



76. Dissemos: "6 Abraao! Da de 
ombros a isso. Por certo, chegou a 
ordem de teu Senhor. E, por certo, 
chegar-lhes-a um castigo irrevo- 
gavel." 

77. E, quando Nossos Mensa- 
geiros, Nossos anjos, chegaram a 
Lot, afligiu-se com eles e sentiu-se 
impotente para defende-los, e disse: 
"Este e um terrivel dia!" 

78. E seu povo chegou-lhe, 
impetuosamente. E, antes, faziam 
as mas obras. Ele disse: ''6 meu 
povo! Eis minhas filhas^^^: elas vos 
sao mais puras. Entao, temei a 






"^ ^ '"'i^^^J^^^^^^^^^^ 



}-U>Da 






■^^^r4%'^^^js},\ 









w^^^ 



\ >^* ^ ^W^ ^'^"^ ^^9"^ i^T^^ 



(0 Ou seja, "Abraao comcQou a discutir com nossos mensageiros". 

(2) Trata-se da oferta aos var6es da cidade de Lot, para que se unissem em casamento 
a suas filhas e nao aos anjos, que em sua casa se encontravam, recriminando, com 
isso, a pratica de homossexualidade, muito difundida nessa epoca. 



U.SuratuHud 



Parte 12 



359 > y ^>' 



^ ^ iyb ^j>^ 



Allah e nao me ignominieis, em 
ultrajando meus hospedes. Nao ha, 
dentre v6s, um homem assisado?" 

79. Disseram: "Com efeito, sabes 
que nao temos direito a tuas filhas e, 
por certo, sabes o que desejamos." 

80. Disse: "Se eu tivesse for9a 
contra vos, ou se me abrigasse a 
solido esteio, aniquilar-vos-ia." 

81. eW*^ disseram: "6 Lot! 
Somos OS Mensageiros de teu 
Senhor; eles^^^ nao te chegarao. 
Entao, parte com tua familia, na 
calada da noite - e que nenhum de 
vos retome para tras - exceto com 
tua mulher. Por certo, alcan9a-la-a 
o que OS aican9ara. Por certo, o seu 
tempo prometido sera amanha de 
mai^a. Nao esta proxima a manha?" 

82. E, quando Nossa ordem 
chegou, revoivemos as cidades de 

cima para baixo e fizemos chover 
sobre elas^*^^ pedras de sijjTl^'*^ sem 
interrup9ao, 

83. Marcadas junto de teu 
Senhor^^l E elas nao estao longe 
dos injustos. 












(0 Eles: OS mensageiros celestials. 

(2) Eles: OS homens depravados. 

(3) Elas: as cidades. 

{^) SijjTl: pedras de barro cozido no fogo da Geena. 

(5) "... junto de teu Senhor": no ceu. Estas pedras tinham marca celestial, que as 

distinguia das pedras terrenas. Dizem que cada uma delas trazia marcado o nome 

do pecador, a quern ela era arrojada. 



11. SuratuHud 



Parte 12 



360 > y ^>< 



> > i^ djj-u 



84. E ao povo de Madian, 
enviamos seu irmao Chu aib. Disse: 
"6 meu povo! Adorai a Allah: nao 
tendes outro deus que nao seja Ele. 
E nao diminuais a medida e o peso. 
Por certo, vejo-vos em pros- 
peridade^'^ e, por certo, temo, por 
vos, o castigo de urn dia abarcante. 

85. "E 6 meu povo! Completai, 
com eqiiidade, a medida e o peso, 
e nao subtraiais dos homens suas 
cousas e nao semeeis a maldade na 
terra, sendo corruptores. 

86. "O que Allah vos deixa de 
licito vos e melhor, se sois crentes. 
E nao sou, sobre vos custodio." 

87.Disseram: "6 Chu^aib! Tua 
orafao te ordena que deixemos o 
que nossos pais adoravam, ou que 
deixemos de fazer de nossas 
riquezas o que quisermos? Por certo, 
tu, tu es o clemente, o assisado." 

88. Disse: "6 meu povo! Vistes? 
Se estou fundado sobre evidencia 
de meu Senhor, e Ele deu-me por 
sustento belo sustento?^ vindo 
dEle, nao deverei eu aconselhar- 
vos? E nao desejo fazer, longe de 
vos, o de que vos estou coibindo. 
Nao desejo senao a reconciliafao. 


















(0 Ou seja, "vejo-vos muito ricos e, assim, nao precisais enganar proximo, na 

medida e no peso, amealhardes mais fortuna". 
(2) Belo sustento: a profecia e a sabedoria. 



n.SuratuHud 



Parte 12 



361 > ^ ^>^ 



> > ^yb djj^ 



tanto quanto possa. E meu exito 
nao e senao pela ajuda de Allah. 
Nele confio e para Ele me volto 
contrito. 

89. "E 6 meu povo! Que minha 
discordia convosco nao vos induza 
a que vos alcance o mesmo que 
alcan90u o povo de Noe ou o povo 
de Hud ou o povo de Salih. E o 
povo de Lot nao esta longe de 

90. "E implorai perdao a vosso 
Senhor; em seguida, voltai-vos 
arrependidos para Ele. Por certo, 
meu Senhor e Misericordiador, 
Afetuoso." 

91. Disseram: "6 Chu'aib! Nao 
entendemos muito do que dizes e, 
por certo, vemo-te fraco, entre nos, 
E nao fora teu cla, apedrejar-te- 
iamos. E , para nos, tu nao es 
poderoso." 

92. Disse: "6 meu povo! Sera 
que meu cla e mais poderoso para 
vos que Allah, e a Quem voltais as 
costas? Por certo, Meu Senhor esta, 
sempre, abarcando o que fazeis. 

93. "E 6 meu povo! Fazei o que 
puderdes; por certo, farei o que 
puder. Logo sabereis a quem 















^>'^\^CJ^ 



99 



^yicy'^J^^S^S^ 



(0 Ou seja, o povo de Lot nao se encontrava, cronologica e geograficamente, distante 
do povo de Chu^aib. Portanto, o que ocorreu ao primeiro era, ainda, do 
conhecimento de todos, devendo, por isso, servir-lhes de advertencia. 



11. SaratuHad 



Parte 12 



362 



U ^>i 



) ) i^ 5jj-*» 



chegara o castigo que o ignominiara, 
e quern e mentiroso. E expectai; por 
certo, estou expectando, convosco." 

94. E, quando Nossa ordem 
chegou, salvamos, por misericordia 
de Nossa parte, a Chu'^aib, e aos 
que creram com ele. E o Grito 
apanhou aos que foram injustos; 
entao, amanheceram, em seus 
lares, inertes, sem vida, 

95. Como se, jamais, la houves- 
sem morado. Ora, para tras! Para 
Madian! Como houve para tras! 
ParaThamud!" 

96. E, com efeito, enviamos 
Moises, com Nossos sinais e 
evidente comprova9ao, 

97. A Farao e a seus dignitarios. 
Mas estes seguiram a ordem de 
Farao. E a ordem de Farao nao era 
assisada. 

98. No Dia da Ressurrei9ao, ira 
ele a frente de seu povo, e ele os 
levara^^^ para a aguada do Fogo. E 
que execravel aguada a que serao 
levados! 

99. E foram perseguidos, nesta 
vida, por maldi9ao, e se-lo-ao, no 












^j^^^'^^^tjf^^^^^ JlS5j 









4ijl^\ J»3i5 ili^o Jci(^\yJ)3 



(0 Usa-se, em arabe, o verbo levar, aurada, sempre acompanhado do complemento 
agua, al-ma', que da origem a expressao aurada al-ma', levar para beber agua, tal 
como se diz quando leva o rebanho para aplacar a sede. No versiculo, por ironia, o 
complemento e mudado para an nSr, o fogo, aonde Farao levari seu povo, ja nao 
mais para mitigar a sede, mas para abrasar-se todo. 



ll.SuratuHud 



Parte 12 



363 > y ^>' 



^ ^ ^yb ijy^ 



Dia da Ressurrei9ao. Que execravel 
o dom dadivado! 

100. Esses sao alguns informes 
das cidades: Nos tos narramos, 
Muhammad. Entre elas, ha umas 
de pe e outras ceifadas. 

101. E nao fomos injustos com 
eles^^\ mas eles foram injustos 
com si mesmos. E de nada Ihes 
valeram os deuses, que invocaram, 
em vez de Allah, quando a ordem 
de teu Senhor chegou. E nada Ihes 
acrescentaram senao perdi9ao. 

102. E, assim, e o apanhar de teu 
Senhor, quando apanha as cidades, 
enquanto injustas. Por certo, Seu 
apanhar e doloroso, veemente. 

103. Por certo, ha nisso um sinal 
para quem teme o castigo da 
Derradeira Vida. Esse sera um dia, 
em que os humanos serao juntados, 
e esse sera um dia testemunhado 
por todas as criaturas. 

104. E nao o adiaremos senao 
ate um termo contado. 

105. Um dia, quando este 
chegar, nenhuma alma falara senao 
com Sua permissao; e havera, entre 
eles^^\ infelizes e felizes. 

106. Entao, quanto aos infelizes. 









^ Jo jio^l 50 Ji-l l)[kc^C^^ 









J^i\;ef^#^Liioiiv 



(0 Com eles: com os idolatras. 
(2) Entre eles: entre os homens. 



ll.SuratuHud 



Parte 12 



364 > t .>i 



> > i^ djyM 



estarao no Fogo: nele, darao 
suspiros e solu90s; 

107. Nele, serao etemos, enquanto 
se perpetuarem os ceus e a terra, 
exceto se outra cousa teu Senhor 
quiser^^\ For certo, teu Senhor e 
realizador de quanto deseja. 

108. E quanto aos felizes, estarao 
no Faraiso, em que serao eternos, 
enquanto se perpetuarem os ceus e 
a terra, exceto se outra cousa teu 
Senhor quiser: e dadiva que nao 
sera supressa. 

109. Entao, nao estejas em 
contesta9ao, Muhammad, acerca 
do que estes^^^ adoram. Nao adoram 
senao como seus pais adoravam 
antes. E, por certo, compensa-los- 
emos com sua por9ao, que nao sera 
diminuida. 

110. E, com efeito, concederamos 
a Moises o Livro, e discreparam dele. 
E, nao fora uma Falavra 
antecipada^^^ de teu Senhor, haver- 
se-ia arbitrado entre eles. E, por 
certo, estao em diivida tormentosa 
acerca dele. 

lll.E, por certo, teu Senhor 
compensa-los-a, a todos, por suas 
obras. For certo, Ele, do que 
fazem, e Conhecedor. 



i'L^tr^J 









4li.\ ^^\j j^ oi^^\5»)j ^j 









dCA 



'>4^l^>4%, 



?J 



^S:^ 



';^^^ ^^:h'6^hX^ 



0\3 



(Ocf. VI 128 n3. 

(2) Estes: os idolatras de Makkah. 

0)Cf. X 19 n2. 



ll.SuratuHud 



Parte 12 



365 



M ^j^\ 



> > iyb 5jj-^ 



112. Entao, se reto, como te foi 
ordenado, e, contigo, quern se 



volta arrependido 



nada 



transgridais. Por certo, Ele, do que 
fazeis, e Onividente. 

113. E nao vos inclineis aos que 
sao injustos, pois, tocar-vos-ia o 
Fogo, e nao terieis, alem de Allah, 
protetores; em seguida, nao serieis 
socorridos. 

114. E cumpre a ora9ao, nos dois 
extremos do dia e nas primicias da 
noite^^\ Por certo, as boas obras 
fazem ir as mas obras. Isso e 
lembran9a para os que se lembram 
de Allah. 

115. E pacienta, pois, por certo, 
Allah nao faz perder o premio dos 
benfeitores. 

116. Entao, que houvesse, entre 
as gera96es antes de vos, homens 
dotados de bom senso, que coibissem 
a corrup9ao na terra! Mas poucos, 
dentre os que deles salvamos, 
fizeram-no. E os que foram injustos 
continuaram a seguir a opulencia, 
em que viviam, e foram criminosos. 

117. E nao e admissivel que teu 
Senhor aniquile, injustamente, as 









{ Ou seja, todo aquele que se torna crente, 

(2) Os extremos do dia: compreendem as ora^Oes matutinas (As Subh). do meio-dia 

(Az-Zuhr) e vespertina {Al-*^asr). As primicias da noite: compreendem as duas 

ultimas ora^oes da noite (Al Magrib e Al-^icha'). 



n.Suratu Hud 



Parte 12 



366 ^ t .>i 



^ ^ i^ ^jj*** 



cidades, enquanto seus habitantes 
sao reformadores. 

118.E, se teu Senhor quisesse, 
haveria feito dos homens uma so 
comunidade. Mas eles nao cessam 
de ser discrepantes, 

119.Exceto OS de quern teu 
Senhor tern misericordia. E, por 
isso, Ele OS criou^^\ E a palavra de 
teu Senhor completar-se-a: "Em 
verdade, encherei a Geena de jinns 
e de homens, de todos eles." 

120. E Nos te narramos, 
Muhammad, dos informes dos 
Mensageiros, tudo aquilo com que te 
tomamos firme o cora9ao. E, nestes, 
chegou-te a verdade e exorta9ao e 
lembran9a para os crentes. 

121. E dize aos que nao creem: 
"Fazei o que puderdes; por certo, 
faremos o que pudermos. 

122. "E esperai; por certo, Nos 
estaremos esperando!" 

123. E de Allah e o Invisivel 
dos ceus e da terra. E a Ele retoma 
toda a determina9ao. Entao, adora- 
O e nEle confia. E teu Senhor nao 
esta desatento ao que fazeis. 



^dJ>^L^\^\j 









^^^^o0J0^ 



. f Ut \/\ 






VW^A-: >. i^. 



^l^\5>iM^ai5jSj 



■'^■-'■''^j^\j 






(0 Deus criou divergentes os homens, para possibilitar-lhes, assim, a escolha de seu 
proprio caminho, e, de acordo com esta escolha, sSo classificados em bons ou maus. 



12. Suratu YOssuf 



Parte 12 



367 > ^ ^j^* > ^ ^^ji 5jj-- 



SURATU YUSSUF^^^ 
A SURA DE JOSE 



De Makkah - 1 1 1 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Alif, Lam, Ra^^l Esses sao os 
versiculos do explicito Livro. 

2. Por certo, fizemo-lo descer 
em Alcorao^^^ arabe, para razoardes. 

3. N6s te narramos, Muhammad, 
a mais bela das narrativas, com o 
te revelarmos este Alcorao, e, em 
verdade, antes dele^^\ eras dos 
desatentos^^l 

4. Quando Jose disse a seu pai: 
"O meu pai! Por certo, vi em 
sonhos onze astros e tambem o sol 
e a lua; vi-os prosternando-se 
diante de mim." 

5. Disse: "6 meu filho! Nao 
narres teu sonho a teus irmaos. 






,^0^^^ 



-^. 









(0 Yussuf: Jose, filho de Jaco e Raquel, e um dos vinte e cinco profetas mencionados 
no AlcorSo. Dos 1 1 1 versiculos desta sura, 98 sao dedicados ao relato da historia 
de Jose, considerada, no Alcorao, uma das mais belas historias de todos os tempos. 
E a unica sura que se concentra, quase exclusivamente, em um assunto, permeado 
de inumeras vicissitudes e sentimentos, onde a inveja, o medo, o escravagismo, a 
sedu9ao, confmamento, a adversidade, a prosperidade se entrela9am, para compor 
uma unidade narrativa de real beleza. 

(2)Cf. IIln3. 

(3) AlcorSo: em arabe, qur'an, leitura, um dos infmitivos do verbo qara'a, que 
significa ler. Este infmito substantivou-se, para designar o Livro Divino, revelado 
ao profeta Muhammad. No versiculo, qur an quer dizer o que deve ser lido e 
compreendido e divulgado. 

(4) Dele: do AlcorSo. 

(5) Antes da revela9ao do AlcorSo, Muhammad desconhecia essas passagens. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 12 



368 > y ^>» 



^ T <-A-»»ji! Sjj-^ 



pois, armar-te-iam insidias. Por 
certo, Sata e, para o ser humano, 
inimigo declarado. 

6. "E, assim, teu Senhor eleger- 
te-a e ensinar-te-a algo da inter- 
preta9ao dos sonhos e completara 
Sua grafa para contigo e para com 
a familia de Jaco, como a havia 
completado, antes, para com teus 
dois pais^^^, Abraao e Isaque. Por 
certo, teu Senhor e Onisciente, 
Sabio." 

7. Com efeito, havia, em Jose e 
em seus irmaos, sinais para os 
questionadores da verdade. 

8. Quando eles disseram^^^: "Em 
verdade, Jose e seu irmao^^^ sao 
mais amados de nosso pai que nos, 
enquanto somos um grupo coeso. 
Por certo, nosso pai esta em 
evidente descaminho. 

9. "Matai a Jose ou abandonai-o 
em uma terra qualquer; assim, a 

face de vosso pai se voltara so para 
v6s, e sereis, depois dele^'^^ um 
grupo^^^ integro." 



10. Um deles disse: "Nao mateis 



o^::^.6^^oiriJ^)i^ 






^iJjJOJ 















\K> 



u^ij^^yjij^ ^.-^ck^ 3^ 



(0 Abraao, pai de Isaque e este, pai de Jaco, e chamado pai, conforme a tradi^ao, que 
considera o avo, tambem, pai do neto. 

(2) Ou seja, quando disseram os irmSos de Jose, uns aos outros. 

(3) Benjamim, o filho mais novo de Jaco e Raquei. 

(^) Ou seja, depois da morte de Jose, "podereis arrepender-vos e tornar-vos um povo 

integro". 
(5) No texto, a palavra "grupo" indica o sentido restrito de familia. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 12 



369 



U ^j^\ 



) Y ci^jJ 5jj^ 



a Jose e, se pretendeis fazer algo, 
lanfai-o no fundo do P090, entao, 
um dos viandantes o recolhera." 

ll.Disseram: "6 nosso pai! Por 
que razao nao nos confias Jose? E, 
por certo, com ele, seremos 
cautelosos. 

12. "Envia-o conosco, amanha, 
ele se deleitara e brincara. E, por 
certo, ser-lhe-emos custodios." 

13. Ele disse: "Por certo, 
entristecer-me-a que vades com ele, 
e temo que o lobo o devore, enquanto 
a ele estiverdes desatentos." 

14. Disseram: "Em verdade, se 
o lobo o devorar, em sendo nos um 
grupo coeso, por certo, nesse caso, 
seremos perdedores." 

15. Entao,. quando se foram com 
ele e se decidiram a lanfa-lo no 
fundo do P090, nao titubearam 
em faze-lo. E inspiramo-lhe^^^: 
"Em verdade, um dia, informa- 
los-as desta sua conduta, enquanto 
nao percebam." 

16. E chegaram ao pai, no 
principio da noite, chorando. 

17. Disseram: "6 nosso pai! Por 
certo, fomos apostar corrida e 
deixamos Jose junto de nossos 
pertences; entao, o lobo devorou-o. 






t^' 






'^J'f!^Jj^ljti\^\ jil^ 






^ . - 

^i\\\^: 

<^^ 



(l)Lhe:aJose. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 12 



370 



>r ^>i 



> T «-A^Ji ^JJ-** 



E nao estas crendo em nos, ainda 
que estejamos sendo veridicos." 

18. E chegaram, com falso sangue 
sobre sua^*^ tunica. Ele disse: "Mas 
vossas almas vos aliciaram a algo 
de mal. Entao, nao me cabe senao 
uma bela paciencia! E Allah me sera 
O Auxiliador, acerca do que alegais." 

19. E chegou um grupo de vian- 
dantes, e enviaram seu aguadeiro, 
e este fez descer o balde ao po^o. 
Disse: "Oh! Alvissaras! Eis um 
jovem!" E guardaram-no, secreta- 
mente, como mercadoria. E Allah, 
do que faziam, era Onisciente. 

20. E eles venderam-no por 
baixo pre90, por dracmas contadas, 
e dele estavam desinteressados. 

21. E aquele do Egito, que o 
comprara, disse a sua mulher: 
"Toma digna sua estada aqui. 
Qui9a, ele nos beneficie, ou o 
tomemos por filho." E, assim, 
empossamos Jose na terra^^\ para 
faze-lo cumprir seu designio, e 
para ensinar-lhe algo da inter- 
preta9ao dos sonhos. E Allah e 
Vencedor em Sua ordem, mas a 
maioria dos homens nao sabe. 

22. E, quando ele atingiu a sua 
for9a plena, concedemo-lhe sabe- 



©0130^ 



_jJ!a»)^ V*-**JjJ '>^5=^ ^^ JjJ 






^^ c ^ ^ "^ ^ 



wi^jUSo-iiis^ft jii^yiQi^j 



(l)Sua:deJosd. 
(2) Ou seja, no Egito. 



12. SOratu YQssuf 



Parte 12 



371 



>r t>i 



) T UL^y^ ^JJ*** 



doria e ciencia. E, assim, recom- 
pensamos os benfeitores. 

23. E aquela em cuja casa ele 
estava tentou seduzi-lo, e fechou as 
portas e disse: "Vem. Sou toda 
para ti!" Ele disse: "Possa eu 
refueiar-me em Allah! Por certo, 
ele^ e meu senhor; ele bem-fez 
minha estada aqui. Por certo, os 
injustos nao serao bem-aventurados." 

24. E, com efeito, ela intentou 
estar com ele. E ele haveria 
intentado estar com ela, nao 
houvesse visto a provan9a^^^ de seu 
Senhor. Assim, fizemos, para 
desviar-lhe o mal e a obscenidade. 
Por certo, ele e um dos Nossos 
servos prediletos. 

25. E ambos correram a porta, e 
ela Ihe rasgou a tunica por tras; e, 
junto da porta, ambos encontraram 
seu senhor^"^^ Ela disse: "Qual a 
punicao de quem desejou um 
mal^ ^ para tua familia, senao que 
seja preso ou que tenha doloroso 
castigo?" 

26. Jose disse: 'Toi ela quem 
tentou seduzir-me." E uma teste- 



^ 5i;^.tj^^(j£>^^j^j 






A ^ **M^ .V:&^k. 



^\y^ 0-*-*=^^ dj-^M ^^ ^^"-^ 



M.\n\^vrVt^^ 










M^j^^cj^^'^yjC^d'^ 



(U Ele: o marido da mulher sedutora. 

(2) Os exegetas explicam a provan9a , pela qual passou Jose, ou pela voz que o 

advertia do pecado ou pelo vislumbre da figura paterna que, batendo-Ihe, 

fortemente, no peito, chamava a razao. 
0) Seu senhor: seu marido. 
(4) Mal: a desonra do adulterio. 



12. Suratu YQssuf 



Parte 12 



372 



>y ^j^\ 



^ y u^^ ^jj*** 



munha de sua familia testemunhou: 
"Se sua tunica esta rasgada pela 
frente, entao, ela disse a verdade e 
ele e dos mentirosos. 

27. "Mas, se sua tunica esta 
rasgada por tras, entao, ela mentiu 
e ele e dos veridicos." 

28. Entao, quando ele^^^ viu sua 
tunica rasgada por tras, disse: "Por 
certo, esta e uma de vossas 
insidias, 6 mulheres! Por certo, 
vossas insidias sao formidaveis. 

29. "6 Jose! Da de ombros a 
isso. E tu, mulher, implora perdao 
por teu delito. Por certo, es dos 
errados." 

30. E certas mulheres, na cidade, 
disseram: "A mulher de Al-^AzTz^^^ 
tentou seduzir a seu jovem servo! 
Com efeito, ele a deixou 
embevecida de amor. Por certo, 
vemo-la em evidente descaminho." 

31. E, quando Ihe chegaram aos 
ouvidos suas maledicencias, ela as 
convidou e preparou-lhes um 
banquete. E concedeu a cada uma 
delas uma faca, e disse a Jose: "Sai 
ao encontro delas." Entao, quando 
elas o viram, maravilharam-se dele e 
se cortaram nas maos, e disseram: 
"Gloria a Allah! Este nao e um 















(n Ele: seu marido. 

(2) AI^^Aziz: titulo de governador egipcio. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 12 



373 



sy ^j^\ 



\ T cAw^ ^JJ*^ 



mortal. Este nao e senao um nobre 
anjo!" 

32. Ela disse: "Entao, e este 
aquele por quern me censurastes. 
E, com efeito, tentei seduzi-lo, e 
ele resistiu. E, em verdade, se ele 
nao fizer o que Ihe ordeno, sera 
preso e sera dos humilhados." 

33. Ele disse: ''Senhor meu! A 
prisao me e mais amada que aquilo 
ao que elas me convidam. E, se Tu 
nao desvias de mim suas insidias, 
inclinar-me-ei a elas e serei dos 
ignorantes." 

34. Entao, seu Senhor atendeu- 
o, e desviou dele as insidias delas. 
Por certo, Ele e O Oniouvinte, O 
Onisciente. 

35. Em seguida, depois de 
haverem visto os sinais^'\ pareceu- 
Ihes^ ^ de bom alvitre aprisiona-lo, 
ate certo tempo. 

36. E dois jovens servos 
entraram, com ele, na prisao. Um 
deles disse: "Vi-me, em sonhos, 
espremendo uvas." E o outro disse: 
"Vi-me, em sonhos, carregando, 
sobre a cabefa, pao, de que os 
passaros comiam. Informa-nos de 
sua interpreta9ao. Por certo, vemo- 
te dos benfeitores." 






^Sd 






(0 Os sinais da inocencia de Jose. 

(2) Lhes: ao Governador e a sua familia. 



12. SOratu YOssuf 



Parte 12 



374 > y ^ji-i > y J^y, «jj-- 



37,Ele disse: "Nao chegara a 
ambos de vos alimento algum, com 
que sois sustentados, sem que eu 
vos informe de sua interpretafao, 
antes mesmo que ele vos chegue. 
Isso e algo do que meu Senhor me 
ensinou. Por certo, deixei a crenfa 
de um povo que nao ere em Allah, e 
que e renegador da Derradeira Vida; 

38. "E segui a crenfa de meus 
pais Abraao e Isaque e Jaco. Nao 
nos e admissivel associarmos nada 
a Allah. Isso, e algo do favor de 
Allah para conosco e para com a 
humanidade, mas a maioria dos 
homens nao agradece. 

39. "6 meus dois companheiros 
de prisao! Que e melhor: 
divindades dispersas ou Allah, O 
Unico, O Dominador? 

40. "Nao adorais, em vez dEle, 
senao nomes de idolos que 
nomeastes, vos e vossos pais, dos 
quais Allah nao fez descer com- 
provafao alguma. O julgamento 
nao e senao de Allah. Ele ordenou 
que nao adoreis senao a Ele. Essa e 
a religiao reta, mas a maioria dos 
homens nao sabe. 

41. "6 meus dois companheiros 
de prisao! Quanto a um de vos, ele 
dara vinho de beber a seu senhor. E, 
quanto ao outro, ele sera crucificado, 
e OS passaros comerao de sua 









^Oj^i^Ji 












12. SQratu YOssuf 



Parte 12 



375 >^^>' 



> t cAw^ ^JJ** 



cabe9a. Encerra-se a questao sobre 
a qual ambos me consultais." 

42. E ele disse aquele, dos dois, 
que pensava ser salvo: "Menciona- 
me, junto de teu senhor." Mas Sata 
fe-lo esquecer a men9ao a seu 
senhor. Entao, ele permaneceu na 
prisao, por alguns^'^ anos. 

43. E o rei disse: "Por certo vi, 
em sonhos, sete vacas gordas, as 
quais sete vacas magras devoraram, 
e sete espigas verdes e outras sete 
secas. 6 dignitarios! Instrui-me 
sobre meu sonho, se sois capazes 
de interpretar os sonhos." 

44. Disseram: "E um amontoado 
de sonhos. E nos nao somos 
sabedores da interpretafao dos 
sonhos." 

45. E aquele, dos dois, que se 
salvou, e que se lembrou de Jose, 
depois de algum tempo disse: 
"Informar-vos-ei de sua interpre- 
ta9ao. Entao, enviai-me a Jose." 

46. "6 Jose, 6 veracissimo! 
Instrui-nos sobre sete vacas gordas, 
as quais sete vacas magras devoram, 
e sete espigas verdes e outras sete 
secas, na esperanfa de que eu volte 
aos homens^^\ para eles saberem." 



(0 Alguns: traduz o indefinido arabe, bid^ que 
conforme a tradi9ao exegetica, ele ficara preso 
(2) Aos homens: o rei e seus nobres. 



1* - _fr T-f 















u 



%'^y^^ ^^J^S^^ 






encerra um numero de 3 a 9, pois, 
7 anos. 



12. SQratu YQssuf 



Parte 12 



376 



n ^>i 



^ t ci--»jj[ 5jj-»i 



47. Jose^^^ disse: "Semeareis, sete 
anos seguidos. Entao, o que 
ceifardes, deixai-o nas espigas^^\ 
exceto um pouco daquilo que fordes 
comer. 

48. "Em seguida, virao, depois 
disso, sete anos severos, que 
devorarao o que Ihes antecipardes 
exceto um pouco do que preser- 
vardes. 

49. "Em seguida, vira, depois 
disso, um ano; nele, os homens 
serao assistidos^^^ e, nele, espremerao 
OS frutos." 

50. E o rei disse: "Fazei-mo 
vir." E quando o mensageiro Ihe^^^ 
chegou, disse: "Retoma a teu 
senhor e pergunta-lhe que e das 
mulheres que se cortaram nas 
maos. Por certo, meu Senhor, de 
sua insidia, e Onisciente." 

51. eW^^ disse: "Qual foi vosso 
intuito, quando tentastes seduzir a 
Jose? Disseram: "Gloria a Allah! 
Nada sabemos de mal a seu 
respeito." A mulher de Al-'AzTz 
disse: "Agora, a verdade evidencia- 





















(0 Jose, ainda na prisao, interpretou o sonho do rei. 

(2) Este modo de proceder e, totalmente, abonado pelas atuais pesquisas cientificas 
que ja comprovam a eficacia da conserva9ao dos graos nas espigas, quando 
guardadas, mantendo-se, assim, imunes aos ataques das intemperies e dos bichos. 

(3) Quer dizer, quando serao socorridas pela chuva abundante. 

(4) Lhe: a Jose. 

(5) Ele: o Governador. Assim falou ele as mulheres, apos have-las reunido. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 13 



377 



) T frji-i ) T UL^}i Sjj--» 



se: tentei seduzi-lo, e, por certo, 
ele e dos veridicos. 

52. "Isso, para que ele saiba que 
o nao trai^'\ embora estando ele 
ausente, e que, por certo, Allah nao 
guia a insidia dos traidores. 

53. "E nao absolvo minha alma 
do pecado. Por certo, a alma e 
constante incitadora do mal, exceto 
a de quem meu Senhor tem 
misericordia. Por certo, meu Senhor 
e Perdoador, Misericordiador." 

54. E o rei disse: "Fazei-mo vir, 
que o consagrarei a mim." Entao, 
quando o rei Ihe^^^ falou, disse: 
"Por certo, es, hoje junto de nos, 
prestigiado, leal." 

55. Jose^^^ disse: "Confia-me os 
cofres da terra^'^^ Por certo, serei 
deles custodio sapiente." 

56. E, assim, empossamos Jose 
na terra, dela dispondo onde 
quisesse. Alcan9amos, com Nossa 
Misericordia a quem queremos, e 
nao fazemos perder o premio dos 
benfeitores. 

57. E, certamente, o premio da 
Derradeira Vida e melhor para os 






^%^ 






^"^o^Jc 






°\p\'^cS-j^'6^f^:Mj 



(0 Segundo alguns exegetas, e Jose quem fala neste versiculo ao referir-se ao 
Governador. 

(2) Lhe: a Jose. 

(3) Jose, sabendo de sua capacidade, fez o pedido ao rei. 

(4) Ou seja, da terra do Egito. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 13 



378 



)r ^>-i 



) y ui^ji 5jj--» 



que creem e sao piedosos. 

58. E OS irmaos de Jose 
chegaram^^^, e entraram junto dele; 
entao, ele os reconheceu, enquanto 
que eles nao o reconhecram. 

59. E, quando ele Ihes preparou 
as provisoes, disse: "Fazei-me vir 
um de vossos irmaos^^^ por parte 
de vosso pai. Nao vedes que eu 
completo a medida^ , e sou o 
melhor dos hospedeiros? 

60. "E, se nao mo fazeis vir, nao 
havera medida^"*^ de mim para vos 
nem vos aproximareis de mim." 

61. Disseram: "Tentaremos per- 
suadir seu pai. E, por certo, fa-lo- 
emos." 

62. E ele disse a seus jovens 
servos: "Recolocai sua mercadoria^^^ 
junto de suas bagagens, na esperan9a 
de que a reconhefam, ao tornarem 
a sua familia, e isso, para 
retomarem." 

63. E, quando retomaram a seu 
pai, disseram: "6 nosso pai! Foi- 
nos impedida a medida. Entao, 















(0 Os irmaos de Jose chegaram ao Egito, para comprar alimento para os seus. 

(2) Vide Genese XLII 1 - 24. 

(3) Completar a medida: satisfazer, plenamente, a necessidade de provisoes. 

W Medida: traduz a palavra arabe Kail, que significa a medida de capacidade dos 
cereais. A palavra portuguesa alqueire, derivada de Al Kail, foi antiga medida de 
capacidade para secos e liquidos, vari^vel de terra para terra. No Brasil, e medida 
agraria. 

(5) Sua mercadoria: a que trouxeram em paga das provisoes obtidas no Egito. 



12. Saratu Yussuf 



Parte 13 



379 



>r ^>i 



^ y u^ji *j>^ 



envia conosco nosso irmao^^\ nos 
teremos a medida e, por certo, ser- 
Ihe-emos custodies." 

64. Ele disse: "Confiar-vo-lo-ia 
como, antes, vos confiei seu irmao? 
Entao, Allah e Melhor por 
Custodio, e Ele e O mais Miseri- 
cordiador dos misericordiadores." 

65. E, quando abriram seus per- 
tences, encontraram sua mercadoria, 
a eles devolvida. Disseram: "6 
nosso pai! Que mais desejariamos? 
Eis nossa mercadoria a nos 
devolvida. E aprovisionaremos 
nossa familia e custodiaremos 
nosso irmao e acrescentaremos a nos 
mesmos uma medida de camelo^^\ 
Isso e medida facil de obter!" 

66. Ele disse: ''Nao o enviarei 
convosco, ate me fazerdes promessa 
perante Allah, que , em verdade, mo 
trareis, salvo se sois assediados." 
E, quando Ihe fizeram promessa, 
disse: "Allah, do que dizemos, e 
Patrono." 

67. E ele disse: "6 meus filhos! 
Nao entreis no Egito por uma so 
porta^^\ E entrai nele por diversas 
portas. E de nada vos valerei. 



J^^ ^^ J3 j^ 4^1;t^J1jJ 









(0 O irmao mais mogo, Benjamim. 

(2) Medida de camelo: medida de carga de provisoes, que um camelo e capaz de 
transportar. 

(3) O objetivo de Jaco era evitar que seus numerosos filhos, belos e hem vestidos, 
fossem alvo da inveja ou da persegui^So por parte dos habitantes do Egito. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 13 



380 



>r t>rl 



) T Ui^^i Sjj-*' 



diante de Allah. O julgamento nao 
e senao de Allah. NEle confio e 
que nEle, entao, confiem os que 
sao confiantes." 

68. E quando entraram por onde 
seu pai Ihes ordenara, isto de nada 
Ihes valeu, diante de Allah, a nao 
ser porque era desejo, no amago de 
Jaco, que ele satisfez. E, por certo, 
ele era dotado de ciencia, porque 
Nos o ensinamos, mas a maioria 
dos homens nao sabe. 

69. E, quando entraram junto de 
Jose, este aconchegou a si seu irmao 
dizendo: "Por certo, eu, eu sou teu 
irmao; e nao te melancolizes, pelo 
que faziam." 

70. E, quando ele Ihes preparou 
as provisoes, colocou a ta9a nas 
bagagens de seu irmao. Em 
seguida, um noticiador noticiou: 
"6 caravana! Por certo, sois 
ladroes." 

7 1 . Disseram, dirigindo-se a 
eW^: "O que perdestes?" 

72. Eles disseram: "Perdemos a 
ta9a do rei e, para quem a trouxer, 
havera carga de camelo. E eu^^^ sou 
o fiador disso." 

73. Disseram: "Por Allah! Sabeis 
que nao chegamos para semear 









'Jj>'\ 












^^jj^l^^^\}^ 



(0 Eles: OS servidores de Jose. 
(2) Eu: o noticiador. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 13 



381 



sr ^>i 



\ T U^}i ^J>^ 



corrup9ao na terra, e nao somos 
ladroes." 

74. Disseram eles: "Entao, qual 
sera sua recompensa^^\ se sois 
mentirosos?" 

75. Disseram: "Sua recompensa 
sera a escravidao daquele, em 
cujos haveres ela^^^ for encontrada; 
entao, esta sera sua recompensa. 
Assim, recompensamos os injustos." 

76. E ele^^^ come90u por seus^"^^ 
bornais, antes de ir ao bornal de 
seu irmao. Em seguida, fe-la sair 
do bornal de seu irmao. Assim, 
inspiramos a Jose esta insidia. Nao 
era admissivel que ele tomasse a 
seu irmao, conforme a legisia9ao 
do Rei^^\ exceto se Allah o 
quisesse. Elevamos, em escaloes, a 
quem queremos. E, acima de cada 
dotado de ciencia ha, sempre, um 
mais sapiente. 

77. Eles disseram: "Se ele rouba, 
com efeito, um irmao seu ja roubou, 
antes." Entao, Jose guardou segredo 












-'^1 ^ ^ T-^^ " 






(0 Recompensa: o castigo pelo roubo da ta9a. 

(2) Ela: a ta9a. 

(3) Ele: Jose. 

(^) Seus: dos outros irmaos. 

(5) De acordo com as leis egipcias, o castigo do ladrao consistia, apenas, na puni^ao 
por espancamento e no pagamento do duplo valor do objeto roubado. Sendo assim, 
de acordo com esta lei, Jose nao poderia tomar seu irmao Benjamim por escravo, 
como pretendia. Dai, haver induzido a que seus irmaos, segundo as leis israelitas, 
propusessem o castigo vigente em sua propria terra. 



12. Suratu Yussuf 



Parte 13 



382 



>r ^>i 



^ Y cA^^ ^jj*** 



disso^^\ em seu amago, e nao Ihos 
mostrou. Disse para si: "Vossa 
situa9ao e pior ainda! E Allah e 
bem Sabedor daquilo que alegais." 

78. Disseram: "6 Al-AzTz! Por 
certo, ele tem um pai bastante idoso; 
entao, toma um de nos em seu lugar. 
Por certo, vemo-te dos benfeitores." 

79. Ele disse: "Guarde-nos Allah 
de tomarmos outro que aquele 
junto de quem encontramos o que 
nos pertence! Por certo, nesse 
caso, seriamos injustos." 

80. Entao, quando se deses- 
peraram da aquiescencia dele, 
retiraram-se, confidenciando. O 
primogenito deles disse: "Nao sabeis 
que, com efeito, vosso pai recebeu 
de vos uma promessa, perante 
Allah, e, antes, vos ja descurastes 
de Jose? Entao, nao deixarei esta 
terra, ate que mo permita meu pai, 
ou Allah julgue por mim. E Ele e 
O Melhor dos juizes. 

81. "Retomai a vosso pai, e dizei: 
'6 nosso pai! Por certo, teu filho 
roubou. E nao testemunhamos senao 
do que sabemos, e nao Dodiamos 
ser custodios do invisivePl 

82. " 'E pergunta a cidade, onde 






\j-:>0 \^j.>^2U>- 4i^^^ 




^lf^y^%^^:^^ 



~< ^ \ \ ^l 









(0 Jose guardou segredo disso: Jose percebeu a maledicencia, que Ihe dirigiam, mas 

o dissimulou. 
(2) Ou seja, "nSo podiamos prever, quando fizemos a promessa que Benjamim iria 

roubar, no Egito". 



12. Saratu YQssuf 



Parte 13 



383 >r,j^\ 



y T uL^ji 5j>^ 



estivemos, e a caravana, em que 
viemos. E, por certo, somos 
veridicos!'" 

83. Jaco disse: "Mas vossas 
almas vos aliciaram a algo de mal. 
Entao, cabe-me bela paciencia. 
Qui9a, Allah mos fa9a vir, a 
todos^^^ Por certo, ele e O 
Onisciente, O Sabio." 

84. E voltou-lhes as costas e 
disse: "Que pesar sinto por Jose!" 
E OS olhos embranqueceram^^^-se- 
Ihe de tristeza, pois estava muito 
angustiado. 

85.Disseram: "Por Allah! Nao 
cessaras de lembrar-te de Jose, ate 
ficares desfalecido, ou seres dos 
aniquilados!" 

86. Ele disse: "Apenas, queixo- 
me a Allah de minha afli9ao e 
tristeza, e sei^"^^ de Allah o que nao 
sabeis. 

87. "6 meus filhos! Ide e procurai 
noticias de Jose e seu irmao, e nao 
vos desespereis da misericordia de 
Allah. Por certo, nao se desespera 
da misericordia de Allah senao o 
povo renegador da Fe." 



(t) 3)^:^(3155:^^^1^^ 






^J^\Si;}\3>j^^dyj 



fe5>J^^^»l^. 



f > 



^a^j4> 









(U A todos: a Jose, a Benjamim e ao irmao que permaneceu no Egito. 

(2) Parece alusSo a catarata, que provoca a perda da transparencia do cristalino, 
conferindo aos olhos, aparencia esbranqui9ada, e que surgiu em virtude da sua 
idade provecta e de grandes pesares. 

(3) Alusao a certeza de Jaco, por inspira9ao divina, de que o sonho de Jose se 
realizara e ele estava vivo. 



12. Suratu YQssuf 



Parte 13 



384 ^ ^ ^J^' ^ ^ «-^ji ^j>-' 



88. E, quando entraram junto 
dele^^\ disseram: "6 Al-'AzIz! O 
infortunio tocou-nos e a nossa 
familia, e chegamos com mercadoria 
desprezivel. Entao, completa-nos a 
medida e esmola-nos. Por certo, 
Allah recompensa os esmoleres." 

89. Disse: "Sabeis o que fizestes 
com Jose e seu irmao, quando ereis 
ignorantes?" 

90. Disseram: "Em verdade, es 
tu Jose?" Disse: "Sou Jose, e este e 
meu irmao. Com efeito, Allah fez- 
nos merce. Por certo, quem e 
piedoso e pacienta, Allah nao faz 
perder o premio dos benfeitores." 

91. Disseram: "Por Allah! Com 
efeito, . Allah te deu preferencia 
sobre nos, e, por certo, estavamos 
errados." 

92. Disse: "Nao ha exprobra9ao 
a vos, hoje. Que Allah vos perdoe. 
E Ele e O mais Misericordiador 
dos misericordiadores. 

93. "Ide com esta minha tunica 
e lan9ai-a sobre o rosto de meu pai, 
ele se tomara vidente. E fazei vir a 
mim toda vossa familia." 

94. E, quando a caravana partia 
do Egito, seu pai disse^^^ "Por 
certo, sinto o odor de Jose, se me 






< ^ > >\ 



CJ3-^ 



'[A^iJ^^^i-^J-^u^ 






(0 Dele: dejos6. 

(2) Ou seja, Jaco disse aos netos e as pessoas circundantes. 



12. SQratu YQssuf 



Parte 13 



385 >r.>i 



S T cA-rfji ^JJ**' 



nao acusais de devanear." 

95. Eles disseram: "Por Allah! 
Certamente, estas em teu antigo 
descaminho." 

96. E, quando o alvissareiro^'^ 
chegou, lan9ou-a^^^ sobre seu rosto, 
e, logo, ele se tomou vidente. Ele^"^^ 
disse: "Nao vos disse que, por certo, 
sei de Allah o que nao sabeis?" 

97. Disseram: "6 nosso pai! 
Implora perdao de nossos delitos. 
Por certo, estavamos errados." 

98. Disse: "Implorarei a meu 
Senhor perdao para vos. Por certo, 
ele e O Perdoador, O Misericor- 
diador." 

99. Entao, quando entraram junto 
de Jose, este aconchegou a si seus 
pais e disse; "Entrai no Egito, em 
seguran9a, se Allah quiser!" 

100. E elevou seus pais ao trono, 
e eles^"^^ cairam, diante dele, em 
prosterna9ao. E ele disse: "O meu 
pai! Esta e a interpreta9ao de meu 
sonho de antes. Com efeito, meu 
Senhor fe-lo verdadeiro. E, de fato, 
ele me bem-fez, quando me fez 
sair da prisao e vos fez chegar do 
deserto, depois de Sata instigar a 









l\^ji[^y^\^^^ 



^L-y^ 



^ ^ y' -^ ^ ^ 









( n Ou seja, que trazia a tunica de Jose. 

(2) A: a tunica de Jose. 

(^) Ele: pai, Jaco. 

(4) Eles: tanto os pais quanto os irmaos. 



12. SQratu YQssuf 



Parte 13 



386 



^r ^>i 



^ y uL^ji 5jj--» 



cizania, entre mim e meus irmaos. 
Por certo, meu Senhor e Sutil no 
que quer. Por certo, Ele e O 
Onisciente, O Sabio. 

101. "Senhor meu! Com efeito, 
concedeste-me algo da soberania e 
ensinaste-me algo da interpreta9ao 
dos sonhos. 6 Criador dos ceus e 
da terra! Tu es meu Protetor na 
vida terrena e na Derradeira Vida. 
Leva-me a alma, enquanto moslim, 
e ajunta-me aos integros." 

102. Esses sao alguns informes 
do Invisivel, que te revelamos, 
Muhammad. E nao estavas junto 
deles^'\ quando determinaram sua 
decisao, enquanto usavam de 
estratagemas. 

103. E a maioria dos homens, 
ainda que estejas zeloso disso, nao 
e crente. 

104. E tu nao Ihes pedes disso^^^ 
premio algum. Ele^^^ nao e senao 
lembran9a para os mundos. 

105. E quantos sinais ha, nos ceus 
e na terra, pelos quais eles passam, 
enquanto Ihes estao dando de ombros. 

106. E a maioria deles nao ere 
em Allah senao enquanto idolatras. 

107. Entao, sera que eles estao s 

(0 Deles: doze irmaos de Jose. 

(2) Disso: do AlcorSo. 

(3) Ele: o AlcorSo. 



OJ^XJ^y>Jol 



9 "»>* ^ 



^-'^hJS^.^j 



^^^-^y^^ 



'^J^^}IJ^ 









12. Suratu Yussuf 



Parte 13 



387 > ^ ^>' > ^ <-A-->! «jj-- 



seguros de que Ihes nao chegara um 
manto do castigo de Allah, ou nao 
Ihes chegara a Hora, inopinada- 
mente, enquanto nao percebam? 

108,Dize: "Este e o meu 
caminho: convoco-vos a Allah. 
Estou fundado sobre clarividencia, 
eu e quern me segue. E Glorificado 
seja Allah! E nao sou dos idolatras." 

109, E nao enviamos, antes de 
ti, senao homens das cidades, aos 
quais fizemos revela96es - entao, 
nao caminharam eles na terra, para 
olhar como foi o fim dos que 
foram antes deles? E, em verdade, 
a morada da Derradeira Vida e 
melhor para os que sao piedosos. 
Entao, nao razoais? - 

110, Ate que, quando os 
Mensageiros se desesperaram e 
pensaram que, com efeito, foram 
desmentidos, chegou-lhes Nosso 
socorro. Entao, foram salvos os 
que quisemos. E Nosso suplicio nao 
se revoga, junto do povo criminoso. 



Ill, Com efeito, ha, em suas 
narrativas, li9ao para os dotados de 
discemimento. Isto^^^ nao e conversa 
forjada, mas confirma9ao do que 
havia antes dele, e aclaramento de 
todas as cousas e orienta9ao e 
misericordia para um povo que ere. 



S V^ X^. 3Lpl^\^4^\ij\ 4J^\ 



-^Jy^ 



". -^ <■ 
















(0 Isto: Alcorao. 



13. Suratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



388 



>r ^>i 



^ T JS'J\ 5jj^ 



SURATU AR.RA'^D^^^ 
A SURA DO TROVAO 



De Al Madinah^^ - 43 versiculos. 

Em no me de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

l.Alif, Lam, yRvcP\ Ra. Esses 
sao OS versiculos do Livro. E o que 
foi descido para ti, Muhammad, 
de teu Senhor e a verdade, mas a 
maioria dos homens nao ere. 

2. Allah e Quem elevou os ceus, 
sem colunas que vejais; em 
seguida, estabeleceu-Se no Trono. 
E submeteu o sol e a lua, cada qual 
corre ate um termo designado^^l 
Ele administra a ordem de tudo e 
aclara os sinais, para vos conven- 
cerdes do deparar de vosso Senhor. 

3. E Ele e Quem estendeu a terra 
e nela fez assentes montanhas e 
rios. E, de todos os frutos, nela fez 
um par , um casal^^l Ele faz a noite 




^,^0^^^ 















(0 Ar-Ra*^d: o trovao. Assim, denomina-se a sura pela men9ao desta palavra no 
versiculo 13. A sura aborda inumeros fatos, que comprovam a existencia divina, e 
fala dos ceus e da terra, do sol e da lua, das plantas e dos frutos, dos fenomenos 
atmosfericos, das nuvens, assim como das cousas invisiveis, que so Deus conhece, 
do Dia do Juizo, da recompensa dos benfeitores e dos malfeitores. 

(2) Conforme a maioria dos exegetas, esta sura foi revelada em Al Madlnah. 
Entretanto, alguns estudiosos asseveram que o foi em Makkah, pela identidade dos 
temas tratados nela com os de todas as suras reveladas nesta cidade, e que 
compreendem a unicidade de Deus, a revela9ao aos mensageiros e a Ressurrei9ao. 

(3)Cf II 1 n3. 

(4) Ou seja, ate o Dia do Juizo. 

(5) Deus criou, na natureza, a planta macho e a planta femea, para assegurarem a 
fecunda9ao e a reprodu9ao da especie. 



13. Suratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



389 



>r ^>i 



> T J^^l ojj^ 



encobrir o dia. Por certo, ha nisso 
sinais para um povo que reflete. 

4. E, na terra, ha extensoes^^^ 
contiguas, mas diversas; e jardins 
de videiras e searas e tamareiras, 
geminadas e nao geminadas, 
irrigadas pela mesma agua; e 
preferimos algumas delas a outras, 
no sabor. Por certo, ha nisso sinais 
para um povo que razoa. 

5. E, se te admiras, Muhammad, 
de que te desmintam, mais 
admiravel e seu dito: "Quando 
formos p6, tomar-nos-emos em nova 
criatura?" Esses sao os que renegam 
a seu Senhor. E esses sao aqueles em 
cujos pesco90s havera gargalheiras. 
E esses sao os companheiros do 
Fogo. Nele, serao eternos. 

6. E pedem-te que Ihes apresses 
o mal, antes do bem, enquanto, 
com efeito, antes deles, passaram 
OS castigos exemplares. E, por 
certo, teu Senhor e Possuidor de 
perdao para os homens , apesar de 
sua injusti9a. E, por certo, teu 
Senhor e Veemente na puni9ao. 

7. E OS que renegam a Fe dizem: 
"Que se fa9a descer sobre ele um 
sinal^^^ de seu Senhor!" Tu es. 



'"^K^. ^ 1 tf . '^ -r^ i"^ ^ »^ 



iJO 



Jo j^ ^ ;^ \: ^\ \^5^ (14==, 



%3 






(0 Embora seja a terra una, apresenta extensoes de terreno de caracteristicas varias: 
algumas ferteis, outras aridas, e, mesmo proximas, produzem frutos diversos. 

(2) Os incredulos exigem, aqui, sinais identicos aos de Jesus, tais como a ressurreigao 
dos mortos, a recupera^ao de um cego; ou identicos aos de Moises, que transformava 
em serpente sua vara. 



13. Suratu Ar-Ra^d Parte 13 



390 >r.j^\ 



> r j^j\ ojj^ 



apenas, admoestador, e, para cada 
povo, ha um guia. 

8. Allah sabe o^^^ que cada varoa 
carrega consigo e a contra9ao das 
matrizes e sua dilata9ao. E cada 
cousa, junto dEle, esta na justa 
medida. 

9. Ele e O Sabedor do invisivel 
e do visivel, O Grande, O Sublime. 

10. E-Lhe igual quern de v6s 
guarda segredo do dito e quern o 
declara, e quern esta escondido, de 
noite, e e caminhante, de dia. 

ll.Ele^^^ tern anjos da guarda, 
adiante dele e detras dele, que o 
custodiam, por ordem de Allah. Por 
certo, Allah nao transmutara o que 
um povo tem^^\ ate que este haja 
transmutado o que ha em si mesmo. 
E, quando Allah deseja um mal a 
um povo, nao ha revogador disso, e 
nao terao, alem dEle, protetor algum. 

12. Ele e Quem vos faz ver o 
relampago, para suscitar temor e 
aspira9ao^'*\ e faz surgir as densas 
nuvens. 

13. E o trovao glorifica-0, com 
louvor, e, tambem, os anjos por 



iJi^(k 



:t^U A ^ 






5^ '''S\^u!^\j^^xA^^^ 



( n O: tipo (sao ou defeituoso) e o numero de fetos (de 1 a decuplos), contidos no 
utero, durante a gravidez, e o tempo (de 7 a 9 meses) que ai duram, ate o parto. 

(2) Ele: ser humano. 

(3) Ou seja, as gra9as que gozam as pessoas: saude, prosperidade, etc.. 

(4) Para alguns, o relampago relaciona-se ao medo e a destrui9ao; para outros, a 
esperan9a da chuva. 



13. Sflratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



391 



>r ^>i 



> r op^i ij^ 



temor dEle. E Ele envia os raios, e, 
com eles, alcan9a a quern quer, 
enquanto eles^'^ discutem^^^ acerca 
de Allah. E Ele e Veemente na 
for9a. 

14. DEle e a verdadeira siiplica. 
E OS que eles^^^ invocam, alem 
dEle, em nada Ihes atendem senao 
como e atendido aquele que estende 
as duas maos a agua de um po^o, 
para que esta Ihe atinja a boca, mas 
ela jamais a estara atingindo. E a 
siiplica dos renegadores da Fe nao 
esta senao em descaminho. 

15. E, diante de Allah, prostema- 
se, de bom ou de mau grado, quem 
esta nos ceus e na terra, e tambem 
suas sombras, ao amanhecer e ao 
entardecer. 

16. Dize, Muhammad: "Quem 
e o Senhor dos ceus e da terra?" 
Dize: "Allah". Dize: "Entao, tomais, 
alem dEle, protetores, que nao 
possuem, para si mesmos, beneficio 
nem prejuizo?" Dize: "Igualam-se 
o cego e o vidente? Ou igualam-se 
as trevas e a luz? Ou fazem a Allah 
parceiros, que hajam criado algo 
como Sua cria9ao, entao, assemelha- 
se-lhes a cria9ao?" Dize: "Allah e 



^r - ■^i:\\^i *^ 









^^ ^C ^ T » V ^ » ^ 



(0 Eles: OS idolatras. 

(2) Ou seja, negam a unicidade de Deus, tomando idolos alem dEle, e, ainda, Lhe 
atribuem filhos, ja que afirmam serem os anjos as filhas de Deus, e Jesus, Seu filho. 

(3) Eles: OS idolatras. 



13. SQratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



392 



\r ^j^\ 



^ T J^J\ 5jj-- 



O Criador de todas as cousas. E 
Ele e O Unico, O Dominador." 

17. Ele faz descer agua do ceu, 
e ela flui em vales, conforme a 
medida destes, entao, a torrente 
carrega uma espuma flutuante. E, 
parte daquilo^^^ sob a qual acendem 
o fogo, para fazer joias ou 
utensilios, e espuma igual. Assim, 
Allah apresenta em parabola a 
verdade e a falsidade. Quanto a 
espuma, vai-se embora. E, quanto 
ao que beneficia aos homens, 
permanece na terra. Assim, Allah 
propoe OS exemplos. 

18. Para os que atendem a seu 
Senhor, havera a mais bela 
recompensa. E os que Lhe nao 
atendem, se tivessem tudo o que ha 
na terra e mais outro tanto, com 
isso, resgatar-se-iam. Esses terao o 
pior ajuste de contas. E sua morada 
sera a Geena. E que execravel leito! 

19. Entao, quem sabe que o que 
foi descido, para ti, de teu Senhor, 
e a verdade sera igual a quem e 
cego? Apenas, meditam os dotados 
de discemimento, 

20. Os que sao fieis ao pacto de 
Allah e nao desfazem a alian9a, 

21. E OS que unem o que Allah 















(0 Daquilo: nos metais, tal como o ouro, a prata, o cobre, cuja fundi9ao provoca 
espuma semelhante. 



13. Suratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



393 ^r.>i 



^ T JS'JS 5jj-- 



ordena estar unido, e receiam a seu 
Senhor e temem o pior ajuste de 
contas, 

22. E OS que pacientam, em busca 
do agrado de seu Senhor, e cumprem 
a ora9ao e despendem, secreta e 
manifestamente, daquilo que Ihes 
damos por sustento, e revidam o 
mal, com o bem, esses terao o final 
feliz da Derradeira Morada: 

23. Os Jardins do Eden, em que 
entrarao, junto com os que se 
emendaram dentre seus pais e seus 
conjuges e sua descendencia. E os 
anjos entrarao junto deles, por 
todas as portas, dizendo: 

24. "Que a paz seja sobre vos, 
porque pacientastes! Entao, que 
excelente final feliz da Derradeira 
Morada!" 

25. E OS que desfazem o pacto 
de Allah, apos have-lo firmado, e 
cortam o que Allah ordena estar 
unido e semeiam a corrup9ao na 
terra, esses terao a maldi9ao e terao 
a pior Morada. 

26. Allah prodigaliza o sustento 
a quem quer, e restringe-o. E eles^*^ 
jubilam com a vida terrena. E a 
vida terrena, ao lado da Derradeira 
Vida, nao e senao gozo efemero. 

27. E OS que renegam a Fe dizem: 

(U Eles: OS idolatras. 






pi^^^;i>>Js;^^>^^ 






99 

2u' 



o\;4^jJ^ii)iji^^^ 



13. SOratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



394 



>r i^>i 



> r Jip^i '^jj^ 



''Que se fa9a descer sobre ele um 
sinal de seu Senhor!" Dize: "Por 
certo, Allah descaminha a quern 
quer e guia para Ele quern se volta 
para Ele, contrito, 

28. "Os que creem e cujos 
corafoes se tranqiiilizam com a 
lembran9a de Allah." - Ora, e com 
a lembran9a de Allah que os 
cora96es se tranqiiilizam - 

29. "Os que creem e fazem as 
boas obras terao bem-aventuran9a 
e aprazivel retomo." 

30. Assim, enviamo-te, Muham- 
mad, a uma comunidade - antes da 
qual, com efeito, outras comuni- 
dades passaram - para recitares, 
para eles, o que te revelamos. Mas 
eles renegam O Misericordioso. 
Dize: "Ele e meu Senhor. Nao 
existe deus senao Ele. NEle confio 
e para Ele e meu arrependimento." 

31. E, se houvesse um Alcorao^^\ 
com que se fizesse caminhar as 
montanhas ou com que se fizesse 
cortar a terra ou com que se fizesse 
falar aos mortos, seria este. Mas 
de Allah e toda a ordem. Entao, 
nao sabem os que creem que, se 









^ ^ i, ■' 






(1) A revela9ao deste versiculo se deu pelas solicita96es dos idolatras que, desafiando 
o Profeta, diziam: "Se es, de fato, Mensageiro de Deus, faze que teu Alcorao mova 
as montanhas de Makka, para torna-la ampla e nela se formarem jardins"; ou "faze- 
nos submissos os ventos, para que nos transportem a Siria, onde negociaremos, e 
de onde retornaremos no mesmo dia, como ocorreu a SalomSo"; ou "ressuscita-nos 
alguns de nossos antepassados, para a eles falarmos. So, assim, creremos em ti". 



13. SOratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



395 



^r ^>i 



>i r JS'j\ 5jj-- 



Allah quisesse, Ele haveria guiado 
a toda a humanidade? E os que 
renegam a Fe nao cessarao de ser 
alcanfados - devido a suas afoes - 
por uma calamidade, ou de te-la 
perto de seus lares, ate que chegue 
a promessa^'^ de Allah. Por certo, 
Allah nao falta a promessa. 

32. E, com efeito, zombaram de 
outros Mensageiros, antes de ti; 
entao, concedi prazo aos que 
renegaram a Fe; em seguida, 
apanhei-os. Como foi, pois, Minha 
punifao? 

33. Entao, Quem se mantem 
atento a cada alma, acerca do que 
logra, e igual aos idolos? E eles 
fizeram a Allah parceiros. Dize: 
"Nomeai-os. Ou vos O informais 
do que Ele nao sabe, na terra? Ou 
dizeis um dito vao? Mas 
aformosearam-se, para os que 
renegam a Fe, seus estratagemas, e 
foram afastados do caminho reto. 
E aquele, a quem Allah 
descaminha, nao tem guia algum. 

34. Eles^^^ terao castigo, na vida 
terrena. E, em verdade, o castigo 
da Derradeira Vida sera mais 
arduo. E nao terao, contra o 
castigo de Allah, Protetor. 

35. Eis o exemplo do Paraiso, 



oAk;"^ 4i\ c>[^\ ^ G,^ !^ 









l?y»^==='Ciil^>?J^ 



JL^ J^J J^\ j>]3X^j 



^ - jj<r- 



^^\kh^M'^\ 



^ .Is'f ."sf . 






^jrh^y^j^y^'S^ ^ 



(') Quer dizer, ou a morte, ou o Dia da Ressurrei9ao. 
(2) Eles: : os idolatras. 



13. Suratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



396 



>r ^j^\ 



> T JLP^i djj-- 



prometido aos piedosos: abaixo 
dele, correm os rios; seus frutos 
sao permanentes, e, assim, sua 
sombra. Esse e o final feliz dos que 
sao piedosos. E o final dos 
renegadores da Fe e o Fogo. 

36. E aqueles^^\ a quern 
concederamos o Livro, jubilam 
com o que foi descido para ti. E 
entre os partidos^^\ ha quern negue 
parte dele. Dize: "Apenas, foi-me 
ordenado adorar a Allah e nada 
associar-Lhe. A Ele convoco os 
homens e a Ele sera meu retomo." 

37. E, assim, fizemo-lo Alcorao 
descer como sabedoria em lingua 
arabe. E, em verdade, se seguires 
suas^"^^ paixoes, apos o que te 
chegou da ciencia^"^, nao teras, de 
Allah, nem aliado nem protetor. 

38. E, com efeito, enviamos 
Mensageiros, antes de ti, e fizemo- 
Ihes mulheres^^^ e descendencia. E 
nao e admissivel que um Mensageiro 
chegue com um sinal senao com a 
permissao de Allah. Para cada 
termo ha uma prescri9ao. 

39. Allah cancela e confirma o 















(0 Aqueles: os judeus que abra9aram o Islao, como Abdullah Ibn Salam. 
(2) Partidos: os aliados, entre os idolatras e os judeus, contra o Profeta Muhammad. 
(^) Suas: dos idolatras. 
(4)Cf. II 120 nl. 

(5) Os adversarios de Muhammad criticavam-no por haver-se casado e tido filhos. Por 
este versiculo, ele Ihes responde que isso era comum entre seus antecessores. 



13. SOratu Ar-Ra^d 



Parte 13 



397 



^r ^j^\ 



y T op^i ojj-- 



que quer. E, junto dEle, esta a Mae 
do Livro^^\ 

40. E, se te fazemos ver algo^^^ 
do que Ihes prometemos ou te 
levamos a alma, antes disso; a ti te 
impende, apenas, a transmissao da 
Mensagem, e a Nos Nos impende 
o ajuste de contas. 



41. E nao viram eles ^^^ 



que 



chegamos a terra^'*^ diminuindo-a 
em seus extremos? E Allah julga; 
nao ha revogador de Seu julgamento. 
E Ele e Destro no ajuste de contas. 

42. E, com efeito, aqueles antes 
deles usaram de estratagemas, mas 
de Allah sao todos os estratagemas. 
Ele sabe o que toda alma logra. E 
OS renegadores da Fe saberao de 
quem e o final feliz da Derradeira 
Morada. 

43. E OS que renegam a Fe 
dizem: "Tu nao es enviado de 
Allah." Dize: "Basta Allah, por 
testemunha, entre mim e vos, e 
quem tem ciencia de Livro^^V' 






@ ^Uli-1 T^^j^J ^AjS^^ 









(0 A Mae do Livro, do arabe ummu-l-kitflb. quer dizer a fonte de todos os livros 

divinos, ou seja, o Livro do Destino, onde tudo esta escrito. 
(2)Cf. X 46 nT. 
(^) Eles: OS idolatras. 

(4) Terra: terras dos descrentes, conquistadas pelo Profeta Muhammad, no advento 
do Islao. 

(5) Do Livro: do Alcorao. 



14. Suratu IbrahTm 



Parte 13 



398 



^r ^>i 



^ i /%-A'^[ ^jj-^ 



SURATU IBRAHlM^*^ 
A SURA DE ABRAAO 



De Makkah - 52 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Misericordiador, 

l.Alif, Lam, Ra^^\ Este e urn 
Livro, que fizemos descer para ti, 
Muhammad, a fim de fazeres sair 
OS homens das trevas para a Luz - 
com a permissao de seu Senhor - 
para a senda dO Todo-Poderoso, 
dO Louvavel, 

2. De Allah, de Quem e o que 
ha nos ceus e o que ha na terra. E 
ai dos renegadores da Fe, por um 
veemente castigo! 

3.0s que amam mais a vida 
terrena que a Derradeira Vida e 
afastam os homens do caminho de 
Allah, buscando toma-lo tortuoso, 
esses estao em profundo descaminho. 

4. E nao enviamos Mensageiro 
algum senao com a lingua de seu 
povo, para que ele tome evidente, 
para eles, a Mensagem. Entao, 
Allah descaminha a quem quer e 



Ij^^^.^; -i^ 







.^?^!^^:^L. 



-v4 









C-^ 



^J '^^Cr^>^t^J '^^.l/ 



(0 Ibrahim: Abraao, o Patriarca de todos os profetas, cuja men^ao, feita no versiculo 
35, passa a denominar toda a sura. Embora esta trate dos mesmos temas daquelas 
reveladas em Makkah (a unicidade de Deus, a Mensagem divina, etc.), dois deles 
salientam-se acima de todos: a unicidade da Mensagem divina e a atitude 
unificada dos mensageiros, diante do desmentido dos povos, em todas as dpocas e 
lugares, e a gra^a de Deus para com os homens, sempre acrescida diante da 
gratidao destes, e da atitude ingrata de sua maioria, em face da gra9a divina. 

(2)Cf. II 1 n3. 



14. SOratuIbrahTm 



Parte 13 



399 >r,jk\ 



> t ^^ji\ 5jj--» 



guia a quern quer. E Ele e O Todo- 
Poderoso, O Sabio. 

5. E, com efeito, enviamos 
Moises, com Nossos sinais, e 
dissemo-lhe: "Faze sair teu povo 
das trevas para a luz e lembra-lhes 
OS dias de Allah^^V' Por certo, ha 
nisso sinais para todo perseverante, 
agradecido. 

6.E lembra-lhes, Muhammad, 

de quando Moises disse a seu povo: 
"Lembrai-vos da gra9a de Allah 
para convosco, quando vos salvou 
do povo de Farao. Infligiam-vos o 
pior castigo e degolavam vossos 
filhos e deixavam vivas vossas 
mulheres. E, nisso, houve de vosso 
Senhor formidavel prova." 

7. E, de quando vosso Senhor 
noti-ciou: "Em verdade, se 
agradeceis, acrescentar-vos-ei 
Minhas gramas. Mas, em verdade, 
se estais ingratos, por certo, Meu 
castigo sera veemente." 

8. E Moises disse: "Se renegais 
a Fe, vos e todos os que estao na 
terra, por certo, Allah e Bastante a 
Si mesmo, Louvavel." 

9. Nao vos chegou o informe 
dos que foram antes de vos: do 
povo de Noe e de ""Ad e de Thamud 
e dos que foram depois deles, os 



• ^ i^ -f d > *:^ <^ -^.tf 







(0 Dias de Allah: os eventos e os castigos, enviados por Deus aos povos antigos. 



14. Suratu IbrahTm 



Parte 13 



400 ^r^j^\ 



\ i i^'y! Sjj-*» 



quais ninguem conhece senao 
Allah? Seus Mensageiros chegaram- 
Ihes com as evidencias; entao, 
levaram as maos a boca^*^ e 
disseram: "Por certo, renegamos 
aquilo com que sois enviados e, por 
certo, estamos em duvida tomientosa 
acerca daquilo a que convocais." 

10. Seus Mensageiros disseram: 
"Ha duvida acerca de Allah, O 
Criador dos ceus e da terra. Que 
vos convoca para perdoar-vos parte 
dos delitos e para conceder-vos 
prazo, ate um termo designado?" 
Eles^^^ disseram: "Vos nao sois 
senao mortais como nos; desejais 
afastar-nos do que nossos pais 
adoravam. Entao, fazei-nos vir 
evidente comprova9ao!" 

11. Seus Mensageiros disseram- 
Ihes: "Certamente, nao somos senao 
mortais como vos, mas Allah faz 
merce a quem quer, entre Seus 
servos. E nao e admissivel que vos 
fa9amos chegar uma comprova9ao 
senao com a permissao de Allah. E 
que OS crentes, entao, confiem, em 
Allah. 

12. "E por que razao nos nao 
confiamos em Allah, enquanto. 



r^S^ o£a^\j ^4^J >4^i^ 









lilftjSj^il^jirr^j^Sill^ 



(0 Este ato pode traduzir ou o espanto diante da Mensagem proferida pelos profetas; 
ou o gesto de fazer calar os profetas, por crerem absurdas suas palavras acerca da 
unicidade de Deus; ou, ainda, a ira contida atraves da mordida dos dedos. 

(2) Eles: os idolatras. 



14. SQratu IbrahTm 



Parte 13 



401 



^r ^>i 



^ t ^,^1^1 djj-- 



com efeito, Ele nos guiou a nossos 
caminhos? E, em verdade, 
pacientaremos, quanto ao que nos 
molestais. E que os confiantes, 
entao, confiem em Allah." 

13. E OS que renegaram a Fe 
disseram a seus Mensageiros: "Em 
verdade, far-vos-emos sair de 
nossa terra, ou regressareis a nossa 
crenca." Entao, seu Senhor, inspirou- 
Ihes^*^: "Certamente, aniquilaremos 
OS injustos, 

14. "E far-vos^^^-emos habitar a 
terra, depois deles. Isso, para quem 
teme Minha preeminencia e teme 
Minha comina9ao." 

15. E eles suplicaram a vit6ria^"^\ 
E mal-aventurado foi todo tirano 
obstinado, 

16. Adiante^"^^ dele, estara a 
Geena, e ser-lhe-a dado de beber 
agua putrefata, 

17. Que ele sorvera aos goles e 
quase nao conseguira tragar. E a 
morte chegar-lhe-a de todos os 
lados, e ele nao sera morto. E, 
adiante dele, havera duro castigo. 

18.0 exemplo das obras dos 









(0 Lhes: aos mensageiros. 

(2) Vos: OS mensageiros. 

(3) Quer dizer, os mensageiros suplicaram a vit6ria sobre os idolatras. 

C'^) O adverbio ^rabe wara' encerra duas acep^Oes opostas, conforme o contexto, ou 
seja, pode ser traduzido por adiante ou atras. 



14. Suratu Ibrahim 



Parte 13 



402 >r.>i 



) i ^lyl ijy^ 



que renegam a seu Senhor e como 
cinza, em que o vento sopra, 
intensamente, em dia tempestuoso. 
Nao tirarao proveito algum do que 
lograram. Esse e o profundo 
descaminho. 

19. Nao viste que Allah criou os 
ceus e a terra, com a verdade? Se 
Ele quisesse, far-vos-ia ir e faria 
vir novas criaturas. 

20. E isso nao e penoso para 
Allah. 

21. E expor-se-ao^^\ todos, a 
Allah; entao, os fracos dirao aos 
que se ensoberbeceram: "Por certo, 
eramos vossos seguidores. Pois, 
podeis valer-nos contra algo do 
castigo de Allah?" Eles^^^ dirao: 
"Se Allah nos houvesse guiado, 
haver-vos-iamos guiado. E-nos 
igual que nos aflijamos ou 
pacientemos; nao ha, para nos, 
fugida alguma." 

22. E, quando for encerrada^"^^ a 
ordem, Sata dira: "Por certo, Allah 
prometeu-vos a verdadeira promessa, 
e eu vos prometi, mas vos falhei. E 
eu nao tinha poder algum sobre 
vos, senao que vos convoquei, e me 
atendestes. Entao, nao me censureis. 






^l^\^^y^^4^ 









(^) Ou seja, todos os homens sairSo de seus tumulos, para prestar contas a Deus. 

(2) Eles: os soberbos. 

(3) Ou seja: quando se cumprir a determina9ao de recompensar os benfeitores e castigar 
OS maifeitores. 



14. SOratu IbrahTm 



Parte 13 



403 



>r ^>t 



\ i ^^yt\ 5jj-»» 



e censurai-vos a vos mesmos. Nao 
sou vosso Salvador nem vos sois 
meus salvadores. Por certo, renego 
que me houvesseis associado a 
Allah, antes." Por certo, os injustos 
terao doloroso castigo. 

23. E far-se-a entrar os que 
creem e fazem as boas obras em 
Jardins, abaixo dos quais correm 
OS rios; nesses, serao etemos, com 
a permissao de seu Senhor. Neles, 
sua sauda9ao sera: "Salam!", Paz! 

24. Nao viste como Allah propoe 
um exemplo? Uma palavra benigna 
e como uma arvore benigna, cuja 
raiz e firme e cujos ramos se al9am 
ao ceu; 

25. Ela concede seus frutos, em 
cada tempo, com a permissao de seu 
Senhor. E Allah propoe os exemplos 
para os homens, a fim de meditarem. 

26. E o exemplo de uma palavra 
maligna e como uma arvore maligna, 
que e desenraizada da superficie da 
terra: ela nao tem estabilidade. 

27. Allah torna firmes os que 
creem, com o firme dito, na vida 
terrena e na Derradeira Vida. E 
Allah descaminha os injustos. E 
Allah faz o que quer. 

28. Nao viste os que trocaram a 
gra9a de Allah por ingratidao e 
fizeram seu povo habitar a Morada 
da Destrui9ao? 















CoS\4^iy^\' 






14. Suratu Ibrahim 



Parte 13 



404 



S T tji-i >i i ^\ji\ '&jj^ 



29. A Geena, nela se queimarao. 
E que execravel lugar de 
permanencia! 

30. E fazem para Allah 
semelhantes, para descaminhar os 
homens de Seu caminho. Dize: 
"Gozai! Por certo, vosso destino 
sera 6 Fogo." 

31. Dize a Meus servos que creem 
que cumpram a ora9ao e despendam, 
secreta ou manifestamente, daquilo 
que Ihes damos por sustento, antes 
que chegue um dia, em que nao 
havera nem venda nem amizade. 

32. Allah e Quern criou os ceus 
e a terra e faz descer do ceu agua, 
com que faz brotar dos frutos 
sustento para vos. E submeteu-vos 
o barco, para correr no mar, por 
Sua ordem, e submeteu-vos os rios. 

33. E submeteu-vos o sol e a 
lua, constantes em seu percurso. E 
submeteu-vos a noite e o dia. 

34. E concedeu-vos de tudo que 
Lhe pedistes. E, se contais as gra9as 
de Allah, nao podereis enumera- 
las. Por certo, o ser humano e 
injusto, ingrato. 

35. E lembra-Ihes de quando 
Abraao disse: "Senhor meu! Faze 
esta cidade^'^ lugar de seguran9a, e 



® J0i \ o^jC^jL^j;L:4^ 



j,j^=^yy,^ 0^]y*^:-<^ O^'^i^c:^ 






( ^ ) Ou seja, a cidade de Makkah. 



14. Saratu IbrahTm 



Parte 13 



405 



>r ^>i 



\ i ^^ji\ Ojj-J 



faze-me, e a meus filhos, evitar 
que adoremos os idolos; 

36. "Senhor meu! Por certo, eles 
descaminharam a muitos dos 
homens. Entao, quern me segue, 
por certo, e dos meus^'\ E quern 
me desobedece, por certo, Tu es 
Perdoador, Misericordiador. 

37. ''Senhor nosso! Por certo, eu 
fiz habitar parte de minha 
descendencia^^^ em vale sem 
searas, junto de Tua Casa Sagrada 
- Senhor nosso! - para que eles 
cumpram a orafao. Entao, faze que 
OS cora^oes de parte dos homens 
se precipitem, a eles, com fervor. E 
da-lhes dos frutos, por sustento, na 
esperan9a de serem agradecidos. 

38. ''Senhor nosso! Por certo, 
Tu sabes o que escondemos e o que 
manifestamos. E nada se esconde 
de Allah na terra nem no ceu. 

39. ''Louvor a Allah, Que me 
dadivou, na velhice, com Ismael e 
Isaque. Por certo, meu Senhor e O 
Ouvidor da siiplica. 

40. ''Senhor meu! Faze-me 
cumpridor da ora9ao e, tambem, 
uma parte de minha descendencia. 
Senhor nosso! E aceita minha 
siiplica! 






t:-.-? 






^^:> J^j tjj <^J^ 



( 1 ) Ou seja, sera dos seguidores da religiao de Abraao. 

(2) Alusao a Ismael que, juntamente com sua mae Hagar, foram deixados, por Abraao, 
no vale de Makkah. 



14. SQratu IbrahTm Parte 13 



406 



yr t>i 



y i ^^ji\ 5jj-» 



41."Senhor nosso! Perdoa-me e 
a meus pais e aos crentes, um dia, 
quando advier a conta." 

42. E nao suponhas, Muham- 
mad, que Allah esteja desatento ao 
que OS injustos fazem. Ele, apenas, 
Ihes concede prazo, ate um dia em 
que as vistas se estarrecerao. 

43. Correndo, infrenes, de olhos 
fitos a frente, levantando as cabe9as, 
seus olhares nao obedecerao a sua 
vontade, e seus cora9oes estarao 
vazios. 

44. E admoesta os homens de 
que, um dia, o castigo Ihes chegara; 
entao, os que foram injustos dirao: 
"Senhor nosso! Concede-nos 
prazo, ate um termo proximo, nos 
atenderemos Tua convoca9ao e 
seguiremos os Mensageiros." Dir- 
se-lhes-a: "Nao jurastes, antes, que 
jamais deixarieis a terra^^^? 

45. "E habitastes as vivendas 
dos que foram injustos com si 
mesmos, e tornou-se evidente, para 
vos, como fizemos com eles, e, para 
vos, propomos os exemplos." 

46. E, com efeito, eles usam de 
estratagemas, enquanto seus 
estratagemas sao do conhecimento 
de Allah, ainda que, com seus 


















(0 Isto e, "que jamais serieis ressuscitados". 



14. Suratu Ibrahim 



Parte 13 



407 



)r ^>i 



y i ^t-!A\j)\ 6jj-»» 



estratagemas, as montanhas deixem 
de existir. 

47. Entao, nao suponhas, 
Muhammad, que Allah falte a 
promessa a Seus Mensageiros. Por 
certo, Allah e Todo-Poderoso, 
Possuidor de vindita. 

48. Um dia, a terra sera trocada 
por outra terra, e, tambem, os ceus. 
E expor-se-ao eles a Allah, O Unico, 
O Dominador 

49. E veras os criminosos, nesse 
dia, aos pares, atados a grilhoes, 

50. Seus trajes serao de alcatrao, 
e o Fogo Ihes cobrira as faces. 

51. Para que Allah recompense 
cada alma do que logrou. Por certo, 
Allah e Destro no ajuste de contas. 

52. Esta e uma Mensagem para 
OS homens, para que se guiem e, 
com ela, sejam admoestados, e 
para que saibam que Ele e Deus 
Unico, e, tambem, para que os 
dotados de discemimento meditem. 



^^.^ 













> 



15. Suratu Al-Hijr Parte 14 



408 



U ^yri 



> fjt^-S djj-- 



SURATU AL-HIJR^^^ 
A SURA DE AL-HIJR 



De Makkah - 99 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Alif, Lam, KdP'\ Esses sao os 
versiculos do Livro e explicito 
Alcorao. 

2. E muW^^ provavel que os 
que renegaram a Fe almejem haver 
sido moslimes. 

3. Deixa-os comer e gozar e 
deixa a esperan9a entrete-los, pois, 
logo saberao^"^^! 

4. E nao aniquilamos cidade 
alguma, sem que ela tivesse 
prescrifao determinada. 




.^i^^^W. 







(0 Al Hijr: esta palavra encerra varias acep^oes: P) rega^o; 2'*) o que e proibido; ; 
3a) o juizo que impede alguem de cometer tolices; 4a) o vale entre Al Madlnah e a 
Siria, que era habitada pela tribo de Thamud, e cujas casas, escavadas nas pedras, 
impediam o ataque das outras tribos. A ideia de abrigo e prote^ao subjaz, de alguma 
forma, nas quatro acep^oes citadas. Assim se denomina a sura, por vir mencionada 
esta palavra no versiculo 80. Seu tema principal 6 realgar os caracteres dos 
renegadores do Isiao e os motivos desta conduta, e, ao redor disso, a sura descreve 
OS cenarios do Universo: os cdus e suas constela^Oes, a terra estendida, as 
montanhas estabelecidas, os ventos polinizadores , as nuvens e as aguas, a vida e a 
morte, e a ressurrei^ao para todos os seres. Seguidamente, retoma a historia de Adao 
e Sata, bem como trechos de outras historias, como as de Chu^aib, Salih, etc., comu 
fito de mostrar a bem-aventuran^a e a mal-aventuran^a, segundo os atos humanos. 

(2)Cf. 11 I n3. 

(^) O adverbio de intensidade, muito, traduz a palavra rubama, que, junto ao verbo, 
Ihe confere, de acordo com o contexto, o aspecto de maior ou menor ocorrencia da 
a^ao que exprime. Neste versiculo, vigoram as duas acep^oes, e optou-se, aqui, 
pela a^ao de maior ocorrencia, pois, quando os descrentes, no Dia do Juizo, virem 
as recompensas dos que seguiram o Profeta, vSo lamentar, sobejamente, nao haver 
sido moslimes. 

(4) Ou seja, no futuro, saberao de seu nefasto fim. 



15. Suratu Al-Hijr Parte 14 



409 



)i ^>t 



) jP^\ Ojj-*. 



5. Nenhuma comimidade antecipa 
seu termo nem o atrasa. 

6. E eles^^^ dizem: "6 tu, sobre 
quern foi descido o Alcorao! Por 
certo, es louco! 

7. "Que nos fafas vir os anjos, 
se es dos veridicos!" 

8. Nao fazemos descer os anjos 
senao com a verdade, e, nesse caso, 
nao haveria, para eles^^\ dila^ao. 

9. Por certo, Nos fizemos descer 
o Alcorao e, por certo, dele somos 
Custodios. 

10. E, com efeito, enviamos, 
antes de ti, Mensageiros as seitas 
dos antepassados. 

11. E nao Ihes chegou Men- 
sageiro algum, sem que dele 
zombassem. 

12. Assim, tambem, Nos o^^^ 
introduzimos nos corafoes dos 
criminosos. 

13. Nele nao creem. E, com 
efeito, passaram os procedimentos 
dos antepassados. 

14. E, se Ihes abrissemos uma 



U5 tfl^l 13\ cjtS>^^ 






'JO 



^ (i.>-^43 oe-li^j 1 Ii5j 



^ i» ^ c 



(0 Eles: Qs idolatras de Makkah. 

(2) Eles: os idolatras, que recebiam o castigo, na vida terrena, pela retuta9ao da 

Verdade, mesmo se os anjos descessem. Quanto a dila9ao nao Iha seria concedida 

absolutamente. 
0) O: o Alcorao. Isso significa que, da mesma forma que Deus introduziu o Alcorao 

no cora9ao dos crentes, introduziu-o, tambem, no cora9ao dos descrentes, que dele 

descreram. 



15. SQratu Al-Hijr Parte 14 



410 



U t>t 



) yrJ-) djj^ 



porta do ceu, e eles seguissem 
ascendendo a ela, 

15. Em verdade, ainda, diriam: 
"Apenas, nossas vistas turvam-se; 
alias, somos um povo enfeiti9ado!" 

16. E, com efeito, fizemos, no 
ceu, constela96es, e aformoseamo- 
lo, para os oihadores. 

17. E custodiamo-lo, contra todo 
demonio maldito. 

18. Mas a quem tenta ouvir^^\ 
as ocultas, entao, uma evidente 
bolide persegue-o . 

19. E a terra, estendemo-la e, 
nela, implantamos assentes mon- 
tanhas e, nela, fizemos germinar de 
toda cousa, no justo peso. 

20. E, nela, fizemos meios de 
subsistencia para vos e para 
aqueles^^\ aos quais nao estais 
dando sustento. 

21. E nao ha cousa alguma, sem 
que estejam junto de nos seus 
cofres, e nao a fazemos descer 



©0^.^. 



':C^c/l^ 



)o^j>zZJ^y^ 






^|-^ ^-^•-- 



'l^^! -» '^^^^ f*-*^ ^ <-5yLI^ j^^ } 



^'U^ 



9--^Ji^>^^^^'^^ 






( ^ ) Segundo os exegetas, houve demonios, outrora, que tentaram, no ceu, escutar os 
coloquios dos anjos, para se inteirarem dos mais reconditos segredos, referentes 
aos eventos terrenos. Entretanto, parte deles foi impedida de faze-lo, por epoca do 
nascimento de Jesus; e, outra parte, por epoca do nascimento de Muhammad, de 
maneira que qualquer demonio que intentasse agir assim, ap6s Muhammad, seria 
perseguido por incandescente e fugaz estrela. 

(2) Alusao aos filhos, servos e empregados, que os senhores imaginam, de modo 
erroneo, estarem a seus encargos, exclusivamente, quando, na verdade, e Deus 
quem deles cuida, assim como cuida dos rebanhos e de todos os animais e de tudo 
quanto ha no Universo. 



15. SOratu Al-Hijr Parte 14 411 I y t tji-» 



> j9:J-\ ojj^ 



senao na medida determinada, 

22, E enviamos os ventos 
fecundantes, e fazemos descer do 
ceu agua, e damo-vo-la de beber; e 
nao sois seus retentores. 

23.E, por certo, damos a vida e 
damos a morte; e N6s somos O 
HerdeW^l 

24. E, com efeito, sabemos dos 
antecessores de vos e, com efeito, 
sabemos dos sucessores^^\ 

25. E, por certo, teu Senhor os 
reunira. Por certo, Ele e o Sabio, 
Onisciente. 

26. E, com efeito, criamos o ser 
humano de argila sonorosa^^\ de 
barro moldavel. 

27. E OS jinns, criamo-los, antes, 
do fogo do Samiim^'*^ 

28. E quando teu Senhor disse 
aos anjos: "Por certo, estou criando 
um mortal de argila sonorosa, de 
barro moldavel; 

29. "E, quando o houver formado 
e, nele, houver soprado algo de 









'/^[IaS 



^job 









(0 Ou seja, Deus e Eterno, e sobrevive a todos e a tudo, dos quais e o Herdeiro 
IJnico. 

(2) Trata-se do conhecimento que Deus tern das criaturas, das primeiras, existentes ao 
tempo de Adao, ate as ultimas, que existirao no Dia do Juizo. 

(3) Referenda a sonoridade emitida pelo barro seco, quando tocado. 

W Samum: vento abrasador, que penetra os poros. A palavra tem a mesma raiz de 
massam, poros. A transcri^ao simum existe em lingua portuguesa, por influencia 
francesa, a partir do seculo XIX. 



15. Suratu Al-Hijr Parte 14 



412 



M ^>i 



\ y:J-\ Sjj-^ 



Meu espirito, entao, cai proster- 
nados, diante dele." 

30. Entao, todos os anjos 
prosternaram-se, juntos. 

31.Exceto IblTs. Ele se recusou 
estar com os que se prosternavam. 

32. Allah disse: "6 IblTs! Por 
que razao nao estas com os que se 
prostemam?" 

33. Disse: "Nao e admissivel 
que me prosterne diante de um 
mortal que criaste de argila 
sonorosa, de barro moldavel." 

34. Allah disse: "Entao, sai 
dele^'\ e, por certo, es maldito. 

35. "E, por certo, a maldi9ao 
sera sobre ti, ate o Dia do Juizo." 

36. Ele disse: "Senhor meu! 
Entao, concede-me dila9ao, ate um 



dia, em que eles 
ressuscitados." 



(2) 



serao 



37. Allah disse: "E, por certo, es 
daqueles aos quais sera concedida 
dila9ao. 

38. "Ate o dia do tempo 
determinado." 

39. Ele disse: "Senhor meu! 
Pelo mal a que me condenaste, em 
verdade, aformosearei o erro, para 



^H-' ^ < ^I'f. 






ij~~^ 



'J>-' 



■l^Jls 






^uJ^y^jt^fS"^ 






Nf 



»Ju^ 



( 1 ) Dele: do Paraiso. Cf. VII 1 3 n 1 . 

(2) Eles: os homens. Cf. VII 14 n2. 



1 5. Suratu Al-Hijr Parte 1 4 



413 



U ^>i 



> y^\ ajy^ 



eles, na terra, e fa-los-ei, a todos, 
incorrer no mal, 

40. "Exceto Teus servos 
prediletos, entre eles." 

41. Allah disse: "Esta e uma 
senda reta, que Me impende 
observar. 

42. 'Tor certo, sobre Meus servos 
nao teras poder algum, exceto 
sobre os que te seguirem, entre os 
desviados. 

43. "E, por certo, a Geena sera 
seu lugar prometido, de todos. 

44. "Ela tern sete portas. Cada 
porta tera deles uma parte 
determinada." 

45. Por certo, os piedosos estarao 
entre jardins e fontes. 

46. Dir-se-lhes-a: "Entrai neles 
em paz e em seguran9a." 

47. E tiraremos o que houver de 
odio em seus peitos, sendo como 
irmaos, em leitos, frente a frente. 

48.Neles^^\ nenhuma fadiga os 
tocara, q deles jamais os farao sair. 

49. Informa Meus servos, 
Muhammad, de que sou O 
Perdoador, O Misericordiador. 

50. E de que Meu castigo e o 
doloroso castigo. 






K\\^y\j> 












^4>j^9^40i^^ol 



® Ul>^',.^lAlAyLi-3i 



^y-ijeo^HV-J'^ 






^XM^'^^\j^^'^^\3 



(0 Neles: nos jardins. 



15. SQratu Al-Hijr 



Parte 14 414 ) i ^jJUi 



> © j^fi^i 9jj^ 



51. E informa-os dos hospedes^^^ 
de Abraao, 

52. Quando entraram junto dele 
e disseram: "Salam!, Paz^^^!" Disse 
ele: "Por certo, estamos atemo- 
rizados convosco." 

53.Disseram: 'Tsfao te atemorizes! 
For certo, alvissaramo-te um filho 
sapiente." 

54. Disse: "Alvissarais-me um 
filho, enquanto a velhice ja me 
tocou? Entao, o que me 
alvissarais?" 

55.Disseram: "Alvissaramo-te a 
verdade. Entao, nao sejas dos 
desesperados." 

56. Disse: "E quem pode 
desesperar-se da misericordia de seu 
Senhor, senao os descaminhados?" 

57. Disse ainda: "Qual e vosso 
intuito, 6 Mensageiros de Allah?" 

58. Disseram: "For certo, fomos 
enviados a um povo criminoso, 
para aniquila-lo, 

59. "Exceto a familia de Lot. 
For certo, salva-la-emos, a todos, 

60. "Exceto sua mulher. Deter- 
minamos que, por certo, ela sera 
dos que ficarao para tras^^\" 



© J-!^^i^4^0^>4^J 



-r^ I V -^ ». 






ot^ 









^^x-*^ 






(0 Hospedes: os anjos, enviados a AbraSo, para alvissara-lo do nascimento de seu 

filho Isaque. 
(2)Cf. XI 69 n3. 
(3)Cf. VII 83 nl. 



15. Saratu AI-Hijr Parte 14 



415 



M ^j^\ 



^ jp:i^\ 5jj-*» 



61. E, quando os Mensageiros 
chegaram a familia de Lot, 

62. Ele disse: "Por certo, sois 
um grupo desconhecido." 

63. Disseram: "Mas chegamos a 
ti com o^^^ que eles^^^ contestam. 

64. "E trouxemo-te a verdade e, 
por certo, somos veridicos. 

65. "Entao, parte com tua familia, 
na calada da noite, e segue suas 
pegadas, e que nenhum de vos 
retome para tras. E ide para onde 
sois ordenados." 

66. E inspiramo-lhe essa ordem: 
que esses serao exterminados, ate o 
ultimo deles, logo ao amanhecer. 

67. E OS habitantes da cidade 
chegaram, exultantes^^l 

68.Ele^'^^ disse: "Por certo, esses 
sao meus hospedes. Entao, nao me 
desonreis. 

69. "E temei a Allah e nao me 
ignominieis." 

70. Disseram: "Nao te coibimos 
de hospedar quern quer que seja 

dos mundos?" 



^ . oTf ♦ -^t 



($) ^J^j^\l>J> X '.U-lili 






>^li 



)^-^ji<i; 






(0 O: castigo. 

(2) Eles: os criminosos. 

(^) Sabedores de que, na casa de Lot, havia formosos hospedes, os habitantes de 

Sodoma chegaram ansiosos, com o proposito de seduzi-los. 
(4) Ele: Lot. 



15. Suratu Al-Hijr Parte 14 415 > t ^^ 



> ^^\ 5jj--» 



71.Ele disse: "Estas sao minhas 
filhas^^\ se quereis faze-lo." 

72. Por tua vida, Muhammad! 
Por certo, eles estavam em sua 
embriaguez, caminhando as cegas. 

73. Entao, o Grito^^^ apanhou- 
os, ao nascer do sol. 

74. E revolvemo-las^^^ de cima 
para baixo, e fizemos chover sobre 
eles pedras de sijjil^'^^ 

75. Por certo, ha nisso sinais 
para os observantes. 

76. E, por certo, elas^^^ estavam 
em um caminho, que ainda 
permanece. 

77. Por certo, ha nisso um sinal 
para os crentes. 

78. E, por certo, os habitantes 
de Al-'Aykah^^^ eram injustos. 

79. Entao, vingamo-Nos deles. 
E, por certo, ambas^^^ estao em 
evidente caminho. 












(OCf. XI 78 n2. 

(2)Cf. XI 67 nl. 

(^) Revolvemo-las: as cidades do profeta Lot, ou seja, Sodoma e Gomorra. 

(4) SijjTl: pedras de barm cozidos no fogo da Geena. Cf. XI 82. 

(^) Elas: as cidades do povo de Lot, que permaneciam, ainda, ao tempo de 

Muhammad, de modo que seus contemporaneos podiam ve-las, quando a caminho 

de Makkah para a Siria. 
(6) Al 'Aikah: designa^ao dada a arvores de porte gigantesco, ou ao bosque em que 

elas se encontravam. O povo, a que alude o versiculo, e o do profeta Chu^aib, 

residente nas vizinhan^as deste bosque. 
(^) Ambas: as duas cidades: do povo de Lot e do povo de Chu^aib. 



15. Suratu Al-Hijr Parte 14 



417 



M t>i 



> y^\ djj^ 



80. E, com efeito, os compan- 
heiros de Al-Hijr^ ^^ desmentiram 
aos Mensageiros. 

81. E concedemo-lhes Nossos 
sinais, e eles Ihes estavam dando de 
ombros; 

82. E escavavam, em seguran9a, 
casas nas montanhas. 

83. Entao, o Grito apanhou-os, 
logo ao amanhecer. 

84. E de nada Ihes valeu o que 
logravam. 

85. E nao criamos os ceus e a 
terra e o que ha entre ambos, senao 
com a verdade. E, por certo, a 
Hora esta prestes a chegar. Entao, 
tolera os adversaries com bela 
tolerancia. 

86. Por certo, teu Senhor e O 
Criador, O Onisciente. 

87. E, com efeito, concedemo-te 
sete^^^ versiculos dos reiterativos e 
o magm'fico Alcorao. 

88. Nao estendas teus olhos^"^^ 
para aquilo que fizemos gozar 
alguns casais entre eles^'^^ E nao te 
entriste9as por eles. E baixa tua 









( ^ ) Conforme nl desta sura. 

(2) Referenda a al Fatihah, a primeira sura alcoranica, composta de sete versiculos, e 

repetida varias vezes nas ora96es dos moslimes. 
(^) Ou seja, "nao ambiciones os bens dos idolatras". 
(^) Entre eles: entre os idolatras e os pagSos. 



15. SQratu Al-Hijr Parte 14 



418 



U ^>» 



> jp:t^\ ijj^ 



asa^^^aoscrentes. 

89. E dize: "Por certo, sou o 
evidente admoestador" do castigo, 

90. Como o que fizemos descer 
sobre os que dividiram^^^ o Livro, 

91. Que fizeram o Alcorao em 
fragmentos. 

92. Entao, Muhammad, por teu 
Senhor! Interroga-los-emos, a todos, 

93. Acerca do que faziam. 

94. Proclama, entao, aquilo para 
o qual es ordenado e da de ombros 
aos idolatras. 

95. Por certo, N6s bastamo-te 
contra os zombadores, 

96. Que fazem, junto de Allah, 
outro deus. Entao eles logo saberao. 

97. E, em verdade, sabemos que 
teu peito se constrange com o que 
dizem. 

98. Entao, glorifica, com louvor, 
a teu Senhor e se dos que se 
prostemam. 

99. E adora teu Senhor, ate 
chegar-te a certeza^"^^ 






ai%>*Ll23\.i)iiii2^\!\^ 






^^\^\i'^^ji^5 



(0 Baixar suas asas aos crentes: "protege-os, com humildade e ternura". 

(2) AlusSo aos judeus e cristSos, que dividiram o AlcorSo, conforme seus caprichos, 

asseverando que parte do Livro era verdadeira, pois coincidia com as Escrituras, e 

parte era falsa, j^ que estava em desacordo com elas. 
(^) Segundo os exegetas, Certeza refere-se k Morte, pois dela nSo se pode duvidar. 



16. SQratu An-Nahl Parte 14 



419 



U fr>t 



> 1 J^l 5j^ 



SORATU an-nahl^*^ 

A SURA DAS ABELHAS 



De Makkah - 128 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Miser icordiador, 

1. A ordem de Allah ha de 
chegar^^^' entao, nao a apresseis. 
Glorificado e Sublimado seja Ele, 
acima do que idolatram. 

2. Ele faz descer os anjos sobre 
quern quer, entre Seus servos, com 
a revela9ao de Sua ordem: 
"Admoestai os homens de que nao 
existe deus senao Eu. Entao, 
temei-Me." 

3. Ele criou os ceus e a terra, 
com a verdade. Sublimado seja Ele 
acima do que idolatram! 

4. Ele criou o ser humano de 
gota seminal; ei-lo^^\ entao. 




^,^0^"^^ 






^i!f^\o^j^^^ 



DO^ 



y^\':^l5i!^^^l^^\ 5i5- 






(0 An-Nahl: e a forma plural de nahlah, que define os insetos himenopteros socials, 
produtores do mel. O titulo desta sura prov^m da mengao deste inseto no versiculo 
68 e, como todos as suras reveladas em Makkah, ela trata dos assuntos basicos do 
Islao, tais como a unicidade de Deus, a Revela9ao, o envio dos profetas com a 
Mensagem divina. Esta sura trata, ainda, de assuntos, como: o elo que une a religiSo 
do Patriarca Abra^o com a do Profeta Muhammad; as pretensoes pagSs acerca do 
que e licito; a emigra9ao pela causa de Deus; a ordem divina a respeito da pr^tica da 
justi9a, da caridade e do cuniprimento do pacto. O pano de fundo destes assuntos e 
o Universo inteiro: os ceus e a terra, as aguas e as plantas, o dia e a noite, o sol, a lua, 
as estrelas, em sintese, a vida terrena e a eterna com suas respectivas caracteristicas. 

(2) Os idolatras de Makkah exigiam do Profeta o apressamento do castigo da vida 
terrena ou eterna. E, em nSio ocorrendo o advento deste, aumentavam o escarnio 
contra Muhammad, insinuando que o Profeta, apenas, pretendia amedronta-los 
com fatos sem base real. O versiculo confirma, entao, a inevitabilidade da Ordem 
de Deus. 

(^) Lo: o homem que, apesar de oriundo de insignificante gota seminal, poe em 



16. Suratu An-Nahl 



Parte 14 



420 



M ^>-i 



s ^ >vJi 5^^ 



adversario declarado. 

5. E OS rebanhos, Ele os criou. 
Neles, tendes calor^'^ e proveitos, e 
deles comeis. 

6. E tendes neles beleza, quando, 
ao anoitecer, os fazeis voltar aos 
apriscos, e, quando, ao amanhecer, 
OS levais para pascer. 

7. E eles carregam vossas cargas 
para um territorio, a que nao 
chegarieis senao com a dificuldade 
das almas. Por certo, vosso Senhor 
e Compassivo, Misericordiador. 

8. E criou os cavalos e as mulas 
e OS asnos, para os cavalgardes e 
para os terdes como omamento. E 
Ele cria o que nao sabeis^^\ 

9. E a Allah impende indicar a 
dire9ao reta do caminho, e neste 
ha-os com desvio. E, se Ele quisesse, 
guiar-vos-ia, a todos v6s^"^\ 

10. Ele e Quem vos faz descer 
do ceu agua. Dela bebeis e dela 
brota vegeta9ao, em que fazeis 
pascer vossos rebanhos. 



9f ? \'-'-*K ak-^^s-^ -rtlTv'-' 



19 






bj^hf^j 












duvida o poder criador de Deus. Aqui, ha alusao a 'Ubai Ibn Khalaf, que se 
apresentara ao Profeta, com ossos humanos putrefatos, inquirindo-o da 
possibilidade de Deus faze-lo ressuscitar naquele instante. O versiculo responde, 
pois, a todos quantos nao creem no poder de Deus de ressuscitar os mortos. 
(U O calor propiciado pelas vestes feitas de sua pele e pelo. 

(2) Creem alguns exegetas haver, aqui, alusSo as inven9oes criadas, modernamente, 
pelo homem, tais como os variados meios de transporte: os veiculos automotores, 
avioes, trens, etc.. 

(3) Ou seja, Deus conferiu ao homem o livre arbitrio, que Ihe permite escolher o 
caminho que Ihe aprouver. 



16. Suratu An-Nahl Parte 14 



421 ^t.>i 



\ 1 >Jl Ojy^ 



11. Com ela, Ele vos faz 
germinar as searas e as oliveiras e 
as tamareiras e as videiras e toda 
especie de frutos. Por certo, ha 
nisso um sinal para um povo que 
reflete. 

12. E submete-vos a noite e o 
dia, e o sol e a lua. E as estrelas 
estao submetidas, por Sua ordem. 
Por certo, ha nisso sinais para um 
povo que razoa. 

13. E submete-vos o que Ele 
vos fez existir, na terra, cujas cores 
sao variadas. Por certo, ha nisso 
um sinal para um povo que medita. 

14. E Ele e Quem vos submete o 
mar, para dele comerdes carne 
tenra, e dele extrairdes adornos, 
que usais. E tu ves o barco 
sulcando-o, e, tudo isso, para que 
busqueis algo de seu favor, e para 
serdes agradecidos. 

15. E Ele implantou na terra 
assentes montanhas, para que ela 
se nao abale convosco, e tambem 
rios e caminhos, para vos guiardes, 

16. E pontos de referenda. E, 
com as estrelas, eles, os homens, 
se guiam. 

17. Quem cria seria como quem 
nao cria? Entao, nao meditais? 

18. E, se contais as gra9as de 
Allah, nao podereis enumera-las. 










DCy-^:^, 



•>j 



O'O'^-AC^ 



^J 






16. SOratu An-Nahl Parte 14 



422 



U ^jJri 



\ n j^i 9j^ 



Por certo, Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

19. E Allah sabe o que ocultais 
e o que manifestais. 

20. E OS que eles invocam, alem 
de Allah, nada criam, enquanto 
eles mesmos sao criados. 

21. Sao mortos, nao vivos. E 
nao percebem^^^ quando serao 
ressuscitados. 

22. Vosso Deus e Deus Unico. 
Entao, OS que nao creem na 
Derradeira Vida, seus cora96es sao 
negadores da unicidade de Deus, 

e eles sao soberbos. 

23. E inconteste que Allah sabe o 
que eles ocultam e o que manifestam. 
Por certo, Ele nao ama os soberbos. 

24. E, quando se Ihes diz: "O que 
vosso Senhor fez descer?", dizem: 
"As fabulas dos antepassados." 

25. Que eles carreguem seus 
fardos inteiros, no Dia da 
Ressurrei9ao, e parte dos fardos dos 
que eles descaminham, sem ciencia. 
Ora, que vil o que eles carregarao! 

26. Com efeito, aqueles, antes 
deles, usaram de estratagemas, e 
Allah chegou a sua edifica9ao^^\ 















3 Jl(j^^.^j^cy^^^ jS 



( ^ ) Referencia aos idolos de pedra, ou de qualquer outro material inerte, inanimado: 

incapazes, naturalmente, de perceber o que quer que seja. 
(2) Edifica^ao: a torre construida por Nimrod - o fabuloso rei caldaico, de que falam 



16. Suratu An-Nahl Parte 14 



423 



M ^'}r\ 



\ ^ J^l djj-- 



pelos alicerces. Entao, o teto ruiu 
sobre eles, e o castigo chegou-Ihes 
por onde nao perceberam. 

27. Em seguida, no Dia da 
Ressurrei9ao, Ele os ignominiara e 
dira: "Onde estao Meus parceiros, 
pelos quais discordastes?" Aqueles, 
aos quais fora concedida a ciencia, 
dirao: "Por certo, hoje, a ignominia 
e o mal serao sobre os renegadores 
daFe, 

28. "Aqueles, cujas almas os 
anjos levam, enquanto injustos com 
si mesmos." Entao, eles render-se- 
ao, dizendo: "Nao faziamos nada 
de mal". Dirao os anjos: "Sim! 
Por certo, Allah e Onisciente do 
que fazieis, 

29. "Entao, entrai pelas portas 
da Geena. Nela, sereis etemos. E 
que execravel, em verdade, a 
moradia dos assoberbados!" 

30. E dir-se-a aos que foram 
piedosos: "O que fez descer vosso 
Senhor?" Dirao: "Um bem." Ha, 
para os que bem-fazem, nesta vida 
terrena, algo de bom. Mas, em 
verdade, a morada da Derradeira 
Vida e melhor. E, que excelente a 
morada dos piedosos! 

31. Os Jardins do Eden, em que 






-r i-rii I V -r •If ^ 'X-y^'. 












^ 



uu 



^^ 



oti^^Wy^^A^^ 



as Escrituras e as tradi^Oes arabes e persas - por meio da qual pretendia combater 
OS habitantes do ceu, e a qual Deus determinou fosse destruida. 



16. Suratu An-Nahl 



Parte 14 



424 



>t ^^\ 



> 1 J>fcJ» Ojj-- 



entrarao, abaixo dos quais correm 
OS rios. Nesses, terao o que 
quiserem. Assim, Allah recompensa 
OS piedosos, 

32. Aqueles^'\ cujas almas os 
anjos levam, enquanto benignos, 
dizendo: "Que a paz seja sobre 
vos! Entrai no Paraiso, pelo que 
fazieis." 

33.Nao esperam eles^^^ senao 
que OS anjos Ihes cheguem, ou que 
chegue a ordem de teu Senhor? 
Assim, agiram os que foram antes 
deles. E nao foi Allah injusto com 
eles, mas eles foram injustos com 
si mesmos. 

34. Entao, as mas obras que 
fizeram alcanfaram-nos, e aquilo 
de que zombavam envolveu-os. 

35. E OS que idolatram dizem: 
"Se Allah quisesse, nada 
idolatrariamos, alem dEle, nem nos 
nem nossos pais, e nada nos 
proibiriamos, alem do que Ele 
proibiu." Assim, agiram os que 
foram antes deles. Entao, nao 
impende aos Mensageiros senao 
evidente transmissao da Mensagem? 

36. E, com efeito, enviamos a 
cada comunidade um Mensageiro, 
para dizer: "Adorai a Allah e 






^^ < T-f . 






iSO 












(0 Aqueles: os bem aventurados, isto e, os mensageiros, os profetas e os crentes. 
(2) Eles: OS idolatras. 



16. Saratu An-Nahl 



Parte 14 



425 



U ^>t 



> n >Ji 5j^ 



evitai At-Taghut^^V' Entao, dentre 
eles, houve aquele a quern Allah 
guiou, mas, dentre eles, houve aquele 
ao qual se deveu o descaminho. 
Caminhai, pois, na terra, e olhai 
como foi o fim dos desmentidores! 

37. Se estas zeloso de guia-los, 
por certo, Allah nao guia a quern 
Ele descaminha. E eles nao tern 
socorredores. 

38. E eles juram, por Allah, com 
seus mais solenes juramentos, que 
"Allah nao ressuscitara a quem 
morre." Sim! E promessa que, 
deveras, Lhe impende. Mas a 
maioria dos homens nao sabe. 

39. Ressuscita-lo-a, para tornar 
evidente, para eles, o de que 
discrepavam e para saberem os que 
renegaram a Fe que eram mentirosos. 

40. Nosso dito, para uma cousa, 
quando a desejamos, e, apenas, 
dizer-lhe: "Se", entao, e. 

41. E aos^^^ que, por Allah, 
emigraram, depois de haverem 
sofrido injusti9a, em verdade, 
dispo-los-emos, na vida terrena, 
com bela dadiva. E, certamente, o 
premio da Derradeira Vida e 
maior. Se soubessem! 









(l)Cf. II 256 n2. 

(2) Aos: o Profeta e seus companheiros, que emigram de Makkah - uns para a Etiopia, 

outros para A! Madlnah - apos haverem sofrido grandes injusti^as por parte dos 

Quraich. 



1 6. Saratu An-Nahl Parte 1 4 



426 



^i ^>i 



^ •; >Ji oj^ 



42. Sao OS que pacientam, e em 
seu Senhor confiam. 

43. E nao enviamos, antes de ti, 
Muhammad, senao homens^*\ aos 
quais fizemos revela9oes. Entao, 
perguntai-o aos sapios da 
Mensagem^^\ se nao sabeis. 

44. Enviamo-los com as 

evidencias e os Salmos. E fizemos 
descer, para ti, a Mensagem, a fim 
de tomares evidente, para os 
homens, o que foi descido para 
eles, e a fim de refletirem. 

45. Entao, sera que os^^^ que 
usaram de maus estratagemas estao 
seguros de que Allah nao fara a 
terra engoli-ios, ou de que o 
castigo Ihes nao chegara por onde 
nao percebam? 

46. Ou de que Ele os nao 
apanhara em sua prosperidade, entao 
nao possam escapar? 

47. Ou de que Ele os nao 
apanhara, paulatinamente, com 
gradual ruina? Entao, por certo, 
vosso Senhor e Compassivo, 
Misericordiador. 

48. E nao viram eles que a 
sombra de todas as cousas que 









(0 Ou seja, nao foram enviados anjos, como exigiam os idolatras de Makkah. 

(2) Mensagen: a Tora e o Evangelho. 

(3) Aiusao aos Quraich idolatras que se reuniram em Dar Al-Nadwah, para deiiberarem 
sobre urn meio de se livrarem do Profeta, quer o aprisionando, matando-o ou o 
expuisando. Cf VIII 30. 



16. SQratu An-Nahl 



Parte 14 



427 ^ t .>) 



) ^ j^i dj>^ 



Allah criou se Ihes alonga, a direita 
e a esquerda, prostemando-se diante 
de Allah, humildemente? 

49. E, diante de Allah, prostema- 
se o que ha nos ceus e o que ha na 
terra de ser animal, e tambem os 
anjos, e eles nao se ensoberbecem. 

50. Eles temem seu Senhor, 
acima deles, e fazem o que Ihes e 
ordenado. 

51. E Allah disse: "Nao tomeis, 
em adora^ao, a dois deuses. 
Apenas Ele e Deus Unico, e a 
Mim, entao, venerai-Me." 

52. E dEle e o que ha nos ceus e 
na terra, e dEle e a devofao perpetua. 
Entao, temeis a outro que Allah? 

53. E toda gra9a, que esta 
convosco, vem de Allah. Em 
seguida, quando o infortunio vos 
toca, e a Ele que dirigis o rogo. 

54. Em seguida, quando Ele vos 
remove o infortunio, eis um grupo, 
de vos, que associa idolos a seu 
Senhor, 

55. Para renegar o que Ihes 
concedemos. Gozai, pois! Logo, 
sabereis! 

56. E eles destinam aos^'^ que 
nada sabem uma porfao do que 
Ihes damos por sustento. Por Allah! 

(^) Ou seja, aos idolos. 












Lorj U 9 i 






16. SOratu An-Nahl Parte 14 



428 



U ^>i 



> n >Ji 6j^ 



Sereis interrogados, certamente, 
acerca do que forjaveis! 

57. E atribuem as filhas^^^ a 
Allah - Glorificado seja! - e, a eles 
mesmos, o^^^ que Ihes apetece. 

58. E, quando a um deles se Ihe 
alvissara o nascimento de uma 

filha, toma-se-lhe a face enegrecida, 
enquanto fica angustiado. 

59. Esconde-se do povo, por 
causa do mal que se Ihe alvissarou. 
Rete-lo^^^-a, com humilha9ao, ou 
soterra-lo-a no p6? Ora, que vil o 
quejulgam! 

60. Aos que nao creem na 
Derradeira Vida, cabe o pior 
qualificativo, enquanto a Allah, o 
altissimo qualificativo. E Ele e O 
Todo-Poderoso, O Sabio. 



se 



Allah culpasse os 
sua injusti9a, nao 



61. E, 

homens por 

deixaria sobre ela^"*^ ser animal 

algum; mas concede-lhes prazo, ate 

um termo designado. Entao, quando 

chegar seu termo, nao poderao 

retarda-lo, uma hora sequer, nem 

adianta-lo. 

62. E eles atribuem a Allah o^^^ 



^j^j .li^^cii c£^^^J)^^ 



^y C)j4pj^^ 



CjjJ>^C^^ J^^C^ 'iC\3^ JlI^ 

Sy^jili^^^ Aoliii 






-J 



( Cren9a arabe pagS de que os anjos sao do sexo feminino e sao as filhas de Deus. 

(2) O: OS filhos varoes. 

(^) Lo: mal representado pelo nascimento de uma filha. 

(4) Ela: a terra. 

(^) O: aquilo, as filhas mulheres. 



16. Suratu An-Nahl Parte 14 



429| ^ i ^>» 



^ 1 J^xJl OjyM 



que odeiam. E suas linguas alegam 
a mentira, quando dizem que terao 
a mais bela recompensa. E inconteste 
que terao o Fogo e que a este serao 
conduzidos, antes de todos. 

63. Por Allah! Com efeito, 
enviamos Mensageiros a comuni- 
dades, antes de ti. Entao, Sata 
aformoseou-lhes as obras, e ele e, 
hoje, seu aliado, nesta vida. E eles 
terao doloroso castigo, na outra. 

64. E nao fizemos descer, sobre 
ti, o Livro senao para tornares 
evidente, para eles, o de que 
discrepam e para ser ele orienta^ao e 
misericordia para um provo que ere. 

65. E Allah faz descer do ceu 
agua; e, com ela, vivifica a terra, 
depois de morta. Por certo, ha nisso 
um sinal para um povo que ouve. 

66. E, por certo, ha nos rebanhos, 
li9ao para vos. Damo-vos de beber, 
do que ha em seus ventres -entre 
fezes e sangue- leite puro, suave 
para quem o bebe. 

67. E dos frutos das tamareiras e 
das videiras, deles tomais vinho^^^ 
e belo sustento^^\ Por certo, ha 












(0 Vinho traduz o termo arabe sakar, que significa: 1) a bebida alcoolica; 2) o 
vinagre; 3) a bebida nao espirituosa. A ultima acepQao condiz mais com este 
versiculo, uma vez que o Islao proibe, taxativamente, a ingestao de bebida 
alcoolica. Entretanto, se este versiculo se refere ao primeiro sentido, deve haver 
sido revelado em Makkah, antes dessa proibi^ao, ocorrida em Al Madlnah. 

(2) Ou seja tamara e uvas secas. 



16. SOratu An-Nahl Parte 14 



430 > i ^>' 



n>Ji5j>-. 



nisso um sinal para um povo que 
razoa. 

68. E teu Senhor inspirou as 
abelhas: "Tomai casas, nas 
montanhas e nas arvores e no que 
eles^^^erigem. 

69. "Em seguida, comei de todos 
OS frutos. E ide, docilmente, pelos 
caminhos de vosso Senhor." De 
seu ventre sai um licor: variadas 
sao suas cores; nele, ha cura para 
OS homens. Por certo, ha nisso um 
sinal para um povo que reflete. 

70. E Allah criou-vos; em 
seguida, levar-vos-a a alma. E ha, 
dentre vos, quem seja levado a 
mais provecta idade, para nada 
mais saber, apos haver tido 
ciencia. Por certo, Allah e 
Onisciente, Onipotente. 

71. E Allah preferiu alguns de 
vos a outros, na reparti^ao do 
sustento. Entao, os que sao 
preferidos nao estao partilhando 
seu sustento com seus escravos^ , 
e nele, seriam iguais. Entao, negam 
eles a gra9a de Allah? 

72. E Allah vos fez mulheres de 
vos mesmos e vos fez, de vossas 
mulheres, filhos e netos, e deu-vos 






M jjiyo 






oj 









(0 Eles: OS homens. 

(2) No AlcorSo, a frase metaforica: "O que suas destras possuem" traduz o vocabulo 
"escravos". 



16. SQratu An-Nahl Parte 14 



431 



U ^>ri 



> 1 >Ji 5j^ 



por sustento das cousas benignas. 
Entao, creem eles na falsidade e 
renegam a gra9a de Allah? 

73. E eles adoram, alem de 
Allah, o que nao possui, para eles, 
sustento algum, nem dos ceus nem 
da terra, e nada podem. 

74. Entao, nao engendreis 
semelhantes a Allah. Por certo, 
Allah sabe, enquanto vos nao sabeis. 

75. Allah propoe um exemplo: 
um escravo subaltemo, que nada 
pode, e um homem a quern damos 
por sustento um belo sustento de 
Nossa parte, e, dele, despende, 
secreta e declaradamente. Igualar- 
se-ao? Louvor a Allah! Mas a 
maioria deles nao sabe. 

76. E Allah propoe um exemplo: 
dois homens, um deles mudo, que 
nada pode, e e fardo para seu amo; 
aonde quer que este o envie, dai 
nao chegara com bem algum. 
Igualar-se-a ele a quem ordena a 
justi^a e esta em senda reta? 

77. E de Allah e o Invisivel dos 
ceus e da terra. E a ordem acerca 
da Hora nao sera senao como o 
piscar de olhos, ou mais rapido, 
ainda. Por certo, Allah, sobre 
todas as cousas, e Onipotente. 

78. E Allah vos faz sair do 
ventre de vossas maes, enquanto 
nada sabeis. E vos faz o ouvido e 



<£y^^j^iJ44^^ 



^i=:»jjS \^is>%^ '^C(j^^-^ 

''^H ^,/Tf ^^ 9- »- \^ 






16. Suratu An-Nahl 



Parte 14 



432 > t .>» 



> •; J^xiii djj^ 



as vistas e os cora96es, para serdes 
agradecidos. 

79.Nao viram eW^ os passaros 
submetidos, no espa9o do ceu, 
onde nada os sustem senao Allah? 
Por certo, ha nisso sinais para um 
povo que ere. 

80. E Allah vos faz, de vossas 
casas, lugar de repouso, e vos faz, 
das peles dos rebanhos, casas, que 
achais leves, em vosso dia de viagem 
e em vosso dia de acampamento. E 
de sua la e de seu pelo e de sua 
crina, tendes guami9oes e proveito, 
ate certo tempo. 

81. E Allah vos faz sombras do 
que criou. E vos faz abrigos, das 
montanhas. E vos faz vestes que vos 
guardam do calor e vestes que vos 
guardam, em vossas guerras. Assim, 
Allah completa Sua gra9a, para 
convosco, para vos islamizardes. 

82. E, se voltam as costas, apenas, 
impender-te-a, Muhammad, a 
evidente transmissao da Mensagem. 

83. Eles reconhecem a gra9a de 
Allah; em seguida, negam-na. E a 
maioria deles e renegadora da Fe, 

84. E lembra-lhes de que, um 

dia, faremos surgir uma 
testemunha^^\ de cada comunidade. 



r4^\jS^r^\r^\ji=^ 



^^j 













(0 Eles: todos os homens. 

(2) Ou seja, no Dia da Ressurrei9ao, os profetas, enviados as na9oes, serao testemunhas 
de sua renega^ao. 



16. SOratu An-Nahl Parte 14 



433 > t .>i 



> 1 J>cJi OjJ-^ 



Em seguida, nao sera permitida a 
escusa aos que renegaram a Fe, e eles 
nao serao solicitados a se desculpar. 

85. E, quando os que foram 
injustos virem o castigo, este nao 
se aliviara, para eles, nem se Ihes 
concedera dila9ao. 

86. E, quando os idolatras virem 
seus idolos, dirao: "Senhor nosso! 
Esses sao nossos idolos, que 
invocamos, alem de Ti." Entao, os 
idolos endere9ar-lhes-ao o dito: 
"Por certo, sois mentirosos." 

87. E, nesse dia, eles render-se- 
ao a Allah. E sumira, para longe 
deles, o que forjavam. 

88. Aos que renegam a Fe e 
afastam os homens do caminho de 
Allah, Nos acrescentar-lhes-emos 
castigo sobre castigo, pela corrup9ao 
que cometiam. 

89. E um dia, faremos surgir, de 
cada comunidade, uma testemunha 
dela mesma, e te traremos por 
testemunha contra estes^*\ E 
fizemos descer sobre ti o Livro^^\ 
como elucida9ao de todas as 
cousas, e orienta9ao e misericordia 
e alvissaras para os moslimes. 



CAt} ^>::iL^ /La>j 



y^ ^ ♦^o 






^jjj \". ^-^^v ^ ..-"''"'^ D^^ C}^' 



(1) Destes: os idolatras krabes que recusaram a religiSo nova. 

(2) O Livro: o Alcorao. 



16. SOratu An-Nahl 



Parte 14 



434 ^ t ^>' 



^ n j^i ojj^ 



90. Por certo, Allah ordena a 
justifa e a benevolencia e a 
liberalidade para com os parentes, e 
coibe a obscenidade e o reprovavel 
e a transgressao. Ele vos exorta, 
para meditardes. 

91. E sede fieis ao pacto de 
Allah, quando ja o pactuastes, e 
nao desfa9ais os juramentos, apos 
haverem sido firmados, uma vez 
que, com efeito, fizestes a Allah 
vosso Fiador. Por certo, Allah sabe 
o que fazeis. 

92. E nao sejais como aquela^^^ 
que desfazia, em filamento, sua 
fia9ao, apos retorcida firmemente, 
tomando vossos juramentos por 
engodo, entre vos, por ser uma 
comunidade mais crescida que 
outra comunidade. Apenas, Allah 
poe-vos a prova, com isso; e isso, 
para que, no Dia da Ressurrei9ao, 
Ele tome evidente, para vos, o de 
que discrepaveis. 

93. E, se Allah quisesse, far-vos- 
ia uma unica comunidade, mas Ele 
descaminha a quem quer, e guia a 
quem quer. E, em verdade, sereis 
interrogados acerca do que fazieis. 

94. E nao tomeis vossos 
juramentos por engodo, entre vos, 






• * '^^j^t^^^%s=>jz^y^,^\ljt 



SI. 






A>;j W l^^sJm^ 4ii'i'Li*{j3j 



(0 AlusSo a uma tola mulher, de Makkah, que passava o dia fiando, para, no final 
dele, desfazer tudo que fizera. O versiculo coteja esta atitude com o perjurio, que 
desfaz em nada um solido juramento. 



16. SOratu An-Nahl Parte 14 



435 



U ^>rl 



> ^ J^l 5;^ 



pois, tropecaria o pe apos haver 
sido firme^ \ e experimentarieis o 
mal, por haverdes afastado os 
homens do caminho de Allah, e 
terieis formidavel castigo. 

95. E nao vendais o pacto de 
Allah por infimo pre90. Por certo, 
o que ha junto de Allah vos e 
melhor. Se soubesseis! 

96.0 que ha junto de vos se 
exaure, mas o que ha junto de 
Allah e permanente. E, em 
verdade, recompensaremos os que 
pacientaram com premio melhor 
que aquilo que faziam. 

97. A quem faz o bem, seja 
varao ou varoa, enquanto crente, 
certamente, fa-lo-emos viver vida 
benigna. E Nos recompensa-los- 
emos com premio melhor que 
aquilo que faziam. 

98. E, quando leres o Alcorao, 
suplica a prote9ao^^^ de Allah 
contra o maldito Sata. 

99. Por certo, ele nao tem poder 
sobre os que creem e confiam em 
seu Senhor. 

100. Seu poder esta, apenas, 
sobre os que a ele se aliam e que. 



f-t ^. 






^ CL^ 






^^JC>^^\y(ks9G ^>^l^ 






4i\j a^L2j\3 o^^p5\ o^\i^ 



(0 Ou seja, depois de os pes haverem seguido, firmemente, o caminho reto do IslSo. 
(2) O crente, antes de ler ou recitar o Alcorao, e a fim de que Deus possa protege-Io 

contra o mal de Sata, deve dizer a seguinte frase: "A^uzu billahi min ach-chaitani 

ar-rajTm" (Busco refugio em Deus contra o maldito Sata). 



16. Suratu An-Nahl Parte 14 



436 ^ t ^>' 



) n J^l Ojj-^ 



por sua causa, sao idolatras. 

101. E, quando trocamos um 
versiculo por outro versiculo - e 
Allah e bem Sabedor do que faz 
descer - eles^^^ dizem: "Tu es, 
apenas um forjador^^V' Nao . Mas 
a maioria deles nao sabe. 

102.Dize: "O Espirito Sagrado^^^ 
fe-lo^"^^ descer, de teu Senhor, com 
a verdade, para tomar firmes os 
que creem e para ser orienta9ao e 
alvissaras para os moslimes. 

103. E, com efeito, sabemos que 
eles dizem: "Apenas, um ser 
humano^^^ ensina-o." Ora, a lingua 
daquele^^\ a que aludem, e foranea, 
e este^^^ e de lingua arabe, clara. 

104. Por certo, aos que nao 
creem nos sinais de Allah, Allah 
nao OS guiara, e terao doloroso 
castigo. 

105. Apenas forjam mentiras os 
que nao creem nos sinais de Allah, 
e esses sao os mentirosos. 






^}J 









(0 Eles: OS idolatras. 

(2) Alusao as acusa96es feitas pelos idolatras contra o Profeta, insinuando que este 

modificava e falsificava o Livro, segundo suas inten96es. 
(^) O Espirito Sagrado: o anjo Gabriel, com quern desceu a revela9ao do Livro. 

(4) O: Alcorao. 

(5) Alusao a um servo instruido, de nome Ya^ch, que, havendo abra^ado o IslSo, 
passou a recitar o AlcorSo, continuamente. Dizem que o Profeta sempre o ouvia, 
quando por ele passava. (Al ZamakhcharT, vol. 11, p.429, Cairo, 1938). 

(6) Daquele: do servo instruido. 

(7) Este: AlcorSo. 



16. Suratu An-Nahl Parte 14 



437 



U ^>r< 



) \ Jj^uJl 5jj-- 



106. Quern renega a Allah, apos 
haver crido, sera abominoso, 

exceto quern for compelido a isto, 
enquanto seu cora9ao estiver firme 
na Fe. Mas quern dilata o peito 
para a renega9ao da Fe, sobre eles 
sera uma ira de Allah, e terao 
formidavel castigo. 

107. Isso, por que eles amam 
mais a vida terrena que a Derradeira 
Vida. E Allah nao guia o povo 
renegador da Fe. 

108. Esses sao aqueles cujos 
cora96es e ouvido e vistas Allah 
selou. E esses sao os desatentos. 

109. E inconteste que eles, na 
Derradeira Vida, serao os per- 
dedores. 

110. E, por certo, teu Senhor 
sera, para com os que emigraram, 
apos haverem sido provados - em 
seguida, lutaram e pacientaram - 
por certo, depois disso, teu Senhor 
sera Perdoador, Misericordiador. 

lll.Lembra-lhes de que, um 

dia, cada alma chegara para 
discutir acerca de si mesma, e cada 
alma sera compensada com o que 
fez. E eles nao sofrerao injusti9a. 

112. E Allah propoe um 
exemplo: uma cidade^^\ estava em 













c^l^==3 il^ ^5J3^ ili^^I^^riy 



( ^ ) AlusSo aos habitantes pagaos da cidade de Makkah. 



16. SQratu An-Nahl Parte 14 



438 



U f>» 



> n j^\ hj^ 



seguran9a, tranqiiila; a ela chegava, 
fartamente, seu sustento, de todos 
OS lados. Depois, renegou as 
gra9as de Allah. Entao, Allah fe-la 
experimentar a violencia da fome e 
do medo, pelo que faziam. 

113.E, com efeito, um 
Mensageiro chegou-lhes, vindo 
deles, mas desmentiram-no. Entao, 
o castigo apanhou-os enquanto 
injustos. 

114.Comei, entao, do que Allah 
vos deu por sustento, enquanto 
licito e benigno. E agradecei a 
gra9a de Allah, se so a Ele adorais. 

115. Ele vos proibiu, apenas, o 
animal encontrado morto^^\ e o 
sangue, e a came de porco, e o que 
e imolado com a invoca9ao de 
outro nome que Allah. E quem e 
impelido a alimentar-se disso, nao 
sendo transgressor nem agressor^^\ 
por certo, Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

116. E nao digais, por alega9ao 
mentirosa de vossas linguas: "Isto e 
licito e isto e ilicito", para forjardes 
a mentira acerca de Allah. Por 
certo, OS que forjam a mentira 
acerca de Allah nao sao bem- 
aventurados. 















(OCf. II 173 n3. 
(2)Cf. II 173 p.45nl. 



16. SQratu An-Nahl Parte 14 



439 



U ^>i 



\ n j^i dj^ 



117. Tem gozo infimo, mas terao 
doloroso castigo. 

118. E, aos que praticam o 
judaismo, proibimos o que te 
narramos, antes^^^, e nao fomos 
injustos com eles, mas eles foram 
injustos com si mesmos. 

119. E, certamente, teu Senhor, 
para com os que fazem o mal, por 
ignorancia, e, logo, voltam-se 
arrependidos e emendam-se, por 
certo, depois disso, teu Senhor e 
Perdoador, Misericordiador. 

120. Por certo, Abraao era 
procer, devoto a Allah, monoteista 
sincero, e nao era dos idolatras. 

121.Agradecido a Suas gra9as. 
Ele o elegeu e o guiou a uma senda 
reta. 

122. E cpncedemo-lhe, na vida 
terrena, boa dadiva, e, por certo, na 
Derradeira Vida, sera dos integros. 

123. Em seguida, revelamo-te, 
Muhammad: "Segue a crenfa de 
Abraao, monoteista sincero. E ele 
nao era dos idolatras." 

124.0 sabado foi prescrito, 
apenas, aos que dele discreparam. 
E, por certo, teu Senhor julgara, 
entre eles, no Dia da Ressurreifao, 
naquilo de que discrepavam. 






»-. < 1^ 









^ ^ 9 












eso 



( ' ) Alusao ao que foi mencionado na sura VI 1 46. 



16. SQratu An-Nahl Parte 14 



440 I > t ^>' 



^ n >Ji 5j^ 



125. Convoca ao caminho de 
teu Senhor, com a sabedoria e a 
bela exorta9ao, e discute com eles, 
da melhor maneira. Por certo, 
Allah e bem Sabedor de quem se 
descaminha de Seu caminho e Ele e 
bem Sabedor dos que sao guiados. 

126. E, se punis o inimigo, 
puni-o de igual modo, com que 
fostes punidos^^\ E, em verdade, se 
pacientais, isso e melhor para os 
perseverantes. 

127. E pacienta, e tua paciencia 
nao e senao com a ajuda de Allah. 
E nao te entriste9as por eles^^\ e 
nao tenhas constrangimento, por 
usarem de estratagema. 

128. Por certo, Allah e com os 
que sao piedosos e com os que sao 
benfei tores. 















@o/.-u^y^ 



(0 O versiculo adverte a todos quantos queiram prevalecer-se da vingan9a de urn 
ataque, cometendo inominaveis atrocidades, tal como as ocorridas no assassinio de 
Hamzah, tio de Muhammad, na Batalha de 'Uhud. 

(2) Eles: os id61atras. 



17. Suratu Al-'Isra' Parte 15 



441 



so tji-i 



\ V tl^^t 5j>- 



A SURA DA VIAGEM NOTURNA 



De Makkah - 1 1 1 versiculos. 
Em nome de Allah, O 
Miser icordioso, O Misericordiador, 

L Glorificado seja Quern fez 
Seu servo Muhammad viajar a 
noite ~ da Mesquita Sagrada para a 
Mesquita Al-'Aqsa^ \ cujos 




gms^\,. 



-vJi 






(0 Al-'Isra': do infinito asra, que significa andar a noite. Assim, 6 denominada a 
sura pela men9ao, no primeiro versiculo, da Viagem Notuma que, de acordo com a 
tradi9ao, Muhammad, acompanhado do anjo Gabriel, fez, no segundo ano da 
Hegira, desde a Mesquita Sagrada, em Makkah, at6 a Mesquita de Al ^Aqsa, em 
Jerusalem. O sentido dessa viagem, no dizer de alguns exegetas, "e a afirma9ao da 
unidade profetica, a proclama9ao da identidade das mensagens divinas, transmitidas 
por todos OS profetas, nomeadamente, por Abra^o, Moises, Jesus e Muhammad". 
A esta viagem terrestre sucedeu, na mesma noite, a outra, mais importante: al 
mi*^raj ou ascensao aos ceus, onde Muhammad nSo so encontrou, em cada um dos 
ceus, alguns dos profetas anteriores a ele (No6, AbraSo, Jose, Moises, Jesus), mas 
testemunhou todas as maravilhas invisiveis do Universo. Ja no setimo ceu, 
Muhammad foi levado a Sidrat al Muntaha (cuja men9ao alcoranica se encontra 
na sura LIIl 14), k arvore existente a direita do Trono, alem da qual, esta o 
Invisivel. Passar por ela 6 interdito a todos os anjos celestiais. Em seguida a serie 
de deslumbramentos e conhecimentos, Muhammad, fmalmente, contemplou a 
Deus com os olhos do espirito. Despertando, contou sua viagem e ascensao a 
alguns parentes, que, incredulos, tentaram persuadi-lo de nada relatar a ninguem, 
pois seus proselitos poderiam nSo crer no ocorrido, por inverossimil, alem de que 
seus inimigos se prevaleceriam disso para detrai-lo mais ainda e tornar mais 
acirradas as persegui96es contra ele. Esta sura implica, tambem, varios itens, cuja 
maioria se relaciona com a f6; outros, tratam da conduta tanto individual quanto 
coletiva do homem. Alem disso, traz noticias sobre os filhos de Israel (alias, uma 
outra denomina9ao desta sura e Banu Israll ou Filhos de Israel), e, ainda, 
concernentes a Mesquita de Jerusalem, para a qual Muhammad foi transportado, 
durante a viagem noturna, antes de ascender aos ceus; e, outrossim, noticias sobre 
Adao e IblTs. O elemento preponderante, nesta sura, e a personal idade do Profeta 
Muhammad e a atitude dos idolatras de Makkah em rela9ao a ele e ao Alcorao; 
assim tambem, a natureza da Mensagem, que se distingue das demais, por nao 
apresentar milagres concretos, tais quais os verificados com AbraSo, Moises e 
Jesus. Ela, apenas, se at6m a um piano puramente espiritual e divino. 

(2) 'Aqsa: extrema, distante. Trata-se da Mesquita de Jerusalem, que se achava 
distante de Makkah. 



17. SQratu Al-'Isra' Parte 15 



442 > « ^>' 



^ V ^ij--^i djj-- 



arredores aben9oamos^'^ - para 
mostrar-lhe, em seguida, alguns de 
Nossos Sinais^^\ Por certo, Ele e O 
Oniouvinte, O Onividente. 

2. E concederamos a Moises o 
Livro, e o fizeramos orienta9ao 
para os filhos de Israel, dizendo: 
''Nao tomeis, alem de Mim, 
patrono algum, 

3. "6 descendencia dos que 
levamos com Noe^^^! Por certo, ele 
era servo agradecido." 

4. E decretaramos, no Livro, aos 
filhos de Israel: "Em verdade, 
semeareis a corrup9ao na terra, por 
duas vezes, e, em verdade, sublimar- 
vos-eis, em grande arrogancia. 

5. "Entao, quando chegar o 
tempo da primeira^"^^ das duas 
promessas, enviaremos contra v6s 
servos Nossos, dotados de 
veemente furia. Eles, invadirao os 
lares." E a promessa foi cumprida. 

6. Em seguida, devolvemo-vos a 
domina9ao sobre eles, e estendemo- 
vos riquezas e filhos. E fizemo-vos 
mais numerosos. 



0-W?^4^!y» 












(U Estes arredores sao aben^oados, por serem o local eleito pelos profetas, para a 

adoraQSo de Deus, desde o tempo de Moises. E o local da revela^o divina. 
(2) Referenda aos magnificos sinais do universo celestial, contemplados pelo Profeta, 

quando, apos a viagem terrestre, ascendeu, com Gabriel, as sete regioes empireas. 
(^) Alusao aos que embarcaram na nau de Noe. 
(4) Segundo alguns exegetas, isso ocorreu, quando os filhos de Israel mataram o 

profeta Zacarias. Deus, entao, enviou Golias e seu exercito, para trucidarem os 

homens, escravizarem as mulheres e destruirem o Templo. 



17. Suratu Al-'Isra' Parte 15 



443 



\0 tjJrl 



\ V t»j--Vi 5jj^ 



7. E dissemos: "Se bem-fizerdes, 
bem-fareis, a vos mesmos, e se 
malfizerdes, sera em prejuizo de 
vos mesmos. Entao, quando chegar 
o tempo da ultima^ ^\ envia-los^^^- 
emos contra vos, para afligirem 
vossas faces e para entrarem na 
mesquita, como nela entraram, da 
vez primeira, e para esmagarem, 
completamente, tudo de que se 
forem apoderando." 

8. E dissemos: "Qui9a, vosso 
Senhor tenha misericordia de vos. 
E, se reincidirdes, reincidiremos. E 
Nos fizemos da Geena carcere para 
OS renegadores da Fe." 

9. Por certo, este Alcorao guia 
ao caminho mais reto e alvissara 
aos crentes, que fazem as boas 
obras, que terao grande premio, 

10. E que, para os que nao creem 
na Derradeira Vida, preparamos 
doloroso castigo. 

11. E o ser humano suplica o 
mal como suplica o bem. E o ser 
humano e pressuroso^"^\ 

12. E fizemos da noite e do dia 












(0 Refere-se a segunda promessa do castigo, que Ihes chegou, quando os filhos de 
Israel mataram o profeta JoSo Batista. Deus, entao, enviou, contra eles, 
Nabucodonosor que os aniquilou e escravizou seus filhos e mulheres, e destruiu, 
novamente, o Templo de Jerusalem. 

(2) Los: nossos servos. 

(3) Ou seja, o homem deseja que a justi^a divina se cumpra, imediatamente, de acordo 
com seu proprio criterio, tanto para o mal como para o bem. 



17. Suratu Al-'Isra' Parte 15 



444 



)0 ^jjrl 



) V ^ij--^i ojj-- 



dois sinais. Entao, apagamos o 
sinal da noW^^ e fizemos claro o 
sinal do dia, para buscardes favor 
de vosso Senhor e para saberdes o 
numero dos anos e o computo do 
tempo. E aclaramos, cada cousa, 
detalhadamente. 

13. E, em cada ser humano, 
impusemos seu agouro^^^ no pesco9o. 
E, no Dia da Ressurrei9ao, faremos 
sair, para ele, urn Livro, que ele 
deparara, desenrolado. 

14. Dir-se-Ihe-a: "Le teu livro. 
Hoje, bastas-te, a ti mesmo, por 
ajustador de contas." 

15. Quern se guia se guiara, 
apenas, em beneficio de si mesmo, 
e quem se descaminha se 
descaminhara, apenas, em prejuizo 
de si mesmo. E nenhuma alma 
pecadora area com o pecado de 
outra. E nao e admissivel que 
castiguemos a quem quer que 
seja, ate que Ihe enviemos um 
Mensageiro. 

16. E, quando desejamos aniquilar 
uma cidade, ordenamos, primeiro, 
obediencia a seus opulentos 
habitantes. Mas, ao contrario, eles 






^ 9 












(0 Ou seja, faz-se escura a noite, para o repouso do homem, e claro o dia, para o 
labor. Por meio destes sinais, o homem pode estabelecer o tempo: os dias, os 
meses, os anos. 

(2) Os atos de todos os homens estao, intimamente ligados a eles, como se fossem um 
colar preso ao pescoQO. 



17. Suratu Al-'Isra' 



Parte 15 



445 



>iO i,j^\ 



) V ti^Vi dj>w 



cometem nela perversidade. Entao, 
o Dito cumpre-se contra ela. E 
profligamo-la, inteiramente. 

17. E que de gera96es aniquila- 
mos, depois de Noe! E, dos pecados 
de Seus servos, basta teu Senhor, 
por Conhecedor, Onividente. 

18. Para quern deseja a vida 
transitoria, apressamos, nela, para 
quern desejamos, o que queremos. 
Em seguida, fa-lo-emos queimar- 
se na Geena, infamado, banido. 

19. E quern deseja a Derradeira 
Vida, e se esfor9a em obte-la, 
enquanto crente, desses o esfor9o 
sera reconhecido. 

20. A ambos, a estes e aqueles, 
estendemos algo do dom de teu 
Senhor. E o dom de teu Senhor 
jamais e vedado a alguem. 

21.01ha, Muhammad, como 
preferimos alguns deles a outros. 
E, em verdade, a Derradeira Vida e 
maior em escaloes e maior em 
preferencias. 

22.Nao fa9as^^\ junto de Allah, 
outro deus, pois, tomar-te-ias 
infamado, desamparado. 

23. E teu Senhor decretou que 
nao adoreis senao a Ele; e 



|y^a504JijTS5\^iS 



I3>?^Ij^ l^xl l^il^ 









(U A ordem imperativa, deste versiculo e de outros, adiante, e dirigida aos homens, 
em geral. 



17. Suratu Al-'Isra' Parte 15 



446 



\0 jtj^l 



) V jtlj^V» 5jj^ 



decretou benevolencia para com 
OS pais. Se um deles ou ambos 
atingem a velhice, junto de ti, nao 
Ihes digas: "Ufa!", nem os 
maltrates, e dize-lhes dito nobre. 

24. E baixa a ambos a asa^^^ da 
humildade, por misericordia. E dize: 
"Senhor meu! Tem misericordia 
deles, como quando eles cuidaram 
de mim, enquanto pequenino." 

25. Vosso Senhor e bem Sabedor 
do que ha em vossas almas. Se sois 
integros, por certo, Ele e, para os 
contritos, Perdoador. 

26. E concede ao parente seu 
direito^^\ e ao necessitado e ao 
filho do caminho^'^\ E nao dissipes 
teus bens exageradamente. 

27. Por certo, os dissipadores 
sao irmaos dos demonios. E o 
demonio e ingrato a seu Senhor. 

28. E, se Ihes^'^Mas de ombros, 
em busca da misericordia de teu 
Senhor, pela qual esperas, dize-lhes 
dito bondoso. 

29. E nao deixes tua mao atada 












(0 Baixar as asas da humildade a ambos: protege-los, com humildade e temura. 
(2) Trata-se da obrigatoriedade de ajuda ao parente proximo (pai, filho), a quem se Ihe 

ofertara toda sorte de sustento; enquanto, ao parente afastado, ofertar-se-a afeigao, 

boa convivencia e auxilio eventual. 
(3)cfII177nl 
W Lhes: ao parente, ao necessitado, etc.. Se, por condigSes fmanceiras desfavoraveis, 

nao se puder auxilia-los, deve-se, ao menos, trata-los com temura. 



17. SQratu Al-'Isra' Parte 15 



447 



^0 ^jk\ 



) V ^\j^'i\ ojj-- 



ao pescofo^^^ e nao a estendas, 
com exagero, pois, tomar-te-ias 
censurado, afligido. 

30. Por certo, teu Senhor 
prodigaliza o sustento, para quern 
quer, e restringe-o . Por certo, Ele, 
de Seus servos, e Conhecedor, 
Onividente. 

31. E nao mateis vossos filhos, 
com receio da indigencia: Nos Ihes 
damos sustento, e a vos. Por certo, 
seu morticinio e grande erro. 

32. E nao vos aproximeis do 
adulterio. Por certo, ele e 
obscenidade; e que vil caminho! 

33. E nao mateis o ser humano, 
que Allah proibiu matar, exceto se 
com justa razao^ \ E quem e morto 
injustamente, Nos, com efeito, 
estabelecemos a seu herdeiro poder 
sobre o culpado. Entao, que ele 
nao se exceda^"^^ no morticinio. Por 
certo, pela lei, ele ja e socorrido. 

34. E nao vos aproximeis das 
riquezas de orfao, senao da melhor 
maneira^ \ ate que ele atmja sua 
for9a plena. E sede fieis ao pacto 


















(0 Metdfora alusiva ao avaro, que tolhe os movimentos da mao, para, assim, nao 
oferecer o que quer que seja a ninguem. 

(2)Cf. VI 151 p.23l nl. 

(3) O vindice nSo deve vingar-se alem do necessario, como era costume entre as tribos 
arabes, pre-islamicas, que, comumente, cometiam excessos na vingan^a, tais como 
OS que matavam toda uma tribo para vingarem a morte de uma so pessoa. 

WCf. VI 152 n2. 



17. Suratu Al-'lsra' Parte 15 



448 ^ ^ ^J*-' ^ V ttj--^i djj-- 



firmado. Por certo, o pacto sera 
questionado. 

35. E completai a medida, quando 
medirdes, e pesai com a balan9a 
correta. Isso e melhor e mais belo, 
em efeito. 

36. E nao persigas o de que nao 
tens ciencia. Por certo, do ouvido e 
da vista e do cora9ao, de tudo isso 
se questionara^^l 

37. E nao andes pela terra com 
jactancia. Por certo, nao fenderas a 
terra nem atingiras as montanhas, 
em altura. 

38. mal de tudo isso, perante 
teu Senhor, e odioso. 

39. Isso e parte da sabedoria, 
que teu Senhor te revelou. E nao 
fa^as, junto de Allah, outro deus, 
pois, serias lan9ado na Geena, 
censurado, banido. 

40. Acaso, vosso Senhor escolheu 
filhos, para v6s^ \ e tomou dentre 
OS anjos, filhas, para Ele? Por 
certo, dizeis dito monstruoso! 

41. E, com efeito, patenteamos, 
neste Alcorao, os exemplos, para 
que eles^^^ meditem; e isso nao Ihes 






hS. y^9^ 












(0 Ou seja, nSo se deve mentir acerca do que se viu, ouviu ou sentiu, dado que, no 
Dia do Juizo, da minima cousa haver-se-a de prestar contas. Nao se deve omitir 
nem acrescentar nada a Verdade. 

(2) Para vos: para os idolatras, que pretendiam ser os anjos filhas de Deus. 

(^) Eles: OS descrentes. 



17. SQratu Al-'lsra' Parte 15 



449 



So i,j^\ W ^I^VI 5j^ 



acrescenta senao repulsa a verdade. 

42. Dize: "Se houvesse, junto 
dEle, deuses, como eles dizem, 
esses, nesse caso, haveriam buscado 
um caminho ate O Possuidor do 
Trono^^\ 

43. Glorificado e Sublimado, ao 
auge, seja Ele, acima do que dizem! 

44.0s sete ceus e a terra e 
quern neles existe glorificam-nO. 
E nao ha cousa alguma que O nao 
glorifique, com louvor, mas vos 
nao entendeis sua glorifica9ao. Por 
certo, Ele e Clemente, Perdoador. 

45. E, quando tu, Muhammad, 
les o Alcorao, pomos entre ti e os 
que nao creem na Derradeira Vida, 
um cortinado invisivel^^^; 

46. E fazemo-lhes veus sobre os 
cora9oes, a fim de o nao 
entenderem, e, nos ouvidos, surdez. 
E, quando, no Alcorao, mencionas 
teu Senhor, so a Ele, voltam-se 
para tras, em repulsa. 

47. Nos somos bem Sabedores 
da inten9ao com que eles ouvem. 












^^jj-^ 



**v^ -?->" 






%^Oji 



(') Ou seja, OS outros deuses haveriam procurado acesso a Deus, para usurpar-Lhe o 
trono. 

(2) Os idolatras de Makkah, ao ouvirem a prega^ao do Profeta Muhammad, repetiam, 
sempre, as seguirites palavras: "Nossos coraQoes estSo envoltos em palios, longe 
daquilo a que nos convocas, e, h^ surdez, em nossos ouvidos, e ha um veu, entre 
nos e ti". Vide XLI 5. E, por se mostrarem renitentes a prega9ao islamica, neste 
versiculo e no seguinte, Deus efetiva-Ihes, conforme sua renitencia, os obstaculos 
a compreensao do AlcorSo. 



17. SQratuAl-'Isra' 



Parte 15 



450 ^ « ^>' 



\ V ti^Vi 9j^ 



quando te ouvem^*\ e quando estao 
em confidencias, quando os injustos 
dizem, entre eles: "Nao seguis 
senao um homem enfeiti9ado!" 

48. Olha, como engendram seme- 
Ihantes^^^ a ti, e se descaminham! 
Entao, nao poderao encontrar 
caminho algum. 

49. E dizem: "Quando formos 
ossos e resquicios, seremos ressus- 
citados, em novas criaturas?" 

50. Dize: "Sede o que fordes, 

pedras ou ferro, 

51. "Ou criatura outra, que 
vossas mentes consideram assaz 
dificil de ter vida, sereis ressus- 
citados." Entao, dirao: "Quem nos 
fara voltar a vida?" Dize: "Aquele 
que vos criou, da vez primeira." 
Entao, menearao a cabefa, em 
escarnio a ti, e dirao: "Quando 
sera isso?" Dize: "Quifa, seja bem 
proximo. 

52. "Um dia, quando Ele vos 
convocar, entao, vos O atendereis, 
louvando-0, e pensareis que nao 
permanecestes, nos sepulcros, 
senao por pouco tempo!" 

53. E dize a Meus servos que 






jjj>t-u^ 



oi 



1 Jo ^Ul^ C)pJC^ 




(t)ii^i^oio>S^ 



lYo^ G^ J\\jj:^ jl:J jij 



( ^ ) Deus sabe que os descrentes sempre escarneceram a prega^ao islamica. 
(2) Referenda as alega^Ses dirigidas, pelos descrentes, ao Profeta, tais como: louco, 
poeta, enfeitiipado. 



17. SQratu Al-'Isra' 



Parte 15 



451 



>0 ^j^i 



> V ^\j^^\ 5jj-- 



digam aos idolatras a palavra^*^ 

que for melhor. Por certo, Sata 
instiga a cizania, entre eles. Por 
certo, Sata e para o ser humano 
inimigo declarado. 

54. Vosso Senhor e bem Sabedor 
de vos. Se Ele quiser, tera 
misericordia de vos ou, se Ele 
quiser, castigar-vos-a. E nao te 
enviamos, sobre eles, por patrono. 

55. E teu Senhor e bem Sabedor 
de quern existe nos ceus e na terra. 
E, com efeito, Nos preferimos 
alguns dos profetas a outros, e 
concederamos a Davi os Salmos. 

56. Dize: "Invocai os que 
pretendeis serem deuses, alem 
dEle: Eles nao possuirao o dom de 
remover de vos o infortunio nem 
altera-lo." 

57. Esses^^\ que eles invocam, 
buscam meios de aproximar-se de 
seu Senhor, cada qual ansiando 
estar mais proximo dEle, e esperam 
por Sua misericordia e temem Seu 
castigo. Por certo, o castigo de teu 
Senhor e temivel. 

58. E nao ha cidade que nao 
aniquilemos^*^^ antes do Dia da 









5i^M=»j 



'^i>i;i 



iiJ 






'C. . > -L ) "-< - .111 > ^r ,i 






(1) A palavra: aquelas palavras, mencionadas no inicio do versiculo seguinte: "Vosso 
Senhor e bem Sabedor de vos", em lugar de dizer: "Ireis para o Inferno", ou outra 
frase que possa incitar os idolatras a fazerem o mal. 

(2) Esses: os anjos e Jesus. 

(3) Alude-se, aqui, ao aniquilamento, por morte natural, dos habitantes crentes; e, por 



17. SOratu Al-'Isra' 



Parte 15 



452 ^ ^ ^>< 



\ V ^i^Vi 5jj-- 



RessuiTei9ao, ou que nao castigue- 
mos com veemente castigo. Isso 
esta escrito no Livro. 

59. E o que nos impede de 
enviar os sinais nao e senao que os 
antepassados os desmentiram^^\ E 
concederamos ao povo de Thamud 
o camelo femea^^^ por sinal claro, e 
foram injustos com ele. E nao 
enviamos sinais senao para 
amedrontar. 

60. E quando te dissemos: "Por 
certo, teu Senhor abarca os 
humanos." E nao fizemos da 
visao^^\ que te fizemos ver, senao 
prova9ao para os homens^"^^ e, o 
mesmo da arvore maldita^^\ no 
Alcorao. E Nos os amedrontamos; 
entao, isso nao Ihes acrescenta 
senao grande transgressao. 

61. E quando dissemos aos 
anjos: "Prosternai-vos diante de 
Adao"; entao, prosternaram-se, 
exceto IblTs, que disse: "Prostemar- 



0^^ Jo Ai-O-^^A^-i^' :^^^X^^ 



S^t^^fr3oyj'^^ ^>^j 












-r^ri. j^^ »i 






castigo e outras desapari^oes, dos habitantes descrentes. 

(U Era praxe, em epocas anteriores a Muhammad, que os povos, descrentes dos sinais 
divinos, fossem aniquilados. Entretanto, Deus determinou que os descrentes, a 
partir de Muhammad, nao fossem castigados, senao no dia do Juizo. 

(2)Cf. VII p.250nl. 

0) Alusao ao que o Profeta viu, durante sua viagem noturna. 

(4) Os homens: os habitantes de Makkah, entre os quais, uns creram na visao; outros, 
estranhando o fenomeno, abandonaram o Islao. 

(5) Alusao a arvore Az Zaqqum, mencionada na sura XXXVII 62. Os Quraich, 
ceticos, nao podiam conceber que, no Inferno, pudesse existir esta arvore, dado 
que o fogo, que tudo consome, ja deveria have-la consumido tambem. 



17. Suratu Al-'Isra' 



Parte 15 



453 



)o (,j^) W ^\j^y\ ijj^ 



me-ei diante de quern Tu criaste de 
barro?" 

62. Disse ainda: "Viste? E este 
quern preferiste a mim? Em 
verdade, se me concedes prazo, ate 
o Dia da Ressurreifao, tomarei as 
redeas de sua^^^ descendencia, 
exceto de poucos deles." 



63. Allah disse: "Vai! E quem 
deles te seguir, por certo, a Geena 
sera a recompensa de todos vos, 
como plena recompensa. 

64. "E importuna, com tua voz, 
a quem puderes, dentre eles, e 
tumultua-os, com tua cavalaria e 
infantaria, e partilha com eles as 
riquezas e os filhos e faze-lhes 
promessas." - E Sata nao Ihes 
promete senao falacias - 

65. "Por certo, sobre Meus 
servos nao tens poder algum." E 
basta teu Senhor por Patrono. 

66. Vosso Senhor e Quem vos 
impulsa o barco, no mar, para 
buscardes algo de Seu favor. Por 
certo, Ele, para convosco, e 
Misericordiador. 

67. E, quando o infortunio vos 
toca, no mar, somem aqueles a 
quem invocais, exceto Ele. Entao, 
quando Ele vos poe em salvo, na 



^ oi5i=== ^|\ \1> i^^^ 



^Qr^^^^^ 















(0 Sua descendencia: a descendencia de Adao. 



17. SQratu Al-'lsra' 



Parte 15 



454 ^ « ^>< 



^ V tij-»>» ojj-- 



terra, vos dais de ombros. E o ser 
humano e assaz ingrato. 

68. Entao, estais seguros de que 
Ele nao fara uma faixa de terra 
engolir-vos ou nao enviara contra 
vos um vento lastrado de seixos, 
em seguida, nao encontrareis para 
vos patrono algum? 

69. Ou estais seguros de que Ele 
vos nao fara tomar a ele^^^, outra 
vez, e nao enviara contra vos um 
vento devastador, entao, afogar- 
vos-a por vossa renega9ao da Fe, 
em seguida, nao encontrareis para 
vos defensor, contra Nos? 

70. E, com efeito, honramos os 
filhos de Adao e levamo-los por 
terra e mar e demo-lhes por sustento 
das cousas benignas, e preferimo- 
los, nitidamente, a muitos dos que 
criamos^^\ 

71. Um dia, convocaremos cada 
grupo dos homens, com seu 
imam^"^\ Entao, a quem for 
concedido seu livro em sua destra, 
esses lerao seu livro e nao sofrerao 
injusti9a, nem a minima que seja. 

72. E quem, nesta vida, e 















Jj4^L^^^3^ J dV^C/'j 



(0 Ou seja, mar. 

(2) Ou seja, entre os seres animados e inanimados, que povoam o Universe, a 
preferencia divina recai sobre o ser humano. 

(3) Esta palavra significa: o lider. No texto alcoranico, indica o lider religioso que e o 
Profeta. 



17. SOratu Al-'Isra' 



Parte 15 



455 



>o ^j^\ 



> V tl^V> 5j>-» 



cego^^\ na Derradeira Vida sera 
cego e mais descaminhado do rumo. 

73, E, por certo, quase eles te 
desviaram, Muhammad, do que te 
revelamos, para que forjasses, 
acerca de Nos, outra revela9ao que 
esta. E, nesse caso, haver-te-iam 
tornado por amigo. 

74, E, se te nao houvessemos 
tornado firme, com efeito, quase te 
haverias inclinado, um pouco, para 
eles. 

75, Nesse caso, haver-te-iamos 
feito experimentar o dobro do 
castigo da vida e o dobro do da 
morte. Em seguida, nao encontrarias, 
para ti, socorredor contra Nos. 

76, E, por certo, quase te 
importunaram, na terra^^\ para dela 
te fazerem sair. E, nesse caso, nela 
nao haveriam permanecido, depois 
de ti, senao por pouco^^^ tempo. 

77, Assim, foi o Nosso 

procedimento com quem, com efeito, 
enviamos, antes de ti, dentre Nossos 
Mensageiros. E nao encontraras, 
em Nosso procedimento, alterafao 
alguma. 









vjii^ %y^ LJii^ S^'^ \\ 









(0 Trata-se, logicamente, do cego espirituai, que nSo atende aos ensinamentos 

divinos. 
(2) Ou seja, na cidade de Ai Madlnah. 
(^) Triunfaria a palavra de Deus sobre os descrentes, desgra9ando-os, se eles 

houvessem, efetivamente, expulsado o Profeta de AI Madlnah. 



17. SOratu Al-'Isra' 



Parte 15 



456 > « ^>' 



y V ti^^i Sjj-- 



78. Cumpre a ora9ao, do 
declinio do sol ate a escuridao da 
noite, e cumpre a ora^ao da aurora. 
Por certo, a ora9ao da aurora e 
testemunhada pelos anjos. 

79. E, a noite, entao, reza com 
ele^^^ a guisa de ora^ao 
suplementar^^^ para ti. Qui^a, teu 
Senhor te ascenda a uma louvavel 
preeminencia. 

80. E dize: "Senhor meu! Faze- 
me entrar uma entrada, 
verdadeiramente, digna, e faze-me 
sair uma saida, verdadeiramente, 
digna, e faze-me, de Tua parte, um 
poder socorredor." 

81. E dize: "A Verdade chegou e 
a falsidade pereceu. Por certo, a 
falsidade e perecivel." 

82. E fazemos descer, do 
Alcorao, o que e cura e misericordia 
para os crentes. E, aos injustos, 
isto nao acrescenta senao perdi9ao. 

83. E, quando agraciamos o ser 
humano, ele da de ombros e se 
distancia, sobranceiro. E, quando o 
mal o toca, fica desesperado. 

84. Dize: "Cada qual age 
conforme sua indole. E, vosso 
Senhor e bem Sabedor de quem e o 
mais guiado no caminho." 












(0 Ele: o Alcorao. 

(2) Esta ora9ao suplementar i privilegio exclusivo do Profeta Muhammad. 



17. Suratu Al-'Isra' 



Parte 15 



457 > ^ ^>' 



> V ti^Vi Sj>-- 



85. E perguntam-te eles^^^ pela 
alma. Dize: "A alma e da Ordem 
de meu Senhor. E nao vos foi 
concedido da ciencia senao pouco." 

86. E, em verdade, se quises- 
semos ir-Nos com o^^^ que te 
revelamos, em seguida, nao encon- 
trarias, para ti, patrono contra Nos. 

87. Nao o flzemos senao por 
misericordia de teu Senhor. Por 
certo, Seu favor para contigo e 
grande. 

88. Dize: "Se os humanos e os 
jinns se juntassem, para fazer vir 
algo igual a este Alcorao, nao 
fariam vir nada igual a ele, ainda 
que uns deles fossem coadjutores 
dos outros." 

89. E, com efeito, patenteamos, 
para os homens, neste Alcorao, 
algo de cada exemplo. Entao, a 
maioria dos homens a tudo recusa, 
exceto a ingratidao. 

90. E dizem: "Nao creremos em 
ti, ate que nos fa9as emanar, da 
terra, uma nascente, 

91. "Ou que haja para ti um 
jardim de tamareiras e videiras, e 
que fa9as emanar os rios, 
abundantemente, atraves dele; 












.W->XI;i>'yi 









4yi«=?«^ 



(') Eles: osjudeus. 
(2) O: o Alcorao. 



17. Suratu Al-'Isra' 



Parte 15 



458 > ^ ^>' 



\ V i^ij--Vi 5jj-- 



92. "Ou que fa9as cair, sobre 
nos, como pretendes, o ceu em 
peda90s, ou que fa9as vir Allah e 
OS anjos, frente a frente; 

93. "Ou que haja para ti uma 
casa repleta de omamento^'\ ou 
que ascendas ao ceu. E nao 
creremos em tua ascensao, ate que 
faQas descer sobre nos um Livro, 
que leremos." Dize: "Glorificado 
seja meu Senhor! Quem sou eu 
senao um mortal Mensageiro?" 

94. E o que impediu os homens 
de crerem, quando Ihes chegou a 
orienta9ao, nao foi senao haverem 
dito: "Allah enviou um mortal por 
Mensageiro?" 

95. Dize: "Se houvesse, na terra, 
anjos que andassem tranqiiilos, 
haveriamos feito descer, do ceu, 
sobre eles, um anjo por Mensageiro." 

96. Dize: "Allah basta, por 
testemunha, entre mim e vos. Por 
certo, Ele, de Seus servos, e 
Conhecedor, Onividente. 

97. E quem Allah guia e o 
guiado. E para quem Ele 
descaminha, nao Ihes encontraras 
protetores, alem dEle. E reuni-los- 
emos, no Dia da Ressurrei9ao, 
arrastados sobre as faces, cegos e 





















(0 Ornamento: traduz a palavra zuhkruf, que significa, tambem, ouro. 



17. SQratu Al-'Isra' 



Parte 15 



459 



>0 i,j^\ 



> V ^l^^l ojj-- 



mudos e surdos. Sua morada sera a 
Geena: cada vez que se entibiar, 
acrescentar-lhes-emos fogo ardente. 

98. Essa sera sua recompensa, 
porque renegaram Nossos sinais, e 
disseram: "Quando formos ossos e 
resquicios, seremos ressuscitados, 
em novas criaturas?" 

99.Nao viram eles que Allah, 
Que criou os ceus e a terra, e 
Poderoso para criar semelhantes a 
eles? E Ele Ihes fez um termo 
indubitavel. Mas os injustos a tudo 
recusam, exceto a ingratidao. 

lOO.Dize: "Se possuisseis os 
cofres da misericordia de meu 
Senhor, nesse caso, haverieis de 
rete-los, com receio de despende- 
los. E avaro e o ser humano!" 

101. E, com efeito, concedemos 
a Moises nove evidentes sinais^ '\ 
Entao, pergunta aos filhos de 
Israel, quando ele Ihes chegou e 
Farao Ihe disse: 'Tor certo, penso, 
6 Moises, que es enfeitifado." 

102. Moises disse: "Com efeito, 
sabes que nao fez descer estes, como 
clarividencias, senao O Senhor dos 
ceus e da terra. E, por certo, penso, 
6 Farao, que estas arruinado." 












(0 Os nove sinais sao: 1) a vara, 2) a mao alva, 3)o diluvio, 4) os gafanhotos e os 
piolhos e as ras e o sangue, 5) a seca e a escassez de frutos, 6) a passagem pelo 
mar, 7) a agua emanada da rocha, 8) a eleva9ao do Monte Sinai, 9) o coloquio com 
Deus. 



17. Suratu Al-'Isra' 



Parte 15 



460 



\o i,j^\ W ^i^^i 5jj-- 



103. E ele^^^ desejou expulsa-los 
da terra^^^; entao, afogamo-lo e a 
quern estava com ele, a todos. 

104. E dissemos, depois dele, aos 
filhos de Israel: "Habitai a terra; e, 
quando chegar a promessa da 
Derradeira Vida, far-vos-emos vir, 
em multidoes." 

105. E, com a verdade, fizemo- 
lo^^^ descer e, com a verdade, ele 
desceu. E nao te enviamos, 
Muhammad, senao por alvissareiro 
e admoestador. 

106. E fizemos descer Alcorao, 
fragmentamo-lo^'*^ a fim de o leres 
aos homens, paulatinamente. E 
fizemo-lo descer, com gradual 
descida. 

107. Dize: "Crede nele; ou, nao 
creais. Por certo, aqueles aos quais 
fora concedida a ciencia, antes 
dele^^\ quando e recitado, para eles, 
caem de mento, por terra, 
prostemando-se. 

108. "E dizem: 'Glorificado seja 
nosso Senhor! Por certo, a promessa 
de nosso Senhor foi cumprida.'" 

109. E caem de mento por terra. 















U^ J^j O^S ol^^ i>>c-^ O^yi^ 



T^JoJHj O^.O^i^OjJ^ 



(0Ele:Fara6. 

(2) Da terra: do Egito. 

(3) Lo: o Alcorao. 

(4) A revela9ao do AlcorSo ao Profeta durou 23 anos, para abranger e explicar todos 
OS eventos surgidos na sociedade islamica. 

(5) Antes dele: antes do Alcorao, 



1 7. Suratu Al-'Isra' Parte 1 5 



461 



\0 frjJrl ^V tlj--^l 5jj^ 



chorando, e ele^'^ Ihes acrescenta 
humildade. 

110. Dize: "Invocai a Allah ou 
invocai aO Misericordioso. O que 
quer que seja que invoqueis, dEle 
sao OS mais belos nomes." E nao 
alleles a voz, em tua ora9ao, nem a 
silencies, e busca, entre ambas, um 
caminho justo. 

111. E dize: "Louvor a Allah, 
Que nao tomou para Si filho algum, 
e para Quern nao ha parceiro na 
soberania, e para Quern nao ha 
protetor contra a humilha9ao." E 
magnifica-0, fartamente. 






yjf^^^ic^iUi-i^i^ 



'J 



^J^^3^.A3^, 



y-j 



(OEIe:o Alcorao. 



18. Saratu Al-Kahf 



Parte 15 



462 



>0 *>! 



\ A Jl^\ 9j^ 



SCRATU AL-KAHF^'^ 
A SURA DA CAVERNA 




&\m 




De Makkah - 1 10 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Louvor a Allah, Que fez 
descer sobre Seu servo o Livro, e 
nele nao pos tortuosidade^^^ alguma! 

2. Fe-lo reto, para advertir os 
descrentes de veemente suplicio 
de Sua parte, e alvissarar os 
crentes, que fazem as boas obras, 
que terao belo premio, 

3. Nele permanecendo para todo 
o sempre, 

4. E para admoestar os que dizem: 
"Allah tomou para Si um filho." 

5. Nem eles nem seus pais tern 
ciencia disso. Grave palavra a que 
sai de suas bocas! Nao dizem 
senao mentiras! 

6. E, talvez, Muhammad, te 

mates de pesar, apos a partida deles. 



^i!0^^L 



-vj^ 









Uiii\jj^^\;\3^:;.ji\5i43 



(0 Al Kahf: a cavema. Assim se denomina esta sura, pois os versiculos 9, 10, 11, 16, 
17 e 25 fazem men^ao desta palavra. A 'parte principal da sura e a narra^ao de 
historias, tais como a dos Companheiros da Cavema; a dos Proprietarios dos Dois 
Jardins; a sucinta alusSo a hist6ria de Adao e IblTs; a de Moises e o sabio Al 
Khidr; e, finalmente, a historia de Zul Qarnain. Assim sendo, esta sura e quase, 
totalmente, constitulda de diversas narrativas, de modo que 7 1 dos 1 1 versos se 
compSem delas. O restante, ou sSo comentarios acerca dessas historias, ou men^So 
de cenas sobre a vida etema. Quanto ao tema essencial da sura, ao qual se 
prendem os varios assuntos, i a reavalia^ao da cren^a e da maneira de pensar, 
assim como dos valores assentados nesta cren9a. 

(2) Ou seja, o AlcorSo e isento de contradi96es e erros. 



18. SQratu AI-Kahf 



Parte 15 



463 I > ^ ^>' ^ A Jl^s djj^ 



se nao creem nesta Mensagem. 

7. Por certo, fizemos do que ha 
sobre a terra omamento para ela, a 
fim de por a prova qual deles^^^ e 
melhor em obras. 

8. E, por certo, faremos do que 
ha sobre ela superficie arida. 

9. Supoes que os Companheiros 
da Cavema^^^ e do Ar-Raqlm^"^^ 
sejam, entre nossos sinais, algo de 
admira9ao? 



^iwje^j^'^jpuii^iil 



M )j 






(0 Deles: dos homens, 

(2) N^o se sabe, ao certo, quem eram estes Companheiros da Caravana nem quando 
ou onde se protegeram de provavel perseguigao. Tudo o que o Alcorao diz e que 
eram jovens crentes, foragidos de uma sociedade repressora, a fim de poderem 
preservar a cren9a. Do que se deduz que, possivelmente, se tratava de vitimas de 
persegui96es religiosas, e, no estudo destas persegui96es religiosas, relatadas pela 
Historia, chegamos a algumas que parecem encaixar-se neste quadro. A primeira 
hipotese se prenderia h. persegui95o ocorrida ao tempo do rei seleucida Antioco 
IV, Epifano (175 - 164 ''C.),que, ao apoderar-se do reino sirio, e sendo profundo 
admirador da civiliza9ao helenica, impos aos judeus da Palestina - dominada, na 
epoca, pelos sirios - a religiSo grega e a anula9ao do judaismo. Dai concluir-se que 
OS Companheiros da Caverna eram judeus refugiados de Jerusalem, onde 
habitavam. Seu despertar dataria, entao, de 126 d.C, ou seja, 445 anos antes do 
nascimento do Profeta Muhammad. A Segunda hipotese se ligaria a persegui9ao 
ocorrida no reinado do imperador romano Adriano (117 a 138 d.C), que, da 
mesma forma que Antioco, perseguiu os judeus. Em 13 d.C, os judeus, rebelando- 
se contra o Imperio Romano, expulsaram da Palestiana as legiOes romanas e 
apoderaram-se de Jerusalem, que dominaram por tres anos. Foi, depois disso, que 
Adriano, com seu exercito, invadiu a Palestina e pos fim a soberania dos judeus, 
retomando Jerusalem e extinguindo o judaismo com a morte de seus lideres e a 
escravidao de seu povo. Novamente, a Historia comprova que estes Companheiros 
eram judeus e provavelmente habitavam Jerusalem. Seu despertar, entao, haveria 
ocorrido cerca de 435 d.C, ou 135 antes do nascimento do Profeta. A maioria dos 
exegetas, entretanto, aponta a primeira hipotese como a mais congruente com o 
episodio do AlcorSo. 

(3) Este nome foi interpretado de varios modos. Dizem uns que se tratava de uma 
tabua, onde foram escritos os nomes dos Companheiros da Caverna; ou, como 
preferem outros, o nome do cSo destes; outros, ainda, dizem ser o nome do vale, 
em que se achava a Caverna, ou o nome da montanha ou da aldeia. 



18. Soratu Al-Kahf 



Parte 15 



464 



So ^j^\ 



S A Jl^\ ijj^ 



10. Quando os j ovens se 
abrigaram^^^ na Cavema, e disseram: 
"Senhor nosso! Concede-nos 
misericordia de Tua parte e, para 
nos, dispoe retidao, em tudo o que 
nos concema." 

ll.Entao, na Caverna, esten- 
demo-lhes um veu sobre os 
ouvidos^^\ durante varios anos. 

12. Em seguida, despertamo-los, 
para saber qual dos dois partidos^^^ 
enumerava melhor o tempo, em 
que la permaneceram. 

13. Nos te narramos sua historia, 
com a verdade. Por certo, eles eram 
j ovens, que criam em seu Senhor e 
aos quais acrescentamos orienta9ao, 

14. E revigoramo-lhes os 
cora9oes, quando se levantaram e 
disseram: "Nosso Senhor e O 
Senhor dos ceus e da terra. Nao 
invocamos, alem dEle, deus algum: 
com efeito, nesse caso, estariamos 
dizendo um ciimulo de blasfemia. 

15. "Este nosso povo tomou, 
alem dEle, outros deuses. Que 


















-i^. 



I -K^. 



o 






a4J\^2^j^ o^i? jj^l \j4^ ^jSi 

5^ U^r^P^^j^ Ojb^jS 



( ^ ) Assim o fizeram, para preservarem a Cren^a e se protegerem contra os que, entre 

seu povo, queriam leva-los a apostasia. 
(2) Estender um veu sobre os ouvidos: selar os ouvidos com a surdez proveniente de 

sono profundo, do qual nem um grande ruido poderia faze-los despertar. 
(^) Dois partidos: trata-se ou de dois grupos dos Companheiros, que divergiram, 

acerca da dura^So de sua permanencia, na Caverna; ou de dois grupos de 

habitantes da cidade, que, ao lado de fora da Caverna, testemunharam o despertar 

dos Companheiros. 



18. SQratu Al-Kahf 



Parte 15 



465 



)0 i,j^\ 



) A Jl^\ 5j>-- 



fa9am vir, a respeito desses , uma 
evidente comprova9ao! Quern 
mais injusto, pois, que aquele que 
forja mentiras acerca de Allah?" 

16. E disseram uns aos outros: 

"Quando vos houverdes apartado 
deles e do que adoram, em vez de 
Allah, entao, abrigai-vos na Cavema, 
vosso Senhor espargira, sobre vos, 
algo de Sua misericordia e, para 
vos, dispora apoio, em vossa 
condifao." 

17. E tu haverias visto o sol, 
quando se levanta, declinar de sua 
cavema, pela direita, e, quando se 
punha, desviar-se deles^^\ pela 
esquerda, enquanto que eles se 
achavam em um espafo^^^ dela. 
Isso e um dos sinais de Allah. 
Aquele, a quem Allah guia, e o 
guiado. E para aquele, a quem 
descaminha, nao Ihe encontraras 
protetor, conselheiro. 

18. E tu OS suporias despertos, 
enquanto estavam adormecidos. E 
faziamo-los se virarem^^\ para a 
direita e para a esquerda. E seu cao 
tinha estendidas as patas dianteiras. 



^^^^2=^^\;^^3^\c^^0^ 









^jj. 









(0 Deles: dos Companheiros da Caverna. 

(2) Embora estes Companheiros estivessem em um lugar espa90so na entrada da 
Caverna, o sol jamais os moiestou, nem no nascente nem no poente, o que 
significava que eles estavam na prote9ao de Deus. 

(3) Para a preserva9ao de seus corpos contra o apodrecimento, causado pelo contato 
com sol da Caverna, Deus evitou-lhes a imobilidade, fazendo-os virarem-se, 
periodicamente. 



18. Suratu Al-Kahf Parte 15 



466 



>o ^j^\ 



\ A Jl^\\ Ijy^ 



no limiar da caverna. Se tu os 
houvesses avistado, haver-lhes-ias 
voltado as costas, fugindo, e 
haverias ficado cheio de pavor deles. 

19. E, assim, como os adorme- 
cemos, despertamo-los, para que se 
interrogassem, entre eles. Um 
deles disse: "Quanto tempo 
permanecestes, aqui?" Disseram: 
"Permanecemos um dia ou parte 
de um dia." Outros disseram: 
"Vosso Senhor e bem Sabedor de 
quanto permanecestes. Entao, enviai 
um de vos a cidade, com esta vossa 
moeda de prata. E que olhe qual o 
mais puro alimento, e que deste 
vos fa9a vir sustento, e que ele 
sutilize e que nao deixe ninguem 
perceber-vos. 

20. "Por certo, se eles^*^ obtem 
poder sobre vos, apedrejar-vos-ao 
ou far-vos-ao tomar a sua 
cren9a^^\ E nunca serieis, nesse 
caso, bem-aventurados!" 

21. E, assim, como os fizemos 
despertar, fizemo-los descobertos^"^^ 
- para saberem que a promessa de 
Allah e verdadeira^'^^ e que a Hora 
e indubitavel - quando disputavam. 






OjJ^/2^ <UiJa)C^J ^C^^^JJi 






^<A<%7 ' '■'■ ^' 



\\\ <.< ^>^i\ ,}-"^< '^r-'r\ 



(0 Eles: OS habitantes da cidade. 
(^) Retornar a sua cren^a: adotar a religiao pagS deles. 
(^) Ou seja, tomarem-se conhecidos dos habitantes da cidade. 

(4) Isto e, para que os habitantes soubessem da veracidade da promessa de Deus, 
acerca da Ressurei9ao. 



18. SQratu Al-Kahf 



Parte 15 



467 >^^>' 



) A cA^^t ijj^ 



entre eles^^^, sua questao; entao, 
disseram: "Edificai, sobre eles, 
uma edifica9ao. Seu Senhor e bem 
Sabedor deles." Mas aqueles, cuja 
opiniao prevaleceu, disseram: 
"Que erijamos, sobre eles, uma 
mesquita." 

22. Alguns^^^ dirao: "Eram tres, 
sendo seu cao o quarto deles." E 
outros dirao: "Eram cinco, sendo 
seu cao o sexto deles", conjeturando 
o invisivel. E outros, ainda, dirao: 
"Eram sete e seu cao o oitavo 
deles." Dize: "Meu Senhor e bem 
Sabedor de seu niimero. Nao os ^^^ 
conhece senao poucos." Entao, nao 
alterques sobre eles senao em 
aIterca9ao ligeira, e nao consultes, 
a seu respeito, a nenhum deles^^\ 

23. E nao digas a respeito de 
uma cousa: "Por certo, fa-la-ei, 
amanha", 

24. Exceto se acrescen tares: 

"Se Allah quiser!" E lembra-te de 
teu Senhor, quando O esqueceres. 
E dize: "Qui9a, meu Senhor me 
guie ao que e mais proximo que 
isso, em retidao." 



::^\ 



^Vxs^j..^ 



M^J^}-^ 



K I 




" 9 f \^ 









(0 Eles: OS habitantes da cidade. 

(2) Referencia aos que, na epoca do Profeta, divergiam do numero exato dos 

Companheiros da Caverna. 
0) Os: OS Companheiros da Caverna e seu numero exato. 
(4) Deles: os contemporaneos do Profeta, que divergiam a respeito dos Companheiros 

da Caverna. 



18. Saratu Al-Kahf 



Parte 15 



468 > « ^>' 



> A UL^^ 5jj*^ 



25. E eles permaneceram, em 
sua Caverna, trezentos anos, e 
acrescentaram-se nove^^\ 

26. Dize: "Allah e bem Sabedor 
de quanto la permaneceram. DEle 
e o Invisivel, dos ceus e da terra. 
Quao bem Ele ve e quao bem Ele 
ouve! Eles^^^ nao tem, alem dEle, 
protetor algum. E Ele nao associa 
ninguem a Seu julgamento." 

27. E recita o que te foi revelado 
do Livro de teu Senhor; nao ha 
quem possa alterar Suas palavras. 
E nao encontraras, alem dEle, 
refiigio algum. 

28. E se paciente permanecendo 

com OS que invocam seu Senhor, 
ao amanhecer e ao anoitecer, 
desejando-Lhe a face. E nao 
afastes deles os olhos, desejando o 
omamento da vida terrena. E nao 
obede9as aquele cujo cora9ao 
tornamos desatento a Nossa 
lembran9a e que segue sua paixao 
e cuja conduta excede os limites. 

29. E dize: "A verdade emana de 
vosso Senhor. Entao, quem quiser 
que creia, e quem quiser que 
renegue a Fe. Por certo, preparamos 



(JJJ^-^ ijL^ci-^Jb^ 




^tLi:3)j^lS5\5 









■rr^ . 9 ^,>'^ ^ti^,^ ^»:r»/t^ ^^ ' -^ 






(0 O versiculo alude ao lado astronomico de que 300 anos solares correspondem a 
309 anos lunares. Assim, tanto os arabes quanto os nao arabes poderiam ter no9ao 
exata do tempo em que la permaneceram os Companheiros da Caverna, ja que os 
primeiros medem seu tempo segundo o calendario lunar e os outros, segundo o solar. 

(2) Eles: os habitantes dos ceus e da terra, que nao tem outro protetor que nao Deus. 



18. Suratu Al-Kahf 



Parte 15 



469 > « ^>< 



> A ci^i djj-- 



para os injustos um Fogo, cujo 
paredao de labaredas os abarcara. 
E, se pedirem socorrimento, terao 
socorrimento de agua, como o 
metal em fusao: escaldar-lhes-a as 
faces. Que execravel bebida! E que 
vil recinto de permanencia!" 

30. Quanto aos que creem e 
fazem as boas obras, por certo, nao 
faremos perder o premio de quem 
bem-faz, em obras. 

31. Esses terao os Jardins de 
Eden, abaixo dos quais correm os 
rios; nesses, serao enfeitados com 
braceletes de ouro, e se vestirao 
com trajes verdes, de fma seda e de 
brocado; nesses, estarao reclinados 
sobre coxins. Que excelente 
retribui9ao! E que aprazivel recinto 
de permanencia! 

32. E propoe, para eles, um 
exemplo: dois homens. Fizemos, 
para um deles, dois jardins de 
videiras e cercamo-los com 
tamareiras e fizemos, entre ambos, 
searas. 

33. Cada um dos jardins deu seu 
fruto, e nada se Ihe diminuia. E, 
atraves de ambos, fizemos emanar 
um rio. 

34. E tinha ele^*^ outros frutos^^^; 















(0 Ele: o dono dos dois jardins. 

(2) Outros frutos: outras fontes de riqueza. 



18. SQratu Al-Kahf 



Parte 15 



470 



\ i,j^\ \ A Jl^\ Sjj- 



entao, disse a seu companheiro, 
enquanto dialogava com ele: "Sou 
mais que tu, em riqueza, e mais 
poderoso, em numero de pessoas." 

35. E entrou em seu jardim; sendo 
injusto para com si mesmo, disse: 
"Nao penso, jamais, que este pere9a, 

36. "E nao penso que a Hora 
advenha. E, em verdade, se fora 
levado a meu Senhor, encontraria, 
por fim, outro melhor que este." 

37. Seu companheiro disse-lhe, 
enquanto dialogava com ele: 
"Renegas Aquele Que te criou de 
p6, em seguida, de gota seminal, 
depois, formou-te um homem? 

38. "Mas eu digo que Allah e 
meu Senhor, e nao associo ninguem 
a meu Senhor. 

39. "E, entrando em teu jardim, 
houvesses dito: 'Que seja o que 
Allah quiser! Nao ha for9a senao 
com a ajuda de Allah!' Se me ves, 
a mim, menos que tu em riquezas e 
em numero de filhos, 

40. "Entao, qui9a, meu Senhor 
me conceda algo melhor que teu 
jardim, e, sobre este, envie ruina 
calculada do ceu; entao, tomar-se- 
a em superficie escorregadia, 

41. "Ou sua agua tomar-se-a 
subterrea, e, jamais, poderas 
readquiri-la." 









4u>ib;J5\llsi/oi5^;'^l•^"^ 






18. SOratu Al-Kahf 



Parte 15 



471 



\o ^>i 



) A cA^I Sjj^ 



42. E foram devastados seus 
frutos; entao, ele^^^ amanheceu 
meneando as maos, atormentado 
pelo que havia despendido nele^^\ 
enquanto o jardim era deitado 
abaixo, sobre seus tetos, e disse: 
"Quern dera nao houvesse eu 
associado ninguem a meu Senhor!" 

43. E nao houve, para ele, hoste 
alguma que o socorresse, em vez 
de Allah, e nao foi socorrido. 

44. Ai, a prote9ao e de Allah O 
Verdadeiro. Ele e Melhor em 
retribui9ao e Melhor em final feliz. 

45. E, para eles, jpropoe o 
exemplo da vida terrena^^: e como 
agua que fazemos descer do ceu, e 
com ela se mescla a planta da terra; 
entao, esta se toma palha, que o 
vento dispersa. E Allah, sobre 
todas as cousas, e Onipotente. 

46. As riquezas e os filhos sao o 
omamento da vida terrena. Mas as 
boas obras, duradouras, sao, junto 
de seu Senhor, melhores em 
retribui9ao e melhores em esperan9a. 

47. E um dia, faremos caminhar 
as montanhas, e tu veras a terra 
aplanada; e reuni-los^'^^-emos e nao 



<1Aj^ rc^w^ld <idj-AJU> i^^J5 



p\A^\4>> 









^\\\ \rc,tL/-^h3\/^<^\j 






(0 Ele: o companheiro increu. 

(2) Nele: no jardim. 

(3) O versiculo coteja a vida a bela planta que germina e viceja; e se seca e se desfaz e 
se dispersa, com o vento. 

(4) Los: todos os homens. 



18. SQratu Al-Kahf 



Parte 15 



472 



\o tji-l 



^ A Ji^\ djj-- 



deixaremos nenhum deles sequer. 

48. E serao expostos, em fila, a 
teu Senhor. Ele dira: "Com efeito, 
chegais a Nos, como vos criamos, 
da vez primeira. Alias, pretendieis 
que vos nao fariamos um tempo 
prometido para serdes ressus- 
citados!" 

49. E sera posto o Livro^'^ a 
vista; entao, tu veras os criminosos 
atemorizados do que nele ha; e 
dirao: "Ai de nos! Por que razao 
este Livro nao deixa, nem cousa 
pequena, nem cousa grande, sem 
enumera-la?" E, nele, encontrarao 
presente o que fizeram. E teu Senhor 
nao faz injusti9a com ninguem. 

50. E quando dissemos aos 
anjos: "Prostemai-vos diante de 
Adao"; entao, eles se prostemaram, 
exceto IblTs. Ele era dos jinns, e 
desobedeceu a ordem de seu 
Senhor. Entao, vos tomai-lo e a sua 
descendencia, por aliados, em vez 
de Mim, enquanto eles vos sao 
inimigos? Que execravel troca para 
OS injustos! 

51. Nao os^^^ fiz testemunhas da 
cria9ao dos ceus e da terra nem da 
cria9ao deles mesmos. E nao e 



\:S\jjl^j^ \1^ 3ip 



(t)^^j^j3 













(0 Livro: o registro individual dos atos humanos, durante a vida terrena, o qua!, 

segundo o Aicorao, cada ser humano recebera, no Dia do Juizo. 
(2) Os: IblTs e seus descendentes ou os id61atras 



18. Suratu Al-Kahf 



Parte 15 



473 



)0 ^j^\ 



) A ui^^ 6^j^ 



admissivel que Eu tome os 
desencaminhadores por amparo. 

52. E um dia, Ele dira: "Chamai 
Meus parceiros que pretendestes 
serem deuses." Entao, eles os 
convocarao, e nao Ihes atenderao; 
e faremos, entre eles, um vale de 
destruifao. 

53. E OS criminosos verao o 
Fogo; entao, pensarao que nele irao 
cair, e, fora dele, nao encontrarao 
refiigio. 

54. E, com efeito, patenteamos, 
neste Alcorao, para os homens, 
algo de cada exemplo. Mas o ser 
humano esta, mais que tudo, em 
contenda. 

55. E o que impediu os homens 
de crerem, quando Ihes chegou a 
orienta9ao, e de implorarem o 
perdao de seu Senhor nao foi senao 
a exigencia de Ihes chegarem os 
procedimentos de puni9ao dos 
antepassados, ou de chegar-lhes o 
castigo, pela frente. 

56. E nao enviamos os Men- 
sageiros senao por alvissareiros e 
admoestadores. E os que renegam a 
Fe discutem, com a falsidade, para, 
com esta, refutar a verdade. E eles 
tomaram Meus sinais e o que Ihes e 
admoestado por objeto de zombaria. 

57. E quem mais injusto que 
aquele a quem sao lembrados os 



\x^ (j^.^\ \>Cji 



&5j>4?.^^J^*^ 












c^j c>li\lj ^ i Cr^j^ ' 0^ 



18. Saratu Al-Kahf 



Parte 15 



474 



)o ^j^\ 



) A cA^I 6jj^ 






sinais de seu Senhor, e ele Ihes da 
de ombros e esquece o que suas 
proprias maos anteciparam? Por 
certo, fizemo-lhes veus sobre os 
cora^oes, a fim de o^*^ nao 
entenderem, e, nos ouvidos, surdez. 
E, se tu OS convocas a orienta^ao, 
nesse caso, jamais se guiarao. 

58. E teu Senhor e O Perdoador, 
O Possuidor da misericordia. Se Ele 
OS culpasse pelo que cometeram, 
apressaria, para eles, o castigo. 
Mas terao um tempo prometido, do 
qual nao encontrarao escape algum. 

59. E a essas cidades^^\ 
aniquilamo-las, quando foram 
injustas, e fizemos, para seu 
aniquilamento, um tempo prometido. 

60. E lembra-ihes de quando 
Moises disse a seu jovem servo^"^^: 
"Nao deixarei de andar, ate atingir 
a jun^ao dos dois mares^'^^ ou 
passarei decadas andando!" 

61. E, quando atingiram ambos a 
jun9ao dos dois mares, esqueceram 
seu peixe^^\ e este tomou seu 



(00:o Alcorao. 

(2) Alusao ^s cidades de Thamud e de Lot, que foram destruidas, por desmentirem 
seus profetas. 

(3) Trata-se de Yucha^ [bn Nun. 

(4) Prevalece o parecer de que estes dois mares seriam o Mediteraneo e o Vermelho, e 
o local de encontro ficaria na regiao dos Lagos Amargos e Timsah. Outra opiniao 
aponta o local no encontro do Golfo de ^Aqabah com o de Suez, no Mar Vermelho. 

(^) Segundo a tradigao Islamica, este episodio ocorreu, quando Moises, certo dia, ao 
falar aos filhos de Israel, e ser indagado sobre quem era o mais sdbio, no mundo, 












18. Soratu Al-Kahf 



Parte 15 



475 > ^ ^>» 



> A Jl^\ »jj^ 



caminho no mar, penetrando nele. 

62. E, quando atravessaram 
ambos esse lugar, ele disse a seu 
jovem servo: "Traze-nos o almofo; 
com efeito, deparamos fadiga, nesta 
nossa viagem." 

63. jovem servo disse: "Viste, 
quando nos abrigamos no rochedo? 
Entao, por certo, esqueci o peixe, e 
nao me fez esquece-lo senao Sata. 
E ele tomou seu caminho no mar. 
Que admiravel!" 

64. Moises disse: "Isso e o que 
buscavamos." Entao, ambos 
voltaram, seguindo suas proprias 
pegadas, 

65. E encontraram um de Nossos 
servos^ *\ ao qual concederamos 
misericordia^^^ vinda de Nos, e 
ensinaramo-lhe ciencia, de Nossa 
parte. 

66. Moises disse-lhe: "Posso 
seguir-te, com a condifao de que 
me ensines algo do que te foi 
ensinado de retidao?" 

67. outro disse: "Por certo, 
nao poderas ter paciencia comigo. 















respondeu ser ele pr6prio. Deus, entao, censurou-o por nSo have-Lo mencionado, 
e fe-lo saber, em seguida, que havia um homem mais sabio ainda e que poderia ser 
encontrado na confluencia dos dois mares, e, para isso, era necessario que Moises 
levasse consigo um peixe, numa cesta, e, onde o perdesse, la estaria o sabio. E 
assim foi. 

( 1 )A1 Khidr, conforme atesta a tradi^ao. 

(2) Segundo alguns exegetas, Deus concedera-lhe o dom da profecia. 



18. Suratu Al-Kahf 



Parte 15 



476 



> i,j^\ > A Jl^\ 5jj-- 



68. "E como pacientar, acerca 
do que nao abarcas em ciencia?" 

69. Moises disse: "Encontrar- 
me-as paciente, se Allah quiser, e 
nao te desobedecerei ordem 
alguma." 

70. outro disse: "Entao, se 
me seguires, nao me perguntes por 
cousa alguma, ate que te fa9a 
men9ao desta cousa." 

71. Entao, ambos foram adiante, 
ate que, quando embarcaram na 
nau, ele^^^ a furou. Moises disse: 
"Furaste-a, para afogar seus 
ocupantes? Com efeito, fizeste 
algo nefando!" 

72. O outro disse: "Nao te disse 
que, por certo, nao poderias ter 
paciencia comigo?" 

73. Moises disse: "Nao me 
culpes pelo que esqueci, e nao me 
imponhas dificuldade, acima de 
minha condi9ao." 

74. Entao, ambos foram adiante, 
ate que, quando depararam um 
jovem, entao, ele^^^ o matou, disse 
Moises; "Mataste uma pessoa 
inocente, sem que ela haja matado 
outra? Com efeito, fizeste algo 
terrivel!" 






!^ 



^Plfe-^< 









(0 Ele: Al Khidr, que retirou, com um machado, uma ou duas tabuas da embarca9ao. 
(2) Ele: Al Khidr. 



18. Saratu Al-Kahf 



Parte 16 



477 h^^>' 



> A Jl^S 6jj^ 



75. outro disse: "Nao te disse 
a ti que, por certo, nao poderias ter 
paciencia comigo?" 

76. Moises disse: "Se, depois 
disso, te perguntar por algo, nao 
me acompanhes mais! Com efeito, 
conseguiste de minha parte uma 
desculpa." 

77. Entao, ambos foram adiante, 
ate que, quando chegaram aos 
moradores de uma cidade, pediram 
a seus habitantes alimento, e estes 
recusaram-se a hospeda-los. Entao, 
ai, encontraram ambos um muro 
prestes a desmoronar-se, e ele^^^ o 
aprumou. Moises disse: "Se 
quisesses, receberias premio por 
isso." 

78. outro disse: "Esta e a 
hora da separa9ao entre mim e ti. 
Informar-te-ei da interpretaQao 
daquilo, com que nao pudeste ter 
paciencia. 

79. "Quanto a nau, pertencia ela 
a pobres, que trabalhavam no mar. 
Entao, desejei danifica-la, pois, 
adiante deles, havia um rei, que 
tomava, por usurpa9ao, toda nau 
nao danificada. 

80. "E, quanto ao jovem, seus 
pais eram crentes, e receavamos 






^ ^ ,^ ;:x*^ , ^ ^ ^ ^ jt^ 






®\2^ 



•J,<waJC 






(l)Ele: AlKhidr. 



18. SQratu Al-Kahf 



Parte 16 



478 ^^^>^ 



) A lA^^ 5j>-» 



que ele os induzisse a transgressao 
e a renega9ao da Fe. 

81."Entao, desejamos que seu 
Senhor Ihes substituisse o filho por 
outro melhor que ele, em pureza, e 
mais proximo, em blandicia. 

82. "E, quanto ao muro, ele 
pertencia a dois meninos orfaos, na 
cidade, e, debaixo dele, havia um 
tesouro para ambos; e seu pai era 
integro: entao, teu Senhor desejou 
que ambos atingissem sua for9a 
plena e fizessem sair seu tesouro, 
por misericordia de teu Senhor. E 
nao o fiz por minha ordem. Essa e 
a interpreta9ao daquilo, com que 
nao pudeste ter paciencia." 

83. E eles^^^ te perguntam, 
Muhammad, por Zul QarnaW^^ 
Dize: "Far-vos-ei men9ao dele." 

84. Por certo, empossamo-lo na 
terra e concedemo-lhe caminho de 
acesso a cada cousa. 



85. Entao, 
caminho, 



ele seguiu um 









^^"^ 



(0 Eles: osjudeus. 

(2) 1ja\ Qarnain: possuidor de dois cornos. Nada nos menciona o Alcorao acerca de 
Zul Qarnain, nem de sua epoca nem da regiao que habitou. Alias, esta e uma 
caracteristica do AlcorSo, que nao se prende ao fato historico, mas a seu 
significado, para utiliza-lo na exorta9ao. Alguns exegetas, entretanto, afirmam 
tratar-se de Alexandre Magno, da Macedonia, (embora este parecer nSo condiga 
com OS fatos, dado que o rei macedonio era pagao, e a personagem alcoranica e 
crente) que, por haver conquistado os dois lados, o Leste e o Oeste, era conhecido 
como o possuidor dos dois lados, que a propria coroa representava, na forma de 
dois chifres. 



18. Suratu Al-Kahf Parte 16 



479 



M ^>i 



> A Jl^\ 5jj^ 



86. Ate quando atingiu o lugar do 
p6r-do-sol, encontrou este pondo- 
se numa fonte quente e lodosa^'\ e, 
junto dela, encontrou um povo 
increduio. Dissemos: "6 Zul 
Qarnain! Ou os castigas ou os 
tratas com benevolencia." 

87. Disse: "Quanto ao que e 
injusto, castiga-lo-emos. Em 
seguida, sera levado a seu Senhor; 
entao, Ele o castigara com terrivel 
castigo. 

88. "E quanto a quem ere e faz 
o bem, tera, como paga, a mais 
bela recompensa. E dir-ihe-emos o 
que for facil de nossas ordens." 

89. Em seguida, seguiu outro 
caminho, 

90. Ate que, quando atingiu o 
lugar do nascer do sol, encontrou-o 
nascendo sobre um povo^^\ para 
quem nao fizeramos prote9ao 
alguma contra eie^"^\ 

91.Assim foi. E, com efeito, 
abarcavamos, em conhecimento, 
tudo o que ele possuia. 

92. Em seguida, seguiu outro 
caminho. 












x.uM%^]y 






^ f^ A;si\:^^\l]i^Uj5a;l^ 



©l^JtAjl^ 



(0 Ou seja, desaparecendo do horizonte, como que mergulhado em agua de fonte. 
(2) Alusao a um povo descrente, a quem Deus ofereceu a op9ao do castigo ou do 

ingresso na religiao de Deus. 
(^) Ele:o sol. Ou seja, este povo descrente n^o tinha nada que o protegesse do sol: 

nem constru9ao nem indumentaria. 



18. Suratu Al-Kahf 



Parte 16 



480 ^ ^ ^>' 



^ A UL^\ 5jj-- 



93. Ate que, quando atingiu um 
lugar entre as duas barreiras^^^, 
encontrou, para alem delas, um 
povo que quase nao entendia 
lingua alguma. 

94. Disseram: "6 Zul Qarnain! 
Por certo, Ya'juj e Ma'juj^^^ estao 
semeando a corrup9ao na terra; 
entao, poderiamos pagar-te um 
tribute para fazeres uma barreira, 
entre nos e eles?" 

95. Ele disse: "Aquilo, em que 
meu Senhor me empossou, e melhor. 
Entao, ajudai-me com for9a, e eu 
farei um obstaculo, entre v6s e eles. 

96. "Dai-me peda90s de ferro." 
E OS foi utilizando na constru^ao, 

ate que, quando nivelou os dois 
lados das barreiras, disse: 
"Soprai." E sopraram, ate que, 
quando o fez em fogo, disse: "Dai- 
me cobre, que, sobre ele, o verterei!" 

97. Entao, Ya'juj e Ma'juj nao 

puderam escala-lo^"^\ e nao 
puderam perfura-lo. 

98. Disse: "Este^'^^e misericordia 
de meu Senhor. E, quando a 









^•^M^J^.j^ 0' 









uicijj^oo5^o^->4*^ 



( ^ ) Parece tratar-se de duas montanhas na fronteira do Turquestao. 

(2) Gog e Magog, na transcri9ao portuguesa: duas tribos selvagens que habitavam 

atras destas montanhas, e de onde saiam, periodicamente, para atacar os habitantes 

vizinhos. 
(^) Ou seja, Gog e Magog nao puderam transpor o obstaculo, entre as montanhas. 
(4) Este: o obstaculo. 



18. Suratu Al-Kahf 



Parte 16 



481 



> *V t>-» > A Jl^\ ijy^ 



promessa de meu Senhor chegar, 
Ele o fara p6. E a promessa de meu 
Senhor e verdadeira." 

99. E, nesse dia, deixa-los-emos 
se agitarem, undantes, uns sobre 
outros. E se soprara na Trombeta; 
entaojunta-los-emos, a todos. 

100. E, nesse dia, exporemos, 
abertamente, a Geena aos 
renegadores da Fe, 

101. Aqueles cujos olhos estavam 
vendados para Minha Mensagem, 
e nada podiam ouvir. 

102. Os que renegam a Fe 
supoem que tomarao Meus servos^ *^ 
por aliados, alem de Mim? Por 
certo, prepararemos a Geena, como 
hospedagem para os renegadores 
daFe. 

103.Dize, Muhammad: "Infor- 
mar-vos-emos dos mais perdedores, 
em obras? 

104. "Sao aqueles cujo esfor90, 
na vida terrena, se descaminha, 
enquanto supoem que eles fazem o 
bem." 

105. Esses sao os que renegam 
OS sinais de seu Senhor e Seu 
deparar; entao, serao anuladas suas 
obras e, no Dia da Ressurrei9ao, 
nao Ihes estipularemos peso algum. 









N-o^^rvjii^ 






(') Alusao aos anjos, a Jesus e a ''Uzair, que os iddlatras adoravam, em vez de Deus. 



18. SQratu Al-Kahf 



Parte 16 



482 > ^ ^>» 



> A cA^I djj-» 



106. E que sua recompensa sera 
a Geena, porque renegaram a Fe e 
tomaram Meus sinais e Meus 
Mensageiros por objeto de zombaria. 

107. Por certo, os que creem e 
fazem boas obras terao os Jardins 
de Al-Firdaus^^\ por hospedagem; 

lOS.Neles, serao etemos e de 
onde nao buscarao mudan9a. 

109.Dize: "Se o mar fosse tinta 
para registrar as palavras de meu 
Senhor, em verdade, o mar exaurir- 
se-ia antes de se exaurirem as 
palavras de meu Senhor, ainda que 
fizessemos chegar outro igual, em 
auxilio." 

llO.Dize: "Sou, apenas, um 
mortal como vos; revela-se-me que 
vosso Deus e Deus Unico. Entao, 
quem espera pelo deparar de seu 
Senhor, que fa9a boa a9ao e nao 
associe ninguem a adora9ao de seu 
Senhor." 






fj^\2^J 



(0 Al-Firdaus: etimologicamente, 6 um vale fertil. No versiculo, e o lugar mais 
elevado do Paraiso. 



19. SQratu Maryam Parte 16 



483 



n*j*-i 



M (Cy hr- 



SORATU MARYAM^'^ 
A SURA DE MARIA 




-,^0^^ 



(>«?^ 



De Makkah - 98 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
MisericordiosOy O Miser icordiador, 

1. Kaf, Ha, Ya, ^Ain, §ad^^\ 

2. Este e o relate da misericordia 
de teu Senhor, para com Seu servo 
Zacarias, 

3,Quando ele chamou por seu 
Senhor, em secreto chamado. 

4. Disse: "Senhor meu! Por certo, 
meus ossos fraquejam e minha 
cabe9a flameja encanecida, e, 
jamais, fui infeliz, Senhor meu, na 
siiplicaaTi! 

5. "E, por certo, temo os 
herdeiros, depois de mim^^\ e minha 
mulher e esteril; entao, dadiva-me, 
de Tua parte, com um herdeiro, 

6. "Que herdara de mim a 
ciencia e herdara, da familia de 



(0 Maryam: Maria, m^e de Jesus, a quern o Isl^o considera, apenas, um dos 
mensageiros de Deus. Esta sura, cujo titulo se deve h men9ao do nome de Maria 
nos versiculos 1 6 e 27, confirma a unicidade de Deus e refuta, categoricamente, a 
atribui9ao de filhos a ele, al6m de reiterar a questSo da Ressurrei9ao e outras, 
proprias das suras reveladas em Makkah. Saliente-se, ainda, aqui, a narra^^o de 
hist6rias, iniciadas com a de Zacarias e Jo^o Batista (ou Yahia em arabe); a de 
Maria e o nascimento de Jesus; a de AbraSo e seu pai. Hd, tambdm, alusSo aos 
profetas Isaque, Jac6, Moises, AarSo, Ismael, IdrTs, Adio e Noe. Essas historias 
ocupam quase 2/3 da sura. Cenas do Juizo Final e dissensdes com os negadores da 
Ressurrei9ao ocupam sua parte restante. 

(2)Cf. II 1 n3. 

0) Depois de mim: depois de minha morte. 






19. Suratu Maryam Parte 16 454 ) *\ ^ji-i 



>i % fiy 5j^ 



Jaco, o reino. E faze-o, Senhor meu, 
agradavel a Ti." 

7. Allah disse: "6 Zacarias! Por 
certo, Nos te alvissaramos um 
filho, cujo nome sera Yahia, (Joao), 
para quern, antes, nao fizemos 
homonimo." 

8. Zacarias disse: "Senhor 
meu! Como hei de ter um filho, 
enquanto minha mulher e esteril e, 
com efeito, ja atingi, da velhice, a 
decrepitude?" 

9. Disse ele^^^ ''Assim, teu 
Senhor disse: 'Isso Me e facil, e, 
com efeito, criei-te, antes, enquanto 
nadaeras!'" 

10. Zacarias disse: "Senhor 
meu! Faze-me um sinal." Ele 
disse: "Teu sinal sera que nao 
falaras aos humanos, por tres 
noites, embora estando perfeito." 

ll.Entao, saiu do santuario, a 
seu povo, e inspirou-lhes, por 
gestos: "Glorificai a Allah, ao 
alvorecer e ao anoitecer." 

12. "6 Yahia^^^! Toma Livro^^\ 
com firmeza!" E concedemo-lhe a 
sabedoria, em sendo infante, 

13. E temura, de Nossa parte, e 
pureza. E era piedoso. 















(U Ele: o anjo Gabriel. 

(2) Passou-se o tempo, e nasceu Joao Batista, a quern Deus se dirige, neste versiculo. 

(3) O Livro: aTora. 



19. Suratu Maryam Parte 16 



485 



n ^>i 



y^fy^ 



14. E blandicioso para com seus 
pais; e nao era tirano, desobediente. 

15. E que a paz seja sobre ele, 
no dia em que nasceu e no dia em 
que morrer e no dia em que for 
ressuscitado, vivo! 

16. E menciona, Muhammad, 
no Livro^^\ a Maria, quando se 
insulou de sua familia, em lugar na 
direfao do oriente, 

17. E colocou entre eia e eles 
um veu; entao, enviamo-lhe Nosso 
Espirito^^\ e ele apresentou-se-lhe 
como um homem perfeito. 

18. Ela disse: "Por certo, refugio- 
me nO Misericordioso, contra ti. 
Se es piedoso, nao te aproximes." 

19. Ele^^^ disse: "Sou, apenas, o 
Mensageiro de teu Senhor, para te 
dadivar com um filho puro." 

20. Ela disse: "Como hei de ter 
um filho, enquanto nenhum homem 
me tocou, e nunca fui mundana?" 

21. Ele disse: "Assim teu Senhor 
disse: 'Isso Me e facil, e se-Io-a 
para fazer dele^"^^ um sinal para os 
homens e misericordia de Nossa 
parte.' E foi uma ordem decretada." 



^^^>^)j\^r^ 



^ u>^bt>- J>o;)j 4j j4^ 






%%;Ji^'(^ 5^^=^ lid 



(0 No Livro: no Alcorao. 
(2) Ou seja, o anjo Gabriel. 
(^) Ele: o anjo Gabriel. 
^^) Dele: de Jesus, filho de Maria. 



19. SOratu Maryam Parte 16 



486 



>n ^>i 



> ^ f,y Sj^ 



22. Entao, ela o concebeu, e 
insulou-se com ele^^\ em lugar 
longinquo. 

23. E as dores do parto levaram- 
na a abrigar-se ao tronco da 
tamareira. Ela disse: "Quem dera 
houvesse morrido antes disto, e fosse 
insignificante objeto esquecido!" 

24. Entao, abaixo dela, uma voz 
chamou-a: "Nao te entriste^as! 
Com efeito, teu Senhor fez correr, 
abaixo de ti, um regato. 

25. "E move, em tua dire^ao, o 
tronco da tamareira, ela fara cair, 
sobre ti, tamaras maduras, frescas. 

26. "Entao, come e bebe e 
refresca de alegria teus olhos^^\ E, 
se ves alguem, dos mortais, dize: 
Tor certo, fiz votos de silencio aO 
Misericordioso, e, hoje, nao falarei 
a humano algum.'" 

27. E ela chegou, com ele^^\ a 
seu povo, carregando-o . Disseram: 
"6 Maria! Com efeito, fizeste uma 
cousa assombrosa! 

28. "6 irma de Aarao^"^^! Teu pai 
nao era pessoa atreita ao mal e tua 
mae nao era mundana!" 



\j^'^^C>X^^^<^^^^^^^ 













^ Cji) V^l C-jl^=s»ta5 ^^JIl/ 



(0 Ele: seu filho, Jesus. 

(2) Na alegria, os olhos ficam frescos, por nSo sofrerem a^So calorica das lagrimas, 

provocadas pela tristeza. 
0) Ele: seu filho, Jesus. 
W Ha inumeros pareceres com respeito a este AarSo, que seriam: 1 ) O irmao de Maria, 

por parte do pai, e que era muito virtuoso; 2) O irmSo de Moises, de cuja familia 



19. Suratu Maryam Parte 16 457 s ^ ^ji-i 



^ ^ f-y h^ 



29. Entao, ela apontou para 
ele^^^. Eles disseram: "Como 
falaremos a quern esta no ber90, 
em sendo infante?" 

30. bebe^^^ disse: "Por certo, 
sou o servo de Allah. Ele me 
concedera o Livro^^\ e me fara 
Profeta, 

31. "E me fara aben9oado, onde 
quer que esteja, e me recomendara 
a ora9ao e az-zakah^'*^ enquanto 
permanecer vivo, 

32. "E me fara blandicioso para 
com minha mae, e nao me fara 
tirano, infeliz; 

33. "E que a paz seja sobre 
mim, no dia em que nasci, e no dia 
em que morrer e no dia em que for 
ressuscitado, vivo!" 

34.- Esse e Jesus, filho de 
Maria. E o Dito da verdade, que 
eles^^^ contestam. 

35. Nao e admissivel que Allah 






;iSi\3i3\;-^\j^^\j\5 



>:^ 


















Maria descendia por la9os de parentesco; assim sendo, a ideia de fratemidade 
expressa no versiculo, nSo implica, obrigatoriamente, o elo sangiiineo, mas, de 
acordo com os costumes arabes, o elo de carater, que os unia: virtude e piedade 
eram seus tra90S proprios. 

(0 Ele: Jesus, seu filho. Em virtude dos votos de silencio, que fizera, Maria apontava 
para Jesus, sempre que sua familia queria falar-lhe, mostrando, assim que era ele 
quem responderia por ela. 

(2) O bebe: Jesus criancinha. 

(^) O Livro: o Evangelho. 

(4)CfII43n4. 

(5) Eles: OS cristaos, que contestam a natureza de Jesus. 



19. Suratu Maryam Parte 16 438 ^ % ^ji-i 



^ ^ <^-y ^j^^ 



tome para Si um filho. Glorificado 
seja! Quando decreta algo, apenas, 
diz-lhe: "Se", entao, e - 

36. "E, por certo, Allah e meu 
Senhor e vosso Senhor: entao, 
adorai-O. Esta e uma senda reta"_. 

37. Em seguida, os partidos^*^ 
discreparam entre eles. Entao, ai 
dos que renegam a Fe, quando de 
sua presen9a, em um terrivel dia! 

38. Quao bem ouvirao e quao 
bem verao^^\ um dia, em que virao 
a Nos. Mas os injustos, hoje, estao 
em evidente descaminho! 

39. E adverte-os, Mul)ammad, 
do Dia da Afli9ao - quando a 
ordem for encerrada - enquanto 
eles estao, neste mundo, em 

desaten9ao e enquanto nao creem. 

40. Por certo, somos Nos Que 
herdaremos a terra e quem sobre ela 
existe. E a Nos eles serao 
retomados. 

41. E menciona, no Livro^"^\ a 
Abraao - por certo, ele era 
veracissimo, profeta - 

42. Quando disse a seu pai: "6 
meu pai! Por que adoras o que nao 
ouve nem ve e de nada te vale? 



S^^^c/^^J^.tij^X^^;^ 



J 99'^ I .^-^ ^ ^.>»\r ri^-^ -!-^-^-'l ^ \-^ 



l^A^ 



^.^A'r 


















(0 Alusao aos cristaos que, acerca da natureza de Jesus, se dividiram em tres seitas: 

OS arianos, os nestorianos e os jacobitas. 
(2) Ao contrario do que ocorria, em vida, quando eram cegos e surdos k Verdade, no 

Dia do Juizo, terSo de ouvir e ver tudo, irrefragavelmente. 
0) No livro: no Alcorao. 



19, Suratu Maryam Parte 16 



489 



>n ^>< 



> ^ (Cy Oj>>^ 



43. "6 meu pai! Por certo, 
chegou-me, da ciencia, o que te 
nao chegou; entao, segue-me, eu te 
guiarei a uma senda perfeita. 

44. "6 meu pai! Nao adores 
Sata. Por certo, Sata e desobediente 
aO Misericordioso. 

45. "() meu pai! Por certo, temo 
que um castigo dO Misericordioso 
te toque: entao, tomar-te-ias aliado 
a Sata." 

46. Ele disse: "Esta rejeitando 
meus deuses, 6 Abraao? Em 
verdade, se nao te abstens disso, 
apedrejar-te-ei. E abandona-me, 
por longo prazo!" 

47. Abraao disse: "Que a paz 
seja sobre ti. Implorarei a meu 
Senhor perdao para ti. Por certo, 
Ele e Afavel para comigo. 

48. "E aparto-me^*^ de vos e do 
que invocais, em vez de Allah, e 
invoco a meu Senhor. Quifa, nao 
seja eu infeliz com a suplica a meu 
Senhor." 

49. Entao, quando ele se apartou 
deles e do que adoravam, em vez 
de Allah, dadivamo-lo com Isaque e 
Jaco. E de cada um fizemos profeta. 

50. E dadivamo-los com algo de 
Nossa misericordia e fizemo-lhes 

( ^ ) Abraao sai da terra natal, rumo a Siria. 















19. Suratu Maryam Parte 16 



490 



n t>ri 



S ^ fLy 5j>-. 



lingua^ *^ veridica, altissima. 

51. E menciona, no Livro, a 
Moises. Por certo, ele era predileto 
e era Mensageiro, profeta. 

52. E chamamo-lo, do lado direito 
do Monte^^\ e fizemo-lo aproximar- 
se de Nos, como confidente. 

53. E, de Nossa misericordia, 
dadivamo-lo com seu irmao Aarao, 
como profeta. 

54. E menciona, no Livro, a 
Ismael. Por certo, ele era veridico 
na promessa, e era Mensageiro, 
profeta; 

55. E ordenava a sua familia a 
orafao e az-zakah^^\ e era agra- 
davei, junto de seu Senhor. 

56. E menciona, no Livro, a 
IdrTs^'^l Por certo, ele era vera- 
cissimo, profeta. 

57. E elevamo-lo a um lugar 
altissimo. 

58. Esses, os que Allah agraciou 
- dentre os profetas da descendencia 
de Adao, e dos que levamos, na 






® iS0i^X\li^^/<i\i>jj 






^C^JJ 






(0 Ou seja, Deus fez com que se perpetuasse a memoria de Abraao, Isaque e Jaco, 
por meio da excelente reputa(?ao, de veracidade, que gozaram sempre, nas 
gera(^6es poster! ores. 

(2) Ou seja, do Monte Sinai. 

(3)CfII43n4. 

(4) IdrTs: um dos 25 profetas mencionados no Alcorao. Ha os que identificam com 
Enoque biblico (Genese V 21 - 24). 



19. Soratu Maryam Parte 16 



491 



M ^>» 



^ ^ f'-y h^ 



Area, com Noe, e da descendencia 
de Abraao e Israel, e dos que 
guiamos e elegemos - quando os 
versiculos dO Misericordioso se 
recitavam, para eles, caiam 
prostemados e chorosos. 

59. E sucederam, depois deles, 
sucessores, que descuraram da 
orafao, e seguiram a lascivia. Entao, 
depararao uma desventura, 

60.Exceto quern se voltar 
arrependido e crer e fizer o bem; 
entao, esses entrarao no Paraiso - e 
nao sofrerao injusti9a alguma - 

6I.N0S Jardins do Eden, que O 
Misericordioso prometeu a Sens 
servos, que ereram no Invisivel. 
Por certo. Sua promessa se 
concretizara. 

62. Neles, nao ouvirao 
frivolidades; somente a sauda^ao 
"Salam!", "Paz!". E, neles, terao 
seu sustento, ao alvorecer e ao 
anoitecer. 

63. Esse Paraiso e o que faremos 
herdar a quern e piedoso, de Nossos 
servos. 

64. "E nao descemos^*^ senao 
por ordem de teu Senho/^\ DEle e 


















( ^ ) Quem esta falando e o anjo Gabriel. 

(2) Trata-se, aqui, da fala do anjo Gabriel, quando, apos certa demora na revela^ao, o 
Profeta ainda Ihe perguntou: "O que te impede de visitar-nos?" 



19. Saratu Maryam Parte 16 



492 



M ^j^\ 



S ^ f^jA SjJ,^ 



o que esta adiante de nos e o que 
esta detras de nos e o que esta 
entre ambos. E teu Senhor nada 
esquece. 

65. "E O Senhor dos ceus e da 
terra e do que ha entre ambos. 
Entao, adora-0 e pacienta, em Sua 
adora^ao. Acaso, conheces-Lhe 
algum homonimo?" 

66. E o ser humano^^^ diz: 
"Quando morrer, far-me-ao sair 
vivo?" 

67. E o ser humano nao se 
lembra de que o criamos antes, 
enquanto nada era? 

68. Entao, por teu Senhor! 
Reuni-los-emos e aos demonios; 
em seguida, fa-los^^^-emos estar 
presentes, ao redor da Geena, 
genuflexos. 

69. Em seguida, tiraremos, de 
cada seita, o mais rebelde deles 
contra O Misericordioso. 

70. E, em verdade, Nos somos 
melhor Sabedor dos que sao mais 
merecedores de ser por ela 
queimados. 

71. E nao havera ninguem de 
vos que por ela nao passe. E 



(ilo o'^A^ <J^S^ 2i^jG2i^Uj 






All- ;»-T t 



a:i^^\jJ^^ ''^'^ .-*i^ 



-J^^^y^^ 






aj^D^ui^!S"Jli^ol^ 



(0 Alusao a 'Ubai Ibn Khalaf, contemporaneo do Profeta, o qual negava a 

Ressurrei^ao. 
(2) Los: OS que nao creem na Ressurrei9ao, como os idolatras de Makkah, nessa epoca. 



19. Suratu Maryam Parte 16 493 > n ^^i 



> ^ f.y «jj-- 



determina9ao decretada, 
impende a teu Senhor. 



que 



72. Em seguida, salvaremos os 
que foram piedosos e deixaremos, 
nela, os injustos, genuflexos. 

73. E, quando se recitam, para 
eles, Nossos evidentes versiculos, 
OS que renegam a Fe dizem aos que 
creem: "Qual dos dois grupos^^^ 
tern a situa9ao mais confortavel e a 
mais bela companhia?" 

74. E quantas gera9oes aniquila- 
mos, antes deles, as quais foram 
melhores em conforto e aspecto? 

75. Dize, Muljammad: "A 
quem esta em descaminho, que O 
Misericordioso Ihe estenda a vida, 
por certo tempo, ate que , quando 
virem o que Ihes foi prometido - 
ou o castigo ou a Hora - saibam, 
entao, quem esta em pior situa9ao, 
e e o mais fraco da tropa. 

76. "E Allah acresce orienta9ao 
aos que se guiam. E as boas obras, 
duradouras, sao, junto de teu 
Senhor, melhores em retribui9ao e 
melhores em destino." 

77. E viste quem renega Nossos 
sinais e diz: "Em verdade, ser-me- 
ao concedidas riquezas e filhos^ v" 



Oi-JiaJ b^l^^^.^^(^ 



(J^>J 









4] Siii^id^ji^aS^ lIoI^ Js 






^^6^^M 



Jl 



3JU^^ 






(0 Ou seja, de crentes e descrentes. 

(2) Alusao que disse o idolatra Al ^AssT [bn Wa'il, ao moslime Khabbab Ibn Al'Aratt, 



19. SOratu Maryam Parte 16 



494 



M *>i 



S ^ f.jA oj^ 



78. Avistou ele o Invisivel, ou 
firmou pacto com O Misericordioso? 

79. Em absolute, nada disso! 
Escreveremos o que ele diz e 
estender-lhe-emos o castigo, 
intensamente. 

80. E herdar-lhe-emos o que diz 
possuir, e a Nos vira sozinho. 

81. E tomam^^\ alem de Allah, 
outros deuses, para que Ihes sejam 
um poder. 



82. Em absolute, nao o serao. 
megarao^^^ sua i 
deles antagonistas. 



Renegarao^^^ sua adorafao e serao 



83. Nao viste que enviamos os 
demonios contra os renegadores da 
Fe, para incita-los, ao mal, 
impetuosamente? 

84. Entao, nao Ihes apresses o 
castigo. Apenas, contamo-lhes^"^^ 
todos seus atos, precisamente. 

85. Lembra-lhes de um dia, 
quando reunirmos os piedosos, em 
missao de honra aO Misericordioso, 






iiiisj^^--^" 






CjJ^V^h^ 






• T^4^. 1,^ 



^iiolijl^i^ J.$Jo ^ 



I&\1^ 



^%(0\^\M^\:r^\y. 



'Aratt, quando este solicitou a devolu9ao do emprestimo que Ihe fizera. Como 
aquele nSo tencionava pagar a divida, e descrendo da Ressurrei9ao, assegurou, 
ironicamente, a este, que somente Ihe pagaria, quando, ao ressuscitar, recebesse 
outros bens e filhos. 
(0 Ou seja, OS id6latras de Makkah. 

(2) Ou seja, os idolos renegarSo sua adora^So. 

(3) Isto e, tudo que fazem Ihes e computado, para, no Dia do Juizo, prestarem conta de 
cada ato. 



19. SOratu Maryam Parte 16 495 ^ n cji-t 



) ^ fljA 5jJ^ 



86, E impulsionarmos os 
criminosos para a Geena, como 
rebanhos sequiosos, 

87,Nao terao^^^ o poder de 
intercessao senao os que houverem 
firmado pacto com O Miseri- 
cordioso. 

88, E eles^^^ dizem: "O Miseri- 
cordioso tomou para Si um filho!" 

89, Com efeito, fizestes algo 
horrente! 

90,Por causa disso, os ceus 
quase se despeda9am e a terra se 
fende e as montanhas caem, 
desmoronando-se, 

91.Por atribuirem um filho aO 
Misericordioso! 

92, E nao e concebivel que O 
Misericordioso tome para Si um 
filho. 

93, Todo ser que esta nos ceus e 
na terra chegara aO Misericordioso 
apenas como servo. 

94, Com efeito, Ele os enumerou 
e OS contou, precisamente. 

95, E todos eles, no Dia da 
Ressurrei9ao, Lhe chegarao indivi- 
dualmente. 






\i^j^:)\x£\\}ij 















^i3p^5l:;^\^_>^oj;^;^ 



(0 Ou seja, OS homens nao poderSo interceder por ningu^m. 
(2) Eles: os judeus e os cristaos. 



19. Suratu Maryam Parte 16 



496 



n ^>i 



) ^ f.jA 5jJ^ 



96. Por certo, aos que creem e 
fazem as boas obras, O Miseri- 
cordioso fa-los-a ter afei9ao^'^ 
mutua. 

97. Entao, apenas o^^^ facilitamos 
em tua lingua, para que, com ele, 
alvissares os piedosos e admoestes 
um povo irredutivel. 

98. E quantas gera9oes 
aniquilamos, antes deles! Sentes a 
alguem delas? Ou Ihes ouves 
algum murmurio? 



f ? -* ^ ? 






O - .>A-J . A 









( A propria afei^ao de Deus e a de todos os seres. 
(2) O: o Alcorao. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



497 > ^ ^>' 



T • aIp djj-j 



SURATU TA-HA^^^ 
A SURA DE TA-HA 



De Makkah - 135 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Ta-Ha. 

2. Nao fizemos descer sobre ti o 
Alcorao, para que sejas infeliz^^\ 

3. Mas como lembran9a para 
quern receia a Allah. 

4. E revela9ao descida de Quern 
criou a terra e os altos ceus. 

5. O Misericordioso estabeieceu- 
Se no Trono. 

6. DEle e o que ha nos ceus e o 
que ha na terra e o que ha entre 
ambos e o que ha sob o solo. 

7. E, se alteias o dito, por certo, 
Ele sabe o segredo e o mais 
recondito ainda. 







^=J!^^^L- 















(0 Ta, Ha: nomes de duas letras arabes correspondentes aproximadas, em portugues, 
as letras t e h. Acerca de seu significado, ver II I n3. Assim, denomina-se a sura, 
pela men9ao dessas letras em seu primeiro versiculo, a qual se inicia por palavras 
dirigidas ao profeta Muhammad, que o lembram de que o AlcorSo nao foi revelado, 
para causar-lhe fadiga. Lembram-no, tambem, de que o Alcorao foi revelado por 
Deus, Que criou os ceus e a terra, e Que tudo conhece. A seguir, ha men^ao da 
historia de Moists e sua mensagem, do episodio dos filhos de Israel, quando da 
adora^ao do bezerro, logo ap6s a saida do Egito; do dialogo entre Deus e Moises e 
entre este e Fara6; do desafio entre Moises e os feiticeiros. Ha breve referencia 
sobre a historia de Ad&o e do perdao de Deus, apos o pecado. Finalmente, ha 
recomenda^ao ao Profeta para que paciente, ore e oriente a todos na boa conduta. 

(2) Refere-se a fadiga experimentada pelo Profeta, que, logo apos a revela^ao, passava 
noites orando a Deus. E tanto se empenhou na celsa tarefa que, tendo os pes 
intumescidos de cansa^o, foi advertido pelo anjo Gabriel de que se cuidasse, uma 
vez que a modera^ao, inclusive na prece, e essencial. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



498 



^n ^>i 



t « aIp Ojj^ 



S.Allah, nao existe deus senao 
Ele. DEle sao os mais belos nomes. 

9. E chegou-te o relato de Moises? 

10. Quando ele viu um fogo, 
entao, disse a sua familia: 
"Permanecei aqui. Por certo, 
entrevejo um fogo. Talvez vos 
traga dele um ti9ao, ou encontre, 
junto do fogo, alguma orienta9ao." 

11. E, quando chegou a ele, 
chamaram-no: "6 Moises! 

12. 'Tor certo, Eu sou teu Senhor. 
Entao, tira tuas sandalias: por certo, 
estas no vale sagrado de Juwa. 

13. "E Eu te escolhi; entao, 
ouve o que te sera revelado. 

14. "Por certo, eu sou Allah; 
nao existe deus senao Eu; entao, 
adora-Me e cumpre a ora9ao em 
lembran9a de Mim. 

15. "Por certo, a Hora esta 
chegando; estou prestes a faze-la 
aparecer^^\ para que cada alma se 
recompense pelo que se esfor9a em 
fazer. 

16. "Entao, que aquele que nela 
nao ere e segue seu capricho, nao 
te deixe te afastares dela: pois, 
arruinar-te-ias. 






f ^^Ax'":^ 









^cS:^cf^^^^^ 



(^S>Sii)jAw>Vj 



(') Aparecer traduz o verbo drabe 'ukhft. derivado do verbo 'akhfS. que, de acordo 
com o contexto, significa esconder ou mover a coberta, isto 6, descobrir, 
aparecer. Nesta ultima acep^So, foi usado, aqui, o verbo. 



20. SQratu Ta-Ha 



Parte 16 



499 



>n ^>i 



y % Jp 5jj-^ 



17."E o que e isso, em tua 
destra, 6 Moises?" 

18. Ele disse: "E minha vara: 
apoio-me sobre ela e, com ela, fa90 
derribar a folhagem para meu 
rebanho, e, nela, tenho outros usos." 

19. Allah disse: "Lan9a-a, 6 
Moises!" 

20. Entao, ele a lan90u e ei-la 
serpente a colear. 

21. Allah disse: "Toma-a e nao 
temas. Toma-la-emos em seu estado 
anterior. 

22. "E junta tua mao a teu 
flanco: ela saira alva, sem mal^^^ 
algum, como outro sinal, 

23. "Para que te fa9amos ver 
algo de Nossos grandiosos sinais. 

24. "Vai a Farao; por certo, ele 
cometeu transgressao." 

25. Moises disse: "Senhor meu! 
Dilata-me o peito, 

26. "E facilita-me a missao, 

27. "E desata-me um no da 
lingua^^^ 

28. "Para que eles entendam 
meu dito, 












^ci^\r-'^ 



(0 Ou seja, sem o mal da lepra. 

(2) Diz a tradi^ao que Moists padecia de um defeito da fala, provavelmente de 
tartamudez. 



20. SOratu Ta-Ha 



Parte 16 



500 >^^>< 



t « AJp djj^ 



29. "E faze, para mim, um vizir, 
assistente, de minha familia: 

30. "Aarao, meu irmao, 
31."Intensa, com ele, minha for9a, 

32. "E associa-o a minha missao, 

33. "Para que te glorifiquemos 
amiude, 

34. "E para que amiude nos 
lembremos de Ti. 

35. "Por certo, de nos, Tu es 
Onividente." 

36. Allah disse: "Com efeito, e- 
te concedido teu pedido, 6 Moises. 

37. "E, com efeito, ja te fizemos 
merce, outra vez, 

38. "Quando inspiramos a tua 
mae o que Ihe foi inspirado: 

39. "Deita-o na area e deita esta 
na onda - entao, que a onda o 
lance a margem! - Um inimigo 
Meu e inimigo seu o tomara." E 
lancei sobre ti amor, de Minha 
parte, e isso para que fosses criado 
diante de Meus olhos. 

40. Quando per la tua irma 
andava, e disse: "Indicar-vos-ei quem 
dele pode cuidar?" E devolvemo-te 
a tua mae, para que se Ihe 
refrescassem de alegria os olhos^^^ 



^^^o^iSjj^l^ 















(OCf. XIX 26 n2. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



501 



n ^>i 



t ♦ AJP OjJ--» 



e que ela se nao entristecesse. E 
mataste uma pessoa; e Nos te 
salvamos da angustia^'\ e te 
provamos, seriamente. Entao, 
permaneceste anos entre os 
habitantes de Madian; em seguida, 
chegaste a um tempo predestinado, 
6 Moises! 

41. "E escolhi-te para Mim. 

42. "Vai, tu e teu irmao, com 
Meus sinais, e de nada descureis, 
em lembra9a de Mim. 

43. "Ide ambos a Farao; por 
certo, ele cometeu transgressao. 

44. "Entao, dizei-lhe dito afavel, 
na esperan9a de ele meditar ou 
recear a Allah." 

45. Ambos disseram: "Senhor 
nosso! Por certo, tememos que ele 
se apresse em prejudicar-nos, ou 
que cometa transgressao." 

46. Ele disse: "Nao temais. Por 
certo, sou convosco: OU90 e vejo. 

47. "E ide a ele e dizei: Tor certo, 
somos ambos Mensageiros de teu 
Senhor; entao, envia conosco os 
filhos de Israel e nao os castigues. 
Com efeito, chegamos a ti com um 
sinal de teu Senhor. E que a paz 
seja sobre quem segue a orienta9ao! 









\!^XjJ^J\S\^^^jli 









(0 Quer dizer, Moises sobreviveu apos cada prova9ao: quando nasceu, foi salvo a 
matan9a dos varoes, imposta por farao; lan9ado ao Nilo, salvou-se; havendo 
matado um egipcio copta, escapou, fugindo para Madian. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



502 ^ ^ ^>» 



Y * 4J9 ^jj^ 



48. " Tor certo, foi-nos revelado 
que o castigo sera sobre quern 
desmente a Mensagem e volta as 
costas.' " 

49. Farao disse^*^: "Entao, quern 
e vosso Senhor, 6 Moises?" 

50. Moises disse: "Nosso Senhor 
e Quern deu a cada cousa sua 
cria9ao^^^; em seguida, guiou-a." 

51. Farao disse: "E que e das 
gera9oes anteriores?" 

52. Moises disse: "Sua ciencia 
esta junto de meu Senhor, em um 
Livro. Meu Senhor nao se 
descaminha e nada esquece. 

53. "Ele e Quern vos fez da terra 
leito, e, nela, abriu caminhos, para 
vos; e fez descer do ceu agua." 
Entao, com ela, fizemos brotar 
casais de varias piantas. 

54. Comei e apascentai vossos 
rebanhos. Por certo, ha nisso sinais 
para os dotados de entendimento. 

55. Dela^^^ vos criamos e a ela 
vos tomamos e dela vos faremos 
sair, outra vez. 

56. E, com efeito, fizemo-io ver 
todos Nossos sinais; mas, ele os 
desmentiu e os recusou. 






^^}i\dj!^Vx,\j:]i 






^ &A 



\ f 






(0 Farao: assim, perguntou quando os mensageiros Ihe transmitiram a mensagem. 

(2) Cria^ao: existencia. 

(3) Dela: da terra. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



503 



>^ ^^\ 



Y * <^ 



J>-- 



57. Ele disse: "Chegaste-nos, 
para fazer-nos sair de nossa terra, 
com tua magia, 6 Moises? 

58. "Entao, em verdade, chegar- 
te-emos, com magia igual. E marca, 
entre nos e ti, um tempo prometido, 
ao qual nao faltaremos, nem nos 
nem tu, em lugar eqtiidistante." 

59. Moises disse: "Vosso tempo 
prometido sera o dia do 
omamento^^l E que os homens sejam 
reunidos em plena luz matinal." 

60. Entao, Farao retirou-se e 
juntou sua insidia; em seguida, 
voltou. 

61. Moises disse-lhes: ''Ai de 
vos! Nao forjeis mentiras acerca de 
Allah, pois ele vos exterminara, com 
um castigo. E, com efeito, mal- 
aventurado sera quem as forjar." 

62. E, deliberaram, entre eles, 
sua questao e guardaram segredo 
da confidencia. 

63. Disseram: "Por certo, estes 
sao dois magicos que desejam 
fazer-vos sair de vossa terra, com 
sua magia, e apoderar-se de vosso 
metodo exemplar. 

64. "Entao, juntai vossa insidia; 
em seguida, vinde enfileirados. E, 
























^^ 



y^\ r^\ J55l^\^\^|l|)^^ 



(0 Dia do Ornamento: dia de testa, possivelmente, na chegada da primavera, quando 
OS egipcios se adornavam, e as ruas e aos templos, e, isentos de trabalho, todos se 
reuniam, em festa. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



504 > ^ ^>< 



T* ^ 



Oj^ 



com efeito, bem-aventurado sera, 
hoje, quern ficar por cima." 

65. Disseram: "6 Moises! 
Lanfaras tua vara, ou seremos os 
primeiros que lan9aremos as 
nossas?" 

66. Disse: "Mas, lanfai v6s." 
Entao, eis suas cordas e suas varas 
que, por magia, Ihe pareciam colear. 

67. E, em seu amago, Moises 
teve medo. 

68. Dissemos: "Nao temas! Por 
certo, tu, tu es o superior; 

69. "E lan9a o que ha em tua 
destra; ela engolira o que 
engenharam. O que engenharam e, 
apenas, insidia de magico. E o 
magico nao e bem-aventurado, 
aonde quer que chegue." 

70. Entao, os magicos cairam 
prostemados. Disseram: "Cremos 
nO Senhor de Aarao e Moises." 

71.Fara6^^^ disse: "Credes nele, 
antes de eu vo-lo permitir? Por 
certo, ele e vosso mestre, que vos 
ensinou a magia. Entao, em 
verdade, cortar-vos-ei as maos e as 
pernas, de lados opostos, e 
crucificar-vos-ei nos troncos das 
tamareiras, e sabereis qual de nos e 
mais veemente no castigo e mais 






74^^^^^!'^'^' 



■^ui^^M 



' I'C 












( 1 ) Farao, furioso, come90u a ameagar os magicos. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



505 



M ^jk\ 



Y • 4J? Ojj-- 



permanente^^^ em poder." 

72. Disseram: "Nao te daremos 
preferencia sobre as evidencias que 
nos chegaram e sobre Quem nos 
criou. Entao, arbitra o que quiseres 
arbitral. Tu arbitras, apenas, nesta 
vida terrena. 

73. "Por certo, cremos em nosso 
Senhor, para que nos perdoe os erros 
e a magia, a que nos compeliste. E 
Allah e Melhor e mais 
Permanente^^\ em poder." 

74. For certo, quem chega a seu 
Senhor, sendo criminoso, tera a 
Geena, em que nao morrera nem 
vivera. 

75. E OS que Lhe chegam, sendo 
crentes, havendo feito, de fato, as 
boas obras, entao, esses terao os 
altos escaloes, 

76.0s Jardins do Eden, abaixo 
dos quais correm os rios; nesses, 
serao etemos. E essa e a recompensa 
de quem se purifica. 

77. E, com efeito, inspiramos a 
Moises: "Parte, durante a noite, 
com Meus servos; e tra9a-lhes uma 
vereda seca no mar: nao temas ser 
alcan9ado e nada receies." 






h 



^U^}J 















(0 Farao faz atentar para o poder divino de que pretendia ser investido e compara-o 

com o do Deus de Moises. 
(2) Ou seja, Deus e O Melhor em recompensar e O Mais Permanente em poder. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



506 



n ^>i 



t • ^ ^jj-** 



78. E Farao perseguiu-os, com 
seu exercito; entao encobriu-os o 
que da onda os encobriu. 

79. E Farao descaminhou a seu 
povo e nao o guiou. 

80.6 filhos de Israel! Com 
efeito, salvamo-vos de vosso 
inimigo, e prometemo-vos encontro 
no lado direito do Monte, e 
fizemos descer, sobre v6s, o mana 
e as codornizes, e dissemos: 

81."Comei das cousas benignas, 
que vos damos por sustento, e nao 
cometais transgressao: senao, minha 
ira cairia sobre vos. E aquele, 
sobre quem Minha ira cai, se 
abismara, de fato, na Geena. 

82. ''E, por certo, sou Perdoador 
de quem se voita arrependido e ere 
e faz o bem, em seguida, se guia." 

83. Allah disse: "E o que te fez 

apressar-te em vir adiante de teu 
povo^^\ 6 Moises?" 

84. Moises disse: ''Ei-los em 
minha pegada, e apressei-me em 
vir a Ti - Senhor meu! - para que 
isso Te agrade." 

85. Allah disse: '\ por certo, 
Nos, de fato, provamos teu povo, 
depois de ti, e As-Samiriy^^^ 
descaminhou-os." 






c5>^Ai3,j^^aJi 






ibicl^j <sJ\i^M^^^^^ 



S-rU 






(0 Povo: 70 lideres, escolhidos por Moises, para irem com ele ao encontro de Deus. 
(2) As-Samiriy: urn dos seguidores da cren^a mosaica. Por haver pertencido a urn 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



507 



n ^>i 



T • ^ 5jj-^ 



86. Entao, Moises retornou a 
seu povo, irado, pesaroso. Disse: 
"6 meu povo! Vosso Senhor nao vos 
prometeu bela promessa^'^? Sera 
que a alianfa^^^ tornou-se longa 
para vos? Ou desejastes que caisse 
sobre vos ira de vosso Senhor, 
entao faltastes a minha promessa?" 

87. Disseram: "Nao faltamos a 
tua promessa, por vontade nossa, 
mas fizeram-nos carregar fardos de 
ornamentos^"^^ do povo; entao, 
deitamo-los^"*^ ao fogo e, assim, 
tambem, lan90u-os^^^ As-Samiriy." 

88. Entao ele Ihes fez sair^^^ um 
bezerro, um corpo que dava 
mugidos, e disseram^^\- "Este e 
vosso deus e o deus de Moises." 
Entao, ele esqueceu^^^ a verdade. 

89. E nao viram eles que ele^^^ 
Ihes nao respondia dito algum nem 



^j^^^J:3ss>-^ 









povo que adorava bezerros, foi insincero, em rela^ao a sua fe, e, na ausencia de 
Moises, induziu o povo a taurolatria. 
(0 A Promessa de Deus consistia em protege-los, para leva-los a Terra Prometida e, 
antes de tudo, ofertar-lhes a Tora, com Sua Lei e Mandamentos. 

(2) Ou seja, Moises indaga ao povo se, afmal, foi tao longo o espa9o de tempo entre 
sua ida ao Monte e seu retorno, para que o povo, em sua ausencia, se 
impacientasse e se comportasse com irreverencia. 

(3) Trata-se dos ornamentos dos egipcios, que os filhos de Israel Ihes haviam pedido 
emprestado, a fim de se adornarem para uma festa de casamento. Estes 
ornamentos acabaram ficando com eles, ate o exodo. 

(4) Los: OS ornamentos foram lan9ados ao fogo. 

(^) Os: OS ornamentos que possuia As-Samiriy, alem do p6 que recolheu das pegadas 

deixadas pelo cavalo do anjo Gabriel. 
(^) Ou seja, fez sair do fogo o bezerro fundido com os metais dos ornamentos. 

(7) Ou seja, As-Samiriy e seus proselitos. 

(8) As-Samiriy esqueceu-se de que Deus jamais pode ser um bezerro. 

(9) Ele: o bezerro. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



508 



>n <^>ri 



y » 4J9 Ojj^ 



possuia, para eles, prejuizo nem 
beneficio? 

90. E, com efeito, antes, Aarao 
dissera-lhes: "6 meu povo! 
Apenas, sois provados por ele^^\ E, 
por certo, vosso Senhor e O 
Misericordioso; entao, segui-me e 
obedecei-me a ordem." 

91.Disseram: "Nao deixaremos 
de cultua-lo, ate que Moises retome 
a nos." 

92. Moises^^^ disse; "6 Aarao! 
Quando os viste se descaminharem, 
o que te impediu 

93. "De me seguires? Entao, 
desobedeceste a minha ordem?" 

94. Aarao disse: "6 filho de 
minha mae! Nao me apanhes pela 
barba nem pela cabe9a. Por certo, 
receei que dissesses: 'Causaste 
separafao entre os filhos de Israel, 
e nao observaste meu dito!' " 

95. Moises disse: "Qual foi teu 
intuito, 6 Samiriy?" 

96. Ele disse: "Enxerguei o que 
eles nao enxergaram; entao, 
apanhei um punhado de po das 
pegadas do Mensageiro^^\ e 






«^^5>^^^4^pv 






^^d^j^ diiU.^==:{3 ^-^C^ 



(OEle: As-Samiriy. 

(2) Moises que, ao retornar do Monte Sinai, deparou com seu povo em praticas 
idolatricas. 

(3) Mensageiro: o anjo Gabriel. 



20. Suratu Ta-H3 



Parte 16 



509 



n ^>i 



T • AJp ^JJ-** 



deitei^'^-0. E, assim, minha alma 
me aliciou a faze-lo." 

97. Moises disse: ''Entao, vai e, 
por certo, has de dizer, na vida: 
'Nao me toques^^^!' E, por certo, 
teras tempo prometido, ao qual nao 
te farao faltar. E olha para teu 
deus, a quem permaneceste 
cultuando; na verdade, queima-lo- 
emos; em seguida, espalha-lo^^^- 
emos na onda, totalmente." 

98. Vosso Deus e, apenas, Allah: 
e que nao existe deus senao Ele. Ele 
abrange todas as cousas em ciencia. 

99. Assim, narramo-te, Muljain- 
mad, algo dos informes do que, de 
fato, se antecipou. E, com efeito, 
concedemo-te uma Mensagem de 
Nossa parte. 

100. Quem a ela da de ombros, 
por certo, carregara, no Dia da 
Ressurrei9ao, um fardo; 

lOl.Nisto, serao eternos. E que 
vil carga para eles, no Dia da 
Ressurrei9ao, 

102. Um dia, quando se soprar 
na Trombeta. E reuniremos os 
criminosos, nesse dia, azuis de medo. 












(0 Ou seja: As-Samiriy deitou o punhado de p6 ao bezerro. 

(2) Em puni9ao, As-Samiriy foi condenado a viver em isolamento, por toda a vida, e, 
para assegurar esta condena9ao, sempre que se aproximasse de alguem, seu corpo 
se incendiaria com o contato. Assim, devia evitar a aproxima9ao de quem quer que 
fosse. 

(3) Lo: o bezerro reduzido a cinzas. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



510 



n ^>i 



Y • <do djj-»» 



103. Murmurarao, entre eles: 
"Nao permanecestes na vida 
terrena, senao dez dias." 

104. Nos sabemos perfeitamente 
o que dirao, quando o mais judicioso 
deles disser. "Nao permanecestes 
senao um dia." 

105. E perguntam-te pelas mon- 
tanhas; entao, dize: "Meu Senhor 
desintegra-las-a inteiramente, 

106. "E deixa-las-a como varzeas, 
desnudadas, 

107."Onde nao veras tortuo- 
sidade nem altibaixos." 

lOS.Nesse dia, eles seguirao o 
convocador^^^, sem dele se 
desviarem. E as vozes humildar-se- 
ao aO Misericordioso; entao, nao 
ouviras senao cicios. 

109.Nesse dia, a intercessao 
nao beneficiara senao a quern O 
Misericordioso permitir e aquele 
de quern Ele Se agradar, em dito. 

110. Ele sabe o que esta adiante 
deles e o que esta detras deles; e eles 
nao o abarcam, em ciencia. 

lll.E as faces avassalar-se-ao, 
perante O Vivente, Aquele que 
subsiste por Si mesmo. E, com 






ci^l^AuJo Jja5 uCj^ i^i3Jy^J) 



^\li^ 



IX^L^blliU^Jci 



.'u->' 






^"^jijAj^^ Cj^iJ>r^\<^^^'^-^ 



^"^^'S^-^ 



(0 Alusao ao anjo IsrafTl, que tocara a trombeta, convocando a Humanidade a 
reuniao, no Dia do Juizo. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



511 



>n ^j^\ 



y • aJ? ^jj^ 



efeito, mal-aventurado e quern 
carrega injusti9a. 

112. E quern faz as boas obras, 
sendo crente, nao temera injusti9a 
nem opressao. 

1 13. E, assim, fizemo-lo^ * ^ 
descer em Alcorao^^^ arabe, e, nele, 
patenteamos aigo das comina9oes, 
para serem eles^"^^ piedosos, ou 
para Ihes causar lembran9a. 

114. Entao, Sublimado seja 
Allah, O Rei, O Verdadeiro! E nao 
te apresses para a recita^ao do 
Alcorao, antes que seja encerrada^"*^ 
sua revela9ao a ti. E dize: "Senhor 
meu, acrescenta-me ciencia." 

115. E, com efeito, recomen- 
damos, antes, a Adao nao comesse 
da arvore, mas ele o esqueceu, e 
nao encontramos, nele, firmeza. 

116. E quando dissemos aos 
anjos: "Prosternai-vos diante de 
Adao"; entao, prosternaram-se, 
exceto Iblis. Ele recusou faze-lo. 

117. E dissemos: "6 Adao! Por 
certo, este e um inimigo para ti e 
para tua mulher; entao, que ele vos 






f.K^ i >r 



>J>^^-0? 









(0 Lo: isso, a Mensagem. 

(2) Ou seja, como leitura da reveIa<?ao divina, em lingua arabe. Cf. XII 2 n3. 

(^) Eles; OS homens. 

(4) Antes mesmo de o anjo concluir a transmissao de fragmentos da Revela<^ao, o Profeta 
ja OS repetia, com o intuito de fixa-Ios na memoria. Aqui, ha recomenda<^ao para nao 
preocupar-se, com tal, uma vez que Deus cuidara de que ele jamais venha a olvida-la. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



512 



n ^>i 



y » ^ fljj-^ 



nao faqa sair do Paraiso: serias, 
pois, infeliz. 

118. "Por certo, nele, nao has de 
estar com fome nem com nudez, 

119. "E nele, nao has de estar 
com sede nem com calor do sol." 

120. E Sata sussurrou-lhe 
perfidias. Disse: "6 Adao! Queres 
que te indique a arvore da 
eternidade e um reino, que jamais 
perecera?" 

121.Entao, dela ambos come- 
ram, e as partes pudendas 
mostraram-se-lhes, e come9aram a 
aglutinar, sobre elas, folhas do 
Paraiso. E Adao desobedeceu a seu 
Senhor, e transviou-se. 

122. Em seguida, seu Senhor 
elegeu-o, e voltou-Se para ele, 
remindo-o, e guiou-o. 

123. Ele disse: "Descei ambos 
dele^^\ todos vos, como inimigos uns 
dos outros. E, se, em verdade, vos 
chega de Mim orienta9ao, entao, 
quem segue Minha orienta9ao nao 
se descaminhara nem se infelicitara. 

124. ''E quem der de ombros a 
Minha Mensagem, por certo, ele 
tera uma vida atormentada e 
ressuscita-lo-emos cego, no Dia da 
Ressurrei9ao." 






>''-.>.c-.'\-A 









l^^VLiU^ 



^ ^ ^ ^ ^ ^ " ^ J'^^-^ ^ 
<J-^ ^^ cS^ JUb w^ ;y^ 






(0 Dele: do Paraiso. 



20. Suratu Ta-Ha 



Parte 16 



513 



>n c>i 



t • aI^ ^jj*** 



125. Ele dira: ''Senhor meu! Por 
que me fessuscitaste cego, enquanto, 
com efeito, era vidente?" 

126. Allah dira: "Assim e. 
Nossos sinais chegaram-te e tu os 
esqueceste. E, assim, hoje, es 
esquecido." 

127. E, assim, recompensamos a 
quem se entregou a excesses e nao 
creu nos sinais do seu Senhor. E, 
em verdade, o castigo da 
Derradeira Vida e mais veemente e 
mais permanente. 

128.Entao, nao Ihes^'^ sao 
notorias quantas gerafoes 
aniquilamos, antes deles, por cujas 
vivendas andam, agora? Por certo, 
ha nisso sinais para os dotados de 
entendimento. 

129. E, nao fora uma Palavra 
antecipada de teu Senhor e um 
termo designado, haver-lhes-ia sido 
imposto o castigo. 

130. Entao, pacienta, Muljam- 
mad, quanto ao que dizem, e 
glorifica, com louvor, a teu Senhor, 
antes do nascer do sol e antes de 
seu ocaso. E, durante as horas da 
noite, glorifica-O, entao, e durante 
OS extremos do dia, na esperan9a 
de agradar-te a recompensa disso. 












SJ^(B 






(^) Lhes: aos idolatras de Makkah. 



20. SQratu T9-H9 



Parte 16 



514 



n ^>i 



T • aIp djj«»> 



131.E nao estendas teus olhos^^^ 
para aquilo que fizemos gozar alguns 
grupos entre eles^^^: sao floreios da 
vida terrena, para, com eles, os 
provarmos. E o sustento de teu 
Senhor e melhor e mais permanente. 

132. E ordena a tua familia a 
ora9ao, e pacienta quanto a esta. 
Nao te pedimos sustento. Nos e 
que te damos sustento. E o final 
feliz e para a piedade. 

133. E eles^^^ dizem: "que ele 
nos chegue com um sinal de seu 
Senhor!" E ja Ihes nao chegou a 
evidencia do que havia nas 
primeiras paginas^ ^? 

134. E, se Nos os houvessemos 
aniquilado com um castigo, antes 
dele^^\ haveriam dito: "Senhor 
nosso! Que nos houvesses enviado 
um Mensageiro: entao, haveriamos 
seguido Teus sinais, antes que nos 
envilecessemos e nos ignominias- 
semos." 

135.Dize: "Cada qual esta 
aguardando seu destino: aguardai- 
o, pois. Entao, sabereis quem sao 
OS companheiros da senda perfeita 
e quem se guia!" 












^iSXJt] 



(OCf. XV 88 n3. 

(2) Entre eles: entre os idolatras e os pagaos de Makkah. 

(3) Eles: OS idolatras. 

i^) Ou seja, nas Escrituras. 

(5) Antes dele: antes da vinda do Profeta Muhammad. 



21. SQratu Al-Anbiya' Parte 17 



515 



> V ^>i t ^ ^w^' «j>- 



SORATU AL-ANBIYA'^^^ 
A SURA DOS PROFETAS 



De Makkah - 1 12 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Aproxima-se, para os 
homens^^\ seu ajuste de contas, 
enquanto eles, em desaten9ao, 
estao dando de ombros. 

2. Nao Ihes chega nenhuma 
Mensagem renovada de seu Senhor, 
sem que a ou9am, enquanto se 
divertem, 

3. Com OS cora96es entretenidos. 
E OS que sao injustos guardam 
segredo da confidencia: "Este nao 
e senao um mortal como vos. Entao, 
achegai-vos a magia, enquanto a 
enxergais?" 

4,Ele^^^ disse: "Meu Senhor 
sabe^"^^ o dito, no ceu e na terra. E 



mmi^ 



m 



^^iiS^ 



~V=~^ 



,^0A 



-^ 












:^\^J>^\'}:k^jM 



(^) AI Anbiya': e plural da palavra nabiy, profeta, derivada do verbo anba'a, que 
significa informar. E o Profeta e o que informa os homens das verdades divinas. 
Assim, denomina-se esta sura, por relatar, de forma variavel, quanto aos 
pormenores, episodios atinentes a inumeros profetas: Abraao, Noe, Moises, Aarao, 
Lot, Ismael, IdrTs, Zul-Kifl, zun-Nun, Zacarias, Joao e Jesus. E, como todas as 
suras reveladas em Makkah, esta trata do assunto da cren^a, em seus aspectos 
basicos: a unicidade de Deus, a Mensagem Divina e a Ressurrei^So. Alem disso, 
apresenta os fenomenos universais, para evidenciar a grandeza do Criador dos 
c6us e da terra, do dia e da noite, do sol e da lua, reiterando que a origem de todo 
ser vivo esta na dgua. Trata, outrossim, da questao da bem-aventuran^a e da ma- 
aventuran^a, dos benfeitores e dos malfeitores. 

(2) Ou seja, para os idolatras de Makkah. 

(3) Ele: Muhammad. 

(4) Deus, conhece todas as palavras ditas, no ceu e na terra, conhece, tambem, as 
confidencias dos descrentes. 



21. SQratu Al-Anbiya' Parte 17 



516 



^ V ^>i r ^ ^w^' «j>- 



Ele e O Oniouvinte, O Onisciente.'' 

5. Mas eles dizem: "E um 
amontoado de sonhos^^^! Ou antes, 
ele o forjou. Alias, e um poeta. 
Entao, que ele nos fafa vir um sinal 
igual ao com que foram enviados 
OS prof etas antepassados." 

6. Antes deles, nenhuma cidade 
dentre as que destruimos foi crente 
ao ver os sinais. Entao, crerao eles? 

7. E nao enviamos, antes de ti, 
senao homens, aos quais fizemos 
revela96es. - Entao, interrogai os 
sabios da Mensagem^^\ se nao 
sabeis. - 

8. E nao fizemos deles corpos 
que nao comessem alimentos, e 
nao foram eternos. 

9. Em seguida, cumprimos a 
promessa a eles, entao, salvamo- 
los e aqueles a quem quisemos, e 
aniquilamos os entregues a 
excessos. 

10. Com efeito, fizemos descer 
para vos um Livro, em que ha honra, 
para vos. Entao, nao razoais? 

11. E quantas cidades destrui- 
mos, que foram injustas! - E fizemos 
surgir, depois delas, outros povos - 












?-» . <..-? ^ ^ ^^ 









(0 AIusSo ao Alcorao. 

(2) Os Sabios da Mensagem: os judeus, aos quais fora enviada a Tora; e os cristSos, 
que receberam o Evangelho. 



21. SQratu Al-Anbiya' Parte 17 I 517 I > v ^jk\ T > ^uS* 5j^ 



12. Entao, quando perceberam 
Nosso suplicio, ei-los fugindo delas, 
galopando. 

13. Foi-lhes dito: "Nao galopeis 
e retomai a opulencia, em que 
vivieis, e a vossas vivendas, para 
serdes interrogados^^V' 

14. Disseram: "Ai de nos! Por 
certo, fomos injustos!" 

15. E nao cessou de ser essa sua 
lamenta9ao, ate que os fizemos 
como que ceifados, extintos. 

16. E nao criamos ceu e a terra 
e o que ha entre ambos, por diversao. 

17. Se houvessemos desejado 
tomar um entretenimento^^\ have- 
lo-iamos tornado de Nossa parte^"^\ 
se houvessemos querido faze-lo. 

18. Mas arrojamos a verdade 
contra a falsidade; entao, esmaga-a 
e ei-la nula. E ai de vos pelo que 
alegais! 

19. E dEle e quem esta nos ceus 
e na terra. E os que estao junto 
dEle nao se ensoberbecem, diante 
de Sua adora9ao, nem esmorecem. 

20. Glorificam-nO, noite e dia; 
nao se entibiam jamais. 



\ ) ^ tT^^' 



'\j^^\'^^,S^\jl^ Ills 



SjL..vaj 



Y:yS^tL^:x(f^ 









uy OJ 



i^J 



© ojju^Si jQi5 J^^op^^. 



(0 Aos transfugas, os anjos disseram que nSo fugissem, e retornassem, para que, 

assim, fossem interrogados por circunstantes acerca da ira divina sobre eles. 
(^) Entretenimento: aqui, significa mulher ou filhos. 
(3) Ou seja, entre os seres celestials, criados por Deus. 



21. Saratu Al-Anbiya' Parte 17 



518 



^ V ^>t t > ^Lj^t dj>M» 



21. Sera que tomaram eW^^ 
deuses da terra^^\ os quais 
ressuscitam mortos? 

22. Houvesse, em ambos^'^\ 
outros deuses que Allah, haveriam 
sido ambos corrompidos. Entao, 
glorificado seja Allah, O Senhor 
do Trono, acima do que alegam! 

23. Ele nao e interrogado, acerca 
do que faz, enquanto eles serao 
interrogados. 

24. Ou tomaram, alem dEle, 
deuses? Dize, Muhammad: "Trazei 
vossa provanfa. Esta e a 
Mensagem^"^^ de quem e comigo, e 
a Mensagem^^^ de quem foi, antes 
de mim." Mas a maioria deles nao 
sabe a verdade, entao, a ela estao 
dando de ombros. 

25. E nao enviamos, antes de ti, 
Mensageiro algum, sem que Ihe 
revelassemos que nao existe deus 
senao Eu; entao, adorai-Me. 

26. E dizem: "O Misericordioso 
tomou para Si um filho." 
Glorificado seja Ele! Mas eles^^^ 












'€\''4\;^\^d\4\jj-j 



(U Eles: OS idolatras de Makkah. 

(2) Deuses da terra: aqueles feitos de pedra, barro, madeira, ouro, prata, etc.. 

(3) Em ambos: nos ceus e na terra. 

(4) Mensagem de quem e comigo: o Alcorao, que e a mensagem dos contemporaneos 
de Muhammad. 

(5) Mensagem de quem foi, antes de mim: a Tora e o Evangelho, a mensagem dos 
judeus e dos cristaos, que precederam o Alcorao. 

(6) Eles: OS anjos. Este versiculo foi revelado, quando atribo de Khuza^ah afirmara que 
OS anjos eram "filhas de Deus". 



21 . Suratu Al-Anbiya' Parte 1 7 



519 



^ V ^>i r > ^Lj*i' «j>- 



sao Seus servos honrados. 

27.Nao O antecipam no dito e 
atuam por Sua ordem. 

28. Ele sabe o que esta adiante 
deles e o que esta detras deles. E 
eles nao intercedem senao por 
quern Lhe agrada. E, do receio 
dEle, estao amedrontados^^^ 

29. E a quern, dentre eles, diz: 
"Por certo, sou deus, em vez dEle", 
a esse recompensaremos com a 
Geena. Assim, recompensamos os 
injustos. 

30. E OS que renegam a Fe nao 
viram que os ceus e a terra eram 



um todo compacto 



(2) 



Nos 



desagregamo-los, e fizemos da 
agua^"^^ toda cousa viva? - Entao, 
nao creem? - 

31. E fizemos, na terra, assentes 
montanhas, para que ela se nao 
abalasse com eles, e, nela, fizemos 
amplos desfiladeiros, por caminhos, 
para se guiarem. 

32. E fizemos do ceu um teto 
custodiado. E eles, a seus sinais, 
estao dando de ombros. 









^ lT ^^O" ^\Jl ^^ii^ 



5>>^^*^t^^i C/i^j 



(0 Os anjos receiam o castigo e a ira de Deus, infligidos aos que se descaminham. 

(2) O versiculo confirma o dado cientifico de que a forma(?ao do sistema solar (da 
terra e dos planetas, em particular), prov^m de um processo de separa(?ao de um 
todo inicial, que foi nebulosa primitiva. 

(3) Outra verdade cientifica, que o Alcor^o antecipa, uma vez que a vida se originou 
na agua, e esta e a parte primeira constitutiva de toda celula viva (protoplasma). 



21. SQratu Al-Anbiya' Parte 17 



520 



W ^>i 



r ^ ^w^' «jj- 



33. E Ele e Quern criou a noite e 
o dia, e o sol e a lua. Cada qual 
voga, em uma orbita. 

34. E nunca fizemos a etemidade 
para mortal algum, antes de ti. Entao, 
se morres, serao eles^^^ etemos? 

35. Cada alma experimentara a 
morte. E por-vos-emos a prova, 
com o mal e com o bem, a guisa de 
tenta9ao. E a Nos sereis retomados. 

36. E, quando os que renegam a 
Fe te veem, nao te tomam senao 
por objeto de zombaria, e dizem: 
"E este quem difama vossos 
deuses?" E eles, da Mensagem dO 
Misericordioso, sao renegadores. 

37. ser humano foi criado de 
precipitafao. Far-vos-ei ver Meus 
sinais: entao, nao Me apresseis! 

38. E dizem: "Quando sera o 
cumprimento desta promessa, se 
sois veridicos?" 

39. Se OS que renegam a Fe 
soubessem da hora, em que nao 
poderao deter o fogo das proprias 
faces nem das proprias costas, e 
em que nao serao socorridos, nao 
se haveriam apressado! 

40. Mas Ihes chegara ela^^\ 
inopinadamente, e deixa-los-a 



^"^jc^^^^^^SA 



^^^^-1 






^5 






^.sx^==='0i -^^^aJ^ (y^_>^j 



'^^j\j^%^J^ 



(0 Eles: OS idolatras de Makkah. 

(2) Ela: a promessa do castigo que reclamam no versiculo 38. 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 



521 



^V^>l 



t y ^LJ^l Oj^ 



atonitos: entao, nao poderao repulsa- 
la nem se Ihes concedera dila9ao. 

41. E, com efeito, zombaram de 
Mensageiros, antes de ti; entao, 
envolveu aos que escameceram 
deles aquilo^^^ de que zombavam. 

42. Dize: "Quern vos resguarda, 
na noite e no dia, do castigo dO 
Misericordioso?" Mas eles estao 
dando de ombros a Mensagem^^^ 
de seu Senhor. 

43. Ou tern eles deuses que os 
defendam, alem de Nos? Mas estes 
nao podem socorrer-se a si mesmos 
nem serao acompanhados por Nos. 

44. Ao contrario, fizemos gozar 
a esses e a seus pais, ate que se 
Ihes prolongou a idade. Entao, eles 
nao veem que chegamos a teiTa^^\ 
diminuindo-a em seus extremos? 
Serao eles, pois, os vencedores? 

45. Dize: "Admoesto-vos, apenas, 
com a revela9ao. E os surdos nao 
ouvem a convoca9ao, quando 
admoestados." 

46. E, se um sopro do castigo de 
teu Senhor os toca, em verdade, 
dizem: "Ai de nos! Por certo, 
fomos injustos." 



^J^r^^^^ 









it 



V^ 




©-Srj^ 



(0 Aquilo: o castigo preconizado pelos mensageiros. 
(2) Mensagem: o AlcorSo. 
(3)Cf. XIII 41 n4. 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 



522 



W^>1 



1 ) ^LJ^I dj^ 



47. E Nos poremos as balanfas 
eqiiitativas para o Dia da 
Ressurrei9ao; entao, nenhuma 
alma sofrera nada de injustifa. E, 
se houver afao do peso de um grao 
de mostarda^^\ fa-la-emos vir a 
balan9a. E bastamos Nos por 
Ajustador de contas. 

48. E, com efeito, concederamos 
a Moises e a Aarao o Criterio^^\ e 
luminosidade e Mensagem para os 
piedosos, 

49. Os que receiam a seu Senhor, 
ainda que Invisivel, e da Hora eles 
estao amedrontados. 

50. E este^^^ e uma Mensagem 
bendita, que fizemos descer. Entao, 
ser-lhe-eis negadores? 

51. E, com efeito, concederamos, 
antes, a Abraao sua retidao - e 
eramos, dele, Onisciente - 

52. Quando disse a seu pai e a 
seu povo: "Que sao estes idolos, 
que estais cultuando?" 

53. Disseram: "Encontramos 
nossos pais adorando-os." 






-^^J 









(0 Mostarda: designa9ao que abrange diversas plantas cruciferas, cujas sementes ou 
grSos sao t^o diminutos que nSo alcan9am 1 miligrama de peso. Dai a 
compara9ao, existente no versiculo, quando nem o menor e mais insignificante 
ato humano escapara a justi9a divina, no Dia do Juizo. 

(2) Ou seja, a Tora. 

0) Este: Alcorao. 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 523 > V ^ji-i 



t > ^LJ*i(i 5jj-*» 



54. Ele disse: "Com efeito, vos 
e vossos pais tendes estado em 
evidente descaminho." 

55. Disseram: "Chegaste-nos com 
a verdade, ou es dos que se 
divertem?" 

56. Disse: "Nao sou. Mas 

vosso Senhor e O Senhor dos ceus 
e da terra, Que os criou, e sou das 
testemunhas disso. 

57. "E por Allah! Insidiarei 
vossos idolos, depois de vos 
retirardes, voltando-Ihes as costas." 

58. Entao, fe-los^*^ em peda^os, 
exceto o maior deles, para a ele 
reotmarem^^\ 

59. Disseram: "Quem fez isto a 
nossos deuses? Por certo, ele e dos 
injustos." 

60. Alguns disseram: "Ouvimos 
um jovem difamando-os. Chama- 
se Abraao." 

61. Disseram: "Entao fazei-o vir 
diante dos olhos dos homens, na 
esperan9a de o testemunharem." 

62. Disseram: "Foste tu que 
fizeste isso a nossos deuses, O 
Abraao?" 

63. Disse: "Mas o maior deles, 



^dJ}U\^j^\;i^5^^^ 



) o^ 






'J\aZ 







w^^^^\JJ 









ptj^Vxijt, j^4^0ja1IS J^Jli 



(0 Los: OS idolos. 

(2) Ou seja, para que os id61atras se dirigissem ao idolo restante, maior de todos. 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 524 > V ^>i T > ^LJ^i Sjj^ 



este aqui, o fez. Entao, interrogai- 
os, se e que falam." 

64. Entao, cairam em si, e 
disseram uns aos outros: "Por certo, 
sois vos OS injustos!" 

65. Em seguida, viraram a 
cabe9a^^\ e disseram: "Com efeito, 
sabes que esses nao falam." 

66. Abraao disse: "Entao, 
adorais, em vez de Allah, o que em 
nada vos beneficia nem vos 
prejudica? 

67. "Ufa a vos e ao que adorais, 
em vez de Allah! Entao, nao 
razoais?" 

68. Disseram: "Queimai-o^^\ e 
socorrei vossos deuses, se quereis 
fazer algo por eles." 

69. Dissemos^^^: "6 fogo! Se 
frescor e paz^"^^ sobre Abraao." 

70. E desejaram armar-lhe 
insidias; entao, fizemo-los os mais 
perdedores. 

71. E salvamo-lo e a Lot, 
levando-os a terra^^^ que 
aben9oamos, para os mundos. 



'^Ji^^yV^=s=»c!l 









l3 ^'^-^ cij===L?^^^^ 






(0 Virar a cabe^a: expressao que, em portugues, tambem quer dizer tornar-se 
insensate, cair na insensatez. No texto, depois de reconhecerem que eram iniquos, 
voltaram a insensatez, atacando AbraSo, em defesa dos idolos. 

(2) O: Abraao. 

(3) O sujeito do verbo i Deus, Que ordenou ao fogo nao queimasse Abraao. 

(4) Paz: no versiculo, encerra o sentido de salva^So e seguran^a. 

(5) Ou seja, a regiSo de Ach-Cham, representada, atualmente, pela Siria, Libano, 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 



525 



>V^>i 



T > tWVi 6jj^ 



72. E dadivamo-lo com Isaque, 
e Jaco por acrescimo. E, a todos, 
fizemo-los integros. 

73. E fizemo-los proceres, que 
guiaram os homens, por Nossa 
ordem. E inspiramo-lhes a pratica 
das boas cousas e o cumprimento 
da orafao e a concessao de 
az-zakah^^\ E foram Nossos 
adoradores. 

74. E a Lot, concedemo-lhe 
sabedoria e ciencia, e salvamo-lo 
da cidade que praticava as 
torpezas. Por certo, eles^ ^ eram urn 
povo atreito ao mal, perverso. 

75. E fizemo-lo entrar em Nossa 
misericordia. Por certo, ele era dos 
integros. 

76. E Noe, quando, antes, Nos 
chamou, entao, atendemo-lo e 
salvamo-lo e a sua familia da 
formidavel angustia^"^^ 

77. E socorremo-lo, contra o 
povo que desmentira Nossos sinais. 
Por certo, eram um povo atreito ao 
mal. Entao, afogamo-los a todos. 

78. E Davi e Salomao, quando 
julgaram acerca do campo 












Jordania e Palestina, onde surgiram todas as religioes monoteistas, razao porque 
essa regiao e aben9oada. 
(l)CfII43n4. 

(2) Eles: OS habitantes da cidade. 

(3) Formidavel angustia: o Diluvio. 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 I 526 I > V tji-i T > tLJ*^» ojj-- 



lavrado^*^, quando, nele, se 
dispersara, a noite, o rebanho de 
um povo. E fomos Testemunha de 
seujulgamento. 

79. Entao, fizemos Salomao 
comprende-lo^^\ E a cada qual 
concedemos sabedoria e ciencia. E 
submetemos, com Davi, as 
montanhas e os passaros, para Nos 
glorificarem. E fomos Nos Feitor 
disso. 

80. E ensinamo-lhe^^^ o oficio de 
fazer coura9as para vos, a fim de 
escudar-vos contra vossa violencia 
- Entao, estais agradecidos? - 

81. E submetemos a Salomao o 
tempestuoso vento, que corria, por 
sua ordem, a terra que 
aben9oamos. E Nos, de todas as 
cousas, somos Onisciente. 

82. E, dentre os demonios, 
submetemo-lhe os que, para ele, 
mergulhavam no mar, e Ihe 






Oi: 



^-J 









DOjJsii 









(^ ) Referencia a historia dos dois homens que se dirigiram a Davi: um era dono de um 
campo lavrado e outro, de um rebanho. O primeiro reclamava ao Profeta Davi que 
o rebanho do segundo havia devastado seu campo, durante a noite. Davi, entao, 
determinou que o dono do campo se apossasse do rebanho, como indeniza9ao. A 
seguir, o dono do rebanho, passando por Salomao, inteirou-o do julgamento de 
Davi. Salomao foi, entao, ao pai, Davi, e sugeriu-lhe solu^ao mais justa, para o 
caso: Davi deveria entregar o rebanho ao dono do campo, para dele beneficiar-se; 
e o campo, ao dono do rebanho, para corrigir-lhe os estragos, ate retomar ao que 
era; a seguir, cada qual devolveria ao outro seu respectivo bem. EntSo, Davi 
concordou com a senten9a de Salomao e aprovou-a. 

(2) Lo: o julgamento mais adequado. 

(3) Lhe: a Davi. 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 527 ) V tji-i 



r ) ^\^H\ djj^ 



faziam, alem disso, outros afazeres. 
E fomos Custodio deles. 

83. E Jo, quando chamou a seu 
Senhor: "O mal tocou-me, e Tu es 
O mais Misericordiador dos miseri- 
cordiadores!" 

84. Entao, atendemo-lo e 
removemo-lhe o que tinha de mal. 
E concedemo-lhe, em restitui^ao, 
sua familia e, com ela, outra igual^^\ 
por misericordia de Nossa parte e 
por lembran9a para os adoradores. 

85. E Ismael e Idrls e Zal-Kifl^^\ 
Todos eram dos perseverantes, 

86. E fizemo-los entrar em Nossa 
misericordia. Por certo, eles eram 
dos integros. 

87. E Zan-Nim^^^, quando se foi, 






(0 Jo recebeu de volta sua mulher e seus filhos e, ainda, teve com ela, outros tantos 
filhos mais. 

(2) Trata-se de um homem piedoso, da epoca dos filhos de Israel, sem maiores 
identifica^Oes. 

(^) Zun Nun: companheiro da baleia, epiteto de Jonas, que, assim, era conhecido, por 
haver sido engolido por uma baleia (nun), conforme nos relata a tradi^ao islamica. 
Enviado, como profeta, a uma cidade, Jonas convocou seus habitantes a adorarem 
a Deus, mas eles desobedeceram, e isto o enfadou. Impacientado com a 
recalcitrancia deles, Jonas saiu da cidade, imaginando encontrar, na imensidao da 
Terra, outro lugar para sua prega^ao, sem recear que Deus pudesse condena-lo por 
isso. Ao aproximar-se do mar e pretendendo evadir-se da cidade, entrou em um 
barco, que la se encontrava, lotado de passageiros. Assim que o barco partiu, o 
barqueiro, para aliviar a carga, decidiu que teria de livrar-se de um dos 
passageiros, para por a salvo os demais. Fez um sorteio e Jonas foi o escolhido 
para ser arremessado ao mar. Feito isso, foi ele engolido por uma baleia. Imerso na 
escuridao das trevas da noite, do mar e do interior do animal, Jonas, aflito, invocou 
a Deus, exclamando: "Nao existe Deus senao Tu! Certamente, fui dos iniquos!" 
Deus, entao, atendeu-lhe a prece e fez a baleia expel i-lo nas praias proximas da 



21. Suratu Al-Anbiya' Parte 17 528 > V ^jA- 



Y ^ ^w^' «j>-» 



irado, e pensou que nao tinhamos 
possibilidade de repessao contra 
ele; entao, clamou nas trevas: "Nao 
existe deus, senao Tu! Glorificado 
sejas! Por certo, fiii dos injustos." 

88. Entao, atendemo-lo, e 
salvamo-lo da angustia. E, assim, 
salvamos os crentes. 

89. E Zacarias, quando chamou 
a seu Senhor: "Senhor meu! Nao 
me deixes so, e Tu es O Melhor 
dos herdeiros." 

90. Entao, atendemo-lo e dadi- 
vamo-lo com Yahia, Joao, e 
tomamos fecunda sua mulher. Por 
certo, eles^^^ se apressavam para as 
boas cousas e Nos invocavam com 
rogo e venera9ao. E foram humildes 
coNosco. 

91. E aquela que escudou sua 
virgindade; entao, sopramos, nela, 
algo de Nosso Espirito; e fizemo- 
la e a seu filho um sinal para os 
mundos. 

92. Por certo, esta e vossa 
religiao^^\ uma religiao unica, e Eu 
sou vosso Senhor: entao, adorai-Me. 

93. E, contudo, os homens 

cortaram, entre eles, seus la90s 









cidade, onde deveria haver permanecido. E, assim, Jonas foi salvo. Vide XXXVII 
139- 148, eBiblia, Jonas II 1-10. 

(1) Eles: todos os profetas mencionados nesta sura. 

(2) Ou seja, a religiao de todos os povos. 



21. SOratu Al-Anbiya' Parte 17 529 > V ^ji-i 



r > tLj^' 5j^ 



religiosos. Mas, todos a Nos 
estarao retomando. 

94. E quern faz as boas obras, 
enquanto crente, nao havera negafao 
de seu esforfo; e, por certo, 
estamo-lhe escrevendo as a^oes. 

95. E nao e permissivel a uma 
cidade que aniquilamos que nao 
retome^^\ 

96. Ate serem abertas as portas 
de Ya'juj e Ma'juj^^\ e eles sairao 
a^odados de cada colina. 

97. E a verdadeira Promessa 
aproxima-se; entao, eis estarrecidas 
as vistas dos que renegaram a Fe. 
Dirao: "Ai de nos! Com efeito, 
estavamos em desaten9ao a isso; 
alias, fomos injustos!" 

98. Por certo, vos e o que adorais, 
alem de Allah, sereis o combustivel 
da Geena; nela, ingressareis. 

99. Se estes fossem deuses, nela 
nao ingressariam. E todos, nela, 
serao etemos. 

100. Nela, darao suspiros e, nela, 
nada ouvirao. 

101. Pro certo, aqueles, aos quais 
foi antecipada, por Nos, a mais 













1^ . ->^^^5!5 .-r\^ . ->^ 






(0 A recompensa das obras se fara no Dia do Juizo, mesmo que parte dela haja sido 
feita na vida terrena. Portanto, o povo das cidades aniquiladas, em virtude de seus 
pecados, voltara a existir, indubitavelmente, neste Dia, para o ressarcimento de sua 
recompensa total. E inadmissivel seu nSo retomo. 

(2) Cf. XVIII 94 n2. 



21. Suratu AI-Anbiya' Parte 17 I 539 I > V ^ji-i 1 > tU^t 5jj-- 



bela recompensa, esses serao dela^^^ 
afastados. 

102. Nao ouvirao seu^^^ assobio, 
e serao etemos no que suas almas 
apeteceram. 

103. grande terror^"^^ nao os 
entristecera. E os anjos recebe-los- 
ao, dizendo: "Este e vosso dia, que 
vos foi prometido." 

104. Um dia, dobraremos o ceu, 
como se dobra o rolo dos livros. 
Como iniciamos a primeira cria9ao, 
repeti-la-emos. E promessa que 
Nos impende. Por certo, seremos 
Feitor disso. 

105. E, com efeito, escrevemos, 
nos Salmos, apos a Mensagem^'^^ 
que a terra, herda-la-ao Meus 
servos integros. 

106. Por certo, ha neste^^^ uma 
comunica9ao para um povo 
adorador de Allah. 

107. E nao te enviamos senao 
como misericordia para os mundos. 

lOS.Dize, Muhammad: "Re- 

vela-se-me que, apenas, vosso 
Deus e Deus Unico. Entao, sois 
moslimes?" 



^ojJi;^A^\. 









^» ^Jcf^ 






(0 Dela: daGeena. 

(2) Seu: do fogo da Geena. 

(^) Ou seja, terror do Dia do Juizo. 

(4) Mensagem: a Tora. 

(5) Nesta: no AlcorSo. 



21. Suratu AI-Anbiya' Parte 17 531 \ v tj^t 



Y 1 ^LjS^ 5j>- 



109. E, se eles voltam as costas, 
dize: "Adverti-vos, a todos vos, 
igualmente. E nao me inteiro de 
estar proximo ou distante o que 
vos e prometido. 

110. "Por certo, Ele sabe o que 
se diz em alta voz e sabe o que 
ocultais. 

lll."E nao me inteiro de ser 
isso^^\ talvez, prova9ao para vos e 
gozo, ate certo tempo." 

112. Ele disse: "Senhor meu! 
Julga-nos com a verdade! E nosso 
Senhor e O Misericordioso, Aquele 
de Quem se implora ajuda, contra 
o que alegais." 






^ ^U3^J 









(1) Isso: a tardan9a do castigo para os idolatras. 



22. Suratu Al-Hajj Parte 17 



532 



^V ^>-l 



1 1 ^^ 5jj-- 



SURATU ALHAJJ^*^ 
A SURA DA PEREGRINACAO 



De Al Madinah - 78 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1.6 humanos! Temei a vosso 
Senhor. Por certo, o tremor da 
Hora sera cousa formidavel! 

2. Um dia, quando o virdes, 
toda nutriz distrair-se-a de quern 
estiver amamentando e toda 
mulher gravida depora sua carga^^\ 
E tu veras os homens ebrios, 
enquanto nao ebrios; mas o castigo 
de Allah sera veemente. 

3. E, dentre os humanos, ha 
quem^"^^ discuta acerca de Allah, 
sem ciencia alguma, e siga todo 
demonio rebelde. 



^iiU/^c-^-i 






i^^^L- 



-— ^ 






(0 Al Hajj: a peregrina^ao. Esta palavra e derivada do verbo hajja que significa 
dirigir-se a. substantive mantem o mesmo significado do verbo, uma vez que a 
peregrina^ao consiste em dirigir-se a Casa de Deus ou Kabbah, para o 
cumprimento dos ritos religiosos, prescritos pelo Islao. Esta sura, assim se 
denomina pela men^ao, no versiculo 27, dessa palavra. Apesar de revelada em Al 
Madinah, os temas predominantes sao atinentes as suras reveladas em Makkah, a 
saber: a unicidade de Deus, a ratifica^ao da Ressurrei^ao, as mensagens profeticas 
e as cenas do Dia do Juizo, concernentes a recompensa e ao castigo. A par disso, 
ha OS temas, habitualmente, revelados em Al Madinah, tais como: a permissao dos 
crentes de combater os descrentes, a prote^ao dos simbolos da adora^ao de Deus, 
compromisso de Deus de socorrer os oprimidos que revidam a agressao dos 
inimigos. Impera, ainda, por toda a sura, o tom admoestador e a incita^ao ao temor 
e a venera9ao a Deus. 

(2) Depora sua carga: abortara. 

(^) Referenda aos idolatras de Makkah, que asseveram serem os anjos "as filhas de 
Deus"; ser o Alcorao fabulas dos antepassados; e ser a Ressurrei^ao algo ficticio, 
assim como o Dia do Juizo. 



22. Suratu Al-Hajj 



Parte 17 



533 



>V s^j^\ 



y y 2^1 ojj-- 



4. E-lhe prescrito que, a quern o 
seguir, ele o descaminhara e o 
guiara ao castigo do Fogo ardente. 

5.6 homens^^^! Se estais em 
diivida acerca da Ressurrei9ao, por 
certo, Nos vos criamos de p6; em 
seguida, de gota seminal; depois, 
de uma aderencia; em seguida, de 
embriao configurado^^^ e nao 
configurado, para tornar evidente, 
para vos, Nosso poder. E fazemos 
permanecer, nas matrizes, o que 
queremos, ate um termo designado. 
Em seguida, fazemo-vos sair 
crian9as, para, depois, atingirdes 
vossa for9a plena. E ha, dentre vos, 
quem morra. E ha, dentre vos, 
quem seja levado a mais provecta 
idade, para nada mais saber, apos 
haver tido ciencia. E tu ves a terra 
arida; entao, quando fazemos 
descer, sobre ela, a agua, move-se e 
cresce e germina toda especie de 
esplendidos casais de plantas. 

6. Isso^^^, porque Allah e a 
Verdade e porque Ele da vida aos 
mortos e porque Ele, sobre todas 
as cousas, e Onipotente. 



^ ^ ^ 9 

^p^ajak> j^^ ^JqJ^ CjtjJj 

^^Jt]i=aic^l5 






(0 Referencia aos idolatras de Makkah. 

(2) Alusao ao ovulo fecundado, ja instalado na parede do utero. Quando configurado, 
engendrara um ser perfeito; quando nao configurado, um ser defeituoso. Por essa 
razao, esta passagem atenta para que os seres humanos nao sao iguais, desde o 
inicio de sua cria^ao. 

(3) Isso: tudo o que foi mencionado no versiculo anterior, acerca da cria^ao do homem 
e da germina^ao da terra. 



22. Suratu Al-Hajj 



Parte 17 



534 >V.>i 



y y gi-i djj^ 



7. E porque a Hora esta prestes 
a chegar, indubitavelmente, e porque 
Allah ressuscita quern esta nos 
sepulcros. 

8. E, dentre os homens, ha quern 
discuta acerca de Allah, sem ciencia 
alguma nem orienta9ao nem livro 
luminoso^'\ 

9. Virando os flancos, para 
descaminhar os demais do caminho 
de Allah. Ha para ele ignominia na 
vida terrena, e fa-lo-emos experi- 
mentar, no Dia da Ressurrei9ao, o 
castigo da Queima. 

lO.Dir-se-Ihe-a: "Isso, pelo que 
tuas maos anteciparam, e porque 
Allah nao e injusto para com os 
servos." 

11. E, dentre os homens, ha quern 
adore a Allah, vacilante. Entao, se 
o alcan9a urn bem, tranqtiiliza-se, 
e, se o alcan9a uma prova9ao, desvia 
sua face para voltar-se a 
renega9ao da Fe. Perde a vida 
terrena e a Derradeira Vida. Essa e 
a evidente perdi9ao! 

12. Ele invoca, alem de Allah, o 
que nao o prejudica e o que nao o 
beneficia. Esse e o profundo 
descaminho! 

13. Invoca aquilo cujo prejuizo 
esta mais proximo que seu beneficio. 

(0 Sem livro luminoso: sem revela^ao divina. 









3^\OCji 


















22. Suratu AI-Hajj Parte 17 



535 



>V t>l 



y Y gi-i ojj-- 



Que execravel protetor 
execravel convivente! 



que 



14. Por certo, Allah, aos que 
creem e fazem as boas obras, fara 
entrar em Jardins, abaixo dos quais 
correm os rios. Por certo, Allah faz 
o que deseja. 

15. Quern pensa que Allah o^*^ 
nao socorrera, na vida terrena e na 
Derradeira Vida, que estenda uma 
soga ate o teto, em seguida se 
enforque; entao, que olhe: sera 
que sua insidia fara desaparecer o 
que Ihe suscita rancor^^^? 

16. E, assim fizemo-lo^"^^ descer 
como sinais evidentes, e, por certo, 
Allah guia a quem deseja. 

17. Por certo, os que creem e os 
que praticam o judaismo e os 
sabeus e os cristaos e os magos e 
OS que idolatram, por certo, Allah 
decidira, entre eles, no Dia da 
Ressurrei9ao. Por certo, Allah, de 
todas as cousas, e Testemunha. 

18. Nao viste que, diante de 
Allah, se prostema quem esta nos 
ceus e quem esta na terra, e o sol e 






9 9-"-. -" Is 1^ ^\^ A"' "V'ZJx 



3 J^V; ci^^oij; '£y^ .iiSjIg 






(0 O: o Profeta Muhammad. 

(2) Quem nao se conformar com a vitoria do Profeta, respaldada pela protegao divina, 
nesta e na outra vida, que faga o que quiser para impedi-!a, mas jamais lograra seu 
objetivo. Podera, ate mesmo, enforcar-se, que isso em nada mudara os designios 
divinos. 

(^) Lo: o Alcorao. 



22. Suratu AI-Hajj Parte 17 



536 



>V i^>i 



Y T ^\ djj^ 



a lua e as estrelas e as montanhas e 
as arvores e os seres animals e 
muitos dos humanos? E, sobre 
muitos (testes, cumpre-se o castigo. 
E aquele, a quern Allah avilta, nao 
tera quern o honre. Por certo, Allah 
faz o que quer. 

19. Estes sao dois adversarios^^\ 
que disputam acerca de seu Senhor. 
Entao, aos que renegam a Fe, 
cortar-se-lhes-ao trajes de fogo. 
Sobre suas cabe9as, entornar-se-a 
agua ebuliente; 

20. Com ela, derreter-se-a o que 
ha em seus ventres, e, tambem, as 
peles. 

21. E, para eles, havera recur- 
vados fustes de ferro. 

22. Cada vez que desejarem sair 
dele^^\ por angiistia, fa-los-ao 
voltar a ele. E dir-se-Ihes-a: 
"Experimental o castigo da 
Queima!" 

23. Por certo, Allah, aos que 
creem e fazem boas obras, fara 
entrar em Jardins, abaixo dos quais 
correm os rios; neles, serao 
enfeitados com braceletes de ouro 
e com perolas. E, neles, suas 
vestimentas serao de seda. 



^y^j^^\>^^ o^jaJ lis 



^ 1^V3^^^U<>^, 






© <y^\ 3j£. \j>jSj \^(^xj^ 






(^) Referenda a crentes e renegadores da Fe. 
(2) Dele: do Fogo infernal. 



22. Suratu Al-Hajj Parte 17 537 > V i.j^\ 



y y ^\ ojj^ 



24. E serao guiados ao dW^^ 
bondoso, e serao guiados a senda 
do Louvavel. 

25. Por certo, os que renegam a 
Fe e obstruem o caminho de Allah 
e da Mesquita Sagrada - que 
estabelecemos para todos os 
homens, seja o residente nela, seja 
o nomade - experimentarao 
doloroso castigo. E a quern deseja, 
com injusti9a, fazer profana9ao nela, 
fa-lo-emos, tambem, experimentar 
de doloroso castigo. 

26. E quando indicamos a Abraao 
o lugar da Casa, e ordenamo-lhe: 

"Nada associes a Mim, e purifica 
Minha Casa para os que a 
circundam e para os que, nela, oram 
de pe e para os que se curvam e 
para os que se prosternam. 

27. "E noticia aos homens a 
peregrina9ao. Eles te virao a pe ou 
montados em todo magro^^^ 
camelo, vindo de cada desfiladeiro 
distante, 



28. "Para presenciar 
beneficios seus^ ^ 



certos 
e para mencionar, 









(1) Para aumentar as delicias dos crentes, no Paraiso, serao eles inspirados a proferir 
eximias palavras de louvor a Deus. 

(2) Em virtude das grandes distancias percorridas, nessa epoca, na viagem ate 
Makkah, os animals ai chegavam macllentos e fracos. 

(3) Ou seja, OS peregrinos anslarao estar presentes em Makkah, para usufrulr beneficios 
espirituais e, assim tambem, beneficios socials, com seus correligionarlos, 
dellberando, com eles, assuntos de mutuo Interesse; e beneficios materials, por melo 
de Intercamblo comerclal, efetuado entre eles. 



22. Suratu Al-Hajj 



Parte 17 



538 



^V^>i 



y y ^\ Qjj^ 



em dias determinados, o nome de 
Allah, sobre o animal dos rebanhos 
que Ele Ihes deu por sustento^^^ 
Entao, deles comei^ ^ e alimentai o 
desventurado, o pobre. 

29. "Em seguida, que se asseiem, 
e que sejam fieis a seus votos, e 
que circundem a Casa Antiga^'^V' 

30. Essa e a determina^ao. E 

quem magnifica os preceitos 
inviolaveis de Allah, isto Ihe e 
melhor junto de seu Senhor. E sao- 
vos licitos OS rebanhos como 
alimento, exceto o que e recitado^'^^ 
para vos. Entao, evitai a abomina9ao 
dos idolos; e evitai o dito falso, 

31.Sendo monoteistas sinceros 
para com Allah, nada Lhe 
associando. E quem associa algo a 
Allah e como se caisse do ceu, 
entao, os passaros o arrebatassem 
ou o vento o abismasse em lugar 
bem profundo. 

32. Essa e Nossa determina^ao. 
E quem magnifica os ritos de Allah, 
por certo, isto e prova da piedade 
dos cora9oes. 






J^s^\ 

^^ ^ ^^ ^^ ^^ ^^^ ^ 



( Ao termino da peregrina9ao, as oferendas devem ser imoladas, invocando-se o nome 
de Deus sobre elas. 

(2) Esta ordem evidencia a permissao dos peregrinos de se alimentarem das oferendas, 
ao contrario das proibi96es pagSs pre-islamicas. 

(3) Casa Antfga: a Kabbah. 
(4)Cf. V 3. 



22. Suratu Ai-Hajj Parte 17 



539 



>V ^j^\ 



T T 2^i djj^ 



33. NeW^\ ha para v6s 
beneficios, ate um termo 
designado^^^; em seguida, seu local 
de imola^ao sera a Casa antiga. 

34. E, para cada comunidade, 
fizemos rito de sacrificio, para 
mencionarem o nome de Allah 
sobre os animals de rebanhos que 
Ele Ihes deu por sustento. E vosso 
Deus e Deus Unico; entao, 
islamizai-vos, para Ele. E alvissara, 
Muhammad, a bem-aventuran9a 
aos crentes humildes, 

35. Aqueles cujos cora9oes se 
atemorizam, quando Allah e 
mencionado; e aos que tem 
paciencia, com o que os alcan9a; e 
aos cumpridores da ora9ao; e que 
despendem do que Ihes damos por 
sustento. 

36. E OS camelos, fizemo-los para 
v6s, entre os ritos de Allah; neles, 
ha bem para vos. Entao, mencionai 
o nome de Allah sobre eles, 
enquanto perfilados para serem 
imolados. E, quando abatidos e, 
caem sobre os flancos, comei deles 
e alimentai o pobre e o mendigo. 
Assim, submetemo-los a vos, para 
serdes agradecidos. 















(0 Neles: nos animals destinados a oferenda, apos a peregrina9ao. 
(2) Os peregrines se beneficiarao dos animais de oferenda, mantendo-os ou usando-os 
para carga, ate o tempo de imola-los. 



22. Suratu Al-Hajj 



Parte 17 



540 hv^>i 



1 Y ^\ djj^ 



37.Nem sua carne nem seu 
sangue alcan9am a Allah, mas O 
alcan9a vossa piedade. Assim, Ele 
vo-los submeteu, para que 
magnifiqueis a Allah, porque Ele 
vos guiou. E alvissara a bem- 
aventuran^a aos benfeitores. 

38. Por certo, Allah defende os 
que creem. Por certo, Allah nao 
ama a nenhum traidor, ingrato. 

39. E permitido^^^ o combate 
aos que sao combatidos, porque 
sofreram injusti9a. - E, por certo, 
Allah, sobre seu socorro, e 
Onipotente. - 

40. Esses sao os que, sem razao, 
foram expulsos de seus lares, 
apenas porque disseram: "Nosso 
Senhor e Allah." E, se Allah nao 
detivesse os homens uns pelos 
outros, estariam demolidos eremi- 
terios e igrejas e sinagogas e 
mesquitas, em que o nome de 
Allah e amiude mencionado. E, em 
verdade, Allah socorre a quem O 
socorre. Por certo, Allah e Forte, 
Todo-Poderoso. 

41. Esses sao os que, se os 
empossamos na terra, cumprem a 
ora9ao e concedem az-zakah^^\ e 
ordenam o conveniente e coibem o 






^ 
u^^- 






r> ^ ^ ^\ 









(0 Este e primeiro versiculo alcoranico, que concede permissao aos moslimes de 
revidarem o combate dos renegadores da Fe, pois, em mais de 70 versiculos, 
revelados anteriormente, isso Ihes fora vedado. 

(2)CfI143n4. 



22. Suratu AI-Hajj 



Parte 17 



541 >V.>i 



T T 2^i Qjj^ 



conveniente e coibem o reprovavel. 
E de Allah e o fim de todas as 
determina95es. 

42. E, se te desmentem, Muham- 
mad, com efeito, antes deles, o 
povo de Noe e o de ""Ad e o de 
Thamud ja desmentiram a seus 
Mensageiros. 

43. E o povo de Abraao e o povo 
de Lot 

44. E OS habitantes de Madian. E, 
tambem, Moises foi desmentido. 
Entao concedi prazo aos renega- 
dores da Fe; em seguida, apanhei- 
os. Como foi, pois, Minha 
reprova9ao? 

45. E quantas cidades aniquila- 
mos, enquanto injustas! Entao, ei- 
las deitadas abaixo, sobre seus 
tetos! E que de P090S inutilizados, 
e palacios elevados, abandonados! 

46. Entao, nao caminharam 
eles^'\ na terra, para que tivessem 
cora9oes, com que razoassem, ou 
ouvidos, com que ouvissem? Pois, 
por certo, nao sao as vistas que se 
enceguecem, mas se enceguecem 
OS cora9oes que estao nos peitos. 

47. E pedem-te que apresses o 
castigo, e Allah nao faltara a Sua 
promessa. E, por certo, um dia. 






^J ^^J/^J^^Jfi^J 



I _jp^ 









(^) Eles: OS idolatras. 



22. Suratu Ai-Hajj 



Parte 17 



542 



W ^>i 



y t jJ-i ojj-- 



junto de teu Senhor, e como mil 
anos dos que contais^^\ 

48. E a quantas cidades concedi 
prazo, enquanto injustas! Em 
seguida, apanhei-as. E a Mim sera 
o destino. 

49. Dize, Muh ammad : "6 

homens^^^! Sou-vos, apenas, evidente 
admoestador. 

50. "Entao, os que creem e fazem 
as boas obras terao perdao e 
generoso sustento. 

51. "E OS que se esfor9am em 
negar Nossos sinais, intentando 
escapar de Nosso castigo, esses 
serao os companheiro do Fogo." 

52. E nao enviamos, antes de ti, 
Mensageiro algum nem profeta, 
sem que, quando recitava uma 
Mensagem, Sata lan9asse falsidade 
em sua recita9ao; entao, Allah anula 
o que Sata lan9a; em seguida, Allah 
mantem concisos Seus versiculos - 
e Allah e Onisciente, Sabio - 

53. Para fazer do que Sata lan9a 
uma prova9ao aqueles, em cujos 
cora9oes ha enfermidade, e aqueles, 
cujos cora9oes estao endurecidos - 



<^jlj^\iJi^:--^ 






ii|3ai:;lij.lll\lgsj 



^i^ 






■» y' ^ " ^ ^ ^ ^ 






(0 Aqui, Alcorao se antecipa a hodierna ciencia, quando afirma que o tempo e 
relativo, e nSo absoluto como propagavam os antigos pensadores e filosofos da 
Antiguidade Classica. 

(2) Homens: os habitantes de Makkah. 



22. Suratu Al-Hajj Parte 17 



543 



W t>i 



Y Y ?J-l Ojj-- 



e, por certo, os injustos estao em 
profunda discordia - 

54. E para que aqueles, aos quais 
fora concedida a ciencia saibam 
que ele^^^ e a Verdade de teu 
Senhor, entao, nele creiam, e seus 
cora^oes se humildem a ele. E, por 
certo, Allah guia os que creem a 
uma senda reta. 

55. E OS que renegam a Fe nao 
cessarao de estar em diivida a 
respeito dele, ate que Ihes chegue a 
Hora, inopinadamente, ou Ihes 
chegue o castigo de um dia 
esteril^^\ 

56. A soberania, nesse dia, sera 
de Allah: Ele julgara entre eles^"^\ 
Entao, OS que creem e fazem as 
boas obras estarao nos Jardins da 
Delicia. 

57. E OS que renegam a Fe e 
desmentem Nossos sinais, esses 
terao aviltante castigo. 

58. E aos que emigram, no 
caminho de Allah, em seguida, sao 
assassinados ou morrem, certamente, 
Allah dar-lhes-a belo sustento. E, 
por certo, Allah e O Melhor dos 
sustentadores. 



J^^. (Jlliy^ ^^^A,J^\5l^ 

^^ i^^-5>>^ ^-i-^J Cxi<j>t3 \ 






(0 Eles: o Alcorao. 

(2) Assim se denomina, tambem, o Dia do Juizo, porque sera o ultimo dos dias, e nSo 
engendrara, apos ele, nenhum outro mais. 

(3) Eles: todos os homens, crentes e descrentes. 



22. Saratu Al-Hajj 



Parte 17 



544 



W ^>i 



T T ji-i Ajj-** 



59. Certamente, fa-los-a entrar 
em um lugar, de que se agradarao. 
E, por certo, Allah e Onisciente, 
Clemente. 

60. Essa e a determina^ao. E a 

quern pune de igual modo com que 
foi punido, em seguida, e cometida 
transgressao contra ele, Allah com 
certeza o socorrera. Por certo, 
Allah e Indulgente, Perdoador. 

61.Isso, porque Allah insere a 
noite no dia e insere o dia na noite, 
e porque Allah e Oniouvinte, 
Onividente. 

62. Isso, porque Allah e a 
Verdade, e porque o que invocam, 
alem dEle, e a falsidade, e porque 
Allah e O Altissimo, O Grande. 

63.Nao viste que Allah faz 
descer do ceu agua, entao, a terra 
torna-se verdejante? Por certo, 
Allah e Sutil, Conhecedor. 

64. DEle e o que ha nos ceus e o 
que ha na terra. E, por certo, Allah 
e O Bastante a Si Mesmo, O 
Louvavel. 

65.Nao viste que Allah vos 
submete o que ha na terra, e que o 
barco corre no mar, por Sua ordem, 
e que Ele sustem o ceu, para nao 
cair sobre a terra, exceto com Sua 
permissao? Por certo, Allah, para 
com OS homens, e Compassivo, 
Misericordiador. 




^ XJi-^Jji! 4^1 61^ 







jyLj^yd^ 



A 5J < if \ ^K^'^t 






22. Suratu Al-Hajj 



Parte 17 



545 W.>i 



T T ^\ 6jj^ 



66. E Ele e Quern vos deu a vida; 
em seguida, Ele vos faz morrer; 
depois, Ele vos dara a vida. Por 
certo, o ser humano e ingrato. 



67. Para cada comunidade, 
fizemos ritos, que eles^'^ observam; 
entao, que eles^^^ nao disputem 
contigo acerca da ordem^ \ E 
invoca a teu Senhor. Por certo, 
estas em direfao reta. 

68. E, se eles discutem contigo, 
dize: "Allah e bem Sabedor do que 
fazeis. 

69. "Allah julgara, entre vos, no 
Dia da Ressurreifao, por aquilo de 
que discrepaveis." 

70. Nao sabias que Allah sabe o 
que ha no.ceu e na terra? Por certo, 
isso esta em um Livro^'^l Por certo, 
isso e facil para Allah. 

71. E eles adoram, alem de 
Allah, aquilo de que Ele nao faz 
descer comprovafao alguma e 
aquilo de que eles nao tem ciencia. 
E nao ha, para os injustos, 
socorredor algum. 










^Ic ^^ /<w43 JljJl^tooL^ ^^ 



(0 Eles: OS integrantes destas comunidades. 

(2) Eles: OS idolatras de Makkah. 

(3) Trata-se da divergencia acerca do animal imolado. Os idolatras nao aceitavam a 
pratica da imola9ao. Acreditavam que o animal encontrado morto valia mais, 
argumentando que, havendo sido o animal morto por Deus, era mais merecedor de 
ser comido que o morto pelo homem. 

l"*) Ou seja, no Livro do Destino. 



22. Suratu Al-Hajj 



Parte 17 



546 



^v t>i 



Y Y ji-l ojj-- 



72. E, quando sao recitados, para 
eles, Nossos evidentes versiculos, 
tu reconheces a reprovafao na face 
dos que renegam a Fe. Quase 
atacam os que recitam, para eles, 
Nossos versiculos. Dize, Muham- 
mad: "Entao, informar-vos-ei de 
algo pior que isso? E o Fogo: 
Allah prometeu-o aos que renegam 
a Fe. E que execravel destino!" 

73. 6 homens^^^! E-vos proposto 
um exemplo, entao, ouvi-o: "For 
certo, OS que invocais, alem de 
Allah, nao criarao uma mosca 
sequer, ainda que, para isso, se 
juntem. E, se a mosca Ihes tirar 
algo, nao poderao recupera-lo. O 
procurador e o procurado^^'' sao 
fracos." 

74. Eles nao estimam a Allah 
como se deve estimar a Ele. For 
certo, Allah e Forte, Todo-Poderoso. 

75. Allah escolhe Mensageiros, 
entre os anjos e os homens. For certo, 
Allah e Oniouvinte, Onividente. 

76. Ele sabe o que esta adiante 
deles e o que esta detras deles. E a 
Allah sao retornadas as deter^r- 
mina9oes. 

77.6 vos que credes! Curvai- 
vos e prostemai-vos e adorai a vosso 






cyoi*^!^ 






IaSJ \ )>-a3VJ >^=^ b^^^l3 



(1) O versiculo se dirige aos idolatras de Makkah. 

(2) Isto e, o idolatra e o idolo invocado. 



22. Suratu Al-Hajj Parte 17 I 547 I ) v tji-i 



y y 2^1 djy^ 



Senhor, e fazei o bem, na esperan9a 
de serdes bem-aventurados. 

78. E lutai por Allah, como se 
deve lutar por Ele. Ele vos elegeu. 
E nao vos fez constrangimento 
algum, na religiao: a cren9a de 
vosso pai Abraao. Ele vos nomeou 
moslimes, antes e, agora, neste^^^, 
para que o Mensageiro seja 
testemunha de vos, e vos sejais 
testemunhas da humanidade. Entao, 
cumpri a orafao e concedei az- 
zakah^^\ e agarrai-vos a Allah. Ele 
e vosso Protetor. Entao, que 
Excelente Protetor e que Excelente 
Socorredor! 






( 1 ) Neste: no Alcorao. 
(2)CfII43n4. 



23. Suratu AI-Mu'minun Parte 18 545 ^ A ^^ri IT d^^\ ojj-- 



SORATU AL-MU'MINCN^^^ 
A SURA DOS CRENTES 



De Makkah - 1 18 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

l.Com efeito, bem-aventurados 
OS crentes, 

2. Que sao humildes em suas 
orafoes, 

3. E que dao de ombros a 
frivolidade, 

4. E que concedem az-zakah^^\ 

5. E que sao custodios de seu 

sexo^'^\ 

6. - Exceto com suas mulheres, 
ou com as escravas que possuem; 
entao, por certo, nao serao 
censurados. 




4^\^ 



-^ 



J(C^l^\^\j3 



I jy^^JIj)^' 



J3 









(') AI-IMu'minun: plural de mu min, crente, participio presente de amana, crer. 
Assim se denomina a sura, pela men9ao dessa palavra em seu primeiro versiculo. 
Aqui, o tema basico sao os crentes e sua crenga. Partindo da caracteristica inicial 
destes, a sura passa pelos fatos que induzem a crenga, dentro do Universo e do 
proprio ser humano. Em seguida, trata da essencia da crenga, tal como os 
mensageiros de Deus demonstraram, a partir de Noe, ate Muhammad, expondo os 
falsos argumentos dos desmentidores, suas obje^oes e suas atitudes detratoras e 
hostis para com os enviados divinos, e fim de cada uma das partes: a vitoria dos 
profetas e o aniquilamento dos desmentidores. Esta sura aponta. outrossim, as 
divergencias entre grande parcela das gera^oes, acerca da cren^a em Deus, apos a 
vinda dos profetas; a desaten^ao a ela e empenho pela vida mundana, enquanto 
OS verdadeiros crentes nao se desprendem jamais da adora^ao de Deus, receando a 
desobediencia a Ele. A sura termina com cenas do Dia do Juizo, quando sao 
recompensados os bem-aventurados e castigados os mal-aventurados. 

(2)CfII43n4. 

(3) Ou seja, que se abstem de rela^oes sexuais ilegitimas. 



23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 



549 



^A t>i 



yT dyji^\ Ojj^ 



7. E quern busca algo, alem 
disso, esses sao os transgressores - 

8. E que respeitam fielmente 
seus depositos, a eies confiados, e 

honram seus pactos, 

9. E que custodiam suas ora96es. 

10. Esses sao os herdeiros, 

11. Que herdarao Al-Firdaus^^\ 
Nele, serao eternos. 

12. E, com efeito, criamos o ser 
humano da quintessencia de barro, 

13. Em seguida, fizemo-lo^^^ gota 
seminal, em lugar^^^ estavel, seguro. 

14. Depois, criamos, da gota 
seminal, uma aderencia; e criamos, 
da aderencia, embriao; e criamos, 
do embriao, ossos; e revestimos os 
ossos de came; em seguida, fizemo- 
lo surgir em criatura outra. - 
Entao, Bendito seja Allah, O 
Melhor dos criadores! - 

15. Em seguida, por certo, depois 
disso, sereis mortos. 

16. Em seguida, por certo, no Dia 
da Ressurrei9ao, sereis ressuscitados. 

17. E, com efeito, criamos, acima 
de vos, sete ceus; e nao estamos 
desatentos a cria9ao. 



J-A dX^j^ <2i5jS ;5_s {J^} o^ 



^"^ ^^ 









(OCf. XVIII 107 nl. 

(2) Lo: o ser humano. 

(3) Ou seja, no utero. 



23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 



550 



) A ^ji-l t T 0_^ jii 6jj^ 



18. E fizemos descer do ceu 
agua, na justa medida; e fizemo-la 
remanescer, na terra - e, por certo, 
somos Poderoso , para faze-la 
desaparecer - 

19. Entao, com ela, produzimos, 
para v6s, jardins de tamareiras e 
videiras; neles ha, para vos, 
abundantes frutas e delas comeis; 

20. E uma arvore, que brota do 
Monte Sinai: ela produz azeite, e 
tempero para quern come. 

21. E, por certo, ha, nos 
rebanhos, li9ao para vos. Damo- 
vos de beber do que ha em seus 
ventres e, neles, ha abundantes 
beneficios para vos, e deles comeis. 

22. E, sobre eles e sobre os 
barcos, sois carregados. 

23. E, com efeito, enviamos Noe 
a seu povo; e disse: "6 meu povo! 
Adorai a Allah. Nao tendes outro 
deus que nao seja Ele; entao, nao 
temeis a Allah?" 

24. Entao, os dignitarios de seu 
povo, que renegaram a Fe, 
disseram: "Este nao e senao um ser 
humano como vos; ele deseja ter 
preferencia sobre vos, e, se Allah 
quisesse, haveria feito descer anjos, 
por Mensageiros. Nao ouvimos 
falar disso, entre nossos pais 
antepassados. 












^ oM^Tjpji^i^; 









23. Suratu Al-Mu'ininun Parte 18 



551 



>A t>i 



y T dyA^\ 5jj-- 



25. "Ele nao e senao um homem; 
nele, ha loucura; entao, aguardai-o, 
com paciencia, ate certo tempo." 

26. Ele disse: "Senhor meu! 
Socorre-me, porque me desmentem." 

27. Entao, inspiramo-lhe: "Fab- 
rica o barco, diante de Nossos 
olhos e com Nossa inspira^ao. E, 
quando Nossa ordem chegar e as 
fontes da terra jorrarem, faze 
entrar, nele, de cada especie um 
casal; e tua familia, exceto aquele, 
dentre eles, contra quem o Dito, a 
senten^a, se antecipou. E nao Me 
fales mais dos que sao injustos. 
For certo, eles serao afogados. 

28. "E, quando te instalares no 
barco, tu e os que estao contigo, 
dize: 'Louvor a Allah que nos 
salvou do povo injusto!' 

29. "E dize: 'Senhor meu! Faze- 
me desembarcar de um desembarque 
bendito, e Tu es O Melhor em 
fazer desembarque.' " 

30. For certo, ha nisso sinais, e, 
por certo, estavamo-los provando. 

31. Em seguida, criamos, depois 
deles, outra gera^ao. 

32. Entao, enviamo-lhes^'^ um 
Mensageiro vindo deles, que disse: 
"Adorai a Allah! Nao tendes outro 









r^Ai cyu^\x 



c^]5i;0'i>^<i^^ 4^ J^J 



^ h^^d'ij^^^^^dj^l 



Cjj-\^'oyjt^:cjt \\Ji^\y 



3 ])x^3^}!!^j^jj^\^ 



(1) Lhes: aos homens dessa gera^ao. 



23. SOratu AI-Mu'minOn Parte 18 



552 



) A ^ji-l Yf jji^jil ojj^ 



deus que nao seja Ele; entao, nao 
temeis a Allah?" 

33. E OS dignitarios de seu povo, 
que renegaram a Fe e desmentiram 
o encontro da Derradeira Vida, e 
aos quais opulentaramos, na vida 
terrena, disseram: "Este nao e 
senao um ser humano como vos: 
ele come do que comeis e bebe do 
que bebeis; 

34. "E, em verdade, se obedeceis 
a um homem como vos, por certo, 
sereis, nesse caso, perdedores. 

35. "Ele vos promete que, quando 
morrerdes e fordes p6 e ossos, vos 
farao sair dos sepulcros? 

36. "Longe, bem longe, esta o 
que vos e prometido! 

37. "Nao ha senao nossa vida 
terrena; morremos e vivemos, e 
nao seremos ressuscitados. 

38. "Ele nao e senao um homem 
que forja mentiras acerca de Allah, 
e nao estamos crendo nele." 

39. Ele disse: "Senhor meu! 
Socorre-me, porque me desmentem." 

40. Allah disse: "Dentro em 
pouco, estarao arrependidos." 

41. E o Grito^^^ apanhou-os, com 
a justi9a, e fizemo-los escoria. Entao, 

(l)Cf. XI 67 nl. 



C3lSU_^f <4^_yb "0^^^% 






P^^^oM^j^^J\3 



^L^^Juc>i^lii4^\;;43ji\^ 



Wci^\4^y^& 



23. Suratu Al-Mu'itiinun Parte 18 553 y ^ ^ji-i 



tf jji^3^1 5jj-^ 



que se suma para sempre o povo 
injusto! 

42. Em seguida, criamos, depois 
deles, outras gera96es. 

43.Nenhuma comunidade ante- 
cipa seu termo nem o atrasa. 

44. Em seguida, enviamos, con- 
secutivamente, Nossos Mensageiros. 
Cada vez que um Mensageiro 
chegava a sua comunidade, eles o 
desmentiam. E fizemo-las seguir, 
umas apos outras, no aniquila- 
mento, e fizemos delas temas de 
conversa. Entao, que se suma para 
sempre um povo que nao ere! 

45. Em seguida, enviamos Moises 
e seu irmao Aarao, com Nossos 
sinais e evidente comprovafao, 

46. A Farao e seus dignitarios; 
entao, ensoberbeceram-se e foram 
um povo altivo. 

47. E disseram: "Creremos em 
dois homens iguais a nos, enquanto 
seu povo nos esta escravo?" 

48. E desmentiram-nos; entao, 
foram dos aniquilados. 

49. E, com efeito, concedemos a 
Moises o Livro^^\ para que eles^^^ 
se guiassem. 









1144^ tii-^L^J-^lS^ 






'X:^_ 



]\/^a^Go\'^jofl5 






(0 O Livro: a Tora. 

(2) Eles: povo de Moises, ou seja, os filhos de Israel. 



23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 



554 



\ A tji-i YT O^jil djj^ 



50. E fizemos do filho de Maria 
e de sua mae um sinal. E 
abrigamo-los em um outeiro^'\ de 
solo estavel e com agua corrente. 

51.0 Mensageiros! Comei das 
cousas benignas e fazei o hem. Por 
certo, do que fazeis, sou Onisciente. 

52. E, por certo, esta e vossa 
religiao, uma religiao unica. E sou 
vosso Senhor; entao, temei-Me. 

53. Mas, OS homens, entre eles, 
cortaram, em peda9os, os la9os 
que OS uniam. Cada partido esta 
jubiloso com o que tem. 

54. Entao, deixa-os^^\ Muham- 
mad, mergulhados em sua 

confusao, ate certo tempo. 

55. Supoem eles que, com o que 
N6s Ihes outorgamos, em riquezas 
e filhos, 

56. Estamo-lhes apressando as 
boas cousas? Nao. Mas eles nao 
percebem. 

57. Por certo, os que, pelo receio 
de seu Senhor, estao amedrontados. 

58. E OS que nos sinais de seu 
Senhor creem, 

59. E OS que nada associam a 
seu Senhor, 












Q!^(llfH^4>-3^ 






(0 Ha varias opinioes acerca da localiza9ao exata desse lugar: seria em Jerusalem, ou 

Damasco, ou Palestina, ou Egito. 
(2) Os: OS idolatras de Makkah. 



23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 



555 



) A ^ji-l t T O^^ll djj^ 



60. E OS que concedem o que 
concedem, enquanto seus corafoes 
estao atemorizados, porque terao 
de retornar a seu Senhor, 

61. Esses se apressam para as 
boas cousas, e destas sao precursores. 

62. E nao impomos a nenhuma 
alma senao o que e de sua 
capacidade. E, junto de Nos, ha um 
Livro, que fala a verdade. E eles^'^ 
nao sofrerao injustifa. 

63. Mas seus^^^ cora96es estao 
mergulhados em confusao a 
respeito deste^^\ e eles tem obras 
nefandas, alem disso, que estao 
praticando, 

64. Ate que, quando apanharmos 
seus homens opulentos com 
castigo, ei-los que rogarao. 

65. Dir-se-lhe-a: "Nao rogueis, 
hoje. Por certo, nao sereis, por 
Nos, socorridos. 

66. ''Com efeito, recitavam-se, 
pa^-a vos, Meus versiculos, entao, 
recuaveis, virando os calcanhares, 

67. "Ensoberbecendo-vos, e 
conversando, a rioite, vos o^"^^ 
difamaveis." 












© OjJ^^CS ll5>2ip^^i?^^ 






^rd^ 



© Q4/>c4^]^^^^ay 



(0 Eles: OS seres humanos. 

(2) Seus: dos idolatras de Makkah. 

(3) Deste: do Alcorao. 

(4) O: Alcorao. 



23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 



556 



^A ^>i 



TT j^}li ^jj^ 



68. E nao ponderam eles o 
Dito^^^? Ou Ihes chegou o que nao 
chegara a seus pais antepassados^^^? 

69. Ou eles nao reconhecem seu 
Mensageiro, e o estao negando? 

70. Ou dizem: "Ha loucura nele?" 
Nao. Mas ele Ihes chegou com a 
verdade, e a maioria deles odeia a 
verdade. 

71. E, se a verdade seguisse 
suas paixoes, os ceus e a terra e 
quern neles existe haver-se-iam 
corrompido. Ao contrario, chegamo- 
Ihes com sua Mensagem, e estao 
dando de ombros a sua Mensagem. 

72. Ou Ihes pedes um tributo? 
Mas o tributo de teu Senhor e 
melhor. E Ele e O Melhor dos 
sustentadores. 

73. E, por certo, tu os convocas 
a uma senda reta. 

74. E, por certo, os que nao 
creem na Derradeira Vida estao 
desviados desta senda. 

75. E, se tivessemos misericordia 
para com eles, e removessemos o 
que ha de mal com eles, 
persistiriam em sua transgressao, 
caminhando as cegas. 






^^r -i-^^r<<ir< -'^--^J\ 



©ciiii^B^i^ 






{yA) S'jS3XC^\ 



^ c^j^X^ ^cJijSjX^L^Jj 5jc- 



^dyC>^^ 



(0 A Mensagem Divina: o Alcorao. 

(2) O versiculo alude a que, se os habitantes de Makkah ponderassem melhor, 
perceberiam que a Mensagem de Deus para a Humanidade nao e estranha, mas tao 
antiga quanto a dos primeiros profetas, enviados as gera96es de seus antepassados. 



23. Suratu Al-Mu'minuii Parte 18 557 > A ^j^i TT o^jli 5j^ 



76. E, com efeito, apanhamo-los 
com o castigo; mas, nao se 
sujeitaram a seu Senhor, e nao se 
humildam, 

77. Ate que, quando abrirmos, 
sobre eles, uma porta de veemente 
castigo, ei-los mudos de desespero. 

78. E Ele e Quem vos criou o 
ouvido e as vistas e os coraQoes. 
Quao pouco agradeceis! 

79. E Ele e Quem vos multiplicou 
na terra, e a Ele sereis reunidos. 

80. E Ele e Quem da a vida e da 
a morte, e dEle e a alternancia da 
noite e do dia. Entao, nao razoais? 

81. Mas dizem o mesmo que os 
antepassados disseram. 

82. Dizem: "Quando morrermos 
e formos p6 e ossos, seremos 
ressuscitados? 

83. "Com efeito, foi-nos prome- 
tido isso, a nos e, antes, a nossos 
pais; isso nao sao senao fabulas 
dos antepassados!" 

84. Dize, Muhammad: "De 

quem e a terra e quem nela existe, 
se sabeis?" 

85.Dirao: "De Allah." Dize: 
"Entao, nao meditais?" 

86. Dize: "Quem e O Senhor dos 
sete ceus e O Senhor do magnifico 
Trono?" 



^^ L^VT eil'Si isMj^j 









23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 



558 ^A.>i rro>^}ii5j>^ 



87. Dirao: "Allah." Dize: "Entao, 
nao temeis a Allah?" 

88. Dize: "Quern tern em Suas 
maos o reino de todas as cousas, e 
Quern a todos protege e nao precisa 
de ser protegido, se sabeis?" 

89. Dirao: "Allah." Dize: "Entao, 
como vos deixais enfeiti9ar?" 

90. Mas chegamo-lhes com a 
verdade, e, por certo, sao mentirosos. 

91. Allah nao tomou para Si 
filho algum, e nao ha com Ele deus 
algum; nesse caso, cada deus 
haver-se-ia ido com o que criara, e 
alguns deles se haveriam sublimado 
em arrogancia, sobre outros. 
Glorificado seja Allah, acima do 
que alegam, 

92. Ele e O Sabedor do invisivel 
e do visivel; entao, Sublimado seja 
Ele, acima do que idolatram! 

93. Dize, Muhammad: "Senhor 
meu! Se me fazes ver o que Ihes e 
prometido, 

94. "Senhor meu, entao, nao me 
fa9as estar entre o povo injusto." 

95. E, por certo, somos Poderoso 
para fazer-te ver o que Ihes 
prometemos. 

96. Revida o mal com o que e 
melhor. Nos somos bem Sabedor 
do que alegam. 



^ .:L^>Si:S51 Js 4^^s<^^^^ 



^}:^k=^MXj'^\ >$1 j5 












^ oU;SUj^'i j,^ 



V-J 









23. SQratu Al-Mu'ininOn Parte 18 



559 



) A tji-i IT Jjidjii dj^ 



97. E dize: "Senhor meu! 
Refugio-me em Ti, contra as 
incita96es dos demonios, 

98. "E refugio-me em Ti, Senhor 
meu, para que eles me nao sejam 
presentes." 

99. E OS renegadores da Fe 
permanecerao descrentes, ate 

que, quando a morte chegar a um 
deles, dira: "Senhor meu! Fazei^^^- 
me voltar a terra, 

100. "Na esperan9a de eu fazer 
o bem, no que tange ao que 
negligenciei." Em absoluto, nao o 
farei. Por certo, sera uma palavra^^^ 
va, que estara dizendo. E, adiante 
deles, havera uma barreira^"^^ ate 
um dia, em que eles ressuscitarao. 

101. E, quando se soprar na 
Trombeta, nao havera parentesco 
entre eles, nesse dia, nem se 
interrogarao. 

102.Entao, aqueles, cujos pesos 
em boas obras forem pesados, 
esses serao os bem-aventurados. 

103. E aqueles, cujos pesos 
forem leves, esses se perderao a si 
mesmos; serao etemos na Geena. 









Mf^r 






L^^ s 












(0 Ocorre, aqui, pela primeira e unica vez no Alcorao, o uso da segunda pessoa do 

plural, do Modo Imperativo, dirigindo-se a Deus. 
(2) Palavra: tudo o que o descrente proferir, quando rogar a Deus que o fa^a retornar 

a terra, para corrigir o mal que praticou. 
(^) Barreira traduz barzakh, que, alem do sentido proprio, significa a barreira entre a 

morte e a Ressurrei^ao. 



23. Suratu Al-Mu'minun Parte 18 559 > A ^ji-i IT Oj^^jli ojj^ 



104. Fogo queimar-lhes-a as 
faces e, nele, ficarao tenebrosos. 

105. Dir-se-lhes-a: "Meus ver- 
siculos nao se recitavam para vos e 
vos OS desmentieis?" 

106.Dirao: "Senhor nosso! 
Nossa infelicidade dominou-nos, e 
fomos um povo descaminhado. 

107. "Senhor nosso! Faze-nos 
sair dele^'\ e se reincidirmos, 
seremos injustos." 

108. Ele dira: "Sede nele^^^ 
repelidos, e nao Me faleis mais! 

109. "Por certo, houve um 
grupo de Meus servos que dizia: 
'Senhor nosso! Cremos: entao, 
perdoa-nos e tern misericordia de 
nos, e Tu es O Melhor dos 
misericordiadores! ' 

110. "E vos tomaste-los por 
objeto de escarnio, ate que vos 
fizeram esquecer Minha Mensagem, 
e deles vos rieis. 

111. "Por certo, recompensei- 
os, hoje - porque pacientaram - 
com serem eles os triunfadores." 

112. Ele dira: "Quantos anos 
vos permanecestes na terra?" 

113. Dirao: "Permanecemos um 






'-^nj^'^M-, 















(0 Dele: do Fogo infernal. 
(2) Nele: no Fogo infernal. 



23. Suratu AI-Mu'minun Parte 18 551 ) A s^j^\ IT oyj»p ojj^ 



dia ou parte de um dia; entao, 
pergunta aos enumeradores." 

114. Ele dim; "Nao permane- 
cestes senao por pouco tempo. Se 
soubesseis! 

115."E supusestes que vos 
criamos, em vao, e que nao serieis 
retomados a Nos?" 

116. Entao, Sublimado seja 
Allah, O Rei, O Verdadeiro! Nao 
existe deus senao Ele. Ele e O 
Senhor do nobre Trono! 

117. E quern invoca, com Allah, 
outro deus, do qual nao tem 
provan9a alguma, seu ajuste de 
contas sera, apenas, junto de seu 
Senhor. Por certo, os renegadores 
da Fe nao serao bem-aventurados. 

118. E dize: "Senhor meu! 
Perdoa e tem misericordia, e Tu es 
O Melhor dos misericordiadores!" 













24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



562 



^A^>i 



T t jjJi ^j>^ 



SURATU AN-NUR 
A SURA DA LUZ 



(1) 



De Al MadTnah - 64 versiculos. 

£w nome de Allah, O 
Miser icordioso, O Miser icordiador. 

1. Esta e uma Sura: fizemo-la 
descer e preceituamo-la, e, nela, 
fizemos descer evidentes versiculos, 
para meditardes. 

2. A adultera e ao adultero^^\ 
a9oitai a cada um deles com cem 
a9oites. E que nao vos tome 
compaixao alguma por eles, no 
cumprimento do juizo de Allah, 
se credes em Allah e no Derradeiro 
Dia. E que um grupo de crentes 
testemunhe o castigo de ambos. 

3. O adultero nao esposara senao 
uma adultera ou uma idolatra. E a 
adultera, nao a esposara senao um 
adultero ou um idolatra. E isso^^^ e 




^Ui\^ 



-^ 









(0 An-Nur: etimologicamente, quer dizer a luz. No Alcorao, esta palavra apresenta, 
segundo o contexto, varias acep^Oes, entre as quais, salientam-se: o conhecimento 
verdadeiro atraves da Fe, que ab-roga a duvida; o Livro Divino; o Profeta. Ela e 
mencionada nos versiculos 35 e 40, dai a denomina^ao da presente sura, cujo tema 
principal e a educa^So individual e social, que preserva a sociedade de condutas 
pemiciosas, tais como o adultdrio, a propag^^ao da corrup^ao e obscenidade em 
atos e palavras. E a legisla^ao de severos castigos para quern viola os codigos de 
honra e, alem disso, aponta os principios eticos que devem nortear o convivio 
familiar e o ingresso em casa alheia; conclama, ainda, a pureza moral e faz atentar 
que Deus e fonte constante de luz, nos ceus e na terra. Assim sendo, bem- 
aventurado, na terra, e aquele a quern Deus confere a luz da orienta^ao. E, por fim, 
a sura configura o perfil dos verdadeiros crentes. 

(2) Trata-se do adulterio cometido entre pessoas nSo comprometidas pelo casamento, 
ja que, o adulterio cometido apos este, e punido com apedrejamento. 

(3) Isso: o casamento com adulteros. 



24. SQratu An-Nur 



Parte 18 



563 >A.>i 



t i j^i ^jj**' 



proibido aos crentes. 

4. E aos que acusam de adulterio 
as castas mulheres, em seguida, 
nao fazem vir quatro testemunhas, 
a9oitai-os com oitenta a9oites, e, 
jamais, Ihes aceiteis testemunho 
algum; e esses sao os perversos, 

5. Exceto OS que, depois disso, se 
voltam arrependidos e se emendam; 
entao, por certo, Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

6. E aos que acusam de adulterio 
suas mulheres, e nao ha para eles 
testemunhas senao eles mesmos, 
entao, o testemunho de um deles, 
jurando por Allah, quatro vezes, 
que e dos veridicos, 

7. E, na quinta vez, que a 
maldi9ao de Allah seja sobre ele, 
se e dos mentirosos, afasta-lo-a do 
castigo. 

8. E afasta-la^'^-a do castigo o 
testemunhar ela, quatro vezes, 
jurando por Allah: "Por certo, ele e 
dos mentirosos", 

9. E, na quinta vez, que a ira de 
Allah seja sobre ela, se ele e dos 
veridicos. 

10. E nao fora o favor de Allah 
para convosco, e sua misericordia. 












^^ t ^ ^ '»'' 












(0 Ou seja, a mulher, sobre quem recai a acusa^ao de adulterio, nao sera punida, se 
testemunhar conforme o versiculo. 



24. Suratu An-Nur Parte 18 



564 



^ A ^>l 1 1 jy}\ ojj^ 



e que Allah e Remissorio, Sabio, 
haveria apressado o castigo para 
vos, nesta vida. 

ll.Por certo, os que chegaram 
com a calunia^^^ sao um grupo coeso 
de vos. Nao suponhais que ela^^^ 
vos seja um mal. Mas vos e um 
bem. Para cada um deles, havera o 









(0 Alusao a falsa acusa^ao de adulterio lan^ada sobre '^Aicha, mulher do Profeta. Isso 
ocorreu, segundo o relato dela, quando, no quinto ano da Hegira, acompanhando 
seu marido a uma expedi^ao militar e havendo descido da tenda (na epoca, as 
mulheres eram transportadas por camelos, em tendas fechadas), para suas 
necessidades, distanciou-se, um pouco, do acampamento. Nesse interim, o 
exercito, dando por terminada a expedi9ao militar, preparou-se para retornar a Al 
Madlnah. Quando regressava ao acampamento, '^Aicha deu por falta de um colar, 
que, acreditara, havia perdido no caminho. Voltou, novamente, ao lugar e, apos 
certo tempo de busca, acabou por encontra-lo. Mas, os homens, encarregados de 
cuidar de seu camelo, ignorando que sua tenda estivesse vazia, sem ^Aicha dentro, 
recolocaram-na em cima do animal, para partir. Como justificativa ^Aicha, em 
seus relatos, por essa epoca, as mulheres eram muito magras, e, se jovens ainda, 
como era ela propria, tornava-se mesmo dificil perceber sua ausencia, quando 
erguida a tenda pertencente a ela. Assim, todos partiram, inclusive o camelo de 
^Aicha. Esta,. ao chegar ao local do acampamento, nao encontrou ninguem e se 
assustou. Julgou melhor nao distanciar-se de la, uma vez que, ao darem por sua 
ausencia, deveriam retornar para apanha-la. Durante a longa espera, esgotada, 
acabou por adormecer. Entretanto, um dos combatentes do Profeta, de nome 
Safwan as-Salml, tambem permanecera adormecido, nas imedia^oes e, ao 
despertar, saiu imediatamente, rumo ao lugar do acampamento. Passando por 
'^Aicha, adormecida, reconheceu-a como mulher do Profeta e lamentou, em voz 
alta, que tal fato houvesse ocorrido, ficando ambos os dois distantes da expedi^ao. 
Ao ouvi-lo, ^Aicha despertou e, vendo Safwan, cobriu-se toda, sem dizer-lhe uma 
palavra, nem ele a ela. Safwan tratou de fazer seu camelo ajoelhar-se e apontou-o 
a ^Aicha para que o montasse. E, assim, conduziu-a, ate encontrar-se, depois, com 
a distante expedi9ao. Ao ve-los, come^aram a fazer juizo temerario de ambos. E o 
hipocrita Abdullah Ibn Salul disseminou a calunia de que ^Aicha e Safwan haviam 
cometido adulterio, apesar das firmes obje^oes destes. Chegando o boato aos 
ouvidos do Profeta, tanto se perturbou ele que mal soube como chegar a verdade 
dos fatos. Quanto a ^Aicha, adoeceu de desgosto, sem condi^oes de provar sua 
inocencia. Apos longo tempo de afli^oes, foram revelados estes versiculos, que 
vieram comprovar a veracidade de seu relato e de sua idoneidade moral. 

(2) Ela: a calunia. A coletividade islamica nao deve consider^-la um mal, pois ela fara 
distinguir os hipocritas dos crente. 



24. Suratu An-NQr 



Parte 18 



565 



^A^>| 



r t j>Ji dj^ 



que cometeu de pecado. E aquele 
que, dentre eles, se empenhou em 
amplia-la, tera formidavel castigo. 

12. Que, tao logo a ouvistes, os 
crentes e as crentes houvessem 
pensado bem deles como de si 
mesmos, e houvessem dito: "Esta e 
uma evidente infamia!" 

13. Que houvessem chegado com 
quatro testemunhas disso! Entao, se 
nao chegaram com as testemunhas, 
esses sao, perante Allah, os 
mentirosos. 

14. E nao fora o favor de Allah 
para convosco e Sua misericordia, 
na vida terrena e na Derradeira 
Vida, haver-vos-ia tocado um 
formidavel castigo por aquilo que 
vos empenhastes em propalar, 

15. Quando o difundistes com 
as linguas e dissestes com as bocas 
aquilo de que nao tinheis ciencia, e 
supunheis simples, enquanto, 
perante Allah, era formidavel. 

16. E que, tao logo a ouvistes, 
houvesseis dito: "Nao nos e 
admissivel falarmos disso. Glori- 
ficado sejas! Isto e formidavel 
infamia!" 

17. Allah exorta-vos a jamais 
reincidirdes em algo igual a isso, 
se sois crentes. 

18. E Allah torna evidentes. 



5 ::^fep4>^:^/ate;i^cij4v3 









^1 






0^ lliOy^lSydi ayosL^ ^i X& 



^^S'^SeiclXj^S^ 






24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



566 



>A t>i 



T t j>Jl 5;>-. 



para vos, os versiculos. E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

19. Por certo, os que amam que 
a obscenidade se dissemine, entre 
OS que creem, terao doloroso castigo 
na vida terrena e na Derradeira 
Vida. E Allah sabe, e vos nao sabeis. 

20. E nao fora o favor de Allah 
para convosco, e Sua misericordia, 
e que Allah e Compassivo, Miseri- 
cordiador, haveria apressado o 
castigo, para vos. 

21. 6 vos que credes! Nao sigais 
OS passos de Sata. E quern segue os 
passos de Sata, por certo, ele ordena 
a obscenidade e o reprovavel. E, 
nao fora o favor de Allah para 
convosco, e Sua misericordia, Ele 
jamais dignificaria a nenhum de vos, 
mas Allah dignifica a quem quer. 
E Allah e Oniouvinte, Onisciente. 

22. E que os dotados^^\ dentre 
vos, do favor e da prosperidade, 
nao prestem juramento de nada 
conceder aos parentes e aos 
necessitados e aos emigrantes no 
caminho de Allah. E que eles os 
indultem e os tolerem. Nao amarieis 
que Allah vos perdoasse? E Allah 
e Perdoador, Misericordiador. 






jft^ 



'^o^c^.a -^j li^i Pol 

^ f ^.99\< ^-f/K-t 



( 1 ) Alusao a Abu Bakr, pai de ^Aicha e sogro do Profeta, o qual jurou nao mais 
sustentar seu primo Mistah, um necessitado, por haver participado da divulga9ao 
do boato contra a mulher do Profeta. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



567 



^A^>i 



Y i j>Ji oj^ 



23. Por certo, os que acusam de 
adulterio as mulheres castas, 
inocentes, crentes, sao amaldi- 
9oados na vida terrena e na 
Derradeira Vida; e, para eles, 
havera formidavel castigo, 

24. Um dia, em que suas linguas 
e suas maos e seus pes testemun- 
harem contra eles, pelo que 
faziam^*\ 

25.Nesse dia, Allah compensa- 
!os-a com sua verdadeira retribui9ao, 
e saberao que Allah e a evidente 
Verdade. 

26. As malignas mulheres para 
OS malignos homens, e os malignos 
homens para as malignas mulheres. 
E as benignas mulheres para os 
benignos homens, e os benignos 
homens para as benignas mulheres. 
Esses^^^ estao inocentes do que 
dizem aqueles^^^ Havera, para 
eles, perdao e generoso sustento. 

27.6 v6s que credes! Nao 
entreis em casas outras que as 
vossas, ate que pe9ais permissao e 
cumprimenteis^"*^ seus habitantes. 















(0 Alusao a que os pecadores nao poderao esconder suas faltas, pois suas proprias 
linguas, que falam o que nao devem, as maos, que furtam o que nao e direito, os 
pes que descaminham, serao suas proprias testemunhas. 

(2) Esses: todos os que sao bons, inclusive ^Aicha e Safwan. 

0) Aqueles: os caluniadores. 

(^) O cumprimento consiste na sauda9ao islamica as-salamu ^alaikum: "que a paz 
seja sobre vos". 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



568 



>A^>i 



r t j>Ji oj^ 



Isso vos e melhor, e Allah assim 
determinou, para meditardes. 

28. E, se ninguem encontrais 
nelas, nao entreis nelas, ate que vo- 
lo seja permitido. E, se vos e dito: 
"Retornai", retornai. Isso vos e 
mais digno. E Allah, do que fazeis, 
e Onisciente. 

29. Nao ha culpa sobre vos, em 
entrardes em casas nao 
residenciais^^\ em que ha proveito, 
para vos. E Allah sabe o que 
mostrais e o que ocultais. 

30. Dize aos crentes, Muham- 
mad, que baixem suas vistas^^^ e 
custodiem seu sexo^^\ Isso Ihes e 
mais digno. Por certo, Allah e 
Conhecedor do que fazem. 

31. E dize as crentes que baixem 
suas vistas e custodiem seu sexo e 

(4) 

nao mostrem seus ornamentos^ ' - 
exceto o^^^ que deles aparece - e 
que estendam seus cendais sobre 
seus decotes. E nao mostrem seus 
omamentos senao a seus maridos 









: , ? -t >• 






^^j^,:a4s^^cAtl^J?5 






(0 Estas casas corresponderiam a lojas, albergues, editlcios publicos, etc., que 
ofereceriam aos homens conforto: o resguardo do calor, do frio, prote9ao a 
mercadoria. 

(2) Isto e, que sejam recatados, nao desejando a mulher do proximo. 

(3) Cf. XXIII 5 n2. 

^^) Quer dizer, nSo exibir as regiSes corporals que, usualmente, recebem ornamentos: 
o pesco90, o colo, os bra90s, os tornozelos. Ha, implicita, a ideia de ornamentos 
naturals (o corpo) e artificials. 

(5) Ou seja, o rosto, as maos e os p6s. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



569 >A.>i 



Y t jyj\ ^JJ*** 



ou a seus pais ou aos pais de seus 
maridos ou a seus filhos ou aos 
filhos de seus maridos ou a seus 
irmaos ou aos filhos de seus 
irmaos ou aos filhos de suas irmas 
ou a suas mulheres^'^ ou aos 
escravos que elas possuem ou aos 
domesticos, dentre os homens, 
privados^^^ de desejo carnal, ou as 
crianfas que nao descobriram, ainda, 
as partes pudendas das mulheres. E 
que elas nao batam, com os pes, no 
chao, para que se conhefa o que 
escondem de seus ornamentos. E 
voltai-vos, todos, arrependidos, 
para Allah, 6 crentes, na esperanfa 
de serdes bem-aventurados! 

32. E casai os solteiros, dentre 
vos, e OS integros, dentre vossos 
servos e vossas servas. Se sao 
pobres, Allah enriquece-los-a de 
Seu favor. E Allah e Munificente, 
Onisciente. 

33. E que os que nao encontram 
meios para o casamento se 
abstenham de adulterio, ate que 

Allah OS enriquefa de Seu favor. E 
aqueles de vossos escravos, que 
buscam a alforria, mediante 
pagamento de uma soma, entao, 
ajudai-os, se reconheceis neles 
algum bem. E concedei-lhes das 



^ -r-rl^. -4i: .r-T \^. -4 



.,..u.^^^ 









( * ) Trata-se das crentes, parentas ou amigas. 

(2) Alusao aos homens que, pela idade ou pela enfermidade, sao impotentes. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



570 



>A ^>i 



y i jy}\ 5j^ 



riquezas de Allah, que Ele vos 
concedeu. E nao deveis compelir 
vossas escravas a prostitui9ao - se 
elas desejam a castidade - para 
buscardes os efemeros bens da vida 
terrena. E quern as compele, por 
certo, Allah, apos sua compulsao, e 
Perdoador, Misericordiador. 

34. E, com efeito, fizemos descer, 
para vos, evidentes versiculos e um 
exemplo dos que passaram antes de 
vos e uma exorta9ao para os 
piedosos. 

35. Allah e a luz dos ceus e da 
terra. O exemplo de Sua luz e eomo 
o de um nicho, em que ha uma 
lampada. A lampada esta em um 
cristal. O cristal e eomo se fora 
astro brilhante. E aceso pelo oleo 
de uma bendita arvore olivea, nem 
de leste nem de oeste^'^; seu oleo 
quase se ilumina, ainda que o nao 
toque fogo algum. E luz sobre luz. 
Allah guia a Sua luz a quem quer. 
E Allah propoe, para os homens, 
OS exemplos. E Allah, de todas as 
cousas, e Onisciente. 

36. Em casas, que Allah permitiu 
fossem erguidas e em que fosse 
celebrado Seu Nome, nelas, 
glorificam-nO, ao amanhecer e ao 
entardecer. 



- 9 J -O ^ ^ T'* 









r^-i 







^^^".-'AV-.V. 



9 J?^^ C l?f^ 



• ^^^ ^ ts.W-' ^ ^ <>\\9 * f^\ 



® ^%:^^Pj3M 






( 1 ) Alusao a que a oliveira so atinge sua exuberancia em regioes temperadas, onde a luz 
do sol e difusamente distribuida, ao contrario das regioes levantinas, onde ha mais 
sol na parte da manha e das regioes ocidentais, onde e mais intenso na parte da tarde. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



571 ^A^>» 



T i ^j^\ ^jj-*' 



37. Homens, a quern nao 
entretem nem comercio nem venda 
da lembran9a de Allah e do 
cumprimento da ora9ao e da 
concessao de az-zakah^^^ - eles 
temem um dia, em que os cora9oes 
e as vistas serao transtomados. - 

38. Para que Allah os recompense 
com algo melhor que aquilo que 
fizeram, e Ihes acrescente aigo de 
Seu favor. E Allah da sustento, 
sem conta, a quem quer. 

39. E OS que renegam a Fe, suas 
obras sao como miragem em uma 
planicie, a qual o sedento supoe 
agua, ate que, quando chega a 
ela^^\ nada encontra. E, encontra a 
Allah junto dela; entao, Ele 
compensa-lo-a com ajuste de 
contas. E Allah e Destro no ajuste 
de contas. 

40. Ou sao como trevas em um 
mar profundo: encobrem-no ondas, 
por cima das quais, ha outras 
ondas; por cima destas, ha nuvens; 
trevas, umas por cima das outras. 
Quando alguem faz sair sua mao 
quase nao a ve. E aquele, a quem 
Allah nao faz luz jamais tera luz. 

41. Nao viste que a Allah glorifica 
quem esta nos ceus e na terra, e os 

(0CfII43n4. 

(2) A ela: a miragem. 






jo JCJ^3 %^J lllil' fiij^^ 



'-'§ 



CUl^orU? OC>C^ ^^^4/05 7i^^^^ 






cfyJ^K^^^ 3^k^ OlP^l 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



572 > A ^>< 



Y t jjJt ^jj-** 



passaros, enquanto pairam no ar? 
Cada um, com efeito, sabe sua 
ora9ao e sua glorificafao. E Allah, 
do que fazem, e Onisciente. 

42. E de Allah e a soberania dos 
ceus e da terra. E a Allah sera o 
destino. 

43. Nao viste que Allah impulsa 
as nuvens; em seguida, junta-as; 
depois, fa-las um aglomerado? 
Entao, tu ves a chuva sair de dentro 
delas. E do ceu, de montanhas^*\ 
nele formadas de nuvens, Ele faz 
descer granizo, e, com este alcan9a 
a quem quer e o desvia de quem 
quer. O fulgor de seu relampago 
quase se vai com as vistas. 

44. Allah faz alternar o dia e a 
noite^^^ Por certo, ha nisso lifao 
para os dotados de visao. 



45. E Allah criou todo ser 
animal de agua^^\ Entao, dentre 
eles, ha quem ande 'sobre o ventre, 
e, dentre eles, ha quem ande sobre 
dois pes, e dentre eles, ha quem 
ande sobre quatro. Allah cria o que 









;^^^LrV^>^O^j?^^ JK^ <!^)3 



d^j^J^: 



' $\>,^^^'{ ■ 






(U Estas montanhas sao as massas de nuvens formadas nas alturas, e que chegam a 
atingir de 15 a 20 quilometros de altitude. Somente, agora, com a avia9ao, 
podemos dar-nos conta dessa imagem, ja que, da terra, nao temos condi9oes de 
vislumbra-las. 

(2) Os periodos diurnos e noturnos nao sao inalteraveis, ou seja, da mesma extensao e 
com as mesmas caracteristicas: ha-os mais curtos e mais longos, e mais quentes e 
mais frios, de acordo com a esta9ao em que ocorrem. 

(3) Cf. XXI 30 n3. Alguns exegetas, entretanto, acreditam que esta agua seja o liquido 
seminal. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



573 



^A ^>i 



T i jjJi ^jj-^ 



quer. Por certo, Allah sobre todas 
as cousas, e Onipotente. 

46. Com efeito, fizemos descer 
evidentes versiculos. E Allah guia 
a quern quer a uma senda reta. 

47. E eles^^^ dizem: "Cremos em 
Allah e no Mensageiro, e 
obedecemos." Em seguida, depois 
disso, um grupo deles volta as 
costas. E esses nao sao os crentes. 

48. E, quando convocados a 
Allah e a Seu Mensageiro, para 
que este julgue, entre eles, eis um 
grupo deles que Ihe da de ombros. 

49. E, se tivessem o direito, 
chegariam a ele^^^ resignados. 

50. Ha enfermidade, em seus 
cora9oes? Ou eles duvidam? Ou 
temem que Allah e Seu Mensageiro 
sejam iniquos com eles? Nao! 
Mas, estes sao os injustos. 

51.0 dito dos crentes, quando 
convocados a Allah e a Seu 
Mensageiro, para que este julgue, 
entre eles, e, apenas, dizerem: 
"Ouvimos e obedecemos." E esses 
sao OS bem-aventurados. 

52. E quem obedece a Allah e a 
Seu Mensageiro e receia a Allah e a 
Ele teme, esses sao os triunfadores. 



© J:?-^ 












(0 Eles: OS hipocritas de Makkah. 
(2) A Ele: ao Profeta. 



24. Suratu An-NOr 



Parte 18 



574 



>A ^>i 



T i jy^\ 5jj-^ 



53. E eles^^^ juram, por Allah, 
com todos seus mais solenes 
juramentos, que, se tu os ordenares 
a combater, sairao a combate. 
Dize: "Nao jureis/' vossa obediencia 
e conhecida. Por certo, Allah, do 
que fazeis, e Conhecedor. 

54. Dize: ''Obedecei a Allah e 
obedecei ao Mensageiro." E, se 
voltais as costas, impende a ele, 
apenas, o de que foi encarregado, e 
impende a vos o de que fostes 
encarregados. E, se Ihe obedeceis, 
guiar-vos-eis. E nao impende ao 
Mensageiro senao a evidente 
transmissao da Mensagem. 

55. Allah promete aos que, 
dentre vos, creem e fazem as boas 
obras que os fara suceder, na terra, 
como fez suceder aos que foram 
antes deles, e que Ihes fortalecera a 
religiao, de que Se agrada, no 
tocante a eles, e que Ihes trocara 
seguran9a, apos seu medo. Eles 
Me adorarao, nada Me associarao. 
E quem renega a Fe, depois disso, 
esses sao os perversos. 

56. E cumpri a ora9ao e concedei 
az-zakah^^\ a ajuda caridosa, e 

obedecei ao Mensageiro, na 
esperan9a de obterdes misericordia. 

57. Nao suponhas que os que 
renegam a Fe sejam capazes de 












^6a^i^wV^3^ 









^JJ^^\JJ^:1J^^6<^^ 



(0 Ou seja, "juram os hipocritas". 
(2)Cf II43n4. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



575 >A.>i 



T t j>Ji dj>^ 



escapar do castigo de Allah, na 

terra. E sua morada sera o Fogo. E, 
em verdade, que execravel destino! 

58.6 vos que credes! Que vos 
pe9am permissao, por tres vezes, 
vossos escravos e aqueles, dentre 
vos, que, ainda, nao chegaram a 
puberdade, para estar em vossa 
presen^a: antes da orafao da aurora 
e quando puserdes de lado vossos 
trajes, ao meio-dia^^^, e depois da 
ultima orafao da noite. Sao tres 
tempos de vossa intimidade. Nao 
ha culpa sobre vos nem sobre eles, 
depois destes tempos, em circular, 
sem permissao, uns de vos com os 
outros. Assim, Allah torna 
evidentes, para vos, os versiculos. 
E Allah e Onisciente, Sabio. 

59. E, quando as crian9as, 
dentre vos, atingirem a puberdade, 
que pefam permissao para estar 
em vossa presen^a, como pediram 
permissao os que foram antes delas. 
Assim, Allah torna evidentes, para 
vos, Seus versiculos. E Allah e 
Onisciente, Sabio. 

60. E as mulheres que atingirem 
a menopausa, e que nao mais 
esperam casamento, nao ha culpa 
sobre elas, em porem de lado algo 
de seus trajes, sem se exibirem 












( De acordo com os costumes orientals, a sesta e feita na hora mais quente do dia, o 
que obriga, muitas vezes, ao desnudamento. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



576 



>A^>l 



1 1 j>il Oj^ 



com omamentos. E absterem-se 
disso e-lhes melhor. E Allah e 
Oniouvinte, Onisciente. 

61.Nao ha falta sobre o cego e 
nao ha falta sobre o coxo e nao ha 
falta sobre o enfermo nem sobre 
vos mesmos, em comerdes em 
vossas casas, ou nas casas de 
vossos pais, ou nas casas de vossas 
maes, ou nas casas de vossos 
irmaos, ou nas casas de vossas 
irmas, ou nas casas de vossos tios 
patemos, ou nas casas de vossas 
tias paternas, ou nas casas de 
vossos tios matemos, ou nas casas 
de vossas tias maternas, ou em 
casas, cujas chaves possuis, ou nas 
de vossos amigos^^\ Nao ha culpa 
sobre vos, em comerdes reunidos 
ou separados. E, quando entrardes 
em casas, cumprimentai-vos mutua- 
mente, com sauda9ao vinda de 
Allah, bendita e cordial. Assim, 
Allah toma evidentes, para vos, os 
versiculos, para razoardes. 

62.0s autenticos crentes sao, 
apenas, os que creem em Allah e em 
Seu Mensageiro, e, quando estao 
com ele, em assunto de interesse 










1 - -^ -^4 










(0 Ao ser revelado o versiculo 188, da sura II que diz: "E nao devoreis, ilicitamente, 
vossas riquezas, entre vos", muitos dos crentes abstiveram-se de comer em casa de 
parentes, por entenderem que, ao faze-lo, estariam violando o mandamento, uma 
vez que cada qual deve alimentar-se com o esfor^o do proprio trabalho. Aqui, 
neste versiculo 61, a determina^ao de Deus e de que e facultado aos deficientes e, 
ate mesmo, aos demais homens, alimentarem-se em casa de familiares ou amigos. 



24. Suratu An-Nur 



Parte 18 



577 



>A^>i 



Y i jjJi Sjj*»» 



comum, nao se vao, ate que Ihe 
pe9am permissao. Por certo, os que 
te pedem permissao, esses sao os 
que creem em Allah e em Seu 
Mensageiro. Entao, quando te 
pedirem permissao para algum de 
seus assuntos, da permissao a 
quem, deles, quiseres, e implora a 
Allah perdao para eles. Por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

63. Nao fa^ais, entre vos, a 
convoca9ao do Mensageiro, como 
a convocafao de um de vos para 
outros. E nao vos retireis de sua 
companhia, sem sua permissao. 
Com efeito, Allah sabe dos que, 
dentre vos, se retiram sorrateira- 
mente. Entao, que os que discrepam 
de sua ordem se precatem de que 
nao OS alcance prova9ao ou nao os 
alcance doloroso castigo. 

64. Ora, por certo, de Allah e o 
que ha nos ceus e na terra. Com 
efeito, Ele sabe aquilo em que vos 
fundamentals^'^; e, um dia, quando 
a Ele forem retornados, entao, 
informa-los-a do que fizeram. E 
Allah, de todas as cousas, e 
Onisciente. 



3 ^^3 }J^;;;^cJX)]^^ 



i:.99K< 



>-e^-jy^ 









( ^ ) Deus conhece os proflindos escaninhos da mente humana: seus objetivos, intengoes, 
suas cren^as e descrengas. 



25. SOratu AI-Furqan Parte 18 575 ) A tji-i 



T Old^i Ojj--» 



StfRATU AL-FURQAN^^^ 
A SURA DO CRITERIO 



De Makkah - 77 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Bendito Aquele Que fez descer 
o Criterio sobre Seu Servo, para 
que seja admoestador dos mundos, 

2. Aquele de Quern e a soberania 
dos ceus e da terra, e Que nao 
tomou filho algum, e para Quern 
nao ha parceiro, na soberania, e 
Que criou todas as cousas e 
determinou-as na justa medida! 

3. E eles^^^ tomam, alem dEle, 




^^^^L 






(0 Al Furq9n: infinitivo substantivado do verbo faraqa, separar ou distinguir. No 
Alcorao, essa palavra engloba varias acep96es, tais como: o criterio de distin^ao 
entre o bem e o mal, a vitoria e o Livro divino (a Tora ou o Evangelho ou o 
Alcorao), uma vez que estes constituem urn criterio de distin9ao entre o bem e o 
mal, entre a verdade e a falsidade (cf. II 53 n39). Esta sura deve seu nome a 
men9ao da palavra furq9n, no primeiro versiculo. Ela e, basicamente, uma 
apologia do Alcorao, a qual exal9a a Mensagem de Deus, a Quem pertencem os 
ceus e a terra e Que nao tem semelhante algum. Nao obstante isso, os idolatras 
apegam-se a idolos, desmentem o Alcorao e negam a veracidade da mensagem do 
Profeta, mediante o argumento de que Muhammad i homem Igual a todos e se 
alimenta e vive como os demais, sem qualquer caracteristica que o aproxime dos 
anjos. Objetam, ainda, que o Alcorao nao foi revelado de uma so vez, e sim por 
partes. Mas respostas a todas estas obje96es vao surgindo, por meio de historias 
dos primitivos profetas e seus seguidores, pondo em realce que os idolatras 
seguem seus caprichos e, com sua maneira de pensar e agir, tornam-se tais quais 
rebanhos irracionais, ou pior ainda. Por essa razao, no Dia do Juizo, receberao a 
severa e merecida recompensa. A seguir, nesta sura, os sinais do Uni verso 
apresentam-se para dimensionar o poder divino. Finalmente, ha alusao aos crentes, 
que receberao as melhores recompensas. Por tudo isso, e pelas alvissaras, esta sura 
veio a representar um balsamo para o Profeta, quando de sua defronta9ao com os 
Quraich, arrogantes, descrentes, agressivos e infensos a religiSo que pregava. Em 
momento algum, o Profeta, diante de tamanha hostilidade, esmoreceu sua 
prega9ao ou negligenciou as verdades da revela9ao divina. 

(2) Alusao aos descrentes de Makkah, que praticavam a idolatria. 



25. SQratu Al-Furqan Parte 18 



579 



^A t>» 



1 0\3yi3i djj--» 



outros deuses, que nada criam, 
enquanto eles mesmos sao criados, 
e nao possuem, para si mesmos, 
prejuizo nem beneficio, e nao 
possuem o dom de morte nem de 
vida nem de ressuscitar. 

4. E OS que renegam a Fe dizem: 
"Este^*^ nao e senao mentira, que 
ele forjou, e, nisso, outras pessoas^^^ 
ajudaram." Entao, com efeito, 
cometeram injustifa e falsidade. 

5. E dizem; "Sao fabulas dos 
antepassados, que ele pediu fossem 
escritas; e elas Ihe sao ditadas, ao 
amanhecer e ao entardecer." 

6. Dize, Muhammad: "Fe-lo 
descer Aquele Que sabe os segredos 
nos ceus e na terra. Por certo, Ele e 
Perdoador, Misericordiador." 

7. E dizem: "Por que razao este 
Mensageiro come o mesmo 
alimento e anda pelos mercados, 
como nos? Que se fizesse descer 
um anjo, para ele, e, com ele, fosse 
admoestador! 

8. "Ou que se Ihe lan9asse um 
tesouro, ou que houvesse, para ele, 
um jardim, de que pudesse come/^^!" 









■f of^ "^ »-* 






■i^ 









(0 Este: AlcorSo. 

(2) Alusao aos cristaos e judeus, contemporaneos do Profeta, em cujas fontes e tradi9oes 

OS idolatras asseveram haver-se Muhammad abeberado. 
(^) Os renegadores da Fe nao podiam aceitar que Muhammad fosse um homem comum. 

Segundo sua concep9ao de mensageiro, este deveria ser um anjo ou um homem 



25. Suratu Al-Furqan Parte 18 530 > A ^ji- 



r JlSyll djy^ 



E OS injustos dizem: "Vos nao seguis 
senao um homem enfeiti9ado!" 

9. Olha como engendram semel- 
hantes a ti, e se descaminham! Entao, 
nao poderao encontrar caminho 
algum. 

10. Bendito Aquele Que, se 
quiser, te fara algo melhor que 
tudo isso: jardins, abaixo dos quais 
correm os rios; e te fara palacios! 

11. Mas eles desmentem a Hora; 
e preparamos, para os que desmen- 
tem a Hora, um Fogo ardente. 

12. Quando este os vir, de 
longinquo lugar, ja eles Ihe ouvirao 
o furor e o rumor. 

13. E, quando lan^ados nele, em 
angusto lugar, as maos amarradas 
atras do pescofo, la suplicarao uma 
aniquila9ao. 

14. Dir-se-lhes-a: ''Nao supli- 
queis, hoje, uma so aniquila9ao e 
suplicai muitas^^^ aniquila9oes!" 

15. Dize: "Isso e melhor ou o 
Paraiso da etemidade, que e 
prometido aos piedosos? Ser-lhes- 
a recompensa e destino. 

16. "Terao, nele, o que quiserem. 






acompanhado de um anjo; ou que, pelo menos, fosse dotado de tesouros e pomares 
esplendidos, para maior prestigio perante os homens, diante dos quais iria pregar. 
(U A perpetuidade da desgra9a infernal implica nao so um tipo de castigo, mas um 
infmito corolario deles, o que levara o reprobo a suplicar que o aniquile a 
destrui9ao em defmitivo. 



25. Suratu AI-Furqan Parte 1 8 



581 



^^^jk\ 



T OlByi)) djj^ 



sendo etemos. Isso impende a teu 
Senhor, como promessa exigivel." 

17. E lembra-lhes de que, um 

dia, os^^^ reuniremos, eles e aos^^^ 
que adoram, alem de Allah; entao, 
Ele dira: "Descaminhastes estes 
Meus servos, ou eles mesmos se 
descaminharam do caminho?" 

IS.Eles^^^ dirao: "Glorificado 
sejas! Nao nos e concebivel 
tomarmos, alem de Ti, protetores, 
mas Tu os fizeste gozar e a seus pais, 
ate que esqueceram a Mensagem^^^ 
e foram um povo extraviado." 

19. Dir-se-a aos idolatras: ''E, 
com efeito, eles^^^ vos desmentem 
no que dizeis; entao, nao podereis 
obter nem isen9ao do castigo nem 
socorro." E a quem de vos e 
injusto, fa-lo-emos experimentar 
grande castigo. 

20. E nao enviamos, antes de ti, 
Mensageiros, sem que, por certo, 
comessem o mesmo alimento e 
andassem pelos mercados. E 
fazemos de uns de vos prova9ao para 
OS outros. Entao, vos pacientais? E 
teu Senhor e Onividente. 






■>^ ^ ^ ^ 9 ft ^ 



(0 Os: OS idolatras de Makkah. 

(2) Aos: OS anjos, adorados como filhas de Deus; e Jesus, adorado como filho de 

Deus, e *^Uzair, adorado pelos judeus, como Filho de Deus, etc.. 
0) Eles: OS seres adorados como deuses. 

(4) A Mensagem: o AlcorSo. 

(5) Eles: OS seres adorados, alem de Deus: os idolos. 



25. Suratu Al-Furqan Parte 19 552 > ^ t> 



Y d\3j6^\ o^j^ 



21. E OS que nao esperam Nosso 
encontro dizem: "Que se fa9a 
descer os anjos sobre nos, ou que 
vejamos a nosso Senhor!" Com 
efeito, eles se ensoberbecem, em 
seu amago, e cometem, desmesura- 
damente, grande arrogancia. 

22. Um dia, quando eles virem 
OS anjos, nesse dia, nao havera 
alvissaras para os criminosos, e os 
anjos dirao: "E, terminantemente, 
vedado^'^ ir para o Paraiso." 

23. E referir-nos-emos as 
obras^^^ que fizeram, e fa-las-emos 
particulas dispersas no ar. 

24. Os companheiros do Paraiso, 
nesse dia, serao os melhores em 
residencia, e estarao em mais belo 
lugar de repouso. 

25. E um dia, o ceu se fendera, 
com as nuvens, e se fara descer os 
anjos, com descida de realidade. 

26. Nesse dia, a verdadeira 
soberania sera dO Misericordioso. 
E sera um dia dificil para os 
renegadores da Fe. 



MSJ'^^^.o^ ^^ 












r-jr *i ff\ 



IP !^L^/>II^u 



-*-A^/w.*.>-U 



^'ys*\t"\A^ 






iW^Oi^e^* crl^ 



(He terminantemente vedado: traduz a express^o arabe hijran mahjuran, que os 
arabes repetiam, quando um deles se encontrava com temido inimigo. durante os 
meses sagrados. Sendo assim, inimigo ficava impossibilitado de fazer-lhe mal, ja 
que era vedada a vingan^a, nessa epoca. No Dia do Juizo, os anjos responsaveis 
pelo castigo repetiram estas palavras para fazer saber aos renegadores da Fe a 
impossibilidade de se salvar do castigo. 

(2) Obras: as boas obras, realizadas pelos reprobos, e que de nada Ihes adiantaram, no 
Dia do Juizo. 



25. Suratu Al-Furqan Parte 19 



583 



) ^ f,jk\ Y OlSyJl 5jj-- 



27. E um dia, o injusto mordera 
as maos, dizendo: "Quern dera 
houvesse eu tornado caminho com 
o Mensageiro! 

28. "Ai de mim! Quern dera nao 
houvesse eu tornado fulano por 
amigo! 

29. "Com efeito, ele me 
descaminhou da Mensagem, apos 
ela haver-me chegado. E Sata e 
perfido para com o ser humano!" 

30. E o Mensageiro dira: "6 
Senhor meu! Por certo, meu povo 
tomou este Alcorao por objeto de 
abandono!" 

31. E, assim, fizemos, para cada 
profeta, um inimigo dentre os 
criminosos. E basta teu Senhor por 
Guia e Socorredor. 

32. E OS que renegam a Fe 
dizem: "Que houvesse descido 
sobre ele o Alcorao, de uma so 
vez!" Fragmentamo-lo, assim, 
para, com ele, te tomarmos firme o 
cora9ao. E fizemo-lo ser recitado 
paulatinamente. 

33. E eles nao te chegam com 
exemplo^^^ algum, sem que 
cheguemos a ti com a verdade e a 
melhor interpreta9ao. 

34. Os que forem reunidos, sendo 



^ ^ 






^..-? 



'^\y 






( ' ) Exempio: argumento contrario a Mensagem do Profeta. 



25. Saratu Al-Furqan Parte 19 554 ) ^ s,j^\ 



T Ol3yi)i 5 JJ-- 



arrastados sobre as faces a Geena, 
esses serao na pior situa9ao e os mais 
descaminhados do caminho certo. 

35. E, com efeito, concedemos a 
Moises o Livro^'\ e fizemos de seu 
irmao Aarao, vizir, assistente, junto 
dele. 

36. E dissemos: "Ide ambos ao 
povo que desmentiu Nossos sinais." 
Entao, destruimo-lo totalmente. 

37. E ao povo de Noe, quando 
desmentiu os Mensageiros, 
afogamo-lo e fizemo-io um sinai 
para os humanos. E preparamos 
para os injustos doloroso castigo. 

38. E menciona o povo de "^Ad 
e Thamud e os companheiros de 
Al-Rass^^^ e muitas gera9oes entre 
esses. 

39. E, para cada um deles, 
propomos os exemplos, e a cada 
um esmagamos, rudemente. 

40. E, com efeito, eles^"^^ passaram 
pela cidade, sobre a qua! se fez 
chover a chuva do mal^'^^ Entao, 
nao a viram? Mas eles nao 







^ U'i4:i^G?jij 



iL^^y^ylxiX^ ii^-j 



XL 



I "^f ^•'* ^-^°^* ^< 






(U O Livro: aTora. 

(2) Ar-Rass: o po^o, a escava^ao, o sepultamento. Esta palavra admite inumeras acep^oes, 
entre as quais a de uma aldeia de nome Yamamah, cujos habitantes desmentiram 
seu profeta e o enterraram vivo, num po^o, ate que morreu. Outra acep^ao se liga a 
trincheira, citada no capitulo LXXXV do Alcorao. Uma terceira prende-se a regiao 
que vai desde Najran, na Peninsula Ardbica, ate o Hadramaut, no Yemen. 

0) Eles: OS idolatras de Makkah. 

^^) Trata-se da chuva de pedras igneas, caida sobre Sodoma e Gomorra. 



25. Suratu Al-Furqan Parte 19 535 S ^ ^jk\ 



T d\3ji^\ 5jj^ 



esperam RessuiTei9ao alguma. 

41. E, quando te veem, nao te 
tomam senao por objeto de 
zombaria, e dizem: "E este quern 
Allah enviou por Mensageiro? 

42. "Por certo, ele quase nos 
descaminhara de nossos deuses, 
nao houvessemos sido perseverantes 
com o culto deles." E saberao, 
quando virem o castigo, quern esta 
mais descaminhado; 

43.Viste aquele que toma por 
deus sua paixao? Entao, es tu, 
sobre ele, patrono? 

44. Ou tu supoes que a maioria 
deles ouve ou razoa? Eles nao sao 
senao como os rebanhos, alias, 
mais descaminhados, em caminho. 

45. Nao viste teu Senhor, como 
estende a sombra? E, se quisesse, 
fa-la-ia imovel. Em seguida, Nos 
fazemos do sol um indicador dela; 

46. Em seguida, recolhemo-la, 
suavemente, para junto de Nos. 

47. E Ele e Quem vos faz da noite 
vestimenta, e do sono, descanso, e 
faz do dia volta a vida ativa. 

48. E Ele e Quem envia vento, 
como alvissareiro, adiante de Sua 
miseric6rdia^^\ E do ceu fazemos 
descer agua pura. 



^-3J^ 11^ llS/l;^ ol'Sj 

5^ <S\ Joi\ qJ^o^ o>^»^ 






9 ^'^ ' 









(•)Cf. VII 57 n2. 



25. Suratu Al-Furqan Parte 19 



586 



>^ ^>i 



Y d\3jil\ djy^ 



49. Para, com ela, vivificar uma 
plaga morta, e darmos de beber, 
dentre o que criamos, a muitos 
rebanhos e humanos. 

50. E, com efeito, repartimo- 
la^^\ entre eles, para meditarem^^^; 
entao, a maioria dos homens a 
tudo recusou, exceto a ingratidao. 

51. E, se quisessemos, haveria- 
mos enviado a cada cidade um 
admoestador. 

52. Entao, nao obede^as aos 
renegadores da Fe, Muhammad, 

e, com ele^^\ luta contra eles, 
vigorosamente. 

53. E Ele e Quem desenleou os 
dois mares^"^^: este e doce, sapido, e 
aquele e salso, amargo. E fez, entre 
ambos, uma barreira^^^ e terminante 
proibi^ao de sua mescla. 

54. E Ele e Quem cria da agua^^^ 
um ser humano e faz dele parentes 
sangiiineos e parentes afms. E teu 
Senhor e Onipotente. 






\jStcy^J>Q\r 



.\t^}. 



fc^^K- 



99 1^-? 9} ' 






Ir^e:^' 



\\'^ ^ ' - 



^aJJgM^ i^^o^ JU"c5 ji(^ 
v^-^di^"/^' 



in La; a chuva. 

(2) Ou seja, para os homens meditarem. 

(3)Ele:o Alcorao. 

(4) Os dois mares: e tradu9ao de al bahrain, dual de al bahr que, etimologicamente, 
significa agua abundante, seja salgada, seja doce, embora de uso mais freqiiente 
na designa9ao, apenas, de mar. A ocorrencia do dual no versiculo serve para 
exprimir, ao mesmo tempo, tanto a agua de rios quanto a de mares. 

(5) Trata-se de imiscibilidade da agua salgada com a doce, quando de seu encontro. 
Isso constitui enorme gra9a divina para o ser humano que, do contrario, teria suas 
fontes e rios invadidos pela agua do mar. 

(6)Cf. XXI 30 n3. 



25. Suratu Al-FurqSn Parte 19 557 ^ ^ ^j^\ 



y 013^1 5jj-- 



55. E eles adoram, alem de 
Allah, o que nao os beneficia nem 
OS prejudica. E o renegador da Fe e 
coadjutor de Sata contra seu Senhor. 

56. E nao te enviamos senao por 
alvissareiro e admoestador. 

57. Dize: "Nao vos pefo premio 
algum por ele^^\ a nao ser a 
cren9a de quern quer tomar 
caminho para seu Senhor." 

58. E confia nO Vivente, Que 
jamais morrera, e glorifica-0, com 
louvor. E basta Ele por Conhecedor 
dos pecados de Seus servos. 

59. Ele e Quem criou os ceus e 
a terra e o que ha entre ambos, em 
seis dias^^^; em seguida, 
estabeleceu-Se no Trono. Ele e O 
Misericordioso; entao, pergunta, 
acerca dEle, a um conhecedor. 

60. E, quando se Ihes^^^ diz: 
'Trosternai-vos diante dO 
Misericordioso", dizem: "O que e 
O Misericordioso? Prostemar-nos- 
emos diante do que nos ordenas?" 
E isso Ihes acrescenta repulsa. 

61.Bendito Quem fez constela- 
^oes, no ceu, e, nele, fez um luzeiro^^^ 
e uma lua luminosa! 






"K ^ 



' >4V ^ 



[<)yu 






(OEleioIslao. 
(2)Cf. VII 54 nl. 

(3) Lhes: aos idolatras de Makkah. 

(4) Luzeiro: sol radioso. 



25. Suratu AI-Furqan Parte 19 



588 



>^ t^i 



Y Ol3yiJl Qjj^ 



62. E Ele e Quern fez a noite e o 
dia alternados, para quern deseja 
meditar ou deseja agradecer a 
Allah. 

63. E OS servos dO Miseri- 
cordioso sao os que andam, 
mansamente, sobre a terra, e, 
quando os ignorantes se dirigem a 
eles, dizem: "salam!" "Paz!"; 

64. E OS que passam a noite 
prosternando-se, diante de seu 
Senhor, e orando de pe; 

65. E OS que dizem: "Senhor 
nosso! Desvia de nos o castigo de 
Geena. Por certo, seu castigo e 
perpetuo. 

66. "Por certo, que vil residencia 
e lugar de permanecer e ela!"; 

67. E OS que, quando despendem 
seus bens, nao os esbanjam nem 
restringem, mas seu dispendio 

esta entre isso, ajustado; 

68. E OS que nao invocam, junto 
de Allah, outro deus, e nao matam 
a alma que Allah proibiu matar, 
exceto se com justa razao, e nao 
adulteram; e quem faz isso 
encontrara puni9ao; 

69.0 castigo duplicar-se-lhe-a, 
no Dia da Ressurrei9ao, e, nele, 
permanecera, etemamente, aviltado. 

70. Exceto quem se voha 
arrependido e ere e faz o bem: 






^N'i^ 5>i^a"^^ J^^^Ce^ 






L^ SLl:^ j^^\;j 6^c>^'^ \ 



25. Suratu Al-Furqan Parte 19 559 I > ^ ^ji- 



t OlByiil Ojj^ 



entao, a esses , Allah trocar-lhes-a 
as mas obras em boas obras. E 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

71. E quern se volta arrependido 
e faz o bem, por certo, ele se volta 
para Allah, arrependido, perfeita- 
mente. 

72. E OS que nao prestam falso 
testemunho e, quando passam junto 
da frivolidade, passam nobremente; 

73. E OS que, quando sao 
lembrados dos versiculos de seu 
Senhor, nao permanecem desatentos 
a eles, como surdos, cegos; 

74. E OS que dizem: "Senhor 
nosso! Dadiva-nos, da parte de 
nossas mulheres e de nossa 
descendencia, com alegre frescor 
nos olhos e faze-nos guia para os 
piedosos." 

75. Esses serao recompensados 
com a camara eterea, porque 
pacientaram; e, nele, ser-lhe-ao 
conferidas sauda96es e paz. 

76. La, serao eternos. Que bela 
residencia e lugar de permanecer! 

77. Dize, Muhammad: "Meu 
Senhor nao se importaria convosco, 
nao fora vossa suplica. E, com 
efeito, desmentistes o Mensageiro; 
entao, ser-vos-a imposto o castigo." 






26. Suratu Ach-Chu^ara' Parte 19 



590 



n ^>i 



Y 1 ^iyuiJl ojj^ 



SURATU ACH-CHU'ARA'^^^ 
A SURA DOS POET AS 



De Makkah - 227 versiculos. 

Em no me de Allah O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Ta, STn, mW^\ 

2. Esses sao os versiculos do 
explicito Livro^^\ 

3. Talvez te consume de pesar, 
Muhammad, por nao serem eles^"^^ 
crentes. 

4. Se quisessemos, haver-lhes- 
iamos feito descer, do ceu, um 
sinal; entao, as cervizes permanecer- 
Ihes-iam rendidas. 

5. E nao Ihes chega nenhuma 
Mensagem renovada dO Miseri- 
cordioso, sem que Ihe deem de 
ombros. 




...^^"^A 






Sj^-^l <^^ J^^o|5^L^>M:t^^J 



'D cjyt^^ 



(1) Ach-Chu*^ara' e plural de cha*^ir, poeta. Assim se denomina a sura, pela men^ao 
dessa palavra no versiculo 224. Seu tema principal e o mesmo de todas as 
reveladas em Makkah: a unicidade de Deus, a Revela9ao e a Mensagem, a 
Ressurreigao e a Recompensa. A particularidade desta sura e center varias 
historias de mensageiros, historias estas que ocupam 180 dos versiculos, 
reveladas, certamente, para tranqiiilizar o Profeta Muhammad, a quem o povo 
desmentia, reiterando-lhe que outros povos, antes dele, igualmente, desmentiram 
seus mensageiros. Primeiro, ha o confronto de Moises e Aarao com Farao, e o 
desdem deste pela Mensagem. Em seguida, a historia de Abraao, Noe, Hud, Salih, 
Lot e Chu^^aib. Percebe-se, nas historias destes profetas, que a base da prega^ao e a 
mesma, e o modo de desmentir dos descrentes, identico. Finalmente, a sura mostra 
o sublime valor do Alcorao e torna bem evidente que o Profeta Muhammad nao 
pode ser poeta, nem, tampouco, o Alcorao poesia. 

(2)Cf. II 1 n3. 

(^) Livro: o Alcorao. 

(^) Eles: OS idolatras de Makkah. 



26. Suratu Ach-Chu%ra' Parte 19 



591 ^ ^ ^j*-* ^ "^ t»j«uiJl ojj--. 



6. E, com efeito, desmentem- 
na; entao, chegar-lhes-ao informes 
daquilo^*^ de que zombavam. 

7. E nao viram eles a terra, 
quanto fazemos germinar, nela, todos 
OS casais de plantas preciosas? 

8. Por certo, ha nisso um sinal. 
Mas a maioria deles nao e crente. 

9. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 

10. E lembra-lhes de quando 
teu Senhor chamou a Moises: "Vai 
ao povo injusto, 

11. "O povo de Farao. Nao 
temern eles a Allah?" 

12. Disse: "Senhor meu, por 
certo, temo que me desmintam. 

13. "E meu peito constrange-se 
e minha lingua nao se solta. Entao, 
envia a Aarao, para que este me 
secunde. 

14. "E eles tem, contra mim, a 
acusa9ao de um delito; entao, 
temo que me matem." 

15. Allah disse: "Em absoluto, 
nao te matarao. Entao, ide ambos 
com Nossos sinais. Por certo, 
estaremos convosco, ouvindo. 

16. "E chegai a Farao e dizei: 



^^ \y^\::J\^\^z\:^^^ 



I djiyfJ^ 









% ^J^. i\^'^&:-^i^'Aj 






9 ^ ^ » 



(0 Daquilo: da Mensagem. 



26. Suratu Ach-Chu'bra' Parte 19 



592 



^ ^ ^>i rn i^\y^\ i^j^ 



Tor certo, somos Mensageiros dO 
Senhor dos mundos. 

17." 'En via conosco os filhos 
de Israel'." 

IS.Farao^^^ disse: "Nao te 
cuidamos, junto de nos, enquanto 
eras bem crian9a, e nao 
permaneceste, junto de nos, alguns 
anos de tua vida? 

19. "E fizeste teu feito^^\ que 
fizeste, e tu es dos ingratos." 

20. Moises disse^"^^: "Fi-lo, entao, 
enquanto eu era dos descaminhados. 

21. "E fugi de v6s, quando vos 
temi; entao, meu Senhor dadivou- 
me com sabedoria e fez-me dos 
Mensageiros. 

22. "E esta e uma gra9a - que 
me cobras - o haveres escravizado 
OS filhos de Israel^^^?" 

23. Farao disse: "E o que e O 
Senhor dos mundos?" 

24. Moises disse: "O Senhor dos 
ceus e da terra e do que ha entre 
ambos, se estais^^^ convictos disso." 












CXy^^^JQj'^^2^ 



( ^ ) Farao disse a Moises. 

(2) Referencia a morte de um egipcio, perpetrada por Moises. 

(^) Moises explica que seu feito era antes de ser ele Mensageiro. 

(4) Moises recusa-se a aceitar como gra9a os cuidados dispensados a ele, pela corte 
faraonica, quando crian9a, uma vez que foi vitima dos atos execraveis de Farao, 
que impos aos filhos de Israel a escravidao e a morte aos primogenitos varoes. 

(5) Moises se dirige a Farao e a seus dignitarios. 



26. Suratu Ach-Chu%ra' Parte 19 



593 ^ ^ ^>< t ^ ^<y^< «jj-- 



25. Farao^'^ disse aos que 
estavam a seu redor: "Nao ouvis o 
que ele diz?" 

26. Moises disse: "Vosso Senhor 
e O Senhor de vossos pais antepas- 
sados!" 

27. Farao disse: "Por certo, 
vosso mensageiro, que vos foi 
enviado, e louco^^^!" 

28. Moises disse: "O Senhor do 
Levante e do Poente e do que ha 
entre ambos, se razoais." 

29. Farao disse: "Em verdade, 
se tomas deus outro que nao seja 
eu, far-te-ei dos prisioneiros." 

30. Moises disse: "E ainda que 
eu te chegue com algo evidente?" 

31. Farao disse: "Faze-o vir, 
pois, se es dos veridicos." 

32. Entao, Moises lanfou sua 
vara, e ei-la evidente serpente. 

33. E tirou sua mao^'^^ e ei-la 
alva^"^^ para os olhadores. 

34. Farao disse aos dignitarios 
a seu redor: "Por certo, este e um 
magico sapiente, 






At I ■ 



lll^ioUj <^_^^\3 4r^ 



^l 









(0 Farao, estranhando a fala de Moises... 

(2) Farao se dirige a seu povo, para denunciar loucura naquele mensageiro, que e 

Moises. 
(3)Cf. VII 108 nl. 
(4)Cf. VII 108 n2. 



26. Suratu Ach-Chu%ra' Parte 19 



594 



\ s ^>i r n ^lyuiJi 6jj^ 



35. "Que deseja fazer-vos sair 
de vossa terra, com sua magia. 
Entao, que ordenais?" 

36. Disseram; "Pretere-o e a seu 
irmao, e envia congregantes as 
cidades; 

37. "Eles far-te-ao vir todo 
magico sapiente." 

38. Entao, os magicos foram 
juntados em um tempo marcado de 
dia determinado. 

39. E foi dito aos homens^*^ 
"Estareis juntos, 

40. "Para que sigamos os 
magicos, se forem os vencedores?" 

41. E, quando os magicos 
chegaram, disseram a Farao: 
"Teremos premio, se formos os 
vencedores?" 

42. Ele disse: "Sim, e, por certo, 
sereis, nesse caso, dos mais 
achegados." 

43. Moises disse-lhes: "lan9ai o 
que tendes para lan9ar." 

44. Entao, lan9aram suas cordas 
e suas varas e disseram: "Pelo 
poder de Farao, seremos, por certo, 
OS vencedores." 

45. E Moises lan9ou sua vara; e 
ei-la que engoliu o que forjaram. 






9 ^--i ^1 






(0 Aos homens: ao povo, que foi incitado a comparecer ao desafio dos magicos. 



26. SQratu Ach-Chu%ra' Parte 19 



595 



n ^>l r n tlyuiJi dj^ 



46. Entao, os magicos cairam, 
prosternando-se. 

47. Disseram: "Cremos no Senhor 
dos mundos, 

48/'0 Senhor de Moises e 
Aarao." 

49. Farao disse: "Credes nele, 
antes de eu vo-lo permitir? Por 
certo, ele e vosso mestre, que vos 
ensinou a magia. Entao, logo 
sabereis! Em verdade, cortar-vos- 
ei as maos e as pernas, de lados 
opostos, e crucificar-vos-ei a todos." 

50. Disseram: "Mai algum! Por 
certo, tornaremos a nosso Senhor. 

51. "Por certo, aspiramos a que 
nosso Senhor nos perdoe os erros, 
porque somos os primeiros dos 
crentes." 

52. E inspiramos a Moises: 
"Parte, durante a noite, com Meus 
servos; por certo, sereis perse- 
guidos." 

53. Entao, Farao enviou congre- 
gantes as cidades, 

54. Que diziam: "Por certo, 
esses sao um bando pouco numeroso, 

55. "E, por certo, eles nos poem 
rancorosos, 

56. "E, por certo, deles, todos 
nos precatamos." 






hj^m'4\i 



^^^jj^h^ 



26. Suratu Ach-Chuara' Parte 19 



596 



> ^ t ji-l r 1 tlyc^i djj- 



57. Entao, Nos os fizemos sair 
de jardins e fontes, 

58. E OS fizemos abandonar 

tesouros e nobre lugar de per- 
manencia. 

59. Assim foi. E fizemos que os 
filhos de Israel os herdassem. 

60. E, ao nascer do sol, eles 
perseguiram^ ' ^-nos. 

61. E, quando se depararam as 
duas multidoes, os companheiros 
de Moises disseram: 'Tor certo, 
seremos atingidos." 

62. Ele disse: "Em absoluto nao 
seremos! Por certo, meu Senhor 
e comigo; Ele me guiara." 

63. E inspiramos a Moises: "Bate 
no mar com tua vara." Entao, este 
se fendeu; e cada divisao se tornou 
como a formidavel montanha. 

64. E, la, fizemos aproximar os 
outros^^\ 

65. E salvamos a Moises e a 
quem estava com ele, a todos. 

66. Em seguida, afogamos os 
outros. 

67. Por certo, ha nisso um sinal. 
Mas a maioria deles nao e crente. 



^9J^Jc&o^>i%rt 



^ -f^yj'} 



^Si&^lJ^'^jj^f^^ 



^j^^^J^'^ 









^bt^fWjJ^Vji 



j/^!}^] ol^Uj 26^ JJilji d,dl 



^o^<y 



(U Farao e seu exercito perseguiram os filhos de Israel. 
(2) Os outros: Farao e seu exercito. 



26. Suratu Ach-Chu ara' Parte 19 



597 > ^ ^>' 



T 1 tiytoJl djj^ 



68. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 

69. E recita, para eles, o informe 
de Abraao, 

70. Quando disse a seu pai e a 
seu povo: "Que adorais?" 

71.Disseram: "Adoramos idolos; 
entao, a eles permanecemos 
cultuando." 

72. Disse: "eles ouvem-vos, 
quando os invocais? 

73. "Ou vos beneficiam ou vos 
prejudicam?" 

74. Disseram: "Nao! Mas encon- 
tramos nossos pais fazendo assim." 

75. Disse: "E vistes o que adorais, 

76. "Vos e vossos antigos pais? 

77. "Entao, por certo, sao de 
mim inimigos, exceto O Senhor 
dos mundos, 

78. "Quern me criou; e e Ele 
Quern me guia; 

79. "E Quem me alimenta e me 
da de beber; 

80. "E, quando adoe90, e Ele 
Quem me cura; 

81. "E Quem me dara a morte, 
em seguida, me dara a vida, 

82. "E a Quem aspiro me perdoe 
o erro, no Dia do Juizo. 



M Li^\^i;^\^^Jl)^i 












^ Cy}:^J i^S^^" J^^:^b 



io' 



)^^^^1 



26. Suratu Ach-Chuara' Parte 19 



598 ^ ^ ^J^' ^ "^ tlyuJjl 5;j--. 



83. "Senhor meu! Dadiva-me 
com sabedoria e ajunta-me aos 
integros; 

84. "E faze-me menfao veridica, 
na posteridade; 

85. "E faze-me dos herdeiros do 
Jardim da Delicia; 

86. "E perdoa a meu pai: por 
certo, ele e dos descaminhados; 

87. ''E nao me ignominies, um 
dia, quando forem ressuscitados^^^ 

88. "Um dia, quando a ninguem 
beneficiarem nem riquezas nem 
filhos, 

89. "Exceto a quem chegar a 
Allah, com corafao imaculado." 

90. E se fizer aproximar-se o 
Paraiso aos piedosos, 

91. E se fizer expor-se o Inferno 
aos desviados, 

92. E se Ihes disser: "Onde estao 
OS que vos adoraveis, 

93. "Alem de Allah? Socorrem- 
vos ou se socorrem a si mesmos?" 

94. Entao, serao nele^^^ 
empuxados: eles e os desviados, 

95. E OS partidarios de Sata, 
todos. 









'ly<§^f^<:^S^j 



^O^UU^j^^Oj^j 






^:)A\^yk^yS^ 



^ Ci^ J^i^j 



(U Ou seja, no Dia da Ressurrei9ao de todos os homens. 
(2) Nele: no Inferno. 



26. Suratu Ach-Chu ara' Parte 19 



599 



^ ^ ^ j^i y^ ^lyuUi s^j^ 



96. Dirao, enquanto, nele, dis- 
putarem: 

97. "Por Allah! Estavamos, por 
certo, em evidente descaminho, 

98. "Quando vos igualavamos 
ao Senhor dos mundos. 

99. "E nao nos descaminharam 
senao os criminosos. 

100. "Entao, nao temos inter- 
cessores, 

101. "Nem amigo intimo algum. 

102. "E, se tivessemos retorno a 
vida, seriamos dos crentes!" 

i03. Por certo, ha nisso um sinal. 
Mas a maioria deles nao e crente. 

104. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 

105. povo de Noe desmentiu 
aos Mensageiros, 

106. Quando seu irmao Noe 
Ihes disse: "Nao temeis a Allah? 

107. "Por certo, sou- vos leal 
Mensageiro: 

108. "Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

109. "E nao vos pe90 premio 
algum por isso^^\ Meu premio nao 
impende senao aO Senhor dos 
mundos. 



^ SA-^l^iA^jyls 












( 1 ) Por isso: pelo ato de crer. 



26. Suratu Ach-Chu ara' Parte 19 



600 



) ^ tji-i T n tiyuiJi Ojj^ 



110."Entao, temei a Allah e 
obedecei-me". 

lll.Disseram: "Creremos em ti, 
enquanto somente os mais ignobeis te 
seguem?" 

112. Disse: "E que sei eu acerca 
do que faziam? 

113. "Seu ajuste de contas nao 
impende senao a meu Senhor, se 
percebeis. 

114. "E nao vou repulsar os 
crentes. 

115. "Nao sou senao evidente 
admoestador." 

1 16. Disseram: "6 Noe! Se nao 
te abstiveres disso, em verdade, 
seras dos apedrejados!" 

117. Disse: "Senhor meu! Por 
certo, meu povo desmentiu-me. 

118. "Entao, sentencia entre mim 
e ele, claramente, e salva-me e a 
quem, dos crentes, esta comigo." 

119.Entao, salvamo-lo e a quem 
estava com ele, no barco repleto. 

120. Em seguida, depois disso, 
afogamos os remanescentes. 

121. Por certo, ha nisso um sinal. 
Mas a maioria deles nao e crente. 

122. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 



SoAtJi^^i^^ 



:lx^^oS^^^ 






i^C^5)iib;l^Gl\i^ 



>0^^ 



L? 






T* ^ -- 



c^i^^f^^J^^i^^ 



) dJi^iJ^b\<^J J*^ 



^^9^^ 






26. Suratu Ach-Chu ara' Parte 19 



601 



)^ i,j^\ n ^\yU^\ 6jj^ 



123. povo de ^Ad desmentiu 
aos Mensageiros. 

124. Quando seu irmao Hud 
Ihes disse: "Nao temeis a Allah? 

125. "Por certo, sou-vos leal 
Mensageiro. 

126. "Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

127. "E nao vos pe9o premio 
algum por isso^^\ Meu premio nao 
impende senao aO Senhor dos 
mundos. 

128. "Edificais, em cada lugar 
alto, um monumento^^\ para 
frivolidade? 

129. "E ergueis fortifica9oes, na 
esperan9a de serdes eternos? 

130. "E, quando desferis golpes, 
vos OS fazeis como tiranos. 

131.''Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

132. "E temei a Quem vos 
concedeu o que sabeis, 

133. "Concedeu-vos rebanhos e 
filhos, 

134. "E jardins e fontes. 

135. "Por certo, temo, por vos, o 



w Cr^fti^^^\^ i^^ 



y^;;I^j>^}^Si\ 









©Ojc^y*4^ 



^^i^^45i^^'Ac>^sJ^oWi;^l^ 



(0 Por isso: pelo ato de crer. 

(2) Ou seja, edifica9ao, de certo porte, onde se reuniam as pessoas para se divertirem. 
Esta edifica^ao servia, tambem, de sinal ou referencia. 



26. Suratu Ach-Chu%ra' Parte 19 



602 ^ ^ ^>' T n tiyuiJi djj-- 



castigo de um terrivel dia". 

136. Disseram: "E-nos igual que 
nos exortes ou que nao sejas dos 
exortadores. 

137. "Isto nao e senao costume 
dos antepassados, 

138. "E nao seremos castigados." 

139. E desmentiram-no; entao, 
aniquilamo-los. Por certo, ha nisso 
um sinal. Mas a maioria deles nao 
e crente. 

140. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 

141. povo de Thamud des- 
mentiu aos Mensageiros. 

142. Quando seu irmao Salih 
Ihes disse: "Nao temeis a Allah? 

143. "Por certo, sou-vos leal 
Mensageiro: 

144. "Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

145. "E nao vos pe90 premio 
algum por isso. Meu premio nao 
impende senao aO Senhor dos 
mundos. 

146. "Julgais que sereis deixados 
seguros, no que ha aqui? 

147. "Entre jardins e fontes, 

148. "E searas e tamareiras de 
espatas com frutos maduros? 






^J^WM^^^^^l 



^ cj^X^Jp-^j 



-.^9.^- A 



9 fX< ,t-: -* ^ "i 









-ir^.wK \<. 



Ji>l tf-U^lAla c|0^b=:^/U 



J^:-,- 



'^Qji^J<^4 



^^^[^\j^J^jj3 



26. Suratu Ach-Chu%ra' Parte 19 



603 



n t ji-i r n tiyuiJi ojj-- 



149. "E escavando, habilidosos, 
casas nas montanhas? 

150."Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

151. "E nao obede9ais as ordens 
dos entregues a excesses, 

152. "Os que semeam a 
corrup9ao na terra, e nao a 
reformam". 

153. Disseram: "Tu es, apenas, 
dos enfeitifados. 

154. "Tu nao es senao um ser 
humano como nos. Entao, faze vir 
um sinal^^\ se es dos veridicos." 

155.Disse: "Este e um camelo 
femea: havera, para ele, uma 
porfao de bebida; e havera, para 
vos, uma porfao de bebida em dia 
determinado. 

156. "E nao o toqueis com mal 
algum; pois, apanhar-vos-ia o 
castigo de um terrivel dia." 

157. Mas abateram-no e tor- 
naram-se arrependidos! 

158. Entao, o castigo apanhou- 
os. Por certo, ha nisso um sinal. 
Mas a maioria deles nao e crente. 

159. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 









Qii^^cuI^^C^C^^ \l^y ^ 









(l)Cf. VII 73 P.250nl. 



26. Suratu Ach-Chu ara' Parte 19 



604 



n tji-i rn tiytjji 5jj^ 



160. povo de Lot desmentiu 
aos Mensageiros. 

161.Quando seu irmao Lot Ihes 
disse: "Nao temeis a Allah? 

162. "Por certo, sou-vos leal 
Mensageiro. 

163. "Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

164. "E nao vos pefo premio 
algum por isso. Meu premio nao 
impende senao aO Senhor dos 
mundos. 

165. "Vos vos achegais aos 
varoes deste mundo? 

166. "E deixais vossas mulheres, 
que vosso Senhor criou para vos? 
Mas, sois um povo agressor". 

167. Disseram: "Em verdade, se 
nao te abstiveres disso, 6 Lot, 
seras dos expulsos." 

168. Disse: "Por certo, sou dos 
adversos de vossos atos. 

169. "Senhor meu! Salva-me e a 
minha familia do que fazem." 

170. Entao, salvamo-lo e a sua 
familia, a todos, 

171.Exceto uma ancia, dentre 
OS que ficaram para tras^*\ 

172. Em seguida, aniquilamos os 
outros; 



oU^i^oJ^^^i 



^ ov^^o^olplS^oiGi 






)0i^^\^:;^.> 



(OCf. VII 83 nl. 



26. SOratu Ach-Chu'ara' Parte 19 



605 ^^^>' rn^iytjJiS;^ 



173. E fizemos cair, sobre eles, 
chuva: entao, que vil a chuva dos 
que foram admoestados! 

174. Por certo, ha nisso um 
sinal. Mas a maioria deles nao e 
crente. 

175. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 

176. Os habitantes de Al-'Aikah^^^ 
desmentiram aos Mensageiros. 

177. Quando Chu'^aib Ihes disse: 
"Nao temeis a Allah? 

178. "Por certo, sou-vos leal 
Mensageiro: 

179. "Entao, temei a Allah e 
obedecei-me. 

180. "E nao vos pe9o premio 
algum por isso. Meu premio nao 
impende senao aO Senhor dos 
mundos. 

181."Completai a medida, e 
nao sejas dos fraudadores. 

182. "E pesai tudo, com total 
eqiiidade. 

183. "E nao subtraiais dos 
homens suas cousas e nao semeeis a 
maldade na terra, sendo corruptores. 

184. "E temeis a Quem vos criou, 
vos e as gera96es antepassadas". 









^M^SC3 L;^sl>C^10Jj 



cjJS-yl^^'j^il 












^ h§^\^i^^jf^^'^^\^^3 



(l)Cf. XV 78 n6. 



26. Suratu Ach-Chuara' Parte 19 



606 >^^>' n^t^toj>^ 



ISS.Disseram: "Tu es, apenas, 
dos enfeiti9ados; 

186. "E tu nao es senao um ser 
humano como nos, e, por certo, 
pensamos que es dos mentirosos. 

187. "Entao, faze cair sobre nos 
peda90s do ceu, se es dos 
veridicos!" 

188.Disse: "Meu Senhor e bem 
Sabedor do que fazeis." 

189. E desmentiram-no; entao, o 
castigo do dia do dossel^^^ 
apanhou-os. Por certo, foi castigo 
de um terrivel dia. 

190. Por certo, ha nisso um 
sinal, mas a maioria deles nao e 
crente. 

191. E, por certo, teu Senhor e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador. 

192. E, por certo, ele^^^ e a 
revela9ao descida dO Senhor dos 
mundos, 

193. Com a qual o leal Espirito^"^^ 
desceu 

194. Sobre teu cora9ao, Muham- 
mad, para que sejas dos 
admoestadores. 



QA6),V.:^r:i]l Of^Il^lUjil^SlS 









(0 Como povo de Chu^^aib continuasse a desacredita-lo, Deus enviou sobre eles 
calor intenso, que os levou a fugir, mas foram impedidos pelo aparecimento de 
nuvens, que os toldaram, como um dossel, e os aniquilaram com chuva de fogo. 

(2) Ele: o Alcorao. 

(3) Ou seja, anjo Gabriel. 



26. Suratu Ach-Chuara' Parte 19 



607 > ^ tji-< t ^ ^<yt^< 'djj^ 



195. Em lingua arabe, casti^a e 
clara. 

196. E, por certo, eW^^ esta 
mencionado nos Livros dos 
antepassados. 

197. E nao Ihes^^^ e um sinal que 
OS sabios dos filhos de Israel o 
conhe9am? 

198. E, se houvessemos feito 
descer sobre um dos foraneos^^\ 

199. E ele Ihos^"^^ houvesse lido, 
nao estariam crendo nele^^\ 

200.Assim, tambem, Nos o 
introduzimos nos cora9oes dos 
criminosos^^^ 

201.Eles nao crerao nele, ate 
verem o doloroso castigo, 

202. Chegar-lhes-a, pois, inopi- 
nadamente, enquanto nao percebam; 

203. Entao, dirao: "Ser-nos-a 
concedida dilafao?" 

204. E querem eles apressar 
Nosso castigo? 

205. Entao, viste? Se os fizermos 
gozar, durante anos. 












', I 



o^ 






(OEIe:o AlcorSo. 

(2) Lhes: para os arabes. 

(^) Isto e, a um estrangeiro nao arabe. 

(4) Ou seja, "se houvesse lido para os arabes". 

(5) Nele: no Alcorao. 

(6) Por criminosos entendam-se os idolatras de Makkah. Cf. XV 12 n3. 



26. Suratu Ach-Chu ara' Parte 19 



608 



> ^ j^jJri 1^ ^\jk:^\ 5jj-- 



206. Em seguida, chegar-lhes o 
que Ihes foi prometido, 

207. Nao Ihes valera em nada o 
que gozavam. 

208. E nao aniquilamos cidade 
alguma, sem que ela houvesse tido 
admoestadores, 

209. A guisa de lembranfa. E 
nunca somos injusto. 

210. E nao sao os demonios que 
o^^^ trouxeram: 

211. E isso nao Ihes caberia, e 
jamais poderiam faze-lo. 

212. Por certo, eles estao 
apartados do ouvir o que se fala 
no ceu. 

213. Entao, nao invoques, junto 
de Allah, outro deus: pois, serias 
dos castigados. 

214. E admoesta teus familiares, 
OS mais proximos. 

215. E baixa tua asa^^^ aos que te 
seguirem, entre os crentes. 

216. E, se eles te desobedecem, 
dize: "Por certo, estou em rom- 
pimento com o que fazeis." 

217. E confia nO Todo-Poderoso, 
nO Misericordiador, 






^ ojJxiQ ^ISc^ c^tSsJUb) Laj 



^ o:J^\^^^j^j^ 



S/y4ii3\ ^cJ> 



)^JM^J^^J 



©oJ^J 






-*A^l:^ fJaA>-\j 






(0 O: o Alcorao. 

(2)Cf. XV 88 p.418nl. 



26. SOratu Ach-Chu ara' Parte 19 



609 



) ^ t>i r n ^lyuiJi 6jj^ 



218. Que te ve quando te 
levantas, para orar, 

219. E ve tuas gesticula96es 
entre os que se prosternam. 

220. Por certo, Ele e O Oniou- 
vinte, O Onisciente. 

221. Informar-vos-ei daquele 
sobre quern os demonios descem? 

222.Eles descem sobre todo 
impostor, pecador. 

223. Dao outiva aos demonios, 

e sua maioria e mentirosa. 

224. E aos poetas, seguem-nos 
OS desviados. 

225.- Nao viste que eles 
vagueiam por todos os vales^^\ 

226. E que dizem o que nao 
fazem? - 

227. Exceto os que creem e 
fazem as boas obras e se lembram, 
amiude, de Allah e se defendem, 
apos haverem sofrido injusti9a. E 
OS que sao injustos saberao qual 
tornada a que tomarao! 









®5/\-'- ^-^--^ 



(0 A expressao "vaguear por todos os vales", no sentido figurado, significa tratar, 
superficialmente, varios temas. 



27. Suratu An-NamI Parte 19 ^10 > ^ ^J^ 



TV J^»5j>^ 



SURATU AN-NAML^'^ 
A SURA DAS FORMICAS 



De Makkah - 93 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

!• Ta, STn^^\ Esses sao os 
versiculos do Alcorao e explicito 
Livro, 

2. E orienta9ao e alvissaras para 
OS crentes, 

3. Que cumprem a ora9ao e 
concedem az-zakah^'^^ e se 
convencem da Derradeira Vida. 

4. Por certo, aos que nao creem 
na Derradeira Vida, aformoseamo- 
Ihes as obras; entao, caminham as 
cegas. 

5. Esses sao os que terao o pior 




.^!Bs^^!^ 












(0 An-NamI: plural de an-namlah, a formiga. A sura, assim, se denomina pela 
men^ao dessa palavra no versiculo 1 8. Aqui, o tema e identico a todas as reveladas 
em Makkah: a cren^a no Deus Unico, na vida eterna, nas recompensas do bem e 
nos castigos do mal, na Revela9ao e na Mensagem Divina. Alem disso, a sura 
encerra varias historias reiterativas destes temas, com o fito de patentear o destino 
dos bons e dos maus. A historia mosaica encabe^a a sura, a qual segue alusao a 
gra^a de Deus para com Davi e Salomao. Depois, ha os episodios de Salomao com 
a formiga, com o passaro poupa e com a Rainha de Saba. A seguir, novamente, a 
historia da Salih com o seu povo Thamud. Finalmente, a historia de Lot e seu 
povo. Terminadas as historias, a sura passa a exaltar o Universo e os sinais nele 
existentes, comprobatorios da magnitude do Criador. Ha referencia a um ser 
animal, que surgira da terra, no fim dos tempos, e que se dirigira aos homens. 
Aqui, encontra-se, tamb6m, alusSo ao terror de todas as criaturas da terra, quando 
soar a trombeta para a Ressurrei^So. A sura fmda com a descri^ao da terra e de 
suas montanhas, que, apesar de imoveis, aparentemente, se movem, ligeiras, como 
as nuvens. 

(2)Cf. II 1 n3. 

(3)Cf. II 43 n4. 



27. Suratu An-NamI Parte 19 



611 >^^>' 



TV J^i5j>- 



castigo, e serao os mais perdedores 
na Derradeira Vida. 

6. E, por certo, a ti, Mulyammad, 
e conferido o Alcorao, da parte de 
Um Sabio, Onisciente. 

7. Lembra-lhes de, quando 
Moises disse a sua familia: "Por 
certo, entrevejo um fogo; far-vos- 
ei vir dele noticia ou vos farei vir 
um ti^ao, para vos aquecerdes." 

8,E, quando ele Ihe chegou, 
chamaram-no: "Bendito quem esta 
no fogo e quem esta a seu redor^^^! 
E Glorificado seja Allah, O Senhor 
dos mundos! 

9. "6 Moises! Por certo, Eu, Eu 
sou Allah, O Todo-Poderoso, O 
Sabio. 

10. "E lanfa tua vara." Entao, 
quando a viu mover-se como se 
fora cobra, voltou as costas, fugindo, 
e nao volveu atras. Allah disse: "6 
Moises! Nao te atemorizes. Por 
certo, junto de Mim, os Men- 
sageiros nao se atemorizam. 

11. "Mas para quem e injusto, em 
seguida, troca em bem o mal, por 
certo sou Perdoador, Miseri- 
cordiador. 






^J^yJ\M3'^\^^^ 






i^^j^ liilLii-Jib^^j^Sl^ 



^'}^jp 



0) Segundo os exegetas, trata-se nao do fogo flsico, propriamente dito, mas da gloria 
dos anjos, que refletem a gloria reverberante de Deus. Assim, sao abenpoados os 
anjos, e Moises, que esta a seu redor. 



27. Suratu An-Naml Parte 19 



612 



>^ ^>i 



rv j^i oj^ 



12/'E faze entrar tua mao na 
abertura de teu peitilho, ela saira 
alva, sem mal algum. Isto esta 
entre os nove sinais para Farao e 
seu povo. Por certo, sao um povo 
perverso." 

13. Entao, quando Nossos claros 
sinais Ihes chegaram, disseram: 
"Isto e evidente magia!" 

14. E negaram-nos, injusta e 
soberbamente, enquanto suas almas 
se convenciam deles. Entao, olha 
como foi o fim dos corruptores! 

15. E, com efeito, concedemos 
ciencia a Davi e a Salomao. E 
disseram ambos: "Louvor a Allah, 
Que nos preferiu a muitos de Seus 
servos crentes." 

16. E Salomao foi herdeiro de 
Davi. E disse: "6 humanos! Foi- 
nos ensinada a linguagem dos 
passaros e foi-nos concedido algo 
de todas as cousas. Por certo, este 
e o evidente favor." 

17. E reuniu-se a Salomao seu 
exercito de jinns e de humanos e 
de passaros, e coordenaram-se, 

18. Ate que, ao chegarem ao 
vale das formigas, uma formiga 
disse: "O formigas! Entrai em 
vossos formigueiros, a fim de que 
vos nao esmaguem Salomao e seu 
exercito, enquanto nao percebam." 









\^S^y^l:a^\ \^::jl:lj\j ^yj^^^^j 



llip^^IiLi^ 3i^\3 lSi3\x Juflj} 









27. Suratu An-Naml Parte 19 



613 



>^ ^>i 



TV J^i5j>-» 



19. Entao, Salomao sorriu, 
prazeroso, admirado de seu dito, e 
disse: "Senhor meu! Induze-me a 
agradecer-Te a gra9a, com que me 
agraciaste e a meus pais, e a fazer 
o bem que Te agrade, e faz-me 
entrar, com Tua misericordia, para 
junto de Teus servos integros." 

20. E passou em revista os 
passaros. Entao, disse: 'Tor que 
razao nao vejo a poupa? Ou sera 
ela dos ausentes? 

21. "Em verdade, fa-la-ei sofrer 
veemente castigo ou a degolarei, a 
menos que me fa^a vir evidente 
comprova9ao^^V' 

22. Mas ela nao tardou muito, e 
disse: "Abarquei aquilo que nao 
abarcaste, e chego a ti, de Saba'^^^ 
com informe certo. 

23. 'Tor certo, encontrei uma 
mulher^"^^ reinando sobre eles^'*^ e a 
ela foi concedido algo de todas as 
cousas e tem magnifico trono. 












( Ou seja, a poupa devera justificar-lhe a ausencia. 

(2) Saba: urn dos reinos do sul da Peninsula Arabica, chamado, antigamente, de 
Arabia Feliz. Hoje, Yemen. Foi regiao prospera e portadora de avan(?ada 
civiliza(?ao, pela fertilidade da terra e modera(?ao de seu clima. Foi destruida pelo 
rompimento da represa Marab, cujas aguas arruinaram toda a regiao; vide XXXIV 
15-21. O reino de Saba estava no auge de sua prosperidade, a epoca do Profeta 
Salomao, aproximadamente, seculo X a.C. 

(3) Os historiadores divergem do nome desta mulher. Os arabes chamam-na Bilqls 
bint Chrahrl. Dizem que o povo que ela governou era pagao, de adoradores do sol 
e da lua, suas divindades maximas. 

(4) Eles: OS habitantes do reino de Saba. 



27. Suratu An-NamI Parte 19 



614 



>^ ^>i 



rv jujidjj-- 



24. "Encontrei-a e a seu povo 
prosternando-se diante do sol em 
vez de Allah. E Sata aformoseou- 
Ihes as obras e afastou-os do 
caminho reto; entao, nao se guiam. 

25. "Afastou-os, para que se 
nao prostemassem diante de Allah, 
Quern faz sair o recondito^*^ nos 
ceus e na terra, e sabe o que 
escondeis e o que manifestais. 

26. "Allah, nao existe deus senao 
Ele, O Senhor do magnifico Trono!" 

27. Salomao^^^ disse: "Olharemos 
se disseste a verdade ou se es dos 
mentirosos. 

28. "Vai com esta minha missiva, 
e lan9a-lhas; em seguida, volta- 
Ihes as costas, e olha o que farao 
retomar." 

29. A rainha^^^ disse: "6 
dignitarios! Por certo, uma nobre 
missiva foi-me lan9ada. 

30. "Por certo, e de Salomao. E, 
por certo, assim e: 'Em nome de 
Allah, O Misericordioso, O Miseri- 
cordiador, 

31." 'Nao vos sublimeis em 
arrogancia, sobre mim, e vinde a 
mim, como moslimes.' " 












i\:^\{0S(v^,M 



^iiJi^ 









© Oj^:*ir^c|i^li^iA^*^^ 



(0 Tudo o que existe nos ceus e na terra: os astros, os planetas, a chuva, o vento, os 
plantas, etc.. 

(2) Salomao, ao ouvir a poupa, come^ou a pensar no que deveria fazer. 

(3) A rainha : BilqTs, de Sabl 



27. SOratu An-Naml Parte 1 9 



615 



^S ^>i 



tV J^15j>-» 



32. Ela disse: "6 dignitarios! 
Instrui-me a respeito de meu assunto. 
Jamais decidi a respeito de assunto 
algum sem que o testemunhasseis." 

33. Disseram: "Somos dotados 
de for9a e dotados de veemente 
fiiria, mas de ti e a ordem. Entao, 
olha o que ordenas." 

34. Ela disse: 'Tor certo, os reis, 
quando entram em uma cidade, 
corrompem-na, e fazem aviltados 
OS mais poderosos de seus 
habitantes. E, assim, fazem. 

35. ''E, por certo, estou-lhes^^^ 
enviando um presente e olharei 
com que os emissarios retornarao." 

36. E, quando a delega^ao 
chegou a Salomao, ele disse: 
"Quereis conceder-me riquezas? 
Ao passo que o^^^ que Allah me 
concedeu e melhor que aquilo que 
Ele vos concedeu. Mas vos jubilais 
com vosso presente. 

37. "Retorna a eles. E, em 
verdade, chegar-lhes-emos com 
exercito, que nao poderao enfrentar, 
e OS faremos sair dela^^\ aviltados, 
e humilhados." 

38. Ele disse^^^: "6 dignitarios! 









^^ 



^-h^^J 



t ^"tfi-r '5^.-'-^. 



K^:;^^^\i^\^\\^\i 



(1) Lhes: a Salomao e seus dignitarios. 

(2) O: a sabedoria, a profecia e o poder. 
(3)Dela: da terra de Saba. 

l"^) Ele: Salomao, que se dirige, agora, a seus dignitarios. 



27. Suratu An-Naml Parte 19 



616 



>^ ^>i 



TV JuJiOjj-- 



Quern de vos me fara vir seu trono, 
antes que me cheguem como 
moslimes submissos?" 

39. Um "^ifrlt^^^ dos jinns disse: 
"Eu to farei vir, antes que te 
levantes de teu lugar. E, por certo, 
para isso, sou forte, leal." 

40. Aquele^^^ que tinha ciencia 
do Livro disse: "Eu to farei vir, 
num piscar de olhos^^V' E, quando 
ele^"*^ o^^^ viu estabelecido, junto de 
si, disse: "Isso e algo do favor de 
meu Senhor, para que me ponha a 
prova se Lhe agrade90 ou sou 
ingrato. E quern Lhe agradece, 
apenas agradece em beneficio de si 
mesmo. E quem e ingrato, por 
certo, Allah e Bastante a Si 
mesmo, Ele e Generoso." 

41. Ele disse ainda: "Desfigurai- 
Ihe o trono: olharemos se ela se 
guia, ou e dos que nao se guiam^^V' 

42. E, quando ela chegou, 
disseram-Ihe: "Assim e teu trono?" 
Ela disse: "E como se o fora." 
Salomao disse: "E, a nos, foi-nos 









j^y^c/j^: 



-^'^Sl^^J 






(^) *^IfrTt: categoria mais poderosa de jinns. 

(2) De acordo com alguns exegetas, o anjo Gabriel, que conhece os segredos do Livro 
do Destino. 

(3) "Num piscar de olhos", traduz a ideia de breve lapso de tempo e corresponde a 
frase: antes que volte teu olhar para ti. 

(4) Ele: Salomao. 

(5) O: o trono. 

(6) O objetivo de Salomao era experimentar a inteligencia da rainha Bilqls. 



27. Suratu An-NamI Parte 19 



617 



>^ ^>i 



rv j^ioj^ 



concedida a ciencia, antes dela, e 
somos moslimes." 

43. E o que ela adorava em vez 
de Allah afastou-a do caminho 
reto. Por certo, ela era de um 
povo renegador da Fe. 

44. Disseram-lhe: "Entra no 
palacio." E, quando ela o^^^ viu, 
sup6-lo um manto d'agua; ergueu, 
entao, as vestes, e descobriu 
ambas as canelas de suas pernas. 
Salomao disse: "E um palacio 

de cristal." Ela disse: 
meu! Por certo, fui 
com mim mesma, e 
islamizo-me, com Salomao, para 
Allah. O Senhor dos mundos." 



revestido 
"Senhor 



mjusta 



(2) 



45. E, com efeito, enviamos ao 
povo de Thamud seu irmao Salih. 
Ele disse: "Adorai a Allah." Entao, 
ei-los divididos em dois grupos, 
que disputavam. 

46. Disse: "O meu povo! Por que 
apressais o mal antes do bem? Que 
imploreis o perdao a Allah, para 
obter misericordia!" 

47. Disseram: "Pressentimos mau 
agouro por causa de ti e de quem 
esta contigo." Disse: "Vosso agouro 



^^ 












(U O: piso do saguao de entrada, que era de cristal transparente, embaixo do qual, 
na agua limpida, nadavam peixes. 

(2) Bilqls julgou, erradamente, que Salomao pretendia afoga-la naquelas aguas. E 
considerou-se iniqua, por isso. Ao mesmo tempo, reconheceu a grandiosidade 
dele, a qual, sem duvida, advinha de Deus, a Quem passou a adorar. 



27. Suratu An-NamI Parte 19 



618 



)^ ^>i 



TV JuJlojj^ 



e junto de Allah. Mas, sois um 
povo que esta sendo provado." 

48. E havia, na cidade, um 
agrupamento de nove homens, que 
semeavam a corrup9ao na terra, e 
nao a reformavam. 

49. Disseram: "Jural, por Allah, 
que, a noite, de sobressalto, o 
mataremos e a sua familia; em 
seguida, diremos a seu herdeiro: 
'Nao assistimos ao aniquilamento 
de sua familia e, por certo, somos 
veridicos.'" 

50. E usaram de estratagemas, e 
Nos usamos de estratagemas. E 
eles nao perceberam. 

Sl.Entao, olha como foi o fim 
de seus estratagemas! Aniquilamo- 
los, e a seu povo, a todos. 

52. E essas suas casas estao 
desertas, porque eles foram injustos. 
Por certo, ha nisso um sinal para 
um povo que sabe. 

53. E salvamos os que creram e 
foram piedosos. 

54. E lembra-lhes de Lot, 
quando disse a seu povo: "Vos vos 
achegais a obscenidade, enquanto 
a enxergais claramente? 

55. "Por certo, vos vos achegais 
aos homens, por lascivia, em vez 
de as mulheres! Alias, sois um 
povo ignorante." 






\j=^<§:.jf,L=^\j, 










27. Suratu An-NamI Parte 20 



619 



.>i 



TV J^ifljj^ 



56. E a resposta de seu povo nao 
foi senao dizer: "Fazei sair, de vossa 
cidade, a familia de Lot. Por certo, 
sao pessoas que se pretendem puras.'' 

57. Entao, salvamo-lo e a sua 
familia, exceto sua mulher. Deter- 
minamos que ela seria dos que 
ficariam para tras^^^ 

58. E fizemos cair, sobre eles, 
chuva; entao, que vil a chuva dos 
que foram admoestados! 

59. Dize: "Louvor a Allah, e 
que a paz seja sobre Seus servos, 
que Ele escolheu! Qual e Melhor: 
Allah ou o que eles idolatram? 

60. "Nao e Ele Quern criou os 
ceus e a terra e vos fez descer do 
ceu agua, e, com ela, fazemos brotar 
pomares, plenos de vifo, cujas 
arvores nao vos e possivel fazerdes 
brotar? Ha outro deus junto de 
Allah? Nao. Mas eles sao um povo 
que equipara outros a Allah. 

61. "Nao e Ele Quem fez da 
terra um lugar de morar, e fez, 
atraves dela, rios, e fez-lhe 
assentes montanhas, e fez barreira 
entre os dois mares^^^? Ha outro 
deus junto de Allah? Nao. Mas a 
maioria deles nao sabe. 

62. "Nao e Ele Quem atende o 
infortunado, quando este O invoca, e 

(OCf. VII 83 nl. 
(2)Cf. XXV 53 n4. 
















^.^ssstLxi^ V^^ 1 Ul^^^ 



27. Suratu An-NamI Parte 20 



620 ^ • ^>' 



rv j^idjj-- 



remove o mal e vos faz sucessores, 
na terra? Ha outro deus junto de 
Allah? Quao pouco meditais! 

63. "Nao e Ele Quern vos guia 
nas trevas da terra e do mar, e Quem 
envia o vento, como alvissareiro, 
adiante de Sua misericordia? Ha 
outro deus junto de Allah? 
Sublimado seja Allah, acima do 
que idolatram. 

64. "Nao e Ele Quem inicia a 
cria9ao, em seguida, a repete? E 
Quem vos da sustento do ceu e da 
terra? Ha outro deus junto de 
Allah?" Dize: "Trazei vossas 
provan9as se sois veridicos." 

65. Dize: "Ninguem daqueles 
que estao nos ceus e na terra 
conhece ao hivisivel, exceto Allah." 
E eles nao percebem quando 
serao ressuscitados. 

66. Mas sua ciencia acerca da 
Derradeira Vida incorporou-se. 
Alias, eles estao em duvida, a 
respeito dela. Ou antes, a respeito 
dela, estao cegos. 

67. E OS que renegam a Fe 
dizem: "Sera que quando formos 
po, seremos ressuscitados, nos e 
nossos pais? 

68. "Com efeito, isso nos foi 
prometido, a nos e, antes, a nossos 







o:yi-e^^L^==olJ^^ 









(') Eles: OS idolatras de Makkah. 



27. Suratu An-Naml Parte 20 



621 



r» ^>i 



rv j^iojj-- 



pais. Isso nao sao senao fabulas 
dos antepassados." 

69. Dize: "Caminhai na terra, e 
olhai como foi o fim dos 
criminosos!" 

70. E nao te entristefas por eles, 
e nao tenhas constrangimento, pelo 
estratagema de que usam. 

71. E dizem: "quando sera o 
cumprimento desta promessa, se 
sois veridicos?" 

72. Dize: "Quifa algo do que 
apressais^^^ se vos aproxime." 

73. E, por certo, teu Senhor e 
Obsequioso para com os homens, 
mas a maioria deles nao agradece. 

74. E, por certo, teu Senhor sabe 
o que seus peitos ocultam, e o que 
manifestam. 

75. E nada ha de recondito, no 
ceu e na terra, que nao esteja no 
evidente Livro. 

76. Por certo, este Alcorao narra 
aos filhos de Israel a maioria 
daquilo de que discrepam. 

77. E, por certo, e orientafao e 
misericordia para os crentes. 

78. Por certo, teu senhor 
arbitrara, entre eles, com Seu 















J^j^a.Jvii^^4SL5^ ^l 



( ^ ) Referenda ao castigo, que os idolatras, sempre, quiseram apressar, para comprovar 
a veracidade da fala do Profeta. 



27. Suratu An-Naml Parte 20 



622 



r* ^>i 



TV J^idj^ 



julgamento. E Ele e O Todo- 
Poderoso, O Onisciente. 

79. Entao, confia em Allah. Por 
certo, tu estas fundado sobre a 
evidente Verdade. 

80. Por certo, nao podes fazer 
ouvir aos mortos nem podes fazer 
ouvir aos surdos a convoca9ao, 
quando voltam as costas, fugindo. 

81. E nao podes guiar os cegos, 
desviando-os de seu descaminho. 
Nao podes fazer ouvir senao a 
quern ere em Nossos sinais, pois 
sao moslimes. 

82. E, quando o Dito se cumprir 
sobre eles, far-lhes-emos sair uma 
besta da terra, que Ihes falara que 
OS humanos nao se convenciam de 
Nossos sinais. 

83. E um dia, reuniremos, de 
cada comunidade, uma turba^^^ dos 
que desmentem Nossos sinais, e 
coordenar-se-ao, 

84. Ate que, quando eles 
chegarem ao Ajuste de Contas, 
Allah dira: "Desmentistes Meus 
sinais, enquanto nao os abarcastes, 
em ciencia? Ou, que fazieis?" 

85. E o Dito cumprir-se-a sobre 
eles, porque foram injustos; entao, 
nada pronunciarao. 



^^J^ 



^^^^, 






j^\ji^\j>^ i3^\ ^45^ js^*- 









(0 Alusao aos lideres rebeldes que se fazem seguir pelas multidoes. 



27. Suratu An-NamI Parte 20 



623 



.>i 



TV J^l6j>-» 



86.Nao viram que fizemos 
escura a noite, para, nela, 
repousarem, e, claro, o dia^*^? Por 
certo, ha nisso sinais para um povo 
que ere. 

87. E um dia, se soprara na 
Trombeta; entao, aterrorizar-se-a 
quern estiver nos ceus e quern 
estiver na terra, exceto aquele a 
quern Allah quiser. E todos a Ele 
chegarao, humildes. 

88. E tu ves as montanhas: tu as 
supoes imoveis, enquanto passam 
do mesmo modo que as nuvens. E 
a obra de Allah, Quern aperfei9oou 
todas as cousas. Por certo, Ele e 
Conhecedor do que fazeis. 

89. Quern chega com a boa a9ao 
tera algo melhor que esta. E 
estarao em seguran9a contra o 
terror desse dia. 

90. E quem chega com a ma 
a9ao, suas faces serao empuxadas 
no Fogo. E dir-se-ihes-a: "Nao 
sois recompensados senao pelo que 
fazieis?" 

91. Dize: "Apenas, foi-me 
ordenado adorar ao Senhor desta 
Cidade^^\ que Ele santificou; e 
dEle sao todas as cousas. E foi-me 
ordenado ser dos moslimes, 

(UCf. X 67 n2. 

(2) Ou seja, a cidade de Makkah. 






<.K '{ - 









,9 1 > > ,c;r< 



(4.>4-^>^ clSs3 a^IjIj u ^ 



P o^iiu-^iojj-^jijiij^ 



hi^!^\i3t of\ o\ C)J^j 



27. Suratu An-Naml Parte 20 



624 ^ • ^>' 



rv j^iojj-- 



92. "E recitar o Alcorao." Entao, 
quern se guia, se guiara, apenas, 
em beneficio de si mesmo. E a 
quern se descaminha, dize: "Eu nao 
sou que um dos admoestadores." 

93. E dize: "Louvor a Allah! 
Far-vos-a ver Seus sinais, e vos 
reconhece-los-eis." E teu Senhor 
nao esta desatento ao que fazeis. 






M^\ fr^^L6^ 4ji Ju->vi\ J^ 



Ks\!>Ys 



!J 



^. »^r 



^ojlsl^ 




28. Suratu Al-Qassas Parte 20 525 ^ • ^j^' ^^ jA^\ ojj-- 



SURATU AL-QASSAS^^^ 
A SURA DA NARRATIVA 



De Makkah - 88 versiculos. 

Em no me de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Ta, Sin, MTm^^\ 

2. Esses sao os versiculos do 
explicito Livro. 

3. Recitamos, para ti, com a 
verdade, algo da historia de 
Moises e Farao, para beneficiar 
um povo que ere. 

4. Por certo, Farao sublimou-se 
em arrogancia, na terra, e fez seus 
habitantes divididos em seitas, 
subjugando uma fac9ao deles, 
degolando seus filhos e deixando 






-^^isa^^^tr.v" ^^C- 



fimm^^ 



,^0A 



-^ 






^PU 



J^cfj^'^4^ ^Je>: ^i 



'^-•-.XLie 



^ J? •- 






(0 Al Qassas: a narrativa. Esta palavra e mencionada no versiculo 25 e, por isso, 
denomina a sura, que, como as demais reveladas em Makkah, reitera os mesmos 
temas da unicidade de Deus, da Revela9ao e da Mensagem. A Sura, revelada 
quando os moslimes eram, ainda, fraca minoria e os descrentes, a forte maioria 
dominante, teve por finalidade estabelecer os verdadeiros criterios de for9a e de 
valor, onde a for9a suprema do Universo e a de Deus, seu Criador, e o unico valor, 
na vida, e o da cren9a. E, para ressaltar estes topicos, insere suas historias bem 
marcantes: a de Farao com Moises e a de Qarun com seu povo. A sura e minuciosa 
na narrativa de Moises e de seu nascimento, durante o reinado de Farao, que 
ordenou a matan9a dos varoes dos filhos de Israel, com receio de que surgisse 
algum profeta que pusesse fim a seu despotic© reinado. A seguir, relata a educa9ao 
de Moises, na casa de Farao, at6 sua fuga do Egito a Madian, na Siria, e seu 
casamento com a filha de Chu^^aib. Seguem-se o coloquio de Moises com Deus, 
sua escolha profetica, o desafio de Moises aos magicos de Farao, o afogamento do 
exercito faraonico, no Mar Vermelho e a salva9ao dos filhos de Israel. Finalmente, 
a sura apresenta a historia de Qarun, homem abastado e pertencente ao povo de 
Moises, e que, pela excessiva presun9ao e arrogancia, foi engolido vivo, pela terra, 
com todos seus bens. Pela riqueza de pormenores narrativos, esta sura, muito 
justificadamente, tem o titulo de a narrativa. 

(2)Cf. II I n3. 



28. Saratu Al-Qassas Parte 20 



626 



*>' 



Y A ja^\ djj-»» 



vivas suas mulheres. Por certo, ele 
era dos corruptores. 

5. E Nos desejamos fazer merce 
para os que foram subjugados, na 
terra, e faze-los proceres e faze-los 
OS herdeiros do reino de Farao, 

6. E empossa-los, na terra, e 
fazer ver a Farao e a Haman^^^ e a 
seus exercitos aquilo^^^ de que se 
precatavam, acerca deles. 

7. E inspiramos a mae de 
Moises: "Amamenta-o. E, quando 
temeres por ele, lan9a-o na onda, e 
nao temas, e nao te entriste9as. Por 
certo, devolver-to-emos e fa-lo- 
emos dos Mensageiros." 

8. Entao, a familia de Farao 
recolheu-o, para que Ihes fosse 
inimigo e tristeza. Por certo, Farao 
e Haman e seus exercitos estavam 
errados. 

9. E a mulher de Farao disse: 
"Ele e, para mim e para ti, alegre 
frescor dos olhos. Nao o mateis. 
Qui9a nos beneficie, ou o tomemos 
por filho." E nao percebam o que 
iria ocorrer. 

10. E o cora9ao da mae de 
Moises amanheceu vazio^^\ Por 














(0 Hainan: o ministro de Farao. 

(2) Aquilo: o nascimento de um varSo, que, segundo as profecias dos filhos de Israel, 
iria exterminar a escravidao imposta por Farao sobre eles. 

(3) Ao tomar conhecimento de que seu filho Moises caira em maos de Farao, seu 
cora^ao esvaziou-se de tudo, menos da lembran^a de seu filho. 



28. SQratu Al-Qassas Parte 20 



627 



.>! 



t A jtf^fliii 5jj--» 



certo, quase o haveria mostrado^^\ 
nao Ihe houvessemos revigorado o 
cora9ao, para que fosse dos crentes. 

11. E ela disse a irma dele: 
"Encal9a-o." Entao, esta o 
enxergava, de longe, enquanto nao 
percebiam. 

12. E, antes, proibimo-lhe as 
amas-de-leite; entao, ela^^^ disse: 
"Quereis vos indique uma familia de 
uma casa, a qual cuidara dele, para 
vos, e com ele sera cautelosa?" 

13. Assim, devolvemo-lo a sua 
mae, para que se Ihe refrescassem 
OS olhos de alegria e para que ela 
nao se entristecesse e soubesse que 
a promessa de Allah e verdadeira; 
mas a maioria deles nao sabe. 

14. E, quando ele atingiu sua forfa 
plena, e amadureceu, concedemo- 
Ihe sabedoria e ciencia. E, assim, 
recompensamos os benfeitores. 

15. E entrou na cidade, em 
momento^^^ de desatenfao de seus 
habitantes, e, nela, encontrou dois 
homens que se combatiam: este, de 
sua seita, e aquele, de seus inimigos. 
Entao, aquele de sua seita pediu- 
Ihe socorrimento contra aquele de 
seus inimigos; e Moises esmurrou- 


















(0 Ou seja, quase revelou que Moises era seu filho. 

(2) Ela: a irma de Moises. 

(3) Tudo leva a crer que fosse durante a sesta destes habitantes. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



628 



T • tji-l TA j/i./iAli djj-- 



o, e pos-lhe termo a vida. Moises 
disse: "Isto e da a9ao de Sata. Por 
certo, ele e inimigo declarado, 
desencaminhador." 

16. Ele disse: "Senhor meu! Por 
certo, fui injusto com mim mesmo; 
entao, perdoa-me." E Ele o 
perdoou. Por certo, Ele e O 
Perdoador, O Misericordiador. 

17. Ele disse: "Senhor meu! Por 
aquilo com que me agraciaste, nao 
serei coadjutor dos criminosos." 

18. E ele amanheceu, na cidade, 
temeroso, ficando a espreita, e eis 
aquele que, na vespera, Ihe pedira 
o socorro, gritou, para que Ihe 
valesse. Moises disse-lhe: "Por 
certo, es evidente sedutor!" 

19. E quando desejou desferir 
golpes contra o que era inimigo de 
ambos, este disse: "6 Moises! 
Desejas matar-me, como mataste, 
ontem uma pessoa? Nao desejas 
senao ser tirano na terra, e nao 
desejas ser dos reformadores." 

20. E um homem chegou, do 
extremo da cidade, correndo. Ele 
disse: "6 Moises! Por certo, os 
dignitarios deliberam sobre ti, para 
matar-te; entao, sai da cidade. Por 
certo, sou-te dos conselheiros." 

21. Entao, ele saiu dela, temeroso, 
ficando a espreita. Ele disse: "Senhor 
meu! Salva-me do povo injusto." 





















28. Saratu Al-Qassas Parte 20 



629 



*>i 



t A jflM\ \ Ojj-*) 



22. E, quando se dirigiu rumo a 
Madian, disse: "Qui9a, meu Senhor 
me guie ao caminho direito." 

23. E, quando chegou ao P090 
de agua de Madian, encontrou, junto 
dele, uma multidao de homens, 
que abeberava os rebanhos, e 
encontrou, um pouco distante 
deles, duas mulheres, que retinham 
OS seus. Ele disse: "Qual e vosso 
intuito?" Ambas disseram: "Nao 
abeberaremos nossos rebanhos, 
ate que os pastores partam com os 
seus, e nosso pai e bastante idoso." 

24. Entao, ele abeberou os 
rebanhos, para elas; em seguida, 
retirou-se a sombra, e disse: "Senhor 
meu! Por certo, estou necessitado 
do que fizeste descer de bom, para 
mim." 

25. Em seguida, uma das duas 
mulheres chegou-lhe andando 
com recato. Disse: "Por certo, meu 
pai te convoca, para recompensar- 
te com o premio de haveres 
abeberado os rebanhos, por nos." 
E, quando chegou a ele e Ihe 
narrou a narrativa^'\ aquele disse 
"Nada temas 
povo injusto." 



! Salvaste^^^-te do 















1^\ 



( ^ ) Moises narrou ao pai das mo9as tanto homicidio que cometera, quanto a inten9ao 
que tiveram de mata-lo os dignitarios de Farao, que motivou sua fuga a Madian. 

(2) A terra de Madian nao se encontrava no dominio de Farao e, sendo assim, la 
Moises estava a salvo de seus perseguidores. 



28. Suratu AI-Qassas Parte 20 



630 



r* ^>i 



t A jA.m\ \ 5jj-- 



26. Uma das duas disse: "6 meu 
pai! Emprega-o. Por certo, o melhor 
dos que empregares e o forte, o 
leal^^V' 

27. Ele disse: 'Tor certo, desejo 
esposar-te com uma destas minhas 
duas filhas, com a condi9ao de me 
servires por oito anos. E se 
completares dez, se-lo-a por tua 
conta. E nada desejo dificultar-te. 
Se Allah quiser, encontrar-me-as 
dos integros." 

28. Moises disse: "Isso fica 
entre mim e ti. Seja qual for dos 
dois temios que eu cumprir, nada de 
transgressao, contra mim. E Allah, 
sobre o que dizemos, e Patrono." 

29. Entao, quando Moises 
encerrou o termo e partiu com sua 
familia, entreviu um fogo do lado 
do Monte. Ele disse a sua familia: 
"Permanecei, aqui - por certo, 
entre vejo um fogo - na esperan9a 
de fazer-vos vir dele uma noticia, 
ou um lenho aceso, para vos 
aquecerdes." 

30. E, quando chegou a ele, 
chamaram-no, do lado direito do 
vale, na regiao bendita da arvore: 
"6 Moises! Por certo, Eu, Eu sou 












(0 A for^a e a lealdade se revelaram em Moises, quando ele, ao dar de beber aos 
rebanhos, removeu, sozinho, de um po^o, a tampa de pedra, que exigia a for^a de 
dez homens, e, quando pediu a ela andasse atras dele, ao se dirigirem a casa, para 
nSo entrever-lhe partes do corpo, que o vento punha a descoberto. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



631 



t • j.ji-1 t A jA^I 5jj-- 



Allah, O Senhor dos mundos, 

31. "E lanfa tua vara." E, quando 
a viu mover-se, como se fora cobra, 
voltou as costas, fugindo, e nao 
volveu atras. Ele disse: "O Moises! 
Vem, e nao te atemorizes. Por certo, 
tu es dos que estao em seguranfa. 

32. "Introduze tua mao na 
abertura de teu peitilho, ela saira 
alva, sem mal algum, e junta a ti 
tua mao, para te guardares do 
medo^^\ Entao, estas sao duas 
provanfas de teu Senhor para 
Farao e seus dignitarios. Por certo, 
eles sao um povo perverso." 

33. Moises disse: ''Senhor meu! 
Por certo matei um homem deles; 
entao, temo que me matem. 

34. ''E meu irmao Aarao, ele e 
mais eloqiiente que eu, em 
linguagem; entao, envia-o comigo, 
por adjutor, que me confirmara as 
palavras. Por certo, temo que me 
desmintam." 

35. Allah disse: "Fortalecer-te- 
emos o brafo com teu irmao^^^, e 
far-vos-emos ter poder; entao, nao 
chegarao ate vos. Com Nossos 
sinais, vos ambos e quem vos 
seguir sereis os vencedores." 









%^y;^.<^ 






(0 A fim de cessar o medo provocado em Moises pela mao tornada branca, Deus Ihe 

ordena recoloca-la no peito, para que retorne ela a seu estado normal. 
(2) Ou seja. com a ajuda de seu irmao, Aarao. 



28. SOratu Al-Qassas Parte 20 



632 



*>' 



YA jA ' /i .l \ \ fljj-- 



36. E quando Moises Ihes 
chegou, com Nossos evidentes 
sinais, disseram: "Isto nao e senao 
magia forjada! E jamais ouvimos 
algo disso, entre nossos pais 
antepassados." 

37. E Moises disse: "Meu Senhor 
e bem Sabedor de quem chega com a 
orientafao de Sua parte e de quem 
tem o final feliz da Derradeira 
Morada. Por certo, os injustos nao 
serao bem-aventurados." 

38. E Farao disse: ''O dignitarios! 
Nao conhefo, para vos, nenhum 
outro deus que nao seja eu; entao, 
acende-me o fogo, 6 Hamam, sob o 
barro^^^! E faze-me uma torre, na 
esperanfa de que eu possa subir ate 
O Deus de Moises; e, por certo, 
penso que ele e dos mentirosos." 

39. E ele se ensoberbeceu sem 
razao, na terra, ele e seu exercito, e 
pensaram que a Nos nao seriam 
retomados. 

40. Entao, apanhamo-lo e a seu 
exercito, e deitamo-los fora, na 
onda. Olha, pois, como foi o fim 
dos injustos! 

41. E fizemo-los proceres, con- 
vocando os homens ao Fogo. E, no 
Dia da Ressurreifao, nao serao 
socorridos. 



^ ^^T 












^^^J0 



j^Qv 




i-y^iLCiJ^^jiJ 



( 1 ) Farao ordena a Haman que coza tijolos de barro, que serao utilizados na constru^ao 
da torre. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



633 



r» c>i 



t A jn ~ ^ \ Oj^ 



42. E fizemo-los perseguidos, na 
vida terrena, por maldifao. E, no Dia 
da Ressurreifao, serao dos ascorosos. 

43. E, com efeito, concedemos a 
Moises o Livro - depois de 
havermos aniquilado as primeiras 
gera9oes - como clarividencias 
para os humanos e orientafao e 
misericordia, para meditarem. 

44. E nao estavas, Muhammad, 
no lado oeste do Monte Sinai, 

quando decretamos a Moises a 
ordem^^^, e nao foste das 
testemunhas. 

45. Mas fizemos surgir gerafoes, 
cuja idade prolongou^ -se. E tu 
nao moravas com os habitantes de 
Madian, para recitar Nossos 
versiculos, para eles^"^\ mas Nos 
que enviamos os Mensageiros. 

46. E nao estavas ao lado do 
Monte At Tor, quando chamamos 
a Moises, mas es enviado como 
misericordia de teu Senhor, a fim 
de admoestares um povo - ao qual 
nao chegou admoestador algum, 
antes de ti - para meditarem, 

47. E, se uma desgra9a os 
alcan9ava pelo que suas maos 









^'Cjy^y^^il^J^ 









(0 Alusao a mensagem divina destinada a Farao e seu povo. 

(2) O enorme tempo transcorrido entre Moises e Muhammad fez que as gera^oes 

intermediarias se olvidassem dos ensinamentos de Moises. 
(^) Eles: OS habitantes de Makkah. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



634 



Y^ ^>i 



Y A jfi .^\ ojj-^ 



anteciparam, eles diriam: "Senhor 
nosso! Se nos houvesses enviado 
um Mensageiro; haveriamos seguido 
teus versiculos e seriamos dos 
crentes!" 

48. Mas agora, quando Ihes 
chega a verdade^^^ de Nossa parte, 
dizem: "Que Ihe^^^ fosse concedido 
algo igual ao que foi concedido a 
Moises!" E nao renegaram o que 
fora concedido, antes, a Moises^"^^? 
Dizem: "Sao duas magias que se 
auxiliam!" E dizem: "Por certo, 
somos renegadores de cada uma 
delas." 

49. Dize: "Entao, fazei vir um 
livro, da parte de Allah, o qual seja 
melhor guia que ambos, e eu o 
seguirei, se sois veridicos." 

50. E, se te nao atendem, sabe, 
entao, que o que eles seguem sao 
suas paixoes. E quem mais 
descaminhado que aquele que segue 
a propria paixao, sem orienta9ao 
alguma de Allah? Por certo, Allah 
nao guia o povo injusto. 

51. E, com efeito, fizemos 
chegar-lhes, sucessivamente, o 









1^ l3\j -UPCr^ O^^j*-^ *-^^ 



'^l^J^ 





^ <jk-^ 


i^^^'i^c^jo^ 






m 



;^jja\;45a^j^j'^i^ 



(0 A Verdade: o Profeta Muhammad com a Mensagem de Deus. 

(2) Lhe: a Muhammad. 

(^) Os Quraich, ao receberem a mensagem alcoranica, indagaram dos rabinos judaicos 
seu parecer a respeito de Muhammad. Estes ratificaram sua missao profetica, pois 
dela ja tinham conhecimento pela Tora. Nao obstante, os Quraich continuaram a 
renegar ambas as mensagens, a mosaica e a islamica. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



635 



y • t ji-i y A jfl - ^ \ djj^ 



Dito^*\ O Alcorao, para meditarem. 

52. Aqueles^^\ aos quais concede- 
ramos o Livro, antes deste^'^^ neste 
creem. 

53. E, quando recitado, para eles, 
dizem: "Cremos nele: por certo, e 
a Verdade de nosso Senhor; por 
certo, eramos, antes dele, 
Moslimes^'^V' 

54. A esses, conceder-se-lhes-a 
o premio, duas vezes, porque 
pacientam e revidam o mal com o 
bem e despendem do que Ihes 
damos por sustento. 

55. E, quando ouvem frivoli- 
dades, dao-lhes de ombros, e dizem: 
"A nos, nossas obras, e a vos, 
vossas obras. Que a paz seja sobre 
vos! Nao buscamos a companhia 
dos ignorantes." 

56. Por certo, tu, Muhammad, 
nao podes guiar a quem quer que 
ames^^\ mas Allah guia a quem 
quer. E Ele e bem Sabedor dos que 
sao guiados. 









(0 Na verdade, a revela^ao do Alcorao, que durou 23 anos, chegou ate eles, 
paulatinamente, englobando aspectos variados, desde orienta^ao de vida, 
admoesta^Ses, promessas, historias de fundo moral, ate passagens escatologicas. 

(2) Referenda a alguns judeus e cristaos que abra^aram o islamismo, porque se 
convenceram de que o Alcorao era a verdade, ja preconizada pelas Escrituras. 

(3) Deste: do Alcorao. 

(4) Muslimes: isto e, completamente entregues a Deus. 

(5) Trata-se do incessante empenho de Muhammad de converter ao islamismo seu 
renitente tio Abu Talib. 



28. Suratu AI-Qassas Parte 20 



636 



y * i,j^\ y A jfl > AA\ \ djj^ 



57. E eles^^^ dizem: "Se seguimos 
a orienta9ao contigo, arrebatar- 
nos-ao de nossa terra." E nao os 
empossamos em um Santuario 
seguro, para o qual se levam frutos 
de toda especie, como sustento de 
Nossa parte? Mas a maioria deles 
nao sabe. 

58. E que de cidades aniquilamos, 
que foram ingratas com sua vida. E 
eis suas vivendas que nao foram 
habitadas, depois deles, senao um 
pouco. E Nos somos O Herdeiro^^^ 
deles. 

59. E nao e admissivel que teu 
Senhor estivesse aniquilando as 
cidades, sem, antes, haver enviado 
a sua metropole um Mensageiro, 
que recitasse Nossos versiculos 
para eles^^\ E nao e admissivel que 
estivessemos aniquilando as cidades, 
sem que seus habitantes fossem 
injustos. 

60. E o que quer que vos seja 
concedido e, apenas, gozo da vida 
terrena e seu omamento. E o que 
esta junto de Allah e melhor e mais 
permanente. Entao, nao razoais? 

61. E, sera que aquele a quem 
prometemos bela promessa - e com 
ela encontrara - e como aquele a 















OAJ/AJ l>Jl,''iCll^=y 












(^) Eles: OS idolatras de Makkah. 

(2) Deus e O Herdeiro dos homens, ou seja, a Ele todos hSo de retornar. 

(3) Eles: OS habitantes da cidade. 



28. Saratu Al-Qassas Parte 20 I 537 



.>! 



TA jtf-^l ijj^ 



quern fizemos gozar gozo da vida 
terrena, em seguida, no Dia da 
RessuiTei9ao, sera dos trazidos ao 
Fogo? 

62. E um dia, Ele os chamara e 
dira: "Onde estao Meus parceiros, 
que vos pretendieis ser deuses? " 

63. Aqueles^^\ contra quern se 
cumprira o Dito, dirao: "Senhor 
nosso! Sao estes os que transviamos; 
transviamo-los como nos nos 
transviamos. Rompemos com eles, 
perante Ti. Eles a nos nao 
adoravam." 

64. E dir-se-lhes-a: "Convocai 
vossos idolos." E eles os convocarao, 
mas nao Ihes atenderao, e verao o 
castigo. Se houvessem sido guiados! 

65. E um dia, Ele os chamara e 
dira: "Que respondestes aos 
Mensageiros?" 

66. E, nesse dia, confundir-se- 
Ihes-ao os informes, e eles nao se 
interrogarao. 

67. Entao, quanto a quem se 
voltou arrependido e creu e fez o 
bem, qui9a, seja ele dos bem- 
aventurados. 

68. E teu Senhor cria o que 
quer, e escolhe o que quer. Nao e 

admissivel que a escolha seja 



©5d/$a^ia^iliftJi 






^^s^\u^^^S^^ 



A -,^T t r-- 



i;^^^>^ Q^\ ouSi r^j5 



yDOjx^^ 






(0 Aqueles: os chefes de comunidade que induziram seus subordinados a idolatria. 



28. SQratu Al-Qassas Parte 20 



638 



t • tji-l Y A jtf-Ai3l 5jj-*» 



deles^^l Glorificado e Sublimado 
seja Allah, acima do que idolatram! 

69. E teu Senhor sabe o que seus 
peitos ocultam e o que manifestam. 

70. E Ele e Allah: nao existe 
deus senao Ele. dEle e o Louvor, 
na primeira vida e na Derradeira. E 
dEle e o julgamento. E a Ele sereis 
retornados. 

71.Dize: "Vistes? Se Allah 
fizesse a noite perpetua sobre vos, 
ate o Dia da Ressurrei9ao, que outro 
deus que Allah vos faria chegar 
luminosidade? Entao, nao ouvis?" 

72.Dize: "Vistes? Se Allah 
fizesse o dia perpetuo sobre vos, ate 
o Dia da Ressurrei9ao, que outro 
deus que Allah vos faria chegar 
uma noite, em que repousasseis? 
Entao, nao o enxergais?" 

73. E, de Sua misericordia, Ele 
fez-vos a noite e o dia, para, 
naquela, repousardes, e para, neste, 
buscardes algo de Seu favor, e 
para serdes agradecidos. 

74. E um dia, Ele os chamara, e 
dira: ''Onde estao meus parceiros, 
que pretendieis serem deuses?" 



^0, 



(1) Deles: dos idolatras. Este versiculo alude a Al Walld Ibn Al MughTrah, dos mais 
ferrenhos adversaries do Profeta, quando, contestando a escolha divina de 
Muhammad, desejou que o AlcorSo houvesse sido revelado a um homem poderoso 
das duas cidades. Vide XLIII 31. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



639 



T • s^j^^ TA j^-aaJi djj-^ 



75. E tiraremos, de cada na9ao, 
uma testemunha, e diremos: 'Trazei 
vossas provan9as." Entao, eles 
saberao que a Verdade e de Allah. 
E o que forjavam sumira, para 
longe deles. 

76. Por certo, QarW^^ era do 
povo de Moises, e cometeu 
transgressao contra eles^^^ - e 
concederamo-lhe, dos tesouros, 
aquilo cujas chaves extenuam um 
coeso grupo, dotado de for9a - 
quando Ihe disse seu povo: "Nao te 
jactes de teus tesouros. Por certo, 
Allah nao ama os jactanciosos. 

77. ''E busca a Derradeira 
Morada no que Allah te concedeu, 
e nao esque9as tua por9ao, na vida 
terrena. E bem-faze, como Allah te 
bem-fez. E nao busques semear a 
corrup9ao na terra. Por certo, Allah 
nao ama os corruptores." 

78. Ele disse: "Isso me foi 
concedido, apenas, gra9as a uma 
ciencia que tenho." E nao sabia ele 
que Allah, de fato, aniquilara, antes 
dele, gera96es, que Ihe eram mais 
veementes em for9a e mais 
numerosas? E os criminosos nao 
serao interrogados acerca de seus 
delitos. 










(0 Costuma-se identificar Qarun com Core, personagem da Biblia. Vide Numeros 

XVI 1-35. 
(2) Eles: OS membros de seu povo. 



28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



640 



r* ^>i 



t A (jA^fliii 5jj^ 



79. E ele saiu a seu povo, com 
seus omamentos. Os que desejavam 
a vida terrena disseram: "Quern 
dera houvesse, para nos, algo igual 
ao que foi concedido a Qarun! Por 
certo, ele e de magnifica sorte!" 

80. E aqueles, aos quais foi 
concedida a ciencia, disseram: "Ai 
de vos! A retribuifao de Allah e 
melhor para quem ere e faz o bem. 
E ela nao e conferida senao aos 
que pacientam." 

Sl.Entao, fizemos a terra 
engoli-lo ele e a seu lar; e, nao 
houve, para ele, hoste alguma que 
o socorresse, em vez de Allah, e 
ele nao foi dos socorridos. 

82. E OS que, na vespera, 
anelaram sua posi9ao, amanheceram 
dizendo: "Seguramente, Allah 
prodigaliza o sustento a quem quer, 
de Seus servos, e restringe-o. Se 
Allah nao nos houvesse feito 
merce, haveria feito a terra engolir- 
nos. "Seguramente, os renegadores 
da Fe nao sao bem-aventurados." 

83. Essa Derradeira Morada, fa- 
la-emos para os que nao desejam 
soberba, na terra, nem semear nela 
a corrup9ao. E o final feliz sera 
para os piedosos. 

84. Quem chega com a boa a9ao 
tera algo melhor que esta. E quem 
chega com a ma afao, que ele 



3^ ^Aivjj j ^^(^^^ 

liJ^i^ jc^-^ ^\X l^^J^^ 












)\a:^<,j^_i^ 






28. Suratu Al-Qassas Parte 20 



641 



r» t>t 



Y A j^ -x fl i i i ojj^ 



saiba que os que fazem mas afoes 
nao serao recompensados senao 
pelo que faziam. 

85. Por certo, Aquele que 
preceituou o Alcorao, sobre ti, te 
devolvera a Ma'^ad^^^ Dize: "Meu 
Senhor e bem Sabedor de quern 
chega com a orientafao e de quem 
esta em evidente descaminho." 

86. E tu nao esperavas que o 
Livro te fosse revelado, mas o foi 
por misericordia de teu Senhor. 
Entao, nao sejas, de modo algum, 
coadjutor dos renegadores da Fe. 

87. E que estes nao te afastem 
dos versiculos de Allah, apos 
haverem sido descidos para ti. E 
invoca a teu Senhor. E nao sejas, 
de modo algum dos idolatras. 

88. E nao invoques, com Allah, 
outro deus. Nao existe deus senao 
Ele. Todas as cousas serao aniquila- 
das, exceto Sua Face. DEle e o 
julgamento, e a Ele sereis retomados. 









(0 Ma*^ad: lugar de retorno. Trata-se, aqui, da cidade de Makkah, de onde, ao sair o 
Profeta, emigrando para Al Madlna, dela sentiu grande saudade. Este versiculo foi 
revelado como promessa de Deus para seu retorno a ela. 



29. Suratu AI-'^Ankabut Parte 20 



642 



Y ♦ f'jir\ 1 S C^^^jj6\ Ojj^ 



StJRATU AL-^ANKABCT^*^ 
A SURA DA ARANHA 




De Makkah - 69 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

1. Alif, Lam, UmP, 

2. Os homens supoem que, por 
dizerem: "Cremos", serao deixados, 
enquanto nao provados? 

3. - E, com efeito, provamos os 
que foram antes deles. E, em 
verdade, Allah sabe dos que dizem 
a verdade e sabe dos mentirosos. - 

4. Ou OS que fazem as mas 
obras supoem que se esquivarao de 
N6s? Que vil o que julgam! 

5. Quem espera o deparar de 



,^0A 



-v^ 



^ii^ 0^1>^=£^0^ l/S^ 







(^) Al ^Ankabut: a aranha. Assim, denomina-se a sura pela men9ao desta palavra em 
seu versiculo 41 . Tal como as suras reveladas em Makkah, fala dos mesmos temas, 
limitando-se, aqui, nao so a expor a essencia da Fe, mas a saiientar que nao se trata 
de uma palavra, apenas, a ser proferida, mas a ser praticada: a Fe e a for^a 
inabalavel diante das dificuldades e prova9oes. Ha homens que dizem crer, mas, 
apenas, com seus labios, pois seus cora^oes estao fechados a ela. A sura, ainda, 
refere-se a responsabilidade individual, ou seja, a que ninguem area com os erros 
alheios. E para ilustrar os obstaculos e prova^oes, durante a prega9ao da Fe, a sura 
passa em revista a historia dos mensageiros, anteriores a Muhammad, os quais, 
tambem, foram desacreditados e sofreram as mesmas dificuldades que esta. Desta 
forma, ha, aqui, as historias de Noe, Abraao, Lot, Chu^aib, Hud, e Salih A seguir, 
a sura esclarece que a idolatria se baseia em provas tao frageis quanto uma teia de 
aranha. Alem disso, expressa a ordem de Deus, dirigida aos crentes, de nao 
discutirem com judeus e cristaos, a nao ser amistosamente. Ademais, ha alusao a 
que, sendo o Profeta iletrado, isso, por si so, ja constituia prova da veracidade de 
sua missao e de sua mensagem. Ha apelo para que os homens creiam nos sinais do 
Universo e na gra9a de Deus para com todas as criaturas. Finalmente, expoe a 
atitude ambigua dos descrentes em rela9ao a Deus e a idolatria, e sua ingratidao para 
com a Casa Sagrada, que Deus Ihes destinou, para nela viverem, sempre, em paz. 

(2)Cf U 1 n3. 



29. Saratu Al- Ankabut Parte 20 



643 



T • t^i T ^ Oj-^i*]i ojj--» 



Allah, por certo, o termo de Allah 
chegara. E Ele e O Oniouvinte, O 
Onisciente. 

6. E quern luta, pela causa de 

Allah, apenas luta em beneficio de 
si mesmo. Por certo, Allah e 
Bastante a Si mesmo, Prescindindo 
dos mundos. 

7. E aos que creem e fazem as 
boas obras, em verdade, remir-lhes- 
emos as mas obras e recompensa- 
los-emos com premio melhor que 
aquilo que faziam. 

8. E recomendamos ao ser 
humano benevolencia para com 
seus pais. E Ihe dissemos: "E, se 
ambos lutam contigo, para que 
associes a Mim o de que nao tens 
ciencia, nao Ihes obedefas." A 
Mim, sera vosso retorno; entao, 
informar-vos-ei do que fazieis. 

9. E aos que creem e fazem as 
boas obras, certamente, fa-los- 
emos entrar na grei dos integros. 

10. E, dentre os homens, ha quem 
diga: "Cremos em Allah"; entao, 
quando molestado, por causa de 
Allah, considera a prova9ao dos 
homens como castigo de Allah. E, 
se uma vitoria chega de teu Senhor, 
dizem: "Por certo, estavamos 
convosco^^^!" E nao e Allah bem 






^^i^^^^\\J<^\j^\1'C^^ 






-'^r^^^^OA 






\'\\\ -^^X 9. 






Oi^U^i^ jliip% 



(0 Se OS crentes sao vitoriosos e ficam com os espolios de guerra, os hipocritas, para 
obterem parte destes, afirmam que, tambem, sao crentes como eles. 



29. Suratu AI-'^Ankabut Parte 20 



644 



y • ^jA-i y ^ oj-^i ojj^ 



Sabedor do que ha nos peitos dos 
mundos^^^? 

ll.E, em verdade, Allah sabe 
dos que creem; e, em verdade, 
Allah sabe dos hipocritas. 

12. E OS que renegam a Fe 
dizem aos que creem: "Segui 
nosso caminho e, com certeza, 
carregaremos vossos erros." Mas 
nada carregarao de seus erros. Por 
certo, eles sao mentirosos. 



13. E, em verdade, carregarao 
seus pesos, e mais pesos com seus 
pesos^^\ E, em verdade, serao 
interrogados, no Dia da Ressurrei9ao, 
acerca do que forjavam. 

14. E, com efeito, enviamos 
Noe a seu povo, e permaneceu, 
entre eles, um milenio menos 
cinqiienta anos. E desmentiram- 
no. Entao, o diluvio apanhou-os, 
enquanto injustos. 

15. Entao, salvamo-lo, e aos 
companheiros da nau, e fizemos 
desta um sinal para os mundos. 

16. E Abraao, quando disse a 
seu povo: ''Adorai a Allah e temei- 
O. Isso vos e melhor, se soubesseis. 



\aX^U> 






^^''t^^ 



.J 












(0 Peitos dos mundos: cora9oes de todas as criaturas; homens, anjos, animais. Vide 
I 2 nl. 

(2) Carregarao os pesos de seus pecados e, ainda, os que Ihes sao atribuidos por 
haverem tentado descaminhar os crentes do caminho certo. 



29. Suratu Al- Ankabut Parte 20 



645 



Y • t ji-t t ^ CiyS^S Ojj-- 



17. "Apenas vos adorais idolos, 
em vez de Allah, e inventais 
mentiras. Por certo, os que adorais, 
em vez de Allah, nao possuem, 
para vos, sustento algum. Entao, 
buscai, junto de Allah, o sustento, 
e adorai-0 e agradecei-Lhe. A Ele 
sereis retornados. 

18. "E se me desmentis, com 
efeito, na9oes, antes de vos, 
desmentiram a seus Mensageiros. 
E nao impende ao Mensageiro 
senao a evidente transmissao da 
Mensagem." 

19. E nao viram eles^'^ como 
Allah inicia a cria9ao, em seguida, 
a repete? Por certo, isso e facil 
para Allah. 

20. Dize, Muhammad: "Camin- 
hai, na terra, e olhai como Allah 
iniciou a cria9ao. Em seguida, 
Allah fara surgir a ultima cria9ao. 
Por certo, Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente." 

21. Ele castiga a quem quer e 
tem misericordia de quem quer, e a 
Ele sereis tornados. 

22. E nao podeis escapar do 
castigo de Allah, nem na terra 
nem no ceu. E nao tendes, em vez 
de Allah, nem protetor nem 
socorredor. 












(0 Eles: OS idolatras de Makkah. 



29. Suratu Al- Ankabut Parte 20 



646 



t ♦ i>^\ t ^ C^^XjOi 5j^ 



23. E OS que renegam os sinais 
de Allah e Seu deparar, esses se 
desesperam de Minha misericordia. 
E esses terao doloroso castigo. - 

24. E a resposta de seu povo^^^ 
nao foi senao dizer: "Matai-o ou 
queimai-o." Entao, Allah salvou-o 
do fogo. Por certo, ha nisso sinais 
para um povo que ere. 

25. E Abraao^^^ disse: "Apenas, 
tomastes idolos em vez de Allah, 
pela afeifao, entre vos, na vida 
terrena. Em seguida, no Dia da 
Ressurreifao, renegareis uns aos 
outros e vos amaldi^oareis uns aos 
outros; e vossa morada sera o 
Fogo; e nao tereis socorredores." 

26. Entao, Lot creu nele. E ele^^^ 
disse: "por certo, emigrarei para 
meu Senhor^'*^ Por certo, Ele e O 
Todo-Poderoso, O Sabio." 

27. E dadivamo-lo com Isaque e 
Jaco. E fizemos haver em sua 
descendencia, a profecia e o 
Livro^^\ E concedemo-lhe sua 
recompensa, na vida terrena. E, por 
certo, na Derradeira Vida, ele sera 
dos integros. 






ii 









( ^ ) Povo: povo de Abraao. 

(2) Abraao, argumentando com seu povo. 

(3) Ele: Abraao. 

(4) Ou seja, Abraao migrara para onde seu Senhor Ihe ordenou: para a Palestina. 

(5) Ou seja, todos os Livros divinos: a Tora, o Evangelho e o Alcorao. 



29. Suratu Al- Ankabut Parte 20 



647 ^ * ^ j^' ^ ^ cjjSjji^\ 6jj^ 



28. E Lot, quando disse a seu 
povo: "Por certo, vos vos achegais 
a obscenidade; ninguem, nos 
mundos, se vos antecipou, nela. 

29. "Por certo, vos vos achegais 
aos homens, por lascivia, e cortais 
o caminho^^\ e vos achegais ao 
reprovavel, em vossas reunioes." 
Entao, a resposta de seu povo nao 
foi senao dizer: "Faze-nos vir o 
castigo de Allah, se es dos 
veridicos." 

30. Ele disse: "Senhor meu! 
Socorre-me contra o povo cor- 
ruptor!" 

31. E, quando Nossos Mensa- 
geiros chegaram a Abraao, com 
alvissaras, disseram: "Por certo, 
aniquilaremos os habitantes desta 
cidade. Por certo, seus habitantes 
sao injustos." 

32. Ele disse: "Mas, Lot esta 
nela." Disseram: "Somos bem 
sabedores de quem esta nela. Em 
verdade, salva-lo-emos e a sua 
familia, exceto sua mulher. Ela 
sera dos que ficarao para tras^^V' 

33. E, quando Nossos Mensa- 
geiros chegaram a Lot, ele afligiu- 
se com eles e sentiu-se impotente 












(0 Eles costumavam, nas ruas, cortar a passagem dos jovens, para seduzi-los. Alguns 
comentaristas entendem por "cortar o caminho" obstar o caminho da procria9ao; 
outros, ainda, traduzem-no por assaltar e roubar. 

(2)CfVII83nl. 



29. Suratu AI-'Ankabut Parte 20 



648 I ^ • ^i^' ^ ^ cjjSjj^\ 5j^ 



para defende-los. E eles disseram: 
"Nao temas, e nao te entriste9as. 
Por certo, salvar-te-emos e a tua 
familia, exceto tua mulher: ela sera 
dos que ficarao para tras^^\ 

34. "Por certo, faremos descer, 
sobre os habitantes desta cidade, 
um tormento do ceu, pela 
perversidade que cometiam." 

35. E, com efeito, dela deixamos 
evidente sinal, para um povo que 
razoa. 

36. E enviamos ao povo de 
Madian seu irmao Chu aib; entao 
ele disse: "6 meu povo! Adorai a 
Allah e esperai pelo Derradeiro 
Dia, e nao semeeis a maldade na 
terra como corruptores." 

37. E eles desmentiram-no; entao, 
o terremoto apanhou-os, e aman- 
heceram, em seus lares, inertes, 
sem vida. 

38. E aniquilamos o povo de 

""Ad e Thamud, e isso se tornou 
evidente para vos, pelas ruinas de 
suas vivendas. E Sata aformoseara- 
Ihes as obras, e afastara-os do 
caminho certo, enquanto eram 
clarividentes. 

39. E aniquilamos Qarun e Farao 
e Haman. E, com efeito, Moises 
chegou-lhes com as evidencias; e 



2jrcS\l\^j^^JJ^'^ 



^yr^\^[M}^}j 







t)6^^.^^i^\yl^JJ^ 






(OCfVII83nl. 



29. Suratu Al- Ankabut Parte 20 



649 



Y • tji-l Y S CJjSjjt\\ djj-»» 



eles ensoberbeceram-se, na terra, e 
nao puderam esquivar-se de Nosso 
castigo. 

40. Entao, a cada um deles, 
apanhamos^^\ por seu delito. E, 
dentre eles, houve aquele contra 
quern enviamos um vento lastrado 
de seixos. E, dentre eles, houve 
aquele a quern o Grito apanhou. E, 
dentre eles, houve aquele a quern 
fizemos a terra engolir. E, dentre 
eles, houve aquele a quern 
afogamos. E nao e admissivel que 
Allah fosse injusto com eles; mas 
eles foram injustos com si mesmos. 

41.0 exemplo dos que tomam 
protetores em vez de Allah, e 
como o da aranha, que construiu 
uma casa para proteger-se. E, por 
certo, a mais fragil das casas e a 
casa da aranha. Se soubessem! 

42. Por certo, Allah sabe todas 
as cousas que eles invocam em vez 
dEle. E Ele e O Todo-Poderoso, O 
Sabio. 

43. E esses exemplos, Propomo- 
los, para os homens; e nao os 
entendem senao os sabedores. 

44. Allah criou os ceus e a terra, 
com a verdade. Por certo, ha nisso 
um sinal para os crentes. 



UJ J^yi \j [iJ<i=c^% 



0^^^k4^ ^aj( Job -G-l !x^=:i3 



'^\^j^otsj-sM<j:$\'s^ 



r—" C- 






( ^ ) Cada povo pagou por sua transgressao. Assim, o povo de Lot foi castigado por 
uma rajada de pedras; Qarun, engolido pela terra; o povo de Noe, afogado, assim 
tambem Farao. Quanto ao povo de Thamud, foi castigado pelo Grito, provindo dos 
ceus. Sobre este ultimo, cf. XI 67 n 1 . 



29. Suratu Al-'^Ankabut Parte 21 



650 



t ) ^ji-i t S Oy^^S l^j^ 



45. Recita, Muhammad, o que 

te foi revelado do Livro e cumpre a 
ora9ao. Por certo, a ora9ao coibe a 
obscenidade e o reprovavel. E, 
certamente, a lembran9a de Allah e 
tnaior que isso. E Allah sabe o que 
engenhais. 

46. E nao discutais com os 
seguidores do Livro^^^ senao da 
melhor maneira - exceto com os 
que, dentre eles, sao injustos - e 
dizei: "Cremos no que foi descido 
para nos e no que fora descido para 
vos; e nosso Deus e vosso Deus e 
Um so. E para ele somos moslimes." 

47. E, assim, fizemos descer 
para ti o Livro^^l Entao, aqueles^"^\ 
aos quais concederamos o Livro^'^^ 
nele^ ^ creem. E, dentre estes^^\ ha 
quem nele creia. E nao negam 
Nossos sinais senao os renegadores 
da Fe. 

48. E, antes dele, tu nao recitavas 
livro algum nem o escrevias com tua 
destra; nesse caso, os defensores 
da falsidade haveriam duvidado^'^l 









fjj-^^^ 






'.'-'? ■'■ 






( Se guidores do Livro: judeus e cristaos. 

(2) O Livro: o Alcorao. 

(3) Aqueles: os judeus que se converteram ao islamismo. 
('*) O Livro: a Tora. 

(5) Nele: no Alcorao. 

(6) Estes: os habitantes de Makkah. 

(7) O ser Muhammad iletrado (nao sabia ler nem escrever) e forte prova de que o 
Alcorao, com sua profunda erudi9ao e conhecimento nao foi obra sua, e sim, de 
uma for9a suprema. Dai a afirma9ao da origem divina do Livro. 



29. Suratu Al- Ankabut Parte 21 



651 



T > tji-l T ^ 0_^-^u*ii Ojj-^j 



49. Mas ele e constituido de 
evidentes versiculos encerrados 
nos peitos daqueles aos quais foi 
concedida a ciencia. E nao negam 
Nossos sinais senao os injustos. 

50. E eles^^^ dizem: "Que se fa^a 
descer sobre ele sinais de seu 
Senhor!" Dize, Muhammad: "Os 
sinais estao, apenas, junto de 
Allah, e sou, apenas evidente 
admoestador." 

51. E nao Ihes basta que 
fafamos descer, sobre ti, o Livro, 
que se recita, para eles? Por certo, 
ha nisso misericordia e lembranfa 
para um povo que ere. 

52. Dize: "Basta Allah, por 
testemunha, entre mim e vos. Ele 
sabe o que ha nos ceus e na terra. E 
OS que creem na falsidade e renegam 
a Allah, esses sao os perdedores." 

53. E pedem-te que apresses o 
castigo. E, nao fora um termo 
designado^^\ haver-lhes-ia chegado 
o castigo. E, em verdade, chegar- 
Ihes-a este, inopinadamente, 
enquanto nao percebam. 

54. Pedem-te que apresses o 
castigo. E, por certo, a Geena estara 
abarcando os renegadores da Fe, 















( ' ) Eles: OS idolatras de Makkah. 

(2) Ou seja, o Dia do Juizo, quando serio recompensados os bons e castigados os maus. 



29. Suratu Al- AnkabOt Parte 21 



652 I T ^ tjiri T ^ CjjSjj6\ ijj^ 



55. Um dia, em que os encobrir 
o castigo, por cima deles e por 
baixo de seus pes, e ele^'^ disser: 
"Experimentai o castigo do que 
fazieis!" 

56. 6 Meus servos, que credes! 
Por certo, Minha terra e ampla^^^; e 
a Mim, entao, adorai-Me. 

57. Cada alma experimentara a 
morte. Em seguida, a Nos sereis 
retornados. 

58. E aos que creem e fazem as 
boas obras, em verdade, dispo-los- 
emos nas camaras etereas do 
Paraiso, abaixo das quais correm 
OS rios; nelas, serao eternos. Que 
excelente o premio dos laboriosos, 

59. Os que pacientam e em seu 
Senhor confiam! 

60. E quantos seres animals nao 
carregam seu sustento! Allah Ihes 
da sustento^^\ e a vos. E Ele e O 
Oniouvinte, O Onisciente. 

61. E, se Ihes perguntas: "Quem 



"fr -^ ^ 






^^2?c5^' 6L)y-* ''^Oi^ ' i^^tj^ 









(0 Ele: o anjo encarregado de seu castigo. 

(2) Minha terra e ampla: Deus recorda aos crentes de Makkah, onde vivem em 
condi^oes desfavoraveis pela persegui^ao religiosa, que a Terra e vasta, ampla, o 
que Ihes permite migrarem para Al Madlnah ou para qualquer outro lugar, onde 
poderao praticar, livremente, seu credo. 

(3) Se atentarmos para o mundo animal, veremos que muitas criaturas parecem 
desprotegidas, sem condi9oes mesmo de encontrar seu proprio alimento. 
Entretanto, Deus esta por tras de tudo, como esta em tudo, e cuida de seu sustento 
e prote9ao. Assim, tambem, ocorre com o homem, que nao deve desesperar-se 
jamais, pois Deus vela por ele, das mais variadas formas 



29. Suratu AI-'Ankabut Parte 21 



653 I T W>l Y^ CJy^\ 5jj- 



criou OS ceus e a terra e submeteu 
o sol e a lua?", em verdade, dirao: 
''Allah!" Entao, como podem 
distanciar-se da verdade? 

62. Allah prodigaliza o sustento 
a quern quer de Seus servos, e 
restringe-lho. Por certo, Allah, de 
todas as cousas, e Onisciente. 

63. E, se Ihes perguntas: "Quern 
faz descer agua do ceu, e, com ela, 
vivifica a terra, depois de morta?", 
em verdade, dirao: "Allah!" Dize: 
"Louvor a Allah!" Mas a maioria 
deles nao razoa. 

64. E esta vida terrena nao e 
senao entretenimento e diversao. 
E, por certo, a Derradeira Morada 
e ela, a Vida. Se soubessem! 

65. Entao, quando eles embarcam 
no barco, invocam a Allah, sendo 
sinceros com Ele, na devo9ao. E, 
quando Ele os traz a salvo a terra, 
ei-los que idolatram. 

66. Que eles reneguem o que 
Ihes concedemos, e que gozem! 
Logo, saberao! 

67. E nao viram eles que Nos 
Ihes fizemos um Santuario seguro, 
enquanto os homens, a seu redor, 
sao arrebatados^*^? Entao, creem 









'if'-:- 









( Ao terem Makkah, por cidade sagrada, protegida de assaltos e violencias, eles, ai, 
sempre estarao seguros, enquanto, em outras cidades isso nao ocorre, ficando seus 
habitantes expostos ao perigo. 



29. Suratu AI- Ankabut Parte 21 



654 



T W>i T ^ CJjS^\ djy^ 



eles na falsidade e renegam a gra^a 
de Allah? 

68. E quern mais injusto que 
aquele que forja mentiras acerca de 
Allah, ou desmente a verdade, 
quando esta Ihe chega? Nao ha, na 
Geena, moradia para os renegadores 
daFe? 

69. E aos que lutam por Nos, 
certamente, guia-los-emos a Nossos 
caminhos. E, por certo, Allah e 
com OS benfeitores. 



^j 



PjjS3^\ 






.^.:i^ 







30. Suratu Ar-Rum 



Parte 21 



655 tW>i 



r * ^jj\ dj>-» 



SURATU AR-RUM^^^ 
A SURA DOS ROMANOS 




De Makkah - 60 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador, 

1. Alif, Lam, MTm^^\ 

2. Os Romanos foram vencidos, 

3. Na terra^^^ mais proxima. E 
eles, apos sua derrota, vencerao, 

4. Dentro de alguns^"^^ anos. De 



^.^iBS^A 



'-^, 



)^\ 












(0 Ar-rum: plural de ruml, romano. Esta palavra aparece no versiculo 2 e vai 
denominar a sura, cujos primeiros versiculos foram revelados, por ocasiao da vitoria 
persa sobre os romanos do Oriente. Depois de conquistarem os territorios da 
Peninsula Arabica, os persas tomaram Antioquia, a maior cidade do leste sirio, em 
614 d.C, e, a seguir, Damasco; sediaram Jerusalem, ate dela se apoderarem e a 
incendiaram, pilhando e imolando seus habitantes, alem de se apropriarem do 
Santo Lenho e de o levarem para a Persia, depois de arrasarem a Igreja de Jerusalem. 
Os pagaos de Makkah, jubilosos com a derrota crista, prometiam derrotar os 
moslimes, povo do Livro divino, o Alcorao, assim como os persas derrotaram os 
romanos, povo do Livro divino, o Evangelho. Mas a revela9ao desses versiculos 
preconizava a derrota dos pagaos persas pelos cristaos bizantinos, para breve, o que, 
efetivamente, ocorreu, pois Heraclito nao perdeu a esperan9a da vitoria e preparou-se 
para uma batalha que apagasse a vergonha dessa derrota. No ano 622 d.C. (que 
coincide com o 1 ano moslim da Hegira), os romanos combateram os persas, em 
territorio armenio, e venceram a batalha, reconquistando, entao, suas terras, tal como 
a profecia do Alcorao pregara. Os versiculos seguintes convocam todos a reflexao 
sobre a cria9ao de Deus, bem como os convocam a percorrerem a terra, para que 
se inteirem do triste fim dos que negaram os mensageiros divinos, e expoen-lhes a 
condi9ao da humanidade do Dia da Ressurrei9ao. Ainda, fazem atentar para a 
unicidade de Deus, por meio de varias provas, tais como a alternancia do dia e da 
noite, a cria9ao do Homem a partir do p6, a diversidade das linguas e das cores, alem 
de outros fenomenos universais. Reiteram a falsidade do paganismo. Orientam os 
crentes, proibindo-lhes a usura e exortando-os a benevolencia para com os parentes. 

(2)Cf. II 1 n3. 

(3) Ou seja, na regiao leste da Siria, em poder dos bizantinos, e que incluia a Antioquia, 
Damasco e Jerusalem. 

(4) Alguns: traduz a palavra bid^ e abrange os numeros de 1 a 9 (cf. XII 42 nl), e, 
aqui, deve-se entender que a batalha vitoriosa dos romanos ocorreu alguns anos 
depois, ou seja, no T ano apos a derrota sofrida. 



30. Suratu Ar-Rum 



Parte 21 



656 



1) *>i 



r • j^j^i ojy^ 



Allah e a ordem, antes e depois^'\ 
E, nesse dia^^\ os crentes jubilarao, 

5. Com o socorro de Allah. - 
Ele socorre a quern quer. E Ele e O 
Todo-Poderoso, O Misericordiador- 

6. E a promessa de Allah. Allah 
nao falta a Sua promessa, mas a 
maioria dos homens^"^^ nao sabe. 

7. Eles sabem, apenas, das 
aparencias da vida terrena. E estao 
desatentos a Derradeira Vida. 

8. E nao refletiram eles em si 
mesmos? Allah nao criou os ceus e 
a terra e o que ha entre ambos, 
senao com a verdade e termo 
designado. E, por certo, muitos dos 
homens sao renegadores do 
deparar de seu Senhor. 

9. E nao caminharam eles na 
terra, para olhar como foi o fim 
dos que foram antes deles? Foram 
mais veementes que eles em for9a, 
e lavraram a terra, e povoaram-na 
mais que eles a povoaram, e seus 
Mensageiros chegaram-lhes com as 
evidencias. Mas eles as negavam. 
Entao, nao e admissivel que Allah 
fosse injusto com eles, mas eles 
foram injustos com si mesmos. 

10. Em seguida, o fim dos que 







-^j^)^^ ^y^^o")^^ 






( 1 ) Somente Deus pode determinar o que ocorreu antes ou depois da derrota. 

(2) Ou seja, no dia em que os romanos vencerem os persas. 

(3) Homens: os idolatras de Makkah. 



30. SOratu Ar-Rum 



Parte 21 



657 ^>^>< 



r • ^jj\ dj^ 



praticaram o mal foi o pior, porque 
desmentiam os sinais de Allah, e 
deles zombavam. 

11. Allah inicia a criafao; em 
seguida, repete-a; depois, a Ele 
sereis retornados. 

12. E, um dia, quando a Hora 
advier, os criminosos emudecerao 
de desespero. 

13. E nao terao intercessores, 
entre seus idolos, e serao renegadores 
de seus idolos. 

14. E, um dia, quando advier a 
Hora, nesse dia, eles^^^ se separarao. 

15. Entao, quanto aos que creem 
e fazem as boas obras, deliciar-se- 
ao em horto florido. 

16. E, quanto aos que renegam a 
Fe e desmentem Nossos sinais e o 
deparar da Derradeira Vida, esses 
serao trazidos ao castigo. 

17. Entao, Glorificado seja Allah, 
quando entrardes no crepiisculo e 
quando entrardes na aurora! 

18.- E dEle e o Louvor, nos 
ceus e na terra - e na noite, e quando 
entrardes no tempo meridio. 

19. Ele faz sair o vivo do morto 
e faz sair o morto do vivo, e 
vivifica a terra, depois de morta. E, 













Opo^^>-a)0\<:^ 






(0 Eles: OS homens. 



30. Suratu Ar-Rum 



Parte 21 



658 



T> ^>t 



r * ^jj\ 5jj^ 



assim, far-vos-ao sair dos sepulcros. 

20. E, dentre Seus sinais, esta que 
Ele vos criou de p6; em seguida, 
ei-vos homens, que vos espalhais 
pela terra. 

21. E, dentre Seus sinais, esta 
que Ele criou, para vos, mulheres, 
de vos mesmos, para vos tran- 
iiilizardes junto delas, e fez, entre 
vos, afei9ao e misericordia. Por 
certo, ha nisso sinais para um povo 
que reflete. 

22. E, dentre Seus sinais, esta a 
cria9ao dos ceus e da terra, e a 
variedade de vossas iinguas e de 
vossas cores. Por certo, ha nisso 
sinais para os sabedores. 

23. E, dentre Seus sinais, esta 
vosso dormir a noite e de dia, e vossa 
busca de Seu favor. Por certo, ha 
nisso sinais para um povo que ouve. 

24. E, dentre Seus sinais, esta o 
fazer-vos ver o relampago, com 
temor do raio e aspira9ao da chuva, 
e o fazer descer do ceu agua; entao, 
com ela, vivifica a terra, depois de 
morta. Por certo, ha nisso sinais 
para um povo que razoa. 

25. E, dentre Seus sinais, esta que 
o ceu e a terra se mantem firmes, 
por Sua ordem. Em seguida, 
quando Ele vos convocar, com 
uma convoca9ao, da terra, ei-vos 
que dela saireis. 






^jjo 







(^^1} oylJi5\<3i^^A^\^ 



jjy \j Aoi^^\ o:Jl1>- 






30. Suratu Ar-ROm 



Parte 21 



659 



r> t>i 



r • j»J^I 9jy^ 



26. E dEle e quern esta nos ceus 
e na terra. A Ele todos sao devotos. 

27. E Ele e Quern inicia a cria9ao; 
em seguida, repete-a; e isto Lhe e 
mais facil. E dEle e a transcendencia 
absoluta, nos ceus e na terra. E Ele 
e O Todo-Poderoso, O Sabio. 

28* Ele propoe para vos um 
exemplo tirado de vos mesmos. 
Tendes, dentre os escravos que 
possuis, parceiros^^^ naquilo que 
Nos vos damos por sustento, e, 
nisso, sois iguais, temendo-os como 
vos vos temeis reciprocamente? 
Assim, aclaramos os sinais a um 
povo que razoa. 

29. Mas OS que sao injustos 
seguem suas paixoes, sem ciencia 
alguma. Entao, quem guiara 
aqueles a quem Allah descaminha? 
E eles nao terao socorredores. 



30. Entao, ergue tua face para a 
religiao, sendo monoteista sincero. 
Assim e a natureza^^^ feita por 
Allah - segundo a qual Ele criou 
OS homens^\ Nao ha altera9ao na 
cria9ao de Allah. - Essa e a 
religiao reta, mas a maioria dos 
homens nao sabe. 










L^^^Ja9\jLv^0JA] 






( U Se escravo nao e socio de seu patrao, nos bens, como entao fazer as criaturas 
socias ou parceiras de Deus? 

(2) Assim e a natureza de Allah: o homem deve seguir sua verdadeira indole, tal 
como Deus a fez. 

(3) Os homens: os idolatras de Makkah. 



30. Suratu Ar-Rum Parte 21 



660 



r> ^>i 



r • ^jj\ ojj^ 



31. Voltai-vos contritos para 
Ele; e temei-0; e cumpri a ora9ao, 
e nao sejais dos idolatras, 

32. Dos que separaram sua 
religiao, e se dividiram em seitas, 
jubiloso cada partido com o que tem. 

33. E, quando urn infortunio 
toca OS homens, invocam a seu 
Senhor, voltando-se contritos para 
Ele; em seguida, quando Ele os faz 
experimentar misericordia vinda 
dEle, eis um grupo deles que 
associa idolos a seu Senhor, 

34. Para renegar o que Ihes 
concedemos. Entao, gozai. Logo, 
sabereis! 

35. Sera que N6s fizemos descer 
sobre eles comprova9ao, e esta 
Ihes fala do que associam a Ele? 

36. E, quando fazemos experi- 
entar aos homens misericordia, 
jubilam com ela, e, se os alcan9a 
algo de mal, pelo que suas maos 
anteciparam, ei-los que se deses- 
peram. 

37. E nao viram eles que Allah 
prodigaliza o sustento a quem 
quer, e restringe-o? Por certo, ha 
nisso sinais para um povo que ere. 

38. Entao, concede ao parente o 
que Ihe e de direito^^, e ao 












C^'90»^'-'fl>i^^3i 






\j3^^Ji^h^^ \i C)\l3 



(l)Cf. XVII 26 n2. 



30. Suratu Ar-Rum 



Parte 21 



661 



y) ^>i 



r • j»j^i 5j>^ 



necessitado, e ao filho do caminho^^^ 
Isso e meihor para os que querem a 
face de Allah^^\ E esses sao os 
bem-aventurados. 

39. E o que concedeis, de usura, 
para acrescenta-lo com as riquezas 
dos homens, nao se acrescentara, 
junto de Allah. E o que concedeis, 
de az-zakah^"^\ querendo a face de 
Allah, ser-vos-a multiplicado. 
Entao, esses serao os recompen- 
sados em dobro. 

40. Allah e Quem vos criou; e 
deu-vos sustento; em seguida, dar- 
vos-a a morte; depois, dar-vos-a a 
vida. Ha, de vossos idolos, quem 
fa9a algo disso? Glorificado e 
Sublimado seja Ele, acima do que 
idolatram! 

41. A corrup9ao^'*^ apareceu, na 
terra e no mar, pelo que as maos 
dos homens cometeram, a fim de 
Ele faze-los experimentar algo do 
que fizeram, para retomarem. 

42.Dize, Muhammad: ''Camin- 
ai na terra e olhai como foi o fim 
dos que foram antes! A maioria 
deles era idolatra." 

43. Entao, ergue tua face para a 
religiao reta, antes que chegue um 






4y \ li 5^^^l3ov-^^^^j 









(l)cfll 177nl 

(2) Ou seja, os que desejam a graga de Deus. 
(3)CfII43n4. 

(4) Ou seja, as desgra^as que assolam os homens, periodicamente: a seca, a escassez 
de alimentos da terra e do mar, as pragas, etc.. 



30. SQratu Ar-RQm 



Parte 21 



662 



T^ t>i 



r • jij^i 5j>-. 



dia, para o qual nao havera 
revoga9ao de Allah. Nesse dia, 
eles^^ se dividirao. 

44. Quern renega a Fe, sobre ele 
pesa sua renega9ao. E quern faz o 
bem, esses preparam para si mesmos 
o caminho do Paraiso, 

45. Para que Allah recompense 
OS que creem e fazem as boas 
obras, com Seu favor. Por certo, 
Ele nao ama os renegadores da Fe. 

46. E, dentre Seus sinais, esta 
que Ele envia os ventos por 
alvissareiros, e isso, para fazer-vos 
experimentar de Sua misericordia, 
e para o barco correr, no mar, por 
Sua ordem, e para buscardes de Seu 
favor, e para serdes agradecidos. 

47. E, com efeito, enviamos, antes 
de ti, Mensageiros a seus povos; e 
chegaram-lhes com as evidencias; 
entao, vingamo-Nos dos que foram 
criminosos. E foi dever, que Nos 
impendeu, socorrer os crentes. 

48. Allah e Quem envia o vento, 
e este agita nuvens; entao, Ele as 
estende no ceu, como quer, e fa-las 
em peda9os; e tu ves sair a chuva 
de dentro delas. E quando Ele 
alcan9a, com ela, a quem quer de 
Seus servos, ei-los que exultam. 



J^^^ 












(0 Eles: OS homens que, apos o Ajuste de Contas, serao divididos: uns irSo para o 
Paraiso, e, outros, para o Inferno. 



30. Suratu Ar-Rum 



Parte 21 



663 



1) ^>i 



r • f j^i 5j>^ 



49. E, com efeito, antes de faze- 
la descer sobre eles, estavam 
emudecidos de desespero. 

50. Entao, olha para os vestigios 
da misericordia de Allah: como 
Ele vivifica a terra, depois de 
morta. Por certo, Esse e Quern da 
a vida aos mortos. E Ele, sobre 
todas as cousas, e Onipotente. 

51. E, se Ihes enviamos vento 
prejudicial a seara, e a veem 
amarelecida, certamente, permane- 
cem, depois disso, ingratos. 

52. E, por certo, tu nao podes 
fazer ouvir aos mortos e nao podes 
fazer ouvir aos surdos a 
convoca9ao, quando te voltam as 
costas, fugindo. 

53. E tu nao podes guiar os cegos, 
desviando-os de seu descaminho. 
Nao podes fazer ouvir senao a 
quern ere em Nossos sinais, pois 
sao moslimes. 

54. Allah e Quem vos criou de 
fragilidade; em seguida, fez, 
depois de fragilidade, forfa; em 
seguida, fez, depois de for9a, 
fragilidade e cas. Ele cria o que 
quer. E Ele e O Onisciente, O 
Onipotente. 

55. E, um dia, quando advier a 
Hora, OS criminosos jurarao nao 
haver permanecido, nos sepulcros. 


















30. Suratu Ar-Rum Parte 21 



664 



y> ^j^\ 



r • ^jj\ ojj^ 



senao uma hora. Assim, distan- 
ciavam-se eles^^^ da verdade. 

56. E aqueles^^\ aos quais fora 
concedida a ciencia e a Fe, dirao: 
"Com efeito, la permanecestes, 
conforme esta no Livro^"^^ de 
Allah, ate o Dia da Ressurrei9ao. E 
este e o Dia da Ressurrei9ao, mas 
nao sabieis." 

57. Entao, nesse dia, as escusas 
nao beneficiarao aos que foram 
injustos, e eles nao serao solicitados 
a Nos agradar. 

58. E, com efeito, propomos, 
para os homens, neste Alcorao, 
toda sorte de exemplos. E, se Ihes 
chegas com um sinal, em verdade, 
OS que renegam a Fe dirao: "Vos^"*^ 
nao sois senao defensores da 
falsidade." 

59. Assim, Allah sela o cora9ao 
dos que nao sabem. 

60. Entao, pacienta, Muham- 
mad, por certo, a promessa de 
Allah e verdadeira. E que te nao 
abalem os que se nao convencem 
da Ressurrei^ao. 



<,}^3M^: 









^6/ 












( Do mesmo modo que se distanciam da Verdade, na vida terrena, ao negarem a 
Ressurrei^ao, os idolatras estarao distanciados da verdade, ao sairem dos tumulos, 
no Dia do Juizo, achando que ai nao permaneceram senSo por uma hora. 

(2) Aqueles: podem ser os anjos ou os profetas ou os privilegiados, entre os crentes. 

(3) O Livro de Deus: o Livro do Destino de toda a humanidade. 

(4) Vos: Profeta Muhammad e seus seguidores. 



31. Suratu Luqman Parte 21 



665 



t> ^>i 



T\ oUiJ 5jj^ 



SURATU LUQMAN^^^ 
A SURA DE LUQMAN 




De Makkah - 34 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

l.Alif, Lam,MTm^^\ 

2. Esses sao os versiculos do 
Livro pleno de sabedoria. 

3. Ele e orienta9ao e misericordia 
para os benfeitores, 

4. Que cumprem a ora9ao e 
concedem az-zakah^ ^\ ^ se 
convencem da Derradeira Vida. 

5. Esses estao em orienta9ao de 
seu Senhor. E esses sao os bem- 
aventurados. 

6. E, dentre os homens, ha 
quem^"^^ compre falsas narrativas, 









i^yA 



-~A 






^^^'^ i^A^.D^OiiQ ^ Sl^ 



(0 Luqman: nome de um sabio, sobre o qual divergem as opinioes de estudiosos. 
Uns asseveram que ele era profeta; outros, que nao era profeta, porem homem 
muito piedoso; outros, ainda, que era juiz dos filhos de Israel. Entretanto, seja o 
que for, Luqman, segundo o Alcorao, foi um homem a quem Deus concedeu 
sabedoria. A sura assim se denomina, pela men9ao deste nome, nos versiculos 12 e 
13. Como as suras reveladas em Makkah, esta tambem trata da unicidade de Deus, 
da cren9a na vida Ultra-terrena, na paga das mas obras e na recompensa do bem. 
Pode-se sintetizar o conteudo desta sura em 3 itens: 1) As alvissaras do Paraiso aos 
benfeitores e a admoesta9ao aos malfeitores do nefasto castigo; 2) A exposi9ao das 
maravilhas do Universo, que ratificam as maravilhas de Deus Poderoso; 3) A 
sumula de nobres mandamentos nos conselhos de Luqman a seu filho, atinentes a 
obediencia das leis divinas e dos preceitos eticos. 

(2)Cf II 1 n3. 

(3)Cf. II 43 n4. 

(4) Alusao a Al-Nadr Ibn Al Harith, um dos adversarios do Profeta, o qual tinha o habito 
de viajar as fronteiras da Persia, para comprar livros de lendas e mitos persas, e recita- 
las, para os habitantes de Makkah, com o fito de desvia-los da leitura do Alcorao. 



31. Suratu Luqman Parte 21 555 T > tji-i 



f) jUil Ojj^ 



para, sem ciencia, descaminhar os 
outros do caminho de Allah, e para 
toma-lo^^^ por objeto de zombaria. 
Esses terao aviltante castigo. 

7. E, quando se recitam, para 
ele, Nossos versiculos, volta-ihes 
as costas, ensoberbecendo-se, 
como se os nao ouvisse, como se 
em seus ouvidos houvesse surdez. 
Entao, alvissara-lhe, Muhammad, 
doloroso castigo. 

8. Por certo, os que creem e 
fazem as boas obras terao os Jardins 
da Delicia; 

9. Neles, serao etemos. Essa e, 
deveras, a promessa de Allah. E 
Ele e O Todo-Poderoso, O Sabio. 

10. Ele criou os ceus, sem 
colunas que vejais. E implantou na 
terra assentes montanhas, para que 
ela se nao abale convosco. E, nela, 
espalhou todo ser animal. E 
fizemos descer do ceu agua; entao, 
fizemos brotar, nela^^\ todos os 
casais de plantas preciosas. 

11. Essa e a cria9ao de Allah; 
entao, fazei^^^-Me ver o que criaram 
aqueles^"*^ que adorais, alem dEle. 
Mas OS injustos estao em evidente 
descaminho. 









'■^■J^Y, 



^J 









(0 Lo: caminho. 

(2) Nela: na terra. 

0) O imperativo se relaciona a "vos, Quraich". 

W Aqueles: os idolos. 



31. Suratu Luqman Parte 21 557 t> ^ji-i 



T ) OUii Ojj-^ 



12. E, com efeito, concedemos a 
sabedoria a Luqman, dizendo-lhe: 

"Agradece a Allah. E quern 
agradece agradece, apenas, em 
beneficio de si mesmo. E quem e 
ingrato, por certo, Allah e Bastante 
a Si mesmo, Louvavel." 

13. E quando Luqman disse a 
seu filho, em o exortando: "6 meu 
filho! Nao associes nada a Allah. 
Por certo, a idolatria e formidavel 
injusti9a." 

14.- E recomendamos ao ser 
humano a benevolencia para com 

seus pais; sua mae carrega-o, com 
fraqueza sobre fraqueza^^\ e sua 
desmama se da aos dois anos; e 
dissemo-lhe: "Se agradecido a 
Mim, e a teus pais. A Mim sera o 
destino. 

15. "E, se ambos lutam contigo, 
para que associes a Mim aquilo de 
que nao tens ciencia, nao Ihes 
obede9as. E acompanha-os, na 
vida terrena, convenientemente. E 
segue o caminho de quem se volta 
contrito para Mim. Em seguida, a 
Mim sera vosso retorno; entao, 
informar-vos-ei do que fazieis" - 

16. "6 meu filho^^^! Por certo. 



^^^j^ ' "^^^^ cJ^ ^^^^ ^J 






^Wj^JJ 









^.^ ,^ i K 






(0 As fraquezas aludidas advem da concep9ao, gesta9ao e parto do ser humano, alem 

dos ulteriores cuidados de cria9ao e educa9ao. 
(2) Atente-se, aqui, para a continua9ao das palavras de Luqman a seu filho, iniciadas 

no versiculo 1 3, e cessadas com uma apostrofe da fala divina, nos versiculos 1 4 e 15. 



31. Suratu Luqman Parte 21 553 Y ) ^^ 



T > jUii ijj^ 



se ha algo^'^ do peso de um grao de 
mostarda^^^ e esta no amago de um 
rochedo, ou nos ceus ou na terra, 
Allah fa-lo-a vir a tona. Por certo, 
Allah e Sutil, Conhecedor. 

17. "6 meu filho! Cumpre a 
ora9ao e ordena o conveniente e 
coibe o reprovavel e pacienta, 
quanto ao que te alcan9a. Por certo, 
isso e da firmeza indispensavel em 
todas as resolu^oes. 

18. "E nao voltes, com desdem, 
teu rosto aos homens, e nao andes, 
com jactancia, pela terra. Por certo, 
Allah nao ama a nenhum 
presunfoso, vanglorioso. 

19. "E modera teu andar e baixa 
tua voz. Por certo, a mais reprovavel 
das vozes e a voz dos asnos." 

20. Nao vistes que Allah vos 
submeteu o que ha nos ceus e o 
que ha na terra, e vos colmou de 
Suas grafas, aparentes e latentes? 
E, dentre os homens, ha quem 
discuta acerca de Allah, sem 
ciencia nem orientafao nem Livro 
luminoso. 

21. E, quando se Ihes diz: "Segui 
o que Allah fez descer", dizem: 
"Nao. Mas seguimos aquilo em que 
encontramos nossos pais." Segui- 






d^\JJ^^Jo0S^^^^i^^ 



^ jj>^<\^^3^i4-^'^o^}i 



^ 









( ^ ) Algo: a a9ao humana, boa ou ma. 
(2)Cf. XXI 47 nl. 



31. Suratu Luqman Parte 21 



669 



y) ^>i 



T) OUii Ojj-- 



lo-ao, ainda que Sata os convoque 
ao castigo do Fogo ardente? 

22. E quem entrega sua face a 
Allah, enquanto benfeitor, com 
efeito, ater-se-a a firme al9a. E a 
Allah e o fim de todas as 
determina9oes. 

23. E de quem renega a Fe, que 
te nao entriste9a sua renega9ao da 
Fe. A N6s sera seu retorno, e 
informa-los-emos do que fizeram. 
Por certo, Allah, do intimo dos 
peitos, e Onisciente. 

24. Fa-los-emos gozar um pouco; 
em seguida, obriga-los-emos a um 
duro castigo. 

25. E, se Ihes perguntas: "Quem 
criou OS ceus e a terra", em verdade, 
dirao: "Allah!" Dize: "Louvor a 
Allah!" Mas a maioria deles nao 
sabe. 

26. De Allah e o que ha nos 
ceus e na terra. Por certo, Allah e 
O Bastante a Si mesmo, O Louvavel. 

27. E, se todas as arvores, na 
terra, fossem calamos, e o mar - a 
que se estendessem, alem dele, 
sete mares -, fosse tinta de 
escrever, as palavras de Allah nao 
se exauririam. Por certo, Allah e 
Todo-Poderoso, Sabio. 

28. Vossa cria9ao e vossa 
ressurrei9ao nao sao senao como 















"f ^ I c t 'if 



9 A f ^ ^tf-^ 






^^^^Il^^l^ii 



31. Suratu Luqmdn Parte 21 579 Y > ^ji-i 



f S OUiJ djj-- 



as de uma so alma. Por certo, 
Allah e Oniouvinte, Onividente. 

29. Nao viste que Allah insere a 
noite no dia e insere o dia na noite 
e submete o sol e a lua, cada qual 
correndo ate um termo designado, 
e que Allah, do que fazeis, e 
Conhecedor? 

30. Isso, porque Allah, Ele e a 
Verdade; e porque o que invocam, 
alem dEle, e a falsidade; e porque 
Allah e O Altissimo, O Grande. 

31. Nao viste que o barco corre, 
no mar, com a gra9a de Allah, para 
Ele fazer-vos ver alguns de Seus 
sinais? Por certo, ha nisso sinais 
para todo constante perseverante, 
agradecido. 

32. E, quando os^'^ encobrem 
ondas, como dosseis, invocam a 
Allah, sendo sinceros com Ele, na 
devo9ao; entao, quando Ele os traz 
a salvo a terra, ha, dentre eles, 
que e moderado e o que e negador. 
E nao nega Nossos sinais senao 
todo perfido, ingrato. 

33.6 humanos! Temei a vosso 
Senhor e receai um dia, em que um 
pai nada quitara por seu filho nem 
um filho nada quitara por seu pai. 
Por certo, a promessa de Allah e 
verdadeira. Entao, que vos nao 

(0 Os: OS idolatras de Makkah. 



^ - 









31. Saratu Luqman Parte 21 



671 



r) ^>i 



T^ JUi3 6jj^ 



iluda a vida terrena e que vos nao 
iluda o ilusor^*\ acerca de Allah. 

34. Por certo, junto de Allah, 
esta a ciencia da Hora, e Ele faz 
descer a chuva; e sabe o que ha nas 
matrizes. E pessoa alguma se 
inteira do que lograra amanha, e 
pessoa alguma se inteira de em 
qual terra morrera. Por certo, Allah 
e Onisciente, Conhecedor. 






(Ollusor: Sata. 



32. Suratu As-Sajdah Parte 2 1 



672 



Y ) i.j^\ TY da;^-Ji d_^y^ 



SURATU AS-SAJDAH^ ^^ 
A SURA DA PROSTERNACAO 



De Makkah - 30 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Alif, Lam, MTm^^\ 

2. A revela9ao do Livro, indubi- 
tavel, e do Senhor dos mundos. 

3. Eles dizem: "Ele^^^ o forjou?" 
Nao. Mas ele e a verdade de teu 
Senhor, para admoestares um povo, 
ao qual, antes de ti, admoestador 
algum chegou, para se guiarem. 

4. Allah e Quern criou os ceus e 
a terra e o que ha entre ambos, em 
seis dias^"*^; em seguida, estabeleceu- 
Se no Trono. Nao ha, para v6s, 
alem dEle, nem protetor nem 
intercessor. Entao, nao meditais? 

5. Ele administra a ordem, do 







ij 



JW^X^^^-bt^^'^S^A 



(0 As-Sajdah: a prosterna9ao. Substantive derivado do verbo sajada. prosternar. A 
sura assim se denomina pela men9ao do ato de prosternar-se no versiculo 15. 
Alem de tratar dos assuntos de todas as suras reveladas em Makkah, esta inicia 
afirmando que o Alcorao e, indubitavelmente, de origem divina. Em seguida, 
alude a cria^ao dos ceus e da terra e as fases da cria9ao do ser humano, criticando 
a atitude dos incredulos acerca da Ressurrei9ao e refutando-lhes os argumentos. A 
seguir, refere-se a situa9ao dos culpados, no Dia do Juizo, ressaltando a diferen9a 
de recompensas, entre os malfeitores e os benfeitores. A sura, ainda, trata da 
revela9ao da Tora a Moises e do tratamento dispensado por Deus aos filhos de 
Israel. Finalmente, exorta os idolatras de Makkah a refletirem sobre o que sucedeu 
aos povos anteriores, aniquilados por sua desobediencia; a crerem na Ressurrei9ao 
e a cessarem o questionamento ironico acerca do Dia do Juizo. 

(2)Cf. II 1 n3. 

(3) Ele: Muhammad. 

(4)Cf. VII 54 nl. 



32. Suratu As-Sajdah Parte 21 



673 



r> ^^\ 



ft oJbv^i Ojj-u 



ceu para a terra; em seguida, tudo 
ascende a Ele, em um dia, cuja 
dura9ao e de mil anos, dos que 
contais. 

6. Esse e O Sabedor do invisivel 
e do visivel, O Todo-Poderoso, O 
Misericordiador, 

7. Que fez perfeita cada cousa 
que criou, e iniciou de barro a 
cria9ao do ser humano. 

8.- Em seguida, fez-ihe a 
descendencia da quintessencia de 
gota d'agua^^^ desprezivel - 

9. Em seguida, formou-o, e, 
nele, soprou algo de seu espirito. E 
vos fez o ouvido e as vistas e os 
cora96es. Quao pouco agradeceis! 

10. E dizem^^^: "Se nos sumirmos 
na terra^'^^ tornar-nos-emos, por 
certo, em nova cria9ao?" Eles, 
alias, sao renegadores do deparar 
de seu Senhor. 

U.Dize: "O Anjo da Morte, 
encarregado de vos, levar-vos-a as 
almas; em seguida, a vosso Senhor 
sereis retornados." 

12. E se tu visses quando os 
criminosos estiverem cabisbaixos. 



^^x^\5Ja2^^\ 



SJO^liV^^Jjitj^iilSS 



9^^ ^ -J*, 'ft -^^ 

j*ija\^ ^c3^cP 5"^^ 5 jJ^ 



D^jyiPJ^j 






(0 Referenda ao semen, liquido fecundante. 
(2) Ou seja, "dizem os idolatras de Makkah". 

0) Ou seja, OS idolatras querem saber se, depois de se tornarem p6, misturados ao p6 
da terra, poderao, mesmo assim, ressurgir. 



32. Suratu As-Sajdah Parte 21 



674 



T ) ^j^\ TT fiJb^^i 5jj-*> 



junto de seu Senhor! Dirao: "Senhor 
nosso! Enxergamos e ouvimos^^\ 
Entao, faze-nos retomar a terra, nos 
faremos o bem; por certo, estamos 
convictos da Ressurrei9ao." 

13. E, se quisessemos, haveria- 
mos concedido a cada alma sua 
orienta9ao. Mas cumpre-se o Dito 
vindo de Mim: "Encherei a Geena 
dos jinns e dos homens, deles todos!" 

14. Dir-se-lhes-a: "Entao, experi- 
mentai o castigo, porque esqueces- 
tes o deparar deste vosso dia; por 
certo, Nos, tambem, vos esquece- 
mos. E experimentai o castigo da 
etemidade, pelo que fazieis." 

15. Apenas, creem em Nossos 
versiculos os que, ao Ihes serem estes 
lembrados, caem, em prostemafao, 
e glorificam, com louvor, a seu 
Senhor, e nao se ensoberbecem. 

16. Seus flancos apartam-se dos 
leitos, enquanto suplicam a seu 
Senhor, com temor e aspira9ao, e 
despendem do que Ihes damos por 
sustento. 

17. E nenhuma alma sabe o que 
Ihes e oculto do alegre frescor dos 
olhos, em recompensa do que 
faziam. 






* i'-jii 






?'t V 






C I ^ 



^ OyCL^o^c^Uj 









(0 No momento do Julgamento, os criminosos se darao conta da veracidade da 
promessa divina e dirao: "Vemos, agora, que ela e verdadeira e estamos ouvindo, 
de Deus, a confirma9ao da mensagem divina". 



32. Suratu As-Sajdah Parte 21 



675 



r> ^>i 



Tt oJb^-Ji ojj--» 



18. Entao, quern e crente e 
como quern e perverso? Nao, nao 
se igualam. 

19. Quanto aos que creem e 
fazem as boas obras, terao, por 
hospedagem, os Jardins de Al- 
Ma'wa^ , pelo que faziam. 

20. E, quanto aos que foram 
perversos, sua morada sera o Fogo. 
Cada vez que desejarem sair dele, 
a ele fa-los-ao regressar, e se Ihes 
dira: "Experimentai o castigo do 
Fogo, que desmentieis." 

21. E, em verdade, fa-los-emos 
experimentar algo do castigo 
menor, antes do castigo maior^^ 
para retornarem. 

22. E quern mais injusto que 
aqueie a quern sao iembrados os 
versiculos de seu Senhor, em 
seguida, da-lhes de ombros? Por 
certo, vingar-Nos-emos dos crimi- 
nosos. 

23. E, com efeito, concedemos o 
Livro a Moises; entao, nao estejas 
em contesta9ao acerca de seu 
encontro^^\ E fizemo-lo^^^ orienta9ao 



Mo^tyiolTo^l 












( ^ ) Segundo a exegese do Alcorao, sao Jardins situados ou a direita do Trono de Deus, 
ou no setimo ceu. 

(2) Estes tormentos referem-se, respectivamente, ao castigo terreno (a escravidao ou a 
morte) e ao castigo do Dia do Juizo. 

(3) Seu encontro: o encontro de Moises com Muhammad, tal como ocorreu, durante 
al-Mi^raj, a viagem noturna do Profeta, segundo alguns comentaristas; segundo 
outros, seria o encontro de Moises com o Livro. 

(4) Lo: Livro, segundo alguns exegetas; ou Moises, segundo outros. 



32. Suratu As-Sajdah Parte 21 



676 



Y> t>i rr oo^n-Ji ojj^ 



para os filhos de Israel. 

24. E fizemos deles proceres, 
que guiaram os homens, por Nossa 
ordem, quando pacientaram. E eles 
se convenciam de Nossos sinais. 

25. Por certo, teu Senhor decidira, 
entre eles, no Dia da Ressurrei^ao, 
naquilo de que discrepavam. 

26. E nao Ihes sao notorias 
quantas gera^oes aniquilamos, 
antes deles, por cujas vivendas 
andam, agora? Por certo, ha nisso 
sinais. Entao, nao ouvem eles a 
exorta^ao de Allah? 

27. E nao viram que Nos 
conduzimos a agua a terra arida e, 
com ela, fazemos sair searas, de 
que seus rebanhos comem, e eles^^^ 
mesmos? Entao, nao o enxergam? 

28. E dizem: "Quando sera esta 
senten9a, se sois veridicos?" 

29. Dize: "No Dia da Senten^a, 
nao beneficiara aos que renegam a 
Fe sua cren9a nem se Ihes concedera 
dila^ao." 

30. Entao, da-lhes de ombros e 
espera; por certo, eles, tambem, 
estao esperando. 






%^}A^. 












(0 Eles: OS idolatras. 



33. Suratu Al-'Ahzab Parte 2 1 



677 



Y > ^j^\ rr oij^^i oj^ 



SURATU AL-'AHZAB^^^ 
A SURA DOS PARTIDOS 



De Al Madinah - 73 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misehcordioso, O Misericordiador. 

1. 6 Profeta! Teme a Allah e 




^,^0^"^^ 



-^ 



jtJfl^Ni^^o^^csr^^ '^^ 



(0 Al 'Ahzab: plural de hizb, que significa uma coliga^ao, cujos membros perseguem 
OS mesmos objetivos. Assim se denomina a sura, pela men9ao dessa palavra nos 
versiculos 20 e 22. Esse vocabulo passou a ter esta acep9ao entre os anos IV e V 
da Hegira (cerca de 626 da Era crista), quando os judeus, habitantes de Al 
Madinah, entreviram no Islao, a nova religiao, iminente amea9a ao prestigio 
religioso e social, que gozavam nesta cidade, e conseqiiente enfraquecimento de 
seu poder, junto da nova organiza9ao da sociedade arabe emergente, liderada pelo 
Profeta Muhammad. A questao tornou-se mais preocupante, quando o grande 
sabio judaico, Abdullah Ibn Salam, se converteu ao Islao, atraindo para si outros 
confrades. Foi, entao, que os judeus de Al Madinah se decidiram pela aniquila9ao 
de Muhammad, cujo credo se propagava nao so por esta cidade, mas por outras 
regioes, fora dela. Para tanto, passaram a reunir, em partidos, as tribos arabes da 
Peninsula Arabica, o que nSo foi diflcil, pela oposicao que alimentavam contra o 
Profeta. Citem-se, entre elas, as tribos de Catalan, Kinanah, Tihamah e Quraich. E 
rumaram, todas elas, a Al Madinah, e sitiaram-na, nos arredores, pois os fossos de 
defesa, abertos por ordem do Profeta, impediam-nas de avan9arem dentro dela. 
Enquanto isso, os judeus da cidade rompiam o pacto de coexistencia pacifica, que 
haviam firmado com o Profeta. Consequentemente, a situa9ao dos moslimes 
periclitou, ja que sediados pelo inimigo, dentro e fora da cidade. Entrementes, 
pouco antes de os partidos atacarem o Profeta, ocorreu forte vento, acompanhado 
de implacavel onda de frio, que veio a tumultuar a organiza9ao dos partidos, 
arrancando-lhes as tendas armadas, exterminando-lhes as fogueiras, destro9ando- 
Ihes OS pertences. Inermes, debandaram, em dire9ao a seus lugares de origem. 
Desta feita, malogrou a insidia dos judeus, que, sem a colabora9ao partidaria dos 
arabes, nao puderam combater o Profeta e seus proselitos. Esta sura se inicia pela 
exorta9ao do Profeta a nao obediencia aos incredulos e aos hipocritas. Alude, a 
seguir, a questao da ado9ao de filhos e de como proceder, neste caso. Trata, ainda, 
do avan90 dos Partidos ate Al Madinah, do temor que a tempestade suscitou nos 
moslimes, da salva9ao dos crentes. Determina, ademais, as regras eticas, que 
devem seguir as mulheres; anula a proibi9ao de o homem casar-se com a mulher 
de seu filho adotivo, o que nao era permitido na sociedade arabe pre-islamica; 
estabelece regras de acesso dos crentes a casa do Profeta, para as refei96es; faz 
referenda a Hora Final e as afli96es experimentadas neste momento; aconselha os 
crentes a temerem a Deus e a serem verazes. Finalmente, a sura salienta a 
ignorancia do ser humano, que, havendo aceitado os mandamentos divinos, nao 
soube cumpri-los, com vigor. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 21 



678 



r ) ^j^\ rr oij^V) ojj^ 



nao obedefas aos renegadores da 
Fe e aos hipocritas. Por certo, 
Allah e Onisciente, Sabio. 

2. E segue o que te e revelado 
de teu Senhor. Por certo, Allah, do 
que fazeis e Conhecedor. 

3. E confia em Allah. E basta 
Allah por Patrono. 

4. Allah nao fez em homem 
algum dois corafoes^*^ em seu 
peito. E nao fez de vossas 
mulheres, que repudiais com az- 
ziha/^\ vossas maes. E nao fez de 
vossos filhos adotivos^^^ vossos 






-»^ G- 






^^^^J^^i^^^^^t^cSj 



(0 Dois cora^oes: duas atitudes contraditorias. Esta sura refuta a dubia atitude dos 
hipocritas, que professam a cren^a e a descren^a, concomitantemente. Em outras 
palavras, e inadmissivel que coexistam, no cora9ao, o certo e o errado. Assim, errado 
e divorciar-se de suas mulheres, com o pretexto de que sao como suas maes; e 
errado e considerar o filho adotivo como filho legitimo, segundo o mesmo versiculo. 

(2) Az-zihar, infinito de z9hara, repudiar, de modo especifico; derivado de zahr. 
costas: modalidade de repudio conjugal, adotada pela comunidade arabe pre- 
islamica, a qual consistia em o homem dizer a sua mulher que ela Ihe era como as 
costas de sua propria mae, o que valia dizer que ele e ela ja nao poderiam unir-se 
carnalmente. 

(^) Referenda a Zaid Ibn Harithah, escravizado, ainda pequeno, por epoca do ataque 
de algumas tribos pre-islamicas. Pertencia a Khadljah, primeira mulher do Profeta, 
a quern ela o doou. Com o advento do Islao e das leis de justi^a social, que com 
ele chegaram, o pai de Zaid foi ate o Profeta, para reivindicar-lhe o filho. O 
Profeta dirigiu-se, entao, a Zaid e pediu-lhe que optasse por ele ou pelo pai 
legitimo. O rapaz decidiu-se por ficar com o Profeta, que, logo, o alforriou e o 
tomou, nao mais por escravo, mas por filho adotivo. Desde entao, ele passou a 
chamar-se Zaid Ibn Muhammad. Mas, o versiculo veio para advertir Muhammad e 
OS crentes de que o filho adotivo nao e como o filho legitimo nem deve receber 
outro nome que o de sua familia legitima. Segundo o Islao, a questao da ado^ao e 
antinatural, pois rompe o vinculo natural com a familia de origem; obsta ao filho 
adotivo o acesso a heran^a, em a havendo, deixada pelos pais legitimos, e atenta 
contra a natureza, ameagando a procria^ao, por induzir a ado^ao, e nao a gesta^ao 
natural. 



33. Suratu Al-'Ahzab Parte 2 1 



679 I t \ ^>i rr ^\y^H\ oj^ 



filhos verdadeiros. Isto^'^ e o dito 
de vossas bocas. E Allah diz a 
verdade, e Ele guia ao caminho reto. 

5. Chamai-os pelos nomes de 
seus pais^ . isso e mais equitativo, 
perante Allah. E, se nao conheceis 
seus pais, eles serao vossos irmaos, 
na religiao, e vossos aliados. E nao 
ha culpa, sobre v6s, em errardes, 
nisso, mas no que vossos cora96es 
intentam. E Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

6. Profeta tem mais preva- 
lencia sobre os crentes que eles 
mesmos nao tem entre si. E suas 
mulheres^"^^ sao suas maes. E os^"^^ 
de la9os consangtiineos tem, na 
sucessao, mais prevalencia sobre 
OS la90s que unem os crentes de 
Al-Madinah e os emigrantes de 
Makkah, segundo o Livro de Allah, 
a menos que queirais fazer um 
favo/^^ a vossos aliados. Isso esta 
inscrito no Livro. 

7. E quando firmamos a alian9a 
com OS profetas, e contigo e com 
Noe e com Abraao e com Moises e 















(0 Referenda a questao dos filhos adotivos, ja mencionada na nota anterior. 

(2) Ou seja, filho deve receber o nome do pai legitimo, e nSo o do adotivo. 

(3) Ou seja, as mulheres do Profeta. Entenda-se que e dever dos crentes respeitarem as 
mulheres do Profeta e as venerarem como se fossem suas proprias maes, ficando- 
Ihes, portanto, vedado casarem-se com elas. 

Wcf VIII 75 n3. 

(5) Alusao ao testamento, que se faz nesta circunstancia, quando o herdeiro nao e 
aparentado. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 21 



680 



Y \ t>l ft Vlj:^*ii 5j>- 



com Jesus, filho de Maria. E 
firmamos solida alian9a com eles, 

8. Para que Ele interrogasse os 
veridicos acerca de sua verdade^^\ 
E Ele preparou para os renegadores 
da Fe doloroso castigo. 

9. 6 vos que credes! Lembrai-vos 
da grafa de Allah para convosco, 
quando um exercito vos chegou, 
entao, enviamos contra eles um 
vento e um exercito de anjos, que 
nao vistes - E Allah, do que fazeis, 
e Onividente - 

10. Quando eles vos chegaram, 
por cima de vos^^^ e por baixo de 
vos, e quando as vistas se vos 
desviaram de terror, e os cora96es 
vos chegaram as gargantas, e 
pensastes, acerca de Allah, 
pensamentos^"^^ varios, 

11. Ai, entao, os crentes foram 
postos a prova e estremecidos por 
veemente estremecimento. 

12. E, quando os hipocritas e 
aqueles, em cujos cora96es ha 
enfermidade, disseram: "Allah e seu 



L^Jf i;aiLwa^>4^^ ^^jj>^ 

^\ AUi l^i\ )^\i ci^^Q^t? 









(0 Sua verdade: a Mensagem, de cuja transmissao foram encarregados os profetas, e 

sua aceita^ao ou nao, por seus povos. 
(2) A tribo de Gatafan vinha de Najd, a nordeste da Peninsula Arabica; por outro lado, 

a tribo de Quraich vinha do sudoeste da Peninsula. 
(^) Entre os moslimes, havia os de fe ardorosa, os de fe debil e os de fe dubia; 

portanto, nada mais logico que, diante do ataque inimigo e da iminente morte, 

cada qua] reagisse de maneira diferente: uns pensavam na vitoria, outros, na 

derrota e, outros, ainda, na aniquila^ao total dos moslimes. 



33. Suratu Al-'Ahzab Parte 21 



681 



1 y ^j^i rr <^\j^H\ 5^^ 



Mensageiro nao nos prometeram 
senao Falacias." 

13. E, quando uma hoste, dentre 
eles, disse: "6 povo de Yathrib^^^! 
Nao ha lugar para vossa per- 
manencia aqui; entao, retornai." E 
um grupo deles pediu permissao ao 
Profeta, para retornar, dizendo: 
"Por certo, nossas casas estao 
indefesas", enquanto nao estavam 
indefesas. Eles nao desejavam 
senao uma fuga. 

14. E, se nela^^^ entrassem, por 
todas suas imedia96es, estando 
eles^^^ ai; em seguida, se Ihes fosse 
pedida a sedi9ao^^\ have-la-iam 
concedido, e nela nao haveriam 
permanecido senao um pouco. 

15. E, com efeito, pactuavam, 
antes, com Allah que nao 
voltariam costas aos inimigos. E o 

pacto com Allah sera questionado. 

16. Dize: "a fuga nao vos 
beneficiaria, se fugisseis de morrer 
ou de ser mortos em combate; e, 
nesse caso, nao vos fariam gozar 
senao um pouco." 

17. Dize: "Quem e que vos 
defende de Allah, se Ele vos deseja 















(0 Yathrib: o nome original da cidade de Al Madlnah. 

(2) Nela: a cidade de Yathrib. 

(3) Eles: OS hipocritas. 

(4) Alusao ao retorno a idolatria e ao combate dos moslimes, sugerido pelos partidos 
adversarios do Islao. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 2 1 



682 



Y \ ^>i rr ^1 j^j-^i 5j>^ 



um mal, ou se Ele vos deseja 
misericordia?" E eles nao 
encontrarao, para si, alem de Allah, 
nem protetor nem socorredor. 

18. Com efeito, Allah conhece 
OS desalentadores, dentre vos, e os 
que dizem a seus irmaos: "Vinde a 
nos!" Enquanto eles nao vao a 
guerra, senao poucos, 

19. Sendo avarentos^^\ em 
rela9ao a vos. E, quando o medo 
Ihes chega, tu os ves olhar para ti: 
revolvem-se-lhes os olhos como os 
de quem e desfalecido pela morte. 
E, quando o medo^^^ se vai, eles 
vos injuriam com afiadas linguas, 
sendo avarentos, em rela9ao ao 
bem^^\ Esses nao creem: entao, 
Allah anulara suas obras. E isso 
para Allah e facil. 

20. Supunham que os partidos 
nao houvessem ido embora. E, se 
OS partidos chegassem novamente, 
almejariam estar, no deserto, entre 
OS beduinos, perguntando por 
vossos informes. E, se estivessem 
entre vos, nao combateriam senao 
um pouco. 

21.- Com efeito, ha, para vos, 
no Mensageiro de Allah, belo 



^^>ji 






fl^^^ <? 



V^) 4^1 u^j \\y^ oCXfi^ 



(0 Os hipocritas, alem de nao auxiliarem os crentes na escava^ao dos fossos de 

defesa, negavam-lhes, ainda, qualquer outro auxilio. 
(2) Com a aproxima^ao dos inimigos, os hipocritas sentem medo de combate-los. 
(^) Bern: os espolios ambicionados, cada vez mais, pelos hipocritas. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 2 1 



683 



T ) ^>i rr <r^\y^H\ 5j>-» 



paradigma, para quern espera em 
Allah, e no Derradeiro Dia, e se 
lembra amiude de Allah. - 

22. E, quando os crentes viram 
aos partidos, disseram: "Isto e o 
que Allah e Seu Mensageiro nos 
prometeram, e Allah e Seu 
Mensageiro disseram a verdade." 
E isso nao Ihes acrescentou senao 
fe e submissao. 

23. Dentre os crentes, ha homens 
que cumpriram o que haviam 
pactuado com Allah. Entao, dentre 
eles, houve quem cumprisse seu 
voto^^l E, dentre eles, ha quem 
espere. E nao mudam mudanfa 
alguma. 

24. Foi ordenado o combate 

para que Allah recompensasse aos 
veridicos, por sua veracidade, e 
castigasse os hipocritas, se quisesse, 
ou Se voltasse para eles. Por certo, 
Allah e Perdoador, Misericordiador 

25. E Allah fez voltar os que 
renegam a Fe, com seu rancor: eles 
nao alcan^aram bem algum. E Allah 
resguardou os crentes do combate. 
E Allah e Forte, Todo-Poderoso. 

26. E Ele fez descer, de suas 
fortifica9oes^^\ os que, dentre os 





















(U Cumprir o voto: morrer, como martir, ou cumprir, ate o fim, seu dever no campo 

de batalha, junto ao Profeta. 
(2) Alusao ao episodio da tribo judaica Banu Quraizah, que havia rompido o pacto de 

coexistencia pacifica com o Profeta, quando os partidos assediaram Al MadTnah. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 21 



684 I ^ > ^>' ^^ v'j^^' 5j^ 



seguidores^^^ do Livro, os^^^ 
auxiliaram, e lan90u-lhes o terror 
nos cora9oes. A um grupo, matastes, 
e a outro grupo, escravizastes. 

27. E fez-vos herdar suas terras 
e seus lares e suas riquezas e 
terra^"^^ outra que nunca havieis 
pisado. E Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente. 

28.6 Profeta! Dize a tuas 
mulheres: ''Se estais desejando a 
vida terrena e seus ornamentos^'^\ 
vinde que vos mimosearei e vos 
libertarei, com bela liberdade. 

29. "E, se estais desejando a 
Allah e a Seu Mensageiro e a 
Derradeira Morada, por certo, 
Allah preparou para as benfeitoras, 
dentre vos, magnifico premio." 









Ocorreu que, no dia seguinte a derrota dos partidos, os moslimes retornaram a 
cidade, para deporem as armas, mas o anjo Gabriel chegou ao Profeta e disse-lhe: 
"6 Mensageiro de Deus, os anjos, ainda, nao depuseram as armas, e Deus ordena 
que te dirijas aos Banu Quraizah". E, assim, o Profeta e os crentes foram a eles e 
assediaram-nos por vinte e cinco dias, ate que, nSo suportando mais o assedio 
quiseram ver-se livres dele. O Profeta propos-lhes aceitarem-no por juiz, o que 
recusaram; entao, propos-lhes aceitarem a Sa^d Ibn Mu^az (ex-chefe da tribo 
Quraizah, o qual se convertera ao Islao), ao que aquiesceram. E Sa^d sentenciou os 
combatentes a morte, e as crian^as e as mulheres, a escravidao. E, assim, aconteceu. 

(0 Seguidores do Livro: os judeus. 

(2) Os: OS partidos. 

(^) Alusao as terras da tribo Khaibar, conquistadas apos as de Quraizah. 

(4) Quando algumas das mulheres do Profeta passaram a exigir-lhe mais vestes e 
adornos, enciumadas que estavam em rela^ao a outras, foi revelado este versiculo, 
para que o Profeta as advertisse da importancia dos bens espirituais sobre os 
materials, e para que elas escolhessem entre viver, sobriamente, com o Profeta, e, 
assim, ganharem seu galardao na vida eterna, ou dele se separarem, pelo divorcio, 
e se entregarem a vida mundana. Ocorreu, entao, que todas optaram pela vida 
junto ao Profeta. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



685 



y y ^j^\ rr i^\jP^H\ s^j^ 



30.6 mulheres do Profeta! A 
quern de vos cometer obscenidade^*\ 
duplicar ser-lhe-a o castigo, em 
redobro. E isso, para Allah, e facil. 

31. E a quern de vos se devota a 
Allah e a Seu Mensageiro, e faz o 
bem, conceder-lhe-emos seu premio 
duas vezes, e Ihe prepararemos 
generoso sustento. 

32. 6 mulheres do Profeta! Nao 
sois iguais a nenhuma das outras 
mulheres, se sois piedosas. Entao, 
nao mostreis sedu9ao no dito; pois 
aquele, em cujo cora9ao ha 
enfermidade^^^, aspirar-vos-ia; e 
dizei dito conveniente. 

33. E permanecei em vossas 
casas, e nao fa9ais exibi9ao de 
vossos encantos corporals como a 
exibi9ao dos idos Tempos da 
Ignorancia^^\ E cumpri a ora9ao e 
concedei az-zakah^'*^ e obedecei a 
Allah e a Seu Mensageiro. Apenas, 
Allah deseja fazer ir-se, para 
longe de vos, a abomina9ao, 6 
familia da Casa^^\ e purificar-vos 
plenamente. 









^^ ^ ^s^ ^ ^ 



( ^ ) Todos OS graves delitos de conduta. 

(2) Enfermidade: anseio erotico. 

(3) Tempos da Ignorancia ou Al Jahiliyah: os tempos anteriores ao advento do 
Islao, quando os costumes beiravam tamanha libertinagem, que as mulheres, por 
exemplo, chegavam a circular pelos camlnhos, quase desnudas, exibindo seus 
encantos fisicos, como meio explicito de seduzir os homens. 

(4)CfII43n4. 

(5) Familia da Casa: no versiculo, refere-se, especificamente, as mulheres do Profeta. 



33. Suratu Al-'Ahzab Parte 22 



686 I ^^ ^>» rr^\j^'i\ojy. 



34. E lembrai-vos do que se 
recita, em vossas casas, dos 
versiculos de Allah e da Sabedoria^^l 
Por certo, Allah e Sutil, Conhece- 
dor. 

35. Por certo, aos moslimes e as 
moslimes, e aos crentes e as 
crentes, e aos devotos e as devotas, 
e aos veridicos e as veridicas, e aos 
perseverantes e as perseverantes, e 
aos humildes e as humildes, e aos 
esmoleres e as esmoleres, e aos 
jejuadores e as jejuadoras, e aos 
custodios de seu sexo^^^ e as 
custodias de seu sexo, e aos que se 
lembram amiiide de Allah e as que 
se lembram amiude dEle, Allah 
preparou-lhes perdao e magnifico 
premio. 

36. E nao e admissivel a crente^^^ 
algum nem a crente alguma - 
quando Allah e Seu Mensageiro 
decretam uma decisao -, que a 
escolha seja deles, por sua propria 
decisao. E quem desobedece a 
Allah e a Seu Mensageiro, com 
efeito, se descaminhara com evidente 
descaminho. 











^ tl^J^^-V^'^^Lili:^^ 






(0 Trata-se de As-Sunnah: a fala do Profeta. 

(2) Cf. XXIII 5 n2. 

(3) Alusao a Abdullah Ibn Jahch e a sua irmS, Zainab, com quem o Profeta quis casar 
seu filho adotivo. Ambos a isso reagiram, uma vez que desejavam o casamento 
com Profeta e nSo com seu filho adotivo. O versiculo adverte que a vontade do 
Profeta e um decreto de Deus, e, sendo assim, e inquestionavel. Portanto, Zainab, 
fmalmente, se casou com Zaid. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



687 I T r .>! rr v^ij;-Sii Sj^ 



37, E lembra-te, Muhammad, 

de quando disseste a quem^^^ Allah 
agraciou e tu agraciaste: "Retem^^^ 
tua mulher contigo, e teme a 
Allah", enquanto escondias em teu 
amago o que Allah te estava 
mostrando, e receavas os homens, 
enquanto Allah e mais Digno de 
que O receies. Entao, quando Zaid 
satisfez seu desejo de estar com 
ela, fizemo-te com ela casar, para 
que nao houvesse, sobre os crentes, 
constrangimento em relagao as 
mulheres de seus filhos adotivos, 
quando estes satisfazem seu desejo 
de estar com elas. E a ordem de 
Allah deve ser cumprida. 

38, Nao deve haver, sobre o 
Profeta, constrangimento algum, em 
relagao ao que Allah Ihe preceituou. 
Assim, foi o procedimento de 
Allah com os que passaram^"^\ 
antes - e a ordem de Allah e 
decreto predeterminado - 

39,0s que transmitiram as 
Mensagens de Allah e O recearam, 
e nao recearam a ninguem senao a 
Allah. E Allah basta por Ajustador 
de contas. 



(j^iiilj J^l^Jl ^^i^ Ajjdi 

J^ ^ Joj ^ Ul3 AUJ^O^ 









0) Alusao a Zaid, que foi agraciado duplamente: por Deus, com o Islao, e, pelo 

Profeta, com a alforria. 
(2) Assim, disse o Profeta a Zaid, quando este manifestou-lhe o desejo de separar-se 

da mulher, alegando que ela era soberba com ele, em virtude do prestigio que 

gozava a familia dela, em rela^ao a sua. 
(^) Ou seja, OS mensageiros, aos quais Deus permitiu o casamento que nao apresentasse 

impedimento. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



688 yy^j^\ rr <^\j:-H\6j^ 



40. Muhammad nao e pai de 
nenhum de vossos homens, mas o 
Mensageiro de Allah e o selo^^^ dos 
Profetas. E Allah, de todas as 
cousas, e Onisciente. 

41.6 vos que credes! Invocai a 
Allah abundantemente. 

42. E glorificai-0, ao alvorecer 
e ao entardecer. 

43. Ele e Quem vos aben9oa, e, 
tambem, Seus anjos, para fazer- 
vos sair das trevas para a Luz. E 
Ele, para com os creates, e 
Misericordiador. 

44. A sauda9ao a estes, um dia, 
quando O depararem sera: "Salam!" 
Paz! E Ele ja Ihes preparou 
generoso premio. 

45.6 Profeta! Por certo, 
enviamo-te por testemunha e 
alvissareiro e admoestador, 

46. E convocador de Allah, com 
Sua permissao, e luzeiro luminoso. 

47. E alvissara aos crentes que 
terao de Allah grande favor. 

48. E nao obede9as aos 
renegadores da Fe e aos hipocritas, 
e nao prestes atenfao a sua 
molestia e confia em Allah. E 
basta Allah, por Patrono. 






'Mi^S\p\icj3^k 



^ ^^Wl> ?^ ifSr^ 












B<L^j^k 



(0 Ou seja, Muhammad e o ultimo dos Profetas. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



689 I ^ ^ ^>' ^^ v'ij^Sfi dj>- 



49.6 vos que credes! Quando 
esposardes as crentes, em seguida, 
delas vos divorciardes, antes de as 
tocardes, nao Ihes impendera prazo 
de espera^^\ Entao, mimoseai-as e 
libertai-as, com bela liberdade. 

50. 6 Profeta! Por certo, tomamos 
licitas, para ti, tuas mulheres, as 
quais concedeste seus premios; e 
as escravas que possuis, entre as 
que Allah te outorgou, em espolio; 
e as filhas de teu tio patemo e as 
filhas de tuas tias patemas, e as 
filhas de teu tio matemo e as filhas 
de tuas tias matemas, que emigraram 
contigo; e toda mulher crente, caso 
dadive o Profeta com si mesma, se 
o Profeta deseja esposa-la, sendo- 
te^^^ isto privilegio, com exclusao 
dos demais crentes - com efeito, 
sabemos^"^^ o que Ihes preceituamos 
em rela9ao a suas mulheres e as 
escravas que possuem - para que 
nao haja constrangimento, sobre ti. E 
Allah e Perdoador, Misericordiador. 

Sl.Podes preterir a quem 
quiseres, entre elas, e aconchegar a 
ti a quem quiseres. E, se buscas 















(^) Prazo de espera e a ^Iddah, que: corresponde ao periodo de espera, que a mulher 
divorciada deve observar, para poder casar-se novamente. Vide II 23 1 nl . 

(2) O casamento do Profeta com uma mulher que o dadiva com ela, sem receber al 
mahr, e privilegio do Profeta, sendo vedado aos outros crentes. 

(3) Isto significa que Deus sabe o que convem aos crentes, no casamento, ou seja, que 
podem OS crentes casar-se ate com quatro mulheres, concomitantemente. O 
casamento deve ser presenciado por testemunhas, sendo obrigatorio o pagamento 
de al mahr. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



690 I ^ ^ ^>' ^^ c^l j:^^i 5j^ 



uma, entre as que afastaste, nao 
havera culpa sobre ti. Isso e mais 
adequado, para que se Ihes 
refresquem os olhos de alegria e 
nao se entriste9am elas, e se 
agradem todas do que Ihes 
concedes. E Allah sabe o que ha 
em vossos cora9oes. E Allah e 
Onisciente, Clemente. 

52. Depois disso, nao te serao 
licitas as outras mulheres nem te 
sera licito troca-las por outras 
esposas ainda que te admire sua 
beleza, exceto no que tange as 
escravas que possuis. E Allah, 
sobre todas as cousas, e Observante. 

53.6 vos que credes! Nao 
entreis nas casas do profeta - a 
menos que vo-Io seja permitido - 
para uma refei9ao, sem esperardes 
por seu tempo^'^ de prepare; mas, 
se sois convocados, entrai; entao, 
quando vos houverdes alimentado, 
espalhai-vos^^\ e nao vos recreando 
em conversa9oes. Por certo, isso 
molestava o Profeta, e, ele se peja 
de ter de fazer-vos sair. E Allah 
nao Se peja da verdade. E, se Ihes^"^^ 
perguntais por algo, perguntai-lhes. 












(0 Este versiculo foi revelado a um grupo de oportunistas, que adentravam as casas 
do Profeta, para, nelas, fazerem suas refeigoes. Ocorria que chegavam tao cedo, 
que tinham de esperar, horas a fio, pelo preparo delas. O versiculo se insurge 
contra esta espera, constrangedora para os moradores das casas. 

(2) Espalhai-vos: deixai as casas do Profeta, apos o termino das refeigoes. 

0) Lhes: as mulheres do Profeta. 



33. Saratu AI-'Ahzab Parte 22 



691 



T Y ^j^\ rr <r'^y'i\ ijj^ 



por tras de um veu. Isso e mais puro 
para vossos corafoes e os cora96es 
delas. E nao e admissivel que 
molesteis o Mensageiro de Allah 
nem esposeis jamais suas mulheres, 
depois dele. Por certo, isso, perante 
Allah, e formidavel pecado. 

54. Se mostrais uma cousa, ou a 
escondeis, por certo, Allah, de 
todas as cousas, e Onisciente. 

55. Nao ha culpa sobre elas, em 
estarem sem veu diante de seus 
pais ou de seus filhos ou de seus 
irmaos ou dos filhos de seus 
irmaos ou dos filhos de suas irmas 
ou de suas mulheres^'^ ou dos 
escravos que possuem. E temei a 
Allah. Por certo, Allah, de todas as 
cousas, e Testemunha. 

56. Por certo, Allah e Seus anjos 
oram^^^ pelo Profeta. 6 vos que 
credes! Orai por ele e saudai-o, 
permanentemente ; 

57. Por certo, aos que molestam^"^^ 
a Allah e a Seu Mensageiro, Allah 
amalidi9oa-os, na vida terrena e na 
Derradeira Vida, e preparou-lhes 
aviltante castigo. 












cpy)C^ 



(OCf. XXIV 31 P569nl. 

(2) A ora^ao de Allah: confere misericordia. 

A ora^ao dos anjos: pede ben^ao divina. 
0) Alusao a recriminavel atitude dos descrentes, que afirmavam nao so que a mao de 

Deus "esta atada" (vide V 64); que Deus, certamente, e um dos tres da Trindade 

(of. V 73); que Deus tomou para Si um filho (of. II 116), mas que Seu 

Mensageiro e magico, poeta, louco e adivinho. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



692 



Y Y ^^\ rr ^\y-H\ oj^ 



58. E OS que molestam os crentes 
e as crentes, sem que nada de mal 
estes hajam cometido, com efeito, 
sobrecarregar-se-ao com infamia e 
evidente pecado. 

59.6 Profeta! Dize a tuas 
mulheres e a tuas filhas e as 
mulheres dos crentes que se 
encubram em suas roupagens. Isso 
e mais adequado, para que sejam 
reconhecidas e nao sejam 
molestadas. E Allah e Perdoador, 
Misericordiador. 

60. Em verdade, se os hipocritas 
e aqueles, em cujos cora9oes ha 
enfermidade, e os propagadores^^^ 
de boatos em Al-Madlnah nao se 
abstem de seus maus ditos, a9ular- 
te-emos contra eles; em seguida, 
nao te avizinharao, nela, senao por 
pouco tempo, 

61. Amaldi9oados. Onde quer 
que se acharem serao apanhados e 
mortos inexoravelmente. 

62. Assim, foi o procedimento de 
Allah com os que passaram, antes. 
E nao encontraras, no procedimento 
de Allah, mudan9a alguma. 

63. Os homens perguntam-te 
pela Hora. Dize: "Sua ciencia esta, 



JUl3 



^i^Wi>.yi5 



ii i^di=\ U J^^^\j 













^:^L^iy4b 









(0 Aiusao a um grupo de hipocritas, que divulgou pessimas noticias acerca das 
expedi9oes militares do Profeta, alegando que foram derrotadas, e mortos seus 
integrantes, objetivando, com isso, desalentar os crentes. 



33. Suratu AI-'Ahzab Parte 22 



693 



T t t>i rr ^\jP^^\ oj^ 



apenas, junto de Allah." E o que te 
faz inteirar-te de que a Hora, 
talvez, esteja proxima? 

64. Por certo, Allah amaldi90ou 
OS renegadores da Fe, e preparou- 
Ihes um Fogo ardente. 

65. Nele, serao etemos, para todo 
o sempre. Eles nao encontrarao 
nem protetor nem socorredor. 

66. Um dia, quando Ihes forem 
reviradas as faces no Fogo, dirao: 
"Quern dera houvessemos obedecido 
a Allah e houvessemos obedecido 
ao Mensageiro!" 

67. E dirao: "Senhor nosso! Por 
certo, obedecemos a nossos senhores 
e a nossos magnates: entao, eles 
descaminharam-nos do caminho 
reto. 

68. "Senhor nosso! Concede-lhes 
o redobro^'^ do castigo, e amaldi9oa- 
os, com grande maldifao." 

69. vos que credes! Nao sejais 
como OS que molestaram^^^ a 
Moises; entao, Allah absolveu-o 
do que disseram. E ele era 
honoravel, perante Allah. 

70. vos que credes! Temei a 
Allah, e dizei, sempre, dito 
adequado. 









^tr;Sj^^^\^^m\2p\)^j 



* -i 



^^LaJSII \j^^ 



7-* 



)^x^\\ 















( Ou seja, um dobro por se extraviarem, e um dobro por haverem extraviado os demais. 

(2) Alusao aos que tentaram, por difama^oes, diminuir o valor do profeta Moises, ora 

atribuindo-lhe anomalias flsicas, ora acoimando-o de relacionar-se com meretrizes. 



33. Saratu AI-'Ahzab Parte 22 



694 I 1 1 ^>i rr ^\j9^H\ ijy^ 



71. Ele vos emendara as obras e 
vos perdoara os delitos. E quern 
obedece a Allah e a Seu 
Mensageiro, com efeito, triunfara, 
com magnifico triunfo. 

72. Por certo, Nos expusemos a 
responsabilidade^*^ aos ceus e a 
terra e as montanhas; entao, 
recusaram encarregar-se dela, e, 
dela, se atemorizaram, enquanto o 
ser humano encarregou-se dela. 
Por certo, ele e muito injusto e 
muito ignorante. 

73.Assiin foi, para que Allah 
castigasse os hipocritas e as 
hipocritas e os idolatras e as 
idolatras, e Se voltasse para os 
creates e as crentes. E Allah e 
Perdoador, Misericordiador. 



J^J^jf^\ |3iL^ 






^ijr^ 






j4j 






(0 Traduzimos por Mandamentos o substantive al-amanah, que significa qualquer 
cousa confiada a alguem. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



695 



YY ^jir\ 



Ti \gr^ 5jJ-»» 



SCRATU SABA' ^^^ 
A SURA DE SABA' 



De Makkah - 54 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Louvor a Allah, de Quern e o 
que ha nos ceus e na terra. E dEle e 
o louvor, na Derradeira Vida. E 
Ele e o Sabio, O Conhecedor. 

2. Ele sabe o que penetra na 
terra e o que dela sai, e o que desce 
do ceu e o que a ele ascende^^l E Ele 
e O Misericordiador, O Perdoador. 

3. E OS que rehegam a Fe dizem: 
"A Hora nao nos chegara". Dize: 



^mm^^'^ \:i>^>.^M ^"^^^WLm 
^^^ W^^ i<^^^^^ 



.^J^^^L 



-v-^ 






(U Como se viu, anteriormente, na sura XX VII, versiculo 22, nota 5, Saba era urn 
reino ao sul do Yemen, na Peninsula Arabica. E a presente sura, assim, se 
denomina nao so pela men9ao da palavra Saba, no versiculo 1 5, mas por narrar o 
que sucedeu aos habitantes deste reino. Aqui, os mesmos temas das suras 
reveladas em Makkah sSo trazidos de volta: a unicidade de Deus, a cren9a na 
Revela9ao divina e na Ressurrei9ao. A sura inicia-se pela declara9ao de que Deus 
e O Unico Que e louvado. A seguir, narra o que diziam os descrentes acerca da 
Hora e da Ressurrei9ao e acerca do Profeta, quando o difamavam, inquinando-o de 
louco e mentiroso. Mais adiante, lembra aos homens os sinais do poder de Deus, 
admoestando-os do castigo, que sofrem, sempre, os destemidos da Verdade e 
ressaltando-lhes Sua gra9a para com os servos sinceros, como Davi e Salomao. A 
sura segue com a narra9ao dos eventos ocorridos com os habitantes de Saba, pais 
prospero e feliz, mas que, por nao serem agradecidos a Deus por isso, foram 
castigados como o s^o todos os soberbos e pusilanimes; condena os que se 
jactanciam em ter filhos e riquezas, e ordena ao Profeta que deixe claro aos 
incredulos que sua missao e, apenas, convocar os homens a Fe, sem coagi-los, e 
faze-los atentar para sua Mensagem. Portanto, devem entender que o Profeta 
transmite a Revela9ao divina em beneficio de todos. Finalmente, menciona a 
realidade da Hora e sua inexorabilidade, da qual ninguem se evade e na qual 
devem crer, antes que seja tarde demais. 

(2) O que penetra: a chuva, os mortos; o que sai: as plantas, as aguas, os minerios; o 
que desce: a chuva, os raios, os anjos, as ben9aos; o que ascende: os anjos, as 
preces, as boas obras. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



696 



rr ^j^\ 



Ti L^ ^JJ-^ 



'Sim! Por meu Senhor! Com 
certeza chegar-vos-a. PelO Sabedor 
de Invisivel. Nao escapa dEle peso 
algum de atomo, nos ceus nem na 
terra. E nada ha menor que isto 
nem maior, que nao esteja no 
evidente Livro.' " 

4. Para recompensar os que 
creem e fazem as boas obras. Esses 
terao perdao e generoso sustento. 

5. E OS que se esfor9am em 
negar Nossos sinais, intentando 
escapar de Nosso castigo, esses 
terao castigo de doloroso tormento. 

6. E aqueles^'\ aos quais fora 
concedida a ciencia, veem que o 
que foi descido para ti de teu Senhor 
e a Verdade, e que ele guia a senda 
dO Todo-Poderoso, dO Louvavel. 

7. E OS que renegam a Fe dizem: 
"Indicar-vos-emos um homem, que 
vos informe de que, quando vos 
desintegrardes, com toda desinte- 
gra9ao, sereis, por certo, trans- 
mudados em novas criaturas? 

8. "Forja ele mentiras acerca de 
Allah, ou ha nele loucura?" Nao. 
Mas OS que nao creem na 
Derradeira Vida estao no castigo e 
no profundo descaminho. 

9. E nao viram eles o que esta 



^'-^'xt 



J-- > i, '^ *^ -' — ^ 









J^\^J^fJ\^C^\Alj,\\j^jS\ 



(1) ReferSncia aos judeus que abrafaram o Isl5o, como Ka'^b Al Ahbar e Ibn Salam. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



697 



tt ^j^\ 



Ti L^ '^jj^ 



adiante deles^^^ e o que esta detras 
deles, seja do ceu ou da terra? Se 
quisessemos, fariamos a terra engoli- 
los, ou fariamos cair sobre eles 
peda9os do ceu. Por certo, ha nisso 
um sinal para todo servo contrito. 

10. E, com efeito, concedemos a 
Davi favor vindo de N6s, e 
dissemos: "6 montanhas! Repeti, 
com ele^^\ o louvor a Allah, junto 
dos passaros." E tomamos diictil o 
ferro, para ele, 

11. E dissemos: "Faze cotas de 
malha^^^ e entrela9a bem as malhas, 
e fazei^"^^ o bem. Por certo, do que 
fazeis, sou Onividente.'' 

12. E submetemos a Salomao o 
vento, cujo percurso matinal era de 
um mes, e cujo percurso vespertino 
era de um mes^^\ E fizemo-lhe 
fluir a fonte de cobre fundido. E 
houve, dentre os jimis, quem 
trabalhasse as sua ordens, com a 
permissao de seu Senhor. E a quem, 
dentre eles, se desviasse de Nossa 
ordem, faziamo-lo experimentar o 
castigo do Fogo ardente. 






D^-r^^ 









. Ti 9^y^9^ \^9^ ^ ^ \\^ -^ 

O^L-^^ Jo o>^ (>^c>^ (J^ Ci<3 



(0 O homem e rodeado pelas cria^oes terrenas e celestials de Deus. 

(2) Com ele: com Davi. Os ecos e os cantos dos passaros devem repetir os louvores a 

Deus. 
(^) Armaduras de malhas de ferro, para proteger os guerreiros. 

(4) O imperativo plural se relaciona a Davi e a sua familia. 

(5) A distancia percorrida pelo vento, apenas durante a manha ou durante a tarde, 
equivalia a distancia que se percorria a pe ou em transports durante um mes. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



698 tr.>i 



ft LmI 5jj-*» 



13. Faziam-lhe o que queria: 
santuarios e estatuas e alguidares 
grandes como os tanques, e 
caldeiroes^*^ assentes. E dissemos: 
"Laborai, 6 familia de Davi, em 
agradecimento." Enquanto poucos, 
dentre Meus servos, sao os 
agradecidos. 

14. E, quando Ihe^^^ decretamos 
a morte, nada Ihes^^^ indicou sua 
morte senao a termite que Ihe 
devorou o baculo^'^^ Entao, quando 
ele caiu, tomou-se evidente para os 
jinns que, se soubessem do Invisivel, 
nao haveriam permanecido no 
aviltante castigo. 

15. Com efeito, havia para 
Saba'^^\ em seu habitat, um Sinai: 
dois jardins, a direita e a esquerda. 
Foi-lhes dito: "Comei do sustento 
de vosso Senhor e agradecei-Lhe. 
Tendes uma plaga benigna e um 
Senhor Perdoador." 

16. Entao, eles deram de ombros 
a isso; e enviamos contra eles a 












A^I jij^^^.gllc' 13JliI!3'^1^>^^^ 



(0 Esses caldeiroes eram escavados em montanhas de pedra, cujo acesso era feito por 
escadas. 

(2) Lhe: a Salomao. 

(3) Lhes: aos jinns. 

(4) Salomao morreu de pe, apoiado sobre o baculo. E os jinns, nao percebendo a 
morte de quem os submetia, continuaram no arduo trabalho, durante um ano ainda, 
ate que, ao corroerem as termites o apoio de SalomSo, e este cair por terra, eles 
perceberam que SalomSo estava morto e que ja podiam haver cessado o trabalho 
ha muito, se conhecessem, logicamente, os segredos de todas as cousas. 

(5) Ou seja, para os habitantes de Saba. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



699 



tt ^>i 



f t L-j 5jj-^ 



torrente da barragem de Al-*'Arim^^\ 
e trocamo-lhes os dois jardins por 
outros dois jardins, de frutas 
amargas e tamarices^ ^ e cousa 
pouca de a9oifaifa^^\ 



17. Com isso recompensamo- 
los, por sua ingratidao. E nao 
recompensamos, assim, senao ao 
ingrato? 

18. E tinhamos feito, entre eles 
e as cidades que tinhamos 
aben9oado^'^\ cidades aparentes^^\ 
e tinhamos determinado, nelas, a 
caminhada^^\ na justa medida. E 
dissemos: "Caminhai, em seguran9a, 
durante dias e noites." 

19. Entao, disseram: "Senhor 









If ^ ^'\f^->^^ 9- 



K^)y{S^j tH^<^ ^J^^^^=tM 



Y^S^j \jjUJ^\ IJ^ j^x^j \y ui 



( 1 ) Ou de Ma'rab. E o nome dado as aguas represadas ou ao vale da Saba. Arruinada a 
represa, as aguas inundaram toda a regiao, em castigo a desobediencia de seus 
habitantes. Vide XXVII 22 n5. 

(2) Genero de plantas da familia das tamaricaceas, arbustivas, arborescentes as vezes, 
de folhas inteiras, pequenas e estreitas, desprovidas de estipula de flores com cinco 
estames e sementes pilosas, cuja especie articulata e rica em tanino, substancia 
solida adstringente. Cf. Grande Enciclopedia Delta Larousse, 1 970. 

(3) A9oifaifa, o mesmo que jujubeira, planta da familia das raminaceas (Zizyphus 
jujuba). Arvore espinhosa, cujo fruto e veimelho e comestivel, de polpa a9ucarada, 
com a forma de uma azeitona. Cf. Grande Enciclopedia Delta Larousse, 1 970. 

(4) Ou seja, as cidades sirias, abundantes em vegeta9ao e agua, aonde os habitantes de 
Saba iam comerciar. 

(5) Essas cidades eram tao proximas umas das outras que todo viajante podia ve-las 
ao longe. 

(6) A distancia entre estas cidades era de taj forma precisa e simetrica que, se a uma 
delas viajante chegava, na hora da sesta, e la permanecia para descansar, a outra, 
seguinte, chegava na hora de dormir, a noite, onde, tambem, permanecia, ate o 
outro dia. Assim sendo, o viajante poderia deslocar-se, confortavelmente, porque 
sempre encontraria acolhida, alimento e agua, em tempo certo, durante sua 
viagem. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



700 



yy j^>i 



Ti L*^ ^JJ*** 



nosso! Toma grande a distancia^^^ 
entre nossas viagens." E foram 
injustos com si mesmos; entao, 
fizemo-los tema de conversa, e 
desintegramo-los, com toda 
desintegra9ao. Por certo, ha nisso 
sinais para todo perseverante, 
agradecido. 

20. E, com efeito, IblTs com- 
provou sua conjectura acerca deles; 
entao, seguiram-no, exceto um 
grupo de crentes. 

21. E ele nao tinha poder algum 
sobre eles; mas assim foi, para que 
soubessemos distinguir quem cria 
na Derradeira Vida de quem estava 
em diivida, a respeito dela. E teu 
Senhor, sobre todas as cousas, e 
Custodio. 

22. Dize: "Invocai os que 
pretendeis serein deuses, alem de 
Allah. Eles nao possuem o peso de 
um atomo, nem nos ceus nem na 
terra. E, nestes, eles nao tem 
participa9ao alguma. E Ele nao 
tem, entre eles, coadjutor algum." 

23. E a intercessao, junto dEle 
nao beneficiara senao aquele a 
quem Ele a permitir. Neste caso, 
ficarao a espera, ate que, quando 
se Ihes remover o terror dos 












1 o^^^iy^i^ liilif ji:5^ 



(0 Os habitantes de Saba, ingratos e cansados de tamanho bem-estar nas viagens, 
rogaram a Deus que interpusesse imenso deserto entre eles e a Siria. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



701 



rr ^>ri 



Ti L^ ^jj-^ 



corafoes, dirao, entre eies: "O que 

disse vosso Senhor?" Dirao: "A 
verdade^*^! E Ele e O Altissimo, O 
Grande." 

24. Dize: "Quern vos da sustento 
dos ceus e da terra?" Dize: "Allah! 
E, por certo, nos ou vos estamos na 
orienta9ao ou em evidente 
descaminho." 

25. Dize: "Nao sereis interroga- 
dos acerca dos crimes que come- 
temos, nem seremos interrogados 
acerca do que fazeis." 

26. Dize: "Nosso Senhor juntar- 
nos-a; em seguida, sentenciara, 
entre nos, com a verdade. E Ele e 
O Sentenciador, O Onisciente." 

27. Dize: "Fazei-me ver os que 
ajuntais a Ele, como parceiros. Em 
absoluto, nao o conseguireis. Alias, 
Ele e Allah, O Todo-Poderoso, O 
Sabio." 

28. E nao te enviamos 
Muhammad, senao a toda a 
humanidade, por alvissareiro e 
admoestador, mas a maioria dos 
homens^^^ nao sabe. 

29. E dizem: "Quando sera o 
cumprimento desta promessa, se 
sois veridicos?" 

30. Dize: "Havera, para vos, o 









uJjo rcLii) J^iJjjlCjo id 






^\j:y^\^'i\3}^ 



^^jSjc:^o0j^^ 



\ I 



I 9 






( A verdade: a anuencia divina da intercessSo. 
(2) Homens: os idolatras de Makkah. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



702 ^^^>» 



T t L^ ^JJ^ 



encontro de um dia, em relafao ao 
qual nao podereis retardar-vos, uma 
hora sequer, nem adiantar-vos." 

31. E OS que renegam a Fe dizem: 
"Jamais creremos neste Alcorao 
nem no que houve antes dele." E 
se visses quando os injustos forem 
postos diante de seu Senhor, uns 
refutando o dito dos outros! Os que 
foram subjugados dirao aos que se 
ensoberbeceram: "Se nao fosseis 
vos, seriamos crentes." 

32.0s que se ensoberbeceram 
dirao aos que foram subjugados: 
"Sera que fomos nos que vos 
afastamos da boa orienta9ao, apos 
haver-vos chegado? Nao. Mas vos 
proprios ereis criminosos." 

33. E OS que foram subjugados 
dirao aos que se ensoberbeceram: 
"Nao. Mas, vossos estratagemas, 
noite e dia, desgra^aram-nos, 
quando nos ordenaveis renegas- 
semos a Allah e Lhe fizessemos 
semelhantes." E eles guardarao 
segredo^ ' ^ do arrependimento, 
quando virem o castigo. E Nos 
poremos as gargalheiras nos 
pesco90s dos que renegaram a Fe. 
Nao serao eles recompensados 
senao pelo que faziam? 

34. E nao enviamos a uma cidade 
admoestador algum, sem que seus 



dy'jpcjjiyj Ac\^ 






3^^'uloe>i^ci^3fe 



(l)Cf. X 54 n2. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



703 yy^j^^ 



ft Lm» 5jj-»» 



opulentos habitantes dissessem: 
"Por certo, somos renegadores do 
com que sois enviados." 

35. E eles disseram: "Somos 
mais privilegiados em riquezas e 
filhos, e nao seremos castigados^' V' 

36. Dize: "Por certo, meu Senhor 
prodigaliza o sustento a quem 
quer, e restringe-o; mas a maioria 
dos homens nao sabe." 

37. E nao sao vossas riquezas 
nem vossos filhos que vos 
aproximarao, bem perto de Nos; 
mas quem ere e faz o bem, esses 
terao o dobro da recompensa, pelo 
que fizeram e estarao, em 
seguran9a, nas camaras etereas. 

38. E OS que se esfor9am em 
negar Nossos sinais, intentando 
escapar de Nos, esses serao trazidos 
ao castigo. 

39. Dize: "Por certo, meu Senhor 
prodigaUza o sustento a quem quer, 
de Seus servos, e restringe-lho. E o 
que quer que despendais, Ele vo-lo 
restituira. E Ele e O melhor dos 
sustentadores." 

40. E um dia, Ele os reunira a 
todos; em seguida, dira aos anjos: 
"Sao estes que vos adoravam?" 















(0 Os opulentos increus supunham que sua condi9ao privilegiada na vida terrena era 
um dom divino, e que, seguramente, estariam isentos das puni96es da Vida eterna. 



34. Suratu Saba' 



Parte 22 



704 tr.>i 



Ti L%*» ^)j^ 



41. Eles^ *^ dirao: "Glorificado 
sejas! Tu es nosso Protetor, em vez 
deles. Ao contrario, eles adoravam 
OS jinns. A maioria deles era crente 
neles." 

42. Entao, nesse dia, nenhum de 
vos possuira, para o outro, beneficio 
nem prejuizo; e diremos aos que 
foram injustos: "Experimentai o 
castigo do Fogo, que desmentieis." 

43. E, quando Nossos evidentes 
versiculos se recitam, para eles, 
dizem: "Este nao e senao um 
homem que quer afastar-vos do 
que vossos pais adoravam." E 
dizem: "Este^^^ nao e senao mentira 
forjada." E dizem os que renegam 
a Fe, acerca da verdade, quando 
ela Ihes chega: "Isto nao e senao 
evidente magia!" 

44. E Nos nao Ihes concederamos 
livros que estudassem. E nao Ihes 
enviaramos, antes de ti, admoestador 
algum. 

45. E OS que foram antes deles 
desmentiram a Mensagem - e nao 
chegam eles^^\ em poder e riqueza, 
ao decimo do que concederamos 
aqueles - e desmentiram a Meus 
Mensageiros. Entao, como foi 
Minha reprova9ao? 






ju JaXi>^y\.iak> <t)\^ii)i^y^ & 



\l ^ \ 



\ L--^ 






' t^\\\^< 









(0 Eles: OS anjos. 

(2) Este: o Alcorao. 

(3) Eles: OS idolatras de Makkah. 



34. Saratu Saba' 



Parte 22 



705 



rr ^>i 



y t t--» 5 jj-rf 



46. Dize: "Apenas, exorto-vos a 
uma linica questao: a vos 
manterdes, diante de Allah, de dois 
em dois ou de um em um^*\ em 
seguida a refletirdes. Nao ha loucura 
em vosso companheiro. Ele nao 
vos e senao um admoestador, que 
esta adiante de veemente castigo." 

47. Dize: "O que vos pe^o, em 
premio, o sera para vos. Meu 
premio nao impende senao a Allah. 
E Ele, sobre todas as cousas, e 
Testemunha." 

48. Dize: "Por certo, meu Senhor 
e Quern lanfa a Verdade. Ele, das 
cousas invisiveis, e Profundo 
Sabedor." 

49. Dize: "A Verdade^^^ chegou, 
e a falsidade nada inicia nem 
repete^^V' 

50. Dize: "Se eu me descaminho, 
descaminhar-me-ei, apenas, em 
prejuizo de mim mesmo^'^^ E, se me 
guio, sera pelo que meu Senhor me 









^ y_^\;3c.^l tJ jjuii) Oi j« 









(0 Muhammad exorta os idolatras de Makkah a sinceridade, quando do estudo da 
Mensagem que Ihes oferece, e que o fa9am aos pares, para poderem discutir com 
objetividade, um lembrando ao outro, determinada questao; ou individualmente, 
uma vez que isso enseja a reflexao profunda sobre cada assunto. Alias, a multidao 
so tumultua a reflexSo. 

(2) A Verdade: o Alcorao. 

(3) A expressao "nada inicia nem repete" significa que a falsidade e inoperante, 
perecivel. Esta expressSo provem de o ser, em sua existencia, poder iniciar um ato, 
e nSo poder faze-lo, depois de morto. 

(^) Assim retrucou Muhammad aos idolatras, que Ihe falaram haver-se ele extraviado, 
por haver abandonado a religiao de seus antepassados. 



34. SOratu Saba' 



Parte 22 



706 yy^j^^ 



Ti L^ djj-rf 



revelou. Por certo, Ele e Oniouvinte, 
e esta Proximo." 

51. E se visses quando se ater- 
rorizarem^^^! Para eles nao havera 
escapatoria, e serao apanhados em 
lugar^^^ proximo. 

52. E dirao: "Cremos nele^^V' 
Mas como poderao alcan9ar a Fe, de 
lugar tao longinquo^"^^? 

53. E, com efeito, renegaram-no, 
antes, e conjeturam^^^ o Invisivel, de 
lugar tao longinquo. 

54. E inteipor-se-a uma barreira 
entre eles e o^ ^ que apetecem, como 
se fez, antes, a seus semelhantes^^\ 
Por certo, estavam em diivida 
tormentosa. 









W Referenda ao estado em que se encontrarao os idolatras no Dia do Juizo. 

(2) Seja qual for o lugar, este estara proximo de Deus. 

(3) Nele: no AlcorSo ou em Muhammad. 

(4) Pretender abra9ar a Fe, somente no Dia do Juizo, e como querer alcan9ar algo 
inatingivel, porque a Fe ja Ihes fora oferecida na vida terrena, e esta estara bem 
distante deles, no Dia do Juizo. 

(5) A alusSo ao que os idolatras afirmavam acerca do Profeta, que era magico, louco, 
arriscando conclusoes acerca do Desconhecido, cuja apreensao estava, alias, bem 
distante de seus parcos conhecimentos. 

(6) O que eles apetecem, agora, e a Fe. 

(7) Alusao aos idolatras, das gera96es anteriores, cujas aptidSes, acerca da Fe, se 
assemelham as dos id61atras de Makkah. 



35. Saratu Fatir 



Parte 22 



707 



YY ^jir\ 



To Jp\3 5jj-«» 



SCRATU FATIR^^^ 
A SURA DO CRIADOR 




De Makkah - 45 versiculos. 

Em nome de Allah O 
MisericordiosOy O Misericordiador. 

1. Louvor a Allah, O Criador 
dos ceus e da terra, Que faz dos 
anjos Mensageiros, dotados de 
asas: duas, ou tres, ou quatro. Ele 
acresce^^^ na cria9ao, o que quer. 
Por certo, Allah, sobre todas as 
cousas, e Onipotente. 

2.0 que Allah franqueia aos 
homens, em misericordia, ninguem 



i^-^i^^U 






( * ) Fajir, participio presente do verbo fatara, iniciar a cria^ao, sem modelo anterior; 
fundar. Assim se denomina a sura, pela men^ao de filjir, no primeiro versiculo, 
embora apresente, outrossim, a denomina^ao de Os Anjos, por mencionar esta 
palavra, tambdm, no primeiro versiculo. Aqui, sSo tratados os mesmos assuntos 
apresentados nas suras reveladas em Makkah: a unicidade de Deus, a Mensagem 
divina e a realidade da Ressurrei^So. O carater saliente desta sura 6 tomar claro 
que toda a cria^So e exclusividade de Deus, Quem tudo criou, sem necessitar de 
co-participantes. A sura inicia-se pela louva^So a Deus, o Fundador dos c6us e da 
terra. Que fez, dos anjos alados, mensageiros para Seus servos; assevera, a seguir, 
que nada pode impedir a chegada da benevolencia de Deus a Seus servos, como 
tambem nada pode beneficiar-se de Sua miseric6rdia, sem Sua anuencia. E que os 
homens devem atentar para que os nSo seduza a vida terrena e seu gozo, e nao os 
iluda Satll, seu inimigo declarado. A sura considera, ainda, a inexorabilidade do 
Dia da Ressurrei^So, quando todos prestarao contas de seus atos, e reafirma que e 
Deus Quem envia nuvens as terras aridas, para as vivificarem, e e Quem ressuscita 
OS mortos. E acrescenta mais provas do infmito poder divino: a cria^ao pulverea 
do Homem, e, depois, sua origem seminal; a diversificagao em homens e 
mulheres; a cria^ao do dia e da noite, do sol e da lua; o poder impress© na agua 
para, junto com a terra, criar frutos diversissimos; as montanhas de todos os tipos e 
dimens5es; as miriades de seres existentes no mundo; a sustenta^So do c6u e da 
terra pelo sabio poder divino. Finalmente, a sura preconiza que, se Deus houver de 
castigar, por seus pecados, os homens, deles o mundo se esvaziara. Entao, 
procrastina o pedido de contas para o Dia do Juizo. 

(2) Trata-se, aqui, dos atributos fisicos, mentais ou morais, com que Deus agracia 
algumas criaturas: a voz melodiosa, a eloquencia, a coragem, a cabeleira sedosa, a 
estatura perfeita, etc.. 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



708 ^^^>» 



To Jfi\h 5jj-rf 



pode rete-lo. E o que Ele retem, 
ninguem, depois dEle, pode envia-lo. 
E Ele e O Todo-Poderoso, O Sabio. 

3.6 humanos! Lembrai-vos da 
gra9a de Allah para convosco. Ha 
criador outro que Allah, que vos de 
sustento do ceu e da terra? Nao 
existe deus senao Ele. Entao, como 
dEle vos distanciais? 

4. E, se eles te desmentem, 
Muhammad, com efeito, foram 
desmentidos outros Mensageiros, 
antes de ti. E a Allah sao 
retomadas as determina96es. 

5. 6 humanos! Por certo, a 
promessa de Allah e verdadeira. 
Entao, nao vos iluda a vida terrena 
e nao vos iluda o iluso/*^ acerca 
de Allah! 



6. Por certo, Sata vos e inimigo; 
entao, tomai-o por inimigo. Ele, 
apenas, convoca os de seu partido, 
para que sejam dos companheiros 
do Fogo ardente. 

7. Os que renegam a Fe terao 
veemente castigo. E os que creem 
e fazem as boas obras terao perdao 
e grande premio. 

8. Sera que aquele, para quem e 
aformoseada sua ma a9ao, e a ve 
como boa, e como aquele a quem 
Allah guia? E, por certo, Allah 






H 



'^^y^'-A-Jr.'' 















(U Ilusor: aquele que ilude, Sata. Cf. XXXI 33 nl. 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



709 



rt ^>i 



To Jp\A Ojj-rf 



descaminha a quern quer e guia a 
quern quer. Entao, que tua alma 
nao se consuma em afli^oes por 
eles. Por certo, Allah, do que eles 
engenham, e Onisciente. 

9. E Allah e Quem envia o vento, 
e este agita nuvens; em seguida, 
conduzimo-las a uma plaga morta^^^ 
e, com elas, vivificamos a terra, 
depois de morta. Assim sera a 
Ressurreigao. 

10. Quem deseja o poder, saiba 
que e de Allah todo o poder. A Ele 
ascendem as palavras benignas; e a 
boa a9ao, Ele a eleva. E os^^^ que 
armam maus estratagemas terao 
veemente castigo. E o estratagema 
desses falhara. 

11. E Allah criou-vos de p6; em 
seguida, de gota seminal; depois, 
fez-vos casais. E nenhuma varoa 
concebe, nem da a luz senao com 
Sua ciencia. E nao se prolonga a 
vida de longevo algum nem se Ihe 
diminui a idade, sem que isso 
esteja num Livro. Por certo, isso, 
para Allah, e facil. 

12. E OS dois mares^"^^ nao se 
igualam. Este e doce, sapido, suave 
de beber, e aquele e salso, amargo. 



i^A^.t^f^ 



^i^: 



ioitj 









'■'^-MW 



% 






c^Di? r^' fJ^^ A? ^^jr^ ^ 



(0 Morta: arida.Cf. VII 57 p247nl. 

(2) Os: OS Quraich, inimigos do Profeta, que se reuniram, para deliberar sua prisSo, 
morte ou expulsao de Makkah. Cf. VIII 30 nl. 

(3) Vide XXV 53 n4. 



35. SQratu Fatir 



Parte 22 



710 



rr ^>i 



To Jp\A 5jj*- 



E, de cada um comeis carne tenra 
e extrais adomos, que usais. E tu 
ves o barco sulcando-os, para 
buscardes^*^ algo de Seu favor. E 
para serdes agradecidos. 

13. Ele insere a noite no dia e 
insere o dia na noite. E submeteu o 
sol e a lua: cada gual corre ate um 
termo designado^^. Esse e Allah, 
vosso Senhor: dEle e a soberania. 
E OS que invocais, alem dEle, nao 
possuem, sequer, uma pelicula de 
carofo de tamara^"^\ 

14. Se OS convocais, nao ouvirao 
vossa convocafao. E, se a ouvissem, 
nao vos atenderiam. E, no Dia da 
Ressurrei9ao, renegarao vossa 
idolatria. E ninguem te informa da 
Verdade como Um Conhecedor. 

15. humanos! Vos sois pobres 
diante de Allah, e Allah e O 
Bastante a Si mesmo, O Louvavel. 

16. Se Ele quisesse, far-vos-ia ir 
e faria chegar novas criaturas. 

17. E isso nao e, para Allah, 
penoso. 

18. E nenhuma alma pecadora 
area com o pecado de outra. E, se 
uma alma sobrecarregada convoca 






•et. 
4Ji 






<.t.-ri>J- 






(0 Observar a alternancia do uso das pessoas gramaticais com os verbos ver e 

buscar, fato caracteristico do estilo arabe. 
(2) Ou seja, ate o Dia do Juizo. 
(^) A perifrase traduz a palavra qitmTr, que significa a tenue membrana que reveste o 

carogo da tamara, e, figurativamente, algo insignificante. 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



711 



rr ^j^\ 



To Jfi\3 ijy^ 



outra, para aliviar-lhe a carga, 
nada desta sera carregado, ainda 
que o convocado seja parente. Tu, 
apenas, admoestas os que receiam 
a seu Senhor, ainda que Invisivel, e 
que cumprem a ora9ao. E quern se 
dignifica, se dignifica, apenas, em 
beneficio de si mesmo. E a Allah 
sera o destino. 

19. E o cego e o vidente nao se 
igualam. 

20. Nem as trevas e a luz. 

21. Nem a sombra e o calor. 

22. E nao se igualam os vivos e 
OS mortos. Por certo, Allah faz 
ouvir a Verdade a quem Ele quer. 
E tu nao podes fazer ouvir os que 
estao nos sepulcros. 

23. Tu nao es senao admoestador. 

24. Por certo, Nos te enviamos, 
com a Verdade, por alvissareiro e 
admoestador. E nunca houve 
na^ao, sem que nela passasse um 
admoestador. 

25. E, se eles te desmentem, com 
efeito, OS que foram antes deles 
desmentiram aos Mensageiros. 
Chegaram-lhes Seus Mensageiros 
com as evidencias, e com os 
Salmos, e com o Livro^^^ Luminoso. 

26. Em seguida, apanhei os que 












0^. <. 



h^ui\^:^\j^ 



( U Ou seja, o Livro que engloba todos os livros divinos. Cf. Ill 1 84 n2. 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



712 



yy ^>) 



To Jp\A 6jj^ 



renegaram a Fe. Entao, como foi 
Minha reprova9ao? 

27.Nao viste que Allah faz 
descer, do ceu, agua e, com ela, 
fazemos sair frutos, de cores 
variadas, e, que, entre as montanhas, 
ha-as de estratos brancos e 
vermelhos, de cores variadas, e as 
que sao nigerrimas como corvos? 

28. E que, dentre os homens e 
OS seres animais e os rebanhos, ha- 
os, tambem, de cores variadas? 
Apenas, os sabios receiam a Allah, 
dentre Seus servos. Por certo, Allah 
e Todo-Poderoso, Perdoador. 

29. Por certo, os que recitam o 
Livro de Allah e cumprem a ora9ao 
e despendem, secreta ou manifesta- 
mente, do que Ihes damos por 
sustento, esperam por comercio* 
que nao perecera, 



.(0 



30. Para que Ele os recompense 
com seus premios, e Ihes acrescente 
algo de Seu favor. Por certo, Ele e 
Perdoador, Agradecido. 

31. E o que te revelamos, do 
Livro, e a Verdade, que confirma o 
que havia antes dele. Por certo, 
Allah, de Seus servos, e Conhecedor, 
Onividente. 






© ^J^ <4^J5^ ^^ ^ *-^4^ 












(0 Comercio, aqui, e a troca entre Deus e o homem. Aquele oferecendo gramas, e este 
praticando o bem. Desta forma, todo crente verdadeiro almejara esta troca, que e 
imperecivel. 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



713 



11 ^>i 



To Jfi\5 Ojj-- 



32. Em seguida, fizemos herdar 
o Livro aos que escolhemos de 
Nossos servos^^. E, dentre eles, ha 
o que e injusto com si mesmo. E 
dentre eles, ha o que e moderado. 
E, dentre eles, ha o que e precursor 
das boas cousas, com a permissao 
de Allah. Esse e o grande favor, 

33.0s Jardins do Eden; neles, 
entrarao; neles, serao enfeitados com 
braceletes de ouro e com perolas; e, 
neles, suas vestimentas serao de seda. 

34. E dirao: "Louvor a Allah, 
Quem fez ir-se, para longe de nos, 
a tristeza! Por certo, nosso Senhor 
e Perdoador, Agradecido. 

35. "Ele e Quem, por Seu favor, 
nos fez habitar a Morada da 
Permanencia^^l Nenhuma fadiga 
nos toca, nela, nem nos toca, nela, 
exaustao." 

36. E OS que renegam a Fe terao 
o Fogo da Geena; nao se Ihes pora 
termo a vida para que eles morram; 
e nada se Ihes aliviara do castigo. 
Assim, recompensamos todo ingrato. 

37. E, nele^^\ gritarao: "Senhor 
nosso! Faze-nos sair daqui, nos 
faremos bem outro que o que 
faziamos." Ele dira: "E nao vos 
deixamos viver um tempo, em que 












ji^j^''^]i- 









( ^ ) Isto e, aqueles que seguem a religiao de Muhammad. 

(2) Morada da Permanencia Eterna, ou Paraiso. 

(3) Nele: no Fogo da Geena. 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



714 



rr t>i 



To Jp\A Sjj«- 



pudesse meditar quern quisesse 
meditar? E o admoestador chegou- 
vos. Entao, experimentai o castigo. 
E nao ha para os injustos socorredor 
algum." 

38. Por certo, Allah e Sabedor 
do Invisivel dos ceus e da terra. 
Por certo, do intimo dos peitos, Ele 
e Onisciente. 

39. Ele e Quern faz de vos 
sucessores na terra. Entao, quern 
renega a Fe, sua renega9ao sera em 
prejuizo de si mesmo. E a renega9ao 
dos renegadores da Fe nao Ihes 
acrescenta senao abomina9ao, 
junto de seu Senhor. E a renega9ao 
dos renegadores da Fe nao Ihes 
acrescenta senao perdi9ao. 

40. Dize: "Vistes vossos idolos, 
que invocais alem de Allah? Fazei-me 
ver o que criaram, na terra. Ou tern 
eles participa9ao nos ceus? Ou Ihes 
concedemos um Livro, e se funda- 
mentam em uma evidencia dele?" 
Nao. Mas os injustos nao prometem, 
uns aos outros, senao falacia. 

41. Por certo, Allah sustem os 
ceus e a terra, para que nao se 
desloquem. E, se ambos se 
deslocassem, ninguem, depois dEle, 
OS sustentaria. Por certo, Ele e 
Clemente, Perdoador. 

42. E eW^^ juraram, por Allah, 

(0 Eles: OS idolatras de Makkah. 









cpji^h^^'' 












;P>cl^ljj)^;A^Jj4^^\jj^il^ 



35. Suratu Fatir 



Parte 22 



715 



yy ^>i 



To Jfi\3 5jj-^ 



com seus mais solenes juramentos, 
que, se Ihes chegasse um admoes- 
tador, seriam mais bem guiados que 
qualquer outra das comunidades^^\ 
Entao, quando um admoestador Ihes 
chegou, isso nao Ihes acrescentou 
senao repulsa, 

43. Soberba, na terra, e maus 
estratagemas. E os maus estrata- 
gemas nao envolvem senao a seus 
autores. Entao, nao esperam eles 
senao os procedimentos punitivos 
dos antepassados? E nao encontraras, 
no procedimento de Allah, mudanfa 
alguma. E nao encontraras, no 
procedimento de Allah, altera9ao 
alguma. 

44. E nao caminharam eles na 
terra, para olhar como foi o fim 
dos que foram antes deles, e que 
foram mais veementes que eles, 
em for9a. E nao e admissivel que 
cousa alguma escape a Allah, nem 
nos ceus nem na terra. Por certo, 
Ele e Onisciente, Onipotente. 

45. E, se Allah culpasse os 
homens pelo que cometeram, nao 
deixaria sobre sua^^^ superficie ser 
animal algum; mas Ele Ihes concede 
prazo, ate um termo designado. E, 
quando seu termo chegar, por certo, 
Allah, de Seus servos, e Onividente. 






%^^^^>J},j^C}j 









(1) AlusSo aos seguidores dos Livros sagrados: os judeus e os cristaos. 

(2) Sua: da terra. 



36. SQratu Ya-Sln 



Parte 22 



716 



rr ^j^\ 



t*! J-J. 5jj-- 



SORATU YA-SIN^^^ 
A SURA DE Ya-SIn 




De Makkah - 83 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Miser icordioso, O Miser icordiador. 

1. Ya-STn. 

2. Pelo Alcorao pleno de sabe- 
doria, 

3. Por certo, Muhammad, tu es 

dos Mensageiros^^\ 

4. Em senda reta. 



~^ 






^^^^^^^ 



( ^ ) Va, sin, nomes das letras arabes, lSQ ^, correspondentes aproximadas, em portugues, 
as letras yes. Acerca de seu significado, ver II 1 n3. E, assim, se denomina a sura, 
pela men9ao destas em seu primeiro versiculo. Aqui, os temas principals sao os 
mesmos de todas as suras reveladas em Makkah: a unicidade de Deus, a Mensagem 
divina e a Ressurrei^So, a que a sura da grande enfase. Iniciaimente, ela ratifica o 
papel de Muhammad, como Mensageiro de Deus, e observa que ele segue o 
caminho reto, para admoestar um povo, cujos antepassados nao foram admoestados. 
Refere-se aos negadores da Fe, que nao extraem beneficios da Mensagem divina, 
salientando que a admoesta9ao somente pode beneficiar os que aceitam esta 
Mensagem; oferece claros exemplos aos idolatras de Makkah, para denotar o 
conflito, surgido entre os pregadores de Deus e seus desmentidores, e patentear o 
destino dos malfeitores e dos benfeitores; expoe provas do poder incontestavel de 
Deus, por meio da terra arida que se vivifica; da noite e do dia; do sol e da lua, que 
ficam em orbitas independentes; do barco que flutua na agua; dos rebanhos a 
servi^o dos homens; adverte, ainda, os homens do que ocorrera no dia da 
Ressurrei^So, quando cada alma recebera a paga de seus atos: os bem-aventurados 
receberao o Jardim da Delicia e os mal-aventurados terao severo castigo. Quanto a 
estes ultimos, terao as bocas seladas, pois suas maos e pernas testemunharao todos 
OS males por eles perpetrados. A sura fala-nos, tambem, da transitoriedade de 
tudo: do jovem que se torna anciao, do forte que se torna fraco, e insiste em que o 
AlcorSo e a Mensagem baseada na logica, nao na imagina9ao hiperbolica de 
poetas. Consequentemente, o Profeta nao e poeta, por isso deve ser respeitado como 
Mensageiro da Verdade. Finalmente, a sura recorda que Deus criou o homem de 
tenue gota seminal, e ei-lo que se mostra, totalmente adversario de seu Criador; e, 
ainda, que O Criador dos ceus e da terra encerra o poder de ressuscitar os mortos, uma 
vez que Sua Palavra faz suscitar vida: quando Ele diz a algo que seja, este algo e. 

(2) Isto, para refutar a contesta9ao dos idolatras de Makkah, quanto ^ veracidade da 
Mensagem divina de Muhammad. 



36. Suratu Ya-Sm 



Parte 22 



717 



TT ^>i 



T^ J-J 5jj-- 



5. Ele^^^ e a revela9ao descida dO 
Todo-Poderoso, dO Misericordiador, 

6. Para admoestares um povo, 
cujos pais nao foram admoestados: 
entao, estao desatentos. 

7. Com efeito, o Dito^^^ cumpriu- 
se contra a maioria deles: entao, 
nao creem. 

8. Por certo, pusemo-lhes, nos 
pesco9os, gargalheiras, e estas Ihes 
chegam aos queixos; entao, tern as 
cabefas forfadas para cima^^\ 

9. E fizemos uma barreira 
adiante deles e uma barreira detras 
deles^"^^; e nevoamo-lhes as vistas: 
entao, nada enxergam. 

10. E Ihes e igual que os 
admoestes ou nao os admoestes: 
eles nao crerao. 

11. Tu, apenas, admoestas a 
quem segue a Mensagem e receia 
aO Misericordioso, ainda que 
Invisivel. Entao, alvissara-lhe 
perdao e generoso premio. 

12. Por certo, somos Nos Que 












^^J^^^^^L^-^^^l 




\>:sU4i^454;:;l\,^^\:i 



(l)Ele:o Alcorao. 

(2) Refere-se a Palavra de Deus, acerca da condena^ao imposta por Ele aos idolatras, 

por nao haverem aceitado a Mensagem. 
(^) O idoiatra, que persiste na idolatria e nao que enxergar a verdade, e como aqueie 

cujo pesco(?o ficou sobrecarregado de gargalheiras, a tal ponto que, com a cabe(?a 

for^ada para o alto, nao pode ver o que esta a sua frente. 
(4) Os idolatras, por recusarem a Mensagem divina, ficaram como os que sao 

encurralados, nao podendo ver o que esta a sua frente, nem atras de si. 



36. Suratu Ya-Sln 



Parte 22 



718 



rr ^>i 



V*! J-i "djj^ 



damos a vida aos mortos, e 
escrevemos o que eles 
anteciparam^^^, e seus vestigios. E 
toda cousa, enumeramo-la em um 
evidente Livro. 

13. E propoe-lhes um exemplo: 
OS habitantes da cidade^^\ quando 
Ihes chegaram os Mensageiros, 

14. Quando Ihes enviamos dois^"^^ 
Mensageiros, e eles os desmentiram, 
entao, fortalecemo-los com um 
terceiro, eles disseram: 'Tor certo, 
fomos enviados a v6s." 

15. Os habitantes da cidade 

disseram: "Vos nao sois senao 









)ij hy^y" 



i:;ji:jLi;jji^^i^iu 



( Ou seja, o que fizeram antes da morte: durante a vida. 

(2) Ou seja, de Antioquia, cidade siria, aonde foram enviados os apostolos de Jesus. 

(^) Trata-se de dois apostolos, que foram pregar o cristianismo aos habitantes pagaos 
de Antioquia. Quando dai se aproximaram, encontraram um idoso pastor de 
ovelhas, Habib An-Najjar, que, sabedor da missao deles, Ihes pediu mostras de sua 
veracidade. Os apostolos nao so Ihe afirmaram ter o poder de cura do enfermo, do 
leproso, do cego, mas tambem Ihe curaram o filho que, havia dois anos, se 
encontrava doente. E o pastor encheu-se de fe e abraQou a religiao crista. Desde 
entao, a noticia dos feitos desses apostolos espalhou-se a tal ponto que chegou ao 
conhecimento do rei. Este, obviamente, contrariou-se com os fatos, ja que isso 
punha em perigo nSo so a idolatria vigente em seu reino, mas o proprio poder que 
exercia sobre seus suditos pagaos. Assim, ordenou que aprisionassem os 
apostolos. Seguidamente, Jesus enviou um terceiro apostolo, Simao Pedro, para 
continuar a missao dos anteriores. Chegou, disfar9ado, a Antioquia e, logo, travou 
amizade com a corte real, sem que desconfiassem de sua verdadeira identidade, e, 
tambem, com o proprio rei, a quem, depois, perguntou pelos dois prisioneiros. 
Sabe-se que o rei mandou traze-los a presen9a de Simao, e, ciente da sua 
verdadeira missao, exigiu-lhes uma prova: ordenou que Ihes trouxessem um 
menino cego, para o curarem. E eles o curaram, para surpresa e admiraQao do rei, 
que entendeu ser isso algo impossivel a seus idolos. Nao obstante, ainda se 
mantinha incredulo, exigindo que ressuscitassem um jovem, morto ha sete dias. E 
eles o ressuscitaram. A partir de entao, o rei convenceu-se da missao divina dos 
apostolos e abra90u-lhes a religiao, no que foi seguido por muitos outros. Quanto 
aos que resistiram, foram castigados e mortos pelo Grito de Gabriel. 



36. SOratu Ya-Sm 



Parte 22 



719 



yy c>i 



V"\ Jhi 5jj--» 



mortais como nos, e O Miseri- 
cordioso nada fez descer; vos nada 
fazeis senao mentir." 

16. Os Mensageiros disseram: 
"Nosso Senhor sabe que, por certo, 
fomos enviados a vos, 

17. "E nao nos impende senao a 
evidente transmissao da Men- 
sagem." 

18. Disseram: "Pressentimos mau 
agouro, por vossa causa. Em 
verdade, se nao vos abstendes disso, 
apedrejar-vos-emos, e doloroso 
castigo tocar-vos-a, de nossa parte." 

19. Eles disseram: "Vosso mau 
agouro esta em vos. Se sois 
admoestados, pressentis mau 
agouro e descredes? Mas, sois um 
povo entregue a excessos!" 

20. E um homem^*^ chegou, do 
extremo da cidade, correndo. 
Disse: "6 meu povo! Segui os 
Mensageiros: 

21. "Segui a quem nao vos pede 
premio algum, e sao guiados. 

22. "E por que razao nao 
adoraria eu a Quem me criou e a 
Quem vos sereis retomados? 

23. "Tomaria, em vez dEle, 
outros deuses? Se O Misericordioso 















i4oi ^j^2^j^ 0:5-^^ «- 



(0 Alusao a Habib An-Najjar, mencionado na nota 3 da pagina precdente. 



36. Suratu Ya-Sin 



Parte 23 



720 



rr t^ri 



^*^ J^- *jj-*' 



me desejasse um infortunio, sua^^^ 
intercessao de nada me Valeria, e 
eles me nao poderiam salvar. 

24. "Por certo, nesse caso, estaria 
em evidente descaminho. 

25. "Por certo, creio em vosso 
Senhor. Entao, ouvi-me." 

26. Foi-lhe^^^ dito: "Entra no 
Paraiso." Ele disse: "Quem dera 
meu povo soubesse! 

27. "Do perdao de meu Senhor 
para mim, e de que me fez dos 
honrados." 

28. E nao fizemos descer sobre 
seu povo^"^\ depois dele, exercito 
algum do ceu; e nao e admissivel 
que o fizessemos descer. 

29. Nao houve senao um so 
Grito; entao, ei-los extintos. 

30. Que afli9ao para os servos^^^! 
Nao Ihes chegou Mensageiro algum, 
sem que dele zombassem. 

31. Nao viram^^^ quantas geracjoes 
aniquilamos, antes deles? As quais 
a eles jamais retomarao. 

32. E, por certo, todos reunidos, 
serao trazidos para junto de Nos. 






y^ 1 '^''^^^j iici^V \c^\\ 



( ' ) Sua: de outros deuses. 

(2) Lhe: a Habib An-Najjar, que foi apedrejado ate a morte. 

(^) Ou seja, sobre o povo de Habib An-Najjar. 

(4) Alusao aos que desmentem os mensageiros e, por isso, sao castigados. 

(5) O versiculo dirige-se aos idolatras de Makkah. 



36. Soratu Ya-Sln 



Parte 23 



721 tr.>i 



y^ J^ 6jj^ 



33. E e um sinal, para eles, a 
terra morta: vivificamo-la e dela 
fazemos sair graos; entao, deles 
comem. 

34. E, nela, fazemos jardins de 
tamareiras e videiras e, dela, fazemos 
emanar fontes, 

35. Para que eles comam de 
seus frutos e do que suas proprias 
maos fazem. Entao, nao agradecem? 

36. Glorificado seja Quem criou 
todos OS casais do que a terra 
brota, e deles^'^ mesmos e do que 
nao sabem! 

37. E e um sinal para eles a noite, 
da qual esfolamos o dia: entao, ei- 
los imersos nas trevas. 

38. E o sol corre para uma 
morada pertencente a ele: essa e a 
determinafao dO Todo-Poderoso, 
dO Onisciente. 



39. E a lua, determinamo-lhe 
fases, ate tomar-se como o velho 
racemo' 



^^^^ da tamareira. 



40. Nao e concebivel ao sol 
atingir a lua, nem a noite antecipar- 






(0 Dos homens. 

(2) Racemo traduz a palavra arabe *^urjun, um tipo de inflorescencia correspondente a 
cacho, e constituido de um eixo indefmido sobre o qual se inserem flores 
pediceladas. (Cf. Novo Diciondrio da Lingua Portuguesa de Aurelio Buarque de 
Holanda Ferreira). Quando o racemo envelhece, torna-se amarelado, seco delgado 
e curvo, da mesma forma que a lua, na face minguante, dai a compara9ao, no 
versiculo, da lua com o racemo. 



36. Suratu Ya-STn 



Parte 23 



722 



tr ^>i 



VI J^ djj-- 



se ao dia. E cada qual voga, em 
uma orbita. 

41. E e um sinal para eles 
havermos carregado seus antepas- 
sados^^^ no barco^^^ repleto. 

42. E criamo-lhes, a sua^^^ seme- 
lhan9a, aquilo em que montam. 

43. E, se quisessemos, afoga- 
los-iamos; entao nao haveria, para 
eles, Salvador algum, e nao serao 
salvos, 

44. Exceto por misericordia 
vinda de Nos, e para gozo, ate 
certo tempo. 

45. E, quando se Ihes diz: 
"Guardai-vos do que esta adiante 
de vos e do que esta detras de 
vos^'^^ na esperan9a de obterdes 
miseri-cordia", voltam as costas. 

46. E nao Ihes chega sinal algum 
dos sinais de seu Senhor, sem que 
Ihe deem de ombros. 

47. E, quando se Ihes diz: 
"Despendei do que Allah vos deu 
por sustento", os que renegam a Fe 
dizem aos que creem: "Alimen- 



^5pci44iiijj^ 



4^\ cj>^il2L^-G>4j i^^^J 



(t» ^.^-^ci^^l^ 






^.^j^k^j^j^Ai 









(0 Antepassados, aqui, traduzem a palavra zurriyah, a qual, geralmente, traduzimos 
por descendentes. 

(2) Ou seja, o barco de Noe. 

(3) Sua, ou seja, a semelhan9a do barco. Deus criou, assim, para o homem veiculos 
para transporta-lo por mares e terras, e, hodiernamente, por ares, tambem. 

(^) Guardai-vos do que esta adiante e do que esta atras: temei o castigo da vida 
terrena e da vida eterna. 



36. SQratu Ya-STn 



Parte 23 



723 



rr t>i 



fl Jhi 5jj-» 



taremos nos aquele que Allah 
alimentaria, se quisesse? Nao estais 
senao em evidente descaminho.'' 

48. E dizem: "Quando sera o 
cumprimento desta promessa, se 
sois veridicos?'' 

49. Nao esperam eles senao um 
so Grito, que os apanhara, enquanto 
estiverem disputando^^^ uns com 
outros. 

50. Entao, nao poderao fazer 
testamento nem retomar a suas 
familias. 

51. E soprar-se-a na Trombeta: 
entao, ei-los que, das tumbas, sairao 
a9odados para junto de seu Senhor. 

52. Dirao: "Ai de nos! Quern 
nos ressuscitou de nosso lugar de 
descanso? Isto e o que o 
Misericordioso prometera, e os 
Mensageiros disseram a verdade." 

53. Nao havera senao um so 
Grito: entao, ei-los que serao 
trazidos todos, par junto de Nos. 

54. Entao, nesse dia, nenhuma 
alma nada sofrera de injusti9a, e 
nao sereis recompensados senao 
pelo que fazieis. 

55. Por certo, os companheiros 
do Paraiso, nesse dia, estarao 















^QJ^_P 






(0 Os idolatras de Makkah, via de regra, punham em discussSo se seriam ou nSo 
ressuscitados. 



36. Suratu Ya-Sm Parte 23 I 724 I rr ^^ri 



f 1 <j-J Ojj^ 



absortos em delicias, alegres. 

56. Eles e suas mulheres estarao 
na sombra, reclinados sobre coxins. 

57. Nele, terao frutas e terao o 
que cobi9arem. 

58."Salani!" Paz. E urn dito 
que ouvirao de Um Senhor 
Misericordiador. 

59. E Ele dira: "Separai-vos, 6 
criminosos, neste dia! 

60. "Nao vos recomendei, 6 
filhos de Adao, que nao 
adorasseis^^^ a Sata? Por certo, ele 
vos era inimigo declarado, 

61. "E que Me adorasseis? Esta 
e uma senda reta. 

62. "E, com efeito, ele 
descaminhou grande multidao de 
vos. Entao, nao razoaveis? 

63. "Eis a Geena, que vos era 
prometida! 

64. "Sofrei sua queima, hoje, 
porque renegaveis a Fe." 

65. Nesse dia, selar-lhes-emos 
as bocas, e suas maos Nos falarao, 
e suas pernas testemunharao o que 
cometiam. 

66. E, se quisessemos, apagar- 
Ihes-iamos os olhos, entao, 






-^^Jd^^y^^ 






@^^J;4^^^-J^ 



JJ 



> -^t -2 f 



^0 



^jjSjji:SjS^jJ4^^.^ 



^ ij|_,j6sj_jLiX) lijAjljWS}^' 






^4^1 i^lL:i^itBij 



(') Ou seja, o ser humane nSo deve jamais ceder a tenta^ao do Mai. 



36. Suratu Ya-STn 



Parte 23 



725 



rr ^>i 



T'*\ J-d 5jj--» 



precipitar-se-iam na senda; como 
poderiam, pois, enxergar algo? 

67. E, se quisessemos, trans- 
figura-los-iamos, no lugar em que 
estivessem: entao, nao poderiam ir 
adiante nem retornar^^\ 

68. E, a quem tomamos longevo, 
fa-lo-emos regredir^^\ em sua 
criafao. Entao, nao razoam? 

69. E nao Ihe^^^ ensinamos a 
poesia, e ela nao Ihe e concebivel. 
Esse^"^^ nao e senao Mensagem e 
evidente Alcorao, 

70. Para que admoeste quem 
esta vivo e para que o Dito se 
cumpra contra os renegadores da Fe. 

71. E nao viram eles que, entre 
o que fizeram Nossas maos, Nos 
Ihes criamos rebanhos, entao, deles 
sao possuidores? 

72. E OS tomamos doceis a eles; 
entao, deles, ha-os para a sua 
montaria, e, deles, ha-os que eles 
comem; 

73. E tem, neles, proveitos e 
bebidas. Entao, nao agradecem? 

74. E tomam deuses, alem de 



^ r»^.(li^ ^^f^\ \ ^LjL^Is 



iOJjyO:^^. 



---^ii3ii 












( * ) Deus poderia, se quisesse, transformar os idolatras em seres inertes, sem for^a e 
sem possibilidade de fazerem que quisessem contra a religiao. 

(2) A longevidade imprime profundas e incoerciveis transformagoes fisicas e mentals 
no ser humano. 

(3) Lhe: a Muhammad. 
W Esse: Alcorao. 



36. Suratu Ya-Sln 



Parte 23 



726 



rr ^>i 



fl J^. 5jj-- 



Allah, para serem por eles 
socorridos. 

75. Estes nao poderao socorre- 
los, e serao um exercito, trazido, 
contra eles, no Dia do Juizo. 

76. Entao, que seu dito^^^ nao te 
entriste9a. Por certo, sabemos o de 
que guardam segredo e o que 
manifestam. 

77. E o ser humano^^^ nao viu 
que o criamos de gota seminal? 
Entao, ei-lo adversario declarado! 

78. E, esquecendo sua cria9ao, 
propoe, para Nos, um exemplo. 
Diz: "Quem dara vida aos ossos, 
enquanto resquicios?" 

79. Dize: "Quem os fez surgir, 
da vez primeira, dar-lhes-a a vida - 
e Ele, de todas as criaturas, e 
Onisciente - 

80."Aquele Que vos fez fogo, 
das arvores^"^^ verdes, entao, ei-vos 
que, com elas, acendeis." 

81. E Aquele Que criou os ceus 
e a terra nao e Poderoso para criar 
seus iguais? Sim! E Ele e O 



w^l^^j^. 









/^^^^J^^^^^Jy^J 



jh4^C^Jj^ 












(0 Alusao as blasfemias dirigidas pelos idolatras contra o Profeta, que qualificaram 
de louco, feiticeiro e falaz. 

(2) Alusao a *^Ubai Ibn Khalaf. Cf. XVI 4 n3. 

(3) Referencia a uma arvore da Peninsula Arabica, que produz faiscas, pelo atrito de 
pedagos seus, mesmo quando verdes, o que propicia o surgimento do fogo. Caso 
aqui, tambem, uma alusSo ao carvao, substancia combustivel, de origem vegetal 
(madeira carbonizada). 



36. Suratu Ya-Sm 



Parte 23 



727 



rr f>) 



f^ J^ 'djj^ 



Criador, O Onisciente. 

82. Sua ordem, quando deseja 
alguma cousa, e, apenas, dizer-lhe: 
"Se", entao, e. 

83. Entao, glorificado seja 
Aquele, em Cuja mao esta o reino 
de todas as cousas! E a Ele sereis 
retomados. 







37. Suratu As-saffat Parte 23 728 tr ^j^\ rv o\3UaJi ojj^ 



SURATU AS- SAFFAT^^^ 
A SURA DOS ENFILEIRADOS 




De Makkah - 182 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Misericordiador. 

1. Pelos enfileirados, em fileiras, 

2. E pelos repulsores do mal, 
com for9a. 

3. E pelos recitadores de Men- 
sagem, 

4. "Por certo, vosso Deus e 
Unico, 

5. "O Senhor dos ceus e da terra 
e do que ha entre ambos, e O 



,S0A 



-^ 



^jl>^c2bl^]j 






iV[^ti^. 



(0 As-Saff^t: plural do adjetivo as-saffah, derivado do verbo saffa, p6r-se em 
harmonia, ou dispor-se em linha; as-saff^t seriam os dispostos, harmonicamente, 
em fileiras, para orar ou glorificar a Deus. Aqui, e epiteto de criaturas ou de anjos 
ou de crentes, que Deus dignifica nos juramentos. Assim, denomina-se a sura, pela 
mengao desta palavra em seus versiculos, 1 e 165. E, como as demais suras de 
Makkah, esta visa a consolida^ao da Fe, alijando-a das influencias pagas, pois 
atenta para a Revela9ao divina, para a unicidade de Deus, para a Ressurrei9ao e a 
recompensa final. Ela, tambem, refuta a idolatria arabe pre-islamica, que pretende 
uma vincula^ao entre Deus e os jinns, a falsa ideia de que os anjos sao fruto da 
uniao entre Deus e estes seres e, tambem, mito de que os anjos sao do sexo 
feminino e, portanto, filhas de Deus. A sura comega com juramento divino, em 
nome das criaturas que, harmonicamente alinhadas, repelem Mai e recitam a 
Mensagem, juramento este que prega a unicidade de Deus, O Senhor de todo 
Universo. Alias, tudo comprova, tanto na beleza quanto na ordem cosmica, e nos 
ceus resguardados dos seres rebeldes. A Ressurreigao e outro aspecto relevante, 
tratado aqui, e seus negadores, reunidos nesse Dia, se acusarao, antes do 
irreversivel castigo. Quanto aos bem-aventurados, esses terao inefaveis galardoes. 
Ha, ainda, men^ao dos mensageiros, anteriores a Muhammad, que, tanto como 
este, foram desmentidos, e esta men^ao serve para confortar Profeta, no que diz 
respeito a renitencia de seu povo em aceitar a Verdade. Finalmente, apos a 
refuta^ao de todas as ideias falsas dos idolatras, a sura termina com louvores e 
gloria a Deus. Esta e a unica sura em que se menciona a historia do Patriaca 
Abraao, que sonhou que degolava seu filho Ismael. Como sonho dos Profetas era 
considerado ordem divina, ao tentar executa-lo, Deus enviou-lhe um anjo com um 
carneiro, para que degolasse em lugar de seu filho. 



37. SQratu As~saffat Parte 23 



729 



rrt>i TV oi3Ui)i 5jj-- 



Senhor dos Levantes." 

6. Por certo, Nos omamentamos 
o ceu mais proximo, com um 
ornamento: os astros, 

7. E para custodia-lo, contra 
todo demonio rebelde. 

8. Eles nao podem ouvir a corte 
altissima^^\ e sao arrojados, por 
todos OS lados, 

9. Recha9ados. E terao castigo 
perpetuo. 

10. Exceto quem arrebatar algo^^^: 
entao, persegui-lo-a uma bolide 
perfurante. 

11. E consulta-os^"^^: "Quem e 
mais dificil, em cria9ao, eles ou 
outros seres que criamos?" Por 
certo, cfiamo-los de barro viscoso^'*^ 

12. Mas tu admiras que te 
desmintam, e eles disso escar- 
necem. 

13. E, quando lembrados do 
Alcorao, dele nao se lembram. 

14. E, quando veem um sinal, 
excedem-se em escarnio, 

15. E dizem: "Isto nao e senao 
evidente magia. 






.?'*<' ?^ - 






^-i:S^^\SM 



^ij 



^djy^.^iJiChySy^Aj 



Si3^^i\^5l9^J 



( ^ ) Corte altissima: os anjos celestials. 

(2) Arrebatar algo: ouvir aigo da fala celestial. 

(3) Os: OS idolatras de Makkah. 

W O ser humano nao pode olvidar sua fragilidade e sua origem pulverea, por isso 
mesmo, nao ha de ter arrogancia e desprezo pela mensagem divina. 



37. Suratu As-saffat Parte 23 730 TT tji-i TV oldUoii ijj^ 



16. "Quando morrermos e formos 
p6 e ossos, seremos ressuscitados? 

17. "E nossos pais antepassados, 
tambem?" 

18. Dize, Muhammad: "Sim, e 
sereis humilhados." 

19. Entao, havera, apenas, um so 
Clangor, e ei-los que olharao, 
estarrecidos, 

20. E dirao: "Ai de nos! Este e o 
Dia do Juizo." 

21. Os anjos dirao: "Este e o 
Dia da Decisao, que desmentieis." 

22. Ele dira: "Reuni os que 
foram injustos, e a suas mulheres e 
ao que adoravam, 

23. Alem de Allah, e guiai-os a 
senda do Inferno, 

24. E detende-os. Por certo, serao 
interrogados: 

25. "Por que razao nao vos 
socorreis uns aos outros?" 

26. Mas, nesse dia, eles serao 
rendidos. 

27. E dirigir-se-ao, uns aos 
outros^*\ interrogando-se. 

28. Dirao: "Por certo, sempre, 
chegaveis a nos do lado direito^^\ 









toyJcf^J^^P^ 



(0 Ou seja, OS seguidores e seus mentores. 

(2) Chegar do lado direito: chegar com o bem, com boas inten96es; mas eles, 
embora chegando deste lado, enganaram-nos, vindo com mal. 



37. Suratu As-saffat Parte 23 731 rr ^ji-t rv oldUoJi 5jj-- 



para renegar a Fe." 

29. Os chefes dirao: "Mas nao 
ereis crentes, 

30. "E nao tinhamos poder 
algum sobre vos. Mas ereis um 
povo transgressor. 

31."Entao, o Dito de nosso 
Senhor cumpriu-se, contra nos. Por 
certo, haveremos de experimentar 
o castigo. 

32. "E trans viamo- vos: por certo, 
nos eramos desviados." 

33. Entao, por certo, nesse dia, 
eles serao participes no castigo. 

34. Por certo, assim agimos com 
OS criminosos. 

35. Por certo, quando se Ihes 
dizia: "Nao ha deus senao Allah", 
ensoberbeciam-se, 

36. E diziam: "Abandonaremos 
nossos deuses por um poeta louco?" 

37. Nao. Mas ele chegou com a 
Verdade e confirmou as palavras 
dos Mensageiros. 

38. Por certo, havereis de experi- 
mentar o doloroso castigo 

39.- E nao sereis recom- 
pensados senao pelo que fazieis - 

40. Exceto OS servos prediletos 
de Allah. 






)j^^}y^ 



;^Ji3^o5|^i:^ofi:^j 






f.y.^, >^ 















^<j^^\^^,Ks;ii 



37. Suratu As-saffat Parte 23 



732 



Trt>i rv oiduii djj--» 



41. Esses terao determinado 
sustento: 

42. Frutas^^\ E serao honrados, 

43. Nos Jardins da Delicia, 

44. Estarao em leitos, frente a 
frente; 

45. Far-se-a circular, entre eles, 
ta9as de vinho^^^ de fonte fluida, 

46. Branco, deleitoso para quern 
o bebe, 

47. Nele, nao havera mal siibito; 
e, com ele, nao se embriagarao. 

48. E, junto deles, estarao aquelas 
de belos grandes olhos, de olhares 
restritos a seus amados, 

49. Assemelham-se a ovos^^^ 
res-guardados 

50. E uns aos outros dirigir-se- 
ao, interrogando-se. 

51. Um deles dira: "For certo, 
eu tinha um acompanhante. 

52. Que dizia: 'Es dos que 
acreditam na Ressurrei9ao? 






0>>-^(j^.C 



(^^llilj (j^. cl^>4r^(3^^ 



(') Frutas: traduz a palavra fawakih, que significa, aqui, nao especificamente os 
comestiveis, mas tudo o que delicia os sentidos dos bem-aventurados, uma vez 
que, no Paraiso, estes, por serem eternos, prescindirao dos alimentos necessarios a 
subsistencia. 

(2) O vinho paradisiaco, diferente da bebida alcoolica do mundo, nao causa 
embriaguez nem mal-estares. 

(3) Era tradi9ao entre os arabes compararem algo belo e de cor pura com os ovos de 
avestruz, cuja casca, resguardada pela maciez das plumas maternas, adquire 
aspecto deslumbrante. 



37. SQratu As-saffat Parte 23 



733 



trt>i rv oiduiji 5j>^ 



53. 'Quando morrermos e formos 
p6 e ossos, seremos julgados?'" 

54. Ele dim: "Quereis avista- 

55. Entao, avistou e viu-o no 
meio do Inferno. 

56. Dira: "Por Allah! Por certo, 
quase me arruinaste, 

57. "E, nao fora a gra9a de meu 
Senhor, seria dos trazidos ao Fogo. 

58. "Sera que jamais morreremos 

59. "Senao aquela nossa primeira 
morte, e nao seremos castigados?" 

60. Por certo, este e o magnifico 
triunfo. 

61. Entao, para recompensa igual 
a essa, que laborem os laboriosos! 

62. Sera isso melhor por hos- 
pedagem ou a arvore de 
Zaqqum^^^? 

63. Por certo, fizemo-la como 
prova9ao para os injustos. 

64. Por certo, e uma arvore que 
surge do fundo do Inferno, 

65. Suas espatas sao como as 
cabe9as de demonios. 

66. E, por certo, dela comerao e 
dela encherao os ventres. 






©01^^ 






9 ^-»-j» 






(0 Lo: o companheiro, que negava a Ressurrei^ao. 

(2) Arvore de Zaqqum: arvore infernal, de amarissimos frutos. 



37. SOratu As-saffat Parte 23 



734 ^^ ^>^ ^V oi3Uii oj>^ 



67. Em seguida, sobre ela, terao 
mistura de agua ebuliente. 

68. Depois, seu retorno sera ao 
Inferno. 

69. Por certo, eles encontraram 
sens pais descaminhados, 

70. Entao, em suas pegadas, 
prosseguem impetuosos. 

71. E, com efeito, antes deles, a 
maioria dos antepassados descamin- 
hou-se. 

72.- E, com efeito, enviamo- 
Ihes admoestadores. 

73. Entao, olha como foi o fim 
dos que foram admoestados! - 

74. Exceto os servos prediletos 
de Allah. 

75. E, com efeito, Noe chamou- 
nos; entao, quao Excelentes fomos 
em atende-lo! 

76. E salvamo-lo e a sua familia 
da formidavel angustia^^\ 

77. E fizemos de sua descen- 
dencia os sobreviventes. 

78. E deixamos esta ben9ao 
sobre ele, na posteridade: 

79. "Que a paz seja sobre Noe, 
nos mundos!" 






>.1-: 






^^\^^:^v^/^j'^j 






(l)Cf. XXI 76 n2. 



37. Suratu As-saffSt Parte 23 735 rt ^ji-i TV ol3UaJi 5jj^ 



80. Por certo, assim recompen- 
samos OS benfeitores. 

81. Por certo, ele era de Nossos 
servos crentes. 

82. Em seguida, afogamos os 
outros. 

83. E, por certo, Abraao era de 
sua seita 



(1) 



84. Quando chegou a seu Senhor, 
com um cora9ao imaculado, 

85. Quando disse a seu pai e a 
seu povo: "O que adorais? 

86. "Desejais a mentira: adorar 
deuses em vez de Allah? 

87. "E qual vosso pensamento 
acerca dO Senhor dos mundos?" 

88. Entao, ele deu uma olhada 
nas estrelas^^\ 

89. E disse: "Por certo, estou 
doente^^V' 

90. Entao, voltaram-lhe as costas, 
fugindo. 

91. E foi ter, sorrateiramente, 
com seus deuses, e disse: "Nao 
comeis? 



^0i:^(,^4irgl 



©Oi^J^^^^tio^/^Sl 






^ ^^--d^ ^Jl2^ Ajj'^l^ !i\^ 






(0 Ou seja, Abraao era dos seguidores de Noe, no que se referia aos principios da 
cren9a monoteista. 

(2) Abraao fingiu consultar as estrelas e nelas procurar li96es e ensinamentos, para, 
com isso, atrair a aten9ao do povo idolatra e astrolatra, e poder convence-los. 

(3) Para ficar a sos com os idolos e poder destrui-los, Abraao disse a seu povo que 
havia contraido peste. Temendo o contagio, todos fugiram, deixando-o s6. 



37. Suratu As-saffSt Parte 23 735 IT ^j^\ rv ol3Ui3i ojj-- 



92. "Por que nao falais?" 

93. E foi ter, sorrateiramente, 
com eles, batendo-lhes, com a 
destra^^\ 

94. Entao, eles^^^ se dirigiram a 
ele, diligentes. 

95. Disse-lhes: "Adorais o que 
esculpis, 

96. "Enquanto Allah vos criou e 
ao que fazeis?" 

97. Disseram: "Edificai, para ele, 
uma edifica9ao e lan^ai-o no 
Inferno." 

98. E desejaram armar-lhes 
insidias; entao, fizemo-los os mais 
rebaixados. 

99. E ele disse: "Por certo, vou 
aonde meu Senhor me ordena; Ele 

me guiara^^\ 

100. "Senhor meu! Dadiva-me 
com um filho, dos integros." 

lOl.Entao, alvissaramo-lhe um 
filho clemente. 

102. E, quando atingiu a idade 
de labutar com ele^'*^ este disse: 



Qyo 



^g^ifi}^^^}^ 



^^^jS4'' 



^ Sj^>6^\^hjX^^0^ 



.-^.^,-\^^^. 



-!^-^. .^.'f . 






3 o:^Sl^.i^^ 



% U:^^jb.t4^ ap\5j 



^bS^'^u'A^^-^ 



Pj^A1c^^j1j3 



c$3\4l544 j\5 c>^^ ^ JtJ^\2i 






(0 Ou seja, batendo-lhe com a mao direita, que e mais forte, para destrui-los 

totalmente. 
(2) Eles: seus concidadaos. 
0) Ao desesperar-se com a idolatria de seu povo, Abraao anunciou a todos que iria 

para a terra aben^oada, na regiao fertil da Siria e da Palestina, conforme Deus Ihe 

ordenava. Em la chegando, recebeu anuncio de um filho. 
(4) Com ele: com pai, Abraao. 



37. Saratu As-saffSt Parte 23 



737 



rr^yri rv oidUiJi ojj-- 



''6 meu filho! Por certo, vi em 
sonho que te imolava. Entao, olha, 
que pensas disso?" Ismael disse: 
''6 meu pai! Faze o que te e 
ordenado. Encontrar-me-as entre 
OS perseverantes, se Allah quiser." 

103. E, quando ambos se resig- 
naram, e o fez tombar, com a 
fronte na terra, livramo-lo 

104. E chamamo-lo: ''6 Abraao! 

105. "Com efeito, confirmaste o 
sonho." Por certo, assim recom- 
pensamos os benfeitores. 

106. Por certo, essa e a evidente 
prova. 

107. E resgatamo-lo com imolado 
magmTico. 

108. E deixamos esta ben^ao 
sobre ele, na posteridade: 

109. "Que a paz seja sobre 
Abraao!" 

110. Assim, recompensamos os 
benfeitores. 

111. Por certo, ele era de 
Nossos servos crentes. 

112. E alvissaramo-lhe Isaque, 
como profeta, entre os integros. 

1 13. E abenfoamo-lo e a Isaque. 
E, na descendencia de ambos, houve 
quern fosse benfeitor e quem fosse 
um declarado injusto com si mesmo. 












Ycj<yJ^\6^'^j 



^^ji:;r-P%^.biA 



^ ^V'^yt\iv(S^U'*i?"^ 






37. Suratu As-saffat Parte 23 733 tr ^ji-i rv o\3UiJi 5j^ 



114.E, com efeito, Nos fizemos 
merce a Moises e a Aarao, 

115. E salvamo-los, a ambos, e a 
seu povo, da formidavel angiistia^^l 

116. E socorremo-los; entao, 
foram eles os vencedores. 

117. E concedemo-lhes o Livro^^\ 
assaz evidente, 

118. E guiamo-los a senda reta. 

119. E deixamos esta ben^ao 
sobre ambos, na posteridade: 

120. "Que a paz seja sobre 
Moises e Aarao!" 

121. Por certo, assim recompen- 
samos OS benfeitores. 

122. Por certo, eram ambos de 
Nossos servos crentes. 

123. E, por certo, Elias era dos 
Mensageiros, 

124.Quando disse a seu povo: 
"Nao temeis a Allah? 

125. "Invocais Ba^^l e deixais O 
Melhor dos criadores, 

126. "Allah, vosso Senhor e O 
Senhor de vossos pais antepas- 
sados?" 



6N^L3 3!li'5;e*'J»A 









^>:S:i0>^^^^ 



(0 Formidavel angustia: afogamento pelas aguas ou a domina^ao faraonica sobre 

seu povo. 
(2) O Livro: a Tora. 



37. SOratu As-saffat Parte 23 739 rt ^ji-i TV oidU3l 5j^ 



127. E desmentiram-no; entao, 
serao trazidos ao castigo, 

128. Exceto os servos prediletos 
de Allah. 

129. E deixamos esta ben^ao 
sobre ele, na posteridade: 

130. "Que a paz seja sobre II 
YasTn^^V' 

131. Por certo, assim recompen- 
samos OS benfeitores. 

132. Por certo, ele era de nossos 
servos crentes. 

133. E, por certo, Lot era dos 
Mensageiros, 

134. Quando o salvamos e a sua 
familia, a todos, 

135. Exceto uma ancia, dentre 
OS que ficaram para tras^^l 

136. Em seguida, profligamos 
OS outros. 

137. E, por certo, passais por 
eles^^\ ao amanhecer 

138. E a noite. Nao razoais? 

139. E, por certo, Jonas^^^ era 
dos Mensageiros, 

140. Quando fugiu, no barco 
repleto. 



^hX^^^^'^,^ 









(0 II YasTn: variante do nome Elias (II Yas, em arabe). 

(2)Cf. VII83nl. 

0) Ou seja, sobre suas ruinas. 

(4)Cf. XXI 87 n3. 



37. Saratu As-saffat Parte 23 749 YT ^ji-i TV olBUJi djj^ 



141.Entao, ele tirou a sorte, e 
foi dos refutados. 

142. Entao, a baleia engoliu-o, 
enquanto merecedor de censura. 

143. E, se nao fora ele dos 
glorificadores, 

144. Haveria permanecido em 
seu ventre, ate um dia, em que 
serao ressuscitados. 

145. Entao, deitamo-lo fora, em 
ermo lugar, enquanto indisposto. 

146. E fizemos brotar sobre ele 
um arbusto de YaqtTn^^\ 

147. E enviamo-lo a cem mil 
homens, ou mais; 

148. E creram em Allah, e 
fizemo-los gozar ate certo tempo. 

149. Entao, consulta-os^^^ "Sao 
de teu Senhor as filhas, e deles, os 
filhos?" 

150. Ou criamos Nos os anjos 
como seres femininos e eles foram 
testemunhas disso? 

151. Ora, por certo, entre suas 
mentiras, dizem: 

152. "Allah gerou." E, por certo, 
sao mentirosos. 



jy;^l^\ o^OoSji-^Lls 






•Jci3\^\li 












(0 YaqtTn: abobora. 

(2) Os: OS idolatras de Makkah 



37. Suratu As-saffat Parte 23 741 rr tji-i TV oldL^ii oj^ 



153. Escolheu ele as filhas, de 
preferencia aos filhos? 

154. Que ha convosco? Como 
julgais? 

155. Entao, nao meditais? 

156. Ou tendes evidente com- 
prova9ao? 

157. Entao, fazei vir vosso livro, 
se sois veridicos. 

158. E fizeram, entre Ele e os 
jinns, parentesco. E, com efeito, 
sabem os jinns que serao trazidos 
ao castigo 

159.- Glorificado seja Allah, 
acima do que alegam! - 

160.Exceto OS servos prediletos 
de Allah. 

161. Entao, por certo, vos^^^ e o 
que adorais 

162. Nao sereis sedutores de 
ninguem contra Ele, 

163. Exceto de quern sofrer a 
queima do Inferno. 

164. E OS anjos dizem: "E nao 

ha ninguem entre nos que nao 
tenha posi9ao determinada. 

165. "E, por certo, somos os 
enfileirados^^. 



^ jj^^^o\^I<^^^\ 



MO 



'^^^|JU 



SS ^ 



S'':iS 















(0 Vos: OS idolatras de Makkah. 

(2) Ou seja, os anjos, que se dispoem em fileiras, durante a adora9ao de Deus. 



37. Suratu As-saffat Parte 23 742 YT ^ji-i TV o\3UJi djj-- 



166."E, por certo, somos os 
glorificadores!" 

167. E, por certo, eles diziam^^^: 

168. "Se tivessemos uma Men- 
sagem dos antepassados, 

169."Seriamos os servos predi- 
letos de Allah!" 

170. E renegam-na^^\ Entao, 
logo saberao! 

171. E, com efeito, Nossa Palavra 
antecipou-se a Nossos servos, os 
Mensageiros, 

172. Por certo, eles serao os 
socorridos, 

173. E, por certo, Nossos 
exercitos serao os vencedores. 

174.Entao, volta-lhes as costas, 
ate certo tempo. 

175. E enxerga-os, na derrota: 
entao, eles enxergarao teu triunfo! 

176. E apressam eles Nosso 
castigo? 

177. Entao, quando ele^^^ descer 
a seus arredores, que vil sera a 
manha dos admoestados! 

178. E volta-lhes as costas, ate 
certo tempo. 






m.-^'M^C "''' 



«jUi>**'-S3 






© Cf^f^'^'^' 






(U Eles: OS idolatras de Makkah, antes do advento do Islao. 

(2) Na: a Mensagem de Deus, ou seja, Alcorao. 

(3) Ele: castigo. 



37. Suratu As-saffat Parte 23 743 YT s^jk\ TV oi3UiJi Sjj^ 



179. E enxerga sua derrota; 

entao, eles enxergarao teu triunfo! 

180. Glorificado seja teu Senhor, 
O Senhor do Poder, acima do que 
alegam! 

181. E que a paz seja sobre os 
Mensageiros! 

182. E louvor a Allah, O Senhor 
dos mundos! 










38. Suratu Sad 



Parte 23 



744 



rr ^>i 



fA J> djj^ 



SURATU SAD^*^ 
A SURA DE SAD 



De Makkah - 88 versiculos. 

Em nome de Allah O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

l.Sad. Pelo Alcorao, portador 
da Mensagem! 

2. Os^^^ que renegam a Fe estao, 
alias, imersos em arrogancia e 
discordia. 

3. Que de gerafoes aniquilamos, 
antes deles! Entao, bradavam, 
enquanto nao havia mais tempo 
para escapar. 

4. E eles se admiram de haver- 
Ihes chegado um admoestador 
vindo deles. E os renegadores da 
Fe dizem: "Este e um magico 
mentiroso, 






l)^^^l>. 









(0 Sad: designa^ao da letra arabe ^^, sem correspondencia exata, na lingua 
portuguesa, mas transcrita aproximadamente por um s velar, enfatico. Quanto a 
interpretaQ^o desta letra, veja-se a sura II 1 n3. Aqui, a letra denomina a sura, por 
estar mencionada em seu primeiro versiculo. Como todas as suras de Makkah, esta 
trata dos mesmos assuntos, ou seja, da unicidade de Deus, da RevelaQao, da 
RessurreiQao, do Ajuste de Contas. Relata, inicialmente, a reaQSo de espanto, por 
parte dos principals idolatras de Makkah, nao so em rela9ao a prega9ao do Profeta 
sobre a unicidade de Deus, mas em relaQ^o a escolha de Muhammad, como 
Mensageiro, que, afmal, nao sendo dos seus, nao pertencia a escol de Makkah. A 
seguir, refuta as falsas pretensOes desses principals, provando que suas objcQOes 
sSo geradas pela arrogancia e pelo espirito separatista. Adiante, apresenta alguns 
exemplos dos povos antigos, para evidenciar o fim dos desmentidores dos profetas 
e consolar Seu Mensageiro, pelas atitudes hostis de seu povo. Entre os exemplos, 
salientam-se as menQoes de episodios atinentes a Davi e Salomao. E revela o que 
reserva Deus aos bem-aventurados e mal-aventurados. Ha, tambem, referenda ao 
que ocorreu a Adao e Iblls; fmalmente, define a missSo do Profeta, que e 
transmitir a Mensagem de Deus para toda a Humanidade. 

(2) Os: OS idolatras de Makkah. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



745 



yr ^>i 



TA J> djj-» 



5. "Faz ele dos deuses um unico 
Deus? Por certo, isso e cousa 
admiravel!" 

6. E OS dignitaries, entre eles, 
foram^^^ adiante, dizendo uns aos 
outros: "Andai e pacientai quanto 
a vossos deuses. Por certo, isso e 
cousa desejada. 

7. "Jamais ouvimos falar disso, na 
ultima crerwja/^^ Isso nao e senao 
inven9ao! 

8. "Foi descida a Mensagem, 
somente sobre ele, dentre nos?" 
Mas eles estao em duvida acerca 
de Minha Mensagem. Alias, ainda, 
nao experimentaram Meu castigo. 

9. Ou tem eles os cofres da 
misericordia de teu Senhor, O 
Todo-Poderoso, O Dadivoso? 

10. Ou deles e a soberania dos 
ceus e da terra e do que ha entre 
ambos? Entao, que ascendam^^^ 
aos ceus, pelos meios de acesso! 









S^^)hhi S^JiJi^ 






(0 Quando os principals de Makkah sentiram a amea9a do islamismo, foram queixar- 
se junto ao tio de Muhammad, chamado Abu Talib, exigindo-lhe que ordenasse ao 
sobrinho a nao mais atacar os idolos da cidade. Assim que o Profeta, por solicita9ao 
de Abu Talib, se reuniu a eles, reiterou-lhes que sua unica salva9ao era abra9ar a 
nova religiao, do unico Deus. Indignados, retiraram-se, todos, acintosamente, da 
reuniao. Por isso, revelou-se-lhes este versiculo, para registrar o evento. 

(2) Os idolatras de Makkah argumentaram que nem mesmo na ultima cren9a, ou seja, 
no cristianismo, se pregava o monoteismo, tal como no islamismo. 

(3) Os idolatras de Makkah nao deviam opor-se ao designio divino da escolha de 
Muhammad como Profeta. Afmal, como diz o versiculo ironicamente, eles nao 
eram os donos dos ceus e da terra, pois, se o fossem, poderiam ascender ate os 
ceus e de la governar o Universo, elegendo, outrossim, seus mensageiros. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



746 



yr ^j^\ 



T^ j> djj^ 



ll.E um exercito desprezivel 
dos partidos, que, ai mesmo, sera 
derrotado. 

12. Antes deles, desmentiram 
aos Mensageiros o povo de Noe e 
de ""Ad e Farao, o possuidor das 
estacas^'\ 

13. E o povo de Thamud e o 
povo de Lot e os habitantes da 
Al-'Aykah^^l Eram esses os partidos. 

14. Cada qual nada fez senao 
desmentir os Mensageiros. Entao. 
Minha puni9ao cumpriu-se. 

15. E nao esperam esses^"^^ senao 
um so Grito, que nao tera 
intermitencia. 

16. E dizem: "Senhor nosso! 
Apressa, para nos, nossa por9ao do 
castigo, antes do Dia da Conta." 

17. Pacienta, Muhammad, 
quanto ao que dizem e menciona 
Nosso servo Davi, dotado de vigor. 
Por certo, ele era devotado a Allah. 

18. Por certo, submetemos as 
montanhas, para, com ele, glorifi- 
carem a Allah, ao anoitecer e ao 
nascer do sol. 



^ o^^'^^S^'^^ (iiill^li !Ll 









1^^' 









(0 Trata-se das estacas as quais se prendiam os condenados, com o mando rigido de 
Farao. Pode tratar-se tamb^m da designa^ao dos soldados dos exercitos faraonicos, 
que confirmam o poder de Farao, como as estacas tornam firmes as tendas armadas 
nos campos. Portanto, as estacas simbolizariam a for^a e o poder faraonicos. 

(2)Cf. XV 78 n6. 

(^) Esses: os idolatras de Makkah. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



747 



Yr ^>i 



TA J> 5jj-- 



19. E submetemo-lhe os passaros 
reunidos, tudo Lhe era devotado. 

20. E fortalecemo-lhe a soberania 
e concedemo-lhe a sabedoria e o 
falar peremptorio. 

21. E chegou-te o informe dos 
disputantes^^\ quando escalaram^^^ 
o muro do santuario? 

22. Quando entraram junto de 
Davi, entao, aterrou-se com eles. 
Disseram: "Nao te atemorizes. 
Somos dois disputantes, um de nos 
cometeu transgressao contra outro. 
Entao, julga entre nos, com a 
verdade, e nao sejas parcial; e 
guia-nos a senda direita. 

23. 'Tor certo, este e meu 
irmao^^^; ele tem noventa e nove 
ovelhas, e eu tenho uma so ovelha. 
Entao, disse: 'Confia-ma.' E 
venceu-me, na discussao." 

24. Davi^"^^ disse: "Com efeito, 
ele cometeu injusti9a contigo, ao te 
pedir juntasses tua ovelha a suas 
ovelhas. E, por certo, muitos dos 
associados cometem transgressao 






ID^' 









(0 Alusao a dois anjos que chegaram a Davi, na forma de homens em disputa, a fim 
de o recriminarem pelo erro que cometera. Sem ouvir o outro disputante ele deu 
sua senten9a. 

(2) Por se tratar do dia de ora9ao de Davi, quando ninguem podia adentrar o santuario, 
para estar com ele, e as portas fechadas permaneciam guardadas contra quem quer 
que fosse; por isso, os dois disputantes tiveram de escalar o muro do recinto 
sagrado, para chegarem ate Davi. 

(3) Entenda-se, aqui, irmao, apenas por afmidade, nao por parentesco. 
W Davi: de imediato, deu sua opiniSo. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



748 



yr f.j^\ 



TA J> djj-j 



uns contra outros, exceto os que 
creem e fazem as boas obras. E 
quao poucos sao eles!" E Davi 
pensou que N6s o provassemos; 
entao, implorou perdao a seu 
Senhor e caiu em prosterna^ao, e 
voltou-se contrito para Nos. 

25. Entao, perdoamo-lhe isso. E, 
por certo, ele tera, junto de Nos, um 
lugar proximo, e aprazivel retorno. 

26. E inspiramo-lhe: "6 Davi! 
Por certo, Nos te fizemos califa na 
terra; entao, julga, entre os 
homens, com a justifa, e nao sigas 
a paixao: senao, descaminhar-te-ia 
do caminho de Allah." Por certo, os 
que se descaminham do caminho 
de Allah terao veemente castigo, por 
seu esquecimento do Dia da Conta. 

27. E nao criamos, em vao, o 
ceu e a terra e o que ha entre 
ambos. Essa e a conjetura dos que 
renegam a Fe. Entao, ai dos que 
renegam a Fe, por causa do Fogo! 

28. Considerariamos os que 
creem e fazem as boas obras como 
OS corruptores, na terra? Ou 
considerariamos os piedosos como 
OS impios? 

29. Este e um Livro bendito, que 
fizemos descer, para ti, a fim de 
que eles ponderem seus versiculos 
e a fim de que os dotados de 
discemimento meditem. 






<^ \ <> •" ^ ^ ^ ^ -^ 






® jlliJ?^ 



^K^' 



^i\:^3^%p^4W^ 



^<M\\y 



itj 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



749 



tr ^>i 



f A J> ijj^ 



30. E dadivamos a Davi com 
Salomao. Que excelente servo! Por 
certo, ele era devotado a Allah. 

31.Quando, ao anoitecer, Ihe 
foram apresentados os nobres 
corceis^'\ 

32. Entao, ele disse: 'Tor certo, 
prefer! o amor dos bens a lembran9a 
de meu Senhor, ate que se acobertou 
sol com veu da noite. 

33. Devolvei-mos". Entao, come- 
90U a acariciar-lhes os curvilhoes e 
OS pesco90s^^^ 

34. E, com efeito, provamos^^^ a 
Salomao e lan9amos um corpo sobre 
seu trono; em seguida, voltou-se 
contrito para Nos. 

35. Ele disse: ''Senhor meu! 
Perdoa-me e dadiva-me com uma 












^.S' ^ J j:ij Jji^^yj j\S 



ue^^ 



(0 Em uma batalha, em Damasco, Salomao ganhou, pela vitoria, mil corceis puros- 
sangues. Certa vez, sentado em seu trono, p6s-se a contemplar estes corceis que 
desfilavam diante dele, e fez por tanto tempo, que a noite chegou, e ele ainda os 
contemplava, embevecido em sua beleza e majestade. 

(2) Segundo uma linha exegetica, cavalo, sempre, foi motivo de grande estima, por 
parte do profeta Salomao, que considerava um meio impar nas guerras de 
conquista. Tanto assim que, este versiculo, tal como traduzimos, reafirma essa 
predile9ao e exclui a outra linha exegetica que adota, para este versiculo, a 
interpreta9ao de que Salomao matara os cavalos, por haverem afastado da 
ora9ao, interpreta9ao esta polemica, pois e incompativel com a conduta de um 
profeta, gesto tao insensato. 

(3) Alusao a prova pela qual Salomao passou, quando, havendo tido um filho, os 
demonios quiseram mata-lo ou enlouquece-lo, com receio de que este pudesse 
submete-los a arduos trabalhos. Ciente disso, Salomao protegeu filho, fazendo-o 
caminhar nas nuvens. Entretanto, certo dia, por surpresa sua, encontrou-o morto, 
em seu trono. Percebeu, entao, seu erro em nao deixar que filho ficasse apenas 
na prote9ao de Deus. Arrependido, aumentou sua fe. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



750 '(r.j^\ 



fA J> djj-*» 



soberania, que a ninguem, depois 
de mim, seja concebivel ter. Por 
certo, Tu, Tu es O Dadivoso." 

36. Entao, submetemo-lhe o 
vento; corria suave, por sua ordem, 
para onde quer que ele visasse, 

37. E OS demonios, de toda 
especialidade, construtores e mer- 
gulhadores, 

38. E outros aos pares, atados a 
grilhoes. 

39. E dissemo-lhe: "Este e 
Nosso Dom. Entao, faze merce 
dele ou retem-no, sem que des 
conta disso." 

40. E, por certo, ele tera, junto 
de Nos, um lugar proximo e 
aprazivel retorno. 

41. E menciona Nosso servo Jo, 
quando chamou por seu Senhor: 
'Tor certo, Sata tocou-me com 
quebrantamento e castigo." 

42. Ordenamo-lhe: "Bate na 
terra com o pe: eis uma agua 
fresca para te lavares e beberes." 

43.- E dadivamo-lo com sua 
familia e, com ela, outra igual^^\ 
por misericordia vinda de Nos e 
lembranfa para os dotados de 
discernimento - 






3l#^jS(^6>^15 






^S;y;i^^i^j)\il5'/^o^ 



UJoV£a; 



L^:^ Li^:?^J (^'!i^ 35^4)^3 \ijip^il5 



-? ^ 






^c^j^>:[pi;ir^a^^\ 






(l)Cf. XXI 84 nl. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



751 



rr tji-i 



fA J> 5j^ 



44. "E apanha, com tua mao, um 
feixe de graminea; entao, bate^'^- 
Ihe com ele, e nao violes teu 
juramento." Por certo, encontramo- 
lo perseverante. Que excelente servo! 
Por certo, ele era devotado a Allah. 

45. E menciona Nossos servos 
Abraao e Isaque e Jaco, dotados de 
vigor e visao. 

46. Por certo, Nos os privile- 
giamos, com um privilegio: a 
lembran9a da Derradeira Morada. 

47. E, por certo, estao junto de 
Nos, entre os melhores dos 
escolhidos. 

48. E menciona Ismael e Al 
Yassa^^^^ e Zal-Kifl^^\ E todos eles 
estao entre os melhores. 

49. Esta e uma Mensagem. E, 
por certo, havera, para os piedosos, 
aprazivel retomo: 

50. Os Jardins do Eden, de 
portas abertas para eles; 

51.Neles, ficarao reclinados^^^; 









^ jU^\ Il^iJla>iii^^^I:J^^l5 






^^M'^"^^^^ 



y^ ^^4>^'^Q><^ v^ L^ 



(0 Em um dos comentarios do Alcorao, consta que a mulher de Jo, com o fito de ver 
recuperado seu marido, quase sucumbiu a tenta9ao de fazer oferenda a Sata, o qual 
Iho inspirara. Sabedor de tal ignominia, jurou Jo castiga-la com uma centena de 
golpes. Deus, entretanto, para resguardar sua mulher do castigo e para, ao mesmo 
tempo, fazer preservar o juramento feito por Jo, inspirou-lhe que, em vez de cem 
golpes, desse um so com um molho de cem hastes herbaceas. 

(2)Cf. VI 86 n3. 

(3)Cf. XXI 85 n2. 

(^) Nos jardins paradisiacos, os bem-aventurados jamais experimentarSo a fadiga, o 
esfor90, o trabalho. Estarao em perene estado de delicia. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



752 



tr ^>i 



T/s Jp 5jj-*» 



neles, requestarao abundantes frutas 
e bebidas, 

52. E, junto deles, havera aquelas 
de olhares restritos a seus amados, 
todas da mesma idade. 

53. Isto e o que vos e prometido, 
para o Dia da Conta. 

54. Por certo, este sera Nosso 
sustento, inesgotavel. 

55. Isto, para os bem-aven- 

turados. E, por certo, havera, para 
OS transgressores, um pior retomo: 

56. A Geena; nela se queimarao. 
Entao, que execravel leito! 

57. Eis ali; entao, que eles o 
experimentem: agua ebuliente e 
um vazar purulento, 

58. E outros castigos da mesma 
especie, de tipos varios. 

59. Dir-se-lhes-a^*^ "Esta e uma 
turba despenhada convosco no 
Fogo." Dirao^^^: "Para ela, nao 
havera boas-vindas. Por certo, 
sofrera a queima do fogo!" 

60. Eles^"^^ dirao: "Ao contrario, 
para vos e que nao havera boas- 
vindas! Sois vos que no-lo^"*^ 



)sAr^ 



Sl4^^ JlliC^Sp^;^^!^^ 



3 ^\lj^%^i)jX^3\j^ 









J^ 



(0 Assim dirao os guardiaes infernais aos lideres dos idolatras, no Fogo. 

(2) Assim dirao os lideres dos idolatras a turba recem-chegada ao Fogo. 

(3) Eles: OS recem-chegados ao Fogo, ou seja, os seguidores dos lideres dos idolatras. 

(4) Lo: castigo. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



753 



rr t>i 



fA J^ djj-- 



antecipastes. Entao, que execravel 
lugar de permanencia!"; 

61.Dirao: "Senhor nosso! A 
quern no-lo antecipou, acrescenta- 
Ihe o duplo castigo, no Fogo." 

62. E dirao eles^'\- "For que 
razao nao vemos uns homens^^\ que 
consideravamos dos malfeitores? 

63. "Tomamo-los por objeto de 
escamio por engano, ou se nos 
desviaram deles as vistas?" 

64. For certo, isso sera verdade: a 
disputa dos companheiros do Fogo. 

65. Dize, Muhammad: "Sou, 
apenas, admoestador. E nao ha deus 
senao Allah, O Unico, O Dominador, 

66. "O Senhor dos ceus e da 
terra e do que ha entre ambos, O 
Todo-Foderoso, O Constante Fer- 
doador." 

67. Dize: "Ele^"^^ e um magnifico 
informe, 

68. "Ao qual estais dando de 
ombros. 

69. "Eu nao tinha ciencia 
alguma da corte altissima, quando 
disputavam^ \ 






< " ? A " 






^^:^\]^^'^pQ'^/jS^ 









Sji^ife^J 



Q^^^^C^yo) 






(0 Eles: OS lideres idolatras. 

(2) Alusao aos moslimes pobres, escravizados pelos ricos. 

(3) Ele: o Alcorao. 

(4) Alusao ao epis6dio ocorrido entre os anjos, a respeito da delibera?^© divina de 
fazer de AdSo califa na terra. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 



754 



rr ^>i 



fA y> Sjj^ 



70. "Nao me e revelado senao 
que sou, apenas, evidente admoes- 
tador." 

71. Quando teu Senhor disse aos 
anjos: "Por certo, vou criar de 
barro um homem, 

72. "E quando o houver formado 
e, nele, houver soprado algo de 
Meu Espirito, entao, cai, proster- 
nados, diante dele." 

73. E todos OS anjos proster- 
naram-se, juntos, 

74. Exceto Iblis. Ele se ensober- 
beceu e foi dos infieis. 

75. Allah disse: "6 Iblis! O que 
te impediu de prostemar-te diante 
daquele que criei com as Proprias 
macs? Ensoberbeceste-te, ou es de 
alta grei?" 

76. Iblis disse: "Sou melhor que 
ele. Criaste-me de fogo e criaste-o 
de barro." 

77. Allah disse: "Entao, sai 
dele^^\ pois es, por certo, maldito; 

78. E, por certo, Minha maldi9ao. 
sera sobre ti, ate o Dia do Juizo." 

79. Iblis disse: "Senhor meu! 
Concede-me dila9ao, ate um dia, 
em que eles serao ressuscitados." 






^oi^1;^i^\:^ 









( ^ ) Dele: do Paraiso. 



38. Suratu Sad 



Parte 23 755 yr i.j^\ 



fA J> 5jj-^ 



80. Allah disse: "Entao, por 
certo, seras daqueles aos quais sera 
concedida dila9ao, 

81. "Ate o dia do tempo 
determinado." 

82. Iblis disse: "Entao, por Teu 
poder! Eu os farei incorrer no mal, 
a todos, 

83."Exceto Teus servos predi- 
letos, entre eles." 

84. Allah disse: "Entao, a ver- 
dade emana de Mim, e a verdade 
Eu digo: 

85. "Com certeza, encherei a 
Geena de ti e dos que, entre eles, te 
seguirem, de todos vos." 

86. Dize, Mulyammad: "Nao 

vos pe90 premio algum por ele^*^ e 
nao sou dos dissimulados. 

87. "Isso nao e senao Mensagem 
para os mundos. 

88. "E, em verdade, sabereis de 
seus informes, apos certo tempo." 






CAo:} jj^l 






^h^SAx^hi 



Caa) Jj^JJb joli ^^iii43 



(0 Por ele: pelo Alcorao. 



39. SOratu Az-Zumar Parte 23 



756 



rr ^>i 



T^ jA^\ fljJ-»» 



SURATU AZ-ZUMAR^^^ 
A SURA DOS AGRUPAMENTOS 



De Makkah - 75 versiculos. 

Em nome de Allah, O 
Misericordioso, O Miser icordiador. 

l.A reveIa9ao do Livro e de 
Allah, O Todo-Poderoso, O Sabio. 

2. Por certo, N6s fizemos descer, 
para ti, Muhammad, O Livro, 
com a verdade. Entao, adora a 
Allah, sendo sincero com Ele, na 
devo9ao. 

3. Or a, de Allah e a pura devo^ao. 
E os^^^ que tomam protetores, alem 
dEle, dizem: "Nao os adoramos 
senao para que eles nos aproximem, 
bem perto de Allah." Por certo, 
Allah julgara, entre eles, naquilo de 




^m^v. 



-^ 






X^' 



) :jj^yl\^^a^^S\ 






( ^ ) Az-zumar: plural de zumrah, grupamento de pessoas. Esta palavra, mencionada nos 
versiculos 71 e 73, vai denominar a sura, que se inicia pela apologia do Alcorao, 
como Mensagem divina, e pela exorta^ao a adora9ao sincera de Deus e pela 
refuta^ao das heresias, tais como a de afirmar que Deus tern filho. E, a seguir, ela 
reitera a soberania de Deus na cria^ao universal e na cria^ao do Homem, fazendo 
ver, claramente, que Deus almeja a Seus servos a cren^a, e nao a descren^a, e que 
o ser humano, ao ser atingido por desgra^as, volta-se para Deus e O olvida, 
quando em situa^ao prospera. Mais adiante, a sura lembra os homens da Gra^a 
divina, que Ihes envia a agua vivificadora e frutificadora da terra, provendo a 
todos com sustento. O Alcorao volta a ser lembrado, assim como sua influencia 
sobre os tementes a Deus. Ha, ainda, o cotejo entre o crente sincero e o idolatra, 
evidenciando que eles nao se igualam. E continua, considerando que, apos a 
morte, toda a humanidade dara conta no Dia do Juizo. Depois de relatar o destino 
dos desmentidores dos mensageiros, patenteia que Deus faz abrir as portas da 
misericordia aos homens, perdoando-lhes os pecados, se se arrependerem antes da 
morte. Finalmente, a sura lembra o Derradeiro Dia, que se anunciara com os sons 
da trombeta e ira ate o Julgamento Final, apos o que os homens se encaminharao, 
em grupos, para seu destino: uns para o Fogo, outros para o Paraiso. 

(2) Os: OS idolatras de Makkah. 



39. Suratu Az-Zumar Parte 23 



757 



tr ^>i 



T^ yjJi djj-*» 



que discrepam. Por certo, Allah nao 
guia quern e mentiroso, ingrato. 

4. Se Allah desejasse tomar 
para Si um filho, Ele escolheria o 
que quisesse, dentre quanto cria. 
Glorificado seja Ele! Ele e Allah, 
O Unico, O Dominador. 

5. Ele criou os ceus e a terra, 
com a verdade. Ele enrola a noite 
no dia e enrola o dia na noite. E 
submeteu o sol e a lua; cada qual 
corre ate um termo designado. Ora, 
Ele e O Todo-Poderoso,